desoriente - Zelia Fonseca

Сomentários

Transcrição

desoriente - Zelia Fonseca
DESORIENTE
Eu não sou do norte nem do sul
nem cor de rosa nem azul
eu não sou daqui, nem mais de lá
girar no vento é meu lugar
Perto do equador e as vezes polar
muito com voce e muito impar
um pé no sertão e o braço no mar
uma fé em santo, outra orixá
Nascida do samba, que convenceu trovador
mandar a saudade embora, que alegria vence a dor
quis ouvir porém o que a dor conta
poder somar tudo e cantar
Meu amor, em tudo vejo um lar
se carrego prá qualquer lugar
o que sinto e tenho prá te dar
No Boundaries
I don’t come from the North
Nor from the South
I’m neither pink nor blue
I’m not from here
No longer from there
I’m just turning in the wind
On my way to elsewhere
Close to the Equator
The polar circle at times
Often with you
Yet never a pair
With one foot in the wilderness
One arm in the sea
I have faith in the holy man
Orisha is my creed
I come from the Samba
That convinced the troubadour
To let go of relentless longing
Feed from happiness
Not pain
But I want to learn
What pain has to tell
Then bundle the knowledge and sing
Love, I am at home everywhere I go
If I carry along what I feel for you
And what I have to give