Clique aqui para saber mais

Сomentários

Transcrição

Clique aqui para saber mais
A PIANISTA BRASILEIRA CLARA SVERNER, INDICADA DUAS VEZES AO GRAMMY
LATINO, ABRE EM ABRIL A SÉRIE “PIANO PARA TODOS” EM NATAL/RIO GRANDE DO
NORTE
O PROJETO RESGATA GRANDES OBRAS DA CULTURA BRASILEIRA E PROMOVE O
ACESSO À BOA MÚSICA EM CINCO CAPITAIS BRASILEIRAS E DISTRITO FEDERAL
Um projeto democrático de música de boa qualidade irá percorrer cinco cidades
brasileiras e o Distrito Federal durante o ano de 2015: “Piano para Todos”, que em sua
primeira edição traz ao público a consagrada pianista brasileira Clara Sverner. Ao todo
serão seis recitais com ingressos a preços populares e masterclasses gratuitas no Rio
de Janeiro, Natal, Belo Horizonte, Palmas, Vitória e Brasília. Além de garantir o acesso
à boa música, o projeto da Delphos Produções, que conta com o patrocínio dos
Correios e realização do Ministério da Cultura e Governo Federal, ainda dá exemplo
de sustentabilidade ambiental e econômica com as ações “Lixo Zero“ e contratação de
pequenos empresários locais.
A turnê com Clara Sverner começa dia 16 de abril, quinta-feira, às 20h, no Teatro
Alberto Maranhão, em Natal, no Rio Grande do Norte, com um repertório que inclui
compositores como Chiquinha Gonzaga, Heitor Villa-Lobos, Glauco Velasquez, Mozart,
Debussy, Ravel e Listz.
O projeto vai além dos espetáculos e privilegia a aproximação de uma artista
experiente, talentosa e renomada como Clara Sverner com jovens músicos. Em cada
uma das cidades, a pianista irá ministrar masterclasses gratuitas para estudantes e
professores de escolas e conservatórios, que receberão ingressos de cortesia
referentes a 10% da capacidade de cada teatro. O objetivo é enriquecer o estudo e o
conhecimento técnico de novos talentos, além de trabalhar o resgate e a preservação
da música brasileira.
PROJETO VISA MEIO AMBIENTE E ECONOMIA
O «Piano para Todos » também tem a preocupação com a acessibilidade e
sutentabilidade ambiental e econômica. Os recitais serão realizados em teatros com
acesso para deficientes físicos, como rampas, elevadores e assistentes, além de
assentos especiais reservados aos cadeirantes.
Ainda tem a proposta de colaborar com a preservação ambiental ao promover a ação
«Lixo zero» com coleta seletiva e destinação de todo o resíduo produzido durante os
espetáculos para cooperativas locais de reciclagem. Lixeiras de coleta seletivas serão
dispostas nos teatros e posteriormente serão doadas aos mesmos. O projeto também
vai incentivar a econômia das cidades por onde passar, pois irá privilegiar a contração
de mão-de-obra local para a execução das produções.
CLARA SVERNER
O projeto “Piano para Todos” abre agenda com uma das concertistas mais
importantes do cenário internacional, com mais de 50 anos de carreira e duas
indicações ao Grammy Latino. Famosa por sua inquietude e ousadia ao piano, Clara
Sverner é uma intérprete de talento reconhecido pelo público e crítica no Brasil e no
exterior, tendo iniciado seus estudos em São Paulo com o professor José Kliass. A
qualidade estética e a expressividade com que executa as peças levaram a pianista
brasileira a voos mais distantes. Ela aperfeiçoou-se nos centros musicais mais
avançados como o conservatório de Genebra, onde recebeu uma medalha de ouro e o
MannesCollege off Music de Nova York.
Com um repertório escolhido minuciosamente, a concertista valoriza desde os antigos
virginalistas ingleses do século XVI até os principaisrepresentantes do século XX. Foi
ela que desvendou a produção pianística de Chiquinha Gonzaga, primeira mulher a
reger uma orquestra no Brasil, a quem dedicou várias gravações. Outros compositores
da música popular brasileira também ganharam outros universos sonoros pelas mãos
de Clara Sverner. A parceria com o saxofonista Paulo Moura permitiu explorar obras
clássicas de músicos como Pixinguinha e o trabalho resultou em quatro discos
gravados. Um deles «Vou vivendo» ganhou o prêmio Villa-lobos, em 1987.
CONCERTISTA EXPLORA LIMITES ENTRE O ERUDITO E POPULAR
Uma das caraterísticas mais marcantes de Clara Sverner é a dedicação tanto à musica
erudita quanto à popular brasileira. Com técnica apurada, a pianista passeia com
maestria tanto por clássicos como Mozart e Debussy, até os brasileiros como VillaLobos, tendo sido responsável pelo resgate das obras de Chiquinha Gonzaga e Glauco
Velasquez. No primeiro caso, o trabalho deu origem, em 1999, ao CD «Chiquinha
Gonzaga por Clara Sverner», utilizado na minissérie da Rede Globo.
A concertista possui uma discografia que ultrapassa os 25 títulos, tendo sido a
primeira a gravar disco no Brasil com obras de Anton Webern, Allang Berg, Eric Satie e
Maurice Ravel, em 1974. Sua primeira indicação ao Grammy Latino foi em 2009 com o
volume 3 de «Mozart por Clara Sverner», e a segunda, em 2011, com o disco “Chopin
por Clara Sverner”, na categoria de melhor álbum de música clássica. Em 2012, a
pianista viajou por cinco cidades do interior de São Paulo, quando lançou o CD “Ravel
e Debussy”, sucesso de crítica e venda.
PROGRAMA
Chiquinha Gonzaga - Bionne (Adeus)/ Atrahente
Heitor Villa-Lobo- Impressões Seresteiras
Glauco Velasquez -Devaneio sobre as onda/Brutto Sogno (pesadelo)
W. Mozart -Sonata K.V. 331 (Andante Grazioso/- Menuetto/ Alla Turca)
C. Debussy- Clair de Lune/ Feux D’artifice
M. Ravel-Sonatine (Moderé/Mouvement de Menuet /Animé
F. Listz - Valsa Mefisto
Informações para a imprensa:
Reg Murray - Assessoria de Imprensa
[email protected]
(24) 2221-0987 /9 9977-3646
(21) 9 8892-1549