o teatro é uma arma

Сomentários

Transcrição

o teatro é uma arma
a vida começa aos 55 anos
José
Pedro
Gomes
o teatro
é uma arma
viver melhor
em férias
Troca de casas
high tech
tensão sem
sobressaltos
Medidores de tensão
iniciativas
ano europeu do
envelhecimento
ativo e da
solidariedade
entre gerações
EDIÇÃO N.o 7 • março 2012 • ANo III
fugas
Alentejo
de planícies
finanças
Novo
caixadirecta
on-line, soluções
de poupança e
Cartões Caixa Activa
internet
roubo de
identidade
on-line
eventos
proximidade
com os clientes
DICAS
POSITIVAS
Poupar
com a energia
família
novas
tecnologias
contra a solidão
em foco
Toscânia
Odisseia
no Mediterrâneo
€ 1,50 CoNtinente e ilhas
periodicidade Trimestral
Editorial
Aproveite o melhor da
vida
Francisco Viana
Desfrutar plenamente da vida, usufruindo de tudo o que ela pode
oferecer-lhe, é o mote para 2012, o Ano Europeu do Envelhecimento
Ativo e da Solidariedade entre Gerações, sobre o qual lhe contamos
tudo nesta edição. Aceite o desafio e aprenda a viver bem e de
forma ativa. Parta à descoberta do mundo, explore-o sem receios,
redescubra a sua comunidade, (re)crie laços!
a felicidade mora ao seu lado
Aproveite as novas tecnologias para fazer ou reatar amizades, mas
tenha sempre presente os cuidados a adotar para evitar, por exemplo,
o roubo de identidade on-line, tomando as devidas precauções
quando acede à Internet.
Cuide de si e valorize as nossas sugestões, ficando a par, também,
das novas técnicas de cirurgia que não deixam cicatrizes nem marcas
e descubra novos destinos - lá fora, a Toscânia; por cá, a beleza do
Alentejo - ou como conhecer o mundo gastando menos, através da
troca de casa.
Deixamos-lhe, ainda, algumas dicas sobre a antecipação da reforma e
damos-lhe a conhecer o Desconto Social para a Energia, as vantagens
dos cartões Caixa Activa e formas de garantir o seu futuro: as soluções
de poupança da Caixa.
vidas
Revelamos o percurso de Oprah Winfrey, um fenómeno de
popularidade à escala mundial, que cedo percebeu que a sua
história podia servir de exemplo a outros. Conheça, também, José
Pedro Gomes, ator, autor e encenador, que se associou à CGD para
incentivar a Poupança, e Zaha Hadid, a primeira mulher a receber o
Pritzker Prize for Architecture.
sempre A PENSAR EM SI
O ano de 2012 foi reconhecido pela União Europeia como o Ano
Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações.
Nesse âmbito, ocorrerão diversas iniciativas com o objetivo de
chamar a atenção para os direitos dos cidadãos mais velhos. Porque é
necessário despertar a consciência social e a responsabilidade coletiva,
começando no seio das famílias, cujos membros mais jovens devem
fomentar o bem-estar e assegurar a qualidade de vida dos seniores.
Mas além das atitudes comportamentais da comunidade em geral,
os visados nesta comemoração devem, também, aprender a adotar
estilos de vida saudáveis, que promovam a qualidade de vida – através
de uma alimentação equilibrada, do exercício físico, de uma boa
gestão das emoções e dos afetos.
Por isso, aproveite a vida e saiba vivê-la da melhor maneira, para
melhor envelhecer. Em suma, seja feliz!
Esta revista está escrita nos termos do novo acordo ortográfico.
a PENSAR EM SI
A
Diretor
Francisco Viana
Arte Ana Pereira, Rui Garcia,
Rui Guerra (projeto gráfico)
Colaboradores Ana Rita Lúcio,
Catarina Vilar, Luís Inácio, Pedro
Guilherme Lopes, Teresa Paula
Marques (textos); Helena Estevens
(edição e textos); Estúdio João
Cupertino com agências Corbis,
Dreamstime, Stock Food, Getty
Images e iStockPhoto (fotos);
Dulce Paiva (revisão)
Secretariado Teresa Pinto
Gestor de Produto Luís Miguel Correia
Produtor Gráfico João Paulo Font
REDAÇÃO
Telefone 21 469 81 96
Fax 21 469 85 00
R. Calvet de Magalhães, 242
2770-022 Paço de Arcos
PUBLICIDADE
Telefone 21 469 87 91
Fax 21 469 85 19
Impresa Publishing
R. Calvet de Magalhães, 242
2770-022 Paço de Arcos
Diretora comercial
Luísa Diniz ([email protected])
Coordenadora
Maria João Jorge ([email protected])
Contacto
Ana Dória ([email protected])
Eduarda Casa Nova ([email protected])
Assistente Florbela Figueiras
([email protected])
Coordenador de Materiais
José António Lopes
Editora Medipress – Sociedade
Jornalística e Editorial, Lda.
NPC 501 919 023 Capital Social:
€ 74 748,90; CRC Lisboa
Composição do capital da entidade
proprietária:
Impresa Publishing, SA – 100%
Rua Calvet de Magalhães, 242,
2770-022 Paço de Arcos
Telefone 21 469 80 00
Fax 21 469 85 00
Impressão Lisgráfica – Casal de Santa
Leopoldina, 2745 Queluz de Baixo
Propriedade
Caixa Geral de Depósitos
Av. João XXI, 63, 1000-300 Lisboa
Periodicidade Trimestral
(Edição n.º 6, janeiro/março 2012)
Depósito Legal 314168/10
Registo ERC n.º 125939
Tiragem 50 000 exemplares
Correio do leitor [email protected]
A Caixa Activa é uma publicação
da Divisão Customer Publishing
da Impresa Publishing, sob licença
da Caixa Geral de Depósitos.
Caixa Activa... Para quem os 55 anos são só o princípio de uma vida em pleno.
3
Conteúdo
Edição n.º 7 | janeiro-março | 2012
44
Odisseia... no
Mediterrâneo
A VIDA COMEÇA AOS 55 ANOS
JOSÉ
PEDRO
GOMES
Longe das suas
grandes cidades,
como Florença e Pisa,
a Toscânia encerra
algumas das aldeias
medievais mais bem
conservadas de Itália.
A melhor forma de
as visitar é de carro,
escolhendo um
caminho a nosso gosto.
EDIÇÃO N.O 7 • MARÇO 2012 • ANO III
FUGAS
ALENTEJO
DE PLANÍCIES
FINANÇAS
Novo
Caixadirecta
On-line e soluções
de poupança
Cartões Caixa Activa
O TEATRO
É UMA ARMA
VIVER MELHOR
EM FÉRIAS
Troca de casas
INTERNET
ROUBO DE
IDENTIDADE
ON-LINE
EVENTOS
PROXIMIDADE
COM OS CLIENTES
HIGH TECH
TENSÃO SEM
SOBRESSALTOS
Medidores de tensão
INICIATIVAS
ANO EUROPEU DO
ENVELHECIMENTO
ATIVO E DA
SOLIDARIEDADE
ENTRE GERAÇÕES
DICAS
POSITIVAS
POUPAR
COM A ENERGIA
FAMÍLIA
NOVAS
TECNOLOGIAS
CONTRA A SOLIDÃO
EM FOCO
TOSCÂNIA
Odisseia
no Mediterrâneo
€ 1,50 CONTINENTE E ILHAS
PERIODICIDADE TRIMESTRAL
Capa
Fotografia:
João Cupertino
Vista de uma quinta
e vinhas na Toscânia,
Itália
Actualidade
Equilíbrio
Lazer
Banco é Caixa
6 Agenda para o trimestre
8 G
astronomia
Restaurantes, bares e muito mais
9 Sétima Arte
10 Literatura
11 Música
12 A minha vida dava um filme
Oprah Winfrey
15 High tech
Medidores de tensão
16 Internet
Evitar o roubo de identidade on-line
18 Upgrade
19 Notícias
Mundo sénior
20 Entrevista
José Pedro Gomes
26 Raio X
Zaha Hadid
28Família
Use as novas tecnologias para
combater a solidão
30Saúde
Cirurgia sem marcas
32 Bem-estar
Mais felicidade precisa-se
33Viver melhor
Troca de casa nas férias
34Desporto
Pino abaixo
36Nutrição
Pequenas doses de bem-estar
38Beleza
A sustentável leveza do cabelo
39Carreira
Reforma antes do tempo
40Tempos livres
Redescobrir a família
41 Motores
Volkswagen Up!
42 Shopping
Moda para ela e para ele
44Em foco
Odisseia no Mediterrâneo
50 Fugas
Alentejo de planícies
52 Prazeres
4Notícias CGD
5
56 Sustentabilidade
Caixa atenta ao mar; Banco mais
voluntário; CGD foi o grupo financeiro
mais sustentável de Portugal em 2011
58Iniciativas
Ano Europeu do Envelhecimento Ativo
e da Solidariedade entre Gerações
60Eventos
Hora Poupança; Dia dos Avós
61 Dicas positivas
Descontar com energia
62 Finanças
Cartões Caixa Activa: Novo
Caixadirecta on-line;
Poupança é na Caixa; Cartões LOL
64Parcerias
Companhia de Arquitectura e Design;
Loja das Meias e Marc by Marc Jacobs
65 Vantagens
4
A
Agenda
XPRESSO
abril
Neste mês, é a
música a dar cartas,
em concertos e
bailados. A não
perder, também, o
entrevistado desta
edição em A Fuga.
Até 14 de outubro
Castelo de São Jorge, Lisboa
Lisboa, Quem És Tu?
Um espetáculo diário exibido
num lugar ancestral, o
Castelo de São Jorge, que
utiliza a tecnologia mais
recente de video mapping,
3D, desenho digital e
animação, ligando o passado
ao presente. Sem qualquer
barreira linguística, recorre
exclusivamente à imagem
e a música 100 por cento
portuguesa. Os visitantes
poderão ainda desfrutar de
uma refeição lisboeta ao pôr
do sol com uma espetacular
vista panorâmica. Setembro e
outubro, às 21h00; restantes
meses, às 22h00.
27 a 29 de abril
CCB, Lisboa
Dias da Música
O canto é a expressão da
voz humana utilizada como
um instrumento musical. Nos
Dias da Música, em Belém,
são as diversas formas de
utilizar musicalmente a
voz que se abordam, numa
perspetiva histórica.
Até 19 de maio
Fundação CGD – Culturgest,
Porto
Jos de Gruyter e
Harald Thys
Inspirando-se na realidade
quotidiana, De Gruyter e
Thys fazem uso de um humor
absurdo para construir
mundos paralelos, obscuros,
povoados de intrigantes
personagens, oferecendo,
assim, um retrato caricatural
impiedoso da condição
humana. Expõem, agora,
176 fotografias a cores,
numa exposição organizada
em colaboração com
Kestnergesellschaft (Hanôver)
e Muzée (Oostende).
maio
Eclético, maio, mês do
coração, daí a nossa
sugestão para uma
caminhada. Mas há,
também, dança, magia,
música e teatro. Venha
daí e aproveite!
4 a 6 de maio
Autódromo do Estoril
PORTUGAL MOTOGP
Numa temporada repleta
de novidades, a 3.ª prova
do calendário de MotoGP
vai permitir ver nomes como
Casey Stoner, Jorge Lorenzo
e Valentino Rossi, entre
outros, a rodar com as novas
motos de 1000 cc. Com
todos os pilotos a estrearem-se aos comandos das novas
e mais potentes máquinas,
outro foco de atenções serão
as novas CRT.
A partir das 9h00.
6 de maio
Av. Marginal, Oeiras
Caminhada 10 000
Passos
Marque na agenda e
Caminhada
10 000 Passos
Lisboa, Quem És Tu?
uma orquestra completa,
à semelhança dos anos
anteriores, além da música, das
histórias e de outras surpresas,
o novo ciclo volta a apresentar a
mascote Batuta, que regressa
para animar miúdos e graúdos.
Este ciclo de concertos afirma-se pela qualidade artística e
didática. Às 12 horas, em Faro.
Às 16h30, em Lagoa.
24 e 26 de maio
Coliseus de Lisboa e do Porto
Maria Gadú
Estrela em permanente
ascensão, Maria Gadú
volta a Portugal, após uma
passagem pelo Pavilhão
Atlântico e pelo Pavilhão
6
Rosa Mota com Caetano
Veloso. De braços abertos, o
Coliseu de Lisboa (dia 24) e
o do Porto (26) preparam-se,
agora, para receber a artista
de São Paulo. Às 22h00.
História em fast forward.
Philippe Quesne dá um passo
em direção à abstração,
num dos percursos mais
instigantes da criação
contemporânea.
25 e 26 de maio
Fundação CGD – Culturgest,
Lisboa
Big Bang
Big Bang pode tanto evocar
uma explosão gigantesca
como uma teoria fundadora,
ou uma simples onomatopeia
de banda desenhada. Talvez
se passe numa ilhota, onde
um grupo de náufragos refaz
o mundo, regressando às
origens para representar a
29 e 30 de maio,
1 e 2 de junho
Coliseus de Lisboa e do Porto
Spirit of the dance
A potente dança irlandesa,
combinada com os
apaixonados ritmos latinos
do tango, do flamenco e da
salsa, produz uma mistura
de força e paixão fascinante.
Às 21h30, dias 29 e 30 de
maio, em Lisboa, e dias 1 e 2
de junho, no Porto.
junho
Uma estreia na capital,
o festival de cinema
dedicado ao surf e a
mares já navegados.
Deixe-se também
levar e encantar por
sonoridades mil.
5 e 6 de junho
Fundação CGD – Culturgest,
Lisboa
En attendant
O ponto de partida de En
Attendant é a Ars Subtilior,
forma complexa e refinada de
música polifónica do século
XIV. A dança controlada e
ondulante de En Attendant
evoca e homenageia de forma
muito bela a natureza pura,
mas estratificada da música
e a dissonância e contrastes
pouco comuns que a
caracterizam. Diferentes
constelações de corpos
desenvolvem-se no espaço
e no tempo. Os bailarinos
esperam à volta do palco
vazio, andam, dançam para o
centro e para fora do centro.
As delicadas transformações
da música são espelhadas
pela subtileza e precisão
da coreografia e pelas
mudanças que o espaço
físico despojado vai sofrendo.
Às 21h30.
Fotos: Herman Sorgeloos (En Attendant); Câmara Municipal de Oeiras
– Divisão de Desporto; Corbis Images; D.R. (restantes fotos)
Portugal MotoGP
aproveite para percorrer os
seus primeiros 10 mil passos
num percurso bonito
e acessível a todos, entre
a Praia da Torre e Paço
de Arcos. Desafie a família,
os amigos e colegas.
Ao inscrever-se, contribui
para os Médicos do Mundo,
em projetos de apoio a
jovens e idosos, seguindo
o mote do Ano Europeu
do Envelhecimento Ativo
e da Solidariedade entre
Gerações. Informações e
inscrições na CM Oeiras
– Edifício Atrium (Divisão
de Desporto), http://
desafio10000.cm-oeiras.pt
ou em lojas Well’s Continente.
11 a 20 de maio
Teatro Auditório Casino
Estoril
ESTORIL JAZZ/2012
Com a edição deste ano
do Estoril Jazz, entra na sua
quarta década de existência
o mais antigo e prestigiado
festival de jazz português,
ponto de encontro por
excelência dos amadores
de jazz de todo o País.
Às 21h30.
a nova dramaturgia ao teatro
escolar e juvenil com dois
novos textos em português,
escritos por Pedro Mexia e
Alex Cassal, e uma peça do
Connections, do National
Theatre de Londres, de R.
Mullarkey. Mais de 30 grupos
do País ensaiaram um destes
textos para apresentar em
estreia nacional e absoluta;
seis deles virão ao festival da
Culturgest.
18 a 20 de maio
Fundação CGD - Culturgest,
Lisboa
PANOS – palcos novos
palavras novas
O projeto da Culturgest junta
19 de maio
Teatro Académico Gil
Vicente, Coimbra
Luís de Matos
Luís de Matos Chaos é o novo
one man show do mágico
português mais premiado e
distinguido de sempre. Um
novo concerto de ilusões, tão
reais que desafiam a razão!
Um espetáculo para toda a
família! Às 21h30.
20 de maio
Cinema São Jorge, Lisboa
CONCERTOS PAIS E
FILHOS – OML
A Caixa, a Orquestra
Metropolitana de Lisboa, a EGEAC – Cinema S. Jorge
e a revista Pais & Filhos
avançam com mais um ciclo
de Concertos Pais & Filhos.
Cada apresentação é motivo
para uma conversa, em que
os participantes podem
Jos de Gruyter
e Harald Thys
10 de junho
Parque de Exposições
de Aveiro
Pablo Alborán
Artista do ano em Espanha,
Pablo Alborán editou o álbum
estreia, Pablo Alborán,
em fevereiro de 2011,
que, desde a sua edição,
permaneceu 18 semanas
no 1.º lugar de vendas em
Espanha e, rapidamente,
alcançou a quádrupla platina.
Em novembro de 2011,
chega o segundo trabalho,
En Acústico. Encantado pela
voz da fadista portuguesa
Carminho, Pablo convidou-a
para participar no primeiro
single, Perdonáme. Agora,
o público português tem a
oportunidade de desfrutar de
todo este sucesso ao vivo.
Imperdível! Às 22h00.
13 de junho
Teatro Municipal de Faro –
Teatro das Figuras
Brad Mehldau Solo
Um dos instrumentistas
mais aclamados do jazz
contemporâneo, Brad
Mehldau, encarna a essência
de exploração e improviso
do jazz, do romanticíssimo
clássico e do pop rock, sendo
admirado «universalmente
como um dos pianistas mais
aventureiros da cena jazz em
muitos anos». Às 21h30.
14 a 16 de junho
Cinema São Jorge, Lisboa
SAL – Surf at Lisbon
Film Fest
20 de maio
Teatro das Figuras, Faro
Auditório Municipal de Lagoa
CICLO CONCERTOS
PROMENADE CGD |
ORQUESTRA DO ALGARVE
Visando dar a conhecer os
diversos instrumentos de
En Attendant
Memorial I Carlos
Mendes, Filipa Pais e
Fernando Tordo
9 de junho
Centro de Espectáculos
do Casino de Tróia
Memorial I Fernando
Tordo, Carlos Mendes
e Filipa Pais
Fernando Tordo, Carlos
Mendes e Filipa Pais, uma
voz inconfundível de uma
nova geração de cantores,
percorrem as canções que
fazem parte da memória
coletiva dos portugueses e
inéditos criados para este
espetáculo. Às 22h30.
intervir ativamente para
conhecer, aprender e, depois,
experimentar os instrumentos
apresentados. Os concertos
contribuem para despertar
vocações e aproximar as
crianças do ambiente da
música. Inscrições através
do telefone 213 103 400.
Entrada livre até aos 6 anos..
Às 11 horas.
Pablo Alborán
Dedicado à temática do
surf, este festival de cinema
apresenta algumas das
mais relevantes produções
internacionais no contexto de
uma abordagem alternativa
e artística da modalidade.
Lisboa tem uma história
que se confunde com o mar.
Ao longo de séculos, o mar
trouxe vida a Lisboa e, agora,
é este mesmo mar que vem à
capital mostrar que os mares
nunca de antes navegados
já não têm de ser lugar de
receios, mas lugar de prazer,
arte e vida. Mais informações
em www.surfatlisbonfilmfest.
com ou http://www.
cinemasaojorge.pt.
29 de junho
Serra do Pilar, Vila Nova
de Gaia
CONCERTOS DE VERÃO
NA SERRA DO PILAR I LUÍS
REPRESAS & JOÃO GIL
Luís Represas e João Gil, a
alma dos Trovante, lançaram
recentemente um disco
em conjunto, quando se
assinala os 35 anos de
carreira dos dois músicos
e amigos. Com carreiras e
projetos separados, já não
trabalhavam juntos desde os
Trovante. Entrada grátis para
crianças dos 3 aos 11 anos,
desde que acompanhadas por
um adulto portador de bilhete
válido. Às 22h00.
7
A
Gastronomia
RestaurantE
great
Receitas tradicionais com
um excelente toque de
contemporaneidade num
ambiente intimista e acolhedor
Reinvenção de sabores
Com uma localização privilegiada, no Penha
Longa Hotel Spa & Resort, no Arola os sabores
ibéricos reinventam-se sob as mãos do chef
que lhe dá o nome
Dirigido pelo prestigiado chef Sergi Arola, de origem catalã,
e distinguido com duas estrelas Michelin e vários prémios
internacionais de gastronomia, não estranha que o Arola dê a conhecer
a sua cozinha com as suas únicas e tentadoras criações. É aqui que
Arola, discípulo de Ferran Adriá e de Pierre Gagnaire, partilha as suas
criações, fundindo os sabores clássicos em alguns produtos nacionais,
introduzindo a denominada cozinha atlântica, um conceito aliado à
sua arte e criatividade. Conhecido pela sua imaginação e inspiração,
bem como pela irreverência e inquietude, o carismático Arola procura
criar uma «cumplicidade» com os clientes, uma relação próxima tanto
nos espaços de luxo como em ambientes mais informais. Um espaço
moderno e bonito, decorado com cores claras e linhas minimalistas.
Destaque-se a garrafeira em vidro, expondo os vários néctares da casa,
e a vista, claro. Os pratos para «picar», as batatas bravas e o lombo
de borrego com beringelas fritas e salada de citrinos são iguarias que
ninguém recusa. As crianças não foram esquecidas, encontrando um
menu pensado na íntegra à sua medida.
No Arola, os titulares dos cartões Caixa Activa beneficiam de 15% de
desconto sobre o valor da refeição. A
Um espaço pequeno, intimista e sedutor,
que aposta numa decoração onde o
fator luz é primordial e onde o moderno
se mistura com apontamentos antigos.
As paredes de pedra, bastante rústicas,
os bancos corridos, as colunas escuras
e as portas de vidro criam um ambiente
descontraído e executivo. A iluminação
de dia dá ao espaço o vigor de um dia
soalheiro e os pequenos candeeiros à
noite o ambiente romântico necessário
ao prazer de saborear um bom prato
acompanhado de um excelente vinho.
Quanto à ementa, o seu chef pegou nas
receitas tradicionais, deu-lhes um toque
de contemporaneidade, como a paletilla
de cordero lechal no forno e o polvo
assado em Vinho do Porto com chalotas.
O pequeno bar ou o hall são um bom
pretexto para uma flûte de espumante
ou champanhe.
O Great está aberto todos os dias,
das 12h30 às 15 horas e das 20
às 24 horas.
Aos titulares dos cartões Caixa Activa,
o restaurante Great oferece 10% de
desconto sobre o valor da refeição.
Telefone 220 025 274
Web www.restaurantegreat.com
Telefone 219 249 027 Web www.penhalonga.com
Quinzena DO POLVO
A Lourinhã vai ser palco, em finais de maio e início do mês de junho,
de uma quinzena dedicada exclusivamente ao polvo, que vai povoar as
ementas da maioria dos restaurantes do concelho. Forte representante
de uma gastronomia com forte ligação ao mar, este molusco será
incorporado em pizzas e espetadas, servido em telhas e com feijoada,
e, inclusivamente, poderá servir de base a sobremesas. À inovação e
à criatividade aliam-se sabores mais tradicionais deste molusco tão
apreciado – como o polvo assado, cozido, à lagareiro e o inultrapassável
arroz de polvo – e, ainda, apanhado com as técnicas mais antigas e
artesanais. Saiba mais em www.cm-lourinha.pt.
8
vai
gostar
○○cacau
quente
Nestes dias em que
a brisa fresca ainda
se faz sentir, nada
como uma chávena
de cacau quente
ao entardecer para
reconfortar a alma e
o estômago.
No Claudio Corallo,
no coração do
Príncipe Real, o
chocolate, «tão
bom que não
precisa de baunilha
nem outros
aromas» – é, aliás,
considerado um dos
melhores do mundo
–, pode pedir-se
quente nos dias
frios. Aproveite
e delicie-se com
as variedades
de chocolate,
produzido em São
Tomé, que pode
apreciar através de
um pequeno menu
de degustação
que lhe é oferecido
com todo o carinho
por quem estiver
atrás do balcão,
regra geral Bettina
Corallo, que, nas
horas de menor
movimento, se
revela a melhor
contadora da
história do
chocolate artesanal
Claudio Corallo.
Para provar, repetir
e levar para casa.
Mais uma dica: no
verão, além dos
chocolates, há
gelado de cacau.
Simplesmente
memorável.
Contactos
213 462 158
www.claudiocorallo.
com
Rua Cecílio de
Receitas tradicionais, com um toque de
contemporaneidade
Sousa, 85, Lisboa
Sétima Arte
Paddy
Considine
Tiranossauro
representa a
estreia do ator
Paddy Considine na
realização de longas-metragens, num
filme em que também
assina o argumento.
E a estreia não podia
correr melhor, com
o Prémio de Melhor
Realizador no Festival
Internacional de
Sundance e nos
British Independent
Tiranossauro
Tremendas interpretações, numa história de amor
contada da forma como só o cinema independente
sabe contar
Primeiro Sundance, depois os Prémios do Cinema Independente
Britânico (BIFA). Melhor Realização, Melhor Atriz, Melhor Ator,
entre outras distinções, que fazem de Tiranossauro um motivo
obrigatório para ir ao cinema. A «culpa» é de uma estranha história
de amor, entre o viúvo Joseph (Peter Mullan), que encontra na
violência e na bebida uma espécie de escudo para as suas dificuldades
de integração social, e Hannah (Olivia Colman), uma católica devota
que se sujeita a maus-tratos por parte do marido. Dois mundos
que, à primeira vista, apenas parecem ter convergência no facto de
ameaçarem ruir a qualquer instante e acabam por amparar-se na
procura de um sentido para a vida. E se a história pode não parecer
propriamente uma grande novidade, a forma como Paddy Considine
a filma, de forma crua, por vezes brutal, faz toda a diferença. Isso e as
assombrosas interpretações de Mullan e Colman, cujas expressões se
cravam na nossa memória. A
De Paddy Considine Com Peter Mullan, Olivia Colman, Eddie Marsan
Género Drama Duração 91 min.
DVD
blu-Ray
○○As serviçais
O bestseller da autoria
de Kathryn Stockett
ganha vida no ecrã
através das poderosas
interpretações de
um extraordinário
elenco. Uma
inspiradora, corajosa
e comovente história
sobre várias mulheres
bastante diferentes,
mas igualmente
extraordinárias, que
construíram uma
amizade improvável à
volta de um projeto de
escrita secreto, que
quebra todas as regras
da sociedade e que as
Film Awards (BIFA),
mesmo tendo em
conta que o Leão de
Prata para Melhor
Curta-Metragem
conquistado no
Festival de Cinema
de Veneza, há meia
dezena de anos,
com Dog Altogether,
já indiciava a
potencialidade de
Paddy Considine atrás
das câmaras.
Como ator, pode
vê-lo em Na América,
Dead Man’s Shoes,
Cinderella Man, Hot
Fuzz e Blitz.
coloca em risco.
um filme de tate taylor,
com emma stone, viola
davis, octavia spencer
e bryce dallas howard,
drama.
146 min.
○○ meia noite
em paris
Uma comédia
A
a invenção de hugo
Martin Scorsese estreia-se
no universo 3D com um filme
inspirado no best-seller de Brian
Selznick
É um dos filmes mais aguardados do ano,
não só por assinalar o regresso de Martin
Scorsese, mas por colocar o realizador
no universo 3D. Baseado no premiado
bestseller de Brian Selznick A Invenção de
Hugo Cabret, esta fábula conta a aventura
de um órfão que vive, em segredo, numa
estação de comboios de Paris e que, com a
ajuda de uma rapariga que adora segredos,
procura a resposta para a ligação entre o
seu falecido pai e um robot que funciona a
partir de uma chave em forma de coração.
Com dois dos mais promissores atores
de Hollywood como protagonistas, este é
um filme para todas as idades, capaz de
misturar os mundos de Oz, Terra do Nunca
e Ilha do Tesouro.
De Martin Scorsese Com Asa Butterfield,
Ben Kingsley, Chloe Moretz, Christopher
Lee, Edmund Kingsley, Emily Mortimer, Jude
Law, Sacha Baron Cohen Género Aventura
Duração 125 min.
romântica, passada
em Paris, sobre uma
família que viaja até lá
em negócios e sobre
dois jovens prestes
a casar no outono. É
a história acerca do
grande amor de um
jovem por uma cidade
– Paris – e a ilusão
que quase todas as
pessoas sentem de
que a vida dos outros
é sempre melhor que
a sua.
um filme de woody
allen, com owen wilson,
rachel mcadams, marion
cotillard, kathy bates,
comédia. 91 min.
Se gosta de cinema, veja os melhores filmes, a preços especiais, nos Cinemas City. Basta apresentar
o seu cartão da Caixa nas bilheteiras e obterá o desconto conforme o tipo de bilhete escolhido. Entre em
www.vantagenscaixa.pt e descubra tudo o que os cartões da Caixa podem fazer por si. Cartão de crédito
Caixa Activa: TAEG de 22,2%, para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12 meses, à TAN de 20,75%.
9
Agenda
Literatura
como deus manda
a amante holandesa
Cristiano, 13 anos. Uma vida bem
longe da perfeição. Quando o pai
e dois amigos engendram um
plano para assaltarem um banco,
Cristiano vê nisso a possibilidade
de uma vida melhor. Mas as
coisas não correm bem. Numa
apocalítica noite de tempestade,
o papel desempenhado por
cada personagem desencadeará
consequências terríveis. Cru e
implacável, Como Deus Manda
tem um ritmo alucinante,
pautando-se pela violência,
humor negro e pela ternura.
Ammaniti apresenta-nos
um elenco de personagens
inesquecíveis, numa encruzilhada
entre esperança e desespero.
Ao deixar a aldeia
transmontana para ser estivador
em Amesterdão, Amadeu, o
Gato, não imaginava a relação
fugaz e fatal com uma bela
estrangeira rica. Décadas
volvidas, de novo na sua
terra, re-encontra um amigo,
redescobrindo ambos o prazer
de caminhar e conversar sobre o
passado. Porém, o Gato, que vive
do pastoreio e da contemplação
de memórias, ignora o efeito do
seu relato amoroso no amigo –
cuja existência se resume a um
casamento gasto, uma carreira
mediana a chegar ao fim e ao
sentimento de que falhou em
tudo na vida.
Editora Bertrand
€ 18,07
Editora Livros Quetzal
€ 15,50
a rainha das duas
sicílias
do convento
para a bimby
Em 1348, aos 22 anos,
Joana I, rainha de Nápoles, foi
apresentada em julgamento
ao Papa, acusada do homicídio
do primo e marido, o príncipe
húngaro André. Defendeu-se em latim e foi absolvida,
transformando-se, então, na
única mulher monarca do seu
tempo a governar em nome
próprio. Presidiu mais de
três décadas a uma das cortes
europeias mais prestigiadas e
influentes, até ser ela própria
assassinada.
Com a Bimby, é simples preparar
os divinos doces conventuais e
recuperar sabores autênticos da
doçaria tradicional portuguesa.
Mais de 50 receitas inéditas,
para saborear com a família e
os amigos. As doces relíquias
que os conventos nos deixaram
como herança – uma das nossas
maiores riquezas gastronómicas
– reúnem-se numa celebração
à arte da gulodice. Barrigas de
freira, encharcada, pitos de Santa
Luzia ou fatias de Tomar são
algumas das tentações.
Editora Bertrand
€ 18,50
Editora Bertrand
€ 22,50
Niccolò Ammaniti
Arte Moderna
1870-2000 – Do
Impressionismo
à Atualidade
Hans Werner Holzwarth
A história da Arte Moderna
começou há cerca de 150 anos,
em Paris, onde um círculo de
pintores, hoje conhecidos como
impressionistas, abalou o mundo
artístico
Desde então, a busca por novos caminhos
não mais parou, com um novo estilo a
suplantar sucessivamente o seguinte,
introduzindo sempre inovações diferentes:
ao Impressionismo seguir-se-iam o
Simbolismo, Expressionismo, Futurismo,
Dadaísmo, Arte Abstrata, Neorrealismo,
Surrealismo, Expressionismo Abstrato,
Pop, Arte Minimalista e Conceptual. E
mesmo no pós-modernismo e no trabalho
contemporâneo de Koons, Kelley ou Wool
facilmente se vislumbra esta necessidade
de criar algo novo.
Cada um dos quadros, esculturas,
fotografias e obras conceptuais
apresentados relata a história de uma
época que continuou a prosperar em novas
ideias e inovações.
Edições Taschen
€ 39,99
10
Nancy Goldstone
José Rentes de Carvalho
Vários
Autor
○○José
Rentes de
carvalho
(1930)
De ascendência
transmontana,
abandonaria o
País por motivos
políticos, vivendo
no Rio de Janeiro,
São Paulo, Nova
Iorque e Paris. Em
1956, mudou-se
para Amesterdão,
Holanda. Aqui,
foi assessor do
adido comercial
da Embaixada
do Brasil e
licenciou-se na
Universidade
de Amesterdão,
onde foi docente
de Língua
Portuguesa.
Agora, só se
dedica à escrita
e à colaboração
em vários jornais
e revistas
literárias.
Bibliografia:
Montedor (1968)
O Rebate (1971)
A Sétima
Onda (1984)
Holandeses
(2009, versão
portuguesa)
Portugal, een gids
voor vrienden
– Portugal, Um
Guia para Amigos,
(1988)
A Sétima Onda
(1984)
Mazagran (1992)
Ernestina (1998)
Livros cedidos pela Bertrand Livreiros, Quetzal e Livraria Bulhosa, no Oeiras Parque.
A
Música
notícias
▶▶Cesária Évora vai
ser eternizada sob
a forma de estátua.
A obra do artista
plástico cabo-verdiano
Domingos Luísa, com
três metros de altura,
ficará à vista de todos
no aeroporto de São
Vicente.
▶▶Aretha Franklin
cancelou o casamento,
agendado para o verão,
20 dias depois de ter
anunciado o noivado
com um amigo de
longa data, William
Wilkerson. A diva, de
69 anos, afirmou que
ambos sentiram que
estavam a ir depressa
demais.
▶▶Madonna revelou-se
fã de Adele. Depois de
ter visto ser quebrado
o recorde de semanas
consecutivas no
primeiro lugar do top
de vendas britânico, a
rainha da pop afirmou
que Adele é a nova
artista que mais a
impressiona e que a
considera dona de uma
voz impressionante.
en acÚstico
Pablo Alborán
é, hoje, uma das
maiores revelações
da música em
Espanha, contando
com milhares
de fãs e com um
álbum de estreia
que permaneceu
15 semanas no
primeiro lugar do
top de vendas do
país vizinho.
O sucesso alastra-se a Portugal,
com um disco em
formato CD+DVD,
onde podemos
encontrar o tema
Perdoname, com
a participação da
fadista Carminho.
De Pablo Alborán
Editora EMI Music
Dreamer
in concert
Admirador
confesso de Joni
DVD
blu-Ray
○○Live at the Royal
Albert Hall – ADELE
Live At The Royal
Albert Hall traz-nos 90
minutos de concerto
de Adele, a maior
das artistas pop dos
nossos dias, dona
de uma voz única e
interpretando temas
Mitchell, John
Martyn, Jeff Bucley
e discípulo de
Nick Drake, Ben
Howard depressa
conquistou o Reino
Unido com o seu
som proveniente
do universo folk
e soul acústico.
Segue-se o resto
da Europa e do
mundo, de guitarra
em punho.
Aos 77 anos,
Cohen arrisca
descaradamente
o universo dos
blues e, rodeado
de outras grandes
vozes, oferece-nos um disco
obrigatório.
De Leonard Cohen
Editora Sony Music
Blues, de Hank
Williams,
Permanently
Lonely, de Willie
Nelson, Wide Open
Road, de Johnny
Cash, e Jolene, de
de Dolly Parton.
Grandes canções
num grande disco.
De The Little Willies
Editora EMI Music
De Ben Howard
Editora Universal
Music
for the
good times
old ideas
Depois de oito
anos em silêncio,
Leonard Cohen
está de regresso
com o seu 12.º
disco de originais,
incluindo dez
canções que
abordam, de
forma poética,
alguns dos mais
profundos dilemas
da existência
humana (sendo,
possivelmente,
o álbum mais
espiritualmente
aberto deste
artista venerado).
que conquistam
tabelas de vendas
um pouco por todo
o mundo. Como extras,
um documentário
com filmagens de
bastidores e um
CD com o concerto.
Destaque para as
inéditas versões de
Os Little Willies,
projeto de Norah
Jones (piano e voz),
Lee Alexander
(baixo e produção),
Jim Campilongo
(guitarra), Richard
Julian (voz e
guitarra) e Dan
Rieser (bateria),
estão de volta com
um segundo álbum,
depois da sua
estreia discográfica
em 2006. O nome
do álbum, For
the Good Times,
nasce a partir do
título do tema de
Kris Kristofferson
também incluído
neste registo, que
inclui clássicos
como Lovesick
If It Hadn’t Been
For Love, dos The
Steeldrivers, e If I Can’t
Make You Love Me, de
Bonnie Raitt.
XI | 2011
○○Concerto de Ano
Novo 2012
A edição 2012 do
born to die
Lana del Rey
surge, no início
de 2012, como
a artista mais
procurada nas
redes sociais
e a mais falada
nos meios de
comunicação
social, incluindo
os portugueses,
que a apontam
como a mais
importante voz dos
próximos anos.
Aqui, encontramos
música atmosférica,
a soar a anos 60,
cantada por uma
voz que comprova
tudo o que de bom
se diz a seu respeito.
A
vai
gostar
Logitech Mini
Boombox
Ouvir música e
fazer as suas
chamadas via
Bluetooth é agora
possível graças
ao Logitech Mini
Boombox, um
sistema de som
compacto para
música, filmes,
jogos e chamadas
telefónicas
que se liga a
smartphones,
tablets ou outros
dispositivos via
Bluetooth. Inclui
câmara acústica
desenvolvida para
garantir toda a
qualidade sonora
e um sistema
de alta voz
com microfone
embutido para
chamadas
límpidas na sua
sala, carro ou
jardim. Ideal para
telefonemas e
videochats.
Web:
www.logitech.com
€ 79,99
De Lana del Rey
Editora Universal Music
evento de música
clássica mais
famoso do mundo,
interpretado, em
Viena, pela Wiener
Philharmoniker, conta
com Mariss Jansons
como maestro e
combina clássicos
e obras que nunca
foram gravadas ou são
raramente ouvidas.
Como sempre, o
concerto termina
com os dois encores
tradicionais – a valsa
O Danúbio Azul e
a famosa Marcha
Radetzky.
Sony Classical | 2012
11
A
12
A minha vida dava um filme
Oprah
Winfrey
O sonho
americano
Tem uma carreira de 25 anos, é a mulher
mais influente do pequeno ecrã e um
fenómeno de popularidade à escala
mundial. Poucos serão os segredos que a
exposição pública lhe permite guardar
C
?CATARINA VILAR
edo percebeu que a sua complicada história
podia servir de exemplo a outros. Preferiu
ser ela a contá-la aos milhões de seguidores, e até quando, em 2010, descobriu uma
meia-irmã desconhecida, fez o anúncio no seu estúdio,
dedicando-lhe um programa especial, onde não faltaram
os recém-descobertos sobrinhos na plateia. Assume, assim, o controlo da sua vida, mas algumas das marcas do
doloroso passado ainda se refletem na mulher poderosa
que é hoje. Olhar para o seu percurso é entrar num mundo
longe do glamour que a rodeia, é falar de uma infância
marcada pela pobreza, por uma gravidez precoce e por
abusos sexuais. Oprah foi educada pela avó numa casa
humilde do Mississípi e, entre os 6 e os 14 anos, viveu
com a mãe no Milwaukee. Acabou por ir viver com o pai
para Nashville, começando a trabalhar numa mercearia
perto da sua barbearia. Determinada, aos 16 anos já lia o
noticiário na rádio local. Contrariou, assim, um rumo que
teimava em persegui-la.
«Não me
Nasceu numa cidade pequena,
mas sempre teve sonhos que
preocupo
ultrapassavam
a linha do horicom o facto
zonte.
Quando
estava na rádio,
de falhar,
quis
passar
para
a televisão, acapreocupobando por ir trabalhar para uma
-me, sim, se
emissora local. Nessa altura, o
fiz tudo o
objetivo passou por querer ir paque podia
ra uma grande emissora. Aos 19
fazer. Sou
anos, chegou, então, uma oferta
uma mulher
para trabalhar em Atlanta, como
determinada
pivô. Iria passar de um ordenado
e empenhada.
de 12 mil dólares por ano para
40 mil dólares. A conselho do
Não desisto»
Factos
curiosos
▶▶Em 1985,
interpretou o papel
de Sofia, no filme de
Steven Spielberg
A Cor Púrpura. A
sua performance
foi nomeada para
o Globo de Ouro e
Óscar de Melhor Atriz
Secundária.
▶▶Com pequenos
papéis ao longo dos
anos, em 1998, Oprah
volta ao cinema, como
produtora e atriz, no
filme Beloved, baseado
no livro de Toni
Morrison vencedor do
Prémio Pulitzer. Para se
preparar para o papel
de Sethe, simulou
uma experiência de
escravatura que durou
24 horas.
▶▶Na última emissão
do seu The Oprah
Winfrey Show, teve
25 mil pessoas na
assistência e várias
figuras públicas
homenagearam a
rainha da TV.
▶▶O seu programa
ganhou 32 Emmy, 12
deles consecutivos.
Tinha uma média
de 20 milhões de
espectadores por
episódio, só nos EUA.
▶▶Nasceu no
Mississípi rural a 29
de janeiro de 1954. É
considerada uma das
personalidades mais
influentes do século
XX, ao lado de Martin
Luther King, Charlie
Chaplin e Picasso
▶▶Ensinada a ler
pela avó, aos 3 anos,
Oprah revelar-se-ia
uma apaixonada da
literatura, tendo criado
um clube de leitura,
em 1996, que inspirou
inúmeros leitores. O
clube terminou em
maio de 2011.
13
A
A minha vida dava um filme
então chefe, Chris Clark, recusou, porque tinha algo mais
para aprender antes de dar esse passo. A jovem Oprah não
deixou que a ambição falasse mais alto, e assim fez. Anos
mais tarde, com a lição aprendida, passou por Baltimore
e, daí, voou para a televisão em Chicago, dando, assim, os
primeiros passos numa história de sucesso com uma postura intimista e sincera que cativa quem a segue como líder.
Presentes e convidados de luxo
Aos 58 anos, é uma das mulheres mais ricas do mundo,
com uma fortuna que ultrapassa os mil milhões de euros
– perdeu para Lady Gaga o estatuto de celebridade mais
poderosa. Este é, apenas, um dos feitos da menina do
Mississípi tornada rainha da televisão. É considerada
uma das maiores filantropas de todos os tempos e foi a
primeira mulher negra a ser incluída pela revista Forbes
na lista dos bilionários em 2003, lugar onde permaneceu
durante quatro anos. A mulher que ajudou Barack Obama
a ser eleito Presidente dos Estados Unidos não tinha televisão em casa por a avó considerar que a caixa que mudou
o mundo era obra do diabo. Falamos daquela que criou a
produtora Harpo e deu origem à palavra «oprahização»
e à expressão «o fator Oprah».
Pelo sofá do seu incontornável The Oprah Winfrey
Show passaram, desde 1986, cidadãos comuns, as maiores
estrelas da sétima arte e da música, políticos e desportistas. Ali ficaram para a história os saltos despropositados
de um muito apaixonado Tom Cruise, a confirmação
do abuso de drogas de Whitney Houston e sucessivas
revelações pessoais da própria Oprah. Quando recebeu
Michael Jackson em estúdio, 62 milhões de pessoas não
perderam a entrevista. O seu Clube de Livros transformava
uma obra num best-seller instantâneo e um dos programas mais esperados era aquele em que a apresentadora
distribuía pela plateia as suas coisas preferidas. Chegou
a dar sabonetes da empresa portuguesa Ach Brito, por
serem os seus eleitos, mas foi noutro que protagonizou
um dos eventos televisivos da década. Na estreia da 19.ª
temporada, ofereceu carros ao público no estúdio, nada
menos que 275 Pontiac G-6 Sedan, cada um avaliado em
cerca de 21 mil euros. E o desfile de marcas continuava,
servindo para as empresas promoverem os seus produtos,
a anfitriã triunfar e o público rejubilar. Foram minutos
de gritos em prime time em que todos saíram a ganhar.
«Não tenho
nada a ver
com a fama.
Essa é a
ideia que as
pessoas
têm de mim.
O dinheiro
é uma coisa
muito boa,
mas o seu
verdadeiro
propósito é
servir para
alcançar o
amor»
O capítulo seguinte
Atingida a fasquia dos 25 anos no seu programa homónimo, colocou um ponto final naquele que é um dos grandes
marcos televisivos das últimas décadas. O seu fiel companheiro desde 1986, Stedman Graham, disse na despedida:
«Fascina-me estar ao lado de uma mulher que muda a vida
de pessoas e que, ao mesmo tempo, leva o almoço para o
trabalho todos os dias. Com todos os obstáculos, conseguiste!» Oprah decidiu encerrar este ciclo e dedicou-se ao
seu próprio canal, cuja filosofia é passar energia positiva
através da programação. O Oprah Winfrey Network (OWN)
é, agora, o alvo da sua atenção e, logo nos primeiros meses,
percebeu que o público a queria ver em frente das câmaras,
não apenas oculta nos bastidores. Em Oprah’s Next Chapter, entrevista celebridades em casa, como Steven Tyler, ou
no Haiti, no caso de Sean Penn, longe do estúdio mas no
tom intimista que sempre a caracterizou.
Ao longo dos anos, debateu-se publicamente com o
excesso de peso. Todos os dias, o mundo acompanhava as
suas dietas radicais, as novas técnicas de emagrecimento e
as suas batalhas tantas vezes perdidas. Agora, assume que
está mais preocupada com o trabalho do que com a imagem, revelou ter desistido das dietas e surgiu no seu novo
programa sem maquilhagem. Foi mais um grito de Oprah.
Tem duas revistas, a O, The Oprah Magazine e a O at Home;
aposta no site Oprah.com, detém a estação de rádio Oxygen
e agora a televisiva OWN. Se a aposta no novo canal não
funcionar, já avisou que irá apostar na agricultura biológica.
E alguém duvida de que iria triunfar como agricultora?
Em prol da educação
Com a Angel Network, dá bolsas de estudo a alunos carenciados. Uma das grandes causas
da rainha da televisão americana é a educação – em criança, queria ser professora da
primária, por isso, investiu 40 milhões de dólares na Leadership Academy for Girls, uma
escola na África do Sul destinada a raparigas de famílias pobres. «A educação abre as
portas da liberdade», disse Oprah na cerimónia de entrega dos primeiros diplomas. Acredita
estar a quebrar, assim, o ciclo de pobreza e a ajudar a formar jovens líderes. Destaques pelo
seu trabalho em prol dos outros não faltam, como o Prémio Humanitário, pela Academia de
Artes Cinematográficas e Ciências 2011, em Hollywood.
14
High tech
A
Tensão sem sobressaltos
Maio é o mês do coração. Aproveite a dica e comece a cuidar mais de si. Alguns cuidados são
suficientes para diminuir o risco de doença cardiovascular. Medir a tensão é um deles
helena estevens
omron
BRAUN
taurus
microlife
Extremamente fácil de utilizar este
medidor de tensão arterial para
utilização no braço. Com o simples
premir de um botão, em poucos
segundos, e com toda a comodidade
e fiabilidade, indica, num mostrador
de grandes dimensões, os valores
das tensões arteriais máxima e
mínima e da frequência cardíaca e
a ocorrência de pulsação irregular.
Um indicador gráfico facilita a
deteção de um possível estado de
hipertensão. A tecnologia exclusiva
Intellisense proporciona uma medição
mais confortável, pois só aplica à
braçadeira a pressão necessária para
efetuar a medição com rigor. Dispõe
de memória para dois utilizadores,
com capacidade para 100 medições
cada, com indicação da data e hora.
Braçadeira versátil, para perímetros
entre 22 e 42 cm. Validado
clinicamente.
A hipertensão é o maior fator
de risco de doenças cardíacas
e acidentes cardiovasculares,
afetando atualmente mais de mil
milhões de pessoas. A medição
da tensão arterial em casa está
a tornar-se cada vez mais importante
para o diagnóstico e gestão da
hipertensão. Lançado recentemente,
o Braun ExactFit Plus BP5900
funciona com um simples toque de
botão. O ecrã LCD de fácil leitura
mostra os níveis de tensão arterial
de acordo com uma classificação
baseada nas diretrizes da Sociedade
Europeia de Hipertensão e validada
pelo protocolo da Associação para o
Avanço da Instrumentação Médica.
O monitor pode ser usado para
deteção de pulsação irregular e indica
as médias para a manhã, noite e dia
completo, que podem ser partilhadas
com o médico para um controlo mais
eficaz.
Aproxima-se o verão e com
ele a alteração de hábitos que
influenciam o nosso organismo.
Não só os atletas ou doentes
necessitam de conhecer a sua
tensão arterial, sendo cada vez
mais importante conhecer os
valores corporais. O tensiómetro
Tensio Precise Plus, da Taurus,
com 120 memórias de leitura,
permite medir a tensão arterial de
forma cómoda, fiável e totalmente
automática. Ideal para um controlo
diário da tensão arterial e para uso
em qualquer hora e em qualquer lugar.
Dispõe de visor LCD amplo e de
fácil leitura, graças ao tamanho dos
números. Além disso, proporciona
a possibilidade de medição para
dois utilizadores diferentes, com
memória (data e hora). O resultado do
diagnóstico cumpre com os valores
standard recomendados pela OMS.
Vem com estojo, que facilita a sua
arrumação e transporte.
Muito fiável e de fácil utilização,
permitindo uma leitura imediata
dos valores máximo e mínimo
da tensão arterial, bem como
da pulsação do utente. Testado
clinicamente (protocolo da BHS),
possui tecnologia PAD (deteção
da arritmia) e capacidade para 30
memórias. Os visores são de grande
dimensão, facilitando uma leitura
imediata. Inclui braçadeira lavável,
compartimento para a braçadeira
e saco de transporte. Equipado
com indicador do estado das pilhas.
Pode ser utilizado com pilhas
recarregáveis ou com adaptador de
corrente (disponível como acessório
extra)
m6 confort
Preço: € 94,27
ExactFit Plus BP5900
Preço: € 60,55
Preço: € 39,99
Revolução
Popularidade
Acessibilidade
precise plus
Revolução
Popularidade
Acessibilidade
bpa100
Preço: sob consulta
Revolução
Popularidade
Acessibilidade
Revolução
Popularidade
Acessibilidade
«A única forma de detetar a tensão arterial alta é medi-la.» Organização Mundial de Saúde, ficha informativa sobre hipertensão.
15
A
Internet
Evitar o roubo
de identidade on-line
Sendo a Internet um mundo de possibilidades,
é importante estar consciente dos seus perigos.
Proteger os dados pessoais é uma premissa fundamental
quando se abre a porta a esta realidade
catarina vilar
O
s burlões tornaram-se mais sofisticados e reinventam novas
formas de atacar quem está desprevenido. Quando se lida com
as especificidades da Internet, a necessidade
de ficar alerta é ainda maior e é importante
ter em conta que todo o cuidado é pouco na
altura de proteger dados como o número
do cartão de crédito e a informação pessoal
e bancária. Estamos perante um fenómeno
conhecido globalmente como phishing, que
passa por convencer o alvo a divulgar informações pessoais através, nomeadamente, da
criação de mensagens de correio eletrónico e
web sites enganadores. É o método de crime
on-line que regista maior crescimento, utilizado para furtar finanças pessoais e roubar
identidades. Fraudes de cartões de crédito,
esquemas de hipoteca e esvaziamento de
contas bancárias podem ser o resultado desta
usurpação sem rosto. Daí existirem alguns
cuidados a ter com vista a reduzir os temíveis
ataques informáticos.
Trancas na porta
No furto de identidade on-line, os esquemas
são elaborados, uma vez que os ladrões recorrem a correios eletrónicos e páginas falsas para se fazerem passar por organizações
fidedignas. Fazem uso do fator confiança
para iludir o seu alvo até que este divulgue
informações pessoais, como palavras passe e
números de contas. A partir do momento em
que o burlão tem acesso aos dados principais,
assume a identidade do utilizador e passa à
ação. Estar um passo à frente e sempre alerta
ajuda a reduzir o risco de ser uma presa fácil.
É fundamental aprender a detetar correios
16
eletrónicos e web sites fraudulentos, conhecendo bem os originais e não cedendo
informação quando sente que há algo errado.
Quando falamos de partilha de informação em redes sociais, a atitude é muitas
vezes descuidada. Especialistas da Escola
de Engenharia e Centro de Investigação
EURECOM, em França, avançam que a taxa
de crescimento de utilizadores em algumas
redes sociais alcança os 3% semanais, sendo fundamental repensar a sua segurança.
Aqui, colocam-se fotografias da família
e da casa de férias, diz-se quem são os
amigos e parentesco, anuncia-se qual é o
local de trabalho e até se explicam os hábitos e rotinas. São excelentes chaves para
entrar na sua vida, por isso um ataque a
uma conta destas revela um sem-número
de informações pessoais. Uma das medidas a tomar para os evitar é ter uma maior
atenção ao que se partilha e com quem. A
grande premissa para evitar ser alvo deste
crime terrível é nada mais que proteger o
mais possível o que tem de mais precioso.
E desconfiar, sempre.
Engano nas mensagens
eletrónicas
Suspeite sempre de uma mensagem
eletrónica que peça informações pessoais,
mesmo que pareça legítima, e tenha
em conta que os falsos e-mails não são
personalizados e geralmente mostram
urgência no envio dos dados. Neste papel
de detetive amador, redobra-se o cuidado
com a abertura de anexos, que podem conter
vírus que se instalam no computador
à distância de um clique.
PC.Clinic
A PC.Clinic é uma empresa de
assistência informática especializada
na reparação e manutenção rápida
de computadores, onde se privilegia
a rapidez, a eficiência e o respeito
absoluto pela privacidade dos clientes.
A sua equipa técnica é composta por
profissionais de superior capacidade,
experiência comprovada e formados
com o apoio da Microsoft, parceira
privilegiada da PC.Clinic. Na PC.Clinic
encontrará os seguintes serviços:
○○Diagnóstico (desktop e portátil)
Análise geral ao equipamento e
informação dos procedimentos
necessários para corrigir e melhorar
o desempenho e a segurança do
equipamento;
○○Diagnóstico e reparação urgente
Início imediato do diagnóstico e da
respetiva reparação. A duração da
intervenção depende das características
do equipamento e da complexidade
técnica da solução para o problema;
○○Diagnóstico para recuperação
de dados
Análise da viabilidade técnica para
a recuperação da informação. Está
disponível para discos rígidos dos
computadores, pen drives, cartões
de memória e outros suportes de
armazenamento.
A PC.Clinic oferece aos titulares dos
cartões Caixa Activa 20% de desconto
em serviços, uma promoção válida
até 30 de junho de 2012.
A melhor proteção para o seu
computador é a prevenção,
que passa pela aquisição
de conhecimentos básicos e
adoção de algumas regras.
Saiba mais na Caixadirecta
on-line, nas recomendações
de segurança para Internet
Banking e Internet Segura.
Regras-base para
se proteger de ataques
▶▶Não responder a mensagens
de correio eletrónico onde
se peça o envio de informações
pessoais.
▶▶Não clicar em hiperligações
suspeitas.
▶▶Proteger o computador com
software adequado, como um bom
anti-vírus.
▶▶Não utilizar a mesma password ou
NIP em vários registos diferentes.
▶▶Escolher palavras passe fortes:
longas e pouco óbvias.
▶▶O envio de informação como o
número do cartão de crédito por
correio eletrónico não é seguro.
▶▶Realizar operações bancárias
e compras apenas em empresas e
sites de confiança.
▶▶Verificar regularmente os
movimentos de conta de cartões
bancários.
Todo o cuidado
é pouco na partilha
de informação
pessoal feita nas
redes sociais.
Proteja-se
de predadores
sem rosto
Uma das medidas a tomar para
trancar a sete chaves as suas­
informações mais importantes é
armazenando-as em ficheiros e diretórios
protegidos por palavra-passe. Realizar
transações financeiras on-line não é um
bicho de sete cabeças, mas apenas devem
ser efetuadas em sites seguros e com nomes
que comecem por http – nunca com https
ou shttp - ou que estejam autenticados por
empresas especialistas. Esta é uma das ações
a ter como regra. Note-se que a consulta
regular do extrato bancário permite estar
alerta para cada movimento realizado e dá
a possibilidade de agir rapidamente no caso
de ter sido alvo de um ataque informático
desta ordem.
Artilhar o computador contra eventuais
ataques é uma regra de ouro: instalar antivírus, antispyware e proteção antispam
– softwares que podem ser adquiridos nas
lojas da especialidade – são nomes que devem passar a fazer parte do vocabulário de
quem acede à Internet. Todos os cuidados
são poucos para que aquilo que temos de
mais privado continue guardado e longe
de utilizações criminosas. A
17
A
Upgrade
ATELIER CAKE DESIGN
Local Convento do Espinheiro
Hotel & Spa, Évora
tempo
útil
Cursos vários
para atualização
de conhecimentos
CHÁ COM CIÊNCIA
Local Pavilhão do
Conhecimento, Lisboa
Nesta iniciativa do clube
C60+, conversar-se-á sobre
bons e maus alimentos com
a nutricionista Fabiana
Botelho. Descubra os mitos por
detrás dos «E», vitaminas e
suplementos. Qual o papel do
exercício na nossa alimentação?
Reserve já o seu lugar por
telefone ou e-mail.
Nota: Deverá fazer reserva
com, pelo menos, oito dias de
antecedência da atividade. Caso
não haja número de reservas
mínimas, poder-se-á ter de
cancelar a atividade e, caso isto
aconteça, será devidamente
informado com dois dias de
antecedência.
Data: 18 de abril | 16h00
www.pavconhecimento.pt/
visite-nos/clube-senior/
planoactividades.asp
[email protected]
218 917 100
18
A Casinha das Manas visita o
Convento do Espinheiro, no dia
26 de maio, às 15 horas, para
ensinar alguns truques para
fazer bolos verdadeiramente
divertidos. A combinação perfeita
dos melhores ingredientes com
muita imaginação e criatividade
dá origem a bolos saborosos e
personalizados. Para participar,
traga, por favor, os seguintes
ingredientes: 25 anos de
experiência na cozinha da mamã;
5,5 kg de leitura culinária; uma
mão-cheia de amigos gulosos
e deliciados; uma pitada de
diversão; criatividade q. b.;
paixão a gosto.
Forno do Tijolo. Para usufruir das
aulas, só precisa de ser eleitor na
freguesia dos Anjos e apresentar,
na altura da inscrição, o cartão de
cidadão ou bilhete de identidade
e cartão de contribuinte.
Preço: € 7/mês
Duração: quartas e sextas-feiras |
14h00-16h00
www.jfanjos.pt
218 160 970
A Juventude
começa aos 50
Local: Academia do Lumiar,
Lisboa
flexibilidade, coordenação
e equilíbrio. Conteúdos: o
esqueleto - envelhecimento e o
sistema músculo-esquelético,
e enfraquecimento muscular
e baixa densidade óssea (1.ª
semana); função cardiovascular
– envelhecimento e o sistema
cardiovascular, e ritmo cardíaco
e respiratório (2.ª semana);
alimentação - alimentação
equilibrada e controlo de
peso (3.ª semana); partilha de
valores – interação avós e netos
e convívio intergeracional (4.ª
semana - caso queiram, os avós
podem trazer os seus netos).
Preço: € 4/sessão (pacote
das 8 sessões: €25)
De 11 de abril a 2 de maio de 2012 |
quartas e sextas-feiras |
Preço: A partir de € 25
16h00-17h00.
www.conventodoespinheiro.com
http://academiadolumiar.com
266 788 200
217 578 558
ARTES DECORATIVAS
INICIAÇÃO
À INFORMÁTICA
Local Anjos, Lisboa
Local Parque dos Poetas, Oeiras
Aqui trabalha-se a
transformação dos mais variados
tipos de materiais, decorando-os
e tornando-os novas peças.
São exploradas várias técnicas
e métodos. Estas aulas
realizam-se nas instalações
da Junta de Freguesia dos Anjos,
Rua Maria da Fonte – Mercado
Destinado a jovens adultos dos
50 aos 90 anos, este workshop
visa proporcionar à população
adulta/sénior uma atividade
física regular e devidamente
orientada, tendo em vista a
melhoria da sua qualidade de
vida e elevação da sua autoestima, sensibilizando-os para
a adoção de estilos de vida
saudáveis; diminuir os fatores
de risco relacionados com o
processo de envelhecimento,
combatendo a inatividade e
o sedentarismo; aumentar
os níveis de independência
e autonomia através de
melhores índices de aptidão
cardiovascular e física,
nomeadamente, ao nível da
força e resistência muscular
e atenuando a perda de
Um curso que visa dotar os
participantes de conhecimentos
e competências na área
das novas tecnologias de
informação e comunicação. O
programa será individualizado,
acompanhado e adequado ao
ritmo e conhecimentos de cada
participante. Esta atividade visa
fomentar a memória funcional e
visual, a atenção, a concentração
e o raciocínio lógico. Poderá
escolher entre três modalidades.
Preço: € 30 inscrição anual +
mensalidade a partir de € 90 (de
acordo com modalidade escolhida)
Duração: Modalidade A – 1 dia
por semana (2 horas); Modalidade
B – 2 dias por semana (4 horas);
Modalidade C – 5 dias por semana
(10 horas).
www.academiadoparque.net
214 101 342
Notícias
mundo sénior
A
A adoção de hábitos saudáveis é um fator essencial para a melhoria da qualidade de vida
Saúde
American Journal of Clinical
Nutrition, o consumo de, pelo
menos, cinco chávenas desta
bebida por dia está associado
a 33 por cento de redução de
incapacidade funcional, ao
nível, sobretudo, dos acidentes
vasculares cerebrais e das
doenças cardiovasculares.
DST duplicam acima dos 50 anos
O número de casos de doenças sexualmente transmissíveis
(DST) detetados em pessoas com mais de 50 anos duplicou na
última década, de acordo com o jornal Student BMJ, de fevereiro.
O estudo, da autoria de Rachel von Sinson (King’s College) e
Ranjababu Kulasegaram (St. Thomas’ Hospital, Londres), mostrou
que 80 por cento das pessoas entre os 50 e os 90 anos são
sexualmente ativas, daí que «os médicos devam manter-se alerta
para com as infeções transmitidas sexualmente em adultos mais
velhos, mesmo que tenham mais de 90 anos». As causas não são
claras, apontando-se para as alterações físicas da menopausa e o
aumento do uso de medicação para a disfunção erétil.
Calendário
Ativos apesar
da idade
Aljustrel
Animado convívio natalício
Espírito de Natal não faltou no município de Aljustrel, onde se
multiplicaram iniciativas para proporcionar aos seus habitantes
momentos de convívio, lazer e solidariedade para com os mais
desfavorecidos. Entre as ações realizadas, contou-se a festa dos
alunos que frequentam a Universidade Sénior de Aljustrel (USA)
e o projeto municipal Animasénior, no qual cerca de 300 pessoas
demonstraram o que
aprenderam. Assistiu-se, ainda, à primeira
atuação da Tuna e do
grupo de teatro da
USA, assim como do
grupo de alfabetização
da Corte Vicente Anes
(Animasénior).
Para assinalar o Ano Europeu
do Envelhecimento Ativo
e Solidariedade entre Gerações,
foram convidadas 97 pessoas
a posar para uma sessão
fotográfica para ilustrar um
calendário de 2012. A iniciativa
partiu da Junta de Freguesia de
Carnide, em Lisboa, que fez
o convite aos moradores da
freguesia, na maioria ligados à
Academia Sénior, a mostrar que
ainda são sobejamente ativos.
Nutrição
Chá verde
As pessoas que bebem chá verde
apresentam menos problemas
funcionais como osteoporose e
acidentes vasculares cerebrais,
de acordo com um estudo
realizado no Japão. Segundo
este estudo, publicado no
Montijo
Agenda Sénior 2012
Janeiro assinalou o lançamento
da Agenda Sénior 2012,
um projeto da Câmara do
Montijo dirigido à população
sénior, para o combate ao
isolamento social e a promoção
do envelhecimento ativo,
através do desenvolvimento de
iniciativas recreativas e sessões
de informação ao longo do ano.
A agenda foi apresentada ao
público numa cerimónia que
incluiu a apresentação do filme
Juntos por Um Envelhecimento
Ativo e Saudável e animação
variada pelo Grupo Saudável
65 – Grupo de Ginástica e pela
TUNISETI – Tuna Académica da
Universidade Sénior do Montijo
e pela Marcha da Associação
de Reformados, Pensionistas
e Idosos da mesma cidade.
Vida+
GNR no combate à solidão
Dar mais vida aos idosos é o objetivo do projeto Vida+, do Posto Territorial da GNR de Vieira do Minho. Com a ajuda de voluntários
(militares da GNR, professoras e enfermeiras), promove a alfabetização, integração social e convívio, combatendo a solidão. «Os
senhores guardas ensinam-nos como devemos nos precaver contra os gatunos e como devemos trazer as malas quando vamos
na rua. A senhora enfermeira mostrou como fazer um curativo», relatou M.a Gomes, de 90 anos, ao Correio do Minho.
19
A
Agenda
Entrevista
O teatro
é uma arma
JOSÉ PEDRO GOMES
Em cima do palco, vai vencendo, batalha a batalha,
a guerra contra a crise do teatro, pela qual se recusa a capitular.
Uma das frentes onde não baixa a guarda é a do preço
dos bilhetes, porque, defende, do valor que se atribui às entradas
muito depende o valor que se reconhece ao espetáculo.
Com a gargalhada em riste, sem nunca fugir, bate-se
contra a proliferação dos jeitosos e não vai em tretas.
Ouçamos, pois, o que nos diz José Pedro Gomes
Ana rita lúcio
20
???????no 2011
joão cupertino
A
Entrevista
O
riso desarma-nos mal cruzamos a coxia da
plateia que defronta o palco. E nunca nos
abandona, ao longo das mais de duas horas
de conversa no camarim. Na luta que o entrincheira nas tábuas do palco há mais de 30 anos, o ator
que acaba de dar corpo, na peça A Fuga, a um ministro
corrupto debate-se com os jeitosos que continuam à solta,
quer pintar o País de outras cores e nunca vira a cara ao
combate político. Só nos pede para que não lhe digamos
«não sejas assim!». E leva-nos de vencida. O riso segue
dentro de momentos.
Comecemos esta entrevista pelo final: a sua última
peça, A Fuga. Aproveito para lhe perguntar: de que
mais lhe apetece fugir?
A fuga não é minha, é do personagem. Mas é de uma
maneira de trabalhar que há alguns personagens por aí
que têm.
Perguntava-lhe isto a propósito dos seus trabalhos,
que têm tido uma forte componente de crítica social
acutilante…
Mas isso não implica uma fuga, pelo contrário. É o
contributo que devo dar para que o País melhore.
Nessa mesma peça, interpretou um ministro corrupto…
A única coisa que o ministro fez foi trocar uma casa por
uns contratos que ele adjudica no ministério… Onde é
que isso é corrupção?! [Risos]
Em cima, na peça
A Fuga; à direita, em
Coçar onde É Preciso
Essa sua personagem obriga-me à pergunta: um ator
também é um político, trazendo à cena realidades
que, por vezes, são ofuscadas pelo barulho das
luzes?
rirem e, mesmo assim, tenho de fazer o espetáculo. É uma
profissão também, na medida em que tem mecanismos
que precisamos de trabalhar para que as coisas tenham
graça. Isso exige trabalho.
Queixa-se daquilo que muitos humoristas ou atores
ligados ao humor se queixam: as pessoas estão sempre
a esperar de si uma piada, uma risada?
Sim, o que pode ser chato. Às vezes estou a falar muito a
sério [dá ênfase às palavras, com uma cara séria] e estou
irritado e não me levam a sério! [Risos]
Eu sinto-me completamente nesse papel. Políticos somos todos, e o meu contributo político para que as coisas
mudem é este: pôr os dedos em algumas das feridas.
Fazer comédia também é dramático, nesse sentido?
O teatro, como a canção, também pode ser uma arma?
Pode ser! [Risos]
É uma arma, e nós sentimos isso na reação do público. Conseguimos medir o pulso político do público através da reação que tem às críticas que fazemos.
O humor é também uma forma especialmente
apropriada para chamar a atenção para estas
questões?
Através do humor, criamos uma comunhão com o público, como acontecia com o teatro de revista. Mesmo
aqueles que não estão de acordo connosco não levam as
coisas tão a mal.
E fazer rir? É uma missão, profissão ou compulsão?
É tudo isso. Antes de mais, é uma profissão mesmo. Nem
sempre estou divertido ou me apetece fazer as pessoas
22
Estreou-se no teatro amador. Como é que as tábuas do
palco começaram a ser uma realidade mais concreta,
já como profissional?
«políticos
somos todos,
e o meu
contributo
político para
que as coisas
mudem é este:
pÔr os dedos
em algumas
feridas»
Já foi tarde, tinha 25 anos. Nunca pensei vir a ser ator,
nunca tomei medidas para isso. Comecei aos 17 anos,
como amador, no liceu. Houve um colega de turma –
por acaso, um colega nosso agora, o Luís Lucas – que
me disse: «Vou entrar numa peça de teatro, tu não
queres entrar?» Lá fui, e gostei. No ano seguinte, fui
para França, para fugir à tropa, e lá conheci outros
portugueses que me convidaram a fazer teatro amador.
Antes disso, tive um professor de português excecional,
no 6.o ano do liceu, que nos falou de Gil Vicente de uma
maneira que nos apaixonou: a mim, ao Luís Lucas, ao
Álvaro Faria. Comecei a gostar de teatro e já via teatro na
televisão. É que, antigamente, havia teatro na televisão…
Depois voltou a haver consigo…
Nessa altura, havia, mas com regularidade. E, com a influência desse professor, quis ver em palco os atores que
via na televisão.
Antes de ser ator, foi espectador, portanto?
Fui espectador assíduo de teatro dos 17 aos 18 anos. Isto
nos anos 70, em que o teatro tinha uma pujança enorme
em Portugal. Após o 25 de abril, houve muitos grupos a
serem constituídos e também havia público aos pontapés. Depois, por uma quantidade de condições, os anos
80 e 90 foram uma coisa horrível, porque as pessoas
desabituaram-se de ir ao teatro.
Mais tarde, com a Conversa da Treta, sente alguma
quota de responsabilidade por ter ajudado a reconciliar
o grande público com o teatro?
Isso foi porque eu, o António Feio e outros atores passámos os anos 80 a estar, à hora do espetáculo, à espera
que chegasse mais uma ou duas pessoas, para termos
espectadores em número suficiente. Discutíamos se
o público tinha perdido o interesse em vir ao teatro,
mas percebemos que não: o teatro é que deixou de ter
interesse que o público viesse. Deixaram de se fazer
espetáculos interessantes para o grande público. E
nós quisemos tomar medidas para ter mais público
nos espetáculos.
Essas medidas passaram muito pelos textos?
No Humor por Perdição
Ou de como José Pedro Gomes se apaixonou pelo teatro, piscando o olho
à comédia, da qual não mais se separou, no palco como nos bastidores
O gosto pelo teatro e, com ele, pela
arte de fazer rir os outros ganhou-o
«fazendo» e depressa se lhe
entranhou na pele. A representação,
tão «viciante» quanto a sensação
de assistir de camarote a uma sala
inteira a romper numa gargalhada,
já o segue (primeiro como amador,
mais tarde como profissional) desde
os 17 anos, mas ainda hoje fica
tão «nervoso como no início». Pelo
tempo que perde – ganha, aliás – à
procura do «equilíbrio delicado» de
soltar o humor na plateia, que se vai
mudando e afinando de peça para
peça. Confessa não ser espectador
frequente de outras comédias, mas
gosta de se sentar na plateia para
ver «sempre que pode» o trabalho do
Teatro Meridional, «tão diferente»
do seu. Habituado a sentir-se no
palco como em casa, já esteve do
outro lado da cortina a encenar,
embora admita que dirigir não é a
sua «praia». A vontade de saltar para
a frente do público, porém, ainda o
assalta sempre que as coisas não
correm como espera. Porém, diz já
«estar a melhorar», porque «encenar
é dirigir, não é fazer por».
Principalmente pelos textos e pela maneira de fazer os
espetáculos. Além disso, trouxemos muita gente nova
para o teatro. Entre os 30 e os 40 anos, as pessoas não
vão tanto aos espetáculos, trabalha-se muito e está-se
cansado demais para sair de casa. Aliás, eu não percebo
porque é que as pessoas vão ao teatro! [Risos]
Não?
Percebo. Mas têm de ter um motivo muito grande, porque
os apelos para ficarem em casa são enormes.
Enquanto antes a televisão servia de alavanca para
levar pessoas ao teatro agora afasta-as?
Houve uma altura em que, com as telenovelas brasileiras,
a cidade ficava vazia. Era teatro todos os dias, no sofá. Mas
em Londres, em Paris, em Nova Iorque, houve sempre
televisão e cinema e as pessoas continuaram a esgotar
as salas de teatro.
Porquê?
Para mim, é porque o que leva as pessoas a sair é uma
necessidade de consumo de cultura.
23
A
24
Entrevista
E nós não vemos a cultura como um bem de primeira
necessidade…
Na realidade, não é de primeira necessidade, mas que é
de necessidade, é. Há um lado económico enorme por
trás da cultura. Quando começámos a fazer tournées com
um espetáculo, tivemos um problema que tem a ver com
esse lado: quanto cobramos pelos bilhetes? As pessoas
não queriam pagar.
E a valorização do teatro passa por ser dado, literalmente, valor aos bilhetes?
Para mim, é óbvio. Deixei de ir a sítios onde o público não
pagasse bilhetes e já ando a lutar por isto há muito tempo.
Entretanto, cheguei à conclusão de que a política cultural
do Estado e de muitas câmaras se resumia a: eu comprei.
Quanto aos subsídios: eu já dei dinheiro, o que querem
mais? Mas nós queríamos mais. Queríamos política, tática
e estratégia: nos próximos anos, quais são os passos para
resolvermos a crise do teatro? Nos sítios onde as pessoas
não pagam, há menos interesse pelos espetáculos.
Como é que resolvemos o problema das pessoas que
não podem mesmo pagar?
Resolvo já e não é preciso arranjar nenhum grupo de
trabalho! Não há já pessoas que têm cartão de pobre?
Mostram o cartão de pobre… [Risos] Mais a sério: criam-se mecanismos para resolver o problema desses, que,
infelizmente, são poucos. Não são poucos os que têm
menos dinheiro, mas são poucos aqueles que, ganhando
menos, mesmo assim, têm interesse em ir ver espetáculos.
Quando nos rimos de alguns personagens que tem
encarnado, estamo-nos, também, a rir de nós próprios?
Penso que sim. E, tendo isso em conta, acho que nunca
fui ofensivo para as pessoas que critico. Quando o faço,
é para que as coisas se resolvam.
É num sentido de alguma forma pedagógico?
Isso é um bocado pretensioso, mas se calhar eu sou um
bocado pretensioso. Se consigo que as pessoas se riam,
mesmo com esta ideia de melhorar, ótimo.
A propósito disso, lembro-me de um dos seus
personagens mais emblemáticos, o Zezé, que é o
epítome do jeitoso. Faça-nos a «tradução simultânea»
de quem é o Zezé.
[Risos] É o pior que há. Fala mal, é inculto – mas convencido de que é o maior. É a arrogância da ignorância.
Roda o
Palco
Do teatro para
a televisão, da
televisão para o
teatro, com um
pulinho no cinema,
a voz escutada na
rádio e ecoada na
literatura. Depois
de ter ouvido as
pancadas de Molière
pela primeira vez,
como profissional,
em 1976, José
Pedro Gomes
cruzou vários palcos
em companhias
nacionais ou de
Lisboa que correram
Portugal. Do elenco
dos seus trabalhos
mais emblemáticos,
é impossível fugir
à Conversa da
Treta, estreada em
1997, pela qual deu
«palheta» (como
diria o personagem
Zezé) ao País com
António Feio. Por
ela irrompeu, ainda,
pelo grande écrã
adentro com o Filme
da Treta, deslizou
nas ondas do éter,
aterrou na emissão
televisiva e até deu
pano para páginas
de livros. Apesar
de «não ir com o
Zezé para casa»,
ficou-lhe o apurado
sentido crítico,
abrasivo mesmo,
em trabalhos
como A Fuga (mais
recentemente)
ou Coçar onde É
Preciso, cujos textos
serviram de base
aos livros O País
dos Jeitosos e Os
Jeitosos Continuam
à Solta, este último
em parceria com
Eduardo Madeira.
coisas que fazíamos tinham vários níveis de leitura. É isso
que traz o grande público. Resolver a crise do teatro é fazer
coisas destas. Isso não é fácil de encontrar nem de construir.
Nos espetáculos que foi fazendo, cruzou-se, muitas
vezes, para além de bons atores, com bons amigos.
O palco é, também, um lugar de encontros e re-encontros?
No tempo dos ensaios, estamos muito frágeis, quase nus.
Isso leva-nos a cimentar uma amizade maior e vamos
mais longe na relação com as pessoas. Isso também se
traduz em melhores resultados em cena.
Já que começámos pelo final, queria terminar pelo
início. Em criança, já tinha um sorriso fácil?
Tinha o gosto de fazer rir os outros e cheguei a cantar com
um amigo. Fazíamos um duo e atuávamos para os nossos
pais. E eles davam-nos dinheiro.
Já aí estava a questão da valorização do espetáculo...
Já tínhamos a questão económica, pois claro, a necessidade de pagar os bilhetes! [Risos]
Mais tarde, foi para França e diz que encontrou «um
país a cores». Aqui era a preto e branco?
Antes do 25 de abril, era uma coisa muito cinzenta. Não
podíamos falar das ideias que tínhamos. De política, nem
pensar! Fomos afastados de uma parte da cultura europeia
e mundial porque não tínhamos acesso a uma quantidade
de manifestações culturais por causa da censura e da
miséria em que vivíamos. Quando fui lá para fora, era
uma loucura! As pessoas tinham opiniões, discutiam,
argumentavam, coisas que cá nem sonhávamos que existiam. Vivia-se de maneiras diferentes, e havia direitos.
Os franceses diziam relativamente às reivindicações dos
trabalhadores: «Nós temos de defender o nosso bife.» Cá,
estávamos a lutar pelo pão. Isto resume uma diferença
abissal entre dois estádios de cultura e desenvolvimento.
E nós já deixámos de lutar pelo pão?
Agora voltámos a lutar pelo pão! [Risos]
A propósito do programa que fez na rádio, os Cromos
da TSF, pergunto-lhe: quando se fizer a caderneta de
cromos do teatro, o que gostaria que dissesse na sua
vinheta? Ou não queria que se dissesse nada?
Não, bolas, eu espero que se diga alguma coisa! [Risos]
Gostaria que se lembrassem de que fiz alguma coisa para
que o teatro saísse da crise em que ainda está.
Mas, com as devidas distâncias, ele não é muito
diferente daquele que está lá em cima no poleiro…
Ainda lhe continuam a dizer «não sejas assim!»?
Uma das grandes surpresas com a Conversa da Treta é
que os primeiros espectadores que vieram ter connosco
não eram Zezés e Tonis, eram pessoas refinadas. Porque as
[Risos] Agora menos! As pessoas que me diziam mais já
sabem que não podem dizer isso! Como é que eu posso
não ser assim? Não quero deixar de ser quem sou. A
25
A
Raio X
From Zaha with curve
Riscando do mapa os edifícios bonitos, porque não lhe enchem as medidas,
a arquiteta que manda o impossível dar uma curva captura o movimento do deserto
em joias arquitetónicas que nunca param de brilhar
C
ana rita lúcio
omo se define um bom arquiteto? Geralmente, pelo génio que faz ricochete nos
contornos dos edifícios que este faz crescer,
primeiro na mente, depois no plano e, só
por fim, do chão para cima (ou para baixo). No caso da
iraquiana Zaha Hadid, porém, a reputação granjeada
pelo talento do seu traço pode muito bem contar-se
pelo desfile de trabalhos que nunca saíram do papel.
Célebre por ter dado a volta à geometria dos edifícios,
a primeira mulher a receber o «Nobel» da arquitetura,
em 2004, consolidou a fama de ser determinada e
intransigente, não cedendo um milímetro na defesa
das suas ideias. Resultado: alguns dos seus melhores
trabalhos ficaram por construir. Assim aconteceu,
por exemplo, com o projeto da Cardiff Bay Opera
House, uma casa de espetáculos na capital galesa,
cujos arrojados ângulos aguçados se debateram com
um exército apologista do regresso do estilo britânico
neoclássico, que acabou por levar a melhor, apesar de
Hadid ter ido por duas vezes a concurso... e, por duas
vezes, ter ganhado. Aos que lhe franzem o sobrolho,
a diva – como também lhe chamam – responde sem
pejo: prefere as estruturas que «tenham um caráter
cru, vital, orgânico», como se a Terra escorresse delas
e para elas. E recusa-se, terminantemente, a projetar
«edifícios bonitos». Porém, aquela que começou por
se formar em Matemática na Universidade Americana
de Beirute, no Líbano, antes de rumar a Londres, onde
aterrou de estirador na bagagem, não deixa de se render à beleza. Já não dos edifícios como joias brilhando
isoladamente, mas resplandecendo e fluindo com o
ambiente em que se inserem. Curvando-se, afinal,
perante as cidades e as pessoas. Como é habito dos
(bons) arquitetos. A
mULHER
Quando se olha no reflexo
espelhado que cobre uma
parte substancial dos seus
edifícios, Zaha Hadid vê,
além de uma arquiteta de
sucesso, «a sua pior inimiga».
Afinal, ela, que sempre se
furtou a ser um esboço
frágil de si mesma, confessa
nem sempre ser fácil vingar
na intrincada malha da
arquitetura, onde o masculino
continua a ser considerado
mais forte. «Ainda é
um mundo de homens»,
reconhece, sem nunca virar
a cara à luta, a primeira
mulher a ganhar o prestigiado
Prémio Pritzker.
26
PRÉMIOS
Por mais de três décadas
a projetar, consolidou-se
como um pilar da arquitetura
contemporânea em nome
próprio, depois de se ter
estreado com Rem Koolhaas
e Elia Zenghelis. A lista de
distinções não engana: Prémio
de Arquitetura Contemporânea
Mies Van Der Rohe, em
2003, quatro Prémios do
Royal Institute of British
Architects, em 2005, 2006,
2008 e 2009, dois Prémios
Stirling, em 2010 e 2011 – o
último pela Academia Evelyn
Grace, em Londres (na foto),
entre tantos outros. E o mais
importante de todos, o Prémio
Pritzker, em 2004.
PINTURA
Da mão para o pé
O crocodilo da
Lacoste pediu e Zaha
Hadid mordeu o isco.
Desenhados à mão pela
arquiteta para levar
arte aos pés, a coleção
de sapatos Capsule
surpreende pela proposta
de levar o futuro debaixo
das solas. Mostrando
que nenhum desafio é
rasteiro demais para o
tamanho do seu talento,
partiu, assim, em 2009,
para calçar homens e
mulheres, como já havia
feito no ano anterior,
com a coleção Tentacle
para a marca Melissa.
Em ambos os casos,
com ousadia.
SUMÉRIA
Na confluência dos
carregados leitos do Tigre e
do Eufrates, a sul do Iraque,
Hadid provou em criança,
e pela primeira vez, um
trago de arquitetura que lhe
cativou para sempre o gosto.
Aos 11 anos, pela mão do
pai que levou toda a família
em viagem, vogou pelas
históricas cidades sumérias
que o tempo conservou junto
às águas. Ela que antes já
se tinha deslumbrado com
fotografias que mostravam
o contorno orgânico das
estruturas. Assim re-encontrou
a arte de bem construir – que
lá cravou raízes, por volta do
ano 3000 a. C. – suspensa
sobre os caudalosos pântanos
onde «a água, a areia, os
juncos, os pássaros, as casas
e as pessoas, de algum modo,
fluem juntos», recorda. O
fascínio por esta paisagem
iniciática não mais a deixou,
a ponto de afirmar que a
sua obra segue na mesma
corrente, ainda que «de uma
forma contemporânea».
Iraquiana de berço,
britânica na formação e
uma cidadã do mundo na
vocação transfronteiriça
do seu trabalho, foi
buscar inspiração à
Rússia – aos artistas
soviéticos dos tempos
da revolução – para
os seus quadros, ou
não fosse a pintura um
prazer. Uma paixão que
não compete, contudo,
com a outra à qual se
entregou e da qual fez
ofício. «Os quadros têm
sido, porém, sempre
meios subordinados para
explorar a arquitetura.
Não os encaro como
arte», argumenta.
a solo
Acolhida primeiro
debaixo das asas de
Rem Koolhaas e Elia
Zenghelis, seus antigos
professores, em Londres,
foi na capital britânica
que fundou o Zaha
Hadid Architects, em
1979, que, a partir de
1987, passou a conciliar
com a passagem
de testemunho a
jovens aprendizes de
arquitetos, enquanto
professora.
Check-up zAHA hADID
1
Imparável
FAMÍLIA
A arquitetura corre-lhe no
sangue, já que a predileção
pela arte é uma tradição de
família. Criada numa das
primeiras casas de Bagdad
erguidas ao estilo Bauhaus,
o pai, Mohamed Hadid, foi
líder do Partido Nacional
Democrático e chegou a
ministro do seu país. A mais
nova de três irmãs, apesar de
muçulmana, Zaha estudou
com freiras católicas num
colégio da capital até ir para
uma escola na Suíça. Em
casa, teve a oportunidade de
se apurar num caldo familiar
onde o multiculturalismo, o
respeito e a educação foram
sempre prioridades.
Sinuosa e veloz no traço,
não se deixa travar
pela descrença dos que
duvidam que as suas
ideias possam sair do
papel. «Ainda acredito no
impossível», atesta.
2
Excêntrica
Dá-se às extravagâncias
de quem, na vida, como
nos projetos, apaga as
linhas retas e depuradas.
O excesso é a deixa que
faz da arquitetura um
género teatral.
zAHA HADID
Natural de Bagdad, Iraque
Nascimento 31/10/1950
Interesses Matemática, pintura
Vida profissional Arquiteta
Estilo
moda
Vai de mão dada com a arte.
E não é por acaso que a roupa
que veste revela a irreverência
criativa que sempre foi sua. A
moda é, aliás, uma tendência a
que não foge, como não fugiu
ao repto lançado pelo amigo
e estilista Karl Lagerfeld
para desenhar o Mobile Art
Pavillion, da Chanel, o espaço
de exposição itinerante que
correu mundo, de Hong Kong
a Nova Iorque. E se primeiro
lhe deu abrigo, agora deu chão
à icónica maison, criando
a passarela que serviu de
palco ao desfile da marca, na
Semana de Moda de 2012.
Dos escritores, diz-se
que é possível conhecer-lhes o correr da pena
pelo andar da escrita.
Aos arquitetos, como
Zaha Hadid, também se
consegue medir o pulso
na coerência estilística
que perpassa a sua obra.
Orgânica e em torrente,
trazendo, não raras
vezes, a Natureza para
dentro de casa, riscada
e arriscada, pode ler-se
em estruturas como a
Ópera de Guangzhou,
na China (na foto), o
Riverside Museum, na
Escócia, ou o Museu
Nacional das Artes do
Século XXI, em Roma.
3
Antidiva
Se nos bastidores do
métier a apelidam de
diva, pelos caprichos
arquitetónicos de que
não abdica, a réplica
não se faz esperar: «Não
me chamariam diva se
fosse homem.»
4
Poderosa
Conhecida por tomar as
rédeas da sua carreira
e não deixar créditos
por estiradores alheios,
arrecadou o 69.o lugar no
rol das 100 mulheres mais
poderosas do mundo da
revista Forbes, em 2008.
6
5
Corrosiva
Porque a fluidez das
linhas não é sinónimo
de suavidade no génio,
a Prémio Pritzker não
deixa nada por dizer,
arriscando ser polémica,
como quando apontou
o dedo às mulheres que
põem a maternidade à
frente da profissão.
Versátil
A pulsão criativa desta
verdadeira artista já fez
eclodir peças de design,
carros, passarelas
de moda, coleções de
sapatos e até cenários
para espetáculos tão
improváveis como a
tournée mundial dos Pet
Shop Boys ou a ópera
Desejo, do compositor
suíço Beat Furrer.
Numa encruzilhada criativa onde se cruzam influências várias, há um engarrafamento de
projetos. Desafiadora dos limites do exequível, Zaha gosta de dizer sim a todos os reptos, mas
rejeita cair «na produção em massa». «Se assim for, talvez comece a dizer não», pondera.
27
E
Família
Use as novas
tecnologias para
combater a solidão
São cada vez mais os que recorrem à Internet
para procurar um(a) parceiro(a)
N
Teresa Paula Marques, Psicóloga Clínica
outros tempos, esperaríamos conhecer alguém através de
amigos comuns, no café ou no ginásio. Atualmente, a rea­
lidade é outra. A Internet permite conhecer pessoas que se
podem tornar amigos ou algo mais. Vários estudos mostram
que são, basicamente, as faixas etárias acima dos 50 anos que recorrem
às novas tecnologias como meio de encontrar companhia. A viuvez ou o
divórcio são os fatores que mais conduzem à solidão. Tanto uma como
outro acarretam dor, que tem de estar bem gerida internamente para
que seja possível iniciar uma relação com uma base saudável. Há que
perceber se ainda persiste algum sentimento de raiva ou mágoa ligado a
um relacionamento passado, pois, nesse caso, é preferível procurar um
terapeuta e obter o equilíbrio emocional antes de iniciar uma nova rela­
ção. Sentirmo-nos positivos, confiantes e com a autoestima fortalecida
é meio caminho andado para encontrarmos alguém que nos estime e
respeite, mas o contrário também é válido, ou seja, o desequilíbrio atrai
desequilíbrio, e, mesmo no mundo virtual, esta é uma realidade inegável.
Pronto para a aventura!
As redes sociais on-line (por exemplo, o Facebook) são, por excelência,
lugares para conhecer pessoas. Proliferam grupos/páginas aos quais
todos podem aderir e que nos colocam em contacto com pessoas cujos
interesses se aproximam dos nossos. Depois de aderir, importa comentar
os posts que vão surgindo no mural, que é o equivalente a «entrar na con­
versa». Esta interação em pouco tempo fará com que haja uma sensação
de proximidade com algumas pessoas, estabelecendo-se um clima de
cumplicidade. Nesta altura, habitualmente, as conversas estendem-se
para o chat (sala de conversação) que faz parte da rede social.
Uma das características das redes sociais on-line é o facto de nos
sentirmos tentados a divulgar de imediato muitas informações acerca
de nós próprios. Esta autoexposição deve ser evitada. Tal como na vida
real, há que saber seduzir a outra pessoa, mostrando-lhe primeiro as
nossas características mais atraentes. Haverá tempo de sobra para
trocar informações mais profundas se houver interesse e atração
suficientes. Outra questão importante é saber escutar e mostrar
interesse por aquilo que o outro está a comunicar. Todos gostamos
de falar sobre nós e das coisas que nos preocupam, mas há que dar
espaço para que a outra pessoa possa dizer algo. Há ainda que permitir
o estabelecimento de uma conversa dinâmica, ainda que via Internet,
onde, alternadamente, um escreve e o outro lê.
Sabia que
28
O primeiro encontro face a face
Da conversa do chat, passa-se, muitas vezes, para o contacto telefónico.
Depois de algumas conversas ao telemóvel, surge a hipótese de combinar
um encontro presencial. Este pode ser um momento de algum nervosis­
mo. Muitos receiam não saber o que dizer ou como agir. Outros colocam
a hipótese de se desiludirem com a pessoa logo no primeiro encontro,
uma vez que, no mundo virtual, é fácil construírem-se personagens que
em nada encaixam na realidade. O melhor a fazer é encarar a situação
com alguma serenidade e marcar o encontro num lugar público. Com­
binar um café é o ideal, já que, se a companhia for desagradável, pode
encurtar o tempo, mas se, pelo contrário, estiver a divertir-se, há sempre
hipótese de estender a conversa. Optar por um passeio é uma situação
que pode colocar muita pressão sobre duas pessoas que acabaram de se
conhecer. Uma exposição ou um jogo desportivo são também duas boas
opções, já que, assim, existirá sempre tema de conversa. E
Leve o seu tempo
▶▶Uma das vantagens do namoro on-line (encontrar pessoas que nunca
teria conhecido de outra forma) pode ser também uma desvantagem. Não
pode perder de vista a ideia de que se trata de pessoas completamente
desconhecidas, portanto há que ter cautela. Não caia na tentação de confiar
automaticamente em tudo o que lhe é dito, não importa quão sincero ele(a)
possa parecer. Demorará algum tempo para que se sinta realmente seguro de
que esta pessoa é quem diz que é, e, acima de tudo, que está a ser sincera nas
suas intenções.
Existem também lugares na Internet cujo objetivo é promover o encontro entre pessoas. Se recorrer a este tipo de sites, tenha determinados cuidados ligados
à segurança. Crie uma conta de e-mail específica, porque, assim, pode manter o anonimato e anular o endereço se surgir alguma situação que lhe desagrade.
Assine o melhor
4 edições
s
52 ediçõe
*Suaves prestações mensais sem juros, TAEG 0%, mediante pagamento por cartão de crédito, débito direto ou multibanco. Campanha válida em Portugal até 30/04/2012, salvo erro tipográfico.
de duas visões
Juntámos o melhor de duas visões para si.
Agora pode receber toda a informação isenta
e credível da atualidade e, ao mesmo tempo,
conhecer aprofundadamente os grandes
acontecimentos históricos. Tudo por um preço
reduzido com a Visão e a Visão História.
ASSINE JÁ! POUPE €55,60
Visão + Visão História
(1 ano)
Apenas €15,00 x 8* prestações
Ligue 707 200 350 / 214 698 801
Dias úteis, das 9h às 19h. Indique o código: C06VW
Tenha uma.
E
Saúde
Sem marcas
Depois da revolução introduzida pela cirurgia laparoscópica, há cerca de 20 anos, os avanços
desta técnica oferecem, hoje, soluções cada vez menos invasivas e que não deixam marca
N
uma cirurgia convencional, é necessário fazer um corte para depois
intervir sobre um determinado órgão. Com o surgimento da cirurgia
laparoscópica, deu-se a grande mudança. Ao
contrário do que acontece no método tradicional, evita-se esse grande corte na zona abdominal e, consequentemente, a cicatriz. Entretanto,
os avanços tecnológicos continuaram e, hoje,
a cirurgia laparoscópica
Não há
proporciona soluções
ainda mais avançadas,
ninguém
com benefícios comque goste
provados. «Depois da
de olhar
laparoscopia tradicional,
para
tentou-se ir mais além e
o espelho
os métodos de que dise ver
pomos atualmente têm
cicatrizes
vantagens inequívocas:
podemos fazer menos e mais pequenas incisões
ou tirar partido das entradas naturais do corpo»,
refere Carmen Maillo, cirurgiã no Hospital dos
Lusíadas, em Lisboa. Quem ganha é o doente.
«Quanto menos agressivos formos, melhor. A
recuperação é mais fácil, a pessoa sente menos
dor, a interferência com outros órgãos é menor
e não deixa marcas», sublinha Carmen Maillo.
De acordo com a cirurgiã, especialista em Cirurgia Geral, «verifica-se que o doente acorda
com menos dor, o que lhe permite, também,
uma recuperação mais rápida, significando um
período de internamento mais curto, podendo
Vantagens para o paciente
As técnicas laparoscópicas mais atuais
resultam num amplo benefício para o doente,
com a diminuição da dor intra e pós-operatória,
menor necessidade de fármacos anestésicos,
menores complicações da ferida cirúrgica
(infeções, hérnias e dor) e, eventualmente,
menor internamento pós-operatório.
Representa, ainda, uma vantagem do ponto
de vista estético, perante a possibilidade de
o doente não apresentar cicatriz abdominal.
30
ter alta e regressar a casa mais cedo».
As atuais técnicas surgiram no início do
século XXI e, desde 2008, têm-se expandido,
estando na linha da frente das opções minilaparoscópicas em todo o mundo. No Hospital dos
Lusíadas, estas técnicas foram introduzidas em
outubro de 2008 e, na unidade, realizam os três
métodos disponíveis: um com três incisões mais
pequenas (três a cinco milímetros), cujo corte é
tão reduzido que dispensa pontos; um segundo, com apenas uma incisão, a qual não deixa
qualquer marca, e um terceiro, que consiste
numa cirurgia através de uma entrada natural
do organismo com apoio de uma mini-incisão.
Antes, a técnica obrigava sempre à realização de quatro cortes na zona abdominal. Apesar
de pequenas (de cinco a dez milímetros), as
marcas eram ainda indisfarçáveis.
Olhar para o umbigo
Os avanços tecnológicos permitiram olhar para
o umbigo como uma porta de entrada que é já
uma cicatriz natural e aproveitar essa marca
para a intervenção cirúrgica. Com instrumentos
cada vez mais pequenos e adaptados, e com o
apoio de uma câmara que permite ver os órgãos sem precisar de abrir o abdómen, o cirurgião realiza uma intervenção minimamente
invasiva, não deixando vestígios exteriores da
operação. «Este aspeto é tão importante quanto
os outros.»
Se, por um lado, a pessoa tem menos dores
e pode voltar mais cedo para casa, o facto de
olhar para si própria e não ver marca alguma
é relevante, porque a relação com o corpo e o
bem-estar psicológico não estão dissociados.
«Ninguém gosta de olhar para o espelho e ver
cicatrizes», defende Carmen Maillo. Fazendo
uso de tecnologias cada vez mais avançadas
e instrumentos mais pequenos mas também
mais fortes, para o cirurgião, o tempo da intervenção é igual ou ligeiramente superior à
laparoscopia convencional.
Para o doente, tudo é diferente. Contudo,
Evolução e revolução
na cirurgia
▶▶Em 1987, o nascimento da cirurgia
laparoscópica supôs uma revolução na cirurgia.
Esta revolução permitiu realizar cirurgias, das
mais simples às mais complexas, sem necessidade
de realizar grandes incisões abdominais.
▶▶Vinte anos depois, assistimos a uma
nova revolução. A intenção de realizar os
procedimentos cirúrgicos com a mínima agressão
e a mínima interferência na vida quotidiana dos
doentes levou ao desenvolvimento de técnicas
ainda mais minimamente invasivas.
«a perceção das pessoas depende de muitos
fatores, do seu grau de formação, da confiança,
das expectativas, etc. Porém, se explicarmos
muito bem ao doente quais são as opções, as
vantagens e os dias de internamento estimados,
cumprem-se as expectativas e o doente percebe
por que razão vai voltar para casa mais cedo».
Por outro lado, a opção por um dos três métodos
possíveis não tem a ver com a técnica, mas com
o doente. «É a situação específica de cada pessoa
que determina a escolha de um dos métodos.
A opção recai no que se apresenta como o mais
adequado à situação específica de cada doente.»
Com ampla utilização na remoção da vesícula, do apêndice ou do cólon, entre outras
intervenções do foro da Cirurgia Geral e Digestiva, a sua aplicação estende-se a outras áreas,
nomeadamente no domínio da Ginecologia.
Pioneirismo no feminino
Filomena Nunes é especialista em Ginecologia-Obstetrícia e responsável pelo serviço da especialidade no Hospital de Cascais. «Estamos,
desde abril de 2010, a usar este método com
excelentes resultados. Com apenas uma incisão, usando o umbigo como porta de entrada,
já realizámos um número significativo de cirurgias, nomeadamente para laqueação das
trompas ou remoção do ovário, entre outras»,
refere. «Julgo que somos dos primeiros hospitais
nacionais a tirar partido desta nova tecnologia
no âmbito da Ginecologia. E a verdade é que,
ao fazermos apenas uma incisão, os benefícios
são relevantes: menor risco de complicações da
ferida cirúrgica, com menos probabilidade de
infeção, hemorragia e hérnia, e menor risco de
lesão ou perfuração de outros órgãos, dado que
só é efetuada uma incisão, em vez das habituais
três ou quatro», explica. «Por outro lado, e no
caso específico das mulheres, evitamos uma
cicatriz abdominal inestética e proporcionamos
uma melhor e mais fácil recuperação à doente.»
Isabel C. Silva, 47 anos, foi a primeira a
usufruir deste método no Hospital de Cascais.
A cirurgia, para laqueação das trompas, correu
tão bem que não sentiu «dores absolutamente
nenhumas» e a recuperação foi rápida. «Fui operada à noite e, no dia seguinte, já estava em casa.
Em menos de uma semana, voltei à vida normal»,
conta. Quanto à ausência de cicatriz, não tem
dúvidas. «É ótimo não ter marca nenhuma.» E
Inovação em curso
Depois do êxito da primeira edição do Curso Internacional em Cirurgia Laparoscópica Mini-Invasiva do Hospital dos Lusíadas, realizado em 2011, a segunda edição voltou a aprofundar as
técnicas mais inovadoras em cirurgia laparoscópica por incisão única. Organizado pela cirurgiã
Carmen Maillo, o curso, de um dia, realizado a 16 de março, no Hospital dos Lusíadas, contou com
formadores internacionais de reconhecida experiência neste domínio. Destinado a cirurgiões
nacionais, o curso incidiu numa vertente prática, com a realização e observação das diferentes
técnicas laparoscópicas nas áreas da Cirurgia Digestiva e da Ginecologia.
O trabalho que tem vindo a ser desenvolvido desde 2008 no Hospital dos Lusíadas, bem como o
empenho e a iniciativa que culminou na realização deste curso, situa esta unidade de saúde entre
as mais inovadoras a nível europeu.
Cartão HPP Saúde. O cartão de crédito HPP Saúde (1) permite a identificação dos Clientes nas unidades HPP Saúde,
proporcionando-lhes condições especiais, nomeadamente descontos até 20% e a possibilidade de fracionarem os pagamentos
efetuados nestas unidades com taxas de juro diferenciadas (2). Conheça todas as vantagens que este cartão lhe proporciona na área da
saúde em www.cgd.pt.
TAEG de 25,8% para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12 meses, à TAN de 20,50%.
TAEG de 11,6% na modalidade de pagamentos fracionados, para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12 meses,
à TAN de 9,0%, prestação mensal de 131,63 euros e um montante total imputado ao consumidor de 1590,58 euros.
(1)
(2)
31
E
Bem-estar
Mais felicidade,
precisa-se!
Satisfação, boa disposição e mais alegria
poderão trazer-lhe mais saúde. Saiba
como viver melhor e ser mais feliz
anotações
Odisseias
helena estevens
N
ão é uma poção mágica, mas «as evidências são claras e convincentes»: a felicidade altera «as probabilidades de apanhar
doen­ças ou morrer novo». Palavras de Ed
Diener, psicólogo e autor de um estudo publicado no
jornal Applied Psychology: Health and Well-being,
segundo o qual as pessoas felizes tendem a viver mais
tempo e com mais saúde do que as demais.
A sustentável leveza das insignificâncias
Uma das vantagens da maioridade é que a perspetiva
da vida muda e com ela as prioridades, sendo fácil
distinguir o que, de facto, é importante. Torna-se,
por isso, fulcral evitar preocupações com coisas sem
importância, para, assim, ter mais momentos de felicidade, logo, melhor qualidade de vida.
Rir é sempre um bom remédio
Lembra-se de alguma coisa melhor do que dar uma boa
gargalhada? Por isso mesmo se deve investir no riso.
Além de se sentir bem, o riso contribui para um melhor
estado de alerta, mais criatividade e
rir ajuda o
memória. Promove a oxigenação do
sangue e reduz a tensão arterial e o organismo
stress. Como se não bastasse, ajuda o a defenderorganismo a defender-se contra in- -se e
feções respiratórias e trabalha, entre melhora a
outros, os músculos faciais, abdomi- memória
nais, os das costas e os das pernas.
Mas atenção, não substitui a meia hora de atividade física – caminhada, por exemplo – diária recomendada.
De preferência ao ar livre, meio caminho andado para
melhorar o ânimo, a disposição e a autoestima.
Quatro patas por companhia
Ou duas. Ou mesmo nenhuma, inclusive. Independentemente da espécie, porte ou tamanho, ter um animal
em casa traz mais felicidade. Provam-no vários estudos
e estatísticas realizados em vários países. Se tivermos
em conta a receção de boas-vindas aquando da chegada dos seus donos a casa, o ouvido amigo com que
escutam desabafos, confidências ou histórias de aqui e
dali, sem recriminações, ou a sensação de proteção que
alguns dão, é fácil perceber o impacto positivo que os
animais podem ter. Os cães têm a vantagem adicional
de ajudarem a promover uma maior interação com a
comunidade, já que requerem ser passeados, o que
implica cruzar-se com outras pessoas.
Uma mão-cheia de bem
Dedicar algum tempo ao voluntariado tende a traduzir-se num maior sentimento de satisfação, ajudando
igualmente a combater a depressão. Há quem alegue, inclusive, que é rejuvenescedor, o que se deverá
provavelmente ao facto de se tornarem mais ativos e
de, em muitos casos, aprenderem coisas novas. Um
estudo publicado em 2009 nos Archives of Internal
Medicine refere que «a interação do voluntariado ajuda
os seniores a manterem melhor força muscular, destreza e equilíbrio». E
No local de trabalho, há maiores probabilidades de ver surgir novas ideias nos dias em que os empregados se sentem
Sabia
que mais felizes.
32
A Odisseias é
uma empresa
de experiências e
compras coletivas
que disponibiliza
mais de três mil
opções diferentes.
Encontrará
experiências a partir
de 14,90 euros,
com entregas em
todo o País ou por
e-voucher, que
pode imprimir na
hora, e promoções
diárias até 95%
de desconto com
apenas 48 horas de
duração todos os
dias disponíveis.
Ofereça um
momento de sonho.
São inúmeras
experiências,
adaptadas a todos
os perfis, desde os
amantes de aventura
aos apaixonados pelo
relaxe. Difícil é não
encontrar o presente
ideal!
Para titulares
do cartão Caixa
Activa, a Odisseias
oferece 15% nos
packs Experimenta
Portugal em 7
noites, mediante o
código promocional
«cx 12» a introduzir
no momento da
compra, em www.
odisseias.com.
Registe-se já.
Tel.: 707 208 020 E-mail:
[email protected]
Viver melhor
Troca de casa nas férias
Uma casa-barco nos canais de Amesterdão, uma vivenda sobre o Mediterrâneo
ou um loft em Nova Iorque. São férias de sonho, em alojamento gratuito, à sua disposição.
Basta aderir à troca de casa. Mais simples é impossível!
helena estevens
E
alguns
cuidados
Pequenas
atenções
bastam para
bem «receber»
em sua casa e
proporcionar
uma imagem
ainda melhor
deste País.
▶▶Antes de sair
da sua casa
e trancar a porta,
deixe alimentos
suficientes, pelo
menos, para um
lanche ou uma ceia
leve. Não faz parte
das obrigações,
mas fica bem, além
de ser um hábito
comum.
O
conceito é simples. Acomodar-se na residência de desconhecidos no estrangeiro e,
em troca, emprestar a sua durante o mesmo
período, cuidando eventualmente das plantas
e de algum animal de estimação, se houver. Nalguns casos
– a regra geral, melhor dizendo –, a partilha de pertences
estende-se também ao carro e a bicicletas, por exemplo.
Inscrever-se num dos sites especializados e colocar algumas fotografias da sua casa é, basicamente, o que precisa
de fazer para, mediante uma tarifa anual de baixo valor,
aderir a esta tendência de férias low cost. Além da redução
de custos, trocar de casa tem, ainda, a vantagem de viver
mais intensamente a cultura e a realidade do local onde
fica, convivendo de perto com a população. E, em muitos
casos, permite-lhe, ainda, praticar línguas estrangeiras e
melhorar os conhecimentos das mesmas.
Contactos:
Intervac - International
Home Exchange Holiday
Service: www.intervachomeexchange.com;
Trocacasa: www.
trocacasa.com/Portugal;
HomeExchange: www.
homeexchange.com;
HomeForExchange: www.
homeforexchange.com;
Gabinohome: www.
gabinohome.com.
Simples e seguro
Aderir a este sistema de troca de casa nas férias é extremamente fácil. Tudo o que tem a fazer é percorrer a lista de
sites de empresas que fornecem o serviço, ler os termos e
condições e efetuar o seu registo. A partir daí, pode começar
a navegar pelas ofertas disponíveis e a aceder aos comentários sobre as experiências vividas. Caso decida avançar
com o processo, terá de preencher alguns formulários,
com os seus requisitos e dados (acompanhados de fotos
da sua casa), e pagar uma taxa anual de cerca de 35,40 a
70 euros. Antes de confirmar qualquer troca, há sempre
contactos com os donos da outra casa, através de e-mail,
Manual de utilização
Para que a estada dos novos hóspedes corra o melhor possível, há quem recomende a elaboração de um manual de
boas-vindas. Nele deverá incluir os contactos de emergência,
como a polícia, bombeiros, INEM, médico e mecânico, bem
como de algum amigo ou familiar a quem possam recorrer.
Instruções sobre o funcionamento de eletrodomésticos ou
outros dispositivos, como estores automáticos, coberturas
de piscina, alarmes ou acesso à Internet (se possível, reúna
os manuais de instruções num mesmo sítio), são igualmente
bem-vindas, assim como a localização do quadro elétrico e
torneiras de segurança do gás e da água. E
correspondência e telefone, que servem não só para se
conhecerem como esclarecer qualquer dúvida ou questão.
▶▶Se possível,
deixe também
um mapa da zona
e de estradas,
para melhor
orientação, bem
como os horários
e percursos dos
transportes
públicos locais.
Já agora, indique
os melhores locais
para compras,
bons restaurantes
e atrações
turísticas.
▶▶Avise os seus
vizinhos, para
evitar situações
constrangedoras
ou, inclusive,
para ajudarem na
resolução de algum
problema, por
exemplo.
▶▶Se emprestar
o carro, deixe-o
com o depósito
meio cheio ou até
mesmo cheio.
As probabilidades
de ser devolvido
no mesmo estado
são muito grandes,
a avaliar pelas
experiências
relatadas.
33
E
Desporto
Pino abaixo!
Melhora a condição física, o bem-estar mental e promove
um maior contacto social. Bem-vindo às pistas de bowling
e deixe-se contagiar pelo espírito e animação
helena estevens
H
abituámo-nos a vê-lo ser jogado em filmes, Preparar, lançar!
séries e documentários, nos quais é evidente O objetivo do jogo é derrubar, com uma bola, dez pinos
a sua popularidade, sobretudo nos Estados dispostos de forma triangular, que se encontram ao
Unidos, mas entre nós tem vindo a imple- fundo de uma pista. Trata-se, sobretudo, de um jogo de
mentar-se de norte a sul do País, despertando interesse perícia e não tanto de força ou resistência física. Cada
partida (também designada por linha) é composta por
em todas as faixas etárias.
A prática de bowling, tal como qualquer atividade dez jogadas (frames), tendo cada jogador direito a dois
física, traz inúmeros benefícios, como, por exemplo, a lançamentos de bola, no máximo, para derrubar os dez
melhoria da condição física, a coordenação motora e o pinos (spare) da primeira à nona jogada e três lançamenbem-estar psíquico, maior autoestima, confiança e in- tos na décima jogada. Se nas primeiras nove jogadas se
teração social. Como se trata de uma atividade de baixo derrubar todos os pinos à primeira (o chamado strike),
impacto, os riscos de lesão são também poucos,
os jogadores não devem fazer o segundo lançadaí o facto de se adequar a todas as idades.
mento de bola. Na décima, as regras mudam
Comparado com outras modalidades, exige
um pouco: se se fizerem dois strikes ou um
zoom
Lembre-se: a prática
menos força ou resistência física; perícia é
spare nos dois primeiros lançamentos,
leva à perfeição,
talvez o requisito mais importante, o que
mantém-se o terceiro lançamento. Dois
mesmo quando
strikes seguidos fazem o que se chama
significa que a prática pode sempre levar
pensamos que já não
podemos
à perfeição, mesmo se a estreia não correr
um ligue ou duque.
ou não conseguimos
tão bem como esperado.
A totalidade máxima de pontos por partida
melhorar.
é de 300, alcançados com 12 strikes.
Inspiração distante
As pistas possuem 18,20 m de comprimenAs origens deste desporto não são totalmente
to, sendo feitas com 39 tábuas de madeira ou sinconhecidas, havendo registo de objetos aparentemente téticas. As bolas podem ser fabricadas com borracha dura,
destinados à sua prática num túmulo de uma criança, no poliéster ou poliuretano, entre outros, pesando entre
Egito, que aponta para já se jogar por volta de 3200 a. C. 2,72 kg e 7,25 kg, não devendo ter mais do que 22 cm de
Inglaterra, Holanda e Alemanha parecem ter sido os diâmetro, aproximadamente. Na altura da sua escolha,
grandes precursores do bowling, contribuindo para a sua lembre-se de que, no início, deve optar por uma que não
expansão pelo mundo, tendo o jogo sido uniformizado seja nem muito leve nem muito pesada, mais apropriae regulamentado nos finais do século XIX, nos Estados da para jogadores com alguma experiência. Os pinos,
Unidos. O século posterior veria o desporto alargado por sua vez, têm cerca de 50 cm de altura e por volta de
às mulheres.
1,5 kg de peso. E
jogar pelo seguro
O facto de não acarretar muitos riscos de lesão não significa que não os possa haver. O trabalho de prevenção é essencial para a sua
minimização. Fale com o seu médico antes de iniciar a sua prática e, sobretudo, se não fizer exercício há algum tempo. Faça algumas
aulas com um profissional, de forma a dominar a técnica e a execução mais correta de movimentos. Use calçado adequado e roupa
confortável, adaptada à temperatura ambiente. Aqueça e alongue antes de começar a jogar. Beba água ao longo do jogo.
34
susanagateira
Inteiramente produzida em
Portugal, a marca Susanagateira®
existe desde 1997, assumindo-se
como a única exclusivamente dedicada
à conceção de vestuário desportivo.
Em 2010, foi distinguida como a
marca mais inovadora no segmento
de roupa desportiva indoor, nos ISPO
Brand New Awards, entre mais
de 600 de todo o mundo.
O seu conceito assenta em duas
palavras: «Fitness Fashion» – ou seja,
roupa desportiva para fitness com
forte contexto de moda e design. Este
conceito assenta em quatro pilares:
○ Elevada qualidade de matérias-primas e adequabilidade ao fim
a que se destinam;
○ Grande rigor de processos,
salvaguardando uma grande
qualidade final;
○ Elevada ergonomia e conforto para
utilização frequente, sem pontos
negativos;
○ Design único, invovador e
irreverente, que dita tendências.
Hoje, a marca possui, também,
soluções para outras atividades
indoor, como o ioga, cycling, pilates ou
dança, e outdoor, como o atletismo,
BTT ou remo. A nova coleção UP!
apresenta um misto de irreverência
e originalidade, com peças mais
tradicionais, onde a alegria das cores
e a elegância das formas se conjugam
com a leveza e a suavidade dos
materiais.
Os titulares dos cartões Caixa Activa
beneficiam de 15% de desconto
em todas as compras efetuadas
com a apresentação do cartão, não
cumuláveis com outras campanhas,
promoções ou benefícios oferecidos
pela marca. Obrigatoriedade
de se registarem como clientes
Susanagateira®.
35
E
Nutrição
Pequenas doses
de bem-estar
A evitar
Mantenha-se afastado
de bolos, batatas fritas,
barras de cereais ricas
em açúcares, gelados
(iogurtes congelados
em formas de gelado
são um excelente
substituto), bolachas
e refrigerantes, muito
ricos em hidratos de
carbono, gorduras e sal.
Se sentir «desejos»
de algo doce, prefira
uma taça de gelatina
ou uma maçã assada
com canela e reserve
as guloseimas para
dias de festa e, mesmo
assim, com conta, peso
e medida.
Ajudam a evitar os ganhos de peso,
a refrear os desejos, contribuem para
uma melhor disposição, melhoram a
performance cerebral, assim como a
saúde e o bem-estar geral. Saiba como
escolher os melhores snacks
Helena estevens
A
partir dos 40 anos, o metabolismo tende a abrandar, facilitando o aumento
de peso, se não se tiver cuidado com
aquilo que se come ou se não se praticar
nenhuma atividade física.
Optar por snacks entre refeições diminui os
períodos de tempo sem comer, permitindo-lhe
regular melhor a fome e evitar almoços e jantares
excessivos.
Amêndoas ou passas, em vez de batatas fritas,
iogurtes, fruta, vegetais e queijo fresco são apenas
alguns exemplos que ajudam a saciar a fome entre
as principais refeições e fornecem ao organismo
nutrientes essenciais para o seu bom funcionamento, sem comprometer o peso.
Além de estimularem o metabolismo e ajudarem a estabilizar os níveis de açúcar no sangue,
pequenos snacks ao longo do dia evitam, ainda, a
sonolência associada a refeições muito calóricas.
Os ricos em proteína têm a mais-valia de conterem
um aminoácido que aumenta a produção de neurotransmissores que promovem a concentração
e o estado de alerta – é o caso de alimentos como
queijo, ovos, tofu, peixe e carne (peito de peru
fatiado, por exemplo).
Pequenos passos pelo seu bem-estar
Mudar de hábitos alimentares não é fácil, sobretudo para quem está habituado a comer pão a
todas as refeições ou carne frequentemente, mas
o esforço, decididamente, compensa. E ninguém
diz que tem de ser uma mudança radical. Pouco a
pouco, é fácil acostumar-se. Comece, por exemplo,
por incluir uma peça de fruta ou um legume em
todas as refeições. Procure, depois, reduzir o pão
Sabia que
36
e, sempre que possível, opte por variedades de
mistura ou de cereais integrais. Atenção à carne
vermelha, que deve ser consumida com bastante
moderação e, de preferência, magra.
Uma peça de fruta ou uma caixinha com fruta
arranjada e cortada, acompanhada, eventualmente, por uma bolacha de água e sal, é um dos snacks
mais fáceis de preparar e até mesmo de transportar. Legumes são outra opção a considerar:
experimente tomate-cereja, cenouras cortadas
em palitos, brócolos crus ou cozidos, pimentos
às tirinhas. Ou um ovo cozido, por que não? Até
mesmo uma tacinha de pipocas simples, sem
açúcar, sal ou manteiga, ajuda a controlar a fome.
Um copo de leite magro ou de soja – ambos
disponíveis em pacotes individuais – constitui,
igualmente, uma escolha acertada e nutritiva.
Poderá acompanhá-lo com duas ou três colheres
de sopa de cereais se a próxima refeição ainda
estiver longe. E
Calorias diárias
necessárias
para maiores
de 55
Homem
Se não for fisicamente ativo
2000
Se for moderadamente ativo
2200-2400
Se for muito ativo
2400-2800
Mulher
Se não for fisicamente ativa
1600
Se for moderadamente ativa
1800
Se for muito ativa
2000
Com a idade, o organismo perde parte da capacidade de regular fluidos, o que facilita a desidratação. Beber água regularmente é essencial para evitar
infeções do trato urinário, obstipação e confusão. Se necessário, programe o relógio ou o telemóvel para, a cada duas horas, por exemplo, avisar que
precisa de beber um copo de água.
Ingredientes
○○sumo
de limão
○○4 alcachofras
grandes
Para o molho:
○○3 cebolos verdes
○○1 dente de alho
picado
○○2 c. sopa de
azeite
○○600 g de
tomates maduros,
pelados e cortados
em cubos
○○2 c. de sopa de
puré de tomate
○○200 ml de caldo
de legumes
○○1 c. de chá de
folhas de tomilho
○○sal, pimenta-preta
e açúcar q. b.
Alcachofras recheadas
com molho de tomate
1
Preparação
Comece por cortar o caule e as
folhas inferiores das alcachofras.
Corte as cebolinhas em rodelas. Pele
os tomates e corte-os em cubinhos.
2
Cozedura
Ponha água a ferver numa panela
com um pouco de sal e acrescente
algum sumo de limão. Quando
levantar fervura, acrescente as
alcachofras, tape e deixe cozer
durante cerca de 30 minutos, até
ficarem tenras.
vocabulário
▶▶CEBOLO De
aparência semelhante
ao alho-francês, mas
de sabor e consistência
mais delicada, o cebolo
(ou cebola nova) tem
um perfume entre o
do cebolinho e o do
alho-francês. Fatiado
muito fino, é excelente
para temperos em cru,
sendo usado, ainda,
em cremes, molhos,
recheios ou refogados.
▶▶ALCACHOFRA
Planta herbácea,
proveniente do Sul do
Mediterrâneo ou do
Magrebe, usada em
medicina e culinária.O
coração da alcachofra
é muito apreciado,
bem como as folhas,
também comestíveis.
Depois de florir,
deixa de poder ser
consumida.
▶▶Tomilho Planta
aromática empregada
para temperar carnes,
feijão, sopas, saladas,
legumes e frutas na
forma de compotas.
3
Recheio
5
Empratamento
4
Tempero
6
Conclusão
Frite as cebolinhas e o alho em azeite
quente. Junte os tomates, o puré de
tomate e o caldo de legumes.
Tempere com sal, pimenta-preta,
tomilho e uma pitada de açúcar.
Deixe apurar em lume médio durante
15 minutos, aproximadamente.
Retire as alcachofras da água,
abra as folhas, remova as fibras
e coloque numa taça.
Recheie todas as alcachofras
com o molho de tomate apurado
e retificado de temperos e decore
com cebolinhas.
É fácil comer bem
Falta de tempo, custo
ou disponibilidade deixaram
de ser desculpa para não adotar
uma alimentação equilibrada
e saudável sem perder pitada
do sabor
helena estevens
Planear. Eis a palavra de ordem para
conseguir preparar refeições saudáveis,
mesmo que o tempo escasseie. Habitue-se, por isso, a pensar atempadamente nos
menus da semana e, simultaneamente,
elabore a lista de ingredientes de que vai
necessitar. Aqui reside igualmente uma
boa solução para poupar nas compras.
Concentre-se nos produtos da época,
mais baratos e saborosos, e aproveite para
congelar alguns. Os legumes enlatados
são uma boa opção nutritiva. Aproveite
as promoções e abasteça-se. Lentilhas,
feijão e grão constituem uma excelente
alternativa à carne.
Afaste-se das prateleiras das bolachas e
bolos, batatas fritas e snacks, pobres em
nutrientes e ricos, entre outros, em sal.
Refrigerantes são igualmente de pôr de
parte, tal como os sumos, mesmo que
naturais. É sempre preferível optar por
comer as peças de fruta, mais saciantes e
ricas em fibra.
Peça ajuda. Adiantarem-lhe o jantar
se prever chegar mais tarde não custa
nada se a refeição já estiver definida e os
ingredientes separados.
Lá fora
Se comer fora, prefira as meias doses. Por
norma, são suficientes. Habitue-se a pedir
sempre sopa ou salada – de preferência
sem molho ou com molho à parte.
A reter
Inclua na alimentação um legume de
folhas verdes escuras e um cor de laranja
por dia. Beba leite magro ou bebidas de
soja fortificadas todos os dias.
O tofu, por exemplo, subsitui bem a carne.
O feijão e as lentilhas são, também, uma
possibilidade.
Se tiver sede, a água é a melhor escolha. E
37
E
Beleza
A sustentável
leveza do cabelo
Curto ou comprido, no que respeita
ao corte de cabelo, tudo depende
do seu gosto, personalidade
e comodidade. Tal como a cor.
Importante é estar bem cuidado
helena estevens
É
impossível contornar a questão. O
segredo para um cabelo fantástico
– e uma aparência ainda melhor –,
independentemente da idade, está num bom corte. Curto, médio ou longo,
dependerá do seu gosto, das linhas do seu
rosto e do tempo que pretende dedicar-lhe
diariamente. Na próxima vez que for arranjar
o cabelo, fale com o seu cabeleireiro e analise
com ele as melhores opções e, talvez, uma
mudança de cor, quem sabe, que a favoreça
mais. Caso não se sinta à vontade para o fazer, talvez seja uma oportunidade para optar
por outro profissional. No que respeita à cor,
mudar para alguns tons «abaixo» da sua cor
natural tende a suavizar o rosto e a tirar alguns
anos de idade. As madeixas são igualmente
uma boa aposta.
Contrariar o tempo
Não estranhe se o cabelo começar a frisar. É
natural no cabelo cinzento ou branco. Encontra facilmente champôs e amaciadores, entre
outros produtos, que ajudam a corrigir esta
situação. Outra hipótese é usar um alisador. O
passar dos anos reflete-se, ainda, numa maior
Sabia que
38
tendência para cabelo quebradiço e pontas
espigadas, que devem ser alvo de corte regular.
A queda de cabelo é também comum. Fale com
o seu dermatologista, se tal acontecer, e veja
qual a melhor solução.
Produtos capilares reparadores são bons
aliados, bem como os especialmente concebidos para um maior volume. Use-os e veja
as diferenças.
Emme Cabeleireiros
▶▶Ilumine e embeleze o seu corpo e a alma...
Renda-se às novas tendências... Sinta-se bem
consigo. Localizada na região de Guimarães, a
Emme Cabeleireiros é um estúdio de cabeleireiro
implementado no mercado há cerca de cinco
anos. Preza-se pelo dinamismo e pela criatividade
da sua equipa jovem, sempre atenta às novas
tendências.
▶▶A Emme Cabeleireiros preocupa-se,
essencialmente, com o bem-estar e a satisfação
dos clientes, apostando, por isso, na formação
contínua dos seus colaboradores.
▶▶Para os titulares dos cartões Caixa Activa, a
Emme Cabeleireiros oferece 20% de desconto
em todos os serviços, exceto na venda de
produtos.
Calor? Pouco
Sempre que possível, deixe o cabelo secar ao
ar, naturalmente.
Evite o uso de modeladores, alisadores ou
secadores muito quentes, regulando-os para
as temperaturas mais baixas. Especialmente
no verão, tenha o cuidado de usar chapéu ou,
em alternativa, aplique um protetor solar no
cabeço, para proteger contra os efeitos nocivos
dos raios solares.
Bem nutrir
Brilho e vitalidade, no entanto, não dependem
exclusivamente do corte ou dos produtos para
o cabelo. Comer bem é essencial, especialmente alimentos com antioxidantes, ácidos
gordos ómega 3, cálcio e vitaminas A, C e E. Por
isso, procure incluir frutos vermelhos, maçãs,
ameixas, espinafres, brócolos, feijão, alcachofras, nozes, pistácios, avelãs, amêndoas, aveia,
chocolate negro, por exemplo. Um copo de
vinho tinto por dia é também uma boa ideia.
Manter-se hidratada é outro dos cuidados
a ter. Não só pelo cabelo, mas também pela
sua saúde em geral. E
Em caso de cabelo fino ou queda de cabelo, aplicar um pouco de sombra para os olhos no couro cabeludo, nas zonas junto ao rosto, ajuda a disfarçar.
Escolha uma cor semelhante ao seu tom de cabelo e use a esponja da caixinha para a aplicar, com toques suaves.
Carreira
Do desemprego à pensão
Sabia que é possível pedir a reforma antecipada, com condições
especiais de penalizações, caso esteja em situação
de desemprego de longa duração?
Q
uem não consegue fugir às malhas do desemprego de longa duração pode reformar-se antecipadamente e contar com condições
especiais de penalização, caso tenha pedido o subsídio de desemprego depois de 1 de janeiro de 2007. Caso tenha
52 ou mais anos de idade e, pelo menos, 22 anos de descontos
para a Segurança Social, à data do desemprego, ou tenha 57 ou mais
anos de idade e tenha esgotado o subsídio de desemprego, continuando desempregado involuntariamente, na data em que lhe é atribuída a
pensão, a penalização será de 0,5 por cento por cada mês de antecipação
face aos 62 anos. Se tiver 57 ou mais anos à data do desemprego e 62 ou
mais anos quando pedir a reforma, tendo, pelo menos, 15 anos de descontos e esgotado o período de duração do subsídio de desemprego, continuando desempregado involuntariamente, não há lugar a qualquer redução.
Por outro lado, se pedir a pensão antecipada sem reduções, mas continuar a
trabalhar, tem direito a um aumento do valor da pensão de 0,65 por cento por
cada mês de trabalho. E
E
L
Tempos livres
Redescobrir a família
Descubra como traçar a sua árvore genealógica – uma forma engraçada de reviver
memórias e preservar histórias de família, essencial para se perceber quem somos
e por que o somos – e surpreenda-se com as descobertas
«S
Helena estevens
e não conhecermos
a nossa história, se
não conhecermos a
nossa família, quem
somos?», questiona Mary Pipher, psicóloga clínica e antropóloga. Daí a sugestão para
desenhar a sua árvore genealógica, uma forma engraçada
de se entreter e aprender mais
sobre o seu passado e reavivar a sua escrita, inclusive ao
relatar episódios relevantes
ou simplesmente engraçados sobre os seus antepassados e
familiares seus contemporâneos.
Um projeto deste tipo permite-lhe, ainda, esclarecer
algumas situações confusas e as razões que levaram algum
antepassado a determinada ação. É também um bom pretexto para reunir pessoas com as quais, por razões várias, há
muito não conversa, ou vê, ou, simplesmente, para contar
aos filhos, netos e sobrinhos.
era uma vez
Comece por registar o que sabe sobre si e a sua família, com o
máximo de pormenores relevantes: nomes completos, datas
e locais de nascimento e casamento (divórcios e segundos
ou mais casamentos ou uniões de facto). Se possível, reúna
fotografias que ilustrem as pessoas referidas e os acontecimentos mais marcantes para a esfera familiar.
O passo seguinte é falar
com familiares, de preferência
de gerações anteriores, e obter
informação detalhada. Tenha
em atenção que as memórias
são falíveis, pelo que deverá
confirmá-las. As melhores
fontes físicas encontra-as em
casa, na sua e nas de familiares, em álbuns fotográficos,
documen­tos e recortes guardados em caixas ou em diários.
Cer­tidões de nascimento e de
óbito, assim como cartas, são também bons pontos de partida, tal como registos militares e passaportes. Fotos e outros
documentos, se não originais, pelo menos digitalizados, são
valor acrescentado e facilmente distribuídos pela Internet
ou por fax, por isso, não hesite em pedi-los.
Informação reunida, há que organizá-la num esquema
claro, em forma (ou não) de árvore. Anote o seu nome e data
de nascimento. Se tiver casado, o nome do seu cônjuge e
respetiva data de nascimento devem ficar ao lado, ao mesmo nível, unidos pelo sinal de igual (=). Num nível abaixo
do do casal, devem ficar os filhos e, caso haja, os cônjuges
e os respetivos filhos (neste caso, os seus netos). Esgotada
a sua descendência, acrescente os seus pais, os respetivos
irmãos (com os outros pares dos casais) e os filhos, e assim
por diante. Um ficheiro num computador é talvez a melhor
forma, pois permite-lhe alterar à vontade. L
registos úteis
Esgotada a informação familiar, os
assentos de batismo, de casamento e de
óbito, registados nos livros paroquiais,
são outro recurso a não descurar.
Oferecem dados relativos a duas
ou até três gerações (nomes, datas,
naturalidades, moradas, profissões,
relações de parentesco com os padrinhos
e testemunhas, etc.). Os livros paroquiais
com menos de cem anos encontram-se,
ainda, nas conservatórias do registo
civil, enquanto os mais antigos estão,
por norma, depositados nos arquivos
distritais. O registo dos batismos e dos
casamentos «em livro próprio» só passou
40
a ser obrigatório a partir de 1563 (por
força de uma norma da 24.ª sessão
do Concílio de Trento), muito embora
numerosas paróquias já o praticassem
anteriormente. A obrigatoriedade do
registo dos óbitos data de 1614.
O Arquivo Distrital de Lisboa está
integrado na sede da Direção-Geral de
Arquivos (DGARQ) e nele se conservam
os antigos livros paroquiais das
freguesias de todos os concelhos do
distrito de Lisboa, desde o século XVI até
aos finais do XIX. Neste Arquivo Distrital,
encontram-se, ainda, depositados muitos
dos livros paroquiais de outros distritos,
a saber: Beja, Bragança, Castelo Branco,
Faro, Guarda, Santarém e Vila Real, os
quais se encontram em microfilme nos
respetivos arquivos distritais.
Os índices respetivos encontram-se
à disposição dos leitores na Sala de
Referência da Torre do Tombo. Para
facilitar a pesquisa, os leitores devem
consultar o Inventário Coletivo dos
Registos Paroquiais, vol. I – Centro e
Sul e vol. II – Norte (só abrange Portugal
continental), bem como o Inventário dos
Registos Paroquiais – Lisboa Cidade
(concelho de Lisboa) e o respetivo índice
informatizado.
saiba mais
Genealogia
• Torre do Tombo.
Possui os antigos
livros paroquiais
das freguesias
dos concelhos do
distrito de Lisboa
(do século XVI até
finais do século
XIX) e muitos dos
livros paroquiais
(disponíveis em
microfilme) de
distritos como
Beja, Bragança,
Castelo Branco,
Faro, Guarda,
Santarém e Vila
Real.
• Associação dos
Amigos da Torre
do Tombo – www.
aatt.org. Oferece
muita informação
e, desde logo,
um completo
roteiro do acervo
do Arquivo,
com descrição
detalhada de
muitos dos seus
núcleos.
• Projeto de
Genealogia
Geneall – www.
geneall.net. Para
acesso a notícias
e informações
genealógicas.
• Meus parentes –
www.eusparentes.
com.pt. Permite-lhe criar a sua
árvore on-line.
• Linhagens
Investigação
Genealógica –
www.genealogiaportuguesa.
com. Empresa
de investigação,
criada em 1996
por genealistas
portugueses, a
que pode recorrer.
• Modelos
Office – http://
office.microsoft.
com/pt-pt/
templates/arvoregenealogicaTC010107970.
aspx. Aproveite
as versões
disponíveis e
preencha-as com
os dados que for
reunindo.
Motores
A razão
e o coração
Em Genebra, as potentes
máquinas destacaram-se
num salão automóvel marcado
por duas realidades
Luís inácio
Se é verdade que nunca como agora
se olhou – e levou tão a sério – as
propostas movidas a eletricidade ou a
combustíveis alternativos, também é um
facto que os modelos mais performantes
continuam a ser aqueles que fazem
virar mais cabeças à sua passagem.
Assim, apesar de uma boa série de
novidades mais racionais – sobretudo,
numa conjuntura marcada pela crise
económica e pela escalada do preço
do petróleo –, foram, obviamente,
os vistosos cabriolets, coupés e
desportivos que mais se destacaram no
Geneva Motor Show: a BMW revelou o
Série 6 Gran Coupé e os novos M6, tanto
em coupé como em cabriolet; a Ferrari
propôs um California revisto, passando
o motor V8 a debitar agora 490 cv,
e o extraordinário F12 Berlinetta; a
Peugeot apresentou o protótipo GTi
Concept, como que a abrir caminho
para o lançamento de um 208 mais
desportivo; o construtor nipónico
Toyota estreou na Europa o desportivo
GT 86, uma «máquina» com 200 cv
que estará à venda no verão, e, entre
muitas outras propostas, merecem
também destaque o novo Laguna Coupé
da Renault, a versão descapotável do
Volkswagen Golf GTi, a carrinha Audi
RS4 e um protótipo descapotável do
Range Rover Evoque. L
Caixa
Leasing Auto
Financie a aquisição de
viaturas novas, ligeiras
de passageiros e/ou
de mercadorias, com
prazos até 84 meses.
Durante o contrato, a
viatura é propriedade
da locadora financeira.
No final do contrato,
pode optar pela sua
aquisição, mediante
o pagamento do valor
residual escolhido
(entre 2 por cento e
25 por cento do valor
de aquisição). Assim,
com o Caixa Leasing
Auto (1), pode escolher
o pagamento que
pretende efetuar no
final e reduzir a sua
prestação mensal.
Torna-se necessário
subscrever o seguro
automóvel, para
salvaguarda de
danos a terceiros e
proteção da viatura.
Caso subscreva ou
renove este seguro
nas Agências da
Caixa, beneficiará de
condições ainda mais
vantajosas, com uma
redução imediata no
spread base e uma
proteção completa,
que inclui assistência
em viagem e proteção
jurídica.
Para mais nformações,
vá a www.cgd.pt ou
visite uma Agência da
Caixa.
(1)
Leasing automóvel:
€ 11,60 por cada
€ 1000 a 84 meses.
TAEG de 6,7%
calculada com base na
Euribor a 3 meses +
4,75% de spread
em fevereiro de
2012, para um
financiamento de
€ 25 000 a 84 meses,
com 20% de entrada
e 2% de valor
residual. Montante
total imputado
ao consumidor:
€ 29 951,48.
L
VOLKSWAGEN UP! 1.0L 75 CV black UP!
ESTILO
A dupla Marco Pavone e Jan
Haacke assinou um design
futurista, marcado, na frente,
pelas linhas do para-choques,
que remetem para um sorriso
constante. A consola é o elemento
mais marcante de um interior que,
muito por influência do desenho,
parece maior do que realmente é.
SEGURANÇA
Pequeno não significa menos
seguro. O Up! obteve a pontuação
máxima de cinco estrelas nos
testes Euro NCAP e o mesmo
organismo atribuiu-lhe o Prémio
Euro NCAP Advanced 2012,
tendo em conta que se trata do
único modelo do seu segmento
equipado com um sistema de
assistência à travagem de
emergência em cidade. Esta
tecnologia consta da lista de
opcionais e utiliza um sensor que
deteta o risco iminente de uma
colisão num espaço de 10 metros,
reduzindo automaticamente a
velocidade para evitar o embate e
chegando mesmo a travar a uma
velocidade inferior a 30 km/h.
COMPORTAMENTO
Pensado para a cidade, é nela
que se sente mais à vontade
e é, também, neste ambiente
que nos divertimos mais
a conduzi-lo. Equipado com
um três cilindros com 1.0 litros de
cilindrada e 60 cv de potência, não
lhe falta agilidade e, quando chega
a hora de estacionar, não é difícil
encontrar espaço onde caibam
os seus 3,54 m.
EQUIPAMENTO
Ar condicionado, bancos com
aquecimento... um pequeno que
tem tudo como os grandes. São
propostos três níveis – take up!,
move up! e high up! – e duas
versões especiais: black up! e
white up! Entre os opcionais está
o maps+more, um sistema que liga
várias informações em rede e a
que se acede através de um ecrã
tátil.
EMISSÕES
O Volkswagen Up! não chega a
atingir o valor dos 100 g/km de
emissões poluentes nas versões
BlueMotion (que contam com
o sistema start-stop): 96 e 98 g/
km consoante se trate da variante
com 60 ou 75 cv. Nas versões
sem BlueMotion, os valores
mantêm-se pouco acima dos
100 g/km: 105 e 108 g/km.
PREÇO
O novo Volkswagen encontra-se
à venda em dois níveis de
potência: 60 ou 75 cv. Preços em
linha com outras propostas do
segmento. A primeira variante é
comercializada a partir de 10 773
euros e a segunda inicia-se nos
12 422 euros.
41
L
Shopping
Eye candy
Look
estação
Porque o que prende a vista e o olfato prende
o coração, derreta-se com a suavidade das cores
e dos aromas que adocicam a nova estação
PRIMAVERA
2012
vogue 2697S 1678
A nova linha Vogue dedicada ao sol
volta a brilhar nas melhores óticas
a nível nacional. Disponível nas óticas
do Grupo Optivisão.
Com as primeiras
brisas primaveris,
chegam os vestidos
de flores e cores
pastel – patentes
em Louis Vuitton,
Chloé ou Valentino
–, que lembram
um regresso aos
anos 50. Pelas
passerelles das
semanas da moda,
passaram propostas
diversificadas. Os
animais – cavalos,
pássaros ou
cobras – surgem
em estampados,
e os elementos
marítimos dominam
clutches e vestidos
de tecidos leves.
O branco surge em
look total, os brincos
XL dominam nas
mais variadas cores.
Preço sob consulta
parodi’s passion 12001
ren rose
synergy O12
bench blg2351
As grandes metrópoles mundiais foram
o ponto de partida para uma coleção
muito versátil, marcada por grafismos
que refletem a personalidade da marca.
€ 35
werdie
colorblocked
messenger
As novas coleções Marc by
Marc Jacobs já chegaram a
Lisboa e Porto. Se é Cliente
CGD, usufrua de vantagens
exclusivas na Loja das Meias
e Marc by Marc Jacobs.
Saiba na página 64 ou em
www.cgd.pt quais os cartões
associados a esta parceria.
€ 475
42
Um sérum
formulado
para restaurar
e assegurar
suavidade,
elasticidade e
conforto às peles
secas, stressadas,
sensíveis, maduras
e exigentes.
Disponível em
www.sweetcare.
pt. Os titulares
dos cartões Caixa
Activa têm 15%
de desconto,
apresentando
o código
«7401229812».
Não acumulável
com outras
promoções.
€ 71,65 (30 ml)
Vermelho, laranja, azul, verde, amarelo...
A marca portuguesa Parodi’s Passion
propõe uma verdadeira explosão de
cores para a primavera/verão. Um estilo
marcadamente urban chic em modelos
muito femininos e a que ninguém vai ficar
indiferente.
€ 129
Black XS L’Excès
For Her
Chega às perfumarias uma
versão mais... excessiva de
Black XS. Uma fragrância
– com muita sensualidade –
que é uma verdadeira rock
star, pensada por Emilie
Coppermann.
€ 76,05 (80 ml)
Wild thing
Look
estação
Indomável no espírito que jamais se deixa travar,
acelere, no masculino, para a vertigem das peças que
o podem fazer sentir-se feroz, sem perder o estilo
PRIMAVERA
2012
Uma vertente mais
desportiva e menos
clássica chegou à
moda masculina
nesta primavera.
Peças coloridas
e estampados
tropicais dominam
camisas e fatos.
O estampado
estende-se às
formas geométricas,
riscas e xadrez, e
marcas como D&G,
Prada e Burberrys
não os perderam de
vista. Nos jeans,
aposta-se no
corte super slim,
com destaque
para o conforto
e flexibilidade, e
os calções estão
mais curtos e
estilizados, com
mistura de cores,
tecidos e padrões.
Os acessórios que
completam o look
são cintos, pulseiras
e bonés. Camisas,
gangas, calças
saruel e T-shirts
surgem como os
destaques mais
populares.
Hackett london Aston
Martin Racing Helmet
A parceria oficial com a Aston
Martin Racing volta a inspirar
a marca inglesa Hackett London.
A coleção primavera/verão volta
a incluir uma linha específica
com polos, blusões e diversos
acessórios, como este capacete em
edição limitada.
Preço sob consulta
sisley pullover
10C1S4257
givenchy Play Sport
Para a nova estação, a marca italiana
Sisley propõe três interpretações:
architectural man, urban mobility
e formal rebel. Também à anos 70
e uma diversidade de estilos e de
inspirações pensados para dar
resposta tanto a um jantar mais
formal como a um passeio com
os amigos.
Da Givenchy, uma
reinterpretação energética
de Play. Madeira de amyris,
bergamota, menta, gengibre,
flor de limoeiro, pimenta-preta
e almíscar num cocktail muito
bem preparado para receber
o verão.
€ 77,54 (100 ml)
tru virtu orange blossom
€ 49,95
Alumínio e material sintético encontram-se
num elegante porta-cartões da Tru Virtu com
proteção contra radiação eletromagnética
e desmagnetização. Estão disponíveis em
diversas cores, permitindo transportar 14
cartões (sem relevo) em dois compartimentos.
€ 28
Energie samel
Do clássico sapato à plataforma, dos ténis desportivos às alpercatas.
A nova coleção Energie é eclética, com soluções para todos os gostos.
Destacamos o modelo Samel, um Oxford em que nobuck, camurça e couro
contrastam num nylon com toques... techno.
€ 99
Utilize os cartões de débito diferido e de crédito (*) Caixa Activa nas suas compras e beneficie
de vantagens exclusivas. Saiba mais em www.cgd.pt e em www.vantagenscaixa.pt.
(*)
TAEG de 22,2%, para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12 meses, à TAN de 20,75%.
43
L
Em foco
Odisseia... no
Mediterrâneo
Longe das suas grandes cidades, como Florença e Pisa,
a Toscânia encerra algumas das aldeias medievais mais
bem conservadas de Itália. A melhor forma de as visitar
é de carro, escolhendo um caminho a nosso gosto
Oriol Pugés
44
B
eleza, sim. A beleza é o primeiro adjetivo que
nos ocorre empregar quando atravessamos esta
região maravilhosa chamada Toscânia.
Situada no coração da Península Italiana, a
Toscânia ocupa cerca de 23 mil quilómetros quadrados, que
representam algo como 8 por cento do território nacional.
Como na Atenas de Péricles, poder-se-ia dizer que,
aqui, os homens, os deuses, a Natureza e a História se
aliaram para atingir algo parecido com a perfeição. Aqui,
como em Atenas, a concentração de obras-primas ocorreu
no meio de contínuas lutas civis e guerras com o estrangeiro. O cenário onde se ergueram 20 cidades – todas elas
seriam, noutras latitudes, autênticas capitais – e cerca de
300 comunidades, que ocultam outras tantas pequenas
maravilhas, é de uma variedade excecional. Perante este
facto, que poeta poderia resistir a um nascer do sol na
Toscânia? Embora eu não seja, nem de longe, um poeta,
não consigo resistir aos encantos da Toscânia e aqui estou,
por fim, ansioso por descobrir a região e, sobretudo, os
seus tesouros mais bem guardados.
A seleção foi fácil, sem dúvida. Cada viajante tem os
seus caprichos, os seus gostos. Do que não há dúvida é
de que as pequenas cidades que visitei merecem a minha
escolha pela sua graça e beleza e são paragem obrigatória
para uma viagem completa e inolvidável pela região.
Lucca, a melómana
De Florença, no fim de um trajeto entre florestas de castanheiros e faias e estendida sobre uma grande planície,
destaca-se Lucca, rodeada por poderosas muralhas, construídas entre 1504 e 1645. São as fortificações mais bem
conservadas da Europa e podem percorrer-se a pé. Embora
os primeiros vestígios humanos da cidade nos levem até
aos etruscos, o seu passado pertence inteiramente aos
romanos, de quem a cidade conserva ainda a estrutura
em quadrícula das ruas e a forma elíptica da praça do mercado,
construída sobre um anfiteatro
aceder ao
romano. A Igreja de San Michele
centro
in Foro revela que o templo foi
histórico de
construído, precisamente, sobre
lucca só é
uma antiga praça romana.
possível a pé
Para se aceder ao centro hisou, quando
tórico, há que deixar o automóvel
muito, de
no parque da Rua Carducci, ao
bicicleta
abrigo das muralhas, pois aqui
só se pode andar a pé ou, quando muito, de bicicleta. Seguindo a direção da Porta San
Pietro, que liga o coração da cidade à Praça Napoleone,
mais conhecida como Piazza Grande, onde se ergue o
palácio ducal, e percorrendo a Rua do Duomo, chega-se
a São Martinho, a catedral de Lucca. Dedicada ao soldado
romano que partilhou o seu manto com um mendigo, a
sua história está descrita na decoração da igreja, cujos
45
L
Em foco
San Gimignano, erguida sobre um monte de 334 m de altura, ficou famosa pelas torres-sentinelas que inspiravam segurança aos peregrinos
frescos estão separados por diversos espaços cobertos com lousas de mármore cor
de rosa, verde e branco e com frescos que
representam cenas de caça. A fachada, com
arcos de três grandezas e esculturas de várias
épocas, apoia-se no altíssimo campanário,
construído em 1060. No passado, foi utilizado frequentemente pela população para se
defender dos ataques estrangeiros.
Para continuar a visita à cidade, indicam-me outra rua, um pouco mais cansativa, mas
igualmente encantadora: o caminho de ronda
das muralhas fortificadas, que passa perto da
exuberante campina. Aqui, nos pontos mais
belos e tranquilos das colinas que rodeiam
Lucca, erguem-se mais de 300 aldeias, construídas pelos habitantes ao longo de quatro
séculos. Surgidas no século XIV como pavilhões de caça, tornaram-se grandes cidades
no século XVI, graças às famílias burguesas
ricas que se dedicaram à arte e ao comércio da
seda e deixaram a sua profunda marca na paisagem de Lucca e na sua história. Ainda hoje
constituem um vivo testemunho dos valores
da arquitetura, do espírito e das atividades
tradicionais da cidade. São lugares tranquilos,
que nos levam à meditação, à contemplação
de um ambiente puro, lugares que devemos
visitar sem pressas, passeando sem objetivo
e guiando-nos, exclusivamente, pelo nosso
sentido estético, seguindo os muros de pedra
que protegem os antigos palácios, semiocultos entre árvores seculares, ou deixando-nos
seduzir pelas cores e pelos intensos perfumes
das suas colinas. Com este espírito, penetro
46
Uma das ruas estreitas e pavimentadas com
seixos características de San Gimignano
caminho. Hoje, daquelas torres-sentinelas não
restam mais que 14, das quais a mais famosa
é a Torre Grossa, de 54 metros, verdadeira
expressão de domínio sobre o vale do Elsa.
Penetra-se no burgo pela única via de
acesso, infelizmente repleta de autocarros
cheios de turistas, cuja presença neste recanto
medieval de Itália é quase irreverente. Mas
San Gimignano é um lugar protegido pela
San Gimignano, a medieval
UNESCO, como Património da Humanidade,
Rumando de Florença até Siena por uma e seria igualmente irreverente não o visitar.
estrada secundária, atravessando uma cam- São horas de almoço e as pessoas ocupam as
pina verdejante, coberta de vinhedos e de enotecas e os bares, o que me permite passear
extensões salpicadas de colinas até onde a em paz pelas ruas e admirar os seus impresvista alcança, algo chama imperiosamente a sionantes edifícios de pedra. Passo pela praça
atenção. De improviso, uma floresta peculiar triangular da Cisterina e pelos edifícios que
de torres recorta-se no horizona rodeiam, e chego à Piazza dei
te: é a cidade de San Gimignano, san
Duomo, majestosa com o seu
um dos centros medievais mais gimignano
Palácio da Podestà e o átrio da
bem conservados de Itália. Este é o local
torre. Contemplando o interior
burgo ergue-se sobre uma colina
das olarias e relojoarias, tenho a
ideal para
de apenas 334 metros de altura,
impressão de que o tempo parou
descansar
mas o efeito que produz à primeira
em plena Idade Média.
e percorrer
vista é impressionante, como se
A cidade merece uma visita
dominasse efetivamente todo o devagarinho demorada, caminhando por ­ruas
vale do Elsa.
estreitas e pavimentadas com
Durante a Idade Média, a nobreza local seixos, entre portões de ferro, muralhas e
mandou edificar nesta região 72 torres para torres que evocam a memória de lendários
proteger a Via Francigena, estrada que levava episódios de damas e cavaleiros, príncipes e
a Roma, e na qual San Gimignano era uma das soldados de nobres famílias, que permitiram
etapas mais importantes. Os peregrinos que aos melhores artistas da Europa trabalhar
chegavam do norte da Europa gostavam muito nas escolas de Siena e Florença, enquanto os
desta cidade, porque ela lhes transmitia uma palácios de San Gimignano se enriqueciam
sensação de segurança e de comodidade: era o com as suas pinturas.
lugar ideal para descansar antes de retomar o
Nada se compara a San Gimignano.
no Palácio Pfanner, um imponente edifício,
reconstruído em 1667, em cujo interior se esconde um dos jardins mais belos da Toscana,
e na villa Bottini, edificada no século XVI, no
meio de um parque magnífico, onde assisto
a um concerto ao ar livre sob as arcadas de
um pórtico. Que bela maneira de concluir a
visita à cidade!
Volterra, a etrusca
Sem dúvida uma das visitas obrigatórias
Seguindo para sul, e muito perto de San em Volterra é o Museu Etrusco, que alberGimignano, encontra-se uma das pequenas ga uma coleção impressionante de mais de
cidades mais estranhas do país transalpino, com 600 lápides de urnas funerárias etruscas e
os enormes leitos de torrentes que a rodeiam e romanas, construídas em tufo, terracota e
que parecem dispostos a devorá-la comple- alabastro.
tamente. Numa colina, entre os vales do Era e
A cidade de Volterra é mágica, ancorada na
do Cecina, e rodeada por uma dupla fileira de eternidade, muito animada, com ruas onde
muralhas, uma etrusca e a outra medieval, surge é delicioso passear calmamente... Ou, simVolterra. Agarrada a um espigão de rocha, de plesmente, deixar passar o tempo.
longe, parece projetar-se sobre a campina mais
perfeita e ondulada que jamais se viu.
SIENA, a festiva
O aspeto do seu traçado urbano, dos seus Já em pleno coração da Toscânia, surpreenpalácios, torres e igrejas é medieval.
demo-nos com Siena, a cidade medieval mais
No entanto, Volterra conserva muitos tes- bonita de Itália. A sua Piazza del Campo, contemunhos do período etrusco, como a Porta siderada uma das três mais belas praças do
do Arco e a Acrópole. A presença romana é mundo, proporciona um palco ideal para uma
igualmente visível nas ruínas do Teatro de commedia dell’arte: onze ruas desembocam
Vallebona, da época de Augusto,
num cenário em forma de concha,
A festa
e nos edifícios termais.
cujo desnível nos incita a correr
Para contemplar uma impres- do palio,
ou a marcar um encontro. Nesta
sionante panorâmica desta bela em siena,
urbe tão colorida, rodeada por três
localidade toscana, há que subir em julho
colinas de argila vermelha, a tera pé até à Piazza dei Priori, uma e agosto,
ra de Siena, pressente-se a Idade
verdadeira maravilha medieval, é a mais
Média, com a sua imaginação e
de onde se contempla um cená- concorrida
bom humor.
A Piazza del Campo acolhe, em
rio emocionante sobre as ruínas
do teatro romano e onde se encontram os julho e agosto, a festa do Palio, uma de muitas
principais monumentos da cidade: o Palá- manifestações de origem medieval que ainda
cio Pretório, com a torre de ameias chamada permanece intacta na cidade e, certamente, a
Torre del Porcellino, a Catedral do século XII, mais concorrida de todas, ao ponto de a repeo Batistério, construído em pedra local, e o tirem no dia 16 de agosto. Observando e faPalácio dei Priori, o mais antigo da região.
lando com os habitantes de Siena, damo-nos
conta de que o Palio não é apenas o espetáculo
das ruas e dos cavalos na Piazza del Campo. É
um momento de intensa vida comunitária, é
a oportunidade para uma série de encontros,
de festejos, e para benzer cavalos e cavaleiros.
É um motivo de festa em cada bairro, quando
os vizinhos se vestem com trajos medievais
e exibem os seus estandartes e bandeiras. É
uma cavalgada frenética e extraordinária, violenta e por vezes cruel, que suscita as mesmas
emoções há séculos (a festa do Palio remonta
a 1283). Tudo acontece na Piazza del Campo,
33 metros de cenário em forma de caracol
(embora haja quem diga que se parece com
o manto da Virgem, padroeira da cidade), de
onde correm os cavalos que representam os
diversos bairros de Siena. Cada troço encerra
um certo perigo; das varandas circundantes e
dentro da praça, as pessoas apinham-se para
incitar os seus cavaleiros. Durante a semana
do Palio, é um ritual sentarmo-nos na pastelaria Nannini, um dos ícones da cidade,
ou beber um copo de vinho tinto na I Terzi,
uma das enotecas na moda. Siena torna-se
radiante.
Depois do Palio, e terminada a festa, a
Piazza del Campo fica ainda mais bela: elegante e harmoniosa, alberga uma série de
edifícios prestigiosos, como o Palácio Público
medieval, a sede da Câmara Municipal e o Museu Cívico, com pinturas de Simone Martini.
Do alto da Torre dei Mangia, a vista sobre os
telhados de Siena e sobre a campina verdejante que a rodeia é
A Piazza del
espetacular. Pode,
Campo, uma das
três mais belas
inclusivamente,
praças do mundo
ver-se o Duomo,
com a sua planta de
cruz latina e as suas
três naves, construído entre os séculos XII e XIII sobre um
antigo edifício, com as fachadas de mármore
branco, verde e vermelho, e a rosácea rodeada
por bustos de patriarcas. Junto ao Duomo,
avistam-se o Batistério, de mármore branco,
e o Ospedale di Santa Maria della Scala, com
uma bela fachada e adornado com frescos.
«Siena é um lugar que, mais do que qualquer outro, pode abrir-te o coração», reza a
frase escrita sobre uma antiga inscrição da
Porta Camollia. E é verdade: Siena tem um
rico património artístico, com monumentos, igrejas e palácios aristocráticos que não
podem perder-se. L
47
L
Em foco
Sabores da toscânia
oito dias de Florença
a Siena
A imagem clássica da Toscânia é caracterizada
pelas verdes colinas que atravessam bonitas
cidades medievais, extensos campos de vinhas,
oliveiras e girassóis, estradas onduladas que
atravessam todo este deslumbrante cenário
panorâmico. Em suma, uma paisagem única, que
atrai inúmeros visitantes de todas as partes
do mundo, fascinados pela natureza, beleza e
tranquilidade desta região.
A Toscânia foi um importante centro comercial
durante a Antiguidade e Idade Média, fazendo
parte do Império Romano. Daí vem a grande
variedade e quantidade de magníficas
construções que se podem observar em todas
as cidades da região. Igrejas, museus, edifícios
públicos e bibliotecas em estilo Renascentista
ou Gótico, entre outros, um verdadeiro tesouro
da civilização antiga.
Entre as cidades mais famosas da região
encontramos Florença, capital da região e
com uma atmosfera romântica que encanta
qualquer um; Siena, antiga rival de Florença,
que disputava o título de centro das artes e
da cultura italiana, e Pisa, famosa pela sua
torre com o mesmo nome. Seja qual for a sua
preferida, não deixe de as conhecer todas, pois
cada uma tem a sua beleza particular e tornarão
a sua viagem inesquecível.
▶▶Dia 1: Florença – Bem-vindo a Florença!
Check-in no hotel e tarde livre para visitar a
cidade com ou sem o grupo (opcional).
▶▶Dias 2-3: Florença – Berço do Renascimento,
lar de uma quantidade incrível de magníficos
tesouros arquitetónicos, Florença é uma cidade
de visita obrigatória, também famosa pela sua
culinária e vinhos finos. Começará a sua visita
a Florença com um passeio de orientação e, já
de noite, visitará a Piazzale Michelangelo, para
admirar as vistas de Florença sobre o glorioso
Arno. No dia 3, deixamos a cidade e viajamos de
autocarro para Chianti, onde vamos desfrutar
de um curto passeio para admirar a paisagem
toscana, seguido de um almoço leve e de uma
prova de vinhos de produção local.
▶▶Dias 4-5: Lucca – Na manhã do dia 4,
começamos com uma visita ao fascinante
mercado, para ver, cheirar e saborear algumas
das mais famosas iguarias da Toscânia. De
seguida, viajamos de comboio para a pequena
e encantadora cidade medieval de Lucca.
Com as suas ruas estreitas pedestres, igrejas
e paredes em mármore branco, Lucca é uma
delícia para passear. As famosas muralhas da
cidade, construídas em 1555, permanecem
completamente intactas e possuem uma circular
pedestre com 4,3 km, com uma magnífica vista
sobre a cidade e a paisagem circundante. No
dia 5, aproveitaremos ao máximo o passeio
48
Um dos muitos restaurantes agradáveis de Volterra, popular destino (em cima). Entrada para
a Piazza Anfiteatro, em Lucca (em baixo)
de bicicleta para percorrer a totalidade das
muralhas da cidade (cerca de 4,5 km). Outras
atrações de Lucca incluem a Catedral de
San Martino, o marco Torre Guinigi, com a
sua posição de comando e vista para toda a
cidade, e, claro, a oportunidade de assistir a um
concerto de Puccini. Lucca foi o berço do famoso
compositor e há concertos regulares das suas
árias mais famosas, que podem ser apreciados
durante todo o ano.
▶▶Dias 6-7: Siena – Durante a manhã, viagem
de comboio para Pisa, onde guardaremos a
bagagem, de modo a dar um passeio pela cidade
e ver a famosa Torre inclinada, a Catedral e o
Batistério. À tarde, continuaremos a viagem com
destino a Siena, onde fará um breve passeio
de orientação a pé, com o líder do grupo, e
descobrirá a cidade de tijolos vermelhos com a
sua bela e impressionante torre de arquitetura
gótica. No dia 7, terá tempo para explorar Siena,
visitar a Catedral, a Piazza ou passear pelas ruas
e relaxar numa esplanada.
▶▶Dia 8: Siena – Após o pequeno-almoço no
hotel, fim da viagem!
▶▶Válido para partidas: 2 de maio, 9 e 16 de
junho, 21 e 28 de julho, 18 e 25 de agosto, 29 de
setembro e 6 de outubro de 2012.
▶▶Preço por pessoa em duplo desde € 1225.
▶▶Inclui: Caminhada de orientação, em Florença
• Viagem de um dia a Chianti, com almoço
e degustação de vinhos • Visita à Piazzale
Michelangelo • Passeio de bicicleta em Lucca
• Visita de Pisa • Caminhada de orientação em
Siena • 7 pequenos-almoços, 1 almoço (Chianti)
• 7 noites em hotéis Comfort • Transportes
(autocarro, comboio, a pé) • Guia experiente e
grupo pequeno entre 10-15 participantes
• Seguro de viagem.
▶▶Não inclui: Passagem aérea internacional
• Despesas de caráter pessoal e quaisquer
serviços não mencionados como incluídos • Taxa
de serviço (€ 15/reserva).
▶▶Preço exclusivo para portadores do cartão
Caixa Activa, se adquirido em qualquer balcão da
agência de viagens Tagus, não acumulável com
outras campanhas ou benefícios.
guia para o viajante
Como chegar
Existe uma oferta alargada de voos de
Portugal para Itália, nomeadamente com
várias carreiras diárias para Milão (TAP,
Lufthansa e EasyJet), de onde se pode
depois partir para explorar, de carro,
diversas regiões italianas.
Que comprar
A Toscânia é uma terra de artesãos hábeis
e imaginativos. A região é conhecida
pelas suas cerâmicas: vasos, louças,
esculturas e joias.
O que comer
A cozinha toscana, de origem campestre,
baseia-se em produtos genuínos,
como o azeite, a carne e os enchidos,
acompanhados de pão sem sal, o peixe e
os queijos, entre os quais se destacam o
ricota e os pecorini. Entre as sobremesas,
os cantucci e o panforte de Siena. O pão
é rústico, cozido em forno de lenha e sem
sal, para combinar melhor com os fortes
sabores toscanos. O pecorino, elaborado
segundo antigas tradições, é muito
famoso.
A Toscânia é igualmente conhecida pelos
seus vinhos: o Montalcino (rosé e tinto) é
o mais famoso; o Chianti é também desta
região.
Onde comer
Em Florença
Cammillo Trattoria
Borgo San Jacopo, 57/r
Tel.: +39 055 212 427
Cozinha italiana e marisco.
O atendimento é simpático e contribui
para a boa experiência.
Em Lucca
Bucadisantantonio
Via della Cervia, 3
Tel.: +39 058 355 881
Pratos regionais muito variados.
É o restaurante mais famoso
da cidade.
Em Siena
Osteria Le Logge
Via del Porrione, 33
Tel.: +39 057 748 013
Decorado principalmente com
madeiras e mármores, oferece um
ambiente requintado e pratos muito
elaborados com os melhores produtos
toscanos.
Contactos
Agência Nacional do Turismo Italiano
(ENIT)
Av. 5 de Outubro, 95, 6.º, Lisboa
Tel.: 217 935 513
www.enit.it
Turismo da Toscânia
www.turismo.toscana.it
Regione Toscana
www.regione.toscana.it
Antica Trattoria da Tito
Via S. Gallo, 112/r
Tel.: +39 055 472 475
Pratos tradicionais desde 1913. É, aliás,
uma das mesas mais tradicionais
da cidade.
Receba com o cartão Caixa Activa
Com o cartão de crédito Caixa Activa (1) poupa ao efetuar as suas compras do
dia a dia, reforçando automaticamente uma conta poupança (Conta Poupança
Caixa Activa ou Conta Poupança Reformado) até 3% do valor das compras de
montante igual ou superior a € 35, no máximo de € 120 por trimestre.
Assim, imaginando que adquiria uma viagem da Tagus (ver pág. 48) com o
cartão Caixa Activa, por € 1225, recebia automaticamente na sua conta de
poupança 1% desse valor, ou seja, cerca de € 12,25. Mas, na eventualidade
de adquirir duas viagens com este cartão, o que perfaz um total de € 2450,
já receberia cerca de € 36,75 (1,5% do valor gasto). E caso adquirisse três
viagens (€ 3675), acedia ao plafond de 3% de cashback (mínimo de € 3600
por trimestre), recebendo, assim, € 110,25. É caso para dizer: ao utilizar o
seu cartão, está também a poupar.
Conheça em detalhe a funcionalidade de cashback do cartão Caixa Activa
em www.cgd.pt.
(1)
TAEG de 22,2%, para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12
meses, à TAN de 20,75%.
49
L
Fugas
Alentejo de planícies
Entre vastas planícies, serras e praias no seu estado mais puro e ainda selvagem,
além de um vasto património cultural, há muito por onde se deixar ficar no
Alentejo, terra de gente afável e calorosa, boa comida e bom vinho
helena estevens
E
ntre o rio Tejo e o Algarve, esconde-se
o Alentejo, uma inesgotável caixinha de
surpresas, deleitando os seus visitantes
a cada passagem. Estendendo-se ao longo de um terço do território nacional, esta extensa
região, escassamente povoada, alberga algumas
das mais bonitas paisagens de Portugal, para o que
muito contribuem os contrastes naturais e um riquíssimo património arqueológico, arquitetónico e
etnográfico. E, claro, os seus habitantes, mestres na
arte de bem receber e acarinhar quem por lá passa.
Desfrutar desta região, saboreando com calma, minuto a minuto, as inúmeras experiências que aqui
lhe são oferecidas, é descobrir a magia que aqui,
definitivamente, se esconde em todos os lugares.
Paisagens inesquecíveis, numa cacofonia de tons e
Distâncias entre
algumas das cidades
do Alentejo
Início
Évora
texturas, que parecem multiplicar-se e desdobrar-se ao ritmo do movimento do Sol, redobrando o
encanto sob a luz da Lua e o brilho das estrelas nas
noites quentes de verão. Praias de beleza selvagem,
rios, golfinhos e muitas piscinas apelam ao prazer
e descontração quando as temperaturas sobem;
campos de girassóis, vinhas, sobreiros e oliveiras
desafiam a longos passeios a pé ou de bicicleta; Rotas
dos Vinhos, dos Frescos ou do Mármore convidam
à descoberta de arte, artesanato e heranças do passado. É assim o Alentejo, um lugar onde é preciso
deixar-se envolver pelo seu charme. E apreciar a
sua gastronomia, excelente. Pão, queijo, enchidos
e vinho são um bom ponto de partida, a anunciar as
sopas ricas, os pratos de porco e borrego, as migas e
açordas e os doces, verdadeiras tentações. L
56 km
Borba
57 km
Arraiolos
No globo
sedução
e magia
Entre serra e mar, albufeiras,
rios e campos, esconde-se
uma região de vasta riqueza
natural e legado histórico-cultural, que conferiram ao
Alentejo um caráter único.
Do Património Mundial da
cidade de Évora ao casario
branco e florido de Castelo
de Vide e Marvão, passando
pelos vinhos de Borba e
pelos afamados tapetes de
Arroiolos, ao Parque Natural
de São Mamede, as opções são
muitas. Venha conhecê-las!
96 km
Portalegre
20 km
borba
Évora
Património da Humanidade,
é de paragem incontornável.
Do Paleolítico à passagem
dos romanos, sem esquecer
as ruas medievais, igrejas
monumentais, casas brancas
e praças históricas, é vasto o
legado arquitetónico e artístico
e inúmeros os convites para
partir à sua descoberta. Deixe-se perder pelo Templo Romano,
a Catedral de Santa Maria,
a Igreja de S. Francisco e a
50
Capela dos Ossos, a Ermida
de S. Brás, o mirante da Casa
Cordovil, a Universidade,
cujos alunos se misturam
alegremente entre turistas e
residentes, a Praça do Giraldo, a
Judiaria ou, a 13 km, o Recinto
Megalítico dos Almendres.
Imperdíveis, também, os aromas
e sabores tradicionais, que
aqui convidam a desfrutar com
calma; das sopas de tomate ou
cação às sobremesas, difícil é
dizer «basta!».
Terra de bom vinho e gastronomia
famosa – é impossível resistir aos
queijos, enchidos, azeite e pão da
região –, não estranha que Borba se
tenha especializado na arte de bem
receber. À chegada, a paisagem de
montados, olivais e vinhas dá as boas-vindas a quem a visita e, rapidamente,
somos seduzidos pela alvura desta vila,
fruto da riqueza do mármore que ali se
deixa ver com todo o esplendor. Aprecie
a Igreja Matriz, a Capela do Senhor
Jesus dos Aflitos ou as Capelas de
Santo António e de São Sebastião, bem
como as casas senhoriais, a Fonte das
Bicas ou o chafariz. Por tudo isto, a vila
merece bem a viagem e, se possível,
uma estada.
arraiolos
Famosa pelos tapetes
bordados, Arraiolos
delicia quem por lá passa,
recomendando-se começar pelo
centro histórico, com casas
tipicamente alentejanas. Parta
à descoberta do Castelo (início
do século XIII), um dos únicos
circulares do mundo, e depois
rume até à Pousada de Nossa
Senhora da Assunção, à Igreja
Matriz e à da Misericórdia e ao
Palácio da Sempre Noiva. Como
recordação, conta com tapetes
e artesanato em barro e cortiça.
Empadas de massa tenra e
pastéis de toucinho, migas e
açordas, entre outros sabores,
são bons e recomendam-se.
guia para o viajante
Como chegar
Há uma boa rede viária,
com acesso rápido através
de autoestradas e itinerários
principais. Na região, deve
optar-se pelas estradas
secundárias e municipais,
para desfrutar do percurso.
Onde comer
Não faltam boas opções.
Moura com o lago ali ao lado
Fialho
A dois passos da serra da Adiça, a cidade de Moura, com ruas de
casas caiadas de branco, é ideal para descobrir o Alentejo. No alto,
o Castelo é estratégico para se observar o movimento da cidade
e alguns monumentos dignos de referência, como a Igreja Matriz,
a de Nossa Senhora do Carmo ou a de São Francisco. E, claro, o
Museu do Azeite.
Ali pertinho, na Barragem do Alqueva, pode alugar um barco e
passear nas águas do Grande Lago. Para os mais aventureiros,
alugam-se caiaques e canoas, algumas com motor. Inesquecível, no
entanto, é alugar um dos barcos-casa, na Marina da Amieira, e não
só navegar no Grande Lago como aportar e dormir sob as estrelas.
Castelo de Vide
198 km
Moura
castelo de vide
Fim
História e tradição fundem-se nesta vila romântica, de
jardins magníficos, vegetação
abundante e clima ameno,
conhecida como a Sintra do
Alentejo. Deambule pelas suas
ruas, aprecie a sua arquitetura,
os solares oitocentistas, os
portais góticos, as igrejas,
portalegre
a Sinagoga e a Judiaria.
Graciosidade é talvez a palavra que
Experimente a água que brota
melhor define esta cidade, a começar
das suas fontes, o vinho e os
pelas ruas estreitas, fachadas históricas, muitos licores, bem como a
algumas do Barroco e do Renascimento,
gastronomia local, com iguarias
casas senhoriais e palacetes. Vale a pena de deixar água na boca.
os Paços do Concelho, entre as torres
Se gosta de aves, eis um
e as muralhas do Castelo medieval, a
destino ornitológico muito
Catedral, o Convento de S. Bernardo,
interessante.
a Igreja de S. Francisco ou o Mosteiro,
e não parta sem passar pelo Museu
de Tapeçaria, com obras de Almada
Negreiros, Júlio Pomar, Maria Keil e Vieira
da Silva. E jamais sem provar umas das
inúmeras iguarias conventuais, ou não
tivesse sido Portalegre conhecida como
a Cidade dos Sete Conventos. O Parque
Natural de São Mamede é também uma
boa aposta.
Travessa dos Mascarenhas,
16, Évora
Tel.: 266 703 079
Petiscos, e não só: espargos
bravos com ovos, cação de
coentrada, perdiz à Convento
da Cartuxa ou torrão real de
Évora, entre outros.
O Espiga
Rua 13 de Janeiro, Borba
Tel.: 268 894 244
Ambiente familiar e boa
comida alentejana, com
destaque para o bacalhau à Zé
do Pipo, o assado de borrego e
as migas com carne frita.
O Álvaro
Largo Simão Manuel
Redondo, 8, Urra
Tel.: 245 382 283
A excelência nos petiscos e
pratos típicos da região, sem
esquecer a doçaria conventual
e os vinhos alentejanos.
Aconselha-se a reserva prévia.
O Miradouro
Av. da Europa, EN 246,
Castelo de Vide
Tel.: 245 919 270
Enchidos, bacalhau com
coentros, sopa de perdiz
na panela ou sericaia
já lhe renderam fãs
incondicionais.
Contactos
Turismo do Alentejo
www.visitalentejo.pt
O paraíso num local mágico
A Caixa, em parceria com a Tagus, apresenta-lhe a proposta perfeita
para conhecer o Alentejo. O Imani Country House é o mais recente petit
hotel do Alentejo. Em nove meses de atividade, conta já com o prémio
de Melhor Unidade Hoteleira do Alentejo, na categoria Mais Dormidas,
atribuído pela revista Mais Alentejo, tendo um invejável percurso
mediático em publicações de referência nacionais e estrangeiras.
Conta com cinco suítes e dois quartos (alguns comunicantes, ideais
para famílias com crianças), duas piscinas, um restaurante e jardins
centenários, numa magnífica propriedade de 13 hectares cheios de
vida. Os quartos são únicos e inesquecíveis, pela sua arquitetura,
decoração ímpar e conforto extremo. Todos os quartos dispõem de
ar condicionado, tv, dvd, rádio, mp3 deck, terraço privativo, minibar
gourmet, free Wi-Fi e vista de jardim, sendo que as suítes têm lareira.
Pode, ainda, contar com o serviço de pequeno-almoço até ao meio-dia.
Inclui: quatro noites de alojamento com pequeno-almoço.
Não inclui: despesas de caráter pessoal e quaisquer serviços não
mencionados como incluídos. Taxa de serviço: € 15/reserva.
Preço por pessoa, em quarto duplo: desde € 193 (domingo a 5.a)
e € 221 euros (6.a e sábado, feriados e épocas festivas) (*)
(*)
Preço exclusivo para portadores do cartão Caixa Activa, se adquirido em qualquer
balcão da agência de viagens Tagus, não acumulável com outras campanhas ou
benefícios.
51
L
Prazeres
Um quarto com vista
sobre o mar
Situado na costa sul da ilha da Madeira, o CS Madeira
Atlantic Resort & Sea SPA beneficia de uma exclusiva
localização sobre o mar
Concebido num estilo contemporâneo e elegante, espaçoso e
moderno, com varandas com vista para o mar e para luxuriantes
jardins projetados ao pormenor, este resort, localizado perto do
Funchal, assegura uma estada divertida e relaxante inesquecível,
a começar, desde logo, pelo serviço de requinte disponibilizado
aos clientes. Os quartos e suítes possuem ar condicionado, cofre,
engomador de calças, minibar, chaleira, TV por cabo, video-on-demand, telefone, wireless e room service 24 horas.
Os restaurantes dispõem de uma oferta de especialidades locais
e internacionais, que garantem a satisfação dos paladares mais
apurados, independentemente de preferirem um petisco leve ou
uma refeição mais formal.
O resort dispõe, ainda, de um Sea SPA, que lhe oferece um
leque de experiências para a sua saúde e bem-estar sob a forma
de tratamentos e programas tão relaxantes quanto a vista que
espreita lá fora. Uma zona húmida e uma zona seca, num total
de 14 gabinetes de tratamentos e estética, zonas de relaxamento
e massagens, interiores e exteriores, servem de complemento à
área com piscina animada, jacuzzi, sauna, banho turco, duche
de contraste, duche vichy e duche escocês. A tudo isto acresce o
Lounge Zen, uma estação de chás e maçãs, onde podem, também,
ser tomadas refeições ligeiras, diversos tipos de águas e sumos
naturais. L
estética à mesa
Enquanto não são anunciados os vencedores do concurso
de 2012, aqui estão quatro mesas que foram distinguidas
com um Red Dot Design Award – http://en.red-dot.org – na edição
do ano passado. Além do design, a versatilidade é a palavra de
ordem, transversal a todos os modelos.
Tadeo
spirit 1
Desenhada pelo estúdio austríaco
EOOS, a Tadeo, da Walter Knoll,
foi pensada para as grandes
reuniões familiares. O tampo da
mesa, em madeira maciça, que
permite ser ampliado, transmite
a ideia de solidez. A estabilidade
do conjunto foi também um dos
elementos tidos em conta no
projeto. A marca alemã propõe
diversas possibilidades, com e sem
o mecanismo de extensão, com
base em madeira ou alumínio.
A estética é o grande argumento
numa mesa que combina um tampo
em madeira com um elemento em
vidro que o suporta, transmitindo
a sensação de que a Spirit 1
flutua. Destaca-se, também,
pelo contraste de materiais e
pelo inteligente sistema pull-out,
que permite ampliar o espaço
disponível. Uma mesa marcante,
com design inovador e uma
incrível capacidade de modernizar
qualquer divisão da casa.
Walter Knoll
Voglauer Möbelwerk
Coordenadas GPS Lat.: 32.6379810432 N Long.: 16.9286192018 W
Telefone 291 717 700 Internet www.cshotelsandresorts.com
Kolumbus K 1492/E
table b
A marca alemã tem no seu
portefólio mesas com úteis,
diversos e curiosos mecanismos,
que permitem, por exemplo,
esconder talheres ou ampliar
o tampo sem perder as suas
características essenciais ao nível
estético. Neste modelo específico
foi o inteligente mecanismo de
extensão que convenceu o júri do
Red Dot Design Award. Tampo
e suportes estão disponíveis em
diversas cores e materiais.
Criada por Konstantin Grcic para
a BD Barcelona, tem uma forma
que se assemelha à asa de um
avião. Inspirado pelos sistemas
de prateleiras criados por Lluís
Clotet e Óscar Tusquets, em 1979,
o designer alemão assinou uma
mesa leve, com tampo em alumínio
e um perfil distinto. Apesar de o
look indiciar alguma simplicidade,
o projeto foi tão complexo
que obrigou à participação de
experientes engenheiros.
Ronald Schmitt
52
BD Barcelona
C
Notícias
Notícias CGD
Extrato digital
Em baixo, José Estabill
(MIT), José Furtado
e Walter Palma (Caixa Capital).
À direita, entrega do prémio aos
vencedores do projeto Musikki
Menos papel, melhor serviço.
Caixa Empreender + Awards
Portugal Venture Competition
Final da segunda edição serve de mote ao balanço de uma iniciativa
que soma já mais de 4,3 milhões de euros e um total de 75 empregos
O dia 28 de fevereiro foi a data escolhida para a
final da edição de 2012 da ISCTE-IUL MIT-Portugal Venture Competition, uma iniciativa do
ISCTE e da Caixa Capital, em parceria com o MIT-Portugal, que procura impulsionar projetos de
cariz tecnológico com forte componente inovadora
e potencial para abarcar mercados globais.
Foi um dia em cheio e para mais tarde recordar,
em especial para os vencedores da edição, o
projeto Musikki (proveniente da categoria
Produtos e Serviços), que têm, agora, ainda
mais motivos para sonhar. E o mesmo dir-se-á
de tantos outros, a começar pelos restantes
finalistas: a MediaOmics (categoria Ciências
da Vida), a IS Green (Sistemas Sustentáveis de
Energia e Transporte) e a All Desk (Internet e
Sistemas de Informação).
E motivos para sonhar há de facto, a julgar
pelos dados da primeira edição da iniciativa, cuja
final faz agora um ano. Das 19 semifinalistas,
15 estão ativas e três têm já delegações
internacionais, duas nos EUA e uma no Reino
Unido. Desde então, o investimento angariado
pelas start-ups é superior a 4,3 milhões de
euros, podendo, ainda, ascender aos 5,4 milhões
de euros contratualizados. O financiamento
54
provém, na maioria (60%), de business angels,
operadores de capital de risco ou corporate
venturing, tendo já permitido a criação de 35
postos de trabalho altamente qualificados, num
total de 75 empregos.
Além do Caixa Empreender + Awards, que
atribui, entre outros, apoios financeiros até
um milhão de euros por ano para as quatro
start-ups vencedoras, os promotores dos negócios
beneficiaram de mais de 500 horas de formação
específica e coaching através de catalisadores de
negócio. A organização espera que, nos primeiros
cinco anos, na fase pós-prémio, os promotores
estejam em condições de efetuar rondas
subsequentes de investimento por empresa
entre dois e cinco milhões de euros.
São, pois, boas perspetivas, não só para as
start-ups da primeira edição, mas, também,
para aquelas que estiveram presentes no Grande
Auditório do ISCTE, no dia 28 de fevereiro, e que
puderam assistir a um conjunto de intervenções
inspiradoras, como as de Charles Cooney,
do Deshpande Center (EUA), Ilya Dubinsky,
do Skolkovo Institute (Rússia), e Soumodip
Sarkar, do Instituto de Investigação e Formação
Avançada, da Universidade de Évora. C
Os Clientes da Caixa Geral de
Depósitos que tenham aderido
ao serviço Caixadirecta on-line
(home banking) passam a receber
um extrato digital relativo aos
seus cartões (crédito e/ou débito
diferido), em substituição do envio
tradicional, mensal, do documento
impresso.
Em vigor desde março, no serviço
Caixadirecta on-line, trata-se
de uma medida, inserida no
programa de sustentabilidade da
Caixa, que pretende proteger o
ambiente, reduzindo o consumo
de papel. Desta forma, os Clientes
podem visualizar o seu extrato,
gravar, imprimir ou enviar por
e-mail, de forma cómoda, em
qualquer momento e com a
mesma qualidade de informação.
Os extratos estão disponíveis
para consulta durante 24 meses,
com a mesma periodicidade de
disponibilização do suporte físico.
Vantagens do extrato
em formato digital
• Rapidez: os documentos
estão disponíveis no Caixadirecta
on-line cerca de quatro dias antes
do extrato em papel, uma vez que
se poupa o tempo de distribuição
por correio;
• Comodidade: disponível quando
e onde o Cliente quiser. Pode
copiar, gravar ou imprimir os
extratos em qualquer momento;
• Segurança: total privacidade
no acesso à informação
financeira, evitando a violação de
correspondência bancária;
• Arquivo fácil: de acordo com
as preferências: no computador
ou em qualquer suporte digital,
evitando acumular papel;
• Ecológico: contribui para a
proteção do ambiente, através da
redução do consumo de papel e do
seu transporte.
Desde a origem, a Caixa integra a poupança na sua atuação
Conheça a Caixa Imobiliário
A Caixa Imobiliário é uma
empresa do Grupo CGD que atua
nas áreas de comercialização de
imóveis. Com uma equipa sempre
disponível, a Caixa Imobiliário
disponibiliza uma vasta carteira
de imóveis do Grupo, seja
para venda ou arrendamento,
em condições competitivas,
permanentemente ajustadas por
métodos criteriosos de avaliação
e sustentadas nos indicadores
atuais do mercado imobiliário.
Através da CGD, tem acesso
a condições de financiamento
privilegiadas (1):
• 100% do valor de aquisição,
até ao valor de avaliação;
• Aquisição para habitação
própria permanente ou
secundária, ou obras, em
simultâneo, na mesma habitação;
• Taxa anual fixa de 2,75% ao
ano, sem adição de spread, nos
primeiros três anos;
• Bonificação de 1% no spread,
no prazo remanescente; para
Clientes com cartão de débito
e crédito, Caixadirecta e
domiciliação de rendimentos;
• Prazo até 45 anos;
• Dispensa de avaliação e de
encargos inerentes;
• Isenção de comissão de estudo;
• Dispensa de realização dos
registos provisórios;
• Oferta do serviço de
Documentos Habitação.
Esta oferta é válida para
propostas recebidas até 31
de maio e escrituradas até 30
de junho de 2012. Para mais
informações, consulte a sua
Agência.
Além disso, a Caixa Imobiliário
oferece-lhe um ponto por cada
euro de investimento, que
poderá trocar por packs de
produtos para rechear a sua
casa. Esta campanha é válida
para as frações habitacionais
em venda, exceto em leilões, e
destina-se a pessoas singulares
e imóveis para habitação,
não sendo acumulável com
outras promoções. Consulte o
regulamento desta campanha em
www.caixaimobiliario.pt, onde,
certamente, encontrará a casa
que procura.
TAE de 6,579%; TAER de
6,632%, calculadas com base
numa Taxa Fixa a 3 anos no valor de
2,75%. A partir do 4.º ano, a taxa
será indexada à média mensal da
Euribor 6M, em fevereiro de 2012,
(1)
arredondada à milésima, acrescida de
4,45% de spread. Exemplo para um
financiamento de € 75 000,
a 45 anos, valor de avaliação de
€ 75 000, Cliente com 30 anos, com
detenção dos seguintes produtos:
cartão de débito, cartão de crédito,
Caixadirecta, domiciliação de
rendimentos. Inclui comissões do
Banco e Seguro de Vida e Multirriscos
numa seguradora do Grupo Caixa.
Comissão por reembolso antecipado,
parcial ou total, 2% do capital
reembolsado durante o período de
taxa fixa e 0,5% durante o período de
taxa variável. Para mais informações,
consulte a sua Agência.
PAPExperience
Inove e ofereça um presente com futuro
Adquira o kit PAPEXPERIENCE numa
Agência da Caixa ou encomende-o na loja do
Caixadirecta on-line e receba-o comodamente
em sua casa. Por € 25, o seu presente
incluirá:
• € 25 para abrir ou reforçar uma conta de
poupança;
• € 25 adicionais oferecidos pela Caixa
para uma nova domiciliação de rendimentos
(salário, pensão ou reforma, no mínimo
de € 500 líquidos) ou reforço/constituição
de uma poupança a um ano, com um montante
mínimo de € 1000 vindo de outra instituição
de crédito;
• Acesso a nove mecanismos de poupança
automática;
• € 10 suplementares oferecidos aos 20 mil
Clientes da Caixa que mais poupem através
do mecanismo de arredondamento
de cartões da Caixa. Válido para os extratos
de dezembro de 2011 a março de 2012
com um arredondamento mínimo de € 75
e para os extratos de abril a outubro de 2012
com um arredondamento mínimo de € 125.
Para conhecer todos os detalhes
do PAPEXPERIENCE, contacte o seu Gestor
Dedicado ou consulte o site www.cgd.pt
e aproveite para conhecer toda a campanha
PAP em https://www.cgd.pt/Particulares/
Futuro/PAP/Pages/Plano-AutomaticoPoupanca.aspx.
Poupar na Caixa é automático. Com certeza.
55
C
A
Agenda
Sustentabilidade
Caixa atenta ao mar
Conhecedora das potencialidades que se escondem para lá do recorte da costa portuguesa,
a Caixa Geral de Depósitos continua a promover o debate sobre o re-encontro de Portugal
com a cultura e a economia do mar
Álvaro Santos Pereira, ministro
da Economia; ao centro, Durão Barroso,
presidente da Comissão Europeia;
à direita, o painel de oradores
É
um recurso, uma oportunidade e,
acima de tudo, um desígnio. Para
Portugal, o mar representa – ou deve representar – uma fonte de riqueza da qual há que retirar proventos, sempre numa perspetiva sustentável. Significa o
acarretar de uma vaga de projetos inovadores,
capazes de gerar negócios e atividades de e
para o futuro, assim como a determinação
conjunta de um povo que, com ou sem epopeias, se deseja lançado numa aposta consolidada na exploração do potencial que banha a
nossa costa. E representa-o, também, para a
Caixa, que, por estes motivos, há muito elegeu
como sua a missão de fomentar e congregar
esforços para a reaproximação entre o País e
as suas cultura e economia marítimas.
Em função desse renovado compromisso
com o mar, o Banco faz questão de manter e
até diversificar o apoio a iniciativas que coloquem as temáticas da cultura e economia
marítimas no topo da agenda nacional. Isso
mesmo aconteceu numa série de conferências
no final do ano passado, em cuja dinamização
e divulgação a CGD se envolveu diretamente.
Realizada a 25 de novembro, numa região
histórica, social e economicamente ligada às
atividades costeiras, a Conferência do Mar
2011, organizada pelo jornal Expresso e patrocinada pela Caixa, levou ao Hotel Palácio
Estoril uma fatia expressiva do tecido empresarial português, bem como representantes de
organizações e das autoridades competentes
com interesses nas áreas da economia do mar.
56
Num evento que surgiu na esteira da conferência organizada no ano anterior também pelo
semanário, as intervenções subordinaram-se
ao tema «Portugal, a Europa e o Mar: Uma
Estratégia para o Século XXI», pondo em evidência a importância estratégica deste setor
para o futuro, tanto no contexto interno como
no comunitário.
Entre muitos ilustres convidados, a lista
de oradores incluiu o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, o
ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira,
o secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto
de Abreu, o especialista em assuntos marítimos e consultor da Presidência da República
para os assuntos da Ciência, Ambiente e Mar,
Tiago Pitta e Cunha, e o vice-presidente da
Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos, António Nogueira Leite. Entre outras,
destacam-se as declarações do titular da pasta da Economia, apelando ao investimento
nas atividades portuárias, que «deve cair,
sobretudo, nas entidades privadas, cabendo
ao governo legislar», e as do presidente da
Comissão Europeia, apontando o mar como «um dos setores que nos pode ajudar a
libertar da crise».
Mais uma vez, contando com o apoio da
Caixa Geral de Depósitos, a 8 de novembro de
2011, foi a vez do BCSD Portugal realizar, na
Culturgest, a Conferência «Economia do Mar
– Sustentabilidade, Inovação e Valorização»,
apontando, igualmente, para a relevância de
uma aposta de longo prazo no setor. O en-
contro proporcionou uma abordagem geral
ao tema, fazendo incidir o foco da discussão
sobre as oportunidades geradas pela exploração sustentável dos recursos marítimos.
Um propósito alcançado com a reunião de
peritos e a apresentação de casos de sucesso
na dinamização marítima, que incidiram,
particularmente, sobre o empreendedorismo
e a criatividade na criação de novos negócios,
a importância da inovação e investigação e
formas de financiamento a projetos de investimento inerentes à economia do mar.
Finalmente, nos dias 28 e 29 de novembro, o Centro de Congressos de Lisboa
acolheu a Conferência do Atlântico, à qual
a CGD se associou com o Fórum Empresarial da Economia do Mar. Subordinado
ao tema «Economia e Ciência Marítimas
para um Desenvolvimento Sustentável da
Europa», o evento serviu de palco à discussão em torno da Estratégia Marítima
Europeia para a Área do Oceano Atlântico
e teve como propósito estimular o debate
entre representantes dos Estados membros da UE e das diferentes regiões, bem
como de empresários e empreendedores e
clusters da Ciência. Um dos pontos altos foi
a apresentação da Comunicação da Estratégia Marítima Europeia, com o objetivo de
produzir recomendações tendo em vista a
formação de uma rede denominada Fórum
do Atlântico e a aproximação dos Estados
vizinhos do Atlântico nos continentes africano e americano. C
Banco mais voluntário
Em prol do desenvolvimento sustentável e de uma sociedade melhor,
em 2011, os colaboradores da CGD mobilizaram-se em ações por todo
o País, que resultaram em mais de 33 mil horas de voluntariado
N
o encerramento de 2011 – Ano
Europeu do Voluntariado –, os
colaboradores da Caixa Geral de
Depósitos assumiram, com entusiasmo, os valores do voluntariado, ultrapassando, largamente, o desafio proposto das
20 mil horas de trabalho voluntário. Feitas as
contas, foram mais de 33 mil horas.
A Caixa promoveu e incentivou a participação dos seus colaboradores em ações solidárias
e de cidadania, no âmbito da proteção do meio
ambiente e na interação com as comunidades
onde atua, nomeadamente no apoio a cidadãos
carenciados e/ou debilitados.
As ações desenvolvidas contaram com a
participação ativa de centenas de colaboradores, familiares e amigos, confirmando que a
Caixa está consciente da sua importância para
o desenvolvimento sustentável da sociedade.
Isso passa, também, por um compromisso
de boas práticas e de ética no envolvimento
com a comunidade onde se insere, tanto na
esfera social como ambiental.
Além da ação de aniversário da CGD, que
mobilizou centenas de colaboradores por
todo o País, das ações de limpeza de praias e
de outras conjuntas com o Banco Alimentar
contra a Fome, contou-se, também, com a
valiosa participação do Grupo de Dadores
de Sangue dos Serviços Sociais da Caixa, da
ANAC – Associação Nacional dos Aposentados da Caixa, do Séniamor (Lisboa e Porto), dos Delegados dos Serviços Sociais e do
Banco do Tempo.
Face à boa recetividade de todos os que
participaram, ao longo do ano, nas diferentes
ações, tanto a nível pessoal como no reforço da cultura de empresa, e à adesão muito
positiva da comunidade, os colaboradores
da Caixa mantêm a responsabilidade de responder aos desafios que o desenvolvimento
sustentável da sociedade vier a colocar. C
Caixa distinguida em várias frentes
The New Economy e o Índice ACGE 2011 reconhecem o trabalho da CGD, ao nível da sustentabilidade
e da responsabilidade climática
A
CGD foi considerada o Grupo
Financeiro Mais Sustentável de
Portugal, em 2011, pela revista
internacional The New Economy.
A distinção surge no âmbito da iniciativa The
New Economy’s Sustainable Finance Awards,
que visa reconhecer as instituições financeiras
mundiais líderes na integração de critérios
sociais, ambientais e corporativos nas suas
operações.
Já o Índice ACGE deu à CGD, em 2011,
a liderança do setor financeiro e a segunda
posição, num total de 82 empresas com atividade em Portugal, de 14 setores diferentes.
Este Índice avalia a resposta das empresas
ao desafio das alterações climáticas e a uma
economia de baixo carbono e possibilita a comparação dos resultados das políticas de gestão
dos vários participantes, numa perspetiva de
competitividade e melhoria de desempenho, assumindo, também, uma dimensão de
sensibilização e informação pública.
A Caixa orgulha-se destes resultados, que
dão sequência a distinções anteriores, incluindo
o CDP Ibéria 2011, ranking internacional que
avalia o nível de compreensão e transparência
das empresas nas suas políticas de combate às
alterações climáticas, noticiado na última edição
da Caixa Activa. São resultados que refletem o
reconhecimento do mérito da atuação da Caixa e que a colocam como digna embaixadora
do setor financeiro português. O empenho e
as boas práticas ao nível da sustentabilidade e
da responsabilidade climáticas são, aliás, um
compromisso assumido pela CGD em benefício
das gerações atuais e futuras. C
57
C
Iniciativas
Bem-vindo
à maioridade
Pode-se envelhecer de muitas maneiras.
Envelhecemos um pouco como vivemos, mas podemos sempre
aprender a envelhecer bem e melhor. É este um dos objetivos
de 2012 Ano Europeu do Envelhecimento Ativo
e da Solidariedade entre Gerações
helena estevens
E
nvelhecer, envelhecemos todos, cada
um à sua maneira. «Não há uma só
forma de envelhecer. Envelhece-se
muito bem, bem, mais ou menos e
envelhece-se mal, o que depende um pouco da
forma como escolhemos fazê-lo. Uma coisa,
no entanto, é certa: é possível aprender-se
a envelhecer bem e melhor. Por isso, há que
começar com os mais novos. Com estilos de
vida saudáveis e uma forte componente afetiva,
apostando na família e nos amigos», diz Joaquina Madeira, coordenadora do Ano Europeu
do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade
entre Gerações. Acima de tudo, há que pensar que nunca é tarde demais para mudar e
adotar comportamentos saudáveis e alcançar
uma melhor qualidade de vida. Envelhecemos ativamente se vivermos ativamente e se
tivermos estilos de vida saudáveis, como é o
caso da alimentação, do exercício, da questão
emocional e afetiva, criando à nossa volta uma
rede de afetos.
Envelhece-se cada vez melhor, no oci­dente
e em Portugal, em particular. Não podemos
negar, no entanto, que se instalou uma cultura de individualismo e de indiferença, que
devemos combater. Com o sentimento de que
temos de educar a sociedade e criar laços de
solidariedade entre todos, porque todos precisamos de todos. É este sentimento que temos
de desenvolver, divulgando e trabalhando com
as pessoas.
58
Voltar a olhar pelos nossos
É para despertar esta consciência que este Ano
Europeu foi criado, mas também para dar mais
voz às carências existentes na sociedade, no cuidado e na atenção aos nossos concidadãos mais
velhos, que não têm os seus direitos garantidos.
Infelizmente, nem toda a gente pode, ainda,
ser feliz na sua velhice. Na sociedade atual, que
se concentra mais nas cidades, com o abandono dos campos, as pessoas tornaram-se mais
sós. A família alargada não é a dominante, ao
contrário das monoparentais e unipessoais,
sendo que 350 mil famílias unipessoais são
idosos. Vive-se e envelhece-se mais só. Para
contrariar esta tendência, tem de haver uma
maior aproximação às pessoas sós, com atitudes comunitárias, de consciência social e
responsabilidade coletiva, que começa, antes
de mais, com a família, que, em primeiro lugar,
é responsável pelos seus membros. Não raras
vezes, a própria família precisa de ajuda, daí
a necessidade de apoio a estas famílias e aos
seus membros. Temos, antes de mais, de olhar
pelos nossos, garantindo o seu bem-estar e
uma melhor qualidade de vida.
Já há boas práticas em andamento nesta
área. Escolas dos 1.º e 2.º ciclos já fazem esta
aproximação aos idosos, nos lares, através de
ateliers conjuntos, entre outras iniciativas, ou
seja, uma aproximação intergeracional que,
antes, se fazia nas famílias.
A agenda do trabalho social é, sobretudo,
Porque os 55 são só o princípio
«A realidade social portuguesa reflete,
hoje, uma população mais experiente
e ativa do que outrora, que cultiva o
conhecimento e a vitalidade com uma
maior exigência, mas também abertura
perante os desafios e prazeres da vida.»
Assim começava o editorial da primeira
edição da Caixa Activa, acrescentando
em seguida: «Acompanhar esta realidade
feita de experiências partilhadas, sonhos
por viver e de grandes desafios é, também,
um privilégio para a Caixa. Assim nasce a
Caixa Activa: um tributo a todos aqueles a
quem falta, ainda, fazer muito.»
E é de acordo com este entendimento
que a Caixa se posiciona junto desta
população, porque os 55 são só o princípio
e porque há, de facto, muito a fazer a
partir de então. E não têm sido poucos os
exemplos aqui apresentados de pessoas
reconhecidamente ativas, que fazem da
idade uma exigência para mais e melhores
experiências de vida: Simone de Oliveira,
Moniz Pereira, Ana Salazar, São José Lapa,
Jorge Salavisa, Madalena Marçal Grilo ou
Júlio Isidro são apenas alguns nomes.
As muitas iniciativas realizadas para este
público são outros dos exemplos desse
posicionamento. Pelo seu simbolismo, as
comemorações do Dia dos Avós ilustram
bem esse facto, mas outras houve ao longo
dos últimos anos (ver página 60).
É, pois, com regozijo que a Caixa vê o ano
de 2012 ser reconhecido como o Ano
Europeu do Envelhecimento Ativo e da
Solidariedade entre Gerações.
As cidades amigas
das pessoas idosas
Para ajudar as cidades, à medida que crescem
em tamanho e em número, a aproveitarem
mais das suas populações idosas, a
Organização Mundial de Saúde desenvolveu o
Guia Global das Cidades Amigas das Pessoas
Idosas.
Numa cidade amiga das pessoas idosas,
as políticas, os serviços, os cenários e as
estruturas apoiam as pessoas e permitem-lhes envelhecer ativamente, ao:
▶▶Reconhecer que as pessoas mais velhas representam
um alargado leque de capacidades e recursos;
▶▶Antecipar e dar respostas flexíveis às necessidades
e preferências relacionadas com o envelhecimento;
▶▶Respeitar as suas decisões e escolhas de estilo de
vida;
▶▶Proteger os mais vulneráveis; e
▶▶Promover a sua inclusão e contribuição em todos os
aspetos da vida comunitária.
Áreas a considerar numa cidade amiga do
idoso:
▶▶Participação social;
▶▶Respeito e inclusão social;
▶▶Participação cívica e emprego;
▶▶Comunicação e informação;
▶▶Apoio comunitário e serviços de saúde;
▶▶Espaços exteriores e edifícios;
▶▶Transportes;
▶▶Habitação.
Pode consultar o guia em
http://www.gulbenkian.pt/media/files/FTP_files/
pdfs/PGDesenvolvimentoHumano/ProjIdosos_
GuiaCidades2009.pdf.
Iniciativas
do Ano
Ações de caráter nacional e local.
Acontecimentos
▶▶Encontros e conferências;
▶▶Comunicação ao grande público;
▶▶Programa de comunicação europeu e a nível nacional.
Medidas com
continuidade
▶▶Preparar um quadro de prospetiva para
nos ajudar a preparar para a nova sociedade
que aí vem.
Ateliers
▶▶Kits pedagógicos para trabalho
intergeracional;
▶▶Microcrédito;
▶▶Ações de literacia;
▶▶Atividades nas escolas.
Mais informação em
http://europa.eu/ey2012/ey2012main.
jsp?langId=pt&catId=970.
co-operação e aproximação. «Não separar,
integrar, vivência comunitária. Respeito pela
diferença. Isto é o que é importante para criar
uma sociedade mais coesa e mais solidária»,
refere Joaquina Madeira.
O trabalho realizado pela Rede Social de
Desenvolvimento, que funciona no âmbito das
câmaras municipais, ligando as instituições
públicas e privadas, organizações, empresas
e organismos diversos pa­ra fazerem o planea­
mento social do concelho e terem uma visão
das necessidades e da intervenção requerida, é
essencial. O Ano Europeu quer assentar muito
nisso, numa tentativa de chegar aos capilares
do País, graças a esta rede, cuja ação pretende
aproveitar.
O Ano Europeu vai orientar o que existe. É
possível melhorar a vida de muitos idosos, dado já haver mobilização social em relação a esta
faixa etária. É possível sensibilizar as crianças e
os jovens para os problemas dos mais velhos e
juntá-los em projetos que os aproximem e to-
mar medidas no que diz respeito aos cuidados
e apoios aos idosos numa conjuntura difícil,
mas promissora quanto ao futuro.
Envelhecimento demográfico
Com a proporção de idosos a aumentar em
ritmo acelerado em relação aos jovens, e prevendo-se que, em 2025, o número de pessoas com mais de 60 anos duplique, temos
de nos preparar para uma nova sociedade
com envelhecimento demográfico, para uma
nova cidadania em que se aprende, estuda e
trabalha toda a vida, à exceção de quem tem
problemas de saúde. O Ano Europeu vem dizer
que a sociedade tem de se preparar para os
talentos e capacidades das pessoas. É o caso
das universidades de 3.ª idade, onde já existe
um novo paradigma de idosos, que aprendem
outras coisas, sobretudo, uns com os outros.
Estes espaços tornaram-se, assim, locais de
aprendizagem, mas também de convívio, de
lazer, de laços afetivos e companhia. C
59
C
Eventos
Convite à ação
Foram muitas as iniciativas promovidas pela Caixa, em 2011,
com o objetivo de reforçar a proximidade com os Clientes
com mais de 55 anos e com as suas famílias. Poupança, saúde
e convívio intergeracional foram alguns dos temas fortes
N
os dois últimos meses de 2011,
algumas Agências da Caixa foram
palco de uma série de workshops
designados como «Hora Poupança». A iniciativa pretendeu desmistificar
conceitos, promover a literacia financeira e
«reforçar a ideia de que é fundamental gerar e
manter poupanças», explicou Francisco Viana, diretor central de Comunicação e Marca
da CGD.
Por isso, as Agências dos Restauradores
(Lisboa), Torres Novas, Leiria, Águeda, Vila
Nova de Gaia, Barcelos, Valongo e Central da
Amadora abriram as suas portas para receber
algumas centenas de Clientes, no total das
iniciativas. No geral, os Clientes manifestaram
grande interesse na promoção deste tipo de
ações, salientando a pertinência dos esclarecimentos e a qualidade do atendimento da Caixa.
De realçar que o kit PAPExperience – uma
oferta com futuro, que tem por objetivo incentivar à poupança – foi lançado nestes
workshops, tendo constituído um sucesso, até
pela aproximação da época natalícia (ver página 55). Por tudo isto, os Clientes salientaram o
facto de a Caixa se diferenciar pela sua atuação
no mercado de uma forma responsável.
Celebrações diferentes
Estas iniciativas dão sequência a outras igualmente dedicadas a este público. Foi o caso da
comemoração do Dia Mundial dos Avós, a 26
de julho, mote para um convite feito a alguns
Clientes avós para visitarem o Museu do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB) de
Lisboa, juntamente com os seus netos. Além
do convívio, estas iniciativas reforçam o relacionamento entre as diferentes gerações, algo
de grande importância para o desenvolvimento
social das crianças e da família. Precisamente
por isso, o dia fora já assinalado em 2010, com
um passeio entre avós e netos em autocarros
turísticos pelo centro histórico de diversas
cidades portuguesas.
60
Comemoração
do Dia Mundial dos
Avós, no Museu
do Regimento de
Sapadores Bombeiros
de Lisboa. Em
cima: workshop de
Poupança, na Agência
Central da Amadora
Desta vez, a ideia foi celebrar o dia, associando-o à comemoração do Ano Internacional
da Floresta, daí o convite para uma visita ao
Museu do RSB de Lisboa. Avós e netos ficaram
a conhecer a história dos bombeiros e receberam informação sobre a prevenção de fogos
e outros incidentes do dia a dia, assim como
combatê-los. Tudo de uma forma lúdica, mas
também didática.
Entre as iniciativas promovidas, contam-se, ainda, rastreios cardiovasculares e vários
workshops sobre literacia financeira e digital,
temas incontornáveis nos tempos atuais. Aliás,
a literacia financeira e a gestão das finanças
pessoais são já uma preocupação de longa data
da Caixa, algo que se reflete no portal Saldo
Positivo (www.saldopositivo.cgd.pt), um site
da CGD dedicado a este tema.
E mais esperam por si este ano. Visite o
portal Caixa Activa, disponível através do site
da Caixa (www.cgd.pt), e conheça as próximas
iniciativas, para si que tem mais de 55 anos. C
Dicas positivas
C
fornecimento de gás natural e eletricidade, que o consumo se destine
exclusivamente a uso doméstico
em habitação permanente, no caso
da eletricidade, a potência contratada não ultrapasse 4,6 KVA e, no
caso do gás natural, o consumo
não ultrapasse 500 m3 por ano.
Como solicitar a
aplicação dos apoios?
O pedido terá de ser fei­to junto dos
fornecedores de ele­tricidade ou gás
natural. Em função do pedido do
cliente, os for­necedores verificam
junto da Segurança Social a sua
elegibilidade para o apoio.
Descontar com energia
Com as taxas da eletricidade e do gás natural a subir, quem tem
baixos rendimentos pode fazer descer a sua conta apostando
no Desconto Social para a Energia
D
iz-se que quem conta
um conto acrescenta-lhe um ponto. Mas
quando se trata de fazer
contas às contas com que temos de
contar todos os meses, o importan­te
é subtrair e economizar em todos os
pontos do orçamento, se possível.
E quando se trata de fazer contas à
fatura energética, o conto é o mes­
mo: era uma vez as contas da eletricidade e do gás natural que voltaram
a aumentar, devido à subida do IVA
de 6% para 23%. Moral da história?
Procure poupar se tiver de pagar.
Porém, há boas notícias para
quem tem menores rendimentos:
pode já contar com apoios que permitem um desconto nas faturas da
eletricidade e do gás natural.
Que apoios são esses?
À Tarifa Social da Eletricidade e à
Tarifa Social do Gás Natural junta-se o Apoio Social Extraordinário ao
Consumidor de Energia, justi­ficado
pela alteração da taxa do IVA aplicada aos consumos de gás natural
e eletricidade que subiu de 6% para 23%. Estes apoios traduzem-se
num desconto em ambas as faturas
energéticas para clientes em situa­
Cartão Caixa Gold
Para maximizar a sua
poupança, usufrua das
vantagens do cartão de
crédito (1) Caixa Gold.
Primeiro, ative a função de arredondamento,
através do Caixadirecta telefone ou numa Agência
da Caixa, e escolha um dos três métodos de
arredondamento (ver quadro). Assim, sempre
que efetuar compras com o seu cartão, beneficia
do arredondamento das compras realizadas,
revertendo o remanescente automaticamente
para uma conta de poupança à sua escolha. Além
disso, beneficiará de um programa de pontos para
obtenção de descontos nas agências de viagens
da Tagus, vantagens em vários parceiros e um
completo pacote de seguros.
ção de carência económica e são fixados todos os anos pelo governo.
Quem beneficia deles?
Pode beneficiar destes descontos
quem recebe complemento solidário para idosos, rendimento
social de inserção, subsídio social
de desemprego, abono de família
para crianças e jovens no 1.º escalão ou pensão social de invalidez,
desde que titular do contrato de
quem tem menores
rendimentos pode
contar com apoios
Quanto se abate
nas faturas ?
Cada apoio representa um descon­to
diferente. A Tarifa Social da Ele­
tricidade corresponde a um desconto de € 0,17 por kilowatt de
potência contratada, ao passo que
a Tarifa Social do Gás Natural pressupõe um desconto de 13% na tarifa
de acesso (cerca de 6% do to­tal da
fatura). Quanto ao Apoio Social
Extraordinário ao Consumidor de
Energia, trata-se de um desconto
de 13,8% nas faturas do gás natural
e da eletricidade, excluindo IVA e
outros impostos, contribuições e
taxas aplicadas. Todo os apoios são
acumuláveis entre si. Saiba mais em
www.saldopositivo.cgd.pt. C
Exemplos dos métodos de arredondamento
Valor da compra
(1)
Arredondamento
(2)
Valor-base de
poupança (3)
Valor a transferir
para a poupança
A) Arredondamento do valor de cada
compra ao valor unitário superior
€ 6,43
€ 7,00
Não aplicável
€ 0,57
(2) - (1)
B) Arredondamento do valor de
cada compra ao valor unitário
inferior, acrescido de um valor-base de poupança à escolha (€ 5,
€ 10, € 15, € 20 ou € 25). Exemplo
partindo de um valor-base de
poupança de € 5
€ 37,50
€ 37,00
€ 5,00
€ 4,50
((2) + (3)) - (1)
C) Arredondamento do valor de
cada compra ao valor unitário
superior, acrescido de um valor-base de poupança à escolha (€ 5,
€ 10, € 15, € 20 ou € 25). Exemplo
partindo de um valor-base de
poupança de € 5
€ 37,50
€ 38,00
€ 5,00
€ 5,50
((2) + (3)) - (1)
(1)
TAEG de 27,3%, para um montante de 2500 euros, com reembolso a 12 meses, à TAN de 20,75%.
61
C
Finanças
Cartões Caixa Activa
Conheça as vantagens destes cartões, porque, com a Caixa, os 55 anos são só o princípio
O
s cartões de débito diferido e de crédito (1) Caixa Activa
são ideais para si, que tem mais de 55 anos. Com estes
cartões, pode aceder a um universo de vantagens, ao
mesmo tempo que aumenta a sua poupança.
O cartão de débito diferido Caixa Activa está isento de anuidade se
domiciliar a sua reforma ou pensão na Caixa e conta, ainda, com um
pacote de seguros de Gastos Abusivos e o acesso exclusivo a vantagens
em muitos parceiros.
Com a adesão a este cartão, pode movimentar a sua conta em
Portugal e no estrangeiro e diferir, gratuitamente, o pagamento das
compras entre 10 e 40 dias, estipulando uma data fixa para o fazer,
até um limite de crédito previamente definido.
Já o cartão de crédito Caixa Activa (1) tem um programa de cashback
associado de até 3%, que, quando o utilizar nas suas compras de valor
igual ou superior a 35 euros, lhe devolve para a conta de poupança
um máximo de 120 euros por trimestre (ver quadro).
Com uma mensalidade de apenas um euro, o cartão de crédito
Caixa Activa permite, ainda, arredondar o valor das suas compras,
alimentando ainda mais a sua poupança com o excedente. Conheça as
três opções de arredondamento à sua disposição em qualquer Agência
da Caixa e faça já a adesão a esta funcionalidade.
Habilite-se, ainda, a 10 euros que a Caixa tem para lhe oferecer, se
Volume de compras €300
€2100 Igual ou superior
< €300
trimestral
a €2.099,99
a €3599,99 a €3.600
Percentagem de reembolso 0,5% 1% 1,5% 3%
for um dos 20 mil Clientes que mais poupar através do arredondamento, com um mínimo de 75 euros nos extratos de dezembro de 2011 a
março de 2012 e de 125 euros nos extratos de abril a outubro de 2012.
Com os cartões Caixa Activa, a sua poupança está no PAP. C
(1) TAEG de 22,2%, para um montante de 1500 euros, com reembolso a 12 meses,
à TAN de 20,75%.
Novo Caixadirecta on-line
O Caixadirecta on-line está diferente, ainda com mais funcionalidades
e possibilidades de personalização
N
ovas funcionalidades e uma nova imagem fazem com que a utilização do Caixadirecta on-line seja mais simples e agradável.
Além de escolher as contas a que tem acesso, pode, agora,
personalizar a página inicial, selecionar atalhos de acesso rápido às
operações que utiliza mais frequentemente e navegar de forma facilitada, com menus sempre visíveis.
Pode, ainda, contar com a presença permanente do seu Gestor ou
Assistente Comercial em todas as páginas do Caixadirecta on-line.
Sempre que necessite, envie uma mensagem segura ou solicite o contacto
para obter apoio na realização de operações ou para qualquer questão
relacionada com o seu património.
Na área de Oportunidades, conheça as propostas selecionadas especificamente para si em cada momento, onde se incluem as novidades
das Soluções Caixa Activa. Caso fique interessado, pode subscrever ou
pedir o contacto do seu Gestor ou Assistente Comercial.
Para facilitar a utilização dos diversos canais, o código de acesso de
seis dígitos passa a ser comum aos serviços telefone e mobile.
62
Navegue e redescubra o serviço Caixadirecta on-line que a Caixa
desenvolveu para que continue a gerir as suas contas de forma fácil,
cómoda, rápida e segura. C
Poupança é na Caixa
A Caixa disponibiliza-lhe duas contas de poupança que permitem, a qualquer
momento, efetuar reforços a partir de 10 euros. Pode, ainda, beneficiar anualmente de
um seguro de assistência ao lar, se o seu saldo for superior a 10 mil euros. Saiba como
A
Caixa tem à sua disposição duas soluções
de poupança, pelo prazo de 181 dias, com
renovação automática, idealizadas para
fazer face às suas necessidades financeiras, maximizando as suas economias: a Poupança
Caixa Activa e a Caixapoupança Reformado.
A Poupança Caixa Activa é uma conta com suporte
de caderneta, dirigida a pessoas com mais de 55 anos
e a reformados com rendimento mensal (atividade
remunerada e/ou pensão) superior a 1455 euros (em
2012). Já a Caixapoupança Reformado destina-se
a reformados com pensão mensal inferior a 1455
euros (em 2012).
Pode subscrevê-las a partir de 100 euros e efetuar
reforços, em qualquer momento, a partir de 10 euros,
em dinheiro ou cheque, em qualquer Agência da
Caixa, Caixautomática ou por transferência, através
do Caixadirecta (telefone, on-line, mobile e SMS).
As entregas efetuadas são remuneradas às taxas de
juro fixadas para o saldo global das contas, após cada
reforço. Quanto maior for o saldo da sua conta, maior
será a taxa de juro aplicada a cada entrega.
Com estas duas contas tem a possibilidade de
optar por receber os juros mensal ou semestralmente,
conforme lhe convier:
• No fim do prazo e acumulado à sua conta de poupança;
• No fim do prazo e adicionado à sua conta à ordem;
• No fim de cada mês e adicionado à sua conta à ordem.
Estas contas permitem a mobilização antecipada
em qualquer momento, de forma total ou parcial, de
acordo com a seguinte regra de penalização de juros:
• Periodicidade mensal (30 dias) de pagamento de
juros: não serão pagos juros sobre o capital mobilizado antecipadamente;
• Periodicidade de 181 dias de pagamento de juros:
- Mobilização antecipada antes de decorridos
90 dias do prazo do depósito em curso e/ou da
data da(s) entrega(s) de capital afetada(s): não
serão pagos juros;
- Mobilização antecipada depois de decorridos
90 dias do prazo do depósito em curso e/ou
da data da(s) entrega(s) de capital afetada(s):
serão pagos juros calculados à taxa contratual
e pelo número de dias contados a partir do
91.º dia posterior ao da data da(s) entrega(s)
de capital afetada(s), inclusive até à véspera
da data da mobilização antecipada.
E se o seu saldo for superior a 10 mil euros, ser-lhe-á oferecido, durante um ano, um seguro de
Assistência no Lar (assistência médica e técnica)
da Companhia de Seguros Fidelidade Mundial –
coberturas válidas em Portugal continental, Madeira
e Açores. Este seguro é gratuito e válido por um ano
(mesmo que a conta venha a apresentar, entretanto,
um saldo inferior ao montante referido), renovável
por igual período se, à data da renovação, o saldo da
conta for superior a 10 mil euros.
Além disso, se for titular do cartão de crédito Caixa
Activa (1), pode, ainda, ver a sua poupança aumentar
automaticamente, através do programa de cashback
que o cartão tem associado e da funcionalidade Arredondamento. Saiba todas as vantagens dos cartões
Caixa Activa na página ao lado.
Esta informação não dispensa a consulta das fichas de informação normalizada das duas contas,
disponíveis nas Agências da Caixa ou em www.cgd.pt.
Poupar é na Caixa. Com certeza. C
(1) TAEG de 22,2%, para um montante de 1500 euros, com
reembolso a 12 meses, à TAN de 20,75%.
Cartões LOL
Para que os mais pequenos
façam contas ao seu dinheiro.
Sabia que a Caixa ajuda a gerir a
mesada dos jovens, transferindo
para a poupança o montante não
utilizado durante o mês? É isso
que acontece com os cartões
LOL.
O LOL Júnior (10-15 anos) e o
LOL (15-18 anos) são cartões
pré-pagos, destinados aos
mais novos, que funcionam com
base num valor previamente
carregado, que pode ser
pontual ou agendado. O nível
de segurança na utilização é
muito elevado, já que todas as
operações requerem o número
de identificação pessoal e os
gastos são limitados ao saldo
pré-carregado. No caso do LOL
Júnior, existe, mesmo, um limite
diário de utilização, atualmente
de 50 euros, conferindo, ainda,
maior proteção e controlo
dos gastos.
A vertente didática destes
cartões é, também, um
fator muito importante, já
que é o jovem que gere e se
responsabiliza pelo dinheiro,
avaliando as opções de compra
de acordo com o saldo de que
dispõe.
E essa gestão passa também
pela poupança. Dirija-se a uma
Agência da Caixa e associe a
funcionalidade de poupança aos
cartões LOL. Dessa forma, estará
a contribuir para o crescimento
do mealheiro do jovem. Esta
opção funciona de um modo
muito simples: no final de cada
mês, o que sobrar no saldo do
cartão é guardado e, sempre
que atinja 10 euros ou mais, é
transferido, automaticamente,
para a conta de poupança Caixa
Projecto, onde fica a render juros.
63
C
Parcerias
Soluções para os seus jardins
Conheça a Companhia de Arquitectura e Design, onde encontrará diversas soluções
para a sua casa e para os espaços exteriores
Quem tem um espaço exterior junto à própria casa pode encará-lo não apenas como vista
agradável, mas, também, como área de repouso
e de recreio. Na realidade, estes espaços podem
ser tão habitáveis quanto os espaços interiores,
devendo procurar-se a complementaridade
entre ambos. Para isso, há que considerar uma
série de fatores, como as cores, a disposição de
mobiliário, a luz, a vegetação ou a decoração.
A função da Companhia de Arquitectura e
Design (CAD) é ajudá-lo nessa tarefa. Agora,
e em parceria com a Caixa e o LardoceLar, a
CAD deixa-lhe alguns conselhos úteis para
um jardim mais harmonioso:
• Não coloque junto às janelas objetos ou plantas
que possam impedir a entrada de luz natural
para o interior;
• Não plante árvores de grande porte demasiado
próximo de construções ou piscinas, devido ao
crescimento de raízes e de ramos que possam
vir a deteriorar as construções;
• As árvores de folha caduca permitem a entrada
de luz e calor solar no inverno, ao passo que, no
verão, permitem refrescar os espaços através
da sombra que proporcionam. Têm sempre a
desvantagem da queda das folhas, pelo que deve
evitar a sua localização próximo de piscinas;
• A adoção de plantas sazonais permite mudar
a imagem e as cores do seu jardim ao longo
do ano;
Vantagens
para Clientes Caixa
Beneficie de pagamentos
fracionados sem juros nas
Loja das Meias e Marc by Marc
Jacobs.
Se é titular de um cartão de
crédito Caixa Classic (1), Caixa
Gold (2), Soma (3), Caixa Activa(4)
ou Caixa Woman (5), pode
beneficiar do fracionamento
das suas compras na rede de
estabelecimentos Loja das Meias
e Marc by Marc Jacobs sem a
cobrança de juros. Assim, no
ato da compra, pode fracionar
o pagamento das suas compras
em dois, cinco ou oito meses,
sem juros, consoante o período
64
a decorrer, respetivamente, de
promoções/saldos, normal ou
quinzenas de primavera, verão,
outono e Natal.
Para aceder a esta parceria,
necessita apenas de efetuar,
como habitualmente, o
pagamento das suas compras
com um dos cartões de crédito
referidos, nos terminais netcaixa
da CGD, disponíveis nos espaços
Loja das Meias e Marc by Marc
Jacobs. Encontrará a Loja das
Meias na Rua Castilho, Amoreiras
e Cascais, enquanto a Marc by
Marc Jacobs está presente no
Chiado e no Porto.
• Procure tirar partido visual do jardim e espaços exteriores a partir do interior da casa.
A Companhia de Arquitectura e Design
é uma empresa de arquitetura fundada em
1999. O LardoceLar (www.lardocelar.com)
conta com uma área de arquitetura, onde os
utilizadores poderão consultar um leque diversificado de conteúdos relacionados com
o design e decoração da autoria da CAD. A
CAD elabora projetos de arquitetura para
obras novas ou remodelações, procurando ir ao encontro das suas necessidades e
expetativas.
Consulte mais informações em http://www.
lardocelar.com/servicos/cad . C
TAEG de 18,3%, para um
montante de € 1500, com
reembolso a 12 meses, à TAN
de 21,50%.
(2)
TAEG de 27,3%, para um
montante de € 2500, com
reembolso a 12 meses, à TAN
de 20,75%.
(3)
TAEG de 24,2%, para um
montante de € 1500, com
reembolso a 12 meses, à TAN
de 21,25%.
(4)
TAEG de 22,2%, para um
montante de € 1500, com
reembolso a 12 meses, à TAN
de 20,75%.
(5)
TAEG de 23,7%, para um
montante de € 1500, com
reembolso a 12 meses, à TAN
de 20,75%.
(1)
oferta
SÓPNEUS
5o%
desconto
CLÍNICA MEIHUA
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
20%
desconto
CASA LAGAR DA ALAGOA
oferta
AQUAFITNESS
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
A oferta é válida até 31 de maio de 2012.
25%
desconto
INSOUL
40%
desconto
AH VILLAS
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
oferta
OPTIVISÃO
40%
desconto
SPASO ZEN
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher
com o seu cartão Caixa Activa.
Para beneficiar desta oferta, apresente este voucher e efetue
o pagamento com o seu cartão Caixa Activa.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
A oferta é válida até 30 de junho de 2012.
Desconto de 50% na Massagem Tuina Relax. Esta massagem é ideal
para dispersar, tonificar e harmonizar a energia do corpo,
retirando tensões e stress.
Contactos: Clínica MeiHua – Viver Melhor e Mais Tempo
Av. Fontes Pereira de Melo, 29, c/v esq., 1500-117 Lisboa.
Tel.: 213 558 303 | Telem.: 931 783 452 | Site: www.clinicameihua.pt
A oferta não é acumulável com outras campanhas em vigor.
Oferta de uma semana de treinos em qualquer clube Aquafitness
para duas pessoas. Caso os clientes queiram inscrever-se
no clube, esta oferta é acumulável com os descontos-base
protocolados com a CGD. Para conhecer os mesmos, consulte
o portal VantagensCaixa e a página do Aquafitness em
http://www.vantagenscaixa.pt/parceiros/aquafitness.
Oferta de uma mudança de óleo na compra de quatro pneus.
A oferta não é acumulável com outras promoções em vigor.
Desconto em alojamento, com pequeno-almoço incluído, válido para
reservas de duas ou mais noites, de domingo a quinta-feira, inclusive.
A oferta não é acumulável com outras campanhas
ou promoções em vigor.
Desconto de 40% em alojamento.
A oferta não é acumulável com outras campanhas
ou promoções em vigor.
Desconto de 25% em todos os serviços disponíveis, de terça a
sexta-feira, das 10h às 19h30, com valores unitários iguais ou
superiores a € 20. A inSoul abrange serviços de Consultoria e coaching
em Evolução Pessoal, Bem-Estar, Saúde e Felicidade Integral. Oferta
válida mediante marcação através do 938 421 543 ou do 214 411 373,
sujeita a disponibilidade. Pagamento por multibanco não ativo.
A oferta não é acumulável com outras campanhas ou promoções.
Desconto de 40% na Massagem Terapêutica. A Massagem
Terapêutica tem a duração de 60 minutos e é recomendada para
casos de dores musculares, dores relacionadas com posições
incorretas e em certos casos de recuperação pós-operatório.
Oferta de um rastreio visual, válido nas lojas aderentes. Saiba quais
em http://www.vantagenscaixa.pt/parceiros/optivisao.
A oferta não é acumulável com outras campanhas, vales
ou promoções em vigor.

Documentos relacionados

Joaquina Madeira

Joaquina Madeira Diretora comercial Luísa Diniz ([email protected]) Coordenadora Maria João Jorge ([email protected]) Contacto Ana Dória ([email protected]) Assistente Florbela Figueiras ([email protected]) Co...

Leia mais

ARQUITETURA

ARQUITETURA Diretor Comercial Pedro Fernandes ([email protected]) Diretor Comercial Adjunto Miguel Simões ([email protected]) Diretora Coordenadora Luísa Diniz ([email protected]) Assistente Florbela Figu...

Leia mais

de que cor queremos o nosso futuro?

de que cor queremos o nosso futuro? Diretor Coordenador Luísa Diniz ([email protected]) Coordenador Maria João Jorge ([email protected]) Contacto Ana Dória ([email protected]) Eduarda Casa Nova ([email protected]) Assistente Florbela...

Leia mais

URBANISMO

URBANISMO Images e iStockphoto (fotos); Marta Monteiro (ilustração), Dulce Paiva (revisão) Secretariado Teresa Pinto Gestor de Produto Luís Miguel Correia Produtor Gráfico João Paulo Batlle y Font REDAÇÃO TEL...

Leia mais