Oficina - Voz - cantando falado---Cantando falado

Сomentários

Transcrição

Oficina - Voz - cantando falado---Cantando falado
Voz – Cantando falado Nathalie Joly
A forma falada é cantada existe no coração de todos os meus shows. Primeiro, o « Sprech gesang » do Kurt Weill, abriu para mim um campo de exploração entre o teatro e a música. Depois, eu siguei minhas pesquisas do canto falado com os interlúdios de teatro itinerante a canção realista francesa, o « café cantante » Andalou, a música contemporânea, a « Doina » romeno…. Recentemente eu confrontei o meu trabalho com rap, herdeiro (na minha opinião) do canto falado inventado por Yvette Guilbert. Cada vez aquela inflexão falada misturada com a linha melódica provoca em mim um sentimento muito especial, irresistível e perturbador. A canto falado evoca sempre o exílio, ele procurou um lugar entre dois mundos, entre a palavra falada, e a palavra cantada, ele vagueia em uma terra estrangeira... É precisamente entre aqueles dois mundos , entre duas guerras, eu me sinto "em casa". A introdução da palavra na canção dá um quadro vinculativo que, paradoxalmente, oferece uma imensa liberdade. A acentuação de uma sílaba ou uma palavra em favor de outro, exige do artista um compromisso total, com uma exigência. A música dá o quadro em que podemos inventar tudo! Nathalie Joly ©http://www.melozzoo.org/melozzoo/Home-­‐JMV/WomenSCope/Yvette-­‐Guilbert-­‐Diseuse-­‐du-­‐Siecle Encontramos esta arte particular do « cantar falado » em toda a Europa, no período entre as duas guerras, em que o texto detém uma parte preponderante e contribui, com a linha melódica, para contar esse pedaço de humanidade : canções de amor, mas também de desigualdades sociais, de um modo trágico ou cômico. Na França, Yvette Guilbert foi na primeira « diseuse », e foi durante cinquenta anos a rainha incontestável do café-­‐concerto, assim como Sarah Bernhard foi a mestre na arte da declamação : "Para o artista, como a faladora de cançoes, esta ciência do belo falar deve ser acompanhado da ciência de acender as palavras, e mergulhar essas palavras na sombra ou na luz, segundo o sentido, para reduzir, ampliar, acariciar, morder, ou levá-­‐los para sair, entrar, desnudar-­‐os, ampliar ou reduzir ... "Yvette Guilbert (« A cançao da minha vida », Grasset). Programa
Objetivos
A voz m obiliza o corpo inteiro. Falar e cantar é primeiramente escoltar. Ao oferecer uma exploração desta técnica vocal após declamação escola e « Sprech gesang » , cantar ou falada, se espalhou por toda a Europa, o treinamento fornece ferramentas para a criatividade , utilizando diversos materiais vocais. É propício para o desenvolvimento da voz e ouvir o ator como cantor, adequado para "non -­‐ player " de música , permite a implementação de propostas coletivas e do progresso do trabalho individual . O ensino é baseado em: • anos chanson francesa 1900-­‐1940 , que é a ferramenta perfeita para descobrir e compreender a relação entre a voz falada e voz ; • materiais e textos clássicos contemporâneos , permitirá a realização de diversos exercícios vocais . O som e sem pre em ligação com o m ovim ento . O estudo da respiração é baseada numa tecnologia facilitando o relaxamento e concentração , o tempo crítico na utilização de voz . O trabalho dos ressonância , Ouvir, acentuação , articulação , ritmo, direção , grau , vogais e consoantes , o apoio no gesto vocal para dar a cada ferramentas de técnica vocal, e autonomia para explorar, integrar seu texto quente ou primeiro vocal , abra um futuro redação . Teor da intervenção Exploração da voz falada e cantada. Os exercícios básicos são trabalhados em grupo: • Treinamento e exploração de voz, • marcos anatômicos, • Postura e dissociação no gesto vocal, • Suporte e relaxamento, • som Ressonâncias • Área do intervalo, • Articulação, • escuta Ensino, • relação constante de som e movimento no gesto vocal • Esses exercícios ajudam a desenvolver a concentração, suporte de voz, a liberdade de expressão e de uso da linguagem .... • Exercícios em grupo, jogos, trabalho alternativo com interpretação individual : • • O trabalho coletivo, de um lado, vai apelar para a imaginação e criatividade • • Trabalho individual, por outro lado, vai aprofundar o desenvolvimento da voz ou corrigir as deficiências, muitas vezes relacionados com a respiração, audição e postura. Este trabalho permite abordar especificamente a trac restante em seu corpo, em vez de ser uma vítima e perder seus meios de expressão. • • Ao final do curso, é aconselhável anotar os exercícios semelhantes para ser capaz de fazê-­‐
lo novamente . Canções de Aprendizagem: Um musico estará presente no final para apresentar alguns temas e abordar a relação entre a palavra falada ea palavra cantada que requer a linha instrumental. De fato, na fala cantada , é ida e volta entre a linha melódica ea interpretação de uma palavra. Estudo de extratos de diretórios de idiomas franceses e estrangeiros : Gravações de som, textos e notas estão disponíveis. A aprendizagem ocorre por transmissão oral e reprodução. Estes materiais, textos ou músicas, são suportes para implementar e explorar exercícios técnicos . Realistic canções , baladas, music hall músicas , cabaret , herança chanson francesa ou canções tradicionais estão disponíveis para explorar a arte da fala cantada ou Sprech gesang : Yvette Guilbert, Marie Dubas, Frehel, Damia, Gabin, Edith Piaf, Kurt Weill, ....... Presse Le M onde -­‐ Nathalie Joly canta com precisão, ilumina a importância da estrela do Moulin Rouge e do Divan Japonais sem nunca dar um tratamento pesado a fim de explicar o ‘Je ne sais quoi’ (Não sei o quê) que atiça as paixões ao redor de Madame Arthur. Véronique Mortaigne Europe 1 – Uma voz aveludada, Nathalie Joly exala no canto falado, estilo de rap antes da hora… Nathalie Joly executa com perfeição a arte do cantar falado e também as nuances de um repertório muito parisiense e libertino. Diane Shenouda http:///tkwk.fr/Nathalie_Joly_En%20v'la%20une%20drôle%20d'affaire_Dossier%20de%20press
e_20140224.pdf
Biographie
Primeiro prêmio de canto por unanimidade no Conservatorio de Boulogne Billancourt-­‐1989 Primeiro prêmio de música de câmara no Conservatorio de Boulogne Billancourt-­‐1992 Formation au Diplôme d’Etat de técnica vocal -­‐ Bacharelato e Licenciatura de Filosofia. Artista internacional , comediante e cantora apaixonada por todas as formas faladas, cantadas na origem de todos os seus espetáculos na França e no estrangeiro «Je sais que tu es dans la salle» sobre Yvonne Printemps e Sacha Guitry, «Cabaret ambulant» sobre o teatro de feira, « J’attends un navire -­‐ Cabaret de l’exil » sobre Kurt Weill, «Cafés Cantantes» canções de superstições de Andaluzia, « Je ne sais quoi » sobre Yvette Guilbert e Freud 1er épisodio, « En v’là une drôle d’affaire » 2° episódio sobre Yvette Guilbert, « Diseuses » com rapeurs de Marselha. Ela trabalhou sob a direção de Philippe Adrien, Thierry Roisin, Michel Rostain, Alain Françon, Maurice Durozier, Lisa Wurmser, Jacques Verzier... e com compositores como Maurice Ohana, le GRAME, Christian Sebille, Philippe Legoff... Realizou no Afeganistão «Tashakor», filme documentário sobre Kabul (2005), e recentemente a exposição Yvette Guilbert Diseuse fin de siècle (Marseille 2013). Oficinas Canto Falado Dirige regularmente estágios de canção francesa na França e enseña em Ecole Nationale Supérieure des Arts du Cirque de Chalons en Champagne, e e no estrangeiro, em Marroco, em Sao Paulo Brasil, em Bayreuth Alemania, Afghanistan emTeatro Nacional Kaboul-­‐
Nanadari, Universidad de las Bellas artes de Kabul em Afganistán, Peru, Natal Brasil março 2014 …
CD
« Cabaret ambulant » (Voyageurs de la nuit) « Cafés Cantantes » (Marche la route) « Paris Bukarest » (Rue Stendhal) « Je ne sais quoi » (Seven zyc / Marche la route) CD + libreto « En v’là une drôle d’affaire », (Label France musique/ Marche la route) Contact : [email protected] Tel : +33 6 52 04 68 90 Site : http://marchelaroute.free.fr http://marchelaroute.free.fr/atelier-­‐voix.htm 

Documentos relacionados

programme de salle PT - Nathalie Joly

programme de salle PT - Nathalie Joly cantadas na origem de todos os seus espetáculos «Je sais que tu es dans la salle» sobre Yvonne Printemps e Sacha Guitry, «Cabaret ambulant» sobre o teatro de feira, « J’attends un navire - Cabaret ...

Leia mais

Turnè - Nathalie Joly

Turnè - Nathalie Joly atiça
as
paixões
ao
redor
de
Madame
Arthur.
Véronique
Mortaigne
 Libération
–
Um
espetáculo
transbordante
de
humor
e
inteligência...
Estimulante
e
divertido,
 Je
ne
sais
quoi
é
um
pequeno
milagre
‐...

Leia mais

En v`là une drôle d`affaire / Nathalie Joly

En v`là une drôle d`affaire / Nathalie Joly atiça!as!paixões!ao!redor!de!Madame!Arthur.'Véronique(Mortaigne( Libération!–!Um!espetáculo!transbordante!de!humor!e!inteligência...!Estimulante!e!divertido,! Je'ne'sais'quoi!é!um!pequeno!milagre'Z...

Leia mais

Olha%só%que%caso%intrigante - Nathalie Joly

Olha%só%que%caso%intrigante - Nathalie Joly Apaixonada! por! esse! gênero! bem! europeu,! Nathalie! Joly! construiu! o! espetáculo! Je' ne' sais' quoi! a! partir! de! dezenove! canções! e! dezoito! cartas! inéditas,! escritas! entre! 1926! e...

Leia mais

Espetáculo

Espetáculo Apaixonada! por! esse! gênero! bem! europeu,! Nathalie! Joly! construiu! o! espetáculo! Je' ne' sais' quoi!a!partir!de!dezenove!canções!e!dezoito!cartas!inéditas,!escritas!entre!1926!e!1939!(períod...

Leia mais

Olha so que caso intrigante

Olha so que caso intrigante Grande'cantora'e'grande'atriz.'Desta'vez'acompanhada'por'um'musico'parceiro'pianista,' Jean'Pierre'Gesbert,'com'quem'mantém'grande'cumplicidade'durante'o'espetáculo.' Cada'canção,um'personagem.'Des...

Leia mais

Release DIPTICO - Nathalie Joly

Release DIPTICO - Nathalie Joly anos!30g40!:!na!França!a!«!chanson!réaliste!»!ou!o!«!intermezzo!de!circo!»;!o!«!cabaret! berlinense!»!;!na!Espanha,'o'«'café'cantante'»';'e!na!Romenia!a!«!doina'».'Encontramos! em!toda!a!Europa,!no...

Leia mais