Sistema Cosmodata - MTS

Сomentários

Transcrição

Sistema Cosmodata - MTS
Apostila de
Ronda Eletrônica
Sistema Cosmodata
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
RONDA ELETRÔNICA - SISTEMA COSMODATA - TIR
PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DA RONDA COSMODATA:
Para a instalação do sistema de ronda Cosmodata, é necessário que se apliquem, os procedimentos
de apresentação do sistema para os usuários:
- Apresentação das principais características de um sistema de ronda eletrônica, monitorada 24 horas,
através do documento, “apostila de ronda”
- Solicitação de infra-estrutura para instalação do sistema (ponto de rede elétrica e linha ou ramal
telefônico, no padrão analógico).
- Solicitação da instalação dos equipamentos, através do documento “check list de ronda”.
SISTEMA DE RONDA:
O sistema Cosmodata (TIR: Terminal Inteligente de Ronda) é um sistema de ronda monitorado 24
(vinte e quatro) horas através de linha telefônica. Esse sistema permite o acompanhamento externo
(monitoramento), da efetiva realização de rondas, seguindo programação e parametrização
estabelecida pela própria central de monitoramento. A programação da central de monitoramento e da
central de ronda eletrônica pode ser atualizada em qualquer momento do dia ou da noite, via download
(transmissão de dados via linha telefônica), dependendo apenas de procedimentos operacionais e de
autorização dos responsáveis pela operação do sistema.
central de ronda – TIR
pontos de ronda
e
bastão de ronda
Sistema de Monitoramento
do Equipamento de ronda
com operação 24 horas
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS:
COMUNICAÇÃO: A linha telefônica deve ser do padrão analógico ou ramal que utilize padrão de
comunicação analógico.
Observações.: Os sistemas de alarmes utilizam linha telefônica analógica, para executarem as
transmissões de dados (eventos), por se tratar de um padrão estável e seguro, de comunicação. O
protocolo (linguagem) que esses sistemas utilizam, para transmitir informações através da linha
telefônica, foi desenvolvido com características eletrônicas de “onda senoidal”. Nesse protocolo de
comunicação a transmissão de dados (eventos), acontece de uma forma variável, porém constante. A
linha telefônica padrão digital tem características de transmissão diferentes do sistema analógico, a
forma de onda é digital (ondas quadradas), e a transmissão de voz ou de dados é realizada através de
pacotes de informações, com pequenos intervalos entre eles. O intervalo entre os pacotes de
informações, da transmissão no padrão digital é pequeno (nano segundos), mas é suficiente para
impedir a transmissão de dados (eventos), dos sistemas de alarmes. O sistema de ronda eletrônica da
Cosmodata segue o padrão de transmissão dos sistemas de alarmes (analógico), e por problemas de
características técnicas, não consegue transmitir informações via linha telefônica digital. Essas
“limitações” tecnológicas são de caráter temporal e a tendência natural é que desapareçam.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
INSTALAÇÃO DA COMUNICAÇÃO:
O sistema de ronda Cosmodata dispõe de botão de pânico fixo, acoplado ao gabinete da central de
ronda, através desse botão pode ser acionado a operação de pronta resposta do monitoramento ou da
atualização de dados (programação) do sistema. O recurso do botão de pânico da central de ronda
requer prioridade na utilização da linha telefônica (quando não for ramal dedicado e exclusivo do
sistema de ronda). Quando a instalação do equipamento de ronda é comum (na mesma linha ou ramal)
a instalação de um aparelho telefônico de uso geral, deve ser observada o padrão de instalação,
exigido pela central de ronda, para que o sistema eletronicamente faça as ligações para transmissão
de eventos, dando prioridade para o sistema de ronda independentemente do uso do aparelho
telefônico.
DETALHE DA INSTALAÇÃO
Placa da central de ronda eletrônica
Detalhe da ligação da linha telefônica
BOTÃO DE PANICO:
O botão de pânico é um dispositivo fixo e acoplado ao gabinete da central de ronda eletrônica, é
possível que no local da instalação do sistema, seja interligado a central de ronda outros botões de
pânico, dependendo da facilidade de operação do botão existente na própria central. Os procedimentos
operacionais, do tipo pronta resposta, são baseados no acionamento do botão de pânico, deve ser
observado quando da instalação do sistema a praticidade de acionamento e as convenções acordadas
entre a central de ronda (cliente) e a central de monitoramento, para que o sistema funcione
adequadamente.
Localização do botão de pânico
Detalhe do botão de pânico
Observações.: O sistema de ronda Cosmodata dispõe de botão de pânico, porém a solução de
utilização de vários botões de pânico, espalhados num único local (sitio), deve ser integrada num
sistema de alarme, que tem arquitetura e características próprias para esse tipo de solução.
O principal motivo de utilização desses sistemas de alarmes, como solução de botão de pânico é:
•
•
•
Facilidade de utilização de vários botões de pânico com discernimento de cada um dos botões,
utilizando o recurso de agregar cada botão a um setor (zona) da central de alarme.
Facilidade de utilização de várias tecnologias de botões de pânico sem fio (pequeno, médio e
longo alcance).
Facilidade de integração do sistema de botão de pânico com qualquer sistema de transmissão
de back up via celular.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
FUNCIONAMENTO DA COMUNICAÇÃO :
A comunicação entre a central de ronda eletrônica e a central de monitoramento de ronda, acontece
quando algum dos eventos descritos abaixo, inicia o processo de transmissão de dados.
A transmissão de dados (tempo de ligação) é de aproximadamente 20 (vinte) segundos, tempo que o
sistema se apropria da linha ou ramal telefônico (caso não seja dedicado) para executar a operação.
-VARREDURA E PROGRAMAÇÃO: Quando a central de ronda eletrônica, é energizada pela
primeira vez após a instalação, acontece um processo executado pelo sistema de comunicação da
central que é de varredura de linha, para testar e identificar as características de ligação da linha ou
ramal telefônico onde está instalada.
-ENERGIZAÇÃO: Toda vez que a central de ronda eletrônica é ligada na rede elétrica ou na bateria
interna, o sistema inicia uma comunicação com o monitoramento para transmitir o evento de
energização.
-H.T: Essas iniciais, significam horários de transmissão. O sistema de ronda é programado para
transmitir os relatórios de ocorrências do sistema (rondas e etc...), duas vezes por dia (manhã e noite)
esses horários podem ser programados e parametrizados pelos operadores da central de
monitoramento, os H.T., servem também como teste diário de comunicação do sistema.
-FALHA DE RONDA: A central de ronda eletrônica recebe via download, a programação dos
horários de ronda (agenda do dia), que são atualizados principalmente, nos Horários de Transmissão.
A central de ronda monitora os horários programados, no caso de completar o horário de ronda e a
tolerância programada e a central de ronda, não receber a informação de ronda concluída (bastão
descarregado), a central de ronda inicia uma comunicação com o monitoramento para transmitir o
evento de FALHA DE RONDA.
-BOTÃO DE PÂNICO: Quando o botão de pânico é acionado (botão de pânico fixo no gabinete
da centra de ronda) a central de ronda inicia uma comunicação com o monitoramento para transmitir o
evento de PÂNICO SILENCIOSO.
-FALHA DE AC: Toda vez que a central de ronda eletrônica é desligada da rede elétrica,o sistema
manda uma comunicação para o monitoramento de evento de FALHA DE AC. Importante destacar
que o sistema possui bateria interna que garante a operação de Ronda em casos de falta de energia.
-VANDALISMO: Quando a tampa do gabinete da central de ronda eletrônica é aberta, o sensor
(micro-chave) acusa essa abertura, e o sistema inicia uma comunicação com o monitoramento para
transmitir o evento de VANDALISMO.
-RONDA REPROGRAMADA: Quando o instalador completar a instalação física da centra de
ronda eletrônica, ele deverá executar a programação lógica dos pontos de ronda do sistema. O
instalador do sistema, executa a programação utilizando um “chaveiro programador”, que serve para
iniciar o processo junto ao bastão, e para liberar uma ronda de programação. Quando o instalador
concluir a programação dos pontos de ronda (descarregando o bastão), finalizando o processo, a
central de ronda inicia uma comunicação com o monitoramento para transmitir o evento de RONDA
REPROGRAMADA.
-RONDA DE TESTE: Quando o técnico (manutenção) ou o supervisor (coordenador), precisar
executar um teste físico (central de ronda, bastão e pontos de ronda) para saber se o sistema esta
funcionando, deve ser usado para liberar a execução de uma ronda, fora do horário de programação
um “chaveiro teste”, que serve para iniciar o processo junto ao bastão, e liberar a execução da mesma.
Quando o técnico o u o supervisor concluir a execução da ronda (descarregando o bastão), finalizando
o processo, a central de ronda inicia uma comunicação com o monitoramento para transmitir o evento
RONDA TESTE.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
-QUANDO NÃO EXISTE COMUNICAÇÃO: Um processo de varredura periódica (de dez em
dez minutos), será iniciado em qualquer momento do dia, se a central de ronda eletrônica, precisar
transmitir algum evento para a central de monitoramento e não conseguir completar a transmissão, por
problemas de comunicação. Esse processo será desativado automaticamente, quando houver o
restabelecimento da comunicação da central de ronda com a central de monitoramento.
PROBLEMAS DE COMUNICAÇÃO:
-SISTEMA SEM COMUNICAÇÃO: Quando a central de ronda eletrônica não consegue
estabelecer comunicação com a central de monitoramento e transmitir os eventos, por algum problema
técnico, ela ficará emitindo BIP de dez em dez minutos, sinalizado o inicio do processo de varredura
de linha ou ramal, e esse processo será mantido até que seja restabelecida a comunicação com a
central de monitoramento.
-CENTRAIS ANTIGAS: As centrais de ronda eletrônicas mais antigas, não dispõem de sistema
automático de varredura de linha ou ramal telefônico e a maioria dos problemas de comunicação
dessas centrais, é relacionada à programação do ramal. Esses equipamentos mais antigos, precisão
transmitir em ramais, programado no padrão PULSE.
-LINHA DIRETA: Quando a central de ronda eletrônica está ligada em uma linha direta e apresenta
problemas de comunicação, normalmente está relacionado à instalação física (cabos e infra-estrutura
etc..) . Outra possibilidade de problema na comunicação, é que a linha disponibilizada para o sistema
de ronda seja digital, nesse caso o sistema não estabelece comunicação, por problemas relacionados
às características técnica do equipamento. Quando a linha direta apresenta problemas de ruídos, pode
ser problemas de instalação, para resolução do problema deve ser analisada a instalação da linha na
parte interna e também na parte externa. A análise da instalação na parte externa, normalmente é
solicitada a operadora da linha, através de chamado de manutenção. Exemplo de operadora em São
Paulo, Telefônica. As contas referentes às linhas, também devem ser analisadas para que a operação
da linha esteja regularizada junto à operadora.
-LINHA DIGITAL: Se identificado que a linha do sistema de ronda é do padrão digital, ou passou a
ser digital na troca ou manutenção do PABX, deve ser providenciada a substituição ou a programação
da mesma para operar em padrão analógico, para que o sistema consiga estabelecer comunicação.
OBSERVAÇÕES:
Os sistemas de comunicação voltados para sistemas de segurança, são baseados em linhas
analógicas por uma questão de segurança e confiabilidade. Essas linhas têm características técnicas
com propriedades específicas que facilitam o monitoramento e a transmissão de dados dos sistemas
de ronda e alarmes. Uma característica importante de destacar é a forma de onda (princípio de
funcionamento eletrônico) “onda senoidal”, uma forma de onda contínua que transmite informações
em ciclos contínuos que facilitam o monitoramento e a transmissão de dados, esse padrão é utilizado
pelas linhas analógicas. A linha digital, por sua vez têm uma característica diferente da linha analógica,
ela transmite informações com formas de ondas “quadradas” (circuitos digitais), ou seja, as
informações não são transmitidas de uma forma contínua, os dados são transmitidos em forma de
pacotes (pedaços) de informações, o que dificulta o monitoramento e a transmissão com confiança dos
dados.
Forma de onda senoidal:
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
Forma de onda digital:
-LINHA COM RUÍDO: Quando a linha direta apresenta problemas de ruídos que interferem na
comunicação dos equipamentos, deve ser verificada a instalação física, infra-estrutura, dutos e cabos.
Os problemas mais comuns são de infiltração de água (umidade) em tubulações subterrâneas, com
oxidação dos cabos e etc.
**********************************************************************************************************************
-RAMAIS E PROGRAMAÇÕES DE PABX: Normalmente os problemas apresentados em
ramais, estão relacionados à programação do PABX citamos alguns exemplos.
-RAMAIS BLOQUEADOS PARA COMPLETAR LIGAÇÕES EXTERNAS: O ramal onde
está ligado o sistema de ronda deve ser habilitado e parametrizado (PABX) para completar ligações
externas, para que não haja problemas de comunicação.
-RAMAIS QUE NÃO DISCAM “0” (zero): O sistema de ronda está programado para discar
“zero” para pedir linha, quando utiliza um ramal para fazer ligações externas (monitoramento).
-RAMAIS QUE PRECISAM DE SENHA PARA COMPLETAR LIGAÇÕES
EXTERNAS: Se necessário o sistema de ronda, pode ser programado para discar qualquer número
ou senha para habilitar o ramal e completar as ligações externas.
-RAMAIS OPERANDO NORMALMENTE PARA COMUNICAÇÃO DE VOZ: Quando o
ramal está funcionando para ligações convencionais, mas a central de ronda eletrônica, que utiliza o
mesmo ramal não consegue estabelecer a comunicação, deve ser analisada a condição de
programações parametrizadas para esse ramal junto ao PABX, para identificar se o mesmo esta
habilitado para transmissão de voz e também dados.
-RAMAIS BLOQUEADOS PARA COMPLETAR LIGAÇÕES INTERURBANAS: A
central de ronda eletrônica pode ser monitorada através de linha telefônica de qualquer cidade, desde
que a ligação telefônica (entre o sistema de ronda e monitoramento 24h), obedeça às regras de
utilização de operadora e código de localidade. Quando o monitoramento do sistema está instalado em
uma cidade diferente da instalação do sistema de ronda, deve ser observado a programação do PABX,
para que os detalhes de regras de ligação sejam cumpridos, um detalhe importante é que o ramal
esteja desbloqueado para completar essas ligações.
-RAMAIS QUE NÃO PRECISAM DISCAR OPERADORA PARA COMPLETAR
LIGAÇAO INTERURBANA: Quando o sistema de ronda eletrônica estiver ligado em um PABX,
que completa as ligações interurbanas sem a necessidade de discar a operadora, deve ser
programado na central de ronda as regras exigida pelo BAPX para completar essas ligações. Exemplo
de discagem para completar ligação interurbana: “0” para ligações externas, “011” para identificar a
localidade da cidade, 47868999 número da central de monitoramento. É possível que um sistema de
ronda que esteja operando normalmente, apresente problemas de comunicação após alguma alteração
ou manutenção no sistema de PABX, nesse caso será necessário se for o caso, ajustes entre a
programação existente do sistema de ronda e as regras de ligações, parametrizadas no PABX.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
PROGRAMAÇÃO DO PABX:
-PROGRAMAÇÃO DE RAMAL DIGITAL, PARA TRANSMISSÃO VIA LINHA
ANALÓGICA: O PABX normalmente esta ligado (utiliza), a várias linhas telefônicas, entre essas
linhas são identificado características distintas, linha digital e linha analógica. Quando o PABX é
acionado por algum ramal, solicitando linha para completar uma ligação externa, o PABX disponibiliza
qualquer linha que estiver ociosa (sem utilização), no momento da solicitação. A disponibilização
dessas linhas são feitas de forma aleatória pelo PABX, então pode ser que a ligação do ramal onde o
sistema de ronda esta instalado, utilize uma linha digital para concluir a ligação, e com isso apresente
falha na comunicação do sistema de ronda. Para eliminar esse tipo de “problema” de falha na
comunicação entre o sistema de ronda eletrônica e o monitoramento (que utiliza um ramal), será
preciso executar a programação no PABX, chamada de “ ROTA DE SAÍDA “ para que o ramal
utilizado pela central de ronda, ao solicitar uma linha para ligação externa, receba sempre do PABX,
uma linha de padrão analógico.
PROBLEMAS NO BASTÃO:
-IMPACTO: Não deve provocar falha no seu funcionamento.
-UMIDADE: E resistente à água, somente deixará de funcionar caso seja mergulhado por horas, a
pressão fará que a água entre no bastão.
-DESGATE NATURAL: Em uso normal deverá funcionar aproximadamente por 10 anos,
permitindo manutenção.
-VANDALÍSMO: Impactos repetitivos deixaraõ marcas no bastão, tambem poderá acontecer a
quebra de algum componente o que será detectado na manutenção.
PROBLEMAS DOS PONTOS DE RONDA:
-IMPACTO: Não existe relato de falha por impacto.
-UMIDADE: Pode acontecer quando o ponto estiver instalado no tempo e exposto por muito tempo à
água, voltando funcionar quando secar.
Obs.: relate este fato para a equipe técnica que neste local será instalado um ponto resistente à água .
-DESGATE NATURAL: Sendo utilizado da maneira correta não deverá apresentar problemas.
-VANDALÍSMO: Fixado com parafusos e rebite, qualquer tentativa de violação será detectada
facilmente, tembem resistente a fogo e descargas elétricas.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
EXEMPLO DE PROGRAMAÇÃO DE RONDA – MAPA DE RONDA
Demonstração de Monitoramento [Graber]
pág.
1
Mapa de Rondas - Local: CLIENTE SEMPRE IMPORTANTE
------- Resumo das Rondas da semana-------------------------------Horário
0
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 2 2 2 2
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3
Dias úteis: NNNNNNNNNNNN........................NNNNNNNNNNNN
Sábados
: NNNNNNNNNNNN.DDDDDDDDDDDDDDDDDDDD...NNNNNNNNNNNN
Domingos : NNNNNNNNNNNN.DDDDDDDDDDDDDDDDDDDD...NNNNNNNNNNNN
------- Detalhe das Rondas da semana--------------------------------Dias úteis
Sábado
Domingo
Noite
diurna
diurna
diurna
(todas)
Percurso
1
2
3
4
5
6
7
.....
.....
.....
.....
.....
.....
.....
.
.
.
.
.
.
.
.....
.....
.....
.....
.....
.....
.....
Percurso 1
Percurso 1
Percurso 1
06:02
07:45
09:28
11:11
12:54
14:37
.....
06:02
07:45
09:28
11:11
12:54
14:37
.....
18:00
19:43
21:26
23:09
00:52
02:35
04:18
a
a
a
a
a
a
.
07:43
09:26
11:09
12:52
14:35
16:18
.....
a
a
a
a
a
a
.
07:43
09:26
11:09
12:52
14:35
16:18
.....
a
a
a
a
a
a
a
19:41
21:24
23:07
00:50
02:33
04:16
05:59
------------------------------------------------------------------------
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
EXEMPLO DE RELATÓRIO DE RONDA
Relatorio RONDA
Local : (0002.Ron) COSTA DEL SOL-RONDA Cliente: COSTA DEL SOL-RONDA
Inicio: 12/03/2007 00:00:00
Final : 14/03/2007 23:59:59
Data Hora Evento
12/03/07 00:23 RONDA OK: Roteiro 1
01:43 RONDA OK: Roteiro 1
02:55 RONDA OK: Roteiro 1
07:52 RONDA OK: Roteiro 1
09:02 RONDA OK: Roteiro 1
10:16 RONDA OK: Roteiro 1
11:24 RONDA OK: Roteiro 1
12:41 RONDA OK: Roteiro 1
13:55 RONDA OK: Roteiro 1
15:26 RONDA OK: Roteiro 1
16:31 RONDA OK: Roteiro 1
18:00 RONDA INCORRETA
17/03 18:00 - CONTATO COM VIGILANTE ROBERTO, O MESMO
INFORMANDO NÃO OBTER EXITO NO FECHAMENTO DESTA RONDA, SOLICITEI
AO MESMO QUE AGUARDASSE A RONDA SEGUINTE. OP. TIAGO
21:00 RONDA OK: Roteiro 1
22:12 RONDA OK: Roteiro 1
23:10 RONDA OK: Roteiro 1
13/03/07 00:29 RONDA OK: Roteiro 1
01:48 RONDA OK: Roteiro 1
02:58 RONDA OK: Roteiro 1
07:45 RONDA OK: Roteiro 1
09:06 RONDA OK: Roteiro 1
10:19 RONDA OK: Roteiro 1
11:31 RONDA OK: Roteiro 1
12:50 RONDA OK: Roteiro 1
13:54 RONDA OK: Roteiro 1
15:18 RONDA OK: Roteiro 1
16:35 RONDA OK: Roteiro 1
17:52 RONDA OK: Roteiro 1
20:44 RONDA OK: Roteiro 1
22:02 RONDA OK: Roteiro 1
23:08 RONDA OK: Roteiro 1
14/03/07 00:26 RONDA OK: Roteiro 1
01:40 RONDA OK: Roteiro 1
02:55 RONDA OK: Roteiro 1
08:00 RONDA OK: Roteiro 1
09:07 RONDA OK: Roteiro 1
10:30 RONDA INCORRETA
10:32 RONDA ATRASADA: Roteiro 1
18/03 11:37 - CONTATO COM O VIGILANTE RAFAEL ATRASOU O
TERMINO, POIS FOI ATENDER O MORADOR DO APARTAMENTO 203 DO
BLOCO 02.
OPERADOR JEFFERSON.
11:27 RONDA OK: Roteiro 1
12:42 RONDA OK: Roteiro 1
13:54 RONDA OK: Roteiro 1
15:24 RONDA OK: Roteiro 1
16:43 RONDA OK: Roteiro 1
17:48 RONDA OK: Roteiro 1
20:52 RONDA OK: Roteiro 1
22:04 RONDA OK: Roteiro 1
23:14 RONDA OK: Roteiro 1
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
EXEMPLO DE RELATÓRIO DE RONDA
Relatorio RONDA Ponto a Ponto
Local : (0006.Ron) G.GREEN LT VI RONDA Cliente: G.GREEN LT VI RONDA
Inicio: 09/07/2007 00:00:00
Final : 09/07/2007 23:59:59
Data Hora Evento
09/07/07 00:22 RONDA OK
De 09/07 00:02 a 00:22, roteiro 1
00:04 ponto 18: LOTE VI
00:10 ponto 16: PISCINA LOTE VII
00:17 ponto 17: GUARITA LOTE IV
00:50 RONDA OK
De 09/07 00:30 a 00:50, roteiro 1
00:32 ponto 18: LOTE VI
00:38 ponto 16: PISCINA LOTE VII
00:45 ponto 17: GUARITA LOTE IV
01:20 RONDA OK
De 09/07 01:00 a 01:20, roteiro 2
01:03 ponto 18: LOTE VI
01:08 ponto 16: PISCINA LOTE VII
01:16 ponto 17: GUARITA LOTE IV
01:48 RONDA OK
De 09/07 01:30 a 01:48, roteiro 2
01:32 ponto 18: LOTE VI
01:37 ponto 16: PISCINA LOTE VII
01:44 ponto 17: GUARITA LOTE IV
02:21 RONDA OK
De 09/07 02:00 a 02:21, roteiro 1
02:03 ponto 18: LOTE VI
02:09 ponto 16: PISCINA LOTE VII
02:16 ponto 17: GUARITA LOTE IV
02:49 RONDA OK
De 09/07 02:32 a 02:49, roteiro 1
02:34 ponto 18: LOTE VI
02:39 ponto 16: PISCINA LOTE VII
02:45 ponto 17: GUARITA LOTE IV
03:20 RONDA OK
De 09/07 03:03 a 03:20, roteiro 2
03:05 ponto 18: LOTE VI
03:10 ponto 16: PISCINA LOTE VII
03:16 ponto 17: GUARITA LOTE IV
03:52 RONDA OK
De 09/07 03:33 a 03:52, roteiro 2
03:35 ponto 18: LOTE VI
03:40 ponto 16: PISCINA LOTE VII
03:47 ponto 17: GUARITA LOTE IV
04:24 RONDA OK
De 09/07 04:03 a 04:24, roteiro 1
04:07 ponto 16: PISCINA LOTE VII
04:14 ponto 18: LOTE VI
04:20 ponto 17: GUARITA LOTE IV
04:45 RONDA OK
De 09/07 04:30 a 04:45, roteiro 1
04:35 ponto 17: GUARITA LOTE IV
04:38 ponto 18: LOTE VI
04:41 ponto 16: PISCINA LOTE VII
05:20 RONDA OK
De 09/07 05:00 a 05:20, roteiro 1
05:02 ponto 18: LOTE VI
05:07 ponto 16: PISCINA LOTE VII
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
SISTEMA DE COAÇÃO DO SISTEMA DE RONDA
Ponto de ronda comum, com uma codificação diferenciada para ser instalado em local “estratégico”
para que em casos de sinistros (execução de ronda sob coação) o vigilante coagido, possa identificar a
ocorrência e solicitar auxílio externo ( monitoramento).Ao ser descarregado o bastão, o sistema de
ronda, informa ao monitoramento, o evento “RONDA DE COAÇÂO”, para que os procedimentos de
pronta respostas possam ser iniciados.
SISTEMA DE BACK UP CELULAR – GPRS
Esta em desenvolvimento, na Cosmodata, um protocolo de comunicação “GPRS”, para que os
equipamentos possam ter como BACK UP, ou até mesmo como comunicação principal um recurso que
dispensa o uso das linhas telefônicas analógicas, utilizando da rede de telefonia celular GSM.
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS EQUIPAMENTOS COSMODATA
TIR-101/2/3
Descrição
Função
Programação
LCM-2
(TIR-103)
Terminal Inteligente Leitor de Cartão
de Ronda
Magnético e Berço
do Bastão
Estação base para
Acessório do TIR
controle de Ronda e para registro de
registro de presença presença
(Ver Ber-2)
Carga remota pela
- não se aplica Central de
Monitoramento
Auto diagnóstico Duas vezes por dia,
verificado pela
Central de
Monitoramento
Auto Proteção
Alarme de
Arrombamento
remoto
Alimentação
110/220V
max 10VA,
opção para bateria
interna 12V 7Ah
(duração até 72
horas)
Dimensões
27x19x9 cm
Peso
1,7Kg sem bateria
Caixa
chapa de aço
Temperatura de
Operação
Fabricação
BER-2
(TIR-102)
Berço do Bastão
BRO-2
Bastão de Ronda
PTR-2
Ponto de Ronda
Recebe informações Controlar percurso
do Bastão de Ronda de ronda
usado em cada
ponto do percurso
Recebe a
programação do
Bastão e guarda
Pré codificado
Manual, com
dispositivo de
programação.
Reprogramação
automática.
Falha perceptível ao Falha perceptível ao Dispositivo de teste
operador
operador
(chaveiro) para
inspetores
Com auxílio do
Bastão de Ronda
É integrado ao TIR,
usa mesmo alarme
É integrado ao TIR,
usa mesmo alarme
Construção robusta, Construção robusta,
inspeção visual
inspeção visual
derivada do TIR
derivada do TIR
9,5x6,3xe cm
300g
chapa de aço
- não se aplica 100g
Instalado dentro do
Tir-100
2 x pilhas de lítio
internas, duração
estimada de 10
anos.
Sensor interno de
bateria.
12x6x2 cm
200g
Moldada em
plástico PU de alta
densidade
0°C a 40°C sem
condensaçao
0°C a 40°C sem
condensaçao
0°C a 40°C sem
condensaçao
Cosmo Data
Cosmo Data
Cosmo Data
0°C a 40°C sem
condensaçao,
resistente à água
sem imersão
quando não em uso
Cosmo Data
não utiliza
alimentação
5,3x4,3x3 cm
70g
caixa plástica
moldada
internamente com
resina
0°C a 40°C sem
condensaçao,
resistente a água
quando não em uso
Cosmo Data
(r2-18/10/07)
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
GABARITO DE INSTALAÇÃO DO TIR
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
Opção de Monitoramento por IP, alternativa a linha telefônica:
Endereços de monitoramento dos sistemas Graber CIOG:
- 201.63.114.27:9876 GPRS PPA (ALARMES)
- 201.63.114.27:5198 GPRS 3i (ALARMES)
- 201.63.114.27:3814 CIT 20 (RONDAS COSMODATA)
Preparação da rede:
Tipo de Comunicação
O Comunicador inicia uma conexão para fora da Rede usando a porta pré configurada
na Central de Monitoramento.
 Geralmente usa-se a porta 3814, comunicação TCP
 A conexão fica Aberta permanentemente, mas não trafegam dados.
 A intervalos pré determinados (geralmente 30 minutos) é enviado um teste à Central
gastando um total de 192 bytes.
 Ao conectar ou quando ocorre um evento (Ronda ou Alarme) são enviados cerca de
500 bytes.
 A conexão é sempre iniciada pelo Comunicador. Eventualmente este pode receber
dados de configuração, de tamanho equivalente a um evento.
 Apesar de ser um tráfego muito baixo, se a banda de conexão estiver sobrecarregada
(devido a um download, por ex.) poderá haver dificuldade na conexão.
Preparação da Rede do Cliente
Normalmente não será necessário nehuma preparação, mas em configuraçãoes de alta
segurança pode ser preciso um ajuste:
 Abrir a porta de saída TCP 3814 (ou outra configurada)
 Alguns administradores de Rede podem fazer esta abertura para o IP-fixo da
empresa. O incoveniente desta opção ocorrerá no dia em que for alterada a conexão
com a Internet da Central.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
Informações sobra a Rede do Cliente
OAdministrador de Rede do Cliente deverá fornecer estas informações. Porém,
convém lembrar que quando não existe um Administrador, a configuração usual é
DHCP.
IP estático: [ ] Sim/Não
Levantar informações na tabela
abaixo
IP Dinamico: [ ] Sim/Não
Nenhuma outra informação
necessária
Informações para IP estático
IP do comunicador
_____._____._____._____
Máscara de Rede
_____._____._____._____
Gateway ou Roteador
_____._____._____._____
Servidor(es) de DNS. Somente se _____._____._____._____ e
usar URL para Central)
_____._____._____._____
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
LOGO GRABER
RONDA ELETRONICA GRABER
CHECK LIST-DOC0001
CADASTRO DE CLIENTES
CLIENTE.:
ENDEREÇO:
BAIRRO:
FONE:
OBS.:
NUMERO:
CONTATO:
CONTATO:
CIDADE:
E-MAIL:
SUPERVISAO GRABER:
CEL:
CEL:
COOP DIA:
COOP NOITE:
SUB-SISTEMAS:
ALARME
CFTV
ACESSO
OUTROS
NEXTEL:
NEXTEL:
I.D.:
I.D.:
OBS.:
CONFIGURACAO DO SISTEMA DE RONDA:
LOCAL CENTRAL:
LINHA TELEFONICA:
QTE PONTOS RONDA:
QTE DE BASTOES :
OBS. 1.:
Nº :
TIPO DE RONDA:
ALEATORIA
SEQUENCIAL.
LOCAL:
Nº :
LOCAL:
OBS.:
OPERACAO DO SISTEMA DE RONDA:
RONDA DIURNA.
NAO.
SIM.
horario
inicio
RONDA DIURNA.
Quantas
ate o
termino
horario
fim
NAO.
SIM.
horario
inicio
Quantas
ate o
termino
horario
fim
SEGUNDA .
TERCA.
QUARTA.
QUINTA.
SEXTA.
SABADO.
DOMINGO.
FERIADO.
PONTE DE
FERIADO.
PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS:
SENHA
.:
CONTRA SENHA.:
PARECER TECNICO:
CONTROLE DO PROCESSO:
TECNICO:
RESOLVIDO
OBS.:
PENDENTE
PROVIDENCIAR
ACEITE:
Assinatura :
Nome :
DATA:
HORA INÍCIO:
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
HORA FIM:
3 4 9 7 - 8 7 7 2
CONTROLE DE HONDAS
Nº.
PONTO DE RONDA:
OBS.:
1º
2º
3º
4º
5º
6º
7º
8º
9º
10º
11º
12º
13º
14º
15º
16º
17º
18º
19º
20º
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2
MANUTENÇÃO DO BASTÃO DE RONDA
CADASTRO DE CLIENTES:
C/C.:
CLIENTE.:
FONE:
CONTATO:
SUPERVISAO GRABER:
COOP :
CEL:
MOTIVO DO CHAMADO MANUTENÇÃO :
NÃO INICIA RONDA.
NÃO FINALIZA RONDA.
DATA DA AUTORIZAÇÃO:
PROBLEMAS EVENTUAIS.
TESTE DE RONDA.
NÃO LÊ PONTOS RONDA.
BASTÃO RETIRADO.
OUTROS.
BASTÃO SUBSTITUIDO:
OBSERVAÇÕES.
DATA DA RETIRADA.
CAUSA DA MANUTENÇÃO :
DESGASTE NATURAL.
NEXTEL:
I.D.:
REGISTRO:
COOP AUTORIZA RET:
COMENTÁRIOS:
/
/
/
/
CAUSA DA MANUTENÇÃO :
DESGASTE PROVOCADO.
MAU - USO.
VANDALÍSMOS.
GARANTIA.
OUTROS.
w w w . m t s - i n f r a . c o m . b r
•
1 1
3 4 9 7 - 8 7 7 2

Documentos relacionados