relatório anual 2012

Сomentários

Transcrição

relatório anual 2012
RELATÓRIO ANUAL 2012
DESTAQUES 2012 - PRINCIPAIS FATOS
Expresso Monotrilho Leste
Metrô Barra
A linha 15 do sistema paulistano de transporte, com
24,5 quilômetros de extensão, terá capacidade para
receber 500 mil passageiros por dia. É um transporte
inovador e sustentável, o primeiro monotrilho de alta
capacidade do mundo.
A Construtora Queiroz Galvão participa da obra, que
expande o Metrô Rio rumo à Zona Oeste da capital
fluminense, ligando o bairro de Ipanema (Zona Sul) à
Barra, região que vai concentrar os eventos dos Jogos
Olímpicos de 2016.
Comperj
RNEST
Um dos maiores projetos da história da Petrobras
também tem a marca da Construtora Queiroz Galvão.
A unidade, no estado do Rio de Janeiro, tem papel
estratégico na expansão do setor petrolífero no Brasil.
A CQG executa a montagem do complexo sistema de
interligações entre os equipamentos da refinaria – a
mais moderna do país – em construção na região de
Ipojuca, Pernambuco.
Plataformas P-55 e P-63
Parques Eólicos
Dois grandes projetos para a indústria nacional de óleo
e gás, ambos geridos pelo Comitê Naval e Offshore. A
operação de mating (integração) da P-55 foi a maior já
realizada por um estaleiro brasileiro.
Com os modernos equipamentos de geração eólica em
implantação no Nordeste, o Grupo Queiroz Galvão
prepara-se para ocupar um espaço importante no
mercado brasileiro de energias renováveis.
Hidrelétricas
Via Mangue
Em 2012, a atuação do Grupo Queiroz Galvão na
produção de energia ganhou um reforço, com a
conclusão da obra da PCH (Pequena Central
Hidrelétrica) Mucuri, no interior de Minas Gerais.
Outro projeto significativo do Grupo no campo da
mobilidade urbana. O novo sistema viário vai ajudar a
descongestionar o trânsito da região metropolitana de
Recife, capital do estado de Pernambuco.
Países nos quais as empresas do Grupo Queiroz Galvão desenvolvem projetos e negócios
APRESENTAÇÃO
No Relatório Anual 2012 do Grupo Queiroz
ÍNDICE
Galvão estão reunidas as informações
consolidadas sobre o desempenho das
APRESENTAÇÃO
02
INDICADORES FINANCEIROS
CONSOLIDADOS
03
MENSAGEM DO CONSELHO
DE ADMINISTRAÇÃO
04
áreas de negócios do Grupo, as principais
realizações
e
projetos
concretizados
pela companhia e as perspectivas que se
apresentam para o futuro próximo.
Os dados compilados aqui são relativos
ao período entre 1.º de janeiro e 31 de
dezembro de 2012. Como no Relatório
2011, foram seguidos os princípios de
relato da Global Reporting Initiative
O GRUPO
60 anos de Queiroz Galvão
10
Valores
13
de
Empresas do Grupo por
indicadores relacionados a desempenho
Área de Atuação
14
econômico, social e ambiental, foram
Estrutura de Governança
15
(GRI).
Para
efeito
de
coleta
consideradas as informações prestadas
pela Construtora Queiroz Galvão, que
responde pelo maior faturamento entre
as áreas de negócio do Grupo.
2 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
ÁREAS DE NEGÓCIOS
Construção Brasil
16
Construção Internacional
26
Gestão de Negócios
32
Engenharia Ambiental
40
Desenvolvimento Imobiliário
46
Naval e Offshore
54
Exploração e Produção
60
Óleo e Gás
66
PROJETOS RESPONSÁVEIS
72
INFORMAÇÕES
80
INDICADORES FINANCEIROS CONSOLIDADOS
FATURAMENTO POR ÁREAS DE NEGÓCIOS
3
MENSAGEM DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
O Grupo Queiroz Galvão comemora, em 2013, 60
anos de fundação. A chegada a este marco histórico é
acompanhada por uma série de mudanças estruturais
e estratégicas consolidadas em 2012, que permitiram
à companhia atravessar com sucesso mais um ano de
turbulência econômica no cenário mundial. Diversificando
suas atividades e reorganizando-se internamente, o
Grupo fortaleceu seus indicadores financeiros e ampliou
seus campos de atuação. A evolução nos resultados em
comparação com 2011 comprova o acerto dos novos
rumos e prepara a Queiroz Galvão para ter um ano ainda
melhor em seu 60.º aniversário.
A economia global não teve um ano
anterior, mas ainda assim ultrapassou
de investimento e a produtividade
fácil em 2012. A atividade econômica
o centro da meta estipulada. Várias
industrial não reagiram. A Formação
no país passou por seu período de
iniciativas governamentais para
Bruta de Capital Fixo (FBCF), índice
menor crescimento desde 2009 – um
aquecer a economia e estimular a
calculado pelo Instituto Brasileiro de
aumento no Produto Interno Bruto
competitividade foram lançadas,
Geografia e Estatística (IBGE) que
(PIB) de 0,9%, inferior ao registrado
incluindo a redução da taxa básica
apura o que se investe em máquinas,
em 2011 (2,7%) e bem abaixo das
de juros (Selic) e a expansão do
bens duráveis e construção civil
expectativas. A inflação, que chegou
programa federal de concessões em
no país, caiu pelo segundo ano
a 5,84%, foi menor do que a do ano
infraestrutura. Ainda assim, o nível
consecutivo.
Evolução do faturamento: Construção x outras Áreas de Negócios
Construção
Outras Áreas
de Negócios
2010
4 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
2011
2012
Essa conjuntura foi reflexo da crise
Queiroz Galvão, empresa pioneira
energias renováveis, como a eólica
financeira mundial, que desde 2008
da companhia, segue como a
e a da biomassa. Em 2012, entre os
vem causando perdas pesadas à
principal área em termos de
principais resultados das empresas
economia global. Analistas do cenário
faturamento e resultados. Mas o
reunidas na QGGN destacam-se
concordam que o pior período já
aumento da participação de outras
a produção de alimentos, com o
passou, mas a recuperação ainda é
áreas – exploração e serviços
aumento das vendas de camarão no
lenta e sujeita a sobressaltos. Dados
no segmento de petróleo e gás,
mercado interno e a verticalização
do Fundo Monetário Internacional
empreendimentos imobiliários,
da produção de frutas; a concessão
(FMI) dão conta de que o PIB mundial
geração e comercialização de
de serviços públicos, que teve
teve um aumento de 3,2% em 2012,
energia, engenharia ambiental,
um crescimento substancial da
apresentando queda em comparação
produção de alimentos, construção
população atendida pelas empresas
com os números de 2011 (3,9%).
naval – contribuiu para que o Grupo
de saneamento do Grupo; e os
superasse as dificuldades conjunturais
investimentos na produção de
da economia.
cimento, com o início da construção
O momento, segundo o
FMI, requer austeridade e
de uma fábrica no Maranhão e outra
prontidão dos governos
A evolução do processo
para agirem ao primeiro
de governança gerou duas
sinal de desestabilização.
novas áreas de negócio, o
que estimulou a sinergia
Enquanto os Estados Unidos e o
entre as empresas do
Japão confirmaram as previsões de
Grupo e propiciou o
crescimento, a União Europeia passou
momentos difíceis – na zona do euro,
a maior elevação do PIB foi registrada
na Alemanha (0,6%), enquanto a
países emergentes foi melhor: 5,5%,
com destaque para o desempenho da
China (8,2%).
Apesar da aridez dos cenários, o
Grupo Queiroz Galvão teve um
2012 positivo. Os bons resultados
na comparação com o ano anterior
devem-se, em parte, à expansão
e à diversificação dos negócios
da companhia. A Construtora
A busca por novas – e inovadoras
– frentes de negócio orientou os
investimentos na produção de
energias renováveis em 2012. Os
parques eólicos instalados nos
aproveitamento de
estados do Ceará, Rio Grande do
oportunidades em
Norte e Piauí vão posicionar o Grupo
mercados aquecidos.
entre os mais relevantes players na
comercialização e no fornecimento
Espanha chegou a ter uma retração
de 1,5%. A média de crescimento dos
na Bahia.
A Queiroz Galvão Gestão de
de energia limpa e sustentável,
Negócios (QGGN) surgiu da
em conjunto com a exploração do
fusão de duas outras áreas,
potencial energético da biomassa, já
Participações e Concessões (QGPC)
em curso, e os estudos para o uso da
e Desenvolvimento de Negócios
energia solar.
(QGDN). Alguns dos principais
ganhos desse modelo estrutural
Mais inovação, desta vez conjugada
foram aumentos na sinergia e na
ao cuidado com o meio ambiente,
especialização. Um bom exemplo
marcou a introdução de novos
foi a constituição de uma empresa
fornos retangulares nas operações
comercializadora de energia para
de queima de madeira advinda
concentrar os ativos do Grupo
de florestas plantadas. Os novos
na área, incluindo o portfólio de
equipamentos e processos, mais
5
MENSAGEM DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
seguros e eficientes, e capazes de
As boas perspectivas
unidades da Petrobras, a Refinaria
maior produtividade, geraram os
vindas do mercado
Abreu e Lima (Rnest) e a Refinaria
primeiros créditos de carbono da
de óleo e gás se
Duque de Caxias (Reduc).
história do Grupo Queiroz Galvão.
No que tange à gestão das atividades
de construção naval e montagem
de plataformas para exploração
de petróleo, as operações foram
reunidas sob o Comitê Naval e
Offshore. A intenção é fortalecer a
estratégia do Grupo no segmento,
que apresenta elevado nível de
demanda por conta da exploração das
reservas da camada do pré-sal. As
participações no Estaleiro Atlântico
Sul (EAS) e na QUIP S/A estarão
sob a responsabilidade do Comitê.
Nesse segmento, merece destaque
a entrega à Petrobras, realizada pelo
multiplicaram em 2012.
A Queiroz Galvão Exploração e
Produção (QGEP), maior produtora
independente do país, teve um ano
excepcional, com a adição de novos
ativos, o bom desempenho das ações
negociadas na BM&FBovespa e o
excelente desempenho produtivo
do campo de gás natural de Manati
(Bahia).
A Queiroz Galvão Óleo e
Gás (QGOG) manteve a
posição de destaque no
fornecimento de serviços
A Construtora também seguiu
desenvolvendo empreendimentos
notáveis, tanto no Brasil quanto no
exterior. Além dos citados avanços
na área de óleo e gás, a empresa
está presente em obras de grande
porte que vão melhorar a vida de
milhões de pessoas: a Ferrovia
Norte-Sul, a expansão do Metrô Rio,
a construção do Monotrilho em São
Paulo, a criação da Via Mangue em
Recife e a Usina Hidrelétrica de Belo
Monte, a terceira maior instalação do
tipo no mundo. No exterior, a marca
Queiroz Galvão vem sendo levada
para diversos países na América do
Atlântico Sul, do navio petroleiro
para empresas do setor
Sul e no Caribe, na África e no Oriente
João Cândido; os ganhos de escala
petrolífero, expandindo
Médio, participando de obras de
na produção; e a parceria tecnológica
sua frota de navios e
diversos tipos: rodovias, projetos de
com o estaleiro japonês IHI. Em
plataformas e investindo
irrigação, redes de abastecimento,
2013, o EAS entregou à Transpetro,
fortemente em formação e
saneamento e hidrelétricas. Essa
no primeiro quadrimestre do ano, o
capacitação técnica.
gama de atividades comprova a
petroleiro Zumbi dos Palmares. Já o
estaleiro da QUIP realizou em 2012
o histórico mating em dique seco da
plataforma P-55, a maior operação do
tipo já feita no país. Em 2013, a QUIP
prepara-se para entregar à Petrobras
duas novas plataformas, a P-58 e
a P-63.
6 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
vocação do Grupo Queiroz Galvão
O mercado industrial onshore de óleo
e gás ainda proporcionou grandes
projetos à Construtora Queiroz
Galvão, que trabalha na construção do
Comperj − o maior polo petroquímico
da América Latina − e em duas outras
para tomar parte em importantes
obras de infraestrutura, projetos de
grande porte que ajudam a alavancar
o desenvolvimento das regiões
beneficiadas.
O setor imobiliário rendeu expressivos
em um centro de tratamento (CTR)
da sociedade brasileira, e diversas
resultados no ano.
de alta tecnologia em Minas Gerais.
dessas atividades estão descritas no
Além disso, por meio da companhia
capítulo Desempenho Socioambiental
A Queiroz Galvão
Inova, a Vital passou a executar
deste Relatório.
Desenvolvimento
serviços de limpeza e conservação do
Imobiliário (QGDI)
mobiliário urbano da região noroeste
Ao completar seis
realizou seu primeiro
da cidade de São Paulo, a maior
décadas, o Grupo Queiroz
lançamento em Brasília
capital do país, e ainda firmou uma
Galvão tem o privilégio
e aumentou a oferta de
empreendimentos no Rio
de Janeiro, mantendo
Parceria Público-Privada (PPP) para
prover serviços de limpeza pública na
capital do Maranhão, São Luís.
ainda firme presença em
O Grupo Queiroz Galvão
Pernambuco, Bahia e
comemora seus 60 anos
São Paulo.
de existência com a
Com isso, o valor geral de vendas
(VGV) dos lançamentos da empresa
experimentou um aumento de
mesma vitalidade que o
originou. Parte importante
dessa celebração é a
de constatar o sucesso de
todas as suas iniciativas,
nas mais diversas áreas
de atuação, graças ao
esforço e à dedicação
de seus cerca de 46 mil
colaboradores.
E graças também à prática dos
valores legados por seus fundadores
78% em relação a 2011, elevação
parceria da companhia
ainda mais marcante se comparada
com a Orquestra Sinfônica
Qualidade –, que atravessam todos
com a performance das principais
Brasileira, que conta com
os níveis hierárquicos do Grupo
concorrentes da QGDI, e que permite
o patrocínio do Grupo
e o habilitam a prosseguir, sólido
projetar um 2013 igualmente bem-
em 2013.
e vitorioso, por muitas e muitas
-sucedido.
– Trabalho, Lealdade, Confiabilidade,
décadas.
Principal grupo dedicado à música
Boas também são as perspectivas
erudita no Brasil, a OSB fará uma
para a Vital Engenharia Ambiental, o
série de concertos comemorativos
braço do Grupo dedicado à gestão
em homenagem ao 60.º aniversário.
integrada de resíduos e a serviços
O apoio à Orquestra é apenas um
de limpeza urbana. Em 2012, a
dos projetos que o Grupo promove
empresa iniciou seu primeiro projeto
visando o desenvolvimento
de incineração de resíduos perigosos,
educacional, cultural e ambiental
7
Obras da rodovia Transamazônica
O GRUPO
O mês de abril de 1953 é considerado o marco inicial da
Em 2013, o Grupo Queiroz Galvão
completa 60 anos de atuação
nacional e internacional
trajetória do Grupo, que de uma pequena firma de engenharia
transformou-se em um dos maiores conglomerados
empresariais do Brasil.
60 ANOS DE QUEIROZ GALVÃO
Com uma atuação de sucesso consolidada em diferentes
segmentos e áreas de negócios, a Queiroz Galvão chega
aos 60 anos de existência como uma empresa que
marcou seu nome na história e ampliou sua atuação para
mercados internacionais.
A primeira sonda terrestre de exploração instalada na Amazônia, em 1987
Construção da Barragem de Carpina, no estado de Pernambuco
Sediado no Rio de Janeiro, o Grupo
empregos e estimulam o crescimento
As primeiras obras da Queiroz
Queiroz Galvão tem como focos
das regiões onde são desenvolvidos,
Galvão Ltda. foram a construção da
principais a oferta de infraestrutura
sempre sob os princípios de
infraestrutura de abastecimento de
e o trabalho em áreas indutoras
responsabilidade socioambiental que
água para a cidade de Limoeiro (PE);
do desenvolvimento econômico.
pautam suas ações.
a pavimentação das estradas BR-101
O Grupo congrega hoje mais de
Norte, entre Recife e Goiana (PE),
50 empresas nos segmentos de
O Grupo nasceu em Recife (PE), a
e da estrada de Jundiaí-Termas de
Construção, Desenvolvimento
partir de uma pequena construtora,
Lindoia, em São Paulo (SP).
Imobiliário, Alimentos, Siderurgia,
fundada no ano de 1953, pelos
Energias Renováveis, Saneamento,
irmãos Antônio, Dario, João e Mário
Desde o início, a Queiroz Galvão
Óleo e Gás, Engenharia Ambiental
de Queiroz Galvão. Formados
já demonstrava vocação para o
e Indústria Naval. Está presente
em Engenharia, foram eles que
crescimento. Tanto que, ainda
no Brasil e em mais de 20 países,
estabeleceram o negócio e deram
no ano de 1957, conquistou uma
na América do Sul e no Caribe, na
início ao trabalho com obras de
grande obra ao vencer uma licitação
África e no Oriente Médio. Seus
saneamento e pavimentação de
do Departamento de Estradas de
empreendimentos geram milhares de
estradas na região pernambucana.
Rodagem (DER) em São Paulo, o que
10 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
marcou o início de sua expansão no
que a empresa passou a se chamar
cenário nacional.
Construtora Queiroz Galvão S/A.
do metrô do Rio de Janeiro.
A partir da década de 1980, a QG
Logo após a chegada ao mercado
Na década de 70, a Construtora
multiplicou suas áreas de atuação
paulista, a empresa começou a
participou da Ferrovia do Aço
e passou a investir na produção
difundir seu nome graças à execução
e colaborou na execução dos
e comercialização de alimentos e
de obras distribuídas de Norte a
emblemáticos projetos rodoviários da
na agricultura irrigada, por meio da
Sul do país. Os estados do Paraná,
Transamazônica e da Belém-Brasília,
Timbaúba Agrícola S.A., cuja sede
Espírito Santo e Minas Gerais, por
que marcariam decisivamente
ficava em Petrolina (PE).
exemplo, já conheceram a excelência
sua trajetória.
da engenharia da Queiroz Galvão a
partir da década de 1960.
É também nessa mesma época
Com a fundação da agropecuária Rio
que ocorre a expansão para o setor
Arataú, no Pará, tem início o processo
de Óleo e Gás, com a abertura da
Foi nesse período que a empresa
de diversificação dos negócios e a
Queiroz Galvão Perfurações, hoje
atuou no processo de pavimentação
formação do Grupo Queiroz Galvão.
Queiroz Galvão Óleo e Gás (QGOG).
da BR-262, no Espírito Santo, e da
A empresa se lança no mercado
Ainda na década de 1980, teve início
BR-116, no Ceará. A QG participou
imobiliário com dois edifícios de alto
o processo de internacionalização
ainda da construção da rodovia
luxo, localizados no Recife; entra no
da empresa, com a construção da
BR-376 (Curitiba-Ponta Grossa) e
segmento hídrico com as barragens
barragem Paso Severino, no Uruguai.
executou sua primeira obra federal
de Tapacurá e Goitá, em Pernambuco;
em Minas Gerais. Foi então, também,
e, ainda, atua nas obras de construção
Construção da Transamazônica, na década de 1970: projeto emblemático para a integração nacional também foi um marco para o Grupo
11
60 ANOS DE QUEIROZ GALVÃO
Pavimentação de uma rodovia em Salgueiro, Pernambuco. A construção de estradas deu grande impulso ao Grupo nas décadas de 1960 e 1970
Nos anos 1990, o Grupo ingressou
alta tecnologia. Surgida em 2010,
América do Sul (Argentina, Peru,
no setor de concessões rodoviárias,
a Queiroz Galvão Exploração e
Venezuela, e Guiana) e da América
com a Concessionária Rio-Teresopólis
Produção (QGEP) torna-se a primeira
Central (Honduras, Nicarágua,
(CRT). A Construtora foi apontada
empresa privada nacional autorizada a
El Salvador e Panamá), o Caribe
pela revista Exame, por duas vezes
operar em águas profundas.
(República Dominicana), a África
nessa mesma década, como a
(Líbia, Gana, Guiné Equatorial, Gabão,
melhor empresa do setor, e executou
Paralelamente, a diversificação
Angola, Tanzânia e Moçambique)
o projeto da Hidrelétrica Miranda,
das atividades se expande com o
e o Oriente Médio (Catar e
no Triângulo Mineiro, da Rodovia
estabelecimento da Vital Engenharia
Emirados Árabes Unidos). Isso
Carvalho Pinto, em São Paulo, e da
Ambiental – empresa especializada
possibilita ao Grupo contribuir com o
Linha Vermelha, no Rio de Janeiro.
em manejo de resíduos e limpeza
desenvolvimento de países como, por
O segmento de limpeza urbana foi
urbana – e da Queiroz Galvão
exemplo, Angola.
expandido; a QG Perfurações adquiriu
Desenvolvimento Imobiliário (QGDI),
duas plataformas marítimas; e as
dedicada a lançar empreendimentos
A Construtora Queiroz Galvão
siderúrgicas Simasa e Vale do Pindaré
imobiliários para vários perfis
fecha a década com a conquista,
foram incorporadas ao Grupo.
de público.
na Venezuela, de um dos mais
significativos contratos de sua área
No século 21, a atuação do Grupo
A Construtora intensifica sua
internacional: o sistema de Riego
no segmento de óleo e gás ganha
presença internacional, destacando-se
Quíbor. No contexto interno, a QGSA
força com a entrada em serviço de
no segmento de montagem industrial
promove avanços em seu sistema
plataformas de exploração petrolífera
para os setores Petroquímico e de
de governança, que, juntamente
operadas pela QGOG, como a Gold
Óleo e Gás. Hoje, sua atuação no
com outras iniciativas, visam a
Star e a Lone Star, que empregam
exterior compreende as regiões da
perpetuidade do Grupo.
12 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
VALORES
Para o Grupo Queiroz Galvão, a boa gestão e a
qualidade de seus produtos, serviços e processos é
pautada pela aplicação cotidiana de quatro valores:
Confiabilidade
Qualidade
Cumprir todos os objetivos e prazos
O aprimoramento dos processos e da gestão
estabelecidos em qualquer relação de trabalho,
dos negócios, bem como da qualificação de seus
seja com clientes, seja com os colaboradores.
funcionários em todos os níveis, é contínuo. As
Este valor garante a confiança total em relação
certificações que as empresas do Grupo recebem
aos projetos, empreendimentos e serviços
nos mais diversos ramos de atividades são a
oferecidos pelas empresas do Grupo.
prova da busca incessante por melhorias na
prestação de serviço e na entrega de produtos.
Lealdade
Trabalho
A união entre pessoas é imprescindível para a
É o pilar fundamental sobre qual todo o sucesso
obtenção dos melhores resultados. Essa ideia
do Grupo se ergue. Dedicação e esforço na
está disseminada por todo o Grupo Queiroz
superação de desafios, aplicados com correção e
Galvão, criando a fundação para a cooperação
honestidade, são básicos na visão de negócio da
interna, a boa comunicação e o apoio mútuo
Queiroz Galvão.
entre os colaboradores.
Eles orientam o comportamento dos executivos e do
Também não são objeto de negociação nem de concessões,
pessoal operacional, o planejamento estratégico das
seja qual for o motivo. Eles estabelecem os padrões de
empresas e as relações com clientes, parceiros e a
moral e ética que definem a administração dos negócios do
população beneficiada pelos projetos do Grupo. Tais valores,
Grupo e resumem, em suas definições, a própria identidade
que dão a base intangível para o bom desempenho, não se
da companhia e a imagem que ela projeta para o mundo e
alteram com o passar dos anos – são imutáveis.
para seu público interno.
13
EMPRESAS DO GRUPO POR ÁREA DE ATUAÇÃO
14 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
ESTRUTURA DE GOVERNANÇA
15
Detalhe da futura estação Oratório do Monotrilho, São Paulo (SP). Os novos trens transportarão 500 mil passageiros por dia
Construtora Queiroz Galvão
Com grandes projetos em infraestrutura e mobilidade no
Brasil, a CQG também consolida sua presença em outros
países da América do Sul e do Caribe e na África.
Construtora Queiroz Galvão Brasil
A diversificada atuação da Construtora Queiroz Galvão
(CQG) – a empresa que foi o marco inicial da fundação
do Grupo, em 1953 – nos mercados público e privado
resultou em um faturamento, em 2012, de R$ 3,93 bilhões.
Houve uma mudança no comando da companhia: Petrônio Braz Jr.,
que até 2012 ocupava a Diretoria Executiva da Construtora Queiroz
Galvão Américas, assumiu a presidência da CQG, substituindo
Ildefonso Colares Filho, que foi designado para o Comitê Naval
e Offshore.
Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí (RJ): a CQG constrói duas unidades de hidrotratamento
18 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Um destaque importante no ano
Queiroz Galvão Energias Renováveis
Custo e Prazo”), apresentado para a
foi o maior equilíbrio entre as obras
(QGER).
Refinaria Landulpho Alves (RLAM),
privadas (divididas nos segmentos
na Bahia.
industrial e produção de óleo e gás
Como principais conquistas no
natural) e os projetos públicos na
mercado industrial e privado em 2012,
Já no mercado de infraestrutura,
composição da carteira da companhia.
destacam-se o recorde na instalação
a CQG consolidou o contrato de
Com uma grande diversificação em
de montagem de tubulações (2.000
construção da Linha 4 do Metrô Rio
suas atividades, a Construtora tem
T/mês), atingido na construção da
(RJ). Em relação à gestão, foi criada
impulsionado negócios para outras
Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em
uma superintendência interna para
empresas do Grupo, especialmente
Pernambuco, e o prêmio de Melhor
estudos e propostas de Parcerias
nas áreas de infraestrutura, energia
Projeto no 3.º Seminário Técnico
Público-Privadas (PPPs), um modelo
e óleo & gás. Exemplo disso foi a
Gerencial de Engenharia Petrobras
de contratação cada vez mais
assinatura do contrato de construção
(concedido ao projeto “Uso da
presente na estratégia de negócios da
do Parque Eólico Riachão, em Ceará
Modularização e Galvanização na
Construtora desde 2011.
Mirim (RN), um empreendimento da
Construção do Pipe Rack: Ganhos de
Obras do Monotrilho em São Paulo (SP)
Refinaria Abreu e Lima − RNEST, Ipojuca (PE)
19
VOCAÇÃO PIONEIRA
Foi com a Construtora que, em 1953, no Recife, nasceu o Grupo Queiroz Galvão. Hoje, 60 anos depois,
a empresa atua nos setores de saneamento, recursos hídricos, portos e aeroportos, rodovias, pontes,
túneis e viadutos, edificações, industrial, hidrelétricas e linhas de transmissão, infraestrutura urbana,
recuperação ambiental, ferrovias e sistemas metroviários. Uma das quatro maiores empresas nacionais
do setor, a Construtora tem em seu currículo obras que proporcionam crescimento econômico e
maior infraestrutura em diversos estados do país, contribuindo para a qualidade de vida de milhões
de pessoas – com melhorias na mobilidade cotidiana, tratamento de água, fornecimento de energia e
transporte interurbano, entre outros aspectos.
Projetos de destaque
inteiramente em solo brasileiro e
das obras civis, e prepara-se para
a terceira maior do mundo. Essa
viver o pico da construção em 2013.
Entre os destaques de 2012 na
obra monumental, construída no
Do total de 250 km para acessos
atuação da Construtora, estão os
Rio Xingu (PA), tem capacidade total
e estradas de serviço ao longo do
avanços significativos no andamento
instalada de 11.233 MW e deverá,
empreendimento, cerca de 170 km já
de obras de grande porte, em setores
quando operacional, fornecer uma
foram pavimentados.
como geração de energia, mobilidade
média de 4.571 MW – energia
urbana e na cadeia de óleo e gás.
elétrica suficiente para suprir as
Rio Barra: a Queiroz Galvão
necessidades de cerca de 40% dos
participa das obras da Linha 4
domicílios brasileiros. A construção
do Metrô carioca, que vai ligar a
Quando for inaugurada, será a
alcançou as metas de 2012, tendo
estação de Ipanema à Barra da
maior usina hidrelétrica instalada
atingido a conclusão de 20% do total
Tijuca. A escavação do túnel está
Hidrelétrica de Belo Monte:
Maquete eletrônica da Hidrelétrica de Belo Monte (PA)
20 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Obras da Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro (RJ)
sob a responsabilidade da CQG e do
poderão transportar até 48 mil
669 quilômetros, entre Ouro Verde
consórcio Rio Barra, liderado pela
pessoas por hora, o que os configura
(GO) e Estrela d’Oeste (SP). Quando
empresa. Para dar conta do desafio
como o primeiro monotrilho de alta
concluída, a linha férrea vai se
da escavação no trecho sul do projeto,
capacidade do mundo.
estender por 1.980 km e cortará
saindo de Ipanema, passando pelo
bairro do Leblon e chegando à Gávea,
os estados de Pará, Maranhão,
Ferrovia Norte-Sul: A construtora
Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São
uma gigantesca tuneladora – o TBM
avançou nas obras do trecho que vai
Paulo e Mato Grosso do Sul. Em
(tunnel boring machine, ou máquina
ligar o Centro-Oeste ao restante da
fevereiro de 2013, a CQG venceu a
perfuradora de túneis) – foi trazida
ferrovia, possibilitando o escoamento
concorrência para as obras e serviços
da Alemanha. O aparato, apelidado
da produção agrícola por meio dos
de engenharia para complementação
de “tatuzão”, tem 120 metros de
portos do Norte e do Nordeste,
do Túnel 2 da Ferrovia, em Anápolis,
comprimento e a altura de um
que também serão interligados ao
Goiás.
prédio de quatro andares, um dos
sistema. A CQG trabalha em um
maiores equipamentos já usados em
segmento da ferrovia que soma
construção civil na América Latina. A
obra conta com 1.600 colaboradores
em atividade, número que pode subir
para 2.500 no pico dos trabalhos. O
metrô vai transportar cerca de 500
mil pessoas por dia, que vão gastar
pouco mais de 30 minutos para ir do
Centro da cidade até a Barra da Tijuca,
na Zona Oeste; o mesmo percurso
hoje leva, pelo menos, 1 hora e 20
minutos.
Obras do monotrilho, estação Oratório e Centro de Controle, em São Paulo (SP)
Monotrilho: a Linha 15 do sistema
paulistano de transporte tem a
extensão de 24,5 quilômetros, por
onde passarão cerca de meio milhão
de pessoas a cada dia. O Expresso
Monotrilho Leste é um paradigma do
moderno transporte de massa. Os
trens são feitos de alumínio, tornando-os 30% mais leves que os veículos
convencionais. Movidos a energia
elétrica, emitem baixos níveis de
poluição e ruído. Quando estiverem
funcionando à plena capacidade,
Trecho da Ferrovia Norte-Sul: quando concluída, a linha férrea vai cortar sete estados
21
Via Mangue: Maior obra de
conjuntos habitacionais, beneficiando
Ao final da obra, o Canal terá 250 km
infraestrutura realizada em Recife em
992 famílias que moravam em
de extensão total, recebendo água do
mais de três décadas, a Via Mangue
palafitas e locais próximos ao trajeto
Rio São Francisco a uma vazão média
vai melhorar o trânsito na Zona Sul
da via. O projeto faz parte do Plano de
de 32 m³ por segundo. O Canal do
da capital pernambucana. Contando
Aceleração do Crescimento (PAC) e
Sertão possibilitará a instalação de
com faixas de rolamento expressas,
do pacote de mobilidade para a Copa
projetos de pecuária e de irrigação
sem semáforos ou cruzamentos,
do Mundo de 2014.
na região, assim como a introdução
o corredor viário ligará o Centro da
capital pernambucana ao bairro de
de projetos de piscicultura, gerando
Canal do Sertão: A CQG finalizou
renda e fonte de alimentos durante
Boa Viagem. Quando concluído, terá a
as obras do Canal do Sertão Alagoano,
todo o ano.
extensão total de 8,87 km, contando
projeto que levará água para consumo
com oito pontes, uma alça de ligação,
da população rural e urbana do
uma passagem semissubterrânea
estado, beneficiando cerca de 900
Janeiro (Comperj): Para esse projeto,
e ciclovias. O impacto positivo
mil habitantes em 42 municípios. É a
um dos maiores empreendimentos
sobre a população recifense não
maior obra de infraestrutura hídrica já
da história da Petrobras, a CQG
se restringirá à mobilidade urbana.
feita no estado de Alagoas e uma das
está construindo duas unidades
Um cinturão de proteção ambiental
maiores em toda a região Nordeste.
de hidrotratamento (equipamentos
vai cercar o manguezal do Rio Pina,
Os primeiros 65 quilômetros do canal
que reduzem o teor de enxofre do
importante ecossistema da região
estão em funcionamento, levando
combustível durante a fase de refino,
metropolitana. Além disso, ainda
água para três municípios (Delmiro
tornando-o menos poluente) e suas
contempla a construção de três
Gouveia, Pariconha e Água Branca).
respectivas subestações de energia
Complexo Petroquímico do Rio de
Obras da Via Mangue em Recife (PE): o complexo viário vai trazer melhorias para a mobilidade urbana e inclui a construção de conjuntos habitacionais
22 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
elétrica. O Comperj, que ocupará
armazenamento de óleo cru e seus
pavimentação que a CQG executa na
uma área de 45 milhões de metros
derivados refinados através de
rodovia (no estado do Rio Grande do
quadrados, tem papel estratégico
tubulações, válvulas e bombas, em
Sul) ampliarão a estrada federal e vão
na expansão do setor petrolífero no
operações extremamente precisas. O
ajudar a desafogar o tráfego da BR-
Brasil. A instalação vai aumentar a
projeto é realizado com muita atenção
-116 – uma das mais importantes vias
capacidade nacional de refino de
à segurança: em 2012, a operação
de transporte de cargas do país. O
petróleo pesado e produção de
atingiu a meta de 10 milhões de
trecho no qual a Construtora trabalha
petroquímicos, com consequente
homens/hora trabalhadas sem
teve suas obras intensificadas em
redução da importação de derivados
acidentes que gerassem afastamento.
2012 e inclui a construção de uma
e de produtos correlatos. Além disso,
sua produção vai impulsionar toda
uma cadeia de transformação de
ponte estaiada sobre o Rio Gravataí
Rodovia BR-448: Os trabalhos
de terraplanagem, drenagem e
(região metropolitana de Porto
Alegre).
produtos petroquímicos de segunda
geração em bens de consumo,
envolvendo componentes para
montadoras de automóveis, materiais
cirúrgicos e eletrodomésticos. Toda
a operação da CQG no Comperj
segue boas práticas de cuidados
ambientais, incluindo tratamento de
efluentes, armazenamento seguro de
produtos químicos e coleta seletiva
de resíduos.
Refinaria Abreu e Lima (RNEST):
Outro projeto de grande porte para a
Obras do Canal do Sertão, Delmiro Gouvêa (AL): beneficiando cerca de 900 mil pessoas
indústria de óleo e gás, erguido em
Ipojuca (Pernambuco) e que conta
com a participação da Queiroz Galvão.
Maior e mais moderna refinaria do
país, construída com tecnologia
totalmente nacional, emprega
cerca de 9.500 trabalhadores.
A empresa faz a montagem do
complexo sistema de interligações
entre os equipamentos da refinaria
– tubos, pontilhões e subestações.
É um trabalho crucial, unindo as
unidades industriais e as áreas de
Obras da rodovia BR-448, no Rio Grande do Sul: trabalhos intensificados em 2012
23
ECONOMIA DE ÁGUA
O compromisso da Queiroz
Galvão com a sustentabilidade
é expresso nas iniciativas que
o Grupo toma para minimizar
impactos
ambientais
e
aumentar sua ecoeficiência.
Na
construção
da
linha
4
do metrô do Rio de Janeiro,
por exemplo, foram criadas
estações
de
tratamento
da
água resultante das escavações
dos túneis. Em operação desde
o início de 2011, as instalações
garantem o reaproveitamento
de 84 mil litros diários de
água, que são devolvidos aos
equipamentos ou reutilizados
na limpeza das máquinas, do
canteiro de obras ou em outras
necessidades do local. Todos os
efluentes gerados pela obra são
tratados, o que proporcionou o
reaproveitamento de mais de
50 milhões de litros em 2012.
Túnel da Linha 4 do metrô, Rio de Janeiro (RJ)
24 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Planejamento estratégico
da participação nas obras para
A UCQG tem o objetivo de garantir
os Jogos Olímpicos do Rio, em
a competitividade da empresa e
Uma das ações definidas em 2012
2016, surgem como oportunidades
incrementar as potencialidades,
com foco no futuro da Construtora foi
prioritárias do período.
a produtividade e a eficiência.
a revisão do planejamento estratégico
da CQG. Entre os principais fatores
Também são metas o contínuo
Desenvolvimento de pessoas
desenvolvimento das pessoas e do
ambiente da organização, a criação de
considerados para os próximos anos
estão o crescimento da importância
Para dar conta dos desafios listados
uma cultura de autodesenvolvimento,
das PPPs, a diversificação da
anteriormente, o desenvolvimento de
a manutenção de controles claros,
concorrência e as alterações de
talentos internos é uma das principais
um eficaz sistema de avaliação
mercado ocasionadas também
preocupações da Construtora
e o gerenciamento do centro de
por reposicionamentos de clientes
Queiroz Galvão. O treinamento e a
resultados corporativo. Os núcleos
importantes.
capacitação de colaboradores com
dos cursos são cinco: Academia de
foco nas estratégias empresariais,
Liderança, Competências Específicas,
A diversificação dos projetos junto
assim como o desenvolvimento
Educação Complementar, Projetos
ao mercado privado, a ampliação dos
de suas competências, estão
Específicos e Melhores Práticas.
negócios firmados com governos
concentrados na Universidade
estaduais e municipais e o aumento
Corporativa Queiroz Galvão (UCQG).
Canteiro de obras da RNEST em Ipojuca (PE): em 2012, a Construtora Queiroz Galvão bateu um recorde na instalação mensal de montagem de tubulações
25
Construtora Queiroz Galvão Internacional
Responsável por boa parte do reconhecimento internacional
recebido pelo Grupo Queiroz Galvão, a Construtora Queiroz
Galvão Internacional viu suas operações crescerem em 2012,
especialmente na África e na América do Sul. Para consolidar
a atuação no exterior, foi criada uma nova empresa, unindo
as antigas Diretorias das Américas, África Subsaariana e
Norte da África/Oriente. A companhia resultante passou a
ser comandada pelo presidente José Diniz da Silva Filho.
Países como Angola, Venezuela, Gana e Guiné Equatorial fazem parte
do plano estratégico da Construtora Internacional, pelos resultados que
as operações desenvolvidas têm alcançado e pelo potencial de futuros
negócios. Em Angola, por exemplo, a empresa firmou contratos para a
execução de cerca de 1.500 quilômetros de rodovias, dos quais quase mil já
foram concluídos.
Um movimento significativo em
fase de conclusão de licitações. O
uma grande oferta de obras
2012 foi a entrada da empresa no
mesmo ocorre com os Emirados
de infraestrutura.
Oriente Médio, com a abertura de um
Árabes Unidos e o Catar. Para os
escritório em Dubai. Essa iniciativa
próximos anos, a previsão de cenários
A atuação na América Latina e no
qualifica a companhia a concorrer a
econômicos positivos nas duas
Caribe foi pautada pela consolidação
grandes projetos, como o Metrô de
regiões cria uma expectativa para
da presença da Construtora
Doha e o Aeroporto de Abu Dhabi.
O plano de obras desenvolvido
pelo Catar e pelos Emirados
Árabes Unidos visa à ampliação da
infraestrutura dos respectivos países
para a Copa de 2022.
Na África, Guiné Equatorial e
Gana já têm obras em fase de
planejamento. Tanzânia, Namíbia,
Quênia, Gabão e Moçambique são
mercados em prospecção e/ou em
Escritório da CQG em Angola: sucursal investiu na capacitação dos colaboradores
26 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Moradora da região próxima à rodovia EN-240 em Angola.
27
nos mercados onde já atua,
diversificando o foco das atividades.
Empreendimentos nos setores de
transporte e energia se juntaram à
experiência que a empresa detém
no campo da infraestrutura. Novos
formatos de negócio, como as
parcerias com o poder público
(como no Peru) foram analisados. A
Construtora está presente em seis
países da América do Sul (Argentina,
Chile, Peru, Venezuela, Guiana e
Bolívia) e em cinco da América Central
e Caribe (República Dominicana,
Honduras, Nicarágua, El Salvador
e Panamá).
DESTAQUES DE 2012
Foram consolidados escritórios
em Gana, Gabão e Moçambique, e
abertas representações na Tanzânia,
na Namíbia, no Quênia e na Guiné
Equatorial. Nesta última, a empresa
trabalha na construção da rede de
Escritório da CQG em Luanda, Angola: país sedia a maior operação da empresa na África
saneamento e abastecimento de água
da nova cidade administrativa Djibloho,
futura capital do país.
Em Gana, a Construtora Internacional
desenvolve o projeto de um sistema
viário formado por viadutos e
intersecções na capital Accra, que vai
contribuir para melhorar o fluxo do
trânsito na cidade.
Projeto residencial Morabeza em Luanda: desenvolvimento imobiliário
28 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Em Angola, houve a conclusão e
província. Já a estrada nacional EN-
Na Venezuela, a DNAM intensifica
entrega de importantes obras viárias,
240, com um trecho pronto de 45
o processo de construção de
que fazem parte do Programa de
quilômetros de extensão, interliga
infraestrutura de irrigação na região
Reconstrução Nacional. Na capital, a
as cidades de Quibala, Cariango
de Quibor, mais um projeto que será
empresa participa do programa “Vias
e Mussende, importantes para o
realizado em 2013. Outro projeto de
Estruturantes da Cidade de Luanda”.
escoamento da produção agrícola da
irrigação está sendo conduzido na
Também foi inaugurada a Autoestrada
região, além de servir de acesso a
República Dominicana, na província
Periférica (Fase 1C). Com extensão de
outras províncias.
de Azua.
40 quilômetros, a rodovia é importante
para interligar a região metropolitana
A Diretoria de Negócios Américas
Ainda no campo hidráulico,
de Luanda e criar novas rotas para
(DNAM), que cuida da atuação na
conquistou em 2012 um contrato para
desafogar o trânsito da capital.
América Latina e no Caribe, negociou
a construção de 180 km do Canal
em 2012 a participação da Construtora
Figueroa, no Rio Salado, na Argentina.
Também em Angola, na província de
em dois projetos rodoviários que
Benguela, a estrada nacional (EN-250)
serão realizados em 2013, no Peru,
Desvio Culango-Balombo, com 115
totalizando 130 km.
km de extensão, passa pelo segundo
maior porto do país e possibilita o
Em Honduras, a Construtora vai fazer
as obras de um lote de 54 km do novo
corredor logístico do país. A estrada
Em 2012 também foram contratadas
Canal Seco ligará o Golfo de Fonseca,
escoamento de carga para cidades
as obras de ampliação da Usina
no Oceano Pacífico, ao Oceano
importantes, como Huambo, no centro
Hidrelétrica 5 de Novembro, em El
Atlântico.
do país. Em Kwanza Sul, duas estradas
Salvador. O projeto de expansão,
foram concluídas e inauguradas. O
iniciado no começo de 2013, prevê
trecho Cachoeira-Gabela-Quibala,
a instalação de duas novas turbinas
com 123 quilômetros de extensão,
na usina, o que permitirá ampliar sua
possibilita o acesso à capital da
geração energética em 80 MW.
Casas de cultivo do projeto de irrigação em Quibor, Venezuela: atuação na região noroeste do país será intensificada
29
Qualidade e
A empresa cumpre plenamente todas
do Sul e Central, os projetos em
conformidade
as legislações trabalhistas locais dos
desenvolvimento contavam, ao final
países onde atua. Pratica os princípios
do ano, com 2.500 funcionários (mais
A Construtora Internacional tem um
preconizados pela Organização
de 95% deles recrutados localmente).
forte compromisso com os Sistemas
Internacional do Trabalho (OIT) e
de Gestão de Qualidade adotados
condena veementemente a prática de
Em Angola, houve a criação da
pelo Grupo Queiroz Galvão, em
trabalho escravo, análogo e/ou infantil.
Coordenação de Patrimônio Humano,
especial no tocante aos critérios
Em 2012, não houve registro de auto,
responsável pela elaboração dos
estabelecidos para gestão ambiental.
multa ou advertência, de qualquer
processos de seleção e treinamento
Esse direcionamento faz com que
espécie, relacionado ao tema
de profissionais angolanos e
todas as obras estejam com os
envolvendo as atividades da empresa.
expatriados. Uma ação importante
licenciamentos ambientais em dia.
foi o programa Qualificar Angola,
Não foram registradas ocorrências,
Recursos humanos
que promove cursos de capacitação
autos ou multas de natureza
voltados para os operadores de
ambiental em nenhuma das obras ou
As operações na África e no Oriente
máquinas que atuam nas obras
escritórios da empresa em 2012.
Médio fecharam 2012 com 2.675
em Luanda. A sucursal investiu na
colaboradores (com cerca de 85%
capacitação de colaboradores ligados
de pessoal local). Nas Américas
ao setor financeiro e ao departamento
Produção de tomates em casa de cultivo do projeto de irrigação na região de Quibor, Venezuela: impulsionando a agricultura
30 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
de pessoal em um curso básico
das Estradas de Angola (INEA),
ocupa, na região de Quibor, foi
de informática, realizado em
que possibilita a jovens angolanos
criado um viveiro de plantas nativas,
parceria com o Centro de Formação
estudar em universidades brasileiras
que são replantadas, cultivadas e
Profissional da Construção
e depois retornar a Angola para
posteriormente doadas à
Civil (Cenfoc).
aplicar os conhecimentos adquiridos.
população local.
O convênio, iniciado em 2007,
Atuação social
compreende bolsa de estudos com
Já na Nicarágua, no entorno das
moradia, ajuda de custo, passagens e
obras da Hidrelétrica de Tumarin –
Em Angola, onde está a maior
todo apoio diplomático para a garantia
projeto iniciado pela Construtora em
operação do Grupo na África, foram
de matrícula e documentação no
2010 – uma experiência-piloto criou
desenvolvidas, em parceria com o
Brasil.
outro viveiro, com a preservação de
poder público, ações sociais voltadas
espécies nativas e o cultivo
para a melhoria da qualidade de vida
A Diretoria de Negócios América
da população vizinha às obras.
patrocinou, em agosto de 2012, a
de alimentos.
feira de artesanato de Tintorero, na
Merece destaque a iniciativa da
Venezuela, um dos mais importantes
Universidade Brasil-Angola, fruto de
eventos culturais do país. Também na
uma parceria com o Instituto Nacional
Venezuela, na área que a Construtora
Rodovia EN-240, em Angola: uma importante via de escoamento para a produção agrícola local
31
Moinho de vento em parque eólico no Ceará. Quando concluídas, instalações terão capacidade de geração de 197,4 MW
Gestão de Negócios
A nova área do Grupo já nasce grande e apresenta resultados
expressivos nos segmentos de energia, alimentos, rodovias,
cimento, siderurgia e saneamento.
QUEIROZ GALVÃO GESTÃO DE NEGÓCIOS
A unificação dessas atividades
permite à QGGN compartilhar
A Queiroz Galvão Gestão de Negócios (QGGN) é uma
área nova no Grupo Queiroz Galvão, que foi concebida
e projetada em 2012, tornando-se operacional em 2013,
resultante da fusão da Queiroz Galvão Participações
e Concessões (QGPC) com a Queiroz Galvão
Desenvolvimento de Negócios (QGDN).
ambientes de gestão com outras
áreas e empresas do Grupo, o que
favorece a redução de custos e
otimiza a administração. No âmbito
externo, a nova organização permitirá
melhor negociação na compra de
produtos e nas contratações de
Até 2012, as atividades nos segmentos de energia hidrelétrica,
serviços, uma vez que a escala
concessões de rodovias, saneamento e indústria naval ficavam a
permitirá obter melhores condições
cargo da QGPC. Já a QGDN agrupava as empresas de alimentos,
de custo e atendimento.
a produção de cimento e a siderurgia, além dos investimentos em
energias renováveis.
Com a criação da QGGN, a
administração dos ativos de geração
de energia do Grupo foi concentrada
sob uma única gestão, também
responsável pela comercialização
de toda a energia produzida pelas
Fornos retangulares com trocadores de calor, no Maranhão. Mais eficientes, novos equipamentos usam matéria-prima de florestas plantadas
34 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
distintas fontes (hidrelétrica,
eólica, térmica), gerando ganhos
de eficiência, maximizando valor e
mitigando riscos. É um exemplo das
possibilidades de sinergia e soluções
integradas para atividades e produtos
que, antes da criação da nova área,
eram desenvolvidos isoladamente.
Investimentos em energia
Interessada em diversificar suas
atividades e investir em diferentes
formas de produção de energia, a
QGGN traçou um plano de expansão
com o qual projeta atingir 1.500 MW
(megawatts) de capacidade instalada
de energia renovável, até o final da
década, com foco principalmente na
energia eólica.
Os três parques eólicos em
construção no Ceará (Taíba, Icaraí
e Amontada) totalizam uma
capacidade instalada de 197,4 MW
No alto, panorâmica da UHE Santa Clara (MG); acima, as turbinas da usina
(86 aerogeradores) e entram em
operação ainda em 2013. O quarto
parque eólico (Riachão) será no
Rio Grande do Norte e terá uma
capacidade instalada de 145,8 MW
(54 aerogeradores). Sua construção
terá início no 2.º semestre de 2013.
nacional de energia oriunda de fontes
Outro potencial energético alternativo
eólicas deve crescer, em média, 30%
já explorado é o da biomassa
ao ano. A QGGN pretende consolidar
renovável, a partir da matéria-prima
sua atuação nesse segmento,
residual de florestas de eucalipto e
tornando-se um dos maiores players
de diversas culturas de ciclo curto.
do mercado de energias renováveis.
Está em curso o aperfeiçoamento da
tecnologia aplicada à biomassa para
A geração de energia eólica é vista
com muito interesse. Segundo
previsão da Empresa de Pesquisas
Energéticas (EPE), responsável pelo
planejamento da expansão da geração
brasileira, até 2021 a produção
Com a conclusão da PCH (pequena
usinas flex fuel e o investimento em
central hidrelétrica) de Mucuri,
novas culturas, como, por exemplo, o
localizada na divisa dos municípios
capim-elefante e o cavaco de bambu.
de Pavão e Carlos Chagas, em Minas
O aproveitamento da energia solar
Gerais, a QGGN amplia em 20 MW
(utilizando os mesmos sites e a
sua capacidade de geração hidrelétrica.
infraestrutura de conexão já existente
35
nos parques eólicos) também está
nos planos da QGGN, que desenvolve
um projeto-piloto para produção de
energia solar, com capacidade
para 4 MW.
Força nos alimentos
Os resultados da produção de
alimentos foram expressivos. A entrada
no mercado interno de frutas, com
a comercialização de uvas padrão
exportação, também marcou a
introdução da marca própria do Grupo
Queiroz Galvão (Timbaúba). Cerca
de 30% da produção de uvas foi
voltada para o consumidor brasileiro,
e a outra parte foi encaminhada para
Concentrado de suco acondicionado para exportação, Fazenda Timbaúba, Petrolina (PE)
a exportação, em forma de suco e
in natura, pela primeira vez atingindo
mercados distantes e emergentes,
INOVAÇÃO NA SIDERURGIA
como o Egito. Em 2013, a meta é
direcionar 40% da produção de uvas
para o mercado doméstico.
Em 2012, 42 fornos retangulares, cada um com capacidade de 100
toneladas, foram instalados em unidades adjacentes às florestas
plantadas que a Queiroz Galvão Siderurgia mantém no Maranhão.
A planta agroindustrial de produção
de sucos e concentrados de frutas da
Queiroz Galvão Alimentos, localizada
em Petrolina (PE), foi inaugurada em
2012. A fábrica tem capacidade de
processar 120 toneladas de frutas por
dia, produzindo sucos e concentrados
de manga, acerola, maracujá, abacaxi
e caju, além de água de coco e suco
de uva integral – bebidas naturais
cujo consumo está em ascensão no
mercado interno e externo.
A carcinicultura (criação comercial
de camarões) atingiu um estágio
36 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Os novos equipamentos substituíram os antigos fornos circulares,
com aumento da produtividade – todas as etapas do trabalho são
mecanizadas, desde o enchimento com lenha até a retirada do carvão.
Trata-se de uma grande evolução na qualidade das condições de
trabalho, agora mais rápido e seguro. Os novos fornos capturam os
gases emitidos durante a produção de carvão e usam um sistema de
queima mais eficiente, que aproveita melhor a matéria-prima. Com os
fornos retangulares, foram produzidos e homologados os primeiros
créditos de carbono do Grupo Queiroz Galvão. A nova tecnologia reforça
a posição da QGS entre os produtores de carvão vegetal de florestas
renováveis do Brasil, com custos operacionais que possibilitarão mais
competitividade no mercado mundial de ferro-gusa.
de maturidade e consolidou-se no
de rodovias: a Concessionária Rio-
de monitorar permanentemente as
mercado nacional, aproveitando o
-Teresópolis (CRT, no estado do Rio
condições climáticas e emitir alertas
aumento de renda da população e o
de Janeiro) e a Rodovias Integradas
em caso de tempestades. A CRT
consequente crescimento do consumo
do Paraná S.A. (Viapar, no estado
executou diversas obras preventivas
do crustáceo. Foram 3 milhões de
do Paraná). Os investimentos em
e corretivas, como a instalação de
quilos vendidos para o público interno.
ampliação, manutenção e melhorias
tirantes, contrafortes de concreto e
O camarão da marca Potiporã recebeu
em segurança na CRT, em 2012,
chumbadores, aplicação de concreto
em 2012, da rede de supermercados
tiveram como destaque as obras de
projetado e revegetação das encostas,
Carrefour, o selo “Garantia de Origem”,
construção da terceira faixa da rodovia
com plantio de espécies nativas.
assegurando a qualidade do produto
no trecho da Serra Fluminense, entre
nos quesitos sabor, preço justo,
Teresópolis e Guapimirim. O traçado
A Viapar anunciou um plano de
autenticidade, segurança do alimento e
foi projetado para dar mais segurança
investimentos de R$ 1 bilhão a serem
desenvolvimento sustentável.
aos motoristas e causar o menor
aplicados até 2021, em diversos
impacto possível no meio ambiente.
projetos de melhoria de vias (a
Rodovias
concessionária administra trechos das
Também visando à segurança,
rodovias federais BR-369, BR-158 e
A QGGN é responsável pela
em 2012 foram instaladas duas
BR-376, além das estaduais PR-444
administração de duas concessionárias
estações meteorológicas capazes
e PR-317). Em 2012 os investimentos
Operador no vertedouro da PCH Mucuri (MG)
Trecho de rodovia administrada pela Viapar, em Maringá (PR)
37
somaram R$ 118 milhões, empregados
participação, expandiu suas atividades
estações de tratamento, 2.100 km de
na construção de 10 km de pista
incorporando as empresas Foz
rede coletora e 221 elevatórias.
dupla no contorno da localidade de
Águas 5, na Zona Oeste do Rio de
Mandaguari, na duplicação da BR-
Janeiro (RJ); Águas de Votorantim,
No interior de São Paulo, a criação da
376, no trecho entre as cidades de
no município de Votorantim (SP); e
empresa Águas de Votorantim, em
Jandaia do Sul e Apucarana, e também
Manaus Ambiental, em Manaus (AM).
junho, incluiu a construção de uma
próximo a Iguatemi, e em restaurações
Com os novos contratos, o Águas do
moderna central de atendimento, uma
diversas. Construção de contornos,
Brasil passou a atender um total de
nova sede operacional e a compra
implantação de terceiras faixas, vias
15 municípios, cerca de 6 milhões de
de equipamentos de última geração.
marginais, intersecções e restaurações
pessoas beneficiadas.
A concessionária Manaus Ambiental
estão nos planos para 2013.
assumiu os serviços de distribuição
A licitação vencida no Rio de Janeiro
de água, coleta e tratamento de
é um dos maiores projetos de
esgoto na capital amazonense,
concessão de saneamento do país,
comprometida com a modernização
As aquisições feitas no setor
no qual a Foz Águas 5 vai atuar em
do sistema hidráulico na cidade. O
de saneamento em 2012 serão
conjunto com a Companhia Estadual
desafio para 2013 é a acentuada
administradas em 2013 pela
de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro
redução das perdas físicas na rede de
QGGN. O grupo Águas do Brasil,
(Cedae), beneficiando 21 bairros. As
abastecimento, por meio de reformas
no qual a Queiroz Galvão tem
metas incluem a construção de 19
e programas permanentes de vistorias.
Expansão no saneamento
Estação de tratamento de água SAAB em Niterói (RJ)
38 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Escritório da QGER em São Paulo (SP)
Bambu: culturas de ciclo curto alimentam usina de biomassa. Este cultivo faz parte dos investimentos da QGGN em energias renováveis
Cimento
Perspectivas
gestão das concessões conquistadas,
configurando-se como um dos
principais players desse mercado.
Com capacidade de produzir 500 mil
Os resultados favoráveis em 2012
toneladas anuais, a fábrica de cimento
apontam um cenário otimista
que o Grupo Queiroz Galvão constrói
para a Queiroz Galvão Gestão de
Em 2013, a expectativa da QGGN é
em São Luís (Maranhão) deve iniciar a
Negócios. As grandes obras de
de ampliar todas as suas atividades,
produção ainda em 2013. A introdução
infraestrutura a serem realizadas no
reforçando suas marcas, produtos
da marca Bravo no mercado é
país ensejam diversas oportunidades,
e serviços no mercado interno e no
peça fundamental da estratégia de
especialmente no que tange
exterior. Isso inclui a atuação da área
negócios, que planeja chegar a uma
às concessões para operação
de negócios na diversificação da
produção total de 8,5 milhões de
de rodovias, ferrovias, portos e
matriz energética nacional. Seguindo
toneladas por ano até 2022 (o que
aeroportos, mas também em setores
o planejamento estratégico da QGER,
representaria uma participação de
como logística e saneamento. Esses
os parques de energia eólica da
8% no mercado nacional). O plano
projetos de vulto contribuirão para
empresa iniciam sua produção ainda
de expansão conta ainda com o
promover maior articulação com as
em 2013 – permitindo que a QGGN se
projeto de uma segunda fábrica, a ser
cadeias produtivas e também mais
destaque ainda mais no fornecimento
instalada na Bahia, programada para
integração entre os diversos modais
de energia limpa e renovável e
entrar em funcionamento em 2016,
de transporte do país. A QGGN vai
contribuindo com o desenvolvimento
com uma produção anual de mais de
participar dessas “rodadas” de ofertas
sustentável do Grupo Queiroz Galvão
2 milhões de toneladas.
públicas e será responsável pela
e do país.
39
Detalhe da nova unidade de incineração de resíduos perigosos em Minas Gerais: marco na história da Vital
Engenharia Ambiental
Além de usar modernas tecnologias para tratamento de
resíduos, a empresa se destaca na limpeza pública de capitais
como Recife, São Paulo, São Luís, Natal e Vitória.
VITAL
Responsável por uma das maiores áreas de negócios
do Grupo Queiroz Galvão, com faturamento anual de
aproximadamente R$ 1 bilhão e uma concentração de
cerca de 25% do total de colaboradores do Grupo, a Vital
Engenharia Ambiental é uma empresa especializada
em gestão integrada de resíduos, preparada para
administrar todas as fases do ciclo – que vai da coleta até
a destinação final de resíduos, passando pelo transporte
adequado e correto armazenamento.
A Vital executa projetos, licenciamento e implantação de Centros de
Tratamento de Resíduos (CTRs) preparados para receber resíduos
de vários tipos: domiciliares, do trato da saúde e inertes (não
orgânicos). A empresa está preparada para construir e administrar
CTRs com o uso das tecnologias mais modernas do setor no manejo
e na destinação do material coletado. Todas essas operações são
realizadas em conformidade com a legislação ambiental, obedecendo
a rigorosas normas de segurança.
Exemplos da atuação destacada da
empresa são os municípios de Vitória,
apontada como uma das cidades
mais limpas do país, e São Paulo,
onde a empresa atende a 13 regiões
administrativas e opera 50% de toda
a limpeza urbana da maior capital
brasileira. A Vital registra alto índice de
aprovação entre moradores e usuários
dos serviços nas cidades em
que atua.
Os serviços prestados compreendem
coleta de resíduos sólidos
domiciliares e comerciais, coleta
hospitalar, coleta de entulho, coleta
Limpeza de monumentos em São Paulo: preservando patrimônios históricos
42 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
seletiva, coleta e destinação de
resíduos inertes, varrição manual
e mecanizada de vias públicas e
serviços complementares (limpeza de
praias, de feiras e de encostas, poda
e remoção de galhos, manutenção de
parques e jardins, desobstrução de
bueiros, pintura de meio-fio e outros).
Conquistas nas capitais
A grande conquista de 2012 para
a Vital foi a concessão da limpeza
urbana do município de São Luís
(MA), por meio de uma Parceria
Público-Privada (PPP). Ao longo dos
próximos 20 anos, a empresa será a
responsável pela gestão integrada dos
Centro de Tratamento de Resíduos Macaúbas em Sabará (MG)
resíduos na cidade, desde o serviço
de coleta até a destinação final,
incluindo o transporte do material
recolhido. Até então, os serviços
PROJETO PIONEIRO
eram executados separadamente por
empresas distintas, que não atuavam
Outro fato marcante em 2012 foi o início da execução do
de forma articulada.
primeiro projeto de incineração de resíduos perigosos com
assinatura da Vital. Aprovado sem restrições pelo BNDES, o
A modalidade de Gestão Integrada
projeto é um marco na trajetória da empresa. Proveniente das
de Resíduos é uma tendência
grandes indústrias, esse tipo de material pertence à chamada
nas grandes cidades brasileiras
“Classe 1” e exige uma destinação rigorosa e adequada. Devido
e um dos maiores focos da Vital
ao seu alto grau de patogenicidade, não pode ter outro destino
atualmente. Além do serviço de
que não seja a incineração e tampouco pode ser exposto no
coleta e destinação do lixo, o projeto
ambiente, podendo causar danos à saúde.
prevê a construção de um Centro de
Tratamento de Resíduos (CTR) em
Localizado no estado de Minas Gerais, o CTR vai ocupar uma
território maranhense.
área total de 50 mil metros quadrados e terá capacidade para
receber um volume equivalente a 2.500 toneladas de resíduos
A consolidação da empresa Inova,
por mês, estando o material em qualquer uma das três fases da
que começou a funcionar plenamente
matéria: sólido, líquido ou gasoso.
em 2012, foi outro acontecimento
relevante. A empresa, que tem
43
participação da Vital, é responsável
atividades, a Vital substituiu alguns
pelos serviços indivisíveis da região
processos de limpeza realizados
noroeste da cidade de São Paulo, que
originalmente de forma manual pela
compreende 13 subprefeituras.
mecanizada. É o caso da varrição, que
Limpeza em Números
deu espaço para pequenos veículos
A Inova investe em tecnologia e
motorizados dotados de aspiradores.
capacitação para prestar um serviço
A limpeza de monumentos públicos
mais eficiente. Na cidade de São
também ganhou agilidade, graças
Paulo, a Vital contribui ainda para a
ao uso de máquinas que dão mais
preservação do patrimônio histórico,
eficácia ao procedimento.
A Vital é responsável pela destinação final
adequada de
2/3 dos resíduos coletados pela
limpeza urbana no estado de Minas Gerais
arquitetônico e cultural, por meio
da lavagem e conservação de
O aumento na eficiência da limpeza
monumentos.
urbana nas cidades atendidas pela
empresa é comprovado pela aplicação
Inovação e efetividade
periódica de pesquisas qualitativas
na limpeza
junto aos moradores, avaliando a
Por meio da empresa Inova, a Vital é
responsável por
qualidade, a pontualidade e outros
Para otimizar a execução de suas
50% de toda a limpeza
pública da cidade de São Paulo
aspectos do serviço prestado.
Sala de Controle na Eco Urbis. A gestão integrada de resíduos efetuada pela Vital inclui investimentos significativos em tecnologia
44 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Limpeza urbana em São Paulo (SP): mecanização de processos e equipamentos especiais garantem ganho de eficiência e produtividade
As pesquisas são realizadas
e na educação ambiental em escolas,
conhecimentos técnicos relacionados
periodicamente e orientam as
comunidades, associações e diversas
ao negócio da empresa e são
diretrizes da empresa na busca pelo
outras instituições.
preparados para desenvolver seu
atendimento ideal.
potencial como gestores.
Internamente, a empresa desenvolve
Consciência ambiental e
um programa educativo que
No campo da saúde e segurança do
gestão de pessoas
incentiva a visita regular de grupos
trabalho, além de cumprir com as
de estudantes para conhecer os
exigências que a legislação trabalhista
Comprometida com a preservação
locais onde funcionam os CTRs e o
impõe, a companhia cuida do bem-
do meio ambiente, a Vital promove
que acontece ao longo da cadeia de
-estar de seus colaboradores por
ações educativas voltadas para o
tratamento dos resíduos coletados.
meio de orientações transmitidas por
público em geral e campanhas de
uma equipe composta de médicos,
conscientização na mídia, com a
Como já é tradição no Grupo Queiroz
técnicos e fisioterapeutas. Os
distribuição de materiais informativos
Galvão, a Vital investe em programas
funcionários recebem informações
com orientações sobre, por exemplo,
de formação de profissionais,
sobre ergonomia no ambiente
o acondicionamento correto do lixo
recrutando estudantes e recém-
de trabalho, o que minimiza os
doméstico. Em São Paulo, por meio da
-formados para programas de
afastamentos decorrentes de
Inova, a Vital investe na sensibilização
trainee. No treinamento, adquirem
doenças ocupacionais.
45
Piscina do Hemisphere 360º (BA): primeiro grande empreendimento na orla de Salvador
Desenvolvimento
Imobiliário
Lançamentos para públicos diversificados e a expansão para
novas praças marcaram a atuação da empresa em 2012, um
ano de excelente desempenho financeiro.
DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO
Com atuação já consolidada no segmento imobiliário
nos estados de Pernambuco, São Paulo, Bahia e Rio de
Janeiro, a Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário
(QGDI) ampliou sua participação em 2012 para o Distrito
Federal, com a multiplicação de produtos voltados para
públicos diversificados.
Total de unidades lançadas: 3.683
(71% residenciais, 29% comerciais)
A contribuição da incorporadora ao portfólio do Grupo pode ser medida
pela sua expressiva participação nos lucros líquidos da holding. Números
preliminares dão conta de que em um intervalo de dois anos, entre 2010
e 2012, a fatia da QGDI subiu de 4% para 10%. A estimativa para 2013 é
Metros quadrados construídos em
2012: 526 mil (crescimento de
88% / 2011)
que a empresa tenha uma participação ainda maior: próxima dos 13%,
garantindo posicionamento no seleto grupo das maiores do mercado
imobiliário nacional.
127 x
O valor geral de vendas (VGV) dos lançamentos da QGDI aumentou
76%, em comparação com os números de 2011, e as vendas contratadas
(equivalentes a 127 campos de futebol)
subiram 28%. No mesmo período, as principais concorrentes da empresa
experimentaram reduções tanto no VGV lançado (uma variação negativa
de 9% a 80%) quanto nas vendas contratadas (baixas de 1% a 48%).
Os dados relativos à concorrência são divulgados publicamente pelas
empresas, na seção de Relações com Investidores de seus websites.
Perspectiva da sala de estar de uma unidade do empreendimento Carpe Diem, Brasília: a QGDI chega ao Distrito Federal
48 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
O ano de 2012 foi mais contido
instituições de financiamento e
canteiros de obras. O objetivo é
para muitas empresas do mercado
a gestão e o monitoramento das
trazer mais eficiência ao processo
imobiliário, apesar da contínua
operações foram aperfeiçoados,
de aprendizagem, de acordo com as
valorização média do metro
levando à otimização dos gastos.
reais necessidades da empresa, além
quadrado, sobretudo nos locais
de capacitar a mão de obra conforme
Gestão de pessoas
os padrões da Queiroz Galvão.
a saída de algumas concorrentes de
Foram investidas mais de 1.400
Merece menção a boa taxa de
determinadas regiões, o que resultou
horas de treinamento para os
retenção de talentos formados pela
nos números positivos e expressivos
colaboradores, em vários níveis. Para
própria empresa, em um momento
de 2012. Outro ponto de destaque
2013, a empresa fez um mapeamento
em que o setor vive uma fase de alta
é o seu robusto banco de terrenos,
com as principais necessidades
rotatividade da mão de obra.
diferencial positivo em relação aos
dos funcionários de diferentes
demais players do segmento.
segmentos. Em parceria com o Senai
onde a QGDI atua. A empresa soube
aproveitar os espaços abertos com
(Serviço Nacional de Aprendizagem
No campo financeiro, a QGDI obteve
Industrial), destaca-se o programa de
boas captações (funding) junto às
capacitação dentro de dois grandes
PORTO DE SUAPE:
SELO INTERNACIONAL
O edifício-sede da administração do Porto de
Suape (localizado em Ipojuca, região metropolitana
do Recife, uma das que mais crescem no país)
está sendo erguido dentro das diretrizes da
Certificação Leed (Leadership in Energy and
Environmental Design, ou Liderança em Design
Energético e Ambiental) Gold, o selo verde com
o maior reconhecimento internacional no setor
da construção civil. A certificação atesta que o
empreendimento seguirá os padrões mais modernos
de sustentabilidade e eficiência energética. Na
mesma região, também está prevista a construção
de torres empresariais, um mall e um hotel.
49
EMPREENDIMENTOS DE
DESTAQUE EM 2012
Diversos lançamentos em 2012
ajudaram a fortalecer o posicionamento
nos estados brasileiros. Em
Pernambuco, as torres Maria Isadora e
Maria Isabela tiveram todas as suas 254
unidades, de 64m2 cada uma, vendidas.
O empreendimento localiza-se em Barra
de Jangada, na região metropolitana de
Recife, a cerca de 20 km de Suape.
No Rio de Janeiro, a empresa lançou
o Absolutto, um empreendimento
comercial com 746 unidades, localizado
na Avenida das Américas – na Zona
Oeste da cidade, região que é o principal
centro do desenvolvimento imobiliário na
capital fluminense. O empreendimento
teve 98% de unidades vendidas em
apenas um mês, consolidando a marca
QGDI no Rio de Janeiro.
Na Bahia, o Hemisphere 360º, primeiro
grande empreendimento imobiliário
da orla de Salvador, constitui-se,
atualmente, na maior obra da QGDI,
com 11 torres projetadas, cinco delas
lançadas em 2012.
Uma das torres do Hemisphere 360º (na foto do alto) e uma das varandas do empreendimento: projeto é a maior obra da QGDI
50 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Premiere Morumbi, em Paulínia (SP): empreendimento de perfil econômico no interior do estado foi sucesso imediato de vendas
Em São Paulo, o Premiere Morumbi,
econômicos. O segmento é composto
Com o lançamento do condomínio
empreendimento econômico localizado
por imóveis com preços mais acessíveis,
Carpe Diem, em Taguatinga Norte, a
em Paulínia, teve suas 376 unidades
localizados em regiões de crescente
QGDI marcou em 2012 sua chegada
totalmente vendidas. Em 2013, a QGDI
valorização, priorizando áreas verdes e
ao Distrito Federal. O Carpe Diem
lança seu primeiro empreendimento
com infraestrutura de lazer. Em Jundiaí,
segue o conceito de condomínio clube,
Slim em São Paulo: o Villa Matão,
três lançamentos ajudaram a consolidar
combinando áreas de lazer e um mall
em Sumaré. A marca Slim foi criada
a marca QGDI no interior do estado:
capaz de abrigar até 36 lojas.
para atender à demanda crescente
Solar do Japi, Morada do Japi e Infinity.
no mercado brasileiro por imóveis
Absolutto Business Towers, Rio de Janeiro (RJ)
Infinity, Jundiaí (SP)
51
Sustentabilidade
Atenta às exigências e a uma
tendência cada vez mais crescente
PRÊMIOS DE 2012
Nacionais
no mercado mundial, a QGDI busca
constantemente o conhecimento e a
A QGDI recebeu o Troféu Ademi 2012 em duas categorias:
adoção de práticas mais sustentáveis
em seus projetos, com destaque
para os que preveem a segregação
de resíduos; a produção limpa, sem
agressão ao meio ambiente e à mão
de obra; e que propõem o consumo
racionalizado de água e energia.
Em Pernambuco: Dona Sylvia, um empreendimento localizado
no endereço mais nobre de Recife, a Avenida Boa Viagem, na
categoria quatro quartos master.
No Rio de Janeiro: Pátio Campo Grande, localizado na Zona
Oeste da capital carioca, foi premiado na categoria projeto
comercial de pequeno porte, modalidade que premia o
empreendimento mesmo antes de sua edificação.
A preocupação com essas questões
rendeu à empresa o Selo Procel de
Internacional
Economia de Energia, que estimula
a fabricação e a comercialização de
Prêmio Internacional recebido pela regional
produtos mais eficientes, contribuindo
da Bahia com o empreendimento Orizon
para o desenvolvimento tecnológico e
View House, da International Property Awards
a preservação do meio ambiente.
Americas, em Londres. Nas categorias
Arquitetura Residencial Múltipla (Architecture
Com o intuito de aumentar a
eficiência e a mecanização no trabalho
Multiple Residence) e Arquitetura de Escritório
(Office Architecture).
da QGDI, a área de Engenharia
desenvolveu modelos pré-moldados
para alguns empreendimentos
específicos. Os modelos, que usam
paredes de concreto, possibilitaram
o redirecionamento de mão de obra
para outras atividades nos canteiros.
Pátio Campo Grande, Rio de Janeiro (RJ)
52 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Uso de hidrômetros individuais nas construções.
Práticas adotadas para
economia de água
Utilização de caixas de descarga acoplada com acionamento duplo estágio.
Instalação de aeradores nas torneiras.
Práticas adotadas para
economia de energia
Sistema de controle de iluminação por sensores de presença nas circulações dos
halls, das escadas e áreas comuns.
Comando setorizado de iluminação nas garagens.
Lâmpadas econômicas em áreas comuns e LED em locais de uso intenso
de iluminação.
Motores econômicos de alta performance.
Eficiência energética com a frenagem do elevador (Exemplo empresarial
Cícero Dias).
Utilização de bombas de recalque de alta eficiência.
Conforto térmico: priorização de cores claras nas fachadas, diminuindo a
absorção de calor (menor uso de ar-condicionado).
Perspectivas
segmentos e um novo mercado
A estratégia de distribuição geográfica
consumidor, constituído pela classe C,
deverá ser mantida e o planejamento
Confiante na sua assertividade e
que deve absorver até 2014 mais 12
de expansão para os próximos anos
estratégia no mercado imobiliário,
milhões de pessoas, de acordo com
seguirá um plano de penetração nos
a QGDI estima manter, em 2013, o
estudos da Fundação Getulio Vargas.
mercados atuais, com o objetivo de
patamar de lançamentos em nível igual
Para alcançar esse novo público, a
ganhar mais market share, bem como
ao atingido em 2012 e ampliar suas
empresa está atenta às suas demandas
gerar mais caixa positivo.
vendas contratadas em 8%. Dentro
e trabalha em busca de traduzir os
dessa fatia, estão públicos de diferentes
objetos de desejo desse público.
Escritório da QGDI em São Paulo (SP): em 2012, empresa aperfeiçoou processos de gestão e o monitoramento de suas operações
53
Prova de mar do navio Zumbi dos Palmares, entregue à Transpetro pelo Estaleiro Atlântico Sul
Naval e Offshore
Criada em 2012, a área comanda a construção naval e a
montagem de plataformas de exploração – setores em alta em
função das reservas de petróleo do pré-sal.
NAVAL E OFFSHORE
Criada em agosto de 2012, a área de Naval e Offshore,
antes ligada à estrutura da Construtora Queiroz Galvão
e à área de Participações e Concessões, ganhou vida
própria em função da crescente demanda dos dois
setores – construção naval e montagem de plataformas
de exploração –, aquecidos com os investimentos
necessários para a exploração das reservas petrolíferas
da camada do pré-sal. Em dezembro, foi criado o
Comitê Naval e Offshore, com o objetivo de fortalecer a
governança e a estratégia da área.
No setor de Offshore, dois estaleiros, o QUIP (Estaleiro Honório
Bicalho, em Rio Grande, Rio Grande do Sul) e o Atlântico Sul (EAS,
em Ipojuca, Pernambuco), trabalham na construção de, ao todo,
quatro plataformas (todas com previsão de entrega para 2013), sete
navios-sonda e 22 navios petroleiros. As quatro plataformas serão
responsáveis por uma produção diária de 700 mil barris de petróleo.
Até 2020, a previsão é de que o Brasil esteja na lista dos maiores
produtores mundiais de petróleo. A área Naval e Offshore do Grupo
Queiroz Galvão pretende continuar a liderar a retomada da indústria
nacional em ambos os segmentos, consolidando a gestão dos setores
e garantindo a qualidade operacional em dois sites (nas regiões
Nordeste e Sul) com um diferencial tecnológico.
QUIP
como mating (“integração”), um
Os números do mating seco da P-55
dos procedimentos mais complexos
representaram o atingimento de
Com sede e estaleiro próprio em
e ambiciosos na construção desse
recordes na elevação (57,2 metros) e
Rio Grande (RS), a QUIP é uma
tipo de equipamento. A operação foi
no peso (17 mil toneladas). Planejada
empresa na qual a Queiroz Galvão
totalmente realizada no Estaleiro Rio
durante três anos, a operação contou
tem participação, junto a outras três
Grande e marcou o primeiro mating
com a participação de cerca de
companhias. O estaleiro da empresa
“seco” feito no Brasil – normalmente
500 profissionais.
foi responsável por uma das mais
a união entre as duas partes da
importantes realizações de 2012 em
plataforma é feita no mar (o chamado
Fundada em 2005, a QUIP teve como
sua área: a operação de união do
“mating molhado”). Também foi o
primeiro grande desafio a construção
convés (deck box) com o casco da
maior procedimento desse tipo já
da plataforma P-53 para a Petrobras.
plataforma P-55, processo conhecido
feito no país.
Para isso, formou um qualificado
time de profissionais e tornou-se a
56 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Construção e movimentação da plataforma P-55: operação de integração, realizada pela QUIP, foi a maior já feita por um estaleiro no Brasil
primeira empresa 100% brasileira
Ao projeto da P-53 somaram-se os
Na área Naval, o Atlântico Sul tem
a desenvolver o projeto básico de
das plataformas P-55, também para a
colaborado com o renascimento
uma plataforma. O trabalho dos
Petrobras, e P-63 para a joint-venture
dessa indústria e, em particular,
profissionais da QUIP envolveu a
Petrobras-Chevron. Esta última está
com o Programa de Modernização
responsabilidade do desenvolvimento
em fase final de conversão do casco.
e Expansão da Frota, da Transpetro,
com a encomenda de construir 22
da engenharia de detalhamento e
do suprimento, assim como das
Estaleiro Atlântico Sul
petroleiros de 24 mil toneladas e
sete navios-sonda (drill ships). Desse
compras de componentes, supervisão
dos fornecedores e construção e
O EAS ocupa importante posição
conjunto de petroleiros, o primeiro, o
montagem da plataforma, com o
tanto em Offshore quanto no
João Cândido, foi entregue em maio
seu comissionamento, testes de
segmento Naval. No primeiro, presta
de 2012; o segundo, o Zumbi dos
desempenho e, quando necessário, a
serviços na construção da plataforma
Palmares, foi entregue em maio de
operação assistida.
P-62, sob encomenda da Petrobras.
2013. A expectativa é que, a partir
57
da construção do quarto petroleiro, o
Fruto da parceria entre a Queiroz
tanto em quantidade quanto em
EAS alcance o ritmo de produção de
Galvão e o grupo Camargo Corrêa,
qualidade. É necessário, então,
cinco navios por ano, o que garantiria
o EAS foi o primeiro grande
desenvolver critérios de competências
o uso de 100% da atual capacidade
empreendimento da retomada da
e habilidades necessárias para os
instalada do estaleiro.
indústria naval brasileira e é o maior
trabalhadores da área e reter talentos.
estaleiro do hemisfério sul do planeta.
Merece destaque, entre as
Localizado no Porto de Suape, em
Uma das principais ações do
realizações de 2012, a negociação da
Ipojuca, no estado de Pernambuco, o
EAS nesse campo foi a criação
parceria tecnológica entre a empresa
EAS contou com investimentos de R$
do Centro de Desenvolvimento
japonesa Ishikawajima-Harima Heavy
1,8 bilhão e tem capacidade instalada
Humano (CDH), para proporcionar
Industries (IHI) e o EAS, firmada em
de processamento da ordem de 160
aos colaboradores da empresa
junho. A IHI será o estaleiro consultor
mil toneladas de aço por ano.
um processo de aprendizagem
da EAS e acompanhará as operações
de todas as embarcações em
profissional permanente, uma das
Gestão de pessoas
construção, incluindo os drill ships,
diretrizes estratégicas de gestão
do conhecimento do Estaleiro. O
cujos projetos foram iniciados
Hoje, um dos grandes desafios
Centro tem capacidade de atender
em 2012.
das indústrias Naval e Offshore é
simultaneamente 500 pessoas, com
incorporar mão de obra especializada,
cursos e capacitações variados,
Navio-tanque Zumbi dos Palmares, no Estaleiro Atlântico Sul: parte de um conjunto de 22 petroleiros a ser entregue nos próximos anos
58 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Plataformas P-55, P-63 (ao fundo) e P-58, no estaleiro QUIP (RS): empresa tem expertise em projetos de grande porte (foto: QUIP S.A.)
atendendo ao compromisso de
o ensino profissionalizante, como
O impacto das atividades do EAS no
investir nas pessoas por meio da
os projetos Educação, Nascedouro
mar e nas águas fluviais é monitorado
ampliação de seus conhecimentos,
de Talentos, Tatuoca e Ondas da
com medições de qualidade e
talentos e potenciais. De seus
Leitura. O programa Vida Solidária
acompanhamento de espécies bio-
laboratórios, saem formados técnicos
incentiva a atuação dos colaboradores
indicadoras, como ostras e ouriços-
das áreas de solda, caldeiraria e
do Estaleiro junto à comunidade,
-do-mar. Em parceria com o Instituto
tubulação, mecânica, instrumentação
especialmente em iniciativas de apoio
Brasileiro do Patrimônio Histórico
elétrica e metrologia, entre outras.
a escolas, creches e ações de saúde.
(Iphan), são realizadas vistorias nos
trabalhos de instalação do Estaleiro na
Desenvolvimento social
Além das ações sociais, o EAS
Ilha de Tatuoca, visando a preservação
mantém vários programas de
de informações arqueológicas que
Fortemente comprometido com o
sustentabilidade ambiental. Todos os
possam existir no local.
desenvolvimento social e humano
resíduos gerados pelas atividades
do país e, em particular, da região
do Estaleiro são analisados e
onde está instalado, o EAS, além
descartados sem trazer risco à
de gerar empregos, desenvolve
natureza, o que inclui a reciclagem de
uma série de projetos voltados para
tintas e óleos e o envio do entulho a
a educação. O destaque vai para
centros de tratamento apropriados.
59
Análise sísmica no escritório da QGEP no Rio de Janeiro (RJ)
Exploração e Produção
Única empresa independente brasileira a operar na área de
exclusão do pré-sal, a QGEP diversificou de forma significativa
seu portfólio com a aquisição de novos ativos.
EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO
Ativos
Em 2012, a QGEP Participações S. A., única empresa do
Grupo a ter ações negociadas na BM&FBovespa, viveu
um ano de excepcionais resultados. Maior produtora
independente de óleo e gás no país naquele ano, a
companhia enriqueceu e diversificou seu portfólio,
iniciando o processo de consolidação de sua estrutura
organizacional e operacional para enfrentar os desafios
de operar em águas profundas na zona de exclusão do
pré-sal. E experimentou um aumento significativo em
seus principais indicadores financeiros e operacionais em
relação ao desempenho de 2011.
A QGEP opera exclusivamente no Brasil
e detém as seguintes concessões:
Manati: localizado na Bacia de
Camamu-Almada, no litoral da Bahia, a
QGEP tem a participação majoritária no
Campo, de 45%. Até o momento, é a
principal fonte de receita da companhia
e responsável por seu fluxo de caixa.
Em 2012, a produção média diária do
campo foi de 6,1 milhões de metros
cúbicos de gás natural, consolidando
Com um faturamento de R$ 462 milhões (e R$ 83 milhões de lucro
a sua posição como um dos maiores
líquido) em 2012, a QGEP é a única empresa privada brasileira a
produtores do Brasil.
operar na área de exclusão do pré-sal da Bacia de Santos, além de
ser qualificada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e
BM-J-2: fica no litoral sul da Bahia,
Biocombustíveis (ANP) para atuar como operador A, o que possibilita
na Bacia de Jequitinhonha: 100% dos
a operação em todos os ambientes, de águas rasas a ultraprofundas.
direitos de exploração pertencem
à QGEP, que é operadora do bloco.
A perfuração do prospecto Alto
de Canavieiras será retomada em
2013. A expectativa é de um volume
prospectivo riscado de 94,1 milhões
de BOE (barris de óleo equivalente),
a partir dos estudos de interpretação
sísmica e geoquímicos.
BM-S-8: situado na Bacia de Santos,
é o bloco onde está situado Carcará.
Em agosto de 2012, a QGEP divulgou
a confirmação da descoberta de uma
expressiva coluna de óleo, de 31º API
− petróleo leve e de alta qualidade,
com excelentes características de
permeabilidade e porosidade.
A coluna total de hidrocarbonetos do
Áreas de operação da QGEP no litoral brasileiro
62 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
PMNT-1, plataforma no campo de Manati (BA): consolidado como um dos maiores produtores de gás natural do país
poço, de pelo menos 471 metros de
bilhões de barris de óleo in situ. Essa
altura, é uma das maiores do Brasil.
operação marca o início da atuação
localizado na Bacia de Camamu
A QGEP possui 10% de participação no
da QGEP como operadora em águas
(BA), foi declarado comercial em
Bloco, que é operado pela Petrobras.
ultraprofundas. Além disso, o bloco
2009. As acumulações da área
apresenta potencial exploratório na
aguardam a definição do plano de
seção pré-sal, onde a QGEP planeja
desenvolvimento. A participação da
na Bacia de Santos, a QGEP planeja
perfurar o prospecto de Piapara
QGEP é de 45%.
reentrar no poço descobridor Ilha Bela
em 2014.
BM-S-12: nesse bloco, também
(1-SCS-13), perfurado em 2008, com
o objetivo de realizar uma avaliação
Camarão Norte: o campo,
BM-CAL-5: no bloco, situado na
BM-C-27: a concessão está localizada
Bacia de Camamu-Almada, foram
adicional. A operação está prevista
em águas rasas, na porção nordeste
feitas duas descobertas, Copaíba e
para 2014.
da Bacia de Campos, a 70 quilômetros
Jequitibá. Em 2012, a QGEP devolveu
da costa. Em 2012, a QGEP junto à
Jequitibá e continua a estratégia de
Petrobras adquiriu 30% dos blocos
avaliação da descoberta de Copaíba.
de Santos, a QGEP possui 30% de
C-M-122, C-M-145 e C-M-146,
Um poço adicional será perfurado
participação, adquiridos em 2011 por
transação essa que ainda depende de
em 2014, para avaliar a descoberta
meio de um acordo de farm in. A QGEP
aprovação da ANP. O BM-C-27 possui
de Copaíba, que tem recursos
é operadora deste bloco, formado
um prospecto de pré-sal já identificado:
contingentes (em óleo) estimados em
pelos campos de óleo pesado (entre
Guanabara Profundo, que deverá ser
21,9 milhões de BOE.
14 e 16º API) de Atlanta e Oliva, que
perfurado em 2014.
BS-4: também localizado na Bacia
possuem volume total superior a 2
63
BM-CAL-12: bloco localizado na
Outro ganho é o aumento de
demanda de gás natural pelas usinas
Bacia de Camamu-Almada deverá ter
potencial de produção de médio e
termelétricas possibilitaram um
seu primeiro poço pioneiro perfurado
longo prazos, especialmente no que
excelente aproveitamento do gás
em 2014, tendo como objetivo o
se refere ao Campo de Atlanta, que
extraído do Campo de Manati, que,
prospecto CAM#01. Aguarda-se ainda
tem o primeiro óleo esperado para
após um período de manutenção em
a emissão da licença ambiental do
o final de 2014/início de 2015, e a
2011 (durante o qual a produção foi
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente
descoberta de Carcará, considerada
interrompida), voltou a operar a toda
e dos Recursos Naturais Renováveis
transformacional para a companhia.
capacidade, com seus seis
(Ibama).
Localizada no bloco BM S-8, na zona
poços produtores.
de exclusão no pré-sal da Bacia de
Estratégia
Santos, Carcará deve entrar em
A expectativa para 2013 é de um
produção em 2018, uma vez que
investimento de cerca de US$
As aquisições de participação realizadas
a perfuração, concluída em 2012,
160 milhões em exploração e no
nos últimos anos nos ativos BS-4,
identificou uma coluna de 471 metros
desenvolvimento do sistema de
BM-S-8 e BM-C-27 possibilitaram à
de óleo de excelente qualidade.
produção antecipada do Campo
empresa alcançar alguns objetivos
O ativo na Bacia de Campos, por sua
de Atlanta.
estratégicos, como o crescimento com
vez, reforça o portfólio da companhia e
a operação em águas profundas, o
propicia acesso a conhecimento
A companhia está em uma posição
posicionamento na área premium do
geológico fundamental para uma
financeira favorável para participar da
pré-sal da Bacia de Santos e a presença
eventual entrada em novos projetos
11.ª rodada de licitações da ANP, no
na Bacia de Campos, a maior bacia
na região. Em 2012, a escassez
intuito de ampliar e diversificar seu
produtora de óleo e gás do país.
de chuva e a consequente maior
portfólio de ativos.
64 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Colaboradores no escritório da QGEP, no Rio de Janeiro: profissionais altamente qualificados, pautados pela ética e pelo respeito ao meio ambiente
Governança e
As atividades da QGEP são pautadas
Comprometida também com
responsabilidade
nos princípios da ética, das boas
a transparência e a gestão
socioambiental
práticas de governança corporativa
responsável, a empresa publicou
e do respeito ao meio ambiente.
o seu primeiro Relatório Anual
A QGEP é a única empresa do Grupo
Com esforços para figurar entre
de Sustentabilidade, referente ao
Queiroz Galvão constituída como
as companhias com os melhores
ano fiscal de 2011, já no modelo
uma sociedade anônima de capital
resultados no segmento de E&P e
preconizado internacionalmente pela
aberto e incorpora em sua gestão
entre as melhores empresas para
Global Reporting Initiative (GRI).
a observância a elevados padrões
se trabalhar no Brasil, seu time de
Além de seguir as diretrizes de seu
de governança e a sólidas bases
profissionais é altamente qualificado.
Código de Conduta Ética, elaborado
éticas. A governança corporativa
A política da companhia encoraja as
de maneira participativa com todos
da QGEP segue os princípios de
iniciativas de responsabilidade social,
os seus colaboradores, e do seu
transparência, equidade, prestação de
a geração de empregos, a contratação
Sistema de Gestão Integrado (SGI), a
contas e responsabilidade corporativa
de serviços e uma operação
empresa é signatária do Pacto Global
recomendados pelo Instituto
comercial que seja referência em
da Organização das Nações Unidas
Brasileiro de Governança Corporativa
integração e excelência. A QGEP
e do Pacto Nacional pela Erradicação
(IBGC). A companhia ainda atende
está comprometida a agir de forma
do Trabalho Escravo, criado pelo
às melhores práticas de mercado
responsável e segura para minimizar o
Instituto Ethos de Empresas
ao integrar o segmento do Novo
impacto ambiental e beneficiar as
e Responsabilidade Social, a
Mercado da BM&FBovespa.
comunidades no entorno de
Organização Internacional do Trabalho
suas atividades.
e a ONG Repórter Brasil.
65
Navio-sonda Laguna Star, segundo de sua categoria a ser operado pela QGOG
Óleo e Gás
A QGOG é pioneira e líder na prestação de serviços de
perfuração de óleo e gás em áreas remotas no Brasil, incluindo
as águas ultraprofundas do pré-sal.
ÓLEO E GÁS
Com atividades contínuas desde 1981, a QGOG é uma
empresa líder na perfuração offshore e onshore e na
operação de FPSOs. É uma das maiores prestadoras de
serviços de perfuração e produção no setor de óleo e gás
no Brasil.
A Queiroz Galvão Óleo e Gás (QGOG) consolidou-se nos últimos anos
como uma das principais prestadoras de serviços de perfuração offshore
e onshore e produção com unidades de FPSO (navio-plataforma flutuante
de produção, com capacidade de armazenamento e escoamento) no
mercado brasileiro. A companhia opera plataformas marítimas e navios de
perfuração de última geração, além de sondas terrestres para exploração
nas regiões mais remotas. Em 1980, quando a empresa foi criada, o Brasil
tinha uma necessidade urgente de impulsionar a descoberta de novos
campos de petróleo, em um cenário de crise energética global. A partir
de 2006, a companhia iniciou uma nova fase, focada em intensificar
sua participação no mercado de águas profundas e ultraprofundas,
aproveitando as oportunidades do pré-sal e as perspectivas de
crescimento do setor.
Prova de mar do FPSO Cidade de Paraty
68 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Plataforma de perfuração offshore Alpha Star
Mapa de operações da QGOG − distribuição da frota
A companhia encerrou 2012 com
tecnológico, é o segundo da categoria
ultraprofundas, com lâmina d’água
um portfólio que inclui 12 sondas de
a ser operado pela companhia.
de até 3 mil metros e poços de até
perfuração offshore, oito delas em
O primeiro, Amaralina Star, foi
12 mil metros de profundidade, o
operação e quatro em construção,
incorporado à frota alguns meses
que as habilita a atuar nas áreas do
incluindo o navio-sonda Brava Star,
antes, em setembro de 2012.
pré-sal brasileiro. Ambas operam
com entrega prevista para o final de
para a Petrobras, em contrato com
2014. Quatro unidades FPSO (três em
A entrada em operação dessas
duração inicial de seis anos e opção
construção e um, o FPSO Capixaba,
unidades marca a expansão e a
de renovação pelo mesmo período.
em operação, contratado pela
diversificação da QGOG, diferenciais
Boa parte dos 180 tripulantes de
Petrobras) e nove sondas onshore
de uma companhia que alia inovação
cada navio-sonda foi selecionada
completam a lista.
tecnológica – com o uso dos
em escolas técnicas brasileiras e
mais modernos equipamentos de
treinada por intermédio do programa
A chegada do navio-sonda Laguna
navegação e perfuração – a equipes
CapacitAÇÃO, da QGOG.
Star, ao final de 2012, coroou
especializadas, com alto nível de
as realizações do ano. O navio,
treinamento. As duas unidades foram
construído com alto padrão
projetadas para operar em águas
69
Prêmios e novos contratos
de perfuração com a Shell. No
de atividades em 2018 e 2019,
mesmo ano, o consórcio com
respectivamente.
Em outubro de 2012, na cidade de
a participação da companhia foi
Manaus (AM), a QGOG foi uma
escolhido para executar o projeto do
A renovação dos contratos de
das vencedoras do Prêmio Sesi
FPSO Cidade de Ilhabela, para operar
cinco sondas terrestres operadas
Qualidade no Trabalho, que reconhece
na Bacia de Santos. A conquista
pela companhia sinaliza uma
as práticas de gestão e valorização
reforça a estratégia da QGOG
boa perspectiva para o futuro; o
dos colaboradores nas empresas
rumo à consolidação como player
crescimento no mercado onshore é
brasileiras. A QGOG ficou em primeiro
no segmento de FPSOs. O Cidade
um dos objetivos da QGOG para os
lugar na categoria Ambiente Saudável
de Ilhabela é a terceira unidade da
próximos anos.
e Seguro, com o Programa Alerta, e
parceria com a SBM Offshore, uma
foi premiada com menção honrosa
das maiores operadoras de FPSOs
Outras aspirações para o futuro
na modalidade Gestão de Pessoas,
do mundo.
próximo incluem a expansão das
atividades de perfuração em águas
por seu trabalho na divulgação
dos benefícios e incentivos aos
Em agosto, numa parceria com a Sete
ultraprofundas e das atividades de
colaboradores.
Brasil, foram assinados contratos
produção dos FPSOs, buscando
para afretamento e operação de três
consolidar a posição entre os líderes
Também em Manaus, a QGOG
sondas semissubmersíveis: Urca,
de mercado na prestação de serviços
comemorou os seus 25 anos de
Bracuhy e Mangaratiba, parte do
de perfuração para o setor de óleo
atuação em operações de perfuração
pacote de 28 sondas negociadas
e gás, sem perder o foco no alto
terrestre na Amazônia. As atividades
pela Sete Brasil com a Petrobras. A
padrão de qualidade, na performance
começaram em outubro de 1987,
expectativa é que a primeira delas
operacional e no bem-estar de
com o início da operação da primeira
a ser operada pela QGOG entre
seus colaboradores.
sonda helitransportável na região. Ao
em atividade em 2016. As outras
final de 2012, operava oito sondas
duas sondas têm previsão de início
na região de Urucu (AM), cinco delas
helitransportáveis. As atividades
empregavam 723 colaboradores ao
final de 2012, entre os que operam
as sondas de perfuração terrestre
e os que atuam na base. O trabalho
na Amazônia reforça a presença da
QGOG no seleto grupo de empresas
com expertise em operações em
áreas remotas.
Em 2012, a QGOG fechou um
contrato de prestação de serviços
Ponte de comando do navio-sonda Laguna Star: treinamento e alta tecnologia
70 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
QG-IX: sonda de perfuração onshore na Amazônia. Em 2012, a QGOG comemorou 25 anos de atividades na região de Urucu (AM)
As realizações de 2012 são resultado
Assessment Incident Zero (RAIZ),
riscos ambientais, de segurança e de
da estratégia de desenvolver projetos
voltado à garantia da sustentabilidade
saúde associados às suas atividades,
e ações que garantam a continuidade
das atividades e à mitigação
agindo para sua minimização e
dos bons resultados operacionais
dos riscos operacionais. Nessa
controle. A Segurança, pilar principal
e financeiros, consolidando o
fase, foram unificados conceitos
da companhia, orienta – ao lado dos
protagonismo da QGOG no
relacionados à gestão de risco e ao
valores do Grupo Queiroz Galvão
competitivo mercado de óleo e gás.
desenvolvimento de autodiagnósticos,
(Trabalho, Confiabilidade, Lealdade e
Com projetos orientados por estudos
que vão gerar planos de ação voltados
Qualidade) – as atividades da QGOG
e análises criteriosas, a companhia
para o SGI (Sistema de Gestão
e faz da companhia uma referência
reforça o compromisso de praticar um
Integrado) e, consequentemente, a
em boas práticas na prestação de
crescimento sustentável.
diminuição dos riscos.
serviços em seu segmento.
Gerenciamento de riscos
Com a intenção de garantir a
sustentabilidade do negócio, a
Em 2012, a QGOG começou a
QGOG avalia os impactos e gerencia
Jornada Educacional do Projeto Risk
sistematicamente os potenciais
71
Orquestra Sinfônica Brasileira no Teatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ): patrocínio marca os 60 anos do Grupo
Projetos Responsáveis
Ao investir em projetos sociais, atividades culturais e no cuidado
com o meio ambiente, o Grupo Queiroz Galvão reafirma seu
compromisso com o desenvolvimento sustentável.
INTEGRAÇÃO SOCIAL
A Queiroz Galvão patrocina ou apoia projetos no campo
da educação, do cuidado com a saúde e da capacitação
profissional. É mais uma contribuição do Grupo para a
qualidade de vida dos cidadãos das comunidades onde
está presente.
Profissionalização na
RNEST
O canteiro de obras da Construtora
Queiroz Galvão em Ipojuca, onde
está sendo erguida a Refinaria Abreu
e Lima (RNEST), dispõe de uma
escola de formação de técnicos que
está promovendo grandes ondas de
profissionalização na região. Até mil
pessoas por mês são atendidas pelos
Projeto Saúde Criança (Rio de Janeiro, RJ): CQG participa de reforma de casas
cursos, que formam profissionais
como soldadores, montadores
Saúde Criança
Som da Serra
A Associação Saúde Criança Renascer
Parceria entre a Concessionária Rio-
desenvolve um trabalho com as
-Teresópolis e o Grêmio Recreativo
famílias de crianças internadas no
Musical Guapiense, desenvolve
Hospital da Lagoa, no Rio de Janeiro.
atividades artístico-pedagógicas,
Também ligado às obras na RNEST,
O objetivo é evitar que, após a alta,
usando a música popular como base
esse projeto destina a oficinas de
os pacientes retornem a condições
para programas educativos. Voltado
costura da região uniformes já sem
precárias de tratamento, alimentação
para crianças e jovens, promove a
condições de uso pelos operários
e higiene, que provocam sucessivas
formação de músicos e organiza
e que seriam descartados. As
recaídas. Parceira da associação
palestras educacionais, incentivando
cooperativas usam as roupas como
desde 2002, a CQG participa de
a valorização da cidadania. Já
matéria-prima e confeccionam toucas,
projetos de reforma e construção de
formou mais de 300 alunos, com
sacolas de transporte e sacos de
casas para as famílias.
instrumentos doados pela CRT.
lixo, entre outros itens – que são
e lixadores.
Projeto Mãos
Interligadas
comprados pela própria CQG.
74 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Urbanismo na linha 4
apostando na inclusão social por meio
uma unidade de tratamento dentário
da prática do esporte. A iniciativa tem
que atendeu mais de 1.200 crianças.
Na construção da Linha 4 do Metrô
o apoio institucional da Organização
Outro investimento é a implantação
Rio serão conservados monumentos
das Nações Unidas para a Educação,
de hortas sustentáveis, cuja produção
urbanos, áreas verdes e espaços de
a Ciência e a Cultura (Unesco).
será destinada à merenda das
lazer para crianças e idosos. Quase
todas as árvores serão preservadas,
e as que precisarem ser removidas
Saúde e informação
no Ceará
serão levadas para um horto, sendo
reconduzidas ao mesmo ponto no
final da obra.
Viva Vôlei
O projeto, promovido pela
Confederação Brasileira de Voleibol
(CBV), conta com o apoio da QGEP
desde 2011. Em 2012 atendeu 200
crianças em dois núcleos, Canavieiras
e Campinhos, no estado da Bahia,
escolas públicas.
Oficinas e estágios
em Magé (RJ)
As comunidades do entorno dos
parques eólicos que a Queiroz
A CRT apoia a Sociedade Pestalozzi
Galvão Energias Renováveis
de Magé, dando incentivo a oficinas
(QGER) está construindo no
de informática e marcenaria que
Ceará têm sido beneficiadas por
ajudam no desenvolvimento e na
vários projetos. Os moradores das
inclusão social de pessoas com
cidades de Icaraí e São Gonçalo do
deficiência. Para o mesmo público, a
Amarante participaram de atividades
Concessionária mantém um programa
informativas sobre os benefícios e
de estágio.
o potencial da energia eólica. Em
parceria com o Sesc, a QGER montou
Horta comunitária em Icaraí (CE): com o apoio da QGER
Projeto Viva Vôlei (Canavieiras, BA): esporte e inclusão
75
INICIATIVAS AMBIENTAIS
Conjugar o desenvolvimento econômico e o respeito
à natureza e ao homem é um objetivo permanente da
Queiroz Galvão. Conheça algumas das iniciativas que
o Grupo tomou em 2012 para preservar ecossistemas e
minimizar os impactos de suas atividades.
Prêmio Lagoa Viva
entidades representativas,
assegurando que os parâmetros
personalidades e órgãos públicos que
previstos sejam observados.
No Rio de Janeiro, o Consórcio
cultivaram boas práticas ambientais e
Construtor Rio Barra, integrado pela
ecológicas em 2012. Entre as ações
Queiroz Galvão, recebeu o Prêmio
implementadas, destacam-se:
monitora os níveis de ruídos e
vibrações emitidos pela construções,
Lagoa Viva de honra ao mérito
socioambiental, por suas atividades
Programa de Ruídos e Vibrações:
Estações de Monitoramento da
na construção da Linha 4 do Metrô
Qualidade do Ar: acompanham a
Rio. A premiação homenageia
qualidade do ar no entorno das obras,
evitando desconforto e estresse
aos moradores.
Estação de Tratamento de Água:
o sistema reutiliza toda a água
empregada nas escavações e que
seria descartada. Na estação, a água
é analisada, para verificar se atende
a parâmetros de qualidade, e retorna
aos equipamentos.
Programa de Monitoramento e
Conservação da Biodiversidade:
estudos contínuos sobre a integridade
da fauna e da flora nas áreas
de interferência.
Central de Reciclagem: materiais
como papelão, papel e plástico
descartados nos canteiros passam
por triagem, são acondicionados e
destinados a cooperativas
de reciclagem.
Obras da Linha 4 do Metrô Rio: investimento em iniciativas sustentáveis e preservação da natureza
76 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Carta de Sensibilidade
Socioambiental
de influência direta da atividade
das ocorrências de encalhes de
da companhia, de forma que as
animais marinhos nas praias desses
mesmas obtenham conhecimento
municípios, promovendo seu resgate
Em 2011, a QGEP decidiu orientar
e habilidades para contribuir com a
e reabilitação, sempre que possível.
recursos provenientes da produção
gestão dos recursos pesqueiros, em
do Campo de Manati para projetos
benefício de seu próprio sustento
em benefício da região da Bacia de
e de sua comunidade. Já o PMDP
Jequitinhonha, onde está o Bloco
trabalha para fornecer subsídios para
Os animais silvestres nativos do
BM-J-2. Durante o ano de 2012, um
avaliação da influência da atividade
entorno da rodovia BR-116, alguns
total de R$ 2.875.000 foi investido
de perfuração sobre a produtividade
deles em processo de extinção,
em estudos sobre a região costeira
pesqueira local, por meio do
são alvo das ações do projeto,
de Una, Canavieiras e Belmonte, que
monitoramento dos desembarques
realizado pela CRT em conjunto
abriga ambientes como manguezais,
pesqueiros em Ilhéus, Una,
com o Parque Nacional da Serra
estuários de rios, restingas e praias.
Canavieiras e Belmonte.
dos Órgãos (Parnaso). O trabalho
Os dados serão usados na construção
de uma Carta de Sensibilidade
Socioambiental, que mostrará as
áreas com maior sensibilidade
Fauna Viva
envolve o resgate, o cadastramento
Projeto de
Monitoramento de Praia/
Encalhes (PMP)
e o monitoramento dos animais
atropelados na via. Reformas de
segurança para diminuir o número de
mortes – como a instalação de telas
ambiental, e uma análise da influência
das mudanças climáticas sobre a
Também conduzido na região
nos acostamentos, para impedir que
região, a partir de cenários previstos
que compreende Ilhéus, Una,
os animais cruzem a via – também
pelo Painel Intergovernamental sobre
Canavieiras e Belmonte, o PMP
são contempladas.
Mudanças Climáticas (IPCC).
faz o monitoramento e registro
Projeto de Compensação
da Atividade Pesqueira
(PCAP) e Projeto de
Monitoramento de
Desembarque Pesqueiro
(PMDP)
Parte dos investimentos no
desenvolvimento das comunidades
da região de Jequitinhonha, litoral sul
da Bahia, o PCAP é uma das ações
da QGEP. O objetivo é implementar
medidas compensatórias para as
comunidades pesqueiras da área
Barcos em Canavieiras (BA): projeto de monitoramento de desembarque pesqueiro
77
AÇÕES CULTURAIS
Concertos de música
erudita, pintura, shows: a
disseminação da cultura
para a sociedade também
é fundamental para a
Queiroz Galvão, que apoia
ações importantes em
várias áreas.
Patrocínio à Orquestra
Sinfônica Brasileira
O Grupo Queiroz Galvão é o
patrocinador, em 2013, da série
Turmalina Pianistas, da Orquestra
Projeto Fauna Viva em Teresópolis (RJ): preservação do ecossistema
Sinfônica Brasileira. O ciclo de
quatro concertos trará ao Brasil três
Preservação na serra
fluminense
Reserva Particular em
Carnaubais
consagrados pianistas do cenário
internacional: a americana Simone
Dinnenstein, a britânica Angela Hewitt
Com o Programa de Recuperação
A Queiroz Galvão Alimentos, empresa
e a francesa Hélène Grimaud, além
de Áreas Degradadas (Prad), a
da área de Gestão de Negócios
do brasileiro Jean-Louis Steuerman.
CRT promove a recuperação do
(QGGN), conquistou em 2012 a
Além disso, a OSB vai se juntar às
meio ambiente da Região Serrana,
certificação de Reserva Particular de
comemorações pelos 60 anos de
com a proteção de taludes pelo
Patrimônio Natural (RPPN) para uma
atividade do Grupo, realizando três
revestimento vegetal de encostas,
área de 600 hectares, no município
concertos comemorativos, dois deles
evitando erosões e deslizamentos.
de Carnaubais, no Rio Grande do
em Recife, no Parque Dona Lindu
A Concessionária também faz o
Norte. A RPPN é uma unidade de
(um dos quais, aberto ao público) e
levantamento florístico nas margens
conservação particular, criada e
outro no Theatro Municipal, no Rio de
da rodovia, para a substituição
mantida pela empresa e reconhecida
Janeiro. O solista convidado será o
de espécies exóticas por outras,
pelo Instituto Estadual de Florestas
cantor pernambucano Lenine.
nativas da Mata Atlântica. A Base
(IEF) e pelo Ibama. A certificação
de Manutenção e Conservação, em
assegura a preservação permanente
Fundada em 1940, a OSB é o mais
Guapimirim, mantém um horto com
da área.
tradicional conjunto sinfônico do
cerca de 150 mil mudas de plantas
país. Foi pioneira nas turnês de
nativas da região.
divulgação da música erudita pelo
Brasil e também é reconhecida como
78 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
a primeira orquestra brasileira a realizar
e flautista Derico (do Programa do
obra de Armando Reverón (1889-
excursões no exterior.
Jô) e o pianista Sergio Sciotti, o
-1954). Considerado o maior talento
grupo Lilian Carmona Band, o pianista
das artes plásticas da Venezuela
Márvio Ceribelli e o guitarrista
durante a primeira metade do século
Victor Biglione. Os ingressos foram
20, Reverón produziu pinturas e
gratuitos.
esculturas que lhe valeram renome
Portinari –
Exposição e site
internacional. Sediada no Museu
O projeto Portinari: Arte e Meio
Ambiente, que a QGEP patrocina
desde 2011, teve seu ponto alto
Exposição ‘Revendo
Reverón’
Nacional do Conjunto Cultural da
República (Brasília), a exposição
foi visitada por cerca de 30 mil
durante a Conferência das Nações
Unidas sobre Desenvolvimento
Entre outubro de 2012 e fevereiro de
estudantes, que tiveram contato
Sustentável (Rio +20). Cerca de
2013, a Queiroz Galvão patrocinou
com um acervo de 174 obras, entre
60 mil pessoas, entre elas 11 mil
a mostra Revendo Reverón – O
pinturas, fotografias, esculturas,
estudantes, estiveram no espaço
Relâmpago Capturado, dedicada à
objetos e desenhos.
Armazém da Popularização para
conhecer o trabalho: reproduções
digitais de algumas das mais
importantes obras de Cândido
Portinari. Foram distribuídos 7.500
cadernos de atividades para crianças
de idades entre 4 e 10 anos, 3 mil
jogos da memória para crianças e
adolescentes, além de 300 cadernos
pedagógicos para professores de
escolas públicas. A QGEP expandiu
ainda mais a divulgação da obra do
pintor ao patrocinar o website Projeto
Portinari (www.portinari.org.br).
O espaço virtual cataloga toda a obra
do artista, incluindo também cartas,
fotografias, periódicos e depoimentos.
1.º Maringá Jazz Festival
A primeira edição do evento, do qual
a Viapar foi a principal patrocinadora,
aconteceu em Maringá (PR), em
junho de 2012. A cidade recebeu o
Duo Sciotti, formado pelo saxofonista
Quadro Meninos no Balanço, uma das obras em destaque no Projeto Portinari
79
INFORMAÇÕES
Coordenação Geral
QUEIROZ GALVÃO S.A.
Comunicação Institucional do
Grupo Queiroz Galvão
Rio de Janeiro
Rua Santa Luzia, 651, 7.º e 8.º andares
Redação e Edição
Centro Rio de Janeiro RJ Brasil 20030 041
Report Comunicação
Tel. / Fax +55 (21) 2131 7100
Projeto Gráfico
São Paulo
The Way Up Design
Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 360, 17.º andar
Itaim Bibi São Paulo SP Brasil 04543 000
Revisão
Tel. / Fax +55 (11) 3131 1100
Assertiva Produções Editoriais
Fotografia
Ari Versiani
Os demais endereços dos escritórios do Grupo Queiroz
Acervo Fotográfico Queiroz Galvão
Galvão no Brasil e no exterior estão disponíveis para
Acervo Fotográfico Atlântico Sul
consultas no site www.queirozgalvao.com
Acervo Fotográfico QUIP
Pré-impressão e Impressão
Burti
As demonstrações financeiras das áreas de atuação
estão disponíveis para consultas no site
Tiragem
www.queirozgalvao.com
2.800 exemplares em português
1.500 exemplares em inglês
1.000 exemplares em espanhol
200 exemplares em francês
Contatos sobre o RA 2012
Diretoria de Comunicação Institucional
[email protected]
80 Queiroz Galvão Relatório Anual 2012
Este relatório foi impresso em papel fabricado com madeira
de reflorestamento certificada com o selo FSC ® Forest
Stewardship Council ® (Conselho de Manejo Florestal) e
de outras fontes controladas. A certificação segue padrões
internacionais de controle ambiental e social.