Implementação do N4C

Сomentários

Transcrição

Implementação do N4C
Newsletter N4C • Edição 4 • Junho 2010
Nesta edição:
Implementação do
acesso à internet via
DTN em:
•
•
•
•
Alasca, EUA
Amazonas, Brasil
Malásia
Mongolia
Do N4C e Arctic Action
ICT Workshop
Bancos de teste para
comunidades rurais e
condições Arcticas.
Tromsø Workshop
28 Janeiro 2010
Eventos programados:
“Internet Futura:
Conferências”
13-17 Dezembro 2010, Ghent,
Bélgica
Ler mais!
ICT 2010
Bruxelas, Bélgica
27-29 Setembro 2010
Baixar Programa!
Tolerant Networks Ltd.
Kerry Hartnett e Dr. Stephen
Farrell, parceiros N4C,
fundaram uma empresa,
Tolerant Networks Ltd. e vão
oferecer roteadores DTN para
aldeias, dispositivos
alimentados a energia solar,
suporte geral e consultadoria
DTN.
Mais informação em:
http://www.tolerantnetworks.
com/
é financiada
pela iniciativa FIRE do FP7 ICT da
Comissão Europeia
Photo: Ernst Wingborg
Implementação do N4C
O projecto de investigação Rede para Comunicação em Comunidades remotas:
Arquitectura, bancos de teste e alianças de inovação (N4C) começou em Maio
de 2008. O objectivo do N4C é desenvolver acesso à internet baseado
em DTN, dois bancos de ensaio (Lapónia, Suécia e em Kočevje região
montanhosa da Eslovénia) e testar aplicações.
Mas o desenvolvimento é apenas uma face da moeda, encontrar
modelos para a implementação do serviço é outra. Em Dezembro de
2009 uma primeira questão da exploração do N4C foi apresentada.
Esse relatório lida com questões de implementação mas também com o
facto de o N4C usar software Open Source e portanto os modelos
regentes têm de levar isso em conta.
Nesta quarta edição da nossa newsletter (versão pdf) apresentamos a
nossa investigação de implementação. Temos conhecimento através da
nossa optimização do motor de busca que o N4C atrai muitas atenções
em todo o mundo. A equipa do N4C já foi contactada por
investigadores do Alasca, Brasil (Amazonas), Malásia e Mongólia.
Nós temos o prazer de informar que a primeira companhia do N4C foi
criada. Kerry Hartnett e Dr. Stephen Farrell, parceiros N4C,
começaram uma empresa, Tolerant Networks Ltd., que vai oferecer
roteadores DTN para aldeias, dispositivos alimentados a energia solar e
suporte geral e consultoria DTN. Desejamos orgulhosamente à
Tolerant Networks Ltd. sucesso e um futuro próspero!
Dr. Maria Udén, Gestora do projecto
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
1
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Implementação do acesso à
internet via DTN
Exploração do acesso à internet baseado na DTN
lida com os problemas do software que utilizada que
é chamado Open Source Software (OSS). OSS não
pode ser implantado facilmente em comunidades
remotas. Uma razão para isso é que os níveis de
competências da ICT em tais comunidades está ao,
ou abaixo do, nível médio. Outra é que as pessoas
nessas áreas já têm mais de que um emprego.
Trabalhar numa plataforma OSS leva tempo.
Modelos de negócios N4C também têm de levar em
conta que o futuro desenvolvimento e manutenção
devem ser financiadas por outras fontes que não o
licenciamento. Sustentação da internet baseada em
DTN e dos bancos de teste encontram o mesmo
desafio que a professora Ellinor Ostrom analisou
para comuns. A professora Ostrom "demonstrou
que propriedade comum pode ser controlada com
sucesso por associações de utilizadores". Recebeu o
Prémio Nobel da Economia em 2009 e o Prémio
Sveriges Riksbank em Ciências Económicas em
Memória de Alfred Nobel pela sua análise da
sustentação económica, especialmente dos comuns".
Na sustentação do N4C tem que se considerar que a
execução deve ter um impacto positivo na
comunidade local, apoiando e reforçando a cultura e
as tradições locais, e que o N4C deve usar design
sensível ao género para garantir que toda a
comunidade beneficie do projecto.
Modelos de implementação N4C
Mas, primeiro, como pode o consórcio N4C
implantar acesso à internet baseado em DTN tendo
em conta que existem muito poucos utilizadores,
tanto na Lapónia Sueca e nas montanhas da
Eslovénia? De onde vêem os recursos financeiros
para a actualização e manutenção da DTN? Para
enfrentar este desafio o consórcio N4C trabalha
com dois modelos de implantação.
Parcerias Público-Privadas (PPP)
PPP significa que a responsabilidades
(particularmente a financeira) é partilhada
entre uma, ou um grupo, de empresas
privadas alguma autoridade pública.
Para a Lapónia Sueca, N4C planeia usar Parceria
Público-Privada (PPP) como principal modelo
financeiro para as PME, autoridades municipais e
regionais, bem como fornecedores de banda larga e
de serviço no município. Este modelo ao mesmo
tempo vai ser testado para acesso à internet baseada
na DTN e para o banco de testes na Lapónia Sueca.
Na Eslovénia, o plano N4C é usar um modelo de
negócios onde empresas privadas possuem e correm
o acesso à internet baseado em DTN e os bancos de
teste.
Modelos de sustentação
Para gerir o acesso à internet baseado na DTN e os
bancos de teste N4C planeia iniciar associações
económicas. N4C testou três níveis de
implementação para os bancos de teste:
Nível 1: Os bancos de teste flutuam como uma
plataforma de investigação, ou seja, em nível
semelhante ao de hoje.
Nível 2: Incluir desenvolvimento do acesso à
internet baseado em DTN no nível 1 para dar à
população de Sámi, caminhantes e investigadores
acesso à Internet. Acima desse nível 2 facilitará
infra-estrutura de banco de teste de pequena escala
para novos clientes de fora do consórcio inicial.
Nível 3: Incluir o desenvolvimento do acesso à
internet baseado na DTN para fornecer, tanto para
os bancos de teste federados em grande escala como
para a população de Sámi e caminhantes, Internet.
Este nível será desenvolvido em colaboração com a
rede FIRE.
Modelos de bancos de teste N4C
Nível 1. Plataforma de pesquisa (durante o projecto N4C FP7).
Nível 2. Bancos de teste em pequena escala para parceiros e novos clientes.
Nível 3. Bancos de teste federados em grande escala em colaboração com a rede FIRE.
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
2
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Gestão de recursos comuns
N4C tem que lidar com duas questões de
investigação muito importantes:
1. Pode a infra-estrutura N4C e bancos de
teste serem geridos como comuns pelo
utilizador? Se sim, como pode ser feito
de forma interactiva com o utilizador?
2. Como podem questões de género e
culturais serem salvaguardadas?
Conselhos de Ostrom acerca da
gestão de bens comuns
1. Limites claramente definidos (efectiva
exclusão de partes externas sem
serviços);
2. Regras relativas à apropriação e
provisão de recursos comuns são
adaptadas às condições locais;
3. Acordo colectivo de escolha permitem
a mais proprietários de recursos
participar do processo de decisão;
4. Monitorização eficaz por monitores
que fazem parte dos, ou são
responsáveis pelos, proprietários;
5. Há uma escala de sanções graduais para
os proprietários de recursos que violam
as regras da comunidade;
6. Mecanismos de resolução de conflitos
são baratos e de fácil acesso;
7. A auto-determinação da comunidade é
reconhecida pelas autoridades de nível
superior;
8. No caso de maiores recursos
comunitários: a organização sob a
forma de múltiplas camadas de
empresas, com pequenas CPRs locais
ao nível de base.
Ostrom, Elinor (1990). Governing the Commons:
The Evolution of Institutions for Collective Action.
Cambridge University Press. ISBN 0-52140599-8.
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
Interesse documentado na DTN em
todo o mundo
•
Alasca, USA
•
Amazonas, Brasil
•
Malásia
•
Mongólia
Implementação da DTN no Brasil,
Amazonas
N4C foi representado no EUBR 2009 (setembro
2009) workshop do Instituto Pedro Nunes (IPN).
O workshop EUBR foi o resultado de uma
colaboração conjunta entre a Comissão Europeia, o
Ministério das Relações Exteriores e do Ministro da
Ciência e Tecnologia, com o apoio da Universidade
de São Paulo e Universidade de Brasília, no
contexto do diálogo político entre o Brasil e a
União Europeia no domínio da Sociedade da
Informação. O objectivo principal do workshop
EUBR era promover a colaboração, troca de
experiências e pesquisas conjuntas sobre as TIC
entre brasileiros e comunidades científicas
europeias, sobre "Internet do Futuro", "e-infraestrutura", "Micro-electronica / Microsistemas"e
"Embebidos e Controlo ".
IPN estabeleceu contacto com investigadores que
já estavam envolvidos com a DTN no Brasil
(professores Otto Duarte e Alfredo Goldman),
ambos demonstrando interesse no conceito N4C e
inovação tecnológica. O contacto resultou numa
reunião em Outubro de 2009 no Brasil realizada
pela Fundação CERTI em parceria com a
Associação Nacional de Entidades Promotoras de
Empresas inovadoras no Brasil.
CERTI está interessado num teste piloto utilizando
as soluções N4C na floresta amazónica. Uma
proposta baseada no desenvolvimento tecnológico,
com ênfase no impacto ambiental e económico,
com forte vertente na e-inclusão serão
desenvolvidos no futuro próximo.
3
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Implementação - Mongólia
A 21 de Maio N4C organizou uma pequena
workshop na LTU, em Luleå, sobre a possibilidade de
implantação de tecnologia DTN na Mongólia.
Iniciadora do encontro foi a Sra. Handmaa Karlssson
uma antiga cidadã da Mongólia, que agora está
interessada em desenvolvimento de aplicações das
TIC como um meio de contribuir para o
desenvolvimento económico, democratização e
desenvolvimento cultural na sua antiga pátria.
N4C vai fazer um estudo pré-piloto sobre o que
exigiria tornar a DTN tecnologia disponível para os
cidadãos das zonas rurais, na Mongólia.
Se estiver interessado em contribuir contacte Sra
Barbro Fransson [email protected]
Foto: Sra Handmaa Karlsson de visita ao LTU.
N4C workshop em Tromsø
O workshop "Banco de testes para as
Comunidades Rurais e Condições Árticas"
aconteceu em Tromsø, na Noruega, em 28 de
Janeiro de 2010, nas instalações da NORUT. Este
workshop foi um acordo comum entre o projecto
N4C e o Conselho Ártico de Desenvolvimento
Sustentável do Grupo de Trabalho do Projecto.
O principal objectivo do workshop foi combinar
análises, impressões e experiências dos
participantes, bem como aumentar a
conscientização sobre o potencial de uma
abordagem pró-activa para a criação de bancos de
testes, nas regiões nortenhas.
Dr. Maria Udén and Dr. Ivan Burkow deram as
boas vindas aos participantes do workshop N4C
e a Norut.
Sra. Annika Sallstrom apresentou a experiência do
Bótnia Living Lab e o Sr. Jan Ove Gjerde, Dyroy
Energy A / S, demonstrou o uso que o sector
energético pode ter de um banco de testes num
município remoto no norte da Noruega.
Uma apresentação muito apreciada foi feita com
Dr. Ricardo Beck, da Barrow Science
Consortium. (Leia mais sobre o potencial de
implantação no Alasca, na página 5-6).
Dr. Richard Beck da Univercidade de Cincinnati.
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
4
Newsletter • Issue 4 • June 2010
DTN no Alasca
Qual é o potencial de implantação da DTN no Alasca? Poderá a tecnologia DTN ser usada no trabalho com
a Observações e Sustentabilidade do Árctico? Essas foram algumas das perguntas do Dr. Richard Beck da
Universidade de Cincinnati colocadas ao consórcio N4C no workshop do N4C e Artic Action ICT em
Tromsø a 28 de janeiro de 2010. E as conclusões foram convincentes que também o facto de a equipa de
investigação da Universidade de Cincinnati tem considerado o N4C e seu antecessor SNC como seu projeto
parente. Mas tudo começou em 2002 quando o senador Stevens dos EUA perguntou a cientistas em Barrow
para ajudar com o tele-ensino no norte do Alasca. Universidade de Cincinnati (UC) mencionou os resultados
da UC/NASA nos esforços do tele-ensino com comunidades americanas nativas no Minnesota e Wisconsin e
o senador Stevens pediu à UC para trabalhar com a NASA sobre as possíveis soluções para o Alasca. A
equipa de investigação já identificou sete comunidades de utilizadores base; telemedicina, educação,
exploração de hidrocarbonetos, investigação científica, público, o governo local, o governo federal. As
necessidades são resumidas numa proposta pendente da NSF para CISE e OPP. Necessidades gerais de
comunicações no Árctico são: Melhor largura de banda (variável dependendo da aplicação), tempo real,
integrado, baseado em padrões (IP) de dados, comunicações voz e vídeo (extensível e interoperável),
redundância (aumento da confiança), Distribuição (aumento da confiança), Mobilidade e Segurança.
E parte da área está completamente isolada durante
partes do ano.
Uma visão, está indicada na avaliação de
necessidades, e uma tecnologia de ensaio de
pesquisa para fornecer alta (T-1 com T-3 ou 1,5-45
Mbit /segundo) largura de banda para o norte do
Alasca e do Árctico a pedido do senador Ted
Stevens.
Foto: O Arctic Thaw Lakes Project está
localizado neste ambiente hostil.
O projeto começou com os nativos do Alasca na
encosta norte do Alasca, um dos grupos mais
isolados e carentes de cidadãos nos EUA.
Nativos do Alasca são o que é chamado na
Europa e-excluidos significando que eles não
têm acesso à banda larga de comunicação.
Comunidades da encosta norte do Alasca têm
dificuldade de acesso ao resto do Alasca e EUA.
Como a Escandinávia norte esta área é também
caracterizada pelo mau tempo e as condições
oceânicas.
Foto: A equipa de investigação tem três quebragelos equipados com unidades Iridium Open Ports
para conectividade remota, mas não é rentável para
a transferência de dados. Quebra-gelo DTN
precisam de uma entrega coordenada de e para a
nova unidade de investigação das mudanças do
clima global de Barrow com alta largura de banda.
O texto neste artigo é baseado em apresentações pelo Dr. Richard Beck e Andrew Rettig e
PPTs do workshop em Tromsø em 28 Janeiro de 2010./
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
5
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Segundo o Dr. Beck há uma boa conectividade
perto de dois grandes centros de pesquisa no
norte do Alasca, mas eles também precisam de
aplicar a tecnologia para nós DTN isolados
seguindo o modelo do projecto SNC/N4C.
A razão para isto é que existe a necessidade de
Interoperabilidade
Escalabilidade
Extensibilidade
Em última análise, localização da internet fixa e
móvel e localização de redes de senso são
aprimoradas com conhecimento da DTN.
Ou, para colocar as coisas simples: O Dr. Beck e
seus colegas querem coordenar alta e baixa largura
de banda DTN para investigação no Árctico.
Para onde vamos a partir daqui?
O Dr. Beck pergunta - isso poderia ser a
próxima geração de mulas de dados
GPSDTN?
Foto:
Foto:E/ou poderiam redes de aeronaves
entre Barrow e Fairbanks funcionar como
mulas de dados DTN?
Os objectivos da equipa de investigação são:
Criar sistema de informação de dados
Usar padrões Open Geospatial
Consortium (OGC)
Rede ponto a ponto de informação
geográfica
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
N4C continuará a colaborar com o Dr. Beck
e UC no âmbito do Conselho Árctico, que é
um fórum de alto nível intergovernamental.
O objectivo do Conselho do Árctico é
fornecer um meio para promover a
coordenação, cooperação e interacção entre
os Estados do Árctico, com a participação
das comunidades indígenas do Árctico e
outros habitantes do Árctico em questões
comuns do Árctico, em especial as questões
do desenvolvimento sustentável e
protecção ambiental no Árctico.
Os Estados-Membros do Conselho do
Árctico são: Canadá, Dinamarca (incluindo
a Groenlândia e as Ilhas Faroé), Finlândia,
Islândia, Noruega, Rússia, Suécia e Estados
Unidos da América.
Está interessado em saber mais sobre o
trabalho da UC e do Dr. Beck no Alasca entre em contacto: [email protected]
Quer participar em colaboração futura no
desenvolvimento da DTN para pesquisa de
energia do ambiente
Entre em contato com:
barbro [email protected]
6
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Experiência eBario, Replicação & Oportunidades
Em 15 de Março de 2010 o projecto N4C recebeu a visita do Dr. Alvin W. Yeo, director COERI,
UNIMAS, na Malásia. Nas ilhas Kelabit, Bario, Sarawak, na Malásia um projecto é executado com
objetivos e abordagens similares às do N4C. O que faz eBario tão especial é que ele lida com a einclusão com o objectivo de sustentabilidade (financeira) e para a sociedade (Sustentação dos
Recursos Humanos) com maior poder da comunidade, o desenvolvimento de qualidades e uso próactivo da tecnologia.
O projecto eBario
Um projecto piloto nacional para fazer a
ponte da divisão digital
Conceito e aproximação-projecto eBario
Investigação/Acção participativa
Estudos base
Investigação multi-disciplinar
Serviço comunitário + pesquisa universitária
Bolsas de investigação nacionais e
internacionais
Parceiros/Colaboradores locais e estrangeiros
Suporte inter-organisacional
A questão é perceber condições de vida, cultura,
usos existentes e acessos a fontes de informação e as
suas necessidades na entrega da informação.
Compromisso participação da comunidade
É feito pela formação da Comissão Gestora, onde o
envolvimento em todo conjunto do projecto é
assegurado, incluindo planeamento, tomada de
decisões, implementação e gestão.
Introdução de tecnologia
Incluiu hardware, software, internet, geração de
energia, treino e suporte técnico. O projecto de
apoio as iniciativas nacionais de TIC, incluindo elearning e e-comunidade. (Cont. pag. 8.)
Foto: O objectivo do projecto é dar internet a Bario
Objectivos
Para definir a extensão em que
contemporaneidade das TIC pode entregar
desenvolvimento socioeconómico sustentável a
comunidades rurais remotas.
Identificar necessidades e oportunidades no seio
das comunidades que são satisfeitas com a
utilização inovadora das TIC contemporânea.
Foto: Desenvolvimento das TIC também se foca
no turismo
O texto neste artigo é baseado nas apresentações do Dr. Alvin W. Yeo, director
COERI, UNIMAS, Sarawak, Malásia (UNIMAS) a 15 de Março de 2010, no LTU, na
Suécia. Para mais informações contacte: [email protected]
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
7
Newsletter • Edição 4 • Junho 2010
Lições aprendidas com o projecto eBario - Malásia
Potencial de implementação
Conclusão
O modelo eBario pode ser aplicado a maioria das
comunidades remotas na Malásia e na região ÁsiaPacífico e também na Europa. No entanto, o Dr.
Alvin diz que é importante concentrar-se nas
pessoas, organização, conteúdos e processos e não apenas
sobre as tecnologias. Que incluem:
O projecto eBario alcançou o seu objectivo. TICs
contemporâneas proporcionam desenvolvimento social
e económico sustentável para comunidades rurais.
Chaves do sucesso em Bario são:
Participação comunitária
Que o projecto se foque em
necessidades relevantes da comunidade
Nomear campeões locais
Ter equipa multi-disciplinar
Parcerias inteligentes, incluindo da
Comunidade, Universidade, Governo e
Aproximações centradas na comunidade
Aplicação inovadora de TICs para ir de
encontro a necessidades específicas
Involvimento de campeões locais
Abordagem holística, com o envolvimento
multi-partido: da comunidade, da indústria,
governo e ONGs.
Uso de tecnologias apropriadas: TICs e
energia
Indústria
Desenvolvimento sustentável, com
formação contínua e planeamento de
Se quiser mais informação contactar:
[email protected]
negócios.
Conferência r2s em Valência
Se quiser ler mais acerca do evento de
lançamento das parcerias publico-privadas
do futuro da internet, em Valencia, a 1314 de Abril e a Assembleia do futuro da
internet 15-16 April.
http://www.future-internet.eu/
ICT 2010
N4C espera apresentar redes tolerantes a
atrasos e corrupções usadas para recolha
de dados ambientais de regiões remotas
na conferência ICT 2010 em Bruxelas,
Bélgica 27-29 de Setembro de 2010.
Download aqui e agora
DETALHES DO PROJECTO:
Rede para Comunicação em Comunidades Remotas
é financiado pelo FP7 ICT da Comissão
Europeia. Contrato nº 223994. Inicio do Projecto: 1 de Maio de 2008. Duração: 36 meses.
LEIA MAIS ACERCA DO N4C: www.n4c.eu
CONTACTE N4C: [email protected]
Edição 4 • 2010 • Newsletter N4C
8

Documentos relacionados

Rede para Comunicação em Comunidades Remotas – N4C

Rede para Comunicação em Comunidades Remotas – N4C No núcleo do N4C estarão os dois locais de testes existentes, demonstrando como a rede baseada na tecnologia DTN pode ser integrada com a internet existente e investigando modelos económicos apropr...

Leia mais