PF: grupo pode ter legalizado mil veículos roubados

Сomentários

Transcrição

PF: grupo pode ter legalizado mil veículos roubados
PF: grupo pode ter legalizado mil veículos roubados
assinaturas e serviços
na Web
BRASIL
POLÍCIA
no Terra
JULGAMENTO DO CASAL NARDONI
PF: grupo pode ter legalizado
mil veículos roubados
15h30 Preso suspeito de liderar assaltos
a bancos com explosivos no RS
comentários
0
15h01 Rio: polícia prende 6 suspeitos de
tráfico na Cidade de Deus
29 de agosto de 2008 • 17h11 • atualizado às 17h26
14h53 Familiares de vítimas de Luziânia
acham mais ossos na mata
mais notícias »
O superintendente da Polícia Federal na Paraíba, Cláudio Gomes,
acredita que a suposta quadrilha desarticulada pela Operação
Cascavel pode ter legalizado, no Departamento Estadual de
Trânsito (Detran), mais de mil veículos roubados. Desde fevereiro,
segundo a PF, foram constatados mais de 300 veículos com
regularização fraudulenta.
» PF prende 34 pessoas na Paraíba
» vc repórter: mande fotos e notícias
As investigações sobre as fraudes iniciaram em fevereiro. Segundo a Polícia Federal, um dos esquemas
criminosos era voltado para regularização e expedição de Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos
(CRLV), com a conseqüente inclusão de dados, supostamente falsos, na base estadual do Registro Nacional de
Veículos Automotores (Renavam).
Ainda conforme a PF, o grupo agia com o auxílio direto de falsas perícias, elaboradas pelo Instituto de Polícia
Científica de Campina Grande.
A PF prendeu 34 pessoas durante a operação, sendo que uma das prisões foi um flagrante que não estava
contabilizado nos mandados expedidos. A PF ainda busca dois suspeitos. A Operação Cascavel também
apreendeu 30 veículos em Campina Grande. Dois deles tinham registro de roubo e outros 28 com chassis
raspado.
De acordo com Gomes, as investigações do suposto esquema começaram depois que foi desarticulada a
Operação Coringa, com objetivo de combater roubos a bancos. Durante a investigação, a PF descobriu que o
grupo desarticulado nessa ação tinha ligação com uma quadrilha que roubava veículos.
A PF também descobriu que, além da legalização de veículos roubados, o grupo vendia carteiras de habilitação de
trânsito. A polícia informou que ainda vai investigar o preço que o grupo cobraria para realizar as fraudes.
Nesta manhã, os policiais realizavam apreensões na sede do Detran, em João Pessoa, nas Circunscrições
Regionais de Trânsito (Ciretrans) de Campina Grande e Catolé do Rocha e em ferros-velhos. Ainda segundo o
procurador, também estão entre os presos policiais, despachantes e funcionários de ferros-velhos.
Ameaças
O superintendente do Detran na Paraíba, Paulo Nepomuceno, afirmou que só ficou sabendo da operação nesta
manhã, mas disse que já havia recebido denúncias anônimas de que havia esquemas de fraude no Estado. Ele
afirmou que quando tentava investigar as denúncias, recebia ameaças de morte.
"Me telefonavam e diziam que sabiam onde meu filho estudava. Eu levava isso como um trote, nunca levei isso a
sério e continuava meu trabalho", afirmou Nepomuceno.
Segundo o Detran, a suposta organização criminosa tem atuação em varias unidades do País, com a colaboração
de agentes públicos. Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara Criminal de João Pessoa.
A ação contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, do Ministério Público Estadual da Paraíba e da
Secretaria de Segurança e Defesa Social na Paraíba.
mais notícias de polícia »
Redação Terra
brasil
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3145363-EI5030,00-PF+grupo+pode+ter+legalizado+mil+veiculos+roubados.html[17/05/2010 16:03:35]
PF prende 34 suspeitos de fraude no Detran-PB
assinaturas e serviços
na Web
BRASIL
POLÍCIA
no Terra
JULGAMENTO DO CASAL NARDONI
PF prende 34 suspeitos de
fraude no Detran-PB
15h30 Preso suspeito de liderar assaltos
a bancos com explosivos no RS
comentários
0
15h01 Rio: polícia prende 6 suspeitos de
tráfico na Cidade de Deus
29 de agosto de 2008 • 07h57 • atualizado às 17h16
14h53 Familiares de vítimas de Luziânia
acham mais ossos na mata
mais notícias »
A Polícia Federal cumpre
35 mandados de prisão e
60 de busca e apreensão
na Paraíba, na Operação
Cascavel, para
desarticular uma
quadrilha suspeita de operar dois
esquemas fraudulentos dentro do
Departamento Estadual de Trânsito da
Paraíba (Detran). Entre os presos está
o coordenador do Registro Nacional
de Veículos Automotores (Renavam)
da Paraíba, Aureliano Delfino Leite, e
um sargento da PM, segundo
informações do procurador de Justiça
Francisco Sagres, que acompanha a
operação. A operação se estende aos
Estados de Alagoas e Pernambuco,
com 3 dos 35 mandatos de prisão. A
Polícia Federal na Paraíba afirma que
foram presos, até as 16h20, 34
suspeitos. O superintendente da PF no
Estado, Cláudio Gomes, disse que a
quadrilha está completamente
desarticulada.
» vc repórter: mande fotos e notícias
Viatura da Polícia Federal conduz presos na Operação
Cascavel, em João Pessoa (PB)
Foto: Michelle Sousa/Especial para Terra
Nesta manhã, os policiais realizavam apreensões na
sede do Detran, em João Pessoa, nas Circunscrições
Regionais de Trânsito (Ciretrans) de Campina Grande e
Catolé do Rocha e em ferros-velhos. Ainda segundo o
procurador, também estão entre os presos policiais,
despachantes e funcionários de ferros-velhos. De
acordo com Gomes, 300 policiais participam da operação.
As investigações sobre as fraudes iniciaram em fevereiro. Segundo a Polícia Federal, um dos esquemas
criminosos era voltado para regularização e expedição de Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos
(CRLV), com a conseqüente inclusão de dados, supostamente falsos, na base estadual do Renavam.
Ainda conforme a PF, o grupo agia com o auxílio direto de falsas perícias, elaboradas pelo Instituto de Polícia
Científica de Campina Grande.
O segundo esquema seria para a expedição de carteiras de habilitação, que , segundo a PF, ocorriam em total
discordância aos princípios da legislação de transito. No período da investigação, desde fevereiro deste ano, foram
constatados mais de 300 veículos com regularização fraudulenta, segundo a PF.
As investigações começaram depois que a polícia começou a acompanhar a atuação de um grupo de ladrões de
carro que agia na Paraíba e Pernambuco. Após o roubo dos veículos, os sinais identificadores dos carros eram
modificados em ferros-velhos localizados na Paraíba, e, em seguida, os veículos eram legalizados, por meio de
documentos falsos.
Segundo o Detran, a suposta organização criminosa tem atuação em varias unidades do País, com a colaboração
de agentes públicos. Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara Criminal de João Pessoa.
A ação contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, do Ministério Público Estadual da Paraíba e da
Secretaria de Segurança e Defesa Social na Paraíba.
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3144012-EI5030,00.html[17/05/2010 16:04:40]
brasil