Seguro Educacional - clube dos corretores de seguro do abc

Сomentários

Transcrição

Seguro Educacional - clube dos corretores de seguro do abc
Edição nº50 • Janeiro/Fevereiro/Março 2016 • Ano XVll
ESCOLA
Seguro
Educacional
Iniciativa
tranquilidade na
hora dos estudos
Previna-se
Consórcio é boa opção
para adquirir veículo ou
imóvel?
Especialista alerta para
riscos do uso do celular
ao volante
página 13
página 18
Fala Corretor
Corretores esclarecem
dúvidas sobre o mercado
de seguros
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
página
20 1
ABC Seguro
2 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Editorial
Palavra do
Presidente
Associação dos Corretores de
Seguros do Grande ABC
CNPJ 03.127.033/0001-95
Chegamos ao ano de 2016 e temos expectativas de que
a economia e os negócios retomem seu crescimento
no país. Como corretores de seguros, naturalmente
nos posicionamos aos lado de empresários, e da
sociedade civil como um todo, com o intuito de auxiliar
no desenvolvimento de suas atividades com segurança e
tranquilidade.
Nesta primeira edição do ano, a número 50 da revista
ABC Seguro, a matéria de capa chama a atenção para a
importância dos seguros no setor da educação. Também
abordamos o seguro condominial, mostrando que é
preciso ter cautela no momento de obter uma renda extra
por meio do aluguel de topo de prédios para antenas de
telefonia. Especialistas alertam que os riscos nem sempre
compensam.
Além dos assuntos citados acima, nossa revista
traz informações e dicas para auxiliar os leitores em
diversos aspectos do cotidiano, com dicas de cuidado e
manutenção em automóveis, sugestões de lazer, cultura
e de atividades que contribuem com sua saúde e bemestar. Confira!
Aproveite a leitura!
Israel Marques
Presidente
O que é o Clube dos Corretores?
É uma entidade sem fins lucrativos, políticos ou partidários,
sem interesse particular de grupo ou entidade. Tem como
objetivo exclusivo a interação em prol dos corretores de seguros
estabelecidos na região do ABC, e que estão autorizados a operar
em todas as modalidades de seguros pela SUSEP.
EXPEDIENTE
Presidente
Israel Marques
Diretor Secretário
Jocimar de Carvalho
Diretor Financeiro
José Roberto Miranda
Diretor de Relações Externas
João Carlos Lauer de Carvalho
Diretor de Cultura e Ética
Thiago Marques Fecher
Conselho Fiscal
Katsuo Ota
Gilmar Aparecido Falamesca
Everaldo Nunes Guimarães
Suplente
Roberto Gonçalves Lopes Filho
Administração
Rua Capeberibe, 564 – Sala 23
Bairro Barcelona
São Caetano do Sul/SP
Tel: (11) 4124-6741
[email protected]
Revista ABC Seguro
Presidente do Conselho Editorial
Israel Marques
Projeto Gráfico e Editorial
KB Assessoria em Comunicação Ltda.
Av. Imperador Pedro II, 354
2° andar - sala 33
Nova Petrópolis
Cep: 09770-420 SBC-SP
(11) 4332-9808
Diretora de Redação: Kelly Boscarioli
Jornalista Responsável: Frank Neres
MTB 66.258/SP
Arte e Diagramação: Arthur Donato
Impressão: Grafica Print Express
Fone: (11) 9-7531-2568
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 3
Sumário
05 Notas
10 Capa
Empresas se organizam
para driblar a crise e gerar
negócios
12 Bem-estar
Excesso de ruído no
ambiente de trabalho pode
causar perda de audição
13 Iniciativa
Consórcio é boa opção para
adquirir imóveis e veículos?
Seguro
Educacional
ESCOLA
14 Divirta-se
tranquilidade na
hora dos estudos
Intercâmbio na terceira idade
15 Cultura
Sistemas de autopublicação
mudam mercado editorial
08 Mercado
18 Previna-se
Aluguel de topo de prédio
para antenas deve ser
examinado com cautela
Riscos do uso do celular ao
volante
20 Fala Corretor
16 Entrevista
Tire suas dúvidas!
21 Opinião
“A importância do seguro
empresarial” – por Carlos
Alberto Oliveira de Melo
4 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Especialista fala sobre
contratação de seguros para
micronegócios
Notas
E
Empresas se organizam para driblar a crise e
gerar negócios
mpresários do Grande ABC
estão investindo em novas
formas de fortalecer e fomentar parcerias com o intuito de
driblar a crise. Uma das estratégias é
a participação em grupos que estimulam novos negócios por meio do
marketing “boca a boca” e técnicas de
networking. O BNI (Business Network
International) é um exemplo disso.
No Brasil, essa ideia está presente em
19 cidades e, só no ano passado, gerou R$ 60,2 milhões. Esse formato de
negócio já existe há 30 anos nos Estados Unidos, baseada no “Givers Gain”,
ou seja, se eu lhe trouxer oportunidades de negócios, você vai me trazer
oportunidades de negócios. Durante
uma hora e meia, donos de empresas e profissionais liberais apresentam
seus negócios, pedem indicações e
formam suas redes de negócios.
Aplicativo gratuito facilita a prospecção de clientes
O
IBPT Prospect é um
aplicativo gratuito para
smartphones e tablets
que,
em
segundos,
permite localizar empresas em uma
determinada região, município ou
Estado.
Basta informar parte do
nome da empresa, para visualizar
rapidamente o CNPJ, endereço,
atividade econômica, situação junto à
Receita Federal e outros dados.
Caso
queira
prospectar
novos
clientes, o profissional precisa apenas
informar o CEP e poderá visualizar
os estabelecimentos existentes nas
proximidades, facilitando a seleção
e agendamento de visitas. Com
interface moderna e de fácil utilização,
o aplicativo criado pelo IBPT
(Instituto Brasileiro de Planejamento
e Tributação) está disponível para
download no Google Play.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 5
Seguro de RC protege profissionais
da área médica
O
seguro de responsabilidade civil ainda é pouco conhecido no Brasil, mas é de
grande importância para
profissionais liberais, sobretudo para
médicos e dentistas. Esse tipo de seguro garante o reembolso das despesas por condenações judiciais quando
o profissional causa danos a terceiros.
A cobertura do seguro é restrita a processos por erros ou omissões do pro-
fissional no exercício da sua atividade.
“A área de saúde é de uma complexidade muito grande, e esses profissionais podem sofrer consequências
de ações judiciais. O produto garante
o valor da condenação ou o valor do
acordo extra judicial até o limite de
garantia contratado, incluindo honorários e custas do processo”, explica o
superintendente executivo de Seguros
Sepultamento é o
serviço mais utilizado
na Assistência Funeral
L
idar com questões burocráticas quando ocorre o falecimento de algum familiar pode ser uma tarefa árdua.
Nestes momentos, a contratação de uma Assistência
Funeral pode dar tranquilidade e segurança a todos
os envolvidos. Um levantamento da Brasil Assistência mostra
que o serviço mais utilizado por quem contrata esta comodidade é o de sepultamento, que vai desde o registro do óbito,
até a elaboração de documentos, preparação e transporte do
corpo. Já o período de maior incidência, segundo a companhia, é durante os feriados.
“Em momentos sensíveis como esse a natural falta de conhecimento sobre como proceder pode se tornar um grande
peso. Contar com a cobertura de uma Assistência Funeral,
individual ou para a família, contribui muito para evitar transtornos”, afirma o vice-presidente da Brasil Assistência, Eduardo Sena.
6 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Tradicionais do Grupo BB e Mapfre,
Danilo Silveira.
Nos últimos três anos, a Mapfre Seguros, registrou aumento de 26% na
comercialização de apólices do Responsabilidade Civil Profissional, que
cobre o valor de até R$ 600 mil e é
direcionado a médicos, dentistas, veterinários, fisioterapeutas, farmacêuticos e enfermeiros.
Jovens têm medo de outros motoristas
U
ma pesquisa feita nos Estados Unidos, pela Penn
Schoen Berland em parceria
com a Ford, revelou que as
gerações de hoje têm medos diferentes daqueles que seus pais ou avós
tinham quando jovens. Os consumidores das gerações Y (16 a 22 anos)
e Z (23 a 34 anos) têm mais medo de
motoristas imprudentes e distraídos
(totalizando 88% dos entrevistados),
do que de falar em público (75%),
da morte (74%) ou de cobras e aranhas (69%). O estudo foi realizado em
2015, com mil jovens entrevistados.
A pesquisa também mostrou que,
para eles, a tecnologia pode ser uma
grande aliada na solução das preocupações com o trânsito. “Pesquisas
como essa são importantes para a
Ford e para outras montadoras porque falam sobre as situações que
causam mais estresse nos consumidores”, afirmou o gerente de marketing da Ford Motor Company, Cristal
Worthem.
Amortecedores recondicionados
comprometem segurança veicular
Q
uebras inesperadas e acidentes podem ocorrer com o uso de
peças recondicionadas. Encontradas facilmente no mercado e
com preços atrativos, essas peças muitas vezes não atendem
às especificações técnicas e aos padrões de qualidade. No
caso dos amortecedores, o alerta se faz ainda mais necessário, pois o
componente está diretamente atrelado à segurança veicular, sendo
responsável por manter o contato permanente dos pneus com o
solo, garantindo a estabilidade e a boa dirigibilidade.
Segundo Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico
da Monroe (fabricante de amortecedores), o recondicionamento
pode maquiar itens comprometidos. “Em muitos casos, as peças
são apenas lavadas e pintadas, ganhando aparência de novas. Nos
amortecedores reformados, é comum utilizar um tipo de óleo diferente do fluido especificado para o equipamento, fazendo com que
ele apresente variação na carga de amortecimento”, informa Caretta.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 7
Mercado
Aluguel de topo de prédio para antenas
deve ser examinado com cautela
Meio alternativo para gerar receitas e equilibrar contas de condomínios residenciais pode
trazer dores de cabeça a moradores, caso seja implantado sem análise técnica especializada
Q
uando a situação financeira do país piora, é normal
que as pessoas afetadas
se movimentem para buscar o reequilíbrio de suas contas,
quer reduzindo despesas, quer buscando outras fontes de receitas. Em
edifícios residenciais, umas das alternativas para se conseguir receitas
extras é o aluguel de seu topo para
colocação de antenas para empresas
operadoras do sistema de telefonia
celular. No entanto, é preciso ter
cautela antes de assinar um contrato
do tipo, adverte o engenheiro civil
Flavio F. de Figueiredo, conselheiro
do IBAPE/SP (Instituto Brasileiro de
Avaliações e Perícias de Engenharia
de São Paulo) e diretor da Figueiredo & Associados Consultoria.
Segundo o especialista, trata-se de
uma alternativa que precisa ser exa-
8 ABC Seguro
minada em detalhes. “Colocar uma
antena não significa apenas instalá-la e ponto final. Normalmente,
associados à antena existem equipamentos, instalações elétricas relevantes que percorrem o prédio de
cima a baixo, para-raios etc, além de
ser necessária a liberação para acesso sem restrição de dia ou horário a
todo esse sistema”, afirmou o engenheiro.
sional independente, que compare a
necessidade da empresa que irá alugar o espaço com as reais condições
do local. “Nessa etapa, devem ser
verificados principalmente as capacidades do edifício, as interferências
que existirão entre seus sistemas e
aqueles que devem ser instalados
pela locatária e os reforços e instalações adicionais que deverão ser
implantados”, explicou.
O primeiro ponto a ser estudado
diz respeito à aprovação pelos condôminos, pois as lajes de cobertura
integram o rol das partes comuns
do edifício. A aprovação deve levar
em conta a natureza da instalação,
sua abrangência e as disposições
expressas na convenção de condomínio e na legislação. Além disso,
antes da celebração do contrato, é
necessária análise técnica por profis-
Na relação dos itens que devem ser
verificados, destacam-se: capacidade de carga da estrutura, considerando sua situação real; capacidade do sistema elétrico; sistema de
proteção a descargas atmosféricas;
locais por onde passarão cabos; impermeabilização de lajes; segurança
patrimonial. Concluída a análise que
comprove ser viável a implantação,
com interferências previamente de-
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
“O que vale são as condições de cada seguradora para assumir o risco.
É fundamental que o segurado, no caso o condomínio, conte com a
orientação de um corretor de seguros para analisar o contrato firmado
com a empresa de telefonia e também as condições da seguradora
escolhida”.
Marcelino Odlevati – Corretor de Seguros do Grupo Odlevati
Além disso, é conveniente que, a partir dos riscos inerentes à implantação,
manutenção e à própria existência da
antena e de suas instalações, sejam
definidas as coberturas de seguros
que o condomínio e a empresa de
telefonia deverão contratar. Segundo
o corretor de seguros Marcelino Odlevati, do Grupo Odlevati Corretoras
de Seguros, inicialmente, deverá ser
contratado pelo responsável pelo
prédio onde será instalada a antena o
seguro condominial, com a cobertura específica para queda de antenas,
anúncios luminosos e instalações do
tipo. Além disso, deverá ser contratada também a cobertura de responsabilidade civil, isso porque o tipo de
cobertura varia de acordo com o tipo
de sinistro que pode ocorrer.
“Se a antena cair e danificar o prédio,
o seguro condomínio, caso tenha a
cobertura específica, vai cobrir os danos relativos. Agora, se a antena cair
na rua, por exemplo, em cima de um
carro, seria necessária a cobertura de
Foto Divulgação
Ainda do ponto de vista técnico, devem constar em contrato a necessidade de obtenção pela locatária das
aprovações e licenças públicas necessárias e a previsão das condições em
que as áreas do edifício em que ocorrerão as intervenções deverão ser devolvidas no encerramento da locação.
Para evitar dúvidas futuras, antes da
entrada da locatária, o Figueiredo indica a realização de vistoria técnica
detalhada, que mostre a situação dos
locais em que serão feitas intervenções, para instalação da antena e dos
componentes desse sistema.
responsabilidade civil. Há também a
questão relativa às causas da queda
da antena. Se foi por vento, o condomínio deverá ter em sua apólice a
cobertura de vendaval”, explica o corretor.
Por parte da empresa de telefonia
dona da antena, deverá ser contratado seguro com cobertura para riscos
de engenharia e também para responsabilidade civil. Dessa forma, se
for constatado algum dano por conta
de erro de projeto, será o seguro de
risco de engenharia que cobrirá.
O corretor explica também que, em
seguros, existe a questão da subrrogação de direitos. “A seguradora do
condomínio, que indenizou pela sinistro, vai tentar se ressarcir sobre o
proprietário da antena. Ou seja, de
qualquer forma, a empresa de telefonia vai ser acionada. Todos os danos
causados pela antena são responsabilidade do dono. Só que, o condomínio, por estar locando o espaço,
também é corresponsável”.
Marcelino explica que o exemplo citado é uma questão hipotética, não é
uma regra. “O que vale são as condições de cada seguradora para assumir o risco. É fundamental que o segurado, no caso o condomínio, conte
com a orientação de um corretor de
seguros para analisar o contrato firmado com a empresa de telefonia e
também as condições da seguradora
escolhida”, ressaltou.
De acordo com o engenheiro Flávio
Figueiredo, embora possam, à primeira vista, parecer exageradas, as
providências aqui relacionadas são as
básicas e devem ser complementadas
caso a caso, para propiciar tomada de
Marcelino Odlevati - Corretor de
seguros do Grupo Odlevati
Foto Divulgação
finidas e aprovadas, é preciso que os
aspectos mais relevantes sejam consignados no contrato.
Eng. civil Flavio F. de Figueiredo conselheiro do IBAPE/SP e diretor da
Figueiredo & Associados Consultoria.
decisões com fundamentação técnica
devidamente documentada, para se
evitarem dissabores futuros, seja na
comunidade condominial, ou com a
empresa locatária.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 9
Capa
ESCOLA
Seguro
Educacional
tranquilidade na
hora dos estudos
Companhias seguradoras oferecem produtos e serviços especializados para instituições de ensino
C
om a volta às aulas, retornam
também as preocupações
dos pais com os seus filhos
e das instituições de ensino
pelas grandes responsabilidades que
assumem. Atentas a esse cenário, as
companhias seguradoras oferecem
produtos e serviços especializados
para instituições de ensino, a fim de
mitigar os principais riscos, como
acidentes ocorridos em âmbito
escolar, prejuízos ao patrimônio da
escola, entre outros.
Um levantamento interno da Brasil
Assistência mostrou que o maior
10 ABC Seguro
número de intercorrências escolares
acontece com crianças entre 5 e
12 anos de idade, e com maior
incidência durante os intervalos.
Entre as ocorrências mais comuns
estão: quedas da própria altura;
colisões com colegas; torções no
tornozelo e cortes no supercílio.
Entre as mais graves, as de maior
incidência, segundo levantamento,
envolvem quedas de muros e
escadas.
“Crianças, jovens e adolescentes,
em idade escolar, passam boa parte
do dia nas instituições de ensino e,
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
por estarem acostumadas a correr e
brincar, grande parte de incidentes
leves e até alguns acidentes mais
graves, são registrados neste
período e em ambientes escolares”,
comentou a coordenadora de
Assistência Médica Internacional da
Brasil Assistência, Izadora Arreche.
A Assistência Educacional da Brasil
Assistência auxilia estudantes não
apenas em acidentes emergenciais,
mas também com orientação
psicológica e com professor para
reposição de aulas nos casos de
faltas decorridas por motivos de
“Quando se planeja um negócio, é importante inserir o seguro, porque ele
garante que, caso ocorra um imprevisto, não seja preciso parar as atividades.
Se houver um incêndio na escola, por exemplo, com o seguro contratado e
cobertura de aluguel, a Porto Seguro paga, além da indenização, o valor do
aluguel de outro imóvel para que as aulas continuem.”
Jarbas Medeiros – Superintendente de Ramos Elementares da Porto Seguro.
Para o superintendente de Ramos
Elementares da Porto Seguro, Jarbas
Medeiros, o seguro proporciona
tranquilidade e conforto tanto para
as escolas quanto para os alunos,
pais e professores. As instituições
de ensino contam com diversos
tipos de coberturas pensadas
especificamente para o segmento,
além de serviços de assistência 24
horas.
“O Brasil tem mais de 200 mil
escolas e estimamos que apenas
20% delas possuam seguros. Ou
seja, 80% das escolas ainda não têm
proteção alguma. Por isso, estamos
trabalhamos junto com os corretores
na divulgação dos nossos produtos
e diferenciais, para que possamos
estender essa proteção a um
número maior de escolas”, afirmou o
executivo.
Entre as coberturas que a Porto
Seguro
oferece
há
garantias
para: reposição de equipamentos
eletrônicos
(notebook,
tablet,
câmera digital, projetores etc) de
professores, caso sejam roubados
em trânsito entre os campus da
escola em que lecionam, em assalto
a mão armada; bens de alunos,
em caso de arrastões dentro das
escolas; despesas médicas em casos
de alunos que passam mal ao ingerir
alimentos fornecidos pela escola;
qualquer dano material ou corporal
que os alunos possam sofrer em
atividades e eventos organizados
pela escola fora do campus.
Foto Divulgação
saúde, bullying e até síndrome do
pânico. Dividido em três produtos,
“Educacional”, “Bullying e Síndrome
do Pânico” (destinados ao bemestar dos filhos do usuário para
orientá-los caso sofram agressões,
discriminações ou síndrome do
pânico) e “Educa 24 horas” (alunos
do ensino infantil ao vestibular
encontram reforço separados por
segmento e disciplina), a assistência
foi desenvolvida para apoiar escolas
e instituições de ensino de todo país
e, a partir delas, beneficiar alunos e
pais em serviços combinados.
Jarbas Medeiros - Superintendente de
Ramos Elementares da Porto Seguro
Outra seguradora que também
oferece proteção a diversos modelos
de instituições de ensino (escolas de
arte e desenho, de dança, particular
de educação infantil, maternal,
pré-escola, ensino médio e/ou
fundamental, de idiomas e música,
entre outras) é a Tokio Marine. Além
das habituais garantias contra os
riscos de incêndio, roubo, curto-
circuito, quebra de vidros e vendaval,
o “Tokio Marine Escolas” inclui a
possibilidade de contratação, em
uma única apólice, de seguro de vida
e de despesas médicas hospitalares
de empregados. O seguro também
prevê reembolso de despesas
com honorários advocatícios e de
empresa especializada em assessoria
de imprensa e comunicação, em
situações que possam afetar a
credibilidade da instituição.
Segundo o diretor executivo de
Produtos Pessoa Jurídica da Tokio
Marine, Felipe Smith, o produto
multirriscos
oferece
cobertura
de
responsabilidade
civil
que
ampara os alunos nas atividades
realizadas dentro e fora da
instituição, estendendo-se inclusive
ao transporte diário escolar e a
eventos como colações de grau,
bailes de formatura, feiras culturais
e quermesses. “Também oferecemos
a inédita cobertura de guarda de
bicicletas e motonetas e indenização
de equipamentos sem depreciação.
Estamos focados em oferecer
soluções práticas que facilitem o
trabalho dos nossos parceiros e
tragam tranquilidade aos clientes”,
declarou.
Assim como em qualquer tipo de
negócio, prever riscos e agir com
intuito de reduzir seus danos é uma
atitude essencial para instituições de
ensino, sejam privadas ou públicas.
Nesse sentido, as seguradoras tem
atuado para ampliar coberturas e
expandir o atendimento às escolas
brasileiras.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 11
Bem-estar
Excesso de ruído no
ambiente de trabalho
pode causar perda de
audição
Muitas portas têm se fechado a candidatos considerados inaptos a uma vaga de
trabalho em função de alterações na audição
C
onviver com o barulho é inevitável em muitas profissões.
Operadores de Call Center, trabalhadores de gráfica, músicos,
operários de fábrica, entre outros, estão
expostos a ruídos intensos. Prevenir a
perda auditiva, porém, é possível com
o uso do protetores de ouvido que, em
muitos casos, acaba sendo um acessório
indispensável.
A exposição continua a sons acima de
85 decibéis por mais de oito horas pode
levar à perda de audição. “Nós não imaginamos, mas em um ambiente normal
de trabalho, como um escritório, o som
pode chegar a até 70, 80 dB. Em muitas
atividades, sejam elas de trabalho ou
mesmo lazer, há uma grande exposição
ao ruído, de forma alternada ou contínua. Isso faz com que o índice dos que
têm perda auditiva induzida por ruído
(PAIR) esteja crescendo”, explica a fonoaudióloga Isabela Carvalho, da Telex So-
luções Auditivas.
No Censo do IBGE de 2010, 9,7 milhões
de brasileiros declararam ter alguma deficiência auditiva (5,1% da população). Já
segundo a Sociedade Brasileira de Otologia, entre 15% e 20% da população no
país têm zumbido, sintoma que indica
perda auditiva. A entidade informa que
entre 30% e 35% das perdas de audição
decorrem da exposição a sons intensos,
seja em ambiente profissional ou de lazer.
Mitos e verdades sobre
a infertilidade
M
ilhões de mulheres casadas e em idade reprodutiva apresentam problemas de infertilidade
em todo o mundo. No entanto, muitos mitos
rondam o tema e distanciam pacientes dos
tratamentos. Para esclarecer alguns conceitos sobre o assunto, o diretor da Fertivitro, Dr. Luiz Eduardo Albuquerque,
médico ginecologista especializado em reprodução humana, comenta alguns casos.
Mitos:
– Homens que fizeram vasectomia não podem ter filhos
– Errado: Se o paciente tem uma azoospermia obstrutiva
(vasectomia), ou seja, apresenta um bloqueio do sistema
de transporte de esperma, é possível tentar a retirada de
espermatozoides diretamente do testículo e realizar o procedimento de fertilização in vitro.
– Pílula anticoncepcional pode causar infertilidade – Errado: Não é correto afirmar que se usada por muitos anos,
12 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
a pílula prejudica a fertilidade. O que ocorre é que a mulher
já possui algum problema de infertilidade, mas não sabe por
nunca ter tentado engravidar.
Verdades:
– Excesso de peso pode diminuir a fertilidade. O desequilíbrio
hormonal pode causar Síndrome do Ovário Policístico, ciclos
menstruais irregulares, anovulação (diminuição ou parada da
ovulação) e poucas chances de gestação.
– Má alimentação pode afetar a infertilidade masculina. Dietas ricas em carne vermelha e carboidratos refinados prejudicam a capacidade de movimentação dos espermatozoides. E
homens que ingerem gorduras trans apresentam diminuição
na quantidade de espermatozoides encontrados no sêmen.
Iniciativa
Consórcio é uma boa opção para
adquirir imóveis e veículos
Especialista em investimentos aponta pontos positivos e negativos do consórcio e dá dica
para consumidor fazer o melhor negócio
N
a hora de comprar um imóvel ou um veículo, uma dúvida que é comum surgir
entre os consumidores é
sobre a forma de efetivar o negócio.
Para quem não conta com o dinheiro
para pagamento à vista, consórcios e
financiamentos são as opções mais comuns. Mas o que é melhor? Nem sempre a resposta é óbvia. É preciso analisar os objetivos de cada consumidor.
De acordo com o especialista em investimentos e CEO da Magnetis, Luciano
Tavares, os consórcios podem não ser
uma boa opção, já que funcionam essencialmente como um sorteio: quem
é contemplado no início, recebe seu
produto rapidamente pagando praticamente zero de juros; já os “azarados”
acabam pagando pelo bem desejado
antes de recebê-lo, sem serem remu-
nerados por isso. “O problema é que
todos acreditam que serão comtemplados cedo, mas a verdade não é
essa”, afirmou.
Em relação aos financiamentos, a
maior vantagem dos consórcios também ocorre no caso de a pessoa ser
contemplada logo nos primeiros meses. “Quem é contemplado cedo, terá
financiado sua compra a um juros muito mais baixo do que o financiamento.
Quem for contemplado tarde, terá recebido muito menos do que se tivesse aplicado os recursos”, esclareceu o
especialista.
Segundo Tavares, a melhor opção ainda é evitar consórcios e financiamentos investindo o dinheiro das parcelas
até conseguir realizar a compra à vista. “A taxa de juros no Brasil é uma das
mais altas do mundo, portanto o valor
de uma aplicação cresce rapidamente
e permite que o consumidor compre
o imóvel antes do que imagina. Além
disso, ao pagar à vista, terá maior poder de barganha junto ao vendedor”,
explicou.
O especialista ressaltou que, com um
pouco de planejamento e paciência,
é possível, sim, comprar imóveis ou
veículos sem precisar recorrer parcelamentos. “Existem ferramentas como
a Magnetis que ajudam o investidor
a calcular os valores e prazos necessários”, concluiu Tavares. A Magnetis
(www.magnetis.com.br) é uma plataforma de investimentos online, pioneira no Brasil, que oferece serviços de investimento automatizado para pessoas
físicas.
Veja abaixo outras categorias de consórcio:
Consórcio de
veículos
Consórcio de
cirurgias estéticas
Consórcio de
Barcos
Consórcio de
imóveis
Consórcio de
eletrodomésticos
Consórcio de viagens
e pacotes turísticos
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 13
Divirta-se
Kartódromos no
ABC: velocidade e
diversão!
P
ara quem gosta de um pouco de adrenalina de vez
em quando, uma ótima opção de divertimento são
as corridas de kart in door. Voltada principalmente para o lazer, essa variante do kartismo é praticada com veículos bastante simples, que podem atingir
a velocidade máxima de aproximadamente 50 km/h. Com
o crescimento da popularidade do esporte, é possível encontrar diversos kartódromos nas cidades do Grande ABC,
localizados em shoppings e supermercados. As corridas
ocorrem em baterias de 30 minutos, que custam em média
R$80, incluindo os equipamentos de segurança. As pistas
contam com marcadores de tempo e, em alguns casos, até
premiações para os melhores pilotos. Junte os amigos, coloque o capacete e experimente o prazer da velocidade!
Intercâmbio na terceira idade
S
e você pensa que intercâmbio é coisa de jovem que
está começando a carreira e deseja aprimorar o
idioma, está enganado. Atualmente, a melhor idade
também está investindo na realização desse sonho,
que acaba se tornando mais pessoal do que profissional.
Esse tipo de intercâmbio está em ascensão. Segundo
pesquisa feita, em 2013, pela Associação Brasileira de
Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta),
10% das agências possuem serviços específicos para esse
público. Em 2011, somente 2,8% atendiam esse nicho.
14 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Uma das inciativas do mercado voltadas ao público
sênior é o “Fifty Plus”, da agência de intercâmbio World
Study, que conta com viagens em formato diferenciado e
programação descontraída. “Os países mais procurados
por este público são Itália, Malta, Inglaterra e Canadá,
onde inclusive há escolas com salas de aula voltadas para
o público sênior. Além de aprender e aprimorar uma nova
língua, ainda aproveita para fazer cursos de degustação de
vinhos e história da arte em museus, por exemplo,” afirmou
o diretor regional da World Study Moema, Nelson Massaro.
Cultura
Sistemas de autopublicação
mudam mercado editorial
I
Usuário já pode ter acesso a assinaturas de filmes, músicas e até audiolivros utilizando
computadores, tablets e smartphones
númeras são as razões que podem
levar alguém a escrever um livro,
desde o gosto pela literatura até a
vontade de contar uma história real
de superação. Também há os profissionais que elaboram obras didáticas sobre
suas áreas de atuação, como professores,
especialistas em informática, advogados,
entre outros. Escrever, nesses casos, até
pouco tempo, poderia ser considerada a
parte mais fácil do processo, se comparada com a possibilidade de publicação
das obras, que, tradicionalmente, dependem da análise por parte das editoras
e da aceitação do mercado. Mas este
cenário está mudando. Diversas plataformas da internet possibilitam, hoje, a
autopublicação. É o caso do site Nossos
Autores – www.nossosautores.com.br - e
também do site Autores Independentes
-www.autoresindependentes.com.br–,
que permitem aos escritores a publicação gratuita de suas obras, além de
oferecerem serviços editoriais especializados àqueles que tem intenção de investir em suas criações. A tecnologia está
promovendo uma verdadeira democratização da cultura.
A economia dos desajustados
E
m todo o mundo, seja em cidadezinhas ou metrópoles, existem “desajustados” atuando
de modo mais criativo do que
algumas das maiores empresas do
mundo, desenvolvendo soluções para
desafios que os negócios tradicionais
não conseguem nem tocar. Essas pessoas inovadoras habitam um mundo
que, segundo a sabedoria convencional, não deveria ter nada a ver com os
principais mercados. Contudo, longe
representarem uma ameaça à estabilidade socioeconômica, eles são pioneiros em novos modos de pensar e
operar, estabelecendo práticas mais
eficazes que podemos todos aprender e aplicar nos mercados formais. “A
economia dos desajustados” (Figurati), de Alexa Clay e Kyra Phillips Maya,
tem como objetivo desvendar novos
horizontes para os empreendedores.
Memórias do bullying
O
fenômeno bullying é assunto de constante preocupação entre professores, pedagogos, psicólogos, pais
e estudantes em todo o mundo. A
psicóloga Tahiana Andrade S. Borges
trata da questão no livro “Memórias
do bullying” (Talentos da Literatura
Brasileira). A autora aborda o tema a
partir de duas perspectivas: a experi-
ência profissional como estudiosa dos
fenômenos psicológicos relacionados
ao bullying; as próprias vivências de
quem sofreu por conta dele na infância. Tahiana leva o leitor a compreender as formas e a origem da violência
escolar, o perfil das crianças envolvidas, as consequências na vida infantil
e adulta, e as estratégias de prevenção.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 15
Entrevista
Contratação
de seguro para
micronegócios
Especialista fala sobre os benefícios da
contratação de seguros por parte dos
microempresários brasileiros
O
s micronegócios, como salões de beleza, lanchonetes,
pequenas oficinas mecânicas, sapatarias e muitos
outros, representam a maior parte
dos empreendimentos no mercado
brasileiro. Segundo dados do Sebrae
(Serviço Brasileiro de Apoio às Micro
e Pequenas Empresas), as pequenas e
médias empresas constituem 99% dos
6,4 milhões de estabelecimentos existentes no país e são responsáveis por
52% dos empregos com carteira assinada no setor privado, ou seja, cerca de
16 milhões trabalhadores. Mesmo com
a grande importância que possuem
para a sociedade, são poucos os micronegócios que possuem um seguro
empresarial.
Para falar sobre como o seguro pode
auxiliar os microempresários, a revista
ABC Seguro entrevistou o diretor co-
16 ABC Seguro
mercial Agency da ACE, Gustavo Rey
de Carvalho. A ACE criou uma nova
área, denominada Agency, a fim de
conceder um atendimento especial
aos corretores e assessorias de seguros que atuam com pequenas e médias
empresas. Para esses parceiros, o novo
departamento está cuidando da distribuição, vendas, canais de venda, estratégia, capacitação e relacionamentos.
Confira a entrevista a seguir!
ABC Seguro: Qual é a importância do
seguro para os micronegócios?
Gustavo Rey de Carvalho: O seguro
exige um pequeno investimento e os
benefícios são enormes, pois minimiza
prejuízos em função de eventos indesejados, que não raramente chegam
a determinar o encerramento das atividades do micro negócio. O risco de
incêndio, por exemplo, encontra-se
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
sempre presente nessas empresas, tendo em vista possibilidades como sobrecarga e falha de manutenção na rede
elétrica, entre outros fatores. O roubo
de bens e valores provocado por agentes internos e externos representa outra
ameaça para o micro negócio. Esses e
vários outros riscos associados com o
patrimônio da empresa podem estar
cobertos pelo seguro de Riscos Patrimoniais da ACE, reconhecido como um
dos melhores do mundo.
ABC Seguro: Fale sobre a importância
do seguro de Responsabilidade Civil
para negócios desse tipo?
G. R. de Carvalho: Nos últimos anos
as pessoas se tornaram mais conscientes de seus direitos de cidadania e não
mais perdem tempo em procurar a justiça quando se sentem prejudicadas.
Por isso, é cada vez mais comum obser-
“O seguro exige um pequeno investimento e os benefícios são enormes, pois minimiza prejuízos em função de eventos indesejados, que
não raramente chegam a determinar o encerramento das atividades
do micro negócio.”
Diretor comercial – Agency da ACE, Gustavo Rey de Carvalho.
Foto Divulgação
falhas na prestação de serviços e até
mesmo acidentes ambientais.
São casos em que a justiça normalmente dá razão ao reclamante, com
base nas leis de proteção ao cidadão
e ao consumidor. Nestes eventos, o
seguro pode cobrir desde as despesas
com o advogado até uma eventual indenização, em função de condenação
na justiça. Para esta classe de riscos,
a ACE apresenta um amplo conjunto
de proteções de Responsabilidade Civil, área em que a empresa se destaca
como referência mundial.
Gustavo de Carvalho
Diretor comercial - Agency da ACE
var pequenos negócios sofrerem ações
na justiça por conta de danos morais
e materiais em função de acidentes
nas dependências do estabelecimento,
ABC Seguro: Que outro tipo de seguro
pode servir de auxílio para microempresários?
G. R. de Carvalho: O seguro de Vida
em Grupo representa outra grande
oportunidade para o micronegócio.
Esta forma proteção, que pode ser adquirida a preços mais acessíveis, concede mais tranquilidade e valoriza o
trabalho dos profissionais. Com relação
ao Seguro de Vida, em especial, a ACE
possui um amplo leque de coberturas
flexíveis, que podem ser facilmente
contratadas de acordo com as necessidades especiais de cada parceiro.
ABC Seguro: Quais serviços podem
ser agregados aos seguros direcionados aos micronegócios?
G. R. de Carvalho: O seguro da ACE
para o micronegócio também oferece
assistência 24 horas em caso emergencial. Assim, o segurado também conta
com serviços importantes como chaveiro, encanador, eletricista, vidraceiro,
limpeza, segurança e vigilância, transferência e guarda de móveis e cobertura provisória de telhados.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 17
Previna-se
Riscos do uso do celular ao volante
Pelo menos 120 mil motoristas foram multados nas estradas brasileiras nos últimos
anos por utilizarem o aparelho ao volante
N
o Brasil, dirigir utilizando o
telefone celular configura infração média, resultando em
quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e multa
de R$ 85,13. No entanto, a penalidade
financeira pode não ser o maior prejuízo
que os motoristas podem ter por conta
do uso do aparelho ao volante: cometer
essa infração coloca muitas vidas em risco.
De acordo com o diretor executivo da
Dekra Automobil GmbH, Gerd Neumann,
uma distração, mesmo que aparentemente por um período pequeno, pode
ter consequências fatais. “Se alguém
dirigindo a 50 km/h tirar seus olhos da
estrada por apenas dois segundos, ele
dirigirá cego por quase 28 metros. Isso
pode resultar em um acidente desastroso”, afirmou.
18 ABC Seguro
Somente no primeiro semestre de 2015,
comprovou-se que dirigir utilizando o
telefone celular está entre as infrações
mais comuns cometidas na cidade de
São Paulo, segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). O
mais curioso é que, em outro balanço,
divulgado em 2005, a prática já se mostrava constante. Já a pesquisa realizada
em junho de 2015 pela Polícia Rodoviária
Federal revelou que, nos últimos cinco
anos, pelo menos 120 mil motoristas foram multados por utilizarem o aparelho
ao volante nas estradas brasileiras.
Engana-se, porém, quem acredita que
esse mau hábito no trânsito está presente apenas entre brasileiros. Uma pesquisa
realizada pela Dekra na Alemanha, com
aproximadamente 10 mil motoristas,
mostrou que 3% utilizavam os celulares
no ouvido enquanto estavam dirigindo.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Na Alemanha, o motorista é punido com
um ponto no Registro Central de Transgressão ao Trânsito e uma multa de 60
euros, aproximadamente R$ 250.
“Motorista usando o celular não é uma
cena rara de se ver. Mas a prática ficou
ainda mais recorrente após a disseminação dos aplicativos de celular voltados
para a troca de mensagens ou GPS”, comenta o engenheiro da Dekra no Brasil,
André Vieira.
A Dekra ainda alerta que comunicar-se
com um celular não é a única atividade
pela qual os motoristas ficam distraídos
na direção. Mexer no rádio, navegar no
sistema multimídia, maquiar-se, comer,
beber e fumar também são práticas inadequadas frequentes entre brasileiros e
alemães.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 19
Fala Corretor!
Tire suas dúvidas
1. A cobertura básica de qualquer seguro automotivo já inclui
guincho? Como funciona? Qual o limite de uso?
Resposta: Em primeiro lugar, para respondermos este questionamento ao
leitor/consumidor, temos que saber o
que o mesmo entende por “cobertura
básica” pois os seguros automotivos
hoje comercializados pelas companhias seguradoras e homologados pela
SUSEP se dividem em: Seguro Compreensivo (seguro total com coberturas: colisão, incêndio, roubo/furto,
RCF...); Seguro Incêndio e Roubo (seguro parcial com coberturas: incêndio e
roubo, RCF...); Seguro RCF (seguro com
coberturas somente para RCF (danos
materiais e corporais) para Terceiros.
Entendo que, quando o leitor/consumidor diz “seguro básico” estaria se referindo ao Seguro Compreensivo, neste caso, podemos confirmar ao mesmo
que, sim, existe o serviço de guincho,
que está inserido nos serviços da Assistência Emergencial 24h oferecidos pelas seguradoras, e cada companhia tem
suas regras e normas estabelecidas
para as formas e limites de utilizações.
Os serviços de Assistências 24h são denominados “Planos de Assistência” e,
geralmente, oferecidos nas seguintes
categorias: Básica, Especial e Executivo,
em que cada um deles tem seus diferenciais, oferecendo tipos de serviços,
limites de utilizações, limites de km e
outros serviços disponíveis para cada
categoria de plano contratado.
Logo, podemos afirmar que já na “Assistência Básica” oferecida pelas seguradoras existe, sim, o serviço de guincho
nos casos de colisões, pane mecânica,
pane seca e roubo/furto com recuperação do veículo. As limitações de uso
e solicitações que podem ser realizadas
durante a vigência do seguro, o leitor/
consumidor deve verificar no resumo
oferecido pelas companhias, descritos
na “Apólice de Seguro” ou nas “Condições Gerais” que seguem junto com as
apólices no momento da contratação
do seguro.
Paulo César Lopes Valdivia
PCLV Corretora de Seguros
2. Em que situação é aconselhado elevar o valor da cobertura de RC no seguro automotivo?
Resposta: O preço do seguro RCF
(Responsabilidade Civil Facultativa) é
muito baixo com relação ao veículo e
à grande responsabilidade que o segurado tem se for responsabilizado por
um acidente. Entre R$50 mil, R$ 100 mil
e R$ 200 mil a diferença de custo entre
os valores é muito pequena. O corretor
deve falar sobre a importância de ter
uma importância significativa para essa
cobertura, pois, hoje, existem muitos
veículos importados e bastante caros
rodando, sem contar os danos corporais que podem ser causados caso o
segurado se envolva em algum acidente com vítimas. Na prática, o segurado
acaba falando para o corretor: “Nossa!
R$ 100 mil é muito. Eu não vou bater
em ninguém”. Hoje, em nossa corretora, aconselhamos a importância de R$
150 mil para essa cobertura, mas acabo
perdendo alguns negócios, pois outros
corretores ainda oferecem o seguro de
RCF com o valor de R$ 50 mil, infelizmente.
Carlos Alberto Pelais
Auriplena Corretora de Seguros
Dúvidas?
Envie sua pergunta para:
[email protected]
20 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Foto Divulgação
Opinião
A importância do seguro empresarial
I
números são os desafios para
aqueles que decidem montar
uma empresa. Um bom planejamento deve englobar, desde o
início, a redução dos riscos específicos de cada área, além dos gerais,
como os prejuízos que podem ser
causados por fenômenos climáticos (raios, vendavais, etc), acidentes
(incêndios e explosões) e atividades
humanas (tumultos, entre outros). A
imprevisibilidade desses eventos tornam a contratação de um seguro empresarial uma atitude extremamente
importante para a continuidade de
empreendimentos em caso de sinistros, evitando que patrimônios erguidos à base de muito trabalho sejam
destruídos de uma hora para outra.
Assim, o seguro empresarial, muito
além de resguardar bens, contribui
para o emprego de diversos trabalhadores, podendo, inclusive, manter
o pagamento de custos fixos, imposto, folha de pagamento e instalação
temporária da empresa em outro local.
O primeiro passo para a contratação de um seguro empresarial é a
identificação da atividade desenvolvida pelo empreendimento. Assim,
a seguradora pode fazer o enquadramento técnico do risco a ser garantido. É preciso ressaltar que, na
maioria das vezes, o risco só é aceito
pela companhia depois da análise de
alguns pontos, como as condições do
local a ser segurado. São examinadas:
instalação de extintores, que devem
ser adequados a cada tipo de atividade; instalações elétricas, que devem
estar em boas condições; o estoque
correto de produtos e mercadorias,
se houver; entre outros.
Em suma, o seguro empresarial oferece tranquilidade para que os responsáveis por empresas, de diferentes
setores e portes, preocupem-se somente com o que importa de verdade, que é o desenvolvimento dos seus
negócios.
As exigências para que o seguro empresarial possa ser contratado são
bastante simples: basta que a empresa a ser segurada seja legalmente
constituída no país e que sua atividade faça parte do portfólio aceito pela
companhia seguradora escolhida.
Hoje em dia, as seguradoras oferecem pacotes de seguro empresarial
com coberturas diversas, atendendo
à praticamente todas as necessidades referentes aos riscos existentes,
disponibilizando também serviços de
assistência 24 horas (chaveiro, encanador etc). Além da cobertura básica
(contra incêndio, queda de raio e explosão), o seguro empresarial prevê
uma série de coberturas adicionais,
entre elas: despesas fixas e lucros
cessantes; danos elétricos; quebra
de vidros; vendaval, furação, ciclone,
tornado, granizo, impacto de veículos
(terrestres/aéreos) e fumaça; desmoronamento; alagamento e inundação;
transporte de valores; responsabilidade civil, entre outros.
Carlos Alberto Oliveira de Melo
Corretor de seguros, contador e diretor
do grupo CAOM, que atua nas áreas
de contabilidade, seguros e licitações.
Atualmente, é membro da Comissão
de Tributos do Sincor-SP (Sindicato dos
Corretores de Seguros).
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 21
Associados
Em defesa do Clube. Em defesa da ética.
Adonay Roberto Giarola
INTERACTA Corretora e Admr de Seguros
Ltda.
Andreas Oberhuber
Matrix Soluções Corret. de Seguros Ltda.
Angelo Aparecido do Nascimento
Agree Corretora de Seguros Ltda.
Antonio José Guazzelli
Security Corret. Seguros S/C Ltda.
Arnaldo Odlevati Júnior
Odlevati Corretora de Seguros
Áureo Sanches Peralta
Nova York Corret. de Seguros Ltda.
Carlos Alberto de Oliveira Melo
Caom Corretora de Seguros
Carlos Alberto Pelais
Auriplena Corret. de Seguros S/S Ltda.
Carlos Eduardo de Andrade
Pessoa Física
Carlos Lima Conceição
NETTPLAN Corretora de Seguros Ltda. ME
Cássia Maria Del Papa
Del Papa & Cia. Corret. de Seguros
Célia Kaoru Ogata Masumo
Marui Corretora de Seguros Ltda.
Edson Barranco
Edson Barranco Corret. de Seguros Ltda.
Edson Lasse Fecher
Alfatec Corret. de Seguros Ltda.
Edson Medeiros
Assist. Ass. Cons. e Corr. de Seg. S/S Ltda.
Edson Ribeiro Gatto
Erglife Corretora de Seg. de Vida e Cons em
Planos de Saúde Ltda.
Eduardo de Santana
Alpha Adm. Corretagem de Seguros Ltda.
Eduardo Sakamoto
EDUSAKA Administração e Corretagem de
Seguros Ltda.
Elaine de Lourdes Arruda
Pau-Brasil Asses. e Corr. de Seguros Ltda.
Elisabete Gomes Illa Ornelas
ELLUS ABC Corretora de Seguros Ltda - ME
Elvis Eduardo Naves
Pessoa Física
Ernesto Queiroz de Lima
Líder Corretora de Seguros
Everaldo Nunes Guimarães
Titoneli & Guimarães Corretora de Seguros
Fábio Eduardo Gerevini
Fast Gold Asses. e Corret. de Seguros Ltda.
Fábio Vinicius Moraes Assalim
MONDINI Corretora de Seguros
Francisco Carlos Ussuna Lopes
ANDREMAP Adm Corretora de Seguros Ltda
Giandomenico Costalonga
Verbano Corretora de Seguros Ltda.
Gilmar Aparecido Falamesca
VIP Master Union Consultoria e Corretagem
de Seguros LTDA.
Godofredo Tadeu de Gesso Carneiro
Carneiro S/S Ltda.
22 ABC Seguro
Irene Silva de Morais
M&M Marília Corretora Seguros S/C Ltda.
Irma Antonia Fioravanti Venâncio
Avm Corretora Seguros Ltda.
Israel Marques
Crivo Marques Corret. de Seguros Ltda.
Ivo Moreninho de Araújo
Imasa Corretora de Seguros Ltda.
João Carlos Coelho
Adm- Administr. e Corr. de Seguros Ltda.
João Carlos Lauer Carvalho
VOCARE VERITÀ Corretora de Seguros Ltda.
Jocimar de Carvalho
ARATAN – Corretora de Seguros Ltda.
Jonas Bittioli
XAVANTES Corretora de Seguros Ltda.
José Augusto Reis Caldeira
JARC Seguros Corretora de Seguros e
Administração Ltda.
José Cardoso Correa
Régia Corretora de Seguros Ltda.
José Elieudo de Oliveira
JMO Corretora de Seguros Ltda.
José Leandro Crispim
Segcor Corret. de Seguros Ltda
José Macedo
ATRIOS Corretora de Seguros S/C Ltda.
José Roberto de Oliveira
JLeal Express Corret. de Seguros Ltda.
José Roberto Miranda
Pau-Brasil Asses. e Corr. de Seguros Ltda.
José Valdir Antonio
CLAVVA Corretora de Seguros Ltda.
Katsuo Ota
Pessoa Física
Leandro Giroldo
LEMMO Corretora de Seguros
Leopoldo Pedalini Neto
Ass. Assertiva Consult. e Corr. de Seguros
S/S Ltda.
Loretta Filippetti Nucci
Loretta Corretora de Seguros
Lúcia Rodrigues Shaffer
Elle Consultoria e Corr. de Seguros Ltda.
Marcelino Odlevatti
Odlevati Corretora de Seguros
Marcelo Cinoto
Cinoto & Cecilio Ribeiro Corretora
de Seguros Ltda.
Marco Antonio Gonçalves Costa
Macor Adm. e Corr. Seguros Ltda. /
Assemet Corr. de Seguros Ltda.
Marco Antonio Salomé
Pessoa Física
Maria da Graça C. do Nascimento
Shield Corretora de Seguros Ltda.
Marisa Rodergas Pereira
Assist Assertiva Cons. Corr. de Seguros
Massaiuki Nacao
Pessoa Física
Meire Cristina Domingues Medeiros
Assist. Assert. Cons. e Corr. de Seg. S/S Ltda.
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
Milton Pereira
Pessoa Física
Nelson Hildebrand Corrêa
Pessoa Física
Neudecir Antonio Rosalem
Deneseg Corr. de Seguros Ltda.
Neves Celeste Suhadolnik
Neves Celeste Suhadolnik
Ocimar Bissiato
Fusion Corr. de Seguros e Administradora de
Benefícios Ltda.
Ornaldo César Bertacini
Planus Corretora de Seguros
Osvaldo Gomes Vieira
Essência Corretora de Seguros S/C Ltda.
Patrícia Sabadin
SANTOS E SABADIN Corretora de Seguros
Paulo César Lopes Valdivia
PCLV Corretora de Seguros
Paulo Jorge Burdelis
Burdelis A C S S/C Ltda.
Priscila Gomes Matos
PRIGOMA Corretora de Seguros
Rafael Câmara Guzzo
INTERACTA Corretora e Admr de Seguros
Ltda.
Ricardo José Cardoso
Régia Corretora de Seguros Ltda.
Roberto Andreoli
ANDREMAP Adm e Corretora de Seguros
Ltda.
Roberto Gonçalves Lopes Filho
Lopes & Filho Corretora de Seguros
Rodnei Della Maggiora
Loja London Corretora de Seguros
Rosangela Aparecida Andreoli
AMARPEQ Adm Corretora de Seguros Ltda.
Rosangela Carvalho de Souza Balieiro
Aspen Milenium Adm. Corr. de Seguros
Sady José Viana Sobrinho
Sady Corretora de Seguros Ltda.
Sergio Dos Santos Ornelas
ELLUS ABC Corretora de Seguros Ltda - ME.
Sérgio Paulo Antunes
Pessoa Física
Sérgio Ricardo do Nascimento Rodrigues
Shield Corretora de Seguros S/C Ltda.
Sueli Frizzero Conceição
NETTPLAN Corretora de Seguros Ltda – ME
Thiago Marques Fecher
ALFATEC Corretora de Seguros Ltda.
Vagner Paschoali
OLIPASS - Adm. e Corretor de Seguro Ltda.
Valdemar Beleze
Beleze Corretora de Seguros S/C Ltda.
Vilma Alves Pereira Barranco
Edson Barranco Corr. de Seguros Ltda.
Wiliam Bernardi Vianna
Corretora William Bernardi Vianna
Willian Aparecido Costa
Phoenix Sul Americana Corr. de Seg. Ltda
33
Anos de
Tradição
Serviços Automotivos
ATENDEMOS SINISTROS
PARA TODAS AS SEGURADORAS
E SERVIÇOS PARTICULARES
PINTURA 100%
BASE D´ÁGUA
ECOLOGICAME
NTE
CORRETA
Nacionais
e Importados
G2 GOIÁS AUTO SERVICE
Av. Queirós dos Santos, 1 700 - S to. André
4438-1 21 2
Adílio Inácio da Silva
DIRETOR
GOIÁS CAR EXPRESS
GOIÁS CAR AUTO SERVICE
Av. Goiás, 2346 - São Cae tano
R. Maximiliano Lorenzini, 253 - São Cae tano
4224-61 66
4228-61 66
Janeiro / Fevereiro / Março 2016
ABC Seguro 23
24 ABC Seguro
Janeiro / Fevereiro / Março 2016

Documentos relacionados