ENCONTRO NACIONAL DE QUIMICA FORENSE Maranhãopopular!

Transcrição

ENCONTRO NACIONAL DE QUIMICA FORENSE Maranhãopopular!
SECRETARIA DE SEGURANÇA
CIDADÃ
POLÍCIA CIVIL – DELEGACIA GERAL
ƒ SUPERINTENDÊNCIA DA CAPITAL
ƒ SUPERINTÊNDENCIA DO INTERIOR
ƒ SUPERINTENDENCIA DE POLÍCIA
Í
TÉCNICO--CIENTÍFICA
TÉCNICO
ƒ ACADEMIA INTEGRADA DE SEGURANÇA
CIDADÃ
SUPERINTENDÊNCIA DE
POLÍCIA TÉCNICO
TÉCNICO--CIENTÍFICA
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA
INSTITUTO MÉDICO LEGAL
INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO
Ã
CENTRO DE PERÍCIAS DA CRIANÇA E DO
ADOLESCENTE
INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA
Í
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Seções do Serviço de Perícias Externas
Acidente de Trânsito
Crime Contra o Patrimônio
Crime Contra Pessoa
Engenharia Legal
Reprodução Simulada
Vistoria em Veículos
INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA
Í
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Seções do Serviço de Perícias Internas
Balística Forense
Interpretação de Fichas (DPRF e BPTRAN)
Documentoscopia
Informática
Revelação Latente
INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA
Í
ƒ Seções do Serviço de Laboratório ( a
oficializar)
ƒ Toxicologia
T i l i F
Forense
g
g Forense
ƒ Hematologia/Biologia
ƒ Química Forense
ƒ Genética
G éti (DNA) Forense
F
EQUIPE TÉCNICA
ƒ Regime de plantão e expediente
expediente;;
funcional: sete Peritos Oficiais – 5
ƒ Quadro funcional:
técnicos de nível superior;
superior;
ƒ Cinco
Ci
P it Criminais
Peritos
C i i i e uma Toxicologista
T i l i t
ƒ Formação:
Formação
ç :
dois
Químicos
e
cinco
Farmacêuticos Bioquímicos
Bioquímicos;;
ƒ Cliente
Cliente::
Promotorias
Promotorias,
Poder
Judiciário
Judiciário,
Delegacias da capital e do interior, IML, Peritos
C i i i de
Criminais
d Local
L
l de
d Crime,
Ci
d
demais
i seções
õ
internas do Instituto de Criminalística
Criminalística..
QUÍMICA FORENSE
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
E
Exames
definitivo
d fi iti e d
de constatação
t t ã em
substância vegetal ( maconha) e substância
sólida (cocaína)
Exame residuográfico para pesquisa de
chumbo em mãos e demais suportes pelo
método do rodizonato.
Pesquisa de hidrocarbonetos e
hidrocarbonetos halogenados em substância
líquida ( loló) e sólida (cola de sapateiro)
sapateiro).
Exame químico em substâncias sólidas e
líquidas para pesquisas de insumos de
fabricação e adulteração de entorpecentes.
QUÍMICA
Í
FORENSE
ƒ
ƒ
ƒ
Exames físicofísico-químicos em substância
líquida sob pressão para pesquisa de cloreto
de etila;
Exame de vistoria em medicamentos;
Exame de vistoria em materiais diversos
(cerveja , refrigerante ou outros alimentos) presença de corpos estranhos ( plástico,
vidro metais,
vidro,
metais insetos e etc) e verificação de
adulteração de lacres.
Q Í C FORENSE
QUÍMICA
O
S
Base Analítica
ƒ Exames por cromatografia em camada
delgada exames colorimétricos e reações
delgada,
químicas para pesquisa de cátions e ânions.
ESTATÍSTICA LAF/ICRIM - JANEIRO A OUTUBRO// 2008
Número de
Exames
Exame Químico em Substância Vegetal (Maconha)
1554
Exame Químico em Substância Sólida (Cocaína)
1460
Exame Químico em Insumos usados na fabricação e adulteração de drogas
( barrilha, ácido sulfúrico, amido, pó de giz, etc)
80
Exame Químico em substância líquida e sólida (cola de sapateiro e substância
líquida)
74
Vi
Vistoria
i em M
Matérias
é i Di
Diversos ((refrigerante,
fi
cerveja,
j medicamentos,
di
etc))
15
Exame Químico Residuográfico em suportes diversos
13
Exame químico ( constatação) outras drogas ( ecstasy e LSD)
02
OBS: TODOS AS SOLICITAÇÕES
DE COMBUSTÍVEIS, MICROBIOLÓGICOS,
IDENTIFICAÇÃO DE PRINCIPIO ATIVO DE MEDICAMENTOS E ALGUMAS
DETERMINAÇÕES DA ÁREA TOXICOLOGIA SÃO DEVOLVIDOS À AUTORIDADE
SOLICITANTE, JUSTIFICANDO-SE A FALTA DE MEIOS CIENTÍFICOS PARA A
REALIZAÇÃO DE TAIS EXAMES.
OUTRAS ATIVIDADES TÉCNICAS
ƒ Cadeia de custódia;
ƒ Estatística mensal e anual das ocorrências;
ƒ Mapa mensal de controle ( compra e uso) de
produtos químicos emitido para Polícia
Federal;
ƒ Controle de estoque de material.
PROVIDÊNCIAS
Área Pericial:
Pericial:
ƒ Dois Peritos para o DNA;
ƒ Cinco Peritos - Toxicologia, Química, Biologia
e Análise Instrumental;
ƒ Oficialização das seções e implantação da
seção de Análise Instrumental;
Auxiliares Técnicos:
ƒ Três técnicos de Laboratório ( Técnicos
químicos
í
ou áreas
á
afins);
f )
ƒ Três Auxiliares de Laboratório.
ATUALIDADES
ƒ Obras de reforma e ampliação ( química, toxicologia e
biologia), com previsão de entrega – 3 meses (dez,
jan. e fev.);
ƒ Elaboração do projeto de instrumentalização do LAF,
para encaminhamento junto à SENASP;
ƒ Conclusão
C
l ã d
da elaboração
l b
ã d
dos procedimentos
di
t d
de
operação padrão (POP’S);
ƒ Plano
Pl
d
de G
Gerenciamento
i
t d
de R
Resíduos
íd
aprovado
d pela
l
Vigilância Sanitária;
ƒ Saúde Ocupacional - Mapa de Imunização
ƒ Planta do espaço físicofísico- Laboratório de DNA
SUGESTÕES
ƒ Criação da rede de Laboratórios Forenses –
Padronização nacional de procedimentos
analíticos;
líti
qualificação
ç na área de controle de
ƒ Cursos de q
qualidade e validação de métodos analíticos;
ƒ Educação continuada em análise forense Toxicologia, Química, Hematologia e
Ti l i
Tricologia;
ƒ Desenvolvimento
ese o
e to de Procedimentos
oced e tos a
analíticos
a t cos
para Perícia Ambiental.
Gislen Georges M.Pinheiro
[email protected]
Ivanilde E. Silva da Cruz
[email protected] com br
[email protected]

Documentos relacionados

PERÍCIAS FORESNES - EMENTAS CRIMINALÍSTICA

PERÍCIAS FORESNES - EMENTAS CRIMINALÍSTICA velocidades. Pontos de percepção, reação, colisão, não escapada e repouso final. Estudo de caso. PERÍCIA PAPILOSCÓPICA E REPRESENTAÇÃO FACIAL HUMANA – Histórico da papiloscopia, tipos fundamentais,...

Leia mais

Para ler o artigo

Para ler o artigo 2.5. Princípio da Reconstrução; 2.6. Princípio da Certeza; 2.7. Princípio da Probabilidade; 3. Ciências da Criminalística Forense; 3.1 Química Forense; 3.2 Laboratório Forense; 3.3 Técnicas Forense...

Leia mais

Criminalística: origem, desenvolvimento e decadência - HCTE

Criminalística: origem, desenvolvimento e decadência - HCTE conhecimentos no campo da identificação humana surgiu com Bertillon e seu método antropométrico que dominou o século XIX 3. Deve ficar claro que no início da Revolução Científica, cabia à Medicina ...

Leia mais