italiano lettera natale pallottini 2015

Сomentários

Transcrição

italiano lettera natale pallottini 2015
Societas Apostolatus Catholici
PALLOTTINI
RECTOR GENERALIS
Roma, Natal de 2015
C
aros amigos, saúde e paz da Casa Generalícia de Roma!
Para os augúrios natalinos deste ano, gostaria de convidar a todos os membros da Família
Palotina a contemplarem o Mistério da Encarnação, na companhia de Maria.
O Evangelho apresenta três ícones marianas que são, de particular importância, para todos
os membros da Família Palotina: “Maria em Belém”, “Maria em Nazaré” e “Maria no Cenáculo”,
sendo que a primeira e a segunda são eventos celebrativos, durante as festividades natalícias.
No ícone “Maria em Belém”, Ela olha, vive e contempla fatos e palavras que poçam ser consideradas como origem do nosso carisma. Pallotti, de fato, recordava ‘Belém, que significa ‘Casa do
pão’, como símbolo da nossa ‘mínima Congregação’, para evidenciar nela a abundância do “...alimento espiritual e dos meios necessários para a aquisição da mais sublime perfeição, para cooperar
com a maior glória de Deus e a salvação das almas”. Por isso, Pallotti acrescentou esta afirmação
extraordinária: “Somente alguns [...] na Congregação da Pia Sociedade [...] poderiam dizer ...hoje
nasceu para você cooperador... a sua salvação, porque de certa forma poderá chamar de seu salvador”
(OOCC II, pp. 15-16). E Maria, “observava” todos os acontecimentos de Belém, meditando-os em
seu coração, e continua a nos atrair para nutrir também a nós como verdadeiro Pão da Vida.
O ícone de “Maria de Nazaré” nos dispõe e nos prepara interiormente a fazer de Cristo a
‘Regra fundamental da nossa vida’. Em Nazaré, Jesus “...viveu na humildade, na pobreza, nas fadigas
diárias, e no exercício das perfeitas viturdes, em plena Obediência ao Pai Celeste, e com a perfeita
sujeição à Virgem Santíssima, Maria sua Mãe, e a São José, seu pai putativo” (OOCC XIII – I, p. 129).
Maria de Nazaré, que contemplou tudo isso, agora nos ajuda a transformar-nos em Cristo.
O ícone de “Maria no Cenáculo”, nos ajuda a receber as abundâncias do Espírito Santo. Vicente Pallotti desejava profundamente que todos: leigos, pastores, sacerdotes, religiosos, religiosas
e consagrados tivessem Maria, depois de Jesus Cristo, o modelo mais perfeito do autêntico zelo
apostólico e da caridade perfeita. O Cenáculo, com a presença de Maria Rainha dos Apóstolos, tornase o lugar da comunhão universal para receber a plenitude do Espírito Santo, que nos conduz e nos
guia na missão de “evangelizar todas as nações” (Mt 28, 19).
Nós, membros da Família Palotina, enquanto celebramos o nascimento do nosso Salvador
Jesus Cristo, que tipo de inspiração espiritual podemos tirar destes ícones marianos?
Belém, casa do pão’, nos convida a dar um verdadeiro fundamento espiritual à nossa vida e
ao nosso apostolado e nos desafia a percorrer a ‘via estreita’ da vida de santidade. Quanto seria bonito, se todos nós pudéssemos nos tornar mais contemplativos e místicos, como São Vicente Pallotti,
que respirava Deus em toda parte e sempre!
‘Nazaré’ é o lugar onde se encontra com a pessoa de Jesus Cristo, e se interioriza os valores
evangélicos da pobreza, da simplicidade, e da suprema obediência ao Pai Celeste. Se a vida de Jesus
se torna verdadeiramente a ‘regra da nossa vida e do nosso apostolado’, nos tornaremos apóstolos
e missionários mais autênticos.
‘O Cenáculo, é o lugar da comunhão universal e da transformação interior, como bem exprimiu o nosso fundador a respeito de Maria: “...eu, juntamente com os apóstolos, no Cenáculo,.... ficamos repletos do Espírito Consolador, em uma assídua oração [...]; Eu, o filho, gostaria de vê-lo
rico dos tesouros da Divindade, gostaria de vê-lo todo transformado em Deus para torná-lo Ministro
do Evangelho mais útil às almas, e para procurar mais eficazmente a glória do Pai celeste; ame a
oração; que ela seja o seu alimento, a sua bebida, o seu repouso” (Mês de Maio para os Eclesiásticos,
OOCC XIII/I, 440-441).
Assim, estes três ícones marianos apresentam à toda a Família Palotina três ‘desafios’ espirituais e apostólicos: o desejo de uma profunda experiência do infinito amor e da misericórdia infinita
de Deus; o seguimento de Cristo, ou seja, escolher Jesus como regra da nossa vida e do nosso apostolado e um sério empenho apostólico e missionário, quais apóstolos de Jesus. Ele, o ‘Verbo feito
carne’, é também o Exemplo Perfeito da perfeição divina: que a nossa vida seja centrada, sempre
mais, na vida de Jesus!
O ‘Emanuel’ é a nossa fonte de alegria. “A alegria do Evangelho se experimenta, se conhece
e se vive quando doa a Palavra e a si mesmo” (Papa Francisco, Viagem apostólica nos USA,
23.09.2015). A alegria do Evangelho é, por sua própria natureza, autorrevelação; uma vez conquistada, não pode permanecer escondida, mas necessita ser partilhada. Ela consiste no “desejo inexaurível de oferecer misericórdia, fruto experimentado da infinita misericórdia do Pai” (Evangelii
Gaudium, 24). Por conseguinte, o Ano Santo da Misericórdia deverá ser uma ocasião não só para
que experimentemos a infinita misericórdia do Pai, mas para exprimi-la na vida cotidiana com gestos
de perdão, de reconciliação, de diálogo e com obras de misericórdia corporal e espiritual.
A exemplo da Sagrada Família de Nazaré, nós, membros da Família Palotina, somos convidados a reforçar o mais possível as nossas relações de amizade e a viver o espírito da União, procurando transformar toda a família humana em um lugar de comunhão e renovando, particularmente,
o nosso empenho no cuidado e na proteção das crianças.
A Sociedade do Apostolado Católico está preparando a sua XXI Assembleia Geral, que acontecerá nos meses de setembro/outubro de 2016, tendo como tema principal: “A Regra fundamental
da nossa Congregação é a Vida de nosso Senhor Jesus Cristo” (OOCC III, 40). A Congregação das
Irmãs Missionárias do Apostolado Católico também está preparando o seu Capítulo Geral, que será
no mês de junho/julho de 2016, com o tema: “Acordem! Encontrem Cristo! Sejam testemunhas de
alegria no mundo!” Esses dois eventos são importantes e requerem o auxílio da nossa oração.
Rezemos, sobretudo, pela paz no mundo, de modo particular pelos países que vivem na
guerra e na violência: que Jesus, o ‘Príncipe da paz’, toque o coração de todos nós, com a compaixão
e o espírito de solidariedade!
Protejamos, enfim, a nossa ‘casa comum’, da atividade e da exploração, defendendo com
coragem a dignidade de toda pessoa humana e a beleza de toda a criação!
Em nome de toda a comunidade da Casa Geral, desejo a todos vocês um FELIZ NATAL e
um ANO de 2016, rico de frutos. Desejo a todos vocês a alegria e a paz do Santo Menino de Belém!
Fraternamente em S. Vicente Pallotti,
Pe. Jacob Nampudakam, SAC
Reitor Geral da SAC e
Assistente Eclesiástico da União
«Na raiz do Evangelho da misericórdia,
o encontro e a recepção do outro
entrelaçam-se com o encontro
e a recepção de Deus: acolher o outro
é acolher a Deus em pessoa!»
Fuga para o Egito de Giotto. Capela degli Scrovegni, Padova
Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial
do Migrante e do Refugiado 2016