relatório anual 2013

Сomentários

Transcrição

relatório anual 2013
RELATÓRIO
ANUAL
2013
ÍNDICE
.1
.2
MENSAGEM DA PRESIDENTE
CONSELHO DE CURADORES E CONSELHO DE ÉTICA
.3
CENTRO CLÍNICO CHAMPALIMAUD (CCC)
Estrutura e organização
Serviços
Acordos e convenções
Planos de desenvolvimento
Reuniões Científicas
Atividade de Ensino e Formação Avançada
Publicações inseridas no PubMed
.4
.5
3
10
13
PROGRAMA CHAMPALIMAUD DE NEUROCIÊNCIAS (CNP)
Panorama Geral da Investigação
Grupos de investigação associados ao CNP
Publicações
Financiamento
Conselho Científico
Estudos de pós-graduação
Eventos
Comunicação científica e sensibilização
Crescimento e diversidade do CNP
43
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS
Gabinete para Programas Financiados
51
.6 PROGRAMA EDUCATIVO
Programas de Formação e Estudos de pós-graduação
Atividades com estudantes e professores
Os nossos encontros com a comunidade científica
Programa Champimóvel
.7 PRÉMIO ANTÓNIO CHAMPALIMAUD DE VISÃO
Reunião do Júri e seleção dos premiados
Cerimónia
Preparação do Prémio 2014
2013 ARVO/Champalimaud Award Lecture
Programa “Developing Country Eye Researcher Travel Fellowships”
62
71
.8
REDE C-TRACER
C-TRACER 1 (Índia)
C-TRACER 2 (Portugal)
C-TRACER 3 (Brasil)
.9
.10
.11
.12
82
PARCERIAS
90
COMUNICAÇÃO
Visitas ao Centro
Visitas ao estrangeiro
Nos media
Espaços
93
GESTÃO DO PATRIMÓNIO FINANCEIRO E CONTAS
104
ANEXOS
108
Fotos
Rosa Reis ©
Rui Ochôa ©
MENSAGEM
DA PRESIDENTE
.1
O facto mais significativo na vida da Fundação
Champalimaud no ano de 2013 traduziu-se no já
pleno funcionamento do Centro Champalimaud.
Por essa via, o principal projeto que delineámos
pode ser considerado como tendo entrado em
velocidade de cruzeiro.
Velocidade de cruzeiro não significa, no entanto,
qualquer abrandamento de atividade. Pelo
contrário: o próprio funcionamento do Centro
desenrola-se a um ritmo, e com uma exigência,
que mantêm os nossos sentidos continuamente
despertos e as nossas energias permanentemente
em exercício. Como desde o princípio, a Fundação
é uma entidade inacomodável, que nasceu para
questionar a “forma como se fazem as coisas” e
para desbravar novos caminhos.
Particularmente importante para a Fundação foi
também que o Centro Clínico Champalimaud
(CCC) se juntou ao Programa Champalimaud
de Neurociências (CNP) no reconhecimento
e na reputação de que goza em Portugal
e no estrangeiro.
Referirei, em seguida, e em jeito de balanço,
os programas de cancro e de neurociências,
os progressos nos esforços de, em ambos os
casos, garantir a realidade de uma metodologia
translacional e de mútua capacidade de diálogo,
bem como o desenvolvimento de plataformas
científicas e tecnológicas que alimentam as
atividades dos vários setores e estabelecem
pontos de contacto e de colaboração mútua.
O programa de cancro nasceu sobretudo na
sua dimensão clínica, e é sobre os seus pontos
fortes que tem vindo a formar-se a dimensão
científica – e tecnológica – que desde o princípio
constitui objetivo da Fundação. De forma diversa,
o programa de neurociências (CNP) desenvolveu-se sobretudo como de caráter fundamental,
e a sua translação começou a ocorrer através
da montagem de um braço clínico, constituído
a partir, e em ligação com, os laboratórios de
investigação.
A clínica de cancro conheceu um desenvolvimento
muito expressivo, do qual este relatório dá
minuciosa conta. Foram constituídas novas
unidades de patologia, desenvolveram-se muito
os serviços de caráter transversal e o número
de utilizadores cresceu exponencialmente.
Mas, sobretudo, a atividade de ensaios clínicos
começou a ter expressão, as unidades de
patologia foram organizadas e fortalecidas,
reuniões multidisciplinares em cada unidade
passaram a anteceder qualquer terapêutica,
cresceu a nossa rede de acordos e somos
agora um ator não contestado na prestação de
cuidados oncológicos de alta qualidade. É a base
que desde o início elegemos como necessária
para o desenvolvimento de investigação científica
e tecnológica fortemente orientada para a
Fotografia 1.
Conselho de Administração
da Fundação Champalimaud
Leonor Beleza, Presidente - João Silveira Botelho
e António Horta Osório, Administradores
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
4
MENSAGEM
DA PRESIDENTE
.1
prevenção e o tratamento de doenças na área do
cancro. Convém de facto sempre recordar que
prestamos cuidados de saúde para poder inovar
nessa prestação e encontrar formas mais eficazes
de evitar sofrimento.
Cabe aqui uma palavra em relação a cada um dos
três mais relevantes instrumentos terapêuticos na
área oncológica.
Em primeiro lugar, refiro a radioterapia. Temos
sólidas razões para acreditar que esta ferramenta
clínica está a aumentar a sua importância relativa,
largamente em resultado da muito maior precisão
das capacidades da imagem e da existência
de máquinas que conseguem maximizar as
vantagens daí decorrentes. A Fundação dispõe,
a nível sobretudo de meios humanos de raríssima
qualidade e também de equipamento de última
geração, das condições que a colocam hoje, já,
na absoluta vanguarda dos cuidados prestados
em qualquer lugar do Mundo. Assumimos um
papel liderante nos esforços de inovação e de
criação de técnicas a nível dos tratamentos
prestados, tal como assumimos um papel
liderante a nível da modificação substancial
do lugar da radioterapia no futuro. Essa dupla
liderança já resulta bem clara na existência
na Fundação de uma escola desenvolvida
em comum com a Varian Medical Systems
onde é ministrada formação de ponta a radio
oncologistas e a físicos de todo o Mundo, bem
como no desenvolvimento de uma parceria
com a referida empresa nos domínios clínico,
científico e tecnológico.
A quimioterapia é objeto de uma atenção única
na Fundação. As condições em que é ministrada
ilustram bem a centralidade da atenção ao
doente em todo o nosso trabalho, garantindo-lhe
um ambiente de paz, de privacidade e de
desenvolvimento da sua vida normal nos limites
do possível, num contexto de doença. O facto
de poderem escolher que o tratamento lhes
seja ministrado num jardim traduz o caráter
verdadeiramente único das condições do nosso
hospital de dia.
Quanto ao outro meio terapêutico mais relevante,
a cirurgia, está em curso a nossa participação,
e nalguns casos a nossa liderança, no esforço
de a tornar tão minimamente invasiva e mutilante
quanto possível ou, se tal for viável, no esforço
de pura e simplesmente a evitar.
Dotámo-nos, para o efeito, da colaboração de
líderes mundiais nestes esforços, e empenhamo-nos profundamente na formação das nossas
equipas cirúrgicas.
Desde o princípio da nossa atividade clínica,
decidimos, na sequência da própria escolha de
que a exerceríamos sob nossa responsabilidade,
que o faríamos também da forma o mais
possível independente de outros prestadores
de cuidados. Numa primeira fase, no entanto,
tivemos necessidade, e ainda temos, de em
áreas muito relevantes recorrer a serviços ou/e a
instalações no exterior. Esforços desenvolvidos
no ano de 2013 permitiram-nos dispor da nossa
própria patologia, o que é já uma realidade, nas
componentes clínica e molecular, bem como
de um banco de tumores que está em pleno
desenvolvimento. Por outro lado, está pronta uma
sala de cirurgia ambulatória e uma área de recobro
que permitirão realizar nas nossas instalações
uma série de atos que até agora realizávamos
no exterior e que, acrescidas de uma sala de
técnicas, dotam a nossa Fundação de condições
ótimas para a prática desses tratamentos.
Fica a faltar, quanto ao essencial, a independência
na prática de cirurgia que exige internamento,
bem como a possibilidade de garantirmos, por
nós, o internamento quando necessário, com
ou sem cirurgia. A preparação desta fase está
em curso. Quando estiver completada, teremos
capacidade de abordar o cancro desde o rastreio
ao diagnóstico precoce, desde os vários tipos
de tratamento em ambulatório ao internamento e
aos cuidados em casa, que já garantimos, numa
abordagem integral, e nos termos próprios da
nossa cultura. E isso acontecerá sempre numa
perspetiva de criação, e de garantia, do que de
mais eficaz e respeitador da pessoa possa ser
realizado em cada momento.
Igualmente relevante para a abordagem do cancro
e das neurociências, parece-me oportuno referir
aqui que o desenvolvimento de recursos de
imagem, já incidentalmente mencionada acima
como decisiva na prestação de cuidados, como
também o é na investigação. A Fundação dispõe
já de meios muito importantes neste domínio, quer
ao nível micro, como da macro imagem, e tanto
no domínio clínico, como no pré clínico. Dispõe
também, já, de recursos humanos de grande
qualidade em todas estas áreas. Consideramos
nosso desígnio estratégico o desenvolvimento
combinado, já em marcha, de todos estes
recursos, de uma forma transversal entre a clínica
e a investigação, e entre a área oncológica
e a de neurociências.
Quanto a esta última área, as neurociências,
devo dizer que nos enche de orgulho o patamar
alcançado. Richard Axel, Prémio Nobel da
Medicina ou Fisiologia, que nos visitou no ano
passado por ocasião do seminário anual do
Programa Champalimaud de Neurociências, disse
que o CNP tinha alterado substancialmente a
paisagem das neurociências na Europa.
No ano de 2013 não houve propriamente um
crescimento do Programa, mas antes um
fortalecimento, e foi muito visível já o seu impacto
no meio científico.
Um dos momentos mais importantes traduziu-se
na inclusão de Zach Mainen e Rui Costa no
Human Brain Project, um dos dois grandes
“flagship projects” de investigação científica da
União Europeia. Abrange mais de 80 instituições
de investigação nos países membros ou afiliados
e constitui uma gigantesca operação destinada
à compreensão do cérebro humano, que se
prolongará por dez anos e será dotada de cerca
de mil milhões de euros. O respetivo responsável
principal, Henry Markram, esteve em junho de
2013 na Fundação, numa ação da FCT e nossa,
de divulgação e discussão do Projeto para a
comunidade científica portuguesa.
Os investigadores do Programa publicaram
28 artigos em revistas científicas, muitos deles
em revistas de grande impacto, como vem
descrito adiante.
Em 2013, os investigadores principais receberam
21 bolsas exteriores à Fundação. Leopoldo
Petreanu recebeu uma bolsa do Human Frontiers
Science Program, Marta Moita a bolsa inicial,
e muito prestigiada, do European Research
Council (a quarta bolsa ERC para investigadores
da Fundação). No total, os investigadores da
Fundação já obtiveram mais de 12 milhões de
euros em financiamento externo, o que nos
permite aproximar-nos do nosso objetivo.
Foi lançada no ano de 2013, pelas sociedades
europeias de neurociências, e pela IBRO
(International Research Brain Organisation),
a ideia da criação de uma escola europeia
de neurociências de alto nível, a que nos
candidatámos. Vamos assim passar a organizar,
a partir de 2015, cursos regulares destinados a
grupos de alunos de toda a Europa que querem
adquirir, ou aperfeiçoar, uma adiantada formação
nesta área.
Prosseguem, no âmbito do CNP, o programa
de doutoramento (INDP), agora já na sua oitava
edição, e que recebe candidaturas de todo
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
6
MENSAGEM
DA PRESIDENTE
.1
o Mundo, o simpósio anual, com a presença
de reputados cientistas internacionais, a série
de iniciativas AR, que divulgam a ciência no
contexto de um público muito heterogéneo e
ações de divulgação de ciência e da Fundação
Champalimaud a jovens alunos das nossas
escolas.
O ano de 2013 assistiu também ao reforço das
plataformas científicas e tecnológicas que apoiam
a atividade clínica e científica da Fundação.
É, aliás, nesse contexto que se insere o esforço
acima referido sobre a imagem. A organização
das plataformas liberta cientistas e profissionais
de saúde de tarefas que são essenciais para a
sua atividade, mas que são com maior utilidade
e economia de esforços desempenhadas por
outros profissionais. Quero referir em particular
o gabinete de “grants”, dedicado a facilitar todo
o trabalho de obtenção de financiamentos e de
gestão de propriedade industrial.
O Prémio António Champalimaud de Visão foi
organizado no ano de 2013 na sua vertente que
designamos por humanitária, isto é, destinava-se
a reconhecer organizações que lutam contra a
cegueira no Mundo em desenvolvimento, fazendo
uso dos conhecimentos existentes e alcançando
populações em particular risco.
O Prémio foi partilhado por quatro extraordinárias
organizações não governamentais que, no Nepal,
mobilizaram a sociedade civil e importantes apoios
internacionais, e estão a produzir um “volte-face”
na dramática situação que naquele País
prevalecia, nomeadamente em relação à cegueira
por cataratas. São elas o Nepal Netra Jyoti Sangh
(NNJS), que coordena e executa, desde os
anos 80, um programa nacional de combate às
doenças da visão, o Eastern Regional Eye Care
Programme que, como o nome indica, atua na
área leste do País, o Lumbini Eye Institute, que
desenvolve esforços na região chamada Terai, e
o Tilganga Institute of Ophtalmology, baseado em
Katmandu, e que se dedica também a incursões
oftalmológicas em locais remotos do País e em
vários dos países da área.
Aliás, todas estas organizações recebem
generosamente e tratam cidadãos de outros
países, nomeadamente da Índia. Talvez nos
seja fácil imaginar a extraordinária capacidade
de organização e de entrega de que estas
organizações dão permanentemente prova, quando
sabemos que o Nepal tem características únicas
de interioridade e de perigosidade do terreno.
No dia 4 de setembro, realizou-se uma cerimónia
solene, num ambiente cénico belíssimo, presidida
como sempre pelo Senhor Presidente da
República, para festejar os laureados, e que, como
já vem sendo hábito, constituiu o momento alto de
todo o ano para a Fundação Champalimaud.
De novo no anfiteatro exterior do complexo da
Fundação, aquela foi a altura em que, no contexto
de uma sessão solene de celebração e de um
inspirado espetáculo musical, com o Rio Tejo
e a cidade em pano de fundo, homenageámos
o nosso Fundador e juntámos entidades,
colaboradores e amigos.
Prosseguimos a nossa colaboração com os
C-TRACERs (Champalimaud Translational Centres
for Eye Research), situados em Hyderabad, na
Índia, em Coimbra e em São Paulo, no Brasil.
Com o primeiro, o Prasad Eye Institute, foi em
2013 renovada a nossa colaboração por mais
cinco anos, e manteve-se uma relação muito
intensa e próxima, incluindo com a realização
anual da “Champalimaud Lecture”, momento de
reflexão científica em Hyderabad.
O segundo, a AIBILI, Associação para a
Investigação Biomédica e Inovação em Luz e
Imagem, ligada à Universidade de Coimbra,
que coordena uma rede europeia de ensaios
clínicos, conduz com o Prasad um projeto sobre
biomarcadores de retinopatia diabética que deverá
produzir resultados em 2014.
O Departamento de Oftalmologia da Escola
Paulista de Medicina da Universidade Federal de
São Paulo constitui o terceiro C-TRACER. Em
novembro de 2013, foi inaugurado, no âmbito
deste projeto de colaboração, o Centro de
Oncologia Ocular do Amazonas, em Manaus,
contando também com instituições do Estado da
Amazónia. O Centro está dotado do equipamento
e dos médicos necessários para prestar
assistência, nomeadamente em relação a crianças
que anteriormente não tinham acesso a este tipo
de cuidados.
Prosseguem atividades intensas da Fundação
no domínio da educação, algumas das quais já
foram referidas acima. O Champimóvel, veículo
que se desloca continuamente pelas escolas do
país, promovendo a sensibilização das crianças
e dos jovens para a hipótese e o interesse de
uma carreira científica, continua o seu percurso.
Em 2013, recebeu 27 847 visitas e realizou 1 164
sessões, tendo acolhido cerca de 24 000 crianças
e jovens. Embora se destine essencialmente a
visitar escolas, é permanentemente solicitado para
eventos, ao que acedemos se há muita gente nova,
e é imensamente apreciado também por adultos.
A Fundação é agora procurada com frequência
crescente para a realização de visitas ao nosso
Centro, quer por parte de entidades oficiais,
portuguesas e estrangeiras, quer por parte de
escolas, comunidades e grupos, bem como de
muitos cidadãos. Tentamos corresponder sempre
às solicitações, que temos naturalmente de
acomodar às atividades desenvolvidas no Centro,
e apreciamos muito o interesse que suscitamos, a
que entendemos ser nosso dever corresponder.
O relatório contém naturalmente dados sobre a
situação das contas no ano de 2013. Como se
poderá verificar, cresceram significativamente
as receitas provenientes de atividades próprias
que desenvolvemos, bem como o valor do nosso
património financeiro. O ano salda-se com um
sinal positivo, que resulta dos dados que referi,
mas também do enorme controlo praticado em
relação às despesas, evidenciando em todos os
casos rigorosíssimas práticas de gestão.
No ano de 2013 registámos com muita tristeza o
desaparecimento prematuro de António Borges.
Ex-administrador, era então membro do Conselho
de Curadores. Em qualquer das duas posições,
permitiu à Fundação beneficiar do seu imenso
talento. Exprimo aqui, de novo, o profundo pesar
da Fundação, bem como a sentida falta que nos
faz o colaborador e o amigo.
A todos os que realizaram comigo o percurso de
vida da Fundação durante o ano de 2013, dirijo
uma palavra de profundo reconhecimento.
Ao meu colega João Silveira Botelho, que em
todos os momentos da Fundação desempenha
um papel fundamental na criação e na construção
do projeto, e a todos os membros de órgãos
da Fundação e do júri do Prémio, aos familiares
de António Champalimaud, a todos os nossos
colaboradores e amigos da Fundação, sempre
presentes quando deles precisamos, manifesto a
gratidão da Fundação e a minha própria gratidão.
Todos juntos, continuaremos a construir a
dádiva que António Champalimaud deixou
aos Portugueses.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
8
CONSELHO DE CURADORES
CONSELHO DE ÉTICA
.2
Fotografias
Reuniões de Curadores em 2013
João Lobo Antunes
Presidente do Conselho de Ética da Fundação Champalimaud
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
10
CONSELHO DE CURADORES
CONSELHO DE ÉTICA
.2
Conselho de Curadores
O Conselho de Curadores é um órgão da
Fundação Champalimaud composto por
personalidades de mérito reconhecidas e
com competência em domínios adequados à
preservação e ao desempenho das atividades da
Fundação. Daniel Proença de Carvalho é o seu
Presidente e fazem parte deste Conselho António
Almeida Santos, Fernando Henrique Cardoso,
Simone Veil, António Damásio, António Coutinho,
Pedro Abreu Loureiro, Carlos Eugénio
Corrêa da Silva, António Travassos
e João Raposo Magalhães.
Em 2013, o Conselho reuniu três vezes: a primeira
a 10 de janeiro, seguindo-se outra a 12 de julho
e a terceira a 6 de dezembro. Estas reuniões
centraram-se no desenvolvimento dos Programas
e atividades da Fundação Champalimaud,
com particular ênfase nos desenvolvimentos
do Centro Clínico Champalimaud
Enquanto órgão de aconselhamento e orientação
para assuntos de natureza ética, o Conselho
reuniu com a regularidade necessária para avaliar
e assistir na redação de todos os documentos
destinados à obtenção de consentimento
informado por parte dos doentes para a
realização de atos médicos praticados nos nossos
serviços e também para a doação de material
biológico por parte dos nossos doentes, para fins
de natureza investigacional. O Conselho emitiu
ainda pareceres sobre os diferentes
formulários destinados à apresentação de
projetos de investigação à Comissão de
Investigação Clínica, sejam estes de natureza
observacional ou de intervenção.
O Conselho foi também solicitado a emitir
pareceres sobre os ensaios clínicos em curso no
CCC, em particular sobre os estudos de natureza
observacional, que não requerem a submissão e
análise obrigatória pela Comissão de Ética para a
Investigação Clínica (CEIC).
Conselho de Ética
Fazem parte do Conselho de Ética da Fundação
Champalimaud, João Lobo Antunes, Professor da
Faculdade de Medicina de Lisboa, que preside,
Adelino Dias Cardoso, historiador da Universidade
Nova de Lisboa, Jorge Soares, Professor da
Faculdade de Medicina de Lisboa, José Cunha Vaz,
Professor da Faculdade de Medicina de Coimbra,
António Jacinto, investigador da Faculdade de
Ciências Médicas de Lisboa, Mário Miguel Rosa,
especialista de neurologia e investigação clínica do
Hospital de Santa Maria e Paula Martinho da Silva,
jurista do Instituto de Bioética da Universidade
Católica de Lisboa.
Fotografia 1.
Da esq.ª para a dt.ª: António Horta Osório,
Leonor Beleza, Fernando Henrique Cardoso,
António Coutinho, Carlos Eugénio Corrêa da Silva,
Daniel Proença de Carvalho, João Silveira Botelho,
Pedro Abreu Loureiro e António Travassos
CENTRO CHAMPALIMAUD
.3
Fotografia
Zvi Fuks
Diretor - Champalimaud Centre for the Unknown
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
No Centro Clínico da Fundação Champalimaud
(CCC), cujas atividades se iniciaram em 2011, o
ano de 2013 foi dedicado à consolidação das suas
unidades funcionais e à estruturação de novas
equipas de profissionais, seguindo a definição
estratégica fundamental de se organizar como
um centro de excelência na oncologia clínica,
fortemente vocacionado para o desenvolvimento
de modalidades inovadoras de diagnóstico e
tratamento, para a investigação de transferência
e ainda para a formação profissional avançada
e o trabalho académico”.
Estrutura e organização
As unidades funcionais do CCC são as
Unidades Multidisciplinares de Patologia ou
“Disease Management Teams” (DMT). Em 2012,
foram criadas as DMT referentes às áreas de
Mama, Digestivo, Pulmão e Próstata, tendo o
lançamento das Unidades de Ginecologia e de
Hospitalização Domiciliária sido concretizado
em 2013, ano durante o qual foram reforçados
os Serviços de Patologia, Farmácia, Radiologia
e Medicina Nuclear na área diagnóstica e de
Radioterapia na área de intervenção
terapêutica ambulatória.
Está em fase adiantada de preparação a Unidade
de Cirurgia Ambulatória do CCC, estrutura de
grande interesse pela flexibilidade das suas
instalações na execução de procedimentos
cirúrgicos ambulatórios, de intervenções de
radiologia e técnicas endoscópicas diversificadas,
tanto de natureza diagnóstica como terapêutica,
nas áreas pulmonar, digestiva e genito-urinária.
Esta instalação terá ainda uma área de recobro
adequada a um fluxo de doentes tratados com
condições ímpares de conforto e segurança.
Fotografia 1.
António Parreira - diretor do CCC
Fotografia 2.
Unidade de Cirurgia Ambulatória
em fase preparatória
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
14
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
A componente de assistência a doentes em
regime de internamento continuou durante 2013
a ser assegurada pelas nossas equipas
no Hospital da Cruz Vermelha, em colaboração
efetiva com membros das equipas médicas
e de enfermagem daquela instituição.
Na figura 1 mostram-se os indicadores globais de
atividade clínica, comparados com os de 2012.
Atividade global do Centro Clínico
Atividade global do Centro Clínico
Champalimaud
Champalimaud
20.000
18.000
Reforçaram-se os procedimentos de acolhimento
e apoio aos doentes oncológicos e familiares,
através de particular e permanente atenção
às condições de conforto e comodidade
proporcionadas pelos nossos serviços e instalações.
16.986
15.900
16.000
14.000
12.000
10.000
2013
6.651
6.420
6.000
5.430
4.000
3.479
2.000
Consolidaram-se os acordos com entidades
que suportam despesas em saúde (seguros
de saúde e subsistemas) e reforçaram-se as
parcerias com outras instituições de saúde nas
áreas da Radioterapia e de Radiologia, bem
como no domínio da Medicina Nuclear.
Foi nossa preocupação a de evoluir no
sentido de consolidar o modelo de equipas
multidisciplinares, centradas em pessoal
qualificado a trabalhar em regime de “full-time”,
e mantendo permanente preocupação com
atividades de índole académica e científica.
As reuniões multidisciplinares das diferentes
equipas ocorrem regularmente com ritmo
semanal, incorporando nos planeamentos
diagnósticos e terapêuticos a contribuição
dos diferentes membros das Unidades.
2012
8.665
8.000
963
267
0
Consultas
Exames de
Imagem
Sessões de
Radioterapia
Sessões de
Quimioterapia
545
Cirurgias
O movimento de consultas sofreu grande
aumento, passando de 6 420 consultas realizadas
em 2012 para 16 986 em 2013 (165%), com um
aumento consistente que se projeta já para os
primeiros meses de 2014.
A figura 2 mostra a evolução mensal de consultas
relativas aos anos 2012 e 2013.
Distribuição mensal de consultas realizadas
Consultas
no CCC em 2012
e 2013globais do
Centro Clínico Champalimaud
2.500
2.000
16 986
consultas
realizadas
1.942
1.734
1.714
1.252
1.000
500
1.452
1.450
1.500
0
O movimento clínico global do CCC teve em
2013, um crescimento muito significativo
quando comparado com o registado em 2012,
que se estende a todas as áreas de intervenção.
482
Figura 1.
Atividade global do CCC
nos anos de 2012 e 2013
2.022
Consolidaram-se também algumas
colaborações com especialistas internacionais
de reputação consagrada em áreas
específicas, que reforçam as nossas equipas,
nomeadamente nos setores de Radiologia, da
Patologia, da Cirurgia Digestiva e da Urologia.
308
Internamentos
922
876
284
324
Jan
Fev
1.248
1.372
1.002
809
375
373
Mar
Abr
477
Mai
512
Jun
2012
634
Jul
528
Ago
852
630
622
Set
Out
Nov
Dez
2013
Figura 2.
Distribuição mensal de consultas realizadas
no CCC em 2012 e 2013
A figura 3 é reveladora do peso relativo de cada
uma das DMT quanto ao movimento de consultas.
Distribuição percentual de consultas
por cada DMT
Distribuição de Consultas, por Unidade (%)
Unidade de Mama
4%3%
11%
24%
Unidade de Próstata, Rim
e Vias Urinárias
Unidade de Pulmão
17%
2 374
tratamentos em
Hospital de Dia
Unidade de Digestivo
Unidade de Ginecologia
24%
17%
Unidade de Neuropsiquiatria
Unidade de Fígado,Vias Biliares
e Pancreas
Figura 3.
Distribuição percentual
de consultas por cada DMT
15 900
exames de
diagnóstico por
imagem
9 589
sessões de
tratamento de
radioterapia
545
cirurgias realizadas
482
internamentos
Incrementos da mesma natureza também se
verificaram no número total de exames de
diagnóstico por imagem realizados no CCC - 5 430
em 2012 e 15 900 em 2013, a que corresponde
um incremento de 193%. Este aumento diz
respeito tanto a exames da área da Radiologia
(ultrassonografia, tomografia computadorizada e
ressonância magnética) como nas aplicações de
medicina nuclear (exames cintigráficos e tomografia
por emissão de positrões – PET).
Sendo a organização do laboratório de Patologia
essencial para a concretização dos objetivos
de investigação clínica a desenvolver no CCC,
foi dada particular atenção à identificação de
um especialista de Patologia com experiência
consolidada e reputação internacional em
oncologia, o que se concretizou no final de 2013,
com a nomeação do Professor Antonio Lopez
Beltran (da Universidade de Córdoba, Espanha), o
qual iniciou funções em tempo integral em outubro
de 2013. A ele cabe também a responsabilidade
da organização do Banco de Tumores, plataforma
crucial para o desenvolvimento das áreas de
intervenção do CCC. Durante 2013, o diagnóstico
histopatológico e molecular continuou a ser
assegurado primariamente através da colaboração
externa com o laboratório Althia (Barcelona).
Em 2014, todo o diagnóstico anatomo-patológico
passará a ser assegurado pelo nosso laboratório
de Patologia, incluindo o apoio direto ao bloco
operatório que os nossos cirurgiões possam solicitar
(de particular importância na cirurgia da mama).
No Hospital de Dia foram realizados em 2013,
2 374 tratamentos (847 em 2012). A equipa de
enfermagem do Hospital de Dia cresceu em
paralelo com o movimento semanal de doentes,
com distribuição preferencial de doentes de Mama
em 2 dias da semana e de Pulmão e Digestivo
noutros 2, o que proporciona melhores condições
de tratamento personalizado aos doentes. O apoio
da equipa médica é assegurado pelos especialistas
de oncologia médica das diferentes DMT.
A Radioterapia foi um setor de grande atividade
em 2013, tendo sido registadas 9 589 sessões
de tratamento (7 791 em 2012), apenas com
2 aceleradores lineares, uma vez que o
3o equipamento só entrará em funcionamento
em 2014.
O movimento cirúrgico realizado ao longo do ano no
Hospital da Cruz Vermelha também quase duplicou,
com 545 cirurgias realizadas e 482 internamentos
(104% e 56% de aumento, respetivamente).
A maior parte dos serviços prestados pelo CCC
é desenvolvida nos dois pisos inferiores do
Centro Champalimaud. Sendo um Centro de
prestação de cuidados em ambulatório, as
componentes de prática clínica que requerem
internamento hospitalar (cirurgia e cuidados
intensivos) são asseguradas nas instalações do
Hospital da Cruz Vermelha, onde se situam os
blocos operatórios e as áreas de internamento
utilizadas pelas equipas clínicas do CCC.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
16
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
Disease Management Teams (DMT)
As DMT representam as componentes essenciais
da organização do CCC e caracterizam-se
por equipas multidisciplinares constituídas por
especialistas de diferentes áreas e dedicadas
à patologia de diferentes tipos de cancro,
assegurando a avaliação clínica multidisciplinar
centrada no doente, com individualização dos
planos de ação para cada doente.
Relativamente a 2012, as DMT foram entretanto
alargadas e consolidadas, estando já em
funcionamento regular as seguintes Unidades:
Unidade de Mama
1 168
doentes tratados
569
novos doentes
4
ensaios clínicos
A Unidade de Mama é dirigida pela
Dra. Fátima Cardoso (oncologia médica), sendo
a equipa composta por mais duas oncologistas
médicas (Dras. Berta Sousa e Joana Ribeiro),
3 cirurgiões de mama (Prof. Maria João Cardoso,
coordenadora da área cirúrgica, Drs. David Pinto
e João Gouveia), dois cirurgiões plásticos
(Drs. Carlos Mavioso e João Correia Anacleto),
2 radioterapeutas dedicados ao cancro da mama
(Drs. Lotte Moser e Oriol Parés), 2 radiologistas
especializadas em imagiologia mamária
(Dras. Celeste Alves e Eva Batista), uma patologista
especializada em patologia mamária (Dra. Maria
José Brito), duas enfermeiras especialistas
(enfermeiras Susana Pedro e Leonor Bastos)
e uma coordenadora de ensaios clínicos
(enfermeira Ana Parece).
Todos os casos clínicos são discutidos
semanalmente em reunião multidisciplinar na qual
participam todos os membros da Unidade de
Mama e ainda uma psicóloga clínica especializada
em oncologia (Dra. Luzia Travado) e dois
especialistas em medicina nuclear (Prof. Durval
Costa e Dra. Carla Oliveira). As decisões tomadas
são baseadas nas recomendações internacionais
para a abordagem do cancro da mama,
nomeadamente da ESMO (European Society of
Medical Oncology) e da ABC (Advanced Breast
Cancer Consensus Guidelines).
De janeiro a dezembro de 2013, a atividade clínica
nesta Unidade seguiu a tendência de crescimento
global, com um incremento no número de
consultas realizadas de 111%, correspondendo a
1 168 doentes tratados. O número de consultas
de oncologia médica foi de 2 035, 569 de 1.a vez
e 1 466 subsequentes. O movimento cirúrgico
também sofreu incremento, passando a 2 dias por
semana já no final do ano, tendo sido realizados
um total de 436 atos cirúrgicos, correspondendo
a 164 doentes.
Os tratamentos de radioterapia foram utilizados
em 380 doentes, dos quais 364 receberam
tratamento adjuvante convencional com IMRT
(radioterapia guiada por imagem) em 15 sessões
diárias de tratamento. Nos restantes foram
utilizadas modalidades diferentes de radioterapia,
condicionadas à idade e/ou estado geral das
doentes. Durante o ano foram ainda submetidos a
radioterapia estereotática de lesões metastáticas
cerca de 180 doentes.
Na área do diagnóstico por imagem, a Unidade
de Mama contribuiu também para o crescimento
do CCC, tendo sido realizados 2 306 exames
em 2013, o que contrasta com os 977 efetuados
em 2012.
A atividade de investigação clínica da Unidade
prosseguiu nas linhas já definidas anteriormente,
nomeadamente enquanto membro da EORTC
(European Organization for Research and
Treatment of Cancer) e do IBCSG (International
Breast Cancer Study Group). Foram ativados
Fotografia 1.
Reunião multidisciplinar das DMT
Fotografia 2.
Receção da Unidade de Mama
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
18
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
4 ensaios clínicos em 2013 e 8 estudos adicionais
estão em fase de aprovação. A produção científica
da equipa da Unidade foi muito relevante,
com 51 registos, entre publicações e resumos
apresentados em reuniões internacionais.
Unidade de Pulmão
A Unidade de Pulmão, cuja direção está a cargo
do Dr. Nuno Gil, entrou em funcionamento em
fevereiro de 2012 e foi progressivamente abrindo
as consultas de cirurgia torácica, de oncologia
médica, de pneumologia, de diagnóstico precoce
do cancro do pulmão e de desabituação tabágica.
A equipa médica inclui 2 oncologistas médicos
(Drs. Nuno Gil e Nuno Vau), dois cirurgiões
torácicos (Prof. Jorge Cruz e Dr. Javier Gallego),
e um pneumologista (Dr. Rogério de Matos),
além de contar com a colaboração de um
especialista de radioterapia (Dr. Nuno Pimentel)
e especialistas de imagem (Dr. Luís Rosa
e Prof. Durval Costa).
1 803
consultas
A atividade clínica desta Unidade consolidou-se
no ano de 2013, através de um aumento muito
significativo de doentes referenciados à Unidade,
quer no contexto da procura de segundas
opiniões e orientação terapêutica, quer em casos
suspeitos, para diagnóstico, estadiamento e
tratamento. O número de consultas realizadas foi
muito superior ao do de 2012, com um total de
1 803 (incremento de 164%), das quais 623 foram
consultas de pneumologia, 667 de oncologia
médica e 382 de cirurgia torácica. Foram
realizadas 25 broncofibroscopias diagnósticas.
O movimento cirúrgico da Unidade foi de 89
intervenções correspondente a 63 doentes,
40 dos quais sofriam de cancro do pulmão e
os restantes lesões pulmonares de natureza
metastática. Do total de intervenções, 30 (33%)
foram realizadas por cirurgia minimamente
invasiva (de porta única) e vídeo-assistida.
Unidade de Tumores Digestivos
A organização da Unidade de Tumores Digestivos
tem como base a interação entre equipas
multidisciplinares que se distribuem entre o grupo
dedicado ao cancro colo-retal e o grupo dedicado à
patologia tumoral do fígado, vias biliares e pâncreas.
Neste setor, o trabalho iniciou-se em maio de 2012,
com o lançamento da consulta de gastrenterologia,
a montagem da Unidade de Endoscopia e o início
da reunião multidisciplinar de tumores digestivos.
O seu responsável é o Dr. Carlos Carvalho.
Fotografia 1.
Centro Clínico Champalimaud
A equipa de patologia digestiva inclui
2 oncologistas médicos, Drs. Carlos Carvalho,
e Dra. Rosário André, dois gastroenterologistas
(Dr. Paulo Fidalgo e Prof. Mário Diniz Ribeiro), e
cirurgiões dedicados ao cancro colo-retal (Drs.
José Filipe Cunha e Nuno Figueiredo) e outros
especializados na patologia tumoral do fígado,
vias biliares e pâncreas (colaboração baseada
num protocolo entre o CCC e o Centro HepatoBilio-Pancreático e de Transplante Hepático do
Hospital Curry Cabral – Doutor Eduardo Barroso,
Drs. Hugo Pinto Marques, Raquel Mega,
João Santos Coelho e Jorge Paulino).
Nas reuniões multidisciplinares, participam os
especialistas referidos e médicos radiologistas
(Drs. Luís Rosa e Inês Santiago), de medicina
nuclear (Prof. Durval Costa) e radioterapeutas
(Drs. Nuno Pimentel e Oriol Parés). Participam
também na reunião elementos da equipa de
enfermagem (enfermeira Lara Guerra).
ativa de especialistas consagrados e de renome
internacional na cirurgia do colon e reto – os
professores Bill Heald (Pelican Institute, Reino
Unido) e Geerard Beats (Maastricht University,
Países Baixos), e o Dr. Amjar Parvaiz (Southampton
University, Reino Unido).
A colaboração regular destes especialistas e a
sua participação ativa nas atividades da Unidade,
nomeadamente nas reuniões multidisciplinares
semanais, consultas e intervenções cirúrgicas,
tem constituído um elemento de grande impacto
na formação avançada dos nossos especialistas,
abrindo a porta a estágios de formação avançada
nas instituições que servem, com particular
importância no que diz respeito a técnicas de
cirurgia minimamente invasiva (Hospitais de
Maastricht - Países Baixos, Portsmouth e Royal
Marsden - Reino Unido).
Nesta Unidade, de organização mais recente
e cuja consolidação se verificou apenas no
2º semestre de 2013, registou-se igualmente um
aumento significativo de atividade, tanto médica
como cirúrgica. A equipa de cancro digestivo é
mais diversificada, pois compreende a interação
entre 2 grupos com áreas de intervenção distintas,
o cancro colo-retal por um lado e os tumores do
fígado, vias biliares e pâncreas, por outro.
352%
de aumento
de consultas
O movimento clínico sofreu grande expansão,
com 511 consultas realizadas em 2012 e 2 312
em 2013 (incremento de 352%). Foram realizadas
em 2013 um total de 958 endoscopias digestivas,
maioritariamente com recurso a sedação profunda.
No que diz respeito à área do cancro colo-retal,
foi desenvolvido em 2013 um programa de
cooperação internacional com a participação
Fotografia 1.
Terraço do Centro Clínico Champalimaud
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
20
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
Unidade de Próstata, Rins e Vias Urinárias
A Unidade de Próstata foi estruturada no final
de 2012, contando como Diretor com o
Dr. Jorge Fonseca, especialista de urologia,
e atualmente com mais 2 urologistas
(Drs. Jorge Rebola e Rui Lúcio).
883
consultas
de ginecologia
136
consultas de
oncologia médica
As respetivas reuniões multidisciplinares, de
caráter semanal, contam com a colaboração
regular do Dr. Nuno Vau (oncologia médica),
Prof. Carlo Greco e Dr. Nuno Pimentel
(radioterapia), Dra. Carla Oliveira e Prof. Durval
Costa (medicina nuclear), Dra. Inês Santiago
e Dr. Luís Rosa, radiologistas.
Relativamente ao ano anterior, a Unidade reforçou
a sua equipa cirúrgica, o que se traduziu num
aumento de consultas de 921 para 2 194 (+ 138%).
Foram atendidos 1 030 doentes, através
de 824 consultas de 1.a vez e 1 370 consultas
subsequentes. A atividade cirúrgica da Unidade
cresceu muito significativamente, com cirurgia
realizada 1 a 2 vezes por semana, em números
que ultrapassaram os 160 doentes (80 em 2012).
do Dr. Nuno Vau, enquanto não se concretizou
a entrada na equipa de um oncologista médico
com dedicação particular à área dos tumores
ginecológicos, o que aconteceu ainda em 2013,
com a entrada da Dra. Margaret Hutka, oncologista
médica de nacionalidade polaca, com PhD obtido
em 2011 no Maria Skłodowska-Curie Cancer Center,
Polónia, e com estágio de pós-doutoramento no
Royal Marsden Hospital, em Londres.
A Unidade segue, no plano da sua organização
funcional, o mesmo modelo das outras DMT, tendo
como preocupação essencial a de que todos
os planeamentos terapêuticos sejam debatidos
na reunião multidisciplinar, proporcionando a
preparação personalizada dos planos de tratamento,
em função das especificidades de cada doente.
A atividade de consulta cresceu rapidamente, tendo
sido realizadas em 2013, 1 032 consultas, das quais
883 foram consultas de ginecologia e 136 foram de
oncologia médica. A atividade cirúrgica da Unidade
iniciou-se no segundo semestre de 2013, tendo
sido efetuadas até ao final do ano 62 cirurgias
oncológicas no Hospital da Cruz Vermelha.
Unidade de Neuropsiquiatria
Unidade de Ginecologia
A criação da Unidade de Ginecologia foi concretizada
em maio de 2013, através da colaboração, como
responsável, do Dr. Henrique Nabais, especialista
de ginecologia com experiência consolidada na área
oncológica. A equipa foi reforçada em finais de 2013
com a entrada do Dr. Luis Vieira Pinto.
O apoio de oncologia médica esteve a cargo
A procura interna de cuidados especializados
de psiquiatria em doentes oncológicos tem
sido assegurada por membros da Unidade de
Neuropsiquiatria, entretanto estruturada em 2013
como uma interface entre o CCC e o Programa
de Neurociências.
Tem como responsável o Doutor Albino Maia.
Fazem parte da equipa, os especialistas de
psiquiatria Professor Bernardo Barahona Correa
e Dr. Joaquim Alves da Silva, a neuropsicóloga,
Dra. Marta Camacho Gonçalves, e estudantes de
doutoramento (Drs. Ana Catarina Castro e Nuno
Loureiro) e pós-doutoramento (Drs. Ana Barbosa
Fernandes e Vitor Paixão).
Esta Unidade tem como objetivos de médio e
longo prazo os de desenvolver um programa
clínico e de investigação no domínio da saúde
mental e comportamental, áreas contíguas
ao programa de Neurociências desenvolvido
na Fundação Champalimaud. No seu início,
a Unidade definiu como área maioritária de
interesse as perturbações de natureza impulsivacompulsiva, nomeadamente a Doença Obsessiva
Compulsiva, tendo em conta que alguns dos
seus membros trabalham, como médicos
investigadores, no Laboratório da Neurobiologia
da Ação, dentro do programa de Neurociências.
Por outro lado, uma vez que a área principal
de intervenção clínica do Centro Clínico é a
oncologia, a unidade estipulou como objetivo
adicional o desenvolvimento de um centro de
excelência em psiquiatria de ligação na área
oncológica, em colaboração com outras unidades
dedicadas à saúde mental e comportamental
em doentes com cancro, nomeadamente as
unidades de Psico-oncologia e de Hospitalização
Domiciliária. Dado o predomínio de perturbações
afetivas em doentes oncológicos, a unidade está
a desenvolver, nesse contexto, um programa
de investigação translacional nesta área da
saúde mental. Como terceiro objetivo da sua
atividade, e de forma transversal às suas
diferentes áreas temáticas de intervenção, a
unidade dedica-se também ao estabelecimento
clínico e desenvolvimento de investigação em
novos métodos de tratamento nas perturbações
psiquiátricas.
Neste âmbito, a Unidade desenvolveu um interesse
particular em metodologias de investigação
cerebral não invasiva, nomeadamente a
estimulação magnética transcraniana e a
estimulação transcraniana de corrente direta.
No decorrer de 2013, a Unidade de
neuropsiquiatria progrediu de forma sólida no
desenvolvimento de todos os seus objetivos.
A procura de serviços clínicos prestados pela
unidade superou todas as expetativas, com
seguimento de quase 200 doentes num total de
cerca de 450 consultas médicas ou de psicologia
clínica. Por outro lado, ao nível de indicadores de
atividade científica, os resultados obtidos pelos
diversos membros da unidade foram também
muito satisfatórios. Foram desenvolvidos projetos
de investigação financiados por fontes nacionais
e europeias, tendo sido obtido financiamento
adicional na forma de uma bolsa de investigação
individual e na participação de uma equipa
internacional de investigação. O trabalho
desenvolvido foi apresentado em 15 reuniões
científicas nacionais e internacionais e publicado
em 5 artigos científicos, tendo sido submetidos
3 outros, ainda em fase de revisão. Os membros
da unidade participaram ainda como docentes
em vários cursos de universitários de formação
graduada e pré-graduada nas áreas da Psicologia,
Psiquiatria, Saúde Mental e Neurociências.
No sentido de permitir a implementação do
seu terceiro objetivo, a Unidade fortaleceu
colaborações com centros líderes a nível
internacional no campo da estimulação cerebral
não invasiva. Vários dos seus médicos foram
treinados no uso clínico destas técnicas na
Universidade de Harvard, em Boston, e o Prof.
Alvaro Pascual-Leone, um dos mais importantes
peritos mundiais nesta área esteve na Fundação
Champalimaud, a convite da unidade, para
apresentar o seu trabalho e estabelecer
colaborações com a unidade nesta área.
A Unidade está por isso pronta para implementar
um centro clínico e de investigação em
estimulação cerebral não invasiva, no decorrer
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
22
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
de 2014. Neste contexto, e também dado
o crescimento constante da sua atividade, é
expectável que o volume clínico nesta unidade
cresça acima de 75% e que o seu trabalho
de investigação continue a dar frutos, com a
publicação de vários novos trabalhos.
Esta Unidade assegura uma consulta regular no
CCC e realiza uma reunião semanal de natureza
multidisciplinar, na qual são cuidadosamente
planeados os tratamentos dos doentes a cargo
e referidos pelas diferentes DMT, sejam doentes
internados sejam os que requerem cuidados
domiciliários.
Unidade de Hospitalização Domiciliária
A Unidade participa ainda em atividades de
natureza académica, nomeadamente em
projetos de investigação e no desempenho
de atividade docente na Faculdade de Medicina
da Universidade de Lisboa.
Esta Unidade multidisciplinar de prestação
de cuidados domiciliários a todos os doentes
seguidos no CCC reveste-se de uma enorme
importância na capacidade de acompanhamento
adequado dos nossos doentes para além dos
cuidados prestados nas instalações do CCC ou
no internamento, atualmente assegurado pelo
Hospital da Cruz Vermelha.
O seu coordenador é o Dr. Miguel Julião e tem
como apoio a especialista de oncologia médica,
Dra. Cristina Pissarro, com formação específica
em cuidados paliativos e controlo de sintomas.
O objetivo essencial da Unidade é o de
proporcionar aos nossos doentes a alta
hospitalar precoce e a continuidade de cuidados
especializados, sem os afastar do seu ambiente
familiar prestando ainda cuidados de natureza
paliativa e de controlo de sintomas, em casos de
doença avançada.
A equipa, cuja constituição nuclear inclui médicos
e enfermeiros, é completada com especialistas
com conhecimentos relevantes no tratamento
multidisciplinar dos doentes oncológicos,
nomeadamente de fisioterapia, nutrição e psicooncologia.
Fotografia 1.
Equipa da Unidade de Hospitalização Domiciliária
da esq.ª para a dt.ª: Paula Rodrigues,
Miguel Julião, Daniela Dias, Cristina Pissarro
e Rute Fonseca
Serviços
Os Serviços ou Plataformas que desenvolvem
atividades especializadas no diagnóstico e
tratamento de doentes oncológicos, servindo
transversalmente todas as DMT são os seguintes:
• Medicina Nuclear e Radiofarmacologia
• Radiologia diagnóstica e de intervenção
• Patologia
• Psico-oncologia
• Radioterapia
• Hospital de Dia
• Farmácia
Estes Serviços agregam os profissionais de saúde
(médicos especialistas, farmacêuticos, psicólogos,
enfermeiros e técnicos de saúde) que integram,
nas suas especializações próprias, as equipas
das diferentes DMT.
Durante o ano de 2013, foram consolidadas
diversas destas áreas, das quais é possível
destacar, pelo relevo da sua atividade, as
seguintes:
Sistema de
Medicina Nuclear e Radiofarmacologia
Acreditação
de Serviço de
Medicina Nuclear
(2014-2018)
Universidade de Londres e pela Universidade do
Porto, 2 médicas especialistas (Dras. Carla Oliveira
e Joana Correia Castanheira), 1 físico médico
(Paulo Ferreira), 1 engenheiro físico (Rui Parafita)
e 4 técnicos superiores de saúde especializados
em Medicina Nuclear.
Tem instalado como equipamento essencial, uma
câmara gama e uma câmara PET-CT. Dispõe
ainda de um sistema para realização de provas de
esforço físico com sistema de ECG.
O serviço foi recentemente reconhecido pelo sistema
de “Acreditação de Serviço de Medicina Nuclear”
pela UEMS-EBNM (União Europeia de Médicos
Especialistas – Section and European Board of
Nuclear Medicine) para o período entre 2014 e 2018.
A atividade clinica registou o número anual de 2 549
doentes estudados com radiofármacos, quer para
diagnóstico, quer para terapêutica. Foram introduzidos
estudos com PET utilizando um peptídeo
(68Ga-DOTANOC) para diagnóstico, estadiamento,
re-estadiamento e avaliação da resposta à
terapêutica de neoplasias neuroendócrinas.
Exames de Medicina Nuclear
Exames de Medicina Nuclear
500
321
450
277
400
O Serviço de Medicina Nuclear-Radiofarmacologia
da Fundação Champalimaud tem como missão
a prestação de serviços clínicos (diagnóstico e
terapêutica), académicos (ensino pré e
pós-graduado e formação contínua pósdoentes estudados graduação) e científicos (básicos, translacionais
com radiofármacos e clínicos) de qualidade através da melhoria
contínua. A equipa é constituída pelo
Doutor Durval Costa – médico especialista em
Medicina Nuclear e doutorado pela
2 549
350
250
163
152
152
170
188
2013
2012
147
100
0
137
134
150
50
240
246
300
200
302
279
25
26
Jan
Fev
49
Mar
64
68
67
Abr
Mai
Jun
113
59
Jul
Ago
83
72
Set
Out
Nov
Dez
Figura 4.
Distribuição mensal de exames
de Medicina Nuclear em 2012 e 2013
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
24
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
O número total de exames/doente/radiofármacos
em 2013 foi de 2 549. Este resultado ultrapassa
o número médio de exames (doentes) anuais
internacionalmente aceite por instrumento
(atualmente 2 – uma câmara PET-CT e uma câmara
gama) que é de cerca de 1 000, correspondendo a
atividade 3,7 vezes superior à de 2012.
No que se refere à área de investigação, o Serviço
colabora com Programa de Investigação de
Neurociências, tendo aprovada uma bolsa para
estudo do sistema catecolaminérgico em doentes
com alteração dos hábitos e comportamentos
alimentares (investigador Principal – Dr. Albino
Jorge Oliveira Maia) e tem em curso diversos
estudos relacionados com as aplicações
diagnósticas e terapêuticas que utiliza no dia a dia
de apoio à atividade clínica.
No que diz respeito a atividade docente,
responde pela orientação de estágios
curriculares e projetos de mestrado, tendo o
Diretor participado em diversos júris de provas
académicas em instituições universitárias.
A equipa médica do Serviço de Radiologia é
constituída pelos seguintes especialistas:
Dr. Luís Rosa, (diretor) - radiologia diagnóstica
de corpo e musculo-esquelética e radiologia de
Intervenção; Dras. Celeste Alves e Eva Batista
- radiologia mamária; Dras. Alexandra Borges e
Joana Ruivo – neurorradiologia; Dra. Inês Santiago
- radiologia diagnóstica de corpo e ultrassonografia.
Esta equipa conta ainda com a colaboração e
orientação científica do Prof. Celso Matos (professor
de radiologia da Universidade Livre de Bruxelas).
O Serviço dispõe atualmente de quatro técnicos
de radiologia. O equipamento instalado inclui 2
aparelhos de ressonância magnética 1.5 Tesla;
um aparelho de tomografia computorizada de 16
cortes; um mamógrafo digital; uma instalação de
Rx digital; um equipamento de osteodensitometria
e 3 ecógrafos.
O número total de exames de radiologia foi
significativamente diferente entre 2012 e 2013 –
imagiologia mamária: 716 e 2 293 respetivamente;
Ultrasonografia: 500 e 1 771 respectivamente;
TAC: 1 117 e 3 667 respetivamente; RM 465
e 1 859 respetivamente.
Radiologia diagnóstica e de intervenção
Exames de Radiologia
Exames de Radiologia
2.500
O Serviço de Radiologia de Diagnóstico e
Intervenção suporta transversalmente as Unidades
Multidisciplinares de Patologia através da realização,
interpretação e elaboração de relatórios de exames de
imagem médica, da participação de especialistas nas
diversas reuniões multidisciplinares e da execução
de atos de Radiologia de Intervenção, entre os quais
biópsias, termoablações e embolizações tumorais.
Este serviço tem ainda como objetivo a participação
em projetos de investigação translacional que
incluam um componente imagiológico.
1.684
1.558
1.303
2.000
1.212
1.335
1.084
1.044
1.500
898
1.000
864
709
728
2013
846
2012
683
500
0
116
165
Jan
Fev
219
200
Mar
Abr
328
315
349
Mai
Jun
Jul
414
Ago
709
525
Set
510
Out
Nov
Dez
Figura 5.
Distribuição mensal de exames
de Radiologia em 2012 e 2013
Fotografia 1.
Equipa do Serviço de Medicina Nuclear e Radiofarmacologia
da esq.ª para a dt.ª: Bruno Martins, Ana Canudo, Diana Dantas, Carla Oliveira e Durval Costa
Equipamento Philips Pet Ct
Fotografia 2.
Equipamento TAC Philips Big Bore
Fotografia 3.
Equipa do Serviço de Radiologia de Diagnóstico e Intervenção
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Romana Gomes, Susana Rosa e Luís Rosa
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Rui Abreu, Sandra Costa, Vera Raposinho:
Equipamento Philips Ingenia 1.5T (MRI)
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
26
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
O movimento clínico sofreu grande incremento
em 2013, tendo sido realizados 15 900 exames
no total (5 430 em 2012) a que corresponde
um incremento de 193%. Este aumento diz
respeito tanto a exames da área da Radiologia
(ultrassonografia, tomografia computadorizada
e ressonância magnética) como a aplicações
de medicina nuclear (exames cintigráficos e
tomografia por emissão de positrões – PET).
Patologia
O laboratório de Patologia desempenha um
papel crucial nas atividades do CCC e constitui
uma unidade nuclear para o desempenho
clínico de excelência, como é o nosso objetivo
global. É também absolutamente essencial ao
desenvolvimento da investigação clínica do CCC,
através dos estudos de caracterização morfológica,
fenotípica e genotípica das entidades que
tratamos, bem como do registo, armazenamento e
preparação de amostras de tumores doados pelos
nossos doentes (Banco de Tumores), plataforma
que viabiliza o desenvolvimento de trabalhos de
investigação em oncobiologia, quer pelos nossos
cientistas, quer através das colaborações de
natureza científica que venham a ser estabelecidas
entre a Fundação Champalimaud e instituições
nacionais ou internacionais.
O especialista de Patologia que assumiu em 2013
a responsabilidade do laboratório de patologia foi
o Professor Antonio Lopez Beltran (doutorado
pela Universidade de Córdova, Espanha), com
larga e consolidada experiência no diagnóstico
em oncologia e sólida reputação internacional,
em particular na área dos tumores urológicos,
através das mais de 250 publicações em revistas
internacionais de elevado fator de impacto.
Até à sua entrada em funções, no último
trimestre de 2013, o diagnóstico histo-patológico
e molecular continuou a ser assegurado
primariamente através da colaboração externa
com o laboratório Althia (Barcelona).
Em 2014, todo o diagnóstico anatomo-patológico
será assegurado pelo nosso laboratório de
Patologia, incluindo o apoio à atividade cirúrgica
que os nossos cirurgiões necessitem (em
particular na cirurgia da mama).
A colaboração com a Mount Sinai School of
Medicine, tendente a desenvolver um programa
inovador de diagnóstico anatomo-patológico
designado por “systems pathology” foi continuada
em 2013. Esta nova tecnologia tem como base
a integração de informação quantitativa de
dados clínicos com a avaliação multiparamétrica
de elementos morfométricos e marcadores
moleculares na análise da arquitetura específica
de tecidos. Recorre a modelos de inteligência
artificial e algoritmos apropriados para obter
resultados individualizados de cada doente. Este
sistema inovador poderá constituir um instrumento
valioso no diagnóstico e caracterização de
lesões cancerosas, na previsão da resposta ao
tratamento e na previsão da probabilidade de
recorrência.
Psico-oncologia
O apoio em psico-oncologia é assegurado pela
Doutora Luzia Travado, psicóloga clínica com
experiência consolidada em oncologia.
Na vertente clínica, tem havido um crescimento
progressivo e sustentado das consultas de
psico-oncologia. O número de consultas
Fotografia 1. e 2.
Laboratório de Patologia
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
28
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
efetuadas foi de 251 e o número de novos
doentes foi de 85, resultando num crescimento
de 66% e 75% respetivamente. Dos 85 novos
doentes, 76 eram mulheres (89,4%) e 9 homens
(10,5%) com idades compreendidas entre os
24 e os 83 anos. Dos novos doentes 38 (44,7%)
tinham doença oncológica em fase inicial,
e 37 (43,5%) em fase avançada, os restantes
10 casos correspondem a outras situações
(por ex., familiares de doentes, casos não
oncológicos). A maioria dos novos doentes
recebidos tinha cancro da mama (n=51; 60%)
e foram maioritariamente referenciados pela
respetiva Unidade.
Os restantes casos oncológicos foram
referenciados pelas outras Unidades: 7 doentes
(8%) pela Unidade de Digestivo, 6 (7%) pela de
Ginecologia, 3 (3,5%) pela Unidade de Pulmão,
3 (3,5%) pela Unidade de Próstata, Rins e Vias
Urinarias, 3 (3,5%) pela Unidade de Hematologia e
2 (2,4%) pela Unidade de Fígado, Biliares e Pâncreas.
por imagem, permitindo redução do número de
sessões de tratamento (hipo-fracionamento) ou
mesmo, em casos selecionados, a utilização de
radioterapia de dose única, administrada numa
só sessão.
A equipa multidisciplinar é constituída por
especialistas de radioterapia (o grupo mais
internacional da nossa equipa clínica):
Professor Carlo Greco – Diretor, Drs. Lotte
Moser, Nuno Pimentel, Oriol Parés e Guillaume
Louvel, os físicos médicos, Sandra Vieira, Joep
Stroom e Paulo Ferreira, além de dosimetristas e
técnicos de radioterapia.
Um dos focos principais de desenvolvimento
e inovação no domínio das aplicações clínicas
tem consistido na definição e implementação
das indicações da Radiocirurgia extracraniana
De salientar que esta é uma área de apoio
transversal às várias patologias oncológicas
assistidas nas diversas Unidades e, de facto,
todas referenciaram doentes. Fica assim
garantida pelo CCC a concretização das
recomendações internacionais de qualidade dos
cuidados oncológicos através da integração do
acompanhamento psicológico no tratamento
médico dos doentes.
Radioterapia
Este setor utiliza equipamento e tecnologia muito
avançada e de última geração, essencialmente
focada na aplicação e desenvolvimento de
modalidades inovadoras de radioterapia guiada
Fotografia 1.
Da esquerda para a direita: Robert-Jan Smits
Diretor-Geral Investigação e Inovação da
Comissão Europeia e Nuno Pimentel,
Serviço de Radioterapia CCC
8 352
sessões de
tratamento
(SBRT/SABR). Para além da abordagem local à
doença oncológica em estádios avançados mas
com número escasso de focos metastáticos
(doença oligo-metastática), o serviço assegura a
possível utilização desta modalidade em cancros
primários do pulmão, do pâncreas e do fígado.
Durante o ano de 2013, foram consolidadas
diversas modalidades de radioterapia como sejam
a IMRT (radioterapia de intensidade modulada),
IGRT (radioterapia guiada por imagem) e SBRT
(radioterapia estereotática corporal).
Praticamente todos os tratamentos são
previamente definidos através de um planeamento
realizado por VMAT (“volumetric modulated arc
therapy”), sendo a exceção alguns tratamentos de
tipo holocraneano ou de radioterapia mamária,
cujo planeamento se baseia em técnicas de
imagem a 3 dimensões (3D).
Deve destacar-se, a introdução no 1º semestre
de 2013, do recurso a marcadores passivos (ouro)
na abordagem dos tratamentos guiados por
imagem (IGRT) nas localizações intra-abdominais
de tumores do fígado (quer focos metastáticos
quer tumores primários) e do pâncreas. Estas
aplicações, pioneiras em Portugal, têm sido
realizadas com a colaboração do Serviço de
Radiologia, nomeadamente através de técnicas
de radiologia de intervenção.
De grande relevância no conjunto dos
desenvolvimentos inovadores, merece realce a
implementação de tecnologia baseada no recurso
a marcadores (transmissores) endocorporais
ativos, nomeadamente o sistema designado
“Calypso”. Através desta tecnologia, torna-se
possível utilizar alguns destes transmissores
endocorporais previamente colocados no local do
tumor por técnicas minimamente invasivas, como
forma de monitorizar a administração de SBRT
em tempo real e com enorme precisão
submilimétrica.
Com base neste equipamento, foi possível
concretizar a primeira utilização clínica, a nível
mundial, de marcadores endobrônquicos para
o tratamento de lesões malignas pulmonares e
também a primeira utilização clínica de marcadores
intra-ureterais temporários, para reduzir toxicidade
no tratamento de cancro primário da próstata.
Durante o ano de 2013, foram registadas 8 352
sessões de tratamento nos aceleradores instalados,
correspondendo a modalidades de tratamento de
radioterapia em 819 doentes, dos quais 338 foram
doentes com cancro de mama, 56 com cancro do
pulmão e 101 com cancro primário da próstata.
Os restantes incluíram 61 casos de tumores da
cabeça e pescoço, 24 com tumores do fígado ou
pâncreas e 15 neoplasias do reto. Foram ainda
tratados doentes com metástases de diversas
localizações (224), incluindo metástases ósseas,
cerebrais e hepáticas. A modalidade de
radiocirurgia intra e extracraniana (SBRT/SABR) em
dose hipo-fracionada (3 a 5 sessões) foi aplicada
em 306 doentes, enquanto que a radioterapia de
dose única foi utilizada em 113 doentes.
Fotografia 1.
Jardim - Serviços de Radioterapia
e do Hospital de Dia
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
30
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
Na figura 6 mostra-se a distribuição de sessões
de radioterapia realizadas, em função do tipo de
tratamento utilizado.
Tratamentos
de Radioterapia
por tipo
por tipo
Tratamentos
de Radioterapia,
156
306
Radiocirurgias
fracionadas (1 a 5 sessões)
Radiocirurgias (single shot)
Tratamentos IMRT
fracionados
8203
Figura 6.
Tratamentos de Radioterapia por tipo
Com a figura 7 ilustra-se a distribuição dos
tratamentos de radioterapia em função do tumor
primário, representando o cancro primário da
mama (41%) e as lesões metastáticas (27%) a
vasta maioria dos tratamentos administrados.
Tratamentos
de Radioterapia
Tratamentos
de Radioterapia,
por localização localização
7%
por
3% 2%
Mama
8%
Metástases diversas
41%
12%
Próstata
Cabeça e pescoço
Pulmão
Fígado + Pâncreas
Reto
27%
Figura 7.
Distribuição de tratamentos de Radioterapia
por localização do tumor primário
Fotografia 1.
Equipa do Serviço de Radioterapia
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Vivi Mentai, Élia Augusto, Cláudia Varandas, Joana Ferreira, João Marques,
Nuno Pimentel, Carlo Greco, Sandra Vieira, Ana Soares e Oriol Parés,
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Bárbara Dias, Margarida Furtado, Maria João Cardoso, Milton Rodrigues,
Aníbal Brito, André Machado, Lotte Moser e Joep Stroom
Fotografia 2.
Plataforma Varian “Truebeam” (acelerador linear)
Fotografia 3.
Serviço de Radioterapia - Consola de tratamentos - área de controlo
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
32
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
2 374
tratamentos
Hospital de Dia
No Hospital de Dia, foram realizados em 2013
2 374 tratamentos (847 em 2012). A equipa de
enfermagem do Hospital de Dia cresceu em
paralelo com o movimento semanal de doentes,
com distribuição preferencial de doentes de Mama
em 2 dias da semana e de Pulmão e Digestivo
noutros 2, o que proporciona melhores condições
de tratamento personalizado aos doentes.
O apoio da equipa médica é assegurado pelos
especialistas de oncologia médica das diferentes
DMT. Na figura 8 mostra-se a distribuição mensal
das sessões de quimioterapia ambulatória
em Hospital de Dia, ao longo dos anos
de 2012 e 2013.
Tratamentos de quimioterapia
Tratamentos
de quimioterapia
Hospital de
Dia
Hospital de Dia
500
446
450
403
400
350
312
344
422
359
300
250
200
181
211
228
232
153
150
0
4
0
0
1
Jan
Fev
Mar
Abr
47
58
Mai
Jun
Jul
164
141
128
Ago
Set
107
100
50
2012
188
Out
179
2013
134
Nov
Dez
Figura 8.
Distribuição mensal da atividade
do Hospital de Dia em 2012 e 2013
Fotografia 1.
Serviço de Hospital de Dia - quarto
Fotografia 2.
Serviço de Hospital de Dia - jardim
Farmácia
Os Serviços Farmacêuticos do CCC, sob a
responsabilidade da Prof.ª Carla Barros, têm
como colaboradores a Dra. Juvenália Nunes e
o Dr. Bruno Garrancho e a técnica de farmácia
hospitalar, Paula Bustorff.
São os seguintes os serviços assegurados:
- preparação e licenciamento dos serviços
farmacêuticos pelo Infarmed; aquisição de
medicamentos, dispositivos médicos e contrastes
radiológicos; gestão de stocks; preparação
de fórmulas magistrais (92 preparações);
reembalagem de medicamentos; validação e
preparação de citotóxicos cumprindo a legislação.
A Farmácia assegura ainda a distribuição de
medicamentos, o registo em sistema informático
dos movimentos de saída, a atualização da base
de dados de medicamentos e a introdução dos
protocolos de quimioterapia no sistema informático.
4 200
ciclos de
quimioterapia
preparados
O número total de ciclos de quimioterapia
preparados em 2013 foi de 4 200, aumento muito
marcado e em consonância com o movimento do
Hospital de Dia.
Acordos e convenções
No ano de 2013, procurou-se ativamente
aumentar o acesso dos nossos utilizadores a mais
unidades, mais serviços e à sua cobertura por
um número crescente de acordos com entidades
que suportam despesas em saúde (subsistemas
e seguros de saúde). Consolidaram-se os acordos
com os diferentes subsistemas de saúde e
seguradoras que operam em Portugal (ADSE,
AdvanceCare, Allianz, IASFA, Multicare, MEDIS,
SAMS, SAMS Quadros, Saúde Prime e SSCGD
(Serviços Sociais da Caixa Geral de Depósitos).
A divulgação do Serviço de Radioterapia incluiu
a participação em concursos públicos, que
resultou na parceria com o IPO de Lisboa para
o tratamento de doentes de cancro de mama e,
mais recentemente, de outros tipos de cancro.
Atendendo à grande diferenciação do Serviço
de Medicina Nuclear, foi possível estabelecer
parcerias com o Hospital Distrital de Évora, o
Hospital Garcia de Orta e o Centro Hospitalar
Lisboa Ocidental. Naquele serviço, são ainda
realizados exames de PET-CT e cintigrafias a
doentes do Hospital de S. José, do Hospital de
Santa Marta e do Hospital D. Estefânia.
Planos de desenvolvimento
O plano de desenvolvimento do CCC inclui a
abertura das DMT de Hemato-Oncologia no
1.º semestre de 2014 e da Unidade de Avaliação
de Risco e Diagnóstico Precoce prevista para o
2.º semestre de 2014.
Fotografia 1.
Farmácia
Iniciou-se em 2013, um programa dedicado à
estruturação de uma Unidade de Avaliação de
Risco e Diagnóstico Precoce. Esta Unidade,
de caráter também multidisciplinar, baseia-se
num plano integrado de consultas e/ou exames
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
34
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
complementares de diagnóstico que permitam a
identificação personalizada de fatores de risco de
cancro em indivíduos aparentemente saudáveis,
nomeadamente focando o cancro do pulmão, os
cancros digestivos (cancro colo-retal, do fígado e
do pâncreas), o cancro da mama, colo do útero e
ovários, próstata e vias urinárias e pele.
Esta avaliação, tendo como base uma consulta
de avaliação clínica detalhada de antecedentes
pessoais, familiares e de hábitos, a partir da
qual serão propostos os exames ou consultas
complementares à recolha de elementos, permitirá
elaborar, de forma personalizada, um plano de
vigilância regular e/ou de intervenção, a assegurar
pela Unidade a partir da data da primeira avaliação
e durante todo o período em que o indivíduo em
causa mantenha o seu interesse. Sempre que
estes exames conduzam ao diagnóstico de uma
neoplasia ainda assintomática, será proposto ao
doente a sua avaliação pela DMT correspondente.
Esteve também em fase de organização, durante
este ano, uma Unidade de Apoio à Investigação
Clínica (Clinical Research Office), que terá como
objetivo centralizar toda a informação decorrente dos
estudos de investigação clínica em curso e os que
venham a ser desenvolvidos pelas equipas técnicas
do CCC, proporcionando aos investigadores o apoio
necessário ao bom fluxo de informação essencial
à elaboração e condução dos protocolos de
investigação, gestão de dados, avaliação estatística
e de documentação relacionada com as instituições
e as entidades intervenientes em cada estudo, como
sejam a Comissão de Ética para a Saúde (CES),
a Comissão de Ética para a Investigação Clínica
(CEIC) ou a Autoridade Nacional do Medicamento e
Produtos de Saúde, I.P. (INFARMED).
Reuniões Científicas
O ano de 2013 marcou o início do ciclo de
conferências Champalimaud Cancer Talks,
organizado pela Fundação Champalimaud.
Esta iniciativa, que terá continuidade em 2014,
pretende aproximar o público geral das atividades
desenvolvidas na Fundação, reforçando o seu
posicionamento de dinamizador e promotor de
conhecimento e discussão. Especificamente
pensadas e preparadas para uma audiência
heterogénea, as Cancer Talks visam informar,
divulgar e esclarecer sobre temas relacionados com
o cancro, numa linguagem acessível e próxima do
público geral.
A primeira palestra do ciclo de conferências
Champalimaud Cancer Talks, dedicada ao tema
“The Search for Infectious Agents Linked to Human
Cancers”, decorreu em outubro e trouxe à Fundação
Champalimaud o Prof. Harald zur Hausen, Prémio
Nobel da Fisiologia ou Medicina 2008. Reconhecido
pela investigação que desenvolveu no âmbito da
ligação entre agentes infeciosos e o cancro humano
e, especificamente, pela identificação do Vírus
do Papiloma Humano, o Prof. Harald zur Hausen
apresentou, não apenas o trabalho que a sua
equipa desenvolveu na área do cancro do colo
do útero, mas também, e mais recentemente, na
área do cancro colo-retal. A pesquisa que está
atualmente a ser desenvolvida para a identificação
dos vírus responsáveis pelo aparecimento
de cancros nos humanos, as novas linhas de
investigação que estão a ser identificadas e o
desenvolvimento de vacinas para a redução da
incidência de diferentes tipos de cancro foram
alguns dos tópicos abordados nesta primeira
Cancer Talk.
Em novembro, teve lugar a segunda sessão pública,
onde a Prof. Laura van’t Veer, Diretora de Genómica
Aplicada do Programa de Cancro da Mama do
UCSF Cancer Centre (EUA) e uma das maiores
especialistas mundiais em genómica aplicada, foi
convidada a apresentar o trabalho que desenvolve
nesta área. O tema da apresentação – “Show me
the genes and I will show you how to best treat the
cancer” – chamou ao auditório uma vasta audiência
interessada em saber mais sobre os últimos avanços
na pesquisa genómica e de biomarcadores, o papel
destes na melhor compreensão do cancro e a sua
aplicação clínica no processo de tomada de decisão
relativamente à terapêutica mais adequada a seguir
e assim alcançar a verdadeira gestão individualizada
do cancro e do doente.
Fotografia 1.
Champalimaud Cancer Talks
“The Search for Infectious Agents Linked to Human
Cancers” - Prof. Harald zur Hausen - Prémio Nobel
da Fisiologia ou Medicina 2008.
Fotografia 1.
Champalimaud Cancer Talks
Auditório da Fundação Champalimaud
Fotografia 2.
“Show me the genes and I will show you how
to best treat the cancer” - Prof. Laura van’t Veer,
Diretora de Genómica Aplicada do Programa de
Cancro da Mama do UCSF Cancer Centre (EUA).
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
36
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
Atividade de Ensino
e Formação Avançada
Seminários Clínicos
Março:
Total mesorectal excision in the management
of rectal cancer, Richard J. Heald, MD, PhD,
Royal Society of Medicine
Abril:
The role of telomeres in cancer and ageing,
Miguel Godinho Ferreira, MD, PhD, Instituto
Gulbenkian de Ciência
Junho:
Combining Brain Imaging, Neurophysiologic
Techniques and Noninvasive Brain
Stimulation to Understand a Changing Brain,
Alvaro Pascual-Leone, MD, PhD, Beresenson-Allen
Center for Noninvasive Brain Stimulation - Beth
Israel Deaconess Medical Center and Harvard
Medical School
Setembro:
Exploring the role of interleukin 6 in tumor
progression and metastasis, Rosário André,
MD, CCC
Outubro:
Extreme hypofractionated IGRT in lowintermediate risk prostate cancer. A phase I
feasibility study at CCU, Carlo Greco, MD, PhD,
CCC
Novembro:
Darwinian clonal evolution and cancer
medicine, Samuel Aparicio, MD, PhD,
British Columbia Cancer Agency, Vancouver
Image-guided high dose ablative
radiotherapy in the management of stage I
primary lung cancer. Preliminary experience
with beacon transponder technology at CCC,
Nuno Pimentel, MD, CCC
E-cadherin and the others for invasion.
Gastric and breast cancer as models,
Raquel Seruca, MD, PhD, IPATIMUP
Precision Liver Surgery in the treatment
of liver metastasis in colo-rectal cancer:
lessons from 1072 liver resections,
Eduardo Barroso, MD, PhD, Hugo Pinto Marques,
MD, João Santos Coelho, MD, Raquel Mega, MD,
Jorge Paulino Pereira, MD, CCC
Dezembro:
PTEN loss as driver event in breast and
ovarian tumors: clinical implications,
Filipe Correia Martins, MD, PhD, Cambridge
Institute/Cancer Research UK and Cambridge
University Hospitals
Minimal Radiation Maximal Diagnosis
– Dual source CT – scan – recent advances,
João Carlos Costa, MD, PhD, Hospital
Cruz Vermelha
Management of Early BC: the new St Gallen
guidelines 2013, Fátima Cardoso, MD, CCC
Rationale for a Cardio-Oncology programme:
clinical relevance and research priorities,
Luis Lopes, MD, PhD, Hospital Garcia da Horta
Siglas:
CCC – Centro Clínico Champalimaud
IPATIMUP – Institute of Molecular Pathology and Immunology at the University of Porto
Programa Varian
No contexto da sua missão, a Fundação
Champalimaud desenvolveu em 2013 a
colaboração estabelecida com a Varian Medical
Systems em 2012, que teve como objetivo criar
um centro de formação avançada em radioterapia,
com base na utilização da nova plataforma
“TrueBeam”, vocacionada para explorar aplicações
inovadoras de radioterapia hipo-fracionada ou de
dose única guiada por imagem, com potencial
alargamento de indicações em oncologia.
Foram iniciados trabalhos tendentes ao
desenvolvimento de programas de investigação
em 3 áreas: cancro da mama, cancro da próstata
e doença oligometastática. No domínio das
atividades de formação avançada, foi planeado o
programa do curso especializado em física médica
e técnicas de radioterapia no qual a Fundação
Champalimaud, juntamente com uma rede de
institutos de treino especializado, irá colaborar
com a Varian Medical Systems. O programa
baseia-se na demonstração de capacidades
da nova plataforma “TrueBeam”, bem como no
desenvolvimento de testes para avaliação de
novos instrumentos (hardware e software) que
determinam o potencial dos benefícios clínicos
no estabelecimento de “high-dose image guided
radiotherapy” (IGRT).
Programa de ensino em Imagiologia
Em parceria com a Sociedade Europeia de
Ressonância Magnética (ESMRMB), o Serviço
de Radiologia organizou, nos dias 4 a 6 de abril
de 2013, um curso sobre aplicações clínicas da
técnica de difusão. O tema foi tratado por um
painel de especialistas em sessões plenárias
e em sessões interativas de pequenos grupos
de participantes. Para além dos aspectos
relacionados com a aquisição da imagem e a
reprodutibilidade da técnica, foram discutidos o
papel da difusão na deteção e caracterização de
lesões tumorais da cabeça e pescoço, do tórax,
do abdómen e da pelve masculina e feminina.
O papel cada vez mais importante da técnica de
difusão no prognóstico, na avaliação da resposta
terapêutica e na deteção da recidiva tumoral foi
igualmente discutido e ilustrado. Foram descritas
e abundantemente ilustradas a técnica de difusão
«corpo inteiro» e as aplicações da mesma na
avaliação de metástases ósseas e doenças
inflamatórias.
Com a Sociedade Europeia de Radiologia
Abdominal e Gastrointestinal (ESGAR), o Serviço
de Radiologia organizou, nos dias 10 e 11 de maio
de 2013, um curso multidisciplinar sobre doenças
do pâncreas. Foram abordadas as doenças
inflamatórias e tumorais do pâncreas, do ponto de
vista clínico, anátomo-patológico e imagiológico,
incluindo os dados mais recentes fornecidos pelas
técnicas de medicina nuclear e de endoscopia
terapêutica. Apesar dos avanços registados na
área da imagiologia, a investigação das doenças
pancreáticas continua a ser um desafio para o
conjunto das equipas multidisciplinares.
Publicações inseridas
no PubMed
Unidade de Mama
• Lobo ML, Esteves F, de Sousa B, Cardoso F,
Cushion MT, Antunes F, Matos O. Therapeutic
potential of caspofungin combined with
trimethoprim-sulfamethoxazole for pneumocystis
pneumonia: a pilot study in mice. PLoS
One. 2013, 8(8):e70619. doi: 10.1371/journal.
pone.0070619. - Unidade de Parasitologia
Médica, Grupo de Protozoários Oportunistas/
VIH e Outros Protozoários, CMDT, Instituto de
Higiene e Medicina Tropical, Universidade Nova
de Lisboa, Lisboa, Portugal.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
38
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
• Ortego L, Cardoso F, Martins S, Fillat MF,
Laguna A, Meireles M, Villacampa MD, Gimeno
MC. J Inorg Biochem. Strong inhibition of
thioredoxin reductase by highly cytotoxic
gold(I) complexes. DNA binding studies. 2014,
130:32-7. doi: 10.1016/j.jinorgbio.2013.09.019.
Epub 2013 Oct 9 - 1Departamento de Química
Inorgánica, Instituto de Síntesis Química y
Catálisis Homogénea (ISQCH), Universidad de
Zaragoza-CSIC, E-50009 Zaragoza, Spain.
• Large-cell neuroendocrine lung tumor
presenting as acute pancreatitis. J D Silva, M J
Brito, J Cortes et al. Gastrointestinal Endoscopy.
2013 Nov; 75 (5): 782-783. - 1Department of
Gastroenterology, Hospital do Espírito Santo de
Évora EPE, Evora, Portugal.
• Cryopreservation, semen use and likelihood
of fatherhood in male Hodgkin lymphoma
survivors: an EORTC-GELA cohort study. van
der Kaaij MA, J van Echten- Arends, Heutte N,
Meijnders P, Abeilard-Lemoisson E, Spina M,
Moser EC, et al Human Reproduction 2013. 1
Department of Internal Medicine, ZH 4A 35, VU
University Medical Centre, PO Box 7057, 1007
MB Amsterdam, The Netherlands.
• A combined recipe for CTV and PTV margins.
Stroom JC, Gilhuijs K, Vieira S, Chen W,
Salguero FJ, Moser EC, Sonke J. IJROBP 2013
Oct 8. pii: S0360-3016(13)03034-4.
• Senkus E, Cardoso F, Pagani O. Time for
more optimism in metastatic breast cancer?
Cancer Treat Rev. 2014 Mar;40(2):220-8. doi:
10.1016/j.ctrv.2013.09.015. Epub 2013 Oct 1
- 1Department of Oncology and Radiotherapy,
Medical University of Gdansk, Debinki 7, 80-211
Gdansk, Poland. E-mail address:
[email protected]
• Ribi K, Aldridge J, Phillips KA, Thompson A,
Harvey V, Thürlimann B, Cardoso F, Pagani O,
Coates AS, Goldhirsch A, Price KN, Gelber RD,
Bernhard J. Subjective cognitive complaints one
year after ceasing adjuvant endocrine treatment
for early-stage breast cancer. B J Cancer
106:1618-1625, 2012 (doi: 10.1038/bjc.2012.156)
- 1IBCSG Coordinating Center, Effingerstr. 40,
Bern 3008, Switzerland.
• Mammographic screening detects low-risk
tumor biology breast cancers. CA Drukker,
MK Schmidt, EJT Rutgers, F Cardoso, K
Kerlikowske, LJ Esserman, FE van Leeuwen,
RM Pijnappel, L Slaets, J Bogaerts, LJ van ’t
Veer. Accepted for publication, Breast Cancer
Research and Treatment, 2014. - 1Department
of Surgical Oncology, Netherlands Cancer
Institute, Postbus 90203, 1006 BE, Amsterdam,
The Netherlands.
• Nahleh ZA, Lin NU, Wolff AC, Cardoso F;
on behalf of the BIG-NABCG collaboration.
Perceptions and needs of women with
metastatic breast cancer: A focus on clinical
trials. The Breast. 2013 Mar 24. doi:pii: S09609776(13)00050-7. 10.1016/j.breast.2013.02.017.
[Epub ahead of print].
• Sideris S, Loizidou A, Georgala A, Lebrun F, Gil
T, Awada P, Piccart P, Cardoso F. Autoimmune
haemolytic anaemia in a patient treated with
capecitabine. Acta Clin Belg. 2013 MarApr;68(2):135-7. - 1Medical Oncology, Jules
Bordet Institut-Université Libre de Bruxelles,
Bruxelles, Belgium. [email protected]
Unidade de Hospitalização Domiciliária
• Julião M, et al. Efficacy of dignity therapy for
depression and anxiety in terminally-ill patients:
early results of a randomized controlled trial.
Palliat Support Care. 2013 Mar 19:1-10.
[Epub ahead of print] - 1Center of Bioethics,
Faculty of Medicine of the University of Lisbon,
Lisbon, Portugal. 2Department of Palliative
Medicine, Instituto das Irmãs Hospitaleiras do
Sagrado Coração de Jesus, Casa de Saúde
da Idanha, Belas, Portugal. 3Department of
Epidemiology, Instituto Nacional de Saúde Dr.
Ricardo Jorge, Lisbon, Portugal. 4Center for
Evidence Based Medicine, Faculty of Medicine
of the University of Lisbon, Lisbon, Portugal.
• Julião M, et al. Prevalence and factors
associated with desire for death in patients with
advanced disease: results from a Portuguese
cross-sectional study. Psychosomatics.
2013 Feb 25. [Epub ahead of print]
• Julião M, et al. Time and life perception in the
terminally ill: its utility in screening for depression.
J Palliat Med. 2013 Nov;16(11):1433-7
• Julião M, et al. Efficacy of dignity therapy on
depression and anxiety in Portuguese terminallyill patients: a phase II randomized controlled trial.
Journal of Palliative Medicine, 2013 (No Prelo)
Psico-oncologia
• European Partnership for Action Against
Cancer consensus group, Borras JM, Albreht
T, Audisio R, Briers E, Casali P, Esperou H,
Grube B, Hamoir M, Henning G, Kelly J, Knox
S, Nabal M, Pierotti M, Lombardo C, van Harten
W, Poston G, Prades J, Sant M, Travado L,
Valentini V, van de Velde C, van den Bogaert
S, van den Bulcke M, van Hoof E, van den
Neucker I, Wilson R. Policy statement on
multidisciplinary cancer care. European
Journal of Cancer. 2014 Feb;50(3):475-80. doi:
10.1016/j.ejca.2013.11.012. Epub 2013 Dec 6.
• Baili P., Hoekstra-Weebers J., Van Hoof E.,
Helge Bartsch H., Travado L., Garami M., Di
Salvo F., Micheli A., Veerus V, The EUROCHIP-3
Working group on Cancer Rehabilitation. Cancer
Rehabilitation Indicators for Europe. European
Journal of Cancer. 2013 Apr;49(6):1356-64. doi:
10.1016/j.ejca.2012.10.028. Epub 2012 Dec 10.
Medicina Nuclear
• Morgan S, Kemp P, Booij J, Costa DC,
Padayachee S, Barber C, Carter J, Walker Z.
Differentiation of Frontotemporal Dementia
from Dementia with Lewy Bodies using FP-CIT
SPECT. JNNP 2012 Nov, 83 (11): 1063-1070. • Durval C. Costa. UEMS/EBNM endeavour. Eur J
Nucl Med Mol Imaging Apr 2012; 39(4):737-8.
• Alain Prigent, Drazen Huic, Durval C. Costa.
Syllabus for Postgraduate Specialization in
Nuclear Medicine – 2011/2012 Update. Nuclear
Medicine Training in the European Union. Eur J
Nucl Med Mol Imaging Apr 2012; 39(4):739-43
• Gerassimou G,, Costa DC. SPECT study
with I-123-Ioflupane (DaTSCAN) in patients
with essential tremor. Is there any correlation
with Parkinson’s disease? Annals of Nuclear
Medicine 2012; 26: 337-344. Epub 2012 Mar 5.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
40
CENTRO CLÍNICO
CHAMPALIMAUD
.3
Unidade de Neuropsiquiatria
• Trovoada MD, Martins M, Mansour RB, Sambo
MD, Fernandes AB, Gonçalves L, Borja A, Moya
R, Almeida P, Costa J, Marques I, Macedo MP,
Coutinho A, Narum DL, Penha-Gonçalves C.
“NOS2 variants reveal a dual genetic control of
nitric oxide levels, susceptibility to Plasmodium
infection and cerebral malaria.” Infect Immun.
2013 Dec 30.
• Pasquale Innominato, Sylvie Giacchetti, Thierry
Moreau, Georg Bjarnason, Rune Smaaland,
Christian Focan, Carlo Garufi, Stefano Iacobelli,
Marco Tampellini, Salvatore Tumolo, Carlos
Carvalho, Abdoulaye Karaboué, Antoine Poncet,
David Spiegel, Francis Lévi: Fatigue and
weight loss predict survival on circadian
chemotherapy for metastatic colorectal
cancer. Cancer. 2013 Jul 15; 119(14): 2564-73
• Mukaetova-Ladinska EB, Abdell-All Z, Andrade
J, da Silva JA, Boksha I, Burbaeva G, et al.
Platelet tau protein as a potential peripheral
biomarker in alzheimer’s disease: An explorative
study. Curr Alzheimer Res 2013, Aug 6.
• Francisco Caiado, Tânia Carvalho, Isadora
Rosa, Leonor Remédio, Ana Costa, João Matos,
Beate Heissig, Hideo Yagita, Koichi Hattori,
João Pereira da Silva, Paulo Fidalgo, António
Dias Pereira, Sérgio Dias: Bone Marrow–
Derived CD11bþJagged2þ Cells Promote
Epithelial-to-Mesenchymal Transition and
Metastasization in Colorectal Cancer.
Cancer Res 2013; 73:4233-4246.
• da Silva J, Gonçalves-Pereira M, Xavier M,
Mukaetova-Ladinska EB. Affective disorders and
risk of developing dementia: Systematic review.
Br J Psychiatry 2013, Mar;202(3):177-86.
• Bugalho. P., Oliveira-Maia, A.J. Impulse
control disorders in Parkinson’s disease:
crossroads between neurology, psychiatry
and neuroscience. Behavioural Neurology
1;27(4):547-57. doi: 10.3233/BEN-129019 (2013).
Unidade de Tumores Digestivos
• Nuno Figueiredo, Angelo Chora, Helena
Raquel, Nadja Pejanovic, Pedro Pereira, Bjorn
Hartleben, Ana Neves-Costa, Catarina Moita,
Dora Pedroso, Andreia Pinto, Sofia Marques,
Hafeez Faridi, Paulo Costa, Raffaella Gozzelino,
Gerd Döring, Jimmy L. Zhao, Miguel P. Soares,
Margarida Gama-Carvalho, Jennifer Martinez,
Douglas R. Green, Qingshuo Zhang, Markus
Grompe, J. Pedro Simas, Tobias B. Huber, David
Baltimore, Vineet Gupta, João A. Ferreira and
Luis F. Moita: Anthracyclines Induce DNA
Damage Response-Mediated Protection
against Severe Sepsis. Immunity. 2013 Nov
14; 39(5): 874-84.
• Rita Cascão, Bruno Vidal, Helena Raquel,
Ana Neves-Costa, Nuno Figueiredo, Vineet
Gupta, João E. Fonseca, Luis F. Moita: Potent
Anti-Inflammatory and Anti-Proliferative
Effects of Gambogic Acid in a Rat Model of
Antigen-Induced Arthritis. Artigo aceite em
2013 - Mediators of Inflammation - Publicado a
28 de janeiro 2014
PROGRAMA
CHAMPALIMAUD
DE NEUROCIÊNCIAS
.4
Fotografia
Zachary Mainen
Diretor - Programa Champalimaud de Neurociências
PROGRAMA
CHAMPALIMAUD
DE NEUROCIÊNCIAS
.4
Diretor: Zachary Mainen
O Programa de Neurociências da Fundação
Champalimaud (CNP), um programa da
Fundação Champalimaud, foi criado em
2007. Trata-se de uma equipa de investigação
fundamental cujo objetivo geral é compreender
a função cerebral através de abordagens
biológicas integradas. A equipa é composta
por 15 grupos de investigação principais e
2 laboratórios associados que estudam diversos
tópicos na área da neurociência, utilizando
técnicas de ponta avançadas. Os laboratórios
do CNP aplicam técnicas moleculares,
fisiológicas e imagiológicas avançadas para
esclarecer a função dos circuitos e sistemas
neuronais em modelos animais, nomeadamente
“Drosophilae”, ratinhos, ratos e peixes-zebra.
Panorama Geral
da Investigação
Desde dezembro de 2013, o CNP abrange
dezassete grupos de investigação independentes,
incluindo quinze investigadores principais
internos e dois investigadores principais
externos associados.
Megan Carey – Laboratório de Circuitos
Neuronais e Comportamento: este grupo de
investigação utiliza o cerebelo dos roedores
como sistema modelo para estudar a forma como
os mecanismos celulares e sinápticos interagem
nos circuitos neuronais para controlar
o comportamento;
Eugenia Chiappe – Laboratório de Integração
Sensório-Motora: este grupo estuda os processos
integrativos pelos quais o cérebro associa os
sinais sensoriais contínuos às ações motoras,
utilizando o organismo modelo “Drosophila
melanogaster”;
Rui Costa – Laboratório de Neurobiologia
da Ação: este grupo investiga os mecanismos
que estão subjacentes aos processos de
ação, produção e seleção, aprendizagem
de competências, aprendizagem de ações
direcionadas para o objetivo em oposição a
hábitos, através de uma abordagem por níveis,
desde as moléculas até aos circuitos;
Inbal Israely – Laboratório de Estrutura Neuronal
e Função: este grupo utiliza uma combinação
de ferramentas moleculares e genéticas com
metodologias imagiológicas e eletrofisiológicas
para determinar de que modo a atividade pode
levar a alterações estruturais específicas nos
neurónios, o que poderá ser importante para a
aprendizagem, e como essas alterações afetam a
ligação aos circuitos neuronais;
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
44
PROGRAMA
CHAMPALIMAUD
DE NEUROCIÊNCIAS
.4
Adam Kampff – Laboratório de Sistemas
Inteligentes: este laboratório investiga de que
modo as informações são armazenadas em redes
neuronais e como são utilizadas para controlar
o comportamento adaptativo nos roedores.
O laboratório, a par com a investigação experimental,
dedica-se ao desenvolvimento de avanços técnicos
com o objetivo de criar novas ferramentas para
evoluir na investigação das neurociências;
Zachary Mainen – Laboratório de Sistemas
Neuronais: este grupo integra a análise
experimental celular quantitativa e sistémica
dos mecanismos neuronais subjacentes com
contextos teóricos, ecológicos e evolutivos, com
o objetivo global de compreender os princípios
subjacentes ao comportamento adaptativo
complexo dos organismos;
Susana Lima – Laboratório de Neuroetologia:
este grupo tem como objetivo adquirir
conhecimentos mecanicistas em relação
aos processos neuronais subjacentes aos
comportamentos fundamentais nas fêmeas: a
escolha de um parceiro adequado e como iniciar
e terminar o comportamento sexual;
Marta Moita – Laboratório de Neurobiologia
de Comportamento: este grupo centra-se
em compreender os mecanismos neuronais
subjacentes à plasticidade comportamental
através de uma combinação de ferramentas
comportamentais, farmacológicas, moleculares
e eletrofisiológicas, estando particularmente
interessado em estudar a base neuronal da
formação da memória;
Christian Machens – Laboratório de Neurociência
Teórica: o objetivo principal deste grupo é associar
a atividade de várias áreas cerebrais a uma teoria
computacional do comportamento animal, analisando
os registos da atividade neuronal e construindo
modelos matemáticos de circuitos neuronais;
Michael Orger – Laboratório da Visão à Ação:
este grupo utiliza o peixe-zebra como organismo
modelo para estudar a forma como o cérebro
integra as informações sensoriais, seleciona e
realiza as ações adequadas;
Joe Paton – Laboratório de Aprendizagem:
este grupo tem como objetivo revelar os
mecanismos neuronais, através da observação e
manipulação de elementos neurofisiológicos nos
comportamentos dos roedores;
Carlos Ribeiro – Laboratório de Comportamento
e Metabolismo: este grupo estuda a forma como
o estado metabólico interno da mosca da fruta
“Drosophila melanogaster” afeta as suas decisões
comportamentais, com o objetivo de compreender
de que modo os mecanismos moleculares e
celulares controlam os processos biológicos
complexos de todo o organismo;
Leopoldo Petreanu – Laboratório de Circuitos
Neuronais: este grupo aborda o papel funcional
das ligações cortico-corticais em computação
cortical, através do estudo da estrutura e da
função destes circuitos através de métodos
óticos;
Maria Luísa Vasconcelos – Laboratório
de Comportamento Inato: este grupo utiliza
uma abordagem comportamental, genética,
imagiológica e eletrofisiológica combinada
para determinar de que modo os circuitos
neuronais definidos e a sua ativação provocam
comportamentos inatos específicos.
Alfonso Renart – Laboratório de Dinâmica
de Circuitos e Computação: a estratégia de
investigação deste grupo centra-se em identificar
características específicas da organização da
população, através de registos de atividade
simultânea das populações neuronais durante
as tarefas comportamentais controladas, e
desenvolver uma compreensão mecanicista de
como estes padrões da atividade da população
surgem, os quais são investigados através do
desenvolvimento de modelos matemáticos dos
circuitos neuronais subjacentes;
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
46
PROGRAMA
CHAMPALIMAUD
DE NEUROCIÊNCIAS
.4
Grupos de investigação
associados ao CNP:
Domingos Henrique – Laboratório de
Desenvolvimento Neural: este grupo investiga os
eventos moleculares que controlam a produção
de células estaminais neuronais no embrião, como
estas células são mantidas e como dão lugar à
grande variedade de neurónios que compõem o
SNC do adulto;
Rui Oliveira – Laboratório de Endocrinologia
Social e Neurológica: este grupo centra-se em
compreender os mecanismos neuroendócrinos
do comportamento social e a forma como o
ambiente social poderá fornecer informações
ao sistema neuroendócrino.
Publicações
Em 2013, as investigações do CNP resultaram
na publicação de 28 artigos de investigação
especializada. Os investigadores principais do
CNP publicaram um total de 109 artigos de
investigação desde que o CNP foi fundado em
2007. Muitos destes artigos foram publicados
em revistas de elevado impacto, tais como a
Nature, a Current Biology e a Neuron, refletindo
o alcance potencial considerável da investigação
realizada pelos investigadores do CNP. Entre os
estudos publicados em 2013, conta-se um estudo
que descreve um novo método que fornece
aos investigadores uma forma de identificar o
modo como as alterações ao nível de nutrientes
específicos numa dieta do organismo podem levar
a alterações no cérebro e no comportamento.
(Piper MDW, Blanc, E, Leitão-Goncalves R, Yang,
M, He, X, Linford NJ, Hoddinott MP, Hopfen C,
Soultoukis GA, Niemeyer C, Kerr F, Pletcher SD,
Ribeiro C, Partridge L (2013). A holidic medium
for Drosophila melanogaster Nat. Methods 11:
100-105). Outro destaque da investigação é o
resultado da colaboração entre Michael Orger
e um grupo de neurocientistas internacionais
líderes no setor. Este estudo apresenta novos
repórteres ‘GCaMP6’ geneticamente codificados
que permitem aos investigadores ver o que os
neurónios individuais fazem de facto, em tempo
real, dentro de um cérebro vivo, captando
oticamente a dinâmica complexa da atividade nas
populações neuronais em peixes-zebra acordados
e ativos. (Chen TW, Wardill TJ, Sun Y, Pulver SR,
Renninger SL, Baohan A, Schreiter ER, Kerr RA,
Orger MB, Jayaraman V, Looger LL, Svoboda
K, Kim DS (2013). Ultrasensitive fluorescent
proteins for imaging neuronal activity. Nature
499(7458):295-300.)
Financiamento
Desde a fundação do CNP em 2007 até ao final de
2013, os investigadores do CNP receberam uma
quantia superior a 12 milhões de euros para fins
de apoio à sua investigação. Estes fundos foram
concedidos por agências portuguesas, europeias
e internacionais. Em 2013, os investigadores
principais do CNP receberam 21 bolsas. Entre
elas contam-se as Human Brain Project Grants,
atribuídas aos investigadores Rui Costa e Zachary
Mainen. Como membros do Human Brain Project,
Costa e Mainen fazem parte integrante do grupo
internacional de investigadores que trabalham em
mais de 80 instituições de investigação, dedicadas
à compreensão do funcionamento do cérebro
humano. Adicionalmente, Leopoldo Petreanu foi
um dos 28 cientistas nomeados para receber
a bolsa de “Jovem Investigador” pela HFSP em
2013. Petreanu é um dos quatro investigadores
reconhecidos pelo seu envolvimento num projeto
conjunto concebido para “Avaliar a função do layer
neocortical 1 com indicadores geneticamente
codificados de atividade sináptica”. Com esta
bolsa, Petreanu torna-se o quarto elemento do
Programa Champalimaud de Neurociências a
receber financiamento da organização Human
Frontier Science Programme, depois de Zachary
Mainen, Alfonso Renart e Carlos Ribeiro. Uma
bolsa maior foi atribuída a Marta Moita, que
recebeu a prestigiada bolsa inicial do ERC.
Esta bolsa financiará o projeto de investigação
“Circuitos da observação conspecífica” cujo
objetivo é desvendar a forma como o cérebro
utiliza comportamentos defensivos como sinais de
perigo e como é que contribui para mecanismos
de defesa ao nível da população.
Conselho Científico
O Scientific Advisory Board (SAB) do
Champalimaud Neuroscience Programme (CNP)
é constituído por eminentes neurocientistas
com reconhecimento internacional, que reúnem,
anualmente, com os investigadores do CNP tendo
por principal objetivo a análise e avaliação do
progresso dos trabalhos apresentados. Trata-se
de um órgão consultivo que interage com o CNP
no aconselhamento necessário à boa persecução
dos programas de investigação em curso e na
orientação sobre o seu desenvolvimento futuro.
Em 2013, o SAB reuniu pela terceira vez e
estiveram presentes o Prof. J. Anthony Movshon,
o Prof. Martin Raff, o Prof. Thomas Jessell
e o Prof. Tobias Bonhoeffer.
Estudos de pós-graduação
O CNP também organiza o International
Neuroscience Doctoral Programme (INDP –
Programa de Doutoramento em Neurociências).
Neste programa, os estudantes recebem uma
ampla formação académica através de aulas
formais e experiência prática sobre temas
básicos da neurociência contemporânea,
como a fisiologia celular e sináptica, sensação
e ação, bem como neurociência cognitiva.
As abordagens quantitativas são aprofundadas
e os estudantes também frequentam cursos
de matemática e programação. Em 2013, oito
novos estudantes juntaram-se ao INDP. Este novo
grupo de estudantes que iniciará o seu curso em
2014 irá contribuir para a grande diversidade no
CNP, tendo em conta a diversidade de origens,
como a Noruega, Itália, Jamaica e Portugal, e de
formações de pré-doutoramento nas áreas de
Neurociência Cognitiva, Biologia Molecular
e Matemática.
Eventos
Para complementar as atividades relacionadas
com a investigação, o CNP também organizou
vários eventos importantes em 2013. Em
setembro, o terceiro Simpósio sobre Neurociências,
organizado pela Fundação Champalimaud, teve
lugar no Champalimaud Centre for the Unknown
(CCU), reunindo centenas de cientistas de todo
o mundo para assistir às palestras proferidas por
neurocientistas de renome mundial, incluindo
Richard Axel, laureado com o Prémio Nobel. Outra
conferência que teve lugar no CCU, este ano, foi
a 10.a conferência da Sociedade Portuguesa de
Etologia, organizada por Susana Lima e Marta
Moita. Além disso, workshops científicos e cursos
avançados foram organizados pelos investigadores
do CNP, tais como um curso sobre “Hippocampus
and Decision Making” por Marta Moita e o
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
48
PROGRAMA
CHAMPALIMAUD
DE NEUROCIÊNCIAS
.4
workshop “New Brain Technologies: A road map
for Portugal” organizado por Zachary Mainen
e Rui Costa. Este workshop, patrocinado pela
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
e pela Fundação Champalimaud, apresentou o
importante Human Brain Project (HBP), bem como
os detalhes disponíveis sobre os programas de
financiamento esperados num futuro próximo.
geologia, física e química, um grupo de voluntários
do CNP forneceu um ponto de vista único sobre
a neurociência. Um outro acontecimento de
destaque ao nível da sensibilização em 2013 foi a
participação de membros do CNP em 2 eventos
TedEx, em ocasiões distintas: um apresentado
por Zachary Mainen no Porto, e o outro pelos
organizadores do “Sciencecalifragilistic” em Leiria.
Comunicação científica
e sensibilização
Crescimento e diversidade
do CNP
Paralelamente às atividades relacionadas
com a ciência, 2013 foi também produtivo em
termos de sensibilização e comunicação.
Os projetos do Ar | Respire Connosco, um grupo
de voluntários que inclui estudantes, doutorados
e a faculdade, continuaram em 2013 pelo terceiro
ano consecutivo. Estes eventos de sensibilização,
dirigidos ao público geral, exploram diferentes
aspetos dos tópicos científicos e relacionados
com a ciência, tais como a educação e a
narrativa de histórias. São recebidos com grande
entusiasmo, atraindo centenas de pessoas a cada
evento e uma vasta audiência pela Internet, tanto a
nível nacional como internacional. Adicionalmente,
uma iniciativa educativa com muito sucesso
chamada “Sciencecalifragilistic” começou em
2013. Esta iniciativa, suportada pela Ciência Viva
– a Agência Nacional para a Cultura Científica
e Tecnológica, foi organizada por Maria Inês
Vicente, estudante do INDP, Catarina Ramos, a
coordenadora do Departamento de Ciências, e
um grupo de voluntários do CNP. 12 estudantes
de escolas secundárias locais participaram neste
projeto de 6 meses, no qual aprenderam os
princípios e as aplicações do Método Científico.
Outras atividades de sensibilização incluíram a
participação do CNP na Noite dos Professores,
um evento anual que teve lugar no Pavilhão do
Conhecimento, a sede da Ciência Viva. Entre
muitas estações com demonstrações sobre
Desde dezembro de 2013, o CNP conta com
167 membros: 15 investigadores principais,
41 doutorados, 74 doutorandos, 26 técnicos
de laboratório e 11 administrativos. Existe uma
distribuição equilibrada em termos de género em
todos os departamentos, havendo, no total,
82 homens e 85 mulheres (49%:51%). As origens
dos membros do CNP são igualmente diversas,
contando com 26 nacionalidades diferentes
e incluindo, entre outras, as nacionalidades
italiana, mexicana, suíça, japonesa e portuguesa.
Também se verifica diversidade na formação
académica dos membros do CNP, incluindo as
áreas de Biologia, Informática, Matemática, Física,
Neurociências, Psicologia, Ciências Médicas e
outras áreas, contribuindo para um ambiente
dinâmico onde se incentivam sempre novas
abordagens e ideias.
O Relatório global do Programa Champalimaud
de Neurosciências encontra-se em anexo,
em inglês.
Siglas:
CCU– Champalimaud Center for the Unknown
CNP – Champalimaud Neuroscience Programme
HBP – Human Brain Project
INDP– International Neuroscience Doctoral
Programme
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Fotografia
Tânia Vinagre
Diretora - Plataformas Científicas e Tecnológicas
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
A missão das Plataformas científicas e tecnológicas
da Fundação Champalimaud consiste em apoiar a
comunidade de investigação científica e clínica no
sentido de atingir os seus objetivos experimentais,
prestando serviços essenciais que visam
aumentar o impacto da investigação desenvolvida
no Champalimaud Centre for the Unknown (CCU).
Ao longo de 2013, as Plataformas consolidaram os
serviços de apoio à investigação e clínica,
aproximando-se dos utilizadores e respondendo às
suas necessidades concretas. O âmbito dos
serviços prestados pelas plataformas enquadra
desde serviços de rotina a projetos altamente
customizados e especializados. Em 2013
verificámos um aumento significativo da utilização
das Plataformas por parte de investigadores e
médicos, o que reflete a dedicação da equipa das
Plataformas no sentido de se posicionar como um
ponto de suporte confiável e eficaz para os seus
utilizadores.
Em 2013 foi criada uma nova plataforma de apoio à
investigação, o Gabinete para Programas
Financiados (“Office for Sponsored Programmes”)
que visa providenciar um apoio alargado
a investigadores e clínicos na obtenção e
administração de projetos com financiamento
externo de fontes competitivas e mérito
internacional.
Os objetivos globais das Plataformas Científicas
e Tecnológicas para 2014 prendem-se com
o aumento da participação dos membros da
equipa das Plataformas em projetos científicos
concretos em colaboração com os investigadores,
assegurando não só as suas necessidades
básicas de apoio técnico, mas também
afirmando-se como um núcleo tecnológico de
valor acrescentado para a investigação.
As Plataformas prestam serviços principalmente
aos colaboradores internos da Fundação
Champalimaud. No entanto, em 2013 foi também
possível crescer o leque de serviços oferecidos a
investigadores externos de outras instituições
académicas.
Com o intuito de otimizar a utilização dos recursos
das Plataformas e simplificar o processo de
requisição, rastreamento e faturação interna
de serviços prestados pelas Plataformas aos
utilizadores, optámos por implementar um software
de gestão de serviços científicos utilizado também
em algumas das mais conceituadas instituições de
investigação a nível internacional, a ferramenta iLab
Solutions. Implementámos com sucesso um piloto
em três plataformas e pretendemos expandir para
as restantes em 2014.
Fotografia 1.
Plataformas Cientificas e Tecnológicas
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Filipe Carvalho,
Maria Vito, Susana Dias e Isabel Campos
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Pedro Carvalho,
Shira Lottem, José Cruz, Ana Santos, Ana Cunha,
José Rino, Ricardo Ribeiro, Pedro Monteiro,
Sara Moreira e Joaquim Teixeira
3.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Patrick Teca,
Leo Madruga, Tânia Vinagre
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
52
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Plataforma de Lavagem/Esterilização de
Vidros e Preparação de Meios
Maria Vito, Patrick Teca
A Plataforma de Lavagem/Esterilização de Vidros
e Preparação de Meios consolidou o seu papel de
apoio à comunidade Clínica e Científica no sentido
de garantir o sucesso dos trabalhos experimentais,
facultando materiais e serviços essenciais para os
trabalhos experimentais realizados.
A Plataforma de Lavagem/Esterilização de Vidros
e Preparação de Meios funciona como suporte às
várias unidades de investigação e clínicas no CCU,
prestando serviços de lavagem e esterilização de
instrumentos de laboratório e preparando meios
bacteriológicos e cultura de tecidos de elevada
qualidade necessários para protocolos
experimentais. Para além disso, esta Plataforma
é responsável pela implementação e aplicação de
procedimentos de biossegurança, eliminação de
resíduos e esclarecimento e apoio em qualquer
situação relacionada com estes temas.
Para a unidade de Radioterapia, a Plataforma de
Lavagem/Esterilização de Vidros e Preparação de
Meios foi responsável pela conceção e
implementação de controlo bacteriológico e de
esterilidade numa técnica desenvolvida pela
respetiva Unidade.
A Plataforma continua a colaborar com a Unidade
de Medicina Nuclear com a preparação e
descontaminação de todos o material de vidro,
assim como, a preparação de soluções
normalizadas.
De salientar também a implementação de registos e
controlo de todos os serviços prestados, de modo
a otimizar o processo de faturação mensal
da Plataforma.
Ao longo de 2013, esta Plataforma ampliou
significativamente o número de serviços de
esterilização e preparação de meios e soluções
para os grupos do CNP, bem como para as várias
unidades clínicas e Farmácia do Centro Clínico
Champalimaud.
Foi alargada a oferta de soluções e meios de
cultura, assim como a otimização de protocolos,
com vista a responder o mais adequadamente
possível às solicitações dos vários grupos de
Investigação.
No que respeita ao centro clínico, foram inseridas
novas Unidades com necessidade de diversos tipos
de serviços de Esterilização: Radioterapia, Urologia
e Ginecologia.
Fotografia 1.
Patrick Teca
Plataforma de Lavagem/Esterilização de Vidros
e Preparação de Meios
Fotografias 1. e 2.
Software de rastreamento de objectos desenvolvido pela Plataforma de Software
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
54
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Plataforma de Histopatologia
Ana Santos, Leo Madruga, Susana Dias
Plataforma de Biologia Molecular
Ana Cunha, PhD
A Plataforma de Histopatologia oferece assistência
no estudo da anatomia microscópica dos tecidos e
das células, cortando amostras em secções
extremamente finas e corando-as, utilizando
reagentes específicos, que permitem a identificação
de diferentes estruturas, células e
micro-organismos. A Plataforma de Histopatologia
fornece serviços histológicos padrão e
personalizados, apoio e formação tanto a
investigadores como a clínicos, no contexto
da histopatologia diagnóstica.
Os principais objetivos da Plataforma de Biologia
Molecular consistem em produzir e fornecer vetores
virais (AAV) e em dar apoio ao nível de técnicas de
Biologia Molecular e construção de plasmídeos
recombinantes aos investigadores da Fundação
Champalimaud.
Ao longo do ano de 2013, a Plataforma de
Histopatologia deu continuidade ao apoio prestado
aos diversos grupos de investigação inseridos no
Programa de Neurociências (CNP), tendo preparado
cerca de 450 amostras para análise microscópica.
2 105
horas de utilização
de microscopia
Em 2013, a Plataforma de Biologia Molecular
fundiu-se com a Plataforma de Produção de Vírus
e foi responsável por:
- Produção rotineira de AAV;
- Aquisição de AAV a fontes externas;
- Construção de plasmídeos para diversos fins,
incluindo produção de moscas transgénicas e
produção de AAV;
- Estabelecimento de uma sala específica para uso
de Brometo de Etídio, para fins de clonagem de
fragmentos de DNA.
Com vista a otimizar a gestão dos serviços
requisitados e a faturação mensal dos mesmos, a
Plataforma de Histopatologia tem disponível, desde
fevereiro de 2013, uma página na plataforma “iLab
Solutions”.
Em dezembro de 2013, a equipa de técnicos da
Plataforma de Histopatologia cresceu, com a
contratação de uma nova técnica especializada
em técnicas de histopatologia, Susana Dias.
Em paralelo, à sua atividade relacionada com o
CNP, a Plataforma de Histopatologia deu
seguimento ao projeto de colaboração com o
Centro Clínico Champalimaud, ao nível da análise
anatomopatológica de amostras humanas, tendo
sido registados 1745 exames. Neste contexto, foi
inaugurado, em novembro de 2013, um novo
espaço laboratorial, destinado ao serviço de
Anatomia Patológica.
Fotografia 1.
Ana Santos
Plataforma de Histopatologia
20
utilizadores diários
Plataforma de Moscas
Isabel Campos, PhD, Liliana Costa
A Plataforma de Moscas foi criada para prestar
assistência a todos os investigadores do Centro
que utilizem como modelo experimental animais da
família da Drosophilidae, com particular incidência
na “Drosophila melanogaster”.
Esta Plataforma é mantida por pessoal
especializado e dedicado a tempo inteiro que
suporta equipamentos e serviços necessários
para a reprodução, manutenção e manipulação
da Drosophila.
11 000
litros
de meio de cultura
de Drosophila
iniciou-se a produção de animais transgénicos para
investigadores internos e criou-se um serviço
integrado de dissecção de cérebros, marcação
por imunohistoquímica, análise de imagem em
microscopia confocal e posterior registo das
imagens adquiridas.
Esta Plataforma é a entidade coordenadora para
Drosophila do Consórcio CONGENTO que foi
recentemente criado com outras 3 instituições, a
fim de desenvolver e fornecer serviços de apoio à
investigação utilizando organismos geneticamente
manipuláveis.
Durante o ano de 2013, trabalharam diariamente
nesta plataforma mais de 20 utilizadores de
3 grupos de investigação do centro. Para além
dos utilizadores internos, a Plataforma de Moscas
também presta serviços ao exterior, em particular a
12 grupos de investigação do campus do IGC, com
quem, em 2012, encetou uma colaboração para a
produção de meio de cultura de Drosophila.
A produção deste meio tem vindo a crescer e em
2013 ultrapassou os 11 000 litros.
Com vista à otimização da gestão dos serviços
requisitados e à sua respetiva faturação mensal,
em fevereiro de 2013 a Plataforma de Moscas
implementou a ferramenta online iLab Solutions.
O ano de 2013 foi um ano de viragem na prestação
de serviços da Plataforma. Assim, para além dos
serviços que tem vindo a assegurar desde a sua
criação, nomeadamente a produção de meio, a
gestão e manutenção de salas, equipamentos,
stocks e base de dados, iniciou-se a prestação de
serviços técnicos de maior impacto. Neste âmbito,
estabeleceu-se uma colaboração com a Plataforma
de Software para a implementação de um protocolo
de registo de imagens de cérebros de Drosophila,
Fotografia 1.
Isabel Campos
Plataforma das Moscas - Camera de ambiente
controlado para criação de Drosophila
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
56
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Plataforma de Imagem e Microscopia Ótica
José Rino, Ph.D.
A Plataforma de Imagem e Microscopia Ótica
faculta formação e acesso a uma grande variedade
de microscópios óticos e software de análise de
imagens com tecnologia de ponta. A Plataforma
está equipada com um microscópio confocal, três
microscópios de fluorescência “wide-field” com
câmaras CCD (um com platina motorizada para
aplicações de “scanning” e stitching” de imagens),
três estéreo-microscópios (das quais dois estão
preparados para aquisição de imagens em
fluorescência com câmaras CCD) e um
microscópio DIC de campo claro.
Para além do contínuo acompanhamento e
formação de novos utilizadores, a Plataforma
oferece assistência no planeamento de projetos e
no desenho experimental, aconselhamento na
preparação das amostras e fornece apoio na
análise e processamento de imagens.
Em 2013, a Plataforma de Imagem e Microscopia
Ótica treinou 20 novos utilizadores em diferentes
sistemas de microscopia. Os serviços da Plataforma
foram utilizados por 48 investigadores de 15 grupos
de investigação diferentes, totalizando 2105 horas
de utilização de microscopia. Em 2013, a
Plataforma juntou-se à Plataforma Portuguesa de
Bioimagem (PPBI), um consórcio de 17 núcleos de
imagem e microscopia portugueses que constituem
uma infraestrutura nacional e que integra o Roteiro
Nacional de Infraestruturas de Investigação de
relevância estratégica para 2014-2020 da FCT, com
o objetivo de facilitar o acesso a recursos de
bio-imagem à comunidade científica.
Fotografia 1.
Microscópio Confocal Zeiss - LSM 710
Fotografia 2.
Sistema de microscopia 2-fotões Prairie Ultima
Plataforma de Desenvolvimento
de Software Científico
Ricardo Ribeiro, José Cruz, PhD, Pedro Carvalho
Tem também a preocupação de reter o
conhecimento dos algoritmos instalados para
as futuras gerações de investigadores.
A missão da Plataforma de Desenvolvimento de
Software Científico consiste em proporcionar
conhecimento técnico e suporte de engenharia de
software de elevada qualidade, de modo a aumentar
a eficiência através do controlo dos custos e da
minimização de esforços redundantes.
A manutenção de todos estes projetos tem-se
tornado cada vez mais exigente e, perto do final do
ano, Pedro Carvalho juntou-se à nossa equipa para
nos ajudar na tarefa de providenciar soluções de
software científico.
À semelhança do ano anterior, em 2013 a
Plataforma ofereceu serviços nas áreas de:
- Software Científico Personalizado: com o
desenvolvimento de software para a análise de vídeo
e identificação de comportamento de animais;
- Aplicações Web: com a implementação dos
novos websites da Fundação e da Clínica;
- Suporte na Gestão de Processos: com o
desenvolvimento de uma base de dados para a
registo de compras e gestão de recursos;
- Consultoria Especializada: engenharia de
software para grupos de investigação.
Adicionalmente, em 2013 a Plataforma de Software
Científico também desenvolveu os seguintes
projetos:
- Base de dados clínicos com fins científicos;
- Preparação e instalação de um serviço de arquivo e
armazenamento de dados;
- “Brain registration”: para registo de imagens de
cérebros de moscas observadas ao microscópio.
Este registo permite uma análise de diferenças entre
imagens de cérebros de diferentes indivíduos.
- “Open Computational Scheduler Platform”
(OpenCSP), que oferece computação em GRID
para a análise de grandes quantidades de dados.
Esta Plataforma pretende juntar os recursos
computacionais dos vários laboratórios de forma
a evitar gastos em sistemas redundantes.
Fotografia 1.
Ricardo Ribeiro,
Plataforma de Desenvolvimento
de Software Científico
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
58
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Biotério
Nikol Tschaepe (Diretora), Rui Costa (Veterinário
Assistente)
O Biotério inclui áreas dedicadas a roedores - “Mus
musculus e Rattus norvegicus” - e “peixes-zebra
- Danio rerio” - que têm como principal função o
alojamento e manutenção dos animais utilizados em
investigação científica, bem como áreas dedicadas à
realização de procedimentos experimentais, nas
áreas de neurociências e oncologia.
Durante este ano, o Biotério expandiu a produção
interna de animais de modo a sustentar as
necessidades dos grupos de investigação.
Foi também alargado o número de salas de
experimentação e de salas de alojamento, o que
concedeu aos investigadores uma melhoria
considerável nas suas condições experimentais,
relativamente ao ano anterior.
O Biotério implementou ainda um conjunto de
medidas com vista à melhoria do bem-estar animal,
tais como a utilização de enriquecimento ambiental
em todas as caixas de animais e medidas contra o
excesso populacional por caixa.
O Biotério presta também apoio aos investigadores
na submissão dos projetos científicos e dos pedidos
de licenças pessoais para acreditação para trabalhar
com animais de laboratório à autoridade competente
- Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV).
A equipa do Biotério continua em permanente
actualização, tentando sempre manter-se na
vanguarda das tecnologias e do conhecimento
em animais de laboratório, com o objetivo de manter
as instalações e o seu funcionamento sempre
modernizados. A equipa procura oferecer aos
investigadores o melhor ambiente experimental, sem
esquecer o bem-estar animal e cumprindo sempre
com a legislação vigente.
Unidade de Transgénicos e Rederivação
Rubina Caldeira e Joana Almeida
A Unidade de Transgénicos e Rederivação tem como
principais objetivos a rederivação de estirpes de
ratinho, criopreservação e revitalização de embriões e
esperma de ratinho e ainda a produção de animais
transgénicos.
A rederivação permite a limpeza de animais
provenientes de instituições externas a fim de manter
um estatuto sanitário, livre de agentes patogénicos
que possam comprometer a saúde e o bem-estar
animal ou influenciar os resultados experimentais.
A criopreservação/revitalização de embriões e
espermatozóides são serviços indispensáveis num
instituto de investigação pois, além de garantirem a
preservação das estirpes de ratinho, permitem a
redução do número de animais experimentais, indo
assim de encontro aos princípios 3Rs (redução,
refinamento e reciclagem) explícitos na diretiva
europeia n.º 2010/63/EU que foi este ano transposta
para a legislação nacional.
Este ano, a unidade acolheu um estagiário externo
para formação. Em colaboração com a Plataforma de
Moscas, implementou-se no Centro a técnica de
produção de moscas transgénicas. A Plataforma
esteve ainda presente no mais conceituado
congresso internacional da área que este ano
aconteceu em Guangzhou, China, com a
apresentação da Plataforma em formato de poster.
A Plataforma procurou, ao longo deste ano, otimizar
os seus protocolos a fim de aumentar as eficiências
das técnicas realizadas. A unidade continua também
a manter-se na vanguarda das novas tecnologias e
participou este ano no recentemente criado Consórcio
CONGENTO como a unidade concretizadora dos
serviços de trangénese e criopreservação para as
instituições pertencentes ao consórcio.
Plataforma de Peixes
Ana Catarina Certal, PhD
A Plataforma de Peixes do CCU tem como principal
função o alojamento, a criação e a manutenção de
peixes-zebra de tipo selvagem, mutantes e
transgénicos, utilizados como modelos de
investigação, sob rigorosas condições sanitárias e
de bem-estar animal internacionalmente reguladas
e essenciais para investigação em cancro,
neurociências e biomedicina em geral.
Esta Plataforma iniciou as suas atividades no final de
2011 e, após uma fase de implantação em 2012,
iniciou-se um período de consolidação em 2013 em
que foram implementados programas de criação,
foram expandidas as populações existentes e foram
implementados os mais recentes protocolos de
alojamento, alimentação, criação e controlo sanitário.
A Plataforma apoiou também a crescente criação de
novas linhas de peixes transgénicos totalmente
desenvolvidas pelos nossos investigadores,
participando ativamente nos esforços de rastreio
genético que estão envolvidos nestes projetos.
Adicionalmente, a Plataforma desenvolveu um
pequeno estudo sobre otimização de um protocolo
de alimentação para maximizar a sobrevivência dos
alevins e a qualidade dos ovos, cujos resultados se
encontram presentemente em fase final para
publicação.
A Plataforma de Peixes do CCU é ainda a entidade
coordenadora para peixes do Consórcio CONGENTO
que foi recentemente criado com outras 3 instituições,
a fim de desenvolver e fornecer serviços de apoio à
investigação utilizando organismos geneticamente
manipuláveis.
Fotografia 1. e 2.
Plataforma de Peixes
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
60
PLATAFORMAS CIENTÍFICAS
E TECNOLÓGICAS
.5
Gabinete para Programas
Financiados
“Office for Sponsored Programmes”
Ao longo de 2013, o ”Office for Sponsored
Programmes” prestou apoio à execução de
47 projetos de investigação, 63% dos quais
tiveram início no decorrer desse ano.
Estes projetos foram financiados externamente
em cerca de 9,45 milhões de euros, através de
fundos atribuídos por agências nacionais (53%) e
internacionais (47%), públicas (60%) e privadas (40%).
Mais de
6.4 M€
em financiamento
de projectos
Durante o ano transato, os investigadores da
Fundação Champalimaud apresentaram a concurso
29 projetos de investigação, tendo, entre aqueles já
avaliados, obtido uma taxa de aprovação de 67%.
O resultado global dos financiamentos atribuídos ao
longo de 2013 ultrapassa os 6,4 milhões de euros,
ou seja, 72% dos orçamentos propostos para
financiamento.
Entre os projetos individuais, merecem particular
destaque a “European Research Council Starting
Grant”, atribuída à investigadora Marta Moita, e a
“European Research Council Consolidator Grant”,
atribuída ao investigador Rui Costa, no âmbito do
Sétimo Programa Quadro da Comissão Europeia
(FP7). Ambos os projetos terão a duração de
5 anos e um orçamento global de cerca de
3,5 milhões de euros. Também o investigador
Leopoldo Petreanu viu o seu projeto de
investigação entre os 10 que foram aprovados
mundialmente para financiamento pela prestigiada
organização internacional “Human Frontier
Science Program Organization” (HFSPO) para
apoiar Jovens Investigadores. Este projeto visa
avaliar a função do estrato neocortical 1 através de
indicadores de atividade sináptica geneticamente
codificados e terá a duração de 24 meses.
Leopoldo Petreanu é o quarto investigador da
Fundação Champalimaud a receber financiamento
por parte da HFSPO, juntando-se assim aos
investigadores Zachary Mainen, Alfonso Renart
e Carlos Ribeiro. Por seu lado, a investigadora
Engenia Chiappe mereceu por parte da Comissão
Europeia apoio ao projeto de desenvolvimento
da sua carreira científica através da bolsa “Marie
Curie Career Integration Grant”.
Relativamente a projetos de Cooperação
financiados pela Comissão Europeia, o “Human
Brain Project” (HBP) merece ser evidenciado. Este
megaprojeto visa contribuir para um conhecimento
aprofundado da complexidade do cérebro humano,
do seu funcionamento e de como é afetado em
caso de doença. É um projeto que será executado
ao longo de 10 anos e que tem um orçamento
global de 1.000 milhões de euros. A fase de
lançamento teve início em outubro de 2013 e irá
decorrer ao longo de 36 meses. Nela participam 80
entidades internacionais, entre as quais se encontra
a Fundação Champalimaud representada pelos
investigadores Rui Costa e Zachary Mainen.
As entidades beneficiárias do HBP repartem
atualmente entre si 54 milhões de euros,
esperando-se que o número de participantes
cresça ao longo de 2014.
A nível internacional destacamos ainda o
projeto “NeuroSeeker”, no qual participam os
investigadores Adam Kampff, Alfonso Renart e
Leopoldo Petreanu. O “NeuroSeeker” visa estudar
a estrutura, a função e a interação entre áreas do
cérebro que estão envolvidas na perceção e no
processo de aprendizagem e que interagem entre
si a vários níveis. Este projeto de cooperação
envolve 10 entidades europeias e tem um
orçamento global de 6 milhões de euros.
Siglas:
CCU – Champalimaud Centre for the Unknown
CNP – Champalimaud Neuroscience Programme
FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia
PROGRAMA EDUCATIVO
.6
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
62
PROGRAMA EDUCATIVO
.6
Este Programa envolve estudantes, investigadores
e profissionais de várias áreas, bem como
instituições e pessoas que nos procuram
de todos os pontos do mundo para conhecer
o Champalimaud Centre for the Unknown.
A aposta na educação, como pilar para
o desenvolvimento da sociedade é uma prioridade
da Fundação Champalimaud e uma das
componentes principais da sua missão, enquanto
líder e promotora do conhecimento.
Sabemos que o compromisso que assumimos
está inteiramente focalizado em seguir métodos
inovadores e abrangentes. Procuramos, por isso,
estar presentes nas etapas do processo educativo
que estão em linha com os nossos programas
e que se concretizam em consonância com as
atividades que vamos desenvolvendo.
Em 2013, seguindo um caminho que se enquadra
com a nossa missão, recorremos à experiência
adquirida para consolidar iniciativas que em anos
anteriores tiveram um caráter experimental, tais
como as visitas escolares, e cuja projeção e
resultados muito concretos nos entusiasmaram.
Melhorámos e alargámos os nossos programas
de forma a torná-los mais abrangentes e
sistematizados, e esta iniciativa não só permitiu
chegarmos a mais pessoas como nos levará, em
anos futuros, a desenvolver novas ideias e projetos
que chegarão a públicos mais diversificados,
nunca esquecendo os estudantes e docentes dos
vários graus de ensino que procuram conhecer
aquilo que de melhor se faz no nosso Centro.
Fotografia 1.
Ar | Respire connosco
Programas de Formação
Estudos de pós-graduação
Programa Doutoral para Médicos
A Fundação Champalimaud mantem a parceria
com a Fundação Gulbenkian, com a Fundação
para a Ciência e Tecnologia (FCT), e o Ministério
da Saúde, na condução do Programa de
Formação Médica Avançada (PFMA). A sua
4ª edição, iniciada em 2011, apoia 9 médicos
especialistas no desenvolvimento de projetos
de investigação de reconhecida qualidade,
no processo do seu Doutoramento (PhD),
tendo 2 deles já concluído as suas provas nas
Universidades de Coimbra e de Lisboa.
Programa de Doutoramento
Internacional de Neurociências (INDP)
Através de programas avançados de educação,
a Fundação atrai estudantes de todo o mundo
para participarem no Programa de Doutoramento
Internacional de Neurociências (INDP). Os
doutorandos são motivados a desenvolver a
sua capacidade para enfrentar grandes desafios
intelectuais, aprender novas técnicas e modos de
pensar e trabalhar entusiasticamente em equipa.
A curiosidade, a autonomia e a criatividade
são estimuladas, a par da independência de
pensamento, para criar um ambiente de trabalho
único e desafiante.
10
novos estudantes
Para o curso que teve início em janeiro de 2013,
entraram no final de 2012 10 novos estudantes de
vários países: Portugal, Alemanha, Índia, E.U.A.,
Reino Unido e Turquia. A sua formação de base
é também diversificada e inclui as áreas das
neurociências, biologia de sistemas e biologia
molecular, física, matemática e biomedicina.
Dedicado à investigação dos fundamentos
biológicos da mente e do comportamento,
o programa procura, numa primeira fase,
dar aos estudantes conhecimentos para o
desenvolvimento de trabalho de investigação
inovador e interdisciplinar em neurociência, básica
e aplicada, especialmente nas áreas dos sistemas
neuronais que estão na origem do comportamento.
Alfonso Renart, Investigador Principal do CNP e
diretor do INDP explica “os estudantes aprendem
processos de raciocínio que estão na base
daqueles que são os estudos clássicos e de
referência da neurociência e, através de uma série
de debates com outros estudantes e docentes, irão
familiarizar-se com a utilização e funcionamento
de equipamento como o microscópio e
computadores, adquirindo capacidades a um
nível adaptado à sua formação de base”.
Este programa tem o apoio financeiro da
Fundação Champalimaud e da Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT).
Fotografia 1.
Estudantes do INDP 2013
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Michael Pereira, Danbee
Kim e Marina Fridman
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Rita Félix, Asma
Motiwala, Hedi Young, Nuno Loureiro, Mert
Erginkaya, Nuno Calaim e Raphael Steinfeld
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
64
PROGRAMA EDUCATIVO
.6
Atividades com estudantes
e professores
500
alunos
do ensino
secundário
290
alunos
do ensino
universitário
As visitas ao Centro
Em 2013 foram realizadas, dentro do calendário
escolar, 9 visitas com escolas secundárias,
permitindo a mais de 500 alunos e respetivos
professores terem um contacto próximo com
a realidade da Fundação Champalimaud,
particularmente com os seus programas de
investigação. Estas visitas foram orientadas por
Investigadores Principais do Champalimaud
Neuroscience Programme (CNP) e, também,
pelos alunos do International Neuroscience
Doctoral Programme (INDP). Este contacto
facultou uma aproximação aos temas científicos
e aos laboratórios de investigação de forma
direta e pedagógica com vantagens para todos
os que estiveram envolvidos, tal como referiram
alguns professores e alunos que nos escreveram
entusiasmados. Cremos que esta fórmula resulta
e, embora não tenha ainda sido possível estendê-la a mais datas, constituiu já uma forma alargada
e muito positiva de acesso por parte dos alunos
à realidade da investigação científica, o que nos
parece ser importantíssimo para a escolha futura
das suas opções académicas.
Durante o ano, e de forma mais informal,
fomos também acolhendo visitas por parte de
muitas universidades em áreas diversas, como
arquitetura, engenharia civil, ciências biomédicas
e farmacêuticas, medicina e enfermagem,
gestão e comunicação dando-nos conta que a
curiosidade sobre as atividades da Fundação
Champalimaud é cada vez maior. Estas visitas
têm um caráter mais geral, embora se tente
sempre focalizar nos temas de interesse por
parte dos estudantes e fazê-los acompanhar por
pessoas que, no nosso Centro, se encontram
aptas a fornecer informação útil a nível técnico
e académico. Curiosamente, notámos que
a demanda de visitas não era só a partir de
instituições portuguesas mas já em pé de
igualdade com universidades estrangeiras, o que
nos levará a estruturar estas visitas de forma mais
consistente, procurando dar uma resposta mais
alargada conforme fizemos para as visitas do
ensino secundário.
Fotografia 1.
Visita Escola de Pombal, Maio 2013
Fotografia 2.
Visita escolar à Plataforma das Moscas
Outubro 2013
O CNP participou na Semana do Cérebro
e na “Noite do Professor”
O CNP participou, mais uma vez, no Brain
Awareness Week 2013 (BAW 2013), uma campanha
global sobre temas ligados ao cérebro em que
participam instituições científicas, universidades,
hospitais, escolas e associações profissionais de
todo o mundo, unindo-se durante uma semana
para popularizar conhecimentos em neurociências
e desenvolver programas diversos em vários
pontos do globo.
Este programa é coordenado pela Dana Alliance
for Brain Initiatives e pela European Dana Alliance
for Brain. Em Portugal, as atividades decorreram
entre 12 e 18 de março, tendo o Programa
Champalimaud de Neurociências participado
através da colaboração dos estudantes do
curso de doutoramento e de alguns dos seus
Investigadores Principais, em visitas a escolas e
unidades de educação com o objetivo de divulgar
os progressos e os benefícios da investigação
científica do cérebro, a partir das suas experiencias
profissionais e académicas.
lugar, como habitualmente, no Pavilhão do
Conhecimento. Entre muitos espaços dedicados à
geologia, à física ou à química, o CNP apresentou
uma visão única sobre a neurociência com acesso
a material informativo sobre as nossas atividades
de investigação, grupos de investigadores,
encontros científicos, etc., ao mesmo tempo que
lhes deu a oportunidade de partilharem connosco
algumas experiências científicas, o que criou um
ambiente de grande originalidade através das
iniciativas inesperadas que facultámos a quem
nos visitou no pavilhão.
Foram as seguintes as instituições visitadas:
Centro Ciência Viva do Lousal - Apresentação feita
por Pedro Ferreira, estudante do INDP com o tema:
“Dos Neurónios aos circuitos no cérebro: uma
viagem com laser e outras coisas improváveis”;
Desta forma, o espaço da Fundação Champalimaud
foi literalmente “invadido” com a visita de cerca
de 500 professores, ávidos de informação sobre
as atividades desenvolvidas por nós no campo
da educação. Consideramos que esta ocasião
foi extremamente útil para entendermos mais
claramente os seus requisitos, as suas ansiedades e
sobretudo aquilo que mais procuram. A informação
recolhida foi valiosa para conseguirmos individualizar
as áreas onde podemos melhorar e tentarmos
alargar a nossa colaboração através de programas
mais dedicados. Este levantamento terá como
resultado a programação de algumas ações que
faremos, em 2014, pela primeira vez.
O tema “Cérebro meu: quem é mais complexo
do que eu?” foi apresentado, respetivamente pela
Ana Rita Fonseca, outra das estudantes do INDP,
na Escola Básica 2,3 Conde de Oeiras e pelas
Investigadoras Principais, Susana Lima e Marta
Moita, respetivamente no Grémio de Instrução
Liberal de Campo de Ourique, em Lisboa e na
Escola Alcaides de Faria, em Barcelos.
A “Noite do Professor 2013”, um acontecimento
inteiramente dedicado a educadores e professores,
realizado este ano a 18 de outubro, teve
Fotografia 1.
Stand da Fundação Champalimaud
na “Noite do Professor”
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
66
PROGRAMA EDUCATIVO
.6
“Sciencecalifragilistic”
Trata-se de um projeto inédito de educação em
ciência, promovido pelos investigadores do CNP
que envolve estudantes de algumas escolas
secundárias numa viagem através do método
científico, desde a formulação de questões e
hipóteses, às respostas e conclusões, passando
pela recolha, análise e discussão de resultados.
O programa foi lançado este ano por um grupo de
estudantes e “postdoctoral fellows” do CNP com
o objetivo de estimular o raciocínio científico, o
pensamento crítico, a curiosidade e a criatividade,
desmistificando, ao mesmo tempo, os processos
científicos e o trabalho diário de um cientista junto
dos mais jovens.
O “Sciencecalifragilistic – Critical Thinking and
Science: a Jouney through the Scientific Method”,
(em português “Peripécias de uma viagem ao
método científico”), cujo tema é bem simbólico da
sua missão, é um projeto no âmbito do programa
“Escolher Ciência” financiado pela Ciência Viva,
a Agência Nacional para a Cultura Científica e
Tecnológica.
Participaram em 2013, 12 alunos e 4 professores
das escolas secundárias D. Luísa de Gusmão e
Escola Secundária de Alfragide que estiveram
connosco entre janeiro e maio. O programa
terminou num encontro aberto às famílias e
amigos dos participantes em que os alunos
apresentaram os seus projetos experimentais
em formato de posters científicos. Uma ocasião
igualmente aproveitada pela Fundação para falar
sobre os seus objetivos e programas.
Fotografia 1.
Grupo de estudantes participantes no
“Sciencecalifragilistic” em 2013 acompanhados
pelos investigadores do CNP
Fotografia 2.
Estudantes do “Sciencecalifragilistic” 2013
trabalhando no projecto
Os nossos encontros com a
comunidade científica
Embora conscientes que a nossa ação a nível
académico é extremamente importante, a
Fundação tem igualmente que cumprir a sua
missão de tornar o conhecimento adquirido
acessível à comunidade científica através da
realização de encontros anuais de caráter
científico como o “Champalimaud Cancer
Research Symposium”, os “Cancer Talks”,
o “Champalimaud Neuroscience Symposium” e
ainda os mais frequentes “CNP Colloquia”.
Trata-se de ocasiões de alto nível científico em
que trazemos a Portugal cientistas internacionais
de renome para partilharem o seu trabalho
e experiência.
Vamos também, ao encontro de um público
mais geral onde a comunicação é acessível,
interativa e informal através de inúmeros encontros
periódicos, como os SeminAr e as iniciativas
“Ar | Respire Connosco”. A estas realizações da
nossa responsabilidade, acresce a presença
constante de investigadores do CNP e membros
do corpo clínico do Centro Clínico Champalimaud
em muitos eventos externos onde somos, cada
vez mais, chamados a participar a vários níveis.
Informações mais detalhadas sobre os temas
abordados constam dos relatórios do CNP
e do CCC, anexos a este relatório.
Fotografia 1.
Anna Hobbiss, aluna de doutoramento do CNP
Ar | Respire connosco, “Storytelling” 22 de Maio 2013
Siglas
CCC - Centro Clínico Champalimaud
CNP - Champalimaud Neuroscience Programme
Fotografia 2.
“Champalimaud Neuroscience Symposium”,
25 - 28 Setembro 2013
Auditório da Fundação Champalimaud
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
68
PROGRAMA EDUCATIVO
.6
Programa Champimóvel
27 847
visitas em 2013
O projeto Champimóvel continua, com muito êxito,
a cativar os jovens para a investigação científica
tornando esta atividade mais próxima, acessível
e relevante, sem lhe retirar o mistério ou sacrificar
o rigor. Para que isso aconteça, é de grande
interesse a apresentação dos avanços recentes
no campo das tecnologias mais promissoras e
dos laboratórios que as desenvolvem, alertando,
ao mesmo tempo para algumas fronteiras com
que os cientistas se confrontam no seu dia a dia.
O objetivo desta “viagem” através do simulador
é que os alunos reconheçam que na ciência,
assim como na música, no cinema ou no futebol,
também há pessoas interessantes para conhecer,
com histórias emocionantes e divertidas, embora
apareçam pouco nos media.
Para que tudo isto se torne possível em cada
um dos concelhos/localidades, foram realizadas
45 reuniões e visitas técnicas entre 10 distritos
e 26 concelhos, agrupamentos escolares e
organizações. Estas reuniões tiveram lugar com
elementos do executivo camarário, diretores
dos conselhos executivos dos agrupamentos
escolares e responsáveis pelos eventos em que
o Champimóvel participou.
Desde 2008, e ao longo destes 6 anos,
continuamos empenhados em que a atividade
do Champimóvel esteja principalmente centrada
nas escolas de forma contínua e integrada,
num trabalho de cooperação com as Câmaras
Municipais e conselhos executivos dos
agrupamentos, para despertar e manter
o interesse dos jovens na ciência, na esperança
que muitos decidam “quando for grande quero
ser cientista!”
24 000
crianças
800
Em 2013, o Champimóvel cumpriu, mais uma
vez, um calendário intenso tendo realizado 1 164
sessões e acolhido 24 000 crianças e jovens, mais
de 800 professores e cerca de 3 000 adultos, num
total de 27 847 visitas.
professores
Fotografia 1.
Agrupamento de Escolas de Gaia
Fotografia 2.
Expo de Lisboa 2013
Campeonato Europeu de Triatlo
Roteiro
Estivemos presentes em dez distritos: Braga,
Castelo Branco, Évora, Faro, Lisboa, Porto,
Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu e
percorremos 26 Concelhos: Mafra, Esposende,
Faro, Ponte de Lima, Caminha, Vila Nova de
Cerveira, Valença do Minho, Paredes de Coura,
Fundão, Porto, Barreiro, Azambuja, S. Brás de
Alportel, Albufeira, Covilhã, Marco de Canavezes,
Oeiras, Cascais, Sintra, Odivelas, Portimão, Évora,
Vila Nova de Gaia, Stª Marta Penaguião, Barcelos
e Stª Comba Dão.
Para além do roteiro escolar, o Champimóvel
esteve também presente em eventos e
fins-de-semana abertos às comunidades locais:
• Feira da Ciência e da Tecnologia de Esposende
• Expolima - Feira do Ambiente e Energias
de Ponte de Lima
• Largo das Piscinas de S. Brás de Alportel
• Hospital Faz de Conta – Núcleo de Estudantes
de Medicina Universidade Beira Interior
da Covilhã
• Encontro de Alunos de Educação Moral
e Religiosa da Diocese do Porto
• Semana da Mostra da Saúde em Marco de
Canavezes
• Parque da Cidade do Barreiro – Ação dos
Bombeiros Voluntários do Barreiro
• 8ª Edição Internacional de Triatlo - Expo
• Festival Gastronómico de Paredes de Coura
• OpenDay - “Dia da Família” na transportadora
Luís Simões
• Largo do Município de Vila Nova de Cerveira
• Open de Muaythay em Carcavelos
• Baía de Cascais – Dia da Criança
• Jardins do Casino Estoril – Dia Internacional
da Criança
• Autódromo Internacional do Algarve – SuperBikes
• Optimus Alive’13
• Campeonato da Europa de Muaythai 2013
• Festival de Paredes de Coura
• Feira de S. Mateus em Viseu
• Comunidade de Valadares
• Biblioteca Municipal de Barcelos
• Centro de Ciência Viva de Sintra
• Largo do Convento do Pópulo em Braga
• “Terra dos Sonhos” no Autódromo do Estoril
• Expo de Lisboa 2013 Campeonato Europeu
de Triatlo
Pela contínua afluência e muita adesão do público
ao projeto Champimóvel, entendemos que se trata
de um programa versátil que se pode adaptar a
várias ocasiões indo ao encontro das inúmeras
solicitações que vamos recebendo. Este contacto
torna-se muito interessante para a Fundação
Champalimaud, pois permite-nos também
comunicar os nossos Programas e esclarecer
o público, sobretudo no que diz respeito às
atividades do Centro Clínico e ao Programa
Champalimaud de Neurociências.
O roteiro e as atividades relacionadas com o
Champimóvel estiveram disponíveis no site da
Fundação Champalimaud: www.fchampalimaud.org.
Fotografia 1.
Jardins do Casino Estoril
Dia Internacional da Criança
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
70
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
Todos participamos, em conjunto, no imenso
esforço de investigação, prevenção e tratamento
de doenças.
O Prémio António Champalimaud de Visão
comunga da mesma perceção da necessidade de
aliar a investigação mais sofisticada à aplicação
de conhecimentos nos terrenos e aos doentes
que mais sofrem.”
O Prémio António Champalimaud de Visão é
o maior prémio mundial nas áreas de Visão
e Oftalmologia e um dos maiores prémios
científicos ou humanitários existentes.
A área de Visão e Oftalmologia foi escolhida dado
representar um problema de enorme peso à
escala internacional. 90% dos casos de cegueira
no mundo são em regiões do globo em vias de
desenvolvimento, destes casos 80% são tratáveis
ou teriam sido evitáveis (cataratas, várias doenças
infecto-contagiosas dos olhos e deficiências
nutricionais). O sofrimento humano e peso
económico relacionado com cegueira e perda
de visão nestas regiões é dramático e real
(entre 42 e 110 biliões de USD de perda
de produtividade anual). Nas regiões mais
desenvolvidas do globo, doenças de visão como
a retinopatia diabética, Glaucoma e degeneração
macular devido à idade ameaçam hoje também
uma parte cada vez maior da população. Por outro
lado a investigação científica em Visão tem provado
estar na frente da investigação biomédica. O Olho
é muitas vezes chamado de “janela do cérebro”
dado a sua ligação direta e aberta ao sistema
nervoso central. O sistema visual é frequentemente
a escolha para investigação do funcionamento do
cérebro. Os primeiros grandes ensaios de sucesso
de terapia génica e estudos de regeneração
do sistema nervoso utilizam também o sistema
visual e a retina é alvo de grande investigação
e desenvolvimento de próteses electrónicas
fotossensíveis que permitem recuperar a visão em
múltiplos casos de cegueira.
Assim, o Prémio António Champalimaud de Visão
surge em 2006 no momento certo e com um
duplo foco:
- Em anos pares o Prémio considera e seleciona
grupos com grandes descobertas científicas na
área da visão onde quer que estas decorram.
- Em anos ímpares o Prémio vira o seu foco
para grupos que estejam a contribuir de forma
excepcional, pela sua organização, inovação,
eficiência e sustentabilidade, na luta contra a
cegueira em países em desenvolvimento.
O Prémio não é dado a titulo individual e aclama
grupos de investigação ou organizações, frisando
o carácter colaborativo e colectivo quer da
descoberta científica quer dos cuidados de saúde.
A soma de 1 milhão de euros permite que os
vencedores possam alargar significativamente e
sem limitações os seus sucessos na investigação
científica, clínica ou na saúde das populações
com que trabalham.
Fotografia 1.
Cerimónia de entrega do
Prémio António Champalimaud de Visão 2013
da esq.ª para a dt.ª: Luísa Champalimaud, PrimeiroMinistro Pedro Passos Coelho, Presidente da
República Aníbal Cavaco Silva, Leonor Beleza,
Presidente da Fundação Champalimaud
e Alfred Sommer, Presidente do Júri
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
72
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
Reunião do Júri e seleção
dos premiados
Cabe ao Júri avaliar a quantidade e qualidade das
contribuições de cada candidatura, bem como a
relevância do seu trabalho e impacto dos resultados
obtidos na prevenção e luta contra a cegueira no
mundo. A identificação e seleção das melhores
candidaturas seguem critérios muito rigorosos.
O prazo de candidaturas decorre todos os anos
até 31 de dezembro, podendo ser consideradas
apresentações anteriores.
Para a identificação e seleção dos melhores
candidatos, são regularmente solicitadas
nomeações por parte de distintos membros
da comunidade científica internacional e
cabe, igualmente, a importantes organizações
no âmbito da visão, como a Association for
Research in Vision and Ophthalmology – ARVO
– e à International Agency for the Prevention
of Blindness – IAPB – um papel importante
na divulgação do Prémio. Este esforço tem
resultado num aumento exponencial do número
e qualidade das candidaturas e também da sua
representatividade a nível internacional.
O processo de selecção começou no ínicio de
2013 com um alargado grupo de candidatos
excpecionais de todo o mundo. O processo seguiu
ao longo de várias etapas de avaliação pelo júri
internacional, culminado na discussão de um grupo
de candidatos finalistas na reunião final do Júri
do Prémio.
Após a reunião final do Júri do Prémio, em junho,
foi decidido que em 2013, o Prémio António
Champalimaud de Visão, recompensaria o
enorme esforço e capacidade humana de quatro
organizações não-governamentais que, trabalhando
em conjunto, partilham esforços e sucessos,
alcançando realizações extraordinárias no Nepal.
País de geografia difícil, cercado de montanhas, as
mais altas da Terra, situado entre dois gigantes, a
Índia e a China, uma vez e meia maior que Portugal
mas com três vezes mais população, sem acesso
ao mar e padecendo da sua interioridade, o Nepal
vive ainda hoje no limiar da pobreza e em situação
de alguma emergência humanitária.
Fotografia 1.
Júri do Prémio António Champalimaude de Visão:
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Paula Shatz,
Alfred Sommer e Leonor Beleza
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª: Paul Sieving, Joshua
Sanes, Mark Bear, Gullapalli Rao, José Cunha-Vaz,
Sussumu Tonegawa, Amartya Sen,
João Silveira Botelho e André Valente
Fotografia 2.
Reunião do Júri do
Prémio António Champalimaud de Visão 2013
Desde 1980, o Nepal tem percorrido um longo e
árduo caminho no que diz respeito às doenças
da visão. Para os bons resultados obtidos
muito contribuíram as quatro organizações
não-governamentais distinguidas pelo Prémio
António Champalimaud de Visão 2013. A sua
excelência, determinação e esforço conjunto
permitiram uma mudança dramática no modelo
dos cuidados oftalmológicos prestados no país.
As 1 000 cirurgias rudimentares realizadas em
1981 aumentaram exponencialmente nos últimos
30 anos para números surpreendentes: 250 000
cirurgias por ano, com enormes avanços em
termos de qualidade, de eficiência e de redução
de custos. Contrariando o panorama mundial,
o Nepal conseguiu diminuir significativamente a
prevalência da cegueira, mesmo perante o cenário
de aumento da população e de esperança média
de vida, para além da prolongada instabilidade
política e das dificuldades impostas pela geografia
do país.
Os resultados alcançados são a expressão do
trabalho desenvolvido pelos quatro vencedores
do Prémio António Champalimaud de Visão 2013
que, em conjunto, asseguram a organização e
prestação da maioria dos serviços oftalmológicos
prestados no Nepal, nomeadamente em termos
de cirurgia das cataratas - uma das patologias
mais frequentes - assumindo ainda um papel
determinante na coordenação e formação dos
profissionais que prestam cuidados clínicos
na área da visão, neste país. E se o trabalho
que desenvolvem já seria razão suficiente para
serem agraciados por este prémio, não podemos
deixar de notar o empenho que demonstram
em ajudar a resolver os problemas de visão que
afetam as populações dos seus países vizinhos,
nomeadamente a Índia:
Nepal Netra Jyoti Sangh (NNJS)
O Nepal Netra Jyoti Sangh (NNJS), foi criado em
1978 com o objetivo de coordenar e executar um
programa nacional de combate às doenças da
visão no Nepal. Com base num estudo pioneiro
sobre a realidade dos problemas oftalmológicos
que afetavam o país, realizado com a Organização
Mundial de Saúde entre 1980 e 1981, trabalhou para
a definição das estratégias e dos objetivos para a
prevenção e para o combate da cegueira evitável
no Nepal. Atualmente orienta e coordena o trabalho
desenvolvido em 14 hospitais locais e 60 centros
de tratamento disseminados por todo o território
nepalês, assegurando, mesmo nas comunidades
mais remotas, que as populações têm acesso a
cuidados clínicos oftalmológicos de excelência de
forma eficiente e com custos controlados.
A par da monitorização das várias instituições e
programas de combate às doenças da visão em
atividade no país, o NNJS desenvolve ainda um
importante trabalho de sensibilização, de mobilização
de recursos internos e externos e de envolvimento
ativo de toda a comunidade.
O NNJS conta, entre outros, com o apoio da Seva
Foundation, uma fundação internacional sem fins
lucrativos que opera em 15 países com o objetivo
de prevenir a cegueira e restaurar a visão das suas
populações.
Ram Prasad Pokhrel, oftalmologista e membro
fundador do Nepal Netra Jyoti Sangh,
desempenha há mais de 40 anos um papel de
Fotografia 1.
Ram Prasad Pokhrel
Fundador do Nepal Netra Jyoti Sangh
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
74
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
destaque na definição e implementação das políticas
nacionais de cuidados de saúde na área da visão.
O seu contributo inestimável teve um reflexo direto
no impacto social e económico que as doenças da
visão têm atualmente na sociedade nepalesa.
Lumbini Eye Institute
No âmbito da rede criada pelo NNJS, foram também
distinguidos o Eastern Regional Eye Care Programme
e o Lumbini Eye Institute.
O Lumbini Eye Institute desenvolve a sua
atividade na região central e ocidental de Terai.
Criado em 1983, este instituto é atualmente
um dos casos de maior sucesso entre os
centros oftalmológicos integrados no NNJS,
nomeadamente pelo seu caráter autossuficiente
que faz dele uma referência em todo o sul asiático.
Com 215 camas, este hospital realiza diariamente
entre 75 e 170 diferentes tipos de cirurgias aos
olhos, um volume que o coloca na linha da frente
no combate aos problemas de visão no Nepal.
Para o desenvolvimento da sua atividade conta
com o importante apoio da Seva Foundation.
Eastern Regional Eye Care Programme
O Eastern Regional Eye Care Programme é um
programa de tratamento de doenças oftalmológicas,
implementado por dois hospitais - o Sagarmatha
Choudhary Eye Hospital (Lahan) e o Biratnagar Eye
Hospital - e oito clínicas satélite, que tem por missão
oferecer serviços oftalmológicos acessíveis e de alta
qualidade às populações da região leste do Nepal
e do norte da Índia. O Sagarmatha Choudhary Eye
Hospital começou, em 1983, por ser uma pequena
unidade oftalmológica com apenas 12 camas e tem
atualmente mais de 400 camas, 5 clínicas satélite e
cerca de 200 profissionais dedicados. O Biratnagar
Eye Hospital, fundado em 2006, dispõe de 450
camas e conta com 213 profissionais que procuram
diariamente chegar às populações mais carenciadas
desta região do país.
Para o sucesso do Eastern Regional Eye Care
Programme, muito contribuiu o apoio de diversas
instituições, nomeadamente o ChristoffelBlindenmission (CBM), uma organização que tem
por missão melhorar a qualidade de vida e eliminar
as barreiras que se colocam às pessoas com
deficiência nas regiões mais pobres do mundo.
Fotografia 1
Sanjay Singh
Director - Eastern Regional Eye Care Programme
Fotografia 2
Salma KC Rai
Directora - Lumbini Eye Institute
Tilganga Institute of Ophthalmology
O Tilganga Institute of Ophthalmology, desenvolve
a sua atividade primordialmente na região do
Vale de Kathmandu e, através de programas
específicos, nas comunidades montanhosas mais
distantes e muitas vezes isoladas.
Criado em 1992 para colocar em prática o Nepal
Eye Program, o Tilganga Institute of Ophthalmology
é uma organização não-governamental sem
fins lucrativos, e pretende ser um modelo para
a investigação, prevenção e tratamento dos
problemas de visão, bem como uma referência na
formação de profissionais de saúde provenientes
de diversos países. Para além da prestação de
cuidados oftalmológicos avançados de excelência,
a sua ampla ação estende-se também à gestão
de um banco oftalmológico para fornecimento de
córneas para transplante e ao fabrico do material
necessário à realização das mais inovadoras
operações às cataratas, nomeadamente lentes
intraoculares de alta qualidade a baixo custo.
Em conjunto com Geoffrey Tabin, Sanduk Ruit
fundou o Himalayan Cataract Project, que é
desenvolvido em estreita colaboração com o
Tilganga Institute. Geoffrey Tabin faz parte do
grupo restrito de pessoas que já escalou as sete
montanhas mais altas dos 7 continentes e foi
precisamente numa destas expedições que lhe
surgiu o espírito de missão a que tem dedicado
a sua vida, estabelecendo com Sanduk Ruit o
objetivo ambicioso de eliminar a cegueira evitável
e tratável na região dos Himalaias.
Também a Fred Hollows Foundation colabora
ativamente com o Tilganga Institute of
Ophthalmology. Presente em África, na Ásia e na
Oceânia, a Fred Hollows Foundation contribuiu
para a redução do custo das operações de
catarata, tendo ajudado a restaurar a visão de
mais de 1 000 000 de pessoas em todo o mundo.
Sanduk Ruit, fundador e diretor do Tilganga
Institute of Ophthalmology, é um cirurgião
oftalmológico de renome mundial e uma figura
incontornável da sociedade médica nepalesa. Foi
o primeiro médico nepalês a realizar implantes de
lentes intraoculares na cirurgia de cataratas, tendo
igualmente desenvolvido um método pioneiro para
realizar procedimentos médicos oftalmológicos
de elevada qualidade em locais remotos, de difícil
acesso e em condições físicas adversas.
Fotografia 1
Sanduk Ruit
Fundador e Director - Tilganga Institute
of Ophthalmology
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
76
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
Cerimónia
A cerimónia de entrega do Prémio teve lugar
a 4 de setembro no bonito anfiteatro da Fundação,
à beira-rio.
Presidida pelo Presidente da República, Aníbal
Cavaco Silva, e com a presença do PrimeiroMinistro, Pedro Passos Coelho, do Vice-Presidente
da Assembleia da República, Guilherme Silva,
em representação da Presidente e de membros
do Governo, esta cerimónia conta sempre com
a assistência de muitos amigos, familiares do
Fundador, membros dos órgãos da Fundação e
personalidades que connosco partilham há muito
este momento único. Entre eles, o ex-Presidente
da República, General Ramalho Eanes, José Silva
Peneda, Presidente do Conselho Económico e
Social, deputados da Assembleia da República
e do Parlamento Europeu, Embaixadores e de
muitos colaboradores da Fundação para quem,
naturalmente, este é um momento importante de
celebração. Este ano também estiveram entre nós
muitos convidados a quem se destina o maior
objetivo do nosso trabalho.
A cerimónia foi aberta pela Presidente da
Fundação, Leonor Beleza, cuja intervenção focou
particularmente o esforço conjunto de tantos para
o cumprimento da promessa de terminar com o
flagelo da cegueira.
Seguiram-se as intervenções de Maria
Luísa Champalimaud, filha do Fundador, em
representação da família e do presidente do Júri,
Alfred Sommer.
O prémio foi entregue pelo Presidente da
República às quatro organizações premiadas,
e coube a Sanduk Ruit, fundador e diretor
do Tilganga Institute of Ophthalmology fazer o
discurso de agradecimento do prémio em nome
de todos os premiados.
O Presidente da República encerrou a cerimónia
fazendo uma especial referência ao Prémio e ao
nosso Fundador: “O Prémio Champalimaud dá
expressão ao sonho de um grande português,
que decidiu legar à posterioridade uma Fundação
de referência. Nesta extraordinária demonstração
da arte de dar, António Champalimaud contribuiu
de forma ímpar para o bem comum de Portugal
– e, sem exagero, para o bem da humanidade”,
referindo ainda “saber que a generosidade de
um cidadão português irá contribuir para a
prevenção e eliminação da cegueira num país
longínquo, onde se registam carências materiais
e técnicas da mais variada índole, é algo que
quadra de forma particularmente feliz com o
nosso caráter enquanto nação multissecular,
pioneira da globalização, do diálogo de culturas e
historicamente aberta ao mundo”.
No final da cerimónia, foi tocada a composição
do hino do Prémio, criada por Luís Varatojo para
guitarra portuguesa, que contou, este ano, com a
participação especial de Palo Vuati na cítara, Ana
Margarida Marques no clarinete e do agrupamento
de tambores “Toca a Rufar”.
Fotografia 1.
Cerimónia de entrega do Prémio Champalimaud de Visão 2013
Fotografia 2.
da esq.ª para a dt.ª: Ram Prasad Pokhrel - Nepal Netra Jyoti Sangh, Salma KC Rai - Lumbini Eye Institute,
Sanduk Ruit - Tilganga Institute of Ophthalmology e Sanjay Singh - Eastern Regional Eye Care Programme
Fotografia 3.
Momento musical com Luis Varatojo na guitarra portuguesa
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
78
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
Preparação do Prémio 2014
Em 2014, o prémio será entregue a grupos de
investigação básica ou clínica, que tenham
contribuido para importantes progressos na
compreensão e/ou perservação da visão.
A sua preparação, iniciada durante o corrente ano,
beneficia, claramente, de todos os contactos nos
campos da oftalmologia e das ciências visuais que
têm sido desenvolvidos ao longo dos anos pela
Fundação Champalimaud, bem como do apoio
de organizações de grande relevo nesta área
mencionadas ao longo deste capítulo.
A Fundação continuará a desenvolver esforços
na divulgação do Prémio e conta já com uma
vasta rede de apoiantes para a efetivação deste
trabalho.
2013 ARVO/ Champalimaud
Award Lecture
A conferência anual da ARVO - Association for
Research in Vision and Ophthalmology realizou-se
em 2013, em Seattle, EUA, entre 5 e 9 de maio.
assistiram à palestra Contando com cerca de 11 500 participantes, teve
por tema principal “Life-changing Research,” um
debate sobre a forma como os investigadores na
área da visão podem mudar vidas.
mais de
2 500
Como é já habitual desde há vários anos, a
Fundação Champalimaud está representada neste
encontro mundial de investigadores médicos,
estudantes e tantas outras pessoas ligadas a esta
área, organizando uma conferência que, este ano,
teve uma participação recorde de mais de 2 500
pessoas.
Estiveram presentes na 2013 Arvo/Champalimaud
Award Lecture, os laureados com o Prémio
António Champalimaud de Visão em 2012,
David Williams, James Fujimoto, David Huang,
Eric Swanson, Carmen Puliafito, Joel Schuman,
cujo reconhecimento se deve ao seu trabalho no
desenvolvimento de novos métodos de observação
da estrutura da retina humana e na criação de novas
técnicas de imagiologia que vieram revolucionar a
observação clínica e possibilitar o tratamento de
doenças da visão à escala mundial. São esses
métodos designados por Tomografia de Coerência
Ótica ou OCT (do inglês “Optical Coherence
Tomography”) e Ótica Adaptativa ou AO (do inglês
“Adaptative Optics”).
Os conferencistas, David R. Williams e James G.
Fujimoto, foram apresentados por Alfred Sommer,
Presidente do Júri do Prémio e distinto oftalmologista
e epidemiologista, galardoado com o importante
Albert Lasker Award for Clinical Medical Research
da Lasker Foundation (EUA) em 1997 e membro
do Institute of Medicine bem como da National
Academy of Sciences, nos EUA. Sommer chamou a
atenção para o facto de, em 2013, o Prémio não ter
distinguido avanços notáveis na forma como o olho
vê o mundo, mas sim descobertas que melhoram
a forma como observamos o interior dos olhos.
Nesta ocasião apresentou, igualmente, alguns
dos membros do Júri do Prémio que se
encontravam presentes na assistência:
Paul Sieving, Gullapalli N Rao e José Cunha Vaz.
David R. Williams agradeceu à Fundação
Champalimaud pela oportunidade que o Prémio
lhe facultou no desenvolvimento de experiências de
maior risco que, de outra forma, nunca conseguiria
realizar e que crê poderem gerar informação
fundamental para desenvolver tecnologia de última
geração. Fez também uma apresentação detalhada
sobre os métodos de Ótica Adaptativa (AO).
Por seu lado, James G. Fujimoto agradeceu
igualmente o prestigiado prémio e fez uma
apresentação sobre a Tomografia de Coerência
Ótica (OCT) como uma plataforma tecnológica
considerada do ponto de vista translacional e
totalmente direcionada para a aplicação clínica.
A Presidente da Fundação Champalimaud
encerrou a conferência, agradecendo a todos
os premiados pelo seu trabalho excecional e
explicando, a uma vasta plateia, a abrangência
do Prémio António Champalimaud de Visão nas
suas duas vertentes, relembrando ainda todas
as organizações e laboratórios que até à data
receberam este reconhecimento. Fez também
um agradecimento especial a todas as pessoas,
cujos nomes nunca serão conhecidos por quantos
recebem a dádiva do seu trabalho em investigação
sofisticada, através da aplicação no terreno dos
resultados desses achados extraordinários.
Fotografia 1.
Leonor Beleza na conferência
2013 ARVO/ Champalimaud Award Lecture
Fotografia 2.
1.ª fila, da esq.ª para a dt.ª:
Eric Swanson, David R Willians, Carmen Puliafito,
Leonor Beleza, James Fujimoto, Joel Schuman
e David Huang
2.ª fila, da esq.ª para a dt.ª:
Paul Sieving, Nicolas Bazan, Guallapalli N Rau,
Alfred Sommer, Peng T Khaw, José Cunha Vaz
e André Valente.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
80
PRÉMIO ANTÓNIO
CHAMPALIMAUD DE VISÃO
.7
Programa “Developing
Country Eye Researcher
Travel Fellowships”
A Fundação Champalimaud continuou a patrocinar,
em 2013, o Programa “Developing Country Eye
Researcher Travel Fellowships”, uma iniciativa
da ARVO Foundation for Eye Research (AFER)
em conjunto com a Association for Research in
Vision and Ophthalmology (ARVO) que tem por
objetivo o desenvolvimento de um programa de
apoio que permite a participantes de países em
desenvolvimento tomarem parte na reunião anual
da ARVO, onde terão contacto com os últimos
desenvolvimentos e inovações na pesquisa
em visão.
Os candidatos deverão ter já completado a
sua licenciatura em medicina, ou mesmo um
doutoramento ou grau equivalente e a vontade
de seguirem uma carreira académica e de
investigação em visão e oftalmologia clínica ou
básica nos seus países de origem. A nível de
competências, os candidatos devem ser de países
que tenham um nível de desenvolvimento que
permita a troca de informação e de experiências
com os seus colegas nacionais. Esta é a forma
de facultar informação sobre modelos de
financiamento para programas locais, potenciar a
colaboração com colegas e professores e partilhar
informação atualizada sobre as boas práticas no
domínio da investigação.
Os candidatos apurados recebem um prémio que
cobre as despesas de transporte, alojamento e
apoio diário, bem como o registo na conferência
e a filiação na ARVO durante um ano. São
escolhidos mentores entre os membros da
Associação para os acompanhar durante a
conferência, permitindo-lhes, deste modo, tirar o
maior partido possível das condições oferecidas
pela sua presença, quer pela participação nas
várias sessões do programa, quer facilitando
a criação de uma rede de contactos que lhes
será muito útil no desenvolvimento das suas
capacidades profissionais futuras.
REDE C-TRACER
.8
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
82
REDE C-TRACER
.8
C-TRACER 1 (Índia)
Os C-TRACERs foram organizados para
refletirem o princípio orientador da Fundação
Champalimaud - a investigação translacional
enquanto metodologia facilitadora da transposição
das descobertas científicas laboratoriais para a
prática clínica.
recorrer a ambientes laboratoriais sofisticados
e chegar a populações que, normalmente,
não têm acesso a estas formas avançadas de
tratamento. Durante 2013, foram feitas, com
sucesso, 73 operações em pacientes recorrendo
à técnica SLET.
Sendo o primeiro centro C-TRACER criado
pela Fundação Champalimaud, beneficia da
experiência do Laboratório de Biologia de Células
Estaminais do LV Prasad Eye Institute, e tornou-se
num parceiro emblemático desta rede de centros
de investigação em visão. Em 2013, a equipa de
Hyderabad continuou a desenvolver avançados
estudos de investigação sobre a utilização de
células estaminais e de genética molecular e
funcional nos tratamentos das doenças oculares,
cuja aplicação clínica conta já com um elevado
sucesso.
Em anos recentes, o C-TRACER 1 (Índia) foi
pioneiro na aplicação revolucionária da técnica
denominada CLET (aplicação clínica da técnica
de transplante de epitélio límbico de cultura). Esta
técnica utiliza a cultura de células estaminais
límbicas de dadores adultos que são utilizadas na
reconstrução do exterior da córnea do paciente,
restituindo-lhe, deste modo, a sua visão.
Após alguns anos de aplicação deste processo
clínico, conseguiu simplificar o CLET, através
do desenvolvimento de uma técnica similar
denominada SLET – “Simple Limbal Epithelial
Transplantation”, que pode ser praticada por
cirurgiões especialistas da córnea, sem ser
necessário recorrer a laboratório. Este facto
veio permitir a portabilidade na utilização desta
tecnologia com base em células estaminais, que
assim pode ser aplicada em áreas geográficas
remotas, facilitando a realização de cirurgias de
transplante de córnea sem a necessidade de se
Fotografia 1.
Leonor Beleza - Presidente
da Fundação Champalimaud e D Balasubramanian
Director do C-TRACER 1 (Índia)
Fotografia 2.
2013 “Champalimaud Day Symposium”
em Hyderabad, Índia
Para alargar esta aplicação biológica de células
estaminais e os seus métodos terapêuticos, o
C-TRACER 1 desenvolveu investigação sobre esta
técnica na sua aplicação a todas as partes do
olho – limbo, córnea, glândulas lacrimais, retina e
cancros oculares. Os respetivos laboratórios foram,
entretanto, equipados com todos os instrumentos
necessários, incluindo áreas de patologia e histologia
de forma a dar continuidade a este trabalho
excecional. Os seus investigadores estiveram,
particularmente, ativos nas áreas seguintes:
– Em explorar a utilização de estruturas sintéticas
e recombinantes em vez da membrana amniótica
humana;
– No estabelecimento de linhas de células
estaminais límbicas humanas;
– Na aplicação de células pluripotentes e de
células estaminais de adultos no tratamento de
doenças da retina e de doenças da córnea;
– Na viabilidade de usar células do epitélio
pigmentado da retina derivadas de células
estaminais pluripotentes no tratamento de
distrofias da retina;
– Na investigação em biologia de células
estaminais: em particular, a equipa obteve
células estaminais pluripotentes, induzidas
(iPSCs) dos fibroblastos da pele do próprio
paciente, e está a investigar a aplicação de
correção ou reparação genética “in situ”
através de técnicas de edição genética.
Para além destas técnicas inovadoras, o
C-TRACER 1 (Índia) fundou, em 2013, o CORE
– Centre for Ocular Regeneration (Centro
de Regeneração Ocular), centrado quer no
desenvolvimento da investigação em biologia de
células estaminais e tratamento, quer em inovação
e novas tecnologias.
O C-TRACER 1 (Índia) dedicar-se-á, nos próximos
anos, à aplicação das técnicas SLET e CLET,
ao novo centro CORE e a outras atividades de
investigação inovadora.
Com esta finalidade, em 2013 foi renovada,
por mais 5 anos, a parceria entre a Fundação
Champalimaud e o LVPEI e será executado o
plano traçado pelos investigadores para diversas
frentes, de forma que o trabalho desenvolvido
pelo C-TRACER1 (Índia) tenha o maior impacto
possível.
A área de acção 1 irá propagar a técnica SLET
noutras áreas geográficas, difundindo esta técnica
inovadora tão longe e tão amplamente quanto
possível. Além disso, a próxima fase deste projeto,
continuará a desenvolver a geração de células
estaminais pluripotentes a partir das células da
pele do próprio paciente (iPSCs) e a sua utilização
no tratamento de distrofias da retina.
A área de acção 2 incidirá sobre pesquisa
com aplicações clínicas em tumores oculares
e em particular nos retinoblastomas. Uma
das componentes deste trabalho será o
desenvolvimento de técnicas de aplicação
de medicação nos olhos com a utilização
de nanopartículas.
A área de acção 3 incidirá sobre a propagação
do programa de Retinopatia da Prematuridade.
O desenvolvimento destas três áreas de acção
permitirá a continuação da investigação básica e
translacional do C-TRACER 1, (Índia) bem como o
alargamento das suas inovações a outras partes
do mundo. Trabalhando em conjunto com os
outros membros da rede C-TRACER, o C-TRACER
1 (Índia) manter-se-á como um verdadeiro centro
de excelência em investigação e em cuidados
clínicos na área da visão.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
84
REDE C-TRACER
.8
“The Sixth Annual Champalimaud Research
Symposium” LVPEI
A rede C-Tracer da Fundação Champalimaud
celebrou o seu 5.º aniversário a 30 de janeiro
durante o “2013 Champalimaud Day Symposium”
em Hyderabad, na Índia.
A sexta edição do “Champalimaud Day
Symposium” constituiu um justo tributo ao
trabalho desenvolvido durante os primeiros cinco
anos de existência da rede C-TRACER.
O simpósio de 2013, para além de abordar
os avanços conquistados pelo programa de
investigação do C-TRACER 1, acolheu alguns dos
mais relevantes cientistas da área, provenientes
de 5 continentes. A Presidente da Fundação
Champalimaud, Leonor Beleza, deu as boas
vindas a todos os participantes, tendo participado
neste encontro o Prof. David Williams da
Rochester University, vencedor do Prémio António
Champalimaud de Visão 2012, a Prof. Brigitte
Roeder, da University of Hamburg na Alemanha,
o Prof. Adrian Lee de Sydney, Austrália e o
Prof. D. Balasubramanian, diretor de investigação
do LV Prasad Eye Institute e diretor do
C-TRACER 1 (Índia).
Os C-TRACERs do Brasil e Portugal fizeram-se
igualmente representar neste encontro.
Fotografia 1.
David Williams - Rochester University, EUA, vencedor
do Prémio António Champalimaud de Visão 2012
e G Chandra Sekhar, Vice-Chair LVPEI
Fotografia 2.
Brigitte Roeder - University of Hamburg, Alemanha
C-TRACER 2
(Portugal)
Desde a sua inauguração em 2010, que o
C-TRACER 2 (Portugal) se tornou numa parte
integrante da rede de centros C-TRACER da
Fundação Champalimaud. Criado em parceria
com o AIBILI – Associação para a Investigação
Biomédica e Inovação em Luz e Imagem,
este centro tornou-se fundamental para a
implementação de ensaios clínicos aplicados, não
somente, à investigação sobre o impacto de novos
tratamentos, mas também de novos métodos,
dispositivos, e procedimentos de imagiologia
e cirúrgicos.
doença quando as lesões são ainda reversíveis.
A identificação de marcadores de risco na
progressão da retinopatia diabética é fundamental
para melhorar a gestão desta patologia e testar
terapias adequadas.
O posicionamento estratégico do AIBILI como
centro coordenador da Rede Europeia de
Centros de Ensaios em Oftalmologia (EVICR.
net – European Vision Institute Clinical Research
Network), e a integração do C-TRACER 2
(Portugal) da Fundação Champalimaud, oferece
oportunidades únicas de interesse mútuo para
ambas as instituições, tendo já sido desenvolvida,
nos últimos dois anos, atividade específica no
suporte a vários ensaios em oftalmologia
em toda a Europa.
Durante o corrente ano, o C-TRACER 2 (Portugal)
prosseguiu, igualmente, a sua tarefa de
coordenação com outros membros da rede, de
forma a comparar dados e analisar oportunidades
de projetos conjuntos de investigação. Este
facto veio a dar origem ao desenvolvimento do
primeiro projeto da rede C-TRACER, combinando
as experiências dos seus centros em Portugal
e na Índia através das quais foi identificada
a necessidade de caracterizar os estados
iniciais da retinopatia diabética, com definição
da sua evolução e progressão no início da
Fotografia 1.
D Balasubramanian
Diretor do C-TRACER 1 (Índia)
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
86
REDE C-TRACER
.8
Com esta finalidade, estes centros associaram-se
na observação destes testes clínicos de forma a
validar um modelo previsível de progressão da
retinopatia diabética em pacientes diabéticos
do tipo 2, com edema Macular com importância
clínica (CSME – “Clinical Significant Macular
Edema”). Estão incluídos neste estudo,
100 pacientes nacionais e 100 pacientes indianos.
Trata-se de um projeto que se prevê terá a
duração de dois anos, e espera-se poder obter
informação muito importante que ajude ao
tratamento da retinopatia diabética nos seus
estádios iniciais na Índia e na União Europeia,
duas populações étnicas com diferentes
características.
3 rd Annual Coimbra Champalimaud
Symposium
No âmbito das suas atividades, o C-TRACER 2
(Portugal) organizou o 3.º Simpósio Anual
Champalimaud que teve lugar a 27 de junho e
contou com a presença dos diretores dos três
C-TRACERs: Prof. Balasubramanian, LV Prasad
Eye Institute, Hyderabad, Índia, Prof. Rubens
Belfort Jr., Universidade de São Paulo, Brasil e
Prof. Cunha Vaz, AIBILI, Coimbra, da Dra. Leonor
Beleza Presidente da Fundação Champalimaud,
bem como participantes da Índia e da Faculdade
de Medicina da Universidade de Coimbra. Neste
encontro foram abordadas as perspetivas de
atividade futura da rede de C-TRACERs, os
desafios na prevenção da cegueira na Amazónia,
as aplicações de células estaminais em várias
patologias e apresentados ainda os primeiros
resultados do projeto conjunto entre o C-TRACER
1 (Índia) e o C-TRACER 2 (Portugal), mencionado
no desenvolvimento do texto.
Fotografia 3.
3rd Annual Coimbra Champalimaud Symposium
José Cunha Vaz
Diretor do C-TRACER 2 (Portugal)
Fotografia 4.
Instalações do AIBILI, em Coimbra
C-TRACER 3 (Brasil)
O C-TRACER 3 (Brasil) foi lançado em dezembro
de 2012 em parceria com a Universidade de
São Paulo. Dirigido pelo Prof. Rubens Belfort
Mattos Jr., este mais recente centro juntou-se
aos restantes membros da rede, na Índia e em
Portugal, para a promoção de investigação de
vanguarda e potenciais aplicações clínicas.
Neste contexto, em dezembro de 2013, o
C-TRACER 3 (Brasil) deu um importante passo,
ao inaugurar o Centro Champalimaud de
Oncologia Ocular do Amazonas, em Manaus,
uma parceria entre a Fundação Champalimaud
e o Departamento de Oftalmologia da
Escola Médica da Universidade Federal de
São Paulo. Este centro tem como missão a
prestação de cuidados de saúde oculares
gratuitos, essenciais à população da Amazónia
(consultas, rastreios, cirurgias e outro tipo
de tratamentos oncológicos), a realização de
diagnóstico precoce de doenças da visão e o
desenvolvimento de projetos de investigação na
área do cancro ocular.
Como referido por Leonor Beleza na cerimónia
de inauguração, este centro tem especial
relevância para a atividade da Fundação
Champalimaud porque “alarga a intervenção
do C-TRACER no Brasil, um país com qual o
Fundador, António Champalimaud, teve uma
relação muito estreita e que fez parte da sua
vida. O centro vai colaborar em estreita relação
com o C-TRACER 1 na Índia e com o C-TRACER
2 em Portugal na promoção de investigação de
vanguarda e aplicação clínica na área da visão.
Este passo representa mais um avanço na
colocação da investigação ao serviço
da prática clinica.”
Segundo Rubens Belfort Mattos Jr., professor da
Universidade Federal de São Paulo e diretor do
C-TRACER 3 (Brasil), “toda a bacia amazónica
tem enorme necessidade de centros oncológicos
especializados. A informação que temos aponta
para a existência de um número elevado de
cancros oculares: melanomas, retinoblastomas
em crianças e vários tumores, provavelmente
relacionados com o forte grau de luminosidade
daquela região”. Para o Prof. Belfort Mattos Jr.,
o Centro Champalimaud de Oncologia Ocular
do Amazonas, “vai trazer uma oportunidade
única para as populações amazónicas poderem
aceder a cuidados de saúde na área da visão”
e “vai ao encontro de uma necessidade que se
faz sentir há muitos anos”, permitindo, ao
mesmo tempo, o desenvolvimento de projetos
de investigação.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
88
REDE C-TRACER
.8
Fotografia 1.
Inauguração do C-TRACER 3 (Brasil)
da esq.ª para a dt.ª: Jacob Moysés Cohen - Presidente da Fundação Piedade Choen, Brasil,
Leonor Beleza - Presidente da Fundação Champalimaud,
Wilson Alecrim - Secretário de Saúde do Estado do Amazonas
e Rubens Belfort Mattos, Jr. - Director do C-TRACER 3 (Brasil)
Fotografia 2.
da esq.ª para a dt.ª: Rubens Belfort Mattos Neto, Gullapalli Rao - Presidente - LVPEI e membro do
Júri do Prémio António Champalimaud de Visão, Rubens Belfort Mattos, Jr. - Director do C-TRACER 3 (Brasil)
e Joaquim Murta - Director da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
PARCERIAS
.9
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
90
PARCERIAS
.9
Health Cluster Portugal
O Health Cluster Portugal (HCP) mantém uma
intensa atividade de dinamização do setor da
saúde em Portugal, justificando o empenho
continuado da Fundação Champalimaud.
A Fundação Champalimaud acolheu uma
das iniciativas de informação, de divulgação
e de “networking” organizadas pelo HCP,
concretamente a reunião sob o tema “Apostar no
Futuro: Reindustrialização e Emprego”, que contou
com a presença do Ministro da Economia,
Álvaro Santos Pereira, e com o Secretário de
Estado Adjunto do Ministro da Saúde,
Fernando Leal da Costa.
O HCP lançou em 2013 um “Tableau de Bord” que
regista a evolução de um conjunto de indicadores
que permite a monitorização contínua das suas
atividades e do setor da saúde em Portugal.
Por encomenda do HCP, foi elaborado pela Porto
Business School o estudo “O Sector da Saúde: da
Racionalização à Excelência”, que foi apresentado
e discutido publicamente em março.
A IV Conferência Anual do HCP foi dedicada ao
tema “A Saúde nas agendas nacionais e europeias
para 2020”, sendo exploradas as oportunidades
e os desafios para o setor da saúde na abertura
de um novo ciclo estratégico europeu, o
Horizonte 2020.
O HCP manteve a dinamização do projeto de
turismo de saúde “Healthy’n Portugal”, bem
como dos projetos DoIT (desenvolvimento e
operacionalização da investigação de translação)
e AAL4ALL (produtos e serviços destinados a
“Ambient Assisted Living”).
O número de associados do HCP aumentou para
138 (131 em 2012), representando mais de
70% dos doutorados a trabalhar em Portugal no
setor da saúde; na área clínica, representam mais
de 20% de camas e de médicos hospitalares
e mais de 70% do volume de negócios das
unidades privadas. O investimento em I&D das
empresas ligadas ao HCP (127M€) representa
85% do total das empresas do setor da saúde
em Portugal.
EARMA – European Association of Research
Managers and Administrators
A Fundação Champalimaud é membro da
European Association of Research Managers
and Administrators (EARMA), que integra
administradores e gestores de ciência e que
tem como objetivos a melhoria da gestão dos
projetos científicos e a colaboração no desenho
das políticas de ciência europeias e para o
desenvolvimento da European Research Area (ERA).
ALIA – Associação Lusófona e Internacional
de Administradores de Ciência
A ALIA é uma rede de profissionais inspirada
na EARMA mas dirigida especificamente aos
gestores de ciência das instituições lusófonas,
tendo como objetivos promover a qualidade da
investigação científica do mundo lusófono através
do desenvolvimento das melhores práticas
de gestão e de apoio às atividades de
investigação científica.
Entre as suas atividades em 2013, destaca-se
a conferência “Gerir ciência em tempo de crise”.
Centro Português de Fundações
O Centro Português de Fundações (CPF) manteve
o interesse na melhoria do processo de avaliação
das Fundações e da aplicação da Lei-Quadro das
Fundações (Lei 24/2012, de 9 de julho). Por sua
iniciativa, foi elaborado pela Porto Business School
um estudo sobre a avaliação das fundações
portuguesas através do “Censo às Fundações”,
cujo relatório final foi publicado no mês de
fevereiro. Para além da análise crítica da avaliação,
foi produzida uma proposta metodológica para
o processo de avaliação e para as respetivas
ferramentas de apoio.
Em outubro realizou-se o XIII Encontro Nacional de
Fundações sobre o “Futuro das Fundações
em Portugal”.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
92
COMUNICAÇÃO
.10
COMUNICAÇÃO
.10
Visitas ao Centro
A Fundação Champalimaud acolheu ao longo do
ano importantes representações institucionais,
o que muito nos honra pelo reconhecimento e
projeção que estas trazem ao nosso Centro.
O ano iniciou-se com a visita do Presidente da
Comissão Europeia, Dr. José Manuel Durão
Barroso. Logo de seguida, a 3 e 4 de janeiro,
realizou-se o Seminário Diplomático organizado
pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros sob o
tema “Projetar Portugal” e nele compareceram
membros do governo, quadros da administração
pública, de empresas, de universidades, os Chefes
de Missão e ainda corpo diplomático acreditado
em Portugal. No decorrer do Seminário, foram
debatidos temas de interesse central para a
política externa portuguesa, estiveram em foco as
condições para a internacionalização e crescimento
da economia nacional, bem como outros assuntos
referentes à diplomacia económica.
Fotografia 1.
Visita do Presidente da Comissão Europeia
da esq.ª para a dt.ª: José Manuel Durão Barroso,
João Silveira Botelho, Administrador da Fundação,
António Parreira, Diretor clínico do CCC,
Zvi Fuks, Diretor do Centro e a Presidente da
Fundação Champalimaud - Leonor Beleza
A 12 de abril, tivemos o privilégio de acolher os
“Roteiros do Futuro”, um ciclo de conferências
promovido pelo Presidente da República e que
se centra numa reflexão prospetiva sobre alguns
problemas da sociedade portuguesa que exigem,
pelas implicações estruturais que lhes estão
associadas, uma abordagem aprofundada e de
caráter multidisciplinar.
O Presidente da República inaugurou e encerrou,
na ocasião, a conferência internacional “Portugal
na Balança da Europa e do Mundo”, lançando um
debate sobre a atualidade e o futuro das relações
de Portugal com várias regiões do Mundo.
Uma conferência que contou com especialistas
nacionais e estrangeiros, cuja contribuição foi
fundamental para uma abordagem diversificada.
Fotografia 2.
Seminário Diplomático 2013
Fotografia 3.
Presidente da República - Roteiros do Futuro 2013
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
94
COMUNICAÇÃO
.10
Ao longo do ano, fomos também recebendo
visitas de entidades oficiais cuja curiosidade em
se inteirarem sobre a evolução das atividades
do Centro da Fundação, já com largo impacto
internacional, nos trazem muitas pessoas de
vários pontos do mundo. Queremos destacar,
visitas de Embaixadores e delegações oficiais de
vários países, bem como de diversos membros
do Governo de Portugal e de outros países:
a Subsecretária de Estado da Polónia, Ilona
Antoniszyn-Klik (abril), o Ministro da Educação
e Ciência, Prof. Doutor Nuno Crato (maio), os
Presidentes dos Parlamentos da CPLP e de
parlamentares de Moçambique acompanhados
pela Dra. Maria de Belém Roseira e, em junho, por
iniciativa da Embaixada da Nigéria, a visita de uma
importante delegação daquele país.
A 1 de agosto, a Presidente da Fundação
Champalimaud, Leonor Beleza, acompanhou os
ministros da saúde de Portugal e Angola,
Dr. Paulo Moita de Macedo e Dr. José Vieira
Dias Van-Dúnem, numa visita ao Centro
Champalimaud. A vinda da comitiva angolana
enquadrou-se numa visita oficial a Portugal
que incluiu a passagem por várias instituições
nacionais ligadas ao setor da saúde e teve como
principais pontos de interesse os laboratórios de
investigação e as instalações “state-of-the-art”
do Centro Clínico Champalimaud, especialmente
vocacionado para o tratamento de doenças do
foro oncológico.
Em setembro, a Presidente da Fundação
Champalimaud recebeu S.A. o Príncipe Aga
Khan que se deslocou a Lisboa para presidir às
celebrações da entrega do Prémio Aga Khan
de Arquitetura 2013, tendo tido lugar, no nosso
auditório, o “Seminar of the 2013 Aga Khan
Award for Architecture”. Este encontro focou
os critérios subjacentes à escolha dos cinco
projetos premiados, que este ano contemplaram
a revitalização do centro histórico de Birzeit,
na Palestina, o Cemitério Islâmico em Altach,
na Áustria, o projeto urbano de infraestrutura
da Ponte Hassan II, a reabilitação do Bazar de
Tabriz, no Irão, e o Centro de Cirurgia Cardíaca
Salam, em Cartum, no Sudão. A conferência
encheu o auditório com arquitetos e estudantes de
arquitetura que aproveitaram esta oportunidade
para melhor conhecerem a estrutura do referido
prémio e conviverem com importantes figuras da
arquitetura mundial. Este evento contou ainda com
a presença do arquiteto Charles Correa, autor do
projeto do Centro da Fundação Champalimaud, que
fez parte, durante muitos anos, do júri deste prémio.
Fotografia 2.
Visita de S.A. o Príncipe Aga Khan
“Seminar of the 2013 Aga Khan Award for
Architecture”, setembro
Por ocasião da visita oficial do Presidente de
Timor-Leste a Portugal, em setembro, recebemos
a sua Mulher, Dra. Isabel Ferreira acompanhada
pela Dra. Maria Cavaco Silva, cuja comitiva foi
acolhida pela Presidente da Fundação numa visita
detalhada ao nosso Centro, uma oportunidade
para se inteirarem sobre os desenvolvimentos
da clínica oncológica e contactarem, também,
com grupos de investigadores do Programa
Champalimaud de Neurociências.
A pedido da AICEP, acolhemos a 26 de Junho,
o Presidente da Kista Science City, Thomas
Andersson, e a sua equipa para uma visita e
reunião de trabalho. Esta organização sueca,
não lucrativa, faz parte da Electrum Foundation
e dedica-se essencialmente ao desenvolvimento
de projetos e ideias, encorajando empresas,
investigadores e estudantes a colaborarem
na procura de áreas de desenvolvimento e
crescimento, sobretudo no campo das
tecnologias da informação.
No âmbito científico, a 3 de junho, teve lugar na
Fundação a Conferência “Apostar no Futuro:
Reindustrialização e Emprego – A importância do
setor da Saúde para o crescimento de Portugal”,
organizada pelo Health Cluster Portugal – Polo de
Competividade da Saúde, do qual a Fundação é
membro fundador.
Fotografia 1.
Visita de Isabel Ferreira, mulher do Presidente
de Timor-Leste acompanhada
por Maria Cavaco Silva, setembro
A 7 de julho, com o objetivo de avaliar a
possibilidade de colaboração nas diversas
áreas de investigação conduzidas no Centro
Champalimaud - nomeadamente a oncológica
e das neurociências - a equipa da Philips visitou
as instalações e o equipamento utilizado pela
Fundação Champalimaud, tendo a delegação sido
acompanhada pelo Conselho de Administração,
médicos e investigadores do Centro Clínico
Champalimaud e pela diretora das plataformas
científicas e tecnológicas.
Fotografia 2.
Visita da Delegação da Nigéria, junho
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
96
COMUNICAÇÃO
.10
Ainda no âmbito científico, recebemos a visita
dos membros do Buck Advisory Council que, este
ano, se reuniram em Lisboa para o seu encontro
anual, tendo solicitado à Fundação Champalimaud
uma visita especialmente dedicada a este
grupo, o que aconteceu no dia 7 de outubro, e
do qual recebemos uma entusiástica referência
quanto à rapidez com que os Programas da
Fundação se têm desenvolvido e implantado a
nível internacional. O Buck Advisory Council é
um conselho criado em 2010 para a divulgação
e alargamento da rede de contactos do Buck
Institute, instituição norte-americana dedicada à
investigação e compreensão das ligações entre
o processo de envelhecimento e as doenças
crónicas, com o objetivo de aumentar a
esperança de vida saudável.
Fotografia 1.
Visita do Buck Advisory Council, outubro
Leonor Beleza - Presidente da Fundação
Champalimaud e António Parreira
Director clínico do CCC
Em 2013, prosseguimos as visitas organizadas em
resposta a muitos pedidos que vamos recebendo
ao longo do ano, por parte de grupos interessados
em contactar com a nossa realidade do dia-adia, em observar o trabalho dos laboratórios de
investigação e com muito interesse em obterem
informação sobre as formas do funcionamento do
Centro Clínico Champalimaud. Passaram pelas
nossas instalações, este ano, mais
de 2 000 pessoas a que se juntaram cerca
de 200 visitantes que a Fundação recebeu,
na manhã de 5 de outubro, ao abrir mais
uma vez, as portas ao “Lisboa Open House”,
da responsabilidade da Trienal de Lisboa. À
semelhança do ano anterior, esta iniciativa permitiu
a visita a 60 espaços na capital que puderam ser
vistos gratuitamente durante o fim de semana,
num extenso programa de visitas guiadas.
Fotografia 2.
“Lisboa Open House”, outubro
mais de
Desde 2011, altura em que abrimos o Centro
a este tipo de atividade, já nos visitaram mais
de 5 000 pessoas e cremos que esta é uma
pessoas visitaram a excelente forma de apresentarmos, de forma
Fundação
mais personalizada, a nossa história, os nossos
objetivos e os nossos programas.
Ainda a 5 de outubro, a Fundação celebrou o
seu terceiro aniversário com a realização do
1.º Troféu Fundação Champalimaud de vela,
organizado em conjunto com a Associação Naval
de Lisboa, em que estiveram em competição
mais de 45 embarcações num campo frente às
nossas instalações. Integraram esta regata muitos
colaboradores da Fundação Champalimaud, quer
em barcos próprios, ou juntando-se à tripulação
de outros barcos participantes. A entrega dos
troféus foi feita pelo Diretor clínico do CCC,
Prof. António Parreira ao final da tarde no nosso
Centro, seguindo-se um cocktail que trouxe até
nós os premiados, as equipas concorrentes e as
suas famílias e que decorreu num ambiente alegre
e descontraído.
5 000
A Fundação participou em 2013 em duas
iniciativas desportivas no âmbito da prevenção
e do combate contra o cancro: a “Caminhada
Contra o Cancro – Terrugem-Elvas” que teve lugar
a 7 de setembro sob a iniciativa de Alexandra Velez
e em que participaram três médicas do Centro
Clínico Champalimaud, a Dra. Fátima Cardoso,
a Prof. Doutora Maria João Cardoso e a
Dra. Celeste Alves, cuja intervenção nas sessões
de esclarecimento público sobre as várias
dimensões da doença oncológica teve enorme
adesão. A outra iniciativa, a corrida “Sempre
Mulher”, cujas inscrições reverteram a favor
da Associação Portuguesa de apoio à Mulher
com Cancro da Mama, decorreu no Parque das
Nações a 10 de novembro e contou com
a presença da Presidente da Fundação,
Leonor Beleza, e ainda com a participação
especial do artista Tony Carreira, que tem vindo
a apadrinhar este evento.
Fotografia
1.º Troféu Fundação Champalimaud, outubro
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
98
COMUNICAÇÃO
.10
Visitas ao
estrangeiro
A 24 de fevereiro, a Presidente da Fundação,
Leonor Beleza, participou no encontro “Audacious
Goals Development Meeting” que teve lugar no
National Eye Institute (NEI), parte integrante do
National Institutes of Health (NIH) no Maryland
(EUA), onde foi a oradora de honra na sessão de
abertura. Este encontro foi organizado pelo
Dr. Paul Sieving, diretor do NEI e membro do Júri
do Prémio António Champalimaud de Visão, com
o objetivo de traçar metas de investigação para a
próxima década e analisar e debater projetos de
pesquisa científica que possam ter impactos reais
na área da visão, quer a nível nacional, quer
a nível mundial.
alguns dos galardoados com o Prémio de Visão,
do trabalho que tem sido desenvolvido pelo
Champalimaud Centre for the Unknown, desde a
sua inauguração em 2010.
A convite do Presidente da República, a Dra.
Leonor Beleza integrou a visita oficial à Suécia
que teve lugar de 1 a 3 de outubro, tendo sido
convidada para fazer uma apresentação sobre a
Fundação Champalimaud no Kista Science City
perante a presença dos Reis da Suécia.
Leonor Beleza começou por apresentar a
Fundação e a razão da sua criação por vontade de
António Champalimaud, tendo depois explicado
o processo que levou à escolha das áreas de
atuação, sublinhando a fonte de inspiração que
um país, como os EUA, constitui através dos seus
enormes avanços em ciência e da sua sólida
experiência em filantropia.
Ao longo da sua intervenção, Leonor Beleza falou
sobre os objetivos e programas da Fundação
Champalimaud, bem como sobre o perfil do
Prémio de Visão criado em 2006 e cuja atuação
se enquadra na luta contra a cegueira evitável.
Evidenciou os projetos entretanto já concretizados
através da criação dos C-TRACERs e do
trabalho conjunto com as maiores organizações
mundiais a operar na área da visão, relembrando,
sensibilizada, histórias de ajuda humanitária que a
Fundação já se orgulha de contar.
A participação neste encontro foi da maior
relevância para a divulgação junto de uma
importante plateia internacional, incluindo
Fotografia 1.
Leonor Beleza apresentou a Fundação Champalimaud
no Kista Science City, por ocasião da visita oficial do
Presidente da República à Suécia, outubro
Nos media
Ao longo do ano de 2013, a Fundação
Champalimaud acentuou a sua presença
nos media, muitos especialmente na área de
tratamento e investigação em cancro.
O funcionamento em pleno do Centro, a inovação
clínica, a investigação e a consolidação do
corpo clínico, mereceram grande destaque na
generalidade da imprensa.
ID: 48724453
13-07-2013
Tiragem: 90
Pág: 6
País: Portugal
Cores: Cor
Period.: Diária
Área: 26,70 x 30,32 cm²
Âmbito: Informação Geral
Corte: 1 de 2
Outras atividades fundamentais da Fundação,
como a cerimónia de entrega do Prémio António
Champalimaud de Visão, o Champimóvel,
a realização de encontros científicos ou a
publicação de artigos da autoria de investigadores
dos diversos departamentos, suscitaram também
um enorme interesse: cerca de 2 450 notícias
positivas nas diversas plataformas (online,
televisão, imprensa escrita, rádio).
A presença em televisão manteve-se muito regular
e marcante, não só pela natureza e importância
dos conteúdos, como também pela ligação às
pessoas, especialmente aos doentes e seus
familiares. No plano internacional, e para além
das publicações de ciência, a Fundação foi
amplamente citada em meios europeus,
norte-americanos e asiáticos pela atribuição do
Prémio António Champalimaud de Visão
e pela produção científica.
A publicação de artigos alargados sobre o
Centro Clínico da Fundação Champalimaud
em órgãos de comunicação social de grande
visibilidade, como o Correio da Manhã,
Jornal de Notícias, Notícias Magazine ou
ID: 48916252
25-07-2013
Tiragem: 39669
Pág: 17
País: Portugal
Cores: Cor
Period.: Diária
Área: 21,26 x 27,09 cm²
Âmbito: Informação Geral
Corte: 1 de 2
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
100
COMUNICAÇÃO
.10
Nova Gente, assinalam uma maior aproximação
ao público em geral, tendo contribuído de forma
muito positiva para a perceção de que este é
um Centro acessível a todos, e não apenas a
algumas elites. A contratação do Professor Bill Heald,
as reuniões do Conselho de Curadores e
o anúncio do lançamento do Programa de
Avaliação de Risco de Cancro foram alvo de
vasta cobertura pelos media. A presença em
televisão foi particularmente acentuada no Prémio
António Champalimaud de Visão e na publicação
de papers dos nossos investigadores do
Champalimaud Neuroscience Programme (CNP),
Rui Costa, na identificação da estrutura do
cérebro que comanda as ações intencionais,
e Michael Orger e Sabine Renninger, sobre a
atividade do cérebro em tempo real.
Tiragem: 45304
ID: 49579100
05-09-2013
Área: 26,65 x 29,90 cm²
Âmbito: Informação Geral
Corte: 1 de 1
Identificada a estrutura do cérebro
que comanda as acções intencionais
Cientista português ajudou a identificar área do cérebro que controla a passagem de uma acção
automática para uma acção intencional. Descoberta pode vir a ajudar pessoas com vícios e compulsões
ENRIC VIVES-RUBIO
Neurociências
Nicolau Ferreira
Muitas das acções humanas são automáticas. Uma delas é carregar no
botão com o número do andar de
casa quando se entra no elevador.
Depois de se repetir esta acção durante dias, é um descanso não gastar
um segundo a pensar neste gesto.
Mas se algo muda, como termos de
visitar o vizinho que mora noutro
andar, então convém prestar atenção ao que estamos a fazer para não
seguirmos, erradamente, para casa.
Esta tomada de atenção, que resulta numa acção pensada mas muito
similar — carregar noutro botão do
elevador —, decorre de uma mudança ocorrida no nosso cérebro. Um
estudo liderado pelo neurocientista
português Rui Costa identificou a
estrutura cerebral responsável por
esta mudança.
Os resultados relativos a esta descoberta, publicados hoje na revista Nature Communications, podem
oferecer uma nova estratégia para
o tratamento de comportamentos
obsessivo-compulsivos.
“Fala-se dos hábitos [acções automáticas] e das acções intencionais,
mas não se estuda muito como é que
se passa de uma acção para outra”,
diz Rui Costa, que agora é chefe do
grupo de Neurologia da Acção do
Centro para o Desconhecido da Fundação Champalimaud, em Lisboa.
Mas este estudo começou antes de
Rui Costa vir para Portugal em 2009,
e conta com Christina Gremel, investigadora do Instituto Nacional para
o Abuso do Álcool e do Alcoolismo,
um dos muitos institutos nacionais
de saúde dos Estados Unidos.
Já se conheciam as três áreas do
cérebro que estavam envolvidas na
passagem de uma acção automática
para uma acção intencional: o córtex órbito-frontal, que fica numa região mais externa do cérebro perto
da testa, e dois gânglios de base que
ficam numa região mais interior do
cérebro, chamados “estriado lateral” e “estriado medial”.
No passado, o estriado lateral foi
associado a acções automáticas, enquanto o estriado medial foi ligado a
acções intencionais. O córtex órbitofrontal fica a montante e projecta
neurónios nos dois estriados. Mas
desconhecia-se se a passagem de
As pessoas que lavam muitas vezes as mãos têm uma compulsão que pode estar associada a uma alteração no córtex órbito-frontal
Rui Costa estuda neurobiologia
do comportamento
uma acção automática para uma intencional implicaria a substituição
da actividade neuronal no estriado
lateral pela actividade no estriado
medial ou se, ao invés, estaríamos
perante um jogo com actividade entre os dois gânglios.
“Pusemos eléctrodos muito finos
dentro do cérebro de ratinhos para
poder ler a actividade destas três
zonas”, diz Rui Costa, explicando a
experiência que realizou. Depois, a
equipa colocou os ratinhos em duas
casinhas, cada uma com uma alavanca que, pressionada, dava direito
a água com açúcar. Mas as alavancas
funcionavam de modo diferente: numa das casas, havia uma espécie de
slot machine, que dava a recompensa à sorte. Na outra, quanto mais o
ratinho carregava na alavanca, mais
água com açúcar recebia.
Isto permitiu à equipa testar a mudança de um comportamento repetitivo nos ratinhos que estavam na
casa com a slot machine e que ficavam a carregar na alavanca — como
as pessoas que jogam nas slot machi-
nes dos casinos — para um comportamento intencional na outra casa.
“A actividade no córtex órbitofrontal correlacionava-se muito
com a mudança do hábito para um
comportamento intencional”, diz
Rui Costa, referindo-se às medições
feitas nas três regiões do cérebro dos
ratinhos. Mais: quando silenciaram a
actividade no córtex órbito-frontal,
os animais mantiveram-se sempre
com comportamentos automáticos.
Já quando a estimularam, todos os
animais transitaram de uma acção
automática para uma intencional.
A equipa também verificou que
esta mudança não significou o silenciamento da actividade neuronal
do estriado lateral e a activação do
estriado medial. Apesar de a actividade passar a ser maior no estriado
medial, os dois gânglios mantiveram-se activos numa única rede.
A descoberta da importância do
córtex órbito-frontal nestas acções
pode vir a ser importante no controlo de vícios ou problemas obsessivocompulsivos. “Esta área é a que mais
aparece afectada na compulsão, em
que a pessoa perdeu o controlo: lava
as mãos frequentemente e, apesar
de ter acabado de lavar as mãos, não
consegue controlar o gesto”, exemplifica Rui Costa.
“A nossa esperança é fazer com
que estas pessoas voltem a controlar as suas acções através de uma
experiência não invasiva.” Para
isso, o cientista pretende colocar
eléctrodos na cabeça de doentes,
na zona do córtex órbito-frontal, para activar os neurónios nesta região
utilizando uma estimulação electromagnética. Poderá assim testar se
estas pessoas voltam a ter controlo
das suas acções.
Pág: 31
Tiragem: 41462
Pág: 30
País: Portugal
Cores: Cor
País: Portugal
Cores: Cor
Área: 26,63 x 30,17 cm²
Period.: Diária
Área: 20,29 x 35,41 cm²
Âmbito: Informação Geral
Corte: 1 de 2
Âmbito: Informação Geral
Corte: 1 de 1
ID: 46894054
Nas últimas três décadas, o Nepal viu os casos de cegueira diminuírem gradualmente graças ao trabalho
de quatro instituições que, ontem, levaram para casa o prémio português de um milhão de euros
ENRIC VIVES-RUBIO
Oftalmologia
Nicolau Ferreira
Ram Prasad Pokhrel, Sanjay Kumar Singh, Salma Rai e Sanduk Ruit receberam o prémio ontem em Lisboa
bastante diferente. Após o rastreio
nacional de 1981, o plano de combate passou pela formação de profissionais como médicos e paramédicos na área de oftalmologia e, ao
mesmo tempo, pela construção de
hospitais e de centros médicos em
cada zona do Nepal. Para isso, houve uma política para captar a ajuda
internacional.
“Cada zona do Nepal era apoiada
por um país. O Japão ficou com uma
zona, a Holanda com outra…”, conta o médico. Em cada zona, o paíspadrinho construiu um hospital ou
um centro de tratamentos e formou
pessoas. Depois, a gestão ficou ao
cuidado dos nepaleses.
Agora, o plano da NNJS, que funciona como chapéu para os hospitais
e institutos que diariamente lutam
pelo direito à visão naquele país, é
reduzir ainda mais a cegueira, para
0,2% na população. “Estamos muito satisfeitos com este prémio. Com
o dinheiro, podemos criar um novo
07-08-2013
Pág: 32
Cores: Cor
Period.: Diária
Period.: Diária
Prémio António Champalimaud de
Visão 2013 para instituições nepalesas
Em 1981, existiam apenas sete oftalmologistas para 15 milhões de nepaleses. A cegueira afectava cerca de 117
mil pessoas (0,84% da população)
devido à pobreza, má nutrição e falta
de acesso a cuidados de saúde. Passadas três décadas, a cegueira afecta
93 mil pessoas (0,35% da população),
em 26 milhões de habitantes. Mais
de 500 pessoas trabalham agora na
saúde oftalmológica, em hospitais e
centros de tratamento espalhados
pelo Nepal.
Grande parte desta melhoria deveu-se ao trabalho de quatro organizações não-governamentais: o Nepal
Netra Jyoti Sangh (NNJS), o Instituto
Tilganga de Oftalmologia, o Programa de Cuidados Visuais da Região
Leste e o Instituto Visual de Lumbini.
Ontem, estas instituições receberam
o Prémio António Champalimaud de
Visão 2013, na Fundação Champalimaud, em Lisboa, no valor de um
milhão de euros pelo “trabalho humanitário e clínico”. O prémio é dividido equitativamente pelas quatro
organizações.
O ano-charneira na luta contra a
cegueira no Nepal, causada principalmente pelas cataratas, foi 1981.
Nesse ano, com ajuda de dinheiro estrangeiro e helicópteros do Canadá,
uma equipa andou a rastrear a população nepalesa, região após região.
“Com os helicópteros, fizemos este
rastreio para todo o país e ficámos a
conhecer a magnitude da cegueira
do Nepal”, explica ao PÚBLICO Ram
Prasad Pokhrel, médico oftalmologista, que esteve na génese do NNJS, em
1980. Hoje, com 76 anos, é o patrono
da organização.
Com o apoio da Organização Mundial da Saúde e de organizações nãogovernamentais, como a Seva Canadá e a Seva Estados Unidos, Ram
Prasad Pokhrel ajudou a criar um
programa para erradicar a cegueira no seu país. Na década de 1980,
os grandes desafios eram a falta de
infra-estruturas e de recursos humanos, o manpower, como lhe chama
Ram Prasad Pokhrel, que antes de
voltar para o Nepal em 1971, aos 34
anos, esteve dez anos em Inglaterra
a aprender o seu ofício.
Passados 42 anos do seu regresso ao Nepal, o panorama do país é
ID: 49134952
Tiragem: 45640
País: Portugal
centro de tratamentos em Katmandu
[capital do Nepal] e ajudar a erradicar a cegueira em locais remotos.”
Apesar de existirem hoje 14 hospitais e 50 centros de oftalmologia,
há muitas pessoas cegas ou com
problemas de visão que continuam
sem conseguir dirigir-se a um destes
centros. Salma Rai, médica e directora do Instituto Visual de Lumbini,
conhece bem esta situação.
Operações a sete euros
Este instituto nasceu em 1983, só com
duas salas e um oftalmologista, na
região ocidental do país. Hoje trata
anualmente cerca de 35.000 pessoas
com cataratas, muitas provenientes
da Índia, além de formar oftalmologistas e assistentes. Mas continua a
fazer missões em aldeias remotas.
“Escolhemos uma região no país,
publicitamos a nossa visita com uma
semana de antecedência. A equipa
faz uma avaliação dos doentes e, naqueles em que identificamos cata-
ratas, operamo-los lá”, explica-nos
Salma Rai. A médica, de 40 anos,
nasceu em Baglung, uma vila a 275
quilómetros a oeste de Katmandu. Na
altura, as mulheres não costumavam
ir à escola, mas o pai dela fez questão
que ela fosse e estudasse Medicina
para tratar os pobres de Baglung.
“Algumas pessoas caminham durante dois ou três dias até aos nossos
acampamentos”, conta Salma Rai.
“Vi pessoas com cegueira bilateral,
cegas há dois, três, talvez sete anos.
Isto é um fardo social para aquelas
famílias, há sempre alguém que tem
de tomar conta destas pessoas.” Com
o dinheiro do prémio, a médica quer
fazer um centro de tratamento para
crianças e apostar na investigação
científica. “O prémio é fantástico, podemos usar o dinheiro nas pessoas
com necessidades.”
Os outros dois casos de sucesso são
o Instituto Tilganga de Oftalmologia
e o Programa de Cuidados Visuais
da Região Leste. O primeiro serve a
região do Vale de Katmandu. O segundo envolve duas instituições: o
Hospital Visual Sagamartha Choudhary, que fica em Lahan, na região
Leste do país; e o Hospital Visual de
Biratnagar, 140 quilómetros a leste
de Lahan.
O hospital de Lahan, uma zona
mais rural, nasceu primeiro, em
1983, numa altura em que “não havia
electricidade, nem gerador no hospital”, conta-nos por sua vez Sanjay
Kumar Singh, médico e director Hospital Visual de Biratnagar, este criado
em 2006. Os dois hospitais tratam
hoje 100.000 cataratas por ano, perto de 80% dos doentes vêm da Índia.
Aqueles que têm pouco dinheiro pagam pela operação sete euros.
Ontem, na cerimónia da entrega
do galardão, o Presidente da República, Cavaco Silva, considerou que,
graças ao prémio, o bem que estas
organizações estão a fazer pela saúde dos nepaleses “levará, de algum
modo, a marca de Portugal”.
29-03-2013
Espaços
Em 2013, prosseguimos com a rentabilização das
nossas áreas e, embora o ano tenha decorrido
num cenário de contenção por parte das
empresas, o número de eventos organizados nos
espaços disponibilizados ao público foi idêntico
ao do ano anterior, embora com um número mais
reduzido de participantes. Foram realizados
65 eventos (70 em 2012) com um número
aproximado de 15 000 pessoas (25 000 em 2012).
Foi muito variada a procura das organizações,
como bancos, empresas comerciais, fundações
e organismos oficiais ou desportivos, quer para a
realização da sua assembleias-gerais, quer para
eventos com clientes ou de caráter institucional.
ou simplesmente venham até nós para fotografar
ou mesmo desenhar. Continuamos também
a dispor de espaços para iniciativas culturais,
tendo-se realizado mais sessões do “Tango
de Rua” no nosso anfiteatro por um grupo que
organiza milongas e que promove o encontro
de aficionados desta dança em locais especiais.
Em outubro e durante um mês, o Centro de
Exposições da Fundação, acolheu a exposição
“As Folhas do Alto São Benfazejas”, de Isabel
Almeida Garrett.
Tiveram ainda lugar outro tipo de realizações cuja
produção deram grande exposição à Fundação.
É o caso das sessões de produção fotográfica de
marcas de automóvel, vários filmes publicitários
e das filmagens, em janeiro, da série portuguesa
de longa duração “Sinais de Vida” para a RTP.
Nesta série participam mais de três dezenas de
atores que interpretam uma história, cuja ação
decorre entre o fictício Hospital de Santa Catarina
(neste caso o Centro da Fundação) e outros locais
em Lisboa, e que acompanha a vida pessoal e
profissional de uma equipa de médicos e das
suas famílias. Os exteriores da Fundação foram
também o cenário escolhido para as filmagens
para o canal alemão ZDF do filme “Ein Sommer
in Portugal” realizado por Michael Keusch, com a
participação do ator Paulo Pires. Em novembro,
realizou-se a sessão “Veredicto final” da versão
portuguesa do Master Chef Academy.
A total abertura dos nossos espaços exteriores
ao público faz com que cada vez mais pessoas
nos procurem para os seus passeios, para
frequentarem a esplanada do Darwin’s Café
e, também, mostrarem o Centro da Fundação
Champalimaud a quem nos visita do estrangeiro
Fotografia 1.
“Seminar of the 2013 Aga Khan Award for Architecture”,
setembro
Fotografia 2.
Reunião no anfiteatro da Fundação Champalimaud,
setembro
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
102
GESTÃO DO PATRIMÓNIO
FINANCEIRO E CONTAS
.11
Fotografia
António Champalimaud
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
104
GESTÃO DO PATRIMÓNIO
FINANCEIRO E CONTAS
.11
2013 foi um bom ano para os mercados
financeiros com a maioria dos ativos financeiros
a proporcionarem retornos positivos,
essencialmente em consequência das contínuas
injeções monetárias e da política de flexibilização
dos principais bancos centrais mundiais.
A carteira de investimentos da Fundação terminou
o ano com uma valorização global de 9,5% a que
corresponderam ganhos de 44.975.251€.
O valor total da carteira era de 513.249.153€,
no final do ano.
A política de investimento da Fundação mantém-se
de cariz passivo, alicerçada num portefólio
diversificado, com uma perspetiva de longo
prazo. Não obstante, com o objetivo de superar
o desempenho do mercado, a Fundação procura
garantir para os ativos que detém gestores de
créditos de reconhecida reputação e resultados
comprovados. Adicionalmente, alguns dos
ativos são pontualmente investidos em valores
mobiliários selecionados pela Administração com
o objetivo de melhorar ainda mais os retornos
alcançados.
Em 2013, o principal contributo para a valorização
geral da carteira de investimentos veio da
componente Ações, que proporcionou ganhos de
23,1% (cerca de 39 milhões de Euros). O seu peso
no total da carteira era inicialmente de 30%, mas
veio a atingir 37,5% do portefólio total.
O segundo maior segmento da carteira em termos
de contribuição para o resultado obtido foi o
Mercado de Taxa Fixa, que contribuiu com ganhos
de 9,3 milhões de Euros, numa valorização de
+5,3% contra -0,3% do valor de referência, ou
benchmark. Para este resultado não foi indiferente
a progressiva evolução do investimento dos ativos
de menor rentabilidade para outros de maior
rentabilidade, o que teve um impacto significativo
no referido desempenho.
O segmento de Produtos Alternativos saldou-se
por um retorno de +0,6% (ganhos de 0,6 milhões
de Euros). Os ganhos em “Hedge Funds”
(9,1% contra 6,7% do “benchmark”) compensaram
amplamente o efeito negativo das “Commodities”
em geral, bem como do Ouro. A exposição a
este segmento específico foi progressivamente
reduzida ao longo do ano, o que fez diminuir a
volatilidade da carteira e preveniu perdas adicionais.
De referir que, no final do ano de 2013,
acontecimentos como a redução dos estímulos
monetários nos EUA, combinada com a fraqueza
das economias emergentes e a incerteza
da política da Europa em relação à Ucrânia,
trouxeram volatilidade acrescida aos mercados,
o que em princípio será a sua principal ameaça
nos tempos mais próximos.
Não obstante os riscos antecipados acima, o início
do ano de 2014 foi positivo para a Fundação,
o que em final de fevereiro se materializava num
crescimento de 1,7%, a que correspondiam
ganhos de 8.417.351€. Assim, a estimativa de valor
da sua carteira de investimentos era, nesse mês,
superior a 517 milhões de Euros.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
106
GESTÃO DO PATRIMÓNIO
FINANCEIRO E CONTAS
.11
ANEXO
“Champalimaud Neuroscience Programme”
CHAMPALIMAUD NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
ÍNDICE
Research Overview CNP associated research groups
Publications
Funding
Graduate Education
Events
Science Communication and Outreach
CNP Growth and Diversity
Investigators
Associated Research Groups
CNP Administrative Unit
Research Funding
Fellowships
Publications
Science Communication and Outreach
AR | RESPIRE CONNOSCO
Seminars and Meetings Organised at the CCU
Presentations and Meeting Organised at International Institutions
Meetings
Graduate Training and Education International Neuroscience Doctoral Programme (INDP)
Theses
3
5
5
6
6
6
7
7
8
40
44
45
49
52
55
56
60
65
77
78
85
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
The Champalimaud Neuroscience Programme
(CNP), a programme of the Champalimaud
Foundation, was created in 2007. It is a
basic research team with the broad aim of
understanding brain function through integrative
biological approaches. The team is composed
of 15 main research groups and 2 associated
labs who study diverse topics in neuroscience
using advanced, cutting edge, techniques.
CNP laboratories apply advanced molecular,
physiological and imaging tools to elucidate the
function of neural circuits and systems in animal
models that include Drosophila, mouse, rat
and zebrafish.
Research Overview
As of December 2013 the CNP comprises
seventeen independent research groups, including
fifteen in-house principal investigators and two
associated external principal investigators.
Megan Carey – Neural Circuits and Behaviour
Lab: this research group uses the rodent
cerebellum as a model system to study the way
cellular and synaptic mechanisms interact within
neural circuits to control behaviour;
Eugenia Chiappe – Sensorimotor Integration
Lab: this group studies the integrative processes
by which the brain associates ongoing sensory
signals with proceeding motor actions using the
model organism Drosophila melanogaster;
Photo 1.
Zachary Mainen,
CNP Director
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
4
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Rui Costa – Neurobiology of Action Lab: this
group investigates the mechanisms that underlie
processes of action generation and selection, skill
learning, learning of goal-directed actions versus
habits, using an across-level approach, from
molecules to circuits;
Inbal Israely – Neural Structure and Function
Lab: this group uses a combination of
molecular and genetic tools with imaging and
electrophysiological methodologies, to determine
how activity can lead to specific structural changes
in neurons which may be important for learning,
and how such changes affect connectivity within
neural circuits;
Adam Kampff – Intelligent Systems Lab: this
lab investigates how information is stored in
neural networks, and how is it used to control
adaptive behaviour in rodents. The lab, in parallel
with experimental research, is also dedicated
to developing technical advances with the goal
of creating new tools to progress neuroscience
research;
Susana Lima – Neuroethology Lab: this group
aims to gain mechanistic insights into the neuronal
processes underlying fundamental behaviours in
females: the choice of a suitable mate and how to
initiate and terminate sexual behaviour;
Christian Machens – Theoretical Neuroscience
Lab: this group’s main goal is to link the activity
within various brain areas to a computational
theory of animal behaviour by analysing recordings
of neural activity and constructing mathematical
models of neural circuits;
Zachary Mainen – Systems Neuroscience Lab:
this group integrates quantitative cellular and
systems level experimental analysis of underlying
neural mechanisms with theoretical, ecological
and evolutionary contexts with the overall goal
of understanding the principles underlying the
complex adaptive behaviour of organisms;
Marta Moita – Behavioural Neuroscience Lab:
this group focuses on understanding the neural
mechanisms underlying behavioural plasticity using
a combination of behavioural, pharmacological,
molecular and electrophysiological tools and is
particularly interested in studying the neural basis
of memory formation;
Michael Orger – Vision to Action Lab: this group
uses the zebrafish as a model organism to study
how the brain integrates sensory information and
selects and executes appropriate actions;
Joe Paton – Learning lab: this group aims to
reveal neural mechanisms for time by observing
and manipulating neurophysiological elements in
behaving rodents;
Leopoldo Petreanu – Neural Circuits Lab: this
group addresses the functional role of corticocortical connections in cortical computation
by studying the structure and function of these
circuits using optical methods;
Alfonso Renart – Circuit Dynamics and
Computation Lab: this group’s research strategy
focuses both on identifying characteristic
signatures of population organisation – through
recordings of the simultaneous activity of neuronal
populations during controlled behavioural
tasks – as well as on developing a mechanistic
understanding of how these patterns of population
activity emerge – which are investigated by
developing mathematical models of the underlying
neuronal circuits;
Carlos Ribeiro – Behaviour and Metabolism
Lab: this group studies how the internal metabolic
state of the fruit fly Drosophila melanogaster
affects its behavioural decisions, with the goal
of understanding how molecular and cellular
mechanisms control complex biological processes
at the level of the whole organism;
Maria Luísa Vasconcelos – Innate Behaviour
lab: this group uses a combined behavioural,
genetic, imaging and electrophysiological
approach to determine how defined neural
circuits and their activation elicit specific innate
behaviours.
CNP associated research
groups:
Domingos Henrique – Neural Development
Lab: this group researches the molecular events
that control the generation of neural stem cells in
the embryo, how these cells are maintained, and
how they give rise to the multitude of neurons that
compose the adult CNS;
Rui Oliveira – Social Neuro Endocrinology
Lab: this group focuses on understanding the
neuroendocrine mechanisms of social behaviour
and how the social environment may feedback on
the neuroendocrine system.
Publications
In 2013, CNP researches published 28 refereed
research articles, summing up in total to 109
research articles published by CNP Principal
Investigators since the establishment of the CNP in
2007. Many of these articles were published in high
impact journals, such as Nature, Current Biology
and Neuron, mirroring the significant potential
reach of the research done by CNP investigators.
Among the studies published in 2013, was a
study describing a novel method that provides
researchers with a way to identify how alterations
at the level of specific nutrients in an organism’s
diet can lead to changes in brain and behaviour.
(Piper MDW, Blanc, E, Leitão-Goncalves R, Yang,
M, He, X, Linford NJ, Hoddinott MP, Hopfen C,
Soultoukis GA, Niemeyer C, Kerr F, Pletcher SD,
Ribeiro C, Partridge L (2013). A holidic medium for
Drosophila melanogaster Nat. Methods 11: 100105). Another research highlight is the product of
collaborative work between Michael Orger and
a group of leading international neuroscientists.
This study presents new genetically encoded
‘GCaMP6’ reporters that enable researchers to
actually see what individual neurons do in real
time inside a living brain by optically recording the
complex activity dynamics in neuronal populations
in awake, behaving Zebrafish. (Chen TW, Wardill
TJ, Sun Y, Pulver SR, Renninger SL, Baohan A,
Schreiter ER, Kerr RA, Orger MB, Jayaraman
V, Looger LL, Svoboda K, Kim DS (2013).
Ultrasensitive fluorescent proteins for imaging
neuronal activity. Nature 499(7458):295-300.)
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
6
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Funding
Graduate Education
Since the establishment of the CNP in 2007,
until the end of 2013, CNP researchers were
awarded a cumulative sum of over 12 Million
Euros in support of their research. These funds
were awarded by Portuguese, European and
International agencies. In 2013, CNP Principal
Investigators were awarded 21 grants. Among
these were Human Brain Project Grants that
were awarded to investigators Rui Costa and
Zachary Mainen. As members of the Human
Brain Project, Costa and Mainen are an integral
part of the international group of researchers
working in over 80 research institutions dedicated
to understanding the functioning of the human
brain. In addition, Leopoldo Petreanu was one of
28 scientists named as recipients of HFSP Young
Investigator grants in 2013. Petreanu is one of four
researchers recognised for their involvement in
a collaborative project designed to “Assess the
function of neocortical Layer 1 with geneticallyencoded indicators of synaptic activity.” With this
grant, Petreanu becomes the fourth member of
the Champalimaud Neuroscience Programme,
with Zachary Mainen, Alfonso Renart and Carlos
Ribeiro, to receive support from the Human
Frontier Science Programme organisation. Finally,
a major grant was awarded to Marta Moita, who
received the prestigious ERC starting grant. This
Grant will fund the research project “Circuits
of Conspecific Observation”, which aims at
unravelling how the brain uses defence behaviours
as signals of danger and how it contributes to
defence mechanisms at the population level.
The CNP also organises the International
Neuroscience Doctoral Programme (INDP). In this
programme students are provided with a broad
educational background through both formal
classes and hands-on experience in basic topics
in contemporary neuroscience, such as cellular
and synaptic physiology, sensation and action and
cognitive neuroscience. Quantitative approaches are
emphasised and students also receive background
courses in mathematics and programming. In 2013,
eight new students joined the INDP. This new group
of students contributes to the robust diversity at the
CNP, with their diverse origins, such as Norway, Italy,
Jamaica and Portugal, and diverse pre-doctoral
training in topics such as Cognitive Neuroscience,
Molecular Biology and Math.
Events
To complement research related activities, the CNP
also organised several note-worthy events in 2013. In
September, the third Champalimaud Neuroscience
Symposium was held at the Champalimaud Centre for
the Unknown (CCU) gathering hundreds of scientists
from across the world to attend lectures given by
world-renowned neuroscientists, including Nobel
Laureate Richard Axel. Another conference that took
place at the CCU this year was the 10th conference
of the Portuguese Society of Ethology, organised by
Susana Lima and Marta Moita. In addition, scientific
workshops and advanced courses were organised by
CNP investigators such as a course on Hippocampus
and Decision Making by Marta Moita and New Brain
Technologies: A road map for Portugal Workshop
organised by Zachary Mainen and Rui Costa. This
workshop, sponsored by Fundação para a Ciência e
a Tecnologia (FCT) and Champalimaud Foundation,
presented the Human Brain Project (HBP) Flagship,
as well as the available details about Funding Calls
expected in the near future.
Science Communication
and Outreach
In addition to science-related activities, 2013
was also productive in terms of outreach and
communication. The undertakings of Ar | Respire
Connosco, a group of volunteers that includes
students, postdoctoral fellows and faculty
continued in 2013, for the third consecutive year.
These outr each events, targeted at a general
audience, explore different aspects of scientific
and science-related topics, such as education
and storytelling. They are received with great
enthusiasm, attracting hundreds of people to each
event and a large online audiance, both nationally
and internationally. In addition, a highly successful
educational initiative called Sciencecalifragilistic
began in 2013. This initiative, supported by Ciência
Viva – the National Agency for Science and
Technological Culture, was organised by Maria
Inês Vicente, INDP students, Catarina Ramos,
the coordinator of the Science Office, and a
group of volunteers from the CNP. 12 local high
school students participated in this 6 months long
project in which they learned about the principles
and applications of the Scientific Method. Other
outreach activities included the participation of
the CNP in Noite dos Professores, an annual
event hosted at Pavilhão do Conhecimento,
the headquarters of Ciência Viva. Among many
stations with demonstrations about geology,
physics and chemistry, a group of volunteers
from the CNP provided a unique point of view on
neuroscience. Another outreach highlight in 2013
was the participation of CNP memembers in 2
separate TedEx events: one presented by Zachary
Mainen in Porto, and the other by the organisers of
Sciencecalifragilistic in Leiria.
CNP Growth and Diversity
As of December 2013, the CNP counts 167
members. Of these, 15 are CNP Principal
Investigators, 41 Postdoctoral Fellows, 74
PhD Students, 26 Lab Technicians and 11
Administrative personnel. Gender distribution
across all departments is approximately even,
counting in total 82 men and 85 women
(49%:51%). Origins of CNP members are also
diverse, counting 26 different nationalities and
include, among many others, Italian, Mexican,
Swiss, Japanese, and Portuguese. Diversity
is also seen in the educational background of
CNP members that includes Biology, Computer
Science, Math, Physics, Neuroscience,
Psychology, Medical Sciences and other fields, all
contributing to a dynamic environment where new
approaches and ideas are always encouraged.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
8
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Investigators
Megan Carey
Neural Circuits and Behaviour
Group Members
João Fayad (Postdoctoral Researcher)
Dominique Prichett (Postdoctoral Researcher)
Catarina Albergaria
(ITQB PhD Student, FCT Fellow)
Ana Sofia Machado
(MIT-Portugal PhD Student, FCT Fellow)
Dana Darmohray (ITQB PhD Student, FCT Fellow)
Tatiana Silva
(University of Coimbra Masters Student)
Carla Matos (Research Technician)
Tracy Prichett (Research Technician)
Research Summary:
Understanding how cellular and synaptic
mechanisms interact within neural circuits to
control behaviour is a fundamental goal of
neuroscience. To achieve that goal, we need a
thorough understanding of behaviour as well as
a detailed knowledge of the underlying neural
circuit. With this in mind, we focus our research
on the cerebellum, a brain area that is critical for
coordinated motor control and motor learning
and whose circuitry is relatively simple and well
understood. Many of the neuron types in the
cerebellum are molecularly identifiable and existing
technologies allow us to target transgenes to
specific neuronal populations. By comparing
specific aspects of behaviour and neural activity
across mice in which we have targeted genetic
perturbations to different cell types, we hope to
determine links between cellular function, circuit
activity and behaviour.
Research Projects:
Dissecting the role of endocannabinoids in
eyeblink conditioning
Delay eyelid conditioning is a simple form of
classical conditioning that depends critically on
an intact cerebellum. Multiple synaptic plasticity
mechanisms within the cerebellum have been
identified and proposed as cellular substrates of
learning for this behaviour. One class of molecules
that appears to be important is endocannabinoids.
Both cannabis users and cannabinoid receptor
(CB1) knockout mice have been shown to exhibit
impairments in delay eyelid conditioning. However,
endocannabinoids are important for multiple
plasticity mechanisms at many synapses, and
it is not clear exactly where or how they act to
modulate eyeblink conditioning. We are taking
a genetic approach to this problem, by deleting
CB1 receptors selectively from identified cell
types within the brain. Through behavioural and
electrophysiological experiments in these mice,
we aim to constrain both the candidate sites and
mechanisms of action for CB1 receptors in eyelid
conditioning.
Funding: Grants – Howard Hughes Medical
Institute (HHMI); Fellowships – Fundação para
a Ciência e Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Cerebellar contributions to coordinated
locomotion in mice
Gait ataxia, or uncoordinated walking, is one of the
most prominent symptoms of cerebellar damage,
but the mechanisms through which the cerebellum
contributes to coordinated locomotion are not
well understood. Both ataxic mouse mutants
and the sophisticated genetic tools available
for manipulating neural circuits in mice have
the potential to help shed light on this problem.
However, analyses of mouse gait have typically
lacked the kind of detail about the precision and
timing of limb movements that would be required
for a full analysis of coordination. We have built a
custom video tracking system (LocoMouse) for
measuring and analysing overground locomotion
in freely walking mice. The LocoMouse system
automatically detects the position of paws, snout,
tail, and body centre in all three spatial dimensions
with high spatiotemporal resolution. We have
used this system to generate a comprehensive
description of mouse gait parameters, including
continuous paw, snout, and tail trajectories in
time. We are applying the LocoMouse system to
quantify the coordination deficits of ataxic mouse
lines with cerebellar dysfunction, such as the
Purkinje cell degeneration (pcd) mouse. These
experiments are helping us to understand how
the cerebellum contributes to specific elements of
coordinated movement.
and electrophysiological tools to investigate the
neural basis of locomotor adaptation.
Funding: Grants – Howard Hughes Medical
Institute (HHMI); Fellowships – Fundação para
a Ciência e Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Funding: Grants – Howard Hughes Medical
Institute (HHMI); Fellowships – Fundação para
a Ciência e Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Neural mechanisms of locomotor adaptation
Locomotor patterns are constantly adapted
for changing environments but the neural
mechanisms underlying this basic form of
learning are not well understood. Locomotor
adaptation has been studied in humans using a
motorized split-belt treadmill in which the limbs
on opposite sides of the body move at different
speeds. Subjects adapt to split-belt walking
over time by changing spatial and temporal gait
parameters, which show negative after-effects
in post- adaptation. This type of motor learning
is thought to involve the cerebellum, as previous
studies have indicated that patients with cerebellar
lesions cannot adapt to the perturbation (Morton &
Bastian, 2006). However, the circuit mechanisms
within the cerebellum that support this adaptation
are not known. We have built a split-belt treadmill
for mice and will use it in combination with genetic
Photo 1.
Tail trajectory during mouse locomotion. Tail
images for a 1 sec movie were automatically
detected and divided into 12 color-coded
segments. Vertical (top) and side-to-side (bottom)
movements are shown for each segment as the
mouse walks along a glass corridor.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
10
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Eugenia Chiappe
Sensorimotor Integration
Group Members
Fransisco Semedo (Lab Manager)
Terufumi Fujiwara (Postdoctoral Researcher)
Mert Erginkaya (2012 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Tomás Cruz
(Instituto Superior Técnico Masters Student)
James Bohnslav (Research Technician)
Research Summary:
We are interested in the relationship between
the dynamics of neural networks and animal
behaviour. Our research focuses on the integrative
processes by which the brain corresponds
ongoing sensory signals with proceeding motor
actions. Our goal is to identify patterns of neural
activity representing computational principles
occurring during sensorimotor tasks in small
networks. In addition, we aim to describe the
mechanisms by which these neural circuit
computations emerge from the biophysical
properties of neurons and synapses.
With only about 100,000 neurons, the brain
of Drosophila melanogaster produces rather
sophisticated orientation behaviours. The
balance between brain numerical simplicity and
behavioural complexity makes Drosophila an
attractive experimental system to investigate how
visually guided behaviours are implemented by
small neural networks. We use novel methods
that allow us to record the activity of neurons in a
behaving fly during locomotion.
Research Projects:
Development of behavioural paradigms to
study sensorimotor integration
We are currently developing “freely moving” and
“tethered” behavioural paradigms in virtual realitylike worlds designed to probe the computational
capacities of the fly’s brain during visually guided
orientation behaviours. These shall form a
platform for studying: a) how the fly uses its own
movements and the generated visual motion
cues to explore an environment, b) how the brain
incorporates sensory signals to correct locomotion
during orientation towards objects, and c) how do
past experiences inform ongoing behaviour.
Funding: Champalimaud Foundation.
Collaborators: Gonçalo Lopez (Champalimaud
Neuroscience Programme, Portugal).
Identification of neurons and circuits
involved in sensorimotor processing
The aim of this project is to understand how
components in the circuit are linked and how
the activity patterns of neurons arise from their
synaptic connectivity. We identify neuronal
components of a network using behavioural,
physiological and anatomical methods. We then
map connectivity among candidate neurons
by combining chemical, optical and electrical
techniques. Importantly, in the brain of the fruitfly it
is possible to systematically identify the same class
of neurons across different individuals. This allows
investigating variability in synaptic connectivity and
circuit function across different flies.
Funding: Grants – Fundação Bial, FP7 People
(Marie Curie Career Integration Grant).
Probing neural processing during
sensorimotor tasks
In simultaneous with head-fixed, tethered
locomotion, we use electrophysiological and
imaging techniques to monitor the activity
dynamics of populations of genetically- or
anatomically-defined groups of neurons. We
apply quantitative analytical tools to correlate
neural population activity with the behaviours
described above, and to make predictions about
the contribution of different groups of neurons
to such behaviours. We examine the roles of
different groups of neurons in the circuit by precise
manipulations of their activity with genetic and
optical techniques. These experiments are aimed
at defining the functional logic of the circuitry in
the context of a specific behaviour. By comparing
different visual-motor tasks, our research attempts
to identify common principles of visual-motor
transformations.
Funding: Grants – FP7 People (Marie Curie Career
Integration Grant); Champalimaud Foundation.
Rui Costa
Neurobiology of Action
Group Members
Cristina Afonso (Postdoctoral Researcher)
Gabriela Martins, (Postdoctoral Researcher)
Catherine French (Postdoctoral Researcher)
Cristina Afonso (Postdoctoral Researcher)
Fatuel Aguilar (Postdoctoral Researcher)
Vitor Paixão (Postdoctoral Researcher)
Rodrigo Oliveira (Postdoctoral Researcher)
Cátia Feliciano (Postdoctoral Researcher)
Thomas Akam (Postdoctoral Fellow, Wellcome Trust)
Lauren McElvain (Postdoctoral Researcher)
Alejandro Gomez-Marin (Postdoctoral Researcher)
Pedro Ferreira (2007 INDP PhD Student)
Fernando Santos (2008 INDP PhD Student)
Ana Mafalda Vicente (2008 INDP PhD Student)
Sevinç Mutlu (2009 INDP PhD student, FCT Fellow)
Eduardo Dias-Ferreira (PDBEB-Coimbra PhD Student)
Joaquim Alves da Silva
(PFMA-Gulbenkian PhD student)
Ana Castro, MD
(PFMA-Gulbenkian PhD student, FCT Fellow)
Mariana Correia (Research Technician)
Ana Maria Vaz (Research Technician)
Vivek Athalye (Visiting Student, EECS Graduate
Program, Berkley)
Collaborators
Bruno Afonso (PIBS PhD student, FCT Fellow)
Patrícia Rachinas-Lopes
(ISPA PhD student, FCT Fellow)
Clinical Research Fellows
Ana Fernandes (Postdoctoral Researcher)
Marta Camacho (Clinical Research Fellow)
Albino Oliveira-Maia (Clinical Research Fellow)
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
12
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Research Summary:
To study actions is to study the way we do things,
which is different than studying how we remember
stimuli, or facts and events. Some actions are
innate or prewired. Others are learned anew
throughout life, likely through a process of trial and
feedback. We currently focus on understanding
the processes mediating the latter.
Our overall goal is to understand how changes
in molecular networks in the brain modify neural
circuits to allow the generation of novel actions
and their shaping by experience. To achieve this,
we subdivided our experiments into different subgoals to study action generation, action shaping
and automatisation and action goals.
Research Projects:
Neural mechanisms of skill and sequence
learning
Understanding how novel actions are learned
and consolidated as sequences of movements
and skills are the main aims of this project. We
have uncovered neural activity in basal ganglial
circuits that are related to the learning and
execution of sequences of movements. We also
used optogenetics to identify and manipulate the
neurons mediating this activity.
Funding: European Research Council (ERC); EU
FP7 Marie Curie Integration grant; Champalimaud
Foundation.
Corticostriatal mechanisms underlying
goal-directed actions and habits
Our goal is to understand the difference in the
brain between intentional actions and habits or
routines. We have uncovered that the dopamine
transporter is a critical gate for habit formations;
and also that different corticostriatal circuits
dynamically interact during the shift between goaldirected actions and habits.
Funding: European Research Council (ERC),
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT),
Champalimaud Foundation (Portugal)
Neural mechanisms underlying the
generation of novel actions
This project aims to understand how new
self-initiated actions are generated and how this
ability is hampered in Parkinson´s disease.
We have developed a new methodology to
classify in an unbiased manner different
behavioural and neural states.
Funding: Champalimaud Foundation
Inbal Israely
Neuronal Structure and Function
Group Members
Yazmin Ramiro Cortes (Postdoctoral Researcher)
Anna Hobbiss (2009 INDP PhD Student)
Ali Ozgur Argunsah (2009 INDP PhD Student)
Inês Vaz da Cunha
(University of Coimbra, Maters Student)
Research Summary:
We are interested in understanding how
experience can lead to specific structural changes
in neurons, and how such changes affect
connectivity within neural circuits. The diverse
patterns of activity that a neuron receives are
physically stored at the level of individual neuronal
connections, yet we know little about how this is
accomplished. Can long lasting depression lead
to the shrinkage or even elimination of unwanted
inputs? What types of changes in efficacy and
structure take place following complex patterns
of naturally occurring activity? Several mental
retardation disorders in humans are characterised
by abnormal spine morphology. Studying
neurons from these animal models may further
our understanding of the relationship between
structure and function, and how this contributes
to normal cognitive function. Thus, we combine
molecular and genetic tools with imaging and
electrophysiological methodologies, to determine
how information is physically stored in the brain.
Research Projects:
Dendritic synapse organisation via protein
synthesis-dependent synaptic plasticity
Neural connectivity may be shaped by activity,
leading co-active synapses to become clustered
on the same dendritic branch. We aim to determine
what are the mechanisms by which this physical
organisation of inputs may be achieved. As protein
synthesis dependent plasticity can facilitate long
lasting changes between neighbouring spines, this
may contribute to such a process. Using 2-photon
imaging and glutamate uncaging, we examine how
activity at spines leads to structural changes, and
whether such changes give rise to computational
units. Progress in 2013: We are testing what are
the structural correlates of various forms of long
lasting activity at nearby spines, through glutamate
uncaging, in order to determine whether clustering
can be induced. We are establishing paradigms for
following such structural changes over prolonged
periods, and have thus far imaged the same inputs
for up to 24 hours. We wish to extend this to the
time scale of several weeks.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para
a Ciência e Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation (Portugal).
Structural correlates of synaptic depression
at dendritic spines
Synaptic potentiation leads to an enlargement of
spine volume, however the long term structural
correlates of synaptic depression are poorly
understood. We aim to clarify this by determining
the structural correlates of different forms of long
lasting synaptic depression at dendritic spines.
In particular, we are interested in exploring
synaptic depression that depends on new protein
synthesis. Additionally, we will probe whether
new proteins serve to constrain plasticity at
multiple spines similarly to the case for long
term potentiation. Progress in 2013: We have
investigated the structural correlates of protein
synthesis dependent long-term depression (LTD)
mediated by metabotropic glutamate receptors
(mGluRs) in hippocampal pyramidal neurons and
find that it leads to robust and long lasting spine
shrinkage and elimination, that is independent of
initial spine size. These effects depend on group
I mGluRs, require protein synthesis, and activity.
These findings were published in 2013.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
14
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT), Bial Foundation.
Plasticity consequences of naturalistic spike
trains at single synapses
Naturally occurring patterns of activity are complex
in structure and have an irregular distribution of
action potentials. We aim to mimic the varied
input patterns observed in vivo, with glutamate
uncaging at individual spines, in order to determine
the structural and plasticity correlates of such
activity. Also, we will investigate how this activity
interacts when multiple synapses within a dendritic
branch are stimulated. We use this information
to model neuronal information processing to
understand the learning rules which govern
synaptic weight changes. Progress in 2013: Thus
far, we have validated an uncaging paradigm for
the induction of spike timing dependent plasticity
at synapses in slice cultures. Also, together with
Tom McHugh, we have recorded in vivo activity
from CA3 neurons in freely behaving mice. These
data are being analysed to design in vitro uncaging
paradigms.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Thomas McHugh, Riken Brain
Science Institute, Japan.
Semi-automatic dendritic spine detection
and analysis
In addition to changes in the volume of the spine
head following the induction of plasticity, many
other changes in spine structure have been
observed, such as changes in spine neck length,
outgrowth of the neck, etc. Such changes are
difficult to quantify with existing methods, and
therefore we are developing automated data
analysis tools for handling both the large data
sets and the many variables to be analysed. We
aim to achieve great precision and flexibility in the
quantification of structural changes, as well as to
significantly enhance the efficacy of data analysis.
Progress in 2013: We have developed a semiautomated, multi-level, region based segmentation
method to detect dendritic spines from twophoton microscopy images. Identified structures
in two-photon images of dendritic spines are used
to train the segmentation algorithm. A broader
automated dendritic spine detection and analysis
framework is underway. A journal article about this
toolbox is in preparation.
Funding: Grants – TUBITAK (to Devrim Unay,
Israely as collaborator).
Collaborators: Dervim Ünay, Bahcesehir University
Istanbul, Turkey.
Adam Kampff
Intelligent Systems
Group Members
João Frazão (Postdoctoral Researcher)
George Dimitriadis (Postdoctoral Researcher)
Joana Nogueira (Lab Manager)
Gonçalo Lopes
(2010 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Danbee Kim (2012 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Joana Neto
(University Nova Lisbon, PhD Student, FCT Fellow)
Research Summary:
The goal of the Intelligent Systems Lab is to
understand how a nervous system constructs a
model of the world. How do brains learn about
the statistics of their environment? How is this
information encoded in networks and used to
control intelligent behaviour? To answer these
fundamental questions, two major technical
advances must occur:
1. The development of virtual worlds in which the
statistics and physics of the environment can be
manipulated, providing experimental control over
the model formed by an animal’s nervous system.
2. The design and construction of novel devices for
simultaneously recording from large populations of
neurons throughout the brain of a behaving animal.
My research group strives to address both of these
problems.
Research Projects:
Bonsai: a general purpose data stream
processing framework for experimental
neuroscience
Modern techniques in experimental neuroscience
require the combination of many different
technologies and software algorithms for data
acquisition, analysis and instrument control. The
development of such systems is often a timeconsuming and challenging task. We present
Bonsai, an open-source framework for rapidly
prototyping and composing asynchronous data
stream processing workflows, which is built
on top of the Reactive Extensions for the .NET
framework. The development of a Bonsai workflow
revolves around two simple concepts: sources
and combinators. Sources represent different
data stream generation processes and devices,
such as cameras, microphones and other data
acquisition systems. Combinators provide ways
to transform, filter, and otherwise manipulate
these asynchronous data streams. We present
the general architecture of Bonsai as well as the
currently available packages for computer vision,
audio and signal processing, data acquisition
and instrument control. We also demonstrate
several practical applications of the framework
to the design of paradigms commonly used in
experimental neuroscience.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência
e a Tecnologia (FCT), FP7; Fellowships –
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT);
Champalimaud Foundation.
Collaborators: Joe Paton, Champalimaud
Neuroscience Programme.
Moving with motor cortex: A fine-scale
analysis of rodent behaviour in unpredictable
environments
Mammals excel at using statistical regularities
to predict their environment, but the neural
algorithms and representations underlying
this ability to learn and use a predictive model
are far from understood. In order to study this
question in rodents, we designed a “modular”
shuttling paradigm. In this task, rats are alternately
rewarded at opposite ends of a U-maze and
their crossings recorded using high-speed, highresolution video. The walls and floor of the maze
are composed of modular elements outfitted with
programmable sensors and actuators, the rules
of which specify the statistics of the environment.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
16
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
We performed a systematic exploration of
behaviour in non-stationary environments and
identified fine-scale metrics that will be paired with
electrophysiology and lesion studies in cortical
motor areas. Here we present the assay design
and behaviour data collected during crossing of
a series of obstacles, some of which change their
configuration on a trial-by-trial basis. We show how
rats quickly learn to navigate this environment and
provide a detailed characterisation of behavioural
responses to unpredictable reconfigurations.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência
e a Tecnologia (FCT), FP7; Fellowships –
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT);
Champalimaud Foundation.
Collaborators: Joe Paton, Champalimaud
Neuroscience Programme.
Photo 1.
Dynamic Obstacle Course for Rats. a.
Assay schematic, a series of elevated obstacles
separated water reward ports. b. A servo-motor
clamping mechanism that allowed computercontrol of each obstacle’s rotational stability. c.
Frame from the high-speed camera, overlaying the
movement parameters tracked and
quantified offline.
Nanostructuring strategies for improving the
performance of neural electrodes
Extracellular electrical recording of neuronal
activity is an important technique for
understanding the function of nervous systems.
However, major discrepancies have been observed
when the signals detected with extracellular
electrodes are compared to those recorded with
other techniques (e.g. functional imaging). We
hypothesized that the smooth, metallic surfaces
commonly used for extracellular recording may
be sub-optimal for detecting and isolating the
activity of neurons in the vicinity of the probe. We
are thus investigating novel electrode materials
and structures, aiming to improve the electrodetissue interface, optimise the SNR, and increase
selectivity for dense signals. We used material
processing techniques to make “nanostructural”
changes to the microelectrode: a focused ionbeam (FIB) with 10 nm resolution and surface
deposition of metallic oxides and conductive
polymers. The effects of these structural and
surface modifications were first verified by
impedance and cyclic voltammetry measurements.
We then evaluated the performance of the
modified devices during acute recordings from
mammalian brain structures.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT), Bial Foundation; Fellowships –
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT);
Champalimaud Foundation.
Collaborators: Pedro Barquinha and Elvira
Fortunato (CENIMAT-Faculdade de Ciências e
Tecnologia of Universidade Nova de Lisboa, Monte
de Caparica, Portugal).
Susana Lima
Neuroethology
Photo 2.
Simultaneous Extra- and Juxtacellular
Recording. An overview of a dual-technique
recording experiment with a cell-attached
micropipette (juxtacellular) and a glass tetrode
(extracellular) positioned to within ~50 µm of
each other. The signal from the isolated neuron is
expected to be visible to an extracellular electrode
within a range ~100 µm, 3-D schematic adapted
from Buzsáki, 2004.
Additional Collaborators:
João Gaspar, International Iberian Nanotechnology
Laboratory, Portugal.
Roger Hanlon, Marine Biological Laboratory,
Woods Hole, MA, USA.
Eric Maris, Donders Behavour Centre, The
Netherlands.
Group Members
Kensaku Nomoto
(Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Léa Zinck (Postdoctoral Researcher)
Bruno Ceña (Lab Manager)
Silvana Araújo (2010 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Luís Moreira (2011 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Susana Valente (GABBA PhD Student, FCT Fellow)
António Dias (FCUL Masters Student)
Gonçalo André (FCUL Masters Student)
Research Summary:
The main goal of our laboratory is to gain
mechanistic insights into the neuronal processes
underlying fundamental behaviours in females:
the choice of a suitable mate and how to initiate
and terminate sexual behaviour. To do so, we
use mice as model system and a combination of
approaches that include physiological, anatomical
and molecular tools to dissect the contribution of
candidate brain areas to the emergence of these
natural behaviours.
Research Projects:
The ontogeny of mate choice
Mate choice is a complex decision that requires
the integration of information from the environment,
cues from potential mates and the chooser’s
preferences, (which are shaped by learning, early
life experience and by the evolutionary history
of its own species). To better understand the
interaction between these factors, we studied
mate choice in the female house mouse, Mus
musculus musculus, which show an assortative
preference for males of their own subspecies
over males of the sibling species Mus musculus
domesticus. This behaviour is ecologically
relevant, but its origins are not understood.
In recent experiments, we show that female mouse
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
18
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
mate preference has a hierarchical dependence
on early postnatal life experience and the order of
males encountered as an adult. Whereas females
raised in their normal musculus environment
display a robust homosubspecific preference,
females fostered in a domesticus family prefer the
first male encountered, regardless of subspecies.
Thus, early life experience of musculus females,
when and only when concordant with genetic selfidentify, overrides sampling order effects, ensuring
robust assortative choice.
Funding: Grants – FP7- People (Marie Curie);
Champalimaud Foundation.
Neuronal mechanisms underlying sex
hormone-dependent switching of sexual
receptivity
A female mouse that encounters a male will
investigate him firstly, but eventually show different
behaviours depending on the estrous cycle (i.e.,
having copulation or rejecting a male). Although
previous studies have elucidated important brain
areas which control female sexual behaviour, it is
not known how these brain areas respond during
initial social interactions in which behavioural
divergence is yet to happen. To address this
issue, we performed electrophysiological
experiments in freely behaving female mice. We
targeted the ventrolateral part of the ventromedial
hypothalamus (VMHvl). In our behavioural
paradigm, a female mouse was allowed to interact
freely with another mouse (either male or female),
while neuronal activity was recorded. Behavioural
results showed that there was no clear effect of
the estrous cycle on behaviour. We found that the
proportion of male-responsive neurons during the
sexually receptive phase was higher than those
during the other phases. These results suggest
that, although female mice show similar behaviours
during initial social interactions, the VMHvl neurons
have already become more responsive to males
during the sexually receptive phase.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Prolactin and its role on sexual behaviour
Prolactin, a hormone produced by the anterior
pituitary, is involved in hundreds of biological
processes. Several studies have shown that
prolactin is released after ejaculation in men and
rats. However, very little is known regarding the
function of this surge. We have recently discovered
that prolactin is also released in male mice after
ejaculation. Hence, we are currently developing
methods to artificially control prolactin release in
vivo and test its role directly on sexual behaviour.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Imprinting in mice
Sexual selection is an important evolutionary
agent that has repercussions in the morphology,
behaviour, mating system and life history
evolution of species, and it may even influence
speciation as well as extinction. With this project
we aim at clarifying some of the pre-zygotic
divergence mechanisms that could be behind
the low genetic flow across two very similar
subspecies: Mus musculus musculus and
Mus musculus domesticus. Because olfaction
is the major communication highway in newborn rodents we will explore the possibility that
an early olfactory experience might play an
important role in choosing a sexual partner later
in life. Hence, using both behavioural testing and
immunohistochemistry techniques in mice we will
initiate the study to unravel the neuronal circuitry
behind this early life learning.
Funding: Grants – FP7-People (Marie Curie);
Champalimaud Foundation.
5HT and male sexual behaviour
5HT has been implicated in a variety of behavioural
phenomena, from sleep, to feeding, but also
sexual behaviour. Using optogenetic tools which
give us high temporal precision for neuronal
manipulation we are investigating the impact of
5HT release in male sexual behaviour.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Collaborators: Zachary Mainen, Champalimaud
Neuroscience Programme, Portugal.
Social transmission of mate choice
Animals can obtain information and learn about
the world either by self-experience or by using
information provided by others. These are two
distinct strategies that have different costs
and benefits associated, and which have been
observed in humans and several other animal
species. Rodents are social organisms able to
collect and capitalize on the information provided
by conspecifics for their own decision-making
and learning processes as it has been shown
in transmission of food preference and fear, for
example. Using mice as model system, we show
that females can bias their decision depending on
information received from their siblings.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Collaborators: Marta Moita, Champalimaud
Neuroscience Programme, Portugal.
Christian Machens
Theoretical Neuroscience
Group Members:
Dmitry Kobak (Postdoctoral Researcher)
Bruno Ceña (Lab Manager)
Asma Motiwala
(2012 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Nuno Calaim
(2012 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Michael Periera
(2012 INDP PhD Student, FCT Fellow)
Florian Dehmelt (Ecole Doctorale 3C PhD Student)
Wieland Brendel (Ecole Doctorale 3C PhD Student)
João Semedo
(CM Portugal PhD Student, FCT Fellow)
Pietro Vertechi (Visiting Student)
External Group Members:
David Barrett
(Postdoctoral Researcher, ENS Paris Fellow)
Adrien Wohrer
(Postdoctoral Researcher, ENS Paris Fellow)
Research Summary:
How does the brain work? What are the kind
of computations carried out by neural systems?
We try to address these questions by s recordings
of neural activity and constructing mathematical
models of neural circuits. Our main goal is to
link the activity within various brain areas to a
computational theory of animal behaviour. We
are currently developing methods to summarize
the activity of neural populations in useful ways
and to compare population activity across areas.
In turn, we seek to relate the population activity
to behavioural, computational, and mechanistic
problems or constraints that organisms are facing.
We work in close collaboration with several
experimental labs, both within and outside
of the CCU.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
20
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Research Projects:
Spiking network dynamics and tuning curves
Neural networks are capable of performing an
incredible variety of difficult tasks, but how they
manage to do this is poorly understood. We study
how spiking neural networks can implement
arbitrary linear dynamical systems---these
encompass a huge variety of computations.
We follow an approach in which the membrane
potential of a neuron is reinterpreted as a
‘prediction error’ between a network’s actual
and desired output. Neurons only fire when this
prediction error (membrane potential) exceeds a
certain value. These assumptions naturally explain
several mysterious properties of neural systems,
such as the tight balance between excitation and
inhibition, and irregular, asynchronous firing. We
have made progress in understanding the main
properties of the networks developed under
the new assumption, and specifically, we have
been able to show how the emergent properties
of these networks relate to the tuning curves
of neurons that are conventionally measured in
electrophysiological experiments.
Funding: Fellowships – ENS Paris.
Collaborators: Sophie Deneve, Ecole Normale
Superieure, Paris, Farnce.
Robustness of networks to neuron death
The brain has an impressive ability to withstand
neural damage. Diseases that kill neurons can
go unnoticed for years, and acute conditions
such as silent stroke have little impact on neural
function. How does the brain compensate for
such damage, and what are the limits of this
compensation? We study the possibility that neural
circuits optimally compensate for neuron death,
thereby preserving their function as much as
possible. We have shown that this compensation
can explain changes in neural firing induced by
neuron silencing across a variety of systems,
including the primary visual cortex. We have been
analysing how such optimal compensation can be
implemented through the dynamics of networks
with a tight balance of excitation and inhibition,
without requiring synaptic plasticity. The limits of
this compensatory mechanism are reached when
excitation and inhibition become unbalanced,
thereby demarcating a recovery boundary, where
signal representation fails and where diseases may
become symptomatic.
Funding: Fellowships – ENS Paris.
Collaborators: Sophie Deneve, Ecole Normale
Superieure, Paris, Farnce.
Analysis of neural population data
Higher brain areas receive inputs from many
parts of the brain. The activity of neurons in these
areas often reflects this mix of influences. As a
result, neural responses are extremely complex
and heterogeneous, even in animals performing
simple tasks. In this project, we analyse neural
population data and develop new data analysis
tools to understand neural population recordings.
We specifically follow probabilistic approaches,
in which the goal is to characterise a (multivariate) probability distribution that represents
the likelihood of finding a given neural response
in a specific area. Our study of the population
response in the PFC of monkeys and rodents
during 2AFC tasks suggests that independent
inputs like time, stimulus and reward are
consistently represented in separate orthogonal
subspaces. We have continued s data and
recruited new collaborators.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Collaborators: Christos Constantinidis, Wake
Forest University, USA; Ranulfo Romo, Universidad
Nacional Autonoma de Mexico, Mexico; Naoshige
Uchida, Harvard University, USA; Adam Kepecs,
Cold Spring Harbor Laboratory, USA; Claudia
Feierstein, Champalimaud Neuroscience
Programme, Portugal; Zachary Mainen,
Champalimaud Neuroscience Programme,
Portugal.
Learning short-term memory
How does the brain select and store information
over short time scales? We have started to study
these problems on the level of neural networks,
by combining new insights from the theory of
balanced networks and efficient coding to shortterm memory systems. We are interested in two
specific systems: the oculomotor integrator, a
simple short-term memory system that serves
to stabilize eye position, and the prefrontal
cortex, which is usually considered to be the
brain’s central working memory system. Our
ultimate goal is to build a network that learns
what it needs to remember and that reproduces
the neural recording data typically observed in
electrophysiological experiments of these systems.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência
e Tecnologia (FCT), ENS Paris; Champalimaud
Foundation.
Zachary Mainen
Systems Neuroscience
Group Members:
Enrica Audero
(Postdoctoral Researcher/Project Manager)
Cindy Poo (Postdoctoral Researcher, HHW Fellow)
Eran Lottem
(Postdoctoral Researcher, HFSP Fellow)
Bassam Atallah
(Postdoctoral Researcher, EMBO Fellow)
Magor Lorincz
(Postdoctoral Researcher, HFSP Fellow)
Masayoshi Murakami (Postdoctoral Researcher)
Eric Dewitt (Postdoctoral Researcher)
Paul Bush (Visiting Scientist)
Rita Venturini (Visiting Scientist)
Niccolò Bonacchi (INDP 2009, PhD Student)
Ana Rita Fonseca (INDP 2008, PhD Student)
André Mendonça (INDP 2008, PhD Student)
Maria Inês Vicente (INDP 2007, PhD Student)
Patricia Correia (INDP 2007, PhD Student)
Sara Matias (MIT-Portugal, PhD Student)
Gil Costa (BEB-Coimbra, PhD Student)
Katherine Turco
(Coimbra University, Masters Student)
Madalena Fonseca (Research Technician)
Filipe Carvalho (Software Developer)
Research Summary:
We are interested in understanding the principles
underlying the complex adaptive behaviour of
organisms. Starting with quantitative observations
of animal behaviour, we aim to integrate
quantitative cellular and systems level experimental
analysis of underlying neural mechanisms with
theoretical, ecological and evolutionary contexts.
Rats and mice provide flexible animal models that
allow us monitor and manipulate neural circuits
using electrophysiological, optical and molecular
techniques. We have made progress using highlycontrolled studies of a simple learned odour-cued
decision task and are extending our focus toward
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
22
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
more complex behaviours. Projects in the lab are
wide-ranging and continually evolving. Current
topics include (i) olfactory sensory decisionmaking, (ii) the function of the serotonin system,
(iii) the role of uncertainty in brain function and
behaviour, (iv) the neural dynamics of choice.
Research Projects:
Optogenetic identification and control
of serotonin neurons in behaving animals
Serotonin (5-HT) is an important neurotransmitter
implicated in a wide variety of physiological
functions and psychopathologies, but whose
function is not well understood. Critically, very
little is known about the activity of serotoninreleasing neurons in the brain. This problem is
greatly exacerbated by the difficulty in identifying
these neurons during physiological recordings.
To address these problems, we will develop and
validate optogenetic methods that target 5-HT
neurons, gaining access to record and perturb
this system optically with high temporal and
genetic specificity. We will combine these tools
with behavioural analysis and electrophysiological
recordings toward understanding the role of 5-HT
in adaptive behaviour. Our aims are to use these
approaches to stimulate, silence and monitor 5-HT
function in the context of spontaneous behaviours,
value-related decision-making, sensorimotor
function and behavioural timing. Progress in 2013:
Recently, we developed a new methodology that
allows us to calibrate expression levels of ChR2
and placement of fiberoptic delivery in the DRN
in vivo as well as a bulk imaging system to detect
5-HT neuron activity using genetically-encoded
calcium sensors in behaving animals. With respect
to sensory function, we have found that 5-HT
stimulation inhibits spontaneous and odour-evoked
activity in the piriform cortex and also decreases
behavioural sensitivity to nociceptive stimuli
(manuscript in preparation). In the motor system,
we have examined the effect of 5-HT stimulation
on locomotion in the home cage and open field
and performed detailed characterisation of the
effects on mice performing a water-reinforced
nose poke and an impulse control (waiting) task.
Preliminary results suggest inhibitory effects on
these behaviours. We have also begun testing
the impact of 5-HT activation in the context of
sexual behaviour, in which we hypothesized an
enhancement of satiety. Finally, we have begun
to implement methods for expressing ChR2 and
other reporters in a pathway and cell-type specific
or an activity-dependent manner.
Funding: Grants – European Research Council
(ERC), European Commission; Fellowships – Helen
Hay Whitney Foundation (HHWF).
Collaborators: Trevor Sharp, Department
of Pharmacology, University of Oxford, UK;
Susana Valente & Susana Lima, Champalimaud
Neuroscience Programme, Portugal.
Olfactory objects and decisions: from
psychophysics to neural computation
Object recognition is an important and difficult
problem solved by the nervous system. According
to theoretical accounts, object recognition can
be understood as a process of probabilistic
inference. Under this hypothesis, complex stimuli
are represented using a probabilistic population
code. To link these normative ideas to specific
neurophysiological and behavioural predictions,
we are formalising them using computational
models. Experimentally, our primary goal is to
monitor and perturb object representations in
the functioning, computing brain. To this end,
we deploy olfactory psychophysical tasks in rats,
which formalise complex real-world problems.
By combining such quantitative paradigms with
large-scale neural ensemble recordings in the
olfactory cortex, we can study how populations
of neurons encode and process complex odour
scenes, attempt to account for behavioural
performance, and test the predictions of our
theoretical models. Progress in 2013: In recent
work, we demonstrated large differences in
speed-accuracy trade-offs (SATs) between
odour detection and categorisation, (manuscript
submitted). We developed a computational model
of these tasks, which can be fit to the data, and
which has allowed us to formalise the hypothesis
that SAT is problem-specific and suggesting
that the locus of performance-limiting noise is a
critical variable (manuscript in preparation). The
model postulates, that categorization decisions
are limited by trial-to-trial variability in the decision
boundary, a prediction that was independently
verified by conditional trial analysis (manuscript in
preparation). Finally, we began the development
of a task for testing probabilistic inference using
spatial contextual cues on an olfactory sensory
identification problem.
by analysing the relationships of spiking activity
amongst multiple neurons, we hope to gain insight
into computations within the microcircuits in the
motor cortex. Finally, we will apply optogenetic
techniques to perturb specific circuits and observe
the impact on behaviour. Progress in 2013: We
identified two populations of neurons in the
secondary motor cortex (M2) predictive of waiting
time, one with “ramping”-to-threshold activity and
the other with “transient” activity. Furthermore,
we find that M2 inactivation dramatically impairs
execution of this task sequence, while medial
prefrontal cortex (mPFC) inactivation produces
a selective prolongation of waiting times. mPFC
neurons carry state-specific signals but do not
preict waiting times. These data suggest a model
in which “transient” neuron activity is integrated by
circuits reflected by “ramping” neurons.
Funding: Grants – Human Frontiers Science
Programme (HFSP). Fellowships – Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Alex Pouget, University of Geneva,
Switzerland; Matthieu Luis, Centre for Genomic
Regulation (CRG), Barcelona, Spain.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation (CF).
Collaborators: Hanan Shteingart & Yonatan
Lowenstein, Hebrew University, Israel.
Action selection and action timing in the
premotor cortex
Executing the right action at the right moment
is important for adaptive behaviour. Thus, not
only how we choose one action among multiple
options but also how we determine the timing
of actions are fundamental questions. Our goal
is to understand what features of future actions
are represented in the neuronal firing patterns in
these areas, and how the interaction between
neurons gives rise to the action selection and
action timing processes. To achieve this goal, we
are using multiple single-unit recording techniques
in behaving rodents. By correlating the activity
of neurons with the animal’s behaviour, we are
seeking to understand the internal representation
of future actions in the motor cortex. Furthermore,
Evaluating the reliability of knowledge:
neural mechanisms of confidence estimation
Humans and other animals must often make
decisions on the basis of imperfect evidence.
What is the neural basis for such judgments? How
does the brain compute confidence estimates
about predictions, memories and judgments?
Previously, we found that a population of neurons
in the orbitofrontal cortex (OFC) tracks the
confidence in decision outcomes. We are seeking
to extend these observations by testing whether
confidence-related neural activity in the OFC is
causally related to confidence judgments. We
are also addressing how the uncertainty about
a stimulus in the course of decision-making is
computed in olfactory sensory cortex. We are
currently establishing similar confidence-reporting
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
24
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
tasks in humans and testing them in a range of
behaviours. These experiments will give us further
insights into the nature of the neural processes
underlying confidence estimation. Progress in
2013: An important issue we wish to address is
how confidence is “calibrated” such that subjects
have an accurate estimate of their performance.
These experiments will give us further insights
into the nature of the neural processes underlying
confidence estimation. Recently, in rats, we
found that inactivation of the rat orbitofrontal
cortex impairs confidence reporting but not
choice behaviour suggesting that confidencerelated neural activity in the OFC is causally
related to confidence judgments (manuscript
under review). We used chronic multi-electrode
recordings to assay neural ensemble function
in the olfactory tubercule of rats performing
a confidence-reporting task together with a
reward value manipulation (study in progress). In
humans, we tested confidence-reporting tasks
similar to those we deployed in rats under several
different psychophysical paradigms. We aim to
use manipulations to test whether there are taskgeneral as well as task-specific mechanisms for
confidence calibration.
Funding: Champalimaud Foundation (CF),
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).
Fellowships: Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT).
Collaborators: Adam Kepecs, Cold Spring Harbor
Laboratory, USA.
Marta Moita
Behavioural Neuroscience
Group Members:
Cristina Marquez (Postdoctoral Researcher)
Ekatarina Vinnik
(Postdoctoral Researcher, Bial Fellow)
Anna Pereira (INDP 2008, PhD Student)
Scott Rennie (INDP 2008, PhD Student)
Andreia Cruz
(INDP 2009, PhD Student, FCT Fellow)
Elizabeth Rickenbacher
(INDP 2009, PhD Student, FCT Fellow)
Ricardo Zacarias
(INDP 2012, PhD Student, FCT Fellow)
Marta Guimarãis (PDIGC, PhD Student)
Bruno Ceña (Lab Manager)
Research Summary:
We are interested in understanding the
neural mechanisms underlying behavioural
plasticity using a combination of behavioural,
pharmacological or optogenetic tools. In particular,
we are studying how prior experience and how
social interactions shape behaviour. Leaving in
social groups has an adaptive value for a number
of reasons. We focus on defence mechanisms
in the context of a social environment and social
foraging. In the first case, we study how rats use
defence behaviours of con-specifics, such as
freezing, as alarm cues. The neural mechanisms
by which animals use social information to
detect impending danger are largely unknown.
In addition, we study social buffering, i.e. how
social interactions mitigate fear, which is thought
to underlie in part a preference to be close to conspecifics. In the second case, we study prosocial
behaviour of rats in using food foraging tasks.
Research Projects:
Neural mechanisms of trace auditory fear
conditioning
This project focuses on the role of different
memory systems in trace auditory fear
conditioning (tAFC). We have previously found
that the length of the temporal gap separating the
events (tone and shock) in this task determines
the brain regions involved. When the interval is
short, the amygdala and the medial prefrontal
cortex (mPFC) are required for normal learning,
but when the interval is long, in addition to these
structures the hippocampus is recruited. We
are studying how the memory of the tone is
maintained in mPFC through the temporal gap.
Progress in 2013: We are recording the activity of
populations of simultaneously recorded neurons in
medial prefrontal cortex during tAFC. Preliminary
results show that single cell responses are quite
diverse, with some neurons being inhibited, others
excited or not responding to the tone. Hence
investigating how the dynamics of neural activity
at the population level may carry information about
the occurrence of events in this task
Funding: Fellowships – Bial Foundation
Cooperation in social dilemmas in rats
Game theory has constituted a powerful tool in
the study of the mechanisms of reciprocity. We
are using the Stag Hunt game, a coordination
game in which the best thing to do is the same
as the other subject, and where the choice of
cooperating entails a higher risk than defecting.
Having established a Stag Hunt game for rats
using an automated double T-maze we found that
rats learn to coordinate in order to maximise food
rewards, that they are not just following the other
rat and that they prefer the safer choice to the
risky choice. Progress in 2013: We have started
to run this game as a simultaneous choice game
between to freely choosing agents. We found that
rats coordinated most of the time, but were equally
likely to cooperate or defect. Interestingly, we
found that the rat that chose first was more likely
to cooperate after a coordination trial than after an
anti-coordination trial.
Neural mechanisms of social transmission
of fear in rats
This project aims at investigating the mechanisms
underlying social transmission of fear (STF) in rats,
i.e. how rats respond to the fear displayed by a
conspecific. Having found that silence, resulting
from the cessation of movement-evoked sound, is
the cue that triggers observational freezing, we are
currently searching for the neural mechanism of its
detection In addition, as vicarious freezing requires
prior experience with shock, we are studying how
prior self-experience with the aversive stimulus
contributes to this process. Progress in 2013: To
study the mechanisms of silence detection we
have established a protocol to silence neurons in
a temporally precise manner using optogenetics.
We are currently focusing on the lateral amygdala.
Finally, through a series of experiments we found
that stress is not sufficient to drive observational
freezing and that freezing in association with shock
is important for this process.
Collaborators: Christian Keysers, Netherlands
Institute for Neuroscience, The Netherlands.
Social Buffering of Fear
Social interactions can decrease anxiety and fear
in a variety of circumstances, a phenomenon
known as social buffering, of which the neural
mechanisms remain poorly understood. We use
fear conditioning, during which an animal can
learn to fear a neutral cue when it is paired with
foot-shocks, to test the effect of social context
on fear conditioned rats. We aim to study the
mechanisms by which social buffering might have
a lasting impact in learned fear in adult male rats.
In addition, we are studying the effects of social
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
26
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
buffering in the context of maternal behaviour.
Progress in 2013: We have focused on the
regulation of maternal defence responses by the
presence of their pups. We found that mothers
freeze when exposed to a learned threat while
alone, but do no freeze if exposed in the presence
of their pups displaying instead various maternal
and defence behaviours. We found this switch to
depend on oxytocin in amygdala.
Collaborators: Regina Sullivan, New York
University, USA.
Prosocial behaviour in rats
To study prosociality in rats, a social species
widely used in Neuroscience, we developed a
two choice task, where prosocial behaviour did
not yield a benefit or a cost to the actor. In this
task, the actor could choose between one option
that yielded food only to itself (selfish choice) and
a second option that yielded food to itself and
a recipient rat (pro-social choice). We used a
double T-maze (one per rat), in which both animals
were trained to poke in a nose-port in order
to gain access to food baited arms. However,
during testing, only the actor’s ports were active
and these controlled the doors of both mazes.
Progress in 2013: Through a series if experiments
we found that rats showed a high proportion
of prosocial choices. By manipulating reward
delivery to the recipient and its ability to display a
preference for the baited arm, we found that both
the display of food-seeking behaviour (poking
in a nose-port) and the delivery of rewards are
necessary to drive prosocial choices.
Mechanism of propagation of defence
responses in Drosophila melanogaster
To address the question of the neural mechanisms
social defence responses we propose to use
a model system that is both amenable to the
search for the neural mechanism of behaviour,
while at the same time allowing the study of the
behaviour of large groups of individuals. The fruit
fly is the ideal model system, for its large collection
of powerful genetic tools, a rapidly increasing
number of approaches to study neural circuits and
expanding set of behavioural paradigms, while at
the same time its small size allows the study of
the behaviour of large populations. Therefore, we
are developing an assay to dissect social defence
mechanisms in Drosophila. We have started by
establishing a paradigm to study a well-known
defence behaviour in flies, the escape flight/jump
triggered by looming stimuli. We have found that
flies will reliably jump to the first few presentations
of a looming stimuli but revert to sustained
freezing behaviour when more looming stimuli are
presented.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Maria Luísa Vasconcelos,
Champalimaud Neuroscience Programme,
Portugal.
Michael Orger
Vision to Action
Group Members:
Claudia Feierstein
(Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Sabine Renninger
(Postdoctoral Researcher, SNF Fellow)
Raquel Tomás (Postdoctoral Researcher)
João Marques
(INDP 2008, PhD Student, FCT Fellow)
Simone Lackner
(INDP 2010, PhD Student, AAS Fellow)
Jens Bierfeld
(INDP 2011, PhD Student, FCT Fellow)
Rita Felix (INDP 2012, PhD Student, FCT Fellow)
Francisco Semedo (Lab Manager)
Research Summary:
Our goal is to understand how the brain integrates
sensory information and selects and executes
appropriate actions. In particular, we aim to
determine the organisation and function of neural
circuits underlying visually guided behaviours.
We use zebrafish as a model organism because
it allows us to visualize and manipulate activity in
neural circuits throughout a vertebrate brain. At
just one week old, zebrafish can following moving
patterns, avoid predators and track and capture
live prey. With their small, transparent head, the
entire volume of the brain can be imaged noninvasively at single cell resolution. Our approach
has three main themes: 1) Quantitative analysis of
behaviour. 2) Whole brain imaging of neural activity
dynamics. 3) Perturbation of identified neurons
to reveal their role in sensorimotor processing. In
parallel, we are developing genetic tools that allow
specific targeting and manipulation of identified
cell types.
Research Projects:
Understanding the Neural Mechanisms that
Control Swimming Speed in Zebrafish Larvae
Animals often use distinct gaits to move
at different speeds, and this requires the
engagement of distinct neural circuits. Zebrafish
larvae use different motor patterns, and recruit
different spinal interneurons, during slow and
fast swimming. Currently, it is not known how
the brain computes desired speed or relays this
information to the spinal cord. We have developed
a system to perform high-speed online analysis
of tail kinematics in freely swimming fish, while
presenting visual stimuli. We find that zebrafish will
adjust their swim speed to track different moving
patterns, and they do this by switching between
two discrete motor patterns. We intend to
discover the neural substrates responsible for this
behaviour by imaging whole brain neural activity in
restrained fish, during visually evoked swimming
at different speeds in a closed-loop virtual reality
environment. By thoroughly investigating the
mechanisms of speed control in zebrafish larvae,
from visual inputs to spinal circuits, we hope
to uncover general principles of vertebrate
locomotor control.
Funding: Grants – – Fundação para a Ciência e
a Tecnologia (FCT), Research and Development
Grant; Fellowships – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT).
Whole-brain imaging in behaving zebrafish
How neural circuits integrate sensory information
to produce appropriate actions is a fundamental
question in neuroscience. We aim to address
this question by studying the circuits underlying
reflexive response to visual motion patterns.
Even these simple responses of the eyes and
tail can involve coordinated activity in hundreds
of neurons distributed in areas throughout the
brain. We image the pattern of neural activity in
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
28
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
the brains of transgenic fish, which express a
genetically encoded calcium indicator in all of their
neurons, while they track moving visual stimuli.
Since these behaviours are very repeatable, we
can systematically record responses from the
whole brain with single cell resolution. Presentation
of sets of stimuli which dissociate sensory and
motor components of the behaviour allows us to
determine what signals are carried by different
populations. In this way we can comprehensively
map the neural circuits underlying sensorimotor
behaviours in a vertebrate brain.
Funding: Grants – Marie Curie Career Integration
Grant; Fellowships –– Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT).
Collaborators: Ruben Portugues, Department of
Molecular and Cellular Biology, Harvard University,
USA; Florian Engert, Department of Molecular and
Cellular Biology, Harvard University, USA.
Circuit mechanisms of visuospatial
processing in the zebrafish brain
Complex visual behaviours, such as capturing
moving prey or avoiding approaching predators,
require animals to compute the location
and salience of different objects moving in
3 dimensions. These computations depend
on dynamic interactions between many
interconnected visual areas in the brain. We use
transgenic expression of optogenetic tools, and
in vivo 2-photon functional imaging to reveal the
cellular organisation of these circuits and the
dynamics of visual processing in response to
complex stimuli. We aim to: (1) generate driver lines
that target gene expression to specific cell types
within the fish visual system, (2) characterise visual
response properties and functional topography
within these populations and (3) analyse the
dynamics of population activity in the optic tectum
and other visual areas, when the fish is presented
with competing visual targets. Using optogenetics
and laser ablations we will interfere with defined
circuit components, to determine the link between
circuit computations and behaviour.
Funding: Grants – Bial Foundation; Fellowships –
Swiss National Foundation (SNF).
The structure of zebrafish behaviour
We have developed a high-speed video tracking
system for zebrafish larvae. Our software allows
real-time extraction of complete tail and eye
kinematics in multiple freely swimming fish, and
can use this information for closed loop control of
the presentation of visual and other stimuli. We are
using this system to systematically characterise the
swimming behaviour of zebrafish under a broad
set of conditions. An important aim is to produce
a general, quantitative framework to describe
the fish’s locomotor behaviour. We have applied
unsupervised machine learning methods to identify
distinct categories of swimming behaviour. Using a
data set of millions of bouts of swimming, acquired
under different behavioural conditions, we have
identified a fundamental set of distinct categories
of swim. We have then explored how the fish
adjusts its choice of swim and modulates the
kinematic parameters within these categories to
respond to different stimuli.
How zebrafish respond to changes in
illumination
Larval zebrafish show several innate responses to
spatial and temporal changes in illumination, from
rapid orientation and taxis to sustained modulation
of locomotor activity. However, little is known
about the underlying neural circuits and how
neuromodulators act on them to alter locomotor
behaviour. Using high-speed video tracking in a
custom-built arena we quantitatively assess the
fishes’ choice of swimming behaviour in response
to visual stimuli such as whole field luminance
changes and local light and dark patches. We
aim to determine the neural activity evoked by
the same stimuli using in vivo calcium imaging of
transgenic fish expressing genetically encoded
calcium indicators. In parallel, we are building a
library of short promoter sequences that target
expression to distinct neuronal types, including
different neuromodulator populations, with the aim
of developing a comprehensive set of transgenic
driver lines. These can be combined with different
reporter lines to 1) optogenetically activate or
silence these populations, 2) record activity
specifically from these populations and 3) trace
their projections in the brain.
Funding: Fellowships – Austrian Academy of
Sciences (AAS), Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT).
Joe Paton
Learning
Group Members:
Tiago Monteiro (Postdoctoral Researcher)
Thiago Gouvêa
(INDP 2009, PhD Student, FCT Fellow)
Gustavo Mello
(INDP 2010, PhD Student, FCT Fellow)
Gonçalo Lopes
(INDP 2010, PhD Student, FCT Fellow)
Sofia Soares
(INDP 2011, PhD Student, FCT Fellow)
Rui Azevedo (PIBS PhD Student)
Bruno Ceña (Lab Manager)
Research Summary:
Learning to adaptively respond to cues in the
environment that predict behaviourally relevant
events is critical for survival. However animals are
exposed to myriad sensory stimuli, and learning
the predictive value of cues is non-trivial. How
do animals figure out which cues are predictive,
and of what, and once they do, how do they
stamp in this information? This is called the credit
assignment problem. Conceiving of this problem
as statistical inference in the time domain offers
a parsimonious account of animals’ learning
abilities. That is, when cues occur relative to
meaningful events is what determines whether
they warrant learning about. However, we still do
not understand how the brain might keep track
of time and how this information is used to adapt
behaviour. We aim to reveal neural mechanisms
for time and adaptive behaviour by observing and
manipulating neurophysiology in behaving rodents
performing tasks where they estimate intervals or
make flexible, value-based decisions.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
30
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Research Projects:
Low dimensional, continuous monitoring of
behaviour
As neurophysiologists a major part of our job is to
identify sources of variance in the firing patterns
of neurons. In many parts of the brain, ongoing
behaviour is a major source of neuronal firing
variance. However, experiments in cognitive
neuroscience generally sample behaviour very
sparsely (~0.1 Hz) as compared to the rate of
neural data acquisition. As part of the HHMI
Janelia Farm Visiting Scientist program and
in collaboration with Josh Dudman, we have
developed a compact electronic device for
measuring behaviour at the same timescale that
we monitor neural activity. This “behavioural
headstage” contains integrated circuitry for
measuring acceleration and tilt along three axes,
multiple coloured LEDs for video tracking, leads
for electromyographs, and a small CMOS camera
for capturing rat-centric video during cognitive
tasks. Progress in 2013: We have finalized design
of the electronics and are currently testing the
hardware and developing software for use in all
of our experimental paradigms. To this approach,
we have added and invested heavily in big speedvideo recording of behaviour and analysis of
the resulting data. Our initial observations have
resulted in a manuscript “Ongoing behaviour
predicts perceptual report of interval duration” that
was submitted at the end of 2013.
Collaborators: Joshua T. Dudman, Janelia farm
Research Campus, USA; Yi Li, Janelia farm
Research Campus, USA.
Optogenetic investigation of interval timing
in mice
In the past year, we have initiated a parallel set of
timing studies in mice in order to take advantage
the increased molecular power of the mouse
relative to the rat. We have trained mice on a
classic temporal reproduction task, called the
peak interval task, and are currently training mice
on the SFI task mentioned above. By combining
viruses dependent on CRE recombinase activity
for expression of transgenes, with mouse lines
expressing CRE in specific basal ganglia cell
types, we plan to express light sensitive channels
and pumps in targeted locations within the basal
ganglia circuit. Stimulating these proteins with
light during experiments will provide us with
two potentially powerful pieces of data. First,
we will be able to ask what type of cell we are
recording from in vivo much more easily and
in higher volume than was available with older
techniques. Second, we can test hypotheses
about the role of activity in specific populations of
neurons for timing behaviour. Progress in 2013:
We have progressed significantly in this project
by stimulating Dopamine neurons in the midbrain
during performance of the SFI task mentioned
above. We find consistent effects of stimulating
DA neurons that suggest a slowing of internal
timing mechanisms. We are currently attempting
to inhibit DA neuron activity optogenetically to test
the hypothesis that his manipulation will result in
the speeding of internal timing mechanisms. In
addition, we are performing more anatomically
limited perturbations of the DAergic system to
identify where in the brain our manipulations are
having their effects.
Neurophysiology of time encoding in the
rodent striatum
Lesion, pharmacology, and genetic studies all
suggest that the ability to estimate the passage
of time on the scale of seconds to minutes is
produced in the striatum, a major input area
of the basal ganglia. Thus, we trained rats to
estimate time intervals and recorded from striatal
neurons as they behaved and asked how the
passage of time could be encoded in the firing
patterns we observed. In addition, the basal
ganglia is thought to implement reinforcement
learning mechanisms, helping the animal learn
how to act in response to a given situation based
on past experience. We sought to place the
neural signals we recorded into a computational
framework that reconciles interval timing and
reinforcement learning. Towards that end, we
are developing a computational model of interval
timing that includes signals related to those we
observe experimentally, but that also can solve
reinforcement learning problems. Progress
in 2013: The manuscript resulting from these
experiments has been reviewed and is currently
under revision. (Mello, G.M., Soares, S., and
Paton, J. J. A scalable population code for time
in the striatum). As part of this process, we have
trained more rats and are performing inactivation
and cooling experiments, as well as recording
simultaneously in cortex and the basal ganglia to
better understand how the neural signals we have
already recorded are constructed.
Neurometric - Psychometric comparison of
interval timing performance
Tasks in which subjects must categorise sensory
stimuli whose characteristics are parametrically
varied have been powerful tools for relating
neural processing to sensation in a rigorous and
quantitative manner. We are applying the same
approach to an unconventional sensory modality,
the ability to sense the passage of time, by
training rats on a two alternative forced choice
interval timing task. We can derive quantitative
description of animals’ interval timing abilities
via the fitting of psychometric functions to their
choice data and then compare this to the ability
of neural activity to encode the passage of time.
A tight correspondence between the animals’
behavioural performance and the neuronal
encoding of time would suggest involvement of
those neural signals in the process of timing.
Progress in 2013: We are testing hypotheses
about how time is encoded in neural populations
that generated by the experiments described
above by recording neural activity in the same
brain area (striatum) during this two alternative
forced choice temporal discrimination task.
We have recorded > 600 neurons from three
rats performing this task, while simultaneously
collecting high speed video of animals’ behaviour
and the analysis of the resulting data is ongoing.
In addition, we have begun to train transgenic rats
that will allow us to optogenetically manipulate
dopamine neurons that have been implicated in
action production, learning, and timing, during
this task.
The role of Dopamine in value-based
decision-making
Our interest in time encoding in the brain stems
from an ultimate interest in how animals learn
to evaluate the various options presented to
them in order to produce adaptive behaviour.
Recently, the lab has initiated a project to directly
study the neural mechanisms underlying this
process of evaluating choice options in the
context of value-based decisions. Multiple lines
of evidence suggest that DA neurons in the
midbrain broadcast a reward prediction error
that in reinforcement learning models acts to
update the value of stimuli and actions. However,
questions remain about the causal role of DA
in this process. Progress in 2013: Specifically,
we have trained mice to decide between two
choice options depending on their recent history
of choices and reward outcomes that resulted
from those choices. To test for a causal role of
DA neuron firing in the updating of action value,
we are expressing ChR2 and Arch in midbrain DA
neurons and exciting and inhibiting their activity
just after animals have selected their choice.
We have found that indeed, DA stimulation
appears to increase the value attributed to the
prior choice, and surprisingly, that as little as one
10ms pulse of blue light appears to be sufficient
to affect animals subsequent choices. We are
currently conducting more experiments to confirm
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
32
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
this preliminary data, as well as performing
similar experiments using arch to test the causal
role of observed pauses in DA neuron firing in
decreasing the value of prior stimuli and actions.
Additional Collaborators:
Adam Kapff, Champalimaud Neuroscience
Programme, Portugal. (Learning how to interact
with a dynamic environment: the role of motor
cortex).
Leopoldo Petreanu
Cortical Circuits
Group Members:
Nicolas Morgenstern
(Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Tiago Marques
(INDP 2010, PhD Student, FCT Fellow)
Marina Fridman
(INDP 2012, PhD Student, FCT Fellow)
Hedi Young (INDP 2012, PhD Student, FCT Fellow)
Rodrigo Dias (IST Masters Student)
Annelene Dahl (Research Technician)
Francisco Semedo (Lab Manager)
Research Summary:
The neocortex plays a key role in sensory
perception and higher cognitive functions.
Unravelling how this seemingly simple sheet of
neurons allows so many complex behaviours
is one of the great challenges of neuroscience.
Our overall goal is to understand the neural
computations underlying cortical function.
We approach this question by a combination
of novel in vivo and in vitro methods to study
the structure and function of cortical circuits.
Using optical and electrophysiological techniques
in brain slices we study the wiring diagram of
cortical circuits. We also measure the activity of
the same circuits in head-fixed behaving animals
using two-photon imaging. This combined
approach allows us to understand both the
computations implemented by cortical circuits
as well as how they emerge from the underlying
neuronal network. By using this approach we will
test whether conserved circuits motifs perform
similar computations across the neocortex.
We will study the functional and structural
similarities of repeated subnetworks made by
neighbouring neurons within a cortical area as
well as those constituted by neurons in different
cortical areas interacting through long-range
cortico-cortical connections.
Research Projects:
Optogenetic circuit mapping of long range
cortical interactions
A comprehensive characterisation of the precise
neuronal types constituting cortico-cortical
circuits is necessary to understand their function.
Feedforward connections terminate mainly
from layer 2/3 to layer 6. In contrast, feedback
connections terminate in all layers except layer
4. Thus, as the dendrites of cortical neurons
usually span several layers, cortico-cortical axons
can potentially make synapses with almost any
neuronal type in the cortical column. However,
as the overlap of axons and dendrites is not
always a good predictor of actual connectivity,
connections need to be probed with functional
methods. Using channelrhodopsin-assisted circuit
mapping we are identifying the postsynaptic
targets of afferents from different cortical areas. By
mapping the connections linking cortical areas we
aim at understanding the logic of feedfoward and
feedback connectivity.
Funding: Grants – FP7-People (Marie Curie
CIG); Fellowships –Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Champalimaud Foundation.
Optical recordings of feedforward
and feedback cortical connections
in behaving animals
In order to address the functional roles of
feedforward (FF) and feedback (FB) circuits we
plan to record from cortico-cortical projections
in animals is engaged in behavioural tasks that
depend on these circuits. Toward this goal, we
are developing head fixed behaviours that require
several interconnected visual areas. Head-fixed
behavioural paradigms allow us to have precise
stimulus control and motor readout over a large
number of trials with high repeatability. Head-fixed
behaviours also facilitate experimental access for
the manipulation and recording of neuronal activity.
In particular, they allow us to perform optical
recordings of neuronal activity in behaving animals.
Using two-photon microscopy and geneticallyencoded calcium indicators we will record
specifically from FF and FB projections by imaging
afferent axons in their target area. Recordings
cortico-cortical circuits together with precise
measurements of sensory, motor and behavioural
variables will help us in understanding the role of
these connections in cortical computation.
Funding: Grants – Human Frontiers Science
Programme (HSFP); Champalimaud Foundation.
Assessing the function of neocortical Layer 1
with genetically-encoded indicators
of synaptic activity
Given its anatomical organisation, it is clear that
Layer (L)1 of the neocortex plays a key role in
cortical function. Despite the vast amount of
neocortical recordings amassed over the past
decades, L1 remains largely uncharacterised.
We are developing novel specialized sensors for
studying the connections linking distant brain
regions to L1 together with our collaborator Lin
Tian from the University of California. We will
apply these novel sensors, to describe the basic
functional organisation of L1. We will characterise
afferent activity from cholinergic and non-specific
thalamic projections to L1 in behaving animals. Our
project will shed light on the functional organisation
of L1. Importantly, the tools to be generated will
have wide applications in neuroscience by allowing
recordings from afferent inputs of any length scale
and relating their function with connectivity.
Funding: Grants – Human Frontiers Science
Programme (HFSP).
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
34
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Validation of novel electrodes with optical
and intracellular recording techniques
Together with Alfonso Renart and Adam Kampff
we are developing a two-photon (2P) microscope
capable of simultaneous in vivo extracellular
recordings with NeuroSeeker probes and targeted
intracellular recording. We also plan to validate the
‘electrical image’ acquired by NeuroSeeker probes
using optical in vivo 2P Ca2+ imaging of neuronal
population activity in the vicinity of the electrode.
Funding: Grants – FP7 Cooperation.
(Neuroseeker).
Additional Collaborators:
Lin Tian, University of California Davis, USA.
Alfonso Renart
Neural Dynamics & Computation
Group Members:
José Pardo-Vazquez
(Postdoctoral Researcher, HFSP Fellow)
Nivaldo Vasconcelos (Postdoctoral Researcher)
Ekaterina Vinnik (Postdoctoral Researcher)
João Afonso (INDP 2011 PhD Student, FCT Fellow)
Jacques Bourg
(INDP 2011 PhD Student, FCT Fellow)
Raphael Steinfeld
(INDP 2011 PhD Student, FCT Fellow)
Roberto Medina
(INDP 2011 PhD Student, FCT Fellow)
Fransisco Semedo (Lab Manager)
Research Summary:
We are interested in identifying generic principles
governing the dynamics of cortical circuits and
the way in which they produce function. Our
current work evolves around two lines of research:
auditory processing – with an emphasis on
how the activity of auditory cortical populations
evolves in time in response to sound and how
these time-varying responses guide behaviour
– and working memory, with a focus on the
mechanisms underlying the maintenance of
information across time. Our research strategy
relies both on identifying characteristic signatures
of population organisation – through recordings of
the simultaneous activity of neuronal populations
during controlled behavioural tasks – as well as on
developing a mechanistic understanding of how
these patterns of population activity emerge –
which we investigate by developing mathematical
models of the underlying neuronal circuits.
Research Projects:
Population dynamics in the Auditory Cortex
Although anatomy makes it certain that information
processing in the brain is the result of the
interaction of neurons organised in networks
spanning multiple spatial scales, our knowledge
about the patterns of population activity
associated to specific computations and about
the mechanisms that generate these patterns
in recurrent neuronal circuits is very incomplete.
We are interested in the computations performed
by local cortical circuits during perception. We
use the auditory modality because rodents
naturally use auditory cues to guide their
behaviour and because it allows us to deliver
complex stimuli in a well-controlled and
repeatable fashion. We are developing auditory
discrimination tasks built around a basic sound
localization paradigm, which can easily and
quickly be learnt by rodents. We record the
simultaneous activity of multiple neurons from
the auditory cortex both during performance
of these tasks and during anaesthesia in order
to investigate questions such as the temporal
evolution of sensory responses, the population
structure of trial-to-trial variability and its
relationship to behavioural accuracy, or the
interplay between feed-forward and feed-back
influences in perception.
Funding: Grants – FP7-People (Marie Curie);
FP7-Cooperation (Neuroseeker); Fellowships –
Human Froentiers Science Programme (HFSP);
Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT).
Collaborators: Jaime de la Rocha and Albert
Compte, IDIBAPS, Spain.
The dynamical basis of working memory
In order to guide behaviour, it is sometimes
necessary to actively maintain or manipulate
information which has been previously
experienced, but is not present in the
environment, an ability referred to as Working
Memory. The prefrontal cortex has been identified
as a key brain area in this process, and recent
work is suggesting an important role for sensory
areas in working memory as well.
In this project we are interested in characterising
the structure of working memory representations
at the population level, in quantifying their
dynamical stability, and in investigating the
contribution of sensory and frontal areas to
working memory function in mice. Our goal
is to combine careful behavioural analysis,
electrophysiology, optogenetics and modelling to
provide a dynamical foundation for this important
cognitive ability.
Funding: Grants – Human Froentiers Science
Programme (HFSP) Young Investigator Award;
Fellowships – Fundação para a Ciência e
Tecnologia (FCT).
Collaborators: Paul Chadderton, Imperial College
London, UK ; Sebastian Royer, Center for
Functional Connectomics, Seoul, Korea.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
36
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Carlos Ribeiro
Behaviour and Metabolism
Group Members:
Ana Paula Elias
(Lab Manager and Research Assistant)
Pavel Itskov (Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Ricardo Leitão Gonçalves
(Postdoctoral Researcher, EMBO Fellow)
Kathrin Steck (Postdoctoral Researcher)
Zita Santos (Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Samantha Herbert
(ITQB PhD Student, FCT Fellow)
Veronica Corrales
(MIT-Portugal PhD Student, FCT Fellow)
Samuel Walker (FLiACT PhD Student)
Patrícia Francisco (Research Technician)
Célia Modesto Baltazar (Research Technician)
Gabriela Fioreze
(Undergraduate Student, CNPq Fellow)
Research Summary:
We are interested in understanding how molecular
and cellular mechanisms control complex
biological processes at the level of the whole
organism. For this we are focusing on how the
internal metabolic state of the fruit fly Drosophila
melanogaster affects its behavioural decisions.
Starting from novel behavioural paradigms we
use molecular genetic techniques to identify and
characterise genes and neuronal populations
involved in producing the appropriate behavioural
response to a specific metabolic need of the fly.
We use tissue specific whole genome behavioural
RNAi screens to identify molecular processes.
Neuronal substrates are identified by screening
for fly lines marking neuronal populations
necessary to produce correct behavioural
outputs. The identified molecular mechanisms
and circuits are then analysed using quantitative
behavioural observations, state of the art genetic
and molecular techniques, as well as imaging
approaches.
Research Projects:
What are the exact nutritional variables
affecting nutritional decisions?
Animals choose which macronutrient to eat
according to their current internal state and
optimise the protein to carbohydrate ratio in their
diet to maximiselife history traits. In the field it
is well accepted that yeast is mainly used by
Drosophila as a protein and therefore amino acid
source but a detailed nutritional analysis of this
food source remains hampered by its chemically
complexity. Together with the laboratories of
Dr. Matthew Piper and Prof. Linda Partridge at
UCL we have used a novel holidic medium that
is adequate for adult traits, such as behaviour,
fecundity and lifespan. Using detailed and
quantitative behaviour analyses of food choice
and feeding behaviour we show that specifically
removing amino acids from the diet leads to a
foraging phenotype which fully mimics a lack
of dietary yeast. These data shed light on the
exquisite behavioural sensitivity of flies to the lack
of single nutritional components and the foraging
strategies used to achieve nutrient homeostasis.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT), BIAL Foundation; Fellowships –
EMBO, CNPq - National Counsel of Technological
and Scientific Development - Brasil - Programa
Ciência sem Fronteiras; Champalimaud
Foundation.
Collaborators: Dr. Matthew Piper and Prof. Linda
Partridge, Institute of Healthy Ageing, University
College London, UK.
What are the behavioural strategies used by
the animal to find, identify and decide which
nutrients to eat?
Drosophila has become a powerful model
organism in neuroscience research not only due
to its molecular genetics toolkit, but also due
to the successful development of methods and
protocols to monitor and annotate behaviour.
Feeding and foraging are central elements
in a majority of behavioural assays, but their
quantification and analysis is a major challenge in
the fly. With our collaborators we have developed
flyPAD - fly Proboscis and Activity Detector,
a method to automatically monitor feeding
behaviour in individual flies. Our method is based
on capacitive measurement of a fly’s interaction
with the food. The precision of the measurements
opens the possibilities for high fidelity, high
temporal resolution, unbiased measurements of
feeding behaviour. This method complements
continuing experimental and quantitative modelling
approaches to understand how the internal state
affects foraging and feeding strategies to achieve
nutrient homeostasis.
Funding: Grants – Human Frontiers Science
Programme (HFSP); Fellowships – Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Collaborators: Dr. Aldo Faisal, Imperial College
London, UK; Prof. Michael Dickinson, University of
Washington, USA.
What are the molecular and cellular
mechanisms used by the brain to identify
what type of nutrients the animal needs and
to change its behaviour to allow it to find and
eat food containing the required nutrients?
At the centre of developing and deploying optimal
strategies for nutrient uptake and utilization
lies the ability of the central nervous system to
detect the availability of nutrients and to use this
information to induce changes in the behaviour
as well as metabolism of the animal. We are
investigating how conserved nutrient sensing
pathways act in the nervous system to control
feeding. Furthermore analysing genes identified
as being required for nutrient choice in neuronal
whole-genome RNAi screens we are investigating
novel molecular mechanisms mediating nutrient
homeostasis. Taken together these studies are
providing us with an entry point for studying
nutrient balancing and value-based decision
making at the molecular level.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT), Bial Foundation; Fellowships –
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT),
EMBO, CNPq - National Counsel of Technological
and Scientific Development - Brasil - Programa
Ciência sem Fronteiras; Champalimaud
Foundation.
Which are the neuronal networks involved
in nutrient homeostasis and what are the
changes happening in them when the
internal metabolic and mating state of the
animal changes?
Currently only the neuronal population described
by us to mediate the mating status of the fly
is known to modulate nutrient homeostasis.
To understand nutritional decision making it is
essential that we identify and characterise further
neuronal components controlling this important
homeostatic behaviour. We are using genetic
approaches to identify neuronal populations which
are required for the fly to decide which nutrients to
eat. Currently we are analysing identified neuronal
substrates to understand how these neuronal
populations act to guide feeding decisions.
Being able to identify restricted sets of neurons
is giving us the unique opportunity to make in
depth analyses of the function of these neurons
using activity imaging and electrophysiology as
well as to characterise the molecular and cellular
mechanisms acting in these neurons to mediate
nutrient decisions.
Funding: Grants – Human Frontiers Science
Program, FP7-People (Marie Curie ITN), Fundação
para a Ciência e a Tecnologia (FCT); Fellowships
– Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) ;
Champalimaud Foundation.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
38
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Maria Luísa Vasconcelos
Innate Behaviour
Group Members:
Márcia Aranha
(Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Nélia Varela (Postdoctoral Researcher, FCT Fellow)
Dennis Herrmann (INDP 2008 PhD Student)
Ricardo Zacarias
(INDP 2011 PhD Student, FCT Fellow)
Miguel Gaspar (Research Technician)
Anita Sousa (Research Technician)
Sophie Dias (Lab Manager)
Research Summary:
Animals exhibit behavioural repertoires that are
often innate and result in stereotyped sexual
and social responses to their environment.
Innate behaviours do not require learning or
experience and are likely to reflect the activation
of developmentally programmed neural circuits.
We are interested in the nature of defined neural
circuits: how activation of circuits elicits specific
behaviours.
It has been extremely difficult in complex
organisms to study a circuit beyond the early
stages of sensory processing. Drosophila
melanogaster is an attractive model system to
understand a circuit because flies exhibit complex
behaviours that are controlled by a nervous system
that is numerically five orders of magnitude simpler
than that of vertebrates.
We use a combined behavioural, genetic and
imaging approach to determine how defined
neural circuits and their activation elicit specific
behaviours.
Research Projects:
Female receptivity
Genetic studies have elucidated how Drosophila
male courtship behaviour is specified and its circuit
components are being dissected at a surprising
speed. The circuit of female behaviour, on the other
hand, has been largely uncharacterised. We use
a behavioural protocol that allows us to selectively
inactivate subsets of neurons in the adult flies only.
We use this behavioural approach and combine
it with anatomical and functional dissection of
the circuit. Progress in 2013: We have continued
an intersectional approach to pinpoint which of
the apterous neurons are important for female
receptivity. We found that removing inhibition with 4
different promoters, rescues the phenotype.
Photo 1.
Identification of neurons controlling female sexual
behaviour. We used 1050 lines from the Janelia
GAL4-Driver line collection to silence subsets
of neurons by expressing an inwardly rectifying
potassium channel. The lines were initially
screened for fertility (A). 75 lines exhibited reduced
fertility and they were subsequently evaluated for
receptivity by video-recording the behaviour of
mating pairs in a small chamber (B). Using this
strategy, we were able to identify 17 lines with
a significant decrease in female receptivity after
neuronal silencing (C).
We finished an inactivation screen of one thousand
janelia farm lines for female receptivity. An initial
fertility screen identified 75 candidates. These
where tested for receptivity and we confirmed
17 lines that show a reduction in receptivity.
Funding: Grants – FP7-People (Marie Curie
IRG), Fundação para a Ciência e a Tecnologia
(FCT); Fellowships: Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT).
Across species stress odour response
Stressed Drosophila melanogaster release an
aversive odorant that elicits a robust avoidance
response in test flies. The active component
of the stress odour is carbon dioxide. The
robust response to a single stimulus provides
a powerful framework for circuit mapping.
We aim to characterise the circuit of carbon
dioxide response. Progress in 2013: We begun
a screen that combines imaging and behaviour
to characterise the third order neurons of carbon
dioxide response in the lateral horn. We use
lines that label the lateral horn neuron and image
their calcium responses upon activation of the
V-glomerulus and we test their behavioural
response to carbon dioxide when the neurons are
inhibited.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para a
Ciência e a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Ilona Kadow, Max-Planck Institute
of Neurobiology, Germany.
Mechanism of propagation of defence
responses in Drosophila melanogaster
To address the question of the neural mechanisms
social defence responses we propose to use a
model system that is both amenable to the search
for the neural mechanism of behaviour, while at the
same time allowing the study of the behaviour of
large groups of individuals. The fruit fly is the ideal
Photo 1.
Stimulation of the V glomerulus with Acetylcholine
leads to activation of the lateral horn (LH) and
cell bodies (CBs) around the LH. Activation is
measured by a fluorescent calcium indicator. a,
d and g: Maximum projection images of the LH
(white dashed circle) and two different CBs (yellow
circles) without the acetylcholine stimulation.
Each image corresponds to one brain. b, e and
h: Maximum projection images of the LH (white
dashed circle) and two different CBs (yellow
circles) with the acetylcholine stimulation. Each
image corresponds to one brain. c,f and i: Time
course of fluorescence intensity change plotted for
the areas marked in yellow without and with the
acetylcholine stimulation. The gray bar indicates
stimulus delivery. Scale bar = 50 µm. stimulation.
Each image corresponds to one brain. c,f and
i: Time course of fluorescence intensity change
plotted for the areas marked in yellow without
and with the acetylcholine stimulation. The gray
bar indicates stimulus delivery. Scale bar = 50
µm.Using this strategy, we were able to identify
17 lines with a significant decrease in female
receptivity after neuronal silencing (C). silencing (C).
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
40
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
model system, for its large collection of powerful
genetic tools, a rapidly increasing number of
approaches to study neural circuits and expanding
set of behavioural paradigms, while at the same
time its small size allows the study of the behaviour
of large populations. Therefore, we are developing
an assay to dissect social defence mechanisms
in Drosophila. Progress in 2013: We have started
by establishing a paradigm to study a well-known
defence behaviour in flies, the escape flight/jump
triggered by looming stimuli. We have found that
flies will reliably jump to the first few presentations
of a looming stimuli but revert to sustained
freezing behaviour when more looming stimuli are
presented.
Funding: Fellowships – Fundação para a Ciência e
a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Marta Moita, Champalimaud
Neuroscience programme, Portugal.
Associated Research Groups
Domingos Henrique
Neural Development
Group Members:
Elsa Abranches (Postdoctoral Researcher)
Anna Pezzarossa (Postdoctoral Researcher)
Luis Guardado Suarez (Postdoctoral Researcher)
Claudia Gaspar (Postdoctoral Researcher)
Alexandra Rosa (Postdoctoral Researcher)
Sanja Ivkovic (Postdoctoral Researcher)
Aida Costa (PhD Student)
Ana M. Guedes (MIT-Portugal PhD Student)
Sofia Duarte (PFMA PhD Student)
Pedro Barbacena (FCUL-BED Masters Student)
Williane Alves (FCUL-BED Masters Student)
Sara Ferreira (Research Technician)
Research Summary:
Our work focused on how cell fate decisions are
controlled at the single-cell level, revealing how
cell-cell communication functions to coordinate
the proper assembly of tissues and organs. In
the developing nervous system, our research
allowed us to unravel how neuronal differentiation
is controlled by the timing of Notch activity. We
have also investigated how the pluripotent state
is regulated in embryonic stem (ES) cells. By
monitoring the activity of the pluripotency gene
Nanog, combined with mathematical modelling,
our work uncovered the existence of significant
stochastic gene expression noise in individual
ES cells, which we propose allow these cells
to explore the pluripotent decision space.
This research shall contribute to design more
rational strategies to direct the in vitro and in
vivo production of specific cell types, required to
develop cell-replacement therapies in humans,
aimed at regenerating damaged tissues and
organs.
Research Projects:
The dialetics of “Stemness”: from biology to
mathematics
Our aim is to investigate the mechanisms
underlying lineage specification in the pluripotent
state, using ESCs as a model. Our work is
directed at understanding i) how Nanog
fluctuating expression in ESCs is regulated and
ii) how Nanog modulates the competence of
pluripotent cells for lineage specification. Our
ongoing work led us to the hypothesis that
the stochastic dynamics of a single regulatory
molecule - Nanog itself -, endowed with a simple
positive feedback mechanism acting at the posttranscriptional level, is sufficient to explain the
dynamic heterogeneity of Nanog expression in
ESCs. This work shall address our hypothesis that
Nanog operates as an autonomous, self-regulated
component of the pluripotency gene regulatory
network, functioning as a noise modulator
device to control cellular decision-making in
pluripotent cells.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
The V2 domain of the spinal cord as a model
to study neuronal fate decisions
In this project, our aim is to unravel how neuronal
diversity is regulated in the V2 domain of the
developing spinal cord, where V2a and V2b
interneurons are generated at the same time
from neuroepithelial progenitors. A unique
regulatory circuitry is required to control
neuronal diversification in this domain and our
work supports a model where the sequential
activity of two ligands, Dll1 and Dll4, coordinate
consecutive steps in neurogenesis, controlling
the rate of neuronal differentiation and creating
diversity in the population of differentiating
neurons. Our studies aim to contribute to the
characterisation of the molecular pathways
underlying the generation of neuronal diversity,
and to elucidate how the combinatorial activities of
bHLH proneural factors and Notch ligands can act
in a coordinated manner. We are also investigating
the transcriptional mechanisms that have
evolved to direct the precise temporal and spatial
expression of Dll4 in the V2 domain. Elucidating
how the interplay between extrinsic cues (Notch
signalling) and intrinsic factors (bHLH family
members) determines the acquisition of unique
neuronal differentiation programs will be essential
to understand how neuronal circuits assemble in
the nervous system and how they govern specific
behaviours in the adult.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Additional Collaborators:
Arjun Raj, Penn University, USA. (The dialetics of
“Stemness”: from biology to mathematics).
Ana Pombo, The Berlin Institute for Medical
Systems Biology, Berlin, Germany (The dialetics of
“Stemness”: from biology to mathematics).
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
42
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Rui Oliveira
Social Neuro Endocrinology
Group Members:
João Machado Lopes (Postdoctoral Researcher)
Sónia Cobra Cardoso
(University of Algarve PhD Student, FCT Fellow)
Sara Dias Cardoso
(University of Algarve PhD Student, FCT Fellow)
Olinda Gomes de Almeida
(University of Algarve PhD Student, FCT Fellow)
Ana Soares Faustino (ISPA PhD Student, FCT Fellow)
Gonçalo Aires de Oliveira
(ISPA PhD Student, FCT Fellow)
Rodrigo Abreu
(INDP 2007 PhD Student, FCT Fellow)
Magda Saturnino (FCUL PhD Student, FCT Fellow)
José Miguel Simões
(FCUL PhD Student, FCT Fellow)
André Almeida Tacão (FCUL Masters Student)
Ana Carvalho Cruz (FCUL Masters Student)
Natalia da Costa Madeira (FMUL Masters Student)
Raquel Rua Martins (FMUL Masters Student)
Fábio Varela Faustino (FMUL Masters Student)
Ana Santos Félix (Lab Manager)
Julia Ferreira Pinho (Research Technician)
António Roleira (Fish Facility Technician)
Research Summary:
The main research interest of the lab is the
integrative study of social behaviour that combines
the study of proximate causes (gene modules,
hormones, neural circuits, cognitive processes)
and ultimate effects (evolutionary consequences).
We have mainly focused on the plasticity in social
behaviour at two different levels of variation: (1)
behavioural flexibility – transient and reversible
changes in social behaviour driven by social
experience or social context; and (2) developmental
plasticity – irreversible switches between discrete
behavioural phenotypes expressed by the same
genotype, driven by developmental processes
in response to environmental cues. We expect
to show how knowledge of the proximate
mechanisms underlying social plasticity is crucial
to understanding its costs, limits and evolutionary
consequences. We use both zebrafish and nonmodel fish species that exhibit social plasticity and
can be studied in ecologically relevant settings.
Research Projects:
Molecular mechanisms and evolutionary
implications of social plasticity
Here we propose an integrative framework for
understanding the proximate mechanisms and
ultimate consequences of social plasticity. As
a result of this project we expect to show how
knowledge of the proximate mechanisms underlying
social plasticity is crucial to understanding its costs,
limits and evolutionary consequences, therefore
highlighting the fact that proximate mechanisms
of nonheritable phenotypic variation contribute to
the dynamics of selection. The following questions
will be addressed: (1) What are the mechanisms
animals use for sensing and responding adaptively
to environmental cues that trigger plastic
responses? (2) How can the same genome produce
different social phenotypes in response to cues
provided by the social environment? (3) Is plasticity
itself subject to selection and might therefore
evolve? Different fish species were choosen as
study models to address each question due to the
fact that teleosts are the most diverse and plastic
taxa among vertebrates.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships – Fundação para a
Ciência e a Tecnologia (FCT).
Collaborators: Gil Levkowitz, Weizmann Institute,
Israel; Hans Hofmann, University of Texas Austin,
USA; Jorg Becker, IGC, Portugal; Daniel Petersen,
The Chicago Medical School at Rosalind Franklin
University of Medicine and Science, North Chicago,
Illinois, USA.
Comparative social cognition: zebrafish as a
neurobehavioural model
Main goals: (1) to establish the occurrence of
cognitive appraisal in zebrafish and identify the
brain areas involved in the evaluation of valence
and salience of social stimuli; (2) to assess the
occurrence of social learning in zebrafish and
characterise the underlying neural mechanisms; (3)
to genetically dissect (using GAL4-UAS enhancer
trap lines available with restricted expression in
different brain areas) the neural circuits involved
in social cognition (identified in previous points) to
manipulate cognitive appraisal and social learning
mechanisms.
A new integrative framework for the study
of fish welfare based on the concepts of
allostasis, appraisal and coping styles
Objectives: (1) to test the occurrence of cognitive
appraisal in fish and to understand how fish
experience appetitive and aversive stimuli by
assessing the behavioural, neurophysiological and
genomic profiles of fish exposed to stimuli with
positive or negative valence; (2) to provide tools
and methods to measure appraisal in fish; (3) to
investigate how appraisal differs between species
and individuals with different coping styles; (4)
to explore how predictability and controllability
modulate appraisal and coping ability in fish.
Funding: Grants – Fundação para a Ciência e a
Tecnologia (FCT); Fellowships: Fundação para
a Ciência e a Tecnologia (FCT); Champalimaud
Foundation.
Collaborators: Koichi Kawakami, National Institute
of Genetics, Japan.
Funding: Grants – Eeuropean Commission - FP7;
Fellowships: European Commission - FP7.
Collabortators: Simon MacKenzie (Univ. Stirling, UK);
Lars Ebesson and Oyvind Overli (Univ. Bergen,
Norway); Svante Winberg (Uppsala Univ. Sweden);
Marie Laure Begout (La Rochelle, France).
Photo 1.
Zebrafish is used in our lab as a model to study
social behaviour and cognition. A behavioural
paradigm to study social preference in zebrafish
is shown, where the position and head-tail
orientation of the focal fish are used as a measure
of preference: (top panel) exposure to empty tanks
elicits no position or orientation bias; (bottom
panel) exposure to two conspecifics induces a
bias in orientation (towards conspecifics) and
position (closer to the preferred target fish).
Neural mechanisms of cognitive bias
In this project we aim to uncover the genetic
pathways and neural circuits involved in cognitive
appraisal and in the response to stressors, using
zebrafish as a model organism. The broader goals
of the project are: (1) To develop a behavioural
assay to test cognitive bias in zebrafish and to
characterise the neural circuits involved in stimulus
appraisal; (2) To assess if cognitive bias (e.g.
pessimistic bias) is mediating the inter-individual
variation in the susceptibility to the detrimental
effects of stress (using behavioural, systemic, and
cellular read-outs); (3) To manipulate genetically
(using GAL4-UAS enhancer trap lines) the neural
circuits involved in the cognitive appraisal of
stressors and check its effects on the activation
of the stress response. Although this project is
focused on basic biological mechanisms of stress,
its outcomes have the potential to open the way
for the use of zebrafish as a stress model organism
in translational biomedical research.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
44
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Funding: Grants – Fundação BIAL
Collaborators: Miguel Godinho Ferreira (IGC,
Portugal).
Additional Collaborators:
Eliane Gonçalves-de-Freitas, UNESP, Brazil.
(Social stress and cognitive bias in Tilapia).
Michael Orger, Champalimaud Neuroscience
Programme, Lisbon, Portugal. (Searching for
the social brain in a model organism: unveiling
the neural circuitry underlying social cognition in
zebrafish).
CNP Administrative Unit
The CNP Administrative Unit is responsible for
providing comprehensive administrative services,
including budget and financial management;
purchasing, procurement, human resources
services and science communication.
The vision of the Administrative Unit is to be
an exemplary resource in the field of research
administration by providing management tools,
educational opportunities and exceptional service.
We strive to support the CNP research community
by addressing any question or concern and by
maximising the time spent in research.
The members of the CNP Administrative Unit
function as a dynamic and multidisciplinary
team and affirm our contribution to research
advancement.
Administrative Office
Philipp Tsolakis
(Group Head; Financial Manager / Controller)
Alexandra Piedade
(Human Resources, INDP Assistant)
Bruno Ceña (Lab administrator)
Francisco Semedo (Lab Administrator)
Raquel Gonçalves (Purchasing and Ordering)
Shira Lottem (Admin Data Architect)
Tânia Li Chen (Teaching Lab Manager)
Teresa Carona (Human Resources, INDP Assistant)
The Administrative Office provides all the
necessary aid, in all the fields from social,
bureaucratic and practical, in order to ease the
integration of new members and to provide all
the necessary tools for the researchers to fully
perform their priority goal – scientific research.
Lab Administrators are responsible for purchasing
lab supplies and preparing ordering lists. They
analyse and address lab needs, monitor inventory
and coordinate with vendors to ensure timely
delivery of necessary supplies. They are also
the liaison to the Foundation’s accounting and
storage staff.
Science Communication Office
Catarina Ramos (Group Head)
Liad Hollender (Science Communication)
To secure the support of the public to pursue
long-term benefits for humankind, science must
effectively communicate to society and engage
the public in its discoveries and breakthroughs.
A leading scientific institution should not only
produce the best quality research but also
actively work to share the wonders of its research
in a manner accessible to the larger community.
This office coordinates science communication
initiatives that range from science education
and outreach to the organisation of scientific
meetings. In parallel, our team is also responsible
for broadcasting CNP News by maintaining online
presence and facilitating communication with
the Media.
Assistant to the Director
Inês Soeiro (Assistant to the Director)
The position of Assistant to the Director provides
senior-level executive support to the Scientific
Director of the Champalimaud Neuroscience
Programme (CNP) by providing administrative
assistance to the daily activities of the Director’s
office and by managing the Director’s agenda and
scheduling.
Research Funding
Research Grants
Howard Hughes Medical Institute
International
Early Career Scientist Award
2012-2017
Awarded to Megan Carey
Early Career Scientist Award
2012-2017
Awarded to Rui Costa
Fp7-Cooporation
European Union
BrainFlight
2012-2014
Awarded to an international group of investigators,
including Rui Costa
NeuroSeeker: Investigation of local and global
cortical circuits with advanced neural probes for
high-resolution electrophysiological monitoring
and optogenetic stimulation.
2013-2017
Awarded to an international group of investigators,
including Adam Kampff, Leopoldo Petreanu and
Alfonso Renart
Copewell . A new integrative framework for the
study of fish welfare based on the concepts of
allostasis, appraisal and coping styles
2011-2015
Awarded to an international group of investigators,
including Rui Oliveira.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
46
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
FP7-European Commission
Human Brain Project
Cognitive Architectures. (Decision confidence.
Local and global mechanisms.)
2013-2016
Awarded to Zachary Mainen
Human Brain Project
Cognitive Architectures
2013-2016
Awarded to Rui Costa
FP7-Ideas (European Research Council)
European Union
ERC Starting Grant, European Research Council
Circuits of con-specific observation
2013-2018
Awarded to Marta Moita
ERC Advanced Grant, European Research Council
Optogenetic Analysis of Serotonin Function in the
Mammalian Brain
2010-2015
Awarded to Zachary Mainen
Marie Curie Career Integration Grant
Sound Localisation by Neural Populations in the
Rat Auditory Cortex
2013-2017
Awarded to Alfonso Renart
Marie Curie Career Integration Grant
The rules of connectivity of genetically-defined
long-range projections
2013-2016
Awarded to Leopoldo Petreanu
Marie Curie Intra-European Fellowship for Career
Development
Neural circuits underlying visually guided behaviour
2011-2015
Awarded to Michael Orger
Marie Curie Initial Training Network grant
FLiACT—Systems neuroscience of Drosophila:
from genes to circuits to behaviour
2012-2016
Awarded to Carlos Ribeiro
Fundação Bial
Portugal
ERC Starting Grant, European Research Council
Neural mechanisms of action learning and action
selection: from intent to habit
2009-2014
Awarded to Rui Costa
Bial Science Research Grant
Bridging between events and their consequences:
the role of prefrontal cortex
2013-2015
Awarded to Marta Moita
FP7-People (Marie Curie)
European Union
Bial Science Research Grant
Neural mechanisms of cognitive bias
2013-2016
Awarded to Rui Oliveira
Marie Curie Career Integration Grant
Neural basis of visually guided walking in the fly
2013-2017
Awarded to Eugenia Chiappe
Bial Science Research Grant
Embodied cognition: the neural basis of time
encoding in the brain?
2013-2016
Awarded to Joe Paton
Bial Science Research Grant
Circuit mechanisms of spatial attention in the
zebrafish midbrain
2013-2016
Awarded to Michael Orger
Bial Science Research Grant
Interfacing Technology with the Brain: Novel
materials for implantable neural devices
2013-2016
Awarded to Adam Kampff
Bial Science Research Grant
Defining the functional architecture of motion vision
sensitive visual-motor circuit
2013-2016
Awarded to Eugenia Chiappe
Bial Science Research Grant
Dopaminergic regulation of dietary learning in
humans and rodents
2011-2014
Awarded to Rui Costa
Bial Science Research Grant
Effects of Conditional Foxp2 Deletion on MotorSequence Learning
2013-2015
Awarded to Rui Costa and Catherine French
Bial Science Research Grant
Investigating the function of synaptic competition
in memory formation and mental retardation
2011-2014
Awarded to Inbal Israely
Bial Science Research Grant
Neuronal mechanisms underlying sex hormonedependent switching of sexual receptivity
2011-2013
Awarded to Susana Lima
Bial Science Research Grant
Neural Mechanisms of Social transmission of fear
2011-2014
Awarded to Marta Moita
Bial Science Research Grant
Elucidating the molecular mechanisms mediating
feeding behaviour
2011-2014
Awarded to Carlos Ribeiro
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Portugal
Research Project Grant
Decision confidence: Local and global
mechanisms
2013-2015
Awarded to Zachary Mainen
Research Project Grant
Molecular mechanisms and evolutionary
implications of social plasticity
2013-2016
Awarded to Rui Oiveira
Research Project Grant
Comida para pensar: a epigenómica das doenças
alimentares
2013-2016
Awarded to Rui Costa
Research Project Grant
Dos neurónios ao comportamento: um estudo
exaustivo do comportamento de cortejamento da
Drosophila fêmea
2014-2015 (officially announced in 2013)
Awarded to Maria Luísa Vasconcelos
Research Project Grant
Neural Control of Locomotor Speed in Zebrafish
2013-2015
Awarded to Michael Orger
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
48
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Research Project Grant
Decision confidence
2013-2015
Awarded to Zach Mainen
Research Project Grant
Identifying and characterising the molecular
mechanisms at the basis of nutritional decisions
2012-2015
Awarded to Carlos Ribeiro
Research Project Grant
Dopaminergic Neurotransmission
2012-2014
Awarded to Rui Costa
International Human Frontier Science
Programme Organisation (HFSPO)
International
Research Project Grant
The V2 domain of the spinal cord as a model to
study neuronal fate decisions
2012-2015
Awarded to Domingos Henrique
HFSP Young Investigator Award
Assessing the function of neocortical Layer 1 with
genetically-encoded indicators of synaptic activity
2013-2016
Awarded to Leopoldo Petreanu
Research Project Grant
Dissecção das bases moleculares e dos circuitos
envolvidos na intenção
2011-2014
Awarded to Rui Costa
HFSP Young Investigator Award
The dynamical basis of working memory in the
prefrontal cortex
2012-2015
Awarded to Alfonso Renart
Research Project Grant
The dialetics of “Stemness”: from biology to
mathematics”
2010-2013
Awarded to Domingos Henrique
Human Frontier Science Programme
Olfactory objects and decisions: From
psychophysics to neural computation
2010-2013
Awarded to Zachary Mainen, Alex Pouget and
Matthieu Luis.
Research Project Grant
Unravelling the Neuronal Circuits Underlying
Female Receptivity
2010-2013
Awarded to Maria Luísa Vasconcelos
Research Project Grant
From genes to behaviour: dissecting the basis for
CO2 response across Drosophilids
2010-2013
Awarded to Maria Luísa Vasconcelos
HFSP Young Investigator Award
Value-based decision making in Drosophila
foraging: genes, computations and behaviour
2012-2015
Awarded to Carlos Ribeiro
Simons Foundation
International
Project Award
Dissecting Striatal Circuit dynamics during
repetitive behaviours in ASD
2014-2015 (officially announced in 2013)
Awarded to Rui Costa
Fellowships
Austrian Academy of Science
DOC-fFORTE fellowship
Understanding the function of Hypocretin/Orexin
expressing neurons in neural circuits controlling
locomotor behaviour of larval zebrafish
2012-2015
Awarded to Simone Lackner
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Nélia Varela
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Zita Santos
Postdoctoral Fellowship
2011-2013
Awarded to Fatuel Tecuapelta
European Molecular Biology Organisation
Long – Term fellowship
Elucidating the molecular basis of food choice
behaviour
2012-2014
Awarded to Ricardo Gonçalves
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Portugal
Postdoctoral Fellowship
2010-2013
Awarded to Hope Johnson
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Pavel Itskov
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Claudia Feierstein
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Kensaku Nomoto
Postdoctoral Fellowship
2012-2015
Awarded to Márcia Aranha
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Asma Motiwala
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Danbee Kim
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Hedi Young
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Marina Fridman
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Mert Erginkaya
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Michael Pereira
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Nuno Calaim
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Nuno Loureiro
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
50
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Raphael Steinfeld
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Luís Moreira
PhD Fellowship
2013-2016
Awarded to Rita Félix
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Gonçalo Lopes
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to João Afonso
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Gustavo Mello
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Silvana Araújo
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Simone Lackner
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Joaquim Jacob
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Tiago Marques
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Ricardo Silva Zacarias
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Raimundo Leong
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Jens Bierfeld
PhD Fellowship
2011-2014
Awarded to Patrícia Rachinas-Lopes
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Jacques Bourg
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Niccolò Bonacchi
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Roberto Medina
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Andreia Cruz
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to André Luzardo
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Elizabeth Rickenbacher
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Sofia Soares
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Thiago Gouvêa
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Ali Argunsah
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Ana Mafalda Vicente
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Anna Hobbiss
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Dennis Herrmann
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Sevinç Mutlu
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to João Marques
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Susana Valente
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Samantha Herbert
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Ana Machado
PhD Fellowship
2012-2015
Awarded to Catarina Albergaria
PhD Fellowship
2010-2013
Awarded to Verónica Corrales
International Human Frontier Science
Programme Organisation (HFSPO)
International
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Ana Rita Fonseca
HFSP Long Term Fellowship
Serotonergic modulation of olfactory information
processing
2011-2014
Awarded to Eran Lottem
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to André Mendonça
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Ana Pereira
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Scott Rennie
PhD Fellowship
2009-2013
Awarded to Fernando Santos
HFSP Long Term Fellowship
Cell-type specific features of identified serotonergic
neurons in the raphe nucle in behaving rats
2011-2014
Awarded to Magor Lorincz
HFSP Long Term Fellowship
2012-2015
Awarded to Cindy Poo
Neural mechanisms underlying the encoding of
contextual information in olfactory cortex
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
52
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
HFSP Long Term Fellowship
Covariations between population neuronal activity
and choice: a sensory or cognitive origin?
2012-2015
Awarded to Jose Luis Pardo-Vazquez
Swiss National Science Foundation
2012-2013
Awarded to Sabine Renninger
Wellcome Trust
UK
Postdoctoral Fellowship
The neural basis of goal-directed behaviour
2011-2015
Awarded to Thomas Akam
Publications
Peer-Reviewed Research Articles:
Abranches E, Bekman E, Henrique D. (2013)
Generation and Characterisation of a Novel
Mouse Embryonic Stem Cell Line with a Dynamic
Reporter of Nanog Expression. PLoS ONE. 8(3):
e59928.
Ahrens MB, Orger MB, Robson DN, Li JM, Keller
PJ. (2013) Whole-brain functional imaging at
cellular resolution using light-sheet microscopy.
Nat. Methods. 10(5):413-20.
Akerboom J, Carreras Calderón N, Tian L, Wabnig
S, Prigge M, Tolö J, Gordus A, Orger MB, Severi
KE, Macklin JJ, Patel R, Pulver SR, Wardill TJ,
Fischer E, Schüler C, Chen TW, Sarkisyan KS,
Marvin JS, Bargmann CI, Kim DS, Kügler S,
Lagnado L, Hegemann P, Gottschalk A, Schreiter
ER, Looger LL. (2013) Genetically encoded
calcium indicators for multi-color neural activity
imaging and combination with optogenetics. Front.
Mol. Neurosci. 6:2.
Audero E, Mlinar B, Baccini G, Skachokova ZK,
Corradetti R, Gross C. (2013) Suppression of
Serotonin Neuron Firing Increases Aggression in
Mice. J. Neurosci. 33(20): 8678-88.
Bräcker LB, Siju KP, Varela N, Aso Y, Zhang M,
Hein I, Vasconcelos ML, Grunwald Kadow IC.
(2013) Essential Role of the Mushroom Body in
Context-Dependent CO2 Avoidance in Drosophila.
Curr. Biol. 23(13): 1228-34.
Boerlin M, Machens CK, Deneve S (2013)
Predictive Coding of Dynamical Variables in
balanced spiking networks. PLOS Comput. Biol.
9(11): e1003258.
Cao VY, Ye Y, Mastwal SS, Lovinger DM, Costa
RM, Wang KH. (2013). In vivo two-photon imaging
of experience-dependent molecular changes in
cortical neurons. J Vis Exp. 2013 Jan 5;(71). doi:pii:
50148. 10.3791/50148.
Guohong Cui, Sang B. Jun, Xin Jin, Michael
D. Pham, Steven S. Vogel, David M. Lovinger,
Rui M. Costa. (2013) Concurrent activation of
striatal direct and indirect pathways during action
initiation. Nature. 494(7436):238-42.
Chen TW, Wardill TJ, Sun Y, Pulver SR, Renninger
SL, Baohan A, Schreiter ER, Kerr RA, Orger
MB, Jayaraman V, Looger LL, Svoboda K, Kim
DS. (2013) Ultrasensitive fluorescent proteins for
imaging neuronal activity. Nature. 499(7458):295300.
Koralek AC, Costa RM, Carmena JM (2013).
Temporally precise cell-specific coherence
develops in corticostriatal networks during
learning. Neuron, 4;79(5):865-72.
Cui G, Jun SB, Jin X, Pham MD, Vogel SS,
Lovinger DM, Costa RM. (2013) Concurrent
activation of striatal direct and indirect pathways
during action initiation. Nature. 494(7436):238-42.
Doran C, Pearce T, Connor A, Schlegel T, Franklin
E, Sendova-Franks AB, Franks NR. (2013)
Economic investment by ant colonies in searches
for better homes. Biol. Lett. 9(5): 20130685.
Félix AS, Faustino AI, Cabral EM, Oliveira RF
(2013). Non-invasive measurement of steroid
hormones in zebrafish holding-water. Zebrafish 10:
1-6.
Galhardo L, Oliveira RF. (2013) The effects of social
isolation on steroid hormone levels are modulated
by previous social status and context in a cichlid
fish. Horm. Behav. 65(1):1-5.
Gremel CM, Costa RM. (2013) Orbitofrontal and
striatal circuits dynamically encode the shift
between goal-directed and habitual actions. Nat.
Commun. 4: 2264.
Gremel CM, Costa RM (2013). Premotor cortex is
critical for goal-directed actions. Front. Comput.
Neurosci. 7:110. doi: 10.3389/fncom.2013.00110.
Marvin JS, Borghuis BG, Tian L, Cichon J, Harnett
MT, Akerboom J, Gordus A, Renninger SL, Chen
TW, Bargmann CI, Orger MB, Schreiter ER,
Demb JB, Gan WB, Hires SA, Looger LL. (2013)
An optimised fluorescent probe for visualizing
glutamate neurotransmission. Nat. Methods.
10(2):162-70.
Mendonça R, Soares MC, Bshary R, Oliveira RF
(2013). Arginine vasotocin neuronal phenotype
and interspecific cooperative behaviour. Brain
Behaviour and Evolution 82:166-76.
Oliveira GA, Uceda-Gutierrez S, Oliveira T,
Fernandez A, Garcia Marques T, Oliveira RF (2013).
Threat perception and familiarity moderate the
androgen response to competition in women.
Frontiers in Psychology 4: e389.
Piper MD, Blanc E, Leitão-Gonçalves R, Yang
M, He X, Linford NJ, Hoddinott MP, Hopfen C,
Soultoukis GA, Niemeyer C, Kerr F, Pletcher SD,
Ribeiro C, Partridge L. (2013). A holidic medium
for Drosophila melanogaster. Nat Methods.
11(1):100-5.
Ramiro-Cortés Y, Israely I. (2013) Long Lasting
Protein Synthesis- and Activity-Dependent
Spine Shrinkage and Elimination after Synaptic
Depression. PLoS ONE. 8(8):e71155.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
54
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Renninger SL, Orger MB (2013). Two-photon
imaging of neural population activity in zebrafish.
Methods 15;62(3):255-67.
Sanchez-Ripoll Y, Bone HK, Owen T, Guedes
AM, Abranches E, Kumpfmueller B, Spriggs
RV, Henrique D, Welham MJ (2013). Glycogen
synthase kinase-3 inhibition enhances translation
of pluripotency-associated transcription factors to
contribute to maintenance of mouse embryonic
stem cell self-renewal, PLoS One 8(4):e60148.
Simões PM, Niven JE, Ott SR. (2013) Phenotypic
Transformation Affects Associative Learning in the
Desert Locust. Curr. Biol. 23(23):2407-12.
Teles MC, Dahlbom SJ, Winberg S, Oliveira RF.
(2013) Social modulation of brain monoamine
levels in zebrafish. Behav. Brain Res. 253:17-24.
Zariwala HA, Kepecs A, Uchida N, Hirokawa J,
Mainen ZF. (2013) The Limits of Deliberation in a
Perceptual Decision Task. Neuron. 78(2):339-51.
Zhang W, Schneider DM, Belova MA, Morrison
SE, Paton JJ, Salzman CD. (2013) Functional
Circuits and Anatomical Distribution of Response
Properties in the Primate Amygdala. J. Neurosci.
33(2): 722-733.
Zinck L, Lima SQ. (2013) Mate Choice in Mus
musculus Is Relative and Dependent on the
Estrous State . PLoS ONE. 8(6): e66064.
Conference Articles:
Barrett D, Deneve S, Machens CK (2013) Firing
rate predictions in optimal balanced networks.
Advances in Neural Information Processing 26.
Review Articles:
Itskov PM, Ribeiro C. (2013) The dilemmas of
the gourmet fly: the molecular and neuronal
mechanisms of feeding and nutrient decision
making in Drosophila. Front Neurosci. 7:12.
Oliveira RF. (2013) Mind the fish: zebrafish as a
model in cognitive social neuroscience. Front
Neural Circuits. 7:131.
Ramiro-Cortés Y, Hobbiss AF, Israely I. (2013)
Synaptic competition in structural plasticity and
cognitive function. Philos Trans R Soc Lond B Biol
Sci. 369(1633):20130157.
Renninger SL, Orger MB. (2013) Two-photon
imaging of neural population activity in zebrafish.
Methods. 62(3):255-67.
Saravia JL, Goncalves D, Oliveira RF (2013).
Ecological modulation of reproductive behaviour in
the peacock blenny: a mini-review. Fish Physiology
and Biochemistry 39: 85-89.
Wohrer A, Humphries MD, Machens CK (2013).
Population-wide distributions of neural activity
during perceptual decision-making. Prog.
Neurobiol. 103:156-93.
Comments:
Arber S, Ehlers MD, Frégnac Y, Mainen ZF,
Raymond J, Isaacs T (2013) BRAIN Initiative and
Human Brain Project: Hopes and Reservations.
Cell. 155(2): 265-266.
Castro-Rodrigues P, Oliveira-Maia AJ. (2013)
Exploring the effects of depression and treatment
of depression in reinforcement learning. Front
Integr Neurosci. 7:72.
Oliveira RF, Galhardo L (2013). Rescuing the
baby from the bathwater: a reply to Carter (2013).
Biology Letters 9:2013.0264.
Renart A. (2013) Recurrent networks learn to tell
time. Nat. Neurosci. 16(7):772-4.
Rennie SM, Moita MM, Mainen ZF. (2013) Social
cognition in the rodent: nothing to be sniffed at.
Trends Cogn Sci. 17(7):306-7.
Taborsky B, Oliveira RF. (2013) Social competence
vs. responsiveness: similar but not same. A reply
to Wolf and McNamara. Trends in Ecology and
Evolution 28: 254-255.
Wohrer A, Machens CK (2013). Percept and the
single neuron. Nat. Neurosci. 16(2):112-113.
Science Communication
and Outreach
Catarina Ramos (Group Head)
Liad Hollender (Science Communication)
To secure the support of the public to pursue
long-term benefits for humankind, science must
effectively communicate to society and engage
the public in its discoveries and breakthroughs.
A leading scientific institution should not only
produce the best quality research but also actively
work to share the wonders of its research in a
manner accessible to the larger community.
This office coordinates science communication
initiatives that range from science education
and outreach to the organisation of scientific
meetings. In parallel, our team is also responsible
for broadcasting CNP News by maintaining online
presence and facilitating communication with the
Media.
Main Projects:
Sciencecalifragilistic
Instructors: Catarina Ramos, Elsa Abranches,
Pedro Ferreira, Ana Pereira, Ana Mafalda Vicente,
Andreia Cruz, Maria Inês Vicente, Rodrigo Abreu.
Sciencecalifragilistic is a science education project
funded by Ciência Viva. It was launched in 2013
by a group of PhD students and Postdoctoral
researchers from the CNP. The purpose of the
project is to stimulate scientific reasoning, critical
thinking and creativity among the non-scientific
community, particularly at the high-school level.
Towards this end, high school students are guided
through the different steps of the scientific method,
from the formulation of a question, or generation of
a hypothesis, to the resolution of a problem. Along
the way students collect, analyse and discuss
scientific data in a laboratory environment at CCU.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
56
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Students and tutors were distributed in three
experimental projects, which were developed
in the Teaching Lab at the CCU. The students
were exposed to the way knowledge is built, by
trial and error and consecutive iterations and
experiments, where hypotheses and results are
constantly evaluated and discussed. Moreover, the
students were challenged to communicate their
work through the preparation of lab meetings and
debates.
This project was planned for two consecutive
years (2012/2013 and 2013/2014), each cycle
lasting six months. The first cycle started in
January 2013 and has completed the project in
June 2013 with a concluding symposium. Twelve
students were selected to the project, based on
their motivation letters: six 12th grade students
from Escola Secundária de Miraflores and six 11th
grade students from Escola Secundária D. Luisa
de Gusmão. The second cycle began in January of
2014 and is expected to finish in June of the same
year.
The project was also presented at TEDx Youth in
Leiria, Portugal by Catarina Ramos and Maria Inês
Vicente, with the support of all other members of
the Sciencecalifragilistic team. The theme of the
event was ‘Invert your thinking’, and the members
of Sciencecalifragilistic demonstrated how their
project aims to change and enrich the way
individuals think about science and non-scientific
topics.
AR | RESPIRE CONNOSCO
Drawing on the enthusiasm of the Champalimaud
Neuroscience Programme community and
spearheaded by students, a series of science
communication events called Ar was established.
Ar is Portuguese for air, representing how
pervasive and fundamental science is in our daily
lives.
Ar events explore fundamental scientific themes
by intertwining work from leading thinkers, both
local and international. On each event scientists
and non-scientist, such as plastic artists, chefs,
mind readers, group facilitators, cyborgs and
others, engage the public to think, interact and
debate their ideas. Presentations are entertaining
and dynamic and include cutting edge interactive
games and open discussion. In 2013, four Ar
events and one SeminAr event took place at the
Champalimaud Auditorium. The first event of this
vibrant series was dedicated to Learning and
Education.
Supporting the events, the same group of
students has implemented a range of online
resources, including streaming and hosted
multimedia content, a webzine, a newsletter and
social networking that links the actual events
with a range of relevant established sources from
scholarly blogs to TED talks and much more.
Organisers: Anna Hobbiss, Tiago Marques, Gil
Costa, Bruno Afonso, Eric Dewitt, Ekaterina Vinnik,
Scott Rennie, Rita Venturini, André Mendonça,
Maria Vicente, Pedro Ferreira, Ana Pereira,
Catarina Ramos, Simone Lackner, Roberto
Medina, Nuno Calaim, Sara Matias
Ar Events 2013
4/4/2013
Learning & Education
Speakers: Escola da Ponte, Domingos Fernandes,
Paul Howard-Jones
MCs: André Mendonça, Maria Vicente, Gil Costa
22/5/2013
Storytelling
Speakers: Jonathan Gottschall, Hélia Correia,
Anna Hobbiss
MCs: Pedro Ferreira, Ana Pereira
17/10/2013
Math Sense: Easier Than You Think
Speakers: Nuno Calaim (with Eric DeWitt), Richard
Bisk, Ana Rita Pires
MCs: Roberto Medina, Nuno Calaim, Catarina
Ramos
30/11/ 22013
Playing with emotions: Music & the Brain
Performers: Ensemble Bonne Corde
Speakers: Stphen Bull, Marta Moita
MCs: Scott Rennie
SeminAr Events 2013
30/5/2013
The chemistry between us: The science of love
and implications for new treatments for autism
Speakers: Larry Young
MCs: Léa Zinck, Cristina Márquez
Collaborations
26/3/2013
Featuring: Superhumans
In parternship with Ciência Viva
Pavilhão do Conhecmento, Lisbon, Portugal
Invest in Our Future – Invest in Science
Video Contest
As part of a movement against cuts in EU
Science funding, a group of researchers from the
Champalimaud Foundation in Lisbon, Portugal,
has launched a short-video campaign called Invest
in Our Future – Invest in Science. This campaign is
part of a movement named no-cuts-on-research,
which started with an Open Letter sent to the
EU Heads of States and Governments, by 44
Nobel and Laureates and 6 Fields Medallists who
stated their grave concern about the upcoming
negotiations. Complementing this letter, a Petition
started to circulate among research communities
and the number of signatures has overcome
150.000.
The video contest attracted the participation of
individuals across the world who found original
ways to express their support in the cause of
spreading the importance of science.
Contest Organisers: Catarina Ramos, Liad
Hollender, Rita Venturini, Zachary Mainen
Banner Design: Gil Costa
Collaborators: Wolfgang Eppenschwandtner
(Initiative for Science in Europe), Joana Barros
(Associação Viver a Ciência)
Sponsors: Bayer, Caixa Geral de Depositos.
Winning videos
Jury selection:
Why Does Science Matter? By the Science in
Society team at the British Science Association Monica Lobo, Toby Shannon, Alice Taylor-Gee.
When You Think About Science… By Michal
Maymon, Israel.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
58
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Facebook voting:
Regenerated Story of Little Red Riding Hood.
By Luis Mendes, Wei Ji, Johanna Bolander,
Kavin Karunratanakul, Maarten Sonnaert, Dennis
Lambrechts, Sally Louis Homsy, Veerle Bloemen,
liesbet geris, Astrid Van Hove, Liliana Moreira
Teixeira. Begium.
High School Visits
Guided Tours: Maria Inês Vicente, Nivaldo
Vasconcelos, Cristina Afonso, Pedro Ferreira,
Isabel Campos, Catarina Ramos
Introduction: Maria João Villas-Boas
Presenters: Marta Moita, Maria Luisa Vasconcelos,
Susana Lima
Over 500 high school students visited the CCU in
2013, proving our Open Door Policy a worthwhile
mission that will continue in 2014, with the aid
of the recently launched online calendar for
registrations.
Once a month, investigators from the CNP
welcome a group of 50-60 students who arrive
from all across Portugal. The investigators
introduce the students to the world of
neuroscience, talk to them about their research,
their motivations and career paths. All visits end
with a tour around the laboratories and facilities.
Due to the high number os requests, in Dec 2013,
an online calendar for these visits to the CCU was
implemented on the CF website.
Participation in Noite dos Professores 2013
Exhibitors: Catarina Ramos, Pedro Ferreira, Ana
Pereira, Andreia Cruz, Maria Inês Vicente, Rodrigo
Abreu, Liad Hollender, Tânia Li Chen, Marta
Camacho, Albino Oliveira-Maia, Ana Fernandes,
Pedro Rodrigues.
The CNP was invited to participate in this year’s
Noite dos Professores, organised by Pavilhão do
Conhecimento. The event took place of the night
of October 18th. A group of volunteers from the
CNP included PhD students, members of the
CNP Administration Unit and Clinical research
fellows. The goal of Teacher’s Night was to provide
teachers with exciting new ways to educate their
students about science. Among many stations
with demonstrations about geology, physics and
chemistry, the CNP provided a unique point of
view on neuroscience.
Press Office
The CNP Science Communication Office also
manages requests from the Media and issues
press releases regularly. In 2013, 28 press releases
were produced, resulting in 133 mentions in
the local Portuguese Media and international
coverage. In addition, the Office mediated 21
requests from the Portuguese media, including
requests for interviews of CNP faculty to various
Portuguese Journals such as Expresso and
television channels such as RTP. CNP investigators
provided interviews on their work and their lives
as scientists on over 20 different occasions, thus
communicating information about the work done
at the CNP and on current important topics in
neuroscience research to the general public.
Website & Newsletter
Updates on scientific events and news are sent
out to the CNP community on a weekly basis
in the form of a weekly newsletter and following
reminders. In addition, regular website updates
of news and events are posted by the Science
Communication Office. In 2013, over 50 indivudual
news posts were published on the CNP website,
with corresponding updates on the CNP facebook
page. This increased online presence resulted in a
rapid increase in the number of facebook followers
and website visits.
Outreach by individual CNP Members
In addition to participation in CNP-organised
outreach events, CNP members also make
regular visits to schools and participate in public
events on science-related matters. The Science
Communication Office mediates the majority of
these events. Below you can find a list of these
events.
January
15/1 / 2013: EdgeArts exhibit – One, No One and
One Hundred Thousand.
Artist: Joana Ricou.
Panel discussion: Ana Pereira and Marta Moita.
February
28/2/2013: Domingos Henrique.
‘Scientist as a Profession’ Talk to Secodary School
Students, Escola Salesiana Estoril.
March (Brain Awareness Week 2013):
12/3/2013: Pedro Ferreira
‘Dos neurónios aos circuitos no cérebro: uma
viagem com lasers e outras coisas improváveis.’
Ciência Viva centre, Lousal.
12/3/2013: Ana Rita Fonseca
‘Cérebro meu, cérebro meu: quem é mais
complexo do que eu?. Escola Básica 2,3 Conde
de Oeiras.
13/3/2013: Susana Lima
‘Cérebro meu, cérebro meu: quem é mais
complexo do que eu?’ Grémio de Instrução Liberal
de Campo de Ourique, Lisbon.
15/3/2013: Marta Moita, Marta Camacho, Nivaldo
Vasconcelos, José Cruz
Monthly school visit to the CCU: 48 students from
Escola Alcaides de Faria (Barcelos)
April:
16/4/2013: Catarina Ramos, Maria Inês Vicente.
Speakers and panel participants at a Science and
Culture Week Event discussion with ex-Minister
of Education David Justino and the president of
Ciência Viva, Rosalia Vargas. Escola Secundária
do Forte da Casa.
11/4/2013: Marta Moita.
Speaker and Panel Participant. Tertúlias de
Jornalismo e Literatura on Storytelling. FNAC,
Centro Commercial Colombo.
12/4/2013: Rui Costa.
Speaker. ‘Brain, Action and Perception – Creation
of individual repertoires.’ Cultrugest event for
Centro de Arte e Comunicação, Lisbon.
13/4/2013: Zachary Mainen (Speaker); Eric DeWitt,
Scott Rennuw, Rita Venturini, Samuel Viana ,
Catarina Ramos (Team).
‘How science works and the challenges that we
face to make it better.’ TEDxO’Porto2013, on
Fusion, Porto.
May:
5/2013: Marta Moita, Joe Paton.
Making a short movie - Concurso Saber Porquê:
De que cor é o céu à noite? Mundo na Escola.
(Mundo na Escola is a programme from the
Portuguese Ministry for Education and Science
which aims at bridging the gap between schools
and arts, sciences and literature.)
June:
å28/6/2013: Rui Costa.
Speaker. Hipnose e Neurociência at Rua Abade
Faria To celebrate the scientific contributions of
Abade Faria, a series of activities, organised by
Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva. Rui
Costa talked about Hypnotism and Neuroscience
at a Tattoo shop at Rua Abade Faria, Lisbon.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
60
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
August:
16/8/2013: Maria Inês Vicente, Pedro Ferreira,
Catarina Ramos and Michael Orger.
Semester at Sea - A group of 25 students from
the “Semester at Sea” ship visit, a study-away
program for university students run by the
University of Virginia-USA visited the CCU.
October:
Noite dos Professors (See more information
above).
TEDx Youth at Leiria (See more information at
Sciencecalifragilistic section)
November:
11/2013: Rui Costa, Catarina Ramos, Pedro
Ferreira Launching of Video Contest together with
Ciência Viva to promote neurosciences and the
European Year of the Brain among high schools
in Portugal
December:
28/12/2013: Domingos Henrique, Tiago Marques,
Ricardo Gonçalves and Rui Costa.
Participation in the science fundraising initiative
“Maratona da Saúde”.
Seminars and Meetings
organised at the CCU
Scientific Meetings
Champalimaud Neuroscience Symposium, 25
– 28 September 2013.
Organisers: Maria Luísa Vasconcelos
and Christian Machens
Sponsors: Aralab Blackrock, Ultragene, Tecniplast,
Zeiss, Charles River, Filsat, Linde Healthcare,
Clever Systems, Science 4 You, Meditecno, Go
Natural, Sutter Instruments, Banco Espirito Santo
(BES), Soquímica.
Institutional Support: Champalimaud Foundation,
Fundação para a Ciência e a Tecnologia,
Fundação Luso-Americana.
This conference exemplifies the broad interests
of the CNP. In this third edition, eighteen invited
speakers and five selected speakers covered a
wide range of topics in neuroscience. The talks
together with the poster sessions, that took place
every afternoon, generated lively discussions.
Around 300 participants had an opportunity to
discuss theoretical, cognitive molecular, genetic
and ethologic approaches to neuroscience.
The meeting provided an opportunity for the
emergence of fresh ideas and new perspectives
on the work of each participant.
List of Invited Speakers:
Dora Angelaki (Baylor College of Medicine)
Optimal integration of sensory evidence: Building
blocks and canonical computations
Richard Axel (Columbia University/HHMI)
Order from disorder: Representations of olfactory
information in the cortex
Herwig Baier (Max Plank Institute of Neurobiology)
Modular control of behaviour in zebrafish
Steven Reppert (University of Massachusetts)
Neurobiology of monarch butterfly migration
Mateo Carandini (University College London)
Circuits for summation and division in mouse visual
cortex
Timothy Ryan (Cornell University)
A link between metabolic state and cognitive state
forged at the nerve terminal
Thomas Clandinin (Stanford University)
Dissecting the circuits that detect visual motion in
Drosophila
Peter Scheiffele (Basel University)
Molecular diversity and synaptic functions of the
neuroligin-neurexin adhesion system
Martha Constantine-Paton (Massachusetts
Institute of Technology)
LTP/LTD: A link between activity-dependent
development of neural circuits and behaviour
Stefan Schuster (University of Bayreuth)
Prey catching in archerfish: A neurobiological
bonanza
Catherine Dulac (Harvard University/HHMI)
New insights into genomic imprinting in the adult
and developing brain
Michale Fee (Massachusetts Institute of
Technology)
A model of basal ganglia function, inspired by the
songbird
Susana Lima (Champalimaud Neuroscience
Programme)
Mate choice in the house mouse
Marta Moita (Champalimaud Neuroscience
Programme)
You are not alone: Fear in the context of social
interactions
Tirin Moore (Stanford University/HHMI)
Compression of visual space in prefrontal cortex
during eye movement
Hitoshi Okamoto (Riken Brain Science Institute)
The roles of the habenula in escape and
aggression
Gina Turrigiano (Brandeis University)
Firing rate homeostasis in awake freely behaving
rodents
Scott Waddell (University of Oxford)
Reward, motivation and dopamine in the fruit fly
10th National Conference of Ethology,
24 – 25 October 2013.
Organisers: Susana Lima and Marta Moita
Sponsors: Imexsa, Monte Selvagem, Delta Cafés,
Banco Espirito Santo (BES), Science 4 You, Sumol
+ Compal, Parque Biológico Gaia.
Institutional Support: Portuguese Ethology Society,
Champalimaud Foundation.
This meeting brought together scientists from
the several fields afore mentioned, including
ecology, evolution, development, physiology,
psychology and neuroscience, spanning a wide
range of model organisms, from invertebrates
to vertebrates. We aim to present an integrated
overview of animal behaviour, by bringing together
investigators and students working in Portugal
and abroad. Over two days we had four keynote
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
62
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
lectures by internationally distinguished speakers,
24 talks selected from abstract submission and
two poster sessions, providing ample opportunity
for formal an informal exchange of ideas.
Future of Ultra High Field Small Animal
Magnetic Resonance Technology.
7 – 8 November 2013.
Organisers: Zachary Mainen, Celso Matos.
List of Invited Speakers:
Regina Macedo (Universidade de Brasília)
Flights of fancy: sexual selection in a Neuotropical
songbird
Chris Braun (Hunter College)
Soundscapes and the evolution of hearing: a case
using Malagasy ad South Asian Cichlids.
Eugenia Chiappe (Champalimaud Neuroscience
Programme)
Motion vision in walking flies
Susana Carvalho (Oxford University)
Primate archaeology, an interdisciplinary ethology:
why does it matter?
New Brain Technologies: A road map
for Portugal. 26 June 2013.
Orgnisers: Zachary Mainen, Rui Costa.
The Fundação para a Ciência e Tecnologia and
the Champalimaud Foundation’s Neuroscience
Programme hosted a workshop entitled “New
Brain Technologies: A roadmap for Portugal.” The
aim of this workshop is to present the Human
Brain Project (HBP) Flagship, as well as the
available details about Funding Calls expected
this Autumn and in the beginning of the next year.
Further discussions and breakout sessions were
aimed to identify national teams with potential to
participate in the activities of this Flagship in the
future and identify the best way to promote this
participation.
What are the challenges and potentials of MRI
technology to drive breakthroughs in brain and
cancer imaging over the next 10-15 years? The
goal of the workshop was to obtain strategic
advice in this field, in order to identify opportunities
to invest in this area. A panel of experts was
consulted for their views on the potentials of this
technology for research, particularly in the areas of
neuroscience and/or oncology.
3º Congress of Tuberous Sclerosis. 17 – 18
November 2013.
Organisers: The Association for Tuberous Sclerosis
in Portugal, Inbal Israely.
The goal of this meeting was to provide education
about Tuberous Sclerosis within Portugal to
families with affected members, physicians,
and scientists. The meeting brought together
experts from the US and within Portugal, in order
to provide state of the art information about the
disorder and its treatment, as well as on-site
patient consultations.
Neuroseeker General Meeting & Workshop
on Advanced Electrode Technology.
27 – 28 June 2013.
Organiser: Adam Kampff.
The workshop was attended by 50 international
participants, representing 12 EU and international
projects, all developing hardware and software
techniques for the acquisition and analysis
of neural activity with advanced electrode
technology. The full day meeting consisted of
short presentations of each project followed
by lively question and answer debates, which
extended into a late afternoon break-out session,
an informal reception, and the conference dinner.
A number of the discussions arose between the
participants and NeuroSeeker, some of which
(HHMI, Open-Ephys, Magnetrodes) have already
lead to concrete collaborations between these
related, synergistic activities. Furthermore, the
main consensus at the meeting was the need to
develop standard validation and test protocols
such that improvements in recording technology
could be compared across laboratories and
experiments. A test plan, coordinated by HHMI
with NeuroSeeker and other groups, is currently
being developed and finalized in the preparation
for the arrival of the first advanced probes during
2014. Furthermore, a report on developments
within the ‘Open-Ephys’ project, an open source
hardware and software initiative to develop
inexpensive yet powerful electrophysiology tools,
has led to a coordination of their technology
with that developed throughout NeuroSeeker
and has facilitated the adoption of ‘Open-Ephys’
hardware/software systems by a number of
partners within NeuroSeeker for preliminary
experiments.
invited lecturers from Europe and the U.S., we
explored this much-overlooked aspect of the
hippocampus.
Hippocampus and Decision Making:
An Advanced Course. 2 – 6 December 2013.
Marta Moita (Champalimaud Neuroscience
Programme)
Introduction to Hippocampus
Organisers: Marta Moita, Mert Erginkaya,
Ekaterina Vinnik, Pavel Itskov, Niccolò Bonacchi,
Hedi Young, Marina Fridman, Nuno Loureiro.
It seems natural that decisions, which depend
so much on context and experience, must rely
critically on the part of the brain where such
information is stored, yet this function of the
hippocampus is rarely discussed. Furthermore,
actions are organised in space, and the spatial
component of action planning also crucially
involves the hippocampus. With the help of five
List of Invited Speakers:
Francesco Battaglia (Donders Centre for
Neuroscience)
Cell assemblies and cortico-hippocampal
communication
David Foster (Johns Hopkins University)
The role of the hippocampus in navigational
learning and decision- making
David Redish (University of Minnesota)
Mental time travel (past [memory] and future
[planning])
David Robbe (Mediterranean Institute for
Neurobiology)
The hippocampus beyond the cognitive map:
Possible functions in episodic memory and time
perception
Loren Frank (University of California)
How can a single circuit do many things?
CNP Colloquia 2013
Hedderik van Rijn (University of Groningen, The
Netherlands.)
Cross-fertilization between Computational
Modeling and the Neurosciences
January 27, 2013.
Javier Medina (The University of Pennsylvania, USA)
Turn on the light; turn off purkinje cells…. And blink!
March 7, 2013.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
64
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Henry Yin (Duke University Medical Centre, USA)
The role of dopamine in behaviour
March 8, 2013.
Larry Young (Emory University, USA)
The Neurobiology of Social Bonding
May 30, 2013.
Cynthia Moss (University of Maryland, USA)
Multisensory processes guide 3-D spatial
navigation in echolocating bats
March 21, 2013.
Alvaro Pascual-Leone (Berenson-Allen Center
for Noninvasive Brain Stimulation;
Beth Israel
Deaconess Medical Center; Harvard Medical
School, USA)
Combining Brain Imaging, Neurophysiologic
Techniques and Noninvasive Brain Stimulation to
Understand A Changing Brain
June 6, 2013.
Stephen Shea (Cold Spring Harbour Laboratory,
Stony Brook University, USA)
Olfactory and auditory social communication
in mice
April 2, 2013.
Scott Sternson (Howard Hughes Medical Institute,
Janelia Farm Research Campus)
Deconstruction of neural circuits for hunger
April 4, 2013.
Allan Hobson (Beth Israel Deaconess Medical
Center; Massachusetts Mental Health Center, USA)
Dream Consciousness
April 9, 2013.
Massimo Scanziani (University of California San
Diego, Howard Hughes Medical Institute)
Cortical circuits of Vision
April 11, 2013.
Gordon Fishell (New York University, USA)
The Role of Genetic Programs and Activity in the
Development of Cortical Interneuron Diversity
June 27, 2013.
Michael Platt (Duke University, USA)
Charity and Deception in the Brain
July 11, 2013.
Stephen Lisberger (Howard Hughes Medical
Institute; Duke University, USA)
Cellular and circuit mechanisms for cerebellar
motor learning
July 25, 2013.
Ilan Golani (Tel Aviv University, Israel)
Is mouse exploratory behaviour recursive?
April 11, 2013.
Ed Callaway (Salk Institute for Biological Studies,
USA)
Systems Neurobiology Laboratories, Salk Institute
for Biological Studies
September 5, 2013.
Brett Mensh (Janelia Farm Research Campus,
USA).
Maximizing the impact of your grants and papers
April 26, 2013.
Michael Brecht (Berlin School of Mind and Brain,
Bernstein Center for Computational Neuroscience)
A grid cell grid?
Semptember 12, 2013.
Peter Latham (Gatsby Computational
Neuroscience Unit, University College London, UK)
Olfaction as probabilistic inference
May 2, 2013.
David Redish (University of Minnesota, USA)
Evaluation during deliberation as covert
representations of reward
September 19, 2013.
Maneesh Sahani (Gatsby Computational
Neuroscience Unit
University College London, UK)
Inferring population dynamics from ensemble
neuronal activity.
October 10, 2013.
Jeff Magee (HHMI Janelia Farm Research
Campus, USA)
Circuit level computations in the neocortex and
hippocampus
October 17, 2013.
Michael J. Spivey (University of California, Merced,
USA)
Online links between perception and higher
cognition
October 31, 2013.
Alan P. Koretsky (National Institute of Neurological
Disorders and Stroke, USA)
Localization of Synaptic Sites of Cortical Plasticity
by MRI
November 6, 2013.
Matthew Botvinick (Princeton University, USA)
Hierarchical reinforcement learning
November 21, 2013.
Loren Frank (University of California, San
Francisco, USA)
Neural substrates of memory retrieval and
decision-making
December 5, 2013.
Robert Datta (Harvard Medical School, USA)
Sensors and Actuators for Smell
December 12, 2013.
Presentations and Meeting
Organised at International
Institutions
Presentations
Megan Carey – Oral Presentations
18/2/2013
The cerebellar circuit: from synapse to behaviour
JORTEC Symposium on Biomedical Engineering,
Faculty of Science and Technology, Universidade
Nova de Lisboa
14/8/2013
Cerebellar contributions to coordinated locomotion
in mice
Gordon Research Conference on the Cerebellum
16/9/2013
Cerebellar contributions to coordinated locomotion
in mice
Instituto Medicina Molecular (Keynote lecture, 10th
Anniversary Postdoctoral Symposium)
17/10/2013
The cerebellar circuit: from synapse to behaviour
École des Neurosciences de Paris Student Retreat
(Keynote lecture)
13/11/2013
Instructive signals for locomotor adaptation in mice
Society for Neuroscience Annual Meeting
(Minisymposium on Teaching Signals)
Megan Carey – Poster Presentations
Albergaria C, Silva NT, Carey MR. Is
endocannabinoid signaling required for
cerebellum-dependent learning? Gordon Research
Conference on the Cerebellum 2013, New London,
NH, USA.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
66
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Albergaria C, Silva NT, Carey MR. Is
endocannabinoid signaling required for
cerebellum-dependent learning? Howard Hughes
Medical Institute Investigators meeting 2013,
Ashburn, VA, USA.
9/2013
Generating and shaping novel action repertoires
EPFL SV- Life Science Symposium “Motor
Control - from neural circuits and diseases to
neuroprosthetics. “ Lausanne, Switzerland.
Albergaria C, Silva NT, Carey MR. Is
endocannabinoid signaling required for
cerebellum-dependent learning? Champalimaud
Neuroscience Symposium 2013, Lisbon, Portugal.
10/2013
Generating and shaping novel action repertoires
The Assembly and Function of Neural Circuits.
Ascona, Switzerland.
Ana S. Machado, João Fayad, Carla Matos, Megan
R. Carey. Cerebellar contributions to mouse
locomotion revealed by the LocoMouse tracking
system. Champalimaud Neuroscience Symposium
2013, Lisbon, Portugal.
11/2013
Generating and shaping novel action repertoires
MPI Florida. Florida, US.
Eugenia Chiappe – Oral Presentations
Alves da Silva J, Tecuapelta F, Paixão V, Costa RM.
Exploring the role of SNC dopaminergic neurons in
the initiation of self paced actions. Chamaplimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
24/10/2013
Motion vision in walking flies
10th Meeting of Portuguese Society of Ethology,
Lisbon, Portugal
Rui Costa – Oral Presentations
5/2013
Generating and shaping novel action repertoires
Janelia Conference “Temporal Dynamics in
Learning: Networks & Neural Data.” Ashburn, VA,
USA.
8/2013
Endocannabinoids and Habit Formation
Gordon Research Conference, Cannabinoid
Function in the CNS. Waterville Valley, NH, USA.
9/2013
Generating and shaping novel action repertoires
UC Berkeley Neuroscience Seminar Series.
Berkeley, CA, USA.
Rui Costa – Poster Presentations
Tecuapetla F, Jin X, Lima, Costa RM. Basal
ganglia contribution to action initiation and action
performance. Chamaplimaud Neuroscience
Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Mutlu S, Feliciano C, Tecuapetla F, Costa RM.
Intrinsic properties and signal dynamics of
basal ganglia output neurons. Chamaplimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Rachinas-Lopes P, Paixão VB, Gomez-Marin A,
dos Santos ME, Costa RM. Inertial Sensor and
Tracking System as a New Method to Study
the Behaviour of Dolphins. Chamaplimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Cao V, Costa RM, Wang K. Experience-dependent
activation of Arc expression in individual
frontal cortical neurons during motor training.
Chamaplimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Castro AC, Oliveira-Maia A, Costa RM. NMDA
receptor deletion in interneurons alters motor and
instrumental learning in mice. Chamaplimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Martins GJ, Vaz A, Costa RM. Motor and
instrumental learning in mice with interneuron
NMDA receptor deletion. Sociedade Portuguesa
de Neurociencias 2013. Luso, Portugal.
Afonso C, Paixão VB, Costa RM. Host exploratory
and risk behaviours are modified during
parasitic infection. Chamaplimaud Neuroscience
Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Inbal Israely – Oral Presentations
Oliveira RF, Costa RM. Neural substrates of
accuracy in motor skills. Society For Neuroscience
Annual Meeting 2013. San Diego, CA, USA.
11/6/2013 (Presentation by Israely Lab group
member: Yazmín-Cortés)
Spine shrinkage and elimination via mGluR-induced
LTD: implications for long-term memory storage.
Spring Hippocampal Research Conference.
Taormina, Italy.
French CA, Feliciano C, Correia M, Paixão VB, Jin
X, Fisher SE, Costa RM. Differential contributions
of Foxp2 to motor-skill learning. Society For
Neuroscience Annual Meeting 2013. San Diego,
CA, USA.
5/12/2013
Activity dependent restructuring of synaptic inputs
Long-term potentiation: enhancing neuroscience
for 40 years.’ Satellite Meeting at The Royal
Society, Kavli Research Centre. London, UK.
Gremel CM, Luo G, Lovinger D, Costa RM.
Endocannabinoid signaling in orbitofrontal
cortex modulates habit formation. Society For
Neuroscience Annual Meeting 2013. San Diego,
CA, USA.
Adam Kampff – Oral Presentations
Santos FJ, Costa RM. Cortical and striatal
dynamics during operant motor skill learning.
Portuguese Society for Neuroscience meeting.
2013. Luso, Portugal.
Santos FJ, Costa RM. Cortical and striatal
dynamics during operant motor skill learning.
Temporal Dynamics in Learning: Networks
and Neural Data. 2013. Janelia Farm Research
Campus - Ashburn, USA.
Mutlu S, Tacuapetla F, Feliciano C, Costa RM.
Mapping dorsomedial and dorsolateral striatal
circuits: Anatomical data suggesting parallel loop
organisation in mouse basal ganglia. Neurobiology
of Action 2013, Milano, Italy.
12/2/2013
The Present and Future of Neural Recording
Devices
BIOSTEC 2013, Keynote Lecture. Barcelona,
Spain.
18/2/2013
The Present and Future of Neural Recording
Devices
JORTEC 2013. Caparica, Portugal.
25/7/2013
Children on Drugs: How common behaviour
medications affect the (young) brain?
NYSASN Summer Enrichment Academy. Grand
Island, NY, USA.
16/9/2013
Moving with motor cortex: Controlling behaviour in
unpredictable environments
European Visual Cortex Meeting. Zagreb, Croatia.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
68
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
30/10/2013
Control of behaviour in unpredictable
environments: Moving with Motor Cortex
Max Planck Institute for Neurobiology. Munich,
Germany.
28/11/2013
Moving with cortex: New techniques for studying
behaviours that require motor cortex
SWC - University College of London. London, UK.
Susana Lima – Poster Presentations
10/2013
Nomoto K, Lima S. Social signals in the
ventromedial hypothalamus of female mice:
influence of the reproductive cycle. Hormones and
Behaviour Conference. Janelia Fram, HHMI, USA.
Christian Machens – Oral Presentations
25/3/2013
Dynamics of the oculomotor integrator revealed by
instantaneous optogenetic perturbations
Instituto de Medicina Molecular, Lisbon, Portugal
14/5/2013
On the optimality and robustness of neural tuning
Janelia Farms Conference “Temporal Dynamics in
Learning.” Washington DC, USA.
9/5/2013
Efficient Coding and Balanced Networks:
A unification
Carnegie Mellon University. Pittsburgh, USA.
17/5/2013
Efficient Coding and Balanced Networks:
A unification
Columbia University. New York, USA.
30/5/2013
Some new insights on neural population tuning
Workshop “Noise in decision making”, IDIBAPS,
CRM, UPF Barcelona. Barcelon, Spain.
12/7/2013
Efficient Coding and Balanced Networks:
A unification
University of Bielefeld. Bielefeld, Germany.
17/7/2013
Working Memory: What needs to be explained?
Computational Neuroscience Meeting (Workshop
on “Neural Mechanisms of Working Memory
Limits”). Paris, France.
15-16/8/2013
Efficient Coding
Advanced Course in Computational Neuroscience
(IBRO/FENS Summer School). Poznan, Poland.
16/10/2013
Statistical commonalities in population responses
across brain areas
Columbia University, Workshop on “quantifying
structure in large neural datasets.” New York, USA.
5/12/2013
Efficient Coding and Balanced Networks:
A unification
EPFL Lausanne. Lausanne, Switzerland.
9/12/2013
Efficient Coding
FMI Basel, Course on Computational Biology.
Basel, Switzerland.
Zachary Mainen – Oral Presentations
24/1/2013
Origins and use of uncertainty in decision-making
Bernstein Center for Computational Neuroscience.
Tubingen, Germany
15/2/2013
The neural dynamics of waiting and giving up in
the rat premotor cortex
Institute of Neuroinformatics, University of Zurich.
Zurich, Switzerland.
7/3/2013
The origins and use of decision confidence
3rd Latin American School for Education, Cognitive
and Neural Sciences. Comandatuba, Brasil.
19/4/2013
Neural circuits for spontaneous action timing in the
frontal cortex
1st European Neuroscience Conference by
Doctoral Students. Bordeaux, France.
15/5/2013
Neural circuits for spontaneous action timing in the
frontal cortex
Temporal Dynamics in Learning: Networks and
Neural Data. HHMI Janelia Farm Research
Campus, USA.
30/5/2013
Contribution of online learning to variability in
perceptual decisions
Noise in decision-making. Barcelona, Spain.
27/7/2013
Neural circuits for spontaneous action timing in the
frontal cortex
Institute of Neuroscience, Shanghai, China
10/10/2013
What can experimental systems neuroscience
teach us about studying social systems?
A Multilevel Approach to Distributed Cognition.
Cascais, Portugal
23/10/2013
Neural mechanisms of the timing of actions
Yale University. New Haven, CT, USA.
Zachary Mainen – Poster Presentations
DeWitt EJ, Mendonça AG, Kepecs A, Mainen ZF.
Confidence based learning in a perceptual task:
How uncertainty and outcome influence choice.
Cosyne. Arizona, USA.
Costa GM, Mainen ZF. Interplay of confidence and
value in the transformation of olfaction to action.
Cosyne. Arizona, USA.
Fonseca AR, Mainen ZF. Planning and selecting
between multiple action sequences in a multiple
alternative non-forced choice task. EPFL SV- Life
Science Symposium. Lausanne, Switzerland.
Costa GM, Mainen ZF. Interplay between value
and confidence in a olfactory guided decision.
Sociedade Portuguesa de Etologia. Lisbon,
Portugal.
Mendonça AG, Vicente MI, deWitt EJ, Pouget A,
Mainen ZF. Uncertainty in the brain as a two-step
problem: how continuous learning may generate
errors. Annual Meeting for Gulbenkian Students.
Seia, Portugal.
Venturini R, Johnson H, Mainen ZF. Feedback
manipulation affects confidence in decision
making. Champalimaud Neuroscience Symposium
2013. Lisbon, Portugal.
Mendonça AG, Vicente MI, Pouget A, Mainen
ZF. Crystalized learning as a suboptimal strategy
that degrades odor categorization performance.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Murakami M, Vicente MI, Costa GM, Mainen ZF.
Neural dynamics of waiting and giving
up in the rat secondary motor cortex.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
70
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Correia PA, Valente SS, Lima SQ, Mainen ZF.
Serotonergic modulation of sexual behaviour.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Lottem E, Lorincz M, Dugué G, Mainen ZF.
Serotonergic modulation of sensory information
processing in the piriform cortex. Champalimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Vicente MI, Mendonça AG, Mainen ZF. Taskdependent speed accuracy-tradeoffs in olfaction.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Costa GM, Mainen ZF. Interplay between
value and uncertainty in the olfactory striatum.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Fonseca M, Murakami M, Mainen ZF. Serotonergic
modulation of waiting behaviour. Champalimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Matias S, Dugué G, Lottem E, Audero E,
Vassilevskaia T, Mainen ZF. Long-term monitoring
of genetically defined neuronal populations in
freely behaving rodents through an optical fiber.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Marta Moita – Oral Presentations
28/9/2013
You’re not alone: fear in the context of social
interactions
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
10/10/2013
You’re not alone: fear in the context of social
interactions
ESCON 2013 Workshop: A Multilevel Approach to
Distributed Cognition. Cascais, Portugal.
2013 (Presentation by Moita Lab group member:
Ana Pereira)
Auditory Cues in Social Transmission of Fear
Riken Summer School. Tokyo, Japan.
2013 (Presentation by Moita Lab group member:
Elizabeth Rickenbacher)
Oxytocin in the Central Nucleusof the Amygdala
Mediates Social Buffering of Fear
The Nathan Kline and NYU Emotional Brain
Institute. New York, NY, USA.
7/2013 (Presentation by Moita Lab group member:
Scott Rennie)
Coordination in Rats: The use of game theory to
study the proximal mechanisms of cooperation.
Cold Spring Harbor Asian Conferences:
Computational and Cognitive Neuroscience.
Beijing, China.
10/2013 (Presentation by Moita Lab group
member: Scott Rennie)
Coordination in Rats: The use of game theory to
study the proximal mechanisms of cooperation.
10th National Conference of Ethology. Lisbon,
Portugal.
Marta Moita – Poster Presentations
Cruz A. A Blast from the past: how prior
experience modulates transmission of fear.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Cruz A. A Blast from the past: how prior
experience modulates transmission of fear. 10th
National Conference of Ethology. Lisbon, Portugal.
Pereira A. Auditory Cues in Social Transmission of
Fear. Champalimaud Neuroscience Symposium
2013. Lisbon, Portugal.
Pereira A. Auditory Cues in Social Transmission
of Fear. FENS/IBRO Summer School: Causal
Neuroscience: Interacting with Neural Circuits.
Bertinoro, Italy.
Pereira A. Auditory Cues in Social Transmission
of Fear. 10th National Conference of Ethology.
Lisbon, Portugal.
Rickenbacher E. Misery Really Does Love
Company: Oxytocin in the Central Nucleus of the
Amygdala Mediates Social Buffering of Fear. ECNP
Congress. Barcelona, Spain.
Rickenbacher E. Misery Really Does Love
Company: Oxytocin in the Central Nucleus of
the Amygdala Mediates Social Buffering of Fear.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Rickenbacher E. Oxytocin in the Central Nucleusof
the Amygdala Mediates Social Buffering of Fear.
ECNP Workshop School. Nice, France.
Rennie S. Coordination in Rats: The use of
game theory to study the proximal mechanisms
of cooperation. Champalimaud Neuroscience
Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
11/7/2013
Whole brain imaging of neural circuit activity in
behaving zebrafish
Vienna Biocenter. Vienna, Austria
Joe Paton – Oral Presentations
3/2013 (Presentation by Paton Lab group member:
Thiago Gouvea)
On embodied cognition, the basal ganglia, and
neural codes for time
Internal seminar Universidade Federal do ABC.
São Paulo, Brasil.
5/2013
Networks don’t play chess
Janelia Farm Research Campus. Confernece of
temporal dynamics in learning. Ashburn, VA. USA.
Joe Paton – Posters Presentations
Gouvea T, Monteiro T, Soares S, Paton JJ. On
embodied cognition, the basal ganglia, and neural
codes for time. ENCODS conference. Bordeaux,
France.
Soares S, Atallah B, Monteiro T, Gouvea T, Paton
JJ. Mice perform action sequences that predict
choice during temporal discrimination. Soceity for
Neuroscience Annual Meeting 2013. San Digo,
CA, USA.
Leopoldo Petreanu – Oral Presentations
Michael Orger – Oral Presentations
19/3/2013
Whole brain imaging of neural circuit activity in
behaving zebrafish
Max Planck Institute of Neurobiology. Munich,
Germany.
12/9/2013
Shining light on cortical circuits
Instituto Superior Técnico. Lisbon, Portugal
29/11/2013
The structure and function of cortico-cortical
connections
Instituto de Neurociencias. Alicante, Spain.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
72
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Alfonso Renart – Oral Presentations
30/5/2013
Competitive Dynamics During Spontaneous Activity
ESF Workshop “Noise in Decision Making.”
Barcelona, Spain.
24/9/2013
Spontaneous Dynamics of Cortical Circuits during
Activated States
Bernstein Conference. Tubingen, Germany.
Carlos Ribeiro – Oral Presentations
16/3/2013
Gourmet flies - using winged invertebrates to
understand the brain
Invited speaker at the meeting of the Portuguese
Biomedical Sciences students (IV Jornadas
Nacionais de Ciências Biomédicas). Averio,
Portugal.
16/4/2013 (Presentation by Ribeiro Lab group
member: Samuel J Walker)
How Internal States Modulate Sensory Processing
in Drosophila
Max Planck Institute for Neurobiology, Munich,
Germany - FLiACT Annual Meeting. Munich,
Germany.
18/4/2013
The gourmet fly - the molecular and neuronal basis
of nutrient decisions in Drosophila
Invited speaker at the Institut of Functional
Genomics Lyon (IGFL), Lyon, France.
3/5/2013
Gourmet flies - Essential and non-essential
decisions in Drosophila
Invited speaker at the second nutritional
homeostasis workshop at the LIMES Institute,
University of Bonn, Germany
26/7/2013
Gourmet flies – Using winged invertebrates to
understand how the brain and the body interact
Key note speaker at the 7th PhD student’s retreat
of the Max-Planck-Institute of Immunobiology and
Epigenetics in Freiburg, Münstertal, Germany.
15/8/2013
Gourmet flies – Essential and non essential
decisions in Drosophila
Selected speaker at the third Junior European
Drosophila Investigator meeting, Cumberland
Lodge, UK.
19/10/2013
Using a holidic medium to study nutrient
homeostasis in Drosophila
Selected talk at the European Drosophila
Conference in Barcelona, Spain.
10/2013 (Presentation by Ribeiro Lab group
member: Verónica M Corrales)
Elucidating the computational strategies behind
nutritional decisions in Drosophila
CSHL Neurobiology of Drosophila Meeting.
Cold Spring Harbor, USA.
10/2013 (Presentation by Ribeiro Lab group
member: Verónica M Corrales; Awarded
“Best Talk”)
Elucidating the computational strategies behind
nutritional decisions in Drosophila
Portuguese Neuroethology Meeting. Lisbon,
Portugal.
10/2013 (Presentation by Ribeiro Lab group
member: Pavel M Itskov)
FlyPAD : high throughput and temporal resolution
feeding sensor for flies.
CSHL Neurobiology of Drosophila Meeting.
Cold Spring Harbor, USA.
10/2013 (Presentation by Ribeiro Lab group
member: Pavel M Itskov)
FlyPAD : high throughput and temporal resolution
feeding sensor for flies.
Portuguese Neuroethology Meeting. Lisbon,
Portugal.
Carlos Ribeiro – Poster Presentations
Corrales VM, Faisal AA, Ribeiro C. Poster:
Elucidating the computational strategies
behind nutritional decisions in Drosophila.
Champalimaud Neuroscience Symposium 2013.
Lisbon, Portugal.
Leitão-Gonçalves R., Fioreze G. T., Francisco
A. P., Piper M. D., Ribeiro C. Different dietary
components have drastically different effects
on feeding decisions and nutrient homeostasis.
CSHL Neurobiology of Drosophila Meeting. Cold
Spring Harbor, USA.
Pavel M. Itskov, Matthieu Pasquett, Jose-Maria
Moreira, Ekaterina Vinnik, Goncalo Lopes,Steve
Safarik, Michael Dickinson and Carlos Ribeiro.
FlyPAD : high temporal resolution feeding
sensor for flies. Champalimaud Neuroscience
Symposium 2013. Lisbon, Portugal.
Walker SJ, Ribeiro C. Modulation of Sensory
Processing & Behaviour by Mating in Drosophila.
FLiACT Workshop: Emerging Techniques to Map
& Functionally Characterise Neural Circuits in
Drosophila. Ashburn, USA.
Maria Luísa Vasconcelos
– Oral Presentations
1/3/2013
Unravelling the circuit of CO2 avoidance in
Drosophila melanogaster
XiV jornadas de Biologia Aplicada, Univ. Minho.
Braga, Portugal.
27/5/2013
Circuits of Innate behaviours
Cognition, emotion and behaviour: the brain at
work, University of Porto. Porto, Portugal.
19/9/2013
unravelling the circuit of CO2 avoidance in
Drosophila melanogaster
Collége de France. Paris, France.
Maria Luísa Vasconcelos
– Poster Presentations
Herrmann D, Dias S, Vasconcelos ML. An
intersectional approach to assess the requirement
of subsets of apterous-neurons in receptivity.
Congress of the Portuguese Society of Ethology.
Lisbon, Portugal.
Aranha MM, Souza A, Santos M, Gyenes B, Dias
S, Vasconcelos ML. Identification of neurons
controlling female sexual behaviour. Congress
of the Portuguese Society of Ethology. Lisbon,
Portugal.
Domingos Henrique – Oral Presentations
Herbert SL, Ribeiro C. Neuronal nutrient sensing
in Drosophila feeding decisions. Champalimaud
Neuroscience Symposium 2013. Lisbon,
Portugal.
25/10/2013
From ES cells to Neurons
2nd Joint Meeting SPDB/SEBD Meeting. Lisbon,
Portugal.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
74
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Domingos Henrique – Poster Presentations
Abranches E, Guedes A, Pezzarossa A, Henrique
D. The role of Nanog in pluripotency network
regulating Embryonic Stem Cells. 2nd Joint Meeting
SPDB/SEBD Meeting. Lisbon, Portugal.
Gaspar C, Rosa AI, Ferreira S, Ramos C, Henrique
D. Understanding cell fate decisions in the
embryonic retina. 2nd Joint Meeting SPDB/SEBD
Meeting. Lisbon, Portugal.
Costa A, Juniat S, Gale J, Daudet N, Henrique
D. From Embryonic Stem Cells to Sensory Hair
Cells: A Cell Reprogramming Approach. 2nd Joint
Meeting SPDB/SEBD Meeting. Lisbon, Portugal.
Barbacena P, Ramos C, Neves J, Henrique D.
Unravelling the regulation of Dll4 expression and its
function during embryonic neurogenesis. 2nd Joint
Meeting SPDB/SEBD Meeting. Lisbon, Portugal.
Guedes A, Abranches E, Henrique D. Analysis of
the dynamic properties of the pluripotency network
in Embryonic Stem Cells. 2nd Joint Meeting SPDB/
SEBD Meeting. Lisbon, Portugal.
Rui Oliveira – Oral Presentations
20-24/5/2013
Rapid regulation of gene expression in the zebrafish
brain induced by perceived social interactions
15th Annual Meeting of The International
Behavioural & Neural Genetics Society (IBANGS).
Leuven, Belgium.
3-5/7/2013
Cognitive appraisal mediates physiological and
genomic responses to social information
3rd ToK CONFERENCE OF COMPCOG, “The
Evolution of Social Cognition: Comparisons and
integration across a wide range of human and
non-human animal species.” Vienna, Austria.
4-8/8/2013
Integrating proximate and ultimate causes of social
plasticity
BEHAVIOUR 2013 - Joint meeting of the 33rd
International Ethological Conference (IEC) & the
Association for the Study of Animal Behaviour
(ASAB). Newcastle, UK.
3-6/10/2013
Neuroendocrinology of social behaviour in tilapia
BARD (the United States – Israel Binational
Agricultural R&D Fund) Workshop on “Perspectives
in Endocrinology of Cichlids.” Kibbutz Ein Harod,
Ihud, Israel.
3-6/10/2013
Neuroanatomy resources for a behavioural
neuroendocrinology study model, the Mozambique
tilapia (Oreochromis mossambicus)
BARD (the United States – Israel Binational
Agricultural R&D Fund) Workshop on “Perspectives
in Endocrinology of Cichlids.” Kibbutz Ein Harod,
Ihud, Israel.
11-13/10/2013
Social competence as an ecological performance
trait: proximate mechanisms and ultimate
consequences
European Social Cognition Network (ESCON)
Experts Workshop “A Multilevel Approach to
Distributed Cognition.” Cascais, Portugal.
24-25/10/2013 (Presentation by Oliveira Lab group
member: José M Simões)
Social odors conveying dominance and
reproductive information induce rapid brain
transcriptome changes in a cichlid fish
10th Meeting of the Portuguese Ethological Society.
Lisbon, Portugal.
24-25/10/2013 (Presentation by Oliveira Lab group
member: Sara Cardoso)
Social network and reproductive success in a
species with alternative reproductive tactics
10th Meeting of the Portuguese Ethological Society.
Lisbon, Portugal.
5-6/12/2013
Searching for the social brain: neural and
molecular mechanisms of social learning in
zebrafish
ASAB Winter Conference 2013 “The Evolution of
Behavioural Mechanisms.” Zoological Society,
London, UK.
5-6/12/2013 (Presentation by Oliveira Lab group
member: Magda Teles)
Socially driven changes in neural plasticity mediate
behavioural flexibility
ASAB Winter Conference 2013 “The Evolution of
Behavioural Mechanisms.” Zoological Society,
London, UK.
20/12/2013 (Presentation by Oliveira Lab group
member: Sara Cardoso)
Paternity estimates for male alternative
reproductive tactics in a blenniid fish
9th Portuguese Meeting of Evolutionary Biology.
Instituto Gulbenkian de Ciência, Oeiras, Portugal
Rui Oliveira – Poster Presentations
Messias JP, Paula JR, Grutter A, Oliveira RF,
Bshary R, Soares MC. The role of dopaminergic
system in the modulation of the Indo-pacific
bluestreak cleaner wrasse Labroides dimidiatus
cooperative behaviour. ASAB Winter Conference
2013 “The Evolution of Behavioural Mechanisms”,
Zoological Society, London, UK.
Gonçalves-de-Freitas, Almeida O, Oliveira RF.
Social instability promotes coupling between
hormones and behaviour in a cichlid. XXXI Annual
Meeting of the Brazilian Ethological Society,
University of São Paulo, Brasil.
Fernandes-de-Castilho M, Pinho JS, Oliveira
RF. Associative learning using alarm response in
zebrafish. XXXI Annual Meeting of the Brazilian
Ethological Society, University of São Paulo, Brasil.
Pinho JS, Fernandes-de-Castilho M, Oliveira RF.
Classic and social fear conditioning in zebrafish.
X Congresso Nacional de Etologia, Fundação
Champalimaud, Lisboa, Portugal. (BEST
STUDENT POSTER AWARD.)
Abreu RA, Oliveira RF. Social Eavesdropping in
Zebrafish. X Congresso Nacional de Etologia,
Fundação Champalimaud, Lisboa, Portugal.
Teles MC, Oliveira RF. Socially driven changes
in neural plasticity mediate behavioural flexibility.
X Congresso Nacional de Etologia, Fundação
Champalimaud, Lisboa, Portugal.
Messias JP, Paula JR, Grutter A, Oliveira RF,
Bshary R, Soares MC. The role of dopaminergic
system in the modulation of the Indo-Pacific
bluestreak cleaner wrasse Labroides dimidiatus
cooperative behaviour. X Congresso Nacional
de Etologia, Fundação Champalimaud, Lisboa,
Portugal.
Cardoso SC, Bshary R, Paitio JR, Mazzei R,
Oliveira RF, Soares MC. Ecological relevance
determines Arginine-vasotocin influence on
cleanerfish learning abilities. X Congresso Nacional
de Etologia, Fundação Champalimaud, Lisboa,
Portugal.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
76
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Oliveira GA, Martins M, Fernandes A, Oliveira RF.
Hormonal response to an experimental emotion
induction procedure. X Congresso Nacional
de Etologia, Fundação Champalimaud, Lisboa,
Portugal.
Faustino F, Teles MC, Oliveira RF. Effects of social
environment and cortisol in adult neurogenesis
in zebrafish. X Congresso Nacional de Etologia,
Fundação Champalimaud, Lisboa, Portugal.
Faustino A, Carneiro M, Godinho Ferreira M,
Oliveira RF. The role of ageing in behavioural
and stress response in zebrafish. X Congresso
Nacional de Etologia, Fundação Champalimaud,
Lisboa, Portugal.
Carneiro MC, Henriques CM, Faustino A, Oliveira
RF, Godinho Ferreira M. Aging is a consequence
of telomere shortening in zebrafish. Cold Spring
Harbor Asia Conferences: Molecular Basis
of Aging and Disease, Suzhou Dushu Lake
Conference Center, China.
Oliveira RF, Gonçsalves DM, Fagundes T, Saravia
J. Life-history pathways associated with sequential
reproductive tactics in the peacock blenny
(Salaria pavo). XIV Congress of the European
Society for Evolutionary Biology, Lisbon,
Portugal.
Cerqueira M, Millot S, Castanheira M, Gonçalves
R, Oliveira RF, Martins C. Psychological modulator
of fish appraisal: how the predictability of appetitive
and aversive stimuli modifies the behavioural
responses of Gilthead sea bream (Sparus aurata).
BEHAVIOUR 2013 - Joint meeting of the 33rd
International Ethological Conference (IEC) & the
Association for the Study of Animal Behaviour
(ASAB), Newcastle, UK.
Cardoso S, Paitio J, Mazzei R, Bshary R, Oliveira
RF, Soares M. Ecological relevance determines
arginine vasotocin influence on cleanerfish learning
abilities. BEHAVIOUR 2013 - Joint meeting of the
33rd International Ethological Conference (IEC)
& the Association for the Study of Animal
Behaviour (ASAB), Newcastle, UK.
Messias JP, Paula JR, Grutter A, Oliveira RF,
Bshary R, Soares MC. The role of dopaminergic
system in the modulation of the Indo-pacific
bluestreak cleaner wrasse Labroides dimidiatus
cooperative behaviour. BEHAVIOUR 2013 - Joint
meeting of the 33rd International Ethological
Conference (IEC) & the Association for the Study of
Animal Behaviour (ASAB), Newcastle, UK.
Paula J, Messias J, Grutter A, Oliveira RF,
Bshary R, Soares M. Serotonin Neuromodulation
of Cooperative Behaviour in a Cleaner Fish.
BEHAVIOUR 2013 - Joint meeting of the 33rd
International Ethological Conference (IEC) & the
Association for the Study of Animal Behaviour
(ASAB), Newcastle, UK.
Oliveira RF, Fernandes A, Oliveira T, Goncalves
D, Oliveira G, Garcia-Marques T. Testosterone
and DHEA modulate the recognition of
emotional faces. Implications of Research on the
Neuroscience of Affect, Attachment and Social
Cognition Conference, University College of
London, UK.
Meetings
3rd StEmbryo Meeting
May 19 – 20, 2013.
Organisers: Domingos Henrique
Lisbon, Portugal.
International meeting on Stem Cells & Embryos.
5th Computational and Cognitive
Neuroscience Summer School
July 6 – 24 ,2013.
Beijing, China.
Organisers: Xiao-Jing Wang (New York University
and NYU Shanghai, USA/China), Si Wu (Beijing
Normal University, China), Upinder S Bhalla
(Natl Ctr Biological Sci, Bangalore, India),
Zachary F Mainen (Champalimaud Neuroscience
Programme, Portugal)
The 4th Computational and Cognitive Neurobiology
Summer School is going to be held in the
campus of Beijing Normal University, in Beijing,
China. The objective of this course is to train
in Computational Neuroscience talented and
highly motivated students and postdocs from
Asia and other countries in the world. Applicants
with either quantitative, including Physics,
Mathematics, Engineering and Computer
Science or experimental background are
welcomed. The lectures will introduce the basic
concepts and methods, as well as cuttingedge research, in Computational Systems and
Cognitive Neurosciences, with an emphasis on
higher cognitive functions and their underlying
neural basis. Modeling will be taught at multiple
levels, ranging from single neuron computation,
microcircuits and large-scale systems, to
normative theoretical approach to brain functions.
Matlab-based programming labs coordinated
with the lectures will provide practical training in
important computational methods.
ESCON (European Social Cognition Network)
Experts Workshop on “A Multilevel Approach
to Distributed Cognition”
October 10 – 13, 2013.
Lisbon, Portugal.
Organisers: Gün R. Semin (Utrecth University,
Netherlands), Rui F. Oliveira (ISPA and IGC/CNP,
Lisbon, Portugal).
The aim of this ESCON experts workshop was
to approach the grounding of social behaviour
from a multilevel perspective. In this perspective,
an adequate explanation of social behaviour
requires an understanding of the interplay between
behaviour, bodily structure, social context, and
environmental resources rather than a focus on
the isolated study of individual cognitive functions
such as attention, memory, or learning.
Towards a Common Framework to Study the
Function of the Insect Central Complex
October 16 – 19, 2013
Meeting Center of Catalunia, Barcelona, Spain.
Organisers: Eugenia Chiappe (CNP), Matthieu
Louis (Center for Genomic Regulation, EMBL-CRG
Systems Biology Unit, Barcelona, Spain).
The session was organised to bring together novel
colleagues working with and developing novel
techniques to link circuit function with behaviour.
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
78
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Graduate Training and
Education International
Neuroscience Doctoral
Programme (INDP)
Programme Director
Alfonso Renart
Administrative Assistance
Alexandra Piedade and Teresa Carona
The INDP aims at providing students with a
broad and integrative education in neuroscience
with a focus on the neuronal and circuit basis
of behaviour. A main goal of the programme is
to foster and encourage active participation,
independence and critical thinking on the part of
the students. The first semester of the programme,
students attend courses structured as modules
lasting one or a few weeks which cover basic
topics in contemporary neuroscience such as
basic cellular and synaptic physiology, sensation
and action and cognitive neuroscience. Courses
have a strong practical component which includes
a variety of experimental preparations developed
by students in the CNP dedicated teaching lab,
as well as basics in software and computer data
acquisition. During the 3-4 months following the
courses, students perform lab rotations, which
allow them to familiarise with the research done
in the different labs, and which culminate with
the selection of a laboratory by each student.
The next three years are dedicated to research
on a specific topic leading to a PhD thesis. No
previous background in neuroscience is required,
but candidates with a background in biology or
quantitative disciplines are encouraged to apply.
INDP Students
2013 Students
Annelene Dahl
MSc Neuroscience
Norwegian University of Science and Technology,
Norway
Antonia Groneberg
MSc Neuroscience
University of Heidelberg, Germany
Cristina Ferreira
Msc Oncology
Faculdade de Ciências da Universidade do Porto
Gabriela Fioreze
Bsc Biomedicine
Federal University of Health Sciences of Porto
Alegre, Brazil
Jovin Jacobs
M.Sc. Cognitive and Computational Neuroscience
The University of Sheffield, United Kingdom
Lorenza Calcaterra
Msc Neurobiology
Bsc Neurobiology
University of Padua, Italy
António Dias
Msc in Evolutionary and Developmental Biology
Bsc Biology
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Madalena Fonseca
M.A. Business and Management
Bsc Natural Sciences
Economics and Business Schools (ISEG)
Universidade Técnica de Lisboa
2012 Students
Asma Motiwala
Temporal representations in brain
Laboratory of Christian Machens
Rita Felix
Linking activity in genetically defined neurons to
visuomotor adaptation in zebrafish cerebellum
Laboratory of Michael Orger
2011 Students
Danbee Kim
Hunting Behaviour: One (Intelligent) System versus
Another
Laboratory of Adam Kampff
André Luzardo
A New Model for VOR Adaptation
Laboratory of C. Machens and M. Carey, CNP
Hedi Young
How feedback pathways shape feedforward
information in mammalian neocortex
Laboratory of Leopoldo Petreanu, CNP
Jacques Bourg
Information representation in stochastic recurrent
neural networks
Laboratory of A. Renart, CNP
Marina Fridman
Characterisation of projections from the lateral
posterior nucleus of the thalamus to layer I of cortex
Laboratory of Leopoldo Peteranu
Jens Bierfeld
The effect of biogenic amines on motor pattern
generating circuits in larval zebrafish
Laboratory of M. Orger, CNP
Mert Erginkaya
Characterisation of Figure-Ground Discrimination
Neurons in Drosophila
Laboratory of Eugenia Chiappe
João Afonso
Who, when and how: Dissecting the amygdalamedial prefrontal cortex interplay during trace fear
conditioning
Laboratory of A. Renart, CNP
Michael Pereira
Model Based Planning in Spatial Navigation
Laboratory of Christian Machens
Nuno Calaim
Learning to Represent and Store Relevant Events
Laboratory of Christian Machens
Nuno Loureiro
Operant EEG-based BMI: actively controlling
external devices through brain activity
Laboratory of Rui Costa
Raphael Steinfeld
The contribution of Auditory Cortex to Working
Memory
Laboratory of Alfonso Renart, CNP
Joaquim Jacob
Comparative neural analysis of singing central
pattern generators in crickets
Laboratory of Berthold Hedwig, Cambridge
University, UK
Ricardo Zacarias
Activity-dependent Regulation of Local Translation
Laboratory of I. Israely, CNP Roberto Medina
Population Dynamics in the Mouse Auditory Cortex
During Sound Localization
Laboratory of A. Renart, CNP RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
80
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Silvana Araújo
Investigation into the Role of Orbitofrontal Cortex in
the Mate Choice
Laboratory of S. Lima, CNP
Sofia Soares
Testing the role of dopamine in temporal
discrimination in rats
Laboratory of J. Paton, CNP
Luis Moreira
Use of social information for mate choice in mice
Laboratory of S. Lima, CNP
Tiago Marques
A novel paradigm for studying feature-based
attention in the mouse primary visual cortex using
a calcium imaging brain-machine interface
Laboratory of L. Petreanu, CNP
Simone Lackner
Understanding the function of Hypocretin/Orexin
expressing neurons in neural circuits controlling
visual-­evoked locomotor behaviour in larval
zebrafish
Laboratory of M. Orger, CNP
2009 Students
2010 Students
Bruno Miranda
The role of the entorhinal cortex in instrumental
conditioning
Laboratory of Steven W. Kennerley, University
College of London, UK
Ana Carolina de Sousa
Ant interaction networks: Task allocation in
colonies in need of a new nest
Laboratory of N. Franks, University of Bristol, UK
Gustavo Mello
Influence of cortical input on time dependent
striatal activity in rodents during interval timing
Laboratory of J. Paton, CNP
Gonçalo Lopes
Dissecting the Neural Basis of the Insect Path
Integrator: A Comparative Approach
Laboratories of J. Paton & A. Kampff, CNP
Ivo Marcelo
Characterisation of memory trace networks in the
lateral amygdala during consolidation
Laboratory of S. Kushner, Erasmus MC: University
Medical Centre Rotterdam, The Netherlands
Ali Ozgur Argunsah
Hippocampal synaptic plasticity induced by natural
spike trains
Laboratory of I. Israely, CNP
Andreia Cruz
Lessons from others: a study of the mechanisms
underlying social learning
Laboratory of M. Moita, CNP
Anna Hobbiss
Clustered plasticity as a model for micro-rewiring
Laboratory of I. Israely, CNP
Diogo Peixoto
Dynamics of neural activity in LIP during decisionmaking
Laboratory of W. Newsome, Stanford Univ., USA
Elizabeth Rickenbacher
Social modulation of fear extinction
Laboratory of M. Moita, CNP
David Raposo
The integration of evidence across modalities in
the brain
Laboratory of A. Churchland, Cold Spring Harbour
Laboratory, USA
Niccolò Bonacchi
Context dependent modulation of value
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Pedro Garcia da Silva
Neuromodulatory enhancement of odour
representations in the rodent olfactory bulb
Laboratory of F. Albeanu, Cold Spring Harbour
Laboratory, USA
Raquel Abreu
Somatostatin-expressing neurons of the
PreBötzinger Complex underlying Central Sleep
Apnea
Laboratory of J. Feldman, UCLA, USA
Sevinç Mutlu
Cortical dynamics of excitation and inhibition
during passive and
active perception
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Thiago Gouvêa
Motivational state modulation of decision making:
reward expectation, phasic dopamine and choice
accuracy
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Clara Ferreira
The role of octopaminergic neurons in appetitive
olfactory learning and memory in Drosophila
melanogaster
Laboratory of G. Miesenböck, University of Oxford,
United Kingdom
Fernando Santos
Neuronal ensemble selection and competition
during motor skill learning
Laboratory of R. Costa, CNP
João Marques
Understanding the Neural Mechanisms that
Control Speed in Zebrafish Larvae
Laboratory of M. Orger, CNP
Ana Pereira
Sound discrimination in fear conditioning: an
interaction between cortical and thalamic auditory
structures
Laboratory of M. Moita, CNP
2008 Students
Ana Isabel Amaral
A Bayesian approach to audio-hallucinatory
perception using oddball paradigm
Laboratory of D. Langers, Dep. of
Otorhinolaryngology, University of Groningen, The
Nederlands
André Mendonça
Attentional modulation of odour discrimination in
rodents
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Scott Rennie
The neural basis of social decision making,
Rodents playing an iterated stag hunt game
Laboratory of M. Moita, CNP
Ana Rita Fonseca
Neural Mechanisms of Action Inhibition and
Generation
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Ana Mafalda Vicente
Neural Mechanisms Underlying The Shift Between
Goal-Directed and Habitual Actions
Laboratory of R. Costa, CNP
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
82
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
Dennis Herrmann
Functional Architecture of the Neural System
Controlling Female Reproductive Behaviour in
Drosophila melanogaster
Laboratory of L. Vasconcelos, CNP
2007 Students
Patrício Simões
The Influence of Phase Change on Learning and
Memory in Desert Locusts
Laboratory of J. Niven, Department of Zoology,
University of Cambridge, UK
Isabel Henriques
Hydrogen Sulphide Mechanisms in Acute Cerebral
Ischemia
Laboratory of J. Ferro, Universidade Autónoma de
Madrid, Spain
Rodrigo Abreu
Neuronal and endocrine mechanisms underlying
cognitive appraisal and social modulation of
behaviour in zebrafish (Danio rerio)
Laboratory of R. Oliveira, Instituto Superior de
Psicologia Aplicada, Portugal
José Joaquim Fernandes
Neural correlates of hierarchical learning
Laboratory of M. Botvinick, Neuroscience Institute,
Princeton University, USA
Íris Vilares
Uncertainty and decision making in the human
brain: economics and motor control
Laboratory of K. Koerding, Rehabilitation Institute
of Chicago, Northwestern University, USA
Patrícia Correia
Serotonin function in behaviour
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Maria Inês Vicente
Neural mechanisms of uncertainty in brain function
and behaviour
Laboratory of Z. Mainen, CNP
Pedro Ferreira
Circuit analysis of epigenetic changes during the
consolidation of skills
Laboratory of R. Costa, CNP
Margarida Agrochão
Towards an ecological approach to vision: wireless
recording from rat V1
Laboratory of M. Meister, Department of Molecular
Cellular Biology, Harvard U. Uni. University, USA
Mariana Cardoso
Testing the Role of Cerebral Blood Flow on
Neuronal Activity, in Mice Olfactory Glomeruli
Laboratory of A. Das, Department of
Neuroscience, Columbia University, College of
Physicians and Surgeons, USA
2013 Individual Courses
7-11/1/2013
Thinking about science & Exercises in group
building
Coordinators: Alfonso Renart (CNP-FC) and Rita
Venturini (CNP-FC)
14-19/1/2013
History of Biological Concepts (IGC)
Coordinators: Thiago Carvalho (IGC)
Instructors: Elio Sucena (Instituto Gulbenkian de
Ciência), Thiago Carvalho (Instituto Gulbenkian
de Ciência), Lars Jansen (Instituto Gulbenkian
de Ciência), Peter Bowler (University of Belfast,
Ireland), Anthony Dean (University of Minnesota),
Christen Mirth (Instituto Gulbenkian de Ciência),
Jose Pereira Leal(Instituto Gulbenkian de Ciência),
Jonathan Howard (IGC/University of Cologne), Rui
Oliveira (ISPA, Joe Paton (CNP-FC).
21-25/1/2013
Techniques for Experimental Neuroscience
Coordinators: Adam Kampff (CNP-FC)
28/1-1/2/2013
Fundamentals in Neuroscience I Cellular
Physiology
Coordinators: Joe Paton (CNP-FC), Marta Moita
(CNP-FC)
Instructors: Bassam Atallah (CNP-FC), Cindy Poo
(CNP-FC), Nicolas Morgenstern(CNP-FC), Pedro
4-9/2/2013
Fundamentals in Neuroscience II Synaptic
Physiology
Coordinators: Joe Paton (CNP-FC) and Marta
Moita (CNP-FC)
Instructors: Alex Reyes (NYU/CNS, USA), Magor
Lorincz (CNP-FC), Zach Mainen (CNP-FC), Joe
Paton (CNP-FC), Christian Machens (CNP-FC) and
Susana Lima (CNP-FC)
11-15/2/2013
Fundamentals in Neuroscience III Synaptic
Plasticity
Coordinators: Joe Paton (CNP-FC) and Marta
Moita (CNP-FC)
Instructors: Carlos Ribeiro (CNP-FC), Susana Lima
(CNP-FC), Christian Machens (CNP-FC), Diasynou
Fioravante (Harvard Medical School, USA), Marta
Moita (CNP-FC), Megan Carey (CNP-FC) and
Yazmin Cortes (CNP-FC)
18-22/2/2013
Techniques for Experimental Neuroscience
Coordinators: Adam Kampff (CNP-FC)
25/2-1/3/2013
Techniques for Experimental Neuroscience
Coordinators: Adam Kampff (CNP-FC)
4-8/3/2013
Fundamentals in Neuroscience Neural
Development and Anatomy 1
Coordinators: Luisa Vasconcelos (CNP-FC), Carlos
Ribeiro (CNP-FC)
Instructors: Chris Braun (Hunter College, NYC,
US), Domingos Henrique (CNP and IMM) and
Marta Moita (CNP-FC)
11-15/3/2013
Evolution
Coordinators: Isabel Gordo (IGC)
Instructors: Brian Charlesworth (University of
Edinburgh, UK) Thomas Bataillon (University of
Aarhus, University of Montpellier, France), Lindi
Wahl (University of Western Ontario, Canada
and Instituto Gulbenkian de Ciência), Henrique
Teotónio (Instituto Gulbenkian de Ciência) and
José Alvarez Castro (Instituto Gulbenkian
de Ciência)
18-22/3/2013
Fundamentals in Neuroscience Neural
Development and Anatomy 2
Coordinators: Luisa Vasconcelos (CNP-FC),
Carlos Ribeiro (CNP-FC)
Instructors: Isabel Campos (CNP-FC),
Luisa Vasconcelos (CNP-FC) and
Carlos Ribeiro (CNP-FC)
1-5/4/2013
Computational Neuroscience
Coordinators: Alfonso Renart (CNP-FC)
Instructors: Alfonso Renart (CNP-FC) and
Albert Compte (IDIBAPS, Spain)
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
84
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
8-12/4/2013
Sensation and Perception
Coordinators: Joe Paton (CNP-FC) and Leopoldo
Petreanu (CNP-FC)
Instructors: Joe Paton (CNP-FC), Virginia Flanagin
(LMU - University Hospital Munich-Grosshadern,
Germany) , Alfonso Renart (CNP-FC), Luisa
Vasconcelos (CNP-FC), Ekaterina Vinnik (CNP-FC)
and Leopoldo Petreanu
15-19/4/2013
Movement and Action
Coordinators: Rui Costa (CNP-FC)
and Megan Carey (CNP-FC)
Instructors: Rui Costa (CNP-FC)
and Megan Carey (CNP-FC)
22-26/4/2013
Neuroethology
Coordinators: Michael Orger (CNP-FC), Eugenia
Chiappe (CNP-FC)
Instructors: Michael Orger (CNP-FC), Eugenia
Chiappe (CNP-FC) and Matthias Wittlinger
(Universität Ulm, Institute of Neurobiology,
Germany)
29/4 – 3/5/2013
Cognition
Coordinators: Marta Moita (CNP-FC),
Zach Mainen (CNP-FC)
Instructors: Marta Moita (CNP-FC),
Zach Mainen (CNP-FC)
6-10/5/2013
Brain and Body Loops
Coordinators: Susana Lima (CNP-FC),
and Carlos Ribeiro (CNP-FC)
Instructors: Giorgio Gilestro (Imperial College
London, UK) Susana Lima (CNP-FC),
and Carlos Ribeiro (CNP-FC)
13-17/5/2013
Techniques for Experimental Neuroscience
Coordinators: Adam Kampff (CNP-FC)
20/5/2013 – onwards
Laboratory Rotations
CNP Laboratories
Theses
Lab of Eugenia Chiappe
Msc Thesis Awarded to Tomás Cruz in November,
2013
Development and test of a virtual reality system for
tethered walking Drosophila
Instituto Superior Tecnico, Portugal
Lab of Rui Costa
PhD Thesis Awarded to Eduardo Dias Ferreira in
February, 2013
The role of stress in cortico-basal ganglia loop
processing and instrumental
University of Coimbra, Portugal
Lab of Inbal Israely
Msc Thesis Awarded to Inês Vaz da Cunha in
September, 2013
Tracking dendritically synthesized proteins induced
by synaptic activity
University of Coimbra, Portugal
Lab of Adam Kampff
Msc Thesis Awarded to Francisco Ferreira in
December, 2013
Development of a human walking model
Comprising springs and positive force feedback to
generate stable gait.
Instituto Superior Tecnico, Portugal
Lab of Susana Lima
Msc Thesis Awarded to António Dias in December,
2013
How early life experience shapes mate preference
in female mice
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa,
Portugal
Lab of Zachary Mainen
MSc Thesis Awarded to Katherine Turco in
September, 2013
Mapping the Serotonergic System: Topographical
Organisation of Serotonergic Projections from the
Dorsal Raphe Nucleus
University of Coimbra, Portugal
Lab of Leopoldo Petreanu
MSc Thesis Awarded to Rodrigo Dias in
November, 2013
Development and characterisation of a laserscanning photo-stimulation setup for the
optogenetic manipulation of behaviour in mice
Instituto Superior Tecnico, Portugal
Lab of Carlos Ribeiro
BSc Thesis Awarded to Gabriela Fioreze in August,
2013
Rastreio genetico para a identificação de receptors
acoplados a proteinna G serotoninérgicos
envolvidos na decisão nutricional em Drosophila
Melanogaster
Federal University of Health Sciences of Porto
Alegre (UFCSPA), Brasil
Lab of Domingos Henrique
MSc Thesis Awarded to Williane Alves in
November, 2013
Dissecting the Pluripotent state in Embryonic Stem
Cells
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa,
Portugal
MSc Thesis Awarded to Pedro Barbacena in
December, 2013
Unravelling the regulation of Dll4 expression and its
function during embryonic neurogenesis
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa,
Portugal
RELATÓRIO ANUAL
FC 2013
86
CHAMPALIMAUD
NEUROSCIENCE
PROGRAMME (CNP)
.12
2007 INDP Students
PhD Thesis Awarded to José Ribas Fernandes in
Novemeber, 2013.
Hierarchical reinforcement learning in behaviour
and the brain
Lab of Matthew Botvinick. Princeton University, USA.
PhD Thesis Awarded to Iris Vilares in December,
2013.
Uncertainty and decision-making in the human
brain
Lab of Konrad Kording. Northwestern University,
USA.

Documentos relacionados

Untitled - Champalimaud

Untitled - Champalimaud todos os técnicos que trabalharam em excelente ambiente de cooperação e entrega. As atividades de educação da Fundação prosseguiram, por um lado ao nível da pós-graduação, pelo outro ao nível da se...

Leia mais

Untitled - Champalimaud

Untitled - Champalimaud todos os técnicos que trabalharam em excelente ambiente de cooperação e entrega. As atividades de educação da Fundação prosseguiram, por um lado ao nível da pós-graduação, pelo outro ao nível da se...

Leia mais