RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA TELEVISÃO VERDES MARES

Сomentários

Transcrição

RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA TELEVISÃO VERDES MARES
XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA TELEVISÃO VERDES MARES: INDEXAÇÃO DE
IMAGENS AUDIOVISUAIS JORNALISTICAS
Lívia Maria Caetano da Costa1
RESUMO
Este trabalho apresenta o relato da minha experiência da qual eu estou adquirindo
durante o estágio que faço atualmente. As imagens para um jornal são
extremamente importantes, todavia é preciso um meio eficaz para trabalhar estas
informações, de modo a recuperá-las de modo fácil, rápida e fidedigna, pois a
indexação nas imagens jornalísticas é trabalhada de forma muito específica e
complexa, de maneira significativa e discriminante. Houve um grande interesse em
recuperação de imagens principalmente diante das novas tecnologias de
comunicação, as imagens tornaram-se fonte de informação verídica e valiosa para
muitos. Os jornais são importantes fontes de informação, principalmente nos últimos
anos que a produção de matérias jornalísticas cresceu consideravelmente, daí a
importância de trabalhar com a indexação de imagens. Os mesmos desenvolvem
um importantíssimo papel na sociedade, sempre se preocupando com questões
sociais da comunidade. Esta preocupação é vista nas matérias jornalísticas e nos
programas realizados para a própria comunidade. Com esta experiência estou me
preparando para um mercado de trabalho que cresce a cada dia, além de ser uma
área pouco convencional da Biblioteconomia, da qual a tendência é crescer cada
vez mais. Este relato conta com uma pesquisa qualitativa pois busco observar e
vivenciar ativamente no ambiente da indexação de imagens, identificando os
fenômenos. Baseia-se na pesquisa estudo de caso, por se tratar de uma pesquisa
muito específica, que incide no estudo profundo e detalhado do meu objeto.
Devemos descobrir todos os elementos constituintes desta área diferente, que com
certeza irá contribuir e muito para a área de biblioteconomia. Baseia-se na pesquisa
estudo de caso, por se tratar de uma pesquisa muito específica, que incide no
estudo profundo e detalhado do meu objeto.
Palavras-chave: Indexação de imagens. Jornal. Recuperação da informação.
Representação da informação.
1 Graduando da 6ª fase de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará.
E-mail: [email protected]
1 INTRODUÇÃO
A informação é a arma mais poderosa nos dias de hoje, pois com seu domínio
é possível liderar o setor seja da empresa ou constituição a que se destina. Isto
porque o mundo gira em torno de informação rápida, segura e ágil. Então, analisar a
agilidade e rapidez do processo de representação dessas informações é de suma
importância.
Com desenvolvimento científico e tecnológico, o volume na produção do
conhecimento cresce a cada dia. Contudo, a grande quantidade de informação
requer um meio adequado para trabalhá-la, para que posteriormente possa ser
recuperada. Diante disso, podemos ver a importância da indexação. Podemos dizer
que a indexação é uma análise atribuindo termos indexadores visando a
recuperação do conteúdo de forma clara, concisa, segura e consistente. Esses
termos são aplicados por meio de uma linguagem de indexação. Infelizmente estas
linguagens são compostas por vocabulários controlados ou não, é a partir daí que
surge os diversos problemas na recuperação.
Existem diversas estruturas de informação, que se estabelece através de
várias formas, uma delas é a multimídia, sob a forma de imagens, sons e textos.
Diante desse grande volume de informações, a representação dessas informações
deve ser feitas de maneira correta; pois caso contrário haverá ruídos na busca da
informação, causando dificuldades para acessar as informações desejadas. Há uma
ausência e até mesmo uma deficiência no processo de representar a informação.
Os jornais são importantes fontes de informação, principalmente nos últimos
anos que a produção de matérias jornalísticas cresceu consideravelmente. Os
mesmos desenvolvem um importantíssimo papel na sociedade, sempre se
preocupando com questões sociais da comunidade. Esta preocupação é vista nas
matérias jornalísticas e nos programas realizados para a própria comunidade.
Diante de tantas informações impostas aos jornais a todo o momento, é
preciso um meio para trabalhá-las. Diante disso, podemos ver o importante papel do
bibliotecário, isto porque é este profissional da informação que irá trabalhar todas as
informações dos jornais e torná-las disponíveis sempre que necessitarem. Ao
mesmo tempo em que acontece a transformação nos procedimentos e materiais das
imagens e sua reprodução, aumenta também a variedade em formatos e suportes.
O trabalho se torna complicado uma vez que diante de tantos registros das matérias,
existem dificuldades no processo de indexação, para registrar seus traços
pertinentes, para poder recuperar a imagem. A mídia tem grande domínio com seu
público essa aproximação é possível com o fazer jornalístico. Seu papel surgiu com
a necessidade de informar o cidadão.
O objetivo deste trabalho é descobrir esta área diferente da Biblioteconomia,
de forma a identificar novos meios para atuação, possibilitando portas abertas para o
mercado de trabalho. A indexação de imagens é uma área que requer atenção, pois
a mesma está crescendo consideravelmente, permitindo que o bibliotecário atue de
forma satisfatória, descobrindo e inovando cada vez mais, como forma a contribuir
para os jornais.
2 TELEVISÃO VERDES MARES
A TV Verdes Mares é uma emissora de televisão brasileira, com sede em
Fortaleza, localizada na Avenida desembargador Moreira, 2430. Atua no canal 10,
tem programação própria e nordestina, representa o meio de televisão dentro do
Sistema Verdes Mares de Comunicação. Foi fundada por Edson Queiroz, em 31 de
janeiro de 1970. A empresa é filiada a Rede Globo de comunicação, apresenta uma
preocupação em realizar campanhas sociais e culturais para a comunidade.
2.1 ARQUIVO DE IMAGENS
O arquivo de imagens, assim como a Tv Verdes mares foi criada em 31 de
janeiro de 1970. Atualmente o acervo é composto de aproximadamente nove mil
unidades entre dvd’s e fitas. O arquivo conta com duas bibliotecárias, Selma Maia
e Sônia Oliveira, dois auxiliares administrativos: Antônio Marrocos e Rosângela
Colares.
O arquivo conta também com uma estagiária de biblioteconomia: Lívia
Costa. O local onde o acervo está localizado é climatizado, com ar-condicionado
especial para a coleção de fitas e dvd’s. A biblioteca utiliza seu próprio sistema:
SISTEMA VERDES MARES: Arquivo de imagens. O setor atende a todos os
jornalistas, editores e pessoas que trabalham no jornal, além das pessoas de
outros setores, como a Tv Diário e o jornal Diário do Nordeste.
2.2 SERVIÇOS OFERECIDOS
Atendimento ao usuário: interação com o usuário, auxiliando-o na busca de
informações desejadas, e eventual recuperação de informação, tornando o
material disponível ao usuário. O arquivo tem um público grande e específico, se
trata de funcionários da Verdes Mares, TV diário e Diário do Nordeste. Os
jornalistas, editores e repórteres são os usuários mais assíduos. Dentre os
diversos serviços oferecidos, o aluno irá atender aos usuários como já foi dito,
buscando a informação desejada no mesmo instante, além de realizar
empréstimo e devolução, atendimento direto ao usuário executando o empréstimo
de materiais através do seu registro O aluno também terá a oportunidade de fazer
a decupagem, que se trata de um processo de observação em identificar todos os
dados de uma imagem ou até mesmo vídeos.
É preciso que faça uma divisão de todos os elementos que compõe uma
imagem ou vídeo. Outra atividade a ser desenvolvida é a pesquisa, feita no
próprio Sistema Verdes Mares, buscando por palavras chaves, termos ou
sintagmas de vocabulário controlado. A reposição de material na estante, no caso
fitas, dvd’s ou bluray’s, também será uma atividade.
Um processo muito importante é a cópia feita de matéria jornalística, que se
trata de uma transposição da fita UMATIC ou DVC-pro para o DVD ou bluray,
quando necessário o conteúdo das fitas, são transferidos apenas para um
computador, onde a informação será enviada para o departamento de redação do
jornal. A indexação é um passo complicado, pois o grau de informação deverá ser
exaustiva, pois caso contrário, os vídeos ou imagens, jamais serão encontrados
novamente, por conta da grande quantidade de acervo.
2.3 A INDEXAÇÃO A SERVIÇO DA REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO
A indexação consiste na “Tradução de um documento em termos
documentários, isto é, em descritores, cabeçalhos de assuntos, termos-chave, que
têm por função expressar o conteúdo de um documento” (LANCASTER, 1993, p.
19). Este processo incide em atribuir termos úteis, ou seja; identificar conceitos dos
documentos que são expressos na terminologia da linguagem natural, para
posteriormente
identificar
os
descritores,
vocabulário
controlado
etc.
Este
convertimento propõe a mudança da linguagem natural para a linguagem controlada,
para isto, o indexador deve fazer uma leitura analítica do documento para nomear
palavras-chaves, similares ao vocabulário para representar de maneira autêntica o
conteúdo. Esta indexação é compreendida como indexação manual.
A indexação é composta por um processo de análise do qual é feita em duas
fazes. A primeira fase consiste na descrição, que corresponde a identificação,
seleção e análise dos conceitos do conteúdo de um documento. A segunda fase
consiste na representação, ou seja; representar por meio de descritores que sejam
similares com o vocabulário ou sistema de recuperação. As duas fases satisfazem a
análise do conteúdo e palavras que representem esse conteúdo. Com a chegada
das tecnologias da informação, o processo de indexação sofreu grandes mudanças.
Há a indexação automática, que equivale aos mesmos procedimentos da
indexação manual, com a diferença que a indexação automática vai ser subsidiada
pelo computador e/ou internet, que permitirá identificar e selecionar termos para
representar os documentos com o auxilio do computador, que já contém meio
eficazes para compor o processo de representação, que são previamente
programados. Porém, o processo não deixa de ser complexo, isto porque a atuação
do indexador é a mesma, em relação a estudar e compreender do que se trata os
documentos, quais seus conceitos e termos corretos para recuperá-lo.
2.4 INDEXAÇÃO DE IMAGENS AUDIOVISUAIS JORNALÍSTICAS
A indexação nas imagens jornalísticas é trabalhada de forma muito específica
e complexa, de maneira significativa e discriminante, relacionado ao usuário; que no
jornalismo é usado um vocabulário informal, com linguagem natural. De acordo com
(BARRETO, 2007, p.4), o conteúdo da imagem é classificado em dois principais
tipos:
Conteúdo primitivo de imagens: refere-se aos elementos básicos que
compõem a imagem; são características visuais que podem ser
reconhecidas e extraídas automaticamente pelo computador com
reconhecimento de padrões e visão computacional. Conteúdos primitivos
são em geral de natureza quantitativa; [outro tipo de conteúdo] conteúdo
complexo de imagens – refere-se aos padrões de uma imagem que são
percebidas por seres humanos como fontes de significados. Dificilmente
podem ser identificados por máquinas e são principalmente de natureza
qualitativa.
A agilidade e eficiência do jornal vão depender das atualidades das
informações transmitidas pelo jornal, a fim de garantir a credibilidade do mesmo.
Para isso é preciso contar com o apoio de um bom sistema de informação,
armazenamento adequado, controle no processo de registro da informação, a
recuperação e disseminação da informação para ser possível gerenciar a base de
dados de forma confiável.
Houve um grande interesse em recuperação de imagens principalmente
diante das novas tecnologias de comunicação, as imagens tornaram-se fonte de
informação verídica e valiosa para muitos. No jornalismo a imagem é extremamente
importante, pois com elas é possível regressar em um melhor ambiente de trabalho,
com mais valorização e eficiência. Encontrar a imagem desejada muitas vezes é
complicado, pois com a diversidade de informações existentes em uma base de
dados, por exemplo, tornas-se difícil encontrar a imagem especifica, uma vez que
muitos outros resultados também aparecem por isso a indexação deve ser bem
elaborada.
Este é um trabalho de pesquisa e atribuição de conceitos nas imagens, que
sempre significam algo e muitas vezes são mais “verídicos” do que simplesmente a
informação transmitida pelo repórter. A linguagem de indexação é considerada um
aparelho controlador do vocabulário nos sistemas de recuperação da informação.
Para representar as imagens é preciso descrevê-las com palavras todos os traços
da mesma, e contextualizando todas as variáveis e requisitos necessários para a
indexação de imagens.
O pesquisador de imagens precisa descrever descritores por meio de
palavras de forma a recuperar a que mais lhe convém, utilizando ferramentas de
linguagem controlada para descrever o conteúdo informacional das imagens de
acordo com os níveis de exaustividade e especificidade de indexação. Com as
novas tecnologias o processo e armazenamento da indexação de imagens
audiovisuais mudaram, podemos ver esta diferença no processo de indexação
automática por meio do próprio sistema de representação, onde é feita a
classificação, catalogação e indexação no sistema facilitando tanto o trabalho do
profissional, como o usuário no momento da recuperação da informação.
A análise da imagem de acordo com (SMIT, 1996), é feita em três níveis: nível
pré-iconográfico, iconográfico e iconológico. O nível pré-iconográfico refere-se aos
objetos e ações representados pela imagem. O nível iconográfico compõe o assunto
convencional da imagem, em outras palavras, trata-se de um significado simbólico
da imagem. O terceiro nível é o iconológico, refere-se a interpretação do significado
essencial do conteúdo da imagem.
O público corresponde aos jornalistas e editores do jornal, eles utilizam
linguagem natural para facilitar o acesso à informação, além das adaptações para as
necessidades dos usuários.
Adequar percepções e necessidades dos usuários potenciais com os
critérios desenvolvidos pelos bancos de imagens para tornar disponíveis os
seus fundos. E tudo isso sem esquecer que o usuário é um cliente e que
seu espectro pode ser muito amplo, e responder às diversas necessidades.
(Tradução nossa. MUÑOZ CASTAÑO, 2001, p. 04).
A armazenagem pode ser feita em Blu Ray, o que permite maior capacidade
de armazenamento além do fácil acesso a informação. As representações das
imagens são feitas da seguinte forma; há uma interpretação dos elementos
constituintes da imagem, estes processos são: descrever e interpretar as
informações da imagem. Na indexação baseada em texto, quer dizer que é preciso
descrever as características fundamentais das imagens, como onde ocorre, como
ocorre, com quem ocorre etc. As palavras chaves são usadas na indexação para
descrever todos os elementos associados a imagem, tratando-se também em qual
repórter, cinegrafista, nome da matéria jornalística e outros.
2.5 CONCLUSÃO
Concluo que esta experiência é primordial para minha carreira profissional.
Todavia esta experiência merece ser repassada para todos os alunos que desejam
conhecer novas áreas da Biblioteconomia e descobrir o fascinante mundo da
indexação de imagens audiovisuais jornalística. O assunto merece um novo olhar,
técnicas que melhorem cada vez mais este campo tão vasto e importante para os
telejornais.
REFERÊNCIAS
APOLINÁRIO, Fábio. Metodología da ciencia: filosofía e prática da pesquisa. São
Paulo: Thompson, 2006.
BANCO de imagens e indexação. 201. Disponível em: <
http://www.pessoal.utfpr.edu.br/mezzadri/Papers_files/SCPDI02>. Acesso em 09
nov. 2011.
BARRETO, Juliano Serra. Desafios e avanços na recuperação automática da
informação audiovisual. Ciência da informação. Brasília, v. 36, n. 3, 2007.
Castaño, Jesús E. Muñoz. Bancos de imágenes: evaluación y análisis de los
mecanismos de recuperación de imágenes. Disponível em : <
http://eprints.rclis.org/bitstream/10760/11751/1/Bancos_de_im%C3%A1genes.pdf>.
Acesso em 15 dez. 2011.
LANCASTER, F. W. Indexação e resumo: teoría e prática. Brasília, DF: Brinquet de
Lemos/Livros, 1993.
SMIT, Jahanna W. A representação da imagen. Informare, Rio de Janeiro, v. 2, p.
28-36, Jul./dez. 1996.