Julho de 2014

Сomentários

Transcrição

Julho de 2014
JORNAL NOVA ERA
Publicação Mensal do Grupo Espírita Nosso Lar e
Centro Espírita Antônio dos Santos e Batuyra Mendes
Todos partiremos um dia. Os sonhos materiais já não terão nenhuma importância.
Levaremos em nossa bagagem espiritual,
os resultados dos nossos atos, que identificarão o grau evolutivo de cada um de nossos agrupamentos aos afins na luta pelo
aprimoramento.
No plano físico, os bens materiais proporcionam conforto e relevância social; na espiritualidade, só o bem praticado terá valor
aos olhos do Criador e cada ponto de luz
projetado no campo da alma, será fator de
melhor vivência por lá. É o amor praticado
nas suas infinitas formas.
A inteligência, se não bem empregada no
campo físico, que valor terá à luz da razão?
O conhecimento das leis divinas, o estudo
do Evangelho, sem a pratica consciente e
espontânea é como archotes sem lume.
Não nos esqueçamos que a riqueza terrena,
nenhuma influência terá no mundo do além
matéria.
Só o amor e suas virtudes, como o perdão,
a fraternidade e a caridade, nos levam a
mundo superiores.
O tempo da partida só a Deus cabe determinar.
Ano 14 - nº 12
Julho de 2014
ANIVERSÁRIOS
DE JULHO
♥ ALDO - 05
♥ PRISCILA - 05
♥ PATRICIA - 06
♥ ANA CÉLIA - 10
♥ TERESINHA - 10
♥ MARIA DEL CARMEN - 13
♥ VALMIR - 15
♥ LAURINHA - 17
♥ CELIA - 21
♥ MILADY - 23
♥ GABRIELA SAYEGH - 29
Contato
Nosso Site:
www.jornalnovaera.net
Nosso Email:
[email protected]
Nosso Twitter:
www.twitter.com/jornalnovaera
Nosso Facebook
www.facebook.com/jornalnovaera
Grupo no Facebook
www.facebook.com/groups/grupoespiritanossolar.mooca/
Curso de Ensino do Espiritismo
https://www.facebook.com/groups/cursodeensinodoespiritismo/
Estudo do Livro Nosso Lar
https://www.facebook.com/groups/estudolivro.nossolar/
PALESTRAS DE JULHO
07—Luís Pires
14—Milady
21—Silmara
28—Patrícia
ANO 14 Nº 12
JORNAL NOVA ERA
PAGINA 02
APRENDENDO ESPIRITISMO
Materialismo
médica ainda encontra
dificuldades para definir a
Para dissipar a sombra do
etiologia do câncer,
materialismo a espessar-se
surpreendemos, de nossa
no espírito humano, é
parte, os maiores entraves
forçoso evitemos a atitude
para explicar a causa de
daquelas autoridades da
semelhante calamidade,
antiga Bizâncio, que
porquanto, sendo a ideia de
discutiam bagatelas,
Deus imanente em todas as
enquanto os inimigos lhes
leis do Universo, não é
cercavam as portas.
compreensível se isole,
Reconhecendo a
voluntariamente, a razão da
impossibilidade de vincular
sua origem divina.
essa anomalia às raízes da
Convençamo-nos, porém,
ignorância, de vez que o
de que todo desequilíbrio do
epicurista é, invariavelmente, espírito pede, por remédio
alguém que se prevalece da justo, a educação do
cultura intelectual para
espírito.
extrair da existência o
Veiculemos, assim, o livro
máximo de prazer com
nobre.
esquecimento da
Estendamos a mensagem
responsabilidade,
edificante.
interpretemos o materialismo Acendamos a luz dos
como sendo enfermidade
nossos princípios nas
obscura, espécie de
colunas da imprensa.
neoplasma da mente, a
Utilizemos a onda
degenerar-lhe os
radiofônica, auxiliando o
mecanismos. Da tumoração povo a pensar em termos de
invisível surge a violência e a vida eterna.
crueldade, a desumanidade Relatemos as nossas
e o orgulho por metástases
experiências pessoais, no
perigosas, suscetíveis de
caminho da fé, com o
criar as piores deformidades desassombro de quem se
no mundo intimo.
coloca acima dos
E tanto quanto a ciência
preconceitos.
Amparemos a infância e a
juventude para que não
desfaleçam à míngua de
assistência espiritual.
Instruamos a mediunidade.
Aperfeiçoemos nossos
próprios conhecimentos,
através da leitura construtiva
e meditada.
Instituamos cursos de estudo
do Evangelho de Jesus e da
obra de Allan Kardec, em
nossas organizações,
preparando o futuro.
Ofereçamos pão ao
estômago faminto e alfabeto
ao raciocínio embotado.
Plantemos no culto da
caridade o culto da escola.
E, sobretudo, considerando o
materialismo como chaga
oculta, não nos afastemos da
terapia do exemplo, porque,
em todos os climas da
Humanidade, se a palavra
esclarece, o exemplo arrasta
sempre.
Extraído do Livro “ Religião
dos Espíritos” de Francisco
Cândido Xavier, ditado pelo
Espírito de Emmanuel.
PENSAMENTO EM GOTAS
Obviamente, desde que somos seres humanos, eternamente existirão algumas espécies de conflitos, rivalidades ou mesmo divergências de opiniões. Entretanto, terminantemente, jamais haver a necessidade de nutrirem-se de ódio ou mesmo matarem-se uns aos outros. (Daisaku Ikeda).
JORNAL NOVA ERA
ANO 14 Nº 12
PAGINA 03
CINE & VÍDEO
A ÚLTIMA PROFECIA
Título no Brasil: A Última
Profecia
Título Original:
The Mothman
Prophecies
Ano de Lançamento: 2002
Gênero: Suspense
País de Origem: EUA
Duração: 119 minutos
Direção: Mark Pellington
ELENCO
Richard Gere... John Klein
David Eigenberg... Ed Fleischman
Bob Tracey... Cyrus Bills
Ron Emanuel... Reporter
Debra Messing... Mary Klein
Tom Stoviak... Agent
Yvonne Erickson... Dr. McElroy
SINÓPSE
percorre com seu carro 650 quilômetros em apenas uma hora
e chega em Point Pleasant. Lá
ele conhece a policial Connie
Parker (Laura Linney) e o perturbado Gordon Smallwood
(Will Patton), que como Mary
também vê coisas difíceis de
acreditar. Uma série de fatos
sobrenaturais anuncia que catástrofes sem precedentes vão
acontecer. Muitas pessoas podem morrer. A contagem regressiva já começou.
Baseado em fatos reais, A Última Profecia é a assustadora
história de John Klein (Richard
Gere), um jornalista que perde
sua esposa Mary (Debra Messing) em um acidente. Momentos antes, ela teria tido estranhas visões que a fizeram sair
da avenida por onde passavam .
e bater o carro. Viúvo, Klein tenta levar uma vida normal. Mas
em uma viagem a trabalho, ele
HUMOR
EXTRAIDO DO SITE WWW.ESPITIRINHAS.BLOGSPOT.COM
VOCE PERGUNTA O NOVA ERA RESPONDE
PERGUNTA: Os Espíritos podem se regressar (regredir)?
RESPOSTA:
“Não; à medida que avançam,
compreendem o que os distanciava da perfeição. Concluindo
uma prova, o Espírito guarda o
aprendizado adquirido e não a
esquece. O Espírito pode permanecer estacionário, mas não
retrocede.” Não há regressão
na linha evolutiva do Espírito.
O que acontece com um, acontece com todos, no entanto, os
caminhos do despertar espiritual são diversos. Ninguém regride na ascensão. O que achamos ser recuo é, pois, ilusão
dos nossos sentidos e, certamente, do nosso raciocínio.
Deus, sendo onisciente, não iria
permitir que algumas almas regredissem e outras não, pois,
todos nós saímos da Perfeição
Absoluta.
João Nunes Maia – Espírito
Miramez
Livro Filosofia Espírita
ANO 14 Nº 12
JORNAL NOVA ERA
PAGINA 04
ACENDA A LUZ E A ESCURIDÃO DESAPARECERÁ
Se ama profundamente, você não sente medo. O medo é uma negatividade, uma ausência.
Isso tem que ficar profundamente entendido.
Caso contrário, você nunca vai entender a natureza do medo. É como a escuridão. A escuridão não
existe, ela só parece existir. Na verdade, ela é só ausência de luz.
A luz existe; apague a luz e a escuridão aparece. A escuridão não existe, você não pode acabar com
ela. Faça o que fizer, você não pode acabar com ela. Não pode trazê-la, não pode projetá-la.
Se quiser fazer alguma coisa com a escuridão, terá que fazer alguma coisa com a luz, pois só podemos estabelecer relação com algo que tenha existência própria.
Apague a luz e a escuridão se fará presente; acenda a luz e a escuridão desaparecerá — mas você
fará algo com a luz.
Você não poderá fazer nada com a escuridão. Medo é escuridão. É ausência de amor.
Você não pode fazer nada com relação a ele, e quanto mais fizer mais amedrontado vai ficar, pois
mais você achará impossível. O problema vai ficando cada vez mais complicado.
Quanto mais você brigar com a escuridão, mais sairá derrotado.
Você não pode empunhar uma espada e matar a escuridão: isso só servirá para deixá-lo exausto.
E finalmente a mente pensará, “A escuridão é muito poderosa, por isso me derrotou”.
É aí que a lógica falha. É absolutamente lógico — se você luta contra a escuridão e não consegue
vencê-la, não consegue destruí-la, é absolutamente lógico pensar que a escuridão é muito, muito
poderosa.
Você é impotente diante dela. Mas a realidade é justamente o oposto. Você não é impotente; a escuridão é impotente. Na verdade, a escuridão não está ali, é por isso que você não pode derrotá-la.
Como você pode derrotar alguma coisa que não existe?
Não lute contra o medo; do contrário, você ficará cada vez mais amedrontado e um novo medo invadirá seu ser: o medo do medo, que é muito perigoso.
Em primeiro lugar, o medo é uma ausência e, em segundo, o medo do medo é o medo da ausência
da ausência. Então você enlouquece. O medo nada mais é que ausência de amor.
Faça algo com amor, esqueça o medo.
Se você ama bastante, o medo desaparece. Se ama profundamente, você não sente medo.
Quando amou alguém, mesmo que por um único instante, você sentiu medo?
O medo não existe em nenhum relacionamento em que, mesmo que por um único instante, duas
pessoas se amaram profundamente e aconteceu um encontro, elas entraram em sintonia — nesse
momento não se sente medo.
É como se a luz simplesmente estivesse acesa e a escuridão desaparece — eis a chave secreta: ame
mais. Se você sente que existe medo em seu ser, ame mais. Seja corajoso ao amar, tenha coragem.
Seja aventureiro no amor, ame mais e ame incondicionalmente, porque quanto mais você ama menos medo sente.
E, quando eu digo amor, quero dizer todas as camadas do amor, do sexo ao samadhi (quando se
atinge a compreensão da existência e a comunhão com o universo).
Osho
ANO 14 Nº 12
JORNAL NOVA ERA
PAGINA 05
O PESCADOR!
Numa aldeia de pescadores da costa do México, um pequeno barco retorna do mar.
Um turista americano se aproxima e cumprimenta o pescador mexicano pela qualidade do pescado.
Curioso, o turista pergunta: “Quanto tempo levou para pegar esta quantidade de
peixes?”.
“Não muito tempo”, responde o mexicano.
“Bom, então por que você não ficou mais tempo no mar e pegou mais peixes?”
O mexicano explica que aquela quantidade bastava para atender às necessidades de
sua família.
“Mas o que você faz com o resto do seu tempo?”, indaga o americano.
“Eu durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, descanso com minha
esposa”.
“À noite eu vou até a vila para ver meus amigos, tomar umas bebidas, tocar violão,
cantar umas músicas…”.
“Eu tenho uma vida boa…”
O americano interrompe: “Pois eu posso lhe ajudar a ter uma vida realmente boa.
Faça o seguinte: comece a passar mais tempo pescando todos os dias.
Aí você pode vender todo o peixe extra que conseguir pescar.
Com o dinheiro extra, você compra um barco maior.
Com a receita extra que o barco maior vai trazer, você pode comprar um segundo e
um terceiro barco, e assim por diante até possuir uma frota de pesqueiros.
“Ao invés de vender seu peixe para um atravessador, negocie diretamente com as
fábricas de beneficiamento ou quem sabe pode até abrir sua própria indústria de beneficiamento.”
“Aí você pode deixar esta vila e ir morar na Cidade do México, Los Angeles ou até
mesmo em Nova Iorque!!”
“De lá você toca seu imenso empreendimento!”
“Quanto tempo isso iria levar?”, pergunta o mexicano.
“Uns vinte, quem sabe vinte e cinco anos”, responde o americano.
“E depois?”
“E depois? Aí é que começa a ficar bom”, responde o americano, rindo; “quando seu
negócio começar a crescer de verdade, você abre o capital e faz milhões!!!”
“Depois disso você se aposenta e vai morar numa vilazinha da costa mexicana,dorme até tarde, pega uns peixinhos, descansa ao lado da esposa, brinca com
seus filhos e passa as noites se divertindo com os amigos…”
“Milhões? Sério? E depois disso?”
Em geral, as pessoas vivem para TER em lugar de SER.
Gastam seu tempo e esforço para obter bens materiais, pensando em aproveitar a
vida num futuro remoto que nem ao menos sabem se existirá. Esquecem que a vida
está no momento presente e que a felicidade pode ser encontrada nas coisas mais
simples da vida.
Viva e seja feliz agora!!!
“A vida não consiste em ter boas cartas na mão e sim em jogar bem as que se tem.”
(Josh Billings)
ANO 14 Nº 12
JORNAL NOVA ERA
PAGINA 06
TEMPO
FILHO: Pai, posso fazer uma pergunta?
PAI: Sim, claro, o que é?
FILHO: Pai, quanto você ganha em uma hora?
PAI: Isso não é da sua conta, por que você pergunta uma coisa dessas?
FILHO: Eu só quero saber. Por favor me diga, quanto você ganha em
uma hora?
PAI: Se você quer saber eu ganho R$ 100 por hora.
FILHO: Oh (com a cabeça para baixo). Pai, posso pedir por favor R$ 50?
E O pai se enfurece.
PAI: A única razão pela qual me perguntou é essa , para conseguir algum dinheiro e comprar mais um brinquedo ou alguma outra coisa sem sentido? vá direto para o seu quarto ,para sua cama e pense o por que você está sendo tão
egoísta. Eu trabalhando duro todos os dias para ver tal comportamento infantil.
O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta. O homem sentou e começou a ficar ainda mais nervoso sobre as questões do menino. Como ele ousa
fazer tais perguntas só para conseguir algum dinheiro?
Depois de cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar:
Talvez houvesse algo que ele realmente precisasse comprar com esses R$ 50 e
ele realmente não pedia dinheiro com muita frequência. O homem foi até a porta
do quarto do menino e abriu a porta.
PAI: Você está dormindo, meu filho?
FILHO: Não pai, estou acordado.
PAI: Eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você antes. Tive
um longo dia e não deveria ter descontado meu stress em você. Aqui estão os
R$ 50 que você pediu...
O menino se levantou sorrindo.
FILHO: Oh, obrigado pai!
Então do seu travesseiro ele puxou alguns trocados amassados. O homem viu
que o menino já tinha algum dinheiro, começou a se enfurecer novamente. O
menino lentamente contou o seu dinheiro e em seguida olhou para seu pai.
PAI: Por que você quer mais dinheiro se você já tem?
FILHO: "Porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho.
Papai, eu tenho R$ 100 agora. Posso comprar uma hora do seu tempo? Por favor, venha para casa amanhã cedo. Gostaria de jantar com você.
O pai foi esmagado. Ele colocou os braços em volta de seu filho e pediu o seu
perdão. Isto é apenas uma pequena lembrança a todos vocês que trabalham arduamente na vida. Não devemos deixar o tempo passar através dos nossos
olhos sem ter passado algum tempo com aqueles que realmente importam para
nós, perto de nossos corações.
A empresa que trabalhamos poderá facilmente substituir-nos em uma questão
de dias. Mas a família e amigos que deixamos para trás irão sentir essa perda
para o resto de suas vidas.