OBESIDADE - Hugo`s Page

Сomentários

Transcrição

OBESIDADE - Hugo`s Page
Todos os conteúdos apresentados são propriedade
dos referidos autores
Retirado de:
Comunidade On-line de Enfermagem
www.forumenfermagem.org
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Antes
Depois
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Introdução
• Acumulação de gordura em excesso no corpo;
• Peso 20% acima do máximo desejável;
• 30 a 35% da população portuguesa possui gordura
corporal excessiva e cerca de 5% são obesos;
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Problemas associados:
― problemas psicológicos graves;
― diabetes;
― arteriosclerose cardiovascular;
― cancro da mama, útero, ovários, cólon, próstata, vesícula biliar;
― lombalgias e discopatias;
― osteoartrose e outras doenças reumáticas;
― problemas respiratórios;
― irregularidade menstrual;
― esterilidade;
― falta de auto-estima;
― depressão.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
90% das pessoas que fazem dieta recuperam ao fim de
5 anos todo ou quase todo o peso perdido.
Contudo… isto não significa que
as tentativas de emagrecimento
sejam infrutíferas. Mesmo que as
pessoas não atinjam o seu peso
ideal, os ganhos conseguidos
podem reduzir o risco de virem a
sofrer algumas doenças.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
de?
a
d
i
s
e
a ob
d
a
s
u
ca
Qual a
Coexistência de excesso de alimentação e falta de exercício.
Se a dieta contém alimentos de alto valor calórico, como biscoitos,
bolos, aperitivos, ricos em gordura e açúcar, até porções pequenas
podem fornecer ao organismo mais energia do que a necessária.
Acréscimo de peso
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
> O problema está na gordura <
Pessoas que consomem o mesmo número de calorias têm mais
probabilidade de ficarem obesas se a sua alimentação for mais
rica em gordura e hidratos de carbono.
Os profissionais de saúde recomendam por isso que cerca de 50%
da energia que utilizamos seja proveniente de hidratos de carbono
com máximo de 35% de gorduras.
A mulher tem mais tendência para a obesidade que o homem
porque o corpo feminino armazena a gordura de forma mais
eficiente; o ideal para a mulher seria 25% do peso do corpo fossem
constituídos por gordura; no homem seria de 15%.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Como se previne?
• Alimentação correcta e variada;
• Actividade física.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
A obesidade é factor de risco para uma série de doenças ou distúrbios
que podem ser:
Doenças
Distúrbios
Hipertensão arterial
Distúrbios lípidicos
Doenças cardiovasculares
Hipercolesterolemia
Doenças cérebro - vasculares
Diminuição de HDL
Diabetes Melittus tipo II
Aumento da insulina
Cancro
Intolerância à glicose
Osteoartrite
Distúrbios menstruais/Infertilidade
Coledocolitíae
Apneia do sono
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
A forma mais amplamente recomendada para avaliação do peso corporal em
adultos é o IMC (índice de massa corporal), recomendado inclusive pela OMS.
Esse índice é calculado dividindo-se o peso do doente em kilogramas (Kg) pela
sua altura em metros elevada ao quadrado. O valor assim obtido estabelece o
diagnóstico da obesidade e caracteriza também os riscos associados conforme
apresentado a seguir:
IMC (Ikg/m2)
Grau de risco
Tipo de obesidade
18 a 24,4
Peso saudável
Ausente
25 a 29,9
Moderado
Pré - obesidade
30 a 34,4
Alto
Obesidade Grau I
35 a 39,9
Muito alto
Obesidade Grau II
40 ou mais
Extremo
Obesidade Grau III
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
O peso normal, no indivíduo adulto, com mais de 20 anos de idade, varia
conforme a sua altura, o que faz com que possamos também estabelecer os
limites inferiores e superiores de peso corporal para as suas diversas alturas
conforme a seguinte tabela:
Altura (cm)
Peso inferior
(kg)
Peso superior
(kg)
145
38
52
150
41
56
155
44
60
160
47
64
165
50
68
170
53
72
175
56
77
180
59
81
185
62
85
190
65
91
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Tratamentos Médicos
A obesidade é uma doença crónica que requer tratamento ao
longo de toda a vida. Existem várias formas de obesidade:
― obesidade ligeira;
― obesidade moderada;
― obesidade grave;
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Tratamentos Médicos
Terapia medicamentosa
A maior parte dos médicos receita comprimidos anorexígenos como
ajuda temporária para estimular o emagrecimento, enquanto a
pessoa adopta novos hábitos alimentares e de exercício.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Tratamentos Médicos
Medicamentos dietéticos
• Estimulantes, como dextroanfetamina;
• A fenfluramina;
• A fentermina;
• A fluoxetina;
• Fenilpropanolamina.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Tratamentos Médicos
Tratamento cirúrgico
É um tipo de tratamento usado quase sempre
em último recurso. O tratamento consiste em
diminuir o tamanho do estômago para que a
pessoa se sinta saciada com pouca quantidade
de alimentos.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Medicinas alternativas
Terapia pelo exercício
Uma das formas de evitar e controlar a obesidade consiste em
praticar exercício físico regularmente. Para tal deve-se consultar um
médico para aconselhar uma terapia de exercício e verificar se não há
complicações, como por exemplo, cardíacas.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Medicinas Alternativas
Terapia pela Nutrição
Esta continua a ser a base de todos os programas de
emagrecimento. Para tal, deve-se consultar um nutricionista ou um
dietista de modo a indicar a dieta mais adequada à situação clínica do
doente.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Medicinas Alternativas
Hipnose e Visualização
Tratamento em casa
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Classificação da obesidade de acordo com a sua causa
¾ Por distúrbio nutricional;
¾ Por inactividade física;
¾ Obesidade secundária a alterações endócrinas;
¾ Obesidade secundária;
¾ Obesidade de causa genética.
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE EM PORTUGAL
(EPOP)
Distribuição de acordo com o IMC para homens e mulheres:
Classificação
Nº
%
Baixo
113
2,6
Normal
2071
47,8
Pré – obeso
1524
35,2
Classe I
512
11,8
Classe II
77
1,8
Classe III
33
0,8
4330
100
Total
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE EM PORTUGAL
(EPOP)
Distribuição de acordo com o IMC para homens:
Classificação
Nº
%
Baixo
14
0,8
Normal
833
45,2
Pré - obeso
758
41,1
Classe I
209
1,3
Classe II
22
1,2
Classe III
7
0,4
1843
100
Total
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE EM PORTUGAL
(EPOP)
Distribuição de acordo com o IMC para mulheres:
Classificação
Nº
%
Baixo
98
3,9
Normal
1237
49,8
Pré - obeso
766
30,8
Classe I
303
12,2
Classe II
55
2,2
Classe III
26
1,0
2485
100
Total
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Noutros países :
% de
obesos
Homens
% de
obesos
Mulheres
País
Ano
Idade
(anos)
Inglaterra
1995
16-64
15
17
Alemanha
(leste)
1992
25-65
21
27
Holanda
1995
20-59
8
8
Portugal
1999
18-65
12,9
15,4
E.U.A
1991
20-74
20
25
Canadá
1991
18-74
15
15
Austrália
1989
25-64
12
13
China
1992
20-45
1
2
Micronésia
1987
25-69
65
70
Polinésia
1991
25-69
58
77
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Carol Yager
(1960 - 1994)
725 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Jon Brower Minnoch
(1941 - 1983)
635 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Roselie Bradford
(b. 1944)
544 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Michael
Edelman (1964 1992)
544 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Walter Hudson
(1944? - 1991)
543 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Francis John
Lang, aka Michael
Walker (b. 1934)
538 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Robert Earl
Hughes (1926 1958)
485 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Mike Parteleno
(b. 1958)
464 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Michael
Hebranko (b.
1954)
454 Kg
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
As pessoas mais gordas do mundo
Denny
Welch (b.
1960)
445 Kg
7º CL - 2003
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1985
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1986
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1987
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1988
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1989
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1990
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1991
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1992
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1993
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1994
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1995
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
Prevalence of Overweight
Among
U.S. Adults, BRFSS, 1996
<10%
10-15%
>15%
Overweight defined as > 30 kg/m2 (Mokdad et al. JAMA 282:1519-22, 1999).
.:: O B E S I D A D E ::.
Prémio Michelin
7º CL - 2003
.:: O B E S I D A D E ::.
Trabalho realizado por:
Carlos Fernandes nº892
Isabel Vitória nº903
Mário Rodrigues nº916
Pedro Machado nº927
Vilma Silva nº939
7º CL - 2003

Documentos relacionados

Abordagem à pandemia da obesidade: as mais recentes

Abordagem à pandemia da obesidade: as mais recentes *Os dados sobre o índice de massa corporal são oriundos de diversas fontes e não podem ser comparados diretamente. Alguns são relatados pelos próprios indivíduos, que tendem a subestimar o IMC; alg...

Leia mais

Prevalência do uso de medicamentos para emagrecer entre

Prevalência do uso de medicamentos para emagrecer entre Resumen: Las mujeres jóvenes son más vulnerables a las presiones socioeconómicas y culturales asociados con las normas estéticas, teniendo en cuenta el creciente énfasis en la delgadez como aspecto...

Leia mais

Tese de Mestrado - Clique Aqui

Tese de Mestrado - Clique Aqui A imagem corporal pode ser definida como uma idéia sobre como o corpo se apresenta na mente de cada indivíduo. Refere-se, portanto, a uma experiência psicológica sobre a aparência e o funcionamento...

Leia mais