Relatório Actividades_2011

Сomentários

Transcrição

Relatório Actividades_2011
RELATÓRIO
DE ATIVIDADES
IPCA 2011
ÍNDICE
5
MENSAGEM DO PRESIDENTE
7
7
8
8
8
9
11
11
11
12
12
12
13
14
15
16
16
18
18
18
SECÇÃO I - O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
1. Enquadramento Jurídico
2. Estrutura Organizacional
2.1 Órgãos de governo
2.1.1 Conselho Geral
2.1.2 Presidente
2.1.3 Conselho de Gestão
2.1.4 Conselho Académico
2.1.5 Conselho para Avaliação e Qualidade
2.1.6 Provedor do Estudante
2.2. Unidades orgânicas de ensino e investigação
2.2.1 Diretor
2.2.2 Conselho técnico-científico
2.2.3 Conselho Pedagógico
2.2.4 Departamentos e Grupos Disciplinares
2.2.5 Comissões Diretivas de Mestrado
2.2.6 Direções de Curso
2.3. Estruturas de apoio
2.3.1 Serviços Centrais
2.3.2 Serviços Administrativos das Escolas
21
21
22
23
SECÇÃO II - O PLANO ESTRATÉGICO DO IPCA PARA 2011-2015
1.Enquadramento do Plano
2. Estrutura do plano
3. Eixos estratégicos de intervenção
27
27
27
28
29
29
30
30
33
33
34
34
34
35
36
36
40
41
42
43
44
45
46
48
48
49
51
51
52
52
52
53
53
56
56
58
SECÇÃO III - ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
1.Oferta formativa
1.1 Escola Superior de Gestão
1.1.1 Cursos de Especialização Tecnológica
1.1.2 Licenciaturas
1.1.3 Mestrados
1.1.4 Pós-Graduações
1.1.5 Atividades de Extensão Pedagógica
1.2 Escola Superior de Tecnologia
1.2.1 Cursos de Especialização Tecnológica
1.2.2 Licenciaturas
1.2.3 Mestrados
1.2.4 Pós-Graduações
1.2.5 Actividades de Extensão Pedagógica
2. Os estudantes
2.1 Número Global de Estudantes
2.2 Resultados do Concurso Nacional de Acesso – Formação Inicial
2.3 Número de Estudantes em Cursos de Mestrado
2.4 Número de Diplomados
2.5 Caracterização dos Estudantes
2.6 O Sucesso Escolar e o Abandono Escolar
3. Investigação científica, aplicada e transferência de conhecimento
3.1. Qualificação do corpo docente
3.2 Publicações e Comunicações
3.3 Centros de Investigação
3.3.1 Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
3.3.2 Centro de Inovação em Design e Desenvolvimento de Produto (CIDD)
3.3.3 Digital Games Research Centre (DIGARC)
3.3.4 Laboratório da Imagem, Produção e Percepção (LIPP)
3.3.5 Centro de Estudos Planeamento e Análise de Dados (CEPAD)
3.4 Revistas Científicas
3.5 Conferências e Congressos Internacionais
3.6 Prestação de Serviços à Comunidade e de Apoio ao Desenvolvimento
4. Mobilidade, cooperação e internacionalização
4.1 Mobilidade de Estudantes, Docentes e Pessoal Não Docente
4.2 Cooperação com o Espaço Europeu de Ensino Superior
1
59
60
60
61
62
62
63
63
64
64
64
65
66
66
4.3 Cooperação com Países de Língua Oficial Portuguesa
5. O Empreendedorismo, a Empregabilidade e a Inserção na Vida Ativa
5.1 Promoção do Emprego
5.2 Promoção do Empreendedorismo
5.3 Eventos Promovidos pelo G3E
5.3.1 Seminários
5.3.2 Participação em Júris
6. Sistema Interno de Garantia de Qualidade - SIGQa-IPCA
6.1 Avaliação e Acreditação de Ciclos de Estudo
6.2 Inquéritos de Avaliação
6.2.1 Inquéritos de Avaliação Pedagógica
6.2.2 Inquéritos de Avaliação da Satisfação com os Serviços
7. Acesso ao conhecimento
7.1. Serviços de documentação
71
71
71
71
72
74
74
74
75
76
77
77
77
77
77
78
78
SECÇÃO IV - RECURSOS
1. As Pessoas
1.1 Pessoal Docente
1.1.1. Composição do corpo docente
1.1.2. Formação Académica do Pessoal Docente
1.1.3. Avaliação de Desempenho
1.2 Pessoal Não Docente
1.2.1. Composição do corpo de pessoal não docente
1.2.2. Formação Académica do Pessoal não Docente
1.2.3. Avaliação de Desempenho
2. Os recursos Patrimoniais / Materiais
2.1 Serviços Centrais
2.2 Campus do IPCA
2.3. Centro de Investigação e Desenvolvimento - Digital Games Lab
2.4. Infraestruturas laboratoriais da Escola Superior de Tecnologia
3. Recursos informáticos
3.1 Centro de Informática
81
81
82
82
82
84
84
84
85
85
86
87
87
87
88
88
SECÇÃO V - AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
1. Enquadramento
2. Apoios Prestados em 2011
2.1 Apoios Sociais Directos
2.1.1 Bolsa de Estudo
2.1.2 Auxílios de Emergência
2.2 Apoios Sociais Indirectos
2.2.1 Alimentação
2.2.2 Alojamento
2.2.3 Serviços de Saúde
2.2.4 Apoio a Actividades Desportivas e Culturais
2.2.5 Transporte
2.2.6 Outros Apoios Educativos
3. Recursos Disponíveis
3.1 Humanos
3.2 Informáticos
ÍNDICE DE QUADROS
28
28
30
31
31
33
34
36
36
38
38
39
40
41
42
2
Quadro 1 - Resumo dos cursos oferecidos pela ESG em 2011
Quadro 2 - Cursos de Especialização Tecnológica realizados em 2011
Quadro 3 - Cursos de Pós-graduação realizados em 2011
Quadro 4 - Atividades realizadas em 2011 no âmbito dos cursos de mestrado
Quadro 5 - Atividades realizadas em 2011 no âmbito dos cursos de licenciatura
Quadro 6 - Resumo dos cursos oferecidos pela EST em 2011
Quadro 7 - Cursos de CET realizados em 2011
Quadro 8 - Evolução do Número de Estudantes 1996-2011
Quadro 9 - Estudantes Inscritos no IPCA, por Curso
Quadro 10 - Distribuição dos Estudantes por Tipo de Formação
Quadro 11 - Distribuição dos Estudantes por regime de frequência
Quadro 12 - N.º Estudantes Inscritos pela 1.º vez
Quadro 13 - Ocupação de vagas no Concurso Nacional de Acesso Ensino Superior 2011/2012
Quadro 14 - N.º Estudantes Inscritos em Cursos de Mestrado
Quadro 15 - Número de Estudantes Diplomados nas Licenciaturas
43
43
43
44
46
47
47
47
48
49
49
50
50
50
54
55
56
56
57
57
57
58
59
60
61
61
64
64
65
66
66
67
67
68
68
71
71
72
73
73
74
75
75
76
76
82
83
Quadro 16 - Estudantes titulares de Cursos CET
Quadro 17 - Distribuição dos estudantes por género (em %)
Quadro 18 - Distribuição dos estudantes por Escola, por género e por regime (em %)
Quadro 19 - Distribuição dos estudantes por escalão etário, por Escola e regime
Quadro 20 - Número de docentes a frequentar curso de mestrado e doutoramento
Quadro 21 - Número de docentes que obtiveram o grau de Mestre e Doutor
Quadro 22 - Número de docentes que obtiveram o Título de Especialista
Quadro 23 - Distribuição dos docentes PROTEC por departamentos
Quadro 24 - Publicações cientificas por departamentos
Quadro 25 - Centros de Investigação do IPCA
Quadro 26 - Projetos de investigação científica em curso no âmbito de programas de doutoramento
Quadro 27 - Projetos de investigação científica em curso no âmbito de cursos de mestrado
Quadro 28 - Projetos de investigação científica concluídos em 2011
Quadro 29 - Projectos de investigação aplicada
Quadro 30 - Cursos de preparação para a OTOC
Quadro 31 - Cursos livres
Quadro 32 - Estudantes do IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
Quadro 33 - Estudantes estrangeiros em mobilidade ao Abrigo do Erasmus
Quadro 34 - Docentes recebidos no IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
Quadro 35 - Funcionários recebidos no IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
Quadro 36 - Funcionários enviados pelo IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
Quadro 37 - Acordos bilaterais celebrados com instituições europeias
Quadro 38 - Número de protocolos de cooperação entre 2009 e 2011
Quadro 39 - Acordos bilaterais celebrados com outros países
Quadro 40 - Número de ofertas de emprego divulgadas
Quadro 41 - Tipo de ofertas de emprego divulgadas
Quadro 42 - Pedidos de acreditação de novos ciclos de estudo
Quadro 43 - Número de inquéritos de avaliação pedagógica
Quadro 44 - Itens com médias de satisfação mais altas em cada serviço em 2009, 2010 e 2011
Quadro 45 - Itens com médias de satisfação mais baixas em cada serviço em 2009, 2010 e 2011
Quadr0 46 - Distribuição e capacidade dos espaços
Quadro 47 - Nº de recursos Informativos
Quadro 48 - Recursos subscritos na B-on
Quadro 49 - Número de downloads por recurso em 2010 e 2011
Quadro 50 - Formação de Utilizadores
Quadro 51 - Evolução do número de docentes e de ETI (Equivalente a Tempo Integral)
Quadro 52 - Número de ETI por departamento
Quadro 53 - Formação académica dos docentes em 2011
Quadr0 54 - Regime do serviço docente/habilitações académicas
Quadro 55 - Docentes em serviço no IPCA, por categoria e vínculo
Quadr0 56 - Docentes em serviço no IPCA, por grau e regime
Quadro 57 - Distribuição do pessoal não docente
Quadro 58 - Distribuição do pessoal não docente por carreira profissional e género
Quadro 59 - Pessoal não docente por categoria e habilitações académicas
Quadro 60 - Distribuição dos estagiários PEPAC por áreas de educação
Quadr0 61 - Evolução do valor das bolsas de estudo
Quadro 62 - Evolução do número de boldas de estudo
ÍNDICE DE FIGURAS
22
44
59
61
72
73
83
Figura 1 - Eixos Estratégicos de Intervenção
Figura 2 - Proveniência dos estudantes do IPCA por distrito
Figura 3 - Número de protocolos entre 2009 e 2011
Figura 4 - Número de ofertas de emprego divulgadas
Figura 5 - N.º de docentes por departamentos
Figura 6 - % de docentes por categoria no IPCA, em 2011
Figura 7 - Evolução n.º de candidatos e n.º de bolseiros
3
4
Mensagem do Presidente
O ano de 2011 fica marcado pela transição do IPCA do regime de instalação para o regime normal
de funcionamento, com a entrada em funções do primeiro presidente estatutariamente eleito.
Consequentemente, fica também marcado pela entrada em funcionamento de um novo modelo
organizacional, com a constituição de novos órgãos de governo, assim como novos órgãos de natureza
consultiva.
Este foi também o ano em que o Presidente do IPCA apresentou ao Conselho Geral a proposta d0
Plano Estratégico para os próximos 4 anos (2011-2015), definindo os objectivos e as metas a que o IPCA
se propõe atingir.
O ano de 2011 fica ainda assinalado pela consolidação da instituição ao nível da oferta formativa de 1º
ciclo, com 13 cursos em regime diurno, 10 cursos em regime pós-laboral e 3 cursos no regime de ensino
a distância. O IPCA, reforçou assim o seu compromisso, enquanto instituição de ensino superior, de
garantir mais formação para mais estudantes, em diferentes áreas e dirigidas a diferentes públicos,
contribuindo, dessa forma, para o aumento das qualificações da população.
Do presente Relatório de Actividades, destacam-se as seguintes acções:
•
A entrada em pleno exercício de funções do Conselho Geral do IPCA;
•
A eleição do primeiro presidente estatutariamente eleito e, consequentemente, o fim do regime
de instalação;
•
A constituição da equipa dirigente do IPCA, nos termos dos Estatutos do IPCA;
•
A entrada em funcionamento do Conselho de Gestão, Conselho Académico e Conselho para
Avaliação e Qualidade;
•
A aprovação e entrada em vigor do Plano Estratégico para o quadriénio 2011-2015;
•
A entrada em funcionamento de mais dois cursos de licenciatura em ensino a distância, um na
Escola Superior de Gestão e outro na Escola Superior de Tecnologia, totalizando três cursos neste
regime;
•
A frequência de aproximadamente 3.800 estudantes em cursos de mestrado, licenciatura, pósgraduação e especialização tecnológica;
•
A atribuição dos primeiros títulos de especialista a docentes do IPCA;
•
O aumento para 30% de docentes doutorados na totalidade dos docentes de carreira, sendo que,
dos 89 docentes, 30 têm o grau de doutor;
•
A obtenção do 1.º lugar, por um grupo de estudantes da Escola Superior de Tecnologia, na final
portuguesa da competição mundial de programação informática promovida pela Microsoft Imagine Cup 2011 – e participação na final internacional que decorreu em Nova Iorque;
•
A obtenção do 2.º lugar, por um grupo de estudantes da Escola Superior de Tecnologia, no concurso
nacional do Poliempreende;
•
As publicações, no âmbito dos projetos de investigação científica do Centro de Investigação em
Contabilidade e Fiscalidade, designadamente o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses
2009 e do Anuário Financeiro do Setor Empresarial do Estado – 2009 e 2010.
5
Em resumo, o ano de 2011 permitiu, a esta instituição de ensino superior, virar uma página e iniciar
uma nova fase da sua existência, com novas autonomias, entre as quais estatutária e de gestão e órgãos
próprios de governo. Numa conjuntura especialmente difícil, marcada por uma grande instabilidade
económica e financeira, o IPCA, prosseguiu o seu projeto, com o empenho e colaboração de todos os
seus intervenientes.
A toda a comunidade académica, docentes, estudantes, funcionários e colaboradores, e comunidade
externa, expresso o meu agradecimento e reconhecimento pelo trabalho desenvolvido.
6
Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
Secção I
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), criad0 pelo Decreto-Lei n.º 304/94, de 19
de Dezembro, entrou em funcionamento no ano letivo 1996/1997 e, ao longo destes 15 anos, tem
desenvolvido as atribuições previstas na Lei, contribuindo para o aumento de qualificação da população
portuguesa, garantindo mais formação para mais estudantes, e reforçando a actividade científica e da
investigação aplicada, em ligação directa com o meio empresarial e industrial.
As actividades desenvolvidas em 2011 evidenciam uma instituição consolidada, que diversificou a sua
oferta formativa, mantendo as áreas das ciências empresariais, das tecnologias e do design, dirigida
a diferentes públicos e que, utilizando as suas valências técnicas e científicas, criou, transmitiu e
difundiu o conhecimento e a cultura, fomentou as relações com a comunidade envolvente, promoveu
o empreendedorismo e a empregabilidade, desenvolveu a cooperação e o intercâmbio, permitindo a
interculturalidade e a internacionalização.
As ações de 2011, refletem ainda uma especial preocupação com o reforço da qualidade e da relevância
das formações, bem como com a definição da estratégia a seguir ao longo dos próximos anos.
1. Enquadramento Jurídico
O IPCA, enquanto instituição de ensino superior, obedece ao disposto no Regime Jurídico das
Instituições de Ensino Superior (RJIES), diploma aprovado pela Lei n.º 62/2007, de 10 de Setembro,
que regula, entre outros, a sua constituição, atribuições e organização, o funcionamento e competência
dos seus órgãos e, ainda, a tutela e fiscalização pública do Estado sobre a mesma, no quadro da sua
autonomia.
O processo de transição do regime de instalação para o regime normal de funcionamento iniciou-se
em 27 de Janeiro de 2009, com a aprovação dos Estatutos Provisórios do IPCA, tendo sido, nos termos
do previsto no artigo 172.º do RJIES, constituída a Assembleia Estatutária, que aprovou os Estatutos e os
submeteu à homologação do ministro da tutela.
Ao abrigo do artigo 69.º do RJIES, foram homologados os Estatutos do IPCA, pelo Ministro da Ciência,
Tecnologia e Ensino Superior, através da publicação na 2.ª série do Diário da República do Despacho
normativo n.º 21/2010, de 22 de Julho, entrando em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.
Os Estatutos do IPCA constituem a norma fundamental de organização interna e de funcionamento do
IPCA e a sua homologação, possibilitou a constituição do Conselho Geral do IPCA, órgão de governo da
Instituição, com competência para eleger o presidente da Instituição.
7
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
No ano de 2011, tiveram lugar as seguintes ações conducentes à passagem do IPCA do regime de
instalação para o regime normal de funcionamento:
DATA
AÇÃO
3 de Janeiro de 2011
Eleição do Presidente do Conselho Geral
27 de Abril de 2011
Eleição do Presidente do IPCA
16 de Maio de 2011
Homologação da eleição do Presidente do IPCA
3 de Junho
Tomada de Posse do Presidente do IPCA
Nos termos do artigo 90.º dos Estatutos do IPCA, o IPCA cessou o seu regime de instalação com a efetiva
entrada em funções do presidente estatutariamente eleito, pelo que, no dia 3 de Junho de 2011, o IPCA,
termina o regime de instalação que já durava há 17 anos, e inicia o seu regime normal de funcionamento,
gozando, a partir dessa data, de todas as autonomias previstas no RJIES para os institutos politécnicos estatutária, académica e de gestão - e dispondo de órgãos de governo próprios.
Após a tomada de posse do Presidente do IPCA em Junho, foi constituído o Conselho de Gestão,
nomeado o Provedor do Estudante, e constituído o Conselho Académico e o Conselho para Avaliação e
Qualidade, ficando o IPCA dotado dos órgãos de Governo previstos no RJIES, bem como no artigo 14.º
dos Estatutos.
2. Estrutura Organizacional
2.1 Órgãos de governo
De acordo com artigo 14º dos Estatutos, são órgãos do IPCA:
a) Conselho geral
Órgãos de governo
b) Presidente
c) Conselho de gestão
d) Conselho académico
Órgãos de natureza consultiva
e) Conselho para avaliação e qualidade
f) Provedor do estudante
2.1.1 Conselho Geral
Com a passagem para o regime normal de funcionamento e nos termos do artigo 14.º dos Estatutos,
o IPCA passou a dispor de um Conselho Geral, composto por representantes dos professores e
investigadores da Escola Superior de Gestão (ESG) e da Escola Superior de Tecnologia (EST),
representantes dos estudantes, representante do pessoal não docente e personalidades externas de
reconhecido mérito.
8
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
No final de 2010 decorreram as eleições dos representantes dos professores e investigadores, dos
estudantes e do pessoal não docente, que após tomarem posse reuniram com o propósito de identificarem
as individualidades a cooptar para o órgão. Os membros cooptados tomaram posse a 20 de Dezembro de
2010 e no dia 3 de Janeiro de 2011 elegeram o Presidente do Conselho Geral, entrando assim este órgão
no seu pleno exercício de funções.
A composição do Conselho Geral é a seguinte:
Presidente
Dr. António Marques
Secretária
Prof. Doutora Irene Maria Portela
Membros Eleitos
Representantes dos professores e investigadores
Prof. Doutora Irene Maria Portela (ESG)
Prof. Doutor José Manuel Teixeira Pereira (ESG)
Prof. Doutora Laurentina Maria da Cruz Vareiro (ESG)
Prof. Doutora Maria José da Silva Fernandes (ESG)
Prof. Doutora Maria Manuela Cruz Cunha (EST)
Prof. Doutora Paula Cristina Almeida Tavares (EST)
Prof. Doutor Ricardo João Ferreira Simões (EST)
Prof. Doutora Sónia Maria Silva Monteiro (ESG)
Prof. Doutora Soraia Marla Ferreira Gonçalves (ESG)
Prof. Doutora Teresa Paula Amaral Abreu (EST)
Prof. Doutora Verónica Paula Lima Ribeiro (ESG)
Prof. Doutor Vitor Hugo Mendes da Costa Carvalho (EST)
Representantes dos estudantes
Estudante Hugo Filipe Lopes
Estudante Mário Ferreira
Estudante Ricardo Miguel Cabral de Freitas
Representantes dos funcionários não docente e não investigadores
Dra. Isabel Leonor Alves Xavier Fernandes
Membros cooptados
Sr. António Domingues Azevedo
Dr. António Marques
Dr. Fernando Alberto Ribeiro da Silva
Dr. João Macedo Lourenço
Dr. José Eduardo Lopes Nunes
Dr. Manuel Pereira Vilas Boas
Eng. Rosa Maria Guimarães Vaz da Costa
2.1.2 Presidente
O Regulamento de Eleição do Presidente do IPCA foi aprovado no dia 18 de Fevereiro pelo Conselho
Geral, depois de o mesmo ter sido objeto de discussão pública por um período de trinta dias, e após
apreciação dos contributos recebidos.
No dia 27 de Abril de 2011 o Conselho Geral reuniu e procedeu à eleição do Prof. Doutor João Baptista
da Costa Carvalho, a qual foi homologada a 16 de Maio de 2011 pelo Senhor Ministro da Ciência,
Tecnologia e Ensino Superior, Professor Doutor José Mariano Gago.
9
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA
E ENSINO SUPERIOR
Gabinete do Ministro
Despacho n.º 7655/2011
Considerando que nos termos do n.º 1 do artigo 86.º da Lei n.º 62/2007,
de 10 de Setembro (regime jurídico das instituições de ensino superior),
os presidentes dos institutos politécnicos são eleitos pelos respectivos
conselhos gerais nos termos estabelecidos pelos estatutos de cada
instituição e segundo o procedimento previsto no respectivo regulamento;
Considerando que nos termos da alínea d) do n.º 2 do artigo 27.º da Lei
n.º 62/2007, de 10 de Setembro, compete ao ministro da tutela do ensino
superior homologar a eleição dos presidentes das instituições de ensino
superior públicas;
Considerando o disposto na Lei n.º 62/2007, de 10 de Setembro,
bem como nos Estatutos do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave,
homologados pelo despacho normativo n.º 21/2010, de 22 de Julho;
Considerando que o conselho geral do Instituto Politécnico do Cávado
e do Ave, em reunião de 27 de Abril de 2011, procedeu à eleição do
Professor João Baptista da Costa Carvalho;
Considerando o parecer da Secretaria -Geral do Ministério da Ciência,
Tecnologia e Ensino Superior no sentido de que, em face dos elementos
constantes do respectivo processo eleitoral, estão satisfeitos os requisitos
previstos na lei e nos Estatutos do Instituto Politécnico do Cávado e do
Ave para a homologação da referida eleição:
Ao abrigo do disposto na alínea d) do n.º 2 do artigo 27.º da Lei n.º
62/2007, de 10 de Setembro, homologo a eleição para presidente do
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave do Professor João Baptista da
Costa Carvalho.
16 de Maio de 2011. — O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino
Superior, José Mariano Rebelo Pires Gago
A equipa dirigente do IPCA é ainda constituída por três vice-presidentes, um administrador e um
director dos Serviços de Acção Social.
Vice-Presidentes
Nos termos dos Estatutos do IPCA, o presidente é coadjuvado por um máximo de três vice-presidentes,
livremente por este.
No dia 21 de Junho tomou posse como Vice-Presidente do IPCA, a professora coordenadora da Escola
Superior de Tecnologia, a Prof. Doutora Maria Manuela Cruz Cunha, tendo assumido competências
de coordenação das áreas da investigação, inovação e transferência do conhecimento e da
internacionalização.
No dia 13 de Outubro tomaram posse como Vice-Presidentes, o Mestre José Agostinho Veloso da Silva,
ex-diretor da Escola Superior de Gestão e a Prof. Doutora Agostinha Patrícia Gomes, professora adjunta
da Escola Superior de Gestão. Assumiram competências de coordenação das áreas, respectivamente, do
emprego, empreendedorismo e ligação às empresas e da avaliação e qualidade.
Administrador
O IPCA dispõe de um administrador, previsto no artigo 29.º das Estatutos do IPCA, com competência
para a gestão corrente da instituição e a coordenação dos seus serviços, sob direção do presidente do
IPCA.
Até ao fim do regime de instalação, ocupava o cargo de Administrador a Dra. Sofia Mariana Sousa
Coelho, técnica superior do IPCA, tendo-se mantido no lugar, quando o IPCA entrou em regime normal
de funcionamento, com a sua tomada de posse em 21 de Junho. No dia 10 de Outubro tomou posse como
Administradora do IPCA, a Dra. Maria Rosário Fernandes em substituição da Dra. Sofia Coelho que, na
mesma data, foi nomeada Directora dos Serviços de Acção Social do IPCA.
10
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
2.1.3 Conselho de Gestão
O Conselho de Gestão é composto pelo presidente do IPCA, que preside, por um vice -presidente
designado pelo presidente e pelo administrador, o qual desempenha as funções de secretário.
O Conselho de Gestão do IPCA reuniu pela primeira vez no dia 22 de Junho de 2011, com os seguintes
elementos:
Prof. Doutor João Carvalho (Presidente)
Prof. Doutora Manuela Cunha (Vice-Presidente)
Dra. Sofia Coelho (Administradora).
ACTA N.º 1
(...) Aos vinte e dois dias do mês de Junho de dois mil e onze, pelas onze horas e trinta
minutos, reuniu o Conselho de Gestão do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, no Edifício
dos Serviços Centrais em Barcelos, com a seguinte ordem de trabalhos (...)
Após o dia 10 de Outubro, face à mudança no cargo de administrador, o Conselho de Gestão passou a
ter a seguinte constituição:
Prof. Doutor João Carvalho (Presidente)
Prof. Doutora Manuela Cunha (Vice-Presidente)
Dra. Rosário Fernandes (Administradora)
2.1.4 Conselho Académico
De acordo com o artigo 42º dos Estatutos, o Conselho Académico é um órgão de consulta académica do
IPCA, que visa assegurar a coesão da instituição através da participação de todas as unidades orgânicas
na sua gestão académica.
O conselho académico é constituído pelos seguintes elementos:
Prof. Doutor João Carvalho (Presidente do IPCA)
Prof. Doutora Soraia Gonçalves (Directora da ESG)
Prof. Doutor Nuno Rodrigues (Directora da EST)
Prof. Doutora Maria José Fernandes (Presidente do Conselho Técnico-Científico da ESG)
Prof. Doutor Ricardo Simões (Presidente do Conselho Técnico-Científico da EST)
Prof. Doutor José Manuel Pereira (Presidente do Conselho Pedagógico da ESG)
Mestre José Henrique Brito (Presidente do Conselho Pedagógico da EST)
Prof. Doutora Irene Portela (Provedora do Estudante)
Estudante Hugo Lopes (Presidente da Associação dos Estudantes)
O Conselho Académico reuniu pela primeira vez em 15 de Novembro.
2.1.5 Conselho para Avaliação e Qualidade
De acordo com o artigo 44º dos Estatutos, o Conselho para a Avaliação e Qualidade é o órgão
responsável pela elaboração de propostas de mecanismos de auto-avaliação do desempenho do IPCA,
das suas unidades orgânicas, das suas actividades científicas e pedagógicas.
11
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
O Conselho para a Avaliação e Qualidade é constituído pelos seguintes elementos:
Prof. Doutora Patrícia Gomes, (Vice-Presidente com delegação de competências)
Prof. Doutora Soraia Gonçalves (Directora da ESG)
Prof. Doutor Nuno Rodrigues (Directora da EST)
Mestre Alexandra Malheiro (Coordenador da avaliação da ESG)
Mestre Maria João Félix (Coordenador da avaliação da EST)
Dra. Natércia Escaleira (Responsável pelo gabinete para a avaliação e qualidade)
Professor Doutor Eduardo Lopes Nunes (Personalidade designada pelo Conselho Geral)
Dr. João Lourenço (Personalidade designada pelo Conselho Geral)
Dra. Isabel Xavier (Representante do pessoal não docente do Conselho Geral)
Dr. Susana Freitas (Responsável pelos Serviços Académicos)
Estudante Mário Ferreira (Representante dos estudantes da ESG)
Estudante Vasco Machado (Representante dos estudantes da EST)
2.1.6 Provedor do Estudante
O IPCA dispõe de um provedor do estudante, nos termos da lei, que tem como função principal a
defesa dos direitos e legítimos interesses dos estudantes.
Durante o ano de 2011, o cargo de provedor do estudante foi ocupado pela Prof. Doutora Irene Portela,
tendo a professora adjunta da Escola Superior de Gestão, ocupado o cargo até ao fim do regime de
instalação e, com a sua tomada de posse a 21 de Junho, mantido o cargo com a entrada do IPCA no seu
regime normal de funcionamento.
2.2. Unidades orgânicas de ensino e investigação
O IPCA integra duas unidades orgânicas de ensino e de investigação – a Escola Superior de Gestão e a
Escola Superior de Tecnologia. As Escolas asseguram as atividades culturais, humanísticas, científicas,
tecnológicas e pedagógicas indispensáveis à prossecução dos respectivos objetivos específicos,
possuindo autonomia académica, nomeadamente, ao nível científico e pedagógico.
As Escolas são governadas de acordo com a seguinte estrutura:
CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO
DEPARTAMENTOS
DIRETOR
CONSELHO PEDAGÓGICO
DIREÇÕES DE CURSO
2.2.1 Diretor
O Diretor é um órgão uninominal, de natureza executiva, que representa a unidade orgânica perante
os demais órgãos do IPCA e perante o exterior, dando execução, nomeadamente, às deliberações do
Conselho Técnico-Científico e do Conselho Pedagógico, quando vinculativas, bem como às demais
funções que lhe sejam delegadas pelo presidente do IPCA.
12
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Até ao fim do regime de instalação eram diretores das escolas
Diretor da ESG
Mestre Agostinho Silva
Diretor da EST
Prof. Doutor Fernando Rodrigues
Com o fim do regime de instalação, o Presidente do IPCA nomeou para diretores das escolas, os quais
tomaram posse a 21 de Junho de 2011, os seguintes docentes:
Director da ESG
Prof. Doutora Soraia Gonçalves
Director da EST
Prof. Doutor Nuno Rodrigues
2.2.2 Conselho técnico-científico
É o órgão colegial a quem compete definir as linhas de orientação da investigação e desenvolvimento
científico, cabendo-lhe igualmente propor o desenvolvimento de toda a atividade de investigação
científica:
Atualmente o Conselho Técnico Científico das Escolas tem a seguinte composição:
CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ESG
CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO EST
Prof. Doutora Maria José Fernandes
Prof. Doutor Gilberto Santos
Prof. Doutora Cândida Machado
Prof. Doutor João Carlos Silva
Prof. Doutora Cláudia Cardoso
Prof. Doutor João Vilaça
Prof. Doutor Fernando Rodrigues
Prof. Doutor Mário Basto
Prof. Doutor Gonçalo Bandeira
Prof. Doutor Nuno Dias
Prof. Doutora Irene Portela
Prof. Doutor Nuno Lopes
Prof. Doutor José Manuel Pereira
Prof. Doutora Patrícia Gonçalves
Prof. Doutora Kátia Lemos
Prof. Doutora Paula Tavares
Prof. Doutora Laurentina Vareiro
Prof. Doutor Ricardo Simões
Prof. Doutor Pedro Nunes
Prof. Doutora Teresa Abreu
Prof. Doutora Raquel Mendes
Prof. Doutor Vítor Carvalho
Prof. Doutora Sónia Monteiro
Mestre António Tavares
Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Mestre Joaquim Silva
Mestre Alexandra Malheiro
Mestre Paulo Teixeira
Mestre Paula Loureiro
13
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
2.2.3 Conselho Pedagógico
É um órgão colegial de natureza consultiva responsável pela orientação pedagógica, e a quem compete,
nomeadamente, pronunciar-se sobre as orientações pedagógicas e os métodos de ensino e avaliação.
O Conselho Pedagógico das Escolas é composto pelos seguintes elementos:
CONSELHO PEDAGÓGICO ESG
CONSELHO PEDAGÓGICO EST
Prof. Doutor José Manuel Pereira
Prof. Doutor Gilberto Santos
Prof. Doutora Cláudia Cardoso
Prof. Doutor João Vilaça
Prof. Doutor Gonçalo Bandeira
Prof. Doutor Nuno Lopes
Prof. Doutora Kátia Lemos
Prof. Doutor Nuno Rodrigues
Prof. Doutora Laurentina Vareiro
Prof. Doutora Teresa Paula Abreu
Prof. Doutora Raquel Mendes
Mestre Demétrio Matos
Prof. Doutora Sónia Monteiro
Mestre José Brito
Prof. Doutora Soraia Gonçalves
Mestre Mª João Félix
Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Mestre Marta Madureira
Mestre Alexandrino Ribeiro
Mestre Pedro Teixeira
Mestre Carlos Loureiro
Estudante Ana Ferreira
Mestre Eva Miranda
Estudante Bárbara Vaz
Mestre Paulo Sousa Pinheiro
Estudante Bruno Silva
Mestre Ricardo Cunha
Estudante Carlos Amorim
Dr. Domingos Martins
Estudante João Guimarães
Estudante Ana Olívia Guerra
Estudante João Silva
Estudante Bruno Capela
Estudante Marie Pinho
Estudante Carla Costa
Estudante Paulo Gomes
Estudante Carla Miranda
Estudante Pedro Dias
Estudante Carlos Ferreira
Estudante Vasco Machado
Estudante Filipe Fonte
Estudante Flávia Cardoso
Estudante Hugo Lopes
Estudante José Peixoto
Estudante Juliana Sousa
Estudante Luís José Silva
Estudante Manuel Machado
Estudante Maria José Sousa
Estudante Marina Orquídea Carvalho
Estudante Melanie de Almeida
Estudante Mónica Oliveira
Estudante Tomás Faria
14
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
2.2.4 Departamentos e Grupos Disciplinares
Os departamentos são estruturas de apoio à gestão científica, académica e administrativa, que
coadjuvam na gestão do pessoal docente afeto a uma determinada área científica ou conjunto de
áreas científicas afins e na implementação da atividade académica, sendo constituídos por grupos
disciplinares.
No quadro seguinte apresentam-se os departamentos das Escolas Superiores do IPCA e respetivos
diretores, bem como os grupos disciplinares e seus responsáveis:
ESCOLA
DEPARTAMENTO
GRUPO DISCIPLINAR
Contabilidade Empresarial
Prof. Doutora Sónia Monteiro
Contabilidade e Fiscalidade
Prof. Doutora Maria José Fernandes
Contabilidade Pública
Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Fiscalidade
Dra. Liliana Pereira
ESG
Ciências Económicas e Financeiras
Prof. Doutora Laurentina Vareiro
Gestão
Prof. Doutor Pedro Nunes
Ciências do Comportamento e Gestão
Mestre Paula Loureiro
Ciências Sociais e Turismo
Mestre Eva Miranda
Direito
Prof. Doutora Irene Portela
Direito Público
Mestre Ricardo Cunha
Direito Privado
Mestre Ricardo Cunha
Engenharia de Software
Mestre António Tavares
Organizações, Sistemas e Tecnologias de Informação
Prof. Doutor Nuno Rodrigues
Tecnologias
Prof. Doutor Vítor Carvalho
Hardware, Comunicações e Sistemas Operativos
Prof. Doutor Nuno Lopes
Engenharia Eléctrica e Electrónica
Prof. Doutor Vítor Carvalho
Projecto
Prof. Doutor João Vilaça
Desenho
Prof. Doutora Paula Tavares
EST
Engenharia de Materiais e da produção
Prof. Doutor Gilberto Santos
Design
Prof. Doutora Paula Tavares
Design Industrial
Prof. Doutor Ricardo Simões
História e Teoria da Arte e do Design
Mestre Maria João Félix
Design de Comunicação, Audiovisuais e Multimédia
Mestre Pedro Mota Teixeira
Estatísticas
Prof. Doutor Mário Basto
Ciências
Prof. Doutora Teresa Abreu
Matemática Aplicada
Mestre Joaquim Gonçalves
Matemática
Prof. Doutora Teresa Abreu
Ciências Naturais
Prof. Doutora Teresa Abreu
15
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
2.2.5 Comissões Diretivas de Mestrado
As comissões diretivas de mestrado têm como missão coordenar o funcionamento dos cursos de
mestrado da responsabilidade científica das Escolas, sendo constituídas por um diretor e dois vogais.
ESCOLA
CURSOS DE MESTRADO
Gestão das Organizações
Diretora - Prof. Doutora Soraia Gonçalves
Vogal - Prof. Doutor Pedro Nunes
Vogal - Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Fiscalidade
Diretora - Prof. Doutora Sónia Monteiro
Vogal - Dra. Suzana Costa
Vogal - Dra. Liliana Pereira
ESG
Contabilidade e Finanças
Diretora - Prof. Doutora Maria José Fernandes
Vogal - Prof. Doutor Fernando Rodrigues
Vogal - Prof. Doutora Kátia Lemos
Solicitadoria
Diretora - Prof. Doutora Irene Portela
Vogal - Prof. Doutora Maria de Lurdes Mesquita
Auditoria
Diretora - Prof. Doutora Maria José Fernandes
Vogal - Mestre Sara Serra
Vogal - Dr. Mário Guimarães
Banca e Seguros
Diretora - Prof. Doutora Cláudia Cardoso
Vogal - Mestre Alexandrino Ribeiro
Vogal - Mestre Carlos Loureiro
Sistemas Integrados de Gestão – Qualidade, Auditoria e Segurança
Diretor - Prof. Doutor Gilberto Santos
Vogal - Prof. Doutor Ricardo Simões
Vogal - Prof. Doutor Nuno Lopes
EST
Ilustração e Animação
Diretora - Prof. Doutora Paula Tavares
Vogal - Prof. Doutor Nuno Rodrigues
Vogal - Prof. Doutor Ricardo Simões
Vogal - Designer Pedro Mota Teixeira
Vogal - Designer Marta Madureira
Design e Desenvolvimento do Produto
Diretor - Prof. Doutor Ricardo Simões
Vogal - Prof. Doutor Gilberto Santos
Vogal - Prof. Doutora Paula Tavares
Engenharia Informática e Sistemas Empresariais
Diretora - Prof. Doutora Manuela Cunha
Vogal - Prof. Doutor Vítor Carvalho
Vogal - Prof. Doutor Nuno Lopes
2.2.6 Direções de Curso
As direções de curso são órgãos constituídos pelos diretores de curso para os cursos de licenciatura,
cursos de especialização tecnológica (CET) e outros cursos não conferentes de grau, competindo-lhes a
representação do curso, bem como as demais funções previstas nos Estatutos.
16
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
ESCOLA
CURSOS DE LICENCIATURA
Finanças
Diurno: Prof. Doutora Raquel Mendes
Pós-laboral: Mestre Alexandrino Ribeiro
Gestão Bancária e Seguros
Diurno: Mestre Vânia Costa
Pós-laboral: Dr. Carlos Plácido
Contabilidade
Diurno: Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Pós-laboral: Prof. Doutor José Manuel Pereira
ESG
Fiscalidade
Diurno: Dr. José Carlos Abreu
Pós-laboral: Dr. Domingos Martins
Solicitadoria
Diurno: Prof. Doutor Gonçalo Bandeira
Pós-laboral: Mestre Paulo Sousa Pinheiro
Gestão de Atividades Turísticas
Diurno: Dr. Bruno Sousa
Pós-laboral: Prof. Doutora Laurentina Vareiro
Gestão Pública
Ensino a distância: Prof. Doutora Cândida Machado
Contabilidade e Fiscalidade
Ensino a distância: Prof. Doutora Kátia Lemos
Design Gráfico
Diurno e Pós-laboral: Mestre Pedro Teixeira
Design Industrial
Diurno: Mestre Demétrio Matos
Engenharia Eléctrica
Diurno e Pós-laboral: Prof. Doutor João Vilaça
Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais
Diurno: Prof. Doutor Duarte Duque
EST
Engenharia Informática e Sistemas Empresariais
Diurno e Pós-laboral: Prof. Doutor Nuno Lopes
Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança
Ensino a distância: Prof.ª Doutora Martinha Pereira
Informática Médica
Diurno: Prof. Doutor Nuno Dias
Informática
Diurno e Pós-laboral: Prof. João Carlos Silva
Informática para a Saúde
Diurno e Pós-laboral: Prof. Doutor Nuno Dias
ESCOLA
CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA
Contabilidade
Prof. Doutora Susana Rua
ESG
Serviços Jurídicos
Mestre Iva Faria
Banca e Seguros
Dr. Carlos Plácido
Gestão Comercial
Mestre Oscarina Conceição
EST
Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos
Mestre Joaquim Gonçalves
Desenvolvimentos de Produtos Multimédia
Mestre Joaquim Gonçalves
17
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
ESCOLA
CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO
Sistema de Normalização Contabilística
Prof. Doutora Sónia Monteiro
Dr. Mário Guimarães
ESG
Contabilidade Autárquica
Prof. Doutora Maria José Fernandes
Prof. Doutora Verónica Ribeiro
Fiscalidade
Dra. Liliana Pereira
EST
Gestão da Qualidade em IPSS
Mestre Síria Alves
Higiene e Segurança no Trabalho
Mestre Gabriela Ramos
2.3. Estruturas de apoio
Para o desenvolvimento dos seus projetos e para o seu funcionamento, o IPCA dispõe ainda de
estruturas de apoio que, sendo permanentes, integram recursos humanos e materiais para a prossecução
dos seus objectivos.
2.3.1 Serviços Centrais
Os Serviços Centrais constituem-se como uma unidade instrumental permanente, prestando apoio
técnico e administrativo e assegurando a gestão de recursos e o funcionamento corrente do IPCA, com
desempenho, nomeadamente, nas seguintes áreas:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Área financeira e patrimonial;
Área jurídica;
Área dos recursos humanos;
Área de compras e aquisições;
Área de atendimento, expediente e arquivo;
Área de auditoria e controlo interno;
Área da informática;
Área dos serviços documentais;
Área da comunicação e imagem;
Área do emprego e do empreendedorismo;
Área académica.
2.3.2 Serviços Administrativos das Escolas
Os Serviços Administrativos das Escolas são estruturas funcionais, integrados nas unidades orgânicas
de ensino e de investigação, que prestam todo o apoio técnico e administrativo relativo à atividade
pedagógica da Instituição, assegurando de igual forma, a gestão de recursos e o funcionamento corrente
das Escolas do IPCA.
18
II Congresso Internacional de Turismo
07 e 8 de Outubro de 2011 - Auditório 1 da ESG - Campus do IPCA
19
20
Secção II
O Plano estratégico do IPCA para 2011-2015
1.Enquadramento do Plano
O Plano estratégico do IPCA para o quadriénio de 2011-2015 foi elaborado após a eleição do Presidente,
tendo sido aprovado pelo Conselho Geral em reunião ordinária de 9 de Dezembro de 2011.
A fonte para a elaboração deste Plano estratégico foi, naturalmente, o Programa de Ação para o
quadriénio 2011-2015, com as devidas adaptações aos acontecimentos posteriores à sua elaboração,
como as fortes restrições orçamentais impostas pelo orçamento de estado de 2012, e a redução, a nível
nacional, da procura de cursos do ensino superior por parte dos estudantes que concluíram o 12º ano.
Apesar das contingências referidas, foram definidos objectivos, com metas ambiciosas associadas, que
se procurarão atingir no período em análise, através de um maior controlo na utilização dos recursos
financeiros disponíveis, cada vez mais escassos, e dos recursos humanos, claramente os mais afetados
na crise económica que o País atravessa.
As vertentes estratégicas apresentadas neste Plano são bem representativas da missão do IPCA, que
se traduz no seguinte:
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave é uma Instituição de Ensino Superior Público, tendo como
missão contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, estimular a criação cultural, a
investigação e pesquisa aplicadas, e fomentar o pensamento reflexivo e humanista. Inserido no
espaço europeu de ensino superior, proporciona áreas de conhecimento para o exercício de atividades
profissionais atrativas no plano nacional e internacional, promovendo a mobilidade, a empregabilidade
e as relações de reciprocidade com a Comunidade (cf. artigo 2º dos Estatutos do IPCA).
Em consonância com a sua Missão, o IPCA, no âmbito do Plano Estratégico, assume como fundamentais
os seguintes valores:
VALORES
Ética
Excelência
Ensino Inclusivo,
Inovador e Flexível
Transferência
e Valorização
do Conhecimento
Competitividade e
Empreendedorismo
21
SECÇÃO II O PLANO ESTRATÉGICO DO IPCA PARA 2011-2015
2. Estrutura do plano
O documento que apresenta o plano estratégico está estruturado de forma a identificar os objetivos
estratégicos e operacionais que caracterizam a missão e a visão do IPCA.
Assim, para uma abordagem mais clara do Plano, agruparam-se os objetivos em três eixos estratégicos
principais: (1) o ensino/aprendizagem, (2) a investigação e o desenvolvimento, (3) as relações com a
sociedade, empregabilidade e empreendedorismo; e em cinco eixos estratégicos de suporte: (1) os
recursos (humanos e financeiros), (2) os serviços de apoio aos estudantes, (3) as infraestruturas, (4) a
internacionalização, e (5) a governação, a comunicação interna e a imagem institucional (cf. figura 1).
Figura 1 - Eixos Estratégicos de Intervenção
A operacionalização deste programa de ação concretiza-se na definição, para cada objetivo operacional,
de um conjunto de medidas e ações a desenvolver, dos indicadores/outputs a utilizar para medir os
resultados alcançados, as metas a atingir no período em análise, bem como os responsáveis pela sua
coordenação, execução e recolha de informação. Para cada medida/ação do Plano é ainda indicada a
medida similar ou equivalente apresentada no programa de ação. Esta associação facilitará a avaliação
do grau de concretização do programa de ação no final do período.
22
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
3. Eixos estratégicos de intervenção
Nesta decorrência, o Plano Estratégico do IPCA engloba três eixos estratégicos de intervenção que
fundamentam e concretizam a missão organizacional, e cinco eixos estratégicos de intervenção que
suportam e apoiam a execução da estratégia, como se apresenta a seguir:
a) Eixos Estratégicos Principais
1. Ensino e Aprendizagem
2. Investigação e desenvolvimento
3. Relações com a Sociedade, Empregabilidade e Empreendedorismo
b) Eixos Estratégicos de Suporte
1. Recursos (humanos e financeiros)
2. Serviços de apoio aos estudantes
3. Infraestruturas
4. Internacionalização
5. Governação, comunicação interna e imagem
A análise e interpretação dos eixos estratégicos descritos acima deve basear-se numa perspetiva
integrada, dinâmica e multidimensional. O quadro abaixo apresenta os objetivos estratégicos e
operacionais definidos em cada eixo estratégico de intervenção para uma melhor clarificação. A medida
dos indicadores previstos em cada medida de ação, e do alcance das metas definidas permitirá avaliar o
grau de concretização dos objetivos definidos para este plano bem como propor melhorias.
A) EIXOS ESTRATÉGICOS PRINCIPAIS
EIXO 1: ENSINO E APRENDIZAGEM
Objetivo Estratégico
Adequar o ensino à sociedade e às pessoas
Objetivos Operacionais
1. Garantir uma oferta formativa adequada às necessidades do mercado;
2. Fomentar e incentivar a formação integral orientada para as necessidades da sociedade, bem como a
integração das diversas áreas de conhecimento;
3. Garantir a qualidade interna do ensino e aprendizagem;
EIXO 2: INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
Objetivo Estratégico
Adequar o ensino à sociedade e às pessoas
Objetivos Operacionais
1. Garantir a integração e a multidisciplinaridade das linhas de investigação;
2. Fomentar e incentivar a participação dos investigadores, docentes e estudantes em projetos de investigação
e de prestação de serviços à comunidade;
3. Promover um sistema de transferência de conhecimento e tecnologia interno e externo;
4. Estimular a oferta de serviços especializados decorrentes de avanços tecnológicos e científicos;
EIXO 3: RELAÇÕES COM A SOCIEDADE, EMPREGABILIDADE E EMPREENDEDORISMO
Objetivo Estratégico
Garantir a interação permanente com a sociedade e as pessoas
Objetivos Operacionais
1. Criar condições e oportunidades para promover o empreendedorismo e a ligação às empresas;
2. Estimular e acompanhar a relação dos estudantes com o exterior, promovendo a criação do próprio emprego
e o empreendedorismo;
B) EIXOS ESTRATÉGICOS DE SUPORTE
EIXO 1: RECURSOS (humanos e financeiros)
Objetivo Estratégico
Assegurar um compromisso com as pessoas, valorizando as suas competências individuais e desenvolver um
modelo de gestão financeira eficiente, transparente e responsável
Objetivos Operacionais
1. Assegurar o desenvolvimento humano através da promoção da satisfação das pessoas e do sentido de
pertença;
2. Potenciar o desenvolvimento de competências das pessoas, na perspetiva da formação ao longo da vida;
3. Assegurar uma eficiente gestão financeira, baseada na afetação criteriosa de recursos, na captação de
recursos próprios e na promoção do controlo e da auditoria interna.
23
SECÇÃO II O PLANO ESTRATÉGICO DO IPCA PARA 2011-2015
EIXO 2: SERVIÇOS DE APOIO AOS ESTUDANTES
Objetivo Estratégico
Garantir as condições para uma academia unida e participativa
Objetivos Operacionais
1. Garantir o apoio social aos estudantes, acompanhando, especialmente, as situações mais carenciadas;
2. Garantir as condições necessárias a uma vida académica ativa e participada;
EIXO 3: INFRAESTRUTURAS
Objetivo Estratégico
Criar e desenvolver as Infraestruturas físicas e tecnológicas capazes de responder às necessidades e garantir o
desenvolvimento de forma sustentável
Objetivos Operacionais
1. Garantir a criação das infraestruturas necessárias e a otimização dos equipamentos com vista ao
desenvolvimento sustentável;
2. Promover a gestão eficiente e sustentável das infraestruturas existentes e a criar
EIXO 4: INTERNACIONALIZAÇÃO
Objetivo Estratégico
Promover e melhorar o grau de interculturalidade e internacionalização da instituição
Objetivos Operacionais
1. Estimular e incentivar a mobilidade de todos os membros da comunidade, assente num sistema de parcerias,
fomentando assim a abertura à internacionalização
2. Promover a interculturalidade no meio académico;
EIXO 5: GOVERNAÇÃO, COMUNICAÇÃO INTERNA E IMAGEM
Objetivo Estratégico
Assegurar uma governação participada e transparente, e consolidar a imagem institucional
Objetivos Operacionais
1. Promover uma governação estratégica participada e transparente para toda a comunidade;
2. Garantir e materializar um modelo de gestão estratégica orientado para os objetivos e resultados;
3. Garantir um sistema de informação integral que suporte a tomada de decisão e promova uma comunicação
interna eficaz;
4. Reforçar os canais de comunicação externa e consolidar a imagem institucional.
24
25
Futuras instalações do Digital Games Research Centre (DIGARC)
26
Secção III
Ensino, Investigação e Ligação à
Comunidade
1.Oferta formativa
Apresenta-se nesta secção a oferta formativa e atividades de extensão pedagógica desenvolvidas por
cada escola.
1.1 Escola Superior de Gestão
A ESG iniciou a sua atividade pedagógica no ano letivo de 1996/1997, funcionando, desde setembro de
2008, no Campus do IPCA.
A ESG tem um projeto de ensino politécnico que se caracteriza pela proximidade aos seus estudantes
e por uma forte ligação ao universo empresarial, que possibilita um elevado nível de qualificação e
empregabilidade dos seus diplomados, oferecendo atualmente oito cursos de licenciatura, todos de
acordo com o Modelo de Bolonha, cinco cursos de formação pós-graduada e oito cursos de mestrado
(quadro 1). A ESG ministra ainda formação pós-secundária com Cursos de Especialização Tecnológica.
O projeto educativo da ESG visa a formação qualificada e orientada prioritariamente para saída dos
seus estudantes para a vida ativa, o que revela o elevado índice de empregabilidade dos diplomados da
Escola. Por outro lado, este projeto visa a formação qualificada de ativos, que constitui um dos pilares
mais importantes da existência da escola e com excelentes resultados, tanto do ponto de vista do
preenchimento de vagas como do sucesso da sua formação.
Nesta perspetiva, o ano de 2011 foi o ano de consolidação do ensino a distância, uma vez que entrou em
funcionamento um novo curso neste regime de ensino – Licenciatura em Contabilidade e Fiscalidade –
ensino à distância.
O modelo de ensino à distância, apresenta-se como um complemento aos atuais métodos de educação
e permite um conjunto de vantagens, nomeadamente o acesso à formação de um grande número de
formandos, compatibilizando a vida profissional e familiar com a aprendizagem, não condiciona o
acesso de formandos pela sua área de residência, economia significativa de tempo e deslocações.
Dentro das suas atribuições, a ESG organiza igualmente cursos livres de línguas, cursos de preparação
para exames de acesso a ordens profissionais, seminários e congressos internacionais, bem como outros
cursos e seminários.
O Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF) da ESG tornou-se o primeiro Centro
de Investigação nesta área a ser reconhecido pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). O
CICF tem por objeto o desenvolvimento de atividades de I&D nas áreas científicas da Contabilidade
e da Fiscalidade, numa interdisciplinaridade com outras áreas científicas, nomeadamente o Direito e a
Gestão.
27
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 1 - Resumo dos cursos oferecidos pela ESG em 2011
Fiscalidade
Gestão das Organizações
Contabilidade e Finanças
MESTRADO
Solicitadoria
Auditoria
Banca e Seguros
Gestão Autárquica (blended-learning)
Contabilidade
Fiscalidade
Solicitadoria
Finanças
LICENCIATURA
Gestão Bancária e Seguros
Gestão de Atividades Turísticas
Gestão Pública – ensino a distância
Contabilidade e Fiscalidade – ensino à distância
Sistema de Normalização Contabilística
Fiscalidade
PÓS GRADUAÇÃO
Contabilidade de Gestão e Estratégia Empresarial
Gestão do Risco da Fraude
Banca e Seguros
CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA
Gestão Comercial
Serviços Jurídicos
Contabilidade
1.1.1 Cursos de Especialização Tecnológica
Integram as linhas estratégicas da ESG a oferta de formação profissional de nível IV – Cursos de
Especialização Tecnológica, com objetivos que se baseiam na criação de quadros intermédios capazes
de responder, de forma mais eficaz e eficiente, aos avanços científicos e tecnológicos.
Aos estudantes que concluam com aproveitamento o curso será atribuído um Diploma de Especialização
Tecnológica – DET a que corresponde a Qualificação Profissional de Nível IV.
Adicionalmente, existe a possibilidade de prosseguir os estudos no ensino superior, através da
candidatura aos Regimes Especiais, dos quais obtivemos os resultados do quadro abaixo, em 2011:
Quadro 2 - Cursos de Especialização Tecnológica realizados em 2011
Nº inscritos
Nº estudantes que ingressaram
em licenciatura da ESG
Banca e Seguros (4ª Edição)
19
11
Gestão Comercial (1ª Edição)
15
5
Serviços Jurídicos (3ª Edição)
16
*
Contabilidade (2ª Edição)
18
8
* Ainda não terminou, decorre a fase de estágio
28
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
1.1.2 Licenciaturas
A oferta formativa da ESG ao nível do 1º ciclo, insere-se numa lógica de diversificação da oferta de
ensino superior e da criação de oportunidades de formação superior, em resposta às necessidades
concretas e crescentes do setor empresarial, público e privado, em virtude de uma globalização cada vez
mais crescente o que encerra numa exigência de uma maior qualificação dos recursos humanos.
Neste sentido, a ESG leciona os seguintes cursos de licenciatura, todos a funcionar nos regimes laboral
e pós-laboral: Contabilidade, Fiscalidade, Finanças, Solicitadoria, Gestão Bancária e Seguros, Gestão de
Atividades Turísticas e dois cursos de ensino a distância, licenciatura em Gestão Pública e Contabilidade
e Fiscalidade.
1.1.3 Mestrados
O ano de 2011 foi marcado pela consolidação da oferta de formação pós-graduada com o funcionamento
das segundas edições dos cursos de mestrado em Solicitadoria e em Auditoria e das terceiras edições dos
mestrados em Fiscalidade, em Gestão das Organizações e em Contabilidade e Finanças.
Mestrado em Solicitadoria (1ª e 2ª edições)
Durante o ano de 2011 deu-se por concluída a parte curricular da 1ª Edição do curso de Mestrado
em Solicitadoria. Em março de 2011 iniciou-se a 2ª Edição do Mestrado em Solicitadoria, tendo sido
ocupadas todas as vagas na especialização de Agência de Execução criadas para o efeito, com alunos
licenciados em várias instituições de ensino.
Mestrado em Auditoria (1ª e 2ª edições)
Durante o ano de 2011 deu-se por concluída a parte curricular da 1ª Edição do curso de Mestrado em
Auditoria. Em outubro de 2011 iniciou-se a 2ª Edição do Mestrado em Auditoria, tendo sido ocupadas
todas as vagas criadas para o efeito, com alunos licenciados em várias instituições de ensino.
Mestrado em Fiscalidade (2ª e 3ª edições)
Durante o ano de 2011 deu-se por concluída a parte curricular da 2ª edição do curso de Mestrado em
Fiscalidade (com duas especializações: Fiscalidade Portuguesa e Fiscalidade Internacional) e teve início
a 3ª edição deste Mestrado, no dia 26 de março de 2011, com 22 estudantes.
Mestrado em Gestão das Organizações (2ª e 3ª edições)
O Mestrado em Gestão das Organizações é uma proposta inovadora, conjunta e singular a nível nacional,
que assenta no facto de oito das Escolas Superiores de quatro Institutos Politécnicos assumirem um
compromisso de colaborarem na formação de mestres em Gestão das Organizações, aprofundando
colaborações já existentes nesta área, mas agora consubstanciadas pela APNOR (Associação de
Politécnicos do Norte de Portugal), e valorizando os recursos científicos e pedagógicos em favor da
qualidade de ensino.
A terceira edição do Mestrado entrou em funcionamento a 14 de Outubro de 2011, tendo sido admitidos
um total de 27 mestrandos, encontrando-se os mesmos a frequentar o primeiro semestre de formação
com tronco comum.
Mestrado em Contabilidade e Finanças (2ª e 3ª edições)
Durante o ano de 2011 deu-se por concluída a parte curricular da 2ª Edição do curso de Mestrado em
Contabilidade. Em outubro de 2011 iniciou-se a 3ª Edição do Mestrado em Contabilidade e Finanças,
tendo sido ocupadas 26 vagas das 30 disponíveis, com alunos licenciados em várias instituições de
ensino.
29
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
1.1.4 Pós-Graduações
Os cursos de pós-graduação em funcionamento na ESG são formações específicas em determinadas
matérias, especialmente formuladas para quem pretenda aprofundar o seu conhecimento em novas
áreas.
Neste âmbito, realizaram-se os seguintes cursos de pós-graduação:
Curso de Pós Graduação em SNC (6ª edição)
Em novembro de 2011, com uma turma de 21 estudantes, deu início a atividade letiva da 6ª edição desta
Pós graduação, que se prolongará até fevereiro de 2012.
Curso de Pós Graduação em Fiscalidade (1ª, 2ª e 3º edição)
Desde outubro de 2010 até ao momento foram iniciadas três edições do curso de Pós Graduação em
Fiscalidade, num total de 4 turmas, dando resposta às crescentes solicitações do mercado na área da
Fiscalidade.
Quadro 3 - Cursos de Pós-graduação realizados em 2011
Sistema de Normalização Contabilística
Fiscalidade
6ª Edição: de 21 de novembro de 2011 a 18
de fevereiro de 2012
22 Estudantes
1ª Edição: de 1 de outubro de 2010 a 25 de
fevereiro de 2011
74 Estudantes (duas turmas)
2ª Edição: de 4 de fevereiro de 2011 a 8 de
julho de 2011
45 Estudantes
3ª Edição: de 7 de maio de 2011 a 26 de
novembro de 2011
19 Estudantes
1.1.5 Atividades de Extensão Pedagógica
As atividades de extensão pedagógica encontram-se sumariadas nos quadros abaixo, distinguindo
atividades enquadradas nos cursos de 1º e de 2º ciclo (quadros 4 e 5).
No âmbito dos cursos de mestrado, em 2011, realizaram-se as seguintes atividades:
30
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 4 - Atividades realizadas em 2011 no âmbito dos cursos de mestrado
Seminário “Auditoria na Atividade Seguradora”, proferido pelo Dr. Jorge Nunes, 8 de janeiro de 2011;
Seminário “O Papel do Revisor Oficial de Contas”, proferido pelo Mestre Armindo Costa, 17 de janeiro de
2011;
Seminário “A Auditoria Informática”, proferido pelo Mestre António Brandão, 5 de fevereiro de 2011;
Seminário “Deteção e Prevenção da Fraude informática”, proferido pelo Mestre Edgar Pimenta, 7 de
fevereiro de 2011;
Mestrado em
Auditoria
Seminário “A Auditoria Ambiental”, proferido pela Professora Doutora Teresa Eugénio, 12 de fevereiro de
2011;
Seminário “A gestão da informação e do conhecimento”, proferido por Drª Maria José Neco e Drª
Catarina Azevedo, 10 de abril de 2011;
Seminário “Técnicas de pesquisas em bases de dados científicas” proferido por Drª Maria José Neco, 26
de novembro de 2011.
Seminário “Pagamento especial por conta - questões práticas, legalidade e constitucionalidade”,
proferido pelo Dr. Rui Pereira do Departamento de Assuntos Fiscais, SONAE, no dia 12 de novembro;
Seminário “A Fiscalidade portuguesa em 2012: Alternativas às medidas propostas”, proferido pelo Dr.
Miguel Reis (Partner, Garrigues), no dia 11 outubro;
Seminário “Os incentivos e os benefícios fiscais no contexto da atual crise financeira”, proferido pelo Dr.
Costa Oliveira e Dr. Silva Fernandes (Sociedade de advogados; docentes ISCAP), no dia 23 novembro;
Seminário “Implicações fiscais do justo valor contabilístico”, proferido pelo Prof Tomás Cantista Tavares
(Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados), no dia 26 novembro;
Mestrado em
Fiscalidade
Seminário “Contabilidade e Fiscalidade depois da reforma do IRC”, proferido pela Profª Nina Aguiar
(Instituto Politécnico Bragança), no dia 26 de novembro;
Seminário “A Arbitragem Tributária”, proferido pelo Juiz Conselheiro Jorge Lopes de Sousa (Supremo
Tribunal Administrativo), no dia 17 de dezembro;
Seminário “As manifestações de fortuna na perspetiva da jurisprudência”, proferido pelo Juiz
Desembargador Álvaro Dantas (Contencioso Tributário, do Tribunal Central Administrativo Norte), no dia
17 de dezembro.
Mestrado em
Gestão das
Organizações
Seminário “Controlo da Qualidade”, proferido pela Professora Doutora Inmaculada Rabadán Martín, 29
de Janeiro de 2011.
No âmbito dos cursos de licenciatura e sob a responsabilidade dos respetivos Diretores de Curso, foram
organizadas diversas atividades, que de seguida se apresentam (quadro 5):
Quadro 5 - Atividades realizadas em 2011 no âmbito dos cursos de licenciatura
Seminário subordinado ao tema “Mercado de carbono: implicações contabilísticas” tendo como
oradores o Dr. José Jurado e o Eng.º Luís Macedo, no dia 18 de fevereiro.
Contabilidade
(Diurno e Pós-Laboral)
No dia 30 de março, foi realizada uma visita de estudo às instalações da UNICER em Leça do Balio e à
Fundação de Serralves.
Um workshop versando princípios orientadores para a elaboração do relatório de estágio / PSE, no dia
21 de maio.
Visita de estudo realizada em dois grupos ao processo produtivo da cerveja nas instalações da UNICER
em Leça do Balio em 23 de maio e 1 de junho.
No dia 26 de novembro, teve lugar o Seminário “Coaching and Soft Skills para Jovens Empresários”.
Fiscalidade
(Diurno e Pós-Laboral)
Finanças
(Diurno e Pós-Laboral)
No dia 1 de junho, foi realizada uma visita de estudo às instalações da UNICER em Leça do Balio e à
Fundação de Serralves.
Seminário intitulado “Coaching and Soft Skills para Jovens Empresários”, realizado no dia 26 de
novembro de 2011.
Visita de estudo às instalações da UNICER de Leça do Balio e à Fundação Serralves, realizada dia 30 de
março de 2011.
31
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
7 e 8 de abril de 2011, visita de estudo a Leiria, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Instituto
Politécnico de Leiria, VI ENESOL-Encontro Nacional de Estudantes de Solicitadoria;
Seminário sobre «Acordos em Sentenças de Processo Penal», teve como oradores o Professor
Catedrático “Jubilado” da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra Doutor Jorge de Figueiredo
Dias e o Prof. Doutor Gonçalo S. de Melo Bandeira, 4 de janeiro de 2011;
Seminário sobre «Princípios Fundamentais de Corporate Governance-Governação Corporativa», teve
como oradores o Advogado, Sócio da «Uría-Menendez-Proença de Carvalho», Doutor Alexandre Mota
Pinto, Docente da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e o Prof. Doutor Gonçalo S. de
Melo Bandeira, 11 de janeiro de 2011
Solicitadoria
(Diurno e Pós-Laboral)
Seminário sobre a «Criminalidade Económica e Financeira e a Responsabilidade das Empresas por
Corrupção», teve como oradores o Prof. Doutor Mário Ferreira Monte, Vice-Presidente e Professor
Auxiliar da Escola de Direito da Universidade do Minho e o Prof. Doutor Gonçalo S. de Melo Bandeira,
sendo que a Moderação pertenceu ao Mestre Carlos G. da S. Loureiro, 8 de março de 2011
Seminário de Comemoração do 25 de Abril de 1974, «Do 25 de ABRIL’74 ao Portugal em crise em 2011:
que futuro para os jovens?», teve como orador o Professor Catedrático Doutor Manuel Carlos F. da
Silva do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho e o Prof. Doutor Gonçalo S. de Melo
Bandeira, 11 de maio de 2011
Seminário «A Autoridade da Concorrência e o Controlo de Concentrações», teve como oradores a
Economista Sénior da Autoridade da Concorrência sita em Lisboa, Doutora Ana Sofia Rodrigues, e o
Prof. Doutor Gonçalo S. de Melo Bandeira, 6 de junho de 2011
Apresentação do Projeto em Simulação Bancária e Seguros, 28 de fevereiro de 2011.
Visita de estudo à Bolsa de Valores de Lisboa e à NYSE Euronext, 18 de abril de 2011
Gestão Bancária e
Seguros
(Diurno e Pós-Laboral)
Seminário no ISEG “O resgate da dívida portuguesa” com o Prof. Jorge Landeiro de Vaz, no dia 18 de
abril.
Seminário “Best Trading pró-psicologia de mercado”, dia 12 de maio de 2011.
Seminário na ESG sobre a “Elaboração de um relatório de estágio/Projeto de simulação, 21 de julho
de 2011.
Organização do II Congresso Internacional de Turismo da ESG-IPCA (7 e 8 de outubro): “Turismo:
Diversificação, Diferenciação e Desafios”. Participação dos alunos na logística/secretariado.
Aula aberta na ESG/IPCA com o Dr. Francisco Gonçalves no âmbito de Fundamentos do Turismo
intitulada “Barcelos e o Turismo: conceitos e desafios”, 15 de março de 2011.
Seminário na ESG/IPCA com a presença do Dr. Rafael Machado intitulada “Gestão de Destinos
Turísticos”, 29 de março de 2011.
Seminário na ESG/IPCA “Turismo Sustentável” com a presença do Engº Jack Soifer (5 de abril 2011).
Gestão de Atividades
Turísticas
(Diurno e Pós-Laboral)
Aula aberta na ESG/IPCA intitulada “Narrativas do património e práticas dos Lugares: o papel dos
conteúdos nas estratégias turísticas” com a presença do Dr. Álvaro Campelo, 21 de novembro de 2011.
Visita de estudo à BTL 2011, 25 de fevereiro 2011.
Visita de Estudo ao Festival do Chocolate em Óbidos, 31 de março de 2011.
Visita de estudo ao Parque Natural da Peneda Gerês e ao Hotel Casino Chaves, 19 de maio de 2011.
Visita de estudo a Vigo, 2 de novembro de 2011.
Visita de Estudo ao Camelia Hotel & Homes, 7 de dezembro de 2011.
Entrevista na Rádio Antena Minho: Promoção da Licenciatura em Gestão de Atividades Turísticas
(fevereiro de 2011), pelo Diretor de Curso regime diurno.
Feira do Livro – 7 e 8 de outubro de 2011.
32
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
1.2 Escola Superior de Tecnologia
A EST iniciou a sua actividade pedagógica no ano lectivo de 2004/2005, encontrando-se sedeada no
Campus do IPCA desde Setembro de 2009.
A EST realiza atividades nos domínios do ensino, da formação graduada e pós-graduada, regendo-se
por padrões de qualidade que asseguram resposta adequada às necessidades da região em que se insere.
A EST prossegue os seus objectivos através de um intercâmbio cultural, científico e técnico com
instituições congéneres ou que visem interesses convergentes dentro do seu âmbito de actuação, no
sentido do desenvolvimento de investigação aplicada e de estabelecer o elo de ligação entre o ensino e a
investigação, bem como a sua materialização em serviços às instituições e às empresas, numa resposta
adequada às necessidades da região envolvente.
Oferece actualmente sete cursos de licenciatura, todos de acordo com o Modelo de Bolonha, quatro
cursos de mestrado e dois cursos de pós-graduação. A EST ministra igualmente cursos de Especialização
Tecnológica (quadro 6).
Quadro 6 - Resumo dos cursos oferecidos pela EST em 2011
Sistemas Integrados de Gestão QAS (Qualidade, Ambiente, Segurança)
MESTRADO
Ilustração e Animação
Design e Desenvolvimento de Produto
Engenharia Informática e Sistemas Empresariais
Design Gráfico, regime diurno e pós-laboral
Design Industrial
Engenharia Eléctrica, regime diurno e pós-laboral
LICENCIATURA
Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais
Engenharia de Sistemas Informáticos, regime diurno e pós-laboral
Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança, ensino a distância
Informática Médica
PÓS GRADUAÇÃO
Gestão da Qualidade em IPSS
Higiene e Segurança no Trabalho
Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos
CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA
Desenvolvimento de Produtos Multimédia
Organização Industrial
1.2.1 Cursos de Especialização Tecnológica
Integram as linhas estratégicas da EST a oferta de formação profissional de nível IV – Cursos de
Especialização Tecnológica, com vista à formação de quadros intermédios capazes de responder à
inovação e avanços tecnológicos.
Neste sentido em 2011 funcionaram os seguintes cursos CET, com início das actividades letivas ainda
em 2010 (quadro 7):
33
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 7 - Cursos de CET realizados em 2011
Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos (4ª Edição) - Diurno
Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos (5ª Edição) – Pós-laboral
Desenvolvimento de Produtos Multimédia (4ª Edição) - Diurno
Desenvolvimento de Produtos Multimédia (5ª Edição) - Pós-laboral
1.2.2 Licenciaturas
A EST lecciona os seguintes cursos de licenciatura: Design Gráfico, Design Industrial, Engenharia
Eléctrica, Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais, Engenharia de Sistemas Informáticos,
Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança, Informática Médica, Informática e Informática para a
Saúde.
Os cursos de Design Gráfico, Engenharia Eléctrica, Engenharia de Sistemas Informáticos,
Informática e Informática para a Saúde funcionam em regime diurno e pós-laboral, os cursos de
Design Industrial, Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais e Informática Médica são
oferecidos apenas em regime diurno e o curso de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança em
regime de ensino a distância.
1.2.3 Mestrados
O ano de 2011 foi marcado pela consolidação da oferta de formação pós-graduada com o
funcionamento das segundas edições dos cursos de Design e Desenvolvimento do Produto, Ilustração
e Animação e Engenharia Informática e Sistemas Empresariais e, ainda, a quarta edição do curso de
mestrado em Sistemas Integrados de Gestão – Qualidade, Auditoria e Segurança.
Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão – Qualidade, Auditoria e Segurança
A sessão de abertura da 4.ª edição do Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão – Qualidade, Auditoria
e Segurança realizou-se no dia 8 de Outubro de 2011, com 15 estudantes inscritos.
Mestrado em Ilustração e Animação
Com o número máximo de inscritos, 25 estudantes, a 2.ª edição do Mestrado em Ilustração e Animação,
as actividades lectivas tiveram início a 10 de Outubro de 2011.
Mestrado em Design e Desenvolvimento do Produto
O Mestrado em Design e Desenvolvimento do Produto iniciou a sua 2.ª edição no dia 8 de Outubro de
2011, tendo 19 estudantes inscritos.
Mestrado em Engenharia Informática e Sistemas Empresariais
Com 16 estudantes inscritos, o Mestrado em Engenharia Informática e Sistemas Empresariais, iniciou
a sua 2.ª edição no dia 19 de Novembro de 2011.
1.2.4 Pós-Graduações
Pós-graduação em Gestão da Qualidade em IPSS
No dia 26 de Outubro de 2011 teve início a 2.ª edição do curso de pós-graduação em Gestão da
Qualidade em IPSS com 20 estudantes inscritos.
34
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Pós-graduação em Higiene e Segurança no Trabalho
As actividades lectivas da 1.ª edição deste curso de pós-graduação tiveram início no final de 2011.
1.2.5 Actividades de Extensão Pedagógica
No âmbito dos departamentos da EST, realizaram-se as seguintes actividades de extensão pedagógica:
Dia D - Da Teoria à Prática foi o tema de debate à volta da metodologia projectual no universo do
Design, com convidados como: Filipa Pias; Rui Marcelino; Atelier Martino e Jãna; Vasco Branco; entre
outros. Conversas sobre design, que decorreram no auditório da Câmara Municipal de Barcelos, no
dia 16 de Março de 2011.
Mostra de Design - Mostra dos trabalhos dos alunos de Design Gráfico e de Design Industrial, nos
Salões Gótico e Nobre da Câmara Municipal de Barcelos, realizada no âmbito do dia D na mesma data
do dia D.
À conversa com... - Palestras em contexto de aula, abertas ao público, que contam sempre com
nomes relevantes a nível nacional no âmbito do design.
Ponto D implementada e em actualização permanente - Revista digital de divulgação e promoção dos
trabalhos dos alunos dos cursos de Design do IPCA.
Participação do curso de Design Industrial do IPCA na Feira Interdecoração na Exponor com peças dos
estudantes, Janeiro de 2011.
Departamento de
Design
Participação do curso de Design Industrial do IPCA na Feira Exporthome na Exponor com peças dos
estudantes, 2011.
Participação do curso de Design Industrial do IPCA na Aquameeting na Alfândega do Porto com peças
dos estudantes, 2011.
Participação do curso de Design Industrial na conferência na Exporthome, intitulada Processos de
Design aplicados à concepção de produtos, em 25 de Fevereiro de 2011.
Parceria do curso de Design Industrial na concepção de equipamentos para o Banco Alimentar, 2011.
“Arte na Leira”, exposição com trabalhos dos estudantes dos cursos de Design, na Casa do Marco, em
Arga de Baixo, Caminha, de Julho a Agosto 2011.
Dia da animação e ilustração DAI, 2ª edição, dia 16 de Dezembro de 2011.
Concepção de dois equipamentos para o Campus do IPCA, um para bicicletas BIKE BOX e outro um
abrigo para zona de lazer (a implementar em 2012).
O departamento de Design participou com equipa multidisciplinar na EXPERIMENTA DESIGN 2011 –
Action for Age, sendo a sua proposta uma das doze seleccionadas num conjunto de 84 propostas das
várias instituições de ensino superior de design do país. Produzindo um protótipo – Be Connected –
que representará a EXPERIMENTA e Portugal em Londres UK ainda no ano de 2011.
Workshop subordinada ao tema “Best Practices for Developing Decision Support Systems”, conduzida
por Bruno Cortes, dia 29 de Junho.
Departamento de
Tecnologias
1ªs Jornadas de Tecnologia: Novas Tecnologias na Saúde, que decorreram, no auditório da Escola
Superior de Gestão (IPCA). No dia 12 de Maio de 2011.
Dia Laboratórios Abertos, no dia 11 de Maio de 2011. Contaram com a presença de escolas
secundárias da região.
Participação com a CMB no Barcelos Party , 23-27 Maio de 2011.
35
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
2. Os estudantes
2.1 Número Global de Estudantes
No ano lectivo de 1996/1997, o IPCA deu início às suas actividades lectivas com dois cursos de
bacharelato num total de 74 estudantes. Decorridos 16 anos, estão inscritos nos cursos de licenciatura,
de mestrado e de pós-graduação, um total de 3799 estudantes (quadros 8 e 9).
Quadro 8 - Evolução do Número de Estudantes 1996-2011
96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11
ESG
EST
11/12
Lic
74
196
382
648
856
1098
1277
1399
1236
1192
1174
1309
1473
1610
1990
2091
Mest
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
73
184
261
272
PG
---
---
---
---
---
22
77
---
27
23
24
---
19
135
104
21
CET
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
37
37
53
73
94
74
39
50
54
---
---
---
---
---
213
272
365
592
724
827
913
941
UCI
---
---
Lic
---
---
---
Mest
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
21
50
132
196
PG
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
14
33
CET
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
36
67
67
122
102
UCI
---
---
4
7
15
74
196
2989
3687
3799
TOTAL
382
648
856
1120
1354
1399
1476
1487
1600
1974
2430
Lic – Licenciaturas; Mest – Mestrados; PG – Pós-graduações; CET – Cursos de Especialização Tecnológica; UCI – Unidades
Curriculares Isoladas
Os 3799 estudantes do IPCA estão distribuídos da seguinte forma pelos diversos cursos do IPCA:
Quadro 9 - Estudantes Inscritos no IPCA, por Curso
Cursos
N.º Inscritos
Mestrado em Auditoria (1.ª edição)
19
Mestrado em Auditoria (2.ª edição)
25
Mestrado em Contabilidade e Finanças (1.ª edição)
2
Mestrado em Contabilidade e Finanças (2.ª edição)
10
Mestrado em Contabilidade e Finanças (3.ª edição)
25
Mestrado em Fiscalidade (1.ª edição)
19
Mestrado em Fiscalidade (2.ª edição)
16
Mestrado em Fiscalidade (3.ª edição)
22
Mestrado em Gestão Autárquica b-Learning (1.ª edição)
17
Mestrado em Gestão das Organizações (1.ª edição)
14
Mestrado em Gestão das Organizações (2.ª edição)
10
Mestrado em Gestão das Organizações (3.ª edição)
21
Mestrado em Gestão das Organizações (4.ª edição)
27
Mestrado em Solicitadoria (1.ª edição)
30
Mestrado em Solicitadoria (2.ª edição)
15
36
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Cursos
N.º Inscritos
Licenciatura em Solicitadoria
165
Licenciatura em Solicitadoria (pós-laboral)
349
Licenciatura em Contabilidade
141
Licenciatura em Contabilidade (pós-laboral)
269
Licenciatura em Contabilidade e Fiscalidade
30
Licenciatura em Fiscalidade
145
Licenciatura em Fiscalidade (pós-laboral)
247
Licenciatura em Finanças
112
Licenciatura em Finanças (pós-laboral)
107
Licenciatura em Gestão Bancária e Seguros
111
Licenciatura em Gestão Bancária e Seguros (pós-laboral)
144
Licenciatura em Gestão Actividades Turísticas
82
Licenciatura em Gestão Actividades Turísticas (pós-laboral)
127
Licenciatura em Gestão Pública, ensino a distância
62
Cet Banca e Seguros (3.ª edição)
19
Cet Contabilidade (2.ª edição)
18
Cet Serviços Jurídicos (3.ª edição)
24
Cet Gestão Comercial
13
Pós-Graduação em Sistemas Normalização Contabilística (6.ª edição)
21
UCI
Total Inscritos Cursos ESG
Mestrado em Sistemas Integrados Gestão – QAS (1.ª edição)
54
2511
18
Mestrado em Sistemas Integrados Gestão - QAS (2.ª edição)
18
Mestrado em Sistemas Integrados Gestão - QAS (3.ª edição)
25
Mestrado em Sistemas Integrados Gestão - QAS (4.ª edição)
15
Mestrado em Design e Desenvolvimento de Produtos (1.ª edição)
20
Mestrado em Design e Desenvolvimento de Produtos (2.ª edição)
19
Mestrado em Engenharia Informático e Sistemas Empresariais (1.ª edição)
16
Mestrado em Engenharia Informático e Sistemas Empresariais (2.ª edição)
16
Mestrado em Ilustração e Animação (1.ª edição)
24
Mestrado em Ilustração e Animação (2.ª edição)
25
Licenciatura em Design Industrial
137
Licenciatura em Informática para a Saúde
Licenciatura em Informática para a Saúde (pós-laboral)
9
4
Licenciatura em Design Gráfico
136
Licenciatura em Design Gráfico (pós-laboral)
103
Licenciatura em Informática
50
Licenciatura em Informática Médica
111
Licenciatura em Informática (pós-laboral)
53
Licenciatura em Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança
8
Licenciatura em Engenharia Eléctrica
74
Licenciatura em Engenharia Eléctrica (pós-laboral)
49
Licenciatura em Engenharia Jogos Digitais
59
Licenciatura em Engenharia Sistemas Informáticos
71
Licenciatura em Engenharia Sistemas Informáticos (pós-laboral)
77
Cet Desenvolvimento Produtos Multimédia (4.ª edição)
19
Cet Desenvolvimento Produtos Multimédia (5.ª edição)
19
Cet Desenvolvimento Produtos Multimédia (6.ª edição)
16
Cet Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos (4.ª edição)
25
Cet Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos (5.ª edição)
23
Pós-Graduação em Gestão da Qualidade-IPSS (2ª edição)
20
Pós-Graduação em Higiene e Segurança no Trabalho (1ª edição)
13
UCI
15
Total Inscritos Cursos EST
1287
TOTAL INSCRITOS
3799
37
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
A distribuição por tipo de formação é a seguinte (quadro 10):
Quadro 10 - Distribuição dos Estudantes por Tipo de Formação
TIPO DE FORMAÇÃO
TOTAL
TOTAL (%)
LICENCIATURAS
3032
80
MESTREADOS
468
12
PÓS-GRADUAÇÕES
54
1
CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA
176
5
UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS
69
2
3799
100
TOTAL
O regime de frequência – diurno, pós-laboral e nos cursos de licenciatura - distribui-se segundo o
quadro 11:
Quadro 11 - Distribuição dos Estudantes por regime de frequência
INDICADOR
38
DIURNO
PÓS-LABORAL
ENSINO A DISTÂNCIA
NÚMERO
1403
1529
100
PERCENTAGEM
46%
51%
3%
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Dos 3032 estudantes inscritos nos cursos de licenciatura, 871 (aproximadamente 28,9%) ingressaram,
pela 1.ª vez, nos cursos do IPCA ao abrigo do Concurso Nacional de Acesso (CNA), dos Concursos
Especiais - Provas Maiores 23 (M23), Titulares de Curso Superior (TCSUP) e Titulares de CET - dos
Regimes de Mudança de Curso (MC), Transferência (TRANSF) e Reingresso (REING), e estudantes
provenientes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) (quadro 12).
Quadro 12 - N.º Estudantes Inscritos pela 1.º vez
CURSOS
CNA
PALOP´s
M23
TCSUP
CET
MC
TRANSF
REING
TOTAIS
Contabildade
32
---
2
1
1
1
3
1
41
Contabilidade, pós-laboral
30
---
5
1
5
4
---
3
48
Contabilidade e Fiscalidade,
ensino à distância
16
---
9
2
---
4
---
---
31
Fiscalidade
29
---
3
---
3
1
---
---
36
Fiscalidade, pós-laboral
18
---
6
1
2
---
---
1
28
Finanças
26
1
2
---
---
1
---
1
31
Finanças, pós-laboral
10
---
7
1
3
4
---
1
26
Solicitadoria
36
---
3
1
5
1
2
---
48
Solicitadoria, pós-laboral
53
---
26
4
3
13
4
---
103
Gestão Bancária e Seguros
34
2
2
---
3
1
---
---
42
Gestão Bancária e Seguros,
pós-laboral
33
---
6
1
2
7
---
---
49
Gestão de Actividades Turísticas
28
1
4
1
1
---
---
---
35
Gestão de Actividades Turísticas,
pós-laboral
39
---
7
1
2
2
---
---
51
Gestão Pública, ensino à
distância
7
---
12
1
---
3
---
---
23
592
Inscritos Cursos ESG
391
4
94
15
30
42
9
7
Design Gráfico
41
---
4
1
---
4
---
1
51
Design Gráfico (pós-laboral)
27
---
12
1
---
2
---
1
43
Design Indústrial
40
---
3
---
---
---
---
---
43
Engenharia Electrica
13
---
2
---
---
5
---
---
20
Engenharia Electrica (póslaboral)
5
---
8
---
---
6
---
---
19
Engenharia Desenvolvimento
Jogos Digitais
13
---
2
1
---
1
---
1
18
Engenharia Sistemas
Informáticos
18
---
4
---
1
3
---
---
26
Engenharia Sistemas
Informáticos (pós-laboral)
8
---
12
3
6
5
---
---
34
Gestão da Qualidade, Ambiente
e Segurança (ensino a distância)
1
---
2
2
---
2
---
---
7
Informática Médica
11
---
1
1
3
2
---
---
18
Inscritos Cursos EST
177
0
50
9
10
30
0
3
279
TOTAL INSCRITOS
568
4
144
24
40
72
9
10
871
CNA - Concurso Nacional de Acesso
PALOP´s - Estudantes Oriundos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa
M23 - Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência do Ensino dos Maiores de 23 Anos
TCSUP - Titulares de Curso Superior
CET - Titulares de Diploma de Curso de Especialização Tecnológica
MC - Regime de Mudança de Curso
TRANSF - Regime de Transferência
REING - Regime Reingresso
39
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
2.2 Resultados do Concurso Nacional de Acesso – Formação Inicial
No âmbito do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior foram colocadas a concurso 855 vagas
às quais concorreram 2906 estudantes (quadro 13). O IPCA viu serem preenchidas 472 através da 1ª fase
do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, o que representa uma taxa de ocupação de 55,2%.
É de realçar que 302 estudantes escolheram o IPCA em 1ª opção correspondentes a 64% dos candidatos
colocados em 1ª opção.
Quadro 13 - Ocupação de vagas no Concurso Nacional de Acesso Ensino Superior 2011/2012
Resultados 1.ª Fase Conc. Nacional
Acesso
CURSOS
N.ºVagas
N.º
Colocações
1.ª Fase
% Ocupação
Transferidas
N.º Inscritos
Vagas
2.º Fase
Resultados 2.ª Fase Conc. Nacional
Acesso
N.ºVagas
N.º
Colocações
2.ª Fase
% Ocupação
Transferidas
N.º Inscritos
Vagas
3.ª fase
Resultados 3.ª Fase Conc. Nacional
Acesso
N.ºVagas
% Ocupação
N.º Inscritos
Vagas
N.º Total
Inscritos
Contabildade
30
73,3%
22
---
9
100,0%
9
---
1
100,0%
1
32
Contabilidade, póslaboral
55
30,9%
17
---
38
34,2%
13
---
2
0,0%
0
30
Contabilidade e
Fiscalidade, ensino à
distância
40
20,0%
8
1
33
12,1%
4
---
5
80,0%
4
16
Fiscalidade
30
40,0%
12
---
19
78,9%
15
---
5
40,0%
2
29
Fiscalidade, póslaboral
55
23,6%
13
1
42
9,5%
4
---
5
20,0%
1
18
Finanças
25
84,0%
21
---
5
100,0%
5
---
0
---
0
26
Finanças, pós-laboral
35
20,0%
7
---
30
10,0%
3
---
5
0,0%
0
10
Solicitadoria
35
82,9%
29
---
7
85,7%
6
---
1
100,0%
1
36
Solicitadoria, póslaboral
50
88,0%
44
2
9
88,9%
8
---
1
100,0%
1
53
Gestão Bancária e
Seguros
30
96,7%
29
2
4
100,0%
4
1
1
100,0%
1
34
Gestão Bancária e
Seguros, pós-laboral
45
46,7%
21
---
24
45,8%
11
---
1
100,0%
1
33
Gestão de
Actividades Turísticas
25
96,0%
24
1
3
100,0%
3
1
1
100,0%
1
28
Gestão de
Actividades
Turísticas, póslaboral
35
62,9%
22
---
16
100,0%
16
---
1
---
1
39
Gestão Pública,
ensino à distância
40
7,5%
3
---
37
5,4%
2
---
5
40,0%
2
7
Inscritos Cursos ESG
530
51,3%
272
7
276
37,3%
103
2
34
47,1%
16
391
Design Gráfico
8
50,0%
4
1
5
100,0%
5
41
40
80,0%
32
---
Design Gráfico (póslaboral)
25
88,0%
22
---
5
60,0%
3
---
2
100,0%
2
27
Design Indústrial
40
87,5%
35
1
6
66,7%
4
1
1
100,0%
1
40
Engenharia Electrica
30
30,0%
9
1
21
9,5%
2
---
5
40,0%
2
13
Engenharia Electrica
(pós-laboral)
25
12,0%
3
---
22
9,1%
2
---
5
0,0%
0
5
Engenharia
Desenvolvimento
Jogos Digitais
30
26,7%
8
---
22
22,7%
5
---
5
0,0%
0
13
Engenharia Sistemas
Informáticos
40
22,5%
9
---
31
29,0%
9
---
5
0,0%
0
18
Engenharia Sistemas
Informáticos (póslaboral)
25
28,0%
7
1
19
5,3%
1
---
2
0,0%
0
8
Gestão da Qualidade,
Ambiente e
Segurança (ensino a
distância)
40
2,5%
1
2
39
0,0%
0
1
6
0,0%
0
1
Informática Médica
30
30,0%
9
---
21
4,8%
1
---
5
20,0%
1
11
Inscritos Cursos EST
325
41,5%
135
5
194
16,0%
31
3
41
26,8%
11
177
TOTAL INSCRITOS
855
68,7%
407
12
470
28,5%
134
5
75
36,0%
27
568
40
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
2.3 Número de Estudantes em Cursos de Mestrado
Com a organização do ensino superior no que diz respeito aos ciclos de estudos, os Institutos
Politécnicos passaram a conferir o grau de mestre. Assim, em 2008, o IPCA iniciou a oferta deste tipo
de cursos, com os mestrados em Fiscalidade e Gestão das Organizações, com 91 estudantes inscritos.
Em 2011, nos 10 cursos de mestrado oferecidos pelo IPCA, estão inscritos 426 estudantes, distribuídos
de acordo com o quadro 14.
Quadro 14 - N.º Estudantes Inscritos em Cursos de Mestrado
CURSOS DE MESTRADO
11/12
10/11
09/10
08/09
Auditoria (1.ª edição)
19
28
33
---
Auditoria (2.ª edição)
25
---
---
---
Contabilidade e Finanças (1.ª edição)
2
20
29
---
Contabilidade e Finanças (2.ª edição)
10
22
---
---
Contabilidade e Finanças (3.ª edição)
25
---
---
---
Fiscalidade (1.ª edição)
19
19
40
40
Fiscalidade (2.ª edição)
16
33
33
---
Fiscalidade (3.ª edição)
22
---
---
---
Gestão Autárquica b-Learning (1.ª edição)
17
---
---
---
Gestão Organizações (1.ª edição)
14
20
29
30
Gestão Organizações (2.ª edição)
10
27
39
---
Gestão Organizações (3.ª edição)
21
43
---
---
Gestão Organizações (4.ª edição)
27
---
---
---
Solicitadoria (1.ª edição)
30
49
49
---
Solicitadoria (2.ª edição)
15
---
---
---
Inscritos Cursos ESG
272
261
252
70
Design e Desenvolvimento de Produto (1.ª edição)
20
21
---
---
Design e Desenvolvimento de Produto (2.ª edição)
19
---
---
---
Engenharia Informática e Sistemas Empresariais (1.ª edição)
16
16
---
---
Engenharia Informática e Sistemas Empresariais (2.ª edição)
16
---
---
---
Ilustração e Animação (1.ª edição)
24
25
---
---
Ilustração e Animação (2.ª edição)
25
---
---
---
Sistemas Integrados de Gestão - Qualidade, Ambiente e Segurança
(1.ª edição)
18
18
21
21
Sistemas Integrados de Gestão - Qualidade, Ambiente e Segurança
(2.ª edição)
18
27
28
---
Sistemas Integrados de Gestão - Qualidade, Ambiente e Segurança
(3.ª edição)
25
25
---
---
Sistemas Integrados de Gestão - Qualidade, Ambiente e Segurança
(4.ª edição)
15
---
---
---
Inscritos Cursos EST
196
132
49
21
TOTAL INSCRITOS
468
393
301
91
41
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
2.4 Número de Diplomados
Desde o ano de 1999/2000, ano em que foram atribuídos os primeiros diplomas a estudantes dos
cursos de licenciatura do IPCA, até ao momento, graduaram-se 1935 estudantes (quadro 15).
De referir que, em 2011, os cursos onde se registaram mais estudantes diplomados foram os da área de
Contabilidade e Solicitadoria - o curso Contabilidade registou 57 graduados e o curso de Solicitadoria
registou 45 graduados.
Quadro 15 - Número de Estudantes Diplomados nas Licenciaturas
Grau
99/00
00/01
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
Contabilidade
CURSOS
L
---
---
---
---
---
---
---
---
7
32
15
25
79
Contabilidade (pós-laboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
14
47
33
34
128
Fiscalidade
L
---
---
---
---
---
---
---
---
5
32
20
18
75
Fiscalidade (pós-laboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
13
31
25
22
91
Finanças
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
7
28
13
48
Finanças, pós-laboral
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
6
15
21
Gestão Bancária e Seguros
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
15
15
Gestão Bancária e Seguros
Pós-Laboral
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
8
8
Solicitadoria
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
8
25
16
49
Solicitadoria (pós-laboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
7
15
30
52
Contabilidade e Finanças
Públicas(*)
B+L
17
27
27
21
22
30
33
36
29
19
5
---
249
Contabilidade Empresarial(*)
B+L
19
16
21
22
25
30
27
30
24
11
---
---
206
Contabilidade, regime
nocturno(*)
B+L
---
---
12
23
24
38
17
27
28
12
---
---
181
Fiscalidade(*)
B+L
---
---
6
21
25
11
8
26
28
3
---
---
128
Fiscalidade, regime nocturno(*)
B+L
Totais Graduados ESG
07/08 08/09
09/10
10/11 TOTAIS
---
---
---
---
13
15
23
16
37
4
---
---
108
36
43
66
87
109
124
108
135
185
213
172
196
1438
Design Industrial
L
---
---
---
---
---
---
---
---
17
25
50
30
122
Informática para a Saúde
L
---
---
---
---
---
---
---
---
14
27
15
26
82
Informática para a Saúde (póslaboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
12
2
8
6
28
Design Gráfico
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
20
40
27
87
Design Gráfico (pós-laboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
11
11
22
Informática
L
---
---
---
---
---
---
---
---
8
15
6
9
38
Informática (pós-laboral)
L
---
---
---
---
---
---
---
---
---
4
8
10
22
Sistemas de Informação para a
Gestão(*)
B+L
---
---
---
---
13
12
34
8
8
---
---
---
75
Sistemas de Informação para a
Gestão, regime nocturno(*)
B+L
---
---
---
---
---
---
4
4
13
---
---
---
21
Totais Graduados EST
---
---
---
---
13
12
38
12
72
93
138
119
497
TOTAL GRADUADOS
36
43
66
87
122
136
146
147
257
306
310
315
1935
Grau - B+L: Licenciaturas Bietápicas
(*) Cursos extintos no âmbito da adequação ao Processo de Bolonha
Relativamente aos estudantes inscritos nos cursos CET, 40 concluíram os cursos em 2011, distribuídos
pelos cursos indicados n0 quadro 16.
42
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 16 - Estudantes titulares de Cursos CET
CURSOS
2011
Cet Banca e Seguros (4.ª edição)
14
Cet Contabilidade (2.ª edição)
15
Cet Gestão Comercial (1.ª edição)
11
TOTAIS ESG
40
Dos 90 estudantes inscritos em cursos de pós-graduação em 2011, 36 concluíram os cursos com
sucesso, obtendo o respetivo diploma em 2011.
2.5 Caracterização dos Estudantes
Nesta secção apresenta-se a caracterização dos estudantes do IPCA por género, escalão etário e
proveniência.
Género
Em 2011, mais de metade da população discente do IPCA pertence ao sexo feminino. De referir que,
devido ao tipo de cursos oferecidos, predomina a população feminina na ESG e a população masculina
na EST (quadros 17 e 18).
Quadro 17 - Distribuição dos estudantes por género (em %)
GÉNERO
ESG
EST
IPCA
Feminino
43,4
8,3
51,6
Masculino
25,5
22,9
48,4
TOTAL
68,8
31,2
100
Quadro 18 - Distribuição dos estudantes por Escola, por género e por regime (em %)
GÉNERO - ESG
D
PL
E-L
Total
Feminino
24,1
36,4
2,6
63,0
Masculino
12,2
23,0
1,9
37,0
TOTAL
36,2
59,3
4,4
100,0
GÉNERO - EST
D
PL
E-L
Total
Feminino
21,3
5,1
0,1
26,5
Masculino
47,5
25,3
0,6
73,5
TOTAL
68,9
30,4
0,7
100,0
43
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Escalão etário
Na análise da média de idades por Escola, a EST possui população discente um pouco mais jovem, com
uma média de idades de 26,3 anos, enquanto que na ESG a média de idades é de 27,1 anos, sendo que, a
justificação, passa por um maior número de estudantes a frequentar os cursos em regime pós-laboral,
bem como a oferta de ensino a distância (quadro 19).
Quadro 19 - Distribuição dos estudantes por escalão etário, por Escola e regime
REGIME DE FREQUÊNCIA
ESG
EST
Diurno
22,3
22,7
Pós-laboral
28,7
31,2
Ensino a distância
33,2
32,3
GLOBAL
27,1
24,5
Proveniência
Mais de metade dos estudantes que frequentam o IPCA, no ano letivo 2011/2012, são provenientes dos
concelhos de Barcelos (27,9%) e Braga (24,7%), sendo que, da totalidade dos estudantes, 97,0% são
oriundos dos distritos de Braga (81,8%), Porto (8,9%) e Viana do Castelo (6,3%). Na figura 2, pode ser
verificada a proveniência por Concelhos e em termos percentuais, da maioria dos estudantes do IPCA.
Figura 2 - Proveniência dos estudantes do IPCA por distrito
2.6 O Sucesso Escolar e o Abandono Escolar
Considerando as transformações e os novos modelos pedagógicos de que se reveste a implementação
do Modelo de Bolonha, a oferta de ensino no IPCA procura adaptar-se e preparar toda a sua comunidade
académica para o processo global por que passa o ensino superior, investindo não só numa maior taxa
de sucesso escolar, mas também na preparação tanto de docentes, como de discentes. Promove-se
igualmente a aprendizagem ao longo da vida, prioridade para uma instituição onde são ministrados
cursos em horário pós-laboral e em ensino a distância e onde grande parte dos seus estudantes possui o
estatuto de trabalhador-estudante.
44
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
A adoção de medidas de combate ao abandono escolar, enquanto compromisso do IPCA para o
desenvolvimento do ensino superior em Portugal, tem sido uma das preocupações desta Instituição
de ensino. Assim, proporcionar os apoios sociais necessários, reforçar a qualidade, a relevância e a
empregabilidade da formação oferecida, e estabelecer uma ligação cada vez mais forte com o meio
empresarial, social e cultural da região onde está inserido foram objetivos do IPCA nesta matéria.
Iniciativas no Âmbito da Promoção do Sucesso Académico
A materialização das alterações estruturais que decorrem do Modelo de Bolonha tiveram como
consequência no IPCA, o fomento das unidades curriculares com uma forte componente de avaliação
contínua. Durante o ano de 2011, foram feitos esforços no sentido de aumentar o trabalho autónomo dos
estudantes (fora da sala de aula), embora com acompanhamento e supervisão dos docentes, na vertente
prática e de laboratório.
A oferta de formação extra-curricular, foi outra das iniciativas seguidas neste âmbito, dado que essa
formação proporciona vantagens para o estudante, como sejam o desenvolvimento de competências
adquiridas curricularmente e a promoção e desenvolvimento de competências ao nível do relacionamento
interpessoal e, até mesmo, em contextos de mobilidade nacional e internacional. A oferta de cursos
breves de formação complementar, tais como cursos livres de línguas e workshops na área do design,
são disso um exemplo.
Outras medidas foram adoptadas em 2011 visando a promoção do sucesso escolar, nomeadamente:
•
Divisão por turnos das unidades curriculares com elevado número de estudantes inscritos;
•
Disponibilização de material de apoio pedagógico aos estudantes na plataforma informática;
•
Atendimento dos estudantes pelos docentes através do correio electrónico.
Ao nível do corpo docente, foi dada prioridade a formação com vista à melhoria da componente
pedagógica, nomeadamente, a participação em cursos de formação de formadores, meios audiovisuais
e textos de apoio.
Iniciativas de Combate ao Abandono Escolar
O IPCA, através da oferta de formação em horário pós-laboral e, mais recentemente, em ensino a
distância, proporciona aos seus estudantes, nomeadamente àqueles que pertencem à população activa,
condições adequadas à frequência do ensino superior, constituindo um mecanismo de combate ao
abandono escolar.
No ano de 2011 o IPCA agilizou todos os serviços no sentido do cumprimento estrito dos prazos de
atribuição de bolsas de estudo, desta forma garantindo que nenhum dos seus estudantes se veja privado
de continuar os seus estudos por questões de natureza financeira.
Adicionalmente, e tendo em conta o facto do seu Campus se situar fora dos limites urbanos e da não
existência de um sistema de transportes públicos que agilizem o seu acesso em termos das especifidades
dos horários das atividades letivas, o IPCA apoiou o transporte dos estudantes, fazendo ao longo do dia,
com uma carrinha da Instituição, várias vezes o percurso de ida e de regresso do Campus e passando
pelos locais mais convenientes para os estudantes.
No âmbito destas iniciativas, e uma vez que em vários casos foram identificadas dificuldades de ordem
financeira, foi criado um plano especial de pagamento para regularização de dívidas dos estudantes.
3. Investigação científica, aplicada e transferência de conhecimento
A investigação promove uma efetiva cooperação com a comunidade, numa perspectiva de valorização
recíproca, potenciando, por um lado, a preparação científica e tecnológica dos docentes e por outro o
desenvolvimento da investigação aplicada, em ligação direta com o meio empresarial.
Na prossecução deste objetivo, o IPCA tem reforçado o papel da atividade de investigação na sua
condução estratégica, assegurando as condições materiais para a promoção da investigação científica
e de atividades de desenvolvimento de investigação aplicada, envolvendo os docentes de ambas as
escolas.
45
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Assim, em 2011:
•
Os docentes do IPCA usufruíram de apoios internos e externos, tais como bolsas da Fundação para
a Ciência e Tecnologia, nomeadamente as bolsas do Programa de Apoio à Formação de Docentes
no Ensino Superior Politécnico (PROTEC) com vista à sua qualificação académica;
•
Registou-se uma elevada produção científica por parte dos docentes da instituição, garantindo-se
assim a própria atualização científica, técnica e cultural do corpo docente;
•
Registou-se uma elevada actividade, resultante de projetos de investigação aplicada e de
investigação científica no centro de investigação do IPCA reconhecido pela FCT – o Centro de
Investigação em Contabilidade e Fiscalidade;
•
Foram dinamizadas duas revistas científicas e um conjunto de eventos científicos.
3.1. Qualificação do corpo docente
A fim de garantir a estabilidade do corpo docente e de investigação e a sua autonomia científica e
pedagógica, as instituições de ensino superior devem dispor de um quadro permanente de professores e
investigadores, com a dimensão e nos termos estabelecidos no Estatuto da Carreira do Pessoal Docente
do Ensino Superior Politécnico e de acordo com os requisitos definidos no artigo 49.º do RJIES.
Nesta decorrência o IPCA promove, e continuará a promover, um conjunto de ações que visam em 2013
cumprir com os rácio mínimos exigidos, tendo permitido a mais de três dezenas de docentes a adesão ao
programa PROTEC. Para além disso, proporciona apoios indirectos aos docentes, como sejam a redução
de atividades letivas e o apoio financeiro às actividades de investigação.
A frequência de docentes do IPCA em formação avançada para a obtenção dos graus académicos de
mestrados e doutoramento foi expressiva em 2011, como se pode verificar no quadro 20.
Quadro 20 - Número de docentes a frequentar curso de mestrado e doutoramento
DEPARTAMENTOS ESG
A FREQUENTAR MESTRADO
A FREQUENTAR DOUTORAMENTO
Contabilidade e Fiscalidade
15
6
Direito
2
10
Gestão
3
18
A FREQUENTAR MESTRADO
A FREQUENTAR DOUTORAMENTO
Design
-
23
Ciências
-
6
Tecnologias
-
12
20
75
DEPARTAMENTOS EST
TOTAL
46
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
O número de docentes que obtiveram o grau de mestre e doutor em 2011, foi o seguinte (quadro 21):
Quadro 21 - Número de docentes que obtiveram o grau de Mestre e Doutor
DEPARTAMENTOS ESG
TERMINARAM MESTRADO
TERMINARAM DOUTORAMENTO
Contabilidade e Fiscalidade
1
2
Direito
-
1
Gestão
1
-
TERMINARAM MESTRADO
TERMINARAM DOUTORAMENTO
Design
-
-
Ciências
-
-
Tecnologias
1
1
TOTAL
3
4
DEPARTAMENTOS EST
O número de docentes que obtiveram o título de especialista em 2011, foi o seguinte (quadro 22):
Quadro 22 - Número de docentes que obtiveram o Título de Especialista
DEPARTAMENTO
Contabilidade e Fiscalidade
2
Gestão
1
Direito
2
Design
1
TOTAL
6
Tal como já referido, há docentes do IPCA que, no âmbito do PROTEC, programa especial de apoio
à formação avançada de docentes do Ensino Superior Politécnico, desenvolvido pelo MCTES em
articulação com o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), obtiveram
uma avaliação científica positiva para a aquisição de qualificações avançadas. Assim, se em 2009 havia
24 docentes em PROTEC, em 2010 e 2011, o IPCA, viu aumentado esse número para 33, distribuídos
pelos seis grupos disciplinares de acordo com o quadro 23.
Quadro 23 - Distribuição dos docentes PROTEC por departamentos
DEPARTAMENTO
Contabilidade e Fiscalidade
N. de Docentes em PROTEC
4
Direito
4
Gestão
8
Design
7
Ciências
4
Tecnologias
6
TOTAL
33
47
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
3.2 Publicações e Comunicações
A produção científica é um dos indicadores do desempenho global da instituição, representando um
papel vital na garantia da própria actualização científica, técnica e cultural do docente.
O número de publicações efetivas por departamento no ano de referência encontra-se no quadro 24,
organizado em seis classes:
•
Artigos publicados em revistas científicas indexadas ISI ou Scopus;
•
Artigos publicados em revistas científicas não indexada;
•
Livros (obra completa de cariz científico excluindo a publicação directa de teses);
•
Livros editados (edição de obra multi-autor de cariz científico, excluindo a compilação de artigos
já publicados);
•
Capítulos de livros (capítulos em livros de cariz científico);
•
Conferências (artigos completos publicados em atas de conferências de investigação com
comissão científica).
Quadro 24 - Publicações cientificas por departamentos
ÁREA CIENTÍFICA
Artigos em
revistas
indexadas
(ISI ou
Scopus)
Artigos em
revistas não
indexadas
Livros
Contabilidade e
Fiscalidade
2
7
Gestão
1
Ciências
11
Design
11
2
Tecnologias
8
2
TOTAL
33
25
Direito
Capítulos de
livros
Conferências
2
4
34
5
10
8
9
1
13
Livros
editados
3
33
1
21
2
33
10
5
31
10
20
154
Foram adicionalmente publicados artigos técnico-científicos em publicações sem revisão por pares,
bem como efetuadas comunicações em eventos sem comissão científica e proferidas mais de 30 palestras
por convite em eventos de natureza técnico-profissional.
3.3 Centros de Investigação
O crescimento das duas Escolas do IPCA ao longo dos últimos anos permitiu expandir e consolidar
o seu corpo docente, particularmente a nível de doutorados, prevendo-se que nos próximos 3 anos, a
maior parte do corpo docente das duas Escolas do IPCA esteja doutorado. É meta consagrada no plano
estratégico do IPCA garantir a integração das atividades científicas destes docentes na instituição, e
enquadrá-las na lógica do ensino politécnico através da criação de centros de investigação aplicada.
Atualmente, o IPCA, possui um centro de investigação reconhecido pelo FCT – Centro de Investigação
em Contabilidade e Fiscalidade (CICF). A atividade técnico-científica dos docentes desenvolveuse igualmente noutros centros de investigação (quadro 25), designadamente, o Centro de Inovação
em Design e Desenvolvimento de Produto (CIDD) e o Digital Games Research Centre (DIGARC),
esperando-se que, num futuro próximo, possam também ser reconhecidos pela FCT.
48
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 25 - Centros de Investigação do IPCA
ESCOLA
ESG
EST
CENTRO DE INVESTIGAÇÃO
DIRECTOR
Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
Prof. Doutora Maria José Fernandes
Centro de Investigação Jurídica Aplicada
Prof. Doutora Irene Portela
Gestão da Qualidade no Desenvolvimento do Produto (GEQUAD)
Prof. Doutor Gilberto Santos
Laboratório da Imagem, Produção e Percepção (LIPP)
Prof. Doutora Paula Tavares
Inovação em Design e Desenvolvimento de Produto (CIDD)
Prof. Doutor Ricardo Simões
Virtual Organizations Research Group (VOrgNet)
Prof. Doutora Maria Manuela Cunha
Digital Games Research Centre
Prof. Doutor Nuno Rodrigues
Estudos Planeamento e Análise de Dados (CEPAD)
Prof. Doutora Teresa Abreu
Descreve-se de seguida a actividade desenvolvida pelos centros de investigação.
3.3.1 Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
O CICF desenvolveu, no ano de 2011, um conjunto de projetos de investigação científica e de
investigação aplicada, muitos dos quais ainda em curso que terão continuidade em 2012.
Parte significativa das publicações dos Departamentos de Contabilidade e Fiscalidade e de Direito
contempladas na secção anterior, enquadra-se em projetos desenvolvidos ou em curso neste centro de
investigação, que adicionalmente produziu documentos de trabalho, proferiu palestras por convite bem
como publicou trabalhos de índole técnica e técnico-cientifica.
Nesta secção apresentam-se os projectos de investigação científica e de investigação aplicada
concluídos e em curso durante o ano de 2011, bem como palestras e seminários organizados pelo CICF.
Projectos de investigação científica
Durante o ano de 2011 foram desenvolvidos os projetos de investigação científica apresentados no
quadros 26, 27 e 28.
Quadro 26 - Projetos de investigação científica em curso no âmbito de programas de doutoramento
PROJETO
EQUIPA DE INVESTIGADORES
“A relevância do Relatório de Auditoria para os Investidores,
Analistas de Risco e Entidades Financeiras”
Sara Alexandra da Eira Serra (CICF) e Lúcia Maria Portela de
Lima Rodrigues (CICF - Universidade do Minho)
“A Contabilidade de Gestão na Administração Pública Municipal
Portuguesa: modelos de apuramento de Custos”
Teresa do Carmo Salgueiro Costa (CICF); João Batista da
Costa Carvalho (CICF) e Cristina Aibar Guzmán (CICF)
“Estudo da Problemática da Manipulação do Resultado
Contabilístico”
Cláudia Isabel Araújo Mendes (CICF); Lúcia Maria Portela
de Lima Rodrigues (CICF) e Laura Parte Esteban (UNED Universidad Nacional de Educación a Distancia, Madrid).
“O regime comunitário das ajudas de estado e a competência
fiscal dos estados-membros: análise e perspetivas no contexto
ibérico”
Liliana Pereira (CICF), César García Nóvoa (Universidade
de Santiago de Compostela) e Begoña Villaverde Gomez
(Universidade de Santiago de Compostela)
“O Estabelecimento Estável”
José Carlos de Castro Abreu (CICF); Jaime Aneiros Pereira
(Universidade de Vigo)
“New Accountancy and evidence in tax process and tax
procedures – a study of Spain and Portuguese cases”
Suzana Fernandes da Costa e Cesar Garcia Novoa
“Ativos Intangibles: Estudio de la contabilizacion y divulgacion
por las sociedades financieras ibericas”
Maria de Lurdes Ribeiro da Silva (CICF); Ana Maria Gomes
Rodrigues (CICF-Universidade de Coimbra); Maria del Pilar
Muñoz Dueñas (Universidade de Vigo)
49
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 27 - Projetos de investigação científica em curso no âmbito de cursos de mestrado
PROJETO
INVESTIGADOR
“A legitimidade da diferenciação tributária no espaço da União
Europeia: os auxílios de Estado e a política de concorrência”
Joaquim Jorge Almeida Mota (CICF)
“O contributo dos instrumentos financeiros e de gestão Pública
na prevenção da Corrupção nos Municípios Portugueses”
Maria Manuela Oliveira da Costa (CICF)
Quadro 28 - Projetos de investigação científica concluídos em 2011
PROJETO
EQUIPA DE INVESTIGADORES
“Contabilidade de Instrumentos Derivados: Estudo da
Informação Divulgada pelas Empresas Portuguesas”
Kátia Cristiana Matos Ribeiro Lemos (CICF); Lázaro Rodríguez
Ariza (Facultad de Economicas y Empresariales-Universidad
de Granada) e Lúcia Maria Portela de Lima Rodrigues (CICFUniversidade do Minho)
A relação entre o contexto, a medida e a gestão do
desempenho e o desempenho organizacional: evidência
empírica no sector público.
Patrícia Gomes (CICF) ; João Carvalho (CICF) ; Sílvia Mendes
(Universidade do Minho)
Outros projetos de investigação científica desenvolvidos em 2011
•
Anuário Financeiro do Municípios Portugueses, publicação de caráter anual e que desde 2009 conta,
projeto financiado pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC). Os docentes Maria José
Fernandes e João Carvalho são autores do anuário.
•
Anuário Financeiro do Setor Empresarial do Estado – 2009 e 2010, projeto financiado pela Ordem
dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC). Os docentes Cláudia Cardoso, Maria José Fernandes e
João Carvalho são autores do anuário.
•
Projeto de revisão da tradução para Português das International Public Setor Accounting Standards
(IPSAS) pelos docentes João Carvalho, Maria José Fernandes, Patrícia Gomes e Susana Rua,
em colaboração com a Ordem dos Revisores Oficiais de Contas e a International Federation of
Accountants.
Projetos de Investigação Aplicada
A investigação aplicada em curso destaca-se, sobretudo, pelos projetos a decorrer nas autarquias
locais da região, nomeadamente através da implementação de Sistemas de Contabilidade de Custos,
elaboração de estudos económico-financeiros do valor das taxas praticadas por estas, bem como Planos
de Gestão de Riscos de Corrupção e Infrações Conexas. Durante o ano de 2011 foram desenvolvidos os
seguintes projetos (quadro 29):
Quadro 29 - Projectos de investigação aplicada
PROJETO
EQUIPA COORDENADORA
Estudo da fundamentação económico-financeira das taxas de utilização de equipamentos
e instalações desportivas e edifícios de apoio existentes no Parque das Termas da Câmara
Municipal de Vizela
Sara Serra
Monitorização do Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infrações Conexas do Município
de Vizela
Sara Serra e Ricardo Cunha
Implementação do Sistema de Contabilidade de Custos na Câmara Municipal de Amarante
Patrícia Gomes
Implementação do Sistema de Contabilidade de Custos na Câmara Municipal de Cabeceiras
de Bastos
Patrícia Gomes
50
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Conferências e Seminários promovidos pelo CICF
O CICF organizou os seguintes seminários
•
“Uma Abordagem Multidisciplinar da Investigação em Contabilidade de Gestão”, tendo como oradora
a Prof. Doutora Maria do Céu Ferreira Gaspar Alves, Professora Auxiliar do Departamento de
Gestão e Economia da Universidade da Beira Interior, 14 de abril.
•
“La relevância de la innovación y los intangibles en la economía de la empresa”, tendo como orador o
Professor Doutor Leandro Cañibano, Catedrático de Economía Financiera y Contabilidad de la
Universidad Autónoma de Madrid, 20 de maio de 2011.
•
“O Método de Estudo de Caso na Investigação em Contabilidade e Gestão”, tendo como orador o
Professor Doutor João Ribeiro, da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, 26 de maio.
•
“Conceitos, ferramentas e gestão da Responsabilidade Social Empresarial (RSE)”, tendo como
oradora a Prof. Doutora Pilar Muñoz Dueñas, Universidad de Vigo.
Conferências e Seminários em preparação
Foram aprovadas as candidaturas do CICF para a organização do XV Encontro da AECA, a realizar em
setembro de 2012, bem como para a organização do 11th CIGAR Workshop, a realizar em 14 e 15 de junho
de 2012.
3.3.2 Centro de Inovação em Design e Desenvolvimento de Produto (CIDD)
No âmbito das iniciativas levadas a efeito por este centro destacam-se as seguintes actividades:
•
apresentação na “D2P – From Design to Product”, Marinha Grande, 27 de Outubro de 2011
•
apresentação na “VRAP 2011 (International Conference on Advanced Research in Virtual and
Rapid Prototyping)”, Leiria, 27 Setembro a 1 de Outubro de 2011.
Quanto a projectos, destaca-se o projeto “PT 21 - Powered Textiles Século 21”.
Projeto “PT 21 - Powered Textiles Século 21”(Projecto Mobilizador n.º 13848)
Projeto financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do COMPETE
– Programa Operacional Factores de Competitividade (POFC), Portugal.
Este projeto está a ser desenvolvido em cooperação por 29 parceiros a nível nacional, nomeadamente
21 empresas e 10 entidades do sistema científico e tecnológico nacional (Universidades, Politécnicos, e
Centros Tecnológicos).
Esta iniciativa de IDT tem um forte caráter coletivo, com efeito indutor e demonstrador. Pretende
introduzir inovação na indústria têxtil e do vestuário, focando-se no desenvolvimento de soluções
tecnológicas para diversas áreas de intervenção, como a mobilidade, saúde, desporto, e habitat. Teve
início formal em Janeiro de 2011, e terá a duração de 3 anos.
A participação do IPCA incide em design de produto para protecção osteológica, numa lógica de têxteis
técnicos aplicados à saúde.
3.3.3 Digital Games Research Centre (DIGARC)
Durante 2010 e 2011 o DIGARC desenvolveu os seguintes projectos:
“GNR – Patrulha Sepna”
Projecto que envolve a criação de um jogo promocional, no âmbito de uma parceria com a Guarda
Nacional Republicana (GNR). Com um público-alvo entre os 6 e os 10 anos de idade, a sua especificação
centrou-se no objectivo da transmissão de uma mensagem de divulgação do SEPNA (Serviço de
Protecção da Natureza e do Ambiente). O desenvolvimento deste jogo procurou a construção de uma
ferramenta lúdica atraente e com uma lógica de jogo simplificada. O jogo foi já disponibilizado a mais
de 4 mil jovens durante o evento “Barcelos Party 2010”, estando também disponível no sítio da internet
da GNR.
51
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
“Energy4Lyfe”
Projeto, co-financiado pela Comissão Europeia – no âmbito do contrato n.º CDI-NSA ED/2008/154-037,
e liderado pela ONG Italiana Oikos, consiste na implementação digital do jogo “Energy for Life”. Este
jogo tem como público-alvo os estudantes do ensino básico e secundário, e visa a criação de rotinas de
consciência ecológica e energética em duas personagens que acordam de um pesadelo, onde prevêem a
destruição do mundo, provocado pelo consumo desregrado de energia.
“Study and Conquer”
Trata-se de um jogo que visa estimular o interesse pelas matérias escolares, bem como testar os
conhecimentos adquiridos, e onde se pretende revolucionar o conceito de “trabalhos de casa”.
Atualmente o jogo tem vindo a ser testado na Escola Profissional de Braga.
3.3.4 Laboratório da Imagem, Produção e Percepção (LIPP)
O Laboratório da Imagem, Produção e Percepção, através do IPCA fez uma parceria com a Câmara
Municipal de Barcelos e realizou a imagem do campeonato do mundo de sub 20 de hóquei em patins,
que contou com a participação dos mestrandos Rui Torres e Marcelo Padela sob orientação de Pedro
Mota Teixeira e Paula Tavares.
Ainda no âmbito do Laboratório da Imagem, Produção e Percepção e com a Câmara Municipal de
Barcelos, foi organizado o concurso para o cartaz da Barcelos Lan Party exclusivo aos alunos IPCA.
3.3.5 Centro de Estudos Planeamento e Análise de Dados (CEPAD)
Criado em Setembro de 2011 o Centro de Estudos Planeamento e Análise de Dados (CEPAD), é um
centro de investigação e de prestação de serviços, permitindo convergir e articular as suas actividades,
bem como potenciar a dinamização de iniciativas de estudos/projectos.
3.4 Revistas Científicas
O IPCA edita duas revistas científicas de circulação internacional: a Tékhne – Polytechnical Studies Review
e a ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an international
journal.
Durante o ano de 2011 foram desenvolvidos esforços no sentido de harmonizar a estrutura e o formato
da Tékhne com o da ICT’ae, tendo ambas como língua base de publicação o inglês e uma comissão
científica internacional.
Tékhne: Revista de Estudos Politécnicos (Polytechnical Studies Review)
Lançada em 2004, a Tékhne visa a publicação de artigos originais nas diversas áreas da Gestão,
designadamente a contabilidade e a auditoria, o controlo de gestão, a fiscalidade, as finanças, a estratégia
e o marketing, o comportamento organizacional, a gestão de sistemas de informação e o direito. A revista
publica trabalhos de investigação de natureza quantitativa e qualitativa, que são sujeitos a double blind
review. Pretende divulgar os resultados científicos obtidos por académicos e profissionais, quer a nível
nacional, quer a nível internacional, promovendo assim o intercâmbio do conhecimento nos domínios
científicos da revista. Em 2011 foram publicados os números 15 e 16 da revista, com o apoio da FCT –
Fundação para a Ciência e a Tecnologia.
ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an
internacional journal
A revista ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an international
journal tem como missão promover, discutir e disseminar os mais recentes desenvolvimentos no domínio
da aplicação das tecnologias de informação e de comunicação a modelos organizacionais emergentes.
A revista integra um corpo internacional de 14 editores associados e uma comissão científica de 56
individualidades representando um total de 25 países. Inaugurada em 2010, o seu segundo número foi
lançado no final de 2011.
52
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
3.5 Conferências e Congressos Internacionais
Faz parte da missão do IPCA promover a transferência de conhecimento através do estímulo à
organização de eventos científicos.
Durante o ano de 2011 o IPCA apoiou a organização dos seguintes eventos científicos internacionais:
II Congresso Internacional de Turismo
O II Congresso Internacional de Turismo, intitulado “Turismo: Diversificação, Diferenciação e
Desafios” decorreu durante os dias 7 e 8 de outubro de 2011.
O evento contou com aproximadamente 115 inscritos, entre os quais investigadores nacionais,
investigadores internacionais, docentes, estudantes e empresários locais que em muito contribuíram
para o debate de ideias e difusão do conhecimento sobre esta temática tão relevante. Nas seis sessões
paralelas foram apresentadas 20 comunicações, da autoria de 48 investigadores, representantes de 16
instituições de ensino superior nacionais e estrangeiras.
CENTERIS 2011 - Conference on ENTERprise Information Systems
A terceira edição da CENTERIS - Conference on ENTERprise Information Systems: aligning business,
technology and people teve lugar se em Vilamoura, Algarve, entre 5 e 7 de Outubro de 2011, contando
com a presença de perto de 100 académicos, investigadores e profissionais com interesse pela área dos
Sistemas de Informação, nas suas vertentes social, organizacional e tecnológica, representantes de
perto de 30 países.
SeGAH 2011 - IEEE 1st International Conference on Serious Games and Applications for Health
Entre 16 e 18 de Novembro de 2011 realizou-se em Braga, a 1ª edição da SeGAH - IEEE 1st International
Conference on Serious Games and Applications for Health, a qual contou com a presença de cerca de 60
académicos, investigadores e profissionais com interesse pela área do Desenvolvimento de Jogos Sérios
e Aplicações para a Saúde.
3.6 Prestação de Serviços à Comunidade e de Apoio ao Desenvolvimento
O IPCA vem dando continuidade a um esforço de afirmação como parceiro de excelência no
desenvolvimento da região onde está inserido, desenvolvendo iniciativas que conduzem à valorização
do conhecimento da sua comunidade académica e da comunidade externa, utilizando para o efeito as
valências técnicas e científicas de que dispõe.
Assim, no ano de 2011 foram promovidas as seguintes actividades:
Curso de preparação para os exames de avaliação profissional da Ordem dos Técnicos Oficiais
de Contas (OTOC)
O Estatuto da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) exige, para efeitos de inscrição como
Técnico Oficial de Contas, entre outros, a aprovação em exames de avaliação profissional, ministrados
pela referida Câmara.
Assim, desde 2007, a ESG promove cursos de preparação para os referidos exames, visando rever e
atualizar conhecimentos relacionados com matérias objeto de avaliação dos mesmos - Contabilidade
Financeira, Contabilidade Analítica, Fiscalidade, bem como Ética e Deontologia Profissional.
À semelhança dos anos anteriores, em 2011, foram promovidas três edições.
53
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 30 - Cursos de preparação para a OTOC
Nº. Inscritos
Nº de formados
submetidos a exame
Nº de formandos
admitidos
Nº de formados
reprovados
13ª Edição decorreu de 11 de
janeiro a 18 de fevereiro
40 Formandos
33
(82%)
24
(72%)
6
(18%)
14ª Edição decorreu de 6 de
maio a 11 de junho de 2011
24 Formandos
19
(79%)
15
(79%)
4
(21%)
15ª Edição decorreu de 8 de
setembro a 10 de outubro de
2011
47 Formandos
40
(85%)
29
(72%)
11
(27%)
A taxa de aprovação dos formandos destes cursos nos exames de avaliação profissional da OTOC tem
sido francamente positiva e muito superior à taxa de aprovação nacional, corroborando o interesse e a
importância de continuar a promover este tipo de iniciativas.
Cursos de Preparação para as Provas de Avaliação da Capacidade dos Maiores de 23 anos
O sistema de ensino superior prevê um regime de ingresso especificamente destinado aos maiores
de 23 anos, através da realização de Provas de Avaliação da Capacidade. Deste modo e dando
continuidade aos cursos ministrados no ano anterior, as duas escolas do IPCA, em colaboração com os
diferentes departamentos, organizaram Cursos de Preparação para as referidas Provas para 2011. Na
ESG, o Departamento de Gestão e o Departamento de Direito organizaram a 4ª Edição do Cursos de
Preparação para as Provas de Avaliação da Capacidade dos Maiores de 23 anos, designadamente para as
provas de Economia, Direito e Português. Os cursos decorreram durante os meses de abril e maio, mais
concretamente de 24 de abril a 15 de maio de 2011.
Na EST, os Departamentos de Tecnologias, Ciências e Design organizaram igualmente cursos de
preparação para os candidatos à realização das provas de conhecimentos exigidas para os cursos
da Escola. Assim, decorreram durante o mês de Maio e Junho de 2011 os cursos de preparação de
Informática, Matemática, Desenho, Física, Geometria Descritiva e História das Artes.
Cursos Livres
O domínio e a especialização nas diversas áreas do conhecimento impõe-se, nos dias de hoje, como um
instrumento de competitividade dentro e fora das instituições públicas e privadas, que nos permite uma
melhor resposta aos desafios que nos são propostos diariamente.
Foi neste pressuposto que a ESG ofereceu diversos cursos nas áreas da Contabilidade e Fiscalidade,
Português e Inglês, tendo como principal objetivo oferecer a toda a comunidade um conjunto de
formações que melhoram a sua qualificação profissional.
Cursos Básico em Análise de dados com o SPSS
O Departamento de Ciências da EST promoveu a realização de cursos de formação (nível II e III) em
análise de dados com o SPSS. Em 2011 houve uma edição do nível II que se iniciou no dia 15 de Janeiro
e uma edição do nível III que se iniciou no dia 2 de Abril.
54
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 31 - Cursos livres
1ª Edição: inicio em 4 de abril de 2011
42 inscritos
24 horas
2ª Edição: inicio em 28 de abril de 2011
35 inscritos
24 horas
Curso de Especialização - Normalização
Contabilística para Pequenas e
MicroEntidades
1ª Edição: inicio em 16 de junho de 2011
17 inscritos
24 horas
Curso de Especialização - Normalização
Contabilística no Setor Não Lucrativo
1ª Edição: inicio em 20 de setembro de 2011
17 inscritos
24 horas
Curso O Novo Acordo Ortográfico
1ª Edição: inicio em 11 de novembro de 2011
30 inscritos
5 horas
Inglês para Colaboradores do IPCA
1ª Edição: inicio em 14 de novembro de 2011
13 inscritos
15 horas
Inglês
1ª Edição: inicio em 15 de novembro de 2011
101 inscritos
30 horas
Técnicas de Expressão Oral e Escrita
1ª Edição: inicio em 18 de novembro de 2011
35 inscritos
30 horas
Curso preparação OTOC
13ª Edição: inicio em 11 de janeiro de 2011
40 inscritos
122 horas
Curso preparação OTOC
14ª Edição: inicio em 6 de maio de 2011
24 inscritos
122 horas
Curso preparação OTOC
15ª Edição: inicio em 8 de setembro de 2011
50 inscritos
122 horas
Curso Prático: IRC - O novo Quadro 07
da Declaração Mod. 22
Workshops
Durante o ano de 2011 o Laboratório da Imagem, Produção e Percepção organizou um workshop sobre
‘o pensamento científico’ contando com o orador Tomás Magalhães Carneiro. Organizou ainda com
o Mestre Nelson Pereira um workshop de iniciação à fotografia digital aberto aos estudantes IPCA e
externos.
55
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
4. Mobilidade, cooperação e internacionalização
4.1 Mobilidade de Estudantes, Docentes e Pessoal Não Docente
Ciente da importância da sua inserção no espaço europeu de ensino superior e do aumento
significativo do número de estudantes e docentes que participam em acções de mobilidade numa
perspectiva de aprendizagem e formação ao longo da vida, o IPCA tem vindo a reforçar as suas acções
de internacionalização, proporcionando aos seus estudantes e docentes períodos de estudos noutras
instituições de ensino superior europeias, com pleno reconhecimento académico, nomeadamente
através da ação Erasmus.
A coordenação do programa Erasmus esteve a cargo de docentes da ESG e da EST, Prof. Doutora
Raquel Mendes e Prof. Doutora Paula Tavares, respectivamente, tendo sido nomeada coordenadora
institucional a vice-presidente para os assuntos da investigação e internacionalização. A gestão da
mobilidade está a cargo do Gabinete de Relações Internacionais, GRI.
O maior fluxo da actividade de mobilidade académica ocorreu ao abrigo do Programa de Aprendizagem
ao Longo da Vida, com a ação Erasmus, registando-se um aumento de participantes das duas Escolas.
Em 2011, efectuaram mobilidade, ao abrigo deste Programa, 25 estudantes do IPCA, nos seguintes
países e instituições:
Quadro 32 - Estudantes do IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
PAÍS
Instituição de Ensino Superior
N.º de Estudantes
Lituânia
Vilnius College of Construction and Design
3
Polónia
Politechnica Opolska
17
Polónia
Politechnica Bialystok
2
Polónia
Academy of Fine Arts in Wroclaw
2
Polónia
Wydzialu Prawa i Administracji UWM
1
Ainda no âmbito da mobilidade de estudantes, o IPCA recebeu 25 estudantes provenientes de outras
instituições europeias, nomeadamente de Espanha, da Lituânia, de Itália, da Polónia, Luxemburgo e da
Turquia.
Quadro 33 - Estudantes estrangeiros em mobilidade ao abrigo do Erasmus
PAÍS
Instituição de Ensino Superior
N.º de Estudantes
Vilnius College of Construction and Design
2
Université du Luxembourg
2
Itália
Academia di Catania
1
Espanha
Escuela de Arte Soria
1
Polónia
Politechnica Opolska
6
1
Lituânia
Luxemburgo
Turquia
Çag University
Turquia
Adyama University
1
Polónia
Wydzialu Prawa i Administracji UWM
11
O Gabinete de Relações Internacionais promoveu a primeira semana de recepção aos estudantes
estrangeiros que envolveu uma visita de reconhecimento ao Campus do IPCA bem como encontros
temáticos com os coordenadores ERASMUS, com os responsáveis dos serviços e com os directores dos
cursos. A Associação de Estudantes associou-se à iniciativa dando-lhes as boas vindas com a tradicional
praxe académica.
56
A recepção incluiu um programa social nomeadamente um passeio por algumas cidades do Minho
como Barcelos, Braga, Guimarães e Viana do Castelo. O Gabinete de Relações Internacionais teve como
parceiros o Turismo de Barcelos e o Círculo Católico Operário de Barcelos.
No que se refere à mobilidade de docentes, efectuou-se em 2011 a mobilidade de três docentes do
IPCA – um na Polónia e dois em Espanha, tendo sido recebidos igualmente 32 docentes provenientes da
Lituânia, Espanha, Polónia, Itália e Roménia.
Quadro 34 - Docentes recebidos no IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
PAÍS
N.º de Docentes
Lituânia
7
Polónia
9
Itália
1
Espanha
4
Roménia
11
O IPCA acolheu ainda ao abrigo do Programa Erasmus, funcionários de outras instituições europeias
provenientes da Polónia, Itália e Espanha (quadro 35). Pela primeira vez em 2011 o IPCA enviou
funcionários ao abrigo deste programa de Mobilidade para a Universidade de Burgos, em Espanha
(quadro 36).
Quadro 35 - Funcionários recebidos no IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
PAÍS
Itália
Polónia
Instituição de Ensino Superior
N.º de Funcionários
Kore di Enna
1
Politechnica Opolska
2
Polónia
Politechnica Bialystok
1
Polónia
Wydzialu Prawa i Administracji UWM
3
Espanha
Universidade Huelva
2
Quadro 36 - Funcionários enviados pelo IPCA em mobilidade ao abrigo do Erasmus
PAÍS
Espanha
Instituição de Ensino Superior
N.º de Funcionários
Universidad de Burgos
2
57
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
4.2 Cooperação com o Espaço Europeu de Ensino Superior
O IPCA prosseguiu, em 2011, a implementação das suas acções de internacionalização, estabelecendo
protocolos de cooperação e intercâmbio no espaço de ensino superior europeu. Assim, em 2011 o IPCA
manteve os acordos bilaterais celebrados com Instituições Europeias apresentados no quadro seguinte.
Quadro 37 - Acordos bilaterais celebrados com instituições europeias
PAÍS
Instituição de Ensino Superior
Turquia
Universidade de Sakarya
Adıyaman University - School of Tourism Management and Hospitality
Yalova University
Alemanha
Fachochschule Deggendorf
Hochschule Neu-Ulm
Malta
Malta College of Arts, Science and Technology
Luxemburgo
Université du Luxembourg
Espanha
Universidad de Castilla-La-Mancha
Universidad de Zaragoza
Universidade de Santiago de Compostela
Escuela de arte y superior de diseno de Soria
Universidad de Jaén
Universidad de Huelva
Universidad de Coruna
Universidad de Lanzarote
Universidad de la Laguna
Polónia
Academy of Fine Arts in Wroclaw
Politechnica Opolska
Politechnica Bialystok
Alcide de Gasperi University or Euroregional Economy
Wydzialu Prawa i Administracji UWM
Akademia Sztuk Pieknych im. E. Gepperta
State Higher Vocational School in Nysa
Noruega
Buskerud University College
Lituânia
Vilnius College of Construction and Design
Dinamarca
Roskilde Business Academy
Itália
Universitá Kore di Enna
Academia di Catania
Universitá degli studi di Milano Bicocca
Universidad de Foggia
França
Université Pierre Mendes
Roménia
“Ion Mincu” University of Architecture & Urbanism
Transilvania University of Brasov
Reino Unido
University of Abertay Dundee
Grécia
Faculty of Graphic Arts and Design
Bulgária
American University
Eslovénia
University of Maribor
Ucrânia
University Lvivska Polytechnica
Letónia
Turiba University
O número de protocolos de cooperação e intercâmbio aumentou 80% em 2011. O quadro 38 e a figura
3 apresentam o aumento do número de protocolos desde 2009.
58
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 38 - Número de protocolos de cooperação entre 2009 e 2011
Nº de protocolos
PAÍS
2009
2010
Turquia
1
1
2011
3
Alemanha
2
2
2
1
Malta
1
1
Luxemburgo
1
1
1
Espanha
2
4
9
Polónia
2
4
7
Noruega
1
1
1
lituânia
1
1
1
Dinamarca
1
1
1
Itália
1
2
4
França
1
1
1
Roménia
2
2
2
Reino Unido
0
0
1
Grécia
0
0
1
Bulgária
0
0
1
Eslovénia
0
0
1
Ucrânia
0
1
1
Letónia
0
0
1
TOTAL
16
22
39
Figura 3 - Número de protocolos entre 2009 e 2011
4.3 Cooperação com Países de Língua Oficial Portuguesa
O IPCA, na prossecução da sua missão e considerados os valores que norteiam o exercício das
responsabilidades que lhe estão cometidas, considera eixos prioritários da sua actuação, a cooperação e
intercâmbio não só com o espaço de ensino superior europeu, mas também com os países de língua oficial
portuguesa, desta forma fomentando a interculturalidade e cidadania, e criando novas oportunidades
de valorização a nível pessoal, académico e profissional.
Assim, o IPCA dinamizou igualmente protocolos genéricos de cooperação com instituições de ensino
superior do Brasil, permitindo a mobilidade de estudantes e de docentes para este país.
O IPCA foi um dos Institutos Politécnicos que rubricou um protocolo de colaboração com o Instituto
Politécnico de Macau de forma a permitir a mobilidade de docentes e alunos. Este novo programa de
mobilidade foi criado pelo Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e tem por
objectivo criar ligação ao espaço da lusofonia assim como dinamizar a língua portuguesa nestes países.
59
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 39 - Acordos Bilaterais Celebrados com Outros Países
PAÍS
Instituição de Ensino Superior
Brasil
Universidade Estadual Rio de Janeiro
Universidade Federal Fluminense (Rio de Janeiro)
Universidade Estadual de Feira de Santana (Bahia)
Universidade Federal da Bahia
Universidade Federal Brasília
Universidade Federal Maranhão
Universidade Federal Paraíba
Universidade Federal Paraná
Universidade Federal Rural de Pernambuco
Macau
Instituto Politécnico de Macau
O número de protocolos com o Brasil aumentou de um em 2009 para quatro em 2010 e nove em 2011.
5. O Empreendedorismo, a Empregabilidade e a Inserção na Vida
Ativa
Respondendo à preocupação do IPCA em apoiar a inserção no mercado de trabalho dos seus
diplomados, em 2010, foi criado o G3E - Gabinete para o Emprego, Empreendedorismo e Ligação
às Empresas, tendo como missão a promoção do empreendedorismo e da empregabilidade dos seus
estudantes e diplomados, apoiando quer projectos de criação de empresas e do próprio emprego, quer
a procura activa de emprego, através do apoio à integração dos estudantes finalistas e dos recémdiplomados do IPCA no mercado de trabalho.
5.1 Promoção do Emprego
Com o objectivo de contribuir para a rápida e adequada inserção profissional dos licenciados pelo
IPCA, o G3E, ao longo de 2011, desenvolveu uma estratégia de intervenção assente no acompanhamento
permanente e atendimento personalizado, quer aos estudantes e diplomados, quer às empresas. Do lado
dos diplomados, através da promoção de ações de informação e formação sobre fatores indispensáveis
a um processo dinâmico de inserção no mercado profissional, nomeadamente, na elaboração do
Curriculum Vitae e na preparação para a entrevista profissional. Do lado das empresas, através da
articulação entre a oferta e a procura de emprego qualificado, dinamizando a ligação com as empresas
e entidades da região.
Para o efeito, o G3E colocou à disposição dos públicos interessados, na página WOC – Web on Campus,
da ESG e da EST uma Bolsa de Emprego onde foram colocadas à disposição dos finalistas/diplomados
as ofertas de emprego/estágio de entidades e empresas da região, no âmbito das áreas de formação do
IPCA. Desde Novembro de 2010 até 30 de Outubro de 2011, foram divulgados, por esta via, mais de 340
ofertas de emprego/estágio (quadros 40 e 41).
60
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 40 - Número de ofertas de emprego divulgadas
2010
2011
Mês
Nov
Dez
Jan
Fev
Mar
Abr
Maio
Jun
Jul
Set
Out
Total
ESG
12
14
8
13
14
19
16
7
5
4
6
118
34,1%
EST
31
27
39
27
37
14
24
6
16
2
5
228
65,9%
TOTAL
43
41
47
40
51
33
40
13
21
6
11
346
100%
Figura 4 - Número de ofertas de emprego divulgadas
Quadro 41 - Tipo de ofertas de emprego divulgadas
TIPO DE OFERTA
ESG
EST
Emprego / Estágio
114
212
326
94,22%
4
16
20
5,78%
118
228
346
100%
Outros (Programas de Estágio, Part-time, bolsas de investigação)
TOTAL
TOTAL
5.2 Promoção do Empreendedorismo
Consciente da importância do empreendedorismo no percurso académico de cada estudante, o IPCA
dispõe de um espaço onde poderão ser propostos projetos de iniciativa empresarial. O acompanhamento
destes projectos é realizado por técnicos e docentes da Escola Superior de Gestão e da Escola Superior de
Tecnologia, que em conjunto com os empreendedores, avaliam o perfil de cada candidato, assim como a
ideia de negócio e o mercado, elementos fundamentais na criação de uma empresa.
61
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Todo o processo é acompanhado pelo IPCA e pelas entidades especializadas com as quais tem
protocolos que apoiam na elaboração do Plano de Negócios, do Plano de Marketing e na solicitação
de apoios e incentivos às diversas entidades competentes. De referir que o IPCA é parceiro da
Plataforma Finicia do Minho (IAPMEI) e da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), com
a qual tem trabalhado em conjunto no âmbito de diversas actividades, nomeadamente, na Academia
dos Empreendedores, dinamizando, no IPCA, o Concurso de Ideias. O IPCA, é também parceiro na
organização e dinamização do concurso OUSAR, promovido pela Associação Industrial do Minho
(AIM), e com o Instituto Empresarial do Minho (IEMinho) na divulgação e dinamização do projeto I&ES
– Inovação & Empreendedorismo Sustentado.
O IPCA participou no Concurso Nacional de Empreendedorismo dos Politécnicos Portugueses –
Poliempreende, tendo decorrido em 2011, a sua 8ª Edição, onde o IPCA, obteve o segundo lugar, após ter
vencido o concurso regional. Este concurso contou com a participação de 17 projetos em representação
de todos os institutos politécnicos do País. O projeto apresentado pela equipa do IPCA, Rescue Me, é
uma plataforma informática de gestão de emergências e mereceu os elogios do Júri pela sua inovação
e iniciativa empresarial. Este projeto já representou Portugal no concurso mundial, Imagine Cup, da
Microsoft que decorreu no passado mês de Julho em Nova Iorque.
As instituições do Ensino Superior Politécnico e um conjunto de Escolas Politécnicas uniram-se
através do programa Poliempreende para conseguir dar resposta a uma necessidade do país que ainda é
uma lacuna do ensino superior, incutir nos estudantes a capacidade de empreender.
Fomentar uma cultura empreendedora e contribuir para o desenvolvimento económico do País
ajudando a qualificar a classe empresarial são os grandes objetivos do Poliempreende e do Instituto
Politécnico do Cávado e do Ave.
O Poliempreende compreendeu as seguintes fases:
•
•
•
•
Oficinas de Empreendedorismo (Oficina E e E2);
Apresentação e seriação de ideias de negócio;
Candidatura ao Concurso Regional;
Concurso Nacional.
No início de 2011, o G3E, criou uma Newsletter, com o objectivo de divulgar e facilitar o acesso à
informação sobre o tema Emprego, Empreendedorismo e Empresas, de uma forma sintetizada as
diversas informações num documento único, sendo a última edição a 12ª.
5.3 Eventos Promovidos pelo G3E
5.3.1 Seminários
“Road Show – Empreender para Vencer” – 4 de Abril 2011
Este evento, organizado em pareceria com a ANJE, teve como objetivo estreitar a ligação entre os
estudantes e o mercado de trabalho, dando oportunidade de conhecer projetos inovadores de várias
áreas de negócio.
A sessão contou com a apresentação por parte de representantes de empresas reconhecidas a nível
nacional como o IAPMEI, o BES, o Consórcio APEITE, INOVAGAIA, INESC Porto, e a ANJE. Durante o
Road-Show, foi ainda possível conhecer casos de sucesso, e as vantagens e desvantagens das incubadoras
“Portugal Global e Inovagaia”.
“1ª Oficina Poliempreende” – 16 de Abril 2011
Sessão com todos os alunos que se inscreveram na 8ª edição do concurso Polieemprende.
“Oficinas E-Poliempreende” – 7 de Maio 2011
Estes Workshops foram dedicados aos temas “Geração de Ideias” e “Avaliação Económico-Financeira”.
As oficinas E destinam-se a trabalhar as competências técnicas dos estudantes que pretendam apresentar
um projeto de negócio e submetê-lo a concurso.
62
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
“Workshop Open Mind” – 14 de Maio 2011
Este evento contou com a parceria da Academia das Emoções, e foram realizadas em diversas sessões:
- 14 de Maio: O Eu e os seus Papéis
- 21 de Maio: Comunicação Corporal
- 28 de Maio: Comunicação Corporal
- 04 de Junho: Marketing Pessoal
- 11 de Junho: Marketing Pessoal
- 18 de Junho: Escrita Criativa
- 25 de Junho: Escrita Criativa
- 02 de Julho: Networking Criativo
- 09 de Julho: Networking Criativo
Estas sessões tiveram como objetivo trabalhar as competências comportamentais e de atitude dos
participantes, fomentando uma actividade pró-activa e dinâmica para melhorar a sua postura e forma
de apresentação e comunicação das ideias, enquanto empreendedores.
5.3.2 Participação em Júris
- Membros do Júri do Concurso Regional da 8ª Edição do Poliempreende, IPCA, Setembro de 2011.
[José Correia da Silva, José Baptista da Costa e Marco Escadas]
6. Sistema Interno de Garantia de Qualidade - SIGQa-IPCA
Nos termos da Lei 38/2007 compete às instituições de ensino superior adotar uma política de garantia
da qualidade e criar as estruturas responsáveis pela definição e implementação dos procedimentos para
a sua prossecução. Devem desenvolver uma cultura de qualidade e da sua garantia e desenvolver e pôr
em prática uma estratégia para a melhoria contínua da qualidade.
Neste contexto, o IPCA integra nos seus órgãos o Conselho para a Avaliação e Qualidade, tendo
como responsabilidade fundamental a elaboração de propostas de mecanismos de autoavaliação do
desempenho do IPCA, das suas unidades orgânicas e das suas atividades científicas e pedagógicas. Os
artigos 44º e 45º dos estatutos do IPCA definem a sua composição, funcionamento e competências,
centralizadas em estabelecer as linhas orientadoras da política de avaliação e qualidade a prosseguir
pelo IPCA.
Para institucionalizar a política da garantia qualidade no IPCA, foi nomeada uma vice-presidente a
quem foi atribuída a responsabilidade pela coordenação dos processos relativos às áreas da avaliação
e qualidade do IPCA. Sob a sua responsabilidade está o Gabinete para a Avaliação e a Qualidade
que acompanha, desde há quatro anos, todo o processo de Avaliação Pedagógica e de satisfação dos
estudantes, tendo como principais funções apoiar a elaboração e implementação e monitorização dos
processos de avaliação e qualidade do IPCA.
Ainda em 2011, e no âmbito do Conselho para a Avaliação e Qualidade, foi nomeada uma comissão
especializada para a elaboração da política e do Manual da Qualidade do IPCA. Esta comissão constitui
o task force para as áreas da avaliação e da qualidade do IPCA, sendo composta pela vice-presidente
para a área da avaliação e qualidade, pela responsável pelo Gabinete para a avaliação e a qualidade e
pelo coordenador responsável pelas áreas da avaliação e da qualidade em cada escola. Esta comissão
encontra-se neste momento a definir as linhas orientadores e a política da qualidade do IPCA, a estrutura
do SIGQa-IPCA, bem como os procedimentos de qualidade a implementar em cada área que concretiza
a missão do IPCA.
63
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
6.1 Avaliação e Acreditação de Ciclos de Estudo
Foram submetidos à Agência para a Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, em dezembro de
2010, cinco pedidos de acreditação prévia de novos ciclos de estudos, tendo todos obtido acreditação,
para início de funcionamento no ano letivo de 2011/2012 (quadro 42).
Quadro 42 - Pedidos de acreditação de novos ciclos de estudo
ESCOLA
CURSO
GRAU
PERÍODO DE ACREDITAÇÃO
ESG
Contabilidade e Fiscalidade (ensino a distância)
1º ciclo
5 anos
ESG
Banca e Seguros
2º ciclo
5 anos
ESG
Gestão Autárquica
2º ciclo
5 anos
EST
Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança (ensino a
distância)
1º ciclo
5 anos
EST
Informática Médica
1º ciclo
5 anos
O processo de avaliação formal dos ciclos de estudo em funcionamento, a levar a cabo pela Agência
de Avaliação e Acreditação do ensino superior, terá inicio em 2012, estando já previstas, no IPCA, as
avaliações dos cursos de Contabilidade, Fiscalidade e Gestão de Atividades Turísticas.
6.2 Inquéritos de Avaliação
Neste contexto, realizaram-se inquéritos de avaliação pedagógica e de avaliação de satisfação com os
serviços.
6.2.1 Inquéritos de Avaliação Pedagógica
O inquérito de avaliação pedagógica tem como objetivos essenciais aferir a perceção dos estudantes
quanto ao funcionamento das unidades curriculares, do corpo docente e da autoavaliação. Mais do que
um procedimento obrigatório (alínea c) do art.º 105º do RJIES e alínea d) do art.º 58º dos Estatutos
do IPCA), é um instrumento importante do Sistema de Garantia da Qualidade do processo de EnsinoAprendizagem.
Assim, relativo ao ano letivo 2010/2011, mas já em 2011, foram, uma vez mais, aplicados os inquéritos
por questionário aos estudantes, tendo sido recolhidos e analisados 17.533 inquéritos, distribuídos de
acordo com o quadro 43:
Quadro 43 - Número de inquéritos de avaliação pedagógica
Nº DE QUESTIONÁRIOS DE AVALIAÇÃO PEDAGÓGICA ANALISADOS
ESG
EST
TOTAL
Licenciaturas
9.245
4.908
14.153
Mestrados
1.184
807
1.991
805
584
1.389
11.234
6.299
17.533
CET
TOTAL
64
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
6.2.2 Inquéritos de Avaliação da Satisfação com os Serviços
A prática da medição da satisfação é um procedimento regular de uma organização que está motivada e
empenhada em responder de forma eficaz às diferentes solicitações que lhe são colocadas. Neste sentido,
foi aplicado, pelo terceiro ano consecutivo, um inquérito aos estudantes para aferir a satisfação dos
mesmos com alguns dos seus serviços, mais concretamente, com a prestação dos Serviços Académicos,
dos Serviços de Ação Social, da Biblioteca, do Centro de Informática e dos serviços de Receção de ambas
as Escolas.
Participaram no estudo 1.212 estudantes, correspondendo a uma percentagem de respostas de
42,5%, relativamente ao total de estudantes do IPCA. Na distribuição desta amostra por escola, 39,1%
pertencem à Escola Superior de Gestão (ESG) e a 49,8% à Escola Superior de Tecnologia (EST).
Os resultados de 2011 revelam uma ligeira subida nos valores globais de satisfação com todos os
serviços avaliados, embora ainda com variações pouco significativas. A subida mais alta na média de
satisfação foi registada pela Biblioteca, seguida pelo Centro de Informática.
Nos quadros a seguir apresentados estão indicados, para cada serviço avaliado, os dois itens com as
médias de satisfação mais altas (quadro 44) e mais baixas (quadro 45), resultantes da avaliação efetuada
pelos estudantes nos diferentes anos.
Quadro 44 - Itens com médias de satisfação mais altas em cada serviço em 2009, 2010 e 2011
SERVIÇOS
2009
2010
2011
Serviços Académicos
Simpatia e bom trato dos
funcionários e responsável
do serviço
Simpatia e bom trato dos
funcionários e responsável
do serviço
Simpatia e bom trato
da responsável e dos
funcionários do serviço
Serviços de Ação Social
Simpatia e bom trato dos
funcionários e responsável
do serviço
Simpatia e bom trato dos
funcionários e responsável
do serviço
Funcionamento global da
cantina e simpatia e bom
trato dos funcionários
Biblioteca
Disponibilidade dos
funcionários para ajudar e
prazos de empréstimo
Simpatia e bom trato da
responsável do serviço e dos
funcionários
Simpatia e bom trato da
responsável do serviço
e dos funcionários e
disponibilidade para ajudar
Serviço de Receção da ESG
(Não avaliado)
Simpatia e bom trato dos
funcionários e clareza e rigor
das informações prestadas
Simpatia e bom trato dos
funcionários e rapidez no
atendimento ao balcão
Serviço de Receção da EST
(Não avaliado)
Simpatia e bom trato dos
funcionários e clareza e rigor
das informações prestadas
Simpatia e bom trato dos
funcionários e clareza e rigor
das informações prestadas
Centro de Informática
(Não avaliado)
Conhecimentos/capacidades
dos técnicos para resolver
problemas e utilização do
webmail
Simpatia e bom trato dos
técnicos e conhecimentos /
capacidades dos técnicos
para resolver problemas
Fonte: Inquérito por Questionário – Estudo de Avaliação de Satisfação IPCA maio/2009, junho de 2010 e maio 2011
65
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
Quadro 45 - Itens com médias de satisfação mais baixas em cada serviço em 2009, 2010 e 2011
SERVIÇOS
2009
2010
2011
Serviços Académicos
Horário de funcionamento
e rapidez no atendimento
telefónico
Horário de funcionamento
e rapidez no atendimento
telefónico
Horário de funcionamento
e rapidez no atendimento
telefónico
Serviços de Ação Social
Horário de funcionamento
e prazos de atribuição,
início de pagamento e
informações sobre valor
de Bolsas de estudo
Horário de funcionamento
e prazos de atribuição e
início de pagamento de
Bolsas de estudo
Prazo de atribuição e
início de pagamento de
bolsa atribuída
Biblioteca
Adequação do espaço
ao estudo e número de
publicações em série
Adequação do espaço
ao estudo e número de
publicações em série
Número de publicações
em série e suporte
tecnológico disponível
para acesso à informação
Serviço de Receção da ESG
(Não avaliado)
Rapidez no atendimento
telefónico e tratamento de
reclamações
Rapidez no atendimento
telefónico e tratamento de
reclamações
Serviço de Receção da EST
(Não avaliado)
Tratamento de
reclamações e
disponibilização
atempada de informação
Rapidez no atendimento
ao telefónico e tratamento
de reclamações
Centro de Informática
(Não avaliado)
Espaço e instalações
disponíveis para o
atendimento e horário de
funcionamento
Espaço e instalações
disponíveis para o
atendimento e horário de
funcionamento
Fonte: Inquérito por Questionário – Estudo de Avaliação de Satisfação IPCA maio/2009, junho de 2010 e maio 2011
7. Acesso ao conhecimento
7.1. Serviços de documentação
Procurando a disseminação universal do conhecimento, a Biblioteca do IPCA está especialmente
vocacionada para apoiar o ensino e a investigação de toda a comunidade.
Integra actualmente uma sala de leitura, uma sala de estudo e quatro cabines individuais. (quadro 46),
dispondo de 9.916 monografias, 448 periódicos e 26 bases de dados (quadro 47).
Quadr0 46 - Distribuição e capacidade dos espaços
ESPAÇO
QUANTIDADE
CAPACIDADE (Nº DE LUGARES)
Sala de leitura
1
48
Cabines individuais
4
4
Sala de estudo
1
10
66
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 47 - Nº de recursos Informativos
MONOGRAFIAS
PERIÓDICOS
BASE DE DADOS
9916
488 (títulos)
26
Uma das missões da biblioteca é a promoção do acesso à informação em formato digital, nomeadamente
através da subscrição ao serviço disponibilizado pela B-On. No quadro 48 apresentam-se os recursos
actualmente subscritos na B-On.
Quadro 48 - Recursos subscritos na B-on
Conteúdos/Editora
Área Temática
Acesso/Tipo
Disponibilidade
Academic Search Complete
Multidisciplinar
Base de texto integral
Texto Integral
American Chemical Society
Ciências (Geral) Engenharia e
Tecnologias
Editora
Texto integral (4 anos mais
recentes)
American Institute of Physics
Ciências (Geral) Engenharia e
Tecnologias
Editora
Texto integral (5 anos mais
recentes)
Annual Reviews
Ciências Sociais; Saúde;
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1996
Association for Computing
Machinery
Ciências (Geral) Engenharia e
Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1952 só
para algumas publicações
Association for Computing
Machinery
Ciências (Geral) Engenharia e
Tecnologias
Base Referencial
Texto integral desde 1952 só
para algumas publicações
Business Source Complete
Ciências Sociais
Base de texto integral
Base de dados parcialmente em
texto integral
Current Contents (ISI)
Multidisciplinar
Base de texto integral
Texto integral espanhol e
português
Derwent Inovations Index (ISI)
Química
Eléctrica e Electrónica
Engenharia
(desde 2005)
Base Referencial
Base referencial de patentes
Elsevier
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1995
ERIC
Ciências Sociais
Base Referencial
Contém cerca de 200.000
relatórios e outros documentos
IEEE
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1988
Instituto f Physics
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1996
ISI Proceedings
Multidisciplinar
Base Referencial
Contém dados desde 1991
Journal Citation Report (ISI)
Multidisciplinar
Base Referencial
Indicadores Bibliométricos
Nature
Ciências (Geral)
Ciências da Saúde)
Editora
Texto integral (4 anos mais
recentes)
Royal Society of Chemistry
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral e Arquivo desde
1841
Sage
Política e Sociologia
Editora
Texto integral a partir de
determinadas datas de acordo
com as publicações
Editora
Texto integral
Society for Industrial na Applied
mathematics
Springer
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1997
Taylor Francis
Multidisciplinar
Editora
Texto integral variáveis
consoante as publicações
Web of Science
Multidisciplinar
Base Referencial
Calcula o factor impacto –
contém informação desde 1945
Wiley
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1997
Zentralblatt
Artes e Humanidades
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Base Referencial
Contém dados desde 1968
67
SECÇÃO III ENSINO, INVESTIGAÇÃO E LIGAÇÃO À COMUNIDADE
O número de downloads por recurso durante 2010 e 2011 é apresentado no quadro 50.
Quadro 49 - Número de downloads por recurso em 2010 e 2011
RECURSOS
2010
2011
Science Direct
1.226
2.891
EBSCOhost
621
685
Meta Press
212
272
Wiley Online Library
59
323
HighWire Press
104
Não disponível
InformaWorld
89
Não disponível
Taylor & Francis
Não disponível
32
Annual Reviews
17
12
ACM Digital Library
4
20
IEEE
0
19
Nature.com
3
10
ACS Publications
7
5
IOP Science
2
10
Os recursos com maior utilização e número de artigos descarregados são os recursos multidisciplinares,
destacando-se os recursos nos domínios da engenharia, tecnologia, gestão, contabilidade, fiscalidade e
turismo.
Os técnicos dos serviços de documentação do IPCA oferecem regularmente ações de formação em
especial vocacionadas para os estudantes. O quadro 50 apresenta as ações oferecidas em 2011.
Quadro 50 - Formação de Utilizadores
Conteúdos/Editora
Área Temática
Acesso/Tipo
Mestrado de Auditoria
Estratégias de pesquisa na B-on
Normalização Bibliográfica
ESG – dia 26 de Novembro de
2011
Mestrado em Engenharia de Informática e
Sistemas Empresariais
Estratégias de pesquisa na B-on
Normalização Bibliográfica
EST – dia 27 de Maio de 2011
Mestrado de Auditoria
Estratégias de pesquisa na B-on
Normalização Bibliográfica
ESG – dia 16 de Abril de 2011
Licenciatura em Finanças Públicas 2º ano
Conhecer a Biblioteca do IPCA
Estratégias de pesquisa nos catálogos
bibliográficos e base de dados
Normas para trabalhos académicos e
referências bibliográficas
ESG – 27 de Março de 2011
Licenciatura em Design Industrial 1º ano
(Turma A e B)
Conhecer a Biblioteca do IPCA
Estratégias de pesquisa nos catálogos
bibliográficos e base de dados
Normas para trabalhos académicos e
referências bibliográficas
EST – 14 de Março de 2011
7.2. CiencIPCA
O Repositório Digital do IPCA, tem como objetivo a divulgação e livre acesso à produção cientifica
produzida pela comunidade académica IPCA, promovendo a interação, partilha e visibilidade,
contribuindo para a preservação da memória intelectual do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave. O
CiencIPCA teve o seu arranque em 2011.
68
Dia D - Conversas sobre Design
16 de Março de 2011 - Auditório da C.M. de Barcelos
69
70
Secção IV
Recursos
1. As Pessoas
1.1 Pessoal Docente
1.1.1. Composição do corpo docente
Relacionado com o aumento dos cursos ministrados e, consequentemente, do número de estudantes,
bem como pelas dispensas de serviço docente para a obtenção do grau de doutor, as duas escolas – a ESG
desde 1996 e a EST desde 2004 – têm admitido, anualmente, novos docentes nas áreas científicas que
ministram.
O quadro 51 resume a evolução do número de docentes ao longo do tempo.
Quadro 51 - Evolução do número de docentes e de ETI (Equivalente a Tempo Integral)
Ano Lectivo
ESG
EST
96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10
10/11
11/12
Nº Docentes
9
18
28
43
52
66
74
103
82
78
81
77
65
80*
100
102
Nº ETI
4,3
11,9
19,8
32,9
40,5
51,5
60,4
78,7
59,8
63,6
66,4
65,6
55,4
65,6
74,5
73,8
Nº Docentes
--
--
--
--
--
--
--
--
17
28
34
41
45
60
79
84
Nº ETI
--
--
--
--
--
--
--
--
12,9
19,6
26
31,8
41,3
49
58,1
59,4
Numa análise por Escola, o corpo docente da ESG, em 2011, constitui-se por 102 docentes a que
correspondem 73,8 ETI, e na EST por 84 docentes a que correspondem 59,4 ETI, distribuídos da seguinte
forma pelos respectivos Departamentos:
Quadro 52 - Número de ETI por departamento
DEPARTAMENTOS
ETI
Contabilidade e Fiscalidade
22,6
Direito
19,6
Gestão
31,6
Ciências
10,4
Design
25,3
Tecnologias
23,7
TOTAL
133,2
Nos dirigentes do IPCA incluem-se cinco docentes (5 ETI) que em regime de comissão de serviço
ocupam os cargos de vice-presidente e diretor de Escola.
71
SECÇÃO IV RECURSOS
Figura 5 - N.º de docentes por departamentos
1.1.2. Formação Académica do Pessoal Docente
Conforme já foi referido e atendendo à reforma do regime jurídico das instituições de ensino superior,
o IPCA apoia a valorização e as actividades dos seus docentes e investigadores na sua formação
académica. Em 2011 a formação académica do corpo docente do IPCA distribuía-se conforme o quadro
53.
Quadro 53 - Formação académica dos docentes em 2011
DEPARTAMENTO
Licenciados
Mestres
Especialistas
Doutores
Contabilidade e Fiscalidade
22
4
1
7
Direito
9
12
2
3
Gestão
10
22
1
9
Ciências
1
11
0
4
Design
3
29
0
3
Tecnologias
6
17
0
10
TOTAL
51
95
4
36
O quadro 54 apresenta a distribuição do corpo docente por formação académica e o regime em que o
docente presta serviço na ESG e na EST (em tempo integral/tempo parcial).
72
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadr0 54 - Regime do serviço docente/habilitações Académicas
Serviço Docente
Qualificação Académica
Tempo Integral
Tempo Parcial
Totais
30
6
36
Doutoramento
Especialistas
2
2
4
Mestrado
47
48
95
Licenciatura
10
41
51
Totais
89
97
186
Assim, no computo geral do IPCA, o corpo docente é constituído por 186 docentes, distribuídos pelas
seguintes categorias e regime:
Quadro 55 - Docentes em serviço no IPCA, por categoria e vínculo
Professor
Coordenador
Professor
Coordenador
Convidado
Professor
Adjunto
Professor
Adjunto
Convidado
Assistente
Assistente
Convidado
Tempo Integral com Excl.
3
0
27
0
0
44
Tempo Integral sem Excl.
0
0
1
6
0
8
Tempo Parcial 60%
0
0
0
1
0
0
Tempo Parcial 50%
0
0
0
2
0
67
Tempo Parcial 40%
0
0
0
0
0
10
Tempo Parcial 30%
0
0
0
1
0
16
Total por categoria
3
0
28
10
0
140
Figura 6 - % de docentes por categoria no IPCA, em 2011
73
SECÇÃO IV RECURSOS
Quadr0 56 - Docentes em serviço no IPCA, por grau e regime
Doutoramento
Especialistas
Mestrado
Licenciatura
Tempo Integral com Excl.
24
0
44
6
Tempo Integral sem Excl.
6
2
3
4
Tempo Parcial 60%
0
0
1
0
Tempo Parcial 50%
3
1
39
26
Tempo Parcial 40%
0
0
2
8
Tempo Parcial 30%
3
1
8
5
36
4
97
49
Total
1.1.3. Avaliação de Desempenho
Na decorrência da alteração ao Estatuto da Carreira Docente do Ensino Politécnico, ficou consignada
a regulamentação da avaliação de desempenho do pessoal docente, como consta do artigo 35.º-A do
referido estatuto, na redação do decreto-lei n.º 205/2009, de 31 de Agosto.
Em 2010, a Comissão Instaladora, reunida a 8 de Julho, aprovou o Regulamento da Avaliação de
Desempenho dos Docentes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (RADD), o qual foi publicado
em Diário da República, 2.ª série, através do Despacho n.º 11 965/2010, de 23 de Julho.
Em 2011, o Conselho Coordenador de Avaliação (CCA), um dos órgãos que intervém no processo de
avaliação de desempenho dos docentes, e a quem compete avaliar, procedeu à avaliação de desempenho
a vários docentes da ESG e da EST. Foram realizadas avaliações em Fevereiro, Março, Julho, e Setembro,
tendo os resultados destas avaliações sido já homologados pelo Sr. Presidente do IPCA e comunicados
aos docentes. Foram avaliados 75 docentes em 2011, aproximadamente metade dos quais de cada escola,
e sendo a grande maioria docentes a tempo parcial.
A 22 de Junho de 2011, foi nomeado como Presidente do CCA o Prof. Doutor Ricardo Simões, em
substituição do Presidente anterior, Prof. Doutor Pedro Nunes.
1.2 Pessoal Não Docente
1.2.1. Composição do corpo de pessoal não docente
O IPCA, ao nível do seu pessoal não docente, tem ocupados 41 postos de trabalho, distribuídos pelas
diversas unidades orgânicas: Serviços Centrais, ESG, EST e Serviços de Acção Social.
O quadro 57 apresenta o número de trabalhadores não docentes do IPCA, distribuídos pelas unidades
orgânicas e respectivos serviços.
74
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 57 - Distribuição do pessoal não docente
UNIDADES ORGÂNICAS
SERVIÇOS
Serviços Centrais
ESG
EST
NÚMERO
Serviços Financeiros
4
Serviços de Recursos Humanos
3
Serviços de Recepção e Expediente
1
Serviços de Apoio à Presidência
1
Serviços de Manutenção
1
Serviço de Aquisições
1
Serviços Académicos
4
Biblioteca
3
Gabinete de Auditoria
1
Gabinete de Comunicação e Imagem
1
Gabinete de Programação e Desenvolvimento
1
Gabinete da Qualidade
1
Gabinete das Relações Internacionais
1
Centro de Informática
2
Serviços Administrativos
6
Gabinete de Simulação Empresarial
1
Serviços Administrativos
5
Apoio aos Laboratórios
1
Serviços Acção Social
3
TOTAL
41
Em termos de género, o pessoal não docente é composto por 16 homens e 25 mulheres. A sua distribuição
por carreira profissional e género corresponde ao quadro 58.
Quadro 58 - Distribuição do pessoal não docente por carreira profissional e género
TS
SC
AT
AO
CI
TOTAL
H
M
H
M
H
M
H
M
H
M
3
7
3
6
2
1
2
1
10
15
2
SAS
1
1
0
1
--
--
--
--
1
ESG
0
2
2
3
--
--
--
--
2
5
EST
--
1
3
2
--
--
--
--
3
3
TOTAL
4
11
8
12
2
1
2
1
16
25
TS – Técnico Superior; AT – Assistente Técnico; AO – Assistente Operacional; CI – Carreira Informática
1.2.2. Formação Académica do Pessoal não Docente
O pessoal não docente do IPCA possui as seguintes habilitações académicas:
75
SECÇÃO IV RECURSOS
Quadro 59 - Pessoal não docente por categoria e habilitações académicas
4 anos de
Escolaridade
9 anos de
Escolaridade
12 anos de
Escolaridade
Bacharelato
Licenciatura
Mestrado
Assistente Operacional
2
1
0
0
0
0
Assistente Técnico
0
2
12
0
6
0
Técnico Superior
0
0
0
1
12
2
Informática
0
0
0
0
3
0
Outros
0
0
0
0
0
0
TOTAL
2
3
12
1
21
2
Em termos relativos verifica-se que, ao nível das carreiras, predomina a carreira de assistente técnico e,
ao nível das habilitações académicos, prevalece o grau de licenciatura.
No âmbito do Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública (PEPAC), em 2010,
foram celebrados seis contratos de formação em contexto de trabalho que se prolongaram para 2011,
desempenhando os seis estagiários funções nas seguintes áreas de educação:
Quadro 60 - Distribuição dos estagiários PEPAC por áreas de educação
ÁREA DE EDUCAÇÃO
N.º DE ESTAGIÁRIOS PEPAC
Ciências Informáticas
4
Contabilidade e Fiscalidade
1
Desporto
1
Ainda em 2011, exerceram actividades no IPCA, três colaboradores ao abrigo do Programa do Instituto
de Emprego e Formação Profissional Contrato Emprego-Inserção
Em 2011, houve admissão de novos funcionários, com vista à ocupação de um posto de trabalho na
categoria de técnico superior e três postos de trabalho na categoria de assistente técnico, conforme
consta abaixo:
•
•
•
•
Técnico Superior para a área funcional do Gabinete da Qualidade;
Assistente Técnico para a área funcional do Gabinete de Relações Internacionais;
Assistente Técnico para a área funcional do Gabinete de Apoio à Presidência;
Assistente Técnico para a área funcional dos Serviços Administrativos da ESG.
1.2.3. Avaliação de Desempenho
A avaliação do desempenho do pessoal não docente obedece ao estipulado na Lei n.º 66-B/2007,
de 28 de Dezembro, que estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na
Administração Pública, designado de SIADAP.
Em 2011, foi feita a avaliação de desempenho de 2010, tendo sido fixado um calendário para esse efeito,
que contemplava as datas das reuniões do Conselho Coordenador de Avaliação, das reuniões entre
avaliar e avaliado e os prazos para as reclamações e para a decisão sobre as mesmas. Foram avaliados 43
trabalhadores, tendo sido atribuídos 11 Desempenhos relevantes e 32 Desempenho adequado.
Foi ainda iniciado o processo de avaliação de desempenho de 2011, com a contratualização dos
objetivos e a fixação das competências.
76
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
2. Os recursos Patrimoniais / Materiais
2.1 Serviços Centrais
Os Serviços Centrais estão localizados num edifício no centro de Barcelos, onde se encontram os
Serviços da Presidência, a Administração, os Serviços Financeiros, os Serviços Jurídicos, o Serviço de
Recursos Humanos, os Serviços de Recepção e Expediente, o Gabinete de Auditoria e Controlo Interno,
o Gabinete de Comunicação e Imagem e o Serviço de Aquisições. Durante o mês de dezembro de 2011
decorreram obras de requalificação do arquivo e do estacionamento.
2.2 Campus do IPCA
O Campus do IPCA passou a ser uma realidade desde Setembro de 2008, onde funcionam a
Escola Superior de Gestão, a Escola Superior de Tecnologia, os Serviços de Acção Social, os Serviços
Académicos, a Biblioteca, o Centro de Informática, o Gabinete de Programação e Desenvolvimento, o
Gabinete para a Avaliação e Qualidade, o Gabinete de Emprego, Empreendedorismo e Empresas e os
Serviços de Manutenção.
Situado na Freguesia de Vila Frescaínha, o Campus do IPCA está enquadrado na zona oeste da cidade
de Barcelos.
Durante o ano de 2011 o campus foi objecto de seguintes acções:
•
•
•
Abertura de um novo acesso pedonal na parte norte do Campus
Requalificação da rampa de acesso à Escola Superior de Gestão
Execução de um murete de vedação dos limites do campus do IPCA
2.3. Centro de Investigação e Desenvolvimento - Digital Games Lab
Em Julho de 2010 o IPCA submeteu uma candidatura ao Eixo Prioritário I – Competitividade, Inovação
e Conhecimento, do Sistema de Apoio a Infra-estruturas Científicas e Tecnológicas do Programa
Operacional Regional do Norte, tendo em vista a criação de uma infra-estrutura de ciência e tecnologia,
o Digital Games Lab, orientada para a investigação dos desafios científicos, de engenharia e educacionais
associados às tecnologias de informação e comunicação em geral e dos jogos digitais em particular.
No final de 2010, o IPCA foi notificado da decisão da aprovação da candidatura, e em dezembro de 2011
foi terminado o processo de contratação pública para a construção do edifício. A cerimónia de colocação
da primeira pedra teve lugar no dia do IPCA, 19 de dezembro. Assim, prevê-se que, no prazo de dois
anos, ou seja, até ao final de 2013 esteja erguido e a funcionar no Campus do IPCA o novo Edifício do
Centro de Investigação e Desenvolvimento do IPCA, o Digital Games Lab.
O projecto contempla uma despesa de aproximadamente 1.821.000€ para a construção do edifício e
perto de 800.000€ para o seu apetrechamento (equipamento de informática, administrativo e básico).
2.4. Infraestruturas laboratoriais da Escola Superior de Tecnologia
No âmbito das suas atividades lectivas a Escola Superior de Tecnologia tem vindo a reforçar o
apetrechamento dos seus cinco laboratórios de apoio aos cursos de licenciatura e de mestrado oferecidos
pela EST, e que tiveram um papel fundamental em alguns projetos desenvolvidos pelo IPCA.
Laboratório de Audiovisuais
Laboratório de Automação e Robótica
Em 2011 desenvolveu atividades direccionadas quer para a comunidade IPCA quer externa: apoio no
desenvolvimento dos projetos de Final de Curso (Participação no ImagineCup2011 - Projecto FireCoat
e RescueMe); Apoio ao desenvolvimento de projectos multidisciplinares (Participação na Experimenta
design – Projecto BeConnected).
77
SECÇÃO IV RECURSOS
Laboratório de Materiais
Laboratório de Jogos
Durante o ano de 2011, este laboratório foi o suporte a três projetos: “Trouble Solver”;“BodyVenture”
e“Projecto Vitis”. Os projetos “Trouble Solver” e “BodyVenture” destinam-se à participação no evento
Imagine Cup 2012, promovido pela Microsoft. O “Projeto Vitis” destina-se a explorar a utilização da
tecnologia análise de imagem MOWIE, desenvolvida pela empresa EXVA, em aplicações lúdicas de
promoção dos vinhos nacionais.
Laboratório de Electrónica
Em 2011 promoveu as seguintes actividades: Jornadas de Engenharia; Dia dos Laboratórios Abertos;
apoio no desenvolvimento dos Projetos de Final de Curso (participação no Imagine Cup - Projeto
FireCoat e RescueMe); apoio ao desenvolvimento de projetos multidisciplinares e participação na
Experimenta Design - Projeto BeConnected.
3. Recursos informáticos
3.1 Centro de Informática
Durante o presente ano realizou-se um esforço acrescido em prosseguir uma estratégia de reforço e
melhoria dos serviços já oferecidos e em introduzir meios avançados de monitorização da qualidade,
quer das componentes de acesso e de transporte da rede de dados, quer de disponibilidade dos serviços.
De salientar a entrada em produção do [email protected], em colaboração com a Microsoft, um serviço que
permite o acesso às últimas tecnologias de um líder de mercado no que diz respeito a e-mail e a um
conjunto de ferramentas que potenciam o trabalho colaborativo entre toda a comunidade IPCA.
O IPCA adquiriu recentemente uma plataforma informática de Gestão Documental, designada de
iPortalDoc. O arranque do processo de implementação ocorreu no início de Dezembro de 2011 com os
testes, validação e entrada em funcionamento dos Workflows de Correspondência Externa, Serviço de
Recursos Humanos e Serviços Financeiros.
78
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
79
80
Secção V
Ação Social Escolar
1. Enquadramento
A acção social escolar está definida no Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior, no seu
artigo 20.º, que se transcreve:
Acção social escolar e outros apoios educativos
1- Na sua relação com os estudantes, o Estado assegura a existência de
um sistema de acção social escolar que favoreça o acesso ao ensino superior
e a prática de uma frequência bem sucedida, com discriminação positiva dos
estudantes economicamente carenciados com adequado aproveitamento escolar.
2 – A acção social escolar garante que nenhum estudante é excluído do sistema
do ensino superior por incapacidade financeira.
3 – No âmbito do sistema de acção social escolar, o Estado concede apoios
directos e indirectos geridos de forma flexível e descentralizada
4 – São modalidades de apoio social directo:
a) Bolsas de estudo;
b) Auxílio de emergência
5 – São modalidades de apoio social indirecto:
a) Acesso à alimentação e ao alojamento;
b) Acesso a serviços de saúde;
c) Apoio a actividades culturais e desportivas;
d) Acesso a outros apoios educativos.
6 – Na sua relação com os estudantes, o Estado assegura ainda outros apoios,
designadamente:
a) A atribuição de bolsas de estudo de mérito a estudantes com
aproveitamento escolar excepcional;
b) A concessão de apoios a estudantes com necessidades especiais,
designadamente aos portadores de deficiância;
c) A promoção da concretização de um sistema de empréstimos para
autonomização dos estudantes.
Os Serviços de Acção Social do IPCA (SASIPCA) são os serviços que no IPCA asseguram a execução das
políticas de acção social escolar, definidas pelo Governo e pelos órgãos próprios do IPCA, tendo como
objectivo proporcionar as melhores condições de frequência do ensino superior, garantindo condições
de equidade entre todos os estudantes, especialmente para os mais carenciados.
Os SASIPCA funcionam no Edifício da Cantina, situado dentro do Campus do IPCA, e integram os
Serviços Administrativos e os Serviços de Apoio ao Estudante. A partir de 1 de Janeiro de 2011 passaram
a estar dotados de autonomia administrativa e financeira, conforme previsto nos Estatutos do IPCA.
81
SECÇÃO V AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
2. Apoios Prestados em 2011
Em 2011, no âmbito do sistema de acção social escolar, foram concedidos apoios sociais directos e
indirectos nas seguintes modalidades:
APOIO SOCIAL DIRECTO
APOIO SOCIAL INDIRECTO
Bolsas de estudo
Auxílios de emergência
Alimentação
Serviços de Saúde
Apoio a actividades desportivas e culturais
Transporte
Outros apoios educativos
Beneficiaram em 2011 do sistema de acção escolar:
•
Do sistema de apoios directos dos SASIPCA, todos os estudantes economicamente carenciados
que frequentaram cursos oferecidos pelo IPCA;
•
Do sistema de apoios indirectos dos SASIPCA todos os estudantes que frequentaram cursos
oferecidos pelo IPCA.
2.1 Apoios Sociais Directos
2.1.1 Bolsa de Estudo
A bolsa de estudo é uma prestação pecuniária anual concedida aos estudantes mais carenciados para
comparticipação nos encargos com a frequência de um curso ou realização de um estágio profissional de
carácter obrigatório. O seu valor é variável, em função dos rendimentos do agregado familiar.
As regras que disciplinam a atribuição de bolsas de estudo estão consagradas no Regulamento de
Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior, publicado pelo Despacho n.º 12780B/2011, publicado em Diário da República no dia 23 de Setembro.
Em 2011, as candidaturas a bolsa de estudo foram feitas pela internet, através de uma plataforma
informática. Os prazos de candidatura foram estipulados pela DGES e divulgados pelos SASIPCA no seu
sítio da internet e por mensagem enviada a todos os estudantes por correio eletrónico.
A evolução das bolsas de estudo no IPCA, numa perspectiva histórica, tem sido a que se resume nos
quadros seguintes:
Quadr0 61 - Evolução do valor das bolsas de estudo
BOLSA
96/97* 97/98* 98/99* 99/00* 00/01*
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
Mínima
27,53 €
56,56 €
34,20 €
34,80 €
35,70 €
47,53 €
48,80 €
60,00 €
67,50 €
72,50 €
82,50 €
60,00€
Média
84,67 €
129,61 € 119,29 € 124,56 € 88,26 € 142,00 € 153,74 € 148,23 € 163,53 € 152,10 € 159,57 €
29,38 €
30,58 €
31,82 €
201,81€
206,55 € 207,13 € 185,06€
**
Máxima 155,55 € 266,21 € 277,18 € 291,70 € 298,88 € 316,19 € 331,70 € 416,40 € 405,53 € 349,70 € 385,40 € 497,10 € 435,70 € 524,60 € 568,20€
* Os anos de 1996/97 até 2000/01 foram convertidos em euros
** Valor de Julho de 2008.
82
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Quadro 62 - Evolução do número de boldas de estudo
Ano lectivo
Nº de Bolseiros
Nº de Bolseiros/Nº
Estudantes
38
29
39%
76%
91
80
41%
88%
Nº de Estudantes*
Nº Candidatos
96/97
74
97/98
196
Nº de Bolseiros/Nº
de candidatos
98/99
382
224
183
48%
82%
99/00
648
308
247
38%
80%
69%
00/01
856
364
250
29%
01/02
1098
384
286
26%
74%
02/03
1277
430
316
25%
73%
03/04
1399
485
372
27%
77%
04/05
1449
547
447
31%
82%
05/06
1464
620
496
34%
80%
80%
06/07
1539
733
583
38%
07/08
1974
962
740
37%
77%
08/09
2411
1170
789
33%
67%
09/10
2989
1407
1082
36%
77%
10/11
3687
1633
1086
29%
67%
* Estudantes de licenciatura, mestrado e cursos de especialização tecnológica
Figura 7 - Evolução n.º de candidatos e n.º de bolseiros
Relativamente ao ano lectivo 2011/2012, foram submetidas 1.316 candidaturas, que, desde o início do
mês de Novembro, estão a ser analisadas por uma equipa de técnicos dos SASIPCA.
Sessões de Esclarecimento
Com o objectivo de esclarecer os estudantes sobre o processo de bolsas de estudo e responder às dúvidas
por estes colocadas, os SASIPCA realizaram no dia 25 de Outubro duas sessões de esclarecimento, uma
às 14h30 dirigida aos estudantes dos cursos em regime diurno e outras às 17h30 dirigida aos estudantes
do regime pós-laboral
83
SECÇÃO V AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
2.1.2 Auxílios de Emergência
Os auxílios de emergência são considerados igualmente apoios sociais directos, podendo ser atribuídos
face a situações económicas especialmente graves que ocorram durante o ano lectivo e que não sejam
enquadráveis no âmbito do processo normal de atribuição de bolsas de estudo.
Em 2011 foram atribuídos cinco auxílios de emergência. Essa atribuição teve como objectivo fazer
face a situações excepcionais, de graves carências económicas, permitindo que os estudantes não
abandonassem o ensino superior, permanecendo no IPCA para a frequência do curso.
2.2 Apoios Sociais Indirectos
2.2.1 Alimentação
O IPCA dispõe de espaços de alimentação, localizados no Campus do IPCA, tendo estado em
funcionamento, durante o ano de 2011, as seguintes unidades: 1 cantina, 1 restaurante e 3 bares.
Nos termos do n.º 4 do artigo 65.º dos Estatutos do IPCA, durante o ano de 2011, os serviços de
alimentação foram concessionados a entidades externas, com a obrigatoriedade de cumprimento
rigoroso de um caderno de encargos, com o objectivo da satisfação dos utentes da cantina, bem como o
cumprimento de todas as normas de higiene e segurança inerente ao funcionamento de serviços desta
natureza.
Cantina
A Cantina do IPCA funciona em edifício próprio, com 272 lugares sentados, de 2.ª a 6ª feira, para
almoços e jantares e aos Sábados para almoços.
Durante todo ano de 2011, para os estudantes do IPCA, a refeição teve o valor de 2,40€.
De Janeiro a Novembro de 2011 foram servidas as seguintes refeições na Cantina do IPCA:
Jan
Fev
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Set
Out
Nov*
3370
2854
8583
4140
5466
2210
524
-
3320
8699
3428
* Até dia 17 de Novembro
Ainda em 2011, a partir do dia 28 de Novembro, foi disponibilizada a opção pela aquisição de refeições
embaladas, pelo valor de 2,40€, possibilitando aos utentes, poder optar entre as refeições empratadas
ou refeições embaladas, com a faculdade de serem consumidas noutro sítio que não a sala de refeitório
da cantina.
O espaço do refeitório, fora do horário de refeições, foi utilizado para sala de convívio e estudo em
grupo.
Restaurante
No Restaurante do IPCA são servidas refeições a grupos, mediante marcação prévia, e com uma
ementa escolhida para a ocasião.
Ainda em 2011 prevê-se a instalação de equipamento buffet, direccionando ainda mais esta unidade
alimentar para almoços e jantares, de convívio ou trabalho, entre estudantes, docentes e funcionários,
bem como para apoio a congressos, seminários ou outras actividades de extensão pedagógica.
84
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
Bares
No início de 2011, existiam no Campus do IPCA dois bares: um no Edifício da Cantina e um no Edifício
da Escola Superior de Gestão. No dia 12 de Outubro entrou em funcionamento o Bar da Escola Superior
de Tecnologia, passando assim a Comunidade Académica a dispor de três espaços onde têm acesso ao
serviço de cafetaria, pastelaria e snacks, a preços sociais.
2.2.2 Alojamento
Dado que os SASIPCA não possuem residência para estudantes, disponibilizaram em 2011, em
colaboração com a Associação de Estudantes do IPCA, informação sobre alojamentos privados
disponíveis nas zonas limítrofes às suas instalações, sendo o elo de ligação entre senhorios/imobiliárias
e os estudantes. Os alojamentos disponibilizados obedeciam a requisitos considerados essenciais para
garantir o bem-estar dos estudantes.
Em 2011, sobre a residência de estudantes, foram efectuados esforços para a autorização por parte dos
Ministérios da Educação e das Finanças para a abertura de procedimento de concurso público para a
concessão de empreitada de obra pública, que incluirá a concepção do edifício, a execução e a respectiva
exploração da residência. Aguarda-se uma resposta ao referido pedido.
2.2.3 Serviços de Saúde
Consultas de Clínica Geral do Serviço Nacional de Saúde
Ao abrigo de um protocolo celebrado entre o IPCA e o Centro de Saúde de Barcelos, foram, ao longo de
2011, proporcionadas condições favoráveis, a toda a Comunidade Académica, no acesso a cuidados de
saúde prestados por esse Centro. Todas as segundas-feiras, entre as 16h e as 20h, qualquer elemento da
comunidade IPCA pôde usufruir de consultas de clínica geral, mediante marcação prévia nos SASIPCA.
O valor das consultas correspondeu ao valor das taxas moderadoras, estipulado legalmente, a nível
nacional.
Durante o ano de 2011 foram marcadas aproximadamente 25 consultas através deste serviço.
Consultas de Psicologia
No ano de 2011 foram realizadas gratuitamente consultas de psicologia, de modo a promover o bemestar psíquico e relacional dos estudantes, docentes e funcionários. Os serviços disponibilizados por este
gabinete, através do contrato com uma psicóloga, abrangeram, sobretudo, o apoio psicológico e o apoio
psicopedagógico.
No 2.º semestre do ano lectivo 2010/2011, entre 15 de Abril a 15 de Julho, às terças feiras e quintas feiras,
foram realizadas 60 consultas, originadas por diversas problemáticas, sendo elas, pessoais, profissionais
e relacionadas com deficitários métodos de estudo.
Para além das consultas presenciais, foi também realizado atendimento por mail aos estudantes.
Outras Iniciativas
•
No dia 17 de Maio, através de uma parceria estabelecida entre o IPCA e a Delegação de Barcelos
da Cruz Vermelha Portuguesa, foram realizados rastreios de saúde gratuitos a toda a Comunidade
Académica do IPCA.
•
No dia 17 de Novembro, os SASIPCA assinalaram o Dia Mundial do Não-Fumador, divulgando a
existência de consultas de “cessação tabágica” nos Centros de Saúde de Barcelos e de Barcelinhos,
disponíveis para a Comunidade IPCA, através da parceria entre as duas instituições;
•
Os SASIPCA, em colaboração com a Associação de Estudantes (AEIPCA), assinalaram o Dia
Mundial de Luta Contra a Sida, que se comemorou no dia 1 de Dezembro, promovendo uma
campanha de sensibilização.
85
SECÇÃO V AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
2.2.4 Apoio a Actividades Desportivas e Culturais
Nesta vertente, os SASIPCA actuaram, fundamentalmente, em colaboração com a Associação de
Estudantes do IPCA e demais Grupos Académicos (Tuna Académica, Tuna Feminina, Grupo de Fados
e Coro Académico), promovendo o desenvolvimento de actividades de carácter cultural e desportivo.
Desporto
O IPCA não dispõe de uma infra-estrutura própria para o desenvolvimento de actividades desportivas,
pelo que, no ano de 2011 houve apenas o apoio financeiro a algumas iniciativas, desenvolvidas em
colaboração com a AEIPCA.
Assim, em 2011, o IPCA apoiou as seguintes iniciativas:
•
uma equipa de futsal masculino, que participou no Campeonato Distrital da 1.ª Divisão (AF Braga).
•
realização de unidades de treino com uma equipa de futsal feminino
•
realização de jogos e unidades de treino com uma equipa de bilhar masculino.
Ainda nesta área, foi celebrado um protocolo com a associação de matraquilhos de Braga, para a
instalação de uma mesa de matraquilhos, ficando sob a responsabilidade da AEIPCA.
Outras actividades
Os SASIPCA procuram ainda promover a prática da responsabilidade social do estudante na sociedade,
através da promoção do voluntariado e da intervenção social e cultural.
Neste âmbito, em 2011, foram desenvolvidas as seguintes actividades:
•
No dia 16 de Maio, o promoveu-se, no Campus do IPCA, a realização do Registo Português de
Dadores de Medula Óssea, com a colaboração do Centro de Histocompatibilidade do Norte;
•
No dia 2 de Junho, decorreu, no âmbito do projecto IPCA Solidário, uma recolha de sangue pela
Brigada do Instituto Português de Sangue (IPS);
•
Procedeu-se à recolha de tampas de plástico no Campus, destinadas a apoiar um membro da
Comunidade Académica;
•
No dia 30 de Setembro os SASIPCA em colaboração com a Delegação de Barcelos da Cruz
Vermelha Portuguesa, promoveram um Fórum designado “Descobre o Voluntário que há em Ti”,
com o objectivo de incentivar a Comunidade Académica para a prática do voluntariado;
•
No dia 21 de Novembro deu-se início a uma campanha de solidariedade, com o objectivo de
recolher bens a reverter a favor de uma instituição de solidariedade social destinada a acolher
86
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
crianças institucionalizadas.
•
Os estudantes do 2.º ano do curso de Gestão de Actividades Turísticas, em colaboração com os
SASIPCA, promoveram em Dezembro uma de campanha de recolha de material escolar para uma
escola portuguesa num dos bairros de lata mais pobres de Nairobi, no Quénia.
2.2.5 Transporte
A partir de 1 de Março de 2011, devido à falta de transportes urbanos em Barcelos e uma vez que o
Campus do IPCA se encontra fora do centro desta cidade, o IPCA disponibilizou, a título gratuito,
o transporte regular entre a Estação de Caminhos de Ferro (CP) e o Campus do IPCA, passando em
algumas viagens pela freguesia de Arcozelo.
Desde essa data, foram feitas diariamente 9 viagens: 5 com o percurso CP – Campus e 4 com o percurso
Campus – CP. Este serviço foi interrompido durante o mês de Agosto.
Durante o mês de Outubro foi passado um inquérito à Comunidade Académica para aferir o interesse
de haver um transporte coletivo que assegure viagens directas de ida e volta entre algumas cidades e
Barcelos, nomeadamente, Braga-Barcelos. Em 2012 prevê-se a abertura de um procedimento para a
celebração de um contrato de prestação de serviços com uma empresa de transporte, que assegure o
percurso Braga-Barcelos.
2.2.6 Outros Apoios Educativos
Prémios de Mérito
Em 2011, os SASIPCA convidaram empresas e instituições da região, públicas ou privadas,
preferencialmente com ligações ao IPCA, a associarem-se à iniciativa de distinguir os estudantes com
classificações mais altas de todos os cursos de licenciatura, através da atribuição de “Prémios de Mérito”.
Os prémios são pecuniários e são acompanhados de um diploma de distinção. A entrega dos prémios de
mérito teve lugar na sessão solene do Dia do IPCA, que se comemora no dia 19 de Dezembro de 2011.
Protocolos
Com o objectivo de serem obtidas vantagens/descontos para a Comunidade Académica do IPCA, os
SASIPCA estabelecem protocolos com várias entidades externas, preferencialmente, nas suas áreas de
intervenção. Desta forma, criam-se sinergias entre o IPCA e as entidades da região, com interesse para
ambas as partes directamente envolvidas e que se reflectem positivamente para toda a comunidade
Barcelense.
3. Recursos Disponíveis
Os SASIPCA passaram, desde o dia 1 de Janeiro de 2011, a ser uma unidade dotada de autonomia
administrativa e financeira, conforme previsto no n.º 1 do artigo 65.º dos Estatutos do IPCA.
Tendo em vista a racionalização dos recursos humanos e financeiros disponíveis, os SASIPCA durante
o ano de 2011 partilharam serviços do Instituto, nomeadamente na área financeira, recursos humanos,
aprovisionamento e assessoria jurídica, funcionando de uma forma integrada com os restantes serviços
do IPCA.
87
SECÇÃO V AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
3.1 Humanos
Os SASIPCA são coordenados por um dirigente, equiparado ao cargo de Director de Serviços, com
atribuições e competências delegadas pelo Presidente do IPCA.
Os SASIPCA dispõem de uma equipa que assegura o seu funcionamento e suporta as actividades
desenvolvidas.
No final de 2011, o pessoal afecto aos SASIPCA é composto pelos seguintes elementos:
CARGO/CARREIRA
N.º de Elementos
Dirigente
1
Técnico Superior
2
Assistente Técnico
1
TOTAL
4
3.2 Informátic0s
Ao nível dos recursos informáticos, os SASIPCA, para a execução das suas actividades, tiveram no ano
de 2011, o auxílio, fundamentalmente, de duas plataformas informáticas:
•
A Plataforma Informática da Direcção Geral do Ensino Superior (SICABE) que serve de suporte
à candidatura e análise das bolsas de estudo do ensino superior, integrando três sistemas: uma
interface com o IPCA, uma interface com os candidatos a bolsas de estudo e uma interface de
análise de candidaturas a bolsas de estudo.
•
A Plataforma WOC que permite a aquisição de senhas de refeição, dando a hipótese aos utentes
de procederem a esta operação de qualquer ponto, desde tenham um computador com acesso à
internet.
88
RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011
89
90

Documentos relacionados