Queimador a gasóleo BE

Сomentários

Transcrição

Queimador a gasóleo BE
Instruções de colocação em funcionamento e manutenção
Queimador a gasóleo BE
6 720 801 740 (2011/06) PT
para Suprapur-O KUB 18...35
Conteudo
1
Generalidades
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.1 Sobre estas instruções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2 Normas e directivas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
2
Segurança
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
2.1 Utilização correta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
2.2 Estrutura das indicações. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
2.3 Respeite estas indicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
3
Descrição do produto
4
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
4.1
4.2
4.3
4.4
4.5
4.6
5
Tipos de queimador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Tubos do queimador (cerâmica) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Valores de ajuste e injectores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Material que se anexa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Dispositivo automático digital de combustão . . . . . . . . . . . . . . .
Ajustar o queimador (funcionamento independente do ar ambiente).
Sequência do programa . . . . .
Indicador de funcionamento. . .
Modo de emergência . . . . . . .
Esquema de ligações eléctricas
. . . . . . . . . . . 9
. . . . . . . . . . . 9
. . . . . . . . . . 10
. . . . . . . . . . 10
. . . . . . . . . . 11
. . . . . . . . . . . . . 13
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
Verificar as fichas eléctricas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Verificar e ligar o dispositivo de alimentação de gasóleo . . . . . . .
Purgar a tubagem de gasóleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Arranque do queimador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Apertar novamente os parafusos de fixação da porta do queimador .
Registar ou corrigir os valores de medição . . . . . . . . . . . . . . . .
Efectuar a verificação de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Protocolo de colocação em funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . .
Inspecção e manutenção do queimador
7.1
7.2
7.3
7.4
7.5
7.6
7.7
. . . . . . . . . . . 8
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
Colocar o queimador em funcionamento.
6.1
6.2
6.3
6.4
6.5
6.6
6.7
6.8
7
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
Operar o dispositivo automático digital de combustão .
5.1
5.2
5.3
5.4
6
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
. . . . . . . . . . 16
. . . . . . . . . . 16
. . . . . . . . . . 17
. . . . . . . . . . 18
. . . . . . . . . . 19
. . . . . . . . . . 20
. . . . . . . . . . 24
. . . . . . . . . . 25
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Registar os valores de medição, se necessário, corrigi-los . . . . . . . . . . . .
Verificar o queimador e a sua cobertura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Verificar o funcionamento do motor do queimador, se necessário, substituí-lo
Retirar o queimador do serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Limpar o filtro da bomba de gasóleo, se necessário, substituí-lo . . . . . . . . .
Verificar a turbina do ventilador quanto a sujidade e danos . . . . . . . . . . . .
Verificar o eléctrodo de ignição, o sistema de mistura, a vedação, o bocal
e o tubo do queimador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
7.8 Apertar os parafusos de fixação da porta do queimador . . . . . . . . . . . . . .
2
. . . . 26
. . . . 26
. . . . 26
. . . . 27
. . . . 27
. . . . 28
. . . . 29
. . . . 32
6 720 801 740 (2011/06)
Conteudo
7.9
7.10
7.11
7.12
8
Verificar a posição correcta das ligações eléctricas .
Efectuar a verificação de segurança . . . . . . . . . .
Vedação adicional devido à operação RLU . . . . . .
Protocolo da inspecção e manutenção . . . . . . . .
Efectuar trabalhos complementares .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
8.1 Medir a corrente do sensor de chama (controlo de chama) . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
8.2 Verificar a estanquidade do gás de aquecimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
9
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo .
9.1
9.2
9.3
9.4
9.5
Instalar o filtro de gasóleo . . . . . . . . . . . . . . . . .
Dimensionar as tubagens de alimentação de gasóleo
Verificação do vácuo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Verificar a estanquidade da tubagem de aspiração . .
Válvula anti-sifão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10 Resolução de avarias do queimador .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
10.1 Diagnóstico de erros e de avarias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
10.2 Avarias – eliminar causas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
11 Índice remissivo
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Este produto corresponde na construção
seu funcionamento, às directivas europeias
bem como aos requisitos nacionais
suplementares. A conformidade vem
comprovada com o símbolo CE. Poderá
solicitar o envio da declaração de
conformidade do produto na Internet, sob
www.junkers.de, ou ainda junto ao
representante local da Junkers.
6 720 801 740 (2011/06)
3
Generalidades
1
Generalidades
1.1
Sobre estas instruções
As presentes instruções de colocação em funcionamento e de manutenção contêm informações importantes
para uma montagem, colocação em funcionamento,
manutenção e reparação de avarias seguras e correctas do queimador a gasóleo BE.
As instruções de colocação em funcionamento e de
manutenção destinam-se ao técnico especializado, que
– devido à sua formação e experiência profissional –
possui os conhecimentos necessários sobre o manuseamento de sistemas de aquecimento, bem como de instalações a gasóleo e a gás.
Designação do produto
Os queimadores a gasóleo BE são uniformemente designados nesta documentação como "queimadores".
1.2
Normas e directivas
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Para a montagem e o funcionamento
da instalação devem ser respeitadas as
normas e directivas nacionais!
Combustíveis
Queimador
Observações
tab. 1
4
Todos os países
Gasóleo de aquecimento EL conforme DIN 51603-1
(Viscosidade máx. 6,0 mm²/s a 20 °C)
O queimador apenas pode ser utilizado com o combustível indicado.
A limpeza e manutenção devem ser realizadas uma vez por ano. Neste processo, deve ser verificado
o funcionamento correcto de toda a instalação. As falhas detectadas devem ser imediatamente eliminadas.
Combustíveis e observações nacionais
6 720 801 740 (2011/06)
Segurança
2
Segurança
Para sua segurança, respeite estas indicações.
2.1
2.3
Respeite estas indicações
PERIGO DE MORTE
Utilização correta
O queimador apenas pode ser montado no Suprapur-O
KUB 18...35 e respectivas séries subsequentes:
AVISO!
O queimador de funcionamento totalmente automático
está em conformidade com os requisitos da DIN EN 230
e DIN EN 267.
B Ao colocar a instalação de aquecimento em funcionamento, as aberturas de
entrada e saída de ar não podem estar
fechadas. As secções transversais de
entrada e saída de ar devem corresponder aos valores requisitados.
O queimador é verificado de fábrica no estado quente e
ajustado para a potência nominal da respectiva caldeira
(ver etiqueta no queimador), de modo a que, na primeira
colocação em funcionamento, apenas seja necessário
verificar os ajustes do queimador e, se necessário,
reajustar ou adaptar às condições locais.
2.2
B Se as aberturas de entrada e saída do
ar não corresponderem aos requisitos,
a instalação de aquecimento não pode
ser utilizada.
Estrutura das indicações
Distinguem-se dois níveis de perigo devidamente assinalados por palavras identificativas:
PERIGO DE INCÊNDIO
devido a materiais ou líquidos inflamáveis.
AVISO!
PERIGO DE MORTE
AVISO!
devido a intoxicação.
Uma ventilação insuficiente na instalação
de aquecimento pode provocar perigosas
fugas de gases queimados.
Indica um perigo possivelmente provocado
por um produto que, sem a devida precaução, pode causar ferimentos graves ou
mesmo a morte.
B Antes de iniciar os trabalhos, deve
certificar-se de que não existem materiais ou líquidos inflamáveis no local da
instalação.
DANOS NO QUEIMADOR
devido a ar de combustão poluído.
PERIGO DE FERIMENTOS/
DANOS NA INSTALAÇÃO
CUIDADO!
CUIDADO!
DANOS NA INSTALAÇÃO
Indica uma situação potencialmente perigosa que pode causar ferimentos ligeiros
ou de média gravidade ou danos materiais.
devido ao filtro obstruído.
CUIDADO!
Outros símbolos para a identificação de perigos e indicações para o utilizador:
PERIGO DE MORTE
devido a corrente eléctrica.
AVISO!
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
B Evite uma forte acumulação de pó.
A obstrução dos filtros logo após o enchimento do depósito pode indicar que os
sedimentos, dispersados devido ao
enchimento, foram aspirados.
B Comunique ao seu cliente que, durante
o enchimento do depósito, o sistema
de aquecimento deve estar desligado
e, mesmo após o enchimento, deve ser
respeitado um tempo de espera de,
pelo menos, 6 horas.
Recomendações ao utilizador para uma
utilização e configuração optimizadas do
aparelho e outras informações úteis.
6 720 801 740 (2011/06)
5
Segurança
PERIGO DE MORTE
devido a corrente eléctrica.
AVISO!
B Antes dos trabalhos na instalação
de aquecimento:
desligue o sistema de aquecimento
da corrente!
DANOS NO APARELHO
devido a reparação inadequada.
CUIDADO!
B Não efectue quaisquer trabalhos
de reparação em componentes com
funções de segurança.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
B Utilizar unicamente peças de
substituição originais.
6
6 720 801 740 (2011/06)
Descrição do produto
3
Descrição do produto
Os componentes principais do queimador são:
4
– Bomba de gasóleo com válvula magnética
e mangueiras de ligação do gasóleo (fig. 1, [1])
5
– Motor do queimador (fig. 1, [2])
– Tubo do queimador (fig. 1, [3])
– Dispositivo automático digital de combustão com
botão de eliminação de avarias (fig. 1, [5])
3
– Sonda da chama (fig. 1, [6])
2
– Ventilador (fig. 1, [7])
6
1
O queimador (fig. 1) está ligado através de uma ficha
eléctrica (fig. 1, [4]) e unido ao aparelho de regulação
através de um cabo de comunicação.
O comando e a monitorização do queimador são efectuados através do dispositivo automático de combustão
de modelo testado.
– Conforme o pedido de aquecimento gerado através
da regulação electrónica da caldeira, o queimador
é ligado e o gasóleo antes e dentro do bocal é aquecido para aprox. 65 °C. No caso de um arranque a
frio, este processo pode demorar, no máximo, três
minutos.
– Após o período de pré-ignição, uma válvula magnética é activada para libertar o gasóleo e é realizada
a ignição da mistura de combustível e ar.
7
fig. 1
Queimador a gasóleo BE
1
Bomba de gasóleo com válvula magnética e mangueiras
de ligação do gasóleo
2
Motor do queimador
3
Tubo do queimador
4
Ficha de rede
5
Dispositivo automático digital de combustão com botão
de eliminação de avarias
6
Sensor de chama
7
Ventilador
– Imediatamente após à ignição, estabelece-se uma
chama de combustão azul.
– Neste sistema de combustão, o gasóleo pulverizado
pelo bocal evapora-se (sob a forma de gás) através
do retorno dos gases quentes, é misturado homogeneamente com o ar de combustão e, em seguida,
é queimado dentro do tubo do queimador.
– Até ao final do período de segurança, o sensor de
chama deve emitir um sinal da chama, caso contrário, é realizada uma desactivação por avaria.
6 720 801 740 (2011/06)
7
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
4
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
Os dados técnicos fornecem-lhe informações sobre
o perfil de desempenho do queimador.
4.1
Tipos de queimador
1
fig. 2 Sistema de mistura – Ø A, B, C
1
fig. 3 Sistema de mistura – medida "X"
Marca de punção
fig. 4 Eléctrodo de ignição
(dimensões em mm)
Sistema de mistura
Tipo de queimador
4A
4B
4C
X
em mm
em mm
em mm
em mm
BE 18
7747001975
25,0
12,0
5,0
2,0
BE 22
7747010590
27,5
12,1
5,8
2,0
BE 30
7747009153
27,5
12,1
6,9
2,0
BE 35
7747009154
27,5
12,4
8,3
2,0
tab. 2
8
Marca de punção
Dados técnicos – sistema misturador e eléctrodo de ignição
6 720 801 740 (2011/06)
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
4.2
Tubos do queimador (cerâmica)
Punção
fig. 5
tab. 3
4.3
Tubos do queimador
Queimador
Punção
Tubos do
queimador
nx4A
em mm
nx4B
em mm
LA
em mm
LB
em mm
4D
em mm
BE 18
63033889
D69/L214/2,5/2,0
24 x 2,5
12 x 2,0
12,5
72
69
BE 22
63020754
D83/L214/3,0/2,5
12 x 3,0
6 x 2,5
18
78
83
BE 30
63028637
D83/L224/5,9/4,8
12 x 5,9
6 x 4,8
18
78
83
BE 35
63028638
D83/L224/7,0/5,7
12 x 7,0
6 x 5,7
18
78
83
Tubos do queimador para Suprapur-O KUB 18...35
Valores de ajuste e injectores
Valores de ajuste, equipamento com bocais 1
Potência nominal
Olio Condens 5000F
kW
18
22
30
35
Tipo de queimador
BE 18
BE 22
BE 30
BE 35
Sistema de mistura
7747009175
7747010590
7747009153
7747009154
Danfoss
0,35 gph
80° HR
Danfoss
0,45 gph
80° HFD
Danfoss
0,55 gph
60° HFD
Danfoss
0,65 gph
80° H
Tipo de bocal 1
Pressão do gasóleo
bar
15,0 – 20,0
13,0 – 20,0
15,0 – 23,0
15,0 – 23,0
Débito de gasóleo
kg/h
1,55
1,90
2,60
3,10
3,5
2,0
2,5
3,0
Pré-ajuste da guia de ar de admissão (ALF)
Pressão estática do ventilador
mbar
9,3 – 10,5
9,5 – 11,6
9,5 – 11,6
9,2 – 12,3
Pressão da câmara de combustão
mbar
0 – 0,44
0 – 0,50
0 – 0,53
0 – 0,85
Pressão de distribuição disponível
Pa
30
30
30
50
Valor de CO2 sem cobertura do queimador
%
RLA: 13,0 – 13,5 % (RLU: Ver fig. 6 e fig. 7)
Valor de CO2 com cobertura do queimador
%
RLA: 13,5 – 14,0 % (RLU: Ver fig. 6 e fig. 7)
Valor de CO
ppm
< 50
< 50
< 50
< 50
Medida "X"
mm
2,0
2,0
2,0
2,0
tab. 4
1
Valores de ajuste e injectores
Recomendação: Utilize apenas os tipos de bocais aqui indicados.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Todas as indicações referem-se a uma
temperatura do ar admitido de 20 °C e
a uma altura de instalação de 0 – 500 m
acima do nível do mar.
6 720 801 740 (2011/06)
9
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
4.4
Material que se anexa
B Após a entrega, verifique o bom estado da
embalagem.
B Verifique se o material fornecido está completo.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
O queimador é fornecido como unidade
completa, com caldeira de aquecimento,
porta do queimador, revestimento e cobertura de isolamento acústico.
4.5
Dispositivo automático digital de
combustão
Tensão de rede
Frequência da rede
Fusível de reserva externo
tab. 5
10
230 V, AC
50 – 60 Hz ±6 %
em MC10
Dados técnicos
6 720 801 740 (2011/06)
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
4.6
Ajustar o queimador (funcionamento independente do ar ambiente)
O queimador está pré-ajustado. Uma vez que o ar de
combustão é aspirado directamente do exterior, existem
grandes diferenças entre o Verão e o Inverno. Por isso,
deve proceder ao ajuste do valor de CO2, tendo em
conta a temperatura actual do ar de alimentação existente durante a colocação em funcionamento.
Efectue a medição com uma temperatura da água da
caldeira de aprox. 60 °C e um período de funcionamento
do queimador de mais de 20 minutos.
B Introduzir a sonda de medição na conduta de ar de
alimentação e determinar a temperatura do ar de
alimentação.
B Regular o teor de CO2 no parafuso de regulação de
pressão na bomba de gasóleo, de acordo com a
fig. 6, página 12 ou fig. 7, página 12, conforme o ar
seja aspirado directamente através da parede externa ou através de um tubo concêntrico.
B Se não for possível ajustar o teor de CO2 apenas
através do ajuste da pressão do gasóleo (pressão do
gasóleo fora da área de ajuste), terá de alterar também a quantidade de ar através da guia de ar de
admissão (ver capítulo "Ajustar a guia de ar de admissão", página 23).
Exemplo: Com uma temperatura do ar de alimentação
de +25 °C (o ar de alimentação é aspirado directamente
do exterior), o queimador deve ser ajustado para um
teor de CO2 de 14,1 % ±0,2 %.
6 720 801 740 (2011/06)
11
Dados técnicos e conteúdo do fornecimento
Teor de CO2 em %
Ligação na parede exterior
Temperatura do ar de admissão na extremidade da caldeira °C
fig. 6
Ajuste do valor de CO2, dependendo da temperatura do ar de admissão, no caso da alimentação de ar directamente
através da parede externa (válido com ou sem cobertura do queimador)
Guia concêntrica de ar de admissão e gases queimados
ão
Teor de CO2 em %
saç
den
n
o
c
de
eira
d
l
Ca
Temperatura do ar de admissão na extremidade da caldeira °C
fig. 7
12
O ajuste do valor de CO2 caldeira de condensação ou de baixas temperaturas depende da temperatura do ar de admissão,
no caso da alimentação de ar através de uma guia concêntrica de entrada e saída do ar (válido com ou sem cobertura do
queimador)
6 720 801 740 (2011/06)
Operar o dispositivo automático digital de combustão
5
Operar o dispositivo automático digital de combustão
O dispositivo automático digital de combustão é responsável pela colocação em funcionamento e monitorização do queimador.
Neste queimador, o controlo de chama é efectuado através de um sensor de chama azul. O dispositivo automático de combustão é activado apenas através do
aparelho de regulação da caldeira de aquecimento.
PERIGO DE MORTE
devido a corrente eléctrica.
AVISO!
B Não abra o dispositivo automático de
combustão nem efectue qualquer intervenção ou alteração neste dispositivo.
B Após uma queda ou impacto forte, os
aparelhos não podem ser colocados
novamente em funcionamento, porque
as funções de segurança poderão
estar prejudicadas, mesmo sem danos
visíveis pelo exterior.
5.1
fig. 8
Dispositivo automático digital de combustão
fig. 9
Sequência do programa do dispositivo automático
de combustão
Sequência do programa
Legenda:
STB
OH
OW
M
BV1
Z
FS
tw
t1
t3n
TSA
A´
A
B
D
E
Termóstato de segurança
Pré-aquecedor de gasóleo
Contacto de desbloqueio do pré-aquecedor
de gasóleo
Motor do queimador/ventilador
Válvula magnética 1
Transformador de ignição
Sinal da chama
Tempo de espera
Período de pré-ventilação e desbloqueio
Tempo de pós-ignição
Período de segurança Arranque
Início da colocação em funcionamento
Desbloqueio do pré-aquecedor do gasóleo
Momento da formação das chamas
Posição operacional
Desactivação normal
= Sinais de comando
= Sinais de entrada necessários
= Sinais de entrada permitidos
6 720 801 740 (2011/06)
13
Operar o dispositivo automático digital de combustão
5.2
Indicador de funcionamento
O LED indica o estado de operação actual.
Estado de operação
Código de cores
LED
O dispositivo automático de combustão
está em funcionamento.
lig
O dispositivo automático de combustão
encontra-se em estado de erro de corte.
pisca lentamente
O dispositivo automático de combustão
está em funcionamento de emergência.
Comunicação com interferências.
pisca rapidamente
O dispositivo automático de combustão
não está em funcionamento.
desligado
tab. 6
Indicação do estado operacional do queimador através do LED
... = permanente
= desligado
= verde
5.3
Modo de emergência
O dispositivo automático de combustão passa automaticamente para o modo de emergência, se a comunicação com o aparelho de regulação Logamatic MC10 for
interrompida.
No modo de emergência, o dispositivo automático de
combustão regula a temperatura da caldeira para 60 °C,
de modo a manter o funcionamento da instalação de
aquecimento até a comunicação ser restabelecida.
Eliminar avarias no modo de emergência
No modo de emergência, apenas é possível eliminar as
avarias através do botão de eliminação de avarias no
dispositivo automático de combustão. O reset apenas
é possível se existir um erro de corte.
1
B Premir o botão contra perturbações (fig. 10, [1]),
para eliminar o erro.
fig. 10
1
14
Eliminar avarias no dispositivo automático de
combustão
Botão de eliminação de avarias
6 720 801 740 (2011/06)
Operar o dispositivo automático digital de combustão
5.4
Esquema de ligações eléctricas
Sensor/Bus:
não ocupado
Indicação de
ligação à terra
Motor
Transformador
de ignição
Ignição
Pré-aquecedor
de gasóleo
Válvula
magnética
Sonda
da chama
não ocupado
Sonda
de exaustão
Sensor
da caldeira
Válvula 1
não ocupado
fig. 11
Cabo Bus
Ligação
SAFe-MC10
Esquema de ligações do dispositivo automático de combustão
6 720 801 740 (2011/06)
15
Colocar o queimador em funcionamento
6
Colocar o queimador em funcionamento
Este capítulo descreve como colocar o queimador em
funcionamento.
Devido ao ensaio a quente de fábrica e pré-ajuste do
queimador, apenas precisará de verificar os valores de
ajuste e adaptá-los às condições locais da instalação.
B Em seguida, preencha o protocolo de colocação em
funcionamento (ver capítulo 6.8 "Protocolo de colocação em funcionamento", página 25).
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Por motivos de segurança, o queimador
é fornecido no "estado de avaria".
2
6.1
Verificar as fichas eléctricas
B Verificar se todas as ligações eléctricas estão na
posição correcta.
6.2
fig. 12
1
Bomba de gasóleo – Danfoss
Legenda para fig. 12 e fig. 13:
1
Tubagem de aspiração de gasóleo (fita identificativa
vermelha)
2
Tubagem de retorno (fita identificativa azul)
Verificar e ligar o dispositivo de
alimentação de gasóleo
Antes de ligar a alimentação de gasóleo ao queimador,
deve verificar se todas as tubagens de gasóleo e o filtro
de gasóleo estão limpos e estanques.
B Efectuar o controlo visual da tubagem de gasóleo,
se necessário, limpar ou substituir.
B Verificar o filtro de gasóleo, se necessário,
substituí-lo.
B Verificar o dispositivo de alimentação de gasóleo
(ver capítulo 9 "Instalar o dispositivo de alimentação
de gasóleo", página 38).
B Ligar as mangueiras de gasóleo do queimador a um
filtro de gasóleo.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
2
fig. 13
1
Bomba de gasóleo – Suntec
Tenha atenção para não confundir a tubagem de aspiração do gasóleo e a tubagem
de retorno (fig. 12 e fig. 13).
16
6 720 801 740 (2011/06)
Colocar o queimador em funcionamento
6.3
Purgar a tubagem de gasóleo
Para assegurar o funcionamento do queimador, deve
verificar a instalação de alimentação de gasóleo (ver
capítulo 9 "Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo", página 38). Especialmente nas instalações mais
antigas, deve verificar a resistência de aspiração e a estanquidade.
3
2
B Desligar a instalação de aquecimento no interruptor
de funcionamento do BC15.
4
B Fechar a válvula de corte do gasóleo.
B Montar o vacuómetro (fig. 14, [3]) com a mangueira
transparente (fig. 14, [4]; acessórios), como é ilustrado na fig. 14, entre o filtro do gasóleo (fig. 14, [5]) e
a tubagem de aspiração de gasóleo (fig. 14, [1]).
B Abrir a válvula de corte do gasóleo.
B Ligar a instalação de aquecimento no interruptor de
serviço do BC15.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Uma vez que o queimador é fornecido de
fábrica no estado de avaria, antes da primeira colocação em funcionamento, deve
eliminar as avarias do queimador, premindo a tecla de reset (fig. 16, [3], página 18).
Ou prima o botão de eliminação de avarias
no dispositivo automático de combustão
(como é descrito em seguida).
5
1
fig. 14
Filtro de gasóleo, vacuómetro e mangueira
transparente
1
Tubagem de aspiração de gasóleo
2
Dispositivo automático digital de combustão
3
Vacuómetro
4
Mangueira transparente
5
Filtro de gasóleo
B Ligar o motor através da unidade de comando ambiente (ver instruções de assistência da unidade de
comando ambiente).
B Purgar a tubagem de gasóleo.
B Verificar se o gasóleo admitido está isento de
bolhas de ar através da mangueira transparente
(fig. 14, [4]).
B Desligar o motor através da unidade de comando
ambiente (ver instruções de assistência da unidade
de comando ambiente).
DANOS NA INSTALAÇÃO
devido a bomba de gasóleo com defeito.
CUIDADO!
B Nunca deixe a bomba de gasóleo
funcionar sem gasóleo durante mais
de cinco minutos.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
B Se necessário, deve verificar a estanquidade e o vácuo (ver capítulo 9.3
"Verificação do vácuo", página 42).
6 720 801 740 (2011/06)
17
Colocar o queimador em funcionamento
6.4
Arranque do queimador
B Desligar a instalação de aquecimento da corrente.
B Na operação controlada pelo ar ambiente, retirar a
mangueira de aspiração do silenciador de aspiração
3
B Fechar a válvula de corte do gasóleo no respectivo
filtro (fig. 15, [5]) e desmontar a mangueira transparente (fig. 15, [4]) juntamente com o vacuómetro
(fig. 15, [3]).
2
4
B Enroscar a tubagem de aspiração do gasóleo
(fig. 15, [1]) à ligação do filtro de gasóleo (fig. 15, [5]).
B Abrir a válvula de corte do gasóleo no filtro do
gasóleo (fig. 15, [5]).
B Ligar a instalação de aquecimento no interruptor de
serviço do BC15.
Uma vez que o queimador é fornecido de
fábrica no estado de avaria, antes da primeira colocação em funcionamento, deve
eliminar as avarias do queimador, premindo a tecla de reset no BC15 (fig. 16, [3]).
Ou prima o botão de eliminação de avarias
no dispositivo automático de combustão
(como é descrito em seguida).
5
1
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
fig. 15
Desmontar a tubagem de aspiração do gasóleo
1
Tubagem de aspiração de gasóleo
2
dispositivo automático digital de combustão
3
Vacuómetro
4
Mangueira transparente
5
Filtro de gasóleo
B Aguardar aprox. 1 minuto até o sistema EMS estar
operacional.
1
2
B Colocar o botão rotativo "temperatura máxima da
caldeira" (fig. 16, [2]) e o botão rotativo "valor nominal de água quente sanitária" (fig. 16, [1]) na posição
"Aut".
B Verificar os pontos de ligação do gasóleo quanto
à estanquidade.
3
fig. 16
18
Controlador básico BC15
1
Botão rotativo "valor nominal de água quente"
2
Botão rotativo "temperatura máxima da caldeira"
na operação de aquecimento
3
Tecla de rearme
6 720 801 740 (2011/06)
Colocar o queimador em funcionamento
B Premir o botão Reset (fig. 17, [1]) mais que um segundo (desbloquear). Após aprox. cinco segundos, o
queimador entra no modo de arranque ou operação.
3
1
1
fig. 17
1
Botão de eliminação de avarias do dispositivo
automático de combustão com LED
Botão de eliminação de avarias com LED
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
B Na primeira colocação em funcionamento, accione o queimador através
do teste de gases queimados do controlador básico BC15.
B Para aceder ao teste de gases queimados no controlador básico BC15, premir a tecla "teste de gases
queimados" até aparecer o ponto decimal na indicação de estado (fig. 18). O queimador acende.
Se o queimador não se ligar:
Se o queimador não ligar após cinco tentativas de
arranque, deve determinar a causa (ver capítulo 10 "Resolução de avarias do queimador", página 44).
fig. 18
6.5
Controlador básico BC15
Apertar novamente os parafusos de fixação da porta do queimador
Para que não seja possível a entrada descontrolada de
ar na câmara de combustão, tem de apertar novamente
(aprox. 10 Nm), com uma ferramenta, os parafusos de
fixação da porta do queimador, no estado quente.
B Apertar novamente os parafusos de fixação da porta
do queimador.
6 720 801 740 (2011/06)
19
Colocar o queimador em funcionamento
6.6
Registar ou corrigir os valores de medição
As medições são efectuadas na conduta dos gases
queimados (fig. 19, [3]) ou nos bocais de ligação do ar
e dos gases queimados (fig. 19, [2]).
1
2 3
fig. 19
20
4
Montar os bocais de ligação do ar e dos gases
queimados
1
Mangueira do ar de combustão
2
Abertura de medição do ar de admissão
3
Bocais de ligação concêntricos do ar e dos gases
queimados
4
Abertura de medição dos gases queimados
6 720 801 740 (2011/06)
Colocar o queimador em funcionamento
6.6.1 Registar os valores de medição
A temperatura da água da caldeira influencia significativamente a temperatura dos gases queimados. Por isso,
se possível, meça com uma temperatura da água da
caldeira de, no mín., 60 °C e durante um período de funcionamento do queimador de mais de cinco minutos.
Em queimadores com um funcionamento dependente
do ar ambiente, meça com um período de funcionamento de aprox. 20 minutos.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Recomendamos que verifique os ajustes
de fábrica e que os altere, caso estes não
estejam de acordo com os dados técnicos.
B Inserir a sonda de medição (fig. 19, [3], página 20)
no centro do fluxo (centro do tubo de gases queimados) de gases queimados (temperatura máxima dos
gases queimados).
B Registar os valores de medição e apontá-los no protocolo de colocação em funcionamento (ver
capítulo 6.8 "Protocolo de colocação em funcionamento", página 25).
B Após a conclusão das medições, fechar todas as
aberturas de medição.
6.6.2 Detectar a perda de gases queimados (qA)
A fuga de gases queimados não deve ultrapassar os
valores limite específicos conforme BImSchV.
qA = (tA – tL) x (0,5 / CO2 + 0,007) em %
tA = Temperatura bruta dos gases queimados em ° C
tL = Temperatura do ar em ° C
CO2 = Dióxido de carbono em %
6.6.3 Verificar a estanquidade do sistema de gases
queimados
Em caldeiras de aquecimento com operação independente do ar ambiente e com guia concêntrica de ar de
alimentação ou gases queimados, deve ser verificada
a estanquidade da conduta dos gases queimados.
DANOS NO QUEIMADOR
devido a gases queimados aspirados.
CUIDADO!
Os gases queimados aspirados pelo queimador provocam avarias neste aparelho.
B Medir o teor de CO2 do ar de alimentação nos bocais
de ligação do ar e dos gases queimados.
B Caso se encontre CO2 no ar de admissão, a conduta
dos gases queimados tem uma fuga.
B Reparar a fuga.
6 720 801 740 (2011/06)
21
Colocar o queimador em funcionamento
6.6.4 Em caso de desvios em relação aos dados
técnicos – reajustar
Em caso de desvios em relação aos dados técnicos
indicados, (ver capítulo 4 "Dados técnicos e conteúdo
do fornecimento", página 8), deve proceder do seguinte
modo:
– Reajustar o teor de CO2
1
– Medir o teor de CO (monóxido de carbono)
– Ajustar a guia de ar de admissão
– Medir a pressão manométrica da chaminé
– Efectuar o teste da fuligem
Reajustar o teor de CO2
Se não rodar o parafuso de regulação da pressão
(fig. 20, [1] ou fig. 21, [1]) o suficiente, altera a pressão
da bomba do gasóleo e, assim, o teor de CO2.
B Aparafusar o manómetro da pressão do gasóleo na
respectiva ligação prevista na bomba de gasóleo
(identificada com "P").
fig. 20
Ajustar a pressão – bomba de gasóleo Danfoss
Aumentar a pressão:
Rodar para a direita
= Aumentar o teor de CO2
Diminuir a pressão:
Rodar para a esquerda
= Diminuir o teor de CO2
1
Se o teor de CO2 previsto dentro dos limites da pressão
do gasóleo não for atingido, deve verificar a estanquidade no lado do gás de aquecimento (ver capítulo 8.2
"Verificar a estanquidade do gás de aquecimento",
página 36).
Medir o teor de CO (monóxido de carbono)
O teor de CO (teor de monóxido de carbono) deve ser
inferior a 50 ppm (CO < 50 ppm).
fig. 21
Ajustar a pressão – bomba do gasóleo Suntec
B Em caso de desvios em relação ao valor indicado:
eliminar a avaria (ver capítulo 10 "Resolução de avarias do queimador", página 44).
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Se, na primeira colocação em funcionamento, medir um valor de CO demasiado
elevado, isto pode ter sido provocado por
fugas de gases nas ligações orgânicas
(por ex. a partir do isolamento da porta).
Por isso, efectue a medição do CO, pelo
menos, após 20 – 30 minutos de funcionamento do queimador.
22
6 720 801 740 (2011/06)
Colocar o queimador em funcionamento
Ajustar a guia de ar de admissão
Se não for possível ajustar o teor de CO2 apenas através do ajuste da pressão do gasóleo (pressão do gasóleo fora da gama de ajuste), terá de alterar também a
quantidade de ar através da guia de ar de admissão.
3
2
0
2
B Ajustar a pressão estática do ventilador rodando
a guia de ar de admissão.
Tenha em atenção que uma pressão mais elevada do
ventilador resulta em valores mais reduzidos na escala
de indicação, devido ao deslocamento do regulador.
Isto corresponde ao sentido da seta na fig. 22.
B Reajustar a pressão do gasóleo (ver capítulo "Reajustar o teor de CO2", página 22), para que o teor de
CO2 se encontre na faixa de valores (ver capítulo 4.3
"Valores de ajuste e injectores", página 9).
Se necessário, substituir o bocal.
3
1
B Soltar a peça de fixação da guia de ar de admissão
(ALF) (fig. 22, [1]).
1
1
fig. 22
Ajustar a guia de ar de admissão
1
Parafusos
Escala
Quantidade de ar
Teor de CO2
2
Escala
0
no máximo
mínima
3
Seta na escala da guia de ar de admissão
6
mínima
no máximo
Tab. 7
Ajuste da quantidade de ar
Medir a pressão manométrica da chaminé
Se a pressão de distribuição for demasiado elevada,
deve instalar um dispositivo de ar adicional.
DANOS NA INSTALAÇÃO
CUIDADO!
devido à acumulação de fuligem na
chaminé.
B Evite a acumulação de fuligem na
chaminé da habitação.
B Em caso de dúvidas, consulte o seu
limpa-chaminés.
Se, para o ajuste da pressão de distribuição da chaminé, for necessária a montagem de um dispositivo de ar
adicional, deve montá-lo na chaminé e não no tubo de
gases queimados. Deste modo, evita a transmissão de
ruídos no local de instalação.
Efectuar o teste da fuligem
O índice de fuligem deve ser de "0" (CF = 0).
B Em caso de desvios em relação ao valor indicado –
eliminar a avaria (ver capítulo 10 "Resolução de avarias do queimador", página 44).
6 720 801 740 (2011/06)
23
Colocar o queimador em funcionamento
6.7
Efectuar a verificação de segurança
B Com o queimador em funcionamento, puxar o sensor de chama para fora do suporte, pelo manípulo
previsto para tal (fig. 23, [3]).
2
1
B Segurar a sonda da chama contra a luz (fig. 23, [1]).
Isto deve ocorrer após a recorrência de uma desactivação por avaria.
B Reinserir o sensor de chama após a desactivação
por avaria.
B Após um período de espera de aprox. 30 segundos,
desbloquear o dispositivo automático de combustão,
premindo o botão Reset (fig. 23, [2]).
3
B Efectuar a sequência operacional (ver capítulo 6.4
"Arranque do queimador", página 18).
fig. 23
24
Verificar o funcionamento do sensor de chama
6 720 801 740 (2011/06)
Colocar o queimador em funcionamento
6.8
Protocolo de colocação em
funcionamento
B Assinalar e preencher cuidadosamente o protocolo
da colocação em funcionamento durante os trabalhos da colocação em funcionamento.
Trabalhos de colocação em funcionamento
Registar notas ou valores de medição
1.
Verificar as fichas eléctricas
página 16
2.
Verificar e ligar o dispositivo de alimentação de gasóleo
página 16
3.
Purgar a tubagem de gasóleo
página 17
4.
Colocar o queimador em funcionamento
página 16
5.
Apertar novamente os parafusos de fixação da porta do
queimador
página 19
6.
Registar ou corrigir os valores de medição
página 20
a) Temperatura bruta dos gases queimados
página 20 _______________
°C
b) Temperatura do ar
página 20 _______________
°C
c) Temperatura nominal dos gases queimados (temperatura
bruta dos gases queimados – temperatura do ar)
página 20 _______________
°C
d) Medir o teor de CO2 (dióxido de carbono)
página 22 _______________
%
e) Medir o teor de CO (monóxido de carbono)
página 22 _______________
ppm
f) Medir a pressão manométrica da chaminé
página 23 _______________
mbar
7.
Detectar a perda de gases queimados (qA)
página 21 _______________
%
8.
RLU: Verificar a estanquidade do sistema de gases queimados
página 21 _______________
9.
Efectuar o teste da fuligem
página 23 _______________
10. Efectuar a verificação de segurança
Ba
página 24
11. Informar o utilizador e entregar a documentação técnica
12. Confirmar a correcta colocação em funcionamento
Carimbo da empresa/assinatura/data
6 720 801 740 (2011/06)
25
Inspecção e manutenção do queimador
7
Inspecção e manutenção do queimador
Este capítulo descreve a forma de inspeccionar e conservar o queimador.
B Preencher o protocolo de inspecção e de manutenção (ver capítulo 7.12 "Protocolo da inspecção e manutenção", página 34).
Para iniciar a inspecção e a manutenção deve registar
os valores de medição durante o funcionamento. Para
os trabalhos seguintes de inspecção ou manutenção, é
necessário desactivar a instalação de aquecimento.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Pode encomendar peças de substituição
através do catálogo de peças de
substituição.
7.1
Registar os valores de medição, se
necessário, corrigi-los
B Recolher os valores de medição conforme o ponto 1
do protocolo de medição (ver capítulo 6.6 "Registar
ou corrigir os valores de medição", página 20).
B Registar os valores de medição (ver capítulo 7.12
"Protocolo da inspecção e manutenção", página 34).
B Em caldeiras de aquecimento com operação independente do ar ambiente e com guia concêntrica de
ar de alimentação e gases queimados, verificar a estanquidade da tubagem dos gases queimados (ver
capítulo 6.6.3 "Verificar a estanquidade do sistema
de gases queimados", página 21).
7.2
Verificar o queimador e a sua
cobertura
B Verificar a existência de danos ou sujidade exterior
na cobertura e no queimador.
B Ter em atenção o pó, a corrosão, tubagens de
gasóleo ou cabos eléctricos com defeito e caixas
e revestimentos danificados.
7.3
Verificar o funcionamento do motor
do queimador, se necessário,
substituí-lo
B Verificar o funcionamento e o ruído operacional do
motor do queimador.
Se houver ruídos de funcionamento, estes podem
indicar danos nos rolamentos.
B Substituir o motor do queimador.
26
6 720 801 740 (2011/06)
Inspecção e manutenção do queimador
7.4
Retirar o queimador do serviço
B Fechar a válvula de corte do gasóleo antes do filtro
do gasóleo.
B Desligar a instalação de aquecimento da corrente.
B Retirar a cobertura do queimador.
B Retirar a ficha de rede (fig. 1, página 7) da tomada.
7.5
Limpar o filtro da bomba de gasóleo,
se necessário, substituí-lo
7.5.1 Em bombas de gasóleo Danfoss
B Soltar o parafuso sextavado interno na parte superior (fig. 24, [2]).
2
B Retirar o filtro da bomba de gasóleo (fig. 24, [1]) para
cima.
1
B Verificar a vedação quanto a danos e, se necessário,
substituí-la.
B Limpar o filtro da bomba de gasóleo (fig. 24, [1]) com
benzina e, se necessário, substituí-lo. Em seguida,
voltar a montar a bomba de gasóleo.
P
P
-
fig. 24
+
V
Verificar o filtro da bomba de gasóleo – bomba
de gasóleo Danfoss
7.5.2 Em bombas de gasóleo Suntec
B Soltar os quatro parafusos sextavados internos
(fig. 25, [1]).
1
2
3
4
B Retirar a tampa da caixa (fig. 25, [2]).
B Retirar o filtro da bomba de gasóleo (fig. 25, [3]).
B Verificar a vedação (fig. 25, [4]) quanto a danos e,
se necessário, substituí-la.
B Limpar o filtro da bomba de gasóleo (fig. 25, [3]) com
benzina e, se necessário, substituí-lo. Em seguida,
voltar a montar a bomba de gasóleo.
1
1
1
fig. 25
6 720 801 740 (2011/06)
Verificar o filtro da bomba de gasóleo – bomba
de gasóleo Suntec
1
Parafusos sextavados internos (quatro unidades)
2
Tampa superior
3
Filtro da bomba de gasóleo
4
Vedação
27
Inspecção e manutenção do queimador
7.6
Verificar a turbina do ventilador
quanto a sujidade e danos
Se pretender verificar a turbina do ventilador deve proceder do seguinte modo:
Desmontar o silenciador de aspiração
B Soltar a abraçadeira especial para mangueiras
(fig. 26, [1]) da alimentação do ar de aspiração para
uma operação independente do ar ambiente.
B Retirar a mangueira da alimentação do ar de
combustão.
B Soltar os parafusos de fixação (fig. 26, setas)
e retirar o silenciador de aspiração (fig. 26, [2]).
2
1
Retirar a cobertura da turbina do ventilador
B Soltar os seis parafusos de fixação (fig. 27, setas)
e retirar a cobertura da turbina do ventilador.
fig. 26
Desmontar o silenciador de aspiração
fig. 27
Desmontar a cobertura da turbina do ventilador
7.6.1 Em caso de sujidade ligeira
B Limpar a turbina do ventilador com um pincel.
7.6.2 Em caso de forte sujidade
B Soltar a roda do ventilador (fig. 28, [1]) com uma
chave Allen (fig. 28, [2]) e retirar do eixo.
B Efectuar a limpeza com um detergente comum
(detergente da loiça).
B Voltar a montar a roda do ventilador (fig. 28, [1]).
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Durante a montagem, tenha atenção para
que os parafusos da turbina do ventilador
sejam colocados na área plana do eixo.
Garantir uma boa mobilidade da turbina do
ventilador! A distância entre o painel traseiro da roda do ventilador e o flange do
motor deve ser de 0,5 mm.
1
2
B Voltar a fixar a cobertura da turbina do ventilador
(fig. 27) e o silenciador de aspiração (fig. 26, [1]).
PERIGO DE FERIMENTOS
CUIDADO!
B Opere o queimador apenas com
o silenciador de aspiração montado.
fig. 28
28
Verificar a turbina do ventilador e, se necessário,
substituí-la
6 720 801 740 (2011/06)
Inspecção e manutenção do queimador
7.7
Verificar o eléctrodo de ignição,
o sistema de mistura, a vedação,
o bocal e o tubo do queimador
B Soltar a abraçadeira especial para mangueiras
(fig. 26, [1], página 28) e retirar a mangueira de aspiração.
B Soltar ambos os parafusos da fixação tipo baioneta
(fig. 29, seta).
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Pode facilitar a desmontagem do queimador se rodar os parafusos da fixação tipo
baioneta cinco a seis voltas para fora.
B Desencaixar o queimador.
fig. 29
Soltar os parafusos da fixação tipo baioneta
B Inserir o queimador na posição de assistência
(fig. 30).
1
7.7.1 Verificar o eléctrodo de ignição e,
se necessário, substituí-lo
Os eléctrodos de ignição (fig. 30, [1]) não devem apresentar quaisquer sedimentos.
B Respeitar sempre as medidas indicadas e, se necessário, limpar ou substituir os eléctrodos de ignição
(ver capítulo 4 "Dados técnicos e conteúdo do fornecimento", página 8).
Se tiver de substituir o eléctrodo de ignição, proceda do
seguinte modo:
B Soltar o parafuso (fig. 31, [1]) entre os eléctrodos de
ignição.
B Retirar os cabos de ignição (fig. 31, [4]).
fig. 30
Inserir o queimador na posição de assistência
B Desmontar os eléctrodos da ignição (fig. 31, [5]).
5
DANOS NO SISTEMA
devido a um cabo de ignição com defeito.
CUIDADO!
1
B Tenha em atenção que não deve retirar, nem fixar os cabos de ignição com
um alicate.
2
3
4
fig. 31
6 720 801 740 (2011/06)
Desmontar o sistema de mistura
29
Inspecção e manutenção do queimador
7.7.2 Verificar o sistema de mistura e,
se necessário, substituí-lo
Uma ligeira camada preta no sistema de mistura deve
ser considerada normal e não prejudica o funcionamento. Em caso de forte sujidade, deve limpar ou substituir
o sistema de mistura. Neste processo, tenha em atenção a identificação do sistema de mistura (ver
capítulo 4.2 "Tubos do queimador (cerâmica)",
página 9).
B Soltar o parafuso sem cabeça (fig. 31, [3], página 29)
e retirar o sistema de mistura (fig. 31, [2], página 29),
puxando para cima.
7.7.3 Substituir o bocal
1
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Recomendamos a substituição do bocal
durante a manutenção.
B Verifique qual é o tipo correcto de bocal
nos dados técnicos (ver capítulo 4.2
"Tubos do queimador (cerâmica)",
página 9).
B Soltar o injector (fig. 32, [1]) com duas chaves de fendas SW 16 e SW 19 e retirá-lo.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Se detectar que a válvula de fecho está
avariada, terá de substitui-la (ver
capítulo 7.7.4 "Verificar e, se necessário,
substituir a válvula de fecho no pré-aquecedor de gasóleo", página 31).
fig. 32
Desmontar o bocal
B Aparafusar o novo bocal.
B Voltar a colocar o sistema de mistura (fig. 33, [3]).
3
B Fixar correctamente os cabos de ignição
(fig. 33, [4]).
B Introduzir o tubo de controlo (fig. 33, [2]) no tubo de
retenção (fig. 33, [1]).
2
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
4
B Antes de aparafusar bem, rode o sistema de mistura, de modo a que o tubo
de controlo e o tubo de retenção estejam alinhados um com o outro.
4
1
fig. 33
30
Montar o sistema de mistura
1
Tubo de retenção
2
Tubo de controlo
3
Sistema de mistura
4
Cabos de ignição
6 720 801 740 (2011/06)
Inspecção e manutenção do queimador
7.7.4 Verificar e, se necessário, substituir a válvula
de fecho no pré-aquecedor de gasóleo
2
A válvula de fecho (fig. 34, [3]) no pré-aquecedor de gasóleo funciona como uma válvula de retenção. Quando
a bomba de gasóleo está em funcionamento, esta pressiona o gasóleo através da válvula de fecho. Assim que
a bomba se desligar, a válvula de fecho fecha-se através de uma mola (fig. 34, [1]).
1
3
Caso exista gasóleo no painel do queimador, a válvula
de fecho pode estar danificada. Neste caso, substitua
a válvula de fecho.
B Desmontar o bocal (fig. 32, página 30).
B Aparafusar o parafuso M5 × 50 (fig. 34, [2]) e retirar
a válvula de fecho (fig. 34, [3]).
B Desapertar o parafuso e enroscar na nova válvula de
fecho.
B Pressionar a válvula de fecho com o parafuso
e desapertar o parafuso.
B Voltar a aparafusar o bocal.
fig. 34
Substituir a válvula de fecho
1
Mola da válvula de fecho
2
Parafuso (M5 × 50)
3
Válvula de fecho
7.7.5 Verificar e, se necessário, substituir o tubo
do queimador
B Abrir a porta do queimador.
B Controlo visual do tubo do queimador. Limpar o tubo
do queimador e, se necessário, substituir.
5
4
Substituir o tubo do queimador
3
B Retirar do tubo de suporte do antigo tubo do
queimador.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Inserir cuidadosamente o tubo do queimador, pois este é sensível a quedas e impactos.
B Inserir o tubo do queimador (fig. 35, [5]) no tubo de
suporte. Para isso, introduza o tubo do queimador
através do came (fig. 35, [2]), até ao batente no tubo
de suporte. O came do tubo do queimador deve, então, apontar para baixo e encaixar (fig. 35, lupa).
6
4
2
1
1
fig. 35
Substituir o tubo do queimador
1
Tubo de suporte
B Colocar a nova vedação (fig. 35, [6]).
2
Came
B Consulte o tamanhos do tubo do queimador na
identificação do próprio tubo ou nos danos técnicos
(ver capítulo 4.2 "Tubos do queimador (cerâmica)",
página 9).
3
Parafusos de fixação do tubo de suporte
4
Parafusos da fixação tipo baioneta
5
Tubo do queimador
6
Vedação
.
6 720 801 740 (2011/06)
31
Inspecção e manutenção do queimador
7.7.6 Montar o queimador e verificar a vedação
B Antes da montagem do queimador, verificar a vedação (fig. 35, [5], página 31) entre o sistema misturador e o tubo do queimador.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Substitua as vedações danificadas, de
modo a garantir um funcionamento perfeito e a manter os valores dos gases queimados.
1
B Inserir a vedação (fig. 35, [5], página 31) no tubo do
queimador.
B Prender o queimador por ambos os parafusos do
flange do queimador (fig. 35, [3], página 31).
B Introduzir o sistema de mistura no tubo do queimador.
B Rodar para a esquerda até ao limite e voltar a apertar
os parafusos de fixação (fig. 35, [2], página 31).
fig. 36
Verificar o assento correcto do sistema de mistura
Quando o queimador estiver fixo, deverá verificar
o assento correcto do sistema de mistura.
1
B Puxar a tubagem de alimentação de gasóleo
(fig. 36, [1]) aprox. 5 mm para fora.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
O sistema de mistura deve voltar automaticamente para a sua posição inicial. Se
isto não acontecer, o sistema de mistura
pode permitir a entrada de ar, o que prejudica a combustão.
2
B Com a porta do queimador (fig. 37, [1]) aberta,
verificar a posição correcta da vedação (fig. 37, [2]).
7.8
Apertar os parafusos de fixação da
porta do queimador
fig. 37
Verificar a posição correcta da vedação
B Fechar a porta do queimador (fig. 37, [1]) e apertar
os parafusos de fixação da porta do queimador
(aprox. 10 Nm).
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Quando o queimador voltar a funcionar
deverá apertar novamente os parafusos
de fixação com a instalação quente.
32
6 720 801 740 (2011/06)
Inspecção e manutenção do queimador
7.9
Verificar a posição correcta das
ligações eléctricas
B Restabelecer as ligações eléctricas.
B Verificar a posição correcta de todas as ligações
eléctricas.
7.10 Efectuar a verificação de segurança
B Colocar o queimador em funcionamento (ver
capítulo 6.4 "Arranque do queimador", página 18).
1
B Com o queimador em funcionamento, puxar o sensor de chama para fora do suporte, pelo manípulo
previsto para tal (fig. 38, [3]).
2
B Segurar a sonda da chama contra a luz (fig. 38, [1]).
Isto deve ocorrer após a recorrência de uma desactivação por avaria.
B Limpar o sensor de chama com um pano suave.
3
B Reinserir o sensor de chama após a desactivação
por avaria.
B Após um período de espera de aprox. 30 segundos,
desbloquear o dispositivo automático de combustão,
premindo o botão de eliminação de avarias (fig. 38,
[2]) ou a tecla de reset no BC10.
B Verifique se a chama é visível através do suporte
do sensor de chama e, se necessário, limpar
o queimador.
fig. 38
Verificar o funcionamento do sensor de chama
7.11 Vedação adicional devido à operação RLU
O queimador para uma operação independente do ar
ambiente distingue-se da versão padrão através dos
seguintes componentes:
– Vedação plana para o flange do queimador
(fig. 39, [1]).
1
– Vedação para o silenciador (fig. 39, [4].)
2
– Fundo da caixa com vedação redonda (fig. 39, [3].)
– Suporte para alojamento da sonda de chamas
(fig. 39, [2].)
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Se o queimador tiver de ser substituído,
encomende impreterivelmente o queimador para uma operação independente do
ar ambiente.
6 720 801 740 (2011/06)
3
4
fig. 39
Vedação adicional
1
Vedação plana
2
Suporte do sensor de chama
3
Vedação redonda
4
Vedação do silenciador
33
Inspecção e manutenção do queimador
7.12 Protocolo da inspecção e manutenção
Com o protocolo de inspecção e manutenção, obtém
uma vista geral dos trabalhos de inspecção e de manutenção ainda em falta.
Preencha o protocolo durante a inspecção e
manutenção.
B Assinalar os trabalhos de inspecção ou manutenção
realizados, assinar e registar a data.
Trabalhos de inspecção e de manutenção
1.
antes
depois
antes
depois
Registar os valores de medição, se necessário, corrigi-los
página 26
a) Temperatura bruta dos gases queimados
página 26 _____ °C _____ °C _____ °C _____ °C
b) Medir a temperatura do ar
página 26 _____ °C _____ °C _____ °C _____ °C
c) Temperatura nominal dos gases queimados (temperatura
bruta dos gases queimados – temperatura do ar)
página 26 _____ °C _____ °C _____ °C _____ °C
d) Medir o teor de CO2 (dióxido de carbono)
página 26 _____ %
e) Medir o teor de CO (monóxido de carbono)
página 26 ____ ppm ____ ppm ____ ppm ____ ppm
f) Medir a pressão de distribuição da chaminé
página 23 ___ mbar ___ mbar ___ mbar ___ mbar
f) Detectar a perda de gases queimados (qA)
página 21 _____ %
h) Efectuar o teste da fuligem
página 23 _____ Ba _____ Ba _____ Ba _____ Ba
2
RLU: Verificar a estanquidade do sistema de gases queimados
página 21
3.
Verificar o queimador e a sua cobertura
página 26
4.
Verificar o funcionamento do motor do queimador, se necessário, página 26
substituí-lo
5.
Retirar o queimador do serviço
página 27
6.
Limpar o filtro da bomba de gasóleo, se necessário, substituí-lo
página 27
7.
Verificar e, se necessário, substituir a válvula de fecho no préaquecedor de gasóleo
página 31
8.
Verificar a turbina do ventilador quanto a sujidade e danos
página 28
9.
Verificar o eléctrodo de ignição, o sistema de mistura, a vedação, página 29
o bocal e o tubo do queimador
10. Apertar os parafusos de fixação da porta do queimador
página 32
11. Verificar a posição correcta das ligações eléctricas
página 33
12. Arranque do queimador
página 18
13. Apertar novamente os parafusos de fixação da porta
do queimador
página 32
14. Registar os valores de medição, se necessário, corrigi-los ou
ajustar o queimador
página 26
15. Efectuar a verificação de segurança
página 33
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
16. Confirmar se a manutenção foi correctamente efectuada
Carimbo da empresa/ Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
Assinatura/Data
34
6 720 801 740 (2011/06)
Inspecção e manutenção do queimador
antes
depois
antes
depois
antes
depois
antes
depois
antes
depois
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ °C
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
____ ppm
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
___ mbar
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ %
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
_____ Ba
Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
6 720 801 740 (2011/06)
Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
Carimbo da empresa/
Assinatura/Data
35
Efectuar trabalhos complementares
8
Efectuar trabalhos complementares
Este capítulo descreve como deve medir a corrente do
sensor de chama e verificar a estanquidade do lado do
gás de aquecimento.
8.1
Medir a corrente do sensor de chama (controlo de chama)
A corrente do sensor de chama pode ser indicada através da unidade de comando ambiente (ver instruções
de assistência da unidade de comando ambiente).
Durante o funcionamento, a corrente do sensor deve ser
de, pelo menos, 50 µA (sem chama < 5 µA).
Se a corrente do sensor de chama for inferior a 50 µA,
deve limpar o sensor e verificar a abertura para a câmara de combustão.
Verificar e limpar o sensor de chama
B Com o queimador em funcionamento, puxar o sensor de chama para fora do suporte através do manípulo previsto.
B Verificar na abertura se é visível uma chama.
B Limpar o sensor de chama com um pano suave.
B Voltar a colocar o sensor de chama.
8.2
Verificar a estanquidade do gás de aquecimento
Fugas no bloco da caldeira ou na instalação de gases
queimados podem causar erros na medição do teor de
CO2. Devido à entrada adicional de ar no tubo de gases
queimados, o teor de CO2 medido é inferior ao teor
efectivo no próprio gás de aquecimento. Em caso de
falhas de funcionamento ou de resultados insatisfatórios de combustão, deve verificar a medição do teor de
CO2 através do seguinte método.
8.2.1 Determinar o limite de saturação
Normalmente, o queimador é utilizado com excesso
de ar.
Se a quantidade de gasóleo se aproximar da quantidade máxima que ainda pode ser completamente consumida, ocorre um claro aumento nas emissões de CO.
No queimador, este aumento é observável a partir de
um teor de CO2 de 14,8 %. Isto é designado por nível de
saturação.
36
6 720 801 740 (2011/06)
Efectuar trabalhos complementares
Proceda da seguinte forma:
B Aumentar a pressão do gasóleo até serem medidos
valores de CO de 100 ppm – 200 ppm.
B Determinar a concentração do CO2 (limite de saturação influenciado pelo ar suplementar).
Se o limite de saturação, determinado com influência da
entrada de ar, se encontrar abaixo de 14,3 % (desvio
> 0,5 %), existe uma fuga entre o queimador e o ponto
de medição.
B Vedar a fuga.
6 720 801 740 (2011/06)
37
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
9
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
Instale o dispositivo de alimentação de gasóleo, composto pelo depósito e o sistema de tubagens, de modo
a que seja sempre alcançada uma temperatura mínima
do gasóleo de +5 °C no queimador.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Não utilize quaisquer aditivos de gasóleo
de aquecimento com agentes catalisadores de combustão, uma vez que, com este
queimador, estes não melhoram os resultados da combustão.
Parâmetros do dispositivo
de alimentação de gasóleo
Dados
Diâmetro interno preferido das tubagens
de gasóleo
di 4...10
Altura máxima de aspiração
Pressão máxima de alimentação
0,5 bar
Pressão máxima de retorno
1 bar
Resistência máxima de aspiração (vácuo)
tab. 8
9.1
H = 3,50 m
0,4 bar
Dados sobre o dispositivo de alimentação de
gasóleo
Instalar o filtro de gasóleo
B Antes do queimador, instale um filtro de gasóleo.
Para evitar um entupimento do injector recomendamos
a utilização de cartuchos de filtro em plástico sinterizado
(SiKu).
DANOS NA INSTALAÇÃO
Tamanho do bocal gph
Malha de filtragem em µm
0,35 – 0,50
40 no máximo
> 0,6
75 no máximo
tab. 9
Malha de filtragem recomendada
devido ao entupimento do bocal.
CUIDADO!
B Tenha em atenção que, no caso de
bocais com tamanhos inferiores a
0,6 gph, não pode utilizar filtros de
feltro.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Pode obter filtros de gasóleo adequados
como acessórios.
38
6 720 801 740 (2011/06)
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
9.2
Dimensionar as tubagens de
alimentação de gasóleo
O queimador pode ser ligado num sistema de uma via
ou de duas vias. No caso da utilização de um sistema
de uma via, a tubagem de aspiração e o tubo de retorno
são ligados a um filtro de gasóleo de aquecimento com
alimentação de retorno. No filtro de gasóleo com dispositivo de retorno é então instalada uma conduta até ao
depósito de gasóleo.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Na utilização de um sistema de uma via,
recomendamos a instalação de um filtro
de gasóleo com purga automática do ar.
Para determinar o comprimento da tubagem de gasóleo
calculam-se todos os tubos horizontais e verticais,
assim como os tubos curvos e válvulas.
Os comprimentos máximos em metros da tubagem de
aspiração indicados nas tabelas tab. 10 a tab. 13,
página 40 a página 41 são determinados em função da
altura de aspiração e do diâmetro interno do tubo. Durante a fase da concepção, devem ser consideradas as
resistências individuais da válvula de retenção, da torneira de fecho e de quatro tubos curvos, no caso de uma
viscosidade do gasóleo de aprox. 6 cSt.
O comprimento das tubagens deve ser correspondentemente reduzido, no caso da existência de resistências
suplementares devido a válvulas e tubos curvos.
É necessário um grande cuidado para o assentamento
da tubagem do gasóleo. Os diâmetros necessários para
as tubagens dependem da altura estática e do comprimento das tubagens (veja as tabelas nas páginas seguintes).
A tubagem de alimentação de gasóleo deve ser colocada a uma distância útil do queimador, permitindo a ligação das mangueiras flexíveis sem que estes sofram
quaisquer tensões.
Utilize os materiais adequados para as tubagens do gasóleo. No caso das tubagens em cobre, apenas podem
ser utilizadas uniões roscadas metálicas de anel de
compressão com buchas de apoio.
6 720 801 740 (2011/06)
39
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
Sistema de duas vias
Depósito de gasóleo acima da bomba de gasóleo
(fig. 40):
Tamanho do
queimador
em kW
7
18 – 35
8
6
Diâmetro interior
da tubagem
de aspiração,
6
8
10
di em mm
H em m
tab. 10
Comprimento máx. da tubagem
de aspiração em m
0
17
53
100
0,5
19
60
100
1
21
66
100
2
25
79
100
3
29
91
100
4
34
100
100
Dimensionamento – tubagem de alimentação de
gasóleo
5
1
4
3
fig. 40
2
Depósito de gasóleo acima da bomba de gasóleo
Legenda para fig. 40 e fig. 41:
1
Queimador
2
Válvula de retenção
3
Filtro de gasóleo com válvula de corte
4
Válvula de sucção
5
Depósito de gasóleo de aquecimento
6
Válvula do depósito com válvula de fecho rápido
7
Tubagem de aspiração
8
Tubagem de retorno
Sistema de duas vias
Depósito de gasóleo sob a bomba de gasóleo (fig. 41):
Tamanho do
queimador
em kW
Diâmetro interior
da tubagem
de aspiração,
7
18 – 35
1
6
8
10
di em mm
H em m
tab. 11
40
8
6
3
Comprimento máx. da tubagem
de aspiração em m
0
17
53
100
0,5
15
47
100
1
13
41
99
2
9
28
68
3
5
15
37
4
–
–
–
5
fig. 41
2
4
Depósito de gasóleo sob a bomba de gasóleo
Dimensionamento – tubagem de alimentação de
gasóleo
6 720 801 740 (2011/06)
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
Sistema de uma via,
filtro de gasóleo de aquecimento com alimentação
de retorno
Depósito de gasóleo acima da bomba de gasóleo
(fig. 42):
6
Tamanho do
queimador
em kW
Diâmetro interior
da tubagem
de aspiração,
di em mm
H em m
tab. 12
18 – 30
4
35
6
4
6
5
4
Comprimento máx. da tubagem
de aspiração em m
0
52
100
26
100
0,5
56
100
28
100
1
58
100
30
100
2
62
100
37
100
3
75
100
37
100
4
87
100
52
100
Dimensionamento – tubagem de alimentação de
gasóleo
1
3
2
fig. 42
Depósito de gasóleo acima da bomba de gasóleo
Legenda para fig. 42 e fig. 43:
1
Queimador
2
Filtro de gasóleo com válvula de corte
3
Tubagem de aspiração
4
Válvula de sucção
5
Depósito de gasóleo de aquecimento
6
Válvula do depósito com válvula de fecho rápido
Sistema de uma via,
filtro de gasóleo de aquecimento com alimentação
de retorno
Depósito de gasóleo sob a bomba de gasóleo (fig. 43):
6
Tamanho do
queimador
em kW
Diâmetro interior
da tubagem
de aspiração,
di em mm
H em m
tab. 13
18 – 30
4
35
6
4
1
6
5
3
2
4
Comprimento máx. da tubagem
de aspiração em m
0
52
100
26
100
0,5
46
100
23
100
1
40
100
20
100
2
27
100
14
69
3
15
75
7
37
4
–
–
–
–
fig. 43
Depósito de gasóleo sob a bomba de gasóleo
Dimensionamento – tubagem de alimentação
de gasóleo
6 720 801 740 (2011/06)
41
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
9.3
Verificação do vácuo
O vácuo máximo (subpressão) de –0,4 bar (medido no
bocal de aspiração da bomba de gasóleo ou na tubagem de aspiração directamente antes da bomba) não
pode ser ultrapassado, independentemente do nível de
enchimento do depósito de gasóleo.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
O vácuo deve ser medido com um vacuómetro, incluindo uma mangueira transparente (acessório) com 1 metro de
comprimento, de modo a verificar simultaneamente a estanquidade do dispositivo
de alimentação de gasóleo.
O vácuo máximo permitido depende do dispositivo de
alimentação de gasóleo e do nível de enchimento do depósito de gasóleo.
Consulte os valores permitidos para o estado actual do
sistema nas tabelas 14 a 17. Para o efeito, determine
o comprimento simples da tubagem de gasóleo e a diferencia em altura "h" entre a bomba de gasóleo e o nível
de enchimento do depósito (ver fig. 40 e 43, página 40
e página 41).
Se o vácuo for ultrapassado, devem ser verificadas
as seguintes causas possíveis:
– Mangueiras de ligação do gasóleo dobradas ou danificadas.
– Filtro de gasóleo demasiado sujo.
– Válvula de corte do filtro de gasóleo insuficientemente aberta ou suja.
– Uma ou várias partes da instalação (por ex. pontos
de vedação, uniões roscadas de anel de compressão, tubagens do gasóleo, válvula de ligação do filtro
do gasóleo, depósito do gasóleo) estão demasiado
comprimidas devido a um possível erro de montagem (binário demasiado elevado).
– Válvula de fecho rápido no acessório do depósito
suja ou avariada.
– A mangueira de aspiração no depósito está porosa,
o tubo de plástico encolhe devido à deterioração.
– A válvula de aspiração no depósito está suja ou
"cola" devido ao vácuo de aspiração excessivo.
Di em mm
Comprimento
máx.
10
8
20
40
10
10
20
40
Tubagem
de gasóleo
em m
h em m
0
0,5
1
2
3
4
Vácuo máx. (subpressão) em bar
0,16 0,17 0,18 0,13 0,15 0,16
0,12 0,13 0,14 0,09 0,11 0,12
0,07 0,08 0,09 0,04 0,06 0,07
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
tab. 14 Sistema de duas vias – depósito de gasóleo acima
da bomba de gasóleo
Di em mm
Comprimento
máx.
10
8
20
40
10
10
20
40
Tubagem
de gasóleo
em m
h em m
0
0,5
1
2
3
Vácuo máx. (subpressão) em bar
0,16 0,17 0,18 0,13 0,15 0,16
0,20 0,21 0,22 0,17 0,19 0,20
0,25 0,26 0,27 0,22 0,24 0,25
0,34 0,35
–
0,31 0,33
–
0,43
–
–
0,40 0,41
–
tab. 15 Sistema de duas vias – depósito de gasóleo sob
a bomba de gasóleo
Di em mm
Comprimento
máx.
Tubagem
de gasóleo
em m
h em m
0
0,5
1
2
3
4
10
6
20
40
10
8
20
40
Vácuo máx. (subpressão) em bar
0,08 0,09 0,10 0,07 0,08 0,09
0,04 0,05 0,06 0,03 0,04 0,05
0
0
0,01
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
tab. 16 Sistema de uma via – depósito de gasóleo acima
da bomba de gasóleo
Di em mm
Comprimento
máx.
Tubagem
de gasóleo
em m
h em m
0
0,5
1
2
3
10
6
20
40
10
8
20
40
Vácuo máx. (subpressão) em bar
0,08 0,09 0,10 0,07 0,08 0,09
0,12 0,13 0,14 0,11 0,12 0,13
0,17 0,18 0,19 0,16 0,17 0,18
0,26 0,27 0,28 0,25 0,26 0,27
0,35 0,36 0,37 0,34 0,35 0,36
tab. 17 Sistema de uma via – depósito de gasóleo sob
a bomba de gasóleo
42
6 720 801 740 (2011/06)
Instalar o dispositivo de alimentação de gasóleo
9.4
Verificar a estanquidade da tubagem
de aspiração
Pode medir a estanquidade da tubagem de aspiração
com um vacuómetro e uma mangueira transparente
com 1 m de comprimento da = 12 mm (acessórios).
A
B Montar a mangueira transparente (fig. 44, [1) na
tubagem de aspiração atrás do filtro de gasóleo
(fig. 44, [2]).
B Formar um laço com a mangueira transparente
e prender conforme indicado (fig. 44).
B
B Ligar o queimador e deixar funcionar durante, pelo
menos, três minutos.
1
B Desligar o queimador.
B Efectuar um controlo visual da quantidade de ar
acumulada (fig. 44, lupa A e B).
Caso se tenha acumulado apenas uma pequena quantidade de ar no ponto mais alto do laço (fig. 44, lupa A),
a tubagem de gasóleo está suficientemente vedada.
No caso da existência de grandes bolhas de ar (fig. 44,
lupa B), a tubagem de aspiração e/ou as ligações têm
uma fuga.
9.5
2
fig. 44
Verificar a estanquidade da tubagem de aspiração
1
Mangueira transparente
2
Filtro de gasóleo
Válvula anti-sifão
No caso da utilização de uma válvula anti-sifão controlada por vácuo (por ex. válvula de membrana ou de êmbolo), há um aumento da subpressão de sucção na
bomba do queimador a gasóleo. Por isso, muitas vezes
não é possível manter o limite de 0,4 bar.
Por este motivo, recomendamos a aplicação de válvulas
anti-sifão electromagnéticas (desligadas da corrente).
Para a ligação eléctrica, está disponível o respectivo
adaptador, como acessório.
6 720 801 740 (2011/06)
43
Resolução de avarias do queimador
10 Resolução de avarias do queimador
10.1 Diagnóstico de erros e de avarias
No seguinte capítulo, é descrita com a ajuda de tabelas
a resolução de erros e avarias através da utilização dos
códigos de erro do dispositivo automático de combustão
SAFe, assim como com a ajuda dos códigos de assistência e de erro do sistema de regulação Logamatic
EMS (Energie Management System).
A caldeira de aquecimento Suprapur-O KUB 18...35
está equipada com um EMS, composto pelo dispositivo
automático digital de combustão, pelo módulo de identificação do queimador (Brenner-Identifikations-Modul)
BIM, pelo aparelho de regulação MC10/MX15 e pelo
controlador básico BC15. Opcionalmente podem ser
aplicadas unidades de operação como p. ex. RC10,
RC20, RC30, RC35 e os diversos módulos de função.
Através dos sensores ligados, o EMS monitoriza constantemente o estado da caldeira de aquecimento e da
instalação de aquecimento. No caso de um desvio do
estado nominal, este gera uma mensagem de erro ou
de manutenção. No caso de desvios relevantes para a
segurança, conforme a gravidade da avaria, é accionada uma desactivação de segurança/avaria de corte ou
de bloqueio do dispositivo automático de combustão.
Diferentes códigos de assistência e de erro facilitam-lhe
a localização de erros.
INDICAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Pode encontrar uma descrição dos
códigos de assistência e de erro com
as respectivas medidas de resolução na
documentação técnica do MC10/MX15
e BC15.
B Se existir um erro de corte, deve verificar, em primeiro lugar, ao premir a tecla "reset", se o erro se repete.
44
6 720 801 740 (2011/06)
Resolução de avarias do queimador
10.2 Avarias – eliminar causas
Avaria
Causa
Resolução
Valor de CO2
demasiado elevado
(>14 %).
Nível de pressão do ventilador demasiado
baixo.
Aumentar a pressão do ventilador (ver capítulo 4 "Dados
técnicos e conteúdo do fornecimento", página 8).
Débito de gasóleo demasiado elevado.
Reduzir a pressão de gasóleo (ver capítulo 4 "Dados
técnicos e conteúdo do fornecimento", página 8).
Verificar o sistema de mistura.
Sala de máquinas com ventilação
insuficiente ou conduta de alimentação de
ar obstruída.
Falta de ar, assegurar a ventilação.
Verificar a conduta de alimentação de ar.
Queimador sujo.
Limpar o queimador, incluindo a turbina do ventilador.
Equipamento incorrecto com bocais.
Substituir o bocal.
Bocal avariado.
Substituir o bocal.
Sistema de mistura errado.
Substituir o sistema de mistura.
Valor de CO2
demasiado reduzido
(< 13,5 %).
O queimador arranca,
o visor de nível de
gasóleo do filtro de
gasóleo fica vazio.
tab. 18
Pressão do ventilador demasiado elevada. Reduzir a pressão do ventilador (ver capítulo 4 "Dados
técnicos e conteúdo do fornecimento", página 8).
Débito de gasóleo demasiado reduzido.
Aumentar a pressão de gasóleo (ver capítulo 4 "Dados
técnicos e conteúdo do fornecimento", página 8).
Ar parasita.
Apertar novamente os parafusos de fixação da porta do
queimador com uma ferramenta. Verificar a estanquidade
do tubo de gases queimados (ver capítulo 8.2 "Verificar a
estanquidade do gás de aquecimento", página 36).
Vedação entre o tubo do queimador e
o sistema de mistura não em condições.
Instalar uma nova vedação.
Sistema de mistura errado.
Verificar o sistema de mistura.
Equipamento incorrecto com bocais.
Substituir o bocal.
Bocal avariado.
Substituir o bocal.
Filtro do bocal com sujidade.
Substituir o bocal.
Ligação errada na primeira colocação em
funcionamento.
Verificar a ligação correcta da mangueira de gasóleo.
A tubagem de gasóleo não foi enchida
antes da colocação em funcionamento.
Irá demorar alguns minutos até o gasóleo
ser aspirado.
Purgar a tubagem de gasóleo (ver capítulo 6.2 "Verificar e ligar o dispositivo de alimentação de gasóleo", página 16).
Gasóleo de aquecimento no depósito
de gasóleo?
Abrir a válvula na conduta de sucção?
Verificar a indicação de nível do depósito de gasóleo e
a válvula na tubagem de aspiração.
Sentido de fluxo errado da válvula de
retenção.
Verificar o sentido do fluxo da válvula de retenção.
Acoplamento entre o motor e a bomba de
gasóleo avariado.
Substituir o acoplamento.
Tubagem de aspiração com fugas ou
vácuo muito alto. Tubagem de gasóleo
comprimida.
Verificar a tubagem de gasóleo (ver capítulo 9.4 "Verificar a
estanquidade da tubagem de aspiração", página 43).
Válvula separada, por ex. válvula do
depósito externo, ligada.
Abrir a respectiva válvula. Verificar a colocação da tubagem
de gasóleo.
Tabela de falhas
6 720 801 740 (2011/06)
45
Resolução de avarias do queimador
Avaria
Causa
Resolução
Deflagração ou o
queimador efectua um
arranque "duro".
Distribuição incorrecta dos eléctrodos de
ignição.
Verificar e, se necessário, substituir os eléctrodos de
ignição.
Atenção: Devido a repetidas tentativas de arranque, podem
formar-se vapores de gasóleo que provocam deflagrações.
Pressão de gasóleo demasiado reduzida.
Corrigir a pressão de gasóleo.
Bocal avariado.
Substituir o bocal.
Fugas entre a bomba de gasóleo, o tubo
de gasóleo, o pré-aquecedor de gasóleo
e o bocal.
Verificar a estanquidade.
Pulverização por inércia do bocal, por isso, Válvula magnética não fecha. Substituir a bomba de
vapores de gasóleo não controlados.
gasóleo.
Ar no suporte do bocal.
Verificar todos os pontos estanques no sistema de tubagens
de gasóleo.
Limitador de tensão bloqueado na posição Verificar o limitador de tensão.
aberta, por isso, relações de tensão
desfavoráveis.
Válvula magnética não abre correctamente. Verificar e, se necessário, substituir a bobina.
Bocal sujo,
sedimentação de
fuligem no
sistema misturador.
Bocal avariado.
Substituir o bocal.
Pressão de gasóleo demasiado elevada.
Corrigir a pressão de gasóleo.
Bocal errado.
Verificar e (ver capítulo 4.3 "Valores de ajuste e injectores",
página 9), se necessário, substituir o bocal.
Sistema de mistura errado.
Verificar e, se necessário, substituir o sistema de mistura
(ver capítulo 4.1 "Tipos de queimador", página 8).
Sistema de mistura sujo.
Limpar e, se necessário, substituir o sistema de mistura.
Posição de ignição errada.
Verificar e, se necessário, substituir os eléctrodos de ignição
(ver capítulo 4.1 "Tipos de queimador", página 8).
Fugas entre o bocal e o pré-aquecedor de
gasóleo.
Limpar cuidadosamente e, se necessário, substituir
o injector e o pré-aquecedor de óleo (verificar a superfície
de vedação).
Pressão de gasóleo oscilante devido
à entrada de bolhas de ar.
Purgar a tubagem de gasóleo.
Pressão errada da câmara de combustão.
Verificar as relações de tensão e, se necessário,
reajustar o limitador de tensão.
Vedação entre o sistema de mistura
e o tubo do queimador com defeito.
Verificar e, se necessário, substituir a vedação.
Válvula de regulação da pressão avariada. Substituir a bomba de gasóleo.
Pulverização ou
combustão por inércia
após desactivação do
queimador.
tab. 18
46
Purga insuficiente das tubagens de
gasóleo.
Purgar a tubagem de gasóleo (ver capítulo 6.3 "Purgar a
tubagem de gasóleo", página 17).
Tubagem de aspiração de gasóleo com
fugas, causando aspiração de ar. Ar no
suporte do bocal.
Verificar todos os pontos de vedação no sistema de
tubagens de gasóleo.
Tabela de falhas
6 720 801 740 (2011/06)
Índice remissivo
11 Índice remissivo
A
T
Aditivos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Aumentar a pressão . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Avarias (queimador) . . . . . . . . . . . . . . 45, 46
B
Bomba de gasóleo . . . . . . . . . . . . . . . .7, 22
Botão de eliminação de avarias . . . . . . . . 14, 19
Teor de CO . . . . . . . . . . . . . .
Teor de CO2 . . . . . . . . . . . . .
Tubagem de gasóleo . . . . . . . . .
Tubagens de alimentação de gasóleo
Tubo do queimador . . . . . . . . .
Turbina do ventilador . . . . . . . . .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. . . 22
. . . 22
. 17, 43
. . . 39
. . . .7
. . . 28
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
V
C
Colocação em funcionamento . . . . . . . . . . . 16
Corrente do sensor . . . . . . . . . . . . . . . . 36
D
Dados técnicos . . . . . . . . . . . .
Diminuir a pressão . . . . . . . . . . .
Dispositivo automático de combustão .
Dispositivo de alimentação de gasóleo
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. .
. .
. .
16,
.8
22
13
38
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
44
.9
14
43
36
.
.
.
.
.
.
.
.
16
27
38
.7
Vácuo . . . . . .
Valores de ajuste .
Válvula anti-sifão .
Válvula de fecho .
Vela de ignição . .
Ventilador . . . .
Verificar a vedação
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. . 42
. . .9
. . 43
. . 31
8, 29
7, 28
. . 32
E
EMS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Equipamento com bocais . . . . . . . . . . .
Estado de operação . . . . . . . . . . . . . .
Estanquidade da tubagem de aspiração . . .
Estanquidade do lado do gás de aquecimento
F
Fichas eléctricas . . . . . .
Filtro da bomba de gasóleo
Filtro de gasóleo . . . . . .
Função . . . . . . . . . . .
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
I
Índice de fuligem . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Inspecção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
L
Ligação de gasóleo . . . . . . . . . . . . . . . . 16
Limite de saturação . . . . . . . . . . . . . . . . 36
M
Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Motor do queimador . . . . . . . . . . . . . . .7, 26
P
Parafusos da porta do queimador .
Posição de assistência técnica . .
Pré-aquecedor de gasóleo . . . . .
Pressão de distribuição da chaminé
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
19,
. .
. .
. .
32
29
31
23
R
Registar os valores de medição . . . . . . . . 21, 26
S
SAFe . . . . . . . . . . . . . .
Sensor de chama . . . . . . .
Sistema de duas vias . . . . .
Sistema de mistura . . . . . .
Sistema de uma via . . . . . .
Sonda de medição . . . . . . .
Substituir o bocal . . . . . . .
Substituir o tubo do queimador
6 720 801 740 (2011/06)
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
. . . . . .
7, 24, 33,
. . . . . .
. . . 8, 9,
. . . . . .
. . . . . .
. . . . . .
. . . . . .
19
36
40
30
41
21
30
31
47
www.junkers.pt
Tel: 21 850 00 98
Fax: 21 850 0161
Bosch Termotecnologia, SA
Av. Infante D. Henrique,
lotes 2E-3E
1800-220 Lisboa

Documentos relacionados