Tadeu SAN MARTINO

Сomentários

Transcrição

Tadeu SAN MARTINO
História de Vida
Tadeu SAN MARTINO
O Guerreiro Se Despede dos Ringues
Texto: Worney Almeida de Souza e Arnaldo Pereira Fotos: Gregory Grigoragi
Tadeu San Martino, atualmente com
40 anos de idade e considerado um
dos mais destacados e influentes
atletas de Muay Thai do Brasil, projeta sua despedida das lutas profissionais.
De família pobre e tendo enfrentado
obstáculos aparentemente impossíveis de serem vencidos, ele tem uma
história de superação e importantes
conquistas, pois com suas habilidades e enorme dedicação soube
transpô-los.
O cartel de 54 lutas profissionais
(reunindo combates no Muay Thai,
Boxe Chinês e Kickboxing) e apenas
oito derrotas, credencia San Martino
como um destacado professor e técnico de novos campeões.
24 -
Foto: Arnaldo Pereira
Uma Vida de Muitas Lutas
Uma situação adversa foi o que levou Tadeu para o mundo das lutas. Foi mais ou menos assim: com 12 anos,
no ensino fundamental tinha um professor de Educação
Física que gostava muito de Basquete e Tadeu não era
muito bom com a bola na mão. Seu professor, numa
pressão psicológica, prometeu a ele uma nota zero, o que
iria dificultar muito sua vida na soma das outras matérias.
Foi quando procurou o Centro Educacional e Esportivo da
Freguesia do Ó para aprimorar o Basquete e se moralizar
perante o “bendito” professor. Neste mesmo centro de treinamento conheceu o Judô e treinou oito meses, quando
teve que parar porque o horário não era compativel com
outras atividades. Aos 14 anos, entrou para a Capoeira
em um projeto comandado por mestre Eliseu Brizola, que
foi muito importante na formação do caráter de San Martino. O projeto era destinado aos jovens que moravam na
região da Agua Branca. Aos 17 anos a curiosidade sobre
as artes marciais, especialmente sobre o Kung Fu, levou
o jovem atleta a se matricular numa academia no bairro
da Lapa, administrada pelos mestres Edilson Morais e
Eraldo Morais, que logo o convidaram para competir. Seis
meses depois participou de seu primeiro campeonato nas
regras do Boxe Chinês. Nessa ocasião, San Martino teria
que fazer cinco lutas para sagrar-se campeão. Ganhou as
três primeiras e perdeu a quarta. Ficou muito triste, mas
recebeu o apoio de todos da equipe, o que incentivou o
jovem a não desistir e treinar mais para as próximas lutas.
Tadeu se sentia bem na academia, pois reinava um clima
de amizade e companheirismo, diferente do que ele vivia
na sua vizinhança.
Em novembro de 1993, Tadeu venceu, por pontos,
Afrânio Ruben, na categoria 67 kg. San Martino recebe
seu troféu ao lado de dois ex-atletas da Combat Sport:
Marcão Rodrigues (à esquerda) e Eri Silva
Aproximação do Muay Thai
San Martino recorda: “Me interessei pelo Muay Thai, junto
com o Kung Fu, aos 18 anos, lendo a revista “Combat
Sport”. Queria conhecer outra modalidade para complementar meu trabalho no Boxe Chinês e me matriculei
na academia Combat Sport, que na época tinha como
titular o saudoso professor Ney Aguilar, que formou vários
atletas e campeões, o que acumulou uma jornada dupla
de treinamentos.”
Fazia Boxe Chinês às terças, quintas e sábados e o
Muay Thai às segundas, quartas e sextas. Além disso,
continuava trabalhando na empresa da família durante
o dia. Tadeu afirma: “Cada prática completava o meu
treinamento.”
Após seis meses de treinamento na Combat Sport, Tadeu
foi convocado para sua primeira luta no Muay Thai, em
um evento promovido por Paulo Nicolai, na cidade de
História de Vida
Tadeu San Martino nasceu em cinco de novembro de 1975 e foi criado no bairro
da Água Branca, zona oeste da capital paulista. Filho de Antonio San Martino
e Rita Borges San Martino tem mais três irmãos: Maria Aparecida, de 42 anos,
Eliane, de 38 anos e Marlene, de 27 anos. Estudou na Escola Estadual Antônio
Emilio de Souza Penna e completou o ensino fundamental. A partir dos 14 anos,
San Martino começou a trabalhar com seu pai no serviço de terraplanagem,
remoção de entulho e jardinagem. Um trabalho duro que acompanhou a vida
de Tadeu até os 30 anos de idade. Segundo San Martino: “O trabalho me amadureceu muito. Era pesado, mas era o sustento da minha família. Era enxada
o dia inteiro. A família morava em uma casa de madeira, numa favela. Depois
ocupamos um apartamento no prédio da CDHU, que foram construídos no
mesmo lugar das casas irregulares”.
Foto ao lado: San Martino no CDHU no bairro da
Agua Branca onde nasceu e foi criado
- 25
Campinas. Para se aprimorar ainda mais e num gesto
exagerado, Tadeu foi treinar Boxe no tradicional Clube
Nacional, com o técnico Isidoro.
Durante um período Tadeu se dedicou exclusivamente ao
Boxe Chinês, treinando e competindo. Depois ele voltou
a treinar Muay Thai, na Combat Sport, novamente com o
mestre Ney Aguilar. Em seguida, Moises “Gibi” assumiu
as aulas, quando um pequeno atrito aconteceu. San
Martino queria fazer sua última luta profissional no Boxe
Chinês e Gibi, seguindo as regras da Associação Combat Sport não aceitou, o que fez San Martino se afastar
mais uma vez do Muay Thai, por um período. Quando
Moises Gibi saiu da Combat para abrir sua academia, o
professor Ney Aguilar voltou a dar aulas e chamou San
Martino para treinar novamente na Combat Sport. Logo
depois, Ney Aguilar também escolheria seguir outro
caminho e San Martino assumiu as aulas. Depois desse
período, Tadeu deu aulas numa academia no bairro da
Freguesia do Ó, indicado pelo mestre Ney, que também
orientou o atleta a treinar no Centro de Treinamento
da Confederação Brasileira de Kickboxing (CBKB), no
Ibirapuera, que contava com atletas como Moises Gibi,
Cosmo Alexandre e Eduardo Pamplona. Tadeu treinava
durante à noite, pois, aos 30 anos de idade, continuava
trabalhando na empresa da família durante o dia.
A Morte do Pai e as Lutas Profissionais
Tadeu San Martino ganhou o GP La Gara e isso o ajudou
muito financeiramente, tanto que conseguiu pagar uma
dívida da empresa familiar. O momento mais difícil de sua
vida estava para acontecer: seu pai morreu de câncer
aos 60 anos, pouco tempo depois que sua empresa de
terraplanagem tinha encerrado as atividades. Tadeu se
abateu, mas teve certeza que sua carreira nas artes marciais encaminhou sua vida e possibilitou que ele ajudasse
seu pai, suas irmãs e construísse seu núcleo familiar.
Pensando no Futuro
O atleta deu passos seguros na vida. Com uma grande
bagagem como lutador e professor, além da formação
acadêmica, Tadeu se tornou um grande treinador com
mais qualidade e aptidão, reunindo diversos alunos para
encaminhá-los para o mercado das lutas de contato,
através da equipe San Martino Fight Team.
26 -
Foto: Arnaldo Pereira
História de Vida
Boxe Chinês: San Martino enfrentando o atleta Henrique
Ortega, no Super Champion Fight, em 25 de abril de 1998,
em São Caetano do Sul, com vitória por pontos
De sua equipe, San Martino já destaca Marcelo Dionísio,
atleta há sete anos, com algumas lutas em seu cartel e
boas possibilidades profissionais.
Em sua família, seu filho Felipe, de 11 anos de idade,
treina desde os nove e, agora, realizou sua primeira luta
amadora. O pai ficou mais nervoso do que quando enfrenta seus adversários. Segundo San Martino, seu filho tem
o biótipo para o esporte e está aprendendo a rotina do
mundo das lutas, o ganhar e o perder e a adrenalina da
competição. Mas Tadeu não queria que ele fosse lutador,
se espelhando em sua vida atribulada e sacrificada nas
lutas de contato.
Tadeu San Martino considera seu trabalho e sua experiência nas artes marciais muito importantes e espera poder
transmitir todo seu conhecimento para seus pupilos.
Apesar da vida atribulada, Tadeu não deixou os estudos
de lado e se formou em licenciatura em Educação Física,
em 2011.
San Martino pondera sobre seu presente: “Estou vivendo meu melhor momento, minha vida está estabilizada,
mas pela idade e por essa correria toda me sinto mais
cansado. Se fosse continuar a competir deveria ter mais
tempo para descansar e me recuperar.”
O Sonho da Casa Própria
San Martino casou cedo, aos 21 anos com Eunice Silva, hoje com 45 anos e tem
dois filhos: Tauani, de 16 anos e Felipe, 11 anos. E declara: “Gosto de estar com a
minha família e isso é o que me deixa feliz. Trabalho para eles!”
O atleta realizou um antigo sonho: “Desde muito novo, logo que casei e tive meu primeiro filho, não queria que ele crescesse ali onde morávamos. Queria que ele tivesse
uma condição melhor e desde então venho batalhando bastante, a cada luta, guardando dinheiro e consegui juntar uma
boa quantia para dar entrada em uma casa que eu sempre
sonhei em ter para minha família. Um lugar bacana, a casa
que pedi a Deus. Casa grande, com 3 quartos e quintal enorme, coisa que anos atrás eu jamais imaginaria conseguir.
Me privei de várias coisas durante minha vida, mas tenho
certeza que valeu a pena. Me esforcei muito e consegui
realizar meu sonho e este é meu melhor momento!”
San Martino mostra
seu novo lar, em
reforma, fruto de
mais de 20 anos de
dedicação
A família San Martino
Por Nelson Selleri
Foto: Stile
Uma Luta Espetacular!
Edson Jr. vs. San Martino
Em sua longa carreira como lutador de Kung Fu, Muay Thai,
Kickboxing e Boxe, San Martino protagonizou grandes batalhas, mas uma entrou para a história como um dos melhores
confrontos dos últimos 15 anos já vistos no Brasil.
O Circuito GP Kickboxing na badalada casa noturna La Gara,
disputado em 2007, promovido por Paulo Zorello, na época
presidente da CBKB, oferecia uma excelente premiação para o
campeão de um Grand Prix na categoria 75kg, o que motivou
uma disputa muito acirrada entre os lutadores de todo o Brasil. O
promotor, com visão de oferecer oportunidade para todos, trouxe
do Rio de Janeiro o atleta Edson Júnior, um competidor muito
técnico e bem preparado fisicamente. O final do Grand Prix foi
a disputa entre San Martino e Edson Jr., com a vitória de San
Martino por nocaute no segundo round. A revanche aconteceria
logo depois.
No mesmo ano, a tão aguardada revanche entre os dois lutadores
aconteceu no evento Demolition Fight, promovido por Maurício
Netto, desta vez na categoria 70kg. Novamente um Grand Prix,
Edson Jr. e San Martino na final e a certeza de um grande show
de Kickboxing. Mas todas as expectativas foram superadas e
a luta se tornou um clássico e um dos melhores combates já
visto no país.
Neste momento, Edson Jr. parecia estar ainda melhor e com
muita sede de vitória, aplicando excelentes sequências de mão
e chutes e conseguindo bloquear e esquivar dos golpes de San
Martino. A luta estava equilibrada com leve vantagem para o
carioca. Mas no início do terceiro round, Edson Jr. consegue
aplicar um bom direto que leva San Martino a knockdown. Após a
abertura de contagem, quando todos pensaram que San Martino
seria nocauteado, o inesperado acontece: tirando forças não se
sabe de onde, o paulista avança com toda garra e vontade a
fim de devolver o knockdown ou nocautear seu adversário, para
garantir a vitória. Sob um volume de golpes impressionante,
Edson Jr. consegue com muita dificuldade levar a luta até o final
e é declarado vencedor por pontos, com o público em delírio
aplaudindo os dois lutadores de pé!
San Martino agradece aos que o ajudaram em sua trajetória: As academias SP/UP (equipe UFT), Peck Deck, Digable Gym, CT
Koral, K2, da equipe San Martino Fight Team e em especial a academia Combat Sport, onde tudo começou. “Podemos ganhar ou
perder, mas isso tudo vai passar, o que fica são os amigos.”, finaliza San Martino.
- 27

Documentos relacionados