Descarregue esta edição

Сomentários

Transcrição

Descarregue esta edição
PUB




Sex 26 Fevereiro 2016
Ano VIII, 454.ª Edição
Director: FRANCISCO COELHO DA ROCHA
www.verdadeiroolhar.pt | [email protected]

Eur 0,01 (iva incluído)
semanário | Lousada | Paços de Ferreira | Paredes | Penafiel | Valongo
Paredes
Cão
atacou
e matou
dono
em
Vandoma
pág. 04
pág. 15
Três investimentos criam 400
postos de trabalho em Penafiel
pág. 09
Penafiel
Região
A história
de três
portadores
de doenças
raras
pág. 02
Cândida
Novais deixa
Centro de
Emprego.
Sousa Pinto
regressa ao
cargo
pág. 11
Penafiel
Corpo
encontrado
no Rio Tâmega
poderá ser
de homem de
Rebordosa
pág. 10
PUB
02
sexta-feira,
26 Fev de 2016
destaque
Dia das Doenças Raras é assinalado no dia 29 de Fevereiro
Ainda há muito desconhecimento
sobre doenças raras. Conheça
três casos da região
Raro. Adjectivo que caracteriza algo que não é comum nem frequente, algo de extraordinário. É de pessoas extraordinárias que falamos esta semana.
No dia 29 de Fevereiro é assinalado o Dia das Doenças Raras. Trata-se de doenças, na sua
maioria, graves, crónicas e debilitantes. Estima-se que 6 a 8% da população mundial seja
portadora de uma doença rara, ou seja, aquelas que têm uma prevalência inferior a 5 casos em 10 000 pessoas. Em Portugal, serão entre 600 a 800 mil os casos de portadores destas
patologias.
Na região existem vários casos. A Maria João, o Tiago e o Toni são três desses exemplos de
quem aprendeu a viver “um dia de cada vez”.
Fernanda Pinto | [email protected]
M
as o que é afinal uma doença rara? As doenças raras são
aquelas que têm uma prevalência
inferior a 5 em 10 000 pessoas (na
União Europeia). Devido à escassez de registo dos doentes raros
há apenas estimativas quanto
a números. Mas entre 6 a 8% da
população será portadora de
uma patologia considerada rara.
Segundo a Organização Mundial
de Saúde, serão cerca de 400 milhões de pessoas. Já a Comissão
Europeia indica existirem entre
27 e 36 milhões de pessoas com
doença rara na Europa.
Além de baixa prevalência es-
tas doenças têm um nível elevado
de complexidade. Estima-se que
existam entre 5.000 e 8.000 doenças raras diferentes. A maioria
não tem cura. Há apenas tratamentos para melhorar a qualidade e esperança de vida do doente.
“A cada semana, serão descritas
cinco novas doenças a nível mundial, pelo que o número total de
doenças raras é cada vez maior”,
explica a Linha Rara, da Raríssimas - Associação Nacional de
Deficiências Mentais e Raras, ao
VERDADEIRO OLHAR.
A maioria das doenças raras
tem uma expressão clínica grave
e incapacitante, associando multideficiência (deficiência motora,
sensorial ou intelectual), e sendo
responsáveis por 35% da mortalidade em crianças com menos de
um ano de idade. “Por outro lado,
algumas doenças raras não são
impeditivas do normal desenvolvimento intelectual, apresentando evolução benigna e até funcional, se diagnosticadas e tratadas
atempadamente”, sustentam.
Existe um
desconhecimento
generalizado
sobre o tema
Criada em 2009, a Linha Rara divulga informação sobre doenças
raras, com indicação de patologias, centros médicos e especialidades, ajudas técnicas e apoios
sociais, entre outros, e promove
os direitos e a melhoria de qualidade de vida dos portadores,
procurando criar oportunidades
de partilha de experiências. E
são muitas ainda as dúvidas por
esclarecer em relação às doenças raras. “Concretamente, no
ano de 2015, do total de pedidos
de informação e apoio relacionados com uma determinada doença rara, 15% dizia respeito à
sua prevalência e ao seu enquadramento enquanto patologia
considerada rara”, adiantam os
responsáveis por esta linha de
apoio. Entre 2009 e 2015, a Linha
Rara recebeu 10.770 pedidos de
informação e apoio. 38% destes
contactos visavam encontrar
informação cientificamente validada sobre uma determinada
doença rara.
“Existe um desconhecimento
generalizado sobre o tema. O facto de estas doenças serem raras
significa que os próprios profissionais – médicos, enfermeiros, terapeutas, técnicos sociais,
professores, etc. – possuem, em
regra, escassez de informação, o
que dificulta o adequado encaminhamento dos doentes e dos seus
cuidadores para as respostas disponíveis”, referem os técnicos da
Linha Rara.
A falta de um registo nacional
de doenças raras impede calcular, com certezas, a incidência ou
prevalência das doenças. A Raríssimas é uma das associações que
está a tentar que isso seja uma
realidade.
É preciso
consciencializar a
sociedade
A Raríssimas foi fundada em 2002
e tem como missão apoiar doentes, famílias e todos aqueles que
lidam directa ou indirectamente
com uma doença rara. E também
divulgar informação e sensibilizar para estas doenças.
Além da Linha Rara, esta Associação Nacional de Deficiências
Mentais e Raras tem centros de
terapias de habilitação e reabilitação direcionados para crianças, jovens e adultos portadores
de doenças raras - Centros raríssimos, na Maia, Pico e Tavira;
a Casa dos Marcos (Moita), a primeira casa dedicada ao cuidado
da pessoa com doença rara, com
Lar Residencial, Residência Autónoma, Centro de Actividades
Ocupacionais, Unidade Clínica e
Unidade de Reabilitação abertas
à comunidade, Unidade de Cuidados Continuados e Centro de
Formação; e a Quinta dos Marcos,
um equipamento social com modelo assistencial semelhante ao
da Casa dos Marcos, que consti-
sexta-feira,
26 Fev de 2016
03
destaque
tuirá uma resposta inovadora às
necessidades comunicadas por
doentes portadores de patologia
rara, suas famílias, cuidadores e
amigos da zona norte do país. A
Raríssimas tem também novas
delegações no Algarve, em Viseu
e na Madeira que vão criar centros de terapias.
Segundo Joaquina de Magalhães Teixeira, vice-presidente
da direcção da Raríssimas, faz
sentido existir um Dia da Doença
Rara já que é preciso “consciencializar a sociedade”. “Há muito
ainda a ser feito e quanto mais
divulgação e informação for divulgada mais estaremos a contribuir para minimizar/colmatar
as lacunas existentes”, acredita.
Diagnóstico difícil e
poucos apoios
O diagnóstico destas doenças
pode ser muito difícil, demorando entre 8 e 12 anos, em média.
“Actualmente já existem novos
exames que permitem obter mais
facilmente o diagnóstico que não
existiam há 13 anos atrás quando o meu filho nasceu. Andamos
2 anos a consultar vários especialistas por todo o país e encontramos a resposta em Espanha”,
recorda a também mãe de um menino com doença rara. “A notícia
do diagnóstico é sempre chocante pois nunca é uma boa notícia.
No meu caso concreto ter o diagnóstico foi de certa forma apaziguador – “ o que não tem remédio,
remediado está” - no sentido de
que agora já sabíamos com o que
lidar”, conta Joaquina de Magalhães Teixeira.
Quanto aos apoios dados às famílias, a vice-presidente da Raríssimas afirma que por muitos
que sejam nunca são suficientes.
“Não existem apoios específicos para as doenças raras mas
sim para a deficiência. Torna-se
muito complicado para o doente
quando a doença rara não se traduz numa deficiência visível pois
acabam por não ter quaisquer
direitos aos escassos subsídios
que existem”, dá como exemplo.
“São necessárias mais respostas
para estas famílias, principalmente na fase adulta, bem como
mais apoios para as Instituições
que os acolhem”, frisa. Até porque, em quase todos os casos, os
doentes precisam de reabilitação, ajudas técnicas, medicação,
alimentação específica, fraldas
e produtos de higiene/cuidado,
tornando-se incomportável para
a maioria dos orçamentos familiares. “A Raríssimas tem vindo
a criar cada vez mais projectos
e parcerias de modo a reduzir
substancialmente os encargos
para as famílias como é o caso do
projeto ‘Olha por mim’”, que permite apadrinhar o plano de reabilitação de meninos raros.
Jovem de Sobreira integra estudo experimental para atrasar a progressão da doença
“Sou feliz à minha maneira”,
Tiago Silva, portador de
Mucopolissacaridose Tipo VI
Fernanda Pinto
[email protected]
T
iago Silva não sabe o que é viver
sem Mucopolissacaridose (MPS) Tipo
VI ou Síndrome de Maroteaux-Lamy.
Tem 22 anos, é de Sobreira, Paredes,
e, apesar de todas as dificuldades
que foi entrando ao longo da curta
vida, garante que é feliz: “Sou feliz à
minha maneira”. Igual a ele haverá
mais vinte casos no nosso país.
Foi diagnosticado apenas com um
ano de idade, quando um pormenor
nos olhos chamou a atenção da médica no Centro de Saúde e foi encaminhado para o Instituto Genético
do Porto. Seguiram-se, a partir dos
dois anos, várias crises respiratórias,
problemas de crescimento. Tiago foi
internado várias vezes e sujeito a
várias cirurgias “a quase tudo”. Foi
perdendo capacidades, como o andar, e recentemente tem enfrentado
problemas de visão.
Desde os 10 anos que é um dos portadores desta doença que integra um
estudo liderado pelos Estados Unidos da América. Todas as segundasfeiras, durante seis horas, faz um
tratamento experimental, no Hospital de São João, que não o cura da
doença, mas que procura que a sua
progressão seja mais lenta.
Criou um blogue sobre
hóquei em patins
Desde criança que o mundo foi mais
difícil para Tiago Silva. Frequentou a
escola até aos 14 anos quando concluiu o 9.º ano. “Tive sempre muitos
amigos. A minha mãe acompanhavame à escola, pois tinha dificuldades
com a mochila, subir escadas e ir à
casa de banho”, conta “Já quando
saía fora do meu meio sentia muito
preconceito, tanto nos adultos como
nas crianças, infelizmente”, assume
o jovem.
Apesar de ser bom aluno, tirar boas
notas e nunca ter reprovado, acabou
por abandonar a escola. “Depois da
EB 2,3 de Sobreira tinha de ir para
Paredes ou Baltar. Iria ter muitas dificuldades. Os obstáculos iriam ser
maiores e os apoios cada vez menos”,
conta.
Os dias são agora apenas ocupados com os tratamentos, consultas
e exames, assim como a fisioterapia.
Depois há a televisão ou o computador e a internet. Em 2010, Tiago Silva
criou um blogue de notícias sobre
hóquei em patins – Best Hóquei - a
que se foi dedicando. “Na altura, tive
Em 2014 cumpriu um sonho ao ir a Alvalade ver um jogo do Sporting e conhecer os jogadores e o presidente do clube
a ideia de aproveitar o gosto que tenho pela escrita e pela modalidade,
por influência do meu tio que é jogador profissional. Mas neste momento
não tenho publicado nada. Ando um
pouco desanimado devido a problemas na visão”, confessa. Espera ainda assim continuar a dedicar-se à
escrita desportiva.
“Sinto que somos
importantes para os pais
dos meninos que acabam
de saber o diagnóstico da
doença”
A MPS Tipo VI faz parte de quem ele é.
Em Portugal, eram menos de 20, até
há pouco tempo, com esta doença
rara, mas entretanto terão nascido
mais algumas crianças com este problema, conta.
Às segundas-feiras, sempre que
faz tratamento, tem oportunidade de contactar com outros quatro
meninos com a mesma condição.
“Já fui a congressos em Portugal,
e, em 2006, já fui a um mundial, em
Veneza, Itália”, refere o jovem de Sobreira. Momentos importantes em
que não sente discriminação. “Nos
primeiros anos foi importante ver
outros casos para se conhecer a realidade, mas agora sinto que somos
importantes para os pais dos meninos que acabam de saber o diagnós-
tico da doença”, explica.
Não esconde que pensa no futuro
e no que poderá vir, mas neste momento, e mesmo desmotivado pelos
problemas, garante que é feliz, à sua
maneira. Tem o apoio da família materna e da irmã mais nova.
E sonhos? “Nunca tive assim um
grande sonho, mas existem sempre
coisas que gostava de ver ou fazer”,
diz. Um deles foi concretizado em
2014. Depois de enviar uma mensagem a Bruno de Carvalho rumou a
Alvalade para ver um jogo do Sporting, conhecer os jogadores e o presidente. “Se tivesse que escolher um
sonho dizia que queria ser feliz com
a minha família sempre por perto e,
que em Maio, o Sporting fosse campeão”, brinca.
Mucopolissacaridose Tipo VI
ou Síndrome de Maroteaux-Lamy:
o que é?
A
s Mucopolissacaridoses são
doenças de “acúmulo”. A criança
nasce normal mas o acúmulo de
mucopolissacárides causam deformidades progressivas. Esta
doença divide-se em sete tipos.
A do tipo VI ou síndrome de
Maroteaux-Lamy, é uma doença
rara causada pela deficiência
da enzima arilsulfatase B (ASB).
Trata-se de uma doença heterogénea, com a idade de início dos
sintomas, os sistemas de órgãos
afectados, a gravidade e a velocidade de progressão a serem
muito variáveis.
Muitas vezes os primeiros sintomas estão ligados a questões
rotineiras, como deficit de crescimento, otites ou infecções pulmonares recorrentes.
A expectativa de vida e o nível
de incapacidade dependem da
progressão da doença. Há casos
de progressão rápida que levam
à morte logo no final da adolescência e início da idade adulto e
outros com manutenção de capacidade física até mais tarde,
perto dos 50 anos.
04
sexta-feira,
26 Fev de 2016
detaque
Família lançou campanha para angariar fundos para uma cadeira de rodas adaptada já que menino de oi
Joaquina de Magalhães Teixeira, vice-presidente da direcção
da Raríssimas - Associação Nacional de Deficiências Mentais e
Raras, mão de um menino com doença rara
“Quando decidimos ‘amar em
vez de amargurar’ tudo se
torna mais fácil”
O pequeno Toni sofre de Dist
Muscular de Duchenne
Fernanda Pinto
[email protected]
raras únicos no mundo, congregando no mesmo espaço valências sociais, médicas, reabilitação, investigação e formação.
Quando é que descobriu que o seu
filho tinha uma doença rara?
O Gonçalo tem 13 anos. Tive o
diagnóstico – Sindrome de Angelman – no Hospital El Nino Jesus,
em Madrid, tinha ele 2 anos.
Como é que reagiram?
Depois de 2 anos de muita angústia e sofrimento, causados por um
dia-a-dia muito difícil - o Gonçalo
não comia (tendo sido necessário
fazer uma gastrostomia – alimentação por sonda), não dormia
e estava sempre muito instável -,
chegar ao diagnóstico, apesar de
“duro”, acabou por nos trazer a
paz interior que necessitávamos
para arregaçar as mangas e traçar um futuro.
Porque é que decidiu juntar-se à
Raríssimas?
Cheguei à Raríssimas como mãe
em 2004 quando tive o diagnóstico do meu filho e foi deveras
reconfortante sentir que havia
alguém que nos compreendia,
que sabia o que era ter um filho
com uma doença rara, com tudo
o que isto acarreta. Chegar à Raríssimas foi encontrar um porto
de abrigo. Ultrapassada a fase
da revolta e tendo estado sempre envolvida nas atividades da
Raríssimas, senti que também eu
poderia dar o meu contributo e
ajudar outros filhos como o meu,
outras mães como eu... Em 2006,
fundei a Delegação Norte da Raríssimas e tomei posse como vicepresidente da direcção nacional.
Estou na Raríssimas para ajudar a criar respostas adequadas
para os doentes raros, como a
Casa dos Marcos, a funcionar já
há 2 anos na Moita, e a Quinta dos
Marcos, que será edificada brevemente na Maia. São projectos
cujo investimento ultrapassam
os 10 milhões de euros cada, centros de recursos para as doenças
Torna-se mais fácil lidar com a
situação ao longo do tempo?
Sim, de certa forma vai ficando
mais fácil no sentido que adquirimos experiência e outra serenidade para lidar com as situações.
Uma vez ultrapassada a revolta
e quando decidimos “amar em
vez de amargurar” tudo se torna
mais fácil. Afinal de contas é tudo
uma questão de ver as coisas por
uma perspectiva diferente. Não
considero que seja menos feliz
por ter um filho deficiente, muito
antes pelo contrário, somos bem
mais felizes pois aprendemos
a relativizar muita coisa e dar
importância ao que realmente
merece. Estes filhos especiais
dão-nos muito mais do que possa
julgar o comum dos mortais...
Ajudar os outros ajuda-a a si
também?
Sem dúvida! A melhor forma de
nos ajudarmos é ajudar os outros. Apesar de tudo somos uma
família unida. Tive outro filho (e
correu tudo lindamente, tem hoje
9 anos) e temos capacidade para
poder dar uma boa qualidade de
vida ao Gonçalo. Infelizmente
muitas famílias com filhos raros
não têm essa sorte, não bastando
já a adversidade a que foram submetidas, há a separação quase
sempre do casal, as dificuldades
económicas, a falta de recursos
adequados, a falta de informação
ou de capacidade para aceder à
mesma... É para mim uma dádiva
poder ajudar estas mães e estes
meninos e são deveras recompensadoras as palavras de apreço que recebo...
Que conselho daria a alguém
que acabou de descobrir que tem
uma doença rara ou que um familiar tem uma patologia deste
género?
Em primeiro lugar, que nos contacte para que possamos ajudar
e dar o melhor aconselhamento
/encaminhamento possível. Que
não se conforme e que se informe. Emocionalmente, que não
desanime. Que consiga encontrar
a força e paz interior para lidar
com as adversidades: viver, literalmente, um dia de cada vez!
A
té aos 4 anos de idade o pequeno
Toni era um menino igual aos outros.
Corria, brincava, andava de bicicleta
e jogava à bola com os amigos. “Era
um sonho”, define a mãe, Susana
Costa, que já tinha uma filha com
epilepsia parcial motora e 77% de incapacidade.
Foi então que o menino de Vandoma, Paredes, começou a dar mostras
de que algo não estava bem. Deixou
de praticar a maioria das actividades
físicas, “andava em bicos de pés” e
“começou a subir degraus de gatas”.
“No início ainda achámos engraçado,
mas depois começamos a ficar preocupados. Fomos à pediatra, que definiu aquilo como preguicite aguda”,
conta. Demorou ainda um ano até
serem encaminhados para o Hospital de São João, no Porto. O diagnóstico chegou logo. Toni tinha Distrofia
Muscular de Duchenne, uma doença
degenerativa rara que o vai fazer
perder as capacidades musculares.
Diagnóstico foi um choque
O diagnóstico “foi um choque muito
grande, sobretudo porque já tinha
a Rafaela”, confirma a mãe. “Mas só
quando pesquisei na internet e fiquei
com a noção exacta da doença é que
fiquei verdadeiramente chocada”,
assume Susana Costa. “O Toni vai
depender de mim para tudo”, explica.
Há dois anos e meio, deixou o emprego para tomar conta dos dois filhos.
Vive da ajuda do Estado, do pai, dos
vizinhos e de alguns apoios que vão
recebendo. “Não posso reclamar”,
garante.
A doença tem progredido rapidamente e o menino vai perder, gradualmente, a mobilidade em todo o corpo.
O Toni tem agora oito anos. Deixou
de andar em Janeiro deste ano. “Estávamos à espera que só deixasse de
andar entre os 10 e os 12 anos”, explica a mãe. Divide o seu tempo entre a
escola – é aluno do Centro Escolar de
Paredes – e os tratamentos de fisioterapia, terapia da fala, hidroterapia
e consultas de psicologia.
O menino continua a ir à escola,
mas não se pode movimentar e isso
tem-no desmotivado, confirma a mãe.
“Está a precisar de uma cadeira para
ser independente e para que a paixão
pela escola regresse”, acredita.
Logo em Janeiro, avançaram
com a criação de uma página, na
rede social Facebook, e com uma
campanha de solidariedade para
adquirir uma cadeira adaptada e
preparada para a evolução da do-
ença. “Tem elevador, adapta-se à
altura das mesas e secretárias da
escola, é flexível e dá para acrescentar outro material que pode
precisar no futuro”, refere Susana
Costa. Só que esta cadeira custa 13
mil euros, um valor que não é comparticipado pelo Serviço Nacional
de Saúde, que recomendou apenas
uma cadeira de rodas básica, e que
a família não consegue adquirir sozinha. “Esta seria uma cadeira definitiva”, frisa a paredense.
Clínica na Tailândia tem
tratamento que atrasa a
doença, mas não há cura
Por outro lado, descobriram uma
clínica, na Tailândia, que oferece
um tratamento que pode atrasar a
progressão da doença de Duchenne e dar mais alguns anos de vida
ao Toni. “Não o cura”, frisa a mãe.
Mas só o tratamento e a viagem podem custar 40 mil euros. Os fundos
angariados também servirão para
esse fim. A 2 de Abril, uma discoteca em Santa Maria da Feira está a
organizar um evento cujas vendas
de pulseiras (10 euros cada) vão reverter para o Toni. Há também cai-
xinhas em vários estabelecimentos
de Paredes, Valongo e Santa Maria
da Feira em que as pessoas podem
deixar donativos ou podem fazê-lo
através do número da conta disponibilizado no Facebook.
Susana Costa vai recorrendo à internet para descobrir mais sobre a
doença e saber “o que a espera”. “Tenho que estar preparada”, diz. Os médicos do Hospital de Santo António e
do Centro de Paralisia Cerebral, no
Porto, também vão dando apoio.
A esperança média de vida nos casos como o do Toni ronda os 20 anos.
O menino sabe o que vai acontecer.
“O mais incrível é que aceita melhor
que eu”, afirma a mãe. “Leva as coisas
a brincar que é mais fácil. Já sonha
fazer piões e correr atrás dos amigos
com a cadeira”, graceja.
E é esse o lema dessa mãe que mantém o sorriso no rosto todos os dias e
vive um dia de cada vez. “É difícil de
explicar a doença e as pessoas não
percebem a gravidade. Isto é o início
de uma luta muito grande para a qual
não há solução”, lamenta.
A MPS Tipo VI faz parte de quem
ele é. Em Portugal, eram menos de
20, até há pouco tempo, com esta doença rara, mas entretanto terão nas-
sexta-feira,
26 Fev de 2016
05
destaque
ito anos deixou de andar em Janeiro
trofia
cido mais algumas crianças com este
problema, conta.
Às segundas-feiras, sempre que
faz tratamento, tem oportunidade
de contactar com outros quatro meninos com a mesma condição. “Já
fui a congressos em Portugal, e, em
2006, já fui a um mundial, em Veneza, Itália”, refere o jovem de Sobreira.
Momentos importantes em que não
sente discriminação. “Nos primeiros
anos foi importante ver outros casos
para se conhecer a realidade, mas
agora sinto que somos importantes
para os pais dos meninos que acabam de saber o diagnóstico da doença”, explica.
Não esconde que pensa no futuro
e no que poderá vir, mas neste momento, e mesmo desmotivado pelos
problemas, garante que é feliz, à sua
maneira. Tem o apoio da família materna e da irmã mais nova.
E sonhos? “Nunca tive assim um
grande sonho, mas existem sempre
coisas que gostava de ver ou fazer”,
diz. Um deles foi concretizado em
2014. Depois de enviar uma mensagem a Bruno de Carvalho rumou a
Alvalade para ver um jogo do Sporting, conhecer os jogadores e o presidente. “Se tivesse que escolher um
sonho dizia que queria ser feliz com
a minha família sempre por perto e,
que em Maio, o Sporting fosse campeão”, brinca.
O que é a
Distrofia
Muscular de
Duchenne?
A
Distrofia Muscular de Duchenne resulta, em cerca de metade dos casos, de uma alteração
do cromossoma X. A doença ocorre num em cada 3500 nascimentos do sexo masculino, refere o
site da Linha Rara.
Na maioria dos casos, a criança
tem um desenvolvimento normal
até aos 2-3 anos. Nessa altura
surgem as dificuldades em subir
escadas, a incapacidade de correr
e quedas frequentes. A doença
progride depois para os membros
superiores, à medida que o corpo
vai perdendo força muscular. Na
segunda década de vida, chega à
musculatura cardíaca e respiratória, sendo a escoliose um dos
problemas que necessita de atenção entre a primeira e a segunda
década de vida.
Maria João Vasconcelos tem 41 anos e foi diagnosticada há 20 com a Doença de Wilson
A vida transformada à custa
de uma doença com nome
estrangeiro
D
oença genética rara; acumulação de cobre em órgãos como cérebro, figado e olhos; sem cura; dificuldade em andar; espasmos nos
membros superiores; alterações
de comportamento e personalidade; perda da capacidade de falar e
dificuldade em deglutir. Estes foram apenas alguns dos termos que
Maria João Vasconcelos ouviu dos
médicos há duas décadas quando
lhe foi diagnosticada Doença de
Wilson. Tinha 21 anos. A partir daí
tudo mudou.
A terminar o Ensino Secundário
em Ermesinde, em 1995, Maria João
trabalhava complementarmente
em part-time numa grande superfície do concelho. Em plena época de
exames, recorda a mãe Maria Júlia
Pereira, surgiram sintomas, como
ansiedade, depressão e fala arrastada, que levaram à procura de
ajuda médica. Foi então medicada
como se de uma depressão se tratasse. Com os sintomas a persistirem, procuraram segunda opinião
médica e foi então que Abílio Vilas
Boas, médico em Ermesinde e actualmente presidente da Assembleia
Municipal de Valongo, rapidamente concluiu, através de uma análise aos olhos, mais precisamente aos anéis de Kayser-Fleischer
(a acumulação de cobre provoca
uma mudança na pigmentação dos
olhos), pelo diagnóstico de Doença
de Wilson, neste caso com predominância de sintomas neurológicos.
De referir que os principais locais
de acumulação de cobre são o fígado e o cérebro, causando lesões nos
respectivos órgãos. Seguiu-se uma
série de exames que confirmaram
a doença genética hereditária. O
agregado familiar, pais e irmã mais
nova, realizaram também exames e
constatou-se que os pais são ambos
portadores e que a irmã mais nova
tem também a Doença de Wilson,
detectada numa fase precoce, sem
lesões neurológicas que lhe permite viver com normalidade, ainda
que medicada. A família alargada
também fez os exames e foram
detectados casos de portadores. A
terapêutica exigiu a toma diária de
14 comprimidos, para controlar o
cobre no organismo e os espasmos,
e a redução do consumo de alimentos ricos em cobre. Em pouco tempo, recorda Maria João, perdeu 10
quilos e muita massa muscular.
Lesões irreparáveis
Apesar da rápida progressão, a
doença estagnou mas deixou lesões irreparáveis a Maria João
Vasconcelos, hoje com 41 anos. Actualmente toma 10 comprimidos
por dia, já que o nível de cobre no
organismo desceu. Mas o diagnóstico e todas as consequências, neste caso, confirmaram-se. As lesões
neurológicas levaram Maria João a
perder o controlo motor fino, limitaram muito a mobilidade, obrigando ao uso de cadeira de rodas para
as deslocações, alteraram a fala,
bem como provocaram dificuldade
na deglutição. Por tudo isto, Maria
João tem de estar permanentemente acompanhada e dependente
de ajuda. Mas isso não significa ficar em casa. Devido à incapacidade
está reformada, mas Maria João
não parou. Frequenta diariamente
o Centro de Actividades Ocupacionais da Associação dos Deficientes
das Forças Armadas.
Notícia “caiu que nem uma
bomba”
E por isto, tudo mudou! Não só para
Maria João, mas também para os
pais, que a acompanham em todas
as situações. A mãe Maria Júlia
Pereira recorda que o diagnóstico
“caiu que nem uma bomba”. “Não
se tinha a noção da evolução que
teria”, diz, salientando que havia
um grande desconhecimento em
relação à doença. “Passa-se a viver em função da pessoa”, conta.
Maria Júlia Pereira lamenta que
não haja mais ajudas por parte
do Estado às famílias com estes
problemas. É que não obstante
a medicação ser comparticipada, não há isenção apesar de
estar classificada como doença genética rara. De referir
que até à redução do número de comprimidos diários, a
medicação custava mensalmente 200 euros. Hoje gasta
100 euros só para os medicamentos específicos para a Doença de Wilson. O medicamento mais
importante, refira-se, aumentou 10
vezes o valor
inicial. Custava pouco mais que
um euro e hoje custa 10 euros.
Doença de Wilson
A
Doença de Wilson é uma
doença genética rara, provocada pela incapacidade do
corpo em metabolizar o cobre.
Este problema faz com que
haja uma acumulação de cobre no cérebro, rins, fígado e
nos olhos, causando lesões nos
órgãos. É uma doença heredi-
tária que não tem cura, mas
existem medicamentos e procedimentos que podem ajudar
a reduzir o cobre no organismo e melhorar os sintomas da
doença. O principal método de
prevenção das complicações
da doença de Wilson é o diagnóstico precoce.
06
sexta-feira,
26 Fev de 2016
valongo
Concordância na elaboração de “moção de repúdio” sobre a actuação da Ascendi
Câmara de Valongo quer celeridade
na reparação da A41
A
Câmara Municipal de Valongo
demonstrou, na semana passada,
desagrado quanto à forma como
a empresa concessionária da A41
está a tratar o caso do aluimento de
pavimento que aconteceu em Alfena. Para além do caos instalado no
trânsito nas freguesias de Ermesinde e Alfena, a autarquia lamenta
que a empresa não tenha prestado
informações atempadas.
Por proposta do presidente da
Câmara Municipal de Valongo, José
Manuel Ribeiro, houve concordância por parte dos vereadores do PSD
e da CDU na redacção de uma “moção de repúdio sobre a actuação” da
Ascendi. No arranque da reunião de
câmara, José Manuel Ribeiro informou os presentes sobre a situação,
explicando que havia contactado a
empresa no dia do incidente pedindo que se repusesse o piso no troço
da A41, situado no limite do concelho de Valongo. João Paulo Baltazar, vereador do PSD, considerou
que poderia ser feito mais, lamentando o “caos instalado no conce-
Sábados
Fantásticos
com
capoeira
N
o âmbito dos Sábados
Fantásticos, a Biblioteca
Municipal de Valongo e a
Vila Beatriz receberam uma
demonstração de “Capoeira”, pelo Mestre Salles, do
Grupo Zumbi/Matosinhos,
e do Infantário S. Vicente/
Alfena.
As sessões realizaram-se
nos dias 13 e 20 de Fevereiro e envolveram cerca de 80
crianças, jovens e adultos.
lho”. “Não há alternativa e o nó da
A4 em Ermesinde tem sido, nestes
dias, um caos”, disse, salientando
que a “concessionária não presta
o serviço”. O vereador questionou
ainda “como será a população indemnizada”. Neste seguimento, o
presidente da Câmara de Valongo
propôs a aprovação de uma “moção
de repúdio”pela actuação da Ascendi quem, neste caso, “não deu cavaco a ninguém”. O autarca informou
que as obras já estavam a começar.
Desconhece-se, no entanto, quando
estará tudo normalizado.
PSD de Alfena sugere a
suspensão das portagens
de acesso à A4 em Valongo
Entretanto, em comunicado, o PSD
de Alfena exige a “reparação da
A41 no mais breve espaço de tempo possível – mesmo que seja preciso trabalhar 24 horas por dia”,
sendo que até que a reparação esteja concluída, sugere a suspensão
das portagens de acesso à A4 em
Valongo (no período em que a A41
esteja condicionada e para que
esta sirva de alternativa à entrada
da A4, de Ermesinde); bem como
a regulação de trânsito atrvés da
reprogramação de alguns semáforos em Alfena e a colocação de
um Polícia Sinaleiro na entrada da
A4 em Ermesinde. Para o PSD de
Alfena “foi necessário dar-se um
infortúnio para ficar comprovado
que para os Alfenenses irem para
o Porto, não há verdadeiras alternativas à A41”. Por isso, defendem
que neste troço deve haver a sus-
pensão definitiva do pórtico no
troço “Alfena - Alfena” na A41, bem
como a alteração do pórtico no
troço “Rotunda de Alfena – Acesso
à A3”, para o local imediatamente
a seguir ao acesso à A3, permitindo isentar quem vai de Alfena para
a A3, taxando quem quer continuar na A41, em direção à Maia ou
Matosinhos.
Recorde-se que o mau tempo
provocou, no dia 13 deste mês, o
aluimento de parte do piso da A41,
devido ao colapso parcial de uma
travessia de água, no quilómetro
13, em Alfena, no sentido ValongoPorto. A auto-estrada tem estado
cortada desde essa altura. No sentido contrário, o trânsito foi condicionado à via mais à direita, provocando grandes dificuldades na
circulação de veículos.
Câmara de Valongo reconheceu esforço de 400 atletas do concelho
Atletas e dirigentes desportivos
homenageados em Gala de Mérito
A
Câmara Municipal de Valongo homenageou, este domingo, cerca de quatro centenas de
altetas e dirigentes desportivos
do concelho, reconhecendo-lhes
o esforço e a dedicação na época
desportiva 2014/2015.
A Gala de Mérito Desportivo é
uma iniciativa promovida pela
Câmara Municipal de Valongo
para homenagear os atletas e
dirigentes desportivos do concelho, que se destacaram na época
desportiva 2014/2015, conquistando títulos a nível local, regional, nacional e internacional, em
diversas modalidades - ciclismo,
hóquei em patins, futebol, taekwondo, BTT, entre outras. Foram homenageadas cerca de 400
pessoas, incluindo atletas individuais, 33 equipas e 17 dirigentes
desportivos.
Antes da entrega dos diplomas,
o presidente da Câmara Municipal
de Valongo, José Manuel Ribeiro,
salientou o investimento da autarquia no desporto quer ao nível
de equipamentos, que ao nível da
formação desportiva. O autarca
considerou que é “obrigação do
município reconhecer o esforço
dos atletas campeões que promovem o nosso concelho quando
ganham troféus”. Além da pro-
moção do território, José Manuel
Ribeiro salientou a importância
do desporto como “escola de valores e de princípios”, destacando a
amizade e a solidariedade.
sexta-feira,
07
26 Fev de 2016
valongo
Associação intermunicipal irá concretizar projecto Pulmão Verde
Aprovada criação da Associação de
Municípios Parque das Serras do Porto
A
Câmara Municipal de Valongo aprovou, na quinta-feira, por
maioria, a constituição da Associação de Municípios Parque das
Serras do Porto para desenvolver
e concretizar o projeto Pulmão
Verde. A proposta de criação da associação foi aprovada por unanimidade nos autarquias de Paredes
e Gondomar, municípios que irão
também integrar a referida associação intermunicipal. As respectivas assembleias municipais terão de ratificar estas aprovações.
A sede ficará em Valongo.
A Associação de Municípios
Parque das Serras do Porto tem
como objectivo a criação e gestão
do Parque das Serras do Porto,
bem como a promoção ambiental,
a valorização da natureza e da
vida ao ar livre. O Parque das Serras pode, ainda, promover políticas conjuntas de turismo, lazer,
animação, formação, emprego,
inclusão, sustentabilidade, inovação, competitividade e internacionalização da economia. Em
causa está a utilização sustentável do território, através das
suas potencialidades naturais,
nas serras de Santa Justa, Pias e
Casti(n)çais onde está incluída a
área pertencente à Rede Natura
2000 (partilhadas pelos três municípios), mas também nas serras
das Flores, Santa Iria e Banjas.
CDU a favor do projecto
mas absteve-se por
subsistirem dúvidas
Depois de Gondomar e Paredes
terem aprovado em reunião de câmara, foi a vez de Valongo, onde
não foi possível colher a unanimidade de votos como ocorreu nas
autarquias parceiras do projecto. Em Valongo, a CDU optou pela
abstenção, não por discordar do
projecto, mas sim por não terem
sido esclarecidas algumas dúvidas. Adriano Ribeiro, vereador
da CDU, explicou no final aos jornalistas que “persistem dúvidas
quanto ao funcionamento da associação, designadamente sobre
quem vai estar obrigado a investir
e ceder funcionários. Já o PSD votou favoravelmente. Não obstante,
João Paulo Baltazar expressou
desagrado quanto à designação de
“Serras do Porto” quando diz respeito a território do Sítio da Rede
Natura 2000 Valongo. “Preferia
que a marca fosse outra”, disse, sa-
lientando que a “a marca que queremos reforçar é Valongo”. Além
disso, o vereador do PSD alertou
ainda para importância de definir
uma estratégia a nível florestal
que permita que o eucalipto seja
progressivamente substituído por
árvores autóctones.
neiro romano”, rematou.
O Parque das Serras do Porto representa cerca de 10 mil hectares
de área verde em junto de leitos
de rio, serras e aldeias históricas
que Valongo, Gondomar e Paredes
querem candidatar a fundos europeus para constituir o Pulmão Ver-
de da Área Metropolitana do Porto
(AMP). Os três concelhos partilham
o território das serras de Santa
Justa, Pias e Castiçais, área que
está incluída na Rede Natura 2000,
mas cada um dos municípios contribui com mais territórios: as serras de Santa Iria, Banjas e Flores.
Além das serras, o projecto abrangerá o vale do rio Ferreira, a Aldeia
de Couce, e o leito do rio Simão,
locais de referência ecológica,
histórica e paisagística, aos quais
Gondomar e Paredes acrescentam
o rio Sousa e as Aldeias de Alvre e
Santa Comba, entre outros.
Rui Cunha
Sede da associação
intermunicipal será em
Valongo
O presidente da Câmara Municipal
de Valongo, José Manuel Ribeiro,
lembrou que o projecto intermunicipal para as serras começou a ser
trabalhado em mandatos anteriores, liderados por Fernando Melo
e João Paulo Baltazar. “Valongo
sempre fez trabalho de protecção
das serras”, explicou, acrescentando que a entrada de Paredes na
Área Metriopolitana do Porto foi
fundamental para a prossecução
do trabalho iniciado por Valongo e
Gondomar. “Quando a associação
estiver criada, vai implementar
o projecto do Parque das Serras
do Porto”, disse, explicando que
o projecto nacional terá sede em
Valongo, conforme acordado com
as autarquias de Gondomar e Paredes. “Estou convencido de que o
Parque vai ser muito importante
para o município. As pessoas não
têm noção que esta zona é o livro
geológico mais antigo de Portugal,
onde está o maior comnplexo mi-
O nosso sucesso
é o seu crescimento
Acreditamos que o sucesso do seu negócio
depende de um crescimento sustentavel,
por isso desenvolvemos soluções unicas,
adequadas a cada caso.
Tlm 918 737 255 | Tlf 255 777 626 | Fax 255 777 669 | Email [email protected]
Av. Bombeiros Voluntários, Edf. Nova Paredes, Loja 33, 4580 053 PAREDES
PUB
08
sexta-feira,
26 Fev de 2016
valongo
Protocolo de cooperação foi assinado esta terça-feira
Circuito Trilhos de Valongo 2016 junta
quatro provas de trail
1º Troféu
de Póneis
realiza-se
no
domingo
O
A
Clube Hípico de Valongo acolhe, no próximo
domingo, o 1º Troféu de
Póneis. Esta competição
tem como princípio a promoção dos valores emblemáticos da disciplina de
obstáculos para crianças
e jovens com póneis, como
equídeo de morfologia e
temperamento singulares
e tão comum entre as raças portuguesas, para o
público em geral e patrocinadores, através de uma
constante valorização do
desporto equestre.
A inscrição custa 15 euros e a organização promete prémios para os três
primeiros classificados.
Câmara Municipal de Valongo e as associações Grupo Dramático e Recreativo de Retorta, Grupo
Musical de São Martinho de Campo,
Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos e Clube BTT Valongo juntaram-se e criaram o projeto Circuito
dos Trilhos de Valongo 2016.
O Circuito dos Trilhos de Valongo
2016 juntará no mesmo calendário
as provas de trail running promovidas anualmente nas serras de Valongo por estas associações e que levam
às serras do concelho mais de seis
mil atletas. Assim a prova “Trilhos do
Paleozoico”, que se realiza a 19 e 20
de Março, o “Trail dos 4 Caminhos”,
marcado para 05 de Junho, o “Trail
de Santa Justa”, agendado para 31
de Julho, bem como o “Trail Noturno”, organizado a 10 de Dezembro
farão parte de um mesmo calendário
em que cada prova mantém a sua
identidade mas todas pontuam para
o ranking. Haverá uma classificação
individual e coletiva dos atletas e
equipas participantes, independen-
temente da distância ou da altimetria, desde que as características do
percurso contenham na sua maioria
trilhos. O Circuito Trilhos de Valongo
2016 é constituído pelas quatro provas de trail realizadas em Valongo,
nas distâncias entre os 20 e 30 quilómetros, dirigido a atletas com idade
top 10
igual ou superior a 18 anos, sendo
que culminará na organização de
uma gala. O protocolo de cooperação
entra as quatro associações e a Câmara Municipal de Valongo foi assinado esta terça-feira.
Para o Município de Valongo, a
realização destas provas de Trail no
Concelho de Valongo é de especial
importância porque além de darem a
conhecer a região de Valongo imprimindo maior vitalidade ao Concelho,
criam oportunidades de prática desportiva na Natureza e de competição
saudável, promovendo também a
preservação do meio ambiente.
ASSINE O VERDADEIRO OLHAR
E RECEBA EM CASA A MELHOR INFORMAÇÃO Da região
NOTÍCIAS + VISTAS NO SITE
01
02
cupão de assinatura
Paredes - Cão atacou dono e matou homem de 77 anos
Valor da Assinatura (Anual): EUR 25 (IVA incluído)
Penafiel - Corpo encontrado no rio Tâmega poderá ser o de
homem desaparecido de Rebordosa
04
05
06
Penafiel - Cadáver encontrado no rio em Boelhe
Paredes - Cientista de Lordelo premiada nos Estados Unidos
Paredes - Funcionária de gasolineira assaltada à porta do banco
Paredes - Encapuzados usam armas para roubar bombas de
gasolina
08
Morada:
Paredes - Jovem com paralisia cerebral publicou terceiro livro
de poesia
07
Nome:
C.P.
|
Email:
Paredes - Suspeito de efectuar centenas de burlas não está a
cumprir medida de coacção
09
Telemóvel:
Penafiel
10
|
|
Penafiel - Mário Magalhães é candidato à Câmara Municipal de
Contribuínte:
Valongo - Câmara de Valongo quer celeridade na reparação
da A41
Forma de pagamento:
|
|
semanário | Lousada | Paços de Ferreira | Paredes | Penafiel | Valongo
03
M Verdadeiro Olhar, Publicações Periódicas, Rua do Carreiro, nº 36, Apartado 11, 4584-909
Paredes | T 224 107 460 | F 224 921 846 | E [email protected] | S verdadeiroolhar.pt
sexta-feira,
26 Fev de 2016
09
penafiel
Decisão foi comunicada à ex-directora na semana passada
Cândida Novais já não é
directora do Centro de
Emprego. Sousa Pinto
regressa ao cargo
Boletim Jurídico
Nº 195 / 2016
Manuel Pereira
Solicitador|Agente de Execução
Perfilhação
C
ândida Novais já não é a directora do Centro de Emprego de Penafiel. A professora de Lousada, ligada
ao PSD, foi chamada, na semana
passada, à Delegação Regional do
Norte do Instituto de Emprego e
Formação Profissional (IEFP) para
ser informada de que a sua comissão de serviço cessava a 21 de Fevereiro.
Depois de prestar provas, em Maio
de 2015, num concurso público que
a escolheu para ocupar o cargo durante três anos, Cândida Novais diz
estranhar a forma como decorreu
este processo. “Se é por nomeação
política que não se faça concursos.
Se é por concurso público então que
sejam respeitados”, sustenta.
Ao cargo de director do Centro de
Emprego de Penafiel vai regressar
António Sousa Pinto. A confirmação
foi dada pelo socialista ao VERDADEIRO OLHAR, que não quis no entanto responder a mais questões.
António Sousa Pinto já dirigiu este
centro de emprego durante vários
anos e saiu para dar lugar a Cândida Novais, em 2012.
Dispõe o Código Civil que a perfilhação é um acto pessoal e livre, todavia pode ser feita por intermédio de
procurador com poderes especiais.
Têm capacidade para perfilhar os indivíduos com mais
de dezasseis anos se não estiverem interditos por anomalia psíquica ou não forem notoriamente dementes
no momento da perfilhação.
A perfilhação pode ser feita a todo tempo, antes ou depois do nascimento do filho ou depois da morte deste
e pode ser feita pelas seguintes formas:
- por declaração prestada perante o funcionário do registo civil;
- por testamento;
- por escritura pública;
- por termo lavrado em juízo.
A perfilhação é um acto irrevogável e quando feita
através de testamento, não é prejudicada pela revogação deste, ou seja, mesmo que o testamento seja revogado a perfilhação mantêm-se.
Todavia, a perfilhação que não corresponda à verdade é impugnável em juízo mesmo depois da morte do
perfilhado. Ação pode ser intentada a todo o tempo,
pelo perfilhante, pelo perfilhado, por qualquer pessoa
que tenha interesse moral ou patrimonial na sua procedência ou pelo Ministério Público.
Cessou funções no dia 21
A agora ex-directora do Centro de
Emprego de Penafiel faz um balanço positivo do trabalho realizado
nos últimos anos. Depois de, em
2012, ter sido convidada a ocupar o
cargo, durante o Governo liderado
por Pedro Passos Coelho, em Maio
de 2015, já depois de alterada a lei,
participou no concurso público que
dava acesso ao cargo, juntamente com vários outros candidatos.
“Prestei provas e fui avaliada por
um júri. À entrevista foram cerca de
10 pessoas”, lembra. Foi novamente
a escolhida para dirigir o Centro de
Emprego de Penafiel. E devia manter-se no cargo até 2018.
Quando foi chamada à Delegação
Regional do Norte do IEFP, no passado dia 18, Cândida Novais afirma
que esperava que lhe falassem de
alterações e de novas políticas –
agora alicerçadas na estratégia do
Governo de António Costa –, e que
lhe dessem a escolha de continuar
nos novos moldes, se concordasse,
mas garante que não esperava a situação com que se deparou.
Foi confrontada com um documento de cessação da comissão de
serviço a partir de 21 de Fevereiro.
Na acta, o delegado regional António Leite sublinha “que não está
em causa uma avaliação de desempenho pessoal, mas a necessidade
de imprimir uma nova dinâmica à
prossecução de prioridades consideradas para esta área”.
“Desde que o novo governo tomou
posse não tínhamos recebido quaisquer orientações políticas”, clarifica
Cândida Novais, que não contava regressar tão cedo à Escola Secundária
de Lousada, onde é professora.
“Deixei a casa arrumada”
A militante do PSD estranha a forma
como decorreu o processo, sobretudo porque diz ter trabalhado de forma “isenta e imparcial”. “O único con-
celho a que foi retirado um Gabinete
de Inserção Profissional (GIP) foi Penafiel, que é da minha cor partidária,
e abri dois GIP em câmaras do PS,
Paços de Ferreira e Cinfães”, dá como
exemplo. Durante o tempo em que liderou o Centro de Emprego de Penafiel diz que abriram vários postos de
atendimento, diminuíram o tempo
de espera e apoiaram muitos projectos de criação do próprio emprego.
“Prova do trabalho em colaboração
com autarquias, empresas, instituições é que o desemprego baixou em
todos os concelhos”, salienta. “Mas
tudo isto era aquilo que era suposto
ser feito”, acrescenta.
Diz que não está “ressentida” mas
“sentida” com esta forma de actuar.
“Vesti a camisola do IEFP. Espero
que quem vier atrás de mim que
faça um bom trabalho porque deixei
a casa arrumada”, conclui.
EDIFÍCIO CENTRO LEX - Advogados & Solicitadores
Morada: Rua da Saudade, n.º102 | 4560-531 Penafiel
Telefone: 255 713 162 | E-mail: [email protected]
www.centrolex.pt
10
sexta-feira,
26 Fev de 2016
penafiel
Família identificou roupas da vítima
Corpo encontrado no rio
Tâmega poderá ser o de
homem desaparecido de
Rebordosa
U
m cadáver foi encontrado no
rio Tâmega, em Boelhe, Penafiel.
O corpo foi avistado, ao final da
tarde do último domingo, que logo
chamou os bombeiros. As buscas
efectuadas num bote confirmaram a presença do cadáver junto à
margem que banha aquela freguesia do concelho penafidelense.
O corpo encontrado será o de
Antero Mendonça, homem de Rebordosa, Paredes, que está desaparecido desde o início do ano.
Quem o diz é a própria família que,
na noite do último domingo, esteve
no local onde o cadáver apareceu.
“Temos quase cem por cento de
certeza que é ele. Os meus irmãos
viram o corpo ainda na água e reconheceram a roupa”, refere o irmão Adelino Mendonça.
O mesmo familiar adianta que a
Polícia Judiciária não deixou que
os irmãos vissem a cara da vítima
e que o reconhecimento oficial só
será feito, em data ainda a marcar,
na morgue de Penafiel do Instituto de Medicina Legal, para onde o
corpo foi levado.
Mas mesmo sem certeza absoluta, Adelino Mendonça já não tem
esperança e considera “estranho”
o aparecimento do cadáver no
mesmo sítio onde decorreram, durante dias, buscas que nada permitiram encontrar. “Foram usados
cães da GNR, um barco percorreu
várias vezes as duas margens e
nunca se descobriu nada. Agora,
o corpo aparece no mesmo local?”,
questiona.
Por outro lado, Adelino Mendonça chama a atenção para o facto
de, “após estar 52 dias na água, o
corpo ainda ter as botas e a roupa quase intactas”. “Não é normal
e alguém vai ter de nos explicar o
que se passou”, avisa.
Visto pela última vez no
dia 1 de Janeiro
Antero Mendonça, 49 anos, mora
com os pais em Rebordosa, Paredes. No primeiro dia do ano, ainda foi à missa e passou por umas
bombas de gasolina, onde foi visto
pela última vez. Depois desapareceu sem deixar rasto e apenas o
carro que conduzia foi encontrado
em Boelhe, a poucos metros do local onde agora apareceu o corpo.
A família, que descreve Antero
como um “homem bom, tranquilo
e que nunca se meteu em problemas”, sempre estranhou o desaparecimento do antigo funcionário
de uma fábrica de móveis. Também
declinou a tese de suicídio e defendeu que Antero Mendonça poderia
ter sido vítima de um crime.
Exposição de Pirogravura patente até ao final do mês
Carlos Queirós apresentou romance na Biblioteca
F
oi apresentado, na Biblioteca
Municipal de Penafiel, no dia 19,
o livro “O Erro de Deus”, de Carlos
Queirós.
Trata-se de um romance e baseia-se na história de um conde
chamado de Policarpo de Castelão que prendeu na masmorra do
Palácio dos Cisnes, em segredo, o
jovem Bernardes, seu sobrinho e
sucessor por falta de outros herdeiros, que pressupôs que ao cabo
de poucos meses ele iria morrer
no inferno da cela que existia nos
fundos do edifício do século XIX.
Contrariamente a todos os que
por lá haviam passado desde o
tempo da escravatura, onde deixaram apenas os ossos e gritos
inaudíveis, Bernardes de Castelão viveu por muitos anos. Um estranho caso de conexão com um
poder sinistro, fê-lo desenvolver
capacidades supra-humanas, ao
ponto da sua condição de homem
deixar praticamente de existir.
“Este livro é uma obra diferente do que tenho escrito até agora.
Não escrevo para ser mais um
livro de prateleira com uma história vulgar, mas que seja uma
história que nos choque e cative.
Acredito que quem faz uma boa
acção, acabará por ser recompensado pelo bom gesto de humanidade e o contrário também”,
afirmou o autor.
Para Adelaide Galhardo, directora da Biblioteca Municipal de
Penafiel, “Carlos Queirós apresenta mais uma vez uma obra
com uma temática muito actual, que prende o leitor do início
ao fim”. “O autor introduz uma
abordagem diferente à temática
de quem é Deus e a Humanidade, passando pelas descobertas
da Nanotecnologia e levando-nos
pelos meandros da nossa própria
consciência”, salienta.
O autor é do concelho do Marco de Canaveses e esta é a sua 4.ª
obra publicada.
Patente na Biblioteca, até ao
final de Fevereiro, está também a
exposição de pirogravura de Ana
Ribeiro, “Pincel de Fogo”. Ana Ribeiro é natural de Paços de Fer-
reira. Autodidacta e com ávida
curiosidade, conta com vários
trabalhos em gesso, tela, falsos
vitrais e, mais recentemente pirogravura. A sua obra “A Ressurreição de Cristo”, exposta na Ca-
pela do Hospital Padre Américo
em Penafiel, valeu-lhe já a admiração de conceituados artistas.
sexta-feira,
26 Fev de 2016
11
penafiel
Distinções entregues nas comemorações do 3 de Março
Câmara Municipal formaliza três contratos de apoio ao investimento no dia 3 de Março
Medalha de Ouro
do Concelho para
fundadora da
Clínica Arrifana
de Sousa e para
presidente do IPP
“Contact center” da
Altice instala-se em
Penafiel e contribui para
a criação de 400 postos de
trabalho
A
A
Câmara Municipal de Penafiel vai distinguir com a Medalha
de Ouro do Concelho Maria Adelaide Rodrigues dos Santos e Rosário Gambôa. A primeira é uma
das fundadoras da Clínica Médica
Arrifana do Sousa, na qual ainda
exerce funções como médica. A
segunda foi reeleita para um segundo mandato como presidente
do Instituto Politécnico do Porto.
As condecorações vão ser atribuídas em 3 de Março, dia em que
é festejada a elevação de Penafiel a cidade. Na mesma cerimónia, várias personalidades que
marcaram a história recente de
Penafiel, com especial destaque
para as que actuaram no sector
da educação, também serão homenageados com a Medalha de
Mérito Municipal Dourada. Esta
distinção vai ser entregue ainda
a Margarida dos Santos Sousa, a
porteira radicada em França que
salvou várias pessoas durante os
atentados de Paris.
Fundadora da Clínica
Arrifana do Sousa foi
a primeira mulher de
Penafiel a formar-se em
Medicina
É a mais alta condecoração atribuída pelo município penafidelense e este ano vai ser entregue
a duas mulheres. A primeira é
Maria Adelaide Rodrigues dos
Santos, que foi a primeira mulher
formada em Medicina do concelho de Penafiel. Em 1978 também
foi uma das fundadoras da Clínica
Médica Arrifana de Sousa, onde
ainda exerce funções como médica. No âmbito da sua actividade
destacou-se na assistência à maternidade, assistência aos mais
velhos, na prestação de cuidados
médicos ao domicílio e na implementação das primeiras consultas de Planeamento Familiar em
Penafiel.
Já Rosário Gambôa é natural da
freguesia de Penafiel e tem desempenhado relevantes funções no
ensino Politécnico Universitário,
na academia, na investigação, na
cultura e na acção cívica. Recentemente, foi reeleita para um segundo mandato na presidência do
Instituto Politécnico do Porto
“Zequinha da Farmácia”
recebe medalha a título
póstumo
Pelas 15h00 de 3 de Março, na
sessão solene que vai decorrer no
Museu Municipal de Penafiel, seis
professores, que também lideraram as direcções das escolas onde
estavam colocados, vão receber a
Medalha de Mérito Municipal Dourada. São eles Ismael Mendes, António Alberto Simões, Maria Luísa
Coelho, Ana Alzira Pereira, Vítor
Nunes Leite e Maria Leonilde Ferreira Coelho.
Igual distinção será atribuída a
Manuel Dias dos Santos, que dedicou toda a vida ao ensino, e José
Aires de Sousa. Conhecido por “Zequinha da Farmácia”, José Aires
de Sousa faleceu no passado dia 3
de Fevereiro, com 83 anos. Até este
dia manteve-se a trabalhar na Farmácia Confiança, situada no centro da cidade penafidelense. José
Aires de Sousa também se dedicou
ao dirigismo, sobretudo no Futebol Clube de Penafiel.
Homenageado a título póstumo
será ainda Paulino Rodrigues, vereador da Câmara Municipal de
Penafiel em 1979. Este penafidelense destacou-se também como
guarda-redes do Futebol Clube de
Penafiel e fez carreira ao serviço
dos Bombeiros Voluntários de Penafiel.
A Medalha de Mérito Municipal
Dourada será atribuída, igualmente, a Margarida dos Santos
Sousa. Natural de Galegos, reside
em França há 36 anos, país onde é
porteira de profissão há 25 anos.
Margarida dos Santos Sousa foi
uma das heroínas da fatídica noite de 13 de Novembro, quando, em
Paris, salvou várias pessoas de
morrer durante o atentado terrorista à sala de espectáculos Le Bataclan.
Altice, empresa de telecomunicações que recentemente comprou a Portugal Telecom e detém
a operadora MEO, vai instalar um
“contact center” em Penafiel. O
investimento será concretizado
em Bustelo e deverá, no espaço
de dois anos, criar 250 postos de
trabalho.
Este projecto conta com o apoio da
Câmara Municipal de Penafiel, que
vai ceder gratuitamente o edifício
onde o “contact center” funcionará.
O acordo entre a autarquia e a Randst, empresa que representa a Altice,
será formalizado em 3 de Março, durante as cerimónias de elevação de
Penafiel a cidade. Na mesma ocasião,
será celebrado o contrato de apoio ao
investimento na criação do Hospital
Arrifana de Sousa e de um terceiro
projecto que permitirá a instalação
na periferia da cidade de uma loja de
uma marca multinacional dedicada
à venda de artigos desportivos.
Segundo o presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa, estes três investimentos representam a criação de
400 empregos.
250 postos de trabalho em
dois anos
O “contact center” para servir
clientes da Altice ficará instalado
num edifício situado na freguesia
de Bustelo e foi considerado pela
Câmara Municipal de Penafiel
como um projecto de “relevante
interesse municipal”. Para esta
classificação muito contribuiu
os 250 empregos que a Randstad,
que representa a Altice em Portugal, se propõe a criar nos próximos dois anos. A maioria destes
postos de trabalho será ocupada
por operadores capazes de esclarecer as dúvidas dos clientes da
empresa.
No âmbito do acordo a celebrar em 3 de Março, a autarquia
compromete-se a ceder o edifício
de Bustelo, onde fará também as
obras de adaptação às necessidades da Randst. A Câmara Municipal irá, igualmente, dar apoio
logístico no processo de recrutamento, nomeadamente com a
disponibilização de salas, e ceder
instalações para que os funcionários recebam formação, sobretudo na língua francesa e na área
de negócios.
O protocolo é válido por 60 meses.
Hospital Arrifana do
Sousa abre no Verão
Em 3 de Março será celebrado ainda um contrato de apoio ao investi-
mento que a Arrifana do Sousa fará
no novo hospital. A unidade de saúde irá usar as instalações do antigo
Hospital de Penafiel, que pertencem à Santa Casa da Misericórdia,
e deverá, no espaço de cinco anos,
empregar 100 pessoas.
Por este motivo, a autarquia irá
isentar a empresa que vai gerir
o Hospital Arrifana do Sousa do
pagamento da Derrama durante
cinco anos e da taxa de emissão
de alvará, avaliada em mais de 18
mil euros. “Deverá abrir no próximo Verão”, avança Antonino de
Sousa.
O autarca refere que a estes
projectos vão concretizar-se em
Penafiel no âmbito do “Plano de
Atracção de Investimentos delineado em 2014” e que já no ano
passado permitiu a criação de
150 postos de trabalho. “Há toda
uma dinâmica na economia local
que se irá traduzir em mais postos de trabalho”, defende.
Antonino de Sousa assume que
o contrato com a Altice “tem um
peso maior” na actividade económica local, mas garante que a
abertura do Hospital Arrifana do
Sousa dá-lhe “uma dupla satisfação e alegria”. “Para além de criar
mais postos de trabalho, este investimento permite a recuperação do antigo edifício do Hospital
de Penafiel”, alega.
12
sexta-feira,
26 Fev de 2016
ROPE
Reabilitação e Otimização de Performance
®
Rastreio Gratuito*
"Dor Crónica"
Equipa ROPE®
- Reabilitação Física
Datas:
químicos e derivados
unipessoal, Lda
- 27 de fevereiro | Penafiel
- 2 de abril | Porto
Morada:
Parâmetros:
- Avaliação postural
- Avaliação osteoarticular
- Avaliação músculo-esquelética
Rua de Trevoares, Zona industrial de reiros,
vandoma - porto 4580-768
telef.:
919 772 718
224 151 168
email:
[email protected]
Telem.:
Não se habitue
a viver com dor.
Oferta de vale de desconto
Clínicas Nuno Mendes
PENAFIEL (SEDE)
+351 916 315 247
+351 255 098 647
PORTO
+351 913 327 011
+351 220 993 488
Lacas e Vernizes
[email protected]
WWW.ROPE.PT
*Sujeito a marcação e às vagas existentes.
inovação, tecnologia e eficiência
ao serviço do cliente
trabalhamos com produtos
adequados às necessidades
específicas de cada cliente,
garantindo sempre um atendimento
eficiente e personalizado
PUB
4&95"'&*3"26 JUN%&
sexta-feira,
13050$0-0'0*"44*/"%0&45"4&(6/%"'&*3"4&37*š0'*$"3”
4&%&"%0/""-%&*""(3 $0-"
Maioria dos aderentes da Rota da Lampreia falam em procura positiva
15
26 Fev de1"3&%&4
2016
13
penafiel
ALUNOS DE
LORDELO
COM BONS
RESULTADOS NO
SUPERTMATIK
$PODFMIPWBJ à espera
Restaurantes
UFSCBMD¸PEF
dos
apreciadores de
BUFOEJNFOUPEP
lampreia
até ao final
F
*&'1FN+VMIP
de
Março
Fernanda Pinto
[email protected]
A
té 20 de Março, está a ser
promovida em Penafiel, a Rota da
Lampreia. Este evento veio dar
novos moldes à promoção da lampreia no concelho, substituindo o
Festival da Lampreia, realizado
em Entre-os-Rios.
Depois das primeiras três semanas, a maioria dos restaurantes aderentes diz que a procura
por este produto, com arroz ou à
bordalesa, tem sido positiva, mas
esperam mais visitantes no mês
de Março.
Maior procura será nos
próximos fins-de-semana,
acreditam
'&3/"/%"1*/50
GFSOBOEBQJOUP!WFSEBEFJSPPMIBSQU
Desde
Rio Mau, no “Mirante do
GPUPHSBáB#SVOB4BOUPT
Douro”; passando
por em Eja, na
“Casa das Lampreias” e no “Miradouro”; pelas Termas de São
m Julho,
o concelho
de AlianPareVicente,
no “Hotel
Pensão
des
vai passar
a contar
com um
ça”, até
Abragão,
no Restaurante
Balcão
deSouto”,
Atendimento
Perma“Solar do
à lampreia
para
nente do Instituto de Emprego
e Formação Profissional (IEFP).
Esta valência ficará instalada na
Aldeia Agrícola de Paredes e tem
como objectivo proporcionar um
serviço de proximidade.
Recorde-se que, com a passagem de Paredes da Comunidade
Intermunicipal do Tâmega e Sousa para a Área Metropolitana do
Porto, os habitantes do concelho
deixaram de ter como referência
o Centro de Emprego de Penafiel
e os processos passaram a ser
analisados pelos técnicos do Centro de Emprego de Valongo.
E
"65"3$""$3&%*5"26&
%&4&.13&(07"*$0/5*/6"3
"#"*9"3
A Câmara Municipal de Paredes e
o Instituto do Emprego e Formação Profissional assinaram, esta
segunda-feira, um protocolo para
a criação de um Balcão de Atendimento Permanente do IEFP na cidade. Esta valência, que vai funcionar nas instalações da Aldeia
Agrícola de Paredes, será inaugurada em Julho.
“No ano passado fomos o 7.º
provar todos os dias. E a adesão
à Rota da Lampreia tem sido positiva.
“Têm vindo visitantes, sobretudo ao fim-de-semana e quando
o tempo ajuda”, diz Luís Neves
do Mirante do Douro, deixando
qualquer balanço sobre a Rota
para o final do evento. A lampreia é procurada sobretudo
por apreciadores e, percebe-se
que os jovens optam por outros
pratos, refere. Mais à frente,
no Miradouro, Conceição Silva
também diz que a participação
na Rota da Lampreia “está a ser
positiva”. “Vêm os clientes habituais mas há quem nos procure
por isso. Este fim-de-semana tivemos muita procura e nos próximos achamos que vai ser melhor e estamos à espera de mais
concelho
mais diminuiu o declientes”, que
adianta.
semprego
Este
Também na
naregião
Casa Norte.
das Lamano,
tenho
a convicção
que vamos
preias,
a casa
tem estado
cheia
voltar
estardenaespera,
linha dagarante
frente
e com afilas
pelo
trabalho que
temos feito
na
o proprietário,
Joaquim
Vieira.
captação
de investimento.
Mas
é
“Não é preciso
promover, as
pesimportante
que os eque
se mansoas já conhecem
procuram
a
têm
desempregados
casa”,
afirma. Sobretenham
a Rotaproda
ximidade a um balcão de atendimento”, defendeu o presidente
da Câmara Municipal de Paredes.
“Somos o 27.º maior concelho do
país. É difícil de entender como
um concelho desta dimensão não
tinha esta valência”, sustentou
ainda Celso Ferreira.
Presente na sessão, o delegado
regional do IEFP, César Ferreira,
elogiou o contributo de Paredes
na resposta aos inscritos no centro de emprego. “A taxa de desemprego ainda é muito elevada mas
estamos a combatê-la. O próximo
passo será ajudar a encontrar
melhor emprego”, afirmou. Já o
presidente do IEFP, Jorge Gaspar, realçou a importância deste
Instituto, que considerou ser “a
mais importante instituição da
administração pública portuguesa”, por ter como destinatários
toda a população e instituições
portuguesas e ter uma presença
“física e actuante em todo o país”.
“O balcão não fará apenas atendimento administrativo. Vai trabalhar com desempregados, empresas e jovens e recolher ofertas de
emprego assim como apresentar
ofertas formativas”, disse.
oram 20 os alunos do
Agrupamento de Escolas de
Lordelo que participaram nos
campeonatos escolares superTmatik.
Lampreia
diz preferir este modelo
competição
decorreu
ao doAFestival.
“O festival
eranas
muidetinha
cálculo
to vertentes
trabalhoso,
quemental,
se alugar
matemática,
tudo
e contratarCiências
pessoasNatupara ir
rais
Física e Química
con- e
para
lá.eTornava-se
dispendioso
tandonão
comera
a participação
de O
o lucro
muito”, explica.
milhares de
empresário
daalunos.
restauração prevê
No Quiz de “concorridos”
Ciências Natu-até
fins-de-semana
Campeonato) destaao rais
final(VI
de Março.
queAbragão,
para as os
participações
dedo
Em
responsáveis
Bárbara
Pinho,dizem
do 7.º ano,
Solar
do Souto
que que
ainda
ficou
em 7.º
lugar;
de JoãoavaliaPenão
podem
fazer
nenhuma
dro
Dias,
do 5.º dizem
ano, 9.º
lugar
ção,
mas
também
acreditar
e de
Rodrigues,
do 8.º
que
vãoBeatriz
receber
mais visitantes
14.º lugar.
emano,
Março.
“Prefiro este modelo.
Já no terceiro
campeonato
O festival
dava muito
trabalho
do Quislucro”,
de Física
e Química
e pouco
afirma
Arminda
o aluno
melhor
colocado
do
Pinto
Silvares.
Mas
“as pessoas
agrupamento
foilampreia
José Luís
vão
procurando a
semRodrigues,
do 9.º ano.
Foi o sépre,
não há grande
diferença
com
timo melhor
da sua categoria.
a Rota”,
acrescenta.
MAIS DE 400
IDOSOS EM
paredes
DESFILE
Assembleia - Geral ORDINÁRIA
CONVOCATÓRIA
Nos termos do nº2 do artigo 22º e dos artigos 23º e 24º dos estatutos da Caixa de crédito Agrícola Mútuo
de Paredes, C.R.L., pessoa coletiva nº 501 819 401, com sede na Avenida Comendador Abílio Seabra, nº 138,
4580-029 em Paredes, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Paredes sob o mesmo número, com o capital social realizado de €6.631.930,00 (variável), convoco todos os Associados no pleno gozo
dos seus direitos, a reunirem-se, em Assembleia Geral Ordinária, no dia 31 de Março de 2016, pelas 16:30
horas, na sede da Instituição, para discutir e votar as matérias da seguinte:
Câmara Municipal de
Paredes, através do ProORDEM DE TRABALHOS
grama Movimento Sénior
e em parceria com o grupo
1.Discussão e votação do relatório de Gestão e das Contas da Caixa Agrícola relativo ao exercício de 2015
Sinergias XXI (Centro Social
e do relatório anual do Conselho Fiscal.
e2.Deliberação
Paroquial de sobre
Baltar),
orga- de Aplicação de Resultados.
a Proposta
nizou,
na
semana
passada,
3.Apreciação geral sobre a Administração e Fiscalização da Caixa Agrícola.
um
desfile de marchas
popu- do relatório com os resultados da avaliação anual das políticas de remune4.Apresentação
e apreciação
raçãode
praticadas
na Caixa
Agrícola.
lares
S. João nas
instala5.Designação
do
Revisor
Oficial
ções do quartel dos Bombei- de Contas efectivo e suplente para o triénio 2016/2018.
6.Alteração do número 1 do artigo 28º dos Estatutos da Caixa Agrícola, nos termos constantes da proposros Voluntários de Baltar.
ta cujo texto integral ficará à disposição dos Associados na sede da Caixa Agrícola.
O projecto “Sinergias
7.Apreciação,
discussão eXXI”
deliberação sobre o pedido de exoneração dos Associados.
resulta
de uma
parceira
en- com interesse para a caixa Agrícola.
8.Discussão
de outros
assuntos
tre diversas instituições sociais do concelho de Paredes
Se, à hora marcada, não se encontrar presente mais de metade dos Associados, a Assembleia Geral reunicom o objectivo de, em conrá, uma hora depois, com qualquer número.
junto, planear e organizar
actividades
Paredes, 22 especificamente
de Fevereiro de 2016
direcionadas para a comuniO Presidente da Mesa da Assembleia Geral
dade sénior.
Eng. Manuel Luís Rocha e Sousa
O desfile de marchas de
A
S. João com a participação
de
420 idosos das 12 IPSS
Nota:
do
concelho
de Paredes.
- Não
será admitido
nesta No
Assembleia Geral o voto por correspondência, nem o voto por representação,
por força
do disposto
nº 1 do Artigo 42º e do nº 1 do Artigo 43 do Novo Código Cooperativo, aprovado
final
realizou-se
umano
sardipela Lei nº 119/2015, de 31 de Agosto, que entrou em vigor no passado dia 30 de Setembro.
nhada.
- Todos os elementos sujeitos a apreciação encontram-se disponíveis na sede e respectivas agências da
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Paredes, CRL, a partir de dia 7 de Março de 2016.
16#
PUB
14
sexta-feira,
26 Fev de 2016
paredes
Deputados do partido dirigiram uma pergunta ao Ministro do Ambiente para saber que medidas estão a ser adoptadas para solucionar o problema criado pelas
descargas da ETAR
CDS-PP preocupado com descargas
poluentes no rio Ferreira em Lordelo
A
violação de regras ambientais junto ao Parque Ecológico nas
margens do Rio Ferreira, em Lordelo, Paredes, está a preocupar os
deputados do CDS-PP à Assembleia
da República e ao Parlamento Europeu.
Os deputados Álvaro Castelo
Branco, Pedro Mota Soares e Cecília
Meireles, eleitos pelo círculo do Porto, e Patrícia Fonseca e Abel Baptista, ambos da Comissão de Ambiente,
dirigiram ao Ministro do Ambiente
uma pergunta com o objectivo de
perceber quais são as medidas que
o Ministério está a desenvolver
para solucionar os problemas ambientais criados pelas descargas da
ETAR de Arreigada, “com efeitos devastadores para a fauna e flora do
local, bem como ao longo do curso
de água”, diz comunicado.
“Tal situação tem vindo a ser
denunciada por toda a população
afectada, nomeadamente pelo
presidente da Junta de Freguesia
de Lordelo, que afirma que as re-
gras têm vindo a ser violadas precisamente por quem está obrigado a garantir o seu cumprimento”,
argumentam. As descargas desta
ETAR significam um “prejuízo
socioeconómico avultado”, além
de promoverem “a instabilidade
hidrológica, perda da matéria
orgânica e perda de diversidade
biológica, com consequente degradação ambiental do local”, defendem os eleitos do CDS-PP.
Por isso, os deputados questionam: “O Ministério do Ambiente
tem conhecimento da situação que
têm provocado as descargas efectuadas pela ETAR de Arreigada?”,
“Quais são as medidas que o Ministério está a desenvolver para solucionar tal situação?”, “Já foram
apuradas as responsabilidades por
toda aquela situação?” e “Quais
são as consequências, para as entidades obrigadas ao respeito de
regras ambientais, para cujo cumprimento são direccionados fundos
comunitários, no caso de violação
dessas regras?”.
Segundo o comunicado, as mesmas preocupações foram manifestadas pelo eurodeputado do CDSPP, Nuno Melo, junto da Comissão
Europeia, inquirindo se aquele
órgão tem conhecimento do que
se passa no Parque Ecológico, nas
margens do Rio Ferreira, e quais
são as consequências, para as en-
tidades obrigadas ao respeito de
regras ambientais, para cujo cumprimento são direccionados fundos
comunitários, no caso de violação
dessas regras.
Eleições do PSD Paredes são a 5 de Março
Inácio Costa junta-se
à lista de Pedro Mendes
Fernanda Pinto
[email protected]
I
nácio Costa já não vai apresentar uma lista às eleições da comissão política do PSD Paredes,
que decorrem a 5 de Março. “Fizemos uma fusão de candidaturas”,
explicou ao VERDADEIRO OLHAR,
confirmando que se juntou à lista
de Pedro Mendes e será candidato a presidente da Mesa da Assembleia de Militantes.
Recorde-se que o actual tesoureiro da comissão política tinha
avançado com a intenção de candidatar-se à liderança do partido
com o objectivo de “contribuir
para unir o PSD Paredes”.
Agora, sustenta que existia
um fio condutor nos propósitos
e ideias apresentadas por Pedro
Mendes e nos da sua candidatura,
pelo que “decidiram unir as vontades e forças” para, com o apoio
dos militantes “encontrar o caminho mais correcto na procura das
melhores soluções para o futuro
próximo”.
Depois de Raquel Moreira da
Silva ter retirado a sua candidatura, restam na corrida à comis-
são política o ex-vereador Joaquim Neves e o vice-presidente
da Câmara Municipal de Paredes,
Pedro Mendes.
Em Cristelo, Paredes
Encapuzados usam
armas para roubar
bombas de gasolina
U
mas bombas de gasolina situadas em Cristelo, Paredes, foram
assaltadas à mão armada ao final da
noite do último sábado. O roubo foi
cometido por dois jovens, que testemunhas descrevem como tendo entre os 18 e os 20 anos.
A dupla entrou no estabelecimento disfarçada por capuzes e
armada. Em seguida, os dois homens dirigiram-se à caixa registadora e exigiram, sempre sob ameaça de arma, que o funcionário
lhes desse o valor do apuro desse
dia. Já na posse de cerca de 1800
euros, os assaltantes fugiram para
parte incerta.
A GNR de Paredes tomou conta da
ocorrência, mas como se trata de um
crime que envolve armas de fogo, a
investigação está a cargo da Polícia
Judiciária.
sexta-feira,
26 Fev de 2016
15
paredes
Em Vandoma, Paredes
Cão atacou dono e matou homem de 77 anos
beiros de Baltar também participaram nesta operação. “Foram buscar paus e estiveram cerca de 15
minutos para o prender”, garante
Lurdes Nogueira, outra vizinha.
Fonte da corporação de Baltar
assegura que quando os voluntários chegaram junto da vítima esta
já se encontrava sem vida. “Tinha
ferimentos no pescoço e na cabeça provocados por mordeduras do
cão”, explicou.
A
ntónio Silva, de 77 anos, não resistiu ao ataque do cão que possuía
há vários anos. Os ferimentos no pescoço e na cabeça provocados pelas
ferradelas do animal que devia ser
de estimação foram fatais para o homem de Vandoma, em Paredes.
O ataque do cão arraçado de Pastor Alemão com Pastor da Serra da
Estrela ao próprio dono já tinha
sido antecipado por familiares e
vizinhos. Porém, António Silva pensou sempre que podia controlar a
fúria do animal.
Ataque esperado
Cão soltou-se e António
Silva tentou prendê-lo
António Silva estava, na manhã
desta terça-feira, sozinho na
moradia situada ao fundo da rua
Alto do Travesso, em Vandoma.
A esposa tinha saído cedo e, portanto, a única companhia do septuagenário era o cão que possuía
há vários anos. Em hora que não
foi possível apurar, o canídeo, que
estava sempre preso, libertou-se,
levando a que António Silva fosse
no seu encalço para lhe voltar a
colocar o cadeado. Terá sido nessa altura que o cão atacou o pescoço do dono. Depois ferrou-lhe
várias vezes na cabeça, deixando
António Silva deitado no quintal
anexo à habitação.
Só quando a esposa regressou a
casa, minutos depois do meio-dia,
é que António Silva foi encontrado
inanimado. “Ela veio pedir auxílio.
Dizia que o cão lhe tinha matado
o marido e pediu para avisar os fi-
lhos”, recorda Isabel Moreira, vizinha do casal.
Dado o alerta, os vizinhos foram,
juntamente com o genro da vítima,
tentar apanhar o cão que se manteve no terreno da casa e junto ao
corpo do dono. Mais tarde, os Bom-
O ataque sofrido por António Silva já era esperado por
familiares e vizinhos. “Era
um cão bravo e estava sempre preso. Mas o senhor António dizia que não tinha medo
dele e que lhe batia sempre
que era preciso”, refere Lucília
Nogueira. “A esposa disse que
os filhos já tinham aconselhado
o pai a abater o cão. Mas ele sempre recusou fazer isso”, acrescenta Isabel Moreira.
Depois de apanhado, o cão foi encaminhado para o canil municipal,
onde vai cumprir um período de
quarentena.
Vítima recusou entregar saco com dinheiro e foi agredida por dupla armada
Funcionária de gasolineira assaltada
à porta do banco
D
ois homens armados com caçadeiras de canos serrados agrediram
e assaltaram uma mulher à porta de
um banco situado em Gandra, Paredes. A vítima, de 34 anos, é uma funcionária de umas bombas de gasolina que se preparava para depositar
cerca de 15 mil euros da empresa. Na
sequência das agressões teve de ser
assistida pelos bombeiros e transportada para o hospital.
O assalto aconteceu minutos antes
das 11h00 desta segunda-feira, hora
em que vários clientes se encontravam na dependência bancária. Na
rua Central de Gandra também circulavam dezenas de pessoas, muitas
das quais alunos da CESPU.
Assalto aconteceu
na presença de várias
pessoas
A funcionária das bombas de gasolina saiu do local de trabalho,
situado em Recarei, com o dinheiro
facturado durante o fim-de-semana. Sozinha no carro, percorreu
os poucos quilómetros até ao BPI
de Gandra, localizado em frente ao
edifício da CESPU, e estacionou.
Faltavam poucos minutos para as
11h00 quando, com o saco de dinheiro na mão, saiu da viatura e
dirigiu-se à porta do banco. Nessa
altura, um BMW preto parou e do
seu interior saíram dois homens.
“Estavam com capuzes pela cabeça
e tinham armas. Pareciam caçadeiras”, descreve uma testemunha.
Rapidamente a dupla dirigiu-se
à mulher e impediu-a de entrar
na dependência bancária. Tentaram, em seguida, tirar-lhe o saco
de dinheiro da mão, mas encontraram resistência. “Ouvi barulho e
os ladrões a dizer para a rapariga
largar o saco”, recorda a mesma
fonte. Sem olhar a meios, um dos
assaltantes usou a caçadeira para
agredir a vítima na cabeça e esta
acabou por largar o saco. “Quando
olhei para o banco eles já estavam
a fugir para o carro preto que pa-
raram junto à estrada. Um senhor
ainda foi atrás deles, mas nunca
mais os viu. Quando cheguei perto,
a rapariga estava completamente
desorientada”, refere a testemunha que optou pelo anonimato.
A ver tudo isto estavam clientes
do banco e duas pessoas que estavam junto à caixa multibanco colocada no exterior do banco. Outros
homens e mulheres circulavam na
rua Central de Gandra, mas todos
ficaram sem reacção.
Na posse do dinheiro, os assaltantes
regressaram ao BMW e fugiram em
direcção ao nó da A4, situado a cerca
de 300 metros de distância. A Polícia
Judiciária está a investigar o caso.
16
sexta-feira,
26 Fev de 2016
paços de ferreira
Garrett McNamara visitou cidade
Olhar
verde
Surfista de ondas gigantes
encontrou-se com alunos de
Paços de Ferreira
A
polinização é o processo de
transferência de pólen entre as
flores masculinas e femininas.
Esta garante a produção de frutos e sementes e a reprodução
de diversas plantas, sendo um
dos principais mecanismos de
manutenção e promoção da biodiversidade na Terra. Este processo pode ocorrer por ação do
vento e da chuva ou de animais
polinizadores, como as abelhas,
as vespas, as borboletas e os pássaros. Estas espécies são atraídas por flores que têm cores vistosas, cheiros característicos e
substâncias açucaradas.
A polinização é importantíssima
para o funcionamento dos ecossistemas, uma vez que garantem
a variação genética das espécies
e a sua reprodução, e para a produção agrícola.Os animais polinizadores devem ser reconhecidos como parteessencial para
a sustentabilidade da produção
mundial de alimentos.
As abelhas são os animais mais
adaptados e eficientes no processo de polinização. Porém, as
mudanças que o homem têm
imposto ao seu ambiente estão
a causar o desaparecimento em
massa desta espécie, o que coloca
em risco a produção de alimentos
e a preservação de muitos ambientes naturais e das espécies
que neles habitam. É importante
que as pessoas percebam que a
ameaça de uma crise alimentar
é real e que sem abelhas, e polinização, não existirão legumes
nem frutas.
Um dos outros fatores
que contribui para
a diminuição da
abundância de
abelhas é a
introdução de espécies exóticas
e invasoras nos ecossistemas,
como é o caso da vespa velutina.
Esta é uma espécie predadora
proveniente da ásia e tem vindo a
espalhar-se por todo o território
nacional, devastando as colmeias
e matando milhares de abelhas.
A propagação das espécies exóticas e invasoras é uma das principais causas da perda de biodiversidade e de degradação dos
serviços de ecossistemas em toda
a União Europeia (EU) e no mundo. Só na UE, o custo económico
das espécies exóticas e invasoras
estima-se em pelo menos doze
mil milhões de euros por ano
(12.000.000.000 € / ano). Já o valor
económico dos serviços de polinização foi estimado em cerca de
160 mil milhões de euros a nível
mundial.
Preocupada com o declínio dos
insetos autóctones, a Quercus
lançou em 2014 a campanha SOS
Polinizadores (http://polinizadores.quercus.pt). No âmbito desta
campanha, a Quercus, em parceria com o grupo Jerónimo Martins
tem dinamizado, por todo o país,
sessões de esclarecimento público com o tema “Polinizadores e
espécies invasoras”.
Estas ações de esclarecimento
têm como objetivo alertar para
os perigos que a introdução de
espécies exóticas pode ter nos
ecossistemas e sensibilizar os
agricultores, em particular, e a
opinião pública, em geral, para os
perigos do mau uso dos pesticidas
na saúde pública e no desaparecimento dos polinizadores. Além
disso, no combate a esta praga as
pessoas têm dizimado as vespas e
abelhas em geral, o que também
contribuiu para a diminuição de
espécies polinizadoras. Assim,
surge a necessidade de informar e
auxiliar a população a diferenciar
este tipo de espécies das vespas
autóctones em Portugal (vespa
crabro).
O
surfista de ondas gigantes Garrett McNamara esteve
em Paços de Ferreira para uma
pequena tertúlia com alunos da
Escola Secundária local. O norteamericano, que tornou as ondas
da Nazaré conhecidas em todo
o mundo, passou pela Capital do
Móvel no âmbito de uma acção
promocional, mas não deixou de
dar o seu testemunho aos jovens
da cidade.
No final, ainda teve tempo para
uma sessão de autógrafos.
Carlos Santos
SOS Polinizadores
No âmbito do seu terceiro aniversário
ComPaços atribuiu prémios
em noite de gala que contou
com a presença de Álvaro
Costa
A
“ComPaços – Associação de
Preservação e Dinamização Musical de Paços de Ferreira” comemorou, este mês, o seu 3.º aniversário.
Entre os eventos realizados,
destaque para um debate sobre
música no concelho, com o tema
“Projectos Musicais em Paços de
Ferreira: abordagem institucional”, que contou com a presença de
Paulo Barbosa, vice-presidente da
Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Alexandre Costa, presidente
da Junta de Freguesia de Paços de
Ferreira e Mauro Passos, multi instrumentista pacense.
Realizou-se ainda um workshop
de Cordofones Tradicionais na
Biblioteca Municipal de Paços de
Ferreira, por Carlos Graf (guitarra portuguesa, cavaquinho e viola
braguesa) e Ângelo Cardoso e Mauro Passos.
O concerto de Salto, com Plug e
Rui Taipa, no Mercado Municipal,
também integrou as comemorações deste aniversário.
Por fim, a associação entregou
os “Prémios ComPaços 2015”, numa
gala apadrinhada pelo radialista
Álvaro Costa (Antena 3 e RTP), que
se tornou sócio honorário da “ComPaços”.
Lista de premiados
Melhor Artista:
Mauro Passos
Artista Revelação:
Mr. Jacket
Melhor Disco:
Stubborm – Obsession
Melhor Videoclipe:
Stubborm – Obsession
Prémio Carreira:
Mauro Passos
Prémio do Público:
Mauro Passos
Melhor Vocalista:
Rui Taipa
Melhor Guitarrista:
Tiago Santos
(Apotheus / Mr. Jacket)
Melhor Baixista:
Nuno Pacheco (Plug / Uma Guitarra com Gente Dentro)
Melhor Baterista:
Joel Pinto
(Article 37 / No Recess)
Menção Honrosa:
Sérgio Rocha (Stubborm)
Menção Honrosa:
José Cunha
(Dor na Rótula)
sexta-feira,
26 Fev de 2016
17
paços de ferreira
Presidente do clube confirma negociações com o Benfica
Há interesse em
Diogo Jota, mas
jogador fica até ao
final da época
O
presidente do FC Paços de
Ferreira confirmou, no início desta semana, que existe um princípio de acordo para a transferência de Diogo Jota para Benfica.
“Há um princípio de acordo entre
Paços e Benfica. Agora o Benfica
tem de falar com o jogador”, referiu Rui Seabra, em declarações à
Rádio Renascença.
«Aguardo apenas que o Benfica
faça a próxima démarche, que é,
no fundo, chegar a acordo com
o jogador. Se o Benfica chegar a
acordo com o jogador, muito bem.
Se não chegar então o Diogo continua a ser jogador do Paços. Não
estou minimamente preocupado”, acrescentou o presidente da
sociedade desportiva.
Rui Seabra disse que não faltam clubes interessados no jogador e que o futuro do jogador está
garantido. “Se não for para o Benfica vai para outro, seja este ano
ou o próximo”, alegou. Rui Seabra
não tem, desta forma, dúvidas
que o extremo pacense “vai acabar por dar o salto, pois tem muita qualidade”.
Na mesma ocasião, Rui Seabra confirmou que houve um
grande clube que, na reabertura de mercado, tentou contratar
Diogo Jota. A imprensa falou no
interesse do Atlético de Madrid,
mas o líder dos castores não confirmou essa hipótese. Preferiu,
sim, salientar que, tal como tinha
prometido, Jota manter-se-á na
Mata Real até final da temporada. “Não sei se foi o Atlético, mas
surgiu outro clube interessado.
Mas o acordo que eu tenho...o
compromisso com treinador,
adeptos e empresários é que ele
ficaria sempre até final da época», disse.
Recorde-se que Diogo Jota tem
sido um dos pilares do FC Paços
de Ferreira, clube que está a lutar pelos lugares que dão acesso
às competições europeias. Ainda
no recente FC Paços de Ferreira – Benfica, que terminou com a
vitória dos encarnados, o jogador
justificou o interesse de vários
emblemas ao marcar um grande
golo que, na altura, deu o empate
aos castores.
António Coelho admite que o partido teve alguma dificuldade em reorganizar-se depois de
perder as eleições
Novo presidente do
PSD Paços de Ferreira
acusa PS de “empatar”
o desenvolvimento do
concelho
A
ntónio Coelho é o novo presidente da comissão política do PSD
Paços de Ferreira. O também vereador na Câmara Municipal de Paços
de Ferreira foi o único candidato às
eleições da passada sexta-feira.
O novo líder dos social-democratas pacenses admite que o partido
demorou a reorganizar-se depois
das últimas autárquicas e defende
que esta fase exige um PSD alternativo e a dar um contributo ainda
mais positivo. O autarca tece várias
críticas em relação ao executivo socialista, que acusa de “empatar” o
desenvolvimento do concelho e de
não planear o futuro.
Por outro lado, António Coelho
garante que as suas motivações
começam e terminam na comissão
política e que não será candidato
em 2017.
“O partido teve
dificuldade em adaptar-se
à posição de oposição”
40% dos militantes activos foram
às urnas, na passada sexta-feira,
votar na lista encabeçada por António Coelho. Na sua comissão política estão José Manuel Soares,
Joaquim Pinto, Alexandre Costa e
Paula Gonçalves. José Bastos foi
eleito para presidir à mesa do plenário.
António Coelho admite que o PSD
teve alguma dificuldade em reorganizar-se depois de sair derrotado
das últimas autárquicas. “O partido
teve dificuldade em adaptar-se à
posição de oposição e de se habituar a uma governação que parece oposição”, comenta. Depois de
dois anos de mandato com pouco
debate político autárquico em que
se assistiu “a um atirar de culpas
para cima do PSD”, esta será uma
fase decisiva e em que vão estar
em debate questões de fundo no
concelho como os temas da água e
saneamento, a situação financeira
da autarquia e a interacção com as
juntas de freguesia. “É preciso que
a partir de agora o debate político
tenha um nível mais construtivo.
Até agora foi destrutivo”, sustenta
António Coelho.
“O desenvolvimento do concelho
está empatado”, critica o vereador,
afirmando-se que isso se deve ao
rumo tomado com o processo da
PFR Invest. “Os bancos não estão
disponíveis para sanear as contas
do município, os investidores estão
a afastar-se do concelho e houve
outros que desistiram de investir
por falta de condições e de terrenos”, acusa o autarca.
“A minha motivação começa
e termina na comissão
política”
Com meio mandato pela frente e
um executivo socialista “hesitante”
e cheio de “avanços e recuos”, António Coelho defende que é tempo de
o PSD se mostrar como alternativa
e dar um contributo “ainda mais
positivo”. “Os elementos do PSD
têm agido de forma responsável e
votado favoravelmente vários temas”, salienta.
Entre estes avanços e recuos está
o processo da água. “Agora estão
disponíveis para pagar 50 milhões
de euros à concessionária, depois
de todo o combate feito. [Humberto
Brito] ou está arrependido por ter
sido o grande responsável por criar
o desequilíbrio na concessão ou
acredita que não resolvendo este
problema perderá a credibilidade
política. Eu estou convencido de
que ele está arrependido”, afirma
António Coelho.
Segundo o social-democrata,
falta uma linha orientadora neste
executivo e capacidade de planear
o futuro, mas “não tem sido tudo
negativo”. “Houve o bom senso de
manter alguns processos que já estavam em curso, como a conclusão
dos centros escolares, a regeneração urbana ou o Capital Solidária”,
dá como exemplo. Por outro lado,
critica a não preparação do município para o Portugal 2020. “Não
houve capacidade para obter financiamento comunitário. Há apenas uma verba inscrita para a qualificação da EB 2,3 de Freamunde.
Estamos a passar ao lado de uma
oportunidade única”, alega.
Ao VERDADEIRO OLHAR, António
Coelho garantiu ainda que não tem
por objectivo ser candidato à Câmara Municipal em 2017. “A minha
motivação começa e termina na comissão política”, diz, sustentando
que quer pôr de pé um projecto que
evite que o concelho esteja à deriva. Sobre o futuro, admite apenas
a possibilidade de o partido aceitar
um candidato de fora do PSD.
18
sexta-feira,
26 Fev de 2016
lousada
Agrupamento de Escolas de Lousada lança concursos
Celebração do centenário do nascimento
de Álvaro Feijó
O
centenário do nascimento
do poeta lousadense Álvaro Feijó
irá celebrar-se este ano com diversas iniciativas programadas
pela autarquia.
A primeira iniciativa está marcada para 10 de Março, dia em o
poeta Manuel Alegre assinala em
Lousada o 50.º aniversário do lançamento da “Praça da Canção”,
uma das suas obras mais emblemáticas. A iniciativa está marcada para a Biblioteca Municipal.
Das várias acções previstas,
destacam-se as conferências,
exposições, apresentações de
livros, projecções de filmes, concursos literários e visitas guiadas
à Casa de Vilar, residência do poeta e onde Manuel Alegre esteve
escondido antes da sua partida
para o exílio.
Durante todo o mês, vai estar
patente, na Biblioteca Municipal,
uma mostra bibliográfica multimédia, cujo tema é a obra do poeta neorrealista lousadense de
forte pendor humanista.
Concurso literário e de
ilustração para escolas
do concelho
O Agrupamento de Escolas de
Lousada promove mais uma vez
a obra do autor com iniciativas
para os alunos de todo o concelho.
Um dos concursos é direccionado
para a ilustração, enquanto o outro se direcciona para a escrita.
O 4.º concurso de Ilustração
dirige-se aos alunos das escolas
básicas e centros escolares, de
modo a sensibilizar esse público
para o conhecimento da obra de
Álvaro Feijó, bem como para a valorização da ilustração enquanto
metodologia complementar da
aprendizagem da leitura.
Os trabalhos podem ser apresentados por alunos do pré-escolar e
do 1.º ciclo, tendo como base um
excerto de um poema. Podem ser
utilizados materiais diversos para
a elaboração dos trabalhos como a
caneta de feltro, lápis, lápis de cera,
aguarelas, guaches e colagens.
Manuel Alegre marca presença no início das celebrações do centenário do nascimento de Álvaro Feijó
O prazo para a entrega dos trabalhos é 18 de Março e os três melhores classificados vão ser premiados.
Partindo do mesmo extracto do
poema do concurso de ilustração,
o 9.º concurso literário pretende
incentivar a criação e divulgação
literária em língua portuguesa,
no âmbito da homenagem ao poeta lousadense. Através deste
concurso pretende-se que os concorrentes desenvolvam e consoli-
dem competências na escrita e na
criatividade, bem como a promoção das diferentes formas de expressão escrita. Podem concorrer
todos os alunos do 1.º, 2.º, 3.º ciclo
e ensino secundário.
Hóquei em campo
Autarquia associa-se à EADA Portugal
Juventude HC
sagrou-se
campeão nacional
Jovens reflectem sobre temas
da actualidade
O
Juventude HC sagrou-se
campeão nacional de hóquei indoor de sub-18 da temporada
2015/16. A competição realizou-se
no passado fim-de-semana e também contou com a participação da
AD Lousada. Aliás, as duas equipas
de Lousada defrontaram-se na
final, após terem batido, respectivamente, os Lisbon Casuals HC e o
Casa Pia Atlético Clube.
No jogo decisivo, os atletas do
Juventude HC revelaram-se mais
fortes e bateram os seus adversários por 3-1.
Fruto da boa prestação durante
a prova, Vasco Ribeiro do Juventude HC foi consagrado como o melhor marcador. Já Rafael Oliveira e
José Diogo Marques, ambos da AD
Lousada, foram escolhidos como
melhor guarda-redes e melhor jogador.
Os jovens sub-13 da AD Lousada também foram à final do seu
escalão, mas tal como os mais velhos foram derrotados. O Futebol
Benfica foi o grande vencedor da
competição.
N
a sexta-feira da semana passada, realizaram-se duas iniciativas cujo propósito passou pela
reflexão acerca de temas da actualidade e estratégias de grupo
para a resolução de problemas.
“Atlantas, um mar de amigos” é
a designação do projecto desenvolvido pela Associação Portuguesa de Diplomacia Euro-Atlântica Portugal (EADA-Portugal), a
que a Câmara Municipal de Lousada se associou.
Nesse sentido, a actividade teve
como destinatários os alunos do 4.º
ano do Centro Escolar de Lodares,
sendo um projecto desenvolvido
pela EADA-Portugal, a que a Câmara
Municipal de Lousada se associou.
Os mais novos foram convidados a participar num exercício em
que se procurava sublinhar que “a
procura constante do consenso é
também um desafio perpétuo que
ajuda os participantes a explorarem a significância do processo
democrático no seio das grandes
organizações internacionais”.
A mesma equipa desenvolveu
também uma actividade com turmas do 12.º ano da Escola Secundária de Lousada. Esta acção foi
promovida pela Câmara Municipal
e pelo YAGU - Associação Juvenil
de Compreensão Geopolítica.
De acordo com representantes
da YAGU o “objectivo primordial
passa pela consciencialização
dos mesmos no que concerne à
compreensão de temáticas de natureza geopolítica que se manifestam na actualidade, bem como
a clarificação de conceitos como
a geopolítica, geoeconomia e geoestratégia e respectivo impacto
nas Relações Internacionais”.
O projecto educativo Strategus
tem como destinatário principais
os jovens do ensino secundário.
sexta-feira,
26 Fev de 2016
19
lousada
Foram alertados para burlas, direitos de autor, informação falsa e roubo de identidade
600 alunos ouviram conselhos sobre
os perigos da internet
Três
conselhos
para os mais
jovens
C
erca de 600 crianças de três
escolas do concelho de Lousada
participaram, na segunda-feira,
em sessões sobre Internet Mais
Segura, organizadas pelo Espaço
Internet com o apoio do projecto
SeguraNet, da Direcção-Geral da
Educação/Equipa de Recursos e
Tecnologias Educativas.
Estas acções de sensibilização
pretenderam alertas os jovens
para os perigos da internet e dar
alguns conselhos. Burlas, informação falsa ou roubo de identidade, foram alguns dos temas
abordados.
A
internet faz parte do
nosso dia-a-dia. Este espaço de potencialidades exige
alguns cuidados para evitar
riscos desnecessários e é
preciso proteger e educar os
mais jovens.
Para que possa navegar
com maior segurança deixamos três conselhos simples:
- Não divulgar dados pessoais, como nome, morada,
número de telefone ou nome
da escola que se frequenta;
- Não falar com estranhos na
internet, da mesma forma
que não o fazes na rua;
- Pensar duas vezes antes de
fazer qualquer publicação
de fotografia, vídeo ou texto.
Imaginar primeiro quantas
pessoas poderão ver essa informação.
Além disso, se alguém te tratar de forma desadequada
ou vires fotografias ou vídeos teus na internet e não
concordares com eles, avisa
sempre os teus pais.
A internet é uma
mercearia onde há de tudo
Foram quatro as sessões realizadas nas escolas de Lousada: duas
na Escola Básica de Lousada, uma
na Escola Básica de Caíde de Rei e
outra na Escola Básica e Secundária de Nevogilde.
Mais que uma aula, o objectivo
destas sessões, interactivas, foi
dar conselhos sobre como agir perante determinadas situações na
internet. O VERDADEIRO OLHAR
assistiu a uma delas, na Escola
Básica de Lousada.
“Fora da internet temos mais
de 2000 anos de experiência em
redes sociais, na internet só 10
anos. Ainda há muito a aprender
e é preciso que cada um faça a
sua parte para que a internet seja
melhor”, explicou Luís Valente do
projecto SeguraNet. Depois foram lançadas questões para pôr
os mais novos a pensar: “Quantos
amigos são precisos para ter uma
rede?” e “Qual será a dimensão
razoável de uma rede social?”. Segundo um especialista o máximo
que cada um consegue gerir são
150 amigos.
As dezenas de crianças presentes na sessão tiveram oportunidade de ver um vídeo que equipara uma mercearia onde se vende
de tudo àquilo que se passa na internet. Um homem vai à mercearia comprar álbuns de fotografias
de pessoas que não conhece, demonstrando a facilidade como se
usam fotografias sem autorização e sem respeito pelos direitos
de autor. “A internet não esquece e as nossas fotografias ficam
lá para sempre”, avisa o técnico.
Outra coisa fácil de contornar é o
acesso a conteúdos destinados a
adultos. A maioria das vezes é pe-
dida apenas a confirmação de que
se tem 18 anos ou mais. O mesmo
acontece com o acesso à rede social Facebook que, apesar de ser
destinada a maiores de 12 anos,
conta com perfis de muitos jovens
que apenas mentem na idade.
As burlas foram também abordadas, assim como a forma como a
publicidade é direcionada através
das nossas pesquisas, levando-nos
a comprar coisas que não precisamos, só porque é fácil e comodo.
“No ano passado, na Europa, foram gastos mais de 30 mil milhões
de euros em publicidade na internet”, referiu Luís Valente..
Por outro lado, há muita informação falsa na rede e o roubo de
identidade na internet é um dos
problemas que mais tem crescido. No Facebook, por exemplo, há
muitos perfis falsos mas criados
a partir de informação verdadeira.
Muitos pais não conseguem
identificar os perigos
“A internet é útil e indispensável, mas é preciso uma utilização
consciente e racional. É preciso
pensar como é que a internet sabe
tudo sobre nós – somos nós que o
dizemos”, resumiu o responsável
pelo SeguraNet.
Também o vereador das Novas
Tecnologias da Câmara Municipal de Lousada concorda que este
Jovens garantem que já têm
cuidado
R
icardo Gomes, 11 anos, e
Sara Pinto, 12 anos, foram dois
dos alunos do 6.º ano da Escola
Básica de Lousada que ouviram
estes conselhos que já conheciam,
garantem.
“Quando publico alguma coisa
penso sempre se devo ou não”,
afirma Ricardo. “Temos que ter
cuidado e não pôr a nossa vida
toda na internet porque isso pode
ser usado para outros fins”, sus-
tenta o jovem.
Ambos têm já conta na rede social Facebook, por exemplo. Mas
dizem que só aceitam amigos que
conhecem. “É só para a família e
amigos da escola”, diz Sara.
“Mas temos amigos que não
se preocupam muito com isso e
a partir de hoje vamos falar-lhes
destes conselhos e dizer para terem mais cuidado”, concordam os
dois.
uso massificado da internet trouxe coisas boas permitindo “estar
sempre em contacto com quem
gostamos, conhecer em tempo
real o que se passa no mundo,
facilitar o estudo, o trabalho e a
vida diária”. “Contudo, expõe-nos
a perigos não negligenciáveis
(invasão da privacidade, roubo,
contacto fácil com pessoas indesejáveis, visualização de material
impróprio, etc.). As crianças e
os jovens, estão mais expostos a
estes perigos, pelo que, ao avançarmos com estas sessões queremos contribuir para o trabalho
que a escola e as famílias fazem
neste domínio”, afirma António
Augusto Silva. Para o autarca, a
esmagadora maioria dos jovens
está vulnerável a estes perigos
e “muitos pais não conseguem
acompanhar o desenvolvimento e
têm dificuldade em identificar os
perigos e ajudar os filhos”, sendo
muitas vezes também vítimas da
internet.
20
sexta-feira,
26 Fev de 2016
lousada
Peripécia Teatro apresenta novo trabalho
The Lucky Duckies actuam no Auditório Municipal
“Ibéria – A louca história de The Lucky Duckies
uma Península”
actuam no
Auditório Municipal
N
a sexta-feira da próxima
semana, 4 de Março, a Peripécia
Teatro sobe ao palco do Auditório
Municipal de Lousada para apresentar a mais recente produção
intitulada “Ibéria – A louca história de uma Península”.
O enredo desenvolve-se em
volta de três actores, que levam
um pequeno kit, com um simples
manual de instruções, para uma
hilariante viagem pela história
da Península Ibérica. Desde a
aparição dos três pastorinhos,
até Camões e Cervantes, Padeira
de Aljubarrota, Vasco da Gama e
Cristóvão Colombo.
O espectáculo conta com a in-
terpretação de Noelia Domínguez, Sérgio Agostinho e Ángel
Fragua. A direcção está a cargo
de José Carlos Garcia.
Os bilhetes, com um preço de
quatro euros, podem ser adquiridos na Jangada Teatro. O espectáculo tem duas sessões: 14h30 e
21h30.
T
he Lucky Duckies actuam em Lousada no próximo
dia 5 de Março, no Auditório
Municipal de Lousada.
A banda tem como inspiração músicas dos anos 50 e 60
e estreou-se em 1987. Tem dois
álbuns editados, um em 2010
e o outro em 2013, que contém
originais e clássicos.
Marco António foi o criador
deste grupo, que conta também
com Cláudia Faria, Sérgio Fiúza, João Santos, João Correia e
Francisco Xavier Fernandes.
The Lucky Duckies têm influências de Elvis Presley, Dean Martin,
mas também de Frank Sinatra e
Samy Davis Jr.
Os bilhetes para o espectáculo estão à venda na Jangada Teatro, com
um valor unitário de cinco euros.
Verdadeiro Olhar (26 de Fevereiro 2016)
EXTRATO PARA PUBLICAÇÃO
Verdadeiro Olhar (26 de Fevereiro 2016)
Anúncio
Proposta em carta fechada
Processo 62/14.3T8AMT –
Insolvente: Pedro Miguel Matos
Coelho
NIF: 197.389.112
Administrador de Insolvência:
Domingos Lopes de Miranda
Processo 71/15.5T8AMT –
Insolvente: Ana Cristina Silva
Neto
NIF: 209.560.657
Administrador de Insolvência:
Rui Castro Lima
Tribunal: Secção de Comércio na
Instancia Central de Amarante
Os Administradores de Insolvência vão
proceder à venda do bem dos Insolventes constantes do Auto de Arrolamento,
através de apresentação de proposta
em carta fechada, conjuntamente nos
dois processos. Os interessados deverão enviar as suas propostas em carta
fechada devidamente identificadas com
PUB
nome, endereço, fotocópia de Bilhete
de Identidade ou NIPC. E contactos. As
propostas deverão ser remetidas ao
cuidado do Administrador de Insolvencia, Dr. Domingos Lopes de Miranda indicando o nº do Processo, para a morada: Rua Gabriel Pereira de Castro nº77,
4700-385 Braga até ao dia 07/03/2016,
até às 18horas.
As propostas recebidas serão abertas
no dia 08/03/2016, às 12h00m, na morada acima indicada.
Os bens, melhor descritos no Auto de
Arrolamento, serão mostrados no dia 29
de Fevereiro entre as 10:00 horas e as
11:00 horas mediante previa marcação
com o Administrador de Insolvência a
efectuar através do telefone nº 253 272
385 ou através do e-mail: domingos,l.
[email protected]
O processo de venda deve respeitar as
seguintes condições:
1. Os proponentes devem juntar à sua
proposta, como sinal de princípio de
pagamento, numerário ou um cheque
visado/bancário emitido à ordem da
Massa Insolvente Pedro Miguel Matos
Coelho, no montante de 20% do valor
ofertado (Nº4 do Artigo 164º CIRE).
2. Os Administradores de Insolvência
reservam-se o direito de não adjudicarem a venda do bem.
3. Os bens são vendidos no estado jurídico e físico em que se encontram, sendo fiel depositário o Administrador de
Insolvência.
4. Serão aceites propostas por 85% do
valor base.
5. O proponente cuja proposta seja aceite,
será notificado para no prazo máximo de
quinze dias a contar da notificação, pagar
o valor da adjudicação dos bens, através
de cheque visado, contra o qual se procederá à entrega dos bens.
6. Todas as despesas com escritura de
compra e venda, registos e impostos devidos correm por conta do adquirente.
7. O preço de venda será dividido por
ambos os processos de insolvência.
Lote nº1 – Valor Base do Lote:
55.250,00€
Fração Autónoma, designada pela letra
I, sita na Urbanização do Carvalhal, 11 –
2º Esq. Freguesia de Freamunde, concelho de Paços de Ferreira, inscrita na matriz urbana sob o artigo 2485 I e inscrita
na Conservatória do Registo Predial de
paços de Ferreira com o nº 1030 A
Os Administradores de Insolvência
Certifico narrativamente, para efeitos
de publicação, que, neste Cartório, em
19 de fevereiro de 2016, de fls. 40 a fls.
42 do livro de notas para Escrituras
Diversas nº 109-A, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, na qual
foi justificante:
JOAQUINA ANTÓNIA FREIRE DIAS, CF
217 906 478, solteira, maior, natural da
extinta freguesia de Bitarães, concelho
de Paredes, residente na Rua do Pereiró, nº 99, Bitarães, na freguesia e concelho de Paredes, titular do cartão de
cidadão da República Portuguesa com o
número de identificação civil 10757465
9 ZY8, válido até 2019/06/23.
Mais certifico que ela, nessa escritura,
declarou o seguinte:
Que é dona e legítima possuidora, com
exclusão de outrem do seguinte imóvel:
Prédio rústico, a mato, com a área de
seiscentos e cinco metros quadrados,
sito no lugar de Carreira, na freguesia e
concelho de Penafiel (extinta freguesia
de Novelas), a confrontar de norte com
Joaquim Jesus Ferreira Silva e António
Acácio Silva Ferreira, de sul com António Moreira, herdeiros e Alzira Freire,
de nascente com Brás Barbosa Reis
Sales e de poente com caminho público, não descrito na Conservatória de
Registo Predial de Penafiel, mas inscrito na respetiva matriz rústica em nome
da justificante sob o artigo 4980 da fre-
guesia de Penafiel (que corresponde ao
artigo rústico 1165 da extinta freguesia
de Novelas), com o valor patrimonial de
€65,00, ao qual atribui igual valor.
Que não é detentora de qualquer título
formal que legitime o domínio do referido prédio.
Que o mesmo veio à posse dela, primeira outorgante, por volta do ano de mil
novecentos e noventa e cinco, em dia
e mês que não consegue precisar, por
compra e venda verbal que dele ajustou fazer com Maria Outubrina Afonso
Gonçalves de Carvalho, solteira, maior,
residente que foi na Quinta da Mulra,
na extinta freguesia de Bitarães, concelho de Paredes, ato que nunca foi
formalizado.
Que, não obstante isso e desde então,
tem usufruído do mesmo prédio, tratando da sua conservação e limpeza, avivando as estremas, gozando todas as utilidades por ele proporcionadas, pagando
os respetivos impostos, com ânimo de
quem exercita direito próprio, sendo reconhecida como sua dona por toda a gente, fazendo-o de boa fé, por ignorar lesar
direito alheio, pacificamente, porque sem
violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente
e sem oposição de ninguém.
Que esta posse assim exercida, de
forma pacífica, continua, pública e de
boa-fé, desde há mais de vinte anos,
conduziu à aquisição do prédio, por
usucapião, que expressamente invoca,
justificando o seu direito de propriedade para efeito do seu ingresso no
registo predial, já que, dado o modo
de aquisição, não detém qualquer documento formal extrajudicial que lhe
permita fazer prova do seu direito de
propriedade perfeita.
A Notária
(Marina Antónia Alves de Sousa Aranda
Ferreira)
sexta-feira,
26 Fev de 2016
21
olhar (im)Parcial
T
odos os dias devíamos celebrar o dia da
mulher que é mãe, esposa, que estuda, trabalha, trata da casa, da roupa, prepara refeições, ajuda os filhos nos trabalhos de casa,
leva o cão a passear, é voluntária na associação da terra, cuida de si e da sua imagem
e ainda tem sempre um sorriso pronto nos
lábios para todos. Ou pelo menos
exigem que o tenha...ou que faça um
esforço para ter!
Ora digam lá, se não são motivos
mais do que suficientes para o dia
da Mulher ser todos os dias?
A verdade é que a mulher, de uma
forma geral, claro, é um ser com uma
capacidade incrível de se organizar
e conseguir fazer “mais dez coisas
ao mesmo tempo, enquanto espera
que o leite ferva. Os homens ficam a
olhar para a cafeteira, o leite ferve
e vem fora”. Este exemplo dado pelo
Francisco Coelho da Rocha num
post seu no facebook encaixa aqui
como uma luva, sobretudo por que
dado por um homem.
Nós somos assim e temos orgulho
de ser assim.
Então se é assim e se somos assim, por que motivo haverá mais homens na política do que mulheres?
Por que motivo haverá mais homens em cargos dirigentes do que mulheres?
As estatísticas mostram que essa realidade está para acabar e é pena que as mulheres
tenham levado tanto tempo a descobrir-se e
a terem a coragem e a ousadia para mostrar
do que são capazes... Hoje os astros estão
M
ediante a apresentação do Orçamento
de Estado para 2016, reparamos que a direita tende a criticar este orçamento por 2 caminhos indissociáveis. Numa primeira fase,
alegavam que iria haver um “brutal aumento
de impostos”. Depois de desmentidos pela realidade e pela UTAO, até Passos Coelho (PC)
já diz que esta diminuição de impostos só foi
alinhados e esperam que a mulher assuma o
seu papel no mundo.
É um papel exigente, ninguém tem
dúvidas...é de uma complexidade que se multiplica por 100 quando se é mãe.
Eu que o diga. A Clara nasceu há 5 meses
e a nossa vida deu uma volta daquelas...mas
tado tão ativas como desejariam, para que
abram a porta e vejam o mundo de oportunidades que está lá fora à vossa espera!
O associativismo e as autarquias locais
precisam do sentido feminino!
O marido colaborará e apoiará mais nas
tarefas lá em casa, acreditem!
Mulher feliz, casamento feliz... :-)
O dia da Mulher
é todos os dias...
Susana oliveira
Vice-presidente da Câmara Municipal de Penafiel
pela Coligação Penafiel Quer
um(a) filho(a) nunca pode ser razão para ficarmos fechadas isoladas do mundo. Tudo se
faz, com mais ou menos esforço, assim haja
vontade e energia q.b. para se aguentar as
noites mal dormidas.
Por isso, deixo uma palavra de incentivo
e força a todas as mulheres que não têm es-
Só para terminar e aproveitando este espaço nobre, quero manifestar a minha preocupação com os últimos números sobre a
violência no namoro. Os casos aumentaram
em 44% em 2015 face a 2014 e uma grande
parte dos jovens não encara como sendo
garantido, perante tal mudança de discurso
no PÁF, não é de admirar se votassem a favor
- até porque o atual orçamento foi corrigido
diversas vezes para acomodar desvios e erros eleitoralmente não resolvidos por Passos
e Portas.
Mas se há coisa que repudio e certamente
deve aborrecer a grande maioria dos Por-
horror a tudo o que é público, exceto quando se trata de pagar os seus danosos atos de
gestão.
Na última semana, PC disse que enquanto
foi Primeiro-Ministro o BANIF deu sempre
lucro. Contudo, há bem pouco tempo, a 22
de dezembro de 2015, o mesmo PC afirmou
que “não tinha uma solução muito diferente”
Um Orçamento de todos e as
incongruências de alguns
Nelson Oliveira
Membro da Assembleia Municipal de Lousada pelo Partido Socialista
possível graças ao “bom desempenho do seu
governo” e que “até ele já tinha começado a
descer os impostos”.
Pois bem. É a isto que batemos palmas. À
descida de impostos corroborada pela UTAO
e até por Passos Coelho.
Ora se à esquerda já existe voto favorável
violentos alguns atos que são, de facto, violentos. Mexer no telemóvel sem autorização,
proibir de vestir determinada peça de roupa,
proibir de falar com determinada pessoa,
proibir de sair sem o(a) namorado(a) também é violência. Forçar um beijo em público,
ou não, é violência...maltratar verbalmente e
tugueses, é conceder, também neste OE, dinheiro dos contribuintes para pagar e corrigir erros dos privados.
Cerca de dezasseis mil milhões de euros já
foram dados a BPN, BES e BANIF.
16 mil M€ oferecidos a bancos que, por
norma, os seus acionistas tem um ideológico
daquela que foi encontrada pelo Governo de
António Costa e que este foi “diligente” na
forma como atuou, assegurando a “estabilidade financeira” e os “depositantes do BANIF”.
Para além da incongruência de discurso
no espaço de 2 meses, vamos aos factos: em
ferir a sensibilidade do outro é violência. Q
uando se gosta, não se maltrata.
Quando se gosta, respeita-se.
Quando se gosta, cuida-se.
Fica o alerta a todos os jovens que estão
numa relação a dois para que estejam mais
atentos às atitudes do(a) parceiro(a).
2011 o BANIF apresentou prejuízos de 162
M€, em 2012 (-584 M€), 2013 (-470M€) e 2014
(-295M€).
ML Albuquerque, ex-Ministra das Finanças, admitiu que fez “oito tentativas para reestruturar o BANIF”. Mas então se dava lucro,
por que ML Albuquerque e a União Europeia
queriam reestruturar o banco?
Aliás, este novo posicionamento
do PSD revela-se atroz perante tudo
aquilo que fizeram no passado, senão vejamos:
Combustíveis: Apesar de compreender a preferência pelo aumento
do imposto sobre os produtos petrolíferos (em queda nos mercados internacionais) em vez de cortarmos
pensões ou salários, julgo ser exagerado o valor deste aumento num
país que tem de incentivar o crescimento económico e a classe média.
Contudo, não deixa de ser curioso o
PSD criticar este aumento de 6 cent.
quando em outubro de 2014 aumentaram, ao abrigo da “fiscalidade verde”, os combustíveis em 8 cent.
TAP: PC disse que pretende explicações do atual governo dada a presença de capital chinês na TAP. É
curioso que foi o mesmo ele próprio
que convidou esses mesmos Chineses para
apresentarem propostas na privatização da
TAP! E já agora, foi este mesmo deputado que
enquanto Primeiro-Ministro vendeu a EDP
à China Three Gorges, ou melhor, ao Estado
Chinês dominado pelo Partido Comunista.
Bem prega Frei Tomás…
22
sexta-feira,
26 Fev de 2016
olhar (im)Parcial
A
Câmara de Valongo homenageou no último domingo aproximadamente 400 atletas
que vivem no concelho ou que fazem parte
das equipas do concelho e que obtiveram, durante o ano de 2015, resultados desportivos
relevantes. É um justo tributo que a autarquia
de Valongo atribui aos atletas que
durante o último ano trabalharam
para conseguir obter os melhores
resultados desportivos.
A autarquia homenageia não
apenas os atletas mas também as
equipas e os dirigentes das equipas homenageadas. Os atletas e as
equipas são merecedoras deste reconhecimento porque contribuem
para elevar o nome de Valongo e
para a promoção do desporto no
concelho.
Para que os nossos atletas obtenham os melhores resultados
desportivos a autarquia de Valongo
faz uma forte aposta no apoio à formação desportiva dos jovens e dos
clubes. É uma verba que sabemos
ser bem utilizada pelos clubes que
a investem para criar as melhores
condições de trabalho para os atletas.
No orçamento deste ano a verba contemplada pela autarquia para o apoio à formação desportiva aumentou 25 mil euros, para um valor
total de 170 mil euros, ao qual acresce o apoio
às atividades desportivas promovidas pelos
clubes e ainda o apoio ao nível das instalações
desportivas.
O resultado do apoio da autarquia é o au-
mento, este ano, de mil atletas relativamente
ao ano anterior no total de mais de 4000 atletas
inscritos nos clubes do concelho. O resultado
deste apoio financeiro é a melhoria dos resultados desportivos permitindo ainda aos clubes
terem mais atletas e darem melhores condi-
vam um elevado estado de degradação.
Os equipamentos desportivos foram deixados ao abandono pelos executivos do PSD durante muitos anos chegando a uma situação insustentável, colocando o Concelho de Valongo
está na cauda dos concelhos da Área Metropo-
portivos e que a autarquia de Valongo não os
aproveitou como outros concelhos o fizeram.
Esses concelhos reúnem hoje todas as condições para realizar eventos de grande dimensão
e podem ter hoje uma melhor aposta na formação desportiva.
A autarquia de Valongo
reconheceu os atletas, clubes
e dirigentes do concelho
Orlando Rodrigues
Vereador na Câmara Municipal de Valongo pelo Partido Socialista
ções para a prática desportiva.
A par do apoio à formação desportiva a autarquia investiu no último ano quase um milhão de euros nos equipamentos desportivo
municipais de forma a criar melhores condições de trabalho aos clubes e aos atletas. Foi
necessário investir na melhoria dos equipamentos desportivos municipais que apresenta-
litana do Porto, sem ter, neste momento, meios
e apoios comunitários para fazer as melhorias
necessárias. Foram anos de abandono e de falta de manutenção de equipamentos com taxas
de utilização muito elevadas a exigirem um
apoio permanente.
Foram anos perdidos em que havia financiamento garantido para os equipamentos des-
Também no desporto Valongo está a mudar,
a autarquia apoia o investimento nos equipamentos desportivos, nos clubes e nos atletas.
Quero deixar aqui uma palavra de reconhecimento ao esforço de todos, clubes e atletas do
nosso concelho, que apesar das dificuldades
estão empenhados em promover o desporto
em Valongo.
passagem por Portugal: o ícone de Nossa Senhora de Kazan que o Patriarca Kirill ofereceu
ao Papa.
A imagem original, pintada em data incerta,
esteve vários séculos no mosteiro de Kazan e
dela se fizeram muitas reproduções, em igrejas
espalhadas pela Rússia. Despareceu em 1209,
nas guerras, e foi recuperada em 1579, nos
escombros de um incêndio, em circunstâncias
miraculosas. Tornou-se então a referência da
Rússia, a salvadora da pátria: primeiro contra
os polacos; depois contra os suecos; a seguir
contra Napoleão. A imagem tornou-se o ícone
da família do Czar e Pedro o Grande colocou
uma cópia na catedral dedicada a Nossa Senhora de Kazan, em São Petersburgo, a nova
capital. Esta catedral também tem uma história curiosa. Nalgumas fotografias, parece a
praça de S. Pedro em Roma, com a colunata e
a basílica, e a intenção era mesmo essa, como
expressão do anseio de a Rússia se unir novamente à Igreja católica. A Igreja ortodoxa
protestou com todas as forças contra aquela
arquitectura, mas o Czar foi mais teimoso.
A imagem foi roubada da catedral em 1904
e por isso os comunistas já não lhe deitaram a
mão, limitaram-se a destruir os outros exemplares e arrasar as respectivas igrejas, ou destinálas a instalações sanitárias e funções ridículas.
Só conservaram a catedral de São Petersburgo,
para Museu do Ateísmo. Ao cabo de clandestinidades várias, o ícone escapou da União Soviética
e foi parar às mãos de comerciantes oportunistas. A associação católica «Exército Azul» (azul,
cor de Nossa Senhora) resgatou-o colocou-o na
capela bizantino-russa da «Domus Pacis» (Casa
da Paz), junto ao santuário de Fátima, à espera
de ser devolvida aos russos. Em 1993, depois da
queda do muro de Berlim, foi para Roma, onde o
Papa João Paulo II a guardou com grande devoção no seu gabinete, com a intenção de a levar
pessoalmente à Rússia. Infelizmente, a igreja
ortodoxa russa rejeitou todas as tentativas de o
Bispo de Roma visitar o país.
Em 1997, ao tornar-se pública alguma documentação da II Guerra Mundial, soube-se que
Elias, então Metropolita russo no Líbano, tinha
enviado uma missiva a Stalin, levada em mão
pelo próprio Chefe do Estado-Maior da Armada
Vermelha, a contar-lhe uma visão: Stalin devia
libertar o clero da prisão e deixar que o ícone
de Kazan fosse levado em procissão em várias
cidades. O receio supersticioso de Stalin explica o chamado «período religioso» (entre 1941
e 1942) e o ter atribuído ao Metropolita Elias o
prémio Stalin, «por serviços eminentes à União
Soviética e à causa do socialismo». Elias não
quis receber dinheiro do ditador e entregou-o
para ajuda aos órfãos da guerra; derrotados os
nazis, Stalin esqueceu o «período religioso».
Em 2004, João Paulo II desistiu de esperar
pela oportunidade de visitar a Rússia e enviou
uma delegação para entregar o ícone ao Patriarca ortodoxo, como sinal do desejo de unidade. A delegação foi acolhida, mas a oferta foi
desvalorizada: a primitiva pintura tinha-se perdido, aquela era só uma cópia, talvez a roubada
da catedral de São Petersburgo; afinal, o Papa só
devolvia aos ortodoxos o que já lhes pertencia...
Tanta coisa mudou entretanto que Kirill,
actual Patriarca de todas as Rússias, escolheu
justamente uma cópia dessa imagem para a
oferecer ao Papa Francisco, como «expressão
de unidade».
opinião
José Maria C. S. André
Professor no Instituto Superior Técnico
da Universidade de Lisboa
A mulher mais poderosa do
mundo
«A
mulher mais poderosa do mundo», foi
o título de capa da edição americana da «National Geographic» de Dezembro passado. No interior, a revista trata o tema profissionalmente.
Documentou-se e convence: mesmo descontando milagres e aparições, o poder da Mãe
de Jesus chega a definir a identidade de povos
inteiros. Nem sequer a rainha de Inglaterra se
compara! Notícia que deixou os leitores norteamericanos impressionados e teve grande eco
na imprensa.
Na viagem ao México, Francisco brincou com
o assunto: até os mexicanos ateus se identificam com a mensagem de Nossa Senhora em
Guadalupe. Quanto mais ele, Papa! Na viagem
de ida anunciou: «O meu desejo mais íntimo é
ficar a olhar para a imagem de Nossa Senhora
de Guadalupe, um mistério que se estuda, estuda, estuda e continua sem explicação... é uma
coisa de Deus». O Papa referia-se a algumas características daquela imagem que ainda hoje
não se conseguem imitar, mas o importante
para ele era ficar a olhá-la e saber-se olhado. O
santuário percebeu o recado e colocou-lhe uma
cadeira em frente da imagem, para que o Papa
se demorasse ali, quase sozinho. Quando os
jornalistas lhe perguntaram o que tinha estado
a rezar durante aquele tempo todo, Francisco
desvendou uma ponta, mas guardou o resto:
«...as coisas que um filho diz à sua querida mãe
são um segredo!».
Na escala anterior, em Cuba, o Papa tinhase deparado com outro sinal impressionante
do poder de Maria. É uma longa história, com
sexta-feira,
26 Fev de 2016
23
editorial
sugestão de leitura
Ali
nha
men
tos
Francisco Coelho da Rocha
[email protected]
http://twitter.com/fcrocha
Vozes de
Chernobyl
Editor: Svetlana Alexievich
Editor: Elsinore
Preço: €17,69
A 26 de abril de 1986, Chernobyl foi palco do pior desastre nuclear de sempre.
As autoridades soviéticas esconderam a
gravidade dos factos da população e da
comunidade internacional, e tentaram
controlar os danos enviando milhares
de homens mal equipados e impreparados para o vórtice radioativo em que se
transformara a região. O acidente acabou por contaminar quase três quartos
da Europa.
Numa prosa pungente e desarmante,
Svetlana Alexievich da voz a centenas de
pessoas que viveram a tragédia: desde
cidadãos comuns, bombeiros e médicos,
que sentiram na pele as violentas consequências do desastre, até as forças do
regime soviético que tentaram esconder
o ocorrido. Os testemunhos, resultantes
de mais de 500 entrevistas realizadas
pela autora, são apresentados através de
monólogos tecidos entre si com notável
sensibilidade, apesar da disparidade e
dos fortes contrastes que separam estas
vozes.
PSD prepara candidato contra PS. Há
atitudes políticas para as quais não encontro definição nas Ciências Políticas.
Mas se o contorcionismo político fizesse
parte do catálogo das artes circenses,
esta região seria fecunda na produção
de protagonistas talentosos. Veja-se o
exemplo de Paredes e do PSD local, onde
a luta pela sucessão de Celso Ferreira
tem demostrado as aptidões de flexibilidade dos corpos políticos. A disputa, que
chegou a ser a quatro, reduziu-se a dois:
Joaquim Neves contra Pedro Mendes.
Pelo caminho, os que até agora diziam
(ou dizem!) de Pedro Mendes o que a
oposição não diz por pudor são os mesmos que agora aparecem em fotos, nas
redes sociais, a exibir entusiasticamente o cartaz de apoio ao candidato. Esta
eleição é a mais importante para a concelhia nos últimos 12 anos, pois quem a
vencer será, provavelmente, o candidato
do partido à Câmara Municipal de Paredes. Olhando de longe, parece que a vida
começa a correr bem para o lado dos socialistas.
correr às últimas eleições autárquicas,
tendo sido anunciado como candidato
pela Federação Distrital do Porto. Não o
chegou a ser, alegadamente, por motivos
de saúde, entretanto ultrapassados. Ora,
Elias Barros cumpre agora o seu segundo
mandato à frente da Junta de Freguesia
de Rebordosa, uma das mais importantes
do concelho, onde conseguiu resultados
históricos. É natural que queira avançar
para um projecto maior, ainda mais quando é público que tem recebido vários incentivos de alguns sectores importantes
da sociedade local. Se em 2013 Elias Barros era a escolha de Alexandre Almeida,
é natural que em 2017 estejam reunidas
todas as condições para o ser efectivamente.
ficha técnica
454.ª Edição
Propriedade
Flama Criativa - Comunicação, Lda
Morada/contactos
Rua do Carreiro, 38
4580-066 Paredes
Tel.: 224 107 460 | Fax: 224 921 846
E-mail:[email protected] (www.verdadeiroolhar.pt)
Director
Francisco Coelho da Rocha, ([email protected])
Jornalistas
Fernanda Pinto ([email protected]);
Isabel Rodrigues Monteiro ([email protected]);
Roberto Bessa Moreira ([email protected]).
Colaboradores
Adriano Ribeiro | André Ferreira | Célia Vilas Boas | Eduardo Cunha
e Silva | Filipa Costa | Fernando Sena Esteves | Hélio Rebelo | José
Baptista Pereira | José Maria André | Manuel Pereira | Nelson Oliveira
| Nuno Mendes | Orlando Rodrigues | Paulo Ferreira | Pedro Mendes |
Renato Vicente | Rodrigo Lynce Faria | Susana Oliveira
Departamento de Engenharia Informática
Altino Soares ([email protected])
PS prepara candidato contra PSD. Ao
mesmo tempo que servem o objectivo da
escolha do seu candidato à Câmara Municipal de Paredes, estas eleições no PSD
não deixarão de ter repercussões sobre
o PS concelhio e as suas estratégias eleitorais. Neste momento, não é certo que
Alexandre Almeida seja o cabeça de lista
à Câmara pelo PS, e talvez por isso não
tenha anunciado ainda a sua recandidatura. Mas, apesar de todos estes factores, é muito provável que Elias Barros
venha a protagonizar uma candidatura
socialista. Na verdade, Elias Barros foi a
escolha de Alexandre Almeida para con-
Edição Online
João Gomes ([email protected],com)
Departamento comercial
José Monteiro Rocha ([email protected])
Assistente de Direcção
Maria de Lurdes Ferreira ([email protected])
Design (ed. impressa)
Bárbara Ferraz ([email protected])
logística
José Torres
Tiragem: 10.000 exemplares
Número de Registo de Depósito Legal: 261694/07
Número de Registo: 125208
24
sexta-feira,
26 Fev de 2016
OpJV
ORÇAMENTO
PARTICIPATIVO
JOVEM
> VALONGO
SABE MAIS:
.PT
O
G
N
NGO
O
O
L
L
A
A
V
V
.
E
M
D
C
U
.
WWW
UVENT
J
L
A
T
R
O
P
OM
FACEBOOK.C
PUB