Anais ano 7 - São Leopoldo Mandic

Сomentários

Transcrição

Anais ano 7 - São Leopoldo Mandic
ANAIS DA FACULDADE
SÃO LEOPOLDO MANDIC
ano 7 - 2012
ANAIS DA FACULDADE
SÃO LEOPOLDO MANDIC
ISSN 2177-7136
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 1-31
Direção
Diretor Geral: Prof. Dr. José Luiz Cintra Junqueira
Vice-Diretora Geral e Diretora de Clínicas: Profa. Dra. Jussara Moreira Passos Cintra Junqueira
Diretora de Pesquisa e Coordenadora do Programa de Doutorado: Profa. Dra. Vera Cavalcanti de Araújo
Coordenador do Programa Stricto Sensu: Prof. Dr. Marcelo Henrique Napimoga
Coordenadora do Programa Lato Sensu: Profa. Dra. Luciana Butini Oliveira
Diretor de Graduação: Prof. Dr. Ney Soares de Araújo
Coordenador do curso de Odontologia: Prof. Dr. Rui Barbosa de Brito Junior
Organização e Normalização
Samanta Capeletto
Criação
Samanta Capeletto
Endereço de Correspondência
Faculdade São Leopoldo Mandic
Rua José Rocha Junqueira, 13
Swift
13045-755 - Campinas - SP - Brasil
(19) 3211-3689
E-mail: [email protected]
Ficha Catalográfica
Anais da Faculdade São Leopoldo Mandic, ano 7, 2012, Campinas.
Anais / Anais da Faculdade São Leopoldo Mandic. – Campinas: Faculdade São Leopoldo Mandic, 2009.
31p.
1. Odontologia. I. Faculdade São Leopoldo Mandic. II. Anais.
• MESTRADO •
D001
AVALIAÇÃO DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL DA PINTURA
ELETROSTÁTICA UTILIZADA EM LIGA DE CO-CR APÓS CICLAGEM
Alessandra Cardoso da Silva Nascimento
Roberta Tarkany Bating Höfling
Prótese Dentária
O objetivo deste trabalho foi avaliar in vitro a rugosidade superficial de uma estrutura metálica a base de Co-Cr
submetida ou não à aplicação de tinta epóxi e a influência da ciclagem térmica na rugosidade e micromorfologia
superficiais. Sessenta corpos de prova foram confeccionados com liga de cobalto-cromo (Wironit extra-duro, Bego) e
foram divididos em três grupos (n=20). Cada corpo-de-prova teve sua superfície submetida ao tratamento de
superfície de acordo com o grupo experimental: Pol - realização de polimento com pedras e borrachas abrasivas
(grupo controle); Pol + Epo - realização de polimento também com pedras e borrachas abrasivas e aplicação de tinta
epóxi; Epo - realização de jateamento com óxido de alumínio, sem polimento convencional e aplicação de tinta epóxi.
Ensaios de rugosidade iniciais foram realizados em três direções diferentes na superfície dos corpos-de-prova
utilizando-se parâmetro de rugosidade média (Ra) medida em m em rugosímetro digital (SurfCorder® SE 1700,
Kosakalab) e cut-off de 0,25mm. A seguir, os corpos-de-prova foram submetidos à ciclagem térmica por 1000 ciclos
em temperatura de 5° e 50°c e submetidos aos ensaios de rugosidade superficial final. Verificou-se a micromorfologia
superficial dos corpos-de-prova por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV) com aumentos de 200 e 500
vezes. Para os dados de rugosidade, foi aplicada análise de variância (ANOVA) dois critérios para medidas repetidas.
Houve diferença significativa entre os grupos (p<0,0001), porém não houve diferença antes e após a termociclagem
(p=0,6638). A interação grupos x ciclagem não foi significativa (p=0,6275). Verificaram-se maiores valores médios de
rugosidade superficial para os grupos Pol + Epo e Epo comparados ao grupo Pol. Em relação à micromorfologia, a
superfície do grupo Pol apresentou-se polida, lisa e regular. Nos grupos com a aplicação da tinta epóxi (Pol e Pol +
Epo), observou-se homogeneidade da superfície metálica recoberta pela tinta epóxi sem a presença de trincas e
fissuras. Pode-se concluir que a rugosidade superficial de uma liga metálica a base de Co-Cr que recebeu o
tratamento com tinta epóxi foi maior que a rugosidade da liga que recebeu apenas polimento; a ciclagem térmica não
influenciou a rugosidade superficial de uma liga metálica a base de Co-Cr submetida ou não à aplicação de tinta epóxi;
pode-se verificar que a ciclagem térmica não promoveu lascas ou desprendimentos de tinta epóxi, observando-se que
a superfície apresentou-se livre de trincas e fissura
D003
ESTUDO DO COMPORTAMENTO BIOMECÂNICO DAS ESTRUTURAS DE
SUPORTE DE PRÓTESES PARCIAIS REMOVÍVEIS INFERIORES CLASSE I
DE KENNEDY, CONVENCIONAIS E SUPORTADAS POR IMPLANTES NAS
EXTREMIDADES LIVRES, UTILIZANDO O MÉTODO DOS ELEMENTOS
D002
DOBRADOR MECANIZADO DE FIO ORTODÔNTICO
Alessandro Nagel Engler
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Esta patente de invenção teve o objetivo de apresentar os detalhes técnicos e científicos do
dobrador mecanizado de fio ortodôntico, instrumento deenvolvido e patenteado no Instituto
Nacional de Propriedade Industrial (INPI).
D004
ANÁLISE MICROBIOLÓGICA IN VITRO DO SELAMENTO BACTERIANO NA
INTERFACE PILAR/IMPLANTE EM DOIS MODELOS DE IMPLANTE DE
ENCAIXE MORSE
Carla Martins Rocha
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Deceles Cristina Costa Alves
Elizabeth Ferreira Martinez
Implantodontia
A literatura a respeito da biomecânica de próteses parciais removíveis de extremidade livre (PPREL) é vasta. Apesar
disto, os estudos sobre a associação destas próteses com implantes osseointegrados são inconclusivos. Diante
disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da presença de um implante distal atuando apenas como
suporte em casos de PPR classe I de Kennedy na distribuição das tensões geradas sobre as estruturas de suporte da
prótese, utilizando o método de elementos finitos tridimensional. Foram elaborados dois modelos tridimensionais
representando hemiarcadas inferiores parcialmente desdentadas, sem suporte dental posterior, nos quais todas as
estruturas protéticas e de suporte permaneceram constantes, sendo que a única variável foi a presença ou não de um
implante cilíndrico na região do primeiro molar, de dimensões 4.1mm x 8.1mm. Com o auxílio do programa Abaqus 6.9
(Simulia, USA), os modelos foram testados com a aplicação de carga sobre o primeiro molar, em diferentes situações:
carga vertical de 100N (fosseta central, seguindo a direção axial do implante) e carga de 30N a 45 graus (vertentes
internas das cúspides de trabalho). A presença do implante reduziu em cerca de 30% os valores de tensão principal
mínima sobre a mucosa de revestimento, 12% as tensões de von Mises na cortical e 21% as tensões de compressão
na cortical. Todavia, as tensões sobre o dente suporte não foram alteradas pela presença do implante. Os mapas de
tensões mostraram claramente que o implante não recebeu cargas oblíquas ao seu longo eixo, não havendo
diferenças entre as tensões observadas na presença ou ausência do implante, quando o carregamento foi realizado a
45 graus do longo eixo do implante.
O espaço microscópico causado pela desadaptação entre implante e pilar protético, denominado microgap,
possibilita a infiltração bacteriana, sendo uma das causas da perda óssea perimplantar. Na busca de minimizar a
presença do microgap e seus efeitos, novos desenhos de encaixes têm sido propostos e alguns estudos vêm
demonstrando a superioridade do encaixe protético do tipo morse. O objetivo deste estudo foi avaliar
comparativamente, por meio de análise microbiológica in vitro, a capacidade de selamento bacteriano de dois
modelos de implante de encaixe morse. Foram utilizados 15 implantes com travamento de seus respectivos minipilares por fricção, sem auxílio de parafuso (grupo 1) e 30 implantes com travamento de seus respectivos mini-pilares
sólidos, reforçado pela presença de parafuso, sendo que 15 destes implantes receberam torque de inserção de 20
N.cm (grupo 2) e o restante 30 N.cm (grupo 3). A análise microbiológica foi realizada utilizando colônias de Escherichia
coli transportadas diretamente da placa de cultivo para o pilar protético. Foi contaminada a porção mais apical ou base
do mini-pilar dos implantes friccionais e a porção mais apical do parafuso do mini-pilar dos implantes aparafusados.
Os implantes friccionais (grupo 1) foram ativados por meio do dispositivo bate conexão e para os aparafusados foi
usada a chave de torque (grupos 2 e 3). Cada conjunto de pilar/implante foi imerso em tubos de ensaio contendo 5 ml
de caldo BHI (Brain-Heart Infusion) e incubados a 37ºC durante 14 dias com verificação diária de presença de
contaminação. Foi observada diferença estatisticamente significante, com relação ao número de implantes
contaminados. Para os implantes do grupo 2, houve maior contaminação (p<0,05), não sendo observada diferença
significativa entre os outros grupos. Conclui-se neste estudo que o selamento bacteriano foi efetivo para os implantes
friccionais (grupo 1) e para os implantes aparafusados com torque de inserção de 30 N.cm (grupo 3).
D005
A RELAÇÃO DO TRATAMENTO PRÉVIO COM O DIAGNÓSTICO DE DTM
AVALIAÇÃO EX-VIVO DA GENOTOXICIDADE E CITOTOXICIDADE EM
FIBROBLASTOS MURINOS EXPOSTOS AO MTA BRANCO OU CIMENTO DE
PORTLAND BRANCO COM 15% DE ÓXIDO DE BISMUTO
Eduardo Gregatto Zeferino
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Edilsa Portal Sacramento Lemanski
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a importância do tratamento prévio para o diagnóstico,
visando o sucesso do tratamento de pacientes com disfunção temporomandibular (DTM). Foram
avaliadas 235 fichas clínicas de pacientes que foram atendidos na Clínica de DTM do Programa
Curso de Mestrado do Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic, no período
compreendido entre os anos de 2008 a 2010. Foram selecionadas 235 fichas de pacientes de
ambos os gêneros, com idade adulta e os pacientes foram diagnosticados de acordo com o
RDC/TMD para os grupos I (desordem muscular) e II (desordem articular). Os dados da amostra
foram divididos em grupo I (DTM muscular), grupo II (DTM articular) e grupo misto (DTM muscular
e articular) com o intuito de se verificar a freqüência do gênero e o risco relativo de tratamento
prévio. Os resultados mostraram que o gênero feminino foi mais frequente entre os grupos de
DTM da amostra e que o risco relativo de ter sido submetido a tratamento foi maior para o grupo
com DTM muscular
D007
D006
INFLUÊNCIA DA INCORPORAÇÃO DE AGENTES ANTIMICROBIANOS NO
CIMENTO DE IONÔMERO DE VIDRO NA MICROINFILTRAÇÃO MARGINAL A
LONGO PRAZO EM ESMALTE E DENTINA
O objetivo desse estudo foi avaliar se o mineral trioxide aggregate (MTA) e cimento de Portland
branco com 15% deóxido de bismuto foram capazes de induzir danos genéticos e morte celular ex
vivo. Para isso, alíquotas de 1 X 104 fibroblastos murinos foram incubados a 37ºC por 3 horas com
MTA (branco) ou cimento de Portland branco com 15% de óxido de bismuto, nas concentrações
finais variando de 10 a 1000 ug mL-1 individualmente. Dados de três repetições independentes do
teste do cometa e do teste de exclusão azul de Trypanforam avaliados pelo ANOVA one-way
seguido pelo teste deTukey. Como resultado foi verificado que o MTA ou cimento de Portland
contendo óxido de bismuto não produziram efeitos genotóxicos pelo teste de células
individualizadas em gel de agarose (cometa) paratodas as concentrações testadas. Além disso,
não foram observados efeitos de citotoxicidade para o MTA ou cimento de Portland. Concluiu-se
então que o MTA Branco ou cimento de Portland branco contendo 15% óxido de bismuto não
foram genotóxicos e citotóxicos.
D008
AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UNIÃO ENTRE CERÂMICAS A BASE DE
LEUCITA E DISSILICATO DE LÍTIO À DENTINA APÓS CIMENTAÇÃO COM
AGENTES RESINOSOS CONVENCIONAIS E AUTOADESIVOS
Edwaldo de Souza Barbosa Júnior
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
Fernando José Rigolin Ferreira
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Esse estudo avaliou in vitro a influência da incorporação de agentes antimicrobianos no cimento de ionômero de vidro
(CIVAA - Vidrion R + metronidazol 1%, cefaclor 1% e ciprofloxacina 1% - Fórmula & Ação) na microinfiltração marginal
em esmalte e em dentina, comparando-o com um cimento de ionômero de vidro convencional (CIVC - Vidrion R® - SS
White) e um modificado por resina (CIVMR - Vitremer® - 3M/ESPE) após 7 dias, 60 dias e 90 dias de armazenamento.
Foram realizadas aleatoriamente 90 restaurações de Classe V na junção amelo-cementária nas faces vestibular e
lingual de 45 molares permanentes hígidos, divididos em três grupos de dez restaurações com cada material (n=10).
Após a imersão no corante azul de metileno a 2% por 12 horas, foi avaliada em cada um dos tempos, a microinfiltração
por dois examinadores por meio de concordância inter examinadores, segundo os escores: 0 - ausência de
microinfiltração; 1 - microinfiltração do corante até a metade da parede gengival; 2 - microinfiltração após a metade da
parede gengival, sem atingir a parede axial; 3 - microinfiltração após a metade da parede gengival, atingindo a parede
axial. Os dados foram submetidos aos testes não paramétricos de Kruskal-Wallis para comparar a microinfiltração
entre os nove grupos em estudos e o teste de Wilcoxon para comparar a microinfiltração entre esmalte e dentina. Os
resultados demonstraram que o cimento de ionômero de vidro antibacteriano apresentou maior infiltração em todos
os tempos, tanto no esmalte como na dentina (p<0,05). Não houve diferença estatisticamente significativa nos níveis
de microinfiltração nas restaurações com os cimentos de ionômero de vidro convencional e modificado por resina
(p>0,05) nos tempos estudados e nem em esmalte ou dentina (p>0,05). Conclui-se que embora os três tipos de CIV
promoveram microinfiltração na interface dente/restauração, o CIVC e o CIVMR apresentaram menor grau de
microinfiltração quando comparados com o CIVAA em todos os tempos e substratos. O cimento Vidrion R® com a
adição de antimicrobianos (1% metronidazol, 1% cefaclor e 1% ciprofloxacina) interferiu no selamento marginal tanto
em esmalte como na dentina independente dos tempos avaliados.
O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar a resistência de união por microtraçãoà dentina humana entre cerâmicas prensadas
a base de leucita (IPS Empress Esthetic/ Ivoclar Vivadent) e dissilicato de lítio (IPS e.max Press/ Ivoclar Vivadent) após
cimentação com agentes resinosos convencionais e auto adesivos e o padrão de fratura. As superfícies oclusais de 60 molares
humanos hígidos foram removidas e planificadas até exposição de dentina. Procedeu-se a cimentação dos blocos cerâmicos
de forma aleatória de acordo com os sistemas de cimentação utilizados (n=10): cimento resinoso dual convencional (Variolink
II/ Ivoclar Vivadent), cimento resinoso auto polimerizável convencional (Multilink/ Ivoclar Vivadent) e cimento resinoso dual
auto adesivo (RelyX U100/ 3M ESPE). Após a aplicação do sistema de cimentação, os blocos cerâmicos foram assentados
sob pressão de 1kgf por 10 minutos. Os sistemas de cimentação duais foram foto ativados com aparelho de luz LED (Radii Cal,
SDI) por40 segundos. Após 72horasde armazenagem em água destilada a 37?C, os corpos de prova foram seccionados para
a obtenção de palitos com aproximadamente 1 mm2 para a realização do teste de microtração em máquina universal de
ensaios (EMIC) com velocidade de 0,5mm/min até a ocorrência de ruptura. O padrão de fratura foi analisado em microscópio
eletrônico de varredura com aumento entre 75 a 95 vezes. A Análise de Variância (ANOVA) e o teste de Tukey ( =0,05)
mostraram que não houve diferenças entre os tipos de cerâmicas, mas houve entre os cimentos avaliados, verificando-se
maiores médias de resistência de união por microtração para o cimento resinoso dual convencional (Variolink II) e para cimento
resinoso dual autoadesivo (RelyX U100), apesar de maior prevalência de perdas prematuras dos palitos com este cimento.
Houve menores médias de resistência de união ao se utilizar o cimento resinoso autopolimerizável convencional (Multilink),
com predominância de fraturas do tipo coesiva no cimento. Para o cimento resinoso dual convencional (Variolink II)
predominou o tipo de fratura mista e para o cimento resinoso dual autoadesivo houve fraturas adesivas na cerâmica e no
substrato. Pode-se concluir que as cerâmicas a base de leucita (IPS Empress Esthetic) e a base de dissilicato delítio (IPS
e.max Press) apresentaram resistência de união semelhante à dentina ao se utilizar o cimento resinoso dual convencional
(Variolink II) e o dual autoadesivo (RelyX U100), com fraturas do tipo mista e adesiva, respectivamente.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 3-3
3
• MESTRADO •
D009
ÍNDICE DE SUCESSO NA REMOÇÃO OU ULTRAPASSAGEM DE
INSTRUMENTOS FRATURADOS [RECURSO ELETRÔNICO] :
ESTUDO CLÍNICO PROSPECTIVO
D010
ANÁLISE DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE ENDOCROWNS
E COROAS RETIDAS A PINOS DE FIBRA DE VIDRO
CONFECCIONADAS COM CERÂMICA A BASE DE DISSILICATO
DE LÍTIO
Giselle Nevares Elgarten Rocha
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Gislaine Rosa Biacchi
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Os objetivos deste estudo clínico prospectivo foram avaliar o índice de sucesso na remoção ou
ultrapassagem de instrumentos fraturados e determinar se a visualização do instrumento
fraturado ao microscópio operatório influencia nos resultados. Iniciou-se pela remoção de
interferências intrarradiculares na tentativa de acesso visual direto aos 112 instrumentos
fraturados através da microscopia clínica operatória. A técnica de Ruddle, utilizando insertos de
ultrassom associados ou não à manobra de ultrapassagem, foi empregada nos 68 fragmentos
visíveis. A manobra de ultrapassagem foi realizada nos 44 instrumentos fraturados não visíveis. O
teste estatístico qui-quadrado foi aplicado entre os dois grupos de instrumentos fraturados visíveis e não visíveis - para determinar se sua visualização ao microscópio operatório influenciou
nos resultados. O índice total de sucesso (remoção ou ultrapassagem) foi de 70,5% (n=79). No
grupo dos instrumentos fraturados visíveis, a taxa de sucesso alcançada foi de 85,3% (n=58),
enquanto que no grupo dos instrumentos fraturados não visíveis foi de 47,7% (n=21). A taxa de
sucesso foi significativamente maior quando os fragmentos estiveram visíveis ao microscópio
(p=0,0009). Concluiu-se que quando os instrumentos fraturados estiveram visíveis ao
microscópio operatório, a remoção ou ultrapassagem foram mais efetivas, apresentando alta taxa
de sucesso.
O objetivo deste estudo in vitro foi comparar a resistência à compressão de restaurações indiretas
totais retidas a pino intrarradicular e endocrown e o modo de fratura. Para isso 20 molares inferiores
hígidos foram selecionados e divididos em dois grupos (n=10): dentes com coroas cerâmicas,
núcleos de preenchimento e pinos de fibra de vidro; e dentes com restaurações do tipo endocrown. Todos
os dentes foram tratados endodonticamente e preparados para restaurações cerâmicas confeccionadas pela
técnica da injeção (IPS e.max Press, Ivoclar-Vivadent), formando o grupo da coroa convencional (GC) e grupo
endocrown (GE). Os corpos-de-prova foram montados em uma máquina universal de ensaios (EMIC DL 2000),
na qual foram submetidos a uma carga de compressão oblíqua, com velocidade de 1mm/minuto, em ângulo de
135° com o longo eixo do dente, até ocorrer a falha: perda de adesão e/ou fratura. A avaliação estatística, através
do teste não paramétrico Mann-Whitney, mostrou diferenças significativas entre os dois grupos (p=0,002),
sendo que o grupo GE mostrou ser mais resistente às tensões compressivas do que o grupo GC, sendo o padrão de
falha predominante a fratura do dente no lado de aplicação da força e consequente deslocamento da restauração
no lado oposto, em ambos os grupos. Conclui-se que as restaurações endocrown apresentaram maior resistência
à fratura que as restaurações em coroas cerâmicas associadas a pinos de fibra de vidro e núcleos de
preenchimento de resina composta com padrão de falha caracterizado por fratura do dente associado ao
deslocamento da restauração no lado oposto.
D011
AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE FRATURA DE LIMAS MTWO
UTILIZADAS COM PRÉ-ALARGAMENTO: ESTUDO CLÍNICO
PROSPECTIVO
D012
PREVALÊNCIA DE ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS NO
CÔNDILO ARTICULAR EM PACIENTES PORTADORES DE
DESORDEM TEMPOROMANDIBULAR
Iracema Cabral Ehrhardt
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Jimmy de Oliveira Araújo
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Os instrumentos rotatórios de NiTi foram desenvolvidos com o intuito de qualificar e simplificar o preparo do Sistema de Canais
Radiculares. Apesar de todo o aprimoramento aplicado desde então, na prática clínica, esses instrumentos apresentam risco de
fratura. O Sistema Rotatório Mtwo preconiza a utilização de todos os instrumentos na técnica de Comprimento Único, sem
realização de preparo cervical nem instrumentação manual prévios. O objetivo deste trabalho foi avaliar, na clínica, a incidência de fratura das
quatro primeiras limas da série básica do Sistema Mtwo, no preparo de 556 dentes posteriores com alargamento cervical e instrumentação
manual prévios, diferindo do recomendado pelo fabricante. Os tratamentos endodônticos foram realizados por quatro especialistas calibrados
com o sistema mediante protocolo. Foram utilizados dentes pré-molares e molares, superiores ou inferiores, com indicação de tratamento
endodôntico, que foram acessados e isolados da forma convencional. A exploração dos canais foi feita com limas manuais tipo K de pequeno
calibre em movimento de cateterismo. A seguir, foi feito o preparo dos terços cervical e médio com limas manuais em 5 mm aquém do
comprimento inicial do dente e brocas Gates-Glidden # 3 e 2. Irrigação com 2 ml de solução de Hipoclorito de Sódio a 2,5% foi realizada a
cada troca de instrumento. O comprimento de trabalho foi determinado em 1 mm aquém do forame apical utilizando-se localizadores
foraminais e, em seguida, se iniciou o preparo do terço apical com instrumentos manuais de aço inox Flexofile, em movimento de rotação e
suave pressão apical, até que se atingiu o comprimento de trabalho com uma lima manual # 15. Os instrumentos Mtwo foram utilizados na
sequência, velocidade e torque recomendados pelo fabricante por no máximo 5 vezes (5 dentes), até atingirem o comprimento de trabalho.
Após cada uso, os instrumentos foram observados sem magnificação e ao microscópio clínico operatório com 8 aumentos. Em casos de fratura
ou deformação, o kit foi descartado, com exceção da lima 10.04 que pôde ser substituída a qualquer instante, devido a seu alto índice de
deformação observado na literatura. Observou-se como índice de fratura e distorção 1,98% e 28,78% respectivamente, dentre todos os dentes
tratados. Do total de fraturas, dez foram da lima 10.04 (90,01%) e uma foi da lima 15.05 (9,09%). Todas as fraturas ocorreram em molares, das
quais seis se deram em molares superiores (3,00%) e cinco em molares inferiores (2,08%). Concluiu-se que o uso do sistema rotatório Mtwo
associado a limas manuais e a brocas de Gates-Glidden propiciou baixa incidência de fratura.
O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de alterações morfológicas condilares (facetamento, erosão,
osteófito e esclerose) em pacientes portadores de DTM. Foi desenvolvido um estudo epidemiológico retrospectivo
utilizando 1000 prontuários clínicos, com seus respectivos exames complementares (modelos de trabalho em gesso
pedra tipo III e planigrafias da articulação temporomandibular), de pacientes que buscaram atendimento no Serviço
de Diagnóstico e Orientação a Pacientes com Desordem Temporomandibulares da Faculdade de Odontologia da
Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais (Serviço ATM), no período de 2003 a 2009. Foram incluídos
pacientes do gênero feminino com idade variando entre 6 a 74 anos com idade média de 34,4 todos portadores de
DTM. Três variáveis foram analisadas com modelo de regressão logística: perda dentária posterior, alterações
morfológicas e idade. Os dados obtidos foram organizados, depois analisados por testes estatísticos Wilcoxon e
binomial. Foi realizada uma comparação entre os dados do estudo e aqueles obtidos em uma revisão da literatura. Os
resultados demonstraram que não houve relação entre perda dentária posterior e alterações morfológicas condilares
p>0.05. Houve correlação positiva entre as variáveis perda dentária e idade p<0.05, ou seja, Exp(B)=1,105. As
alterações morfológicas mais frequentes em ambos os côndilos articulares foram: facetamento seguidos de osteófito,
erosão e esclerose que ocorreram com baixa freqüência. Os resultados deste estudo demonstraram que a perda
dentária posterior e a idade não são os fatores principais para o desenvolvimento de alterações degenerativas
articulares em indivíduos do gênero feminino.
D013
DESLOCAMENTO ANTERIOR DE DISCO COM REDUÇÃO
: AVALIAÇÃO POR IMAGEM DE RESSONÂNCIA
MAGNÉTICA
AUSÊNCIA DE SENSIBILIDADE PULPAR EM CANINOS
SUPERIORES SUBMETIDOS AO TRACIONAMENTO
ORTODÔNTICO : ESTUDO CLÍNICO RETROSPECTIVO
Luciana Louzada Ferreira.
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Juliana Ricardi Laranjeira Stefani
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Para o presente estudo foram avaliados 140 exames de ressonância magnética de ATM do banco de
imagens do Centro de Tomografia Computadorizada do Hospital Samaritano de São Paulo, com laudo
de deslocamento anterior de disco com redução em pelo menos um dos lados. Foram incluídos no
presente trabalho 81 exames de imagem, totalizando 162 articulações. A amostra foi classificada em 4
grupos, em função de: a) presença de deslocamento anterior de disco com redução unilateral, sendo contabilizado
o lado mais prevalente, direito ou esquerdo; b) presença de deslocamento anterior de disco com redução bilateral;
c) presença ou não de deslocamentos de disco laterais ou mediais nos dois grupos anteriores; d) presença de
deslocamento anterior de disco sem redução unilateral, sendo contabilizado o lado mais prevalente, direito ou
esquerdo. Os resultados mostraram haver 78% de casos de deslocamento anterior de disco com redução unilaterais
e 22% bilaterais, ou seja, houve uma maior frequência destes deslocamentos unilateralmente. Além disso, a
distribuição para os lados direito e esquerdo nos casos de deslocamento anterior de disco com redução foi
respectivamente, 48% e 52%, ou seja, não existiu diferença significativa quanto à frequência dos lados. Nas 99
articulações com diagnóstico de imagem de deslocamento anterior de disco com redução encontrou-se: 26% de
deslocamentos para medial; 25% para lateral; e 49% centrais. Ou seja, a maior frequência foram os deslocamentos
anteriores puros ou centrais. Finalmente, dentre as 27 articulações com diagnóstico de imagem de deslocamento
anterior de disco sem redução, foram observados 56% das articulações acometidas do lado D e 44% do lado E, ou
seja, não existiu diferença significativa quanto aos lados.
D015
D014
ESTRESSE, CORTISOL E DOENÇA PERIODONTAL EM
AMOSTRA DE ESTUDANTES DE ESCOLA PÚBLICA E
PARTICULAR
A movimentação ortodôntica pode causar inúmeras alterações teciduais na polpa dentária. No
entanto, essas alterações não são totalmente reconhecidas devido à dificuldade em simular
situações clínicas. O objetivo desse trabalho foi avaliar clinicamente, através de testes de
sensibilidade ao frio, a incidência de sensibilidade pulpar negativa em caninos superiores que se
encontravam em infra-oclusão e foram submetidos a tracionamento ortodôntico. Foram selecionados dois
grupos de pesquisa: grupo experimental, que abrangia 32 dentes caninos com completa formação radicular que
foram submetidos ao tracionamento ortodôntico e grupo controle com 32 dentes caninos com completa
formação radicular que nunca foram movimentados ortodonticamente. Dos dentes avaliados, 14 do grupo
experimental apresentaram ausência de sensibilidade pulpar comparados com o grupo controle que apresentou
apenas um caso de sensibilidade pulpar negativa. O resultado do teste exato de Fischer apresentou diferença
significativa entre os grupos (p<0,05). Em conclusão, o estudo mostrou que o tracionamento ortodôntico induziu
um maior número de dentes com ausência de sensibilidade quando comparados aos que não foram submetidos
ao mesmo procedimento.
D016
AVALIAÇÃO DE MÉTODOS DE LIMPEZA DE LIMAS
ENDODÔNTICAS ROTATÓRIAS DE NÍQUEL TITÂNIO
Maria Eunice da Silva Davidian
Adriana de Jesus Soares
Endodontia
Marcela Resende
Eduardo Saba-Chujfi
Periodontia
O objetivo principal deste estudo foi avaliar o estresse psicológico por meio de questionário da
escala de estresse percebido (PSS), quantificar o nível de cortisol salivar e estimar a presença e
gravidade da doença periodontal em alunos do terceiro ano do ensino médio de escolas
particulares e publicas em Catalão-GO-Brasil. Quarenta alunos de escola particular e quarenta de
escolas públicas responderam a um questionário de estresse composto de 14 perguntas ( Cohen 1983), foram
colhidas amostras de saliva para medição do cortisol e realizado exame periodontal através de sondagem
periodontal, no total de oitenta estudantes participantes. Em relação aos alunos de escola pública e particular,
o nível de cortisol apresentou diferença significativa (p < 0,0001) sendo superior nas escolas públicas 13,4 ±
8,3 do que nas escolas particulares 7,3 ± 5,7. No exame periodontal,a profundidade de sondagem, a perda de
inserção e índice de sangramento, também apresentaram diferença significativa entre as escolas (p < 0,05)
sendo em média, superiores na escola pública do que na particular, exceto no que diz respeito a perda de
inserção. Em relação ao índice da escala de estresse percebido não houve diferença estatística entre as
escolas, mas a média do estresse foi considerada elevada (p < 0,05) em relação aos valores observados na
literatura.
O objetivo desse estudo foi avaliar a eficácia de três métodos de limpeza de limas endodônticas de níquel titânio após
a instrumentação de canais radiculares in vivo. Foram utilizados seis jogos de limas rotatórias do sistema Protaper
universal para instrumentação de seis molares com polpas vitais de pacientes indicados para tratamento
endodôntico. Para cada tratamento foram utilizados instrumentos novos na seqüência proposta pelo fabricante que foram
submetidos à limpeza em cuba ultrassônica com detergente enzimático, autoclavadas e fotografadas previamente ao uso. Após a
instrumentação as limas foram limpas por diferentes métodos de limpeza. No grupo 1 dois jogos foram limpos em cuba
ultrassônica com solução de água com detergente enzimático por 8 minutos, no grupo 2, dois jogos foram limpos utilizando o
motor XSmart com o módulo auto-reverso ativado e as limas introduzidas em uma gaze umedecida em solução salina presa entre
os dedos polegar e indicador do operador. O grupo 3 foi composto pela associação dos métodos dos grupos 2 e 1 utilizando 2 jogos
de limas novas. A avaliação foi feita através de fotografias tiradas com câmera digital acoplada a microscópio clínico com
aumento de 20 vezes. As fotografias foram montadas em apresentação Power Point, projetadas e examinadas por dois avaliadores
previamente calibrados, duplo cego. Os resultados demonstraram que nos grupos 1 e 2 os métodos utilizados não promoveram a
remoção completa dos debris sobre as espiras das limas. Os melhores resultados foram observados no grupo 3, grupo da
associação dos métodos, porém sem diferença significante estatisticamente entre os grupos, considerando o corpo (p=0,09) e a
ponta das limas (p=0,06). Concluiu-se que os métodos testados reduziram os debris das espiras (p=0,043), mostrando o benefício
da limpeza independente do método aplicado. Todavia a remoção não foi completa, portanto novos métodos de limpeza devem
ser estudados e validados para que a reutilização das limas endodônticas seja feita de acordo com os conceitos de controle de
infecção.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.4-4
4
• MESTRADO •
D017
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS CIRURGIÕESDENTISTAS DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS-MG SOBRE
TÉCNICAS RADIOGRÁFICAS, MEDIDAS DE RADIOPROTEÇÃO E
DE BIOSSEGURANÇA
O objetivo deste estudo foi avaliar o nível do conhecimento dos cirurgiões-dentistas do município de Montes Claros, Minas
Gerais sobre a solicitação de exames radiográficos, medidas de radioproteção e de biossegurança. Para isso, 203 cirurgiõesdentistas foram convidados a responder um questionário com 25 perguntas relacionadas aos temas estudados. Dos 112
profissionais que responderam o questionário, 41 eram clínicos gerais e 71 eram especialistas, 8 tinham menos de 5 anos de
formado, 54 tinham entre 5 a 15 anos e 50 tinham mais de 15 anos de formados. Quanto à indicação de técnicas radiográficas
para o diagnóstico de alterações bucais: 80% dos profissionais indicaram a radiografia interproximal para o diagnóstico da
doença cárie, 86,7% radiografia periapical para doença periodontal, 88,8% a técnica periapical para tratamento endodôntico,
72,6% periapical para extração de inclusos e 81,5% também a periapical para fraturas dentárias. Para o planejamento de
implantes apenas 16,9% indicaram a tomografia computadorizada e a maioria (52,3%) recomendou à panorâmica. Quanto à
radioproteção 84% dos profissionais relataram a adoção de tempo de exposição elevado sendo que 50% dos dentistas
formados até 5 anos utilizam o tempo preconizado, porém 74,1% dos dentistas que tem de 5 a 15 anos de formado e 100% dos
dentistas com mais de 15 anos utilizam acima de 0,8 segundos (p=0,030, teste qui-quadrado com correção de Fisher); 80,4%
têm preferência na realização do processamento pelo método visual. Os resultados mostraram que tanto os dentistas que tem
menos tempo de formado como aqueles que têm entre 5 a 15 anos usam avental plumbífero junto com o protetor da tireóide, ao
passo que a grande maioria dos dentistas com mais de 15 anos (80%) utilizam apenas o avental plumbífero (p=0,007, teste quiquadrado com correção de Fisher). Com relação à biossegurança 85,7% descartam resíduos do revelador e fixador no esgoto
comum. Estes resultados estão em desacordo com a legislação vigente que regulamentam a proteção radiológica (Portaria
453). Com base nos resultados obtidos, pode-se concluir que cirurgiões-dentistas de Montes Claros, Minas Gerais precisam ser
esclarecidos quanto à solicitação de exames radiográficos e normas vigentes sobre as medidas de radioproteção e de
biossegurança a serem adotadas em consultórios odontológicos.
ALICATE PADRÃO COM MARCAÇÕES A LASER DE DOBRAS DE
FIOS PARA ORTODONTIA
Decisões clínicas são diretamente influenciadas pela qualidade das informações disponíveis para o diagnóstico.
Dados precisos proporcionam maior segurança para elaboração do plano de tratamento e consequentemente,
resultados potencialmente mais previsíveis. A Tomografia Computadorizada Cone Beam (TCCB) oferece imagens
clinicamente importantes que não podem ser obtidas por meio de radiografias periapicais convencionais ou digitais. A
possibilidade de avaliar a área de interesse em 3 dimensões (3-D) elimina a sobreposição de estruturas anatômicas
inerente às imagens bidimensionais (2-D). A TCCB permite a visualização de cortes axiais, coronais, sagitais e
oblíquos, assim como a reconstrução em 3D (altura, largura e profundidade), possibilitando a diferenciação entre
esmalte, dentina, cavidade pulpar, cortical alveolar e estruturas anatômicas adjacentes. O presente estudo encontrase dividido em 2 artigos, que confirmaram a relevância da TCCB na fase de diagnóstico, tomada de decisão clínica e
proservação de estruturas adjacentes envolvidas em processos patológicos. No primeiro artigo são relatados 3 casos
clínicos comparando imagens radiográficas periapicais com cortes tomográficos para o diagnóstico de alterações
periapicais. As imagens 3-D evidenciaram a presença de lesões não detectadas por meio de radiografias periapicais,
confirmando que a TCCB pode ser valiosa na elaboração do diagnóstico e tomada de decisão clínica em região
posterior da maxila. O segundo artigo relata uma solução conservadora e minimamente invasiva para o tratamento da
Síndrome Endo-Antral, (SEA), onde o retratamento endodôntico convencional associado ao protocolo de tratamento
para sinusite, propiciaram a reparação óssea periapical e o restabelecimento da saúde sinusal. A TCCB mostrou ser
um recurso adicional relevante durante o diagnóstico, conduta clínica e proservação de estruturas anatômicas
adjacentes.
D020
DISPOSITIVO EXPANSOR VERSÁTIL, COM AJUSTE DE
AFASTAMENTO CONTROLADO EM FORMA DE LEQUE DA
REGIÃO POSTERIOR DA MAXILA, APLICADO EM TRATAMENTO
DENTÁRIO
Ozéias Rodrigues
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Miguel Rodrigues Mendes Júnior
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
A presente patente de modelo de utilidade apresentou um alicate para uso em
ortodontia, caracterizado pelo fato de possuírem marcações em qualquer das
pontas ativas em formato piramidal ou com uma delas em formato cônico, com ou
sem ranhuras e principalmente marcado com tecnologia a laser alterando a cor do
metal para orientação e padronização dos trabalhos ortodôntico. Por meio destas
marcações de referência espera-se poder conferir segurança, estabilidade,
confiabilidade, reprodutibilidade e principalmente biossegurança, possibilitando
que o instrumental seja lavado, submetido a esterilização sem que haja danos às
marcações.
D021
UTILIZAÇÃO DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CONE
BEAM NO DIAGNÓSTICO, TOMADA DE DECISÃO CLÍNICA E
PROSERVAÇÃO DE LESÕES PERIRRADICULARES EM REGIÃO
DE MAXILA
Marina Ferreira Martins Tosta
Francisco José de Souza Filho
Endodontia
Marlen Viviane Oliveira
Luciana Butini Oliveira
Radiologia Odontológica e Imaginologia
D019
D018
COMPARAÇÃO DE MEDIDAS VERTICAIS PARA PLANEJAMENTO EM
IMPLANTODONTIA UTILIZANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE
MÚLTIPLOS DETECTORES E TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE
FEIXE CÔNICO
Este trabalho teve como objetivo descrever os detalhes técnicos do dispositivo
expansor versátil, com ajuste de afastamento controlado em forma de leque da
região posterior da maxila, aplicado em tratamernto dentário, aparelho
desenvolvido pelo autor desta dissertação.
D022
DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE DO DESEMPENHO DA BROCA GATESGLIDDEN MODIFICADA, NA LIMPEZA DE CONDUTO COM REABSORÇÃO
INTERNA
Paulo Ricardo Wagner
Thomaz Wassall
Implantodontia
Pedro Ernesto Ribeiro Carvalho
José Carlos Pettorossi Imparato
Odontopediatria
O diagnóstico por imagem tem passado por um grande avanço nos últimos anos, servindo também com
uma ferramenta fundamental para o planejamento pré-operatório utilizado por implantodontistas. Este
trabalho buscou fazer uma comparação entre imagens de tomografia Computadorizada por Múltiplos
Detectores e a de Feixe Cônico, identificando qual delas apresenta maior fidelidade dimensional linear,
permitindo maior acurácea no planejamento e segurança durante a cirurgia, fornecendo melhor qualidade
de imagem diagnóstica. Três mandíbulas humanas secas fornecidas pelo Departamento de Anatomia do
Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic foram escaneadas em ambos os equipamentos para executar
os exames, obter imagens e a mensuração nas mesmas, após, foram seccionadas e medidas com
paquímetro digital nas regiões anatômicas determinadas previamente. A análise dos resultados obtidos
mostraram que ocorreu um desvio maior da média, próximo de 4%, para os exames de Tomografia de
Múltiplos Detectores e menor que 3% para a Tomografia de Feixe Cônico, o que demonstra uma maior
acuidade para esta última, bem como uma melhor qualidade de imagem. Considerando ainda outros
fatores como custo e dose de radiação reduzida, a Tomografia Feixe Cônico apresentou- se como melhor
opção para exame pré-cirúrgico em implantodontia.
O objetivo deste trabalho foi avaliar, in vitro, a remoção mecânica da simulação de restos pulpares em
reabsorção interna de condutos radiculares de dentes decíduos, utilizando limas endodônticas e uma broca
de Gates-Glidden Modificada (GGM), desenvolvida para esta finalidade. Foram selecionados 20 dentes
decíduos anteriores, realizadas concavidades no terço médio das paredes internas dos condutos
radiculares, simulando reabsorção interna, com auxílio de uma broca esférica diamantada longa de alta
rotação, empregando um artefato previamente preparado para padronização dos desgastes. As paredes
internas dos condutos radiculares foram preenchidas por esmalte cosmético de cor vermelha e iodofórmio,
para avaliação radiográfica e visual. A seguir as amostras foram divididas, em dois grupos (n=10): Grupo 1
(Controle) - instrumentação do conduto utilizando lima tipo Kerr e Grupo 2 - limpeza realizada com lima tipo
Kerr e Broca Gates-Glidden Modificada (GGM). Após a instrumentação, foram realizadas radiografias
periapicais e utilizando um sistema de escores, três examinadores, em duplo cego, avaliaram a eficácia da
limpeza dos condutos radiculares nos terços cervical, médio e apical. Na fase seguinte, as amostras foram
clivadas longitudinalmente e também avaliadas pelos examinadores, com mesmo padrão de escores. Os
resultados analisados estatisticamente mostraram um índice Kappa variou entre 0,51 a 0,73 (para avaliação
radiográfica) e 0,76 a 0,80 (para avaliação visual), com superioridade no desempenho da broca pelo teste
Mann-Whitney com p? 0,05. Concluiu-se, portanto, que a limpeza do conduto radicular utilizando a
associação da lima + a GGM foram mais eficazes do que a limpeza convencional por meio de limas
endodônticas tipo kerr.
D023
ANÁLISE DO CRESCIMENTO MAXILO-MANDIBULAR EM PACIENTES
PORTADORES DE FISSURA UNILATERAL COMPLETA DE LÁBIO E PALATO
POR MEIO DE TELERRADIOGRAFIA CEFALOMÉTRICA EM NORMA
LATERA
D024
INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE FABRICAÇÃO NA
RESISTÊNCIA À FADIGA CÍCLICA DE INSTRUMENTOS
ENDODÔNTICOS MECANIZADOS
Renata Cristina Suzin Romanini
Luciana Butini Oliveira
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Renata Costa Val Rodrigues
Alexandre Sigrist de Martin
Endodontia
O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo retrospectivo para comparar o crescimento ântero-posterior da maxila e da
mandíbula entre pacientes com fissura unilateral completa de lábio e palato reparada e pacientes que não apresentavam nenhuma
alteração craniofacial. Foram selecionadas 46 telerradiografias cefalométricas em norma lateral de pacientes com fissura
unilateral completa de lábio e palato que foram submetidos às cirurgias primárias de correção durante a infância (grupo de estudo).
A amostra do grupo controle foi composta por 46 telerradiografias cefalométricas em norma lateral de pacientes sem nenhuma
alteração craniofacial e que apresentavam valores para os ângulos SNA e SNB dentro dos valores pré-estabelecidos de
normalidade. O gênero e as faixas etárias entre 6 e 9 anos dos pacientes foram pareados e comparados em ambos os grupos. A
comparação entre os dois grupos foi realizada por meio dos ângulos SNA, SNB e ANB. Aplicou-se a análise de variância (ANOVA),
considerando-se o nível de significância de 5%. Observou-se que não houve diferença significativa entre os gêneros e entre a
interação gênero x fissura tanto no ângulo SNA (p=0,5258 e p=0,9981) quanto no ângulo SNB (p=0,5548 e p=0,5253) e ANB
(p=0,2638 e p=0,7714) no mesmo grupo. Porém, em relação à comparação entre os grupos de estudo e controle, os ângulos SNA e
SNB apresentaram médias menores tanto no gênero masculino como no feminino no grupo de pacientes fissurados (p<0,0001). O
ângulo ANB também apresentou uma diferença significativa entre os grupos comparados, evidenciando médias maiores para o
grupo de pacientes fissurados (p<0,05) em ambos os gêneros. Em relação à faixa etária, para o ângulo SNA não houve diferença
significativa entre as idades avaliadas (p=0,5217) e entre a interação idade x fissura (p=0,5153), assim como foi observado nos
ângulos SNB (p=0,2638 e p=0,6327) e ANB (p=0,0811 e p=0,8207) no mesmo grupo. Houve, no entanto, diferença significativa
entre os grupos de pacientes com fissura reparada e controle (p<0,0001), ou seja, o grupo com fissura reparada apresentou menor
média de SNA e SNB em todas as idades. Para o ângulo ANB, o grupo com fissura reparada apresentou maior média em todas as
faixas etárias (p<0,05). Concluiu-se que o grupo de pacientes com fissura unilateral completa de lábio e palato reparada nas faixas
etárias estudadas e em ambos os gêneros apresentaram maxila e mandíbula retruídas em uma relação esquelética de Classe II.
O objetivo deste estudo foi realizar uma análise morfométrica dos instrumentos endodônticos mecanizados de
níquel-titânio (NiTi): Twisted File, fabricados por torção e RaCe, fabricados por usinagem, avaliar a resistência à
flexãoe calcular, através de ensaios estático e dinâmico, o número de ciclos até ocorrer a fratura (NCF) dos
instrumentos. Vinte instrumentos Twisted File (TF) (SybronEndo, Orange, CA, EUA) e vinte instrumentos RaCe (FKG
Dentaire, Suíça), diâmetro D0 25 e conicidade 0,06 mm/mm, foram submetidos a rotação (310 rpm) no interior de um
canal artificial em ensaios dinâmico e estático, até a ocorrência de fratura. A análise da geometria dos instrumentos
mostrou que as dimensões foram diferentes em todas as comparações. A carga máxima para flexionar os
instrumentos Race foi maior do que nos TF. O NCF foi significativamente mais baixo nos instrumentos RaCe que nos
TF. O NCF também foi mais baixo nos ensaios estáticos que nos testes dinâmicos, em ambos os grupos. Análise por
microscopia eletrônica de varredura (MEV) revelou características de fratura dúctil nas superfícies de todos os
instrumentos, sem sinais de deformação plástica na haste helicoidal. Instrumentos endodônticos mecanizados,
Twisted File, fabricados por torção foram mais flexíveis e apresentaram maior resistência à fratura que os
instrumentos Race, fabricados por usinagem. O modo de fratura observado em todos os instrumentos foi do tipo
dúctil.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 5-5
5
• MESTRADO •
D025
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE QUATRO SISTEMAS ROTATÓRIOS
DURANTE A REMOÇÃO DA GUTA-PERCHA EM CANAIS
CURVOS : ESTUDO EX VIVO
D026
PREVALÊNCIA DE TRAUMATISMO DENTÁRIO ENTRE
ESCOLARES DE ANÁPOLIS - GO E SUA CORRELAÇÃO COM
FATORES DE RISCO
Renata Gargione Prado
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Simone Scandiuzzi Francisco
Adriana de Jesus Soares
Endodontia
O objetivo deste estudo ex vivo foi avaliar a eficácia e o tempo necessário para remoção de guta-percha de quatro
sistemas rotatórios: R-Endo, ProTaper Retratamento, D-Race e Mtwo Retratamento, em raízes curvas. Quarenta e
oito raízes mesiais de molares inferiores curvas foram instrumentadas e obturadas. Os dentes foram divididos em 4
grupos (n=12), de acordo com a técnica de remoção de guta-percha: Grupo RE - limas R-Endo, Grupo M2 - limas
Mtwo Retratamento, Grupo DR - limas D-Race, Grupo PT - limas ProTaper Retratamento. Radiografias foram feitas
nos sentidos vestíbulo-lingual e mesio-distal. A área de material remanescente foi mensurada através do programa de
computador, Image Tool 3.0. O tempo de desobturação foi mensurado através de um cronômetro digital, acionado ao
início do processo de desobturação e paralisado ao término do procedimento. A desobturação foi considerada como
concluída quando a última lima do sistema atingiu o comprimento de trabalho e não havia mais remanescente de
material obturador na lima. Após ser submetido a uma análise de variância, havendo diferenças estatísticas, foi
aplicado o Teste de Tukey, onde foi avaliado a quantidade de material remanescente. Não houve diferenças
estatísticas entre os grupos (p > .05). O tempo médio para desobturação com as limas Mtwo foi significantemente
inferior (3,30 min, P < .05) quando comparado aos outros grupos. A desobturação com as limas ProTaper
Retratamento foi significantemente maior (5,60 min P < .05) quando comparado aos outros grupos. Os quatro
sistemas se comportaram da mesma maneira quando se comparou a quantidade de material obturador
remanescente, entretanto, o sistema MTwo foi o que removeu em menor tempo, seguido das limas R-Endo, D-Race e
ProTaper, logo, apresentou um melhor desempenho.
O traumatismo dental é considerado um problema de saúde pública, não só pela alta freqüência, mas pela grande
participação das crianças nas atividades de lazer e esportivas. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência e fatores de
risco associados às lesões traumáticas em incisivos permanentes entre os escolares de 9 a 14 anos de idade, das escolas
municipais de Anápolis-GO, seguindo os critérios de diagnóstico, descritos por Cortes (2000). Foram examinados 765
escolares, sendo 418 (54,6%) do gênero feminino e 347 (45,4%) do gênero masculino. Os resultados revelaram que a
prevalência de traumatismo dental foi de 16,5%, com o dobro de ocorrência no gênero masculino. Os incisivos centrais foram
os dentes mais afetados. O tipo de lesão mais freqüente foi fratura de esmalte (68%), seguido pela fratura de esmalte e
dentina (29%) trincas de esmalte (7%). Somente 25% dos dentes traumatizados foram restaurados. O local de maior
ocorrência dos acidentes foi em casa (46,8%), sendo a etiologia mais comum a queda (47,6%). As crianças com overjet
acentuado (>3 mm) e a cobertura labial inadequada mostraram estar mais sujeitas a ocorrência de traumatismo dental, com
diferenças estatisticamente significantes. (Teste Qui-quadrado, p< 0,001). Após a análise da múltipla regressão logística
observou-se que meninos tiveram aproximadamente 2,03 vezes (IC= 1,35 - 3,04) mais chances de ter traumatismo dental do
que as meninas. Em relação ao overjet, observou-se que crianças com overjet > 3 mm tiveram 1,78 vezes (IC=1,18 - 2,69)
mais chances de ter lesões traumáticas do que as com overjet ? 3 mm. E, finalmente crianças com cobertura labial
inadequada tiveram 2,18 vezes (IC=1,27 - 3,76) mais chance de apresentar traumatismo dentário. O presente estudo
concluiu que o overjet >3mm, cobertura labial inadequada e o gênero masculino foram importantes fatores predisponentes
para a ocorrência de lesões dentais traumáticas. Há necessidade de se instituir programas de promoção de saúde em
Anápolis-GO, que envolva a participação dos pais, crianças, escolas e profissionais da saúde sobre trauma dental e os
benefícios da atenção imediata ao tratamento dos traumatismos dentais.
D027
A DOENÇA PERIODONTAL E O CONTROLE DA DIABETES
GESTACIONAL
D028
INFLUÊNCIA DO TEMPO DE ESPERA PARA O VAZAMENTO DE MOLDES
UNITÁRIOS DE POLIÉTER REEMBASADOS COM DIFERENTES
VISCOSIDADES NA FIDELIDADE MORFODIMENSIONAL DE TROQUÉIS EM
GESSO
Adriana Leal Rossi
Eduardo Saba Chijfi
Periodontia
Adriane Assunção Teixeira
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
A doença periodontal é o achado mais comum em pacientes com diabetes mal controlada. A prevalência da perda de inserção e da
perda óssea é maior entre os diabéticos do que nos não-diabéticos em todas as idades. Da mesma forma que outras complicações da
diabetes, a doença periodontal está ligada ao controle metabólico de modo bidirecional, ou seja, influenciando e sofrendo influência
da diabetes. O presente trabalho objetivou a doença periodontal em gestantes portadoras de diabetes gestacional atendidas no
Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros, instituindo um protocolo de higienização bucal como auxiliar no controle da glicemia.
Foram selecionadas 60 gestantes portadoras de diabetes gestacional que apresentassem doença periodontal, voluntárias, com a
faixa etária entre ?18 e ? 40 anos. Foram excluídas gestantes que apresentassem história de infecção grave durante a gestação. O
protocolo de higienização proposto consistiu de controle mecânico da placa bacteriana com escovação (técnica de Bass modificada),
uso do fio dentário 3 vezes ao dia, e controle químico com bochechos antissépticos 2 vezes ao dia. As gestantes foram avaliadas por
exame periodontal em 3 consultas mensais. Os dados relativos a glicemia foram medidos e anotados na primeira e terceira consulta.
O exame periodontal consistiu de evidenciação da placa bacteriana, índice de sangramento gengival, perda de inserção e
profundidade de sondagem. Os resultados mostraram que a prevalência estimada da doença periodontal na primeira consulta foi de
25% para doença periodontal leve, 58,3% para moderada e 16,7% para grave. Na segunda consulta a prevalência estimada foi de
48,3% para doença periodontal leve, 50,0% para moderada e 1,7% para grave. Na terceira consulta, a prevalência da doença
periodontal leve foi de 55,0% e 45,0% para moderada.Quanto à extensão da doença periodontal os achados mostraram que 71% das
gestantes apresentaram na primeira consulta doença periodontal generalizada, sendo que na segunda consulta somente 31,7%
mostraram esta extensão, caindo para 13,3% na terceira consulta. Quanto do índice de sangramento, ao final do protocolo proposto,
96,7% das gestantes não apresentavam sangramento a sondagem contra 3,3% que apresentavam sangramento, mostrando uma
diminuição desse índice. Com relação ao controle metabólico expresso pela diminuição da glicemia, 91,7% das gestantes tiveram
uma redução de seus níveis glicêmicos, enquanto 8,3% não apresentaram redução (p<0,05). A autora concluiu que o protocolo de
higienização instituído teve um efeito positivo na melhora da gravidade da doença periodontal das gestantes estudadas e a
diminuição da gravidade da doença periodontal parece favorecer o controle metabólico e da glicemia das mesmas.
O objetivo do presente estudo foi avaliar a Influência do tempo de espera para o vazamento de moldes unitários de poliéter reembasados
com diferentes viscosidades na fidelidade morfodimensional de troquéis em gesso. Ultilizando-se um dispositivo especial. Para isso
foram confeccionados 240 troquéis de gesso divididos em 12 grupos (n=20), obtidos a partir das seguintes técnicas de moldagem:
poliéter de média viscosidade (Impregum F), sem reembasamento; poliéter de média viscosidade (Impregum F), reembasado por
poliéter de média viscosidade (Impregum F); poliéter de média viscosidade (Impregum F), reembasado por poliéter de baixa viscosidade
(Impregum F). Os tempos de espera para vazamento dos modelos foram: 10 minutos após; 1 dia após; 2 dias após; e 7 dias após. O
dispositivo utilizado para realização das moldagens apresentava uma moldeira perfurada adaptada na qual o troquel metálico padrão,
simulando um dente preparado era inserido. A espatulação do poliéter foi realizada na folha de papel impermeável e, em seguida
realizou-se a inserção na moldeira para levar em um recipiente com água aquecida a uma temperatura de 37ºC, por 6 minutos. Após este
tempo o molde foi retirado deste recipiente e permaneceu por mais 15 minutos na bancada, com o intuito de liberar tensões apresentadas
pelo molde durante o procedimento de moldagem. A seguir, o gesso foi vazado e aguardaram-se 40 minutos para desmoldar. Para a
análise do desajuste, foi utilizado microscópio de profundidade que mediu a discrepância entre a matriz metálica padrão e a superfície
oclusal dos troquéis de gesso, realizando leitura em três pontos equidistantes demarcados no troquel de gesso, com uma ponta de grafite
0,5. Os dados foram submetidos à ANOVA e teste de Tukey, e os resultados demonstraram que houve menor alteração dimensional após
7 dias de espera para vazamento dos troquéis em todos os procedimentos de moldagem e que a técnica de moldagem com poliéter de
média viscosidade reembasado com a poliéter de baixa viscosidade apresentou menor alteração morfodimensional comparado à
moldagem com poliéter de média viscosidade sem reembasamento. Conclui-se que o reembasamento de moldagens de poliéter de
média viscosidade com baixa viscosidade pode apresentar modelos com fidelidade morfodimensional, o que viabiliza situações clínicas
como moldagens simultâneas de múltiplas peças protéticas. Também, para esse caso existe a possibilidade de obtenção de modelos
após dez minutos de sua confecção, caracterizando otimização do tempo clínico de obtenção dos modelos.
D029
AVALIAÇÃO DA EFETIVIDADE DE ESCOVAS DENTAIS
INDIVIDUALMENTE ADAPTADAS PARA PACIENTES IDOSOS NA
REDUÇÃO DO BIOFILME DE PRÓTESES TOTAIS
D030
ESTUDO CEFALOMÉTRICO LONGITUDINAL : RELAÇÃO ENTRE
TIPO FACIAL DE RICKETTS E PORCENTAGEM DE JARABAK EM
INDIVÍDUOS EM NORMOCLUSÃO
Ana Cristina Esteves Kammers
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Carenine Filagrana
Roberta Tarkany Basting Höfling
Ortodontia
A relação entre o biofilme protético e lesões na mucosa oral adjacente é relatada na literatura. Uma escovação bem
executada é capaz de reduzir este biofilme, porém pacientes com limitações motoras, entre os quais alguns idosos, podem
apresentar uma diminuição na destreza manual, o que dificulta esta tarefa. O objetivo deste trabalho foi verificar se
escovas dentárias convencionais com os cabos individualmente adaptados em resina acrílica são mais eficazes do que as
escovas dentárias convencionais sem a adaptação na redução do biofilme em próteses totais. Participaram da pesquisa
16 idosos residentes no Condomínio da Terceira Idade do Município de Cascavel-PR, usuários de próteses totais
superiores, funcionalmente independentes e sem déficit cognitivo. Os participantes foram divididos aleatoriamente em 2
grupos: Grupo 1, que recebeu o dispositivo adaptado à escova dentária convencional e Grupo 2, que recebeu a escova
dentária convencional sem o dispositivo. O biofilme da base interna da prótese foi evidenciado com eritrosina 5%, em
seguida a prótese foi fotografada sobre um suporte angulado em 45°, que possibilitou reproduzir o posicionamento em
todas as etapas do experimento. As próteses foram avaliadas antes de iniciar o uso das escovas (dia A), após 7 dias (dia B)
e após 21 dias (dia C). As imagens obtidas foram enviadas para análise computadorizada. Observou-se no primeiro dia
que ambos os grupos possuíam uma quantidade média de biofilme cobrindo mais da metade da área da base, considerada
severa, 57, 8% para grupo 1 e 53,4% para o grupo 2. Durante o período avaliado a quantidade média de biofilme reduziu
em ambos os grupos, porém no grupo que usou o dispositivo esta redução foi significativamente maior (p<0,05) obtido no
teste de Análise de Variância de Friedman. Ao final do experimento, a média de cobertura do biofilme no grupo 1 foi de
44,7%, com uma redução 13,1%, já o grupo 2 apresentou 48,6%, com uma redução de 4,8%. Nesse sentido, a escova com
dispositivo adaptado se mostrou mais efetiva na redução do biofilme de próteses totais. Ademais, permitiu que pacientes
com limitações motoras realizassem de forma independente a higienização protética, contribuindo com a manutenção da
capacidade funcional, importante medidor de saúde para os idosos.
As análises cefalométricas de Ricketts e Jarabak são importantes, pois faz parte das ferramentas
fundamentais para elaboração de um correto do diagnóstico, planejamento e prognóstico ortopédico,
ortodôntico e ortocirurgico. O objetivo deste trabalho foi relacionar as cefalometrias de Ricketts e Jarabak
nos diferentes tipos faciais propostos pelo índice de Vert de Ricketts e a direção de crescimento facial
determinada pela porcentagem de Jarabak, utilizando telerradiografias em norma lateral em um estudo
longitudinal (de 10 anos). A amostra foi constituída por 48 telerradiografias cefalométricas iniciais e finais
(após 2 anos de tratamento) de 24 pacientes em normoclusão sem tratamento ortodôntico, leucodermas,
no município de Passo Fundo - RS. Foram feitos os traçados cefalométricos de Ricketts, obtendo-se tipos
faciais através do índice de Vert, e cefalometria de Jarabak, obtendo-se assim a direção ou sentido de
crescimento facial de cada individuo. De acordo com a metodologia empregada e após análise dos
resultados, verificou-se que as duas análises cefalométricas perdem a tendência de apresentar
associação. Conclui-se que se faz necessária a realização de ambas as análises cefalométricas para
conclusão de um correto diagnóstico ortodôntico, pois o índice de vert de Ricketts e a porcentagem de
Jarabak apresentam informações independentes.
D031
DETERMINAÇÃO DA MICROBIOTA PERIODONTO PATOGÊNICA
ASSOCIADA À PLACA DE ATEROMA E PREVALÊNCIA DE
DOENÇA PERIODONTAL EM PACIENTES SUBMETIDOS A
CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO
D032
LEVANTAMENTO DOS PROCEDIMENTOS LABORATORIAIS
UTILIZADOS EM PRÓTESE TOTAL REMOVÍVEL NA REGIÃO
EXTREMO-OESTE DE SANTA CATARINA
Carolina Amador da Silva Calandrini
Eduardo Saba-Chujfi
Periodontia
Clóvis Renato Pohlmann
Flávia Martão Flório
Prótese Dentária
Apesar de muitos estudos indicarem o papel das infecções na aterosclerose, incluindo a doença periodontal, pesquisas sobre a
associação da bactéria oral nas lesões ateromatosas continuam conflitantes. O objetivo deste estudo foi definir a microbiota
associada à placa de ateroma em pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio e relacionar estes achados
com a gravidade de doença periodontal em pacientes revascularizados. Foram realizados exames periodontais em trinta e cinco
pacientes que se submeteram a cirurgia de revascularização do miocárdio e avaliadas artérias endarterectomizadas destes
pacientes sendo cinco pacientes do Pará (n=17) e de São Paulo (n=18). O DNA foi extraído por método padrão. As sequências 16S
rRNA foram amplificada usando primers universais para bactérias. Insertos foram sequenciados e determinados os filotipos
através de comparações com banco de dados. A maioria das amostras apresentava periodontite moderada (34,3%), porém
também foi observado que 28,5% dos pacientes eram saudáveis. Quanto ao grau e a extensão, observou-se que dentre os 34,3%
de periodontite moderada, 31,4% era generalizada e somente 2,9% localizada. Foi encontrada DNA bacteriano em doze amostras
(sete do Pará e cinco de São Paulo), não sendo detectado nas demais amostras. Um total de oitenta e seis clones foram
sequenciados (média de 5,9 clones / amostras positivas). A análise das sequências identificou vinte e três filotipos (homologia de >
97% com sequências em banco de dados). Foi encontrado 1.75 filotipos / amostra. Cinco filotipos eram representados por
bactérias não-cultiváveis. Aggregatibacter actinomycetemcomitans foi detectado em sete amostras (20%), seguido pela
Pseudomonas fluorescens (três amostras, 8,6%) e Bacillus macroides (duas amostras, 5,7%). Além de A.
actinomycetemcomitans, outras bactérias com possível origem oral como Megasphaera sp. oral clone M CE3-141 e Eubacterium
sp. oral strain A35MT também foram detectada (cada uma em uma amostra). Bactérias de origem oral foram encontradas em 8 das
12 amostras de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização de revascularização do miocárdio que foram amplificadas,
sendo que desses, 5 pacientes apresentavam doença periodontal moderada generalizada. O estudo indica que lesões
ateromatosas podem ser colonizadas por bactérias de origem oral, particularmente A. actinomycetemcomitans, sugerindo o papel
da bactéria oral no desenvolvimento da inflamação na aterosclerose.
Os procedimentos laboratoriais para confecção de uma prótese total passam por vários estágios
que podem parecer desnecessários para o cirurgião-dentista, porém, para que a satisfação do
paciente seja alcançada, a correta execução da prótese é de grande valia. No presente trabalho
foi avaliada a execução das próteses totais pelos cirurgiões-dentistas em cinco laboratórios de
prótese da região extremo-oeste de Santa Catarina. Foram enviados, por correio, vinte
questionários auto-aplicáveis para cada laboratório, os quais continham perguntas fechadas que
avaliavam os procedimentos de moldagem anatômica e funcional, bem como o material utilizado.
Também foram abordados fatores como o material de confecção da moldeira individual, os
métodos de caracterização da gengiva, o ciclo de polimerização, o tipo de montagem no
articulador e o padrão de oclusão das próteses totais. Os dados foram tabulados e analisados por
estatística descritiva. Com base nos resultados analisados, verificou-se que cerca de 40% dos
casos executados foram realizados somente com uma moldagem. Mais da metade dos casos
utilizaram caracterização estética da região gengival e quase que a totalidade dos casos (94%)
utilizaram base rígida. Os dados mostraram que muitos procedimentos realizados diferem dos
protocolos técnicos descritos em livros textos e em artigos.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 6-6
6
• MESTRADO •
D033
PREVALÊNCIA DA DISCREPÂNCIA DE BOLTON EM DESCENDENTES NIPO
BRASILEIROS
D034
AVALIAÇÃO DO EFEITO DO QUADRIHÉLICE NA SUTURA PALATINA
MEDIANA, EM PACIENTES EM CRESCIMENTO
Dalton Sato Oku
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Eduardo Macluf Filho
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
O objetivo deste trabalho foi determinar a prevalência da discrepância de tamanho dentário de Bolton em
descendentes nipo brasileiros do município de Maringá-PR, relacionando se a descendência, o gênero e a
maloclusão podem interferir na discrepância dentária. O estudo foi realizado em 64 modelos, 33 femininos e 31
masculinos, que não tivessem sido submetidos a tratamento ortodôntico e possuíssem dentes permanentes de
primeiro molar direito a primeiro molar esquerdo completamente irrupcionados, sem fraturas, desgastes, anomalias,
restaurações ou lesões de cárie em superfícies interproximais. As medidas foram feitas por um examinador calibrado,
com o auxílio de um paquímetro digital e os dados lançados em uma planilha eletrônica para o cálculo da discrepância
total e anterior. A prevalência da discrepância de tamanho dentário de Bolton foi de 34,37% para a relação total, e de
57,81% para a relação anterior, sem que tenha sido verificada diferença entre os gêneros (Teste t de Student, p›0,05).
Os excessos de material dentário mesiodistais, de acordo com as médias de Bolton ocorreram com maior freqüência
na mandíbula. A análise dos dados (ANOVA e TUKEY, p›0,05) mostrou que não houve diferenças estatisticamente
significantes entre as Classes de Angle, considerando as discrepâncias total e anterior. A elevada prevalência da
discrepância de tamanho dentário de Bolton encontrada neste estudo e na literatura pesquisada, principalmente na
relação anterior, indica ao ortodontista a importância da realização completa da análise e a inclusão desta no
diagnóstico e planejamento dos tratamentos ortodônticos. Portanto, observa-se que as médias de Bolton para a
relação total pode ser aplicada nos pacientes nipo brasileiros. Para a relação anterior, apesar de considerarmos que houve
uma diferença estatística significativa, podemos aplicar as médias de Bolton em descendentes nipônicos residentes no Brasil, pois
essa diferença quando expressada em milímetros não resulta em problemas para a oclusão.
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do Quadrihélice na sutura palatina mediana (SPM),
após uma ativação padrão do aparelho. A amostra constou de 99 radiografias oclusais totais,
provenientes de 33 pacientes entre 7 e 14 anos, de ambos os gêneros, portadores de deficiência
transversal da maxila, tratados com Quadrihélice. As radiografias oclusais foram tomadas em 3
tempos: T1 (pré-tratamento), T2 (40 dias após a primeira ativação e instalação do aparelho) e T3
(150 dias após o início do tratamento, ao final da fase de contenção). Para se determinar a
abertura da SPM foram realizadas mensurações da imagem radiolúcida correspondente à sutura,
no sentido transversal, em duas áreas distintas: A1 (segmento anterior da SPM, 5mm
posteriormente à crista óssea interincisiva) e A2 (segmento posterior da SPM, 25mm
posteriormente à crista óssea interincisiva). Com auxilio de um paquímetro digital, uma lupa
prismática e uma régua desenvolvida para localização dos pontos, foram realizadas as medições.
Após análise estatística com os testes "t" e ANOVA, observou-se abertura da SPM, tanto em A1
como em A2. Não houve diferença entre gêneros em A1, mas em A2, o masculino abriu mais.
Quando separados por idade (7-10 e 11-14), não se observou diferença na abertura. Por fim, não
houve diferença estatística na quantidade de abertura entre A1 e A2. Concluiu-se que o
Quadrihélice foi capaz de abrir a SPM em pacientes em crescimento, entre 7 e 14 anos, com
apenas uma ativação padrão.
D035
ESTUDO COMPARATIVO DA FIDELIDADE DAS ESCALAS DE COR VITAPAN
CLASSICAL E VITAPAN 3D MASTER POR MEIO DE
ESPECTROFOTÔMETRO
D036
AVALIAÇÃO DA SENSIBILIDADE DENTINÁRIA PÓS-OPERATÓRIA EM
DENTES RESTAURADOS PELO SISTEMA E MAX PRESS E CIMENTADOS
COM CIMENTOS RESINOSOS
Elina Moreira Castro Rocha Alvitos
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Fernanda Almeida Rodrigues
Cecília Pedroso Turssi
Prótese Dentária
O presente trabalho teve como objetivo comparar a fidelidade das escalas Vitapan classical e
Vitapan 3D master por meio de espectrofotômetro. O estudo baseou-se na aferição por
espectrofotômetro Spectroshade - MHT das cores A1, A3, B2, C2, D3 (Vitapan Classical®) e 1M1,
2M2, 3M2, 4M3, 5M1 (Vitapan 3D master®), considerando o ponto de corte como ?E 1.6, valor no
qual torna-se perceptível ao olho humano. Para a realização do estudo, os dentes da escala foram
posicionados em um modelo troquelizado confeccionado em resina acrílica nas cores rosa para
gengiva e dentária 66 para os dentes adjacentes ao espaço reservado para os elementos das
escalas a serem avaliados. Como resultados encontramos que a escala Vitapan Classical foi
menos precisa do que a escala Vitapan 3D Master. E que, dentre as cores avaliadas, a cor 5M1 foi
a mais confiável, apresentando verdadeiro positivo 93,33%. Conclui-se, portanto, que houve
discrepância entre as cores das escalas e que a análise por meio de espectrofotômetro é uma
aliada à melhor precisão e determinação das cores a serem utilizadas.
O propósito desta pesquisa in vivo foi avaliar a sensibilidade dentinária pós-operátoria em dentes
restaurados pelo sistema E.max e cimentados com cimentos resinosos. Foram utilizados dentes
molares humanos permanentes, restaurados por razões reconstrutivas, que tiveram suas coroas
preparadas para receberem coroas onlay em cerâmica (E.MAX Press, Ivoclar). Trinta molares foram
separados aleatoriamente em três grupos (n= 10), de acordo com os cimentos resinosos, adesivo e
dessensibilizante utilizados: GI: Rely-X U 100 (3M/ESPE); GII: Single bond + Rely-X ARC (3M/ESPE);
GIII: GLUMA desensitizer (Heraeus Kulzer) + Single bond + Rely-X ARC (3M/ESPE). O grau de
sensibilidade pós-operatória foi analisado previamente ao procedimento de anestesia e preparo do
dente e após 1, 5, 15 e 30 dias da cimentação da onlay, utilizando-se a escala de análise visual de dor
(EAV) e o questionário de expressão verbal de dor (VRS). Os dados foram submetidos aos testes de
Friedman, Dunn, Kruskal-Wallis, Mann-Whitney e Correlação de Spearman (? = 0,05). Os resultados
mostraram: (1) diferença significativa na sensibilidade medida pela EAV quando se considerou a
idade e os períodos de 5, 15 e 30 dias pós-cimentação, observando-se aumento da sensibilidade com
o aumento da idade; (2) correlação significativa entre profundidade da cavidade e a sensibilidade
relatada previamente ao procedimento de anestesia e preparo do dente; (3) que não houve diferença
significativa na sensibilidade considerando-se os diferentes procedimentos de cimentação.
D037
COMPARAÇÃO IN VITRO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO ENTRE A
COLAGEM E RECOLAGEM DE BRÁQUETES SOBRE
D038
COMPORTAMENTO DOS ARCOS ORTODÔNTICOS DE NÍQUEL-TITÂNIO
APÓS ESTERILIZAÇÃO
O ESMALTE BOVINO
Fernanda Reckziegel
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
Flavia Sayeg Humsi Fiorini
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Este trabalho teve como objetivo comparar in vitro a resistência ao cisalhamento entre a primeira e a
segunda colagem de bráquetes sobre a mesma superfície de esmalte bovino. A amostra consistiu de 19
incisivos bovinos, onde foram colados 19 bráquetes metálicos Mini master (American Orthodontics) de
incisivo central superior com resina fotopolimerizada Transbond XT (3M). Após a colagem, os corpos de
prova foram submetidos ao teste de cisalhamento em máquina de ensaio universal (EMIC DL200) com
carga de 200N e velocidade de 0,5mm/min. Os bráquetes descolados foram jateados com óxido de
alumínio (50 micrometros). Os mesmos bráquetes e dentes foram submetidos a uma segunda colagem
utilizando os mesmos materiais descritos anteriormente. Novos testes de cisalhamento foram aplicados e a
análise do Índice de Adesivo Remanescente (IAR) foi realizada nas duas colagens. Os resultados foram
submetidos à analise estatística (Teste t de Student) que não mostrou diferença significante entre a
primeira e a segunda colagem (p>0,05), com médias de 21,87 MPa e 21,94 MPa, respectivamente. O teste
Qui-quadrado de McNemar não mostrou diferenças estatisticamente significantes para o IAR entre as duas
colagens (p>0,05). Concluiu-se que a resistência ao cisalhamento de uma segunda colagem com
bráquetes jateados com óxido de alumínio não é alterada quando comparada com a primeira colagem de
bráquetes novos e que a reciclagem dos bráquetes para sua utilização imediata é um recurso viável na
clinica ortodôntica.
O presente trabalho visou avaliar as alterações de forma dos arcos ortodônticos de níquel-titânio
após serem submetidos a diferentes métodos de esterilização: físico, em autoclave e químico:
em solução de glutaraldeído a 2%. Utilizaram-se arcos ortodônticos de níquel-titânio de
diferentes calibres e marcas que foram esterilizados e deflexionados em bastidores e
permaneceram por um período de 30 (trinta) dias. A seguir, os arcos foram retirados e colocados
em diagramas para comparação e verificação de possíveis alterações de forma. Os dados
obtidos foram tabulados e submetidos ao teste estatístico de Qui-quadrado com correção de
Yates. Os resultados indicaram que 64% dos arcos 0,016" e 37,5% dos arcos 0,018"x 0,025"
sofreram alterações porém não houve diferença significativa (p=0,212). Com relação às marcas,
após a comparação múltipla de percentuais, a marca Morelli diferiu das marcas GAC, Aditec e
Tecnident que não apresentaram diferença entre si. Pode-se concluir todos os arcos
ortodônticos testados apresentaram alterações de forma após esterilização química e física,
porém apenas a marca Morelli apresentou significância estatística.
D039
PREVALÊNCIA DE AGENESIA DENTÁRIA EM PACIENTES ORTODÔNTICOS
NA CIDADE DE BELO HORIZONTE - MG
D040
FREQUÊNCIA DE DOENÇA PERIODONTAL EM GESTANTES COM PARTO
PRÉ-TERMO E A TERMO
Frederico de Araújo Melgaço
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
Graciliana Gomes Pinto da Luz
Eduardo Saba-Chujfi
Periodontia
A finalidade desta pesquisa foi determinar a prevalência da agenesia dentária (AD) em pacientes
na faixa etária de 06 a 10 anos, submetidos a tratamento ortodôntico, em uma clínica na cidade de
Belo Horizonte - MG, no período de 2000 a 2006, por meio da análise dos prontuários clínicos. Foi
verificada a relação da AD entre os gêneros masculino e feminino e estimada qual a frequência do
envolvimento dos elementos dentários, excluindo-se os terceiros molares, neste tipo de anomalia.
Foram analisadas 300 radiografias panorâmicas, sendo 142 do gênero masculino e 158 do gênero
feminino. A AD foi encontrada em 15 (5%) dos prontuários estudados, sendo 10 do gênero
masculino (3,33%) e 05 do gênero feminino (1,67%). O número total de AD foi de 24 dentes, e a
maior prevalência foi verificada para os segundos pré-molares superiores e inferiores, seguidos
dos incisivos laterais superiores e inferiores, incisivos centrais inferiores e primeiros pré-molares
inferiores. Utilizou-se o Teste Exato de Fisher. Com base nos resultados obtidos nesta
investigação pode-se concluir que: a AD foi constatada em 5% dos pacientes; não houve diferença
estatisticamente significante de AD entre os gêneros considerando a amostra total; houve
diferença estatisticamente significante na prevalência de AD entre os gêneros considerando cada
elemento dentário; não houve diferença estatisticamente significante de AD entre os gêneros
considerando a faixa etária.
Parto pré-termo é um sério problema para a saúde dos recém-nascidos. Evidências científicas têm
demonstrado que a doença periodontal pode ser um fator de risco para sua ocorrência. A proposta
deste estudo longitudinal foi avaliar a frequência de doença periodontal em gestantes que tiveram
parto pré-termo e a termo. Participaram 194 gestantes voluntárias da cidade de Itajaí-SC. Foram
coletadas variáveis sociodemográficas, gestacionais e realizado exame periodontal (profundidade
de sondagem, perda de inserção clínica, índice de sangramento à sondagem e índice de biofilme)
durante a gestação. De acordo com sua condição clínica bucal foram classificadas em sadia,
gengivite, periodontite inicial, moderada e grave. Após o parto, foram coletadas informações sobre o
parto. Análise estatística foi realizada através do cálculo de frequências absolutas e relativas, cálculo
de média, desvio-padrão, mediana, valores de mínimo e máximo, cálculo da RP e intervalo de
confiança, teste de qui-quadrado, teste de Mann-Whitney e o nível de significância (p) foi assumido
em 5% (p<0,05). Como resultado tivemos 158 partos a termos, com 79,6% de doença periodontal
presente e 82,1% ausente, 36 partos pré-termos sendo 20,4% com doença periodontal presente e
17,9% ausente (p>0,05). A maioria das gestantes necessitavam de tratamento periodontal (69,6%).
Nosso estudo demonstrou não haver relação estatisticamente significativa entre a frequência de
doença periodontal em gestantes e a ocorrência de parto pré-termo.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 7-7
7
• MESTRADO •
D041
FREQUÊNCIA DA DOENÇA PERIODONTAL EM PACIENTES
D042
COM PARTO PRÉ-TERMO E A TERMO
ESTIMATIVA DA IDADE DENTAL USANDO MEDIDAS
RADIOGRÁFICAS DO DESENVOLVIMENTO DENTÁRIO EM
CRIANÇAS BRASILEIRAS DE 04 ATÉ 12 ANOS DE IDADE
Juliana Câmara Nogueira da Gama Dadalto
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Julio Cesar Bassi
Gabriela Azevedo de Vasconcelos Cunha Bonini
Odontopediatria
A prematuridade é considerada como um problema magno de saúde pública e se constitui na maior
determinante da mortalidade infantil. Grande porcentagem de partos pré-termo são de cause idiopática. As
infecções periodontais e diversos estudos indicam que a doença periodontal é um fator de risco para que o
parto pré-termo ocorra. Diante deste cenário, o presente estudo teve o objetivo de avaliar a frequência de
periodontite em gestantes do município de Viana / ES, e sua relação com a ocorrência do parto pré-termo e do parto a
termo na população amostral, visando corroborar os achados das pesquisas já existentes no Brasil e no mundo. Para
tanto, foram avaliadas 155 gestantes voluntárias que estavam com 20 a 30 semanas gestacionais, foram examinadas
quanto à saúde bucal, e tiveram os dados anamnéticos coletados. No período pós-parto as gestantes foram reavaliadas e
os dados sobre o desfecho do parto foram considerados. No grupo, o índice de prematuridade encontrado foi de 11,6%
(18/155). Após eliminação do efeito de variáveis de controle, a razão de prevalência mostrou que a periodontite e
índices bucais não apresentaram risco significativo para o parto pré-termo. Entretanto, verificou-se que gestantes com
periodontite moderada ou grave e as com periodontite moderada localizada apresentaram chances maiores de terem
parto pré-termo do que as com saúde bucal ou com gengivite com índices de 2,87 (1,14 a 7,23) e 6,88 (1,39 a 34,10)
respectivamente. Adicionalmente, ficou evidenciado que gestantes que tiveram 3 ou mais partos tiveram uma chance
significativamente maior de prematuridade, pois a razão de prevalência foi de 3,48 (1,11 a 10,85).
A proposta da presente pesquisa foi analisar, por meio de radiografias panorâmicas, a idade dental de acordo com as medidas
radiográficas do desenvolvimento dentário pelo método Demirjian. Foram avaliadas 296 radiografias de crianças brasileiras de 04
até 12 anos. As 216 radiografias incluídas na pesquisas foram divididas em 9 grupos de acordo com a faixa etária e cada idade
dividida em dois grupos de acordo com o gênero (meninos e meninas). Cada grupo de idade possuía 24 radiografias, 12
radiografias para cada gênero. As coletas de dados foram realizadas no Centro Especializado Ferrer - COEF. Foi utilizado um
negatóscópio para a avaliação das radiografias e a tabela de mineralização de acordo com o método Demirjian, e o avaliador foi
calibrado antes do começo do estudo utilizando-se um estudo piloto com 12 radiografias de pacientes de 4, 8 e 12 anos de idade. A
avaliação intra-examinador teve um resultado excelente (Kappa= 0,99). Foram avaliados somente os dentes permanentes
inferiores do lado direito. Foi feita uma análise descritiva dos dados obtidos pelo avaliador mostrando a porcentagem de escores
em cada idade. Os resultados foram submetidos à análise estatística, utilizando-se o Teste exato de Fisher para verificar se
existiam diferenças entre os gêneros em cada idade de acordo com o dente. Para os dentes anteriores nas faixas etárias incluídas
na amostra podemos observar que em alguns, o gênero feminino apresentou desenvolvimento maior, variando 1 ou 2 escores em
relação ao gênero masculino, mas que em geral, apresentaram desenvolvimento dentário em todas as idades iguais ou muito
próximos. Para os dentes pré-molares também observamos desenvolvimento dentário similar, porém quando valores foram
diferentes em algumas idades, o gênero feminino apresentou escores mostrando maior desenvolvimento para o mesmo dente e
mesma idade, porém muito próximos sem grandes discrepâncias. Para os molares quase não observamos diferenças de
desenvolvimento entre os gêneros masculino e feminino. No caso dos 3º molares avaliados na amostra, podemos observar uma
porcentagem grande de ausência desse elemento em ambos os gêneros. Com base no exposto podemos concluir que o método
utilizado, seria mais uma opção de escolha para se avaliar o desenvolvimento dentário em crianças brasileiras de 04 até 12 anos de
idade, por meio de radiografias panorâmicas.
D043
AVALIAÇÃO IN VITRO DA ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE
ENXAGUATÓRIOS BUCAIS SOBRE A AMOSTRA DA
MICROBIOTA DA CAVIDADE ORAL E MICRORGANISMOS
PERIODONTOPATOGÊNICOS
D044
PREVALÊNCIA DA SINTOMATOLOGIA ASSOCIADA À
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR EM CRIANÇAS DE
GRUPOS ESCOLARES DE 07 A 10 ANOS DE IDADE NA CIDADE
DE SINOP - MT
Leonardo Corrêa Dias
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Marco Aurélio Barbosa
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
O objetivo específico do trabalho é avaliar o potencial antimicrobiano de enxaguatórios bucais frente as bactérias comumente
encontradas na boca. Vinte e quatro placas foram incubadas com oito tipos de microrganismos comumente encontrados na
microbiota bucal, nove tipos de enxaguatórios bucais foram testados, clorexidina 0,12% foi usado como controle positivo e água
destilada foi utilizada como controle negativo. Os microrganismos foram semeados nas placas com auxílio de um SWAB estéril, foram
feitos poços na superfície do Agar com um tubo metálico com quatro mm de diâmetro, no qual foram colocados os enxaguatórios com
uso de pipeta. Após incubação de 24 horas para as bactérias aeróbias e leveduras e sete dias para as bactérias anaeróbias, foi
medido o halo de inibição de crescimento bacteriano com uma régua milimetrada. Os dados foram submetidos à análise de variância
(ANOVA) a dois critérios e ao teste de Tukey, ao nível de significância de 5%. Os cálculos estatísticos foram realizados com o software
BioStat 2009. Para as amostras bacterianas de Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Prevotela intermedia e Candida albicans, o
desempenho do Plax® contendo álcool se assemelhou àquele proporcionado pelas formulações de Periogard® sem e com álcool.
Para as amostras de Enterococcus faecalis, a eficácia do Plax® com álcool foi equivalente a do Periogard® com álcool.
Independentemente da amostra de microrganismos, não houve inibição do crescimento bacteriano quando se empregaram
Listerine® em suas versões original, Tartar Control e Cool Mint. Para as amostras de Aggregatibacter actinomycetemcomitans,
também não se observaram halos de inibição mediante o emprego dos extratos de Psidium guajava e de Myrciaria cauliflora. Com
relação às Pseudomonas aeruginosa, os enxaguatórios Periogard® sem e com álcool resultaram em inibição do crescimento dessas
bactérias, porém com menor eficácia em comparação ao produto Plax® com álcool, enquanto os demais enxaguatórios não
proporcionaram inibição. De maneira geral, a aplicação do produto Listerine® Essencial Lemon resultou em halos de inibição
significativamente menores em relação àqueles obtidos com o uso dos demais enxaguatórios. Especificamente, não se verificou
efeito inibitório para a amostra de Pseudomonas aeruginosa quando se utilizaram os extratos, Plax® sem álcool ou Listerine®
Essencial Lemon. De acordo com a metodologia utilizada a interação significativa implica que a eficácia dos enxaguatórios depende
da amostra bacteriana e que estas se comportam de maneira diferente diante da utilização de um determinado enxaguatório.
Foi elaborado um estudo para avaliar a prevalência de sintomatologia das disfunções
temporomandibulares em criança de ambos os gêneros, de 7 a 10 anos, nos colégios públicos da
cidade de Sinop - MT. Neste estudo adotou-se a metodologia do Índice Anamnésico de Helkimo
através de um questionário aplicado aos alunos com a presença e autorização dos pais ou
responsável. Foram questionados 420 alunos e através do critério de inclusão e exclusão adotado
foi aplicado o índice em 350 alunos sendo 179 do gênero feminino e 171 do gênero masculino.
Nesse estudo verificou-se que no gênero feminino o índice Anamnésico Aill (sintomas subjetivos
intensos) apresentou um percentual de 20% sendo maior do que no gênero masculino, com
percentual de 9%. Para o índice Anamnésico Aill, na graduação Ai0 (sem sintomas subjetivo) no
gênero feminino é de 50% e de 53% no gênero masculino. O índice Ail (sintomas subjetivos leves)
é maior no gênero masculino 38% e de 30% para o gênero feminino. O índice severo Aill tem uma
maior porcentagem no gênero feminino. Nesse estudo mostra que 30.25% dos alunos
apresentam pelo menos dois ou mais sinais de DTM.
D045
RELAÇÃO ENTRE PADRÃO FACIAL E DIMENSÕES DO ARCO
DENTÁRIO EM JOVENS DO GÊNERO MASCULINO
D046
ANÁLISE OCLUSAL CÊNTRICA E EXCÊNTRICA EM PACIENTES
SUBMETIDOS A TRATAMENTO ORTODÔNTICO APÓS 12 MESES
DA REMOÇÃO DO APARELHO
Marcel Giovanni Pierdona
Flávia Martão Flório
Ortodontia
Mariana Feltrin Ragassi
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
O objetivo da presente pesquisa foi relacionar as dimensões do arco dentário em jovens do gênero
masculino com diferentes padrões faciais. A amostra deste estudo foi constituída por fotografias
frontais e modelos de gesso da arcada inferior de 79 indivíduos do gênero masculino, com idade
entre 18 e 19 anos. Os padrões faciais foram definidos, por consenso de 3 examinadores,
analisando-se as fotografias frontais e, após esta análise, os grupos de estudo foram compostos
por 36,7% (n=29) indivíduos face longa 38,0% (n=30) indivíduos face média e 25,3% (n=20)
indivíduos face curta. As distâncias inter-caninos e inter-molares da arcada inferior dos modelos
foram medidas com um paquímetro, por um único operador. Após tabulação e análise dos dados
(ANOVA e teste de Tukey), os resultados obtidos demonstraram que a distância inter-caninos para
os voluntários com face longa foi menor do que a de indivíduos de face média e curta (p?0,05), e na
distância inter-molares não houve diferença entre as medidas realizadas nos voluntários dos três
grupos de estudo (p>0,3533). Conclui-se que apenas a distância inter-caninos variou conforme o
tipo facial, sendo menor para os voluntários de face longa.
A presente pesquisa teve como propósito analisar as guias de oclusão ou os preceitos de uma oclusão ideal
mutuamente protegida em pacientes tratados ortodonticamente. Foram examinados 20 pacientes adultos jovens com
todos os dentes permanentes erupcionados (exceção dos terceiros molares) e que haviam se submetido ao
tratamento ortodôntico e removido o aparelho em um período mínimo de 12 (doze) meses. Todos os casos foram
montados em articulador semi-ajustável por meio da técnica Zanetti na posição de relação cêntrica (RC) e analisados
individualmente sob cada registro. Verificou-se a coincidência entre as posições de relação cêntrica (RC) e oclusão
cêntrica (OC), assim como, a presença de interferências em cada uma das posições (protrusiva, lateralidade direita e
esquerda). Como resultado obtivemos OC não coincidente com RC em 17 casos, ou seja, 85% do total da amostra.
Em todos esses casos de não coincidência foram detectadas discrepâncias na posição de RC. No movimento
protrusivo foram encontradas interferências em 06 (seis) casos, o que corresponde a 30% do total analisado. Já na
lateralidade direita e esquerda houve uma coincidência de casos no tipo de finalização e uma ligeira diferença na
distribuição das interferências do lado de trabalho e lado de balanceio: 13 casos (65%) foram finalizados em guia
canino, 6 (seis) casos (30%) em função de grupo parcial e apenas 01 (um) caso (5%) em função de grupo total. Quanto
às interferências do lado de trabalho, na lateralidade direita foram encontradas em 03 (três) casos (15%) e do lado de
não trabalho ou balanceio, foram encontradas em 11 (onze) casos (55%). Já na lateralidade esquerda, no lado de
trabalho, foram encontradas interferências em 02 (dois) casos (10%) e do lado de balanceio, igualmente ao lado
direito, as mesmas foram encontradas em 11 (onze) casos (55%).
D047
DESORDENS TEMPOROMANDIBULARES : UM ESTUDO SOBRE
PREVALÊNCIA EM PACIENTES QUE PROCURARAM
TRATAMENTO PROTÉTICO
D048
INFLUÊNCIA DO PLANO DE FUNDO NAS CARACTERÍSTICAS
TRIDIMENSIONAIS DA COR DE RESINAS COMPOSTAS
Marlúcio de Oliveira
Roberta Tarkany Basting Höfling
Dentística
Mariana Josué Raposo
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Foi utilizado o Critério de Diagnóstico para Pesquisa de Desordens
Temporomandibulares(RDC/TMD) em 80 indivíduos que procuraram tratamento odontológico
protético na Clínica de Odontologia da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde(FCBS) do
Centro de Ensino Superior de Maceió (CESMAC), com o objetivo de avaliar a prevalência das
desordens temporomandibulares. Os resultados mostraram a presença de DTM em 25% dos
indivíduos examinados, maior prevalência no sexo feminino, na faixa etária entre 45-55 anos,
sendo 5% do grupo I (muscular), 17,5% do grupo II (articular) e 7,5% do grupo III (artralgia,
osteoartrose e osteoartrite). Entre as alterações psicosociais dos indivíduos diagnosticados 45%
apresentaram grau de dor crôncia, 10% depressão, 25% sintomas físicos não específicos de dor
incluída e 25% de sintomas físicos não específicos de dor excluída. Quando comparamos o grupo
dos pacientes diagnosticados com DTM e os não diagnosticados constatamos que não houve
diferença estatística no grau de abertura bucal, máxima abertura bucal e máxima abertura
assistida. O trespasse vertical e horizontal, desvio da linha média, dor muscular à palpação, dor
articular, dor na face, ruídos articulares, desvio e deflexão no padrão de abertura apresentaram
maior prevalência entre os indivíduos diagnosticados
O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do plano de fundo e da espessura do material na cor de resinas compostas
opacas, translúcidas e utilizadas para esmalte e dentina utilizando-se o sistema CIE-Lab por meio de colorímetro. Foram
confeccionados 216 discos de resina composta com 8 mm de diâmetro e espessura de aproximadamente 0,25 mm de
diferentes marcas comerciais com diferentes cores e opacidades: Amaris - O3, Amaris - TN, Brilliant - A3/D3 dentina,
Brilliant - cor A3/D3 esmalte, Venus - OA3, Venus - A3. Os discos de resina foram fotoativados por 40s com um aparelho
fotoativador de diodos emissores de luz (LED). Foram utilizados dois planos de fundo de cores diferentes: branco e preto.
Os discos de resina composta com espessura de 0,25 mm foram avaliados separadamente e a seguir, sobrepostos para
se avaliar diferentes espessuras e combinações de resinas de um mesmo fabricante (n=3). A espessura máxima avaliada
foi de 3 mm. As mensurações da cor foram realizadas com colorímetro (EasyShade - Vita Zahnfabrik) de acordo com o
sistema CIE-Lab. A variação de cor (?E) para cada resina foi avaliada a partir da diferença entre fundo branco e preto. Os
dados de ?L*, ?a*, ?b* e ?E foram analisados individualmente por meio de análise de variância a um critério, seguida do
teste T3 de Dunnett ( = 5%). Os dados foram submetidos a análises de regressão linear e não linear. Foram observadas
diferenças estatisticamente significantes entre os valores de ?L*, ?a* e ?b* para as diferentes espessuras (p < 0,05). O
valor aumentou com o aumento da espessura em todas as resinas estudadas. Não houve relação linear entre ?a* e a
espessura e entre ?b* e a espessura. Os valores de ?E diminuíram com o aumento da espessura de material. As resinas
de dentina se mostraram mais eficientes para mascarar o efeito do plano de fundo que as resinas de esmalte, sendo que,
no caso das resinas de dentina, o plano de fundo foi totalmente mascarado (?E < 1) nas espessuras de 2,25 mm para a
Venus e 2,75 mm para a Amaris e a Brilliant. O plano de fundo influenciou significativamente as características
tridimensionais de cor das resinas compostas estudadas. L* (luminosidade) foi a característica que mais variou em função
de diferentes espessuras de material e da cor do plano de fundo.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 8-8
8
• MESTRADO •
D049
ANÁLISE COMPARATIVA DE TRÊS ABUTMENTS: METÁLICO DE TITÂNIO
PURO, ZIRCÔNIO PRODUZIDO PELA TECNOLOGIA CAD/CAM E ZIRCÔNIO
PRODUZIDO PELA TECNOLOGIA MAD/MAM QUANTO À SUA ADAPTAÇÃO
AO IMPLANTE
D050
AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE CORTISOL SALIVAR, ESTRESSE
PERCEBIDO E PARÂMETROS PERIODONTAIS EM PACIENTES
DO SISTEMA PRISIONAL DE ALFENAS-MG
Morgana Navarro Marques Pentagna
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Noé Vital Ribeiro Júnior
Eduardo Saba-Chujfi
Periodontia
A formação de fenda entre a interface implante-abutment é causa de eventos adversos em próteses implantosuportadas como afrouxamento de parafuso, rotação do componente protético e fratura do componente protético. O
objetivo deste estudo foi comparar a interface implante-abutment em três grupos de componentes protéticos. Trinta e
seis implantes de hexágono externo com plataforma 4.1 foram divididos entre os seguintes grupos de abutments: 1)
12 abutments de zircônio produzidos por tecnologia MAD/MAM (ZIRKONZAHN®, South Tyrol, Italia); 2) 12 abutments
de zircônio produzidos por tecnologia CAD/CAM (CUBO, São Paulo, Brasil) e; 3) 12 abutments em titânio puro (INP®,
São Paulo, Brasil). Uma comparação das desadaptações na interface implante-abutment foi realizada com imagens
obtidas em MEV, com magnificação de 500x. A avaliação estatística das médias das desadaptações foi realizada pela
análise paramétrica do teste t de Student. Foi encontrada diferença estatisticamente significante entre os grupos de
zircônio MAD/MAM e CAD/CAM (11.11 e 4.45 respectivamente), mostrando que o zircônio MAD/MAM apresentou os
menores valores médios de desadaptação. Não foi encontrada desadaptação mensurável no grupo de abutments de
titânio. Segundo a literatura, embora tenha sido encontrada desadaptações em todas as amostras de zircônio, os
valores encontram-se dentro dos limites clinicamente aceitáveis para as próteses sobre implantes. É possível concluir
que os abutments de titânio puro obtiveram melhor performance quando comparados aos abutments fresados
CAD/CAM e fresados MAD/MAM de zircônio quanto à adaptação vertical.
A doença periodontal não se apresenta da mesma forma em todos os indivíduos. Fatores como o estresse, ansiedade
e depressão podem modificar a progressão da doença. O presente estudo visa relacionar os níveis de cortisol salivar
com a extensão e gravidade da periodontite em uma amostra específica de pacientes encarcerados. A amostra foi
composta por 80 indivíduos. Para a avaliação do estresse foi utilizado um questionário de 14 itens com respostas
categorizadas com valores de zero a quatro. A pontuação total pode variar de zero a 56, e foi dividida em quatro
categorias para comparação com os outros parâmetros. Amostras de saliva foram coletadas e a quantificação do
cortisol salivar foi realizada pelo método de ELISA. Os exames periodontais incluíram profundidade de sondagem
(PS), sangramento à sondagem (SS), perda de inserção clínica (PIC) e número de dentes. A periodontite foi
classificada como leve (PIC = 1 a 2 mm), moderada (PIC = 3 a 4 mm) e grave (PIC ? 5 mm). Para cada uma das
variáveis foi calculado o valor-p e seu respectivo intervalo de confiança. Dentre os 80 pacientes incluídos (média de
idade 29,2 ± 8,2 anos), 62,5% eram fumantes e 77,5% cursaram o ensino fundamental. Os níveis médios de cortisol
foram de 0,38 nmol/ml e a pontuação média de estresse percebido de 23,76. A doença periodontal foi encontrada em
todos os indivíduos e SS em 62,5% deles. A maior parte dos pacientes apresentou uma forma inicial de periodontite
(66,3%). Foi encontrada correlação significativa (p=0,0169) entre os níveis de cortisol salivar e a gravidade da doença
periodontal, e entre os valores de estresse percebido e a gravidade da doença periodontal (p=0,0104). Mais estudos
são necessários para confirmar o efeito do estresse e cortisol salivar sobre a resposta do hospedeiro à infecção
microbiana periodontal.
D051
AVALIAÇÃO DA ESTABILIDADE PRIMÁRIA DE MINI-PARAFUSOS
ORTODÔNTICOS INSTALADOS COM PERFURAÇÃO OU SEM
PERFURAÇÃO PRÉVIA
D052
PREVALÊNCIA DAS MALOCLUSÕES EM ESCOLARES DE 6 A 12
ANOS NA ZONA NORTE DO MUNICÍPIO
DO RIO DE JANEIRO
Oswaldo Kiyoshi Namiuchi Junior
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Renato Codeceira Lopes Gonçalves
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da perfuração previamente realizado a instalação de mini-parafusos
ortodônticos. Um total de 32 mini-parafusos, medindo 1,6 mm de diâmetro foram inseridos em 5 mandíbulas de
porcos. Os mini-parafusos do grupo 1 foram inseridos na mandíbula após perfuração (1500 rpm) com uma fresa
medindo 1,2 mm sob irrigação de solução salina de acordo com instruções do fabricante e os mini-parafusos do grupo
2 foram inseridos na mandíbula sem perfuração. A mobilidade de cada mini-parafuso foi medida utilizando aparelho
Periotest (Siemens, AG, Bensheim, Germany) logo após a sua inserção. A diferença entre as técnicas de implantação
do mini-parafusos (Grupo 1 e Grupo 2) foi avaliada por meio de Teste t de Student com nível de significância de 5%
(p<0,05). Mesmo com o aumento do uso de mini-parafuso para fornecer ancoragem ortodôntica, não há definição
universal do protocolo de instalação. As variáveis são a presença ou ausência de um furo com broca piloto e ângulo de
posicionamento. Em relação aos resultados obtidos, não foi observada diferença estatística significativa quando
comparada a estabilidade primária com ou sem perfuração prévia à instalação do mini-parafuso (p>0,05). O trabalho
realizado demonstra que a instalação de mini-parafusos ortodônticos livre de perfuração e com perfuração são
semelhantes.
A maloclusão, definida como desvio da posição dos dentes, é considerada um problema de saúde pública devido à alta
prevalência na população. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência das maloclusões em escolares de 6 a 12
anos de idade, matriculados na rede pública de ensino na zona norte do município do Rio de Janeiro. Foram avaliadas
6342 crianças e adolescentes por um grupo de três profissionais previamente calibrados, onde se avaliou: classificação
de Angle, mordida aberta, mordida profunda, mordida em topo e mordida cruzada. Foram também obtidas informações
sobre o gênero, idade e comunidade de origem. Empregou-se o teste do qui-quadrado para avaliar associações entre o
gênero e a classificação de Angle ou com os tipos de mordida. A prevalência de maloclusão Classe I foi estatisticamente
menor entre o gênero feminino e equivalentes ao gênero masculino quanto às Classes II e III. A mordida aberta foi
predominante no gênero feminino. Os resultados obtidos neste trabalho para a prevalência das maloclusões foram:
Classe I - 71,5%, Classe II - 17,1% e Classe III - 11,4%, b) houve associação estatisticamente significativa entre
maloclusão e gênero, c) houve associação estatisticamente significativa entre tipos de mordida e gênero, tendo 6% a
mais no gênero feminino com mordida aberta comparado ao gênero masculino.De acordo com os dados desta pesquisa
pode-se concluir que: a Classe I de Angle foi a maloclusão mais prevalente, seguida da Classe II e III respectivamente,
houve associação estatisticamente significativa entre maloclusão e gênero, com a prevalência de maloclusão Classe I
no gênero feminino. Entretanto, não ocorreu associação significativa entre gênero e as maloclusões Classe II ou III;
houve associação estatística significativa entre mordida aberta e gênero. Em relação aos outros tipos de mordida não
houve dimorfismo sexual.
D053
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO CONTATO OCLUSAL
PREMATURO UNILATERAL DOS PRIMEIROS MOLARES
INFERIORES NA POSTURA CORPORAL
D054
AVALIAÇÃO DA ADAPTAÇÃO DE COMPONENTES
INTERMEDIÁRIOS TIPO MINI PILAR CÔNICO E UCLA EM
IMPLANTES DE CONEXÃO EXTERNA COM PLATAFORMA
EXPANDIDA
Ricardo Sganzerla
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
Roberto André Rosa
Fabiana Mantovani Gomes França
Prótese Dentária
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do contato oclusal prematuro em relação à postura corporal. Para tanto, 25 voluntárias
do gênero feminino foram submetidas à instalação de um calço de resina composta no dente primeiro molar, caracterizando como
um contato prematuro. As voluntárias foram avaliadas nos parâmetros postural, baropodométrico e estabilométrico em cinco
diferentes momentos, de acordo com a fixação do calço de resina composta: pré teste (t0), após 30 minutos da instalação do calço
(t1), uma hora após a instalação do calço (t2), 24 horas após a instalação do calço (t3) (logo em seguida foi retirado o calço) e 30
minutos após a retirada do calço (tf). Durante a avaliação postural as voluntárias permaneceram em postura ortostática, onde
foram observadas as variáveis descritas no protocolo CNT: nivelamento da cintura escapular, nivelamento das cristas ilíacas e
tensão da musculatura paravertebral das regiões cervical e lombar. Para a realização da baropodometria e da estabilometria, as
voluntárias posicionaram-se em pé, descalças, estáticas, com olhos abertos e pés separados por um posicionador de acrílico, por
30 segundos. Os dados foram submetidos à análise descritiva e à modelos de regressão longitudinal (p<0,05). Dividindo as
voluntárias em grupos quanto a melhor e a pior resposta, verificou-se no primeiro grupo valores mais próximos ao preconizado
após a colocação da interferência oclusal no que se refere às variáveis visuais nivelamento das cristas ilíacas e tensão lombar.
Quanto à análise entre os instantes, apenas na avaliação da tensão lombar o grupo melhor resposta apresentou maior valor no t0
quando comparado à t1, t2 e t3. A baropodometria mostrou que em nenhum instante a distribuição da pressão plantar alcançou os
valores preconizados (60% no retropé e 40% no antepé). Em relação à estabilometria, em poucos instantes as voluntárias
permaneceram em desequilíbrio ortostático, não apresentando um padrão e nem diferenças entre os instantes. Enfim, observa-se
que a oclusão pode afetar os mecanismos que controlam a postura do indivíduo. Porém, a capacidade do organismo em
compensar tais alterações, bem como suas variações individuais, limitam a padronização dos resultados.
A qualidade da adaptação entre o componente protético e o implante é fundamental na distribuição das tensões
oriundas das solicitações oclusais, sendo essa uma das causas dos fracassos dos tratamentos reabilitadores com
implantes. Este trabalho avaliou a adaptação de componentes tipo mini pilar cônico e ucla usinada com cinta metálica
tilite com implantes de plataforma expandida e conexão tipo hexágono externo (neodent) e também do mini pilar
cônico com seu cilindro protético com cinta metálica. As análises foram feitas em implantes unitários (n=5), cujos
componentes foram selecionados e fixados de forma aleatória e com torque recomendado pelo fabricante. Após a
fixação de cada componente, foi obtida a medida da desadaptação em quatro pontos diferentes para cada amostra
utilizando-se de microscópio óptico com aumento de 100x. Os resultados foram submetidos à analise estatística
(ANOVA) com nível de significância de 5%. Os resultados de desadaptação média obtidos foram de 7,56 µm para o
componente tipo (UCLA/implante), 7,94 µm para a interface (mini pilar cônico/implante) e 11,82 µm para a interface
(cilindro/mini pilar cônico) e não houve diferença estatística significante entre eles. Concluiu-se que o componente
UCLA adaptado ao implante apresentou a mesma adaptação que a encontrada entre o mini pilar cônico e a plataforma
do implante e entre o cilindro protético e o mini pilar cônico, demonstrando possibilidade de utilização adequada de
ambos os componentes para a confecção da prótese.
D055
ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DAS TENSÕES NA ESTRUTURA DE
PRÓTESE PARCIAL FIXA CONFECCIONADA COM DIFERENTES
MATERIAIS
D056
ANÁLISE FOTOELÁSTICA DAS TENSÕES GERADAS SOBRE
IMPLANTES EM TRÊS DIFERENTES SISTEMAS DE BARRA
UTILIZADOS EM SOBREDENTADURAS
Sérgio Mitsuru Kurata
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Rodrigo Silva Jorge Abud
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
O objetivo deste trabalho foi analisar a distribuição das tensões em próteses fixas convencionais na região posterior
de mandíbula, envolvendo o segundo pré-molar e o segundo molar como elementos pilares. Para isso, foi utilizado o
método dos elementos finitos bidimensional. Foram analisadas quatro situações distintas, uma situação controle
tendo os pilares sem nenhuma inclinação e as situações experimentais, nas quais o pilar distal (molar) apresentava
inclinação de 19º, para as quais foi variado o tipo de material das próteses: a) situação controle com prótese fixa
métalo-cerâmica sem nenhum pilar inclinado; b) prótese métalo-cerâmica; c) prótese métalo-cerômero e; d) prótese
ceramo-cerâmica. Em todos os modelos foi aplicada uma carga de 100N em toda a superfície oclusal das próteses. As
tensões obtidas foram analisadas pelo critério de von Misses. Os dados obtidos mostraram que a situação controle
gerou menores tensões que as situações experimentais e que, quando foram comparados os diferentes tipos de
materiais, não houve diferença entre os mesmos, exceto para o cerômero de cobertura, que foi mais solicitado em
relação às próteses com cobertura cerâmica.
Para a ancoragem das sobredentaduras, diversos tipos de retentores, apresentando componentes personalizados
ou pré-fabricados, podem ser utilizados. O objetivo deste estudo foi comparar, por meio de análise fotoelástica, as
características de transferência de carga de três sistemas de retentor em barra: barra clip (3i) fundida sobre dois
uclas (Grupo 1); barra fundida com conector fixados por cimento resinoso sobre o munhão (grupo 2); sistema semirígido (Grupo 3). A avaliação das características de transferência de carga dos modelos testados baseou-se na
comparação das distribuições das franjas isocromáticas registradas. Os resultados mostraram que, após a
instalação da barra fundida, houve uma grande concentração de tensões ao redor de todo o corpo do implante. Com
a aplicação da carga no centro da barra não foram percebidas diferenças significativas no padrão de distribuição das
tensões. Após a instalação da barra cimentada, a análise demonstrou um mínimo de tensões na região, sendo
inferior ao padrão apresentado pelo Grupo 1, mesmo após a aplicação de carga. Observando os registros do grupo
de conector semi-rígido (Grupo 3) sem a aplicação de carga, não foram registradas franjas no modelo de resina
fotoelástico, indicando a ausência de tensão. Após a aplicação da carga, foi possível verificar a presença de tensões
entre os implantes e principalmente na região das roscas. Nas superfícies opostas, pouca tensão foi encontrada.
Dentro das limitações deste estudo, concluiu-se que os sistemas de retentor semi-rígidos devem ser utilizados como
sistema de retenção de sobredentaduras mucoso-implanto-retidas, uma vez que tal sistema produz menor estresse
em comparação aos demais grupos testados.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 9-9
9
• MESTRADO •
D057
AVALIAÇÃO IN VITRO DA RESISTÊNCIA DE UNIÃO À DENTINA
DE SISTEMAS RESTAURADORES À BASE DE SILORANO E
METACRILATO UTILIZANDO DIFERENTES MODELOS
CAVITÁRIOS
D058
RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE PINOS DE FIBRA DE VIDRO EMPREGANDO
CIMENTOS RESINOSOS CONVENCIONAIS E AUTOADESIVOS EM
DIFERENTES PROFUNDIDADES INTRARRADICULARES
Stephano Zerlottini Isaac
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
Tarcisio Teixeira Porto Maia
Roberta Tarkany Basting Höfling
Dentística
O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de união à dentina de dois tipos de compósitos, um derivado de metacrilato (Filtek P60, 3M ESPE) e
outro derivado de silorano (Filtek P90, 3M ESPE), em dois modelos cavitários diferentes, por meio do teste de microtração. O esmalte oclusal de 40
terceiros molares humanos foi removido de modo a expor uma superfície dentinária lisa. Em 20 deles, foram preparadas cavidades Classe I com
dimensões 4 mm mésio-distal, 3 mm vestíbulo-lingual e 3 mm de profundidade (fator C = 4,5), sendo, então, divididos em dois grupos (n=10)
restaurados com P60 e P90, inseridos em incremento único após tratamento da superfície dentinária conforme as orientações do fabricante. Dois
grupos-controle (n=10) foram obtidos a partir de restaurações de dimensões 4 X 3 X 3 mm, confeccionadas com os dois tipos de compósito e
executadas sobre uma parede lisa da superfície dentinária vestibular dos 20 dentes remanescentes (fator C= 0,2). Os dentes foram seccionados e
amostras com área adesiva entre 0,85 e 1,25 mm² foram obtidas e submetidas aos testes de microtração, o qual foi realizado em máquina de
ensaios universal (EMIC). Os espécimes foram testados à velocidade de 0,5 mm/min., até a ruptura das amostras, que foram observadas ao
estereomicroscópio quanto ao tipo de fratura (adesiva, parcialmente adesiva e parcialmente coesiva no adesivo, coesiva em resina e coesiva em
dentina). Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise de Variância e Tukey Kramer. As médias de resistência adesiva (desvio padrão)
para o modelo cavitário Classe I variaram entre 19,0 (6,7) MPa (P60) e 19,2 (8,4) MPa (P90). Para o modelo Superfície Livre, os dados foram
32,4(8,2) MPa (P60) e 24,4 (7,4) MPa (P90). Em superfície livre, a resina P60 obteve média de união significativamente maior do que a resina P90;
no entanto, no modelo cavitário Classe I, houve diminuição significativa da força adesiva da resina P60 (p<0,05). Não houve diferença significativa
entre as resinas para a cavidade Classe I (p>0,05) e nem entre as cavidades para a resina P90 (p>0,05). Quanto ao tipo de fratura, não houve
diferença significativa entre os grupos (p=0,0713), sendo que ocorreu 56,3% de fratura adesiva, 24,1% de parcialmente adesiva e parcialmente
coesiva no adesivo,19,5% de coesiva na resina e não se observou fratura coesiva em dentina. Conclui-se que o compósito a base de metacrilato
apresentou maior força de união à superfície livre, comparado ao compósito a base de silorano. No entanto, recebeu maior influência do fator
cavitário, pois apresentou diminuição da força adesiva no modelo Classe I, comparado ao modelo Superfície Livre. Já o compósito à base de
silorano manteve a força de união nos dois modelos cavitários.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a resistência de união de pinos intrarradiculares utilizando diferentes sistemas
para cimentação resinosos convencionais e autoadesivos em diferentes profundidades radiculares por meio de teste
de push-out. Foram utilizadas 30 raízes de dentes incisivos bovinos. Os condutos intrarradiculares foram
instrumentados por meio mecânico-manual e a obturados com cimento à base de hidróxido de cálcio. Decorridos sete
dias, os condutos foram parcialmente desobturados até 13 mm de profundidade. A seguir, as raízes foram separadas
em 6 grupos (n=5) de acordo com os sistemas de cimentação, sendo três cimentos resinosos autoadesivos duais (U100/ 3M/ESPE, Bifix/ Voco e BisCem/Bisco), dois cimentos resinosos convencionais duais (All Cem/ FGM e Cement
Post/ Ângelus) e um cimento de ionômero de vidro (Meron/ Voco). Foram utilizados pinos de fibra de vidro cônicos
(White Post, FGM). Após a cimentação, os espécimes foram armazenados em água destilada por 30 dias, cortados
radialmente em fatias de 1mm de espessura e testados quanto à resistência de união por extrusão (push-out). Os
resultados foram submetidos aos testes de ANOVA a dois critérios e de comparações múltiplas de Tukey ( =5%).
Foram observadas diferenças significativas entre os materiais utilizados, sendo que os cimentos AllCem e U100
apresentaram maiores valores de resistência de união, enquanto que o Cement Post e BisCem apresentaram os
menores valores. Foram observadas diferenças entre as profundidades radiculares, sendo que o terço apical foi o que
apresentou menor resistência de união. Pode-se concluir que os sistemas de cimentação avaliados apresentaram
diferentes valores de união à dentina intrarradicular, sendo que um cimento resinoso convencional dual (AllCem) e um
cimento autoadesivo dual (U100) apresentaram os melhores resultados. Houve menor resistência adesiva no terço
apical do conduto intrarradicular.
D059
ANÁLISE IN VITRO DA DESADAPTAÇÃO MARGINAL
COMPARADA À TENSÃO SOFRIDA POR PARAFUSOS DE
RETENÇÃO DE MINIPILARES DE ZIRCÔNIA, ANTES E APÓS
SOLDAGEM
D060
ANÁLISE DE CITOTOXICIDADE DA TINTA EPÓXI EM
APLICAÇÃO ELETROSTÁTICA SOBRE COBALTO-CROMO PARA
CARACTERIZAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARA
PRÓTESES PARCIAIS REMOVÍVEIS
Adriana Lima Campos
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
Érica Wehmuth Ragonha
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
A adaptação passiva de supraestruturas de implantes é uma condição básica para o sucesso e longevidade das
reabilitações orais. O objetivo deste trabalho foi avaliar, em supraestruturas de implantes fundidas em cobalto-cromo,
possíveis desadaptações na interface supraestrutura/pilar. Uma base retangular feita em aço inoxidável recebeu três
implantes padrão Branemark (10 x 4,1 mm com conexão tipo hexágono externo). Sobre estes implantes, foram
parafusados minipilares experimentais com cinta de zircônia de 2 mm de altura. As supraestruturas foram então
confeccionadas com componentes calcináveis (cilindros e barras). Após o enceramento e inclusão, as
supraestruturas foram fundidas em monobloco com uma liga de cobalto-cromo. Foram utilizados dez corpos de prova,
com três cilindros cada um. Os cilindros foram numerados como cilindro 1 (C1), 2 (C2) e 3 (C3). A leitura óptica da
interface supraestrutura/pilar foi realizada com um microscópio comparador (Mitutoyo Toolmakers Microscope,
Japan, precisão de 0,001 mm - 1µm), por três vezes em cada cilindro na condição de monobloco e pós-soldagem.
Estes resultados foram também comparados à tensão de torque nos parafusos, quando do seu apertamento, com um
torquímetro eletrônico odontológico (OsseoCare® - Nobel Biocare). A média das leituras das interfaces
supraestrutura/pilar feita pelo microscópio óptico foram comparadas antes e após a solda. Os resultados mostraram
que os desajustes foram maiores nas supraestruturas em monobloco (C1=3,5 µm; C2=0 µm; C3=31,2 µm) do que nas
supraestruturas após a soldagem (C1=3,0µm; C2=2,9 µm; C3=18,1 µm), sendo que uma diferença estatisticamente
significante foi encontrada apenas no C3. A avaliação da precisão de adaptação entre a supraestrutura e os pilares
pelo dispositivo OsseoCare® mostrou que as supraestruturas após a soldagem apresentam menos tensão sobre os
parafusos quando apertados.
A Prótese Parcial Removível com retenção a grampos de metal ainda é um recurso reabilitador muito útil dentro da
Odontologia. Ela não é só capaz de reabilitar funcionalmente o sistema mastigatório, como também tem sua função
estética na reposição dos dentes perdidos e no suporte labial. Como solução frente a problemas locais, sistêmicos e
sociais, a sua escolha é inevitável. Na Odontologia contemporânea o apelo estético está cada vez mais em evidência. Com
o intuito de obter-se uma nova maneira de camuflar a estrutura metálica em cobalto-cromo necessária à biomecânica de
uma PPR, este trabalho teve como objetivo analisar, biologicamente, a possibilidade do uso de pintura por aplicação
eletrostática, através de testes in vitro de citotoxicidade, comparando-se o comportamento da tinta epóxi Politherm 30
Nobac C da Weg Indústrias S.A, com CoCr polido e poliestireno em contato com cultura de fibroblastos humanos. Esse
teste foi realizado através de contagem de células viáveis e não viáveis em tempos de 24, 48, 72, 94 e 120 horas. Para a
contagem de células viáveis foi aplicada a Análise Estatística de Tukey. Os resultados obtidos nesse trabalho mostraram
que o comportamento de crescimento celular foi estatisticamente semelhante entre grupos (p=0,2174). Observou-se que
nos tempos de 24, 48 e 72 h, não houve aumento estatisticamente significante da proliferação celular, mantendo-se o
padrão para todos os grupos estudados. A partir de 96 e 120 h observamos um aumento da proliferação celular para todos
os grupos estudados, com diferenças entre os mesmos também estatisticamente insignificantes (p>0,05). Para os
resultados de células inviáveis, aplicou-se a Análise não Paramétrica de Kruskal Wallis e o teste de Dunn, devido à baixa
taxa de morte celular, apresentando diferença estatística insignificante entre os grupos (p>0,05). Conclui-se, portanto, que
a tinta Epóxi estudada não apresentou citotoxicidade para os testes realizados in vitro.
D061
PREVALÊNCIA DE SINTOMAS DE DTM, ANSIEDADE E
DEPRESSÃO EM PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE
ENSINO DA CIDADE DE PARAISO DO TOCANTINS - TO
D062
PREVALÊNCIA DE SINTOMAS DE DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR, ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM
SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
Elghislaine Xavier de Araújo
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Edzenaide Raulino Martins
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O objetivo desta pesquisa foi determinar a prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular (DTM) e o índice
de ansiedade e depressão em professores da rede pública municipal da cidade de Paraíso do Tocantins, bem como a
possível correlação entre eles. Os indivíduos foram selecionados aleatoriamente em cinco escolas públicas
municipais e responderam a dois questionários validados: da Academia Européia de Desordens Craniomandibulares
e o "Hospital, Anxiety, Depression", com o intuito de verificar a presença de sintomas de DTM e ansiedade e
depressão, respectivamente. Foram entregues 200 questionários sendo devolvidos 113 respondidos, entretanto
houve perda de dados em relação a oito indivíduos, perfazendo uma amostra final de 105 indivíduos, dos quais 11
respondentes pertenciam ao gênero masculino e 94 ao gênero feminino. O Teste empregado foi o Qui-quadrado com
o nível de significância de 95%. Os resultados mostraram que houve prevalência de sintomas de DTM em 64% da
amostra; o índice de ansiedade foi de 46% e o índice de depressão de 31%. Quando foi relacionado DTM e ansiedade,
a percentagem positiva da amostra foi de 63% e quando se relacionou DTM e depressão, o resultado constituiu em
40%. Conclui-se que a prevalência de sintomas de DTM foi alta entre os professores da rede pública municipal de
Paraíso, compatível com resultados encontrados na população geral. A presença de ansiedade nesta classe também
foi alta e quando ocorreu, demonstrou que esta população possuía 8,96 vezes a chance de apresentar DTM,
comparados àqueles que não possuíam ansiedade. E em relação à depressão, os índices foram considerados
significativos, mostrando que estes indivíduos possuem a chance de 3,6 vezes de apresentarem DTM em relação aos
professores que não possuem depressão.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência de sintomas de Disfunção Temporomandibular (DTM), ansiedade e
depressão, em Servidores do Ambulatório do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), da Universidade
Federal da Paraíba (UFPB). A amostra foi constituída de 30% de uma população composta por 340 servidores,
correspondendo a 112 indivíduos distribuídos em três grupos; Grupo A servidores do nível médio (40); Grupo B
servidores de nível técnico (21) e Grupo C servidores de nível superior (51). Os indivíduos selecionados
aleatoriamente responderam a dois questionários validados: da Academia Européia de Desordens
Craniomandibulares (EACD) e Hospital, Anxiety, Depression (HAD), para verificar a presença ou não de sintomas de
DTM, de ansiedade e depressão respectivamente. Os resultados mostraram que 22% dos respondentes pertenciam
ao gênero masculino e 78% ao feminino. Para obtenção dos resultados estatísticos, foi utilizado o programa Statistical
Package for Social Sciences (IBM SPSS), versão 18.0. Os testes empregados foram o Qui-quadrado de Pearson,
com nível de significância de 95%, o Teste exato de Fisher que testa diferenças entre dois grupos independentes e o
Odds ratio, que calcula a razão de chances. Ficou demonstrado que 31%, dos participantes apresentaram sintomas
de DTM, estando distribuídos entre 25% no nível médio, 38% no nível técnico e 33% no nível superior, sendo mais
prevalente nos indivíduos de nível técnico, com maior frequência no gênero feminino. Evidenciou-se no total da
amostra que 33% apresentaram ansiedade enquanto que 22% apresentaram depressão.
D063
AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA
POR MEIO DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
D064
AVALIAÇÃO DA MICRODUREZA DO ESMALTE DENTAL
SUBMETIDO AO CLAREAMENTO DE MANUTENÇÃO COM
AGENTES CONTENDO PERÓXIDO DE CARBAMIDA A 10% E
PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO A 7,5%
Douglas Lopes Flores
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Caroline de Azevedo Silva
Roberta Tarkany Basting Höfling
Dentística
O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar, por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico, os efeitos da
expansão rápida da maxila nas estruturas ósseas e dentárias no plano transversal, utilizando um disjuntor de Hass
modificado e um Hyrax, nas fases pré, trans e pós-disjunção. A amostra da pesquisa constou de sete pacientes do
gênero masculino e três do gênero feminino, entre oito e treze anos de idade, portadores de atresia maxilar, mordida
cruzada uni ou bilateral. As tomografias foram divididas em três fases: T1 - antes da colocação do aparelho disjuntor;
T2 - após o término ativo da disjunção; T3 - quatro meses de contenção com o próprio aparelho disjuntor. O protocolo
de ativação ficou a critério da necessidade individual de cada paciente e variou de 7 a 9 mm. Foram criadas nove
medidas transversais para mensurar as estruturas ósseas e dentárias. Após realizar as medidas das três tomografias
T1, T2 e T3 foi calculada a diferença entre elas. Foi realizada a análise descritiva para cada uma das grandezas
mensuradas, análise de variância (ANOVA), para medidas repetidas para cada uma das grandezas mensuradas e
análise da correlação entre as grandezas. Os resultados apresentaram em geral forte correlação positiva entre as
grandezas mensuradas, não houve para nenhum dos modelos, interação significativa entre os períodos (T1, T2 e T3)
e a medida; o fator período foi significativo, sendo identificado diferença significativa ao nível de porcentagem, entre
pré-expansão e pós-expansão. Não houve diferença significativa entre pós-expansão e contenção. Pode-se concluir
que houve diferença estatisticamente significativa com aumento dos valores das medidas no período T1 para T2, T1
para T3. No período T2 para T3 não houve diferença estatisticamente significativa, mantendo-se estável.
O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de clareadores contendo peróxido de carbamida 10% ou peróxido de
hidrogênio 7,5% na microdureza do esmalte dental submetido ao clareamento de manutenção. Duas marcas
comerciais de peróxido de carbamida 10% (Platinum/Colgate-Palmolive [PL]) e peróxido de hidrogênio 7,5% (Day
White 2Z/Discuss Dental [DW]) foram avaliadas. O grupo controle (CO) foi constituído por fragmentos de esmalte que
permaneceram imersos em solução de saliva artificial. Quarenta e cinco fragmentos foram embutidos e planificados,
separando-se em 3 grupos (n=15). Os clareadores foram aplicados sobre os fragmentos dos grupos PL e DW pelo
período de 1 hora diária e permaneceram por 23 horas diárias em solução de saliva artificial, num total de 42 dias na
fase de clareamento inicial. Durante um período de 6 meses, todos os fragmentos foram armazenados em saliva
artificial, aguardando o clareamento de manutenção por 14 dias. Ensaios de microdureza Knoop foram realizados nos
tempos baseline, 14, 28 e 42 dias da fase de clareamento inicial e 14 dias da fase pós-clareamento. Também se
avaliou a microdureza 4 meses após o término do clareamento inicial, início da fase de clareamento de manutenção
(após 6 meses do clareamento inicial), 7 e 14 dias da fase de clareamento de manutenção. A Análise de Variância
(ANOVA) e o teste de Tukey (p<0,05) mostraram que o grupo DW apresentou menores valores de microdureza que o
grupo CO durante todas as fases de tratamento, apesar de não haver diferenças entre PL e DW e entre PL e CO. O
clareamento de manutenção com peróxido de hidrogênio a 7,5% pode levar a maiores alterações de microdureza do
esmalte, podendo comprometer seu conteúdo mineral. O período entre as fases de clareamento inicial e de
manutenção levou a um aumento de microdureza do esmalte, evitando sua diminuição durante o clareamento de
manutenção, podendo-se sugerir que o tratamento clareador de manutenção realizado após 6 meses do clareamento
inicial é um procedimento que não leva a alterações do conteúdo mineral.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 10-10
10
• MESTRADO •
D065
PREVALÊNCIA DE SINTOMAS DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR E
DOR OROFACIAL EM PACIENTES COM ALTERAÇÕES PSICOSSOCIAIS, DO
CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL DE JOAÇABA - SC, NO ANO
DE 2009
D066
EFICIÊNCIA DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR FEIXE
CÔNICO NA DETECÇÃO DE LESÕES ÓSSEAS PERIAPICAIS EM
DENTES TRATADOS ENDODONTICAMENTE
Bruno Siffert Torres Couto
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Lucieni Cristina Trovati Moreti
Elizabeth Ferreira Martinez
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a prevalência dos sintomas de DTM em pacientes com
alterações psicossociais em tratamento psiquiátrico no Centro de Atendimento Psicossocial
(CAPS) de Joaçaba-SC. Foram avaliados 60 pacientes, com faixa etária entre 20 e 60 anos, por
meio de um questionário validado da Academia Européia de Desordens Craniomandibulares. A
amostra foi dividida em três grupos - Depressivos, Alcoólatras/dependentes químicos e
Psicóticos, de acordo com os critérios utilizados no CAPS de Joaçaba-SC. Este estudo foi
estatisticamente analisado pelos testes Qui-Quadrado, Fisher e ANOVA, com nível de
significância de p<0,05 ou 95% (alfa = 5%). Os resultados mostraram que o grupo de depressivos
apresentou uma elevada prevalência de sintomas de DTM em comparação com os outros dois
grupos avaliados e que a dor de cabeça foi o sintoma mais relatado entre os pacientes que
apresentaram sintomas de DTM. Desse modo, o estudo concluiu que pacientes com diagnóstico
de depressão são mais susceptíveis a DTM.
O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência da Tomografia Computadorizada por Feixe Cônico (TCCB) na detecção
de lesões ósseas periapicais em dentes tratados endodonticamente, comparando os cortes e usando como base um
índice periapical de classificação. Realizou-se uma pré-avaliação das imagens tomográficas de 86 pacientes que
apresentaram uma ou mais lesões periapicais, sendo distribuídos em dois grupos: G1 - para lesões ósseas nos
dentes da mandíbula; e G2 - para lesões ósseas nos dentes da maxila. Todos os exames foram realizados no mesmo
tomógrafo computadorizado e com os fatores de aquisição padronizados. Todas as imagens foram processadas e
trabalhadas em software único. Posteriormente foi realizada a mensuração e classificação das lesões de acordo com
um índice periapical, porém não se considerou a expansão da cortical óssea e/ou sua destruição. Os resultados
mostraram que 83,47% das lesões na mandíbula e 78,89% na maxila foram identificadas entre os escores 0 e 1, ou
seja, com diâmetros variando entre 0 a 1 mm. As imagens tomográficas das lesões apresentaram o predomínio do
escore zero (0 até 0.50 mm), sendo 55,12% na mandíbula e 50% na maxila. Na região dos molares superiores e
inferiores também houve predomínio do mesmo escore, o que reforça a capacidade dessa tecnologia em visualizar
lesões de pequenas dimensões e mimetizar a sobreposição das estruturas anatômicas. Desta maneira, pode-se
concluir que a TCCB teve elevada eficiência e boa resolução com a vantagem de poder identificar as lesões ósseas
periapicais de pequenas dimensões.
D067
INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE AMPLIAÇÃO CERVICAL NA
DETERMINAÇÃO DO DIÂMETRO DO PRIMEIRO INSTRUMENTO E NO
ESTABELECIMENTO DO COMPRIMENTO DE TRABALHO POR MEIO DE UM
LOCALIZADOR ELETRÔNICO FORAMINAL
ANÁLISE IN VITRO DA BIOCOMPATIBILIDADE EM DIFERENTES
TRATAMENTOS SUPERFICIAIS DE CERÂMICA FELDSPÁTICA
EM CULTURA DE FIBROBLASTOS GENGIVAIS HUMANOS
Kelly Cristina Ferreira de Castro
Elizabeth Ferreira Martinez
Prótese Dentária
Lais Bittencourt Pires
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
O objetivo deste trabalho foi avaliar, ex vivo, a influência de diferentes métodos de preparo cervical na determinação do diâmetro do primeiro
instrumento (diâmetro anatômico à 1 mm do forame radicular) e a sua adaptação no terço apical do canal radicular, bem como a variação do
comprimento de trabalho, antes e após o alargamento cervical, por meio de um localizador eletrônico foraminal. Foram selecionados 30 molares
superiores humanos, permanentes, com ápices completamente formados, sendo utilizado apenas o canal mésio-vestibular. Os dentes foram
divididos em 3 grupos, aleatoriamente, de acordo com o tipo de alargamento utilizado. Grupo I S1 e SX; Grupo II Orifice Openers 25.10 e 25.08;
Grupo III limas manuais de aço inoxidável associadas a brocas de Gates-Glidden #3 e #2. Foi determinado o instrumento que se ajustou no
canal radicular antes do preparo cervical, após o preparo cervical e após a remoção da porção cervical e média do canal. Os resultados
demonstraram que a média do diâmetro da porção apical da raiz mésio-vestibular, de primeiros molares superiores, antes do alargamento
cervical, foi de 0,235 mm. Após o alargamento cervical, independente do tipo de alargamento, a média do diâmetro anatômico passou a ser de
0,315mm. Quando a porção cervical foi removida, foi possível conferir um diâmetro da região apical de 0,383mm. Verificando a adaptação do
instrumento na região apical, foi observado que antes do preparo cervical nenhum instrumento apresentou adaptação nessa porção da raiz,
após a realização do preparo cervical o grupo I apresentou 20% de adaptação, o grupo II 30% e o grupo III 60%. A variação do comprimento real
de trabalho dos canais radiculares foi realizada, comparando o comprimento inicial de trabalho antes e após o alargamento cervical. A eficácia
do localizador foi determinada comparando a medida visual com a medida eletrônica, tanto antes quanto após o preparo cervical, independente
do tipo de alargamento utilizado. Os resultados demonstraram, através do teste de KrusKal-Wallis, que houve diferença estatisticamente
significante (p < 0,05) na variação do comprimento do canal radicular entre os grupos estudados, e o teste de Wilcoxon demonstrou que o grupo
1 apresentou os maiores índices de variação do comprimento do canal após o preparo cervical. Em relação à confiabilidade do localizador
apical Novapex, o nível de concordância entre a medida visual e a eletrônica foi maior (r = 98,07%), antes do alargamento cervical, em relação
àquele avaliado, após o preparo cervical (r = 96,42%) (teste de Spearmans, p < 0,0001). De acordo com os resultados, pode-se concluir que
todas as técnicas acarretaram em diminuição do comprimento dos canais radiculares, após o preparo do terço cervical, sendo que o grupo I
apresentou os maiores índices de variação do comprimento do canal e o grupo III maior ajuste apical do instrumento. O método eletrônico foi
concordante com a medida visual, tanto antes quanto após o preparo cervical, apresentando excelente acurácia.
D069
D068
ANÁLISE DO TORQUE DE REMOÇÃO DO MINIPILAR
CONE MORSE EM DIFERENTES FORÇAS DE
PARAFUSAMENTO
A compatibilidade biológica entre a superfície dos materiais e os tecidos a sua volta é um dos mais importantes prérequisitos para o sucesso a longo prazo dos materiais protéticos. Para isso, uma forte e efetiva adesão das células na
superfície do biomaterial é requerida. O objetivo desse estudo foi avaliar in vitro a biocompatilidade de diferentes
tratamentos de superfície de cerâmica feldspática (com glaze, com glaze asperizada e sem glaze e polida) em cultura
de fibroblastos de gengivas humanas, bem como sua morfologia celular. Para esse estudo, foram utilizados 180
corpos de prova de cerâmica feldspática (60 com glaze, 60 com glaze asperizada e 60 sem glaze e polida), com 13mm
de diâmetro e 1,5mm de espessura. As células foram cultivadas em meio de cultura de Eagle modificado por
Dulbecco, suplementado com 10% de soro e 1% de solução antibiótica-antimicótica (Sigma), sendo mantidas em
estufa a 37ºC, em atmosfera úmida contendo 95% de ar e 5% de dióxido de carbono e mantidas durante diferentes
períodos de tempo (1, 2, 3, 7 e 10 dias). Os resultados obtidos mostraram que todas as superfícies testadas exibiram
crescimento celular compatível ao grupo controle (poliestireno), porém as superfícies de cerâmica feldspática com
glaze e com glaze asperizada, exibiram comportamento biológico in vitro mais favorável quando comparados a
cerâmica feldspática sem glaze e polida. A análise da morfologia celular demonstrou que em todas as superfícies
houve crescimento e adesão celular, mantendo-se o mesmo padrão morfológico em 1 e 2 dias. Pode-se concluir que
os tratamentos de superfícies com glaze e glaze asperizada, exibiram in vitro maior biocompatibilidade quando
comparados com a superfície sem glaze e polida.
D070
ESTABILIDADE DIMENSIONAL DOS MOLDES
ORTODÔNTICOS, APÓS DESCONTAMINAÇÃO
Johny Keiji Sasahara
Juliana Cama Ramacciato
Implantodontia
Josmar Donizetti Frenhan
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Um dos problemas encontrados no sistema de conexão dos implantes hexágono externo tipo Branemark é a soltura
do parafuso protético, porém, nas conexões internas do tipo conemorse, há uma adesão por atrito, com travamento
mecânico da superfície interna do implante com a superfície do pilar, melhorando esse problema. Este travamento
mecânico permite que os componentes protéticos tenham uma perda de pré-carga extremamente reduzida,
diminuindo a possibilidade de micromovimentação durante carregamento, não sobrecarregando o parafuso de
retenção. O objetivo desta pesquisafoi realizar um experimento laboratorial para verificar a força de remoção dos
pilares sob diferentes forças de torque, utilizando implantes e pilares, divididos em 4 grupos, sendo eles:10 implantes
cone morseNeodent e 10pilares sólidos (Minipilar 4,5x4x1,5 reto Neodent, Brasil) para cada torque15N, 20N, 25N e
32N, totalizando 40 implantes e 40 pilares. Cada implante foi incluído em um cilindro de pvc preenchido com resina
epóxi, esse conjunto foi apreendido em uma morsa de bancada e, então, realizado o teste com o torquímetro Digital
Torque Meter, modelo TQ-8800 (Impac,Taiwan). O resultado médio para o grupo 15N foi 15,8N±2; 20N foi 21,3N±7%;
25N foi 26,7N±4 e 32N foi 35,4N, ±6, respectivamente. Assim, o resultado médio da força de desparafusamento
sempre foi maior que o torque para sua inserção.
O objetivo deste estudo foi avaliar a estabilidade dimensional linear de moldes de hidrocolóide irreversível (Jeltrate®
Plus) submetidos ao procedimento de desinfecção com spray de hipoclorito de sódio 5,25% e ácido peracético 0,25%.
Para realização dos moldes foi confeccionado um modelo de cromo-cobalto com pilares cilíndricos localizados na
região de caninos e molares, utilizados como referência dimensional. Foram confeccionados 30 moldes, que foram
distribuídos em 3 grupos, seguindo o seguinte critério: grupo 1 - armazenado em caixa umidificadora durante 10
minutos; grupo 2 - desinfetado com spray de hipoclorito de sódio 5,25%, por 15 segundos e armazenado em caixa
umidificadora até completar 10 minutos; grupo 3 - desinfetado com spray de ácido peracético 0,25%, por 15 segundos
e armazenado em caixa umidificadora até completar 10 minutos. Para avaliação da estabilidade dimensional dos
moldes obtidos, realizou-se a medição linear dos modelos com pilares cilíndricos na região de caninos (A e B) e de
molares (C e D), de modo que conferiu-se as distâncias entre AB, AC, AD, BD, BC e CD com um paquímetro digital. Os
resultados demonstraram que, não houve diferença, estatisticamente significativa, entre as medidas realizadas nos
modelos de todos os grupos entre si e quando comparado com as distâncias reais do modelo de cromo-cobalto.
Portanto, concluiu-se que, a desinfecção de moldes, realizados com Jeltrate® Plus, com spray de hipoclorito de sódio
5,25%, por 15 segundo, ou com spray de ácido peracético 0,25%, por 15 segundos, não resulta em alteração
dimensional dos modelos ortodônticos de gesso, podendo ser recomendado como opção de desinfecção dos
mesmos.
D071
ANÁLISE HISTOLÓGICA E HISTOMORFOMÉTRICA ENTRE
ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO E ENXERTO XENÓGENO (BIOOSS®) NA CALVÁRIA DE RATOS
D072
ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DE TENSÃO EM IMPLANTES COM
CONEXÃO EXTERNA DE TORQUE INTERNO E EXTERNO PELO
MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS
Eudes Sobreira Fernandes Filho
Rui Barbosa de Brito Junior
Implantodontia
Felipe Silveira Maximo de Almeida
Thomaz Wassall
Implantodontia
A enxertia é de extrema importância na reconstrução das estruturas ósseas reabsorvidas. O osso bovino liofilizado é um substituto
ósseo bastante utilizado atualmente em enxertia na Implantodontia, devido às suas propriedades biológicas. O presente estudo teve
como objetivo avaliar histologica e histomorfometricamente dois tipos de enxertos muito utilizados para reconstruções ósseas, quanto
às suas capacidades de neoformação óssea, quantidade de área medular, e partículas remanescentes. Foram utilizados 20 ratos
machos Wistar os quais foram divididos aleatoriamente em dois grupos. Criaram-se dois defeitos ósseos críticos (bicorticais) nas
calvárias dos ratos. Após os procedimentos cirúrgicos, os animais foram divididos em outros dois grupos no qual um era controle,
enxertado com osso autógeno, e outro experimental, enxertado com osso bovino. Os animais foram sacrificados com 15 e 30 dias. As
amostras foram preparadas para análise histológica e histomorfométrica. Os cortes histológicos mostraram neoformação óssea nos
quatro grupos, porém não houve reparação total dos defeitos em nenhum dos grupos. O osso bovino em 30 dias apresentou menor
reparo ósseo comparado com o osso autógeno. Em 30 dias, o osso bovino demonstrou um processo inflamatório crônico. Nas
avaliações histomorfométricas de 15 dias o reparo ósseo utilizando osso autógeno e osso bovino foi de 21,11 ± 5,24 e 14,75 ± 2,68%,
respectivamente. Nos grupos com 30 dias de proservação, a neoformação foi de 23,91 ± 2,07% e 19,97 ± 5,19%, favoráveis ao osso
autógeno. O teste estatístico t de Student mostrou, significativamente, que o osso autógeno de 15 para 30 dias apresentou aumento
da área medular, e redução das partículas remanescentes. Ao confrontar o osso bovino nos dois períodos de análise, ficou constatado
um aumento de osso neoformado significativo, e manutenção da área medular e da quantidade de osso não vital existente no defeito
ósseo. Quanto as análises do osso autógeno versus osso bovino, após 30 dias, foi observada uma maior formação óssea e uma
menor quantidade de área medular nos grupos que receberam enxerto ósseo autógeno. Concluiu-se que osso bovino parece ser uma
ótima escolha em um procedimento de enxertia devido à sua capacidade de neoformação óssea e por sua manutenção e diminuição
da área medular demonstrada nas análises realizadas neste estudo. Apesar de o osso autógeno ter demonstrado ganho ósseo
superior ao fim da análise, ele também apresentou significativa reabsorção de osso não vital enxertado, além de aumento da área
medular. Este fator não ocorreu nos grupos que receberam enxerto ósseo bovino. Contudo, o osso bovino ainda apresenta vantagens
como a livre disponibilidade, e a redução de tempo cirúrgico.
Este estudo teve como objetivo comparar o implante cilíndrico de hexágono externo padrão
Bränemark com seu modelo congênere de torque interno pelo método dos elementos finitos
bidimensional. A distribuição da tensões foi analisada em quatro modelos representando um prémolar inferior, tendo como variáveis o desenho dos implantes e a direção de aplicação da carga. O
pico de tensão de von Mises para todos os modelos analisados ocorreu no pilar dos sistemas,
especialmente na área de contato entre o pilar e o implante, sendo maior no modelo com torque
interno. Os picos de tensões nas análises de tração-compressão também se localizaram na região
de pilar dos sistemas. Contudo, diferentemente da análise pelo critério de von Mises, o
comportamento das tensões variou muito de acordo com os modelos, não permitindo uma única
conclusão para essa análise. Para a carga axial, os valores máximos de tensões von Mises
mostraram que para o modelo com torque interno houve maior solicitação do parafuso de fixação,
diminuindo sobremaneira a tensão no osso cortical. Dessa forma, a indicação deve ser realizada de
acordo com as características de cada caso. Quando da aplicação de carregamento oblíquo, o
modelo de implante convencional apresentou melhor comportamento em relação ao torque interno
tanto na solicitação do parafuso de fixação quanto na dissipação para o osso de sustentação
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 11-11
11
• MESTRADO •
D073
AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DE
BRAQUETES METÁLICOS COLADOS EM SUPERFICIES
CERÂMICAS
D074
INTER-RELAÇÃO ENTRE DESLOCAMENTO ANTERIOR DO
DISCO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR E CONTATO
OCLUSAL DO LADO DE NÃO TRABALHO
Ernesto Dutra Rodrigues
Paulo Roberto Aranha Nouer
Ortodontia
Telma Guadalupe Piedade Ralin
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de união por cisalhamento de braquetes metálicos colados à cerâmica
odontológica reforçada por leucita após o condicionamento com ácido fluorídrico a 10% por 2 minutos, com a resina
Transbond XT variando a escovação, silano e ciclagem térmica. Foram confeccionados cento e vinte discos em cerâmica IPS
Empress Esthetic (Ivoclar) com 10 mm de diâmetro por 5 mm de espessura e separados em 8 grupos (n=15): Grupo 1 Submetido a escovação mecânica, aplicação do silano e ciclagem térmica. Grupo 2 - Com escovação, aplicação do silano e
sem ciclagem térmica; Grupo 3 - Com escovação, sem silano, com ciclagem térmica; Grupo 4 - Com escovação, sem silano,
sem ciclagem térmica; Grupo 5 - Sem escovação, com silano e com ciclagem térmica; Grupo 6 - Sem escovação, com silano,
sem ciclagem térmica; Grupo 7 - Sem escovação, sem silano, com ciclagem térmica; grupo 8 - Sem escovação, sem silano e
sem ciclagem térmica. As amostras dos grupos 1 a 4 foram submetidas a escovação na máquina Equilabor, através de
movimentos lineares de escovação com escovas dentais Oral-B 30 e creme dental Sorriso (Kolynos do Brasil), totalizando
30.000 ciclos de escovação. Nas amostras dos Grupos 1, 2, 5 e 6 foi aplicado o silano Ceramic Primer. Em seguida, os
braquetes foram fixados à cerâmica com o compósito Transbond XT e fotoativadas por 40 segundos com o aparelho (LED UltraLume 5), com 1100 mW/cm2. Todas as amostras foram estocadas em água destilada a 37º C, por 24 horas e as amostras
dos Grupos 1, 3, 5 e 7 foram termociclada 500 vezes nas temperaturas de 5º C e 55º C, com duração de 30 segundos em cada
banho. Em seguida, as amostras foram submetidas ao teste de resistência ao cisalhamento numa máquina de ensaios
(Instron) à velocidade de 0,5 mm/minuto até ocorrer a falha. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e ao teste de
Tukey (5%). A escovação mecânica reduziu os valores de resistência de união ao cisalhamento, independente da ciclagem
térmica e do uso do silano. A ciclagem térmica apresentou efeito significativo reduzindo a resistência de união ao
cisalhamento à cerâmica, independente do uso do silano ou da escovação mecânica. O uso do silano proporcionou aumento
nos valores de resistência de união ao cisalhamento, independente da escovação mecânica e ciclagem térmica.
Este estudo teve como objetivo analisar a inter-relação entre a presença de deslocamento anterior do disco da
articulação temporomandibular (ATM) e o contato oclusal do lado de não trabalho. Foram selecionados 238
estudantes universitários da Faculdade Pio X, da cidade de Aracaju - SE, independente do gênero e com idade
superior a 18 anos. Foi realizado o exame clínico para detectar presença de guia do canino e/ou função total em grupo,
em seguida, palpação digital para avaliar presença de sons articulares e exame clínico para detectar contato oclusal
do lado de não trabalho. Os estudantes foram posicionados com a cabeça apoiada na parede de tal forma que o plano
de Camper estivesse paralelo ao solo. Para detectar a presença de contato oclusal do lado de não trabalho, foi
utilizado uma fita de papel com um lado carbonado de cor vermelha colocado entre os arcos dentais posteriores, a
qual o participante mordia de um lado enquanto movia a mandíbula contralateralmente, sem apertar os dentes até os
caninos contralaterais deslizassem para a relação topo-a-topo, momento em que a fita era puxada e a inspeção visual
feita com espelho clínico para a verificação da presença ou não de pontos vermelhos marcados pelo carbono. A
presença de deslocamento anterior do disco articular foi realizada empregando-se os critérios do RDC/TMD
(Research Diagnostic Criteria). Não foi encontrada associação estatisticamente significativa entre a presença de sons
articulares nos lados direitos (p = 0,225) e esquerdos (p = 0,843) e o contato oclusal do lado de não trabalho na
amostra de estudo.
D075
ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO DE TENSÕES PELO MÉTODO DE
ELEMENTOS FINITOS ENTRE BASE E DENTES DE RESINA
ACRÍLICA, COM 5 DIFERENTES RETENÇÕES MECÂNICAS
ADICIONAIS EM PRÓTESE TOTAL
AVALIAÇÃO IN VITRO DA SIMILARIDADE DE CORES ENTRE
DISCOS DE CERÂMICA NANOFLUORAPATITA ASSOCIADAS A
PASTAS MATIZADAS TRY-IN OU CIMENTADOS COM CIMENTOS
RESINOSOS FOTOATIVADOS
Paulo Sérgio de Souza Rigoni
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Rodrigo Ferreira Carregal
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Este estudo, utilizando-se do método de elementos finitos, verificou cinco diferentes retenções mecânicas,
confeccionadas na base dos dentes artificiais de acrílico, que são usadas com o objetivo de melhorar a união entre os
dentes artificiais e a base de resina, em próteses totais. Uma prótese total superior foi confeccionada e cortada no
plano sagital passando pelo centro do incisivo central. As partes foram fotografadas e aumentadas para facilitar a
transferência das coordenadas ao programa de computação que utiliza método de elementos finitos. Os modelos de
retenções mecânicas projetadas foram desenhadas e posteriormente exportadas para o computador. Uma carga
estática de 70N a um ângulo de 45° foi aplicada no terço incisal da superfície palatina do incisivo central superior
simulando a força de mordida de um usuário de prótese total. As simulações de tensão e deformação de cada um dos
modelos foram realizadas, os resultados foram gerados e analisados. Com base nos critérios utilizados, pôde-se
concluir que as melhores retenções mecânicas foram as de quatro milímetros, dispostas ao longo do eixo do dente,
com formato cilíndrico de ponta arredondada.
D077
D076
DISTRIBUIÇÃO DE TENSÕES EM INCISIVOS CENTRAIS COM
DIFERENTES ALTURAS DE REMANESCENTE DENTINÁRIO
CORONAL RESTAURADOS COM DIFERENTES TIPOS DE
RETENTORES INTRARRADICULARES
O objetivo deste estudo foi avaliar in vitro a similaridade de cores entre discos de cerâmica nanofluorapatita
associadas a pastas matizadas try-in ou cimentadas com cimentos resinosos fotoativados e a estabilidade de cor
inicial por meio de espectrofotômetro digital de três marcas comerciais sob superfície de cerâmica vítrea
nanofluorapatita. Foram avaliados os sistemas de cimentação resinosos fotoativados: Vitique/ DMG (try-in A2½ e
cimento A2½), Variolink II/ Ivoclar Vivadent (try-in A1 e cimento A1) e Choice 2/ Bisco (try-in A2 e cimento A2). Como
substrato, foram confeccionados discos de resina composta fotopolimerizável (Lliss/FGM) na cor A2, com 12 mm de
diâmetro por 5 mm de espessura e discos cerâmicos confeccionados com cerâmica à base de nanofluorapatita
(E.max Ceram/ Ivoclar Vivadent) na cor A2, com 12 mm de diâmetro por 0,5 mm de espessura. Com a utilização de um
espectrofotômetro digital (EspectroShade Micro, MHT), os discos de resina composta e de cerâmica foram
interpostos com as respectivas pastas matizadas try-in ou com os cimentos para a avaliação da cor de acordo com a
escala de cores Vita Classical, nos tempos imediatamente após a colocação da pasta try-in ou do cimento resinoso e
após 2, 5 e 6 dias da cimentação com cimento resinoso. Os testes de Friedman para os grupos foram aplicados,
observando-se que os discos cerâmicos que receberam pasta try-in apresentaram cor A2 em 100% dos casos. Não
houve diferença estatisticamente significativa de cor das amostras cimentadas com os diferentes cimentos nos
diferentes tempos avaliados (p>0,05). Pode-se concluir que das três marcas de pastas try-in aplicadas sob os discos
cerâmicos à base de nanofluorapatita apenas duas apresentaram compatibilidade de cor com as indicadas pelos
fabricantes, mas não houve similaridade de cores entre as pastas try-in e os discos cerâmicos cimentados com os
respectivos cimentos resinosos. Houve estabilidade de cor dos discos cerâmicos cimentados com cimentos
resinosos com o tempo de estudo.
D078
INFLUÊNCIA DO USO DE FRESAS ROTATÓRIAS E
EXPANSORES ÓSSEOS NA ESTABILIDADE PRIMÁRIA DOS
IMPLANTES ODONTOLÓGICOS EM SITUAÇÕES DE POUCA
ESPESSURA ÓSSEA, ESTUDO IN VITRO
Maurício Umeno Watanabe
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Maria Luíza Gomes da Cruz
Juliana Cama Ramacciato
Implantodontia
O objetivo deste estudo foi avaliar pelo Método dos Elementos Finitos (MEF) a tensão na dentina, no pino, no núcleo e na coroa de incisivos centrais
superiores com diferentes alturas de remanescentes coronários tratados endodonticamente e restaurados com diferentes retentores
intrarradiculares e coroa cerâmica quando submetidos a cargas aplicadas na face palatal. Baseado em microtomografia computadorizada, foram
confeccionados nove modelos de um incisivo central superior restaurados com pino de fibra de vidro e núcleo de preenchimento em resina ou
núcleo metálico fundido em níquel-cromo (NiCr) ou ouro (Au) e coroa cerâmica. Para os três sistemas restauradores o remanescente coronário
variou em 3 alturas: 0, 1,0 e 2,0 mm (pino de fibra de vidro e núcleo de preenchimento em resina composta = FV; núcleo metálico fundido em níquelcromo=NiCr; núcleo metálico fundido em liga de ouro=Au), sendo: FV0 - pino de fibra de vidro sem férula; FV1 - pino de fibra de vidro com férula de
1,0 mm de altura; FV2 - pino de fibra de vidro com férula de 2,0 mm; NiCr0 - núcleo de níquel-cromo sem férula; NiCr1 - núcleo de níquel-cromo com
férula de 1,0 mm; NiCr2 - núcleo de níquel-cromo com férula de 2,0 mm; Au0 - núcleo de liga de ouro sem férula; Au1 - núcleo de liga de ouro com
férula de 1,0 mm; Au2 - núcleo de liga de ouro com férula de 2,0 mm. A superfície do ligamento periodontal foi fixada nos três eixos (x=y=z=0).
Aplicações de cargas distribuídas de 180 N na face palatal da coroa, formando um ângulo de 45? com o longo eixo do dente, foram simuladas em
todos os modelos. A tensão principal máxima (?max) foi calculada para o remanescente dentinário coronal, dentina radicular, pino e núcleo
utilizando o programa para análise de elemento finito Ansys Workbench 10.0. Nos resultados, as ?max (MPa) na dentina coronária foram: FV0=117;
FV1=113; FV2=102; NiCr0=30; NiCr1=102; NiCr2=260; Au0=64; Au1=84; Au2=266 e as ?max (MPa) na dentina radicular: FV0=159; FV1=92;
FV2=97; NiCr0=151; NiCr1=60; NiCr2=87; Au0=158; Au1=67; Au2=109. Nos núcleos, as ?max (MPa) foram: FV0=1430; FV1=281; FV2=195;
NiCr0=4707; NiCr1=1333; NiCr2=2221; Au0=2500; Au1=1080; Au2=1470. Nas porções intrarradiculares dos pinos, as ?max (MPa) foram:
FV0=180; FV1=8; FV2=40; NiCr0=4640; NiCr1=280; NiCr2=230; Au0=300; Au1=100; Au2=140. Observou-se que a máxima tensão na dentina
ocorreu na porção coronária no modelo Au2, enquanto que no pino localizou-se na porção intrarradicular do modelo NiCr0. Dentro das limitações
deste estudo, pode-se concluir que para os modelos com pino de fibra de vidro (FV), na presença de férula igual a 1,0 ou 2,0 mm, houve redução da
tensão em todas as estruturas estudadas quando comparados ao modelo com ausência de férula. Para os modelos com núcleo metálico fundido
em níquel-cromo e ouro (NiCr e Au), a presença da férula ocasionou redução da ?max na dentina radicular e na região intrarradicular do pino, além
de aumento da ?max na dentina coronária remanescente. A máxima tensão foi encontrada no pino de níquel-cromo, seguido do pino de ouro e do
pino de fibra de vidro.
A instalação de implantes odontológicos em situações com pouco volume ósseo em largura representa uma dificuldade
clínica. O objetivo do estudo foi avaliar a estabilidade primária dos implantes instalados em leitos cirúrgicos utilizando
fresas rotatórias e dois diferentes tipos de expansores ósseos em condições de pouco volume ósseo em largura sem a
necessidade de cirurgias adicionais. Os experimentos foram realizados em costela de osso bovino fresco (denominadas
corpos de prova), seccionada formou os Grupos I, II e III. Para preparar os corpos de prova, a pesquisa utilizou fresas
rotatórias (Grupo I), os Expansores Master (Grupo II) e Split Control (Grupo III). Em cada grupo foram instalados 07
implantes com 3.75mm de diâmetro e 13 mm de comprimento. Os corpos de prova apresentaram espessura média de
3.24mm na porção cervical, local em que ficaram assentadas as plataformas dos implantes, determinados como P1, e de
4.1 mm de espessura no meio do implante, determinados como P2. Os assentamentos dos implantes foram feitos com
torquímetros manuais. As estabilidades primárias foram avaliadas com torquímetros manuais e com o Osstell mentor que
registrou os índices de estabilidades dos implantes (ISQ) através da freqüência de ressonância nos sentidos ânteroposterior (A1) e mésio-distal (A2). Os resultados foram analisados estatisticamente avaliando torque de inserção e índice
de estabilidade do implante (ISQ). Quanto ao torque de inserção, mostrou que não houve diferenças estatisticamente
significante entre os grupos considerando separadamente as medidas em A1(p=0,5653) e as medidas em A2(p=0,1403).
Quando comparadas, as medidas em A1 (p<0,05) foram significativamente menores do que as medidas em A2,
considerando cada um dos grupos em estudo. Todos os implantes alcançaram estabilidades primárias pelos dois métodos
avaliados. As três técnicas permitem instalar implantes em osso de pouca espessura. O trabalho mostra que em situações
com pouco volume ósseo é possível instalar implantes sem que haja necessidades de cirurgias adicionais.
D079
AVALIAÇÃO IN VITRO DA ESTABILIDADE DE COR DE AGENTES
DE CIMENTAÇÃO RESINOSOS DUAIS
D080
AVALIAÇÃO DOS SINAIS E SINTOMAS DE DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR ANTES E APÓS A CORREÇÃO DA
MORDIDA CRUZADA POSTERIOR COM O USO DO DISJUNTOR
PALATAL HYRAX
Marcelo Soares Corrêa
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Maria de Fátima Seguro Meyge Brito
Fabiana Mantovani Gomes França
Prótese Dentária
A estabilidade de cor em restaurações indiretas é importante para seu sucesso a longo prazo. Cerâmicas translúcidas
sofrem influência da cor do substrato e do agente cimentante, principalmente em próteses com espessura mínima,
como nos laminados cerâmicos. Fatores como alterações intrínsecas dos componentes orgânicos dos cimentos
podem contribuir para mudança de cores. Este estudo avaliou a estabilidade de cor de três cimentos resinosos duais
na cor A1 (RelyX ARC, Allcem e Variolink II) com o passar do tempo (2, 9 e 32 dias da fotoativação). Foram preparadas
10 amostras de cada cimento, com 8 mm de diâmetro e 1 mm de espessura, armazenadas em água destilada, e as
alterações de cor foram determinadas por espectrofotometria (X-Rite). A escala de cores da Commision Internationale
de l'Eclairage (CIE L*a*b*) e as alterações de cor ( ?E*) foram utilizadas para analisar os resultados. Os dados foram
submetidos ao teste de Tukey Kramer, Proc Mixed, Kruskal Wallis e Dunn e Friedman. Com relação à luminosidade
(L*) os cimentos Variolink II e Rely X ARC não apresentaram diferença significativa nos tempos estudados. Allcem foi o
que se tornou mais amarelado do tempo 2 dias para tempo final e Variolink II foi o mais estável em relação à
cromacidade (b*). Quanto ao matiz (a*), Allcem apresentou os melhores resultados. A diferença de cor (?E*) não foi
significativa para nenhum dos três cimentos, entre o tempo de 2 dias e o tempo de 32 dias. Conclui-se que o cimento
Variolink II obteve maior estabilidade de cor e que todos os cimentos apresentaram alteração de cor com o passar do
temzo.
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a presença de sinais e sintomas de Disfunção Temporomandibular (DTM) em um
grupo de indivíduos com má oclusão de mordida cruzada posterior, antes e após sua correção utilizando o aparelho
disjuntor palatal tipo Hyrax. A amostra foi de 22 indivíduos, sendo 13 meninas e 9 meninos, com faixa etária de 7 a 14
anos de idade (média de 9,1 anos). Foram submetidos ao questionário de triagem da Academia Europeia de
Desordem Craniomandibular para detecção de sintomas de DTM em cinco tempos da pesquisa: T0 (antes da
instalação do aparelho disjuntor palatal Hyrax), T1 (15 dias após o início das ativações do aparelho disjuntor palatal
Hyrax), T2 (4 meses), T3 (8 meses) e Tf (10 meses após a instalação do aparelho disjuntor palatal Hyrax). Quando
havia alguma resposta SIM ao questionário, foi aplicado o exame físico do protocolo RDC/TMD - Eixo I para detecção
dos sinais de DTM. Como resultado, a prevalência inicial foi de 18,0% de indivíduos que apresentaram algum tipo de
sinal e sintoma de DTM. Houve uma flutuação significativa dos sinais e sintomas durante o tratamento para correção
da mordida cruzada posterior e as mudanças oclusais promovidas por esta correção influenciaram apenas
temporariamente na avaliação dos sinais e sintomas de DTM. Quanto à relação entre gênero e sinais e sintomas de
DTM, não houve diferença estatisticamente significativa nas avaliações feitas para os cinco tempos avaliados. O
único sintoma relatado pelos indivíduos em resposta ao questionário da Academia Européia de Desordens
Craniomandibulares foi "dores de cabeça uma vez por semana ou mais". Pelos dados obtidos pelo exame físico do
RDC/TMD - eixo I, o sinal mais encontrado foi sensibilidade à palpação dos músculos masseter e temporal.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 12-12
12
• MESTRADO •
D081
ANÁLISE COMPARATIVA DA DISTRIBUIÇÃO DAS TENSÕES EM PRÓTESE
CIMENTADA E PARAFUSADA ENTRE IMPLANTES UNITÁRIOS RETOS E
INCLINADOS SUBMETIDOS A DIFERENTES TIPOS DE CARGAS PELO
MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS
D082
ANÁLISE DA TENSÃO INDUZIDA NO OSSO PERI-IMPLANTAR
POR IMPLANTES DE DIFERENTES DIÂMETROS COM
PLATAFORMAS REGULAR E SWITCHING
Marco Antonio Ferreira Calvário
Rui Barbosa de Brito Junior
Implantodontia
Luis Carlos Merçon de Vargas
Fabiana Mantovani Gomes França
Prótese Dentária
Este estudo avaliou comparativamente, pelo método dos elementos finitos bidimensional as tensões resultantes nas
próteses unitárias cimentada e parafusada sob cargas axial e oblíqua utilizando implantes reto e inclinado de
hexágono externo com plataforma regular. Desta forma, analisou-se a influência da inclinação do implante na
distribuição de tensões, verificou-se qual o conjunto promoveu maior tensão nas estruturas de suporte e determinouse qual situação gerou maior tensão intrinsecamente. Em ambas as condições de carregamento considerou-se uma
força oclusal de magnitude de 100 N. Os valores das tensões foram analisados a partir das imagens gráficas das
tensões pelo critério de von Mises e também por análise de tensões do tipo tração-compressão (X-Y). De um modo
geral, na análise pelo critério de von Mises para as cargas axial e oblíqua, as tensões ficaram concentradas nos
componentes protéticos, especialmente no parafuso do intermediário. Os implantes inclinados geraram maior tensão
ao tecido ósseo. Nas análises de X-Y, para os mesmos tipos de cargas, as tensões deletérias intrínsecas (tração), o
parafuso do intermediário exerceu um papel expressivo recebendo maiores valores de tensão. Desta forma, pôde-se
concluir que a inclinação do implante sob carga axial promoveu menor tensão no osso de suporte e maior solicitação
nos parafusos, independente do tipo de retenção. O modelo parafusado inclinado apresentou maior tensão no osso
de suporte pelo critério de von Mises . Entretanto, a análise de tensões deletérias mostrou que o modelo cimentado
reto recebeu maiores valores de tensão compressiva no osso; sob carga oblíqua, o modelo parafusado inclinado
apresentou maiores valores de tensão intrínseca.
O objetivo do estudo foi avaliar a distribuição de tensões no osso peri-implantar simulando a influência de diferentes
diâmetros de implante em plataforma protética regular e switching por meio do método dos elementos finitos
tridimensionais. Foram confeccionados 5 modelos matemáticos representativos de uma maxila parcial da região do
elemento 11 restaurada com implantes. Os modelos variaram o diâmetro do implante de hexágono interno (5,5 e 4,5
mm) e da plataforma protética (regular e switching): Regular 1 (R1), implante 4,5X11,5 mm e pilar 4,5 (redução 0%);
Regular 2 (R2), implante 5,5X11,5 mm e pilar 5,5 (redução 0%); Switching 1 (S1), implante 4,5X11,5 mm e pilar 3,8
(redução 15,5%); Switching 2 (S2), implante 5,5X11,5 mm e pilar 4,5 (redução 18,1%) e Switching 3 (S3), implante
5,5X11,5 mm e pilar 3,8 (redução 30,9%). Os modelos foram confeccionados nos programas Mimics 11,11
(Materialise) e Solid Works 2010 (Inovart). Os materiais foram considerados homogêneos, isotrópicos e linearmente
elásticos. A interface de contato entre o osso e o implante foi considerada perfeitamente integrada. A análise numérica
foi realizada no programa ANSYS Workbenck 10.0. Forças oblíquas (100N) foram aplicadas na face palatina da coroa
com angulação de 45º. Máxima (?max) e mínima (?min) tensão principal e tensão equivalente de von Mises (?vm)
foram avaliadas para o osso cortical e medular. No osso cortical, os maiores valores de máxima tensão principal
(?max) e tensão de von Mises (?vm) foram observados no R1 (105 e 87,1 MPa), seguido do S1 (81,1 e 73,3 MPa), R2
(67,3 e 52,5 MPa), S3 (49,2 e 41,6 MPa) e S2 (46,1 e 39,8 MPa). No osso medular, os maiores valores de máxima
tensão principal (?max) foram observados no S3 (11,8 MPa), seguido do R1 (7,32 MPa), S1 (6,28 MPa), R2 (5,19
MPa) e S2 (4,09 MPa). A influência positiva do implante de largo diâmetro diminuindo a tensão no osso Peri-implantar
e também quando associado à plataforma switching, foi mais evidente para o osso cortical em comparação ao osso
medular.
D083
INFLUÊNCIA DA INCLINAÇÃO DA CARGA MASTIGATÓRIA E DO
TIPO DE FIXAÇÃO ÓSSEA NA DISTRIBUIÇÃO DAS TENSÕES
SOBRE OS IMPLANTES BRÅNEMARK SYSTEM® : UMA
ANÁLISE DE ELEMENTOS FINITOS
GRAU DE PIGMENTAÇÃO DA RESINA REMANESCENTE EM
ESMALTE DENTÁRIO, APÓS REMOÇÃO DE BRAQUETE
ORTODÔNTICO
Sérgio Ricardo da Silva
Renato Castro de Almeida
Ortodontia
Ismith Thelmo da Silva Melo
Rogério Heládio Lopes Motta
Implantodontia
O objetivo deste estudo foi avaliar a dissipação das tensões mastigatórias dos implantes Brånemark System®, quando em
função, no osso alveolar. Foi realizada a modelagem computacional dos implantes Brånemark System® (3,3x13mm - NP,
3,75x13mm - RP e 5,0x13mm - WP) da Nobel Biocare bem como dos componentes protéticos do mesmo sistema e uma coroa
cilíndrica para cada implante, sendo estas coroas anguladas em 0º, 30º e 45º em relação ao centro da mesa oclusal. Também foi
realizada a modelagem de quatro modelos dos quatro tipos ósseos de uma secção transversal da mandíbula, sendo que, a
mesma possui o lado vestibular e lingual simétricos. Após a modelagem em 3D (Três dimensões) do sistema de implantes da
pesquisa foi realizado análise de elementos finitos combinando implantes Narrow Plataform (plataforma estreita), Regular
Plataform (plataforma regular) e Wide Plataform (plataforma larga), os Easy Abutments®, os parafusos dos Easy Abutment®, os
quatro tipos ósseos, os dois tipos de fixação óssea e as três angulações das coroas protéticas, totalizando assim 72 análises (3
implantes X 2 tipos de fixação X 4 tipos ósseos X 3 angulações de mesa oclusal = 72). Para a simulação do estresse mastigatório
foi utilizada a carga de 141 N sobre as coroas protéticas. Após a análise foi realizada a mensuração dos picos de tensão para
cada amostra separadamente. Os resultados para a fixação bi-cortical mostraram que o implante Brånemark System®
MkIIINarrow Plataform teve média de 45,142 MPa, o implante Brånemark System® MkIII Regular Plataform teve média de
32,385 MPa e o implante Brånemark System® MkIII Wide Plataform teve média de 26,945 MPa. Os resultados para a fixação
cortical mostraram que o implante Brånemark System® NarrowMkIII Plataform teve média de 49,084 MPa, o implante
Brånemark System® Regular MkIII Plataform teve média de 31,991 MPa e o implante Brånemark System® MkIII Wide Plataform
teve média de 31,681 MPa. Demonstrando diferenças estatísticas significantes em relação aos picos de tensão entre os
Implantes de plataforma estreita e larga de 54,93% e entre os implantes de plataforma regular e larga de 0,98% em fixação
monocortical. Demonstrando que o implante de plataforma regular não apresentou diferença estatística significativa em relação
ao implante de plataforma larga.
D085
D084
AVALIAÇÃO DA ADAPTAÇÃO ENTRE COMPONENTES
PROTÉTICOS E IMPLANTES
A preocupação com a estética é o grande motivo que levam pacientes a procurarem tratamento ortodôntico. Visto que
hoje em dia a valorização da aparência significa para muitas pessoas um bem estar incondicional, fazendo com que
os profissionais busquem cada vez mais conhecimento para suprir a principal expectativa de seus pacientes mas
também a prevenção de possíveis iatrogenias, como por exemplo, a alteração da cor original da superfície dentária,
após a remoção dos bráquetes podem ocorrer. O objetivo deste estudo foi avaliar alterações cromáticas do esmalte
bovino, após remoção de bráquetes ortodônticos e depois da realização do teste de envelhecimento laboratorial
utilizando dois sistemas de união resinoso. O estudo colorimétrico utilizou sessenta corpos de prova feitos com anel
de PVC, resina autopolimerizável incolor e incisivo bovinos, dividido em: 20 amostras para Grupo Controle, 20
amostras Grupo A, 20 amostras Grupo B. Os bráquetes foram colados: no Grupo A com resina Fill Magic Ortodontic,
no Grupo B com Transbond XT mais resina TPH incisal, no Grupo controle não houve colagem. As leituras foram feitas
no aparelho espectrofotômetro computadorizado em 3 tempos diferentes: T1 (inicial antes colagem), T2 (após
remoção dos bráquetes) e T3 (após envelhecimento laboratorial). Os valores obtidos foram submetidos à análise
estatística teste "t", para observações pareadas. Resultados colorimétricos dos três grupos não evidenciaram
alteração cromática do esmalte clinicamente significante. Conclusão: Quanto a alterações cromáticas após remoção
de bráquetes ortodônticos, não foi observado aumento do grau amarelo, estatisticamente significante, para os três
grupos estudados, quanto a alterações cromáticas, após realização do teste de envelhecimento laboratorial, houve
aumento do grau amarelo, ou seja, escurecimento dos dentes, de modo estatisticamente significante e clinicamente
relevante para os Grupos A e B.
D086
ANÁLISE DA RESISTÊNCIA À FLEXÃO DE DUAS RESINAS
ACRÍLICAS TERMOPOLIMERIZÁVEIS SOB O EFEITO DE TRÊS
DIFERENTES TÉCNICAS DE POLIMERIZAÇÃO
Ivna Valentina Albuquerque de Aquino
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Grimaldo Martins Maia de Oliveira Bicalho
Cecília Pedroso Turssi
Prótese Dentária
O objetivo deste trabalho foi avaliar, em microscópio, a adaptação dos componentes
protéticos quando utilizamos marcas comerciais diferentes dos implantes. Foram
utilizados 30 implantes de hexágono externo da marca comercial Neodent® e 30
componentes protéticos tipo UCLA de titânio de 03 diferentes marcas comerciais: 10
Neodent®, 10 Conexão® e 10 Titanium Fix ®. Cada implante recebeu um único
componente, que foi anexado ao implante por meio de um parafuso de titânio,
utilizando-se torque de 20 N, com torquímetro manual. Cada conjunto
implante/componente recebeu 4 marcações aleatórias em torno da circunferência,
onde foram feitas as medições do espaço existente entre as peças, usando-se uma
lente de 200x de aumento. Os resultados obtidos não mostraram diferenças
estatisticamente significantes entre os grupos, submetidos ao teste ANOVA(p>0,05).
Concluiu-se que há compatibilidade entre os componentes das 3 diferentes marcas
utilizadas com os implantes da Neodent®.
As resinas acrílicas para base de prótese total apresentam como desvantagem o risco de
fraturas quando estão em função durante a mastigação. As fraturas ocorrem principalmente
por fadiga flexural do material. Neste estudo, verificou-se a influência de três ciclos de
polimerização, sobre a resistência à flexão de resinas acrílicas termoativadas utilizadas nas
bases de próteses totais, polimerizadas pelos métodos convencional,
termopneumohidráulico e pela energia de micro-ondas. Foram confeccionados corpos de
provas, nas dimensões de 2,5 x 10,0 x 65,0 mm de largura (ADA n°12). O processo de
inclusão foi padronizado utilizando-se muflas plásticas em todos os grupos. Os três grupos
foram constituídos de 10 corpos de prova cada e polimerizados de acordo com as três
técnicas de polimerização. Após desincluídos e realizado o processo de acabamento, os
corpos de provas foram submetidos ao ensaio de flexão de três pontos na máquina de
ensaios universal, EMIC 2000, com velocidade constante de 5 mm/min. A análise dos
resultados, para o teste de resistência mostrou não haver diferenças estatísticas entre os três
grupos (ANOVA, p = 0,417, p > 0,05).
D087
PREVALÊNCIA DE RESPIRAÇÃO PREDOMINANTEMENTE
BUCAL E CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS EM
ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE CONTAGEM - MG
D088
MINI-IMPLANTE P.C VERSÁTIL
Adenilson César Batista
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
Evandro Corrêa
Fabiana Mantovani Gomes França
Implantodontia
O objetivo desta pesquisa foi avaliar quantitativamente e qualitativamente a prevalência e tipos de respiração em 651
escolares da rede municipal de ensino, do município de Contagem - MG, com idade entre 6 e 13 anos sendo 54,6% gênero
masculino e 45,4% do gênero feminino. O exame de cada criança consistiu de inspeção visual utilizando espátulas de
madeiras descartáveis, espelho clínico, um copo de água. Observou-se que: a) prevalência de respiração bucal foi de
45,0% e respiração nasal 55,0%. A prevalência da maloclusão no molar foi 64,5% para a Classe I, 29,1% para a Classe II e
6,4% para a Classe III; b) o percentual de indivíduos com mordida aberta anterior foi de 21,3% e lábios ressecados 39,1%,
com atrofia das narinas de 18,6%, com presença de olheiras 23,3%, protrusão da arcada superior 23,0%; c) para
zigomático aprofundado a prevalência foi de 2,0%; d) a sobremordida do tipo profunda foi de 14,2% e a de topo apresentou
3,5% de prevalência; e) entre os hábitos bucais deletérios, a maior prevalência foi de com sucção digital 5,1%, interposição
de língua e mamadeira apresentaram o mesmo percentual de 1,94% e por último tem-se a sucção de chupeta com 0,86%;
f) em relação aos lábios, somente 1,1% são do tipo hipertônico e 7,8% do tipo hipotônico; g) não foi encontrada associação
significativa entre o tipo de respiração e o gênero e sim associação significativa entre o tipo de respiração e a maloclusão.
Foram utilizados teste de Qui- Quadrado, teste Exato de Fisher e teste de Proporções. Houve maior prevalência nos
respiradores bucais de projeção de pescoço para frente (72,65%), vedamento labial (65%), olheiras (76%), lábios
ressecados (69,1%), mordida aberta (64,4%). Concluiu-se que das crianças estudadas as mais novas apresentavam
menor taxa de respiração nasal e os sinais pesquisados; projeção do pescoço, ausência de vedamento, mordida aberta,
olheiras, e maloclusão de Classe II de Angle, foram estatísticamente significativas em respiradores bucais.
Este mini-implante conssite em um mini parafuso perfurante, com sua parte
superior oca, com uma plataforma em hexágono externo e provida de rosca para
receber internamente um parafuso que serve para fixar um acessório
iontermediário ( como um dente provisório), sendo este parafuso provido de sua
cabeça como uma aleta em forma de cruz, que conjuntamente com um furo
longitudinal, serve para fixar, prender ou amarrar fios utilizados em ortodontia,
aplicado diretamente na cavidade bucal do paciente.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 13-13
13
• MESTRADO •
D089
ESTUDO EM PACIENTES DIABÉTICOS TIPO II NÃO INSULINODEPENDENTES COM RELAÇÃO À DOSAGEM DE
HEMOGLOBINA GLICADA
D090
PREVALÊNCIA DE SINAIS E SINTOMAS DA DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR NOS PACIENTES EM TRATAMENTO
ORTODÔNTICO EMPREGANDO ELÁSTICO TIPO CLASSE II
BILATERAL
Alberico Alencar Villela Azevedo
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Ana Carolina Bannwart Antunes Ortega
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O Diabetes Mellitus caracteriza-se pela alteração da secreção de insulina, afetando o metabolismo de proteínas e lipídios e - na
cavidade oral - aumentando a prevalência e a gravidade da doença periodontal. Desenvolveu-se este estudo para verificar a
eficácia da terapia periodontal, associada ou não ao uso de antimicrobianos, no controle das taxas de hemoglobina glicada de
pacientes diabéticos não insulino-dependentes. A amostra constituiu-se de 60 pacientes da Policlínica Central de Varginha, Minas
Gerais, Brasil, admitidos após aprovação pelo Comitê de Bioética e Pesquisa instituído no CPO São Leopoldo Mandic. Os
indivíduos foram distribuídos em quatro grupos, que receberam previamente sessões de higienização profissional e motivação,
quais sejam: grupo I - 15 pacientes não-diabéticos sem doença periodontal ativa, tratados com profilaxia dental; grupo II - 15
pacientes diabéticos sem doença periodontal, tratados com profilaxia dental; grupo III - 15 pacientes diabéticos com periodontite
generalizada, que receberam tratamento periodontal propriamente dito; e grupo IV - 15 pacientes diabéticos com periodontite
generalizada, submetidos ao tratamento periodontal propriamente dito e antibioticoterapia (doxiciclina 100 mg/dia - 15 dias). Os
pacientes foram submetidos ao registro de altura, peso, pressão arterial e a dois exames de hemoglobina glicada, um inicial e outro
após três meses de tratamento. Como parâmetros clínicos periodontais foram mensurados: o índice de placa, índice gengival,
presença de supuração, cor da gengiva, profundidade de sondagem e nível de inserção. Para avaliação estatística foram utilizados
os testes de Fisher, ANOVA e Kruskal-Wallis para as variáveis demográficas; e coeficiente de correlação de Pearson e quiquadrado para as variações de hemoglobina glicada e profundidade de sondagem. A variação percentual da hemoglobina glicada
e perda de inserção, embora não estatisticamente significativa (p=0,501 e 0,811; respectivamente) foi diferente entre os grupos
estudados. Apenas as variáveis índice de placa, índice de sangramento, profundidade de sondagem, perda de inserção e
hemoglobina glicada (inicial e final) apresentaram diferenças estatisticamente significativas (p<0,05). Não houve diminuição dos
níveis de hemoglobina glicada dos pacientes diabéticos após a terapia periodontal não-cirúrgica associada ou não à terapia
medicamentosa antimicrobiana.
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a prevalência e gravidade do sintoma dor, a prevalência da limitação de
abertura bucal e amplitude da abertura bucal máxima, na disfunção temporomandibular (DTM), durante o
tratamento ortodôntico empregando elástico tipo Classe II bilateral em 4 períodos distintos: a) antes do início do
emprego dos elásticos, b) um dia após a instalação dos mesmos, c) uma semana após e, d) um mês a partir da
fase a. Foram avaliados 40 pacientes da clínica privada Ortodontia Antunes, localizada na cidade de
Piracicaba/SP, entre os anos de 2009 e 2010. Tendo sido selecionados pacientes de ambos os gêneros, com
idades entre 11 e 60 anos, e com indicação de mecânica ortodôntica com o emprego de elástico tipo Classe II
bilateral, sem extrações. Os resultados mostraram que nos período b e c grande parte dos pacientes apresentou
queixa de dor, diferindo estatisticamente do período a. Dentre estes dois períodos intermediários, o período b
apresentou maior diferença estatística. Quando se comparou o período d com o período inicial a, esta diferença
não esteve mais presente. No que se refere a sua gravidade (0 a 10), ela não se mostrou significativa em nenhum
dos períodos estudados. Referindo-se à prevalência do sinal limitação de abertura bucal máxima, a análise
aplicada não mostrou diferença estatisticamente significante entre os valores encontrados nos diferentes
períodos. Similarmente, a amplitude da abertura máxima bucal também não apresentou nenhuma alteração
significativa durante este estudo. Assim, uma maior atenção investigativa por parte dos profissionais, deve ser
realizada quando do aparecimento prolongado dessas queixas durante o uso desta mecânica ortodôntica.
D091
INFLUÊNCIA DA FLUORESCEÍNA SÓDICA NA LOCALIZAÇÃO DE
CANAIS EM PRIMEIROS MOLARES SUPERIORES EX VIVO COM
O AUXÍLIO DO MICROSCÓPIO OPERATÓRIO ACOPLADO A UM
FILTRO AZUL DE COBALTO
AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE LIMPEZA DE UM SISTEMA
ROTATÓRIO DE NITI, ASSOCIADO OU NÃO À AGITAÇÃO
PASSIVA DO EDTA 17% COM ULTRASSOM. ESTUDO EM
MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA
Antônio Henrique Braitt Santos
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
Andressa Salles Gonçalves Pais
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
O conhecimento claro da morfologia dentária, localização, limpeza e fromatação do sistema de canais radiculares, são pré-requisitos para o sucesso da
terapia endodôntica. Entretanto, variações no número e morfologia das raízes e canais radiculares são desafios constantes para a obtenção de resultados
satisfatórios na endodontia. A não localização e obturação dos canis radiculares´podem levar as falhas no tratamento endodôntico (Welle, Hartwell, 1989;
Kulid, Peters, 1990; Fogel et al., 1994; Malagnino et al., 1997; Fava, 2001; Poorni etal., 2008; Baratto-Filho et al., 2009; Karthikeyan, Mahalaxmi, 2010). A
Odontologia foi marcada por uma evolução desde o uso das lupas e lâmpadas manuais até a utilização do microscópio operatório e passou por uma
transição semelhante a várias especialidades médicas tais como Oftalmologia e Neurocirurgia (Mines et.al., 1999). A sonda exploradora endodôntica reta e
as suas atuais técnicas da associação do microscópio operatório e insertos ultrassônicos de diversos tamanhos e formatos são fundamentais para auxiliar
e identificar, principalmente, os canais atrésicos e calcificados durante o tratamento endodôntico (Stropko, 1999; Carvalho, Zuolo, 2000). Mines et al.
(1999) publicaram o resultado de um questionário enviado através da internet para os membros da Associação Americana de Endodontia com relação à
utilização ou não do microscópio operatório. O estudo revelou um razoável interesse desta tecnologia pelos cirurgiões-dentistas, com amis de 50% deles
tendo acesso ao uso do microscópio operatório en sua prática clínica cirúrgica e não cirúrgica, aumentando significantemente para 90% segundo Kersten
et al. (2008). Estes dados confirmaram a importância da magnificação e iluminação microscópica para a endodontia contemporânea apesar da resistência
que o microscópio operatório enfrentou quando da sua introdução (Selden, 2002). Carr (1992) afirmou que tradicionalmente, a maioria dos procedimentos
de detecção do canal radicular contava com a destreza tátil do cirurgião-dentista e a imagem mental do sistema de canais raiculares. Atualmente, BarattoFilho et al. (2009) estudaram diferentes métodos para análise da morfologia interna dos molares superiores, com a utilização de sistemas de visualização
de imagens magnificadas, iluminadas e reconstrução tridimensional da morfologia interna e externa dos dentes. Várias pesquisas sobre o número de canis
MV2, como as realizadas por Hartwell & Bellizi (1982), Welter & Hartwell (1989), Sempira & Hartwell (2000), Cleghorm et al. (20006) e Görduyssus et al.
(2001) obtiveram uma porcentagem maior da localização desses canais em molares superiores: 18%, 39%, 31,1%, 60,5% e 96% em estudos laboratoriais
e 54,7% em estudos clínicos, respectivamente. A ocorrência de canais extras com o auxílio do microscópio operatório durante o preparo e acesso
endodôntico aumentou, de acordo com os resultados dos estudos de Baldassari-Cruz et al. (2002) e também de Park et al. (2009), que realizaram uma
análise tridimensional (3D) através da microtomografia computadorizada (micro CT) dos molares superiores com porcentagem de 65,2% de canais MV. A
fluorescéina sódica 1% é um colírio oftalmíco que foi utilizado no estudo de Nallapati & Glassman (2004), para corar a entrada dos canais radiculares de
forma verde fluorescente. Este corante, absorvido rapidamente pelo tecido conjuntivo do assoalho da câmara pulpar promove fluorescência pela utilização
de luz ultravioleta, tornando pertinente o estudo da influência deste corante quanto ao número e localização dos canis radiculares em primeiros molares
quando utilizado o filtro azul acoplado à parte interna da cabeça do microscópio operatório.
D093
D092
IMPACTO DA SAÚDE BUCAL NA QUALIDADE DE VIDA E NO
DESEMPENHO DIÁRIO DE TAREFAS DA POPULAÇÃO DE
QUATRO ASSENTAMENTOS RURAIS DO ESTADO DE SÃO
PAULO
O objetivo da instrumentação endodôntica é promover a limpeza e modelagem do canal radicular, preparando-o para uma posterior
obturação tridimensional. O objetivo deste estudo foi avaliar, ex vivo, a capacidade de limpeza dos canais radiculares promovida por um
sistema de instrumentação rotatória de níquel - titânio e por este mesmo sistema, acrescido da ativação passiva do EDTA a 17% com
ultrassom, por meio da avaliação em MEV. Foram utilizados 70 dentes, segundo pré-molares superiores humanos, com raiz e canal únicos,
achatados no sentido vestíbulo-palatino. Os dentes foram separados em 3 grupos, de forma aleatória. Os 30 dentes do Grupo 1 tiveram os
canais instrumentados, utilizando-se a seqüência operatória original do Sistema ProTaper Universal, até o instrumento F3, e como
substância irrigadora auxiliar 5 ml de hipoclorito de sódio a 5,25%, entre cada instrumento. Após a instrumentação, foi realizada uma
irrigação com 5 ml de EDTA a 17%, sendo esta substância mantida no interior do canal radicular por 3 minutos. Foi então realizada uma
irrigação final com 5 ml de NaOCl a 5,25%, para remoção da smear layer em suspensão. Os 30 dentes do Grupo 2 tiveram seus canais
instrumentados pelo mesmo sistema, até o instrumento F3, e como substância irrigadora auxiliar 5,0 ml de NaOCl a 5,25% entre cada
instrumento, acrescentando-se uma ativação passiva ultrassônica por 1 minuto, utilizando-se 5,0 ml de EDTA a 17%, sendo que esta
substância ficou em repouso por mais 2 minutos e, posteriormente, uma irrigação com NaOCl a 5,25%. Os 10 dentes do Grupo 3 não tiveram
seus canais instrumentados, apenas foram irrigados com soro fisiológico, sendo o Grupo Controle. Vencida esta etapa, os dentes foram
clivados em seu longo eixo, metalizados e levados para análise em MEV, em uma magnificação de 2000X, observando-se os terços cervical,
médio e apical de cada dente. A presença da smear layer na parede dos canais radiculares das raízes foram observadas pelas imagens
analisadas por 03 examinadores. Os dados obtidos foram remetidos a análise de variância e aplicado o teste de Tukey, com nível de
confiança de 5%. O Grupo Controle apresentou uma média de escore da presença da smear layer de 3,41; o Grupo ProTaper, 2,34; e o
Grupo ProTaper+Ultrassom, 0,60. Concluiu-se que nenhuma das técnicas de preparo estudadas promoveu uma total limpeza das paredes
dos canais radiculares. O acréscimo da ativação passiva ultrassônica, após a instrumentação rotatória, promoveu um aumento na remoção
da smear layer, melhorando a limpeza da parede do canal radicular, sendo que o terço apical obteve uma menor limpeza frente às outras
regiões, independente da técnica de preparo empregada.
D094
INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE FABRICAÇÃO NA
RESISTÊNCIA À FADIGA CÍCLICA DE INSTRUMENTOS
ENDODÔNTICOS MECANIZADOS
Arlete Maria Gomes Oliveira
Flávia Martão Flório
Saúde Coletiva
Renata Costa Val Rodrigues
Alexandre Sigrist de Martin
Endodontia
O presente estudo teve como objetivo analisar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida e no desempenho das
tarefas diárias de residentes em assentamentos rurais do Estado de São Paulo, selecionados por processo aleatório,
com base no porte populacional (grande e pequeno) e tempo de fundação (antigo e recente) do assentamento. A
amostra foi composta por todos os 189 lotes dos 4 assentamentos, resultando na participação de 336 indivíduos,
maiores de 14 anos de idade. Os instrumentos da pesquisa foram o OHIP 14, IODD, questionário de autoavaliação e
questionário sóciodemográfico. Os resultados dos questionários, comparando os tipos de assentamentos foram
realizados pelos testes de Kruskal-Wallis e Dunn. A seguir os valores foram dicotomizados na mediana (OHIP=2,0 e
IODD=4,5) e as associações com as demais variáveis foram analisadas pelos testes de qui-quadrado, Exato de
Fisher e pelo "odds ratio" bruto e ajustado pela análise de regressão logística. Na comparação entre os grupos de
assentamentos, o grupo dos assentamentos recentes apresentou impacto negativo da saúde bucal, tanto na
qualidade de vida como no desempenho das atividades diárias (p?0,05) do que o grupo de assentamentos de grande
porte e antigos. Tanto o OHIP-14 quanto o IODD associaram-se significativamente com a idade, grupo de
assentamento, auto-avaliação negativa da saúde bucal, relato de problemas com os dentes e com a gengiva,
apresentando valores altos para o impacto negativo causado pela saúde bucal deficiente. Pode-se concluir que os
voluntários de assentamentos recentes independente do porte, que avaliam a sua saúde bucal como péssima ou que
relatem presença de problemas na saúde bucal tem maior chance de ter impacto negativo da saúde bucal na
qualidade de vida e no desempenho diário de atividades.
O objetivo deste estudo foi realizar uma análise morfométrica dos instrumentos endodônticos
mecanizados de níquel-titânio (NiTi): Twisted File, fabricados por torção e RaCe, fabricados por
usinagem, avaliar a resistência à flexãoe calcular, através de ensaios estático e dinâmico, o
número de ciclos até ocorrer a fratura (NCF) dos instrumentos. Vinte instrumentos Twisted File
(TF) (SybronEndo, Orange, CA, EUA) e vinte instrumentos RaCe (FKG Dentaire, Suíça), diâmetro
D0 25 e conicidade 0,06 mm/mm, foram submetidos a rotação (310 rpm) no interior de um canal
artificial em ensaios dinâmico e estático, até a ocorrência de fratura. A análise da geometria dos
instrumentos mostrou que as dimensões foram diferentes em todas as comparações. A carga
máxima para flexionar os instrumentos Race foi maior do que nos TF. O NCF foi significativamente
mais baixo nos instrumentos RaCe que nos TF. O NCF também foi mais baixo nos ensaios
estáticos que nos testes dinâmicos, em ambos os grupos. Análise por microscopia eletrônica de
varredura (MEV) revelou características de fratura dúctil nas superfícies de todos os instrumentos,
sem sinais de deformação plástica na haste helicoidal. Instrumentos endodônticos mecanizados,
Twisted File, fabricados por torção foram mais flexíveis e apresentaram maior resistência à fratura
que os instrumentos Race, fabricados por usinagem. O modo de fratura observado em todos os
instrumentos foi do tipo dúctil.
D095
CORRELAÇÃO DOS SINTOMAS E A HIPÓTESE DIAGNÓSTICA
DOS PACIENTES COM DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
D096
ANÁLISE DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES EM RADIOGRAFIAS
PANORÂMICAS E CEFALOMÉTRICAS LATERAIS EM
PACIENTES DE 7 A 12 ANOS E SUAS CONSEQUENCIAS
Rosana dos Santos Costa
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Moacir Forti Júnior
Marcelo Henrique Napimoga
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a possível correlação entre o sintoma relatado pelo paciente
em sua queixa principal e o subtipo de DTM empregando-se o RDC/TMD e avaliar as possíveis
diferenças entre as correlações dos grupos com dor e sem dor. Foram avaliadas 300 fichas
clínicas de pacientes que foram atendidos na clínica de DTM, do programa curso de mestrado no
Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic, entre os anos de 2005 a 2007. Foram
selecionadas as fichas clinicas de ambos os gêneros (81% do gênero feminino e 19% do gênero
masculino) com idades entre 03 e 65 anos; que foram diagnosticados com DTM de acordo com o
RDC / TMD. Em vista da análise estatística dos resultados obtidos no presente trabalho, pode-se
concluir que há correlação entre os sintomas e os subtipos de DTM quando se emprega o
RDC/TMD nos diagnósticos de desordens musculares e desordens de deslocamento de disco.
Nos diagnósticos de artralgia, osteoatrose e osteartrite, o RDC/TMD não estabelece
correspondência com os sintomas. Houve diferença entre os grupos com dor e sem dor em
relação a: no grupo com dor a queixa principal estabelece relação com o diagnóstico pelo
RDC/TMD, enquanto que no grupo sem dor, embora houvesse um diagnóstico, essa relação foi
pouco relevante.
A respiração bucal representa um dado clínico muito significativo na rotina odontológica. A
literatura sobre o assunto apresenta um grande número de trabalhos relacionando a respiração
bucal com as alterações morfológicas craniofaciais especialmente na região da nasofaringe e
bucal como atresia maxilar, aprofundamento do palato, protrusão do arco dentário superior,
mordida cruzada bilateral óssea posterior. Numa visão extrabucal o paciente apresenta "faces
adenoideanas", ou seja, rosto alongado e estreito, olhos caídos, olheiras profundas, lábios
entreabertos, hipotônicos e ressecados. O objetivo deste trabalho foi de mostrar a importância
das Radiografias Cefalométricas Laterais e das Panorâmicas como meios auxiliares, avaliando
202 pacientes na faixa etária de 7 a 12 anos. Destes, 114 apresentavam respiração nasal e 88
foram classificados como respiradores bucais, nos quais foram encontradas alterações
obstruções mecânicas da nasofaringe como a hipertrofia de amígdalas e das adenóides, da
hipertrofia dos cornetos nasais. Os resultados submetidos aos testes de correlação de Pearson e
Spearmam comprovaram a correlação entre os achados clínicos e radiográficos das imagens
obtidas, demonstrando que as Radiografias Panorâmicas e Cefalométricas Laterais representam
excelentes exames complementares para diagnóstico e prognóstico de tratamento das
obstruções das vias aéreas superiores.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 14-14
14
• MESTRADO •
D097
ANÁLISE MORFOMÉTRICA DE INSTRUMENTOS ROTATÓRIOS
ENDODÔNTICOS
D098
ESTUDO COMPARATIVO DA ALTERAÇÃO DE RETENTIVIDADE
DOS GRAMPOS CIRCUNFERENCIAIS SIMPLES E A BARRA TIPO
I, EM RELAÇÃO AO NÚMERO DE CICLOS DE FLEXÃO
Patrícia Arantes e Silva
Alexandre Sigrist de Martin
Endodontia
Paulo Freitas Pannain
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Em vista da inexistência de uma normativa a ser seguida na fabricação dos instrumentos rotatórios de NiTi,
utilizados durante o preparo do canal radicular, bem como a falta de conhecimento das suas características
morfométricas associadas à escassez de informações fornecidas pelo fabricante, que caracterizem tais
instrumentos, de certa forma traz dificuldades e prejuízo para o clínico. O propósito do presente estudo foi o de
realizar uma análise morfométrica dos instrumentos rotatórios PréRaCe 35/.08 e 40/.10, RaCe 25/.02, 25/.04 e
25/.06 e todas as BioRaCe (FKG Dentaire) valendo-se do Projetor de Perfil, obtendo os valores do diâmetro
inicial, diâmetro final, comprimento da parte ativa e conicidade, confrontando-os com as medidas esperadas
fornecidas pelo fabricante.Os resultados mostraram que, quando as médias encontradas foram confrontadas
com as esperadas, para o diâmetro inicial (D0) apenas 37,5% estavam dentro do limite de tolerância, enquanto
para o diâmetro final (D16) somente 5% da amostra encontrava-se dentro desse limite de ± 0,02mm. Para o
comprimento da parte ativa, observou-se que não houve nenhuma média encontrada que estivesse dentro do
limite de tolerância. No entanto, para a conicidade 90% da amostragem encontravam-se dentro do limite de
tolerância. Portanto, conclui-se que dos 200 instrumentos avaliados, o percentual de instrumentos que ficaram
dentro das informações do fabricante, foi o de 27,5% para o diâmetro inicial, 5% para o diâmetro final e 15%
para a conicidade. No tocante ao comprimento da parte ativa nenhum grupo avaliado esteve dentro das
informações fornecidas pelo fabricante.
O objetivo deste estudo foi avaliar a alteração na retenção dos grampos circunferencial simples e a barra tipo I,
confeccionados com liga de cobalto-cromo, em relação ao número de ciclos de flexão. Foi analisada a perda de 10% da
retenção inicial, o que corresponde a uma perda clinicamente significativa, de 12% da retenção inicial e a variação retentiva
dos grampos após esta perda de 10% da retenção inicial. Foram padronizadas e confeccionadas em resina acrílica 26
amostras, sendo 13 de cada tipo de grampo, que em seguida foram fundidos em liga de cobalto-cromo, em um laboratório
de prótese. As amostras foram limpas com jato de óxido de alumínio 150 micrometros, não sofrendo nenhum tipo de
polimento. Como base de prova, simulando um primeiro pré-molar superior, foi utilizada uma esfera de aço-cromo de 7,2
mm de diâmetro. Por meio de uma solda de prata, a esfera foi soldada em um pino guia de 24 mm de comprimento, 8 mm de
diâmetro e 5 mm de abertura em uma das extremidades. Este conjunto esfera-pino foi fixado em base própria da máquina
de ensaio. O dispositivo de ensaio utilizado para a ciclagem dos grampos foi o Equipamento Simulador de Desgaste.
Foram realizados 7000 ciclos. Os dados de degradação obtidos foram submetidos à análise estatística pelo método
aproximado (?=0,05). O resultado das análises estatísticas mostrou que não existe diferença estatisticamente significante
para a perda de 10% da retenção inicial, entre os dois tipos de grampo (p= 0,114). Foi analisado também, o limiar de 12% de
perda de retenção, que também mostrou não existir diferença significativa entre os dois tipos de grampos (p=0,670).
Conclui-se que, o comportamento retentivo dos grampos circunferencial simples e a barra tipo I é semelhante quanto ao
número de ciclos em que os mesmos atingiram os limiares de 10% e 12% da perda de retenção inicial, e que 100% dos
grampos testados atingiram estes limiares de perda de retenção. Para os dois grampos observou-se também, uma perda
de retenção de maior magnitude nos primeiros 2000 ciclos, sendo que após esse número de ciclos as perdas de retenção
foram gradativamente menores e constantes.
D099
ANÁLISE COMPARATIVA DAS TENSÕES EM COROAS
UNITÁRIAS CIMENTADAS EM IMPLANTES PADRÃO
BRANEMARK COM DIFERENTES LIGAS NOBRES PELA
METODOLOGIA DOS ELEMENTOS FINITOS
EFICÁCIA DO IBUPROFENO E LUMIRACOXIBE NO CONTROLE
DA DOR ASSOCIADA AO USO DE SEPARADORES
ORTODÔNTICOS
Paulo Ricardo Corazza
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Paulo Eduardo de Lacerda
Thomaz Wassall
Prótese Dentária
Foi realizada uma análise comparativa pelo método dos elementos finitos
bidimensional para coroas unitárias cimentadas em implante padrão Branemark
variando as ligas da supraestrutura, utilizando liga áurica e prata-paládio como
variáveis na supraestrutura. Sobre fixação osseointegrável de hexágono externo
com plataforma regular, foi adaptado pilar personalizado e sobre o mesmo foi
confeccionada uma coroa protética metalo-cerâmica. Foi aplicada uma carga de
100 N distribuída pela superfície oclusal nos sentidos vertical e inclinado em 45
graus.Os resultados mostraram que a mudança de direção da carga de vertical para
inclinada em 45 graus constituiu um dado importante, pois a carga aplicada com
inclinação de 45 graus amplificou em doze vezes os valores máximos de tensão de
von Mises para ambas as ligas. O comportamento das supraestruturas de ligas de
ouro e prata-paládio foi muito semelhante, sendo tal resultado explicado pela
proximidade dos valores dos módulos de elasticidade de ambas as ligas.
D101
D100
AVALIAÇÃO DO SURTO DE CRESCIMENTO PUBERAL PELAS
VÉRTEBRAS CERVICAIS
O objetivo deste estudo foi comparar a eficácia do pré-tratamento com ibuprofeno e lumiracoxibe na
prevenção e controle da dor induzida pela colocação de separadores ortodônticos. Para tanto, os
indivíduos foram divididos em 3 grupos, que receberam uma hora antes da colocação dos separadores
ortodônticos: IBU (ibuprofeno, 400mg Alivium da Mantecorp), Lumi (lumiracoxibe, 400mg Prexige da
Novartis) ou Controle (placebo ). Foram aplicados questionários que avaliaram, com escalas visuais
analógicas, nas quais o paciente marcou nos intervalos de tempo abaixo mencionados, a intensidade da
dor nas seguintes situações: com a boca relaxada (dor espontânea), durante a mastigação, ao ato de
morder, à máxima intercuspidação habitual e à mordida topo a topo dos dentes anteriores. A intensidade da
dor foi informada pelos pacientes 2, 6, antes de dormir e 24 horas, bem como 2, 3, 5 e 7 dias após a
colocação dos separadores ortodônticos. Como resultado foi observado que o Grupo Controle apresentou
a maior intensidade de dor do que os grupos IBU e Lumi, atingindo o pico da dor no período de 24h, em
todos os grupos. Diferenças estatisticamente significante foram encontradas entre os grupos Lumi e
Controle e IBU e Controle, em alguns dos parâmetros avaliados. Concluiu-se que a dor, induzida pela
instalação de separadores ortodônticos (3M Unitek) pode ser atenuada por meio do pré-tratamento com
Ibuprofeno e Lumiracoxibe e que o Lumiracoxibe demonstrou maior efetividade clínica no tratamento da
dor, quando comparado ao Ibuprofeno.
D0102
AVALIAÇÃO DO EFEITO PREEMPTIVO DO IBUPROFENO E DA
ACUPUNTURA SOBRE A DOR INDUZIDA POR SEPARADORES
ORTODÔNTICOS
Renato Adilson Santos Correa da Silva
Rui Barbosa de Brito Junior
Ortodontia
Renato Silvestrin
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
O objetivo desse trabalho foi avaliar a viabilidade da análise do crescimento puberal e a influencia da
idade na maturação óssea analisando as vértebras cervicais, por meio de telerradiografias em norma
lateral em ambos os gêneros entre 08 e 16 anos de idade, feita pelo pesquisador. A análise dos dados
deste estudo foi realizada a partir de uma amostra composta de 100 pacientes, sendo 45 (45%) do
gênero masculino e 55 (55%) do gênero feminino. Foi observado o desenho das vértebras cervicais
para posterior comparação com a classificação de Lamparski (1972) e modificação de Hassel &
Farman (1995), que foram divididas em seis fases da maturação óssea vertebral. Os resultados
mostraram que houve influência da idade na maturação das vértebras, sendo que os pacientes com
idades entre 11 e 16 anos mostraram maior maturação das vértebras, em relação aos pacientes com
idades entre 08 e 10 anos, indicando que houve uma correlação entre a idade e o grau de maturação
das vértebras. Houve uma correlação estatisticamente significante, analisada pelos testes do QuiQuadrado, de Kruskal-Wallis e o Coeficiente de Correlação por Postos de Spearman, em nível de
significância estabelecido em 0,05, em um teste bilateral, entre a idade e o grau de maturação das
vértebras. Portanto, esta técnica pode ser usada isoladamente ou junto com outras técnicas por
profissionais que queiram fazer diagnósticos e tratamentos eficientes em seus pacientes.
O objetivo do presente trabalho foi comparar o efeito da Acupuntura e do Ibuprofeno sobre a dor inflamatória
induzida pela colocação de separadores ortodônticos. O estudo, do tipo duplo-cego e controlado por Placebo,
contou com 60 pacientes em fase inicial de terapia ortodôntica. Os voluntários foram divididos em três grupos,
conforme o tipo de tratamento realizado, 1 hora antes da inserção dos separadores ortodônticos: 1- Ibuprofeno
(400 mg); 2- Placebo; e 3- Acupuntura (estimulação do ponto Ig4). A avaliação da dor foi verificada por meio da
escala visual analógica, preenchida pelos voluntários 2hs, 6hs, antes de dormir, 24 horas, e 2, 3, 5 e 7 dias após
a instalação dos separadores, para a quantificação da dor espontânea e a induzida durante as atividades de
"morder determinado alimento", mastigar, "fechar a boca e apertar os dentes de trás" e "fechar a boca e apertar
os dentes da frente". O Ibuprofeno e a Acupuntura diminuíram significativamente (p ? 0,05) a dor espontânea
em comparação ao grupo controle 7 dias após a instalação dos separadores ortodônticos. O Ibuprofeno, em
comparação à Acupuntura, reduziu de forma significativa (p ? 0,05) a dor ao "morder determinado alimento" 2
horas após a instalação dos separadores. Seis horas após a inserção dos mesmos, tanto durante os atos de
"mastigar" como o de "fechar a boca e apertar os dentes de trás", o ibuprofeno reduziu significativamente (p ?
0,05) os níveis de dor em comparação ao controle, mas não em comparação à Acupuntura (p > 0,05), a qual
também não diferiu estatisticamente (p > 0,05) do grupo controle. Conclui-se que o Ibuprofeno (400 mg, 1 hora
antes) é mais eficaz do que a Acupuntura na redução da dor induzida pela instalação de separadores
ortodônticos.
D103
INSTALAÇÃO DE MINIIMPLANTE ORTODÔNTICO COM A
UTILIZAÇÃO DE MICRO OSTEÓTOMO
D104
PREVALÊNCIA DA DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR EM
PACIENTES TRATADOS ORTODONTICAMENTE EM BRUSQUE :
SC, BRASIL
Priscila Martins Duarte
Marcelo Henrique Napimoga
Periodontia
Rafael Diogo Pereira
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
A utilização de miniimplantes atualmente representa uma técnica amplamente utilizada para
otimização do tratamento ortodôntico. Com o intuito de simplificar a instalação destes dispositivos foi
desenvolvida uma nova técnica com a utilização de micro osteótomo, que diferente da técnica
convencional não remove o osso da região e sim o compacta, semelhante a técnica de Summers
modificada do implante. Esta técnica também facilita a escolha do miniimplante, pois o micro
osteótomo permite a definição da espessura da mucosa, do diâmetro e do comprimento do dispositivo
a ser instalado. Este trabalho tem como objetivo descrever essa nova abordagem cirúrgica e
enumerar suas principais vantagens quando comparado com a técnica convencional. Foi realizado
um estudo no qual foram instalados 53 miniimplantes em 29 pacientes de diversas marcas,
diâmetros, comprimentos e superfícies. Os dispositivos foram instalados com microosteótomo de 1
mm de diâmetro a martelo. Este permite a identificação do osso, diâmetro, comprimento e
transmucoso do miniimplante. Apenas dois dos dispositivos instalados foram perdidos (3,7%) sendo
que um foi perdido devido a contato com lesão periapical. Foi possível verificar com facilidade a
bicorticalização na grande maioria dos dispositivos, o que é uma explicação para o alto índice de
sucesso. A técnica proposta mostrou-se eficaz, garantindo a estabilidade primária de quase todos os
implantes instalados e a realização do movimento ortodôntico proposto com sucesso.
As desordens temporomandibulares tem sido alvo de estudo e preocupação por grande parte dos
cirurgiões dentistas, especialmente os ortodontistas em sua clínica diária. Tal interesse se deve ao
fato da prevalência de tais situações ser relativamente frequente e afetar de forma direta o
prognóstico e o plano de qualquer tratamento. Este trabalho teve como meta estudar a prevalência
da Disfunção Temporomandibular em 60 pacientes de ambos os gêneros cujo tratamento ortodôntico
já havia sido concluído em uma clinica odontológica particular de Brusque - SC. Os pacientes foram
avaliados por meio do questionário Critérios de Diagnóstico Para Pesquisa das Desordens
Temporomandibulares (RDC/DTM) e examinados clinicamente segundo o Índice de Fricton. Utilizouse também o aparelho de Ultrasson Dopller Vascular DV 610 para verificar os sons articulares
durante o exame clínico, e após os dados coletados foi realizada análise estatística descritiva
utilizando os testes t de student, teste F e qui-quadrado ou Exato de Fischer, onde se encontrou uma
porcentagem de Disfunção Temporomandibular de 23%, não havendo diferença estatística
significativa entre os gêneros. Sons articulares e o hábito de apertamento ou ranger de dentes
mostraram-se mais frenquentes em pacientes com Disfunção Temporomandibular. Concluiu-se que
o tratamento ortodôntico não aumenta o risco dos pacientes desenvolverem Disfunção
Temporomandibular, e tanto o RDC/TMD quanto o índice de Fricton são confiáveis e devem ser
utilizados conjuntamente para diagnosticar DTM.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 15-15
15
•
D105
MESTRADO •
AVALIAÇÃO IN VITRO DA DISCREPÂNCIA NA FORÇA DE TORQUE DE
APERTO E TORQUE DE AFROUXAMENTO EM PARAFUSOS DE FIXAÇÃO
DE PILARES INTERMEDIÁRIOS EM IMPLANTES, E DE PRÓTESES EM
PILARES INTERMEDIÁRIOS
D106
CORRELAÇÃO DOS DIAGNÓSTICOS OBTIDOS PELO ÍNDICE DE
HELKIMO E RDC/TMD EM PACIENTES COM DTM
Roger Kirschner
Cecília Pedroso Turssi
Prótese Dentária
Vanina Melo Duarte
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
A ideia inicial do Professor Branemark ao desenvolver implantes denominados osseointegrados e sobre estes uma prótese implanto
suportada, conhecida como Protocolo Branemark, foi oferecer aos pacientes que se apresentavam com grandes reabsorções ósseas
mandibulares, o que impossibilitava a confecção de uma adequada prótese total, uma mastigação mais eficiente e uma melhor qualidade
de vida. Este tipo de prótese fixa e parafusada sobre intermediário e estes sobre os implantes tornou-se uma excelente opção de
tratamento para esses pacientes com grandes perdas ósseas maxilares, a quem Branemark chamava de mutilados dentais. A grande
vantagem deste tipo de prótese é sua reversibilidade. Pelo fato de ser parafusada pode ser removida e recolocada quantas vezes forem
necessárias para higiene e fisioterapia oral. O controle da saúde gengival, a manutenção dos componentes protéticos e possíveis
reparos na parte acrílica podem ser facilmente controlados e feitos pela facilidade de sua remoção. O objetivo deste estudo foi analisar a
influência da aplicação de lubrificante líquido para comparação entre torque dos parafusos com e sem lubrificação. Foi feita a avaliação
do torque de afrouxamento do parafuso do pilar intermediário utilizando-se 20 intermediários e parafusos (Miscroscone; Serson Implant,
São Paulo) separados aleatoriamente em quatro grupos, em função da aplicação do lubrificante e retorque (n=5). Dois grupos foram
lubrificados e dois não. Para a avaliação do torque de afrouxamento do parafuso protético foram utilizados 10 cilindros em titânio (Ti), e
outros 10 em cobalto-cromo (CoCr), e seus respectivos parafusos (Serson Implant, São Paulo), separados aleatoriamente em quatro
grupos, em função da aplicação do lubrificante e do material do cilindro (n=5). Dois grupos receberam lubrificação e dois grupos não
receberam. Todos os procedimentos de lubrificação foram submetidos à análise de variância ANOVA e o efeito dos repetidos apertos, os
valores de torque de afrouxamento, independente da utilização de lubrificante ou do material do cilindro, foram submetidos ao teste de
Kruskal-Wallis seguido do teste de Tukey (? = 0,05). Os resultados encontrados mostraram que a aplicação do lubrificante não diminui
significantemente a perda do torque aplicado para o parafuso do intermediário. Para todos os grupos estudados, independente do
parafuso analisado (do intermediário ou protético), o torque necessário para remover os parafusos foi menor que o torque usado para o
aperto inicial. O uso de lubrificantes teve alteração significativa em torque somente nos parafusos protéticos, e não nos componentes
intermediários.
O presente trabalho teve como objetivo correlacionar os diagnósticos obtidos pela
aplicação do Índice de Helkimo e do Research Diagnostic Criteria (RDC/TMD) em
pacientes com sinais e sintomas de DTM (desordem temporomandibular). A
amostra utilizada foi composta de 45 indivíduos que procuraram o CPO São
Leopoldo Mandic com queixa de DTM e dor orofacial. Foram aplicados o RDC/TMD
eixo I e o Índice de Helkimo no mesmo paciente, seguindo os protocolos de
aplicação de ambos. Os resultados mostraram que o subtipo desordens musculares
do RDC/TMD apresentou correlação com o Índice anamnésico e o Índice de
disfunção de Helkimo. Não houve correlação entre o deslocamento do disco e as
desordens articulares com o Índice anamnésico e o Índice de disfunção.
D107
TRATAMENTO DE RECESSÕES GENGIVAIS MÚLTIPLAS USANDO O
RETALHO COLOCADO CORONAL MODIFICADO E ENXERTO DE TECIDO
CONJUNTIVO ASSOCIADO OU NÃO ÀS PROTEÍNAS DERIVADAS DA
MATRIZ DO ESMALTE
AVALIAÇÃO DOS ÂNGULOS SELA, ARTICULAR E GONÍACO
UTILIZANDO O PLANO DE REFERÊNCIA BASEADO EM
CENTRÓIDE EM PACIENTES PADRÃO I, FACE CURTA E FACE
LONGA
Loana Pinto Rondinelli
Roberta Tarkany Basting Höfling
Ortodontia
Vivian Bettina Missner
Marcelo Henrique Napimoga
Periodontia
As técnicas de recobrimento radicular melhoraram muito ao longo das décadas, porém, a obtenção de recobrimento
completo (100%) ainda não é previsível. O objetivo deste trabalho foi avaliar o benefício das proteínas derivadas da
matriz do esmalte (PDME) no recobrimento radicular de recessões gengivais múltiplas adjacentes e bilaterais,
empregando a técnica do retalho modificado colocado coronal (RMCC) com o enxerto de tecido conjuntivo
subepitelial (ETCS) associado ou não às PDME, lado Controle e Teste respectivamente. Neste estudo randomizado
prospectivo de boca dividida com seis meses de duração, foram tratados 24 sítios bilaterais e semelhantes (48
recessões). As diferenças das variáveis paramétricas (altura e espessura de tecido queratinizado, recessão gengival,
profundidade de sondagem e nível clínico de inserção), no momento pré-cirúrgico e seis meses após, foram
determinadas pelo teste t-Student considerando o intervalo de confiança de 95% (p < 0,05). Os resultados mostraram
diferenças estatisticamente significantes entre os exames inicial e final (p < 0,01) para os parâmetros espessura
gengival, recessão gengival e nível clínico de inserção para ambos os grupos; e na altura de tecido queratinizado no
grupo teste. A comparação pós-cirúrgica entre os grupos controle e teste mostrou aumento significativamente maior
nos parâmetros espessura gengival e altura de tecido queratinizado, em favor do grupo teste. O recobrimento
radicular completo foi obtido em 70,83% dos sítios do grupo controle, e 87,50% no grupo teste. O percentual médio de
recobrimento foi de 90,3 + 16,8% e 94,4 + 15,3%, respectivamente no grupo controle e teste. As proteínas derivadas
da matriz do esmalte não proporcionaram aumento na quantidade de recobrimento radicular, mas favoreceram o
aumento das dimensões gengivais (altura e espessura gengival).
D109
D069
D108
ESTUDO COMPARATIVO DAS MEDIDAS LINEAR E RADIAL
ENTRE TROQUÉIS OBTIDOS POR MOLDAGEM PELA TÉCNICA
DO CASQUETE COM POLIÉTER E DA DUPLA MOLDAGEM COM
SILICONE DE ADIÇÃO
O centróide é o princípio básico de orientação para avaliar, cefalomorficamente e
cefalometricamente as discrepâncias esqueléticas. A proposta deste trabalho foi avaliar os
ângulos sela, articular e goníaco utilizando a Horizontal de Referência (HOR-REFE linha
baseada em Centróide) nos gêneros masculino e feminino em pacientes com discrepâncias
esqueléticas verticais (face curta ou face longa) ou que apresentam normalidade esquelética
(padrão). Neste estudo foram analisadas telerradiografias em norma lateral de 211 indivíduos
(idades entre 18 a 30 anos) divididos em 3 grupos, Padrão I, Face Longa e Face Curta. Os
dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey. Para o ângulo sela
houve diferença estatística entre os padrões faciais e gêneros. Sendo a face longa diferente
da curta, a qual não diferiu do grupo controle. Para o ângulo articular, não houve diferença
significativa entre os gêneros e entre os padrões faciais. Para o ângulo goníaco, os valores
não foram significativos na comparação dos gêneros, mas houve significância entre os
padrões faciais em que os voluntários de face curta apresentaram menor média de ângulo
goníaco e os de face longa apresentaram os maiores valores.
D110
NOVO FORMATO DE ELÁSTICO ORTODÔNTICO
Rui Hiroshi Murakami
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Sílvio Kazutoshi Gunzi
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
As restaurações fixas são rotineiramente fabricadas sobre um modelo de gesso, obtido a partir do molde de um dente
preparado. A precisão na adaptação destas é influenciada, entre outros fatores, diretamente pelas propriedades dos
materiais de moldagem e técnica empregada. O objetivo deste trabalho foi avaliar a fidelidade dimensional (linear e
radial) de troquéis de gesso obtidos a partir de moldes, utilizando-se duas diferentes técnicas de moldagem (com
casquete e dupla moldagem). Os troquéis foram obtidos a partir de moldes de dois elastômeros: silicone de adiçãoElite HD+ - Zhermack (pesado/leve) pela técnica da dupla moldagem com alívio de 1 mm e o poliéter- Impregum (3M)
pela técnica do casquete. Um modelo mestre metálico foi confeccionado contendo dois análogos Munhão Universal
4,5x6 Cone Morse da marca Neodent simulando dois dentes preparados (45 e 47), no qual se obteve vinte modelos,
onde dez foram moldados com o silicone de adição e dez com o poliéter. Os modelos foram mensurados linearmente
em um projetor de perfil (PJ - H30 da marca Mitutoyo) e radialmente em um microscópio Óptico de Medição com
processador de dados eletrônicos (Toolmakers Microscope - TM 500 da marca Mitutoyo), ambos com precisão
micrométrica. Suas medidas foram comparadas às do modelo mestre. Os resultados obtidos foram submetidos aos
testes estatísticos de Mann-Whitney, ao nível de significância de 5% (0,050). A análise estatística dos valores de
desajuste detectados permitiu concluir que: O grupo do casquete apresentou pouca divergência, quando comparado
ao modelo mestre, já o grupo de dupla moldagem apresentou divergência estatística de 0,229% quando comparado
ao modelo mestre. Quando comparada as duas técnicas entre si (distância radial) ambos os grupos apresentaram
resultados estatísticos significantes, já quando comparada as duas técnicas entre si (distância linear) a variação
encontrada foi estatisticamente não-significante, isto é, os valores de grupo do casquete e o grupo da dupla
moldagem foram estatisticamente semelhantes.
Os elásticos intraorais constituem parte importante no arsenal ortodôntico. Porém, apresentam como
desvantagem a sua degradação em ambiente oral, reduzindo a sua eficiência e aumentando a necessidade
de trocas. Seu uso é relatado há mais de 100 anos, entretanto, pouca evolução foi apresentada nesse
período. O presente trabalho procurou desenvolver um elástico intraoral com formato diferente do tradicional.
Após estudos de zonas de fragilidade em programas de elementos finitos Cosmos Works® (DS SolidWorks
Corp/ EUA) chegou-se a um desenho de elástico composto por dois anéis unidos por uma haste. Para avaliar
sua efetividade, foram feitos ensaios laboratoriais seguindo-se padrões de normas internacionais. Além
disso, foram comparados com elásticos equivalentes em tamanho e força exercida (Morelli®, tamanho 5/16
polegadas, força pesada). Para avaliar a degradação de força, os elásticos foram mantidos em água a 37ºC
por 24 horas, e tiveram sua força medida em dois momentos: inicial e após 24 h. Para avaliar a força
suportada até a ruptura, os elásticos foram estirados até romperem-se e mediu-se a força e tensão máxima,
além da sua deformação. Os novos elásticos apresentaram uma degradação estatisticamente significante (p
? 5%) da força (15,31%) em comparação aos elásticos de fábrica (17,46%). Indicando perder menos força
que os elásticos tradicionais. Os novos elásticos suportaram valores de carga de 3,05 kgf (14,40 MPa) e
deformação de 88,33 mm (1109,63%), significativamente menores (p?0,05) em relação aos da fábrica,
respectivamente, 4,57 kgf (19,30 MPa) e 118,73 mm (1444,49%), entretanto, os elásticos em novo formato
correspondem aos padrões internacionais de elásticos ortodônticos.
D111
ESTUDO DA LIBERAÇÃO DO NÍQUEL NA SALIVA DE
PACIENTES EM TRATAMENTO ORTODÔNTICO ATRAVÉS DA
FLUORESCÊNCIA DE RAIOS-X PELA REFLEXÃO TOTAL
D112
ESTUDO DIMENSIONAL LINEAR E RADIAL EM MOLDES DE
SILICONE POR ADIÇÃO PELA TÉCNICA DE DUPLA
MOLDAGEM, COM DOIS TIPOS DE ALÍVIO
Marcel Fiod
Rui Barbosa de Brito Junior
Ortodontia
Marcelo Viana Gonçalves
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
A biodegradação dos materiais empregados na Odontologia é pesquisada há muito tempo, porém, a
liberação de íons metálicos e seus efeitos metabólicos são ainda desconhecidos. Na Ortodontia o
níquel está presente nos fios, bandas e na grande maioria dos braquetes metálicos. Através da coleta
e análise salivar, esta pesquisa teve por objetivo comparar a concentração de íons de níquel liberada
de aparelhos instalados, considerando o tempo de tratamento. Foram adotados três grupos de
pacientes: o primeiro grupo reuniu 49 pacientes que não realizaram tratamento ortodôntico fixo
(grupo controle); 46 pacientes que estavam em tratamento há menos de doze meses e 28 pacientes
que estavam sob tratamento há 12 meses ou mais constituem o segundo e o terceiro grupo de estudo,
respectivamente. Todas as amostras coletadas foram preparadas em triplicata, submetidas a
radiação através da Luz Síncrotron e os resultados foram comparados através do programa de
análise estatística por meio da internet (SESTANET). Em todos os grupos a presença do níquel foi
detectada, porém, os resultados demonstram semelhança entre o segundo e o terceiro grupo. O
grupo de pacientes em tratamento há menos de 12 meses apresentou uma concentração de níquel
mais elevada. A liberação deste metal ocorre com mais intensidade em pacientes em tratamento há
menos de um ano.
O presente trabalho tem por objetivo avaliar longitudinalmente a estabilidade dimensional de um silicone de reação por adição e também
realizar uma comparação entre dois tipos de alívio utilizados na técnica da dupla moldagem. O silicone utilizado para realizar as 20
impressões foi o FLEXITIME (Heraeus Kulzer), sendo que em 10 destes moldes foi utilizado o alívio com um filme de PVC (técnica A), e
nos outros 10 moldes o alívio foi realizado utilizando uma prótese parcial fixa provisória confeccionada em resina acrílica
autopolimerizável (técnica B). Foi usado um modelo mestre em metal (níquel-cromo), simulando uma hemi-arcada inferior com ausência
do elemento 45. Nas regiões dos 44 e 46 foram fixados dois análogos de implantes Hexágono externo 3.75 e sobre estes, dois
intermediários do tipo Tilite-adapt (Neodent), e então nesta região foi confeccionada uma prótese parcial fixa provisória. Foram
adaptadas 20 moldeiras pré-fabricadas sobre o modelo mestre e estas foram fixadas a um Verticulador Bio-Art, para que todos os
moldes pudessem ser realizados. Os moldes obtidos foram avaliados nos tempos de: 1 hora, 3 horas, 5 horas, 7 horas,12 horas, 24
horas, 3 dias, 5 dias, 7 dias, 10 dias e 14 dias após a moldagem, com auxílio de Projetor de Perfil - Mitutoyo modelo PJ A3000 com
aumento de 10X. Os resultados foram submetidos à análise estatística, utilizando-se o método de amostragem simples ao acaso, ao
nível de 5% de probabilidade e um desvio de 10% em torno da média amostral. Os resultados mostraram que todas as amostras foram
representativas de uma população infinita e também revelaram que todos os moldes tiveram variações das medidas quando as técnicas
foram comparadas entre si, e também quando cada uma delas foi comparada com o modelo mestre, mas no entanto, essas diferenças
não foram estatisticamente significantes. As conclusões obtidas com este trabalho foram: 1) o material de moldagem mostrou uma
excelente estabilidade dimensional, desde a primeira hora até o décimo quarto dia após a moldagem; 2) os resultados mostraram que
houve variação em todos moldes, entre eles e também quando comparados ao modelo mestre. No entanto, essas alterações quando
submetidas a análise estatística não apresentaram diferenças estatisticamente significativas; 3) não houve diferença estatisticamente
significativa entre as duas formas de alívio na técnica da dupla moldagem.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 16-16
16
• MESTRADO •
D113
AVALIAÇÃO DE SEPTOS EM SEIOS MAXILARES DE PACIENTES
DENTADOS E DESDENTADOS POR TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA DE FEIXE CÔNICO
D114
A PREVALÊNCIA DE SINAIS E SINTOMAS DE DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR EM IDOSOS INSERIDOS EM
INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA (ASILOS) NO
MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB
Maíra Fanha Souto
Andresa Borges Soares
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Maria Goretti Temoteo Delgado
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Os septos antrais em humanos são finas paredes de osso dentro dos seios paranasais e, de acordo com as teorias de
formação dos mesmos, constituem malformações parcialmente congênitas e parcialmente adquiridas. Com o aumento da
utilização de próteses implante-suportadas, a cirurgia de levantamento de seio maxilar vem se tornando o tratamento de
eleição nos casos de pacientes com osso insuficiente abaixo do seio maxilar. Este trabalho teve como proposição avaliar
por tomografia de feixe cônico a presença, prevalência, localização, altura e morfologia dos septos ósseos em seios
maxilares de pacientes dentados, parcial e totalmente edêntulos numa população pertinente à cidade do Natal - RN, Brasil,
e relacionar ao tipo de dentulismo, gênero e idade dos individuos. Foram selecionadas 500 tomografias computadorizadas
onde a maxila estava compreendida como região de interesse. Após a triagem destes foram selecionados 443
tomografias, que constituiram a amostra do trabalho. A princípio foram avaliadas pela presença e ausência de septos nos
seios maxilares. Posteriormente, os pacientes que apresentaram septos no seio maxilar foram selecionados para uma
análise mais detalhada acerca da localização, morfologia, altura e comprimento. Empregou-se o teste de Qui-quadrado
(?2), ao nível de significância de 5%, para verificar a existência de associação entre gênero, faixa etária e tipo de
edentulismo e a presença de septos nos seios maxilares, e a análises de variância a um critério e testes de Tukey para
verificar o efeito do tipo de edentulismo nas variáveis dependentes altura e comprimento. Os resultados mostraram que a
prevalência de septos nos pacientes selecionados foi de 50,1%, sem haver diferença significativa entre os gêneros. A faixa
etária de maior prevalência de septos foi de 49-68 anos. Dos pacientes que apresentaram septos, 69,8% eram
parcialmente dentados. A localização mais freqüente foi a medial, e a orientação, a transversal. A morfologia não
apresentou diferença significativa. A altura média encontrada foi de 7,29 mm, e o comprimento médio, 9,33 mm. Concluiuse que a freqüência de septos ósseos em seios maxilares é significativa, e isso seria um fator interferente no trans-cirúrgico
de enxertias ósseas e colocação de implantes.
A falta de programas especiais para esta camada populacional e o aumento da média de vida
entre países desenvolvidos leva a necessidade de atenção por parte dos profissionais de saúde
desta área. O objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência de sinais e sintomas de disfunção
temporomandibular em idosos inseridos em instituições de longa permanência no município de
João Pessoa. Foi desenvolvido um estudo epidemiológico transversal observacional descritivo,
utilizando-se como método de triagem o questionário da Academia Européia de Dor
Crâniomandibular e em seguida o critério de diagnóstico para pesquisa RDC/DTM eixo I. A
amostra constou de 160 idosos sendo selecionados 52 para aplicação do RDC/DTM eixo I. Os
resultados obtidos foram: a) o subtipo de DTM mais prevalente foi dor miofascial 68% das queixas
relatadas; b) o sintoma mais prevalente foi cefaléia com 14% do gênero feminino e 7% do
masculino; c) as regiões mais dolorosas á palpação foram o temporal anterior 57% e masseter
inferior 40%; d) a presença de hábitos parafuncionais nos idosos foi de 15%. E doze por cento
apresentaram bruxismo; e) padrão de abertura irregular foi o mais prevalente correspondendo
52%. Quanto aos sons articulares foi observado a presença em 37% do idosos. Conclui-se que a
prevalência de sinais e sintomas de DTM na população estudada é relevante sendo que a dor
miofascial foi mais prevalente.
D115
PREVALÊNCIA DOS ERROS COMETIDOS POR ALUNOS DE
GRADUAÇÃO NA OBTENÇÃO DE RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS
PELA TÉCNICA DA BISSETRIZ
A INFLUÊNCIA DO PREPARO INICIAL NOS PARÂMETROS
CLÍNICOS PERIODONTAIS
Martha Helena Engster Drebes
Marcelo Henrique Napimoga
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Marlene Cabral Coimbra da Cruz
Fabrício Passador Santos
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Baseado na importância dos exames periapicais em Odontologia, o objetivo deste estudo foi avaliar os erros de
técnica radiográfica da bissetriz e de processamento radiográfico realizadas pelos alunos de graduação.
Foram avaliados 73 exames periapicais completos (boca toda) pela técnica da bissetriz e o processamento
radiográfico manual temperatura/tempo. As radiografias foram avaliadas por dois examinadores que
realizaram três avaliações cada e os resultados foram tabulados com base na média das seis avaliações, com
a finalidade de minimizar as variações intra e interexaminadores. Foi aplicado o teste estatístico para
proporções para avaliar a concordância intraexaminadores, onde houve diferença significativa, ao nível de 5%
(valor p?0.05) para nove escores dos 21 escores avaliados do primeiro examinador, e para quatro escores do
segundo examinador. Já na análise interexaminadores houve diferença significativa (p?0,05) apenas para dois
escores. Os resultados indicaram que 81% das radiografias apresentaram um ou mais erros de técnica e/ou
processamento. Destes, 70,2% foram erros de técnica e 29,8% erros de processamento. Os erros de técnica
mais frequentes foram alongamento da imagem (18,9%) e centralização do feixe (11,3%), e os de
processamento foram alta densidade (8,4%) e manchas marrons (8%). De acordo com este estudo, concluiuse o número de erros pelos alunos da graduação foi elevado, sendo que a maioria deles ocorreu em função da
dificuldade da execução da técnica (70,2%), tendo sido o erro de alongamento de imagem o mais prevalente,
com 18,9% dos erros cometidos.
D117
D116
AVALIAÇÃO DO AUMENTO DA ESTABILIDADE PRIMÁRIA NA
INSTALAÇÃO DE IMPLANTES DENTÁRIOS COM VARIAÇÃO DA
INSTRUMENTAÇÃO POR MEIO DO TORQUE DE INSERÇÃO E
ANÁLISE DE FREQÜÊNCIA DE RESSONÂNCIA
A doença periodontal é uma infecção multifatorial, causada por micro-organismos que colonizam
a superfície dentária supra e subgengivalmente causando destruição dos tecidos de inserção e
proteção do dente. O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência do preparo inicial,
constituído de raspagem e alisamento coronoradicular com o uso de ultrassom seguido de
instrumentação manual, baseado na técnica do "full-mouth-disinfection", sem a utilização de
agente irrigador local além da água do ultrassom, sobre os parâmetros periodontais (profundidade
de sondagem, nível clínico de inserção e posição da margem gengival). Os exames foram
realizados imediatamente antes do preparo inicial e 30 dias após. Os sítios foram divididos
segundo a profundidade de sondagem inicial (rasas: PS ? 3 mm; moderadas; 4 mm ? PS ? 5 mm; e
profundas: PS ? 6 mm. O preparo inicial influenciou todos os parâmetros periodontais avaliados (p
? 0,001). Concluímos que o preparo inicial tem impacto positivo na obtenção e avaliação dos
parâmetros periodontais.
D118
PREVALÊNCIA DE SINAIS E SINTOMAS DE DTM EM CRIANÇAS
E ADOLESCENTES
Maurício Makoto Koga
Thomaz Wassall
Implantodontia
Nilo Sérgio Gaertner Zorzetto
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
A descoberta da osseointegração determinou um marco como terapia reabilitadora na Odontologia, possibilitando
tratamentos previsíveis. O objetivo deste estudo foi de avaliar uma técnica alternativa de instalação de implantes, que
proporcionasse uma melhor estabilidade primária. Foram selecionadas seis costelas suínas frescas para a instalação
de 60 implantes cilíndricos usinados divididos em três grupos. Anteriormente a instalação dos implantes foi realizada a
medição da densidade óssea em unidade de Hounsfield com tomografia computadorizada convencional. Os valores
de densidade óssea foram medidas na posição dos implantes e foram correlacionados ao torque de inserção e a
análise de freqüência de ressonância. No grupo controle foi utilizada a técnica de instalação onde a última broca
utilizada foi a de 3.0 mm preconizada pelo fabricante, enquanto que no grupo 2 e 3 foi utilizada uma técnica alternativa
da sub-instrumentação e super-instrumentação onde a última broca utilizada no preparo do leito cirúrgico foram
2.8mm e 3.15mm respectivamente. Foram registrados os valores de torque de inserção máxima no momento da
instalação dos implantes bem como, os valores da freqüência de ressonância foi medido como quociente de
estabilidade implantar (ISQ). Foi registrado um aumento do torque de inserção de 63,1219% quando se utilizou a
broca 2.8 mm como broca final e se obteve um torque negativo do torque de inserção na marca de -4.071% quando se
utilizou a broca 3.15 mm como broca final, quando comparado ao grupo controle. Foi verificada uma correlação entre
estabilidade primária obtida através da média do torque de inserção do implante e o diâmetro de preparo do leito
receptor do implante com a utilização do implante cilíndrico. Estes resultados indicam que utilizando esta técnica de
preparo alternativo da sub-instrumentação, o cirurgião pode atingir valores de torque de inserção mais elevados
mesmo em osso de baixa densidade, possibilitando uma melhor estabilidade primária, adequada para a técnica da
carga imediata.
O objetivo deste estudo transversal foi investigar a prevalência de sinais e sintomas de Disfunção
Temporomandibular (DTM) em crianças e adolescentes e também sua associação com as diferenças
ao que se infere à idade, gênero e tipo de oclusão dental segundo a classificação de Angle. A amostra
aleatória consistiu de 253 indivíduos, alunos de duas escolas públicas da cidade de União da VitóriaParaná, de ambos os gêneros, divididos em dois grupos de acordo com a faixa etária: grupo I com
idade entre 6 a 11 anos (n = 154); e grupo II com idade entre 12 a 18 anos (n = 99). Os sintomas foram
avaliados pela aplicação de um questionário derivado da Academia Americana de Dor Orofacial
contendo oito questões com respostas "sim" ou "não", e os sinais foram avaliados por meio de exame
clínico, observando-se a amplitude, presença de desvio, dificuldade e sons durante os movimentos
mandibulares. Foi detectado que 12,5% da amostra apresentava sinais (som articular) e 52%
sintomas (respostas afirmativas ao questionário). Não houve diferença na prevalência de sinais e
sintomas entre os grupos I e II. Este estudo não apresentou diferenças estatisticamente significativas
na prevalência de sinais e sintomas de DTM em relação à idade, gênero e tipo de oclusão segundo a
classificação de Angle.
D119
LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE EDENTULISMO NA
POPULAÇÃO IDOSA DA ZONA RURAL DE SANTA LUZ,
TERESINA - PIAUÍ
D120
AVALIAÇÃO DO EFEITO DO TRATAMENTO CONSERVADOR EM
RELAÇÃO À MENSURAÇÃO DA ABERTURA DE BOCA EM
PACIENTES COM DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
MUSCULAR
Júlio Medeiros Barros Fortes
Thomaz Wassall
Implantodontia
Karina Luciana da Cunha Melo
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
A perda de dentes relaciona-se com a precariedade da saúde bucal, traumatismos, doenças como
a cárie e a doença periodontal dentre outros fatores. Uma maneira de promover uma mudança
nessa situação em idosos é por meio de um levantamento epidemiológico, a fim de conhecer a
situação de cada região para que com isso haja um melhor direcionamento nas medidas de
promoção de saúde. O objetivo deste estudo foi fazer um levantamento epidemiológico de
edentulismo na população de idosa (a partir de 60 anos de idade) da Zona Rural de Santa Luz em
Teresina no estado do Piauí. Foram entrevistados e avaliados clinicamente 100 indivíduos (74
homens e 26 mulheres), neste estudo o questionário possuía 11 questões fechadas de múltipla
escolha. Os resultados mostraram que 90% da amostra era desdentada; 93% faziam a higiene
bucal somente com água; 77% não fazia uso de nenhum tipo de prótese; 63% eram aposentados;
77% eram analfabetos; 60% eram edêntulos a mais de 10 anos, 14% a mais de 20 anos e 26% há
mais de 5 anos; 47% fizeram a última visita ao cirurgião-dentista há mais de 10 anos, 32% a mais
de 5 anos e 21% há menos de 5 anos. Concluiu-se que 90% dos idosos pesquisados eram
desdentados com uma taxa de analfabetismo de 77% e não utilizava, qualquer tipo de prótese
dentária.
A redução da amplitude da abertura bucal é quase sempre considerada um sinal de Disfunção Temporomandibular
(DTM). No entanto, a amplitude da abertura de boca em pacientes com DTM muscular e as variações da normalidade
em indivíduos saudáveis se sobrepõem. Por isso, é impossível utilizar medidas padronizadas únicas, ou diferenças
de abertura entre indivíduos como indicadores de saúde do "sistema da mastigação". Os objetivos deste estudo
foram avaliar a variação da mensuração da amplitude de abertura de boca antes e após o tratamento conservador em
pacientes com DTM muscular classificados de acordo com o RDC/TMD e avaliar a eficácia do tratamento
conservador em pacientes com DTM muscular em relação ao restabelecimento da abertura de boca a um padrão de
normalidade. Foram selecionadas consecutivamente 127 fichas de pacientes diagnosticados com DTM muscular de
acordo com o RDC/TMD e os pacientes foram divididos em três grupos: Ia1) grupo de pacientes com valores de
abertura de boca considerados normais; Ia2) grupo de pacientes com valores de abertura de boca caracterizando
hipermobilidade; Ib) grupo de pacientes com limitação de abertura de boca. Foi feita a avaliação das mensurações de
abertura máxima confortável de boca tomadas antes e após o tratamento conservador. Estas medidas foram
anotadas em ficha própria, tabuladas e comparadas estatisticamente por meio do teste ANOVA two-way seguido do
teste de múltiplas comparações de Turkey. Observou-se diferença significativa entre os grupos quanto a amplitude
de abertura de boca antes e após o tratamento para DTM (p< 0,05). Concluiu-se que houve diferença significativa na
mensuração da amplitude de abertura de boca dos pacientes com DTM muscular após o tratamento conservador e
que o tratamento instituído neste grupo foi eficaz quanto ao restabelecimento da amplitude de abertura de boca a um
padrão de normalidade.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 17-17
17
• MESTRADO •
D121
AVALIAÇÃO DE DIFERENTES MATERIAIS E TÉCNICAS DE
MOLDAGEM NA PRECISÃO DE ADAPTAÇÃO EM IMPLANTES
INCLINADOS
D122
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE CORTISOL SALIVAR E ANSIEDADE
DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE IMPLANTE
DENTÁRIO
Lisliane Nara Rossi Leandro
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
André Dionísio de Oliveira Nobre
Juliana Cama Ramacciato
CTBMF - Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial
O objetivo do presente estudo foi avaliar a desadaptação vertical da interface entre intermediários
tipo micro-unit e supraestrutura protética por microscopia óptica (aumento de 100x), a partir da
utilização de diferentes materiais e técnicas de moldagem. A partir de um modelo mestre com três
implantes dispostos linearmente, sendo um instalado reto e dois inclinados com 15º de angulação
a partir do central, foi confeccionada uma barra mestre, que serviu de método de análise de
desadaptação e como situação controle. Foram avaliados quatro grupos (n=5) variando o material
de moldagem (silicone de adição ou por condensação) e a técnica de moldagem (moldeira aberta
e fechada). Os dados foram obtidos pela mensuração da discrepância vertical da barra mestre
instalada sobre os corpos de prova e analisados pelos testes de Kruskal-Wallis e Mann-Whitney
(p<0,05). Os resultados mostraram que houve diferença significativa entre os grupos e que ambas
as variáveis apresentaram diferenças. Pode-se concluir que o grupo que apresentou melhor
comportamento, porém insignificante em relação aos demais, foi o que utilizou moldeira aberta e
silicone por condensação (CA) e o grupo que apresentou o pior resultado, foi o que utilizou
moldeira fechada e silicone por condensação (CF), pelo fato de as moldagens terem sido
repetidas diversas vezes, pois a barra mestre sequer permitiu um encaixe aos modelos obtidos.
O objetivo deste estudo foi avaliar o cortisol salivar e o grau de ansiedade de pacientes submetidos à cirurgia de
implante. Foram selecionados 40 pacientes com indicação de instalação de 3 implantes dentários na região
posterior da maxila. Antes da cirurgia foi avaliada a ansiedade por meio de questionário e escala de faces
(EAF). As coletas de saliva foram feitas pela manhã, 1h antes da cirurgia e 7 dias após. A concentração de
cortisol salivar foi analisada pelo ensaio ELISA. Os valores de cortisol (pg/ml) foram calculados e os resultados
mostraram que não houve diferença estatisticamente significante (Exato de Fisher p=0,1489) entre gêneros,
com relação a ansiedade relatada (55% tranqüilo, 30% ansioso e 15% muito ansioso) e nem na EAF
(p=0,3818). Observou-se que não houve influência (ANOVA, p=0,9214) do gênero nem do período de
avaliação (p>0,05) nos níveis de cortisol. Os níveis de EAF foram maiores (Kruskal-Wallis p<0,05) para o nível
de ansiedade "muito ansioso". O nível "ansioso", não apresentou diferença estatisticamente significante
(p>0,05), sugerindo que as escalas são confiáveis para indivíduos tranquilos ou muito ansiosos, sendo menos
precisa para níveis intermediários. Não houve diferença estatisticamente significante (ANOVA) entre os níveis
de cortisol nos diferentes níveis da EAF, para o período pré (p=0,3891) e pós-operatório (p=0,3555). A análise
de Spearman (rS) mostrou que não houve correlação entre os níveis de cortisol e EAF, no período pré (rS=0,1327, p=0,4143) e pós-operatório (rS=-0,0025, p=0,9876). Concluímos que a maioria dos pacientes
apresentaram-se tranquilos ou levemente ansiosos e que não houve relação entre o cortisol salivar e a
ansiedade relatada no modelo utilizado neste estudo.
D123
D124
PROPULSOR MANDIBULAR PICCOLI
Alessandro de Souza Costa
Rui Barbosa de Brito Junior
Implantodontia
Cláudio Piccoli
Roberta Tarkany Basting Höfling
Ortodontia
O objetivo deste trabalho é apresentar uma nova alternativa mecânica para os
casos esqueléticos de retrusão mandibular, mantendo-a protuída ao se utilizar o
P.M.P (propulsor Mandibular Piccoli) com maior liberdade de movimentos de
abertura e lateralidade, fácil instalção e sem necessidade de bandar os molares.
D125
NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PACIENTES REABILITADOS COM
O USO DE OVERDENTURE OU PROTOCOLO DE BRÄNEMARK
ESTUDO COMPARATIVO ENTRE MÉTODOS DE HIGIENIZAÇÃO
(QUÍMICO OU MECÂNICO) SOBRE A RUGOSIDADE DE
REEMBASADORES RÍGIDOS E RESINA ACRÍLICA
O propósito deste estudo foi avaliar o nível de satisfação de pacientes que foram reabilitados com
protocolo de Bränemark ou overdenture, visando definir a prótese que melhor se adapta aos diversos
tipos de pacientes, levando em consideração os fatores estéticos e funcionais. A amostra foi constituída
por 78 pacientes voluntários, sendo 52 deles submetidos à reabilitação usando somente o protocolo de
Bränemark e outros 23 somente em overdenture, sendo outros 3 pacientes reabilitados pelos dois
métodos. Estes indivíduos foram escolhidos de forma aleatória, obedecendo a características
específicas como ter reabilitação de pelo menos 6 meses. Foi aplicado um questionário semi-fechado
(misto) de perguntas direcionadas. Alem deste questionário, foi realizado um exame físico onde foram
avaliadas a condição clínica dos implantes e próteses. A avaliação dos parâmetros investigados com o
questionário, considerando-se os tipos de reabilitação foi realizada pelo teste Exato de Fisher, com
nível de significância de 5%. Altos índices de Satisfação foram encontrados para ambos os
tratamentos, incluindo expectativas alcançadas, melhora da auto-estima e autoconfiança. Alta
satisfação com a fonética, mastigação, e baixa sensibilidade dolorosa também foram apuradas
(>80%). Foi apurado que os dois tipos de tratamento desde que bem indicados e bem executados
proporcionam uma adequada forma de reabilitação por implantes osseointegráveis, sendo a
investigação por meio de questionários uma ferramenta importante e eficiente na verificação da
satisfação do paciente frente ao tratamento recebido.
D126
AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA DE CIRURGIAS PARA
COLOCAÇÃO DE IMPLANTES
Danielle Araújo Vilas Boas
Roberta Tarkany Basting Höfling
Prótese Dentária
Débora Marândola
Fabiana Mantovani Gomes França
Implantodontia
O objetivo neste estudo foi avaliar o efeito de três métodos de higienização de próteses (escovação mecânica, imersão em
solução de hipoclorito de sódio 0,5 % e imersão em solução de peróxido alcalino) sobre a rugosidade superficial de uma
resina acrílica convencional termo-polimerizável (Clássico) e dois reembasadores rígidos auto-polimerizáveis (Kooliner e
New Truliner). Foram confeccionadas 90 amostras (30 para cada material) separadas em grupos (n=10). Todas as
amostras receberam acabamento e polimento em politriz, com lixas d'água de granulação nos 200, 400 e 600, escova com
pedra pomes e disco de feltro com branco de espanha. A escovação mecânica foi realizada utilizando dentifrício (Sorriso
Dentes Brancos/ Colgate Palmolive), escova dental (Reach Professional/Johnson & Johnson) com cerdas extra-macias e
carga de 250g num total de 10.000 ciclos de escovação em máquina de escovação (MSEt/Máquina de Simulação de
Escovação, São Carlos, SP-Brasil). A higienização com solução de peróxido alcalino (Efferdent) e hipoclorito de sódio foi
realizada por meio de imersão durante 20 minutos, 8 vezes ao dia, totalizando 360 ciclos. As aferições da rugosidade
superficial foram realizadas antes e após os procedimentos de higienização, utilizando rugosímetro (Surfcorder SE 1700).
Os resultados obtidos foram submetidos à análise estatística utilizando os testes Kruskal-Wallis e Dunn para comparar
diferenças entre os materiais no mesmo período e submetidos ao mesmo método de higienização; e para comparar os
métodos de higienização dentro de cada material e intervalo de tempo (p<0,05). O teste Wilcoxon foi utilizado para
comparação dos resultados nos diferentes tempos de avaliação e método de higienização (p<0,05). Os resultados
mostraram que a resina acrílica apresentou menores valores de rugosidade superficial antes e após a higienização que os
reembasadores, e que não houve diferença entre os métodos de higienização. Ambos reembasadores apresentaram
maior rugosidade superficial quando submetidos à imersão em hipoclorito de sódio, e menor rugosidade quando
submetidos à escovação mecânica (p<0,05). O reembasador New Truliner demonstrou maior rugosidade quando imerso
em hipoclorito de sódio que o Kooliner.
O objetivo desta pesquisa foi fazer um levantamento dos relatórios cirúrgicos de cirurgias de implante visando relatar
os tipos de anestésicos e medicamentos utilizados e as intercorrências ocorridas. Foram analisados 140 relatórios
cirúrgicos de pacientes operados nos cursos de especialização e mestrado de Implantodontia na São Leopoldo
Mandic num período de 5 anos. Os critérios avaliados foram gênero, idade, área operada, tipo e quantidade de
anestésico, medicação pré, trans e pós-operatória, enxertia, levantamento de seio e intercorrências relatadas. A
análise estatística descritiva evidenciou a presença de associação da quantidade de anestésico com a região
operada e com as cirurgias de levantamento de seio; e associação das intercorrências com a realização de enxertia.
Ainda apresentou uma ausência de associação entre proporção de intercorrências e idade, intercorrência e
quantidade de anestésico e intercorrência e região operada. A perfuração da membrana sinusal, seguida da
fenestração de implante e perda de implante com reimplantação foram as intercorrências mais frequentes. Os
resultados desta avaliação retrospectiva mostraram que a Articaína foi o anestésico de escolha, o uso de antibiótico
com antiinflamatório foram as medicações mais frequentes no pré-operatório, assim como a aplicação de antibiótico,
antiinflamatório e analgésico foram as que mais ocorreram no pós-operatório. A maxila foi a região mais operada e o
uso de material autógeno foi três vezes mais frequente que o heterógeno. Essas informações podem contribuir para a
melhoria do protocolo de atendimento aos pacientes operados nos cursos de implante da São Leopoldo Mandic, na
criação de uma forma eficaz do preenchimento e armazenamento das fichas dos pacientes e na criação de um
protocolo de medicação pré e pós-operatória, do sal anestésico mais utilizado e sua respectiva quantidade.
D127
ESTUDO DO EFEITO ANGIOGÊNICO DO LASER DE BAIXA
INTENSIDADE NO TRAUMA ÓSSEO : TRABALHO
EXPERIMENTAL EM RATOS
D128
Estudo comparativo da distribuição de tensões nos implantes
zigomáticos utilizando a técnica de exteriorização em relação ao seio
maxilar e o protocolo original pelo método de elementos finitos
Egmont Azevedo das Chagas
Rui Barbosa de Brito Junior
Implantodontia
Francine Guerra da Cruz
Thomaz Wassall
Implantodontia
O objetivo deste trabalho foi avaliar em ratos o efeito na angiogênese e formação óssea do laser de baixa
potência, através de análise qualitativa. Foram produzidos defeitos ósseos com micro-motor e contra-ângulo
para implantes em tíbias direitas e esquerdas em 25 ratos Wistar. Nas tíbias do lado direito, na região onde foi
produzido o defeito ósseo, foi aplicado laser de baixa intensidade, GaAlAs (Gallium Aluminum Arsenide),
infravermelho de emissão contínua, com comprimento de onda de luz de 780nm, potência de 0,5 mW e 3,8J,
por 30 segundos na forma pontual, com área de feixe na saída das ponteiras padrão reta de 0,5 mm2. A
aplicação ocorreu nos pós operatórios imediatos, em 24, 48 e 72 horas. Nas tíbias do lado esquerdo não foi
realizado nenhum procedimento auxiliar de laserterapia durante os períodos propostos de avaliação (Grupo
Controle). Os animais foram sacrificados nos períodos 24, 72 horas, 7, 14 e 21 dias em grupos de 5 animais
cada. Os fragmentos ósseos correspondentes ao local do defeito ósseo nas tíbias direita e esquerda foram
retirados, desidratados e preparados para inclusão em parafina, sendo posteriormente corados em
hematoxilina-eosina. As lâminas histológicas foram analisadas por um único avaliador previamente calibrado
que atribuiu escores para o crescimento/reparo e vascularização do defeito ósseo. Neste estudo o uso do laser
de baixa potência pós trauma produzido em tíbias de ratos não demonstrou efeito significativo. Em um mesmo
animal, o processo de angiogênese e formação óssea mostrou ser semelhantes independente do tempo. A
formação óssea progrediu com o passar do tempo, enquanto a angiogênese se manteve estável. Através deste
estudo pode-se concluir que a laserterapia não produziu efeitos nem sobre a angiogênese e nem sobre a
neoformação óssea nos defeitos ósseos produzidos em tíbias de ratos, em avaliação qualitativa.
Diversas modificações do protocolo original vêm sendo propostas com o intuito de simplificar o
procedimento cirúrgico de instalação de fixações zigomáticas. A técnica de exteriorização
preconiza que a fixação seja inserida no corpo do zigomático sem passar pelo lado interno do seio
maxilar proporcionando maior ancoragem no osso zigomático. O presente estudo teve como
objetivo comparar a distribuição de tensões ao redor do osso perimplantar na técnica original e
exteriorizada pelo método dos elementos finitos bidimensional e determinar se a diferença de
ancoragem no osso zigomático representa diferente concentração de tensões. O modelo ósseo
foi desenhado considerando-se 10 e 12 mm de inserção no osso zigomático para as técnicas
original e exteriorizada respectivamente. Foi utilizado o implante zigomático da empresa
Neodent® de 45 mm de comprimento e plataforma 4.1 mm sob carregamento oblíquo e axial de
100N. Os resultados mostraram que a maior concentração de tensões do tipo von Mises ocorreu
no modelo da técnica original na região cervical e terço médio da fixação sob carregamento
oblíquo. Comparando-se qualitativamente os dois modelos, o da técnica exteriorizada
apresentou menores picos de tensão na região perimplantar maxilar e do corpo do zigomático.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 18-18
18
• MESTRADO •
D129
LONGEVIDADE DE RESTAURAÇÕES ART EM PACIENTES
PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS
D130
ESTUDO MORFOLÓGICO DAS GLÂNDULAS SALIVARES
HUMANAS EM DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE DA EXPRESSÃO
IMUNOISTOQUÍMICA DA MIOSINA NAS CÉLULAS
MIOEPITELIAIS
Graziella Ninno Bottós Ravazzi
José Carlos Pettorossi Imparato
Odontopediatria
José Antônio de Carvalho Soares
Cristiane Furuse
Patologia Bucal e Estomatologia
O Tratamento Restaurador Atraumático (ART) modificado vem sendo utilizado em larga
escala pela facilidade da técnica e bons resultados. O objetivo do presente trabalho foi
avaliar a longevidade de restaurações realizadas pela técnica do Tratamento Restaurador
Atraumático em pacientes de 15 a 20 anos de idade portadores de Síndrome de Down e
comparar com pacientes não portadores de Síndrome de Down. Foram selecionados dois
grupos de indivíduos: grupo sindrômico e grupo não sindrômico. Foi realizado o preparo e
a restauração do Tratamento Restaurador Atraumático, com Cimento de Ionômero de
Vidro convencional. Três examinadores avaliaram após um ano, de acordo com os
critérios indicados por Frencken & Holmgren (2001) Os dados obtidos foram tabulados e
analisados estatisticamente pelo teste de Kappa e Qui-quadrado. Os resultados
mostraram que a quantidade de sucessos foi maior no grupo não sindrômico (30% de
sucesso), do que no grupo sindrômico (5% de sucesso). Portanto, conclui-se que a técnica
do Tratamento Restaurador Atraumático com Cimento de Ionômero de Vidro convencional
não é indicada para pacientes sindrômicos.
Neste estudo, analisamos a morfogênese e a citodiferenciação das glândulas salivares humanas em
desenvolvimento, em especial da célula mioepitelial pela expressão da miosina. Foram analisadas
glândulas salivares (GS) maiores e menores de 4 fetos em diferentes estágios gestacionais (14, 16, 19 e 24
semanas) por meio de cortes histológicos com coloração de HE e reação imuno-histoquímica para miosina.
Os resultados mostraram que, com 14 semanas, as GS maiores e menores mostraram-se em estágio de
ramificação e canalização e diferenciação mioepitelial pela expressão da miosina foi observada em raras
células externas das estruturas ductiformes. Este resultado foi também observado nas GS maiores de 16
semanas. Já as GS menores mostraram-se em estágio de diferenciação acinar inicial com presença de
células mioepitelias marcadas pela miosina envolvendo as estruturas acinares. As GS menores com 24
semanas apresentaram-se em diferenciação acinar inicial com a mesmo padrão de marcação para miosina
observado no feto de 16 semanas. As GS maiores com 24 semanas apresentaram-se, ainda, em estágio de
ramificação e canalização, porém com maior quantidade de estruturas glandulares e grande quantidade de
células externas de estruturas ductiformes positivas para miosina. Pode-se concluir: 1. que o processo de
morfogênese e citodiferenciação ocorrem concomitantemente no desenvolvimento glandular; 2. que
diferenciação mioepitelial já é observada em glândulas salivares maiores e menores de fetos de 14
semanas e; 3. que as glândulas menores iniciam seu desenvolvimento mais tardiamente e o completa mais
precocemente que as maiores.
D131
AVALIAÇÃO DA DUREZA SUPERFICIAL E DA RESISTÊNCIA
FLEXURAL DE COMPÓSITOS FOTOPOLIMERIZÁVEIS DIRETOS
ASSOCIADO A MÉTODO DE PÓS-CURA
D132
ESTUDO DA RESISTÊNCIA MECÂNICA COMO FATOR
DETERMINANTE NA DIMENSÃO DOS APOIOS OCLUSAIS PARA
DENTES INFERIORES
Jonas Antonio Astolfi
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Gentil Barbieri Zanon Júnior
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
O presente estudo focou as restaurações indiretas confeccionadas com materiais resinosos, e que, portanto, mimetizam os
tecidos dentais adjacentes. As restaurações realizadas pelo método indireto preveem a confecção de restaurações com
melhores contornos anatômicos, melhores propriedades mecânicas, e contração de polimerização restrita camada de cimento.
Para facilitar o acesso e difundir a técnica indireta, a utilização de resinas compostas de uso clínico fotopolimerizadas com
fotopolimerizador clínico associado a uma polimerização adicional em autoclave, ou seja, utilizando equipamentos presentes na
maioria dos consultórios, poderia ser um caminho pleno. Avaliamos a resistência à fratura e a resistência superficial das resinas
compostas clínicas Z-250 (3M-Espe) e Tetric Ceram (Ivoclar Vivadent) com fotopolimerização clínica e com fotopolimerização
acrescida de tratamento adicional em autoclave e como controle utilizamos a resina laboratorial Sinfony (3M-Espe)
polimerizada de acordo com as instruções do fabricante. Para o teste de resistência a fratura foram confeccionadas barras com
dimensões de 25X2X2mm que foram submetidas a uma máquina de ensaios universal até sua fratura. Para o teste de dureza
superficial foram confeccionados corpos de prova circulares que foram expostos a um microdurômetro. Os resultados para o
teste de resistência a fratura foram superiores para as amostras expostas ao tratamento adicional, Tetric Ceram (TC) 156,9Mpa
versus Tetric Ceram Autoclavada (TCA) 165,17Mpa; Z250 189,98Mpa versus Z250 Autoclavada (Z250A) 206,91 e ambas
obtiveram resultado melhor do que a resina laboratorial Sinfony (S) 100,01. No teste de dureza superficial os resultados foram
próximos para os grupos teste em relação às amostras apenas fotopolimerizadas, TC 74,69±3,60 e TCA 73,93±2,39; Z250
86,66±2,54 e Z250A 88,25±3,46; e também neste teste os resultados obtidos pelos compósitos diretos foram superiores aos
encontrados para o material indireto S 28,50±2,32. Baseado nos dados encontrados podemos afirmar que os resultados
encontrados em ambos os testes foram piores para o material indireto e também que a associação de polimerização em
autoclave não produziu resultados diferentes estatisticamente embora tenha melhorado o comportamento de ambas as resinas
diretas no teste de resistência a fratura.
Neste estudo realizou-se uma análise dos fatores predisponentes das falhas nas próteses parciais removíveis
inferiores, ao simular variações na dimensão do apoio oclusal e de seu conector e verificar qual correlação entre
essas duas variáveis poderia alterar a resistência mecânica da prótese como um todo. Duas marcas comerciais
de ligas de Cobalto-Cromo para fundição foram utilizadas e os corpos de prova apresentaram apoios com 0,8 mm
e 1,5 mm de profundidade e conectores com 1 mm e 2 mm de largura. Não houve diferença estatística entre as
marcas comerciais de ligas para a fundição; somente o apoio teve efeito significativo; os corpos de prova com
apoio de 1,5 mm foram mais resistentes, pois necessitaram de aplicação de maior força para ruptura. As cargas
aplicadas aos corpos de provas com apoio de 0,8 mm não diferiram significantemente entre os conectores de 1
mm e de 2 mm e, em ambos, os valores das cargas foram significativamente menores que os aplicados nos
demais corpos de prova. Os corpos de prova apresentaram fratura com um valor mediano de 72,5 Kgf (apoio de
0,8 mm e conectores com 1mm ou 2 mm), o que foi considerado de baixa resistência, o valor médio de 104,4 kgf,
da força necessária para fraturar os corpos de prova, foram considerados como de resistência moderada (apoio
com 1,5 mm e conector com 1 mm), já aqueles corpos de prova que resistiram à fratura até um valor mediano de
178,5 Kgf (apoio com 1,5 mm e conectores com 2 mm) foram considerados de alta resistência.Pode-se concluir
que quanto menor a profundidade do apoio e menor a largura do conector, menor será a carga de força
necessária para produzir a fratura.
D133
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE DOIS SISTEMAS ROTATÓRIOS DE
NITI NA REMOÇÃO DE GUTA PERCHA DURANTE O
RETRATAMENTO ENDODÔNTICO
D134
ANÁLISE DAS TENSÕES EM PRÓTESE PARCIAL FIXA COM
CONEXÃO DENTE-IMPLANTE EM DIFERENTES INCLINAÇÕES
DE IMPLANTE
Guilherme Antônio Monteiro Miguel
Alexandre Sigrist de Martin
Endodontia
Gustavo José de Oliveira Sales da Cruz
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
O retratamento sempre que possível e indicado quando o tratamento endodôntico falha. Uma remoção eficaz e
a recuperação do acesso ao forame apical é a principal meta do retratamento para que possa ocorrer a
sanificação do sistema de canais. Este estudo avaliou a eficácia de dois sistemas rotatórios de NiTi (Sistema
Universal ProTaper Retratamento e Pro Desing ) e técnica manual na remoção de guta-percha durante o
retratamento endodôntico. Foram utilizados 36 caninos inferiores extraídos de humanos que, após serem
limpos, realizou-se a secção da coroa para padronizar o comprimento das raízes em 16 mm, modelagem dos
canais através do uso de instrumentos ProTaper, com preparo apical de diâmetro de uma lima no30, e
obturados pela técnica Híbrida de Tagger com cone de guta-percha e cimento Endometazone. As cavidades de
acesso foram seladas com Cavit sendo os dentes estocados em 100% de umidade por um mês em
temperatura ambiente. As raízes foram acessadas novamente e foram divididas aleatoriamente em 3 grupos
de 12 dentes de acordo com a técnica de retratamento utilizada: G1 - Instrumentos manuais; G2- ProDesing;
G3- Sistema ProTaper U.R.. O retratamento foi considerado completo quando não houve presença de material
obturador aderido aos instrumentos. O tempo de retratamento foi registrado. Os dentes foram seccionados
longitudinalmente e fotografados com o auxílio do Microscópio Operatório. As imagens foram avaliadas e
tiveram as áreas de remanescente de material obturador medidas utilizando o software Image Tool. Todos os
grupos apresentaram remanescente de material obturador não havendo diferença estatísticas entre os grupos
( p = 0,3196 ). O G2 foi mais rápido que o G1 e G3, havendo diferença estatística (p = 0,0417).
Esse trabalho teve como objetivo avaliar as tensões em próteses parciais fixas unindo dente e implante
tendo como variável a análise de diferentes angulações do implante, pelo método dos elementos finitos
bidimensional. Foram confeccionados três modelos virtuais com implantes da empresa Conexão nas
medidas de 3,75 x 11,5 mm, todos com hexágono externo. Os modelos simulavam uma prótese fixa
envolvendo os dentes 34 a 36, sendo o dente 34 representado por um pilar de dente, o dente 35 como
espaço protético e o pilar do dente 36 composto por um implante, o qual sofreu variação em relação à
angulação. Para todos os modelos foram utilizados somente conectores rígidos. Os modelos foram
confeccionados da seguinte forma: (1) IR - modelo com implante reto e mini pilar cônico reto, (2) ID - modelo
com implante inclinado 18º para distal e mini-pilar cônico angulado de 17º, (3) IM - modelo com implante
inclinado 18º para mesial e mini-pilar cônico angulado de 17º. Foi aplicada uma carga de 100 N sobre os
modelos, variando a direção em axial e oblíqua (45º). As tensões obtidas foram analisadas pelo critério de
von Mises. Os resultados mostraram que o implante inclinado para distal, quando da aplicação de carga
oblíqua, apresentou redução das tensões na região do dente e um aumento das tensões no implante, na
cinta do pilar, no parafuso do pilar e na cortical óssea. A redução das tensões no dente se apresentou de
forma significativa, promovendo uma proteção do dente no sistema, o que sugere, apesar das limitações
desse trabalho, uma indicação de utilização de implantes angulados para distal, desde que a tensão
aumentada no implante não se torne problema em relação à perda óssea ou perda de osseintegração.
D135
AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DAS DOENÇAS PERIODONTAIS
EM GESTANTES COM TRABALHO DE PARTO PRÉ-TERMO E A
TERMO
D136
AVALIAÇÃO A LONGO PRAZO DE INDIVÍDUOS TRATADOS COM
PENDULUM DE HILGERS
Heloísa Tacini Carvalho
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Huberdan Scaletti Neto
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
O objetivo deste estudo foi verificar a frequência da DP em gestantes com trabalho
de parto pré-termo. Para isso, 180 gestantes responderam um questionário e
fizeram um exame periodontal uma única vez. O exame foi para diagnosticar
presença de placa, sangramento, profundidade de sondagem e perda de inserção,
em seis pontos de cada dente presente. A abordagem ocorreu durante as consultas
de pré-natal no posto de pronto atendimento Maria Gatti Giglio, Osasco-SP. Após o
parto, o segundo contato com as puérperas foi feito pelo telefone para saber dados
referentes ao parto e ao bebê. Os dados coletados foram analisados por teste
estatístico. Esta análise resultou na ocorrência de 6,1% de parto pré-termo e não
apresentou diferença significativa entre as variáveis estudadas (p>0,05). Portanto,
neste estudo, não foi verificado haver uma associação entre doença periodontal e
parto pré-termo.
Vários aparelhos foram propostos na correção das maloclusões de Classe II de Angle, cujo
objetivo principal é promover a distalização dos primeiros molares superiores. O aparelho
Pendulum tem mostrado associar diversas vantagens para este fim. Este estudo teve por objetivo
avaliar a distalização dos primeiros molares superiores, promovida pelo aparelho Pendulum, em
20 indivíduos (08 do gênero masculino e 12 do gênero feminino, com idade inicial entre 9,1 e 19,8
anos). A sobreposição dos traçados cefalométricos do início, após o tratamento e após 36 meses
de contenção foi avaliada através da análise dos planos PTV e Frankfurt. Os dados foram
submetidos ao teste Shapiro-Wilk e teste t de Student. O tempo médio de distalização foi de 4,95
meses. O valor médio da distância do molar foi de 18,4 mm no início do tratamento; 15,2 mm póstratamento e 15,3 pós-contenção.A quantidade média de distalização foi de 3,2 mm, ocorrendo
recidiva em apenas 5% da amostra. A partir dos resultados concluiu-se que o aparelho Pendulum
promoveu a distalização dos primeiros molares superiores para correção da maloclusão de
Classe II em tempo relativamente curto com estabilidade dos resultados em longo prazo.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 19-19
19
• MESTRADO •
D137
ANÁLISE DO REMANESCENTE DE RESINA NO ESMALTE
DENTAL APÓS REMOÇÃO DE BRAQUETES
Neste trabalho, objetivou-se avaliar três diferentes métodos de remoção de resina residual após a retirada do
aparelho ortodôntico, com o auxilio de um microscópio óptico, em pacientes da clinica de ortodontia da faculdade de
odontologia São Leopoldo Mandic. Foram utilizados 60 dentes humanos, divididos em seis grupos conforme a técnica
e o método de observação visual: grupo 1 (broca multilaminada em alta rotação a olho nu), grupo 2 (broca
multilaminada em alta rotação com o uso do microscópio óptico), grupo 3 (cureta periodontal a olho nu), grupo 4
(cureta periodontal com uso do microscópio óptico), grupo5 (alicate removedor de resina a olho nu) e grupo 6 (alicate
removedor de resina com uso do microscópio óptico). Os braquetes foram removidos com alicate específico, e a
resina remanescente ao esmalte foi então removida de acordo com a divisão dos grupos. Os resultados evidenciaram
que, nos grupos 1 e 2, as superfícies de esmalte,geralmente se apresentavam livres de remanescentes de resina e
com estrias superficiais no esmalte. Nos grupos 3 e 4, a eliminação de remanescentes de resina não foi efetiva,
criando irregularidades na superfície do esmalte. E, nos grupos 5 e 6, algumas superfícies do esmalte se encontravam
com algum remanescente e ranhuras no esmalte. O emprego do microscópio óptico ofereceu um aumento como o de
uma lente de aumento, não interferindo muito no método de remoção nem nos resultados. Concluiu-se que o método
com broca multilaminada foi o que apresentou melhores resultados,comparado à cureta periodontal, para a remoção
de resina residual do braquete; e a utilização do microscópio óptico não influenciou na qualidade do esmalte nos três
métodos de remoção observados.
LEVANTAMENTO DO TIPO DE RETENÇÃO DE PRÓTESES
SOBRE IMPLANTES DENTAIS EM LABORATÓRIOS DE
PRÓTESE DA CIDADE DE CURITIBA : BRASIL
A ancoragem extra-oral cervical é utilizada entre os ortodontistas como método de correção dental e
esquelética. O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos ortopédicos sobre a maxila após a
utilização da ancoragem extra-oral cervical associada ao arco utilidade de Ricketts para a correção da
inclinação anti-horária do plano palatino em indivíduos portadores da maloclusão Classe II, 1ª
divisão, de Angle. Os voluntários foram avaliados e classificados quanto a tipologia facial e inclinação
do plano palatino. Foram analisadas telerradiografias de 40 indivíduos, sendo 12 dolicofaciais, 8
mesofaciais e 20 braquifaciais, leucodermas, em crescimento, entre 7 e 14 anos de idade, avaliandose o ângulo do plano palatino, antes e após o tratamento. Os dados foram submetidos aos testes
estatísticos "t" de Student e de Kruskall Wallis e os resultados demonstraram que houve diferença
estatística significativa no ângulo do plano palatino antes e após o tratamento. O resultado satisfatório
do tratamento não sofreu influência da tipologia dos pacientes. Concluiu-se que dos 40 indivíduos da
amostra, a ancoragem extra-oral cervical, associada ao arco utilidade inferior, proporcionou alteração
ortopédica do plano palatino, com rotação horária da região anterior, em 36 pacientes, portadores da
maloclusão Classe II, 1ª divisão. Destes indivíduos, 25 ainda atingiram a norma do ângulo do plano
palatino prevista na análise cefalométrica de Ricketts
D140
INFLUÊNCIA DA CONFECÇÃO DO BISEL NO ÂNGULO CAVOSUPERFICIAL QUANTO À EXPOSIÇÃO DOS PRISMAS DE
ESMALTE EM DIFERENTES DIMENSÕES CAVITÁRIAS
José Carlos Meurer
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
José Alexandre de Lima da Ros
Rui Barbosa de Brito Junior
Prótese Dentária
Esse trabalho teve o propósito de avaliar parâmetros de fixação (cimentada ou parafusada) nas reabilitações
protéticas implantossuportadas confeccionadas nos laboratórios da cidade de Curitiba-PR. O responsável pelo
planejamento protético, a relação entre o tipo de fixação das peças protéticas com a área da prótese, com a
quantidade de elementos protéticos e com o responsável pela escolha do planejamento também foram
avaliados. Para isso, foram aplicados formulários para cada caso realizado em três laboratórios de prótese,
perfazendo 148 casos, num total de 398 elementos. Foram abordados parâmetros como região e tamanho das
próteses, tipo de fixação, material de moldagem e responsável pela seleção dos componentes. Foi realizada
estatística descritiva e o teste do Qui-quadrado para verificar correlações entre os dados obtidos, sendo
adotado um índice de significância de ?=5%. O tipo de fixação mais utilizado foi semelhante entre a parafusada
(52%) e cimentada (48%). O planejamento protético dos casos enviados aos laboratórios foi realizado na
maioria pelo Cirurgião-Dentista (78%). Quanto a localização (anterior, posterior e ambos) em relação ao tipo de
fixação houve diferenças estatísticas (p<5%). Ocorreram mais próteses cimentadas na região anterior,
provavelmente pelo fator de escolha estético. Quando ocorre em ambos os arcos (anterior e posterior) as
cimentadas foram menos indicadas, devido ao fator manutenção e reversibilidade. A maioria das reabilitações
realizadas foi semelhante entre dentes múltiplos (53%) e unitários (46%); não se verificou a relação entre o tipo
de arco e o tipo de fixação utilizada (p>5%). A relação entre o tipo de fixação e o responsável pela seleção do
componente protético não houve diferenças estatísticas (p>5%).
D141
AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO PLANO PALATINO APÓS
O USO DA ANCORAGEM EXTRA-ORAL CERVICAL EM
INDIVÍDUOS CLASSE II DIVISÃO 1ª DE ANGLE
Ivana Maia Bonna
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
Iramaya Lessi Prado
Maria Cristina Jimenez Pellegrin
Ortodontia
D139
D138
ANÁLISE IN VITRO DO COMPORTAMENTO BIOLÓGICO DA
ZIRCÔNIA EM CULTURA DE FIBROBLASTOS GENGIVAIS
HUMANOS
A infiltração marginal é um dos problemas que podem comprometer a longevidade das restaurações em resina
composta em dentes posteriores. Promover adesão entre o esmalte e resina composta que resista as forças de
contração geradas pela polimerização poderá promover a realização de restaurações mais duradoras. Um dos meios
para conseguir uma adesão adequada é através da retenção micromecânica aos prismas de esmalte condicionados
por ácido preferencialmente perpendicularmente aos seus longos eixos. O objetivo deste trabalho foi determinar a
relação entre os prismas de esmalte e o material restaurador, acrescentando as variáveis correspondentes aos
tamanhos das cavidades, presença ou ausência de bisel e sua localização (parede vestibular ou lingual/palatal).
Neste trabalho foram utilizados 30 molares permanentes divididos em 3 grupos , e preparados cavidades Classe I
com istmo de abertura correspondente a 1/4, 1/3 e 1/2 da distância intercuspídea. Na metade das amostras o ângulo
cavo-superficial foi biselado, e os dentes foram restaurados com resina composta. Em seguida foram seccionados e
as amostras analisadas por Microscópio Eletrônico de Varredura. As médias dos ângulos formados pelos prismas de
esmalte e o material restaurador foram anotadas e analisadas estatisticamente pelo teste de Mann-Whitney. Os
resultados demonstraram que as medianas obtidas das médias angulações dos prismas de esmalte foram superiores
nas margens biseladas (p< 0,05) independente do tamanho da cavidades ser de 1/4 (com bisel = 48,36o; sem bisel =
20,71o), 1/3 (com bisel = 39,75 o; sem bisel = 29,15o) ou 1/2 (com bisel = 37,02o; sem bisel = 26,34o) da distância
intercuspídea. Este trabalho pode concluir que a presença de maiores angulações ocorreu nas amostras com
margens biseladas, sendo mais significativa nas paredes vestibulares quando comparadas com as medidas obtidas
nas paredes linguais ou palatais.
D142
ESTUDO COMPARATIVO DAS SOLICITAÇÕES DE EXAMES
ÁFICOS PARA O PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO COM
IMPLANTES DENTÁRIOS
André Fagundes Nunes
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese Dentária
Kristie de Oliveira Salame Guimarães
Andresa Borges Soares
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Uma conexão estável entre a superfície dos materiais e os tecidos a sua volta é um dos mais
importantes pré requisitos para o sucesso a longo prazo dos materiais protéticos. Para isso, uma forte
e efetiva adesão das células na superfície do biomaterial é requerida. O objetivo deste estudo in vitro
foi avaliar o comportamento biológico de discos de zircônia em fibroblastos gengivas humanos. Para
este estudo foram utilizados 21 corpos de prova com 13mm de diâmetro e 1,5mm de espessura. As
células foram cultivadas em meio de cultura de Eagle modificado por Dulbecco, suplementado com
10% de soro e 1% de solução antibiótica-antimicótica (Sigma), sendo mantidas em estufa a 37ºC, em
atmosfera úmida contendo 95% de ar e 5% de dióxido de carbono. Os fibroblastos foram plaqueados
nos corpos de prova de zircônia, durante diferentes períodos de tempo (um dia, dois dias, três dias,
sete dias e dez dias). Após estes períodos, foram realizados os testes de viabilidade celular, bem
como, avaliação da morfologia e espraiamento celular através do Microscópio Eletrônico de
Varredura. Os resultados mostraram que houve crescimento celular, em todos os tempos estudados,
sem diferenças estatisticamente significante entre o grupo zircônia quando comparado ao controle
(poliestireno). Observou-se aderência celular em todas as superfícies estudadas com as células
exibindo morfologia poliédrica, por vezes fusiforme, em ambos os tempos. A superfície de zircônia
mostrou-se ser um material com comportamento biológico favorável, exibindo in vitro crescimento e
adesão celulares em todos os tempos estudados.
A Radiologia Odontológica tem fundamental importância na obtenção do sucesso do tratamento
com implantes dentários osseointegrados. No planejamento pré-cirúrgico do paciente, o exame
radiográfico deve resultar em uma imagem que permita a avaliação de patologias, a avaliação de
quantidade e qualidade do rebordo alveolar remanescente, densidade e espessura óssea, análise
do relacionamento de estruturas anatômicas com a área do implante e permitir que mensurações
precisas sejam obtidas. Este estudo teve como objetivo avaliar a solicitação de exames
radiográficos para o planejamento do tratamento com implantes dentários na cidade de Belém/PA,
através de questionários fechados preenchidos por cirurgiões-dentistas que exercem a
implantodontia. Apesar de a Radiografia Panorâmica ter sido considerada pelos entrevistados o
exame de maior distorção, a mesma foi eleita por 68% dos profissionais o exame radiográfico de
1ª escolha mais utilizado na Implantodontia e a Tomografia Computadorizada ficou em segundo
lugar com apenas 14%. A grande maioria dos profissionais entrevistados (72%) solicita mais de
um exame radiográfico para o planejamento com implantes, e a Tomografia Computadorizada foi
eleita por 50% dos entrevistados como o principal exame de complementação ao de primeira
escolha.
D143
AVALIAÇÃO DA SOLUÇÃO DE CLOREXIDINA 0,12%, DO GEL DE
CLOREXIDINA 0,12% E DA ASSOCIAÇÃO EM GEL DE
CLOREXIDINA 0,12% E PRÓPOLIS 20% NO PÓS-OPERATÓRIO
EM IMPLANTODONTIA
D144
AVALIAÇÃO CLÍNICA PROSPECTIVA DE ENXERTOS ÓSSEOS
AUTÓGENOS EM BLOCO COM UMA NOVA TÉCNICA :
TUNELIZAÇÃO SUBPERIÓSTEA
Andrei Rabenschlag Rossato
Thomaz Wassall
Implantodontia
Ricardo Passos Formoso de Moraes
Juliana Cama Ramacciato
Implantodontia
O objetivo desta pesquisa foi comparar o efeito de três antissépticos bucais à base de clorexidina no controle
químico do biofilme bacteriano durante o pós-operatório de pacientes submetidos a cirurgias
implantodônticas: solução de clorexidina 0,12%, gel de clorexidina 0,12% e a associação em gel de
clorexidina 0,12% e própolis 20%. Avaliar também: efeitos colaterais, aceitabilidade pelos pacientes,
dificuldades em relação ao uso. Foi um estudo multicêntrico com 36 indivíduos (n=36), os quais foram
submetidos às cirurgias de instalação de implantes e enxertos ósseos. Após as cirurgias, os pacientes foram
divididos em três grupos aleatoriamente: Grupo B, bochechou 15 ml solução de digluconato de clorexidina
0,12%; Grupo C, aplicou gel de clorexidina 0,12% por meio de hastes flexíveis com pontas de algodão; Grupo
E aplicou associação em gel de clorexidina 0,12% e extrato glicosado de própolis 20% por meio de hastes
flexíveis com pontas de algodão. O período de aplicação nos 3 grupos foi de 10 dias, onde no final foram
feitas fotos utilizando o verde malaquita para auxiliar na evidenciação da placa. Os resultados mostraram que
o grupo B obteve a melhor média, 2,16 enquanto os grupos E e C, tiveram médias respectivas 2,41 e 2,75.
Concluiu-se que não houve diferença entre os três antissépticos bucais à base de clorexidina no controle
químico do biofilme bacteriano durante o pós operatório de pacientes submetidos à cirurgias
implantodônticas. Três pacientes que utilizaram a solução de clorexidina relataram perda de paladar no pósoperatório; a associação em gel de própolis teve ótima aceitabilidade dentre os pacientes, porém a aplicação
dos géis em regiões posteriores é mais difícil que a solução de clorexidina e dentre os géis, a aplicação do gel
de própolis é mais difícil que o gel a base de clorexidina.
Na implantodontia moderna, tem sido cada vez maior a utilização de enxertos para a reconstrução de rebordos
alveolares atróficos advindos da perda do elemento dental. A finalidade deste estudo clínico prospectivo foi avaliar
uma nova técnica de reconstrução óssea, utilizando-se de osso autógeno em bloco mantido em posição
exclusivamente pela pressão do periósteo e tecido gengival, objetivando o ganho na espessura do tecido ósseo em
maxilas edêntulas parciais atróficas e viabilizando a instalação de implantes dentários. Foram realizados em 29
pacientes, os procedimentos de enxertia em 41 áreas edêntulas atróficas de maxila, utilizando enxerto autógeno
em bloco tipo "onlay", com a técnica da tunelização subperióstea. Foram feitas as biometrias clínicas iniciais e
finais com o uso de um paquímetro digital e os registros fotográficos. O aspecto analisado foi o ganho ósseo
objetivando a instalação de implantes dentários com período de acompanhamento variando de 5 a 9 meses,
quando os implantes foram instalados. Observou-se aspectos relativos à facilidade de execução da técnica
quando comparada às técnicas convencionais, cicatrização do tecido mole e a remodelação e reparo do bloco
ósseo enxertado sem qualquer tipo de artefato de fixação. A análise de variância (ANOVA) para um fator, seguida
pelo teste de Tukey demonstrou uma diferença significante (p<0,05) para as medidas médias iniciais (2,97
+_0,79mm) e finais (7,08+_0,87 mm). O índice médio de reabsorção foi de 6,21% após o período de reparo ósseo,
e o de sucesso para esta técnica foi de 97,5% (41 áreas enxertadas com 1 insucesso). Os resultados deste estudo
nos leva a concluir que a técnica de tunelização subperióstea promoveu uma boa cicatrização do tecido ósseo,
com resultados favoráveis no aumento de volume tecidual nas áreas edêntulas parciais atróficas de maxila,
viabilizando a instalação dos implantes odontológicos de titânio.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 20-20
20
• MESTRADO •
D145
AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS DA
IMPLANTODONTIA SOBRE ESTÉTICA PERIODONTAL
ÍNDICE DE SUCESSO DE IMPLANTES IMEDIATOS OU TARDIOS
SUBMETIDOS À CARGA IMEDIATA NA MAXILA : ESTUDO
RETROSPECTIVO
Fátima Gonçalves Caldeira Gomes
Rui Barbosa de Brito Junior
Implantodontia
Eugênio Peixoto Rocha
Juliana Cama Ramacciato
Implantodontia
Nos dias de hoje é notória a procura da reabilitação oral que se assemelhe o máximo possível ao natural. Dessa forma, o nível de
exigência dos pacientes tem mudado e os profissionais são escolhidos de acordo à satisfação com os resultados obtidos. Logo, o
cirurgião dentista que se dispõe à área da implantodontia tem de se preocupar não só com a função, mas também com a parte estética, já
que o sucesso dessa terapia está firmado sobre essas bases. Assim, foi feito um questionário (200 enviados e 142 respondidos
corretamente) com CDs que participam de cursos de especialização e mestrado em implantodontia da Faculdade de Odontologia São
Leopoldo Mandic (Campinas - SP) a fim de se obter informações sobre o conhecimento e importância, para estes CDs, da estética
periodontal, seja ela por planejamento reverso ou por adequação estética dos resultados através de técnicas cirúrgicas periodontais.
Foram avaliados pelas perguntas primeiramente o tempo de experiência dos CDs, bem como sua casuística mensal de implantes
(questões 1 e 2), sendo que o resultado destas foi relacionado às demais perguntas do questionário, como por exemplo, aos fatores que o
profissional considera como sucesso: harmonia do sorriso, satisfação do paciente, satisfação do profissional ou todas as alternativas e
qual o mais importante (questão 3 e 4), ao tipo de manejo cirúrgico periodontal e se o profissional o utiliza (questões 7 e 5), qual a
casuística de procedimentos periodontais (questão 6) e por fim quais as áreas da odontologia que são consultados por esses CDs
(questão 8). Com base nos resultados, concluiu-se que boa parte desses profissionais tem o conhecimento estético periodontal
necessária à harmonia do sorriso e consequente satisfação do paciente, não influenciando a experiência e a quantidade de implantes
instalados. Porém, mesmo assim, existiu uma confusão acerca do objetivo inerente à implantodontia (interdisciplinaridade), pois muitos
afirmaram utilizar poucos casos de procedimentos periodonais aliados aos implantes e mesmo os que responderam nunca utillizar tais
procedimentos especificaram técnicas periodontais cirúrgicas. Quando foram questionados sobre áreas da odontologia a serem
consultadas, a maioria concordou que a e prótese e, sobretudo a periodontia são áreas imprescindíveis ao sucesso. A partir disso, se faz
necessária a readequação da bagagem periodontal obtida por esses profissionais, dando assim maior importância ao novo conceito de
implantodontia a fim de se abordar com mais profundidade o real objetivo reabilitador da implantodontia atuando juntas áreas como a
periodontia e prótese com a finalidade de gerar maior qualidade na reabilitação e multidisciplinaridade. Dessa forma haverá maior ganho
de resultados favoráveis e longevidade dos tratamentos de acordo com as expectativas, sobretudo dos pacientes.
D062
D147
D146
D062
AVALIAÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS DE MOTIVAÇÃO PARA HIGIÊNE
BUCAL EM PACIENTES DIABÉTICOS TIPO 2
O objetivo deste estudo foi comparar o índice de sucesso de implantes osseointegráveis
submetidos à carga imediata, na maxila, colocados imediatamente após a exodontia
(implantação imediata) com implantes colocados em rebordos cicatrizados (implantação tardia).
Foram examinados 41 pacientes totalizando 311 implantes. Os pacientes foram reabilitados
através de próteses fixas metalo plásticas ou próteses fixas em acrílico (protocolo). Cento e
cinquenta e três implantes foram instalados em alvéolos e 158 em rebordos. Os critérios utilizados
para avaliar o índice de sucesso foram descritos por Albrektsson e Zarb (1993). Após o período de
avaliação, 304 implantes examinados enquadravam-se dentro dos critérios de sucesso (97,7%).
Dos sete implantes perdidos, dois haviam sido colocados em alvéolos (índice de sucesso de
98,7%) e cinco em rebordo (96,8%). A diferença entre os índices de sucesso dos dois grupos não
foi estatisticamente significante. Podemos concluir, dentro das limitações deste estudo, que o
carregamento imediato de implantes com próteses fixas seja colocado em alvéolo ou rebordo,
representa uma terapêutica com alta previsibilidade, comparado aos resultados encontrados na
literatura para implantes seguindo o protocolo convencional de dois estágios cirúrgicos.
D062
D148
EFEITO DO CRESCIMENTO NA ANÁLISE CEFALOMÉTRICA DE
JARABAK ENTRE A BASE ANTERIOR DO CRÂNIO E O CORPO DA
MANDÍBULA EM INDIVÍDUOS COM OCLUSÃO NORMAL
Égles Scheffer Coelho
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
César Fernando Backes Lima
FláviaLucisano Botelho do Amaral
Ortodontia
OBJETIVO: avaliar a metodologia mais adequada para o perfil do PDM2 em relação à motivação para o
controle de placa e se essa ação influencia a melhora do nível glicêmico destes pacientes. Foram
selecionados 100 indivíduos PDM2 de ambos os gêneros, pacientes ingressantes nas disciplinas de clinica
integrada da Ulbra-Torres/RS. Os pacientes foram divididos aleatoriamente em quatro grupos. Grupo 1: aula
de motivação em higiene bucal e orientação direta sobre técnica de escovação e uso do fio dental; Grupo 2:
aula de motivação em higiene bucal e orientação sobre técnica de escovação e uso do fio dental mais folheto
explicativo; Grupo 3: aula de motivação em higiene bucal e orientação sobre técnica de escovação e uso do fio
dental (com auxílio de recurso audiovisual em computador);Grupo 4: Apenas sendo-lhes solicitado continuar
com o hábito normal de higiene bucal. Inicialmente foi aferido o nível glicêmico através dos exames de
Hemoglobina Glicada (A1c) e Índice Glicêmico, assim como, os parâmetros periodontais de Sangramento
Gengival e Placa Visível. Reforço das orientações 30 dias depois e 60 dias após, nova aferição dos níveis
glicêmicos e parâmetros periodontal foram realizadas. RESULTADO: Os parâmetros periodontais foram
significativamente menores após 60 dias, os valores de HbA1c sofreram pequena redução sendo o sistema
utilizado no grupo que recebeu instrução diretamente com o espelho foi o que obteve o melhor resultado.
CONCLUSÃO: Os métodos de motivação em geral tem se demonstrado relevante juntamente com o reforço
pelo CD. Contudo mais trabalhos devem ser desenvolvidos para relacionar o controle da doença periodontal
com o controle do diabete mellitus.
O objetivo deste estudo foi avaliar longitudinalmente o efeito do crescimento, a correlação entre a base anterior do
crânio e o corpo da mandíbula, em indivíduos com oclusão normal, utilizando telerradiografias em norma lateral, por
meio da análise cefalométrica de Björk - Jarabak. A amostra foi constituída por 48 telerradiografias cefalométricas de
24 indivíduos leucodermas de oclusão classe I de Angle, sem tratamento ortodôntico, acompanhados durante 10
anos (24 telerradiografias iniciais, entre 12 e 15 anos, e 24 telerradiografias finais, entre 23 e 26 anos). Foram
analisadas as medidas lineares da base anterior do crânio e do corpo da mandíbula de cada de indivíduo de acordo
com a idade, e foi realizada uma comparação com a norma pré-estabelecida pela análise Björk-Jarabak. O resultado
obtido mostrou que 88,8% do comprimento da base anterior do crânio, tempo final, correlacionou-se com a medida da
base anterior do crânio, tempo inicial, ou seja, demonstrou uma forte correlação positiva entre as faixas etárias. Em
relação ao comprimento do corpo da mandíbula, evidenciou-se que 64,9% do tempo final, correlacionou-se com a
medida da mesma na tempo inicial, mostrando uma forte correlação positiva entre si. Ambas apresentaram valores
dentro das normas preconizadas pela análise de Björk-Jarabak. Em relação à proporção entre as medidas lineares
da base anterior do crânio e corpo da mandíbula, verificou-se, tanto no tempo inicial como no final, uma correlação
moderada entre elas (34% e 39% respectivamente). Entretanto obteve-se uma correlação positiva forte no valor de
70% entre a base anterior do crânio - tempo inicial e o corpo da mandíbula - tempo final. Em relação a proporção entre
a medida linear da base anterior do crânio e o corpo da mandíbula tempo inicial e final, verificou-se um coeficiente de
correlação no valor de 0,94. Concluiu-se que o resultado do presente trabalho ficou dentro dos parâmetros da
análise, fortalecendo a confiabilidade da aplicação da mesma em diferentes amostras.
D149
D062
DOENÇA PERIODONTAL EM GESTANTES DA REGIÃO DE
ITAPECERICA DA SERRA (SP), COM PARTO A TERMO E PRÉTERMO
D062
D150
!AVALIAÇÃO HISTOMORFOMÉTRICA DE MEMBRANAS ABSORVÍVEIS PARA
REGENERAÇÃO ÓSSEA GUIADA INSTALADAS EM DEFEITOS
ÓSSEOS CRÍTICOS DE CALVÁRIAS DE RATOS
Nelson Misoguti
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Davisson José de Avelar Andrade
Paulo Sérgio Perri de Carvalho
Implantodontia
O nascimento prematuro representa aproximadamente 75% da morbidade. Este estudo objetivou avaliar clinicamente a
relação entre doença periodontal, parto prematuro e recém-nascido de baixo peso. É conhecida a relação entre a doença
periodontal e os vários fatores sistêmicos nos quais ela influi. Neste estudo foram avaliadas 200 gestantes voluntárias, da
região de Itapecerica da Serra (SP), com idades entre 18 e 36 anos. As gestantes foram divididas em dois grupos: as que
tiveram parto prematuro com neonatos de baixo peso e as que não tiveram parto prematuro com neonatos de baixo peso.
O próprio pesquisador coletou os dados de todas as gestantes e neonatos por meio de perguntas e registros médicos.
Nos resultados 49,5% das gestantes foram submetidas a partos normais, dentre estas 10% tiveram parto prematuro e
3,1% apresentaram doença periodontal. No exame clínico quanto à análise do parto segundo as medidas de saúde bucal,
o estudo não comprovou relação entre a doença periodontal e a ocorrência de parto pré-termo, entretanto é sabido que,
com a doença periodontal, lipopolissacarídeos e outras substâncias bacterianas que iniciam a inflamação gengival
liberam citocinas pró-inflamatórias que podem atravessar a placenta quando presentes no liquido amniótico,
desencadeando assim o trabalho de parto. Conclui-se, portanto, que a doença periodontal é capaz de elevar
sistemicamente os níveis de mediadores inflamatórios associados ao trabalho e parto prematuro. Recomenda-se que a
orientação sobre os cuidados com a higiene oral e o tratamento periodontal sejam incluídos na assistência pré-natal, a fim
de sanar a infecção periodontal e diminuir as chances de parto pré-termo. Também é necessária a padronização
metodológica nas pesquisas para obter resultados mais conclusivos entre a associação da doença periodontal (DP) e o
parto pré-termo (PPT). O objetivo deste estudo é investigar se existe relação entre periodontite, prematuridade e fatores
associados.
O objetivo desse trabalho foi avaliar e comparar por meio de estudo microscópico e histomorfométrico a
regeneração óssea guiada utilizando membranas de origens diferentes em defeitos críticos criados em
calvária de ratos. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram utilizados 40 ratos Albinus Wistar divididos em 4
grupos, sendo 10 animais para cada grupo: grupo controle; grupo que recebeu a membrana cortical de
osso bovino (Gen-Derm®); grupo da membrana de colágeno (CollaCote®); e grupo da membrana de
colágeno porcina (Bio-Gide®). Cinco animais de cada grupo foram sacrificados com 30 dias e outros 5, aos
60 dias. RESULTADOS: Na avaliação microscópica observou-se no grupo controle que aos 30 dias e 60
dias,no grupo controle o defeito ósseo estava preenchido por tecido conjuntivo fibroso caracterizando o
defeito crítico, enquanto que nos grupos experimentais observava-se neoformação óssea ao longo do
defeito ósseo e presença de remanescentes das membranas utilizadas porém sem reação inflamatória
nas adjacências. A avaliação histomorfométrica realizada por meio da grade de Merz, demonstrou que a
porcentagem média de neoformação óssea no grupo controle aos 30 dias foi de 2,34%; no grupo GenDerm, de 33,54%; no grupo Collacote, de 40,19%; e no grupo Bio-Gide, de 72.4%. Aos 60 dias, para o
grupo controle, não houve alteração, e para o grupo Gen-Derm, foi de 50,04%; no grupo Colla-Cote, de
57.64%; e no grupo Bio-Gide, de 69,36%. CONCLUSÃO: A membrana de colágeno porcino apresentou
resultados superiores às membranas de colágeno e cortical de osso bovino
D062
D151
RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO EM BRAQUETES DE AÇO
INOXIDÁVEL EM DENTES BOVINOS SUBMETIDOS AO
CLAREAMENTO
D152
D062
FREQUÊNCIA DE HÁBITOS PARAFUNCIONAIS E BRUXISMO EM
PACIENTES COM DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR
MUSCULAR
Thiago Pompeu Noronha
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Walter Wesley Galvão dos Santos
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O propósito deste estudo in vitro foi determinar a influência do agente clareador peróxido de
carbamida à 16% e do peróxido de hidrogênio à 35% na resistência de cisalhamento da colagem
de bráquetes ortodônticos de aço inoxidável 3M Gemini (3M/ESPE®). As amostras foram
compostas por 90 incisivos centrais inferiores bovinos, os quais foram divididos em três grupos
denominados G1 (não submetido ao clareamento), G2 (clareado com peróxido de carbamida à
16% -Whiteness HP – FGM ®) e G3 (clareado com peróxido de hidrogênio à 35% -Whiteness HP,
FGM ®). Os dentes ficaram armazenados em água destilada a uma temperatura de 37ºC por 24
horas e foi aguardado 30 dias para a colagem dos bráquetes, onde foi utilizado a Transbond XT
(3M/ESPE®). O teste de cisalhamento foi realizado em uma máquina EMIC DL 2000, com carga
de 200N, a velocidade de 0,5mm/min. O G1 apresentou uma resistência média de 6,05 (±3,47)
MPa, enquanto que para o G2 a resistência média foi 2,52 (±1,69) MPa e o G3 foi de 1,58 (±1,17)
Mpa. Os resultados demonstraram que o clareamento dental induziu, no modelo experimental
utilizado, redução significativa da força necessária ao cisalhamento de bráquetes aderidos a
elementos dentais submetidos tanto ao clareamento realizado em consultório quanto ao
caseiro. Estes achados sugerem que aderência da resina utilizada na colocação dos bráquetes
foi prejudicada pelo clareamento, sendo que quanto maior a concentração do clareador menor é
a resistência ao cisalhamento. Desta forma se sugere realizar o tratamento clareador após o
final do tratamento ortodôntico.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência dos hábitos parafuncionais e bruxismo em
pacientes com disfunção temporomandibular (DTM) muscular diagnosticados pela aplicação do
"Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders" (RDC/TMD). Neste estudo,
foram avaliados quatro tipos de hábitos parafuncionais e relatos de bruxismo em 100 pacientes,
comparando-os a um grupo controle sem DTM pareados por gênero e idade. Os grupos foram
assim constituídos: grupo I: 50 indivíduos diagnosticados com DTM subtipo dor miofascial, com
ou sem limitação de abertura da boca, empregando-se o RDC eixo I; grupo II: 50 indivíduos sem
sinais e sintomas de DTM. Os participantes responderam a um questionário para avaliar a
presença, o tipo e frequência dos hábitos parafuncionais tais como mascar chicletes, morder
lábios e/ou bochechas, morder objetos, onicofagia e a presença de bruxismo. No grupo I, 14%
apresentou algum hábito parafuncional, estando com a mesma freqüência (6%) os que
mascavam chicletes e mordiam lábios e/ou bochechas. A frequência encontrada para o bruxismo
foi de 64% da amostra. No grupo controle, 14% também apresentou algum tipo de hábito
parafuncional, sendo a onicofagia o mais frequente (10%). Neste grupo, a frequência encontrada
de relato de bruxismo foi de 2% da amostra. O gênero teve uma participação significativa neste
estudo, pois no grupo com DTM, 90% era composto pelo gênero feminino. No grupo dos
bruxistas, 91% foram do mesmo gênero no grupo controle e nos bruxistas, não houve diferença
significativa entre os gêneros.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 21-21
21
• MESTRADO •
D153
AVALIAÇÃO IN VITRO DA INTERFACE IMPLANTE / ABUTMENT
INTRA E INTER SISTEMAS COM MICROSCÓPIO ELETRÔNICO
DE VARREDURA
ESTUDO SOBRE O PERÍODO DE ALEITAMENTO MATERNO, INSTALAÇÃO
DE HÁBITOS DE SUCÇÃO NÃO NUTRITIVA E PREVALÊNCIA DA
SOBRESSALIÊNCIA NA DENTIÇÃO DECÍDUA EM CRIANÇAS DA ZONA
NORTE DE SÃO PAULO
Vivian Helene Allendorf
Roberta Tarkany Basting Höfling
Ortodontia
Paulo Borba Santos
Paulo Sérgio Perri de Carvalho
Implantodontia
O sucesso da osseointegração faz com que a implantodontia tenha mais de 90% de
resultados favoráveis na fase cirúrgica, porém há inúmeros relatos, de natureza
biomecânica, dos problemas desta fase. Esse trabalho teve o objetivo de avaliar e
comparar a adaptação de pilares protéticos do tipo microunit acoplados em dois
sistemas de implantes nacionais de hexágono externo e plataforma regular nas
combinações inter e intra-sistema, por meio de microscopia eletrônica de varredura
(MEV). Dois sistemas foram utilizados Conexão e Implalife. Com quatro combinações
possíveis entre eles formaram-se quatro grupos. Dos quatro grupos, um se destacou
como um desajuste significativamente maior que os outros. Enquanto a média dos
Grupos 1, 2 e 3 foi de 1,5 micrometros, o grupo 4 apresentou uma diferença média de
quatro de 13,8 micrometros. Pode-se concluir neste estudo que a gap entre o implante
e componente protético é menor quando a montagem acontece dentro de um mesmo
sistema.
D155
D062
D154
D062
ESTUDO IN VITRO DA DEGRADAÇÃO DE FORÇAS EM ELÁSTICOS
ORTODÔNTICOS EM CADEIA
O objetivo deste estudo foi avaliar a associação entre o período de aleitamento materno, a instalação dos hábitos de
sucção não nutritivos, tipo de hábito mais freqüente e a prevalência de sobressaliência na dentição decídua em crianças
da zona norte de São Paulo. Foram examinadas 316 crianças de 3 a 5 anos , regularmente matriculadas em 4 instituições
de ensino infantil. Foi realizado exame da oclusão dentária por duas cirurgiãs-dentistas e aplicado um questionário para a
coleta de dados dos hábitos de sucção não-nutritiva e duração do aleitamento materno e/ou do aleitamento
artificial(mamadeira). A prevalência de crianças que não foram amamentadas ou que tiveram o aleitamento materno por
um período inferior a seis meses foi de 46,20%. Dentre elas, 75% desenvolveram o hábito de sucção de chupeta em
alguma fase de suas vidas. Das crianças que tiveram a amamentação materna por um período superior ou igual a seis
meses, apenas 35,88% tiveram o hábito de sucção de chupeta, verificando-se associação entre tempo de aleitamento
materno e hábito de sucção de chupeta. Constatou-se que, em geral, quanto maior o tempo de amamentação materna,
menor a freqüência de crianças com histórico de hábitos der sucção de chupeta. A associação positiva pode ser
observada entre hábito de sucção e chupeta e sobressaliência (p<0,001), verficando-se que dentre as crianças que
utilizaram chupeta por um período maior que 3 anos. 55,67% apresentavam alguma alteração na sobressaliência,
comparadas a 36,11% com sobressaliência e sem hábitos de sucção de chupeta. A maioria das crianças deste estudo
apresentou algum hábito de sucção não-nutritivo (64,26%) sendo que o hábito oral mais comum foi a chupeta (53,48%).
Devido ao baixo numero de crianças que apresentavam o hábito de sucção digital nesta amostra (8,62%), não foi possível
relacionar o hábito de sucção digital com o tempo de aleitamento materno. Pode-se concluir que crianças com menor
tempo de aleitamento materno desenvolveram com maior freqüência o hábito de sucção de chupeta, havendo associação
positiva entre hábitos de sucção de chupeta e a presença de sobressaliência.
D156
D062
AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DE BRAQUETES
METÁLICOS COLADOS SOBRE SUPERFÍCIE DE RESINA COMPOSTA
SUBMETIDAS A DIFERENTES TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE
Anderson Franco de Oliveira
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Marco Túlio Gesser
Flávia Martão Flório
Ortodontia
Este trabalho teve como objetivo verificar, "in vitro", a degradação das forças de tração desenvolvida pelas cadeias elastoméricas de
três marcas (GAC®, Morelli® e Ormco®) sendo que os elásticos em cadeia não apresentavam pigmentação e espaçamento entre
os elos, e que apresentavam tamanhos diferentes (3 elos, 5 elos e 7 elos), em função do tempo de distensão. As amostras
selecionadas foram cortadas, em trinta segmentos de elásticos sendo dez contendo cinco elos, dez contendo sete elos e dez
contendo nove elos, então foram inseridas em uma placa de aço inoxidável, onde somente os elos centrais foram utilizados, pois os
elos das extremidades poderiam sofrer algum dano acidental durante a remoção do carretel. Os módulos foram distendidos, pela
máquina universal EMIC®, inicialmente até atingirem aproximadamente 200g/f. Então as placas contendo os elásticos foram
acondicionadas em um recipiente e ficaram submersas em saliva artificial à 37ºC e pH entre 6,5 e 7,0. Com isso a degradação da
força foi medida em intervalos de tempo de: 0, 2 horas, 8 horas, 24 horas, 1 semana, 2 semanas, 3 semanas e 4 semanas. Os
resultados mostraram que todos os grupos das cadeias elastoméricas apresentaram degradação de força acentuada nas primeiras
horas e um comportamento diferente entre si quanto à perda de força, variando de intensidade conforme sua marca e quantidade de
elos (p< 0,05). Pôde-se observar que ocorreu significativa degradação de força que variou entre 19,85%(GAC®) a 38,68%
(Ormco®) nas primeiras duas horas e 30,74%(GAC®) a 55,93%(Ormco®) nas primeiras 24 horas (p<0,05). A degradação de força
ocorreu mais nos elásticos da marca Ormco® que apresentavam 7 elos, 38,68% nas duas horas iniciais. Por outro lado, os elásticos
que apresentaram uma menor perda de força foram os elásticos da marca GAC® e que continham 3 elos estes apresentaram uma
perda de força da magnitude de 19,85% nas duas primeiras horas. Ao término de 4 semanas os resultados mostraram uma perda de
força que variou entre 38% (GAC®, 3 elos) e 63,4% (Ormco®, 7 elos). Concluiu-se que, apesar de apresentarem diferenças entre si,
todas as amostras analisadas apresentaram uma degradação de força considerável, principalmente nas primeiras horas de sua
ativação inicial, e que o grupo que apresentava maior quantidade de elos foi o que mostrou uma degradação de força maior.
Este estudo teve como objetivo comparar a resistência ao cisalhamento de braquetes metálicos ortodônticos colados a
superfície de dois tipos distintos de resina composta. Os corpos de prova foram confeccionados utilizando-se discos de
resina composta de 7 mm de diâmetro por 4 mm de espessura das resinas compostas Z-100 (3M/ESPE®) e Llis (FGM®),
que foram inclusos em resina de poliéster, e após o tempo de presa, ficaram imersos em água destilada por 30 dias. Para
cada tipo de resina foram confeccionados 80 corpos de prova que foram divididos aleatoriamente em 5 grupos (n=16). Cada
grupo recebeu um tipo específico de tratamento de superfície: G1 - jateamento com óxido de alumínio; G2 - asperização com
ponta diamantada; G3 - aplicação de ácido fluorídrico 10%; G4 - aplicação de ácido fosfórico 37% e G5 - sem tratamento de
superfície. Os grupos se repetiram tanto para a resina Z-100 quanto a resina Llis. Após o condicionamento da superfície foi
feita a colagem do braquete metálico utilizando-se a resina fotoativada Transbond XT (3M/ESPE®). Os espécimes foram
então armazenados em água destilada a 37º C por 24 horas e, em seguida, foi realizado o teste de cisalhamento em uma
máquina EMIC DL 2000, com velocidade de 0,5mm/min. Os dados foram submetidos ao teste estatístico ANOVA two-way
(teste t LSD) que não encontrou diferença estatisticamente significativa entre os dois tipos de resina composta (p>0,05),
Entretanto, foram observadas diferenças significativas entre os tipos de tratamento de superfície (p<0,01). Os resultados
obtidos, em sua maioria se encontraram entre 5 e 9Mpa, sendo que o maior valor foi de 9,2±2,62Mpa para o grupo de resina
Llis com óxido de alumínio (G1-2) e o menor valor foi de 2,92±1,77Mpa para o grupo Llis com aplicação de ácido fosfórico
37% (G4-2). Os resultados demonstraram que o tratamento de superfície pode alterar a resistência ao cisalhamento de
braquetes metálicos colados sobre superfícies de resina composta, e que o tipo de resina não influencia nesta resistência.
Diante dos resultados obtidos, sugere-se o uso de asperização com ponta diamantada pelo menor custo e tempo clínico para
sua confecção.
D157
D062
DESENVOLVIMENTO DE UM CONJUNTO DE SONDAS PARA
POSICIONAR E MENSURAR A INSTALAÇÃO DE FIXAÇÕES
ZIGOMÁTICAS
D062
D158
AVALIAÇÃO IN VITRO DO COMPORTAMENTO DAS CADEIAS
ELASTOMÉRICAS CONFORME TEMPO E TEMPERATURA DE
ARMAZENAMENTO
Ricardo França Teles
Thomaz Wassall
Implantodontia
Talita Hilb Striitzel
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
O objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de um produto específico para ser
usado em cirrugias de instalação de fixações zigomáticas: um conjunto de sondas para
auxiliar na sondagem e confecção do leito cirúrgico que receberá essa fixação.Esperase que essas sondas sejam capazes de avaliar o interior do osso zigomátioc, visualizar
o trajeto do implante e prever a emergências institucionais, foi solicitado o registro de
paetnte do conjunto, que exigiu a descrição técnica detalhada do protótipo.
Este trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento da força de tração das cadeias elastoméricas
das marcas: GAC, Morelli, Tecnident, TP Orthodontics, Uniden e Unitek na cor cinza. O estudo foi realizado
in vitro, e foram considerados os fatores tempo e temperatura de armazenamento. As amostras foram
selecionadas, ao acaso, utilizando-se 20 unidades de cada marca comercial mencionada, sendo dez
unidades mantidas em temperatura ambiente e dez unidades acondicionadas sob refrigeração até o
momento dos ensaios. Os corpos de prova foram distendidos em 25 mm e as leituras de tração foram
efetuadas com um dinamômetro Correx - Suíça - nos seguintes intervalos de tempo: zero, uma, seis, 12,
24 e 72 horas; uma, duas, três e quatro semanas. Para determinar a influência na forma de
armazenamento sobre a força das cadeias elastoméricas, o teste foi repetido por 12 meses, a cada três
meses, a contar da leitura inicial. Após a aplicação da ANOVA e do teste de Tukey (p=0,05), os resultados
mostraram que todas as marcas comerciais sofreram degradação de força estatisticamente significante,
principalmente nas primeiras 24 horas, variando de 15,26% a 23,33%. A coleta e posterior análise
estatística dos dados permitiram-nos concluir que não houve diferenças significantes entre as amostras
armazenadas em temperatura ambiente ou sob refrigeração. Apesar de apresentarem diferenças entre si,
todas as amostras analisadas apresentaram força suficiente para produzir movimentação dentária após
os períodos de teste.
D159
D062
FREQUÊNCIA DA DOENÇA PERIODONTAL NA AMOSTRA DE
PACIENTES COM DOENÇAS PULMONARES NO MUNICÍPIO DE
DUQUE DE CAXIAS (RJ)
D160
D062
PREVALÊNCIA DAS MALOCLUSÕES EM PORTADORES DE
NECESSIDADES ESPECIAIS NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA
GRANDE/MT
Viviane Abreu de Souza Pereira
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Albem Thiago de Sousa Ferreira
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
As evidências acumuladas sugerem que as doenças bucais, principalmente a doença periodontal, podem
influenciar o curso da infecção respiratória. A cavidade bucal funciona como um portal de entrada e como
reservatório para muitas espécies de bactérias, vírus e fungos. Estes microrganismos obtêm acesso a vias
interligadas, composta de mucosa epitelial, que coletivamente compõem o trato respiratório. O objetivo
deste estudo aprovado pelo Comitê de Bioética em Pesquisas pelo Centro de Pós-Graduação São Leopoldo
Mandic sob número de protocolo 08/007 foi avaliar a prevalência de doença periodontal em pacientes com
pneumonia adquirida na comunidade e doença pulmonar obstrutiva crônica. Desta forma, foram
selecionados 140 pacientes (70 casos e 70 controles) de ambos os sexos, com idade entre 18 e 70 anos que
estiveram internados no Hospital Municipal de Duque de Caxias, no município de Duque de Caxias (RJ). Os
dois grupos foram avaliados periodontalmente quanto às medidas de profundidade de sondagem, nível de
inserção, sangramento à sondagem e índice de biofilme. Os resultados obtidos foram: 100% dos pacientes
apresentaram doença periodontal; o biofilme esteve presente em 100% do grupo caso. A doença pulmonar
PAC esteve presente em 75,7% dos casos e a DPOC em 24,3%. A doença periodontal apresentou
associação significativa com a doença pulmonar (caso-controle), se observado que o risco foi significativo e
que os indivíduos com periodontite grave têm 7,43 vezes mais risco de doença pulmonar do que as com
periodontite moderada. Desta forma, a associação da doença periodontal a várias condições sistêmicas
indica a necessidade do controle da infecção bucal para uma melhor qualidade de vida e sugere-se que os
programas hospitalares deveriam incluir atendimento odontológico, tendo como objetivo prevenir, tratar e
evitar piora no quadro clínico do paciente.
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a prevalência de maloclusões em voluntários portadores de
necessidades especiais. Foram avaliados a maloclusão (classificação de Angle), e o padrão da
respiração de pacientes especiais de três escolas públicas da cidade de Várzea Grande/MT, os
quais foram examinados em ambiente escolar por examinador e auxiliar treinados. Foram
analisados 239 indivíduos, com a finalidade de obter dados que pudessem avaliar a oclusão. Dos
239 voluntários analisados, a idade média (±desvio padrão) foi de 19,3 ± 9,6 anos, e 114 (47,7%)
eram do gênero feminino e 125 (52,3%) do masculino. A análise dos dados revelou que houve
diferenças estatisticamente significantes entre os gêneros, sendo que o feminino mostrou maior
prevalência de maloclusões do que o gênero masculino. Foi possível observar que houve mais
sujeitos em classe II do que nas demais, não houve diferenças estatisticamente significantes
considerando as classes de Angle e entre as síndromes (p>0,05). Entretanto, os indivíduos com
mordida cruzada posterior, cruzada e com mordida aberta e cruzada apresentaram maior idade do
que aqueles com mordida aberta ou sem alterações de mordida. Aqueles com mordida aberta
também tinham idade maior do que aqueles sem desvio de mordida. Os indivíduos com deficiência
física ou mental apresentaram maior idade do que aqueles com outras síndromes. Aqueles com
paralisia cerebral apresentaram menor idade do que aqueles com outras síndromes. De uma
maneira geral, houve maior proporção de mordida aberta e/ou aberta/cruzada do que sujeitos com
mordida cruzada e/ou cruzada posterior. A análise das proporções das síndromes mostrou que
houve mais sujeitos com mordida aberta naqueles com paralisia cerebral do que nas demais
síndromes.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 22-22
22
• MESTRADO •
D161
ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DA CLOREXIDINA, DO ÓLEO DE
MELALEUCA (Melaleuca alternifolia) E DO ALHO (Allium
sativum) SOBRE O BIOFILME BACTERIANO INDUZIDO EM
BRACKETS ORTODÔNTICOS
Adilson Damasceno Figueiredo
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
O objetivo do estudo foi analisar a atividade antimicrobiana da clorexidina, do óleo de melaleuca
(Melaleuca Alternifolia), e do alho (Allium Sativum) sobre a aderência do biofilme formado em “brackets”
ortodônticos fixados em esmalte de dentes bovinos. Foram cortados 250 dentes para a confecção dos
corpos de prova para a colocação dos “brackets” ortodônticos no esmalte. Os corpos de prova foram
fixados em tubos de poliestireno esterilizados, ficando em contato com o meio de cultura (BHI + 1%
sacarose) somente a face vestibular do esmalte dental com o ”bracket". Foi feito o inóculo de 1,0 x 108
ufc/mL nos tubos, os quais foram incubados, em triplicatas, por 18h, a 37° C e 10% de CO2. Após esse
período os meios de cultura foram trocados por um novo contendo concentrações finais de clorexidina,
melaleuca e alho a concentrações : 2% ,1%, 0,5%, 0,25%, 0,12%, 0,05%, 0,025% e 0,0125%. Em cada
bateria de teste foram utilizadas novas soluções de ambas as drogas, 7,5 ml meio de cultura 0,5 ml
substância e 80 uL em 8 mL. Após 18h de incubação nas mesmas condições, os “brackets” foram
sonicados em soro, submetidos à leitura de espectrofotometria a 660nm e comparados com o crescimento
dos tubos de controle positivo (soro+bactéria). Assim como a clorexidina, as concentrações avaliadas de
melaleuca e alho inibiram o crescimento bacteriano nos corpos de prova, mesmo nas menores
concentrações. Conclusão:Diante do modelo de estudo utilizado, o óleo de Melaleuca alernifolia e o extrato
de alho demonstraram ter uma atividade antimicrobiana eficaz na diminuição do biofilme induzido em
“brackets” ortodônticos.
D062
D163
LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE MALOCLUSÃO DE ANGLE,
EM ESCOLARES DE 9 A 12 ANOS DE IDADE, DA CIDADE DE
ALFENAS – MG
D062
D162
PREVALENCIA DE MALOCLUSÃO EM ESCOLARES DE 12 A 14
ANOS DA REDE PUBLICA E PARTICULAR NA CIDADE DE
ADAMANTINA (SP)
Willian Ricardo Baraldi Borro
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência das maloclusões de classes I, II e III na
Cidade de Adamantina (SP) em estudantes de 12 a 14 anos de idade. Foram avaliados 255
estudantes, de ambos os gêneros nas próprias escolas quanto à presença e prevalência de
maloclusão, segundo a classificação de Angle (1899), com a utilização de espátula de
madeira, sendo selecionados 225 indivíduos. Dentre os escolares participantes, 79%
pertencem a rede pública de ensino e 21% à rede particular de ensino. Foram eliminados os
que usavam algum aparelho ortodôntico, obtendo-se um total de 90% de portadores de
algum tipo de maloclusão. Dentre estes, 52,6% (134) apresentavam maloclusão de Classe I,
39,2% (99) com maloclusão de Classe II, 8,2% (22) com maloclusão de Classe III. Tomandose por base os resultados verificados mediante a análise dos estudantes participantes do
estudo observou-se a preponderância da Classe I de Angle, sem diferença significativa entre
os gêneros masculino e feminino (p>0,05). Conclui-se que os escolares de Adamantina
apresentaram alta prevalência de maloclusão, em índice superior à media descrita nos
estudos analisados, sendo que o gênero não influenciou na prevalência de maloclusão.
D062
D164
AVALIAÇÃO CEFALOMÉTRICA DAS ALTERAÇÕES
TEGUMENTARES PROMOVIDAS PELO USO DO APARELHO DE
PROTRAÇÃO MANDIBULAR TIPO IV
João Humberto Swertes Salgado
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
André Luiz Campos dos Santos
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
As maloclusões constituem um problema de saúde bucal evidente e por isso têm sido objeto de vários estudos,
que por sua vez, são importantes ferramentas para o conhecimento das necessidades de diagnóstico e
tratamento. O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência de maloclusões de Classe I, Classe II e
Classe III em uma amostra constituída de 407 crianças, na faixa etária de 9 a 12 anos, matriculadas
regularmente em escolas públicas do município de Alfenas, Minas Gerais. Foram realizados exames clínicos
por um mesmo avaliador, e foi utilizada a classificação de Angle. A amostra foi composta por 227 (55,8%)
voluntários do gênero feminino e 180 (44,2%) do gênero masculino, não havendo diferença significativa entre
os gêneros (p=0,3178). A maloclusão esteve presente em 359 estudantes, 88,2% da amostra. Foi revelado
que a Classe I obteve o maior índice (71,5%), seguida da Classe II (12,8%) e por último a Classe III (3,9%). Em
relação aos gêneros, o feminino mostrou a prevalência de 70% para a Classe I, 12,3% para a Classe II, 4,4%
com Classe III e 13,2% dos estudantes em oclusão normal e o masculino mostrou 73,3% de Classe I, 13,3% de
Classe II, 3,3% com Classe III e 10% com oclusão normal. Os resultados obtidos permitiram concluir que a
maioria dos alunos tem boa relação molar, entretanto, há uma elevada freqüência de maloclusões, porém sem
diferença estatisticamente significantes entre os gêneros. Concluiu-se que os resultados sugerem a inserção
da ortodontia preventiva e da ortopedia na atenção primária de assistência à saúde , assim como, educar
ampliando a visão da população na perspectiva de sensibilização dos profissionais para amenizar os efeitos
deste agravo de saúde.
Este estudo objetivou avaliar as alterações cefalométricas tegumentares do tratamento da
maloclusão de Classe II, por retrusão mandibular. Indivíduos de ambos os gêneros utilizaram
aparatologia fixa em associação com Aparelho de Protração Mandibular do tipo IV para correção
da maloclusão. A amostra foi composta de 27 indivíduos sendo 18 do gênero feminino e 9 do
masculino com idade média de 13,5 anos e tratados por um período médio de 2 anos e 5 meses.
Foram utilizadas telerradiografias em norma lateral, iniciais e ao final do tratamento para efeito de
comparação das medidas Anl, Aml, H.NB, PtVperp-Li, PtVperp -Ls, PtVperp -Pog`, H-nariz, Nperp
-Pn. A análise dos dados revelou que não houve diferenças estatisticamente significantes
(p>0,05) entre as idades e gêneros não interferindo com as variáveis do estudo. As medidas Anl,
PtVperp-Ls, PtVperp-Li, Nperp-Pn E PtVperp-Pog` não sofreram alterações em função do
tratamento empregado. As medidas Aml e H-Nariz sofreram aumento com o tratamento e H.NB
revelou significante diminuição de suas medidas (p<0,05). Concluiu-se que o APM IV produziu
efeitos positivos de aumento Aml e de H-Nariz, de modo que a terapia empregada foi efetiva no
tratamento da maloclusão, apresentando resultados satisfatórios.
D165
D062
PREVALÊNCIA DAS ANOMALIAS DE DESENVOLVIMENTO
DENTÁRIO EMRADIOGRAFIAS PANORÂMICAS DE PACIENTES
SUBMETIDOS A TRATAMENTO ORTODÔNTICO
D062
D166
RADIOGRAFIA PANORÂMICA NA PESQUISA DE PLACAS
CALCIFICADAS DE ATEROMA NA BIFURCAÇÃO DAS ARTÉRIAS
CARÓTIDAS
Thajla Maria Aguiar de Azevedo
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Luiz Alexandre Thomaz
Ney Soares de Araújo
Radiologia Odontológica e Imaginologia
As anomalias dentárias resultam de desvios do processo normal de crescimento, desenvolvimento e
diferenciação celular. Ocorrem devido a fatores ambientais, genéticos ou como manifestações de
distúrbios sistêmicos. As anomalias são distúrbios severos, mas nem sempre elas interferem na
função. Este estudo teve por objetivo principal verificar a prevalência das anomalias dentárias
observadas em radiografias panorâmicas de pacientes submetidos a tratamento ortodôntico na
Clínica IOB em São Luís (MA). Foram avaliadas 290 radiografias panorâmicas, prévias para início de
tratamento ortodôntico, as quais estavam dentro do padrão de qualidade aceito para o diagnóstico.
Os resultados mostraram que das 290 radiografias panorâmicas analisadas, 290 sujeitos
participaram do estudo, dos quais 203 (70%) eram do sexo feminino. Desse total observou-se
prevalência de anomalias em 24 (8,3%) dos casos. O tipo de anomalia mais prevalente foi a
anodontia (45,8%), seguida da macrodontia (25%), e as demais anomalias (supranumerário,
microdontia, conoides e transposição) apresentaram prevalência similar. Concluiu-se que a
radiografia panorâmica constitui-se um instrumento que, ao se associar à anamnese é capaz de
diagnosticar as anomalias dentárias. A maioria da amostra estudada pertencia ao gênero feminino,
no qual houve predominância de anomalias com um total de 15 (7,4%) desse segmento.
Neste trabalho foi pesquisada a relação da imagem radiográfica de ateromas calcificados de
artérias carótidas (ACAC) e fatores de risco para aterosclerose (idade, hipertensão, diabetes,
dislipidemia) já que morte e complicações de saúde em decorrência de acidentes vasculares
cerebrais estão entre as principais causas mundiais. Foi avaliada a incidência de imagens
sugestivas de ACAC em 500 radiografias panorâmicas de pacientes com idade igual ou superior a
55 anos, correlacionadas com tabagismo, etilismo e morbidades de risco para ateromatose. A
incidência de imagens sugestivas de ACAC foi de 3,8% do total da amostra e a probabilidade de
ateroma calcificado acontecer em pacientes com essas morbidades foi duas vezes maior que os
sem doença (Teste Risco relativo). O reconhecimento de imagens sugestivas de ACAC através
da radiografia panorâmica por Cirurgiões-Dentistas mesmo não sendo o exame complementar
mais indicado para esta alteração cria a oportunidade de encaminhamento destes pacientes para
avaliação médica específica.
D062
D167
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE DOIS DISPOSITIVOS INTRABUCAIS
NO CONTROLE DA DTM MUSCULAR
D168
D062
AVALIAÇÃO DA POSIÇÃO DO OSSO HIÓIDE COM A LINHA PTERIGÓIDEA
VERTICAL, EM INDIVÍDUOS D MALOCLUSÃO DE CLASSE II, DIVISÃO 1ª. DE
ANGLE, NO TRATAMENTO INTERCEPTATIVO
Yolanda Maria Almeida Camargo Mingatto
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
Júlio César Vaz de Melo
Ricardo Raitz
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia de dois dispositivos intrabucais no controle da DTM
muscular. Foram selecionados 13 pacientes com DTM muscular, segundo os critérios de diagnóstico
do protocolo “Research Diagnostic Criteria” (RDC/TMD), na clínica do Centro de Pesquisas
Odontológicas São Leopoldo Mandic, Campinas-SP. Cada voluntário preencheu um diário de dor
durante 180 dias. Após 30 dias de preenchimento do diário de dor, foi instalado um dispositivo
interoclusal sem recobrimento oclusal e o paciente fez uso deste durante 60 dias. Este dispositivo foi
removido e durante 30 dias não usou nada, só preencheu o diário de dor. Após este período, foi
instalado dispositivo tipo placa estabilizadora Universidade de Michigan por mais 60 dias. As regiões
avaliadas foram a face, cabeça e pescoço e o resultado da dor classificados em fraca, moderada e
forte de acordo com a Escala Visual Numérica. Para análise dos dados foi usado o teste de Friedman
e o pós-teste de Dunn (α=5%). Os dados obtidos mostraram que houve diferença estatisticamente
significante entre o início do tratamento (T0) e o final do tratamento (T3),ou seja, após o uso da placa de
Michigan, para todas as regiões estudadas. O uso da placa sem recobrimento oclusal apresentou
melhora significante, embora não tenha apresentado diferença estatisticamente significante. O uso
da placa de Michigan apresentou uma melhora na sintomatologia dolorosa e também uma diferença
estatisticamente significativa. Não houve diferença estatisticamente significante entre as duas
placas.
Após a análise dos resultados, concluiu-se que: o estudo mostrou que
em relação à posição do osso hióide e a linha PTV não houve diferenças
estatisticamente significantes entre os valores encontrados à direita e à
esquerda.Quanto aos gêneros masculino e feminino, houve diferenças
estatisticamente significantes entre os valores obtidos à direita e à
esquerda, sendo que os valores mais elevados foram encontrados no
gênero masculino.Com relação à idade, não houve diferenças
estatisticamente significantes entre os valores encontrados à direita e à
esquerda, obtidos dos pacientes com idades menores ou iguais à
mediana das idades e pacientes com idades superiores à mediana das
idades.Os resultados permitiram concluir que o osso hióide mantém uma
posição estável para garantir as proporções corretas das vias aéreas.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.23-23
23
• MESTRADO •
D169
AVALIAÇÃO CLÍNICA DA MANUTENÇÃO DO VOLUME DE
ALVÉOLOS DENTÁRIOS HUMANOS PREENCHIDOS COM OSSO
COMPOSTO DE ORIGEM BOVINA
ANÁLISE COMPARATIVA DA ADAPTAÇÃO DE PILARES TIPO UCLA EM
ESTRUTURAS FUNDIDAS EM MONOBLOCOS PROVENIENTES DE ABUTMENTS
COM CINTAS DE COBALTO-CROMO E TOTALMENTE CALCINÁVEIS
UTILIZANDO DIFERENTES LIGAS DE CO-CR E NI-CR-TI
Sumaia Ahmad El Zoghbi
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Vail Natale Junior
Paulo Sérgio Perri de Carvalho
Implantodontia
O objetivo deste estudo foi avaliar em humanos a manutenção do volume alveolar após o preenchimento do alvéolo,
pós exodontia, com osso composto de origem bovina. Materiais e Métodos: Foram triados e selecionados 43
indivíduos, de ambos os gêneros, de etnias, entre 18 e 45 anos com padrão de saúde ASA I. Critérios de Exclusão
foram: idade incompatível, comprometimento sistêmico, lesões periapicais ou periodontais, reabsorção de uma ou
mais paredes alveolares, gestantes e fumantes. Foram executadas 43 extrações de dentes unirradiculares, e os
indivíduos foram divididos em 2 grupos: grupo de indivíduos enxertados (GE) e grupo controle (GC), sendo: GE=13
maxila e 10 mandíbula GC= 10 maxila e 10 mandíbula. Em ambos os grupos GE e GC, após exodontia minimamente
traumática os alvéolos foram curetados e medidos nas maiores distâncias MD (mésio distal) e VL/P (vestíbulo
lingual/palatina). A síntese no GC foi realizada com um tampão fibromucoso obtido da região retro molar superior. No
grupo GE foi feito o preenchimento com enxerto ósseo de origem bovina e a síntese realizada com tampão
fibromucoso obtido da região retro molar superior. Após 120 dias do reparo alveolar, foram realizadas as cirurgias de
reabertura e as medidas foram obtidas sempre obedecendo a maior distancia entre as paredes MD e VL/P.
Resultados : A média total das medidas obtidas no diâmetro MD e VL/P dos grupos GE e GC na maxila e na mandíbula
(N=43). No GC (N=19) para as medidas MD verificou-se a diferença de 4,97% e 7,01% nas medidas VL/P, sendo para
o GE (N=24) para as medidas verificou-se a diferença de 1.62% MD e 3,29% nas medidas VL/P. Somente entre as
variáveis analisadas, Local VP, GC, Maxila, houve diferença estatística significante (p<0,05). Conclusão: É possível
concluir que: a remodelação no sentido vestíbulo lingual é mais acentuada na maxila em relação a mandíbula e que o
osso composto limita mas não impede a remodelação alveolar.
D171
D062
D170
D062
AVALIAÇÃO DA MICRODUREZA INTERNA DE CAVIDADES
RESTAURADAS COM DIFERENTES TIPOS DE CIMENTO DE
IONÔMERO DE VIDRO E RESINA COMPOSTA APÓS CICLAGEM DE PH
Apesar do grande desenvolvimento das próteses sobre implantes ainda encontramos diversos problemas na adaptação
dos componentes protéticos aos implantes, principalmente em componentes protéticos fundidos em laboratório. É o caso
dos pilares tipo UCLA que são utilizados diretamente nos implantes e estão disponíveis pré-fabricados em titânio,
totalmente calcináveis ou com a base de assentamento metálica e o corpo calcinável. O presente trabalho teve como
objetivo comparar a adaptação de pilares tipo UCLA totalmente calcináveis ou com base de assentamento em CobaltoCromo e corpo calcinável fundidos em monobloco com ligas de Co-Cr e Ni-Cr Ti simulando uma prótese fixa de três
elementos. Foram utilizados 30 pilares tipo UCLA que foram divididos em três grupos: grupo 1 UCLAS com base de
assentamento em Co-Cr fundidos em Co-Cr (Kera 501 ), grupos 2 e 3 UCLAS totalmente calcináveis fundidos com Co-Cr e
Ni-Cr-TI (Tilite Star ) respectivamente. Após as fundições, as desadaptações dos componentes protéticos aos implantes
foram mensuradas utilizando um esteriomicroscópio óptico comparador (S8APO, Leica, Alemanha) utilizando o teste do
parafuso único e com todos os parafusos apertados com torque de 20 N/cm2. Os resultados foram submetidos à análise
estatística por meio de Teste "t"de Student, análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey com nível de significância de
5%. Não foi encontrada diferença estatisticamente significante (p> 0,05) na adaptação dos pilares totalmente calcináveis
comparados aos com base de assentamento em Co-Cr se considerados as faces separadas dos pré-molares e molares,
entretanto quando avaliados os dentes pré-molares e molares independentes das faces, foi encontrada melhor adaptação
dos pilares com base de assentamento metálico (p=0,0378 e p= 0,0008) em ambos os dentes. Em relação às ligas
metálicas utilizadas, não houve diferença significante em nenhuma das situações estudadas, com exceção do molar que
obteve melhor adaptação nos casos em que foi utilizado o pilar UCLA com base de assentamento metálico e sobrefundido
em liga de Co-Cr (p=0,004).
D172
D062
AVALIAÇÃO DA PREVALÊNCIA DE EXTENSÕES ANTERIORES
DOS SEIOS MAXILARES POR MEIO DE TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA POR FEIXE CÔNICO
Soraya Quagliato Nogueira
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
Roberta Mansur Caetano
Fabrício Passador Santos
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a microdureza interna de cavidadesrestauradas com diferentes cimentos deionômero de vidro e resina
composta após desafio cariogênicocom ciclagem de pH. Foram selecionados 40 dentes terceiros molares,sendo realizadas 80 cavidades
Classe V (2,0 mm de profundidade e 2,0 mm de diâmetro) na região da junção amelo-cementária, tanto nas faces vestibulares quanto nas
linguais. Em seguida foram divididas em oito grupos experimentais(n=10): G1 - Resina composta fotopolimerizável (Z350 3M-ESPE); G2 Cimento de Ionômero de Vidro para Restauração (Vidrion R®- SSWHITE); G3 - Cimento de Ionômero de Vidro Modificado por Resina
(Vitremer® - 3M-ESPE); G4 - Cimento de Ionômero de Vidro contendo Antimicrobianos (Farmácia Fórmula & Ação®) e os grupos G5 a G8
foram restaurados com os mesmos materiais; porém, foram submetidos as ciclagens de pH por ciclos. Para a realização do ensaio de
microdureza interna, as restaurações foram seccionadas no sentido vestíbulo lingual e embutidas em resina de poliester. As superfícies foram
polidas com lixa de granulação 1200 em máquina politriz Aropol 2V (Arotec), e o teste de microdureza dureza Knoop foi realizado no
microdurômetro digitalmarca Pantec, modelo HVS-1000,com 10g de carga por 5s. Em cada amostra foram realizadas dezoito indentações,
sendo nove indentações em esmalte e nove indentações em dentina, em diferentes profundidades (20, 40 e 60 µm) e distâncias (100, 200 e
300 µm). Os dados foram submetidos aos Testes Anova em parcela subsub dividida e Tukey. Os resultados demonstraram que tanto para
esmalte como para dentina não houve diferença estatisticamente significativa entre os materiais estudados – esmalte (p=0,8534) e dentina
(p=0,8589). Os grupos que foram submetidos à ciclagem de pH apresentaram menor microdureza em todas as distâncias e profundidades
(esmalte e dentina; p˂0,0001). No esmalte, o cimento de ionômero de vidro convencional e a resina não apresentaram diferença entre as
No terço médio da face localizam-se os seios paranasais, dentre eles, os seios maxilares são os
maiores. Eles estão presentes ao nascimento, crescem até a puberdade até que todos os dentes
permanentes tenham irrompido, por processo fisiológico conhecido como pneumatização. Podem
apresentar extensões para o rebordo alveolar, região anterior, tuberosidade da maxila, palato, osso
zigomático e região orbitária. A formação de septos ósseos, transversais, sagitais e oblíquos, dentro
do seio é frequentemente notada. A tomografia computadorizada por feixe cônico proporciona uma
avaliação precisa da localização dos seios maxilares, importante no planejamento cirúrgico para
instalação de implantes dentários. Esse estudo teve como objetivo avaliar a prevalência da extensão
anterior dos seios maxilares, em pacientes de ambos os gêneros e diferentes faixas etárias, por meio
da tomografia computadorizada por feixe cônico. A amostra foi composta por 200 tomografias, 116
pertencentes ao gênero feminino e 84 ao masculino, totalizando 400 seios maxilares avaliados,
12,5% apresentaram extensão anterior (50 seios), 96% estendendo até caninos (48 seios) e 4% até
incisivos laterais (2 seios). Em 66% dos pacientes com extensão anterior, essa se apresentava
bilateralmente. Segundo o Teste Qui-Quadrado utilizado não houve diferença estatisticamente
significante com relação ao gênero e idade.
distâncias e profundidades (p˂0,05) e na dentinatodos os materiais apresentaram maior média de microdureza na distância 100 µm, seguido
de 200 µm e 300 µm (p˂0,05), independente da ciclagem de pH. Concluiu-se que ciclagem de pH influenciou negativamente os valores de
microdureza interna de todos os materiais, independente do substrato dental.Para esmalte, nenhum material foi capaz de impedir a
desmineralização ao redor das restaurações em esmalte e dentina, porém apresentaram maior inibição da desmineralização nas margens
mais próximas à dentina.
D062
D173
ANÁLISE DA CAPACIDADE ANTIMICROBIANA DOS
MEDICAMENTOS UTILIZADOS PARA OBTURAÇÃO ENDODÔNTICA
DE DENTES DECÍDUOS
D174
D062
ESTUDO DAS PROPRIEDADES ELÁSTICAS DOS SILICONES DE
ADIÇÃO E CONDENSAÇÃO POR MEIO DE UM ELASTICÍMETRO
Raquel Diniz Arantes de Carvalho
Gabriela Azevedo de Vasconcelos Cunha Bonini
Odontopediatria
Rodrigo Almeida da Costa
Raquel Virgínia Zanetti
Prótese dentária
Devido às características anatômicas dos dentes decíduos e seu processo de rizólise, o tratamento
pulpar deve ser realizado com materiais que atendam a alguns requisitos, entre eles a ação
antimicrobiana. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a capacidade antimicrobiana da pasta GuedesPinto (PGP), Hidróxido de Cálcio (HC), CTZ, Formocresol e MTA por meio do método de difusão em ágar.
Para o teste de difusão em ágar, foram utilizadas seis placas de Petri com 20 ml de BHI ágar para cada
paciente, tendo sido inoculadas com a suspensão microbiana (escala 0.5 de McFarland) oriunda dos
condutos radiculares de dentes com polpa necrosada. Foram feitas cavidades com um anel de cobre
estéril que foram preenchidas com as pastas obturadoras, controle positivo (Clorexidina 0,12%) e
negativo (Soro Fisiológico). Os procedimentos foram realizados em triplicata. As placas ficaram
incubadas em ambiente anaeróbico a 37ºC por sete dias. As zonas de inibição foram mensuradas em
milímetros pelo método visual por um único avaliador. Realizou-se a análise estatística utilizando a
análise descritiva e o teste de Kruskal-Wallis. A pasta CTZ foi a que apresentou maior efeito inibitório em
relação a PGP, MTA e HC (p<0.05). A pasta de HC teve melhor desempenho quando comparada com o
Formocresol e MTA (p<0.05). Com base na metodologia utilizada, concluiu-se que, dentre os
medicamentos testados nesse estudo, a pasta CTZ apresentou maior capacidade antimicrobiana sobre
a microbiota de dentes decíduos com polpa necrosada.
Os silicones de Adição e Condensação têm sido cada vez mais utilizados em moldagens na
odontologia, devido sua excelente recuperação elástica, boa capacidade de reprodução e pouca
alteração dimensional. Neste contexto a propriedade elástica do material, em relação aos tempos de
trabalho e de presa é fundamental na orientação do profissional. Para determinação da capacidade
de recuperação elástica dos materiais, foi utilizado o Elasticímetro de Muench, que permitiu observar
esta característica de 6 diferentes materiais, frente a 2 valores de deformação e em tempos distintos.
Foram estudados 2 grupos de elastômeros, sendo 4 silicones de adição e 2 de condensação. Os
materiais foram rastreados, avaliando o grau de recuperação elástica e da ordem de deformação, em
função do tempo, desde o início da mistura. Frente o nível de deformação de 6%, os 6 materiais
estudados apresentaram resultados desejáveis no tempo de 6 minutos, enquanto que no nível de
12% de deformação os silicones de adição alcançaram o objetivo entre o tempo de 4 e 6 minutos. O
material que apresentou melhor desempenho foi o silicone de adição Flextime tempo de 4 minutos.
Os silicones de condensação não apresentaram desempenho satisfatório até o tempo de 9 minutos
com o nível de 12% de deformação.
D062
D175
AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA NA ÁREA DE
ODONTOLOGIA EM SAÚDE COLETIVA
D062
D176
AVALIAÇÃO DE TRÊS PROTOCOLOS DE AQUISIÇÃO DE TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA POR FEIXE CÔNICO UTILIZADOS PARA CONFECÇÃO
DE MODELOS DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA
Poliana Poian Souza
Flávia Martão Flório
Saúde Coletiva
Paola Fernanda Leal Corazza
Fabrício Passador Santos
Radiologia Odontológica e Imaginologia
A reunião anual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO) é o mais
importante encontro nacional de pesquisadores e já se consagra como a maior sociedade
científica em pesquisa odontológica da América do Sul. O objetivo deste estudo foi determinar
o perfil das pesquisas realizadas na área de Odontologia em Saúde Coletiva dos trabalhos
publicados nos Anais da SBPqO nos anos de 1999 a 2009. Para a seleção da amostra,
realizou-se uma avaliação prévia de todos os 22388 resumos dos quais 3061 (13,7%)
pertenciam à área de Odontologia em Saúde Coletiva. Os trabalhos foram classificados
quanto ao domínio temático, à região do país, ao tipo de instituição pública ou particular, ao
tipo de estudo e ao recebimento de fomento. Após tabulação e análise dos dados notou-se
que a categoria Epidemiologia foi a de maior prevalência 60,8% (n= 1861); a região Sudeste
concentrou o maior número de trabalhos 68,3% (n= 2091); e as instituições públicas foram as
que mais participaram da reunião 75% (n=2315). Quanto ao tipo de metodologia empregada,
observou-se que os trabalhos com humanos se destacaram com 71,3% (n= 2182) de todos
os analisados. Apenas 24,6% (n=754) dos trabalhos apresentados referiram fomentos
científicos. Concluiu-se que a participação da Odontologia em Saúde Coletiva nos dez anos
estudados foi crescente, havendo uma discrepância inter regional na produção dos trabalhos
na área de saúde coletiva.
O objetivo deste estudo foi comparar três protocolos de aquisição da Tomografia
Computadorizada por Feixe Cônico utilizados para confecção de modelos de
prototipagem rápida, avaliando se a presença do tecido mole e os protocolos de aquisição
de imagem com diferentes tamanhos de voxel influenciam na acurácia da imagem que
reproduziu a estrutura anatômica. Para o experimento, utilizou-se uma mandíbula suína
no seu estado fresco e seco possibilitando assim uma comparação direta das imagens
obtidas. O escaneamento foi realizado pelo tomógrafo i-CATTM (Imaging Sciences
International, EUA) usando-se os protocolos FOV de 20 cm, na aquisição de 40s (voxel de
0,4 mm), FOV de 13 cm, na aquisição de 20s (voxel de 0,3 mm) e FOV de 13 cm, na
aquisição de 40s (voxel de 0,25 mm). Para a aquisição do padrão ouro utilizou-se a
mandíbula seca recoberta por sulfato de bário com o protocolo de FOV de 13 cm, na
aquisição de 40s (voxel de 0,25 mm). De acordo com a metodologia aplicada observou-se
que existem diferenças significativas entre os protocolos usados mandíbula seca e fresca
com diferentes tamanhos de voxels com relação ao padrão ouro (p<0.05). Pode-se
concluir que mandíbula seca voxel 0.25 apresenta o melhor resultado quando comparado
aos demais métodos, tendo em vista que foi estatisticamente significante (p<0.05).
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.24-24
24
• MESTRADO •
D177
D062
AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA, EM SUBCUTÂNEO DE RATOS, DAS
SUBSTÂNCIAS HIDRÓXIDO DE CÁLCIO, CLOREXIDINA GEL A 2% E
ÓXIDO DE ZINCO E SUAS ASSOCIAÇÕES
D178
D062
COMPARAÇÃO DA EFETIVIDADE EX VIVO DE TRÊS
LOCALIZADORES FORAMINAIS : MINI ROOT ZX, PROPEX II E
ROOT ZXII
Mariana Amade Mendes Brazão
Adriana de Jesus Soares
Endodontia
Ludmilla Ciucci Borges
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
O objetivo deste estudo foi avaliar, in vivo, a biocompatibilidade das substâncias hidróxido de cálcio
(Ca(OH)2 ), clorexidina gel a 2% (CLX 2%) e óxido de zinco (ZnO), e os compostos formados da
associação destas substâncias. Foram utilizados 24 ratos Winstar adultos nos quais tubos de
polietileno com as substancias e compostos foram implantadas em seu dorso. As peças foram
removidos em 48 e 72 horas, 7 e 15 dias e preparadas para o processamento histológico. Observouse que no segundo dia que todas as substâncias e associações causaram uma resposta inflamatória
intensa. Após 72 horas, os compostos Ca(OH)2, CLX 2% e ZnO (2:1:2) e Ca(OH)2, CLX 2% e ZnO
(2:1:3) apresentaram redução do grau de inflamação. No sétimo dia, o tecido já se encontrava mais
organizado com a presença de fibras colágenas em todas substâncias e compostos. Verificou-se,
também, que aos 15 dias, o composto Ca(OH)2, CLX 2% e ZnO (2:1:2) mostrou áreas com ausência
de infiltrado inflamatório. O teste Anova One Way foi usado para os dados paramétricos, reparo
tecidual, e, o teste Kruskall Wallis, para os dados não paramétricos, grau de inflamação (p‹0,05).
Concluiu-se, dentro dos parâmetros deste estudo, que as substâncias e seus compostos mostraramse biocompativeis aos tecidos vivos.
O objetivo deste trabalho foi avaliar a precisão de três localizadores foraminais eletrônicos (Mini
Root ZX, Propex II e Root ZXII) na determinação da localização do forame apical. Foram
utilizados 40 dentes humanos, unirradiculares, extraídos por motivos diversos. Após o acesso
endodôntico, o comprimento real do dente foi mensurado visualmente introduzindo-se uma lima
K#10 até que sua extremidade pudesse ser observada no forame apical com auxílio de
microscópio operatório em um aumento de 8X e os dados foram anotados descontando 1 mm
deste valor. A seguir os dentes foram montados em uma base experimental de vidro, contendo
esponja vegetal embebida em soro fisiológico a 0.9%. O canal foi mensurado até o forame
principal, com o auxílio de cada localizador e descontado um milímetro na régua endodôntica e
posteriormente os dados foram registrados. Os resultados foram analisados estatisticamente
pelo teste de ANOVA complementado por Turkey e mostraram que não houve diferença
estatisticamente significante entre os aparelhos: 95% para o Mini root ZX, 82.5% para o Propex II
e 92.5% para o Root ZXII (p>0.05). Concluiu-se que os três aparelhos testados mostraram-se
eficientes e sem diferenças na determinação do forame e, por conseguinte, do comprimento de
trabalho.
D179
D062
AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DO PREPARO CERVICAL NA
ACURÁCIA DO LOCALIZADOR FORAMINAL EM DENTES DECÍDUOS
D180
D062
COMPARAÇÃO DAS RECONSTRUÇÕES PANORÂMICAS E DOS CORTES
TRANSVERSAIS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE FEIXE
CÔNICO PARA A INSTALAÇÃO DE IMPLANTES OSTEOINTEGRÁVEIS EM
REGIÃO POSTERIOR DE MANDÍBULA
Janderson Castro dos Santos
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Endodontia
André Sampaio Souza
Luciana Butini Oliveira
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O presente estudo avaliou a influência do preparo cervical na acurácia do localizador foraminal em dentes
decíduos. Dezenove molares decíduos com ausência de trincas e fissuras compuseram a amostra totalizando
60 raízes. Após a abertura coronária, o comprimento real dos dentes foi determinado através da visualização
de um instrumento 10k na região foraminal com auxilio de ampliação microscópica de 8x.Para a realização da
mensuração eletrônica com Root ZX II, os dentes foram incluídos em alginato espatulado com soro fisiológico.
Em uma segunda etapa, a mensuração eletrônica foi repetida após a realização do preparo cervical que foi
realizado com 3 diferentes técnicas: Técnica-1: Pré-alargamento com Gates Glidden (Dentsply Maillefer,
Ballaigues Suiça); Técnica-2: Pré-alargamento com La Axxess (SybronEndo, Glendora USA); Técnica-3: Préalargamento com sistema GT Hand Files (Dentsply, Tulsa Dental Specialties) associado a Gates Glidden
(Dentsply Maillefer, Ballaigues Suiça). A técnica de preparo escolhida para cada raiz foi realizada através de
sorteio (randomização).OS resultados foram submetidos à análise estatística de ANOVA. Não houve
diferenças estatisticamentesignificantes entre as medidas do método eletrônico e o visual independente da
realização ou não do preparo cervical (p>0.05). Pode-se concluir que o método eletrônico pode ser utilizado
para mensuração do comprimento de trabalho em dentes decíduo, e o preparo do terço cervical não
influenciou na acurácia do localizador foraminal, independente da técnica utilizada.
Na cavidade bucal, a região posterior de mandíbula é um dos sítios cirúrgicos mais afetados pela
reabsorção óssea decorrente da perda dos elementos dentários. O exame radiográfico pré-cirúrgico é
importante para a análise dos sítios onde serão colocados implantes dentários. O objetivo deste estudo foi
comparar as medidas encontradas nas reconstruções panorâmicas e cortes transversais da Tomografia
Computadorizada de Feixe Cônico entre o rebordo da crista alveolar e o canal mandibular em pacientes
com ausência dentária nessa região. A pesquisa foi realizada em 210 exames, divididos em três grupos:
Medida na reconstrução panorâmica (G1); Medida realizadas de forma reta nos cortes transversais (G2); e
medidas realizadas de forma angulada, acompanhando a inclinação do rebordo alveolar, nos cortes
transversais (G3). Observou-se diferença estatisticamente significante (p = 0,034) entre os valores de G1
com G2, sendo as médias e desvios padrões de 9,33 ± 3,16 e 9,79 ± 3,11 respectivamente. Entre G1 e G3,
de acordo com o teste Anova, também verificou-se diferença estatisticamente significante (p = 0,000) entre
as medidas obtidas. Os valores de média e desvio padrão apresentaram diferentes entre si com 9,33 ±
3,16 para G1 e 10,19 ± 3,04 para G3. Entre G2 e G3 não houve diferença estatística (p = 0,064) entre os
valores obtidos. Obteve-se a média e desvio padrão para o G2 foi de 9,79 ± 3,11 e para o G3 foi de 10,19 ±
3,04. Pode-se concluir que as medidas encontradas nas reconstruções panorâmicas e cortes transversais
da Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico entre o rebordo da crista alveolar e o canal mandibular
em pacientes com ausência dentária foram diferentes
D181
D062
PREENCHIMENTO ALVEOLAR COM DIFERENTES BIOMATERIAIS
ASSOCIADOS OU NÃO AO SELAMENTO ALVEOLAR COM ENXERTO
EPITELIZADO : ESTUDO EXPERIMENTAL EM CÃES
D182
D062
AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO DA FORÇA DE PALPAÇÃO DIGITAL
UTILIZADA NO EXAME CLÍNICO DE DISFUNÇÃO
TEMPOROMANDIBULAR E DOR OROFACIAL
Augusto Fernandes
Marcelo Henrique Napimoga
Periodontia
Camilo Massa Ferreira Lima
Antônio Sérgio Guimarães
Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial
O objetivo deste estudo foi avaliar em cães a manutenção do rebordo alveolar com a utilização de diferentes materiais de
preenchimento: matriz de colágeno, matriz óssea mineral bovina e hidroxiapatita, associados ou não a enxerto livre epitelizado
para selamento alveolar. Foram utilizados nove cães adultos, dos quais foram extraídos os terceiros e quartos pré-molares de
ambos os lados da mandíbula. Os alvéolos foram preenchidos em ambos os lados com matriz mineral bovina (Bio-Oss), matriz de
colágeno (CollaPlug), hidroxiapatita sintética (HAP-91). Um dos alvéolos de cada lado não foi preenchido (controle). O selamento
alveolar com enxerto epitelizado foi realizado em apenas um dos lados. Foram realizadas análises histológicas e radiográficas
dos alvéolos aos 15, 60 e 90 dias de pós-operatório. Para obtenção do material, foram realizadas biópsias excisionais. As
amostras foram analisadas qualitativamente em relação às características morfológicas. Os resultados mostraram que o Bio-Oss
foi mais efetivo em manter o rebordo alveolar em comparação ao Colla-plug ou apenas o coágulo. Observou-se uma concavidade
mais discreta no sentido mesio - distal entre o osso remanescente e a nova formação óssea, quando comparada com a dos
alvéolos preenchidos por colágeno ou apenas por coágulo. Além disso, observou-se um processo mais avançado de
regeneração com pouco tecido de granulação, sendo a maior parte do alvéolo preenchido por abundantes e espessas trabéculas
ósseas entremeadas pelas partículas do biomaterial. A hidroxiapatita mostrou-se semelhante ao Bio-Oss em todos os períodos,
porém após os 60 dias, não havia partículas do biomaterial nos alvéolos. A matriz de colágeno não se mostrou efetiva para a
manutenção alveolar, uma vez que se verificou uma concavidade no sentido mesio - distal entre o osso remanescente e a nova
formação óssea semelhante à dos alvéolos preenchidos apenas por coágulo e um processo de cicatrização mais lento com maior
numero de infiltrado inflamatório. A utilização do enxerto livre mostrou clinicamente, no período inicial, uma melhor cicatrização ou
manutenção dos alvéolos, porém a análise radiográfica e histológica não apresentaram benefícios em nenhum período
analisado, independentemente do material de preenchimento utilizado.
O objetivo deste estudo foi avaliar a calibração da força de palpação digital, bem como determinar a
variação intra-examinador e a força média aplicada por uma amostra composta de 56 profissionais em
estágio avançado do curso de Especialização e Mestrado em disfunção temporomandibular e dor
orofacial. Foi solicitado a cada participante que pressionasse o centro de uma balança digital com
certificação, sem visualizar o display, o valor que acreditasse ser correspondente à 1,0 kg e,
posteriormente, a 0,5 kg, recomendados pelo protocolo de exame físico do Eixo I do Research Diagnostic
Criteria for temporomandibular disorder. Eram considerados calibrados aqueles que aplicassem a força
correta, aceitando-se uma variação de 20% (entre 400 g e 600 g para o menor valor e 800 g a 1.200 g para
o maior valor), em 4 das 5 aferições realizadas. Na análise dos dados foi utilizado o teste t-Student e
obtidas distribuições absolutas, percentuais, média, mediana e desvio padrão com margem de erro de 5%.
Em virtude dos resultados obtidos, pode-se concluir que: (1) 70% da amostra foi classificada como não
calibrada para a força de 0,5 kg; para o peso de 1,0 kg, 57% dos participantes também não estavam
calibrados; (2) A variação média intra-examinador de 0,31 kg para o peso de 0,5 kg e 0,6 kg para o de 1,0 kg
foram consideradas altas; e (3) A força média aplicada pelos participantes (716,9 g e 1.430 g) foi maior que
o recomendado pelo RDC/TMD, entretanto encontra-se de acordo com a tendência em aplicar valores
mais altos, como entre 1,0 kg e 1,5 kg, validado em estudo recente.
D183
D062
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO DE PACIENTES QUE
SUBSTITUÍRAM PRÓTESES PARCIAIS REMOVÍVEIS POR
PRÓTESES IMPLANTOSSUPORTADAS
D184
D062
ANÁLISE IN VITRO DA DIMENSÃO VERTICAL DE OCLUSÃO COM RESINA
ACRÍLICA ATIVADA TERMICAMENTE EM MICRO-ONDAS UTILIZANDO
QUATRO DIFERENTES TEMPOS DE ESPERA NA PRENSA HIDRÁULICA
Emílio Cristiano Farias Araújo
Fabiana Mantovani Gomes França
Implantodontia
Fernando Thalheimer Bacchi
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
O presente trabalho de pesquisa objetivou avaliar o grau de satisfação os pacientes
em relação aos fatores estéticos e funcionais, após terem substituído suas próteses
parciais removíveis por próteses implantosuportadas. Um grupo de 53 pacientes foi
selecionado e informações relacionadas a satisfação com a estética da prótese,
funcionalidade e atuação da mesma na auto-estima dos pacientes foram coletadas por
meio de um questionário específico sobre alguns aspectos do tratamento quanto à
estética, funcionalidade e melhorias relativas a auto-estima e segurança. Os
resultados foram submetidos à análise descritiva e demonstraram alto índice de
satisfação estética e funcional dos pacientes em relação a reabilitação substituída e na
maior parte dos casos o desempenho das funções satisfatório.
Este trabalho avaliou a dimensão vertical de oclusão, levando-se em consideração
quatro diferentes tempos de espera na prensa hidráulica para a polimerização com
a resina acrílica ativada termicamente para micro-ondas Vipi Wave. Foram
confeccionados 40 corpos de prova, compostos pelo conjunto modelo de
gesso/prótese total superior em cera, divididos em 4 grupos (n:10), de acordo com
os tempos de espera na prensa: grupo 1 - 15 minutos; grupo 2 - 3h; grupo 3 - 6h;
grupo 4 - 12h. Para a acrilização foi utilizado um forno de micro-ondas de 900W com
ciclo de 10 minutos a 30% de potência, 5 minutos a 0% de potência e 10 minutos a
40% de potência. A alteração da DVO foi obtida através da diferença das
mensurações das mesmas, antes e depois da polimerização, com o auxílio de
relógio comparador micrométrico. Após a análise estatística através de ANOVA e
teste de Tukey, o tempo pós-prensagem de 12h foi o que proporcionou a menor
alteração da DVO dentre os 4 grupos e apresentou diferenças estatisticamente
significantes quando comparado ao grupo 1.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.25-25
25
• MESTRADO •
D185
D062
ESTUDO DO COMPORTAMENTO BIOMECÂNICO DE PRÓTESES PARCIAIS
REMOVÍVEIS CLASSE I DE KENNEDY ASSOCIADAS A QUATRO
DIFERENTES COROAS FRESADAS. ANÁLISE FOTOELÁSTICA
D186
D062
ANÁLISE COMPARATIVA IN VITRO DA RETENÇÃO DE DOIS
SISTEMAS DE BARRA/CLIPE PLÁSTICOS UTILIZADOS EM
OVERDENTURE
Paulo Takeji Moriya
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Eduardo Cinel Agostineli
Artemio Luiz Zanetti
Prótese Dentária
Esta pesquisa realizou, através da análise fotoelástica, o estudo do comportamento biomecânico de próteses
parciais removíveis classe I de Kennedy associadas a quatro diferentes coroas fresadas. Foram utilizados quatro
modelos de resina epóxica, que simularam uma arcada mandibular parcialmente edêntula com presença do primeiro
pré-molar do lado direito ao primeiro pré-molar do lado esquerdo. Foram realizadas próteses seguindo quatro
diferentes planejamentos de coroas protéticas associadas à prótese parcial removível (PPR). A seguir foi aplicada
uma sequência de cargas de cada lado dos corpos de prova, e as franjas resultantes foram observadas no lado de
trabalho e no lado de não trabalho em um fotoelasticimetro. Após avaliação dos resultados concluiu-se que: a) o
planejamento de PPR com coroas protéticas providas de descanso oclusal mesial em primeiros pré-molares e
descanso em cíngulo de caninos proporcionou as menores tensões nas raízes dos dentes-suportes primários e
secundários. As maiores tensões nas raízes do dente-suporte primário (primeiro pré-molar) e dente-suporte
secundário (canino) ocorreram naqueles planejamentos de PPR nos quais foram confeccionadas coroas fresadas
com degrau cervical nos respectivos dentes; b) todos os planejamentos de PPR associadas a coroas fresadas com
degrau cervical resultaram em maiores tensões nas raízes dos dentes-suportes primário e secundário quando
comparado ao planejamento que simulou a realização de planos-guias em esmalte de dentes hígidos; c) o
procedimento de ferulização através da soldagem de duas coroas fresadas com degrau cervical não uniformizou a
distribuição das tensões nos dentes-suportes, nem diminuiu a intensidade das mesmas; d) não foi possível observar
tensões significativas no lado de não trabalho ao se aplicar cargas verticais do lado de trabalho em qualquer um dos
quatro planejamentos avaliados.
O presente trabalho teve como objetivo avaliar a capacidade retentiva de quatro sistemas
de encaixes para overdenture do tipo barra/clipe: CNG Amarelo; CNG Vermelho; CNG
Bege e Conexão. E testados em função com ciclo simulados de inserções e remoções, do
início, seis meses, um ano, dois anos, três anos, quatro anos e cinco anos de uso. Para
realização dos testes de inserção e remoção dos corpos-de-prova foi construída uma
máquina cíclica que permite realizar movimentos verticais, a qual, por meios de um contagiros, registrava o número de ciclo. Com o auxílio de uma máquina de ensaios Universal
(EMIC), realizou-se a remoção dos corpos-de-prova, à uma velocidade de 0,05 mm/min,
onde foi possível determinar a quantidade de retenção expressos em Kgf dos 4 grupos de
barra/clipe. De acordo com os resultados, este experimento pôde concluir que houve
perda de retenção dos quatro grupos de barra/clipe estudados, porém o do grupo 1
(Conexão) apresentou melhores resultados do início ao final de cinco anos de uso
simulado em relação aos demais grupos estudados.
D187
D062
AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO MICROBIOLÓGICA DE ESCOVAS
DENTAIS NOVAS
D188
D062
ESTUDO DA RELAÇÃO DO PLANO FUNCIONAL DE RICKETTS
COM O PONTO XI, EM PACIENTES COM MÁ OCLUSÃO DE
CLASSE II, 1ª DIVISÃO DE ANGLE
Claudia Durante
Eduardo Saba Chujfi
Periodontia
Andre de Castro
Ricardo Raitz
Radiologia Odontológica e Imaginologia
O objetivo deste estudo foi avaliar in vitro a presença de microrganismos em escovas dentais novas
(recém-removidas da embalagem e ainda não utilizadas na higiene oral) de forma que nos permitisse
reproduzir ou simular a condição de assepsia da peça exatamente no momento que antecede a
primeira utilização da mesma na escovação. Utilizou-se uma amostra de 60 escovas de três
diferentes modelos [Oral B (OB), Colgate (C) e Johnson & Johnson (JJ)] sendo obtidos de diferentes
pontos de vendas (drogarias e mercados) sendo testada a contaminação com os meios seletivos
Ágar Sabouraud e MacConkey, respectivamente para análise de contaminação para Candida sp e
bactérias Gram negativas. Os resultados mostraram que 71,7% das escovas testadas
apresentavam-se contaminadas antes do primeiro uso quando recém-removidas das suas
respectivas embalagens. Considerando-se os diferentes modelos testados, houve contaminação de
60% das amostras OB, 80% para as JJ e 90% as C. Houve contaminação para Candida sp na maioria
das amostras testadas e bactérias Gram negativas para o modelo C. Concluímos que as escovas
apesar de novas chegam ao consumidor, para o primeiro uso contaminadas, mostrando a
necessidade de desinfecção da mesma antes da sua utilização.
O objetivo deste trabalho foi averiguar a relação do plano funcional de Ricketts com o ponto Xi, em
pacientes com má oclusão de Classe II, 1ª Divisão de Angle, comparando com o padrão ouro de
Ricketts que dita que o plano oclusal funcional deve passar sobre o ponto Xi, ou abaixo de Xi, no
crescimento normal. Foi utilizada uma amostra que constou de 50 pacientes, sendo 26 (52%) do
gênero masculino e 24 (48%) do gênero feminino, com idade entre 10 e 12 anos. Os planos
cefalométricos foram traçados por dois ortodontistas usando o programa digital da Radio Memory®.
Os dados posteriormente foram tabulados e analisados estatisticamente, aplicando o teste t de
Student. Verificou-se que o valor da probabilidade encontrada de p=0 indicou que houve diferenças
estatisticamente significantes entre os valores positivos e negativos quanto ao plano oclusal
funcional, sendo que os valores positivos foram maiores. Com relação aos pacientes com idades
menores ou iguais à mediana das idades e com pacientes com idades superiores à mediana das
idades, o valor da probabilidade encontrada foi de p=0,919, indicando que não houve diferenças
estatisticamente significantes entre estes valores. Tratando-se dos valores positivos e negativos do
plano oclusal funcional quanto aos gêneros masculino e feminino foi encontrado o valor da
probabilidade de p=410, indicando que não houve diferenças estatisticamente significantes entre
estas variáveis.
D062
D189
ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE PERIODONTITE, NÍVEL SÉRICO
ULTRASSENSÍVEL E POLIMORFISMO DO GENE DA PROTEÍNA CREATIVA COM A ATEROSCLEROSE CORONÁRIA
D062
D190
AVALIAÇÃO CLÍNICA DE CIRURGIAS DE ENXERTO DE SEIO MAXILAR COM
O USO DE AMOXICILINA E AMOXICILINA/CLAVULANATO DE POTÁSSIO NA
PREVENÇÃO DE INFECÇÃO PÓS OPERATÓRIA
Luiz Otavio Loureiro Rocha
Rui Barbosa de Brito Junior
Clínicas Odontológicas
Benedito Umberto Bueno
Rogério Heládio Lopes Motta
CTBMF - Cirugia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
Atualmente muitos estudos têm sido conduzidos no intuito de verificar fatores de risco e associações entre
doenças inflamatórias e aterosclerose coronária. O objetivo deste estudo caso-controle foi o de avaliar a
associação entre a presença de aterosclerose coronária e periodontite, com a mensuração dos níveis séricos
ultrassensíveis e polimorfismo do gene da proteína c-reativa (PCR). A presença de aterosclerose coronária foi
determinada por exame de cateterismo cardíaco eletivo, a periodontite pelo índice periodontal comunitário, os
níveis séricos da PCR ultrassensível por exames de sangue e o polimorfismo pela extração do DNA da saliva
com uso de enzima de restrição. Foram analisados 80 pacientes que se apresentaram para exame de
cateterismo cardíaco diagnóstico no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Maria, RS,
divididos em grupo caso, com presença de aterosclerose coronária (52 pacientes) e controle com coronárias
normais (28 pacientes). Após análises bivariadas, o gênero masculino (p=0,012), a presença de periodontite
(P=0,013), os portadores de polimorfismo (p=0,001) e os portadores recessivos (p=0,004) se mostraram
estatisticamente relacionados à aterosclerose coronária, para eliminar fatores de confusão, foi executado um
modelo de regressão logística que resultou em uma única variável, a presença de polimorfismo do gene da
PCR +1444 como associada de forma independente com a aterosclerose coronáriacom RC de 3,38 (IC 95%
1,04-10,96). Desta forma, podemos concluir que a periodontite não elevou os níveis séricos de PCR e não
esteve associada estatisticamente a aterosclerosecoronária. Os pacientes portadores do polimorfismo da
PCR +1444 foram associados significativamente e independentemente à aterosclerose coronária
diagnosticada pelo cateterismo cardíaco .
O objetivo deste estudo foi avaliar clinicamente dois protocolos medicamentosos (3 dias de antibioticoterapia) na prevenção de infecção do
sítio cirúrgico em cirurgias de levantamento de seio maxilar com osso xenógeno liofilizado (Bio-Oss® - Geistlich Pharm - Suíça). No total
foram avaliados 28 pacientes randomizados em 2 grupos : A (n=14) – 2g de amoxicilina 1h antes da cirurgia e posteriormente 500mg cada
8h por 3 dias; B (n=14) – 1g de amoxicilina associada ao clavulanato de potássio (250mg) 1h antes da cirurgia e posteriormente 500mg +
125mg a cada 8h por 3 dias. Foi realizado a anamnese do paciente e foram verificadas a pressão arterial, frequência cardíaca e saturação de
oxigênio de cada voluntário no pré e pós operatório. Os sinais de infecção observados foram: presença de febre (≥ 37,6º), edema, eritema,
dor aumentada, produção purulenta com presença de secreção na incisão ou drenagem (Lindeboom et al. 2006). Foram observados a
partir do 3º. dia e acompanhados semanalmente até completar 8 semanas (60 dias) de pós-operatório. Foi avaliada a sensação de dor pósoperatória por meio de uma Escala Analógica Visual (EAV) antes da cirurgia e nos períodos 0h, 8h, 16h, 24h, 32h, 40h, 48h, 56h, 64h, 72h e
80h após o procedimento cirúrgico. Os resultados referentes aos parâmetros fisiológicos obtidos no início do estudo até oito semanas de
pós-operatório foram comparados pela ANOVA bidirecional e teste de Tukey. A dor foi medida pela EAV e os valores foram comparados
pelos testes de Kruskal-Wallis e Mann-Whitney (5%). Os resultados deste estudo não apontaram nenhuma diferença significante (p›0,05)
com relação à alteração da pressão arterial, frequência cardíaca e saturação de oxigênio em relação aos diferentes protocolos
medicamentosos avaliados e proservados por 8 semanas. A análise dos dados de EAV revelou que não houve diferenças estatisticamente
significantes (teste de Mann-Whitney, p>0,05) entre os grupos considerando cada tempo individualmente, à exceção do período inicial, o
qual mostrou maior mediana (p= 0,0133) de dor para os voluntários do grupo B. Quanto às intercorrências, estas ocorreram apenas na 1ª e
2ª semana. A análise dos dados mostrou que não houve diferenças estatisticamente significantes (teste Exato de Fischer) entre os grupos
em relação à dor (p = 0,6036), edema (p = 1,000) e eritema (p = 0,4643) na primeira semana e nem no edema (p = 0,2063) na segunda
semana. Concluiu-se que não houve diferença entre os grupos, demonstrando que a associação da amoxicilina com clavulanato de
potássio não trouxe benefício adicional em relação à amoxicilina isolada na prevenção de infecção do sítio cirúrgico das cirurgias, e que o
período de 3 dias foi suficiente para prevenir complicações.
D191
D062
CARACTERIZAÇÃO TOPOGRÁFICA DAS SUPERFÍCIES DOS
IMPLANTES DENTÁRIOS DE CINCO COMPANHIAS BRASILEIRAS
D192
D062
DEGRADAÇÃO DE FIOS ORTODÔNTICOS SOB CONDIÇÕES QUE
SIMULAM DESAFIOS CARIOGÊNICOS E EROSIVOS
Marcio Borges Rosa
Carlos Eduardo Franscichone
Implantodontia
Laura Cavalcante Lima Jaber
Cecília Pedroso Turssi
Ortodontia
Introdução: Um parâmetro importante para o sucesso clínico dos implantes é a formação de uma interface de contato
entre o implante e o osso circundante, cuja qualidade pode ser diretamente influenciada pela rugosidade da superfície do
implante. No Brasil, um dos maiores mercados de implantes do mundo, 79% dos implantes utilizados são fabricados por
empresas nacionais. Porém, muito pouco é divulgado ou se conhece sobre as características topográficas desses
superfícies. Objetivos: Avaliar e comparar os valores de rugosidade e as características morfológicas das superfícies dos
implantes de cinco empresas brasileiras, além de conferir o nível de controle do processo de tratamento. Material e
métodos: Os implantes foram comprados diretamente no mercado, das seguintes empresas: Biomet 3i do Brasil;
Conexão; Neodent; SIN e Titaniumfix. A caracterização quantitativa das rugosidades foi realizada por meio de um
interferômetro de luz, enquanto a análise qualitativa da topografia superficial foi avaliada em imagens de microscópio
eletrônico de varredura (MEV).Os resultados foram comparados entre si e em relação aos obtidos por implantes
utilizados como referência, separadamente para cada tipo de tratamento de superfície. Resultados: Os implantes
avaliados apresentaram valores variáveis de rugosidade (Sa) inferiores a 1µm, com exceção do implante Strong-SW da
SIN e do Vulcano Actives da Conexão, que com 1,01µm e 1,26µm, respectivamente, além de diferenças significativas nas
características morfológicas das suas superfícies. Em todas as empresas houve diferenças estatisticamente
significantes na comparação entre os lotes, nos valores de Sa ou Sdr. Conclusões: Os baixos valores de rugosidade
encontrados, a variabilidade da topografia superficial observada e as diferenças entre os lotes, determinam a importância
da caracterização numérica adequada das superfícies dos implantes de cada companhia, a fim de avaliar os resultados
obtidos pelos seus tratamentos de superfície.
Este trabalho verificou o efeito de desafios cariogênicos (DCs) e erosivos (DEs) na degradação de fios ortodônticos
fabricados em liga de cobre-níquel-titânio (CuNiTi), por meio da mensuração da rugosidade e de fotomicrografias obtidas
em microscópio de força atômica (MFA). Em adição, avaliou-se a força de atrito estabelecida entre braquetes autoligados
passivos e os referidos fios após terem sido expostos a DCs e DEs. Sessenta segmentos de fios foram distribuídos em
quatro grupos, para serem submetidos a DCs ou DEs, que simularam seu uso clínico por 12 semanas, para serem
expostos à saliva artificial ou para integrarem o grupo controle (sem tratamento). Os DCs foram realizados com solução
desmineralizante (pH 4,3), empregada em modelos físico-químicos de cárie, sendo que os fios foram a ela expostos por
24 horas, por 21 dias. Para simular condição de alto DE, realizou-se a imersão dos fios em solução de ácido cítrico a 0,05
M (pH 2,3) por 60 minutos diários, também por 21 dias. Os fios foram avaliados quanto a sua rugosidade média, aferida
pelo parâmetro Ra, em rugosímetro. A seguir, os fios foram submetidos a ensaios de atrito, realizado em uma máquina
universal, operando a uma velocidade de 3 mm/min, utilizando-se braquetes metálicos (Damon 3MX – Ormco). Com
finalidade ilustrativa, obtiveram-se imagens em MFA. Os testes de Kruskal Wallis (p = 0,004) e de Dunn demonstraram que
os fios de CuNiTi submetidos a DEs apresentaram valores de Ra significativamente superiores àqueles armazenados em
saliva artificial, achado substanciado pela MFA. Os fios submetidos a DCs revelaram valores intermediários de Ra, não
diferindo dos grupos imersos em saliva artificial ou na solução erosiva. A força de atrito estabelecida entre os fios e
braquetes não foi significativamente influenciada pelos DCs ou DEs. Concluiu-se que frente a DEs, a rugosidade
superficial do fio ortodôntico de CuNiTi tornou-se superior àquela causada pela saliva artificial. Não houve correlação
entre a rugosidade superficial gerada pela exposição do fio de CuNiTi a DCs, DEs ou à saliva artificial e a força de
atrito estabelecida entre o fio e um braquete autoligado passivo.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.26-26
26
• MESTRADO •
D193
D062
AVALIAÇÃO CLÍNICA E RADIOGRÁFICA DO CAPEAMENTO PULPAR
INDIRETO E DO TRATAMENTO EXPECTANTE EM MOLARES
DECÍDUOS
D194
D062
EFEITO DOS DENTIFRÍCIOS FLUORETADOS SOBRE A
PREVALÊNCIA DE FLUOROSE DENTAL EM UMA REGIÃO DE
ÁGUA NÃO FLUORETADA
Gláucia Tápias Nardão Mosele
José Carlos Pettorossi Imparato
Odontopediatria
Maria Cristina de Matos Castilho
Flávia Lucisano Botelho do Amaral
Dentística
O objetivo deste trabalho foi avaliar clínica e radiograficamente do capeamento pulpar
indireto e do tratamento expectante em molares decíduos, no período de 12 meses.
Foram selecionados 13 molares decíduos com lesão profunda de cárie e realizado a
remoção seletiva da dentina cariada, sendo que, no grupo controle foi realizada
reabertura após 30 dias e remoção total do remanescente cariado e no grupo
experimental acompanhamento clínico e radiográfico. Os resultados foram realizados
por meio do teste qui-quadrado e teste de Fisher. Pode-se concluir que a remoção do
remanescente cariado após o capeamento pulpar indireto, não influenciou o
desempenho clínico e radiográfico em molares decíduos após 12 meses.
Tem sido mundialmente relatado um aumento na prevalência da fluorose, tanto em regiões com água fluoretada
quanto naquelas não fluoretadas. Os dentifrícios fluoretados têm-se constituído uma importante forma de ingestão
de fluoreto, com potencial de provocar fluorose dental. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito dos dentifrícios
fluoretados sobre a prevalência de fluorose dental, em uma população não exposta à água fluoretada. Foi realizada a
coleta e a análise da água proveniente de todas as captações do abastecimento público da cidade de Mariana, Minas
Gerais. Os resultados demonstraram valores desprezíveis de fluoreto nas amostras, variando de 0,02 a 0,07 ppmF.
Foram selecionados 362 indivíduos, divididos em 2 grupos. O grupo F possuía 201 adolescentes de 15 a 19 anos,
expostos apenas ao fluoreto do dentifrício no período de formação dos dentes; o grupo NF constou de 161 adultos de
25 a 29 anos de idade, sem exposição ao fluoreto do dentifrício durante o período de formação dos dentes. Foi
realizado exame clínico para detecção de fluorose nos dentes permanentes anteriores superiores de todos os
indivíduos, por uma examinadora calibrada, utilizando-se o índice de Thylstrup e Fejerskov. Um questionário foi
entregue às mães ou responsáveis pelo cuidado dos indivíduos do grupo F, avaliando algumas variáveis referentes à
escovação. A prevalência de fluorose dental nos dois grupos foi de 4,14%, todos com fluorose muito leve e índice de
Thylstrup e Fejerskov = 1. No grupo NF, a prevalência foi de 0,62% e no grupo F foi de 6,96%. A Razão de
Prevalências foi de 11,21 (p=0,003). Concluiu-se que a fluorose foi mais prevalente no grupo F em 6,34% em relação
ao grupo NF, e que o dentifrício fluoretado foi determinante no seu desenvolvimento. Entretanto, o dentifrício como
principal fonte de exposição aos fluoretos esteve associado a uma baixa prevalência de fluorose dental, sem
comprometimento estético.
D195
D062
AVALIAÇÃO CLÍNICA DE DOIS PROTOCOLOS DE ANTIBIOTICOTERAPIA COM
AMOXICILINA EM CIRURGIAS DE ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO DE ORIGEM
INTRA-ORAL
ALICATE DE DOBRA DISTAL E DOBRAS ESTRUTURAIS DE
ARCOS BASE
Luciano Ferreira Ladeia Júnior
Rogério Heládio Lopes Motta
Ortodontia
Luciano André Arce
Juliana Cama Ramacciato
Clínicas Odontológicas
O objetivo deste estudo foi avaliar clinicamente, no pós-operatório, dois protocolos medicamentosos (3 e 7 dias de
antibioticoterapia com amoxicilina) para prevenção de infecção do sítio cirúrgico em cirurgias de enxerto ósseo autógeno
de origem intra-oral. No total 30 pacientes foram randomizados em 2 grupos. Foi administrado 2g de amoxicilina 1h antes
da cirurgia e posteriormente 500mg cada 8h por 3 (G1) ou 7 dias (G2). Foi realizado a anamnese do paciente e verificado a
pressão arterial, freqüência cardíaca e temperatura axilar de cada voluntário e estes dados foram registrados
semanalmente até completar 8 semanas de pós-operatório. Foi avaliada a sensação de dor pós-operatória através de
uma Escala Analógica Visual (EAV) antes da cirurgia e nos períodos 0h, 1h, 2h, 4h, 6h, 12h, 1dia, 2 dias, 3 dias e 7 dias
após o procedimento cirúrgico. Os resultados referentes aos parâmetros fisiológicos obtidos no início do estudo até oito
semanas de pós-operatório foram comparados pela ANOVA bidirecional e teste de Tukey. A dor foi medida pela EAV e os
valores foram comparados pelos testes de Kruskal-Wallis e Mann-Whitney. As diferenças tiveram um nível de
significância de 5%. Os resultados deste estudo não apontaram nenhuma diferença significante (p›0.05) com relação à
alteração da pressão arterial, freqüência cardíaca e alteração da temperatura axilar em relação aos diferentes protocolos
medicamentosos avaliados e proservados por 8 semanas. A comparação entre os grupos revelou menores valores de
EAV para G1. Houve 1 infecção em cada grupo. Concluiu-se que não houve diferença entre o grupo de 3 dias e o grupo de
7 dias de antibioticoterapia com amoxicilina, demonstrando que estender a terapia por 7 dias não traz benefício na
prevenção de infecção do sítio cirúrgico, em cirurgias de enxerto ósseo autógeno de origem intra-oral.
D197
D062
D196
D062
PREVALÊNCIA DA MÁ OCLUSÃO EM ESCOLARES DE 7 A 11 ANOS
DE IDADE DA CIDADE DE MACAPÁ-AP, BRASIL
A ortodontia enquanto ciência se apresenta em permanente evolução, especialmente no âmbito
dos materiais, instrumentais e aparelhos. O presente trabalho se propôs a apresentar um alicate
de ortodontia, com elementos que o caracterizam como novidade ao meio acadêmico, o alicate de
Dobra Distal e Dobras estruturais de Arcos Base. O referido instrumental é derivado de pesquisas
e das necessidades clinicas observadas na prática da especialidade em suas diversas técnicas e
apresenta em sua constituição as variações direita e esquerda aplicável para confecção de
dobras anguladas nos fios aplicados em ortodontia. Estruturalmente é constituído por um alicate
ortodôntico, cuja ponta ativa é formada por porções que quando justapostas possibilitam a dobra
angulada no fio, podendo desta forma uniformizar as dobras anguladas dos arcos base da técnica
bioprogressiva de Ricketts, assim como facilitar as dobras dos arcos ortodônticos inseridos nos
tubos molares. O alicate de dobra distal e dobras estruturais de arcos base encontram-se
atualmente em fase de protótipo e desenvolvimento industrial.
D198
D062
AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DAS PEROXIRREDOXINAS I E II EM
PACIENTES COM PERIODONTITE : INFLUÊNCIA DO DIABETES
MELLITUS
Vanessa Alves de Oliveira Bisognin
Rui Barbosa de Brito Junior
Ortodontia
Ellen Cristina Fagnani
Ana Paula Dias Demasi
Periodontia
O objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência da má oclusão, de alterações oclusais e fatores relacionados em uma amostra de
392 escolares de 7 a 11 anos de idade da cidade de Macapá, AP; e estudar as possíveis diferenças entre os gêneros, idade e etnia. A
amostra foi aleatória, selecionada em escolas públicas e particulares. A anamnese, seguido do exame clínico foi realizado após a
autorização dos pais, por meio da assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. Os dados foram coletados e submetidos
a tratamento estatístico pelos testes qui-quadrado, Exato de Fisher e Odds Ratio. Os resultados mostraram que a relação molar
mais prevalente, segundo a classificação proposta por Angle, foi Classe I (76,5%), seguida da Classe II divisão 1 (14,8%), Classe III
(3,3%) e Classe II divisão 2 (5,4%). O perfil convexo foi o mais prevalente nas crianças avaliadas (50,2%), seguido do perfil reto
(45,2%) e côncavo (4,6%). A má oclusão foi encontrada em 76,5% dos escolares examinados. A alteração oclusal mais prevalente
foi o apinhamento (48,5%), seguido da sobremordida acentuada (39,8%), sobressaliência acentuada (33%), mordida aberta
anterior (6,9%), mordida cruzada posterior (6,6%), mordida cruzada anterior (5,4%) e mordida topo a topo (4,1%). Não houve
associação com as variáveis sexo (p=0,9961), idade (p=0.5318) e etnia (p=0,3970). Porém, houve uma tendência estatisticamente
significativa para o perfil reto no sexo feminino e convexo para o masculino. Somente 5,1% apresentaram respiração
predominantemente oral, enquanto 98,9% apresentaram respiração predominantemente nasal. A alteração funcional esteve
presente em 40,8% das crianças avaliadas. Dentre elas, a de maior prevalência foi a interposição lingual (26,5%). O hábito deletério
mais prevalente foi a onicofagia, estando presente em 25,5% das crianças, seguido da sucção digital (10,7%). A sobremordida e a
sobressaliência acentuadas estiveram fortemente associadas à presença de hábitos bucais deletérios e a oclusão normal foi
predominante no grupo sem hábitos deletérios. As crianças que tem o hábito sucção digital apresentaram 3 vezes mais chance de
ter alteração na sobressaliência e 3,3 vezes mais chance de ter mordida aberta. Concluiu-se então que existe uma alta prevalência
de má oclusão nos escolares de Macapá, não havendo associação entre grupos étnicos, sexo ou idade e, que alterações funcionais
e hábitos deletérios podem causar má oclusão.
Periodontite é um processo inflamatório, iniciado pelo biofilme dental, que leva à perda de inserção do
ligamento periodontal e destruição do tecido ósseo adjacente, podendo evoluir para a perda dos dentes.
Diabetes mellitus (DM) é indicado como um fator de risco para a doença periodontal. Assim como a
Periodontite, o DM é uma doença inflamatória onde ocorre produção exacerbada de espécies reativas de
oxigênio (EROs), incluindo peróxido de hidrogênio, que causam danos às biomoléculas e podem levar à
morte celular. As células apresentam um complexo sistema de defesa contra estas espécies, que inclui
enzimas antioxidantes como peroxirredoxinas (Prxs). Estas enzimas são abundantes, presentes em
diversos compartimentos celulares, e são capazes de eliminar peróxido de hidrogênio. O propósito deste
estudo foi avaliar o envolvimento das Prxs I e II na defesa do hospedeiro contra a destruição tecidual
decorrente na periodontite, na ausência ou presença do DM, controlado ou não-controlado. Para isso,
biópsias de tecido gengival foram coletadas de vinte e dois indivíduos diabéticos e vinte e sete indivíduos
não diabéticos e a expressão dos genes que codificam Prxs I e II foi avaliada através de PCR quantitativo.
Nossos resultados demonstraram que o gene PRDX1 foi induzido pela periodontite, independentemente
da associação com o DM. Já a expressão do gene PRDX2 foi levemente influenciada pela periodontite,
mas significativamente induzida quando esta condição foi associada com DM, especialmente quando não
controlado. Nosso estudo sugere que Prx I e Prx II podem atuar no sistema de proteção celular relacionado
à periodontite e sua associação com DM, reduzindo a destruição tecidual que acompanha estas
patologias.
D199
D062
AVALIAÇÃO DA DOR PÓS-OPERATÓRIA EM PACIENTES SUBMETIDOS À
EXODONTIA DE TERCEIROS MOLARES IMPACTADOS COM
ADMINISTRAÇÃO DE DIPIRONA OU DIPIRONA ASSOCIADA À CAFEÍNA
D200
D062
ESTUDO DA REAÇÃO TECIDUAL A GRÂNULOS POROSOS DE
TITÂNIO ENXERTADOS NA CALVÁRIA DE RATOS
Carlline Barroso Vicentine
Rogério Heládio Lopes Motta
Clínicas Odontológicas
Cleber Gil Brene
Thomaz Wassall
Implantodontia
A remoção cirúrgica de terceiros molares impactados é um procedimento odontológico rotineiro e pode apresentar
complicações pós-operatórias como a dor decorrente da manipulação dos tecidos moles, ósseos e dentários. O objetivo
deste trabalho foi avaliar o efeito da cafeína na eficácia da dipirona sódica no controle da dor pós-operatória decorrente da
exodontia de terceiros molares inferiores impactados. Foram selecionados 50 indivíduos com indicação de exodontia
bilateral de terceiros molares mandibulares com inclusão semelhante. Todas as cirurgias foram realizadas pelo
pesquisador com intervalo de 21 dias entre os dois procedimentos. Houve controle do tempo operatório, quantidade de
tubetes anestésicos e dos parâmetros hemodinâmicos de pressão arterial, frequência cardíaca e glicemia. A ordem dos
lados operados, gênero do paciente e tipo da droga utilizada para o controle da dor foram randomizados. Cada
participante da pesquisa fez a avaliação da intensidade da dor por meio de uma escala analógica visual (EAV), adotando
valor de zero (ausência de dor) até 10 (a pior dor possível). A avaliação foi feita em períodos determinados: pré-operatório,
imediatamente após a cirurgia, uma hora, duas horas, quatro horas, oito horas, 12 horas, 24 horas, 2 dias, 3 dias e sete
dias de pós-operatório. Os resultados mostraram que a intensidade dolorosa medida na EAV permaneceu abaixo de 30
mm (dor leve) com aumento progressivo nas primeiras 4 horas de pós-operatório e retorno aos valores basais após 48
horas de pós-operatório sem diferenças significantes entre as duas modalidades terapêuticas pesquisadas (p<0,05). As
alterações observadas nos padrões hemodinâmicos mensurados foram consideradas discretas em relação aos valores
fisiológicos. Concluiu-se que, neste estudo, a cafeína não apresentou efeito adjuvante na eficácia da dipirona sódica para
o controle da dor pós-operatória em cirurgias de remoção de terceiros molares impactados.
Quando a quantidade óssea não é suficiente para a instalação de implantes dentários e ou quando este tecido apresenta
algum defeito, vários materiais são empregados para melhorar, aumentar ou substituir o tecido ósseo. A maior parte dos
substitutos ósseos empregados na implantodontia, também conhecidos como Biomateriais apresentam um processo de
reabsorção (maior ou menor grau) que dificulta a formação óssea completa. Um substituto que seja absolutamente
resistente à reabsorção e também tenha boas propriedades de coagulação e histologicamente viável tem sido esperado,
especialmente para reconstrução de defeitos moderados tipo levantamento de seio e para o tratamento das periimplantites.
O objetivo deste trabalho foi investigar os Grânulos Porosos de Titânio (PTGs - Natix ®, Tigran Technologies AB, Malmö,
Suécia) medindo 700 mm 1.000 mm de diâmetro, inseridos em defeitos críticos criados cirurgicamente na calvária de ratos,
avaliando histologicamente a viabilidade deste biomaterial como substituto ósseo e se os mesmos possuíam propriedades
osteoindutora para permitir o crescimento ósseo. Valendo-se do princípio cirúrgico da enxertia óssea, 20 ratos machos
Wistar (Rattus norvegicus albinus), com peso variando entre 400g à 500g foram empregados neste estudo experimental. Os
defeitos críticos de 4,1 mm foram realizados, através de uma broca do tipo trefina, nos ossos parietais direito e esquerdo,
sendo um deles preenchido com o biomaterial PTGs, denominado teste, e o outro com osso autógeno particulado,
denominado controle. Os animais foram divididos em dois grupos, de acordo com o tempo de eutanásia, sendo o Grupo 1
(G1) com quatro semanas e o Grupo 2 (G 2) após oito semanas. Os resultados conseguidos nas 60 amostras histológicas
coradas com azul de toluidina permitiram concluir que existe a formação óssea ao redor dos grânulos sem efeitos adversos
(áreas de inflamação) que sugerem seu emprego em osso alveolar humano e justificam maiores estudos clínicos adicionais
dos mesmos, sobretudo, de sua atuação in vivo, tanto para defeitos ósseos inlay (maior condição para estabilização do
biomaterial) quanto para o tratamento de periimplantites.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.27-27
27
• MESTRADO•
D062
D201
EFEITO DO MODO DE APLICAÇÃO DO ADESIVO
AUTOCONDICIONANTE DE PASSO ÚNICO NA RESISTÊNCIA DE
UNIÃO À DENTINA DESMINERALIZADA E HÍGIDA
D202
D062
AVALIAÇÃO DA PERDA DE MASSA E PROFUNDIDADE DE REMOÇÃO DE
DENTINA HÍGIDA E DESMINERALIZADA POR MEIO DE INSTRUMENTOS
ROTATÓRIOS COM DIFERENTES VELOCIDADES DE ROTAÇÃO
Cérida Aurelia Rodrigues de Oliveira
Flávia Lucisano Botelho do Amaral
Dentística
Mariana Cortes
Flávia Lucisano Botelho do Amaral
Dentística
O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito do modo de aplicação de um adesivo autocondicionante de passo único na resistência de
união à dentina desmineralizada, utilizando-se teste de microtração. Quarenta fragmentos de dentina foram divididos aleatoriamente
em 2 grupos para serem submetidos ou não a desmineralização (3 ciclos em solução desmineralizante (1 hora) e remineralizante (23
horas), ou para serem armazenados em estado hígido (grupo controle). Os espécimes foram subdivididos em 2 subgrupos (n= 10) de
acordo com o modo de aplicação do sistema adesivo (Adper Easy One, 3M ESPE): F. seguindo as instruções do fabricante ou D.
aplicação de duas camadas consecutivas. Posteriormente, o adesivo foi fotopolimerizado e os espécimes restaurados com resina
composta microhíbrida. Após armazenamento por 24 horas, a 37°C, os blocos resina-dentina foram seccionados em palitos com
2
aproximadamente 0,8 mm para o teste de microtração (0,5mm/min). Depois do teste, os palitos tiveram o modo de falha avaliado.
Fatias dos espécimes restaurados foram submetidas à análise da interface adesiva em microscopia eletrônica de varredura. Os dados
foram submetidos à Análise de Variância a dois critérios e ao teste de Tukey, ao nível de significância de 5%. Para o substrato hígido, a
aplicação de duas camadas consecutivas não proporcionou aumento significativo na resistência de união. Verificou-se que não houve
diferença significativa nos valores de resistência entre os substratos desmineralizado e hígido quando o adesivo foi aplicado pelo
tempo recomendado pelo fabricante. Porém, quando se aplicou duas camadas consecutivas do adesivo autocondicionante, os valores
de resistência de união encontrados para o substrato desmineralizado foram superiores àqueles constatados para o tecido hígido. A
avaliação do modo de falha demonstrou que a maioria das falhas foram do tipo adesiva, independente do grupo avaliado. A análise na
MEV mostrou que para o substrato hígido a aplicação de duas camadas consecutivas do adesivo autocondicionante proporcionou a
formação de tags resinosos mais longos quando comparado ao modo de aplicação recomendado pelo fabricante. Verificou-se que no
substrato desmineralizado, quando foi aplicada duas camadas de adesivo autocondicionante, ocorreu a formação de tags resinosos
em abundância. Pode-se concluir que a aplicação de duas camadas consecutivas do adesivo autocondicionante de passo único
aumenta a resistência de união em dentina desmineralizada, mas o mesmo efeito não foi observado em dentina hígida.
Este estudo teve como objetivo avaliar a influência de instrumentos rotatórios de velocidade controlada (motores elétricos usados em
Endodontia), como um novo método de escavação de dentina, e instrumentos rotatórios convencionais em baixa rotação, ambos com o uso
de brocas de aço, verificando a profundidade e quantidade de remoção de dentina hígida e demineralizada, por meio de perda de massa e
medida de profundidade dos preparos cavitários, utilizando neste último a microscopia eletrônica de varredura. Quarenta blocos de dentina
humana obtida da oclusal medindo 5x5x4mm (LxLxA) foram divididos em dois grupos, de acordo com o tipo de substrato em que o preparo
cavitário foi realizado: D. Dentina desmineralizada e H. dentina hígida (grupo controle). Em seguida, os grupos foram subdivididos, de
acordo com o tipo de instrumental rotatório utilizado para o preparo cavitário (n=10): R. Motores elétricos de velocidade controlada
(300rpm); C. Rotatórios convencionais em baixa rotação (18.000rpm). Metade dos blocos de dentina foi submetida à desmineralização
biológica por seis semanas em laboratório para obtenção da dentina desmineralizada. Os preparos cavitários, com profundidade de
0,5mm, foram realizados em máquina padronizadora de preparos cavitários com broca de carboneto de tungstênio no 56 (cilíndrica),
substituída a cada 5 preparos cavitários. Antes e após o preparo cavitário ter sido realizado, a massa inicial e final (em mg) de cada bloco de
dentina foi aferida 3 vezes, obtendo-se a média aritmética após três operações de pesagem. Adicionalmente, após o preparo cavitário,
todos os espécimes foram seccionados ao meio e uma metade de cada espécime foi levada ao microscópio eletrônico de varredura para
que as paredes laterais dos preparos cavitários (da margem cavo-superficial até a parede de fundo da cavidade) fossem mensuradas em
μm, tendo sido considerada a média das duas mensurações como a profundidade total do preparo, verificando-se assim a quantidade de
desgaste realizado por cada um dos métodos utilizados. Após a coleta dos dados, foi realizada análise não-paramétrica de Kruskal-Wallis
para as duas variáveis de resposta (pesagem e profundidade). O nível de significância adotado foi de 5%. Em relação à diferença de
pesagens em mg não houve diferença estatística entre os grupos. Em relação à profundidade (em μm) houve diferença estatística entre os
grupos, de forma que os instrumentos rotatórios de velocidade controlada apresentaram valores estatisticamente inferiores de
profundidade da cavidade quando comparados com os instrumentos rotatórios convencionais em baixa rotação, tanto na dentina hígida
quanto na desmineralizada. Conclui-se que os instrumentos rotatórios de velocidade controlada, em relação à profundidade de preparo,
demonstraram ser mais conservadores na remoção de tecido dentinário, tanto em dentina hígida como na desmineralizada.
D203
D062
D204
D062
EFEITO DA LUBRIFICAÇÃO NO ATRITO ENTRE BRAQUETES E FIOS
ORTODÔNTICOS
INFLUÊNCIA DO ALARGAMENTO DO CONDUTO RADICULAR NA
RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE PINOS DE FIBRA DE VIDRO
CONVENCIONAIS E REEMBASADOS
Renata Castro Leal Carvalho
Cecília Pedroso Turssi
Ortodontia
Daniela Figueiredo Fonseca Schetini
Cecília Pedroso Turssi
Prótese Dentária
O sucesso do movimento ortodôntico ocorre na dependência da mecânica de deslize entre braquetes e fio, a qual é influenciada pelo
atrito entre ambos. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da interposição de diferentes lubrificantes na força de atrito entre fios
ortodônticos e braquetes autoligados, ativos e passivos. Os fatores em estudo foram Tipo de Braquete (ativo e passivo) e Condição de
Lubrificação (ausente, como controle negativo; saliva natural humana, como controle positivo; água destilada, saliva artificial à base de
mucina e saliva artificial à base de carboximetilcelulose). As unidades experimentais foram 50 braquetes autoligados ativo (Quick,
Forestadent) e 50 passivos (Damon 3MX, Ormco), em cujos slots deslizou um fio com 0,014” x 0,025” de CuNiTi. Amostras de saliva
humana total não estimulada foram coletadas de um único indivíduo, pela manhã, 2 horas após a ingestão de alimentos e realização da
escovação dental. As demais salivas foram manipuladas em laboratório. Os braquetes foram aderidos a uma base cilíndrica acoplada a
uma máquina de ensaios universal, sendo as amostras braquete/ fio ensaiadas na presença de uma das condições de lubrificação. O
ensaio foi realizado oito vezes, a uma velocidade de 3 mm/min. A análise variância a dois critérios demonstrou que não houve interação
significativa entre os fatores em estudo Tipo de Braquete e Condição de Lubrificação (p = 0,324). A força de atrito proporcionada pelos
braquetes autoligados passivos foi significativamente inferior àquela observada com a utilização de braquetes ativos (p < 0,001). O
teste de Tukey revelou que os valores de força de atrito gerados com o emprego das salivas artificiais não diferiram daqueles
verificados para no grupo em que se empregou saliva natural humana. Valores significativamente superiores de força de atrito foram
observados nas condições em que se utilizou água destilada ou em que se realizou o ensaio sob atrito seco (lubrificante ausente),
sendo que nestas duas condições os valores de força de atrito foram equivalentes. Concluiu-se que braquetes ativos produziram maior
atrito comparado com os passivos, em todas as condições de lubrificação. Estas exercem efeito sobre a força de atrito estabelecida
entre braquetes autoligados e fios de CuNiTi, sendo que para ambos os sistemas de braquetes autoligados, a interposição de salivas à
base de mucina e de CMC entre o fio e os braquetes gerou forças de atrito similares à produzida na presença de saliva natural humana.
O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da variação do alargamento do conduto radicular na resistência de união de pinos
de fibra de vidro, convencional e reembasado com resina composta. Para obtenção dos espécimes foram seccionados 300
incisivos bovinos a 17 mm de comprimento a partir do ápice. Destes foram selecionados 100 raízes cujos diâmetros dos
condutos de assemelhavam. As raízes foram divididas em cinco grupos (n = 20) de acordo com o tipo de pino e tipo do conduto.
Em 40 delas, os condutos foram preparados com pontas diamantadas esféricas com 1,4 e 1,8 mm de diâmetro, constituindo
grupos com conduto alargado. Em outras 40 raízes, houve excessivo alargamento do conduto obtido com pontas de maior
diâmetro (1,6 e 2,9 mm), constituindo grupos com conduto excessivamente alargado. Os condutos alargados ou
excessivamente alargados receberam pinos de fibra de vidro (Exato no 2, Angelus) submetidos ou não ao reembasamento
prévio com resina composta (n = 20). No grupo controle (n = 20) utilizou-se a broca indicada pelo fabricante do pino de fibra de
vidro para preparo do conduto. Os espécimes foram seccionados transversalmente nos terços cervical, médio e apical e
submetidos a ensaio de resistência à extrusão (push-out) em máquina de ensaio universal, a uma velocidade de 0,5 mm/min.
Os dados foram submetidos à análise de variância para medidas repetidas e ao teste de Tukey, ao nível de significância de 5%.
Verificou-se diferença significativa entre os grupos em função das condições do conduto e do tipo de pino (p < 0,0001). Os
valores de resistência à extrusão dos pinos reembasados em condutos alargados foram superiores aos do grupo controle e
daqueles nos quais os condutos foram excessivamente alargados quando os pinos foram reembasados ou não. Quando os
condutos foram excessivamente alargados o reembasamento do pino com resina composta proporcionou valores de
resistência à extrusão equivalentes aos do grupo controle. Os valores de resistência foram superiores no terço cervical da raiz e
não se verificou diferença entre os valores medidos nos terços médio e apical. Concluiu-se que o reembasamento do pino,
quando o conduto radicular se apresenta excessivamente alargado, proporciona valores de resistência à extrusão equivalentes
àqueles constatados na condição em que há justaposição do pino de fibra de vidro ao conduto radicular.
D205
D062
AVALIAÇÃO IN VITRO DA EFICÁCIA DA MÁQUINA DE LAVAR
LOUÇAS NA DESINFECÇÃO DE PRÓTESES TOTAIS REMOVÍVEIS
D206
D062
AVALIAÇÃO DA LONGEVIDADE DE UNIÃO DE SISTEMAS
ADESIVOS AUTOCONDICIONANTES APLICADOS EM ESMALTE
COM DIFERENTES TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE
Aline Brunetto Cavazzola
Elizabeth Ferreira Martinez
Prótese Dentária
Fabiana Roman
Fabiana Mantovani Gomes França
Dentística
A prótese total removível é o tratamento reabilitador mais utilizado em pacientes desdentados, contudo, é de
extrema importância a realização de desinfecções controladas pelo paciente, como método de higiene das
próteses, visando o controle do biofilme microbiano. Além disto, é importante ressaltar que estes métodos de
desinfecção sejam de fácil execução e aplicabilidade, principalmente para pacientes com deficiências motoras ou
de idade avançada e, que possam ser utilizados em casas de repouso e clínicas geriátricas. O objetivo deste
trabalho foi avaliar a eficácia da máquina de lavar louças na desinfecção de próteses parciais removíveis, em
comparação com um método mecânico de descontaminação (escovação manual com dentifrício) e um método
químico (Corega® Tabs). Foi avaliada uma amostra de 80 próteses totais removíveis variando o método de
desinfecção, sendo estas divididas em cinco grupos: (G1) Máquina de lavar louças; (G2) Escovação mecânica;
(G3) Corega® Tabs; (G4) Controle positivo e, (G5) Controle negativo. As próteses totais removíveis foram
contaminadas com cepas de Staphylococcus aureus e Candida albicans. O grupo 1 (G1) obedeceu os ciclos da
máquina, o grupo 2 (G2) foi submetido à escovação durante 30s e, o grupo 3 (G3) foi imerso em Corega® Tabs, por
cinco minutos. Após os procedimentos de desinfecção, foram coletadas amostras da região do palato e cultivadas
durante 48 horas a 37ºC. Após 48 horas dos processos de desinfecção, foi realizada análise quantitativa com
contagem das unidades formadoras de colônia (UFC) crescidas em Ágar BHI, utilizando-se um contador digital
(Phoenix®, Brasil) e, aplicados os testes estatísticos paramétricos ANOVA one way seguido de pós-teste Tukey.
Os resultados demonstraram que, para S. aureus, os grupos G1 e G2 foram estatisticamente superiores em
eficiência ao grupo G3. Para C. albicans, os métodos de desinfecção G1, G2 e G3 mostraram-se eficazes, não
havendo diferença estatística. Conclui-se que, a máquina de lavar louças mostrou ser um método eficaz na
redução da carga microbiológica.
O objetivo deste estudo foi verificar a resistência de união pelo teste de microtração de dois sistemas
adesivos autocondicionantes ao esmalte após diferentes tratamentos de superfície e tempos de
armazenamento. Foram utilizados 30 terceiros molares humanos, livres de lesões de cárie que foram
seccionados na região central no sentido vestíbulo-lingual, paralelamente ao longo eixo, com um disco
dupla face diamantado. Em seguida foram aplicados os sistemas adesivos - Clearfil SE Bond (Kuraray); One Up Bond F (J Morita), em esmalte nas faces mesial e distal de acordo com o grupo experimental:- de
acordo com as recomendações do fabricante (controle); - dobrando o tempo de aplicação do primer
ácido recomendada; - aplicando ácido fosfórico 37%, previamente a aplicação do sistema adesivo. Em
seguida, foram confeccionados blocos de resina composta com 6 mm de altura e foram obtidos
espécimes na forma de palito para o teste de microtração. A seguir, os espécimes foram armazenados
em água destilada por 24 horas e 180 dias. O teste de microtração foi realizado em uma máquina
universal de ensaio, com velocidade de 0,5 mm/min. Os dados obtidos foram submetidos à ANOVA e
Tukey. Observou-se que o tempo de aplicação do primer não influenciou significativamente a resistência
adesiva dos sistemas adesivos autocondicionantes aderidos ao esmalte. A aplicação prévia de ácido
fosfórico aumentou significativamente a resistência adesiva dos dois adesivos autocondicionantes e que
somente One Up Bond F apresentou resistência adesiva maior após 180 dias de armazenamento em
água, independente do tratamento de superfície utilizado. Conclui-se que o tratamento do esmalte dental
com ácido fosfórico prévio à utilização de sistemas adesivos autocondicionantes foi efetivo em aumentar
a resistência adesiva ao esmalte.
D207
D062
ASSOCIAÇÃO ENTRE POLIMORFISMOS NO GENE DA
OSTEOCALCINA E PRESENÇA DE CALCIFICAÇÕES PULPARES
D208
D062
ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO RETROSPECTIVO DOS TRAUMAS
BUCO MAXILO FACIAIS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE SÃO
SEBASTIÃO -SP
Márcia Luz Marques
Rui Barbosa de Brito Junior
Endodontia
Paulo Alexandre da Silva
Rogério Heládio Lopes Motta
Clínicas Odontológicas
As calcificações pulpares apresentam alta prevalência clínica, e sua presença diminui o sucesso da
terapêutica endodontica, pois dificulta o domínio da anatomia interna e consequente limpeza e
modelagem do canal, porém as publicações são escassas na literatura. Assim, o objetivo deste estudo
foi avaliar, em indivíduos brasileiros, a associação do polimorfismo no gene da osteocalcina e a presença
de calcificação pulpar. O parâmetro radiográfico da presença ou ausência de calcificação pulpar na
forma de nódulo ou cálculo no interior da câmara pulpar foi avaliado em 85 indivíduos
predominantemente pardos, divididos em dois grupos: 46 com presença de cálculo pulpar visível
radiograficamente em pelo menos um elemento dentário (G1) e 39 sem nenhum dente com presença de
cálculo pulpar visível radiograficamente (G2). O DNA foi obtido das células epiteliais dos indivíduos por
raspagem da mucosa jugal com espátula de madeira que fizeram um bochecho com solução de glicose a
3%. O polimorfismo no gene da osteocalcina foi analisado por PCR/RFLP. Não houve diferença
estatística entre os grupos (P<0,05). Concluiu-se que, na população estudada, não houve relação entre
o polimorfismo no gene da osteocalcina e a presença de cálculo pulpar.Conclui-se que na amostra
estudada houve prevalência de calcificação em pacientes do gênero feminino,com localização na maxila
com idades entre 18 e 39 anos.
Os Traumas Buco Maxilo Faciais (TBMF) representam uma parcela significativa de todos os tipos de
traumas atendidos nos hospitais. O objetivo deste estudo foi caracterizar a epidemiologia do TBMF no
Hospital de Clínicas de São Sebastião (HCSS) - SP-Brasil. Por meio de um levantamento retrospectivo
foram avaliados 10.724 prontuários de pacientes vítimas de traumas em geral atendidos no HCSS no
período de 01 de maio de 2008 a 1 de dezembro de 2011. Destes, 1.189 pacientes apresentavam TBMF,
os quais foram analisados quanto ao gênero, faixa etária, etiologia e tipo de lesão. A idade dos pacientes
variou de 1 a 90 anos com umamédia de 36,2 anos. Os resultados mostraram uma prevalência de
11,44% dos TBMF em relação aos Traumas em Geral. O gênero masculino foi o mais prevalente numa
razão 1,89:1 em relação ao feminino. O grupo mais acometido foi de 0 a 10 anos com 28,52%, seguidos
dos grupos 35 a 59 anos (22,41%) e 23 a 34 anos (22,26%). A etiologia mais presente foram as quedas
com 43,6% seguidas de violência interpessoal (15,57%) e acidentes ciclísticos (11%). As lesões de
tecido mole foram as mais prevalentes com 65,12%, seguidas das fraturas nasais (13,04%) e fraturas
dento-alveolar (9,05%). O estudo concluiu que no HCSS os TBMF representam uma parcela significativa
dos Traumas em Geral, ocorrendo com maior frequência no gênero masculino, na faixa etária de 0 a 10
anos, apresentando como maior etiologia as quedas, sendo que as lesões de tecido mole foram as mais
prevalentes.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.28-28
28
• MESTRADO•
D209
D062
AVALIAÇÃO DA IDADE ÓSSEA POR MEIO DA MATURAÇÃO DAS
VÉRTEBRAS CERVICAIS DE INDIVÍDUOS EM CRESCIMENTO
D210
D062
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE ANESTESIA INFILTRATIVA COM
ARTICAÍNA 4% COM EPINEFRINA 1:100.000 PARA INSTALAÇÃO
DE IMPLANTES NA MANDÍBULA
Roberto Pereira Pimentel
Rui Barbosa de Brito Junior
Ortodontia
Eder Diniz de Rocha
Juliana Cama Ramacciato
Implantodontia
Este estudo avaliou o Estágio de Maturação das Vértebras Cervicais (EMVC), de 150 indivíduos
brasileiros de ambos os sexos, com idades entre oito e 14 anos, buscando determinar o dimorfismo
sexual e a aplicabilidade do EMVC na clínica ortodôntica. Foram analisadas telerradiografias em
norma lateral, obtidas previamente ao tratamento ortodôntico, e a amostra foi dividida em oito grupos,
considerando a idade em meses e o gênero. A morfologia das vértebras C3 e C4 foi avaliada por um
examinador que indicou o EMVC encontrado para cada indivíduo estudado. Os resultados foram
submetidos a testes de qui quadrado e o coeficiente de relação intraclasse avaliou o erro
intraoperador. O estudo indicou que a maioria da amostra, apresentava se em EMVC II e EMVC III
(p<1%), estágios que representam o surto de crescimento puberal e também o período mais
favorável para a terapia ortodôntica. Os resultados também apresentaram que o sexo feminino atinge
de forma mais precoce EMVC IV e EMVC V (p<1%), demonstrando que as meninas atingem o surto
puberal em idade mais tenra e concluem seu crescimento puberal aproximadamente dois anos antes
dos meninos.
O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da técnica de anestesia infiltrativa vestibular na mandíbula com a solução anestésica Articaína 4 %
com epinefrina 1:100.000, em instalação de implantes na região posterior da mandíbula, utilizando-se o menor volume anestésico possível para o
procedimento cirúrgico. Foram avaliados o grau de conforto durante a injeção e durante o procedimento cirúrgico por meio da escala analógica
visual (EAV), além da necessidade de complementação anestésica durante o ato cirúrgico. Os sinais vitais (pressão arterial, freqüência cardíaca,
saturação de oxigênio) e o nível de ansiedade também foram avaliados. O estudo foi realizado em 50 pacientes saudáveis, com necessidade de
implantes na região posterior de mandíbula. Todas as anestesias e procedimentos cirúrgicos foram realizados por um único operador. O teste t não
pareado mostrou que não houve diferenças estatisticamente significantes (p=0,1582) entre as idades dos homens e mulheres indicando que o
gênero provavelmente não interferiu com os resultados. Em apenas um procedimento clínico (2% do total) foram utilizados três tubetes do
anestésico local, sendo que nos demais foram utilizados dois tubetes. Em todas as anestesias foi necessária a complementação na região lingual,
sendo que o tempo total necessário ao procedimento anestésico foi de 1,76 (±0,41) minutos (aproximadamente 1 minuto e 45 segundos).O tempo
de latência para anestesia pulpar foi de 3,26 (±0,93) minutos e o tempo de anestesia em tecidos moles foi de 1,6 (±0,35) minutos. Foi possível
observar, pela análise dos valores de pressão arterial, que houve aumento significativo (Kruskal-Wallis, p<0,05) no momento da punção
anestésica em comparação com os demais tempos operatórios, tanto considerando a pressão sistólica quanto a diastólica, sendo que ao final do
tratamento os valores de pressão arterial diastólica voltaram ao valor basal, embora a pressão sistólica tenha permanecido mais alta do que os
valores basais. Embora tenham ocorrido episódios de elevação da pressão arterial em comparação com os valores basais todos os valores
permaneceram dentro dos limites fisiológicos aceitáveis. Foi possível observar que não houve diferenças estatisticamente significantes (KruskalWallis) entre os tempos operatórios considerando a SpO2, embora um aumento significativo (p<0,05) da frequência cardíaca tenha ocorrido no
momento da punção anestésica. Foi possível observar que a maioria absoluta dos voluntários (90%) considerou-se com ansiedade leve a
moderada (até 3 na EAF) e com intensidade de dor também leve a moderada (até 5 na EAV). Assim, o perfil da amostra foi de indivíduos que tinham
níveis moderados de ansiedade e responderam com dor dentro dos limites aceitáveis. O teste ANOVA mostrou que não houve influência da
ansiedade (p = 0,7945), medida pela EAF, e nem da dor prévia (p = 0,6831), medida pela EAV, sobre o tempo cirúrgico. Concluiu-se, dentro dos
limites do estudo, que a articaina proporcionou anestesia eficaz com a técnica infiltrativa, com mínima interferência nos parâmetros
cardiovasculares.
D211
D062
APARELHO PORTÁTIL MULTIFUNCIONAL (ORTOMATIC)
D212
D062
AVALIAÇÃO DA ROTAÇÃO DA MANDÍBULA EM PACIENTES NA
CLASSE II DIVISÃO 1 TRATADOS ORTODONTICAMENTE COM
EXTRAÇÃO DE PRÉ-MOLARES
Cláudio Henrique Junkes Colombo
Paulo Roberto Aranha Nouer
Ortodontia
Vivian Pinti Leão Machado
Rodrigo Cecanho
Ortodontia
Este trabalho vem apresentar uma nova ferramenta para auxiliar o cirurgião-dentista na prática de
sua clínica diária. Esta ferramenta, ou Ortomatic, é um aparelho portátil e de fácil utilização,
alimentado por baterias recarregáveis ou ligado diretamente à rede elétrica. Possui pontas
multifuncionais cambiáveis, sendo a primeira delas responsável por auxiliar o cirurgião-dentista na
instalação de ligaduras metálicas nos procedimentos ortodônticos. As duas outras pontas, são o
contra-ângulo e a peça reta. Com eles, o profissional executa diversas tarefas no seu dia a dia, como
a profilaxia profissional, o desgaste de peças protéticas, de coroas em acrílico ou mesmo polimento e
acabamento em aparelhos removíveis. Este novo equipamento também diminui a quantidade de
movimentos repetitivos que o profissional executa ao realizar certas tarefas, tendo sempre ao
alcance das mãos um equipamento versátil e de pequeno porte, resguardando assim, a saúde do
profissional.
O relacionamento oclusal entre os molares superiores e inferiores, característico de uma má
oclusão de Classe II, reflete um posicionamento mais anterior em relação ao inferior e dentre as
terapias para correção estão as exodontias dentais. Este estudo cefalométrico teve como objetivo
avaliar se houve rotação mandibular, em 24 indivíduos, divididos em dois grupos, portadores de
má-oclusão de Classe II divisão 1 º de Angle , leucodermas, sem crescimento, que foram
submetidos ao tratamento ortodôntico com exodontia de pré-molares pela Técnica
Bioprogressiva. Foram analisadas telerradiografias pré-tratamento, pós-tratamento imediato e 2
anos pós-contenção. Os dados foram submetidos ao teste estatístico não paramétrico de
Wilcoxon e os resultados demonstraram que houve diferença estatística no grupo onde se extraiu
primeiros pré-molares superiores e segundos pré-molares inferiores e não houve diferença no
grupo onde foram extraídos quatro primeiros pré-molares.
D213
D062
AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE OS TERCEIROS MOLARES INFERIORES
E O CANAL MANDIBULAR, POR MEIO DA TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA DE FEIXE CÔNICO (CONE BEAM), ATRAVÉS DOS
CORTES CORONAIS VERSUS CORTES TRANSVERSAIS (PARASSAGITAIS)
D214
D062
AVALIAÇÃO CLÍNICA DE CIRURGIAS DE ENXERTO DE SEIO MAXILAR COM
O USO DE AMOXICILINA E AMOXICILINA/CLAVULANATO DE POTÁSSIO NA
PREVENÇÃO DE INFECÇÃO PÓS OPERATÓRIA
Régis Penha Pimenta
Fabrício Passador Santos
Radiologia Odontológica e Imaginologia
Benedito Umberto Bueno
Rogério Heládio Lopes Motta
Clínicas Odontológicas
Com a tomografia computadorizada de feixe cônico (Cone-Beam) (TCCB), uma nova era da imaginologia se
iniciou na Odontologia, especificamente na cirurgia bucal e buco-maxilo-facial, oferecendo opções de
reconstruções tridimensionais e manipulação das imagens, apresentando-se com uma excelente qualidade e
com precisão de detalhes. A TCCB possui vantagens em relação à TC Fan-Beam, como a reduzida dose de
radiação emitida, equivalendo a aproximadamente 1/6 da tradicional assim como a redução da formação de
artefatos em suas imagens. O objetivo dessa pesquisa foi comparar dois tipos de cortes tomográficos da TCCB.
Os cortes avaliados foram o coronal e o transversal (parassagital). A região utilizada para essa pesquisa foi a
região do terceiro molar inferior e do canal mandibular, onde se verificou sua relação de intimidade, aferindo as
medidas de distância entre essas estruturas. 1798 estudos tomográficos foram avaliados. Entraram na amostra
da pesquisa 307 sendo 53,4% do gênero feminino e 46,6% do gênero masculino, entre uma faixa de idade que
variava dos 16 aos 62 anos, com uma média de 31,9 anos. O teste de Mann-Whitney aplicado às mensurações da
distância entre terceiros molares e o canal mandibular através de cortes transversais (parassagitais) e coronais,
revelou que medidas nos pacientes do gênero masculino foram significativamente maiores. Ao se comparar as
medidas obtidas com os cortes tomográficos, independentemente do gênero, verificou-se que os transversais
resultaram em distâncias significativamente menores (p = 0,0040), sendo a mediana de 1,28mm de distância
entre o ápice radicular do terceiro molar inferior e o canal mandibular. Para os cortes coronais, a mediana foi de
1,61mm. Esses dados permitiram concluir que o corte transversal (parassagital) fornece medidas menores e
mais precisas.
O objetivo deste estudo foi avaliar clinicamente dois protocolos medicamentosos (3 dias de antibioticoterapia) na prevenção de infecção do
sítio cirúrgico em cirurgias de levantamento de seio maxilar com osso xenógeno liofilizado (Bio-Oss® - Geistlich Pharm - Suíça). No total
foram avaliados 28 pacientes randomizados em 2 grupos : A (n=14) – 2g de amoxicilina 1h antes da cirurgia e posteriormente 500mg cada
8h por 3 dias; B (n=14) – 1g de amoxicilina associada ao clavulanato de potássio (250mg) 1h antes da cirurgia e posteriormente 500mg +
125mg a cada 8h por 3 dias. Foi realizado a anamnese do paciente e foram verificadas a pressão arterial, frequência cardíaca e saturação de
oxigênio de cada voluntário no pré e pós operatório. Os sinais de infecção observados foram: presença de febre (≥ 37,6º), edema, eritema,
dor aumentada, produção purulenta com presença de secreção na incisão ou drenagem (Lindeboom et al. 2006). Foram observados a
partir do 3º. dia e acompanhados semanalmente até completar 8 semanas (60 dias) de pós-operatório. Foi avaliada a sensação de dor pósoperatória por meio de uma Escala Analógica Visual (EAV) antes da cirurgia e nos períodos 0h, 8h, 16h, 24h, 32h, 40h, 48h, 56h, 64h, 72h e
80h após o procedimento cirúrgico. Os resultados referentes aos parâmetros fisiológicos obtidos no início do estudo até oito semanas de
pós-operatório foram comparados pela ANOVA bidirecional e teste de Tukey. A dor foi medida pela EAV e os valores foram comparados
pelos testes de Kruskal-Wallis e Mann-Whitney (5%). Os resultados deste estudo não apontaram nenhuma diferença significante (p›0,05)
com relação à alteração da pressão arterial, frequência cardíaca e saturação de oxigênio em relação aos diferentes protocolos
medicamentosos avaliados e proservados por 8 semanas. A análise dos dados de EAV revelou que não houve diferenças estatisticamente
significantes (teste de Mann-Whitney, p>0,05) entre os grupos considerando cada tempo individualmente, à exceção do período inicial, o
qual mostrou maior mediana (p= 0,0133) de dor para os voluntários do grupo B. Quanto às intercorrências, estas ocorreram apenas na 1ª e
2ª semana. A análise dos dados mostrou que não houve diferenças estatisticamente significantes (teste Exato de Fischer) entre os grupos
em relação à dor (p = 0,6036), edema (p = 1,000) e eritema (p = 0,4643) na primeira semana e nem no edema (p = 0,2063) na segunda
semana. Concluiu-se que não houve diferença entre os grupos, demonstrando que a associação da amoxicilina com clavulanato de
potássio não trouxe benefício adicional em relação à amoxicilina isolada na prevenção de infecção do sítio cirúrgico das cirurgias, e que o
período de 3 dias foi suficiente para prevenir complicações.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p. 29-29
29
• DOUTORADO •
T001
D062
EFEITO DO CLAREAMENTO COM PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO 38%
SOBRE O ESMALTE DENTAL DE PACIENTES BULÍMUCOS
T002
D062
OS ORTODONTISTAS DO BRASIL E OS ASPECTOS LEGAIS
ENVOLVIDOS EM SUA ATIVIDADE PROFISSIONAL: UMA
PROPOSTA JURÍDICA E COMPORTAMENTAL
Adriana Maria Ribeiro Junqueira de Arruda
Ynara Bosco de Oliveira Lima Arsati
Clínicas Odontológicas
Elionai Dias Soares
Ney Soares de Araújo
Ortodontia
O objetivo geral do presente estudo foi avaliar o efeito do clareamento dental de consultório com peróxido de hidrogênio 38%
(PH38%) sobre o esmalte dental de pacientes bulímicos, em dois estudos. No estudo 1, foi avaliado, in vitro, o efeito do
clareamento com PH 38% sobre a microdureza superficial do esmalte dental humano submetido a simulações de bulimia
nervosa. Trinta fragmentos (4x4mm) de esmalte foram divididos em 3 grupos: BUL - simulação de bulimia (HCl 0,01 M, 2xdia/
21 dias); BUL+CLA - simulação de bulimia e tratamento clareador (PH 38%; 3x/ 10 min, nos dias 7, 14 e 21); CLA - tratamento
clareador. Nos intervalos, todos os fragmentos foram mantidos em saliva natural. Foram realizados ensaios de microdureza
Knoop (25g, 5s) nos dias 0 (inicial), 7, 14 e 21. Os resultados mostraram que houve diminuição da microdureza em todos os
grupos em relação aos valores iniciais. No estudo 2, foi feita avaliacão, in situ da rugosidade superficial média e resistência
adesiva (testes de microtração e cisalhamento). Foram selecionados 12 voluntários, utilizando um dispositivo palatino
contendo 4 fragmentos (4x4mm) de esmalte. Os voluntários foram submetidos a 3 fases experimentais diferentes, de 5 dias
cada: BUL (HCl 0,01 M, 3xdia/ 5 dias), BUL+CLA (PH 38% 3x/ 10 min, nos dias 1, 3 e 5) e CLA. Os resultados quanto à
rugosidade mostraram que houve aumento em todos os grupos. Para os testes de cisalhamento, não houve diferença nos
resultados entre os grupos experimentais em relação ao controle, mas verificou-se um aumento no modo de fratura "coesiva
de esmalte" para os grupos BUL+CLA e CLA, sendo inclusive este tipo predominante no grupo BUL+CLA. Em microtração, os
resultados mostraram aumento na força adesiva para todos os grupos em relação ao grupo controle, sem diferenças
significativas entre eles. Pode-se concluir que o tratamento clareador com PH 38% não promove alterações adicionais no
esmalte dental submetido a simulações de bulimia, exceto pelo aumento de fraturas do tipo coesiva de esmalte no teste de
cisalhamento.
A proposta deste trabalho foi analisar a prática do prontuário ortodôntico e as atitudes comportamentais sob o ponto de
vista jurídico entre os ortodontistas do Brasil, mediante o seu relacionamento interpessoal com seus pacientes, e
disponibilizar os resultados, em forma de proposta, à comunidade científica. Inicialmente foi realizada uma pesquisa com
5355 ortodontistas brasileiros. Para isso, foi elaborado um questionário composto por 35 perguntas. Após retorno de 27%
das correspondências foi realizado um cruzamento informatizado estatístico em cinco grupos. Um sexto grupo criado foi a
intercessão de todas as respostas dos cinco grupos anteriores. Foi observado que, dentre os ortodontistas 42,2%
solicitam as documentações iniciais / finais e guardam o prontuário ortodôntico por toda a carreira profissional; 13,9%
duplicam a documentação inicial (todos os pacientes ou nos casos de interrupção) e consideram que o prontuário
ortodôntico pertence ao paciente; 19,5% aplicam para todos os pacientes um questionário de anamnese, que é assinado
ao final, por cada um desses pacientes; 5,4% consideram que a decisão pela opção terapêutica é do paciente, incluem a
opção "não realizar o tratamento" e afirmam ser o contrato fundamental para o início do tratamento; 24,0% reconhecem a
importância do CDC na profissão, consideram como obrigação de meio os serviços ortodônticos prestados e esclarecem
sobre os riscos envolvidos na prática da especialidade; 0% dos ortodontistas realizam simultaneamente todas a
considerações - cruzamento geral de todos os filtros - que indicam o comportamento profissional diante de seu paciente
ideal, sob o aspecto jurídico. Considerando a pesquisa de campo realizada concluiu-se que o ortodontista brasileiro
mantém uma atitude comportamental equivocada, mediante seus pacientes, pois sob o ponto de vista jurídico-profissional
negligencia a elaboração cautelosa do prontuário ortodôntico, dentro dos fundamentos legais e entendimentos conforme
estágio atual da especialidade Ortodontia e está vulnerável diante questionamentos, por parte de seus pacientes, sejam
eles litigiosos ou não, justos ou injustos, sob o aspecto legal de seu exercício profissional.
T003
D062
EFEITOS DO CONDICIONAMENTO ÁCIDO, DO TIPO DE SILANO E
DA CICLAGEM TÉRMICA NA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DE
BRAQUETES FIXADOS À CERÂMICA
AVALIAÇÃO IN VITRO DA INFLUÊNCIA DO LASER NA
DIFERENCIAÇÃO OSTEOGÊNICA
Adriano Rocha Ramos
Cristiane Furuse
Implantodontia
Antonio Afonso Sommer
Antônio Sérgio Guimarães
Ortodontia
Buscando contribuir para melhorias nos procedimentos de colagem de dispositivos ortodônticos sobre próteses de cerâmica, esta
pesquisa avaliou a resistência de união ao cisalhamento de braquetes metálicos (Rocky Mountain Orthodontics) fixados à cerâmica
odontológica, com a resina Transbond XT, variando condicionamento ácido, aplicação do silano e ciclagem térmica. Quanto ao silano,
comparou-se o Clearfil Ceramic Primer que contém um monômero ácido em sua formulação com o Rely X Ceramic Primer, desprovido
do monômero. Após o processo de descolagem, o índice de remanescente do adesivo (IRA) foi avaliado para verificar possíveis danos
na cerâmica no ato da remoção. Foram confeccionados cento e vinte discos em cerâmica IPS Empress Esthetic (Ivoclar) com 8 mm de
diâmetro por 5 mm de espessura e separados em 8 grupos (n=15): Grupos 1,2,5 e 6- ácido fluorídrico a 10% por 1 minuto; Grupos 1 a 4silano com monômero ácido; Grupos 5 a 8- silano sem monômero ácido; Grupos 1,3,5 e 7- 1000 ciclos térmicos nas temperaturas de
5°C e 55°C com 30 segundos cada banho. Em seguida, os braquetes foram fixados à cerâmica com o compósito Transbond XT e
fotoativados por 40 segundos com um aparelho de luz emitida por diodo (LED-UltraLume 5), com 1100 mW/cm2. Todas as amostras
foram estocadas em água destilada a 37º C por 24 horas e submetidas ao teste de resistência ao cisalhamento em uma máquina de
ensaio Instron à velocidade de 0,5 mm/min até ocorrer falha. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e ao teste de Tukey
(p<0,05). O padrão de fratura foi avaliado pelo IRA, com aumento de oito vezes em lupa estereoscópica. Obtiveram significância
estatística o aumento da adesividade com o condicionamento ácido e a redução de resistência com a ciclagem térmica. Na
comparação entre os silanos, não houve diferença estatisticamente significante. Todos os experimentos atingiram valores de
resistência superiores aos estabelecidos para uso clínico e laboratorial. A análise do IRA exibiu um predomínio de situações em que o
adesivo ficou todo aderido à cerâmica e uma incidência não desprezível de fraturas coesivas na superfície dos discos.
T005
D062
T004
D062
AVALIAÇÃO IN VITRO DA EFICÁCIA DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE
FEIXE CÔNICO (I-CAT TM) NA IDENTIFICAÇÃO DE RACHADURAS DENTÁRIAS
RADICULARES (GRETAMENTO) CONFORME O ESPECÍFICO PROTOCOLO
METODOLÓGICO UTILIZADO NESTE TRABALHO
Embora grande parte dos estudos tenha demonstrado a eficácia do laser na reparação do tecido ósseo, os efeitos bioestimulatórios relatados apresentaram grande variabilidade, fazendo com que seu uso na medicina tradicional
permaneça controverso. As variações e falhas têm sido atribuídas à aplicação de diferentes parâmetros de laser, ou seja,
ainda não existem parâmetros universalmente aceitos. Este trabalho teve como objetivo estudar a influência de diferentes
doses (1,2 e 2,1 J/cm2) do laser de diodo GaAlAs com comprimento de onda 780 nm na osteogênese in vitro. Para isso,
estudamos em células precursoras de osteoblastos de rato a expressão de genes envolvidos na diferenciação dos
osteoblastos (colágeno tipo I, fosfatase alcalina, sialoproteína óssea, osteopontina, osteocalcina e osteonectina) e na
ativação de osteoclastos (RANKL e osteoprotegerina), por meio da técnica de PCR (Polimerase Chain Reaction)
quantitativo ou em tempo real. Nossos resultados indicaram que a relação dose/resposta, em que a dose de 2,1 J/cm2 foi
mais eficiente na indução dos genes do que a de 1,2, foi observada nos períodos iniciais da cultura, de 3 horas para
colágeno tipo I, osteocalcina e osteonectina, ou de 2 dias, para osteopontina e osteoprotegerina, sugerindo o efeito de
aceleração da diferenciação celular. No período final, 7 dias após a irradiação das células, embora tenham sido
observados os maiores níveis de indução pelo laser, especialmente para o colágeno tipo I, este efeito demonstrou-se
dose-independente para a maioria dos genes. Entretanto, para fosfatase alcalina, marcador fenotípico chave para células
que realizam síntese óssea, a irradiação com 2,1 J/cm2 promoveu indução 3 vezes superior à obtida em reposta à dose de
1,2 J/cm2, efeito também observado, porém em menor magnitude, para osteocalcina. Portanto, nossos resultados
sugerem que a dose de laser de 2,1 J/cm2 foi mais eficiente na estimulação da diferenciação osteogênica e inibição da
ativação de osteoclastos em relação à de 1,2 J/cm2.
T006
D062
AVALIAÇÃO TOMOGRÁFICA DA PERDA ÓSSEA PERIIMPLANTAR DO OSSO
HUMANO FRESCO CONGELADO NA REGIÃO POSTERIOR DA MANDÍBULA
APÓS QUATRO ANOS DE REABILITAÇÃO PROTÉTICA
Márcia Gabriella Lino de Barros Bortolotti
José Luiz Cintra Junqueira
Clínicas Odontológicas
Angélica Castro Pimentel
Marcelo Henrique Napimoga
Implantodontia
O diagnóstico é primordial para o sucesso de um tratamento odontológico, sendo a radiografia um
grande recurso auxiliar, mas que apresenta limitações para diagnóstico de fraturas e gretamentos
radiculares. Com o advento da tomografia computadorizada ocorreram melhorias na capacidade
diagnóstica através das imagens tridimensionais. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia da
tomografia computadorizada de feixe cônico na observação e diagnóstico de gretamentos radiculares
em dentes humanos extraídos. Para isso foram selecionados, através de uma lupa de quatro vezes de
ampliação, 58 dentes unirradiculares com gretamento radicular longitudinal e dois dentes sem
gretamento radicular visível, analisados por quatro métodos: radiografia periapical digital, tomografia
computadorizada de feixe cônico, transiluminação e microscopia clínica. A microscopia eletrônica de
varredura foi realizada, como padrão ouro, para observação da rachadura radicular em 10 dentes da
amostra. A tomografia registrou o gretamento, em um percentual de aproximadamente 45,55% dos
dentes analisados, contra uma média de 96,67% registrados pela transiluminação e 93.33% na
microscopia clínica, diferenças estatisticamente significante frente à tomografia. Os resultados permitem
concluir que a radiografia periapical digital não é um método aplicável para observação e diagnóstico de
gretamentos radiculares; a transiluminação e a microscopia clínica estão pareadas na eficácia desse
processo; e que a tomografia computadorizada de feixe cônico não atingiu a eficácia desejada com o
tomógrafo utilizado neste estudo (i-CATTM) em dentes humanos extraídos.
O objetivo deste estudo foi de avaliar por meio da tomografia computadorizada de feixe
cônico (Cone Beam) as características do OHFC utilizado para ganho em altura na região
posterior da mandíbula após quatro anos de reabilitação protética. Foram avaliados 27
implantes em seis pacientes no intuito de mensurar a reabsorção na crista óssea
periimplantar nas faces proximais (mesial e distal). Durante o período avaliado nenhum
paciente apresentou perda de implantes e conseqüentemente perda das próteses fixas.
Foi observado que o OHFC teve uma porcentagem média de reabsorção óssea
periimplantar na mesial de 2,76±0,7mm (26,4%± 6,6%) e na distal de 2,85±0,61mm
(26,7%±5,4%) dos implantes, não sendo consideradas estatisticamente significantes. O
tamanho diferente dos implantes não demonstrou nenhuma correlação com o grau de
reabsorção óssea. Assim, podemos concluir que o uso do OHFC é uma alternativa viável
na reabilitação de pacientes parcialmente edêntulos na região posterior da mandíbula
com necessidades em ganho ósseo vertical.
T007
D062
INFLUÊNCIA DA FORMA E SUPERFÍCIE DOS IMPLANTES, E DA
CORTICAL ÓSSEA NA ESTABILIDADE PRIMÁRIA
T008
D062
ANÁLISE COMPARATIVA EM "EX VIVO" DE INSTRUMENTOS DE
NÍQUEL-TITÂNIO COM DIFERENTES PROCESSOS DE
FABRICAÇÃO
Flavio Almeida Fernandes
Carlos Eduardo Francischone
Implantodontia
Daniel Guimarães Pedro Rocha
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Clínicas Odontológicas
A estabilidade primaria (EP) dos implantes osseointegrados, é um dos fatores que influencia no
índice de sucesso na implantodontia, entretanto vários parâmetros influenciam na EP. O objetivo do
presente trabalho foi analisar a influencia da forma do implante (com, ou sem microroscas), superfície
do implante (anodizada, e com ataque acido) e a espessura da cortical óssea (1, 2 e 3 mm) na
estabilidade primaria. A estabilidade foi quantificada pelo torque de inserção (TI), torque de remoção
(TR) com um torquimetro digital (Lutron 8800®), e pelo ISQ (Implant Stability Quocient) índice usado
para avaliação da frequencia de ressonância (AFR), medido pelo Osstell Mentor®. Os resultados
mostraram que as variáveis analisadas, influenciam na estabilidade dos implantes. A superfície
anodizada, obtém valores maiores, nos quesitos TI e TR, do que os de superfície ácida. Os implantes
com microroscas e roscas duplas, obtiveram resultados maiores nos quesitos TI e TR, do que os de
desenho convencional. No que se refere a AFR, temos que apenas com a superfície anodizada, os
valores são maiores do que os da superfície acida, TI e TR quando comparados com a AFR, não
apresentam uma correlação quando da avaliação da estabilidade primaria.
O objetivo deste trabalho foi investigar alguns parâmetros de preparo do canal radicular através de dois diferentes
sistemas rotatórios de Níquel- Titânio (NiTi). Foram avaliados os seguintes parâmetros: manutenção da trajetória do
canal, o tempo de trabalho e a capacidade de remoção de smear layer das paredes do canal radicular. Para isto,
selecionaram-se trinta e três raízes mesiais de molares inferiores humanos extraídos, apresentando canais radiculares
com curvaturas entre 20 e 40o, divididos aleatoriamente em dois grupos experimentais de 16 canais cada (n=16), além de
um canal utilizado como grupo controle negativo. Os canais de um grupo foram instrumentados com o sistema Twisted
Files™ (grupo TF) e do outro com sistema Pathfile-ProTaper Universal™ (grupo P), seguindo as normas do fabricante até
um instrumento tip 25 e irrigados com NaOCl 2,5% e EDTA 17%. O canal controle não foi instrumentado. Com auxílio de
uma plataforma raiográfica, imagens radiográficas digitais pré e pós instrumentação foram realizadas e, com auxílio de um
programa de imagens Adobe Photoshop™ avaliou-se a quantidade de transporte ocorrido por meio de sobreposição das
radiografias digitais pré e pós instrumentação. Também foi avaliada a remoção de smear layer das paredes dos canais em
cada terço com auxílio de microscopia eletrônica de varredura (MEV) em um aumento de 500x. Para isso, três
examinadores avaliaram as imagens produzidas pelo MEV através de uma escala de cinco scores. Em seguida, os dados
foram analisados através dos testes Kapa e Kruskal-Wallis, com nível de significância de 0,05. Os resultados
demonstraram que ambos sistemas rotatórios de NiTi produziram desvio na trajetória do canal, mas que a diferença entre
eles não foi significativa; que ambos sistemas produziram superfície relativamente livre de smear layer nos terços
coronário e médio, mas não conseguiram produzir superfície livre de smear layer no terço apical, e ainda houve diferença
significativa entre ambos sistemas rotatórios de NiTi no que diz respeito ao tempo de trabalho, onde o sistema PathfileProTaper™ requer mais tempo para realizar a instrumentação quando comparado com o sistema Twisted File™.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.30-30
30
• DOUTORADO •
T009
D062
INFLUÊNCIA DA AMOXICILINA SOBRE O REPARO E A DENSIDADE ÓSSEA AO
REDOR DE IMPLANTES DE TITANIO: ESTUDO HISTOMÉTRICO EM RATOS
T010
D062
AVALIAÇÃO IN SITU DO POTENCIAL ANTICARIOGÊNICO E DA
RESISTÊNCIA DE UNIÃO AO ESMALTE DE MATERIAIS PARA
COLAGEM DE BRAQUETES CONTENDO FLUORETO
Joon Im
Rogério Heládio Lopes Motta
Implantodontia
Sérgio Ricardo da Silva
Roberta Tarkany Bating Höfling
Ortodontia
O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência de diferentes posologias da amoxicilina sobre o reparo
ósseo ao redor de implantes de titânio inseridos em tíbias de ratos. Foram utilizados 70 implantes (Bicon®,
Boston, USA) e 35 ratos Wistar machos aleatoriamente divididos em 5 grupos experimentais: grupo 1 controle (não foi administrado nenhum antibiótico); grupo 2 - dose única de amoxicilina (40mg/kg) via oral uma
hora antes da cirurgia; grupo 3 - administração de Amoxicilina (40mg/kg) via oral uma hora antes da cirurgia e
10 mg/kg de 12 em 12 horas por 3 dias; grupo 4 - administração de Amoxicilina (40mg/kg) via oral uma hora
antes da cirurgia e 10 mg/kg de 12 em 12 horas por 5 dias; grupo 5 - administração de Amoxicilina (40mg/kg)
via oral 1 hora antes da cirurgia e 10 mg/kg de 12 em 12 horas por 7 dias. Após 28 dias os ratos foram
sacrificados e obtidos secções com espessura final de cerca de 30μm para analise histométrica. Observou-se
que a análise de contato do osso ao implante (BIC) mostrou que o Grupo 1 (grupo controle) apresentou o maior
índice e o Grupo 3 (3 dias de amoxicilina) o menor índice, com diferença significativa quando comparado aos
outros grupos de estudo (p<0,05). Nenhuma diferença estatística significativa foi avaliada entre o Grupo 2,
Grupo 4 e Grupo 5 (p>0,05). Por outro lado, o Grupo 2 não apresentou diferença estatística significativa em
relação ao Grupo 1 para fração de área de ocupação do osso (BAFO) enquanto Grupo 3, Grupo 4 e Grupo 5
apresentaram menor BAFO com diferença significativa quando comparado com os outros dois grupos de
estudo (p<0,05). Portanto, dentro dos limites deste estudo, verificou-se que a amoxicilina e a sua posologia
influenciaram no reparo do osso ao redor de implantes de titânio inseridos em tíbias de ratos.
O objetivo deste trabalho in situ foi avaliar o potencial anticariogênico e a resistência de união ao esmalte de materiais
resinosos contendo fluoreto utilizados para colagem de braquetes. Foram utilizados 48 blocos de esmalte dental
bovino distribuídos aleatoriamente entre 12 voluntários, sendo um bloco para cada material avaliado. Cada voluntário
realizou 4 fases experimentais em 3 períodos diferentes em um estudo cross-over de 5 dias cada, passando pela fase
wash-out entre os períodos. Os blocos de esmalte foram submetidos ao processo de esterilização uma vez que
seriam inseridos em dispositivos palatinos a serem utilizados pelos voluntários. Bráquetes ortodônticos metálicos
(GAC, Edgewise) foram colados com diferentes materiais: Transbond XT (T), Transbond Plus Color Change (TF),
Transbond Plus Self Etching Primer (SAF) e um cimento de ionômero de vidro modificado por resina Vitremer (V). Os
participantes utilizaram o dispositivo palatal durante 5 dias, em quatro fases experimentais diferentes. Os voluntários
eram orientados a gotejarem duas gotas de solução de sacarose 20% sobre os blocos de esmalte por 8 vezes ao dia,
com intervalo de 2 horas. Foi determinada a microdureza superficial inicial de cada bloco de esmalte dental e após a
fase in situ, utilizando-se um microdurômetro (HVS - 100, Pantec, HVS 1000) com indentador tipo Knoop e carga
estática de 25g aplicada por 5 segundos. Ensaios de resistência ao cisalhamento foram realizados em máquina de
ensaio universal (EMIC, Equipamentos e Sistemas de Ensaio Ltda) para o teste de cisalhamento. Após análise
exploratória dos dados, foi aplicada a Análise de Variância (ANOVA) considerando o delineamento de tratamentos
cruzado e o teste de Tukey quando houve diferença entre os tratamentos. Não houve efeito significativo para as
médias de resistência ao cisalhamento (p=0,2433), nem diferença significativa entre os materiais avaliados
(p=0,2241). Fraturas coesivas em esmalte foram observadas somente para o grupo SAF (27,3%). Antes e após a
fase experimental in situ, os valores médios de microdureza não apresentaram diferença significativa entre os
tratamentos (p>0,05). Verificou-se que a maioria das fraturas após o cisalhamento dos bráquetes ao esmalte foi do
tipo coesiva em resina. Os materiais avaliados não apresentaram potencial anticariogênico
T011
D062
INFLUÊNCIA DA DIABETES EM PACIENTES COM DOENÇA PERIODONTAL
CRÔNICA NOS NÍVEIS SALIVARES DE IgA
INFLUÊNCIA DO DESENHO DO CONETOR NA RESISTÊNCIA À
FRATURA DE PRÓTESES PARCIAIS FIXAS DE ZIRCÔNIO SOBRE
IMPLANTES
José Agustin Valdívia Osório
Carlos Eduardo Francischone
Implantodontia
Andrezza de Almeida Bastos Maciel
Marcelo Henrique Napimoga
Clínicas Odontológicas
A doença periodontal é uma afecção inflamatória crônica, que se manifesta primariamente por uma infecção oral através de
bactérias anaeróbias gram negativas e que leva conseqüentemente a uma inflamação gengival, destruição dos tecidos
periodontais, perda de osso alveolar e em casos mais severos à esfoliação dentária, cuja ocorrência mais freqüente é a
Periodontite Crônica. Sua progressão pode ser determinada por fatores de risco ligados à resposta do hospedeiro, sendo que
estilo de vida e exposição ambiental pode influenciar o estabelecimento de microrganismos do biofilme, incluindo fumo, idade,
dieta, uso de medicamentos, deficiência leucocitária, síndrome da imunodeficiência adquirida, hormônios sexuais e diabetes.
O Diabetes Mellitus é uma doença que provoca uma elevação crônica dos níveis de glicose causada por uma absoluta ou
relativa falta de insulina devido a uma insuficiente produção pelo pâncreas ou uma deficiência de sua ação no organismo
caracterizando-se por hiperglicemia crônica, com distúrbio do metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas. O Diabetes
Mellitus e a Doença Periodontal apresentam uma alta incidência na população em geral e estão associadas a vários graus de
disfunção no sistema imunológico, incluído a IgA e várias interleucinas, dentre elas a IL-21. O objetivo deste trabalho foi então
avaliar o potencial do sistema imunológico humoral de mucosas, de pacientes que apresentam ou não doença periodontal e o
impacto do diabetes no sistema imune. Para tanto o estudo contou com 45 indivíduos com idade entre 34 e 60 anos, sendo
destes, 12 sistemicamente saudáveis e sem doença periodontal, 15 sistemicamente saudáveis e com periodontite crônica e 14
diabéticos com doença periodontal. Foram realizados exames clínicos periodontais, análise dos níveis de IgA na saliva,
reações de qPCR para IL-21. Conclui-se que o aumento da IL-21 nos tecidos periodontais influenciam o aumento dos níveis
salivares de IgA em pacientes com periodontite crônica, porém o diabetes mellitus não exerceu nenhuma influencia nesse
sistema.
T013
D062
T012
D062
Apresentação do problema: na atualidade o interesse no material óxido de zircônia é cada vez maior devido a sua alta resistência flexural,
biocompatibilidade, e que nos últimos anos graças aos avanços obtidos na tecnologia CAD/CAM. Contudo há vários aspectos ainda não
esclarecidos com bastante evidência científica. Um destes aspectos é o desenho ou configuração que deve ter o conector de prótese parcial fixa
no setor da cavidade oral, seja zona a que concentra as tensões exercidas sobre a estrutura pela força de mastigação. Objetivo: a finalidade do
presente estudo in vitro foi avaliar a tenacidade à fratura de estruturas de óxido de zircônio para próteses fixas de três unidades posteriores sobre
implantes, com cinco diferentes desenhos. Material e Métodos: cinquenta estruturas de óxido de zircônia para próteses fixas de três unidades
posteriores foram elaboradas de forma estandarizadas através de tecnologia CAD/CAM (Sistema Procera).Estas estruturas foram divididas em
cinco grupos em conformidade ao desenho dos conectores:quadrado, circular, triangular, ovóide vertical e ovóide horizontal. As estruturas foram
cimentadas com cimento Relax Unicem (3M ESPE) sobre corpos de prova que assemelhavam a situação clínica de dois pilares maquiados
metálicos sobre impalntes isntalados no setor posterior da cavidade oral, com uma separação entre os centros dos dois implantes de 17mm. Após
72 horas de cimentadas todas as estruturas foram sbmetidas a carga progressiva até a fratura total desta, em uma máquina de ensaio universal
Instron Tinius Oslen Modelo H5K-S. A zona de aplicação da carga, foi no centro da superfície oclusal do intermediário. Os dados obtidos foram
analisados estatísticamente por meio do teste de Shapiro Wilds, análises de Variancia One Way Anova e Test de Tukey com um nível de
significancia de 0,005. Resultados: a média dos valores da resistência à fratura para cada grupo de desenho conector foram s seguintes: quadrado
1.962, O N; circular 1.893,6 N;triangular 1.694,6, N;ovóide vertical 2.290,0 N; e ovóide horizontal 1.614,0 N. Não se achou diferenças
estatísticamente significamente entre o conector quadrado e o conector circular (p=0,690), bem como não foram observadas diferenças
significantes entre o conector triangular e o conector ovóide horizontal (p=0,545).Em vez disso, houve diferenças significantivas ao comparar a
resistência do conector ovóide vertical com todos os desenhos de conector ( pp<0,005). Conclusões: dentro das limitações deste estudo in vitro,
podemos ter as seguintes conclusões. 1)os conectores com desenho ovóide vertical têm os melhores valores de resitência à fratura e sua
diferença com os outros desenhos estudados é esteticamente significativa. 2)todos os desenhos de cnectores cumprem com os requisitos
funcionais para sua indicação em qualquer sector da cavidade oral. 3}os conco desenhos têm altos valores de resistência à fratura que excedem
os requerimentos máximos habituais (350N), inclusive os valores observados em estados disfuncionais (Bruxismo:500-800N).
AVALIAÇÃO DA BIOCOMPATIBILIDADE AOS CIMENTOS EPIPHANY, PULP
CANAL SEALER, SEALAPEX E TESTE MBP : UM ESTUDO EM SUBCUTÂNEO DE
RATOS
Carlos Alberto Monteiro Falcão
Carlos Eduardo da Silveira Bueno
Clínicas Odontológicas
O objetivo do presente trabalho foi comparar a resposta inflamatória frente ao implante subcutâneo de tubos de polietileno contendo o
cimento experimental MBP, desenvolvido na disciplina de Endodontia da Faculdade de Odontologia de Bauru - USP, com tubos
contendo cimento resinoso, Epiphany®, cimento a base de óxido de zinco e eugenol, Pulp Canal Sealer® e cimento a base de óxido de
cálcio, Sealapex®. Foram utilizados 26 animais machos da espécie rattus novergicus, linhagem Wistar, divididos aleatoriamente, em 2
grupos de 10 animais (I, II), e cada grupo foi subdividido em 2 subgrupos (A e B) de 05 animais, além do grupo III com 06 animais,
subdividos em grupos A e B, cada um com 3 animais. O sub-grupo A correspondeu aos animais que permaneceram com o tubo por 7
dias e o sub-grupo B correspondeu aos animais que permaneceram com os tubos por 50 dias. Decorrido os prazos, os animais foram
sacrificados com sobredose de anestésico, as peças contendo os tubos foram removidas, fixadas em formol a 10% e incluídas em
blocos de parafina. Foram confeccionadas lâminas de 5µm para coloração com hematoxilina-eosina(HE) e lâminas de 3µm, as quais
foram submetidas à reação de imunohistoquímica com anticorpo CD68 para contagem de macrófagos. As lâminas coradas em HE
foram avaliadas de forma semi-quantitativa, quanto à intensidade do infiltrado inflamatório, formação de tecido fibroso e dispersão de
material, por meio da adoção de escores. Os macrófagos identificados pela reação imunohistoquímica foram contados utilizando o
programa ImagemTool. Os dados foram registrados no Excel e analisados estatisticamente através dos testes T, ANOVA e KruskalWallis. Aos 7 dias, o cimento Sealapex® apresentou proliferação vascular e infiltrado inflamatório de pequena intensidade, alguns
neutrófilos e maior quantidade de macrófagos. Aos 50 dias a reação tecidual foi próxima da normalidade. Pulp Canal Sealer® teve
como resposta tecidal aos 7 dias, infiltrado inflamatório com polimorfonucleares e focos de tecido necrótico. Aos 50 dias houve
predominância de formação de fibras e vasos e presença de macrófagos na saída do tubo. O cimento MBP provocou resposta
inflamatória considerada moderada, com presença de macrófagos e poucas células multinucleadas, aos 50 dias, notou-se formação de
tecido fibroso de forma regular na entrada do tubo e presença de poucas células mononucleadas. O cimento Epiphany® apresentou
aos 7 dias um infiltrado inflamatório moderado e pequenos focos de necrose em íntimo contato com o material. Aos 50 dias foi
observado infiltrado inflamatório leve ou ausente. Pode-se dizer que comportamento biológico foi semelhante entre os demais
cimentos testados, já que não houve diferença estatisticamente significante entre eles. Desta forma, sob ponto de vista da
biocompatibilidade, conclui-se que os demais cimentos apresentaram resultados satisfatórios e que o MBP pode ser considerado para
uso como cimento obturador do sistema de canais radiculares.
Anais, Campinas, ano 7, 2012, p.31-31
31
ANAIS 2012
Faculdade São Leopoldo Mandic
Rua José Rocha Junqueira, 13
CEP: 13045-755 - Campinas - SP
(19) 3211.3600
www.slmandic.edu.br

Documentos relacionados