Relatório de Gestão 2013

Сomentários

Transcrição

Relatório de Gestão 2013
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná – SESCOOP/PR
Relatório de Gestão
2013
CURITIBA (PR), MAIO/2014
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná – SESCOOP/PR
RELATÓRIO DE GESTÃO – Exercício 2013
Relatório de Gestão do exercício 2013 apresentado
aos órgãos de controle interno e externo como
prestação de contas anual a que esta Unidade está
obrigada nos termos do art.70 da Constituição
Federal, elaborado de acordo com as disposições das
IN TCU 63/2010 e 72/2013, da DN TCU nº
127/2013, Portaria TCU 175/2013 e das orientações
da Controladoria Geral da União Portaria CGU nº
133, de 18/01/2013.
CURITIBA (PR), MAIO/2014
Sumário
INTRODUÇÃO ................................................................................................................................................9
CAPÍTULO 1: IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA UNIDADE ........................................................10
1.1 Identificação da entidade ............................................................................................................................10
1.2 Identificação do número, data e ementa da norma de criação e das demais normas sobre a gestão e a
estrutura do Sescoop/PR...................................................................................................................................10
1.3 Finalidade e Competências Institucionais ..................................................................................................11
1.4 Identificação e descrição sucinta dos setores da economia local ou nacional abrangidos pela atuação da
entidade no exercício ........................................................................................................................................11
1.5 Organograma Funcional .............................................................................................................................12
1.5.1 Macroprocessos .......................................................................................................................................16
CAPÍTULO 2: PLANEJAMENTO E RESULTADOS ALCANÇADOS .................................................18
2.1 Planejamento do Sescoop/PR .....................................................................................................................18
2.2 Estratégias adotadas pelo Sescoop/PR para atingir os objetivos estratégicos do exercício de 2013 ..........24
2.3 Execução física e financeira dos objetivos estratégicos e das ações do plano do Sescoop/PR- 2013 ........28
2.3.1 Atuação Finalística ..................................................................................................................................28
2.4 Indicadores utilizados pela entidade para monitorar e avaliar o desempenho, acompanhar o alcance das
metas, identificar os avanços e as melhorias na qualidade dos serviços prestados, identificar necessidade de
correções e de mudanças de rumos, etc. ...........................................................................................................59
2.4.1 Indicadores de Desempenho ....................................................................................................................60
2.4.2 Indicadores de Eficiência ........................................................................................................................62
2.4.3 Indicadores de Eficácia ...........................................................................................................................64
2.5 Investimentos em Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas ...................................................67
2.5.1 Indicadores de Desempenho de Gestão do Desenvolvimento e Autogestão ...........................................68
CAPÍTULO 3: ESTRUTURAS DE GOVERNANÇA E DE AUTOCONTROLE DA GESTÃO ..........73
3.1 Estrutura de Governança ............................................................................................................................73
3.2 Relação dos principais dirigentes e membros de conselhos, indicando o período de gestão, a função, o
segmento, o órgão ou a entidade que representa ..............................................................................................75
3.3 Remuneração paga aos administradores, membros da diretoria e de conselhos ........................................75
3.3.1. Demonstrativo Sintético da Remuneração de Membros de Diretoria ....................................................78
3.4 Demonstração da atuação da unidade de auditoria interna, incluindo informações sobre a qualidade e
suficiência dos controles internos do Sescoop/PR ...........................................................................................78
3.5 Avaliação, pela Alta Gerência, da qualidade e suficiência dos controles internos administrativos para
garantir a realização dos objetivos estratégicos da entidade. ...........................................................................79
3.6 Sistema de Correição ..................................................................................................................................80
CAPÍTULO 4: PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA ..................81
4.1 Demonstração da Receita ...........................................................................................................................81
4.2 Demonstração e análise do desempenho da entidade na execução orçamentária e financeira ...................82
4.3 Compras e Licitações .................................................................................................................................84
2
4.4 Transferências regulamentares de convênios e outros instrumentos análogos vigentes no exercício de
referência ..........................................................................................................................................................85
CAPÍTULO 5: GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS
RELACIONADOS. ........................................................................................................................................86
5.1 Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR ..........................................................................................................86
5.2 Perfil dos funcionários por Gênero ............................................................................................................86
5.3 Movimentação do Quadro de Pessoal do Sescoop/PR ...............................................................................87
5.4 Informações sobre a terceirização de mão de obra e sobre quadro de estagiários......................................92
CAPÍTULO 6: GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO..................................93
6.1 Gestão da Frota de Veículos .......................................................................................................................93
6.2 Gestão do Patrimônio Imobiliário ..............................................................................................................93
CAPÍTULO 7: GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO........................................................95
CAPÍTULO 8: GESTÃO DO USO DOS RECURSOS RENOVÁVEIS E SUSTENTABILIDADE
AMBIENTAL .................................................................................................................................................98
8.1 Critérios de Sustentabilidade Adotados......................................................................................................98
8.2 Medidas para Uso Racional dos Recursos..................................................................................................98
8.3 Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis ..............................................................................................99
8.4 Consumo de Papel, Energia Elétrica e Água ............................................................................................101
CAPÍTULO 9: CONFORMIDADE E TRATAMENTO DE DISPOSIÇÕES LEGAIS E
NORMATIVAS ............................................................................................................................................102
9.1 Tratamento de deliberações exaradas em acórdão do TCU .....................................................................102
9.2 Tratamento de Recomendações do Órgão de Controle Interno ................................................................102
9.2.1 Recomendações do Órgão de Controle Interno Atendidas no Exercício ..............................................102
9.2.2 Recomendações do Órgão de Controle Interno Pendentes de Atendimento ao Final do Exercício ......102
9.3 Estrutura da área de auditoria interna e descrição da execução do acompanhamento dos resultados de
seus trabalhos .................................................................................................................................................103
I. ESTRUTURAÇÃO DA AUDITORIA INTERNA – SESCOOP/PR .........................................................103
II. PROCEDIMENTOS ..................................................................................................................................104
III. RELATÓRIOS .........................................................................................................................................105
IV. AÇÕES PREVISTAS E SEUS OBJETIVOS ..........................................................................................105
V. RESUMO DA PREVISÃO DE HORAS- 2013 ........................................................................................109
VI. AÇÕES DE FORTALECIMENTO E DE CAPACITAÇÃO DA AUDITORIA INTERNA ..................109
VII. CONCLUSÃO ........................................................................................................................................109
CAPÍTULO 10: INFORMAÇÕES CONTÁBEIS .....................................................................................111
10.1 Informações sobre a adoção de critérios e procedimentos estabelecidos pelas Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicada ao Setor Público NBC T 16.9 e NBC T 16.10, publicadas pelas Resoluções CFC nº
1.136/2008 e 1.137/2008, respectivamente, ou norma específica equivalente, para tratamento contábil da
depreciação, da amortização e da exaustão de itens do patrimônio e avaliação e mensuração de ativos e
passivos da Unidade .......................................................................................................................................111
CAPÍTULO 11: OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO........................................................113
11.1 Outras Informações Consideradas Relevantes pelo Sescoop/PR ...........................................................113
3
Lista de Gráficos
Gráfico 1: Percentual da aplicação dos recursos em Formação Profis., conforme a natureza dos
eventos:...............................................................................................................................................31
Gráfico 2: Percentual da aplicação dos recursos em Promoção Social, conforme a natureza dos
eventos:...............................................................................................................................................32
Gráfico 3: Percentual da aplicação dos recursos para o Público Beneficiário em 2013. ...................32
Gráfico 4: Mede a evolução do número de eventos totais realizados pelo Sescoop/PR. ...................60
Gráfico 5: Mede a evolução do número de participações totais nos eventos realizados pelo
Sescoop/PR.........................................................................................................................................61
Gráfico 6: Mede a Evolução da Carga Horária Total nos Eventos Realizados pelo Sescoop/Pr. ......61
Gráfico 7: Mede a evolução dos investimentos realizados pelo Sescoop/PR em treinamentos. .......62
Gráfico 8: Investimento médio por participante. ...............................................................................62
Gráfico 9: Investimento médio por evento. ........................................................................................63
Gráfico 10: Investimento médio por hora/aula. .................................................................................63
Gráfico 11: Média de horas/aula por evento. .....................................................................................64
Gráfico 12: Média de participações por evento. ................................................................................65
Gráfico 13: Eventos previstos e realizados em 2013. ........................................................................65
Gráfico 14: Participações previstas e realizadas em 2013. ................................................................66
Gráfico 15: Carga horária prevista e realizada em 2013. ...................................................................66
Gráfico 16: Investimentos previstos e realizados em 2013. ...............................................................67
Gráfico 17: Perfil de funcionários por gênero ....................................................................................86
Gráfico 18: Comparativo do Consumo de Energia Elétrica 2012/2013 ...........................................101
Lista de Quadros
Quadro 1: Macroprocessos do Sescoop/PR distribuídos por área......................................................17
Quadro 2: Números do Cooperativismo no Estado do Paraná ...........................................................23
Quadro 3: Comparativo das ações de treinamento do Sescoop/PR. ..................................................29
Quadro 4: Quadro demonstrativo dos eventos não realizados ...........................................................30
Quadro 5: Bolsas de estudos para formação profissional dos recursos humanos da entidade
executora. ...........................................................................................................................................31
Quadro 6: Quadro resumo, demonstrativo do nº de eventos, participações e ch, divididas por área de
atuação ................................................................................................................................................33
Quadro 7: Comparativo do n de reuniões, projetos analisados e aprovados pelo Comitê de Análise
de Projetos. .........................................................................................................................................34
4
Quadro 8: Execução física e financeira dos objetivos estratégicos e das ações do Sescoop/PR para o
exercício de 2013 ...............................................................................................................................36
Quadro 9: Execução Orçamentária dos Programas Executados pelo Sescoop/PR– 2012/2013 ........37
Quadro 10: Metas físicas e financeiras da Gestão Administrativa.....................................................37
Quadro 11: Realização por elemento de despesas da Gestão Administrativa ....................................38
Quadro 12: Metas físicas e financeiras da Gestão do Processo de Planejamento Institucional .........38
Quadro 13: Metas físicas e financeiras da Manutenção de Serviços Administrativos.......................38
Quadro 14: Realização por elemento de despesas da Área Administrativa .......................................39
Quadro 15: Metas físicas e financeiras das Ações de Informática .....................................................40
Quadro 16: Realização por elemento de despesas das Ações de Informática ....................................41
Quadro 17: Metas físicas e financeiras do desenvolvimento de competências alinhado à estratégia
do SESCOOP .....................................................................................................................................42
Quadro 18: Metas físicas e financeiras da utilização da tecnologia de informação e comunicação ..42
Quadro 19: Realização por elemento de despesas da Área de Comunicação ....................................43
Quadro 20: Metas físicas e financeiras do Conselho Fiscal ...............................................................43
Quadro 21: Metas físicas e financeiras da Atividade de Auditoria Interna .......................................44
Quadro 22: Realização por elemento de despesas da Auditoria Interna ............................................44
Quadro 23: Metas físicas e financeiras do Projeto de Segurança do Trabalho ..................................44
Quadro 24: Metas físicas e financeiras do Projeto do estilo de vida saudável...................................45
Quadro 25: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade ............................................................46
Quadro 26: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade ............................................................46
Quadro 27: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade ............................................................47
Quadro 28: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade ............................................................47
Quadro 29: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade ............................................................48
Quadro 30: Realização por elemento de despesas da Gerência de Autogestão .................................49
Quadro 31: Relação de Cooperativas “Ativas” ..................................................................................53
Quadro 32: Relação de Cooperativas com registro ativo na Ocepar, mas não estão operando .........55
Quadro 33: Informações das Cooperativas do PROCOOPE .............................................................55
Quadro 34: Demonstrativo de aplicação de recursos e cooperativas atendidas .................................56
Quadro 35: Metas físicas e financeiras do Projeto Cultura da Cooperação .......................................58
Quadro 36: Comparativo dos valores médios investidos em monitoramento por evento ..................68
Quadro 37: Comparativo em percentual do investimento total realizado em relação ao previsto em
eventos de monitoramento .................................................................................................................69
Quadro 38: Comparativo em percentual de eventos realizados em relação ao previstos em eventos
de monitoramento ...............................................................................................................................69
Quadro 39: Apresenta resultado do questionário de evolução dos resultados dos eventos de
monitoramento ...................................................................................................................................70
5
Quadro 40: Quadro resumo das metas físicas para 2013 do GDA.....................................................71
Quadro 41: Relação do Conselho Administrativo do Sescoop/PR ....................................................75
Quadro 42: Relação do Conselho Fiscal dos Sescoop/PR .................................................................75
Quadro 43: Relação da Diretoria Executiva do Sescoop/PR ............................................................75
Quadro 44: Valores pagos ao Conselho Administrativo do Sescoop/PR...........................................76
Quadro 45: Valores pagos ao Conselho Fiscal do Sescoop/PR .........................................................76
Quadro 46: Valores pagos ao Conselho Administrativo e Fiscal do Sescoop/PR .............................76
Quadro 47: Remuneração dos Conselhos de Administração e Fiscal ................................................77
Quadro 48: Síntese da Remuneração dos Administradores ...............................................................78
Quadro 49 - Avaliação do Sistema de Controles Internos da Unidade ..............................................79
Quadro 50: Evolução das Receitas do Sescoop/PR – 2011/2013 ......................................................81
Quadro 51: Evolução da execução Receitas do Sescoop/PR – 2013 .................................................82
Quadro 52: Evolução das Despesas do Sescoop/PR – 2011/2013 .....................................................82
Quadro 53: Evolução da execução Despesas do Sescoop/PR– 2013 .................................................83
Quadro 54: Execução das despesas por modalidade de licitação, por natureza e por elementos de
despesa do Sescoop/PR - 2012/2013 ..................................................................................................84
Quadro 55: Resumo dos instrumentos celebrados pelo Sescoop/PR nos três últimos exercícios ......85
Quadro 56: apresenta comparativo da estrutura funcional pela divisão de setores de 2009 a 2013 ..87
Quadro 57: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR (2010-2011) .....................................88
Quadro 58: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR (2012-2013) .....................................89
Quadro 59: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR, por Faixa Etária (2013) ...................90
Quadro 60: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR, por Nível de Escolaridade (2013) ...90
Quadro 61: Investimentos em Capacitação do Pessoal, executados pelo Sescoop/PR (2013) ..........91
Quadro 62: Distribuição dos Colaboradores, por Cargo (2013) ........................................................92
Quadro 63: Distribuição dos Colaboradores, por Faixa Salarial (2013) ............................................92
Quadro 64: Movimentação do Quadro de Pessoal (2013) .................................................................92
Quadro 65: Qualificação da Força de Trabalho (2013)......................................................................92
Quadro 66: Relação de veículos .........................................................................................................93
Quadro 67: Gestão da Tecnologia da Informação do Sescoop/PR ....................................................95
Quadro 68: Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis ...................................................................99
Quadro 69: Consumo de Papel, Energia Elétrica e Água ................................................................101
Quadro 70: Auditoria Interna ...........................................................................................................103
Quadro 71: Quadro de Atividades/ Horas Trabalhadas ...................................................................109
6
Lista de Figuras
Figura 1: Organograma Funcional do Sescoop/PR ............................................................................13
Figura 2: Macroprocessos do Sescoop/PR .........................................................................................16
Figura 3: Árvore Estratégica do Sescoop 2010-2013.........................................................................22
Figura 4 – Parecer da Auditoria Interna .............................................................................................78
Lista de Anexos
ANEXO I- Demonstrações Contábeis Previstas pela Lei Nº 4.320/64 e pela NBC 16.6 Aprovada
Pela Resolução CFC Nº 1.133/2008, ou ainda Prevista Na Lei Nº 6.404/76, Incluindo as notas
Explicativas ......................................................................................................................................114
ANEXO II - Relatório da Auditoria independente sobre as demonstrações contábeis ....................129
ANEXO III- Relação dos Projetos de Formação Profissional e Promoção Social Realizados em
2013 ..................................................................................................................................................138
ANEXO IV- Relação das Capacitações da Equipe Interna Realizados em 2013 ...........................197
7
Lista de Abreviações e Siglas
Abreviações e Siglas
Descrição
CGU
Controladoria-Geral da União
DN
Decisão Normativa
IN
Instrução Normativa
TCU
Tribunal de Contas da União
GDA
Gerência de Desenvolvimento e Autogestão
GDH
Gerência de Desenvolvimento Humano
PR
Paraná
LOA
Lei Orçamentária Anual
OCB
Organização das Cooperativas Brasileiras
TI
Tecnologia da Informação
PROCOOPE
Programa Integral de Apoio às Pequenas Cooperativas
ACI
Aliança Cooperativa Internacional
SESCOOP
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo
ITC
Intercâmbio Cultural entre Cooperativas
SIG
Sistema Integrado de Gestão
ERP
Enterprise Resource Planning
GAET
Grupo de Estudos Tributário das Cooperativas Paranaenses
PEDC
Plano Estratégico de Desenvolvimento Cooperativo
CPC
Comitê de Pronunciamentos Contábeis
ANTT
Agência Nacional de Transportes Terrestres
IMEMO
Investimento médio por evento realizado em Monitoramento
PAINT
Plano Anual de Atividades da Auditoria Interna
RAINT
Relatório Anual de Atividades da Auditoria Interna
OCE
Organização das Cooperativas Estadual
SFC
Secretaria Federal de Controle
ANS
Agência Nacional de Saúde
CCT
Comitê Contábil Tributário
ITC
Intercâmbio Cultural entre Cooperativas
ERMO
Eventos realizados em Monitoramento
CFC
Conselho Federal de Contabilidade
NBC T
Norma Brasileira de Contabilidade Técnica
OCEPAR
Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná
AFA
Agricultores Federados Argentinos
IASB
International Accounting Standards Board
8
INTRODUÇÃO
Este Relatório de Gestão está estruturado em tópicos, abaixo sintetizados:
 Capítulo 1- Identificação e Atributos da Unidade: apresenta os dados e
informações sobre a identificação da Unidade Estadual;
 Capítulo 2- Planejamento e Resultados Alcançados: apresenta os comentários e
informações sobre a construção do plano estratégico, das estratégias adotadas, da execução
física e financeira, além dos indicadores de desempenho operacional da Unidade;
 Capítulo 3- Estrutura de Governança e de Autocontrole da Gestão: apresenta as
informações e comentários sobre a relação e remuneração dos dirigentes e membros da
diretoria e dos conselhos de administração e fiscal. Comenta ainda o funcionamento da
Auditoria Interna e a qualidade e suficiência dos controles internos;
 Capítulo 4- Programação e Execução Orçamentária e Financeira: apresenta os
dados, informações e comentários a respeito da programação e execução orçamentária e
financeira da Unidade, além das transferências mediante convênios e instrumentos análogos;
 Capítulo 5- Gestão de Pessoas, terceirização de mão de obra e custos
relacionados: apresenta as considerações sobre a estrutura de pessoal da Unidade e do
quadro de estagiários e terceirizados;
 Capítulo 6- Gestão do patrimônio mobiliário e imobiliário: apresenta
considerações a respeito da gestão da frota de veículos e do patrimônio imobiliário da
Unidade;
 Capítulo 7 – Gestão da Tecnologia da Informação: apresenta considerações sobre
os destaques na gestão da tecnologia da informação da Unidade;
 Capítulo 8- Gestão do uso dos recursos renováveis e sustentabilidade ambiental:
apresenta os comentários sobre as medidas e critérios adotados para o uso racional dos
recursos;
 Capítulo 9 – Conformidades e tratamento de disposições Legais e Normativas:
apresenta considerações e informações sobre o atendimento às deliberações do TCU e sobre
a estrutura da Auditoria Interna;
 Capítulo 10 – Informações Contábeis: apresenta informações e comentários sobre
os critérios e procedimentos contábeis adotados, além das demonstrações contábeis e o
parecer da auditoria independente;
 Capítulo 11- Outras Informações sobre a gestão: apresenta as informações
consideradas relevantes para demonstrar a conformidade e o desempenho da gestão no
exercício.
Cumpre ressaltar que as informações contábeis aqui apresentadas são relativas ao período
compreendido entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2013.
O Sescoop/PR não realizou execução física ou financeira de ações da LOA bem como não
possui servidores inativos e pensionistas no seu Quadro de Pessoal, de modo que estas informações
não constam no presente Relatório de Gestão.
Todos os dados contidos neste Relatório mantêm as mesmas fontes e métodos de cálculo
utilizados na edição imediatamente anterior a este documento (Relatório de Gestão de 2012),
disponível no formato eletrônico, no endereço http://www.paranacooperativo.coop.b
9
CAPÍTULO 1: IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DA UNIDADE
1.1
Identificação da entidade
Poder e Órgão de Vinculação: Executivo
Órgão de Vinculação: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE
Código SIORG: 002844
Identificação da Unidade Jurisdicionada
Denominação completa: Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná
CNPJ 07.391.756/0001-58
Denominação abreviada: SESCOOP/PR
Situação: ativa
Natureza Jurídica: Serviço Social Autônomo
Finalidade: organizar, administrar e executar o ensino de formação profissional, a
promoção social dos empregados de cooperativas, cooperados e de seus familiares, e
o monitoramento das cooperativas.
Telefones/Fax de contato:
(041) 3200-1100
Código CNAE: 85.99.6-99
(041) 3200-1199
E-mail: [email protected]
Página na Internet: http://www.paranacooperativo.coop.br
Endereço Postal: Av. Cândido de Abreu, nº 501 – Cep.: 80.530-000 – Centro Cívico – Curitiba/PR
1.2 Identificação do número, data e ementa da norma de criação e das demais normas
sobre a gestão e a estrutura do Sescoop/PR
Normas de criação e alteração da Unidade Jurisdicionada
Medida Provisória 1.715, de 03 de setembro de 1998 e suas reedições e Decreto 3.017, de 07 de abril de 1999,
publicado no Diário Oficial da União em 07.04.1999 (Aprova o Regimento do Serviço Nacional de Aprendizagem do
Cooperativismo- Sescoop); Lei 11.524/2007 de 23/11/2007.
Outras normas infralegais relacionadas à gestão e estrutura da Unidade Jurisdicionada
Regimento Interno registrado no Registro de Títulos e Documentos Pessoas Jurídicas no 3º Ofício de Curitiba/PR,
averbado sob nº 294359 em 12/06/2006.
Manuais e publicações relacionadas às atividades da Unidade Jurisdicionada
Resolução nº 05/2000: elaboração de prestação de contas; Resolução nº 06/2000: controle de bens permanentes;
Resolução nº 20/2003: compensação de horas; Resolução nº 23/2003: regulamenta o pagamento e diárias para
empregados, diretores, conselheiros e colaboradores; Resolução nº 25/2004: admissão de empregados; Resolução
desenvolvimento profissional de empregados do Sescoop/PR e Ocepar – nº 26/2005; Resolução nº 27/2005: plano de
trabalho e a participação das cooperativas; Resolução nº 28/2005: execução orçamentária-financeira e utilização do
fundo fixa de caixa; Resolução nº 33/2007: aprova preâmbulo e os considerados das resoluções nº 05, 06, 27 e 28 do
Sescoop /PR; Resolução nº 34/2009: regulamenta o pagamento de diárias e passagens para empregados, diretores,
conselheiros e colaboradores; e, Resolução nº 36/2010: plano de cargos e salários e benefícios do Sescoop/PR;
Resolução nº 37/2011: Normatiza o uso das informações, Equipamentos e Estruturas de TI ; Resolução nº 38/2011:
licitações e contratos.
10
1.3
Finalidade e Competências Institucionais
1.3.1
Finalidade: o Sescoop foi criado por meio da MEDIDA PROVISÓRIA Nº 1.715,
DE 3 DE SETEMBRO DE 1998, com a finalidade de organizar, administrar e
executar em todo o território nacional o ensino de formação profissional,
desenvolvimento e promoção social do trabalhador em cooperativa e dos
cooperados (Art. 7º).
1.3.2
Competências: as competências do Sescoop estão definidas no DECRETO Nº
3.017, DE 6 DE ABRIL DE 1999. São elas:
I - organizar, administrar e executar o ensino de formação profissional e a
promoção social dos trabalhadores e dos cooperados das cooperativas em
todo o território nacional;
II - operacionalizar o monitoramento, a supervisão, a auditoria e o controle
em cooperativas, conforme sistema desenvolvido e aprovado em Assembleia
Geral da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB.
III - para o desenvolvimento de suas atividades, o SESCOOP contará com
centros próprios ou atuará sob a forma de cooperação com órgãos públicos ou
privados.
1.4 Identificação e descrição sucinta dos setores da economia local ou nacional
abrangidos pela atuação da entidade no exercício
O SESCOOP atua em um ambiente de elevada complexidade, pois busca apoiar de modo
efetivo cooperativas de 13 (treze) diferentes ramos econômicos (da agricultura aos serviços,
passando pelo comércio e pela indústria), com portes distintos (das grandes às pequenas) e
distribuídas espacialmente por todo o País (nos 26 estados e no Distrito Federal). A seguir, uma
síntese descritiva de cada um dos ramos:
1. Agropecuário: composto por cooperativas de produtores rurais ou agropastoris e de
pesca, cujos meios de produção pertençam ao associado. Caracterizam-se pelos
serviços prestados aos associados, como recebimento ou comercialização da produção
conjunta, armazenamento e industrialização.
2. Consumo: constituído por cooperativas dedicadas à compra em comum de artigos de
consumo para seus associados. É o ramo mais antigo no Brasil e no mundo.
3. Crédito: cooperativas destinadas a promover a poupança e financiar necessidades ou
empreendimentos de seus cooperados. Atuam no crédito rural e urbano.
4. Educacional: cooperativas de profissionais em educação, de alunos, de pais de alunos,
de empreendedores educacionais e de atividades afins. O papel da cooperativa de
ensino é ser mantenedora da escola.
5. Especial: cooperativas de pessoas que precisam ser tuteladas (menor de idade ou
relativamente incapaz) ou as que se encontram em situação de desvantagem nos
termos da Lei 9.867, de 10 de novembro de 1999. A atividade econômica mais comum
neste ramo é a produção artesanal de peças de madeira, roupas ou artes plásticas.
6. Habitacional: compõe-se de cooperativas destinadas à construção, manutenção e
administração de conjuntos habitacionais para seu quadro social.
7. Infraestrutura: atende direta e prioritariamente o próprio quadro social com serviços
de infraestrutura. As cooperativas de eletrificação rural, que são a maioria deste ramo,
aos poucos estão deixando de serem meros repassadores de energia, para se tornarem
geradoras de energia.
11
8. Mineral: constituído por cooperativas com a finalidade de pesquisar, extrair, lavrar,
industrializar, comercializar, importar e exportar produtos minerais.
9. Produção: compõe-se por cooperativas dedicadas à produção de um ou mais tipos de
bens e produtos, quando detenham os meios de produção.
10. Saúde: constituído por cooperativas que se dedicam à preservação e promoção da
saúde humana em seus variados aspectos.
11. Trabalho: engloba todas as cooperativas constituídas por categorias profissionais
(professores, engenheiros, jornalistas e outros), cujo objetivo é proporcionar fontes de
ocupação estáveis e apropriadas aos seus associados, através da prestação de serviços
a terceiros.
12. Transporte: composto pelas cooperativas que atuam no transporte de cargas e/ou
passageiros.
13. Turismo e lazer: cooperativas prestadoras de serviços turísticos, artísticos, de
entretenimento, de esportes e de hotelaria. Atendem direta e prioritariamente o seu
quadro social nestas áreas.
No caso do Estado do Paraná, o Sescoop/PR atua como Cooperativas dos ramos
Agropecuário; Crédito; Saúde; Transporte; Infraestrutura; Trabalho; Educacionais; Consumo;
Habitacional; Turismo e Lazer.
1.5
Organograma Funcional
Em razão, principalmente do Plano Estratégico 2011-2013 aprovado, procedemos à
reflexão sobre a estrutura organizacional de forma a estabelecer o suporte necessário ao
cumprimento da nossa missão e alcance dos objetivos estabelecidos.
Nesse sentido, é apresentado a seguir o organograma funcional deste Sescoop/PR:
12
Figura 1: Organograma Funcional do Sescoop/PR
Fonte: Sescoop/PR
A seguir apresentamos descrição sucinta das competências e atribuições das áreas.
São órgãos de deliberação, execução, fiscalização e administração do Sescoop/PR: o
Conselho Administrativo Estadual, Conselho Fiscal Estadual, Diretoria Executiva, Presidência e
Superintendência.
Cabe ao Conselho Administrativo, de acordo com o Artigo 8º do Regimento Interno do
Sescoop/PR, difundir e implementar as políticas, diretrizes, programas, projetos e normativos, em
observância das deliberações e decisões do Conselho Nacional, contribuindo para que as atribuições
e os objetivos do Sescoop Nacional sejam alcançados em sua área de atuação.
O Conselho Administrativo do Sescoop/PR é o órgão máximo no âmbito da administração
estadual, sendo composto por cinco membros titulares e quatro suplentes. O presidente da Ocepar é
seu presidente nato, compondo com ele mais três conselheiros e igual número de suplentes, sendo
um oriundo dos trabalhadores em cooperativas, dois de cooperativas contribuintes e um
representante do Conselho Nacional e seu suplente.
O Conselho Fiscal composto por três membros titulares e igual número de suplentes,
compete acompanhar e fiscalizar a execução financeira, orçamentária e os atos de gestão; examinar
e emitir pareceres sobre o balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras; solicitar ao
Conselho Administrativo Estadual a contratação de assessoria de auditores ou peritos, sempre que
tais serviços forem considerados indispensáveis ao bom desempenho de suas funções; elaborar o
seu Regulamento de Funcionamento, compatível com o Regimento Interno do Conselho Fiscal da
Unidade Nacional do SESCOOP; indicar entre seus pares um Presidente e um Secretário para
coordenar e relatar as atividades; dar conhecimento dos seus relatórios à Diretoria Executiva do
Sescoop/PR, e se for o caso, ao seu Conselho Administrativo.
13
A Diretoria Executiva é o órgão gestor e de Administração Estadual do Sescoop, consoante
às diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional e Administrativo Estadual. É composta pelo
Presidente do Conselho Administrativo Estadual e pelo Superintendente. Os atos de representação
ativa e passiva do Sescoop/PR, em juízo ou fora dele, tais como contratos, quitações, transações,
desistências, compromissos, acordos e outros que envolvam qualquer tipo de obrigação,
responsabilidade ou exoneração, serão firmados pelo Presidente. Nos órgãos administrativos e
operacionais, os documentos representativos de obrigações ordinárias, assim definidas pelo
Conselho Estadual, serão assinados pela diretoria executiva. A Diretoria Executiva é dirigida e
coordenada pelo Presidente do Conselho Administrativo Estadual e, operacionalizada pelo
Superintendente. A estrutura básica da equipe técnica do Sescoop/PR, bem como a competência de
seus órgãos, é aprovada pelo Conselho Administrativo Estadual, mediante proposta do Presidente.
Compete ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual executar a política de atuação
do Sescoop/PR, respondendo perante o Tribunal de Contas da União pelos atos da sua gestão;
representar a Administração Estadual em juízo ou fora dele e constituir procuradores; convocar e
presidir as reuniões do Conselho Administrativo; editar e promover o cumprimento das portarias,
resoluções e deliberações do Conselho Nacional; aprovar regulamentos internos e suas alterações,
definindo as atribuições, a organização e a competência dos setores administrativos e operacionais;
assinar os convênios, contratos, ajustes e outros instrumentos jurídicos; assinar os cheques e os
documentos de abertura e movimentação de contas bancárias em conjunto com o Superintendente
ou com funcionário especialmente designado, por intermédio de instrumento de procuração que
estabeleça os limites dos poderes conferidos e a vigência da procuração, cujo período não excederá
o mandato em exercício; indicar, nomear e contratar o Superintendente e estabelecer sua
remuneração, mediante aprovação do Conselho Administrativo Estadual; cumprir a legislação
pertinente nos procedimentos licitatórios; dar posse aos membros dos Conselhos Administrativo
Estadual e Conselho Fiscal; nomear os assessores e gerentes dos órgãos internos do Sescoop/PR,
por proposta do Superintendente; avocar à sua análise de julgamento ou decisão quaisquer questões
em assuntos que não sejam da competência do Conselho Administrativo Estadual ou que não
tenham sido por este avocados; encaminhar ao Conselho Administrativo, as propostas de Planos de
Trabalho, dos orçamentos anuais e plurianuais e balanço patrimonial, demais demonstrações
financeiras, o parecer do Conselho Fiscal Estadual e o relatório anual de atividades.
Ao Superintendente, nomeado e contratado pelo Presidente, após aprovação pelo Conselho
Administrativo Estadual, compete organizar, administrar e executar no âmbito do Estado do Paraná,
o ensino de formação profissional e de gestão cooperativista, o desenvolvimento e a promoção
social dos empregados em cooperativas, dos cooperados e seus familiares e de colaboradores;
organizar o cadastro, o monitoramento, o controle, a consultoria, a auditoria e a supervisão em
cooperativas; exercer a coordenação, a supervisão e a fiscalização da execução dos programas e dos
projetos de formação profissional, de gestão cooperativista e de promoção social no Estado;
articular-se com órgãos e entidades públicas ou privadas estabelecendo instrumentos de cooperação;
encaminhar ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual relatórios trimestrais e anuais, com
base no plano de trabalho; dirigir, ordenar e controlar as atividades técnicas e administrativas da
Administração do Sescoop/PR, praticando os atos pertinentes de sua gestão; assinar, juntamente
com Presidente do Conselho Administrativo, ou seus procuradores devidamente constituídos,
cheques e documentos de abertura e movimentação de contas bancárias; cumprir e fazer cumprir as
normas em vigor da Administração do Sescoop/PR, do Conselho Administrativo Estadual e do seu
Presidente; praticar os atos de admissão, gestão e demissão dos empregados, sob a supervisão do
Presidente do Conselho Administrativo Estadual; encaminhar ao Presidente do Conselho
Administrativo Estadual, as propostas de planos de trabalho, dos orçamentos anuais e plurianuais e
balanços e demais demonstrações financeiras, o parecer do Conselho Fiscal Estadual e o relatório
anual de atividades; secretariar as reuniões do Conselho Administrativo Estadual; elaborar e
submeter ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual os projetos de atos e normas cuja
14
decisão não seja de sua competência; expedir instruções de serviço visando o cumprimento eficiente
dos Objetivos do Sescoop e das normas editadas pelo Conselho Administrativo Estadual; difundir
metodologias para a formação profissional e para a promoção social dos empregados e cooperados
nas sociedades cooperativas, bem como de seus familiares e colaboradores.
Os órgãos da estrutura funcional do Sescoop/PR serão dirigidos por gerentes e
coordenadores nomeados pelo Presidente do Conselho Administrativo Estadual, mediante proposta
do Superintendente.
Gerência de Desenvolvimento Humano: desenvolve ações de formação, capacitação e
promoção social.
Gerência de Desenvolvimento e Autogestão: realiza atividades de orientação na constituição
de cooperativas, informação, avaliação, acompanhamento, estudos e análise de desempenho das
cooperativas.
Assessoria de Comunicação: é responsável pela comunicação interna e externa da entidade e
publicação das Revistas Paraná Cooperativo e Técnico Científico.
Assessoria Tecnologia da Informação: realiza a manutenção dos equipamentos e software e
desenvolve sistemas informatizados.
Assessoria Jurídica: é responsável pelo controle da legalidade de contratos e regulamentos
internos.
Coordenação Administrativa e Financeira: é uma área meio que prioriza a execução das
atividades voltadas ao suporte para o cumprimento do Plano de Ação do Sescoop/PR, pelo
Conselho Administrativo, gerências e assessorias. Atualmente esta vinculada diretamente ao
Superintendente do Sescoop/PR. A área tem como responsabilidade executar tarefas envolvendo
serviços administrativos, relativos a área de: pessoal, contabilidade, licitações, regularidade fiscal,
orçamento, finanças, patrimônio e a prestação de contas junto aos órgãos de controle da União e do
Sescoop Nacional.
A Auditoria Interna que foi implantada e estruturada nos termos das disposições do Decreto
nº 3.591, de 06 de setembro de 2000 e atua em consonância com as normas da Instrução Normativa
SFC/MF nº 01, de 07 de abril de 2001 e executa suas atividades de acordo com seu Plano de
Trabalho. Tem como objetivo avaliar a gestão dos processos e resultados gerenciais, verificando a
legalidade e a legitimidade dos atos e fatos administrativos, agregando valor à administração do
Sescoop/PR.
Não há uma definição de macroprocessos de cada área do Sescoop/PR. Existe uma descrição
de cada área na apresentação de resultados realizados no período de 2013 quando são abordados os
relatórios de cada setor.
15
1.5.1 Macroprocessos
A unidade do Sescoop/PR construiu a cadeia de valor a partir do mapeamento de todas as
atividades desenvolvidas e consolidadas em macroprocessos. A cadeia de valor demonstra os
principais macroprocessos por meio dos quais a unidade estadual gera resultados para o seu
público-alvo.
Os processos, juntamente com os eventos, integram o modelo de gestão adotado que se
caracteriza por ser ágil, moderno, orgânico e adequado aos objetivos organizacionais e estratégicos.
Os macroprocessos que integram a cadeia de valor estão divididos em atividades finalísticas e de
apoio e estão a seguir representados:
Figura 2: Macroprocessos do Sescoop/PR
Fonte: Setor de planejamento e orçamento do Sescoop/PR
Os macroprocessos e respectivos processos identificados foram distribuídos de acordo com
as áreas que compõem a estrutura organizacional do Sescoop/PR.
16
Quadro 1: Macroprocessos do Sescoop/PR distribuídos por área
Área
Macroprocessos/Processos
Coordenação da Educação e do Ensino de Formação Profissional/
Desenvolvimento de Programas de Ensino e Formação Profissional/
Gerencia de
Desenvolvimento Acompanhamento da Execução de Programas e Ensino e Formação Profissional/
Avaliação dos Programas de Educação e do Ensino de Formação Profissional/
Humano
Suporte Operacional às cooperativas.
Coordenação das ações de Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas
Desenvolvimento de Redes e Parcerias/Avaliação de Desempenho do
Gerencia de
Desenvolvimento e Modernização das Cooperativas/ Elaboração de Estudos e Pesquisas.
Desenvolvimento
Constituição e Registro de Cooperativas.
e Autogestão
Auditoria de Gestão.
Programa Integral de Apoio às Pequenas Cooperativas (Procoope).
Auditoria
Governança/Auditoria/ Suporte Operacional.
Interna
Suporte para o cumprimento do Plano de Ação do Sescoop/PR, pelo Conselho
Administrativo, Gerências e Assessorias/ Gestão Financeira/Controle da Arrecadação/
Coordenação
Administrativa e Aplicações Financeiras/Controle de Pagamentos/ Prestação de Contas/
Contabilidade/Recursos Humanos/Licitações/Patrimônio/Orçamento/ Cadastro/
Financeira
Regularidade Fiscal/Avaliação de Desempenho.
Assessoria
Governança/Jurídico/ Suporte Operacional às Cooperativas.
Jurídica
Assessoria de
Coordenação da Comunicação Institucional/Suporte Operacional às Cooperativas.
Comunicação
Gestão de TI/Definição de Políticas de TI/ Desenvolvimento de Sistemas
(soluções próprias)/ Gestão de Software de Terceiros/Suporte Técnico/ Gestão
Tecnologia da
de Infraestrutura de TI/ Suporte Operacional às Cooperativas/ Disponibilização de
Informação
Tecnologias de Apoio a Programas do Sescoop.
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
17
CAPÍTULO 2: PLANEJAMENTO E RESULTADOS ALCANÇADOS
2.1
Planejamento do Sescoop/PR
O Plano Estratégico do Sescoop (modelo corporativo), aprovado em 2010, com horizonte
2010-2013, tem o desafio maior de impulsionar a sua atuação em prol do desenvolvimento das
cooperativas brasileiras, dando maior visibilidade aos resultados gerados em favor do público-alvo.
Isto porque o cooperativismo é um movimento voltado para formas associativas e
democráticas de organização da produção, do trabalho e do consumo, com foco no atendimento às
necessidades comuns dos seus associados e não apenas no lucro, no que se diferencia dos demais
empreendimentos.
A importância do cooperativismo pode ser avaliada em razão de recente estudo da ACI
(Aliança Cooperativa Internacional), que apontou que as cooperativas somam aproximadamente 1
bilhão de membros, em 90 países do mundo, o que equivale a 1/7 da população mundial. No Brasil,
estima-se em 30 milhões o número de pessoas envolvidas com o cooperativismo.
Embora sejam sociedades sem fins lucrativos, as cooperativas atuam numa economia de
mercado e em concorrência com empresas essencialmente privadas. Apesar das diferenças na
propriedade do capital, na destinação dos resultados, e na relação com as comunidades, as
cooperativas agem em um ambiente competitivo, em que predominam o mercado e as empresas
capitalistas e, portanto, devem estar bem preparadas. Diante disso, o sistema cooperativista deparase com o desafio de atender às demandas sociais de seus cooperados e de seu entorno e, ao mesmo
tempo, desenvolver-se em conformidade com um mercado altamente competitivo.
O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP), criado em 1998, faz
parte do denominado “Sistema S” e tem como objetivo integrar o Sistema Cooperativista Nacional,
bem como auxiliá-lo a vencer seus desafios. Cabe ao SESCOOP organizar, administrar e executar:
 O ensino de formação profissional cooperativista para cooperados, empregados de
cooperativas e familiares;
 A promoção social de cooperados, empregados de cooperativas e familiares; e
 O monitoramento das cooperativas em todo o território nacional.
Nesse sentido, as ações do Sescoop para o fortalecimento das cooperativas englobam
capacitação, valorização e melhor aproveitamento dos cooperados e empregados. Assim, a entidade
busca patamares mais elevados de inovação e excelência, favorecendo a competitividade dos
produtos e serviços desses empreendimentos.
No cumprimento da sua missão, os desafios encontrados pelas entidades cooperativistas em
seus ambientes de atuação são:
 Doutrina e Princípios: realizar ações no sentido de tornar a doutrina e princípios do
cooperativismo conhecidos e praticados;
 Legislação: atuar em parceria com entidades, principalmente a Organização das
Cooperativas Brasileiras (OCB), buscando tornar a legislação, sua interpretação e
aplicação pelos órgãos julgadores e fiscalizadores, adequadas aos preceitos
cooperativistas;
 Cultura da cooperação: buscar sensibilizar a sociedade para a importância da cultura da
cooperação, como forma de propiciar desenvolvimento econômico e social;
 Cooperativas: propiciar condições para a implantação de governança e gestão
profissionalizadas das cooperativas, possibilitando atuação em ambientes competitivos,
18
por intermédio da capacitação dos dirigentes, cooperados e empregados, visando,
portanto, a sustentabilidade dos empreendimentos cooperativos.
 Resultados: realizar ações de monitoramento do desempenho das cooperativas, propondo
as medidas adequadas à obtenção de resultados econômicos e sociais positivos, cuidando,
em parceria com a OCB, da transparência e divulgação dos resultados do sistema
cooperativista.
 Imagem: atuar, em parceria com a OCB, no sentido de divulgar, zelar e fortalecer a
imagem do cooperativismo junto à sociedade.
Por ser um plano corporativo, as macroestratégias nele definidas orientam a realização de
esforço conjunto entre as unidades estaduais e nacional para a concretização de resultados. Os
principais fundamentos do referido plano corporativo encontram-se descritos a seguir.
Missão e visão
A função e a razão de ser do Sescoop estão contempladas em sua missão: "Promover o
desenvolvimento do cooperativismo de forma integrada e sustentável, por meio da formação
profissional, da promoção social e do monitoramento das cooperativas, respeitando sua
diversidade, contribuindo para sua competitividade e melhorando a qualidade de vida dos
cooperados, empregados e familiares”.
A visão de futuro descreve a situação desejada para o Sescoop, no horizonte do plano (2020)
e configura-se como a síntese dos desejos e das aspirações quanto ao novo perfil institucional da
organização. Deve ser conquistada por meio de esforços coordenados de todos que trabalham e
fazem a instituição. A visão de futuro do Sescoop é:
“Ser reconhecido por sua excelência em formação profissional cooperativista, como
promotor da sustentabilidade e da autogestão das cooperativas e como indutor da qualidade de
vida e bem-estar social de cooperados, empregados e familiares”.
Objetivos Estratégicos Finalísticos
Os objetivos estratégicos do Sescoop revelam as principais escolhas da instituição para o
período do plano e são orientados para o alcance da Visão de Futuro e cumprimento da missão
organizacional.
Neste Plano Estratégico, o Sescoop definiu treze objetivos estratégicos, sendo oito
finalísticos e cinco de Administração e de Apoio.
Objetivo Estratégico 1 – Promover a cultura da cooperação e disseminar a doutrina, os
princípios e os valores do cooperativismo em todo o Brasil.
A população, muitas vezes, não sabe distinguir o cooperativismo dos demais tipos
societários, o que acaba retirando vantagens e igualando as cooperativas às demais formas de
produção, notadamente às empresas.
Assim, faz-se necessária a difusão da doutrina, dos princípios e dos valores do
cooperativismo em todo o Brasil como elementos integradores de uma organização social
competitiva, mas que produz frutos sociais aos seus associados e demais atores relacionados. Essa
difusão contribuirá significativamente pata o desenvolvimento sustentável do cooperativismo.
Objetivo Estratégico 2 – Ampliar o acesso das cooperativas à formação em gestão
cooperativista, alinhada às suas reais necessidades, com foco na eficiência e na competitividade.
Em um ambiente cada vez maior competitivo, a eficiência da gestão é instrumento central
para a sustentabilidade das organizações. A formação em gestão cooperativista se volta para a
19
preparação em governança e em gestão profissional das cooperativas além de formação de
lideranças cooperativistas. Difere das abordagens empresariais à medida que se alinha à doutrina,
aos princípios e valores do cooperativismo.
Objetivo Estratégico 3 – Contribuir para viabilizar soluções para as principais demandas
das cooperativas na formação profissional.
Além da formação em gestão cooperativista, as cooperativas necessitam de cooperados e
empregados em outras áreas administrativas e em suas áreas de atuação específicas.
Tendo em vista a grande diversidade de ramos de negócio no sistema cooperativista,
dispersos em todo o País, não é possível nem adequado que o Sescoop desenvolva programas de
formação profissional para todas as necessidades de todas as cooperativas. O Sescoop focará seus
esforços na identificação das diversas demandas, formação de parcerias e viabilização de soluções
de formação profissional para as cooperativas.
Objetivo Estratégico 4 – Promover a adoção de boas práticas de governança e gestão nas
cooperativas.
Um dos princípios do cooperativismo é a gestão democrática. Como a cooperativa é uma
entidade que agrega no mínimo 20 associados, tendo cada um o mesmo poder de voto nas decisões
estratégicas, uma boa governança é fundamental para sua sustentabilidade e seu crescimento. Além
disso, organizações com modelos mais complexos de governança tendem a refletir essa
complexidade também em sua gestão.
O Sescoop irá contribuir para a governança e a gestão das cooperativas, por meio da
disseminação de conhecimento sobre o tema, da identificação, disseminação e incentivo à adoção
de boas práticas, tudo atrelado à doutrina, aos princípios e aos valores do cooperativismo.
Objetivo Estratégico 5 – Monitorar desempenhos e resultados com foco na sustentabilidade
das cooperativas.
As cooperativas precisam desenvolver sua governança e suas competências técnicas, além
de incorporar métodos, instrumentos e boas práticas de gestão. Devem se pautar em metas de
desempenho e resultados.
Como forma de aumentar as chances de sucesso, é importante que as cooperativas contem
com mecanismos de monitoramento externo que as auxiliem na identificação de pontos de
melhoria, oportunidades e boas práticas em gestão e governança.
Sendo assim, o Sescoop atua no monitoramento das cooperativas analisando seus
desempenhos e contribuindo de maneira proativa para a minimização de riscos, a profissionalização
da gestão e a sustentabilidade das cooperativas.
Objetivo Estratégico 6 – Incentivar as cooperativas na promoção da segurança no trabalho.
As cooperativas precisam adotar práticas que promovam a segurança no trabalho
cooperativista para reduzir os riscos de acidentes. As cooperativas que adotam estas práticas no
trabalho além de cumprir a legislação, reduzem gastos com acidentes e assistência à saúde,
melhoram a relação com empregados e fortalecem a imagem perante o público.
Nesse âmbito, o Sescoop se propõe a desenvolver programas e competências para a
disseminação de informações e conceitos de segurança no trabalho e para apoio e incentivos à
prevenção de acidentes e à melhoria das condições de trabalho.
Objetivo Estratégico 7 – Promover um estilo de vida saudável entre cooperados,
empregados e familiares.
20
A atuação do Sescoop se dará por meio da articulação de parcerias e do desenvolvimento de
programas orientados para apoiar as cooperativas em ações que favoreçam um estilo de vida
saudável e possibilitem o alcance da melhoria da qualidade de vida dos empregados de
cooperativas, associados e seus familiares.
Objetivo Estratégico 8 – Intensificar a adoção da responsabilidade socioambiental na
gestão das cooperativas brasileiras.
O Sescoop atuará com foco não só na melhoria do desempenho interno das cooperativas,
mas também na adoção por estas de conceitos e boas práticas de responsabilidade socioambiental.
Essa atuação é convergente com o princípio cooperativista do interesse pela comunidade, que
orienta o trabalho das cooperativas também para o desenvolvimento sustentado de suas
comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos membros.
Objetivos Estratégicos de Administração e Apoio
Objetivo Estratégico 9 – Intensificar o desenvolvimento de competências alinhadas à
estratégia do Sescoop.
O Sescoop possui um quadro de funcionários qualificado. No entanto, para que os objetivos
finalísticos estabelecidos sejam alcançados, faz-se necessário o desenvolvimento de competências
aderentes aos novos desafios propostos. A ampliação das competências deverá ser viabilizada
também pela ampliação quantitativa das redes de colaboradores, internos e externos, visando ao
aumento da capacidade de realização orientada para resultados para o público-alvo.
Objetivo Estratégico 10 – Desenvolver e implementar a gestão do conhecimento no
Sescoop.
O aumento da eficiência, da inovação e da capacidade de gerar resultados abrange uma
gestão do conhecimento. Gerir conhecimento requer processos bem definidos e eficazes de
identificação, seleção, armazenamento e disponibilização de dados, informações e boas práticas.
Essas práticas são ainda mais necessárias em organizações com elevado grau de descentralização
das ações e atuação distribuída por regiões e setores com elevada heterogeneidade.
Objetivo Estratégico 11 – Gerar sinergias e integração do Sistema Sescoop.
Um sistema não é de fato um sistema se suas partes seguem em direções distintas e de
maneira descoordenada. Por isso, as diversas unidades e áreas do Sescoop devem atuar, de maneira
integrada e alinhada em seus objetivos e ações, propiciando sinergia no Sistema Sescoop.
Mantendo a autonomia das partes, trata-se de garantir a integração no sentido estratégico e o
alinhamento de grandes iniciativas e das estratégias de comunicação, para dentro e para fora do
Sistema.
Objetivo Estratégico 12 – Assegurar adequada utilização da tecnologia de informação e
comunicação.
O fluxo crescente de informações e a velocidade cada vez maior dos processos de tomada de
decisão ampliaram radicalmente a relevância das tecnologias de informação e comunicação. A
tecnologia de informação e comunicação passou a ser elemento estratégico para o bom desempenho
de qualquer organização nos dias atuais. Ela deve ser orientada para o alinhamento e integração do
Sistema, assim como para o melhor atendimento do público-alvo.
Objetivo Estratégico 13 – Assegurar qualidade e transparência na divulgação das ações e
na comunicação dos resultados.
21
Figura 3: Árvore Estratégica do Sescoop 2010-2013
Missão do SESCOOP
Visão de Futuro 2020
Promover o desenvolvimento do cooperativismo de forma integrada e sustentável,
por meio da formação profissional, da promoção social e do monitoramento das
cooperativas, respeitando sua diversidade, contribuindo para sua competitividade e
melhorando a qualidade de vida dos cooperados, empregados e familiares
Ser reconhecido por sua excelência em formação profissional cooperativista, como
promotor da sustentabilidade e da autogestão das cooperativas e como indutor da
qualidade de vida e bem-estar social de cooperados, empregados e familiares
COOPERATIVAS
Gestão profissionalizada
COOPERADOS
Envolvimento maior dos cooperados com suas
cooperativas
 Sensibilização para a responsabilidade socioambiental
 Ambiente propício à cooperação
 Padrões de qualidade em gestão e governança
cooperativistas

Promover a
cultura da
cooperação e
disseminar a
doutrina, os
princípios e os
valores do
cooperativismo
em todo o Brasil
Intensificar o
desenvolvimento de
competências
alinhadas à
estratégia do
SESCOOP
Conhecimento da cultura da
cooperação e exercício do
empreendedorismo
 Melhores condições de saúde e
segurança no trabalho
 Transparência da gestão

Profissionalização e Sustentabilidade
OBJETIVO 2
Ampliar o acesso das cooperativas à
formação em gestão cooperativista,
alinhada as suas reais necessidades,
com foco na eficiência e na
competitividade
OBJETIVO 3
Contribuir para viabilizar soluções
para as principais demandas das
cooperativas na formação
profissional
OBJETIVO 10
Desenvolver e
implementar a
gestão do
conhecimento no
SESCOOP
OBJETIVO 11
Gerar sinergias e
integração do
Sistema SESCOOP

Conhecimento da
cultura da
cooperação e
exercício do
empreendedorismo
Qualidade de Vida
OBJETIVO 4
Promover a adoção
de boas práticas de
governança e gestão
nas cooperativas
OBJETIVO 5
Monitorar
desempenhos e
resultados com foco
na sustentabilidade
das cooperativas
OBJETIVO 12
Assegurar adequada utilização
da tecnologia de informação e
comunicação
OBJETIVO 6
Incentivar as cooperativas na promoção
da segurança no trabalho
OBJETIVO 7
Promover um estilo de vida saudável
entre cooperados, empregados e
familiares
OBJETIVO 8
Intensificar a adoção da responsabilidade
socioambiental na gestão das
cooperativas brasileiras
OBJETIVO 13
Assegurar qualidade e transparência
na divulgação das ações e na
comunicação dos resultados
Objetivos Estratégicos
de Administração e
Apoio
OBJETIVO 9
Educação cooperativista e em
gestão cooperativa
 Desenvolvimento de
lideranças cooperativistas
 Transparência da gestão

FAMÍLIAS
Formação profissional de qualidade
Objetivos Estratégicos Finalísticos
Cultura da
Cooperação
OBJETIVO 1
EMPREGADOS DAS COOPERATIVAS

Proposta de Valor

Fonte: Sescoop Nacional
22
Por seu turno, o Plano Estratégico do Sescoop/PR está inserido no contexto de um
planejamento estratégico Corporativo.
O desafio maior da Unidade, portanto, é apoiar, de modo efetivo, este amplo e diversificado
conjunto de empreendimentos cooperativos, de diferentes ramos que atuam no estado, cujos
grandes números estão apresentado no quadro 02, a seguir.
Quadro 2: Números do Cooperativismo no Estado do Paraná
Número de Cooperativas
Número de cooperados
Número de empregados
2012
2013
Variação
(%)
2012
2013
Variação
(%)
2012
2013
Variação
(%)
236
231
(2,12)
856.098
983.836
14,92
66.818
71.950
7,68
Fonte: Assessoria de Comunicação do Sescoop/PR, 2014
A sua Missão é: promover o desenvolvimento do cooperativismo de forma integrada e
sustentável, por meio da formação profissional, da promoção social e do monitoramento das
cooperativas, respeitando sua diversidade, contribuindo para sua competitividade e melhorando a
qualidade de vida dos cooperados, empregados e familiares.
A sua visão de futuro é: ser reconhecido pelo Cooperativismo Paranaense como agente
indutor do processo de sustentabilidade, da formação profissional, da autogestão e da melhoria da
qualidade de vida do público beneficiário.
Os seus Objetivos Estratégicos finalísticos são:

Promover a cultura da cooperação e disseminar a doutrina, os princípios e os valores do
cooperativismo em todo o Brasil;

Ampliar o acesso das cooperativas à formação em gestão cooperativista, alinhada as suas
reais necessidades, com foco na eficiência e na competitividade;

Contribuir para viabilizar soluções para as principais demandas das cooperativas na
formação profissional;

Promover a adoção de boas práticas de governança e gestão nas cooperativas;

Monitorar desempenhos e resultados com foco na sustentabilidade das cooperativas

Incentivar as cooperativas na promoção da segurança no trabalho;

Promover um estilo de vida saudável entre cooperados, empregados e familiares;

Intensificar a adoção da responsabilidade socioambiental na gestão das cooperativas
brasileiras.
Os seus Objetivos Estratégicos de Administração e de Apoio são:

Intensificar o desenvolvimento de competências alinhadas à estratégia do SESCOOP;

Desenvolver e implementar a gestão do conhecimento no SESCOOP;

Assegurar adequada utilização da tecnologia de informação e comunicação;

Assegurar qualidade e transparência na divulgação das ações e na comunicação dos
resultados.
Destaque-se que este Sescoop/PR está inserido no contexto de um planejamento estratégico
corporativo, e adotou em seu plano 08 objetivos estratégicos finalísticos e 05 de administração e
apoio, constantes do Plano Sescoop 2010-2013, conforme apresentado em nossa árvore estratégica
na figura 3.
23
2.2 Estratégias adotadas pelo Sescoop/PR para atingir os objetivos estratégicos do
exercício de 2013
A partir dos fundamentos e dos projetos do Plano Estratégico, o Sescoop/PR elaborou o seu
Plano de Trabalho e Orçamento para o exercício de 2013, contemplando os projetos e as demais
atividades de apoio ao desenvolvimento de seus objetivos.
Destaque-se que, no momento da escolha dos objetivos estratégicos, foram considerados e
avaliados os riscos que poderiam impedir ou prejudicar sua implementação no exercício 2013. Esta
análise ocorreu principalmente no momento de identificação de ameaças e oportunidades, inclusive
com análise de seus impactos e probabilidades de ocorrência.
Para implementação do seu Plano Estratégico, no ano de 2013, o Sescoop/PR utilizou como
estratégia a construção de projetos estratégicos.
Após a análise dos riscos inerentes ao trabalho com projetos, foram elaborados, por objetivo
estratégico, rol de projetos estratégicos.
Os principais objetivos estratégicos do Sescoop/PR para 2013, bem como as suas respectivas
metas, riscos identificados para seu alcance, as estratégias adotadas, bem como as devidas
contextualizações estão dispostos no Quadro 2.
No exercício em tela, destacam-se, pela importância e impacto na realidade do
cooperativismo local, as seguintes iniciativas:
AÇÕES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Foram realizados em 2013, 4.381 eventos de formação profissional, para um público de
104.202, em 61.936 horas de trabalho e aplicação de R$ 14,6 milhões, voltados para
profissionalização da gestão cooperativa, destinados a dirigentes e profissionais. Na sequência são
apresentados alguns dos programas que foram desenvolvidos em 2013.
Cursos de Pós-Graduação
O Sescoop/PR tem intensificado o apoio à realização de cursos de pós-graduação, com o
objetivo de profissionalizar a gestão das cooperativas. A ideia é propiciar aos colaboradores um
processo constante de educação que possibilite a especialização em determinadas áreas,
possibilitando que o resultado nas atividades desempenhadas por cada um deles apresente melhoria
e produtividade contínuas.
Realizados em conjunto com diversas universidades e instituições de ensino, abrangem
inúmeras áreas com foco nos setores estratégicos de gestão. Inicialmente, as demandas identificadas
e sugeridas pelas cooperativas são avaliadas pelo Sescoop/PR, em conjunto com as entidades
parceiras, visando formatar cursos que mais se adequem às realidades de cada cooperativa.
As turmas são abertas nas regiões onde se concentra a demanda ou in company, facilitando o
acesso dos treinandos e a redução de custos. Em 2013, 31 cursos foram iniciados ou tiveram
andamento, com 1.137 alunos matriculados. Os cursos são realizados por instituições de ensino
parceiras do Sescoop/PR, a exemplo do ISAE/FGV, PUC/PR, Universidade Positivo, UEM, entre
outras.
Na tarde de 25 de outubro, a Batavo Cooperativa Agroindustrial, com apoio do Sescoop/PR,
ISAE/FGV e Unisul, promoveu um evento de formatura para mais de 65 colaboradores, em
Carambeí. A primeira turma a receber os certificados foi a do curso de Gestão Estratégica e o
Agronegócio, os 41 alunos de pós-graduação foram agraciados com a conclusão do curso.
24
Outro curso de pós-graduação que encerrou em 2013 foi de Energias Renováveis, com
ênfase em biogás, promovido pelo Sescoop/PR, ISAE/FGV e Parque Tecnológico da Itaipu
binacional, tendo formado 22 profissionais com 446 horas de trabalho em 18 meses.
Lançado em 2013, o curso de Pós Graduação em Gestão da Tecnologia da Informação, em
parceria com a Fundação Getúlio Vagas. O curso conta com 41 participantes, é o primeiro evento
específico na área de tecnologia da informação das cooperativas, representa um importante passo
para a capacitação de gestores da informação das cooperativas.
Capacitação dos agentes
O Sescoop/PR fornece todo o suporte técnico para execução das atividades, e mantém um
programa de reciclagem permanente para os agentes, inclusive, no encontro estadual realizado no
dia 05 de novembro, no qual participaram cerca de 70 profissionais. Foram debatidas as inovações
no sistema de trabalho que serão implementadas no ano 2014. São cerca de 230 agentes de
desenvolvimento das cooperativas do Paraná.
Fórum dos agentes
Dezenove profissionais de 14 cooperativas foram capacitados para exercerem a função de
agentes do Sescoop/PR junto às cooperativas. Os participantes estudaram o funcionamento do
sistema de desenvolvimento humano e monitoramento das cooperativas
Os 14 novos agentes vieram a se somar aos 70 profissionais que atuam como agentes de
Desenvolvimento Humano (DH) e de Desenvolvimento e Autogestão (DA).
Anualmente o Sescoop/PR realiza eventos para atualização e reciclagem dos agentes e, em
paralelo, mantém uma equipe técnica própria que visita as cooperativas e faz a interface com os
agentes, dando suporte técnico e apoio na realização dos eventos, no planejamento e na prestação de
contas.
AÇÕES DE PROMOÇÃO SOCIAL
São processos educativos e participativos que buscam a melhoria da qualidade de vida dos
empregados, associados, familiares e comunidade, com objetivo de se construir um mundo melhor,
a partir de ações voltadas à educação, saúde, cultura, integração social, meio ambiente e geração de
renda. Em 2013, foram realizados 1.152 eventos que contaram com a presença de 43.836 pessoas
em 9.795 horas de trabalho e aplicação de R$ 3,41 milhões.
Aprendiz Cooperativo
O programa é desenvolvido em parceria com instituições de ensino e tem dois objetivos
básicos: primeiro, atender a Lei nº 10.097, que determina a contratação, na condição de aprendiz, de
jovens na faixa etária de 14 a 24 anos, matriculados em cursos de aprendizagem profissional;
segundo, preparar jovens para trabalhar nas cooperativas.
Em 2013, o programa contemplou 35 cooperativas, em 20 municípios, contou com a
participação de 907 jovens em 38 turmas nas áreas administrativa e industrial.
São oferecidos dois cursos presenciais: Aprendizagem em Serviços Administrativos no
Cooperativismo e Aprendiz Cooperativo de Processos de Transformação na Indústria de Alimentos,
e também na modalidade de ensino a distância.
25
Além dos presenciais, o Sescoop oferece em parceria com o Senac, o curso na modalidade à
distância, Aprendizagem em Comércio e Serviços, atendendo as demandas das unidades mais
distantes ou onde não possui estrutura para o desenvolvimento dos demais cursos.
Mais de 35 cooperativas são atendidas pelo programa no Estado, gerando a oportunidade
para cerca de 1.200 aprendizes em aproximadamente 20 municípios das diversas regiões.
PROGRAMA DE AUTOGESTÃO E MONITORAMENTO
O trabalho de autogestão e monitoramento ganhou forças com o Sescoop, trazendo mais
assertividade ao planejamento estratégico e a capacitação dos recursos humanos.
A Gerência de Desenvolvimento e Autogestão (GDA) tem sua atuação embasada no
Programa de Autogestão das cooperativas Brasileiras e possui como objetivo focar a
situação/atividade das cooperativas.
Utilizando dados contábeis, operacionais, de recursos humanos e sociais, torna-se possível a
elaboração de cenários para o acompanhamento das cooperativas de forma individualizada.
A alimentação e extração destas informações ocorrem através do software denominado
Sistema AutoGestão - Sistema de Análise e Monitoramento de Cooperativas, que é utilizado via
internet e atualmente todas as cooperativas possuem acesso, contando com mais de 320 usuários
cadastrados.
Vislumbrando a possibilidade de enriquecer os comparativos com cenários nacionais e
também auxiliando o monitoramento de cooperativas por outros estados, o Sescoop/PR cedeu o uso
do software para o Sescoop Nacional que atualmente está envidando esforços para capacitar
técnicos de outras unidades estaduais, e já utilizam como projeto piloto os estado do Mato Grosso
do Sul, Espírito Santo e Goiás, em 2013 foram capacitados técnicos de 11 Estados, que passam
agora a se integrar aos demais que já utilizam o sistema. Várias foram as atividades desenvolvidas
destacamos as principais.
Plano de Desenvolvimento Cooperativo (PEDC)
Definidos os indicadores de recursos humanos para as cooperativas dos ramos agropecuário
e crédito, e também indicadores de RH e padronização de balanço social para as cooperativas do
ramo saúde. Foram também discutidos e elaborados o PEDC em 52 cooperativas.
Visitas Técnicas
Com o objetivo de apresentar e discutir a análise da situação econômica e financeira das
cooperativas foram realizadas 168 visitas técnicas em 165 cooperativas, que contaram com a
participação de 1.116 participantes, dos quais 11% eram presidentes, 25% diretores, 18% gerentes,
17% conselheiros fiscais, 10% agentes de DA ou DH e 19% outros técnicos. Das cooperativas
analisadas 68 eram do ramo agropecuário, 31 do ramo saúde, 25 de transporte, 13 de crédito, 9 de
infraestrutura, 10 educacional, 7 de trabalho, 3 turismo e lazer, 1 cooperativa de consumo e outra do
ramo habitacional.
Para a realização destas visitas técnicas, o GDA elaborou 11 cenários consolidados por
ramos e 08 cenários regionais para comparação com as cooperativas visitadas.
26
Trabalhos especiais
Atendendo a demanda de 9 cooperativas, foram executados os seguintes trabalhos especiais:
plano de reestruturação e saneamento financeiro em 4 cooperativas, implantação de nova unidade
e/ou novas atividades em 2 cooperativas, plano de organização interna e normatização em uma
cooperativa, plano de capitalização em mais uma e auxílio para incorporação em outra.
Assessoria Fisco Contábil
Com o objetivo de prestar assessoramento fisco contábil às cooperativas de transporte,
foram realizadas 10 visitas de acompanhamento da situação fiscal e tributária, com esclarecimentos
acerca do devido tratamento contábil e tributário. Também, atendeu-se 2 cooperativas que
demandaram assessoramento específicos sobre capital social, créditos tributários e guia tributário
geral.
Prestado apoio à OCB para a análise e acompanhamento de alterações de legislações que
gerassem impacto para as cooperativas do ramo, dentre elas destaca-se o trabalho realizado para
desoneração da folha e discussões sobre o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo.
Realizou-se ainda, 5 reuniões do Grupo de Estudos Tributários das Cooperativas
Paranaenses (GAET) com objetivo de discutir alteração na legislação e procedimentos tributários.
Conselheiros Fiscais
Realizadas 13 turmas de capacitação onde participaram 408 conselheiros fiscais das
cooperativas, com objetivo de treinar os conselheiros eleitos para o desempenho das funções.
Entre os dias 17 e 26 de abril, ocorreram 8 cursos nas cidades de Londrina, Toledo,
Maringá, Ponta Grossa, Pato Branco e Curitiba. No mês de junho, entre os dias 24 e 26 foram
realizados outros 4 cursos, sendo que 2 deles específicos para o ramo saúde, nas cidades de Curitiba
e Maringá.
Para as cooperativas do ramo crédito, realizou-se dois cursos um em Campo Mourão onde
participaram 16 conselheiros e outro em Curitiba com a presença de 12 pessoas.
Fórum dos Contadores
Cerca de 79 profissionais das áreas contábil e de auditoria participaram do Fórum de
Contadores das Cooperativas nos dias 17 e 18 de outubro em Maringá.
A capacitação visou promover a atualização dos profissionais quanto ao processo de
convergência das normas brasileiras de contabilidade às regras internacionais. Foram apresentados e
discutidos os aspectos técnicos e práticos relacionados aos Comitês de Pronunciamentos Contábeis,
as mudanças mais significativas ligadas às práticas contábeis adotadas pelas cooperativas.
Ramo Trabalho
Realizadas 7 visitas técnicas, contando com presença de 34 pessoas, das quais, 56% eram
dirigentes. As principais ações foram a elaboração e implantação de um projeto piloto em uma
cooperativa de trabalho do Plano Estratégico de Desenvolvimento Cooperativo (PEDC), e a
realização do curso de IFRS para pequenas e médias cooperativas, com objetivo de auxiliá-las na
interpretação e aplicação das normas internacionais de contabilidade adequados à realidade de
cooperativas de pequeno porte.
27
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
Assessoria de Comunicação: é responsável pela comunicação interna e externa da entidade e
publicação das Revistas Paraná Cooperativo e Técnico Científico.
O primeiro evento de 2013 ocorreu no dia 17 de maio, em Londrina, tendo contado com a
presença de 50 participantes e o segundo, no dia 5 de novembro, em Curitiba, com a participação de
mais 40 comunicadores de 23 cooperativas e representantes da Organização das Cooperativas
Brasileiras (OCB). Na programação constaram temas sobre técnicas vocais para aprimorar a
comunicação oral; melhoria da imagem pessoal e profissional, bem como estratégias de
gerenciamento e gestão dos espaços publicitários na mídia cooperativa.
2.3 Execução física e financeira dos objetivos estratégicos e das ações do plano do
Sescoop/PR- 2013
Conforme mostrado ao longo deste relatório, a atuação do Sescoop/PR engloba quatro linhas
prioritárias de atuação. Três delas estão relacionadas à missão da entidade, por isso são classificadas
como áreas finalísticas.
São elas Formação Profissional, Promoção Social, e Monitoramento e Desenvolvimento de
Cooperativas. A quarta e última área de atuação trata da “Organização e Gestão do Sistema”, ou
seja, dos processos que dão suporte às áreas finalísticas, visando atingir os objetivos institucionais
do Sescoop/PR.
2.3.1
Atuação Finalística
Em termos de aplicação de recursos financeiros por programas em 2013 em atividades
finalísticas a execução final foi superior a 90%, apresentando um acréscimo de recursos aplicado
em torno de 4% em relação ao exercício de 2012. Vale ressaltar que na aplicação de recursos no
Programa 5100- Cultura da Cooperação e Programa 5300 - Qualidade de Vida, ficaram abaixo do
orçado em função de redefinição das prioridades da Unidade Estadual em decorrência de solicitação
das cooperativas. Já o Programa 5400 - Administração e Apoio, a execução orçamentária ficou
abaixo do planejado em função de negociações feitas com as instituições parceiras, obtendo
cortesias em participações em diversos treinamentos planejados para a capacitação da equipe
interna. Os demais programas não sofreram variações significativas.
Na sequencia são apresentados de forma mais detalhada as atividades realizadas na
Formação Profissional, Promoção Social, e Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas.
GERÊNCIA DESENVOLVIMENTO HUMANO
Ações vinculadas aos objetivos estratégicos
A Gerência de Desenvolvimento Humano – GDH tem como atribuições operacionalizar as
ações de formação profissional cooperativista e promoção social do Sescoop/PR junto aos
empregados, cooperados, dirigentes e familiares das cooperativas beneficiárias do Paraná. Objetiva
ainda, assistir às sociedades cooperativas empregadoras na elaboração e execução de programas de
treinamento e na realização da aprendizagem metódica e contínua do seu público beneficiário.
O Sescoop/PR na área de Desenvolvimento Humano desenvolve suas ações em parceria
com as cooperativas contribuintes, mediante a execução de eventos:
28
 Centralizados, que são ações desenvolvidas conjuntamente para duas ou mais
cooperativas, promovendo-se a intercooperação entre estas; e
 Descentralizados, que são aqueles desenvolvidos para uma única cooperativa, mediante
a assinatura de um ‘termo de parceria’, atendendo às suas necessidades individuais.
Para melhor condução de suas atividades, em cada cooperativa há um Agente de
Desenvolvimento Humano, que é o responsável pelo planejamento e execução das atividades do
Sescoop junto à cooperativa.
OBJETIVOS E METAS
As atividades de formação profissional cooperativista e promoção social foram planejadas
em conjunto com as cooperativas contribuintes, levando-se em conta o plano de desenvolvimento
humano realizado pelas mesmas, a partir de um diagnóstico que levantou as necessidades de
treinamento e de desenvolvimento humano em cada cooperativa.
No quadro 3 estão demonstradas as ações de treinamento do Sescoop/PR previstas e
realizadas, com o respectivo índice de evolução e crescimento anual.
Quadro 3: Comparativo das ações de treinamento do Sescoop/PR.
Total em
Promoção
Formação
Meta
2013
Social
Profissional
Previsto
6.275
1.152
5.123
Eventos
Realizado
5.479
1.098
4.381
Participaçõe
s
Carga
Horária
Índice (%)
Previsto
Realizado
Índice (%)
Previsto
Realizado
87,31%
167.090
151.415
90,62%
85.027
71.130
Índice (%)
83,66%
Previsto
21.989.387
Recursos
Realizado
19.619.605
Financeiros
Índice (%)
89,22%
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
95,31%
43.836
47.213
107,70%
9.795
9.194
85,52%
123.254
104.202
84,54%
75.232
61.936
93,86%
3.419.169
3.035.450
88,78%
82,33%
18.570.218
16.584.155
89,31%
Realizado
em 2012
Crescimento
Anual
4.999
9,60%
144.557
4,74%
67.146
5,93%
18.885.792
3,89%
Conforme apresentado no quadro 04, observa-se que as metas propostas para 2013 em
número de eventos, participações, carga horária e recursos financeiros foram parcialmente
alcançadas. É bom salientar que na conta “Recursos Financeiros” nas colunas “Total” e “Formação
Profissional”, tanto na linha do “Previsto”, quanto do “Realizado”, os valores estão acrescidos dos
recursos da conta CAPCOOP (Centro Orçamentário que abriga as despesas de manutenção, de
pessoal, investimentos, viagens, entre outras, da Gerência de Desenvolvimento Humano). Desse
centro orçamentário havia um planejamento “Previsto” no valor de R$ 2.153.940,00, dos quais
foram “Realizados” R$ 1.937.337,99.
Por outro lado, também demonstrado na Tabela 1, se compararmos com os resultados de
2012, observamos um crescimento de 9,60% no número de eventos, 4,74% no número de
participações, 5,93% na carga horária e 3,98% na aplicação de recursos financeiros.
29
ÁREAS DE ATUAÇÃO
São duas as áreas de atuação do Sescoop/PR, na Gerência de Desenvolvimento Humano:
A. Formação Profissional Cooperativista
São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados, dos dirigentes e
dos empregados em suas cooperativas; alicerçados nos princípios e valores cooperativistas.
Na área de Formação Profissional foram realizados 4.381 eventos, com 104.202
participações e 61.936 horas/aula, sendo 26.105 participações, 22.148 horas/aula em 913 eventos
centralizados e 78.097 participações, 39.788 horas/aula em 3.468 eventos descentralizados,
conforme demonstramos no Quadro 5.
Quadro 4: Quadro demonstrativo dos eventos não realizados
Eventos
Carga Horária
Encerrados (não realizados)
86
1.058
Formação Profissional
78
990
Promoção Social
8
68
Encerrados (Negados)
38
314
Formação Profissional
25
224
Promoção Social
13
90
TOTAL (Negado e não realizado)
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
124
1.372
Participações
3.909
3.521
388
3.184
909
2.275
Recursos Financeiros
259.410,35
257.810,35
1.600,00
39.100,00
24.100,00
15.000,00
7.093
298.510,35
Para um melhor gerenciamento na aplicação dos recursos e a sua destinação junto ao público
beneficiário, seguindo a orientação do Sescoop Nacional, as ações foram classificadas conforme a
sua natureza, visando agrupar os eventos de acordo com os objetivos finais e o público alvo aos
quais foram destinados.
B. Promoção Social
São processos educativos e participativos, que buscam benefícios para a qualidade de vida,
mas também melhorias sociais aos empregados de cooperativas, dos associados e de seus
familiares, bem como da comunidade. Objetiva, através da ação social, a melhoria da atuação dos
envolvidos na gestão das cooperativas, por meio de ações voltadas à educação, à saúde, à cultura, à
integração social, à geração de renda e ao meio ambiente, que podem ser desenvolvidas por meio de
diferentes estratégias,
Na área de Promoção Social foram realizados 1.098 eventos, com 47.213 participações e
9.194,50 horas/aula ou atividade. Destes totais, foram realizados 104 eventos, com 6.350
participações e 1.230 horas/aula ou atividade de forma centralizada e 994 eventos, com 40.863
participações e 7.965 horas/aula ou atividade de forma descentralizada, conforme demonstramos no
Quadro 4.
As ações de Promoção Social, também foram agrupadas de acordo com a natureza de seus
eventos, seguindo a orientação do Sescoop Nacional.
30
C. Capacitação Interna
Objetivando aprimorar a equipe interna foram realizados 36 eventos, 338 horas/aula e 615
participações.
Foram apoiadas bolsas de estudos para mestrado, graduação, pós-graduação e eventos de
curta e média duração, num total de 44 bolsas, conforme demonstrado no quadro abaixo.
Quadro 5: Bolsas de estudos para formação profissional dos recursos humanos da entidade executora.
Tipos de eventos
Nº de Bolsas de Estudo
Cursos de Graduação
03
Cursos de Pós-graduação
15
Eventos de curta e média duração
24
Mestrados
02
Total
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
44
D. Índice Percentual Da Aplicação Dos Recursos Financeiros Do Sescoop/Pr
Do total de R$ 19.619.605,00 (R$ 1.937.337,99 refere-se ao CAPCOOP) investidos pelo
Sescoop/PR no ano de 2013, 84,53% foram aplicados em Formação Profissional Cooperativista e
15,47% em ações de Promoção Social.
Nos gráficos abaixo, demonstramos a aplicação desses recursos de acordo com a natureza
dos eventos, tanto em Formação Profissional Cooperativista com em Promoção Social.
Gráfico 1: Percentual da aplicação dos recursos em Formação Profis., conforme a natureza dos eventos:
Formação Profissional Cooperativista
80,00%
60,00%
40,00%
20,00%
0,00%
FPC
AP
4,68%
QP
71,50%
AF
3,78%
GT
2,44%
PG
17,60%
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
Legenda: AP – Aprendizagem Profissional QP – Qualificação Profissional GT – Graduação Tecnológica –
AF – Aperfeiçoamento Profissional PG – Pós-graduação
No Gráfico 1, demonstramos que os recursos aplicados pelo Sescoop/PR em 2013, na área
de atuação Formação Profissional Cooperativista foram concentrados em qualificação profissional
(71,50%), pois se trata da área onde há a maior concentração do público beneficiário, com maior
necessidade de investimentos e, portanto, o maior número de ações realizadas.
31
Gráfico 2: Percentual da aplicação dos recursos em Promoção Social, conforme a natureza dos eventos:
Promoção Social
50,00%
40,00%
30,00%
20,00%
10,00%
0,00%
ED
SU
PS 47,24% 6,40%
CT
IS
GR
7,96% 30,65% 7,75%
MA
0,00%
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
Legenda: ED – Educação SU – Saúde
MA – Meio Ambiente
CT – Cultura IS – Integração Social GR – Geração de Renda
No Gráfico 2, demonstramos que os recursos aplicados pelo Sescoop/PR em 2013 na área de
atuação Promoção Social foram concentrados em programas de educação (47,24%) e integração
social (30,65%), pois tratam-se de ações que visam a melhoria da qualidade de vida do público
beneficiário.
Gráfico 3: Percentual da aplicação dos recursos para o Público Beneficiário em 2013.
Público Beneficiário
60,00%
50,00%
40,00%
30,00%
20,00%
10,00%
0,00%
Série1
Estratégico
Tático
8,44%
24,48%
Operaciona
l
50,96%
Cooperados
Familiares
10,37%
5,95%
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
No Gráfico 3, podemos observar que, dos recursos aplicados pelo Sescoop/PR em 2013,
assim como já demonstrado no Gráfico 1, repete-se a concentração dos recursos no público
operacional (50,96%). Observa-se um bom incremento de recursos no público tático (24,48%). Isso
se deve ao fato de ter aumentado os investimentos na profissionalização da gestão das cooperativas.
32
E. Resumo das Atividades Realizadas em 2013
No Quadro 6 está expressa informações sobre a Formação Profissional Cooperativista e
Promoção social entre ações centralizadas e descentralizadas. A relação dos eventos encontra-se no
ANEXO III.
Quadro 6: Quadro resumo, demonstrativo do nº de eventos, participações e ch, divididas por área de atuação
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
Legenda: NE – Número de Eventos
CH – Carga Horária
PA – Participações
F. Comitê de Análise De Projetos
O Comitê de Análise de Projetos foi constituído pela portaria do Sescoop/PR nº 01/2001, de
06 de abril de 2001 com o objetivo de subsidiar a aprovação dos projetos no âmbito do plano de
ação anual, por meio da emissão de pareceres em conformidade com a legislação e normas vigentes.
Está composto pelos seguintes membros: Superintendente do Sescoop/PR, Gerente de
33
Desenvolvimento Humano, Gerente de Desenvolvimento e Autogestão, Assessoria Jurídica e
Coordenador Administrativo-Financeiro.
Em 2013 o Comitê de Análise de Projetos realizou 47 reuniões e deliberou sobre 2.068
projetos, conforme demonstrado no quadro abaixo, comparativamente com os anos anteriores.
Quadro 7: Comparativo do n de reuniões, projetos analisados e aprovados pelo Comitê de Análise de Projetos.
Item
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
Projetos
Analisados
Projetos
Aprovados
Projetos
Negados
Nº de
Reuniões
528
646
967
1.055
1.063
1.302
1.588
1.813
2.055
2.068
526
642
961
1.047
1.055
1.295
1.563
1.797
2.032
2046
2
4
6
8
8
7
25
16
23
22
36
42
44
44
46
45
47
47
47
47
Fonte: GDH, 2013
Na tabela acima podemos observar que, apesar do número de reuniões permanecer o mesmo
há três anos, o número de projetos analisados pelo comitê em 2013, superou em 30% do ano 2010.
G. Parcerias
Para a execução das ações de formação e capacitação profissional e de fóruns e treinamentos
especializados, o Sescoop/PR buscou fazer parcerias com instituições de ensino que detivessem
expertise no tema proposto. Assim, durante o ano de 2013, foram realizadas parcerias com as
seguintes instituições:

ISAE/FGV - Fundação Getúlio Vargas através do Instituto Superior de Administração e
Economia – MBA’s;

PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Pós-graduações;

FDC - Fundação Dom Cabral – Pós-graduações e cursos;

SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem da Indústria – Estrutura e cursos;

SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – Estrutura e cursos;

SENAT - Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte – Cursos de Direção Defensiva;

SEBRAE - Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas;

Fundação Unimed Pós-graduações e eventos;

FADEP - Faculdade de Pato Branco – Pós-graduações;

UFRRJ - FAPUR - Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica da Universidade
Federal Rural do Rio de Janeiro - Curso de Aperfeiçoamento na Cultura da cana-de-açúcar;

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

CLASPAR - Empresa Paranaense de Classificação de Produtos;

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária;

IAPAR - Instituto Agronômico do Paraná;

EMATER - Empresa Paranaense da Assistência Técnica e Extensão Rural;

ÚNICA - União de Ensino Superior de Cafelândia – Programa Jovem Aprendiz;
34

FACEMED - Faculdade Educacional de Medianeira – Programa Jovem Aprendiz;

UESPAR - União de Ensino Superior do Paraná Ltda – Programa Jovem Aprendiz;

ISEPE RONDON - União Rondonense de Ensino e Cultura Ltda – Programa Jovem
Aprendiz;

PUC/NOBEL - Centro de Ensino Nobel – Programa Jovem Aprendiz;

FAFIMAN - Fundação Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari - Programa
Jovem Aprendiz;
O quadro 8 apresenta informações sobre a execução física e financeira dos objetivos
estratégicos e das ações do Sescoop/PR realizadas no exercício de 2013.
35
Quadro 8: Execução física e financeira dos objetivos estratégicos e das ações do Sescoop/PR para o exercício de 2013
Metas Físicas
Objetivos Estratégicos
Ações
Unidade de Medida
Prevista Realizada %Realiz
Metas Financeiras (R$ 1,00)
Prevista
Realizada
%Realiz
Prover meios para programas finalísticos
Prover os órgãos do Sescoop dos meios administrativos para
implementação da gestão de seus programas finalísticos
Prover os órgãos do Sescoop dos meios administrativos para
implementação da gestão de seus programas finalísticos
Intensificar o desenvolvimento de competências alinhadas à
estratégia do Sescoop
Aprovar e fiscalizar ações Institucionais
8911
Unidade Mantida
1
1
100%
192.500
179.940
93,48%
8901
Unidade Mantida
1
1
100%
1.639.810
1.569.872
95,74%
8910
Rede Informática Mantida
1
1
100%
265.500
214.261
80,70%
5401
PCCS implantados
1
1
100%
194.456
88.464
45,49%
8938
Planejamento Instituído
1
1
100%
11.700
10.870
92,91%
Auditar, orientar e verificar ações realizadas
8914
Planejamento Instituído
1
1
100%
11.700
8.780
75,04%
Auditar, orientar e verificar ações realizadas
8951
800
922
115,25%
114.700
111.637
97,33%
Desenvolver e garantir competências, integrar e alinhar o Sistema
Sescoop
5405
1
1
100%
459.000
472.074
102,85%
Intensificar a segurança no trabalho e a adoção de
responsabilidade socioambiental pelas cooperativas
5301
Auditoria Realizada (hs)
Modelo de padrões para
registro de divulgação das
ações
Qte.de Cooperativas em
programas educ.e prevenção
acidentes
Qte.de participantes
atendidos em programas
Qte.de cooperativas
progr.respons.Social
Qte.de cooperativas e cursos
de gestão de cooperativas
Qte.de cooperativas e cursos
de formação profissional
Qte.de boas práticas
identificadas e comp.
Qte.de cooperativas
monitoradas pelo Sescoop
Qte.de participantes em
eventos/cultura cooperação
35
32
91,43%
2.220.442
1.958.267
88,19%
9.437
12.955
137,28%
531.949
500.206
94,03%
8
6
75,00%
61.100
38.700
63,34%
160
154
96,25%
7.836.137
7.134.944
91,05%
143
134
93,71%
7.890.140
7.055.146
89,42%
150
133
88,67%
411.922
359.237
87,21%
236
233
98,73%
1.996.700
1.968.648
98,60%
24.859
23.491
94,50%
2.843.241
2.484.642
87,39%
Intensificar a segurança no trabalho e a adoção de
responsabilidade socioambiental pelas cooperativas
Intensificar a segurança no trabalho e a adoção de
responsabilidade socioambiental pelas cooperativas
5302
5303
Melhorar a gestão e governança das cooperativas
5201
Melhorar a gestão e governança das cooperativas
5202
Melhorar a gestão e governança das cooperativas
5203
Melhorar a gestão e governança das cooperativas
5204
Promover a cultura da cooperação e disseminar a doutrina, os
princípios e os valores cooperativos
5101
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR
36
A atuação do Sescoop/PR está estruturada em programas. O quadro 9 apresenta a execução
orçamentária, focando os recursos aplicados na atuação finalística e na atividade meio.
Quadro 9: Execução Orçamentária dos Programas Executados pelo Sescoop/PR– 2012/2013
2012
2013 R$ (1,00)
Programas
R$ (1,00)
Previsto
Realizado
% Exec.
1 - Atuação Finalística
Programa 5100- Cultura da Cooperação
Programa 5200- Profissionalização e
Sustentabilidade
Programa 5300 - Qualidade de Vida
Programa 5400 - Assegurar a Qualidade e
Transparência
2 - Gestão do Sistema – Atividade Meio
Programa 0106 - Gestão da Política de Trabalho
e Emprego
Programa 5400 - Administração e Apoio
21.090.332,98
2.683.584,47
24.250.631,00 21.971.863,69
2.843.241,00 2.484.641,74
90,60%
87,39%
15.763.947,77
18.134.899,00 16.517.974,58
91,08%
72.678,30
Programa 0750 - Apoio Administrativo
Programa 0773 - Gestão da Política de Execução
Financeira, contábil e de Controle
Total de Recursos
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR
1.719.033,32
119.439,20
126.400,00
2.134.250,94
2.813.491,00
508.549,80
459.000,00
2.130.997,43
2.430.366,00
2.183.823,91
89,86%
219.846,61
204.200,00
190.809,79
93,44%
194.456,00
88.463,74
45,49%
1.905.310,00
1.784.132,96
93,64%
120.417,45
95,27%
26.680.997,00 24.155.687,60
90,54%
23.221.330,41
2.497.172,99
88,76%
472.074,38 102,85%
Na sequencia serão apresentadas as principais ações realizadas de cada programa em 2013
conforme objetivos estratégicos apresentados no quadro 08.
Programa: 0106 – Gestão da Política de Trabalho e Emprego
Objetivo do Programa: prover meios administrativos para programas finalísticos
Ação 8911: Gestão Administrativa
As ações deste programa têm por objetivo prover meios administrativos para programas
finalísticos por meio do planejamento da execução das ações, das definições estratégicas e
operacionais do Sescoop/PR.
Em 2013, foram aplicados recursos neste programa que somaram R$ 179.939,76,
representando 93,48% do total previsto e suas metas físicas foram atingidas e assim distribuídos:
Quadro 10: Metas físicas e financeiras da Gestão Administrativa
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
Financeira
R$ 1,00
192.500
179.939,76
Física
Unidade mantida
1
1
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR
% de realização
93,48%
100%
Estão locados nesse programa as atividades desempenhadas pelo Presidente e
Superintendente. Sendo que compete ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual executar a
política de atuação do Sescoop/PR e ao Superintendente compete organizar, administrar e executar
no âmbito do Estado do Paraná o cumprimento eficiente dos objetivos e do planejamento do
Sescoop/PR. O quadro 11 apresenta a os valores realizados por elemento de despesa.
37
Quadro 11: Realização por elemento de despesas da Gestão Administrativa
Elemento de Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - SUPER
R$ 177.370,12
Salários, encargos e benefícios
Viagens - SUPER
R$ 1.289,82
Passagens, Diárias e Hospedagens
Viagens - PRESID
R$ 1.279,82
Passagens, Diárias e Hospedagens
Total
R$ 179.939,76
Fonte: Sistema Zeus – Sescoop/PR, 2013
Ação 8938: Gestão do Processo de Planejamento Institucional
O objetivo desse programa é aprovar e fiscalizar ações institucionais. As atividades
desenvolvidas nesta ação foram a realização de reuniões do Conselho Administrativo do
Sescoop/PR através do acompanhamento da gestão orçamentária, ações de formação profissional,
promoção social e monitoramento.
Cabe ao Conselho Administrativo, de acordo com o Artigo 8º do Regimento Interno do
Sescoop/PR, difundir e implementar as políticas, diretrizes, programas, projetos e normativos, em
observância das deliberações e decisões do Conselho Nacional, contribuindo para que as atribuições
e os objetivos do Sescoop Nacional sejam alcançados em sua área de atuação.
O Conselho Administrativo do Sescoop/PR é o órgão máximo no âmbito da administração
estadual, sendo composto por cinco membros titulares e quatro suplentes. O presidente da Ocepar é
seu presidente nato, compondo com ele mais três conselheiros e igual número de suplentes, sendo
um oriundo dos trabalhadores em cooperativas, dois de cooperativas contribuintes e um
representante do Conselho Nacional e seu suplente. No exercício 2013 foram realizadas seis
reuniões ordinárias deste colegiado. As metas físicas foram atingidas.
Quadro 12: Metas físicas e financeiras da Gestão do Processo de Planejamento Institucional
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
% de realização
Financeira
R$ 1,00
11.700
10.870,00
92,91%
Física
Reuniões
6
6
100%
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR-2013
Programa 0750 - Apoio Administrativo
Ação 8901: Manutenção de Serviços Administrativos
Este programa tem por objetivo prover as diversas áreas do Sescoop/PR dos meios
administrativos para implementação da gestão de seus programas. Ele abriga o setor
Administrativo/ Financeiro e a assessoria jurídica. Os recursos aplicados neste programa somaram
R$ 1.569.872,32, representando 95,74% do total previsto. A meta física também foi atingida
apresentada no quadro 12.
Quadro 13: Metas físicas e financeiras da Manutenção de Serviços Administrativos
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
Financeira
R$ 1,00
1.639.810
1.569.872,32
Física
Unidade Mantida
1
1
Fonte: Sistema Zeus – Sescoop/PR, 2013
% de realização
95,74%
100%
A Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR é uma área meio que tem como
responsabilidade executar tarefas envolvendo serviços administrativos, relativos a área de finanças,
pessoal, contabilidade, tecnologia da informação, licitações, regularidade fiscal, orçamento,
patrimônio, prestação de contas junto aos órgãos de controle da União e do Sescoop Nacional,
38
voltadas ao suporte para o cumprimento do Plano de ação do Sescoop/PR, pelo Conselho
Administrativo, Gerências e Assessorias, observando os princípios e a legislação pertinente.
A Assessoria Jurídica no ano de 2013, a Assessoria Jurídica do SESCOOP/PR deu
seguimento ao processo de revisão dos atos normativos da entidade, proporcionando suporte na
elaboração final da Resolução n° 39 de 12/08/2013 e respectiva Portaria n° 05 de 24/10/2013
contendo diretrizes gerais e específicas para a contratação de serviços de instrutoria por dispensa de
licitação.
O setor jurídico esteve presente na análise dos procedimentos licitatórios da entidade,
proporcionando o necessário suporte legal ao departamento administrativo, revisando os editais e
orientando os responsáveis.
Foram elaborados 26 pareceres jurídicos durante o ano de 2013, respondendo
questionamentos da Diretoria Executiva e do público interno da entidade, tratando de matérias de
direito Administrativo, Cível, Tributário e Trabalhista.
Do mesmo modo, foram elaborados 333 contratos nas hipóteses previstas nas Resoluções do
Sescop/PR, alcançando tanto procedimentos licitatórios, quanto contratações diretas por dispensa de
licitação.
O Jurídico do Sescoop/PR prestou assessoria nas 06 reuniões do Conselho Administrativo
da entidade, consolidando e revisando as respectivas atas.
Foi atuante, também, nas 47 reuniões do comitê de análise projetos, apreciando e opinando,
em conjunto com os demais componentes, 2.068 projetos de formação profissional e promoção
social, requisitados pelas Cooperativas Paranaenses.
A Assessoria Jurídica também participou de reuniões sobre a Aprendizagem, conduzidas
pelo Ministério Público do Trabalho em Curitiba/PR e no Ministério do Trabalho e Emprego em
Brasília/DF.
O setor jurídico atendeu, ainda, aos questionamentos das Cooperativas Paranaenses,
assuntos correlatos à Aprendizagem e ao Direito do Trabalho, além de representar o Sescoop/PR
como procurador em audiências realizadas pelo Ministério Público do Trabalho.
Em conjunto com as demais entidades do Sistema “S”, participou de reuniões tratando dos
mais diversos assuntos, entre eles educação à distância, aprendizagem e negociação coletiva de
trabalho.
Por fim, o Assessor Jurídico do Sescop/PR, visando o constante aprimoramento, participou
de cursos e seminários de capacitação profissional, ampliando os conhecimentos e qualificando a
prestação dos serviços. O quadro 13 apresenta a os valores realizados por elemento de despesa.
Quadro 14: Realização por elemento de despesas da Área Administrativa
Elemento de Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - ADFIN
R$ 791.406,10
Salários, encargos e benefícios
Viagens - ADFIN
R$ 23.674,17
Passagens, Diárias e Hospedagens
Material de Consumo, Passagens e Locomoções, Serv e Divulg
Manutenção - ADFIN
R$ 97.472,02 Institucionais, Serviços Especializados, Serviços de Transportes
e Serviços Gerais
Contrato de Gestão
R$ 464.740,58
Despesas com compartilhamento da estrutura
Investimento - ADFIN
R$ 4.942,00
Aquisição de equipamentos de informática
Pessoal - JURID
R$ 174.783,23
Salários, encargos e benefícios
Viagens - JURID
R$ 12.854,22
Passagens, Diárias e Hospedagens
Total
R$ 1.569.872,32
Fonte: Sistema Zeus – Sescoop/PR, 2013
39
Ação 8910: Ações de Informática
Este programa tem por objetivo prover meios tecnológicos para o desenvolvimento das
ações meio e fim.
Apresenta como diretriz de assegurar adequada utilização de tecnologia de informação e
comunicação. Os recursos aplicados neste programa somaram R$ 214.260,64, representando
80,70% do total previsto. Vale ressaltar que a realização financeira ficou abaixo do previsto porque
havia uma previsão de contratação de um profissional para a área e não foi feito. O processo
seletivo ficou para ser realizado em 2014. Não houve necessidade de fazer tantas viagens e
aconteceram poucas manutenções em 2013. A meta física foi atingida conforme apresenta o quadro
15.
Quadro 15: Metas físicas e financeiras das Ações de Informática
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
265.500
Física
Rede mantida
1
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR
Realizado
214.260,64
1
% de realização
80,70%
100%
Em 2013, a área de Tecnologia da Informação realizou atividades alinhadas com as
diretrizes estratégicas do Sistema Ocepar, abaixo estão relacionadas as atividades de destaque.
Atuação junto as Cooperativas
I - Fórum de Tecnologia da Informação
Realizado nos dias 16 e 17 de maio, em Curitiba, o I – Fórum de Tecnologia da Informação
das Cooperativas do Estado do Paraná reuniu mais de 30 profissionais que juntos representaram 20
cooperativas. Durante o evento os profissionais de T.I. participaram de um Workshop em Cloud
Computing (Computação em nuvem) e fizeram uma visita ao DataCenter da GVT para conhecer
suas instalações.
O ano de 2013 marca o início de um projeto importante para a área de informática das
cooperativas. Em 2014 as cooperativas do Paraná irão contar com indicadores de Tecnologia da
Informação (T.I.). Os indicadores serão gerados no Sistema de Acompanhamento e Monitoramento
das Cooperativas do Paraná com o objetivo de auxiliar o planejamento estratégico e as tomadas de
decisões das cooperativas em ações que envolvem a T.I..
Em 16 de agosto, representantes de T.I. das cooperativas estiveram reunidos no Sescoop/PR
á para conhecer o sistema informatizado Autogestão. O sistema proporciona a criação de
indicadores específicos para cooperativas e também a utilização de indicadores compartilhados que
podem ser comparados com agrupamentos de informações por regiões.
II - Fórum de Tecnologia da Informação
Realizado no dia 22 de novembro, em Cascavel, o II – Fórum de Tecnologia da Informação
das Cooperativas do Estado do Paraná reuniu 35 profissionais de cooperativas.
A programação do 2º Fórum de TI de 2013 contemplou a apresentação de uma palestra
ministrada pelo presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, sobre o tema “O agronegócio brasileiro”.
Houve ainda a participação de Guto Zafalon, que tratou de “Eficiência energética humana –
manutenção de atitudes proativas”, palestra com enfoque comportamental e que abordou questões
relacionadas à liderança. Os participantes também realizaram uma visita ao Moinho de Trigo da
Coopavel.
40
III - Pós-Graduação em Gestão da Tecnologia da Informação
O Fundação Getúlio Vagas e o Sescoop/PR apoio da área de Tecnologia da Informação
realizaram no dia 23/12, em Cascavel, o primeiro módulo do curso de Pós Graduação em Gestão da
Tecnologia da Informação. O curso conta com 41 participantes e representa um importante passo
para a profissionalização dos gestores e consequentemente da área de tecnologia da informação das
cooperativas.
Sistemas informatizados e aquisições
O ano de 2013 marca o fechamento do primeiro ciclo de utilização do sistema Autogestão
GDH. O sistema é a ferramenta operacional que o Sescoop/ PR utiliza para monitorar e controlar os
projetos de cursos de formação profissional e promoção social. O sistema, somado a metodologia
de trabalho utilizada no Paraná, vem sendo um referencial para os demais estados. A Organização
das Cooperativas Brasileiras em parceria com área de Desenvolvimento Humano e a área de
Tecnologia da Informação do Sescoop Paraná realizaram treinamentos de apresentação do sistema
para os demais estados.
Em 2013, foram adquiridos novos servidores e um novo equipamento para armazenamento
de informações em massa. Também, a aquisição de um novo robô de backup dobrou a capacidade
de backup de informações. Os investimentos têm como objetivo assegurar um alto índice de
disponibilidade e segurança dos serviços de T.I. oferecidos pelo Sescoop/PR. O quadro 16.
apresenta a os valores realizados por elemento de despesa.
Quadro 16: Realização por elemento de despesas das Ações de Informática
Elemento de Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - INFO
R$ 195.377,60
Salários, encargos e benefícios
Viagens - INFO
R$ 871,44
Passagens, Diárias e Hospedagens
Material de Consumo, Passagens e Locomoções, Serv. e Divulg.
Manutenção - INFO
R$ 2.521,25 Institucionais, Serviços Especializados, Serviços de Transportes e
Serviços Gerais
Investimento - INFO
R$ 15.490,35 Aquisição de equipamentos de informática e licenças de antivírus
Total
R$ 214.260,64
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Programa 5400 - Administração e Apoio
Objetivo do Programa: coordenar o planejamento e a formulação de políticas setoriais
Ação 5401: Intensificar o desenvolvimento de competências alinhado à estratégia do
SESCOOP
Em suas estratégias de desenvolvimento de competências dos funcionários esta regulada
através da Resolução nº 26/2005. O Sescoop/PR identifica necessidades, promove e gerencia ações
em favor do desenvolvimento pleno das atividades profissionais, buscando manter o quadro de
colaboradores capacitado e motivado. Normatizados procedimentos ao incentivo do
desenvolvimento profissional de seus empregados, onde estão previstas as seguintes modalidades
de incentivo:
a) para a participação em eventos de longa duração poderá ser concedida bolsa de estudo,
desde que prevista em convênio ou parceria com instituições de ensino devidamente habilitadas e
nos valores e percentuais estipulados pelo SESCOOP/PR, de acordo com o deliberado pelo Comitê
e aprovado pela Superintendência e Presidência;
41
b) para a participação em eventos de curta e média duração poderá ser concedido o
pagamento do valor do curso;
c) para a participação em eventos modulares poderá ser concedido o pagamento de
mensalidades.
Foram realizados 36 eventos, 338 horas/aula e 615 participações, apoiados com bolsas de
estudos para mestrado, graduação, pós-graduação e eventos de curta e média duração, num total de
44 bolsas.
Os recursos aplicados neste programa somaram R$ 88.463,74, representando 45,49% do
total previsto. A baixa realização financeira ocorreu pela negociação feitas com as instituições de
ensino em conseguir a participação gratuita dos funcionários nos cursos. O Anexo IV apresenta a
relação detalhada dos cursos feitos pela equipe.
Quadro 17: Metas físicas e financeiras do desenvolvimento de competências alinhado à estratégia do
SESCOOP
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
% de realização
Financeira
R$ 1,00
194.456
88.463,74
45,49%
Física
PCCS implantados
1
1
100%
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Ação 5405: Assegurar qualidade e transparência na divulgação das ações e na comunicação
dos resultados
Objetivo do Programa: Desenvolver e garantir competências, integrar e alinhar o Sistema Sescoop
Esse programa tem como finalidade divulgar as ações realizadas pelo cooperativismo
paranaense e fortalecer a imagem do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo junto
aos principais veículos de comunicação, estão entre as principais ações da Assessoria de
Comunicação e Imprensa do Sescoop/PR. Durante o decorrer de 2013 foram realizadas várias ações
neste sentido, tendo sempre como foco o fortalecimento institucional das entidades.
Quadro 18: Metas físicas e financeiras da utilização da tecnologia de informação e comunicação
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
% de realização
Financeira
R$ 1,00
459.000
Modelo de padrões para registro de
Física
1
divulgação das ações
Fonte: Assessoria da Comunicação do Sescoop/PR e Sistema Zeus
472.074,38
102,85%
1
100%
Entre os principais trabalhos desenvolvidos pelo setor no ano destacamos o seguinte:
Revista Paraná Cooperativo
Publicada conjuntamente pela Ocepar e Sescoop/PR, tendo sido editadas 11 edições em
2013, incluindo uma especial contendo as “Ações de Responsabilidade Social das Cooperativas
Paranaenses” e um encarte especial sobre as conquistas do Sistema Ocepar.
Informe Paraná Cooperativo
Editadas 240 edições com notícias sobre o cooperativismo e atividades realizadas pelo
Sescoop/PR, Ocepar e Fecoopar.
42
Revista Paraná Cooperativo Técnico Cientifico
Publicadas duas edições da revista, números 06 e 07, com tiragem de 2.000 exemplares de
cada edição.
Folder: Cooperativismo paranaense:
Publicado folder sobre o desenvolvimento sustentável no campo e na cidade, com tiragem
de 3.000 exemplares.
O quadro 19 apresenta a os valores realizados por elemento de despesa.
Quadro 19: Realização por elemento de despesas da Área de Comunicação
Elemento de Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - DIVULG
R$ 243.442,94
Salários, encargos e benefícios
Viagens - DIVULG
R$ 7.849,33
Passagens, Diárias e Hospedagens
Material de Consumo, Passagens e Locomoções, Serv e
Manutenção - DIVULG
R$ 32.172,77 Divulg Institucionais, Serviços Especializados, Serviços de
Transportes e Serviços Gerais
Aquisição de equipamentos de informática e máquina
Investimento - DIVULG
R$ 43.110,25
fotográfica
Informação, Publicação e
Impressão de material para divulgação como folders,
R$ 145.499,09
Biblioteca
revistas, relatórios e aquisição de livros para biblioteca.
Total
R$ 472.074,38
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Programa 0773 – Gestão da Política de Execução Financeira, Contábil e de Controle
Objetivo do Programa: Auditar, orientar e verificar ações realizadas
Ação 8914: Serviços de administração e controle financeiro
As atividades executados em 2013, nesta ação, foram seis reuniões realizadas pelo Conselho
Fiscal, que trataram acompanhar e fiscalizar a execução financeira, orçamentária e os atos de
gestão, como também, o exame e emissão de parecer sobre o balanço patrimonial e demais
demonstrações financeiras.
Quadro 20: Metas físicas e financeiras do Conselho Fiscal
Unidade De Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
11.700
Física
Planejamento Instituído
1
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR-2013
Realizado
8.780,00
1
% De Realização
75,05%
100%
No exercício 2013 foram realizadas seis reuniões ordinárias deste colegiado. As metas
físicas foram atingidas.
43
Ação 8951: Auditoria Interna
A Auditoria Interna tem como objetivo assessorar a administração com informações sobre o
desempenho da gestão, de modo a subsidiar o processo de decisão, buscando agregar valor à gestão,
na gerência da coisa pública.
Em 2013, a Auditoria Interna, atingiu 115,25% do montante de horas previstas, tendo levado
a efeito 922 horas de trabalho, com o que cumpriu plenamente o planejamento respectivo, no
atendimento de sua missão e objetivos.
Quadro 21: Metas físicas e financeiras da Atividade de Auditoria Interna
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
Financeira
R$ 1,00
114.700
111.637,45
Física
Horas
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR-2013
800
922
% de realização
97,33%
115,25%
A Auditoria Interna, instituída nos termos das disposições do Decreto nº 3.591/2000 e da IN
SFC/MF nº 01/2001, visando o assessoramento à administração com informações sobre o
desempenho da gestão, subsidiando o processo e agregando valor ao gerenciamento da coisa
pública, levou a efeito no exercício de 2013 um total de 922 horas de trabalho, produzindo oito
relatórios específicos na área operacional, o RAINT/2012, o PAINT/2014 e no atendimento da DN
TCU nº 124/2012, emitiu Parecer, anexo ao relatório de gestão do exercício de 2012, com
manifestação expressa sobre os controles internos administrativos, regularidade dos processos
licitatórios, gerenciamento da execução de convênios e ajustes, sobre o cumprimento das
recomendações da Auditoria Interna, do Tribunal de Contas da União, do Órgão de Controle Interno
e das decisões e recomendações do Conselho Fiscal e do Conselho Administrativo.
As despesas da área
orçamento respectivo.
foram realizadas na ordem
de 97,33% dos valores fixados no
Quadro 22: Realização por elemento de despesas da Auditoria Interna
Elemento de Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - AUDIN
R$ 111.637,45
Salários, encargos e benefícios
Total
R$ 111.637,45
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Ação 5301: Incentivar as cooperativas na promoção da segurança no trabalho
Foram aplicados recursos neste programa no valor R$ 1.958.267,18, representando 88,19%
do total previsto e suas metas físicas foram atingidas em 91,43%.
A segurança nos últimos anos tem ganho um destaque crescente nas cooperativas
paranaenses. Os investimentos nessa área tem trazido bons resultados, de modo especial na
diminuição de acidentes e afastamentos do trabalho. As palestras, seminários e encontros tem
contribuído significativamente para esse fim.
Quadro 23: Metas físicas e financeiras do Projeto de Segurança do Trabalho
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
Financeira
R$ 1,00
2.220.442
1.958.267,18
Física
Nº de Cooperativas
35
32
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
% de realização
88,19%
91,43%
Foram realizados 133 projetos nas cooperativas, tendo como temas: Curso de Direção
Preventiva; Curso Especializado de Saúde no Trabalho; Curso de Reciclagem em NR 10; Curso de
44
Bombeiro Profissional Civil; Curso de Direção Defensiva; Curso de Formação de Novos
Brigadistas; Curso de NR-33 - Espaço Confinado; Curso de Operador de Máquinas; Curso de
Segurança em Eletricidade; Curso Segurança na Operação de Caldeiras; Seminário das Brigadas;
Curso Form. NR 35 - Trabalho em Altura; Curso de Segurança no Trabalho; Curso de CIPA; Curso
Gestão Seg. do Trab. Ambiental; Curso de Normas Regulamentadoras; Curso Implantação do
Progr. de Segurança; Curso Formação de Operador Empilhadeira; Curso Brigada Emergência Prim.
Socorros; Curso de Formação em MOPP; Curso de Formação de Vigilantes; Formação de Brigada
de Emergência; Curso de Pilotagem Segura; Curso de SEP; Transporte de Veículos de Emergência;
Curso Direção Motorista Veículos de Emergência; Curso NR-12 Máquinas e Equipamentos; Curso
NR-23 Brigada de Incêndio Avançado; Curso NR-23 Brigada de Incêndio Básica; Curso de
Ergonomia; Curso Refrigeração Industrial por Amônia; Palestras sobre Segurança no Trabalho e
Qualidade de Vida; Curso de Proteção Respiratoria; etc.
Ação 5302: Promover um estilo de vida saudável entre cooperados, empregados e familiares
Foram aplicados recursos neste programa no valor de R$ 500.205,81, representando
94,03% do total previsto e suas metas físicas ultrapassaram ao planejado 37,28%
Um programa importante para o desenvolvimento do sistema cooperativista paranaense
porque proporciona a oportunidade melhorar estilo de vida saudável entre cooperados, empregados
e familiares.
A participação superou em 37,28% em relação a meta física prevista. A justificativa do fato
esta associada com a relevância dos temas com vistas de melhoria de renda e saúde.
Ações voltadas para a prevenção e manutenção da saúde física e mental para a melhoria da
qualidade de vida do público beneficiário.
Quadro 24: Metas físicas e financeiras do Projeto do estilo de vida saudável
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
Financeira
R$ 1,00
531.949
500.205,81
Física
Nº Participantes
9.437
12.955
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
% de realização
94,03%
137,28%
Foram realizados 32 projetos nas cooperativas, tendo como temas: Palestra Mulher no
Mercado de Trabalho; Curso de Saúde e Qualidade de Vida na Organizacional ; Palestras Educação
Financeira; Palestra de Planejamento Financeiro Pessoal; Palestra Qualidade de Vida no Trabalho;
Palestra Gestão de Relacionamentos; Palestra sobre Qualidade de Vida; Palestra sobre
Aprimoramento Pessoal; Palestra Motivacional; Palestra sobre Sucessão Familiar; Palestra
Comemoração Dia Internacional da Mulher; Mês da Mulher Unimed Curitiba; Palestra sobre
Equilibrio Pessoal e Profissional; Palestra sobre Gestão do Orçamento Familiar e Pessoal; Palestra
sobre Álcool e Drogas; Palestra sobre Hábitos de Vida Saudáveis; Palestra sobre Saúde da Mulher;
Palestra Comemoração ao Dia do Trabalho; Programa Vivencial em Cooperativismo; Palestra
Gestão de Relacionamentos; Palestra Integração Cultural e Social; Torneio de Integração; Encontro
Comemorativo ao Dia da Mulher; Palestra Comemoração Dia do Trabalhador; Promoção Social Artesanato e Culinária; Programa de Promoção Social; Curso de Práticas de Geração de Renda;
Curso de Culinária; etc.
Ação 5303: Intensificar a adoção da responsabilidade socioambiental na gestão das
cooperativas brasileiras
As cooperativas já tem uma preocupação forte em relação a responsabilidade socioambiental
e praticamente aplicam recursos próprios em vários projetos. O Sescoop/PR também tem apoiado
algumas ações nesse sentido.
45
Foram aplicados recursos neste programa no valor de R$ 38.700,00, representando 63,34%
do total previsto e suas metas físicas foram atingidas em 75%.
Do valor orçado tanto na meta financeira como na física ficou abaixo do previsto, motivo
principal é a falta de especialistas qualificados para ministrarem palestras e treinamentos nessa área.
Quadro 25: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
61.100
Física
Nº Cooperativas
8
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Realizado
38.700
6
% de realização
63,34%
75%
Foram realizados 10 projetos nas cooperativas abordando temas como palestras e cursos
sobre Sustentabilidade; Gerenciamento de Riscos Ambientais; Responsabilidade Social e Meio
Ambiente; Comemoração ao Dia do Meio Ambiente; Programa de Desenvolvimento do
Voluntariado; Inclusão Portadores de Deficiência; Encontro de Responsabilidade Social; Programa
de Desenvolvimento de Voluntários Transformadores; Aproveitamento de Alimentos; Programas
Sociais.
Programa 5200- Profissionalização e Sustentabilidade
Objetivo do Programa: melhorar a gestão e a governança das cooperativas
Ação 5201: Ampliar o acesso das cooperativas à formação em gestão cooperativista, alinhada
as suas reais necessidades, com foco na eficiência e na competitividade
Nesse programa há um apoio voltado aos cursos de Pós-graduação que visa desenvolver e
aprofundar a formação adquirida nos cursos de graduação (inclusive os de educação profissional
tecnológicas de graduação), compreendendo programas de “stricto sensu” (mestrado e doutorado) e
os de “lato sensu” (curso de especialização).
Foram realizados 31 cursos entre projetos centralizados e descentralizados, com 198
eventos, tendo 6.786 participações e carga horária de 3.862 horas/aula.
Curso superior de tecnologia, destinado a egressos do ensino médio ou equivalente, voltado
para atividades em uma determinada área profissional. Trata-se de curso de graduação com
características especiais, distinto do bacharelado, cuja conclusão dá direito ao diploma de
tecnólogo. Ocorre apenas como um programa de educação profissional tecnológica de graduação.
Foram realizados quatro cursos dessa natureza, contemplando 40 eventos, com carga horária
de 2.000 horas e 910 participações do público beneficiário. A relação detalhada dos eventos
encontra-se no Anexo III, item A.5 e 6.
Quadro 26: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
7.836.137
Física
Nº de Cooperativas
160
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Realizado
7.134.943,69
154
% de realização
91,05%
96,25%
Nesse programa foram atendidas praticamente todas as cooperativas conforme meta física
atingindo 96,25% de realização. Em termos financeiros a realização alcançou um montante de
R$7.134.943,69, representando 91,05% do valor realizado.
46
Ação 5202: Contribuir para viabilizar soluções para as principais demandas das cooperativas
na formação profissional
Os projetos / atividades executados em 2013, nesta Ação, foram:
Ato ou efeito de habilitar, de tornar uma pessoa capaz, com potencial e habilidades para
compreender e desenvolver uma determinada atividade. É um processo de ensino-aprendizagem
com o objetivo de instruir, de transmitir conhecimentos e informações, e que se caracteriza também
por almejar objetivos bem delimitados na busca e no alcance de uma operacionalização e
aplicabilidade imediata dos conteúdos e aspectos trabalhados nas suas atividades.
Quadro 27: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
7.890.140
Física
Nº Cooperativas
143
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Realizado
7.055.145,71
134
% de realização
89,42%
93,71%
Nesse programa foram atendidas as cooperativas conforme meta física atingindo 93,71% de
realização. Em termos financeiros a realização alcançou um montante de R$ 7.055.145,71,
representando 89,42% do valor realizado. Alguns eventos não foram realizados por falta de
regularidade fiscal e pelo cancelamento da própria cooperativa.
Ação 5203: Promover a adoção de boas práticas de governança e gestão nas cooperativas.
Várias ações estão sendo realizada pelas cooperativas na adoção de boas práticas de
governança e gestão nas cooperativas. O Sescoop/PR também tem apoiado algumas ações nesse
sentido.
Foram aplicados recursos neste programa no valor de R$ 359.236,72, representando 87,21%
do total previsto e suas metas físicas foram atingidas em 88,67%.
Do valor orçado tanto na meta financeira como na física ficou abaixo do previsto em função
de cancelamento da própria cooperativa e por alguns programas terem sido iniciados mais tarde e
terão sua continuidade em 2014.
Quadro 28: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
411.922
Física
Nº Cooperativas
150
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Realizado
359.236,72
133
% de realização
87,21%
88,67%
Foram realizados 13 projetos nas cooperativas envolvendo eventos como Programação
Formação de Executivos e Líderes Cooperativistas; Curso de Auditores Internos; Curso para
Conselheiro Fiscal; Programa de Certificação de Conselho Cooperativos; Programa de
Desenvolvimento de Conselheiros; Programa de Desenvolvimento de dirigentes – PDD; Curso de
Governança Cooperativa; Seminário Planejamento Estratégico Corporativo; Curso Preparatório
Conselheiro Fiscal; Curso de Gestão Estratégica; Curso de Planejamento Estratégico; Programa de
Desenvolvimento da Liderança Jovem; Workshop de Governança Corporativa.
Um programa que merece destaque é o de Certificação de Conselheiros, programa lançado
em 2013 com objetivo de capacitar novos conselheiros para o exercício da função. É um programa
de capacitação específico para conselheiros de cooperativas de crédito e agropecuário, que busca
aprimorar e desenvolver competências, visando uma maior efetividade no seu desempenho. Foram
47
realizadas duas turmas, sendo uma no Sicoob Central e outra na cooperativa Copagril, totalizando
80 participantes.
Outro programa importante desenvolvido foi de Formação de Líderes e Executivos A
preparação dos executivos tem recebido atenção especial do Sistema Ocepar, pois eles são os
responsáveis pela transformação das estratégias em resultados, fortalecendo a atuação e integração
dos gestores e a interação com as lideranças. Por isso, desenvolve, por meio do Sescoop/PR, um
programa continuado de capacitação composto por fóruns destinados à discussão de assuntos
específicos, cursos e viagens de intercâmbio.
No ano, foi promovido um fórum, com a presença de 30 executivos, evento este realizado
em conjunto com o Tribunal de Justiça do Paraná - evento especial como parte das atividades do
Programa Internacional de Formação de Executivos e Líderes Cooperativistas. O encontro
aconteceu durante os dias 26 e 27 de setembro, em Curitiba.
Também, dando continuidade à capacitação internacional, em 2013, foi concluída a 4ª turma
e iniciada a 5ª, no dia 15 de julho, em Curitiba. O primeiro módulo contou com 28 executivos, e o
segundo módulo foi uma viagem de imersão no cooperativismo da Argentina, onde o grupo teve a
oportunidade de visitar a sede da Coninagro (Confederação Intercooperativa Agropecuária), em
Buenos Aires, para conhecer detalhes sobre a atuação das cooperativas agropecuárias e os desafios
do setor. Estiveram também nas cidades de Rosário, em visita a AFA (Agricultores Federados
Argentinos), em Shunchales, na Sancor Seguros e na Sancor Lácteos.
Ação 5204: Monitorar desempenhos e resultados com foco na sustentabilidade das
cooperativas
Essa ação esta sob a responsabilidade da Gerência de Desenvolvimento e Autogestão. Seu
foco é realizar atividades de orientação na constituição de cooperativas, informação, avaliação,
acompanhamento, estudos e análise de desempenho das cooperativas.
Foram aplicados recursos neste programa no valor de R$ 1.968.648,46, representando
98,60% do total previsto e suas metas físicas atingiram 98,73% do previsto.
Quadro 29: Metas físicas e financeiras do Projeto/Atividade
Unidade de Medida
Previsto
Financeira
R$ 1,00
1.996.700
Física
Nº Cooperativas
236
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Realizado
1.968.648,46
233
% de realização
98,60%
98,73%
48
O quadro 30 apresenta a os valores realizados por elemento de despesa.
Quadro 30: Realização por elemento de despesas da Gerência de Autogestão
Elemento De Despesa
R$
Contextualização
Pessoal - ACOMP
R$ 1.674.352,79
Salários, encargos e benefícios
Viagens - ACOMP Prog.de
R$ 1.604,84
Passagens, Diárias e Hospedagens
Orientação a Cooperativas
Viagens - ACOMP Prog.de
R$ 257.159,87
Passagens, Diárias e Hospedagens
Orientação a Cooperativas II
Material de Consumo, Passagens e Locomoções, Serv.
Manutenção - ACOMP
R$ 31.142,96
e Divulg. Institucionais, Serviços Especializados,
Serviços de Transportes e Serviços Gerais
Aquisição de equipamentos de informática e máquina
Investimento - ACOMP
R$ 4.388,00
fotográfica
Total
R$ 1.968.648,46
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
As atividades de monitoramento e desenvolvimento de cooperativas têm como principal
objetivo a manutenção da qualidade da gestão das empresas cooperativas, preservando sua
credibilidade perante terceiros e a transparência junto ao quadro social. Busca-se, ainda, assegurar a
longevidade das cooperativas.
A qualidade da gestão é perseguida mediante processos que envolvem a constituição, o
registro, o sistema de acompanhamento e a auditoria de gestão, incluindo também a análise de
cenários econômicos e dos meios de conduzir os negócios nos diversos ambientes onde atuam.
Esses processos combinam-se ao monitoramento das cooperativas, que busca proporcionar
melhores níveis de eficiência e eficácia, com maiores resultados e menos gastos financeiros. Outra
meta é garantir que as cooperativas sejam, de fato, sociedades democráticas atentas aos anseios dos
cooperados, sem, contudo, perder de vista o mercado e os condicionantes econômicos.
A) Ações vinculadas aos objetivos estratégicos
a.1) Assessoria Fisco Contábil
Com o objetivo de prestar assessoramento fisco contábil às cooperativas de transporte,
foram realizadas 10 visitas de acompanhamento da situação fiscal e tributaria, onde foram prestados
esclarecimentos a cerca do devido tratamento contábil e tributário para as cooperativas de
transporte. Também foram atendidas 2 outras cooperativas que demandaram assessoramento
específicos sobre capital social, Créditos tributários e Guia tributário geral.
Foi mantido apoio integral junto à OCB para a análise e acompanhamento de alterações de
legislações que gerassem impacto ao sistema cooperativo, dentre destas destacamos o trabalho
realizado para desoneração da folha e discussões sobre o adequado tratamento tributário ao ato
cooperativo.
Realização de 05 reuniões do GAET (Grupo de Estudos Tributários das Cooperativas
Paranaenses).
a.2) Orientação para constituição e registro de cooperativas
A orientação na constituição de cooperativas é a ação preventiva de monitoramento. Neste
sentido as orientações do sistema OCEPAR para o sucesso do empreendimento cooperativo, devem
estar alicerçado em quatro pilares: a necessidade e solução, o comprometimento dos interessados, a
viabilidade econômica do negócio e a sustentação legal. Atendidos estes requisitos, o grupo de
interessados na constituição de uma cooperativa terá certeza do sucesso para o novo
empreendimento. Com esta linha de atuação No ano, foram orientados 97 grupos interessados na
constituição de cooperativas importando num total de 133 atendimentos dos quais atendimentos
49
convergiram para 01 registro provisório. Das cooperativas constituídas em anos anteriores 12
tiveram a concessão de registros em definitivos ou prorrogados e 06 cancelados.
a.3) Visitas Técnicas
Com o objetivo de apresentar e discutir a análise da situação econômica e financeira das
cooperativas foram realizadas 168 visitas técnicas em 165 cooperativas, que contaram com a
participação de 1.116 participantes, dos quais 11% eram presidentes, 25% diretores, 18% gerentes,
17% conselheiros fiscais, 10% agentes de DA ou DH e 19% outros técnicos. Das cooperativas
analisadas 68 eram do ramo agropecuário, 31 do ramo saúde, 25 de transporte, 13 de crédito, 9 de
infraestrutura, 10 educacional, 7 de trabalho, 3 turismo e lazer, 1 cooperativa de consumo e outra do
ramo habitacional. Na oportunidade também foi apresentado e discutido o PEDC Plano estratégico
de desenvolvimento cooperativo que tem como objetivo alcançar maior efetividade na aplicação dos
recursos do Sescoop/PR e contribui de forma efetiva para o desenvolvimento das cooperativas.
Para a realização destas visitas técnicas o GDA elaborou 11 cenários consolidados por
ramos e 08 cenários regionais para comparação com as cooperativas visitadas.
a.4)Trabalhos especiais
Atendendo a demanda de cooperativas em 2013 foram elaborado 9 (nove) trabalhos
especiais entre os quais destacamos: Plano de reestruturação e saneamento financeiro em 04
cooperativas, Implantação de nova unidade e/ou novas atividades em 02 cooperativas, Plano de
organização interna e normatização em 01 cooperativa, Plano de capitalização em 01 cooperativa e
Auxílio para incorporação em 01 cooperativa.
a.5) Conselheiros Fiscais
Foram realizadas 13 (treze) turmas de capacitação onde participaram 408 conselheiros
fiscais das cooperativas, com objetivo de treinar os conselheiros eleitos para o desempenho das
funções.
Entre os dias 17 e 26 de abril 8 cursos nas cidades de Londrina, Toledo, Maringá, Ponta
Grossa, Pato Branco e Curitiba. No mês de junho, entre os dias 24 e 26 foram realizados outros 4
cursos, sendo que 2 deles específicos para o ramo saúde, nas cidades de Curitiba e Maringá.
Para complementar o programa de capacitação de conselheiros fiscais de 2013, foi realizado
um curso para conselheiros de cooperativas de crédito em Campo Mourão com a participação de 16
a.6) Fórum dos Contadores
Cerca de 79 profissionais, entre contadores, controllers, auditores, analistas e assistentes,
participaram do Fórum de Contadores das Cooperativas nos dias 17 e 18 de outubro em Maringá.
A capacitação visou promover a atualização dos profissionais das áreas contábil, fiscal e
tributária quanto ao processo de convergência das normas brasileiras de contabilidade às regras
internacionais. Foram apresentados e discutidos os aspectos técnicos e práticos relacionados aos
CPCs (Comitês de Pronunciamentos Contábeis), as mudanças mais significativas ligadas às práticas
contábeis adotadas pelas cooperativas e a abrangência dos pontos críticos para a sua
implementação.
a.7) Fórum Financeiro
Com o objetivo de apresentar o desempenho das cooperativas agropecuárias e os resultados
alcançados em 2012 e debater as perspectivas para a economia nacional e internacional, foi
realizado no mês de abril o Fórum Financeiro com as instituições financeiras que possuem
relacionamento com as cooperativas, participaram deste evento 36 representantes das cooperativas e
20 convidados de bancos e cooperativas de crédito. O segundo Fórum financeiro do ano também foi
50
realizado no auditório do sistema Ocepar e contou com a participação de 49 representantes de
cooperativas e teve como foco principal a análise e perspectiva da economia mundial e Brasileira.
a.8) Coordenação de Eventos
Através das demandas levantadas em visitas técnicas, ou ainda de forma direta por parte das
cooperativas o GDA traça planejamento de eventos de forma centralizada afim de atender as
dificuldades contábeis, tributárias, financeiras ou operacionais das cooperativas.
Em 2013 foram coordenados 63 eventos que contaram com 1.263 participantes e 1.593
horas. Para estes eventos foram investidos R$ 654.945,00 (Seiscentos e cinquenta e quatro mil e
novecentos e quarenta e cinco reais).
Os eventos coordenados pelo GDA foram:
Curso de Atualização de ICMS - Curso de Atualização Tributária - Curso de Auditores
Internos - Curso de Condução Econômica - Curso de Custos Operacionais do Transporte de Cargas
- Curso de DIPJ - Curso de Direção Preventiva - Curso de Fechamento de Balanço - Curso de
Gerenciamento de Sistemas de Gestão Integrada - Curso de Gestão de Containers - Curso de Gestão
da Frota - Curso de Gestão de Utilização de Pneus - Curso de IFRS para Pequenas e Médias
Cooperativas - Curso de Implantação de Sistemas Integrados - Curso de Reciclagem na Utilização
de Sistema Integrado - Curso para Conselheiro Fiscal - Fórum de Dirigentes de Cooperativas de
Transporte - Fórum dos Dirigentes do Ramo Educacional - Fórum dos Profissionais de
Contabilidade - Fórum dos Profissionais de Finanças - Palestra sobre Cooperativismo - Programa de
Qualidade no Ramo Transporte - Programa de Reciclagem na Gestão da Qualidade - Curso de
Revisão das alterações das normas contábeis em IFRS
B) Ações de Monitoramento Específicas por Ramos
b.1) Ramo Transporte
Fórum das Cooperativas do Ramo Transporte
Foram realizados quatro encontros no ano, reunindo os diretores das cooperativas de
transporte, os eventos foram realizados em Pato Branco, Mandaguari, Piên e Cambé, totalizando
146 participações em 19 horas. Foram discutidos os indicadores econômicos e financeiros o plano
de eventos e capacitação de 2014, alteração de legislação (11.442), lei do tempo de direção
(12.690), conta frete, recolhimento previdenciário, excepcionalidade de ingresso de pessoa jurídica
nas sociedades cooperativas, desenquadramento do Simples para pessoas jurídicas associadas em
cooperativas e o Plano Estratégico de Desenvolvimento Cooperativo. No último evento contamos
com a Participação de técnicos da OCB para validação e apresentação do plano de trabalho do
Ramo.
Como destaques de ações em prol do Ramo em 2013 apresenta-se:
a) Início da aplicação da redução da base de cálculo do Imposto de Renda de 40% para 10%,
através da Medida Provisória nº 582.
b) Prorrogação da tolerância 7,5% de peso entre eixos, conforme Resolução 467/13 do Contran;
c) Reconhecimento do segmento com indicação para participação na Câmara de Estudos
Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas do Ministério dos Transportes através da portaria Nº
326, de 9 de agosto de 2013.
d) Participação e discussão em audiência pública da Câmara dos Deputados em ralação à
necessidade de alterações da Lei 12.619 (Tempo de direção).
51
e) Participação e discussão em audiência pública da ANTT – Agência Nacional de Transportes
Terrestres em ralação à Resolução 3658 (Conta Frete).
f) Discussões junto à Casa Civil para alterações da Lei 11.442.
g) Definição de Plano Contábil padrão através do CCT (Comitê Contábil Tributário).
h) Emissão da Recomendação Técnica 001 da OCB que trata do ingresso de pessoa jurídica no
quadro social de cooperativas de transporte;
i) Elaboração de projeto para criação de linha de crédito específica para o Ramo.
j) Participação na Câmara Temática de estudos da ANTT.
k) Realização de diversos cursos específicos para o ramo como:
l) Curso de condução Econômica
m) Custos Operacionais no Transporte
n) Curso de direção preventiva
o) Curso de Gestão de containers
p) Curso de gestão de frota
q) Curso de gestão e utilização de pneus
r) Programa da qualidade no transporte
b.2) Ramo Educacional
Fórum de Educação
Dirigentes das cooperativas do ramo educacional reuniram-se, no dia 07 de julho, na sede da
Cooperativa Educacional Regina Mundi em Dois Vizinhos (Coopermundi), em um fórum
organizado com o apoio do Sescoop/PR para discutir impactos das legislações vigentes e dos
projetos de lei em curso como também treinamentos necessários para o setor, entre outros temas.
Neste ano também teve início a Pós-Graduação do Ramo que foi intitulada de “Curso de
Especialização em Cooperativismo Aplicado à Educação”, realizado em parceria com a PUC/PR,
esta Pós graduação foi uma demanda levantada pelo ramo durante as discussões do conselho
estadual.
b.3) Ramo Saúde
Foram realizadas 20 (vinte) visitas técnicas, contando com 125 participações das quais 42%
de dirigentes destas cooperativas.
As ações de destaque em 2013 foram:
a)
Padronização do Balanço Social para o Ramo;
b) Discussão e implantação de indicadores para monitoramento da área de Recursos
Humanos das cooperativas de Saúde;
Durante as visitas técnicas os analistas da área de Gerência de Desenvolvimento e
Autogestão perceberam que o Ramo está apresentando sinais de alerta e portanto existem questões
que foram registradas para realização de ações efetivas e acompanhamento no plano de trabalho de
2014, as principais destacadas são:
a)
ANS – ampliação de coberturas, sem contrapartida contratual;
52
b) Legislação tributária desfavorável;
c)
Aumento dos custos operacionais;
d) Ações judiciais que oneram os custos;
e)
Evolução tecnológica que amplia as quantidades de exames e custos;
b.4) Ramo Trabalho
Foram realizadas 07 (sete) visitas técnicas, contando com 34 participações das quais 56% de
dirigentes destas cooperativas.
As ações de destaque em 2013 foram:
a) Elaboração e implantação piloto em uma cooperativa de trabalho do Plano Estratégico
de Desenvolvimento Cooperativo (PEDC);
b) Realização do Curso de IFRS para pequenas e médias cooperativas, com objetivo de
interpretação e aplicação das normas internacionais de contabilidade adequados à realidade de
cooperativas de pequeno porte;
Assessoramento à gestão das pequenas cooperativas
O programa de apoio integral as pequenas cooperativas – PROCOOPE tem sua atuação
voltada ao desenvolvimento das novas e pequenas cooperativas, através do assessoramento direto
na regularização documentária, na organização dos processos administrativos e de controle. Tem
como objetivo dar suporte ao desenvolvimento das atividades das pequenas cooperativas e das
novas no inicio de suas atividades.
Participantes
Em 2013 o PROCOOPE contava com 106 (cento e seis) cooperativas, das quais 91 estavam
em operação e 15 apesar de estarem com o registro ativo no Sistema Ocepar não estavam operando,
abaixo seguem as relações.
Quadro 31: Relação de Cooperativas “Ativas”
Sigla
AEROTAXI
BIOLABORE
CARGAS E ANEXOS
CASB
CEACEMP
CEFI
CEILIN
CEPROPAR
CERAL
CERCHO
CERWIT
COCAMP
COLÉGIO COOPERATIVA
COMEPP
COOAVISUL
COOCLAPAR
COOHABIVEL
COONAGRO
Descrição do Núcleo
CENTRO SUL
OESTE
CENTRO SUL
NORTE
OESTE
OESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
SUDOESTE
CENTRO SUL
SUDOESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
SUDOESTE
CENTRO SUL
OESTE
CENTRO SUL
Ramo
TRANSPORTE
TRABALHO
TRANSPORTE
AGROPECUÁRIO
EDUCACIONAL
EDUCACIONAL
EDUCACIONAL
TRABALHO
INFRA-ESTRUTURA
INFRA-ESTRUTURA
INFRA-ESTRUTURA
AGROPECUÁRIO
EDUCACIONAL
SAÚDE
AGROPECUÁRIO
TRABALHO
HABITACIONAL
AGROPECUÁRIO
53
COOPCARDIO PR
COOPECOSTA
COOPERADI
COOPERDOL
COOPERFAX
COOPERFROTA
COOPERINE
COOPERLATE-VIDA
COOPERMAP
COOPERMUNDI
COOPERSUI
COOPERTRAC
COOPESF
COOPON
COOPROSERV
COOPTRAN
COOPTUR
COOTRANSCIC
COOTRAST
COOTTRAFOZ
COOVICAPAR
COPERFLORA
COPI
COPLAR
COTRANAUTA
COTRELENA
CREDISANEPAR
CRESERV PINHÃO
DOVICARGA
FECOERPA
FEDERALCRED SUL
RODOCREDITO
SAGRA
TRANSCOOPER
UNIFISIO
UNIODONTO MARINGA
UNIODONTO PARANA
UNIODONTO PONTA GROSSA
VOTORANTIM
COACIPAR
APROCER COOPERATIVA
Fonte: GDA, 2013
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
NORTE
NOROESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
SUDOESTE
OESTE
SUDOESTE
CENTRO SUL
OESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
NOROESTE
OESTE
OESTE
NOROESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
OESTE
OESTE
CENTRO SUL
SUDOESTE
OESTE
CENTRO SUL
SUDOESTE
OESTE
SUDOESTE
CENTRO SUL
NOROESTE
CENTRO SUL
CENTRO SUL
CENTRO SUL
NOROESTE
NORTE
SAÚDE
EDUCACIONAL
TRABALHO
TRABALHO
TRANSPORTE
TRANSPORTE
AGROPECUÁRIO
AGROPECUÁRIO
TRANSPORTE
EDUCACIONAL
AGROPECUÁRIO
TRANSPORTE
CRÉDITO
TRANSPORTE
TRABALHO
TRANSPORTE
TURISMO E LAZER
TRANSPORTE
TRANSPORTE
TURISMO E LAZER
AGROPECUÁRIO
AGROPECUÁRIO
SAÚDE
AGROPECUÁRIO
TRANSPORTE
TRANSPORTE
CRÉDITO
CRÉDITO
TRANSPORTE
INFRA-ESTRUTURA
CRÉDITO
CRÉDITO
AGROPECUÁRIO
TRANSPORTE
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
CRÉDITO
AGROPECUÁRIO
AGROPECUÁRIO
54
Quadro 32: Relação de Cooperativas com registro ativo na Ocepar, mas não estão operando
Sigla
Descrição do Núcleo
Ramo
CAEAR
CENTRO SUL
EDUCACIONAL
CCLPL
CENTRO SUL
AGROPECUÁRIO
CEACEPOM
CENTRO SUL
EDUCACIONAL
COCAFE
NOROESTE
AGROPECUÁRIO
COCEAL
NORTE
AGROPECUÁRIO
COOCAROL
NOROESTE
AGROPECUÁRIO
COOFERCO
NORTE
EDUCACIONAL
COOMARI
NOROESTE
EDUCACIONAL
COOPAB
SUDOESTE
EDUCACIONAL
COOPAGEV
CENTRO SUL
EDUCACIONAL
COOPERFLOR
CENTRO SUL
EDUCACIONAL
COOPERMIBRA
NOROESTE
AGROPECUÁRIO
COOPRAMIL
NORTE
AGROPECUÁRIO
VALCOOP
NORTE
AGROPECUÁRIO
Fonte: GDA, 2013
Quadro 33: Informações das Cooperativas do PROCOOPE
Fonte: GDA, 2013
c.1) As principais ações realizadas de forma direta foram:
SIG – Sistema Integrado de Gestão;
O projeto denominado SIG (Sistema Integrado de gestão) visa capacitar os gestores e
técnicos das pequenas cooperativas na utilização de ferramenta de sistema integrado, ou seja, da
tradução literal dos chamados ERPs (Enterprise Resource Planning), que são sistemas de
informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A
integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, operacional, recepção,
armazenagem, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc) e sob
a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações
gerenciais, sistemas de apoio à decisão etc). Todo este processo resume-se na melhora de qualidade
de controles e transparência da gestão da cooperativa.
Através da contratação do serviço de instrutória a empresa contratada “fornece” pelo
período de até dois anos a licença de uso do software à cooperativa capacitada.
55
Este projeto teve inicio em 2007 e até dezembro de 2013 foram investidos R$ 821.204,81
(Oitocentos e vinte e um mil e duzentos e quatro reais e oitenta e um centavos) e contemplou a
participação de 16 (dezesseis) cooperativas, das quais 11 (onze) ainda estão efetivamente operando.
Quadro 34: Demonstrativo de aplicação de recursos e cooperativas atendidas
Acompanhamento do PROJETO SIG
Cooperativa
Projeto
Fase
Valor Total Investido no programa até -
Investimento
26/12/2013
821.204,81
2007
2007
2007
2007
2007
9.810,00
9.810,00
9.810,00
9.810,00
30.000,00
Camix
Coafag
Cooperante
Cooperlate-Vida
Todas
0998/2007
0998/2007
0998/2007
0998/2007
0999/2007
Camix
Coamil
Cooperante
Cooperlate-Vida
Copergrão
Valor Investido em 2007
1059/2008
Segundo Ano (Manutenção)
1060/2008
Primeiro Ano (Implantação)
1059/2008
Segundo Ano (Manutenção)
1059/2008
Segundo Ano (Manutenção)
1060/2008
Primeiro Ano (Implantação)
2008
2008
2008
2008
2008
69.240,00
13.333,33
16.666,67
13.333,33
13.333,33
16.666,67
Todas
Valor Investido em 2008
0526/2009
Reciclagem (Capacitação)
2009
73.333,33
8.500,00
Coamil
Codagri
Coopersuí
Cootramario
Copergrão
Coprossel
Todas
Valor Investido em 2009
0074/2010
Segundo Ano (Manutenção)
0393/2010
Primeiro Ano (Implantação)
0393/2010
Primeiro Ano (Implantação)
0393/2010
Primeiro Ano (Implantação)
0074/2010
Segundo Ano (Manutenção)
0074/2010
Segundo Ano (Manutenção)
1249/2010
Reciclagem (Capacitação)
2010
2010
2010
2010
2010
2010
2010
8.500,00
20.640,00
31.420,00
31.420,00
31.420,00
20.640,00
20.640,00
8.500,00
Coamil
Codagri
Coopersuí
Coopersuí
Cootramario
Copergrão
Copergrão
Coprossel
Coprossel
Unicastro
Biolabore
Coaprocor
Todas
Primeiro Ano (Implantação)
Primeiro Ano (Implantação)
Primeiro Ano (Implantação)
Primeiro Ano (Implantação)
Reciclagem (Capacitação)
Ano
Valor Investido em 2010
0084/2011
Terceiro Ano (Exceção)
0850/2011
Segundo Ano (Manutenção)
1055/2011
Reciclagem (Capacitação)
0850/2011
Segundo Ano (Manutenção)
0850/2011
Segundo Ano (Manutenção)
1055/2011
Reciclagem (Capacitação)
0084/2011
Terceiro Ano (Exceção)
1055/2011
Reciclagem (Capacitação)
0084/2011
Terceiro Ano (Exceção)
0389/2011
Primeiro Ano (Implantação)
Valor Investido em 2011
0155/2012
Primeiro Ano (Implantação)
0155/2012
Primeiro Ano (Implantação)
0950/2012
Reciclagem (Capacitação)
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2012
2012
2012
164.680,00
23.739,00
25.704,00
5.134,00
25.704,00
25.704,00
5.134,00
23.739,00
5.134,00
23.739,00
27.000,00
190.731,00
25.655,64
32.978,88
12.000,00
56
Unicastro
Cooperponta
Cerpa
Cooperleste
Todas
Biolabore
Coaprocor
Cooperponta
0838/2012
Segundo Ano (Manutenção)
1692/2012
Primeiro Ano (Implantação)
Valor Investido em 2012
0782/2013
Primeiro Ano (Implantação)
0806/2013
Primeiro Ano (Implantação)
0698/2013
Reciclagem (Capacitação)
0766/2013
Segundo Ano (Manutenção)
0766/2013
Segundo Ano (Manutenção)
0766/2013
Segundo Ano (Manutenção)
2012
2012
2013
2013
2013
2013
2013
2013
35.977,00
27.987,96
134.599,48
38.873,00
34.567,00
12.950,00
31.243,00
31.244,00
31.244,00
Valor Investido em 2013
180.121,00
Y:\Sistema Integrado de Gestão - SIG\[Controle Financeiro - SIG.xlsx]Acompanhamento Financeiro
Fonte: GDA, 2013
Comentários sobre as duas cooperativas que participaram do projeto e entraram em processo
de dissolução e liquidação:
a) CAMIX – Deixou de operar devido à inviabilidade financeira, todo seu imobilizado foi
adquirido pela Cooperativa Coprossel, que também foi participante do Projeto.
b) COAMIL – Deixou de operar devido ao reduzido quadro social e inviabilidade
econômica, foi “incorporada” pela Cooperativa Coprossel.
c)
COAFAG – Deixou de operar por falta de interesse do quadro social e município.
d) CODAGRI – Deixou de operar devido ao reduzido quadro social e inviabilidade
econômica.
e)
COPERGRÃO – Foi incorporada pela cooperativa Coprossel.
Sistema de Gestão da Qualidade para o Ramo Transporte
Este projeto tem como objetivo preparar e capacitar às cooperativas de transporte na
obtenção de certificações de gestão de qualidade, para que possam ampliar sua carteira de clientes
atendendo as exigências destes e também contemplando as adequações de legislações ambientais.
O projeto contempla a capacitação para certificação de ISO 9001, ISO 14000 e SASMAQ.
As cooperativas que participam deste projeto são:
a)
Coopercaf;
b) Rodocoop;
c)
Cootrelena;
d) Cooperleste;
e)
Cooptrans;
c.2) Atendimentos diários
Rotineiramente são atendidas solicitações de esclarecimentos sobre lançamentos contábeis,
inclusão de balanços no sistema AutoGestão, dúvidas tributárias, questões sociais, etc…
Estes atendimentos são realizados por todos os técnicos da Gerência de Desenvolvimento e
Autogestão através de contatos telefônicos, e-mails ou presencial.
57
Programa: 5100 – Cultura da Cooperação
Objetivo do Programa: promover a cultura da cooperação e disseminar a doutrina, os princípios e
os valores do cooperativismo
Ação 5101: Promover a cultura da cooperação e disseminação da doutrina
Esse programa tem ações que fortalecem a sociedade, por meio dos seus hábitos, seus
costumes, crenças e valores formadores da cultura. Atividades que se desenvolvem trabalhando o
conjunto das características humanas inatas, que se criam, se preservam ou aprimoram por meio da
comunicação e cooperação entre indivíduos.
Foram aplicados recursos neste programa no valor de R$ 2.843.241,74, representando
87,39% do total previsto e suas metas físicas atingiram 94,50% do previsto.
Quadro 35: Metas físicas e financeiras do Projeto Cultura da Cooperação
Unidade de Medida
Previsto
Realizado
% de realização
R$ 1,00
2.843.241
2.484.641,74
87,39%
24.859
23.491
94,50%
Financeira
Física
Nº Participantes
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR - 2013
Os projetos executados em 2013, nesta Ação, que merecem destaque são:
Elicoop Feminino
No dia 16 de maio, o Museu da Imigração Holandesa, na Colônia Castrolanda, em Castro
(PR), recebeu cerca de 210 lideranças femininas de 13 cooperativas do Paraná e convidadas de
cooperativas do Espírito Santo e do Mato Grosso do Sul, que participaram do 8º Encontro de
Lideranças Femininas - Elicoop Feminino.
Atualmente o setor cooperativista paranaense emprega 75 mil pessoas de forma direta, sendo
que 27 mil são mulheres, ou seja, 36%. Elas também marcam presença no quadro associativo, onde
já são mais de 15% do total de um milhão de cooperados em diversos ramos de atuação.
As mulheres presidem cooperativas e participam de Conselho de Administração,
desenvolvendo um papel fundamental para o cooperativismo, contribuindo para diminuir as
desigualdades e ajudando a promover o desenvolvimento econômico e social de forma justa e
igualitária.
Cooperjovem
O Cooperjovem é destinado a estudantes do ensino fundamental e é promovido em parceria
com cooperativas e escolas. No Paraná, o programa contou em 2013 com 10.640 alunos, 500
professores, 224 escolas de 64 municípios e participação de 15 cooperativas.
O Sicredi desenvolve um programa parecido chamado “A União Faz a Vida”, desenvolvido
nos estados do Paraná e São Paulo, envolvendo 54 municípios, 202 escolas e 30.102 alunos, com
2.286 professores e 25 cooperativas.
Os dois programas - Cooperjovem e a União Faz a Vida, promoveram em Curitiba, a quarta
edição do Encontro Interestadual PR/SP, reunido mais de 600 professores.
O encontro foi realizado nos dias 30 e 31 de outubro, nas dependências da Universidade
Positivo, com o objetivo de promover a aproximação e a integração entre os participantes dos
programas, otimizando os esforços em torno da promoção do cooperativismo e da cidadania.
Na abertura, foi lançada a 4.ª edição da Revista Vida Cooperativa, produzida pela Central
Sicredi e Sescoop/PR. Também, foram premiados os finalistas paranaenses do 7º Prêmio Nacional
de Redação do Programa Cooperjovem e do 6º Prêmio Nacional Professor Cooperjovem.
58
No 7º Prêmio Nacional de Redação, o estudante paranaense Kaio Victor Rodrigues da Rosa,
da Escola Municipal Dona Leopoldina, de Quatro Pontes, foi classificado em terceiro lugar na
categoria 4º e 5º ano do ensino fundamental. O tema de sua redação foi “Água: além de matar a
sede, é fundamental para a vida da terra” e, no 6º Prêmio Nacional Professor, o Sescoop/PR em
parceria com a Copagril foi classificado em 1º lugar com a professora Andréia Bach.
Também, numa iniciativa dos dois programas, cooperativas agropecuárias, educacionais e
de crédito, envolveram mais de dezoito mil estudantes, nos meses de junho a agosto, promovendo
uma ação conjunta que contou com oficinas de jogos cooperativos, apresentações culturais, ações
sociais e ambientais.
7º Intercâmbio Cultural entre Cooperativas - ITC
Mais de 600 pessoas acompanharam o 7º Intercâmbio Cultural entre Cooperativas (ITC),
que aconteceu no dia 06 de julho na Universidade Positivo, em Curitiba. Vinte e oito cooperativas
estiveram presentes com suas caravanas de cooperados, colaboradores e familiares para
participarem do evento. Nessa edição, 29 atrações se apresentaram no ITC.
O 7º ITC foi transmitido em tempo real pelo Portal Paraná Cooperativo
(www.paranacooperativo.coop.br), podendo ser visto através de smartphones e tablets, sendo que ao
todo mais de mil pessoas acompanharam o evento pela internet, das quais, 566 acessos foram
registrados de 14 estados brasileiros.
O objetivo do ITC é promover o intercâmbio e a confraternização por meio da arte, abrindo
espaço para os talentos do cooperativismo. A cada edição, o ITC se consolida como um evento de
promoção social que vem contribuindo para difundir a cultura da cooperação e fortalecer a
intercooperação. É realizado anualmente no 1º sábado do mês de julho e é uma das atividades
comemorativas ao Dia Internacional do Cooperativismo.
2.4 Indicadores utilizados pela entidade para monitorar e avaliar o desempenho,
acompanhar o alcance das metas, identificar os avanços e as melhorias na qualidade dos
serviços prestados, identificar necessidade de correções e de mudanças de rumos, etc.
Metas e indicadores qualitativos e quantitativos para avaliar o desempenho da gestão
Para uma melhor avaliação de desempenho e dos resultados alcançados em 2013, bem como
a correta aplicação dos recursos, apresentamos na sequência os indicadores de gestão de
desenvolvimento humano. Os indicadores foram classificados e serão apresentados em quatro
grupos distintos:
a) Indicadores de desempenho – medem o desempenho das atividades do Sescoop/PR,
comparativamente com os exercícios anteriores, no que diz respeito ao número de eventos, número
de participações, carga horária e investimentos realizados.
b) Indicadores de eficiência – medem a aplicação dos recursos, calculando os valores
médios investidos, tanto em capacitação profissional, quanto em promoção social, por evento, por
participante e por hora/aula.
c) Indicadores de eficácia – avalia os resultados da capacitação profissional e da promoção
social, previstos e realizados, no que diz respeito a eventos, participações, carga horária e
investimentos, além de comparar a carga horária por evento e as participações por evento.
d) Indicadores de efetividade – tem por objetivo calcular o percentual de evolução dos
resultados das avaliações dos eventos de capacitação profissional e de promoção social. Mede a
evolução do conhecimento dos participantes de treinamentos proporcionados pelo Sescoop/PR.
59
Os números apresentados na sequência originam os indicadores descritos acima.
 Número de eventos realizados: no exercício de 2013, foram realizados 5.479 eventos
sendo 4.381 em Formação Profissional e 1.098 ações de Promoção Social.
 Número de participações nos eventos: de janeiro a dezembro de 2013 participaram dos
eventos 151.415 cooperativistas. Deste total, 104.202 pessoas participaram de eventos de
Formação Profissional e 47.213 pessoas em eventos de Promoção Social.
 Carga horária total: a carga horária é um indicador importante na avaliação do
Sescoop/PR, pois destaca o esforço realizado no sentido de melhor formar, capacitar e
promover as pessoas. A carga horária apresentada se refere à duração do evento, sem
levar em consideração as participações. Foram 71.130,50 horas/aula ou atividades
realizadas nos 5.479 eventos, sendo 9.194,50 horas aplicadas nas ações de Promoção
Social e 61.936 horas aplicadas nas ações de Formação Profissional dos eventos
centralizados e descentralizados.
 Recursos financeiros: os recursos aplicados no ano de 2013 totalizaram
R$19.619.604,59, sendo R$3.035.450,00 em ações de Promoção Social e
R$16.584.115,00 em ações de Formação Profissional. Nesses recursos estão
contabilizados todos os custos necessários para a realização dos eventos como
remuneração de instrutores, despesas com material didático, divulgação, alimentação,
hospedagem, além das despesas administrativas e com pessoal da equipe da gerência de
desenvolvimento humano denominado de CAPCOOP, cujo valor soma a
R$1.937.337,99 incluído contabilmente na rubrica Formação Profissional.
2.4.1 Indicadores de Desempenho
a) Número de Eventos
Gráfico 4: Mede a evolução do número de eventos totais realizados pelo Sescoop/PR .
Número de Eventos 2004/2013
6.000
5.000
4.000
3.000
2.000
1.000
-
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Nº Eventos 1.266 1.266 1.583 2.368 2.926 2.946 3.340 4.273 4.344 4.999 5.479
Fonte: GDH, 2013
O ano de 2013, comparado com 2012, teve um crescimento de 9,6% no número de eventos.
Tal aumento, enquanto o volume de recurso aumentou em 3,89%, demonstra a maior eficiência na
utilização do recurso. Proporcionalmente de todos os indicadores de desempenho, esse é o que mais
cresceu.
60
b) Número de Participações
Gráfico 5: Mede a evolução do número de participações totais nos eventos realizados pelo Sescoop/PR.
Número de Participantes 2004/2013
160.000
140.000
120.000
100.000
80.000
60.000
40.000
20.000
0
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Público 72.364 71.415 104.614 120.861 100.273 102.332 123.775 129.223 144.557 151.415
Fonte: GDH, 2013
Comparando com o ano anterior, o número de participações, conforme demonstrado no
gráfico acima, teve uma evolução de 4,74%.
c) Carga Horária
Gráfico 6: Mede a Evolução da Carga Horária Total nos Eventos Realizados pelo Sescoop/Pr.
Horas/aula 2004/2013
80.000
70.000
60.000
50.000
40.000
30.000
20.000
10.000
0
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Horas/aula 18.743 20.729 31.113 38.242 37.286 40.023 45.803 55.471 67.146 71.130
Fonte: GDH, 2013
De todos os indicadores, esse é o que mede o tempo de duração das ações de treinamento, ou
seja, o tempo disponibilizado para participação efetiva nas ações promovidas pelo Sescoop/PR. Em
2013, conforme demonstrado no gráfico acima, tivemos um crescimento de 5,93% na carga horária,
se compararmos com o exercício de 2012.
61
d) Investimentos Realizados
Gráfico 7: Mede a evolução dos investimentos realizados pelo Sescoop/PR em treinamentos.
Recursos Financeiros Aplicados 2004/2013
20.000.000,00
15.000.000,00
10.000.000,00
5.000.000,00
-
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
R$ 3.216 4.281 6.687 7.895 7.964 10.35 12.95 17.30 18.88 19.61
Fonte: GDH, 2013
O Sescoop/PR teve um acréscimo no montante de recursos financeiros aplicados em
treinamentos, na ordem de 3,89%, se comparado com o exercício de 2012. Enquanto isso, os
demais indicadores de desempenho tiveram um crescimento acima disso, o que demonstra um
melhor aproveitamento do recurso.
2.4.2 Indicadores de Eficiência
a) Investimento médio por participante
Por meio desse indicador se calcula o valor médio (em reais - R$) investido por participante
em eventos de formação profissional, promoção social e total. O resultado é obtido por meio da
divisão do investimento total pelo total de participantes nas ações analisadas.
No gráfico 8, é apresentada a análise comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
Gráfico 8: Investimento médio por participante.
Investimento Médio por Participante (R$)
160,00
140,00
120,00
100,00
80,00
60,00
40,00
20,00
Previsto
Realizado
Promoção
Social
78,00
64,29
Formação
Profissional
150,67
159,15
Total
131,60
129,58
Fonte: GDH, 2013
62
b) Investimento médio por evento
Por meio desse indicador se calcula o valor médio (medido e reais – R$) por evento
investido nas ações de capacitação profissional, promoção social e total. O resultado é obtido por
meio da divisão do investimento total pelo total de eventos nas ações analisadas.
No gráfico 9, é apresentada a análise comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
Gráfico 9: Investimento médio por evento.
Investimento Médio por Evento (R$)
4.000,00
3.500,00
3.000,00
2.500,00
2.000,00
1.500,00
1.000,00
500,00
Previsto
Realizado
Promoção
Social
2.968,03
2.764,53
Formação
Profissional
3.624,87
3.785,47
Total
3.504,28
3.580,87
Fonte: GDH, 2013
c) Investimento médio por hora/aula
Por meio desse indicador se calcula o custo da hora/aula nas ações de capacitação
profissional, promoção social e total por evento. O resultado é obtido por meio da divisão do
investimento total pelo total de eventos nas ações analisadas No gráfico 8, é apresentada a análise
comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
No gráfico 10, é apresentada a análise comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
Gráfico 10: Investimento médio por hora/aula.
Investimento Médio por Hora (R$)
350,00
300,00
250,00
200,00
150,00
100,00
50,00
Previsto
Realizado
Promoção
Social
349,07
330,16
Formação
Profissional
246,84
267,76
Total
258,62
275,83
Fonte: GDH, 2013
63
2.4.3 Indicadores de Eficácia
a) Média de horas/aula por evento
Por meio desse indicador se calcula o número médio de horas/aula nas ações de capacitação
profissional, promoção social e total por evento. O resultado é obtido por meio da divisão do total
de horas/aula pelo total de eventos nas ações analisadas.
No gráfico 11, é apresentada a análise comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
Gráfico 11: Média de horas/aula por evento.
Carga Horária por Evento
16,00
14,00
12,00
10,00
8,00
6,00
4,00
2,00
Previsto
Realizado
Promoção
Social
8,50
8,37
Formação
Profissional
14,69
14,14
Total
13,55
12,98
Fonte: GDH, 2013
No gráfico acima observamos que a média de 12,98 horas por evento está adequada, sendo
que a média da Formação Profissional é de 14,14 horas e da Promoção Social é de 8,37 horas. Em
outras palavras poderíamos dizer que os eventos de Formação tem durado em média
aproximadamente dois dias e os de Promoção Social um dia. As diferenças entre o previsto e o
realizado estão muito próximos.
b) Média de participações por evento
Por meio desse indicador se calcula o número médio de participações nas ações de
capacitação profissional, promoção social e total por evento. O resultado é obtido por meio da
divisão do total de participações pelo total de eventos nas ações analisadas.
No gráfico 12, é apresentada a análise comparativa entre o previsto e o realizado em 2013.
64
Gráfico 12: Média de participações por evento.
Participações por Evento
45,00
40,00
35,00
30,00
25,00
20,00
15,00
10,00
5,00
Previsto
Realizado
Promoção
Social
38,05
43,00
Formação
Profissional
24,06
23,78
Total
26,63
27,64
Fonte: GDH, 2013
No gráfico acima observamos que, em média, houve participação 13% acima do planejado
em eventos de Promoção Social, o que não prejudica a qualidade e bom andamento do evento, uma
vez que, tecnicamente, esse o número é adequado para trabalharmos em programas de treinamento,
ou seja, 24 alunos em atividades de formação e 43 presenças em atividades sociais.
c) Eventos previstos e realizados
Por meio desse indicador se calcula o percentual dos eventos realizados em relação aos
previstos em ações de promoção social, capacitação profissional e total. O resultado é obtido por
meio da divisão do total de eventos efetivos pelo total de eventos previstos nas ações analisadas.
Gráfico 13: Eventos previstos e realizados em 2013.
Eventos Previstos e Realizados
7.000
6.000
5.000
4.000
3.000
2.000
1.000
-
Previsto
Realizado
Índice %
Promoção
Social
1.152
1.098
95,31%
Formação
Profissional
5.123
4.381
85,52%
Total
6.275
5.479
87,31%
Fonte: GDH, 2013
65
d) Participações previstas e realizadas
Por meio desse indicador se calcula o percentual de participantes atendidos em relação aos
previstos nos eventos de promoção social, capacitação profissional e total. O resultado é obtido por
meio da divisão do total de participações efetivas pelo total de participações previstas nas ações
analisadas.
Gráfico 14: Participações previstas e realizadas em 2013.
Participações Previstas e Realizadas
180.000
160.000
140.000
120.000
100.000
80.000
60.000
40.000
20.000
Previsto
Realizado
Índice %
Promoção
Social
43.836
47.213
107,70%
Formação
Profissional
123.254
104.202
84,54%
Total
167.090
151.415
90,62%
Fonte: GDH, 2013
No gráfico acima podemos observar a maior participação do que o esperado nas ações de
Promoção Social, principalmente nas naturezas educação, saúde e geração de renda, demonstrando
uma crescente preocupação com a qualidade de vida.
e) Carga horária prevista e realizada
Por meio desse indicador se calcula o percentual de horas/aula realizadas em relação às
previstas nos eventos de promoção social, capacitação profissional e total. O resultado é obtido por
meio da divisão do total de horas/aula efetivas pelo total de horas/aula previstas nas ações
analisadas.
Gráfico 15: Carga horária prevista e realizada em 2013.
Carga Horária Prevista e Realizada
90.000
80.000
70.000
60.000
50.000
40.000
30.000
20.000
10.000
Previsto
Realizado
Índice %
Promoção
Social
9.795
9.194
93,86%
Formação
Profissional
75.232
61.936
82,33%
Total
85.027
71.130
83,66%
Fonte: GDH, 2013
66
No gráfico acima observamos um índice de 83,66% da meta alcançada. Em 2013 foi
possível observar um equilíbrio de aumento da carga horária em eventos de Promoção Social e
Qualificação Profissional, sendo 6,5% e 5,9% respectivamente.
f) Investimentos previstos e realizados
Por meio desse indicador se calcula o investimento total realizado em relação ao previsto
nas ações de promoção social, capacitação profissional e total. O resultado é obtido por meio da
divisão do total dos investimentos efetivos pelo total de investimentos previstos nas ações
analisadas.
Gráfico 16: Investimentos previstos e realizados em 2013.
Investimentos Previstos e Realizados
25.000.000
20.000.000
15.000.000
10.000.000
5.000.000
Previsto
Realizado
Índice %
Promoção
Social
3.419.169
3.035.450
88,78%
Formação
Profissional
18.570.218
16.584.155
89,31%
Total
21.989.387
19.619.605
89,22%
Fonte: GDH, 2013
O volume de recursos aplicados pelo Sescoop/PR foi o maior até o momento, com um
crescimento de 3,89% em relação a 2012, conforme Tabela 1. Comparado ao exercício anterior,
houve uma intensificação no investimento em Formação Profissional, com aumento de 4,4%,
enquanto o investimento em Promoção Social cresceu 1,1%.
Responsável pelo cálculo/medição/implementação das ações corretivas
A responsabilidade pelo cálculo, medição dos indicadores e medidas implementadas ou a
implementar, visando corrigir possíveis causas de insucesso está a cargo da Gerência de
Desenvolvimento Humano do Sescoop/PR, que se baseou em informações técnicas fornecidas pela
equipe e cooperativas, bem como informações extraídas do banco de dados dos sistema de
informáticas, mantidos e assistidos pela coordenadoria de TI – tecnologia da informação do
Sescoop/PR.
2.5
Investimentos em Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas
Avaliação crítica dos resultados do Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas
Para a elaboração dos indicadores de gestão, da Gerência de Desenvolvimento e Autogestão,
mais especificamente nas ações vinculadas aos objetivos estratégicos:
 Apoio e orientação para constituição e registro;
 Acompanhamento e Monitoramento da Gestão Cooperativa;
 Auditoria de Gestão Cooperativa;
67
 Consultoria Especializada para cooperativas,
Os indicadores utilizados para a análise compreendem a mensuração da eficácia, eficiência e
da efetividade dos recursos aplicados nas ações vinculadas monitoramento. Entre os indicadores
destacamos:
 Investimento médio por evento de monitoramento;
 Cálculo do percentual do investimento realizado em relação ao previsto em eventos de
monitoramento (meta financeira);
 Cálculo do percentual de eventos realizados em relação ao previsto (meta física);
 A avaliação dos resultados dos eventos de monitoramento, através de pesquisa junto às
cooperativas
2.5.1 Indicadores de Desempenho de Gestão do Desenvolvimento e Autogestão
Indicadores de Eficiência
Investimento médio por evento realizado em Monitoramento. (IMEMO)
Descrição: Calcula o valor médio investido em Monitoramento por evento.
Fórmula:
Onde:
Investimento médio por evento realizado em Monitoramento = IMEMO
Investimento total em eventos de monitoramento = ITEMO
Total de eventos em monitoramento = TEMO
Quadro 36: Comparativo dos valores médios investidos em monitoramento por evento
Itens
Investimento total – R$
Total de eventos
Valor médio investido – R$
2012
1.768.669,12
174
10.164,77
2013
1.971.599,13
165
11.949,09
Fonte: GDA, 2013
* Responsável pelo cálculo/medição: Gerson José Lauermann / João Gogola Neto
O quadro acima demonstra que em termos nominais o montante de recursos aplicados teve
uma evolução 11,47% em relação a 2012 e os valores por evento em contra partida cresceu 17,5%
fato justificado pelo crescimento de assuntos abordados durante as visitas técnicas, como por
exemplo o PEDC, indicadores de RH e etc., desta forma as visitas técnicas tornaram-se mais
completas e envolvendo mais técnicos.
Indicadores de Eficácia
Investimento nos eventos de Monitoramento (IEMO)
Descrição: Calcula o percentual do investimento total realizado em relação ao
previsto em eventos de monitoramento.
Fórmula:
Onde:
Investimento nos eventos de monitoramento = IEMO
Investimento total em eventos de monitoramento = ITEMO
68
Investimento total previsto em eventos de monitoramento = IPEMO
Quadro 37: Comparativo em percentual do investimento total realizado em relação ao previsto em eventos
de monitoramento
Itens
2012
2013
Investimento total realizado – R$
1.768.669,12
1.971.599,13
Investimento total previsto – R$
1.960.674,00
1.996.700,00
(%) Percentual de realização
90,2%
98,7%
Fonte: GDA, 2013
* Responsável pelo cálculo/medição: Gerson José Lauermann / João Gogola Neto
No indicador de eficácia notamos a aplicação de 98,7% dos recursos financeiros previstos,
demonstrando à eficácia do plano orçamentário realizado, no ano anterior a aplicação foi da ordem
de 90,2%.
Eventos realizados em Monitoramento (ERMO)
Descrição: Calcula o percentual de eventos realizados em relação ao previstos em
eventos de monitoramento.
Fórmula:
Onde:
Eventos realizados em monitoramento = ERMO
Total de eventos em monitoramento = TEMO
Total de eventos previstos em monitoramento = TEPMO
Quadro 38: Comparativo em percentual de eventos realizados em relação ao previstos em eventos de
monitoramento
Itens
Total de eventos realizados
Total de eventos previstos
(%) Percentual de realização
2012
174
166
104,8%
2013
165
172
95,9%
Fonte: GDA, 2013
* Responsável pelo cálculo/medição: Gerson José Lauermann / João Gogola Neto
A Tabela anterior demonstra que a realização de eventos em 2013 foi de 95,9% da meta
estabelecida, este fato ocorreu pela incorporação de algumas cooperativas e cancelamento de
registro de outras, impossibilitando desta forma a realização das visitas técnicas.
Indicadores de efetividade
Avaliação dos resultados dos eventos de monitoramento (C)
Descrição: Calcula o percentual de evolução dos resultados dos eventos de monitoramento.
Fórmulas:
(( )
)
Onde:
Avaliação dos resultados dos eventos de monitoramento = C
Soma da avaliação das cooperativas atendidas em eventos de monitoramento (antes dos
eventos) / Total das amostragens = a
Soma da avaliação das cooperativas atendidas em eventos de monitoramento (depois dos
eventos) / Total das amostragens = b
69
Quadro 39: Apresenta resultado do questionário de evolução dos resultados dos eventos de
monitoramento
Questões
1.a
Qualidade
gerencial
das
cooperativas antes dos eventos de
monitoramento
1.b
Qualidade
gerencial
das
cooperativas depois dos eventos de
monitoramento
2. Grau de contribuição para a
melhoria da gestão das cooperativas
com os eventos de monitoramento
3. Grau de satisfação geral com os
eventos de monitoramento
2012
2013
a
a
8,83
8,62
b
c
b
c
9,00
1,98%
9,00
4,46%
a
a
8,8
8,7
a
a
8,6
8,7
Fonte: GDA, 2013
* Responsável pelo cálculo/medição: Gerson José Lauermann / João Gogola Neto
Obs.: A pesquisa foi realizada a partir do exercício de 2007.
Os indicadores de efetividade foram obtidos mediante aplicação de questionário específico
junto às cooperativas atendidas em eventos de monitoramento. A amostragem foi de
aproximadamente 10,3% das cooperativas atendidas. As notas (de 1 a 10) atribuídas às questões
avaliadas. O resultado da pesquisa indica que em 2013 as cooperativas obtiveram uma melhoria na
gestão de 4,46%.
70
Metas físicas e financeiras realizadas na Gerência de Desenvolvimento e Monitoramento
Quadro 40: Quadro resumo das metas físicas para 2013 do GDA
PLANEJAMENTO
NORTE/NOROESTE
RAMO
T o t al
C o o p er at ivas
OESTE/SUDOESTE
PLA N EJA D O
AGROPECUÁRIO
CONSUMO
CRÉDITO
EDUCACIONAL
ESPECIAL
HABITACIONAL
INFRA-ESTRUTURA
MINERAL
PRODUÇÃO
SAÚDE
TRABALHO
TRANSPORTE
TURISMO E LAZER
30
0
20
2
0
0
0
0
0
11
2
4
0
SIM
25
0
5
0
0
0
0
0
0
11
2
4
0
TOTAL
69
47
NÃO
5
0
15
2
0
0
0
0
0
0
0
0
0
22
T o t al
C o o p er at ivas
CENTRO SUL
T o t al
C o o p er at ivas
PLA N EJA D O
25
1
26
4
0
1
5
0
0
7
1
10
1
SIM
24
1
3
3
0
1
5
0
0
7
1
10
1
NÃO
1
0
23
1
0
0
0
0
0
0
0
0
0
81
56
25
TOTAL
PLA N EJA D O
24
0
18
7
0
0
4
0
0
15
5
12
2
SIM
22
0
5
4
0
0
4
0
0
15
5
12
2
NÃO
2
0
13
3
0
0
0
0
0
0
0
0
0
87
69
18
T o t al
C o o p er at ivas
PLA N EJA D O
79
1
64
13
0
1
9
0
0
33
8
26
3
SIM
71
1
13
7
0
1
9
0
0
33
8
26
3
NÃO
8
0
51
6
0
0
0
0
0
0
0
0
0
237
172
65
REALIZADO
RAMO
NORTE/NOROESTE
OESTE/SUDOESTE
Quantidades
Quantidades
CENTRO SUL
Quantidades
TOTAL
Quantidades
C o o p er at ivas
Visitas
%
C o o p er at ivas
Visitas
%
C o o p er at ivas
Visitas
%
C o o p er at ivas
Visitas
%
AGROPECUÁRIO
CONSUMO
CRÉDITO
EDUCACIONAL
ESPECIAL
HABITACIONAL
INFRA-ESTRUTURA
MINERAL
PRODUÇÃO
SAÚDE
TRABALHO
TRANSPORTE
TURISMO E LAZER
23
0
4
0
0
0
0
0
0
11
2
4
0
26
0
4
0
0
0
0
0
0
11
2
4
0
92,0%
0,0%
80,0%
0,0%
0,0%
0,0%
0,0%
0,0%
0,0%
100,0%
100,0%
100,0%
0,0%
22
1
4
3
0
1
5
0
0
7
1
10
1
22
1
4
3
0
1
5
0
0
7
1
10
1
91,7%
100,0%
133,3%
100,0%
0,0%
100,0%
100,0%
0,0%
0,0%
100,0%
100,0%
100,0%
100,0%
20
0
5
7
0
0
4
0
0
13
4
11
2
20
0
5
7
0
0
4
0
0
13
4
11
2
90,9%
0,0%
100,0%
175,0%
0,0%
0,0%
100,0%
0,0%
0,0%
86,7%
80,0%
91,7%
100,0%
65
1
13
10
0
1
9
0
0
31
7
25
3
68
1
13
10
0
1
9
0
0
31
7
25
3
91,5%
100,0%
100,0%
142,9%
0,0%
100,0%
100,0%
0,0%
0,0%
93,9%
87,5%
96,2%
100,0%
TOTAL
44
47
93,6%
55
55
98,2%
66
66
95,7%
165
168
95,9%
200
180
160
140
120
100
80
60
40
20
0
93,6%
98,2%
95,7%
95,9%
META 100%
172
PLANEJAMENTO
REALIZADO
55
44
47
RNN
56
ROS
% de Realização "Visitas Técnicas"
69
66
165
RCS
TOTAL
Investimento
Investimento total em eventos de Monitoramento em 2012 (R$)
Investimento total em eventos de Monitoramento em 2013 (R$)
Previsto
1.960.674
1.996.700
Realizado
1.768.669,12
1.968.648,46
Fonte: GDA, 2013
Para a elaboração dos indicadores de gestão, da Gerência de Desenvolvimento e Autogestão,
adotou-se como critério principal a meta de visitas técnicas.
O monitoramento das cooperativas é uma ação importante realizada pelo SESCOOP/PR e
atende um dos seus objetivos finalísticos, que compreende o acompanhamento e avaliação das
cooperativas de todos os ramos. No exercício de 2013 foram atendidas 233 cooperativas pelo
programa de monitoramento. Concluímos pelo sucesso na aplicação dos recursos utilizados, cujas
metas físicas foram atingidas em 104,8% e na avaliação da efetividade obtivemos como respostas
71
que as cooperativas tiveram uma melhoria de 4,46% em sua gestão após os eventos de
monitoramento.
Com relação à aplicação de recursos financeiros, foi alcançado o índice de 98,6%,
demonstrando mais controle e economicidade na aplicação dos recursos, visto que as metas físicas
foram todas atendidas.
Não foi necessária a adoção de medidas saneadoras, pois, os objetivos foram amplamente
realizados dentro dos parâmetros estabelecidos na previsão das metas físicas e financeiras, levando
sempre em conta o contexto das ações de monitoramento (rotina e demanda).
72
CAPÍTULO 3: ESTRUTURAS DE GOVERNANÇA E DE AUTOCONTROLE DA GESTÃO
3.1
Estrutura de Governança
A estrutura de gestão do Sescoop/PR obedece às melhores práticas de governança
corporativa, respeitando os quatro princípios básicos desse modelo de administração:
a) Transparência – não só em relação aos dados contábeis, mas a todos os assuntos que
possam gerar conflitos de interesses internos ou externos;
b) Equidade - igualdade de tratamento a todos os grupos sejam eles conselheiros,
governo, cooperados, empregados etc.
c) Prestação de contas – os gestores do Sescoop prestam contas à sociedade, ao sistema
cooperativista e ao governo sobre todos os atos praticados no exercício de seu mandato
d) Responsabilidade – conjunto de ações que garantam a sustentabilidade do negócio, o
desenvolvimento da comunidade e a preservação do meio ambiente.
São órgãos de deliberação, execução, fiscalização e administração do Sescoop/PR: o
Conselho Administrativo Estadual, Conselho Fiscal Estadual, Diretoria Executiva, Presidência e
Superintendência.
Cabe ao Conselho Administrativo, de acordo com o Artigo 8º do Regimento Interno do
Sescoop/PR, difundir e implementar as políticas, diretrizes, programas, projetos e normativos, em
observância das deliberações e decisões do Conselho Nacional, contribuindo para que as atribuições
e os objetivos do Sescoop Nacional sejam alcançados em sua área de atuação.
O Conselho Administrativo do Sescoop/PR é o órgão máximo no âmbito da administração
estadual, sendo composto por cinco membros titulares e quatro suplentes. O presidente da Ocepar é
seu presidente nato, compondo com ele mais três conselheiros e igual número de suplentes, sendo
um oriundo dos trabalhadores em cooperativas, dois de cooperativas contribuintes e um
representante do Conselho Nacional e seu suplente.
O Conselho Fiscal composto por três membros titulares e igual número de suplentes,
compete acompanhar e fiscalizar a execução financeira, orçamentária e os atos de gestão; examinar
e emitir pareceres sobre o balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras; solicitar ao
Conselho Administrativo Estadual a contratação de assessoria de auditores ou peritos, sempre que
tais serviços forem considerados indispensáveis ao bom desempenho de suas funções; elaborar o
seu Regulamento de Funcionamento, compatível com o Regimento Interno do Conselho Fiscal da
Unidade Nacional do SESCOOP; indicar entre seus pares um Presidente e um Secretário para
coordenar e relatar as atividades; dar conhecimento dos seus relatórios à Diretoria Executiva do
Sescoop/PR, e se for o caso, ao seu Conselho Administrativo.
A Diretoria Executiva é o órgão gestor e de Administração Estadual do Sescoop, consoante
às diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional e Administrativo Estadual. É composta pelo
Presidente do Conselho Administrativo Estadual e pelo Superintendente. Os atos de representação
ativa e passiva do Sescoop/PR, em juízo ou fora dele, tais como contratos, quitações, transações,
desistências, compromissos, acordos e outros que envolvam qualquer tipo de obrigação,
responsabilidade ou exoneração, serão firmados pelo Presidente. Nos órgãos administrativos e
operacionais, os documentos representativos de obrigações ordinárias, assim definidas pelo
Conselho Estadual, serão assinados pela diretoria executiva. A Diretoria Executiva é dirigida e
coordenada pelo Presidente do Conselho Administrativo Estadual e, operacionalizada pelo
Superintendente. A estrutura básica da equipe técnica do Sescoop/PR, bem como a competência de
seus órgãos, é aprovada pelo Conselho Administrativo Estadual, mediante proposta do Presidente.
73
Compete ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual executar a política de atuação
do Sescoop/PR, respondendo perante o Tribunal de Contas da União pelos atos da sua gestão;
representar a Administração Estadual em juízo ou fora dele e constituir procuradores; convocar e
presidir as reuniões do Conselho Administrativo; editar e promover o cumprimento das portarias,
resoluções e deliberações do Conselho Nacional; aprovar regulamentos internos e suas alterações,
definindo as atribuições, a organização e a competência dos setores administrativos e operacionais;
assinar os convênios, contratos, ajustes e outros instrumentos jurídicos; assinar os cheques e os
documentos de abertura e movimentação de contas bancárias em conjunto com o Superintendente
ou com funcionário especialmente designado, por intermédio de instrumento de procuração que
estabeleça os limites dos poderes conferidos e a vigência da procuração, cujo período não excederá
o mandato em exercício; indicar, nomear e contratar o Superintendente e estabelecer sua
remuneração, mediante aprovação do Conselho Administrativo Estadual; cumprir a legislação
pertinente nos procedimentos licitatórios; dar posse aos membros dos Conselhos Administrativo
Estadual e Conselho Fiscal; nomear os assessores e gerentes dos órgãos internos do Sescoop/PR,
por proposta do Superintendente; avocar à sua análise de julgamento ou decisão quaisquer questões
em assuntos que não sejam da competência do Conselho Administrativo Estadual ou que não
tenham sido por este avocados; encaminhar ao Conselho Administrativo, as propostas de Planos de
Trabalho, dos orçamentos anuais e plurianuais e balanço patrimonial, demais demonstrações
financeiras, o parecer do Conselho Fiscal Estadual e o relatório anual de atividades.
Ao Superintendente, nomeado e contratado pelo Presidente, após aprovação pelo Conselho
Administrativo Estadual, compete organizar, administrar e executar no âmbito do Estado do Paraná,
o ensino de formação profissional e de gestão cooperativista, o desenvolvimento e a promoção
social dos empregados em cooperativas, dos cooperados e seus familiares e de colaboradores;
organizar o cadastro, o monitoramento, o controle, a consultoria, a auditoria e a supervisão em
cooperativas; exercer a coordenação, a supervisão e a fiscalização da execução dos programas e dos
projetos de formação profissional, de gestão cooperativista e de promoção social no Estado;
articular-se com órgãos e entidades públicas ou privadas estabelecendo instrumentos de cooperação;
encaminhar ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual relatórios trimestrais e anuais, com
base no plano de trabalho; dirigir, ordenar e controlar as atividades técnicas e administrativas da
Administração do Sescoop/PR, praticando os atos pertinentes de sua gestão; assinar, juntamente
com Presidente do Conselho Administrativo, ou seus procuradores devidamente constituídos,
cheques e documentos de abertura e movimentação de contas bancárias; cumprir e fazer cumprir as
normas em vigor da Administração do Sescoop/PR, do Conselho Administrativo Estadual e do seu
Presidente; praticar os atos de admissão, gestão e demissão dos empregados, sob a supervisão do
Presidente do Conselho Administrativo Estadual; encaminhar ao Presidente do Conselho
Administrativo Estadual, as propostas de planos de trabalho, dos orçamentos anuais e plurianuais e
balanços e demais demonstrações financeiras, o parecer do Conselho Fiscal Estadual e o relatório
anual de atividades; secretariar as reuniões do Conselho Administrativo Estadual; elaborar e
submeter ao Presidente do Conselho Administrativo Estadual os projetos de atos e normas cuja
decisão não seja de sua competência; expedir instruções de serviço visando o cumprimento eficiente
dos Objetivos do Sescoop e das normas editadas pelo Conselho Administrativo Estadual; difundir
metodologias para a formação profissional e para a promoção social dos empregados e cooperados
nas sociedades cooperativas, bem como de seus familiares e colaboradores.
Os órgãos da estrutura funcional do Sescoop/PR são dirigidos por gerentes e coordenadores
nomeados pelo Presidente do Conselho Administrativo Estadual, mediante proposta do
Superintendente.
74
3.2 Relação dos principais dirigentes e membros de conselhos, indicando o período de
gestão, a função, o segmento, o órgão ou a entidade que representa
Quadro 41: Relação do Conselho Administrativo do Sescoop/PR
Nome do dirigente /
Período de
Função
membro de conselho
gestão
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Jorge Karl
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Jaime Basso
Soraya Galvão
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Wilson Thiesen
2011 a 2015
Alvaro Jabur
2011 a 2015
Valter Vanzella
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Conselheiro
Suplente
Conselheiro
Suplente
Prentice Baltazar Júnior
2011 a 2015
Conselheiro
Suplente
Conselheiro
Suplente
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
Renato Nobile
2011 a 2015
Quadro 42: Relação do Conselho Fiscal dos Sescoop/PR
Nome do dirigente /
Período de
Função
membro de conselho
gestão
Edvino Schadeck
2011 a 2015
Conselheiro Titular
(Presidente do Colegiado)
Luiz Humberto de Souza
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Daniel
Segmento, órgão ou entidade que
representa
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Representante de empregado em
cooperativas
Representante do Conselho Nacional
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Representante de empregado em
cooperativas
Representante do Conselho Nacional
Segmento, órgão ou entidade que
representa
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Cooperativa contribuinte
Representante de empregado em
cooperativas
Cooperativa contribuinte
Amilton Pires Ribas
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Luiz Roberto Baggio
2011 a 2015
Conselheiro Titular
Sebaldo Waclawosvky
2011 a 2015
Conselheiro
Suplente
Cooperativa contribuinte
Marcos Antonio Primão
2011 a 2015
Conselheiro
Suplente
Cooperativa contribuinte
Representante de empregado em
cooperativas
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
Quadro 43: Relação da Diretoria Executiva do Sescoop/PR
Nome do dirigente /
Período de gestão
Função
membro de conselho
2011 a 2015
Presidente
João Paulo Koslovski
2011 a 2015
Superintendente
José Roberto Ricken
Segmento, órgão ou entidade que
representa
Decreto 3.017, de 06.04.1999
Regimento Interno
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
3.3
Remuneração paga aos administradores, membros da diretoria e de conselhos
Os integrantes dos Conselhos Administrativo, Fiscal e o Presidente do Sescoop/PR, de
acordo com o Regimento Interno, aprovado pelo Decreto 3.017, de 06.04.1999, não recebem
75
remuneração e sim, cédula de presença e, quando for o caso, ajuda de custo pela sua participação
nas reuniões, cujos valores fixados em 2013 são os seguintes:
Quadro 44: Valores pagos ao Conselho Administrativo do Sescoop/PR
Tipo de Remuneração
Valor praticado até nov/2013
Cédula de participação
R$ 285,00
Ajuda de custo
R$ 350,00
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
Valor praticado até dez/2013
R$ 310,00
R$ 380,00
Quadro 45: Valores pagos ao Conselho Fiscal do Sescoop/PR
Órgão: Gestão do Processo de Planejamento Institucional
Remuneração dos Membros
2013
Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal
R$ 19.650
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
EXERCÍCIO
2012
R$ 19.870
Quadro 46: Valores pagos ao Conselho Administrativo e Fiscal do Sescoop/PR
Item
Orçado
Gestão do Processo de Planejamento Institucional
R$ 11.700
 Conselho Deliberativo
Serviço Administrativo e Controle Financeiro
R$ 11.700
 Conselho Fiscal
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
2011
R$ 16.050
Realizado
R$ 10.870
R$ 8.780
76
Quadro 47: Remuneração dos Conselhos de Administração e Fiscal
Conselho de Administração
Nome do Conselheiro
Jorge Karl (T)
Jaime Basso (T)
Soraya Galvão (T)
Wilson Thiesen (T)
Alvaro Jabur (S)
Valter Vanzella (S)
Prentice Baltazar Júnior (S)
Renato Nobile (S)
Período de Exercício
Início
Fim
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2015
2015
2015
2015
2015
2015
2015
2015
jan
fev
-
-
-
Total
mar
abr
635,00
635,00
285,00
285,00
1.840,00
mai
-
-
635,00
285,00
285,00
1.205,00
jun
-
Remuneração
jul
ago
635,00
285,00
635,00
1.555,00
635,00
285,00
285,00
1.205,00
set
-
out
635,00
635,00
635,00
1.905,00
nov
-
dez
690,00
690,00
310,00
310,00
2.000,00
Total
3.865,00
1.960,00
1.165,00
1.450,00
635,00
635,00
9.710,00
Conselho Fiscal
Nome do Conselheiro
(T/S)
Edvino Schadeck (Presidente do Colegiado) (T)
Luiz Humberto de Souza Daniel (T)
Amilton Pires Ribas (T)
Luiz Roberto Baggio (S)
Sebaldo Waclawosvky (S)
Marcos Antonio Primão (S)
Total
Período de Exercício
Início
Fim
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2015
2015
2015
2015
2015
2015
jan
fev
-
635,00
285,00
635,00
1.555,00
mar
abr
-
-
-
mai
jun
-
-
Remuneração
jul
ago
635,00
285,00
635,00
1.555,00
-
set
out
635,00
285,00
635,00
1.555,00
635,00
285,00
635,00
1.555,00
nov
-
dez
690,00
310,00
690,00
1.690,00
Total
3.230,00
1.450,00
3.230,00
7.910,00
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
T= Titular,
S = Suplente
77
3.3.1. Demonstrativo Sintético da Remuneração de Membros de Diretoria
Com relação ao Superintendente apresentamos no quadro a seguir os valores totais pagos
nos últimos três exercícios.
Quadro 48: Síntese da Remuneração dos Administradores
Valores em R$ 1,00
Identificação do Órgão
Órgão: Diretoria Executiva (Superintendência)
Remuneração dos Membros
Número de membros:
I – Remuneração Fixa (a+b+c+d)
a) salário ou pró-labore
b) benefícios diretos e indiretos
c) remuneração por participação em comitês
d) outros
2013
EXERCÍCIO
2012
177.370,12
170.800,45
6.569,67
0,0
0,0
179.361,94
172.771,27
6.590,67
0,0
0,0
2011
153.128,53
147.133,86
5.994,70
0,0
0,0
II – Remuneração variável (e+f+g+h+i))
e) bônus
f) participação nos resultados
g) remuneração por participação em reuniões
Não ocorreu no período.
h) comissões
i) outros
III – Total da Remuneração ( I + II)
177.370,12
179.361,94
153.128,53
Não se aplica à natureza jurídica
IV – Benefícios pós-emprego
V – Benefícios motivados pela cessação do exercício do
Não ocorreu no período.
cargo
Não ocorreu no período.
VI – Remuneração baseada em ações
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
3.4 Demonstração da atuação da unidade de auditoria interna, incluindo informações sobre
a qualidade e suficiência dos controles internos do Sescoop/PR
A Auditoria Interna que foi implantada e estruturada nos termos das disposições do Decreto
nº 3.591, de 06 de setembro de 2000 e atua em consonância com as normas da Instrução Normativa
SFC/MF nº 01, de 07 de abril de 2001 e executa suas atividades de acordo com seu Plano de
Trabalho. Tem como objetivo avaliar a gestão dos processos e resultados gerenciais, verificando a
legalidade e a legitimidade dos atos e fatos administrativos, agregando valor à administração do
Sescoop/PR. Maiores informações são tratadas no capítulo 9 desse relatório.
Figura 4 – Parecer da Auditoria Interna
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
78
3.5 Avaliação, pela Alta Gerência, da qualidade e suficiência dos controles internos
administrativos para garantir a realização dos objetivos estratégicos da entidade.
Um dos instrumentos utilizados para ajudar na qualidade e suficiência dos controles internos
é a Auditoria. O SESCOOP, tanto a nível nacional quanto estadual, deliberou pela manutenção dos
serviços da Auditoria Interna objetivando o fortalecimento dos seus controles internos. Dentro dos
itens verificados podemos citar o exame e verificação dos procedimentos da administração na área
de licitações e contratos no atendimento da legislação, resoluções e normas internas pertinentes.
Acompanhamento da realização de eventos, da execução orçamentária e das despesas decorrentes,
via sistemas: “Controle de Eventos”, “Digitaldoc” e “Zeus”. Análise e exame de processos, de
documentos e de ativos da entidade. Verificação e acompanhamento de procedimentos ou de
processos, quando de sua execução. Conferência de cálculos através da revisão e da confirmação
dos valores apresentados. Confirmação: verificação da fidedignidade das informações obtidas
internamente. Inspeção física: exames voltados a itens tangíveis, para testar os controles quanto à
segurança de quantidades físicas e à qualidade desses bens. Verificação de sistemas, de registros e
relatórios contábeis. O item 9.3 apresenta informações mais detalhadas sobre a estrutura da área de
auditoria interna do Sescoop/PR.
Quadro 49 - Avaliação do Sistema de Controles Internos da Unidade
Elementos do Sistema de Controles Internos a Serem Avaliados
Ambiente De Controle
1. A alta administração percebe os controles internos como essenciais à consecução
dos objetivos da unidade e dão suporte adequado ao seu funcionamento.
2. Os mecanismos gerais de controle instituídos pela UNIDADE são percebidos por
todos os servidores e funcionários nos diversos níveis da estrutura da unidade.
3. A comunicação dentro da UNIDADE é adequada e eficiente.
4. Existe código formalizado de ética ou de conduta.
5. Os procedimentos e as instruções operacionais são padronizados e estão postos em
documentos formais.
6. Há mecanismos que garantem ou incentivam a participação dos funcionários e
servidores dos diversos níveis da estrutura da UNIDADE na elaboração dos
procedimentos, das instruções operacionais ou código de ética ou conduta.
7. As delegações de autoridade e competência são acompanhadas de definições claras
das responsabilidades.
8. Existe adequada segregação de funções nos processos e atividades da competência
da UNIDADE.
9. Os controles internos adotados contribuem para a consecução dos resultados
planejados pela UNIDADE.
Avaliação de Risco
10. Os objetivos e metas da unidade jurisdicionada estão formalizados.
11. Há clara identificação dos processos críticos para a consecução dos objetivos e
metas da unidade.
12. É prática da unidade o diagnóstico dos riscos (de origem interna ou externa)
envolvidos nos seus processos estratégicos, bem como a identificação da
probabilidade de ocorrência desses riscos e a consequente adoção de medidas para
mitigá-los.
13. É prática da unidade a definição de níveis de riscos operacionais, de informações e
de conformidade que podem ser assumidos pelos diversos níveis da gestão.
14. A avaliação de riscos é feita de forma contínua, de modo a identificar mudanças no
perfil de risco da UNIDADE ocasionadas por transformações nos ambientes interno
e externo.
15. Os riscos identificados são mensurados e classificados de modo a serem tratados em
uma escala de prioridades e a gerar informações úteis à tomada de decisão.
16. Não há ocorrência de fraudes e perdas que sejam decorrentes de fragilidades nos
processos internos da unidade.
1
Valores
2 3 4
5
X
X
X
X
X
X
X
X
X
1
2
3
4
X
5
X
X
X
X
X
X
79
17. Na ocorrência de fraudes e desvios, é prática da unidade instaurar sindicância para
apurar responsabilidades e exigir eventuais ressarcimentos.
18. Há norma ou regulamento para as atividades de guarda, estoque e inventário de bens
e valores de responsabilidade da unidade.
Procedimentos de Controle
1 2
19. Existem políticas e ações, de natureza preventiva ou de detecção, para diminuir os
riscos e alcançar os objetivos da UNIDADE, claramente estabelecidas.
20. As atividades de controle adotadas pela UNIDADE são apropriadas e funcionam
consistentemente de acordo com um plano de longo prazo.
21. As atividades de controle adotadas pela UNIDADE possuem custo apropriado ao
nível de benefícios que possam derivar de sua aplicação.
22. As atividades de controle adotadas pela UNIDADE são abrangentes e razoáveis e
estão diretamente relacionadas com os objetivos de controle.
Informação e Comunicação
1 2
23. A informação relevante para UNIDADE é devidamente identificada, documentada,
armazenada e comunicada tempestivamente às pessoas adequadas.
24. As informações consideradas relevantes pela UNIDADE são dotadas de qualidade
suficiente para permitir ao gestor tomar as decisões apropriadas.
25. A informação disponível para as unidades internas e pessoas da UNIDADE é
apropriada, tempestiva, atual, precisa e acessível.
26. A Informação divulgada internamente atende às expectativas dos diversos grupos e
indivíduos da UNIDADE, contribuindo para a execução das responsabilidades de
forma eficaz.
27. A comunicação das informações perpassa todos os níveis hierárquicos da
UNIDADE, em todas as direções, por todos os seus componentes e por toda a sua
estrutura.
Monitoramento
1 2
28. O sistema de controle interno da UNIDADE é constantemente monitorado para
avaliar sua validade e qualidade ao longo do tempo.
29. O sistema de controle interno da UNIDADE tem sido considerado adequado e
efetivo pelas avaliações sofridas.
30. O sistema de controle interno da UNIDADE tem contribuído para a melhoria de seu
desempenho.
Análise Crítica:
A avaliação dos itens foi realizada juntamente com a Superintendência, Auditoria Interna e
Coordenação Administrativa do Sescoop/PR.
Fonte: Superintendência e Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
X
X
3
4
5
X
X
X
X
3
4
5
X
X
X
X
X
3
4
5
X
X
X
Escala de valores da Avaliação:
(1) Totalmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente não observado no contexto da
UNIDADE.
(2) Parcialmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da
UNIDADE, porém, em sua minoria.
(3) Neutra: Significa que não há como avaliar se o conteúdo da afirmativa é ou não observado no contexto da
Unidade.
(4) Parcialmente válida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da
Unidade, porém, em sua maioria.
(5) Totalmente válido. Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente observado no contexto da
Unidade.
3.6 Sistema de Correição
O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo não possui estrutura de Sistema de
Correição, no entanto, apura ilícitos administrativos cometidos por colaboradores da entidade, com
base no seu Regimento Interno e Norma de Sindicância da Entidade.
No exercício 2013, no âmbito do SESCOOP/PR, não ocorreram fatos a serem apurados por
meio de sindicância ou outra modalidade de processo administrativo.
80
CAPÍTULO 4: PROGRAMAÇÃO E EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA
4.1
Demonstração da Receita
A gestão orçamentária e o planejamento institucional do Sescoop têm por finalidade
contribuir para a transparência e o aperfeiçoamento das práticas de governança corporativa.
A principal fonte de recursos do SESCOOP é a contribuição social em percentual de 2,5%,
incidente sobre as folhas de pagamento das cooperativas.
A distribuição orçamentária da contribuição social está prevista em Regimento Interno e
obedece a seguinte diretriz:
• 10% (dez por cento) são destinados ao custeio e à aplicação na Unidade Nacional do
SESCOOP;
• 2% (dois por cento) do orçamento é enviado à Organização das Cooperativas Brasileiras
(OCB) a título de taxa de administração pela utilização de sua estrutura institucional, de
representação, de informação e de logística disponível no Sistema OCB/OCEs.
• 20% (vinte por cento) irão compor o Fundo Solidário de Desenvolvimento Cooperativo
(FUNDECOOP), administrado pela Unidade Nacional, conforme resolução do Conselho Nacional
do SESCOOP.
• 68% (sessenta e oito por cento) são aplicados diretamente pelas unidades estaduais ou
regionais, nas atividades relativas aos objetivos fins, despesas de caráter geral e investimentos
necessários para atingir seus objetivos, conforme normas definidas pelo Conselho Nacional do
SESCOOP.
Quadro 50: Evolução das Receitas do Sescoop/PR – 2011/2013
Variação
Receita
2011
2012
2013
2012/2011
Contribuições
18.269.075,58
21.700.787,19
18,78% 26.264.499,73
Financeiras
Outras receitas de
Serviços
Outras Receitas
Vendas de Ativos
Receitas de
Transferências
TOTAL
1.989.735,96
48.218,52
280.000,00
20.587.030,06
1.504.167,03
(24,4)%
1.607.180,55
0,00%
6,40
2,2%
26.840,55
-
0,00%
28.733,00
-
0,00%
49.297,43
23.254.251,65
-
12,96% 27.927.260,37
Variação
2013/2012
21,03%
6,85%
(44,74)%
0,00%
20,10%
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
O programa de trabalho/orçamento do SESCOOP/PR do exercício de 2013, na forma da
reprogramação aprovada pelo Conselho Nacional, envolveu recursos no total de R$ 26.680.997. As
receitas atingiram o valor de R$ 27.927.260,37 o que representou variação porcentual de 20,10 em
relação ao ano de 2012.
As aplicações alcançaram o montante de R$ 24.155.687,60, correspondente a 90,54% do
previsto para o exercício.
Percebe-se que nos últimos três exercícios que as Receitas com Contribuições apresentam
um crescimento acentuado. Reflexo desse desenvolvimento consiste que o cooperativismo do
Paraná tem crescido de forma consistente, abrigando mais de 2 milhões de paranaenses e
propiciando condições para a viabilização das atividades de 983.836 cooperados, contribuindo com
mais de 1,7 milhão de postos de trabalho. Já em relação ao grupo de receita de aplicação financeira
houve um acréscimo nos rendimentos financeiros. Principal razão são do aumento do montante
81
aplicado seguindo a taxa de juros da política econômica brasileira. O grupo de outras receitas
apresentou um decréscimo em relação ao exercício de 2012, não apresentando um valor
representativo. Na venda de ativos foi dada baixa de um veículo WV Paraty placa AQY 0914.
O crescimento das receitas é positivo porque favorece uma aplicação maior de recursos nas
atividades de gestão(monitoramento), formação, treinamento e capacitação de cooperados,
dirigentes e colaboradores das cooperativas paranaenses.
Quadro 51: Evolução da execução Receitas do Sescoop/PR – 2013
Prevista
Realizada
R$ (1,00)
%
R$ (1,00)
%
Variação
%
Receitas de Contribuições
25.269.264
94,71%
26.264.499,73
103,94%
3,94
Receitas Patrimoniais
1.323.000
4,96%
1.607.180,69
121,48%
21,48%
Receitas de Serviços
10
0,00%
6,40
64,00%
(36,00)%
Transferências Correntes
0
0,00%
0
0,00%
0,00%
Outras Receitas Correntes
59.990
0,22%
26.840,55
44,74%
(55,26)%
Alienação de Bens
28.733
0,11%
28.733,00
100,00%
0,00%
Transferências de Capital
0
0,00%
0
0,00%
0,00%
Outras Receitas de Capital
0
0,00%
0
0,00%
0,00%
26.680.997
100%
27.927.260,37
100%
4,67%
ORIGENS
TOTAL
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
4.2 Demonstração e análise do desempenho da entidade na execução orçamentária e
financeira
A execução orçamentária e financeira é normatizada pela Resolução nº 28 de 16 de maio de 2005.
O orçamento é peça fundamental para o planejamento das ações, para o acompanhamento dos resultados e
para o controle das despesas do Sescoop/PR.
Para melhor adequar a realização financeira durante o ano, o orçamento sofreu três
reformulações, em: março, junho e agosto, sempre através de consultas as cooperativas e proposta
da Administração para aprovação pelo Conselho de Administração.
As despesas efetivas do Sescoop/PR, em 2013, no cumprimento da programação
orçamentária aprovadas pelo Conselho, totalizaram o montante de R$ 24.155.687,60,
correspondente a 90,54% do previsto para o exercício. Demonstramos, a seguir, as despesas
classificadas por grupo para evidenciação da destinação dos recursos geridos pela unidade nacional
do Sescoop:
Quadro 52: Evolução das Despesas do Sescoop/PR – 2011/2013
R$ (1,00)
Despesas
2011
2012
2012/2011
Correntes
Pessoal e Encargos
Capital
Inversões Financeiras
Outras Despesas
TOTAL
16.451.238,09
3.613.960,51
741.335,19
20.806.533,79
18.780.150,57
4.415.465,61
25.714,23
23.221.330,41
14,16
22,18
96,53
11,61%
2013
19.484.992,03
4.597.828,05
72.867,52
24.155.687,60
Variação
2013/2012
(%)
3,75
4,13
183,37
4,02
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
82
Quadro 53: Evolução da execução Despesas do Sescoop/PR– 2013
Prevista
Realizada
GRUPOS
R$
%
R$
%
Pessoal e Encargos Sociais
4.781.750,00
17,92%
4.597.828,05
19,03%
Outras Despesas Correntes
21.821.247,00
81,79%
19.484.992,03
80,66%
Investimentos
78.000,00
0,29%
72.867,52
0,30%
Inversões Financeiras
0,00%
0,00%
TOTAL
26.680.997,00
100%
24.155.687,60
100%
Variação
%
96,15%
89,29%
93,42%
0,00%
90,54%
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
83
4.3
Compras e Licitações
O Regulamento de Licitações e Contratos do Sescoop/PR segue a normatização do Sescoop
Nacional e traduz o consenso de todas as entidades do Sistema “S”; sua sistematização e
padronização foram feitas à luz da Constituição Federal e dos princípios gerais do chamado
Processo Licitatório, entre os quais estão o da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da
igualdade, da publicidade, da vinculação ao instrumento convocatório e do julgamento objetivo.
O Regulamento de Licitações e Contratos do Serviço Nacional de Aprendizagem do
Cooperativismo – Sescoop/PR (Resolução nº 38, de 12/09/2011) – foi aprovado pelo Conselho
Administrativo na 3ª Reunião da Diretoria em 12 de setembro de 2011, Gestão 2011/2015. Em 2013
foram realizadas licitações na modalidade “pregão presencial” para fornecimento de alimentação;
produção de material gráfico; serviços de fornecimento de passagens, locação de veículos e vale
refeição. O Montante maior de dispensa envolve serviços envolvendo empresas que prestam
serviços de instrutoria. O quadro 44 apresenta os valores efetivamente pagas no exercício de 2012 e
2013.
Quadro 54: Execução das despesas por modalidade de licitação, por natureza e por elementos de despesa do
Sescoop/PR - 2012/2013
Modalidade de Contratação
Despesa Liquidada
Despesa paga
1. Modalidade de Licitação
(a+b+c+d+e+f+g )
a) Convite
2013
2012
2013
2012
1.476.889,70
1.679.805,00
1.420.132,90
1.679.805,00
-
-
-
-
b) Tomada de Preços
-
-
-
-
c) Concorrência
-
-
-
-
1.476.889,70
1.679.805,00
e) Concurso
-
-
-
-
f) Consulta
g) Regime Diferenciado de Contratações
Públicas
2. Contratações Diretas (h+i )
-
-
-
-
-
-
-
-
19.855.362,46 17.101.241,59
16.301.100,84
15.542.119,57
h) Dispensa
19.832.247,00 17.069.882,00
16.277.985,38
15.511.095,35
23.115,46
31.024,22
d) Pregão
i) Inexigibilidade
23.115,46
31.359,59
1.420.132,90
1.679.805,00
3. Regime de Execução Especial
-
-
-
-
j) Suprimento de Fundos
-
-
-
-
4.875.030,50
4.781.750,00
4.995.187,00
4.909.500,00
4.691.108,55
4.597.828,05
4.501.152,61
4.415.465,61
l) Diárias
93.280,50
85.687,00
93.280,50
85.687,00
5. Outros
473.714,34
1.523.766,41
1.743.345,31
1.498.253,23
26.680.997,00 23.300.000,00
24.155.687,60
23.221.330,41
4. Pagamento de Pessoal (k+l )
k) Pagamento em Folha
6. Total (1+2+3+4+5)
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR, 2013
84
4.4
Transferências regulamentares de convênios e outros instrumentos análogos vigentes no exercício de referência
Não houve transferências mediante convênio, contrato de repasse, termo de parceria, termo de cooperação, termo de compromisso ou outros
acordos, ajustes ou instrumentos congêneres, vigentes no exercício de 2013. Todos os pagamentos são realizados diretamente aos prestadores de
serviços.
O valor referente Projeto Especial Fundecoop foi utilizado para o Desenvolvimento de Sistema de Gestão de Desenvolvimento
Humano(software) com apoio da Unidade Nacional para ser utilizado nas demais unidades estaduais. A proposta de desenvolvimento do sistema
totalmente via web, oportuniza o acesso a outras unidades estaduais e cooperativas de maneira mais fácil e interativa, principalmente por atender a
estrutura hierárquica do cooperativismo.
Quadro 55: Resumo dos instrumentos celebrados pelo Sescoop/PR nos três últimos exercícios
Unidade Concedente ou Contratante
Nome: Sescoop/PR (Contratante)
CNPJ: 07.391.756/0001-58 (Contratante)
Modalidade
UG/GESTÃO: PR
Quantidade de instrumentos celebrados em cada
exercício
Valores repassados em cada exercício (independente do
ano de celebração)
(Valores em R$ 1,00)
2011
2012
2013
2011
2012
2013
Convênio
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
Projetos Especiais Fundecoop
581.920,00
0,00
0,00
581.920,00
0,00
0,00
Totais
581.920,00
0,00
0,00
581.920,00
0,00
0,00
Fonte: Sistema Zeus, Sescoop/PR, 2013
85
CAPÍTULO 5: GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E
CUSTOS RELACIONADOS.
5.1
Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR
As normas, políticas e planos para a área de recursos humanos estão previstas no artigo 8º,
inciso IV, do Regimento Interno do Sescoop/PR, que estabelece a competência ao Conselho
Administrativo em “aprovar o plano de cargos, salários e benefícios, o quadro de pessoal e a tabela
de remuneração correspondente à contratação dos empregados do quadro efetivo do Sescoop/PR”.
Ciente que em ambiente de trabalho saudável o trabalhador tende a melhorar a produtividade
organizacional, o Sescoop/PR investe constantemente na melhoria das condições de trabalho do seu
quadro de pessoal. Dentro de sua atuação, o Sescoop/PR vê-se diante de desafios comuns a
organizações que se relacionam com um cenário dinâmico, exigindo contínuo aprimoramento dos
processos de trabalho. Por isso, a entidade vem crescendo e se desenvolvendo no sentido de melhor
atender aos seus objetivos organizacionais.
5.2
Perfil dos funcionários por Gênero
O gráfico 17 apresenta o perfil dos funcionários por gênero
Gráfico 17: Perfil de funcionários por gênero
Perfil dos Funcionários por Gênero (%) - 2013
Feminino
33%
Masculino
67%
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
O quantitativo de mulheres representava 33% (15) e 67% (31) de homens no exercício de
2013.
86
5.3
Movimentação do Quadro de Pessoal do Sescoop/PR
Para desenvolver suas atividades, o Sescoop/PR apresentava uma estrutura funcional de 46
pessoas.
Quadro 56: apresenta comparativo da estrutura funcional pela divisão de setores de 2009 a 2013
Setores
2009
2010
2011
2012
2013
GDH
10
12
14
14
13
GDA
9
9
12
12
12
Comunicação
3
4
4
4
4
Administrativo
9
10
12
12
12
Informática
2
2
2
2
2
Jurídico
1
1
2
2
1
Auditoria Interna
1
1
1
1
1
Superintendente
1
1
1
1
1
Total
36
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
40
48
48
46
Não houve novas contratações no período. Quanto a movimentação do pessoal em 2013, foi
realizada uma demissão a pedido e uma dispensa de funcionário.
87
Quadro 57: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR (2010-2011)
Descrição
2010
Quant.
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas Finalísticas
25
Quant.
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas de
Administração e Apoio
Total Quadro Fixo
15
Salários
Valor
Prev.
1.448.400
Valor
Real.
1.303.117,12
Encargos
452.500
434.966,32
Benefícios
138.652,84
Valor
Real.
581.261,78
Quant.
Salários
153.000
Valor
Prev.
613.700
Encargos
192.100
195.205,87
18
Benefícios
104.100
99.992,31
2.963.000
2.753.196,24
Despesa
Despesa
40
Descrição
Quant.
Salários
30
Estagiários
01
-
Terceirizados
Total Temporários e Estagiários
01
Total da Unidade
41
Bolsa auxílio
Valor
Prev.
10.000
Valor
Real.
7.260,00
Taxa
1.200
660,00
Salários
-
-
Encargos
-
-
Benefícios
-
-
Despesa
2.975.000
Quant.
01
-
Valor Real.
1.746.445,80
Encargos
573.534
522.735,73
Benefícios
174.982,89
Valor Real.
Salários
188.400
Valor
Prev.
801.530
Encargos
262.850
247.571,86
Benefícios
117.157
115.687,37
3.695.571
3.613.960,51
Despesa
48
2010
Quant.
Despesa
2011
Valor
Prev.
1.752.100
2011
Valor
Despesa
Prev.
Bolsa auxílio
2.640
806.536,86
Valor Real.
2.640,00
Taxa
265
265,00
Salários
-
-
Encargos
-
-
Benefícios
-
-
7.920
01
2.905
2.905
2.761.116,24
49
3.698.476
3.616.865,51
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
88
Quadro 58: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR (2012-2013)
Descrição
2012
Quant.
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas Finalísticas
30
Quant.
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas de
Administração e Apoio
Total Quadro Fixo
18
2013
Salários
Valor
Prev.
2.314.000
Valor
Real.
2.137.473,04
Encargos
779.000
631.941,66
Benefícios
222.380,47
Valor
Real.
985.190,35
Quant.
Salários
225.500
Valor
Prev.
1.071.000
Encargos
367.000
292.451,89
17
Benefícios
153.000
146.028,20
4.909.500,00
4.415.465,61
Despesa
Despesa
48
Descrição
Quant.
29
Salários
Valor
Prev.
2.304.750
2.257.091,18
Encargos
679.000
664.207,88
Benefícios
225.954,49
Salários
244.900
Valor
Prev.
1.068.741
1.000.060,38
Encargos
318.159
296.660,38
Benefícios
166.200
153.853,74
4.781.750,00
4.597.828,05
Despesa
Despesa
46
2012
Quant.
Estagiários
0
0
Terceirizados
Valor Real.
2013
Bolsa auxílio
Valor
Prev.
0,00
Valor
Real.
0,00
Despesa
Valor Real.
Taxa
0,00
0,00
Salários
0,00
0,00
Encargos
0,00
0,00
Benefícios
0,00
0,00
Total Temporários e Estagiários
0
0,00
0,00
Total da Unidade
48
4.909.500,00
4.415.465,61
Quant.
0
0
46
Bolsa auxílio
Valor
Prev.
0,00
Despesa
Valor Real.
0,00
Taxa
0,00
0,00
Salários
0,00
0,00
Encargos
0,00
0,00
Benefícios
0,00
0,00
0,00
0,00
4.781.750,00
4.597.828,05
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
89
Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR, por Faixa Etária (2013)
Quadro 59: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR, por Faixa Etária (2013)
Descrição
Funcionários contratados - CLT em exercício na
Unidade, lotados nas Áreas Finalísticas
Funcionários contratados - CLT em exercício na
Unidade, lotados nas Áreas de Administração e Apoio
Total Quadro Fixo
Até 30 anos
De 31 a 40 anos
De 41 a 50 anos
De 51 a 60 anos
Acima de 60 anos
7
8
8
5
1
4
5
3
4
1
11
13
11
9
2
Descrição
Até 30 anos
De 31 a 40 anos
De 41 a 50 anos
De 51 a 60 anos
Acima de 60 anos
Estagiários
-
-
-
-
-
Terceirizados
-
-
-
-
-
Total Temporários e Estagiários
-
-
-
-
-
Descrição
Até 30 anos
De 31 a 40 anos
De 41 a 50 anos
De 51 a 60 anos
Acima de 60 anos
Total da Unidade
11
13
11
9
2
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
Quadro 60: Evolução da Estrutura de Pessoal do Sescoop/PR, por Nível de Escolaridade (2013)
Descrição
Quantidade de Pessoas por Nível de Escolaridade
1
2
3
4
5
6
7
8
9
-
-
-
-
-
10
17
2
-
-
-
-
1
2
6
6
2
-
-
-
-
1
2
16
23
4
-
Estagiários
-
-
-
-
-
-
-
-
-
Terceirizados
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
1
2
16
23
4
-
Funcionários contratados - CLT em exercício na Unidade, lotados nas Áreas Finalísticas
Funcionários contratados - CLT em exercício na Unidade, lotados nas Áreas de Administração e
Apoio
Total Quadro Fixo
Descrição
Total Temporários e Estagiários
Total da Unidade
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013 –
Legenda: 1 - Analfabeto; 2 - Alfabetizado sem cursos regulares; 3 - Primeiro grau incompleto; 4 - Primeiro grau; 5 - Segundo grau ou técnico; 6 - Superior; 7 - Aperfeiçoamento /
Especialização / Pós-Graduação; 8 – Mestrado; 9 – Doutorado/Pós Doutorado/PhD/Livre Docência; 10 - Não Classificada.
90
Quadro 61: Investimentos em Capacitação do Pessoal, executados pelo Sescoop/PR (2013)
Treinamentos
Cursos de Graduação
Cursos de Pós-Graduação
Total de Investimentos
em capacitação
Descrição
Quantidade
Valor
Quantidade
(R$ 1,00)
Valor
(R$ 1,00)
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas Finalísticas
38
48.025,62
0
-
1
873,00
48.898,62
Funcionários contratados - CLT em exercício
na Unidade, lotados nas Áreas de
Administração e Apoio
25
32.368,30
3
7.196,82
0
-
39.565,12
Total Quadro Fixo
63
80.393,92
3
7.196,82
1
873,00
88.463,74
Estagiários
-
-
-
-
-
-
-
Terceirizados
-
-
-
-
-
-
-
Total Temporários e Estagiários
-
-
-
-
-
-
-
63
80.393,92
3
7.196,82
1
873,00
88.463,74
Total da Unidade
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
Em suas estratégias de desenvolvimento de pessoal, o Sescoop/PR identifica necessidades, promove e gerencia ações em favor do
desenvolvimento pleno das atividades profissionais, buscando manter o quadro de colaboradores capacitado e motivado. O ANEXO IV apresenta a
relação das capacitações realizadas em 2013.
91
Quadro 62: Distribuição dos Colaboradores, por Cargo (2013)
Percentual de colaboradores por cargo
Indicador
Nº
%
Número de colaboradores no cargo de técnico
26
57%
Número de colaboradores no cargo de analista
12
26%
Número de colaboradores no cargo de coordenador de processo
5
11%
Número de colaboradores no cargo de gerente/assessor
2
4%
Número de colaboradores no cargo de gerente geral
0
0%
Número de colaboradores no cargo de superintendente
1
2%
TOTAL
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
46
100%
Indicador
Número de colaboradores com salário até R$ 2.000,00
Nº
8
%
17%
Número de colaboradores com salário de 2.001,00 a 3.000,00
2
4%
Número de colaboradores com salário de 3.001,00 a 5000,00
19
41%
Número de colaboradores com salário de 5.001,00 a 6.000,00
4
9%
Número de colaboradores com salário de 6.001,00 a 7.000,00
2
4%
Número de colaboradores com salário de 7.001,00 a 8.000,00
5
11%
Número de colaboradores com salário de 8.001,00 a 9.000,00
3
7%
Número de colaboradores com salário acima de 9.000,00
3
7%
TOTAL
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
46
100%
Quadro 63: Distribuição dos Colaboradores, por Faixa Salarial (2013)
Percentual de colaboradores por faixa salarial
Quadro 64: Movimentação do Quadro de Pessoal (2013)
Indicador
Movimentação média anual de pessoal (turnover)
Número de admissões
Número de demissões
Fonte: Setor de RH - Sescoop/PR, 2013
Nº
-
%
2,17
-
-
2
-
Quadro 65: Qualificação da Força de Trabalho (2013)
Indicador
Nº
Número de ações de capacitação
36 eventos
Número de horas de capacitação
338 horas/aula
Número de participações
Fonte: GDH – Sescoop/PR, 2013
615
5.4
Informações sobre a terceirização de mão de obra e sobre quadro de estagiários
Não houve terceirização de mão de obra e nem estagiários contratados em 2013.
92
CAPÍTULO 6: GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO
6.1
Gestão da Frota de Veículos
O Sescoop/PR possui seis veículos para desenvolvimento das atividades. Os veículos da
Entidade possuem cobertura de seguros relativos a danos materiais, roubo e incêndio e também de
responsabilidade civil com cobertura dedanos materiais e danos pessoais. O quadro 56 apresenta a
relação dos veículos.
Quadro 66: Relação de veículos
Veículo
Parati-VW
Meriva-GM
Meriva-GM
Meriva-GM
Meriva-GM
Fonte: Sistema Zeus, 2013
Placa
AQY - 0913
ASS - 9253
ASS - 8894
ASS - 9249
ASS - 9247
Ano
2009/2009
2010/2011
2010/2011
2010/2011
2010/2011
Cor
Branca
Branca
Branca
Branca
Branca
Em caso de viagens o funcionário solicita através do Sistema Interno a reserva do veículo e
o pedido de adiantamento de viagem para pagamento de combustível e pedágio.
Quanto aos procedimentos de utilização o condutor na saída deve preencher todos os dados
da requisição para o uso do veículo. Antes de sair para a viagem deverá ser realizado o
preenchimento da ficha de controle de veículos dos dados de saída (data, hora, km, itinerário e
condutor) e chegada (dia, hora e km). Ao chegar de viagem o condutor deverá entregar o carro
abastecido e comunicar ao responsável se existe alguma anormalidade por escrito. Quanto ao
abastecimento é responsabilidade do condutor informar ao frentista para o correto preenchimento
dos dados da NF que deverá conter a razão social (SESCOOP/PR), a placa do veículo, a
quilometragem, a quantidade de litros e o valor total.
Existe controle individualizado por veículo quanto a manutenção, custos e desempenho dos
veículos.
6.2
Gestão do Patrimônio Imobiliário
Para realizar sua missão o Sescoop/PR tem uma estrutura organizacional e mantém a sua
administração na sede da Ocepar, à Av. Cândido de Abreu, 501, Centro Cívico, mediante Contrato
de Gestão. Para desenvolver suas ações e por não possuir instalações físicas próprias, utiliza
estruturas das cooperativas, centros de treinamentos e outros locais adequados necessários para o
desenvolvimento de suas atividades.
O Regimento Interno do Sescoop/PR no artigo 8°, item I, estabelece ao Conselho
Administrativo, dentre outras, a atribuição de editar normas operacionais da Entidade. Já o item V
do mesmo artigo estabelece que cabe ao Conselho decidir sobre aquisições, alienações, cessões ou
gravames de bens imóveis.
No atendimento da competência regimental, visando normatizar os procedimentos quanto
aos controles patrimoniais da Entidade foi editada a Resolução de n° 06, de 14/02/2000, que trata
dos seguintes aspectos relacionados aos bens: - acompanhamento: conjunto de ações voltadas aos
controles; - doação e alienações de bens; baixa de bens; - bens imóveis; - bens permanentes; recebimento, conferencia, aceitação; - inventário- realização por comissão específica; e, registros e
controles.
A Resolução nº 06/2000 no item 2, prevê o acompanhamento e a avaliação do universo de
bens patrimoniais, via realização de inventários , sejam de gestão ou de final de exercício. Esse
93
processo é realizado mediante Comissão formalmente designada por portaria, cujo trabalho tem o
objetivo de confirmar as existências, o estado de conservação dos bens e a sua identificação via
plaquetas. Todo levantamento realizado fica registrado em ata.
Para o controle dos bens é utilizado o Sistema Zeus – Módulo Patrimonial como instrumento
auxiliar na realização de inventários, relatórios e os respectivos termos de responsabilidade dos
bens.
A contabilidade efetua os respectivos registros quando da aquisição de bens e nos casos de
sua baixa.
Também nos termos do disposto no item 5.1, da Resolução nº 06, os bens da Entidade são
identificados mediante a afixação de etiquetas, com código de barras.
Os bens possuem cobertura contra riscos relativos a incêndio, raio, explosão, vendaval,
fumaça, danos elétricos, roubo e responsabilidade de estabelecimentos comerciais mediante apólice
de seguro empresarial.
94
CAPÍTULO 7: GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
É facilmente notável que a cada dia que passa a informática adquire mais relevância na vida
das pessoas e nas empresas. Sua utilização já é vista como instrumento de aprendizagem e sua ação
no meio social vêm aumentando de forma rápida entre as pessoas.
Nas organizações não poderia ser diferente, toda empresa necessita ser informatizada para se
manter no mercado de trabalho e acompanhar as tecnologias, o computador veio para inovar e
facilitar a vida das empresas.
Atualmente nenhuma empresa pode ficar sem o auxílio da informática, é através desta
importante área estratégica, que as diretrizes estratégicas recebem apoio para serem realizadas. O
mundo está informatizado. A informática talvez seja a área que mais influenciou o curso do século
XX. Se hoje vivemos na Era da Informação, isto se deve ao avanço tecnológico na transmissão de
dados e às novas facilidades de comunicação, ambos impensáveis sem a evolução.
A Tecnologia da Informação está presente em quase tudo que fazemos e em quase todos os
produtos que consumimos. É muito difícil pensar em mudanças, em transformações, inovações em
uma empresa sem que em alguma parte do processo da informática não esteja envolvida.
O objetivo maior da Área de Informática no Sescoop/PR é prover ferramentas que
proporcionem as demais áreas e cooperativas os meios para a execução de suas atividades. É missão
da Área de Informática prover a tecnologia necessária para garantir sempre um maior resultado na
relação tempo versus recursos humanos. Informação, segurança e disponibilidade são as palavras
bases para a atuação da Área de Informática da Entidade.
Quadro 67: Gestão da Tecnologia da Informação do Sescoop/PR
Quesitos a serem avaliados
1. Em relação à estrutura de governança corporativa e de TI, a Alta Administração da Instituição:
Aprovou e publicou plano estratégico institucional, que está em vigor.
monitora os indicadores e metas presentes no plano estratégico institucional.
Responsabiliza-se pela avaliação e pelo estabelecimento das políticas de governança, gestão e uso
corporativos de TI.
aprovou e publicou a definição e distribuição de papéis e responsabilidades nas decisões mais
relevantes quanto à gestão e ao uso corporativos de TI.
aprovou e publicou as diretrizes para a formulação sistemática de planos para gestão e uso
corporativos de TI, com foco na obtenção de resultados de negócio institucional.
aprovou e publicou as diretrizes para gestão dos riscos aos quais o negócio está exposto.
aprovou e publicou as diretrizes para gestão da segurança da informação corporativa.
aprovou e publicou as diretrizes de avaliação do desempenho dos serviços de TI junto às unidades
usuárias em termos de resultado de negócio institucional.
aprovou e publicou as diretrizes para avaliação da conformidade da gestão e do uso de TI aos
requisitos legais, regulatórios, contratuais, e às diretrizes e políticas externas à instituição.
Designou formalmente um comitê de TI para auxiliá-la nas decisões relativas à gestão e ao uso
corporativos de TI.
Designou representantes de todas as áreas relevantes para o negócio institucional para compor o Comitê
de TI.
Monitora regularmente o funcionamento do Comitê de TI.
2. Em relação ao desempenho institucional da gestão e de uso corporativos de TI, a Alta Administração
da instituição:
Estabeleceu objetivos de gestão e de uso corporativos de TI.
X
Estabeleceu indicadores de desempenho para cada objetivo de gestão e de uso corporativos de TI.
X Estabeleceu metas de desempenho da gestão e do uso corporativos de TI, para 2013.
Estabeleceu os mecanismos de controle do cumprimento das metas de gestão e de uso corporativos de TI.
95
Estabeleceu os mecanismos de gestão dos riscos relacionados aos objetivos de gestão e de uso
corporativos de TI.
Aprovou, para 2013, plano de auditoria(s) interna(s) para avaliar os riscos considerados críticos para o
negócio e a eficácia dos respectivos controles.
Os indicadores e metas de TI são monitorados.
Acompanha os indicadores de resultado estratégicos dos principais sistemas de informação e toma
decisões a respeito quando as metas de resultado não são atingidas.
Nenhuma das opções anteriores descreve a situação desta instituição.
3. Entre os temas relacionados a seguir, assinale aquele(s) em que foi realizada auditoria formal em
2013, por iniciativa da própria instituição:
Auditoria de governança de TI.
Auditoria de sistemas de informação.
Auditoria de segurança da informação.
Auditoria de contratos de TI.
Auditoria de dados.
Outra(s). Qual(is)? ____________________________________________________________
Não foi realizada auditoria de TI de iniciativa da própria instituição em 2013.
4. Em relação ao PDTI (Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação) ou instrumento
congênere:
X A instituição não aprovou e nem publicou PDTI interna ou externamente.
A instituição aprovou e publicou PDTI interna ou externamente.
A elaboração do PDTI conta com a participação das áreas de negócio.
A elaboração do PDTI inclui a avaliação dos resultados de PDTIs anteriores.
O PDTI é elaborado com apoio do Comitê de TI.
O PDTI desdobra diretrizes estabelecida(s) em plano(s) estratégico(s) (p.ex. PEI, PETI etc.).
O PDTI é formalizado e publicado pelo dirigente máximo da instituição.
O PDTI vincula as ações (atividades e projetos) de TI a indicadores e metas de negócio.
O PDTI vincula as ações de TI a indicadores e metas de serviços ao cidadão.
O PDTI relaciona as ações de TI priorizadas e as vincula ao orçamento de TI.
O PDTI é publicado na internet para livre acesso dos cidadãos. Se sim, informe a URL completa do PDTI:
5. Em relação à gestão de informação e conhecimento para o negócio:
Os principais processos de negócio da instituição foram identificados e mapeados.
Há sistemas de informação que dão suporte aos principais processos de negócio da instituição.
Há pelo menos um gestor, nas principais áreas de negócio, formalmente designado para cada sistema de
informação que dá suporte ao respectivo processo de negócio.
6. Em relação à gestão da segurança da informação, a instituição implementou formalmente (aprovou e
publicou) os seguintes processos corporativos:
Inventário dos ativos de informação (dados, hardware, software e instalações).
X
Classificação da informação para o negócio, nos termos da Lei 12.527/2011 (p.ex. divulgação ostensiva ou
classificação sigilosa).
Análise dos riscos aos quais a informação crítica para o negócio está submetida, considerando os objetivos
de disponibilidade, integridade, confidencialidade e autenticidade.
Gestão dos incidentes de segurança da informação.
7. Em relação às contratações de serviços de TI: utilize a seguinte escala: (1) nunca (2) às vezes (3)
usualmente (4) sempre
( 4 ) são feitos estudos técnicos preliminares para avaliar a viabilidade da contratação.
( 3 ) nos autos são explicitadas as necessidades de negócio que se pretende atender com a contratação.
( 3 ) são adotadas métricas objetivas para mensuração de resultados do contrato.
96
( 4 ) os pagamentos são feitos em função da mensuração objetiva dos resultados entregues e aceitos.
( 4 ) no caso de desenvolvimento de sistemas contratados, os artefatos recebidos são avaliados conforme
padrões estabelecidos em contrato.
( 4 ) no caso de desenvolvimento de sistemas contratados, há processo de software definido que dê suporte aos
termos contratuais (protocolo e artefatos).
8. Em relação à Carta de Serviços ao Cidadão (Decreto 6.932/2009): (assinale apenas uma das opções
abaixo)
X O Decreto não é aplicável a esta instituição e a Carta de Serviços ao Cidadão não será publicada.
Embora o Decreto não seja aplicável a esta instituição, a Carta de Serviços ao Cidadão será publicada.
A instituição a publicará em 2013, sem incluir serviços mediados por TI (e-Gov).
A instituição a publicará em 2013 e incluirá serviços mediados por TI (e-Gov).
A instituição já a publicou, mas não incluiu serviços mediados por TI (e-Gov).
A instituição já a publicou e incluiu serviços mediados por TI (e-Gov).
9. Dos serviços que a UJ disponibiliza ao cidadão, qual o percentual provido também por e-Gov?
Entre 1 e 40%.
Entre 41 e 60%.
Acima de 60%.
X
Não oferece serviços de governo eletrônico (e-Gov).
Comentários
Considerações gerais: A metodologia utilizada para realizar a avaliação da Gestão da Tecnologia da
Informação da Unidade UJ foram realizadas reuniões com as áreas competentes, coordenadas pela
Superintendência e discutidas com o Presidente.
A grande parte das ações estão em fase de desenvolvimento, destacando a construção do Plano Diretor de
Tecnologia da Informação (PDTI), reestruturação da infraestrutura da equipe de TI, devendo ser concluídas e
operacionalizadas no exercício de 2014.
Fonte: Superintendência e Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
97
CAPÍTULO 8: GESTÃO DO USO DOS RECURSOS RENOVÁVEIS E
SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL
8.1
Critérios de Sustentabilidade Adotados
A contratação de serviços e bens pelo Sescoop/PR sempre teve como prioridade a busca de
empresas idôneas, sustentáveis e ecologicamente corretas. Sendo que nos procedimentos licitatórios
realizados pela unidade, não tem se exigido certificação ambiental por parte das empresas
participantes e produtoras (ex: ISO), como critério avaliativo ou mesmo condição na aquisição de
produtos e serviços.
Na aquisição de bens ou produtos busca-se levar em conta os aspectos de durabilidade e
qualidade de tais bens ou produtos. No quadro 81 apresentamos as práticas adotadas por esta
unidade na Gestão ambiental e licitações sustentáveis.
A inserção de critérios de sustentabilidade nas licitações é um caminho a ser construído de
forma gradual observando sempre os aspectos de legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da
igualdade, da publicidade, da vinculação ao instrumento convocatório e do julgamento objetivo.
8.2
Medidas para Uso Racional dos Recursos
O Sescoop/PR não tem sede própria e utiliza estrutura física compartilhada com o Sindicado
e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná-Ocepar mediante contrato de gestão. O
contrato de gestão visa instrumentalizar a gestão e a execução compartilhadas de atividades que,
realizadas mediante esforço concentrado, não só satisfaçam o interesse comum das partes – cujos
fins são similares ou conexos – como também evitem o excesso ou a duplicação no emprego de
recursos financeiros.
O Sescoop/PR sempre teve a preocupação com o uso racional dos recursos. Nos últimos três
anos intensificou internamente ações de conscientização através de reuniões realizadas com os
funcionários da entidade. Desde o final de 2011, 2012 e 2013 mantem-se uma política Interna de
Sustentabilidade, com o objetivo de apresentar propostas a todos os funcionários no sentido de
despertar a necessidade de utilização dos recursos naturais de forma consciente e consequentemente
a diminuição de custos internos.
98
8.3
Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis
Nos dispositivos Legais e dos Normativos Internos o Sescoop/PR no atendimento das
Decisões TCU 907/97 e 461/98 – Plenário e, também, dos dispositivos das Resoluções nº 43/2004 e
753/2011, ambas do SESCOOP Nacional, tem normatizado os procedimentos relacionados aos
processos licitatórios na Resolução 38, de 12/09/2011.
O artigo 14 da Resolução nº 38 estabelece que os procedimentos licitatórios sejam
conduzidos por uma comissão de licitação.
O artigo 4º, item IV, da mesma Resolução determina que o colegiado, permanente ou
especial, será composto por pelo menos três integrantes que deverão ser formalmente designados
por autoridade competente.
Já no que se refere ao pregoeiro o artigo 18 da referida resolução estabelece que o
mesmo deva ser formalmente designado e integrará a comissão de licitação se dela já não fizer
parte.
As designações atendem às disposições do artigo 51, da Lei nº 8.666/93 e aos termos do
Acórdão n° 1.300/2003 – TCU – 1ª Câmara. O quadro 58 apresenta a avaliação feita sobre a gstão
ambiental e licitações sustentáveis.
Quadro 68: Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis
Aspectos sobre a gestão ambiental
Avaliação
Licitações Sustentáveis
1
1. A UJ tem incluído critérios de sustentabilidade ambiental em suas licitações que
levem em consideração os processos de extração ou fabricação, utilização e descarte
dos produtos e matérias primas.
Se houver concordância com a afirmação acima, quais critérios de sustentabilidade
ambiental foram aplicados?
X
2. Em uma análise das aquisições dos últimos cinco anos, os produtos atualmente
adquiridos pela unidade são produzidos com menor consumo de matéria-prima e maior
quantidade de conteúdo reciclável.
3
4
5
X
3. A aquisição de produtos pela unidade é feita dando-se preferência àqueles
fabricados por fonte não poluidora bem como por materiais que não prejudicam a
natureza (ex. produtos reciclados, atóxicos ou biodegradáveis).
X
4. Nos obrigatórios estudos técnicos preliminares anteriores à elaboração dos termos
de referência (Lei 10.520/2002, art. 3º, III) ou projetos básicos (Lei 8.666/1993, art. 9º,
IX) realizados pela unidade, é avaliado se a existência de certificação ambiental por
parte das empresas participantes e produtoras (ex: ISO) é uma situação predominante
no mercado, a fim de avaliar a possibilidade de incluí-la como requisito da contratação
(Lei 10.520/2002, art. 1º, parágrafo único in fine), como critério avaliativo ou mesmo
condição na aquisição de produtos e serviços.
Se houver concordância com a afirmação acima, qual certificação ambiental tem
sido considerada nesses procedimentos?
X
5. No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos que colaboram para o menor
consumo de energia e/ou água (ex: torneiras automáticas, lâmpadas econômicas).
Se houver concordância com a afirmação acima, qual o impacto da aquisição
desses produtos sobre o consumo de água e energia?
X
6. No último exercício, a unidade adquiriu bens/produtos reciclados (ex: papel
reciclado).
Se houver concordância com a afirmação acima, quais foram os produtos
adquiridos?
X
7. Existe uma preferência pela aquisição de bens/produtos passíveis de reutilização,
reciclagem ou reabastecimento (refil e/ou recarga).
Se houver concordância com a afirmação acima, como essa preferência tem sido
2
X
99
manifestada nos procedimentos licitatórios?
8. No modelo de execução do objeto são considerados os aspectos de logística reversa,
quando aplicáveis ao objeto contratado (Decreto 7.404/2010, art. 5º c/c art. 13).
X
9. A unidade possui plano de gestão de logística sustentável de que trata o art. 16 do
Decreto 7.746/2012.
Se houver concordância com a afirmação acima, encaminhe anexo ao relatório
o plano de gestão de logística sustentável da unidade.
X
X
10. Para a aquisição de bens e produtos são levados em conta os aspectos de
durabilidade e qualidade (análise custo-benefício) de tais bens e produtos.
11. Os projetos básicos ou executivos, na contratação de obras e serviços de engenharia,
possuem exigências que levem à economia da manutenção e operacionalização da
edificação, à redução do consumo de energia e água e à utilização de tecnologias e
materiais que reduzam o impacto ambiental.
X
X
12. Na unidade ocorre separação dos resíduos recicláveis descartados, bem como sua
destinação, como referido no Decreto nº 5.940/2006.
Considerações Gerais:
A metodologia de avaliação da Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis tiveram no decurso reuniões
realizadas, envolvendo a Comissão de Licitações, Jurídico, Administrativo, Auditoria Interna, setores
demandantes e Superintendência.
A contratação de serviços e bens pelo Sescoop/PR sempre teve como prioridade a busca de empresas idôneas,
sustentáveis e ecologicamente corretas. Sendo que nos procedimentos licitatórios realizados pela unidade, não
tem se exigido certificação ambiental por parte das empresas participantes e produtoras (ex: ISO), como
critério avaliativo ou mesmo condição na aquisição de produtos e serviços.
Na aquisição de bens ou produtos busca-se levar em conta os aspectos de durabilidade e qualidade de tais bens
ou produtos.
A inserção de critérios de sustentabilidade nas licitações é um caminho a ser construído de forma gradual
observando sempre os aspectos de legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da
publicidade, da vinculação ao instrumento convocatório e do julgamento objetivo.
LEGENDA
Níveis de Avaliação:
(1) Totalmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente não aplicado no
contexto da UJ.
(2) Parcialmente inválida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no
contexto da UJ, porém, em sua minoria.
(3) Neutra: Significa que não há como afirmar a proporção de aplicação do fundamento descrito na
afirmativa no contexto da UJ.
(4) Parcialmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é parcialmente aplicado no
contexto da UJ, porém, em sua maioria.
(5) Totalmente válida: Significa que o fundamento descrito na afirmativa é integralmente aplicado no
contexto da UJ.
Fonte: Superintendência e Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
100
8.4
Consumo de Papel, Energia Elétrica e Água
Existe uma preocupação do Sescoop/PR com o consumo de papel, energia elétrica e água.
Por essa razão toda a estrutura física é compartilhada com a Ocepar por meio de um Contrato de
Gestão. Seu objetivo visa instrumentalizar a gestão e a execução compartilhada de atividades que,
realizadas mediante esforço concentrado, não só satisfaçam o interesse comum das partes – cujos
fins são similares ou conexos – como também evitem o excesso ou a duplicação no emprego de
recursos materiais e financeiros. Foram feitas várias reuniões internas em 2013, incentivando
racionalização de utilização de papel, luz e água. Pretende-se no próximo exercício estudar um meio
de fazer um acompanhamento mais próximo de papel e água.
Quadro 69: Consumo de Papel, Energia Elétrica e Água
Adesão a Programas de Sustentabilidade
Ano de
Nome do Programa
Resultados
Adesão
“3Três Atitudes Sustentáveis”
2011
Economia financeira em dois anos foi de
R$ 30.207,00
Quantidade
Valor
Recurso
Consumido
Exercícios
2013
2012
2011
2013
2012
2011
-
-
-
33.174
43.303
63.381
Total
33.174
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
43.303
63.381
Energia Elétrica
Gráfico 18: Comparativo do Consumo de Energia Elétrica 2012/2013
Energia Elétrica
4.500
4.000
3.500
3.000
2.500
2.000
1.500
1.000
500
0
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
2012
2013
Fonte: Coordenação Administrativa e Financeira do Sescoop/PR, 2013
101
CAPÍTULO 9: CONFORMIDADE E TRATAMENTO DE DISPOSIÇÕES LEGAIS E
NORMATIVAS
9.1
Tratamento de deliberações exaradas em acórdão do TCU
Não houve deliberações, determinações e recomendações do TCU no exercício de 2013.
Também não há situação das deliberações do TCU que permanecem pendentes de
atendimento referente a exercício anteriores.
9.2
Tratamento de Recomendações do Órgão de Controle Interno
9.2.1 Recomendações do Órgão de Controle Interno Atendidas no Exercício
Em 2013 a CGU/PR, realizou trabalhos de Auditoria Anual de Contas referente ao Exercício
de 2012. Em seu Relatório de Auditoria Anual de Contas recomendou a instituição do Plano Diretor
de Tecnologia da Informação (PDTI) e a formação do Comitê Diretivo de TI.
O Sescoop/PR em resposta ao Relatório através do ofício 01/2014 de 22 de janeiro de 2014,
informou: Quanto ao Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), estão sendo envidados
esforços para sua implantação. O item faz parte do Objetivo 12, locado para a área de TI. A
Unidade Nacional está orientando as Unidades Estaduais para criarem seu PDTI.
A estrutura da TI do Sescoop/PR esta sendo ampliada para atender esse aspecto. A
implantação do PDTI irá contribuir para a identificação e correta aplicação de recursos da área no
cumprimento e desempenho efetivo da missão institucional. Os ajustes estão previstos no
planejamento anual da entidade e serão implementados em 2014.
A conclusão dos trabalhos da CGU/PR foi: “Das análises realizadas não foram identificadas
questões formais que tenham causado prejuízo ao erário. Tendo sido abordados os pontos
requeridos pela legislação aplicável, submetemos o presente relatório à consideração superior, de
modo a possibilitar a emissão do componente Certificado Auditora”.
9.2.2 Recomendações do Órgão de Controle Interno Pendentes de Atendimento ao Final do
Exercício
Não houve deliberações, determinações e recomendações do TCU no exercício de 2013.
Também não há situação das deliberações do TCU que permanecem pendentes de
atendimento referente a exercício anteriores.
102
9.3 Estrutura da área de auditoria interna e descrição da execução do acompanhamento dos
resultados de seus trabalhos
Quadro 70: Auditoria Interna
SERVIÇOS DE AUDITORIA
Programa:
Sub-função:
Objetivo Geral:
Objetivo Específico:
Gerente do programa:
Responsável pelo programa no
Âmbito da UJ
Beneficiários:
Ação:
META
Financeira-R$
Física – horas
0106 – Gestão da Política de Trabalho e Emprego
0773 – Gestão Política, Exec.Financeira, Contabilidade e Controle
125 – Normatização e Fiscalização
Auditar, orientar e verificar as ações realizadas
Assessorar a administração com informações sobre o desempenho da
gestão, de modo a subsidiar o processo de decisão, buscando agregar valor
à gestão, na gerência da coisa pública.
João Paulo Koslovski
Tadeu Duda
Empregados, cooperados, dirigentes e familiares das cooperativas
contribuintes.
8951 – Serviços de Auditoria
PREVISÃO
114.700,00
800
EXECUÇÃO
111.637,45
922
EXECUÇÃO/PREVISÃO %
97,33
115,25
Principais atividades realizadas
Em 2013, a Auditoria Interna, atingiu 115,25% do montante de
horas previstas, tendo levado a efeito 922 horas de trabalho,
com o que cumpriu plenamente o planejamento respectivo, no
Avaliação crítica dos resultados
atendimento de sua missão e objetivos.
As despesas da área foram realizadas na ordem de 97,33% dos
valores fixados no orçamento respectivo.
Fonte: Sistema Zeus - Sescoop/PR, 2013
A Auditoria Interna, instituída nos termos das disposições do Decreto nº 3.591/2000 e da IN
SFC/MF nº 01/2001, visando o assessoramento à administração com informações sobre o desempenho
da gestão, subsidiando o processo e agregando valor ao gerenciamento da coisa pública, levou a efeito
no exercício de 2013 um total de 922 horas de trabalho, produzindo oito relatórios específicos na área
operacional e ainda o RAINT/2012 , o PAINT/2014 e no atendimento da DN TCU nº 124/2012, emitiu
Parecer, anexo ao relatório de gestão do exercício de 2012, com manifestação expressa sobre os
controles internos administrativos, regularidade dos processos licitatórios, gerenciamento da execução
de convênios e ajustes, sobre o cumprimento das recomendações da Auditoria Interna, do Tribunal de
Contas da União, do Órgão de Controle Interno e das decisões e recomendações do Conselho Fiscal e
do Conselho Administrativo.
I.
ESTRUTURAÇÃO DA AUDITORIA INTERNA – SESCOOP/PR
a)
Do atendimento de exigência legal – recomendação
No atendimento do disposto no Decreto nº 3.591/2000 o SESCOOP Nacional, em
08/01/2001, deliberou pela instituição da Auditoria Interna, criando para tanto uma Gerencia
específica.
Já o SESCOOP/PR, para atuação na área de sua abrangência regional, foi a mesma instituída
em 01 de junho de 2001, com a contratação de um profissional habilitado para a função.
Contudo o Decreto n° 4.440/2002 alterou dispositivos do Decreto 3.591/2000 desobrigando
as entidades paraestatais da instituição da Auditoria Interna. Apenas o § 8°, artigo 15 do mesmo
103
Decreto, estabelece que o Sistema de Controle poderá recomendar aos serviços sociais autônomos
as providencias necessárias à organização da respectiva unidade de controle interno.
O SESCOOP, tanto a nível nacional quanto estadual, ainda que não em decorrência de
recomendação de Órgão de Controle, deliberou pela manutenção dos serviços da Auditoria Interna
então existentes objetivando o fortalecimento dos seus controles internos.
b) Dos recursos humanos e do quantitativo de horas
1- A Auditoria Interna do SESCOOP/PR conta com um técnico, contador, contratado para
meio período, equivalente a uma jornada de 20 horas semanais.
2- Mantido o padrão quantitativo de horas de exercícios anteriores foi fixado para o
exercício de 2013 um total de 800 horas líquidas possíveis para atendimento das diversas atividades
da Auditoria Interna inclusive para ações de desenvolvimento institucional, de capacitação e de
fortalecimento da Auditoria Interna.
c)
Dos recursos materiais e tecnológicos
Os sistemas de informação e equipamentos de informática, internet, biblioteca e outros
estarão disponíveis aos trabalhos da Auditoria Interna para o exercício de 2013.
d) Do orçamento da Auditoria Interna
A Unidade de Auditoria Interna para o exercício de 2013 contará com valores vinculados ao
seu centro de custos da ordem de R$ 136.000,00, destinados ao custeio de despesas com salários,
encargos, benefícios, passagens, locomoções e eventuais despesas com viagens.
II.
PROCEDIMENTOS
Os procedimentos constarão do conjunto de verificações e de exames constantes de
programa específico para cada trabalho, com adoção de testes, em amostragens que representem o
universo; com abordagem em áreas selecionadas pela auditoria ou determinadas pela administração.
No atendimento de sua prerrogativa a Auditoria Interna irá determinar a amplitude e a
profundidade dos exames, com base na análise de riscos e dos elementos disponíveis, necessários
ao estabelecimento de convicção que deverá ser extrapolada para o universo examinado.
 Procedimentos técnicos:
 Exame e verificação dos procedimentos da administração na área de licitações e
contratos no atendimento da legislação, resoluções e normas internas pertinentes.
 Acompanhamento da realização de eventos, da execução orçamentária e das
despesas decorrentes, via sistemas: “Controle de Eventos”, “Digitaldoc” e “Zeus”.
 Análise e exame de processos, de documentos e de ativos da entidade.
 Verificação e acompanhamento de procedimentos ou de processos, quando de sua
execução.
 Conferência de cálculos através da revisão e da confirmação dos valores
apresentados
 Confirmação: verificação da fidedignidade das informações obtidas internamente.
 Inspeção física: exames voltados a itens tangíveis, para testar os controles quanto à
segurança de quantidades físicas e à qualidade desses bens
 Verificação de sistemas, de registros e relatórios contábeis.
 Outros.
104
III.
RELATÓRIOS
Os relatórios abordarão os trabalhos realizados, a sua abrangência, a forma de realização, a
síntese das verificações que mereçam observações, as conclusões e as respectivas recomendações,
se necessárias.
Terão por objetivo levar ao conhecimento das esferas competentes os resultados,
destinados:
a)
à administração para fornecer informações que permitam subsidiar suas deliberações.
b) aos responsáveis pela execução de tarefas, vinculadas às atividades finalísticas, para
adoção de medidas corretivas quando da verificação de eventuais impropriedades detectadas pelos
trabalhos realizados.
As conclusões dos trabalhos de verificação serão importante subsídio na emissão do Parecer
da Auditoria Interna quando do processo de prestação de contas, ou do relatório de gestão, da
Entidade em relação ao exercício social de 2013.
IV.
AÇÕES PREVISTAS E SEUS OBJETIVOS
Visando o atendimento do contido na Instrução Normativa CGU nº 07, de 29/12/2006 e na
Instrução Normativa SFC nº 01, de 03/01/2007 é elaborado o presente programa de trabalho da
Auditoria Interna para o exercício de 2013.
Síntese das Ações e respectivos Objetivos
a) Acompanhamento do cumprimento das metas do plano de trabalho da Entidade,
buscando verificar a conformidade de sua execução.
b) Assessoramento à administração da Entidade no acompanhamento da execução do
plano de trabalho, visando comprovar o alcance do mesmo e a adequação do seu gerenciamento.
c) Verificação da execução orçamentária da Entidade, visando comprovar a conformidade
com os limites aprovados e os reformulados.
d) Verificação do desempenho da gestão da Entidade buscando comprovar a legalidade e a
legitimidade dos atos e dos resultados quanto à economicidade e eficácia da gestão orçamentária,
financeira, patrimonial, de pessoal e dos demais sistemas operacionais existentes.
e) Emissão de Parecer da Unidade de Auditoria Interna e exame do processo de prestação
de contas, ou do relatório de gestão, da Entidade.
f) Avaliação dos controles internos administrativos da unidade quanto a sua capacidade de
correção de falhas e de minimização de riscos.
g)
Verificação da regularidade dos processos licitatórios.
h) Exame e verificação do cumprimento das disposições relativas às obrigações tributárias
e demais recursos exigíveis.
i) Verificação do cumprimento das recomendações da Auditoria Interna; das
recomendações expedidas pelos Órgãos de Controle; das determinações e recomendações do TCU;
de recomendações e decisões do Conselho Fiscal e do Conselho de Administração.
j) Elaboração do Plano Anual de Atividades da Auditoria Interna-PAINT, em relação ao
exercício seguinte e, também, do Relatório de Atividades da Auditoria Interna-RAINT e seu
encaminhamento às esferas competentes nos termos dos normativos correspondentes.
105
Origem das demandas
a)
Internas
Ações voltadas ao cumprimento do programa de trabalho da Auditoria Interna, realizando,
periodicamente, exames e verificações em áreas selecionadas, buscando abranger amostra
significativa das atividades da Entidade, com a elaboração dos respectivos relatórios, formulando
recomendações, quando necessário,
b) Especiais
Eventuais ações não incluídas no programa de trabalho da Auditoria Interna e que tenham
por origem de demanda:
 Órgãos de Controle Governamental – CGU/SFC/TCU
 Conselho Administrativo
 Conselho Fiscal
 Presidência.
Resultados Esperados
a)
fortalecimento e melhoria dos controles internos e de gestão.
b) alteração e implementação de normativos internos voltados ao aumento de sua
eficiência, caso necessário.
c)
implementação de medidas recomendadas.
Amplitude dos exames
Como amplitude dos trabalhos em relação ao universo das áreas a serem verificadas,
atendido o limite e a capacidade da estrutura da Auditoria Interna existente, tendo ainda por
parâmetro os trabalhos realizados nos exercícios antecedentes, com percentuais estimativos, são
propostos os seguintes quantitativos para o exercício de 2013:
1.
Execução orçamentária e metas do plano de trabalho:
a) Até 60,00 % no decorrer do exercício, com análise comparativa entre os valores
orçados e os realizados até a data da verificação, e a avaliação do quantitativo de metas cumpridas e
a conformidade de sua execução.
b)
100,00 % no exame do processo de prestação de contas ou do relatório de gestão.
2.
Licitações e contratos:
a)
Até 70,00% dos processos licitatórios
b) Até 30,00 % dos processos de dispensa e de inexigibilidade.
3.
Eventos centralizados e descentralizados:
até 10,00 % dos processos relativos à realização dos eventos
4.
Gestão financeira :
verificação de até 50,00% dos procedimentos relacionados ao cumprimento das normas
relativas à movimentação de recursos financeiros e da gestão das exigibilidades em especial
quanto ao cumprimento das obrigações relativas a tributos e contribuições.
5.
Recursos Humanos
verificação de um mínimo de 50,00% dos procedimentos relacionados à gestão de pessoas
em especial quanto aos processos de admissão, demissão, existências físicas quanto às
106
folhas de pagamento, segurança dos sistemas de pagamento, horas extras, benefícios, diárias
e outros inerentes à área, buscando avaliar o cumprimento da legislação respectiva,
convenções, acordos e normativos internos.
6.
Avaliação de gestão
avaliação de 100,00% dos procedimentos de gestão quando do exame do processo de
prestação de contas ou do relatório de gestão do exercício de 2012.
7.
Ativo permanente
verificação e exame de 100,00% dos controles e registros patrimoniais dos bens da Entidade.
8.
cumprimento de recomendações
verificação de 100,00% do cumprimento de determinações e recomendações oriundas dos
órgãos de controle, da fiscalização, da administração e da Auditoria Interna.
Cronograma das atividades
Considerando os resultados satisfatórios nos exercícios precedentes, para as atividades de
2013 a proposta é de manter os mesmos critérios quanto ao cronograma das atividades, dividindo as
etapas por períodos trimestrais, como segue.
1° Trimestre
 reformulação, se necessária, e encaminhamento definitivo do PAINT do exercício de
2013 ao Órgão de Controle Interno.
 elaboração e encaminhamento do RAINT do exercício de 2012 ao Órgão de Controle
Interno e aos órgãos internos da Entidade.
 atendimento da auditoria externa contratada pela Entidade Nacional.
 atendimento da equipe de auditores da CGU/PR quando da realização dos trabalhos de
avaliação de gestão relativos às atividades do SESCOOP/PR do exercício de 2012.
 elaboração do Relatório e Parecer da Unidade de Auditoria Interna relativos ao processo
de prestação de contas ou do relatório de gestão da Entidade do exercício de 2012.
 gozo regulamentar de trinta dias de férias nos termos da legislação própria.
 participação em reuniões dos Conselhos Administrativo e Fiscal da Entidade de
avaliação do processo de prestação de contas ou do relatório de gestão do exercício anterior.
2° e 3º Trimestres
 realização de auditorias: de acompanhamento de gestão, contábeis e operacionais.
 início dos trabalhos de elaboração do PAINT 2014
4º Trimestre
 realização de auditorias na área operacional.
 realização de acompanhamento e de avaliação da execução orçamentária.
 conclusão do PAINT de 2014 e seu encaminhamento a CGU.
 início de elaboração do RAINT 2013.
Local de realização dos trabalhos de auditoria
A Entidade não realiza transferência de recursos, seja via convênios ou outra forma e assim
todos os pagamentos são realizados na sede da unidade, onde ocorrem: a elaboração e aprovação do
orçamento anual, o planejamento das atividades, a operacionalização dos pagamentos e o
107
arquivamento dos respectivos documentos, razão pela qual os trabalhos da Auditoria Interna serão
realizados na sede da mesma.
Recursos humanos
Os recursos humanos a serem utilizados se resumem a um técnico, contador, com jornada
diária correspondente a 04 horas. Estão previstas 800 horas líquidas voltadas à execução das
respectivas atividades conforme é demonstrado no quadro a seguir.
108
V.
RESUMO DA PREVISÃO DE HORAS- 2013
Quadro 71: Quadro de Atividades/ Horas Trabalhadas
ATIVIDADES
TOTAL DE HORAS
- HORAS IMPRODUTIVAS- férias, recessos e compensações.
- HORAS LIQUIDAS POSSÍVEIS
- AUDITORIAS- contábeis, operacionais e de acompanhamento de
gestão.
- ANÁLISE DO PROCESSO DE CONTAS, ou do RELATÓRIO DE
GESTÃO- avaliação da gestão.
-RESERVA TÉCNICA-atendimento à órgãos internos e externos, pré
e pós auditoria, planejamento e relatórios.
OUTRAS- relatório anual, planejamento anual, atualização,
reciclagem, treinamento, participação em eventos, reuniões e outras.
Fonte: PAINT, 2013
VI.
Nº DE
HORAS
1.000
200
%
800
xxxxx
xxxxx
100,00
400
50,00
80
10,00
140
17,50
180
22,50
AÇÕES DE FORTALECIMENTO E DE CAPACITAÇÃO DA AUDITORIA
INTERNA
a)
Ações de Capacitação
A atualização e o aperfeiçoamento, como forma de treinamento, serão buscados via
instrumentos internos existentes na Entidade tais como acervo bibliográfico, internet, boletins
fiscais e eventual participação em seminários.
b)
Ações de Fortalecimento
Não há previsão, para o exercício de 2013, de revisão de normativos internos ou outros
procedimentos relacionados à Unidade de Auditoria Interna.
VII.
CONCLUSÃO
Atendida a realidade do SESCOOP/PR e a capacidade da estrutura da Auditoria Interna a
presente proposta de PAINT/2013 foi elaborada buscando o atendimento dos preceitos
estabelecidos pelo Decreto nº 3.591/2000 assim como a recomendação constante do Decreto n°
4.440/2002. Já o seu conteúdo buscou atender as disposições da IN CGU nº 07/2006 e da IN SFC nº
01/2007.
Nos termos do disposto no artigo 4º do IN CGU nº 07/2006 o presente documento será
submetido à análise prévia do Órgão de Controle Interno e o seu conteúdo programático poderá ser
acrescido de ações julgadas relevantes, a juízo desse Órgão.
A sua implementação no exercício em referencia , com o apoio técnico e a orientação dos
Órgãos de Controle Interno, deverá contribuir para o cumprimento dos objetivos da Auditoria
Interna e para o atendimento da missão institucional da Entidade.
109
ÁREA DE AUDITORIA
A Unidade de Auditoria Interna é composta por um profissional, contratado por processo de
seleção pública, subordinado diretamente à autoridade máxima da Entidade.
A administração toma conhecimento das recomendações via encaminhamento expresso dos
relatórios das verificações realizadas nas áreas operacionais.
A cada trabalho realizado o relatório respectivo é encaminhado via expediente dirigido ao
Presidente, sendo objeto de reunião previa com o Superintendente e Coordenador Administrativo.
As recomendações da Auditoria Interna inseridas nos relatórios são objeto de reunião com a
Superintendência e com o Coordenador Administrativo para posterior encaminhamento das
implementações respectivas. Inexiste sistema de monitoramento dos resultados decorrentes dos
trabalhos da Auditoria Interna cuja verificação é feita via acompanhamento do atendimento das
recomendações feitas.
Quanto aos Controles Internos Administrativos da Unidade e estrutura da Auditoria Interna,
os controles administrativos internos são adequados e capazes de identificarem, evitarem e
corrigirem falhas e irregularidades, assim como de minimizarem riscos inerentes aos processos
relevantes da unidade. O levantamento das informações gerenciais é realizado via relatórios de
gestão e nos sistemas de controle de eventos, de registros contábeis , financeiros e de execução
orçamentária disponibilizados à Auditoria Interna.
Quanto a Regularidade dos Processos Licitatórios nas verificações dos processos de
licitação e respectivos contratos, assim como nos exames relacionados à dispensa e inexigibilidade,
em quantitativos suficientes para firmar convicção, foram constatados corretos procedimentos
quanto ao atendimento da legislação pertinente e de regularidade dos processos licitatórios.
No Gerenciamento da Execução de Convênios e Ajustes: item não aplicável pela
inexistência de convênios firmados pela Entidade com transferência de recursos financeiros.
Cumprimento das Recomendações da Auditoria Interna: no que se refere às recomendações
formuladas pela Auditoria Interna a conclusão é de que houve implementação de medidas
sugeridas, assim como o estudo de outras a serem implementadas, não tendo ocorrido
recomendações contestadas ou rejeitadas.
No cumprimento das recomendações expedidas pelo Órgão ou Unidade de Controle Interno,
não houve recomendações expedidas por Órgão ou Unidade de Controle Interno.
Já no cumprimento das determinações e recomendações exaradas pelo Tribunal de Contas
da União, no decurso desse exercício não ocorreram determinações ou recomendações pelo
Tribunal de Contas da União-TCU.
Quanto ao cumprimento das decisões e recomendações do Conselho Fiscal e do Conselho
Administrativo, as deliberações e recomendações oriundas destes Conselhos foram plenamente
acatadas pela Entidade.
Quando se trata do atendimento do disposto no item 5.2.8, da Portaria CGU nº 133//2013, a
Auditoria Interna deu cumprimento às atividades consignadas no PAINT – 2013; Não houve
solicitação de trabalhos especiais efetuados à Auditoria Interna; Não houve demandas apresentadas
à Auditoria Interna pelo Conselho Administrativo ou pelo Conselho Fiscal quanto ao cumprimento
das atividades consignadas no PAINT-2013; e, não houve demandas de acompanhamento de
recomendações dos órgãos de controle.
110
CAPÍTULO 10: INFORMAÇÕES CONTÁBEIS
10.1 Informações sobre a adoção de critérios e procedimentos estabelecidos pelas Normas
Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao Setor Público NBC T 16.9 e NBC T 16.10,
publicadas pelas Resoluções CFC nº 1.136/2008 e 1.137/2008, respectivamente, ou norma
específica equivalente, para tratamento contábil da depreciação, da amortização e da
exaustão de itens do patrimônio e avaliação e mensuração de ativos e passivos da Unidade
Na preparação das demonstrações contábeis são adotadas premissas para o reconhecimento
das estimativas, para registro de certos ativos, passivos e outras operações como: provisões para
contingências, perdas estimadas para crédito de liquidação duvidosa, vida útil dos bens do
imobilizado, classificações de curto e longo prazo, entre outros. Os resultados a serem apurados,
quando da concretização dos fatos que resultaram no reconhecimento destas estimativas, poderão
ser diferentes dos valores reconhecidos nas demonstrações contábeis. A Administração monitora e
revisa periódica e tempestivamente estas estimativas e suas premissas.
Um ativo é reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que seus benefícios
econômico-futuros, serão gerados em favor do Sescoop/PR e seu custo ou valor puder ser
mensurado com segurança. Um passivo é reconhecido no balanço patrimonial quando o
Sescoop/PR possuir uma obrigação legal ou constituída como resultado de um evento passado,
sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. São acrescidos, quando
aplicável, dos correspondentes encargos e das variações monetárias. As provisões são registradas
tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido.
Os ativos e passivos são classificados como circulantes quando sua realização ou liquidação
sejam prováveis que ocorram nos próximos 12 meses. Caso contrário, são demonstrados como não
circulantes.
O resultado das operações do Sescoop/PR, especificamente as suas (receitas e despesas) são
apurados em conformidade com o regime contábil de competência. As receitas de contribuições
destinadas ao Sescoop/PR são reconhecidos contabilmente no momento do efetivo recebimento
financeiro. As receitas financeiras são reconhecidas pelo regime de competência.
O imobilizado é mensurado pelo seu custo histórico, menos depreciação acumulada. A
depreciação é computada pelo método linear, com base na vida útil estimada de cada bem,
conforme a Nota Explicativa n° 08.
A vida útil estimada e o método de depreciação são revisados no final de cada exercício e o
efeito de quaisquer mudanças nas estimativas é contabilizado prospectivamente.
Um item do imobilizado é baixado após alienação ou quando não há benefícios econômicosfuturos resultantes do uso contínuo do ativo. Os ganhos e as perdas em alienações são apurados
comparando-se o produto da venda com o valor residual contábil e são reconhecidos na
demonstração do resultado.
Ativos intangíveis adquiridos, separadamente, são mensurados no reconhecimento inicial ao
custo de aquisição e, posteriormente, deduzidos da amortização acumulada e perdas do valor
recuperável, quando aplicável. A Administração revisa anualmente o valor estimado de realização
dos ativos, e taxa de amortização, levando em consideração sua vida útil. A amortização dos bens
são reconhecidas no resultado do exercício de acordo com as taxas informadas na Nota Explicativa
nº 9.
De acordo com os CPCs, o Sescoop/PR reconhece uma provisão quando existe uma
obrigação presente decorrente de um evento passado, uma transferência de benefícios econômicos é
provável e o valor dos custos de transferência pode ser estimado de maneira confiável. Nos casos
111
em que os critérios não são cumpridos, um passivo contingente pode ser divulgado nas notas
explicativas das demonstrações contábeis. As obrigações decorrentes de passivos contingentes que
foram divulgadas, ou que não são atualmente reconhecidas ou divulgadas nas demonstrações
contábeis, poderiam ter um efeito material sobre o balanço patrimonial do Sescoop/PR. A aplicação
desses princípios contábeis a litígios exige que a Administração realize cálculos sobre diversas
matérias de fato e de direito, além de seu controle. O Sescoop/PR revisa as ações judiciais
pendentes, monitorando a evolução dos processos e a cada data de elaboração de relatórios, visando
avaliar a necessidade de provisões e divulgações nas demonstrações contábeis. Entre os fatores
considerados na tomada de decisões sobre as provisões estão a natureza do litígio, a reivindicação
ou autuação, o processo judicial e o nível potencial de indenização na jurisdição em que o litígio,
reivindicação ou autuação foi interposto, o andamento da ação (incluindo o andamento após a data
das demonstrações contábeis, mas antes de serem emitidas), os pareceres ou opiniões dos
consultores jurídicos, a experiência em casos semelhantes, e qualquer decisão da Administração do
Sescoop/PR sobre a forma como ela vai responder ao litígio, reivindicação ou autuação.
As contas a pagar a fornecedores são obrigações a pagar por bens ou serviços que foram
adquiridos no curso ordinário dos negócios, sendo classificadas como passivos circulantes, exceto
quando o prazo de vencimento for superior a 12 meses após a data do balanço, quando são
apresentadas como passivo não circulante. Na prática, são normalmente reconhecidas ao valor do
documento fiscal correspondente.
Os salários, incluindo provisões para férias, 13º salário e os pagamentos complementares
negociados em acordos coletivos de trabalho, adicionados dos encargos sociais correspondentes,
são apropriados pelo regime de competência.
As provisões para ações judiciais são reconhecidas quando: (i) a entidade tem uma
obrigação presente ou não formalizada como resultado de eventos passados; (ii) é provável que uma
saída de recursos seja necessária para liquidar a obrigação e (iii) o valor possa ser estimado com
segurança. Caso haja diversas obrigações semelhantes, a probabilidade de uma saída de recursos a
ser exigida para a liquidação será determinada ao se considerar a natureza das obrigações como um
todo. A Nota Explicativa nº 14 complementa essas informações.
As provisões, quando existentes, são mensuradas pelo valor presente das despesas que se
esperam ser exigidas para liquidar a obrigação a qual reflita as avaliações atuais de mercado do
valor temporal do dinheiro e dos riscos específicos da obrigação. O aumento da obrigação em
decorrência da passagem do tempo é reconhecido como despesa financeira, quando aplicável.
Informações mais detalhadas sobre as demonstrações contábeis e suas respectivas Notas
Explicativas podem ser encontradas no Anexo I deste relatório.
112
CAPÍTULO 11: OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO
11.1 Outras Informações Consideradas Relevantes pelo Sescoop/PR
Concluímos o ano de 2013 com avanços expressivos nos diferentes ramos de atuação das
cooperativas paranaenses.
Fruto de muito trabalho, dedicação e, sobretudo, profissionalismo, vários foram os desafios
que se transformaram em conquistas para nossos cooperados.
Os números evidenciam o crescimento do cooperativismo, demonstrando que é possível
avançar, mesmo em momento de crise econômica vivenciado por inúmeros países.
O forte investimento realizado pelas cooperativas nos últimos anos, especialmente no capital
humano, não deixa dúvidas de que estamos no caminho certo. Em 2013, foram 151.415 pessoas
integrantes de nossas cooperativas que receberam treinamento e, nos últimos 5 anos, 651.190.
O que se observa é que todo trabalho desenvolvido para prestar melhores serviços aos
cooperados está surtindo efeito. Basta olhar a quantidade de pessoas que vem buscar na cooperação
o abrigo para suas atividades.
Terminamos o ano superando a casa de um milhão de cooperados, evidenciando que o
cooperativismo é a melhor alternativa de trabalho e renda para significativa parcela de nossa
população.
Se em 2013 cerca de 20% dos paranaenses dependiam das ações do cooperativismo, isto se
deve ao elevado nível de profissionalização que está sendo implementado no setor, com reflexos
diretos na qualidade dos serviços oferecidos.
Mais que isto, são 1,7 milhão de postos de trabalho gerados pelas nossas cooperativas, que
recolhem aos cofres públicos, sob a forma de impostos e tributos, R$ 1,2 bilhão.
Gerar emprego, distribuir renda e participar do desenvolvimento das comunidades onde
atuam e, consequentemente, dos municípios, do Estado e da Nação, são a tônica do trabalho do
cooperativismo paranaense.
Os interesses dos cooperados têm sido defendidos fielmente, sempre com os olhos voltados
à obtenção de maior rentabilidade ao sócio.
Essa preocupação revela-se, por exemplo, nos investimentos realizados pelo setor que,
somente em 2013, chegaram a R$ 2,16 bilhões e, se somarmos os últimos 5 anos, atingiram R$ 6,59
bilhões, aplicados em infraestrutura, agroindustrialização e modernização dos processos de
tecnologia da informação e logística.
O Sescoop/PR é um forte aliado na promoção social, capacitação das pessoas e
monitoramento das cooperativas. A formação de jovens, mulheres e novas lideranças também
recebe atenção especial do Sistema Ocepar.
O Programa de Autogestão contribui de forma preponderante na profissionalização da
gestão. Além disso, a discussão em torno de novos modelos, já implementados em algumas
cooperativas, fazem parte de nosso trabalho, objetivando viabilizar boas alternativas que forneçam
maior segurança administrativa. Neste sentido, o programa de formação de novos Conselheiros, que
iniciou em 2013, já conta com várias cooperativas participantes.
Com intuito de levar até a população informações do trabalho realizado pelas entidades do
Sistema “S” do Paraná - Sesi/Senai, Sesc/Senac, Sest/Senat, Sescoop, Senar e Sebrae, foi publicado
um encarte na Gazeta do Povo relatando as principais ações de cada entidade.
113
ANEXO I- Demonstrações Contábeis Previstas pela Lei
Nº 4.320/64 e pela NBC 16.6 Aprovada Pela Resolução
CFC Nº 1.133/2008, ou Ainda Prevista Na Lei Nº
6.404/76, Incluindo as notas Explicativas
114
Seivigo Nacional' de Aprendi2agem do'Cooperativismo no
Estadd do-Paran6
Balangos patrimonidis em 31 de dezembro
d;,e
2013 e de"2072
(Valores expressos em reais)
ATIVO
2013
Notas
2012
Ativo circulante
Caixa e equivalentes de caixa
5
19.847.151
Gr6ditos e valores a receber
6
91.833
Despesas pagas antecipadamentb
7
Total do ativo circulante
.
15.667.396
88.619
" ____ ?g,1gg_"
--1-9;993."
19.959.147
15.77 5.908
371.815
Ativo nio circulante
lrnobilizado
8
336.844
Intangfvel
9
,663.604
Total do ativo
nio circulante
-919*9-59-"
___1"999,!79
""
--12*9'?-79-"
Ativo Compensado
Bens em Comodato
10
Total do ativo compensado
IL2*9"
1"1,?!9_"
.246
11'2::*9"""
11
Total do"ativo
20.970.842
17.035.928
As notas explicativas,sSo piartes integrantes das demonstrag6es-cont6beis.
I
Luciana Andreatta
Gontadora - CBC.PR-0+ZSS0/O-I
Sescoop.pB
ose Ko erto Ricre
Sescoop-PR
oslo vski
Presidente do eseoop-PR
Seruigo Naciona| de Aprend'izagem do
Estado do Paranf
Bafangos patrrimoniais Em 31 de'dezembro de 2013 e de 2012
(Valores expressos em reais)
PAssrvo E PATnlruOrulo soclAL
Notas
2013
201'2
Passivo"circulante
Contas h pagar
11
Sal6rios, encargos sociais e impostos a recolher
12
Provis6es trabalhistas e outras
13
Total do passiVo circulante
PatrimOnio'social
Superavit ou deficit acumulado
16
Total do patrim6nio social
PassivO Comp6risado
Bens em comodato
17
11
.246
Total do passivo compensado
Total do pasSivo e patr.im6nio social
As notas explicativas
20.970.842
sio partes integrantes
17.035.928
das demOnstrag6es cont6beis.
ni6
,
contadora . ChC.pR_047Sg0rO.t
Sescoop-pB
iG;'c
reJiaeJrte-do
Servigo Nacional de Aprendizagern do Gooperativ,isrno no
Estado do Paran6
Demonstrag6es do superaviU deficit para os ex6?cicios findos em
31 de'dezetnbro de 2013 e de 2012
(Valores expressos em reais)
Notas
Receita de contribuigio bruta
18
Superavit bruto
2013
2012
26.264.500
21
.700.787
26.264.500
21
.700.787
Custo/ despesas/ outras receitas operacionais
Pessoal, encargos e beheffcios sociais
19
(4.597.828)
(4.415.466)
Administrativas
20
(1.580.852)
(1
21
(16.849.51 e)
(724.210)
Institucionais
Servigos profissionais e contratados
.456.522)
(774.224)
(16.220.703)
(330.314)
(3;25.821)
Depreciag6es e amortizag6es
(302.342)
(216.595)
Outras deSpesas operacionais
(18.851)
Tribut6rias
Transfer€ncias e conv6nios
Outras rec6itas operacionais
22
Resultado fihanceiro liquido
23
Superavit do exercicio
As notas explicativas
Luciana Andreatta
C
ontadora
: CBC.PR.04ZSS0/O.I
Sescoop-Pf,
sio partes integrantes
55.580
49.297
(24.348.336)
(23.360.033)
1.607.084
1.501.286
3.523.247
(1'57.e60)
das dem'onStrag6es contibeis.
slovski
Presidente do escoop-PR
Seruigo Nacional.de Aprendizagem do Cooperativisrno no
Est?do do ParanS
Demonstrag6es dos flir:(os de caixa paia os exercicios findos eni 31 de
dezembro de 2013 e de 2012
(Valores expressos em reais)
31t12t2013
31112t2012
Fluxo de caixa proveniente das operag6es
SuperaviU deficit lfquido do exercicio
3.523.247
(1s7.e60)
Ajustes para reconciliar o superaviU deficit do exercicio com recursos
proveniehtes db atividades operacionais:
DepreciagSo e amortizagSo
302.342
Ajuste de exercicios anteriores
216.595
381
(87.562)
3.825.970
(28.e26)
Redug6o/ (aumento) nos ativos
Outros cr6ditos
Desp€sas pagas antecipadamente
(3.214)
6.046
I?:9
fl_9?"?
4.088
__" "__"
(3.484)
Aumento/ (rbdugio) nos' passivos
Contas a pagar
408.689
Sal6rios, eRcargos sociais e imposto a pagar
(4e.236)
89.005
ProviS6es trabalhistas -e outras
19.489
151.637
Outras obrigag6es
32.345
411
Recursos liquidos gerados nas atividades operacionais
.286
4.233.772
(23.744)
(22.5s2)
194,306
169.468
Fluxo de caixa utilizado nas atividades de investimento
Adig6es ao ativo imobilzado
(66.e24)
(21,617)
Baixas do ativo imobilzado
18.851
11.246
Adig6es ao ativo intanglvel
(5.e43)
(4:098)
(54.017)
(14.468)
Recursos liquidos utilizados nas atividades de investimento
Aumento no caixa e eQuivalentes de caixa
4.179.7s5
155.000
No inicio do exercfcio
15.667.396
15.512.395
No final do exercicio
19.847.151
15.667.396
4.179,755
155.001
Redug6o/ (aumento) do caixa e equivalentes de caixa
Redugio/ (dumento) do baixa e equivaleritds de caixa
As notas explicatiVas s6o parte integrante das demonstrag6es cont6beis.
n-n
Luciana Andreatta
Contadora - CRC-PR-047SS0/O-
Sescoop-pR
t
rffiPiiul;
osto vski
Presidente do.
scoop-PR
Servigo Naeional de Aprendizagern do Cooperativisrno no Estado do ParanS
Demonstrag6es das mutag6es do patrim6nio social para os exercicios findos em 31 de dezernbro de
2013 e de 2012
(Valores expressos em reais)
Saldos acumulados de superavit parcial e integral do
exercicio findo em 31/1212012
SuperaviU
Ajustes de
(deficit)
exercicios
(deficit)
acumulado
anteriores
do exercicio
10.579.520
SuperaviU
89.837
Ajustes de exercicios anteriores
Superavit do exerclcio findo em 31 11212013
Saldos acumulados de superavit parcial e integral do
exercicio findo em 31 112t2013
10.579.520
89.837
Total
4.839.872
15.509.228
381
381
3.523.247
3.523.247
8.363.500
19.032.857
As notas explicativas sio partes integrantes das demonstrag6es contSbeis.
Luciana Andreatta
Contadora -
CB0.pn.0476ilib.l
Sescoop_pB
ayprUrl Kostovski
Presidente do\ Se sc oop-PR
Notas explicativas da Administra7do as
demonstragdes cont6beis para os exercictos
findos em 31, de dezernbro de 201'3 e de
201,2
(Valores expressos em reais, exceto quando
indicad").
1, Gontexto operacional
Em 03 de setembro de 1998, a Medida Provis6da n" 7.71,5/1998 criou o S-ervigo Nacional de
Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). O Decreto n" 3.017/1999, de 06 de abril do ano
seEpinte, cornplementou o ato inaugural e instituiu os regulamentos e demais dispositivos que lhe
balizam a atuaedo.
O Sescoop integra o Sistema Cooperativista Brasileiro e fomece-lhe suporte em formagio
prcifissional - t6cnica e gerencial - e na promogio social dos cooperados, emptegados e familiates,
al6m de apoiat diretamente a operagio das coopetativas - rnonitoramento.
Formalrnente, 6 entidade civil de diieito pdvado, sem fins'luctativos, consti-tuida sob o estatuto de
servico social aut6nomo.
Seus recursos sio de nat:ureza fiscal origfnam-se das cooperativas, que cootribuem com um
percentual de 2,5oh sobre as folhas de pagamento, conforme preceitua o Artigo 12. do Decretolei
n" 3.017 de abril de 1999:
'A
diriribuigdo eforna de utiliqagdo dar ricurros aludidas neste capitulo serdo dcfnidos no Reginenio Inter'fll."
As responsabilidades sociais do Sescoop/PR. evidenciam-se, particulamente, na €nfase confedda
is atividades capazbs de produzir efeitos socioecon6micos condizentes com os objetivos do
Sistema Coop erativista.
O Sisterna Sescoop opera'erri todo o territ6rio brasileiro. Comp6e-se de uma"unidade nacional - o
NA, com sede em Brasilia - e de 27 unidades estaduais que atuam nos 26 Estados da
Federagio e no Disirito Federal. Conta, em fungio dessa estrututa, com grande capilarifade, o que
entre outras vantagens confere-lhe flexibilidade impar no atehdimento is cooperativas.
Sescoop
f,)
$
n'()
O Sescoop/PR esti sujeito, atnda,i auditoda extema e tem sua execugio orgament5ria sob o crivo
do Tiibunal de Contas da Uniio, o qual tem poderes pata efetuar {iscalizag5es cont6bil e
ftnanceka,al6m de inspeg5es e auditorias operacionais e patrimoniais, nos temos dos Artigos 70. e
77. da Carta, Magna e Artigos 1" e 5" da Lei n" 8.443/1,992 QeL Orginica do Tribunal de Contas da
Uniio), bem como enviar i Controladona-Genl da Uniio, conforme preceitua a Lei n" 1X.768, de
agosto de 2008, do Artigo 6", $ 3":
'As
entidafut czttstituidar sob a fonna de rcwigo tocial autfnomo, dcfiinatdiat de contibuigdu
dos
empregadores, incidcntet nbre afolha d.e mldrips, dtuerdo diuulgcnpek interwet, dadu e injirnagdet acerca dos
ualores recebidat d conta das contribuigdes, ben como dat @licafiu efenadaq d*crininadar porfnalichde e
tugido."
O
Servigo Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do
Panni (Sescoop/PR)
6
para
os
segundo a Lei no 9.532/1,997,Artigo 12.:
"uma efltidad.€ imune dn imposto
d.e
rznda
por rer ama instituigdo
tem
fnt
/ucratiuos.que
preita
sentipo.r
qaaitfoi itutituida."
'Art
/2. Para
efeito da ditposto no
art. 150, incin W, al{nea "c", da Con$ituigdo, nnidrra'te
inttituigdo d.e educagdo ou dt asi$1ncia ncial qae pre$e ot senigot para os quais houuer
coloque
d diEuigAo da popukgdo em geral,
lucratiaos. (Vide ar-tigot 1" e 2" da Mpu 2.1
ido
imune a
inJtitt4ida e 0!
em caniter nmplementar ,fu atiaidad.es da Ettado, sem fns
de 2001) (Vidz Medida Provisdia n" 2158-35, d4 2001)
8949,
$ 2" Para o goTo da inunidadc, ai in$itui$es a que
se refere
ute artigo, estdo obigadas a atendcr aoi seguintet
rcqiliritos:
a) ndo remunerar, por quaQuerforma, rcus dirigentes pelos seruigos prutados; (I/idc l-ei n" 10.637, de 2002)
b) aplicar ifiegralneflte iet/r rec-urslJ na ruanutenEdo e desenuoluimento dat teas olfetiuos sociais;
c) manter ucrituragdo cunpleta dr suas receitas e deqemr en liurvs reaatidas das fornalidadu qfle astryrem o
respectiua exatiddo;
d) corcenar em boa ordem, pelo praqo de cinco anog contado'da data da emistdo, ot docanentos qae comPmuem
a origem
de sua.r rcceitat e
a
efetiuagdo de suas
operapdu que uenham a modifcar
e) @resentar,
wa
atualmentq Dularagdo
sitaagdo
dzrpuaq ben assim a realiqagdo dt quaiquer outros atos ou
patrinonial;
de Rehdimentbs,
en nrformidadc com o ditpotto en ato da Semtaria da
Receita Federal;
e a contribuigdo para a rcguidadt
dai
dlcorwnter;
rccial relatiua alr vmpregado, bem asim cumprir at obrigapdet'acesfiiat
g) assegurar d destinagdo de rcu patrimdnio a outra instituigdo que atenda d"t condigdes para g0<0 da inunidadt,
flo caw dt ircorporagdo,.fusdo, cirdo ou de encerrafitento de suat atitidadlt ou a 6rgdo pilblico;
h) outrvs requisitos, e$abeleeidos em lei etpecifm, relacionadot com ofuncionamedo das entidades a qae se rcferc
fl recolher os tributos retidat nbrc os rcndimehtos por elat pagor ou creditadas
ute artigo.
[ 39 Couidera-se efitidada
sem
frc
lunatiuot a que ndo apreiente ruperauit em !t//t! czntas ou, caJl 0 aprereflte
i manutengdo
1998)."1fi
\i\
em determinada exercicio, dt:tine refeida rvsuhada, integralmen(,
objxiaot saciait. (Reda{do dada?ekki n" 9.718. de
e ao dtsenuolvimento dos seus
htr \--/'\
P
De acotdo com o Attigo 150. da CafiaMagna:
i
i
Unido, aos Estados, ao Distito
aedada,
"Sen prcjuiqo de oilhar garalttial a$Wradas ao contibuirte,
-Irctituirinpo$os
nbtv:
n"42/200t)-W
Fedzral e aot Municlpios: (EC n" 3/93 eEC
das
entidadu sindicais dat
vat
polfticot,
inclusiae
c) patinflnio, wnda ou rcntigot das partidos
fundagdes,
trabalhadores, dar instituipda d.e educagdo e de anistdncia social, rcm fns lacratiuos, atendidos ot requi$tot da
ki;
[
4"
As
uedagdes
rcla.cionadot con
exprc$ar no incin
atfnalidades
W,
e.r.tenciais
alineas b e c, nmprcenden nmente
Q
patrimdnio, a renda
e
ot smigor
dat entidades nelat'mencionadan'"
As opemg6es dos Sescoops estaduais sio.substancialmetite mantidas por meio do recebimento do
repasse de recursos efetuados pelo Sescoop Nacional. Havendo deficit t6cnico aputado no
exercicio, este serd absorvido pelo patrim6nio social (supetavit acumulado).
Todos os valores sio apresentados em reais, exceto dE outro modo indicado, aredondados ao
valor mais pr6ximo. de mil reais ou milhares de reais.
2. Preparag5o e apresentagio das demonstrag6es cont5beis
. Base de apresentagio
As dernonsffag5es .contibeis do Sescoop/PR foram elaboradas de acordo com as prlticas
contibeis adotadas no Brasil, as quais abrangern a legislagio societ6ria brasil'eiia nos
pronunciamentos, orientag5es e inteqptetag6es emitidas pelo Comit6 de Ptonunciamentos
Contibeis (CPC) e referendado pelo Conselho Fedeml de Contabilidade (CFC), homologados
pelos 6rg5os reguladores e normativos voltados para entidades sem fiirs lucrativos - NBC T 10.19,
NBC T'3 e NBC T 6.
2.'1
2.2. Prihcipais pritibas
cont6b€is aplicadis
na
elaboraglo destas
demonstrag6es contibeis
2,2.1. Apuragio dii resultado
O resuhado das operag6es do Sescoop/pn, especificamente es suas despesas sio apuados em
conformidade com o iegime contibil de competGncia. As receitas de contribuig6es destinadas ao
SescoopT/PR sd6 reconhecidos contabilmente no momento do efedvo tecebimento financeiro que
coincide nesse caso com'a compet€ncia.
2.2.2. Estimatitars cont6beis
Na preparaglo das demonstrag6es contdbeis sio adotadds ptemissas p^t^ o reconhecimento das
estimativas, para registro de certos ativos, passivos e outras opetag6es como: provis5es pam
conting6ncias, perdas estimadas para cr6dito de liquidagio duvidosa, vida ritil dos bens do
i6efilizzde, classificag6es de curto e longo prazo, entre outros. Os resultados a serem apurados,
quando da concretizagio dos fatos que reSultaram no teeonhecirnento destas estifnativas, poderio
ser diferentes dos valores reconhecidos nas demonstrag6es cont6beis. A Adminisftagio monitcita e
tevisa peri6dica e tempestivameflte estas estimativaS e.suas preinissas.
2.2.3. Gaixa e equivalent6s dG caiXa
Incluem cdixa, saldos positivos em conta movimento, aplicag6es financefuas com liquidez imedia ta lo
e corn risco insignificante''de mudanga de seu valor de mercado. As.aplicag6es financeitas incruid,{35
,
nos equivalentes de caixa sio classificadas na categoia "Ativos financeiros ao valor justo pot meio
do tesultado" acrescidas dos rendirnentos auferidos at6 as datas dos balangos.
2.2.4, Estoques
Os rnateriais para expediente e consumo estio avaliados ao custo m6dio de aquisigio. Por
se
ttataremde estoques de uso e consumo, nd,ohiriscos de exceder o seu valor de mercado.
2.2.5.lmobilizado
O imobilizado 6 mensurado pelo seu custo hist6rico, menos depreciagio acumulada, incluindo
ainda, quando aplic6vel, os.juros capitahzados dutante o periodo de construgio,plr^ os casos de
ativos qualificiveis, liquido de depreciagio acurnulada e de provisio para redugio ao valot
recuper6vel de ativos para os bens paralisados e sem expectativa de teutilizagi.o ou reializagio. A
depreciagio 6 cornputada pelo m6todo linear, com base na vida 6til estimada de cada bern,
conforme a Nota Explicativa no 08.
A vida 6til estimada e o m6todo de" deprectagd,o sio revisados no
furtal de cada exercicio e
o efeito
de quaisquer mudangas nas estimativas 6 cont abitzado prospectivamente.
ahenagd,o ou quando nio h6 beneficios econ6micos-futuros resultantes do uso continuo do ativo. Os ganhos e as perdas em alienag6es sio apurados
comparando-se o produto da venda com o valor residual cont6bil e sio teconhecidos fla
Um item do imobilizado 6 baixado ap6s
demonstracio do resultado.
2.2,6: lmpairment
O Sescoop/PR avaliou no encerramento do exercicio social se existiram evid€ncias objetivas
de
deterioragio de seus ativos. Caso se conftrmasse a exist6ncia de impactos nos fluxos de caixa pela
deteriomgio de seus ativos e esta pudet set estimada de maneira confiivel, o Sescoop/PR
reconhece no resultado a perda por impairment. Pam tal avaltagio o Sescoop/ PR elaborou
internarrrente, atrav6s de pessoal capacitado,laudo formalizando a estimativa de recupemgio deste
ativos, onde a conclusio foi a inexistdncia de necessidade de provisio para desvalorizagio dos
ativos.
2.2.7.lhtangivel
Ativos intangiveis adquiridos ou desenvolvidos, sio mensurados no reconhecimento inieial
ao
custo de aquisigdo ou construgio e, postbriormente, deduzidos da atrroiizagio acumulada e perdas
do valor recuperivel, quando aplic6vel. A Administragio rwisa anualmente o valor estimado de
rcdizagdo dos ativos e taxa de amofi)zagdq levando em consideragio sua vida ritil. A amornzagdo
dos bens sio reconhecidas no resultado do exercicio de acordo com as taxas informadas na Nota
ExDlicativa n" 9.
2.2.A. Fornecedores
As contls v .pryar a fornecedores sio obdgag6es pagar por bens ou servigos que foram
^
adquiddos no Lurso ordinirio dos neg6cios, sendo classificadas como passivos circulantes, exceto
quando o ptazo de vencimento for superior a 12 meses ap6s a data do balango, quando s6o
apresentadas como passivo nio circulante. Sio, inicialmente, teconhecidas pelo valor justo e,
subsequentimente, mensuradas pelo custo amortizado com o uso do m6todo'da tlxa efetiva de
juros. Na priica,sio normalmente reconhecidas ao valor da fatuta correspondentef|
\
I,F \
D
2,2.9. Sai6rios; eneargos sodiais e provis66s trdbalhistas
Os sal6fios, incluindo provis6es parz flias, 13" salirio e os pagamentos complerinentares
negociados em acordos coletivos de trabalho, adicionados dos encatgos sociais coffesPondentes,
sio aptopdados pelo regime de cornpetCncia.
2.2.10.. Provis6e3 para contingCncias
As provis6es para agSes judiciais sio reconhecidas quando:
(i) a entidade tem uma obrigagio
nio 1$mqliizvfla como resultado de eventos passados; (ii) 6 provdvel que uma saida de
recrrsos seja necessdri^part- liquidar a obrigagio e (iii) o valor possa set estirnado com seguranga.
presente ou
Caso haja diversas obdgag6es semelhantes, a probabilidade de uma saida de tecursos a set exigida
para a liquidagio serd determin ada ao se considetat a n Exeza das obrigag6es como um todo.
As provis6es, quando existentes, s6o mensuradas pelo valot ptesente das despesas que se esPeram
ser exigidas pzra liquidat a obiigagdo a qual reflita as avaliagSes atuais de mercado do valot
temporal do dinheiro e dos riscos especificos da obrigagio. O aumento da obrigagio em
decor6ncia da passagern do tempo
6 teconhecido como despesa financefua, quandb'aplicivel.
2.2.11. Receitas,e d€spesas financeiras
As teceitas financeiras sio reconhecidas no momento da sua efetivagio, ou seja, ern conformidade
com a sua competeflcia e mensuradas pelo seu valor justo.
2t2.12. Outros ativos e passivo3 (circulantes e nao.'circrilantes)
Um ativo 6 reconhecido no balango patdmonial quando for ptovivel que seus beneficios
econ6mico-futuros, serio gerados em favor do Sescoop/PR e seu custo ou. valor puder ser
mensurado corn seguranga. Um passivo 6 reconhecido no balango patrimonial quando o Sescoop/
PR possuir uma obrigagio legal ou constituida como resultado de um evento passado, sendo
prov6vel que um recurso econ6mico seja requerido para liquid6.lo. Sio acrescidos, quando
aplicivel, dos corespondentes eocargos e das variag5es monet6rias. As ptovis5es sio registradas
tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido.
Os ativos e passivos sio classificados como citculantes quando slura rcalizagdo ou liquidagio sejam
provdveis que ocor,rarn nos pr6ximos 12 meses. Caso confr.ilrio, sio demonstrados como nio
citculantes.
2.2;13. Novis iroiinas e interpreta$6'e5 de norma5 aiiida nib adotadlas.
As priticas contibeis adotadas p^na elaboragio e divulgagio das demonstrag6es contibeis.em
de dezembro de2073 e201,2 sio consistentes.
31
destas demonstrag6es contibeis, os seguintes pronunciamentos e
interpretag6es contibeis foram emitidos ou softeram alterag6es substanciais, pot6m nio eram de
aphcagio obrigat6ria p^n o exercicio de 20'1.3:
At6 a data de divulgagio
Aplicagio obrigat6ria para exercicio
Norma
Assunto
InterpretaCio
(P)
j[Bs
9
In:!rym"enlo: Fina19ci1os"
iniciados a partir de:
(a) IFRIC 2l: aintetpretagio esclareceu quando uma entidade deve reconhecer urna obdgzigio de
pagat t^x s de acordo corn e legislag.io. A obdgagio somerite d-eve ser reconhecida.quando o
evento que gera a.obrigagio ocorre. Essa interpretaEio 6 aplic6vel a partir de 1" de janeiro de
201,4.
(b) IFRS 09: aborda a classifi.cagio, a mensuragio e o teconhecimento de ativos e passivos
financeiros. O IFRS 9 foi emitido ern novembto de 20A9 e outubto de 20L0 e substitui os
trechos do IAS 39 relacionados i classificagio e rnensuragio de instrumentos financeiios. O
IFRS 9 requer a classificagio dos ativos financeiros em duas categorias: tnensurados ao.valor
justo e mensurados ao custo amorizado. A deter.minagio 6 feita no reconhecimento inicial. A
base de classificagio depende do modelo de neg6cios da ehtidade e das caracteristicas
contratuais do fluxo de caixa dos instrumentos financeiros. Com telagio ao passivo financeiro,
a nonna mant6m a rnaioita das exig6ncias estabblecidas pelo IAS 39. A ptincipal mudanga' 6 a
de que nos casos em que a opgio de valor justo 6 adotada para passivos financeiros, a p6rgio
de mudanga no valor justo devido ao risco de cr6dito da pr6pria entidade 6 registmda em
outros resultados abrangentes e rieo na demonstragio dos tesultadoS, exceto quando resultar
em descasaminto cont6bil. A norrria 6 aplic6vel
aparit
de 1" de janeiro de 2015.
Adrninistr agio do Sescoop/PR nio eSpera impactos signifrcativos sobre as demonstrag6es
cont6beis .na adogio inicial dos novos pronunciamentos'e interpretag6es. O CFC unda ndo eiditou
os respectivos pronunciamentos e modificag6es relacionados is IFRSs novas e tevisadas
apresentadas anteriornente. Em decorr€ncia do comptomisso do CPC e de tnanter algalizado' o
feitas pelo IASB; 6 espemdo que"esses
coniunto de norrnas emitido com base n s
A
^tv?l;?^g5es
pronunciarirentos e modificag6es sejam editados pelo CPC at6 a data de sua aphcagio obrigt6ria.
3. Estidrativa" e iulgambhto5 coht5beis essanGiais
O Sescoop/PR realizou detetminadas eStimativas e premissas em relagio ao fututo. As estimativas
e os julgamentos sio condnuamente avaliados com base na experiCncia hist6rica e oirtros fatotes,
inclirindo as expectativas dos eventos firturos que se acredita serem razodveis de acordo com
as
circunstincias.
real pode di.ferit dessas estimativas e premissas. As estimativas e
prernissas que possuem um risco significativo de provocar um ajuste importante nos valores
contibeis de ativos"e passivos dentro do pr6ximo exercicio financeiro estio divulgadas a seguir:
No futuro, a experiGncia
o Reconhecimento de teceitas
As receitas sio pteponderantemente telacionadas is transfetOncias sist6micas e peri6dicas db
Instituto Nacional da Seguridade Social que sio reconhecidas diretamente no resultado do
(+\:
a\
exercicio no firof.nento do efetivo reiebimento firtanceiro,'pois em conspnincia ao principio de
conservadorismo nio podedam ser apropdadas com base orgarhentiia.)1
\/
o Vidas riteis
de ativos intangiveis e imobilizado
Os ativos intangiveis e imobilizados sio amortizados ou depreciados durante sua vida 6til. A
vida ritil 6 baseada nas estimativas da AdministragAo a respeito do periodo em que os ativos vio
estar em uso, as quais sio periodicamente revisadas pata adequagio continua. As alterag6es nas
estimativas poderio tesultar em variag5es signifrcativas no valot contAbii e os valotes sio
apropriados como despesa na derrionstragio dos resultados, em periodos especiFtcos.
o
Processos legais
De acordo com os CPC 25
(Provis6es, passivos
e ativos contingentes), o
Sescoop/PR
reconhece uma provisio quando eiste uma obrigagio presente deconente de um evento
passado, urna transfer6ncia de beneficios econ6rrricos 6 provdvel e o valor dos custos de
tansfer€ncia pode ser estimado de maneira confi.dvel. Nos casos efrl que os crit6rios nio sio
um passivo contingente pode ser divulgado nas notas
explicativas das
demonstrag5es cont6beis. As obrigag6es decorentes de passivos contingentes que foram
di-vulgadas, ou que nio s6o atualmente reconhecidas ou divulgadas nas demonsftag6es
cont6beis, podedam ter um efeito material sobre o balango patrimonial do S€scoop/PR. A
aplicagio desses principios contdbeis 2 ftigios exige que a Administragio rcalize cilculos sobre
diversas mat6rias de fato e de direito, al6m de seu controle. O Sescoopy'PR tevisa as ag6es
judiciais pendentes, monitorando a evolugio dos ptocessos e a cada data de elaboragio de
relat6rios, visando avallar a necessidade de provis6es e divulgag6es nas dernonstrag5es
contibeis. Entre os fatores considerados na tomada de decis5es sobte as ptovis6es estio a
flattrtezr- do litigio, a reivindicagio ou autuagao, o pto'cesso judicial e o nivel potencial de
rndenizagdo na jurisdigdo em que o litigio, reivindicagio ou autuagio foi intbroosto, o
andam.ento da ag6o (incluindo o andament6 ap6s a.dati das demonstrag6es cont6beis, mas antes
de serem emitidas), os pareceres ou opini6es dos consultotes juddicoS, a experiCncia em casos
semelhantes, e qualquer decisio da Administtagio do Sescoop/PR sobre a forma como eIa val,
responder ao liti gjo, reivindicagio ou autuagio.
cumpridos,
4. lristrumento.s fininc6iros - gestao de risco
O SescooplPR poder6 estar exposto, em vfutude de suas atividades, aos seguintes tiscos
financefuos:
o
risco de cr6dito;
c risco de taxa de" juros de valor justo ou de
o
fluxo de caixa;
outros riscos de mercado.
Da mesma maneira que em todos os outros neg6cios, o Sescoop/PR est6 exposto aos riscos que
decouem da urjlizagilo de instrumentos financeiros. Essa nota descreve os objetivos, as politicas e
olr processos do Sescoop/PR para a ges.tab desses riscos e os m6todos utilizados para mensut6-los.
Mais informag5es quantitativas em relagio a esses riscos sio aptesentadas ao longo dessas
demonstracSes contdbeis.
Nio
substancial na exposi gdo aos riscos de instrumentos financeiros do
houve nenhum^
^lteragio
Sescoop/PR, seus objetivos, suas politicas e seus pfocessos patl a, gestio desses riscos ou os
rn6todos utthzados p[t, mensur6-1os a partrr de periodos antedores, a menos que especificado o
contr6rio nesta notal\
\ *
I$-
\...
L-"
,)
Principais instrumentos financeiros
Os princrpais instrumentos financeiros utilizados pelo Sescoop/PR, de que surgem os riscos de
instrumentos fi.nanceiros, sio os seguintes:
c
o
.
caiia em bancos;
aplicag6es financeiras em fundos de investimentos fihanceiros;
cofltas a pagar a fomecedores e outras.
Obietivos, polfticas e processos gerais
O Sescoop/PR possui os seguintes 6rgios colegiados:
o
ConSelho delibetativo
f o 6r$o colegiado
que det6m o poder odginirio e soberano do Sescoop/PR.
o Conbelho fiscal
E o 6196o de assessoramento do Conselho Delibetativo, para assuntos de gestio patrimonial
e
financeira.
o Diretoria executiva
E o 6ryio de gestio administrativa do Sescoop/PR.
Risco de cr6dito
O risco de ct6dito p^t^ o Sescoop/PR surge preponderantemente de disponibilidades decorrentes
de dep6sitos em bancos e aplicag6es financeiras em fundos de investimentos financeiros. O
Sescoop/PR aplica recursos'apenas em investimentos administrados pelo Banco do Brasil S.A. ou
pela Caixa Econ6mica Federal (CED.
O Sescoop /PR
nio
contt^ta derivativos para gerenciar o dsco de ct6dito.
Valor contabil
31t12t2013
3i1t12t2012
"19p12J9-:!
91.833
19.938.984
15.756.015
Ativos'financeiros
Outros cr6ditos
Total de"ativos financei ros
Risco comercial
O risco comercial surge da unlizagio de instrumentos financeiros que rendem juros, negociiveis e
em moeda esftarigeiia. E o risco que o valor justo ou fluxos de caixa futuros de um instnrmento
financeiro flutuario ern virtude de alterag5es nas taxas de juros (risco de taxa de j*o-r), taxas de
cimbio (risco de cimbio) ou outros fatores cornerciais (outro risco de prego). Em 31 ap a'eze-Uro
de2013,o Sescoop/PR nio possui operag6es que possam gerar riscos dessa naturezarQ
(+\
Outros riscos de metcado
Esti relacionado ao risco de instrumentos financei.tos lastreados em,ti-tulos
e valore
mobili6rios de
empresas emergentes,
Divulgag6es sobte o patrim6nio
Os bens do Sescoop/PR somente poderio ser utilizados para a rcalizagio dos seus objetivos,
permitida a aplicagi.Lo de uns e outros p^ta obtehgio de rendimentos destinados; is suas
^
frnalidades estatutirias.
5, Ga'ixa e equivalentes de caixa
DescrigSo
'Bancos
(a) As aplicag5es financeiras sio efetuadas em instituigdo Fnancetra
31t1212013
31t12t2012
574
414
de primeka linha, corfl resgate
a qualquer niomento, na modalidade de investimentos de renda fixa e Certificado de Dep6sito
Bancdtio (CDB), conforrne demonstrado abaixo:
I
"
"
Rbntabilidade
nstitui g6es financei ras
Banco do Brasil
iiaii Cii"oor
-
'
BB RF tP CORP
p" co Rp
BiisiEiis"e
Ba ;46"d o:iiri6 if:c D"a"Di
;ix;- Ec dn?f t& :F a; ad ai
e
-
0,640/0
-
c,ilxi"Ecili oriiica- F;a;i5i rFilnoo rie c p
Ciixa EConomil; F;derJi : rund; Fic penSdNA[ tP
Totdl
31t12r2013
31/,1212012
M6dia '- o/o
3.235.275
-
3.027.221
2.235.691
727.32.6
19.846.577
15.666;982
6- Gr6ditos e valor6s a receber
31t12t2013
Descrigio
"
81 .457
Adiantamento concedido a empregados.(a)
CieAil6s'e vaiordd,--teileiio;
Total
(a) Adiantarnento'de f6rias concedidas
31t12t2012
7".\6)
91,833
98.619
aos funcionfuios, cujos valores setio-apropdados na folha
de pagamento de janeiro de 201'4.
7. :D65pesbs pagas antecipadamente
Descrigio
31t12t2013
31t12t2012
8. lmobilizado
o/o
Descrigio
- Taxas anuais
de depreciagio
M6veis e utbnsilios
-VelC[loC---'
-Masiu:urasi-",s
Equipamentos de comunica
31t1212013
10%
42.188
20%
140.873
20o/o
79,..1"q,3
iop/,
36.907
336.844
Total"
Destacamos a segurt
^
31t12t2012
58.800
184.658
73.410
T5 g6ii
371 .815
movimentagdo do ativo irnobilizado em 201'3:
Baixa da
Descrigio
Saldo liquido
em 31 11212012 AdigSo
Baixa
depreciagio Saldo liquido
acumulada em 31/1212013
Depreciagio
M6veis e utensilios
aibiioteCa
73.410 37,610
Equioamentos de comunicabSo
371.815 66.924
31
,537
79.483
336.844
45.150
(a) Valot referente baixa do veiculo Patati placa AQY-0914 atravds de indenizagio pela
seguradora Zr;,rrch Minas Brasil Seguros S/A por motivo de acidente gerando.petda tota;l. do
veiculo.
A revisio da taxa de depreciagio estd pautada em estudo rcalizddo internamente pelo Sescoop/P&
objetivando definir os valores residuais e os prazos de vidas 6teis adequados aos bens, bem como a
verificagio de perda do valor recuperivel - indicio de impairment sobte cada grupo do ativo
imobilizado e intangivel do Sescoop/?R. A cada exercicio seri efetuada a rcalizagd,o de inventdrio,
atwalizagdo dos laudos de revisio e indicio de impaitment, e ainda a tevisio da vida 6til e valor
residual dos bens.
9. lntangivel
,t
seguir, demonsffamos a composigio do ativo intangivel, reconhecido e mensutado conforme
determinado no CPC 04 e NBC T 19.8'Rbsolucio CFC n" 7.139/08":
o/o
Direitos de uso de software
Outros - intangiveis (a)
- Taxas anuais
de amortizagdo
20%
20%
Total do intangivel
31t12t2013
31t12,t2012
48.774
60.460
.816.498
663.604
876.958
Refere-se a softwares desenvolvidos por empresa terceirizada, pat^ oper^aio e acompanhamento
do sistema de gestio urilizado via web que permite a coleta e/ou irnportagio de informagio de
cada cooperativa e a partir dessirs fomete uma s6rie de indicadores econ6micos financeiros, RH,
sociais e outros que possibilita ao usu6rio avaliar sua cooperativa aftav6s de cenirios'agrupados do
cooperativismo efou ernpresas rnercantis, apresentados ira forma de relat6rios e de gtdfrcos.
I
Destacamos a seguir a movimentagio do ativo intangivet em
ZOr3:df- 1X
J\\
\
<*-/
i
Saldo liquido
Descri96o
Direitos de uso de Softwar"e
Outros - intangiveis
Total
em 31 11212012
Adig6o
60.460
816.498
876.958
5.943
Baixa AmortizagSo
17.629
201.668
219.297
5.943
Saldo liquido
em 31/1 A2M3
48.774
614.830
663.604
{ O. BenS em comodato
O valor registrado no grupo de ativo compensado refere-se a bens recebidos do Sescoop Nacional
atrav6s de comodato. Os bens classificados neste grupo sio um televisor 42 polegadas e uma
estagio de video conferAncia.
I
Descri96o
Bens ern Comodato
31112t2013
31t12t2012
11.246
11.246
11:246
11.246
11. Gontas a pagar
As obrigag6es referentes is aquisigSes de bens e senrigos p^r^ manuterigio das atividades.fim
meio da Entidade, nos exercicios findos em 31. de dezembro de 201,3 e de 201,1,2, estio descdtas
e
a
seguir:
Descri96o
31t12t201,3
909.298
909.298
Forn-ecedores
31t12t2012
500.609
500;609
A
apropridgd,o em "Fornecedores" depende 'de bases confi6veis para mensungd,o do valor e
provisio de fornecedores p^g r aconteceu
documentos hibeis p^r^ registro. Assim sendo,
^
^
mediante apresentagd"o do contrato firmado entte as pattes e documento fiscal hibil.
Destacamos a seguir o
"udnglist" do saldo:
DescrigSo
31t12t2013
Vencidos a mais db 1 bno (a)
Vencidos entre 30 dias e 1 ano (a)
A Vencer at6 30 dias
(a) Os valores vencidos
50.085
18.668
840.545
909.298
de longa data referem-se a fornecedores com pend6hcia de documentos
para comprovagio de regularidade fiscal. Estes valores
multa e juro de mom.
nio estio sujeitos a atuahzagdo
de
l'2. Sal6rios, eilcarifos'sociais-e ainpostos a recolher
Os valotes desse gtupo de contas repfesentam as obrigagdes decorentes da folha de pagafnento
dos funcion6rios e demais pessoas juddicas e fisicas prestadoras de servigos, cuja posigio e
coment6rios analiticos estio descritos a seguir:
DescrigSo
-E-l-setgp-*--c-o-t-:
31t12t2013
jgdas9gs-.-e-inp-s-c!-o-:--:
Encaroos sobre terceiros
9:942
31112t2012
Total
Os valotes referem-se a impostos e contribuigSes retidcis na fonte referente io-s servigos
conftatados pelo Sescoop/P& como ISS,INSS, trR, PIS, COFINS E CSLL.
(a)
{ 3;
'364:535
347.644
ProviS6es.traballlistas
.e
outras
Sio obrigag6es corn a provisio de f6rias, adicional de 1/3 das f6rias e encargos sociais incidentes,
cujos valores s6o provisionados mensalrnente e baixados pela ocasiio da concessio das f6fias,
provisio de gatificagio por produtividade; bem como provis6es para conting6ncias:
Descri96o
lt'tt2t2o12
31t12t2013
F6rias abono pecunierio'com 1/3
273.061
276,130
64.715
21 .845
FGTS sobr.b f6rias
61.933
20.906
2.731
Total
(a)
O valor registrado refere-se
307.445
288".726
669.797
650.308
piovisio da gaiftcaEio'anual por produtividade
abril de 2074. conforme Res. 06/2070.
a
a ser paga em
{ 4. Provis6Gs'irara riscos. trabalhi5tas, Giveis € tributbrio3
O Sescoop/PR pode ser parte em a96es judiciais e pfocessos adr,ninistrativos passivos peralrte
tribunais e 6tg6os govemamentais, decorrentes do cufso normal das operag6es, envolvendo
questSes tributdrias, irabalhistas e aspectos civeis.
Ern 31 de dezembro de
201,3
o Sescoop/PR possuia os seguintes processos cuja probabilidade de
risco'de perda foi avaliada como possivel:
Descrigdo
3111212013
""---"
1.000
"
i:600-"-
31lIA2012
1_,ggg
i.obo
(a) Agio
declarat6na de nulidade de regimento intemo movida pelo Sindicredi contra o
Sescoop/PR, a qual o corpo juridico da entidade entende corno de perda possivel.
15. Trah5ag6es coiii part6s rblaGiohidas
Sescoop/PR possui operagio de rateio de gastos e alugu6is pagos com parte telacionada
^
Sindicato e Organizagio das Cooperativas do Estado do Pann6 - OCEPA&
paia a qural
O
destacamos os seguintes valores:
Tipo de servigo
lqgp_a
I
Oceoar
ar
9cep-ar
Ocepar
Ocepar
Ocepar
Aluguel
IPTU
Aqua
Energia el6trica
Material de lirnpeza"
VigilAncia
Material de escfit6rio
31t12t2013
31t12t2012
312.000
292.000
20.640
19.523
2.080
20.847
8.277
26.276
2.759
3.578
2.0i81
6,013
2.575
4.440
Ocepqr
Telefone
19.094
Total
{ 6.'
21.721
452.081
464.74:1
RemunerigSo do pessoal.chive.da Adinini5tragio
De acordo com o regrirnento interno do Sescoop/PR
fnembros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal.
6
principio sistCrnico
17. Patrim6nio social
O patrim6nio social 6 composto substancialmente de superavit
a
nio remuneragio dos
e/ ou deficit acumulados. Os
valores demonstrados a seguif referem-se aos resultados dos exercicios de 201,3 e de 201,2:
Descri96o
31t12t2013
31t12t2012
:!g,g-0"e,610 15,9-6.2,':!8p.
p,p?3,?!7
19.032.857
_ 09_z,9"69)
15.509.228
Conforme preceitua aLetno 9.532/7997, caso apresbnte em determinado exercicio superavit,
seri destinado, integralmente, i r-nanutengio e ao desenvolvirnento dos seus objetivos sociais.
ele
18. Beris em coniodato
O valot tegistrado no grupo do passivo compensado refere-se
bens recebidos do Sescoop
^
Nacional atraV6s de comodato. Os bens classificados neste grupo sio um televisor-42 polegadas e
uma estagio de video conferCncia.
Descri96o
p_e-n_s_
Total
{ 9.
pm 99tn9g *"o-
"
31t12t2013
31t12t2012
11.246
.11..246
31t12t2013
31t12:t2012
26:264.500"
21.700.787
Receitas brutas de contiibuig6es
Descri96o
-Rg-99!g_q-e*-c-9-t'gt-qig9-,e-,s,,-e)_-_----
Total
(a) Refefe-se is contribuig6es realizadas pelas cooperadvas do Estado; por rrteio do pigarnento da
GPS e repasse do INSS pxa o Sescoop Nacional que repassa os montantes para as unidades
estaduais.
A
seguir os valores rnensais de contribuigio social repassados pelo Instituto Nacional de
,
Seguridade Social (INSS) no decorrer do exercicio de 2013:
MOs
Valbr em R$
3.440.170
1.983.433
1.901 .934
1.904.828
Junho
2.010.336
2.250.672
Novembro
Dezembro
2.239.545
26.264.500
20. P6ssoal, encargos e beneficios sociais
Descrigio
31t12t2013
31t12t2012
924.394
960.868
379.808
Beneflcios
Total,
368.409
4:415.466
4.597;828
(a)Refere-se ao valor provisionado de gatificagio por produtividade e encargos e aos valores
pagos referente indenizag6es trabalhistas e encargos incidentes nas rescis6es de conftatos de
tabalho rcalizadas.
21 . Despesas
Descrigio
admiriistrativas
31t1212013
31t12t2012
233.628
347.475
231.210
240.103
334.927
320.3s8
500.346
T6tal
104.953
1.580.852
96.472
1.456.522
31t12t2,013
31112t2012
22.:lhstitucionais
Descrigio
Tcital
226.538
318.800
724,210
774.224
31t1"2t2013
31l12t2An
15.975:228
230,955
586.641
1'5.31'1
16.849.519
16.220:703
23. Servigos profissionais e contratados
Descrigio
Dem a
$A
Total
is
s e rv i go
i9_gn!f-q!a9g.g-_-_____-_
Kti,illi6cia6
sob
.353
186.071
651.093
iA sdtto6^d e t6i'ceiios
I
(a)Valores referente contratagdo de terceiros na rcahzagio de senrigos reh[ionados d formagio
profissional e promogio social dos cooperados, empregados e familiares.-*r
(L
\..{
\\\
J
24; Tributirias
Descrigio
31t12t2013
31112t2012
1.598
27.922
330.314
25.535
325.921
31t12i2013
31t12t2012
55.580
55.580
49.297
49.297
31t12t2013
31112t2012
Total
25. Outras receitis' operacionais
Descri96o
Outras receitas correntes
Total
2:SZ
,
Resultado fihanceiro liquido
Descrigio
Receitas financeiraS
Receitas de aplicaE66s findnceiras
.607.181
.607.181
1.504.167
(e7)
(e7)
(2.881)
(2.881)
1.607.084
"1.501.286
1
1
D99"p.S
?
9 f i n"?n 99_ira9-
Despesas banc6rias
Rbsultado'financeiro
27. Seguros
O Sescoop/PR adota a politica de'contratar cobertua de seguros para.os bens sujeitos a riscos por
montantes considerados pela Administragio corno sufi.cientes para cobrir eventuais sinistros,
considerando a naltreza de sua atividade. As ap6lices estio em vigo" e os prdmios foram
devidamente pagos. Abaixo a discriminagio da coberturd dos seguros cofitratados em 31 de
dezembro de20l3.
Natureza do seguro
Cobertura
Valor da cobertura
100;000
Placa ASS-9249
Placa ASS-8894
Danos morais
50.000
20.000
850.000
Roubo e furto'de bens
28.'EVentos SUbsequentes
O Sescoop/PR adota o procedimento intemo para identifrcagdo e quando neeessirio ijustes ou
divulgagio dos eventos subsequentes ocoffidos entre a data-base das demonsftag6es cont6beis e a
data de aptovagio pela.{itetoria. Nio houve ocorr€ncia de evento subsequente ap6s estas datas.
0,
Contadora - CRC.pR-047Sb0/O_t
Sescoop_pB
oslo vski
Presidente do, escoop-PR
ANEXO II - Relatório da Auditoria independente sobre as
demonstrações contábeis
129
ffi
GrantThornton
Relat orto dos auditores independentes
Grant Thornton Audltores Ind epend entes
Rua Jo6o de Abreu. Pavimento
Qd. F8
-
140
-
Lt. 24e
Edificio Aton I Setor Oeste
Goiinia IGO I Brasil
1,il,i,?l.1il?;i,11i..'.,
Aos:
Administradores e Conselheiros do
Servigo Nacional de Aprendizagem do Coogierativismo
Curitiba - PR
-
Sescoop PR
Examinamos as demonstrag6es contibeis do Servigo Nacional de Aprendiza*.- Oo
Cooperativismo - Sescoop PR (Sescoop PR ou Entidade), que compreendem o balango
patrimonial em 31 de dezembro de 2013 e as respectivas demonstrag6es do superavit/deficit, das
mutag6es do patrim6nio liquido e dos fluxos de caixa referentes ao exercicio findo naquela data,
assiin como o resruno das principais priticas contibeis e demais notas explicativas.
Rc*poneabilidade da Admlni$tragfio *obrp as damon*trag6** eont*bei*
A Administragio do Sescoop PR 6 respons6vel pela elaboragi'o e pela adequada apresentaEao
destas demonstragdes cont6beis de acordo com as priticas contdbeis adotadas no Brasil apliciveis
is pequenas
e m6dias empresas e
entidides sem fins lucrativos,
as quais abrangem os
pronunciamentos NBC TG 1000 e ITG 2002 emitidos pelo Conselho Federal de Contabilidade
(CFC), assim como pelos controles internos, que ela determinou como necess6rios para permitir a
elaboragio de demonstrag6es cont6beis livres de distorgio relevante, independente se causada por
fraude ou effo.
Reaponcabilidade dos auditcrcs
lndependentes
I
Nossa r€sponsabilidade 6 a de expressar uma opiniio sobre as demonstrag6es contdbeis com base
em nossa auditoria, conduzidas de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditorih.
Estas normas requerem o cumprimento de exig€ncias 6ticds pelos auditores e tamb6m que a
auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter uma segur^rrga nzotvel de que
demonstrag6es contibeis estejam livres de distorgio relevante.
as
Uma auditoria envolve a execugio de procedimentos"selecionados para a obtengio de evid6ncia a
respeito dos valores e das divulgagdes apresentados nas demonstrag6es cont6beis. Os
procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliagio dos riscos
de distorgio relevante nas demonstrag6es"cont6beis, independente se causada por fraude ou erro.
Nesta zraliagdo de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elabongilo e a
adequada apresentaglo dds demonstrag6es cont6beis do Sescoop PR para planejar os
procedimentos de auditoria que sio apropriados nas circunstincias, mas nio para expressar uma
opiniio sobre a.efrcicia destes controles internos do Sescoop PR. Uma auditoria inclui, iamb6m, a
avaliagio da adequagio das pr6ticas contibeis u"lizadas e a razoabfidade das estimativas cont6beis
feitas pela Administragio, bem como a avaliagdo da apresentagio das demonstrag6es cont6beis
tomadas em conjunto.
Acreditamos que a evid6ncia de auditoria obtida 6 suficiente e apropriad^par:^ fundamehtar nossa
opiniio.
ffi
GrantThornton
Opinlf,o *obre a* demonstnng6es cont*beie
Em nossa opiniio as demonstrag5es contibeis acima referidas apresentam adequadamente, em
todos os aspectos relevairtes, a posigio patrimonial e financeira do Sescoop PR em 31 de
dezembro de 201.3', o desempenho de suas operag6es e os seus'fluxos de caixa p^r o exercicio
findo naquela data, de acordo com as prhttcas ccjnt6beis adotadas no Brasil aplic6veis i.s pequenas e
m6dias empresas e eirtidades sem finalidade de lucro, as quais abrangem os pronunciamentos NBC
TG 1000 e ITG 2002 emitidos pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC)..
Goiinia, 28 de fevereiro de 2074.
Otaniel Jinior Matins Rosa
Contador CRC GO-013.972/O-2 "S"
-
PR
Grant Thornton Auditores Independentes
cRC SP-025.593 /O-1, "S" - PR
A) PARECER DO CONSELHO FISCAL
132
Pbrecer do Conselho Fiscal
Na qualidade de membros do Conselho Fiscal do Servigo Nacional de
Aprendizagerh'do Cooperativismo - Sescoopy'PR e no exercicio das atribuigOes legais e
em cumprimento ao qr:re determina o Regimento Interno, €xaminamos o Relat6rio de
GestSo
e as Demonstrag6es
Contdbeis compreendendo: Balango Patrimonial,
DemonstragSb de Super"Svit ou D6ficit, DemonstragSo das Mutag6es do Patrim6nio
Social, DemortstragSo dos Fluxos de Caixa, Nlotas Explicativas e demais demonstrativos,
e o respectivo rdlat6rio de auditoria sobre as demonstrdg6es contdbeis, documentos
estEs relativos ao exercicio findo em 31 de dezembro de 2013.
Com base nos nossos exames sobre as demonstragdes contdbeis e conSiderando
as reuni6es realizadas no decurso do exerclcio e de acordo com os relat6rios de
auditoria, somos da opinido de que as mencionadas demonstrag6es apresentam
adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posigSo patrimonial e financeira da
entidade pela aprovagSo das contas desse exercicio pelo Conse'lho de AdministragSo do
SescooplPR.
Curitiba, 07 de fevereiro de 20L4
vino Schadeck
-an
iel
Ri
bas
B)PARECER DO CONSELHO ADMINISTRATIVO
134
Parecer do Conselho" Administr:ativo
O Conselho Administrativo do Sescoop/PR, na 18a ReuniSo Ordindria do SERVIQO
NACIONAL
DE
APRENDIZAG'EM
DO
COOPERATIVISMO
-
SESCOOP/PR
-
GestSo
20tL/20t5, realizada aos 10 de fevereiro de 2OL4, no uso das atr.ibuig6es. que lhe
confere o Regimento Interno, em seu Art. Bo, Inciso III, ap6s minuciosa an6lise das
Demonstrag6es Financeiras, Notas Expli'cativas e demais pegas componentes do Relat6rio
de GestSo referente ao ano de 2013, e tendo em vista o Parecer do Conselho Fiscal e o
Parecer da Auditoria Interna, resolve aprovar a PrestagSo de Contas'do Exercicio de
2013.
Presidente:
Su
Koslovski
perintendente
,L*,4.-.L
Conselheiro:
Conselheiro
Conselheira:
:
\J
Jorge rh/l
<--*-.---
C) PARECER DO CONSELHO NACIONAL
136
dd-.Coo!€ia
RESoLU9AO
tt;
t
i{ ir rho
12O4t2O:14- CONSETHO NACIONAL DO SESCOOP
*,r
urspoe
Gdst6o;
demais
fihanieiras
Estadual do
'Nacional 6s- fipreh"dizagem do Cooperativi'smo - SeScoUP, na
forina do art. 30. do Regimento lhtemo da,.Unidade'Nacional, torna, p0bliOo que 6
Conselho Naciorial, em sua,84" ReuniSo Ordindria, realizada erd 27-de'rhaio de
2014,-tende;€m vista as disposigdes Oo'art. 23, inciso lll e'do drt,",33, inciso,'lli do
-como
rbfe rido Regi rtie nto ntemo,, befrr
da ReSo lu gdb - no 05/200Qr
O
Servi-go'
I
.
I
RESOLVEU
=:
Aprovirr o "RElatdrio de Gestiio, o Balango Geral e as -de.;naiS
dgrnonstraQ6eS, finhnceii"as do exerc{cio "de 20ti3' da ,Unidade. Estadual 'do
AFtt
1o
SescoopiPR.
Art.
,
20 - Esta Resolugeo entra em vigor na.data de sua,'assinatura.
a,'
Brasilia, 28 de maio de 2014,
W
Tv|ARCIO:(dPES D E FRE ITAS
Presidente
"
&F'''g/t%\
Seryigo l'lacional de Aitisndizagem do Cooperativisrho
4, Blodo'l
SAUS (Setor de Autarquias SUI),Quadra
CEP: 7OO7O-935 - Era5itia - DF - Brasil'
wtrw,
F\,
b ra s i lc oo
pe ra't iI
y/
ANEXO III- Relação dos Projetos de Formação Profissional e Promoção Social Realizados
em 2013
A) ÁREA DE ATUAÇÃO: FORMAÇÃO PROFISSIONAL COOPERATIVISTA
A.1 - Natureza - Aprendizagem Profissional
Nº Proj
0005/2013
0006/2013
0007/2013
0033/2013
0034/2013
0035/2013
0036/2013
0039/2013
0048/2013
0055/2013
0056/2013
0057/2013
0063/2013
0065/2013
0066/2013
0068/2013
0077/2013
0080/2013
0081/2013
0083/2013
0084/2013
0085/2013
0087/2013
0089/2013
0092/2013
Título Projeto
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Cooperativa
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
SESCOOP/PR
6
136
61
SESCOOP/PR
9
204
154
SESCOOP/PR
7
204
92
SESCOOP/PR
10
204
190
SESCOOP/PR
10
204
233
SESCOOP/PR
2
112
20
SESCOOP/PR
8
188
205
SESCOOP/PR
3
96
56
SESCOOP/PR
6
172
34
SESCOOP/PR
13
304
498
SESCOOP/PR
5
176
62
SESCOOP/PR
8
176
148
SESCOOP/PR
3
140
20
SESCOOP/PR
8
208
139
SESCOOP/PR
8
208
131
SESCOOP/PR
7
156
195
SESCOOP/PR
13
300
374
SESCOOP/PR
8
180
125
SESCOOP/PR
8
180
181
SESCOOP/PR
9
208
144
SESCOOP/PR
10
216
167
SESCOOP/PR
4
96
62
SESCOOP/PR
5
176
33
SESCOOP/PR
7
204
127
SESCOOP/PR
8
184
260
138
0098/2013
0099/2013
0125/2013
0228/2013
0230/2013
0231/2013
0232/2013
0333/2013
0338/2013
0340/2013
0390/2013
0450/2013
1079/2013
1220/2013
1221/2013
1312/2013
1373/2013
1408/2013
1492/2013
1727/2013
1829/2013
1973/2013
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo EAD
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Industrial
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Programa Jovem Aprendiz Cooperativo
Administrativo
Total de Aprendizagem Profissional
SESCOOP/PR
12
308
186
SESCOOP/PR
12
308
192
SESCOOP/PR
52
1180
1204
SESCOOP/PR
2
28
9
SESCOOP/PR
10
208
89
SESCOOP/PR
12
224
265
SESCOOP/PR
12
224
181
SESCOOP/PR
13
252
154
SESCOOP/PR
12
284
233
SESCOOP/PR
12
284
289
SESCOOP/PR
11
248
324
SESCOOP/PR
10
228
190
SESCOOP/PR
4
140
156
SESCOOP/PR
8
184
151
SESCOOP/PR
8
184
172
SESCOOP/PR
4
88
80
SESCOOP/PR
4
88
80
SESCOOP/PR
8
160
150
SESCOOP/PR
9
164
131
SESCOOP/PR
10
196
190
SESCOOP/PR
3
60
111
SESCOOP/PR
1
20
35
414
9692
8283
139
A.2 - Natureza - Qualificação/Capacitação Profissional
Nº de
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
Event
os
0003/2013 Dia de Campo - Show Rural
SESCOOP/PR
1
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
40
2135
0008/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
1
41
19
0009/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
6
96
118
COOPAVEL
2
16
40
COOPAVEL
9
18
270
UNIMED CURITIBA
2
16
33
LAR
1
40
28
COPACOL
5
20
126
0012/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Palestra sobre Qualidade no Atendimento
0013/2013
para o Show Rural
Programa de Desenvolvimento de Médias
0017/2013
Lideranças
0019/2013 Curso de Operador de Máquinas
0023/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0029/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
4
16
54
0030/2013 Curso de Manutenção Industrial
COOPERVAL
1
80
17
0042/2013 Curso de Armazenagem de Grãos
INTEGRADA
3
48
80
PRIMATO
1
8
14
COOPCANA
2
80
40
COOPERVAL
1
20
12
0049/2013 Programa Desenvolvimento de Líderes
LAR
1
8
15
0050/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
2
20
82
C.VALE
2
16
37
COPAGRA
1
8
14
LAR
6
112
113
COOPCANA
1
40
20
COCARI
1
2
17
0061/2013 Programa de Qualificação Gerencial
C.VALE
2
32
34
0062/2013 Curso de Classificação de Grãos
Programa de Desenvolvimento para
0069/2013
Líderes
Curso Preparatório para Certificação
0070/2013
ANBIMA - CPA 20
0071/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
COCARI
1
16
32
COAMO
1
2
129
UNIPRIME CENTRAL
1
24
33
COOPAVEL
1
40
47
0072/2013 Curso de Operador de Máquinas
FRIMESA
1
20
16
0073/2013 Curso de Operador de Máquinas
Curso de Segurança na Operação de
0074/2013
Máquinas
Palestra sobre Desenvolvimento de
0076/2013
Equipe
Curso de Normas Regulamentadoras - NR
0079/2013
35
0086/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
2
24
26
C.VALE
1
20
16
COOPAVEL
2
4
40
COOPERTRADIÇÃO
3
24
30
COOPCANA
1
20
20
SESCOOP/PR
1
16
210
COPACOL
20
160
426
COPACOL
6
48
100
0044/2013 Curso de Gestão de Suprimentos
Curso de Operação e Manutenção de
0046/2013
Máquinas
0047/2013 Curso de Manutenção Automotiva
0051/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
Curso Preparatório para Conselheiro
0052/2013
Fiscal
0053/2013 Programa Desenvolvimento de Motoristas
Curso de Operação e Manutenção de
0054/2013
Máquinas
0059/2013 Palestra sobre Gestão da Qualidade Rural
0088/2013 Dia de Campo
Curso de Saúde e Qualidade de Vida na
0090/2013
Organização
0091/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
140
0093/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
1
8
38
0094/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
1
10
35
0095/2013 Curso de Direção Defensiva
Curso de Atualização das Normas
0096/2013
Regulamentadoras - NRs
Curso de Atualização das Normas
0097/2013
Regulamentadoras - NRs
0100/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COAMO
4
64
90
COOPERVAL
2
32
29
COOPERVAL
1
16
18
C.VALE
1
40
16
COPACOL
3
36
65
0102/2013 Programa de Desenvolvimento de Equipe
COODETEC
3
59
36
0103/2013 Curso de Formação de Novos Brigadistas
Curso de Atualização das Normas
0105/2013
Regulamentadoras - NRs
0106/2013 Curso de Formação de Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
0107/2013
Lideranças
0108/2013 Fórum Trabalhista e Sindical
AGRARIA
1
8
11
COOPERVAL
3
60
57
COPACOL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
12
96
242
2
16
48
1
6
46
COOPERVAL
1
40
20
CAMISC
8
32
123
COOPERVAL
1
36
14
LAR
3
40
116
COCAMAR
5
200
81
UNIMED CURITIBA
2
16
52
PRIMATO
2
4
111
SESCOOP/PR
1
6
32
COASUL
1
30
26
CAPAL
1
16
42
CAPAL
1
8
42
BOM JESUS
1
8
28
COCAMAR
4
64
43
COAMO
3
64
57
C.VALE
3
24
52
AGRARIA
20
60
182
COOPAVEL
8
40
112
SICOOB CENTRAL PR
1
16
19
COCAMAR
2
24
24
COAMO
1
29
12
COAMO
1
8
22
SICOOB CENTRAL PR
1
16
25
PRIMATO
1
2
37
COOPAVEL
2
16
40
COOPAVEL
1
2
31
COOPAVEL
2
16
26
0101/2013 Curso de Formação de Lideranças
0109/2013 Curso de Manutenção Industrial
0110/2013 Curso de Técnicas de Comercialização
0111/2013 Curso de Manutenção Automotiva
0112/2013 Programa Desenvolvimento Gestores
0113/2013 Curso de Segurança no Trabalho
Programa de Desenvolvimento de
0114/2013
Gestores
0115/2013 Palestra sobre Gestão de Relacionamento
Fórum de Dirigentes de Cooperativas de
0117/2013
Transporte
Curso de Mecânica e Manutenção
0118/2013
Industrial
0119/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0120/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Técnicas de Atendimento e
0121/2013
Negociação
0122/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
Curso de Desenvolvimento em
0123/2013
Assistência Técnica
0124/2013 Programa Bom Atendimento
0126/2013 Curso Prático das Brigadas
0128/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
0129/2013 Programa de Gestão do Negócio
Curso de Desenvolvimento da
0130/2013
Comunicação
0131/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
Programa de Desenvolvimento para
0132/2013
Líderes
0133/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
0134/2013 Encontro de Mulheres
0135/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Palestra sobre Desenvolvimento de
0136/2013
Equipe
0138/2013 Curso de Qualidade no Atendimento
141
0139/2013
Curso Especializado de Saúde no
Trabalho
Programa de Desenvolvimento Gerencial
Programa de Desenvolvimento de Médias
Lideranças
Programa de Comunicação e Marketing
Pessoal
Seminário dos Avaliadores de 5S
Curso de Rotinas Administrativas e
Qualidade no Atendimento
Programa de Qualificação Gerencial
SESCOOP/PR
1
16
29
COOPAGRICOLA
1
8
25
UNIMED CURITIBA
8
64
151
12
36
84
1
2
76
PRIMATO
2
8
54
C.VALE
2
32
29
0148/2013 Programa Desenvolvimento de Líderes
LAR
5
56
88
0149/2013 Palestra de Atendimento ao Cliente
Curso de IFRS para Pequenas e Médias
0150/2013
Cooperativas
0151/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
2
4
79
SESCOOP/PR
2
24
42
COPACOL
1
15
15
COPAGRIL
30
240
350
UNIMED LONDRINA
6
30
74
COPAGRIL
9
18
170
COPACOL
6
96
140
0140/2013
0141/2013
0142/2013
0144/2013
0145/2013
0146/2013
0152/2013 Curso de Líder Coach
Programa de Desenvolvimento de
0153/2013
Equipes - Medicina Preventiva
Palestra sobre Boas Práticas de
0155/2013
Fabricação
0156/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0157/2013 Curso de Formação de Lideranças
CENTRAL SICREDI
PR/SP
AGRARIA
COPACOL
3
24
30
UNIMED PARANA
1
8
44
COAMO
1
134
10
UNIPRIME CENTRAL
1
16
10
COAMO
3
48
63
0164/2013 Curso de Operador de Máquina
COPACOL
4
80
59
0165/2013 Curso de Segurança no Trabalho
COCAMAR
5
200
80
0169/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
AGRARIA
1
16
16
C.VALE
1
8
17
BOM JESUS
1
20
31
COOPAGRICOLA
1
8
17
C.VALE
1
20
15
AGRARIA
1
8
15
COOPAVEL
4
8
89
0158/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
0160/2013 Curso de Formação de Vigilantes
0162/2013 Cursos de Atualização Contábil
0163/2013 Curso de Direção Defensiva
0170/2013 Programa Gestão da Qualidade
0173/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0174/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
0176/2013 Curso de Manutenção Industrial
Curso de Comunicação e Feedback
0177/2013
Assertivo
Palestra sobre Desenvolvimento de
0179/2013
Equipe
0180/2013 Palestra de Atendimento ao Cliente
COPACOL
8
20
210
0181/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
COPACOL
6
48
102
0182/2013 Curso de Operador de Máquina
COPACOL
1
12
13
COOPAVEL
15
120
198
0186/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
2
16
35
0190/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
2
20
49
0191/2013 Palestra sobre Qualidade de Vida
Palestra sobre Desenvolvimento de
0194/2013
Equipe
0196/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
1
2
60
COOPAVEL
1
2
31
COASUL
1
16
9
UNIMED LONDRINA
1
5
20
COASUL
1
16
25
0184/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0197/2013 Workshop de Feedback para Lideranças
0198/2013 Curso de Técnicas de Vendas
142
Curso de Desenvolvimento da
Comunicação
0201/2013 Curso de Manutenção Automotiva
0200/2013
0202/2013 Workshop de Feedback para Lideranças
Programa de Integração de Novos
0204/2013
Contratados
Programa de Desenvolvimento de
0205/2013
Lideranças
COCAMAR
20
80
250
COOPERVAL
1
20
15
UNIMED LONDRINA
2
8
41
SICOOB CENTRAL PR
2
8
58
4
36
109
3
48
52
0207/2013 Palestras sobre Gestão da Qualidade
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
30
60
1378
0208/2013 Curso de Comunicação Interpessoal
UNIPRIME CENTRAL
1
8
21
0210/2013 Programa de Gestão do Negócio
SICOOB CENTRAL PR
1
32
25
NOVA PRODUTIVA
1
21
22
0213/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
C.VALE
10
160
169
0214/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
Palestra sobre Cenários e Tendências do
0215/2013
Mercado Financeiro
C.VALE
4
32
70
UNIPRIME CENTRAL
1
3
21
1
8
23
1
20
15
0206/2013 Programa de Negociação e Vendas
0211/2013 Curso de Gerenciamento de Contratos
0216/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0217/2013 Curso de Oratória
UNIMED PONTA
GROSSA
FRIMESA
0218/2013 Curso de Governança em TI
FRIMESA
2
48
28
0219/2013 Programa Bom Atendimento
C.VALE
2
16
41
COPACOL
1
8
42
CAPAL
6
48
92
PRIMATO
1
16
21
UNIMED PONTA
GROSSA
7
28
132
UNIMED PARANA
3
24
27
COOPAVEL
1
32
13
SESCOOP/PR
1
8
37
PRIMATO
1
4
24
COPAGRIL
15
120
384
UNIMED PARANA
8
64
145
CENTRAL SICREDI
PR/SP
4
64
49
UNIODONTO CURITIBA
2
12
38
INTEGRADA
6
24
128
INTEGRADA
3
24
60
INTEGRADA
3
24
54
COAMO
3
34
79
COAGRU
2
16
54
C.VALE
4
64
79
UNIMED PARANA
2
16
19
0220/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0222/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Curso de Boas Práticas de Manipulação
0223/2013
de Alimentos
0224/2013 Curso de Brigada de Emergência
0225/2013
0226/2013
0227/2013
0229/2013
0233/2013
0234/2013
0236/2013
0239/2013
0240/2013
0241/2013
Programa de Desenvolvimento de
Liderança
Programa de Desenvolvimento de Equipe
de TI
Fórum dos Agentes - SESCOOP/PR
Curso de Rotinas Administrativas e
Qualidade no Atendimento
Curso de Atendimento e Vendas
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso de Técnicas de Atendimento ao
Cliente
Curso para Auditores Internos em BPF e
APPCC
Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
0242/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
Programa de Desenvolvimento para
0243/2013
Líderes
0244/2013 Curso de Técnicas em Vendas
0246/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
0248/2013 Curso de Desenvolvimento de Vendas e
143
Negociação
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
Programa de Desenvolvimento de
0250/2013
Equipes
0252/2013 Curso de Comunicação Escrita
0249/2013
UNIMED CURITIBA
1
8
51
UNIMED PARANA
25
100
558
UNIMED PARANA
1
8
20
0254/2013 Curso de Hotelaria Hospitalar
UNIMED PARANA
6
36
78
0255/2013 Curso de Gestão em Enfermagem
Programa de Desenvolv. dos Profissionais
0256/2013
de Gestão Pessoas
Programa de Desenvolvimento de
0257/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
0258/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
0259/2013
Habilidades Técnicas
UNIMED PARANA
8
48
108
UNIMED PARANA
1
4
13
2
16
23
6
48
99
1
8
23
AURORA ALIMENTOS
1
4
20
UNIMED CURITIBA
1
8
35
UNIMED CURITIBA
1
20
26
UNIMED PARANA
1
16
15
UNIMED PARANA
1
16
12
UNIMED PARANA
1
16
5
UNIMED PARANA
6
24
83
UNIMED PARANA
3
12
36
LAR
32
128
492
LAR
2
32
44
COPACOL
2
16
41
INTEGRADA
1
16
14
COPAGRIL
5
80
65
AGRARIA
3
24
18
AGRARIA
1
8
13
0283/2013 Curso de Líder Coach
AGRARIA
2
16
20
0284/2013 Curso de Operador de Máquinas
COPAGRIL
1
20
14
COAMO
1
24
17
LAR
5
40
115
0287/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
COASUL
1
8
26
0288/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
1
8
10
0289/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COASUL
1
16
23
0290/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
COAMO
1
50
9
0291/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
CAMISC
4
32
40
COCAMAR
2
72
32
UNIPRIME CENTRAL
1
8
34
0260/2013 Curso de Gestão de Pessoas
0261/2013
0262/2013
0263/2013
0264/2013
0265/2013
0267/2013
0268/2013
0272/2013
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
Programa de Desenvolvimento da
Qualidade
Curso de Técnicas de Apresentação em
Público
Curso de Técnicas de Apresentação em
Público
Curso de Técnicas de Apresentação em
Público
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
Programa de Desenvolvimento de
Liderança
Programa Desenvolvimento de Equipe
0273/2013 Curso de Negociação
0276/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
0279/2013
Avançada
0280/2013 Curso de Planejamento Estratégico
Curso de Comunicação e Feedback
0281/2013
Assertivo
0282/2013 Curso de Negociação
0285/2013 Curso de Comunicação
0286/2013 Programa Desenvolvimento de Líderes
0292/2013 Curso de Lean Seis Sigma
0295/2013 Curso de Comunicação Interpessoal
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
144
Curso de Negociação e Técnicas de
Vendas
Programa de Desenvolvimento de
0298/2013
Equipes
0299/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
0297/2013
UNIPRIME CENTRAL
1
16
21
UNIMED LONDRINA
12
60
148
COCAMAR
5
32
64
COOPCANA
2
32
40
INTEGRADA
2
16
55
AURORA ALIMENTOS
1
8
10
COAGRU
1
32
20
SESCOOP/PR
1
2
13
C.VALE
2
32
48
COCAMAR
2
4
26
C.VALE
1
40
26
C.VALE
3
48
60
C.VALE
1
40
8
UNIPRIME CENTRAL
5
56
161
0317/2013 Curso de Primeiros Socorros
COOPCANA
2
32
40
0318/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Operação e Manutenção de
0324/2013
Máquinas
0326/2013 Curso de Lean Seis Sigma
COOPCANA
2
16
40
COOPCANA
1
80
20
COCAMAR
1
32
23
0327/2013 Curso de Atualização Tributária
SESCOOP/PR
1
8
29
0328/2013 Curso de Feedback para Gestores
FRIMESA
7
56
140
0329/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
40
13
COODETEC
2
32
30
LAR
4
32
104
COOPAVEL
1
8
17
COOPAVEL
1
2
24
COOPAVEL
UNIMED PONTA
GROSSA
SESCOOP/PR
3
48
32
7
28
133
8
72
280
0347/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
40
19
0348/2013 Curso de Gestão de Cooperativa
PRIMATO
1
16
14
0349/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Programa de Desenvolvimento de
0352/2013
Liderança
Programa de Desenvolvimento de
0353/2013
Equipes
0354/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
Programa de Desenvolvimento de
0355/2013
Liderança
Programa de Desenvolvimento de
0356/2013
Equipes
Programa de Desenvolvimento de Médias
0357/2013
Lideranças
COPACOL
1
40
27
UNIMED PARANA
4
32
64
UNIMED CURITIBA
8
56
135
AGRARIA
1
40
12
UNIMED PARANA
4
32
45
UNIMED PARANA
4
32
124
UNIMED CURITIBA
12
96
232
0300/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
0301/2013
Básica
0304/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Curso de Qualidade na Armazenagem de
Grãos
0306/2013 Palestra sobre Cooperativismo
0305/2013
0308/2013 Programa Gestão da Qualidade
Palestra sobre Etiqueta Profissional e
0309/2013
Pessoal
0312/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0313/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Segurança na Operação de
0314/2013
Máquinas
0316/2013 Programa de Desenvolvimento Comercial
0330/2013 Curso de Excel
Curso de Marketing Pessoal e Etiqueta
0331/2013
Empresarial
0335/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Palestra sobre Desenvolvimento de
0337/2013
Equipe
0339/2013 Curso de Administração Rural
0343/2013 Curso de Brigada de Emergência
0345/2013 Curso para Conselheiro Fiscal
145
Curso de Gestão em Segurança do
Trabalho e Ambiental
Curso de Comunicação, Oratória e
0360/2013
Expressão Corporal
Programa de Desenvolvimento de
0362/2013
Liderança
0363/2013 Curso de Segurança no Trabalho
0358/2013
BATAVO
7
128
105
COAGRU
2
32
40
UNIMED PARANA
0
0
0
COCAMAR
1
40
14
INTEGRADA
1
8
27
0366/2013 Curso de Planejamento Orçamentário
PRIMATO
2
16
47
0367/2013 Curso de Qualidade no Atendimento
COOPAVEL
1
8
14
0368/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
3
24
80
COOPAVEL
2
8
32
COOPAVEL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COAMO
3
12
47
2
16
52
4
64
87
0381/2013 I Encontro Uniodonto Curitiba
Curso de Revisão das alterações das
0382/2013
normas contábeis em IFRS
0383/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
SESCOOP/PR
1
3
101
SESCOOP/PR
1
8
17
INTEGRADA
1
8
27
0384/2013 21° SUESPAR
Programa de Desenvolvimento de
0385/2013
Liderança
0386/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Programa de Desenvolvimento de
0391/2013
Equipes
0392/2013 Programa de Qualificação Técnica
UNIMED PARANA
1
16
400
UNIMED PARANA
5
30
92
COOPAVEL
1
8
14
UNIMED PARANA
10
60
189
SICOOB CENTRAL PR
2
32
48
INTEGRADA
3
24
149
COAGRU
1
16
31
UNIMED PARANA
4
12
58
COPACOL
3
36
35
0399/2013 Fórum dos Profissionais de Pecuária
SESCOOP/PR
1
16
21
0400/2013 Fórum sobre Inovação Cooperativista
SESCOOP/PR
1
8
29
0401/2013 Fórum dos Profissionais de Finanças
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COPAGRIL
1
4
36
1
2
63
1
3
37
6
48
120
0405/2013 Curso de Condução Econômica
COPAGRIL
2
40
21
0406/2013 Curso de Armazenagem de Grãos
COPAGRIL
1
32
20
0407/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
2
8
46
0408/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Curso de Classificação e Armazenagem
0409/2013
de Grãos
0410/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
3
18
62
COOPAVEL
1
32
20
COPACOL
1
8
13
0411/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
41
0412/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
FRIMESA
1
10
40
0365/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
0370/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
0371/2013 Curso de Relacionamento Humano
Programa de Desenvolvimento de
0372/2013
Lideranças
0379/2013 Curso de Direção Defensiva
0393/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
Curso de Secagem e Aeração de Produtos
0394/2013
Agrícolas
Curso de Qualidade no Atendimento e
0396/2013
Segurança do Paciente
0398/2013 Curso de Operador de Máquina
0402/2013 Seminário de MPE
Programa de Comunicação e Marketing
Pessoal
0404/2013 Curso de Brigada de Incêndio
0403/2013
146
0414/2013 Curso Atendimento
UNIMED CASCAVEL
3
24
51
BATAVO
CENTRAL SICREDI
PR/SP
FRIMESA
7
76
168
10
80
293
2
40
33
SESCOOP/PR
3
48
21
LAR
1
20
21
AGRARIA
2
16
27
CAMISC
1
6
10
UNIPRIME CENTRAL
1
16
20
COODETEC
CENTRAL SICREDI
PR/SP
2
37
30
2
16
21
UNIMED PARANA
5
40
96
UNIMED PARANA
15
120
483
COONAGRO
1
16
20
0430/2013 Curso de Condução Econômica
SESCOOP/PR
6
144
62
0431/2013 Curso de Direção Preventiva
SESCOOP/PR
3
60
75
C.VALE
1
16
26
COAMO
3
32
74
COCAMAR
2
4
22
COOPCANA
1
80
15
NOVA PRODUTIVA
5
18
40
INTEGRADA
1
8
15
SESCOOP/PR
1
10
12
0415/2013 Programa de Profissionalização da Gestão
Programa de Desenvolvimento de
0416/2013
Lideranças
0418/2013 Curso de CIPA
Programa de Reciclagem na Gestão da
0419/2013
Qualidade
0421/2013 Curso de CIPA
0422/2013 Curso de Entrevista por Competência
0423/2013 Curso de Gestão de Qualidade
0424/2013 Curso de Gestão da Carteira de Clientes
0425/2013 Programa de Desenvolvimento de Equipe
Programa de Desenvolvimento de
0426/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
0427/2013
Liderança
Programa de Desenvolvimento de
0428/2013
Equipes
0429/2013 Programa de Fertilidade
0436/2013 Programa Gestão da Qualidade
Programa de Manutenção Produtiva
0437/2013
Industrial
Palestra sobre Etiqueta Profissional e
0441/2013
Pessoal
Curso de Desenvolvimento Industrial e
0443/2013
Operacional
Curso de Desenvolvimento da
0444/2013
Comunicação
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
0445/2013
Básica
Programa de Desenvolvimento
0448/2013
Tecnológico da Agropecuária
0449/2013 Curso de Planejamento Estratégico
COAGRU
1
20
21
0451/2013 Programa de Gestão do Negócio
SICOOB CENTRAL PR
1
16
25
0452/2013 Programa de Qualificação Técnica
SICOOB CENTRAL PR
1
16
24
SESCOOP/PR
1
12
19
UNIMED CURITIBA
14
64
169
UNIMED PARANA
1
2
77
1
16
30
7
35
109
COAMO
1
50
16
0462/2013 Curso de Gestão de Utilização de Pneus
Curso de Custos Operacionais do
0463/2013
Transporte de Cargas
0464/2013 Curso de Gestão de Containers
SESCOOP/PR
2
24
48
SESCOOP/PR
1
40
19
SESCOOP/PR
1
28
21
0465/2013 Curso de Gestão da Frota
SESCOOP/PR
1
20
21
COCAMAR
2
4
26
0453/2013 Fórum dos Agentes - SESCOOP/PR
Programa de Desenvolvimento de
0454/2013
Equipes
Palestra sobre Administração de
0455/2013
Potencialidades
0459/2013 Curso de Administração do Tempo
0460/2013 Curso de Informatica
0461/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
0466/2013 Palestra sobre Etiqueta Profissional e
UNIMED REGIONAL
MARINGA
COCAMAR
147
Pessoal
0467/2013 Curso de Desenvolvimento de Liderança
Programa de Desenvolvimento de
0468/2013
Gestores
Curso de Desenvolvimento Gerencial
0469/2013
Avançado
0475/2013 Curso de Comunicação Oral e Escrita
0476/2013 Programa de Desenvolvimento de Lideres
Programa de Desenvolvimento de
0477/2013
Lideranças
Curso de Reciclagem de Supervisores da
0478/2013
NR- 33
Programa de Desenvolvimento de
0480/2013
Habilidades
Palestra sobre Qualificação,
0481/2013
Empreendedorismo e Sucesso
Programa de Desenvolvimento de
0483/2013
Equipes
Programa de Integração de Novos
0484/2013
Contratados
0487/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Formação da Equipe
0489/2013
Comercial
0490/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Qualificação para Educação a
0491/2013
Distância
0493/2013 Curso de Brigada de Emergência
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
0495/2013 Curso de Armazenagem de Grãos
0494/2013
0496/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Formação de Líderes
0497/2013
Cooperativistas
0498/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
Programa de Desenvolvimento de
0499/2013
Analistas
0500/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
0501/2013 Curso de Oratória
Curso Reciclagem para Eletricista de
0502/2013
Manutenção Industrial
Curso de Operação e Manutenção de
0503/2013
Máquinas
Curso de Implantação e Manutenção da
0504/2013
NR-10
Programa de Desenvolvimento de
0506/2013
Habilidades Técnicas
0507/2013 Curso de Atualização do MOPP
0508/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Programa de Desenvolvimento de
Liderança
Programa de Desenvolvimento de
0510/2013
Equipes
0509/2013
COAGRU
1
8
22
UNIMED CURITIBA
2
16
25
COAGRU
1
8
19
COODETEC
2
32
43
COODETEC
1
26
13
LAR
1
16
60
INTEGRADA
1
8
25
C.VALE
2
48
23
UNIMED PARANA
1
2
17
UNIMED PARANA
8
64
264
SICOOB CENTRAL PR
2
12
47
C.VALE
1
40
15
COODETEC
1
13
26
C.VALE
1
20
17
C.VALE
2
50
62
UNIMED PONTA
GROSSA
7
28
104
UNIMED LONDRINA
12
60
195
LAR
1
32
14
LAR
1
40
28
COAMO
4
96
173
AGRARIA
1
8
10
UNIMED CASCAVEL
3
24
52
UNIMED CASCAVEL
5
40
80
FRIMESA
1
20
15
COAMO
1
25
15
COAMO
1
18
14
COAMO
1
20
17
1
12
25
1
16
25
1
4
19
UNIMED PARANA
3
12
58
UNIMED PARANA
6
24
135
CENTRAL SICREDI
PR/SP
INTEGRADA
UNIMED PONTA
GROSSA
148
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
0512/2013 Programa de Fertilidade
Palestra Desenvolvimento Humano e
0513/2013
Gestão de Talentos
0514/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
0511/2013
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COONAGRO
2
24
39
1
16
15
INTEGRADA
1
2
44
INTEGRADA
6
48
142
0515/2013 Curso de Noções de Microbiologia
COPACOL
2
16
28
0516/2013 Curso de Noções de Microbiologia
COPACOL
1
6
13
0518/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
2
32
20
0519/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
5
40
67
0521/2013 Curso de Análises Laboratoriais
FRIMESA
1
24
17
0524/2013 Curso de Formação de MOPP
INTEGRADA
1
40
26
0525/2013 Fórum dos Profissionais de Mercado
Curso de Segurança na Operação de
0526/2013
Máquinas
SESCOOP/PR
1
4
82
C.VALE
1
20
18
7
28
100
1
24
23
LAR
1
20
15
0531/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
C.VALE
1
24
18
0533/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
COAMO
1
50
13
UNIMED PARANA
2
8
44
COAGRU
1
16
21
0537/2013 Palestra sobre Auto Estima
AURORA ALIMENTOS
1
2
26
0538/2013 Curso de Auditores Internos
SESCOOP/PR
1
16
32
UNIPRIME CENTRAL
1
8
21
UNIPRIME CENTRAL
1
3
10
1
2
132
1
8
21
0527/2013 Curso de Brigada de Emergência
0529/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0530/2013 Curso de CIPA
0534/2013 Curso de Imagem Profissional
Programa de Formação de Líderes
0536/2013
Cooperativistas
0539/2013 Curso de Gestão Comercial
Palestra sobre Cenários e Tendências do
0540/2013
Mercado Financeiro
Programa de Desenvolvimento de
0541/2013
Equipes
0542/2013 Curso de Gestão de Investimentos
UNIMED PONTA
GROSSA
COPACOL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIPRIME CENTRAL
0543/2013 Curso Segurança do Trabalho
LAR
1
40
20
0546/2013 Curso de Administração Rural
COOPAVEL
3
48
32
0548/2013 Curso de Operador de Empilhadeira
COAGRU
1
16
23
0549/2013 Programa de Fertilidade
Curso de Condução e Atendimento
0550/2013
Turístico
Curso de Aperfeiçoamento para
0552/2013
Motoristas
COONAGRO
1
16
11
SESCOOP/PR
1
40
27
COAMO
4
186
61
AURORA ALIMENTOS
1
8
11
COCARI
1
2
20
UNIMED CURITIBA
UNIMED PONTA
GROSSA
COAMO
1
27
12
7
28
108
4
54
85
SESCOOP/PR
11
22
331
0553/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
0555/2013 Programa de Capacitação em Informática
0554/2013
0556/2013 Curso de Brigada de Emergência
0557/2013 Curso de Direção Defensiva
0558/2013 Programa de Pecuária Leiteira
149
0559/2013
Programa de Desenvolvimento do
Cooperativismo
Programa de Pecuária Leiteira
Programa de Formação de Executivos e
Líderes Cooperativistas
Treinamento Vivencial Cooperativo
Curso de Saúde e Qualidade de Vida na
Organização
Curso de Operador de Máquina
SESCOOP/PR
3
9
183
SESCOOP/PR
11
22
362
SESCOOP/PR
2
72
36
COPACOL
4
40
135
COPACOL
1
8
29
COPACOL
1
20
12
0567/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
20
14
0568/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0560/2013
0561/2013
0562/2013
0563/2013
0566/2013
COPACOL
6
96
122
0570/2013 Palestra sobre Qualidade de Vida
LAR
4
8
159
0571/2013 Curso de Oratória e Comunicação
LAR
2
48
21
0573/2013 Curso de Gestão Comercial
COOPAVEL
4
16
68
0576/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
COOPAVEL
2
8
32
0577/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Programa de Desenvolvimento de
0580/2013
Equipes
COOPAVEL
2
16
35
UNIMED CURITIBA
2
8
32
UNIMED PONTA
GROSSA
7
28
105
LAR
2
16
51
FRIMESA
1
16
10
COPACOL
6
60
201
INTEGRADA
1
2
86
SESCOOP/PR
1
12
36
UNIMED LONDRINA
6
30
146
UNIMED LONDRINA
6
30
63
SESCOOP/PR
1
5
17
LAR
1
32
15
0606/2013 Fórum dos Profissionais do Setor Têxtil
Curso de Segurança na Operação de
0608/2013
Máquinas
0609/2013 Curso de Feedback para Gestores
SESCOOP/PR
1
2
21
C.VALE
1
24
19
FRIMESA
1
8
14
0610/2013 Palestra de Atendimento ao Cliente
Curso de Administração da Propriedade
0611/2013
Rural
0612/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
2
4
75
COPACOL
1
8
18
COPACOL
2
24
27
LAR
2
32
34
SESCOOP/PR
6
12
206
0581/2013 Curso de Brigada de Emergência
Curso de Marketing Pessoal e Etiqueta
Empresarial
0588/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0585/2013
0589/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
Workshop de Desenvolvimento
0594/2013
Comercial
0597/2013 Fórum dos Profissionais de T.I.
Programa de Desenvolvimento de
0600/2013
Equipes
Programa de Desenvolvimento de
0601/2013
Equipes
0603/2013 Curso de Extensão em Produção Florestal
0605/2013 Curso de Armazenagem de Grãos
0615/2013 Curso de Classificação de Grãos
0616/2013 Programa de Pecuária Leiteira
0618/2013 Curso Direção Defensiva
0619/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Palestra sobre Administração do Tempo e
0621/2013
Prioridades
0622/2013 Curso de DIPJ
Curso Reciclagem para Eletricista de
0623/2013
Manutenção Industrial
Curso de Operação e Manutenção de
0624/2013
Máquinas
LAR
1
16
18
COPAGRIL
4
32
94
UNIMED PARANA
1
2
24
SESCOOP/PR
1
12
65
COAMO
1
25
19
COAMO
1
17
14
150
0625/2013 Curso de Atualização Tributária
FRIMESA
2
32
67
C.VALE
4
64
72
0627/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
2
40
61
0629/2013 Programa de Formação de Motoristas
COOPAVEL
6
12
211
0630/2013 Programa de Profissionalização da Gestão
BATAVO
5
40
168
0631/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
1
16
20
0632/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
8
18
COPACOL
4
32
87
SESCOOP/PR
1
8
31
COPACOL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
40
20
1
12
30
FRIMESA
1
24
13
11
88
234
4
64
88
4
136
69
3
6
95
1
2
48
1
16
11
0626/2013 Programa de Qualificação Gerencial
0633/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0634/2013 Fórum Trabalhista e Sindical
0635/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento de
0636/2013
Habilidades Técnicas
Curso de Operação e Manutenção
0637/2013
Industrial
0639/2013 Programa de Vendas
0640/2013
0641/2013
0642/2013
0643/2013
0644/2013
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso de Extensão em Produção Animal
Programa de Comunicação e Marketing
Pessoal
Programa de Desenvolvimento do
Associado
Curso de Desenvolvimento de Equipes
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COPACOL
0646/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
16
21
0647/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
8
14
0649/2013 Cursos sobre NR - 35
COAMO
2
40
74
NOVA PRODUTIVA
1
20
14
COAMO
2
48
32
UNIMED CURITIBA
2
32
42
COOPAVEL
4
16
55
COOPAVEL
10
40
200
COOPAVEL
3
24
63
COOPAVEL
1
24
13
0664/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
COPACOL
4
16
54
0665/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
16
24
0666/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COASUL
2
48
29
0667/2013 Curso de Relações Interpessoais
FRIMESA
5
40
125
COOPERTRADIÇÃO
1
20
18
AURORA ALIMENTOS
1
8
10
PRIMATO
3
12
62
C.VALE
1
20
16
UNIMED CURITIBA
1
16
19
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
8
19
0650/2013 Curso de Operador de Empilhadeira
0652/2013 Curso de Comunicação
Programa de Comunicação
0656/2013
Organizacional
0659/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0660/2013 Curso de Relacionamento Humano
Curso de Classificação e Armazenagem
0662/2013
de Grãos
0663/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
0669/2013 Curso de CIPA
0673/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0675/2013 Curso de Qualidade no Atendimento
Curso de Segurança na Operação de
0676/2013
Máquinas
Programa de Desenvolvimento de
0677/2013
Gestores
0678/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
151
0679/2013
0680/2013
0681/2013
0682/2013
0683/2013
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso de Segurança no Trabalho em
Ambiente Hospitalar
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Formação para
Supermercados
Curso Gestão da Qualidade
0684/2013 Curso de Formação de CIPA
0685/2013 Programa de Capacitação em Informática
Programa de Desenvolvimento de
0686/2013
Equipes
Curso de Implantação e Manutenção da
0687/2013
NR-10
Programa de Desenvolvimento de
0688/2013
Habilidades
0690/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0691/2013 Palestra sobre Sustentabilidade
Programa de Desenvolvimento de
0692/2013
Habilidades Técnicas
0693/2013 Programa de Qualificação Gerencial
0694/2013 Curso de Análise e Concessão de Crédito
Encontro de Núcleos Cooperativos do
0695/2013
Paraná
0696/2013 Programa de Fertilidade
Programa de Integração de Novos
0697/2013
Contratados
Curso de Reciclagem na Utilização de
0698/2013
Sistema Integrado
Programa de Desenvolvimento para
0699/2013
Líderes
0700/2013 Curso de Direção Defensiva
Programa de Desenvolvimento para
0701/2013
Líderes
Programa de Desenvolvimento de
0702/2013
Equipes
0703/2013 Curso de Gestão Comercial
Curso de Operação e Manutenção de
0705/2013
Máquinas
Programa de Desenvolvimento de
0707/2013
Habilidades Técnicas
0709/2013 Curso de Administração do Tempo
LAR
1
8
25
UNIMED PARANA
1
25
22
CENTRAL SICREDI
PR/SP
8
64
196
LAR
1
2
60
LAR
UNIMED REGIONAL
MARINGA
UNIMED CURITIBA
1
8
18
1
20
17
2
42
19
UNIMED CURITIBA
1
6
13
COAMO
2
40
40
C.VALE
8
64
166
C.VALE
2
8
38
INTEGRADA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
1
2
35
3
48
54
3
48
50
UNIPRIME CENTRAL
4
32
79
SESCOOP/PR
4
16
272
COONAGRO
1
16
11
SICOOB CENTRAL PR
2
12
62
SESCOOP/PR
1
16
27
COAMO
1
8
45
AGRARIA
4
16
58
COAMO
1
8
45
UNIMED LONDRINA
6
30
99
UNIPRIME CENTRAL
1
8
19
COAMO
1
20
12
2
6
48
1
16
20
CENTRAL SICREDI
PR/SP
NOVA PRODUTIVA
0712/2013 Curso de Relacionamento Humano
COOPAVEL
4
32
67
0713/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
AGRARIA
1
16
10
COOPAVEL
1
16
13
SESCOOP/PR
3
12
69
UNIMED PARANA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIPRIME CENTRAL
1
24
18
1
16
19
1
8
41
0714/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Programa de Desenvolvimento do
0718/2013
Cooperativismo
0719/2013 Programa de Redação Empresarial
Programa de Desenvolvimento de
0721/2013
Lideranças
0723/2013 Curso de Prevenção contra Fraudes
152
0726/2013 Curso Gestão da Qualidade
0727/2013 Curso de Reciclagem do MOPP
0728/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
0729/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Reciclagem de Supervisores da
0730/2013
NR- 33
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
0731/2013
Básica
0732/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
LAR
1
20
22
COCARI
1
16
9
INTEGRADA
1
8
32
C.VALE
2
32
45
INTEGRADA
3
24
69
INTEGRADA
1
8
15
INTEGRADA
1
8
32
0733/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Aperfeiçoamento para
0734/2013
Motoristas
0735/2013 Curso de Direção Defensiva
C.VALE
2
16
40
COAMO
3
139,5
45
COAMO
4
54
91
0736/2013 Curso de Atualização de ICMS
SESCOOP/PR
1
16
49
0741/2013 Curso de Relacionamento Humano
LAR
8
32
168
0742/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
2
20
74
0744/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
3
48
28
0746/2013 Programa de Formação de Lideranças
FRIMESA
12
96
194
0747/2013 Curso de Operador de Máquinas
FRIMESA
1
12
14
0748/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
2
16
111
0749/2013 Curso de Oratoria
COPACOL
1
16
9
LAR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
1
16
12
16
128
325
1
16
16
COPAGRIL
8
64
187
C.VALE
1
40
20
COOPAVEL
12
24
649
FRIMESA
3
24
39
0762/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
2
16
49
0763/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
2
16
42
0764/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
COOPAVEL
2
8
33
0765/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Curso de Gerenciamento de Sistemas de
0766/2013
Gestão Integrada
Curso de Operação e Manutenção
0767/2013
Industrial
0768/2013 Curso de Análises Laboratoriais
Programa de Desenvolvimento de
0769/2013
Habilidades Comportamentais
COOPAVEL
2
16
37
SESCOOP/PR
3
528
22
FRIMESA
1
24
14
FRIMESA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIMED REGIONAL
MARINGA
2
24
30
4
32
91
3
24
89
SESCOOP/PR
1
4
36
SESCOOP/PR
1
3
15
COAMO
3
60
84
COAMO
3
120
57
COAMO
1
50
12
0750/2013 Curso MOPP
0751/2013 Programa de Vendas
0752/2013 Curso para Conselheiro Fiscal
0755/2013 Curso de Sensibilização para Mudança
0756/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Palestra sobre Desenvolvimento de
0759/2013
Equipe
0760/2013 Curso de Higiene Industrial
0770/2013 Curso de Administração de Conflitos
Fórum de Dirigentes de Cooperativas de
Transporte
0772/2013 Palestra sobre Cooperativismo
0771/2013
0773/2013 Cursos sobre NR - 35
Curso de Implantação e Manutenção da
0774/2013
NR-10
0775/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
153
0776/2013 Programa de Gestão do Negócio
SICOOB CENTRAL PR
2
32
38
0777/2013 Curso de Prevenção contra Fraudes
Programa de Desenvolvimento de Equipe
0779/2013
de TI
0780/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
UNIPRIME CENTRAL
1
9
35
COOPAVEL
1
40
10
COOPAVEL
1
8
19
COOPAVEL
4
16
68
SESCOOP/PR
1
220
7
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COODETEC
9
144
222
6
48
176
2
32
31
0788/2013 Palestra sobre Gestão da Qualidade Rural
COCARI
1
2
40
0790/2013 Curso de Comunicação
Curso Reciclagem para Eletricista de
0791/2013
Manutenção Industrial
Programa de Desenvolvimento de
0793/2013
Competências - EaD
0794/2013 Curso de Direção Defensiva
COAMO
1
24
19
COAMO
1
25
21
SESCOOP/PR
4
80
39
NOVA PRODUTIVA
1
16
18
COOPAGRICOLA
1
8
22
NOVA PRODUTIVA
2
56
41
COPAGRIL
2
16
14
COAMO
1
20
41
COFERCATU
1
2
27
SESCOOP/PR
3
30
54
COODETEC
1
2
88
SESCOOP/PR
1
200
8
COPACOL
2
16
70
COPACOL
1
12
14
0809/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipe
SESCOOP/PR
1
8
20
0811/2013 Curso de APPCC
Curso de Desenvolvimento Pessoal e
0812/2013
Qualidade de Vida
Programa de Desenvolvimento de
0813/2013
Conselheiros
Curso de Análise das Demonstrações
0814/2013
Financeiras
0815/2013 Programa de Fertilidade
COPAGRIL
2
32
45
PRIMATO
1
16
24
SESCOOP/PR
12
116
397
SESCOOP/PR
1
16
28
COONAGRO
1
16
13
0816/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
8
19
0817/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Leitura e Interpretação da
0818/2013
Norma ISO 9001
0819/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
C.VALE
1
16
21
AGRARIA
1
16
15
AGRARIA
4
64
49
AURORA ALIMENTOS
1
8
10
COOPAGRICOLA
1
20
19
COONAGRO
1
16
14
FRIMESA
1
20
15
0781/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Curso de Implantação de Sistemas
0782/2013
Integrados
0783/2013 Programa de Gestão Empresarial
Programa de Desenvolvimento de
0784/2013
Lideranças
0786/2013 Curso de Excel
0795/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
0796/2013 Curso de Metrologia Básica
0797/2013 Curso de Planejamento Estratégico
0798/2013 Cursos sobre NR - 35
Palestra sobre Valorização Pessoal e
0799/2013
Profissional
0801/2013 Curso para Conselheiro Fiscal
Programa de Formação da Equipe
0804/2013
Comercial
Curso de Implantação de Sistemas
0806/2013
Integrados
0807/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
0808/2013 Curso de Formação de Lideranças
0820/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0821/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0822/2013 Programa de Fertilidade
0823/2013 Curso de Operador de Máquinas
154
0826/2013
0827/2013
0828/2013
0829/2013
0830/2013
0832/2013
0833/2013
Curso de Implantação e Manutenção da
NR-10
Palestra sobre Sustentabilidade
Curso de Qualificação para Educação a
Distância
Programa de Desenvolvimento de
Gestores
Curso de Qualificação no Atendimento
Curso de Técnicas e Negociações em
Vendas
Curso de Normas Regulamentadoras
0836/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
Programa de Integração de Novos
0838/2013
Contratados
0839/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0840/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0843/2013 Programa de Redação Empresarial
0844/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Aperfeiçoamento para
0846/2013
Motoristas
Curso de Informática - Excel
0847/2013
Intermediário
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
0848/2013
Básica
0849/2013 Curso de Operador de Máquinas
Curso de Desenvolvimento da
0851/2013
Comunicação
0852/2013 Curso de Noções de Microbiologia
0853/2013 Curso de Formação de Lideranças
0856/2013 Curso de Oratória e Comunicação
Curso de Técnicas de Apresentação em
0858/2013
Público
0862/2013 Programa de Capacitação em Informática
Programa de Desenvolvimento do
0863/2013
Associado
0864/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COAMO
1
20
20
INTEGRADA
3
6
120
C.VALE
1
4
22
UNIMED CURITIBA
2
32
35
CONFEPAR
2
16
39
CONFEPAR
3
24
43
CAPAL
2
32
71
AGRARIA
1
40
10
SICOOB CENTRAL PR
2
12
51
COOPCANA
1
16
15
C.VALE
1
40
12
UNIMED PARANA
2
32
45
FRIMESA
1
40
10
COAMO
1
46,5
16
UNIMED PARANA
2
32
24
INTEGRADA
1
8
36
FRIMESA
2
24
35
NOVA PRODUTIVA
5
24
39
COPACOL
3
36
41
COPACOL
12
96
200
LAR
2
48
20
UNIMED PARANA
1
16
15
UNIMED CURITIBA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CAPAL
1
21
12
1
2
40
3
32
68
COPAGRIL
2
16
36
CONFEPAR
1
16
17
INTEGRADA
3
24
76
SESCOOP/PR
1
12
24
COOPAGRICOLA
1
8
18
C.VALE
2
50
30
0865/2013 Curso de Atendimento e Vendas
Programa de Desenvolvimento de
0869/2013
Qualidade
NR 10 - Curso de prevenção em
0870/2013
atividades com eletricidade.
Programa de Desenvolvimento
0872/2013
Tecnológico da Agropecuária
0873/2013 Programa de Gestão de Pessoas
Curso de Qualificação para Educação a
0875/2013
Distância
Curso de Qualificação para Educação a
0876/2013
Distância
0877/2013 Curso de Informática - Excel Avançado
C.VALE
2
50
37
UNIMED PARANA
1
20
12
0878/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
5
40
117
0879/2013 Fórum dos Presidentes
SESCOOP/PR
1
6
109
0880/2013 Curso de Direção Defensiva
COODETEC
5
40
115
COOPAGRICOLA
1
8
18
0881/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
155
0882/2013 Curso de Brigada de Incêndio
FRIMESA
12
256
291
0884/2013 Curso de Comunicação Eficaz e Oratória
Palestra sobre Agronegócios para Novas
0885/2013
Lideranças
0886/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
6
144
70
COAMO
1
2
242
COPACOL
2
8
47
COOPCANA
UNIMED PONTA
GROSSA
1
16
15
4
8
46
SESCOOP/PR
6
160
114
COAMO
5
67,5
82
COOPAGRICOLA
1
16
29
COPACOL
2
16
113
UNIMED CURITIBA
6
12
367
LAR
5
40
79
LAR
1
16
31
0897/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Marketing Pessoal e Etiqueta
0898/2013
Empresarial
0899/2013 Programa de Qualificação Gerencial
C.VALE
10
421
198
LAR
4
32
101
C.VALE
3
48
55
0900/2013 Programa de Qualificação Gerencial
C.VALE
4
64
67
COCARI
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
1
16
15
3
36
63
6
72
84
2
48
38
SESCOOP/PR
1
8
22
FRIMESA
2
16
44
C.VALE
1
20
11
COOPAVEL
12
48
197
COOPAVEL
10
80
150
COPACOL
1
10
43
COPAGRIL
10
80
227
LAR
1
10
43
COOPAVEL
8
64
121
LAR
1
16
24
LAR
1
2
139
LAR
5
210
95
0887/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0888/2013 Palestras sobre Tecnologia em Saúde
Curso de Aperfeiçoamento da Cultura da
Cana-de-Açucar
0890/2013 Curso de Direção Defensiva
0889/2013
0891/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0892/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Programa de Qualificação do
0893/2013
Atendimento
0894/2013 Curso Relcaionamento Interpessoal
0896/2013 Curso Análise de Crédito
0905/2013 Formação de Auditores da Qualidade
Programa de Desenvolvimento de
0906/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
0908/2013
Lideranças
0909/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
Curso de Mediação do Processo
0910/2013
Pedagógico
0913/2013 Curso de Relações Interpessoais
Curso de Segurança na Operação de
0914/2013
Máquinas
0915/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0917/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0918/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Programa de Desenvolvimento de Novos
0919/2013
Líderes
0920/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
0921/2013 Curso de Relacionamento Humano
Programa de Desenvolvimento de
0922/2013
Lideranças
0924/2013 Palestra sobre Qualidade de Vida
0925/2013 Curso de Formação de Bombeiro Civil
0926/2013 Programa Desenvolvimento de Motoristas
LAR
8
160
128
C.VALE
2
32
38
COOPAVEL
10
20
485
C.VALE
2
32
35
0930/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
C.VALE
1
8
23
0931/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
COOPAGRICOLA
1
8
17
0927/2013 Programa de Qualificação Gerencial
Palestra sobre Desenvolvimento de
0928/2013
Equipe
0929/2013 Programa de Qualificação Gerencial
156
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
Mercado Financeiro e as Cooperativas de
0933/2013
Crédito
0940/2013 Curso de Excelência no Atendimento
0932/2013
UNIMED CURITIBA
7
56
113
UNIPRIME CENTRAL
1
2
12
UNIPRIME CENTRAL
2
16
27
INTEGRADA
3
24
52
UNIPRIME CENTRAL
1
8
15
COAMO
2
93,5
32
AGRARIA
2
8
33
SESCOOP/PR
1
4
11
COOPAVEL
4
16
71
0951/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
Curso de Saúde e Qualidade de Vida na
0952/2013
Organização
0953/2013 Curso de Formação de Lideranças
Curso de Interpretação da Norma - BRC
0954/2013
Alimentos
0958/2013 Curso de ICMS nas Operações com TRR
COOPAVEL
1
40
15
COPACOL
8
64
173
COPACOL
8
64
281
COPAGRIL
1
16
25
CAPAL
1
8
16
0959/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
C.VALE
1
4
19
COOPERVAL
2
80
27
COODETEC
5
40
168
AURORA ALIMENTOS
1
8
12
LAR
2
16
39
0964/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
2
16
31
0967/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
3
24
61
0968/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
3
12
45
0941/2013 Curso de Técnicas de Negociação
Curso de Capacitação para Membros do
0942/2013
Conselho Fiscal
0943/2013 Curso de Qualificação para Motorista
Curso de Comunicação, Feedback
0946/2013
Assertivo e Negociação
Fórum dos Dirigentes do Ramo
0947/2013
Educacional
0949/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
0960/2013 Curso de Informática
Curso de aperfeiçoamento em segurança
0961/2013
no trabalho
0962/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
0963/2013 Curso de Análise Sensorial
0969/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
0972/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
0973/2013 Curso de Técnicas de Negociação
0977/2013 Palestras de Educação Financeira
Programa de Formação de Executivos e
0978/2013
Líderes Cooperativistas
Programa de Desenvolvimento de
0980/2013
Equipes - Medicina Preventiva
0981/2013 Curso de Desenvolvimento Interpessoal
Curso de Operação e Manutenção de
0983/2013
Máquinas
Programa de Manutenção Produtiva
0984/2013
Industrial
MATEMÁTICA FINANCEIRA COM
0985/2013 UTILIZAÇÃO DA CALCULADORA
HP 12C
0986/2013 Curso de Governança Corporativa
0989/2013 Curso de CIPA
0990/2013 Fórum dos Profissionais do Setor Têxtil
0992/2013 Curso de Gerenciamento de Projetos
COPACOL
1
8
19
COOPAGRICOLA
1
8
21
INTEGRADA
1
16
21
UNIPRIME CENTRAL
2
6
109
SESCOOP/PR
3
76
81
UNIMED LONDRINA
3
15
36
CONFEPAR
2
18
39
COOPCANA
1
80
15
COAMO
6
80
145
INTEGRADA
1
12
18
UNIPRIME CENTRAL
UNIMED PONTA
GROSSA
SESCOOP/PR
1
8
21
1
20
20
1
8
17
CASTROLANDA
1
24
19
157
0993/2013 Curso de CIPA
CAPAL
1
20
24
COOPAGRICOLA
1
24
26
UNIMED PARANA
8
32
147
COPAGRIL
1
16
16
COOPAVEL
1
16
19
PRIMATO
1
8
24
UNIMED LONDRINA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CASTROLANDA
1
20
20
1
8
19
1
54
15
FRIMESA
1
14
25
FRIMESA
2
32
41
INTEGRADA
4
32
94
INTEGRADA
1
8
19
INTEGRADA
2
16
34
INTEGRADA
3
24
58
COAMO
4
32
109
INTEGRADA
1
24
20
COAMO
4
188
58
UNIPRIME CENTRAL
2
16
28
COAMO
1
20
12
COAMO
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COPACOL
1
16
13
7
56
164
1
20
16
1023/2013 Curso de Língua Portuguesa
COPACOL
4
24
84
1024/2013 Curso de Língua Portuguesa
COPACOL
4
24
60
AURORA ALIMENTOS
1
8
15
1028/2013 Curso de Relacionamento Humano
COOPAVEL
4
32
61
1029/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
COPAGRA
8
32
138
1032/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento de
1033/2013
Equipes
Curso de Desenvolvimento para
1034/2013
Atendentes
Curso de Desenvolvimento para
1035/2013
Atendentes
Programa de Desenvolvimento de
1036/2013
Habilidades Comportamentais
1037/2013 Programa de Capacitação em Informática
COOPAVEL
1
20
20
UNIMED PARANA
4
24
109
UNIMED PARANA
1
16
21
UNIMED PARANA
1
16
20
4
64
118
1
30
12
AGRARIA
6
48
86
AGRARIA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
3
20
32
1
8
187
0994/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento de
0995/2013
Equipes
0997/2013 Curso de Auditores Internos da Qualidade
0999/2013 Curso de Matemática Financeira HP12C
1001/2013 Curso de Gestão de Estoque
1002/2013 Curso de Oratória
Programa de Desenvolvimento de
1005/2013
Habilidades Técnicas
1006/2013 Curso de Informática Básica
1007/2013 Curso de Planejamento de Demanda
Curso de Processos de Importação e
1008/2013
Exportação
1010/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
NR 10 - Curso de prevenção em
1011/2013
atividades com eletricidade.
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
1012/2013
Básica
1013/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
1014/2013 Programa para Gestão da Qualidade
Curso de Planilhas de Cálculo Avançado
1015/2013
para BR-OFFICE
1017/2013 Curso de Qualificação para Motorista
Curso de Noções Básicas de Direito
1018/2013
Comercial
Curso de Operação e Manutenção de
1019/2013
Máquinas
1020/2013 Reciclagem em MOPP
1021/2013 Programa de Vendas
1022/2013 Curso de Formação de Lideranças
1025/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
1038/2013 Curso de Classificação de Grãos
1039/2013 Curso de Processo Mentoring
1040/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIMED CURITIBA
158
Curso de Capacitação para Membros do
Conselho Fiscal
1044/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
1043/2013
UNIPRIME CENTRAL
1
8
25
COAMO
1
50
14
UNIMED LONDRINA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
21
17
4
48
50
UNIMED PARANA
1
14
16
UNIPRIME CENTRAL
1
8
14
CASTROLANDA
2
60
23
SESCOOP/PR
1
8
81
UNIMED PARANA
1
6
14
NOVA PRODUTIVA
1
8
26
LAR
1
24
15
INTEGRADA
1
8
15
1065/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
8
21
1066/2013 Programa Gestão da Qualidade
NR 10 - Curso de prevenção em
1067/2013
atividades com eletricidade.
1068/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
Programa de Integração de Novos
1070/2013
Contratados
Palestra sobre Responsabilidade Social e
1071/2013
Meio Ambiente
C.VALE
1
16
23
INTEGRADA
1
8
16
INTEGRADA
1
8
19
SICOOB CENTRAL PR
2
12
44
FRIMESA
12
24
642
7
28
102
1
2
185
5
20
105
1045/2013 Curso de Excel Básico
Programa de Desenvolvimento de
1046/2013
Lideranças
Workshop de Metodologia para Descrição
1047/2013
e Análise de Cargos
1048/2013 Curso de Prevenção contra Fraudes
1051/2013 Curso de Informática Excel
Fórum Técnico dos Profissionais de
1052/2013
Agronomia
Programa de Desenvolv. dos Profissionais
1054/2013
de Gestão Pessoas
Curso de Retenção de Impostos e
1061/2013
Contribuições
1062/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1063/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
1074/2013 Curso de Brigada de Emergência
1075/2013 Convenção dos Colaboradores
1077/2013 Curso de Aprofundamento de Brigadistas
UNIMED PONTA
GROSSA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COOPERVAL
1078/2013 Cursos de Relações Interpessoais
COPAGRA
1
8
23
1080/2013 Curso de Higiene Industrial
Curso de Segurança na Operação de
1081/2013
Máquinas
Curso de Formação de Auditores Internos
1083/2013
da Qualidade
Programa de Desenvolvimento de
1084/2013
Equipes
1086/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
1
8
40
C.VALE
1
20
17
AGRARIA
1
24
21
BATAVO
2
16
43
CAPAL
1
40
26
C.VALE
6
48
142
COPACOL
2
16
46
1087/2013 Programa Bom Atendimento
1088/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
1089/2013 Curso de Extensão em Meio Ambiente
SESCOOP/PR
1
9
32
1090/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
2
32
30
1091/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
2
20
70
1092/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
2
20
83
1093/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
1
40
16
1095/2013 Curso de Governança Corporativa
Curso Reciclagem para Eletricista de
1096/2013
Manutenção Industrial
UNIPRIME CENTRAL
1
9
14
COAMO
1
25
21
159
1097/2013 Curso de Lean Seis Sigma
COCAMAR
3
120
34
1098/2013 Curso de Segurança no Trabalho
Curso de Implantação e Manutenção da
1099/2013
NR-10
Curso de Urgência e Emergência Intra1100/2013
Hospitalar
1101/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
COCAMAR
1
28
18
COAMO
1
20
21
UNIMED PARANA
1
28
25
COOPAVEL
15
120
225
COPACOL
2
16
93
CONFEPAR
1
8
15
CONFEPAR
2
40
39
UNIMED PARANA
3
18
32
UNIMED PARANA
1
30
16
UNIMED PARANA
1
6
13
FRIMESA
7
168
288
UNIMED PARANA
1
27
15
AGRARIA
1
16
13
8
64
195
1
20
17
1
40
22
1
2
100
INTEGRADA
1
8
25
COAGRU
1
8
22
COAMO
1
200
8
COAMO
2
40
40
COAGRU
2
16
40
COAGRU
1
16
15
1
2
251
1
8
18
1
8
12
1
8
20
1
8
17
1
8
17
2
16
54
1
16
16
1102/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Curso de Segurança de Trabalho em
1103/2013
Altura - NR 35
1104/2013 Curso de Brigada de Incêndio
Programa de Desenvolvimento de
1105/2013
Liderança
Curso de Informática - Excel
1106/2013
Intermediário
Workshop de Manutenção e Análise de
1107/2013
Cargos e Salários
Programa de Formação em Gestão da
1108/2013
Inovação
Curso de Informática - Excel
1112/2013
Intermediário
Curso de Reciclagem NR33 - Espaço
1113/2013
Confinado
Programa de Desenvolvimento de
1116/2013
Lideranças
1117/2013 Curso de Reciclagem em NR 10
Programa de Desenvolvimento de
1121/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1122/2013
Lideranças
Curso de Boas Práticas de Manutenção
1126/2013
Industrial
Curso de Desenvolvimento Gerencial
1127/2013
Avançado
1128/2013 Curso de Formação de Vigilantes
Curso de Implantação e Manutenção da
1129/2013
NR-10
1131/2013 Curso de Desenvolvimento de Liderança
Programa de Formação de Líderes
1132/2013
Cooperativistas
1133/2013 Convenção dos Colaboradores
1134/2013 Programa Gestão da Qualidade
Programa de Desenvolvimento de
1135/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
1136/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
1137/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
1139/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Desenvolvimento de
1140/2013
Habilidades Técnicas
1141/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
160
1146/2013 Curso de Comunicação Oral e Escrita
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIMED PONTA
GROSSA
UNIMED PONTA
GROSSA
COODETEC
1147/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
2
50
38
1148/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
40
22
1149/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
4
32
93
1150/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Implantação e Manutenção da
1151/2013
NR-10
1152/2013 Curso de Gestão Comercial
COPACOL
2
32
48
COAMO
2
80
28
COOPAVEL
5
40
129
INTEGRADA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
LAR
1
16
19
4
32
87
5
104
200
COCAMAR
4
80
38
FRIMESA
1
20
20
UNIMED LONDRINA
1
20
16
COAMO
2
48
35
COODETEC
5
200
62
COPACOL
2
6
30
UNIPRIME CENTRAL
3
25
71
INTEGRADA
UNIMED PONTA
GROSSA
UNIMED PONTA
GROSSA
SESCOOP/PR
UNIMED PONTA
GROSSA
CONFEPAR
1
8
40
4
8
160
7
28
105
1
16
28
7
28
105
18
72
323
1
8
18
5
40
101
3
36
42
1
8
16
3
24
74
3
36
49
6
48
175
9
72
203
2
16
35
1142/2013
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
1143/2013 Curso de Brigada de Emergência
1144/2013 Curso de Brigada de Emergência
1154/2013 Curso de Gestão de Estoque
Programa de Desenvolvimento de
1155/2013
Habilidades Técnicas
1156/2013 Programa Desenvolvimento Gestores
1157/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
1158/2013 Curso de CIPA
1159/2013 Curso de Excel Avançado
1161/2013 Formação de Brigada de Emergência
1162/2013 Curso de Planejamento Estratégico
1163/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1165/2013 Curso de Gestão de Investimentos
1166/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
1167/2013 III Workshop de Gestão da Qualidade
1168/2013 Curso de Brigada de Emergência
1169/2013 Curso de Auditores Internos
1170/2013 Curso de Brigada de Emergência
1171/2013 Curso de Boas Práticas de Fabricação
1172/2013 Curso de Classificação de Grãos
Programa de Desenvolvimento de
1173/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1174/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1175/2013
Lideranças
Programa de Comunicação e Marketing
1176/2013
Pessoal
Programa de Desenvolvimento de
1177/2013
Lideranças
1179/2013 Programa de Vendas
1180/2013 Programa de Vendas
1181/2013
Programa de Comunicação e Marketing
Pessoal
COCARI
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
12
24
7
28
105
7
28
105
2
32
44
161
1182/2013 Curso de Brigada de Emergência
UNIMED PONTA
GROSSA
COODETEC
7
28
106
1
16
12
12
96
306
4
48
78
1
8
29
1
24
22
COCARI
1
16
18
COOPCANA
1
40
15
SESCOOP/PR
1
8
39
COPACOL
3
40
68
1193/2013 Curso de Formação de Lideranças
Curso de Administração da Propriedade
1194/2013
Rural
Programa de Desenvolvimento de
1195/2013
Lideranças
1196/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
2
16
43
COPACOL
1
8
15
LAR
1
16
27
COPACOL
2
16
60
1197/2013 Curso de Qualificação para Motorista
Curso de Gerenciamento de Unidades
1198/2013
Armazenadoras
1200/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
COAMO
2
94
30
COASUL
1
32
31
COPACOL
1
8
15
1201/2013 Curso de NR-10
COCARI
1
40
15
1202/2013 Curso de Direção Defensiva
Curso de Operação e Manutenção de
1203/2013
Máquinas
Palestra sobre Boas Práticas de
1204/2013
Fabricação
1205/2013 Curso de Segurança no Trabalho
COAMO
4
56
93
COAMO
2
40
25
CAPAL
1
2
54
COCAMAR
9
144
125
1183/2013 Curso de Excel
Programa de Qualificação do
1184/2013
Atendimento
Programa de Desenvolvimento de
1185/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1187/2013
Habilidades Técnicas
1188/2013 Programa de Redação Empresarial
1189/2013 Curso de Operador de Empilhadeira
1190/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Reciclagem na Área Sindical
1191/2013
e Jurídica
1192/2013 Curso de Libras
1207/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
UNIMED CURITIBA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIMED PARANA
COPACOL
1
8
16
SESCOOP/PR
6
120
146
UNIPRIME CENTRAL
1
8
25
COPACOL
3
16
77
1212/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipe
Programa de Desenvolvimento de
1213/2013
Habilidades Técnicas
1214/2013 Curso de Excel
Curso de Informática - Excel
1215/2013
Intermediário
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
BATAVO
2
16
24
1
8
24
2
40
31
UNIMED PARANA
2
54
27
1216/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
AURORA ALIMENTOS
1
4
15
SESCOOP/PR
4
32
68
UNIMED PARANA
1
2
51
AURORA ALIMENTOS
1
8
14
1
8
28
1
8
16
1209/2013 Programa de Neurogestão
1210/2013 Curso de Liderança e Gestão de Equipes
1211/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
1218/2013 Curso de Extensão em Produção Animal
Palestra sobre Atitude Positiva Chave
1223/2013
para a Motivação
1224/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
1226/2013 Curso de Feedback para Gestores
1225/2013
CENTRAL SICREDI
PR/SP
FRIMESA
162
1227/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
1
40
15
1228/2013 Curso de CIPA
COCARI
1
20
11
COCAMAR
2
80
24
COAMO
3
60
49
FRIMESA
2
16
26
FRIMESA
1
24
18
SICOOB CENTRAL PR
2
12
54
COASUL
1
16
21
2
16
40
1
16
20
1229/2013 Curso de Segurança no Trabalho
1230/2013 Cursos sobre NR - 35
1231/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Operação e Manutenção
1233/2013
Industrial
Programa de Integração de Novos
1234/2013
Contratados
Curso de Aplicação de Tributos Estadual
1235/2013
e Federal
1238/2013 Curso de Operador de Empilhadeira
UNIMED REGIONAL
MARINGA
COCARI
1239/2013 Curso para Gestão da Carteira de Crédito
UNIPRIME CENTRAL
1
12
16
LAR
1
10
38
NOVA PRODUTIVA
2
40
25
BATAVO
1
16
36
UNIMED PARANA
1
2
22
BATAVO
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COAMO
3
24
51
4
32
79
1
50
17
UNIMED PARANA
5
20
147
COPACOL
2
40
31
COPACOL
3
30
112
1253/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
24
16
1256/2013 Curso de Qualificação para Motorista
COAMO
2
94
34
COOPAGRICOLA
1
8
11
INTEGRADA
2
16
61
CENTRAL SICREDI
PR/SP
4
48
88
SESCOOP/PR
1
24
18
COAGRU
1
16
15
COOPAGRICOLA
2
16
37
1237/2013 Curso de Administração do Tempo
1241/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1242/2013 Curso de Excel Avançado
1243/2013 Curso de Tributação
Palestra sobre Sensibilização em Cultura
1244/2013
de Inovação
1246/2013 Programa de Qualificação Profissional
Programa de Desenvolvimento de
1247/2013
Lideranças
1248/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
Programa de Desenvolvimento de
1249/2013
Equipes
1250/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1251/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1257/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
Curso de desenvolvimento de novas
1258/2013
lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1259/2013
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
1260/2013
Qualidade
Programa de Formação de Líderes
1261/2013
Cooperativistas
1262/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1264/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
16
18
1265/2013 Programa de Desenvolvimento de Líderes
Curso de Negociação e Técnicas de
1267/2013
Vendas
1268/2013 Workshop de Fidelização do Cooperado
SICOOB CENTRAL PR
8
144
220
UNIPRIME CENTRAL
1
8
17
COPAGRA
4
16
58
1269/2013 Workshop Organização do Quadro Social
COPAGRA
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
3
15
1
2
40
COOPCANA
1
20
20
COCARI
1
4
11
1270/2013 Palestra sobre Marketing Pessoal
Curso de Operação e Manutenção de
Máquinas
Curso de Primeiros Socorros em Espaço
1272/2013
Confinado
1271/2013
163
1273/2013 Curso de Desenvolvimento de Líderes
COCARI
2
16
48
LAR
2
32
41
COOPAVEL
2
8
32
UNIPRIME CENTRAL
1
3
12
FRIMESA
1
8
25
FRIMESA
1
24
14
COASUL
3
48
48
C.VALE
1
15
28
COPAGRIL
1
24
13
FRIMESA
1
20
10
INTEGRADA
2
32
52
COOPAGRICOLA
1
8
22
COOPAVEL
10
80
305
COPACOL
4
64
65
COASUL
4
80
67
1302/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
1
24
16
1303/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
1
16
15
1304/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Normas Regulamentadoras - NR
1305/2013
33
Programa de Qualidade no Ramo
1306/2013
Transporte
Curso de Formação NR 35 - Trabalho em
1307/2013
Altura
1308/2013 Curso de Atualização de ICMS
FRIMESA
1
8
15
COOPERTRADIÇÃO
3
48
42
SESCOOP/PR
3
78
21
AGRARIA
1
40
15
SESCOOP/PR
1
16
38
1309/2013 Programa de Desenvolvimento Comercial
Curso de Manutenção da Qualidade na
1310/2013
Propriedade Rural
Curso de Aperfeiçoamento Profissional
1313/2013
em Pneumática
Curso de Implantação e Manutenção da
1314/2013
NR-10
1316/2013 Fórum dos Profissionais de Contabilidade
UNIPRIME CENTRAL
1
8
28
COPACOL
2
80
38
INTEGRADA
1
40
15
COAMO
3
120
56
SESCOOP/PR
1
8
79
1317/2013 Palestra sobre Cooperativismo
Programa de Desenvolvimento de
1318/2013
Equipes
1320/2013 Seminário das Brigadas
Curso de Capacitação de Classificadores
1321/2013
de Cereais
1323/2013 Curso de Normas Técnicas na Elétrica
SESCOOP/PR
1
2
53
UNIMED CURITIBA
7
42
162
AGRARIA
2
16
99
SESCOOP/PR
2
96
59
CERAL
1
40
12
SESCOOP/PR
1
8
267
C.VALE
1
16
20
1329/2013 Curso de Gestão Comercial
COOPAVEL
4
32
99
1330/2013 Curso de Gestão Comercial
Curso de Secagem e Armagenagem de
1331/2013
Grãos
Curso de Classificação e Armazenagem
1332/2013
de Grãos
COOPAVEL
1
8
28
COOPAGRICOLA
1
40
15
COOPAVEL
3
24
75
1275/2013 Curso de Negociação
1279/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Palestra sobre Cenários e Tendências do
1286/2013
Mercado Financeiro
1287/2013 Curso de Higiene Industrial
Curso de Operação e Manutenção
1288/2013
Industrial
1289/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1290/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Refrigeração Industrial por
1291/2013
Amônia
1292/2013 Curso de CIPA
1293/2013 Curso de Gestão de Estoque
1296/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
1297/2013 Curso de Desenvolvimento Gerencial
1300/2013 Curso de Informática
1301/2013 Curso de Informática Básica e Avançada
1324/2013 V Workshop Uniodonto
1326/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
164
Programa de Desenvolvimento de Equipe
de TI
1334/2013 Curso de Oratória
1333/2013
COOPAVEL
3
24
48
COPACOL
1
8
22
UNIODONTO CURITIBA
2
16
38
1337/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
AGRARIA
1
8
15
1338/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
1
8
18
1339/2013 Curso de Negociação
AGRARIA
1
8
15
1340/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
3
30
104
1342/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
3
30
115
1345/2013 Curso de Qualidade Industrial
PRIMATO
2
16
32
1346/2013 Curso de Relações Interpessoais
FRIMESA
3
24
61
1347/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
COPACOL
1
8
20
1348/2013 Curso Operador Pá Carregadeira
LAR
1
24
22
C.VALE
2
32
47
COOPCANA
1
40
20
COAMO
5
70
121
C.VALE
22
44
1459
COAMO
4
32
105
1354/2013 Curso de Desenvolvimento Profissional
Curso de Formação de Auditores Internos
1355/2013
da Qualidade
Curso de Técnicas de Apresentação em
1357/2013
Público
1358/2013 Curso de Operador de Máquinas
Curso de Desenvolvimento da
1359/2013
Comunicação
1360/2013 Curso de Primeiros Socorros
COCARI
UNIMED REGIONAL
MARINGA
2
16
36
1
16
24
UNIMED PARANA
1
16
14
LAR
1
40
18
NOVA PRODUTIVA
3
64
30
COOPCANA
2
32
40
1361/2013 Curso de Relacionamento Humano
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1362/2013
Organizacional
1363/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
4
32
61
COCARI
1
2
40
C.VALE
1
16
21
COCARI
4
32
60
COAMO
1
20
9
INTEGRADA
3
6
120
COAMO
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
BATAVO
CENTRAL SICREDI
PR/SP
2
94
32
2
24
46
1
16
9
1
16
14
3
60
122
2
32
36
COOPERTRADIÇÃO
1
2
40
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
16
18
1336/2013 Curso de Comunicação Empresarial
1349/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Operação e Manutenção de
1350/2013
Máquinas
1351/2013 Curso de Direção Defensiva
Palestras sobre Desenvolvimento Pessoal
1352/2013
e Profissional
1353/2013 Programa para Gestão da Qualidade
1365/2013 Curso de Relacionamento Interpessoal
Curso de Operação e Manutenção de
1366/2013
Máquinas
1367/2013 Palestra sobre Sustentabilidade
1368/2013 Curso de Qualificação para Motorista
Programa de Desenvolvimento de
1371/2013
Habilidades Técnicas
1372/2013 Curso para Conselheiro Fiscal
Programa de Desenvolvimento de
1374/2013
Habilidades Técnicas
1375/2013 Curso de Planejamento Estratégico
Programa de Comunicação e Marketing
1376/2013
Pessoal
Palestra sobre Desenvolvimento Pessoal e
1377/2013
Profissional
Programa de Desenvolvimento de
1378/2013
Lideranças
165
1379/2013 Programa Bom Atendimento
C.VALE
1
24
19
UNIMED CASCAVEL
1
16
15
1382/2013 Curso de Brigada de Incêndio
FRIMESA
1
16
17
1383/2013 Curso de Brigada de Incêndio
FRIMESA
1
8
20
COPAGRIL
12
96
309
1385/2013 Curso de Negociação Avançada
COASUL
13
104
298
1386/2013 Curso de Informática Básica e Avançada
COASUL
1
20
16
COCAMAR
12
120
210
C.VALE
8
64
165
1
8
21
1
16
20
COPACOL
UNIMED REGIONAL
MARINGA
UNIMED REGIONAL
MARINGA
LAR
4
64
65
1
16
20
1
8
22
1
16
15
C.VALE
1
24
15
COAMO
1
40
21
COASUL
1
12
18
COAMO
1
20
20
CONFEPAR
1
18
14
FRIMESA
1
10
40
FRIMESA
3
48
48
UNIMED PARANA
1
27
14
UNIMED PARANA
1
27
14
COPACOL
1
8
66
COPAGRIL
8
160
136
FRIMESA
5
100
89
FRIMESA
1
8
21
COOPAGRICOLA
2
80
36
AURORA ALIMENTOS
2
8
34
SESCOOP/PR
1
16
60
1421/2013 Curso de Informática - Excel Básico
UNIMED PARANA
1
27
14
1423/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Programa de Desenvolvimento de
1424/2013
Habilidades Técnicas
1425/2013 Programa de Gestão de Pessoas
Programa de Desenvolvimento de
1426/2013
Gestores
Palestra Prevenção contra Crimes de
1428/2013
Lavagem de Dinheiro
1430/2013 Fórum Trabalhista e Sindical
COOPAVEL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COOPAGRICOLA
1
8
19
2
24
35
1
8
18
UNIMED CURITIBA
1
16
19
UNIPRIME CENTRAL
3
9
82
SESCOOP/PR
1
3
12
1381/2013 Curso de Brigada de Emergência
1384/2013 Atendimento e Vendas II
1387/2013 Curso de Informática
Curso de Qualificação para
1388/2013
Supermercados
1389/2013 Curso de Interpretação da ISO
1390/2013 Curso de Informática
1392/2013 Curso de Informática
1394/2013 Curso de Normas da Qualidade
Curso de Aprimoramento das Normas da
Qualidade
1396/2013 Curso Análise de Crédito
Programa de Desenvolvimento de
1397/2013
Habilidades
1398/2013 Curso de Formação em MOPP
1395/2013
1400/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Implantação e Manutenção da
1401/2013
NR-10
Curso de NR 33 - Segurança em Espaço
1402/2013
Confinado
1403/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1405/2013 Curso de Metrologia
1406/2013 Curso de Informática - Excel Básico
Curso de Informática - Excel
1407/2013
Intermediário
1411/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Curso de Formação e Aperfeiçoamento de
1413/2013
Motoristas
1414/2013 Curso de Oratória
1415/2013 Curso de Relações Interpessoais
1416/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Operadores de Empilhadeira e
1418/2013
Paleteira
1420/2013 Fórum dos Profissionais de RH
UNIMED REGIONAL
MARINGA
COPACOL
166
1431/2013 Curso de Operação do Sistema Siscoserv
SESCOOP/PR
1
8
43
1433/2013 Palestra sobre Qualidade Total
COOPAVEL
5
10
200
1434/2013 Palestra sobre Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
3
8
1435/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
5
79
77
1436/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
8
40
262
1438/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
1
40
25
1439/2013 Programa Desenvolvimento Gestores
Curso de Segurança em Unidades
1441/2013
Armazenadoras
1442/2013 Curso de Gestão da Carteira de Clientes
LAR
5
40
211
COOPERTRADIÇÃO
3
24
41
UNIPRIME CENTRAL
1
16
19
1443/2013 Curso de Gestão de Pessoas
AURORA ALIMENTOS
1
8
13
FRIMESA
1
12
17
COTRIGUAÇU
2
32
30
1448/2013 Curso de Excel
AURORA ALIMENTOS
4
20
52
1449/2013 Curso de Excel
AURORA ALIMENTOS
4
20
52
32
79
1444/2013 Curso de Operador de Máquinas
Curso de Normas Regulamentadoras - NR
1446/2013
33
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
1452/2013 Programa para Gestão da Qualidade
C.VALE
4
COAMO
1
8
21
1453/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
41
COOPCANA
1
20
20
LAR
2
32
31
NOVA PRODUTIVA
2
24
30
CONFEPAR
1
20
16
COCARI
1
8
21
LAR
2
16
71
COAMO
1
25
20
COCARI
2
4
80
SESCOOP/PR
1
16
20
1450/2013
1454/2013 Curso de CIPA
1455/2013 Curso Relcaionamento Interpessoal
1456/2013 Curso de Comunicação Interna
1457/2013 Curso de Desenvolvimento de Informática
1458/2013 Curso de Primeiros Socorros
1459/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso Reciclagem para Eletricista de
1460/2013
Manutenção Industrial
1461/2013 Palestra sobre Gestão da Qualidade Rural
1462/2013 Curso de Extensão em Meio Ambiente
1463/2013 Curso de Técnicas em Vendas
COAGRU
1
8
20
1465/2013 Palestras de Educação Financeira
UNIPRIME CENTRAL
1
2
47
1466/2013 Palestras de Educação Financeira
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1467/2013
Organizacional
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1468/2013
Social
1469/2013 Curso de Ferramentas da Qualidade
Programa de Desenvolvimento de
1470/2013
Lideranças
1471/2013 Curso de Desenvolvimento de Liderança
UNIPRIME CENTRAL
1
3
34
COCARI
1
8
15
COCARI
1
8
20
FRIMESA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CONFEPAR
2
16
49
4
48
84
6
36
92
1472/2013 Curso de Qualificação para Motorista
COAMO
2
94
32
1473/2013 Cursos sobre NR - 35
Programa de Desenvolvimento de
1474/2013
Habilidades
Programa de Formação em Gestão da
1476/2013
Inovação
COAMO
4
80
105
C.VALE
2
8
45
SESCOOP/PR
4
96
75
167
Curso de Atualização das Normas
Regulamentadoras - NRs
1478/2013 Curso de Formação de Lideranças
Curso de Gestão e Liderança de
1479/2013
Cooperativas
1480/2013 Curso de Desenvolvimento de Liderança
1477/2013
COOPERVAL
1
16
19
COOPERVAL
3
24
74
COOPERVAL
1
12
13
COOPERVAL
UNIMED REGIONAL
MARINGA
3
24
68
1
8
24
UNIODONTO CURITIBA
1
16
23
SICOOB CENTRAL PR
2
12
36
COOPAGRICOLA
1
24
20
COAMO
1
50
15
COOPERVAL
1
16
13
UNIMED LONDRINA
1
3
23
COAMO
8
64
183
COTRIGUAÇU
CENTRAL SICREDI
PR/SP
2
60
45
1
8
19
CASTROLANDA
1
32
15
CASTROLANDA
5
40
84
UNIMED PARANA
1
20
14
UNIMED PARANA
1
2
48
COOPCANA
2
40
40
CONFEPAR
2
16
39
UNIMED LONDRINA
4
20
56
UNIMED LONDRINA
1
20
18
SESCOOP/PR
1
8
62
1506/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
1
40
20
1507/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
3
24
45
1508/2013 Curso de Análises Laboratoriais
FRIMESA
1
12
15
1509/2013 Curso de Matemática Financeira HP12C
COOPAVEL
2
30
33
1510/2013 Cursos de Normas Regulamentadoras
COOPAVEL
10
40
200
1511/2013 Curso de Gestão Comercial
COOPAVEL
5
40
125
COPACOL
4
40
180
SESCOOP/PR
1
4
22
UNIMED PONTA
GROSSA
1
40
15
AURORA ALIMENTOS
1
8
13
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
2
131
1481/2013 Curso de Orientação para resultados
1482/2013 Curso de Planejamento Estratégico
Programa de Integração de Novos
Contratados
1484/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1483/2013
1485/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
Curso de Atualização das Normas
1486/2013
Regulamentadoras - NRs
Palestra de Planejamento Financeiro
1487/2013
Pessoal
1488/2013 Curso de Gestão Comercial
1489/2013 Curso de Desenvolvimento Gerencial
Programa de Desenvolvimento de
1491/2013
Lideranças
Seminário de Planejamento Estratégico
1493/2013
Corporativo
Programa de Desenvolvimento de Líderes
1494/2013
Castrolanda
Curso de Atualização em Serviço de
1495/2013
Enfermagem
Palestra sobre Administração do Tempo e
1496/2013
Prioridades
1497/2013 Curso de Brigada de Incêndio
Curso de Segurança de Trabalho em
1498/2013
Altura - NR 35
Programa de Desenvolvimento de
1499/2013
Equipes
1500/2013 Curso de Oratória
1501/2013 Fórum dos Profissionais de Comunicação
1513/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
Fórum de Dirigentes de Cooperativas de
1514/2013
Transporte
1515/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1516/2013 Curso de Gestão de Pessoas
1517/2013 Convenção dos Colaboradores
168
UNIMED PONTA
GROSSA
1
16
19
COASUL
3
24
50
COASUL
4
8
212
1523/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
8
23
1524/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
2
40
65
1525/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
UNIMED PARANA
1
8
46
COOPAVEL
1
40
16
UNIMED PARANA
1
8
15
UNIMED PARANA
1
16
22
PRIMATO
1
8
18
UNIMED PARANA
1
8
16
COOPAVEL
UNIMED PONTA
GROSSA
UNIMED PONTA
GROSSA
1
16
20
1
8
15
1
8
15
UNIMED CURITIBA
1
12
12
1518/2013 Curso de Atendimento em Vendas
Curso de Qualidade e Produtividade na
Produção
1522/2013 Palestra sobre Produção Agrícola
1521/2013
1526/2013 Curso de Relacionamento Humano
Curso de Postura e Conduta em Ambiente
1527/2013
Hospitalar
Programa de Desenvolvimento de
1528/2013
Liderança
1529/2013 Curso de Análise de Crédito e Cobrança
Curso de Postura e Conduta no Ambiente
1530/2013
de Trabalho
1531/2013 Curso de Comunicação Eficaz e Oratória
1532/2013 Curso de Desenvolvimento Profissional
1533/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento de
Equipes
1536/2013 Programa de Capacitação em Informática
1535/2013
1537/2013 Curso de Excelência no Atendimento
Programa de Desenvolvimento do
1538/2013
Voluntariado
1540/2013 Programa de Desenvolvimento de Equipe
Palestra sobre Sensibilização da Atenção
1541/2013
Primária à Saúde
1542/2013 Curso de Brigada de Incêndio
UNIMED CURITIBA
2
42
24
UNIPRIME CENTRAL
1
8
14
UNIMED CURITIBA
1
12
20
COODETEC
2
40
34
SESCOOP/PR
1
2
670
COODETEC
1
25
33
1543/2013 Curso de Negociação em Vendas
COPAGRA
1
8
15
1544/2013 Curso de Trabalho em Altura
COODETEC
1
8
19
1545/2013 Curso de Proteção Respiratoria
COODETEC
1
8
18
1546/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COASUL
4
32
77
1547/2013 Curso de Ergonomia
PRIMATO
2
8
34
1548/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
BOM JESUS
3
24
54
1550/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
LAR
2
32
34
1552/2013 Palestra sobre Análise de Crédito
COAMO
1
3
68
1553/2013 Curso de Administração e Finanças
COAMO
1
12
31
CREDICOAMO
2
16
48
1555/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
BOM JESUS
1
8
27
1556/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COOPCANA
1
16
15
1557/2013 Encontro Estadual de Secretárias
1554/2013 Curso de Gestão Financeira
SESCOOP/PR
1
14
33
1558/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
1
16
55
1559/2013 Curso de Direção Defensiva
COPAGRA
1
16
14
1560/2013 Curso de Gestão Comercial
UNIPRIME CENTRAL
1
8
18
1561/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
17
16
1562/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
3
24
247
1563/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
1
40
33
169
1564/2013 Curso de Manutenção Industrial.
COPACOL
2
40
40
1565/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
2
20
117
1566/2013 Curso de Operador de Máquinas
COPAGRIL
1
20
15
LAR
1
16
16
1569/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
2
10
89
1573/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPACOL
2
16
46
1574/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COPAGRIL
1
40
16
1575/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento de
1576/2013
Habilidades
1578/2013 Curso de Informática - Excel Básico
COPACOL
2
24
32
C.VALE
2
32
31
UNIMED PARANA
1
27
21
1579/2013 Curso de Informática - Excel Avançado
UNIMED PARANA
1
30
21
1580/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
FRIMESA
2
16
79
1581/2013 Curso de Formação de Lideranças
Curso de Implantação e Manutenção da
1583/2013
NR-10
1584/2013 Curso de Liderança
COPACOL
1
8
50
COAMO
1
20
18
COOPCANA
2
32
40
1585/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
COTRIGUAÇU
2
32
60
1587/2013 Curso de Armazenagem de Sementes
Curso de Implantação e Manutenção da
1588/2013
NR-10
1589/2013 Curso de Direção Defensiva
COODETEC
1
8
14
COAMO
4
160
65
COAMO
3
42
53
COPACOL
1
10
21
COOPERVAL
1
12
27
COCARI
1
8
15
SESCOOP/PR
1
4
29
SESCOOP/PR
2
32
52
COOPAGRICOLA
1
8
25
AGRARIA
1
16
15
UNIMED PARANA
3
6
166
SESCOOP/PR
1
16
18
COOPAGRICOLA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
8
18
2
24
44
AGRARIA
3
48
41
INTEGRADA
3
24
107
COAMO
4
80
69
COAMO
2
94
32
C.VALE
1
20
16
COTRIGUAÇU
1
24
17
C.VALE
1
16
19
COTRIGUAÇU
1
16
23
1568/2013 Curso de Cozinheiro Industrial
1590/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1592/2013 Curso de Qualidade no Atendimento
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1596/2013
Organizacional
1597/2013 Fórum dos Diretores Executivos
Programa de Desenvolvimento de
1598/2013
Dirigentes - PDD
1599/2013 Programa de Desenvolvimento Gerencial
1600/2013 Curso de NR33 - Espaço Confinado
Palestra sobre Sensibilização em Cultura
1601/2013
de Inovação
Programa de Desenvolvimento
1602/2013
Tecnológico da Agropecuária
1603/2013 Programa de Gestão de Pessoas
Programa de Desenvolvimento de
1606/2013
Lideranças
Curso de Reciclagem NR33 - Espaço
1607/2013
Confinado
1608/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
Curso de Implantação e Manutenção da
1609/2013
NR-33
1610/2013 Curso de Qualificação para Motorista
Curso de Segurança na Operação de
1611/2013
Máquinas
Curso de Formação de Auditores Internos
1612/2013
Integrados
1613/2013 Programa Gestão da Qualidade
Curso de Normas Regulamentadoras - NR
1614/2013
18
170
1617/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COOPCANA
2
32
30
1618/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
INTEGRADA
3
24
97
1619/2013 Curso de Comunicação
Curso de Operação e Manutenção de
1620/2013
Máquinas
Curso de Comunicação, Oratória e
1621/2013
Expressão Corporal
1622/2013 Palestra de Cooperativismo
NR 10 - Curso de prevenção em
1624/2013
atividades com eletricidade.
1625/2013 Curso de Excel Básico
COAMO
1
24
15
COOPCANA
1
80
20
COAGRU
2
32
46
UNIMED CASCAVEL
1
2
40
INTEGRADA
1
8
25
UNIMED LONDRINA
1
21
14
1626/2013 Programa para Gestão da Qualidade
COAMO
1
8
19
1627/2013 Palestra sobre Mercado Agrícola
COASUL
1
2
41
LAR
1
2
66
INTEGRADA
1
8
21
SESCOOP/PR
1
32
10
1
2
100
1
16
20
COODETEC
2
4
91
COOPERTRADIÇÃO
1
12
19
BOM JESUS
1
16
27
AGRARIA
8
24
92
UNIMED PARANA
1
6
15
COPACOL
8
40
231
1641/2013 Curso de Informática
COPACOL
1
16
17
1642/2013 Palestra de Atendimento ao Cliente
COPACOL
1
2
43
1643/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Curso de Gerenciamento de Unidades
1646/2013
Armazenadoras
Programa de Desenvolvimento para
1647/2013
Líderes
COPACOL
2
16
45
COOPERTRADIÇÃO
2
24
32
COAMO
2
16
40
UNIODONTO CURITIBA
1
16
18
BOM JESUS
1
3
103
UNIPRIME CENTRAL
3
40
28
SESCOOP/PR
1
20
41
CASTROLANDA
2
16
32
COOPAVEL
1
8
21
COOPAVEL
1
2
42
1628/2013 Palestra sobre Qualidade de Vida
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
1629/2013
Básica
Programa de Desenvolvimento dos
1630/2013
Profissionais de T.I.
Palestra sobre Valorização Pessoal e
1633/2013
Profissional
1634/2013 Curso de Capacitação - CPA 10
1635/2013 Palestra sobre Relacionamento Pessoal.
1636/2013 Curso de Operador de Máquinas
1637/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1638/2013 Curso Prático das Brigadas
Programa de Desenvolv. dos Profissionais
1639/2013
de Gestão Pessoas
1640/2013 Curso de Formação de Lideranças
1648/2013 Curso de Gestão de Pessoas
1650/2013 Palestra sobre Mercado Agrícola
1651/2013 Programa de Desenvolvimento em TI
Programa de Reciclagem na Área Sindical
1654/2013
e Jurídica
1655/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
1656/2013 Curso de Gestão Pessoal e Profissional
Palestra sobre Desenvolvimento de
1658/2013
Equipe
1659/2013 Curso de Segurança no Trabalho
UNIMED REGIONAL
MARINGA
CREDIALIANÇA
COCAMAR
6
96
81
1661/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
16
17
1662/2013 Programa Gestão da Qualidade
C.VALE
1
16
17
1663/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
6
42
90
1664/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
COPACOL
2
16
31
C.VALE
2
16
38
1665/2013 Programa Bom Atendimento
171
1666/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
Curso de Qualificação nas Áreas
1667/2013
Administrativa e Contábil
1668/2013 Curso de Gestão Estratégica
Curso de Gestão Financeira e Fluxo de
1669/2013
Caixa
1670/2013 Curso de Desenvolvimento de Gestores
COPACOL
1
16
19
C.VALE
1
24
26
COPAGRA
1
8
16
COPAGRA
2
16
35
COPACOL
8
32
162
COAMO
1
3
41
COCARI
2
32
30
COPAGRA
3
48
45
COPACOL
1
2
38
1675/2013 Programa de Desenvolvimento Comercial
UNIMED CASCAVEL
1
8
18
1676/2013 Palestra sobre Desenvolvimento Pessoal
UNIMED CASCAVEL
1
2
41
COTRIGUAÇU
1
24
37
COTRIGUAÇU
1
20
11
1
8
17
2
64
34
CASTROLANDA
3
48
41
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
8
100
COASUL
3
24
50
COASUL
1
16
21
1688/2013 Curso de Classificação de Grãos
LAR
2
32
48
1689/2013 Curso MOPP
LAR
1
50
16
1690/2013 Curso Reciclagem NR 10 - Eletricistas
LAR
2
16
58
SESCOOP/PR
1
8
16
AURORA ALIMENTOS
1
4
14
1693/2013 Palestra sobre Gestão da Qualidade Rural
COCARI
9
18
382
1695/2013 Palestra sobre Gestão da Qualidade Rural
COCARI
1
2
40
1696/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
Curso de Boas Praticas e Manipulaçao de
1697/2013
Alimentos
Programa de Desenvolvimento para
1698/2013
Líderes
Curso de Atualização das Normas
1699/2013
Regulamentadoras - NRs
1700/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
COCAMAR
6
32
78
COODETEC
2
16
27
COAMO
2
24
48
COOPERVAL
1
16
15
COOPCANA
2
40
40
1701/2013 Programa para Gestão da Qualidade
COAMO
2
16
45
1703/2013 Curso de Administração e Finanças
Curso de Atualização em Mecânica
1704/2013
Industrial
1705/2013 Curso de Gestão Financeira
Curso de Boas Práticas em Hotelaria
1706/2013
Hospitalar
1707/2013 Curso de Leitura e Interpretação da
COAMO
1
8
27
COAMO
1
20
14
BATAVO
UNIMED PONTA
GROSSA
AGRARIA
1
12
15
1
8
15
1
16
13
1671/2013 Programa para Gestão da Qualidade
Legislação, Rotinas e Cálculos
1672/2013
Trabalhistas
Curso de BPF - Boas Práticas de
1673/2013
Fabricação
1674/2013 Palestra de Atendimento ao Cliente
1677/2013 Curso de Capacitação de Brigadistas
Curso de Normas Regulamentadoras - NR
1678/2013
10
Programa de Comunicação e Marketing
1679/2013
Pessoal
1680/2013 Curso de Armazenagem de Grãos
Curso de Educação e Segurança no
1681/2013
Trânsito
1682/2013 Programa Integração de Equipes
Curso de Qualidade e Produtividade na
Produção
1687/2013 Curso de Recrutamento e Seleção
1686/2013
1691/2013 Fórum dos Profissionais de Pecuária
1692/2013 Curso de Gestão de Pessoas
CENTRAL SICREDI
PR/SP
LAR
172
Norma ISO 9001
1708/2013 Programa de Qualificação Profissional
UNIMED CURITIBA
1
7
24
1709/2013 Programa de Qualificação Profissional
UNIMED CURITIBA
1711/2013 Curso de Brigada de Incêndio
Programa de Desenvolvimento de
1712/2013
Habilidades Técnicas
Programa de Formação da Equipe
1713/2013
Comercial
1714/2013 Curso de Relacionamento Humano
CAPAL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
7
20
3
60
64
1
3
19
COODETEC
1
2
40
COOPAVEL
2
16
59
COOPAVEL
1
8
15
C.VALE
1
16
39
COPAGRIL
7
14
386
COAMO
2
80
24
C.VALE
1
8
23
C.VALE
1
16
18
1715/2013 Curso de Relacionamento Humano
Curso de Qualificação nas Áreas
1716/2013
Administrativa e Contábil
1717/2013 Palestra sobre Cultura Organizacional
Curso de Operação e Manutenção de
1718/2013
Máquinas
Programa de Desenvolvimento de
1720/2013
Habilidades
Programa de Desenvolvimento de
1721/2013
Habilidades
Curso de Segurança na Operação de
1723/2013
Máquinas
1724/2013 Fórum dos Profissionais de Mercado
C.VALE
1
20
23
SESCOOP/PR
1
4
49
1728/2013 Fórum dos Profissionais de Finanças
SESCOOP/PR
1
4
49
1729/2013 Treinamento Cooperativo Vivencial
AURORA ALIMENTOS
1
8
20
COOPERVAL
1
16
18
COCARI
2
16
30
AGRARIA
1
24
17
AGRARIA
1
24
21
2
18
70
1
3
114
2
24
30
COCARI
1
16
24
SICOOB CENTRAL PR
2
12
51
C.VALE
4
16
89
NOVA PRODUTIVA
1
40
15
COAMO
1
50
15
COAMO
1
8
20
UNIPRIME CENTRAL
1
8
20
BOM JESUS
4
92
109
AURORA ALIMENTOS
1
4
11
SESCOOP/PR
1
16
20
Curso de Atualização das Normas
Regulamentadoras - NRs
1732/2013 Curso de Brigada de Incêndio
Curso de leitura e interpretação da Norma
1733/2013
ISO-IEC 17025
Curso de Gestão de Processos de
1735/2013
Negócios
1731/2013
1736/2013 Curso de Humanização no Atendimento
1737/2013
1738/2013
1739/2013
1740/2013
1741/2013
1742/2013
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
Curso de Técnicas de Vendas Externas
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Organizacional
Programa de Integração de Novos
Contratados
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
Curso de Planejamento Estratégico
1743/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
Programa de Desenvolvimento para
1744/2013
Líderes
Curso de Risco Operacional e Controles
1745/2013
Internos
1746/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1748/2013 Curso de Gestão de Pessoas
1749/2013 Curso de Análise de Mercado
UNIMED REGIONAL
MARINGA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
UNIMED LONDRINA
173
1753/2013 Palestra de Comunicação Assertiva
Programa de Desenvolvimento para
1755/2013
Líderes
Curso de Matemática Financeira com uso
1756/2013
da HP
1757/2013 Curso de Técnicas de Vendas
Curso de Atualização em Mecânica
1760/2013
Industrial
1761/2013 Curso de Planejamento Estratégico
NOVA PRODUTIVA
1
2
40
COAMO
1
8
20
NOVA PRODUTIVA
1
20
18
COCAMAR
2
6
47
COAMO
1
16
19
COAGRU
1
20
21
1762/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
COPACOL
1
20
15
1763/2013 Curso de Desenvolvimento Gerencial
COASUL
6
48
130
1765/2013 Programa para Gestão da Qualidade
COAMO
1
3
54
1766/2013 Curso de SEP
COCARI
1
40
15
1767/2013 Curso de Planejamento Estratégico
COAGRU
1
20
20
1769/2013 Curso de Técnicas de Vendas
COCAMAR
2
16
51
1770/2013 Curso de Técnicas de Vendas
COCAMAR
4
12
93
1771/2013 Curso de Técnicas de Vendas
COCAMAR
2
16
47
COPACOL
UNIMED REGIONAL
MARINGA
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
10
36
1
8
22
1
2
40
COAMO
1
40
21
COAMO
1
8
17
COAMO
1
20
20
SESCOOP/PR
1
6
195
SESCOOP/PR
1
16
64
COPACOL
1
24
19
CREDICOOPAVEL
2
16
45
FRIMESA
1
36
15
C.VALE
1
2
76
C.VALE
1
16
18
C.VALE
1
2
56
C.VALE
1
40
27
COPACOL
4
16
64
AURORA ALIMENTOS
1
2
31
1
20
18
1
8
21
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
1799/2013 Curso de CIPA
C.VALE
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
BATAVO
2
16
22
1
20
25
1800/2013 Curso de Vendas e Atendimento
UNIMED PARANA
1
12
28
COPAGRIL
8
16
537
1772/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1773/2013 Cursos de Feedback
1774/2013
1775/2013
1776/2013
1778/2013
1779/2013
1780/2013
Palestra sobre a inclusão de portadores de
deficiência
Curso de Implantação e Manutenção da
NR-10
Programa de Desenvolvimento para
Líderes
Curso de Implantação e Manutenção da
NR-33
Encontro de Núcleos Cooperativos do
Paraná
Curso de Fechamento de Balanço
1781/2013 Curso de Oratória
1782/2013 Curso de Qualidade no Atendimento
1783/2013 Curso de Governança em TI
1784/2013 Encontro de Produtores de Leite
Programa de Desenvolvimento de
1786/2013
Liderança
Palestras sobre Desenvolvimento de
1787/2013
Habilidades
1788/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1794/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
1795/2013 Palestra sobre Cooperativismo
1796/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1797/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1798/2013
1802/2013 Palestra sobre Cultura Organizacional
174
1805/2013 Curso de Excel
COODETEC
1
16
20
1807/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
1
23
16
1808/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
1
10
51
1809/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
1
8
15
1811/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
Programa de Desenvolvimento de
1814/2013
Habilidades
Programa de Desenvolvimento de
1815/2013
Habilidades
Programa de Certificação de Conselheiros
1817/2013
Cooperativos
Fórum Técnico dos Profissionais de
1818/2013
Agronomia
1819/2013 Fórum dos Profissionais de Pecuária
COPACOL
6
36
119
C.VALE
4
16
67
C.VALE
6
24
107
SESCOOP/PR
3
48
114
SESCOOP/PR
2
16
33
SESCOOP/PR
1
12
38
1821/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
COCAMAR
3
6
44
1822/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
COCAMAR
3
6
37
1823/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COOPCANA
2
80
30
1824/2013 Curso de Tecnologia da Informação
1826/2013 Convenção Anual Uniprime
1830/2013 Curso Segurança Alimentar
Curso de Direção para Motorista de
1833/2013
Veículos de Emergência
NR 10 - Curso de prevenção em
1834/2013
atividades com eletricidade.
Curso de Boas Práticas na Manipulação e
1836/2013
Higienização
1837/2013 Programa de Desenvolvimento Comercial
Curso de Integração de Líderes e
1838/2013
Analistas
1839/2013 Curso de Planejamento Estratégico
Workshop de Desenvolvimento
Comercial
1842/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
1841/2013
1843/2013 Curso de Marketing Pessoal
Fórum. dos Profissionais de Meio
1844/2013
Ambiente
1845/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
1846/2013 Fórum dos Profissionais do Setor Têxtil
Programa de Desenvolvimento de
1848/2013
Lideranças
1849/2013 Curso de Manutenção Industrial
COAMO
4
64
53
UNIPRIME CENTRAL
1
16
34
LAR
1
24
21
COCARI
1
50
15
INTEGRADA
3
24
61
COOPAVEL
2
12
41
UNIMED CASCAVEL
1
12
20
UNIMED CASCAVEL
1
12
24
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
8
27
INTEGRADA
1
2
41
INTEGRADA
3
48
63
COCARI
2
16
33
SESCOOP/PR
1
8
18
COASUL
8
128
124
SESCOOP/PR
1
2
19
LAR
1
8
20
LAR
1
24
16
COCARI
1
16
15
COCARI
1
8
15
LAR
1
24
18
COASUL
8
128
120
1850/2013 Curso de Operador de Empilhadeira
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1851/2013
Organizacional
Programa de Desenvolvimento de
1852/2013
Lideranças
1853/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Encontro Estadual do Núcleo de
1854/2013
Desenvolvimento Humano
1855/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipe
SESCOOP/PR
1
12
40
CASTROLANDA
2
32
24
1856/2013 Curso de Desenvolvimento da Qualidade
CASTROLANDA
2
16
40
175
1857/2013
Curso de Contabilidade para não
Contadores
CASTROLANDA
1
8
11
AURORA ALIMENTOS
1
12
13
COTRIGUAÇU
1
16
18
AURORA ALIMENTOS
1
8
14
C.VALE
4
16
72
CENTRAL SICREDI
PR/SP
4
48
112
C.VALE
2
16
33
3
36
55
1
16
19
1
8
20
INTEGRADA
6
24
239
COCARI
2
16
30
COCARI
1
8
15
C.VALE
8
32
159
FRIMESA
1
8
22
C.VALE
2
48
25
COAGRU
1
16
15
COOPERVAL
6
24
98
CREDICOAMO
UNIMED REGIONAL
MARINGA
2
48
44
2
16
40
COAMO
2
24
39
NOVA PRODUTIVA
6
48
78
COOPERTRADIÇÃO
1
20
18
COOPAVEL
1
8
20
3
120
70
3
24
71
1
8
45
1887/2013 Fórum dos Agentes - SESCOOP/PR
Programa de Desenvolvimento de
1889/2013
Lideranças
1890/2013 Curso de APPCC
CASTROLANDA
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
SESCOOP/PR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
INTEGRADA
1
8
85
1
16
25
1
16
44
1891/2013 Curso de NR- 33 - Espaço Confinado
INTEGRADA
1
8
20
1892/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
C.VALE
1
16
12
UNIMED CASCAVEL
4
16
79
1858/2013 Curso de Gestão de Estoque
1859/2013 Curso de Operador de Máquinas
1860/2013 Treinamento Cooperativo Vivencial
1861/2013
1862/2013
1863/2013
1864/2013
1865/2013
1866/2013
1867/2013
1868/2013
1869/2013
1870/2013
1871/2013
1872/2013
1873/2013
1874/2013
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
Curso de Boas Praticas de Fabricação BPF
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Organizacional
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Organizacional
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
Curso de relações trabalhistas
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
Programa de Formação de Líderes
Cooperativistas
Curso de Gestão da Qualidade
1876/2013 Curso de Gestão Financeira
1877/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipe
Programa de Desenvolvimento para
Líderes
1879/2013 Curso de NR 35
1878/2013
1880/2013 Curso de Excel Intermediário
Curso de Classificação e Armazenagem
1881/2013
de Grãos
1883/2013 Curso de Introdução Frigorífico de Suínos
Programa de Desenvolvimento de
1884/2013
Lideranças
1885/2013 Treinamento Vivencial Cooperativo
1893/2013 Programa de Desenvolvimento de
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
176
Equipes
1894/2013 Programa de Gestão de Pessoas
1895/2013 Curso de Desenvolvimento Pessoal
Programa de Desenvolvimento de
1896/2013
Lideranças
Programa de Comunicação
1897/2013
Organizacional
Programa de Desenvolvimento de
1898/2013
Habilidades Técnicas
1899/2013 Treinamento Vivencial para Líderes
Curso de Desenvolvimento
1900/2013
Comportamental
Curso de NR- 23 Brigada de Incêndio
1901/2013
Básica
Curso de Valorização do Potencial
1902/2013
Humano
Programa de Desenvolvimento para
1903/2013
Líderes
1904/2013 Curso de Reciclagem para Vigilantes
Curso de Secagem e Armazenagem de
1905/2013
Grãos
Programa de Desenvolvimento para
1906/2013
Líderes
Programa de Melhoria Contínua em
1907/2013
Processos de Alimentos
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1908/2013
Organizacional
1909/2013 Curso de Gestão da Mudança
1910/2013
1911/2013
1913/2013
1914/2013
1916/2013
Curso de Implantação e Manutenção da
NR-10
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades Técnicas
Curso de Lean Seis Sigma
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa Gestão da Qualidade
COOPAGRICOLA
1
8
17
UNIMED CASCAVEL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
8
17
1
8
27
UNIMED CURITIBA
2
32
31
2
16
44
1
10
36
NOVA PRODUTIVA
3
6
104
INTEGRADA
3
24
66
COOPERVAL
1
8
23
COAMO
1
8
22
COAMO
1
50
20
COCARI
1
16
25
COAMO
1
8
22
COAMO
1
16
14
COCARI
1
8
15
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
8
16
COAMO
2
40
40
2
16
41
1
16
22
1
8
23
1
16
15
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COPAGRIL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
COCAMAR
CENTRAL SICREDI
PR/SP
C.VALE
1917/2013 Curso de Manutenção Industrial
C.VALE
1
32
12
1918/2013 Curso de Manutenção Industrial
Programa de Desenvolvimento de
1919/2013
Habilidades
Programa de Desenvolvimento de
1920/2013
Habilidades
1921/2013 Curso de Manutenção Industrial
Curso de Qualificação nas Áreas
1922/2013
Administrativa e Contábil
1924/2013 Curso de Formação de Membros da CIPA
Programa de Desenvolvimento para
1925/2013
Líderes
1926/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipes
C.VALE
1
16
12
C.VALE
2
8
39
C.VALE
1
8
15
C.VALE
1
24
12
C.VALE
2
48
30
COPAGRIL
2
40
65
COAMO
1
8
68
COPACOL
1
8
17
COPACOL
2
40
30
COODETEC
1
2
37
COODETEC
1
8
25
1928/2013 Curso de Informática
Programa de Formação da Equipe
1929/2013
Comercial
1930/2013 Curso de Direção Defensiva
177
Curso de Boas Praticas e Manipulação de
Alimentos
1932/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Qualificação nas Áreas
1933/2013
Administrativa e Contábil
1935/2013 Programa de Fertilidade
1936/2013 Fórum dos Profissionais de T.I.
1931/2013
COODETEC
1
12
12
COPACOL
1
8
22
C.VALE
1
16
24
COONAGRO
1
10
9
SESCOOP/PR
1
8
37
1937/2013 Curso de Informática
UNIMED LONDRINA
2
18
26
1938/2013 Curso de Comunicação Escrita
UNIMED LONDRINA
1
16
14
1939/2013 Curso de Qualidade 5 S
COPAGRA
1
24
23
1940/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
Programa de Capacitação para Portadores
1941/2013
de Deficiência
1942/2013 Curso de Etiqueta Profissional
COCAMAR
3
6
37
COCAMAR
2
4
36
AGRARIA
2
8
24
1943/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
COCAMAR
3
6
34
1944/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
COCAMAR
3
6
43
1945/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
4
40
236
1946/2013 Fórum dos Presidentes
SESCOOP/PR
1
8
70
1947/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Curso de Operação e Manutenção de
1948/2013
Máquinas
1949/2013 Curso de Segurança no Trabalho
COOPCANA
2
64
40
COAMO
2
80
25
COCAMAR
1
64
17
1950/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1952/2013
Organizacional
1953/2013 Curso da NR- 35 - Trabalho em Altura
COOPCANA
1
16
15
COCARI
1
16
15
INTEGRADA
1
8
39
COAMO
8
64
173
COOPERVAL
1
16
24
NOVA PRODUTIVA
1
40
19
SESCOOP/PR
1
5
34
AGRARIA
1
8
14
1959/2013 Curso de Operador de Máquinas
AGRARIA
2
16
30
1960/2013 Curso de Redação Empresarial
Curso de Leitura e Interpetação da Norma
1962/2013
ISO - TS 22002-1
1964/2013 Curso de Comunicação Oral e Escrita
Programa de Formação da Equipe
1965/2013
Comercial
1966/2013 Programa de Desenvolvimento de Equipe
AGRARIA
2
16
34
AGRARIA
2
32
24
COODETEC
1
16
17
COODETEC
1
54
19
COODETEC
1
12
22
LAR
1
24
15
COPAGRA
1
8
17
INTEGRADA
2
16
43
COCARI
2
16
43
COCARI
1
16
25
CONFEPAR
12
48
211
1954/2013 Curso de Gestão Comercial
Curso de Legislação, Rotinas e Cálculos
1955/2013
Trabalhistas
Curso de NR 33 - Segurança em Espaço
1956/2013
Confinado
Fórum de Dirigentes de Cooperativas de
1957/2013
Transporte
1958/2013 Curso de Negociação
1967/2013 Curso Gestão da Qualidade
1970/2013 Curso de Excelência no Atendimento
Curso de Formação: NR- 23 Brigada de
1971/2013
Incêndio
Programa de Desenvolvimento do Quadro
1972/2013
Organizacional
1974/2013 Curso de Classificação de Grãos
1975/2013 Curso de Relacionamento Interpessoal
178
1976/2013 Curso de Formação de Lideranças
COPACOL
UNIMED PONTA
GROSSA
COCAMAR
1
8
20
1
2
40
2
4
24
INTEGRADA
1
8
15
1
2
40
1
10
15
SESCOOP/PR
UNIMED PONTA
GROSSA
NOVA PRODUTIVA
1
8
23
1
2
42
1
40
13
CAPAL
1
24
20
SESCOOP/PR
1
8
12
COOPERTRADIÇÃO
1
20
20
CAPAL
1
16
28
FRIMESA
1
20
17
C.VALE
3
24
55
COOPAVEL
3
6
121
UNIMED PONTA
GROSSA
1
4
15
SICOOB CENTRAL PR
2
13
43
COOPAVEL
1
16
16
COAMO
1
2
137
C.VALE
1
8
16
C.VALE
1
2
168
C.VALE
1
2
188
CREDICOOPAVEL
1
8
20
2006/2013 Palestras sobre Práticas de Gestão
COCAMAR
3
6
72
2007/2013 Curso de Desenvolvimento Agropecúario
Programa de Desenvolvimento do Quadro
2008/2013
Organizacional
Curso de Desenvolvimento Industrial e
2009/2013
Operacional
Palestra sobre Etiqueta Profissional e
2010/2013
Pessoal
Programa de Desenvolvimento do Quadro
2011/2013
Organizacional
CONFEPAR
1
8
15
COCARI
1
8
15
COOPCANA
1
40
15
COCAMAR
1
2
26
COCARI
1
16
20
UNIMED REGIONAL
MARINGA
2
16
22
COCARI
1
8
22
COOPAVEL
2
16
37
COAGRU
1
8
23
UNIMED CASCAVEL
1
20
16
1977/2013 Palestras sobre Qualificação Profissional
1978/2013 CLIC - Capacitação de Lideres e Chefias
Curso de Reciclagem de Supervisores da
1979/2013
NR- 33
1980/2013 Palestras sobre Qualificação Profissional
1981/2013 Programa de Fertilidade
1982/2013 Fórum dos Profissionais de Comunicação
1983/2013 Palestras sobre Qualificação Profissional
1986/2013 Curso de Classificação de Cereais
Curso de Operação de Secadores e
1987/2013
Armazenagem
1988/2013 Fórum Jurídico
1989/2013 Curso Excel Básico
1990/2013 Curso de Atualização Contábil e Fiscal
1991/2013 Curso de Operador de Máquinas
Programa de Desenvolvimento de
1992/2013
Habilidades
Palestra sobre Desenvolvimento de
1993/2013
Equipe
Curso de Boas Práticas em Hotelaria
1995/2013
Hospitalar
Programa de Integração de Novos
1996/2013
Contratados
1998/2013 Curso de Matemática Financeira HP12C
2000/2013 Palestra Encontro Anual de Líderes
Programa de Desenvolvimento de
2001/2013
Habilidades
Palestras sobre Desenvolvimento de
2002/2013
Habilidades
Palestras sobre Desenvolvimento de
2003/2013
Habilidades
2005/2013 Curso de Administração Bancária
2012/2013 Curso de Excelência no Atendimento
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Organizacional
2014/2013 Curso de Relacionamento Humano
2013/2013
2016/2013 Curso de Formação de Líderes
2017/2013 Curso de Comunicação Oral
UNIMED PONTA
GROSSA
COONAGRO
179
Programa de Desenvolvimento de
Habilidades
2020/2013 Curso de Atendimento ao Cliente
Curso de Segurança na Operação de
2022/2013
Caldeiras
2023/2013 Curso de Introdução Frigorífico de Suínos
2018/2013
C.VALE
6
48
119
CASTROLANDA
1
16
19
AGRARIA
1
40
13
CASTROLANDA
1
16
25
PRIMATO
1
16
22
UNIMED CURITIBA
1
6
26
UNIMED CURITIBA
1
6
52
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
2
93
UNIMED LONDRINA
1
10
13
UNIMED LONDRINA
1
10
23
2031/2013 Curso de aperfeiçoamento de auditores 5S
COODETEC
1
8
20
2032/2013 Curso de Biossegurança e Qualidade
Programa de Desenvolvimento de Gestão
2033/2013
de Pessoas
Curso de Formação de Operador de
2034/2013
Caldeira
2035/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
COODETEC
1
40
13
CASTROLANDA
1
8
12
CASTROLANDA
1
40
12
2025/2013 Curso de Desenvolvimento Pessoal
Programa de Desenvolvimento de
2026/2013
Gestores
Programa de Desenvolvimento de
2027/2013
Equipes
Programa de Desenvolvimento de
2028/2013
Equipes
Curso de Excelência no Atendimento ao
2029/2013
Cliente
2030/2013 Desenvolvimento de Liderança
COOPCANA
1
16
15
CASTROLANDA
1
40
11
UNIPRIME CENTRAL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
12
20
1
2
109
C.VALE
1
16
16
COOPCANA
3
48
45
C.VALE
1
2
63
C.VALE
1
8
16
C.VALE
6
24
131
C.VALE
1
15
18
COCARI
1
8
20
COCARI
1
8
16
C.VALE
1
24
12
CREDICOAMO
1
8
25
CONFEPAR
3
36
44
2053/2013 Curso Javascript e Jquery
NOVA PRODUTIVA
1
24
12
2054/2013 Curso de Primeiros Socorros
NOVA PRODUTIVA
1
8
13
UNIPRIME CENTRAL
1
8
26
SESCOOP/PR
1
4
29
UNIMED PONTA
GROSSA
1
12
15
AGRARIA
1
16
13
AGRARIA
1
24
16
2036/2013 Curso de NR10
2040/2013 Curso de Governança Corporativa
Programa de Desenvolvimento de
2041/2013
Lideranças
Curso de Qualificação nas Áreas
2042/2013
Administrativa e Contábil
2043/2013 Curso de Normas Regulamentadoras
Palestras sobre Desenvolvimento de
2044/2013
Habilidades
2045/2013 Programa Gestão da Qualidade
Programa de Desenvolvimento de
2046/2013
Habilidades
Curso de Qualificação nas Áreas
2047/2013
Administrativa e Contábil
2048/2013 Curso de Primeiros Socorros
2049/2013 Curso de Primeiros Socorros
Programa de Desenvolvimento de
2050/2013
Habilidades
2051/2013 Curso de Gestão Comercial
2052/2013 Curso de Desenvolvimento de Equipe
2055/2013 Curso de Planejamento Estratégico
Programa de Desenvolvimento dos
2056/2013
Profissionais de Varejo
2058/2013 Curso de Desenvolvimento Profissional
Curso de Leitura e Interpetação da Norma
ISO 22.000
2061/2013 Curso de Gerenciamento de Projetos
2060/2013
180
2063/2013 Palestra sobre Mercado de Graos
COOPERTRADIÇÃO
1
2
48
COONAGRO
1
10
15
2065/2013 Curso de Técnicas de Vendas
COCAMAR
1
8
15
2066/2013 Palestras sobre Práticas de Gestão
Programa de Desenvolvimento
2068/2013
Tecnológico da Agropecuária
COCAMAR
1
2
12
SESCOOP/PR
1
8
10
3.653
42.184
86.438
2064/2013 Programa de Fertilidade
Total de Qualificação/Capacitação Profissional
181
A.3 - Natureza - Aperfeiçoamento Profissional
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
Nº de
Eventos
6
Carga
Horária
400
Nº de
Pessoas
198
0067/2013 Curso de Formação Técnica em Eletromecânica
COAMO
0192/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
SESCOOP/PR
3
244
51
0193/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
SESCOOP/PR
11
876
285
0199/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
SESCOOP/PR
8
664
150
0212/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
SESCOOP/PR
11
872
376
1003/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
SESCOOP/PR
5
368
169
1009/2013 Curso Técnico em Eletromecânica
Curso para Formação de Eletricista de Manutenção
1130/2013
Industrial
Curso para Formação de Eletricista de Manutenção
1623/2013
Industrial
LAR
5
308
128
COAMO
1
100
20
COAMO
1
100
20
Total de Aperfeiçoamento Profissional
51
3.932
1.397
A.4 - Natureza - Graduação Acadêmida
Nº Proj
Título Projeto
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
0
0
0
Cooperativa
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
SESCOOP/PR
12
480
175
SESCOOP/PR
6
240
300
SESCOOP/PR
12
480
223
SESCOOP/PR
10
800
212
40
2.000
910
Cooperativa
Total de Graduação Acadêmida
A.5 - Natureza - Graduação Tecnológica
Nº Proj
0001/2013
0004/2013
0154/2013
0188/2013
Título Projeto
Curso de Tecnologia em Gestão de
Cooperativas
Curso de Tecnólogo em Gestão de
Cooperativas
Curso de Tecnologia em Gestão de
Cooperativas
Curso de Tecnologia em Gestão de
Cooperativas
Total de Graduação Tecnológica
182
A.6 - Natureza - Pós-Graduação
Nº Proj
0002/2013
0020/2013
0021/2013
0022/2013
0025/2013
0026/2013
0027/2013
0028/2013
0032/2013
0037/2013
0040/2013
0041/2013
0043/2013
0082/2013
0116/2013
0159/2013
0167/2013
0168/2013
0319/2013
0850/2013
0883/2013
0911/2013
0998/2013
1072/2013
1076/2013
1322/2013
1412/2013
Título Projeto
Curso de Especialização em Armazenagem
de Grãos
Curso de Pós-Graduação em Gestão
Estratégica e o Agronegócio
Curso de Pós Graduação em
Desenvolvimento Humano de Gestores
Curso de Pós-Graduação em Gestão de
Negócios em Saúde
Curso de Especialização em Segurança do
Trabalho
MBA em Energias Renováveis
MBA Executivo em Liderança e Gestão
Organizacional
MBA Executivo em Liderança e Gestão
Organizacional
Curso de Pós-Graduação em Comunicação
e Marketing
MBA Executivo em Liderança e Gestão
Organizacional .
Curso de Pós-Graduação em Planejamento
Financeiro
Curso de Pós-Graduação em Planejamento
Financeiro
Curso de Pós-Graduação em Gestão de
Cooperativas
Curso de Pós Graduação em Recursos
Humanos
Curso de Pós-Graduação em Gestão
Estratégica e Agronegócio
Curso de Pós-Graduação em Planejamento
Financeiro
Curso de Especialização em Gestão do
Agronegócio
Curso de Pós Graduação em Fertilidade e
Nutrição de Plantas
Curso de Especialização em Finanças
Corporativas
Curso de Pós Graduação em Gestão
Estratégica do Agronegócio
Curso de Pós Graduação em Gestão
Estratégica de Cooperativas
Curso de Pós-Graduação em Gestão de
Negócios em Saúde
Curso de Especialização em Armazenagem
de Grãos
Pós Graduação em Liderança Estratégica de
Gestão de Pessoas
Curso de Pós-graduação em Gestão
Empresarial
Curso de Pós-Graduação em Pecuária
Leiteira
Curso de Especialização em
Cooperativismo Aplicado à Educação
Cooperativa
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
SESCOOP/PR
1
15
18
SESCOOP/PR
10
200
400
SESCOOP/PR
10
200
382
SESCOOP/PR
11
220
340
SESCOOP/PR
4
80
63
SESCOOP/PR
2
40
42
SESCOOP/PR
10
150
256
SESCOOP/PR
15
225
523
SESCOOP/PR
12
244
303
SESCOOP/PR
9
225
278
SESCOOP/PR
4
80
87
SESCOOP/PR
3
60
117
SESCOOP/PR
11
220
390
SESCOOP/PR
10
200
324
COAMO
10
200
461
SESCOOP/PR
11
220
486
SESCOOP/PR
3
60
135
SESCOOP/PR
5
100
141
C.VALE
10
150
433
SESCOOP/PR
4
80
159
SESCOOP/PR
5
160
192
SESCOOP/PR
5
100
130
SESCOOP/PR
7
105
205
SESCOOP/PR
5
100
200
SESCOOP/PR
4
80
156
SESCOOP/PR
4
88
168
SESCOOP/PR
4
80
96
183
1595/2013
1652/2013
1653/2013
1694/2013
Curso de Pós Graduação em Gestão de
Projetos
Curso de Pós Graduação em Comércio
Internacional
Curso de Pós Graduação em Gestão da
Tecnologia da Informação
Curso de Pós Graduação em Fertilidade e
Nutrição de Plantas
Total de Pós-Graduação
SESCOOP/PR
3
60
86
SESCOOP/PR
2
40
74
SESCOOP/PR
2
40
78
SESCOOP/PR
2
40
63
198
3.862
6.786
184
B) ÁREA DE ATUAÇÃO: PROMOÇÃO SOCIAL
B.1 - Natureza - Educação
Nº Proj
0010/2013
Título Projeto
Nº de
Eventos
1
Carga
Horária
2
Nº de
Pessoas
85
COOPAVEL
1
8
56
COOPAVEL
5
10
342
1
28
38
1
20
51
Cooperativa
0014/2013
Palestra Motivacional
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
0016/2013
Programa A União Faz a Vida
0018/2013
Programa A União Faz a Vida
0038/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
3
100
0060/2013
Palestra sobre Sucessão Familiar
COCARI
1
2
31
0075/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
1
2
21
0078/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
4
8
80
0104/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
2
4
73
0127/2013
Mês da Mulher Unimed Curitiba
UNIMED CURITIBA
1
2
32
0137/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
23
0171/2013
Palestra em Comemoração do Dia
Internacional da Mulher.
COPACOL
4
8
655
0172/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
37
0178/2013
Mês da Mulher Unimed Curitiba
UNIMED CURITIBA
1
2
43
COASUL
1
2
204
COOPAVEL
1
8
32
COPACOL
2
4
84
0011/2013
0183/2013
0185/2013
0189/2013
Palestra sobre o Papel da Mulher na
Gestão da Cooperativa
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Palestra em Comemoração do Dia
Internacional da Mulher.
COPACOL
CENTRAL SICREDI
PR/SP
CENTRAL SICREDI
PR/SP
0195/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
20
0221/2013
COPACOL
2
20
70
INTEGRADA
3
6
120
CASTROLANDA
7
64
146
COPAGRIL
7
112
203
COPACOL
5
40
50
COPACOL
9
80
128
0277/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Programa de Desenvolvimento de Líderes
para Mulheres
Programa de Desenvolvimento da
Liderança Jovem
Curso de Liderança
Programa de Desenvolvimento da
Liderança
Mês da Mulher Unimed Curitiba
UNIMED CURITIBA
2
4
75
0293/2013
Programa de Formação de Liderança
C.VALE
1
16
45
0294/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
2
4
65
0296/2013
Mês da Mulher Unimed Curitiba
UNIMED CURITIBA
1
2
56
0302/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
15
0303/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
36
0310/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
28
0311/2013
Imersão em Cooperativismo
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
SESCOOP/PR
1
8
28
COCAMAR
1
8
21
0237/2013
0238/2013
0266/2013
0270/2013
0271/2013
0320/2013
185
0332/2013
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Imersão em Cooperativismo
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
2
4
75
0336/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
43
0342/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
34
0344/2013
Programa A União Faz a Vida
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
16
11
0346/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Pessoal
COCAMAR
2
4
37
0350/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
COPACOL
2
20
48
COCAMAR
1
8
16
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
28
31
0321/2013
0322/2013
0323/2013
0361/2013
COCAMAR
1
8
20
SESCOOP/PR
1
8
27
COCAMAR
3
6
70
0373/2013
Programa A União Faz a Vida
0374/2013
COOPAVEL
2
4
90
COCAMAR
2
4
52
COOPAVEL
1
2
54
C.VALE
4
64
93
COOPAVEL
1
8
38
0388/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Palestra sobre Qualidade de Vida
Programa de Desenvolvimento de
Liderança
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
8
80
174
0389/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
32
40
0395/2013
Curso de Liderança Cooperativista
COCARI
1
8
19
0417/2013
Programa de Líderes Cooperativistas
COASUL
4
64
138
0420/2013
COOPAVEL
2
20
85
LAR
1
8
97
LAR
1
8
40
COOPAVEL
5
10
179
COCAMAR
1
2
14
SESCOOP/PR
2
4
145
COCAMAR
1
2
40
SESCOOP/PR
1
2
29
COCAMAR
1
8
21
INTEGRADA
1
8
17
COCAMAR
1
8
20
COCAMAR
1
8
23
0458/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Curso de Organização de Eventos
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCAMAR
1
2
41
0470/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
1
2
46
0471/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COCARI
1
2
174
0472/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Pessoal
COCAMAR
1
2
22
0473/2013
Programa de Formação de Liderança
C.VALE
1
16
37
0375/2013
0376/2013
0378/2013
0380/2013
0433/2013
0434/2013
0435/2013
0438/2013
0439/2013
0440/2013
0442/2013
0446/2013
0447/2013
0456/2013
0457/2013
186
0474/2013
Programa de Formação de Liderança
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Palestra sobre Gestão do Orçamento
Familiar e Pessoal
C.VALE
8
96
150
COCAMAR
1
8
34
UNIMED PARANA
1
2
16
0485/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COCARI
1
2
22
0486/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
1
2
96
0488/2013
SESCOOP/PR
5
64
88
COCAMAR
1
2
22
CASTROLANDA
3
24
40
COCAMAR
1
2
38
INTEGRADA
3
6
120
0522/2013
Programa Cooperjovem
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Programa de Desenvolvimento Liderança
Jovem
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Palestra sobre Relacionamento
Interpessoal
Programa de Formação de Liderança
C.VALE
1
16
40
0532/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
13
0535/2013
Programa de Desenvolvimento de Líderes
COAGRU
1
2
38
0544/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
4
8
157
0547/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
24
26
0564/2013
Curso de Liderança
COPACOL
5
40
55
0565/2013
COPACOL
1
9
31
COPACOL
2
16
34
LAR
1
20
50
COOPAVEL
3
6
305
COOPAVEL
2
16
30
0578/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
Programa de Desenvolvimento da
Liderança
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Palestra sobre Qualidade de Vida
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
36
0579/2013
Programa de Formação de Liderança
C.VALE
1
16
39
0583/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
36
0586/2013
Curso de Desenvolvimento Pessoal
Programa de Desenvolvimento da
Liderança
Palestra sobre Sucessão Familiar
COASUL
1
16
33
COPACOL
6
48
88
COPACOL
9
18
259
COCARI
1
8
20
COCAMAR
1
8
13
COCARI
1
2
59
COCAMAR
2
16
40
LAR
1
16
42
0607/2013
Curso de Liderança Cooperativista
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
2
4
73
0617/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
22
0620/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
49
0653/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
32
58
0654/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
32
0655/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
19
0479/2013
0482/2013
0492/2013
0505/2013
0517/2013
0520/2013
0569/2013
0572/2013
0574/2013
0575/2013
0590/2013
0591/2013
0592/2013
0593/2013
0596/2013
0599/2013
0604/2013
187
0657/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
28
0658/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
COOPAVEL
3
30
111
0661/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
Programa Desenvolvimento de Lideranças
LAR
II
Programa de Formação de Liderança
C.VALE
1
2
38
1
12
25
1
16
39
2
4
80
1
8
15
0710/2013
Programa de Desenvolvimento dos Jovens COCAMAR
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
COCAMAR
Feminino
Programa de Desenvolvimento de Líderes COAGRU
1
8
19
0711/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
6
12
218
0715/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
2
4
80
0716/2013
Palestra sobre Sucessão Familiar
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
COCARI
2
4
88
LAR
1
16
37
LAR
1
16
67
LAR
1
16
65
LAR
1
16
48
0671/2013
0672/2013
0706/2013
0708/2013
0737/2013
0738/2013
0739/2013
0740/2013
0753/2013
Palestra sobre Programas Sociais
CENTRAL SICREDI
PR/SP
1
3
135
0754/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
32
28
0758/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
32
0761/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
8
44
0800/2013
Seminário do Jovem Cooperativista
C.VALE
Programa Desenvolvimento de Lideranças
LAR
II
Curso de Desenvolvimento Pessoal
COPACOL
1
4
379
1
16
24
2
16
46
SESCOOP/PR
1
12
14
COOPAVEL
2
16
28
C.VALE
1
2
192
0841/2013
Programa Cooperjovem
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
6
12
240
0854/2013
Curso de Desenvolvimento Humano
COPACOL
4
32
212
0855/2013
COPACOL
4
8
159
COAGRU
1
8
49
0861/2013
Palestra sobre Cooperativismo
Curso de Desenvolvimento da Liderança
Feminina
Programa de Desenvolvimento de Líderes
COAGRU
1
8
14
0867/2013
Curso de Desenvolvimento Pessoal
COASUL
1
16
27
0871/2013
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa Cooperjunior
SESCOOP/PR
1
16
26
LAR
1
20
38
LAR
1
3
68
COOPAVEL
1
2
35
COOPAVEL
1
8
126
0912/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
5
10
200
0916/2013
Palestra sobre Cooperativismo
COAGRO
1
2
98
0803/2013
0805/2013
0810/2013
0825/2013
0837/2013
0860/2013
0895/2013
0901/2013
0903/2013
0904/2013
188
0934/2013
Programa de Formação de Jovens
COOPAVEL
Cooperativistas
Programa de Desenvolvimento dos Jovens COCAMAR
0935/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
16
0938/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
2
4
94
0948/2013
Curso sobre Desenvolvimento Pessoal
COOPAVEL
1
8
49
0950/2013
COOPAVEL
1
2
60
C.VALE
1
2
85
LAR
1
16
20
0957/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
Encontro de Integração dos Núcleos
Femininos
Programa Desenvolvimento de Lideranças
II
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
10
20
486
0965/2013
Palestra sobre Cooperativismo
COASUL
5
10
257
0966/2013
Programa Cooperjunior
COPACOL
3
20
241
0971/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
21
0974/2013
Palestra sobre Desenvolvimento Feminino
COCARI
1
2
40
1000/2013
COOPAVEL
3
30
113
CASTROLANDA
5
40
53
COOPAVEL
1
16
25
COOPAVEL
2
16
174
1031/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
Programa de Desenvolvimento Liderança
Jovem
Curso de Relacionamento Humano
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
1
2
40
1049/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
37
1055/2013
COOPAVEL
3
6
119
LAR
1
4
20
LAR
1
16
35
LAR
1
16
40
LAR
3
24
46
LAR
1
8
16
SESCOOP/PR
1
20
39
COPACOL
5
40
139
SESCOOP/PR
1
20
32
C.VALE
2
4
122
BATAVO
1
1
370
SESCOOP/PR
1
2
40
COAGRU
1
8
22
1110/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
Programa Desenvolvimento de Lideranças
II
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa Desenvolvimento de Lideranças
II
Programa Desenvolvimento de Lideranças
II
Imersão em Cooperativismo
Programa de Desenvolvimento da
Liderança
Imersão em Cooperativismo
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
Palestra sobre Qualidade de Vida no
Trabalho
V Seminário da Juventude do Campo
Curso de Desenvolvimento da Liderança
Feminina
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1111/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1114/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1118/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
25
1119/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
37
1120/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
43
0923/2013
0955/2013
0956/2013
1004/2013
1026/2013
1030/2013
1056/2013
1057/2013
1058/2013
1059/2013
1060/2013
1064/2013
1069/2013
1073/2013
1082/2013
1085/2013
1094/2013
1109/2013
1
8
31
1
2
51
189
1123/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
33
1125/2013
Programa de Desenvolvimento de Líderes
COAGRU
1
8
15
1138/2013
C.VALE
1
16
35
COAGRU
1
16
61
1160/2013
Programa de Formação de Liderança
Curso de Desenvolvimento da Liderança
Feminina
Programa de Desenvolvimento de Líderes
COAGRU
1
16
15
1164/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
2
4
78
1208/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
13
1254/2013
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso sobre Desenvolvimento Pessoal
SESCOOP/PR
2
16
46
LAR
1
16
44
COOPAVEL
1
8
20
1153/2013
1276/2013
1277/2013
1278/2013
Palestra sobre Gestão do Orçamento
Familiar e Pessoal
UNIMED PARANA
1
2
47
1280/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
2
4
100
1281/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
29
1282/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1284/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
35
1285/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
20
1294/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
28
1298/2013
COOPAVEL
2
4
80
FRIMESA
10
20
385
C.VALE
2
32
40
UNIMED PARANA
1
12
15
LAR
1
12
35
LAR
1
12
42
1344/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
Palestra sobre Orçamento Financeiro
Familiar
Programa de Desenvolvimento de
Liderança - JovemCoop
Programa de Desenvolvimento
Voluntários Transformadores
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso de Desenvolvimento de Lideranças
LAR
2
16
62
1369/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
8
1370/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
28
1380/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
10
20
1393/2013
Curso de Liderança Cooperativista
COCARI
1
8
20
1409/2013
Imersão em Cooperativismo
Programa de Desenvolvimento de
Lideranças
Curso de Relacionamento Humano
SESCOOP/PR
1
20
34
LAR
1
12
52
COOPAVEL
1
16
57
COOPERTRADIÇÃO
3
24
44
COCAMAR
1
2
40
1490/2013
Curso de Aproveitamento de Alimentos
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
29
1504/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
16
15
1512/2013
Palestra sobre Aprimoramento Pessoal
COOPAVEL
1
2
66
1520/2013
Curso de Desenvolvimento Pessoal
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
COASUL
1
16
21
NOVA PRODUTIVA
2
16
38
COCAMAR
1
2
69
1319/2013
1327/2013
1335/2013
1341/2013
1343/2013
1417/2013
1422/2013
1440/2013
1451/2013
1551/2013
1582/2013
190
1644/2013
Palestra sobre Equilíbrio Pessoal e
Profissional
Palestra sobre o Novo Código de Conduta
Ética
Programa de Desenvolvimento do Núcleo
Feminino
Palestra sobre Sucessão Familiar
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Palestra sobre Valorização da Mulher
Cooperativista
Treinamento Vivencial Cooperativo
1657/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
2
4
80
1683/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
41
1702/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
2
40
1722/2013
SESCOOP/PR
1
8
17
C.VALE
1
2
106
C.VALE
1
2
102
COAGRU
1
8
38
1747/2013
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
Curso de Desenvolvimento da Liderança
Feminina
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
4
51
1750/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
2
43
1751/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
5
35
1752/2013
Curso de Liderança Cooperativista
COCARI
1
9
15
1764/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
46
1768/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
2
86
1777/2013
Programa Cooperjovem
Programa de Desenvolvimento do Quadro
Social
Palestra sobre Liderança Cooperativista
SESCOOP/PR
3
24
51
C.VALE
1
2
92
COASUL
1
2
44
CAMISC
2
4
82
COPACOL
1
4
15
SESCOOP/PR
1
12
577
COOPAVEL
1
8
42
1812/2013
Palestra sobre Fidelização Cooperativista
Programa de Desenvolvimento da
Liderança
Encontro Estadual do Programa
Cooperjovem
Programa de Formação de Jovens
Cooperativistas
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
38
1813/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1816/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
4
272
1820/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
28
1827/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
20
30
1828/2013
Imersão em Cooperativismo
SESCOOP/PR
1
16
34
1847/2013
Programa Cooperjunior
LAR
1
8
66
1888/2013
Workshop Gestão de Projetos e Oficinas
SESCOOP/PR
1
8
27
1915/2013
Palestra sobre Cooperação Familiar
COASUL
4
8
345
1951/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
1
8
30
1999/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
2
16
29
2004/2013
Programa de Formação de Jovens
COOPAVEL
1
2
102
1591/2013
1593/2013
1594/2013
1605/2013
1631/2013
1632/2013
1725/2013
1726/2013
1734/2013
1785/2013
1790/2013
1791/2013
1793/2013
1806/2013
1810/2013
UNIMED LONDRINA
1
2
63
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
2
120
COCAMAR
2
16
91
COCARI
1
2
55
COCAMAR
2
4
101
COCAMAR
2
4
92
COOPAVEL
1
10
42
191
Cooperativistas
2015/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPAVEL
2
4
88
2024/2013
Curso de Responsabilidade Social
CASTROLANDA
1
8
11
2067/2013
Programa Cooperjovem
SESCOOP/PR
Total de Educação
1
8
31
468
3.479
19.033
192
B.2 - Natureza - Saúde
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
0064/2013
Palestras SIPAT
COOPERVAL
2
4
452
0209/2013
Palestra Sipat
NOVA PRODUTIVA
1
2
78
0523/2013
Palestra Sipat
UNIMED REGIONAL
MARINGA
1
2
54
0651/2013
Palestras SIPAT
COOPCANA
10
19
1000
0668/2013
Palestras SIPAT
COPAGRIL
11
16,5
976
0704/2013
Palestras SIPAT
INTEGRADA
2
4
228
0722/2013
Palestras SIPAT
COASUL
4
8
509
0831/2013
Palestra Sipat
COPAGRA
4
8
198
0834/2013
Palestras SIPAT
COCARI
4
8
339
0835/2013
Palestras SIPAT
COCARI
5
10
677
0842/2013
Palestra sobre Álcool e Drogas
UNIMED PARANA
3
6
133
0859/2013
Palestra sobre Álcool e Drogas
UNIMED PARANA
1
2
43
0975/2013
Palestras SIPAT
COODETEC
3
5
459
0976/2013
Palestras SIPAT
COODETEC
2
3
78
1050/2013
Palestras SIPAT
CASTROLANDA
5
10
335
1145/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
2
6
92
1245/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
19
38
1815
1252/2013
Palestra sobre Álcool e Drogas
UNIMED PARANA
1
2
43
1295/2013
Palestras SIPAT
COOPAGRICOLA
2
2
83
1328/2013
Palestras SIPAT
COOPAVEL
5
10
200
1410/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
1
2
187
1419/2013
Palestra Sipat
AURORA ALIMENTOS
2
2
98
1445/2013
Palestras SIPAT
COOPERTRADIÇÃO
1
2
50
1447/2013
Palestras SIPAT
PRIMATO
2
4
107
1503/2013
Palestra sobre Saúde da Mulher
INTEGRADA
3
6
118
1534/2013
Palestra Sipat
UNIODONTO CURITIBA
4
8
220
1539/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
1
2
117
1570/2013
Palestras SIPAT
C.VALE
19
38
1332
1571/2013
Palestras SIPAT
C.VALE
6
12
705
1572/2013
Palestras SIPAT
C.VALE
9
18
501
1586/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
2
4
63
1645/2013
Palestras SIPAT
COOPAVEL
5
10
200
1710/2013
Palestras Sipat
UNIMED PONTA GROSSA
3
6
120
1754/2013
Palestras SIPAT
COAGRU
1
2
183
1758/2013
Palestras SIPAT
COAGRU
1
2
179
1882/2013
Palestra sobre Hábitos de Vida Saudáveis UNIMED PARANA
2
4
102
1923/2013
Palestra SIPAT
CAPAL
3
6
331
1927/2013
Palestras SIPAT
COPACOL
1
3
32
193
1994/2013
Palestra sobre Qualidade de Vida
COOPERTRADIÇÃO
1
2
50
2019/2013
Palestras SIPAT
COTRIGUAÇU
3
6
300
2037/2013
Palestras Sipat
CONFEPAR
1
2
60
158
307
12.847
Carga
Horária
8
Nº de
Pessoas
612
Total de Saúde
B.3 - Natureza - Cultura
0907/2013
Intercâmbio Cultural Entre Cooperativas
SESCOOP/PR
Nº de
Eventos
1
1427/2013
FESCOOP - Festival da Cultura Cooperativa
SESCOOP/PR
1
12
104
2
20
716
Nº de
Eventos
8
Carga
Horária
32
Nº de
Pessoas
174
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
Total de Cultura
B.4 - Natureza - Integração Social
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
0015/2013
Programa de Fidelização Cooperativista
COOPAVEL
0024/2013
Palestra de Integração Cooperativa
LAR
1
2
72
0143/2013
Curso de Desenvolvimento de Lideranças
LAR
6
24
152
0175/2013
Encontro do Dia das Mulheres
1
2
60
0187/2013
Encontro de Mulheres Cooperativistas
1
2
172
0203/2013
Encontro Comemorativo ao Dia da Mulher
COOPERVAL
NOVA
PRODUTIVA
COODETEC
1
2
60
0235/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
COPACOL
2
20
65
0274/2013
Curso Desenvolvimento Pessoal
LAR
1
8
30
0275/2013
Curso Desenvolvimento Pessoal
LAR
1
8
30
0278/2013
Encontro da Juventude Cooperativista
COPACOL
2
4
114
0334/2013
Programa de Fidelização Cooperativista
COOPAVEL
5
10
159
0359/2013
Palestra Comemoração Dia do Trabalho
COAGRU
1
2
356
0369/2013
Encontro da Liderança Cooperativista Jovem
SESCOOP/PR
1
12
41
0413/2013
Encontro Anual da Coodetec
SESCOOP/PR
1
2
175
0584/2013
SESCOOP/PR
1
12
203
COASUL
3
24
131
0613/2013
Encontro de Liderança Cooperativista Feminina
Curso de Relacionamento Interpessoal e
Cooperação
Curso Desenvolvimento Pessoal
LAR
1
8
27
0614/2013
Curso Desenvolvimento Pessoal
LAR
1
8
25
0689/2013
Encontro de Integração Feminina
INTEGRADA
2
4
356
0724/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCARI
1
2
48
0725/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCARI
2
4
89
0743/2013
Programa Integração e Desenvolvimento Familiar
LAR
1
8
58
0785/2013
Encontro de Mulheres Cooperativistas
COCARI
1
8
604
0787/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCARI
2
4
118
0789/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCARI
1
2
40
0802/2013
Palestra de Integração Cooperativa
LAR
10
20
582
0824/2013
Treinamento Vivencial Cooperativista
COOPAVEL
2
20
90
0857/2013
Programa Integração e Desenvolvimento Familiar
Curso de Relacionamento Interpessoal e
Cooperação
LAR
1
8
39
COASUL
3
24
119
0587/2013
0868/2013
194
0939/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
1
2
44
2
8
228
1
8
284
Encontro de Jovens Cooperativistas
COCARI
NOVA
PRODUTIVA
UNIMED
REGIONAL
MARINGA
COCARI
0944/2013
Encontro da Família Cooperada
0945/2013
Encontro em Comemoração ao Dia do
Cooperativismo
0987/2013
1
9
517
1027/2013
Treinamento Vivencial Cooperativista
COOPAVEL
2
20
78
1041/2013
Encontro Estadual da Juventude Cooperativista
SESCOOP/PR
1
12
198
1053/2013
Programa Integração e Desenvolvimento Familiar
LAR
1
8
38
1199/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
1
2
40
1206/2013
Curso de Capacitação de Voluntários
1
12
20
1232/2013
Palestra o que é ser voluntário
1
2
40
1236/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
COCARI
UNIMED
REGIONAL
MARINGA
UNIMED
REGIONAL
MARINGA
C.VALE
1
10
42
1240/2013
Programa Integração e Desenvolvimento Familiar
LAR
1
8
46
1255/2013
Treinamento Vivencial Cooperativismo
C.VALE
1
10
45
1266/2013
Programa Vivencial em Cooperativismo
COCAMAR
1
10
35
1299/2013
Palestra para Casais Cooperativistas
1
2
111
1364/2013
Encontro do Núcleo Feminino NOVA Mulher
1
2
37
1391/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COAGRU
NOVA
PRODUTIVA
COCARI
1
2
49
1404/2013
Curso Desenvolvimento Pessoal
LAR
2
16
43
1429/2013
COPACOL
1
8
34
COPACOL
4
12
308
LAR
1
8
30
COASUL
3
24
94
1684/2013
Curso de Relacionamento Interpessoal
Palestra Comemorativa ao Cinquentenário da
Copacol
Programa Integração e Desenvolvimento Familiar
Curso de Relacionamento Interpessoal e
Cooperação
Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
57
1685/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
40
1719/2013
Palestra Café Viola e Cooperativismo
COPAGRA
6
12
198
1759/2013
Programa Vivencial em Cooperativismo
COCAMAR
1
10
36
1831/2013
Treinamento Vivencial Cooperativo
LAR
1
10
33
1832/2013
Palestra de Integração Cooperativa
LAR
4
8
310
1875/2013
Palestra para Casais Cooperativistas
COAGRU
1
2
102
1968/2013
Palestra de Integração Cooperativa
LAR
1
2
145
1969/2013
Palestra sobre Gestão de Relacionamentos
COCARI
1
2
40
1985/2013
Encontro de Mulheres Cooperativistas
COAGRU
1
2
151
1997/2013
Encontro de Mulheres Cooperativistas
COOPAVEL
2
4
300
2021/2013
Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses
SESCOOP/PR
1
8
1491
2038/2013
Programa de Desenvolvimento de Jovens
Cooperativistas
COPAGRA
1
8
17
2062/2013
Palestra para Mulheres Cooperativistas
BATAVO
1
2
17
117
571
9.487
1432/2013
1437/2013
1519/2013
Total de Integração Social
195
B.5 - Natureza - Geração de Renda
0031/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
Nº de
Eventos
6
0166/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
6
104
85
0245/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
17
272
201
0387/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
Programa de Promoção Social - Artesanato e
Culinária
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
41
640
524
C.VALE
11
88
147
COAMO
31
466
395
Curso de Culinária
Programa de Promoção Social - Artesanato e
Culinária
Promoção Social - Artesanato e Culinária
Programa de Promoção Social - Artesanato e
Culinária
Promoção Social - Artesanato e Culinária
LAR
5
40
114
C.VALE
8
64
112
COAMO
31
480
379
C.VALE
8
64
111
COAMO
38
592
471
COAMO
37
512
550
C.VALE
20
160
327
COAMO
31
464
453
C.VALE
21
168
332
1502/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
Programa de Promoção Social - Artesanato e
Culinária
Promoção Social - Artesanato e Culinária
Programa de Promoção Social - Artesanato e
Culinária
Curso de Práticas de Geração de Renda
INTEGRADA
1
16
20
1567/2013
Palestra sobre Educação Financeira
COPAGRIL
4
8
177
1577/2013
Curso de Culinária
LAR
5
40
118
1615/2013
Programa de Educação Financeira
SESCOOP/PR
5
40
125
1616/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
15
248
220
1825/2013
Promoção Social - Artesanato e Culinária
COAMO
12
216
186
353
4.818
5.130
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
Total de Meio Ambiente
0
0
0
TOTAL GERAL
Nº de
Eventos
Carga
Horária
Nº de
Pessoas
5.454
70.865
151.027
Nº Proj
0582/2013
0595/2013
0670/2013
0717/2013
0720/2013
0757/2013
0937/2013
1124/2013
1186/2013
1315/2013
1325/2013
Título Projeto
Cooperativa
Total de Geração de Renda
Carga
Horária
136
Nº de
Pessoas
83
B.6 - Natureza - Meio Ambiente
Nº Proj
Título Projeto
Cooperativa
196
ANEXO IV- Relação das Capacitações da Equipe Interna Realizados em 2013
CURSO - DESENVOLVIMENTO DA EQUIPE
Quantidade de Funcionários
Curso de Indicadores Financeiros e RH
20 funcionários
Curso de Coaching
8 funcionários
Curso de Balanced Scorecard
14 funcionários
Curso de Excel com VBA
11 funcionários
Curso de Comunicação e Relacionamento
58 funcionários
Curso de Coaching Coletivo
8 funcionários
Programa de NeuroGestão
25 funcionários
COLABORADOR
NOME DO CURSO
1
Daniel Cesar Braga
Curso de Capacitação de Pregoeiros
2
Aline Teixeira Bernardo
Secretariado Executivo Trilíngue
3
Assis Pacheco
Curso de Capacitação de Pregoeiros
4
Humberto Cesar Bridi
Visita às Empresas (Você S/A)
5
Rafael Yukio Hamasaki
MBA em Gerenciamento de Projetos
6
Carlos Eduardo de Sousa Nunes
MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria
7
Daniele Radulski
ISS análise e Incidência
8
Maria Renilda Barbosa
ISS análise e Incidência
Plácido da Silva Junior
Desenvolvimento pessoal em Comunicação com ênfase em Oratória: A Fácil
Arte de falar em Público
10
Allan Ruschmann
IX Núcleo Nacional das Entidades integrantes do Sistema S
11
Samuel Milleo Filho
Curso de Criatividade
12
Andreia Adelina Suzin
Administração de Contas a pagar, contas a receber e Tesouraria
13
Daniel Cesar Braga
Calculo da Folha de Pagamento
14
Janaína Camargo do Rosário
Tecnologia em Design Gráfico
15
Marli Vieira da Silveira
Adobe Photo Shop
16
Daniele Cristiane Radulski
Contratação de serviços: Retenções de impostos sobre serviços
17
Andreia Adelina Suzin
Comunicação Interpessoal e Feedback
18
Anderson Lucas Helpa
MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria
19
Daniel Cesar Braga
Prático de Cálculo da Folha de Pagamentos em Ênfase em Cálculos trabalhistas
20
Carlos Gonçalves
Direito
21
Ricardo Rossi
Fotografia e Imagem em Movimento
22
Stella Carolina Soliman
Adobe Ilustrator
23
Camila Hamasaki
Pós Graduação em Liderança Estratégica e Gestão de Pessoas
24
Ketlyn Zipperer
Pós Graduação em Liderança Estratégica e Gestão de Pessoas
25
Leandro Macioski
Programa de Atualização de Recursos Humanos
26
Daniele Radulski
Administração de Contas a pagar, contas a receber e Tesouraria
27
Ricardo Florêncio Miranda
Configuring Advanced Windows Server 2012 Services
28
Felipe Ferreira Lemes
Configuring Advanced Windows Server 2012 Services
29
Marcos Antonio Caetano
Aspectos Pronunciamentos Contábeis, convergência com o IFRS e Auditorias
30
Aline Teixeira Bernardo
Photoshop
31
Rafael Yukio Hamasaki
Cursos Online Alura
9
197
32
Mauricio Lins da Silva
Como se preparar para a implantação do EFD Social
33
Daniel Cesar Braga
I Núcleo Nacional de Gestão de Pessoas do Sistema S
34
Diego Alves Porfirio
35
Allan Ruschmann
Seminário de Contratação de Serviços de Treinamento e Desenvolvimento
36
Aline Teixeira Bernardo
Pós Graduação em Liderança Estratégica e Gestão de Pessoas
37
Anderson Eugenio Lechechem
MBA em Gestão Estratégica de Empresas 2012 Turma 3
198

Documentos relacionados