Versão Consulta Pública_15jul15_2

Transcrição

Versão Consulta Pública_15jul15_2
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
1/110
TERMO DE REFERÊNCIA
PROJETO: Vídeo Vigilância e Alarme para
Unidades Escolares da Rede Pública de Ensino
Médio, Polos da Universidade Aberta do Brasil –
UAB e Salas de Videoconferência no Estado da
Bahia
Versão 1
1
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
2/110
1. Objetivo
O presente Termo de Referência estabelece as condições técnicas e parâmetros mínimos a
serem atendidos para o fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de
Televisão – CFTV e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação,
implantação, manutenção, operação e monitoramento Remoto, das dependências das
Escolas do Ensino Médio, Polos da Universidade Aberta do Brasil – UAB e Salas de
Videoconferência mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, localizadas na Capital e no
interior do Estado da Bahia, conforme Termo de Referência
Premissas
Todos os fornecimentos e serviços deverão ser executados rigorosamente em consonância
com os projetos básicos, com as prescrições contidas no presente termo e normas adiante
citadas em cada caso particular ou suas sucessoras, e de acordo com a legislação Federal,
Estadual e Municipal vigentes e pertinentes.
Detalhes que não constarem das especificações fornecidas, mas fundamentais para a
execução dos serviços ou instalações, deverão ser modificados junto à Contratante e/ou
alterados depois de esclarecidas antecipadamente todas as dúvidas juntamente com
prepostos da SEC/BA, que deverão aprová-los, quando do fornecimento e execução dos
serviços.
1.1 Modalidade de Licitação
A modalidade de licitação proposta para esta contratação é o PREGÃO ELETRÔNICO, do
tipo MENOR PREÇO, sob o SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS, em conformidade com
as disposições da Lei Estadual nº 9.433/05, e subsidiariamente à Lei 8.666/1993 e suas
alterações.
O objeto de presente certame contará com 08 lotes conforme abaixo e os licitantes poderão
ser habilitados para um ou mais lotes, sem restrição.
2
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Lote
01
02
03
04
05
06
07
08
Descrição
Área I – OESTE
Área II – SUDESTE
Área III - SUL
Área IV – NORDESTE
Área V – CENTRO/NORTE
Área VI – Reg. Metropolitana
Salvador e Recôncavo
Área VII – FEIRA
Central de Operação e
Monitoramento Remoto
Folha
3/110
Qtd. de
Unidades
171
210
211
181
166
298
195
01
1.2 Forma de Aquisição
As aquisições decorrentes do Registro de Preços serão feitas de acordo com a necessidade
e conveniência de cada Unidade ou da SEC/BA em nomes destas, selecionando e
quantificando o numero de Equipamentos e Serviços, mediante a emissão de Ordem de
Fornecimento / Serviços ou Nota de Empenho em nome da empresa ganhadora do Lote.
Este instrumento não obriga à contratação, nem mesmo nas quantidades indicadas, podendo
a Unidade e/ou a SEC/BA promover a aquisição de acordo com suas necessidades,
obedecida à legislação pertinente, sendo assegurada ao detentor do registro à preferência,
em igualdade de condições.
1.3 Prazo de Vigência da Ata de Registro de Preços
O prazo de vigência da ata será de 12 (doze) meses contado da data de sua assinatura.
1.4 Vigência do Contrato
O contrato terá vigência de 36 (trinta e seis) meses, contados da data de sua assinatura.
3
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
4/110
1.5 Detalhamento do Objeto
A Empresa Contratada será responsável pelo fornecimento de equipamentos e software´s,
pela prestação de serviços de instalação, manutenção e monitoramento remoto a partir de um
sistema de Vídeo Vigilância através de Circuito Fechado de Televisão (CFTV) e Alarmes de
Intrusão para as Unidades Escolares do Ensino Médio, Núcleos de Tecnologia Educacional –
NTE, Polos da Universidade Aberta do Brasil – UAB e Salas de Videoconferência mantidas
pela Secretaria da Educação – SEC/BA, localizadas na Capital e no interior do Estado da
Bahia.
a) A empresa contratada deverá prover a solução completa e garantir seu perfeito
funcionamento enquanto durar o contrato. Será responsável pela:
- instalação da infraestrutura (dutos, eletrodutos e calhas);
- Instalação do cabeamento lógico e elétrico (cabos, conectores, tomadas, dentre
outros materiais e acessórios);
- Fornecimento de:
- Equipamentos do CFTV (Câmeras, DVR´s, Monitores, Sensores de presença
e demais assessórios necessários);
- Software de Visualização das Imagens;
- Software de Gravação e Armazenamento das Imagens;
- Software de Visualização de Imagens em Dispositivos Móvel (celular, tablet)
- Serviços de Manutenção Preventiva;
- Serviços de Manutenção Corretiva com fornecimento de serviços e peças,
substituição quando necessário de equipamentos sem ônus adicional a Contratante;
- Treinamento da Equipe técnica das Unidades e de Administradores da SEC/BA de
forma a capacita-los a operar e administrar a Solução fornecida.
b) A empresa contratada, conforme detalhado no Anexo V, será ainda responsável pelo
fornecimento de equipamentos, materiais, acessórios e software, sua instalação e
manutenção e pela operação da Central Operação e Monitoramento Remota
instalada nas dependências da SEC/BA em Salvador-Ba e proverá os serviços de:
4
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
5/110
- Vigilância continua dos espaços internos e externos aos Blocos e Pavimentos que
compõe a Unidade, a partir das imagens capturadas e alarmes gerados por sensores
do Sistema implantado;
- Registro de imagens e alarmes com consequente acionamento dos gestores
responsáveis pela Segurança na Unidade, na SEC/BA e/ou Órgãos de Segurança
Pública a serem definidos pela SEC/BA, sobre atividades / atitudes suspeitas,
infrações a ordem legal, intrusão, ocorrências em estacionamentos e demais áreas
externas, alagamentos de pistas e áreas, incêndios) e demais fatos que possam
requerer intervenção ou investigação imediata;
- Permanente monitoramento das condições operacionais de equipamentos, software
e demais acessórios instalados, responsabilizando-se pelo acionamento da equipe
mantenedora e gestão dos serviços de manutenção preventiva e corretiva executadas
por esta;
- Deverá ainda realizar cópia e guarda das imagens e registro dos alarmes de
ocorrências identificadas na Central de Operação e Monitoramento Remoto, desta
forma resguardando e garantindo que não haverá perda dos registros realizados,
garantindo e respeitando as normas internas da SEC/BA.
A infraestrutura passiva instalada (tubulações, calhas, rack´s) e ainda o cabeamento lógico
(cabos, patch panel, organizadores de cabos) e elétrico (cabos, quadros, tomadas,
aterramento), quando findado o contrato, permanecerão de propriedade da SEC/BA.
Todas as imagens e alarmes gravados nos DVR’s deverão ser acessadas por celulares,
tablet’s ou computadores cadastrados, pela rede de dados disponibilizada pelo SEC/BA, e se
não houver disponibilidade do link, deverão ser acessadas pela tecnologia 3G. Todos os
DVR’s devem ter a facilidade de chaveamento de rede (3G/Ethernet) e ser realizado
remotamente.
Para tanto é fundamental que o DVR permita transmitir no mínimo 10 quadros por segundo
com a taxa máxima de 32 kbps.
O armazenamento das imagens e registros de alarmes localmente nos DVR´s deverá ser de
no mínimo 30 (trinta) dias. As cópias das imagens de ocorrências armazenadas na Central de
5
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
6/110
Monitoramento deverão ser mantidas enquanto durar o contrato e em este encerrando,
devolvidas a SEC/BA em mídias ópticas (DVD).
A empresa deverá fornecer o Software de Visualização das Imagens para a Central de
Monitoramento Remoto, o Software de Visualização das Imagens em Dispositivos Móveis
(celular, tablet e etc.) e o Software para Gravação e Armazenamento de Dados no DVR.
Todas as obras e serviços deverão ser executados rigorosamente em consonância com as
prescrições contidas no presente termo e normas adiante citadas em cada caso particular ou
suas sucessoras, e de acordo com a legislação Federal, Estadual e Municipal vigentes e
pertinentes.
Detalhes que não constarem das especificações fornecidas, mas fundamentais para a
execução dos serviços ou instalações, deverão ser modificados junto à Contratante e/ou
alterados depois de esclarecidas antecipadamente todas as dúvidas juntamente com
prepostos da SEC/BA, que deverão aprová-los, quando da execução das obras e/ou
serviços.
1.6 Subcontratação de Serviços
Excepcionalmente, será admitida a subcontratação de serviços acessórios e complementares
(a exemplo da mão de obra para prover a instalação e o transporte de equipamentos, a
instalação de infraestruturas para as redes lógicas e de energia elétrica das Unidades, a
capacitação da equipe de operadores e ainda a manutenção preventiva e corretiva da
solução fornecida no local onde encontrarem-se instaladas). No entanto, a CONTRATADA
será a única e exclusiva responsável pela execução do objeto, não tendo a
SUBCONTRATADA qualquer vínculo com a SEC/BA e suas Unidades Escolares.
Não poderão ser subcontratados o fornecimento dos equipamentos, materiais e softwares e
os serviços de testes da solução ofertada e ainda o treinamento de administradores e suporte
técnico aos profissionais da SEC/BA.
1.6.1
Quando ocorrer subcontratação, esta não poderá ultrapassar a 50% do valor total
proposto para o Lote.
6
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
7/110
2. Normas e Procedimentos
Os equipamentos e serviços a serem fornecidos pela CONTRATADA, tem como premissa
básica para a execução do objeto, que a infraestrutura esteja de acordo com as normas da
ANATEL, ABNT, ANSI, TIA, EIA, IEC, ASA e suas sucessoras. Na inexistência destas, ou
em caráter suplementar, poderão ser adotadas outras normas de entidades reconhecidas
internacionalmente.
Sempre com a aprovação da CONTRATANTE, poderão ser aceitas outras normas, de
reconhecida autoridade, que possam garantir o grau de qualidade desejado.
3. Tecnologia
Selecionou-se
a
tecnologia
de
Captura
de
Imagens
e
Alarmes
Analógica
com
Armazenamento Digital em equipamentos micro processados de uso exclusivo, com
capacidade de comunicação externa TCP/IP sobre redes privadas (Intranet) e publicas
(Internet / 3G).
As Câmeras deverão ser posicionadas em corredores, áreas de convivência (pátios), Portões
de acesso e às Unidades, entornos vulneráveis a intrusão e os Sensores de Alarme
internamente a Salas Administrativas, Laboratórios, almoxarifados e outros a serem definidas
pela Direção da Unidade Escolar em conjunto com a equipe técnica da Contratada.
Será de responsabilidade da Contratada o correto posicionamento das Câmeras e
Sensores garantindo a perfeita vigilância e boa qualidade das imagens capturadas nos
ambientes nomeados, conforme diagrama e perfis a seguir.
A Infraestrutura local de Gravação e Armazenamento de Dados será provida pela implantação
de equipamento Digital Vídeo Record - DVR operando sob plataforma de software
embarcado.
A registro de intrusão se dará pela implantação de Central de Alarmes integrada ou
interligada ao Digital Vídeo Record – DVR.
7
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
8/110
4. Topologia
5. Perfil e quantidade de Unidades
O universo a ser atendido com o referido projeto reúne:
a) Unidades Escolares contando com estrutura básica, composta dos seguintes
ambientes:
- Sala da Diretoria
- Secretaria
- Biblioteca
- Sala de Professores
- Área de Convivência (pátio)
- Laboratório de Informática
E ainda aquelas que tenham implementado o Ensino Médio com:
- Laboratório de Química/Biologia e/ou Física;
- Salas Ambiente (especialmente preparadas para desenvolvimento de Conteúdos
Digitais nas áreas de Linguagens, Ciências e Matemática).
Padrão
Tipo I
Qtd
192
Nº Salas
Acima de 20
Nº Alunos
Acima 2500
Laboratórios
3
8
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Tipo II
Tipo III
Tipo IV
TOTAL
340
612
229
1373
13 a 20
7 a 12
<6
1401 a 2500
501 a 1400
Até 500
Folha
9/110
2
1
1
b) Polos da Universidade Aberta do Brasil - UAB contando com estrutura básica,
composta dos seguintes ambientes:
- Sala da Administração
- Sala de Professores
- Biblioteca
- Recepção
- Laboratórios
Padrão
UAB-I
UAB-II
TOTAL
Qtd
20
05
25
Nº Salas
3a9
>9
Laboratórios
1
2
c) Salas de Videoconferência contando com estrutura básica, composta dos seguintes
ambientes:
- Auditório
- Almoxarifado
Padrão
Videoconferência
TOTAL
Qtd
34
34
Nº Salas
02
6. Sistema de Comunicação, Processamento e Armazenamento de Imagens
6.1 Infraestrutura
No Anexo I encontram-se discriminados como deverão ser executados os serviços de
instalação da infraestrutura: Eletrodutos em aço galvanizado leve, eletrodutos em PVC,
eletrodutos flexíveis, eletrodutos subterrâneos / seal tubo, eletrocalhas, quadros de
9
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
10/110
passagem, quadros de comando, quadros de conexão, caixas de passagem, painéis elétricos
e painéis de comando.
Os acabamentos de alvenaria e pintura danificados na instalação serão de responsabilidade
da CONTRATADA.
6.2 Rede Lógica
No Anexo II encontram-se discriminados os materiais e equipamentos e como deverão ser
executados os serviços de instalação do Cabeamento Lógico: Cabos
Metálicos,
Concentradores de Cabos (Patch Panel) conectores, Rack´s e Switchs, dentre outros
elementos que constituirão o cabeamento lógico do Sistema de Vídeo Vigilância.
6.3 Rede Elétrica
No Anexo III, encontram-se discriminados os materiais e equipamentos a serem fornecidos e
como deverão ser executados os serviços de instalação da Rede Elétrica Estabilizada:
Cabos, Quadros, conectores, aterramento e Nobreak´s, dentre outros elementos que
constituirão o cabeamento elétrico da solução.
6.4 Sistema de CFTV (Circuito Fechado de Televisão) e Alarme
No Anexo IV, encontram-se discriminados os materiais e equipamentos e como deverão ser
executados os serviços de instalação do Sistema de CFTV e Alarme: DVR´s Câmeras,
Sensores, Conexões, Software´s, dentre outros elementos do Sistema de Segurança.
6.5 Operação e Monitoramento Remoto
A Central de Operação e Monitoramento Remoto - COMR será responsável pelo comando e
gestão de acesso sobre todo o Sistema de Vídeo Vigilância, particularmente sobre as
câmeras e imagens capturadas do Sistema de CFTV e Alarme. Este estará localizado em
área própria da Contratante na cidade do Salvador-Ba e alimentado por sistema de energia
estabilizada e nobreak, além de temperatura ambiente controlada por ar-condicionado.
10
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
11/110
A COMR funcionará 24 (vinte e quatro) horas, 7 (sete) dias da semana, e será
operacionalizado por uma Equipe Especializada da Contratada, que desenvolverão as
atividades em turnos contínuos, conforme detalhado no Anexo V.
7. Serviços Técnicos Especializados de Instalação e Configuração
7.1 Os serviços técnicos especializados compreendem os profissionais necessários para
formatação de equipe temporária para:
a) Instalação e configuração da solução de CFTV e Alarme, Servidor de Imagens e
Solução de Armazenamento de dados, Estações de Monitoração, todos os
softwares correspondentes e a infraestrutura necessária;
b) Treinamento em todas as soluções instaladas, para uma equipe a ser designada
pela SEC/BA, de no máximo de 20 (vinte) pessoas. O local de treinamento,
equipamentos e material didático como flip-chart, projetor multimídia, papel e
canetas, além de coffee-break serão por conta da SEC/BA. A Contratada deverá
fornecer apostilas e outros insumos necessários ao treinamento;
7.2 Para a execução dos serviços técnicos especializados deverão ser disponibilizados
profissionais treinados, capacitados nas soluções a serem fornecidas.
7.3 Finalizados os serviços de instalação, tem-se que executar os testes de aceitação, em
campo dos equipamentos ofertados, na presença de inspetores da SEC/BA. Os
testes de aceitação em campo têm por finalidade aferir a montagem, características
operacionais de desempenho e qualidade da solução implantada e se constituirão
dos seguintes itens:
a) Testes mecânicos
b) Testes Elétricos
c) Testes Operacionais e do Sistema
Estes testes serão executados por equipe técnica da Contratada, com a supervisão da
SEC/BA, após a instalação da solução.
a) Testes Mecânicos:
1. Inspeção visual;
11
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
12/110
2. Fixação e rigidez dos equipamentos, materiais e acessórios (câmeras,
Sensores, consoles de comando, monitores, estações de trabalho etc.);
3. Disposição dos equipamentos, materiais e acessórios no Rack;
4. Verificação do encaminhamento e identificação da cabeamento elétrico,
lógico, amarração, etc.;
5. Verificações das terminações e dos conectores;
6. Identificação dos equipamentos, acessórios e materiais; e
b) Testes Elétricos:
1. Continuidade dos cabos e fios de interligação; e
2. Verificação da tensão de alimentação e aterramento dos equipamentos.
c) Testes Operacionais e de Sistema:
1. Verificação das indicações luminosas dos DVR´s e teclas de testes;
2. Medição do Nível de Sinal das saídas de câmeras e Sensores;
3. Testes e Simulações de Acesso e movimentação dentre as áreas
protegidas;
4. Verificação da funcionalidade da programação dos Sistemas;
5. Verificação do sistema de transmissão (Intranet/Internet): velocidades,
comandos, atenuações; e
6. Outros definidos nos anexos.
8. Equipe Técnica
A Contratada deverá disponibilizar, para a execução dos serviços, profissionais com
treinamento em:
a) Sistema de cabeamento lógico (metálico);
b) Sistema elétrico de baixa voltagem;
c) Sistema de monitoramento por imagens (CFTV) e Alarme;
d) Sistema de gerenciamento e gravação de imagens;
e) Operação e Monitoramento de Sistema de CFTV e Alarme.
Os técnicos encarregados dos serviços devem ser previamente relacionados, tendo
livre acesso aos equipamentos, a fim de executar os serviços de manutenção, respeitadas as
normas de segurança vigentes nas instalações da SEC/BA e das Unidades Escolares.
12
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
13/110
A Contratada deverá manter seus funcionários identificados por crachá quando em
cumprimento do objeto desta licitação nas dependências do Edifício Sede da SEC/BA e das
Unidades Escolares. Deve ainda manter sua equipe técnica sempre provida de EPI’s,
ferramental, instrumentos e equipamentos, devidamente aferidos e calibrados, adequados ao
trabalho e em perfeitas condições de uso.
9. Garantias
A Garantia dos equipamentos, softwares, acessórios e materiais ofertados, deverá cobrir, no
mínimo um período de 36 (trinta e seis) meses da data do fornecimento, salvo nos casos em
que este Termo expressamente disponha de outra maneira.
Essa garantia deverá abranger todo e qualquer defeito de projeto, fabricação e desempenho
dos equipamentos, quando submetidos a uso e conservação normais. Durante o prazo de
garantia acima indicado, deverão ser substituídas e/ou reparadas quaisquer partes e
equipamentos defeituosos, sem ônus para a SEC/BA. Nesse caso, a Contratada deverá
repetir, às suas custas, os testes julgados necessários pela SEC/BA para comprovar a
perfeição dos reparos executados e o bom funcionamento da unidade.
No caso de constatarem-se quaisquer defeitos ou deficiências nos equipamentos e softwares,
materiais ou acessórios, a SEC/BA terá o direito de utilizá-los até que os mesmos sejam
retirados e substituídos.
Durante o período de garantia a Empresa Contratada deverá fornecer todos os Services
Packs (patchs, correções e etc.) lançados, atualizações e novas versões dos softwares
propostos com novas funcionalidades, sem custo adicional.
10. Serviços de Manutenção (Preventiva e Corretiva) e Suporte Técnico
Os serviços de manutenção (preventiva e corretiva) e Suporte Técnico consistem em
suporte, help on-line e serviços de correção de eventuais defeitos de fabricação, instalação
e/ou operação para todos os equipamentos e sistemas instalados em cada unidade escolar.
13
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
14/110
Os Serviços de manutenção (preventiva e corretiva) e suporte técnico deverão ser prestados
on-line e on-site, quando necessário, pelo período de 33 (trinta e três) meses, faturados e
pagos em parcelas mensais, a partir do aceite definitivo da implantação de cada unidades
escolar.
A Contratada deverá disponibilizar telefone, fax e o endereço eletrônico de
atendimento para abertura de chamados.
A Contratada deverá fornecer um número ou código de protocolo para identificação e
individualização de cada chamado técnico efetuado pela SEC/BA, bem como para
acompanhamento e controle dos serviços.
O escopo dos serviços de manutenção (preventiva e corretiva) e suporte técnico
abrange:
1. Manutenção preventiva e corretiva de toda a solução fornecida e instalada deverá
obedecer ao acordo de nível de serviço, subitem iv;
2. Suporte on-line e on-site de todos os softwares, equipamentos e componentes da
solução instalada deverá obedecer ao acordo de nível de serviço, subitem iv;
3. Entendendo-se por:
i. Manutenção Corretiva
Aquela destinada a remover os eventuais defeitos de funcionamento apresentados
nos softwares e equipamentos, mediante chamado da SEC/BA, compreendendo serviços de
conserto e/ou substituição/reposição de peças desgastadas e/ou danificadas por originais do
fabricante, e ainda quando for considerado necessário serviço de lubrificação, limpeza,
regulagem, ajuste e pequenos reparos, colocando-os em perfeitas condições de uso.
A manutenção corretiva da solução deverá ser realizada sob demanda da SEC/BA,
em regime de atendimento, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, exceto feriados.
A Contratada deverá possuir uma equipe técnica de manutenção capaz de prestar
assistência técnica às Unidades Escolares dentro dos prazos acordados e de suporte a
equipe encarregada da operação da Solução e usuários da Solução de Vídeo Vigilância
fornecida e implantada.
ii. Manutenção Preventiva
14
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
15/110
Compreende uma série de procedimentos tais como limpeza, verificações, ajustes,
lubrificações e testes, que têm o objetivo de evitar ou reduzir a probabilidade de falha ou a
degradação do funcionamento da Solução instalada.
A manutenção preventiva da solução deverá ser realizada de forma periódica, com a
realização de uma visita semestral, em quantidade de horas suficientes para cumprir o
escopo básico de manutenção, em regime de atendimento, de segunda a sexta-feira, das 8
às 18 horas, exceto feriados.
A Contratada deverá apresentar um cronograma de Manutenção Preventiva
Semestral, para análise e aprovação da SEC/BA, no prazo de 10 (dez) dias após a assinatura
do contrato, envolvendo as soluções de Equipamentos, Softwares e infraestrutura.
A primeira manutenção semestral deverá ocorrer antes de completados os primeiros
180 (cento e oitenta) dias contados da implantação da solução.
A manutenção preventiva deverá ser realizada nas datas previstas pelo cronograma
apresentado a SEC/BA, sendo admitido, em cada evento, um único adiamento, por período
não superior a 10 (dez) dias úteis.
No relatório de visita, a SEC/BA deverá indicar o número da Ordem de Serviço
correspondente a cada intervenção programada para cada equipamento.
A Contratada deverá realizar os serviços específicos de Manutenção Preventiva para
cada tipo de equipamento, conforme descrito a seguir e de acordo com as recomendações do
fabricante:
a)
Conjunto de Câmeras, Sensores, fontes, caixas de proteção e acessórios:
1. Limpeza geral das caixas de proteção;
2. Limpeza do visor das câmeras;
3. Ajustes de posicionamento;
4. Verificação dos conectores;
5. Verificação das tensões de alimentação; e
6. Verificação das instalações física (suporte e fiação).
b)
Estações de trabalho, DVR´s, Teclado, Joystick e Acessórios:
1. Limpeza geral;
2. Checagem de conexões, fontes e nobreaks, régua de tomadas;
3. Verificação de periféricos;
15
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
16/110
4. Testes de resposta a comando; e
5. Medição da tensão de alimentação.
c)
Monitores LCD de 19’’ e 42’’:
1. Limpeza externa;
2. Verificação dos ajustes de tela;
3. Checagem das conexões.
iii. Local de Realização dos Serviços
Os equipamentos defeituosos deverão ser reparados, preferencialmente, no local
(on-site) onde estão instalados, ou seja, a Contratada deverá atender e efetuar os serviços de
manutenção preventiva e corretiva onde a solução estão funcionando.
Caso se mostre necessário, em função da complexidade dos serviços, e com a
autorização prévia da SEC/BA, a Contratada poderá transportar o(s) sistema(s) ou partes
do(s) sistema para laboratório(s) ou oficina(s) especializada(s), onde serão efetuados os
serviços necessários para solução dos defeitos apresentados e, de imediato, deverá ser
providenciado um equipamento para substituir o que foi retirado.
A Contratada assumirá, integralmente, os custos relativos ao transporte dos
equipamentos, bem como aqueles referentes à utilização das instalações e ferramental
existentes no(s) laboratório(s) ou oficina(s) especializada(s).
Após a manutenção necessária, o equipamento deverá ser devolvido ao seu lugar de
origem, não sendo permitida a sua instalação em qualquer outro lugar sem a autorização
prévia da SEC/BA.
A Contratada assumirá toda a responsabilidade e custos de ressarcimento por
quaisquer danos, avarias, roubo ou furto que possam ocorrer aos equipamentos por esta
retirada para manutenção em seu laboratório e durante o seu transporte (ida e volta).
Em havendo a necessidade de substituição definitiva do equipamento por
impossibilidade de recuperação e com autorização prévia da SEC/BA, um novo de igual ou
superior configuração e capacidade deverá ser instalado sem custo adicional a SEC/BA. Se
configurado e comprovado danos causados por vandalismo ou furto, orçamento especifico
deverá ser aprovado pela SEC/BA.
16
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
17/110
iv. Acordo de Nível de Serviço – ANS
Em respeito e nos termos do inciso XVII, artigo 15 da Instrução Normativa 002/2008
da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento,
Orçamento e Gestão e dentro dos limites da Lei Federal 8.666/93.
A manutenção corretiva nos equipamentos deverá ser prestada pela Contratada, a
partir de chamada técnica realizada pela SEC/BA, obedecendo aos seguintes prazos de
atendimento:
•
Tipos de Chamados
- Normal: Chamados derivados de incidentes de baixo impacto no funcionamento das
atividades principais da Unidade Escolar. Têm impactos apenas localizados.
- Urgente: Chamados derivados de usuários, cujo atendimento está relacionado a
impacto institucional e de abrangência total da Unidade Escolar. Devem seguir critérios de
atendimentos diferenciados.
- Programado: Chamado referente à tarefa ou atividade a ser executada por demanda,
com tempo de atendimento e prazo de solução acordados antecipadamente com a
CONTRATADA
(ex:
remanejamentos/realocação
de
equipamentos,
atendimentos
agendados, manutenção preventiva, etc.)
Tabela de Tipos de Chamados
Tipo
% de
1
chamados
Tempo de
Atendimento
Chamados Normais
70%
TAN ≤ 24 horas úteis
TSN ≤ 48 horas úteis
80%
Chamados Urgentes
20%
TAU ≤ 12 horas úteis
TSU ≤ 24 horas úteis
85%
Chamados
Programados
10%
A depender da situação A depender da situação
Tempo de Solução
2
SLA
95% atendidas no
prazo acordado
TAU - Tempo de atendimento urgente
TAN - Tempo de atendimento normal
1
Percentual estimado de chamados de um tipo específico, em relação ao total de chamados registrados.
SLA: percentual, em relação ao total de chamados de um determinado tipo, que deverá atender aos indicadores
descritos para o respectivo tipo. Ex.: 100 chamados normais ocorreram em um determinado mês. Se apenas 79 ou
menos forem atendidos no prazo ≤ a 24 horas uteis ou solucionados em prazo ≤ a 48 horas uteis será considerado
que não foi atendido ao SLA e portanto o Contratado estará sujeito às penalidades aqui estabelecidas.
2
17
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
18/110
TSU - Tempo de solução urgente
TSN - Tempo de solução normal
O tempo de solução será computado a partir da abertura do chamado. Os chamados
originados de telefone, fax, ofício, e-mail, ou pessoalmente, serão computados a partir do
registro no sistema de registro de incidente. O registro deverá ser efetuado no máximo em
01(uma) hora.
v. Penalidades
Mensalmente será apurado a partir dos relatórios de atendimento o efetivo
cumprimento do Acordo de Nível de Serviço estabelecido, considerando o total de
chamados por TIPO realizados e atendidos no período. O não atendimento aos
prazos acordados implicará em redução de:
- Chamados Programados - 2% (dois por cento) do valor mensal devido,
correspondente ao Serviço de Manutenção e Suporte Técnico a ser pago
mensalmente a Contratada.
- Chamados Normais - 3% (dois por cento) do valor mensal devido,
correspondente ao Serviço de Manutenção e Suporte Técnico a ser pago
mensalmente a Contratada.
- Chamados Urgentes - 5% (dois por cento) do valor mensal devido,
correspondente ao Serviço de Manutenção e Suporte Técnico a ser pago
mensalmente a Contratada.
vi. Suporte Técnico
a) O suporte técnico deverá ser fornecido para toda a solução dentro do nível de
serviço estipulado.
b) O suporte deverá compreender o fornecimento de suporte técnico para a
correção e prevenção de problemas de configuração, funcionalidade ou
compatibilidade dos componentes da solução contratada.
c) Interação com a equipe técnica da SEC/BA, fornecendo apoio na resolução de
incidentes que estejam envolvendo os componentes da solução. Incluindo:
•
Re-configuração dos produtos;
18
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
•
Re-instalação dos produtos;
•
Instalação de Patches corretivos;
•
Esclarecimentos de dúvidas de operação;
•
Ajustes no sistema de comunicações;
•
Folha
19/110
Avaliação e ajustes da qualidade das imagens.
vii. Das Ordens de Serviço e Relatórios
a) A cada atendimento preventivo ou corretivo, a Contratada deverá apresentar à
Unidade Escolar uma ordem de serviço;
b) Após encerrar os serviços relativos ao atendimento, o técnico da Contratada
deverá solicitar que o funcionário responsável da Unidade Escolar preencha os
campos da pesquisa de satisfação, que integram o formulário da Ordem de
Serviço;
c) A Contratada deverá manter um banco de dados contendo todas as
informações das ordens de serviço;
d) A Contratada deverá apresentar mensalmente à SEC/BA, até o 3º dia útil do
mês seguinte, Relatório de Desempenho da Manutenção no Período,
contendo:
•
Total de chamados corretivos;
•
Números das ordens de serviço;
•
Protocolos da Contratada;
•
Descrição sucinta do serviço;
•
Data do atendimento corretivo;
•
Data de conclusão do serviço de corretiva;
•
Data do atendimento das preventivas; e
•
Pesquisa de Satisfação.
e) O relatório mencionado deverá ser entregue formatado e/ou planilha eletrônica,
em mídia gravada ou via correio eletrônico, com endereço a ser fornecido pela
SEC/BA;
19
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
20/110
f) Toda documentação entregue a SEC/BA deverá identificar claramente o
responsável técnico pelo seu conteúdo bem como sua habilitação legal, para
tal e assinatura.
11. Documentação
A documentação em português deve descrever a topologia da solução com o detalhamento
técnico da interligação dos equipamentos.
A documentação técnica dos equipamentos e softwares, em português ou inglês, incluindo
manuais de configuração, instalação e operação dos equipamentos e de todos os seus
componentes e acessórios de hardware e software, além de diagrama esquemático da
solução oferecida, deve ser fornecida na ocasião da entrega da solução, na forma original
impressa (é desejável também que seja fornecida em meio magnético/óptico).
A cada Unidade Escolar deverá ser fornecida a Documentação da instalação, configuração e
dos testes realizados em campo, equipamentos, materiais e acessórios utilizados, bem como
manuais de operação da solução e ainda:
•
Relação dos equipamentos (Câmeras, Sensores e DVR´s), suas características e
identificação do local de instalação.
•
Projeto detalhado da instalação da Rede Lógica.
•
Projeto elétrico com dimensionamento e consumo das instalações.
•
Projeto de aterramento das instalações com resultados das medidas elétricas de
acordo com as normas.
•
Fotos dos locais de instalação.
À empresa contratada deverá fornecer a documentação de apoio gerada no desenvolvimento
do projeto: atas de reuniões, relatórios técnicos, cronogramas, entre outros.
Ao final das instalações todos os documentos do projeto devem ser atualizados e fornecidos
em arquivo digital.
20
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
21/110
12. Treinamento
A Contratada deverá oferecer sem ônus algum a Contratante a capacitação operacional dos
usuários, através de treinamento, conforme detalhado abaixo.
A Contratada deverá apresentar o plano de treinamento contendo o conteúdo programático, o
qual deverá ser aprovado pela SEC/BA.
O treinamento da solução de Vídeo Vigilância e Alarme será ministrado para dois grupos, a
saber:
Operadores - equipe formada por 2 (dois) colaboradores de cada Unidade Escolar
que irão operar a solução e administrar as operações técnicas de rotina.
Administradores – equipe técnica formada por 4 (quatro) colaboradores da SEC/BA
com conhecimento em telecomunicações e tecnologia da informação - TI que irão
administrar a solução nos aspectos dos sistemas básicos.
a) Treinamento Operadores
Carga horária: 2 horas
Turma: 2 pessoas por escola
Grupos: 20 pessoas por turma, sendo 2 por escola
Local de treinamento: Unidade Escolar escolhida dentre as 10 pertencentes ao
grupo, com projetor multimídia, bem como no local de instalação dos equipamentos
ativos da solução.
Em sala de treinamento deverá ser realizada uma apresentação técnica e conceitual da
solução, descrevendo a solução implantada e como os operadores devem estar preparados
para suportar a nova rotina operacional e gerencial.
21
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
22/110
O fornecedor deverá treinar a equipe na utilização dos recursos e na operacionalização das
Soluções instaladas, compreendendo no mínimo:
a)
Treinamento prático, com apoio de checklist, com principal objetivo desmistificar o
uso dos recursos, identificar problemas, inclusive na rede elétrica e preparar os
operadores para a nova rotina de trabalho;
b)
Orientação aos operadores nas formas de acionamento do serviço de manutenção e
suporte.
A Contratada deverá fornecer apostilas, manuais técnicos e outros insumos necessários ao
treinamento.
d) Treinamento Administradores
Carga horária: 8 horas
Turma: 10 pessoas
Local de treinamento: Sala de treinamento designada pela SEC/BA, com projetor
multimídia, e na Central de Gestão e Monitoramento.
Para os administradores, deverá ser fornecido um treinamento com o seguinte conteúdo:
•
Arquitetura e plataforma tecnológica das soluções implantadas;
•
Configuração e parametrização de Hardwares e Softwares;
•
Funcionalidades, Inclusão e alteração de usuários, definição de acesso e
permissões dos softwares implantados;
•
Recursos para identificação e diagnóstico de problemas e soluções, incluindo
Questões mais Frequentes;
•
Operação.
13. Amostra da Solução Licitada
22
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
23/110
• Encerrada a etapa de lances, o Pregoeiro examinará a aceitabilidade da melhor
oferta e identificado o licitante autor da melhor oferta, a sessão do pregão será
suspensa para que ele instale, às suas expensas, uma amostra da solução de todo
o sistema especificado no Anexo I, quando será analisada todos os itens
especificados neste Termo e aferida a regular operação das funcionalidades
especificadas.
• A amostra deverá ser montada, a expensas do licitante autor da melhor oferta em
(local/ endereço/ cidade), no prazo máximo de 10 (dez) dias úteis após a
suspensão da sessão.
• A regular operação da amostra será avaliada em ato público devidamente
divulgado no sistema, que poderá ser acompanhado por todos os licitantes, com a
avaliação de todos os itens e funcionalidades deste Termo do Anexo I, pela equipe
de apoio ao pregão.
• A amostra será avaliada no prazo de 02 (dois) dias úteis, podendo tal prazo ser
ampliado, conforme necessidade do órgão licitante, devidamente justificada.
• No ato da avaliação da amostra, o licitante deverá apresentar a relação de todos
os equipamentos ofertados, indicando sua especificação técnica completa, a qual
deverá listar a marca, modelo, descrição, configuração e todas as características
capazes de identificar os produtos ofertados e deverá demonstrar na prova de
conceito, obrigatoriamente todos itens da especificação técnica deste Termo e
obrigatoriamente também de todas as funcionalidades pedidas na especificação
técnica listadas neste Edital.
• Caso o licitante convocado não apresente a amostra, ou apresente amostra que
não atenda obrigatoriamente 100% (cem por cento) a todos os itens das
especificações técnicas e demonstrando 100% (cem por cento) de todas as
funcionalidades definidas neste Edital, ou, ainda, não sejam cumpridos os
requisitos de habilitação, a Licitante será desclassificada e o Pregoeiro convocará
o licitante que ofertou o lance subsequente, para que apresente sua amostra no
prazo indicado no item ii, e assim sucessivamente até a apuração de uma proposta
que atenda o Edital.
23
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
24/110
• Se aprovada a amostra e sendo aceitável a oferta de menor preço, a sessão do
pregão será retomada e o sistema informará quem é o licitante detentor da melhor
oferta e este deverá comprovar de imediato sua situação de regularidade
(habilitação), devendo esta comprovação se dar mediante encaminhamento da
documentação e da proposta atualizada com os valores obtidos no Pregão nos
termos dos itens subsequentes deste edital.
• Constatado o atendimento pleno às exigências do edital, será declarado o
proponente vencedor.
14. Vistoria Técnica
Antes da apresentação da proposta, em até 48 (quarenta e oito) horas antes da abertura do
processo licitatório, a empresa proponente deverá examinar os diagramas, especificações e
demais elementos técnicos fornecidos para execução dos serviços. Recomenda-se mesmo
que por amostragem, vistoriar previamente Unidades Escolares tipicas, na Região
Metropolitana de Salvador, conforme constante no Anexo VI, a fim de levantar quantidades,
verificar a complexidade dos serviços e também eventuais duvidas, omissões ou falhas, as
quais deverão ser sanadas antes da licitação.
A empresa deverá comunicar imediatamente e por escrito eventuais discrepâncias, erros ou
omissões que porventura tenha observado, de forma a sanar aqueles que possam trazer
embaraços ao perfeito desenvolvimento dos serviços antes da licitação.
15. Equipamentos de segurança
É de inteira responsabilidade da empresa executora a observação e adoção dos
equipamentos de segurança adequados, visando não permitir a ocorrência de danos físicos e
materiais, não só em relação aos seus funcionários, como também em relação aos
funcionários de terceiros e demais usuários.
Caberá à CONTRATADA a montagem e desmontagem de andaimes, assim como assumir a
responsabilidade do fechamento das áreas, próximo do local onde estiver sendo executado
os serviços.
24
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
25/110
16. Materiais
Todos os materiais a serem utilizados serão novos, de primeira qualidade, resistentes e
adequados à finalidade a que se destinam.
Os materiais que porventura forem retirados deverão ser colocados à disposição da unidade,
que indicará a forma e o local da guarda do mesmo.
17. Mão-de-obra
A CONTRATADA deverá fornecer à CONTRATANTE, antes do início dos serviços, a relação
dos funcionários que irão prestar serviço naquele local, com os respectivos números de
identidade (R.G.) e CPF.
Todos os funcionários da CONTRATADA deverão estar, necessariamente, com os
respectivos crachás.
18. Serviços de Planejamento e Gerenciamento
A CONTRATADA deverá prover os serviços de planejamento e gerenciamento garantindo a
perfeita integração de todos os componentes da solução proposta, bem como do andamento
dos Serviços de Instalação, Serviços de Treinamento e Serviços de Manutenção.
A execução se dará com a alocação de profissionais responsáveis pelo planejamento,
gerenciamento e integração da Solução, no prazo máximo de 5 (cinco) dias corridos a contar
do Recebimento da Ordem de Fornecimento/Serviço pela Contratada.
A CONTRATADA deverá gerar semanalmente um relatório com o status do projeto.
19. Horário de trabalho para os serviços de instalação e configuração
Deverão ser previstos horários normais de trabalho ou em finais de semana e feriados. Os
horários deverão ser combinados previamente com a CONTRATANTE.
25
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
26/110
20. Serviços complementares
A CONTRATADA executará os trabalhos complementares ou correlatos de instalação, tais
como: abertura e recomposição de rasgos para tubulações, bem como os arremates, inclusive
pintura decorrentes dos serviços de instalação, sem ônus algum para a CONTRATANTE.
21. Prazo de Fornecimento e Execução dos Serviços
O prazo para fornecimento dos equipamentos, materiais e acessórios, bem como da
execução dos serviços de instalação e configuração da solução será de:
- Para as primeiras 50 (cinquenta) Unidades Escolares efetivamente contratadas - 90
(noventa) dias, contados do recebimento da Ordem de Serviço;
- Para as demais Unidades Escolares, em grupos adicionais de até 50 (cinquenta) 30 (trinta) dias;
- O prazo para a realização dos serviços de Operação e Monitoramento Remoto e
Manutenção Preventiva e Corretiva será de 33 (trinta e três) meses contados da
homologação pela SEC/BA do Sistema totalmente implantado e operacional.
Evento
Descrição do Evento
Ordem de Fornecimento/Serviço
Emissão pela CONTRATANTE da Ordem de Fornecimento ou Ordem
de Serviço para a CONTRATADA
Entrega
Entrega pela CONTRATADA dos produtos e serviços em cada etapa
do plano de trabalho.
Aceite parcial dos produtos e serviços executados e/ou implantados,
em cada etapa do plano de trabalho., mediante a verificação, pela
SEC/BA, que os itens fornecidos atendem o descrito neste Edital e na
proposta da Contratada. Este aceite ocorrerá em até 10 (dez) dias
úteis a contar do evento “Entrega” acima descrito.
Aceite Parcial
Instalação
Implantação
Aceite Definitivo e Liberação
Faturamento
Execução dos serviços de instalação dos produtos e serviços, para
testes e homologação, em cada etapa do Plano de Trabalho
Execução dos serviços e/ou de implantação dos produtos e serviços,
em produção, em cada etapa do Plano de Trabalho.
Aceite Definitivo e Liberação para Faturamento dos produtos e
serviços executados e/ou implantados, em cada etapa do Plano de
Trabalho, mediante a verificação, pela SEC/BA, que os itens
fornecidos atendem o descrito neste Termo de Referência e na
proposta da Contratada. Este aceite ocorrerá em até 5 (cinco) dias
úteis a contar do evento “Aceite Parcial” acima descrito.
26
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
27/110
22. Cronograma de Atividades / Faturamento (Ver também Anexo XI)
Etapa 1 - Em até 10 dias contados a partir do recebimento da Ordem de Serviço.
Atividades:
- Apresentação e Aprovação do Plano de Trabalho.
- Mobilização das equipes;
Faturamento: Não haverá faturamento
Etapa 2 - Em até 30 dias contados a partir do recebimento da Ordem de Serviço.
Atividades:
- Início da instalação da Infraestrutura Elétrica e Lógica na Central de Operação e
Monitoramento Remoto e nas Unidades Escolares.
Faturamento: Não haverá faturamento
Etapa 3 - Em até 60 dias contados a partir do recebimento da Ordem de Serviço.
Atividades:
- Conclusão da Instalação da infraestrutura Elétrica e Lógica na Central de Operação
e Monitoramento Remoto e para o grupo de 50 (cinquenta) Unidades Escolares;
- Fornecimento de Equipamentos e disponibilização de materiais, acessórios e
ferramentaria necessária a execução dos serviços contratados para a Central de
Operação e Monitoramento Remoto e para o grupo de 50 (cinquenta) Unidades
Escolares;
- Conclusão das atividades de Treinamento da equipe de Administradores nas
funcionalidades e recursos da solução implantada;
Faturamento: De posse do documento de Aceite Definitivo emitido pela SEC/BA a contratada
emitirá Nota Fiscal Fatura no valor total correspondente a aos Equipamentos
efetivamente entregues.
27
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
28/110
Etapa 4 - Em até 90 dias contados a partir do recebimento da Ordem de Serviço.
Atividades:
- Conclusão da Instalação e Testes dos Equipamentos, materiais e acessórios na
Central de Operação e Monitoramento Remoto e nas Unidades Escolares;
- Conclusão das atividades de Treinamento das equipes de Operadores nas
funcionalidades e recursos da solução implantada;
- Homologação pela SEC/BA da solução totalmente implantado e operacional;
- Inicio dos Serviços de Operação e Monitoramento Remoto;
- Inicio da garantia e das atividades de “Manutenção Preventiva e Corretiva”.
- Entrega da Documentação Técnica e Termos de Garantia de Equipamentos,
Softwares e Serviços;
- Entrega da Documentação Técnico/Operacional.
Faturamento: De posse do documento de Aceite Definitivo emitido pela SEC/BA a contratada
emitirá Nota Fiscal Fatura no valor total correspondente aos Serviços de instalação e
configuração dos equipamentos e sistemas efetivamente entregues;
- De posse do documento de Aceite Definitivo emitido pela SEC/BA a contratada
emitirá Nota Fiscal Fatura no valor total correspondente a parcela mensal dos
serviços de Operação e Monitoramento Remoto;
- De posse do documento de Aceite Definitivo emitido pela SEC/BA a contratada
emitirá Nota Fiscal Fatura no valor total correspondente a parcela mensal dos
serviços de manutenção (preventiva e corretiva) e suporte técnico das unidades
escolares efetivamente implantadas.
Obs.: Para grupos adicionais de até 50 (cinquenta) Unidades Escolares se repetirá na
sequência da Etapa 3, considerando o prazo de 30 (trinta) dias.
23. Qualificação Técnica dos Licitantes
Para habilitação técnica da proponente serão exigidas as seguintes Declarações e Atestados
Obrigatórios a serem entregues pela proponente juntamente com demais documentos
exigidos no processo licitatório:
28
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
29/110
a) Atestado(s) de capacidade técnica, fornecido(s) por pessoa jurídica de direito público
ou privado que comprove(m) o desempenho de serviço(s) compatível(is) em
características quantidades e prazos com o objeto. Deve constar deste também o
numero do Contrato, data de assinatura e período de vigência do mesmo.
i. O(s) atestado(s) deve(m) comprovar que a empresa proponente esta
fornecendo ou forneceu de forma satisfatória, no mínimo 10% (dez por
cento) do total dos principais itens deste Edital, obrigatoriamente
demonstrando a prestação do serviço no número Unidades, DVR,
Sensores e Câmeras listados e licitados neste documento.
b) Certidão de registro da empresa licitante e de seu responsável técnico, expedido pelo
Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – CREA da sede do
licitante, para os serviços integrantes do objeto.
c) A comprovação do vínculo do profissional com a empresa licitante será feita por meio
dos seguintes documentos:
i. Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) devidamente
assinada, Contrato Social atualizado comprovando a participação do
profissional na sociedade ou, ainda, contrato de trabalho.
d) A empresa licitante deverá estar apta a instalar e prestar serviços de manutenção nos
equipamentos ativos (DVR´s, Câmeras, Sensores, Switchs e servidores) fornecidos.
Para tanto, quando da assinatura da Ata de Registro de Preços deverá apresentar
documento comprobatório emitido pelo fabricante equipamentos.
e) Declaração formal, conforme modelo no Anexo X, comprometendo-se a alocar
profissionais técnicos capacitados, disponível e na quantidade necessária para a
realização do objeto da licitação, assegurando a qualificação de cada um dos
membros, a ser apresentado no ato da contratação, que deverão minimamente
possuir:
• Conhecimento em sistema de cabeamento estruturado (metálico);
29
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
30/110
• Conhecimento em sistema elétrico de baixa voltagem;
• Conhecimento e experiência em sistema de monitoramento por imagens (CFTV) e
Alarmes;
• Conhecimento e experiência em sistema de gerenciamento e gravação de imagens;
• Conhecimento e experiência em Operação e Monitoramento de Sistema de CFTV e
Alarmes.
24. Considerações finais
Todos os remanejamentos que se fizerem necessários ficarão por conta da CONTRATADA,
incluindo o transporte de profissionais, materiais usados e limpeza da área em geral.
Os serviços só serão considerados concluídos se os mesmos estiverem completos e
operacionais.
30
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
31/110
ANEXO I
1.
INFRAESTRUTURA
Neste anexo está discriminado como deverão ser executados os serviços de instalação,
quando necessário, da infraestrutura: Eletrodutos em aço galvanizado leve, eletrodutos em
PVC, eletrodutos flexíveis, eletrodutos subterrâneos / seal tubo, eletrocalhas, quadros de
passagem, quadros de comando, quadros de conexão, caixas de passagem, painéis elétricos
e painéis de comando.
Os acabamentos de alvenaria e pintura danificados na instalação serão de responsabilidade
da CONTRATADA.
1.1 Interligação Entre Módulos
•
A interligação entre os Módulos/Blocos se dará por eletrodutos em metal galvanizado
fixados quando sob/sobre paredes e Lages; seal tubo com corrugação helicoidal
quando subterrâneo (mínimo de ¾ pol) instalados pela Contratada e caixas de
passagem fechadas;
•
A interligação entre os pavimentos ocorrerá através de eltrocalhas metálicas e/ou em
PVC e por tubulação em PVC (mínimo de ¾ pol) instalados pela Contratada;
•
O acesso aos Pontos de instalação dos APs na área interna será a partir de
eletrocalhas e eletrodutos de PVC existentes (mínimo de ¾ pol) instalados pela
Contratada;
•
O acesso aos Pontos de instalação na área externa será a partir de eletrodutos em
metal galvanizado fixados sobre paredes e lages e/ou seal tubo com corrugação
helicoidal quando subterrâneo (mínimo de ¾ pol) instalados pela Contratada.
Observação:
A ligação dos pontos de instalação nas áreas internas e externas será através de eletrocalhas
e eletrodutos, devendo-se observar:
•
Somente poderá ser utilizada eletrocalha onde possuir cobertura por laje, e a fixação
deverá ir para o teto através de tirantes, mão francesa, e abraçadeiras com uso de
31
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
32/110
parafusos S8 ou atarraxastes;
•
Nas áreas sem cobertura por laje, deverão ser utilizados eletrodutos galvanizados, e a
fixação deverá ser através de tirantes, mão francesa, e abraçadeiras com o uso de
parafusos S6 ou atarraxastes;
•
Se subterrâneo na área externa, deverão ser utilizados seal tubo com corrugação
helicoidal, enterrados a profundidade mínima de 30 cm.
1.2 Instalações de Infraestrutura
O modelo básico da execução de infraestrutura será composto por eletrocalhas, eletrodutos
em PVC ou aço galvanizado leve nas áreas internas e eletrodutos em aço galvanizado leve e
seal tubo na área externa, conforme dimensionamento e normas citadas.
1.3 Rede de Distribuição de Infraestrutura
A rede de distribuição e encaminhamento composta por eletrocalhas e eletrodutos atenderá
os seguintes sistemas:
•
Rede Lógica metálica
•
Rede Elétrica
Nas áreas internas serão por meio de eletrocalhas ou eletrodutos a serem instalados pela
Contratada nas áreas de circulação e/ou sobre paredes, derivando para os pontos de
instalação por eletrodutos;
Nas áreas externas, sob jardins, pisos, calçadas ou arruamento serão por meio de dutos
subterrâneos/seal tubo envelopados ou não, interligados através de e caixas de passagem de
concreto.
Observação:
Todas as derivações deverão ser através de eletrodutos galvanizados ou PVC com
conduletes, ambos fixados através de parafusos S6 e abraçadeiras tipo “D;
32
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
33/110
Após a instalação dos eletrodutos, inclusive aqueles de reserva, deverão ser colocados nos
mesmos um arame galvanizado n.º 12 BWG para montagem.
1.4 Dutos para Subterrâneo/Acessórios
•
Duto na cor preta com corrugação helicoidal, utilizado para proteção de cabos
subterrâneos de energia e telecomunicação, que deverá ser resistente aos esforços
mecânicos e ao ataque de substâncias químicas encontradas no subsolo. Deverá ter
flexibilidade e resistência, podendo ou não ser necessário o envelopamento em
concreto do banco de dutos;
•
Deverá ser fornecido em rolo, atendendo a ANBT NBR 13.897 e 13.898; e
•
Após a instalação dos eletrodutos e seal tubo, inclusive aqueles de reserva, deverão
ser colocados nos mesmos um arame galvanizado n.º 12 BWG para montagem.
1.5 Eletrocalha e Acessórios
•
Deverão ser seguidas todas as recomendações e cuidados necessários à montagem
de eletrocalhas e perfilados descritas nos manuais de instalação dos fabricantes e
normas da ABNT;
•
Poderão ser utilizadas eletrocalhas com chapa pré-zincada por imersão a quente ou
em chapa pré-zincada à fogo;
•
As Eletrocalhas e acessórios com fabricação em chapa pré-zincada por imersão a
quente obedecerão as normas fixadas pela ABNT: NBR 7008 e NBR 7013; e
•
As Eletrocalhas e acessórios com fabricação em chapa pré-zincada à fogo
obedecerão as normas fixadas pela ABNT: NBR 6323;
•
Tipo: ventilada com tampa;
•
As eletrocalhas e perfilados, quando não indicados, mas necessários à instalação,
devem ser de chapa #18;
•
Todos os acessórios devem ser do tipo industrializado; e
•
Acessórios de montagem (curvas, T’s, cotovelos, flanges, cruzetas, junções, reduções,
terminais, talas, emendas e tampas), apenas originais de fábrica. Não será aceito
nenhum destes “artesanais” (confeccionados no local dos serviços).
33
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
•
APLICAÇÃO:
•
Apenas em ambiente interno;
•
Não utilizar medida maior que 100x50 mm.
Folha
34/110
1.5.1 Montagem de Eletrocalhas e Perfilados
•
Não ultrapassar 80% da capacidade das eletrocalhas na passagem dos cabos;
•
Fixação/ suportes (mão francesa ou tirante) no mínimo a cada 1,5 metro;
•
Todo o conjunto deverá estar nivelado e aterrado;
•
Todas as saídas de eletroduto dos perfilados devem ser preferencialmente através de
saída lateral; e
•
Exceto as eletrocalhas situadas em áreas sob piso / piso elevado, todas deverão
conter tampa sem ventilação.
1.6 Eletroduto, Curva e Luva de PVC Rígido Rosqueável
Serão de cloreto de polivinila PVC NBR-6150 rígido, rosqueado em ambas as extremidades e
com a superfície interna isenta de rugosidade e rebarbas, com luva em uma extremidade e
um protetor de rosca na outra, e curvas de raio longo;
APLICAÇÃO/ Eletroduto PVC:
•
Em ambiente interno;
•
Não utilizar medida maior que 3”.
Recomendação nas Instalações:
•
Não ultrapassar 80% da capacidade dos eletrodutos na passagem dos cabos;
34
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
35/110
•
Fixação/ suportes (mão francesa ou tirante) no mínimo a cada 1,5 metro; e
•
Todo o conjunto deverá estar nivelado.
1.7 Eletroduto Aço Galvanizado Leve
Deverão ser seguidas todas as recomendações e cuidados necessários à montagem de
tubulações descritas nos manuais de instalação dos fabricantes e normas da ABNT.
Eletroduto rígidos de aço, conforme a norma NBR 13057/93 e 5624/93; Rosca NBR 8133;
com 1 luva e protetor de rosca em barras de 3 metros - Acabamento: Galvanizado Eletrolítico
-NBR 13057/93 e Zincado a Fogo (“Galvanizado a Fogo”)- NBR 5624/93.
Serão utilizados eletrodutos de galvanizado leve conforme especificações, juntamente com
caixas de passagem e conduletes de alumínio, de acordo com as dimensões e distribuição
dadas em projeto, fixadas através de braçadeiras metálicas galvanizadas tipo D (cunha) a
cada 2,0 m;
Após a instalação dos eletrodutos, inclusive aqueles de reserva, deverão ser colocados nos
mesmos um arame galvanizado n.º 12 BWG para montagem;
Os eletrodutos com cabos UTP serão exclusivos, não se admitindo passagem de cabos de
energia ou de outra finalidade;
Deverão ser respeitadas as distâncias mínimas entre os diferentes eletrodutos, executando a
fiação elétrica e a rede lógica pelos encaminhamentos indicados em projeto, desta forma
ficando garantidas as exigências das normas.
Todas as instalações deverão preservar a boa aparência dos ambientes em que estão sendo
instaladas.
APLICAÇÃO:
Ambiente externo (opcionalmente interno): conexões obrigatoriamente com rosca, utilizar
apenas barras de ∅ 3”, 2”, 1” ou ¾.
Recomendação nas Instalações:
35
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
36/110
Não ultrapassar 80% da capacidade dos tubos na passagem dos cabos, abraçadeira - no
mínimo a cada 1,50 metro (tanto na horizontal como vertical).
Conduletes de passagem deverão ser colocados a cada 6,00 metros (onde não houver).
Toda tubulação deverá estar nivelada e aterrada.
Tubulação externa não deverá ter derivações “por cima” dos conduletes:
Os eletrodutos serão fixos nas paredes, teto e muros através de abraçadeiras tipo “D”, ou
quando necessário através de mão francesa, e o espaçamento entre si deverá ser de no
máximo 2,00 metros;
Quando instaladas em muros com ou em paredes com diferenças nível ou de alinhamento,
deverá ser utilizada mão francesa com bucha e parafuso S8 com cabeça sextavada;
A distância entre a abraçadeira de fixação dos eletrodutos e o condulete mais próximo será
de no máximo 20 cm;
Não será permitida a distribuição de cabeamento ou fiação livre. Todas deverão ser
encaminhadas dentro de tubulações eletrocalha, perfilados, eletroduto flexível ou duto flexsubterrâneos;
Não será permitida a utilização de mais de 02 (duas) curvas sem uma caixa de passagem;
A conexão de eletrodutos nas caixas e quadros não rosqueáveis deverá ser por meio de
buchas e arruelas apropriadas. Não será permitido o uso de solda no caso dos metálicos;
As extremidades livres, não rosqueadas diretamente em caixas ou conexões, deverão ser
providas de buchas; e
36
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
37/110
Não deverão ser empregadas curvas com deflexão maior que 90 graus. No caso de conexões
por luvas rosqueáveis, os eletrodutos poderão ser cortados por meio de corta-tubos ou serra,
sendo as roscas feitas com uso de cossinete e com ajustes progressivos.
1.8
Corte e Dobramento
Os eletrodutos deverão ser cortados perpendicularmente ao seu eixo longitudinal, conforme
disposição da NBR 5410, devendo os cortes serem efetuados preferencialmente com
equipamentos apropriados para este fim;
Não serão permitidos, em uma única curva, ângulos maiores que 90º, conforme NBR 5410.
O dobramento de eletrodutos deverá ser feito de forma a não reduzir o diâmetro interno do
tubo, ou de preferência com conexões de raio longo;
As curvas deverão ter um raio mínimo de 06(seis) vezes o diâmetro do eletroduto;
O número de curvas entre duas caixas não poderá ser superior a 3 de 90º ou equivalente a
270º, conforme disposição da NBR 5410;
O curvamento dos eletrodutos metálicos deverá ser executado a frio, sem enrugamento,
amassaduras, avarias do revestimento ou redução do diâmetro interno;
Os eletrodutos paralelos deverão ser dobrados de maneira que formem arcos de círculos
concêntricos;
Quando aparentes, deverão correr paralelos ou perpendiculares às paredes e estruturas, ou
conforme projetos;
Todas as roscas deverão ser conforme as normas da ABNT já citadas e ou sucessoras;
Toda a tubulação contendo condutores de elétrica deverá estar limpa e seca, antes de serem
instalados os condutores. A secagem interna será feita pela passagem sucessiva de bucha ou
estopa, de sopro de ar comprimido;
Durante a construção e montagem, todas as extremidades dos eletrodutos, caixas de
passagem, conduletes etc. deverão ser vedados com tampões e tampas adequadas. Estas
37
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
38/110
proteções não deverão ser removidas antes da colocação da fiação;
A fixação dos eletrodutos aos quadros será feita por meio de buchas ou arruelas metálicas,
sendo que os furos deverão ser executados com serra copo de aço rápido, e as bordas
lixadas; e
Os eletrodutos serão instalados de modo a constituir uma rede contínua de caixa a caixa, na
qual os condutores possam, a qualquer tempo, serem passados ou remanejados, sem
prejuízo para seu isolamento e sem ser preciso interferir na tubulação.
1.9
Escavações Eletrodutos / Seal tubo Subterrâneos
•
As escavações de valas deverão dar condições para montagem das tubulações /
SEAL TUBO, caixa de passagem em concreto e outros, conforme elementos do
projeto;
•
Os eletrodutos/SEAL TUBO subterrâneos que estiverem em áreas que houver fluxo de
pessoas e ou veículos deverão ser envelopados em concreto;
•
As linhas de eletrodutos/SEAL TUBO subterrâneos deverão ter declividade mínima de
0,5% entre poços de inspeção, para assegurar a drenagem;
•
A face superior dos envelopes de concreto deverá ficar no mínimo 300 mm abaixo do
nível do solo; e
•
As caixas de passagens deverão ter entre si uma distância média de 20 metros nas
áreas externas.
1.10
Eletroduto Flexível
Constituído internamente com conduite metálico flexível fabricado em espiral com fita de aço
carbono zincado pelo processo contínuo de imersão a quente e revestido externamente com
espessa camada de PVC extrudado envolvendo todo o tubo. Oferecido para trabalhar em
temperatura até 60ºC, conf. NBR-6148;
Eletroduto flexível em fita de aço zincada, cobreada ou estanhada, revestido externamente
com PVC na cor preta;
Não será permitida a distribuição de cabeamento ou fiação livre, todas deverão ser
encaminhadas dentro de tubulações eletrocalha, perfilados, eletroduto flexível ou Seal Tubo
subterrâneos;
38
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
1.11
Folha
39/110
Condulete
Caixa de passagem tipo condulete, fabricada em liga de alumínio fundido, à prova de tempo,
gases, vapores e pós, com acabamento natural de 1/2 a 4.
Poderão ser usados conduletes:
•
Nos pontos de entrada e saída dos condutores na tubulação; e
•
Nas divisões dos eletrodutos.
Todas as conexões e derivações necessárias serão feitas com a utilização de conduletes de
pressão ou, quando do uso de conduletes sem rosca, deverão ser vedados com silicone
líquido;
Os conduletes até 1” utilizados nas derivações e terminações serão fixados com parafusos
com dimensões mínimas S6mm; e
Os conduletes acima de 1” utilizados nas derivações e terminações serão fixados com
parafusos com dimensões mínimas S8mm.
1.12
•
Conexões e Tampões
As emendas dos eletrodutos só serão permitidas com o emprego de conexões
apropriadas, tais como luvas ou outras peças que assegurem a regularidade da
superfície interna, bem como a continuidade elétrica;
•
Deverão ser utilizadas graxas especiais nas roscas, a fim de facilitar as conexões e
evitar a corrosão, sem que fique prejudicada a continuidade elétrica parafuso;
•
Durante a construção e montagem, todas as extremidades dos eletrodutos, caixas de
39
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
40/110
passagem e conduletes deverão ser vedados com tampões e tampas adequadas.
Estas proteções não deverão ser removidas antes da colocação da fiação; e
•
Nos eletrodutos de reserva, após a limpeza das roscas, deverão ser colocados
tampões adequados em ambas as extremidades, com sondas constituídas de fios de
aço galvanizado 16 AWG.
1.13
Quadros, Painéis e Caixas de Passagem
As caixas de passagem deverão ser instaladas em locais indicados em projetos e nos locais
necessários à correta passagem da fiação;
Poderão ser empregadas caixas de passagem nos seguintes casos:
Em pontos de entrada ou saída dos eletrodutos, exceto na transição de linhas abertas através
de dutos.
Poderão ser utilizados ainda:
•
Em pontos de emenda ou derivação dos condutores;
•
Em pontos de confluência e derivações de eletrocalhas;
•
Em pontos de confluência e derivações de eletroduto flexível;
•
Em pontos de confluência e derivações de eletrodutos subterrâneo / Duto Flex; e
•
Em pontos de confluência e derivações dos eletrodutos.
Para fixação de quadros ou caixas metálicas em alvenaria, teto, sobre forros e/ou muros
deverão ser feitas por meio de parafusos atarraxantes, buchas e arruelas metálicas, havendo
necessidade de se fazer furos nas caixas ou quadros metálicos e deverão ser executados
com serra copo de aço rápido, e as bordas lixadas;
Os painéis e quadros deverão ter acessos frontais. Na parte frontal deverá haver porta com
fecho, dobradiças e maçanetas de boa qualidade e aparência, com proteção anticorrosiva;
Os painéis e quadros deverão conter os meios necessários à ligação dos cabos, bem como
dispositivos para sua fixação, de modo a evitar que fiquem pendurados;
40
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
41/110
A vedação dos painéis deverá ser executada, de modo a proteger os equipamentos contra
poeira e líquidos não corrosivos em suspensão. Se em áreas externas, deverão ser
hermeticamente fechados;
Todas as superfícies metálicas não condutoras de corrente elétrica, deverão ser pintadas e/ou
submetidas a tratamentos, os quais deverão proporcionar boa resistência a óleos e graxas em
geral, grande durabilidade, inalterabilidade das cores, resistência à corrosão, boa aparência e
fino acabamento;
O tratamento da chapa deverá ser por jateamento de areia e pintura eletrostática em epóxi
com espessura mínima de 80 microns;
Os painéis e quadros deverão conter um barramento em cobre para ligação a terra, que
permita a interligação aos painéis adjacentes, a fim de formar um conjunto contínuo;
Os painéis e quadros deverão ser fornecidos montados, com toda a fiação e equipamentos
fixos, não passíveis de quebra no transporte;
Nenhum dispositivo de comando deverá ficar a uma altura inferior a 0,5m do piso;
Os painéis, quadros e caixas deverão possuir os espaços de reserva, conforme, deverá ser
previsto ainda espaço para eventual condensação de umidade;
Os painéis, quadros e caixas embutidas nas paredes deverão facear o revestimento da
alvenaria e serão niveladas e aprumadas de modo a não resultar excessiva profundidade de
forma a não oferecer saliências ou reentrâncias capazes de coletar poeira ou resíduos
diversos;
Os diferentes quadros de uma área serão perfeitamente alinhados e dispostos de forma a não
apresentarem conjunto desordenado;
Os quadros para montagem aparente serão fixados às paredes através de chumbadores, em
quantidades e dimensões necessárias a sua perfeita fixação;
Todos os parafusos, as porcas e as arruelas utilizados para fixação de painéis, quadros e
caixas deverão ser preferencialmente zincados por imersão a quente;
41
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
42/110
O nível dos quadros de distribuição será regulado por suas dimensões e pela comodidade de
operações das chaves ou inspeção ou dos instrumentos, não devendo, de qualquer modo, ter
a borda inferior a menos de 0,50 metros do piso acabado;
Além da segurança para as instalações que abriga, os quadros deverão ser inofensivos a
pessoas, ou seja, em suas partes aparentes não deverá haver qualquer tipo de perigo de
choque, sendo para tanto isolados;
Todos os painéis, quadros e caixas deverão conter plaquetas de identificação acrílicas 2x4
cm, transparentes com escrita cor preta;
Toda terminação de eletrocalha em painéis, quadros e caixas deverá conter flange. Nos
casos de “entrada” em locais semi-externos só poderá ser por baixo;
No caso de terminação de eletrodutos em painéis, quadros e caixas deverão ser utilizados
conectores retos;
Com vedação – para entradas “por cima” (independente do ambiente):
Sem vedação – para entradas “por baixo”:
Deverão ser evitadas ao máximo “entradas” pela parte de trás dos quadros painéis e caixas.
No caso das entradas pelas laterais, utilizar modelo com vedação.
1.14
Caixas de Concreto Subterrâneas de Passagem
Serão permitidas instalações de caixas de passagens em concreto nas áreas externas,
devendo ser seguidas sempre que possível as orientações abaixo.
As dimensões internas:
•
20 x 20 x 20 cm (C x L x P)
das paredes:
42
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
•
15 cm para alvenaria
•
10 cm para concreto
Folha
43/110
da Tampa:
•
8 cm para concreto
A caixa deverá ser rebocada, a fim de evitar infiltrações, e no seu interior deverá conter pedra
brita nº 2.
43
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
44/110
ANEXO II
1. REDE LÓGICA
A rede lógica para o Sistema utilizará infraestrutura exclusiva de eletrocalhas e/ou eletrodutos
a ser instalada pela Contratada.
A partir do Ponto Central de Concentração (PCC) localizado na sala da Secretaria da Unidade
Escolar, Sala da Administração da UAB e internamente a Sala de Videconferencia, deverão
ser lançados cabos UTP CAT 5e com Balun de Vídeo em suas extremidades atingindo os
Pontos de Monitoração (PM) onde serão instaladas Câmeras, nos modelos Externas Fixas
(CEF) e Internas Fixas (CIF).
A alimentação dos Sensores de Presença e Sirene se dará por cabo paralelo 1,5mm².
Em cada PCC deverá ser instalado um Rack (19” – 6U) fixado sobre parede, fechado, para
acomodar a terminação do cabeamento, e os equipamentos ativos do sistema (DVR´s,
Nobreak´s, dentre outros acessórios).
Na Sala da Central de Operação e Monitoramento, um Rack (19” – 18U) acomodado sobre o
piso fechado, para acomodar a terminação do cabeamento, e os equipamentos ativos do
sistema (Switch, Servidores, DVR´s, Nobreak´s, dentre outros acessórios).
A localização exata dos Rack´s deverá ser definida pela Contratada com aprovação de
prepostos da SEC/BA, considerando paramentos como: Distância para os PM, obstáculos no
traçado do cabeamento, possibilidade de interferências de RF, dentre outros.
Para garantir a transmissão e acesso as imagens o sistema de CFTV utilizará a Rede Local
(LAN) existente. Para tanto, cabeamento UTP CAT 5e deverá interligar os equipamentos
DVR´s aos Patch Panel e Switch´s existentes, preferencialmente em Virtual LAN configura
para esta finalidade.
Ainda, através de configuração especifica nos switchs da rede, deverá ser permitido o acesso
(autorizado) aos recursos do Sistema de CFTV aos gestores dos processos implantados e
44
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
45/110
conectados a LAN da Unidade Escolar e da Central de Operação e Monitoramento Remota,
instalada nas dependências da SEC/BA na cidade do Salvador-Ba.
Será de responsabilidade da Contratada o correto posicionamento das Câmeras e
Sensores garantindo a perfeita vigilância e boa qualidade das imagens capturadas nos
ambientes nomeados, conforme diagrama abaixo.
a. Total de Pontos Unidades Escolares, NTE´s, UAB´s e Salas de
Videoconferência
Padrão da
Qtd
Unidade
Nº de Pontos
Nº de Pontos
Nº
total
Lógicos para
Lógicos para
Pontos
Câmeras por
Alarmes por
Lógicos
Unidade
Unidade
Unidade
de
Nº total de
Pontos
por
Lógicos
Tipo I
192
20
09
29
5568
Tipo II
340
16
09
25
8500
Tipo III
612
12
07
19
11628
Tipo IV
229
08
07
15
3435
UAB I
20
04
03
07
140
UAB II
05
06
03
09
45
Videoconferência
34
02
02
04
136
TOTAL
1432
29.452
b. Total de Pontos Central de Operação e Monitoramento Remoto
Unidade
COMR
TOTAL
Qtd
Nº total de Pontos Lógicos
01
05
01
05
2. Cabeamento
Para o sistema de CFTV deverão ser utilizados cabos UTP CAT 5e, conforme normas e
descrições já mencionadas neste documento. Cada ponto indicado não deverá ter emendas,
45
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
46/110
ou seja, do ponto de origem deverá ser encaminhado direto para o Rack de destino. As
pontas dos cabos receberão Balun de Vídeo ou RJ45 adequados e perfeitamente
conectorizados.
A alimentação dos Sensores de Presença e Sirene deverá ser feito por cabo paralelo 1,5mm².
Os cabos referentes ao sistema deverão ter sobra de 0,50m em ambas as pontas,
acomodada na eletrocalha/eletroduto.
3. Lançamento de Cabos e Fios
Na instalação dos cabos deve-se evitar o tracionamento de comprimentos maiores que 30
metros;
Durante o lançamento do cabo não deverá ser aplicada força de tração excessiva que possa
prejudicar o desempenho do cabo;
Os cabos não devem ser apertados. No caso de utilização de cintas plásticas ou barbantes
parafinados para o enfaixamento dos cabos, não deve haver compressão excessiva que
deforme a capa externa ou tranças internas;
Para a passagem de cabos não será utilizado nenhum tipo de lubrificante (vaselina, graxa,
talco, sabão, sabonete, óleo vegetal ou mineral, extintor, entre outros);
O puxamento poderá ser manual ou mecanizado, de acordo com as recomendações do
fabricante dos cabos;
O puxamento manual, normalmente usado em trechos curtos, à tração manual média deverá
ser da ordem de 15 a 20 Kgf. No puxamento mecânico, normalmente usado em trechos
longos, a tensão máxima permissível será da ordem de 4 Kgf./mm2; e
Os cabos deverão ser puxados com um passo lento e uniforme. Trocas bruscas de
velocidade de puxamento, ou inícios e paradas, devem ser evitadas.
4. Identificação
46
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
47/110
Todos os pontos, cabos, painéis, rack’s, caixas, tomadas, patches, lines (adapter) da rede de
voz e dados deverão ser identificados com etiquetas adesivas impressas ou abraçadeira
plástica especifica e compatível à bitola do cabo e de acordo com a norma EIA/TIA 606-A.
Todos os cabos deverão ser identificados através de marcador alfanumérico nas 2 pontas,
inclusive dentro dos quadros de passagem de concreto, na área externa.
5. Materiais Rede Lógica – Especificação Técnica
5.1 CABO UTP Categoria 5e
a) Cabo UTP para LAN tipo Ethernet;
b) Padrão IEEE 802.3 em quatro (4) pares trançados;
c) Atender às normas EIA/TIA 568B; e
d) Fabricante com certificado de qualidade ISO 9001.
5.2. Balun de Vídeo passivo 1 Canal
a) Reposta de Frequência : CC – 6MHz;
b) Suporte a formatos NTSC / PAL / CCIR / SECAM;
c) Conetor BNC macho 75 Ohms (conexão Coaxial);
d) Conector de parafusos 100 Ohms (conexão cabo UTP);
e) Suporte a cabeação par trançado não blindado 0,5 – 1,30mm ( 24 – 16 AWG);
f) Supressão de ruídos.
5.3 RACK 19" – Tipo Parede, fechado 6U
a) Bastidor fechado, com largura de 19", altura de 6U (unidades modulares) e
profundidade mínima de 450mm;
b) 1 Régua c/ 6 Tomadas tripolar (F-N-T) padrão NBR 14136/02;
c) Porta frontal reversível em acrílico com fechadura tipo cilindro e chave;
d) Kit Ventilação com pelo menos 2 ventiladores;
e) Ângulo de abertura da porta de 180°;
f) Corpo do mini rack com terminal de aterramento.
47
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
48/110
5.4 RACK 19" – Tipo Piso, fechado 18U
a) Bastidor fechado, com largura de 19", altura de 18U (unidades modulares) e
profundidade mínima de 575mm;
b) Pintura eletrostática a pó;
c)
Fechamentos laterais e fundo removíveis.
d) 1 Régua c/ 6 Tomadas tripolar (F-N-T) padrão NBR 14136/02;
e) Porta em acrílico com chave;
f) Kit Ventilação com pelo menos 2 ventiladores; e
6. Certificação e Testes
Todos os componentes da cabeação, após sua instalação, deverão ser testados e certificados
pelo instalador.
Deverão ser fornecidos, como resultado desta certificação, relatório contendo o laudo de
aferição de cada segmento instalado para utilização no futuro, em procedimentos regulares
de medição da cabeação.
48
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
49/110
ANEXO III
1.
REDE ELÉTRICA
A rede elétrica para a solução de Segurança utilizará a canalização (eletrocalhas e
eletrodutos) existente, complementando se necessário.
A alimentação elétrica 127 ou 220 Volts (Fase, Neutro,Terra) necessária aos equipamentos
da solução deverá ser obtida no Quadro de Distribuição de Entrada (QDE) da edificação e a
partir de disjuntor monopolar de 35A especifico será conduzido por cabos de 6mm² até o
Ponto Central de Concentração (PCC) na Sala da Secretaria da Unidade.
No PCC um Quadro de Distribuição Secundário (QDS) a ser instalado pela contratada
receberá a cabeação em disjuntor de entrada também de 35A alimentando a partir deste o
Sistema Nobreak instalado. Recomenda-se fazê-lo a partir de instalação de ponto elétrico
sobre parede próxima.
Cabeação (6,0mm²) partirá do Nobreak e alimentará os 2 (dois) disjuntores (20A) de saída no
QDS. Recomenda-se para a conexão com o nobreak a utilização de tomada padrão.
A partir de cada disjuntores de saída (20A), ponto elétrico deverá ser instalado sobre parede,
junto a Rack a ser instalado. A esta tomada deverá ser interligada a régua de tomadas no
interior do Rack.
O QDS deverá ser interligado a malha de terra conforme definido abaixo;
1.1.
Diagrama
49
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
50/110
Todos os cabos deverão conter nas extremidades, anilhas de PVC com o número do circuito
e esse indicado no quadro elétrico;
O Circuito elétrico deverá ser encaminhado através de eletrocalhas e eletrodutos em PVC (se
internos) e metal galvanizados e/ou Seal tubo (se externos), obedecendo às normas afins;
Todos os equipamentos da solução deverão ser alimentados por circuitos elétricos
estabilizados e aterrados, suportados por Nobreak;
1.2.
Circuito Elétricos
Cada circuito deverá ser alimentado com um condutor fase, neutro e proteção (terra)
independente. É vedada a derivação de condutores fase, neutro e terra para alimentar a
vários circuitos; e
Todos os cabos deverão conter nas extremidades anilhas de PVC com o número do circuito e
deve ser indicado no quadro elétrico.
1.3.
Condutores Elétricos
A fiação elétrica será constituída de cabos de cobre flexível, têmpera mole, encordoamento
classe 5, em PVC 750V 70ºC NBR 6245, com certificado de conformidade da ABNT gravado
no próprio fio, secção transversal mínima de # 2,5 mm2, respeitando-se a padronização de
cores definida;
50
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
51/110
Não serão permitidas emendas de cabos no interior dos eletrodutos, em hipótese alguma;
As emendas dos cabos elétricos, quando necessárias, deverão ser sempre estanhadas,
cobertas com fita auto-fusão e recobertas com fita isolante anti-chama;
Os cabos deverão ser desenrolados e cortados nos lances necessários, e previamente
verificados, efetuando-se uma medida real do trajeto, e não por escala no desenho;
O transporte dos lances e a sua colocação deverão ser feitos sem arrastá-los, a fim de não
danificar a capa protetora ou de isolação, devendo ser observados os raios mínimos de
curvatura permissíveis;
Todo o cabeamento deverá ser feito de maneira que forme uma aparência limpa e ordenada.
Deverão ser deixados, em todos os pontos de ligações, comprimentos adequados de cabos
para permitir as emendas que se tornarem necessárias;
Nenhum condutor deverá ser instalado até que a rede de eletrodutos e dutos de piso estejam
completos e concluídos todos os serviços de construção que os possam danificar; e
Antes da instalação dos condutores, deverá ser certificado que o interior dos eletrodutos não
tenha rugosidade, rebarbas e substâncias abrasivas, que possam prejudicar o cabo durante o
puxamento.
1.4.
Ponto Elétrico
a)
Tomada tipo tripolar (F-N-T) padrão NBR 14136/02, de capacidade 250V/20A;
b)
Tomadas acondicionadas em caixas de termoplástico auto extinguível, de
sobrepor em parede, placa de poliestireno de auto impacto e tampa.
Obs.: A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua,
limitada a 24VDC poderá ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP
CAT 5e instalado para a rede lógica.
1.5.
Aterramento Elétrico
A contratada deverá interligar os pontos de serviço ao aterramento exclusivo e o mesmo
51
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
52/110
deverá ser executado através de hastes de cobre de 5/8” x 2,5 m, interligadas entre si, por
meio de cordoalha de # 10mm² em cobre nu;
A medida da resistência de aterramento terá valor de, no máximo, 10 ohms, em tempo seco.
No caso de não ser obtido este valor, aumentar o número de hastes e/ou tratar o terreno
quimicamente, através de gel;
Deverá ser prevista a confecção de caixa de inspeção com tampa e fundo composto por brita,
ao redor de cada haste de terra, para que com isso seja possível a medição periódica da
resistência de aterramento;
O QDS (Quadro Geral de Distribuição Secundário) deverá ser interligado à malha de
aterramento, através de cordoalha, conectada à barra de cobre a ser instalada no interior do
quadro. Em hipótese alguma será aceita a interligação do barramento de terra ao neutro. A
tensão entre terra e neutro deverá ser no máximo de 3 VAC;
O aterramento dos equipamentos poderá ser realizado através do pino de terra das tomadas
de força, o qual deverá estar interligado ao sistema de aterramento.
1.6.
Total de Pontos Elétricos Unidades Escolares, NTE´s, UAB´s e Salas de
Videoconferência
Padrão
Qtd
Rack
Câmeras
Total por
Unidade
Tipo I
Tipo II
Tipo III
Tipo IV
UAB I
UAB II
Videoconferência
Total
192
340
612
229
20
05
34
1.432
01
01
01
01
01
01
01
20
16
12
08
04
06
02
21
17
13
09
05
07
03
Total de
Pontos
Elétricos
4032
5780
7956
2061
100
35
102
20.066
1.6.1. Total de Pontos Central de Operação e Monitoramento Remoto
Unidade
COMR
TOTAL
Qtd
Nº total de Pontos Elétricos
01
13
01
13
52
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
1.7.
Folha
53/110
Equipamentos Rede Elétrica – Quantitativos
Padrão Escola
Qtd
Unidades
Tipo I
Tipo II
Tipo III
Tipo IV
UAB I
UAB II
Videoconferência
Total
192
340
612
229
20
05
34
1432
Nº de Nobreak
1.2Kva por
Unidade
01
01
01
01
01
01
01
Nº total
de
Nobreak
192
340
612
229
20
05
34
1432
Obs.: A Central de Operação e Monitoramento Remoto será alimentada pelo
Sistema Nobreak / Gerador existente nas instalações da Contratante (SEC/BA).
1.7.1. NOBREAK 1.2Kva – Especificação Técnica
a) Capacidade de 1.2 (um ponto cinco Kva;
b) Autonomia mínima de 12 (doze) minutos a meia carga;
c) Tensão de entrada 120/220V (cento e vinte e duzentos e vinte volts) autmático,
frequência de 47 (quarenta e sete) a 63 (sessenta e três) Hz em circuito
monofásico;
d) Tensão de saída 120/220V (cento e vinte e duzentos e vinte volts) configurável
através de jumper, frequência de 50/60Hz (cinquenta e sessenta hertz) ajustável;
e) Flutuação da tensão de saída ± 3 % (três por cento) com bateria carregada;
f) Transferência em caso de falha da rede menor que 8(oito) ms;
g) Índice de eficiência em rede superior a 95% (noventa e cinco por cento) e em
bateria superior a 80%;
h) Desligamento automático contra descarga profunda de bateria no modo inversor;
i) Acionamento do inversor para subtensão e sobretensão na rede elétrica com
retorno e desligamento automático;
j) Bateria selada VRLA , chumbo-ácida, livre de manutenção.
53
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
54/110
1.7.2. Quadro de Distribuição Elétrica
a)
Barramento Monofásico, de sobrepor em parede;
b)
Suporte para 4 (quatro) Disjuntores;
c) Material Termoplástico auto extinguível (ABS);
d) Proteção mecânica: IK06;
e) Grau de Proteção: IP55;
f) Portas Reversíveis.
2.
Lançamento de Cabos e Fios
Na instalação dos cabos deve-se evitar o tracionamento de comprimentos maiores que 30
metros;
Durante o lançamento do cabo não deverá ser aplicada força de tração excessiva que possa
prejudicar o desempenho do cabo;
Os cabos não devem ser apertados. No caso de utilização de cintas plásticas ou barbantes
parafinados para o enfaixamento dos cabos, não deve haver compressão excessiva que
deforme a capa externa ou tranças internas;
Para a passagem de cabos não será utilizado nenhum tipo de lubrificante (vaselina, graxa,
talco, sabão, sabonete, óleo vegetal ou mineral, extintor, entre outros);
O puxamento poderá ser manual ou mecanizado, de acordo com as recomendações do
fabricante dos cabos;
O puxamento manual, normalmente usado em trechos curtos, à tração manual média deverá
ser da ordem de 15 a 20 Kgf. No puxamento mecânico, normalmente usado em trechos
longos, a tensão máxima permissível será da ordem de 4 Kgf./mm2; e
Os cabos deverão ser puxados com um passo lento e uniforme. Trocas bruscas de
velocidade de puxamento, ou inícios e paradas, devem ser evitadas.
3.
Identificação
54
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
55/110
Todos os pontos elétricos serão identificados de acordo com a norma EIA/TIA 606.
Os circuitos instalados serão identificados nas tomadas com fita e nos quadros, por meio de
anilhas e adesivos.
Os quadros com seus respectivos, circuitos, disjuntores e tomadas, deverão ser identificados
utilizando-se etiquetas com os números gravados nas mesmas, obedecendo a numeração do
projeto.
A identificação dos cabos deverá ser através de marcadores, As tomadas deverão ser
identificadas com o número do circuito. Os cabos das tomadas obedecendo ao padrão de
cores abaixo:
Fase Vermelho
Neutro Azul
Terra Verde
4.
Testes Finais
Deverão ser fornecidos, como resultado destes testes os relatórios contendo o laudo de
aferição de cada segmento instalado para utilização no futuro, em procedimentos regulares
de medição da cabeação.
•
Medição de tensão, no quadro, entre fases, fase e neutro, fase e terra e entre neutro e
terra;
•
Medição de polaridade nas tomadas;
•
Medição de tensão nas tomadas entre fases, fase e neutro, fase e terra e neutro e
terra; e
55
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
•
Folha
56/110
Verificação manual do aperto de todas as conexões entre cabos e barramentos e
entre cabos e disjuntores.
56
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
57/110
ANEXO IV
1. Sistema de CFTV (Circuito Fechado de Televisão)e Alarme
1.1.
Descrição Geral do Sistema CFTV e Alarme
O sistema de CFTV (Circuito Fechado de Televisão) deverá monitorar diversas áreas da
Unidade Escolar, NTE, UAB e Sala de Videoconferência, tais como:
Áreas internas:
•
Visualização das áreas de recepções e circulação/corredores;
•
Visualização das escadas de acesso aos andares;
•
Áreas de convivência internas;
•
Monitoramento de áreas internas a espaços específicos (ex.: Sala da Diretoria,
Laboratórios e Almoxarifado) a partir de da implantação de Sensores de Presença
Passivos.
Áreas externas:
•
Limítrofes de perímetros, inclusive com Vias Públicas;
•
Estacionamentos de servidores;
•
Entrada e saída de alunos e servidores;
•
Áreas de circulação entre Blocos;
•
Áreas de convivência externa (pátios).
O monitoramento dessas áreas deverá permitir observar e registrar atitudes suspeitas e
acessos não autorizados, acompanhar e gravar eventos, planejando suas ações ou reações,
de forma rápida, precisa e segura, em regime contínuo, 24 h/dia, 365 dias/ano.
O Sistema de CFTV e Alarme tem como objetivo o monitoramento das áreas citadas acima,
com possibilidade de comandar e visualizar as imagens captadas pelas câmeras e alarmes
gerados pelos sensores na Estação Local de Operação e na Central de Operação e
Monitoramento Remoto. Quando autorizado, gestores da SEC/BA deverão poder receber
alarmes e visualizar imagens capturadas pelas câmeras a partir de equipamentos móveis
(Tablet´s, notebook´s e Smartphones) através de conexão a Intranet e/ou Internet e/ou 3G.
57
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
58/110
Internamente as Câmeras e Sensores deverão fixadas no teto e/ou parede e externamente
sobre paredes, muros ou posteamento existente e/ou fornecidos e instalados pela Contratada,
em altura adequada à visualização da área objeto de vigilância.
1.2.
Características do Sistema CFTV e Alarme
O sistema de gravação será em regime contínuo de segurança, 24 horas por dia 365 dias por
ano. Deve, portanto, ser adequado a tal finalidade;
Em hipótese alguma as imagens deverão conter distorções geométricas ou linearidade, e
deverá ainda resistir a vibrações e a impactos;
O Sistema deverá permitir operações com níveis variáveis de iluminação (diurno, noturno, luz
do sol, luz artificial etc.) e seus sensores de presença deverão ser tolerantes a insetos,
roedores e pequenos animais;
Na área interna o sistema irá operar com “Motion Detection” (detecção de movimentos
somente gravando quando houver movimento no foco da câmera ou sensor ou programação
de eventos); e cada local a ser monitorado deverá possuir uma tecnologia/solução apropriada
para sua aplicação;
O sistema de Alarme deverá ser operacionalizado por Central de Alarmes integrada ou
interligada ao DVR e Sensores posicionados nos ambientes definidos;
Sob comando do vigilante ou responsável pela Unidade e através de controle remoto deverá
ser possível ativar/desativar o sistema de Alarme e emitir registros de ocorrências a partir de
Botão de Pânico;
O DVR deverá ser programado para encaminhar através da rede de comunicação
(Ethernet/3G) o registro de alarme à Central de Monitoramento Remoto - COMR e
paralelamente ao Gestor da Unidade.
1.3.
Topologia do Sistema de CFTV e Alarme
Toda comunicação com as Câmeras do sistema de CFTV deverá ser feito por cabeamento
UTP CAT 5e conectorizados a Baluns de Vídeo e rede ethernet local existente.
58
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
59/110
A alimentação dos Sensores de Presença e Sirene deverá ser feito por cabo CCI.
As câmeras deverão ser distribuídas nos blocos e pavimentos conforme o projeto e
interligadas aos DVR´s deverão ser interligados aos switches da rede ethernet local existente,
possibilitando o acesso autorizado às imagens capturadas pelas câmeras ou armazenadas
digitalmente.
Quando da ausência ou insuficiência de comunicação de dados na Unidade, caberá a
Contratante o fornecimento de CHIP SIM CARD de Dados 3G, servirão como opção de uso
para acesso às imagens capturadas e/ou armazenadas e registros de alarme a serem
transmitidos a COMR e Gestores das Unidades. O CHIP (SIM CARD) deverá ser de
operadoras nacionais, sendo necessária a verificação de cobertura de sinal e validação da
operadora que possuir melhor qualidade de sinal.
O sistema deverá estar alimentado por Nobreak e banco de baterias, garantindo o
funcionamento mesmo quando da interrupção do fornecimento de energia elétrica por parte
da concessionária local.
2. Estação Local de Operação e Monitoramento
Software de Visualização e Gravação de Imagens e Alarmes deverá ser fornecido e instalado
em Estação de Trabalho (desktop) existente na Sala da Secretaria da Unidade Escolar ou
Sala da Administração dos NTE´s e UAB´s ou ainda no interior das Salas de
Videoconferência e será utilizada por Colaboradores da mesma, treinados para tal,
realizando, sem prejuízo das atividades desenvolvidas pela COMR, intervenções pontuais
com o objetivo de verificar o perfeito funcionamento do Sistema, particularmente as câmeras
e imagens capturadas e sobre os elementos de Hardware, Software e Comunicação,
integrantes da solução implantada.
Também será utilizada para pesquisa de ocorrências (atividades / atitudes suspeitas,
infrações a ordem legal, intrusão, ocorrências em estacionamentos, alagamentos de pistas e
áreas, incêndios) e demais fatos que possam requerer investigação.
A Contratada deverá fornecer e instalar 01 (um) monitor de TV LED de 32” ou 40” que deverá
ser interligado diretamente a porta RGB ou HDMI do DVR.
59
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
60/110
3. Equipamentos Processamento/Gravação de imagens e Software de Visualização
3.1 Distribuição dos equipamentos DVR´s, Estações Locais e Software
Perfil Unidade
Qtd
DVR 4
DVR 08
DVR 16
Estação
Unid.
Câmeras –
Câmeras –
Câmeras –
Local de
1TB –
1TB –
1TB –
Visualização
3G/REDE –
3G/REDE -
3G/REDE -
software
software
software
incluso por
incluso por incluso por
Unidade
Tipo I
192
Tipo II
Unidade
Unidade
01
01
340
01
01
Tipo III
612
01
01
Tipo IV
229
UAB I
20
UAB II
05
Videoconferência
34
01
1432
246
Total
01
01
01
01
01
01
01
01
234
1144
1432
3.2 Distribuição das Câmeras e Sensores de Presença
Perfil Unidade
Escolar
Qtd
Câmeras
Escolares
Infra Red
20 Mts
Qtd Unid.
Total
Total
Qtd
Total
Qtd
Total
Qtd
Câmeras
Câmeras
Sensores Sensores
Infra
Infra
Presença Presença
Red
Red
30 Mts
50 Mts
06
1152
04
768
08
1536
Tipo I
192
10
1920
Tipo II
340
08
2720
06
2040
Tipo III
612
08
4896
04
Tipo IV
229
06
1374
02
02
680
08
2720
2448
0
06
3672
458
0
06
1374
60
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
61/110
UAB I
20
04
80
0
0
02
40
UAB II
05
06
30
0
0
02
10
Videoconferência
34
02
68
0
0
01
34
11.088
6.098
1.448
Total
1.432
9.386
4. Descrição Geral dos Software’s
4.1 Software de Visualização e Gravação de imagens e alarmes
Software de visualização e gravação para circuito fechado de TV com capacidade de
controlar e visualizar imagens de câmeras analógicas conectadas a Equipamentos DVR –
Digital Vídeo Recorder bem como gravar as imagens para posterior pesquisa e
recuperação seletiva.
O software deverá possuir interface gráfica amigável e exibição de tela, funções, cardápio
e janelas de auxílio. Deverá ainda:
a) Possibilitar detecção de movimentos ajustável com máscara de exclusão de modo a
permitir que se insira máscaras que permitam a detecção de movimento apenas nos
locais desejados;
b) Possibilitar a gravação de informações relevantes nos arquivos das imagens, ou seja, o
arquivo de evento, comprimido ou não, deve possuir em seu conteúdo todas as
informações referentes ao evento tais como data do evento, e identificação da câmera.
c) Possibilitar que todos os comandos de configuração dos DVRs sejam realizados
remotamente, sem a necessidade de acesso físico dos equipamentos;
d) Possibilitar o avanço e retrocesso por períodos de tempo configuráveis a fim de facilitar
a busca de imagens;
e) Possibilitar a cópia em mídia externa das imagens do período selecionado pelo usuário;
61
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
62/110
f) O sistema da central de monitoramento deverá mostrar informações de todas os sites
ligados ou desligados no momento, em tempo real;
g) Permitir a visualização das imagens ( 4 a 15 FPS) a partir de uma conexão Celular 3G;
h) Possibilitar a gravação em disco rígido interno ao DVR a taxa de 30 FPS, sendo
totalmente dissociada da qualidade de transmissão.
i) Possibilitar a visualização de até 04 (quatro) Câmeras simultaneamente em tempo real
por site, através de transmissão 3G (ou GPRS onde não houver cobertura da
tecnologia 3G), de acordo com o número de canais do DVR;
j) Possibilitara a gravação de 04 (quatro) Câmeras simultaneamente em HD interno com
opção de gravação continua ou por evento (através de sensor instalado), de acordo
com o número de canais do DVR;
k) O módulo de software embarcado no hardware (DVR) não deve perder sua
programação ou funcionalidades caso ocorra uma falta de energia elétrica no site e
deverá retornar à atividade assim que a pane for sanada ou a energia restabelecida,
não sendo necessária para isso intervenção humana;
l) Deverá permitir o controle de câmeras PTZ (Pan Tilt Zoom): O operador tem acesso a
todas as funcionalidades das câmeras de modelo PTZ (Pan Tilt Zoom), que oferecem
monitoramento total na horizontal e vertical – cobertura 360º graus, além de zoom;
m) O sistema deverá permite que as câmeras de modelo PTZ possam ser controladas por
meio de joystick genérico independente fabricante e modelo de câmera;
n) O Sistema deverá funcionar através de hierarquia, e possibilitar a criação de
permissões por usuários;
62
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
63/110
o) Disponibilizar aplicativos de monitoramento portátil para instalação em aparelhos
Tabletes e/ou celular GSM com conexão 3G/GPRS/EDGE, de modo a permitir a
visualização em tempo real, simultaneamente á Central de Monitoramento, permite e
aceita comandos de controle PTZ através deste terminal;
p) Software e manual em língua Portuguesa para fácil entendimento dos comandos e
funcionalidades do aplicativo.
4.2 Software de Visualização das Imagens em Dispositivos Móveis
Software de visualização com capacidade de controlar e visualizar imagens de câmeras
analógicas conectadas a Equipamentos DVR – Digital Vídeo Recorder a partir de
dispositivos móveis (Tablet, Smartphone).
a) Aplicativo para Monitoramento portátil em tablets e aparelhos celulares GSM com
conexão 3G/GPRS;
b) Visualização das Imagens em tempo real;
c) Visualização Simultânea á Central de Monitoramento ou demais equipamentos que
possuírem permissões de acesso as imagens;
d) Disponível para sistemas operacionais IOS e Android.
5. Especificações Técnicas dos Equipamentos de CFTV
5.1 DVR (Digital Vídeo Recorder) – Dispositivo de Gerenciamento para até 4
(quatro), 8 (oito) ou 16 (dezesseis) Câmeras e gravação de Imagens
O dispositivo de gravação, ou DVR (Digital Video Recorder) deverá funcionar vinte e
quatro horas por dia, sete dias por semana de forma Stand Alone, ou seja, sem a
necessidade de operadores para o seu perfeito funcionamento. O DVR deverá ter,
exclusivamente, a finalidade de gerenciar as câmeras do sistema de segurança, bem
como transmitir e gravar as imagens por elas capturadas, usando uma plataforma
dedicada.
Não
serão
aceitos
computadores
convencionais
com
softwares
de
63
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
64/110
gerenciamento. Deve ser baseado em componentes padrões e tecnologia de ponta,
utilizando protocolos abertos e publicados. Deve possuir atualização de firmware
disponível no site do fabricante e Suporte Técnico no Brasil, dado pelo fabricante ou
representante autorizado.
Deve ainda atender às seguintes características mínimas:
a) Gravação de áudio e vídeo em HD de 2,5”;
b) Tipos de conexões: ADSL, Rede de Dados existente da SEC, Internet a Cabo, Celular
(GPRS, EDGE, 3G), assim o DVR deverá ter todas estas opções de conexão no
equipamento, para interligação entre a unidade remota e a Central da SEC, sendo
selecionável o modo de conexão, via software, pelo SEC de acordo com as
disponibilidade da rede do Licitante;
c) Deverá funcionar de modo automático nas frequências: 850 / 900 / 1800 / 1900 e 2100
MHz;
d) Deverá atender a exigências de desempenho de demanda para aplicativos de vídeo,
áudio e dados em tempo real;
e) Transmitir cada câmera com limite de 32 Kbps por câmera, sendo essa taxa ajustada
remotamente pela central de monitoramento;
f)
Transmitir no mínimo 10 quadros por segundo com a taxa de 32 kbps;
g) Disco(s) rígido(s) para gravação de áudio e vídeo – 2,5” SATA com capacidade de
1024GB ou superior;
h) 04 (quatro), 08 (oito) ou 16 (dezesseis) entradas BNC de Vídeo Composto;
i)
02 (duas) saídas de Vídeo Composto;
j)
01 (uma) saída RGB;
a. De 01(uma) a 04 (quatro) entradas de Áudio;
b. 01 (uma) a 02 (duas) saídas de Áudio;
k) Formato de gravação de áudio: ADPCM Áudio;
l)
Geração de alarme por detecção de movimento;
m) Permitir monitoramento, consultas e download (backup) de eventos (áudio, vídeo)
armazenados no HD através de interface tipo fast ethernet Wi-Fi 802.11 N e rede
celular GPRS/EDGE/3G, ADSL e Internet a Cabo;
n) Interface WiFi (802.11g/n – 128 Mbps);
64
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
65/110
o) Interface para SIM Card (GPRS/Edge/3G). Compatível com todas as operadoras e
todas as frequências de redes de celular disponíveis no Brasil;
p) Função “watchdog” capaz de reiniciar o sistema em caso de pane;
q) Permitir a configuração de uma política de exclusão de imagens quando do estouro da
capacidade de armazenamento. Suportando as seguintes regras de exclusão:
Exclusão do evento com o menor índice da câmera com a data mais antiga;
r) Monitoração do som captado pelo microfone e armazenamento deste, possibilitando
consulta on-line e a qualquer instante de tempo, passado ou presente. O áudio é
consultado ou monitorado junto com o vídeo, a partir da central de operações via rede
celular GPRS/Edge/3G, ADSL e Internet via Cabo;
s) Possuir proteção contra interferências eletro-eletrônicas na recepção das imagens das
câmeras instaladas, de modo a garantir a qualidade das imagens sem quaisquer
interferências;
t)
Formato de vídeo de entrada: NTSC/PAL;
u) Sistema operacional: Embarcado;
v) Taxa de quadros por segundo (fps) de 120 a 480 fps, distribuídos entre as câmeras
para gravação;
w) Permitir que as consultas assim como o monitoramento sejam efetuadas a uma taxa
definida dinamicamente pelo usuário, sem afetar a taxa e qualidade da gravação;
x) A qualidade da gravação deverá ser totalmente dissociada da qualidade da
transmissão;
y) Modo de gravação: contínuo, por evento de sensor ou por detecção de movimento;
z) Resolução de gravação selecionável mínimo de 352x240, 704x240 e 704x480;
aa) Modo de visualização selecionável através de definição de mosaico definido pela
Central de Monitoramento;
bb) Formato de compressão de alto desempenho capaz de suprir as necessidades de
banda existentes em cada caso;
cc) Sensor de movimento interno (software);
dd) 02 Interfaces USB 2.0;
ee) 01 Entrada Serial RS-232;
ff) 01 Entrada Serial RS-485 – TX RX;
gg) 01 Porta Ethernet LAN 10/100 Mbps - RJ 45 Full Duplex;
hh) 01 Porta Ethernet WAN 10/100 Mbps - RJ 45 Full Duplex;
65
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ii)
Folha
66/110
4 (quatro ), 8 (oito) e 16 (dezesseis) entradas de sinal I/O opto-isolado para
instalação de dispositivos adicionais como sensores infravermelhos e outros, (NA/NF),
para os DVR de 4, 8 e 16 câmeras, respectivamente.
jj) Temperatura de Operação: - 10ºC a 55ºC;
kk) Alimentação 100 a 240 V automático.
5.2 Câmeras
5.2.1 Câmera Fixa Interna / Externa – Infravermelho - 20 Mts
Câmera fixa, infravermelho e caixa de proteção integrada. Deve ser fornecida fonte de
alimentação. Todo o conjunto incluindo câmera, lente e caixa de proteção deverá
constituir um único item, ou poderão ser itens separados desde que sejam fornecidos
pelo mesmo fabricante, garantindo assim a compatibilidade entre cada peça.
Deverá ainda, possuir as seguintes características técnicas mínimas:
a) Câmera dome com infravermelho de, no mínimo, 20 m de alcance;
b) Possuir, no mínimo, 24 led’s infravermelhos;
c) Possuir sensor de imagem ccd 1/3" super had ii;
d) Possuir lente de 3,6 mm;
e) Possuir íris eletrônica;
f) Suportar sistema de varredura 2:1 entrelaçado, possuir resolução horizontal de no
mínimo 600 tvl;
g) Possuir relação sinal/ruído maior que 48 db;
h) Pixel efetivo 768 (h) x 494 (v);
i) Possuir obturador eletrônico automático 1/60 a 1/100.000 segundos;
j) Possuir saída de vídeo 1,0 vpp. 75 ohms;
k) Ângulo de visão 67° x 53º; mtbf led ir de 10.000 horas;
l) Suportar compensação de luz de fundo (blc);
m) Suportar controle de ganho (agc);
n) Suportar função day/night automático;
o) Balanço de branco automático;
p) Iluminação com led’s ir desligados de 0.08 lux f1.2 e com led’s ir ligados de 0 lux;
q) Suportar alimentação 12 vcd;
66
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
67/110
r) Consumo maximo corrente 350 ma;
s) Ter consumo de no máximo 4,5 w com led’s ir ligados;
t) Com grau de proteção no mínimo ip66;
u) Saída de vídeo bnc e alimentação conector p4 fêmea;
v) Com temperatura ambiente entre -10 e 60°c e umidade relativa do ar de 10% a 95%.
5.2.2 Câmera Fixa Interna / Externa – Infravermelho - 30 Mts
Câmera fixa, infravermelho e caixa de proteção integrada. Deve ser fornecida fonte de
alimentação. Todo o conjunto incluindo câmera, lente e caixa de proteção deverá
constituir um único item, ou poderão ser itens separados desde que sejam fornecidos
pelo mesmo fabricante, garantindo assim a compatibilidade entre cada peça.
Deverá ainda, possuir as seguintes características técnicas mínimas:
a) Câmera bullet com infravermelho de, no mínimo, 30 m de alcance;
b) Possuir, no mínimo, 36 led’s infravermelhos;
c) Possuir sensor de imagem ccd 1/3" super HAD digital;
d) Possuir lente de 3,6 mm;
e) Possuir íris eletrônica;
f) Suportar sistema de varredura 2:1 entrelaçado, 525 linhas e 30 quadros;
g) Possuir resolução horizontal de no mínimo 600 TVL;
h) Possuir relação sinal/ruído menor que 52 dB;
i) Pixel efetivo 720 (h) x 480 (v);
j) Possuir obturador eletrônico automático 1/60 a 1/12.000 s;
k) Possuir saída de vídeo 1,0 vpp, 75 ohms; ângulo de visão 65° a 42°;
l) MTBF led ir de 26.000 horas;
m) Suportar compensação de luz de fundo (BLC) automático;
n) Suportar controle de ganho (AGC) automático;
o) Suportar função day night automático;
p) Balanço de branco automático;
q) Correção de gama 0,45;
r) Iluminação com led’s ir desligados de 0.2 lux e com led’s ir ligados de 0 lux;
s) Suportar alimentação 12 vcd e vir com fonte inclusa;
t) Corrente consumida com ir desligado de 55 ma e com ir ligado 350 ma;
67
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
68/110
u) Ter consumo de no máximo 4,3 w com led’s ir ligados;
v) Peso máximo de 515 g;
w) Com grau de proteção no mínimo ip66;
x) Saída de vídeo BNC fêmea e alimentação conector p4 fêmea;
y) Com temperatura ambiente entre -20 e 50°c e umidade relativa do ar de 10% a 95%.
5.2.3 Câmera Fixa Interna / Externa – Infravermelho - 50 Mts
Câmera fixa, infravermelho e caixa de proteção integrada. Deve ser fornecida fonte de
alimentação. Todo o conjunto incluindo câmera, lente e caixa de proteção deverá
constituir um único item, ou poderão ser itens separados desde que sejam fornecidos
pelo mesmo fabricante, garantindo assim a compatibilidade entre cada peça.
Deverá ainda, possuir as seguintes características técnicas mínimas:
a) Câmera fixa colorida, equipada com sistema de led’s infravermelhos com alcance de,
no mínimo, 50 m;
b) possuir lente fixa auto-íris de 6 mm;
c) Possuir no mínimo 36 led’s infravermelhos;
d) Possuir íris eletrônica;
e) Possuir sensor de imagem ccd 1/3" super had ii;
f) Suportar formato de vídeo ntsc;
g) Possuir resolução horizontal de, no mínimo, 600 tvl;
h) Suportar sistema de varredura 2:1 entrelaçado e 30 quadros;
i)
possuir relação sinal/ruído maior que 48 db;
j)
Suportar sincronismo de vídeo interno;
k) Possuir obturador eletrônico automático de 1/60 a 1/100.000 s;
l)
Suportar função day/night para iluminação mínima de 0,08 lux f1.2 com led’s ir
desligados e 0 lux f1.2 com led’s ir ligados;
m) Possuir saída de vídeo de 1 vpp, 75 ohms;
n) Suportar compensação de luz de fundo (blc);
o) Suportar controle de ganho (agc);
p) Suportar balanço de branco automático;
q) Suportar alimentação em 12 vcc;
r) Ter consumo de, no máximo, 7,5 w, com led’s ir ligados;
68
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
69/110
s) Ser acondicionada em caixa de proteção de alta resistência mecânica, em alumínio,
com grau de proteção de, no mínimo, IP66;
t) Deverá suportar operação em ambiente externo, exposta a incidência direta de
radiação solar, com temperatura ambiente entre -20 e 60°c e umidade relativa do ar de
10% a 95%.
5.3 MONITOR/TV 32” ou 40”
a) Tipo TV LED 32” ou 40’’
b) Full HD;
c) Mínimo de 01(uma) conexões HDMI;
d) Mínimo de 01(uma) conexão RGB;
e) Com controle remoto;
f) Fonte de alimentação interna 110/220V.
5.4 Central de Alarme
a) Central de alarme monitorada;
b) Devera possuir a capacidade de armazenar 8 números de telefone, devera possuir as
funções pânico, emergência, zona 24 horas;
c) Ter carregador de bateria inteligente com proteção contra curto-circuito ou inversão de
polaridade;
d) Possuir temporização e função de teste de sensores;
e) Podem ser conectados a sensores de abertura, infravermelho, impacto e outros;
f) Apresentar reportagem de eventos para 2 destinos ip (empresas de monitoramento);
g) Módulo quadriband (850 – 900 - 1800 e 1900 mhz); suportar a 2 chips (sim cards) de
celular;
h) Gprs classe 10; supervisão do link ethernet com intervalos de tempo configuráveis;
i)
ter operação com ip fixo ou dinâmico;
j)
Possuir capacidade para conexões com destinos dns;
69
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
k)
Folha
70/110
utilização do protocolo tcp/ip como meio de transporte para eventos; possuir software
para download e upload (plataforma windows®), compatível com a maioria dos
modems convencionais;
l)
Download e visualização dos últimos 256 eventos com registro de data e hora;
m) Ter compatibilidade com a grande maioria de modems adsl, hubs e roteadores
disponíveis no mercado;
n) Dispor de fonte chaveada full range de 90-265 vac;
o) Possuir capacidade para conexão de até 4 teclados e 4 receptores;
p) Dispor de até 2 partições;
q) Identificação de usuário por controle remoto¹;
r) Apresentar sistema de verificação de sabotagem da fiação dos sensores e dos
dispositivos do barramento (teclados e receptores);
s) Possuir detecção de sobrecarga na saída auxiliar, detecção de curto e corte da sirene,
detecção de corte da linha telefônica; discadora para 8 números telefônicos (2 para
monitoramento,1 para download e 5 para telefones pessoais);
t) Apresentar no minimo 3 protocolos de comunicação para trafegar via linha telefônica:
contact id, contact id programável e ademco express; 2 contas de monitoramento;
dispor de reportagem normal, dupla e split;
u) 2 saídas pgm programáveis; auto ativação programável por inatividade ou agendada
por horário;
v) Ter recepção de até 128 dispositivos sem fio (sensores/controles remotos)¹ ;
w) cancelamento automático de zona;
x) Configuração de zona 24 h com aviso sonoro;
y) Possuir função anunciador de presença por zona; 64 senhas;
z) Fusíveis de proteção rearmáveis;
aa) Carregador de bateria inteligente com proteção contra curto e inversão de polaridade
da bateria;
bb) Possuir indicação de bateria fraca de sensores sem fio;
cc) Gabinete plástico para proteção da central com alojamento para bateria. Ter corrente
de saída auxiliar = 1,2 a @ 12 vdc;
dd) Corrente de saída de sirene = 1 a com bateria e 400 ma sem bateria;
ee) Saída pgm (programada) = 50 ma @ 12 vdc;
ff) Temperatura de operação = -10ºc a +50ºc;
70
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
71/110
gg) tensão carregador de bateria = 12 vdc;
hh) Tensão de alimentação = 90 a 265 vac (automática);
ii) Tempo de zona rápida = 15 ms;
jj) Zona de incêndio = na 250 ma. Apresentar reportagem de eventos para no minimo 2
destinos ip (empresas de monitoramento);
kk) módulo quadriband (850 – 900 - 1800 e 1900 mhz);
ll) Suporte a 2 chips (sim cards) de celular;
mm) Gprs classe 10;
nn) Supervisão do link ethernet com intervalos de tempo configuráveis;
oo) Operação com ip fixo ou dinâmico;
pp) Possuir capacidade para conexões com destinos dns;
qq) Utilização do protocolo tcp/ip como meio de transporte para eventos;
rr) Software para download e upload (plataforma windows®), ser compatível com a
maioria dos modems convencionais;
ss) Download e visualização dos últimos 256 eventos com registro de data e hora;
tt) Possuir compatibilidade com a grande maioria de modems adsl, hubs e roteadores
disponíveis no mercado;
uu) Fonte chaveada full range de 90-265 vac;
vv) Ter capacidade para conexão de até 4 teclados e 4 receptores;
ww)
Até 2 partições;
xx) Identificação de usuário por controle remoto¹;
yy) Sistema de verificação de sabotagem da fiação dos sensores e dos dispositivos do
barramento (teclados e receptores);
zz) Apresentar detecção de sobrecarga na saída auxiliar;
aaa) Detecção de curto e corte da sirene;
bbb) Detecção de corte da linha telefônica;
ccc)
Discadora para 8 números telefônicos (2 para monitoramento,1 para download e 5
para telefones pessoais);
ddd) Possuir 3 protocolos de comunicação para trafegar via linha telefônica: contact id,
contact id programável e ademco express;
eee) 2 contas de monitoramento;
fff) Reportagem normal, dupla e split;
ggg) 2 saídas pgm programáveis;
71
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
72/110
hhh) Auto ativação programável por inatividade ou agendada por horário;
iii) Possuir recepção de até 128 dispositivos sem fio (sensores/controles remotos)¹ ;
jjj) Dispor de cancelamento automático de zona;
kkk)
Configuração de zona 24 h com aviso sonoro;
lll) Função anunciador de presença por zona;
mmm) 64 senhas;
nnn) Fusíveis de proteção rearmáveis;
ooo) Ter carregador de bateria inteligente com proteção contra curto e inversão de
polaridade da bateria;
ppp) Possuir indicação de bateria fraca de sensores sem fio;
qqq) Ter gabinete plástico para proteção da central com alojamento para bateria. Itens
inclusos: teclado lcd incluso;
rrr) Comunicação de dados via tecnologia ethernet e celular gsm/gprs;
sss)
Opção de configuração remota via tcp/ip;
6. Testes Finais
Deverão ser executados minimamente os testes e verificações abaixo:
•
Medição da qualidade das imagens dos receptores, com imagens de operação
normais focalizadas pelas câmeras;
•
Verificação da nitidez das imagens;
•
Verificação se o posicionamento das câmeras panorâmicas atende à cobertura nas
áreas de interesse;
•
Verificação da resolução e qualidade das imagens digitais para as redes LAN;
•
Verificação do nível de sinal de saída da câmera e entrada nos monitores;
•
Sincronização das imagens e ação dos controles horizontal / vertical;
•
Ajuste de cor, brilho, contraste e foco, para que seja visualizada uma imagem
ótima;
•
Qualidade de imagem visualizada nos monitores (interferência e estabilidade);
•
Atuação de posições pré-definidas (preset): velocidade, precisão;
•
Verificação da atuação da seleção das câmeras e comandos de pan-tilt e zoom
através do teclado e da estação de trabalho;
72
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
•
Seleção de imagens a serem gravadas e monitoração da gravação;
•
Reprodução da gravação e monitoramento.
Folha
73/110
73
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
74/110
ANEXO V
6.1.1.1
Central de Operação e Monitoramento Remoto - COMR
A Central de Operação e Monitoramento será responsável pelo comando e gestão de acesso
sobre todo o Sistema de CFTV, particularmente sobre as câmeras e imagens capturadas e
sobre os elementos de Hardware, Software e Comunicação, integrantes da solução ofertada.
Esta deverá estar instalada em área da Contratante, com controle de acesso físico e lógico e
de temperatura ambiente. Deverá possuir sistema de alimentação elétrica continua, provida
por sistema de Nobreak e Grupo Gerador.
A COMR deverá contar com até 4 (quatro) Posições de Atendimento (PA) cada uma
minimamente equipada com : 01 (uma) Estação de monitoramento e 01 (um) monitor de TV
LED de 40” ou mais polegadas. A COMR funcionará 24 horas, 7 dias da semana, nas
instalações da Contratante será operacionalizado por uma Equipe de Colaboradores da
Contratada, devidamente capacitados, desenvolvendo as atividades em turnos de contínuos.
A Contratada em conjunto com o Gestor de Segurança da SEC/BA ou prepostos deste,
definirão e detalharão os procedimentos operacionais e selarão o Acordo de Nível de Serviço
da Central de Operação e Monitoramento Remoto. Dentre as atividades deverão constar:
a) Manter sob constante observação as imagens geradas pelas câmeras, registrando e
notificando as ocorrências observadas (atividades / atitudes suspeitas, infrações a
ordem legal, ocorrências em estacionamento e demais áreas externas, alagamentos
de pistas e áreas, incêndios e demais fatos que possam requerer ação do gestor
responsável pela Segurança na Unidade Escolar, na SEC/BA e/ou Órgãos de
Segurança Pública a serem definidos pela SEC/BA;
b) Receber e avaliar a partir das imagens capturadas pelas câmeras os alarmes gerados
pelos Sensores de Presença, registrando e notificando as ocorrências observadas
(atividades / atitudes suspeitas, infrações a ordem legal, ocorrências) nas áreas
internas protegidas pelos mesmos.
c) Manter o Supervisor e este por sua vez o gestor responsável pela Segurança na
Unidade Escolar e na SEC/BA informado das ocorrências relevantes para que este
tome as providências necessárias;
d) Proceder a verificação das imagens gravadas, pró-ativamente e por demanda,
buscando por ocorrências (atividades / atitudes suspeitas, infrações a ordem legal,
74
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
75/110
ocorrências em estacionamento e demais áreas externas, alagamentos de pistas e
áreas, incêndios e demais fatos que possam requerer ação imediata e problemas na
rede que possam ter passado despercebidos aos operadores;
e) Verificar constantemente o funcionamento dos sensores e câmeras, avaliando
sensibilidade e a Qualidade da sinalização e da Imagem e Interrupção na recepção
das mesmas;
f) Ausência de energia elétrica em algum ponto do sistema;
g) Verificar o funcionamento das Rondas Automáticas, sugerindo ao Supervisor
melhorias;
h) Verificar a necessidade de podas de árvores e remoção de obstáculos no raio de ação
das câmeras, registrando e notificando o Supervisor e este por sua vez o gestor
responsável pela Segurança na Unidade Escolar e na SEC/BA;
i)
Verificar o funcionamento das câmeras, sensores e DVR´s reportando anormalidades
e notificando o Supervisor. Este por sua vez deverá acionar e acompanhar os
trabalhos da equipe de manutenção até a completa solução do problema;
j)
Executar rotinas de Backup das imagens em Média Magnética ou óptica.
6.1.1.2
Equipamentos, Software e Mobiliário
Item
1
Descrição
Equipamento Servidor – Intel Xeon 3.0Ghz / 8GB
Qtd
01
memória RAM / 02 TB em Disco Rígido / Placa de
Vídeo / Sistema Operacional
2
Estações de Monitoração (microcomputador Desktop)
04
3
Monitor de LED 40”
04
4
Switch Gerenciável 10/100baseT – 8 -portas
01
5
Software da Central de Operação e Monitoramento
01
para visualização e gravação de imagens das
câmeras e armazenamento de dados
6
Console de Operação 1 Posição
04
7
Cadeira Secretária Giratória com Braços
06
75
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
6.1.1.3
Folha
76/110
Especificações Técnicas dos Equipamentos, Software e Mobiliário da
Central de Operação e Monitoramento
1.1.
Equipamento Servidor – Intel Xeon 3.0Ghz / 8GB memória RAM / 1 TB em
Disco Rígido / Placa de Vídeo / Sistema Windows 7
a)
Equipamento Servidor com sistema operacional Windows 7-Professional-OEM
instalado;
b)
Dotado com no mínimo 1 (um) processador Intel Core i5 2.80GHz ou superior;
c)
Mínimo 8GB de memória DDR3;
d)
Mínimo de 1 TB em disco rígido, Serial Ata-2 de 3.5" e 7.200 rpm;
e)
Mínimo de 1 Interface de rede 10/100/1000 UTP Onboard;
f)
Fonte de alimentação de 500W ou superior (real);
g)
Unidade de CD/DVD-RW;
h)
Teclado ABNT e Mouse;
i)
Placa de Vídeo 1GB ATI® Radeon™, Dual Monitor, Full Height, equivalente ou
superior;
j)
Monitor de 18.5” LED com entrada RGB e HDMI fornecido com cabo.
1.2.
Estação de Operação (Desktop)
b) Estação de operação com sistema operacional Windows 7-Professional instalado;
c) Dotado com no mínimo 1 (um) processador Intel Core i5 3.40GHz ou superior;
d) Mínimo 4GB de memória DDR3;
e) Mínimo de 500 Gb em disco rígido, Serial Ata-2 de 3.5" e 7.200 rpm;
f)
Mínimo de 1 Interface de rede 10/100/1000 UTP Onboard;
g) Unidade de CD/DVD-RW;
h) Teclado ABNT e Mouse;
i)
Placa de Vídeo inclusa.
j)
Monitor de 18.5” LED com entrada RGB e HDMI fornecido com cabo.
10.1. MONITOR/TV ou 40” LED
76
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
77/110
a) Tipo TV LED ou 40’’
b) Full HD;
c) Mínimo de 01(uma) conexões HDMI;
d) Mínimo de 01(uma) conexão RGB;
e) Com controle remoto;
f)
Fonte de alimentação interna 110/220V.
g) Kit de fixação em parede;
h) Cabo HDMI no comprimento adequado a interligação à Estação de Operação;
i)
Alimentação: Bivolt.
10.2. SWITCH 08 Portas Fast Ethernet
a) Padrões: IEEE802.3 - 10BASE-T IEEE802.3u - 100BASE-TX IEEE802.3x – Flow
Control IEEE802.1p - Priority Queueing (QoS)
b) Quantidade de portas: 8 - RJ45 10/100 Mbps com autonegociação
c) Auto MDI/MDI-X: Detecção automática do padrão do cabo (normal/crossover)
d) Cabeamento Suportado: 10BASE-T - Cabo UTP categoria 3,4 e 5 (máximo 100 m)
EIA/TIA-568 100Ω STP 100BASE-TX - Cabo UTP categoria 5, 5e (máximo 100 m)
EIA/TIA-568 100Ω STP
e) LEDs indicadores: 8 - LAN; 1 – Power
f)
Método de Transferência: Armazena e envia (store and forward)
g) Tamanho da tabela de endereços MAC: 1K
h) Backplane: 1,6 Gbps
i)
Buffer de memória: 448 Kbits
j)
QoS: Priorização IEEE802.1p; Duas filas de prioridade por porta
k) Fonte de alimentação: Entrada: 100-240 VCA/50-60 Hz Saída: 12 VCC/0,5 A
l)
Potência máxima de consumo: 2 W
m) Dimensões: 140 x 75 x 26 mm
10.3. Software da Central de Operação e Monitoramento para visualização e
gravação de imagens
77
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
78/110
a) Possuir detecção de movimentos ajustável com máscara de exclusão de modo a
possibilitar que a gerência do projeto insira máscaras que permitam a detecção de
movimento apenas nos locais desejados;
b) Permitir a gravação de informações relevantes nos arquivos das imagens, ou seja,
o arquivo de evento, comprimido ou não, deve possuir em seu conteúdo todas as
informações referentes ao evento tais como data do evento, tamanho do arquivo e
identificação da câmera e do equipamento. Informações imprescindíveis à análise
de fatos ocorridos;
c) Permitir que todos os comandos de configuração dos DVRs sejam realizados sem
a necessidade de acesso físico dos equipamentos a fim de impedir a acesso local
não autorizado;
d) Permitir o avanço e retrocesso por períodos de tempo configuráveis a fim de
facilitar a busca de imagens;
e) A solução deverá ter fornecer conexão segura entre a central e cada um dos
equipamentos ligados;
f)
O sistema cliente da central de monitoramento deverá mostrar informações de
todas os veículos conectados ou desconectados no momento, em tempo real;
g) Permitir a visualização das imagens a partir de 04 FPS ou superior de acordo com
a cobertura da operadora de telefonia móvel, podendo chegar até a 15 FPS numa
conexão 3G e onde não estiver cobertura 3G devera ser feita a transmissão via
EDGE e/ou GPRS. A gravação deverá ser feita em disco rígido interno a 30 FPS,
sendo totalmente dissociada da qualidade de transmissão.
h) Software e manual em língua Portuguesa para fácil entendimento dos comandos e
funcionalidades do aplicativo;
i)
Visualização de até 04 (quatro) Câmeras simultaneamente em tempo real por site,
através de transmissão 3G (ou GPRS onde não houver cobertura da tecnologia
3G);
j)
Gravação em HD interno com opção de gravação continua, detecção de
movimento, agendamento ou por evento.
k) O envio dados deve ser feito via GPRS ou EDGE ou 3G;
l)
O sistema devera ter transmissão de imagem em tempo real, possibilitando
monitorar os locais monitorados pelo sistema remotamente através de uma central
de monitoramento;
78
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
79/110
m) As imagens deverão ser gravadas em um HD interno por um período mínimo de
20 dias, e reciclar as imagens gravadas sem intervenção humana após atingir a
capacidade de armazenamento do HD, sendo as informações armazenadas no
servidor como Backup sempre que o equipamento estiver conectado transmitindo
imagens ao vivo;
n) Deverá permitir o controle de câmeras PTZ (Pan Tilt Zoom): O operador tem
acesso a todas as funcionalidades das câmeras de modelo PTZ (Pan Tilt Zoom),
que oferecem monitoramento total na horizontal e vertical – cobertura 360º graus,
além de zoom;
o) O sistema deverá permite que as câmeras de modelo PTZ possam ser
controladas por meio de joystick genérico, reduzindo gastos com joysticks
específicos para esse modelo de câmera;
p) O Sistema deverá funcionar através de hierarquia, e possibilitar a criação de
permissões por usuários.
q) Permitir aplicativos de monitoramento portátil para instalação em aparelhos celular
GSM com conexão 3G/GPRS/EDGE, de modo a permitir a visualização em tempo
real, simultaneamente á Central de Monitoramento e deve permitir e aceitar
comandos de controle PTZ através deste mesmo aparelho celular.
r) O equipamento DVR e o Software de Operação e Gerenciamento para a solução
de vídeo monitoramento deverão ser fornecidos pelo mesmo fabricante;
s) Permitir instalação em computadores com as seguintes configurações:
t)
- Sistemas Operacionais: XP, Vista e Seven;
u) - Espaço Mínimo em HD: 40 GB;
v) - Processador Intel ou AMD acima de 1GHz;
w) - Placa de Vídeo dedicada de no Mínimo 64MB;
x) - Acesso a Internet;
y) - Caixas de Som;
z) O Sistema deve permitir atualizações sempre que existir.
10.4. Console de Operação 1 posição
aa) Tipo Mesa de estudo
bb) Acabamento: Estrutura em aço galvanizado.
79
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
80/110
cc) Tampo de madeira.
dd) Dimensões: Altura 74,5cm x Profundidade 126,5cm x Largura 63,3cm
ee) Serão aceitos móveis com dimensões em torno de 3%.
10.5. Cadeira Secretária Giratória com Braços
a) Rodízios: 4
b) Tecido assento Com orifícios para ventilação
c) Base giratória com 4 rodízios
d) Com braço
e) Serão aceitos móveis com dimensões em torno de 3%.
6.1.1.4
Serviço de Operação e Monitoramento
a) A CONTRATADA deverá prestar serviços de operação e monitoramento a partir da
alocação de profissionais capacitados, lotados nas instalações da Central de
Operação e Monitoramento Remota da Contratante em regime de turnos contínuos, de
segunda a segunda durante as 24 horas do dia.
b) Os serviços deverão ser prestados pelo período de 33 (trinta e três) meses, contado a
partir da liberação da instalação da Central de Gestão e Monitoramento.
c) A CONTRADA deverá realizar os serviços de operação e monitoramento considerando
minimamente as seguintes atividades:
- Vigilância continua dos espaços internos e externos aos Blocos e Pavimentos que
compõe a Unidade Escolar, a partir das imagens capturadas e alarmes gerados por
sensores do Sistema de CFTV implantado;
- Registro e acionamento do gestor responsável pela Segurança na Unidade Escolar,
na SEC/BA e/ou Órgãos de Segurança Pública a serem definidos pela SEC/BA, sobre
atividades / atitudes suspeitas, infrações a ordem legal, intrusão, ocorrências em
estacionamentos e demais áreas externas, alagamentos de pistas e áreas, incêndios)
e demais fatos que possam requerer intervenção ou investigação imediata;
80
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
81/110
- Permanente monitoramento das condições operacionais de equipamentos, software
e demais acessórios instalados, responsabilizando-se pelo acionamento da equipe
mantenedora.
- Manutenção das Bases de Dados e Imagens e operacionalização de rotinas de
Backup de dados, manutenção e upgrade de software´s.
6.1.1.5
Testes Finais
Deverão ser executados minimamente os testes e verificações abaixo:
•
Medição da qualidade das imagens dos receptores, com imagens de operação
normais focalizadas pelas câmeras;
•
Verificação da nitidez das imagens;
•
Verificação se o posicionamento das câmeras panorâmicas atende à cobertura nas
áreas de interesse;
•
Verificação da resolução e qualidade das imagens digitais para as redes LAN;
•
Verificação do nível de sinal de saída da câmera e entrada nos monitores;
•
Sincronização das imagens e ação dos controles horizontal / vertical;
•
Ajuste de cor, brilho, contraste e foco, para que seja visualizada uma imagem
ótima;
•
Qualidade de imagem visualizada nos monitores (interferência e estabilidade);
•
Atuação de posições pré-definidas (preset): velocidade, precisão;
•
Verificação da atuação da seleção das câmeras e comandos de pan-tilt e zoom
através do teclado e da estação de trabalho;
•
Seleção de imagens a serem gravadas e monitoração da gravação;
•
Verificação do avanço, quadro a quadro, de imagens gravadas, além dos sistemas
de busca por alarme, detecção de movimento e data/horários; e
•
Reprodução da gravação e monitoramento.
81
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
82/110
ANEXO VI – Distribuição e localização das Unidades Escolares
AREA
MUNICÍPIOS
ÁREA I - OESTE
IBOTIRAMA
MACÚBAS
BARREIRAS
BOM JESUS DA LAPA
SEABRA
ITABERABA
BARRA, BROTAS DE MACAÚBAS,
BURITIRAMA, IBOTIRAMA, IPUPIARA,
MORPARA, MUQUEM DE SÃO
FRANCISCO, OLIVEIRA DOS BREJINHOS
E PARATINGA
BOQUIRA, BOTUPORA, CATURAMA,
ERICO CARDOSO, IBIPITANGA,
MACAUBAS, PARAMIRIM, RIO DO PIRES
E TANQUE NOVO
ANGICAL, BAIANOPOLIS, BARREIRAS,
BREJOLANDIA, CATOLANDIA,
COTEGIPE, CRISTOPOLIS,
FORMOSA DO RIO PRETO, LUIS
EDUARDO MAGALHAES, MANSIDAO,
RIACHAO DAS NEVES, SANTA RITA DE
CASSIA, SAO DESIDERIO, TABOCAS DO
BREJO VELHO E WANDERLEY
BOM JESUS DA LAPA, CANAPOLIS,
COCOS, CORIBE, CORRENTINA,
JABORANDI, RIACHO DE SANTANA,
SANTA MARIA DA VITORIA, SANTANA,
SAO FELIX DO CORIBE, SERRA DO
RAMALHO, SERRA DOURADA E SITIO
DO MATO
ABAIRA, BONINAL, IBITIARA, IRAQUARA,
LENCOIS, MUCUGE, NOVO HORIZONTE,
PALMEIRAS, PIATA, SEABRA E SOUTO
SOARES
ANDARAI, BOA VISTA DO TUPIM,
BONITO, IACU, IBIQUERA, ITABERABA,
ITAETE, LAJEDINHO, MARCIONILIO
SOUZA, NOVA REDENCAO, RUY
BARBOSA, UTINGA E WAGNER
ÁREA II - SUDESTE
VALENÇA
ILHÉUS
ITABUNA
EUNÁPOLIS
TEIXEIRA DE FREITAS
CAIRU, CAMAMU, GANDU,
IBIRAPITANGA, IGRAPIUNA, ITAMARI,
ITUBERA, NILO PECANHA, NOVA IBIA,
PIRAI DO NORTE, PRESIDENTE
TANCREDO NEVES, TAPEROA,
TEOLANDIA, VALENCA E WENCESLAU
GUIMARAES
ARATACA, CANAVIEIRAS, ILHEUS,
ITACARE, MARAU, MASCOTE, SANTA
LUZIA, UMA E URUCUCA
ALMADINA, AURELINO LEAL,
BUERAREMA, CAMACAN, COARACI,
FLORESTA AZUL, GONGOGI,
GOVERNADOR LOMANTO JUNIOR,
IBICARAI, ITABUNA, ITAJU DO COLONIA,
ITAJUIPE, ITAPE, ITAPITANGA, JUSSARI,
PAU BRASIL, SANTA CRUZ DA VITORIA,
SAO JOSE DA VITORIA E UBAITABA
BELMONTE, EUNAPOLIS, GUARATINGA,
ITABELA, ITAGIMIRIM, ITAMARAJU,
ITAPEBI, JUCURUCU, PORTO SEGURO
E SANTA CRUZ CABRALIA
ALCOBACA, CARAVELAS, IBIRAPUA,
ITANHEM, LAJEDAO
MEDEIROS NETO, MUCURI, NOVA
VICOSA, PRADO, TEIXEIRA DE FREITAS
E VEREDA
Qtd
MUNICÍPIOS
70
ESCOLAS
UAB
Videoconferência
159
6
6
9
25
1
1
9
17
1
1
15
41
1+
1
13
32
1
1
11
18
1
1
13
26
1
1
76
199
5
6
15
27
9
38
1
1
19
51
1+
1
10
28
1
1
11
33
1
1
1
82
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ITAPETINGA
CAATIBA, FIRMINO ALVES, IBICUI,
IGUAI, ITAMBE, ITAPETINGA,
ITARANTIM, ITORORO, MACARANI,
MAIQUINIQUE, NOVA CANAA E
POTIRAGUA
ÁREA III - SUL
JEQUIÉ
BRUMADO
VITORIA DA CONQUISTA
CAETITÉ
AMARGOSA
GUNAMBI
AIQUARA, APUAREMA, BARRA DO
ROCHA, BOA NOVA, CRAVOLANDIA,
DARIO MEIRA, IBIRATAIA, IPIAU,
IRAJUBA, IRAMAIA, ITAGI, ITAGIBA,
ITAQUARA, ITIRUCU, JAGUAQUARA,
JEQUIE, JITAUNA, LAFAIETE COUTINHO,
LAJEDO DO TABOCAL, MANOEL
VITORINO, MARACAS, MIRANTE,
PLANALTINO, SANTA INES E UBATA
ARACATU, BARRA DA ESTIVA,
BRUMADO, CONTENDAS DO SINCORA,
DOM BASILIO, IBICOARA, ITUACU,
JUSSIAPE, LIVRAMENTO DE NOSSA
SENHORA, MALHADA DE PEDRAS, RIO
DE CONTAS E TANHACU
ANAGE, BARRA DO CHOCA, BELO
CAMPO, BOM JESUS DA SERRA,
CAETANOS, CANDIDO SALES,
CARAIBAS, CONDEUBA, CORDEIROS,
ENCRUZILHADA, MAETINGA,
PIRIPA, PLANALTO, POCOES,
PRESIDENTE JANIO QUADROS,
RIBEIRAO DO LARGO,
TREMEDAL E VITORIA DA CONQUISTA
CACULE, CAETITE, GUAJERU,
IBIASSUCE, IGAPORA, JACARACI,
LAGOA REAL, LICINIO DE ALMEIDA,
MORTUGABA E RIO DO ANTONIO
AMARGOSA, BREJOES, ELISIO
MEDRADO, JEQUIRICA, LAJE,
MUTUIPE, NOVA ITARANA, SAO MIGUEL
DAS MATAS E UBAIRA
CANDIBA, CARINHANHA, FEIRA DA
MATA, GUANAMBI, IUIU, MALHADA,
MATINA, PALMAS DE MONTE ALTO,
PINDAI, SEBASTIAO LARANJEIRAS E
URANDI
ÁREA IV - NORDESTE
SERRINHA
ALAGOINHAS
PAULO AFONSO
RIBEIRA DO POMBAL
AGUA FRIA, ARACI, BARROCAS,
BIRITINGA, CANSANCAO, CANUDOS,
CONCEICAO DO COITE, EUCLIDES DA
CUNHA, LAMARAO, MONTE SANTO,
NORDESTINA, QUEIMADAS,
QUIJINGUE, RETIROLANDIA,
SANTALUZ, SAO DOMINGOS,
SERRINHA, TEOFILANDIA, TUCANO E
VALENTE
ACAJUTIBA, ALAGOINHAS, APORA,
ARACAS, ARAMARI, CARDEAL DA
SILVA, CATU, CONDE, ENTRE RIOS,
ESPLANADA, INHAMBUPE, JANDAIRA,
OURICANGAS, PEDRAO, RIO REAL E
SATIRO DIAS
ABARE,CHORROCHO, CORONEL JOAO
SÁ, GLORIA,JEREMOABO, MACURURE,
PAULO AFONSO, PEDRO ALEXANDRE,
RODELAS, SANTA BRIGIDA E SITIO DO
QUINTO
ADUSTINA, ANTAS, BANZAE, CICERO
DANTAS, CIPO, CRISOPOLIS, FATIMA,
HELIOPOLIS, ITAPICURU, NOVA SOURE,
Folha
83/110
12
22
1
1
85
202
3
6
25
60
1
1
12
24
18
60
10
21
1
9
18
1
11
19
1
1
61
171
6
4
20
60
3
1
16
51
1
1
11
30
1
1
14
30
1
1
1
1+
1
83
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
84/110
NOVO TRIUNFO, OLINDINA,
PARIPIRANGA E RIBEIRA DO POMBAL
ÁREA V –
CENTRO/NORTE
JACOBINA
PIRITIBA
JUAZEIRO
IRECÊ
SENHOR DO BONFIM
AREA VI - REGIAO
METROPOLITANA E
RECONCAVO
SALVADOR
SALVADOR E RMS
SANTO AMARO
CAEM, CALDEIRAO GRANDE, CAPIM
GROSSO, JACOBINA, MIGUEL CALMON,
MIRANGABA, MORRO DO CHAPEU,
OUROLANDIA, QUIXABEIRA, SAO JOSE
DO JACUIPE, SAUDE, SERROLANDIA,
UMBURANAS, VARZEA DO POCO E
VARZEA NOVA
BAIXA GRANDE, MACAJUBA, MAIRI,
MUNDO NOVO, PIRITIBA
TAPIRAMUTA E VARZEA DA ROCA
CAMPO ALEGRE DE LOURDES, CASA
NOVA, CURACA, JUAZEIRO, PILAO
ARCADO, REMANSO, SENTO SE,
SOBRADINHO E UAUA
AMERICA DOURADA, BARRA DO
MENDES, BARRO ALTO,
CAFARNAUM, CANARANA,
CENTRAL, GENTIO DO OURO,
IBIPEBA, IBITITA, IRECE, ITAGUACU DA
BAHIA, JOAO DOURADO, JUSSARA,
LAPAO, MULUNGU DO MORRO,
PRESIDENTE DUTRA, SAO GABRIEL,
UIBAI E XIQUE-XIQUE
ANDORINHA, ANTONIO GONCALVES,
CAMPO FORMOSO, FILADELFIA, ITIUBA
JAGUARARI, PINDOBACU, PONTO
NOVO E SENHOR DO BONFIM
SALVADOR
CAMACARI, CANDEIAS, DIAS D AVILA,
ITAPARICA, LAURO DE FREITAS,
MADRE DE DEUS, SALVADOR, SIMOES
FILHO E VERA CRUZ
ITANAGRA, MATA DE SAO JOAO,
POJUCA, SANTO AMARO,
SAO FRANCISCO DO CONDE,
SAO SEBASTIAO DO PASSE,
SAUBARA, TEODORO SAMPAIO E
TERRA NOVA
AREA VII - REGIAO
FEIRA
FEIRA DE SANTANA
SANTO ANTÔNIO DE
JESUS
AMELIA RODRIGUES, ANGUERA,
ANTONIO CARDOSO, CANDEAL,
CAPELA DO ALTO ALEGRE,
CONCEICAO DA FEIRA, CONCEICAO DO
JACUIPE, CORACAO DE MARIA, FEIRA
DE SANTANA, GAVIAO, ICHU,
IPECAETA, IPIRA, IRARA, NOVA FATIMA,
PE DE SERRA, PINTADAS, RAFAEL
JAMBEIRO, RIACHAO DO JACUIPE,
SANTA BARBARA, SANTANOPOLIS,
SANTO ESTEVAO, SAO GONCALO DOS
CAMPOS, SERRA PRETA E
TANQUINHO
ARATUIPE, CASTRO ALVES,
CONCEICAO DO ALMEIDA, DOM
MACEDO COSTA, ITATIM
JAGUARIPE, MUNIZ FERREIRA
NAZARE, SALINAS DA MARGARIDA,
SANTA TEREZINHA,
SANTO ANTONIO DE JESUS E
60
159
2
15
28
1
7
14
1
10
53
19
28
1
9
36
1
19
294
1
3
1
124
1
2
9
151
9
19
46
189
2
4
25
135
1/1+
2
12
25
1/1+
5
1
1
1
84
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
CRUZ DAS ALMAS
TOTAL
VARZEDO
CABACEIRAS DO PARAGUACU,
CACHOEIRA, CRUZ DAS ALMAS,
GOVERNADOR MANGABEIRA,
MARAGOGIPE, MURITIBA, SAO FELIPE,
SAO FELIX E SAPEACU
9
29
417
1373
Folha
85/110
1
25
34
85
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
86/110
ANEXO VII
1.
Lista de Equipamentos, Software´s, Materiais, Serviços e Quantitativos
1.1.
Unidade Escolar do Ensino Médio Tipo I – Soluções de Vídeo Vigilância em
Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Escolas do Ensino Médio mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, composta dos
ambientes:
- Sala da Diretoria
- Secretaria
- Biblioteca
- Sala de Professores
- Almoxarifado
- Área de Convivência (pátio)
- Laboratórios de Informática e Química/Física/Biologia
Padrão
Tipo I
Qtd Unid.
Escolares
192
Nº Salas
Nº Alunos
Acima de 20
Acima 2500
Laboratórios
3
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID QTD por
Unidade
DESCRIÇÃO
1
2
3
4
5
DVR – 04 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
DVR – 16 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 20 mts – c/ fonte
de alimentação
Câmeras Fixas IR – 30 mts - c/ fonte
de alimentação
Câmeras Fixas IR – 50 mts - c/ fonte de
Escolar
pç
01
pç
01
pç
10
pç
06
pç
04
86
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
6
alimentação
Sensores de Presença Passivos
pç
08
7
Monitor Local c/ TV/Monitor LED 40”
pç
01
8
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P
CAT 5e conectorizado Instalado c/
infraestrutura (distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 25 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
instalado
Nobreak 1.2 KVA Instalado
pç
20
pç
02
pç
09
pç
01
pç
01
Ponto elétrico Rack (distância média 20
mts) c/ tomadas e infraestrutura
Instalado
14(*) Ponto elétrico Câmera (distância média
40 mts) c/ tomadas e infraestrutura
15 Sirene externa
pç
01
pç
20
pç
01
9
10
11
12
13
16
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
17
Central de Alarme
pç
01
Folha
87/110
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.2.
Unidade Escolar do Ensino Médio Tipo II – Soluções de Vídeo Vigilância em
Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
87
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
88/110
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Escolas do Ensino Médio mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, composta dos
ambientes:
- Sala da Diretoria
- Secretaria
- Biblioteca
- Sala de Professores
- Almoxarifado
- Área de Convivência (pátio)
- Laboratórios de Informática e Química/Física
Padrão
Tipo II
Qtd Unid.
Escolares
340
Nº Salas
13 a 20
Nº Alunos
Laboratórios
1401 a 2500
2
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
QTD
por
Unidade
DESCRIÇÃO
5
DVR – 16 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 20 mts – c/ fonte de
alimentação
Câmeras Fixas IR – 30 mts - c/ fonte de
alimentação
Câmeras Fixas IR – 50 mts - c/ fonte de
alimentação
Sensores de Presença Passivos
6
7
1
2
3
4
8
Escolar
pç
01
pç
08
pç
06
pç
02
pç
08
Monitor Local c/ TV/Monitor LED 40”
pç
01
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
pç
16
pç
01
88
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
pç
09
10
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 25 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
11
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
16
pç
01
9
12
Ponto elétrico Rack (distância média 20
mts) c/ tomadas e infraestrutura
13 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
35 mts) c/ tomadas e infraestrutura
14 Sirene Externa
15
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
16
Central de Alarme
pç
01
Folha
89/110
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.3.
Unidade Escolar do Ensino Médio Tipo III – Soluções de Vídeo Vigilância em
Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Escolas do Ensino Médio mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, composta dos
ambientes:
- Sala da Diretoria
- Secretaria
89
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
90/110
- Biblioteca
- Sala de Professores
- Almoxarifado
- Área de Convivência (pátio)
- Laboratórios de Informática
Padrão
Tipo III
Qtd Unid.
Escolares
612
Nº Salas
7 a 12
Nº Alunos
Laboratórios
1
501 a 1400
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID QTD por
Unidade
DESCRIÇÃO
Escolar
4
DVR – 16 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 30 mts – c/ fonte
de alimentação
Câmeras Fixas IR – 50 mts - c/ fonte de
alimentação
Sensores de Presença Passivos
5
Monitor Local c/ TV/Monitor LED 40”
pç
01
6
pç
12
pç
01
pç
07
9
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 20 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
10
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
12
pç
01
pç
01
1
2
3
7
8
11
Ponto elétrico Rack (distância média 20
mts) c/ tomadas e infraestrutura
12 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
30 mts) c/ tomadas e infraestrutura
13 Sirene Externa
14
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
pç
08
pç
04
pç
06
90
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
15
Central de Alarme
pç
Folha
91/110
01
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.4.
Unidade Escolar do Ensino Médio Tipo IV – Soluções de Vídeo Vigilância em
Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Escolas do Ensino Médio mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, composta dos
ambientes:
- Sala da Diretoria
- Secretaria
- Biblioteca
- Sala de Professores
- Almoxarifado
- Área de Convivência (pátio)
- Laboratórios de Informática
Padrão
Tipo IV
Qtd Unid.
Escolares
229
Nº Salas
<6
Nº Alunos
Até 500
Laboratórios
1
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
91
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ITEM
Folha
92/110
UNID QTD por
Unidade
DESCRIÇÃO
4
DVR – 8 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 30 mts – c/ fonte
de alimentação
Câmeras Fixas IR – 50 mts - c/ fonte
de alimentação
Sensores de Presença Passivos
5
Monitoramento Local c/ TV/Monitor
1
Escolar
pç
01
pç
06
pç
02
pç
06
pç
01
pç
08
pç
01
pç
07
9
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 20 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
10
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
08
pç
01
2
3
LED 32”
6
7
8
11
Ponto elétrico Rack (distância média 20
mts) c/ tomadas e infraestrutura
13 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
25 mts) c/ tomadas e infraestrutura
13 Sirene Externa
14
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
15
Central de Alarme
pç
01
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
92
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
93/110
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.5.
Polo da Universidade Aberta do Brasil - UAB Tipo I – Soluções de Vídeo
Vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências dos Polos
da Universidade Aberta do Brasil mantidos pela Secretaria da Educação – SEC, composta
dos ambientes:
- Sala da Administração
- Sala de Professores
- Biblioteca
- Recepção
- Laboratórios
Padrão
UAB I
Qtd Unid.
Escolares
20
Nº Salas
Laboratórios
1
3a9
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID QTD por
DESCRIÇÃO
3
DVR – 4 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 30 mts – c/ fonte
de alimentação
Sensores de Presença Passivos
4
Monitoramento Local c/ TV/Monitor
1
2
Unidade
pç
01
pç
04
pç
02
pç
01
pç
04
LED 32”
5
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
93
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
6
pç
01
pç
03
8
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 25 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
9
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
04
pç
01
7
10
Ponto elétrico Rack (distância média 15
mts) c/ tomadas e infraestrutura
11 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
20 mts) c/ tomadas e infraestrutura
12 Sirene Externa
13
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
14
Central de Alarme
pç
01
Folha
94/110
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.6.
Polo da Universidade Aberta do Brasil - UAB Tipo II – Soluções de Vídeo
Vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências dos Polos
da Universidade Aberta do Brasil mantidos pela Secretaria da Educação – SEC, composta
dos ambientes:
- Sala da Administração
- Sala de Professores
94
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
95/110
- Biblioteca
- Recepção
- Laboratórios
Padrão
Qtd Unid. Nº Salas
Laboratórios
Escolares
UAB II
05
>9
2
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID QTD por
DESCRIÇÃO
3
DVR – 8 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 30 mts – c/ fonte
de alimentação
Sensores de Presença Passivos
4
Monitoramento Local c/ TV/Monitor
1
Unidade
pç
01
pç
06
pç
02
pç
01
pç
06
pç
01
pç
03
8
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 25 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
9
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
06
pç
01
2
LED 32”
5
6
7
10
Ponto elétrico Rack (distância média 15
mts) c/ tomadas e infraestrutura
11 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
20 mts) c/ tomadas e infraestrutura
12 Sirene Externa
13
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
14
Central de Alarme
pç
01
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
95
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
96/110
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.7.
Unidade Sala de Videoconferência – Soluções de Vídeo Vigilância em Circuito
Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das Salas
de Videoconferência mantidas pela Secretaria da Educação – SEC, composta dos
ambientes:
- Auditório
- Almoxarifado
Padrão
Qtd Unid.
Escolares
Sala
Videoconferência
Nº Salas
34
02
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID QTD por
DESCRIÇÃO
1
2
3
4
DVR – 4 Câmeras – 1TB em HD –
software incluso
Câmeras Fixas IR – 30 mts – c/ fonte
de alimentação
Sensores de Presença Passivos
Ponto de rede lógica Cabo UTP CAT 5e
c/ Baluns de Vídeo e infraestrutura
(distância média 80 mts)
Unidade
pç
01
pç
02
pç
01
pç
02
96
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
5
pç
01
pç
02
7
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P CAT
5e conectorizado c/ infraestrutura
(distância média 5 mts)
Ponto lógico para Sensores e Sirene –
cabo paralelo 1,5mm² Instalado c/
infraestrutura (distância média 10 mts)
Rack 19” fechado c/ kit ventilação 6 U's
pç
01
8
Nobreak 1.2 KVA
pç
01
pç
01
pç
02
pç
01
6
9
Ponto elétrico Rack (distância média 25
mts) c/ tomadas e infraestrutura
10 (*) Ponto elétrico Câmera (distância média
10 mts) c/ tomadas e infraestrutura
11 Sirene Externa
12
Controle Remoto c/ Botão de Pânico
pç
01
13
Central de Alarme
pç
01
Folha
97/110
(*) A critério da Contratada, a alimentação elétrica, se em Corrente Continua, limitada a 24VDC poderá
ser encaminhada através de par de condutores do Cabo UTP CAT 5e instalado para a rede lógica.
b. Treinamento da Equipe Operacional e Administração, Manutenção Corretiva e
Preventiva
ITEM DESCRIÇÃO
Unid
Qtd
1
Treinamento Operacional em cada Unidade Escolar
Hora/aula
02
2
Treinamento Administração para Equipe Técnica da SEC/BA
Hora/aula
08
3
Manutenção Preventiva e Corretiva enquanto Garantia (On-site)
Meses
33
1.8.
Central de Operação e Monitoramento Remoto
Fornecimento de soluções para a Central de Operação e Monitoramento Remota,
responsável pelo comando e gestão de todo o Sistema de CFTV e Alarmes,
particularmente sobre as câmeras, imagens capturadas e alarmes sobre os elementos da
solução ofertada, contemplando bens e
serviços, com instalação e configuração,
manutenção preventiva e corretiva, operação e monitoramento Remoto, das dependências
das Unidades Escolares.
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
97
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ITEM DESCRIÇÃO
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
UNID
Switch Gerenciável 10/100 BaseT – 8 portas
Servidor Intel Xeon – 8GB RAM – 2TB em Disco Rígido
Estações de Monitoração c/ Monitor
Monitor/TV LED 40”
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P Cat 5e conectorizado c/
infraestrutura (distância média 5 mts)
Ponto elétrico Rack (distância média 25 mts) c/ tomadas e
infraestrutura
Ponto elétrico Estações (distância média 10 mts) c/ tomadas
e infraestrutura
Console de Operação 1 Posição
Cadeira Secretária Giratória com Braços
Software de Visualização e Gravação de Imagens para a
Central de Operação e Monitoramento
Rack 19" – Tipo Piso, fechado 18U
Folha
98/110
QTD
pç
pç
pç
pç
01
01
04
04
pç
05
pç
01
pç
pç
pç
12
04
06
pç
01
pç
01
b. Serviços de Operação da Central de Operação e Monitoramento
ITEM
1
DESCRIÇÃO
Serviço de Operação e Monitoramento (24 x 7) da solução
fornecida e implantada a partir de 04 Pontos de Atendimento,
enquanto Contrato
QDE
33
meses
c. Serviços de Manutenção Preventiva e Corretiva
ITEM
1
DESCRIÇÃO
Serviço de Manutenção Preventiva e Corretiva
QDE
33
meses
98
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
99/110
ANEXO VIII
1.
1.1.
Custo Estimado
Lote I – Área I - OESTE – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito Fechado de
Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Qtd. Municípios
Área I – OESTE
70
Qtd.
Unidades
171
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados, Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
05
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
24
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
73
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
57
5
UAB I
KIT *
05
5
UAB II
KIT *
01
7
Sala Videoconferência
KIT *
06
SUB Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
99
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Folha
100/110
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
Mensal
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
05
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
24
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
73
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
57
5
UAB I
Mês
05
6
UAB II
Mês
01
7
Sala Videoconferência
Mês
06
Sub Total
Custo Total do Lote I (A01)
1.2.
Lote II – Área II - SUDESTE – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito Fechado
de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Qtd. Municípios
Qtd.
Unidades
Área II – SUDESTE
76
210
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
26
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
50
100
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
94
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
29
5
UAB I
KIT *
04
6
UAB II
KIT *
01
7
Sala Videoconferência
KIT *
06
Folha
101/110
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
26
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
50
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
94
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
29
5
UAB I
Mês
04
6
UAB II
Mês
01
7
Sala Videoconferência
Mês
06
Sub Total
Custo Total do Lote II (A02)
1.3.
Lote III – Área III - SUL – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito Fechado de
Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e
Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Área III – SUL
Qtd. Municípios
85
Qtd.
Unidades
211
101
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
102/110
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
19
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
41
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
100
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
42
5
UAB I
KIT *
02
6
UAB II
KIT *
01
7
Sala Videoconferência
KIT *
06
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
19
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
41
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
100
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
42
5
UAB I
Mês
02
6
UAB II
Mês
01
7
Sala Videoconferência
Mês
06
Sub Total
Custo Total do Lote III (A03)
102
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
1.4.
Folha
103/110
Lote IV – Área IV - NORDESTE – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito
Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Qtd. Municípios
Área IV – NORDESTE
Qtd.
Unidades
61
181
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
14
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
28
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
84
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
45
5
UAB I
KIT *
06
6
UAB II
KIT *
00
7
Sala Videoconferência
KIT *
04
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
14
103
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
28
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
84
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
45
5
UAB I
Mês
06
6
UAB II
Mês
00
7
Sala Videoconferência
Mês
04
Folha
104/110
Sub Total
Custo Total do Lote IV (A04)
1.5.
Lote V – Área V – CENTRO/NORTE – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito
Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Qtd. Municípios
Área V – CENTRO/NORTE
60
Qtd.
Unidades
166
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
10
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
38
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
82
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
29
5
UAB I
KIT *
01
6
UAB II
KIT *
01
7
Sala Videoconferência
KIT *
05
104
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
105/110
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
10
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
38
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
82
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
29
5
UAB I
Mês
01
6
UAB II
Mês
01
7
Sala Videoconferência
Mês
05
Sub Total
Custo Total do Lote V (A05)
1.6.
Lote VI – Área VI – REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR E RECONCAVO –
Solução de Vídeo Vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Área VI – REGIÃO
METROPOLITANA DE
SALVADOR E RECONCAVO
Qtd. Municípios
19
Qtd.
Unidades
298
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
105
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Folha
106/110
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
89
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
107
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
90
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
08
5
UAB I
KIT *
01
6
UAB II
KIT *
00
7
Sala Videoconferência
KIT *
03
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
89
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
107
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
90
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
08
5
UAB I
Mês
01
6
UAB II
Mês
00
7
Sala Videoconferência
Mês
03
Sub Total
Custo Total do Lote VI (A06)
1.7.
Lote VII – Área VII – REGIÃO FEIRA – Solução de Vídeo Vigilância em Circuito
Fechado de Televisão – CFTV e Alarmes
Fornecimento de soluções de vídeo vigilância em Circuito Fechado de Televisão – CFTV
e Alarmes de intrusão, contemplando bens e serviços, com instalação, configuração,
106
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
107/110
treinamento de equipes e manutenção preventiva e corretiva nas dependências das
Unidades mantidas pela Secretaria da Educação – SEC.
Área
Qtd. Municípios
Área VII – REGIÃO FEIRA
Qtd.
Unidades
46
195
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
UNID
DESCRIÇÃO
Qtd.
Custo
Custo
Unidades
Unitário
Total
Custo
Qtd.
Custo
Unitário
Unidades
Total
1
Unidade Escolar Tipo I
KIT *
29
2
Unidade Escolar Tipo II
KIT *
52
3
Unidade Escolar Tipo III
KIT *
89
4
Unidade Escolar Tipo IV
KIT *
19
5
UAB I
KIT *
01
6
UAB II
KIT *
01
7
Sala Videoconferência
KIT *
04
Sub Total
(*) Kit detalhado no Anexo VII
b. Manutenção Corretiva e preventiva (33 meses)
ITEM
UNID
Mensal
DESCRIÇÃO
1
Unidade Escolar Tipo I
Mês
29
2
Unidade Escolar Tipo II
Mês
52
3
Unidade Escolar Tipo III
Mês
89
4
Unidade Escolar Tipo IV
Mês
19
5
UAB I
Mês
01
6
UAB II
Mês
01
7
Sala Videoconferência
Mês
04
107
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
108/110
Sub Total
Custo Total do Lote VII (A07)
1.8.
Lote VIII – Central de Operação e Monitoramento Remoto
Fornecimento de soluções para a Central de Operação e Monitoramento Remota,
responsável pelo comando e gestão de todo o Sistema de CFTV e Alarmes,
particularmente sobre as câmeras, imagens capturadas e alarmes sobre os elementos da
solução ofertada, contemplando bens e
serviços, com instalação, configuração,
treinamento de equipes, manutenção preventiva e corretiva e operação e monitoramento
Remoto, das dependências das Unidades Escolares.
a. Equipamentos, Materiais e acessórios (Instalados, Configurados e Testados)
ITEM
DESCRIÇÃO
1
2
Switch Gerenciável 10/100 BaseT – 8 portas
Servidor Intel Xeon – 8GB RAM – 2TB em Disco
Rígido
Estações de Monitoração c/ Monitor
Monitor/TV LED 40”
Ponto de rede lógica Cabo UTP 4P Cat 5e
conectorizado c/ infraestrutura (distância média 5
mts)
Ponto elétrico Rack (distância média 15 mts) c/
tomadas e infraestrutura
Console de Operação 1 Posição
Cadeira Secretária Giratória com Braços
Software de Visualização e Gravação de
Imagens para a Central de Operação e
Monitoramento
3
4
5
6
7
8
9
10
UNID QTD
pç
01
pç
pç
pç
01
04
04
pç
05
pç
pç
pç
13
04
06
pç
01
Custo
Custo
Unitário
Total
Rack 19" – Tipo Piso, fechado 18U
Sub Total
b. Serviços de Operação da Central de Operação e Monitoramento
ITEM
1
DESCRIÇÃO
Serviço de Operação e
Monitoramento (24 x 7) da solução
fornecida e implantada a partir de
Pontos de Atendimento, enquanto
Contrato
Unid
Qtd.
Meses
PA/Mês
33
Custo
Unitário
Qtd.
PA
Custo
Total
04
108
Versão consulta pública na web
Revisão: 1
Data: 07/2015
TERMO DE REFERÊNCIA
VÍDEO VIGILÂNCIA E ALARME PARA AS UNIDADES ESCOLARES
Folha
109/110
Sub total
c. Serviços de Manutenção Preventiva e Corretiva (33 meses)
UNID
ITEM
Qtd.
Meses
Custo
Unitário
Total
Mensal
DESCRIÇÃO
Serviço de Manutenção Preventiva e Corretiva
1
Custo
Mês
33
Sub total
Custo Total do Lote VIII (A08)
Custo Total do Projeto (A01+A02+A03+A04+A05+
A06+ A07+A08)
Custo Médio por Unidade Escolar (Total Projeto/1448)
109
Anexo IX – Cronograma de Atividades do Projeto
Item
Atividade
M1
1
Mobilização e Elaboração do Plano de
6.000
Trabalho
2
Instalação da Infraestrutura Elétrica e
Lógica
3
Fornecimento de equipamentos e
disponibilização
de
materias,
acessórios e ferramentaria
4
Instalação e Configiração da Solução
5
Manutenção Preventiva e Corretiva
6
Treinamento para Operadores
7
Treinamento para Administradores
8
Operação e Monitoramento Remoto
M2
M3
M4
M5
M6
M7
M8
M9
M10
M11
M12
M13
M14
M15
M16
M17
M18
M19
M20
M21
M22
M23
M24
M25
M26
M27
M28
M29
M30
M31
M32
M33
M34
M35
M36

Documentos relacionados