O Ano-novo vem aí! - Amazon Web Services

Сomentários

Transcrição

O Ano-novo vem aí! - Amazon Web Services
.COM.BR
O Ano-novo vem aí!
VELHO MUNDO X NOVO MUNDO / SEM RUMO PELA BORGONHA / UM BRASILEIRO NO GAMBERO ROSSO
Uma turma alto-astral
testa a versatilidade
dos espumantes
em almoço ao ar livre
48
48
ANO 4
DEZEMBRO 2013
Velho Mundo x Novo Mundo, sem
rumo pela Borgonha, um brasileiro
no Gambero Rosso e muito mais
a sua
faz
a
historia
ler
nossa va
a pena
Chegou aquela époCa do ano em que voCê tem novos motivos para
transformar Cada momento em um abraço, um Carinho, uma Celebração.
e a Wine quer estar sempre ao seu lado, porque o nosso ano só vale a
pena quando Começa Com o seu sorriso e termina Com o seu brinde.
Wine.Com.br
0800 602 9463
Menu
Editorial
16
22
O
s ciclos são elementos autênticos da natureza e fundamentais na vida de todos nós.
Permeiam nossas vidas, nosso cotidiano. E as festas de fim de ano são, de certa forma,
o marco do fim de um ciclo e as boas-vindas para um novo.
A verdade é que eu adoro esta época. Como todo bom baiano, este clima de festa, alegria e
união me fascina. Os dias ficam mais positivos e a vontade de fazer as coisas darem certo
nos contagia. São dias para refletir sobre o que passou, planejar os próximos passos e, claro,
celebrar. E muito!
Este momento do ano nos permite refletir sobre o que passou e planejar o que há por vir,
na certeza de que em 2014 teremos ainda mais motivos para comemorar. Também não
posso deixar de agradecer a você, queremos deixar sempre uma lembrança marcante na sua
memória com essa bebida pela qual somos completamente apaixonados.
Chegamos a esta última edição do ano com vontade de compartilhar conhecimento, alegria
e realizações. Nas próximas páginas, você encontrará excelentes matérias, como um
bom bate-papo com Alexandre Bronzatto, o primeiro brasileiro a avaliar vinhos para o guia
Gambero Rosso, um dos mais prestigiados do gênero no mundo.
E, para celebrar ou para aproveitar o verão, os espumantes fazem a alegria dos nossos dias.
Você pode conferir a versatilidade desses vinhos em um almoço divertido entre amigos.
Essas e muitas outras histórias que você encontrará aqui foram preparadas com muito
carinho para inspirar você a começar um novo ciclo com otimismo, dedicação e alegria.
Grande abraço e boas festas a todos!
ROGERIO SALUME
Presidente
[email protected]
4
10 ENTRADA Conte para a gente
o que faz a sua vida valer a pena
FOTOS ARQUIVO PESSOAL (COLABORADORES) / ROGÉRIO MIRANDA (DECANTERS) / FELIPE HELLMEISTER (HORA DE CELEBRAR) /
BRUNO GERALDI (CADERNO DE RECEITAS) / ARQUIVO PESSOAL (BORGONHA)
E comemoração é com a gente mesmo. Acreditamos que a vida é feita de pequenos grandes
detalhes, como reunir à mesa a família, os amigos e os nossos amores. Este ano todo,
trabalhamos para fazer a diferença na sua vida, nas nossas e, acima de tudo, contribuir com a
sua felicidade e com a felicidade de cada um dos mais de 300 wineanos. Essa grande família
que nos tornamos só reforça uma coisa: queremos estar com você em todas as conquistas,
sejam elas suas ou nossas.
31
14 UMA TAÇA COM... Alexandre
Bronzatto, o primeiro brasileiro no
prestigiado guia Gambero Rosso
16 MONDO VINO
Uma injeção de cultura pop no
universo do vinho
22 HORA DE CELEBRAR!
Uma turma alto-astral experimenta
os espumantes da Wine
31 SABOR DE MAR
A versatilidade do camarão em três
receitas rápidas e fáceis de preparar
39 MESA AO LADO
Crônica inspirada em conversas
de restaurante
56 INDICAÇÕES DO
SOMMELIER A seleção do mês
de Manuel Luz
40 CLUBEW As seleções Classic
e Premium e o que vem por aí
60 POR DENTRO DA WINEBOX
As nossas realizações em 2013,
os planos para 2014 e outras
notícias da Wine
46 SEM RUMO PELA
BORGONHA
Um roteiro cheio de surpresas pela
lendária região francesa
52 VELHO MUNDO X NOVO
MUNDO
Geopolítica da produção do vinho:
o que um tem a ver com o outro?
Colaboradores
Bruno Geraldi
Se você salivar ao folhear
as páginas do Caderno
de Receitas, pode botar
a culpa nele. O fotógrafo
é sócio do apetitoso site
noz-moscada.com.
Constance Escobar
Formada em gastronomia
pela UFRJ, a autora do blog
Pra quem quiser me visitar,
que adora comer e viajar,
assina a matéria “Sem rumo
pela Borgonha”.
46
64 SEGREDOS DO VINHO
A história da produção na
África do Sul
66 COORDENADAS
Uma divertida seleção de
rótulos para você
Daniel Almeida
O ilustrador ajudou a interpretar visualmente – entenda-se “a
deixar bonito” – três seções da
revista, além da matéria “Velho
Mundo x Novo Mundo”.
Felipe Hellmeister
Não bastasse ceder a casa, ele ainda
fez as fotos da matéria “Hora de
celebrar!” e da capa. Fotógrafo há
21 anos e formado em cinema, Fepa
é diretor de cena na Fulano Filmes.
Manuel Luz
Nosso sommelier é parte fundamental
da revista que você lê. Ele está por trás
de cada sugestão de rótulo e assina
seções como Segredos do Vinho.
5
Caixa de Entrada
A GENTE ADORA SABER O QUE VOCÊ ANDA FAZENDO OU PENSANDO.
MANDE UM E-MAIL PARA [email protected] OU DEIXE SEU
RECADO EM NOSSAS REDES SOCIAIS!
------------
------------
2
A REVISTA DE CARA NOVA
------------
Recebi a revista de vocês,
47. Mudou ou é outra? Está
MUITO boa. Parabéns!!
Adriano Machado,
via Facebook
Olá, Adriano!
Ficamos imensamente felizes
com sua mensagem. : )
A revista Wine.com.br
passou por um processo de
mudanças, agora é produzida
pela Trip Editora. O conteúdo
continua sendo pensado
com todo carinho e atenção,
para que vocês possam
desfrutar da melhor forma
possível tudo o que o mundo
do vinho nos presenteia.
Vida longa!
Wine Vinhos
SELEÇÃO DE MESTRE
“Vinhos para o dia a dia
com excelente custobenefício.” Está pronta e
aprovada a escolha da
@thaistavares85!
Via Instagram
4
1.Urmeneta Carménère
2013 2.Concha y Toro
Reservado Carménère
2012 3.Trapiche Vineyards
Malbec 2012 4.Esporão
Alandra Tinto 2012 5.Santa
Helena Reservado Cabernet
Sauvignon 2012
------------
Achei o layout e o conteúdo
muito interessantes. A Wine
tem feito parte de momentos
maravilhosos desde que eu
e meu namorado viramos
sócios. Pretendo em breve
mandar registros de nossas
aventuras, espero que se
divirtam tanto quanto a gente.
Débora Batista Pereira,
via e-mail
1
3
5
Lúcia
Oswaldo
Natália
------------
Parabéns pela evolução,
Wine! Excepcional rapidez na
entrega: Classic e Premium
em mãos. E pela belíssima
revista, com formatação e
conteúdo inovadores.
Fabio e Lilian Joly,
via Facebook
------------
NHAMMMM
O Sócio ClubeW Leonardo da Silveira
(Paraty, RJ) caprichou no lombo de
bacalhau grelhado para acompanhar o
Fratelli Dogliani Barbera D’Alba 2010.
Via Facebook
------------
PASSEIO ESPECIAL
O cliente Oswaldo Bernardino
(Petrópolis, RJ) percorreu com a
família o mundo do vinho francês,
como a pequena Saint-Émilion.
Via e-mail
sommelierwine.com.br
VOCÊ SABE QUAL É
O SIGNIFICADO DOS
TERMOS RESERVA E
RESERVADO NO MUNDO
DO VINHO? VEJA EM
VINHO.ME/17CGRH3
VIEIRAS AO MOLHO DE
AÇAFRÃO, DO CINEMA
PARA A SUA MESA!
APRENDA A RECEITA DO
FILME SEM RESERVAS.
VINHO.ME/1AJLR4H
Sempre que encontrar
os selos abaixo, você
vai saber como nossos
vinhos são avaliados
pelos especialistas.
RP
Robert Parker
WS
Wine Spectator
WE
Wine Enthusiast
facebook.com/wine.vinhos
@wine_vinhos
@winevinhos
------------
BLEND PERFEITO
“Black Legion é um blend
de poesia, história e amor!”
@danielpara,
via Instagram
6
------------
PROGRAMA IDEAL
“Pizza e vinho com a
best friend e a mama!”
Boa pedida, @suzicsa!
via Instagram
------------
GRATA SURPRESA
“Chegar em casa e ter duas
WineBoxes com esse conteúdo
te esperando não tem preço!”
@alexander_paulo, via Instagram
FOTOS ARQUIVO PESSOAL
REVISTA WINE | Editor PAULO LIMA Diretor Superintendente CARLOS ALBERTO SARLI Diretor Editorial FERNANDO
LUNA Diretora de Criação CIÇA PINHEIRO Diretor Financeiro AGENOR S. SANTOS Diretor de Núcleo TATO COUTINHO
Conselho Editorial ROGERIO SALUME, ANSELMO ENDLICH, RODRIGO POÇO, RODRIGO COCITTA, NATALIA
GOLDRING e MANUEL LUZ (Wine.com.br); PAULO LIMA, FERNANDO LUNA, CARLOS SARLI e CIÇA PINHEIRO (Trip)
Projeto Gráfico ELOHIM BARROS e RENATA MEIN Diretora de Redação LUCIANA LANCELLOTTI Editor MAURICIO
SVARTMAN Diretora de Arte FERNANDA FICHER Colaboraram nesta edição MARIA MELLO (Editora de Arte),
ERICK HEIDAN (Assistente de Produção Executiva), ALBERTO VILLAS, ANDRÉ VIANA, e CONSTANCE ESCOBAR
(Texto) BRUNO GERALDI, FELIPE HELLMEISTER, RENATO PARADA e ROGÉRIO MIRANDA (Fotografia), DANIEL
ALMEIDA e VERIDIANA SCARPELLI (Ilustração), CYNTHIA GYURU e FLÁVIA LEVORIN (Produção), TATU DAMBERG
(Produção Culinária) Pesquisa de Imagens Coordenação ALDRIN FERRAZ Bibliotecário DANIEL ANDRADE Estagiária
GABRIELA FRAGA LOPES Revisão Coordenação ECILA CIANNI Revisores JANAÍNA MELLO, JAQUELINE COUTO e
MARCOS VISNADI Produção Gráfica WALMIR GRACIANO Produtor Gráfico CLEBER TRIDA Tratamento de Imagens
ROBERTO LONGATTO e ROBERTO OLIVEIRA Assistente de Tráfego Comercial ALINE TRIDA Assistente de Inteligência
e Planejamento JESSICA OSEKI
REVISTA WINE é uma publicação da Trip Editora e Propaganda S/A, www.trip.editora, sob licença da W2W E-commerce de
Vinhos S/A. Redação e publicidade: caixa postal 11.485-5, CEP 05422-970, São Paulo – SP. Tel. (11) 2244-8786/8797
A Trip Editora, consciente das questões
ambientais e sociais, utiliza papéis Suzano
com certificado FSC (Forest Stewardship
Council®) para impressão deste material.
A Certificação FSC garante que uma
matéria-prima florestal provenha de um
manejo considerado social, ambiental e
economicamente adequado. Impresso
na Log&Print Gráfica e Logística S.A. –
Certificada na Cadeia de Custódia – FSC
7
agora voCê Conta Com um serviço eXClusivo da Wine e mais de 2 mil
opçÕes de vinhos e produtos gourmet para montar o presente ideal.
e o melhor: Com entrega em qualquer lugar do brasil.
Wine.Com.br
0800 602 9463
Entrada
Entrada
CONVIDADO ESPECIAL
COMPARTILHE COM A GENTE O MOMENTO EM QUE O VINHO
FAZ A SUA VIDA VALER A PENA. VALE FOTO, FRASE, TRILHA
SONORA... MANDE SUA HISTÓRIA PARA [email protected]
SE PUDESSE CHAMAR
QUALQUER PESSOA PARA
JANTAR, QUEM SERIA?
QUAL O MOTIVO DO ENCONTRO?
“Os preparativos da viagem que a gente vai
fazer para o Chile, agora no fim de 2013,
para visitar os vales do Maipo, Colchagua
e Leyda. A trilha foi um show do Killers
gravado em Londres, que é incrível!”
O BRINDE
Diga “xis”,
Bernardo!
Olha a
Joceline
aqui.
Luz,
câmera,
Bernardo Lopes e os amigos // São Paulo, SP
Os vinhos: Pionero Albarino Mundi Alvarinho 2010
e Crios de Susana Balbo Cabernet Sauvignon 2010
Woody Allen!
10
“Ia ser ótimo conversar com ele
sobre jazz e saber como se inspira
para criar todos aqueles filmes
brilhantes. Meu favorito é Zelig.”
“Todos os meses a gente escolhe um livro e depois se reúne para elogiar ou criticar
a história. Sobra até para o autor. É óbvio que 12 mulheres juntas falam muito
e ouvem pouco, mas a gente se diverte. Dessa vez, foi Catarina, a Grande, do
Robert K. Massie. É uma bíblia, com mil páginas, mas não dá para parar de ler.”
Joceline Seixas, que nunca consegue reunir todas do grupo, mas sempre
garante quórum // São Paulo, SP // Os vinhos: Viña Amalia Reserva Malbec
2008 e Artefacto Reserva 2010
10
FOTOS ARQUIVO PESSOAL / ILUSTRAÇÃO DANIEL ALMEIDA
Fernando Gueiros // São Paulo, SP
O vinho: Miguel Viña Esmeralda 2011
ASSUNTO SEM FIM
“Incrível como o Caetano, o
Chico e o Gil se meteram nessa
confusão das biografias!
Melhor fazer música!
Rogério Fernandes, quando o assunto
pegou fogo na casa do amigo // Ilhabela,
SP // Os vinhos: Toro Loco Tempranillo
2012 e Toro Loco Crianza 2010
Um caso
de amor
Wallace Viana e Kelly Ribeiro entraram em uma adega
apenas para comprar um presente. A placa “degustação
para iniciantes” parecia uma aventura e o casal resolveu
experimentar. “A gente só queria ter uma ideia sobre o
assunto ”, lembra Wallace. A iniciativa deu tão certo que
meses depois eles já percorriam as vinícolas de Mendoza,
na Argentina. “Degustamos 40 vinhos, trouxemos 20 pra
casa”, diz ele. O médico e a fisioterapeuta nunca mais
pararam: já foram para Chile e Uruguai, sempre atrás de
novas experiências. A romântica Mendoza guarda
um significado especial: “Malbec se tornou a nossa uva”,
diz Wallace. “É como o primeiro amor, sempre
temos uma preferência tendenciosa por ela.”
Mande sua história de amor: [email protected]
11
Entrada
Entrada
FOI PARA O INSTAGRAM
DICA DE DVD
5 PERGUNTAS
FRASE DA NOITE
“Cadê a
minha pizza???”
CHAMPAGNE
SEMPRE!
Murilo Gonçalves, quando descobriu que a prima, Natália, se
esqueceu de pedir pizza de calabresa, a ÚNICA que ele gosta.
// Santos, SP // Os vinhos: Casillero del Diablo Reserva
Merlot 2011 e Barton & Guestier Reserva Merlot 2012
Qual foi o motivo do encontro?
Um almoço em família celebrado
com champagne.
“Eu e o Rafael, meu namorado, aproveitamos o
fim de semana para ficar bem juntinhos em casa.
Coincidência: a safra do vinho era do mesmo ano
em que a gente começou a namorar!”
Renata Nacarato, que adorou descobrir que
a rolha do vinho era de vidro // São Paulo, SP
O vinho: Scaia Corvina IGT 2011
Quem você convidou para a
ocasião?
Irmãos, sobrinhos, tios e primos.
A família segue a tradição:
homens na cozinha, mulheres
conversando na sala.
O LUGAR
Buena Vista Social Club,
de Wim Wenders, 1996
“Fazia tempo que eu
e a Patricia, minha
namorada, não víamos
o documentário, que a
gente adora. O Pinot Noir
completou o clima.”
João Guilherme Cardoso
// São Paulo, SP // O vinho:
Goldridge Pinot Noir 2011
QUAL FOI A SOBREMESA?
Que vinhos foram servidos?
Foram dois. O tradicional Moët
& Chandon Brut Imperial e o
Montaudon, que funcionaram
muito bem com pernil, lombo de
bacalhau com batatas e camarão.
A MÚSICA DA NOITE
“Do What”
“Essa banda é demais! Parece que as
músicas transportam a gente para um
salão de dança na época dos gangsters.”
Luísa Assumpção, sobre a banda norte-americana
de swing retrô Squirrel Nut Zippers, em seu almoço
de aniversário. Não, a gente não conta a idade.
São Paulo, SP // O vinho: Salton Prosecco
12
Que pessoa famosa você teria
convidado para a ocasião?
Se pudesse voltar no tempo,
receberia madame Barbe-Nicole
Ponsardin, a viúva Clicquot
(1777- 1866), uma empreendedora
revolucionária que deu status
aos vinhos produzidos até hoje
na região de Champagne.
Arlem Medina Neri // Fortaleza, CE
Os vinhos: champagnes Montaudon
e Moët & Chandon Brut Imperial
FOTOS ARQUIVO PESSOAL / ILUSTRAÇÃO RENATA MEIN
Teve sobremesa?
Claro, um pão caseiro recheado
com nozes e frutas secas.
“Arrumei a mesa ao ar livre
para receber em casa os meus
cunhados, que vivem em Paris. No
menu, filé-mignon com molho de
gorgonzola e aspargos.”
Neriton Vasconcelos, empresário e chef do
restaurante paulistano From the Galley,
no almoço de domingo // São Paulo, SP //
O vinho: Toro Loco Crianza 2010
“Pastéis de nata, que eu e o Armando, meu marido,
adoramos. O Porto, a gente toma sempre gelado.”
Cynthia Motta, que aprendeu com amigos
portugueses a gelar o Porto // Salvador, BA //
O vinho: Dow’s 10 anos
13
Uma Taça com...
ALEXANDRE
BRONZATTO
Primeiro brasileiro a avaliar vinhos para o guia Gambero
Rosso, um dos mais prestigiados do gênero no mundo,
o degustador revela os bastidores dos cinco dias de prova
foto Renato Parada
Aos 38 anos, você, um advogado, integra o time de
avaliadores de um dos guias de vinhos mais importantes do mundo. Como surgiu o convite?
Foi graças ao Nicola Massa, amigo italiano que vive
no Rio. Ele é um dos inspetores do Gambero Rosso e
tem relação estreita com Alessandro Bocchetti, um dos
críticos mais respeitados da Itália e coordenador das
degustações da região de Abruzzo.
Que orientações recebeu antes de analisar os vinhos?
Éramos cinco degustadores numa sala do hotel La
Réserve, em Caramanico Terme. O serviço era feito por
sommeliers formados pela Associazione Italiana Sommelier – quando cheguei, já estava tudo impecavelmente organizado. Bocchetti explicou como é convertida a
pontuação numérica atribuída ao vinho – em um, dois
ou três copos, os famosos tre bicchieri que definem a
classificação máxima de um rótulo.
Quanto tempo durou o processo de avaliação
e quantos vinhos teve que provar?
Foram cinco dias. Fazíamos duas sessões, uma pela
manhã e outra à tarde. Degustamos cerca de 500 vinhos,
entre espumantes, brancos, rosés e tintos. Os sommeliers organizavam baterias com oito rótulos e nós
provávamos às cegas.
14
Mesmo já sendo colaborador de vinhos na
revista Gosto, algo o impressionou?
Sim. A organização das degustações e a
lisura no processo de avaliação, sem que
nenhum dos degustadores – nem mesmo
Bocchetti – soubesse que vinhos integravam a bateria servida.
Entre as características dos rótulos
italianos, qual o agrada mais?
É lugar-comum, mas inevitável: a acidez
e a facilidade de harmonizar com a comida local. Vinhos para beber, e não apenas
para se destacar em degustações. E me
refiro especialmente aos que se situam
numa gama média, não os considerados
top, que às vezes recebem madeira demais e se tornam enjoativos. Claro que se
trata de uma generalização, pois a Itália
é um país de grande riqueza em termos
enológicos e vitivinícolas. Você vai participar de outras edições?
Fui convidado para a próxima, que será
realizada em julho do ano que vem. Espero que minha agenda permita.
Amarone
Tenuta
Sant’Antonio
2005
Clássico, com
2 mil anos de
história, velho
estilo europeu
FOTO DIVULGAÇÃO (GARRAFA)
por Luciana Lancellotti
Bronza, como é
chamado pelos
amigos, já está
escalado para o
Gambero Rosso
do ano que vem
Mondo Vino
UMA INJEÇÃO DE CULTURA POP, PORQUE NEM SÓ DE
BLENDS, SAFRAS E TANINOS VIVE O UNIVERSO DO VINHO
Para o vinho
respirar
edição Alberto Villas e Mauricio Svartman
O momento
omento n
nostalgia
algia do m
mês
vem doss anos 19
1960 – desde
aquela época,
oca, Natal no Brasil já
era sinôni
sinônimo de vinho
vinho. E, quando
se falava
alava em vinho,
ho, a clas
classe média
logo pensava
log
ensava na
naquele
ele garrafã
garrafão de
5 litros que
ue não pod
podia faltar em
nenhuma mesa
nenhum
esa de cei
ceia dee Natal.
A propagan
propaganda, há 50 ano
anos, era
ra
curta e grossa: “Vinho
cu
nho é bom
bom”. E
dizia, ainda,
dizia
da, que er
era “vinho
vinho fam
família:
5 litros”. O Sangue de Boii virou
folclore
olclore qua
quando,
o, ironicam
ironicamente,
nte, foi
aafrancesado
ncesado p
para “Sang du Bois”.
s”.
Leia-se sangue de buá.
Leia
á
"Uva é a única fruta
à qual Deus
deu um sentido"
Philippe Rambeau (Claude Rains), no
clássico O vale das paixões (1959), dizendo
que a existência da uva é justificada pelo
vinho e dando a entender que as outras
frutas estão aí só para bater ponto.
Enquadrados
A californiana Truett-Hurst, de
Sonoma, inovou em suas garrafas:
são quadradas. Os biodinâmicos são
dois varietais: Cabernet Sauvignon
e Chardonnay, além de um blend
com Syrah, Sangiovese, Zinfandel
e Merlot. Cada uma sai por US$ 20.
www.truetthurst.com
16
6
FOTO ROGÉRIO MIRANDA / AGRADECIMENTO CLEUSA PRESENTES / *VALORES SUJEITOS A ALTERAÇÃO
Alberto
por Al
to Villas
Uma seleção de decanters para
deixar a sua mesa ainda mais bonita
FOTOS DIVULGAÇÃO / EVERETT COLLECTION / KEYSTONE BRASIL
SANG
DU BOIS
BOIS
Para
ter em
casa
CORNETTO MAGNUM
RIEDEL 750ml
R$ 379*
spicy.com.br
STRAUSS
CLÁSSICO 750ml
R$ 138*
wine.com.br
STRAUSS
SOMMELIER
R$ 519*
mickey.com.br
Mondo Vino
Combo
O novo mapa do vinho chileno
Um leva
ao outro
Após dois anos de pesquisas, o Chile chegou à melhor
forma de definir os terroirs do país. Se antes os rótulos
diziam o nome do vale produtor e a divisão entre norte
e sul, agora a variação climática de um dos territórios
nacionais mais verticais do planeta estará bem mais
explicada. “Precisamos mostrar que o Chile não é um país
homogêneo”, disse Mario Pablo Silva, o encarregado da
modificação, ao jornal El Mercurio.
COSTA
A Corrente de Humboldt e o impacto do mar na costa
do norte chileno provocam uma brisa, que ameniza o sol
direto nas vinhas dessas regiões. Isso, junto a um solo
com sal e muitos minerais, resulta em vinhos frutados,
equilibrados e elegantes.
ENTRE CORDILHEIRAS
ANDES
A cordilheira criou o deserto mais seco do mundo, o que faz
com que os vinhos da região sejam livres de pragas como a
Filoxera, além de permitir o desenvolvimento da Carménère.
A grande variação de temperatura entre o dia e a noite e a
generosa exposição ao sol produz vinhos de ótima qualidade.
Bons coadjuvantes que não passam em branco
FRASIER CRANE
(Frasier)
CARRIE MATHISON
(Homeland)
Tem um duelo histórico com
A agente da CIA recorre aos
o irmão Niles pelo título de
brancos durante suas crises
“corkmaster” do Clube do Vinho. bipolares – e funciona.
18
TYRION LANNISTER
(Game of Thrones)
NORA WALKER
(Brothers & Sisters)
O personagem mais carismático da série não passa um
capítulo sem os seus tintos.
A matriarca e o resto da
família produzem vinhos
em Ojai, Califórnia.
FOTOS DIVULGAÇÃO / ILUSTRAÇÃO DANIEL ALMEIDA
VINHOS EM SÉRIE
FOTOS DIVULGAÇÃO / PICTURE SIMON BELLIS/SPORTIMAGE - CAL SPORT MEDIA/AP PHOTO/GLOW IMAGES /
DIVULGAÇÃO / PI-LENS/SS/GLOW IMAGES
Na grande depressão de terra entre Andes e Costa, que forma
uma espécie de corredor central, o clima mediterrâneo –
com invernos fortes e verões quentes – cria com o solo um
mosaico de onde saem os melhores vinhos, na maioria tintos.
Hunter's Sauvignon Blanc 2012
All Blacks
Quando a Hunter’s se estabeleceu em
Marlborough, na Nova Zelândia, a região
era famosa pela alfafa. Com seus vinhedos,
ela recolocaria o país no mapa com alguns
dos melhores vinhos do Novo Mundo.
Outro conhecido produto de exportação do
país é o rugby. Líder do ranking mundial,
sua seleção brinda os adversários antes da
pancadaria com a haka, dança maori. Não
chega a assustar, mas que é estranha ela é....
Kiwi
O senhor dos anéis
Hobbits, ents, orcs e... kiwis. Isso mesmo,
o símbolo nacional do país é uma espécie
não menos estranha do que as imaginadas
por Tolkien. Seria uma pena ela substituir o
cachorrinho dos rótulos da Hunter’s, não?
A Nova Zelândia foi palco de outras batalhas
não menos memoráveis: rodada no país, a
trilogia que narra a saga de Frodo Bolseiro
contra o Senhor das Trevas não deixou
pedra sobre pedra e conquistou 17 Oscars.
19
Mondo Vino
Acredite
O BRANCO
DA COPA
Jay McInerney, autor de Bacchus & Me,
disse ao Le Monde que tem em sua casa
4 mil livros – e 4 mil vinhos. McInerney
lembrou: em casa, em 1985, conversava
com o escritor Julian Barnes e provou um
vinho do Rhône, o Châteauneuf-du-Pape
1962. “Já tinha bebido um Châteauneufdu-Pape, mas aquele, em especial, me
fez sentir algo que nunca havia sentido.
Todo o calor da Provence foi traduzido
naquele sabor que jamais esqueci.”
“Nunca, desde que
Baudelaire fumou
ópio, a corrupção
resultou em
tamanha beleza”
Jay McInerney, no livro Bacchus & Me,
sobre o fungo responsável pelo Sauternes,
vinho de sobremesa
20
A texana Lollyphile, especializada em
açúcares não fermentados, decidiu inventar
moda e colocou no mercado pirulitos sabor
vinho. As opções: Cabernet Sauvignon,
Chardonnay ou Merlot. Como a propaganda
é a alma do negócio, o anúncio destaca
modelos sensuais se divertindo com os
docinhos inofensivos. O pacote com quatro
sai por US$ 10. lollyphile.com
Desconfie
A japonesa B&H Lives
lançou no mercado um
vinho para gatos. Tudo
muito especial, sem
álcool. A bebida é feita
de suco de uvas Cabernet
Sauvignon, com adição
de vitamina C. O vinho
japonês tem o sugestivo
nome de Nyan Nyan
Nouveau, o equivalente
a “novo miau miau”. A
empresa produz também
a Woof Woof Bier, uma
cerveja para cachorros.
pet-bitokenko.com
PLAYLIST por Elohim Barros
Qual a safra
desse pirulito?
FOTOS DIVULGAÇÃO
O calor da
Provence
Aquelas manchas escuras
deixadas nos lábios e dentes
pelo vinho tinto estão
com os dias contados. A
promessa é da californiana
Borracha, que produz os
Wine Wipes, lencinhos
umedecidos com solução
à base de bicarbonato
de sódio. De acordo com
o fabricante, o aroma
de laranja não interfere
na percepção de notas
olfativas e gustativas. Cada
embalagem traz 15 lenços e
custa em média US$ 7,50.
craftedbyborracha.com
Branco e Copa do Mundo.
O que isso lembra? 1994,
Holanda, falta cobrada
pelo lateral, a esquivada
do Romário, gol! Lembra?
Bem, vamos inserir
outro componente nessa
associação: o Faces Branco
2012, da vinícola Lídio
Carraro, vinho oficial da
Copa do Mundo. A seleção
de uvas – Chardonnay,
Moscato e Riesling Itálico –
veio toda da Serra Gaúcha,
conhecida área de cultivo
na terra do Felipão.
“Wine wine wine”
“Bread and wine”
JIMMY BLINKEY
The Chess Story Box
PETER GABRIEL
Passion
Um petardo entre as 343
músicas no recheio desta
caixa, que poderia ser chamada de bíblia do blues.
Saideira da trilha sonora
do filme A última tentação
de Cristo.
Melhor idade
A gente adorou a capa da edição
de novembro da revista Vida
Simples, da Editora Abril. A
metáfora, comparando aos vinhos
quem sabe atravessar o tempo com
sabedoria, é simples e eficiente. Diz
a reportagem: “Envelhecer pode
ser um pouco mais difícil para o
corpo, mas para a alma pode fazer
um bem incrível”.
“My old Kentucky
home (Turpentine
and Dandelion Wine)”
RY COODER
Ry Cooder
Ry passeia com tranquilidade
pelos estilos sulistas dos EUA.
“I will drink
the wine”
FRANK SINATRA
Sinatra & Company
“Company” se refere
a ninguém menos que
Tom Jobim e Eumir Deodato.
21
HORA DE
CELEBRAR!
Helena, artista
plástica, irmã
da Mari e mãe
da Emilia
Mari, a dona da
casa, é mulher
do Fepa, que
clicou o almoço
Kiko, diretor de
TV na Bossa Nova
Filmes, é marido da
Raquil e pai da Olivia
A revista Wine.com.br organiza um almoço
entre amigos para testar a versatilidade dos
espumantes, a bebida oficial do Ano-Novo
Raquil é ligada
em sustentabilidade
e dona da empresa
Parangolé, de
artigos para festas
por Luciana Lancellotti
Giovana, estilista
descolada e – mais uma!!!
– integrante do time de
fotógrafos do grupo
fotos Felipe Hellmeister
Ana, publicitária, é mulher
do Marcelo e autora do
site Singelices, com textos
sobre o lado bom da vida
Marcelo também
manda bem nos
cliques: é diretor de
fotografia e pai da
Manu e da Lorena
A RIGOR OS CONVIDADOS NEM PRECISARIAM
saber ao certo o endereço. Antes mesmo de tocar a
campainha, já é possível sentir no ar o perfume de
tomilho e erva-doce que evapora do forno. Ouve-se,
também, a voz macia e lendária de Billie Holiday entoando a canção “Cheek to Cheek”, imortalizada por
Fred Astaire, ao som de risadas animadas, que sentenciam: lá dentro tem gente que sabe se divertir. A dona da casa, Mariana Machado, ex-proprietária do
restaurante Florinda, em São Paulo, recebe sorridente
os amigos, mas logo aponta para o bolo de chocolate,
recém-desenformado sobre a bancada da cozinha: “Você
viu que a massa não cresceu direito?”. À primeira vista,
não há nada de errado com a sobremesa, bastante convidativa, aliás. Mas, como acontece com tantos anfitriões,
por mais planejado que esteja o evento, sempre bate a
insegurança. Atento, o marido, Felipe Hellmeister, fotógrafo dos bons e diretor de cena, clica todo o processo
para ilustrar nossa reportagem – um teste com uma
seleção de espumantes da Wine.
O sábado, para Fepa, começou cedo. Orientado pelas
dicas da mulher, prestes a se formar em nutrição, ele foi
ao mercado no início da manhã. Na lista de compras,
polvo e robalo. “Não tem segredo para escolher um bom
peixe: guelras vermelhas e olhos brilhantes indicam que
ele é fresco”, ensina. Na paralela, Mari partiu para a feira
livre, garantindo, logo cedo, frutas, legumes e verduras
para utilizar no preparo dos pratos.
A ideia é produzir um almoço informal para
receber três casais de amigos, além do grupo de
crianças formado por Rosa, Olívia e Emília. “Ainda
vão chegar mais duas, Lorena e Manuela”, avisa Mari.
No menu do dia, salada verde e carpaccio de polvo
como entrada, seguidos por robalo assado com ervas,
cebola, limão-siciliano e azeite de anchovas. Para
acompanhar, aspargos frescos grelhados.
E, como sobremesa, bolo de chocolate
decorado com fatias de manga. Nada de
cerimônia, nada de apresentações muito
certinhas. Seguindo essa proposta, a
escolha dos vinhos para harmonizar foi
rápida e certeira: vinhos espumantes
para acompanhar todo o almoço. Com
exceção da água, nenhuma outra
bebida oferece tanta versatilidade para
acompanhar vários pratos, da entrada à
sobremesa – uma opção elegante, fácil
de agradar a diferentes paladares, sem
brigar com o sabor dos alimentos. Outra
vantagem: quando se está entre amigos
– e é natural que eles se ofereçam para
trazer o vinho –, pedir um espumante é
uma escolha simpática, já que há rótulos
com ótima relação custo-benefício.
Independentemente do preço, as
borbulhas se encarregam de trazer uma
dose extra de estilo ao encontro.
Dois tempos: enquanto
Mari finaliza o robalo na
cozinha, a mesa do quintal
recebe flores frescas
SE NA VÉSPERA A PREVISÃO ERA
de chuva, no sábado o sol surpreendeu.
Para satisfação geral, a mesa quadrada
da sala migrou para a área verde nos
fundos da casa. Ao ar livre, ganhou
sombra, toalha colorida, taças de cristal,
flores frescas e guardanapos de
tecido. E, conforme os convidados
vão chegando, o balde de gelo ganha
uma nova garrafa. A trilha sonora
embala o vaivém animado entre a
cozinha e o quintal, com acordes que
Com exceção da água,
nenhuma outra bebida é tão
versátil quanto o espumante
24
25
OS PRATOS
ASPARGOS GRELHADOS
Preparados em uma chapa de ferro,
ganham um fio de azeite, sal e pimenta,
e acompanham a salada de folhas verdes
e o peixe assado.
CARPACCIO DE POLVO
Quanto menos ingredientes, melhor.
Aqui, limão-siciliano e azeite extravirgem, usados moderadamente, são
suficientes para destacar o sabor do
molusco, equilibrando frescor e textura.
ROBALO ASSADO COM ERVA-DOCE
Ervas aromáticas, cebola roxa e limãosiciliano trazem ares mediterrâneos ao
peixe, servido inteiro e farto.
BOLO DE CHOCOLATE
As fatias de manga não são apenas
decorativas: trazem contraste à textura da
massa e ao sabor do cacau em pó.
OS ESPUMANTES
FRATELLI DOGLIANI ASTI
ESPUMANTE DOLCE
Apresenta uma generosa coroa de
espuma, com sabor delicadamente doce.
CAVA DON ROMÁN BRUT BRANCO
Cava com espuma cremosa. O sabor
é encorpado, elegante, seco e muito
duradouro.
PROSECCO NINO FRANCO RÚSTICO
Espumante límpido e cristalino, com
sabor de lima.
CHAMPAGNE MONTAUDON ROSÉ
A coloração é rosa acobreado. O sabor,
intenso, tem espuma farta.
* confira as receitas em
sommelierwine.com.br
26
Frescor à mesa: o polvo
ganha finas fatias e
os aspargos, abaixo,
acompanham entrada e
prato principal
Acima, o robalo servido
e a massa do bolo, que se
transformou em um doce
pra lá de fotogênico
Depois de um almoço
caprichado, é hora de
brincar. Abaixo, a escolha
da Wine para os brindes.
Ao lado, o casal anfitrião
PERLAGE
Nome
técnico dado
às borbulhas
de gás
carbônico
formadas
quando o
espumante é
servido
28
passeiam entre o piano de Bob Dorough e a big band
de Benny Goodman.
As crianças almoçam primeiro, na mesa de centro
da sala. O cardápio infantil, de preparo rápido, agrada
em cheio, com porções generosas de fusilli à bolonhesa, que elas conhecem como macarrão parafuso.
Como sobremesa, picolés. E, enquanto isso, lá fora, o
almoço dos adultos é declarado oficialmente aberto com o estourar da rolha da primeira garrafa. O
momento que antecede o serviço dos pratos, quando
a bebida ainda não foi harmonizada, é ideal para
prestar atenção ao perlage como parte da textura e
do sabor do espumante. É quase como “mastigar” a
bebida para sentir sua intensidade. Para identificar a
qualidade, não é necessário ser especialista: as bolhas
não devem ser grandes, mas sim delicadas e constantes. Outra dica é observar a espuma que se forma
na superfície da taça – deve ser duradoura. Digamos
que, se essas características estiverem presentes,
temos um bom começo.
Sinônimo de celebração nos quatro
cantos do planeta, o vinho espumante
recebe nomes diferentes de acordo com
a região onde é produzido. Na Espanha
é chamado de Espumoso. Na Alemanha, Sekt. Spumante na Itália. E, em
países como Brasil, Argentina, Portugal
e Estados Unidos, utiliza-se a denominação geral: espumantes ou sparkling
wines, em inglês. Já o nome Champagne
só pode ser utilizado para designar
vinhos produzidos na região homônima
francesa, pelo método Champenoise
(pronuncia-se “champenoás”). Ou seja:
todo Champagne é um espumante, mas
nem todo espumante é um Champagne.
Em outras regiões, além do processo
tradicional francês, que realiza a segunda fermentação na própria garrafa, são
utilizados os métodos Charmat, utilizan29
Caderno de Receitas
Espumantes
combinam
com brindes,
que combinam
com... fotos!
SABOR DE MAR
Aposte na versatilidade do camarão em
sugestões rápidas e fáceis de preparar
por Tatu Damberg
30
fotos Bruno Geraldi
WS
90
Cava Don Román
Brut Branco
Vinho refrescante,
cheio de borbulhas
que explodem no
palato.
R$ 38,00
Preço ClubeW
R$ 32,30
Prosecco Nino
Franco Rústico
Aroma de peras,
morangos frescos e
folhas de erva-doce.
R$ 82,00
Preço ClubeW
R$ 69,70
Champagne
Montaudon Rosé
Aromas que remetem a maçãs secas
e leveduras.
R$ 125,00
Preço ClubeW
R$ 106,25
Fratelli Dogliani
Asti Espumante
Dolce
Aroma de
pêssegos e rosas.
R$ 55,00
Preço ClubeW
R$ 46,75
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS) / PRODUÇÃO DE OBJETOS CYNTHIA GYURU
OS ESPUMANTES
do tanques pressurizados (autoclaves), e
Asti, em que o gás é resultado direto da
fermentação das uvas.
“VIVA! VIVA!” À MESA, OS BRINDES
têm início. Os pratos começam a chegar
da cozinha e os convidados se servem,
auxiliados pela anfitriã. A essa altura,
quem embala o encontro é Ella Fitzgerald,
seguida por outra voz norte-americana,
Julie London. E é bom mesmo que a música tenha qualidade, pois entre os convidados o silêncio indica que os pratos
estão agradando, com a escolha perfeita
(ao lado). E ali, naquele quintal bucólico,
as conversas à mesa invadem a tarde do
sábado. O gran finale é marcado pelo
bolo de chocolate – aquele mesmo, que
Mari jurava estar longe do ideal. Como
todos previam, estava delicioso.
seleção Manuel Luz
31
Caderno de Receitas
CEVICHE DE CAMARÃO
RENDIMENTO:
4 porções
TEMPO DE PREPARO:
1h30
DIFICULDADE:
fácil
Ingredientes
Modo de Preparo
• 500 g de camarões frescos grandes
• 2 limões-sicilianos
• 2 limões Taiti
• 1 pimenta dedo-de-moça
• ½ xícara de coentro fresco picado
• 1 cebola roxa grande
• 1 xícara de milho inca gigante tostado
• sal a gosto
• azeite a gosto
Disponha os camarões limpos e crus em um recipiente e cubra com as raspas da casca de um limão Taiti e
um siciliano. Em seguida, esprema sobre eles o suco
dos quatro limões. Junte a pimenta e a cebola picadas.
Tempere com sal e leve à geladeira por cerca de 1 hora.
Na hora de servir, junte o coentro e finalize com um
fio de azeite. Sirva com o milho inca, que pode ser
substituído por pipoca feita com milho de canjica,
igualmente crocante.
HARMONIZAÇÃO
Salton Virtude
2012
Tremendus Viura
BRASIL,
Bento Gonçalves
ESPANHA,
Rioja
Sabores frutados
de abacaxi e maçã
verde fazem um
contraponto
delicioso com
ceviche.
Notas de limãosiciliano e casca de
laranja harmonizam
perfeitamente com
os temperos do
prato.
R$ 45,00
R$ 42,00
R$ 48,00
R$ 57,00
Preço ClubeW
R$ 38,25
Preço ClubeW
R$ 35,70
Preço ClubeW
R$ 40,80
Preço ClubeW
R$ 48,45
32
FRANÇA, Vale do
Loire
A acidez e o sabor
seco dão tom
gastronômico
único à
harmonização.
Cava Codorníu
Clasico Brut
ESPANHA,
Catalunha
Porque é sempre
bem-vindo um
espumante.
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS)
Rémy Pannier
Muscadet Sévre
et Maine 2010
33
Caderno de Receitas
ESPAGUETE COM TOMATES FRESCOS
E FRUTOS DO MAR
RENDIMENTO:
TEMPO DE PREPARO:
4 a 6 porções
30 minutos
DIFICULDADE:
fácil
Ingredientes
Modo de Preparo
• ½ pacote de espaguete integral
• 800 g de frutos do mar variados
(mexilhões, lula, badejo em cubos,
camarões limpos)
• 4 tomates maduros, sem pele e sem
sementes
• 5 dentes de alho
• manjericão fresco a gosto
• azeite a gosto
• sal e pimenta-do-reino moída na hora
a gosto
• mexilhões com casca, para decorar,
a gosto
Cozinhe o espaguete conforme as instruções de
preparo, até ficar al dente (macio, mas resistente à
mordida). Em seguida, regue com um pouco de azeite
e reserve. Em uma panela grande, despeje uma colher
de sopa de azeite e junte os dentes de alho picados
e o tomate cortado em cubos pequenos. Quando os
tomates começarem a amolecer, adicione os frutos do
mar – os mexilhões sem a casca. Cozinhe por cerca de
4 minutos e junte o espaguete reservado. Ajuste sal,
pimenta e azeite. Adicione as folhas de manjericão na
hora de servir.
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS)
HARMONIZAÇÃO
34
Escudo Rojo
Rosé 2011
Casa Rivas
Reserva Sauvignon
Blanc 2010
Calyptra
Gran Reserva
Chardonnay 2009
Maipo
Sparkling Brut
CHILE,
Vale do Maipo
CHILE,
Vale do Maipo
CHILE,
Vale do Cachapoal
Um rosado vai
sempre muito bem
com tomates e
frutos do mar.
Um reserva chileno
para dar corpo ao
prato de frutos do
mar e massa.
Mineral, notas
de grafite. Parece
da Borgonha,
mas é do Chile.
Espumante
vibrante e com
muita espuma
para um prato
cheio de sabores.
R$72,00
R$ 61,00
R$ 95,00
R$ 30,00
Preço ClubeW
R$ 61,20
Preço ClubeW
R$ 51,85
Preço ClubeW
R$ 80,75
Preço ClubeW
R$ 25,50
CHILE,
Vale Central
35
Caderno de Receitas
SALADA DE BATATAS COM BISQUE
DE CAMARÕES E CASTANHA-DO-PARÁ
TEMPO DE PREPARO:
6 porções
1 hora
DIFICULDADE:
médio
Ingredientes
Modo de Preparo
• ½ kg de batatas bolinha
• 700 g de camarões limpos
• as cascas dos camarões
• 80 g de castanha-do-pará
• 1 tomate
• 4 folhas de louro
• 4 dentes de alho
• 4 colheres de sopa de iogurte grego
• sal e pimenta-do-reino branca a gosto
• folhas verdes para acompanhar
Lave as batatas e cozinhe até ficarem macias, porém firmes. Corte cada uma em 4 partes e reserve.
Cozinhe as cascas dos camarões em cerca de
700 ml de água, junte os dentes de alho descascados e as folhas de louro. Mantenha em fogo baixo
por cerca de 30 minutos. Retire do fogo e bata o
caldo com as cascas no liquidificador. Coe, reservando o líquido. Volte o caldo para o liquidificador, adicione as castanhas e bata. Coe novamente
e retorne o caldo à panela, deixando reduzir até
obter um creme espesso – o bisque. Desligue o
fogo e reserve. Salteie os camarões no azeite e
junte a eles as batatas. Tempere o bisque com sal
e pimenta e adicione o iogurte. Junte à salada de
batatas e camarões. Sirva com folhas verdes.
HARMONIZAÇÃO
Gran Tarapacá
Chardonnay
2012
Miolo Reserva
Sauvignon Blanc
2013
CHILE,
Vale do Maipo
BRASIL,
Campanha
Caleo Trebbiano
D´Abruzzo 2010
Obikwa Chenin
Blanc 2012
ITÁLIA,
Abruzzo
ÁFRICA DO SUL,
Stellenbosch
Leve, com nuances
de melão maduro.
Macho, aveludado,
chá de camomila.
Seco, maduro,
cheio de manga
madura e canela.
Aromas de ervas
frescas e
maracujá verde.
R$ 34,00
R$ 35,00
R$ 38,00
R$ 35,00
Preço ClubeW
R$ 28,90
Preço ClubeW
R$ 29,75
Preço ClubeW
R$ 32,30
Preço ClubeW
R$29,75
36
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS) / PRODUÇÃO FLAVIA LEVORIN
RENDIMENTO:
37
Mesa ao Lado
POR QUE NOS INTERESSAMOS TANTO PELA VIDA DOS OUTROS? PORQUE, PARA
OS LEITORES DESTA OU DAQUELA REVISTA, PARA OS VOYEURS DE REDES SOCIAIS
RANTE, OS OUTROS SOMOS NÓS
E ATÉ PARA NOSSO VIZINHO DE RESTAURANTE,
ana
por André Viana
EPISÓDIO 2
VEUVE D’ARGENT BRUT
BOURGOGNE, FRANÇA
PROMOÇÃO ESPECIAL
COMPRE UMA WINEBOX COM 4 GARRAFAS
E GANHE DUAS TAÇAS DE ESPUMANTE.
136
R$
WINE.COM.BR
0800 602 9463
,00
SÓCIO CLUBEW R$115,60
ENTREGA GRATUITA
FOTO DIVULGAÇÃO (GARRAFAS) / ILUSTRAÇÃO DANIEL ALMEIDA / FACEBOOK.COM/DONAFIRMINAPIZZARIA
PREÇOS PROMOCIONAIS VÁLIDOS ATÉ 31 DE JANEIRO DE 2014.
La Bélière Rouge 2011
Moderno,
frutado,
elegante e
macio
Curioso ver (e ouvir) como cada fase na
vida de um casal tem seus temas e movimentos. O da mesa da esquerda, por
exemplo. Casal de meia-idade, elegantes no jeito de se vestir e de se portar à
mesa. Conversam com a tranquilidade
de duas pessoas que já passaram por
muita coisa juntos.
Ele: [...] Cirurgia na sexta. Depois eu
pego o avião e...
Ela: Amor, foca na sua vida. Você está
precisando. Se eu precisar, eu te aviso.
[Bebe um gole de vinho.]
Ele: Mas você também é minha vida!
Ela: Sim, mas vai ser muita logística
você pegar o avião justo nesse dia. Eu
prefiro que você fique na boa.
Ele: Mas você vai me prometer uma
coisa... [Gole de vinho.]
Ela: Eu não vou brigar com ninguém.
Pelo bem do meu pai. Juro por Deus!
Eu não tenho mais 10 anos de idade.
Você acha que eu não tenho o mínimo
de equilíbrio?
[Silêncio.]
Ela: Claro que tem horas que dá vontade de socar minha mãe.
Ele: Não fala assim, amor!
Ela: Eu falo! Eu falo porque você sabe
que fiquei p... com a história daquele telefonema. Mas,
pelo bem do meu pai, eu não vou brigar.
Na mesa em frente, um casal na faixa dos 50 anos e
100 quilos gargalha entre brindes enquanto, logo ao
lado, o sósia do Paulo Caruso parece não fazer esforço
para encontrar assunto com sua companheira, bem
mais jovem, que aproveita para se concentrar no seu
iPhone. Eles logo terminam de comer e vão embora,
dando lugar a um outro casal. Ambos são jovens, ambos estudantes universitários, sonhadores. É provável
que ainda nem sejam um casal propriamente dito. Ela
faz cinema e conta empolgada o que tem visto na 37a
Mostra de Cinema de São Paulo (“Meu, Kubrick é um
gênio!”). Mas também mostra preocupação em relação
ao futuro na profissão que escolheu. O amigo-pretê
(o corpo fala) a tranquiliza, dando dicas de “como se
comportar com o mercado”.
A essa altura, o primeiro casal, da mesa da esquerda,
já encerrou a conversa densa sobre os pais dela.
Pediram mais meia garrafa de vinho e recordam agora
as viagens que já fizeram juntos, em especial uma a
Paris, quando nevou no dia do aniversário dela, um 2
de maio.
Ela: Lembra, amor? Na véspera vimos aquela passeata dos trabalhadores na Place de la Nation.
Ele: E você enlouquecida com aqueles lenços todos!
E riem e brindam e se beijam discretamente.
Eis uma das vantagens dos casais antigos: sempre
haverá Paris entre eles.
39
OS VINHOS DO MÊS E AS HISTÓRIAS PARA CONTAR
Uvas Pinot Noir, a
CHONO SINGLE
VINEYARD CARMÉNÈRE
CHONO SINGLE
VINEYARD PINOT NOIR
Uvas De origem francesa,
a Carménère chegou a ser
considerada extinta, mas foi
redescoberta no Chile na
década de 90.
VINÍCOLA
Chono
REGIÃO
VINÍCOLA
No olho Rubi escuro com
Chono
nuances violáceas.
caprichosa da Borgonha.
Prefere climas frios e solos
de calcário, como o de
Casablanca.
No olho Rubi claro,
brilhante.
Vale de Casablanca,
Chile
REGIÃO
Vale do Maipo, Chile
No nariz Chocolate, cacau,
menta, caramelo e pimenta
seca.
O Vale de
Casablanca
A seleção
O Vale de Casablanca, nas
imediações da Cordilheira
da Costa, tem clima mais
frio que no Maipo graças à
proximidade com o oceano
Pacífico. Ideal para uvas
de amadurecimento rápido,
como Pinot Noir, Chardonnay
e Sauvignon Blanc.
O Vale do Maipo
O Vale do Maipo é
localizado próximo à
capital chilena, Santiago.
O clima favorece uvas
tintas, sobretudo Cabernet
Sauvignon, Merlot,
Syrah e Carménère,
que nessa área atingem
amadurecimento perfeito.
40
Na boca Denso, frutado,
encorpado.
Tempo de guarda
Ambos podem ser guardados
por entre quatro e seis anos.
Harmonização A pedida certa
para churrascos, grelhados em
geral e uma seleção de queijos
com frutas.
ILUSTRAÇÕES RENATA MEIN / VERIDIANA SCARPELLI
Os dois vinhos apresentados
aqui têm origens em
diferentes terroir. De
um lado, a potência do
Carménère do Vale do
Maipo. De outro, a
delicadeza de um Pinot Noir
do Vale de Casablanca.
No nariz Groselha, goiaba
fresca, baunilha e erva-doce.
Na boca Delicado, frutado,
sabor longo potencializado
pela acidez refrescante.
O produtor
A filosofia do grupo Geo
Wines é oferecer apenas os
vinhos mais representativos
de cada vale, priorizando a
qualidade das uvas. É uma
das primeiras empresas do
Chile a levantar a bandeira
dos vinhos orgânicos e
biodinâmicos.
Harmonização Acompanha
bem lombo de salmão
envolto em massa folhada,
quibe assado com salada e
torta de frango.
41
OS VINHOS DO MÊS E AS HISTÓRIAS PARA CONTAR
CANEPA GENOVINO
CARIGNAN 2009
LA CHAMIZA
MARTÍN ALSINA
MALBEC 2009
VINÍCOLA
Canepa
VINÍCOLA
REGIÃO
A seleção
Dois vinhos do Novo Mundo
elaborados com castas em
sua melhor expressão.
A Carignan é o ponto alto
do elegante Canepa.
A Malbec, o destaque do
potente La Chamiza.
Vale do Maule
Finca La Chamiza
Uvas Carignan, de origem
REGIÃO
mediterrânea, é encontrada
também na Espanha,
França, Itália, em Portugal e
na Grécia.
Luján de Cuyo,
Argentina
pimenta-do-reino.
Na boca Corpo médio,
taninos elegantes, sabor que
lembra os vinhos do sul da
França.
O produtor
42
Harmonização Elegante e
expressivo, combina com
massas ao molho de pimentão
com ricota defumada, galeto
recheado ou costelinha de
cordeiro em molho picante.
sudoeste francês, da região
de Cahors. Em Mendoza,
atingiu o melhor potencial
conhecido até hoje.
No olho Vermelho violáceo.
No nariz Framboesa
madura, caramelo, menta.
Na boca Denso, intenso,
encorpado e muito frutado.
Fundada em 2003, é
uma das boas surpresas
da Argentina nos últimos
tempos, com vinhos de
muita personalidade.
No nariz Cacau, tabaco,
A região sul do Vale
Central foi a primeira
zona do país a receber
vinhas, no século 17.
A família Canepa se
instalou no Chile na década de 30. De origem
italiana, é considerada a
primeira vinícola moderna a produzir no país.
O produtor
No olho Rubi brilhante.
Luján de Cuyo
ILUSTRAÇÕES RENATA MEIN / VERIDIANA SCARPELLI
Vale do Maule, Chile
Uvas Malbec, variedade do
A primeira região de
Mendoza a ser reconhecida como DO (Denominacción de Origen)
para Malbec.
Harmonização Tinto potente, pede um corte alto e
malpassado de carne bovina, risoto de linguiça picante ou massa à putanesca.
Sugestão de guarda
Ambos podem ser guardados
por até dez anos.
43
OS VINHOS DO MÊS DE JANEIRO
OS VINHOS DO MÊS DE JANEIRO
LUNA DEL
CACCIATORE
IL CANNETO
Sangiovese
TRES DE 3.000
Pago de Aylés
PAÍS DE ORIGEM
Itália
REGIÃO
Toscana IGT
IL COSTONE
ROMAGNA
Sangiovese
PAÍS DE ORIGEM
SERENDIPIA
Pago de Aylés
(edição limitada)
PAÍS DE ORIGEM
PAÍS DE ORIGEM
Espanha
E
Espanha
REGIÃO
R
REGIÃO
Aragão
A
Aragão
Itália
O VINHEDO BACCANELLA, ONDE SÃO CULTIVADAS
as uvas para elaborar o clássico Luna del Cacciatore,
é uma daquelas autênticas e românticas vilas italianas.
Produzir vinhos nessas terras, cercadas por videiras,
olivais e carvalhos centenários, não é fácil. O terreno
acidentado tem orientação para todos os pontos cardeais
e a luta com o clima é severa. Muitas vezes o fim do
verão é anunciado por chuvas de granizo, fatais para os
cachos maduros ainda não colhidos. Sem falar no vento
forte, que, mais de uma vez, já derrubou filas inteiras de
videiras. Um cenário cheio de histórias, mitos e figuras
lendárias, como Nicolau Maquiavel. E, se a Toscana está
voltada em direção à Argélia e à Tunísia, região onde
calor e vento influenciam radicalmente os vinhedos, as
vinhas de Bertinoro observam ao longe o mar da Croácia.
44
REGIÃO
Seleções de 2, 4 e 6 garrafas,
a partir de R$ 212,00
www.wine.com.br/clubewpremium
Sangiovese di
Romagna DOC
Separadas pelos Montes Apeninos,
cujos picos mais altos ultrapassam
os 3 mil metros, a Toscana e a Emília
compartilham uvas em terroirs muito
diferentes. A primeira, árida e tórrida,
soprada por muitos ventos, tem parreiras
que se refugiam nos topos das colinas.
A segunda, por sua vez, tem clima
generoso, ameno e úmido. O sangiovese
da Cantina Braschi é produzido entre
Bolonha e San Marino, bem perto da
região costeira. O castelo Castrum
Brittinori, em Bertinoro, perto da cantina
Braschi, abrigou o temível Frederico
Barbarossa, quando foi rei da Itália.
FOTOS DIVULGAÇÃO / ILUSTRAÇÕES RENATA MEIN E VERIDIANA SCARPELLI
Seleções de 2, 4 e 6 garrafas,
a partir de R$ 106,00
www.wine.com.br/clubewclassic
PAGO É UMA DERIVAÇÃO DA
expressão latina pagus, que significa
“a arte de fazer algo inimitável”. Nos
dias modernos, o termo denomina os
melhores vinhos. Para tanto, o vinhedo
deve ter características excepcionais.
Pois bem. Existem apenas dez vinhos
de pago em toda a Espanha. E o Pago
de Aylés é o único da região de Aragão.
O projeto Aylés começou em 1994,
em área próxima à cidade de Zaragoza.
As vinhas, 70 hectares no total, possuem parcelas centenárias, ainda em
produção – um contraste à velocidade
do mundo pós-moderno. A influência
do pequeno rio Huerva e do imponente Monte San
Pablo garante frescor e nutrição às vinhas, plantadas
com o dobro da distância de outras áreas do mundo.
O procedimento, que limita muito a produção, é necessário porque o solo de argila, pedra calcária e giz
rende pouco alimento para as vinhas.
A região tem ar mítico, com desfiladeiros,
cavernas e leitos de rios há muito desaparecidos.
Ali crescem parcelas de Tempranillo, Garnacha,
Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah, colhidas no
frescor da noite, para garantir o melhor nível de
qualidade. A vinificação acontece em tanques de
aço e os enólogos procuram interferir minimamente
no processo, para que o resultado seja, de fato, uma
representação exata do terroir local.
45
Arriscar roteiros e endereços sem
grife, ao sabor do acaso, garante
boas surpresas em uma das mais
tradicionais regiões da França
FOTOS ARQUIVO PESSOAL
por Constance Escobar
46
Luciana e Alexandre
e o castelo onde se
hospedaram. Na página
ao lado, o vinhedo do
Château de Pommard
47
O Chez Bruno, bar à vins
em Dijon, foi uma das
descobertas do casal.
Abaixo, um registro no
Château de Pommard
PARA VIAJAR
ONDE FICAR
• La Tour de Labergement
4 rue de Morte Fontaine. Moloy.
latourdelabergement.com.
VINÍCOLAS
• Château de Villars Fontaine
10 rue des Beveys. Villars-Fontaine.
chateaudevillarsfontaine.com.
• Château de Pommard
15 rue Marey Monge. Pommard.
chateaudepommard.com.
ONDE COMER/COMPRAR
Dijon
48
“Para mim, é o Yquem da Borgonha,
embora custe seis vezes menos.”
Visitar o Marché des Halles é um
programa que o casal sempre faz, seguido por um almoço despretensioso em
algum dos bistrôs nas ruas ao redor do
mercado. Desta vez o eleito foi o Bistrot
des Halles. Recomendam, sobretudo, o
tutano e a língua servidos ali. Outra descoberta foi o Chez Bruno e a ótima seleção de embutidos servidos no balcão. A
cidade tem também alguns dos bistrôs
favoritos do casal na região, como Le
Bistrot Bourguignon e La Ciboulette.
A POUCOS QUILÔMETROS DE
Dijon, um castelo de cinco séculos foi
o endereço do casal e de seus companheiros de viagem – três amigos, ao
YQUEM
Produzido
na região
francesa de
Bordeaux,
é o vinho
branco doce
mais famoso
do mundo,
elaborado
com uvas
atacadas pelo
fungo Botrytis
cinerea
FOTOS ARQUIVO PESSOAL
OS PERFUMES DE DIJON, CAPITAL DA BORGONHA,
estão nas memórias do jornalista e especialista em
vinhos Alexandre Lalas e de sua mulher, a chef de
cozinha Luciana Plaas, que acabam de voltar de uma
visita à região: um pedaço de terra no centro da França
considerado um dos melhores lugares do planeta para
matar a fome e, particularmente, a sede.
Ambos já conheciam Dijon, mas foi nessa última visita que a cidade causou o impacto mais forte. Desta vez,
retornaram sem a urgência e a tensão características
dos primeiros encontros e abriram espaço para que a cidade se revelasse. “Dijon é cheia de segredos, um lugar
para visitar muitas vezes e descobrir aos poucos”, diz
Luciana. Entre os segredos desvendados recentemente
por eles está a loja La Route des Vins, cujo proprietário
é um engenheiro químico que decidiu mudar de profissão. “Ele trabalha com produtores pequenos e muitos
vinhos biodinâmicos. Ali encontrei um vinho raro de
sobremesa, o Labeur d’Octobre, espetacular,” conta.
todo – durante a semana que passaram na Borgonha.
Disponível para locação exclusiva para grupos, La Tour
de Labergement é uma propriedade que acolhe até 20
pessoas, distribuídas em suas muitas suítes. “Não há
luxos de hotel. O maior luxo é o lugar em si. Há um
bosque e um rio que corta o terreno. A arquitetura original (de 500 anos atrás) foi preservada. Coisas que um
hotel dificilmente pode oferecer”, lembra Alexandre. A
cozinha do castelo, à disposição do grupo, era o destino
de toda noite. Preparavam o próprio jantar com o que
de mais fresco conseguiam nos mercados e feiras do
entorno, sempre na companhia de vinhos garimpados
no caminho.
Dali saíam para incursões diárias pela região e
visitas a vinícolas. Além de Dijon, Beaune também tem
lugar cativo no roteiro. Luciana hesita em eleger uma
favorita, mas Lalas não tem dúvida: “Dijon é uma cidade que precisa ser descoberta. Sem dicas, é mais difícil
entender seus meandros. Beaune, talvez por ser menor,
• La Route des Vins 1 rue Musette.
la-routedesvins.fr.
• Bistrot des Halles 10 rue Bannelier.
• Marché des Halles Halles Centrales.
Rue Odebert.
• Le Bistrot Bourguignon 8 rue Monge.
• La Ciboulette 69 rue de Lorraine.
• Chez Bruno 80 rue Jean-Jaques
Rousseau. O casal indica pela
qualidade dos embutidos.
Beaune
• Marché de Beaune Place de la Halle,
Place Fleury, avenue de la République.
• Fromagerie Hess 5 rue du Lieutenant
Dupuis. fromageriehess.com.
• Le Bistrot Bourguignon 8 rue Monge.
• La Ciboulette 69 rue de Lorraine.
• Le Jardin des Remparts 10 rue de
l’Hotel Dieu. le-jardin-des-remparts.com.
• Bourgogne Randonnées (aluguel de
bicicletas) 7 avenue du 8 Septembre.
bourgogne-randonnees.com.
Saulieu
• Le Relais Bernard Loiseau
2 rue d’Argentine. bernard-loiseau.com.
49
A Borgonha é um
dos melhores lugares
do mundo para matar
a fome - e a sede
Ao lado, uma das sobremesas
do celebrado Le Relais
de Bernard Loiseau, em
Saulieu; e o Marché des
Halles. Abaixo, as fachadas
históricas em Dijon
A SELEÇÃO
FRANCESA DA WINE
Louis Latour
Marsannay
FRANÇA, Borgonha
Uma joia da relação
custo-benefício.
R$ 123,00
Preço ClubeW
R$ 104,55
50
Nicolas Potel
Bourgogne
FRANÇA, Borgonha
Leve, fresco, delicado,
ideal para peixes,
saladas, e até mesmo
frutas brancas.
R$ 110,00
Preço ClubeW
R$ 93,50
Bouchard
Moulin-à-Vent
FRANÇA, Borgonha
Par perfeito para
piqueniques.
R$ 106,00
Preço ClubeW
R$ 90,10
Olivier Laflaive
Meursault
FRANÇA, Borgonha
Aroma de tosta,
fumaça, maçã fresca e
mel. Uma viagem.
R$ 230,00
Preço ClubeW
R$ 195,50
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS) / ARQUIVO PESSOAL
está escancarada para você. É fácil se perder e ser feliz.
Eu poderia morar ali”. O mercado dos sábados na Place
de la Halle, que se espalha por ruas em volta da praça,
é programa do qual eles não abrem mão. Outra parada
obrigatória é a Fromagerie Hess, que consideram uma
das melhores lojas de queijos onde já estiveram.
Beaune é também ponto de partida para um dos passeios típicos da região: rotas de bicicleta pelos vinhedos, com parada para um piquenique quando a fome
bate. “Nem todas as propriedades são muradas ou têm
portões, há muitos roteiros de ciclistas por dentro dos
vinhedos. É só reservar sua bicicleta na cidade, passar no
mercado e nas lojas para comprar pães, queijos e vinhos
e se perder pelas estradas”, sugere Luciana.
Naturalmente, o casal destina parte de seu tempo a
visitas a produtores de vinhos. Desta última temporada, lembram com entusiasmo a visita a Bernard Hudelot, do Château de Villars Fontaine. “É um biodinâmico
radical, faz vinhos muito bons e diferentes”, diz Lalas.
Vinícolas com grande apelo turístico não costumam
fazer parte do roteiro, mas eles abriram exceção para
o Château de Pommard, que recomendam pela beleza
e também pela galeria de arte instalada
na propriedade.
Para trazer na bagagem, Lalas acredita que o segredo é não ter preconceito.
“Os vinhos da Borgonha são muito
caros. É interessante estar aberto para
descobrir bons produtores ainda sem o
nome e a consistência dos mais tradicionais”, sugere ele. “Assim, é possível
fazer ótimas compras a bom preço. Há
quem faça isso para investir. Não é o
meu caso, eu quero apenas me divertir.”
Essa mesma falta de preconceito é
usada, também, para eleger as mesas.
Restaurantes pequenos e autênticos que
guias e rankings nem sempre revelam
ganham preferência. Mas sem radicalis-
mo. Embora não se deslumbrem com estrelas Michelin,
procuram acomodar no percurso um ou outro endereço
contemplado no celebrado guia. Nessa última visita,
estiveram no três estrelas Le Relais Bernard Loiseau, em
Saulieu, no coração da Borgonha. No mítico endereço,
encontraram um belo cenário e serviço impecável, mas
confessam que o almoço não foi memorável. “Vale pelo
passeio, pela história do lugar, mas, gastronomicamente,
não me impressionou”, conta Lalas, que recomenda com
muito mais convicção o Le Jardin des Remparts, em
Beaune, que perdeu há alguns anos sua única estrela.
O grande prazer do casal é mesmo arriscar endereços
sem grife, cozinhas sem celebridades no comando, o que
sempre traz boas surpresas. “Não fazemos roteiros engessados com mesas estreladas. O melhor é andar sem rumo,
experimentar restaurantes menores, escondidos. É nisso
que está a graça de qualquer viagem”, pondera Luciana.
51
Velho Mundo
OS RÓTULOS DO VELHO MUNDO
A FORÇA DO TERROIR
Apegado à tradição, o Velho Mundo do vinho (Europa, norte da
África e Israel) privilegia as técnicas tradicionais em detrimento
da tecnologia. E o Novo Mundo? Calma, é só virar a página
por Maurício Svartman
ilustração Daniel Almeida
PRINCIPAL
CARACTERÍSTICA: TERROIR
As uvas são cultivadas com foco no
lugar e não na variedade de castas.
“Os produtores de lá entenderam
que a personalidade do vinho
nasce não só da uva, mas também
das características de solo e de
clima, além das técnicas usadas”,
explica o sommelier da Wine Lucas
Cordeiro. Assim, em uma pequena
região se encontram vinhos de uma
mesma uva, mas de características
e qualidades diversas, apenas pela
diferença de exposição das vinhas
ao sol e à chuva.
TÉCNICA TRADICIONAL
A tradição milenar dos vinhos do
Velho Mundo permite um registro
histórico do que já foi utilizado em
cada vinícola familiar e, portanto, o
que funciona melhor em cada pequeno
terroir. Isso inclui fatores como: tipos
de casta, produção máxima de vinho
por área e técnicas de produção. Para
garantir a qualidade da produção,
selos regulatórios foram instituídos: as
Denominações de Origem, conhecidas
como DOC em Portugal e AOC na
França. Quem segue as regras do local
leva o selo de qualidade.
52
HARMONIZAÇÃO
Com um clima mais frio, as uvas
resultam num vinho menos
alcoólico e mais doce, para
compensar a alta acidez. “É muito
diferente tomar um Bordeaux
puro, na taça, de degustá-lo
harmonizado, acompanhando
um prato”, explica o sommelier
da Wine Manuel Luz. “Com
a comida, ele se maximiza, se
amplia. Por isso, o europeu se
destaca mais à mesa e é chamado
de vinho gastronômico.”
MODERNIZAÇÃO
Conforme o Novo Mundo
ganha espaço, algumas
convicções se afrouxam na
Europa. A principal delas diz
respeito à tradição. Hoje há
vinícolas que usam tecnologia
para controlar cada etapa da
produção, outras modificaram
métodos antes inalteráveis
e algumas regiões mexeram
na fachada. Como Rioja, que
contratou o arquiteto Frank
Gehry (do museu Guggenheim
de Bilbao) para criar um “templo
do vinho” de US$ 90 milhões.
Como o foco aqui é o terroir, a casta
não costuma aparecer no rótulo. O
nome do produtor ja é uma referência
imediata à qualidade do vinho,
enquanto a região indica estilo e
sabor. Se o rótulo diz Chablis (nome
de uma região francesa), a uva
daquele vinho será a Chardonnay, que
é a casta cultivada naquela região.
Aqui, a rigor, nem importa tanto
nomear a uva.
FERMENTAÇÃO NATURAL
A casca da uva tem uma fina camada
que contém milhões de células
bacterianas e de leveduras. É esse
conjunto que controla a fermentação –
processo básico que transforma a uva
em vinho. Nem todas as leveduras
auxiliam na fermentação, mas em
regiões onde se cultiva a uva há
séculos é mais provavel que haja maior
presença das leveduras desejadas. A
fermentação nativa (ao contrário da
fermentação pasteurizada do Novo
Mundo) pode produzir vinhos de maior
complexidade.
Nas páginas seguintes,
o perfil do Novo Mundo
53
Novo Mundo
OS RÓTULOS DO NOVO MUNDO
O PODER DA UVA
Américas do Norte e do Sul, África do Sul e Oceania
ganham mercado ao focar nas castas e no uso de
tecnologia para produzir seus vinhos modernos
por Maurício Svartman
ilustração Daniel Almeida
PRINCIPAL CARACTERÍSTICA: UVA
A casta, aqui, vale mais do que o lugar onde
ela é cultivada. Essa característica teve origem
nos anos 50, quando, em uma jogada de
marketing, a Califórnia passou a estampar o
nome da uva no rótulo. A partir daí, o esforço
passou a ser descobrir qual era a região mais
adequada para o cultivo de determinada
casta — modelo oposto ao do Velho Mundo,
que utiliza a uva originária de cada terroir.
“Surgiram misturas improváveis, como Syrah
com Cabernet, que nunca aconteceriam na
Europa e acabaram dando certo na Austrália”,
diz o sommelier da Wine Manuel Luz.
FERMENTAÇÃO
PASTEURIZADA
Para atender o perfil do
consumidor, os produtores
buscam homogenizar o
resultado ano a ano. Isso
possibilita que vinhos
de regiões e até mesmo
de países diferentes
sejam bem parecidos.
Um processo previsível e
confiável, que evita odores
e sabores indesejáveis no
produto final.
54
VINHOS DE IMPACTO
Acostumados a cerveja e a uísque,
os americanos desenvolveram um
tipo de vinho que não precisa ser
acompanhado por comida. O vinho
do Novo Mundo tem maior teor
alcoólico, é mais doce e encorpado,
menos ácido e com mais notas
de carvalho – os barris, cujo sabor
interfere no paladar, são menos
explorados no Velho Mundo.
O MEIO-TERMO
Na África do Sul, uma geração de jovens
enólogos procura novos terroirs, em
busca de um vinho com identidade
própria (leia mais na pág. 64). Depois de
ganhar mercado fazendo inovações, o
Novo Mundo quer crescer ainda mais,
agora aliando sua técnica aos melhores
aspectos do vinho europeu.
Liderados por produtores como Robert
Mondavi, os californianos começaram
a rotular seus vinhos com os nomes das
castas – nos varietais e mesmo nos blends,
com mais de uma uva. Alguns produtores
ainda utilizam os “nomes fantasia”, como
com o chileno Almaviva e e o argentino
Crios de Susana. Como regra, portanto, os
vinhos do Novo Mundo dão maior destaque
ao nome da uva e os do Velho Mundo, à
região. Mas as exceções vêm sendo mais
frequentes, e hoje nao é tão raro encontrar
vinhos europeus destacando uvas e os
neomundistas ressaltando o lugar.
TÉCNICA
MODERNIZADA
Sem as amarras da tradição
e das Denominações de
Origem, o Novo Mundo
não tem modéstia com o
uso de tecnologia de ponta
no cultivo de suas uvas.
A produção mecanizada,
que controla o processo e
minimiza o contato com o
oxigênio, é um importante
componente na tentativa de
fazer um vinho homogêneo,
sem surpresas. Outro
procedimento comum é o uso
da irrigação mecânica, que
na Europa depende-se da boa
vontade de São Pedro.
55
INDICAÇÕES DO
Sommelier
WS
91
DEZEMBRO 2013
MANUEL LUZ
É SOMMELIER
WINE E FAZ PARTE
DO COMITÊ DE
SELEÇÃO DA
WINE.COM.BR
Fim de ano, época de
grandes celebrações! Para
garantir brindes especiais,
a seleção da Wine destaca
espumantes de diferentes
estilos. De um raro e
inusitado chileno a um
histórico – quase mítico –
champagne francês. Saúde!
URMENETA
2013
MAIPO
SPARKLING
Cabernet Sauvignon
Rosé
Reserva 2011
CHILE
Vale Central
Entenda os índices:
RP
Robert Parker
UVA
Cabernet Sauvignon
PALADAR
Leve e fácil de beber.
WS
WE
Wine Spectator
Wine Enthusiast
BARON
PHILIPPE DE
ROTHSCHILD
COMBINA COM…
Churrasco, torta de frango
e macarronada.
NOTAS AROMÁTICAS
Destaque para as notas frutadas.
Vale Central
CHILE
UVA
Cabernet Sauvignon
PALADAR
COMBINA COM…
Carne grelhada, pernil suíno,
massas à bolonhesa.
Um dos bons e raros espumantes
chilenos.
R$ 18,00
Preço ClubeW
R$ 15,30
R$ 35,00
Preço ClubeW
R$ 29,75
56
wine.com.br/8729
Fresco, leve, cheio de borbulhas.
COMBINA COM…
Grelhados, vitela, risoto de
legumes.
FESTA!
ARGENTINA
Mendoza
UVAS
Malbec
PALADAR
Profundo, denso e redondo.
COMBINA COM…
Bife de tira, massas ao molho
de quatro queijos, embutidos.
A REGIÃO
A VINÍCOLA
A bebida mais associada
a celebrações. Esta,
particularmente, com notas
aromáticas de manteiga e nozes.
Compre em:
Compre em:
Compre em:
R$ 34,00
Preço ClubeW
R$ 28,90
R$ 98,00
Preço ClubeW
R$ 83,30
R$ 130,00
Preço ClubeW
R$ 110,50
Braço chileno da casa homônima
em Bordeaux, na França.
FOTOS DIVULGAÇÃO
*Os preços desta edição
são válidos até 31/01/14
PALADAR
COMBINA COM…
DESTAQUE
UVAS
UVA
Frutado e encorpado.
Saladas, frutas e sanduíches.
Compre em:
FRANÇA
Vale Central
PALADAR
GOURLART B
2010
Legion
Pinot Noir, Pinot Meunier
e Chardonnay
Syrah
Leve e fresco.
Confira a seleção do mês:
www.wine.com.br/dezembro2013
wine.com.br/9082
Brut
Champagne
CHILE
Compre em:
MONTAUDON
wine.com.br/6428
wine.com.br/3170
Luján de Cuyo é a primeira
da Argentina a receber a
denominação de origem para
Malbec.
wine.com.br/8508
57
RP
94
Branco 2012
MILCAMPOS
VIÑAS VIEJAS
2010
Tempranillo
PORTUGAL
Alentejo
UVAS
Perrum, Arinto e Antão Vaz
PALADAR
Leve e macio.
COMBINA COM…
Carne suína, pizza e saladas.
A REGIÃO
O Alentejo é uma extensão
do Deserto do Saara.
ARTEFACTO
2012
Vinho Verde
PORTUGAL
ESPANHA
Ribera del Duero
UVA
Tempranillo
PALADAR
Encorpado e denso.
COMBINA COM…
Pizza de calabresa, picadinho e filé
à parmegiana.
A REGIÃO
No norte da Espanha, às margens
do rio Douro.
Cabernet Sauvignon
2010
Brut
Malbec 2011
FRANÇA
ARGENTINA
Champagne
Mendoza
UVAS
UVA
UVA
Malbec
Cabernet Sauvignon
PALADAR
PALADAR
Redondo e frutado.
Cremoso e vivo.
Aveludado, macio, pura framboesa
e baunilha de madeira.
COMBINA COM…
COMBINA COM…
COMBINA COM…
Bacalhoada, bife a cavalo
e espaguete ao sugo.
Camarão grelhado, truta com
amêndoas e penne ao pesto.
O vinho verde deve ser sempre
consumido muito jovem.
NOTAS AROMÁTICAS
HISTÓRIA
Combina carvalho, fruta em
compota e menta.
Após a morte do marido, a viúva
Clicquot assumiu a produção do
vinho, que até hoje permanece
célebre.
O PRODUTOR
Compre em:
Compre em:
Compre em:
R$ 65,00
Preço ClubeW
R$ 55,25
R$ 237,00
Preço ClubeW
R$ 201,45
R$ 48,00
Preço ClubeW
R$ 40,80
Loureiro, Arinto e Azal
PALADAR
Frutado, leve e refrescante.
COMBINA COM…
Peixes, saladas e macarrão ao alho
e óleo.
SUGESTÃO DE GUARDA
Compre em:
R$ 22,00
Preço ClubeW
R$ 18,70
R$ 62,00
Preço ClubeW
R$ 52,70
R$ 29,00
Preço ClubeW
R$ 24,65
58
CRIOS DE
SUSANA BALBO
Chardonnay, Pinot Noir e Pinot
Meunier
Compre em:
wine.com.br/8281
VEUVE
CLICQUOT
Sonoma
UVAS
Compre em:
wine.com.br/ 7822
LOUIS
MARTINI
ESTADOS UNIDOS
Minho
wine.com.br/8456
FOTOS DIVULGAÇÃO
ESPORÃO
ALANDRA
wine.com.br/7747
wine.com.br/4197
PALADAR
Cortes de carne, massas com
molho generoso e queijos duros
como parmesão e grana padano.
Susana Balbo é uma das grandes
personalidades femininas do
vinho no mundo.
wine.com.br/4844
59
Por Dentro da WineBox
Que venha
2014: a
comunidade
wineana
comemora os
resultados do
ano; o novo
caminhão de
distribuição;
e o WineGift
por Natalia Goldring e Ingrid Gonçalves
UM ANO
DE EXPERIÊNCIAS
MEMORÁVEIS
FOTOS BRUNO MIRANDA/NALATA / RAFAELLA REIS/DIVULGAÇÃO
Os planos da Wine para seguir crescendo em 2014
60
ESTE ANO FOI PARA NÓS,
da Wine.com.br, o ano da consolidação
de um projeto que nasceu da vontade de
fazer diferente e de mudar o jeito de se
relacionar com o cliente e com o vinho no
Brasil. É um relacionamento que a gente
leva a sério, já que o nosso propósito é
trabalhar com intensidade e emoção. Todas as sugestões, opiniões e críticas são
ouvidas e avaliadas para que você seja
atendido sempre da melhor forma.
Seguindo essa proposta, lançamos o
ClubeW Premium para atender os sócios que queriam seleções diferenciadas,
de grandes terroirs, com sofisticação.
E, para completar um 2013 movimentado, estreamos no horário nobre da
TV nossa primeira grande campanha
publicitária, “O que faz a sua vida valer
a pena?”, pensada para transformar momentos simples em algo especial.
Também não podemos deixar de citar a nova revista.
Os projetos gráfico e editorial foram totalmente reformulados em parceria com uma galera fera da Trip
Editora. Nos últimos meses lançamos também uma opção para você presentear pessoas especiais, o WineGift.
Você escolhe os vinhos e nós entregamos a WineBox®
no endereço indicado. Tudo muito simples, com uma
seleção de kits feita pela equipe de sommeliers da Wine.
Para 2014, preparamos ainda mais surpresas no ClubeW, além de seleções cada vez mais criteriosas. Para
isso, importamos um winehunter, sempre atento aos
grandes achados no mundo do vinho. Manuel Brandão
(que, apesar do nome, é francês) terá a árdua missão de
visitar vinícolas do Velho Mundo, participar de feiras e,
claro, degustar vinhos.
A logística também terá grandes investimentos. O
principal vai ser a ampliação da armazenagem do Centro de Distribuição Wine (CDW). “A capacidade atual
vai aumentar para atender ao crescimento da demanda
previsto para o ano”, explica o diretor de operações
logísticas Antenor Cruz.
Já que estaremos no ano da Copa do Mundo, vamos
também pôr em prática um projeto especial, a Wine
Experience, com ainda mais jantares harmonizados, os
Wine Dinners, proporcionando experiências memoráveis
aos amantes do vinho. E, para que 2014 seja ainda mais
incrível, contamos com a sua participação. Compartilhe
ideias e sugestões. Estamos sempre à disposição.
61
Por Dentro da WineBox
Criado em 2009, o cortagotas da Wine é sempre
lembrado nos elogios
dos sócios do ClubeW. A
laminazinha de acetato
em forma de gota evita
que o vinho escorra pela
garrafa depois de servido.
Desde junho de 2013, os
sócios passaram a receber
o acessório em uma série
especial de encartes,
ilustrados com o país da
seleção do mês. Confira
alguns dos desenhos que
acompanharam as últimas
WineBoxes.
A série
especial de
corta-gotas
da Wine
NOSSO SÓCIO NÚMERO 1
Um bate-papo com o administrador João Manuel Farias,
o primeiro sócio do ClubeW, entrevistado pela primeira vez
em nosso nº 4 (abril de 2010)
O QUE MUDOU NA SUA VIDA NESSES CINCO ANOS DE WINE? Hoje trabalho
com gestão de imagem de empresas do Nordeste, lido com responsabilidade
social. Também comecei a me aventurar na gastronomia, arriscando alguns
pratos e procurando a perfeita harmonização. Tenho sobrevivido [risos]...
O SENHOR AINDA PREFERE OS VINHOS ENCORPADOS DO NOVO
MUNDO? Sim, e tenho experimentado vinhos de países como Líbano
e Hungria. Toda semana tomo uma ou duas garrafas, tinto ou branco,
dependendo do prato, da temperatura e do humor.
QUAL É O MAIOR MÉRITO DA WINE, NA SUA OPINIÃO?
O acesso democrático ao mundo dos vinhos.
62
Acima, João
Manuel (à esq.)
e o filho João
Gabriel. Ao lado,
a entrevista
publicada no nº 4
FOTOS ARQUIVO PESSOAL / DIVULGAÇÃO / INSTAGRAM: @NICOLE_AMARAL / INSTAGRAM: @SUZICSA / RAFAELLA REIS/DIVULGAÇÃO
Volta ao mundo
ATÉ O
GIOVANE FOI!
Trabalho e diversão andaram
juntos na segunda convenção Wine
O sábado, dia 26 de outubro, foi um
dia especial para a família wineana:
ela se reuniu para a segunda
convenção anual da Wine. Trezentos
colaboradores trocaram experiências
sobre as melhores práticas de cada
setor e confirmaram o valor do trabalho
no dia a dia com a exibição em vídeo
de depoimentos de alguns dos clientes.
Antes das palestras dos sócios Rogerio
Salume e Anselmo Endlich, e do ícone
do vôlei brasileiro Giovane Gávio,
todos receberam, em primeira mão,
a nova Revista Wine.com.br. Ao
final de um dia de atividades sobre o
desempenho da empresa em 2013 e de
alguns planos para o futuro (leia mais
na pág. 61), a turma se divertiu numa
festa para lá de especial, com direito
a Wine Band tocando muita música
boa. Nada melhor do que o trabalho e a
diversão andando juntos.
Giovane dá de presente
a Anselmo e Rogério
réplicas das medalhas
olímpicas de Barcelona e
Atenas (no alto); e outros
momentos marcantes da
nossa convenção
63
Segredos do Vinho
por Manuel Luz
NOVO MUNDO
CHEIO DE HISTÓRIA
FOTOS DIVULGAÇÃO (GARRAFAS E LIVRO) / ILUSTRAÇÃO DANIEL ALMEIDA
Poucos sabem, mas a produção de vinhos na
África do Sul começou há mais de três séculos,
antes mesmo de várias regiões europeias
64
UMA DAS MAIS ANTIGAS ZONAS
PRODUTORAS de vinho do Novo
Mundo, a África do Sul recebeu suas
primeiras parreiras no século 17,
trazidas por navegadores europeus que
buscavam especiarias e outros tesouros
no Oriente. Naquela época, a Cidade
do Cabo surgia como entreposto de
abastecimento entre a Europa e a
Índia, e foi ali que teve início a odisseia
vitivinícola sul-africana.
O projeto da cidade tinha dois claros
objetivos determinados. O primeiro era
de ordem econômica, pois o transporte de grandes quantidades do vinho
europeu era muito caro, e dar início à
produção no meio do caminho seria
PINOTAGE
não só viável como logisticamente
Uva nativa
sul-africana, recomendável. O outro objetivo era garesultado do rantir a diversão (e a continuidade dos
cruzamento negócios): beber era um dos passatemproposital
pos favoritos da maltrapilha tripulação
da Pinot
das naus atracadas na cidade. O vinho
Noir com
era um verdadeiro bálsamo para aliviar
a Cinsault
a dura navegação entre um continente
– antes
e outro – e a falta dele, ou de qualquer
conhecida
outro tipo de álcool, quase sempre
como
terminava em motim.
Hermitage
Posicionada entre os oceanos Atlântico e Índico,
voltada para o mar Antártico, a África do Sul apresenta uma imensa diversidade de climas. Stellenbosch e
Paarl, duas das mais importantes regiões produtoras,
compartilham efeitos climáticos e perfil geográfico
semelhantes aos encontrados nas colinas da Toscana,
na Itália, e nas encostas do rio Ródano, na França.
Embora as cepas brancas dominem pouco mais da
metade das áreas cultivadas e a Cabernet Sauvignon
seja a tinta mais produzida, cabe à Pinotage o posto de
uva emblemática do país. As videiras locais também
produzem castas como Chardonnay, Syrah, Merlot e
Chenin Blanc, localmente conhecida como Steen.
OS VINHOS TINTOS SUL-AFRICANOS SÃO DENSOS,
potentes, com capacidade de guarda superior a cinco
anos. Os brancos, por sua vez, revelam-se vivazes, ricos
em aromas de frutas tropicais. No passado recente, o
hábito era fazer a bebida estagiar por longos períodos
em barricas de carvalho, diferentemente do que ocorre
hoje, quando os produtores locais preferem vinhos
menos mascarados – uma nova e talentosa geração de
enólogos está redescobrindo o país em busca de novos
terroirs e também de identidade própria. O resultado
desse esforço faz com que a terra do líder Nelson
Mandela e da escritora Nadine Gordimer sopre como
uma agradável rajada de ar fresco em um Novo Mundo
às vezes entediante e monocromático.
Klein Constantia
Vin de Constance 2007
Remhoogte Aigle
Noir Blend 2010
Beethoven era 1/16
negro e outros contos,
Nadine Gordimer
Vencedora do Nobel
de Literatura (1991), a
escritora sul-africana
aborda, em 13 contos,
a configuração social
do país pós-apartheid.
ÁFRICA DO SUL,
Simonsberg
Aromas e sabores
de cravo, chocolate
e baunilha do
carvalho.
R$ 70,00
Preço ClubeW
R$ 59,50
RP
97
ÁFRICA DO SUL,
Constantia
Um dos vinhos
mais antigos do
Novo Mundo: pleno,
intenso, doce.
R$ 452,00
Preço ClubeW
R$ 384,20
65
Coordenadas
VIVA A
DIFERENÇA!
ELE
GAN
T
E
Don Draper
Mad Men
C
Carnudo,
intenso,
in
blockbuster
bl
para brancos
pa
1
PREÇOS PROMOCIONAIS VÁLIDOS ATÉ 31 DE JANEIRO DE 2014.
Nossa hierarquia
deliberadamente
aleatória para
mergulhar você nas
sutilezas do vinho
Nossa ideia de elegância foi forjada
em algum momento entre o final do
século 19 e a metade do século 20.
Com o confronto entre a gentileza
aristocrática e a iconoclastia imposta pela sociedade de consumo, o
mundo se viu obrigado a conviver
em paz com as diferenças. Sobre o
que falariam o senhor de Downton
Abbey e o gênio criativo de Mad
Men se convidados para o mesmo
jantar? Que um não existiria sem o
outro. Às favas com os taninos!
Elegante,
a Borgonha
na Itália
4
OSO
2
3
D
Delicado
–
mordida em
m
maçã verde
m
5
Um clássico
o
espanholl
1
FAMILIA DEICAS
PRELUDIO BRANCO 2011
2
SALTON MOSCATEL
3
OLIVIER LEFLAIVE
BOURGOGNE CHARDONNAY 2011
66
Potente, se
fosse carne
seria ossobuco
6
OPU
LEN
TO
Conde de
Grantham
Downton
Abbey
4
BAROLO BATASIOLO
BOSCARETO 2004
5
SANGRE DE TORO
2011
6
LAS PERDICES
TINAMU 2006
FOTOS DIVULGAÇÃO / TOLOUBAEV STANISLAV/SS/GLOW IMAGES/ IRIS KUERSCHNER_LAIF/GLOW IMAGES
MACIO
PODER
Pêssego
em calda
a
com gás
MONTAUDON BRUT
CHAMPAGNE, FRANÇA
98
MONTAUDON É UM CHAMPAGNE SECO,
CREMOSO E REFRESCANTE.
PERFEITO PARA BRINDAR OS SEUS
MOMENTOS DE FELICIDADE.
R$
WINE.COM.BR
0800 602 9463
ENTREGA GRATUITA
,00
SÓCIO CLUBEW R$83,30