POESIA DOS BOMBEIROS I Sou bombeiro homem do fogo Um

Сomentários

Transcrição

POESIA DOS BOMBEIROS I Sou bombeiro homem do fogo Um
POESIA DOS BOMBEIROS
Autor: Sub Tenente Ademir Mousquier
I
IV
Sou bombeiro homem do fogo
Sou um desses tauras anônimos
Um guardião da hora incerta
Assim também meus serviços
Em prontidão e alerta
Mas não encaro por isso
Qual um Quero-quero pampiano
Não nasci pra ser louvado
Com altivez e ufano
Mas se vejo um bem salvado
Pronto pra qualquer momento
Mais ainda se um cristão
A atender um evento
Se alegra meu coração
Ou salvar um ser humano
Por cumprir um dever sagrado
II
V
Eu sou um homem consagrado
Sempre pronto e atencioso
Um protetor incansável
Ao receber um chamado
Homem simples gesto amável
E o fator mais almejado
Não me entristece o porvir
É ser útil e prestativo
Enfrento o fogo a extinguir
Talvez algum dia jamais vivo
Com a coragem suprema
Retorne para meu lar
Carrego comigo um lema
Mas se eu morrer para salvar
Que é servir sempre servir
É algo de positivo
III
VI
Sou bombeiro homem simples
Minha profissão sei que é árdua
Sou também pai de família
E até um pouco perigosa
Mas vivo sempre em vigília
Porém honesta e honrosa
Em defesa da sociedade
Isto eu tenho certeza
Carrego a hostilidade
E vou lhes dizer com franqueza
Da minha alma forte aguerrida
O caso curto e bem certo
Enfrentando minha própria vida
Já vi a morte rondar bem perto
Em socorro da humanidade
Com toda sua esperteza
VII
Passei por teste de fogo
Em curso que frequentei
E juramento eu prestei
Pra que eu saísse formado
O meu destino é guiado
Pra nunca fazer o mal
E peço ao patrão celestial
Que ande sempre ao meu lado
VIII
Mas rejo ao meu São Floriano
Que é o meu santo protetor
E a Deus nosso senhor
Dono de todo poder
Faça com que eu possa ter
A glória de fazer o bem
Que salve a vida de alguém
Embora a minha a perder.