Pet Food Brasil

Сomentários

Transcrição

Pet Food Brasil
Revista
Pet Food Brasil
Ano 4 / Edição 23 / Nov-Dez de 2012 / www.editorastilo.com.br
Embalagem
O “cartão de visita” de cada marca
Editorial
2
Prezado Leitor
O respeito aos consumidores somado ao amor aos animais de estimação levaram a
Fórmula Foods a entrar no mercado de nutrição animal com a proposta de não somente
contribuir para a qualidade de vida e longevidade dos animais, como também oferecer
soluções inovadoras, por meio de sua marca Premiatta. “Entendemos que todos os elos
que compõem o negócio no qual estamos inseridos devem ser beneficiados com os nossos
produtos, ou seja, o animal de estimação, o dono do animal, os parceiros lojistas, os
distribuidores, o fabricante (colaboradores e investidores) e a sociedade. Esta é a nossa
motivação”, afirma Marcos Roberto Nicoletti, presidente da companhia.
Com 20 anos de experiência no mercado e atuando em grandes empresas nacionais
e multinacionais, Marcos adquiriu conhecimento suficiente para atender o mercado com
foco no cliente e nas suas necessidades. “Aumentar a qualidade e expectativa de vida
de cães e gatos, proporcionando experiências de alegria e contentamento a seus donos,
por meio da criação e distribuição de produtos diferenciados e de altíssima qualidade é
a nossa missão.” Confira a entrevista que Marcos Roberto Nicoletti concedeu à Revista
Pet Food Brasil.
Elas protegem o conteúdo, facilitam o transporte e também o manuseio, além de
expressarem os valores de uma marca. Estamos falando das embalagens! Importantes
funções são atribuídas a elas e no caso específico dos alimentos, contê-los, protegê-los e
viabilizar o transporte são as suas funções básicas, porém não as únicas. Vale destacar
que o êxito de um produto depende de diversos fatores: qualidade, preço atrativo, boa
distribuição e comunicação eficaz, neste último quesito, a embalagem é imprescindível.
No mercado Pet Food constatamos uma importante evolução nas embalagens, que
visualmente ficaram mais atraentes, já que são submetidas a impressões de alta qualidade;
apresentam também variedade na formatação, conferindo maior robustez e facilidades
CAPA ed 23.pdf
1
27/11/12
12:24
Revista
Pet Food Brasil
no transporte; e diversificação nas estruturas, propiciando barreiras eficientes contra a
Ano 4 / Edição 23 / Nov-Dez de 2012 / www.editorastilo.com.br
umidade, luz, calor, oxigênio etc. Empresas como Fada Plásticos e Rhotoplás apresentam
as suas soluções para o segmento.
C
M
Y
CM
MY
CY
CMY
K
Boa Leitura!
Daniel Geraldes
Edição 23
Novembro/Dezembro 2012
Embalagem
O “cartão de visita” de cada marca
3
4
Sumário
5
06
Notícias
14
Sindirações
16
Caderno Científico
Diretor
Daniel Geraldes
Editor Chefe
Daniel Geraldes – MTB 41.523
[email protected]
Jornalista Colaboradora
Lia Freire - MTB 30222
Publicidade
[email protected]
20
Capa
26
Entrevista
30
Em Foco
1
32
Em Foco
2
36
Em Foco
Fontes Seção “Notícias”
Anfal Pet, Pet Food Industry, Sindirações, Valor
Econômico, Gazeta Mercantil, Agência Estadão,
Cepea/Esalq, Engormix, CBNA
3
Impressão
Intergraf Ind.Gráfica Ltda
38
Em Foco
4
40
Em Foco
5
42
Segurança Alimentar
50
Pet Food Online
52
Pet Market
54
Caderno Técnico 1
62
Caderno Técnico 2
Direção de Arte e Produção
Leonardo Piva
Denise Ferreira
[email protected]
Conselho Editorial
Aulus Carciofi
Claudio Mathias
Daniel Geraldes
Everton Krabbe
Flavia Saad
José Roberto Sartori
Vildes M. Scussel
Distribuição
ACF Alfonso Bovero
Editora Stilo
Rua Sampaio Viana, 167 - Conj. 61
São Paulo (SP) - Cep: 04004-000
Fone: (11) 2384-0047
A Revista Pet Food Brasil é uma publicação bimestral
da Editora Stilo que tem como público-alvo empresas
dos seguintes mercados: Indústrias de Pet Food,
Fábricas de Ração Animal, Fornecedores de Máquinas
e Equipamentos, Fornecedores de Insumos e Matérias
Primas, Frigoríficos, Graxarias, Palatabilizantes, Aditivos,
Anti-Oxidante, Embalagens, Vitaminas, Minerais,
Corantes, Veterinários e Zootecnistas, Farmacologia,
Pet Shops, Distribuidores, Informática/Automação
Industrial, Prestadores de Serviços, Equipamentos de
Segurança, Entidades da cadeia produtiva, Câmaras de
Comércio, Centros de Pesquisas e Universidades, Escolas
Técnicas, com tiragem de 10.400 exemplares.
Distribuída entre as empresas nos setores de
engenharia, projetos, manutenção, compras, diretoria,
gerentes. É enviada aos executivos e especificadores
destes segmentos.
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus
autores e não necessariamente refletem as opiniões da
revista. Não é permitida a reprodução total ou parcial
das matérias sem expressa autorização da Editora.
Notícias
6
7
Bigsal investe no futuro da Região Norte com
fábrica contruída pela Ferraz
A piscicultura é uma atividade que vem crescendo na
Amazônia Ocidental de forma significativa. O peixe é um dos
recursos naturais mais abundantes e consumidos na região
amazônica. O número estimado de espécies biológicas gira
em torno de 2.500, o que representa, aproximadamente, 8%
dos peixes de todo o mundo, 30% dos peixes de água doce e
75% dos peixes de água doce do Brasil (Cohen,1970; Geisler
et alli, 1975).
A maior importância do peixe está relacionada, sem
dúvida, à alimentação humana. O consumo per-capita/ano na
Amazônia é estimado em 60 kg. Em Rondônia a piscicultura
vem apresentando crescimento acelerado, principalmente pela
falta de pescado no mercado, sem condições de ser suprida
pela pesca extrativa. Neste Estado a estimativa de número
Representantes Bigsal visitando as instalações da nova fábrica de rações
para peixes.
de piscicultores de 800 com uma produção média anual de
quatro a cinco mil toneladas em mil hectares de área utilizada. A principal espécie criada é o tambaqui.
É importante salientar que há uma excelente perspectiva de exportação. As populações dos países desenvolvidos demandam crescentemente
as chamadas “carnes brancas” com baixo teor de gordura, e também os produtos considerados ecologicamente corretos, ou seja, provenientes
de processos de produção sustentáveis. Estas preferências normalmente são satisfeitas pelos produtos da piscicultura e por seus derivados.
Informações levantadas junto a instituições envolvidas com a atividade na região norte revelam que um dos principais problemas sentidos
pela piscicultura é a ausência de produção de ração em volume suficiente para atender a atual demanda e o promissor mercado de produção de
peixes. Com objetivo de atender a contento esta demanda, atual e futura, a Bigsal, Empresa de Nutrição Animal, quadruplicou a sua produção
de ração para peixes com a instalação de uma nova extrusora, fornecida pela Ferraz Máquinas e Engenharia.
Foram investidos R$ 3 milhões nesta nova fábrica de rações, com capacidade de produção de seis toneladas por hora. Este
equipamento estará em pleno funcionamento no início de novembro e foi instalada em tempo recorde para atender da melhor forma
possível seus clientes. Atualmente a Bigsal possui uma linha específica de ração para peixes, a Big +, com alto padrão tecnológico
que proporciona alta conversão alimentar em todas as fases de produção, desde alevinos até a terminação em sistemas intensivos
e superintensivos, oferecendo palatabilidade e digestibilidade, gerando maior ganho de peso em menor tempo e garantindo ao
piscicultor maior produtividade e melhores resultados. Para os animais onívoros são oferecidos vários tamanhos de ração e níveis de
proteína específicos a cada fase da produção. A Bigsal também atende ao mercado de produção de peixes carnívoros com uma ração
específica para ser oferecida aos peixes na fase de recria.
Produtos processados e carnes já refletem
queda de preços de ração
Os preços das carnes, apurados pelo Índice de Preços ao Atacado (IPA), já refletem a queda observada na ração, que apresentou inflação
de 1,02% em outubro ante 4,83% em setembro. Esse recuo é decorrente da queda de 6,50% no preço da soja, que levou à deflação de 6,22%
do farelo de soja em outubro em relação ao avanço de 3,54% no mês passado. Os dados são da Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Diante deste cenário, em outubro houve queda de 0,26% nos preços das aves abatidas e refrigeradas enquanto em setembro foi observada
alta de 8,71%, As carnes suínas registraram alta de 1,69% em outubro ante inflação de 7,23% no mês passado. Já as carnes bovinas registraram
avanço de 0,47% em seus preços no mês corrente ante alta de 6,10% notada em setembro.
Fonte: Agência CMA
8
Notícias
Mapa amplia lista de substâncias de uso
veterinário com controle especial
Para evitar que produtos de uso veterinário sejam comprados e utilizados pelo homem como entorpecentes, psicóticos e
anabolizantes, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou, em 21 de novembro, lista com 133 substâncias
de uso veterinário que estão sujeitas a controle especial, atendendo diretrizes da Convenção Única sobre Entorpecentes. A lista de
2002 estabelecia controle especial para apenas 17 substâncias.
Por meio de Instrução Normativa (IN) nº 25 da Secretária de Defesa Agropecuária (SDA), o Mapa estabelece os procedimentos
que devem ser seguidos por fabricantes, manipuladores, comerciantes, distribuidores, importadores e exportadores na hora da
comercialização dessas substâncias que constam na lista, bem como os produtos que as contenham em sua formulação.
A IN determina que a receita veterinária deva ser emitida em três vias, especificando em cada folha qual é a via do médico
veterinário, do estabelecimento fornecedor e do responsável pelo animal. Além disso, o Mapa padronizou o modelo do relatório,
trimestral e anual, de movimentação de estoque, que o estabelecimento deve enviar à Coordenação de Fiscalização de Produtos
Veterinários da SDA. Os rótulos dos produtos também deverão alertar para o risco que o consumo desses produtos pelo homem
pode gerar à saúde.
Assim como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determina a lista de medicamentos e substâncias sujeitos a
controle especial, o Mapa estabelece os produtos veterinários que podem ter ou gerar risco à saúde física e moral da humanidade.
A IN entra em vigor a partir de maio de 2013.
Fonte: Mapa
Fiscais agropecuários denunciam 'terceirização'
nos municípios
O Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa
Sindical) protocolou denúncia no Ministério Público Federal alertando
para 'usurpação de função' por parte de municípios que firmam
convênios com o Ministério da Agricultura para exercer a atividade de
fiscalização, contratando profissionais que, na maioria dos casos, não são
servidores públicos concursado. Pelos cálculos da entidade, atualmente
existem cerca de 300 profissionais, entre médicos veterinários e auxiliares
de inspeção, que estão exercendo atividades que são privativas da
carreira de fiscal federal agropecuário. O sindicato alerta que, além de
infringir legislação federal e de gerar o enfraquecimento da carreira, a
terceirização 'causa enormes riscos à população e ao Estado Brasileiro em
suas relações comerciais internacionais de exportação de matéria animal
e vegetal'. Segundo a denúncia apresentada pela entidade, 'onde deveriam trabalhar profissionais de carreira, aptos a zelar
pela qualidade e pela segurança alimentar dos produtos, estão pessoas que não possuem nenhum vínculo com o Estado e que
podem sofrer todo tipo de pressão durante o desenvolvimento do seu trabalho'. A Annfa sindical diz que a maior parte desses
profissionais conveniados atua em regiões onde estão grandes estabelecimentos de abate animais, como Centro-Oeste, Sudeste
(Minas Gerais) e Sul. Na visão da entidade sindical, o fato de as prefeituras contratarem, sem concurso público, médicos
veterinários para auxiliarem no serviço municipal, revela que o Ministério da Agricultura 'não possui pessoal suficiente para
realizar as atividades privativas de fiscalização'. O serviço de defesa agropecuária do Ministério da Agricultura conta com 3,2
mil profissionais, entre engenheiros agrônomos, médicos veterinários, químicos, farmacêuticos e zootecnistas, diz a entidade,
que defende a realização de novos concursos para adequar o quadro à nova a realidade do agronegócio brasileiro.
Fonte: G1
9
Notícias
Exportação mineira de ração animal bate recorde
www.portais.pe.gov.br
10
As exportações mineiras de rações para animais,
nos primeiros nove meses de 2012, somaram US$ 18,2
milhões, valor 108,4% superior ao montante de igual
período de 2011. Os dados foram divulgados pelo
11
Pesquisa da Embrapa usa resíduos industriais
para produzir alimentos mais baratos
Um projeto realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com apoio da
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), mostra que o aproveitamento de
Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio
resíduos industrias pode contribuir para a produção de alimentos de qualidade e mais baratos.
Exterior (MDIC). De acordo com avaliação da
Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento
das matérias-primas vegetais cana-de-açúcar, cevada e maracujá, respectivamente), por meio de uma
de Minas Gerais (Seapa), o incremento das vendas
tecnologia chamada extrusão termoplástica.
externas por Minas ultrapassou o aumento das
exportações nacionais, de 7,1%.
térmico. É uma combinação de calor, umidade e processo mecânico em que se colocam os resíduos.
Com isso você tem a alteração das matérias primas, dando-lhe novas formas, estruturas e características nutricionais", explicou o coordenador do
“Em 2012, a receita de vendas das rações mineiras
A pesquisa aproveita resíduos da produção de açúcar/álcool, cerveja e suco de maracujá, (provenientes
"A extrusão termoplástica é uma tecnologia de processo que utiliza uma máquina de tratamento
representou 14,7% das exportações brasileiras do
estudo, o engenheiro agrônomo Carlos Wanderlei Piler de Carvalho.
produto, ou US$ 123,8 milhões, maior parcela já
registrada”, diz Márcia Aparecida de Paiva Silva,
cevada ou a casca do maracujá, que são submetidos a altas temperaturas na hora do cozimento. Diante dessa pressão, os resíduos são moldados em
assessora técnica da Superintendência de Política
forma de salgadinho, do mesmo tipo que se vendem em mercados, e cereais matinais, que são aproveitados como fontes de nutrientes, em especial
e Economia Agrícola (Spea). “Os resultados são
fibras e minerais, e utilizados na elaboração de diversos alimentos, como farinha e amido de milho.
positivos. A cifra dos primeiros nove meses de 2012 é 232,2% superior à média do valor exportado, anualmente, desde 2001, que
foi de US$ 5,5 milhões.
levado em consideração pela sociedade. "Está havendo maior distribuição desses alimentos por um custo menor. Estamos com a intenção de aumentar
o valor agregado para quem vende os produtos e dar uma alternativa de uso desse coproduto. É preciso investir cada vez mais em pesquisa para se
O segmento que tem maior contribuição no grupo é o de rações para cães e gatos, com parcela de 49,8% do montante total
Carvalho diz que nessa máquina é colocada uma farinha de arroz, preparada separadamente, juntamente com o bagaço de cana-de-açúcar, da
De acordo com o coordenador, o aproveitamento desses produtos com maior teor de fibra que os produtos tradicionais, tem sido cada vez mais
registrado nos primeiros nove meses de 2012. A receita de vendas desse grupo atingiu US$ 9,1 milhões, crescimento de 9,2% e,
poder viabilizar esses estudos", diz
relação ao montante do período de janeiro a setembro de 2011.
Segundo Carvalho, o projeto envolve parcerias com alunos de doutorado da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da Universidade
Nas exportações do grupo, o maior crescimento foi o especificado como outras preparações para alimentação animal. O
Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). A Embrapa informou que está na fase final de construção de
aumento das vendas externas dessa classificação foi de 2.221,5% e o montante se aproximou do valor auferido pela ração para cães
uma laboratório previsto para fevereiro de 2013 em Guaratiba, zona oeste do Rio, que irá reunir pesquisadores e técnicos para trabalhar exclusivamente
e gatos, com parcela de 49,7% e cifra de US$ 9,0 milhões.
com coprodutos do setor agrícola e com produção na agroindústria.
Fonte: Agência Brasil
Chile lidera compras
O bom desempenho das exportações mineiras de rações para animais se deve principalmente ao aumento das compras dos
principais países importadores. Márcia Silva assinala que o desempenho do Chile se destacou dentre os demais membros. “O país
assumiu a liderança das compras, posição ocupada pelo Uruguai no período de janeiro a setembro de 2011.”
As compras chilenas passaram de US$ 322,7 mil para US$ 9,0 milhões, uma expansão de 2.681,0%, comparando os três
Novo registro exigido pelo governo dos EUA às
empresas brasileiras exportadoras de alimentos
primeiros trimestres de 2011 e 2012. O Uruguai, segundo colocado, importou US$ 2,6 milhões e aumentou em 44,4% suas compras
dos produtos mineiros.
iniciou, em 22 de outubro último, o período para o novo registro de produtores de alimentos e instalações relacionadas, o Food Facility
O terceiro colocado no ranking dos principais destinos foi a Colômbia, que aumentou suas compras em 103,5%, alcançando
Registration. Esse procedimento, que deverá ser renovado a cada dois anos, é obrigatório para todas as empresas que fabricam, processam,
o montante de US$ 1,1 milhão. “Os três principais destinos absorveram 69,8% das exportações mineiras de rações para animais,
embalam, ou armazenam alimentos para consumo animal ou humano, inclusive as empresas estrangeiras que exportam para o país. O
evidenciando que a maior parcela das vendas externas desses produtos destina-se a países latino-americanos”, acrescenta a
registro deverá ser feito até o dia 31 de dezembro de 2012, mesmo por aquelas empresas já registradas no FDA no âmbito do Federal
assessora.
Food, Drug, and Cosmetics Act (FD&C Act). O Food Facility Registration faz parte das medidas adotadas pelo Governo Americano por
Para Márcia Silva, o aumento das exportações de produtos não convencionais, como as rações, é uma boa alternativa para
meio da lei assinada pelo presidente Barack Obama em janeiro de 2011, o Food Safety Modernization Act (FSMA), que autoriza o FDA a
minimizar os efeitos negativos do desaquecimento das exportações estaduais. “Os setores tradicionais da economia mineira são os
aprimorar a proteção à saúde pública por meio de fortalecimento do sistema de segurança alimentar. A lei produz emendas na seção 415
mais afetados por terem maior densidade comercial. Essa é a grande contribuição da diversificação de mercados que, juntamente
do "Federal Food, Drug, and Cosmetics Act (FD&C Act) [21 U.S.C. § 350d] que, segundo o FDA, "focam-se na melhoria da capacidade da
com a agregação do valor aos produtos, colabora para a expansão das relações internacionais mineiras. Esses mecanismos são
agência de responder a emergências relacionadas a alimentos com maior eficiência e rapidez". Entre os novos requisitos, as companhias
capazes de reduzir os efeitos da crise financeira internacional e do consequente arrefecimento do comércio mundial.
brasileiras deverão informar o endereço de e-mail de seu agente nos Estados Unidos que será o responsável pela comunicação entre o FDA
Vendas externas em ascensão
Principais Destinos:
US$ 18,2 milhões (+108,4%)
Chile: US$ 9,0 milhões (+2.681,0%)
Aumento de 232,2% desde 2001
Uruguai: US$ 2,6 milhões (+44,4%)
Rações para cães e gatos: US$ 9,1 milhões (+9,2%)
Colômbia: US$ 1,1 (+103,5%)
Fonte: SAA/MG
A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (em inglês, United States Food and Drug Administration - FDA)
e a empresa. É importante destacar que, ao efetuar o novo registro, as empresas certificam que o FDA poderá inspecionar suas instalações,
conforme estabelecido no FD&C Act. Além disso, o FDA terá o poder de suspender o registro de uma empresa, caso determine que o
alimento fabricado, processado, embalado, recebido ou armazenado tem o potencial de causar sérias consequências adversas ou a morte
para pessoas ou animais, o que impedirá tais mercadorias de serem comercializadas e consumidas nos E.U.A. Informações adicionais sobre
o Food Facility Registration estão disponíveis aqui. As instruções para a realização do registro podem ser acessadas aqui.
12
Notícias
Consumo de carnes impulsiona mercado global de
ração animal, podendo chegar a US$8,0 bi em 2018
Abinpet
A maior renda e o rápido aumento na classe média ao redor do mundo dobrará o
consumo de alimentos nos próximos anos. Os Estados Unidos são o maior consumidor
mundial de carne de frango, com a carne vermelha perdendo terreno para a carne de frango
e suína. O aumento ao acesso à alimentos e a mudança nos hábitos de consumo de carne
direcionarão o uso de ração animal em cada segmento.
Novas análises de Frost & Sullivan, “Análises Estratégicas sobre o Mercado de
Ingredientes de Alimentos para Animais na América do Norte”, descobriram que o mercado
teve receita de mais de US$ 5,30 bilhões em 2011 e estima que essas alcançarão US$ 7,98
bilhões em 2018.
A popularidade das carnes de frango e suína direciona os fabricantes a produzir ração
com maiores volumes de ingredientes para esses segmentos do que outros alimentos animais. “A produção de ração onde os principais ingredientes são
grãos, está em declínio desde 2008”, disse o analista de indústria da Frost & Sullivan, Anjaneya Reddy. “A fraca perspectiva econômica tem prejudicado
os planos de expansão da capacidade de produtores de ração e afetado a produção deste tipo de ração”.
Além disso, a indústria de biocombustíveis de rápido crescimento está competindo pela terra agrícola necessária para o cultivo de ingredientes para
alimentação animal. Se a demanda por biocombustíveis continuar aumentando, haverá um conflito por terra para produção agrícola.
Além disso, os produtores estão ansiosos para melhorar suas reduzidas margens focando em maior produtividade nos sistemas rurais. Eles estão
mais inclinados a usar ingredientes de ração com alta eficácia que compensarão a redução na quantidade. Especialistas da indústria também levantaram
preocupações sobre o efeito das emissões de gases de efeito estufa, direcionando a necessidade por alternativas naturais a produtos sintéticos.
Campanha proativas baseadas na imagem de segura dos ingredientes dos alimentos animais direcionarão os retornos das companhias, criando um
mercado de alto potencial e alto crescimento.
Fonte: Drovers, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.
Abinpet participa de encontro mundial
de entidades do setor pet no Canadá
A
Associação Brasileira da Indústria de Produtos para
Edson Galvão de França, "somos o segundo maior mercado
Animais de Estimação (Abinpet) esteve presente no encontro
do mundo e objetivamos ser referência mundial em segurança
da GAPFA – Global Alliance of Pet Food Associations, que
alimentar,
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) se reuniu com distribuidores e lojistas de Minas Gerais para
aconteceu nos dias 6 e 7 de novembro de 2012, em Vancouver,
contribuições importantes para a implantação do guia de
discutir maneiras de combater a alta tributação sobre o alimento industrializado para pets naquele Estado. Após a aprovação da Portaria SUTRI nº
e reuniu associações do setor de produtos e serviços para
boas práticas global e entendemos que ele deverá facilitar as
184/12, foi implantada uma nova base de cálculo de substituição tributária denominada Preço Médio ao Consumidor Final (PMPF), que sobretaxou
animais de estimação de diversas nações. O evento foi sediado
transações de produtos entre as nações".
esse tipo de produto. Além de serem contra essa cobrança, os representantes do setor irão solicitar a diminuição da alíquota de ICMS de 18% para 12%.
pela Associação Canadense de Pet Food.
Aumenta a carga tributária de Pet Food em Minas Gerais
Devido ao aumento da tributação, os consumidores passaram a comprar fora do Estado. A mudança do critério de cobrança de impostos tornou
A GAPFA está incentivando seus membros a adotarem
qualidade
e
sustentabilidade,
Logo,
temos
Sobre a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para
o alimento para animais de estimação de Minas Gerais o mais caro do Brasil . "A evasão das divisas é extremamente prejudicial para o mercado local",
medidas que englobam aspectos de qualidade, padrões
afirma Angelo Roberto Lima, distribuidor da região e associado da Abinpet. Outra preocupação dos comerciantes é que, com esse aumento, os
nutricionais e comerciais com a finalidade de estabelecer um
consumidores deixem de ter acesso a produtos de mais qualidade e isso prejudique o crescimento de vendas de rações Premium e Super Premium.
ambiente homogêneo para intercâmbio mundial de Pet Food.
A Abinpet está participando dos grupos de trabalho com
Animais de Estimação (Abinpet) representa a indústria Pet,
a finalidade de desenvolver dois guias, um nutricional e um
com associados de toda a cadeia produtiva. A entidade congrega
voltado à qualidade e à segurança.
os segmentos alimento, medicamentos veterinários, serviços e
pet care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene e
Anteriormente ao PMPF, era aplicada a Margem de Valor Agregado (MVA), com um percentual de 46% conforme disposto no Protocolo 26/04, a
exemplo de todos os outros Estados. "A tributação do setor não é a ideal, mas as novas determinações para Minas Gerais colocam a região em grande
desvantagem em relação ao resto do Brasil . Isso atinge principalmente o consumidor, que paga caro pelo produto", explica José Edson Galvão de
França, presidente-executivo da Abinpet.
Essa medida já é adotada pela associação brasileira desde
Animais de Estimação
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para
2007, por meio do Manual Pet Food Brasil , elaborado com
beleza).
o objetivo de padronizar os serviços e produtos oferecidos
produtiva. A entidade congrega os segmentos alimento, medicamentos veterinários, serviços e pet care (equipamentos, acessórios e produtos para
pelo setor, o que poderá facilitar as exportações da indústria
ações que contribuam para o desenvolvimento dos associados.
higiene e beleza).
brasileira. Apenas em 2011, foram movimentados R$ 12,2
Além disso, a entidade busca ser referência internacional ao
bilhões e a projeção para este ano é de R$ 13,6 bilhões, sem
incentivar a conscientização do consumidor e o fortalecimento
referência internacional ao incentivar a conscientização do consumidor e o fortalecimento do setor por meio da sustentabilidade do mercado Pet no Brasil .
considerar os criadouros.
do setor por meio da sustentabilidade do mercado Pet no Brasil.
Informações para a imprensa:2PRÓ Comunicação
Informações para a imprensa: 2PRÓ Comunicação
Sobre a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) representa a indústria Pet, com associados de toda a cadeia
A Abinpet promove e fortalece o setor Pet, por meio de ações que contribuam para o desenvolvimento dos associados. Além disso, a entidade busca ser
De acordo com o presidente executivo da entidade, José
A Abinpet promove e fortalece o setor Pet, por meio de
13
14
Sindirações
15
Sindirações registra
demanda na Frente
Parlamentar Agropecuária
– Desoneração Pis/Cofins
A
Diretoria Executiva do Sindicato Nacional da
não contemplou a proposição original na totalidade e a
Indústria de Alimentação Animal esteve em Brasília/DF e
Instrução Normativa 1157/2012 que suspendeu parcialmente
apresentou aos Deputados da Frente Parlamentar Agropecuária
a tributação PIS/COFINS nas cadeias de produção de
as demandas do setor frente à necessidade de desoneração da
frangos e suínos, trouxe transtornos para as indústrias do
tributação de PIS/COFINS da cadeia produtora de alimentos
setor, principalmente por causa da extrema complexidade na
para animais.
segregação contábil/física dos mesmos insumos utilizados na
Na ocasião o Dr. Ariovaldo Zani, Vice-Presidente
fabricação de premixes/ rações para outras espécies (bovinos,
Executivo do Sindirações, detalhou o Modelo de Quantificação
peixes, ovinos, caprinos, etc.) sob diferentes regimes tributários
e a Proposta de Desoneração elaborados através da avaliação
e pelo aumento no custo das rações/premixes para aves e suínos
dos valores envolvidos nas transações na cadeia de produção de
porque as fábricas não estão mais autorizadas a aproveitar os
alimentos para animais e a incidência de tributos em cada etapa
créditos pagos na aquisição dos demais insumos que não foram
da produção com base nas mudanças na legislação tributária.
desonerados.
Ainda em 2010 o Sindirações em parceria com outras
O Presidente da Frente Parlamentar Agropecuária,
entidades da cadeia de produção de proteína animal quantificou
Deputado Homero Pereira, incluiu oficialmente o tema na pauta
a incidência de PIS/COFINS nos diversos elos da cadeia
da entidade para que os Deputados construam alternativas
de produção de frangos e suínos e propôs a suspensão da
para extensão da suspensão PIS/COFINS aos insumos não
incidência desses tributos sobre a venda dos produtos finais
contemplados pela Lei 12350/2010 (cadeia de produção de
no mercado interno e dos créditos presumidos incidentes sobre
aves e suínos) e para desoneração PIS/COFINS nas cadeias
as compras de insumos para sua produção, a substituição dos
de alimentação animal/produção de insumos, premixes,
créditos presumidos por aumento na alíquota na aquisição de
suplementos e rações para bovinos corte/leite, ovinos, caprinos,
carne de frango e suíno pelo varejo e a criação de mecanismos
peixes; matérias-primas e sal mineral para bovinos de corte,
para o ressarcimento/monetização de créditos tributários
além da suspensão de PIS/COFINS no desembaraço aduaneiro
acumulados nas cadeias, uma vez que não haveria incidência de
dos aditivos/insumos importados e utilizados na alimentação
PIS/COFINS sobre as receitas.
de aves, suínos, bovinos, ovinos, caprinos, peixes, etc.
Fonte: Sindirações
Todavia, a Lei 12350, promulgada em 2010 pelo Executivo
16
Caderno Científico
17
Dieta deficiente em metionina estende a vida útil em ratos, retarda
o sistema imune e o envelhecimento, altera os níveis de glicose,
t4, igf-1 e insulina e aumenta os níveis de mif em hepatócitos e a
resistência ao estresse.
Resumo: Tem sido demonstrado previamente que uma dieta deficiente em metionina prolonga a vida útil
em várias unidades populacionais puras de ratos. Relatamos aqui que uma dieta deficiente em metionina
(Meth-R) também aumenta a vida útil máxima em (BALB/ cJ × C57BL/6J) ratos F1. Comparados com
os controles, ratinhos Meth-R têm níveis séricos significativamente mais baixos de IGF-1, insulina,
glicose e hormônio tireoideano. Ratos Meth-R também apresentaram níveis mais elevados de fator
inibidor de migração de macrófagos mRNA (MIF) no fígado, conhecido por ser mais elevado em vários
outros modelos de longevidade em ratos. Ratos Meth-R também foram significativamente mais lentos
em desenvolver a turvação da lente e para mostrar mudanças relacionadas à idade em subpopulações de
células T. Estes animais também foram dramaticamente mais resistentes à lesão oxidativa de células do
fígado induzida por injecção de doses tóxicas de paracetamol. O espectro de doenças terminais no grupo
Meth-R foi semelhante à observada em ratinhos controle. Estudos em biologia celular e molecular de
ratinhos privados de metionina pode, em paralelo com os estudos de ratos com restrição de calorias,
fornecer insights sobre a forma como os fatores nutricionais modular doenças longevidade e expectativa
de vida.
Exigências de metionina e
cisteína para cães
A
Neste último artigo os autores usaram doses de metionina no grupo Meth-R inferiores a 0,20%, o que
atualmente é considerado extremamente baixo para cães e gatos. No entanto, apesar disto, este artigo
foi selecionado com o propósito de mostrar que ainda são necessários muitos estudos em cães e gatos
visando estabelecer concentrações ótimas de nutrientes e que muitas vezes estamos preocupados com as
deficiências de aminoácidos, mas os excessos também podem resultar em piores condições de saúde aos
animais.
Aging Cell, vol. 4, p.119-125, 2005.
Autores: Richard A. Miller; Gretchen Buehner; Yayi Chang; James M. Harper; Robert Sigler; Michael Smith-Wheelock
Por: Ricardo Souza Vasconcellos
metionina é geralmente o aminoácido
animais). Uma vez que a metionina é um precursor
mais limitante em dietas formuladas usando-se
da cisteína, este último é considerado um aminoácido
ingredientes naturais para gatos e frequentemente
não-essencial. Por este motivo a necessidade destes
o primeiro ou o segundo limitante para cães. Desde
dois aminoácidos é atendida conjuntamente nas
que a metionina é um doador de grupo metil,
formulações, visando atender a demanda total de
participante de coenzimas (S-adenosilmetionina)
aminoácidos sulfurados, a qual pode ser atendida
e componente de proteínas, a deficiência deste
apenas com a metionina, mas comumente envolve
aminoácido promove muitas alterações metabólicas
uma combinação de ambos. À medida que a inlcusão
nos animais, que incluem interferência na replicação
de metionina diminui é necessário maior inclusão de
celular (defeitos na metilação do RNA ou DNA)
cisteína, porém, a cisteína não substitui a metionina,
e na síntese de fosfolipídeos, entre outros. Já a
uma vez que não pode ser convertida a metionina.
cisteína é um importante componente da estrutura
As fontes proteicas comumente usadas na
secundária de proteínas e principal componente dos
alimentação de cães e gatos, derivadas do arroz,
pêlos, da glutationa e da felinina (proteína presente
milho, trigo, soja, levedura e proteínas de origem
na urina dos gatos, provavelmente relacionada
animal (farinha de peixes, farinha de vísceras de
com a comunicação por meio de odores entre os
aves e farinha de carne e ossos) são relativamente
deficientes em metionina. Visando o balanceamento
máximos deste aminoácido para cães (4,7% na
correto de aminoácidos, geralmente é necessário a
matéria seca em uma dieta de 4000 kcal/kg), esta
inclusão de metionina nas rações, que comumente
dosagem é extremamente elevada, sendo muito
é incluída na forma de dl-metionina. Os sinais de
difícil de ocorrer intoxicação na prática, exceto em
deficiência de metionina incluem redução imediata
casos de suplementação errônea visando acidificar
na ingestão de alimentos e severa perda de peso,
o pH urinário ou acesso do animal a suplementos
dermatite, edema e heperemia na pele, evoluindo
contendo aminoácidos sulfurados, conforme citados
para dermatite acral, podendo se tornar necróticas
na literatura.
e hiperqueratócicas, com ulcerações. Apesar disto,
Embora
os sinais clínicos de deficiência são raros, uma vez
determinaram exigências de aminoácidos para cães e
muitos alimentos para cães e gatos apresentam
gatos, estas pesquisas são importantes, uma vez que
teores de proteínas muito superiores aos mínimos
a utilização correta dos nutrientes nas formulações
recomendados,
problemas
favorece a saúde e previnem o aparecimento de
subclínicos. Considerando uma dieta de 4000 kcal/
doenças nos animais. Nesta edição foram selecionados
kg na matéria seca, os teores de metionina+cisteína
dois artigos sobre exigências de aminoácidos
e metionina recomendados são de, respectivamente,
sulfurados para cães e outro sobre longevidade em
0,65% e 0,33% para adultos e 0,70% e 0,35% para
ratos, visando mostrar a importância da utilização
filhotes. Embora sejam estabelecidos os teores
correta dos nutrientes em nutrição animal.
sendo
mais
comuns
existam
poucos
estudos
que
18
Caderno Científico
19
Aminoácidos sulfurados para cães em crescimento: determinação
das exigências dietéticas de meitonina e cistina.
Resumo: Três experimentos foram conduzidos para estabelecer as exigências de aminoácidos
sulfurados para cães em crescimento. No experimento 1, seis labradores falharam em crescer
normalmente quando alimentados com uma dieta com proteína isolada de soja contendo de 0,28%
de metionina com 0,18% de cistina, mas cresceram normalmente quando a dieta foi suplementada
com 0,57% ou 0,74% de metionina. No experimento seguinte, 12 labradores e 21 beagles foram
alimentados com a dieta contendo proteína isolada de soja contendo 0,39%, 0,57% ou 0,74% de
metionina, na presença de 0,15% de cistina durante 12 semanas. Cães alimentados com 0,39% de
metionina apresentaram pesos corporais significativamente mais baixos, retenção de nitrogênio,
ingestão de alimentos e eficiências alimentar em relação aos seus irmãos de ninhada alimentados
com os dois maiores níveis. Esta dieta fornecida continha energia metabolizável de 468 kcal de
energia metabolizável por 100 g, com um nível de aminoácidos sulfurados totais (ASST) de 116 mg/
100 kcal e não foi considerada adequada para o crescimento. O nível mais baixo encontrado adequado
foi de 0,57% de metionina, ou 154 mg ASST/100 kcal, que é semelhante à exigência da outros jovens
omnívoros. Uma experiência final com uma dieta contendo aminoácidos livres indicou que um
nível de 117 mg ASST/100 kcal, enquanto inadequada para Labradores, foi suficiente para alguns
beagles, destacando as diferenças entre a proteína intacta e dietas com aminoácidos purificados e
também sugerindo possíveis diferenças entre raças.
Exigências de aminoácidos sulfurados para cães em crescimento.
Autores: Sandra E. Blaz; Ivan H. Burger; David W. Holme; Peter T. Kendall.
A minoácidos
sulfurados para cães em crescimento :
determinação das exigências dietéticas de meitonina e cistina .
Resumo: Filhotes de Pointer Inglês foram alimentados com uma dieta de aminoácidos cristalinos
(4002 kcal ME / kg) em uma série de seis experimentos para determinar a exigência de aminoácidos
sulfurados totais (ASST) e razão de exigência cistina:metionina ótima para a taxa máxima de
ganho de peso e a ef iciência do ganho de peso. Nos experimentos 1 e 2, proporções iguais de
cistina e metionina foram fornecidas com níveis variando de 0,25 a 0,65% da dieta. Taxa de ganho
de peso e de conversão alimentar foram maximizados quando ASST representaram 0,45% da
dieta (112,4 mg SAA/100 kcal). A relação ASST:cistina foi determinada nos experimentos 3 e 4.
Quando uma dieta basal com 0,1125% de metionina (50% da necessidade de metionina) e 0,1125%
de cistina foi suplementada com um adicional de cistina 0,225% (compreendendo 75% de cistina
dos ASST, m:m), redução do crescimento e lesões cutâneas sobre o membro torácico e coxins
foram desenvolvidas. O estudo de alimentação pareada (pares de ninhada) estabeleceu que os
efeitos adversos do excesso de cistina foram característicos de um desequilíbrio de aminoácidos,
ao invés de um antagonismo. Assim, o excesso de cistina sobrepôs-se a uma def iciência de
metionina e reduziu a ingestão voluntária de alimentos (e metionina), o que explica a redução de
crescimento e dermatite acral.
Nutrition Research, vol. 5, n. 6, p.631-642, 1985.
Autores: Daiane A. Hirakawa; David H. Baker.
20
Capa
Embalagens
As opções para o setor de nutrição animal
Por: Lia Freire
I
21
mportantes funções são atribuídas às embalagens. No caso
as embalagens destinadas ao acondicionamento de alimentos de
específico dos alimentos, contê-los, protegê-los e viabilizar o
origem animal deveriam ter a "Autorização de Uso de Produto
transporte são as suas funções básicas, porém não as únicas. Vale
– AUP" emitida pelo Departamento de Inspeção de Produtos
destacar que o êxito de um produto depende de diversos fatores:
de Origem Animal – DIPOA para que pudessem ser utilizadas,
qualidade, preço atrativo, boa distribuição e comunicação eficaz,
porém não é mais necessário solicitar tal registro, mas é preciso a
neste último quesito, a embalagem é imprescindível. É ela quem
apresentação de documentos que comprovem que essas embalagens
materializa a marca, expressando a sua imagem, seu padrão de
atendam às exigências estabelecidas pela ANVISA. Esta norma foi
qualidade e posicionamento de preço. O produto pode ser bom,
atualizada e publicada novamente como Instrução Normativa Nº 8
mas se a embalagem não comunicar seus atributos, dificilmente o
em 16 de janeiro de 2002.
consumidor o comprará.
A embalagem para o setor de pet food deve conter
Trata-se de um grande diferencial competitivo; uma ferramenta
obrigatoriamente informações sobre o fabricante, composição básica
de marketing e comunicação. O consumidor não separa a embalagem
do produto, níveis de garantia, telefone do SAC, logo do Ministério
do produto. Uma alteração em sua cor, formato ou design pode
da Agricultura, símbolo transgênico, modo de conservação,
significar aumento ou queda no volume de vendas, principalmente
quantidade em kg, entre outros dados.
em categorias que não utilizam outras mídias. É um grande agente
NÚMEROS
de comunicação e uma eficiente ferramenta de marketing e vendas.
Deve evoluir constantemente e responder da forma mais completa
Linha de produção de embalagens da Rhotoplás.
Elas protegem o conteúdo, facilitam o transporte e também o
manuseio, além de expressarem os valores de uma marca
possível às novas demandas do mercado.
A Instrução Normativa 30/2009 do Ministério da Agricultura,
o balanço do setor referente ao primeiro semestre de 2012 e
A ABRE - Associação Brasileira de Embalagem - apresentou
Pecuária e Abastecimento (MAPA) é a que regulamenta a
as perspectivas para o fechamento do ano, através do Estudo
embalagem, rotulagem e propaganda dos produtos destinados
Macroeconômico da Embalagem ABRE/FGV, realizado há 16 anos
à alimentação dos animais de companhia que, portanto, deve
pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas.
ser obedecida pelas empresas fabricantes. Em março de 2001, o
Participaram da pesquisa, 130 empresas e foram coletados dados do
MAPA havia publicado uma Instrução Normativa, indicando que
período que compreende 05 a 27 de julho de 2012.
Capa
22
23
todo o processo produtivo das embalagens acontece aqui dentro da
Rhotoplás, sob nossa supervisão. Desde a extrusão dos filmes de
polietileno (possibilitando qualquer ajuste que se faça necessário)
à gravação eletromecânica (que permite excelente definição), além
de uma completa linha de acabamento, que oferece desde formatos
mais tradicionais como a solda horizontal a formatos 4 soldas e
square que tem fundo quadrado que possibilita às embalagens
permanecerem em “pé” ”, explica Fernando Aparecido Silva, diretor
comercial e industrial da Rhotoplás.
Segundo o executivo, as embalagens estão em evolução e as
principais melhorias observadas estão no emprego de materiais que
“Cabe a embalagem
proteger o que ela
vende e vender o que
ela protege.”
conferem um aspecto de maior qualidade, sobretudo de barreiras
necessárias para que a qualidade do conteúdo seja preservada, além
disso, o formato está mais rígido, oferecendo robustez à estrutura e,
Há 1 ano, a Rhotoplás instalou uma nova linha de
acabamento square e uma outra para embalagens 4 soldas.
A produção física de embalagem teve redução de 3,49% no
são submetidas a impressões de alta qualidade; apresentam também
primeiro semestre de 2012, comparada ao mesmo período de 2011.
variedade na formatação, conferindo maior robustez e facilidades no
A produção industrial brasileira total caiu 3,81%, no mesmo período.
transporte; e diversificação nas estruturas, propiciando barreiras
Enquanto isso, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI)
eficientes contra a umidade, luz, calor, oxigênio etc.
avançou em agosto de 2012, 0,3 ponto percentual em relação a julho,
Há mais de 20 anos, a Rhotoplás desenvolve embalagens
ao passar de 83,7% para 84,0%, valor que supera a média dos últimos
para o ramo de pet food, fornecendo filmes e sacos de até 25 kgs,
cinco anos (83,7%). Para o ano de 2012, a previsão é de queda de 1%
monocamadas ou laminados, utilizando na estrutura materiais
da produção física de embalagem, contrariando a previsão inicial de
como o polietileno, Bopp e poliéster, de acordo com a necessidade
crescimento de 1,6%. Os fabricantes nacionais de embalagem devem
de cada cliente, observando o tipo de barreira necessária, além dos
obter receita líquida equivalente a R$ 47 bilhões, em 2012.
aspectos físicos e visuais para cada embalagem, todas impressas
por fim, as impressões ganharam alta qualidade.
formada por embalagens nos tamanhos 250ml, 400 ml, 750ml e 1L,
Especialmente para atender o setor de pet food, há aproximadamente
que podem acondicionar suplementos e nutracêuticos alimentares
um ano a Rhotoplás instalou uma segunda linha de acabamento square
ou pastosos tipo pomadas e geis. Estamos lançando também a linha
e uma nova para embalagens 4 soldas com estrutura somente em
MilkCat, frasco específico para envase de leite UHT”, cita Keine
PE, tanto laminado como monocamada. “Nosso objetivo é crescer
Viana, gerente de marketing e comercial da Fada, que disponibiliza
exponencialmente ao longo dos anos, acompanhando a evolução do
uma grande variedade de opções ao setor pet food. São embalagens
mercado de embalagens. Para tanto, contamos com tecnologia de ponta
em resina PEAD mono, block-barreira para a manutenção das
e pessoas capacitadas, o que nos credencia para atender com excelência
propriedades organolépticas dos alimentos e livres de pigmentos
este exigente setor”, afirma Silva.
tóxicos. A empresa também promoveu um up grade em suas
Embalagens funcionais, em formatos que facilitem tanto o
máquinas sopradoras para utilização do controlador do parison
transporte, quanto a utilização, além de minimizar os custos
digital (que confere controle da uniformidade das espessuras das
com a logística são características levadas em conta pela Fada
paredes) e nos equipamentos de análise de hermeticidade.
Plásticos ao desenvolver suas linhas. “Procuramos inovar sempre.
“Desenvolvemos embalagens a partir da observação do
Recentemente lançamos a bombona Pote Forte na versão 5,4 L “Big
mercado internacional e de acordo com as necessidades dos nossos
Mouth” (boca grande) com tampa roscada 110 mm e alça na tampa e
clientes. Na criação são levados em conta todos os detalhes para
também no “corpo” da embalagem. Algo simples e com um aspecto
redução de custos operacionais de logística (em até 30%), fator este
“retrô”. A ideia é que haja a substituição no envase dos produtos
que representa um alto custo às empresas, além de focarmos na
de embalagens filmes-sachês para estes potes soprados com tampa,
excelência da apresentação para que tenham destaque na prateleira
que garantem o frescor dos produtos. A novidade integra a linha
e sejam de ótima manuseabilidade”, afirma Keine.
em rotogravura, maquinário que segundo o fabricante é de última
APRIMORAMENTO
geração, conferindo alta qualidade.
No início de 2013, a empresa receberá mais uma impressora
No mercado pet food constatamos uma importante evolução
Rotomec a fim de continuar oferecendo o que há de inovador para
nas embalagens, que visualmente ficaram mais atraentes, já que
o mercado. “Sabemos da alta exigência do setor pet food, por isso,
A bombona Pote Forte 5,4 L com tampa roscada 110 mm é a novidade da Fada e integra a linha com embalagens nos tamanhos 250ml, 400 ml,
750ml e 1L, que podem acondicionar suplementos e nutracêuticos alimentares ou pastosos tipo pomadas e geis.
24
Capa
25
“A embalagem é um grande agente de comunicação e uma
evoluir constantemente e responder da forma mais
ESTUDO MACROECONÔMICO DA EMBALAGEM
eficiente ferramenta de marketing e vendas. Deve
completa possível às novas demandas do mercado.”
PRINCIPAIS INDÚSTRIAS USUÁRIAS
INDÚSTRIAS ALIMENTARES
Análises Econômicas IBRE/FGV
PRODUÇÃO FÍSICA
Fonte: IBGE
Fonte: IBGE
PRODUÇÃO FÍSICA DE EMBALAGEM EM 2012
VALOR DA PRODUÇÃO
Nota: Em relação a igual trimestre do ano anterior
Fontes: IBGE e Banco Central (Focus)
Elaboração: FGV
26
Entrevista
27
Revista Pet Food Brasil - Nos apresente a Fórmula
Foods.
Marcos Roberto Nicoletti – A marca Premiatta nasceu
há 8 anos com a visão de produzir alimentos de
excelente qualidade, resultando em mais longevidade
para cães e gatos. Atuamos fortemente em pesquisas
internacionais tentando sempre trazer inovações
tecnológicas para o mercado nacional. Somos uma
empresa 100% brasileira e estamos localizados
estrategicamente na cidade de Campinas (SP) com
unidade fabril e centro de distribuição para todo o
mercado nacional. Utilizamos em nosso processo de
produção os melhores ingredientes, com rigoroso
controle de qualidade, garantindo um alimento de
alta qualidade, digestibilidade e palatabilidade.
Disponibilizamos uma ampla linha, com produtos
“Recentemente lançamos a
linha Genesis, um alimento
completo, com muita carne
e altíssima palatabilidade,
adequado ao perfil real do
aparelho digestivo dos cães.”
que atendem as diversas e específicas necessidades
“Destaco como as principais tendências do mercado, os ingredientes funcionais, naturais e antioxidantes.”
“Atuamos fortemente em pesquisas internacionais tentando sempre trazer inovações tecnológicas para o mercado nacional”, Marcos
Roberto Nicoletti.
Marcos Roberto Nicoletti
Por: Lia Freire
O respeito aos consumidores somado ao amor aos animais de estimação levaram a Fórmula Foods
a entrar no mercado de nutrição animal com a proposta de não somente contribuir para a qualidade
de vida e longevidade dos animais, como também oferecer soluções inovadoras, por meio de sua
marca Premiatta. “Entendemos que todos os elos que compõem o negócio no qual estamos inseridos
devem ser beneficiados com os nossos produtos, ou seja, o animal de estimação, o dono do animal,
os parceiros lojistas, os distribuidores, o fabricante (colaboradores e investidores) e a sociedade. Esta
é a nossa motivação”, afirma Marcos Roberto Nicoletti, presidente da companhia.
Com 20 anos de experiência no mercado e atuando em grandes empresas nacionais e multinacionais,
Marcos adquiriu conhecimento suficiente para atender o mercado com foco no cliente e nas suas
necessidades. “Aumentar a qualidade e expectativa de vida de cães e gatos, proporcionando
experiências de alegria e contentamento a seus donos, por meio da criação e distribuição de produtos
diferenciados e de altíssima qualidade é a nossa missão.”
Confira a entrevista que Marcos Roberto Nicoletti concedeu à Revista Pet Food Brasil.
nutricionais de cães e gatos de todas as raças e
Marcos – Sim, temos como novidade a linha Genesis,
idades. Também realizamos um importante trabalho
um alimento completo, com muita carne e altíssima
de orientação técnica de uso e manejo dos nossos
palatabilidade, adequado ao perfil real do aparelho
produtos por meio de palestras, treinamentos e
digestivo dos cães. A Premiatta, sempre antenada às
seminários, que têm como foco os veterinários,
tendências internacionais, percebeu a necessidade de
lojistas e vendedores do varejo, estudantes e
levar aos cães de estimação um alimento semelhante
consumidores finais. Na Premiatta, entendemos e
ao que eles encontravam na natureza.
compreendemos todo o carinho que cada pessoa
Sua composição apresenta mais de 70% de
tem por seu cão e/ou gato. Por isso, colocamos
ingredientes de origem animal, sendo uma dieta
muito amor em todos os produtos que fabricamos,
bem parecida como a que os cães tinham no seu
não é à toa que afirmamos: “Premiatta: os melhores
habitat natural. Possui 40% de proteína animal, tem
produtos, com muito mais paixão.”
alta digestibilidade e baixo consumo, pois o animal
aproveita muito mais do alimento. 0% de cereal, sem
Revista Pet Food Brasil - O que levou a empresa a
adição de milho, arroz ou farelos. Contém colágeno,
atuar no ramo de nutrição animal?
que auxilia na manutenção da pele saudável e dos
Marcos – Com 20 anos de experiência no mercado
pelos brilhantes; e vitamina C para o aumento da
e atuando em grandes empresas nacionais e
imunidade; Genesis também evita a obesidade, pois
multinacionais adquiri experiência e visão para
controla melhor o pico glicêmico do cão, além de
atender o setor com foco no cliente e nas suas
contribuir para fezes de menor volume. Destaco
necessidades,
comercial
ainda o Sistema Day Nutri, que proporciona uma
resultados
alimentação saudável na quantidade certa com
transparente
traçando
e
uma
verdadeira,
política
gerando
financeiros superiores.
porções diárias programadas para cada porte de cão,
resultando em muito mais conveniência no consumo.
Revista Pet Food Brasil - Qual o portfólio atual da
Por exemplo, para cães grandes, os pelets contém
companhia e para quais animais de companhia se
30 pacotes de 300 gr; para cães de médio porte, os
destinam?
pelets têm 30 pacotes de 200 gr e para os pequenos
Marcos – Temos como objetivo trabalhar nos
segmentos
Premium,
específicas,
produtos
Super
Premium,
terapêuticos
e
de
cães, os pelets possuem 30 pacotes de 100 gr.
Raças
valor
agregado para cães e gatos.
Revista Pet Food Brasil – Ao observar a tendência
de consumo neste segmento de nutrição para
animais de companhia, qual é a sua conclusão?
Revista Pet Food Brasil – A Premiatta está com
Marcos
alguma novidade em termos de produto?
preocupando mais com a nutrição dos animais de
–
Acredito que o consumidor está se
28
Entrevista
29
com parcerias técnicas com Universidades, Centros e
Laboratórios de pesquisa em todo o Brasil.
Temos participado de eventos internacionais como
simpósios e feiras durante o ano e periodicamente são
realizados exames laboratoriais a fim de mantermos
um constante controle de qualidade na performance
e rendimento dos produtos. São feitos testes “in vivo”
em canis conveniados verificando-se a palatabilidade,
“Temos como principal objetivo
prolongar e melhorar a vida
dos cães e gatos.”
digestibilidade entre outros quesitos.
plantel de animais de estimação quanto no volume
Revista Pet Food Brasil – Quais os desafios para a
de alimento industrializado e balanceado, pois ainda
indústria brasileira de nutrição animal?
existe no país uma parcela que alimenta os seus
Marcos – Acredito que de modo geral faltam treinamentos
animais com comida caseira.
e informações para o setor se especializar ainda mais.
Revista Pet Food Brasil – Quais as metas da
“Os produtos Premiatta são desenvolvidos com base em pesquisas e estudos científicos mundiais de diversas fontes líderes na área
do conhecimento da nutrição animal.”
companhia, pois a relação entre o homem e o animal
diferencie, mas que caracterizam a nossa atuação.
tornou-se mais próxima e humana. Há o desejo de
Destacaria
longevidade, portanto, a alimentação é um item muito
rentabilidade e política comercial transparente.
três
deles:
produtos
diferenciados,
importante para que isso aconteça. Qualidade de vida
é essencial nos dias de hoje para definir a compra de
Revista Pet Food Brasil – Como a empresa está
um produto. Além disso, a acessibilidade acerca das
estruturada e preparada para atuar no mercado?
informações sobre a nutrição animal é muito maior
Marcos – Atuamos comercialmente por meio de
nos dias atuais, o que certamente colabora para que os
distribuidores exclusivos e consultores de vendas, que
fabricantes desenvolvam produtos mais tecnológicos
atendem todo o país. São realizadas regularmente
com valor agregado à saúde e longevidade.
visitas em todo o varejo do mercado pet, oferecendo
e posicionando toda a nossa linha de produtos, seja
Revista Pet Food Brasil – Qual é a estratégia de
em pet shops, clínicas veterinárias, lojas de banho e
atuação adotada pela Premiatta?
tosa, agropecuárias, entre outros estabelecimentos.
Marcos – Temos como principal objetivo prolongar e
melhorar a vida dos cães e gatos. Para isso, utilizamos
com muita bagagem em nutrição e graduados pelas
somente matérias-primas selecionadas de primeira
melhores universidades do Brasil.
Nossa equipe técnica é formada por profissionais
linha e mantemos nossa produção sob rigoroso
controle de qualidade. Nossa maior satisfação é ver os
Revista Pet Food Brasil – Sobre os estudos e
animais com muita saúde e energia, proporcionando
pesquisas realizados pela companhia. Como, em
a seus donos momentos de alegria e encantamento.
quais ocasiões e com que frequência acontecem?
Marcos – Os produtos Premiatta são desenvolvidos
Revista Pet Food Brasil – Quais seriam os aspectos
com base em pesquisas e estudos científicos
que os diferenciam da concorrência?
mundiais e atuais de diversas fontes líderes na área
Marcos – Talvez não sejam aspectos que nos
do conhecimento da nutrição animal, além de contar
Revista Pet Food Brasil – Em que posição está a
Premiatta para 2013? A companhia pretende
indústria brasileira de alimentação animal quando
ocupar qual posição no mercado nacional de
levamos em consideração o cenário internacional?
nutrição animal?
Qual a projeção para este mercado?
Marcos – Ser reconhecida como uma empresa que
Marcos – O mercado vai continuar crescendo para
entrega a promessa que é industrializar produto de
2013, principalmente nas linhas de produto de valor
qualidade, gerando longevidade para os animais de
agregado. Temos muito espaço para crescer tanto no
estimação a um custo justo.
Em Foco 1
31
www.jornalcomunicacao.ufpr.br
30
Criação em ambiente doméstico e comércio legalizado de
animais nativos de origem silvestre contribuem
para conservação da fauna brasileira
A
Entidade da indústria e serviços voltados aos animais de estimação apoia
os criadores nacionais de animais nativos e ameaçados de extinção
criação de animais nativos de origem silvestre em ambiente
doméstico, com instalações adequadas e de acordo com a legislação
ambiental, é uma ferramenta de conservação da fauna brasileira,
além de uma fonte de emprego e renda. Essa é a posição defendida
pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de
Estimação (Abinpet), e corroborada por autoridades do setor.
Um dos aspectos mais importantes da criação em ex situ é a
diminuição do número de espécimes retirados da natureza. Além
disso, a oferta desses animais de maneira legalizada ajuda na
fiscalização de lojas ilegais, que perdem espaço para comercialização.
Wilian Pires de Oliveira, especialista em clínica e manejo de
animais silvestres da Associação dos Criadores de Animais Silvestres do
Centro-Oeste (Acasco), comenta que hoje, no Brasil, existe estrutura e
conhecimento para garantir aos animais uma vida saudável em ambientes
controlados. “Temos universidades com especialização, mestrado,
doutorado em áreas relacionadas a esses animais”, explica o veterinário. “É
possível dizer que existe reprodução rotineira de várias espécies, inclusive
algumas ameaçadas de extinção, como Arara Azul, Ararajuba, Bicudo,
entre outros. Isso acontece devido às boas práticas de manejo adotadas
pelos criadores, que permitem aos animais ter uma boa saúde e bem-estar”.
Aloísio Pacini Tostes, presidente da Confederação Brasileira dos
Criadores de Pássaros Nativos (Cobrap), também garante a importância
da criação e do comércio legalizado, e reforça a possibilidade correta
reintrodução de espécimes na natureza. “Geramos conservação. Isso
nada mais é do que uma prática sustentável, comum no mundo. Existem
criadores estrangeiros de aves brasileiras premiados, por incrível que
pareça. Precisamos reverter esse cenário”, explica o ornitólogo. “O ideal
seria que o Estado disponibilizasse áreas monitoradas, para a correta
reintrodução desses animais. É necessário estudar e seguir protocolos
legais. Soltar de maneira indiscriminada pode ser nocivo”, completa.
Sobre a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para
Animais de Estimação
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para
Animais de Estimação (Abinpet) representa a indústria Pet, com
associados de toda a cadeia produtiva. A entidade congrega os
segmentos alimento, medicamentos veterinários, serviços e pet
care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene e beleza).
A Abinpet promove e fortalece o setor Pet, por meio de ações
que contribuam para o desenvolvimento dos associados. Além
disso, a entidade busca ser referência internacional ao incentivar a
conscientização do consumidor e o fortalecimento do setor por meio
da sustentabilidade do mercado Pet no Brasil.
Em Foco 2
32
33
de peixe sustentáveis e produtos de frutos do mar responsavelmente cultivados. Sempre
que possível, serão desenvolvidas alternativas aos peixes marinhos para uso como
ingredientes.
Cacau com origem sustentável até 2020
Outra meta importante para a Mars é comprar, até 2020, 100% de seu cacau de
origens sustentáveis certificadas. Até 2011, 10% da meta havia sido atingida, e a previsão
é de que em 2012 a porcentagem de cacau certificado utilizado pela Mars chegue a 20%,
tornando-a a maior usuária de cacau certificado no mundo. Para atingir esta meta, a Mars
já investiu mais de US$ 70 milhões em pesquisa científica, transferência de tecnologia
e apoio a comunidades produtoras de cacau. Um dos destinos deste investimento é o
Centro Mars de Ciência do Cacau (MCCS), localizado no município de Barro Preto, na
Bahia, único centro de pesquisa de uma empresa privada voltado exclusivamente para o
estudo do fruto. O MCCS é, essencialmente, um grande laboratório aberto – com estufas,
agroflorestas e laboratórios. Uma equipe de 130 associados, composta por pesquisadores,
técnicos e trabalhadores do campo, tem como objetivo monitorar e estudar todo o
processo produtivo do cacau. O foco é ajudar os produtores a triplicar sua produtividade
com práticas mais eficientes, boas habilidades agronômicas, germoplasma melhorado
Mars renova seus compromissos de sustentabilidade e
compartilha seu progresso no relatório Princípios em Ação
C
Segunda edição do documento reafirma que a empresa é muito mais que marcas
conhecidas mundialmente e produtos de alta qualidade
e fertilizantes. Isto permitirá que tripliquem sua renda, dando-lhes oportunidades que
de outra forma não teriam. Por meio do programa Vision for Change, a Mars também
implementou os Centros de Desenvolvimento do Cacau para apoiar produtores na Costa
do Marfim, maior exportador de cacau do mundo.
Além de seus compromissos com a sustentabilidade, o relatório detalha a história
da Mars, o progresso feito nos últimos meses e os diferenciais de se trabalhar em uma
empresa que coloca seus Princípios em Ação todos os dias. A Mars se orgulha de sua
cultura diferenciada, em ser uma empresa de portas e estruturas abertas baseada em
relacionamentos ao invés de hierarquias; por esse e outros motivos, em 2012, ela foi eleita
uma das Melhores empresas para se trabalhar no Brasil.
Sobre a Mars, Incorporated
PEDIGREE® A dotar é tudo de bom
om o objetivo de ser Sustentável em uma Geração, a
Mars, Incorporated, uma das maiores fabricantes de alimentos
do mundo, apresenta a segunda edição do relatório Princípios
de bom educa os consumidores quanto aos benefícios de se adotar
Washington, e estabeleceu as raízes da Mars como uma empresa de balas e chocolates. Em
em Ação, que detalha as metas, os resultados e os progressos
um animal de estimação. Por meio do apoio a 36 organizações não-
1920, Forrest E. Mars, Sr. juntou-se ao pai nos negócios e, juntos, lançaram o chocolate
da empresa em diversas áreas de trabalho com o objetivo de
governamentais em 12 estados brasileiros, a Mars já transformou a
MILKY WAY®. Em 1932, Forrest, Sr. mudou-se para o Reino Unido com o sonho de
fazer a diferença para as pessoas e para o planeta por meio da
realidade de mais de 32 mil cães no Brasil, ajudando-os a encontrar
construir uma empresa baseada na filosofia da “mutualidade dos benefícios” para todos
performance. Compromissos de sustentabilidade na cadeia
lares felizes e donos responsáveis.
– esta visão serve de alicerce para a Mars, Incorporated de hoje. Sediada em McLean,
produtiva e ações de marketing do bem fazem parte das
Como suporte para PEDIGREE® Adotar é tudo de bom, a Mars
Virginia - EUA, com um faturamento de mais de US$ 30 bilhões, atua em seis segmentos
iniciativas da empresa para gerar efeitos positivos e duradouros
convidou a apresentadora Xuxa para ser madrinha do programa e
de negócio: Petcare, Chocolate, Alimentos, Wrigley (balas e gomas de mascar), Bebidas e
no mundo. Para conhecer o relatório, acesse http://www.mars.
estabeleceu presença forte e incentivadora nas mídias sociais. No
Symbioscience. Mais de 70 mil associados em todo o mundo estão colocando os Princípios
com/brazil/pt/PiA.aspx
Brasil, a fanpage de PEDIGREE® Adotar é tudo de bom tem mais
da Mars em ação para fazer a diferença para as pessoas e o planeta por meio de sua
de 50 mil fãs e, além de incentivar a adoção e a posse responsável,
performance.
ajuda usuários do Facebook a encontrar cães perdidos.
As marcas da Mars incluem: Petcare – PEDIGREE®, ROYAL CANIN®,
Questões mundiais como a preservação do meio ambiente,
a disseminação da prosperidade e do crescimento econômico de
Presente em 28 países, a iniciativa PEDIGREE® Adotar é tudo
forma universal, a alimentação de mais de sete bilhões de pessoas e
Em 1911, Frank C. Mars fez os primeiros doces na cozinha de sua casa, em Tacoma,
WHISKAS®, KITEKAT®, BANFIELD® Pet Hospital e NUTRO®; Chocolate –
o enfrentamento da obesidade são desafios que a Mars compartilha
Pescados com origem sustentável certificada até 2020
M&M’S®, SNICKERS®, DOVE®, GALAXY®, MARS®, MILKY WAY® e TWIX®;
com a sociedade. Para enfrentá-los, a empresa realiza uma séria de
Em um gesto pioneiro no setor, a Mars tem como meta que
Wrigley – as gomas de mascar DOUBLEMINT®, EXTRA®, ORBIT® e 5™ e as
atividades em seus seis segmentos de negócio, todas norteadas por
100% do pescado de sua cadeia de suprimentos venha de origem
balas SKITTLES®, STARBURST®, ALTOIDS® e LIFESAVERS®; Alimentos –
seus Cinco Princípios – Qualidade, Responsabilidade, Mutualidade,
sustentável certificada. Isto significa utilizar somente pescados de
UNCLE BEN’S®, DOLMIO®, EBLY®, MASTERFOODS®, SEEDS OF CHANGE®
Eficiência e Liberdade.
origem silvestre que não estejam ameaçados, ou pescados cultivados
e ROYCO®; Bebidas – ALTERRA COFFEE ROASTERS™, THE BRIGHT TEA
Dentre as inúmeras ações realizadas que destacam esse
em cativeiro de maneira sustentável. Além disso, todo o pescado
COMPANY™, KLIX® e FLAVIA®;
compromisso da empresa com a sociedade, destacamos:
inteiro selvagem e filés de peixe serão substituídos por subprodutos
PANEL™ e SERAMIS®.
Symbioscience – COCOAVIA™, WISDOM
Em Foco 3
34
35
Cães e gatos também estão propensos
a
desenvolverem
o
diabetes
U
ma doença que atinge em grande escala a população humana é o
médico veterinário. Já em gatos o diabetes tipo 2 é o mais frequente e está
diabetes - enfermidade ocasionada pelo aumento da taxa de açúcar (glicose)
fortemente associado ao aumento de peso que promove alterações no
no sangue. Por mais estranho que pareça, os cães e gatos também podem
controle da glicose sanguínea e o aparecimento da doença. Vale ressaltar
sofrer com a doença e quanto mais cedo for descoberta, maiores as chances
que em alguns casos os gatos não têm necessidade de insulina.
de sucesso no tratamento. Em cães é mais comum o aparecimento do
diabetes entre os 4 e 14 anos de idade, com maior ocorrência entre os 7 e 9
ser feito sob supervisão do médico veterinário e deve levar em conta o
anos, sendo as fêmeas afetadas cerca de duas vezes mais do que os machos.
manejo nutricional do animal. Deve ser oferecido um alimento específico
Algumas raças de cães como Poodle miniatura, Samoieda, Pug, Poodle
que considere as necessidades nutricionais e metabólicas peculiares dessa
Toy e Schnauzer Miniatura têm maior predisposição à doença.
doença. Avaliações periódicas são importantes para monitorar o controle
do açúcar no sangue, ajustar as doses de insulina, quantidade e tipo de
Os principais sintomas do Diabetes são: a polidipsia (aumento da
O tratamento do diabetes tanto em cães como em gatos necessita
quantidade de água ingerida); poliúria (o volume da urina se torna maior)
alimento, e a saúde geral do animal.
e o emagrecimento(mesmo com o aumento do apetite e consequente
aumento da ingestão alimentar). O Diabetes em estado avançado nos
manter o animal com uma dieta equilibrada, já que muitos animais recebem
cães tem como sinal o aparecimento da catarata (é uma opacidade do
alimentação de forma errada através de guloseimas (biscoitos, petiscos, restos
cristalino – que é a lente que temos dentro do olho – causa diminuição da
de comida), o que contribui para o aumento de peso e consequentemente o
visão). Já nos gatos a neuropatia diabética (lesão dos nervos em virtude
Diabetes. Uma forma de avaliar se o cão está acima do peso é verificar o
da glicemia elevada) pode ocasionar dificuldade e dor no andar do animal.
acumulo de gordura na região da base da cauda e do abdômen e nos gatos na
Ficar atento aos primeiros sinais e procurar ajuda médica veterinária o
região inguinal (parte da frente das patas traseiras). O ideal é sempre estar
quanto antes podem ajudar no tratamento.
atento a condição corporal do animal, ou seja, ele não deve estar nem muito
A melhor forma de prevenção tanto para o Diabetes tipo 1 ou 2 é
O diabetes tipo 1 é o mais comum em cães e se caracteriza pela
magro e nem acima do peso. Além disso, dedicar parte do dia para passear
perda das células que produzem o hormônio insulina, responsável pela
ou brincar com o animal, para que o mesmo possa praticar exercícios físicos
captação da glicose sanguínea. Dessa forma, a maior parte dos cães
regulares é uma boa forma de prevenir a doença.
precisa de insulina como parte do tratamento. A aplicação deve ser
realizada sempre nos mesmos horários e na dose correta prescrita pelo
Fonte: Karina N. Venturelli Gonçalves – Médica Veterinária e Gerente de
Desenvolvimento Técnico Pet do Grupo Guabi.
Em Foco 4
36
37
Alltech investe em segmento Pet no Brasil
H
No mundo, a multinacional fatura US$ 700 milhões e na
América Latina 140 milhões de dólares
oje, os animais de companhia são considerados
em volume - em comparação com o mesmo período do ano
membros da família. De acordo com a Abinpet (Associação
passado. A alta dos preços das commodities é, de fato, a grande
Brasileiras das Indústrias Pet), o Brasil é o segundo maior
responsável pelo crescimento do faturamento.
faturamento do mundo, ficando atrás somente dos Estados
Unidos. No país, o setor de pet food produziu em 2011, 1.934
food foi de 28% nos últimos quatro anos. Este número foi
mil toneladas e o segmento movimentou R$ 12,2 bilhões em
alcançado graças aos investimentos em tecnologia, novos
2011. A projeção é fechar este ano com R$ 13,6 bilhões, ou
produtos e eventos com informação técnica relevante”, ressalta
seja, um crescimento de 11,42%. Com esse volume de negócios,
o diretor geral da Alltech no Brasil, Clodys Menacho. Para o
esse mercado representa 0,39% do PIB Nacional. No Brasil,
gerente de Soluções de Petfood para da Alltech para a América
o mercado pet está dividido em quatro segmentos: pet food
Latina, Maurício Rocha, “o futuro do ramo petfood depende
(alimentação); pet care (acessórios, produtos para higiene e
muito da economia do país. Com a economia cada vez mais
beleza, e equipamentos); produtos veterinários e serviços.
estável, a população com maior rendimento salarial compra
“Na Alltech, a média de crescimento do segmento de pet
Apesar da alta nos custos com matéria-prima para produção
produtos de primeira linha, conhecidos nesta categoria como
de ração para pet, chegando a 22%, o segmento continua
Premium e Super Premium, para que seu animal de estimação
crescendo. De acordo com a Abinpet, entre janeiro e agosto
tenha uma vida longa e mais saudável. A Alltech, como empresa
deste ano, houve 10,6% de crescimento em faturamento e 3,7%
líder em inovação, está acompanhando esta tendência de maior
qualidade de vida e está desenvolvendo um produto de ponta
seja, necessitam basicamente de: luz solar, dióxido de carbono
que será lançado em 2013”, complementa.
e oxigênio (estas retiram o CO2 do meio-ambiente e liberam o
A Alltech com mais de 30 anos de mercado - líder em
O2) e podem ser produzidas em tubos, bolsas e lagos. Já as algas
nutrição animal natural do mundo - pretende lançar produtos
heterotróficas são organismos que utilizam de açúcares para se
com tecnologia baseada em algas para todas as espécies
desenvolver e não requerem de luz solar.
animais, inclusive para animais de companhia. Para viabilizar
o lançamento desse produto adquiriu uma planta de algas, em
de carbono. São produzidas em recipientes que são construídos
2010, por 14 milhões de dólares em Kentucky (USA).
de aço inoxidável. Este tipo de produção é totalmente fechado
A alga é uma das plantas de natureza com crescimento
impedindo o contato das algas com o meio ambiente. A Alltech
mais rápido e tem a habilidade de converter grande quantidade
possui um sistema de produção de algas heterotróficas em
de dióxido de carbono em oxigênio, característica que a torna
sistema fechado para impedir que tenham contato direto com
particularmente interessante nos dias atuais, onde a consciência
o meio ambiente e diminuindo desta forma as possibilidade de
ambiental é extremamente necessária e valorizada. A fermentação
contaminação por metais pesados ou dioxinas. O sistema de
de alga representa a mais recente plataforma de tecnologia.
produção das algas autotróficas tendem a ter mais contato com
As algas é um grupo diverso e a maioria são aquáticas, plantas
o meio ambiente e desta forma possuem uma maior possibilidade
como organismo: uni ou multicelulares de tamanhos diferentes
de serem contaminadas por metais pesados e dioxinas. A
que abrange desde micros a superiores com 60 metros. Podem ser
Alltech tem a expectativa de desenvolver produtos nas áreas
autotróficas e heterotróficas. A biomassa das algas podem conter
de alimentação animal e humana e combustíveis. Chamada de
inúmeros componentes disponíveis tais como: Proteína, Ácidos
Alltech Winchester, a nova planta representará um incremento
Graxos, Vitaminas, Pigmentos e Óleos e são encontradas em
de um milhão de litros de fermentação, capacidade que coloca
ambas água doce e salgada. As algas autotróficas são organismos
a Alltech em quinto lugar na América do Norte e décimo no
que usam o processo de fotossíntese para sobreviverem, ou
mundo em capacidade de fermentação.
Estas retiram oxigênio do meio ambiente e liberam dióxido
Em Foco 5
38
Vendas - representante comercial
N
• Falar adequadamente
sucedido, temos que nos empenhar e trabalhar muito, nos esforçarmos
• Ter uma boa postura
acima dos limites, sempre com entusiasmo, com motivação, independente
• Se vestir bem
das condições em que nos encontramos. Podemos estar com problemas,
• Cabelos arrumados
carências, dificuldades, mas isso nunca deve ser transmitida ao nosso
• Sapatos limpos e lustrados
cliente. Para o cliente ou prospect, temos que estar sempre bem, como
• Material de vendas organizado
se fosse o ser mais feliz do mundo, transmitir segurança, confiança, só
• Não falar mal da concorrência
assim faremos bons negócios.
• Conhecer bem seu produto
• Conhecer bem seu concorrente
tem seus altos e baixos e isso é natural. Portanto, tente sempre esconder
• Conhecer bem a empresa para quem você vende
suas dificuldades e mostrar suas qualidades, as vendas dependem muito
do entusiasmo do vendedor. Mas cuidado, Não confunda bom humor e
qualidades (o que não é difícil) estará um grau a frente da media. Tao
motivação com piadinhas! Não podemos esquecer que temos que ouvir
simples assim?
mais o cliente, portanto, use da sua inteligência.
Vejam que são coisas simples, mas o vendedor que tem essas
Sim, hoje, esta difícil de ter profissionais que façam um “feijão
Temos aqueles dias em que nada da certo para nós, nesse caso,
com arroz” bem feito e isso ainda é um diferencial, por issoclassifico
tente buscar o máximo possível de você, faca as coisas com calma, sem
a profissão de vendas , como uma das melhores profissões do mundo,
pressa, no entanto, com agilidade. Em vendas, temos que errar o mínimo
porque remunera bem e não necessita de grandes investimentos.
possível, fazer o simples sempre bem feito, não adianta estudos sobre
vendas, cursos, MBA, pós-graduação, etc. se não fizermos as coisas
indústria de rações e comando um grupo de vendas, meu grupo é
simples bem feitas, é o que chamo de feijão com arroz bem feito.
heterogêneo, temos diversas personalidades no grupo, alguns com
excelentes resultados de vendas e outros com resultados ruins,
Esse feijão com arroz me refiro, é o seguinte:
possíveis compradores.
É o único negócio que permite isso e mesmo assim temos um trabalho
• 2ª etapa: Cadastramento – Levantamento de documentação necessário
enorme para motivar a equipe,há inúmeros problemas que se o
a realização da venda.
profissional é motivado, organizado, não necessitaríamos desperdiçar
• 3ª etapa: Apresentação do produto – Etapa onde informamos o prospect
tempo e energia, tentando resolver.
ou cliente sobre os características do produtos, seus atributos.
• 4ª etapa: Pedido – Formalização da venda, onde documentamos a venda
Vou citar algumas situações que enfrentamos e que servem
de exemplo para um aprendizado para quem quer ser um bom
para fechar o acordo.
profissional de vendas.
• 5ª etapa: Entrega dos Produtos – Parte logística do negócio firmado
entre as partes.
Os problemas começam com os cadastros. Os representantes odeiam
o tal do cadastro, mas não há vendas sem o cadastro, esse é o primeiro
• 6ª etapa: Recebimento – Parte fundamental, pois é somente após essa
passo para uma venda, portanto, tem que ser uma coisa bem feita, bem
etapa que a venda se completa.
preenchida, com todos os documentos necessários.
• 7ª etapa: Pós Vendas – Onde verificamos a satisfação do cliente com
relação ao produto e serviço por ele adquirido.
Tive exemplos hilários, vendedores que enviam para a empresa
cadastros sem assinatura, outros enviam com nomes trocados, alguns
com cadastros incompletos, enfim, o feijão com arroz de que tanto falo.
uma ou outra, devemos fazer cada etapa bem feita, uma de cada vez, para
Quando um cadastro não é aprovado, o que acontece normalmente,
que a venda seja um sucesso, se faltar qualquer uma das etapas, teremos
quando há problemas de credito, o vendedor faz de tudo para vender a
um processo incompleto.
Essas sete etapas devem ser realizadas uma a uma, sem ultrapassar
esse possível problema. ”Eu garanto”, essa é a frase mias ouvida, e quando
bloqueamos a venda, o vendedor afirma “como vou atingir minha meta
desse jeito?”.
O que os vendedores devem entender é que a venda somente
se completa após o recebimento, ou seja, o pedido é apenas uma
etapa da venda, o recebimento é outra etapa da venda, através das
ada se consegue com pouco esforço, para ser um vendedor bem
Sabemos que não é uma coisa fácil, estar sempre bem, o ser humano
39
nos permite um rendimento desses ? Uma rentabilidade extraordinária.
Vou citar a minha atividade, sou diretor comercial de uma
• Não prometer o que não pode cumprir
analisando cada um deles, podemos entender exatamente como que
• Cumprir sempre com o combinado
as coisas acontecem em vendas.
• Anotar tudo sobre o cliente e suas preferências
• Chamar o cliente pelo nome
caso de vendedores externos): um veículo, um notebook, um celular e
• Ser simples e objetivo
pertences pessoais. Vejam, um investimento de aproximadamente 40, 45
• Falar pouco e ouvir muito
mil reais com possibilidade de um rendimento de 5, 8 a 10 mil reais/
• Ser educado, cativo.
mês. Qual e o negócio que investindo este valor de 40 a 45 mil reais
O investimento necessário para a nossa atividade principal é(no
seguintes etapas:
• 1ª etapa: Prospecção. Peneiração dos clientes, localização de
Por : Saul Jorge Zeuckner
Bacharel em agronegócios
e Diretor Comercial-Algomix
Grupo BC
Em Foco 6
40
41
Organizações Empresariais Baltazar de Castro
Higiene e Limpeza
Produtos de Higiene e Limpeza
Sabão e Derivados
As novidades da 3ª edição
Desta vez o setor de nutrição para animal de estimação se reunirá na cidade de
Campinas (SP). A novidade trará benefícios para expositores, congressistas e visitantes
Por Lia Freire
Gordura Animal
Sebo Industrial
Óleo de Frango e Óleo de Peixe
C
M
Y
CM
MY
N
CY
CMY
o mundo dos negócios, inovação e flexibilidade são
se na região, a rede hoteleira é extensa e os valores também
aspectos imprescindíveis para a evolução e a Editora Stilo partilha
mais baixos do que na cidade de São Paulo. Além disso, o
deste mesmo princípio em sua atuação, o que justifica as mudanças e
pavilhão onde será realizada a feira – Via Appia Eventos –
adaptações pelas quais o seu evento técnico, Expo Pet Food vem se
está apenas a 7 km do centro de Campinas e próximo dali
submetendo. A fim de aprimorá-lo e atender as reais necessidades
há o Aeroporto Internacional de Viracopos – Campinas. Por
do mercado decidiu-se nesta terceira edição realizá-lo na cidade de
todas estas razões acreditamos que a mudança seja benéf ica
Campinas (SP), que está a 92 km de distância de São Paulo.
e o retorno do mercado está sendo bastante positivo”, af irma
Daniel Geraldes, diretor da Editora Stilo.
A região é o maior pólo tecnológico da América Latina,
alia na atualidade diferentes competências e dinâmicas: cidade
de serviços, de comércio tradicional, de produção agrícola,
24 e 25 de abril e mais uma vez além de reunir os principais
de geração de ciência e tecnologia. Campinas é considerada
fornecedores de rações, equipamentos, embalagens, insumos e
o terceiro maior centro industrial do país (atrás da região
demais itens voltados à nutrição animal, sediará o V Congresso
metropolitana de São Paulo e Rio de Janeiro), gerando 3%
Internacional e o XII Simpósio sobre Nutrição de Animais de
do PIB brasileiro. E não são apenas estes atrativos que
Estimação, ambos organizados pelo CBNA – Colégio Brasileiro
levaram o evento para a região. “Centenas de fábricas de
de Nutrição Animal. E, juntamente com a Expo Pet Food,
ração animal estão situadas na proximidade de Campinas e
acontece a FENAGRA – Feira Internacional das Graxarias -
na própria cidade, ou seja, o deslocamento para a feira além
evento da indústria de reciclagem animal, que chega à oitava
de economicamente ser mais atraente, favorece também a
edição, e o 12° Congresso Internacional de Graxarias (ABRA
logística, o que certamente irá contribuir para um número
- SINCOBESP).
maior de visitantes. Ainda em termos f inanceiros, a 3ª Expo
Pet Food terá um custo inferior para os expositores com a
eletrônico da Editora Stilo www.editorastilo.com.br ou no
isenção de taxas municipais. Para quem necessitar hospedar-
email [email protected]
K
Nutrição Animal
Farinha de Carne Esterilizada
Farinha de Sangue
Farinha de Ossos Calcinado
Farinha de Penas
Farinha de Vísceras
Farinha de Peixe
A edição 2013 da Expo Pet Food será realizada entre os dias
Informações poderão ser obtidas por meio do endereço
BC Participações e Empreendimentos
Goiânia (GO) - Administração Geral
Fone: (62) 3243-5100
Transportadora Sta Edwiges
Reciclagem - Amiga da Natureza
[email protected]
[email protected]
Repar
[email protected]
[email protected]
ReBras - Reciclagem Brasileira de Resíduos Animais
[email protected]
[email protected]
AR Nutrição Animal
[email protected]
[email protected]
[email protected]
Nordeste Industrial
[email protected]
Sabao Geo
[email protected]
Segurança Alimentar
42
43
inadequada de ef luentes e resíduos. No solo, o tempo de retenção
mercúrio pode ser encontrado na água pro¬priamente dita e nos
é longo, resultando em acúmulo, o que pode acarretar seu
sedimentos. Ao atingirem os ambientes aquáti¬cos, as espécies
lançamento nas águas, por meio de escoamento superficial
inorgânicas do mercúrio podem sofrer reações media¬das,
e erosão (EPMAP, 1994). O vapor de mercúrio presente na
principalmente, por micro-organismos, que alteram seu estado
atmosfera pode ser convertido na forma solúvel, retornando à
inicial, resultando em compostos organomercuriais como o
superfície terrestre nas águas da chuva. No meio aquático, o
metil¬mercúrio, mais tóxico do que as espécies inorgânicas
(AZEVEDO, 2003) (Figura 2).
Figura 1. Materiais que contém mercúrio e podem contaminar
ambientes se não forem descartados adequadamente (a) lâmpadas
fluorescentes; (b) material de informatica e (c) pilhas.
Contaminantes orgânicos e sintéticos
Resíduos de metais pesados - mercúrio
1. Introdução
O mercúrio (número atômico: 80; massa atômica: 200,5 u)
rios, contaminando animais e humanos, através da ingestão de
peixes (SOUZA & BARBOSA, 2000).
ocorre naturalmente sob a forma or¬gânica e inorgânica (estado
Fontes de contaminação: o mercurio é utilizado em
sólido, gasoso e dissolvido com outros componentes): em estado
instrumentos de medidas (termômetros e barômetros), lâmpadas
líquido quando à temperatura ambiente e volatiza facilmente
fluorescentes, pilhas e também como catalisador em reações
para atmosfera com o aumento da temperatura. Muitos materiais
químicas (Figura 1). Além destes, laboratórios médicos, hospitais,
contendo mercúrio podem ser fontes de contaminação se não forem
indústria
e mineração também podem conter objetos e materiais
descartados adequadamente (GRMSS, 2010). Historicamente,
com mercúrio.
Existem empresas especializadas na separação,
atraves do processo de garimpagem, o mercúrio continua
reciclagem e descarte de metais tóxicos, como o mercúrio, por
sendo um dos componentes de degradação causando problemas
isso, estes materiais não podem ser descartados sem antes receber
ambientais: físicos e químicos. Fisico: por meio de assoreamento,
tratamento adequado.
produzindo efeitos muitas vezes irrecuperáveis na flora. Químico:
intoxicacao ambiental e ocupacional. O principal dano é quando
meio-ambiente, seu ciclo biogeoquími¬co envolve processos que
liberado para a atmosfera, causando intoxicação por via alimentar
ocorrem no atmosfera, na água e no solo. Além disso, animais
ou respiratória (SOUZA & BARBOSA, 2000). Cerca de 3 mil
e humanos podem inalar estes vapores sem perceber e ser
toneladas de mercúrio utilizadas nos garimpos de ouro da
contaminados, já que é facilmente acumula¬do na maioria dos
Amazônia, ao longo dos últimos 20 anos, vêm sofrendo oxidação
organismos (WINDMÖLLER et al., 2007). e metilação nas condições propícias das águas e sedimentos dos
Ambiente: quando os vapores de mercúrio são liberados no
O mercúrio ainda pode contaminar o ambiente por disposição
Figura 2. Ciclo biogeoquímico do mercúrio (modificado de EPMAP,
1994).
Segurança Alimentar
44
45
Metilmercurio e contaminação de seres vivos: de todos os
e peixe-espada, tendem a apresentar níveis acima de 1,2 mg/kg
elementar (Hgo); (b) forma mercurosa ou catiônica monovalente
compostos de mercúrio, o metilmercúrio é o mais tóxico, o
(WHO, 1990).
(Hg+) e (c) forma mercúrica ou catiônica bivalente (Hg2+).
que geralmente acumula nos músculos, fígado e rins de peixes,
A contaminação do pescado pelo mercúrio é, portanto
Os compostos orgânicos, por sua vez, provêm da ligação
pássaros, e mamíferos (WREN et al., 1980; PEDERSEN et al.,
de interesse, já que é muito utilizado na alimentação animal
covalente entre o íon mercúrio (Hg2+) e pelo menos um átomo de
2006; KENOW et al., 2007; HORAI et al., 2006) e no cérebro
tanto como farinha de peixe nas rações secas quanto peças/
carbono, formando sais como o monometil mercúrio (CH3Hg+) e
(HA'C et al., 2000). O metilmercúrio é uma neurotoxina que
pedaços ou pasta de peixe nas rações umidas. Em estudos no
o cloreto de etilmercúrio (C2H5ClHg), além de outros compostos
afeta a saúde através de sua bioacumulação através da cadeia
LABMICO foi verificado que entre 46 rações para cães de
(ALESSIO et al., 1993).
alimentar na natureza.
diferentes marcas analisadas, 17% das amostras continham
Peixes: o pescado é a maior fonte de ingestão de mercúrio
na sua composição farinha de peixe. Já entre 19 rações para
para animais e o homem (Figura 3). A contaminação do pescado
gatos analisadas, 42% apresentaram este ingrediente. Em
é progressiva e ocorre através da cadeia trófica e da água. O
rações úmidas provenientes do Canadá para cães e gatos,
e são formados compostos solúveis, os quais se combinam com
mercúrio é fixado preferencialmente no grupamento sulfidrila
foram encontradas marcas que apresentavam nos ingredientes
as proteínas, sais e álcalis dos tecidos. Os compostos solúveis são
da proteína do pescado, acumulando-se principalmente como
74% de peixe (atum, bacalhau, salmão, e/ou truta) e camarão,
absorvidos pelas mucosas, os vapores por via respiratória e os
metilmercúrio (GALVÃO & COREY, 1987). Alguns peixes
com possibilidade de contaminção por esse metal (de SOUZA
insolúveis pela pele e pelas glândulas sebáceas. O sistema nervoso
KOERICH & SCUSSEL, 2010).
central (SNC) é o mais vulnerável, no entanto, o sistema renal e o
sistema pulmonar também são susceptíveis à toxicidade (BRASIL,
Diante do alto consumo de peixes, tanto para os animais
3. Mecanismo de ação do mercúrio
Uma vez absorvido, o mercúrio passa para o sangue, é oxidado
(rações pets) quanto para alimentação humana legislações
2010). Dentre os possíveis mecanismos, podemos e citar:
tem estabelecido limites máximos toleráveis (LMT) para esse
• Inativação de enzimas
elemento em peixes. Na União Européia e no Brasil, o LMT
• Inativação de proteínas estruturais
para a maioria das espécies é de 0,5 e 1,0 mg/kg para espécies
• Alteração da permeabilidade da membrana celular
alimenticias e predadoras, respectivamente. O mesmo é critério
recomendado pelo Codex Alimentarius (BRASIL, 1998)
de ligações covalentes com o enxofre. Quando entra na forma de
(Tabela 1).
radicais sulfidrilas, o mercúrio bivalente substitui o hidrogênio
O mecanismo de ação do mercúrio ocorre a partir da formação
para formar mercaptanas tipo X-Hg-SR e Hg(SR)2, onde R é
2. C lassificação
proteína e X radical eletronegativo. Os compostos mercuriais
Compostos contendo mercúrio podem ser classificados
orgânicos formam mercaptanas do tipo R-Hg-SR, e interferem em
em dois grupos principais: compostos orgânicos e compostos
seu metabolismo e função celular pela sua capacidade em inativar
inorgânicos, onde se inclui também o mercúrio atômico ou
as sulfidrilas das enzimas, deprimindo o mecanismo enzimático
elementar (Tabela 2).
celular (BRASIL, 2010).
conhecidos pela alta concentração de mercúrio são o peixe-
O mercúrio inorgânico pode apresentar-se sob três formas
A medida que o mercúrio passa ao sangue, liga-se as
espada, merluza, agulhão e atum. Um estudo realizado com
diferentes e com características toxicológicas bastante diversas
proteínas do plasma e nos eritrócitos distribuindo-se pelos
os peixes consumidos por uma tribo indígena apontam que
entre si, conforme seu estado de oxidação: (a) forma metálica ou
tecidos concentrando-se nos rins, fígado e sangue, medula
Figura 3. Peixes contaminados com metilmercúrio (Moehlecke, 2008).
o barbado, surubim, traíra, tucunaré e piranha são os que
mais possuem este elemento químico (BRABO et al., 1999). A
T abela 1. Limite
brasileira para mercúrio em pescado
menor concentração foi encontrada no pacú, jundiá e mandiá.
Na maioria das espécies de pescado marinho o mercúrio
não ultrapassa 0,5 mg/kg (WHO, 1972). No entanto, peixes
predadores localizados no topo da cadeia trófica, como o cação
Tabela 2. Vias
óssea, parede intestinal, parte superior do aparelhos respiratório
máximo estabelecido pela legislação
Pescado
Hg LMT (mg/kg)
Peixes e produtos da pesca (comestiveis)
0,5
Peixes predadores
1,0
(ANVISA, 1998)
Vias de exposição
Respiratoria Oral (eventual/te)
Digestiva
Distribuição nos tecidos
Sistema nervoso central Renal
Rinal
Excreção
Renal
Renal
Modificado de UFRJ, 2012.
Sais
com sua forma (Classe). É um tóxico celular geral, provocando
desintegração de tecidos com formação de proteínas mercurais
solúveis e por bloqueio dos grupamentos –SH inibição de
de via digestiva os mercurais exercem ação cáustica responsáveis
pelos transtornos digestivos (forma aguda). Em todo organismo,
Mercúrio
Metálico (Hgo)
Tabela 2 apresenta alguns orgãos alvo do mercúrio de acordo
sistemas enzimáticos fundamentais a oxidação celular. A nível
de intoxicação e excreção do mercúrio de acordo com o tipo de composto envolvido
Intoxicação
mucosa bucal, glândulas salivares, cérebro, ossos e pulmões. A
Compostos
orgânicos
•
•
•
•
•
•
•
o mercúrio age como veneno protoplasmático (BRASIL, 2010;
orgânicos
Digestiva
Dérmica
Sistema nervoso central
Renal
Sistema nervoso periférico
Fecal
Renal
SANTOS et al., 2006).
Há uma variedade de alterações induzidas pelo mercúrio,
incluindo o aumento da permeabilidade da barreira hematoencefálica,
(capacidade do mercúrio atravessá-la, concentrando-se no cérebro).
Um dos possíveis mecanismos de ação do mercúrio no cérebro é a
formação de radicais metil livres, que podem iniciar a peroxidação
lipídica e a glutation-peroxidase, uma selenoproteína importante
nas funções antioxidativas das células, conferindo uma menor
Segurança Alimentar
46
47
proteção das mesmas (GONÇALVES et al., 2002).
A intoxicação por mercúrio em animais também pode ocorrer,
O mercúrio sob forma líquida (Figura 4) é extremamente
como resultado de fornecimento acidental de alimentos, ração
volátil e quando inalados, podem facilmente atravessar a
peletizada ou concentrados tratados com agentes antifúngicos à base
membrana alveolar até atingir a circulação sanguínea. Dentre
de mercúrio bem como inclusão de pescado sem o devido controle
os compostos de mercúrio orgânico, o metilmercúrio é o mais
(checagem através de análise) ou conhecimento da procedencia (rio)
tóxico, sendo responsável pelos danos mais relevantes a saúde. A
de sua captura (RADOSTITS et al., 2002).
sua biotransformação ocorre no fígado, baço e intestino, levando
o metilmercúrio a mercúrio inorgânico, permitindo a eliminação
para a fabricação, a farinha de peixe. No Brasil, metais pesados
de 90% do metilmercúrio ingerido pelas fezes na forma inorgânica
de um modo geral e particularmente o mercúrio proveniente de
(SANTOS et al., 2006).
processos industriais e do garimpo, vêm preocupando autoridades
As rações para pets sabor peixe tem como principal insumo
e pesquisadores, considerando que, o metilmercúrio é transportado
4. R esíduos de mercúrio em alimentos para pets
para os tecidos dos peixes pelo sistema respiratório e pode alcançar
Resíduos de mercúrio podem afetar as funções hepáticas,
níveis que precisam ser melhor pesquisados. O mercúrio é altamente
renais, circulatórias e neurológicas, alem de dificultar a absorção
tóxico e se acumula nos tecidos animais (peixes e moluscos). O
do alimento (diarreias), levar a formação de câncer, podendo,
metal pesado percorre a cadeia alimentar, passando do organismo
dependendo do grau, ser letal ao animal. Inclusive pode reduzir a
das presas para os dos predadores (Figura 6).
eficácia do tratamento veterinário com antibióticos pela exposição
Contudo, não há legislação brasileira específica para
anterior do animal a seus resíduos na ração e interferir na
regulamentação de resíduos de metais pesados em alimentos
reprodução (FRIMMER et al., 1982).
para pets. Apesar do MAPA não apresentar uma Tabela com os
Os metais podem chegar aos alimentos para pets por diversas
valores mínimos e máximos de resíduos de metais pesados para
fontes. Tanto podem estar presentes ou serem formados, antes,
pets, os nutricionistas das empresas baseiam-se em Tabelas de
durante e após a fabricação (a) antes: na utilização de matérias
recomendações nutricionais elaboradas por órgãos internacionais
primas onde, ate’ mesmo a água usada no processamento, pode
especializados no assunto, tais como Association of American Feed
estar contaminada e substâncias químicas podem ter sido aplicadas
Control Officials (AAFCO) e International Accreditation Forum
na produção agrícola exemplos: fungicidas à base de mercurio. (b)
(FEEDIAF).
durante: equipamento podem ter resíduos de metais, a limpeza
ser incompleta, ou deficiência nos processos térmicos ou (c) após:
resíduos de metais na armazenagem, transporte, manipulação
e em locais de conservação inadequados (SANTOS et al, 2006;
BELLAVER, 2010; de SOUZA KOERICH e SCUSSEL, 2010;
WHO, 2012).
Agua e pescado: um acidente muito conhecido por contaminação
por mercúrio ocorreu no Japão. Uma indústria lançava dejetos
contendo mercúrio na baía de Minamata desde 1930, e depois de
20 anos começaram a surgir sintomas de contaminação em animais
(peixes, moluscos e aves) e humanos. Os sintomas eram convulsões
severas, surtos de psicose, perda de consciência e coma. Casos foram
observados depois dessa data e a doença ficou conhecida como Mal
de Minata. Foi descoberto na época que o fator comum de todas
as vítimas era a ingestão de peixes daquela baía contaminados por
mercúrio (TIMOTHY, 2001).
Figura 5. Peixes contaminados por resíduos de mercúrio.
Entretanto, há legislação para pescado: (a) peixes para consumo
alimentício e também para (b) peixes predadores. São adotados
limites máximos, acima dos quais, o pescado torna-se impróprio
ao consumo, por oferecer os riscos tóxicos inerentes. O Canadá não
permite níveis acima de 0,5 mg/kg, enquanto o limite estabelecido
nos Estados Unidos, Japão, Suécia e Finlândia é de 1,0mg/kg.
Na União Européia, no Brasil e Codex Alimentarius, o máximo
Figura 4. Formas de apresentação do mercurio: (a) mineral (pepita origem do metal pesado) e (b) processada (forma líquida).
permitido para a maioria das espécies c omestiveis é de 0,5mg/kg e
1,0mg/kg para espécies predadoras (CONNELL, 1995).
Segurança Alimentar
48
49
5. Sinais clínicos da intoxicação por mercúrio em pets
que há redução na reprodução de aves expostas ao mercúrio em
por este elemento químico, sendo pertinente que a fiscalização possa
O mercúrio é um metal muito perigoso quando em contato com
alimentos: foi observado que ele altera os sinais hormonais das aves,
realizar testes periódicos de mercúrio em águas e solos expostos a
os animais, quer seja pela via aérea, por ingestão ou cutânea. Os
afetando diretamente o comportamento sexual (mediado por esses
contaminação de onde ocorre a pesca. Além disso, é fundamental
danos causados pelo mercúrio são graves e os sinais clínicos de
hormônios) e, portanto, a reprodução (BBC, 2010).
a capacitação dos profissionais para a realização de diagnóstico
diferencial visando identificar casos de exposição e intoxicação
intoxicação variam de acordo com a forma de apresentação clínica
6. Diagnóstico e tratamento
da mesma, podendo ser aguda, subaguda e crônica. As intoxicações
crônica, em geral despercebida. Quanto mais rápido o diagnóstico,
de animais/homem ocorrem em três formas diferentes, dependendo
O tratamento estabelecido em caso de intoxicação aguda por
da forma física de apresentação do mercúrio, conforme segue
mercúrio é baseado na remoção do tóxico com lavagem gástrica,
A conscientização das indústrias de rações para pets da
esquema abaixo (Figura 5).
usando-se água albuminosa ou leite de magnésia. Administrar
necessidade de análise de mercurio é o ponto crucial para a produção
laxante e eméticos também é indicado
de alimentos seguros.
Quando um curso de água é poluído pelo mercúrio, parte deste
melhor a eficiência do tratamento.
se volatiliza na atmosfera e depois torna a cair em seu estado original
Em caso de intoxicação crônica devem-se tomar as seguintes
com as chuvas. Outra parte absorvida direta ou indiretamente
providências: (a) afastar o animal do local ou fonte de intoxicação;
8. Referências recomendadas para leitura
pelas plantas e animais aquáticos circula e se concentra em
(b) manter nutrição por via endovenosa ou oral; (c) tratar a oligúria
grandes quantidades ao longo das cadeias alimentares. Também é
(diminuição do volume de urina) e (d) fazer terapia de sustentação e
importante citar que o composto metilmercúrio é utilizado como
substâncias queladoras.
fungicida para tratamento de sementes de grãos, entrando na cadeia
alimentar de forma indireta (CANELA, 1995).
podem ser realizadas por vários métodos. O método colorimétrico
1. Moehlecke, R. Agência Fiocruz de Notícias, Saúde e Ciência para todos.
Artigo revisa estudos de duas décadas sobre exposições a mercúrio na Amazônia.
Publicado em 31.10.2008. Disponível em: < http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/
cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=561&infoid=2139&sid=9&tpl=prin
terview>. Acesso em: 12.11.2012.
2. ALESSIO, L.; CRIPPA, M.; LUCCHINNI, R. Criteria document for
occupational exposure limit values - Inorganic mercury. Ispra: Joint Research
Center, CRC, 1993.
3. AZEVEDO, F.A. Toxicologia do mercúrio. São Carlos: Rima, 2003.
4. BBC BRASIL. Mercúrio torna aves homossexuais, 2010.
Disponível em: <http:// http://news.bbc.co.uk/earth/hi/earth_news/
newsid_9243000/9243902.stm>. Acesso em: 12.11. 2012.
5. BRABO, E.S.; SANTOS, E.O.; JESUS, I.M.; MASCARENHAS, A.F. FAIAL,
K.F. Mercury levels in fish consumed by the Sai Cinza indigenous community,
Munduruku Reservation, Jacareacanga County, State of Pará, Brazil. Caderno de
Saúde Pública, v. 15, p. 325-331, 1999.
6. BELLAVER, Claudio. Ingredientes de Origem Animal Destinados à
Fabricação de Rações, 2001.
Disponível:<http://www.fiesp.com.br/sindicato/sincobesp_08/dowloads/notas/
cbna_2001_farinhas.pdf.
7. BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Portaria N º
685, de 27 de Agosto de 1998. Princípios gerais para o estabelecimento de níveis
máximos de contaminantes químicos em alimentos. Brasília, DF, 1998.
8. BRASIL.Gerenciamento dos Resíduos de Mercúrio nos Serviços de Saúde
/ Ministério do Meio Ambiente. Agência Nacional de Vigilância Sanitária–
Brasília: MMA, 2010.
9. CANELA, M. C. Determinação de Mercúrio, UNICAMP, 1995.
10. CHICOUREL, E. L.; TENUTA-FILHO, A.; SAKUMA, A. M.; ZENEBON,
O.; AMORIN, A. R. Mercúrio em pescado comercializado em São Paulo – SP.
Ciênc. Tecnol. Aliment., v.15, n. 2, p. 144-149, 1995.
11. CONNELL, J. J. 1995. Control of fish quality. 4. ed. Fishing News Books,
Surrey.
12. DE SOUZA KOERICH, K; SCUSSEL V. M. Main pathologies and neoplasias
reported in pet hospitals and their relation to food contaminants. In: SCUSSEL,
VM; NONES, J; DE SOUZA KOERICH, K; SANTANA, FCDEO; BEBER,
M; NEVES, LSD’E; M. MANFIO, D. Pet Food International Conference on
Quality and Safety Florianopolis, 25 – 28 Outubro, TLK-petfood, 2010.
13. EPMAP- Expert Panel on Mercury Atmospheric Processes. Mercury
Atmospheric Processes: A Synthesis Report, Rep. No. TR-104214. Electric
Power Research Institute, Palo Alto, California, 1994.
14. FRIMMER, M. Farmacologia e toxicologia em veterinária. 2 ed., Rio de
Janeiro:Guanabara, 1982. p. 194-207.
15. GALVÃO, L.A.C.; COREY, G. Mercurio. Série Vigilancia 7, Metepec: Centro
Panamericano de Ecología Humana y Salud, OPS/OMS, 1987.
A determinação e quantificação de mercúrio em alimentos e água
A toxicidade do mercúrio varia nos seus diferentes compostos. A
é considerado o mais tradicional para sua determinação, devido
forma orgânica é extremamente tóxica para toda a biota. Devido ao
a simplicidade, baixo custo e rapidez. Também são citadas
radical orgânico, esta espécie pode entrar rapidamente na corrente
as
sanguínea, causando danos irreparáveis ao sistema nervoso central.
cromatografia gasosa, cromatografia líquida de alta eficiência,
métodos eletroquímicos, entre outros (CHICOUREL et al., 1995).
Nos quadros de intoxicação aguda, é observado dor intensa,
metodologias:
espectrofotometria
de
absorção
atômica,
vômitos (podem ser sanguinolentos), sangramento da cavidade
7. Como evitar e reduzir a contaminação de pets com
mercúrio?
oral, ardência no aparelho digestivo, diarréia sanguinolenta,
estomatite, queda dos dentes e/ou dentes frouxos, tumefação
da mucosa gengival, nefrose, hepatopatias graves e morte
rápida (24 a 48 horas). Em quadros de intoxicação crônica,
estar relacionadas ao controle e remediação da poluição do mercúrio
são observados transtornos digestivos e nervosos, caquexia,
com subsequente redução da contaminação dos alimentos e seus
estomatite,
ingredientes marinhos/de rios.
salivação,
mau
hálito,
inapetência,
anemia,
Algumas propostas para vitar / reduzir a contaminação podem
Deve envolver principalmente
hipertensão, afrouxamento dos dentes, transtornos renais leves
a educação ambiental dos agentes envolvidos: garimpeiros,
e possibilidade de alteração cromossômica.
pescadores, fiscais e indústrias de alimentos.
De acordo com uma pesquisa publicada na revista científica
Evitar utilização, para preparo de rações, de peixes
Proceedings of the Royal Society, com o objetivo de descobrir por
provenientes/capturados de locais que apresentam contaminação
Figura 6. Vias de contaminação de animais por mercúrio (líquido, sólido e gasoso).
16. GONÇALVES, A.; FERRARI, I.; PADOVANI, C.R.; BARBOSA, O.S.A.;
SILVA, N.N.; BRASILEIRO, I. Intoxicação humana pelo mercúrio: revisão
clínica e evidências da genotoxicidade em populações da Amazônia Legal.
Revista Brasileira de Medicina, v. 59, p. 99-105, 2002.
17. GRMSS-GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE MERCÚRIO NOS
SERVIÇOS DE SAÚDE. I. Resíduos de Mercúrio. II. Agência Nacional de
Vigilância Sanitária. III. Agência de Cooperação Internacional do Japão. ISBN
978-85-63879-04-02. Brasília, 2010.
18. HA´C, E.; KRZY´ZANOWSKI, M.; KRECHNIAK, J. Total mercury in
human renal cortex, liver, cerebellum and hair. Science of the Total Environment,
v. 248, p. 37–43, 2000.
19. HORAI, S.; MINAGAWA, M.; OZAKI, H.; WATANABE, I.; TAKEDA,
Y.; YAMADA, K. et al. Accumulation of Hg and other heavy metals in the
Javan mongoose (Herpestes javanicus) captured on Amamioshima Island Japan.
Chemosphere, v. 65, p. 657–665, 2006.
20. KENOW, K.P.; MEYER, M.W.; HINES, R.K.; KARASOV, W.H.
Distribution and accumulation of mercury in tissues of captive-reared common
loon (Gavia Immer) chicks. Environmental Toxicology and Chemistry, v. 26, p.
1047–1055, 2007.
21. PEDERSEN, H.C.; FOSSOY, F.; KALAS, J.A.; LIERHAGEN, S.
Accumulation of heavy metals in circumpolar willow ptarmigan (Lagopus l.
Lagopus) populations. Science of the Total Environment, v. 371, p. 176-189, 2006.
22. RADOSTITS, O.M; et al. Clínica veterinária: um tratado de doenças dos
bovinos, ovinos, suínos, caprinos e eqüinos. 9ª edição, Guanabara Koogan, São
Paulo, 2002.
23. SANTOS, F.L.O.; GATTI, R.M.; SOUZA, P.R.K. Presença de mercúrio em
peixes e sua correlação com a intoxicação alimentar, v. 4, p. 37-41, 2006.
24. SOUZA, J.R.; BARBOSA, A.C. Contaminação por mercúrio e o caso da
Amazônia. Química e Sociedade, 2000.
25. TIMOTHY, S.G. Minamata: Pollution and the Struggle for Democracy in
Postwar Japan. Harvard University Asia Center, 2001.
26. UFRJ-Universidade Federal do Rio de Janeiro.Toxicologia Aplicada.
Disponível em: <http://ltc.nutes.ufrj.br/toxicologia/mX.merc.htm#sobe>.
Acesso em 12.11.2012.
27. WINDMÖLLER, C.C. et al. Distribuição e especiação de mercúrio em
sedimentos de áreas de garimpo de ouro do Quadrilátero Ferrífero (MG).
Química Nova, v. 30, p. 1088-1094, 2007.
28. WHO (World Health Organization). Evaluation of certain food additives and
the contaminants mercury, lead, and cadmium. Geneva, 2012.
29. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Methylmercury. Geneva, 1990.
169 p. (Environmental Health Criteria, 101).
30. WREN, C.; MACCRIMMON, H.; FRANK, R.; SUDA, P. Total and
methyl mercury levels in wild mammals from the PreCambrian Shield area of
south central Ontario, Canada. Bulletin of Environmental Contamination and
Toxicology, v. 25, p. 100-105, 1980.
No próximo exemplar será abordado outros metais pesados
que podem contaminar pet food – Cadmio e Cromo.
Profa. Vildes M Scussel, Geovana Dagostim Savi,
Karina Koerich de Souza, Karoline Bittencourt, Rafaela
da Rosa
Laboratório de Micotoxicologia e Contaminantes
Alimentares - LABMICO, www.labmico.ufsc.br
Depto de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Centro
de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa
Catarina, Florianópolis, SC – Brasil.
50
Pet Food Online
51
CLAUDIO MATHIAS
ANDRITZ FEED & BIOFUEL
EXTRUSION DIVISION
[email protected]
[email protected]
Condicionamento de alimentos para
animais de estimação e aquáticos
P
ara uma boa operação com condicionadores é
processo de gelatinização mas começamos com uma
necessário lembrar que no processo de extrusão
condição prévia de que formula pré-determinada
trabalhamos com varias opções de energias mas as
será responsável por grande parte da qualidade de
duas grandes fontes de energia são: energia térmica
processo e também o tamanho e uniformidade das
no condicionador e energia mecânica especifica
partículas para que as sugestões abaixo tenham o
na extrusão, sendo assim para a primeira parte do
resultado esperado no processo de extrusão.
processo é ideal utilizar o condicionador com as
melhores opções e assim alcançar a gelatinização
fundamentais, a hidratação, aquecimento e mistura.
esperada. Sendo assim abaixo há algumas dicas
Todos os três itens destes processos podem ser
para a melhor performance do equipamento e
afetados pelo tempo de retenção no condicionador,
assim ele poderá oferecer uma boa qualidade de
o que vale é o conjunto, se o tempo for demasiado
O condicionamento envolve os três princípios
baixo, a quantidade de hidratação, de aquecimento,
pode resultar em baixa qualidade de mistura.
de material no condicionador a um dado momento
A hidratação pode ser aumentada através do
dividido pela taxa de transferência de material.
aumento do nível de mistura, o tempo de retenção e a
Assim, em teoria, o tempo de retenção de qualquer
quantidade de umidade adicionada sob a forma de vapor
condicionador pode ser aumentado através do
ou de água. O aquecimento pode ser aumentado pela
aumento do nível de enchimento do condicionador ou
adição de mais vapor ou aumentando a temperatura
através da redução da taxa de transferência, sempre
da água adicionada, é possível utilizar um sistema de
respeitando as orientações do fabricante.
pré-aquecimento da água ou mesmo, como em alguns
equipamentos, tais como os condicionadores Andritz
porém, têm pouco ou nenhum controle sobre
que oferecem a possibilidade de aquecimento da água
o tempo de retenção. A capacidade de variar a
no momento da aplicação.
velocidade para o aumento ou redução do tempo
A mistura pode ser aumentada, elevando o
de retenção é o método mais comum de controlar a
tempo de retenção e a intensidade ou a mistura do
taxa de transferência e, assim, o tempo de retenção
condicionador.
sem a necessidade de parar o processo, mas, se o
Cozimento ou gelatinização do amido da formula
condicionador não está equipado com um variador
ocorrem em função do condicionamento e dos
de velocidade, a velocidade do eixo não pode ser
mesmos parâmetros descritos acima. A gelatinização
alterada. O passo ou ângulo das pás são também por
do amido requer tempo de hidratação, calor e
vezes concebidos para ser reposicionado, de modo
de retenção, assim o condicionamento crescente
que eles mantenham mais material no condicionador,
resultará num aumento do cozimento. Recomenda-
o que tem um impacto no nível de enchimento e,
se que, pelo menos, um terço da gelatinização
portanto, altera o tempo de retenção. Este não é um
deve ocorrer na etapa de condicionamento para
ajuste instantâneo, é necessário parar o sistema para
melhorar a eficiência do processo de extrusão. Se
fazer as mudanças necessárias e assim alterar as
um condicionador não cozinhar as matérias-primas
posições dos batedores.
adequadamente, isso é porque um dos itens ou
Alguns projetos de condicionadores têm um
todos não estão sendo aplicados adequadamente,
dispositivo de restrição incorporados na abertura
lembrando que eles são: hidratação, aquecimento e
próximo a descarga dos mesmos, que pode controlar
mistura (tempo de retenção).
os níveis de enchimento.
O tempo de retenção é uma função da massa
A maioria dos dispositivos de condicionamento,
52
Pet Market
53
Não chame meu cão de
pet, trate-o pelo nome
J
Limma Júnior
Diretor da Nutridani
Alimentos
á escrevi diversas vezes sobre as mudanças na
tais como latidos excessivos, automutilação e
relação pessoas-animais de estimação, sejam eles
agressividade.
gatos ou cães. O novo perfil desse convívio nos
Mas todas essas mudanças estão evoluindo
mostra que os pets deixaram de ser apenas os vigias
rapidamente, assim como os profissionais envolvidos.
da casa, companheiros de corrida no final de semana
O treinamento desenvolvido para os vendedores
ou mesmo o ouvinte das nossas tristezas (às vezes,
de ração, por exemplo, não se baseia apenas em
minha esposa e eu conversamos com nossos bichos
abordagens aos clientes (casa agropecuária, pet
para nos acalmar depois de um dia estressante). A
shop) ou na ideia da necessidade do conhecimento
Dona Filomena, minha vizinha, por exemplo, quer
técnico do produto (isto é uma obrigatoriedade).
algo a mais para seus três cães (Roberval, Tuca e
Um vendedor esperto conhece o mercado,
Brenda).
tendências e entende as necessidades dos clientes.
São situações comuns, como sempre defendi. As
Ele sabe que para vender um produto não basta
pessoas passaram a dar mais valor ao seu animal de
apenas ter um bom preço. `Precisa-se vender sonhos,
estimação e não o levaram apenas para dentro de
experiências e não apenas ração`. Coloquei essa frase
suas casas: deram cama comida e roupa lavada, como
em destaque porque a ouvi em uma palestra de uma
diz o ditado. E com toda essa revolução social, o
consultora de empresa.
mercado está preparado para atender essa demanda?
Sim, mas precisa melhorar. Vou explicar com calma
que vemos muito são vendedores de preço, aqueles
essa afirmação.
que não trabalham o produto para posicioná-lo no
Primeiramente podemos afirmar que o mercado
mercado como um item de desejo.
acompanhou com rapidez essas mudanças. Alimentos
melhores elaborados e que atendem as necessidades
bom tempo para uma empresa-vendedor posicionar
dos pets. Serviços de banho e tosa cada vez mais
qualquer produto no mercado a ponto e torná-
especializados. Manicure e pedicure e até, porque não,
lo conhecido. Demanda trabalho criativo e de
psicólogos. Aqui cabe uma explicação para essa profissão.
divulgação, além de habilidade técnica.
Se alguém imaginou uma sala meio escura,
E todo esse trabalho sobre um produto ou
repleta de livros de análises psicológicas e um cão
serviço mostra que a Dona Filomena, a minha
deitado em um divã, você também é uma pessoa
vizinha que trata os três cães como filhos, não quer
criativa, assim como eu quando li que existia essa
que as pessoas chamem os seus animais de estimação
profissão. Mas vale ressaltar que os psicólogos
de pets, mas sim por Roberval, Tuca e Brenda, os
para cães tratam de problemas comportamentais,
vira-latas mais barulhentos da rua.
Achei a frase marcante, mas ela é verdadeira. O
É claro que o trabalho não é fácil. Demora um
Caderno Técnico 1
54
55
Símile), que tem importância na liberação de colágeno e fibroblasto
A arginina é um aminoácido de absorção íleo-jejunal e
(BARBUL, 1990; FAINTUCH, 1995; COHEN K, 1999 citado por
pequena absorção no cólon. Durante a absorção, as células da
PENAFORTE, 2002).
microvilosidades intestinais utilizam-na, em nível de 40% da
Atualmente, torna-se mais evidente as funções e papéis
dieta, como fonte energética para os enterócitos, sendo o restante
endógenos desse nutriente no organismo de mamíferos, no entanto,
carreado pós-absorção para a circulação porta. Outra via de
para cães e gatos carecem ainda de mais estudos para que se tenha
manutenção de arginina circulante é por meio da citrulina, sua
uma melhor visualização dos efeitos sobre a suplementação ou algum
precursora. A citrulina é formada nas células intestinais a partir
erro no metabolismo desse aminoácido. Diversos trabalhos estão
de aminoácidos dietéticos (prolina, glutamato e glutamina) e de
elucidados nesse artigo para mostrar a importância da arginina na
glutamina circulante e é levada aos rins onde atuarão as enzimas
manutenção da homeostase, principalmente em quadros de estresse.
arginosuccinato sintetase e argininosuccinato liase (Figura 2).
Na Figura 1 está ilustrada a estrutura química da arginina.
Sendo esta via a mais importante para a manutenção dos níveis
plasmáticos da arginina.
2. Metabolismo da arginina
Arginina pode originar creatina que é um composto de três
A síntese de arginina ocorre em muitos mamíferos em
aminoácidos presente nos músculos, o qual é responsável pelo
quantidades suficientes para atender todas as necessidades desse
carreamento de fosfato e regeneração da adenina trifosfato nos
aminoácido; uma variedade de espécies incluindo humanos,
músculos. A creatina é formada pela ação da enzima arginina-
ruminantes, ratos adultos e suínos (ROGERS, 1994 citado por
glicina aminotransferase.
NRC, 2006). Entretanto tem mostrado ser essencial para cães e
Outro composto resultante do metabolismo da arginina são
as poliaminas, como purrescina, espermidina e esperminas. Elas
atuam no transporte, crescimento, proliferação e diferenciação
NH
celular, no entanto, altos níveis dessas substâncias resultam em
COOH
H 2N
N
H
L-Arginina
efeitos tóxicos. Por isso, outro metabólito da arginina, proveniente
NH2
da ação da enzima arginina descarboxilase, a agmatina, regula a
concentração intracelular de poliaminas. (YEH, 2004 citado por
Fonte: TAPIERO et al., 2002 citado por VIANA, 2010
Figura 1 – Estrutura química da arginina
Arginina para cães e gatos: um
aminoácido funcional
QUIRINO, 2006).
gatos em todas as fases da vida (CASE et al., 2011). O metabolismo
Além dos já citados metabólitos, pode-se mencionar também
o oxido nítrico, que é um importante agente anti-microbiano,
completo da arginina está ilustrado na Figura 2.
efetivo contra antígenos intracelulares, parasitas e bactérias
extracelulares, originado pelo catabolismo da arginina pela ação da
enzima oxido nítrico sintetase, que é ativada pela ação de citocinas
presente em quadro de septicemia, como INF-γ (interferon-γ) e
TNF-α (fator de necrose tumoral-α). (ZALOGA et. al., 2004
citado em QUIRINO, 2006). O óxido nítrico atua também como
André Pires de Lima Miranda¹, Rosana Claudio Silva Ogoshi², Flávia Maria de Oliveira Borges Saad³
vasodilatador e neurotransmissor (NIEVES JR & LANGKAMPHENKEN, 2002 citado por QUIRINO, 2006). As funções do
1. Introdução
necessidades de arginina. Entretanto, em casos de trauma e septicemia,
óxido nítrico encontram-se detalhadas no tópico 4 desta revisão
Arginina é um aminoácido essencial para cães e gatos, assim como
faz-se necessária a suplementação em doses elevadas desse aminoácido,
enquanto que as vias e produtos do metabolismo da arginina estão
triptofano, lisina e histidina, de um total de 12 aminoácidos essenciais
pois atua como substrato para a correção das injurias. Assim, sem que
sintetizados na Figura 3.
para o cão e 13 aminoácidos essenciais para o gatos. São considerados
haja suplementação na dieta ocorre um decréscimo de metade nos níveis
essenciais por não apresentarem síntese endógena que atenda as
séricos da arginina circulante.
necessidades de manutenção da saúde do animal. Já o conceito “funcional”
pode ser aplicado àquele nutriente que age além da sua essencialidade,
e possuir papel imunomodulador e farmacológico. Ela está presente
gerando efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou benéficos à saúde
no metabolismo do oxido nítrico, de poliaminas, da ornitina, da
quando suplementados acima das exigências do animal.
creatina, do glutamato, glutamina, prolina, além de ser componente
Para a maioria dos mamíferos, a conversão de aminoácido ornitina
fundamental do ciclo da uréia, realizar transaminação de proteínas e
em citrulina (aminoácido precursor de arginina) ocorre pela ação da
participar como substrato no balanço energético. Por isso, atribui-
enzima ornitina – cabomoiltransferase(OCT). Em gatos, essa enzima
se a ela grande importância sobre o paciente hospitalizado em
não está presente o que impossibilita a manutenção plasmática pela falha
estado crítico, que passa por perda de massa corpórea e caquexia. O
na retroalimentação da arginina. Por outro lado, para cães, a OCT se faz
aminoácido ainda tem papel na liberação de hormônio do crescimento,
presente e, em condições normais, o organismo é capaz de prover suas
indução na liberação de insulina e IGF (Fator de Crescimento Insulina
A função da arginina é variada por atuar em rotas metabólicas
Fonte: NIEVES JR & LANGKAMP-HENKEN (2002) citado por QUIRINO (2006)
Figura 2 – Metabolismo da arginina: indica inibição; indica estimulação.
Abreviaturas: ADC, arginina descarboxilase; A:GAT, arginina:glicina
aminotransferase; DAO, diamino oxidase; Glu-sintetase, GMT,
guanidinoacetato-N-metiltransferase; NOS-1, óxido nítrico sintetase-1;
NOS-2, óxido nítrico sintetase 2; NOS-3, óxido nítrico sintetase 3;
OAT, ornitina aminotransferase; ODC, ornitina descarboxilase; P-5-C
desidrogenase, pirrolina-5-carboxilase desidrogenase; P-5-C redutase,
pirrolina-5-carboxilase redutase e TP, transportador de poliaminas.
Fonte: SUCHNER et al., 2002 citado por VIANA, 2010)
Figura 3 – Vias e produtos da degradação da arginina
Caderno Técnico 1
56
57
Inrediente Ativo
Tabela 1 – Enzimas e produtos do ciclo da uréia.
No citosol dos hepatócitos ocorre a retirada do grupo guanidino
gerando amônia, tóxica para mamíferos. Ela é produzida pela ação
da enzima arginase I na detoxicação da amônia. Na mitocôndria de
enterócitos e células renais a enzima arginase II está envolvida na
síntese de ornitina, prolina e glutamato. Além disso, ela serve de
substrato para a síntese de proteínas, pela transaminação e ação
de uma cascata de enzimas para sintetizar prolina, glutamato e
glutamina, como mostra a Figura 4.
quando a dieta contém 4,7 kcal EM/g. Para adultos exigência
apenas com o oxigênio e seus derivados radical, metais
mínima em uma dieta que contém 4,0 kcal/g e concentração de PB
de transição, e outros radicais. Esta baixa reatividade,
Segunda
Argininosuccinato sintetase
Argininosuccinato
de 200 g/kg é de 7,7 g/kg com aumento de 20 mg de arginina para
combinada com a sua lipof ilicidade, permite que a molécula
cada kg de PB acima de 200 (NRC, 2006). Também não há limite
possa se difundir atingindo grande distância de seu lugar
máximo estabelecido.
de síntese, e funcione como uma molécula sinalizadora ao
Terceira
Argininosuccinato liase
Arginina + fumarato
Quarta
Arginase i
Uréia + ornitina
A terceira etapa do ciclo é uma reação de quebra (liase) da
Na quarta etapa ocorre a ação da arginase I, formando uréia
Em gatos a capacidade de síntese de ornitina é limitada e existe
Este mecanismo pode ser devido ao processo evolutivo de adaptação
a um regime estritamente carnívoro, onde a arginina está presente
em quantidades muito superiores às necessidades. Estas adaptações
encontram-se também em outras espécies carnívoras, como em
Visons e Ferrets (BELL, 1999).
Desta maneira, gatos são extremamente sensíveis à deficiência de
Quando a via catabólica ou de degradação está instalada no
arginina; uma única refeição sem arginina pode causar o aparecimento
organismo, por uma situação qualquer que o organismo esteja
de sinais clínicos ligados a uma intoxicação amoniacal: salivação,
passando, várias reações de lise estão ocorrendo, inclusive as que
vômitos, ataxia e, às vezes, coma e morte. Os primeiros sinais aparecem
envolvem as proteínas. Nessa situação, o cortisol (hormônio do
na primeira hora seguinte à ingestão do alimento e culminam 2 a 5
estresse) e glucagon (hormônio do jejum) elevam sua concentração
horas depois. A ingestão de arginina diminui rapidamente a intensidade
plasmática, levando a um aumento na concentração de aminoácidos
dos sintomas (SAAD & FERREIRA, 2004).
no citosol celular. Estes serão destinados a produção de energia,
para a manutenção da homeostasia, por meio da gliconeogênese, ou
f isiológicas a molécula é relativamente estável, reagindo
Citrulina
uma baixa conversão de citrulina em arginina nos rins (Tabela 2).
2.1. A rginina e o ciclo da uréia
Já para gatos em crescimento é de cerca de 8-8,3 g/kg de dieta
Ornitina-carbamoil tranferase
novamente.
Figura 4 – Síntese de arginina. (1) Arginase, (2) ornitina – cabomoiltrnsferase,
(3) argininosuccinato sintetase, (4) argininosuccicinase liase, (5) óxido
nítrico sintetase, (6) ornitina descarboxilase, (7) ornitina transaminase,
(8) glutamina sintetase e (9) glutaminase.
comparação com outros tipos de radicais livres, em condições
Primeira
pela adição de água e renovando a ornitina para que o ciclo ocorra
Fonte: CYNOBER et al., 1995 citado em QUIRINO, 2006)
há limite máximo estabelecido.
Produtos
argininosuccinato, liberando fumarato e formando arginina.
O óxido nítrico é um radical livre, no entanto, em
Enzimas
arginossuccinato.
livres.
adicionadas para cada g de proteína bruta acima da exigência. Não
Etapas
mitocôndria para o citosol, recebendo aspartato e formando
arginina foi oferecida, é recomendado que 10mg de arginina sejam
nível intracelular, intercelular e, talvez, sistêmico. O óxido
4. Arginina, óxido nítrico e resposta inflamatória
intestinal. Pode ser o principio neurotransmissor inibitório
neurotransmissor envolvido em muitos sistemas, desde regulação
da motilidade intestinal, e é essencial para a manutenção do
da pressão sanguínea via relaxamento dos vasos sanguíneos
f luxo sangüíneo normal da mucosa (CAVE, 2008).
até participação na atividade dos macrófagos na destruição dos
antígenos (por exemplo, bactérias e vírus) (NRC, 2006).
de adesão limitando a entrada de leucócitos desnecessários,
A L-arginina é oxidada a L-citrulina + • NO pela óxido nítrico
principalmente para os tecidos da mucosa. O óxido nítrico
sintetase (NOS) (CAVE, 2008) (Figura 2). A forma de NOS induzível
inibe a proliferação excessiva de células T, diminui a ativação
dentro de leucócitos (iNOS) produz quantidades muito superiores
de NF-kB, e induz as vias de respostas locais
de • NO do que as formas construtivas endotelial (eNOS) ou
entanto, em contraste com o paradigma de que o • NO inibe a
neuronal (nNOS). A produção de • NO após a indução da iNOS em
chave de transcrição pró-inf lamatória de fator NF-kB, alguns
um fagócito ativo é limitada principalmente pela disponibilidade de
estudos têm sugerido que a inibição da iNOS pode aumentar
arginina livre. Portanto, qualquer aumento da arginina disponível
produção de citocinas pró-inf lamatórias (CAVE, 2008).
irá aumentar o • NO produzido por qualquer estímulo inflamatório
(EISERICH et al., 1998).
formar peroxinitrito (ONOO-) que não é um radical livre, mas
metabolismo
energético.
Esse
Reação
nitrogenado é tóxico para as células de mamíferos, pois está
Glutamato+ prolina
na forma de amônia e deve ser excretado. Para que isso ocorra,
Ornitina
uréia. Como gatos têm uma intensa desaminação, o ciclo da uréia é
extremamente ativo nestes animais (CASE et al., 2011; NRC, 2006;
SAAD & FERREIRA, 2004).
No fígado haverá a maior formação da uréia por meio da
O • NO pode também reagir com superóxido (O2 • -) para
oxidação de proteínas levando à inativação de enzimas e canais
iônicos, danos ao DNA e inibição da respiração mitocondrial
(VIRAG et al., 2003).
O efeito celular de oxidação por ONOO- é dependente
da sua concentração, por exemplo, quando em concentrações
muito baixas os efeitos serão reparados pelo turnover de
proteínas e lipídeos e da capacidade de reparação do DNA,
Maioria
dos animais
metabólito
haverá a eventual transferência do grupo amino (NH3) para a
Th-2. No
gama de efeitos tóxicos que vão desde a peroxidação lipídica,
Inrediente Ativo
Tabela 2 - Síntese de arginina com atenção para os gatos.
A desaminação retira nitrogênio do aminoácido e fornece
ao
Além disso, • NO inibe a expressão celular de moléculas
é um oxidante poderoso e foi mostrado provocar uma ampla
seja, produção de glicose a partir de substrato não carboidrato.
α-cetoácido
nítrico é necessário para a maturação normal do epitélio
A arginina também é precursora do óxido nítrico (NO), um
► ornitina
►citrulina
(intestino)
(intestino)
Ida da citrulina ao rim
Citrulina
► Arginina
(rim)
Gatos
porém as concentrações mais elevadas podem induzir a
apoptose, enquanto que concentrações muito elevadas induzem
Normal
Baixa
à necrose. Uma vez que ambos • NO e O2 • são produzidos nos
Normal
Escassa atividade
locais de inf lamação, é razoável propor que ONOO- pode-se
Ocorre
Não ocorre
Ocorre
Não ocorre
Fonte: CASE et al. (2011)
3. Exigências de arginina para cães e gatos
Fonte: CAVE (2008)
Figura 5 - Origem do oxido nítrico (NO): reação catalisada pela enzima
óxido nítrico sintetase (NOS).
Existem 3 formas de NOS:
envolver na patogênese de muitos casos (CAVE, 2008).
A iNOS é capaz de gerar O2 • - quando L -arginina não
está disponível. Isto tem sido demonstrado em macrófagos,
onde limitando a disponibilidade de L -arginina resultou na
produção simultânea de quantidades signif icativas de O2 •
As exigências de arginina preconizadas pelo NRC (2006)
detoxicação da amônia, através do denominado ciclo da uréia.
foram feitas pela capacidade da inclusão de arginina prevenir a
• NOS endotelial: eNOS é requerida para manutenção do
- e NO, e a formação imediata intracelular de ONOO- (XIA
As etapas do ciclo da uréia estão resumidas na Tabela 1, bem como
acidúria orótica, sendo para o crescimento em cães é de cerca de
tônus muscular e como um mensageiro f isiológico
& ZWEIER, 1997). Assim, atualmente há um grande número
as enzimas envolvidas.
4 – 5,6g/Kg de dieta para uma dieta contendo cerca de 4,2 Kcal
• NOS neuronal (nNOS): eNOS e nNOS são formas construtivas
de estudos conf litantes avaliando o papel do • NO na doença
Na primeira etapa do ciclo, na mitocôndria dos hepatócitos á
EM/g. As exigências mínimas de 6,3g/Kg de dieta para filhotes
e sempre produzidos em baixos níveis.
inf lamatória, aonde há em uma polarização de pontos de vista
síntese de cabamoil-fosfato, pela utilização de bicarbonato e NH4+,
de 4 a 12 semanas de idade e 5,3 para filhotes acima de 14 semanas
• NOS induzível (iNOS); iNOS é induzida por uma variedade
entre aqueles que argumentam • NO é protetor, e aqueles que
que irá reagir com a ornitina, formando citrulina.
são sugeridas. E devido a trabalhos mostrarem agravamento
de mediadores inf lamatórios incluindo a cistoquinina, fator
argumentam que contribui para a patogênese.
de sintomas quando ingerida uma dieta com baixa ou livre de
necrose tumoral (TNF), e interleucina 1 (IL -1), e radicais
Na segunda etapa do ciclo ocorre a saída da citrulina da
Em casos de sepse grave (resposta inf lamatória sistêmica),
Caderno Técnico 1
58
59
o aumento da produção de NO • pode ser prejudicial devido
menor tempo de internação.
a seu efeito negativo no inotropismo (força de contração) e
cronotropismo (freqüência) cardíaca, sua capacidade de inibir
enteral para humanos enriquecida com arginina, ácido
a coagulação e seu potente efeito dilatador venoso e arterial
graxo n-3 e nucleotídeos sobre parâmetros imunológicos de
(SUCHNER et al., 2002). Desta maneira, pode haver casos em
pacientes submetidos a cirurgia abdominal de grande porte e
que a suplementação com arginina, além da fornecida por uma
encontrou que aqueles que receberam alimento enriquecido
fonte de proteína convencional pode ser benéf ica, enquanto
tinha
em outros casos pode ser prejudicial.
infecciosas do que os pacientes de outros grupos.
Em geral parece que a suplementação de arginina,
seja administrada por via oral ou parenteral, aumenta a
e antiinfeccioso da glutamina combinada com a arginina. A
resposta do sistema imunológico dos indivíduos que sofrem
glutamina tem ação nutritiva no enterócito e é utilizado pelas
de trauma, cirurgia, desnutrição ou infecção. Esta ação é
células de rápida velocidade de troca, demonstrando um efeito
presumivelmente através da sua capacidade para aumentar os
específ ico estimulador sobre sínteses de DNA (PUPA, 2004
neutróf ilos e macrófagos (CAVE, 2008). A maioria das dietas
citados por SILVA JR et al., 2005). Assim, a glutamina exerce
enterais consideradas adequadas para alimentação de gatos
efeito benéf ico ao sistema imunológico de diversos tipos de
internados contêm 1,5 a 2 vezes o requerimento mínimo de
pacientes.
arginina para o crescimento (CAVE, 2008).
A suplementação em dietas tem sido freqüentemente
com a ingestão dietética de acido graxo n-3, melhora os
recomendada e amplamente utilizada na medicina humana
sinais clínicos, qualidade de vida e tempo de sobrevivência
e também veterinária para o aprimoramento do sistema
em cães com câncer. Por exemplo, um grupo de cães,
imunológico em cuidados críticos.
Assim os tópicos
recebendo quimioterapia devido a um linfoma, suplementados
descritos a seguir serão baseados apenas nos efeitos benéf icos
dieteticamente com arginina e acido graxo n-3, resultou
encontrados para esse aminoácido.
em elevações nos níveis plasmáticos de arginina, acido
Bower et al. (1995) avaliaram os efeitos de uma dieta
imunocompetência
maior
e
menos
complicações
Outros estudos se centralizam no efeito imunoestimulador
O aumento dietético da ingestão de arginina, combinados
eicosapentanóico (EPA) e acido docosahexaenóico (DHA),
5. A rginina
e outros nutrientes par a animais
enfermos
sendo este fato correlacionado positivamente ao tempo de
sobrevivência desses animais. (OGILVIE & MARKS, 2000).
Animais hospitalizados precisam ter um adequado suporte
A sobrevivência de pacientes com câncer pode ser atribuído
nutricional com intuito de evitar supressão do sistema imune,
ao fato da arginina inibir o crescimento tumoral e metastases
disfunção orgânica, fraqueza, promover redução de infecções
(TACHIBANA et al., 1985).
e reduzir a mortalidade. Nutrientes específ icos afetam a
Pupa et al. (2004) citados por Silva Junior et al.
imunocompetência e alguns deles agem diretamente no
(2005) relatam que um aumento no consumo de arginina e
sistema linfóide e nas funções imunes das células, alterando
nucleotídeos aumentam a resposta imune, em particular, nos
a resposta do hospedeiro à patogenos. Como exemplo, além
períodos de estresse.
da arginina, se encontram ácidos graxos n-3, glutamina e
Na Figura 3 está um esquema de como a arginina,
nucleotídeos dietéticos (SILVA JR et al., 2005).
glutamina, nucleotídeos e ácidos graxos n-3 podem interferir
no sistema imune.
Remillard et al. (2000) citam que a arginina é essencial
a animais hospitalizados uma vez tem apresentado efeito
imunopreservador frente a imunossupressão induzida por
má nutrição protéica e câncer. Em pacientes recém operados,
a suplementação com arginina têm aumentado a resposta
dos linfócitos T e aumenta o numero de células de ajuda T
quando comparado com um grupo controle. Ainda segundo
Remillard et al. (2000), enriquecimento arginina estimula
o sistema imunológico, melhora a cicatrização e diminui
a morbidade e mortalidade em pacientes com queimaduras.
Como exemplo, esses autores alegam que regime alimentar
com arginina como 9% da fonte de proteína tem sido proposto
e testado em pacientes com queimaduras, sendo que aqueles
que receberam a dieta enriquecida com arginina tiveram uma
redução signif icativa na incidência de infecção da ferida e
Fonte: Adaptado de GRIMBLE, 2001.
Figura 7 - Participação dos aminoácidos na resposta imune, GSH
(glutationa), n-3 PUFAs (ácidos graxos poliinsaturados da série 3).
Caderno Técnico 1
60
61
Para animais hepatopatas é recomendado o aumento nos
níveis de arginina dietética de 1,2-2% de arginina (em base na
determinação dos níveis mínimos eficazes para a resposta
(Eds.). Small Animal Clinical Nutrition. 4.ed. Topeka: Mark Morris Institute, 2000.
desejada em cães e gatos.
p. 887-905.
matéria seca) para cães e 1,5-2% (em base na matéria seca) para
PENAFORTE, L. R. A. G. Efeitos da L-arginina sobre as Concentrações de Metabólitos
7. R eferencias
gatos (ROUDEBUSH et al., 2000).
in vivo no Sangue e em Cicatriz de retalho Micocutâneo, e sobre a Pressão de Rotura de
bibliográficas
É possível ainda que a arginina desempenhe importante
ALLEN, T.A.; POLZIN, D.J.; ADAMS, L.G. Renal disease.
Cicatriz Cirúrgica Intestinal em Ratos. Fortaleza: UFC, 2002. 97 p. Tese (Mestrado)
função da redução de peso, se tornando um aliado para saúde
In: HAND, M.S; THATCHER, C.D.; REMILLARD, R.L.;
– Programa de Pós-graduação, Departamento de Cirurgia, Universidade Federal do
de animais obesos.
ROUDEBUSH, P. (Eds.). Small Animal Clinical Nutrition. 4.ed.
Ceará, Fortaleza, 2002.
Fu et al. (2005) avaliaram ratos genéticamente selecionados
Topeka: Mark Morris Institute, 2000. p.587-588.
PUPA, J.M.R.; HANNAS, M.I.; ALVARENGA E MELO, R.C. Nutrição, imunidade
para obesidade e diabetes mellitus do tipo II. Os tratamentos
BARBUL, A et al. Metabolic and imuni of arginine in post-injury
e reprodução. Revisão apresentada no ENIPEC – Encontro Internacional dos Negócios
foram água potável com arginina-HCl (1,51%) ou o controle
hiperalimentarion. J Trauma, 1981. 21: 970-4.
Pecuários. Campo Grande, MS, 23p., 2004.
com alanina (2,55%) durante 10 semanas. Foram mensuradas
BELL, J. A. Ferret nutrition. Veterinary Clinics of North America:
QUIRINO, I. E. P. Arginina no Processo de Translocação Bacteriana em Modelo
as concentrações de arginina e NOx (oxidação de produtos
Exotic Animal Practice, v. 2, p.169 - 92, 1999.
Experimental de Obstrução Intestinal em Ratos. Belo Horizonte: UFMG, 2006. 79 p.
de NO) e estes foram 261 e 70% maior, respectivamente, em
BOWER, R.H.; CERRA, F.B.; BERSHADSKY, B. et al. Early
Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos, Faculdade de
ratos suplementados com arginina comparados aos animais
enteral feeding of a formula (Impact) supplemented with arginine,
Farmácia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.
do controle. O consumo de água, comida e energia não
nucleotídes, and fish oil in intensive care unit patients. Results of
REMILLARD, R.L.; ARMSTRONG, P.J.; DAVENPORT, D.J. Assisted Feeding
diferiu durante esse período, no entanto os pesos dos animais
a multicenter, prospective, randomized, clinical trial. Critical Care
in Hospitalized Patients: Enteral and Parenteral Nutrition. In: HAND, M.S;
suplementados com arginina foram 6, 10 e 16% inferior na
Medicine, vol. 23, p. 1679-1704. 1995.
THATCHER, C.D.; REMILLARD, R.L.; ROUDEBUSH, P. (Eds.). Small Animal
4ª, 7ª e 10ª semanas. Foi encontrada também nesses animais
CASE, L.P.; DARISTOTLE, L.; HAYEK, M.G.; RAASCH, M.F.
Clinical Nutrition. 4.ed. Topeka: Mark Morris Institute, 2000. p.351-399.
uma redução serica também na glicose e triglicerídeos. Esses
Protein Requirements. In: Canine and feline nutrition: a resource for
ROGERS, Q.R. Species variation in arginine requirements. In: Proceedings Symp.
efeitos foram atribuídos ao fato do NO estimular um aumento
companion animal professionals. Missouri: Mosby Elsevier. 3rd ed.,
Honoring Willard J. Visek: From Ammonia to Cancer and Gene Expression. Special
global na oxidação de glicose e ácidos graxos, desta maneira
2011. p. 89 – 106.
Publication. 86. Agr. Exp. Station. Urbana: University of Illinois, pp. 9-21, 1994.
diminuindo a deposição de gordura.
CAVE, N. J. The feeding behavior of the cat. In: PIBOT, P.;
ROUDEBUCH, P.; DAVENPORT, D. J. DIMSKI, D. S. Hepatobiliary disease. In:
BIOURGE, V.; ELLIOTT, D. (Ed.).Encyclopedia of feline clinical
HAND, M.S; THATCHER, C.D.; REMILLARD, R.L.; ROUDEBUSH, P. (Eds.).
5.1
Com objetivo de avaliar essa hipótese,
arginina na insuficiência renal
O óxido nítrico produzido a partir da L-arginina pela
nutrition. Paris: Aniwa SAS on behalf of Royal Canin, 2008. p.
Small Animal Clinical Nutrition. 4.ed. Topeka: Mark Morris Institute, 2000. p. 803.
ação da eNOS é responsável pelo tom de vasodilatador que é
480-509.
SAAD, F.M.O.B.; FERREIRA, W.M. Princípios nutritivos: parte 1 - energia, proteína,
essencial para a regulação da pressão arterial. A eNOS é uma
CHEN, P.Y.; SANDERS, P.W. L-arginine abrogates salt-sensitive
carboidratos e lipídeos. Lavras: UFLA/FAEPE, 2004. 108 p.
enzima é dependente cálcio-calmodulina que libera pequenas
hypertension in Dahl/Rapp rats. Journal of Clinical Investigation,
SUCHNER, U.; HEYLAND, D.K.; PETER, K. Immunemodulatory actions of arginine
quantidades de óxido nítrico em resposta à estimulação
vol.88, p 1559-1567, 1991.
in the critically ill. Br. J. Nutr, 87, Suppl 1: S121-132. 2002.
de receptores (ALLEN et al., 2000). Ativação de células
CYNOBER, L.; LE BOUCHER, J.; VASSON, M.P. Arginine
TACHIBANA, K.; MUKAI, K.; HIRAUKA, I. et al. Evaluation of the effect of arginine
endoteliais por estímulos (f luxo, por exemplo, pulsátil e
metabolism en mammals. Nutritional Biochemistry, v.6, p. 402-
enriched amino acid solution on tumor growth. JPEN, 9:428-434. 1985.
tensão de cisalhamento) parece manter o tônus vasodilatador
413, 1995.
TAPIERO, H; MATHÉ, G.; COUVREUR, P.; TEW, K. D. Arginine. Biomed.
dependente de óxido nítrico.
EISERICH,
A administração de arginina impede o desenvolvimento
Pathophysiology of nitric oxide and related species: free radical
VIANA, M. L. Arginina no Processo de Translocação Bacteriana: permeabilidade
de hipertensão em animais de laboratório suscetíveis a essa
reactions and modification of biomolecules. Mol. Aspects Med, vol.
intestinal, vias de ação e resposta imunológica na obstrução intestinal induzida em
patologia. A arginina também produz uma rápida diminuição
19, pp 221-357, 1998.
camundongos. Belo Horizonte: UFMG, 2010. 74 p. Tese (Doutorado) – Programa de
da pressão arterial quando infundida em pessoas normais e
FU, W.J.; HAYNES, T.E.; KOHLI, R.; HU, J.; SHI, W.;
Pós-graduação em Ciência de Alimentos, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal
pacientes com hipertensão essencial (CHEN & SANDERS,
SPENCER, T.E.; CARROLL, R.J.; MEININGER, C.J.; WU,
de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.
1991). Alguns dos efeitos da enzima conversora de angiotensina
G.J. Dietary L-arginine supplementation reduces fat mass in
VIRAG, L.; SZABO, E.; GERGELY, P. et al. Peroxynitrite-induced cystotoxicity:
(ECA) podem ser devido ao prolongamento da duração efetiva
Zucker diabetic fatty rats. Nutr. 135(4):714-21. 2005.
mechanism and opportunities for intervention. Toxicol Lett. pp 140-141, 2003.
da bradicinina, o que estimula a liberação de óxido nítrico.
GRIMBLE, R.F. Symposium on Evidence-based nutrition:
XIA, Y.; ZWEIER, J.L. Superoxide and peroxynitrite generation from inducible nitric
Nutrititional modulation of immune function. Proceendings of the
oxide synthase in macrophages. Proc. Natl. Acad. Sci. USA, p 6954. 1997
sintase se acumulam no plasma de pacientes com insuficiência
nutrition society, v.60, p. 389-97, 2001.
YEH, C. L. Specific nutrient:rote of arginine in sepsis. Nutrition, v. 20, p. 581-582,
renal e a inibição da enzima óxido nítrico sintase pode
NATIONAL
contribuir para a hipertensão em pacientes acometidos por essa
requeriments of dogs and cats. Washington, DC: National Academy
ZALOGA, G.P.; SIDDIQUI, R.; TERRY C.; MARIK, P.E. Arginine: mediator or
enfermidade (ALLEN et al., 2000).
Press, 2006.
modulator of sepsis? Nutrition in Clinical Practice, v. 19, p 201-215, 2004.
Derivados de arginina que inibem a enzima óxido nítrico
J.P.;
PATEL,
RESEARCH
R.P.;
COUNCIL
O´DONNELL,
–
NRC.
V.B.
Nutrient
Pharmacother. v.56, 2002. p. 439-445.
2004.
NIEVES JR, C.; LANGKAMP-HENKEN, B. Arginine and
6. C onsiderações
finais
Muitos efeitos benéficos da arginina já são conhecidos,
immunity: a unique perspective. Biomedicine & Pharmacotherapy,
v. 56, p. 471-482, 2002.
entretanto o mecanismo exato desses efeitos ainda precisa
OGILVIE, G. K.; MARKS, S. L. Cancer. In: HAND, M.S;
ser avaliado e também são necessários mais estudos para
THATCHER, C.D.; REMILLARD, R.L.; ROUDEBUSH, P.
¹Graduando em Medicina Veterinária UFLA
²Doutoranda em Zootecnia UFLA
³Professora Associada DZO/UFLA
Caderno Técnico 2
63
www.houstonpettalk.com
62
indústria e agora adora visitar plantas para ver como a matéria prima é processada,
aprendendo algo de novo em todas as visitas. Frequentemente as pessoas param
na minha escrivaninha, encontram uma amostra de farinha sobre minha mesa e
querem saber onde, como e de que é feita esta farinha. Depois de cheirar a amostra
ficam surpreendidas quando descobrem que o cheiro não é ruim. Uso este momento
para educar as pessoas da área de rações para pets, explicando o funcionamento da
indústria de graxaria, quem são nossos fornecedores e a importância desta indústria
para os fabricantes de rações para pets. Também uso a oportunidade para falar sobre
a sustentabilidade do meio ambiente, pois todos estes materiais não comestíveis
poderiam terminar em um aterro.
Nos últimos cinco ou seis anos tive a sorte de visitar quase 60 plantas na
Nova Zelândia, Austrália, Reino Unido, Noruega, Alemanha, Holanda e mais
recentemente Estados Unidos, que trabalham com espécies tão diversas como
carneiros, veados, patos, perus, salmões, savelhas, bovinos, suínos, e obviamente,
frangos. Quer o processo seja em lotes, contínuo, em alta ou baixa temperatura, a
maioria dos processadores que conheci orgulha-se de suas instalações e faz questão
de mostrar sua planta. Como sou responsável pela compra de proteínas e gorduras
processadas para transforma-las em rações para pets de alta qualidade, fico sempre
impressionado ao entrar em uma planta limpa e encontrar um proprietário ou
gerente orgulhoso com suas instalações, dos ingredientes que produzem e sua
equipe que também se orgulha. Uma das primeiras coisas que procuro saber para
ter uma ideia de como funciona a planta e qual a qualidade dos seus produtos é qual
o nível de conhecimento e de empenho do gerente e sua equipe em relação à planta e
seus produtos
Plantas da indústria de graxaria que são limpas e arrumadas no lado de fora,
sem peças de reposição, parafusos, pedaços de madeira, latas, etc. jogadas, com
F
Cuidando do Mercado
de Rações para Pets
az relativamente pouco tempo que estou envolvido com a
funcionários em uniformes limpos (ou tão limpos quanto possível) dão uma excelente
primeira impressão. Dão ao cliente uma ideia da aparência do interior da planta e
da qualidade do material que será fornecido. Produtos de uma planta que parece
desarrumada deixam no cliente uma sensação de que ainda que o produto possa estar
de acordo com as especificações , o processador não se incomoda com a aparência
da planta. Isto poderia levar o cliente a duvidar da segurança, palatabilidade e até
mesmo da qualidade do produto processado.
A qualidade da matéria prima que será processada afeta o produto que sai da
cozedora ou da secadora. Para o comprador de ingredientes de rações para pets
a qualidade e a segurança do alimento são pontos essenciais na avaliação de um
fornecedor, novo ou existente.
Com o crescimento da humanização dos pets, a indústria
Entre os fatores que afetam a qualidade podemos mencionar:
indústria de graxaria (seis anos), mas três pontos chamaram a
de graxaria precisa entender esta dinâmica e estar disposta a
1. Matéria prima: Quanto mais fresca melhor. Aminas biogênicas formadas de
minha atenção. O primeiro é que os responsáveis por esta indústria
se adaptar e mudar em conjunto com a indústria de rações para
matérias primas em decomposição não podem ser eliminadas por cozimento e
formam um grupo entusiasmado dedicado a fabricar produtos
pets. Isto é necessário para garantir que tanto o consumidor
originam problemas de palatabilidade, doenças nos pets e até morte dos mesmos
de alta qualidade com a matéria prima disponível e são de certa
como seus requisitos sejam atendidos e compreendidos.
em alguns casos.
forma, os recicladores finais. Segundo, a qualidade e objetos
Pisei pela primeira vez em uma planta da indústria de
2. Salmonella: Ainda que possam ser mortas durante o cozimento, a recontaminação
estranhos são problemas, não importa qual seja o local da planta
graxaria em Hawke’s Bay, Nova Zelândia, em 2007. Desde então,
após secagem ou cozimento e sua introdução nas instalações de rações para pets
de processamento. Os processadores precisam compreender
me tornei um defensor ardoroso da indústria de graxaria. Sim, o
pode causar problemas para o fabricante destas rações. Quando eu descobri que
os requisitos dos consumidores de rações para pets e porque a
processo cheira mal e não é um trabalho “sexy”, mas a indústria
Salmonella controlada inadequadamente na indústria de processamento ou nas
segurança das rações e a avaliação de riscos se tornam cada vez
de graxaria desempenha um papel crítico na transformação
instalações de fabricação de rações para pets pode causar doenças graves e até risco
mais importantes. E, terceiro, o planejamento da sucessão nas
de partes indesejadas da cadeia alimentar em importantes
de morte, passei a levar meu papel de comprador de farinhas secas e a qualidade dos
empresas é fundamental, ao lado da forma de procurar atrair
ingredientes de valor agregado para a indústria de rações para
fornecedores muito mais a sério. Os compradores precisam compreender que suas
funcionários qualificados para a indústria de graxaria.
todos os tipos de animais. A primeira visita me ligou com a
decisões de compra tem um impacto direto sobre os produtos que são fabricados.
Caderno Técnico 2
64
65
3. Valor de peróxido: Farinhas preparadas com gorduras
sejam perdidos.
reconhece que métodos de segurança como irradiação estão
motorista de caminhão de transporte de graxa da Valley
instáveis ou estabilizadas incorretamente fazem com que a
À medida que a demanda por proteínas e gorduras animais
sendo “desenvolvidos e implementados.” A nova política teve
Proteins que foi testemunha de roubo de óleo de cozinha
gordura se torne rançosa com notas de impalatabilidade na
de qualidade continua a crescer no mercado de rações para pets,
duas revisões, incluindo uma mudança de, “Nunca alimente
usado de um tanque da empresa nas instalações de um
ração seca para pets. Isto causa um impacto negativo no na
acredito que o planejamento de sucessão e a retenção de talentos
seus cães ou gatos com proteína de fonte animal tratada
cliente em Annandale, VA, e chamou a polícia do Condado
experiência do consumidor quando seu cão ou gato vira o nariz
sejam os dois maiores desafios desta indústria nos próximos
inadequadamente ” para, “Evite alimentar seus cães ou gatos
de Fairfax enquanto o roubo estava em andamento. O
e se afasta da tigela. Além disto, o valor de peróxido afeta
cinco a dez anos.
com proteína de fonte animal tratada inadequadamente.”
julgamento aconteceu após vários meses de manobras legais
diretamente a validade da ração.
da equipe e planejamento ativo de sucessões garantirão o
Quase 91% dos delegados da associação votaram em favor
pré-julgamento e educação dos detetives e promotores por
4. Objetos estranhos: Quer sejam luvas de plástico, clipes,
crescimento da indústria de graxaria que continuará a fornecer
da nova política na convenção realizada no começo de agosto.
funcionários da Valley Proteins sobre valor de óleo de cozinha
marcadores auriculares, aventais, facas, telas, cápsulas de bolo,
ingredientes de alta qualidade, a preços acessíveis, para as
Também durante o encontro a associação deu uma ideia dos
usado e a magnitude do problema de roubo deste material para
os fabricantes de rações para pets não querem ver estes “extras”
indústrias de rações para pets e outros animais. Vi muitas
achados para 2012 em seu Levantamento sobre Propriedade
a indústria de graxaria nos Estados Unidos. O confisco de
em seus ingredientes prontos. Nunca é uma boa experiência
mudanças positivas no curto período em que estive envolvido e
e Demografia de Animais Domésticos nos Estados Unidos
caminhão usado no roubo é um importante precedente e serve
ouvir um consumidor dizer que encontrou pedaços coloridos de
estou feliz ao ver os processadores levarem seu papel na cadeia
(United States Pet Ownership and Demographics Sourcebook)
como modelo a ser seguido pela polícia e pelos promotores para
ração com peças de plástico ou que o pedaço parece uma mina
alimentar com seriedade.
que estará disponível no outono.
tentar impedir a ação futura dos ladrões de óleo de cozinha.
da segunda guerra mundial, com pedaços de metal saindo para
Ter disposição para se adaptar e mudar de acordo com os
quase 50.000 lares americanos descobriu que o número de
todos os lados e que poderiam ferir os órgãos internos de um
requisitos dos clientes e com a sempre crescente exigência de
proprietários de pets diminuiu 2,4% de 2006 até 2011, mas os
Valley Proteins instituiu um programa de bônus para seus
cão ou gato.
segurança dos alimentos dá a indústria de graxaria a melhor
gastos com pets aumentaram. O gasto médio por cão foi de 227
funcionários que paga 100 dólares a qualquer funcionário
chance possível de sobrevivência e crescimento no futuro.
dólares em 2011 em comparação com 200 dólares em 2006. O
que forneça informação sobre roubo suficiente para gerar um
gasto por gato subiu de 89 para 90 dólares.
relatório policial. Para tanto é necessária a identificação do
Nos últimos dois a três anos os processadores que fornecem
Mudança cultural e inovação, retenção
ingredientes ao mercado de rações para pets começaram a
levar a sério os comentários e preocupações dos fabricantes
de rações.
A indústria de graxaria trabalha ativamente para
Venda Mundial de R ações para P ets
US$ 74,8 bilhões em 2017
Este levantamento de
Para ajudar a empresa a combater o roubo de graxa, a
ladrão, descrição do veículo usado no roubo, incluindo número
chegará a
Valley P roteins
consegue condenação por roubo
da placa e marca e o momento e local do roubo Benji Dorsey, o
melhorar a qualidade da matéria prima que utiliza, quer seja
incorporando transporte refrigerado ou removendo plástico do
Market Research, de Albany, NY, o mercado mundial de rações
material recebido antes que chegue a planta de processamento.
para pets crescerá 4,2% por ano nos próximos seis anos,
no Tribunal do Condado de Fairfax, Virginia, acusado de delito
O Presidente da Valley Proteins President, J.J. Smith
Há uma crescente mudança cultural entre os processadores,
passando de 58,6 bilhões de dólares em 2011 para 74,8 bilhões
de furto ao roubar graxa de cozinha de um container da Valley
comprometeu um volume substancial de recursos da empresa
um desejo de melhorar a qualidade como forma de se destacar
de dólares em 2017.
Proteins, Inc., e também, por crime de posse de ferramentas de
e de seu pessoal para combater o roubo de graxa e educar as
entre os concorrentes. O resultado são ingredientes de melhor
Segundo o relatório, as vendas de rações para pets nos
roubo - o caminhão, bomba e tanque usados no roubo. Como
agências responsáveis pela aplicação da lei, demonstrando que
qualidade. Isto é crítica, pois o produto final da indústria de
Estados Unidos crescerão 3,5% por ano, de 21,7 bilhões
resultado da condenação, o Condado de Fairfax confiscou o
a empresa considera uma prioridade a redução de perdas de
graxaria é o ingrediente inicial dos fabricantes de rações para
de dólares em 2011 para 26,6 bilhões de dólares em 2017.
caminhão, impedindo Zheng de usa-lo no future para obter óleo
produto devido a roubos.
pets. Em minha opinião, o processamento às vezes parece arte
O relatório afirmou que ração seca é o tipo de ração mais
de cozinha usado. Após o julgamento, o júri recomendou uma
com todo o conhecimento presente nas cabeças dos responsáveis
consumida no mundo, seguida por petiscos e, a seguir, as rações
condenação de seis meses na prisão e uma multa de US$ 500. A
pelas plantas. Realmente, é um talento pegar um pouco disto,
úmidas.
deliberação do juiz foi marcada para setembro.
um pouco daquilo, misturar tudo e cozinhar para atender os
requisitos dos clientes. Em muitos casos, estas pessoas fazem
na área de Ásia Pacífico será o mais rápido nos próximos seis
isto há anos e sabem ao olhar para a torta da moenda, a cor
anos, enquanto o mercado europeu, o segundo depois dos
do sebo ou o odor da planta es estão conseguindo produzir
Estados Unidos, crescerá 4,4% de 2011 até 2017. O relatório
dentro das especificações e com eficiência máxima. Em algum
atribui este crescimento do mercado global ao aumento de
momento, e logo entre alguns, estes especialistas deixarão a
renda disponível das famílias e a uma tendência para mais
indústria para gozar de uma merecida aposentadoria.
“famílias nucleares” e mais pessoas com pets em suas casas.
De acordo com um relatório publicado pelo Transparency
O relatório também considera que o crescimento do mercado
Uma preocupação é como este conhecimento perdido será
substituído, pois isto poderá ter um impacto direto sobre uma
AVMA desencoraja dietas com alimentos crus para pets
planta ou sua consistência. Consistência é fundamental nos
produtos para rações de pets. Em algumas plantas existem
a Associação Americana de Medicina Veterinária (American
alguns jovens interessados, mas é difícil atrair talentos para
Veterinary Medical Association - AVMA) aprovou a política
um negócio que é quente, suarento e frequentemente mal
que desencoraja a alimentação de cães e gatos com proteínas
cheiroso. Muitas vezes já torceram o nariz para mim na sala de
animais cruas, a não ser que estes alimentos tenham sido
espera de aeroportos após minha visita a plantas da indústria
tratados para eliminar patógenos.
de graxaria. Talento precisa ser desenvolvido e então retido na
indústria de graxaria. O conhecimento precisa ser transmitido
a cocção ou pasteurização são os métodos “tradicionais” para
de forma coerente para garantir que os segredos da arte não
eliminar patógenos em alimentos crus para cães e gatos, mas
Seguindo uma recomendação anterior para donos de pets,
A nova política sobre alimentos crus para pets afirma que
de gordura
Em 16 de julho de 2012, Cheng Zheng foi condenado pelo júri
Esta condenação foi obtida devido a um alerta de um
motorista de Baltimore, MD, envolvido no caso do condado de
Fairfax foi o primeiro a receber este bônus.
Material técnico gentilmente cedido pela Revista Render (The National
Magazine of Rendering), edição Outubro de 2012.
Reprodução autorizada pelo autor.
Tradução de Anna Maria Franco.
66
Serviços
3ª Capa
Manzoni Industrial
Aboissa
(11) 3353-3000
[email protected]
www.aboissa.com.br
15
(19) 3225-5558
Você pode solicitar o recebimento
da Pet Food Brasil.
Após preenchimento do formulário a seguir,
envie-o para:
www.manzoni.com.br
Marfuros
5
Algomix
(45) 3251-1239
www.algomix.com.br
Alltech do Brasil
(41) 3888-9200
www.alltech.com
35
(44) 3029-7037
www.marfuros.com.br
Metachem
19
61
Nome:
(11) 4496-2888
www.metachem.com.br
21
Andritz Sprout do Brasil
www.andritzsprout.com
[email protected]
51
Empresa:
Nord Kemin 31
(49) 3312-8650
Endereço:
www.kemin.com
Nutridani
BCQ
(11) 3586-8918
www.bcq.com.br
4ª Capa
(43) 3436-1566
39
Doce Aroma
(11) 2633-3000
[email protected]
www.docearoma.com.br
53
Eurotec Nutrition
(48) 3279-4000
[email protected]
Nutrivil
59
[email protected]
www.nutrivil.com.br
41
[email protected]
Rhotoplás Embalagens
9
(11) 4199-2555
[email protected]
35
Geelen Counterflow
[email protected]
www.geelencounterflow.com
43
Grande Rio Reciclagem
(21) 2765-9550
[email protected]
www.grgrupo.com.br
37
Informe Agro Business 33
(11) 3853-4288
[email protected]
www.agroinforme.com.br
SPF do Brasil
7
(19) 3583-6003
www.spfbrasil.com.br
Tectron
63
(45) 3379-6000
www.tectron.ind.br
Uniamérica
Fax:
( )
Cargo:
(65) 3029-1063
www.rhotoplas.com.br
47
Ferraz Máquinas
(16) 3615-0055
[email protected]
www.ferrazmaquinas.com.br
Complemento:
Fone: ( )
(85) 3215-1107
www.reciclagemind.com.br
Fada
(51) 3487-1797
[email protected]
www.fada.com.br
Cep: UF:
33
Reciclagem
Nº:
Cidade: www.nutridani.com.br
Inflex Embalagens
(67) 2108-5900
www.inflex.ind.br
ASSINATURA DA REVISTA
Pet Food Brasil
45
(11) 2142-8100
Tipo de Empresa:
( ) Fábrica de Ração
( ) Palatabilizantes
( ) Vitaminas e Minerais
( ) Aditivos e Anti-Oxidantes
( ) Veterinários
( ) Zootecnista
( ) Pet Shop
( ) Farmacologia
( ) Corantes
( ) Embalagens
( ) Graxaria Independente
( ) Graxaria / Frigorífico
( ) Fornecedor de Máquinas / Equipamentos
( ) Fornecedor de Insumos e Matérias-Primas
( ) Prestadores de Serviços
( ) Consultoria / Assessoria
( ) Universidades / Escolas
( ) Outros
www.uniamericabrasil.com.br
Wenger do Brasil
29
(19) 3871-5006
[email protected]
www.wenger.com
Widy / Muyang
2ª Capa
(11) 5042-4144
www.wid-eng.com
Rua Sampaio Viana, 167, Conj. 61
São Paulo (SP) - Cep: 04004-000
Fone: (11) 2384-0047
ou por [email protected]

Documentos relacionados

Exigências de metionina e cisteína para cães.

Exigências de metionina e cisteína para cães. autores e não necessariamente refletem as opiniões da revista. Não é permitida a reprodução total ou parcial das matérias sem expressa autorização da Editora.

Leia mais