tomoko kawase e seus múltiplos `eu`s: tommy february6

Сomentários

Transcrição

tomoko kawase e seus múltiplos `eu`s: tommy february6
TOMOKO KAWASE E SEUS MÚLTIPLOS ‘EU’S:
TOMMY FEBRUARY6 E TOMMY HEAVENLY6. UM
ESTUDO SOBRE O IMAGINÁRIO POP JAPONÊS.
Melissa Rubio dos Santos*
Professora orientadora: Profª Drª Rita Lenira de Freitas Bittencourt
RESUMO: Investigar e questionar múltiplos ‘eu’s sob o olhar dos Estudos Culturais e da
Psicanálise. Este é o objetivo do trabalho proposto. Para melhor compreender as performances da
cantora pop japonesa Tomoko Kawase, o trabalho tem como pressupostos teóricos as obras dos
seguintes autores: Massimo Canevacci (Fetichismos Visuais: corpos eróticos e metrópoles
comunicacionais) e Jacques Lacan (As formações do inconsciente) Essa cantora cria intrigantes
performances, as quais são caracterizadas pela multiplicação em alter egos: Tommy February6 e
Tommy Heavenly6. O contexto e os conceitos que compõem cada um dos alter egos, como também
a relação desses com o imaginário japonês formam o ponto de partida do estudo. Para a análise dos
múltiplos ‘eu’s de Tomoko Kawase serão considerados conceitos como imaginário, fetichismo
visual e a psicanálise lacaniana no estudo da videografia dos alter egos de Tomoko Kawase
(Tommy February6 e Tommy Heavenly6): Love is forever (2003), Wait till I can dream (2003),
Lollipop Candy Bad Girl (2007) e I’m your devil (2011).
PALAVRAS-CHAVE:
FETICHISMO
VISUAL,
PSICANÁLISE,
IMAGINÁRIO
JAPONÊS.
ABSTRACT: This paper aims investigate and make questions about multiples 'I's to Cultural
Studies and Psychoanalysis perspectives. Tomoko Kawase, Japanese pop singer, will be
investigated on this paper. This study has following authors like Massimo Canevacci (Visual
fetishes: bodies and cities erópticos communicational) and Jacques Lacan (The formations of the
unconscious). Tomoko Kawase is a genial singer who creates performances, which are
characterized by alter-egos: Tommy February6 and Tommy Heavenly6. The context and the
concepts that make up each of the alter-egos, as well as their relationship with the Japanese
imaginary are the beggining to this study. For the analysis of the multiple Tomoko Kawase’s 'I's.
Therefore will be considered concepts such as imaginary, visual fetishism and Lacanian
psychoanalysis to the study of PV's alter-egos Tomoko Kawase. (Tommy February6 and Tommy
heavenly6): Love is Forever (2003), Wait till I can dream (2003), Lollipop Candy Bad Girl (2007)
and I'm your devil (2011).
KEYWORDS: VISUAL FETISHISM, PSYCHOANALYSIS, JAPANESE IMAGINARY.
Leave behind everything
What you need I will bring and
Is this real or a dream
Will they hear if you scream and
Let me trick or treat you into thinking you are safe and
*
Graduanda em Letras licenciatura na UFRGS. E-mail: [email protected]
1
If you don't like where I've taken you then
You can turn
Round and go
RIGHT BACK TO YOUR BED ROOM.
Tommy Heavenly6 - I’m your devil- (2011)
A performance de Tomoko Kawase, cantora pop japonesa, é problemática e
instigante. Ela nos leva a uma inquietude. Cria dois alter egos para realizar projetos
musicais de conceitos totalmente distintos. Porém, essa oposição é proposital, uma
vez que ela coloca os dois alter egos em diálogo. São elas: Tommy February6 e
Tommy Heavenly6.
Entretanto, torna-se necessário tecer antes uma breve contextualização do
cenário contemporâneo japonês em relação às estéticas visuais. Uma das principais
referências do Japão contemporâneo é a estética visual, a moda. O papel de
vanguarda da moda japonesa é marcante para o âmbito das estéticas visuais
contemporânea. Há dois referenciais máximos: Shibuya e Harajuku. Tais
referenciais abrangem muitos estilos: Gyaru, Lolita, Decora, Mamba, etc. Tomoko
Kawase também está inserida no discurso das estéticas visuais japonesas. Algo
importante a ressaltar é que o corpo no contexto das estéticas visuais, segundo
Massimo Canevacci, não é um corpo “natural porque, em cada cultura e em cada
indivíduo, o corpo é constantemente preenchido por sinais e símbolos”.
(CANEVACCI, 2008, p.18). Portanto, esse corpo produzido e transformado pela
cultura é o corpo do imaginário japonês, no que se refere à estética visual japonesa
e à Tomoko Kawase e seus alter egos.
A criação de dois alter egos que estabelecem diálogos nos PV (vídeo de
divulgação do single — música de divulgação do álbum). Portanto, como pensar a
criação conceitual desses alter egos, de que forma as identidades se constroem no
discurso (letras das canções) e nas imagens? Esse trabalho tem como objetivo,
então, investigar como Tomoko Kawase conduz os seus dois alter egos: Tommy
February6 e Tommy Heavenly6.
1 Quem é Tommy February6?
2
Tommy February6 é o primeiro projeto individual de Tomoko Kawase. Ela
teve a sua primeira aparição no PV (vídeo de divulgação) Everyday at the bus stop
no dia 25 de julho de 2001. Tommy February6 é a personificação da boa menina,
por sua postura tímida, gestos delicados e óculos de estilo retrô. Ela poderia ser
considerada como uma heroína de anime (animação japonesa) ou mangá
(quadrinho japonês) por usar um vestido vermelho (semelhante a um uniforme,
roupa que ela vestirá novamente em outros vídeos).
Figura 1- Tommy February6 em uniforme vermelho
Fonte: Tommy February6 – Def Star Records
Entretanto o figurino de Tommy February6 alterna-se entre o uniforme
vermelho e roupas cor de rosa ou tons pastéis, todas pertencentes ao estilo girly. O
cenário dos vídeos de Tommy February6, como pode ser visto nas figuras 1 e 2 , é
composto por objetos ‘kawaiis’ (do japonês fofinho, bonitinho), como também
elementos da estética ‘kitcsh’, e elementos de releitura dos conceitos dos anos 60 –
conceitos retrô e muitos doces (balas, bolos, chocolates, cupcakes). Nesse contexto
de releitura e inspiração dos anos 60 está Tommy February6, uma boa menina que
espera o príncipe encantado em cenários de cores pastéis, excesso de objetos e
muitos doces.
3
Figura 2 - Tommy February6 em cenário estética candy color
Fonte: Tommy February6 – Def Star Records
Todos esses elementos constroem uma imagem pura e doce de Tommy
February6. Porém, não se enganem: Tommy February6 também rompe com
algumas regras, pois ela bebe uísque em muitos momentos dos PV. Desde quando
uma boa menina tem um comportamento semelhante a esse? Tomoko Kawase
desconstrói, portanto, todo o imaginário que ela criou para a Tommy February6.
Entretanto, esse construir e desconstruir faz parte do jogo intencional de Tomoko
Kawase ao construir seus alter egos.
2 Quem é Heavenly6
Tommy Heavenly6 é a versão sombria de Tommy February6. Ela é a versão
rocker de Tomoko Kawase, tanto pela atitude quanto pelas canções.
4
Figura 3 - Tommy Heavenly6
Fonte: Tommy Heavenly6-Def Star Records
Os cenários dos vídeos de Tommy Heavenly6 apresentam temáticas mais
sombrias, tais como sonhos, pesadelos, lutas, Halloween. Todos permeados por
cores fortes tais como preto, pink e vermelho. Mas, em contraponto, há também a
presença de elementos kawaiis compondo o cenário. O figurino de Tommy
Heavenly6 apresenta preto e cores marcantes de forma sofisticada.
Figura 4 - Tommy Heavenly6 em cenário Halloween
5
Fonte: Tommy Heavenly6-Def Star Records
As canções de Tommy Heavenly6 também falam de amor. Devido à
personalidade dela, as canções são mais fortes. O segundo alter ego tem
personalidade mais agressiva e determinada do que February6. As canções são de
amor, apesar de alguns serem tecidas a partir de intenso rancor em relação ao amor.
A criação de dois alter egos que estabelecem diálogos nos PV (vídeo de
divulgação do single). Portanto, como pensar a criação conceitual desses alter egos,
de que forma as identidades se constroem no discurso (letras das canções) e nas
imagens? Esse artigo tem como objetivo, então, investigar como Tomoko Kawase
conduz os seus dois alter egos: Tommy February6 e Tommy Heavenly6.
3 Desvendando os objetos/ interpretando os vídeos
Por que Tomoko constrói dois alter egos? Porque eles aparecem nos vídeos,
em forma de participação? O que motiva esse jogo narrativo entre os alter egos? O
que move essas duas identidades? Ou melhor, como são construídas essas
identidades? As fragmentações de Tomoko sofrem processo de “alucinação ou
esquizofrenia?”. Nesse trabalho proponho investigar os alter egos Tommy
February6 e Tommy Heavenly6 a partir da teoria psicanalítica do inconsciente, ou
seja, quais são os aspectos/ fases mais latentes na formação do inconsciente de
Tommy February6 e Tommy Heavenly6. Seria alucinação? Seria esquizofrenia?
Ou seria um processo em que ambas se alternam?
Sendo assim, torna-se fulcral compreender como se dá o nascimento dos
dois alter egos de Tomoko Kawase. Tommy February6 foi o primeiro alter ego de
Tomoko. Ela teve o seu primeiro PV e single em 25 de julho de 2001, intitulado
Everyday at the bus stop. Já, Tommy Heavenly6 teve o seu primeiro PV e single
vídeo, intitulado Wait till I can dream lançado em 16 de julho de 2003. No PV Wait
till I can dream, Tommy Heavenly6 é apresentada a partir de uma narrativa onírica:
ela teve a sua primeira aparição num sonho de Tommy February6. Esta seria a
primeira aparição de muitas outras nos sonhos de February6.
Tommy February6 e Tommy Heavenly6 se encontram nas narrativas de
alguns PV’s. De uma vasta videografia, a qual é formada por 10 PV’s de Tommy
February6 e 14 PV’s de Tommy Heavenly6, foram selecionados apenas 4 vídeos
6
para o corpus de estudo para esse artigo devido ao caráter sintomático, por existir a
presença das duas Tommys, sendo textos férteis para a compreensão dos dois alter
egos. São os seguintes PV’s: Love is forever (2003), Wait till I can dream (2003),
Lollipop Candy Bad Girl (2007) e I’m your devil (2011). Por conseguinte, a análise
psicanalítica aplicada no objeto de estudo tem como objetivo problematizar as
identidades e as relações entre Tommy February6 e Tommy Heavenly6: alucinação
ou esquizofrenia? Pergunta que conduzirá os questionamentos. Agora dou início às
questões norteadoras no campo do texto, analisando os alter egos e os seus
discursos (verbal e visual) nos vídeos.
Nos vídeos analisados, todos eles têm em comum apresentar o sonho como
a narrativa condutora: as ações de Tommy Heavenly6 são realizadas pelo
inconsciente de Tommy February6. Ou seja, há um processo de alucinação. Os
fatos podem ser vistos e vivenciados, mas eles não fazem parte da realidade.
Tommy February6 consegue separar o sonho do real, pois ela questiona os fatos.
Após acordar do sonho, ela tem expressão de dúvida e incerteza dos fatos. Sendo
assim, ela pode sonhar com Tommy Heavenly6, mas ela questiona se ela realmente
existe no plano real.
A primeira aparição de Tommy Heavenly6 em vídeo foi em Wait till I can
dream (2003) (single de Heavenly6). Este vídeo tem um aspecto muito peculiar: ele
é o desdobramento do vídeo de Tommy February6 Love is forever (2003). As duas
narrativas visuais: Wait till I can dream (2003)- Heavenly6 e Love is forever
(2003)- February6 possuem cenas iniciais e finais com a mesma personagem—
Tommy February6. No PV Love is forever (2003), February6 acorda de um sonho e
encontra o seu cantil de uísque. Teria ela bebido álcool antes de dormir? Após,
Tommy February6 esconde o seu cantil atrás de uma cadeira e sai do plano. No
plano seguinte, ela canta uma canção de amor em estilo pop marcadamente do
estilo anos 80 e usando o vestido vermelho (figura 1) A última cena do PV mostra
Tommy February6 retornando ao segundo plano, pegando o cantil de uísque e
bebendo alguns goles. Em seguida, ela cai desmaiada. Aqui fica a dúvida. A última
cena desencadeou a ação da primeira? Concluo que sim.
Entretanto, como a narrativa do PV: Wait till I can dream (2003)Heavenly6 está relacionada com o PV Love is forever (2003) de February6? A
primeira cena mostra a mão de Heavenly6 pegando o cantil de uísque. Na cena
seguinte, February6 desperta e levanta-se. Ao olhar para a parede ela encontra uma
7
pequena janela: do outro lado está Heavenly6, figura instigante e diferente, a qual
deixa February6 curiosa para saber quem ela realmente é. Todo o vídeo narra a luta
silenciosa entre as duas: elas estão em planos diferentes, são pessoas diferentes
defendendo discursos diferentes. February6 tenta compreender e olhar o Outro
pelas inúmeras pequenas janelas que existem na parede, ela quer descobrir quem é
Heavenly6. Mas, na cena final, Heavenly6 fecha o campo de visão de February6
em uma as janelas e ela desmaia. O vídeo encerra-se com duas opções de leitura:
ou February6 adormece e cai ou ela encerra o sonho produzido pela alucinação.
Inclino-me para a segunda opção.
No PV Lollipop Candy Bad Girl, as primeiras cenas têm como trilha sonora
uma canção de Halloween. Nas cenas iniciais, Tommy Heavenly6 está em um
castelo e prepara uma poção diferente: garrafas de tequila foram os ingredientes da
poção. Na sequência da cena, Tommy Heavenly6 desmaia. Logo inicia a canção
Lollipop Candy Bad Girl. Na cena seguinte, surge outro plano: o céu com uma lua
de mel no céu (honey moon) ao lado direito do plano e Tommy Heavenly6 sentada
em uma vassoura voadora. Mas, logo Tommy Heavenly6 desaparece e surge
Tommy February6. As cenas seguintes terão February6 como protagonista
cantando a canção de Halloween. Entretanto, ao dar uma mordida em um cupcake,
February6 desmaia. Na cena seguinte, há dois planos: Tommy Heavenly6 á
esquerda e Tommy February6 à direita: ambas cantam o pré-refrão da canção, cada
uma à sua maneira. Há cenas intercaladas com February6 e Heavenly6. A cena
final mostra February6 e Heavenly6 adormecendo simultaneamente, sendo o plano
da câmera dividido em dois.
Para finalizar o estudo, o MV I’m your devil (2011) é o mais recente e
possui o roteiro que mais problematiza a relação entre Tommy February6 e Tommy
Heavenly6. Isso porque na introdução do PV na versão Remix Halloween, há um
texto proferido por Tommy Heavenly6 enquanto Tommy February6 reluta para não
adormecer. O texto é permeado por frases sintomáticas para compreender a relação
do imaginário entre Tommy February6 e Tommy Heavenly6. Analiso nesse artigo
somente um trecho do texto da canção. O texto selecionado está presente no início,
no meio e no final da canção o seguinte texto recitado por Tommy Heavenly6.
Repetição intencional e fundamental para o desenvolvimento do texto da canção e
do vídeo. A seguir o texto:
8
“Where am I?
Who am I?
Who are you?
Are you my friend?
Are you my Teddy Bear?
I’m not your PERFECT you
I’m not your WISH come true
I’m not your CUPCAKE feeling
I’m not your LOLLIPOP healing
I’m not your FAIRY LULLABY
I’m not your ONCE UPON A TIME
I’m not always so FRIENDLY
But I’m not always your ENEMY
(You can always try me)
Who am I?
Be careful
Who am I?
I’M YOUR DEVIL” (04s a 1min02s)1
Tommy Heavenly6 direciona o seu discurso para Tommy February6. Ela
declara ser o demônio, o Outro poderoso e ameaçador. O processo também é de
alucinação: Tommy February6 questiona as imagens e as vozes que ela vê. Ela não
acredita no que vê, questiona, coloca em problematização. Ou seja, ela não
considera os fatos como realidade. Ela separa o sonho do real, caso contrário ela
sofreria processo de esquizofrenia, pois o esquizofrênico não faz distinção daquilo
que é sonho e o que é real). Entretanto, nesse processo de alucinação, a imagem de
Tommy Heavenly6 é a do grande Outro (A), de acordo com a teoria lacaniana. O
grande Outro que representa o poder e a ameaça, o grande Outro que o sujeito
desejante quer ser. “I’m your devil”, portanto, representa ser o Outro que
representa o poder máximo. Basta lembrar que Tommy Heavenly6 tem a
personalidade completamente oposta à de Tommy February6, ou seja, as lacunas de
February6 são preenchidas por Heavenly6: as características ligadas ao poder e à
força de expressão marcadas pela independência são as características que Tommy
February6 não tem, porém ela vê todas elas na personalidade de Tommy
Heavenly6. Sendo assim, durante os sonhos, February6 pode experenciar uma
persona de poder como é representado o grande Outro, Heavenly6. Não há como
1
Todas as traduções são de minha autoria. Onde eu estou? Quem sou eu? Quem é você? Você é
meu amigo? Você é o meu Teddy Bear? Eu não sou seu PERFEITO ‘eu’. Eu não sou seu DESEJO a
ser realizado. Eu não sou a sua sensaçãoCUPCAKE. Eu não sou a sua cura LOLLIPOP. Eu não sou
a sua FADA DE CANÇÃO DE NINAR. Eu não sou seu ERA UMA VEZ. Eu não sou sempre tão
AMIGÁVEL. Mas eu não sou sempre sua INIMIGA (Você pode sempre me procurar. Quem sou eu?
Seja cuidadoso. Quem sou eu? EU SOU SEU DEMÔNIO”.
9
fugir do desejo presente nos sonhos. Não há como ocultar o desejo nos sonhos,
sendo assim, Tommy February6 não pode controlar o desejo imanente de querer ser
o grande Outro poderoso e ameaçador. Mesmo que Heavenly6 não seja: “your
PERFECT you” e ”your WISH come true”, February6 não pode escapar do
impacto consolidado pela presença ou existência de Heavenly6, uma vez que
Heavenly6 se assume como “I’m your devil”. Portanto, Heavenly6 deixa claro o
seu poder perante February6.
REFERÊNCIAS
CANEVACCI, Massimo. Fetichismos Visuais: corpos erópticos e metrópoles
comunicacionais. São Paulo: Atelier Editorial, 2008.
FEBRUARY6, Tommy. Love is forever. Def Star Records, 2003.
HEAVENLY6, Tommy. Wait till I can dream. Def Star Records, 2003.
___________. Lollipop Candy Bad Girl. Def Star Records, 2007
___________.I’m your devil. Warner Music Japan, 2011.
LACAN, Jacques. Livro 5: As formações do inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 1999.
MACIAS, Patrick; EVERS, Izumi. Japanese Schoolgirl Inferno. Tokyo teen
fashion subculture handbook. São Francisco: Chronicle Book, 2007.
10

Documentos relacionados