8 anos no ar - Sindicato dos Bancários

Сomentários

Transcrição

8 anos no ar - Sindicato dos Bancários
Jornal do Sindicaro dos Bancários de Pelotas e Região | junho de 2009
8 anos no ar
Para comemorar o seu
oitavo aniversário, a
RádioCom 104.5 FM
promoveu seminário sobre a democratização da
comunicação e jantar de
confraternização junto
com seus apoiadores e
ouvintes.
Conferência Estadual
dá a largada para a
Campanha Salarial nopáginaRS6
Bancos fecham 1.354 postos
de trabalho no primeiro
trimestre de 2009
página 5
www.bancariospel.org.br
página 3
Vem aí a Campanha Salarial 2009!
JUNHO DE 2009
junho/2009
Bancários questionam critérios do Banrisul
em processo de seleção interna
Campanha Salarial 2009:
Começa a batalha
Os bancários de todo o país
preparam-se para uma nova campanha
salarial, e a previsão é de uma batalha
difícil, pois os banqueiros não
costumam medir esforços para evitar
qualquer tipo de avanço para seus
funcionários, responsáveis diretos pelos
excelentes resultados que os bancos
alcançam a cada balanço financeiro
apresentado.
O primeiro indício de que esta não
será uma Campanha Salarial fácil, é a
própria ´maquiagem´ desses balanços,
que apontam lucros menores do que
mostram os números reais. Tudo para
justificar a tradicional choradeira na
hora da negociação salarial que se
aproxima.
Assim com as campanhas
anteriores, é preciso que os bancários
estejam mobilizados e engajados nas
atividades propostas pelo sindicato para
mostrar a força da categoria diante da
ganância dos patrões. Essa ganância já
pode ser percebida no próprio relatório
do Banco Central, que aponta os bancos
como instituições imunes à crise
econômica mundial e totalmente
resistentes aos principais fatores de
risco.
De acordo com uma consulta
realizada em algumas agências de
Pelotas, a expectativa é de um índice de
reajuste de pelo menos 10% e de uma
melhoria no piso salarial da categoria. A
avaliação é de que os bancos, com os
resultados positivos apresentados no
período, seria absolutamente aceitável,
caso os banqueiros tenham alguma
consideração com aqueles que são os
verdadeiros responsáveis pelos seus
lucros.
Latinomúsica:
maioridade
detalhe do monumento de destaque do memorial da américa latina em São Paulo
Por Álvaro Barcellos*
Transcorria o ano de 1988 e o
povo pelotense (e o da região)
eram agraciados com um evento
verdadeiramente memorável: o
Latinomúsica, maravilhoso
intercâmbio cultural e musical dos
países que compõem as Américas
– sobretudo do Sul e Central.
A idéia original partiu do
compositor Raul Ellwanger,
tendo sido viabilizada através dos
esforços da produtora Bia Araújo.
Assim, seguiam-se debates –
geralmente na tarde – e
apresentações musicais (geralmente à noite) numa comunhão
multicultural que de um lado
expunha várias diferenças e de
outro acentuava uma série de
pontos de contato entre os mais
variados matizes e lugares do
Brasil e das mais diversas nações
sul e centroamericanas.
Tínhamos mais: todos os caras
vinham tocar – livres naturalmente de despesas de alimentação
Charge
e hospedagem e contando com
ótima estrutura de som – de graça,
pela questão cultural, o que era
realmente um grande barato.
Entre os dois eventos (o
primeiro mais centralizado no
ginásio do colégio Pelotense e o
segundo no teatro Guarani)
circularam nomes brasileiros
como Kleiton Ramil, Giba-Giba,
Raul Ellwanger, Pery Souza,
Gilberto Monteiro, Tambo do
Bando, Passoca, Vânia Bastos,
Tavinho Moura, Luiz Melodia,
Belchior, Elomar, Artur Moreira
Lima, Chico Buarque, entre
outros, além de nomes de músicos
do Uruguai, Paraguai, Chile,
Argentina, Peru, Cuba, Bolívia etc.
Assim, desfilavam Renato Pavez,
Numa Moraes, Luiz Rico, Antonio
Tarragó-Ross, Lucio Yanel, entre
outros tantos que com seu talento
abrilhantavam uma grande e
inesquecível festa de integração e
intercâmbio cultural e sonoro das
Américas do Sul e Central.
Tanta repercussão teve o
evento que Pelotas não mais o
comportou – até pela falta de
sensibilidade de setores que
pareceram não ter entendido a
magnitude de tudo aquilo. E a
coisa foi esfriando. Quem
aproveitou os excelentes ventos
foi a capital: tanto que Porto
Alegre rebatizou o evento de
Cantamérica, trazendo nomes
como Mercedes Sosa, Leon
Gieco, Renato Teixeira, Sá e
Guarabyra, Tom Zé, Ná Ozetti,
entre outros.
O fato é que em 2009 o
Latinomúsica completaria
maioridade, mas após tanto
tempo deixa entre nós que
pudemos acompanhá-lo não
apenas muita saudade, mas
fundamentalmente um gostinho
de: quero mais!
Uma comissão de diretores
da Federação dos Bancários RS e
do Sindicato dos Bancários de
Porto Alegre esteve reunida no
dia 10 de junho, com os diretores
da área de Gestão de Pessoas do
Banrisul, Gaspar Saikoski e
Márcio Kaiser. O Encontro foi
solicitado pelo Comando dos
Funcionários do Banrisul com o
objetivo de encaminhar os
questionamentos feitos na última reunião de delegados
sindicais, ocorrida no dia 22 de
maio, quanto à metodologia
adotada pelo banco nos processos de seleção interna.
Os diretores relataram ao
banco, que diversos banrisulenses consideraram a entrevista de
análise de perfil aplicada pela
instituição inadequada. Segundo
delegados sindicais, os funcionários denunciaram que durante
a entrevista foram feitas perguntas de cunho pessoal e sexual,
que causaram constrangimentos
e em conseqüência prejudicaram
o seu desempenho na seleção.
Outro questionamento está
relacionado à participação de
Caixa Jaguarão vive clima tenso
gerentes de agência em
algumas fases do processo
seletivo. Os bancários alegam
que estes colegas já têm
formado juízo de valor sobre
os funcionários, o que compromete a lisura da seleção.
O que diz o banco
Os representantes do
Banrisul informaram que a
instituição irá publicar, duas
resoluções determinando um
conjunto de regras para os
processos de seleção interna.
Estas resoluções serão analisadas pelo movimento sindi-
cal. Na avaliação dos sindicalistas, o Banrisul deve rever
os critérios atuais utilizados
no processo seletivo, para
que os funcionários não sejam submetidos a situações
vexatórias e tenham plenas
condições de expressar suas
habilidades.
Os dirigentes solicitaram
a anulação da prova de perfil
e que todos os aprovados na
prova de conhecimentos sejam chamados para participar das demais etapas da
seleção.
Fonte: FEEB/RS
BB-Cassi
Cortes e mudanças organizacionais prejudicam plano
*Bancário da Caixa
Diretora do Seeb adere ao
programa de pré-aposentadoria
A diretora do Sindicato dos
Bancários de Pelotas e Região, Vera
Miranda, aderiu ao programa de préaposentadoria do banco Santander,
e deixou o cargo de coordenadora de
Finanças da entidade. A partir de
agora, ela passa a ser suplente da
executiva colegiada, onde continuará
contribuindo no trabalho do
Sindicato, como fez ao longo de
mais de 20 anos de história no
movimento sindical. Para substituíla na coordenadoria de finanças,
assumiu o diretor André Amaral.
A Cassi (Caixa de Assistência
dos Funcionários do Banco do
Brasil) completou, em janeiro, 65
anos. Entretanto, ao invés de festa,
os beneficiários protestam contra a
política de credenciamento, falta de
funcionários, baixos salários e
implantação de nova estrutura
organizacional, que prejudicam o
atendimento do plano de saúde.
Os cortes atingem também as
áreas administrativas: todas as
unidades perderam o gerente de
relacionamento com o mercado,
que tinha função de administrar
convênios com instituições de
saúde.
O cargo de gerente de
núcleo de promoção à saúde
também desapareceu. Este
profissional era responsável
pelo contato direto com os
trabalhadores.
Desde 2000 foi implantado
pela diretoria um modelo de
credenciamento restritivo que
limita o número de credenciados. Outro problema é o fato
de que os pagamentos aos
credenciados foram atrasados
durante um período.
Plano odontológico
A reivindicação dos fun-
cionários do BB para criação de
plano odontológico da Cassi
ainda não foi atendida pela
empresa.
O órgão começou a montar
o plano em 2001 e desde então
ainda não saiu do papel. Em
2005, a ANS (Agência Nacional
de Saúde) concedeu o registro
para funcionamento do plano,
mas o banco adiou a data de
início com o argumento de que
precisaria antes solucionar o
déficit financeiro da Cassi. O
déficit foi solucionado, mas até
agora, plano odontológico que é
bom, nada.
A agência da Caixa em Jaguarão
vive uma situação administrativa
que preocupa funcionários e
usuários do Banco. Os funcionários trabalham sob pressão e
reclamam do relacionamento com
a gerência, que impõe um clima de
trabalho onde não há espaço para
diálogo ou mesmo para uma
convivência harmônica.
Em relação ao atendimento ao público, os clientes chegam a
ser ´proibidos´ de ingressar na
agencia, sendo desviados para o
autoatendimento ou lotéricas, sob
argumento de que esse procedimento seriam ´normas´ da Caixa.
O Sindicato procurou a superintendência regional para tratar do
assunto, e foi informado que a
situação será analisada, pois o que
existe é apenas uma ´orientação´,
não uma imposição para que os
clientes não usem a agência, como
ocorre em Jaguarão. Quanto ao
tratamento recebido pelos funcionários da agência, a superintendência também analisará o
assunto de perto.
Foto: blog da RádioCom
JUNHO DE 2009
Pelotas tem o pior índice
Yeda foge
de investimento em Educação Infantil do país
de manifestações em Pelotas
Na abertura da 17ª edição da
Fenadoce, a governadora
enfrentou mais uma vez
p r o va s d a s u a i m p o pularidade. Chegando ao
aeroporto de Pelotas, Yeda
foi infor mada de que
protestos de professores e
municipários estavam programados. Sabendo das
manifestações, a governadora nem saiu do aer opor to, r etor nando à
capital. As vais sobraram
então para o prefeito de
Pelotas Fetter Jr.
Índice de desaprovação aumenta
A governadora do estado
parece estar mesmo vivendo um
dos seus piores momentos
políticos. Não bastassem as
denúncias que assombram a
tucana, como a iminência de uma
CPI e os constantes atritos com
seus assessores e com o seu vice,
Paulo Feijó, agora é a sociedade
gaúcha que fala através dos
n ú m e r o s q u e d e s a p r ova m
completamente a sua administração.
Segundo pesquisa realizada
pelo Instituto Datafolha e
publicada no dia 3 de junho na
Folha de São Paulo, 55% dos
gaúchos acham que Yeda é
muito responsável pelo caos
político que enfrenta o Rio
Grande do Sul; 88% defende
uma CPI na Assembléia
Legislativa e 70% chega a
defender o impeachment da
governadora do PSDB. Além
disso, Yeda tem a pior
avaliação entre todos os
governadores analisados pelo
Instituto Datafolha entre
to da s a dmin istra çõ es,
considerando gestões atuais e
passadas. Yeda amarga ainda a
pior avaliação de sua
administração - 51% acham
seu governo péssimo ou ruim.
O índice de ótimo e bom ficou
em 15%.
Apesar de ter melhor
avaliação entre pessoas com
nível superior e com renda
maior do que cinco a dez
salários mínimos, Yeda não
tem aprovação em nenhuma
faixa. Ou seja, em todos os
cortes pesquisados o índice de
ruim e péssimo é maior que o
de ótimo e bom.
A cidade de Pelotas acaba de
ganhar um título nada honroso,
o de cidade brasileira que tem o
menor índice de crianças
atendidas pela Educação
Infantil, apenas 20,78%,
desbancando, por exemplo,
índice do estado de Alagoas, até
então o primeiro nesse ranking
negativo. Os dados fazem parte
de um amplo trabalho de
auditoria realizado pelo
conselheiro do Tribunal de
Contas do Estado, Cezar Miola,
e divulgado no início de junho.
O estado do RS, em
comparação com outros
estados brasileiros, também
apresenta índices preocupantes
em relação aos investimentos
no atendimento à Educação
Infantil. Segundo o mesmo
levantamento, realizado com
base no Censo Escolar de 2008,
a taxa de crianças atendidas pela
Educação Infantil no estado é de
28,18%, índice que contrasta
com a taxa geral do Brasil, de
34,91%, resultando na falta de
investimentos e ausência do
estado junto aos municípios. A
Constituição Estadual estabelece um percentual de 35%
para investimentos em educação
e no momento são gastos apenas
26%.
Esses números apontam
que o atendimento pré-escolar
no Rio Grande do Sul é o pior
do país, e a atual situação pode
piorar se o estado e municípios
não atuarem de maneira
conjunta e não desenvolverem
políticas para a reversão do
quadro em que se encontra a
educação.
Bancos fecham 1.354 postos de trabalho no primeiro trimestre de 2009
Estudos realizados pelo
Dieese e a Contraf – CUT mostraram que os bancos que operam no Brasil fecharam mais de
1.354 postos de trabalho no
primeiro trimestre de 2009. As
empresas financeiras desligaram
8.236 bancários e contrataram
6.882 entre janeiro e março. É
uma inversão do que ocorreu no
ano passado, quando houve um
aumento de 3.139 novas vagas no
mesmo período. A pesquisa foi
divulgada neste mês, em entrevista coletiva na sede da ContrafCUT, em São Paulo.
Demissões se concentram nos
maiores salários
Além da redução do emprego,
está havendo também uma
diminuição na remuneração
média dos trabalhadores do sistema financeiro. Os desligados no
primeiro trimestre recebiam
remuneração média de R$ 3.939,84.
Já os contratados têm remuneração
média de R$ 1.794,46, o que
representa uma diferença de
54,45% - menos da metade. Isso
porque os desligamentos foram
concentrados nos escalões hierárquicos superiores e as admissões
ocorrem principalmente nos cargos
iniciais da carreira. Esse movimento intensificou a tendência
observada no mesmo período do
ano passado, quando a diferença
entre os salários médios dos
bancários contratados e desligados foi de 34,34%.
As demissões estão concentradas nos grandes bancos privados, principalmente em razão das
fusões do Itaú-Unibanco e
Santander-Real, contrariando os
compromissos assumidos publicamente pelos presidentes dessas
empresas de que não haveria
fechamento de postos de trabalho.
JUNHO DE 2009
Conferência Estadual dá a largada
para a Campanha Salarial no RS
Aposentadoria aos 25 anos: uma possibilidade
Seminário discute aposentadoria especial para bancários
Seeb Pelotas disponibilizará transporte e alimentação para os bancários da região participar
A Conferência Estadual dos
Tr a b a l h a d o r e s d o R a m o
Financeiro, que acontece no dia
4 de julho, em Porto Alegre,
marcará o início da Campanha
Salarial 2009, que este ano
promete uma dura batalha com
os patrões, que estão mais
gananciosos do que nunca. E a
choradeira deste ano deve ser
ainda maior, pois apesar de
apresentarem resultados recordes ao longo dos últimos anos,
em 2009 os lucros cresceram
menos do que em períodos
anteriores. Mas os bancários já
estão se preparando para desbancar os argumentos que
provavelmente serão apresentados em meio à tradicional
choradeira para não conceder as
reivindicações da categoria.
Como tradicionalmente
acontece, durante a Conferência Estadual os bancários
gaúchos aprovarão uma proposta de índice de reajuste
salarial e estratégias de mobilização para este período,
com o objetivo de envolver o
conjunto da categoria nas
ações da campanha. Além
disso, serão debatidos assuntos como conjuntura nacional, segurança bancária, saúde e condições de trabalho e
previdência complementar.
A conferência é aberta a
todos os bancários e o Sindicato disponibilizará ônibus e
alimentação para os interessados em participar. Mais
informações podem ser
obtidas na secretaria da
entidade (rua Tiradentes,
3087, fone 3225-4066).
571,5 contas para cada bancário
Para os bancários, esta
redução dos lucros no último período começa a apresentar consequências reais,
transformando-se em queda
na participação que tem nos
resultados da empresa.
Alguns bancos já pagaram
um valor mais baixo do
adicional da PLR, e a probabilidade é que nenhum
bancário tenha direito ao
adicional.
Sindicatos se mobilizam para manter os direitos
dos trabalhadores das cooperativas de crédito
No início do mês de junho,
sindicatos de bancários de todo o
estado fizeram manifestações pelo
Dia Estadual de Luta dos
Trabalhadores das Cooperativas de
Crédito. Os atos realizados em
frente a agências do Sicredi
buscaram sensibilizar os
trabalhadores e lutar pela
manutenção dos direitos
adquiridos pela categoria.
O Sicredi tenta desarticular a
organização de seus trabalhadores,
incentivando a criação de um
sindicato específico para o
segmento. De forma arbitrária, o
Sicredi deixou de cumprir a
Convenção Coletiva Estadual neste
ano. Atualmente, os direitos dos
trabalhadores das financeiras e
cooperativas de crédito, entre eles a
jornada de 6h e a gratificação
semestral, estão garantidos pela
convenção coletiva. Devido a
esta situação, os trabalhadores
deixaram de receber o reajuste e
também a cesta alimentação de
Páscoa, ambos benefícios
garantidos pela convenção
coletiva assinada entre a
Federação dos Bancários do RS
(Feeb/RS), sindicatos filiados e
Sindfin (sindicato patronal).
Todas as conquistas dos
trabalhadores do setor
financeiro e das cooperativas de
crédito deve-se à representação
legítima e à inclusão do
segmento no ramo financeiro.
Para Luiz Carlos Barbosa,
diretor da Feeb/RS o sindicato
está enfrentando um ataque à
organização e aos direitos dos
trabalhadores. “O Sicredi
encorajou a criação de outro
sindicato, que já nasceria sem
poder de pressão, para
m a n i p u l a r a c o nve n ç ã o
coletiva. Uma entidade sindical
não pode estar ligada ou aliada
aos patrões para defender os
interesses dos trabalhadores”,
afirma.
Através de informativos
específicos para os
trabalhadores e de carta aberta
para clientes e usuários do
Sicredi, os dirigentes
promoveram manifestações
em todo o estado. Para os
sindicalistas os trabalhadores
devem lutar para manter viva a
Convenção Coletiva. Se os
trabalhadores quiserem manter
seus direitos não poderão
aceitar a pressão do Sicredi. A
Uma injustiça, pois
apesar de crescer menos, os
bancos continuam sendo um
setor de alta lucratividade,
graças ao trabalho bancário,
que cada vez trabalha mais, já
que o número de funcionários caiu vertiginosamente
nos últimos anos. Em 2008,
eram 465 mil bancários para
272,5 milhões de contas
correntes e poupança, como
se cada bancário administrasse 571,5 contas.
O Sindicato dos Bancários de
Pelotas e Região realizou no dia 29
de Maio seminário sobre aposentadoria bancária. Em pauta, a
aposentadoria especial aos 25
anos de trabalho na atividade, cujo
exercício ao longo dos anos pode
causar doenças como LER (Lesão
por Esforço Repetitivo) e
DORT’s (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).
Foram debatidos durante o
evento a possibilidade de os bancários requererem junto ao INSS
aposentadoria após 25 anos de
trabalho devido à penosidade da
atividade bancária. Até o momen-
to, não constam junto aos registros do Instituto Nacional de
Seguro Social (INSS) nenhuma
concessão de aposentadoria deste
tipo. Segundo estudos apresentados por Jacéia Netz, assessora na
área de saúde do Sindicato dos
Bancários de Porto Alegre, a
categoria ocupa o 1º lugar no
ranking das LER/DORT’s; para
cada grupo de 10 mil bancários,
520 adoecem em virtude desses
distúrbios; 30% já sofreram AT
(acidentes de trabalho) sendo
afastados por transtornos mentais
com mais de 90 dias de inatividade
e representam 10% do total de
benefícios concedidos pelo INSS.
Além disso, a categoria desenvolve ao longo do exercício da
profissão tensões como problemas psicológicos pré e pós
traumáticos (assaltos a bancos) e
depressão devido ao não cumprimento das metas impostas pelos
bancos. Esses fatores
comprovam a penosidade da
atividade ban-cária, causando um
desgaste psíquico e físico no
organismo humano.
S e g u n d o Jo s é R i c a r d o
Caetano Costa, assessor jurídico
do sindicato, a Constituição
Federal de 1988 garante ao
empregado receber adicionais em
seus vencimentos devido à
RádioCom comemora 8 anos no ar!
Santander paga
adicional de PLR
Após pressão das entidades
sindicais com atividades de
mobilização em todo País, o
Santander fez o pagamento de
R$ 500 de adicional de
Participação nos Lucros e
Resultados (PLR) do exercício
de 2008 .
O crédito foi realizado no dia
19/06, aos funcionários do
Santander e do Real. Quem foi
demitido sem justa causa e
quem se aposentou entre 2 de
agosto e 31 de dezembro de
2008 tem direito ao valor
proporcional ao período
trabalhado e vai receber no dia
10 de julho.
Palestrantes do Seminário da RádioCom
A RadioCom 104.5 FM
completou no dia 12 de junho 8
anos de atividade junto à
comunidade pelotense. Fundada a
partir de movimentos sociais,
sindicais e marcada por lutas e
desafios constantes dentro do
cenário conservador e elitista, no
qual se desenvolve a comunicação
pelotense, a rádio leva à população informação privilegiando
um conceito de comunicação
diferente, voltado para aqueles
que não se sentem representados
Público presente no Seminário
pela mídia conservadora e tradicional.
Para fortalecer os laços que
unem a comunidade de Pelotas e a
RadioCom, foram realizados
eventos comemorativos para
celebrar a data. No dia 13 de
junho, foi promovido Seminário
no Sindicato dos Bancários de
Pelotas. Palestraram Álvaro Barcellos, bancário, ativista cultural,
pesquisador e escritor que falou
sobre “Comunicação e Indústria
C u l t u r a l ” ; C l o m a r Po r t o,
Jornalista e membro da Comissão
Estadual de Mobilização da
Conferência Nacional de
Comunicação (Confecom) que
abordou o tema “Democratização
da Comunicação” e Richard
Serraria, representando o grupo
“Projeto Vila Brasil” de Porto
Alegre, enfocando o tema da
Cultura Livre. À noite, no Rincão
Nativo ocorreu um jantar de
confraternização com os ouvintes
e colaboradores da rádio.
insalubridade e periculosidade que a
sua profissão pode lhe causar,
podendo o trabalhador vir até
mesmo se aposentar em virtude dos
males causados pelo seu ambiente
de trabalho. A peno-sidade ainda
não tem previsão legal, ou seja, não
está consolidada como lei.
Costa explica que os pedidos
deste benefício podem ser requeridos através do sindicato às terçasfeiras das 9h às 12h . Os
documentos necessários para o
pedido de aposentadoria são os
seguintes: cópias autenticados do
RG, CPF, certidão de nascimento ou
casamento e carteira de trabalho.

Documentos relacionados

Novembro - Sindicato dos Bancários

Novembro - Sindicato dos Bancários Del Libro Independiente y Alternativa”, em um estacionamento abandonado próximo à faculdade de Ciências Sociais, da capital portenha. De lá, se espalhou por diversas partes do América Latina. Pelot...

Leia mais