por perfu destinos

Сomentários

Transcrição

por perfu destinos
Estilo
Uma viagem aromática pode começar em
Madagáscar, onde se encontra a baunilha
(primeira foto à esquerda). Deve ainda passar
pela Índia (em baixo) ou pelo Egipto (à direita)
para sentir o cheiro do jasmim (à esquerda),
ou em Grasse (à direita mais abaixo), capital
mundial dos perfumes, onde decorre a festa
anual do jasmim entre Maio e Junho. É na China
que se encontra um citrino peculiar e que só se
produz naquele país, o ‘yuzu’ (em cima).
POR PERFU
DESTINOS
Em vez das melhores paisagens, já pensou em dar a volta ao mundo
à procura dos aromas mais agradáveis? De planta em planta, país em país,
um guia turístico escolhido por perfumistas. Uma viagem a destinos paradisíacos
de praias, montanhas... e flores. T E X T O D E P E D R O M I G U E L N E V E S
F
eche os olhos e relaxe. Inspire profundamente e imagine-se num
local de sonho. Vai partir numa
viagem pelo planeta dos aromas.
A partir de agora, o seu olfacto
está no comando. “Quando fazemos um perfume, queremos contar uma história”. É Lourenço Lucena que o diz. E para contar histórias com aromas
é preciso combiná-los “de forma harmoniosa”. Desta vez, vamos tentar fazê-lo num roteiro turístico capaz de agradar aos narizes mais sensíveis. A viagem
começa em Madagáscar, uma ilha no Oceano Índico
junto à costa de Moçambique. “Aqui é imprescindível conhecer a famosa baunilha. É uma matéria-prima que uso bastante, comum a quase todas as minhas
criações. Posso dizer que é a minha assinatura”, afirma Lucena, o único português membro da Sociedade
Francesa de Perfumistas.
Este é também um dos primeiros destinos apontados por Vera Mata, co-fundadora da i-sensis (empresa que cria perfumes personalizados). “Existem
40
Fora de Série Julho 2013
alguns sintéticos mas que são muito diferentes do
produto natural. Em Madagáscar têm até roteiros
turísticos para visitar plantações de vagens de baunilha”, realça a perfumista.
Seguindo no hemisfério Sul, é obrigatório dar um
salto ao continente americano. “Um sítio paradisíaco para quem gosta destas coisas é a Amazónia. Está
muito por explorar, é um local onde as multinacionais ainda mandam investigadores para procurar
uma nova flor ou planta que os inspire no desenvolvimento de novos aromas. Uma zona que gosto bastante é o nordeste brasileiro... Baía, Fortaleza, têm
muitos frutos exóticos que não conhecemos, com
cheiros incríveis”, garante Vera, que juntou à formação em Engenharia Química um pós-doutoramento em Engenharia de Perfumes e Aromas, e trabalha
nesta área desde 1998.
Para os aficionados dos perfumes, não só o destino
é importante, como também a época do ano em que se
deve viajar. Lourenço leva-nos novamente numa longa viagem, agora para apreciar o cheiro “intenso” do
jasmim: “Existem duas grandes proveniências. Acon-
AS CAR AÍBAS NUMA GARR AFA
O ORIENTE ZEN
“Era uma vez um grupo de guerreiros que conquistou
um castelo inimigo. Ao crepúsculo, o ar encheu-se de
um perfume doce que pacificou os sentimentos agressivos dos guerreiros. Na manhã seguinte, bateram em
retirada. O perfume era a fragrância natural da telosma cordata”. Na China, a antiga fábula exalta as qualidades místicas desta flor (conhecida como violeta chinesa) e ajuda a perceber a importância dos aromas na
sociedade, que há muito alimentam histórias de amor
ou vingança. Nesta zona do globo, Lourenço destaca
o ‘yuzu’, um “citrino muito peculiar” que só se produz aí; ou então a ‘osmanthus’, uma flor “muito bonita, frágil e potente, com notas de couro”, que se encontra entre Guilin e Yangzhou. No Sudeste asiático fica
um destino mais conhecido pelas praias paradisíacas
e ondas perfeitas para o surf: Bali, Indonésia. Mas o
que nos leva aqui é o aroma exótico do vetiver, um rizoma utilizado sobretudo na perfumaria masculina.
“A Indonésia tem uma produção riquíssima de diver-
A telosma cordata, conhecida como violeta chinesa, é referida em
muitas fábulas antigas pelas suas qualidades místicas. Nas Ilhas
Comores (em cima) poderá apreciar as plantações de ‘ylang ylang’.
A QUE CHEIR A LISBOA?
Lourenço Lucena é CEO da Blug, uma agência que
desenvolve acções de marketing multi-sensorial. O
perfumista, com formação na Cinquième Sens (Paris),
está habituado a criar fragrâncias com o objectivo de
optimizar a ligação do público-alvo às respectivas marcas.
Natural de Lisboa, a FS desafiou-o a explicar os cheiros
que, na sua opinião, mais se destacam no quotidiano da
cidade. Foi, aliás, com estas sete matérias-primas que
Lourenço compôs, para uma empresa de transportes
públicos, um perfume de homenagem à capital: “Notas
marinhas, que simbolizam a brisa do Tejo e a relação da
cidade com o rio; jacarandás, uma referência olfactiva
aos primeiros raios de sol na Primavera; manjerico, esta
planta tão rica e característica dos Santos Populares; o
cheiro da roupa lavada, que sentimos nas ruas de Alfama;
baunilha e limão, dos pastéis de nata; cravos, que são o
símbolo do 25 de Abril, mas se tivesse de identificar uma
flor em Lisboa, seria esta”.
sas plantas exóticas. Além do vetiver, tem por exemplo o patchouli. O país explora imenso as aromáticas
para a indústria da perfumaria, pois têm mão-de-obra
barata e produzem também os extractos”, conta Vera
Mata. No regresso a casa, escolha entre os areais de sonho das Ilhas Comores (para apreciar as plantações de
‘ylang ylang’) ou da Sicília (onde pode sentir os aromas da laranja, do limão e da bergamota).
Mas, para um perfumista, qualquer viagem de
lazer pode rapidamente transformar-se numa expedição a fragrâncias desconhecidas. “É instintivo, somos inebriados pelos aromas e vamos atrás. Quando
viajo em trabalho faço pesquisa para depois visitar
os locais que me interessam na produção de óleos.
Mas por vezes identificamos plantas em locais inesperados. Há uns tempos regressava de umas férias na
zona de Aljezur e fiquei presa no trânsito, devido ao
fim do Sudoeste [festival de música]. Comecei a ver,
da estrada, plantas enormes de gerânio rosa. Enchi o
carro e fui o caminho todo a cheirar o gerânio para
o levar para o laboratório!”, confessa Vera Mata. Esperamos que a viagem sensorial lhe tenha agradado.
Agora que está perto de casa, pode abrir os olhos e recordar todos os agradáveis aromas deste texto.
BALI, NA INDONÉSIA,
NÃO TEM SÓ BOAS ONDAS
PARA SURFAR. AQUI
EXISTE O AROMA EXÓTICO
DO VETIVER, UM RIZOMA
UTILIZADO SOBRETUDO
NA PERFUMARIA
MASCULINA.
Julho 2013 Fora de Série
41
FOTOGRAFIAS DE REUTERS E RETRATO DE GONÇALO F. SANTOS
selho a visitar a Índia em Junho ou então o Egipto em
Setembro, são as alturas das colheitas. Esta é uma flor
muito rica e que está presente em muitos perfumes femininos mais densos, quentes e envolventes. Só por
curiosidade, são necessários 700 kg de flor de jasmim
para fazer 1,2 kg de absoluto”. Estando na região, é preciso recordar que a Índia “é um país riquíssimo, a visitar obrigatoriamente, pelas inúmeras especiarias muito utilizadas na perfumaria, como por exemplo o cardamomo ou os cominhos. São pesadas e densas, por
isso mais usadas em perfumes de Inverno”, acrescenta o perfumista. Mais perto, na localidade francesa de
Grasse – considerada a capital mundial dos perfumes
– existe a festa anual do jasmim entre Maio e Junho.
Vera Mata e Paula Gomes conhecem-se desde os tempos
de estudantes na Universidade do Porto. Em 2004, depois
de anos de investigação na área dos perfumes, fundaram
a i-sensis em S. João da Madeira. Desde então tentam
concretizar os desejos aromáticos de quem as procura
com fragrâncias personalizadas. Um dos trabalhos que
mais marcou Vera foi o perfume “Amor Perfeito” criado
para o estilista José António Tenente. “Como é que se
concretiza esta analogia entre o sentimento e a flor?
Os amores perfeitos florescem no Inverno, quando as
outras flores não existem. Parecem frágeis mas são
fortes. Foi um grande desafio escolher as matériasprimas que melhor se adequariam à mensagem que ele
queria transmitir”, realça a perfumista. Como recebe
muitos pedidos de aromas de paraísos tropicais ou
de locais emblemáticos, a i-sensis criou fragrâncias –
para um catálogo de marketing olfactivo – com nomes
tão sugestivos como “Miami Beach”, “Caribe Mix”,
“Cosmopolitan New York”, e tem aromas que fazem
lembrar o Oriente, a gastronomia de Itália ou o Taj Mahal.
“Acontece muito pedirem-nos um determinado perfume
relacionado com locais. Tem sido um desafio criar as
ideias mirabolantes dos clientes”, conclui.

Documentos relacionados