Abrir arquivo tribuna-popular-edicao-152-pdf

Сomentários

Transcrição

Abrir arquivo tribuna-popular-edicao-152-pdf
Investigado em escândalo é nomeado por Claudia Pereira
Página 7
Foz do Iguaçu, 5 à 11 de maio de 2015 | Edição 152 | Ano V | R$ 2,00
Deputada traiu a educação
Claudia Pereira
votou contra os
professores
A deputada estadual Claudia Pereira, esposa
do prefeito Reni, está sendo considerada como
uma das traidoras dos professores do Paraná.
Mesmo diante de um massacre aos professores, ela votou a favor do governador Beto
Richa que jogou policiais da tropa de choque
contra os manifestantes, o que foi considerado um ato de extrema covardia.
Página 4 e 5
Explode mais uma denúncia de Duso pode estar usando dinheiro
contrato suspeito no Hospital público para distribuir benesses
Contrato é com o Instituto Corpore que tem vários
Pág. 6
processos no MP e Tribunal de Contas
Estão sendo distribuídas gratificações aos
Página 2
servidores
2
Tribuna P
opular
Popular
5 à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
Publicações no Diário Oficial apontam que supostamente Presidente da Câmara está
distribuindo, de forma indiscriminada, gratificações salariais à servidores da Câmara
Duso pode estar usando dinheiro
público para distribuir benesses
Da redação
Fotos: Arquivo/DOM
O presidente da Câmara Municipal
Fernando Duso (PT) vem publicando
no Diário Oficial do Município diversas concessões de gratificações, além
das nomeações feitas no começo da gestão. Os atos podem indicar suposto uso
do dinheiro público para distribuir benesses. Só em uma edição apareceram
mais sete concessões de benefícios. Em
alguns casos, as gratificações chegam
a 100%, ou seja, dobra o salário do
funcionário. A prerrogativa da concessão destas vantagens é exclusiva da
presidência.
Uma das portarias concede a uma
consultora jurídica 15% (quinze por
cento) sobre seus vencimentos mensais, “à título de Gratificação por Encargos Especiais – GEE, a contar de
1º de abril de 2015, pelo exercício de
funções específicas, adicionais às atribuições normais do cargo. Em outra
uma agente administrativa ganha 10%
(dez por cento) sobre seus vencimentos mensais, à título de Gratificação por
Encargos Especiais – GEE. A terceira
portaria concede 10% (dez por cento) a uma comunicadora social.
Ainda tem portaria concedendo
10% (dez por cento) para analista legislativo; 100% para uma assistente
técnico da Diretoria de Assuntos Legislativos, a partir de 1º de maio de
2015; 40% para agente administrativo
III, 40% (quarenta por cento) sobre
seus vencimentos mensais, a título de
Função Gratificada – FG-1; 30% para
analista legislativo. Um pedido de informações deverá ser formulado nas
próximas sessões a fim de avaliar os
critérios utilizados por Fernando Duso
para distribuir as verbas de gratifica- Portarias assinadas por Fernando Duso concedem benefícios, mas
critérios são questionáveis
ção.
Empresa vai faturar mais de R$ 6 milhões da iluminação
Uma empresa vai faturar mais de R$ 6
milhões em contrato com a prefeitura apenas para administrar o serviço de iluminação pública, função que desde os anos 90
vinha sendo realizada por servidores públicos. Existe até um departamento específico para tratar do assunto, mesmo assim o prefeito Reni Pereira resolveu contratar uma empresa. A publicação do extrato do contrato saiu no Diário Oficial do
último dia 30. Veja a íntegra.
Jornalismo sem censura
É uma publicação da Editora A Fronteira do Oeste Ltda.
CNPJ 04.640.198/0001-29 | Insc. Municipal 30125
Telefone (45) 3029-4999 - Foz do Iguaçu / PR
[email protected]
R EDAÇÃO
Diretor: Enrique Alliana
Jornalista Responsável:
Pedro Rodrigues da Fontoura
C OMERCIAL
Claudete Desbezel | Oscar Alliana
Impressão: RCK Comunicações Ltda.
Os artigos assinados são de inteira
responsabilidade de seus autores e não
representam a opinião do jornal
PR
CONTRATO Nº 025/2015 de 29 de abril de 2015.
CONTRATANTE: Município de Foz do Iguaçu –
CONTRATADA: LUMINAPAR SERVIÇOS DE
ILUMINAÇÃO PÚBLICA LTDA. CNPJ Nº:
09.047.890/0001-61
OBJETO: execução de serviços de manutenção e
suporte à gestão integrada do Sistema da Iluminação
Pública do Município de Foz do Iguaçu, conforme
previsto no Anexo I - Projeto Básico. O local do objeto foi inspecionado previamente pela CONTRATADA
que se declara em condições de executar o objeto do
presente contrato em estreita observância com o indicado nos projetos, nas especificações e/ou memoriais
e na documentação levada a efeito pela licitação através do Edital de Concorrência nº 020/2014.
VALOR: global de R$ 6.288.468,38 (Seis milhões,
duzentos e oitenta e oito mil, quatrocentos e sessenta
e oito reais e trinta e oito centavos);
PRAZO: até 36 (trinta e seis) meses.
São R$ 6,2 milhões para administrar os serviços de
iluminação sendo que o Município possui um departamento
inteiro só para cuidar desse assunto
Eleitores estão colocando os vereadores na parede
O vereador Paulo César Queiroz "Coquinho" foi durante criticado pelos seus eleitores de que está na hora de começar a pensar no bem da sociedade, pois nesta gestão só pensou em defender o Governo Reni Pereira e seus interesses pessoais.
A pressão popular e relatos na demora no atendimento do
SAMU/Foz, levou o vereador a pedir explicações ao Poder Executivo. O Legislativo iguaçuense encaminhou ao Prefeito Reni,
solicitações de informações sobre a atuação do SAMU em Foz
do Iguaçu. Através do requerimento de “Coquinho”, os vereadores querem conhecer a realidade dos números de atendimentos,
bem como a quantidade de unidades móveis disponíveis a população e qual é a estrutura existente atualmente para atender a demanda do Município.
5 à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
3
Para ganhar a eleição, prefeito Reni Pereira iludiu a população com projetos mirabolantes
Entenda verdades e mentiras sobre
as dívidas herdadas na prefeitura
Da redação
Fotos: Arquivo
Desde que assumiu a Prefeitura de
Foz do Iguaçu em janeiro de 2013, o
que o Sr. Reni Pereira mais faz é achar
desculpas para não executar o que prometeu. Para ganhar a eleição, iludiu a
população com projetos mirabolantes,
inexequíveis, que não encontravam
amparo financeiro para sua execução.
As fantasias expostas à população iam,
desde a construção de três viadutos,
até a criação de um centro esportivo
olímpico, passando pela construção de
novas UPA’s, no Morumbi e no Porto
Meira.
Até hoje, quando questionado, o
principal argumento do incompetente
Reni Pereira pelo não cumprimento
das promessas é a dívida herdada da
administração anterior. No início do
mandato, chegou-se a falar em dívidas na casa do 1 bilhão de reais, uma
mentira insana, que, levada à justiça,
certamente resultará em responsabilizações criminais.
Para chegar nesses números, Reni
Pereira utilizou o cálculo atuarial do
FOZPREV, onde são indicados valores extras que deverão ser aportados
pela Prefeitura ao longo de muitos anos
vindouros, que, representam um esforço que a administração municipal deverá fazer para compensar o que prefeitos anteriores a 2005 não cumpriram.
Aliás, em relação ao FOZPREV,
em nenhum momento foi citado pelo
Sr. Reni Pereira que a criação daquele Instituto ocorreu no Governo Paulo
Mac Donald, e que, em janeiro de
2013 havia mais de R$ 160 milhões
depositados, à disposição dos aposentados e pensionistas da Prefeitura
de Foz do Iguaçu.
O atual governo divergiu várias vezes quanto ao montante da dívida herdada, falando em R$1 bilhão, R$100
milhões, R$ 70 milhões, R$ 50 milhões
e nunca demonstrando com documentos o valor real dos balanços da Prefeitura. Pois bem, os relatórios a seguir demonstram os valores reais dos
balanços da Prefeitura em 31/12/
2012, e confronta com os números do
balanço de 31/12/2014.
Verifica-se no relatório acima, do ano de 2012, que as operações de
créditos (empréstimos a longo prazo) estavam em R$ 506.955,19 e os
restos a pagar eram de pouco mais de R$ 14 milhões, ou seja, muito longe
de uma situação de insolvência, que quiseram impor como verdade
Relatório de 2014 aponta que Reni elevou dívida para R$ 55 milhões
O relatório de 2014 aponta uma enorme elevação das dívidas, indicando operações de créditos
no montante de R$ 11,6 milhões e restos a pagar
superiores a R$ 55 milhões de reais. Fica claro que
aconteceram muitas declarações mentirosas na imprensa, sempre com o intuito de atribuir a inércia
do governo atual à dívida herdada da administração anterior. Também mentiram quanto à dívida imediata da Prefeitura, vez que boa parte dos valores
informados como pendências referiam-se à SANEPAR, que estavam sendo negociadas no processo
de renovação da Concessão, tendo ocorrido o perdão da dívida quando foi assinado o novo contrato.
Muitos dos valores que a Prefeitura devia em
janeiro de 2013, referiam-se ao custeio mensal da
Administração Municipal, que seriam cobertos pelas transferências que ocorrem mensalmente por
parte do Governo Federal (FPM e FUNDEB),
Governo Estadual (ICMS e IPVA), além dos repasses fundo a fundo das áreas da Saúde, Educação e Assistência Social, recebidos do FNS, FNDE
e FNAS, respectivamente.
Ainda haviam as importâncias empenhadas de
recursos vinculados (convênios e contratos de repasses) que somente seriam pagos após a liberação das parcelas por parte dos órgãos concedentes (Ministérios e Secretarias de Estado).
Esse texto tem o objetivo de demonstrar que a
Na gestão Reni (2014) operações de créditos no montante de R$ 11,6 milhões e restos a pagar
superiores a R$ 55 milhões de reais
situação financeira da Prefeitura de Foz do Iguaçu
em janeiro de 2013 era de absoluta normalidade,
com um quadro financeiro e orçamentário totalmente
administrável.
Para dar continuidade aos trabalhos, bastava ao
Prefeito somente ter vontade política de servir à população e indicar alguém dotado de capacidade técnica para dar continuidade aos trabalhos na área fi-
nanceira. Mas não! O alcaide, por não ter um projeto definido de governo, preferiu polemizar e tentar
achar um culpado pela sua incompetência.
Como o tempo é o senhor da razão, a verdade
veio à tona, demonstrando que toda aquela conversa de dívida impagável não passava de mentira e
balela, típicas de gente politiqueira, que ganha a vida
iludindo os menos esclarecidos.
4
Tribuna P
opular
Popular
5 à 11 de maio de 2015
CIDADE
Secretário de Reni Pereira terá que comparecer à Câmara para prestar esclarecimentos
Arrocho da prefeitura vai causar
demissões em massa na cidade
Da redação
Fotos: Divulgação
O secretário municipal da Fazenda, Ademar da Silva, está sendo convocado pela Comissão
Mista da Câmara para prestar
esclarecimentos sobre o projeto
que aumenta em 66% a alíquota
do ISSQN. A decisão foi tomada
depois que o prefeito Reni Pereira (PSB) não mandou representante na audiência pública da semana passada, o que causou indignação dos representantes da
sociedade organizada. Empresários alertaram que com o arrocho
que a prefeitura insiste através do
ISSQN, vai acontecer uma onda
de demissões na cidade, especialmente nos setores de serviços e
até na construção civil.
O debate polêmico no plenário foi conduzido pelo Presidente da Câmara, Fernando Duso
(PT). Participaram representantes da rede hoteleira; Acifi; Codefoz; Sindhotéis; OAB; Codefoz; Conselho Municipal de Turismo – COMTUR; Associação
dos Arquitetos, Agrônomos e
Engenheiros – AEFI e demais
Debate foi polêmico na Câmara; Reni foi duramente criticado
integrantes da sociedade civil organizada. Após intensa discussão, o relator da Comissão mista, Vereador Gessani da Silva
(PP), encaminhou a discussão
para o plenário e ficou definido
que “a prerrogativa legal do Legislativo é convocar o Secretário da Fazenda para explicar o
projeto que trata da majoração
do imposto. Assim entenderemos o motivo da demora em
conceder um alvará”.
Segundo ele, “a audiência foi
muito importante. Quando o projeto chegou nessa casa de leis
pedimos justamente a audiência
para ouvir quem está sendo diretamente afetado pelo aumento do imposto. O país passa por
grande crise, a logística é toda
mais cara para as empresas e
temos até 10 de maio para dar o
parecer da comissão mista. Se
Gessani é relator do projeto e
espera posição da prefeitura
não tiver nenhuma resposta do
Executivo quanto à retirada vai
entrar em votação no dia 11 de
maio”, ressaltou o Vereador
Gessani. Ele informou que a comissão “já pediu uma lista dos
contribuintes de impostos dentro
da linha que está sendo cobrada
para ter um parâmetro de quem
paga e não paga. Entendemos
também que o município precisa fazer um ajuste fiscal, mas
com justiça”, destacou o vereador.
A Comissão Mista é integrada pelos Vereadores: Dilto Vitorassi (PV) – Presidente, Gessani da Silva (PP) – relator desse
projeto, Anice Gazzaoui (PT),
Luiz Queiroga (DEM) e Nilton
Bobato (PC do B), é quem está
analisando o projeto e emitir o
parecer favorável ou não ao
PLC n°03/2015.
Empresários estão na bronca com o prefeito
Segundo Licério Santos,
do Conselho Municipal do
Turismo - COMTUR, “Muitas empresas ainda não utilizam a nota fiscal eletrônica.
É papel de a Prefeitura fazer a fiscalização da nota, é
uma ferramenta fácil, que
resolve a arrecadação. O
que vai resolver é aumentar
arrecadação, incentivando o
empresário que não conseguiu se legalizar para que ele
se insira no processo e passe a ser contribuinte. Aumentar o imposto de 3%
para 5% significa 66% de
aumento de fato”.
O Vice-Presidente do Sindhotéis, Vilmar Andreola,
questionou: “Precisamos de
R$ 1,5 milhões para manter
a nossa empresa aberta. São
R$ 600 mil só com folha de
pagamento. Precisamos de
65% de ocupação hoteleira na
cidade para mantermos o
Licério Sant
os: ““A
A umentar o impost
o
Santos:
imposto
de 3% para 5% significa 66% de
aumento de fato”
equilíbrio. Estamos apelando a
vocês que convençam o prefeito que não faça o aumento. Não
somos contra o aumento, mas o
momento é crítico, então pedimos a sensibilidade dos vereadores. Se aprovarem isso não
temos outra alternativa a não ser
desempregar 50% das pessoas”,
Vilmar Andreola: “Se aprovarem isso
não temos outra alternativa a não
ser desempregar 50% das pessoas”
enfatizou o empresário.
João Batista, Presidente da
Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu - ACIFI,
foi enfático ao declarar que, “É
preciso pensar com a cabeça de
economista e entender que a
médio e longo prazo isso vai tirar empregos da nossa cidade.
Thais: “O reajuste do ISSQN não
atinge apenas a rede hoteleira, mas
muitos outros setores”
Evidentemente que esse setor é
a mola propulsora da nossa economia”.
Thais Marzukiewicz, Presidente da AEF, relatou: “O reajuste do ISSQN não atinge apenas a rede hoteleira, grande parte dos nossos empresários são
profissionais liberais e eles são
obrigados a recolher o imposto. Esse reajuste de 66% nós
não conseguimos passar para
nossa tabela de honorários.
Toda liberação de alvará de
obra acima de 70 metros é tributada. O nosso setor, em especial, já vem sofrendo uma
desaceleração”.
Tribuna P
opular
Popular
POLÍTICA
5 à 11 de maio de 2015
5
Com paralisação de obras e muito descaso, prefeitura prova do próprio veneno
Escavadeira cai em cratera de
obra abandonada da prefeitura
Cratera encheu de água e estava prestes a transbordar
Da Redação
Fotos: Enrique Alliana
Uma cena inusitada foi registrada por populares no Parque Presidente em uma rua
que fica nas proximidades da
rodoviária, final da Avenida
José Maria de Brito. Uma retroescavadeira caiu na cratera aberta pela própria prefeitura na rua Raniere Mazzilli,
Parque Presidente II. De
acordo com moradores, devido às fortes chuvas que castigaram os iguaçuenses por
toda a madrugada e manhã de
domingo, 3 de maio, eles entraram em contato com a prefeitura de Foz para informar
Retroescavadeira acionada para resolver o problema caiu na cratera
que o buraco estava quase
transbordando, e poderia alagar dezenas de residências.
Diante da previsão de mais
chuvas, a prefeitura enviou
uma retroescavadeira de grande porte para abrir uma passagem de água, sendo que
devido intensidade da chuva,
a máquina acabou deslizando
pela lama e caiu na cratera,
ficando quase que suas esteiras submersas na lama. Foi
acionado apoio de outra retroescavadeira para tentar retirá-la da lama. Após cinco
horas de tentativa, acabou desistindo, permanecendo no
local para novas tentativas na Equipe não conseguiu resgatar
a retroescavadeira
segunda-feira.
Problema de obra abandonada
acontece na rua Ranieri Mazilli
Em março carro já havia caído no mesmo buraco
Como o Tribuna Popular vem noticiando há meses, a obra está abandonada pela prefeitura na rua
Raniere Mazzili. No mês
passado, um veículo caiu
no mesmo buraco, onde
não havia sinalização alguma. Por diversas vezes os
moradores denunciaram o
descaso da prefeitura.
O Secretário de Obras
participou de noticiário da
RPC (Rede Globo) informando que as obras deveriam ser retomadas em poucos dias, porem mentiu ao
vivo aos telespectadores. No
dia 20 de março, ele disse que
a obra seria reiniciada na semana seguinte. Entretanto, o
abandono continua, a exemplo do asfalto e galerias na
avenida Ranieri Mazilli.
Veículo caiu na cratera em março
por causa da falta de sinalização
Passados dois meses do incidente,
o problema continua
65
Tribuna P
opular
Popular
à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
Sindicato da Saúde aponta suspeita em contratação de instituto que tem
várias denúncias na justiça e está condenado a devolver recursos
Explode mais uma denúncia de
contrato suspeito no Hospital
pessoal realizadas por meio da
parceria; falta de aplicação financeira e ausência parcial de
prestação de contas.
Enrique Alliana
Fotos: Divulgação
A CPI das Finanças da prefeitura acaba de receber mais
uma denúncia de contratos suspeitos na área da saúde. Desta
feita quem está pedindo informações e solicitando investigação dos fatos é o Sindicato dos
Trabalhadores na Saúde. De
acordo com o presidente Paulo Sergio Ferreira, a Fundação
de Saúde firmou contrato com
o Instituto Corpore para Desenvolvimento da Qualidade de
Vida. O objeto é atender funcionários do Hospital Municipal. O sindicalista enviou solicitação à CPI informando que
existem várias denúncias no
Tribunal de Contas e Ministério Público contra a Oscip, "fato
que poderá causar prejuízos
aos cofres públicos da nossa
cidade".
O instituto que mantém contratos com prefeituras do Paraná e São Paulo está mergulhado em denúncias, incluindo
sentença determinando devolução de recursos. Os casos
denunciados pelo MP ocorreram em municípios como Curiúva (PR), Tibagi (PR), Primeiro de Maio (PR) e Guarujá
(SP). Só em Curiúva foram
apontadas quatro irregularidades que levaram o Tribunal de
Contas do Estado do Paraná
(TCE-PR) a julgar irregular a
prestação de contas do convênio firmado entre o Município
e o Instituto Corpore, no valor
de R$ 1.854.194,41, referente ao exercício de 2008. Por
conta das irregularidades, o
TCE determinou a devolução
integral dos recursos, solidariamente, pelo Instituto Corpore e pela então presidente do
instituto, Crys Angélica Ulrich.
Os motivos foram a falta de
apresentação de documentos
obrigatórios, terceirização indevida de serviços de saúde,
contratação irregular de agentes comunitários de saúde e a
não comprovação de despesas
operacionais, no valor de R$
180.340,35. O objetivo do
convênio era a execução de
programas na área de saúde.
Falcatrua também
em Guarujá
Paulo Sérgio pediu investigação do contrato
Além da devolução integral dos
repasses, o TCE também determinou a aplicação de duas
multas ao ex-prefeito de Curiúva, Marcio da Aparecida Mainardes. A primeira, no valor de
R$ 2.901,06; a segunda, de R$
145,10 - totalizando R$
3.046,16.
o ex-prefeito de Primeiro de
Maio (PR) Mário Casanova
deverão restituir, de forma solidária, a soma de R$
215.337,22 aos cofres desse
município da Região Norte do
Paraná. O valor deverá ser corrigido monetariamente e calculado após o trânsito em julgado da decisão, da qual cabem
Bronca em Tibagi
recursos.
As irregulares são ausência
O Tribunal de Contas do
Estado do Paraná (TCE-PR) de extratos bancários, de dojulgou irregular a prestação de
contas de convênio entre a Prefeitura de Tibagi (Campos Gerais) e a organização da sociedade civil de interesse público
(Oscip) Instituto Corpore para
o Desenvolvimento da Qualidade de Vida e determinou a
devolução de R$ 697.845,24,
corrigidos, ao cofre do município. No Relatório de Inspeção
14/2009, os técnicos do Tribunal de Contas comprovaram irregularidades na aplicação dos
R$ 3.971.031,14 repassados
pelo Município à Oscip em
2009. Entre as irregularidades
estão a terceirização ilegal de
mão de obra para burlar o concurso público.
cumentos e de devolução do
saldo final em conta corrente;
terceirização imprópria de serviços públicos; realização de
despesas a título de taxas administrativas sem a demonstração do seu caráter indenizatório; pagamento de provisões,
juros e multas; contratação de
agentes comunitários de saúde
e agentes de endemia por meio
de pessoa interposta; não contabilização das despesas com
Contra o instituto Corpore
pesam acusações em contrato
assinado com o Município de
Guarujá (SP). As denúncias
dão conta de que alguns médicos do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, não
estavam trabalhando nas UBS,
mas, sim, nas Usafas, cuja responsabilidade pelas equipes é
da OS, que recebe dinheiro do
Município para contratar e
manter profissionais próprios.
No centro da polêmica envolvendo o Instituto Corpore no
Guarujá também esteve, em
2014, a má qualidade do atendimento nas unidades e a prorrogação dos contratos com a
referida OS. Em julho de 2014
veio a primeira prorrogação,
por 60 dias, ao custo de R$ 56
mil ao dia (R$ 3,4 milhões) repassados à entidade.
A presidente da CPI, vereadora Anice Gazzaoui, já emitiu pedido de informações e
toda a documentação referente ao contrato celebrado em
Foz.
Mais irregularidades
O Instituto Corpore para o
Desenvolvimento da Qualidade
de Vida, a ex-presidente da en- CPI está solicitando informações sobre
tidade Crys Angélica UIrich, e o contrato suspeito
Instituto contratado em Foz está
mergulhado em denúncias
Tribuna P
opular
Popular
POLÍTICA
5 à 11 de maio de 2015
7
Alexei da Costa Santos é ex-Diretor Financeiro e
ex-pregoeiro da Fundação Municipal de Saúde
Investigado em escândalo no HM
é nomeado no gabinete de Claudia
Enrique Alliana
Fotos: Assessoria
O ex-Diretor Financeiro e
ex-pregoeiro da Fundação
Municipal de Saúde, Alexei
da Costa Santos, foi nomeado com salário de marajá no
gabinete da deputada Claudia Pereira, esposa do prefeito Reni. Braço direito do
casal Pereira na campanha
eleitoral e dirigente do PSB,
Alexei é investigado no escândalo do Hospital Municipal que envolve denúncia de
supostos superfaturamentos
em serviços que foram terceirizados, alguns sem licitação. Como assessor no ga-
binete da deputada, o apaniguado recebe salário de R$
7,9 mil por mês, que no total
soma 6,3 mil líquidos.
Os indícios de irregularidades na Fundação Municipal de
Saúde foram apontados por
uma auditoria realizada pela 9ª
Regional de Saúde, órgão do
Governo do Estado. Antes, as
denúncias já tinham sido feitas pela oposição na Câmara,
após verificação dos contratos terceirizados. Os levantamentos indicaram possível superfaturamento médio de R$
1 milhão por mês. Dos cinco
contratos de terceirização,
nos primeiros dois analisados
pela comissão de intervenção
a diferença de preço superou
os R$ 370 mil por mês.
No geral, quando Reni
Pereira assumiu a administração os custos do hospital
eram de R$ 3,5 milhões por
mês. Ano passado chegaram
a R$ 6,7 milhões mensais.
Através da auditoria da 9ª
Regional de Saúde as denúncias da oposição se confirmaram, o que ensejou uma
intervenção. Sob pressão
popular, a bancada dos vereadores da base de apoio
do prefeito se viram obrigados a alterar uma comissão
especial para CPI da Saúde
e priorizando a apuração das
denúncias de superfatura- Enquanto professores apanhavam no lado de fora da
mento nos contratos no hos- Assembléia, lá dentro Claudia votava a favor do governo e
pital.
contra os servidores estaduais
Total Bruto
R$ 7.900,00
Valor Bruto ( - Desc#Obrig#) R$ 6.374,22
Alexei no dia em que foi ouvido na CPI do Hospital Municipal
COMISSIONADO
125555
Nomeado foi ouvido na CPI
Alexei da Costa Santos foi um dos ouvidos na CPI que investigou os contratos
suspeitos na Fundação de Saúde. Ele prestou depoimento no dia 18 de junho do ano
passado. O ex-diretor financeiro relatou
que ingressou em meados de junho de 2013
na Fundação de Saúde permanecendo até
dezembro do mesmo ano.
O vereador Bobato o questionou a falta de processo licitatório que envolveu os
serviços terceirizados de cinco empresas
nas áreas de alimentação/refeição, laboratório, limpeza, manutenção predial e recepção/portaria. Alexei negou participação na
celebração dos contratos. Explicou que
quando assumiu a função, “o hospital já
estava um caos e que a direção se preocupou em manter o hospital funcionando. Não
havia tempo de examinar contrato por contrato, mesmo porque, acredito que tudo foi
feito nos termos legais. Não vislumbrei irregularidades”, disse na época.
Outro ponto questionado ao ex-diretor
foi a relação do advogado Túlio Bandeira
e seu escritório com a Fundação. Alexei
disse quem mandava era o presidente Jorge Yamakoshi, e que Túlio prestava assistência jurídica, mas nunca realizou pagamento por esse serviço. As informações
prestadas por Alexei estão sendo confrontadas com documentos. O caso permanece sob investigação no Ministério Público.
ALEXEI DA COSTA SANTOS
G5
CLAUDIA VANESSA S. F. PEREIRA
Suspeita de desvio de R$ 1 milhão
De acordo com Nilton Bobato, que presidiu a CPI sobre
o caso na Câmara, com a investigação prioritária dos cinco
contratos, suspeitou-se de superfaturamento de cerca de R$
1 milhão por mês. “Também investigamos os salários dos
diretores, a contratação dos funcionários, as relações do
advogado Túlio Bandeira e seu escritório com a Fundação e
a análise de todos os pregões que não cumpriram o que
determina a lei de licitações”, disse.
Os vereadores solicitaram os documentos referentes aos
contratos de assistência de saúde e medicina; alimentação;
limpeza; estacionamento e de uma empreiteira. Além disso,
documentação de todos os pregões e licitações realizados
pela Fundação; planilha com salários dos diretores e dos
cargos de chefia, lista dos funcionários das terceirizadas e
verificar se existe relação de parentesco entre a direção da
Fundação e os contratados, bem como a maneira como essas contratações foram efetuadas.
8
5 à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
Mais de 200 feridos e mesmo assim esposa do prefeito
Reni Pereira trai os servidores do Estado
No massacre, Claudia Pereira
votou contra os professores
Da redação
Fotos: Divulgação
A deputada estadual Claudia Pereira, esposa do prefeito
Reni, traiu os servidores do
Estado. Mesmo diante de um
massacre aos professores ela
votou a favor do governador
Beto Richa que jogou policiais
da tropa de choque contra
quem se manifestava contra o
confisco do dinheiro da previdência dos trabalhadores. Foi
um ato de extrema covardia.
Claudia é um dos 31 votos que
aprovou o projeto de Beto Richa. O outro deputado iguaçuense, Chico Brasileiro, votou
contra.
Bombas de gás foram lançadas e balas
de borracha disparadas
Mais de 200 ficaram feridos no massacre d
o dia 29 de abril
Maioria dos feridos apresentava lesões por balas de borracha
Spray de pimenta e cães ferozes também
foram usados na ação
5 à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
9
Trabalhadores foram atacados quando se manifestavam
legitimamente contra o projeto do governo
Mudança na previdência foi
aprovada em “dia de guerra”
Da Redação
Fonte e fotos: Assessoria
“Não há muito o que dizer,
as imagens do confronto sangrento entre Policiais Militares
e Servidores Públicos são suficientes para demonstrar a
gravidade do que aconteceu na
fatídica data do dia 29/04/
2015. Data esta que jamais
será apagada da memória de
todos.
Dia 29 de abril, acredite
quem quiser, o Estado do Paraná colocou praticamente
todo o seu efetivo para BATER, sim senhores leitores,
BATER, ATIRAR BOMBAS,
AGREDIR, HUMILHAR,
DENEGRIR, PISOTEAR, todos que em praça pública pediam de forma legítima que o
Projeto de Lei de autoria do
Governo do Estado não fosse
aprovado” (Requião Filho)
Maioria dos feridos apresentava lesões por balas de borracha
Foram usados até de helicópteros contra os trabalhadores
Força policial promoveu
pancadaria contra os
manifestantes
Pessoas feridas foram socorridas durante o massacre
Uma força-tarefa foi
montada para ajudar no
socorro às vítimas,
encaminhadas aos hospitais
Enquanto os professores e
outros servidores em greve
eram contidos à base de
violência, por maioria de
votos (31 a favor e 20
contra), foi aprovado em
segundo turno o projeto
enviado pelo governador
Beto Richa (PSDB)
O confronto durou mais de três horas
10 5
Tribuna P
opular
Popular
à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
Em vídeo, integrantes do governo Richa comemoram ataque aos professores; confrontos foi um dos maiores do país
Richa promove o massacre e
gente do governo comemora
Fonte: Uol/Blog do Esmael
Um vídeo gravado no Palácio
Iguaçu mostra integrantes do governo paranaense comemorando
a ofensiva da Polícia Militar (PM)
contra professores durante protesto realizado dia 29 em Curitiba. Os confrontos terminaram
com mais de 200 manifestantes
feridos. Na gravação, pelo menos
três vozes apóiam a conduta policial. “Aêee”, “é isso aí” e “acabou a bagunça” foram algumas das
expressões utilizadas enquanto os
policiais avançavam sobre os manifestantes com bombas de gás,
balas de borracha e jatos de água.
Ao final, a equipe aplaudiu o trabalho da PM.
O vídeo foi publicado pelo blogueiro Esmael Morais, que atribui
uma das vozes ao governador. Procurada, a assessoria de Richa negou que ele tenha participado da
comemoração e informou que ele
não estava no palácio no momento da confusão. Segundo o gabinete, as cenas foram registradas do
quarto andar do Palácio, onde funciona a Casa Civil. O governo paranaense disse que o tucano repudia os comentários do vídeo e que
abriu uma sindicância para apurar
os responsáveis pela gravação.
Foto Joka Madruga-APP
Fotos: Divulgação
PM do Paraná usa bala de borracha e gás e fere
centenas de professores em greve
Servidores em greve que protestavam na praça Nossa
Senhora de Salete foram massacrados
Comentarista diz que
cérebro de Ptbull é
maior que de Richa
Confronto já é considerado um dos piores
na história do país
Apresentador do Jornal da Band, Ricardo Boechat
falou sobre a ação da polícia com os professores paranaenses e criticou o uso de pit bull em conflitos. "Num
concurso de cérebros, talvez o do pit bull vença, comparado ao do governador do estado, quando lança mão de
uma PM truculenta para fazer o que fez e de cães impróprios para atuar no que atuaram", diz ele em certo trecho.
Até ex-ministro de FHC condena
atitude do governo tucano no PR
O diplomata e acadêmico Paulo Sérgio Pinheiro, que esteve à frente da secretaria de Direitos Humanos de 2001 a
2003 no governo FHC, fez duras críticas
à ação da Polícia Militar em Curitiba, que
deixou 200 feridos ao reprimir protesto
de professores. "É absolutamente revoltante que, em plena democracia do século XXI, o governo do Paraná trate manifestantes pacíficos usando bala de borracha, cachorros Pitbull e bombas", disse.
Apesar de ter sido ministro em um governo do PSDB, mesmo partido do governador Beto Richa, o diplomata não
hesitou em condenar a ação. Ele disse que
é "conversa para boi dormir" a argumentação feita por Richa de que os policiais
combatiam os manifestantes violentos, os
chamados black blocs.
"Isso é conversa para boi dormir de
que foi para enfrentar os black blocks. Os
black blocks são uns gatos pingados. Para
enfrentar os black blocks, a polícia usou
uma força absolutamente desproporcional. Só espero que o procurador-geral de
Justiça do Paraná processe os mandantes
e os policiais criminosos que fizeram essa
repressão." (Fonte: Estadão)
"É absolutamente revoltante que, em plena
democracia do século XXI, o governo do Paraná trate
manifestantes pacíficos usando bala de borracha,
cachorros Pitbull e bombas"
Tribuna P
opular
Popular
POLÍTICA
POLÍTICA
5 à 11 de maio de 2015
11
A Defensoria prestou atendimento a todos os manifestantes detidos
Defensoria Pública e OAB negam
ação de black blocs no protesto
Da Redação
Fotos: Arquivo
A Defensoria Pública do
Estado do Paraná e a Ordem
dos Advogados do Brasil se
pronunciaram na última sextafeira afirmando que nenhum
dos detidos na manifestação
desta quarta-feira em Curitiba era black bloc nem portava artefatos perigosos. Segundo as duas instituições, todos os 14 presos durante o
confronto eram professores,
servidores ou estudantes.
Em entrevistas após o confronto, o governador Beto Richa (PSDB) e integrantes da
Polícia Militar anunciaram a
prisão de black blocs e apresentaram uma mochila com
pedras, paus e coquetéis molotov que teria sido apreendida. No entanto, segundo aComissão de Direitos Humanos da
OAB , a mochila não foi atribuída a nenhum dos detidos
nos documentos oficiais de
detenção dos manifestantes a
que a Ordem teve acesso.
Em nota, o Grupo de Trabalho de Direito Penal da Defensoria Pública do Estado do
Paraná disse que, entre os 12
adultos e dois adolescentes
detidos na quarta-feira, não
havia black blocs. A Defensoria prestou atendimento a
todos os manifestantes detidos. "Destaque-se que nenhu-
ma das pessoas detidas foi
autuada em virtude da prática
de crime de dano ao patrimônio público ou privado, porte
de arma ou artefato explosivo, não havendo nenhum indício de que tais manifestantes sejam integrantes de grupos denominados 'black
blocs'", diz a nota, assinada
pelo defensor público Caio
Watkins.
Em entrevista à Gazeta do
Povo, o advogado José Carlos Cal Garcia Filho, presidente da Comissão de Direitos
Humanos da OAB-PR, afirmou que representantes da
Ordem ficaram no 1.º Distrito
Policial de Curitiba, para onde
foram levados os presos, até
perto de meia-noite da quarta-feira, e não tiveram notícia
de qualquer apreensão de coquetéis molotov, armas ou artefatos perigosos.
Procurada, a Secretaria de
Segurança não se posicionou
sobre as notas até o fechamento desta edição.
A mando de Richa, presidente do PSDB exige
exoneração de Francischini e do secretário da Educação
O deputado federal Valdir Rossoni, presidente estadual do PSDB do
Paraná, neste domingo (3), pelo Facebook, pediu as demissões do secretário da Educação, Fernando Xavier,
e da Segurança Pública, Fernando
Francischini.
Para preservar o "chefe" - o governador Beto Richa (PSDB) - do massacre contra os professores no último
dia 29 de abril, Rossoni, que é ex-presidente da Assembleia Legislativa, se
apressa em culpar os dois "mordomos".
Rossoni apenas verbaliza o que
pensa o governador, que não tem coragem de vir a público para assumir a responsabilidade pela tragédia do Centro Cívico.
"O secretário da Educação está fora do contexto da pasta. É um ótimo técnico, seria muito
útil em outra área, mas não está preparado para
a área da Educação", sentenciou Rossoni, cotado para assumir a chefia da Casa Civil no lugar
de Eduardo Sciarra (PSD).
Para Rossoni, que fez uma nota
calibrada pelo Palácio Iguaçu, se fosse durante sua gestão, a Assembleia
e o governo não passariam tamanho
vexame internacional.
"A começar pelos responsáveis
pelas atitudes desmedidas, pelos desmandos, pelos exageros [Francischini]. Que sejam exonerados ou que
peçam para sair", recomendou o xerife Valdir Rossoni.
O diabo é que os professores que
foram massacrados não se contentam
com as cabeças de Francischini e Xavier. Os educadores e servidores públicos, que foram alvo de covardes
ataques de bombas e cães da PM, querem a 'renúncia já' do governador Beto Richa. O tucano
não tem condições políticas e morais para continuar no cargo.
12
Tribuna P
opular
Popular
5 à 11 de maio de 2015
POLÍCIA
Embasado no Plano Nacional de Educação, a nova Lei Municipal contribuirá para
com a redução do número de crianças à espera de uma vaga nos CMEIs de Foz
Queiroga propõem projeto que autoriza o Poder
Público a firmar convênio com escolas particulares
Assessoria
Fotos: Divulgação
Buscando contribuir para com
a possibilidade de se ofertar novas vagas de ensino na cidade e
diminuir a fila de pais que tentam
matricular os filhos nos CMEIs
de Foz do Iguaçu, o vereador
Luiz Queiroga (DEM) está propondo a criação de uma Lei
Municipal que "autoriza o Poder
Público Municipal a firmar convênios com escolas particulares",
objetivando proporcionar educação de qualidade a todas as crianças com idade até três anos.
Se aprovado, o projeto 030/
2015, irá desafogar o sistema e
resolver boa parte dos problemas do gestor municipal que está
impossibilitado de contratar novos professores devido ao limite
orçamentário para uma nova folha de pagamento. "Entendemos
que com esta possibilidade, estaremos garantindo um direito da
criança de estudar, e ao mesmo
tempo, estaremos reduzindo encargos trabalhistas e outros gastos ao gestor público. O que, ao
meu ver, vem unir o útil ao agradável, diminuindo a fila da falta
de vagas nas creches e garantin-
do, através do convênio, o
equilíbrio dos gastos públicos,
uma vez que a Prefeitura de
Foz não precisará contratar
mão de obra, merenda escolar, água, luz e tantos outros
tributos e encargos. E, com
isso, aplicar o recurso em outro setor que necessite de mais
atenção, como a saúde e a
qualidade de vida", disse
Queiroga
No projeto, o Poder Público ficará autorizado a firmar um convênio com as escolas particulares de Foz até
o limite máximo de mil vagas
e a Secretaria Municipal da
Educação só poderá encaminhar a criança à educação
particular, se o número de
vagas na rede pública mostrar-se insuficiente e após o
comunicado as autoridades
competentes como Justiça,
Ministério Público e Conselho Tutelar.
As escolas particulares
não poderão cobrar qualquer
tipo de taxa dos alunos beneficiários pelo convênio, bem
como deverá encaminhar,
mensalmente, o controle de
frequência dos alunos à Se-
O vereador Luiz Queiroga (DEM) está propondo a criação
de uma Lei Municipal que "autoriza o Poder Público
Municipal a firmar convênios com escolas particulares"
cretaria Municipal da Educação
para acompanhamento.
"As vagas atenderão às necessidades da municipalidade
de atendimento à demanda
existente, devendo ser considerado sempre a disponibilidade
financeira orçamentária e financeira do Governo Municipal
para fim de convênio", ressaltou o autor do projeto, vereador Luiz Queiroga.
O projeto de Lei, de auto-
ria do vereador Democrata,
deverá ser encaminhado as
Comissões Permanentes da
Câmara Municipal, aonde será
analisado pelos vereadores
para, depois ser encaminhado
ao plenário da Casa de Leis
para debate, considerações e
aprovação ou não dos 15 vereadores.
Se aprovado, o que provavelmente acontecerá no mês de
Junho, o projeto será encami-
nha ao Poder Executivo para
ser sancionado pelo Prefeito
Municipal que terá mais 90 dias
para colocar a nova Lei Municipal em prática.
"Segundo o Ministério Público Estadual, atualmente cerca de 2 mil crianças enfrentam
filas para matricular-se nas creches do Município. De fato, a
dificuldade para atender toda a
demanda nos CMEIs é um
problema de grande parte dos
municípios brasileiros, de modo
que a alternativa aqui proposta
visa suplementar o serviço já
existente, possibilitando o pleno acesso às crianças à educação infantil de qualidade", finalizou o vereador.
O vereador se embasou no
contexto, aprovado pelo Congresso Nacional no final de
2014, que criou o Plano Nacional de Educação, cujo o objetivo é universalizar, até o ano
de 2016, a educação infantil na
pré-escola para as crianças de
quatro a cinco anos de idade e
ampliar a oferta de educação
infantil em creches de forma a
atender, no mínimo, 50% das
crianças de até três anos até o
final do ano de 2024.
Professores de Foz e região decidem continuar em greve
missos assumidos anteriormente para melhorar a educação e que
não foram cumpridos
até agora.
As falas dos participantes da reunião mostraram um sentimento
de muita indignação,
mas também de dispo- Professores votaram pela
sição para prosseguir a continuidade da paralisação
luta pelos direitos dos traba- greve, pois não promoveu o
lhadores. Os relatos emoci- amplo debate conforme havia
onados demonstravam a re- se comprometido sobre o tema
volta por toda a violência so- da previdência, assim como,
frida, pelo desrespeito contra não cumpriu vários itens acoros educadores e a educação dados em fevereiro.
pública do Paraná demons“Diante da falta de comprotrados pelo governo.
misso do Governo do Estado,
Na avaliação dos educa- estamos em condições de condores, o governo desrespei- tinuar cobrando as promessas
tou mais uma vez o acordo de até agora não efetivadas. Se o
tados pela APP-Sindicato/
Foz reivindicam a reabertura das negociações a partir
da pauta estabelecida na retomada da greve, em 25 de
abril. A categoria pede a
aprovação de lei, em regime de urgência, instituindo
o pagamento dos professores PSS por titulação, compromisso firmado pelo governo durante a greve de
2014 e que ainda não foi
cumprido. Os servidores
das escolas públicas reivindicam o pagamento do índice de 13% referente ao
Piso Salarial Nacional
(PSN), que deve ser apliPAUTA
cado aos salários dos proCom a decisão de manter a fessores referentes ao mês
greve, os educadores represen- de janeiro deste ano.
governo acreditou que
com truculência e violência poderia nos calar, enganou-se mais uma vez. A
categoria está unida, mobilizada e ciente de seu papel em defesa da escola
pública”, afirma Fabiano
Severino, presidente da
APP-Sindicato/Foz.
A posição dos educadores de Foz do Iguaçu e região será apresentada à Assembleia Estadual, nesta terça-feira (05), na cidade de Curitiba,
onde estarão reunidos os trabalhadores da educação de
todo o Paraná.
Foto: Catia Castro
A greve continua por
tempo indeterminado. Esta
foi a posição aprovada na
reunião ampliada do Conselho Regional e do Comando de Greve da APP-Sindicato/Foz, após um amplo
debate que durou mais de
três horas. Durante o encontro, representantes da
maioria das escolas de Foz
do Iguaçu e das cidades da
região apresentaram a posição dos seus respectivos
estabelecimentos de ensino.
A categoria avaliou que
após o massacre ocorrido
entre os dias 28 e 29 de
abril, no Centro Cívico, o
momento é de fortalecer a
luta para obter do Governo do Estado os compro-
Tribuna P
opular
Popular
POLÍCIA
5 à 11 de maio de 2015
13
Marginal caiu com 292 quilos de maconha após denúncia anônima no 181
Serviço Reservado (P2) da PM
prende traficante no Jardim Ipê
Drogas estavam escondidas na residência
Da redação
Fotos: Enrique Alliana
Um traficante acabou preso no sábado, 2 de maio, por
volta das 19h. Policiais militares do Serviço Reservado
(P2) do 5º CRPM de Casca-
vel/PR, receberam uma denuncia formulada ao 181
(Narcodenúncia) de que na
Rua Jandaia do Sul, no Bairro Jardim Ipê, haveria uma
residência que estaria sendo
utilizada para o armazenamento de drogas e armas contra-
Paulo Garcia Machado Junior, de 59 anos, havia saído da cadeia há pouco mais de um ano
bandeados do Paraguai.
Com apoio da P2 de Foz
do Iguaçu, bem com uma equipe do "TÁTICO" realizou-se
abordagem policial na residência, sendo localizado no interior a quantia de 292 quilos de
maconha, U$ 1.000.00 (mil
RPA da Polícia Militar cumpre
mandado de prisão na Vila Braz
No inicio da tarde deste domingo, 03 de maio, por volta das 13h,
policiais militares do 14º BPM de
Foz do Iguaçu, equipe em serviço
na RPA (Radio Patrulha Auto) foi
acionada para deslocar até a Rua
Gabriel de Brito, no Bairro Vila
Braz, para atendimento a uma ocorrência de violência doméstica.
No local, o militares foram informados de que a pessoa identificada
como sendo Vanderlei de Oliveira,
de 38 anos de idade, teria expulsado a esposa da residência após uma
discussão. Os envolvidos foram
orientados. No preenchimento do
BO (Boletim de Ocorrência) foi
constatado que havia um Mandado
de Prisão em aberto em desfavor
de Vanderlei de Oliveira, expedido
pela Vara Criminal da Comarca de
dólares americanos), R$ 45.00
(quarenta e cinco reais) e 5
(cinco) celulares, sendo preso
em flagrante o morador Paulo
Garcia Machado Junior, de 59
anos.
As drogas, o traficante e os
abjetos apreendidos foram en-
caminhados para a 6ª SDP,
para os procedimentos do flagrante delito. Consta na ficha
criminal do traficante preso,
que havia uma passagem por
tráfico de drogas, sendo que
este teria saído da prisão havia pouco mais de um ano.
Homem é executado a tiros de
pistola na invasão do Bubas
Vanderlei é acusado de
incendiar residência de exmulher no Rio Grande
Canoinhas/RS. Diante dos fatos, foi
dado voz de prisão a "Vanderlei"
sendo encaminhado para a 6ª SDP.
Na delegacia o preso informou
que quando morava com outra mulher no estado do Rio Grande do
Sul, havia discutido com ela, e em
dado momento ateou fogo na residência, e por este motivo estaria em
débito com a justiça gaucha.
Sadraque Moreno, de 31 anos, foi alvejado quando
estava sentado no sofá da casa vizinha
Por volta da meia-noite de segunda-feira, 4 de maio, um homem foi
executado no interior da maior favela do Estado do Paraná, localidade
conhecida como "Favela do Bubas, na região do Porto Meira. Quando
os socorristas do Siate chegaram constataram que a vítima já se encontrava em óbito, em decorrência dos disparos de pistola 9mm. Sadraque
Moreno, de 31 anos, estava sentado em um sofá da casa vizinha, comendo pipoca, quando o atirador teria chegado e efetuado os disparos.
14
5 à 11 de maio de 2015
POLÍCIA
Tiroteio aconteceu sábado à noite e gerou correria entre os moradores
Adolescentes são baleados no
Lagoa Dourada; um morreu
A vítima apresentava 15 perfurações por arma de fogo
Eduardo Alliana
Fotos: Enrique Alliana
Um tiroteio resultou na morte de
um adolescente, na sexta-feira, 1º
de maio, por volta das 20h30min.
Policiais militares, guardas municipais e socorristas do Siate (Sistema Integrado de Atendimento ao
Trauma e Emergência) do Corpo de
Bombeiros de Foz do Iguaçu foram acionados para atender o caso
na Rua Lisboa, esquina com a Rua
João Ganguilhet Filho, no Bairro
Lagoa Dourada. Eram duas vítimas
de disparos de arma de fogo.
No local foi constatado que havia duas vítimas, sendo que Tiago
Rodrigues, de 16 anos, estava em
óbito. Foi socorrida uma segunda
vítima identificada pelas iniciais
M.B., de 17 anos de idade. O menor apresentava uma única perfuração no braço, sendo encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital
Municipal.
O local foi isolado até a chegada da Delegacia de Homicídios,
Equipe realiza perícia no local de morte
Polícia Científica e o Instituto Médico Legal. Com a chegada da perita criminal, o local de morte foi
periciado, sendo constatado que a
vítima teria sido executada com disparos de pistola 9mm, sendo apreendidos oito itens entre projéteis,
estojos deflagrados e fragmentos.
A vítima apresentava 15 perfurações por arma de fogo, sendo encaminhado ao necrotério do
IML para procedimento de necropsia e posterior liberação aos
familiares.
Outr
o menor
7 anos, ffoi
oi baleado no braço
Outro
menor,, de 1
17
Siate atende vítima de disparo
de arma de fogo no Morumbi
Homem leva tiros de pistola
na cabeça e morre no hospital
Ezequiel da Silva, de 23
anos, foi alvejado por disparo de arma de fogo no
sábado, 2 de maio, por volta das 20h. Socorristas do
Siate do Posto São Francisco e policiais militares do
14º BPM de Foz do Iguaçu foram acionados para
deslocamento até a Rua
Mineirão, no Bairro Parque
Morumbi III.
No local, Ezequiel foi socorrido e encaminhado ao
Pronto Socorro do Hospital Municipal em decorrência de um único disparo de
Ezequiel levou um tiro na perna
arma de fogo na perna.
Tiago Henrique de Matos, de 27
anos, levou quatro tiros de pistola na
cabeça e morreu no hospital. O crime aconteceu no sábado, 2 de maio,
por volta das 23h30. Os socorristas
do Siate (foram acionados para deslocarem até a Rua José Teles da
Conceição, quase esquina com a Rua Disparos de 9mm atingiram a
Canindé, no Bairro Morumbi I, onde cabeça de Tiago Henrique de
encontraram Tiago ainda com vida. Matos, de 27 anos
Devido a gravidade dos ferimentos, foi solicitado apoio médico e encaminhado em estado gravíssimo ao
Pronto Socorro do Hospital Municipal. Durante a madrugada de domingo (03), a vítima não resistiu aos ferimentos e faleceu, sendo seu corpo
encaminhado para o IML onde foi realizado uma necropsia e posterior
liberação aos familiares. Segundo informações obtidas no local do crime,
duas pessoas em uma motocicleta teriam efetuado os disparos, fugindo
logo em seguida tomando rumo ignorado.
Tribuna P
opular
Popular
ESPORTE
5 à 11 de maio de 2015
15
O Azulão terminou a competição com 15 jogos, marcou 17 e sofreu 14 gols
Arif valoriza conquistas
do Foz no Estadual
Natália
Diegues
Arif com o auxiliar técnico Ivan Carlos que trabalhou ao lado do técnico Edison Borges
Da Redação
Texto: Geraldo Bubniak
futebolparanaense.net
Foto: Divulgação
O Foz do Iguaçu finalizou sua participação no Campeonato Paranaense de 2015.
A derrota no segundo jogo da final do interior para o Londrina, não apagou a boa
impressão deixada. O Azulão foi o último
clube a iniciar a montagem do time para a
competição, já que teve a vaga confirmada
apenas em novembro do ano passado com
a desistência do Arapongas.
O Presidente do clube, Arif Osman, ao
final da partida comentou o desempenho do
clube no primeiro semestre. “Felizes por
estar entre os quatro melhores do Estado
do Paraná e como eu falei outra vezes, ninguém imaginava o Foz chegar nessa posição, disputando o título do interior entre os
quatro melhores, com vaga na Série D do
Campeonato Brasileiro, com vaga no Cam-
peonato Paranaense do ano vem e na Copa
do Brasil se nada mudar até lá. Então eu
acho que o trabalho foi merecedor dos elogios que recebeu até agora, mas o prêmio
total é dos jogadores, da comissão técnica
que fizeram um belo trabalho.” disse o presidente em entrevista à Radio Transamérica Foz logo após o jogo em Londrina.
Sobre a sequência do trabalho e a preparação para a Série D, Arif informou que
o clube ainda não tem uma definição. “Não
sabemos quando iremos retornar com as
atividades. Daqui uns dias a gente vai tomar uma posição e tornar público.” finalizou.
O Azulão da Fronteira terminou a competição com 15 jogos, marcou 17 e sofreu
14 gols. Em casa o time fez sete partidas,
empatando três vezes e vencendo quatro,
terminando invicto jogando no ABC. Como
visitante o clube não empatou, foram seis
derrotas e duas vitórias.
16 5
Tribuna P
opular
Popular
à 11 de maio de 2015
POLÍTICA
O deputado de Foz do Iguaçu ainda tentou impedir o
confronto entre professores e policiais
Chico Brasileiro vota contra projeto
que traz prejuízo aos professores
Da Redação
Foto: Assessoria
O deputado Estadual de
Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, líder do PSD na Assembleia Legislativa, votou
contra ao projeto de lei que
altera o PARANÁPREVIDÊNCIA. Brasileiro, ao
lado de outros parlamentares, tentou impedir um confronto ainda mais grave entre policiais e professores
no Centro Cívico.
Ao tentar descer a rampa da Assembleia, mesmo
sob o som das bombas de
efeito moral e uma forte
nuvem de gás pimenta, os
deputados acabaram sendo
cercados por policiais da
tropa de choque, sendo coagidos a não impedir a ação
militar. No episódio o deputado do PV Rasca Rodrigues acabou mordido por
um cão da PM.
Nas sessões que antecederam a votação, ainda no
inicio da semana, Chico
Brasileiro já apelava para o
senso crítico dos demais
deputados. "Vamos deixar
as paixões e interesses de
lado, vamos fazer uma analise técnica do assunto.
Nós pesquisamos muito
durante os últimos dias e
chegamos a conclusão que,
da forma como o projeto
foi apresentado ele não
deve ser aprovado", explicou em plenário, no dia anterior a votação do projeto.
Para o deputado, a proposta do governo vai trazer
riscos para a aposentadoria
do trabalhador. Tanto é que
as categorias representadas
pelo Fórum dos Servidores
Públicos decidiram retomar a greve para barrar o
projeto. A principal reclamação da conta de que o Chico Brasileiro tentou impedir um confronto
governo não incluiu as
emendas sugeridas pelos Chego na assembléia e en- da Assembleia.
Outro ponto questionatrabalhadores durante dis- contro a policia cercando
cussão do projeto.
um prédio que é chamado do por Brasileiro é o
de " casa do povo". Dispa- constrangimento dos poliInaceitável
rou o Deputado via face- ciais que estão sendo desA operação militar ar- book na manhã de segun- locados do interior do esmada desde o final de se- da, muito antes dos confli- tado, sendo obrigados a
mana passada, que culmi- tos. Na foto publicada deixar as famílias e enfranou com o cercou à As- como denuncia a imagem quecendo os pelotões no
sembleia Legislativa tam- da grade montada com ob- combate ao crime. "Temos
bém foi alvo das críticas jetivo de impedir o aces- homens e viaturas do Bade Brasileiro. "Vergonha!!! so da população ao prédio talhão de Fronteira aqui!
Isso significa que na fronteira, nesse momento, o
contrabando, o tráfico de
drogas e a criminalidade
estão acontecendo livremente, sem combate algum. A cena se repete com
batalhão rural e de todas as
outras partes do estado."
Alertou para os demais
deputados antes da votação.
Moção de Repudio
contra Beto Richa
A Câmara Municipal de Vereadores votará na sessão desta terçafeira, 5 de maio, pedido de Moção
de Repúdio contra o Governo do
Estado do Paraná pela violência
praticada contra os trabalhadores da
educação paranaense durante as recentes mobilizações da categoria. O
vereador Nilton Bobato (PCdoB) é
um dos vereadores que assina a matéria, de autoria conjunta com o ve-
reador Gessani da Silva (PP). Outra proposição, de autoria de Bobato, que vai à votação, é o Requerimento n° 190/2015, que solicita
realização de audiência pública para
debater a proposta de PPP - Projeto de Parceria Público Privada apresentada pela prefeitura, com
vistas a terceirizar a UPA João Samek e o Pronto Atendimento do
Morumbi.
Nilton Bobato assinou pedido em conjunto com Gessani

Documentos relacionados