Clique aqui para ver a capa do jornal.

Сomentários

Transcrição

Clique aqui para ver a capa do jornal.
QUINTA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2012 / CAMPINAS / ANO 84 / Nº 26952 / R$ 2,20
www.correio.com.br
CORINTHIANS
GANHA VAGA
Com gol de Paulinho aos 42’ do 2º tempo, Timão
vence Vasco e está na semifinal. PÁGINA B4
GREVE DOS METROVIÁRIOS
LEVA O CAOS ÀS RUAS DA
CAPITAL E AFETA 5 MILHÕES
8º FEIRÃO DA CASA PRÓPRIA
CHEGA A CAMPINAS AMANHÃ
COM 25 MIL IMÓVEIS
Cidade conviveu 14 horas com os
transtornos causados pela paralisação
de boa parte das linhas do Metrô e do
trem metropolitano. PÁGINA B1
Evento da Caixa, que vai até domingo
no Parque D. Pedro, oferece
oferece opções
opções
com
com preços
preços entre
entre R$
R$ 80
80 mil
mil ee
R$
R$ 800
800 mil.
mil. CADERNO
CADERNO ESPECIAL
ESPECIAL
Alessandro Rosman/AAN
O empresário Fernando Garnero, o arcebispo d. Airton José dos Santos e o prefeito Pedro Serafim na assinatura do TAC
GRUPO DOA ÁREA À IGREJA
A Arquidiocese de Campinas recebeu ontem a doação, do grupo Brasilinvest, de uma área de 20 mil m²
no final do prolongamento da Av.
editorial
Os riscos nas estradas
e suas consequências
Um dos prejuízos decorrentes do crescimento da frota e inadequação das rodovias está nas estatísticas de acidente, que
mostram uma incidência preocupante de
vítimas em trechos conhecidos, sem que
as providências sejam capazes de reverter
em tempo de evitar as mortes. PÁGINA A3
Mackenzie. Uma igreja com capacidade para 500 fiéis será construída
por empresários no local. O projeto
do templo foi entregue ontem ao ar-
cebispo d. Airton pelo empresário
Fernando Garnero na cerimônia de
assinatura do acordo que liberou as
obras de extensão da via. PÁGINA A10
Mackenzie
inicia a obra
de extensão
em 60 dias
Previsão é de que prolongamento até
Sousas esteja pronto em dois anos
As obras do prolongamento da
Avenida Mackenzie até Sousas terão início em 60 dias. Com quatro
faixas de rolamento, a pista, liberada ontem com assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta
(TAC) entre Prefeitura e empreendedores que vão investir na re-
gião, vai desafogar o trânsito na
Rodovia Heitor Penteado, hoje o
único acesso ao distrito. A previsão é de que a extensão, de oito
quilômetros, esteja concluída em
dois anos. O investimento será de
R$ 65 milhões, com recursos do
PÁGINA A10
grupo Brasilinvest.
Construtora ataca MP e desiste de negócios
PDG/Goldfarb faz críticas em carta aberta e diz que vai deixar Campinas
PÁGINA A10
Flávio Grieger/AAN
colunistas
Verissimo
Paris – Nos últimos anos criou-se um novo tipo de intelectual francês, produto
da televisão e misto de filósofo e pop-celebridade.
PÁGINA A2
Leitores
A (comissão
da) verdade deve desvendar o que
todos fizeram. Só isso. Salve-se quem
puder!
Eu proponho
começarmos
por Campinas uma
campanha violenta
contra a indústria
da multa.
Luiz Eduardo Horta,
advogado
Bi Rodrigues,
diretor de filmes
Rodovia D. Pedro I próximo ao trevo para quem vai acessar o distrito de Sousas: pistas marginais terão 16 quilômetros, até o entroncamento com a Anhanguera
tempo
MÁXIMA
MÍNIMA
25˚
15˚
Marginais vão desafogar tráfego na D. Pedro
O sol predomina pela manhã, mas as nuvens aumentam e pode chover à tarde.
radares móveis
VEJA ONDE ESTÃO LOCALIZADOS
OS APARELHOS NA PÁGINA A14
edição de hoje
68
PÁGINAS
Especial
8 páginas
Primeiro Caderno
Economia
Brasil
Mundo
Esportes
Caderno C
Classificados
16 páginas
4 páginas
3 páginas
2 páginas
5 páginas
8 páginas
22 páginas
Construção de vias, no trecho entre os Kms 129 e 145, começa em agosto
A Rodovia D. Pedro I terá vias marginais em um trecho de 16 quilômetros entre o distrito de Sousas, no
Km 129, até o entroncamento com
a Anhanguera, no Km 145. A construção das pistas, nos dois sentidos,
começará em agosto, de acordo
com a Rota das Bandeiras, que ad-
ministra a estrada. A obra faz parte
de um pacote de investimentos de
R$ 2,6 bilhões em três anos, que envolve também a AutoBAn e contem-
Serafim vê greve
política e servidor,
intransigência
Jovem jornalista
é sequestrada e
sofre intimidação
Relatório cobra
respeito à lei de
poda de árvore
Os funcionários da Prefeitura de
Campinas decidiram ontem continuar em greve. Enquanto o sindicato da categoria alega intransigência do governo na negociação da
pauta social, o prefeito Serafim
(PDT) afirma que reivindicações
foram atendidas e que o movimento é político, comandado pelo
PSB. Ontem, passeata pelo Centro
PÁGINA A4
complicou o trânsito.
Uma jornalista de rádio de 22 anos
sofreu um sequestro-relâmpago
quando saía do trabalho, na última
segunda-feira, em Santa Bárbara
d’Oeste. O ato foi “um recado para
a imprensa” da cidade, segundo o
sequestrador. Ela foi levada até a
Câmara e depois a um canavial. A
polícia investiga outro sequestrorelâmpago na cidade, do filho de
PÁGINA A15
um vereador.
Ambientalistas e pesquisadores
de Campinas entregaram ao Ministério Público (MP) um relatório
com denúncias de irregularidade
na poda de árvores. Além de cobrar o respeito à lei municipal que
orienta o serviço, eles afirmam
que o vácuo deixado pelo Departamento de Parques e Jardins (DPJ)
leva a prejuízos ambientais e ao
PÁGINA A11
plantio inadequado.
pla marginais e terceira pista na
Anhanguera, uma via perimetral
em Itatiba e a ampliação do Anel
Viário Magalhães Teixeira. PÁGINA A9
Ladrões invadem
casa da prefeita de
Engenheiro Coelho
PÁGINA A15
A10
CORREIO POPULAR
CIDADES
Campinas, quinta-feira, 24 de maio de 2012
PROLONGAMENTO ||| CRONOGRAMA
Mackenzie: obra começa em 60 dias
Anúncio foi feito ontem após assinatura do TAC que liberou a extensão da avenida até Sousas
Flávio Grieger/7fev2012/AAN
Natan Dias
DA AGÊNCIA ANHANGUERA
[email protected]
As obras do prolongamento
da Avenida Mackenzie até Sousas estão previstas para ter início dentro de 60 dias. O anúncio foi feito pelo presidente do
Grupo Brasilinvest, Fernando
Garnero, depois que o prefeito
Pedro Serafim (PDT) firmou ontem o Termo de Ajustamento
de Conduta (TAC) para a liberação da obra.
Empresários doam
construção de igreja
como contrapartida
Além da construção da via,
que terá 8 quilômetros no novo
trecho, quatro faixas e beneficiará entre 60 e 80 mil motoristas que circulam pela região
dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio, o Grupo Brasilinvest doou para a Arquidiocese
de Campinas um terreno de 20
mil m² ao final da avenida. No
local, os empresários irão erguer uma igreja, com 2 mil m²
de área construída e capacidade para 500 fieis. O projeto, “de
arquitetura moderna e sustentável”, foi entregue por Garnero ao arcebispo metropolitano
de Campinas, d. Aírton José
dos Santos, durante a cerimônia que marcou a assinatura
do TAC.
A doação do projeto e as
construções de um Centro de
Referência para idosos e de um
centro de tratamento para
usuários de crack, que serão administrados pela Secretaria de
Assistência Social, também fizeram parte do anúncio. O investimento no prolongamento é
de R$ 65 milhões e será realizado pela Brasilinvest.
A via irá passar por áreas
doadas pela empresa e pela Sol
Invest, Toscana, Trombeta, Rossi e desapropriada da Federação das Entidades Assistenciais
de Campinas (Feac). “Tudo
que for dito agora é para ser feito já. O que era suposição, agora é realidade. A obra deverá
ter uma duração de 2 anos até
o seu término”, afirmou Garnero. O prefeito falou sobre os benefícios do prolongamento.
“Vai desafogar a Rodovia Heitor Penteado, dar opção de
trânsito para Sousas e propiciar o desenvolvimento daquela região com empreendimentos residenciais com um padrão bom, com sustentabilida-
Trecho final da Av. Mackenzie,
após a passagem sob a Rodovia
D. Pedro; no destaque, a igreja
que será construída ao final do
prolongamento da via
Trânsito da Heitor Penteado cairá 50%
prolongamento da
Avenida Mackenzie,
com início no trevo
próximo ao Shopping
Iguatemi, no bairro Vila
Brandina, dará aos
motoristas um novo acesso
aos distritos de Sousas e
Joaquim Egídio. A medida
deverá beneficiar
aproximadamente 80 mil
pessoas que utilizam
diariamente a Avenida
Mackenzie e a Via Expressa
Heitor Penteado. Haverá um
acréscimo de 8 quilômetros
de extensão com a
construção da Avenida
Isaura Roque Quércia, a
partir da Leroy Merlin até a
entrada do condomínio
Caminhos de San Conrado,
no distrito de Sousas. Com a
intervenção viária, a
Prefeitura estima que o
volume de tráfego da Via
Expressa Heitor Penteado,
da Avenida Antônio Carlos
Couto de Barros e da Rua
Mario Garnero seja reduzido
em até 50%. Atualmente, o
volume diário de veículos na
Via Expressa Heitor
Penteado, próximo ao
Trevo, é de 50 mil nos dois
sentidos. Na Avenida
Mackenzie, esse fluxo é de
25 mil nos dois sentidos, e
na Avenida Antonio Carlos
Couto de Barros (Distrito de
Sousas) são 35 mil nos dois
sentidos. Segundo o
vereador Sebá Torres (PSB),
que participou da cerimônia
de assinatura, 8 mil
moradores do condomínio
San Conrado serão
diretamente beneficiados.
“Eu que moro lá sei que é
um momento histórico. O
prefeito e o Fernando
(Garnero) prontamente
adotaram essa causa”,
afirmou. (ND/AAN)
de e preservando o meio ambiente”, disse.
“A implantação da Avenida
Mackenzie foi rigorosamente
viabilizada em atenção às legislações estadual e municipal. Foram seguidas as diretrizes do
Plano de Ocupação do Ribeirão dos Pires e do Plano de
Ocupação do Córrego São Quirino”, declarou o chefe do Executivo. O projeto prevê ainda a
construção de três corredores
de fauna e a plantação de 8 mil
mudas de árvores nativas na região.
O arcebispo metropolitano
de Campinas recebeu com entusiasmo o projeto e o terreno
da nova igreja das mãos de Garnero. “Para nós da Arquidiocese de Campinas é uma alegria
grande saber que ainda existem pessoas que se pautam
por valores religiosos fundamentais. Esse empreendimento tem um futuro muito promissor. A região metropolitana
tem que se ampliar para continuar sendo humana e não um
grande aglomerado de pessoas.”
Segundo ele, a construção
da igreja ao final do prolongamento da avenida é “fantástica” para a população. “Para a
Igreja, é uma responsabilidade
grande, porque quando se
constrói não se mexe mais.
Uma igreja tem característica
perpétua. Certamente, no futuro, aquela área toda será preen-
O
chida de gente, seja de condomínios ou bairros, e nós temos
que estar presentes ali.” A Igreja será batizada de Nossa Senhora de Lourdes e terá como
padroeiro Santo Antônio de Pádua.
Meio ambiente
Os projetos de prolongamento da avenida e do condomínio Três Pontes do Atibaia, que
será implantado ao longo da
via, obtiveram licença através
de Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima), segundo o
presidente da Brasilinvest, Fernando Garnero. A empresa Comurb, que emitiu o parecer encaminhado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e ao
Conselho Estadual do Meio
Ambiente (Consema), informou que realizou estudos do
solo, fauna, flora e até mesmo
arqueológico no local. Os estudos, comunicou, foram aprovados pelos órgãos competentes.
O promotor de Justiça de
Meio Ambiente, José Roberto
Carvalho Albejante, foi procurado ontem pela reportagem
para comentar sobre a assinatura do TAC e a legalidade da
obra, porém não foi encontrado. Ele já havia manifestado
ser desfavorável à obra em artigo publicado pelo Correio no
dia 21 de dezembro de 2010.
Procurado, o Ministério Público (MP) informou, por meio
de assessoria de imprensa, que
“não vai se manifestar por hora porque não tem conhecimento formal dos termos desse documento” e que “nenhum membro do MP assina
o chamado 'TAC' porque esse
termo não foi proposto pelo
MP”.
De acordo com o prefeito, o
objetivo é que a obra da avenida corresponda a todas as regras ambientais, bem como às
exigências do Plano de Gestão
da Área de Preservação Ambiental (APA) de Sousas, para
assegurar a conservação do patrimônio natural daquela região e a proteção dos mananciais hídricos.
Em sua página na internet,
a Secretaria de Meio Ambiente
disponibilizou o parecer favorável do Consema em relação ao
loteamento Residencial Três
Pontes do Atibaia.
“O Consema (…) deliberou
favoravelmente à viabilidade
ambiental do Loteamento Residencial Três Pontes do Atibaia,
de responsabilidade da Toscana Negócios e Participações
S.A., localizado no município
de Campinas, desde que cumpra as exigências e recomendações contidas em seu EIA/RIMA.”
“Demorou mais de dez anos
para se ter a análise de todos os
aspectos, por isso dizemos que
esse é um empreendimento totalmente sustentável. Hoje,
qualquer empreendimento
que venha por ali surgir e trazer investimento para a cidade,
passará por uma grande análise técnica”, afirmou Garnero.
EMBARGOS ||| MANIFESTAÇÃO
PDG/Goldfarb ataca MP e desiste de novas obras
Presidente da construtora diz que oito áreas que receberiam empreendimentos foram colocadas à venda em Campinas
Cedoc/RAC
Fábio Gallacci
DA AGÊNCIA ANHANGUERA
[email protected]
A direção da construtora
PDG/Goldfarb publica hoje
em alguns veículos de comunicação de Campinas uma
carta aberta à população em
que faz diversas críticas ao
comportamento do Ministério Público (MP) para a retomada das obras embargadas
de diversos empreendimentos da empresa na cidade,
principalmente no bairro Parque Jambeiro. São cerca de 2
mil unidades já comercializadas que aguardam conclusão.
Em entrevista ao Correio, o
diretor de incorporação do
grupo, Paulo Petrin, afirma
que não pensa mais em investir na cidade e que oito áreas
que receberiam futuros empreendimentos já foram colocadas à venda. Na região do
Ouro Verde, a empresa promete devolver o dinheiro das
360 famílias compradoras de
um empreendimento embargado há quase um ano.
“No restante da cidade,
nosso objetivo é terminar as
obras, entregar as chaves às
famílias e encerrar esse ciclo.
Sempre fui muito otimista,
mas as indefinições políticas
e a insegurança jurídica vistas em Campinas não nos permitem continuar. Nossa vontade de investir é zero. Estamos aqui desde 2006, passa-
Esqueleto de condomínio Gold China, do grupo PDG: obras que estão em andamento serão concluídas
mos a ser líderes de mercado
e já entregamos 12 mil unidades habitacionais, mas agora
não vejo luz no fim do túnel”,
afirma Petrin. “Enquanto isso, continuamos investindo
em várias cidades do Brasil e
também aqui na região, em
Sumaré e Paulínia, por exemplo”, acrescenta.
Desde outubro do ano passado, um Termo de Ajusta-
mento de Conduta (TAC) foi
assinado entre a empresa e a
Prefeitura para que os trabalhos fossem reiniciados, mas
tudo ainda precisa de uma
aprovação dos promotores,
que até agora não veio. Petrin
afirma que, entre os últimos
dias 25 de dezembro e 1º de
janeiro, o promotor de Urbanismo de Campinas, Valcir
Kobori, apresentou aos inte-
grantes da empresa um novo
TAC, com diversos itens que
não constavam no primeiro
documento assinado com o
governo municipal e que, na
concepção da PDG/Goldfarb,
eram inviáveis. Outro encontro aconteceu em fevereiro e
a proposta do promotor foi a
mesma.
“O Ministério Público exige, por exemplo, que os em-
preendimentos do Recanto
do Parque (Gold China) sejam reduzidos em um terço e
que o empreendimento Parque das Folhas (Gold Leucada) seja integralmente cancelado, à semelhança do ocorrido com o Jardins do Horizonte 2 (Gold Espírito Santo), o
que entendemos inaceitável.
(…) O MP exige que alguns
empreendimentos já vendidos, e cujos clientes aguardam as obras, sejam cancelados”, aponta o informe publicado. “Não pretendemos assinar o TAC do MP, só aceitamos o já acertado com a Prefeitura” reforça o diretor.
Ainda segundo Petrin, o
MP exigiu um aumento de R$
10 milhões na contrapartida
da PDG/Goldfarb para concordar com a liberação das
obras na cidade. A empresa
já havia acertado com a Prefeitura uma contrapartida no
valor de R$ 14 milhões a serem investidos em obras de
interesse social — praças, viário, creches — na região das
obras. “Estamos falando em
R$ 24 milhões. Os promotores querem que a empresa pague mais pela contrapartida e
tenha seus empreendimentos
reduzidos. Isso torna o projeto inviável. Já fiz cinco ou seis
reuniões com o MP e tentamos um entendimento, mas
eles sempre pedem mais e
mais detalhes que ferem o
bom senso”, argumenta o di-
retor. “Tão logo o MP analise
e concorde com os termos já
ajustados entre a Prefeitura e
a PDG/Goldfarb, nossos clientes poderão ter a certeza de
que suas casas e apartamentos serão entregues”, reforça
o informe da empresa.
Petrin informa que 70%
das obras do Gold Espírito
Santo estão prontas e que tudo já poderia ter sido entregue. Com a paralisação do trabalho ali, se a obra fosse retomada hoje, os compradores
ainda teriam que esperar de
seis a oito meses para pegar
as chaves. No caso do Gold
China, o MP pediu para que a
empresa deixasse de construir 531 unidades das 1.827
previstas.
Outra questão apontada
por Petrin é o condomínio
quase concluído na região do
Ouro Verde, que está com
360 unidades embargadas
desde agosto do ano passado
por decisão exclusiva do governo municipal e do qual a
empresa está desistindo. “A
Prefeitura embargou a obra
por causa de uma ocupação
que existe há 20 anos e que
está localizada na parte de
trás do nosso terreno, e não
resolve o assunto. Nossa obra
é para famílias com renda de
três a seis salários mínimos e
todas as unidades já estão
vendidas. Já tentamos todas
formas de acordo, mas nada
foi resolvido.”

Documentos relacionados

Investidor planeja finalizar Mackenzie antes do prazo

Investidor planeja finalizar Mackenzie antes do prazo sair do Campo Grande e chegar até o condomínio, onde trabalha. “Saio às 5h e chego 7h50 aqui. Ainda tenho que usar o transporte que tem dentro do condomínio. Somente com um caminho demora muito. Te...

Leia mais