Relatório PES_2014_15

Transcrição

Relatório PES_2014_15
ANO LETIVO 2014/2015
ÍNDICE
1.
Introdução – breve descrição do Projeto ........................................................................................ 3
2.
Áreas prioritárias – objetivos gerais e específicos .......................................................................... 5
3.
Composição da equipa de trabalho ................................................................................................ 6
4.
Funções da Equipa do Projeto......................................................................................................... 6
5.
O gabinete de apoio ao aluno e à comunidade escolar .................................................................. 7
6.
Atividades realizadas – cronograma ............................................................................................. 10
7.
Protocolos e instituições colaborantes .……………………………………………………………………………………11
8.
O Projeto de Educação Sexual....................................................................................................... 12
9.
Avaliação do trabalho desenvolvido/considerações finais ........................................................... 16
10.
Antevisão do próximo ano letivo .............................................................................................. 18
ANEXOS ................................................................................................................................................. 19
ANEXO 1 ....................................................................................................................................................
Atividades desenvolvidas no âmbito do Projeto de Educação Sexual .................................................. 20
ANEXO 2 ....................................................................................................................................................
Registo de alguns trabalhos e atividades desenvolvidas com os alunos .............................................. 33
2
1. Introdução – breve descrição do Projeto
«A promoção da educação para a saúde em meio escolar é um processo em permanente
desenvolvimento para o qual concorrem os setores da Educação e da Saúde. Este processo
contribui para a aquisição de competências das crianças e dos jovens, permitindo-lhes confrontarse positivamente consigo próprios, construírem um projeto de vida e serem capazes de fazer
escolhas individuais, conscientes e responsáveis. A promoção da educação para a saúde na escola
tem, também, como missão criar ambientes facilitadores dessas escolhas e estimular o espírito
crítico para o exercício de uma cidadania ativa.»
In Protocolo entre o Ministério da Educação e o Ministério da Saúde
O presente relatório é o resultado do trabalho desenvolvido no âmbito do Projeto de Educação
para a Saúde (P.E.S.) durante o ano letivo 2014/2015, na Escola Secundária Maria Amália Vaz de
Carvalho.
O quadro legislativo atual torna obrigatória a inclusão da Promoção e Educação para a Saúde,
como área de formação global do indivíduo, no Projeto Educativo, na vivência de um currículo
aberto, trabalhado em toda a escola, quer no campo específico das disciplinas dos planos
curriculares em vigor, quer no conjunto das atividades constantes das áreas curriculares não
disciplinares e das atividades de enriquecimento curricular.
Tal como temos vindo a referir, as finalidades deste projeto integram-se na visão que a OMS tem
da saúde: a saúde não deve ser apenas definida pela negativa, como ausência de doença ou de
enfermidade, mas sim pela positiva, como “(…) um estado completo de bem-estar físico, social e
mental” (OMS, 1993). Na Carta de Otawa (OMS, 1946) a promoção da saúde é o “Processo que
possibilita às pessoas aumentar o seu domínio sobre a saúde e melhorá-la”, ou seja, há uma
responsabilidade da comunidade em geral, das instituições e dos próprios indivíduos na manutenção
da saúde - a promoção da saúde não é da responsabilidade exclusiva dos serviços de saúde; todos os
setores, nomeadamente o da educação, são responsáveis pela construção de um bem-estar global
(DGIDC).
De acordo ainda com a DGIDC, educar para a saúde “(…) consiste em dotar as crianças e os jovens
de conhecimentos, atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar decisões adequadas à
sua saúde e ao seu bem-estar físico, social e mental, bem como a saúde dos que os rodeiam,
conferindo-lhes assim um papel interventivo”. Tendo em conta que o seu objetivo geral é o de
desenvolver a consciência cívica de toda a comunidade, como elemento fundamental no processo de
formação de cidadãos responsáveis, ativos e intervenientes, a Educação para a Saúde, será efetuada
numa perspetiva interdisciplinar, numa lógica de transversalidade, e utilizará um modelo pedagógico
compreensivo, envolvendo a comunidade escolar. Será dinamizada, sempre que possível, em
colaboração estreita com os serviços de saúde, pais e Encarregados de Educação, e outras entidades
externas.
3
Atendendo à finalidade deste projeto – promover o desejo de saber, de saber fazer e de agir no
âmbito da promoção da saúde –, pretende-se, mais especificamente:
 Conduzir à adoção de princípios e práticas saudáveis na vida diária da comunidade escolar;
 Contribuir para a prevenção e controlo de comportamentos de risco e para o uso de boas práticas
a nível de hábitos alimentares, atividade física e educação sexual.
 Desenvolver o sentido de responsabilidade de cada um na promoção da sua saúde e da
comunidade em que está inserido.
 Desenvolver nos alunos atitudes de autoestima, respeito mútuo e regras de convivência que
contribuam para a formação de jovens tolerantes, justos, autónomos e civicamente responsáveis.
 Sensibilizar as famílias dos alunos para questões de saúde consideradas prioritárias.
 Criar consensos e parcerias sólidas, que advoguem um trabalho em rede e permitam organizar
equipas multiprofissionais responsáveis pela implementação deste Projeto. Esta aliança incluirá as
Associações de Pais, a Autarquia, as Organizações Não Governamentais e todos os setores da
sociedade que trabalham com crianças e jovens.
 Promover um ambiente escolar seguro e saudável.
Podemos concluir que o conceito atual de educação para a saúde tem subjacente a ideia de que a
informação permite identificar comportamentos de risco, reconhecer os benefícios dos
comportamentos adequados e suscitar comportamentos de prevenção. A educação para a saúde
tem, pois, como objetivos centrais a informação e a consciencialização de cada pessoa acerca da sua
própria saúde e a aquisição de competências que a habilitem para uma progressiva
autorresponsabilização.
4
2. Áreas prioritárias – objetivos gerais e específicos
Áreas temáticas
Alimentação
Saudável e
Atividade Física
Objetivos gerais (DGIDC)
 Melhorar o estado de saúde global
dos jovens.
 Inverter a tendência crescente de
perfis de doença associadas a uma
deficiente nutrição.
 Promover a saúde dos jovens,
especificamente em matéria de
alimentação saudável e atividade
física
 Melhorar o estado de saúde global
dos jovens.
 Contribuir para a definição de
Prevenção do
políticas claras em matéria de
consumo de
consumos de substâncias psicoativas.
substâncias
 Prevenir o consumo destas
psicoativas
substâncias em meio escolar através
de debates, sessões de sensibilização
e outras estratégias de trabalho
continuado com os alunos e
envolvendo toda a comunidade
educativa.
 Contribuir para uma melhoria dos
relacionamentos afetivo-sexuais entre
os jovens.
 Contribuir para a redução das
possíveis consequências negativas dos
Educação Sexual
comportamentos sexuais, tais como a
gravidez não planeada e as Infeções
Sexualmente Transmissíveis (IST).
 Contribuir para a tomada de decisões
conscientes na área da educação para
a saúde – educação sexual.
Saúde Mental/
Prevenção da
violência em
meio escolar
 Identificar os vários tipos de
comportamentos relacionados com a
violência.
 Apoiar ações de sensibilização e
promoção da saúde mental.
 Promover uma intervenção
continuada e baseada no
conhecimento, em parceria com
instituições competentes na matéria.
5




Finalidade das atividades
desenvolvidas
Sensibilizar os jovens para a
importância de uma Alimentação
Saudável e levá-los a assumir
atitudes críticas face aos
comportamentos que
comprometam o equilíbrio do
organismo;
Alertar para a importância da
atividade física e para a manutenção
de um estilo de vida ativo.
Informar e alertar para os perigos e
consequências do consumo das
substâncias psicoativas.
Levar os alunos à tomada de
consciência do carater nefasto de
todas as formas de comportamento
aditivo.
 Assegurar informação que permita
escolhas informadas e seguras.
 Conduzir ao reconhecimento da
importância dos sentimentos e da
afetividade.
 Promover relações interpessoais
positivas.
 Reduzir consequências negativas
dos comportamentos sexuais de
risco.
 Alertar para todas as formas de
exploração e de abuso sexuais.
 Respeitar a diferença e o pluralismo
das conceções existentes na
sociedade portuguesa.
 Promover uma intervenção
continuada, e baseada no
conhecimento, que permita aos
jovens identificar os vários tipos de
comportamentos relacionados com
a violência para que evitem
situações de risco e desenvolvam
estratégias de defesa.
3. Composição da equipa de trabalho
Ana Goulart – Coordenadora
Vitória Linhas
Júlio Pinheiro
Teresa Amaro
Lígia Louro
Maria João Fernandes (1 bloco de atendimento)
Filipa Frias (apenas metade do ano)
Alexia Loureiro (1 bloco de atendimento)
Contámos novamente com a colaboração da psicóloga Ana Deus e do Serviço de Psicologia e
Orientação (SPO) na conceção de projetos e organização de atividades, embora em menor escala já
que o seu horário, este ano letivo, foi reduzido para metade da carga horária. Reforço, à semelhança
do ano letivo anterior, que esta colaboração é uma mais-valia para a escola.
A professora coordenadora foi responsável pela coordenação da equipa e pela ligação e
articulação com outras estruturas de orientação educativa (o coordenador de diretores de turma, os
diretores de turma, a Direção da escola, entre outros) e com instituições exteriores à escola cuja
atividade está enquadrada no âmbito dos objetivos deste projeto. A professora Vitória Linhas teve a
seu cargo a gestão do gabinete de apoio ao aluno. Os restantes professores deram apoio nas diversas
atividades.
4. Funções da Equipa do Projeto
O Núcleo de Educação para a Saúde tem como principal competência assegurar o
acompanhamento, monitorização e desenvolvimento das atividades da saúde em meio escolar, na
vertente da Educação para a Saúde (Despacho n.º15 987/2006) e Educação Sexual (Lei n.º 60/2009 e
Portaria nº196 - A/2010). Tem como principais funções:
 Gerir o gabinete de informação e apoio ao aluno e à comunidade escolar.
 Organizar iniciativas de complemento curricular e desenvolver atividades que julgar necessárias e
adequadas à implementação do projeto.
 Estabelecer parcerias com entidades externas devidamente credenciadas, sempre que sejam
consideradas necessárias e/ou que possam contribuir para o desenvolvimento do projeto e dos
trabalhos de cada turma.
 Articular o trabalho com os professores das turmas e aceder a pedidos de ajuda ou de
esclarecimento por parte de alunos e de professores.
 Promover o envolvimento da comunidade educativa e sensibilizar para as temáticas abordadas.
6
5. O gabinete de apoio ao aluno e à comunidade escolar
O Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade Escolar tem por objetivo dar informação, prestar
apoio e aconselhamento aos alunos sobre qualquer assunto que se assuma como problemático, seja
relativo ao desempenho escolar, à integração social, ao domínio afetivo, etc. Pretendemos que seja
um espaço por excelência de contacto e de debate, num contexto confidencial e securizante, que nos
permitirá fazer a sinalização de casos que poderão assumir dimensões mais preocupantes, e
encaminhá-los para serviços especializados.
O gabinete é ainda um espaço de atendimento a alunos, professores e funcionários que
apresentem problemas pontuais de saúde que interfiram com o normal decorrer do trabalho – dores
de cabeça, pequenas feridas, indisposições, situações de crise de várias ordens, etc. O seu
funcionamento é assegurado pela equipa de trabalho do PES de acordo com um horário préestabelecido no início do ano letivo. Todos os casos são registados no dossier de “Registo Diário de
Ocorrências”, a partir do qual a equipa efetuou relatórios periódicos, onde constam, entre outras, a
incidência do número e tipo de situações acompanhadas, bem como as soluções encontradas.
Apresentam-se, de seguida, uma síntese desses registos.
10º Ano
11º Ano
12º Ano
Total alunos/período
Professores/Funcionários
Número de ocorrências registadas (alunos)
1º Período
2º Período
3º Período
84
62
56
55
31
29
30
20
15
169
113
100
Total anual
202
115
65
382
26
Alunos que mais frequentemente solicitam ajuda no gabinete do P.E.S.
Distribuição por ano de escolaridade
Distribuição por sexo
90
12º ano
60
50
40
30
20
nº de casos registados
11º ano
70
nº de casos registados
120
10º ano
80
10
Raparigas
100
Rapazes
80
60
40
20
0
0
1º período
2º período
1º período
3º período
2º período
3º período
Como podemos constatar, o maior número de registo de ocorrências regista-se no 1º período e em
alunos do 10º ano. Pensamos que tal facto se deve principalmente a dois fatores: a duração do
período (mais longo) e a adaptação à escola. As raparigas solicitam mais a nossa ajuda do que os
rapazes, também à semelhança de outros anos.
7
A metodologia que adotamos no atendimento aos alunos é a seguinte: quando recebemos o aluno
tentamos clarificar (através de uma conversa) os sintomas apresentados e as suas causas (quando
conhecidas), a fim de ajuizar acerca da gravidade da situação e da nossa capacidade e competência
para lhe dar resposta. Procuramos dar resposta imediata às situações mais simples (por exemplo,
uma dor de dentes); as que percebemos serem mais complexas ou mais graves, às quais não
conseguimos dar resposta, contactamos com os encarregados de educação e/ou contactamos e
encaminhamos o aluno para os serviços competentes – o SPO, o Centro de Saúde, INEM, Saúde 24.
Os dois gráficos abaixo mostram quais são os principais sintomas apresentados pelos alunos e os
procedimentos que adotamos.
Sintomas apresentados
formigueiro no dedo do pé
Alergia
Hemorragia decorrente de extração dentária
Lesão/dor membros inferiores (perna, tornozelo, pé)
Lesão/dor membros superiores (ombro, braço,…
Sincope Vasogal
Dor muscular
Dor de garganta
Dor de cabeça
Dor de dentes
Dor de ouvidos
Dor de estômago/abdomen
Dor de barriga
Dor de barriga/dor menstrual
Dor no peito
Dor no pescoço
Dores nas costas
Erupção cutânea
Dor/ardor na vista
Nariz/sobrolho/maxilar magoado
Feridas/cortes
Hemorragia nasal
tremores e cansaço
Indisposição/ mal estar geral
Arrepios/tremor/frio
Sintomas de gripe/constipação
Tonturas
Diarreia
Febre
Tosse
Batimentos cardiacos acelerados
Desmaio
Sensação de desmaio
Vómitos/náuseas
Descontrolo emocional
Crise de ansiedade
0
3º Período
2º Período
1º Período
5
10
15
20
25
30
35
nº de casos registados
Os sintomas mais frequentes são as feridas, os cortes, as lesões nos membros superiores ou
inferiores, devidas, em parte, a acidentes que ocorrem na escola (principalmente durante a Educação
Física). As dores de cabeça também são frequentes e que aparecem, sobretudo, nos momentos de
avaliação. O número de acidentes registados ao longo do ano foi o seguinte:
8
Local do acidente
Aula de Educação Física
Corredores/recreio
Sala de aula
Saída da escola
Nº de casos registados
51
1
6
1
Procedimentos adotados
Ligar para Saúde 24
Fenistil
Reumongel
3º periodo
Bepantene
2º periodo
EE veio buscar
1º periodo
Exercicios respiratórios
Chamar INEM - Hospital
Chamar E.E.
Hospital com funcionário /EE
Repouso (no gabinete)
Dar água
Pequeno almoço
Dar bolachas
Dar chá
Emprestar canadianas
Aplicar gelo
Medição de tensão arterial
Medição de Febre
Dar pastilha Rennie
Aplicar pomada (Reumon Gel)
Aplicar soro fisiológico
Comprimido Paracetamol
Comprimido ibuprofeno
Dar algodão/papel higiénico
Aplicar penso/compressa/ligadura
Penso rápido
Desinfeção/limpeza de ferida
0
5
10
15
20
25
30
35
nº de casos registados
A grande maioria dos casos que nos surgem não apresenta um grande grau de gravidade e são
tratados no gabinete.
9
6. Atividades realizadas – cronograma
1º Período
Designação
Intervenientes
Participação
num
estudo
sobre
UNL – FCSH
Educação Sexual em contexto escolar,
Dr. David Beirante –
dirigida a turmas do 10º e 12º ano (2
Programa
de
sessões). Intervenção em contexto de
Doutoramento
em
turma.
Sociologia.
Dinâmicas em sala de aula –
Universidade
Católica
“Sexualidade”, dirigida a turmas do 10º
Portuguesa – Curso de
ano. Intervenção em contexto de turma.
Enfermagem
Palestra da PSP sobre “Prevenção da
PSP (Escola Segura)
toxicodependência”, dirigida a turmas do
10º ano. Intervenção em contexto de
turma.
Comemoração do Dia da Alimentação
Equipa do P.E.S.
Saudável – questionário sobre hábitos
alimentares; pretendemos apurar os
conhecimentos dos alunos sobre a
quantidade de açúcar presente nos
alimentos e alertá-los para os perigos do
consumo excessivo de alimentos
açucarados.
Teatro-debate “Macacos e Pombos”,
Programa “Cuida-te” (IPDJ) –
(Tema: prevenção do bullying em meio
medida 3
escolar). Sessão dirigida a turmas de 11º
Associação USINA
ano.
Sessão de sensibilização sobre Nutrição Programa “Cuida-te” (IPDJ) –
e estilos de vida saudáveis – intervenção medida 1.
em contexto de turma, realizada em duas Centro
de
Medicina
turmas do 10º ano.
Desportiva
Área(s) Temática(s)
Educação Sexual
Educação Sexual
Prevenção do consumo
de
substâncias
psicoativas
Alimentação Saudável e
Atividade Física
Saúde Mental/
Prevenção da violência
em meio escolar
Alimentação Saudável e
Atividade Física
2º Período
Designação
Sessão “Perigos na Internet”, dirigida a
turmas do 10º e 11º ano, bem como a
encarregados de educação.
Dinâmicas em sala de aula – “Consumos
e dependências”, dirigida a turmas do
10º ano.
Participação
num
estudo
sobre
Educação Sexual em contexto escolar,
dirigida a turmas do 11º ano (1 sessão).
Intervenção em contexto de turma.
Teatro-debate “Nem muito simples nem
demasiado complicado”, (integrado nas
comemorações do Dia da Escola). Tema:
sexualidade.
Projeto Namorar com Fair Play –
participação de duas turmas do 11º ano
(D e H).
Intervenientes
Polícia Judiciária
Associação de Pais
Universidade
Católica
Portuguesa – Curso de
Enfermagem
UNL – FCSH
Dr. David Beirante –
Programa
de
Doutoramento
em
Sociologia.
Programa “Cuida-te” (IPDJ) Associação USINA
I.P.D.J.
10
Área(s) Temática(s)
Prevenção
das
dependências.
Prevenção do consumo
de
substâncias
psicoativas
Educação Sexual
Educação sexual
Educação sexual
3º Período
Designação
Palestra “Cérebro e adições”, destinada
a turmas de 11º e 12º ano.
Teatro-debate
“(In)dependências”.
Tema: sexualidade. Turmas de 10º e de
11º ano.
Intervenientes
Dra.
Paula
Pousinha
(investigadora do Instituto
de farmacologia molecular e
celular – Nice)
Programa “Cuida-te” (IPDJ) –
medida 3
Associação USINA
Workshop de teatro – dirigido a uma
turma de Artes do 11º ano.
Associação USINA
European School Survey Project on
Alcohol and other Drugs (ESPAD) –
caracterização e monitorização do
desenvolvimento dos comportamentos
aditivos
entre
os
adolescentes.
Participação de duas turmas
Projeto Namorar com Fair Play –
lançamento de balões no Parque
Eduardo VII.
Sessão sobre “Suporte Básico de Vida”,
dirigido à turma de 10º ano do Curso
Profissional de Técnico de Apoio à
Gestão Desportiva.
SICAD
Prevenção do consumo
de
substâncias
psicoativas.
Todas
as
áreas
contempladas
pelo
P.E.S.
Prevenção do consumo
de
substâncias
psicoativas.
11º H (alunos e professores)
P.E.S.
UCP
–
Curso
Enfermagem
Área(s) Temática(s)
Prevenção do consumo
de
substâncias
psicoativas.
de
Educação Sexual
Saúde física.
As atividades dirigiram-se exclusivamente aos alunos e, maioritariamente ao 10º ano.
7. Protocolos e Instituições colaborantes









PSP – Escola Segura
Polícia Judiciária
Direção Geral de Saúde - Centro de Saúde de Sete Rios
SIDAC
IPDJ
Grupo de teatro USINA
Universidade Católica Portuguesa – Curso de enfermagem
Universidade Nova de Lisboa – FCSH – Programa de doutoramento em Sociologia
Associação de pais e encarregados de educação da E.S.M.A.V.C.
Deve referir-se que os protocolos com o Centro de Saúde de Sete Rios e com o SIDAC não se
materializaram em qualquer atividade pois encontram-se em fase de conceção e de desenvolvimento.
No caso do Centro de Saúde de Sete Rios, a escola está envolvida no projeto intitulado “Tu és único”,
que tem como objetivo o diagnóstico e a prevenção da depressão nos jovens; contamos com a
colaboração de psicólogas do Centro de Saúde e também do ISPA. No início do próximo ano letivo será
feito esse diagnóstico da população estudantil da nossa escola mediante a aplicação de questionários;
a partir dos resultados obtidos delinear-se-á um plano de intervenção. No que concerne ao SIDAC, a
sua colaboração com a escola passará por fornecer aos professores e outros agentes educativos
11
formação adequada que lhes permita intervir eficazmente no domínio da prevenção da
toxicodependência.
8. O Projeto de Educação Sexual
A Educação Sexual em contexto escolar encontra-se regulamentada no Decreto-Lei n.º 259/2000, de
17 de outubro; está incluída nos currículos do ensino básico e secundário, integrada na área da
educação para a saúde, por obedecer ao mesmo conceito de abordagem com vista à promoção da
saúde física, psicológica e social. De acordo com o espírito da lei, a Educação Sexual visa o
desenvolvimento da pessoa, na sua globalidade, sendo a afetividade uma força estruturante no
processo de evolução individual. Assim, com vista a uma vida saudável e feliz, os jovens devem
adquirir e desenvolver competências nesta área.
O regime de aplicação da educação sexual em meio escolar vem estabelecido na Lei nº 60/2009, de 6
de Agosto; a Portaria nº 196-A/2010, de 9 de Abril procede à regulamentação desta mesma lei.
Segue-se uma apresentação, em linhas gerais, da forma como implantamos o Projeto de Educação
Sexual na ESMAVC.
a)
Objetivos
Os objetivos gerais aplicação da educação sexual em meio escolar, definidos pela DGE, são os
seguintes:

Contribuir para a melhoria dos relacionamentos afetivo-sexuais entre os jovens;

Contribuir para a redução de possíveis ocorrências negativas decorrentes dos comportamentos
sexuais, como gravidez precoce e infeções sexualmente transmissíveis (IST);

Contribuir para a tomada de decisões conscientes na área da educação para a saúde - educação
sexual.
Atendendo a estas linhas orientadoras, as atividades desenvolvidas pela equipa do PES procuraram
sobretudo a) assegurar informação que permita escolhas informadas e seguras; b) conduzir ao
reconhecimento da importância dos sentimentos e da afetividade; c) promover relações interpessoais
positivas; d) reduzir consequências negativas dos comportamentos sexuais de risco; e) alertar para
todas as formas de exploração e de abuso sexuais; f) respeitar a diferença e o pluralismo das
conceções existentes na sociedade portuguesa.
12
b)
Metodologia adotada
No início do ano letivo a equipa do PES propôs aos diretores de turma o seguinte cronograma:
1º Período
2º Período
3º Período
 Escolha do tema para o projeto de educação sexual de turma.
 Participação nas atividades dinamizadas pelo PES.
 Desenvolvimento do tema escolhido.
 Participação nas atividades dinamizadas pelo PES ou pelas turmas, no âmbito do
seu projeto de educação sexual de turma.
 Participação nas atividades dinamizadas pelo PES ou pelas turmas, no âmbito
do seu projeto de educação sexual de turma.
 Apresentação do trabalho desenvolvido ao longo do ano: concretização de uma
atividade em sala de aula; apresentação do trabalho em contexto de turma e/ou
à comunidade escolar.
 Entrega de um relatório com a descrição das atividades realizadas ao longo do
ano.
A equipa do P.E.S. pensou num leque de temas para cada ano letivo, atendendo aos que são
recomendados na legislação em vigor e acrescentando outros que considerámos adequados à idade,
interesses e conhecimentos dos alunos do ensino secundário (ver tabela na página seguinte).
Propusemos para o 10º ano os temas de carater mais geral, introdutório e informativo e para o 12º
ano os que requerem conhecimentos científicos mais aprofundados e atitude crítica; no entanto, as
turmas poderiam adotar outros temas (de outros anos letivos ou preferidos pelos alunos), se assim o
entendessem. Relativamente ao 12º ano, a equipa do P.E.S. sugeriu que a primeira unidade temática
fosse abordada nas turmas de Ciências e Tecnologias em virtude da especificidade dos conteúdos e
dos mesmos serem lecionados na disciplina de Biologia. Contudo, deixou a liberdade a professores e
alunos para fazerem as escolhas que melhor entendessem.
O tema foi escolhido em sala de aula, sob a orientação do Diretor de Turma, que o divulgou aos
encarregados de educação e ao conselho de turma – de acordo com a legislação, o diretor de turma
deve contar com a colaboração de pelo menos três professores do conselho de turma para a
concretização do projeto.
Ao longo do ano, os alunos desenvolveram atividades em sala de aula, orientadas pelos
professores, e participaram em ações organizadas pelo PES, com objetivo de recolher informação,
tirar dúvidas, partilhar de experiências e refletir em conjunto. Com estes e outros elementos
puderam dar forma ao seu trabalho. Na maioria das turmas o produto final foi realizado no 3º
período.
A equipa do PES procurou diversificar as atividades, de modo a cobrir a multiplicidade dos temas
propostos, mas estas estão sempre limitadas às parcerias que conseguimos estabelecer e à
disponibilidade das turmas e professores para dedicar/ceder aulas à abordagem destas temáticas.
13
c)
Análise das atividades e dos trabalhos desenvolvidos nas turmas
Temas propostos às turmas
Áreas Temáticas
10º ano
O corpo sexuado
Identidade e
sexualidade
Temas
- Sexualidade e/na adolescência.
- A orientação sexual.
- Diferentes formas de viver a sexualidade/ trajetórias de vida.
Saúde sexual e
reprodutiva
- Gravidez desejada e não desejada: consequências físicas,
psicológicas e sociais da maternidade/paternidade na
adolescência; o aborto.
Sexualidade e
sociedade
- Sexualidade e Cultura.
11º Ano
Áreas Temáticas
Sexualidade e
relações
interpessoais
Temas
- Partilha, ciúme e amizade: compreensão ética da sexualidade
humana.
- Relações com pares, com a família e com outros – a sua influência no
desenvolvimento psicossexual do jovem.
- Valores e sexualidade – violência sexual/violência entre pares,
prevenção de maus tratos e de aproximações abusivas.
- A influência do álcool e das drogas no comportamento sexual dos
jovens.
Sexualidade e
sociedade
- Sexualidade e Cultura.
Áreas Temáticas
Temas
- Fisiologia da reprodução humana.
12º Ano
Saúde sexual e
reprodutiva
- Métodos anticoncecionais.
- Reprodução medicamente assistida; a biotecnologia na manipulação
da fertilidade.
- Doenças e
consequências.
infeções
sexualmente
transmissíveis
e
suas
- Masculinidade versus feminilidade e papéis associados ao género.
Sexualidade e
sociedade
- Redes sociais: uma nova forma de comunicação/relação?
- A Sexualidade ao longo dos tempos.
- Sexualidade: Ocidente vs. Oriente.
- A Sexualidade nas Artes – música, pintura, escultura, poesia,
literatura ….
- A expressão da Sexualidade na moda.
14
Temas escolhidos pelas turmas
12º
ANO
11º ANO
10º ANO
TEMAS
Nº de
turmas
Sexualidade e/na adolescência
6
Gravidez desejada e não desejada: consequências físicas, psicológicas e
sociais da maternidade/paternidade na adolescência; o aborto
2
A orientação sexual
1
Sexualidade e Cultura
1
A influência do álcool e das drogas no comportamento sexual dos jovens
4
Sexualidade e sociedade/cultura
4
Valores e sexualidade – violência entre pares; prevenção de maus tratos
2
Partilha, ciúme e amizade – compreensão ética da sexualidade humana.
2
Sexualidade e sociedade/cultura
8
Saúde Sexual e Reprodutiva
2
Foram escolhidos quase todos os temas propostos – a única exceção está no tema “Relações com
pares, com a família e com outros – a sua influência no desenvolvimento psicossexual do jovem”,
este ano proposto para o 11º ano, mas que não foi escolhido pelo segundo ano consecutivo. No 12º
ano o tema “Saúde Sexual e Reprodutiva” foi escolhido por duas turmas de Ciências e Tecnologias,
tal como sugerido; contudo, as outras turmas do mesmo curso desenvolveram trabalhos no domínio
da relação entre Sexualidade e cultura, em articulação com a disciplina de Psicologia B. Verifica-se
que no 12º ano a escolha dos temas teve como primeiro critério o seu ajuste aos conteúdos
lecionados; esta tendência começa a verificar-se nos outros anos letivos e é ainda mais evidente nos
trabalhos que são apresentados. Este facto justifica-se por haver pouco tempo disponível para a
tematização da educação sexual devido à extensão dos programas das várias disciplinas e à
existência de exames nacionais no 11º e 12º ano, que obriga à lecionação dos programas na sua
totalidade.
Apesar disso, a Educação Sexual foi mais uma vez objeto de pesquisa, análise ou debate em todas
as turmas da escola. A maioria das turmas cumpriu a carga horária recomendada na lei, que foi
excedida em alguns casos. Anexa-se uma grelha (ver anexo 1) com a discriminação, por turma, das
atividades desenvolvidas, da carga horária dispensada e do trabalho/produto final realizado.
15
Os trabalhos realizados pelas turmas assumiram diferentes formatos: trabalhos de pesquisa,
feitos em grupo, apresentados e debatidos em sala de aula; debates em torno de um tema;
visionamento de filmes seguidos de debate; textos de opinião e de reflexão pessoal; cartazes e
folhetos; programação de uma atividade; um programa radiofónico. A tabela que se segue permitenos visualizar os formatos de trabalho adotados por ano letivo (algumas turmas apresentaram mais
do que um trabalho):
Atividades e trabalhos realizados pelas turmas
Nº de Turmas
12
10
10º ano
8
11º ano
6
12º ano
4
2
0
Anexa-se a este relatório algumas evidências do trabalho desenvolvido (Anexo 2); os
trabalhos estão arquivados no moodle da escola, na disciplina P.E.S.
9. Avaliação do trabalho desenvolvido/considerações finais
Apesar das limitações, relacionadas sobretudo com o tempo que os alunos e professores do
ensino secundário podem dedicar à educação para a saúde, considero que o trabalho desenvolvido
ao longo do ano letivo foi positivo, uma vez que os temas propostos foram objeto de análise, debate
e/ou reflexão em todas as turmas; muitas das turmas da escola estiveram envolvidas nas atividades
propostas, que abarcaram as quatro áreas temáticas do Projeto de Educação para a Saúde (as áreas
que tiveram maior destaque foram a Educação Sexual e a Prevenção do consumo de Substâncias
Psicoativas); outras ainda desenvolveram projetos e atividades próprias (os trabalhos encontram-se
no moodle da escola, na disciplina P.E.S.). Em anexo a este relatório encontram-se registos de
algumas atividades desenvolvidas.
16
Neste segundo ano em que tive a meu cargo a sua coordenação do P.E.S. procurei dar
continuidade ao trabalho desenvolvido anteriormente de modo a solidificar práticas, métodos de
trabalho e parcerias. Procurei ultrapassar as dificuldades que foram surgindo, para as quais se
podem, certamente, encontrar ainda respostas ainda mais eficazes.
A conceção e organização atividades que cubram todas as áreas temáticas contempladas pelo
P.E.S. é um dos grandes desafios, uma vez que, no início do ano, as atividades não estão todas
definidas e algumas parcerias vão surgindo ao longo do tempo. Neste ano letivo, as atividades
dirigiram-se exclusivamente a alunos e sobretudo ao 10º ano.
Relativamente ao projeto de educação sexual, continua a sentir-se uma certa resistência em
relação à sua aplicabilidade. As razões são aquelas que invoquei no relatório do ano anterior: é visto
como um acrescento de trabalho para alunos e professores; a extensão dos programas e a
preparação para os exames nacionais não permitem dispensar aulas para a tematização desta
matéria; as turmas não estão motivadas, pois já têm muitos conhecimentos sobre o assunto e o
número de alunos por turma é excessivo para fazer este tipo de trabalho; a educação no domínio da
sexualidade não compete à escola mas sim à família. Apesar disso, penso que houve por parte dos
professores maior aceitação do projeto que, em algumas turmas, resultou num produto final devido
ao seu esforço, empenhamento e trabalho (esta avaliação foi feita, sobretudo, a partir de observação
direta e dos relatórios enviados pelos coordenadores do projeto de cada turma. Os indicadores
foram a taxa de concretização das atividades, o número de turmas envolvidas no projeto, o aumento
dos conhecimentos -materializados em trabalhos escritos - e a qualidade do trabalho desenvolvido).
Continuo a afirmar que a aplicação do projeto de educação sexual ao nível do ensino secundário não
deve incidir ou limitar-se ao informar – os alunos já dispõem de muita informação, adquirida em
casa, em contacto com os pares e na escola, em anos anteriores. Penso que no ensino secundário
devemos levar os alunos a “Pensar os Afetos”, para que possam tomar decisões conscientes e
desenvolver relacionamentos saudáveis.
Relativamente ao Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade escolar, considero que o trabalho
aí desenvolvido e o atendimento prestado foi bastante eficaz e útil à comunidade escolar - os alunos
encaram o gabinete como um espaço onde podem procurar ajuda e obter informação, ao qual
recorrem frequentemente. O gabinete esteve aberto todos os dias no turno da manhã e
pontualmente, de acordo com a disponibilidade dos professores, no turno da tarde.
Aspetos que podem e devem ser melhorados:
a) Relativamente às atividades organizadas:
Definir atempadamente atividades, ainda que muitas vão surgindo, naturalmente, ao longo do ano
letivo; diversificar as atividades, dirigindo-as de forma mais equitativa para os três anos letivos, mas
também a toda a comunidade escolar; desenvolver instrumentos de avaliação do projeto (por
17
exemplo, pequenos questionários dirigidos a professores e a alunos que permitam medir o sucesso
do projeto através de indicadores como o grau de satisfação e interesse dos destinatários, a
participação e adesão da comunidade escolar, o impacto das atividades na alteração de
preconceitos, etc.
b) Relativamente ao Projeto de Educação Sexual:
Acompanhar mais eficazmente as turmas na realização dos projetos de modo a que, tanto alunos
como professores, se sintam mais envolvidos; conseguir que os produtos finais das turmas sejam
realizados mais atempadamente; divulgar os trabalhos na comunidade escolar.
c) Relativamente ao gabinete de apoio ao aluno e à comunidade escolar:
Melhorar os procedimentos e definir normas de atuação no gabinete de apoio ao aluno e
comunidade escolar.
10. Antevisão do próximo ano letivo
No próximo ano letivo, o nosso objetivo será, mais uma vez, alargar o leque das atividades.
Algumas das atividades terão continuidade e, até ao momento, pensamos poder manter as
atividades que se seguem:
- Dinâmicas sobre Sexualidade e Dependências – Universidade Católica Portuguesa, Curso de
Enfermagem.
- Ações de formação sobre Primeiros Socorros (dirigidas a alunos, professores e funcionários) Universidade Católica Portuguesa, Curso de Enfermagem.
- Programa de “Prevenção da Toxicodependência” – P.S.P., Escola Segura.
- Programa “Cuida-te” – IPDJ:
a) Unidade Móveis – tema: Nutrição.
b) Teatros-debate (temas a definir).
- Projeto de prevenção da depressão (“Tu és único”) – Centro de Saúde de Sete Rios.
18
ANEXOS
19
ANEXO 1
Atividades desenvolvidas no âmbito do Projeto de Educação Sexual
20
ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO ÂMBITO DO PROJETO DE EDUCAÇÃO SEXUAL E
PARTICIPAÇÃO DAS TURMAS EM ATIVIDADES ORGANIZADAS PELO P.E.S. - Ano letivo 2014/15
10 º Ano
Turm
a
Tema do Proj.
de Ed. Sexual
“Orientação
Sexual”
Atividades
(1º período)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
10º A
Atividades
(2º período)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Consumos e Dependências” –
atividade orientada por alunos e
Professores do Curso de
Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Atividades
(3º período)
Sexualidade como uma das
dimensões da condição humana;
A ética do incremento associada ao
tema da sexualidade – debate em
sala de aula.
(2 blocos de 90m)
Produto Final
Debates, em sala de
aula.
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
Visualização do filme “Juno”,
seguida de debate.
(2 blocos de 90m)
10º B
“Gravidez
desejada e não
desejada:
consequências
físicas,
psicológicas e
sociais da
maternidade/
paternidade na
adolescência; o
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
Visualização do filme “Juno”,
seguida de debate.
(2 blocos de 90m)
Elaboração de um plano de trabalho
sobre o tema do projeto (Ética),
seguido de debate. Visualização do
filme “Juno”, seguida de debate.
(3 blocos de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
21
Trabalhos escritos
referentes ao tema
do projeto –
gravidez desejada e
não desejada; o
aborto.
aborto”
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
10º C
“Sexualidade na
adolescência” Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
Dinâmica em sala de aula
dinamizada pelo IPDJ dedicada ao
tema da “Nutrição”.
(1 bloco de 90m)
10ºD
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
“Sexualidade na
(1 bloco de 90m)
Adolescência”
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Consumos e Dependências” –
atividade orientada por alunos e
Professores do Curso de
Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Independências”,
subordinado ao tema “Prevenção de
comportamentos aditivos.
(1 bloco de 90m)
Não foi referido.
Aula de Biologia e Geologia
dedicada ao tema “O óvulo e o
espermatozóide”.
(1 bloco de 90m)
Aula dinamizada pelo professor de
Ed. Física – tema: Sexualidade,
comportamento de risco e cultura”.
(1 bloco de 90m)
Visionamento filme “As vantagens
de ser invisível”, seguido de debate.
(2 blocos de 90m)
Dinâmica em sala de aula
dinamizada pelo IPDJ dedicada ao
tema da “Nutrição”.
(1 bloco de 90m)
22
Debate em sala de
aula sobre o filme
visionado, onde se
sintetizaram as
reflexões feitas ao
longo do ano.
10º F
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
“Sexualidade na
de Enfermagem da UCP.
Adolescência”
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
10º G
Debate em sala de
aula sobre o tema
“Sexualidade e
Adolescência”.
Debate na aula de Português em
torno do tema escolhido.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
Reflexão/debate em sala de aula
sobre “A transformação do Corpo”:
Curiosidade/descoberta; hábitos de
vida saudáveis
“Sexualidade na (1 bloco de 90m)
Adolescência”
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) - Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
Visionamento do filme “June”,
seguido de debate.
(2 blocos de 90m)
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
“Sexualidade ativa e responsável”:
- Visionamento do filme “June”
- Debate; elaboração de um cartaz
com as palavras-chave do debate.
(2 blocos de 90m)
“Sexualidade e Saúde”:
Trabalhos de grupo (orientados por
guiões específicos para cada tema) –
planeamento familiar e métodos
contraceptivos; carta dos direitos
sexuais e reprodutivos; doenças
sexualmente transmissíveis;
violência no namoro; sexualidade
saudável e responsável.
(2 blocos de 90m)
23
Cartaz com a
exploração do filme
“Juno”.
Pósteres com os
trabalhos e uma
brochura
10º H
Discussão dos possíveis temas a
abordar no âmbito da educação
sexual – escolha do tema (a partir
de questionário do PES).
“Sexualidade na
(1 bloco de 90m)
Adolescência”
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
Visualização do filme “As vantagens
de ser invisível”.
(1 bloco de 90m)
Debate sobre o filme visionado no
2º período
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Independências”,
subordinado ao tema “Prevenção de
comportamentos aditivos”
(Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Textos, elaborados
em grupo, contendo
uma reflexão sobre
todo o trabalho e
atividades
desenvolvidos ao
longo do ano letivo.
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
10º I
10º J
“Gravidez
desejada e não
desejada:
consequências
físicas,
psicológicas e
sociais da
maternidade/
paternidade na
adolescência; o
aborto”
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
pelo Dr. David Beirão - UNL.
“Sexualidade na
(1 bloco de 90m)
Adolescência”
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Consumos e Dependências” –
atividade orientada por alunos e
Professores do Curso de
Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Ações de formação em sala de aula
dinamizadas por técnicas
especializadas (psicologia e
enfermagem).
(3 blocos de 90m)
Não foi referido
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
Visionamento do filme “June”,
seguido de debate.
(2 blocos de 90m)
Debate em sala de
aula sobre o tema
“Sexualidade e
Adolescência”.
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Consumos e Dependências” –
24
10 K
“Sexualidade e
cultura”
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
atividade orientada por alunos e
Professores do Curso de
Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
“A sexualidade ao longo da história”
– atividade dinamizada em H.C.A.
(1 bloco de 90m)
Visionamento do filme “Juno”,
seguido de debate.
(2 blocos de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
10 M
Debate em sala de aula (Português)
sobre o tema do “Amor”
(1 bloco de 90m)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
por alunos e Professores do Curso
de Enfermagem da UCP.
(1 bloco de 90m)
Sessão sobre “Suporte Básico de
Vida” orientado por professoras da
UCP – Curso de Enfermagem.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela PSP
(Escola Segura) – Tema: “Prevenção
da Toxicodependência”.
(1 bloco de 90m)
10º N
25
Debates em sala de
aula:
- A sexualidade ao
longo da História
- O amor
- A gravidez na
adolescência
11 º Ano
Turma
Tema do
Proj. de Ed.
Sexual
“A influência
do álcool e das
drogas no
comportamen
to sexual dos
jovens “
Atividades
(1º período)
Atividades
(2º período)
Atividades
(3º período)
Discussão dos possíveis temas a
abordar no âmbito da educação
sexual – escolha do tema (a partir
de questionário do PES).
(1 bloco de 90m)
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade e comportamento
aditivos” – atividade orientada pelo
Dr. David Beirão - UNL.
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Independências”,
subordinado ao tema “Prevenção de
comportamentos aditivos”
(Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
1ª sessão dinamizada pelo
coordenador do projeto
(1 bloco de 90m)
2ª sessão dinamizada pelo
coordenador do projeto
(1 bloco de 90m)
“Jogo de Ética – teve como
finalidades a identificação de
diferentes valores culturais, a
argumentação e a contraargumentação em contextos de
tensão cultural.
(1 bloco de 90m)
11º A
Produto Final
Debate final sobre a
relevância das
sessões
desenvolvidas.
Sessão de encerramento do projeto
e debate final sobre a relevância das
sessões desenvolvidas.
(1 bloco de 90m)
11º B
“Sexualidade e
cultura”
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”
(1 bloco de 90m)
Palestra dinamizada pela Dra. Paula
Pousinha – Tema: “Cérebro e
adições”.
(1 bloco de 90m)
Visualização do filme “O dia da
saia”, seguido de debate.
(2 blocos de 90m)
Debate na aula de Português em
torno da temática do incesto.
Conversa na aula de Ed. Física em
torno do tema escolhido.
26
(1 bloco de 90m)
Visualização do filme “Elephant”,
seguido de debate.
Trabalhos escritos
sobre o filme “O dia
da saia”
“Sexualidade e
cultura”
11º C
11º D
11º E
11º F
“ Valores e
sexualidade –
violência
sexual entre
pares,
prevenção e
maus tratos e
de
aproximações
abusivas”
“A influência
do álcool e das
drogas no
comportamen
to sexual dos
jovens”
“A influência
do álcool e das
drogas no
comportamen
to sexual dos
jovens”
Debate na aula de Filosofia sobre
“Freud e o Complexo de Édipo”.
(1 bloco de 90m)
(1 bloco de 90m)
(2 blocos de 90m)
Debate em sala de aula sobre “Sexo
Virtual”, a propósito do
visionamento do filme “Matrix”.
(2 blocos de 90m)
Debates em sala de aula sobre o
tema escolhido
(2 blocos de 90m)
Teatro-debate “Nem muito simples,
nem demasiado complicado”,
subordinado ao tema “Sexualidade”
(Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Debate em sala de
aula
Debate em sala de
aula
Dinâmica em sala de aula no âmbito
do projeto “Namorar com Fair Play”
(IPDJ)
(1 bloco de 90m)
Debates em sala de aula
dinamizados pelos professores de
Filosofia e de Ed. Física,
subordinados aos temas: “Sexo
Virtual” e “Sexualidade,
comportamentos de risco e cultura”
(2 blocos de 90m)
Participação no estudo do SICAD
sobre comportamentos aditivos
(questionários ESPAD)
(1 bloco de 90m)
Debates em sala de
aula
Palestra dinamizada pela Polícia
Judiciária – Tema: “Perigos na
internet”.
(1 bloco de 90m)
Apresentação oral, na aula de
Filosofia, de dois trabalhos
realizados pelos alunos sobre “A
homossexualidade – os direitos dos
homossexuais”, seguida de debate.
(2 blocos de 90m)
Trabalhos realizados
pelos alunos.
Debate sobre “A sexualidade dos
jovens e as suas influências”,
dinamizado pela professora de
27
Debates em sala de
aula.
PowerPoint
construído pelos
alunos para
sustentar a
discussão do tema.
Português.
(1 bloco de 90m)
11º G
11ºH
“ Valores e
sexualidade –
violência
sexual entre
pares,
prevenção e
maus tratos e
de
aproximações
abusivas”
“A influência
do álcool e das
drogas no
comportamen
to sexual dos
jovens”
Debate em sala de aula sobre “Sexo
Virtual”, a propósito do
visionamento do filme “Matrix”.
(2 blocos de 90m)
Pesquisa seguida de debate,
dinamizada pela professora de
Português, sobre o tema “A
sexualidade na Adolescência”
(1 bloco de 90m)
Apresentação de um PowerPoint
realizado pelos alunos sobre “Os
direitos dos Homossexuais”
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Macacos e
Pombos”, subordinado ao tema
“Bullying” (Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Dinâmica em sala de aula no âmbito
do projeto “Namorar com Fair Play”
(IPDJ)
(1 bloco de 90m)
Largada de balões, no Parque
Eduardo VII, com frases alusivas ao
tema do trabalho, de que
resultaram um filme e uma
exposição.
(4 blocos de 90m)
Debates em sala de
aula.
PowerPoint sobre
“Os direitos dos
homossexuais”.
Lançamento de
balões no Parque
Eduardo VII
Elaboração de
cartazes para a
exposição.
Filme
“Sexualidade e
Cultura”
11º I
“Partilha,
ciúme e
amizade:
compreensão
Preparação do projeto:
- Eleição do tema do projeto.
- Debate em torno dos seus
objetivos e operacionalização.
- Discussão de ideias e sugestões de
atividades.
(3 blocos de 90m)
Teatro-debate “Nem muito simples,
nem demasiado complicado”,
subordinado ao tema “Sexualidade”
(Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Discussão em sala de aula sobre as
questões levantadas pelo teatro.
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Macacos e
Pombos”, subordinado ao tema
“Bullying” (Programa “Cuida-te”).
Palestra-debate em sala de aula, no
âmbito do projeto LGBT, dinamizado
por Rede Ex Aequo
(1 bloco de 90m)
Debates
organizados a partir
das atividades
desenvolvidas.
Discussão a propósito dos temas
debatidos na palestra.
(1 bloco de 90m)
Discussão da problemática do Debate em sala de
incesto a propósito da obra “Os aula.
Maias”.
28
11º J
11º K
11º L
ética da
sexualidade
humana”
“Sexualidade e
Cultura – a
sexualidade na
Arte”
“Partilha,
ciúme e
amizade:
compreensão
ética da
sexualidade
humana”
(1 bloco de 90m)
(1 bloco de 90m)
Teatro-debate “Macacos e
Pombos”, subordinado ao tema
“Bullying” (Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Debate sobre “O Beijo” do pintor “A sexualidade nas Artes”,
Gustav Klimt, dinamizado pelo dinamizado nas aulas de Desenho e
professor de Inglês.
de H.C.A.
(1 bloco de 90m)
(2 blocos de 90m)
Debate em sala de
aula.
Teatro-debate “Macacos e
Pombos”, subordinado ao tema
“Bullying” (Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Debate sobre o tema escolhido pela
turma, dinamizado pelo professor
de Filosofia.
(1 bloco de 90m)
Debate em sala de
aula.
Workshop de teatro – grupo USINA
(2 blocos de 90m)
12º ANO
Turma
12º A
Tema do Proj.
de Ed. Sexual
“Sexualidade e
Cultura:
Oriente vs.
Ocidente”
Atividades
(1º período)
Visionamento do filme “O dia da
saia”, seguido de relatório.
(2 blocos de 90m)
Debate sobre o conceito de
sexualidade, em articulação com o
tema “Freud e o desenvolvimento
Psicossexual”.
(1 bloco de 90m)
Atividades
(2º período)
Teatro-debate “Nem muito simples,
nem demasiado complicado”,
subordinado ao tema “Sexualidade”
(Programa “Cuida-te”).
(1 bloco de 90m)
Debate sobre o conceito de
sexualidade, em articulação com o
29
Atividades
(3º período)
Produto Final
Apresentação oral de trabalhos de
grupo sobre “As relações
interpessoais e a vivência dos
afetos”, no âmbito da disciplina de
Psicologia B.
(4 blocos de 90m)
Trabalhos de grupo
sobre “As relações
interpessoais e a
vivência dos afetos”
(apresentação oral,
acompanhada de
PowerPoint).
Palestra dinamizada pela Dra. Paula
Pousinha – Tema: “Cérebro e
Trabalhos de grupo
sobre “As relações
“Sexualidade e
Cultura”
tema “Freud e o desenvolvimento
Psicossexual”.
(1 bloco de 90m)
adições”.
(1 bloco de 90m)
Apresentação oral de trabalhos de
grupo sobre “As relações
interpessoais e a vivência dos
afetos”, no âmbito da disciplina de
Psicologia B.
(4 blocos de 90m)
Análise da representação literária do
Amor, da paixão, da sedução e do
erotismo, a propósito do estudo de
Camões.
(1 bloco de 90m)
12º B
interpessoais e a
vivência dos afetos”
(apresentação oral,
acompanhada de
PowerPoint).
Debate em torno do tema “Gravidez
indesejada, contraceção e
planeamento familiar” – disciplina
de Biologia.
(2 blocos de 90m)
12º C
12º D
“Saúde Sexual e
Reprodutiva Manipulação da
Fertilidade”
“Reprodução
medicamente
assistida; a
biotecnologia
na manipulação
da fertilidade”
Palestra dinamizada pela Dra. Paula
Pousinha – Tema: “Cérebro e
adições”.
(1 bloco de 90m)
Realização de trabalhos escritos
sobre “Manipulação de Fertilidade”,
que foram apresentados e debatidos
em sala de aula.
(5 blocos de 90m)
Formação de grupos de trabalho e
início
da
investigação
com
preenchimento de relatório sobre
fase inicial.
(2 blocos de 90m)
Visionamento do filme “E a banda
continua a tocar”, seguido de debate
em torno do problema da sida.
(2 blocos de 90m)
Pesquisa (internet, televisão e
jornais) e desenvolvimento dos
subtemas.
(6 blocos de 90m)
Finalização dos trabalhos – trabalhos
escritos, powerpoints e prezi –
acompanhados de relatório final.
(2 blocos de 90m)
Realização de
trabalhos escritos no
âmbito da saúde
reprodutiva e
métodos
contraceptivos,
acompanhados de
PowerPoint.
Trabalhos de grupo
sobre “Reprodução
Medicamente
Assistida”; “A
Biotecnologia na
manipulação da
fertilidade” –
trabalhos escritos,
powerpoints e prezi.
Relatórios finais do
projeto.
30
12º E
12º F
“Masculinidad
e versus
Feminilidade e
papéis
associados ao
género”
“Sexualidade e
Cultura:
Oriente vs.
Ocidente”
“Dinâmicas em sala de aula sobre
Sexualidade” – atividade orientada
pelo Dr. David Beirão - UNL.
(1 bloco de 90m)
Constituição de equipas de trabalho;
conceção e preparação de materiais
sobre o tema.
Debates sobre o tema, decorrentes
do estudo de assuntos transversais
do programa das disciplinas de
Português e de Economia.
(3 blocos de 90m)
Debates em sala de
aula.
Análise da representação literária do
Amor, da paixão, da sedução e do
erotismo, a propósito do estudo de
Camões.
(1 bloco de 90m)
Debates em sala de aula
(Economia e Sociologia) sobre o
tema escolhido.
(5 blocos de 90m)
Debates em sala de
aula.
Não foi possível
materializar o
trabalho.
Análise de textos literários sobre
o tema escolhido – Português.
Produção de textos sobre o tema
escolhido – Português.
(1 bloco de 90m)
(1 bloco de 90m)
(1 bloco de 90m)
12º G
“Sexualidade e
Cultura:
Oriente vs.
Ocidente”
Debate dinamizado pela professora
de história sobre a questão da
violência no namoro e igualdade de
género, a propósito do projeto do
IPDJ “Namorar com Fair Play”
(1 bloco de 90m)
Debate sobre o conceito de
sexualidade, em articulação com o
tema “Freud e o desenvolvimento
Psicossexual” – Psicologia.
(1 bloco de 90m)
Não foi possível
materializar o trabalho
inicialmente
planificado.
Trabalhos de grupo
sobre “As relações
interpessoais e a
vivência dos afetos”
(apresentação oral,
acompanhada de
PowerPoint).
Apresentação oral de trabalhos de
grupo sobre “As relações
interpessoais e a vivência dos
afetos”, no âmbito da disciplina de
Psicologia B.
(4 blocos de 90m)
12º H
“Sexualidade
e Cultura – a
orientação
Produção de textos sobre o tema
escolhido – Português.
(1 bloco de 90m)
Análise de textos literários sobre
o tema escolhido – Português.
(1 bloco de 90m)
Apresentação oral de trabalhos de
grupo sobre “As relações
Debate sobre o conceito de
31
Trabalhos de grupo
sobre “As relações
interpessoais e a
vivência dos afetos”
(apresentação oral,
12º I
sexual nas
diferentes
culturas”
sexualidade, em articulação com o
tema “Freud e o desenvolvimento
Psicossexual” – Psicologia.
(1 bloco de 90m)
interpessoais e a vivência dos
afetos”, no âmbito da disciplina de
Psicologia B.
(4 blocos de 90m)
acompanhada de
PowerPoint).
“Sexualidade
e Cultura –
Oriente vs.
Ocidente”
Debate sobre o conceito de
sexualidade, em articulação com o
tema “Freud e o desenvolvimento
Psicossexual”.
(1 bloco de 90m)
Produção de textos sobre o tema
escolhido – Português.
(1 bloco de 90m)
Trabalhos de grupo
sobre “As relações
interpessoais e a
vivência dos afetos”
(apresentação oral,
acompanhada de
PowerPoint).
Abordagem ao conceito de género e
sua evolução no séc. XX.
(1 bloco de 90m)
Análise da representação literária do
Amor, da paixão, da sedução e do
erotismo, a propósito do estudo de
Camões.
(1 bloco de 90m)
Análise de textos literários sobre
o tema escolhido – Português.
12º J
“Sexualidade e
Cultura”
(1 bloco de 90m)
Apresentação oral de trabalhos de
grupo sobre “As relações
interpessoais e a vivência dos
afetos”, no âmbito da disciplina de
Psicologia B.
(4 blocos de 90m)
Elaboração de um Programa
Radiofónico: “Erotismo e
Pornografia”; “Agressividade nas
relações íntimas”; “Marilyn Monroe –
a imagem no lugar da pessoa.
(conclusão do programa
radiofónico).
Participação no estudo do SICAD
sobre comportamentos aditivos
(questionários ESPAD)
(10 blocos de 90 m)
(1 bloco de 90m)
ESMAVC Radio Station
Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, 16 de Julho de 2014
A Coordenadora
_________________________
(Ana Goulart)
32
ANEXO 2
Registo de alguns trabalhos e atividades desenvolvidas com os alunos
33
1. Comemoração do Dia Mundial da Alimentação com um inquérito dirigido aos alunos para apurar
os seus conhecimentos acerca do açúcar contido nos alimentos
Alimentação saudável com menos açúcar
NOS GRUPOS QUE SE SEGUEM, QUE ALIMENTOS ESCOLHERIA DE MODO A INGERIR MENOR QUANTIDADE DE AÇÚCAR?
(escolher 2)
Alimentos
Menor quantidade de açúcar
Grupo A
Pão de trigo
Cereais de pequeno-almoço
Manhãnzitos
Grupo B
Queijo flamengo
Fiambre
Paté
Grupo C
Bife de vaca
Salsicha
Robalo
Pizza
Grupo D
Batata cozida
Massa
Ervilha
Tomate
Alface
Grupo E
Laranja
Banana
Maçã
Uvas
Tarte de maçã
Grupo F
Refrigerante
Cola
Sumo de laranja natural
Água
34
2. Teatros-Debate
“MACACOS E POMBOS”
Espetáculo de Teatro Debate constituído por um prólogo e seis situações de
violência em ambiente escolar.
Associação USINA
10 de Novembro 2014
Salão Nobre
15.00h
“Nem muito simples, nem demasiado complicado”
Um espetáculo de debate teatral sobre relacionamentos e sexualidade
Nem Muito Simples, Nem Demasiado Complicado é um espetáculo constituído por
um
prólogo
e
sete
cenas
com
diferentes
relacionamentos e sexualidade.
3 de Fevereiro 2015
Salão Nobre
10.00h
35
problemáticas
ao
nível
dos
3. Lançamento de balões no Parque Eduardo VII – Projeto “Namorar com Fair Play” – 11º H
36
4. “Sexualidade e Adolescência” – Projeto de Educação Sexual do 10º G (a totalidade dos trabalhos
realizados pelos alunos encontra-se no moodle da escola – disciplina P.E.S.)
37
5. Apresentações em PowerPoint
38
39
6. 11º L – Workshop de Teatro (Grupo Usina) – 21/05/2015
Algumas apreciações feitas pelos alunos:
“Achei que o Workshop de Teatro foi interessante.” (BC)
“Aprendi bastante com o Workshop.” (MR)
“Gostei da tarde passada no Workshop de Teatro, foi diferente das tardes normais e deu-nos uma nova visão
sobre o que há para lá do teatro.” (RR)
“Achei interessante, e de facto importante na nossa área. Também foi interessante porque para além de
conhecermos um pouco melhor a área do teatro, trabalhámos juntos em turma.” (Martim)
“Na minha opinião, foi uma boa hora para se fazer um Workshop de Teatro. Começou a ser mais interessante
na segunda parte do teatro. É uma boa maneira para refletir sobre os problemas que decorrem na
atualidade.” (MIA)
“Foi uma experiência diferente e interessante.” (BF)
“Deu-nos uma visão sobre o teatro de debate, e fez-nos pensar acerca de temas comuns mas acerca dos
quais não pensamos muito.” (TC)
40

Documentos relacionados