PPC SECRETARIADO EXECUTIVO BILINGUE FAMA ATUALIZADO

Сomentários

Transcrição

PPC SECRETARIADO EXECUTIVO BILINGUE FAMA ATUALIZADO
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Projeto Pedagógico do Curso de Secretariado
Executivo Bilíngue
2013
FAMA
SÃO LUÍS -MA
1
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Ensinar não é transferir conhecimento.
Paulo Freire, 1996.
2
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
FACULDADE ATENAS MARANHENSE - FAMA
CURSO DE GRADUAÇÃO EM SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE
PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE
Projeto
Pedagógico
elaborado
pelo
Núcleo
Docente Estruturante do Curso de Secretariado
Executivo
Bilíngue
da
Faculdade
Atenas
Maranhense.
São Luís / Maranhão
2013
3
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
SUMÁRIO
LISTAS DE FIGURAS E QUADROS ............................................................................................................. 8
ABREVIATURAS E SIGLAS ......................................................................................................................... 9
CAPÍTULO 1 ........................................................................................................................................... 11
1. APRESENTAÇÃO............................................................................................................................. 11
1.1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES ................................................................................................... 11
1.2 CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO............................................................................................. 14
CAPÍTULO 2 ........................................................................................................................................... 14
2. MODELO PEDAGÓGICO DO PPC .................................................................................................... 14
2.1 FILOSOFIA INSTITUCIONAL ...................................................................................................... 14
2.2 PRINCÍPIOS GERAIS.................................................................................................................. 15
2.3 PRINCÍPIO SER EDUCADOR ...................................................................................................... 16
2.4 BSC ACADÊMICO DOS CURSOS................................................................................................ 16
2.5 CAMPOS DE ATUAÇÃO ............................................................................................................ 19
2.6 CONCEITOS ACADÊMICOS ....................................................................................................... 19
2.7 DEFINIÇÃO DE CONHECIMENTO ............................................................................................. 20
2.8 DEFINIÇÃO DE COMPETÊNCIA ................................................................................................. 24
2.9 DEFINIÇÃO DE HABILIDADES ................................................................................................... 27
2.10 ORGANIZAÇÃO E CONSTRUÇÃO DAS DISCIPLINAS ............................................................... 28
2.11 DISCIPLINAS INTERATIVAS OU SEMIPRESENCIAIS ................................................................. 31
2.12 PORTAL UNIVERSITÁRIO (PU) – AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM ........................... 33
2.14 AULAS ESTRUTURADAS ......................................................................................................... 34
2.15 ESTUDOS DIRIGIDOS.............................................................................................................. 35
CAPÍTULO 3 ........................................................................................................................................... 37
3. PRÁTICAS ACADÊMICAS DO PPC: ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA ................................. 37
3.1 CONTEXTO EDUCACIONAL DO CURSO .................................................................................... 37
4
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Educação ....................................................................................................................................... 39
3.2 POLÍTICAS INSTITUCIONAIS NO ÂMBITO DO CURSO .............................................................. 40
3.3 OBJETIVOS DO CURSO ............................................................................................................. 42
3.4 PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO ........................................................................................ 44
3.5 ESTRUTURA CURRICULAR........................................................................................................ 44
3.6 CONTEÚDOS CURRICULARES................................................................................................... 48
3.7 METODOLOGIA........................................................................................................................ 49
3.8 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ............................................................................... 50
3.9 ATIVIDADES COMPLEMENTARES AO ENSINO - ACE ................................................................ 52
3.10 APOIO AO DISCENTE.............................................................................................................. 53
3.12 AÇÕES DECORRENTES DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO .................................... 57
3.13 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO – TICS – NO PROCESSO ENSINOAPRENDIZAGEM ............................................................................................................................ 58
3.14 PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM............... 59
3.15 NÚMERO DE VAGAS .............................................................................................................. 60
CAPÍTULO 4 ........................................................................................................................................... 61
4. ATORES DO PPC: CORPO DOCENTE E TUTORIAL ........................................................................... 61
4.1 ATUAÇÃO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE – NDE ...................................................... 61
4.2 ATUAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO ............................................................................. 62
4.4 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL, DE MAGISTÉRIO SUPERIOR E DE GESTÃO ACADÊMICA DO
COORDENADOR............................................................................................................................. 63
4.5 REGIME DE TRABALHO DO COORDENADOR ........................................................................... 64
4.6 CARGA HORÁRIA DE COORDENAÇÃO DO CURSO ................................................................... 64
4.7 TITULAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO ......................................................................... 64
4.8 REGIME DE TRABALHO DO CORPO DOCENTE DO CURSO....................................................... 65
4.9 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL DO CORPO DOCENTE ................................................................ 65
4.11 EXPERIÊNCIA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR DO CORPO DOCENTE .......................................... 65
5
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
4.13 FUNCIONAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO ..................................................................... 65
4.14 PRODUÇÃO CIENTÍFICA, CULTURAL, ARTÍSTICA OU TECNOLÓGICA ..................................... 67
CAPÍTULO 5 ........................................................................................................................................... 67
5. CENÁRIOS DO PPC: INFRA-ESTRUTURA......................................................................................... 67
5.1 GABINETES DE TRABALHO PARA PROFESSORES EM TEMPO INTEGRAL (TI) ........................... 67
5.2 ESPAÇO DE TRABALHO PARA COORDENAÇÃO DO CURSO E SERVIÇOS ACADÊMICOS........... 67
5.3 SALA DE PROFESSORES............................................................................................................ 68
5.4 SALAS DE AULA ........................................................................................................................ 68
5.5 ACESSO DOS ALUNOS A EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA ................................................. 69
5.6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA/COMPLEMENTAR................................................................................ 69
9 – TÉCNICAS SECRETARIAIS 120H ............................................................................................... 73
Bibliografia Básica: ....................................................................................................................... 74
Bibliografia Básica: ....................................................................................................................... 74
NASCIMENTO, Luís Felipe. Gestão Ambiental e Sustentabilidade. Florianópolis: Departamento de
Ciências da Administração/UFSC; Brasília: CAPES: UAB, 2008...................................................... 82
5.8 PERIÓDICOS ESPECIALIZADOS ................................................................................................. 87
REVISTA DIGITAL DA SECRETÁRIA EXECUTIVA ...................................................................................... 87
PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGOCIOS;............................................................................... 87
MELHOR: GESTÃO DE PESSOAS..................................................................................................... 87
LIDERANÇA .................................................................................................................................... 87
GESTÃO EMPRESARIAL. ................................................................................................................. 87
CAPÍTULO 6 ........................................................................................................................................... 88
6. ASPECTOS LEGAIS DO PPC ............................................................................................................. 88
6.1 DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO ............................................................... 88
6.2 DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E
PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA................................... 92
6.3 TITULAÇÃO DO CORPO DOCENTE. .......................................................................................... 92
6
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
6.4 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) .............................................................................. 93
6.7 CARGA HORÁRIA MÍNIMA, EM HORAS – PARA BACHARELADOS E LICENCIATURAS. ............. 94
6.8 TEMPO DE INTEGRALIZAÇÃO. ................................................................................................. 94
6.9 CONDIÇÕES DE ACESSO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E/OU MOBILIDADE REDUZIDA. . 94
6.10 DISCIPLINA DE LIBRAS. .......................................................................................................... 94
6.11 PREVALÊNCIA DE AVALIAÇÃO PRESENCIAL PARA EAD. ........................................................ 95
6.12 INFORMAÇÕES ACADÊMICAS................................................................................................ 95
6.13 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. ................................................................................ 95
CAPÍTULO 7 ........................................................................................................................................... 97
7. REFERENCIAIS TEÓRICOS DO PPC.................................................................................................. 97
7
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
LISTAS DE FIGURAS E QUADROS
FIGURAS
Figura 1 - Quatro Pilares da Educação. ................................................................................................. 20
Figura 2 - Competência ......................................................................................................................... 25
QUADROS
Q. 1 - Quadro 2.4 BSC ACADÊMICO do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue............................... 17
Q. 2. Quadro 3.2.1 – O PDI e as políticas de ensino do Curso............................................................... 40
Q. 3. Quadro 3.2.2 – O PDI e as políticas de extensão do Curso........................................................... 42
Q. 4. Quadro 4.1 – Composição do NDE. .............................................................................................. 61
Q. 5. Quadro 4.2. – Perfil do coordenador do curso. ............................................................................ 62
Q. 6. Quadro 4.7 – Titulação do corpo docente do curso. .................................................................... 64
Q. 7. Quadro 4.13 – Componentes do Colegiado do curso. .................................................................. 66
Q. 8. Quadro 5.8 – Relação dos periódicos especializados, indexados e correntes disponibilizados para
as principais áreas do curso. ................................................................................................................. 87
Q. 9. Quadro 6.3 – Titulação do corpo docente do curso – lato sensu e stricto sensu. ....................... 92
Q. 10. Quadro 6.4 – Composição do NDE do curso............................................................................... 93
Q. 11. QUADRO 6.7 – Descrição da carga horária do curso. ................................................................. 94
8
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
ABREVIATURAS E SIGLAS
ACE – Atividades Complementares ao Ensino
Art. – Artigo
AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem
BSC – Balanced Score Card
CA – Centro Acadêmico
CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
CC – Conceito do Curso
CEP – Comitê ou Comissão de Ética em Pesquisa
CES – Câmara e Educação Superior
CMC – Ciências Moleculares e Celulares (disciplina)
CNE – Conselho Nacional de Educação
CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
CONAES – Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior
CONSUL – Conselho Superior da Instituição
CP – Conselho Pleno
CPA – Comissão Própria de Avaliação
CPC – Conceito Preliminar do Curso
CST – Curso Superior de Tecnologia
DCN – Diretrizes Curriculares Nacionais para Cursos de Graduação
DOU – Diário Oficial da União
EAD – Ensino à Distância
EDs – Estudos Dirigidos
ENADE – Exame Nacional do Desempenho Docente
EPS – Ética, Política e Sociedade (disciplina)
FAPERGS – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul
FIES – Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior
FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos
FIS – Formação Integral em Saúde
HCS – Homem, Cultura e Sociedade (disciplina)
IDH – Índice de Desenvolvimento Humano
IES – Instituição de Ensino Superior
INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira
LIBRAS – Linguagem Brasileira de Sinais
MEC – Ministério da Educação e Cultura do Brasil
MF – Ciências Morfofuncionais (disciplina)
MS – Ministério da Saúde do Brasil
NDE – Núcleo Docente Estruturante
NED – Núcleo de Estudos Dirigidos
OMS – Organização Mundial da Saúde
PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional
PEC – Planejamento Estratégico do Curso
PIB – Produto Interno Bruto
PPC – Projeto Pedagógico do Curso ou Projeto Político Pedagógico do Curso
PPI – Projeto Pedagógico Institucional
PROMUNI – Programa Municipal Universidade para Todos
9
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
PROUNI – Programa Universidade para Todos
PU – Portal Universitário
S.A. – Sociedade Anônima
SAA – Setor de Atendimento ao Aluno
SDI/MD – Secretaria Especial de Desenvolvimento Industrial do Ministério do Desenvolvimento
Industrial
SESU – Secretaria de Educação Superior do MEC
SICP – Sala Integrada de Coordenadores e Professores
SISCON – Sistema de Conteúdos
SRA – Setor de Registro Acadêmico
SRD – Setor de Registro de Diplomas
SUS – Sistema Único de Saúde
TCC – Trabalho de Conclusão de Curso
TIC – Tecnologia de Informação e de Comunicação
WEB – “World Wide Web”: “rede de alcance mundial”, também conhecida como Web ou WWW
10
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CAPÍTULO 1
1. APRESENTAÇÃO
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA entende que refletir sobre o Projeto Pedagógico do Curso PPC de Secretariado Executivo Bilíngue é pensá-lo no contexto da sociedade e nas relações com o
país. Nos dias atuais de crise e busca da superação é importante inovar, repensar, fazer rupturas,
criar uma nova formulação dos vínculos entre educação e sociedade para orientar o trabalho
teórico/prático e as decisões políticas institucionais. Neste cenário, se torna necessário que o curso
de Secretariado Executivo Bilíngue, permanentemente, busque desafios para a própria superação.
O Curso de Graduação em Secretariado Executivo Bilíngue tem seu PPC construído coletivamente e
implementado no curso por meio do seu Núcleo Docente Estruturante – NDE que acompanha a sua
consolidação em consonância com o colegiado do curso, seu corpo docente e discente, centrado no
aluno como sujeito da aprendizagem e apoiado no professor como facilitador e mediador do
processo ensino-aprendizagem.
Buscou-se conceber um PPC próprio que é dinâmico e pode ser revisto e alterado em função das
normas legais de ensino, da proposta pedagógica da instituição, das necessidades do mercado de
trabalho e de outros aspectos que se refiram à melhoria de sua qualidade.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue tem presente que para ter perenidade deve ser um
espaço permanente de inovação, onde a aprendizagem, o ensino, a atualização do projeto
pedagógico, o perfil do profissional, as competências e habilidades, os conteúdos (conceituais,
procedimentais e atitudinais), as disciplinas (unidades curriculares, temas e conteúdos), as matrizes
curriculares, as metodologias de ensino, as atividades de aprendizagem, o processo de avaliação e a
extensão encontrem espaços para discussões e, consequentemente, revisão de paradigmas,
mudança de modelos mentais e de hábitos e culturas.
Almeja-se com este PPC que fique evidenciado o desejo de proporcionar aos alunos uma formação
prática, realista, cidadã e solidária com as necessidades do meio, de preparar profissionais
pensantes, críticos, competentes, éticos, reflexivos e criativos realizando a sua essência, por meio do
ensino e extensão e, por interferência regional e nacional, por meio de um currículo flexível que
permite eleger, reformular e ampliar a formação do profissional egresso delineado.
1.1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES
a) Nome da mantenedora: Centro de Ensino Atenas Maranhense - CEAMA
Endereço: Rua Santa Rua Santa Madalena Sofia, nº 25 – Bairro Cidade Jardim.
CEP: 30.380-650 – Belo Horizonte MG.
Fone: (31) 2126-0820 - E-mail: [email protected]
b) Nome da IES: Faculdade Atenas Maranhense - FAMA
Endereço: Av. São Luís Rei de França - nº 32; Bairro: Turu. CEP 65065 – 470
11
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
• Portaria Ministerial de Credenciamento: Portaria nº 221 de 23 de fevereiro de 2000,
publicada em 25 de fevereiro de 2000.
c) Perfil da IES: A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA é uma Instituição de Ensino Superior,
constituída sob a forma de sociedade civil de direito privado, de natureza educacional e
cultural, por iniciativa do Centro de Ensino Atenas Maranhense – CEAMA.
d) Missão da IES: Fomentar, construir e disseminar o conhecimento e os valores da vida,
preparando cidadãos conscientes, com formação humanística, éticas e responsabilidades
profissionais e sociais, através de um processo acadêmico que privilegie a transformação e
informação em conhecimento, utilizando talentos humanos e tecnologia avançada.
e) Dados socioeconômicos da região:
São Luís, capital do Maranhão, localizado ao norte, ocupa uma área de 828,01 km², que corresponde
a 0,2492% do Estado, 0,0532% da região Nordeste e 0,0097% do território nacional.
Segundo o último levantamento de dados do IBGE, São Luís possui o PIB de R$15,3 bilhões, sendo,
assim, a 10ª economia nacional entre os mais de 5.560 municípios brasileiros, com investimentos de
R$ 378 bilhões no país, crescimento de 84% nos últimos quatro anos. A indústria de petróleo e gás
não somente tem se expandido, como também tem favorecido o surgimento de diversos negócios
para micro e pequenas empresas.
A capital maranhense tem um desenvolvido setor industrial por conta de grandes corporações e
empresas de diversas áreas que nela se instalaram por sua privilegiada posição geográfica entre as
regiões Norte e Nordeste do país. Além disso, seu litoral, estrategicamente localizado bem mais
próximo de grandes centros importadores de produtos brasileiros como Europa e EUA, permite
economia de combustíveis e redução no prazo de entrega de mercadorias provenientes do Brasil
pelo porto de Itaqui, um dos mais movimentados, sofisticados e bem estruturados para o comércio
exterior no Brasil. Toda essa infraestrutura, aliada à ligação por linha férrea de São Luís ao interior do
estado e aos estados vizinhos do Pará, Tocantins e Piauí, facilita e barateia a escoação agrícola vinda
do interior do país para o porto supracitado. Com a conclusão da Ferrovia Norte-Sul, a cidade estará
interligada a todas as regiões brasileiras (NO, NE, CO, SE e S) por ferrovias e por rodovia – a ilha já é
servida pela BR-135 que a liga ao continente – e por conta com o Aeroporto Internacional Marechal
Cunha Machado, com capacidade de atender a mais de um milhão de passageiros por ano. O
aeroporto, contudo, já opera com demanda quase saturada pelo movimento intenso de passageiros
para São Luís e para o maior e o mais movimentado próximo ao Parque Nacional, os Lençóis
Maranhenses.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense (FAMA) está inserido
numa região que passa por um momento de crescimento econômico e de mudanças. Segundo dados
da Secretaria Estadual de Educação, a Grande São Luís conta com mais de 135 mil alunos no Ensino
Médio e cerca de 17 mil em cursos técnicos.
A partir desses e de outros aspectos, a FAMA assume o compromisso com a educação superior de
qualidade, na busca da excelência educacional, introduzindo significativas alterações no Projeto
Pedagógico do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue, para mantê-lo sempre atualizado e
desenvolver o perfil desejado do egresso. Assim, busca-se formar o profissional competente, ético,
empreendedor e responsável.
12
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
f) Breve histórico da IES
A FAMA foi credenciada através da Portaria Ministerial nº 221/MEC, de 23 de fevereiro de 2000,
tendo sido inaugurada em 1º de março de 2000, iniciando suas atividades acadêmicas em 13 de abril
do mesmo ano.
Os idealizadores da FAMA, convictos de que, através da educação, do domínio do conhecimento e da
formação para a cidadania, pode-se garantir ao indivíduo a oportunidade e o direito de alcançar a
sua realização plena, impulsionando assim o desenvolvimento da sociedade, propuseram-se ao
desafio de implantar em São Luís uma Instituição de Ensino Superior capaz de preencher, com
qualidade, lacunas observadas no quadro de oferta de educação superior no Estado.
Existiam, até então, duas universidades públicas, junto a duas IES privadas, incapazes de atender
sozinhas ao quantitativo e à diversificação de vagas aspiradas pela massa de jovens que buscavam
formação em nível superior. Nesse espaço, pôde se inscrever o projeto educacional da FAMA,
voltado para contribuir no resgate do compromisso social de dar resposta à demanda por
oportunidades de formação e de inserção no mundo do trabalho, no sentido da consolidação das
bases da democracia, da cidadania e do desenvolvimento do Maranhão.
Áreas oferecidas no âmbito da graduação:
ADMINISTRAÇÃO reconhecido pela Portaria Ministerial nº1255, de 13/05/2004,obtendo os seguintes
conceitos: Dimensão 1- Organização Didático- Pedagógica – CMB; Dimensão 2- Corpo Docente – CMB
e Dimensão 3 –Instalações Físicas – CMB;
TURISMO, reconhecido pela Portaria Ministerial nº1256, de 13/05/2004, obtendo os seguintes
conceitos: Dimensão 1 – Organização Didático – Pedagógica –CMB, Dimensão 2 –Corpo Docente –CB
e Dimensão 3 –Instalações Físicas – CMB;
SECRETARIADO EXECUTIVO BILINGUE, reconhecido pela Portaria Ministerial nº1258, de 13/05/2004,
obtendo os seguintes conceitos; Dimensão 1 – Organização Didático Pedagógica –CMB, Dimensão 2 –
Corpo Docente –CB e Dimensão 3 – Instalações Físicas CMB;
CIÊNCIAS CONTÁBEIS, reconhecido pela Portaria Ministerial nº1257, de 13/05/2004, obtendo os
seguintes conceitos: Dimensão 1 – Organização Didático- Pedagógica – CB, Dimensão 2 – Corpo
Docente –CB e Dimensão 3 –Instalações Físicas – CMB;
LETRAS COM HABILITAÇÃO EM PORTUGUES E LITERATURA DA LINGUA PORTUGUESA, reconhecido
pela Portaria Ministerial nº1261, de 13/05/2004, obtendo os seguintes conceitos; Dimensão 1 –
Organização Didático – Pedagógica- CB, Dimensão 2 –Corpo Docente – CR e Dimensão 3 – Instalações
Físicas – CMB;
SERVIÇO SOCIAL – autorizado pela Portaria Ministerial nº 1.788 de 27/10/2010;
TECNÓLOGO EM REDES DE COMPUTADORES – autorizado pela Portaria nº 284 de 15/12/2010;
TECNÓLOGO EM LOGÍSTICA – autorizado pela Portaria Ministerial nº 292 de 15/12/2010.
Em 18 de julho de 2011 a FAMA foi adquirida pela Kroton. Em dezembro de 2011 a Kroton torna-se
um dos maiores grupos de ensino superior do Brasil e o 6° maior do mundo, com a Associação com a
Universidade Norte do Paraná – Unopar, com sede no município de Londrina – Paraná, presente em
422 cidades, por meio de seus 469 polos de EaD e 5 campi presenciais.
13
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Em março de 2012, a Kroton adquire o Grupo Uniasselvi - Associação Educacional Leonardo Da Vinci.
Com esta operação a Companhia se torna mais completa, principalmente no Ensino a Distância.
Juntas, a Kroton e a Uniasselvi tornam-se a maior companhia do setor de educação brasileiro, em
número de alunos.
Atualmente, no Ensino Superior, a Kroton conta com mais de 50 campi de Ensino Presencial e
presença em mais 400 localidades por meio do EaD, o que a consolida como uma instituição de
escala nacional, com capacidade continuada de expansão e desenvolvimento para seus alunos e
colaboradores. Hoje são mais de 400 mil alunos de Ensino Superior, sendo mais de 250 mil em Ensino
a Distância e mais de 160 mil em Ensino Presencial.
1.2 CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO
a) Nome do curso: Curso de Secretariado Executivo Bilíngue – Bacharelado
b) Endereço de funcionamento do curso: Av. São Luís Rei de França - nº 32; Bairro: Turu. CEP
65065 – 470
c) Atos legais:
• Portaria Ministerial de Autorização: nº 890, de 23/06/2000
• Portaria Ministerial de Reconhecimento: nº 1258, de 13/05/2004
d) Número de vagas autorizadas: 100
e) Turno de funcionamento do curso: Matutino/Noturno
f) Carga horária total do curso: 2.400 horas (Duas mil quatrocentas), sendo 1.920 teóricas, 270
horas de atividades complementares e 140 de estágio supervisionado obrigatório.
g) Tempo mínimo para integralização: 7 semestres
h) Tempo máximo para integralização: 13 semestres
CAPÍTULO 2
2. MODELO PEDAGÓGICO DO PPC
2.1 FILOSOFIA INSTITUCIONAL
O marco referencial da construção deste modelo pedagógico proposto por Fava (2011) para a
Faculdade Atenas maranhense nasceu da resposta ao forte questionamento que se colocou:
"em que medida, enquanto IES democrática, é possível efetivamente colaborar para a
construção do novo homem e da nova sociedade?"
No seu livro Educação 3.0, Fava (2011) afirma que uma grande movimentação marcada por
profundas mudanças nas expectativas e demandas educacionais é apresentada na atualidade. O
avanço e o uso de tecnologias de informação e a velocidade das comunicações repercutem na forma
14
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
de convivência social, na organização do trabalho e na formação profissional. Os atuais rumos da
economia confrontam o Brasil com o problema de competitividade para o qual a existência de
profissionais qualificados é condição indispensável. Diante disso, se amplia o reconhecimento da
importância da educação e, consequentemente, maior é o desafio para as instituições de ensino
superior.
Na elaboração da filosofia institucional, foi amplamente discutida a realidade na qual a instituição
está inserida. A localização na América Latina, no Brasil, no Estado, características sociais, ecológicas,
culturais e econômicas, os elementos estruturais que condicionam a instituição e seus agentes e que
pesaram na decisão da implantação na Faculdade Atenas Maranhense – FAMA.
A filosofia da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA é comprometida com uma concepção
progressista onde predomina o ensino de qualidade, a formação crítica do profissional em relação à
sociedade e compreensão do papel que lhe é inerente, para que possa analisar e contribuir na
discussão dos problemas regionais e nacionais. Fica explicitado também, o compromisso com a
formação do homem e com o desenvolvimento social, científico e tecnológico e acredita-se que é
preciso articular a formação científica – profissional e a formação ética- política-estética.
A filosofia tem caráter transformador, pois tem o compromisso não só com o profissional
competente e crítico, mas com um homem cidadão intelectual, pois além da dimensão humana, é
um indivíduo capaz de criar formas de compreensão, de equacionar e solucionar problemas nas
esferas pessoal e social.
Além da preparação de indivíduos para o mercado, Faculdade Atenas Maranhense – FAMA tem em
sua filosofia a preocupação da preparação do indivíduo que busque reflexivamente e, em ações, a
solução de problemas imediatos da sociedade, se constituindo num espaço privilegiado da
transformação e conservação do saber, onde se exercita a reflexão, o debate e a crítica, tendo como
proposta explícita a liberdade, a igualdade, a autonomia de direitos, a democracia, a cidadania, a
humanização, e a sua existência social.
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA explicita, em sua proposição de filosofia, a vinculação do
seu Projeto Global de Instituição de Ensino Superior a um Projeto de Sociedade, que busca
constantemente uma identificação com a região, levantando aspectos do meio geográfico, social e
político regional que são determinantes dos objetivos e da identidade da instituição.
2.2 PRINCÍPIOS GERAIS
A identidade da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA é construída continuamente, a partir de
princípios éticos-políticos, epistemológicos e educacionais. Os princípios éticos-políticos que
embasam o planejamento e as ações institucionais refletem-se nos valores e atitudes da comunidade
acadêmica, nas atividades de ensino, nas relações entre as pessoas e destas com o conhecimento.
Esses princípios, entre outros são:
I.
II.
O respeito ao ser humano, entendendo-o como cidadão integrante da sociedade, portador
de direitos e deveres;
O respeito às diversidades de pensamento e ideologias, como possibilidades de crescimento
individual e social;
15
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
III.
IV.
O compromisso com as finalidades e objetivos da instituição, considerando a atividade fim,
educação, acima de qualquer interesse particular;
A busca constante da qualidade institucional através da qualidade de seus elementos
humanos, de sua estrutura organizacional e de seus programas de ação.
2.3 PRINCÍPIO SER EDUCADOR
A instituição adota o denominado PRINCÍPIO SER EDUCADOR, o qual norteia as ações de todos os
colaboradores da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, pois a instituição acredita que somente se
educa se todos estiverem comprometidos em educar. Para tanto é preciso ter tenacidade e desejo
de realização. A ideia não é simplesmente estimular a paixão, mas fazer com que os seus educadores
se apaixonem por aquilo que fazem.
Pode parecer estranho falar de algo tão delicado e confuso como a paixão como parte integrante de
um modelo estratégico acadêmico. Mas a paixão se tornou parte fundamental do princípio SER
EDUCADOR. É sabido que não se consegue fabricar esse sentimento ou motivar pessoas para que
sintam paixão. Mas, é possível descobrir o que provoca tal emoção nas pessoas e nos educadores
desta instituição.
O SER EDUCADOR possui essencialmente como característica do seu trabalho uma capacidade
formadora, pelo empreendimento de conduta e ações reflexivas que contribuem para o
desenvolvimento de indivíduos mais conscientes, pois representam por meio de suas condutas,
valores éticos e morais tão necessários à coletividade.
A primeira função de toda pessoa na Faculdade Atenas Maranhense – FAMA é SER EDUCADOR, a
segunda é o exercício de um cargo ou função, ou seja, todos os colaboradores - docentes e
funcionários desta instituição são EDUCADORES, administrativos e acadêmicos juntos para cumprir a
missão institucional de formar cidadãos e prepará-los para o mercado de trabalho.
2.4 BSC ACADÊMICO DOS CURSOS
Balanced Scorecard, segundo seus criadores, Robert Kaplan e David Norton (1996) é ao mesmo
tempo um sistema de medição, um sistema de gerenciamento e uma ferramenta de comunicação.
Os conceitos e a teoria de BSC de Kaplan e Norton (1996) foram utilizados para a elaboração de um
projeto acadêmico de curso consistente, objetivo e claro, que pudesse ser monitorado através de
indicadores de desempenho acadêmico.
Para cada curso da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, foi concebido um Balanced Scored Card
Acadêmico – BSC Acadêmico baseado no perfil profissional almejado, bem como nas competências a
serem trabalhadas, considerando que um conteúdo profissionalizante somente será ministrado se
estiver associado diretamente ao desenvolvimento de uma competência necessária para a
empregabilidade dos egressos do curso.
Assim o BSC Acadêmico do curso é constituído das seguintes informações:
•
•
•
•
Perfil profissional do egresso;
Campos de atuação do curso;
Competências a serem desenvolvidas;
Habilidades a serem desenvolvidas;
16
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Disciplinas relacionadas às competências do curso;
Conteúdos profissionalizantes e de conhecimento prévio relacionados às competências e
disponibilizados no Sistema de Conteúdos do Curso – SISCON).
•
•
BSC ACADÊMICO DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE
Q. 1 - Quadro 2.4 BSC ACADÊMICO do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue
BSC do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue
Atuar em organizações de natureza pública, privada e social, seja como, assessor, gestor, empreendedor, consultor ou profissional
liberal, em consonância com as demandas da sociedade.
Área de Atuação
Área de Atuação
Área de Atuação
Área de Atuação
Assessoria
Gestão
Empreendedorismo
Consultoria
Como assessor, o profissional Como
de
secretariado
assessorar
gestor,
deverá O
Secretário
Executivo O Secretário Executivo na
pode exercer todas as funções empreendedor procura por atribuição
executivos
e gerenciais,
tais
de
como: ideias e as coloca em prática trabalhará com a cultura
organizações na definição e planejar, organizar, liderar na promoção do crescimento organizacional,
implementação de estratégias, equipes e atingir metas.
econômico
políticas e processos.
desenvolvimento
O
Um
secretário
profissional
executivo, secretariado
para
de
atuar
atuando como assessor, tem como gestor deve estar
como
funções
básicas,
o ciente de que é necessário
planejamento estratégico, a saber
trabalhar
fim de estabelecer metas e um recursos
cronograma
com
a
administração,
materiais,
alta mas, sobretudo, ele precisa
organizar
e entender de gente, de seres
controlar a agenda, além de humanos,
redigir textos empresariais em comportamento humano.
sua língua de origem e em
dentre
de
influenciado
e
pelo
sugerindo,
do realizando e proporcionando
local.
É as
alterações
necessárias
contexto para o alcance dos objetivos
social e econômico em que da
organização
e
dos
vive, possuindo atitudes que executivos. Como consultor,
contribuem com seu sucesso, deverá
introduzindo
inovações
identificar
e oportunidades, avaliar riscos
assumindo riscos e buscar, e decidir, de forma criativa e
constantemente,
conhecimento
o inovadora, antecipando-se à
e
o concorrência.
aperfeiçoamento nas diversas
áreas do saber implantando
ideias e práticas inovadoras
que aprimorem seu trabalho e
língua estrangeira, organizar
arquivos,
os
adequado, financeiros, administrativos,
recepcionar
Consultor
contribuam para o alcance dos
outras
objetivos da organização.
funções mais, que permitem ao
assessor operar a logística
organizacional.
Competências
Dominar
as
secretariais,
possuir
Competências
Competências
técnicas Dominar as etapas básicas Conhecer modelos de gestão Capacidade
de
negócios
e controle e direção de suas criatividade,
de
assimilar,
que analisar e armazenar grandes
sólidos da gestão, por meio do empreendedora,
conhecimentos das diversas planejamento, organização, permitam
áreas
Competências
associar quantidades de informação.
curiosidade
e
17
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
administrativas, desenvolver as atividades,
procedimentos
analíticos, Conhecimento,
práticas de comunicação e de responsabilidades e deveres como forma de balizar a
liderança e atuar de forma para colaborar efetivamente identificação
ética,
possuir
de
novas
visão com a gestão de pessoas, da oportunidades de negócios e
organizacional,
Visão, Capacidade analítica,
Raciocínio Lógico, Capacidade
de
boa informação e dos processos de crescimento.
inovar,
Autocontrole,
Intuição,
comunicação e desenvolver e resultados.
ser ativo, criativo, arrojado,
liderança
Conhecer
as
novas participativo,
tendências
de
inovador
e
gestão negociador; perspicaz, sagaz,
visando a consolidação dos eficiente, polivalente Precisa
negócios
e
o conhecer e interagir com a
desenvolvimento
empresa em sua totalidade,
corporativo.
ter
preocupação
com
Saber
trabalhar
elemento
surpresa,
com
Saber
trabalhar com erros e acertos.
Ênfase
nas pessoas e Negociação.
a
produtividade, o lucro e a
qualidade.
Habilidades
Habilidades
Habilidades
Habilidades
Comunicação
Comunicação
Comunicação
Interpessoal
Relação interpessoal
Relacionamento Interpessoal
Liderança
Liderança
Liderança
Relacionamento
Tomada de decisão
Relacionamento Interpessoal
Visão Sistêmica
Raciocínio
Liderança
Lógico
e Raciocínio lógico
Raciocínio lógico
Matemático
Comunicação
Visão Sistêmica
Visão Sistêmica
Tomada de Decisão
Tomada de decisão
Criatividade e inovação
Criatividade e inovação
Visão Sistêmica
Criatividade e inovação
Tomada de decisão
Criatividade e inovação
Disciplinas
Disciplinas
Comunicação Empresarial
Produção
de
Textos
Empresariais
Leitura e Produção Textual
Disciplinas
Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Organização
Sistemas
Métodos
Métodos Quantitativos
e
Organização
Sistemas
Disciplinas
Planejamento Estratégico
e Organização
Sistemas
Métodos
Métodos
Métodos Quantitativos
Métodos Quantitativos
e
Habilidades Básicas em Língua
18
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Inglesa
Gestão de Meio Ambiente
Comunicação e Expressão em Gestão
de
Gestão de Meio Ambiente
Gestão de Meio Ambiente
Talentos Gestão de Talentos Humanos
Língua Inglesa
Humanos
Prática de Revisão de Textos
Ergonomia e Prevenção de Distúrbios Corporais
Gestão de Talentos Humanos
Ergonomia e Prevenção de Ergonomia e Prevenção de
Distúrbios Corporais
Distúrbios Corporais
Tópicos Especiais em Língua
Portuguesa
Gestão Secretarial
Gestão Secretarial
Gestão Secretarial
Direito
Empresarial
e
do Direito
Prática de Redação em Língua Direito Empresarial e do Consumidor
Inglesa
Técnicas
Empresarial
e
do
Consumidor
Consumidor
de
Tradução
Língua Inglesa
Fundamentos
Inglês Executivo
Empreendedorismo
Empreendedorismo
Fundamentos de Matemática
Fundamentos de Matemática
Comportamento
Comportamento
Organizacional
Organizacional
Contabilidade Geral
Contabilidade Geral
Marketing
Marketing
em Empreendedorismo
de
Matemática
Tecnologia da Informação e da Comportamento
Comunicação
Organizacional
Gestão Secretarial
Contabilidade Geral
Técnicas Secretariais
Marketing
Tecnologia da Informação e da Tecnologia da Informação e da
Comunicação
Comunicação
Comunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
Planejamento e Gestão de Tecnologia da Informação e
Eventos
da Comunicação
Seminário de Eventos
Comunicação Empresarial
Comportamento
Organizacional
2.5 CAMPOS DE ATUAÇÃO
A área de atuação, que não deve ser confundida com local de trabalho, é definida neste modelo
acadêmico como o campo de trabalho e de ocupação do profissional. Definir as áreas de atuação do
curso permite selecionar as competências e habilidades necessárias para um profissional com
formação generalista e abrangente.
2.6 CONCEITOS ACADÊMICOS
A busca de conceitos sólidos e aplicáveis certamente foi o passo mais importante e difícil para a
construção do PDI. Para a Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, conceito é uma unidade de
19
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
conhecimento. Assim como uma área do conhecimento tem natureza sistêmica, de alguma forma, os
conceitos, também sistematizados, constituem um mapeamento e orientarão as ações a serem
implementadas em todas as instâncias da área acadêmica da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA.
Para construção dos conceitos acadêmicos da instituição foi necessário responder a seguinte
pergunta:
Qual o objetivo do aluno ao ingressar em um curso superior?
Certamente existem vários motivos, objetivos e respostas para essa questão. Entretanto, foi
necessária uma resposta que atendesse a maioria dos ingressantes, pois somente assim, num
trabalho de pensar e repensar conjunto e participativo, seria possível criar os conceitos, elaborar os
processos e implementar ações que levassem à concretização dos objetivos da maioria. A resposta
comum foi:
O objetivo do aluno ingressante é ter sucesso pessoal ou profissional, é ter empregabilidade.
A empregabilidade foi definida como estar apto a entrar e manter-se no mercado de trabalho, seja
através do emprego, do empreendedorismo ou qualquer outra modalidade de ocupação.
Empregabilidade, portanto, passa ser o principal objetivo a ser trabalhado em todos os cursos da
Faculdade Atenas Maranhense – FAMA. A próxima pergunta a ser respondida foi:
O que é preciso ter para ganhar empregabilidade?
Um dos valores emergentes na sociedade pós-industrial é a progressiva intelectualizarão de toda
atividade humana. Toda coisa, no trabalho ou no lazer, já se fez um dia com as mãos e exigiu energia
muscular. Hoje, todas as coisas se fazem com o cérebro e requer inteligência, criatividade,
preparação cultural, enfim, requer conhecimento.
O conhecimento e as novas tecnologias, com a sua penetrabilidade, têm destruído os antigos limites
entre os setores e atividades. Pode-se, finalmente, derrubar as barreiras entre estudo, trabalho e
lazer. O fator característico dessa revolução consiste na importância assumida pela programação do
futuro por meio de um novo modo de fazer ciência, que se vale da informação, que formula
problemas e propõe soluções sem se deixar enredar previamente por seus vínculos. O conhecimento
e a tecnologia assumem, portanto, um papel central na nova sociedade; no plano social, na
empregabilidade. Dessa forma, o egresso que deseja ser dono do seu futuro, ter sucesso pessoal ou
profissional e ter empregabilidade deve apropriar-se do saber, deve ter conhecimento e elevados
padrões de conduta ética, moral e estética.
2.7 DEFINIÇÃO DE CONHECIMENTO
O conhecimento é um recurso indispensável para o profissional de hoje e, se o objetivo do aluno é a
empregabilidade, esta só será conquistada através do conhecimento. A definição de conhecimento
utilizado pela Faculdade Atenas Maranhense – FAMA foi adaptado por FAVA (2011) fundamentado
no conceito de conhecimento de Jacques Delors (1999), autor e organizador do relatório para a
UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, intitulado: EDUCAÇÃO: Um
tesouro a Descobrir”(1999), em que se exploram quatro Pilares da Educação, segundo o qual, o
conhecimento é constituído por: SABER, FAZER, SER E CONVIVER.
Figura 1 - Quatro Pilares da Educação.
20
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
O SABER pressupõe o conhecimento teórico conceitual da área em que o aluno escolheu. O SABER
permite compreender melhor a área de conhecimento escolhida pelo aluno e compreender o
ambiente sob os seus diversos aspectos, deve despertar a curiosidade intelectual, estimular o sentido
crítico e permitir compreender o real, mediante a aquisição de autonomia na capacidade de
discernir.
Entretanto, de nada adianta SABER se o egresso não consegue utilizar e aplicar os conceitos e teorias
adquiridas. Na busca da empregabilidade o SABER e o FAZER são indissociáveis. A substituição do
trabalho humano por máquinas tornou-se cada vez mais imaterial, e acentua o caráter cognitivo das
tarefas. FAZER, portanto, não pode mais ter o significado simples de preparar os egressos para uma
tarefa material determinada. Não é possível trabalhar os alunos com o que Paulo Freire (1996)
caracterizou como “ensino bancário” no qual o estudante é visto como “depositário” de conteúdos
petrificados e sem vida.
Como consequência de reflexões como essa, a aprendizagem evoluiu e não deve mais ser
considerada como simples transmissão de práticas mais ou menos rotineiras, mas deve buscar o
desenvolvimento de competências e habilidades procedimentais e atitudinais que certamente
levarão o egresso ao sucesso profissional, ou seja, a ter empregabilidade.
O SABER e o FAZER formam o profissional. Porém, não são suficientes, para garantir empregabilidade
para os egressos. É necessário o desenvolvimento do SER e CONVIVER para complementar a
formação e adquirir a empregabilidade. O SER e o CONVIVER constituem a formação do cidadão que
somado a formação do profissional (SABER e FAZER), certamente o levará ao sucesso profissional, ou
seja, à empregabilidade. Neste sentido a Faculdade Atenas Maranhense – FAMA entende como
tarefa fundamental a promoção da convivência entre os acadêmicos dos diversos cursos,
despertando-os para a importante habilidade atitudinal, que é a noção de interdependência
multiprofissional tão necessária hoje no mercado de trabalho.
O objetivo da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, portanto, é a formação do profissional-cidadão
competente e capacitado a entrar e manter-se no mercado e desenvolver-se com eficiência, eficácia
e efetividade na ocupação que escolheu.
Tendo como horizonte orientador sua missão de “Formar cidadãos e prepará-los para o mercado de
trabalho”, a Faculdade Atenas Maranhense – FAMA busca organizar-se em torno dos quatro pilares
21
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
citados por Delors (1999), e que, ao longo de toda vida representam para cada indivíduo, os pilares
do conhecimento: APRENDER A CONHECER, isto é, adquirir os instrumentos da compreensão;
APRENDER A FAZER, para poder agir sobre o meio que a cerca; APRENDER A VIVER JUNTOS, a fim de
participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas e APRENDER A SER, elo que
integra os três pilares anteriormente citados. Constituem uma única via do SABER, pois entre elas
existem múltiplas interfaces de intersecção, de relacionamento e principalmente de permutas.
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA em concordância com Delors (1999) entende que cada um
destes quatro pilares do conhecimento
"(...) deve ser objeto de atenção igual por parte do ensino estruturado, a fim de que a educação
apareça como uma experiência global e ser levada a cabo ao longo de toda a vida, no plano
cognitivo, no prático, para o indivíduo enquanto pessoa e membro da sociedade."
EPISTEME (SABER)
Tendo como pressupostos teóricos autores como Perrenoud (1999a, 1999b, 2001, 2002), Delors
(1999) e Zabala (1998), em termos práticos, a proposta é desenvolver ações para cada um dos pilares
que foram definidos como conhecimento.
Na construção dos PPCs da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, a ênfase foi na qualidade e
essencialidade dos conteúdos para formação do perfil profissional desejado, portanto, o currículo
dos cursos deve promover uma seleção de conteúdos a serem ensinados e exigidos, dando
prioridade a conteúdos essenciais que possam ser aplicados no desenvolvimento das competências
necessárias para cada campo de atuação do curso.
A construção das competências de cada área de atuação de cada curso levou em conta a reavaliação
da quantidade e da qualidade dos conteúdos trabalhados, pois só foram considerados válidos
aqueles que puderam ser aplicados no desenvolvimento de uma aprendizagem significativa.
Os conteúdos conceituais dos cursos foram divididos em dois grupos:
1. conteúdos conceituais de conhecimentos prévios;
2. conteúdos conceituais profissionalizantes.
Os conteúdos conceituais profissionalizantes somente serão essenciais se servirem de suporte para o
desenvolvimento de uma competência. Os conteúdos conceituais de conhecimentos prévios serão
essenciais se servirem de suporte para os conteúdos profissionalizantes. Ou seja, nenhum conteúdo
será ministrado no curso se não estiverem relacionados a uma competência ou a um conteúdo
significativo.
Com estas perspectivas os cursos construíram dois bancos de conteúdos. Primeiro, o BANCO DE
CONTEÚDOS PROFISSIONALIZANTES ESSENCIAIS, conteúdos que devem necessariamente servir de
suporte para desenvolvimento de competências e o BANCO DE CONTEÚDOS DE CONHECIMENTOS
PRÉVIOS ESSENCIAIS que devem dar suporte à aprendizagem dos conteúdos profissionalizantes
essenciais. Todos estes conteúdos foram cadastrados no SISCON desenvolvido pela instituição para
este objetivo.
22
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Assim, em um primeiro momento, aos professores da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA foi
solicitado que listassem os conteúdos conceituais ministrados em todas as disciplinas de cada curso,
dividindo-os em essenciais, importantes e complementares. Desta forma foi elaborado o BANCO DE
CONTEÚDOS PROFISSIONALIZANTES ESSENCIAIS para cada disciplina.
Certamente para aprendizagem de conteúdos profissionalizantes essenciais, o aluno deverá possuir
alguns conhecimentos prévios e importantes. Dessa forma, foi construído o BANCO DE CONTEÚDOS
DE CONHECIMENTOS PRÉVIOS para cada curso. Salientando-se que, cada um dos conteúdos de
conhecimento prévio deverá estar diretamente relacionado a um conteúdo profissionalizante, e
servir de base para o desenvolvimento dos demais conhecimentos.
TECHNE (FAZER)
As habilidades são inseparáveis da ação, mas exigem domínio dos conteúdos conceituais,
procedimentais e atitudinais da área de conhecimento escolhida pelo aluno. Dessa forma, as
habilidades se ligam aos atributos relacionados não apenas ao SABER, mas ao FAZER, ao SER e ao
CONVIVER. Ao construir o BSC Acadêmico, cada curso definiu quais as HABILIDADES
PROCEDIMENTAIS (físicas e/ou mentais) essenciais para formação do perfil profissional desejado.
NOESIS (SER)
Kardec (1978) acentua que:
"Do latim aptitudinem atitude significa uma maneira organizada e
coerente de pensar, sentir e reagir em relação a grupos, questões, outros
seres humanos, ou, mais especificamente, a acontecimentos ocorridos em
nosso meio circundante."
Pode-se dizer que atitude é a predisposição a reagir a um estímulo de maneira positiva ou negativa.
Para a Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, atitude é a forma de agir de cada pessoa alicerçada
em seus conhecimentos, habilidades e valores emocionais, culturais, éticos e morais.
Entendendo que o desenvolvimento emocional e comportamental do aluno é essencial para que este
possa verdadeiramente adquirir empregabilidade, ao construir o BSC Acadêmico, definiu quais
HABILIDADES ATITUDINAIS são essenciais para formação do perfil profissional desejado para o
egresso. Essas habilidades deverão ser desenvolvidas metodologicamente e avaliadas nas diversas
disciplinas do curso e em especial nas disciplinas Homem, Cultura e Sociedade – HCS e Ética, Política
e Sociedade – EPS cujo objetivo principal é trabalhar o comportamento utilizando como meio os
conteúdos de filosofia, sociologia e antropologia.
CONVIVERE (CONVIVER)
A noção de interdependência, tanto pessoal quanto profissional, é essencial para a busca da
empregabilidade. A convivência começa pelo diálogo, a capacidade dos alunos de abandonarem
paradigmas pré-concebidos e imbuírem-se na construção de um verdadeiro pensar e aprender em
conjunto. A disciplina e o exercício do diálogo envolvem também o reconhecimento dos padrões de
interação que dificultam a aprendizagem. Os padrões de defesa, frequentemente, são
profundamente enraizados na forma de operação de cada curso. Se não forem detectados, minam a
aprendizagem. Se percebidos, e trazidos à tona de forma criativa, podem realmente acelerar a
aprendizagem.
23
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Buscando implementar ações concretas para cada pilar do conhecimento (SABER, FAZER, SER e
CONVIVER) a proposta de organização curricular é baseada num currículo por competências. A
Faculdade Atenas Maranhense – FAMA quando propõe um currículo por competências, pretende
que a aprendizagem se organize não em função de conteúdos informativos a serem transmitidos,
mas em função de competências que os acadêmicos devem desenvolver respeitando as
aprendizagens, conhecimentos prévios e as construções adquiridas anteriormente.
A ênfase atribuída aos conteúdos transfere-se para as competências a serem construídas pelo sujeito
responsável pela sua própria ação. A aprendizagem baseada em conteúdos acumulados é substituída
pela visão de que, conteúdos não constituem o núcleo de uma proposta educacional, mas
representam suporte para competências. Assim, os métodos, técnicas, estratégias, não são meios no
processo de ensinar e aprender, mas se identificam com o próprio exercício das competências,
mobilizados pelas habilidades, atitudes e conhecimentos em realizações profissionais.
As reflexões acima permitem dizer que o paradigma em questão tem como característica o foco nos
conteúdos a serem ensinados; o currículo é considerado como meio, como um conjunto de
disciplinas e como alvo de controle do cumprimento dos conteúdos. O paradigma em implantação,
assumido pela instituição, tem o foco nas competências a serem desenvolvidas e nos saberes a
serem construídos. O currículo é visto como conjunto integrado e articulado de situações-meio,
didaticamente concebidas e organizadas para promover aprendizagens significativas e funcionais, o
alvo de controle constitui-se na geração das competências profissionais gerais e específicas.
2.8 DEFINIÇÃO DE COMPETÊNCIA
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA vem trabalhando sistematicamente no sentido de
implementar o currículo por competências, no qual o aluno passa a ser responsável pelo ato de
aprender e de construir a trajetória de sua aprendizagem, em contraposição ao ensino transmissor
de conteúdos em que aluno atua como sujeito passivo.
O termo COMPETÊNCIA tem recebido vários significados ao longo do tempo. Na atual Lei de
Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), competência é definida como:
"Capacidade de mobilizar, articular, colocar em ação valores, habilidades e
conhecimentos necessários para o desempenho eficiente e eficaz de atividades requeridas
pela natureza do trabalho."
O pressuposto é o de que o conteúdo ensinado, por si só, não levará à formação do profissional que
se deseja para enfrentar os desafios do mundo contemporâneo. Neste contexto, a articulação, a
operacionalização e a contextualização são o cerne do processo de aprendizagem para que os
conhecimentos adquiridos possam ser colocados em prática de forma eficaz. Consequentemente
torna-se imperativo que o processo de ensino-aprendizagem forneça ao aluno as ferramentas
necessárias para que ele possa desenvolver capacidades, tais como: mobilizar o que aprendeu,
desenvolver autonomia intelectual diante de um desafio profissional, saber transformar informações
em conhecimentos pessoais, fazer análises e sínteses, relacionar aprendizado e tirar conclusões.
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA buscou uma definição que a levasse a promover ações de
ensino-aprendizagem e que desenvolvessem as competências necessárias para a empregabilidade
dos seus alunos.
24
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
No processo, era necessário elaborar um conceito de COMPETÊNCIA que fosse coerente com o
conceito de conhecimento adotado pela instituição, ou seja, o SABER, FAZER, SER e CONVIVER.
Assim, da junção dos conteúdos conceituais com os conteúdos procedimentais tem-se o SABER
FAZER. Da junção dos conteúdos procedimentais com os conteúdos atitudinais tem-se o SABER E
QUERER AGIR. Da junção dos conteúdos atitudinais e conteúdos conceituais tem-se o SABER SER e
CONVIVER. E da junção dos conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais tem-se a
COMPETÊNCIA.
Figura 2 - Competência
O desenvolvimento de competências, ganha espaço nas instituições educacionais por necessidades
do mercado e por exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB (BRASIL, 1996) e
se torna o eixo do processo de ensino-aprendizagem. A LDB (BRASIL, 1996) focaliza a dimensão da
competência quando diz que
“não se limita ao conhecer, vai mais além, porque envolve o agir numa determinada situação”.
As competências são, assim, as habilidades, atitudes e os conhecimentos em uso.
A LDB (BRASIL, 1996) explicita que alguém é competente quando
"(...) articula, mobiliza valores, conhecimentos e habilidades para a resolução de
problemas não só rotineiros, mas também inusitados em seu campo de atuação."
Assim, o indivíduo competente seria aquele que age com eficácia diante da incerteza, utilizando a
experiência acumulada e partindo para uma atuação transformadora e criadora. As competências
mobilizam habilidades, sendo ambas classificadas e associadas a comportamentos observáveis.
25
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA tem consciência de que a proposta só terá êxito se o
Projeto Pedagógico Institucional se solidificar com esforço sistematizado e com a efetiva participação
de todos.
Deve incidir, sobre alguns componentes didático-pedagógicos de cada curso como:
I.
II.
III.
Identificação e definição dos blocos de competências, associados ao itinerário profissional
(perfil, área de atuação, conhecimentos, habilidades, atitudes);
Seleção de atividades/situações de aprendizagem (projetos, situação problema, estudo de
caso, etc.);
Avaliação prevista nas propostas das aulas dos docentes, sempre numa perspectiva
integradora.
A ideia de competência pode ser sintetizada, segundo Moretto (2010) em três aspectos básicos:
"Relaciona-se diretamente à ideia de pessoa, ser capaz de; vincula-se à ideia de
mobilização, isto é, a capacidade de se mobilizar o que sabe para realizar o que se busca. É
um saber em ação-movimentar com força interior; refere-se à palavra recursos da cognição
(conhecimento intelectual) do domínio emocional e habilidades do saber fazer."
O conceito de COMPETÊNCIA, portanto, está ligado à sua finalidade que consiste em abordar e
resolver situações complexas. Nesse contexto, o que muda na prática é que as atividades de
aprendizagem antes continham apenas conteúdos conceituais, agora, necessariamente, deverão
conter conteúdos procedimentais e atitudinais trabalhados metodologicamente numa proposta
relacional dos diferentes conteúdos, atividades de aprendizagem e avaliação.
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA define competência como:
"Mobilização de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para a solução de
problemas e construção de novos conhecimentos."
A Faculdade Atenas Maranhense – FAMA procura construir uma relação com o SABER, menos
pautado em uma hierarquia baseada no saber erudito e descontextualizado, visto que os
conhecimentos sempre se ancoram, em última análise, na ação. Assim, no currículo por competência
organizado por cada curso, os conteúdos (conceituais, procedimentais e atitudinais) passam a ser
definidos em termos de identificação com a aplicação que deve ser realizada pelo aluno. Desse
modo, a exigência do SABER FAZER (somatório do conteúdo conceitual mais conteúdo
procedimental) vem substituir o apenas SABER. Essa lógica modifica a forma de pensar os conteúdos
relacionando-os à capacidade efetiva de desempenhos, definindo um tratamento aplicado aos
conteúdos de ensino-aprendizagem.
A noção de COMPETÊNCIA, enquanto princípio de organização curricular da Faculdade Atenas
Maranhense – FAMA insiste na atribuição da aplicação de cada conteúdo a ser ensinado. Todos os
conteúdos foram revisados a fim de evitar superposição dos mesmos e sobrecarga de horário para o
acadêmico. Os conteúdos desvinculados de aplicação e práticas profissionais e sociais foram tratados
como complementares. A competências a serem trabalhas nos diversos cursos estão de acordo com
as respectivas Diretrizes Curriculares Nacionais – DCN e respondem a seguinte pergunta:
26
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
O que o egresso necessita conhecer bem para ser capaz de desenvolver suas
atividades nas diversas áreas de atuação de sua profissão?
Desta forma, foram constituídos grupos de estudo que realizaram a seleção de conteúdos relevantes
à instrumentalização do acadêmico para a aprendizagem significativa, onde não foram os conteúdos
que definiram as competências e sim as competências que delinearam os conteúdos a serem
desenvolvidos, no sentido de possibilitar o desenvolvimento da capacidade de respostas criativas e
dinâmicas em situações diversas.
2.9 DEFINIÇÃO DE HABILIDADES
Visando uma integração entre o SABER, o FAZER, o SER e o CONVIVER, o curso deverá desenvolver
nos alunos não apenas uma nova mentalidade, mas um conjunto de HABILIDADES PROCEDIMENTAIS
E ATITUDINAIS que contribuem para formação cidadã.
O grande desafio está no desenvolvimento de habilidades do SABER SER. O SABER SER envolve as
emoções, a criatividade, o comprometimento, as relações interpessoais, intrapessoais e relacionais,
como também a capacidade de comunicação, o relacionamento espiritual, as nossas qualidades
essenciais de seres humanos, dentro de um contexto integral, no qual temos que SER para podermos
CONVIVER.
Para reorientação das habilidades procedimentais e atitudinais essenciais trabalhadas, o curso irá
buscar responder a seguinte pergunta:
Quais habilidades são essenciais para o egresso do curso desenvolver bem suas
atividades nas diversas áreas de atuação de sua profissão?
Neste contexto, o curso de Secretariado Executivo Bilíngue desenvolve metodologicamente e com
avaliação as seguintes HABILIDADES essenciais para a empregabilidade e a preparação para o
exercício da cidadania de seus egressos:
•
Comunicação
•
Ética
•
Relacionamento Interpessoal
•
Liderança
•
Raciocínio Lógico e Matemático
•
Visão Sistêmica
•
Tomada de decisão
•
Criatividade e inovação
27
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
2.10 ORGANIZAÇÃO E CONSTRUÇÃO DAS DISCIPLINAS
Os programas de ensino na instituição assumem a forma de cursos, entendidos como determinada
composição curricular, integrando disciplinas e atividades exigidas para obtenção de grau acadêmico,
diploma profissional ou certificado.
A MATÉRIA é o conjunto de estudos correspondente a um ramo de conhecimento, integrados entre
si, desenvolvida num ou mais períodos letivos, com determinada carga-horária e pode ser
subdividida em disciplinas, na medida que o espectro de conhecimentos que a caracterizam
recomendem sua divisão para uma melhor aproveitamento didático.
A ATIVIDADE é o conjunto de trabalhos, exercícios e tarefas com cunho de aprofundamento ou
aplicação de estudos, como estágios, prática profissional, trabalho de campo, dissertação,
participação em programas de extensão ou de iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso.
O programa da matéria ou disciplina é a sistematização dos assuntos em forma de unidades de
estudo, a serem lecionados durante um ou mais períodos letivos. O modelo pedagógico terá como
menor unidade os conteúdos das disciplinas que são sistematizados no SISCON.
Para cada curso de graduação é especificada a carga horária mínima legal, distribuída pelas matérias,
disciplinas e atividades do respectivo currículo. Em termos genéricos, currículo é um plano
pedagógico institucional para orientar a aprendizagem dos alunos de forma sistemática. É
importante observar que esta ampla definição pode adotar variados matizes e as mais variadas
formas de acordo com as diferentes concepções de aprendizagem que orientam o currículo, ou seja,
dependendo do que se entenda por aprender e ensinar, o conceito varia como também varia a
estrutura sob a qual é organizado.
Sabendo que não existem receitas padronizadas, razão pela qual a criatividade e a busca de inovação
passam a ser fundamentais, os cursos buscaram construir um currículo, no qual os conteúdos são
ministrados de forma aplicada e, na medida em que se necessite, dependendo da evolução da
aprendizagem ao longo do período letivo. Os currículos foram elaborados obedecendo às exigências
legais e das DCN dos respectivos cursos. Cada disciplina guarda certa autonomia com respeito às
demais, porém, ao mesmo tempo, se articula com as outras com vistas à totalização das áreas de
atuação e do perfil profissional.
Os cursos possuem como parâmetro para organização das disciplinas os conteúdos. As competências
geram os conteúdos profissionalizantes e estes definem os conteúdos de conhecimentos prévios que
serão necessários e o momento em que serão aplicados. Dessa forma,
não é o nome da disciplina que determina os conteúdos e sim os conteúdos que
determinam o nome da disciplina.
O modelo pedagógico proposto por FAVA (2011) da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA é
representado por (4) quatro tipos de disciplinas:
•
•
•
•
DISCIPLINAS INSTITUCIONAIS
DISCIPLINAS DE ÁREA
DISCIPLINAS DE CURSO
DISCIPLINAS ELETIVAS
28
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
2.10.1 DISCIPLINAS INSTITUCIONAIS
As disciplinas institucionais tem por finalidade trabalhar o comportamento e a convivência dos
alunos, utilizando como meio os conteúdos conceituais da matéria a ser estudada. Estas disciplinas
são inseridas na matriz curricular nos primeiros semestres de todos os cursos ofertados pela
instituição.
Estas disciplinas Homem, Cultura e Sociedade - HCS e Ética, Política e Sociedade - EPS buscam a
formação humano-social, apresentam conteúdos que abrangem o estudo do homem e de suas
relações sociais, contemplam a integração dos aspectos psicossociais, culturais, filosóficos,
antropológicos e perspectivas metodológicas e a temática da história e cultura afro-brasileira e
indígena, que nos sistemas de ensino significa o reconhecimento da importância da questão do
combate ao preconceito, ao racismo e à discriminação da sociedade em redução às desigualdades
conforme prevê as Diretrizes Curriculares das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e
Cultura Afro-brasileira e Indígena (BRASIL, 2008; BRASIL, 2004).
Dentre os objetivos da disciplina HCS do curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade
Atenas Maranhense – FAMA, são abordados os assuntos: igualdade básica de pessoa humana como
sujeito de direitos; a compreensão de que a sociedade é formada por pessoas que pertencem a
grupos étnico-raciais distintos, que possuem cultura e história próprias, igualmente valiosas e que
em conjunto constroem, na nação brasileira, sua história; o conhecimento e a valorização da história
dos povos africanos e da cultura afro-brasileira na construção histórica e cultural brasileira; a
superação da indiferença, injustiça e desqualificação com que os negros, os povos indígenas e
também as classes populares às quais os negros, no geral, pertencem, são comumente tratados; a
desconstrução, por meio de questionamentos e análises críticas, objetivando eliminar conceitos,
ideias, comportamentos veiculados pela ideologia do branqueamento, pelo mito da democracia
racial, que tanto mal fazem a negros, índios e brancos.
Já a disciplina de metodologia cientifica busca inserir o aluno no trabalho acadêmico, possibilita a
análise e a compreensão das mais variadas formas de estudo e pesquisa, oportunizando a
compreensão do conhecimento e da ciência enquanto eixos norteadores de intervenção social.
As disciplinas institucionais do curso são:
1. Ética, Política e Sociedade – EPS
2. Metodologia da Pesquisa
2.10.2 DISCIPLINAS DE ÁREA
As disciplinas de área são disciplinas comuns para os cursos de uma mesma área de conhecimento.
Tais disciplinas tem a finalidade de trabalhar a convivência de alunos de diversos cursos da mesma
área e têm o intuito de desenvolver a necessária habilidade para o trabalho multiprofissional e
atende às especificações das DCN dos diversos cursos.
As áreas de conhecimento são classificadas de acordo com a Tabela de Áreas de Conhecimento
proposta por um esforço conjunto da CAPES, do CNPq, da FAPERGS, da FINEP, da SDI/MD, da
Sesu/MEC e da Secretaria de Indústria e Comércio, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo
(CAPES, 2012).
29
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Para a concepção das disciplinas de área do curso de Secretariado Executivo da Faculdade Atenas
Maranhense – FAMA, foram consideradas as grandes áreas de conhecimento (CAPES, 2012):
1. Direito Empresarial e do Consumidor
2. Empreendedorismo
3. Fundamentos de Matemática
4. Comportamento Organizacional
5. Contabilidade Geral
6. Marketing
7. Organização Sistemas e Métodos
8. Métodos Quantitativos
9. Legislação do Trabalho e Previdência Social
10. Gestão de Meio Ambiente
11. Gestão de Talentos Humanos
12. Planejamento Estratégico
2.10.3 DISCIPLINAS DE CURSO
As disciplinas específicas profissionalizantes são disciplinas específicas e podem ser agrupadas em
cada curso por eixos temáticos denominados – Núcleos Curriculares, de acordo com as DCN dos
respectivos cursos.
Os conteúdos de cada disciplina locada em um determinado núcleo curricular estão organizados de
forma a promover o desenvolvimento das competências e habilidades relacionadas, e mantêm
correlação íntima com os conteúdos propostos e considerados essenciais para o respectivo curso de
graduação de acordo com a sua respectiva DCN. Ocorre ainda um nivelamento crescente de
exigência em relação ao desenvolvimento destes aspectos conforme ocorre o avanço do curso,
promovendo a interdisciplinaridade entre as áreas, uma vez que também se identifica o aumento da
maturidade acadêmica, pessoal e profissional do aluno, ao longo do tempo de permanência no
ensino superior.
As disciplinas específicas profissionalizantes do curso de Secretariado Executivo Bilíngue foram
concebidas de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso atendendo aos eixos
temáticos ou núcleos curriculares definidos neste documento para a formação profissional do
Secretário Executivo conforme a seguir:
•
Núcleo de Estudos da Comunicação:
1. Comunicação Empresarial
2. Produção de Textos Empresariais
3. Leitura e Produção Textual
30
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
Habilidades Básicas em Língua Inglesa
Comunicação e Expressão em Língua Inglesa
Prática de Revisão de Textos
Tópicos Especiais em Língua Portuguesa
Prática de Redação em Língua Inglesa
Técnicas de Tradução em Língua Inglesa
Inglês Executivo
Tecnologia da Informação e da Comunicação
•
Núcleo de Estudos dos Processos Secretariais:
1. Ergonomia e Prevenção de Distúrbios Corporais
2. Gestão Secretarial
•
Núcleo de Estudos da Práxis Secretarial:
1. Técnicas Secretariais
2. Planejamento e Gestão de Eventos
3. Seminário de Eventos
As disciplinas específicas profissionalizantes do curso de Secretariado Executivo Bilíngue , atendendo
ao modelo pedagógico da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA, tiveram como parâmetro para sua
organização os conteúdos profissionalizantes essenciais cadastrados no SISCON do curso para
desenvolver as competências definidas no BSC Acadêmico.
Portanto, as competências definiram os conteúdos profissionalizantes essenciais a serem
desenvolvidos ao longo da formação profissional no curso de Secretariado Executivo Bilíngue com
vistas ao perfil profissional almejado e às competências e habilidades definidas para este curso. Estes
conteúdos profissionalizantes se apresentam ao longo da formação profissional em complexidade
crescente desde o início do curso e à medida que o educando necessita para desenvolver uma
determinada competência. Os conteúdos se inter-relacionam caracterizando a interdisciplinaridade
do currículo e integralidade na formação profissional, buscando-se evitar tanto a repetição de
conteúdos quanto a especialidade precoce no âmbito da graduação e definindo uma perspectiva
generalista de formação.
2.10.4 DISCIPLINAS ELETIVAS
Ao final do curso, o aluno escolhe uma ou duas disciplinas de um curso diverso, inclusive com a
opção de escolher a disciplina de LIBRAS, mas que venha ajuda-lo na busca de um conhecimento
generalista e que lhe proporcionará melhor empregabilidade. Também será uma oportunidade para
o estudante desenvolver a importante habilidade de convivência e interação multiprofissional.
2.11 DISCIPLINAS INTERATIVAS OU SEMIPRESENCIAIS
A Portaria MEC 4.059 (BRASIL, 2004) autoriza as IES, públicas e privadas, a introduzir, na organização
pedagógica e curricular de seus cursos superiores reconhecidos, a oferta integral ou parcial de até
20% (vinte por cento) da carga horária total do curso através da modalidade semipresencial.
31
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Essa mesma legislação define a oferta semipresencial como quaisquer atividades didáticas, módulos
ou unidades de ensino e aprendizagem centrados na autoaprendizagem e com a mediação de
recursos didáticos organizados em diferentes instrumentos de informação que utilizem as
tecnologias da informação e da comunicação –TIC.
A introdução da oferta de disciplinas semipresenciais vem complementar o modelo pedagógico do
curso de Secretariado Executivo Bilíngue, promovendo a inovação e o uso da tecnologia no processo
de ensino-aprendizagem, contribuindo significativamente para aproximar ainda mais o aluno da
realidade do mercado de trabalho.
Na modalidade de ensino semipresencial, estudantes e professores estão separados fisicamente em
determinados momentos da disciplina, porém interligados por meio das TIC e dos materiais didáticos
utilizados, ampliando as possibilidades de interação no fazer pedagógico. Por tais especificidades, a
semipresencialidade constitui importante elemento de flexibilização curricular, no que diz respeito às
condições individuais do estudante, ao ritmo de aprendizagem, ao local e ao tempo de dedicação aos
estudos.
A autonomia na aprendizagem decorrente da oferta de disciplinas semipresenciais contribui para a
formação de um aluno comprometido com o estudo e responsável pela organização de seu tempo na
busca contínua do conhecimento, pois possibilita a realização das atividades previstas para a
disciplina em horário e local apropriados, de acordo com a disponibilidade e características
individuais.
Em função disso, os papéis do professor e do aluno se modificam, passando ambos a desenvolver
uma relação colaborativa na busca de informações, nas discussões e reflexões em outras fontes que
não seja somente o professor, visando à superação de um ensino meramente reprodutor. Novas
situações são apresentadas aos alunos, considerando que estudar à distância exige mais dos mesmos
em termos de disciplina e autonomia na construção do conhecimento.
O professor não age mais sozinho ou de forma isolada; passa a ser responsável pela organização
metodológica da disciplina, pelo desenvolvimento do material educacional e pela mediação do
processo de ensino-aprendizagem, integrando-se a uma equipe multidisciplinar que incorpora,
juntamente com ele, processos e procedimentos com a utilização de metodologias que permitem
ampliar as formas tradicionais de transmissão do saber, provocando uma renovação pedagógica em
consonância com as linguagens e processos comunicativos atuais.
Premissas gerais:
1. As disciplinas semipresenciais serão ofertadas via web, com o uso de Ambiente Virtual de
Aprendizagem;
2. Cada uma das disciplinas semipresenciais ofertadas terá um professor responsável, que
coordenará a respectiva equipe de tutores e fará o acompanhamento do processo de ensinoaprendizagem dos alunos;
3. Cada uma das disciplinas deverá contemplar os respectivos conteúdos definidos no SISCON e
será composta por um conjunto de atividades proporcionais à sua carga horária semestral.
As atividades semipresenciais devem ser contempladas nos planos de ensino das disciplinas, sendo
de competência do coordenador do curso e dos docentes das disciplinas o acompanhamento das
32
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
atividades respectivas, sob a supervisão do Colegiado do Curso, contando com apoio de equipe
pedagógica especializada.
O Curso de Secretariado Executivo Bilíngue oferece atividades desenvolvidas de forma
semipresencial na disciplina de Ética, Política e Sociedade. Estas disciplinas são ofertadas no Portal
Universitário – PU e o aluno terá efetivo acompanhamento docente, utilizando o Ambiente Virtual de
Aprendizagem – AVA denominado ILANG, no processo de construção do seu conhecimento,
incrementando a interdisciplinaridade por meio da troca constante de saberes junto aos colegas e
professores.
Para as disciplinas que adotam atividades semipresenciais o cumprimento do limite mínimo de 75%
(setenta e cinco por cento) da carga horária é verificado considerando-se as atividades presenciais
obrigatórias e as relativas às atividades semipresenciais mediadas por TIC.
2.12 PORTAL UNIVERSITÁRIO (PU) – AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
O PU é um AVA denominado Ilang que é disponibilizado aos alunos pela Faculdade Atenas
Maranhense e por meio do qual é possível oferecer o apoio extraclasse aos discentes, monitorar a
sua vida acadêmica, acompanhar as disciplinas e onde o aluno acessa os materiais didáticopedagógicos disponibilizados pelos respectivos docentes. No PU também são ofertadas as disciplinas
interativas ou semipresenciais, conforme descrito anteriormente.
O AVA – “ILANG” é constituído de Conteúdo Web, Fórum, Avaliação/Exercícios On-line, Portfólio e
Sistema de Mensagens, os quais têm os seguintes objetivos:
I.
II.
III.
IV.
V.
Conteúdo Web: enriquecem os conteúdos trabalhados em sala de aula por meio de
conteúdos complementares à disciplina, que poderão conter hipertextos, vídeos e links
para sites de interesse;
Fórum: neste ambiente o aluno promove estudos de casos on-line, discorrendo sobre o
assunto proposto, com a mediação do professor da disciplina;
Avaliação/Exercícios On-line: contribui para a fixação e verificação da aprendizagem dos
conteúdos, por meio da resolução de problemas de forma contínua, além de auxiliar na
complementação da avaliação presencial;
Portfólio: caracteriza-se como um espaço para a postagem de trabalhos acadêmicos
desenvolvidos, solicitados pelos docentes, dentro dos objetivos e critérios estabelecidos e
com prazo determinado conforme calendário; e
Sistema de Mensagens: espaço que possibilita a comunicação para troca de informações,
como avisos, comunicados e orientações entre alunos, professores e coordenador do curso.
2.13 PLANO DE ENSINO
O plano de ensino dos cursos da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA é um instrumento de ação
educativa, que promove a organização, o planejamento e a sistematização das ações do professor e
dos alunos em vista à consecução dos objetivos de aprendizagem estabelecidos.
O processo de elaboração passa pela participação ativa de docentes e discentes e deve ser
consciente, refletido e planejado, trazendo consigo a característica da flexibilidade e da
adaptabilidade a situações novas e imprevistas. O plano de ensino é postado no PU, pois se trata de
um documento de comunicação entre professor e aluno, passando a ser um instrumento de trabalho
33
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
e um documento de compromisso com a aprendizagem, nele tudo está claro e combinado entre os
atores deste processo, permitindo que todos possam se orientar com segurança para os objetivos
perseguidos.
O plano de ensino da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA é organizado no PU de acordo com os
seguintes tópicos:
a) Identificação da disciplina
b) Curso
c) Semestre
d) Corpo Docente
e) Coordenadores
f) Descrição
g) Carga Horária
h) Perfil do Profissional
i) Ementa
j) Competências
k) Habilidades
l) Justificativa da disciplina
m) Objetivo da Disciplina
n) Objetivos por Unidade de Ensino
o) Unidades de Ensino
p) Conteúdo Programático
q) Proposta Metodológica
• Atividades de Aprendizagem Teórico/Práticas
• Atividades de Aprendizagem Orientadas
r) Proposta de Avaliação do Processo Ensino e Aprendizagem
s) Referências Bibliográficas Básicas
t) Referências Bibliográficas Complementares
u) Periódicos
v) Multi-mídia
w) Outras Fontes de Pesquisa
2.14 AULAS ESTRUTURADAS
Cada professor da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA deverá preparar e disponibilizar
antecipadamente no PU seu plano de aula a qual denominamos “AULA ESTRUTURADA”. A aula
estruturada apresenta uma sequência sistematizada de tudo o que vai ser desenvolvido em sala de
aula como: os objetivos imediatos a serem alcançados, as competências e habilidades, os conteúdos
a serem trabalhados, os textos, os exercícios, as atividades a serem trabalhadas.
A AULA ESTRUTURADA está dividida em três momentos: antes, durante e após a aula. Significa que o
tempo de ensino-aprendizagem é ampliado para 24 horas não se limitando ao tempo de duração das
aulas, considerando que o aluno terá em ambiente virtual, acesso a todo o material das aulas, que
poderá ser acessado a qualquer momento por ele.
No primeiro momento, antes da aula, o professor coloca em prática sua habilidade de preparar as
aulas. Para cada aula, ele deve elaborar um conjunto de atividades de aprendizagem que permite aos
alunos o estudo antecipado, definindo os objetivos da aula, os textos que deverão ser lidos ou
34
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
estudados, as ações que deverão ser realizadas, enfim, todos os materiais didáticos sugeridos que
possam ajudar o aluno a aprender por si mesmo.
Com o intuito de induzir a criação de uma cultura de autoaprendizagem, os materiais sugeridos pelo
professor não devem se limitar apenas ao assunto que será abordado, devem também, permitir ao
aluno o estudo aprofundado do tema, respeitando, porém, o conteúdo proposto no banco de
conteúdos essenciais da disciplina. Com a boa preparação e a eficiência das ações nesse primeiro
momento, antes da aula, certamente o segundo momento durante a aula será mais eficaz e mais
eficientemente aproveitado.
Para o momento após a aula, o material e as atividades de aprendizagem utilizadas ficarão
disponíveis para o aluno durante todo seu tempo de formação. Assim, a qualquer momento, poderá
revisar o tema estudado e, a cada semestre, terá à sua disposição não apenas os materiais e
atividades de aprendizagem daquele semestre, mas também o de todos os semestres já cursados.
Quando uma disciplina exigir o conhecimento dos conteúdos de um semestre anterior, o aluno
poderá revisá-lo, recordando o que foi ensinado. Aquele que faltar a uma aula poderá ainda assim
estudar o que foi ensinado, tendo melhor chance de recuperar o momento perdido.
2.15 ESTUDOS DIRIGIDOS
Os Estudos Dirigidos – EDs foram concebidos na composição da estrutura curricular do curso de
Secretariado Executivo Bilíngue como atividades complementares, sendo uma eficaz modalidade de
ensino-aprendizagem, por possibilitar ao aluno o desenvolvimento da capacidade de refletir,
analisar, buscar novas informações e construir novos conhecimentos de maneira autônoma levandoo a assumir uma postura ativa no processo de aprendizagem. O objetivo do ED não é desenvolver
conteúdos conceituais e sim desenvolver habilidades que vêm sendo requeridas pela dinâmica
existente em todas as áreas de conhecimento.
Neste contexto, os ED não são disciplinas, mas uma modalidade de atividade complementar, os ED se
constituem num componente obrigatório da matriz curricular do curso de Secretariado Executivo
Bilíngue cuja carga horária compõe parte da carga horária destinada às atividades complementares
do curso.
Para desenvolvimento dos ED, a Instituição criou um Núcleo de Estudos Dirigidos – NED, formado por
professores especialistas que desenvolvem atividades que são realizadas pelos alunos de forma
virtual utilizando o PU.
Para nortear as atividades de aprendizagem, o NED elaborou uma matriz pedagógica, definindo-se
três grandes eixos de habilidades, a saber:
•
•
•
compreender e expressar;
raciocinar de forma crítica e analítica;
lidar com as pessoas.
A partir dessas habilidades, identificou-se um conjunto de habilidades operatórias, conceituando-se
cada uma delas e apresentando-se, em seguida, algumas diretrizes para elaboração de atividades
que envolvam diversas áreas de conhecimento. Nessa perspectiva, essa matriz configura o
delineamento do trabalho a ser desenvolvido ao longo do período acadêmico, conforme se pode
vislumbrar a seguir.
35
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Compreender e Expressar (ED 1 e 2)
O NED concebe que para se desenvolver a capacidade de interpretação de textos e domínio de suas
informações, permitindo sua transferência para outras situações, o ensino/aprendizagem pode partir
dos estudos dos gêneros do discurso, detendo-se o olhar naqueles cujas práticas sociais são
correntes na sociedade e na academia e cuja consciência é fundamental para favorecer os processos
de compreensão e produção de textos. Diante disso, selecionou-se como objeto para nortear o ED 1,
os gêneros da esfera jornalística (notícia, reportagem e entrevista) e para o ED 2, os da esfera
acadêmica e científica (artigo, relatório, resenha etc.).
O ED 1, a partir dos gêneros da esfera jornalística apresenta grande relevância por propiciar
exercícios significativos para o desenvolvimento de habilidades de linguagens importantes e por
contribuírem para formação de profissionais críticos, participativos e habilidosos no manejo de tais
produções, tendo em vista temas em que toda a sociedade é afetada.
As atividades do ED 2 introduzirão o aluno no universo específico da linguagem acadêmica, para que
possam lidar criticamente com a linguagem em sua modalidade culta dentro dos parâmetros de
complexidade exigidos pelo ensino e pelas diversas atividades profissionais. Abordarão a educação
ambiental, com temas relacionados à sustentabilidade, construção de valores sociais,
conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio
ambiente.
Raciocinar de forma crítica e analítica (ED 3 a 6)
Os EDs 3 a 6 têm como meta maior propiciar o desenvolvimento do raciocínio crítico e analítico dos
alunos, a partir de atividades que contemplam as temáticas de conhecimentos gerais propostas pelo
INEP, no ENADE, a fim de que sejam capazes de travar uma interlocução com os materiais escritos,
chegando a um posicionamento crítico diante dos mesmos e combatendo a simplificação ou a
superficialização da realidade via discursos que a representam.
Neste sentido, este eixo tem por meta oportunizar o raciocínio de forma crítica e analítica, a partir de
análises e conhecimentos de multiculturalismo e cidadania, educação ambiental, globalização e
tecnologia e políticas públicas.
Lidar com Pessoas (ED 7)
Por conceber a educação como forma de propiciar a aquisição do conhecimento e como forma de
ajudar na formação para a cidadania, é que o NED desenvolveu esse terceiro eixo de habilidades. As
atividades dos EDs 7 possibilitarão o desenvolvimento de princípios éticos e morais que orientarão
não só o comportamento dos futuros profissionais, como também os princípios das relações
interpessoais, a partir de análises de atitudes e comportamentos sociais e da aplicação desses
princípios nas simulações de relações de trabalho.
Neste sentido, este eixo tem por meta oportunizar a reflexão, a análise e a discussão de questões
referentes à moral, à ética, à liberdade, à responsabilidade, tão necessárias na formação de
profissionais de todas as áreas, propiciando aos estudantes tomadas de posições, decisões e ações
diante de situações morais/éticas controversas na vida cotidiana e futuramente profissional.
36
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
As atividades dos EDs privilegiarão o desenvolvimento de habilidades, utilizando-se da sequência
imagem, som e texto e das seguintes estratégias:
•
•
•
•
Estudo de textos teóricos, gráficos, vídeos, desenhos e imagens;
Sistematização e esquematização de informações;
Resolução de questões discursivas e de múltipla escolha, com abordagens de situaçõesproblema, estudos de casos, simulações e interpretação de textos, imagens, gráficos e
tabelas;
Discussão em fóruns.
Como requisito obrigatório, no final do semestre, é aplicada aos alunos uma avaliação online
estruturada baseada nas atividades trabalhadas. Para essa avaliação não há exame final. A
aprovação do aluno estará condicionada à frequência igual ou acima de 75% e nota igual ou acima de
6,0 na avaliação online. Em caso de reprovação, o aluno acumulará o respectivo ED para o próximo
semestre.
CAPÍTULO 3
3. PRÁTICAS ACADÊMICAS DO PPC: ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA
3.1 CONTEXTO EDUCACIONAL DO CURSO
O contexto educacional no qual foi concebido o Curso de Secretariado Executivo Bilíngue da
Faculdade Atenas Maranhense - FAMA busca contemplar, de maneira excelente, as demandas
efetivas de natureza econômica e social, como podem ser mostrados nas informações apresentadas
neste capítulo.
São Luís município brasileiro, capital do estado do Maranhão localizado ao norte do estado. Ocupa
uma área de 828,01 km² e ocupa uma área de 0.2492 % do estado do Maranhão, 0.0532 % da Região
Nordeste e 0.0097 % do território nacional. Perímetro urbano de 96,27 % e rural de 3,73 %. A 2° ao
Sul do Equador, nas coordenadas geográficas latitude S 2º 31´ longitude W 44º16, estando à 24
metros acima do nível do mar.
37
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
É a única cidade brasileira fundada por franceses, no dia 8 de setembro de 1612 posteriormente, foi
invadida por holandeses, mas terminou por ser colonizada por portugueses. Localiza-se em uma ilha,
no Atlântico Sul, entre as baías de São Marcos e São José de Ribamar. Quando em 1621 o Brasil foi
dividido em duas unidades administrativas - Estado do Maranhão e Estado do Brasil - São Luís foi a
capital da primeira unidade administrativa. A capital maranhense, lembrada hoje pelo enorme
casario de arquitetura portuguesa, no início abrigava apenas ocas de madeira e palha e uma
paisagem quase intocada. Aqui ficava a aldeia de Upaon-Açu, onde os índios tupinambás - entre 200
e 600, segundo cronistas franceses - viviam da agricultura de subsistência. O nome da cidade é uma
homenagem dada pelos franceses ao Rei da França Luís IX também chamado de São Luís.
A capital maranhense tem um desenvolvido setor industrial por conta de grandes corporações e
empresas de diversas áreas que se instalaram na cidade pela sua privilegiada posição geográfica
entre as regiões Norte e Nordeste do país, seu litoral estrategicamente localizado bem mais próximo
de grandes centros importadores de produtos brasileiros como Europa e EUA que permite economia
de combustíveis e redução no prazo de entrega de mercadorias provenientes do Brasil pelo Porto de
Itaqui um dos mais movimentados, sofisticados e bem estruturados para o comércio exterior no
Brasil. Tudo isso aliado a ligação por linha férrea da capital São Luís ao interior do estado, e aos
estados vizinhos do Pará, Tocantins e Piauí o que facilita e barateia a escoação agrícola vinda do
interior do país para o porto de Itaqui, sendo que com a conclusão de Ferrovia Norte-Sul a cidade vai
estar interligada a todas as regiões brasileiras (NO, NE, CO, SE e S) por ferrovias, por rodovia a ilha já
é servida pela BR-135 que a liga ao continente, e por ar conta com o Aeroporto Internacional
Marechal Cunha Machado com capacidade de atender mais de um milhão de passageiros por ano, e
que já opera com demanda quase saturada pelo movimento intenso de passageiros não somente da
cidade de São Luís, mas também por servir como porta de entrada, por ser o maior e mais
movimentado aeroporto próximo ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.
Em 2010 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) contou a população em 1,027,098 o
que a torna o décimo - quinto município mais populoso do Brasil entre os 5.565 municípios
brasileiros, 13° entre as capitais, 4º da região Nordeste e 1° do Maranhão. Sua área é de 831,7 km², e
desse total 157,5656 km² estão em perímetro urbano. O município faz parte da Mesorregião do
Norte Maranhense e Microrregião da Aglomeração Urbana de São Luís localizada a norte do estado
do Maranhão. O Índice de Desenvolvimento Humano do município é de 0.778, alto comparado ao
IDH do Maranhão.Segundo o Censo 2010, a população jovem chegava a 63,87% (555.709 habitantes)
com idade inferior a 29 anos, destacando-se que 375.624 (40,17%) menores de 19 anos.
As maiores concentrações urbanas correspondem ao núcleo central de São Luís, os bairros da Cohab
e Cohatrac, Maiobão, eixo São Francisco-Renascença, Cidade Operária, e bairros do Itaqui-Bacanga,
as demais povoações são esparsas e praticamente isoladas. O sistema de transporte urbano faz-se
por ônibus e serviços alternativos de vans. Atualmente vem passando por um processo de
modernização com a integração das diferentes regiões da cidade por terminais urbanos de ônibus.
Após a primeira metade do século XX, com a aplicação de grandes investimentos, como a construção
da Estrada de Ferro Carajás a economia diversificou-se. Destacam-se a grande usina de alumínio
(Alumar), segunda maior do país, a usina de pelotização de ferro (Vale do Rio Doce), o complexo
portuário da ilha formado pelos terminais de Itaqui, Ponta da Madeira e Alumar, sendo um porto
muito profundo e capaz de receber navios de grande capacidade. Ainda na economia, o comércio da
região é variado e com boa oferta de serviços. São Luís concentra as atividades financeiras e
indústrias, além de oferecer as melhores opções de compras do estado. Nos demais municípios
destacam-se atividades primárias como agricultura, pesca, extrativismo vegetal e exploração mineral.
38
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
A economia ludovicense baseia-se na indústria de transformação de alumínio, alimentícia, turismo e
nos serviços. São Luís possui o maior PIB do estado, sediando duas universidades públicas (UFMA e
UEMA) e vários centros de ensino e faculdades particulares. Segundo o último levantamento de
dados do IBGE a cidade de São Luís possui o PIB de R$15,3 bilhões sendo assim a 10º economia
nacional entre os mais de 5.560 municípios brasileiros, com investimentos de R$ 378 bilhões no país,
crescimento de 84% nos últimos quatro anos, a indústria de petróleo e gás não somente tem se
expandido como também tem favorecido o surgimento de diversos negócios para micro e pequenas
empresas. Neste contexto, a economia do Maranhão já começa a se beneficiar com os projetos em
andamento no estado, como a Refinaria Premium I e a busca por petróleo e gás em bacias terrestres
e marítimas. As oportunidades foram apresentadas ontem, durante seminário de lançamento do
Projeto Adensamento da Cadeia Produtiva do Petróleo, Gás e Energia do Território de Influência da
Refinaria Premium I.
Educação
A capital maranhense possui uma grande quantidade de escolas públicas e particulares,
universidades e faculdades, além de institutos federais. Dados de 2008 do IBGE mostram que a
cidade de São Luís possui 474 escolas de ensino fundamental, 400 escolas e pré-escolas e 133
instituições de ensino médio.
As instituições de ensino da capital que merecem destaque são:
Instituições públicas de ensino superior
•
•
•
•
Universidade Federal do Maranhão
Universidade Estadual do Maranhão
Universidade Virtual do Maranhão
Instituto Federal do Maranhão
Instituições particulares de ensino superior
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Universidade CEUMA
Faculdade Santa Fé (FSF)
Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (UNDB)
Faculdade Pitágoras de São Luís
Faculdade do Estado do Maranhão (FACEM)
Faculdade São Luís
Faculdade Atenas Maranhense (FAMA)
Faculdade Santa Terezinha (CEST)
Faculdade do Maranhão (FACAM)
Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (IESEMA)
Universidade Vale do Acaraú (UVA-IDEM)
Fundação Getúlio Vargas (FGV)
Em todo o Estado do Maranhão somente a Faculdade Atenas Maranhense – FAMA oferece o curso
superior de Secretariado Executivo Bilíngue.
39
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
3.2 POLÍTICAS INSTITUCIONAIS NO ÂMBITO DO CURSO
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA baseado nos
relatórios da CPA e do resultado do ENADE, apresenta as seguintes políticas de ensino no âmbito do
curso:
• Revisão periódica do PPC do curso com vistas a contemplar maior
alinhamento com as perspectivas integrativas do ENADE e com as
necessidades do mercado de trabalho por meio da participação efetiva do
NDE e Colegiado de curso;
• otimização do processo de ensino-aprendizagem, principalmente no que diz
respeito à constância das ações, mediante avaliações e acompanhamento
personalizado do acadêmico, desde o seu ingresso até o último semestre de
integralização, objetivando intervir na realidade discente durante toda a sua
formação acadêmica por meio de cursos de extensão;
• Utilização da produção acadêmico-científica como um dos critérios
preponderantes de avaliação do corpo docente;
• Realização anual do evento acadêmico “Encontro de Estudantes e Egressos do
Curso”. Nesse evento, são apresentados e premiados trabalhos científicos
produzidos por discentes e docentes.
• Intensificação do “Programa de Visitas Técnicas”, que servirá como
laboratório para a prática das técnicas secretariais, gestão secretarial e
gestão de eventos, com o objetivo de contribuir para a eficaz utilização
dessas técnicas, renovadas tecnologias, imprimindo ao egresso competências
e habilidades na segurança, credibilidade e fidelidade no fluxo de
informações, na gestão da rotina diária e no planejamento e execução de
eventos institucionais.
3.2.1 O PDI e as políticas de ENSINO do curso
Q. 2. Quadro 3.2.1 – O PDI e as políticas de ensino do Curso.
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
POLÍTICAS DE ENSINO DO PDI E DO CURSO
Elaboração e execução de projeto para estimular a abordagem interdisciplinar, a
convivência, com foco em resolução de problemas, inclusive de natureza regional,
respeitando as diretrizes curriculares pertinentes;
Ensino socializado: pesquisas em grupo, oficinas, desenvolvimento de projetos
coletivos de trabalho, workshops, seminários, etc.;
Preparação do contexto e das circunstâncias para implementação das novas
metodologias de ensino-aprendizagem adotadas;
Ensino sócio individualizado: seminários multi e interdisciplinares, grupos de estudos
por temáticas específicas, debates, simpósios, etc.;
Elaboração e execução de projeto que, com base na abordagem interdisciplinar,
maximizem a integração entre a teoria e a prática, bem como entre a instituição e o
seu entorno;
40
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
“Programa de Visitas Técnicas”, que servirá como laboratório para a prática das
técnicas secretariais, gestão secretarial e gestão de eventos, com o objetivo de
contribuir para a eficaz utilização dessas técnicas, renovadas tecnologias, imprimindo
ao egresso competências e habilidades na segurança, credibilidade e fidelidade no
fluxo de informações, na gestão da rotina diária e no planejamento e execução de
eventos institucionais.
Elaboração e execução de projeto de oferta de cursos baseados em currículos por
competências e habilidades;
Promover reuniões com o NDE e colegiado para analisar, avaliar, informar e ajustar os
procedimentos pedagógicos de acordo com as necessidades educacionais,
psicológicas e culturais dos alunos
Elaboração do BSC - Acadêmico para cada curso;
Promover reuniões com o NDE e colegiado para analisar, avaliar, informar e ajustar os
procedimentos pedagógicos de acordo com as necessidades educacionais,
psicológicas e culturais dos alunos
Elaboração do banco de conteúdos profissionalizantes essenciais para cada curso e
do banco de conteúdos de conhecimentos prévios;
Promover reuniões com o NDE e colegiado para analisar, avaliar, informar e ajustar os
procedimentos pedagógicos de acordo com as necessidades educacionais,
psicológicas e culturais dos alunos
Homogeneização da avaliação das competências a serem adquiridas (indicadores de
processo); reflexão das avaliações dos conteúdos profissionalizantes e de
conhecimento prévio (ensino-aprendizagem); e avaliação dos conteúdos atitudinais
(testes psicopedagógicos);
Utilização do modelo de avaliação interdisciplinar do ENADE nas avaliações bimestrais
Elaboração de atividades provocadoras de aprendizagem que visam incutir no aluno o
interesse pelo tema abordado nas atividades de aprendizagem presencial e/ou nãopresencial;
Divulgação e utilização das APA’s institucionais disponibilizadas em meio digital nas
aulas presenciais.
Revisão e atualização contínua dos projetos pedagógicos segundo escala de
prioridades baseadas na avaliação institucional e nas Diretrizes Curriculares Nacionais;
Avaliação periódica do PPC a partir do relatório da CPA e do resultado do ENADE
Promoção de eventos de difusão do conhecimento científico em áreas prioritárias,
com envolvimento do corpo docente e discente, inclusive com efeitos multiplicativos
de outros eventos de que professores e alunos tenham participado;
Realização anual do evento acadêmico “Encontro de Estudantes e Egressos do
Curso”. Nesse evento, são apresentados e premiados trabalhos científicos produzidos
por discentes e docentes.
Desenvolvimento de ações que reduzam as taxas de evasão.
Fornecimento de alternativas para os problemas de ordem financeira que
impossibilitam, muitas vezes, a permanência nos cursos em que lograram obter
acesso (PROUNI, FIES e PROFAMA – Programa de Financiamento Alternativo da
FAMA).
3.2.2 O PDI e as políticas de EXTENSÃO do curso
41
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Q. 3. Quadro 3.2.2 – O PDI e as políticas de extensão do Curso.
PDI
CURSO
PDI
POLÍTICAS DE EXTENSÃO DO PDI E DO CURSO
Aperfeiçoamento das atividades de extensão nos cursos, à luz da
autoavaliação institucional e de cursos;
Apresentação e execução, pelo corpo docente/coordenação de curso, de no mínimo
02 cursos de extensão por semestre elaborados a partir das necessidades oriundas do
relatório da CPA e de autoavaliação do curso.
Ampliação das atividades, segundo áreas prioritárias, especialmente onde for
considerado mais necessário o estreitamento das relações entre a teoria e prática;
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
CURSO
PDI
Oferecimento de cursos de extensão em áreas selecionadas, conforme as demandas
da comunidade, detectadas mediante sondagem sistemática;
Incentivo aos trabalhos interdisciplinares com foco na responsabilidade social por
meio de projetos de qualificação profissional às comunidades carentes do entorno.
Estímulo à experimentação de novas metodologias de trabalho comunitário ou de
ações sociais, envolvendo o aluno com diferentes possibilidades de atuação no
sentido de reduzir as mazelas sociais e promover a disseminação do conhecimento do
bem público;
Incentivo aos trabalhos interdisciplinares com foco na responsabilidade social por
meio de projetos de qualificação profissional às comunidades carentes do entorno.
Estabelecimento de ações que aliem a projeção da imagem da instituição a serviços
específicos prestados à comunidade;
Incentivo aos trabalhos interdisciplinares com foco na responsabilidade social por
meio de projetos de qualificação profissional às comunidades carentes do entorno.
Divulgação das extensões que gerem recursos financeiros para ajudar o custeamento
das despesas fixas da Instituição;
CURSO
PDI
Estabelecimento de estratégias para parcerias na busca de recursos financeiros
externos, governamentais ou não governamentais, desde que compatíveis com as
normas e políticas da instituição.
CURSO
3.3 OBJETIVOS DO CURSO
Os objetivos do curso de Secretariado Executivo Bilíngue foram concebidos e implementados
buscando uma excelente coerência, em uma análise sistêmica e global, com os aspectos: perfil
profissional do egresso, estrutura curricular e contexto educacional.
Neste contexto, ao se definir o BSC do curso de Secretariado Executivo Bilíngue foi definido o perfil
profissional do Secretário Executivo a ser formado pela Faculdade Atenas Maranhense - FAMA e
foram delineados os principais objetivos do curso à luz das DCN e de acordo com a Resolução CNE/
CES No 03 de 23 de junho de 2005.
Assim, o curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA tem
como OBJETIVO PRINCIPAL:
42
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Formar profissionais empreendedores, éticos e conscientes de sua responsabilidade social, com
capacidade de análise, interpretação e articulação de conceitos e realidades inerentes à
administração pública e privada, desenvolvendo uma postura reflexiva e crítica que fomente a
capacidade de gerir e administrar processos e pessoas, com observância dos níveis graduais de
tomada de decisão para atuar em nível micro, meso e macro-organizacional.
Os seguintes OBJETIVOS ESPECÍFICOS foram definidos:
• Compreender as bases sociológicas e filosóficas que norteiam a formação
sociocultural das organizações na sociedade e sua relação com a prática profissional
do Secretário Executivo;
• Estudar os diferentes processos de comunicação e as linguagens que os constituem,
relacionando-os com a cultura organizacional e sua utilização no desenvolvimento da
prática profissional;
• Propiciar a interdisciplinaridade e a integração da teoria com a prática;
• Estimular a capacidade de observar, analisar, refletir, conceituar, generalizar e
sintetizar conhecimentos e informações;
• Proporcionar um ensino superior dinâmico e atualizado com as necessidades das
organizações e em sintonia com as transformações econômicas, sociais, ambientais,
tecnológicas e gerenciais;
• Possibilitar a formação ética e humanista, através da reflexão sobre os valores
cultivados pela sociedade e pelo envolvimento nas questões relevantes do
desenvolvimento humano e da responsabilidade social;
• Desenvolver a autonomia na construção de uma identidade profissional
empreendedora, a partir da participação em atividades complementares e
transdisciplinares;
• Desenvolver métodos e técnicas secretariais, a partir da relação teoria e prática que,
relacionada aos conhecimentos científicos, propiciarão a construção de uma prática
profissional inovadora;
• Desenvolver habilidades que, relacionadas aos conhecimentos científicos, constituam
as bases necessárias ao desenvolvimento de competências e saberes inerentes ao
exercício da profissão;
• Desenvolver projetos de extensão voltados ao contexto regional, como forma de
enriquecimento acadêmico do corpo docente e discente e de promoção da
aproximação com a comunidade;
• Estabelecer intercâmbio com instituições afins, empresas e outras, visando à
atualização contínua do projeto pedagógico, do corpo docente e das tecnologias
educacionais;
• Manter relacionamento permanente com os egressos, mediante a prática da
educação continuada, através de seminários, palestras, cursos de extensão,
sequenciais e de pós-graduação.
O Bacharel em Secretariado Executivo Bilíngue possui um enorme campo de atuação, seja em
organizações de natureza pública, privada e social, seja como gestor, empreendedor ou profissional
liberal.
Como gestor, é capaz de exercer todas as funções gerenciais, tais como: planejar, organizar, liderar
equipes e atingir metas. Como assessor, pode assessorar as organizações na definição e
implementação de estratégias, políticas e processos. Como empreendedor ou profissional liberal, é
capaz de identificar oportunidades, avaliar riscos e decidir, de forma criativa e inovadora,
43
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
antecipando-se à concorrência. O Secretário Executivo tem seus direitos, prerrogativas e deveres
assegurados na Lei nº 7.377/85, alterada pela Lei nº 9.261/96.
3.4 PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO
O perfil profissional do curso de Secretariado Executivo Bilíngue busca expressar de maneira
excelente as competências do egresso, definidas de acordo com as DCN, conforme foi apresentado
no BSC do curso.
Neste contexto deve ter como pressupostos essenciais o compromisso de atuar no contexto
socioeconômico e político do país, ser um profissional e cidadão comprometido com os interesses e
desafios da sociedade contemporânea e capaz de acompanhar a evolução científica e tecnológica da
sua área de atuação, mantendo adequado padrão de ética profissional, conduta moral e respeito ao
ser humano.
Com base em um conjunto de saberes provenientes da cultura, dos conhecimentos científicos,
técnicos, da vivência e experiência prática e dos valores humanos, o Curso de Secretariado Executivo
Bilíngue, pretende que o formando desenvolva as seguintes habilidades e competências:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Capacidade de articulação, de acordo com os níveis de competência fixadas pelas
organizações;
Visão generalista da organização e das peculiaridades das relações hierárquicas e
intersetoriais;
Exercício de funções gerenciais, com sólido domínio sobre planejamento,
organização, controle e direção;
Utilização do raciocínio lógico, crítico e analítico, operando com valores e
estabelecendo relações formais e causais entre fenômenos e situações
organizacionais;
Habilidade de lidar com modelos inovadores de gestão;
Domínio dos recursos de expressão e de comunicação compatíveis com o exercício
profissional, inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais
ou intergrupais;
Receptividade e liderança para o trabalho em equipe, na busca de sinergia;
Adoção de meios alternativos relacionados com a melhoria da qualidade e da
produtividade dos serviços, identificando necessidades e equacionando soluções;
Gerenciamento de informações, assegurando uniformidade e referencial para
diferentes usuários;
Gestão e assessoria administrativa com base em objetivos e metas departamentais e
empresariais;
Capacidade de maximização e otimização dos recursos tecnológicos;
Eficaz utilização das técnicas secretariais, com renovadas tecnologias, imprimindo
segurança, credibilidade e fidelidade no fluxo de informações;
Iniciativa, criatividade, determinação, vontade de aprender, abertura às mudanças,
consciência das implicações e responsabilidades éticas do seu exercício profissional.
3.5 ESTRUTURA CURRICULAR
A estrutura curricular implantada no curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas
Maranhense – FAMA busca contemplar, de maneira excelente, em uma análise sistêmica e global, os
44
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
aspectos: flexibilidade, interdisciplinaridade, compatibilidade da carga horária total (em horas) e
articulação da teoria com a prática.
Ao apresentar uma matriz curricular absolutamente inovadora, o curso tem como preocupação
realizar um currículo voltado para ao atendimento do perfil definido para o profissional, buscando-se
atender ao desenvolvimento de competências e habilidades gerais descritas na Resolução CNE/CES
No. 03 de 23 de junho de 2005 que institui as DCN em Secretariado Executivo Bilíngue, sem perder
de vista o mercado de trabalho na articulação orgânica com as tendências da profissão na sociedade
contemporânea.
FLEXIBILIDADE
A flexibilidade pode ser verificada no curso de Secretariado Executivo Bilíngue por meio das
atividades complementares, componente obrigatório na sua estrutura curricular que perfaz um total
de 210 horas do currículo, além disso, esta estrutura proposta oferece duas disciplinas eletivas, que
serão escolhidas pelo aluno, sendo a disciplina de LIBRAS uma opção, conforme prevê o Decreto n.
5.626 (BRASIL, 2005b).
INTERDISCIPLINARIDADE
A interdisciplinaridade é contemplada no currículo do Curso de Graduação em Secretariado
Executivo Bilíngue que aborda as diversas áreas de conhecimento, habilidades, atitudes e valores
éticos, fundamentais à formação profissional. Esta interdisciplinaridade pode ser comprovada nas
disciplinas INSTITUCIONAIS –EPS e Metodologia da Pesquisa e nas disciplinas DE ÁREA, aquelas
disciplinas que são comuns aos cursos da área de humanas. Nestas disciplinas os alunos terão
conhecimento dos conteúdos interdisciplinares além de conviverem com os colegas de outros cursos
da instituição. Neste sentido, a estrutura curricular foi organizada de forma oferecer situações de
aprendizagem ao longo do curso que assegure uma formação técnica, humanística e política do
graduando.
ARTICULAÇÃO DA TEORIA COM A PRÁTICA
A articulação da teoria com a prática é contemplada na abordagem dos diversos conteúdos
componentes do SISCON do curso, tanto no estágio supervisionado, como nas disciplinas DE ÁREA e
nas disciplinas DO CURSO, observando o equilíbrio teórico-prático, permitindo, na prática e no
exercício das atividades, a aprendizagem da arte de aprender; busca a abordagem precoce de temas
inerentes às atividades profissionais de forma integrada, sem perda dos conhecimentos essenciais ao
exercício da profissão; compromete o aluno com o desenvolvimento científico e a busca do avanço
tecnológico. Neste contexto, a estrutura curricular desenvolvida possui forte coerência com o perfil
traçado para o profissional egresso do curso. Esta estrutura foi organizada de forma a propiciar uma
articulação dinâmica entre ensino e labor profissional, prática e teoria, ambiente acadêmico e
convívio comunitário, o básico e o profissionalizante de modo que assegure ao longo do curso a
formação científico-ético-humanista do profissional almejado e que agregue diversas competências
necessárias ao desenvolvimento do empreendedorismo, com autonomia no pensar e decidir.
Na elaboração curricular foram adotados também princípios que promovem a organização do curso
partindo do geral para o específico, em níveis crescentes de complexidade e em sucessivas
aproximações. Assim, uma sequencia de conhecimentos definirá os objetivos a serem alcançados novos conhecimentos e habilidades (cognitivos, afetivos e psicomotores) são introduzidos em
45
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
momentos subsequentes, reforçando o que já se sabe e mantendo as interligações com as
informações previamente aprendidas. Deste modo, o estudante vai gradualmente se apropriando do
conhecimento em uma maior amplitude e profundidade, havendo uma concentração maior de
disciplinas técnicas e específicas à medida que o estudante vai avançando no curso.
COMPATIBILIDADE DE CARGA HORÁRIA
A compatibilidade da carga horária total cumpre a determinação da Portaria MEC 03/2007 de 02 de
julho de 2007. Todas as disciplinas são organizadas e mensuradas em horas-relógio de atividades
acadêmicas e de trabalho discente efetivo. A matriz curricular do Curso de Secretariado Executivo
Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA foi concebida com um total de 2.400 horas
distribuídas em disciplinas teórico-práticas partilhadas em eixos temáticos denominados - Núcleos
Curriculares. Dentro desta carga horária, estão previstas 140 horas de Estágio Supervisionado,
perfazendo um total de 6% da carga horária do curso. Além das Atividades Complementares de
Interesse Individual que incluem os EDs totalizando 210 horas.
A seguir é apresentada a matriz curricular do curso:
MATRIZ CURRICULAR – CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE
1º SEMESTRE
Disciplina
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Ética, política e sociedade
60
0
0
Comunicação Empresarial
60
0
0
Direito Empresarial e do Consumidor
60
0
0
Empreendedorismo
60
0
0
Metodologia da Pesquisa
60
0
0
E.D1
0
0
30
300
0
30
Subtotal
2º SEMESTRE
Disciplina
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Fundamentos de Matemática
60
0
0
Habilidades Básicas de Língua Inglesa
60
0
0
Contabilidade Geral
60
0
0
Técnicas Secretariais
120
0
0
Comportamento Organizacional
60
0
0
46
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
E.D2
0
0
30
360
0
30
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Comunicação e Expressão em Língua Inglesa
60
0
0
Leitura e Produção Textual
60
0
0
Marketing
60
0
0
Gestão Secretarial
60
0
0
Organização Sistemas e Métodos
60
0
0
E.D3
0
0
30
300
0
30
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Ergonometria e Prevenção de Distúrbios Corporais
60
0
0
Inglês Executivo
60
0
0
Métodos Quantitativos
60
0
0
Produção de Textos Empresariais
60
0
0
Legislação do Trabalho e Previdência Social
60
0
0
E.D4
0
0
30
300
0
30
Subtotal
3º SEMESTRE
Disciplina
Subtotal
4º SEMESTRE
Disciplina
Subtotal
5º SEMESTRE
Disciplina
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Estágio I
70
0
0
Planejamento e Gestão de Eventos
60
0
0
Prática de Redação da Língua Inglesa
60
0
0
Prática de Revisão de Textos
60
0
0
Eletiva I
60
0
0
E.D5
0
0
30
47
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Subtotal
240
70
30
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Estágio II
0
70
0
Gestão de Meio Ambiente
60
0
0
Técnica de Tradução em Língua Inglesa
60
0
0
Tecnologia da Informação e da Comunicação
60
0
0
Tópicos Especiais em Língua Portuguesa
60
0
0
E.D6
0
0
30
240
70
30
C. Horária
C. Horária
C. Horária
Teórica
Prática
Complementar
Eletiva II
60
0
0
Estágio III
0
70
0
Planejamento Estratégico
60
0
0
Seminários de Eventos
60
0
0
E.D7
0
0
30
180
70
30
6º SEMESTRE
Disciplina
Subtotal
7º SEMESTRE
Disciplina
Subtotal
RESUMO
Carga horária teórica – 1920h
Atividades complementares – 60h
Atividade complementar – Estudo dirigido (ED) - 210h
Estágio Curricular Supervisionado – 210h
Carga horária total – 2400h
3.6 CONTEÚDOS CURRICULARES
Os conteúdos curriculares implantados no curso de Secretariado Executivo Bilíngue busca
possibilitar, de maneira excelente, o desenvolvimento do perfil profissional do egresso considerando,
em uma análise sistêmica e global, os aspectos: atualização, adequação das cargas horárias (em
horas) e adequação da bibliografia.
48
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Os conteúdos curriculares foram agrupados em disciplinas que compõem a estrutura curricular do
curso. Todos os conteúdos de cada disciplina da estrutura curricular foram cadastrados no SISCON do
curso e foram classificadas em: disciplinas institucionais, disciplinas da área e disciplinas do curso
(profissionalizantes).
3.7 METODOLOGIA
As atividades pedagógicas buscam apresentar uma excelente coerência com a metodologia
implantada.
Nos discursos sobre educação parece sempre haver um consenso que a educação visa
fundamentalmente à preparação para o exercício da cidadania, cabendo ao curso formar acadêmicos
em conhecimentos, habilidades, valores, atitudes, ética, formas de pensar em atuar na sociedade
através de uma aprendizagem significativa.
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA possui um consenso que não há mais espaço para
concepção pedagógica tradicional, o currículo está organizado por um conjunto de disciplinas
interligadas onde os conteúdos apoiam numa organização flexível, num esforço de romper o
caminho linear com foco em ensinar e aprender com significado que implica em interações com
caminhos diversos, percepção das diferenças, na busca constante de todos os envolvidos na ação de
conhecer.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue está refletindo sobre todas as mudanças que se fazem
necessárias para que passe da intenção à ação de tornar o curso mais humano, mais justo e mais
acolhedor para quem nele busca formação cidadã. Na realidade todas as ações são no sentido de
romper com a perspectiva tradicional para a perspectiva construtivista, dialógica e crítica tendo
conhecimento como instrumento de transformação social, onde professor e aluno interagem no
processo de ensino-aprendizagem.
O principal papel na promoção de uma aprendizagem significativa é desafiar os conceitos já
aprendidos, para que se reconstruam de forma mais ampliada. Colocando diante de um novo desafio
com relação ao planejamento das aulas, no sentido de buscar formas de provocar instabilidade
cognitiva. Planejar uma aula significativa significa em primeira análise buscar formas criativas e
estimuladoras de desafiar as estruturas conceituais dos alunos. Segundo Ausubel (1982).
é indispensável para que haja uma aprendizagem significativa, que os alunos se prédisponham a aprender significativamente.
Promover a aprendizagem significativa é parte de um projeto educador libertador, o curso de
Secretariado Executivo Bilíngue tem a convicção que é necessária insistir em um real processo de
transformação da prática. Neste sentido o curso vem buscando estratégias de ensino-aprendizagem
utilizando metodologias tais como: mapas conceituais, metodologias baseadas em projetos,
tecnologias interativas de ensino, visitas técnicas, aulas práticas de laboratório, estudo de caso,
problematização, grupos de verbalização e grupo de observação, metodologias de simulação,
oficinas (workshops), aulas expositivas dialogadas, tempestade cerebral, seminários, aprendizagem
baseada em problema, etc.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue desenvolve em todas as suas disciplinas a ideia de que o
projeto pedagógico não deve ficar no nível filosófico de uma espécie de ideário, ainda que
49
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
contemplando princípios andragógicos e, nem em nível sociológico de contemplação de um
diagnóstico. Buscou em suas ações resgatar nos educadores o valor do planejamento, da busca de
novas metodologias, mais atualizadas e mais condizentes com o perfil do ingresso na atualidade.
A função do projeto pedagógico, portanto, tem sido de ajudar a resolver problemas, utilizar os
conhecimentos adquiridos na prática e, portanto, uma metodologia de trabalho que possibilita resignificar a ação de todos os envolvidos no curso, buscando em cada disciplina ofertada, decifrar as
competências necessárias para que o egresso consiga obter uma boa empregabilidade, e
fundamentalmente à preparação para o exercício da cidadania analisando e avaliando quais os
conteúdos profissionalizantes e de conhecimentos prévios são essenciais para se alcançar as
competências e, consequentemente, o perfil do egresso desejado do curso.
O procedimento metodológico para execução das aulas compreenderá atividades de aprendizagem
teórico/ práticas e atividades de aprendizagem orientadas. As aulas ministradas serão desenvolvidas
nesta sequência: Introdução – exposição em linhas gerais pelo professor e conversas informais com o
grupo quanto ao assunto do dia. Desenvolvimento – explicação do assunto pelo professor, bem
como a construção e realização de tarefas desempenhadas pelo grupo. Conclusão – síntese geral do
assunto pelo professor objetivando provocar reflexões e discussões, caso necessário.
ATIVIDADES DE APRENDIZAGEM TEÓRICO: As aulas teóricas serão desenvolvidas de forma interativa,
com projeção multimídia, aulas interativas em programas de computador, exposição dialogada,
discussão e problematização dos assuntos, trabalhos em grupo, utilização diversificada de recursos
didáticos e audiovisuais, objetivando a construção de espaços potenciais de ensino-aprendizagem.
ATIVIDADES DE APRENDIZAGEM ORIENTADAS: são atividades extraclasse, desenvolvidas pelos
acadêmicos em todas as disciplinas, visando a auto-aprendizagem. Estas atividades são descritas em
forma de aula estruturada de forma clara e objetiva, e disponibilizadas para os alunos contendo o
tempo médio que o acadêmico necessitará para o seu desenvolvimento, sendo possível compor as
avaliações parciais.
3.8 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO
O estágio curricular supervisionado tem por objetivo: oportunizar ao discente a realização de
atividades práticas em situações reais de trabalho, enquanto componente da formação profissional,
seja pelo desenvolvimento da competência técnico-científica, seja pelo compromisso político-social
frente à sociedade. Tanto docentes quanto discentes compreendem que o estágio supervisionado no
curso tem o intuito de proporcionar experiências realistas aos graduandos, funcionando como
embasamento em situações reais e deverá realizar a ponte teórico-prática, permitindo que o aluno
experimente o conteúdo do curso.
O estágio curricular supervisionado implantado está regulamentado e institucionalizado, buscando
considerar de maneira excelente, em uma análise sistêmica e global, os aspectos: carga horária,
existência de convênios, formas de apresentação, orientação, supervisão e coordenação.
REGULAMENTAÇÃO/ INSTITUCIONALIZAÇÃO
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA estabeleceu um Regulamento de Estágio Institucional com
objetivos e tarefas delimitadas do que deve ser operacionalizado de igual maneira para todos os
50
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
cursos e a partir desse, o curso de Secretariado Executivo Bilíngue elaborou seu próprio regulamento
de estágio, descrevendo as dinâmicas de orientação, prática, supervisão e avaliação do estágio.
CARGA HORÁRIA
Quanto ao aspecto CARGA HORÁRIA, o estágio curricular aparece na matriz do Curso de Secretariado
Executivo Bilíngue como atividade obrigatória, de forma articulada e em complexidade crescente ao
longo do processo de formação e absorve 9% da carga horária total do curso, perfazendo um total de
210 horas, estando assim em consonância com o Art. Nº 05 das DCN em Secretariado Executivo
Bilíngue. O estágio é desenvolvido em atividades extra e intramuros, distribuídas ao longo da matriz
curricular.
EXISTÊNCIA DE CONVÊNIOS
Para realização do estágio curricular do curso de Secretariado Executivo Bilíngue a instituição
pactuou CONVÊNIOS diversos, com instituições públicas e privadas, governamentais e não
governamentais, filantrópicas ou com fins lucrativos, cujos contratos e termos de compromisso são
arquivados e disponibilizados pela direção da instituição. Neste sentido a Faculdade Atenas
Maranhense - FAMA dispensa especial relevo à relação entre estagiários, instituições de ensino e
organizações onde se realizam os estágios, de forma a oportunizar ao aluno interações interpessoais,
ao tempo que integra a bagagem conceitual a diferentes contextos da pratica profissional. Permite
também, a compreensão das necessidades e das carências da comunidade loco regional e auxilia na
compreensão das diversas nuances do mercado de trabalho.
FORMAS DE APRESENTAÇÃO
Quanto às FORMAS DE APRESENTAÇÃO, durante o estágio o aluno pode desenvolver as seguintes
atividades: OBSERVAÇÃO - nesta modalidade de atividade o aluno deverá entender e compreender
ações de planejamento, acompanhamento e avaliação de programas de saúde ou procedimento
prático realizado, bem como analisar criticamente as condições em que são realizadas estas ações e a
sua inserção nesse contexto; CO-PARTICIPAÇÃO - o discente além dos itens citados em observação,
deverá auxiliar o professor ou preceptor nas ações desenvolvidas durante o estágio; e, INTERVENÇÃO
- quando o discente assume as atividades junto ao cliente ou grupo comunitário.
ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO
Quanto à ORIENTAÇÃO e SUPERVISÃO do estágio supervisionado no curso de Secretariado Executivo
Bilíngue, a instituição compreende que os estágios devem propiciar a complementação do ensino e
da aprendizagem, sendo planejados, executados, acompanhados e avaliados em conformidade com
os currículos, programas e calendários escolares, a fim de se constituírem em instrumentos de
integração, em termos de treinamento prático, de aperfeiçoamento técnico-cultural, científico e de
relacionamento humano. O aluno será orientado e supervisionado pelos professores de estágio
quando se tratar de estágio intramuros ou extramuros. Em alguns cenários de prática de estágio em
espaços conveniados, é possível a participação de preceptores, profissionais do serviço que serão
designados como orientadores ou supervisores de estagiário. Os preceptores e/ou professores de
estágio possuem a responsabilidade de acompanhar as questões relacionadas à prática da profissão,
bem como as questões pertinentes a comportamentos, frequência ou qualquer outro assunto que
exija colaboração das partes envolvidas.
COORDENAÇÃO
É função da COORDENAÇÃO do estágio supervisionado no curso de Secretariado Executivo Bilíngue,
realizar os contatos com as instituições conveniadas, definir os professores e pactuar os preceptores
nos diferentes cenários de desenvolvimento das atividades, realizando o acompanhamento destes e
51
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
dos seus respectivos estagiários, bem como a avaliação dos relatórios finais elaborados pelos alunos
e corrigidos pelos orientadores e supervispores.
AVALIAÇÃO
A AVALIAÇÃO do desempenho do estagiário é realizada de forma contínua e sistemática, durante o
desenvolvimento de todo o estágio, envolvendo a análise dos aspectos técnico-científicos, sociais e
humanos da profissão. Deve ser observado pelo orientador o grau de aproveitamento técnicoprofissional, a frequência às atividades programadas, o cumprimento das atividades estabelecidas, a
ética e o relacionamento pessoal, a entrega dos diários de campo, relatórios parciais e do relatório
final de estágio. Os acadêmicos são avaliados tendo por base o programa de estágio e sua realização
conforme o cronograma estabelecido e demais critérios relativos à sua dedicação, frequência e
interesse, constantes dos planos de ensino dos respectivos estágios.
3.9 ATIVIDADES COMPLEMENTARES AO ENSINO - ACE
As atividades complementares ao ensino - ACE implantadas no curso de Secretariado Executivo
Bilíngue estão regulamentadas e institucionalizadas, buscando considerar de maneira excelente, em
uma análise sistêmica e global, os aspectos: carga horária, diversidade de atividades e formas de
aproveitamento.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense, considerando a
instituição das Atividades Complementares ao Ensino - ACE como parte integrante do currículo pleno
do curso, consoante estatuído pelas DCNs (Resolução CNE/CES 03/06/2005) e a importância da
flexibilização curricular, facultando ao estudante o desenvolvimento de programas complementares
de estudos que fortaleçam a integração entre a teoria e a prática e lhe permita incorporar
experiências que concorram para o seu crescimento profissional definiu que possuem caráter
obrigatório e categorizam-se em três grupos: atividades de ensino, de extensão e de pesquisa.
CARGA HORÁRIA
As ACE possuem uma CARGA HORÁRIA de 270 horas na estrutura curricular do curso de Secretariado
Executivo Bilíngue
DIVERSIDADE DE ATIVIDADES
Quanto à DIVERSIDADE de atividades, compreendem as ACE:
1. atividades de ENSINO - disciplinas afins ao curso, oferecidas pela própria instituição, mas não
previstas em seu currículo pleno; cursos e/ou disciplinas realizados em outras instituições;
monitoria em disciplina(s) específica(s) do curso;
2. atividades de EXTENSÃO - participação em seminários, palestras, cursos, jornadas,
congressos, conferências, encontros, cursos de atualização e similares; programas de
extensão, relativos à área do curso; realização de estágios extracurriculares e execução de
ações de extensão promovidas pela instituição;
3. atividades de INICIAÇÃO CIENTÍFICA - programas de iniciação científica; trabalhos publicados
na íntegra em periódicos da área, resumos publicados em anais de eventos científicos;
apresentação de trabalhos em eventos científicos. E,
4. ESTUDOS DIRIGIDOS - para fomentar uma cultura de autoaprendizagem com o objetivo de
desenvolver habilidades que vêm sendo requeridas pela dinâmica existente em todas as
áreas de conhecimento. Os EDs utilizam os conteúdos gerais do ENADE como meio para
desenvolvimento das habilidades propostas, dessa forma, os EDs cumprem um papel
52
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
importante na preparação dos alunos que irão participar do ENADE, por possibilitar o
desenvolvimento da capacidade de refletir, analisar, buscar novas informações e construir
novos conhecimentos de maneira autônoma levando-o a assumir uma postura ativa no
processo de aprendizagem.
FORMAS DE APROVEITAMENTO
Quanto às formas de APROVEITAMENTO, os documentos comprobatórios das ACE – tipo 1, 2 e 3
(descritas acima), após apreciação pelo coordenador do curso, com a sua manifestação formal
quanto a sua validação, serão encaminhados para a secretaria acadêmica, para registro no histórico
escolar do aluno e guardados pela mesma até a expedição do diploma. Já os E.D. serão aproveitados
mediante aprovação nas atividades por frequência e por nota, conforme descrito no Manual do E.D.
3.10 APOIO AO DISCENTE
O atendimento aos discentes é fundamental para qualquer instituição de ensino superior, visto que o
processo pedagógico só realiza seus mais elevados objetivos quando contempla as necessidades dos
educandos. Neste sentido, a Faculdade Atenas Maranhense ordenou diversas formas integradas de
apoio aos estudantes no Programa de Apoio ao Discente do Curso de Secretariado Executivo
Bilíngue, buscando contemplar de forma excelente os programas de apoio extraclasse e
psicopedagógico, de atividades de nivelamento e extracurriculares (não computadas como atividades
complementares) e de participação em centros acadêmicos e em intercâmbios.
3.10.1 APOIO EXTRACLASSE
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue oferece aos seus acadêmicos o APOIO EXTRACLASSE no
que diz respeito à sua vida acadêmica e à sua aprendizagem, este apoio é desenvolvido na
modalidade presencial e na modalidade virtual.
•
APOIO EXTRA-CLASSE PRESENCIAL
A instituição define a sua política de apoio extraclasse presencial ao estudante junto aos
coordenadores e professores, devendo, os mesmos, se posicionarem de modo a colaborar com os
alunos, no sentido de esclarecer suas dúvidas, orientá-los em relação ao plano curricular, a sequência
das disciplinas, maior ou menor grau de dificuldades dos alunos, de modo que o aluno tenha o
máximo aproveitamento escolar.
•
APOIO EXTRA-CLASSE VIRTUAL: PORTAL UNIVERSITÁRIO – ILANG
O PU é um AVA denominado Ilang que é disponibilizado aos alunos por meio do qual é possível
receber o apoio extraclasse dos docentes das disciplinas, monitorar a sua vida acadêmica,
acompanhar as disciplinas e onde o aluno acessa os materiais didático-pedagógicos disponibilizados
pelos respectivos docentes. Conforme descrito no Capítulo 2, o AVA – ILANG é constituído de
Conteúdo Web, Fórum, Avaliação/Exercícios On-line, Portfólio e Sistema de Mensagens, os quais
têm os seguintes objetivos: 1) Conteúdo Web: enriquecem os conteúdos trabalhados em sala de aula
por meio de conteúdos complementares à disciplina, que poderão conter hipertextos, vídeos e links
para sites de interesse; 2) Fórum: neste ambiente o docente promove estudos de casos on-line,
discorrendo sobre o assunto proposto, com a mediação do professor da disciplina; 3)
Avaliação/Exercícios On-line: contribui para a fixação e verificação da aprendizagem dos conteúdos,
por meio da resolução de problemas de forma contínua, além de auxiliar na complementação da
53
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
avaliação presencial; 4) Portfólio: caracteriza-se como um espaço para a postagem de trabalhos
acadêmicos desenvolvidos, solicitados pelos docentes, dentro dos objetivos e critérios estabelecidos
e com prazo determinado conforme calendário; e 5) Sistema de Mensagens: espaço que possibilita a
comunicação para troca de informações, como avisos, comunicados e orientações entre alunos,
professores e coordenador do curso.
3.10.2 ATIVIDADES DE NIVELAMENTO
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA, preocupada com a qualidade do ensino e a formação do
seu alunado, implantou uma política de ação sistemática voltada para a recuperação das deficiências
de formação do ingressante dos diversos cursos da instituição, instituindo a atividade de
NIVELAMENTO com aulas de Português, Biologia e Matemática. Tal iniciativa tem como maior
objetivo dar oportunidade aos alunos revisarem essas matérias. As aulas de nivelamento respondem
satisfatoriamente às expectativas dos alunos e da Instituição, pois além de serem revistos aqueles
conteúdos básicos, necessários ao adequado prosseguimento de seus estudos em nível superior,
favorecem seu desempenho acadêmico na fase inicial do curso superior escolhido.
3.10.3 AMBIENTAÇÃO ACADÊMICA
Acolhimento especial de alunos novos, ingressantes por processo seletivo ou por transferência,
viabilizando sua integração ao meio acadêmico.
3.10.4 APOIO À PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES EM EVENTOS ACADÊMICO-CIENTÍFICOS
Apoio à participação dos discentes em eventos (seminários, congressos, encontros, palestras e
outros) internos e externos.
3.10.5 NÚCLEO DE APOIO INSTITUCIONAL - NAI
Disponibilização de serviços de orientação e apoio pedagógico e psicológico aos discentes.
3.10.6 PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL
Disponibilização de serviços de orientação profissional e vocacional (visitas, palestras,
aplicação e análise de testes vocacionais) para os alunos da FAMA e para a comunidade
escolar de ensino médio de São Luís e região.
3.10.7 PROGRAMA DE MONITORIA
Investimento nas potencialidades e disponibilidades evidenciadas pelos alunos, através do
estímulo à canalização desse diferencial em monitorias de ensino.
3.10.8 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA
Estímulo à participação em projetos de iniciação científica, promovendo a possibilidade do
fornecimento de bolsas e incentivos para tal.
3.10.9 PROGRAMA DE INCLUSÃO
54
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais advindas de deficiências físicas
(motoras, visuais e auditivas), através de ações específicas.
3.11 ATIVIDADES EXTRACURRICULARES (NÃO CONTEMPLADAS COMO ACE)
3.11.1 CENTRO DE IDIOMAS
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA implantou um Centro de Idiomas que têm por finalidade de
despertar nos alunos da instituição o desejo pelo aprendizado de uma segunda língua através de um
processo motivador e interativo. Diante da universalização das línguas modernas, em especial das
Línguas Inglesa e Espanhola, devido a fatores políticos, socioculturais e econômicos torna-se cada vez
mais evidente a necessidade do conhecimento de tais idiomas por parte de quem não os têm
enquanto língua oficial, não somente pela influência cultural, mas principalmente no âmbito
socioeconômico.
O Centro de Idiomas tem como proposta de trabalho um ensino de línguas totalmente voltado para
atender as necessidades dos alunos e envolvê–los num processo de comunicação real onde haja a
participação direta de cada um deles, sendo ofertados cursos de Inglês, Espanhol. Os acadêmicos da
instituição representam o público-alvo dos cursos de capacitação em línguas estrangeiras e possuem
desconto nas mensalidades que já apresentam um valor bastante inferior àquele praticado no
mercado externo à instituição.
Os alunos devidamente matriculados no curso de Secretariado Executivo Bilíngue tem bolsa integral
no curso de Inglês do Centro de Idiomas Institucional.
3.11.2 APOIO AO INTERCÂMBIO
É interesse do curso de Secretariado Executivo Bilíngue aprimorar o ensino, propiciando aos seus
discentes a possibilidade de estabelecer e desenvolver relações com IES estrangeiras, pois entende
que o contato com culturas distintas constitui-se em um importante mecanismo de desenvolvimento
intelectual para os discentes.
O apoio ao intercâmbio é promovido pela Faculdade Atenas Maranhense - FAMA por meio do
Programa Ciências sem Fronteiras e por meio do Programa de Bolsas de Mobilidade Internacional
Santander Universidades.
• PROGRAMA CIENCIAS SEM FRONTEIRAS (CNPq)
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA está cadastrada no Programa Ciência sem Fronteiras, um
programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e
tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade
internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e
Inovação e do MEC, por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e
Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.
O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de
forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de
manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação.
55
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Alunos de graduação da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA podem inscrever-se nas chamadas
públicas divulgadas pelo CNPq ou pela CAPES, disponíveis no portal do programa:
www.cienciasemfronteiras.gov.br. É necessário que tenha concluído de 20% a no máximo 90% do
curso na instituição de ensino brasileira e esteja devidamente matriculado. Neste caso, a aluno pode
pleitear a bolsa Graduação Sanduíche no Exterior para fazer intercâmbio de 12 meses de acordo com
cada Chamada.
3.11.4 SETORES INSTITUCIONAIS DE ATENDIMENTO AO ALUNO
•
COORDENAÇÃO DO CURSO
O coordenador do curso na Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, conforme prevê o Regimento
Interno e descrito no capítulo 4 deste PPC, tem como atribuições da gestão do curso: manter o clima
organizacional e motivacional do corpo docente e corpo discente do curso; ser corresponsável pela
fidelização de alunos, bem como pelo retorno de alunos evadidos; controlar e minimizar índices de
evasão do curso; apreciar todos os requerimentos formulados pelos alunos; estimular a participação
dos alunos na avaliação institucional; promover ações de autoavaliação do curso; entre outras.
Assim, os alunos dispõem de acesso ao coordenador do curso para atendimento presencial e
individual, sempre que tiver necessidade, mediante agendamento prévio no SICP. Virtualmente, o
aluno pode consultar seu coordenador de curso pelo sistema de mensagens do PU ou pelo seu email
institucional disponibilizado pelo coordenador do curso de Secretariado Executivo Bilíngue, prof(a).
Ms. Conceição de Maria Moura Ferreira.
•
SETOR DE ATENDIMENTO AO ALUNO (SAA)
O SAA é a estrutura de boas-vindas aos discentes na instituição. O setor representa o ponto único de
atendimento ao aluno seja qual for o serviço solicitado. São atribuições do SAA: realizar o pronto
atendimento às demandas presenciais dos alunos; facilitar a comunicação com os alunos provendo
informações, documentos; facilitar e solucionar as negociações financeiras; minimizar índices de
evasão; representar a Ouvidoria da instituição; atender e encaminhar os alunos com dificuldades
acadêmicas aos serviços de apoio psicopedagógico; atender as solicitações e entrega de documentos
acadêmicos e financeiros; coordenar e realizar o processo de matrícula; gerar os serviços solicitados
pelos discentes como: revisão de provas; segunda via de boletos etc.; promover negociação
financeira com alunos inadimplentes (até 2 meses de atraso); atendimento de retenção; efetuar
atendimento PROUNI, PROMUNI, FIES e outros créditos e entregar os certificados e diplomas.
•
SAA Virtual
O SAA Virtual é o atendimento disponibilizado aos alunos que permite a realização de chamadas,
para esclarecimento de dúvidas sobre os produtos e serviços oferecidos pelo SAA presencial, além de
acolhimento de reclamações, sugestões e solicitações diversas. Portanto além do atendimento
presencial, o aluno conta com o atendimento virtual por meio de:
CHAT, sendo uma forma de atendimento em que o aluno poderá acessar, através do site da
instituição, de qualquer lugar do mundo, e ter respostas online de forma rápida e segura;
Fale Conosco, o aluno poderá acessar o site e encaminhar uma mensagem de e-mail. Esta
demanda é encaminhada para a equipe de atendimento, que irá registrar as solicitações e
respondê-las no prazo máximo de 24h a 48h, dependendo do tipo de solicitação;
56
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
0800, o aluno poderá efetuar ligações gratuitas e ser orientado, pela central telefônica, a
selecionar o serviço ou informação que deseja. A ligação é encaminhada para um atendente
que irá executar o serviço ou dar informações necessárias. O aluno informa o CPF para
agilizar o atendimento e com isso, o atendente consegue visualizar os dados do aluno com
antecedência.
•
SALA INTEGRADA DE COORDENADORES E PROFESSORES (SICP)
A SICP tem por objetivo promover a integração e a convivência entre todos os professores e
coordenadores; serve de ponto de atendimento aos alunos que necessitam contato com professores
e coordenadores e executar os seguintes processos da faculdade: operacionalizar o Processo Seletivo
na unidade, como a organização de salas que serão utilizadas, convocação de fiscais e garantir a
segurança das provas; confeccionar e controlar processos de alterações de faltas, abono de faltas,
transferências internas e externas; cadastro do quadro de horários das aulas e dos professores;
cadastro, abertura e controle de salas especiais (solicitações de alunos); cadastro de
aproveitamentos de estudos aprovadas pelos coordenadores de curso; coordenar o evento de ajuste
de quadro de horários dos alunos no início de cada semestre; cadastro das datas de provas para cada
disciplina dos cursos da instituição; preparar os processos com documentação física para registro de
diplomas no SRD; gerir o arquivo físico de documentos dos discentes.
•
SERVIÇO DE REGISTRO ACADÊMICO (SRA)
O SRA coordena a operacionalização dos registros acadêmicos dos alunos; a gestão das informações
acadêmicas é realizada de maneira centralizada com a entrada pelas estruturas de SRA da instituição;
o SRA possui quatro estruturas internas que realizam serviços específicos dentro de cada fase da vida
escolar dos discentes: Processo Seletivo; Registro Acadêmico e Gestão de Matrizes Curriculares e
horários.
3.12 AÇÕES DECORRENTES DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO
As ações acadêmico-administrativas, em decorrência das autoavaliações e das avaliações externas
(avaliação de curso, ENADE, CPC e outras), no âmbito do curso, buscam ser implantadas de maneira
excelente.
O processo de autoavaliação anual da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA oportuniza o
levantamento de dados e a análise crítica das atividades desenvolvidas que especificam as ações
necessárias a serem desenvolvidas no planejamento estratégico da instituição.
Neste contexto os resultados da autoavaliação do curso de Faculdade Atenas Maranhense – FAMA
procuram identificar os aspectos que dificultam e/ou facilitam a ação acadêmica do curso, assim
como sugerem estratégias de intervenção para corrigir rumos, consolidar sua ação pedagógica e
alcançar efetivamente maior qualidade no ensino-aprendizagem. A coordenação do curso de
Faculdade Atenas Maranhense – FAMA, de posse dos relatórios estatísticos emitidos pela Comissão
Própria de Avaliação – CPA da instituição e informações próprias (reuniões, formulários próprios,
pesquisa-ação) redige anualmente seu Planejamento Estratégico Acadêmico (PEC), no qual busca
estabelecer e cumprir compromissos relacionados às diversas melhorias e incrementos necessários
às condições de oferta das diversas atividades acadêmicas do curso.
57
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Para tanto, as principais iniciativas são: RELATÓRIOS – uso dos relatórios de avaliação produzidos
com dados sobre corpo docente e resultados dos alunos, para relacionar com o desempenho dos
professores na gestão da sala de aula. Da análise do desempenho docente são então discutidos e
definidos o quadro de indicadores e a construção de instrumentos para obtenção das informações;
ANÁLISE DOS DADOS – tanto nos seus aspectos quantitativos (estatísticas, orçamentos, etc.), quanto
nos qualitativos; ARTICULAÇÃO entre os instrumentos de avaliação externa e de autoavaliação.
As ações acadêmico-administrativas resultantes das avaliações externas - avaliação de curso, ENADE
e CPC, no âmbito do curso, estão implantadas no curso de Secretariado Executivo Bilíngue e resultam
da análise do relatório do ENADE emitido pelo MEC pelo NDE e colegiado do curso. São realizadas
reuniões com os docentes a fim de discutir o desempenho dos acadêmicos em cada questão de
conhecimento geral e específica da prova. Os resultados do questionário socioeconômico
considerando as questões gerais e aquelas relacionadas ao CPC são analisadas e ações empreendidas
em busca de melhorias.
Assim o curso de Secretariado Executivo Bilíngue, entende que não se trata apenas de levantar
dados, elaborar questionários, aplicá-los, analisá-los, utilizando técnicas sofisticadas, produzir
relatórios, publicá-los, considerando os diversos ângulos da vida acadêmica. Esses aspectos são
relevantes, mas o importante é ter clareza do que deve ser feito com os resultados levantados, com
todos esses dados e informações colhidas. O importante é saber de que modo o processo de
autoavaliação institucional e as avaliações externas podem ser um efetivo e eficiente instrumento de
mudança e melhoria de todos os processos acadêmicos e de gestão do curso.
3.13 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO – TICS – NO PROCESSO ENSINOAPRENDIZAGEM
As TIC implantadas no processo de ensino-aprendizagem intencionam executar, de maneira
excelente, o projeto pedagógico do curso.
De acordo com Moran (2007)
“a televisão, o cinema e o vídeo, CD ou DVD - os meios de comunicação
audiovisuais - desempenham, indiretamente, um papel educacional relevante.
Passam continuamente informações, interpretadas; mostram modelos de
comportamento, ensinam linguagens coloquiais e multimídia e privilegiam alguns
valores em detrimento de outros. As tecnologias são pontes que abrem a sala de aula
para o mundo, que representam, medeiam o conhecimento do mundo. São diferentes
formas de representação da realidade, de forma mais abstrata ou concreta, mais
estática ou dinâmica, mais linear ou paralela, mas todas elas, combinadas,
integradas, possibilitam uma melhor apreensão da realidade e o desenvolvimento de
todas as potencialidades do educando, dos diferentes tipos de inteligência,
habilidades e atitudes.”
O ambiente virtual de aprendizagem pode favorecer essa nova forma de avaliar por meio do
incentivo à interação e através das ferramentas síncronas e assíncronas oferecidas no ambiente:
fóruns, e-mails, chats, lista de discussão, palestras, etc. Elas devem proporcionar um ambiente
propício à aprendizagem colaborativa e construção coletiva. As TIC na educação superior permitem
mostrar várias formas de captar e mostrar o mesmo objeto, representando-o sob ângulos e meios
diferentes: pelos movimentos, cenários, sons, integrando o racional e o afetivo, o dedutivo e o
indutivo, o espaço e o tempo, o concreto e o abstrato.
58
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Neste contexto, o curso de Secretariado Executivo Bilíngue, incorpora continuamente as TICs nas
suas diversas disciplinas por meio do PU, aonde é possível interagir por meio eletrônico com os
alunos através de mensagens, avisos, posts, discussões, postagem dos planos de ensino e das aulas
estruturadas. Docentes e alunos participam, de forma colaborativa, por meio da construção coletiva,
do processo de aprendizagem dos conteúdos curriculares e pesquisas adicionais de temas correlatos.
Somam-se aos recursos do PU o ambiente virtual dos EDs e das disciplinas interativas, compondo um
cenário de aprendizagem contemporâneo, completo, inovador e motivador das atividades
acadêmicas do ensino do Secretário Executivo, aonde as interações midiáticas são incorporadas
como recursos indispensáveis.
3.14 PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM
Os procedimentos de avaliação implantados curso de Secretariado Executivo Bilíngue e utilizados nos
processos de ensino-aprendizagem buscam atender, de maneira excelente, à concepção do curso
definida neste PPC.
A avaliação, como parte integrante do processo ensino-aprendizagem do curso de Secretariado
Executivo Bilíngue tem caráter formativo, devendo ser concebida como diagnóstica, contínua,
inclusiva e processual; prioriza os aspectos qualitativos sobre os quantitativos, considerando a
verificação de competências, habilidades e atitudes. É desenvolvida através de métodos e
instrumentos diversificados, tais como: execução de projetos, relatórios, trabalhos individuais e em
grupo, resolução de problemas, fichas de observação, provas escritas, simulação, autoavaliação,
portfólios, seminários e outros em que possam ser observadas as atitudes e os conhecimentos
construídos/adquiridos pelo aluno.
O acompanhamento e a observação do professor e dos resultados dos instrumentos de avaliação
aplicados explicitarão a aquisição das competências, habilidades e atitudes, bem como os estudos
posteriores necessários para atingi-las.
O processo avaliativo do rendimento acadêmico do curso de Secretariado Executivo Bilíngue é regido
pelas disposições gerais fixadas pelo Regimento Interno da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA.
A avaliação de aprendizagem do curso de Secretariado Executivo Bilíngue é feita por disciplinas e
incide sobre a frequência e o rendimento escolar, mediante acompanhamento contínuo do
acadêmico e dos resultados por ele obtidos nas avaliações. O processo de avaliação se traduz em um
conjunto de procedimentos aplicados de forma progressiva e somativa, objetivando a aferição da
apreensão, pelo acadêmico, dos conhecimentos e habilidades previstas no plano de ensino de cada
disciplina.
A avaliação é realizada nos dois bimestres, por meio da avaliação PARCIAL e da avaliação OFICIAL
cumulativa. A avaliação Oficial Cumulativa é composta por uma Prova Bimestral Oficial com questões
objetivas e descritivas, com resultados avaliados de 0 (zero) a 10 (dez). A nota da Prova Bimestral
OFICIAL compõe 70% (setenta por cento) do valor da nota bimestral. A avaliação PARCIAL
corresponde a 30% do valor total do bimestre e neste percentual poderão ser contempladas notas
obtidas por avaliações práticas, teste(s), simulações, exercícios, seminários, etc., e que serão
discutidas em conjunto com a turma.
59
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
O sistema de avaliação do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue procura estruturar instrumentos
para o acompanhamento dos vários aspectos envolvidos no fenômeno da aprendizagem, que reflita
na sua práxis conformidade com as diretrizes que nortearam a concepção do curso. Tendo sido
concebido como uma ação precípua e contínua para a coleta de dados deve propiciar consciência
clara, a todos os indivíduos envolvidos no processo, do que se está e porque está fazendo.
Esta sistemática de avaliação se operacionaliza de acordo com as especificidades de cada disciplina e
é definida em reuniões dos docentes com a coordenação do curso. Após o debate sobre os aspectos
andragógicos gerais, a coordenação oportuniza a formação de grupos para o tratamento específico
de questões envolvendo disciplinas afins. Uma vez realizada esta discussão conjunta, são explicitados
os referidos critérios nos planos de ensino de cada disciplina integrantes da matriz curricular.
A coordenação orienta aos professores procurarem ser o mais explícito possível quanto aos
instrumentos e a metodologia a serem aplicados, possibilitando ao aluno perceber e acompanhar
criticamente se o seu processo de aprendizagem encontra-se coerente com o esperado para o curso
que ele está matriculado. Estes critérios são revistos por cada grupo de professores envolvidos em
disciplina afins ao término de cada semestre letivo. Com isso, se pretende garantir um procedimento
claro, respeitando as singularidades de cada disciplina, e conferindo autonomia ao docente para
implementar na disciplina sobre sua responsabilidade uma dinâmica avaliativa que se torne
motivadora do processo de aprendizagem e propicie feedbacks a fim de que o processo de ensinoaprendizagem se desenrole de forma dinâmica e transcenda aos limites da sala de aula.
No desenvolvimento destas atividades andragógicas, a existência de interdisciplinaridade tem sido
uma marca importante do curso, oportunizando uma formação profissional global e aberta para os
influxos da realidade cambiante, em suas dimensões social, política e cultural.
O acompanhamento dos resultados parciais (bimestrais) e finais das turmas é feito ao término do
lançamento das médias no sistema informatizado da instituição. Quando da discussão das médias do
primeiro bimestre letivo, procura-se identificar as razões para os resultados atingidos, buscando-se
fazer os ajustes necessários nas disciplinas específicas e o tratamento singularizado às demandas
concretas de cada turma. Os resultados finais de cada turma servem como ponto de partida para a
definição dos ajustes nos conteúdos que devam ser repensados e trabalhados de forma diferente no
próximo semestre, em relação aos novos alunos daquela disciplina. Estes resultados também servem
como indicativo de possível necessidade de resgate em semestres futuros para os discentes já
aprovados.
3.15 NÚMERO DE VAGAS
O número de vagas implantadas visa corresponder, de maneira excelente, à dimensão do corpo
docente e às condições de infraestrutura da instituição. O curso de Secretariado Executivo Bilíngue
possui 100 vagas anuais autorizadas pela Portaria nº 890, de 23/06/2000. Para este número de vagas
é disponibilizado um corpo docente composto por 13 professores e uma infraestrutura de excelência
constituída por de 05 salas de aula com 54,0 m², e 01 sala de aula de 28,0 m², equipadas com
carteiras, 01 mesa e 01 cadeira para professor, 01 data show fixo para cada uma. A iluminação é
natural, através de janelas de vidro temperado e artificial. As salas são dotadas de refrigeradores
split. As paredes, em pintura branca, têm manutenção semestral. A limpeza é realizada diariamente
antes do início das aulas. Todas as instalações da Faculdade apresentam dimensão e condições
excelentes para as práticas pedagógicas.
60
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CAPÍTULO 4
4. ATORES DO PPC: CORPO DOCENTE E TUTORIAL
4.1 ATUAÇÃO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE – NDE
A atuação do NDE implantado no curso de Secretariado Executivo Bilíngue busca a excelência
considerando, em uma análise sistêmica e global, os aspectos: concepção, acompanhamento,
consolidação e avaliação deste PPC.
CONCEPÇÃO
O NDE do curso de Secretariado Executivo Bilíngue foi constituído em 07/07/2008. De acordo com a
Resolução CONAES N° 1, de 17/06/2010 e conforme o Regimento Interno da instituição no artigo 30
é constituído por um grupo de docentes que exercem liderança acadêmica no âmbito do curso,
percebida na produção de conhecimentos, no desenvolvimento do ensino, e em outras dimensões
entendidas como importantes pela instituição. A ata de constituição do NDE está disponível e
arquivada na coordenação do curso.
O NDE do curso de Secretariado Executivo Bilíngue é constituído por 5 professores do curso, sendo
80% com titulação acadêmica obtida em programas de pós-graduação stricto sensu; todos os
membros em regime de trabalho de tempo parcial ou integral, sendo 40% em tempo integral.
Importa ressaltar que a instituição, por meio do seu Regimento Interno, assegura a estratégia de
renovação parcial dos integrantes do NDE de modo a assegurar continuidade no processo de
acompanhamento do curso.
Q. 4. Quadro 4.1 – Composição do NDE.
NOME COMPLETO
TITULAÇÃO
REGIME DE TRABALHO
(integral ou parcial)
DATA DE
INGRESSO
NO NDE
1
Conceição de Maria Moura Ferreira
Mestre
Integral
15/07/2008
2
Patrício Moreira de Araújo Filho
Doutor
Integral
15/07/2008
3
Nilzenir de Lourdes Almeida Ribeiro
Especialista
Parcial
31/03/2010
4
Luis Guilherme Torres de Azevedo
Mestre
Parcial
24/02/2012
5
Nicodemos Araújo Costa
Mestre
Parcial
24/02/2012
De acordo com Resolução 1, manter apenas 5 membros no NDE (CONAES, 2010)
ACOMPANHAMENTO, CONSOLIDAÇÃO E AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento Interno são atribuições do NDE do curso de Secretariado Executivo
Bilíngue: conceber, acompanhar, consolidar e avaliar este PPC; contribuir para a consolidação do
perfil profissional do egresso do curso; zelar pela integração curricular interdisciplinar entre as
diferentes atividades de ensino constantes no currículo; indicar formas de incentivo ao
desenvolvimento de linhas de pesquisa e extensão oriundas de necessidades da graduação, de
61
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
exigências do mercado de trabalho e afinadas com as políticas públicas relativas à área de
Secretariado Executivo Bilíngue; além de zelar pelo cumprimento das DCNs do curso.
O NDE do curso de Secretariado Executivo Bilíngue realiza reuniões com intervalos semestrais,
conforme atas disponíveis e arquivadas na coordenação do curso, para acompanhamento,
estabelecimento das estratégias de consolidação e para avaliação deste PPC. Para tanto, a
coordenação curso se reúne periodicamente com os líderes de turma e com os professores do curso
para avaliar fragilidades e fortalezas das disciplinas e seus planos de ensino. O resultado destas
reuniões é discutido com o NDE que define estratégias de melhorias e adequações deste PPC.
4.2 ATUAÇÃO DO COORDENADOR DO CURSO
O Coordenador de Curso de Secretariado Executivo Bilíngue é o(a) professor(a) Faculdade Atenas
Maranhense - FAMA designado pelo Diretor da instituição sendo o responsável pelo curso – gestor
eficaz, crítico, reflexivo, flexível e proativo – catalisa o comprometimento com uma visão clara e
forte, bem como envolve-se na busca vigorosa desta, estimulando padrões mais elevados de
desempenho de todo o corpo docente e corpo discente de seu curso.
A professora Ms. Conceição de Maria Moura Ferreira busca uma atuação excelente considerando,
em uma análise sistêmica e global, os aspectos: gestão do curso, relação com os docentes e discentes
e representatividade nos colegiados superiores.
Q. 5. Quadro 4.2. – Perfil do coordenador do curso.
FORMAÇÃO
ACADÊMICA
(graduação)
Secretariado
Executivo
TITULAÇÃO
MÁXIMA
OBTIDA
Mestrado
TEMPO DE EXERCÍCIO NA
IES
(Data de admissão na IES)
01/08/2007
TEMPO DE EXERCÍCIO NA
FUNÇÃO DE
COORDENADOR
(Data da Portaria de
designação para o cargo)
12/01/2010
GESTÃO DO CURSO
A gestão do curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA é
responsabilidade do seu coordenador, sendo sua competência desempenhar as seguintes funções:
elaborar, em consonância com o diretor da instituição, o planejamento estratégico do curso sob sua
gestão; elaborar, implementar e acompanhar o orçamento do curso; gerenciar e se responsabilizar
pela coordenação dos processos operacionais, acadêmicos e de registro do curso; manter o clima
organizacional e motivacional do corpo docente e corpo discente do curso; gerenciar e manter
padronizado o projeto pedagógico do curso em conformidade com os princípios institucionais;
coordenar o planejamento, (re) elaboração e avaliação das atividades de aprendizagem do curso;
buscar melhorias metodológicas de aprendizagem em sua área e implementá-las em seu curso;
supervisionar as atividades dos professores do curso, buscando a maximização da qualidade do
trabalho dos docentes; ser responsável pela coordenação das instalações físicas, laboratórios e
equipamentos do curso; ser responsável pelo estímulo e controle da frequência dos docentes e
discentes; ser responsável pela indicação da contratação e demissão de docentes do curso; ser
corresponsável pela fidelização de alunos, bem como pelo retorno de alunos evadidos; ser
corresponsável pela divulgação do curso; estimular atividades complementares, eventos e cursos de
extensão; ser responsável pelos estágios supervisionados e não supervisionados realizados pelos
62
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
discentes; ser corresponsável pela realização das atividades dos estudos dirigidos; ser responsável
pelo estímulo para o bom desempenho dos discentes no ENADE e pelo desempenho otimizado do
curso nas demais avaliações; ser corresponsável pela empregabilidade dos egressos; ser responsável
pela utilização do portal universitário; ser corresponsável pelo reconhecimento do curso e renovação
periódica desse processo por parte do MEC; estimular a participação dos alunos na avaliação
institucional; promover ações de autoavaliação do curso; ser responsável pelo desenvolvimento do
corpo docente para aplicação de novas metodologias e técnicas pedagógicas; ser responsável pela
inscrição de alunos regulares e irregulares no ENADE, nos termos legais; coordenar o processo de
seleção dos professores da área profissional (específica do curso); pronunciar-se sobre matrícula,
quando necessário, e acompanhar o estudo do processo de transferência de aluno, inclusive no que
se refere à adaptação, ao aproveitamento de estudos e à dispensa de disciplina, para deliberação
superior; acompanhar o cumprimento do calendário escolar; dar parecer sobre representação de
aluno contra professor, quando couber; controlar e minimizar índices de evasão do curso; apreciar
todos os requerimentos formulados pelos alunos; aplicar sanções disciplinares, na forma do
Regimento.
RELAÇÃO DO COORDENADOR COM OS DOCENTES E DISCENTES DO CURSO
A relação da professora Ms. Conceição de Maria Moura Ferreira com os docentes e discentes do
curso é avaliada por meio de questionários elaborados pelo INADE – Instituto de Avaliação e
Desenvolvimento Educacional e os relatórios resultantes deste processo de autoavaliação são
avaliados pela CPA da instituição e disponibilizados para a coordenação do curso, aonde se pode
verificar a excelente relação estabelecida da professora Conceição de Maria Moura Ferreira com os
docentes e discentes do curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade Atenas Maranhense.
REPRESENTATIVIDADE NOS COLEGIADOS SUPERIORES
A coordenadora do curso de Secretariado Executivo Bilíngue conforme prevê o Regimento Interno da
instituição, e de acordo com o artigo 24 do Regimento Interno, preside o Colegiado do curso, órgão
deliberativo em matéria de natureza acadêmica operacional, administrativa e disciplinar. Além disso,
conforme o artigo 15 atua como representante do CONSUL da Instituição, órgão máximo de natureza
normativa, consultiva e deliberativa em matéria de políticas e procedimentos, administrativa,
disciplinar, de natureza didático-científica da Faculdade.
4.4 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL, DE MAGISTÉRIO SUPERIOR E DE GESTÃO ACADÊMICA DO
COORDENADOR
A coordenadora Conceição de Maria Moura Ferreira que possui 12 anos e 06 meses de experiência
profissional, 10 anos de experiência de magistério superior, dentre eles, 08 anos de gestão
acadêmica.
Conceição de Maria Moura Ferreira é graduada em Secretariado Executivo pela União Pioneira de
Integração Social – UPIS/DF (2002); mestre em Educação pela Universidade Católica de Brasília
(2008); pós-graduada em Didática do ensino superior pela FAMA (2003); é professora titular da
disciplina de Planejamento Estratégico do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue da Faculdade
Atenas Maranhense - FAMA. Está Coordenadora do Curso de Secretariado Executivo Bilíngue da
Faculdade Atenas Maranhense – FAMA – São Luís-Ma.
E-mail: [email protected]
63
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
4.5 REGIME DE TRABALHO DO COORDENADOR
O regime de trabalho do coordenador é de tempo integral, sendo que o número de vagas anuais
autorizadas para o curso de Secretariado Executivo Bilíngue é de 100 vagas, e as horas semanais
dedicadas à coordenação é 20 horas, ou seja, perfazendo uma relação de 5 vagas por 1 hora de
coordenação.
4.6 CARGA HORÁRIA DE COORDENAÇÃO DO CURSO
A carga horária implantada para o coordenador do curso é de 20 horas semanais dedicadas
totalmente à coordenação do curso.
4.7 TITULAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue possui 13 docentes, conforme relação abaixo, sendo 10
docentes com titulação obtida em programas de pós-graduação stricto sensu, ou seja, 76,92 %,
conforme documentos comprobatórios anexados aos respectivos currículos profissionais.
De acordo com a relação apresentada, o curso de Secretariado Executivo Bilíngue possui 02 docentes
doutores conforme documentos comprobatórios anexados aos respectivos currículos profissionais.
Q. 6. Quadro 4.7 – Titulação do corpo docente do curso.
Nome dos docentes
Titulação
1
Conceição de Maria Moura Ferreira
Mestre
2
Delcimara Batista Caldas
Mestre
3
Helone Eloisa Frazão Guimarães Faray
Mestre
4
José Ribamar Neres Costa
Mestre
5
Kátia Godim Silva
6
Luiz Guilherme Torres de Azevedo
Mestre
7
Maria das Graças Figueiredo da Luz
Mestre
8
Nicodemos Araújo Costa
Mestre
9
Nilzenir de Lurdes Almeida Ribeiro
10
Patrício Moreira de Araújo Filho
Doutor
11
Rafael Campos Quevedo
Doutor
Especialista
Especialista
64
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
12
Viviane Sampaio Araújo
13
Wellington Marcos Ferreira Conceição
Mestre
Especialista
4.8 REGIME DE TRABALHO DO CORPO DOCENTE DO CURSO
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue possui 69% dos docentes com regime de trabalho de
tempo parcial ou integral, conforme contratos de trabalho anexados às respectivas pastas individuais
de cada professor.
4.9 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL DO CORPO DOCENTE
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue possui 100% dos docentes com experiência profissional
de no mínimo de 2 anos conforme documentos comprobatórios anexados aos respectivos currículos
profissionais.
4.11 EXPERIÊNCIA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR DO CORPO DOCENTE
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue possui 100% dos docentes com experiência de
magistério superior a 03 (três) anos, conforme documentos comprobatórios anexados aos
respectivos currículos profissionais.
4.13 FUNCIONAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO
O funcionamento do colegiado do curso de Secretariado Executivo Bilíngue está regulamentado e
institucionalizado, conforme Regimento Interno da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA,
considerando em uma análise sistêmica e global, os aspectos: representatividade dos segmentos,
periodicidade das reuniões, registros e encaminhamentos das decisões.
REPRESENTATIVIDADE DOS SEGMENTOS
Conforme Art. 23 do Regimento Interno da instituição, o Colegiado de Cursos, órgão deliberativo em
matéria de natureza acadêmica operacional, administrativa e disciplinar, é constituído:
I.
pelo Coordenador de Curso que preside e, em sua ausência ou impedimento, um dos
professores, por ordem de antiguidade no Curso.;
II.
por (1) um assistente acadêmico, que irá secretariar as reuniões;
III.
por (1) um representante dos professores do Núcleo de Disciplinas Integradas;
IV.
por (1) um representante dos professores do Núcleo de Disciplinas de Área;
V.
por um número proporcional de representantes dos professores integrantes das disciplinas
profissionais (específica) do curso, com um número máximo de três (03);
VI.
por 01 (um) representante dos alunos, indicado por seu órgão representativo, dentre os
alunos regularmente matriculados em cursos e que comprovem bom desempenho
acadêmico.
PERIODICIDADE DAS REUNIÕES
65
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
As reuniões do colegiado do curso de Secretariado Executivo Bilíngue são programadas e realizadas a
cada semestre letivo.
REGISTRO DAS REUNIÕES
Nas reuniões do colegiado do curso de Secretariado Executivo Bilíngue são escritas as atas que
devidamente datadas e assinadas são arquivadas para fins de registro documental da coordenação
do curso.
ENCAMINHAMENTO DAS REUNIÕES
Após a realização das reuniões com a discussão e aprovação dos pontos de pauta, os
encaminhamentos são feitos pelos respectivos responsáveis designados em cada reunião. E, de
acordo com o Regimento Interno da instituição, compete ao Colegiado de Cursos: coordenar e
supervisionar as atividades dos professores do Curso; apresentar propostas relacionadas ao plano
pedagógico do Curso; acompanhar a execução do plano pedagógico do Curso; coordenar os
programas de ensino e as experiências pedagógicas; regulamentar a verificação do rendimento
escolar, o trancamento de matrícula, a reopção, a transferência, a obtenção de novo título;
acompanhar, a execução do regime didático e o cumprimento de programas aprovados; exercer
outras funções na sua esfera de competência, de acordo com este Regimento; emitir resoluções,
normas complementares e ordens de serviço, dentro de sua esfera de competência; deliberar sobre
proposta do Coordenador do Curso para desligamento de discente da Faculdade motivado por ato de
indisciplina, contrário à lei ou que exponha a risco a integridade física ou moral dos discentes,
professores e empregados da instituição; exercer outras funções na sua esfera de competência, de
acordo com este Regimento.
COMPONENTES DO COLEGIADO DO CURSO
Q. 7. Quadro 4.13 – Componentes do Colegiado do curso.
Nome dos docentes
1
2
3
4
Conceição de Maria Moura Ferreira
Katherine Viegas
Luís Guilherme Torres de Azevedo
Nicodemos Araújo Costa
5
Nilzenir de Lourdes Almeida Ribeiro
6
Kátia Gondim Silva
7
Delcimara Batista Caldas
8
Javandira Gomes Ferreira de Melo
REPRESENTAÇÃO
Coordenador do curso
Assistente Acadêmico
Docente do NDE
Docente do NDE
Docente do NDE
Docente em
disciplina do curso
Docente em
disciplina do curso
Representante
discente
66
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
4.14 PRODUÇÃO CIENTÍFICA, CULTURAL, ARTÍSTICA OU TECNOLÓGICA
De acordo com os respectivos currículos lattes, é possível comprovar que, pelo menos, 50% dos
docentes do curso de Secretariado Executivo Bilíngue possuem nos últimos 3 anos, 4 (quatro)
produções científica, cultural, artística ou tecnológica, entendidas como livros, capítulos de livros,
material didático institucional, artigos em periódicos especializados, textos completos em anais de
eventos científicos, resumos publicados em anais de eventos internacionais, propriedade intelectual
depositada ou registrada, produções culturais, artísticas, técnicas e inovações tecnológicas
relevantes, publicações nacionais com e sem Qualis e regionais, considerando sua abrangência.
CAPÍTULO 5
5. CENÁRIOS DO PPC: INFRA-ESTRUTURA
5.1 GABINETES DE TRABALHO PARA PROFESSORES EM TEMPO INTEGRAL (TI)
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA adota o conceito de Sala Integrada de Coordenadores e
Professores - SICP que tem por objetivo promover a integração e a convivência entre todos os
professores e coordenadores e servir de ponto de atendimento aos alunos que necessitam contato
com professores e coordenadores.
Os espaços de trabalho na SICP para os docentes em tempo integral buscam atender de maneira
excelente os aspectos: disponibilidade de equipamentos de informática em função do número de
professores, dimensão, limpeza, iluminação, acústica, ventilação, acessibilidade, conservação e
comodidade.
DISPONIBILIDADE DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA
A SICP disponibiliza 10 equipamentos de informática para os professores em regime de tempo
integral, sendo ainda disponibilizada rede wifi para aqueles que trazem seus computadores portáteis.
DIMENSÃO, LIMPEZA, ILUMINAÇÃO, ACÚSTICA, VENTILAÇÃO, ACESSABILIDADE, CONSERVAÇÃO E
COMODIDADE
A SICP da Faculdade Atenas Maranhense - FAMA possui 155 m² metros quadrados, iluminação
artificial, acústica, refrigeração com ar condicionado, condições de acessibilidade, limpeza,
conservação e comodidade.
5.2 ESPAÇO DE TRABALHO PARA COORDENAÇÃO DO CURSO E SERVIÇOS ACADÊMICOS
O espaço destinado às atividades de coordenação está localizada na SICP pode ser considerado
excelente considerando, em uma análise sistêmica e global, os aspectos: dimensão, equipamentos,
conservação, gabinete para coordenador, número de funcionários e atendimento aos alunos e aos
professores.
A SICP tem por objetivo promover a integração e a convivência entre todos os professores e
coordenadores, servir de ponto de atendimento aos alunos que necessitam contato com professores
e coordenadores e executar os seguintes processos da faculdade: operacionalizar o Processo Seletivo
67
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
na unidade, como a organização de salas que serão utilizadas, convocação de fiscais e garantir a
segurança das provas; confeccionar e controlar processos de alterações de faltas, abono de faltas,
transferências internas e externas; cadastro do quadro de horários das aulas que serão ministradas
no próximo semestre com o vínculo de professores; cadastro, abertura e controle de salas especiais
(solicitações de alunos); cadastro de aproveitamentos de estudos aprovadas pelos coordenadores de
curso; coordenar o evento de ajuste de quadro de horários dos alunos no início de cada semestre;
cadastro das datas de provas para cada disciplina dos cursos da unidade; preparar os processos com
documentação física para registro de diplomas no SRD e gerir o arquivo físico de documentos dos
discentes.
5.3 SALA DE PROFESSORES
A sala de professores implantada para os docentes do curso está localizada na SICP pode ser
considerada excelente considerando, em uma análise sistêmica e global, os aspectos: disponibilidade
de equipamentos de informática em função do número de professores, dimensão, limpeza,
iluminação, acústica, ventilação, acessibilidade, conservação e comodidade.
O ser humano é social por natureza e necessita relacionar-se com os outros. Por isso a convivência é
considerada a melhor forma de adquirir e por em prática valores fundamentos que regem a vida em
comunidade. Se é mister que alunos dos diversos cursos convivam, é essencial que o corpo docente e
coordenadores também o façam. É com esse conceito que a Faculdade Atenas Maranhense - FAMA
implantou a SICP.
A convivência e a cooperação são condições importantes do cotidiano dos educadores de todos os
cursos, relações estas que, na medida em que se busca a melhoria da qualidade interpessoal e
intrapessoal, pode-se desenvolver e aperfeiçoar competências na perspectiva de viver juntos e, a
partir da troca de experiências, terem um desempenho melhor no processo de ensino-aprendizagem.
Neste processo, o que se pretende com a SICP é resgatar e valorizar atitudes e comportamentos mais
humanos, por meio de uma visão um pouco diferenciada da qual se está acostumado a ver, de
maneira que se experimentem novas alternativas e novos caminhos que possam ser incorporados
espontaneamente e que, a partir dessa cooperação, surjam inovações e atividades de aprendizagem
conjuntas entre os docentes dos diversos cursos.
É importante salientar que não estão aglutinadas apenas as instalações físicas, tem-se um conceito e
esse conceito gerou um processo onde disponibiliza-se estruturas tanto físicas como de
informatização e de recursos humanos, para que haja, verdadeiramente, uma convivência e
cooperação entre educadores (professores, coordenadores e técnicos) e que essa convivência possa
resultar na melhoria e na busca de atividades de aprendizagem conjuntas que visem a busca do
diálogo e da convivência entre alunos dos diversos cursos.
5.4 SALAS DE AULA
As salas de aula implantadas para o curso considerando, em uma análise sistêmica e global, buscam
atender de maneira excelente os aspectos: quantidades e número de alunos por turma,
disponibilidade de equipamentos, dimensões em função das vagas autorizadas, limpeza, iluminação,
acústica, ventilação, acessibilidade, conservação e comodidade.
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue dispõe de 05 salas de aula com 54,0 m², e 01 sala de aula
de 28,0 m², equipadas com carteiras, 01 mesa e 01 cadeira para professor, 01 data show fixo para
68
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
cada uma. A iluminação é natural, através de janelas de vidro temperado. As salas são dotadas de
refrigeradores split. As paredes, em pintura branca, têm manutenção semestral. A limpeza é
realizada diariamente antes do início das aulas. Todas as instalações da Faculdade apresentam
dimensão e condições excelentes para as práticas pedagógicas.
5.5 ACESSO DOS ALUNOS A EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA
Os laboratórios e os outros meios implantados de acesso à informática para o curso buscam atender,
de maneira excelente, considerando, em uma análise sistêmica e global, os aspectos: quantidade de
equipamentos relativa ao número total de usuários, acessibilidade, velocidade de acesso à internet,
política de atualização de equipamentos e softwares e adequação do espaço físico.
Os laboratórios de informática, além de propiciarem ambiente para a aprendizagem das
ferramentas computacionais propriamente ditas, funcionam como salas de aula informatizadas, nas
quais alunos e professores desenvolvem atividades acadêmicas relacionadas aos diversos
conteúdos, apoiados por softwares de gerenciamento (Suíte Office), recursos de multimídia e acesso
pleno e ininterrupto à internet.
Os acadêmicos matriculados no curso têm acesso aos laboratórios de informática, que estão
equipados, em média, com 35 computadores com acesso à internet, cada. A internet é provida por
operadora local (Link dedicado de 3 MB full), distribuída via wireless através de uma política de
usuário/senha, bem como via cabo para os computadores em questão. Os laboratórios possuem
computadores atualizados que são periodicamente avaliados pelos técnicos do setor de Tecnologia
da Informação (TI).
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
Os laboratórios de informática funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, 14h às 17h e das
18h às 22h.
Aos sábados, os laboratórios atendem também aos cursos de Pós-Graduação, seguindo horário e
cronograma de utilização, de acordo com a demanda das turmas.
5.6 BIBLIOGRAFIA BÁSICA/COMPLEMENTAR
O acervo da bibliografia básica, com no mínimo três títulos por disciplina, está disponível na
proporção média de um exemplar para menos de 10 vagas anuais autorizadas, de cada uma das
disciplinas, de todos os cursos que efetivamente utilizam o acervo, além de estar informatizado e
tombado junto ao patrimônio da IES.
1 - ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE - 60 horas
Ementa: Formação da moral ocidental. Formação da política ocidental. A explicação sociológica da
vida coletiva. A construção da sociedade global.
Bibliografia Básica:
BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo C. Sociologia aplicada a Administração. 5. ed. São Paulo:
Saraiva, 2005.
CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. 13. ed. São Paulo: Ática, 2010.
COMPARATO, Fábio Konder. Ética, direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Cia. das
Letras,2006.
69
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
DE CICCO, Cláudio. Teoria Geral do Estado e Ciência Política. 2ed. São Paulo: Revista dos Tribunais,
2009.
Bibliografia Complementar:
LAPLANTINE, Francois. Aprender Antropologia. São Paulo: Brasiliense, 2003.
LARAIA, R. de B. Cultura: um conceito antropológico. 22. ed.Rio de Janeiro: Zahar, 2008.
MANUEL, Castells. Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2004.
BARBOSA, M. L. de Oliveira; QUINTANEIRO, Tania; OLIVEIRA, Márcia G. M. de. Um toque de clássicos:
Marx, Durkheim, Weber. 2ª Ed. Belo Horizonte: UFMG, 2009.
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à Filosofia. 4
ed. rev. São Paulo: Moderna, 2011.
2 - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 60 horas
Ementa: O processo de Comunicação Funções da Linguagem. Aspectos sociais da comunicação. A
construção do texto e da comunicação no ambiente empresarial. A qualidade da comunicação.
Argumentação empresarial. Aspectos gramaticais.
Bibliografia Básica:
CAHEN, Roger. Comunicação empresarial. 9. ed. São Paulo: Best Seller, 2003.
MEDEIROS, João Bosco. Correspondência: técnicas de comunicação criativa: como redigir textos
administrativos - a redação de cartas comerciais - normas sobre correspondência oficial - técnicas de
redação de relatórios - como escrever mensagens eletrônicas (e-mail). 17. ed. São Paulo: Atlas, 2004.
NEVES, Roberto de Castro. Comunicação empresarial integrada: como gerenciar: imagem, questões
públicas, comunicação simbólica, crises empresariais. 2. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 2004.
Bibliografia Complementar:
BLIKSTEIN, Izidoro. Blikstein. Técnicas da comunicação escrita. São Paulo. Ática.
GOLD, Miriam. Redação empresarial. 2. ed. São Paulo: Pearson; Prentice Hall, 2003.
MEDEIROS, João Bosco. Redação empresarial. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1998.
NASSAR, Paulo; FIGUEIREDO, Rubens. O que é comunicação empresarial. São Paulo: Princípios.
TOMASI, Carolina; MEDEIROS, João Bosco. Comunicação empresarial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
3 - DIREITO EMPRESARIAL E DO CONSUMIDOR- 60 horas
Ementa: O Direito da empresa ligado à administração. Noções gerais do Direito de Empresa no
Código Civil. As sociedades empresárias: classificação e conceitos das novas figuras empresariais,
transformação, incorporação e fusão de empresa. Função social da empresa. Direito do Consumidor:
fornecedor, consumidor e relação de consumo. Tipos de sociedade. Títulos de crédito. Falência,
recuperação e liquidação de empresas. Responsabilidade Civil.
Bibliografia Básica:
MAMEDE, Gladston. Manual de Direito Empresarial. São Paulo:Editora Atlas, 2005.
REIS, Henrique Marcello dos, e REIS, Claudia Nunes Pascon dos. Direito para Administradores. Vol.
III. São Paulo: Editora Thomson Learning, 2005.
SILVA, José Afonso da. Comentário contextual à Constituição. 6. ed. atual. até a Emenda
Constitucional 57, de 18.12.2008. São Paulo: Malheiros, 2009.
Bibliografia Complementar:
70
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BRASIL. Código Civil. 57. ed. São Paulo: Saraiva, 2006.
______. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 39.
ed. atual. São Paulo: Saraiva, 2006.
COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de Direito Comercial: direito de empresa. 13. ed. São Paulo: Saraiva,
2009.
DINIZ, Maria Helena. Código Civil anotado. 14. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2009.
REALE, Miguel. Lições preliminares de Direito. 27. ed. ajustada ao novo Código Civil. São Paulo:
Saraiva, 2004.
4- EMPREENDEDORISMO - 60 horas
Ementa: Empreendedorismo: Conceitos e tipos. Cultura empreendedora. Características e
oportunidades. Desenvolvimento de atitudes, capacidades e habilidades empreendedoras.
Criatividade e inovação. Abertura e gerenciamento de novos negócios. Plano de Negócios.
Bibliografia Básica:
CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo:
Saraiva, 2006.
DORNELAS, Jose Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 2. ed. rev. e
atual. Rio de Janeiro: Campus; Elsevier, 2005.
DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios. São
Paulo: Pioneira; Thompson, 2005.
Bibliografia Complementar:
DOLABELA, Fernando. O segredo de Luisa: uma ideia, uma paixão e um plano de negócios – como
nasce o empreendedor e se cria uma empresa. 30. ed.rev. e atual. São Paulo: Cultura, 2006.
DEGEN, Ronald Jean. O empreendedor: fundamentos da iniciativa empresarial. 8. ed. São Paulo:
Makron Books; Pearson, 2005.
HISRICH, Robert D. Empreendedorismo. 5 ed, Bookman, 2004.
MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana a revolução
digital. 3. ed. rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2002.
SALIM, Cesar Simões. Construindo planos de negócio. 3 ed. rev. e atualizada, Campus Elsevier, 2005.
5 – METODOLOGIA DA PESQUISA 60H
Ementa: Elaboração de trabalhos acadêmicos. Conhecimento e ciência. Método científico. Pesquisa
científica. Projeto de pesquisa.
Bibliografia Básica:
ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 10.ed. São Paulo:
Atlas, 2010.
LAKATOS, Eva Maria. MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia cientifica. 7. ed.
São Paulo: Atlas, 2010.
VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios em administração. 7 ed. – São Paulo: Atlas, 2011.
Bibliografia Complementar:
ANDRADE, Margarida de. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação – noções práticas.
5 ed. São Paulo: Atlas, 2002.
71
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BOAVENTURA, Edivaldo M. Metodologia da pesquisa: monografia, dissertação, tese. São Paulo:
Atlas, 2004.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1988.
SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.
6 – FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA 60H
Ementa: Fração. Razões e proporções. Porcentagens. Grandezas direta e inversamente
proporcionais. Regra de três simples e composta. Progressões: aritmética e geométrica. Estudo das
funções: linear, quadrática, polinomial, exponencial e quadrática, com ênfase nas funções: Demanda,
Oferta, Receita, Despesa e Lucro.
Bibliografia Básica:
IEZZI, G; MURAKAMI, C e DOLCE, O. Fundamentos da Matemática elementar. Vol: 1 e 4. São Paulo:
Ed. Atual, 2004.
SILVA, Sebastião Medeiros da e outros. Matemática para os cursos de economia, administração e
ciências contábeis. São Paulo: Atlas.
MORETTIN, Pedro A. HAZZAN, Samuel. BUSSAB, Wilton de O. Cálculo funções de uma e várias
variáveis. São Paulo: Saraiva, 2005.
Bibliografia Complementar:
FÁVARO, Sílvio; FILHO, Osmir Kmeteuk. Noções de Logística e Matemática Básica. Rio de Janeiro:
Ciência Modernas, 2005.
FLEMMING, Diva Marília, GONÇALVES, Mirian Buss. Cálculo A – Funções, Limite e Derivação,
Integração. 5. Ed. São Paulo: Makron Books, 1992.
SILVA, Sebastião Medeiros da. Matemática Básica para cursos superiores. São Paulo: Atlas, 2002.
TAN, S. T. Matemática Aplicada à Administração e à Economia. 5 ed. São Paulo: Pioneira, 2003.
WEBER,Jean. Matemática para Economia e Administração. 2. Ed. São Paulo: Harbra, 1986.
7 – HABILIDADES BÁSICAS DA LÍNGUA INGLESA 60H
Ementa: Estrutura Sociolinguística da Língua Inglesa: apresentação formal e informal, informações
pessoais (ocupações, nacionalidades, situação geográfica, idade, hobbies, trabalho e estudo), família,
descrições físicas, atividades de esporte e lazer e estilos de vida com suporte gramatical, lexical e
fonético.
Bibliografia Básica:
ROGERS, M; DAVES, P.; BREWTERS, Simon. Skyline 1A. Oxford: Macmillan publishers, 2008.
TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o inglês descomplicado. 10 ed. São Paulo:
Saraiva, 2007.
THONSOM, A. J; MARINET, A.V A practical english grammar. Oxford University Press, 2007.
Bibliografia Complementar:
DICTIONARY of contemporary english. New York: Longman, 1997.
MCLARTY, Robert; GRANT, David. Business Basies: student`s Book. Oxford University Press. 1999.
MURPHY, Raymond. English grammar in use. Cambridge University Press, 1994.
_______. Essential grammar in use: intermediare . Cambridge University Press, 2000. 02 ex
OXFORD advanced learner’s dictionary of current english. Oxford: Oxford University Press, 2005.
72
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
8 – CONTABILIDADE GERAL 60H
Ementa: Introdução ao estudo da Ciência Contábil; Patrimônio; Plano de Contas; Procedimentos
Básicos Contábeis de Escrituração; Fatos Contábeis que afetam a situação líquida; Operações com
Mercadorias Sem Impostos; Encerramento do Exercício Social com apuração do Resultado.
Bibliografia Básica:
IUDICIBUS, Sergio de; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens. Manual de contabilidade
Societaria: Aplicável a todas as sociedades de acordo com as Normas Internacionais e do CPC. 1. ed.
São Paulo: Atlas, 2010.
MARION, José Carlos. Contabilidade empresarial: a contabilidade como instrumento de análise,
gerência e decisão – as demonstrações contábeis: origens e finalidades – os aspectos fiscais e
contábeis das leis em vigor. 15. ed. rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2009.
SCHMIDT, Paulo; SANTOS, José Luiz dos; GOMES, Jose Mario Mastsumura. Contabilidade Geral. 3 ed.
São Paulo: Atlas, 2011.
Bibliografia Complementar:
FREZATTI, Fabio. Orçamento empresarial: planejamento e controle gerencial: possibilidade de
simulações apresentado por meio da internet – inclui abordagem sobre a utilização do EVA como
indicador financeiro de longo prazo. 3. ed.rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2006.
IUDICIBUS, Sergio de; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens. Manual de contabilidade das
sociedades por ações: suplemento. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
BRIGHAM, Eugene F.; HOUSTON, Joel F. Fundamentos da moderna administração financeira. Rio de
Janeiro: Elsevier, 1999.
GITMAN, Lawrence J. Princípios de administração financeira: essencial. 10. ed. Porto Alegre,
Bookman, 2006.
HOJI, Masakazu. Administração financeira: uma abordagem prática – matemática financeira aplicada
– estratégias financeiras – análise – planejamento e controle financeiro. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2004.
9 – TÉCNICAS SECRETARIAIS 120H
Ementa: História, origem e evolução da profissão. Aspectos legais da profissão. Ética profissional e
empresarial. Postura, perfil e papel profissional. A importância da etiqueta nos negócios.
Ferramentas secretariais. Habilidades de assessoria.
Bibliografia Básica:
GARCIA, Edméia, SILVA, Elizabete. Secretária Executiva. São Paulo: IOB Thomson. 2005.
MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sônia. Manual da Secretária. 8ª ed. São Paulo, Atlas, 1999.
MONTEZUMA, Helena. Manual da Secretária Moderna. Rio de Janeiro: TECNOPRINT, 1999.
NONATO JÚNIOR, Raimundo. Epistemologia e Teoria do Conhecimento em Secretariado Executivo:
a Fundação das Ciências da Assessoria. Fortaleza Expressão: Gráfica, 2009.
PORTELA, Keyla Christina Almeida. Ferramentas do Secretário Executivo. 1. Ed. Santa Cruz do Rio
Pardo,SP: Ed. Viena,2006.
VIEIRA, Maria Cristina de Andrade. Comunicação Empresarial: etiqueta e ética nos negócios. São
Paulo: SENAC, 2007.
Bibliografia Complementar:
ALONSO, Maria Cambreá. A arte de Assessorar Executivos. São Paulo: Pulsar, 2002.
73
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CARVALHO, Antônio Pires de e Grisson, Diller. Manual de Secretariado Executivo. Delivros Editora
Ltda, 2002.
GUIMARÃES, Márcio Eustáquio. O livro azul da Secretária Moderna. Ed. Érica Ltda, 1999.
NATALENSE,Liana. A secretária do futuro.São Paulo,Qualitymark,1998.
RIBEIRO, Nilzenir de Lourdes Almeida Ribeiro. Secretário: do Escriba ao Gestor. São Luis, Edfarma,
2005.
10 - COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL - 60 horas
Ementa: O estudo do comportamento organizacional. Comunicação interpessoal e organizacional.
Grupos e equipes. Poder, simbolismo e política nas organizações. Liderança e tomada de decisão.
Aprendizagem organizacional. Conflitos interpessoais e intergrupais e negociação. Cultura
organizacional. Inovação e mudança organizacional.
Bibliografia Básica:
BERGAMINI, Cecilia Whitaker. Psicologia aplicada à administração de empresas: psicologia do
comportamento organizacional. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1987.
BOWDITCH, James L.; BUONO, Anthony F. Elementos de comportamento organizacional. São Paulo:
Pioneira; Thomson, 2004.
MORGAN, Gareth. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 2006.
Bibliografia Complementar:
BAZERMAN, Max H.; NEALE, Margaret A. Negociando racionalmente. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2007.
COHEN, Allan R.; FINK, Stephen L. Comportamento organizacional: conceitos e estudos de casos. Rio
de Janeiro: Campus; Elsevier, 2003.
DAVIS, Keith; NEWSTROM, John W. Comportamento humano no trabalho: uma abordagem
psicológica. São Paulo: Thompson, 2002. v. 1.
HERSEY, Paul; BLANCHARD, Kenneth H. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas da
liderança situacional. São Paulo: Pedagógica e Universitária, 2006.
ROBBINS, S. Comportamento organizacional. 11.ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2005.
11 – COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO EM LÍNGUA INGLESA 60H
Ementa: Desenvolvimento da capacidade de expressão oral e escrita. Aspectos morfossintáticos da
língua. Gramática aplicada. Conversação e composição.
Bibliografia Básica:
ROGERS, M; DAVES, P.; BREWTERS, Simon. Skyline 1B. Oxford: Macmillan publishers, 2001.
TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o inglês descomplicado. São Paulo: Saraiva,
2001.
OXFORD advanced learner’s dictionary of current English. Oxford: Oxford University Press, 1980.
Bibliografia Complementar:
DICTIONARY of contemporary English. New York: Longman, 1997.
THONSOM, A. J; MARINET, A.V A practical English grammar. Oxford University Press, 1980.
MURPHY, Raymond. English grammar in use. Cambridge University Press,
_______. Essential grammar in use. Cambridge University Press, 1998.
SELLEN, Derik. Grammar World: reference and. 5.ed. São Paulo: SBS, 2000.
1994.
74
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
12 – LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL 60H
Ementa: Leitura. Linguagem, língua e fala. Gêneros Textuais. Formatos básicos: narração, descrição e
dissertação. Intervenção Gramatical. Leitura. Produção Textual.
Bibliografia Básica:
FÁVERO, Leonor Lopes; ANDRADE, Maria Lúcia C.V.O. Oralidade e Escrita: perspectivas para o
ensino de língua materna. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
KOCH, Ingedore Villaça. O texto e a construção de sentidos. 10. Ed. São Paulo: Contexto, 2011.
PLATÃO, Francisco Savioli; FIORIN, José Luiz. Para entender o texto. Leitura e redação. São Paulo,
2008.
Bibliografia Complementar:
CEREJA, William R.; MAGALHÃES Tereza, C. Texto e interação: uma proposta de produção textual a
partir de gêneros e projetos. São Paulo: Atual, 2005.
INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto. São Paulo: Scipione, 1998.
KOCH, Ingedore G. Villaça e ELIAS, Vanda Maria. Ler e Escrever: estratégias de produção textual. São
Paulo: Editora Contexto, 2009.
______. A intera-ação pela linguagem. São Paulo: Contexto, 2004.
POLITO, Reinaldo. Assim é que se fala: como organizar a fala e transmitir ideias. 28. Ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
13 – MARKETING 60H
Ementa: Conceito e processo evolutivo do Marketing, Conceito de valor para o cliente. O ambiente
de Marketing, Conceito e composição de um Sistema de Informações de Marketing, Estudo de
Demanda, Segmentação de mercado, Desenvolvimento e Planejamento de produtos, Determinação
de preços, O Processo de Distribuição e Promoção de produtos.
Bibliografia Básica:
KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 9.ed. Sao Paulo: Pearson; Prentice Hall,
2005.
ROCHA, Angela da; CHRISTENSEN, Carl. Marketing: teoria e prática no Brasil. 2.ed. São Paulo: Atlas,
1999.
LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Administração de marketing: conceitos, planejamento e aplicações à
realidade brasileira. São Paulo-SP: Atlas, 2006.
Bibliografia Complementar:
COBRA, Marcos. Marketing básico: uma abordagem brasileira. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1997.
DRUCKER, Perter Ferdinand. Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e
princípios. São Paulo: Pioneira, 2003.
KOTLER, Philip. Administração de marketing. 10. ed, 9rp,10rp. São Paulo: Pearson; Prentice Hall,
2005.
ROCHA Júlio César (org.). Grandes temas de marketing. Fortaleza: De Ponta, 2001.
WOOD JR, Thomaz (coord.) Mudança organizacional. 2ª. ed. São Paulo: Atlas, 2000.
14 – GESTÃO SECRETARIAL 60H
75
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Ementa: A Gestão Secretarial. As funções gerenciais de planejamento, organização, liderança e
controle no ambiente organizacional. Estratégia de gestão da qualidade: 5S. Gestão do tempo:
Follow-up e prioridade de atividades. Gestão de carreiras e empregabilidade.
Bibliografia Básica:
BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo:
Atlas, 1998.
CAMPOS, Vicente Falconi. Gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia. 8. ed. Belo Horizonte:
INDG Tecnologia e Serviços, 2004.
PORTELA, Keyla Cristina Almeida. SCHUMACHER, Alexander José. Gestão Secretarial: o desafio da
visão holística. Cuiabá: Adepta, 2009.
Bibliografia Complementar:
BULGACOV, Sérgio. Manual de Gestão Empresarial. São Paulo: Atlas, 2006.
MAXIMINIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdução à Administração. 7. ed. rev. São Paulo: Atlas,
2006.
MATOS, Francisco Gomes de. Liderança integrada: um novo conceito de eficácia. Rio de Janeiro, J.
Olimpio, 1998.
PORTELA, Keyla Cristina Almeida. SCHUMACHER, Alexander José. Ferramentas do Secretário
Executivo. São Paulo: Vieira, 2006.
SPILLER, Eduardo Santiago ET. AL. Gestão de serviços e Marketing interno. 4. Ed. Rio de Janeiro:
FGV, 2011.
15 – ORGANIZAÇÃO SISTEMAS E MÉTODOS 60H
Ementa: Organização e reorganização. A natureza das organizações. O sistema e a dinâmica
organizacional. Distribuição do trabalho. Processamento do trabalho. Aproveitamento racional de
espaço físico. Gráficos de organização. Manuais administrativos. Formulários. Metodologias para
levantamento, análise e prognóstico das organizações. Estrutura, estratégia, tecnologia,
desempenho, processos organizacionais e ambiente externo. Análise organizacional.
Bibliografia Básica:
ARAÚJO. Luís César G. de. Organização, sistemas e métodos e as modernas ferramentas de gestão
organizacional: arquitetura, benchmarking, empowerment, gestão pela qualidade total,
reengenharia. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.
CRUZ, Tadeu. Sistemas, organização e métodos: estudo integrado das novas tecnologias de
informação e introdução a gerência do conteúdo e do conhecimento. 3. ed. rev., atual. e ampl. São
Paulo: Atlas, 2002.
CURY, Antonio. Organização e métodos: perspectiva comportamental e abordagem contingencial. 8.
ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 2005.
Bibliografia Complementar:
BALLESTERO, Maria Esmeralda Alvarez. Manual de Organização, sistemas e métodos: abordagem
teórica e prática da engenharia da informação. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2005.
DE SORDI, José Osvaldo. Gestão por processos: uma abordagem da moderna administração. São
Paulo: Saraiva, 2005.
KERZNER, Harold. Gestão de projetos. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.
76
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
REZENDE, Denis Alcides; ABREU, Aline Franca de. Tecnologia da informação aplicada a sistemas de
informação empresariais: o papel estratégico de informação nas empresas. 8. Ed. São Paulo: Atlas,
2011.
TUBINO, Dalvio Ferrari. Manual de planejamento e controle da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas,
2006.
16 – ERGONOMETRIA E PREVENÇÃO DE DISTURBIO CORPORAIS 60H
Ementa: Origem, conceituação, evolução, classificação da ergonomia. Postura e movimentos, hábitos
posturais no trabalho, postura secretarial, layout do ambiente de trabalho, lesões de esforço
repetitivo e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.
Bibliografia Básica:
DUL, Jan. Ergonomia Prática. 3. Ed. São Paulo: Editora Ediard Blucher Ltda., 2012.
GUÉRIN, F. et al. Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da Ergonomia. São Paulo:
Edgard Blücher, 2002.
KROEMER, K. H. E; GRANDJEAN, E. Manual de Ergonomia: adaptando o trabalho ao homem. 5. Ed.
Porto Alegre: Bookman, 2005.
Bibliografia Complementar:
COLETÂNEA IOB.Normas regulamentadoras.2000.
DANIELLOU, François. A ergonomia em busca dos seus princípios: debates epistemológicos. São
Paulo: Blucher, 2004.
DUARTE, Francisco José de C. M. Ergonomia e projetos na Ind. De processos contínuos. Rio de
Janeiro: Lucerna, 2002.
MENDES, René. O que há de novo nas normas: trabalho, saúde e previdência. ABHO – agosto de
2000.
WEERDMEESTER, Bernard; DULIAN. Ergonomia Prática. São Paulo: Blucher, 1995.
17 – INGLÊS EXECUTIVO 60H
Ementa: Conhecer os vocabulários básicos e específicos da Língua Inglesa. Compreender textos em
inglês. Desenvolver habilidades de “listening”, “speaking”, “reading” e “writing”. Desenvolver
conhecimentos de Língua Inglesa que promovam a comunicação oral e escrita.
Bibliografia Básica:
ROGERS, M; DAVES, P.; BREWTERS, Simon. Skyline Business. Oxford: Macmillan publishers, 2001.
TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o inglês descomplicado. São Paulo: Saraiva, 10
edição reformulada, 2007.
GALANTE, Terezinha Prado. Inglês para Secretariado: correspondência, importação/
exportação,computação, câmbio, turismo.São Paulo: Atlas, 1992
Bibliografia Complementar:
DICTIONARY of contemporary English. New York: Longman, 2003.
OXFORD advanced learner’s dictionary of current English. Oxford: Oxford University Press, 5.
Ed.,2005.
THONSOM, A. J; MARINET, A.V A practical English grammar. Oxford University Press, 2007.
MURPHY, Raymond. English grammar in use. Cambridge University Press, 2007.
SELLEN, Derik. Grammar World: reference and. 5. Ed. São Paulo: SBS, 2000.
77
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
18 – MÉTODOS QUANTITATIVOS 60H
Ementa: Tabulação e organização de dados; Representações gráficas de dados tabelados; Medidas
de tendência central; medidas de dispersão; Assimetria e curtose.
Bibliografia Básica:
FONSECA, J.S. e Martins, G. A. Curso de estatística.6. Ed. São Paulo: Atlas, 1996.
MARTINS, Gilberto de Andrade; DONAIRE, Denis. Princípios da Estatística. 4. ed. São Paulo: Atlas,
1990.
SPIEGEL, Murray R. Estatística. 3. ed. São Paulo: Makron, 1994.
TOLEDO, G.L.; OVALLE, I.I. Estatística Básica. 2. Ed. São Paulo: Atlas. 1995.
Bibliografia Complementar:
KAZMIER, Leonard. Estatística Aplicada à economia e administração. São Paulo: McGrawHill do
Brasil, 1982.
LEVINE, D.M. BERENSON, M.L. Estatística: Teoria e Aplicações. 6. Ed. Rio de Janeiro: LTC Editora,
2012.
SILVA, Ermes M; SILVA, Elio M; GONÇALVES, Valter; MUROLO, Afrânio C. Estatística para os cursos
de: Economia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis. São Paulo: Atlas, 1999.
LAPONI, J.C. Estatística usando Excel 5 e 7. 4. ED. Rio de Janeiro: Elsevier/Campos, 2005.
STEVENSON, W.J. (1996). Estatística aplicada à administração. São Paulo: Habra, 2001.
19 – PRODUÇÃO DE TEXTOS EMPRESARIAIS 60H
Ementa: Estilo e linguagem do moderno texto empresarial. Principais tipos de correspondência
empresarial e oficial. Intervenção gramatical a partir da realidade do aluno e das empresas.
Bibliografia Básica:
GOLD, Miriam. Redação empresarial: escrevendo com sucesso na era da globalização. 3. Ed. São
Paulo: Prentice hall Brasil, 2005.
MARTINS, Dileta Silveira; ZILBERKNOP, Lúbia Scliar. Português Instrumental. 20. Ed. São Paulo: Atlas,
2009.
MEDEIROS, João Bosco. Redação empresarial. São Paulo: Atlas, 2009.
Bibliografia Complementar:
MEDEIROS, João Bosco. Português Instrumental. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2000.
___________________. Correspondência: técnicas de comunicação criativa: como redigir textos
administrativos - a redação de cartas comerciais - normas sobre correspondência oficial - técnicas de
redação de relatórios - como escrever mensagens eletrônicas (e-mail). 17. Ed. São Paulo: Atlas, 2004.
PLATÃO, FIORIN. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 2006.
TEIXEIRA, Leonardo. Comunicação na empresa. Rio de Janeiro: FGV, 2007.
TOMASI, Carolina; MEDEIROS, João Bosco. Comunicação Empresarial. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.
20 – LEGISLAÇÃO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL 60H
Ementa: Fontes. Relação de emprego. Contrato de Trabalho. Identificação Profissional. Salário e
Remuneração. Duração do Trabalho. Férias. Aviso Prévio. FGTS. Rescisão do Contrato de Trabalho.
Proteção do Trabalho. Organização Sindical. Seguridade Social.
78
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Bibliografia Básica:
ALMEIDA, Amador Paz de. CLT comentada: legislação, doutrina e jurisprudência. 7. Ed. São Paulo:
Saraiva, 2011.
CAMPANHOLE, H L ; CHAMPANHOLE, A - Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e Legislação
Complementar. São Paulo: Atlas, 2002.
MARTINS, Sério Pinto. Direito da seguridade social. 17 ed., São Paulo: Atlas, 2002.
_________________. Direito do trabalho. 26. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.
Bibliografia Complementar:
BARROS, Alice Martins. Curso de direito do trabalho. 9. Ed. São Paulo: CLT, 2013.
BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 32. Ed., São Paulo:
Saraiva, 2011.
MANUS, Pedro Paulo T. Direito do Trabalho. São Paulo: Atlas, 2002.
OLIVEIRA, Aristeu. Manual prático da previdência social. São Paulo: Atlas, 2002.
REIS, Roberto salvador. Segurança e Medicina do Trabalho: normas regulamentadoras. 2ed, 2007.
21 – ESTÁGIO I 70H
Ementa: Introdução ao estágio supervisionado. Conceitos, Evolução histórica e importância; O papel
do profissional de secretariado no mercado de trabalho; Normas e legislação do estágio, aspectos
legais; A ética do estagiário; Importância das entidades de classes representantes da categoria;
Correlacionar teoria e prática, capacidade de tomada de decisão. Plano Individual de Estágio.
Bibliografia Básica:
BURIOLLA, Marta A. Feiter. O estágio supervisionado. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
PICONEZ, Stela C. (ORG). A prática de ensino do estágio supervisionado. 19. Ed. São Paulo: Papiros,
2010.
PORTELA, Keyla Christina Almeida. Estágio supervisionado: teoria e prática. São Paulo: Viena, 2007.
Bibliografia Complementar:
D’AVILA, Manuela. A Nova Lei do Estágio. Brasília: Edições Câmara, 2008.
LAKATOS, E. V., Marconi,M. A. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo Atlas,2003.
MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sônia. Manual da Secretaria. São Paulo, Atlas, 1988.
ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guias para
estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudo de caso. São Paulo: Atlas, 1999.
22 – PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EVENTOS 60H
Ementa: Eventos: Histórico, tipologia, planejamento, organização, condução e avaliação. Cerimonial
e Protocolo.
Bibliografia Básica:
CESCA, Cleuza G. Gimenes. Organização de Eventos-manual para planejamento e execução. 9. Ed.
São Paulo: Summus, 2008.
GIACAGLIA, Maria Cecília. Organização de eventos: teoria e prática. São Paulo, 2008.
MENESCAL, Luiz Cláudio de A. Eventos: oportunidades de novos negócios. SENAC, 2000.
EVENTOS: oportunidades de novos negócios. Rio de Janeiro. SENAC, 2000.
79
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Bibliografia Complementar:
BETTEGA, Maria Lucia. Eventos e cerimonial: Simplificando ações. EDUCS, 2007.
CANTON, Antônia Marisa. Eventos: Ferramenta de sustentação para as organizações do terceiro
setor. São Paulo: ROCCA, 2002.
HOYLE JR., Leonard. Marketing de eventos: como promover com sucesso eventos, festivais,
convenções e exposições. São Paulo: Atlas, 2003.
PAIVA, Helio Afonso Braga de. Planejamento Estratégico de eventos: como organizar um plano
estratégico para eventos. Atlas, 2007.
PORTELA, Keyla Christina Almeida. SCHUMACHER. Alexandre José. Ferramentas do Secretário
Executivo. São Paulo: Viena, 2006.
ZANELLA, Luis Carlos. Manual de organização de eventos, planejamento e operação. 4. Ed. São
Paulo: Atlas, 2008.
23 – PRÁTICA DE REDAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA 60H
Ementa: Técnicas de produção de textos de diferentes gêneros: textos publicitários, comerciais
(cartas, memorandos, faxes, contratos), relatórios, artigos, resenhas.
Bibliografia Básica:
BARNARD, Roger. WRITING FOR THE REAL WORLD STUDENT´S BOOK 1. OUP - Oxford University
Press. 2004.
OXFORD advanced learner’s dictionary of current English. Oxford: Oxford University Press, 5
edition,2005.
RODGERS, Drew. Business communications. Cambridge University Press, 1998.
Bibliografia Complementar:
DICTIONARY of contemporary English. New York: Longman, 1997.
GEFFNER, Andrea. How to write better. Barrons, 1998.
THONSOM, A. J; MARINET, A. V. A practical English grammar. Oxford University Press, 1980.
TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o inglês descomplicado> São Paulo: Saraiva,
2001.
MURPHY, Raymond. English grammar in use. Cambridge University Press, 2007.
SELLEN, Derik. Grammar World: reference and. 5. Ed. São Paulo: SBS, 2000.
24 – PRÁTICA DE REVISÃO DE TEXTO 60H
Ementa: Realidades fonológicas, morfológicas e semânticas da Língua Portuguesa. Texto. Critérios
para análise da coesão e da coerência. Tipos de revisão de texto.
Bibliografia Básica:
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.
CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 5. Ed. Rio de Janeiro:
Lexikon, 2008.
SILVA, Maurício da. O novo acordo ortográfico da língua portuguesa: o que muda, o que não muda.
2. Ed. São Paulo: Contexto, 2009.
Bibliografia Complementar:
ALMEIDA. Napoleão Mendes de. Gramática metódica da língua portuguesa. São Paulo: Saraiva,
2005.
80
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
FIORIN, José Luis; PLATÃO, Francisco S. Lições de texto: leitura e redação. 5. Ed. São Paulo: Ática,
2006.
_______________________________. Para entender o texto: leitura e redação. São Paulo: Ática,
2006.
LIMA, Carlos Henrique da Rocha. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: José
Olympio, 2003.
LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade. 8. Ed. São Paulo: Ática, 2000.
25 – ESTÁGIO II 70H
Ementa: Práticas secretariais desenvolvidas nos campos de estágios conveniados de acordo com as
normas institucionais e complementares que regulam o estágio. Elaboração do relatório parcial de
estágio.
Bibliografia Básica:
BURIOLLA, Marta A. Feiter. O estágio supervisionado. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
PICONEZ, Stela C. (ORG). A prática de ensino do estágio supervisionado. 19. Ed. São Paulo: Papiros,
2010.
PORTELA, Keyla Christina Almeida. Estágio supervisionado: teoria e prática. São Paulo: Viena, 2007.
Bibliografia Complementar:
D’AVILA, Manuela. A Nova Lei do Estágio. Brasília: Edições Câmara, 2008.
LAKATOS, E. V., Marconi,M. A. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo Atlas,2003.
MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sônia. Manual da Secretaria. São Paulo, Atlas, 1988.
ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guias para
estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudo de caso. São Paulo: Atlas, 1999.
26 – GESTÃO DE MEIO AMBIENTE 60H
Ementa: Crise de paradigma: social, ambiental e ético O papel do Estado Desenvolvimento
Sustentável e Sociedades Sustentáveis Responsabilidade social: ferramentas de gestão e benefícios
para as empresas Governança Corporativa Mudanças nos hábitos sociais: Consumo consciente,
pegada ecológica, carta da terra Case Instituto Ethos: valores, público interno, meio ambiente,
consumidores e clientes, comunidade, governo e sociedade.
Bibliografia Básica:
BARBIERI, José Carlos. Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. 2.ed. atual
e ampliada. – São Paulo: Saraiva, 2007.
DIAS, Reinaldo. Gestão Ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 1. Ed. São Paulo:
Atlas, 2010.
SEIFFERT, Mari Elizabete Bernardini. ISO 14001 sistemas de gestão ambiental. 2. ed. São Paulo:
Atlas, 2008.
Bibliografia Complementar:
BERNARDES, Rui Otávio Andrade de; TACHIZAWA, Takeshy; CARVALHO, Ana Barreiros de. Gestão
ambiental: enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. 2 ed. São Paulo: Pearson
Education do Brasil, 2002.
81
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de
outubro de 1988. Organização do texto: Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990.168 p.
(Série Legislação Brasileira).
MOREIRA, Maria Suely. Estratégias e implantação de sistemas de gestão ambiental, modelo ISSO
14000. Belo Horizonte: desenvolvimento gerencial, 2001.
NASCIMENTO, Luís Felipe. Gestão Ambiental e Sustentabilidade. Florianópolis: Departamento de
Ciências da Administração/UFSC; Brasília: CAPES: UAB, 2008.
VEIGA, José Eli da. Meio ambiente e desenvolvimento. 2. Ed. São Paulo: SENAC, 2006.
27 – TÉCNICA DE TRADUÇÃO EM LÍNGUA INGLESA 60H
Ementa: Teoria da Tradução. Visão geral do tradutor. Técnicas de tradução e exercícios práticos de
tradução no campo da formação específica de Secretariado.
Bibliografia Básica:
ALVES, Fábio; MAGALHÃES, Célia; PAGANO, Adriana. Traduzir com autonomia: estratégia para o
tradutor em formação. São Paulo: Contexto, 2003.
DICTIONARY of contemporary English. New York: Longman, 2003.
OXFORD advanced learner’s dictionary of current English. Oxford: Oxford University Press, 5. Ed.,
2005.
Bibliografia Complementar:
MURPHY, Raymond. English grammar in use. Cambridge University Press, 2007.
_______. Essential grammar in use. Cambridge University Press, 1998.
THONSOM, A. J; MARINET, A.V A practical English grammar. Oxford University Press, 2007.
SELLEN, Derik. Grammar World: reference and. 5. Ed. São Paulo: SBS, 2000.
28 - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO
Ementa: O contexto tecnológico, As transformações sociais diante da tecnologia, A transição da
Informação, Tecnologia da informação e da comunicação.
Bibliografia Básica:
OLIVEIRA, Jayr. Tecnologia da Informação e da comunicação. 2ed. São Paulo: Ática, 2005.
REZENDE, Denis Alcides; ABREU, Aline de França. Tecnologia da Informação aplicada a sistemas de
informação empresarial: o papel estratégico da informação. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 2009.
STAIR, R. M. Princípios de Sistemas de Informação: uma abordagem gerencial. 9. Ed. São Paulo: LTC,
2011.
Bibliografia Complementar:
ANGELONI, M. T. (ORG.). Organização do conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologia. São
Paulo: Sraiva, 2002.
LAUDON, Kenneth C., LAUDON, Jane Price. Sistemas de Informação com Internet. 4ª edição, LTC,
2001.
LAURINDO, Fernando José Barbin (Coord.). Gestão integrada de processos e da Tecnologia da
Informação. São Paulo: Atlas 2006.
MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana a revolução
digital. 6. Ed. rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2006.
SENGE, P.M. A quinta disciplina. 27. Ed. São Paulo: Best Seller, 2011.
82
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
29 – TÓPICOS ESPECIAIS EM LÍNGUA PORTUGUESA 60H
Ementa: Linguagem. Estrutura e funcionamento do sistema de uma língua. Realidade fonológica e
morfológica da Língua Portuguesa. Particularidades léxicas e gramaticais.
Bibliografia Básica:
MARTINS, Dileta Silveira; ZILBERKNOP, Lúbia Scliar. Português Instrumental. 26. Ed. São Paulo: Atlas,
2007.
KOCH, Ingedore G. Villaça. Desvendando os segredos do texto. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.
Bibliografia Complementar:
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Lucena, 2006.
FÁVERO, Leonor Lopes; ANDRADE, Maria Lúcia C. V. O. Oralidade escrita: perspectivas para o ensino
da língua materna. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
KOCH, Ingedore Villaça. O texto e a construção de sentidos. 10. Ed. São Paulo: Contexto, 2011.
CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. São Paulo: Ática, 2002.
30 – ESTÁGIO III 70H
Ementa: Práticas secretariais desenvolvidas nos campos de estágios conveniados de acordo com as
normas institucionais e complementares que regulam o estágio. Elaboração do relatório final de
estágio.
Bibliografia Básica:
BURIOLLA, Marta A. Feiter. O estágio supervisionado. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2009.
PICONEZ, Stela C. (ORG). A prática de ensino do estágio supervisionado. 19. Ed. São Paulo: Papiros,
2010.
PORTELA, Keyla Christina Almeida. Estágio supervisionado: teoria e prática. São Paulo: Viena, 2007.
Bibliografia Complementar:
D’AVILA, Manuela. A Nova Lei do Estágio. Brasília: Edições Câmara, 2008.
LAKATOS, E. V., Marconi,M. A. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo Atlas,2003.
MEDEIROS, João Bosco; HERNANDES, Sônia. Manual da Secretaria. São Paulo, Atlas, 1988.
ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guias para
estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudo de caso. São Paulo: Atlas, 1999.
31 – PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 60H
Ementa: Introdução e conceitos básicos. Estratégia empresarial e gestão estratégica. Evolução da
gestão estratégica. Escolas de estratégia. Processo de planejamento estratégico. Metodologias de
elaboração de planos estratégicos. Análise estratégica. Cenários estratégicos. Formulações
estratégicas. Implementação estratégica. Controle estratégico e desempenho.
Bibliografia Básica:
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento estratégico: conceitos, metodologia,
práticas. 29. ed. São Paulo: Atlas, 2011.
83
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
HITT, M. A.; IRELAND, R. Duane; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica: tradução da 7. Ed.
americana. São Paulo: Thomson, 2007.
WRIGHT, Peter, KROLL, Mark J. e PARNELl, John. Administração estratégica: conceitos. 1. ed. São
Paulo: Atlas, 2007.
Bibliografia Complementar:
BATEMAN, Thomas S. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, 2008.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento estratégico: conceitos, metodologia e
práticas. São Paulo: Atlas, 2004.
PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 2.
ed. Rio de Janeiro: Campus, 2005.
CERTO, Samuel C; PETER, J. Paul; MARCONDES, Reynaldo Cavalheiro; CESAR, Ana Maria Roux.
Administração estratégica: planejamento e implantação de estratégias. 3. Ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2010.
DRUCKER, Peter F. Introdução à administração. 3. ed. São Paulo: Pioneira Thompson, 2006.
32 – SEMINÁRIOS DE EVENTOS 60H
Ementa: Captação, comercialização, divulgação, organização e operacionalização de eventos.
Recursos Humanos, financeiros, materiais e equipamentos na estrutura e organização de eventos.
Marketing do evento. Cerimonial e protocolo.
Bibliografia Básica:
ANDRADE, Renato Brenol. Manual de eventos. 2. Ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2002.
GIACAGLIA, Maria Cecília. Organização de eventos: teoria e prática. São Paulo, 2008.
OLIVEIRA, J.B. Como promover eventos: cerimonial e protocolo na prática. São Paulo: MADRAS,
2000.
Bibliografia Complementar:
BETTEGA,Maria Lucia. Eventos e cerimonial: Simplificando ações. EDUCS, 2007.
GIACAGLIA,Maria Cecília. Eventos: como criar, estruturar e captar recursos. São Paulo: Pioneira,
2006.
HOYLE, Jr. Leonard. Marketing de eventos: como promover com sucesso eventos, festivais,
convenções e exposições. São Paulo: Atlas, 2003.
MATIAS, Marlene. Organização de eventos. São Paulo: Manole, 2002.
ZANELLA, Luiz Carlos. Manual de organização de eventos: planejamento e operacionalização. São
Paulo: Atlas, 2006.
DISCIPLINAS ELETIVAS
1 - LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS – LIBRAS
Ementa: Evolução histórica da educação de surdos no Brasil. Vocabulário. Estrutura Gramatical.
Compreensão de diálogos e narrativas em Libras. Transcrição em Libras. Fundamentos legais
garantidos à pessoa com surdez.
Bibliografia Básica:
CASTRO. Alberto Rainha de; CARVALHO, Ilza Silva de. Comunicação por Língua Brasileira de Sinais.
Brasília: SENAC, 2005.
84
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
QUADROS, Ronice Muller de. Língua de Sinais Brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed,
2004.
SALLES, Heloisa Maria Moreira Lima; [et al.]. Ensino de Língua Portuguesa para surdos: caminhos
para a prática pedagógica. V.1. Brasília: MEC/SEESP, 2004.
Bibliografia Complementar:
FELIPE, Tânia A. Libras em contexto: curso básico. 3. Ed. Brasília: MEC/SEESP, 2004.
GESSER, Audrey. Libras: Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da
realidade surda. São Paulo: Parábola, 2009.
HONORA, Maria. Livro ilustrado de língua brasileira de sinais: desvendando a comunicação usada
pelas pessoas com surdez. São Paulo: Ciranda Cultural, 2009.
MAZZOTTA, Marcos José Silveira. Educação especial no Brasil: História e políticas públicas. 3. Ed. São
Paulo: Cortez, 2001.
QUADROS, Ronice Muller. O tradutor e intérprete de libras e língua portuguesa. Brasília: MEC, 2004.
2 - ESPANHOL INSTRUMENTAL 60H
Ementa: Uso comunicativo da língua espanhola em sua expressão oral e escrita.
Bibliografia Básica:
LAROUSSE. Espanhol mais fácil para escrever. São Paulo: Larousse do Brasil, 2003.
LAROUSSE. Espanhol mais fácil para comunicar-se. São Paulo: Larousse do Brasil. 2003.
LAROUSSE. Espanhol mais fácil para falar. São Paulo: Larousse do Brasil, 2003.
Bibliografia Complementar:
GASPAR, González y LOSA, Maria Carmen Marcos de la. Técnicas de conversación telefônica. Madrid:
Edelsa, 1999.
MARTINEZ, Ron y ARIAS, Sandra di Lullo. Como dizer tudo em espanhol: fale a coisa certa em
qualquer situação. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
PRADA, Marisa de; e BOVET, Montserrat. Hablando de negócios. Madrid:Edelsa, 2002
PASTOR, Enrique. Escribir cartas. Barcelona:Difusión, 1994.
3 - GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS
Ementa: A concepção de micro e pequena empresa segundo os diversos critérios de classificação,
dentre eles: faturamento e número de funcionários. Aspectos diferenciadores da tomada de decisão.
Cenários e tendências. As estratégias de associativismo/cooperativismo como meios para o
fortalecimento de mercado. Ferramentas de Gestão. Práticas que contribuem para a
sustentabilidade. A criatividade como elemento de diferenciação
Bibliografia Básica:
BULGACOV, Sergio (Org.). Manual de gestão empresarial. São Paulo: Atlas, 1999.
CASAROTTO FILHO, Nelson; PIRES, Luis Henrique. Redes de pequena e médias empresas e
desenvolvimento local. 2 ed. 2001.
REIS, Zenaide R. Micro e Pequenas empresas: a importância de conhecê-las. São Luis: Litograf, 2007.
Bibliografia Complementar:
85
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BERNARDI, Luiz Antônio. Manual de empreendedorismo e gestão: fundamentos, estratégias e
dinâmicas. São Paulo: Atlas, 2003.
CAMPOS, Vicente F. Gerenciamento pelas diretrizes. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni,
1996.
LODI, J. B. A empresa familiar. 5 ed., Pioneira, São Paulo, 1998.
SEBRAE. Lei geral das micro e pequenas empresas: estatuto nacional das micro e pequenas
empresas e da empresa de pequeno porte. Lei complementar nº 123 . São Paulo: Sebrae, 2006.
Sites www.fgv.com.br; www.cra.gov.br; www.hsm.com.br; www.fea.com.br; www.sebrae.com.br;
[email protected]
4 – NEGOCIAÇÃO
Ementa: Conceitos básicos sobre negociação. Negociação como instrumento gerencial. Negociação e
ética. Planejamento da negociação. Negociação e administração de conflitos nas organizações. As
estratégias e táticas de negociação. Os fatores que influenciam na negociação: poder, tempo e
informação. Os fatores externos que influenciam na negociação: ambiente, características do
interlocutor, concorrência. As qualificações básicas do negociador. Estilos pessoais de negociação.
Negociação baseada em princípios.
Bibliografia Básica:
MARTINELLI, D. P.; ALMEIDA, A. P. Negociação e solução de conflitos. São Paulo: 1. ed. 8
reimpressão. Atlas, 1998.
MELLO, J. C. M. F. Negociação baseada em estratégia. São Paulo: 2. ed. 3 reimpressão. Atlas, 2005.
FISHER, R.; URY, W. Como chegar ao sim. Rio de Janeiro: Imago, 1985.
Bibliografia complementar:
ACUFF, F. L. Como negociar qualquer coisa com qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo. São
Paulo: SENAC 2004.
LEWICK, R. L.; SAUNDERS, D. M.; MINTON, J. W. Fundamentos da Negociação. Porto Alegre:
Bookman, 2002.
O’CONNOR, Joseph. PRIOR, Robin. Sucesso em vendas com PNL. São Paulo: Sumus. 1997.
CHRISTOPHER, E. M. Técnicas de negociação. São Paulo: Clio, 1996.
COHEN, H. Você pode negociar qualquer coisa. São Paulo: Record, 2001.
5 – RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL 60H
Ementa: Crise de paradigma: social, ambiental e ético O papel do Estado Desenvolvimento
Sustentável e Sociedades Sustentáveis Responsabilidade social: ferramentas de gestão e benefícios
para as empresas Governança Corporativa Mudanças nos hábitos sociais: Consumo consciente,
pegada ecológica, carta da terra Case Instituto Ethos: valores, público interno, meio ambiente,
consumidores e clientes, comunidade, governo e sociedade.
Bibliografia Básica:
ALIGLERI ET Al. Gestão Socioambiental: Responsabilidade e sustentabilidade do negócio. . São Paulo:
Atlas, 2009.
ELIZABETH, Laville,. A empresa verde. São Paulo: Ote, 2009.
CAPRA, Fritjof. O Ponto de Mutação. São Paulo: Cultrix, 2006.
Bibliografia Complementar:
86
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BOFF, Leonardo. Ecologia: grito da Terra, grito dos pobres. São Paulo: Ática, 1996.
ETHOS, Instituto. Responsabilidade social das empresas – primeiros passos. São Paulo: Instituto
Ethos, 2009.
ROBERTO, Smeraldi,. O novo manual de negócios sustentáveis. São Paulo: Publifolha, 2009.
LEONARDO, Boff,. O Despertar da Águia. Petrópolis: Vozes, 2009.
ASHLEY. Ética e Responsabilidade Social nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2005.
5.8 PERIÓDICOS ESPECIALIZADOS
Há assinatura/acesso de periódicos especializados, indexados e correntes, sob a forma impressa ou
virtual. Os títulos são distribuídos entre as principais áreas do curso, a maioria deles com acervo
atualizado em relação aos últimos três anos.
Q. 8. Quadro 5.8 – Relação dos periódicos especializados, indexados e correntes disponibilizados para
as principais áreas do curso.
PERIÓDICOS
1
EXCELÊNCIA
2
SECRETÁRIA EXECUTIVA
3
VIDA EXCUTIVA
4
MULHER E CARREIRA
5
GESEC – Revista de Gestão e Secretariado
Forma
Impressa ou
Virtual
(I ou V)
I
I
I
I
V
6
REVISTA DIGITAL DA SECRETÁRIA EXECUTIVA
V
PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGOCIOS;
I
MELHOR: GESTÃO DE PESSOAS
I
LIDERANÇA
I
GESTÃO EMPRESARIAL.
I
7
8
9
10
87
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CAPÍTULO 6
6. ASPECTOS LEGAIS DO PPC
6.1 DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO
O PPC está coerente com a Resolução CNE/CES 03 de 23 de junho de 2005, que institui as Diretrizes
Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Secretariado Executivo Bilíngue e é transcrita
abaixo neste tópico pois norteia toda a concepção do curso, buscando-se atendê-la integralmente.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO
CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR
RESOLUÇÃO Nº 3, DE 23 DE JUNHO DE 2005
Institui as Diretrizes Curriculares
Nacionais para o curso de
graduação em Secretariado Executivo
e dá outras providências
O Presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas
atribuições legais, com fundamento no art. 9º, § 2º, alínea "c", da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de
1961, com a redação dada pela Lei nº 9.131, de 25 de novembro de 1995, tendo em vista as
diretrizes e os princípios fixados pelos Pareceres CES/CNE 776/97 e 583/2001 e considerando o que
consta dos Pareceres CES/CNE 67/2003 e 102/2004, homologados pelo Senhor Ministro de Estado da
Educação, respectivamente, em 2/6/2003 e 12/4/2004, resolve:
Art. 1º A presente resolução institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação
em Secretariado Executivo, bacharelado, a serem observadas pelas Instituições de Ensino Superior
em sua organização curricular.
Art. 2º A organização do curso de graduação em Secretariado Executivo, observadas as Diretrizes
Curriculares Nacionais e os pareceres desta Câmara, indicará claramente os componentes
curriculares, abrangendo o perfil do formando, as competências e habilidades, os conteúdos
curriculares e a duração do curso, o regime de oferta, as atividades complementares, o sistema de
avaliação, o estágio curricular supervisionado e o trabalho de curso ou de graduação, ambos como
componentes opcionais da instituição, sem prejuízo de outros aspectos que tornem consistente o
projeto pedagógico.
§ 1º O projeto pedagógico do curso, além da clara concepção do curso de graduação em Secretariado
Executivo, com suas peculiaridades, seu currículo pleno e sua operacionalização, abrangerá, sem
prejuízo de outros, os seguintes elementos estruturais:
88
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
I - objetivos gerais do curso, contextualizados em relação às suas inserções institucional, política,
geográfica e social;
II - condições objetivas de oferta e a vocação do curso;
III cargas horárias das atividades didáticas e da integralização do curso;
IV - formas de realização da interdisciplinaridade;
V - modos de integração entre teoria e prática;
VI - formas de avaliação do ensino e da aprendizagem;
VII - modos da integração entre graduação e pós-graduação, quando houver;
VIII - incentivo à pesquisa, como necessário prolongamento da atividade de ensino e como
instrumento para a iniciação científica;
IX - concepção e composição das atividades de estágio curricular supervisionado, suas diferentes
formas e condições de realização, observado o respectivo regulamento;
X - concepção e composição das atividades complementares.
§ 2º Os projetos pedagógicos do curso de graduação em Secretariado Executivo poderão admitir
linhas de formação específicas, nas diversas áreas relacionadas com atividades gerenciais, de
sessoramento, de empreendedorismo e de consultoria, contidas no exercício das funções de
Secretário Executivo, para melhor atender às necessidades do perfil profissiográfico que o mercado
ou a região exigirem.
Art. 3º O curso de graduação em Secretariado Executivo deve ensejar, como perfil desejado do
formando, capacitação e aptidão para compreender as questões que envolvam sólidos domínios
científicos, acadêmicos, tecnológicos e estratégicos, específicos de seu campo de atuação,
assegurando eficaz desempenho de múltiplas funções de acordo com as especificidades de cada
organização, gerenciando com sensibilidade, competência e discrição o fluxo de informações e
comunicações internas e externas.
Parágrafo único. O bacharel em Secretariado Executivo deve apresentar sólida formação geral e
humanística, com capacidade de análise, interpretação e articulação de conceitos e realidades
inerentes à administração pública e privada, ser apto para o domínio em outros ramos do saber,
desenvolvendo postura reflexiva e crítica que fomente a capacidade de gerir e administrar processos
e pessoas, com observância dos níveis graduais de tomada de decisão, bem como capaz para atuar
nos níveis de comportamento microorganizacional, mesoorganizacional e macroorganizacional.
Art. 4º O curso de graduação em Secretariado Executivo deve possibilitar a formação profissional
que
revele,
pelo
menos,
as
seguintes
competências
e
habilidades:
I capacidade de articulação de acordo com os níveis de competências fixadas pelas organizações;
II - visão generalista da organização e das peculiares relações hierárquicas e inter-setoriais;
89
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
III - exercício de funções gerenciais, com sólido domínio sobre planejamento, organização, controle e
direção;
IV - utilização do raciocínio lógico, critico e analítico, operando com valores e estabelecendo relações
formais e causais entre fenômenos e situações organizacionais;
V - habilidade de lidar com modelos inovadores de gestão;
VI - domínio dos recursos de expressão e de comunicação compatíveis com o exercício profissional,
inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais ou inter-grupais;
VII - receptividade e liderança para o trabalho em equipe, na busca da sinergia;
VIII - adoção de meios alternativos relacionados com a melhoria da qualidade e da produtividade dos
serviços, identificando necessidades e equacionando soluções;
IX - gerenciamento de informações, assegurando uniformidade e referencial para diferentes
usuários;
X - gestão e assessoria administrativa com base em objetivos e metas departamentais e
empresariais;
XI - capacidade de maximização e otimização dos recursos tecnológicos;
XII - eficaz utilização de técnicas secretariais, com renovadas tecnologias, imprimindo segurança,
credibilidade e fidelidade no fluxo de informações; e
XIII - iniciativa, criatividade, determinação, vontade de aprender, abertura às mudanças, consciência
das implicações e responsabilidades éticas do seu exercício profissional.
Art. 5º Os cursos de graduação em Secretariado Executivo deverão contemplar, em seus projetos
pedagógicos e em sua organização curricular, os seguintes campos interligados de formação:
I Conteúdos básicos: estudos relacionados com as ciências sociais, com as ciências jurídicas, com as
ciências econômicas e com as ciências da comunicação e da informação;
II - Conteúdos específicos: estudos das técnicas secretariais, da gestão secretarial, da administração e
planejamento estratégico nas organizações públicas e privadas, de organização e métodos, de
psicologia empresarial, de ética geral e profissional, além do domínio de, pelo menos, uma língua
estrangeira e do aprofundamento da língua nacional;
III - Conteúdos teórico-práticos: laboratórios informatizados, com as diversas interligações em rede,
estágio curricular supervisionado e atividades complementares, especialmente a abordagem teóricoprática dos sistemas de comunicação, com ênfase em softwares e aplicativos.
Art. 6º A organização curricular do curso de graduação em Secretariado Executivo estabelecerá
expressamente as condições para a sua efetiva conclusão e integralização curricular, de acordo com
os seguintes regimes acadêmicos que as instituições de ensino superior adotarem: regime seriado
anual; regime seriado semestral; sistema de créditos com matrícula por disciplina ou por módulos
90
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
acadêmicos, observada a pré requisitação, que vier a ser estabelecida no currículo, atendido o
disposto nesta resolução.
Art. 7º O estágio supervisionado é um componente curricular obrigatório, indispensável à
consolidação dos desempenhos profissionais desejados inerentes ao perfil do formando, devendo
cada instituição, por seu colegiado superior acadêmico, aprovar o correspondente regulamento, com
suas diferentes modalidades de operacionalização.
§ 1º O estágio de que trata este artigo poderá ser realizado na própria instituição, mediante
laboratórios que congreguem as diversas ordens práticas correspondentes às diferentes concepções
das funções e técnicas secretariais.
§ 2º As atividades de estágio poderão ser reprogramadas e reorientadas de acordo com os
resultados teórico-práticos gradualmente revelados pelo aluno, até que os responsáveis pelo
acompanhamento, supervisão e avaliação do estágio curricular possam considerá-lo concluído,
resguardando, como padrão de qualidade, os domínios indispensáveis ao exercício da profissão.
§ 3º O regulamento do estágio de que trata este artigo, aprovada pelo seu colegiado superior
acadêmico, conterá, obrigatoriamente, critérios, procedimentos e mecanismos de avaliação,
observado o disposto no parágrafo precedente.
Art. 8º As atividades complementares são componentes curriculares que possibilitam o
reconhecimento, por avaliação, de habilidades, conhecimentos e competências do aluno, inclusive
ridas fora do ambiente escolar, abrangendo a prática de estudos e atividades independentes,
transversais, opcionais, de interdisciplinaridade, especialmente nas relações com o mundo do
trabalho, com as peculiaridades das organizações e com as ações de extensão junto à comunidade.
Parágrafo único. As atividades complementares se constituem componentes curriculares
enriquecedores e implementadores do próprio perfil do formando, sem que se confundam com
estágio curricular supervisionado.
Art. 9º As instituições de ensino superior deverão adotar formas específicas e alternativas de
avaliação, internas e externas, sistemáticas, envolvendo todos quantos se contenham no processo do
curso, observados os aspectos considerados fundamentais para a identificação do perfil do
formando.
Parágrafo único. Os planos de ensino, a serem fornecidos aos alunos antes do início do período
letivo, deverão conter, além dos conteúdos e das atividades, a metodologia do processo de ensino
aprendizagem, os critérios de avaliação a que serão submetidos e a bibliografia básica.
Art. 10. O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um componente curricular opcional da instituição
que, se for adotado, poderá ser desenvolvido nas modalidades de monografia, projeto de iniciação
científica ou projetos de atividades centrados em áreas teórico-práticas e de formação profissional
relacionadas com o curso, na forma disposta em regulamento próprio.
Parágrafo único. Optando a instituição por incluir no currículo do curso de graduação em
Secretariado Executivo Trabalho de Conclusão de Curso - TCC, nas modalidades referidas no caput
deste artigo, deverá emitir regulamentação própria, aprovada pelo seu Conselho Superior
Acadêmico, contendo, obrigatoriamente, critérios, procedimentos e mecanismos de avaliação, além
das diretrizes técnicas relacionadas com a sua elaboração.
91
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Art. 11. A duração do curso de graduação em Secretariado Executivo será estabelecida em
Resolução específica da Câmara de Educação Superior.
Art. 12. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em
contrário.
EDSON DE OLIVEIRA NUNES
(Publicação no DOU nº 121, de 27/06/2005, Seção 1, página 79/80)
6.2 DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E
PARA O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA (Lei n. 11.645 de
10/3/2008; Resolução CNE/CP n. 01 de 17/06/2004).
A temática da História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena está inclusa na disciplina HOMEM,
CULTURA E SOCIEDADE e em outras atividades curriculares do curso (Estudos Dirigidos), conforme
descrito no Capítulo 2 do PPC – Modelo Acadêmico. A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA
entende que esta temática nos sistemas de ensino significa o reconhecimento da importância da
questão do combate ao preconceito, ao racismo e à discriminação da sociedade em redução às
desigualdades.
A Lei 11.645 (BRASIL, 2008) e a Resolução CNE/CP n.1 (BRASIL, 2004), que concedem a mesma
orientação quanto à temática indígena, não são apenas instrumentos de orientação para o combate
à discriminação, são inclusive leis afirmativas, no sentido de que reconhece a escola como lugar da
formação de cidadãos e afirmam a relevância desta em promover a necessidade de valorização das
matrizes culturais que fizeram do Brasil um país rico e múltiplo.
Cabe esclarecer que o termo raça é utilizado com frequência nas relações sociais brasileiras, para
informar como determinadas características físicas, como cor de pele, tipo de cabelo, entre outras,
influenciam, interferem e até mesmo determinam o destino e o lugar social dos sujeitos no interior
da sociedade brasileira. Contudo, o termo foi modificado pelo Movimento Negro que, em várias
situações, o utiliza com um sentido político e de valorização do legado deixado pelos africanos.
É importante esclarecer que o emprego do termo étnico, na expressão étnico-racial, serve para
marcar que essas relações tensas devido às diferenças na cor da pele e traços fisionômicos o são
também devido à raiz cultural plantada na ancestralidade africana, que difere em visão de mundo,
valores e princípios das de origem indígena, europeia e asiática.
Assim sendo, a educação das relações étnico raciais impõe aprendizagens entre brancos, negros e
índios, trocas de conhecimentos, quebra de desconfianças e a criação de um projeto conjunto para
construção de uma sociedade justa, igual, equânime.
6.3 TITULAÇÃO DO CORPO DOCENTE.
O quadro abaixo apresenta o corpo docente do curso de Secretariado Executivo Bilíngue no qual
pode ser verificado que todos os professores possuem formação em pós-graduação (lato sensu ou
stricto sensu).
Q. 9. Quadro 6.3 – Titulação do corpo docente do curso – lato sensu e stricto sensu.
92
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
Nome dos docentes
Titulação
1
Conceição de Maria Moura Ferreira
Mestre
2
Delcimara Batista Caldas
Mestre
3
Helone Eloisa Frazão Guimarães Faray
Mestre
4
José Ribamar Neres Costa
Mestre
5
Kátia Godim Silva
Especialista
6
Luiz Guilherme Torres de Azevedo
Mestre
7
Maria das Graças Figueiredo da Luz
Mestre
8
Nicodemos Araújo Costa
Mestre
9
Nilzenir de Lurdes Almeida Ribeiro
Especialista
10
Patrício Moreira de Araújo Filho
Doutor
11
Rafael Campos Quevedo
Doutor
12
Viviane Sampaio Araújo
Mestre
13
Wellington Marcos Ferreira Conceição
Especialista
6.4 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE)
O NDE do curso de Secretariado Executivo Bilíngue está de acordo com a Resolução CONAES n.1, de
17/6/2010, com o Regimento da instituição e com o capítulo 4 deste PPC e é apresentado no quadro
abaixo.
Q. 10. Quadro 6.4 – Composição do NDE do curso.
NOME COMPLETO
TITULAÇÃO
REGIME DE TRABALHO
(integral ou parcial)
DATA DE
INGRESSO
NO NDE
1
Conceição de Maria Moura Ferreira
Mestre
Integral
15/07/2008
2
Luis Guilherme Torres de Azevedo
Mestre
Parcial
24/02/2012
3
Nicodemos Araújo Costa
Mestre
Parcial
24/02/2012
4
Nilzenir de Lourdes Almeida Ribeiro
Especialista
Parcial
31/03/2010
93
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
5
Patrício Moreira de Araújo Filho
Doutor
Integral
15/07/2008
6.7 CARGA HORÁRIA MÍNIMA, EM HORAS – PARA BACHARELADOS E LICENCIATURAS. Resolução
CNE/CES n. 02/2007 (graduação, bacharelado, presencial), Resolução CNE/CES n. 04/2009 (área de
saúde, bacharelado, presencial), Resolução CNE/CP n. 1/2006 (pedagogia).
O curso de Secretariado Executivo Bilíngue totaliza 2400 horas e atende à carga horária mínima em
horas estabelecidas na Resolução CNE/CP n. 01 de 17/06/2004). Conforme pode ser demonstrado no
quadro abaixo.
Q. 11. QUADRO 6.7 – Descrição da carga horária do curso.
DESCRIÇÃO CARGA HORÁRIA DO CURSO
Duração da
hora
CARGA HORÁRIA POR COMPONENTE CURRICULAR
(em minutos de
acordo com a
atividade/ quadro
de horário)
1536 horas-aula
Atividades de Aprendizagem Teóricas
60
0 horas-aula
Atividades de Aprendizagem Práticas
00
384 horas
Atividades de Aprendizagem Orientadas
60
210
horas
Estágio Curricular Supervisionado
60
210 horas
Atividades Complementares (Estudos Dirigidos)
60
60 horas
Atividades Complementares (Estudos Independentes)
60
Total da Carga Horária do Curso em MINUTOS:
Total da Carga Horária do Curso em HORAS:
CH EM
MINUTOS
(multiplica a
coluna 2 com a 3)
92160
00
23040
12600
12600
3600
144000
2400
6.8 TEMPO DE INTEGRALIZAÇÃO.
O tempo mínimo de integralização do curso de Secretariado Executivo Bilíngue é de, no mínimo, três
anos e meio e, no máximo, seis anos e meio, atendendo ao tempo de integralização proposto na
Resolução CNE/CES n. 02/2007.
6.9 CONDIÇÕES DE ACESSO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E/OU MOBILIDADE REDUZIDA.
Decreto n. 5.296/2004.
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA apresenta condições de acesso para pessoas com
deficiência e/ou mobilidade reduzida, atendendo ao Decreto 5.296/2004 a instituição realizou obras
civis e aquisição de equipamentos para atender pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida,
disponibilizando rampas de acesso às áreas de acesso acadêmico-administrativo.
6.10 DISCIPLINA DE LIBRAS. Decreto n. 5.626/2005.
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA contempla a disciplina de Libras na estrutura curricular do
curso de Secretariado Executivo Bilíngue, sendo esta uma optativa na sua estrutura curricular,
atendendo ao disposto no Decreto n. 5.626/2005.
94
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
6.11 PREVALÊNCIA DE AVALIAÇÃO PRESENCIAL PARA EAD. Decreto n. 5.622/2005, art. 4 inciso II.
Os resultados dos exames presenciais prevalecem sobre os demais resultados obtidos em quaisquer
outras formas de avaliação à distância, no curso de Secretariado Executivo Bilíngue, conforme prevê
o Decreto n. 5.622/2005, art. 4 inciso II e pode ser comprovada na Resolução correspondente que
define as disciplinas semipresenciais ou interativas do curso.
6.12 INFORMAÇÕES ACADÊMICAS. Portaria Normativa n. 40 de 12/12/2007 alterada pela Portaria
Normativa MEC 23 de 01/12/2010, publicada em 29/12/2010.
As informações acadêmicas exigidas pela Portaria Normativa n. 40 de 12/12/2007 alterada pela
Portaria Normativa MEC 23 de 01/12/2010, publicada em 29/12/2010 estão disponibilizadas na
forma impressa e virtual. Estão afixadas em local visível próximo à SICP as seguintes informações:
I.
II.
III.
IV.
V.
VI.
Ato autorizativo expedido pelo MEC, com a data de publicação no DOU;
Dirigentes da instituição e coordenador de curso efetivamente em exercício;
Relação dos professores que integram o corpo docente do curso, com a respectiva formação,
titulação e regime de trabalho;
Matriz curricular do curso;
Resultados obtidos nas últimas avaliações realizadas pelo MEC, quando houver;
Valor corrente dos encargos financeiros a serem assumidos pelos alunos, incluindo
mensalidades, taxas de matrícula e respectivos reajustes e todos os ônus incidentes sobre a
atividade educacional.
E as seguintes informações estão disponibilizadas em página eletrônica própria no site da instituição
e também na biblioteca:
I.
II.
III.
IV.
Projeto pedagógico do curso e componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios
de avaliação;
Conjunto de normas que regem a vida acadêmica, incluídos o Estatuto ou Regimento que
instruíram os pedidos de ato autorizativo junto ao MEC;
Descrição da biblioteca quanto ao seu acervo de livros e periódicos, relacionada à área do
curso, política de atualização e informatização, área física disponível e formas de acesso e
utilização;
Descrição da infraestrutura física destinada ao curso, incluindo laboratórios, equipamentos
instalados, infraestrutura de informática e redes de informação.
6.13 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Lei n. 9.795, de 27/04/1999 e decreto n. 4.281 de
25/6/2002.
O reconhecimento do papel transformador da temática Educação Ambiental torna-se cada vez mais
visível diante do atual contexto regional, nacional e mundial em que a preocupação com as
mudanças climáticas, a degradação da natureza, a redução da biodiversidade, os riscos
socioambientais locais e globais, as necessidades planetárias são evidenciados na prática social atual.
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA entende que o termo Educação Ambiental é empregado
para especificar um tipo de educação, um elemento estruturante em constante desenvolvimento,
demarcando um campo político de valores e práticas, mobilizando a comunidade acadêmica,
95
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
comprometida com as práticas pedagógicas transformadoras, capaz de promover a cidadania
ambiental.
Neste contexto, no curso de Secretariado Executivo Bilíngue há integração da educação ambiental às
disciplinas do curso de modo transversal, contínuo e permanente. Os componentes curriculares que
abordam a temática Educação Ambiental durante o período de integralização do curso são: o Estudo
Dirigido e as disciplinas de Gestão Ambiental; Empreendedorismo; Planejamento Estratégico e
Responsabilidade Social e Ambiental.
A Faculdade Atenas Maranhense - FAMA concebeu como política institucional o Programa Kroton
Verde aonde são desenvolvidas ações junto à comunidade acadêmica da Instituição, com os
seguintes objetivos: desenvolver a compreensão integrada do meio ambiente para fomentar novas
práticas sociais e de produção e consumo; garantir a democratização e acesso às informações
referentes à área socioambiental; estimular a mobilização social e política e o fortalecimento da
consciência crítica; incentivar a participação individual e coletiva na preservação do equilíbrio do
meio ambiente; estimular a cooperação entre as diversas regiões do País, em diferentes formas de
arranjos territoriais, visando à construção de uma sociedade ambientalmente justa e sustentável, e
também fortalecer a cidadania, a autodeterminação dos povos e a solidariedade, a igualdade e o
respeito aos direitos humanos.
96
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CAPÍTULO 7
7. REFERENCIAIS TEÓRICOS DO PPC
AUSUBEL, D. P. A aprendizagem Significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes 1982.
ALBRECHT, K. Revolução dos Serviços: como as empresas podem revolucionar a maneira de tratar
os seus clientes. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 1992.
BOSSIDY, L.; CHARAN, R. Execução – A disciplina para atingir resultados. Rio de Janeiro: Campus,
2004.
BELLONI, I. A educação superior na nova LDB. In: BRZEZINSKI, I. (Org.) LDB Interpretada: diversos
olhares se entrecruzam. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005, p. 136-137.
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação
Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 1996.
BRASIL. Lei n. 9.795, de 27/04/1999 e decreto n. 4.281 de 25/6/2002. Dispõe sobre a educação
ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial
[da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2002a.
BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2/2002 (licenciaturas). Diário Oficial [da] República Federativa do
Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2002b.
BRASIL. Resolução CNE/CP n.3, 18/12/2002). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,
Poder Executivo, Brasília, DF, 2002c.
BRASIL. Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação
Superior – SINAES e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2004.
BRASIL. Lei no 11645, DE 10 de março de 2008. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,
Poder Executivo, Brasília, DF, 2008.
BRASIL. Decreto n. 5.296/2004. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo,
Brasília, DF, 2004.
BRASIL. Decreto n. 5.622/2005, art. 4 inciso II. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,
Poder Executivo, Brasília, DF, 2005a.
BRASIL. Decreto n. 5.626/2005. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo,
Brasília, DF, 2005b.
BRASIL. Resolução CNE/CP n. 1/2006 (pedagogia). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,
Poder Executivo, Brasília, DF, 2006a.
BRASIL. Portaria n. 10, 28/7/2006; Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 2006b.
97
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
BRASIL. Portaria n.1024, 11/5/2006. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 2006c.
BRASIL. Portaria Normativa n. 12/2006. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 2006d.
BRASIL. Resolução CNE/CES n. 02/2007 (graduação, bacharelado, presencial). Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2007a.
BRASIL. Resolução CNE/CES n. 02/2007 (graduação, bacharelado, presencial), Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2007b.
BRASIL. Resolução CNE/CES n. 04/2009 (área de saúde, bacharelado, presencial). Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2009a.
BRASIL. Resolução CNE/CES n. 04/2009 (área de saúde, bacharelado, presencial) . Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2009b.
BRASIL. Resolução CNE/CP n. 1 17/6/2004. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 2004.
BRASIL. Portaria nº 3 de 2 de julho de 2007. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 2007.
BRASIL. Portaria nº 1.326 de 18 de novembro de 2010. Aprova, em extrato, o Instrumento de
Avaliação de Cursos de Graduação: Bacharelados e Licenciatura, na modalidade de educação a
distância, do Sistema Nacional de Educação Superior – SINAES. Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2010a.
BRASIL. Portaria nº 4059 de 2004 Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo,
Brasília, DF, 2004.
BRASIL. Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007. Instituição do e-MEC, sistema
eletrônico de fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação
da educação superior no sistema federal de educação. Teve nova redação, foi consolidada e
publicada no D.O.U em 29 de dezembro de 2010 como Portaria Normativa / MEC n. 23. Diário
Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2010b.
BRASIL. Portaria Normativa MEC 23 de 01/12/2010, publicada em 29/12/2010. Altera dispositivos da
Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007. Diário Oficial [da] República Federativa do
Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2010c.
BRETAS, M. L. Ordem na Cidade: O exercício cotidiano da autoridade. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
BRUNER, J. Acción, pensamiento y lenguaje. Madrid: Alianza Editorial, 2002.
98
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
CAMARGO, P. Mapa do saber. Disponível em:
http://www2.uol.com.br/aprendiz/n_revistas/revista_educacao/setembro01/entrevista.htm. Acesso
em 11/10/2012.
CAPES – FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR.
Tabela de Áreas de Conhecimento. Disponível em:
http://www.capes.gov.br/avaliacao/tabela-de-areas-de-conhecimento. Acesso em 27/10/12.
CHRISTENSEN, Clayton M. O Dilema da Inovação: Quando novas tecnologias levam empresas ao
fracasso. São Paulo: Makron Books, 2001.
CONAES. Resolução nº 01, de 17 de junho de 2010. Normatiza o Núcleo Docente Estruturante e dá
outras providências. Brasília, DF: CONAES, 2010.
CONTRERAS, J. A Autonomia de Professores. São Paulo: Cortez, 2002.
COVEY, S. R. O 8º Hábito: da eficácia à grandeza. Rio de Janeiro: Campus, 2005.
DELORS, J. (coord.) et al. Educação: um tesouro a descobrir. [Relatório para UNESCO da Comissão
Internacional sobre Educação para o Século XXI]. São Paulo: Cortez Editora, 1999.
DE MASI, D. O Futuro do Trabalho. Rio de Janeiro: José Olympio, 2001.
DIAS SOBRINHO, J. (org.). Avaliação institucional : a experiência da UNICAMP – condições, princípios
e processo. Pró-posições. v. 16, n.1[16], p. 41-54, 1995.
ENRICONE, D (Org.). Ser Professor. 5. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.
FAVA, R. Educação 3.0: como ensinar estudantes com culturas tão diferentes. Cuiabá: Carlini &
Caniato Editoria, 2011.
FAVA, R. O Estrategista. Cuiabá: Ed. Unic, 2002.
FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação, uma introdução ao pensamento de Paulo
Freire. São Paulo: Moras, 1980.
______. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 1996.
IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 8. ed. São
Paulo: Cortez, 2002.
JUNQUEIRA, A. M. (Org.) Educação Continuada: reflexões, alternativas. Campinas: Papirus, 2000.
KAPLAN, R.; NORTON, D. The Balanced scorecard: translating strategy into action. Boston: Havard
Business School Press, 1996.
KARDEC. A. A Obsessão. 3. ed., São Paulo: O Clarim, 1978.
99
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
MACEDO, Elizabeth. Currículo e competência. In: MACEDO, Elizabeth; LOPES, Alice Casimiro (Org.).
Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 115-144.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DO BRASIL. Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação:
Bacharelados e Licenciatura, na modalidade de educação a distância, do Sistema Nacional de
Educação Superior – SINAES. Maio 2012.
MORAN, J.M.. Os modelos educacionais na aprendizagem on-line. 2007. Disponível em:
http://www.eca.usp.br/prof/moran/modelos.htm. Acesso em: 20/04/2012.
MOREIRA, A. F. B. Currículo: questões atuais. 9. ed. Campinas: Papirus, 2003.
MORETTO, V. P. Prova: um momento privilegiado de estudo, não um acerto de contas. 9. ed. Rio de
Janeiro: Lamparina Editora, 2010.
PERRENOUD, P. As competências para ensinar no século XXI: a formação de professores e o desafio
da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002.
______. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.
______. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza. Porto Alegre: Artmed, 2001.
______. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre:
Artmed, 1999.
PRIGOGINE, I. O fim das certezas: tempo, ciências e as leis da natureza. São Paulo: Unesp, 1996.
RIBEIRO DA SILVA, A. C.; PACHECO, J. A. Organização Curricular por Competências no Ensino
Superior. Dificuldades e Possibilidades. In: SILVA, B.; ALMEIDA, L. (org.) Actas do VIII Congresso
Galaico-Português de Psicopedagogia. Braga: CIEd, pp. 2929-2941.
SANTOS, B. S. A Universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da
Universidade. São Paulo: Cortez, 2004.
SCHÖN, D. A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem.
Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.
SENGE, P. et al Presença: propósito humano e o campo do futuro. São Paulo: Cultrix, 2007.
STENGERS, I.; PRIGOGINE, I. A nova aliança. Metamorfose da Ciência. 3. ed. Brasilia: UNB, 1997.
TAPSCOTT, D, Economia Digital: promessa e perigo na era da inteligência em rede. São Paulo:
Makron Books, 1997.
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Guia de organização curricular: o ensino de graduação e a
melhoria curricular. Niterói, 1998.
VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 6. ed.
São Paulo: Ícone. 1998.
100
PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SECRETARIADO
EXECUTIVO BILÍNGUE
ZABALA, A. A prática educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998.
101

Documentos relacionados