REGIMES TOTALITÁRIOS – FASCISMO E NAZISMO

Сomentários

Transcrição

REGIMES TOTALITÁRIOS – FASCISMO E NAZISMO
Natal, RN
___/___/2015
ALUNO:
Nº
SÉRIE/ANO:
TURMA:
9º
DISCIPLINA:
TIPO DE ATIVIDADE:
HISTÓRIA
TURNO:
M/V
PROFESSOR(A):
TEXTO COMPLEMENTAR
2º Trimestre
DAIANNE
REGIMES TOTALITÁRIOS – FASCISMO E NAZISMO
O totalitarismo é um regime político que se caracteriza pela máxima intervenção do governo na
sociedade. As relações sociais são reguladas pelo Estado, e o cotidiano é rigidamente policiado, uma das
marcas do terror. A propaganda ideológica é intensa e todos os meios de comunicação são fortemente
controlados. Outra característica marcante do totalitarismo é o partido único; outras posições políticas não
são aceitas, senão a predominante, e os opositores são perseguidos como inimigos nacionais. Entre os
regimes totalitários estão a Alemanha nazista e a Itália fascista.
O período de ascensão desses regimes é o pós Primeira Guerra Mundial, onde os países
envolvidos na guerra passavam por vários problemas como reconstruir obras públicas, restabelecer a
produção industrial, criar empregos e pagar dívidas de guerra. Além da crise de 1929, que agravou os
conflitos entres as classes sociais.
A democracia liberal, em várias partes do mundo, mostrou-se incapaz de administrar esses graves
problemas da época. Preocupadas as elites foram favoráveis à formação de governos fortes e autoritários,
capazes de impor a disciplina social para recompor a ordem capitalista - os regimes totalitários.
a) O FASCISMO NA ITÁLIA:
Após a Primeira Guerra Mundial, a Itália enfrentava um saldo doloroso: mortos, feridos, dívidas,
fome, inflação e o desemprego afetavam os operários e os camponeses, provocando agitação social. Foi
nesse clima que, em 1921, o Benito Mussolini fundou o Partido Nacional Fascista. Ele junto com seus
companheiros afirmavam ser capazes de acabar com as greves operárias e com a agitação dos socialistas
e de encaminhar o país ao crescimento. Muitos industriais acreditaram nessas propostas e financiaram a
ascensão do fascismo na Itália.
O termo fascismo vem do italiano fascio, que significa
feixe. O faces eram usados pelos antigos magistrados
romanos para açoitar condenados por crimes e tornou-se a
principal insígnia do fascismo. Um dos principais objetivos de
tal associação era produzir forte vínculo e ideológico entre o
povo.
“Tudo no Estado, nada contra o Estado, nada fora do
Estado”.
Símbolo fascista
A primeira fase do governo de Mussolini (1922-1924) foi para organizar milícias fascistas que
promoviam atentados terroristas contra políticos da oposição. As duas principais características dessa fase
foram o nacionalismo extremado e a construção de um Estado autoritário. Já na segunda fase do governo
que, vai de 1925 a 1939, implantou a ditadura fascista, tornado-se chefe supremo do Estado – o Duce.
Com ações violentas, os fascistas reprimiam os protestos dos trabalhadores.
O governo fascista empenhou-se em fazer da educação pública um meio de impor sua doutrina à
sociedade. O ideal básico da educação fascista era submeter o indivíduo à total obediência ao Estado:
“crê, obedecer e combater” era um dos lemas pedagógicos do fascismo. Entre as transformações das
instituições educacionais estava o lançamento de um livro didático único para as classes elementares e a
militarização da vida escolar. Além das escolas, os militantes fascistas criaram associações para jovens
que promoviam festas, competições esportivas e desfiles paramilitares. Em todas essas ocasiões o
objetivo era exaltar o respeito às autoridades fascistas e sua doutrina social.
b) O NAZISMO NA ALEMANHA:
Depois da Primeira Guerra Mundial as dificuldades econômicas e sociais foram imensas na
Alemanha, devido ela ter perdido a guerra e ter tido que assinar o Tratado de Versalhes. A população do
país sofria com elevado número de desempregados e altas taxas de inflação. Entusiasmados com o
exemplo da Revolução Russa, diversos setores do operariado protestavam contra a exploração capitalista
organizando greves, através do Partido Comunista Alemão. Temendo a expansão do socialismo, parcela
da elite política e econômica alemã passou a apoiar o Partido Nazista, liderado por Adolf Hitler.
Em 1923, os nazistas promoveram um golpe militar para derrubar o
governo alemão, mas sem sucesso, Hitler foi condenado a prisão.
Enquanto estava detido escreveu a primeira parte do livro Mein Kampf
(Minha Luta), o qual se tornou a obra fundamental do nazismo. Entre
as principais teses nazistas estavam:
 A superioridade da raça ariana – o povo alemão descendia de
uma “raça superior” e por isso tinha o direito de dominar as
“raças inferiores”.
 O antissemitismo – os judeus (semitas) faziam parte de uma
“raça inferior” e poderiam corromper e destruir a pureza alemã.
 O total fortalecimento do Estado – o indivíduo deveria
submeter-se à autoridade soberana do Estado personificada na
figura do Fuhrer (chefe).
 O espaço vital – o povo alemão tinha o direito de conquistar
seu espaço expandindo militarmente seu território para reunir
as comunidades alemãs em outros países.
Adolf Hitler e o símbolo nazista – a suástica.
eAs ideias nazistas foram difundidas de várias formas: nos discursos de Hitler para grandes
concentrações de massa, nas publicações do partido e nos grandes espetáculos criados para influenciar a
opinião pública, como os desfiles militares. Quanto ao sistema educacional, deve ter como objetivo dar às
crianças alemãs a certeza de que são absolutamente superiores aos outros povos. Esse sistema nazista
foi intensamente marcado pelo militarismo, pelo racismo e pelo antissemitismo.
Em 1925, Von Hindenburg foi eleito presidente da Alemanha, porém, não conseguiu realizar a
estabilização política nem superar as dificuldades econômicas do país. Os nazistas aproveitaram-se da
situação para fazer duras críticas à ineficiência dos dirigentes alemães e o resultado foi a maioria no
Parlamento alemão nas eleições de 1932. A tumultuada situação política da Alemanha fez com que o
presidente torna-se Hitler (líder do partido nazista) chanceler (chefe do governo alemão) em 1933.
Ao conseguir o poder Hitler consolidou as ideias nazistas usando da violência e da propaganda
junto à população. A propaganda era conduzida por Joseph Goebbels, o qual controlava as instituições
educacionais e os meios de comunicação. Para isso usava de métodos desonestos e sensacionalistas. O
seu lema era o seguinte: “Uma mentira dita cem vezes torna-se verdade”. E o uso da violência para com
os adversários políticos ficava a cargo da Gestapo (polícia secreta do Estado), que tinha poderes para
prender e executar os suspeitos de deslealdade contra o governo nazista.
Esmagando as oposições, em dezembro de 1933, o Partido Nazista tornou-se único e, com a morte
do presidente Hidenburg em 1934, o chanceler Hitler assumiu a presidência do país. Além da censura
política, ele buscou impor os padrões e as ideias nazistas às artes plásticas, à música, à literatura e até
mesmo a pesquisa científica. No plano econômico dedicou-se a reabilitação do país, estimulando a
agricultura e a industrialização, principalmente na área de armamentos (desrespeitando o Tratado de
Versalhes). Em 1938, iniciou sua política de expansão da Europa, baseando-se na tese do espaço vital.
Família de agricultores de Kalenberg', por
Adolf Wissel (1939)
# REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:
BRAICK, Patrícia Ramos; MOTA, Myriam Becho. História: das cavernas ao terceiro milênio. 2ed. São
Paulo: Moderna, 2010.
COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e geral. 8ed. São Paulo: Saraiva, 2005.
VIVENTINO, Cláudio. História Geral. São Paulo: Scipione, 2006.

Documentos relacionados

Nazismo e fascismo

Nazismo e fascismo o mais alto valor. O papel do mais forte é o de dominar e não o de fundir-se com o mais fraco, sacrificando assim a sua própria grandeza. Só o fraco de nascimento pode achar cruel esta lei, mas é p...

Leia mais

Apostila de apoio e exercícios

Apostila de apoio e exercícios Primeiro-ministro. Nas eleições de 1924 os fascistas ficaram com a maioria no Parlamento. A imprensa de oposição foi fechada e socialistas e comunistas perseguidos. Mussolini, o duce, incentivou a ...

Leia mais

nazifacismo

nazifacismo população no capitalismo liberal e, simultaneamente, criaram condições favoráveis para a expansão das ideias socialistas. Com isso, na Itália e na Alemanha: a) as burguesias industrial e financeira...

Leia mais

Fascismo e Nazismo

Fascismo e Nazismo Um outro símbolo, talvez o mais representativo hoje, é a cruz celta, que não tem nada a ver com Roma antiga, foi usado em tempos antigos por aqueles que os romanos considerados bárbaros e rogues. ...

Leia mais

Aleluia, Gretchen

Aleluia, Gretchen  controle exclusivo do exercício da representação mediante um partido único de massa  forte estrutura hierárquica  ideologia centrada no culto ao líder  nacionalismo exacerbado  recusa dos pri...

Leia mais