Edição 16 - STAHL CraneSystems GmbH

Сomentários

Transcrição

Edição 16 - STAHL CraneSystems GmbH
A Revista
Relatórios empolgantes, novidades técnicas, exemplos de aplicação de todo o mundo
Grande encomenda
Grandes ondas
Especialmente segura
86 pontes rolantes com
120 diferenciais de cabo na
China Ocidental
Ponte rolante especial para a
maior instalação de testes com
ondas do mundo
Ponte rolante de 100 t para
empresa de transportes com
Performance Level D
Página 04
Página 06
Página 18
EDITORIAL
Cara Leitora / Caro Leitor
CONTEÚDO
«Change Management» é um slogan frequentemente repetido – também na
STAHL CraneSystems. Numa empresa com tradição, que acompanha as tendências dos mercados mundiais, a alteração é um processo contínuo. Geralmente
ele decorre de forma inconsciente, mas por vezes também sem passar despercebido, como no caso dos processos de otimização que levámos a cabo nos
últimos anos na nossa fábrica em Künzelsau ou na nossa área de Vendas.
As condições do mercado alteram-se cada vez mais depressa, torna-se cada
vez mais difícil fazer prognósticos a médio e a longo prazo. Isso leva inevitavelmente a exigências cada vez mais complexas no que diz respeito ao sistema da
nossa empresa. Para poder corresponder às condições que se vão alterando,
cada componente da empresa tem que funcionar perfeitamente – como numa
engrenagem, em que uma roda dentada engrena noutra. O resultado fascinante
de uma cooperação que funciona desse modo é o que lhe apresentamos nas
próximas páginas. Pois também na nossa Revista visualmente renovada aplicámos um pouco de «Change Management». Assim acompanhamos a tendência
que já conhece dos nossos produtos: melhorar o que já deu boas provas.
Desejo-lhe, pois, uma leitura agradável e empolgante!
Thomas Kraus
Nova série de diferenciais de cabo SHA 3
Grande encomenda na China Ocidental 4
Ponte rolante especial constrói diques de teste em Delft 6
Relatório de Ettlingen: a equipa XSIP 10
Making of: ponte rolante para GNL resistente a temperaturas de –50 °C 12
De todo o mundo 14
Carga comprida: Mitau Steel fornece a ponte rolante mais comprida 16
Especialmente segura: ponte rolante de 100 t com Performance Level D 18
Editor STAHL CraneSystems GmbH, Daimlerstr. 6, 74653 Künzelsau, Alemanha
Redação Thomas Kraus, Heike Metzger, Jan Türk
Design VISUELL Studio für Kommunikation GmbH, Estugarda Impressão Raff Holding GmbH, 72585 Riederich
Copyright STAHL CraneSystems GmbH, 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reimpressão e cópias, mesmo que
parciais, sem a autorização escrita do editor. Não se assume responsabilidade alguma por eventuais erros.
Novidade no sortimento:
O diferencial de cabo regulado por frequência SHA
Com o SHA, a STAHL CraneSystems apresenta um conceito de motor novíssimo e flexível para
pontes rolantes industriais ligeiras que, para além de elevação e translação reguladas por
frequência, oferece uma regulação adaptável da velocidade (ASR). Graças aos motores recémdesenvolvidos, os movimentos de elevação sem carga ou com pouca carga (até 10 % da
carga nominal) podem ser executados 3 vezes mais depressa que processos de elevação com
plena carga. Assim, a velocidade de elevação é adaptada à carga real. Isso poupa tempo e
aumenta a produtividade em ambientes de trabalho em que a capacidade de carga máxima só
raras vezes é necessária. A possibilidade de aplicação flexível e a boa relação preço-performance
fazem do diferencial de cabo SHA uma atraente alternativa às séries SH e SHF.
O diferencial de cabo SHA utiliza um novo conceito e –
graças a uma extraordinária relação preço-performance –
facilita a entrada no mundo dos diferenciais de cabo
regulados por frequência. Graças à regulação adaptável da
velocidade, o SHA atinge – com cargas até 10 % da carga
máxima – o triplo da velocidade de elevação – em
comparação com o diferencial de cabo SH. A velocidade
de elevação adaptada aumenta a produtividade e poupa a
instalação. Devido à menor potência, o SHA consome
menos energia, o que não só poupa a alimentação elétrica,
mas também recursos valiosos. Os trunfos do SHA podem
ser constatados em ambientes de produção em que são
frequentemente elevadas cargas ligeiras mas nos quais,
contudo, em poucos casos – raros –, é necessária uma
elevada capacidade de carga.
A nova série SHA pode ser adquirida em
seis variantes de capacidade de carga entre
3.200 e 10.000 kg. Ela já está integrada nos
sistemas de vendas da STAHL CraneSystems
e pode ser fornecida desde já.
Para que aplicações vale a pena ter o SHA?
Para compreender as vantagens do SHA vale a pena fazer
uma comparação com as séries SH e SHF. O diferencial de
cabo SH é o nosso modelo universal de grande êxito com
motores de polos comutáveis. Com cinco tamanhos e 26
variantes de capacidade de carga entre 500 kg e 25.000 kg,
ele oferece uma enorme gama de produtos para soluções
standard e especiais. O SHF completa essa oferta com as
vantagens da regulação de frequência: arranque suave,
velocidade sem intervalos, menor esforço das pontes
rolantes, bem como uma margem de velocidade ampliada
(ESR). Graças a essa técnica, o diferencial de cabo SHF
permite elevar e baixar cargas ligeiras até 50 % mais
depressa e, assim, atingir velocidades de elevação
superiores à velocidade indicada (para a capacidade de
carga máxima).
O SHF é interessante para clientes em ambientes de
produção que frequentemente executam processos de elevação com cargas pesadas ou com a carga máxima e que
pretendem aproveitar as vantagens da margem de velocidade ampliada nos restantes movimentos de elevação.
Exemplo da funcionalidade do ASR a exemplo do SHA 5016-16 4/1
ASR (rede de 50 Hz)
V (m/min)
ASR (rede de 60 Hz)
12 m/min sem carga
12
Faixa de carga L1 – leve
Faixa de carga L2 – média
Carga [%]
100
Carga [%]
100
80
80
60
60
40
40
20
8
0
4
4 m/min com
carga nominal
0
% carga
0
10
20
30
40
50
60
70
80
90
100
20
10
40
50
Tempo [%]
0
17 17 17
49
Tempo [%]
Faixa de carga L3 – pesada
Faixa de carga L4 – muito pesada
Carga [%]
100
Carga [%]
100
80
80
60
60
40
40
20
20
0
50
50
Tempo [%]
0
90
10 Tempo [%]
 Recomendação:
diferencial
de cabo SHA
 Recomendação:
diferencial
de cabo SHA
REVISTA 16
3
Grande
encomenda
na China Ocidental
CQcrane e STAHL CraneSystems fornecem
86 pontes rolantes com 120 diferenciais de cabo
Na China Ocidental, ao redor das metrópoles Chongqing e Chengdu, a economia está a ter
um boom. Na área de administração de Chongqing, à volta da zona de confluência
dos rios Jialing e Jangtse, vivem 32 milhões de pessoas numa superfície do tamanho da
Áustria. No centro da região estão atualmente a ser construídos prédios de apartamentos e centros comerciais; inúmeras firmas têm que mudar dos seus locais de implantação no centro de Chongqing para os arredores. Isso afetou também os grandes
produtores chineses de máquinas-ferramentas de CNC. No final de 2012, a Chongqing
Crane Works (CQcrane), um construtor de pontes rolantes local, encomendou à STAHL
CraneSystems o fornecimento de 120 diferenciais para um total de 86 pontes rolantes.
Na área dos diferenciais standard, esta é a maior encomenda chinesa de sempre
da STAHL CraneSystems. Também para a região de Chongqing o projeto constitui um
marco: a construção das novas instalações industriais é o primeiro projeto desta
dimensão em que são utilizados sistemas de pontes rolantes em conformidade com o
standard ocidental. A grande importância da encomenda foi sublinhada pela presença
de um alto funcionário político da administração da cidade durante as negociações
de adjudicação.
China
Shanghai
Chongqing/
Chengdu
Técnica de pontes rolantes de
confiança da Alemanha
A empresa de construção de máquinas aproveitou a transferência do seu
local de produção para um novo
terreno de 1,7 km2 a oeste de Chong-
Vários construtores de pontes rolantes chineses e internacionais tinham ido a concurso para adjudicação da
encomenda da empresa de construção de máquinas estatal. A empresa é considerada a maior produtora de máquinas de produção de rodas dentadas, possui na China 60 %
da quota de mercado e exporta para quase 50 países. «No
final, a decisão deveu-se não só ao preço, mas à grande
mais-valia que pudemos oferecer à empresa através de
produtos sofisticados e apoio técnico profissional», afirma
Jürgen Klemke, gerente da sociedade afiliada da STAHL
CraneSystems em Xangai. Para garantir um processo sem
atritos e uma estreita cooperação com todos os parceiros,
um colaborador da STAHL CraneSystems esteve permanentemente no local. Peritos das áreas de Vendas, Mecânica
e Sistemas elétricos apoiaram a equipa da CQcrane no que
diz respeito a questões técnicas e ajudaram a executar a
encomenda ao nível de qualidade ocidental.
qing para pôr a sua técnica de pontes
rolantes ao nível mais avançado.
Enquanto até então sistemas de
pontes rolantes chineses, antiquados,
levavam a uma cada vez maior
frequência de quebras de produção, a
empresa aposta agora em produtos de
ponta alemães. A pedido expresso do
cliente, todos os diferenciais foram
fabricados na Alemanha e dela
importados.
Entretanto já estão a ser utilizados
15 diferenciais de cabo do modelo
AS 7, assim como 105 diferenciais de
cabo da série SH da STAHL CraneSystems. Em 35 pontes rolantes são
utilizadas combinações de diferenciais de cabos com capacidade de
carga superior e diferenciais auxiliares com maior velocidade de elevação
em carros de translação de dois
carris. A ponte rolante com a maior
capacidade de carga possui mais de
75 t e um diferencial de cabo de 20 t.
A instalação e a colocação em
funcionamento foram efetuadas em
três fases. «Graças à boa preparação
a nível local e à gestão do projeto em
Xangai e em Künzelsau, decorreu tudo
sem dificuldades. Constatou-se
novamente a vantagem de uma equipa
internacional e intercultural de gestores de projeto trabalhando em ótima
cooperação», declarou Jürgen Klemke
após a conclusão do projeto.
«A CQcrane recebeu todos os 86 sistemas de pontes rolantes dentro do prazo
– até ao final de 2014 – e estes
puderam ser postos em funcionamento sem falhas. Isso foi possível, entre
outras coisas, devido ao extraordinário trabalho do nosso colaborador em
Chongqing, que apoiou a CQcrane em
todas as questões», considera Jürgen
Klemke que já está ansioso pelas
várias encomendas seguintes.
A STAHL CraneSystems vende os
seus diferenciais e componentes de
pontes rolantes através de uma rede
mundial de parceiros de construção
de pontes rolantes certificados. O
mercado chinês é acompanhado pela
sociedade afiliada em Xangai – uma
de nove sociedades afiliadas em todo
o mundo. A equipa de Xangai – constituída por 22 pessoas – trabalha
atualmente com vários parceiros de
construção de pontes rolantes na
parte leste do país. Devido às grandes
distâncias e aos custos de transporte
relacionados com as mesmas, os
parceiros atuam sobretudo a nível
regional na zona dos seus locais de
implantação.
Com o simpático apoio de
Jürgen Klemke e Ivy Chen, da
STAHL CraneSystems Shanghai
REVISTA 16
5
Pesquisadores levantam
D
N
O
AS
Ponte rolante especial constrói diques de teste para
instalação de testes com ondas em Delft
grandes
Ondas de 4,5 metros de altura rolam ao longo do
canal de quase 300 metros de comprimento. Enormes massas de água, postas em movimento pela
maior máquina de ondas do mundo. Um estrondoso
temporal criado por pessoas, sem vento nem chuva.
As vagas rebentam trovejando no dique erigido no
canal. Será que ele aguenta? Que forças atuam
onde? Será que é possível melhorar a resistência por
meio de outra composição de areia e pedra? Com
base nos conhecimentos que possui, a Deltares
mede, analisa e aconselha países costeiros em todo
o mundo no que diz respeito à proteção contra catástrofes naturais e cheias. O Instituto de Pesquisa
holandês está a construir em Delft um novo canal de
ondas para, com base em ondas artificiais, poder
testar diques e quebra-mares sob condições realistas. Não só o próprio canal, mas também o pórtico
rolante necessário para a instalação constitui uma
espetacular produção especial. O parceiro de construção de pontes rolantes holandês da STAHL
CraneSystems, a CraneBuilders, pôs a ponte rolante
especial em funcionamento ainda no outono de
2014. A inauguração festiva da instalação de testes
está prevista para o verão de 2015. >>>
REVISTA 16
7
Para construir os diques de teste, a Deltares utiliza um
pórtico rolante especialmente criado para esse efeito e
que pode ser deslocado a todo o comprimento do tanque.
Uma das tarefas do mesmo é – por meio de uma garra –
colocar com precisão areia e pedra no canal. Da sua
cabine deslocável, o condutor do pórtico rolante pode ver
sempre tudo: tanto a superfície de carga do camião ao lado
do tanque, como o fundo do canal que se encontra cerca
de 20 metros por baixo dele. A construção dos diques de
teste requer um trabalho rápido e exato. A STAHL Crane­
Systems construiu um diferencial de cabo de garra
especialmente para esse fim, com base no SH 6, mas como
TwinDrive: com dois tambores para cabos e dois motores
de elevação, este diferencial de cabo atinge a velocidade
Graças a um novo sistema de passagem do cabo
pelo gorne, em que a polia compensadora não
se encontra entre os diferenciais de cabo, mas sim
na horizontal ao lado deles, a STAHL CraneSystems
pôde reduzir em 30 % a altura de construção, em
comparação com um diferencial de cabo standard.
de elevação pretendida de até 25 m/min. Graças a um novo
sistema de passagem do cabo pelo gorne, em que a polia
compensadora não se encontra entre os diferenciais de
cabo, mas sim na horizontal ao lado deles, a STAHL
CraneSystems pôde reduzir em 30 % a altura de construção, em comparação com um diferencial de cabo standard.
Além disso, o funcionamento com dois diferenciais permite
um movimento controlado, estável, da pá da garra.
Um segundo diferencial de cabo, também situado dentro
do pórtico rolante, serve para colocar pequenos veículos
de construção no fundo do canal. Por meio de controlo
remoto, os dois diferenciais de cabo podem ser acoplados
para funcionamento tandem e operados em sincronia. Isso
é necessário para posicionar a parede limitadora de aço de
20 toneladas, por meio da qual
o tan­que pode ser encurtado para
testes específicos.
Construção invulgar
Este projeto «apenas» requeria capa­
cidades de carga de 12,5 t; no entanto,
ambos os diferenciais tinham que possuir uma classificação elevada (FEM
3m). No que diz respeito ao diferencial
auxiliar, não era possível satisfazer
essa exigência com a altura de cons­
trução pretendida e um carro de
translação de um carril utilizando um
diferencial standard. Assim, a CraneBuilders optou por um diferencial de
cabo AS 7 e encarregou a STAHL
CraneSystems de conceber um carro
de translação de um carril especial,
de modo a que o diferencial de cabo
pudesse combinar dimensões
compactas com uma classificação
supe­rior.
Pórtico rolante à medida
Ao calcularem as dimensões, os cons­
trutores da CraneBuilders de­mons­
traram grande capacidade de planeamento: o pórtico rolante tinha que
passar nos portões de entrada do
pavilhão de manutenção e, simultaneamente, ser suficientemente alto
para – por baixo dele – caber o con­
tentor-laboratório que, em testes,
pode ser deslocado independentemente do pórtico rolante, sobre dois
carris interiores ao longo do canal.
Bem equilibrado
Para poder apanhar material a granel
e cargas paralelamente ao canal, a
ponte rolante de um lado do pórtico
possui lanças com um comprimento
superior a 5 metros para os equipamentos de elevação e a cabine do
condutor. Um grande contrapeso no
lado oposto do pórtico rolante
evita a queda da ponte rolante quando
a lança levanta cargas pesadas.
Transporte de pessoas seguro
Para medirem o efeito das ondas, os
cientistas da Deltares colocam sondas
no dique. Com uma plataforma
elevatória «Power Climber» fixada ao
pórtico rolante, eles podem descer
para dentro do canal e atingir a
diferentes alturas as posições
pretendidas sem quaisquer dificuldades. Sensores na parte de baixo do
cesto para transporte de pessoas
interrompem automaticamente o
processo de descida ao haver
contacto com a água. Uma conexão
de segurança impede acidentes com o
contentor-laboratório que passa por
baixo do pórtico rolante, assim como o
funcionamento simultâneo dos
diferenciais de cabo e da plataforma
elevatória. Para evitar erros de
medição dos sensíveis sensores, a
alimentação elétrica do pórtico
rolante e do contentor-laboratório é
efetuada por meio de linhas condutoras a 4 metros de altura.
Gigante modesto
Todos os motores de translação e de
elevação do pórtico rolante são
regulados por frequência e operáveis
com exatidão. O comando da ponte
rolante concebido pela CraneBuilders
leva a energia gerada nos conversores de frequência e nos travões de
volta para a rede, contribuindo assim
para manter reduzido o consumo total
de energia do sistema de ponte
rolante.
Ao serviço da ciência
Construir diques é uma tarefa muito
exigente: o ângulo de inclinação, a
composição do material e a distância
em relação ao mar têm que ser
calculados com exatidão, simulados e
experimentados. Como nação com 26
por cento da superfície abaixo do nível
do mar, a Holanda possui verdadeiros
peritos em termos de construção de
diques. Sob a ameaça do aquecimento
climático e da subida do nível do mar,
o país investe grandes quantias na
investigação costeira e relacionada
com diques. Qual a força exercida
pelas ondas sobre os diques e como
proteger a longo prazo os 400 quiló-
metros de costa da Holanda? O novo canal de testes tem
como objetivo obter novos conhecimentos nessa matéria.
A CraneBuilders e a STAHL CraneSystems sentem-se
orgulhosas de poderem apoiar a Deltares no seu importante trabalho de investigação científica através do seu
pórtico rolante.
Com o simpático apoio de Réne Rohde
e Marco Lindhout, da
CraneBuilders da Holanda
Delft
Holanda
Roterdão
Zonas ameaçadas
por cheias
Bélgica
REVISTA 16
9
Gestão de projeto internacional
Thomas Wöhrle
Isabella Fink
Martin Klossek
Christian Märkle
Hermann Zink
Martin Freudenberger
Da esquerda para a direita:
Produção na fábrica de
Künzelsau para o projeto russo
Yamal LNG
Terminal de GNL na China
Terminal de GNL em Roterdão
A cerca de 150 quilómetros de Künzelsau, na cidadezinha medieval
de Ettlingen, trabalha um departamento altamente especializado
da STAHL CraneSystems: o XSIP. Segue-se uma entrevista com o
Diretor desse departamento, o Senhor Hermann Zink.
Senhor Zink, o que significa XSIP?
Como surgiu o departamento XSIP?
A abreviatura significa Vendas de Exportação / Projetos
Internacionais («Export Sales / Internationale Projekte»).
O nosso departamento executa encomendas de clientes
estrangeiros, mas também participa em projetos alemães
complexos. Dos nossos clientes fazem parte grandes escri­
tórios de engenharia, empresas EPC (Engineering, Pro­
curement and Construction) e construtores de instalações.
Na STAHL CraneSystems sempre houve grandes projetos
complexos e também no passado as coisas funcionaram
bem. Há cerca de 10 anos, Terry Fletcher e eu criámos um
departamento próprio para esses projetos, para permitir
trabalhar pedidos complexos de forma mais estruturada e
profissional. Ao longo dos anos a equipa cresceu e os
clientes internacionais ficaram a conhecer-nos.
Quais são concretamente as suas
tarefas?
Trabalha exclusivamente grandes
encomendas?
Em grandes projetos geralmente são necessários planos e
negociações complicados, antes de ser feita uma encomenda. No entanto, esse trabalho de vendas apenas cons­
titui uma pequena parte do nosso trabalho. A nossa tarefa
principal consiste na execução da encomenda, durante a
qual há um intercâmbio muito intenso com o cliente en­quan­
to a produção vai decorrendo. Nós trabalhamos todos os
passos, desde a fase do pedido, passando pelo planeamento, indo até à encomenda e, por fim, à entrega ao cliente.
Não. Pessoalmente prefiro encomendas com um volume de
300.000 a 500.000 euros. Com essas encomendas, o trabalho ainda é razoável e a concorrência é boa. Em encomendas com esse volume as hierarquias geralmente estão bem
estruturadas, o que facilita o trabalho profissional.
Qual o tamanho do seu departamento?
Ao todo somos seis colaboradores altamente motivados
e altamente qualificados. Cada membro da nossa equipa é
capaz de executar completamente projetos complexos.
Regra geral, cada colaborador acompanha o respetivo pro­
jeto do princípio ao fim e, caso necessário, por exemplo
em negociações de venda, é apoiado por um ou outro elemento da equipa.
Porque é que a sua equipa trabalha
em Ettlingen e não na sede em
Künzelsau?
O nosso negócio diário são os clientes e eles estão em
todo o mundo. Por isso, praticamente tanto faz onde trabal­
hamos. O facto de estarmos em Ettlingen tem motivos
históricos. As pontes rolantes estão no centro da maior
parte das encomendas que trabalhamos e, como a anterior
fábrica de pontes rolantes da STAHL CraneSystems era
aqui em Ettlingen, alguns dos nossos melhores especialistas em pontes rolantes fixaram-se aqui. Se tivéssemos muda­
do para Künzelsau teríamos – eventualmente – perdido esse
know how. Assim, temos o nosso próprio escritório em Ettlin­
gen. Mas claro que temos um intenso intercâmbio com
os departamentos de Construção e Produção em Künzelsau.
REVISTA 16
11
YAMAL
LNG
Produção de gás
com temperaturas exteriores de –50 °C
Na península russa de Yamal
está a ser construída uma das
instalações de GNL mais
ambiciosas de sempre. Numa
região em que, nalguns anos, o
termómetro nunca sobe acima
dos 0 °C, que não é possível de
alcançar por terra e que, geralmente, está coberta de neve, o
Grupo JSC Yamal LNG está a
construir – em cooperação
com a EPC Contractor Technip
francesa – três linhas de liquefação (LNG Trains) em pavilhões parcialmente abertos, não
aquecidos. Essas temperaturas
extremas também constituíram
um desafio para a técnica de
pontes rolantes com proteção
antideflagrante.
1
3
Península de Yamal
Rússia
1 Produção em Künzelsau
2 Equipamento especial: travão de
tambor para cabos
3 Os diferenciais e componentes
de comando encontram-se na
caixa aquecível
4 As aberturas de manutenção
são facilmente acessíveis a partir
do exterior
4
liquefeito
2
Para além da resistência do material,
a STAHL CraneSystems tinha que
garantir a proteção antideflagrante
conforme as diretivas da ATEX. Como
os componentes da técnica de pontes
rolantes só recebem certificação
ATEX até –20 °C e uma recertificação
no renomado Instituto Federal Físico
Técnico da Alemanha (PTB) teria
levado anos, a STAHL CraneSystems
apostou no seu conceito de ponte
rolante resistente a baixas
temperaturas que já tinha dado boas
provas noutras instalações na Rússia.
A ideia é a seguinte: todos os
componentes dos diferenciais e dos
carros de translação são colocados
em caixas e providos de aquecimento.
Por meio de um circuito elétrico de
segurança próprio, a temperatura
dentro das caixas pode ser mantida
acima de –20 °C, de modo que a ponte
rolante está sempre operacional e
possui permanentemente proteção
antideflagrante. Para garantir isso, o
comando da ponte rolante analisa os
valores de diversos sensores de
temperatura antes de a ponte rolante
poder ser posta em funcionamento. As
pontes rolantes, as vigas dos carros
de translação, as cabeceiras das
pontes e o carro foram fabricados a
partir de aço especial de baixa
temperatura P355 NL1. O valor de
resiliência do aço com –50 °C é de
27 joule e foi confirmado em testes
realizados pela empresa. Nestas
condições extremas, aço usual com
um valor de resiliência de 27 joule
com –20 °C ficaria quebradiço.
Para manutenção dos pesados
compressores de gás, a Yamal LNG
precisa de pontes rolantes com uma
capacidade de carga de 100 t nas
instalações de compressão de gás.
Essa capacidade de carga foi
conseguida por meio do dispositivo de
elevação duplo com proteção
antideflagrante AS 7 Z W ex, composto
por dois diferenciais de cabo AS 7
acoplados – diferenciais de cabo da
STAHL CraneSystems robustos,
duradouros e com boas provas dadas
desde há décadas.
Para cargas mais leves e movimentos de elevação mais rápidos, cada
uma das pontes rolantes possui um
diferencial auxiliar da série SH ex, que
também está montado no grande
carro dentro da caixa aquecida.
Os diferenciais especiais para as
duas primeiras pontes rolantes foram
acabados em maio de 2015 em
Künzelsau e, por meio de transporte
pesado, levados para um construtor
de pontes rolantes alemão, onde as
pontes rolantes foram fabricadas,
montadas e testadas. No início do
verão, as pontes rolantes especiais de
GNL serão embarcadas em Hamburgo
e transportadas por mar para Sabetta,
no noroeste da Sibéria. A instalação
de GNL deverá entrar em funcionamento em 2017.
Com o simpático apoio de
Hermann Zink e Christian Märkle,
da STAHL CraneSystems
REVISTA 16
13
16 a 18 de junho de 2014 em Ulaanbaatar, na Mongólia
German-Mongolian
Corporate Days
No verão do ano passado, a STAHL CraneSystems pôde apresentar-se com
um stand nos German-Mongolian Corporate Days, em Ulaanbaatar, na Mongólia.
O evento foi levado a cabo pela Associação de Empresas Alemãs-Mongóis
e pela Sociedade Alemã para a Cooperação Internacional (GIZ), tendo contado
com a presença do Ministro das Finanças de Bade-Vurtemberga, Dr. Nils
Schmid, que, como representante do governo regional, esteve presente no local
com uma delegação de empresários alemães com o objetivo de fomentar
as relações económicas com a Mongólia.
STAHL CraneSystems na Nova Zelândia
No final de 2014 foi vendido o primeiro
diferencial de cabo SH à Nova
Zelândia. A imagem mostra a ponte
rolante de 10 t da Monocrane a
caminho da montagem.
Maratona de Dubai
Também este ano, a equipa da nossa
afiliada em Dubai voltou a participar
na corrida de 10 quilómetros da
«Standard Chartered Dubai Marathon
2015», realizada a 23.01.2015. Desta
vez, quase toda a equipa participou:
apresentaram-se à partida 24 colegas
e parceiros da STAHL CraneSystems.
Com um tempo incrível de 45:16
minutos, Chris Wilson foi o primeiro
da equipa da STAHL CraneSystems a
cortar a meta.
23.01.2015 em Dubai, VAE
Customer
Sales
Meeting
USA
A Customer Sales Meeting em
Charleston decorreu este ano em
descontraída atmosfera de praia.
Nesse evento dedicado aos clientes
da nossa sociedade afiliada, os
parceiros americanos interessados
da área de construção de pontes
rolantes puderam informar-se sobre
os atuais desenvolvimentos de
produtos. Também o programa do
evento dedicado às esposas voltou
a ter grande sucesso.
26 a 29 de abril de 2015 em Charleston, nos EUA
De todo o mundo
Também na Turquia
há procura de
técnica de pontes
rolantes alemã
Há 10 anos que a Parlak Sistem, parceira da STAHL
CraneSystems, fornece sistemas de pontes rolantes à
indústria turca. Nos últimos anos, a Parlak pôde criar uma
boa rede de construtores de pontes rolantes turcos. Ainda
há pouco tempo, a Parlak Sistem instalou um sistema de
ponte rolante num grande produtor turco de papel – sistema
esse fabricado na Turquia e equipado com diferenciais e
componentes de pontes rolantes da STAHL CraneSystems.
Com uma humidade do ar de até 90 por cento e temperaturas ambiente até +50 °C, o sistema não seria possível com
técnica de pontes rolantes standard. A STAHL CraneSystems
realizou assim o sistema de ponte rolante como versão especial com armários de distribuição climatizados. Além disso,
havia que considerar diversas exigências relativamente à
duração de utilização: as pontes rolantes de produção
trabalham 16 horas por dia, 7 dias por semana, pelo que foram
equipadas com dois diferenciais de cabo de alta classificação modelo SH com 20 t de capacidade de carga cada.
O contacto com o produtor de papel, com 6 locais de
implantação na Turquia e mais de 1.200 empregados, foi
estabelecido na feira WIN em Istambul, na qual a Parlak
Sistem estava representada com um stand próprio.
22 a 25.04.2015 em Xangai, na China
Chain Hoist Partner Meeting China
Em abril teve lugar o encontro deste
ano de parceiros de diferenciais de
corrente da nossa afiliada chinesa.
Assim, 10 parceiros de diferenciais
de corrente bem-sucedidos foram
convidados para Guilin. Jürgen
Klemke, gerente da STAHL CraneSystems (Xangai) elogiou a boa
cooperação que, no ano passado,
levou a grandes progressos em
termos de vendas de diferenciais
de corrente na China.
REVISTA 16
15
Fornecimento com luzes azuis
comprida
da mais
FACTOS
Construtor de pontes rolantes:
Mitau Steel, parceiro da
STAHL Crane Systems, Letónia
Cliente final: Bucher Municipal Ltd.
Sistema de ponte rolante:
2 gruas-ponte de uma viga
Capacidade de carga máxima: 3.200 kg
Amplitude: 28,36 m
Diferenciais: SH 3008-20 4/1 L2
Classificação: FEM M5
Altura de elevação: 5,06 m (máx. 6 m)
Controlo remoto por rádio:
HBC Radiomatic
Alimentação elétrica: Vilma S.A.S
Ventspils
Riga
Jelgava
Letónia
Em novembro de 2014, a Mitau
Steel apresentou a sua oferta
para duas novas pontes rolantes. Depois disso houve que
esperar e ter paciência! Finalmente, dois meses antes da
conclusão do novo pavilhão da
Bucher Municipal, chegou a
encomenda. Teve então que
ser tudo muito rápido e conseguiu-se isso: a Mitau Steel
teve 10 dias entre o fornecimento dos CraneKits na fábrica de pontes rolantes de Jelgava na Letónia e a montagem
no cliente final. E tudo resultou: «As pontes rolantes
deixaram a nossa fábrica às 16
horas e à meia-noite estava
tudo instalado e operacional»,
relata Janis Avotnieks da
Mitau Steel.
ponte rolante da Mitau Steel
Para o parceiro letão da STAHL
CraneSystems construtor de pontes
rolantes foi um projeto empolgante,
conta Janis Avotnieks: «Trata-se de
pontes rolantes standard, mas com
28,5 metros de amplitude eram as
mais compridas que já alguma vez
fabricámos.» Equipadas com
diferenciais de cabo modelo SH com
uma capacidade de carga de 3.200 kg
cada, os sistemas de pontes rolantes
foram instalados no novo pavilhão de
produção da Bucher Municipal Ltd.,
uma filial do Grupo suíço Bucher. Na
fábrica da Letónia serão produzidas
peças para máquinas para limpeza de
ruas. «A empresa Bucher é muito
exigente em termos de qualidade, pelo
que tínhamos que provar ser os
melhores para essa tarefa», diz Janis
Avotnieks e conta como isso resultou:
«Convidámos o cliente a visitar a
nossa fábrica, para mostrar o alto
nível do nosso trabalho. Na nossa
Produção pudemos apresentar pontes
rolantes modernas e de alta qualidade
técnica. Tínhamos aqui vários
CraneKits interessantes da STAHL
CraneSystems e pudemos mostrar –
com base em pontes rolantes atuais
– como soldamos as vigas. Foi uma
guerra de preços difícil, mas a STAHL
CraneSystems foi escolhida devido à
sua excelente qualidade que se
adequava bem à alta exigência de
qualidade do cliente e ao bom
equipamento da nova fábrica»,
comentou Avotnieks.
O transporte pesado até Ventspils,
a 200 quilómetros de distância,
constituiu um grande desafio, mas
correu sem problemas graças ao bom
planeamento e à escolta da polícia. A
montagem por autogrua foi efetuada
rapidamente e satisfazendo
totalmente o cliente. «A Bucher
elogiou-nos pelo bom processamento
das pontes rolantes e pelos nossos
fornecimento e montagem pontuais e
profissionais. Estamos certos de que
as pontes rolantes – que serão postas
em funcionamento no dia 1 de junho –
darão boas provas também ao serem
utilizadas diariamente», diz o
colaborador da área de Vendas da
Mitau Steel. Entretanto, a Mitau Steel
trabalha já no próximo projeto
empolgante: duas pontes rolantes de
10 t dos tempos da União Soviética
devem ser modernizadas de modo a
tornarem-se pontes rolantes da classe
premium – naturalmente com com­
ponentes da STAHL CraneSystems.
Com o simpático apoio de
Janis Avotnieks, da Mitau Steel
REVISTA 16
17
Innokran constrói ponte rolante de 100 t com comando especial
grande,
Extremamente
especialmente
pesada
Extremamente grande, especialmente pesada: a empresa de transportes Kübler, de Michelfeld, armazena e transporta, o que requer
muito espaço e soluções logísticas especiais. Com vários pavilhões,
a central em Schwäbisch Hall é um terminal numa zona estrategicamente bem situada que oferece muito espaço para armazenamento, montagem, acabamento e embalamento. Ainda há pouco
tempo um dos pavilhões foi aumentado e reequipado com uma nova
ponte rolante que pode levantar cargas de até 100 toneladas. Como
o caminho de rolamento existente tinha sido originalmente concebido apenas para cargas até 25 t e também no futuro só no novo
anexo do pavilhão é que o caminho de rolamento está projetado
para uma capacidade de carga de 100 toneladas, era necessário um
comando de ponte rolante especial e o cumprimento de rigorosas
prescrições de segurança. A Innokran concebeu a ponte rolante e o
comando correspondente e a STAHL CraneSystems forneceu o
diferencial e os componentes da ponte rolante.
A análise do caminho de rolamento e da estática otimizada indicou uma carga
máxima admissível de 63 t no pavilhão já existente reforçado, mas só em
determinadas áreas do pavilhão. Por esse motivo, o pavilhão foi dividido em
largura em três áreas. Na área central, a capacidade de carga máxima é de 63 t,
junto a ela 40 t e na parte externa 32 t. Isso é possível, entre outros motivos,
devido à utilização de cabeceiras de ponte acopladas que distribuem a carga
por quatro rodas por cada caminho de rolamento. No futuro, a empresa de
transportes pode utilizar a capacidade de carga máxima da ponte rolante de
100 t no anexo, no caminho de rolamento concebido de forma correspondente.
Como é que a ponte rolante sabe que carga pode levantar
em que área?
32 t, 40 t, 63 t, 100 t – a capacidade de carga máxima
admissível varia consoante a área do pavilhão em que a
carga é levantada. Após o reforço do caminho de
rolamento, o pavilhão é dividido num total de sete áreas de
capacidade de carga. Para poder operar com segurança
uma ponte rolante assim, o comando tem que cumprir o
elevado Performance Level D. Assim, há vários sistemas
redundantes ativos para monitoração: o comando adicional
criado pela Innokran – ligado ao comando da STAHL
CraneSystems – está baseado num CLP sem erros. A análise
da capacidade de carga é efetuada tanto pelo multicontrolador SMC 22 da STAHL CraneSystems como pelo CLP.
Dois lasers de distância com uma precisão milimétrica
apuram a posição do carro e um sensor indutivo sem erros
determina a área do caminho de rolamento. Um indicador
de carga no comando da ponte rolante que indica a
capacidade de carga atual admissível, assim como um
indicador de carga no diferencial que apresenta a carga
real servem para controlo. Como dispositivo de elevação, a
Innokran utiliza um diferencial geminado AS 7 da STAHL
CraneSystems. A combinação de dois diferenciais AS 7 de
boas provas dadas é ideal para a utilização no pavilhão de
logística pela sua elevada capacidade de carga e pelas
dimensões compactas que apresenta.
Em março, a ponte rolante teve a sua primeira utilização
importante, quando foram carregados dois grandes
transformadores.
Com o simpático apoio de Christoph Fischer, da Innokran
REVISTA 16
19
Copiar, preencher, enviar por fax
Firma
Nome
Departamento
Endereço
Telefone
Fax
O diferencial de cabo SH
Volume: 24 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
RU
ZH
O CraneKit para construtores
de pontes rolantes
Volume: 18 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
Der Seilzug AS7
10.2 011
O diferencial de cabo AS 7
Volume: 24 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
ZH
Kompetenz im Explosionsschutz
Competência em proteção
antideflagrante
Volume: 28 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
RU
ZH
Die Winde SW
O guincho SW
Volume: 14 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
ZH
Die Engineeringlösung LNG
05.2015
Das CraneKit für Kranbauer
12.2012
04.2013
Die Krankomponenten
Os componentes de pontes
rolantes
Volume: 24 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
04.2 014
O diferencial de corrente ST
Volume: 28 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
RU
ZH
12.2012
04.2014
O diferencial de corrente SC
Volume: 18 páginas
DE
EN
ES
FR
NL
PT
RU
ZH
Der Seilzug SH
05.2011
Der Kettenzug ST
12.2012
Der Kettenzug SC
A solução de engenharia GNL
Volume: 16 páginas
DE
FR
EN
NL
ES
PT
DE: alemão, EN: inglês, ES: espanhol, FR: francês, NL: neerlandês, PT: português, RU: russo, ZH: chinês
www.stahlcranes.com
STAHL CraneSystems GmbH
Daimlerstr. 6, 74653 Künzelsau, Alemanha, Tel +49 7940 128-0,
Fax +49 7940 55665, [email protected]
Imprimido na Alemanha
Material informativo
F-KD-016-PT-06.15-vis
visuell.de
Fax para +49 7940 128-2300

Documentos relacionados

Projetos internacionais - STAHL CraneSystems GmbH

Projetos internacionais - STAHL CraneSystems GmbH Gestão de Projetos Internacionais (IP)

Leia mais

Os componentes de pontes rolantes

Os componentes de pontes rolantes disposição a série SH variada em cinco tamanhos com 26 variantes de capacidade de carga. A faixa de capacidade de carga superior até 125.000 kg é coberta pelo modelo AS com boas provas dadas. A gam...

Leia mais

Competência em proteção antideflagrante

Competência em proteção antideflagrante determinantemente o desenvolvimento da técnica de elevação com proteção antideflagrante. Revolucionários e programáticos em muitos campos, sempre abertos para novos aspetos, construímos um tesouro ...

Leia mais