A maior MENTIRA - Alfredo Bernacchi

Сomentários

Transcrição

A maior MENTIRA - Alfredo Bernacchi
1.
Deus???
Jesus???
A maior MENTIRA !!!
Por: Alfredo Bernacchi
Revisão zero. 25/12/2008
Revisão 1 – Inclusão da pesquisa da Pág 54 – 27/12/08
Revisão 2 – Complemento da pesquisa, e pequenas inserções - 02/01/2009
Revisão 3 – Correção de erros técnicos que repetiram parágrafos- 06/01/09
Revisão 4 – Adaptação à nova ortografia, diminuição do tamanho das fotos, correções,
inserções e numeração de páginas. 20/01/09
Revisão 5 – Revisão de texto. Inclusão de maior quant. deuses da mitologia.
Revisão 6 – Revisão de texto. Inserções p melhorar compreensão. 09/12/09
Revisão 7 – Intensa. Novos capítulos. Cronologia do Cristianismo. 10/06/2010
Revisão 8 – Capítulo 37 - Com ou sem Jesus qual a diferença?
Revisão 9 – Inclusão da lista de ateus famosos. 16/08/11
2.
Preâmbulo
Sabe, leitor... Quando eu me propus escrever mais esse livro, o sétimo sobre esse assunto,
foi com a convicção de que será o último. A minha última contribuição à humanidade. Digo isso de
boca cheia. Eu sei do valor dessa contribuição, que você hoje pode até não imaginar, e o efeito que
terá para o futuro do ser humano. Mas chega, porque eu estou cansado.
É que o Brasil é um país de 3º mundo, muito atrasado social e culturalmente, mesmo no
interior das grandes cidades, e será um dos últimos a se livrar dessa praga que é o misticismo da
religião (deve perder só para a África). Mas no futuro, irão lembrar-se desse autor, que tanto batalhou
para livrar o povo ignorante, dessa triste realidade.
Eu vejo a Religião como uma coisa fortemente negativa e dissimulada, mas entender isso
com profundidade tem que prestar bem atenção, observar os detalhes que eu vou explicar, estudar as
causas e efeitos que ela causa na humanidade desde as maiores guerras no mundo como a degradação
mental do ser mais sublime e poderoso do Universo conhecido. O Homem!
Caro leitor, eu não sei quem você é. Posso apenas imaginar que pessoas de todos os tipos,
credos, inteligência e cultura, estarão lendo essas palavras. Aqueles que entram para aprender,
entram na leitura por curiosidade, entram para tirar dúvidas, ou entram apenas para procurar erros e
falhas do autor e criticar mais adiante. Isso é mais comum do que se pensa. Imagine que, de livros
anteriores, houve quem criticasse até a forma de eu me expressar, quando não tinha alcance para
entender nem isso – eu escrevo para o povo, sem exceção, para que todos me entendam. Importante
pra mim é aquilo que eu transmito e se quem lê está entendendo corretamente, não se a técnica
literária está de acordo com os padrões da ABL, porque pra mim o Português escrito é arcaico e
burro.
Por isso, eu vou me dirigir, especialmente, a uma pessoa imaginária que seja religiosa e
precise de uma força, para sair dessa lixeira e encarar a verdade. Pode ser você.
Neste livro eu vou soltar o verbo, sem cerimônia. Dizer o que eu penso sem eufemismos.
Não se surpreenda. Eu já reli e tem uns termos meio pesados por aí. Você precisa entender, não só a
minha ideia como a minha revolta ou indignação, a emoção, a autenticidade com que eu escrevo
essas coisas. Se alguma coisa for mal, dê um desconto. Se você entendeu, vamos em frente.
A divisão em capítulos serve apenas para uma parada e um cafezinho, porque o texto é
corrido e direto. E é todo meu.
Capítulo 1
Eu convido você a me acompanhar nesse raciocínio complexo, prestar bem atenção e ir
somando os fatos, porque a conclusão virá justamente daí, porque a “armação” é grande e muito
esperta!
Você sabe que religião é coisa antiga. E não nasceu da noite para o dia. Pessoas inteligentes
(voltadas para o mal) viveram de explorar os menos capazes em todas as sociedades do mundo e os
da nossa era, os católicos, depuraram esse sistema durante milênios, desde os menores pontos
observados, os controvertidos, aqueles que poderiam ter uma interpretação desfavorável, até que se
chegou a um dogma quase perfeito e o chamaram de Bíblia. Até os erros encontrados hoje, erros de
concepção, foram propositalmente deixados para tornar a fábula mais espontânea, casual, verídica. A
3.
mistura de fatos verdadeiros com a estória contada sobre Jesus foi ardilosamente preparada por
séculos, ali em cima, corrigindo, modificando, ajeitando, aperfeiçoando, por milhares de anos até
chegar aonde chegou.
Só houve um problema: A humanidade evoluiu mais do que eles imaginavam, porque
pararam no século XVI, quando a Bíblia começou a ser dada a conhecimento do povo, com a
Reforma Protestante. A ciência evoluiu, e a Bíblia não pode mais ser modificada (pelo menos assim,
descaradamente). Portanto a fábula caiu na própria contradição. O que estava mal escrito, ficou
escrito.
Antigamente, o homem ignorante aceitava muitas mentiras, como bruxas, duendes, varinhas
mágicas, caminhar sobre as águas, por exemplo, ou mesmo, ressuscitar, mas hoje em dia, vai, cada
vez mais, ficando difícil do cidadão inteligente engolir essas abobrinhas.
Vejam como exemplo: João Batista existiu. A História dele está disponível nos anais de
Roma. Sua interação com Herodes, as críticas ao casamento dele e a cabeça de João decapitada.
Estão lá para quem quiser ver. Mas, quem disse que João Batista conheceu um tal de Jesus Cristo e o
batizou??? De onde tiraram isso? Ha!... Está na Bíblia!... Mas só na Bíblia!... - anote isso - E em
mais lugar nenhum! João Batista morreu no ano 27, depois de 10 meses preso. Jesus ainda iria
aparecer no ano 30! Como pode ter batizado Jesus?
Repararam na esperteza de quem elaborou essa mescla de fatos! Com uma parte verdade,
empurram a parte falsa no contexto, querendo dar credibilidade ao todo. Essa artimanha é a base do
Novo Testamento. Some a isso o fato deste livro ter sido escrito justificando as “profecias” do Velho
Testamento. Mais uma vez uma mentira justificando a outra, tentando dar veracidade à outra.
Mesma coisa foi a estória de Herodes e a matança das criancinhas. Herodes existiu. Era um
homem mau, perverso. Matou a própria mulher e os seus dois filhos. Então, aproveitaram essa má
índole de Herodes e escreveram que ele matou não sei quantas criancinhas em busca do tal menino
Jesus. Escreveram e assim ficou escrito. Sabem aonde? Na Bíblia! E só na Bíblia!... – anote isso
também – Mas tem até cadáver de criancinha exposto na Igreja Católica!
Nota: Essa estória é uma réplica perfeita do messias indiano Krishna, cultuado 3.500 anos
antes. Leia: “Sinto muito, mas Jesus Cristo não existiu” de minha autoria. Vou deixar a cópia de um
trecho, no final desse livro.
Chato é que Herodes era uma pessoa importante, e naquela época já havia escrita. Não
consta dos anais de Roma essa estória descabida. Não consta de lugar nenhum. E mais chato ainda é
que Herodes tinha um biógrafo particular. De onde você acha que saiu o conhecimento dessa
mentalidade perversa de Herodes? Da sua própria biografia!... Mas lá também não se fala de nenhum
Jesus, e muito menos de morte de criancinhas! E agora?!... Como é que fica? Como é que você vai
entender isso?
Esses são alguns exemplos do azar que deu a Religião Católica. Não pode mais modificar
essas mentiras e abrandar a falta de credibilidade da Bíblia, porque existem bilhões de cópias por aí.
Naquela época, sequer tinha-se conhecimento da existência desses documentos, que omitem fatos de
suma importância narrados na Bíblia. Então, a “palavra de deus” foi ficando mentirosa!...
Outra coisa importante foi o desenvolvimento do computador. Com isso, podem-se observar
as contradições da Bíblia. Chegam a duas mil!... Isso só foi possível descobrir, com a ajuda da
informática e a sua alta velocidade de busca. O jeito para eles agora é negar e inventar um monte de
4.
desculpas, mas não adianta. Se o cara quiser encontrar, é só procurar. Parece que a “palavra de deus”
ficou contraditória também.
Ora, nenhum raciocínio se dá de forma isolada. Quando você soma tudo isso à contradição
entre os livros canônicos e os livros apócrifos; a mesma estória de Jesus ser semelhante à de outros
mitos de 500 e 3.500 anos atrás; à falta de notações históricas literárias sobre o tal Jesus, numa época
que já havia escritores aos montes e escrita abundante; às coisas absurdas e inverossímeis contadas
na Bíblia; e ao fato de que religião é a maior fonte de renda do mundo, você, ao menos, tem
obrigação de desconfiar. Foi o que eu fiz. Comecei a desconfiar.
A Inexistência de Deus eu concluí primeiro (por incrível que pareça). Todos acreditavam
num deus, mas não havia uma uniformidade nas crenças. Cada um imaginava (sim, imaginava) um
deus à sua maneira, e ainda existiam outros deuses de outras religiões fortes, como o islamismo, o
hinduísmo e o budismo, que mudavam tudo, mais uma vez. Ora, deu pra desconfiar. E depois, eu tive
experiências próprias que me facilitaram essa conclusão. Eu era um rapaz que buscava a deus,
conforme me diziam que existia. Tentava encontrá-lo para comparar com tudo o que eu sabia a seu
respeito. Em princípio, havia o contraditório. Nada do que diziam se alinhava com a realidade que eu
estava observando. Por outro lado, havia o medo de criticar e errar, e prejudicar a mim e a minha
família que pegaria as sobras da minha punição. Já imaginou se eu levo um raio na cabeça? Era bom
que eu tivesse certeza do que estava fazendo. Mas aconteceu. A coragem para esse enfrentamento,
esse teste que mostraria a verdade, acabou acontecendo. E aconteceu sabe o quê? NADA... Aí eu
comecei a dar risadas... De mim mesmo. Do ridículo pelo qual passei, durante mais de 50 anos,
acreditando nesta merda de mentira! Cada vez mais eu ganhava convicção e acabei foi me
envergonhando. Como é que pode?... Um sujeito inteligente, esclarecido, acreditar em tanta
bobagem, durante tanto tempo!... E ainda tentar convencer os outros da mesma estupidez?!...
)(*(#%$*£!!!(palavrão pesado!)
Quando jovem, frequentava igrejas e era um cara ingênuo, ainda acreditando nas pessoas,
na sinceridade das pessoas, na “verdade” que eles apresentavam, porque assim fui educado. No final
foi só decepção.
Na verdade, sofri muitas decepções, com tudo, de uma forma generalizada. Com as pessoas,
com a instituição, com a falsidade (eles enganam, fingem para tomar o seu dinheiro). Nem é pelo
dinheiro, mas pela sensação de tentarem te fazer de bobo. Também me decepcionei com a Bíblia,
com o tal Jesus e, principalmente, com o tal deus (inoperante, ausente, injusto, ou seja, para encurtar
a conversa, um nada).
Repare: No auge da minha crença, eu vivia arranjando desculpas para deus. Por exemplo:
Eu vivia uma vida difícil financeiramente, era sério e honesto, trabalhava e trabalhava, e não tinha
nada, quantas vezes nem emprego, nem dinheiro. E eu perguntava, afinal, qual era a de deus? Eu via
pessoas ricas e felizes à minha volta, que sequer pisavam numa igreja, e eu, nada!...
Então eu procurava entender a deus e pensava: Poxa!... Deus me condenou a essa miséria,
mas eu tenho quatro filhos lindos e saudáveis (havia acabado de nascer o meu caçula). Eu não os
trocaria por nenhum caminhão de diamantes!... Então eu já era muito rico e isso me consolava. Pois
foi aí que o meu segundo filho morreu assassinado num assalto. - Ora porra!... Filho da puta de deus
do caralho!... Essa porra não existe!... - Essa foi a minha reação. (desculpe os palavrões, mas é para
você me entender). A partir daí, eu comecei a desafiar a deus. Desafiar mesmo!... Não me importava
mais ir para o inferno ou não. Eu desafiava pra valer!... E a resposta foi como eu já suspeitava:
NENHUMA! Nunca! Nada! Nenhuma!... Então, parei e comecei a raciocinar sob a hipótese de não
existir nenhum Deus... Foi então, eu percebi que todas as coisas se encaixaram. A explicação de tudo
5.
que havia acontecido na minha vida e o que eu via por aí surgia com facilidade e muita lógica. Então
eu concluí que fora enganado por toda a minha vida, a partir da minha própria mãe. Uma
palhaçada!... Não existe deus porra nenhuma!... Tudo mentira!... MENTIRA!... Fiquei muito puto da
vida! Roxo de raiva!... Sacaneado por 50 anos!... Enganado por aqueles engravatados, que ridículo!...
Eu confiava naquela cambada! Cachorros! Miseráveis! Eu cansei de mentir aos meus amigos
convencendo-os a acreditar nessa coisa que não existia!!! Que raiva!!! Que ódio de mim mesmo!...
Que vergonha! Como eu não pensei nisso antes?!... Como fui tão estúpido de nunca haver
desconfiado disso?!... Quais foram os F da P. que me enganaram?!... (a minha própria mãe!... na
melhor das intenções. Coitada!... - Essa não conta. Foi outra vítima)
Então comecei a estudar sobre isso, pesquisar a fundo e finalmente escrevi o meu primeiro
livro, "Ateu Graças a Deus", contando todas essas mazelas da religião (está disponível e é grátis) e
me tornei ateu assumido.
Espero que você não precise passar por tudo isso que eu passei, para chegar ao mesmo lugar
que eu cheguei. Pra isso estou oferecendo a minha própria vida como exemplo. Será que vai ajudar
você a entender isso?
Capítulo 2
Agora vejam essa: Algumas vezes, na internet, pessoas me diziam que Jesus Cristo não
havia existido. No início achei o maior absurdo!... Mas com o tempo resolvi tirar isso a limpo...
Quase chorei de raiva! Quando concluí que era tudo mentira também!... Cacete!... MIL
PALAVRÕES!!! Outro engano!... Outra mentira!... Que palhaçada! Não é possível!!! Não é
possível!!! (Não tenho mais palavras, porque daí pra frente é só palavrão). Eu sou um indignado!...
Um revoltado!... Mas que gentalha sem-vergonha! Safados!
Eu me vingo de tudo isso, hoje, contando a verdade pra todo mundo que essa coisa é um
mito, RIDÍCULO!...
E então, no ano seguinte, escrevi o meu segundo livro. "Sinto muito, mas Jesus Cristo não
existiu", com pena dos meus amigos que acreditavam nisso, como aconteceu comigo. E distribuía
ambos, de graça por aí. E é por isso que eu distribuo os meus livros gratuitamente. Por ódio dessa
gentalha!
Depois vieram os outros livros. Esse é o sétimo. O último.
Hoje estou por aí, me redimindo de todas as vezes que com a minha influência,
involuntariamente, enganei as pessoas que confiavam em mim. Também fui um F da P. mentiroso!
Mas acho que já paguei a minha pena.
Agora, sabe o que eu faço? Debato na Internet e escrevo livros. Uma espécie de desforra por
tudo isso que me aconteceu. E no fundo também estou ajudando a outros cidadãos inteligentes e
esclarecidos a dar o ponta-pé inicial nessa libertação da mentira. Faço isso com prazer. E não faço
mais porque não tenho tempo.
Não fosse esse notebook que eu comprei nem poderia mais estar escrevendo livro algum.
Estou num barracão de obra, aberto, com vento frio, ou dentro de uma barraca de camping. Muito
improvisado e cheio de coisas pra fazer. Mas, como esse livro já estava praticamente todo
manuscrito, só faltava digitar e revisar, aqui está.
Estou ensinando você a viver na verdade (doa ou não). Pé no chão. Assim você será mais
capaz. Estamos sozinhos no Universo conhecido e somos os seres mais poderosos que existe nele. O
resto é fantasia que leva a nada. ETs estão lá na galáxia deles.
6.
Pessoas relutantes, inconformadas com a quebra dessa ilusão, ainda tentam recriar novos
deuses em suas mentes, porque não se conformam que não haja nenhum e estejam sozinhos na vida.
Mais uma vez, espertos aparecem para dar uma forcinha. “Deus é força misteriosa”, “Deus é cabala”,
e tantas seitas aparecem dividindo a receita $ desse povão. Vez em quando, um monte deles se
suicida por aí.
Então, cuidado. Acredite em você! Não vá pela cabeça dos outros.
Não acredite em
mim. Confira você mesmo. Busque no Google. Estude bastante! R A C I O C I N E! – Não banque o
bobo que nem eu. Use a inteligência que você tem para avaliar tudo isso. É só o que eu te peço.
Capítulo 3
Saiba que no mundo, bilhões pensam de um jeito e bilhões pensam de outro jeito e mais
bilhões pensam ainda diferente. No total são 6 bilhões que pensam diferente, uns dos outros.
Portanto, pense por você mesmo. Não esqueça também que estamos no Brasil, um país de tradição
cristã, pela sua própria história (fomos colonizados pelos cristãos portugueses). Se tivéssemos sido
invadidos por vikings, hoje acreditaríamos em Odim. Se você tivesse nascido na China tudo seria
diferente. Se fosse na Índia, você adoraria vacas. Nascido no Japão, diferente! Pense nisso. Entenda
isso! Você é circunstancialmente cristão. Por acaso! E ainda bem: Nas “arábias”, você estaria com
dinamite na cintura aguardando a hora de ir para o paraíso de virgens perenes e muito mel...
Espero que, o que eu estou escrevendo não seja difícil de entender. Você acredita nessas
bobagens religiosas porque te ensinaram assim! Foi a informação que te passaram! Quem passou?
Pessoas equivocadas, da mesma forma enganadas pelos espertos vigaristas que vivem disso.
Quando eu digo que religião dá prejuízos incalculáveis, não estou referindo-me à sua
contribuição espontânea em dinheiro, que você foi induzido a deixar “para deus” na igreja. Mas aos
prejuízos psicológicos paralelos que o fanatismo é capaz de provocar, em simples atos que passam
despercebidos pelos que são escravos mentais de padres e pastores. (etc). Aí é onde estão os maiores
prejuízos do ser humano. Na sua vida. No seu modo de conviver com a sua sociedade e consigo
mesmo!
Por exemplo:
Conheço um cara crente que trabalha como segurança de uma grande empresa. Pois bem...
Ele passa o dia todo lendo a Bíblia! Sabe o que ele lê? Isso aqui, por exemplo - aleatório:
“Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim e os sacerdotes, e
os levitas, todos aqueles cujo espírito Deus despertara, para subirem a edificar a casa do Senhor,
que está em Jerusalém”.
“Dou graças a Deus, a quem desde os meus antepassados sirvo com uma consciência pura,
de que sem cessar faço menção de ti em minhas súplicas de noite e de dia; e, recordando-me das
tuas lágrimas, desejo muito ver-te, para me encher de gozo”.
É isso que ele lê. Coisas esparsas, sem sentido. Uma ladainha crônica, repetitiva escrita por
apatetados, de 3 a 5 mil anos atrás. E vive procurando tirar daí alguma coisa boa para a sua vida.
(???)
Quando ele poderia estar usando o mesmo tempo para estudar, para melhorar o seu nível de
escolaridade, almejar um melhor cargo para garantir o seu progresso e o sustento da sua família! E
não essa bobeira sem sentido, que leva a nada, salvo ao próprio fanatismo, alimentando um círculo
7.
vicioso de alienação mental. Nem a história de Israel significa alguma coisa para esse povo ignorante
que lê a Bíblia. Mora no Brasil, não sabe a história do Brasil e fica cultuando Israel. O que ele espera
com isso? Não sei. Nem ele mesmo sabe... Mas foi convencido de que a solução da vida dele está ali,
que lendo a Bíblia vai pro céu. Fazer o quê, né?... Quer ir pro céu!... Afff!!!...
É bom saber que o Deus de Moisés, esse mesmo que os brasileiros acreditam, foi inventado
em Israel e por isso a história de Israel vem a tira-colo. Nem como história serve, pois 80% do Velho
Testamento é fantasia da imaginação daqueles antiquados, dedicado a um povo que acreditaria que,
batendo numa pedra sairia água e com um gesto de varinha mágica o mar se abriria. Apurado
direitinho pelos arqueólogos modernos teve nada de maré baixa. Nem o Êxodo existiu. Nem
escravidão do povo hebreu aos egípcios existiu. Que dirá Tábua-das-leis escrita por algum deus.
Resumindo: um monte de baboseiras que pretendem que seja a história dos hebreus, sem ser. Metade
daquele livro ridículo versa sobre esse assunto, somado aquela ladainha “Salmos do gay Davi” que
só servia para provocar o sono dos judeus. E ainda querem nos obrigar a conhecer a história desse
rei, que se escondia no mato aos beijos com seu vassalo. É o fim. Mas o analfabeto brasileiro
pretende saber mais sobre Israel do que sobre a sua própria terra. Importam água da bica do Rio
Jordão. Efeito da lavagem cerebral.
Se acreditássemos em Buda, teríamos que saber a história da China, muito mais rica, diga-se
de passagem. Já imaginou se cultuássemos Alá?
Você já leu o meu livro: “Para bom entendedor, meio Alcorão basta”?
Outro exemplo:
Acho que já contei em outro livro, que acabei desfazendo um casamento de 16 anos, por
causa do fanatismo da minha ex, que queria passar os fins de semana (todos) na igreja. Pior, com
nossos dois filhos 4 e 5 anos, os quais eu queria levar a passear na praia e nos parques, de vez em
quando.
“Amar a deus sobre todas as coisas” – e tome igreja! Igreja, igreja! Acho que ela errou.
Deveria ter-se casado com um pastor. Pelo menos, sairia lucrando financeiramente e não, deixando
meu dinheirinho lá. Eu trabalhava a semana toda e no domingo tinha que parar na igreja, ou ficaria
até sem vivenciar a minha família.
São prejuízos que não constam num balancete financeiro, porém muito maiores do que as
contribuições que ela dava “pra deus” nas mãos dos pastores.
Lembram-se daquele apresentador de televisão, que foi camelô e agora é um rico
empresário? Pois o cara ficou desesperado com a mulher que dava vultuosas somas em dinheiro para
a Deus é Amor! Dinheiro que ele ralou a vida toda para conseguir, sozinho! Acabou não suportando
o fanatismo da mulher e separou-se dela. São coisas desse tipo que você deve conhecer também, e
outras histórias por aí.
Recebia e-mails de uma mãe desesperada (amiga minha) porque a religião tinha conseguido
“grampear” o seu filho e ele já andava querendo dinheiro para dar pro pastor. Ela teve que passar a
esconder o dinheiro, restringir a sua mesada porque ele dava tudo pra igreja. Esse rapaz, certamente,
é mais um “de-mente” lavada, a sustentar essa organização maldita, com um futuro incerto e
dependente de Jesus. Começando por conseguir uma discórdia em família que é bem mais prejudicial
que o próprio dinheiro que o rapaz queria para sustentar o pastor.
Sabe daquele dito popular: Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade? Isso é
Lavagem Cerebral. Não é esfregar a sua cabeça com sabão. Portanto, tudo aquilo que martelam no
8.
seu ouvido, vai impregnar a sua mente, registrar no seu subconsciente e acaba tornando-se
“verdade”. Mas vou lembrar: Essa “verdade” não vai interagir com você de forma positiva, porque é
mentira. Na verdade, continua sendo mentira, ok?
Imagine isso:
Desde quando você nasceu os seus pais te ensinaram a andar de muletas (aquela que a gente
põe debaixo do braço). Tudo o que você faz e de muletas; andar, comer, divertir-se... sempre com as
muletas debaixo do braço. No seu bairro, todos também andam de muletas: Seus parentes, seus
amigos,seus professores, médicos, vizinhos... Todos sempre de muletas. Suas pernas já se atrofiaram
e você até para ficar em pé sozinho já tem dificuldades.
Pior: Essas muletas são alugadas e você acostumou-se também a pagar uma parte do seu
salário para não te tirarem as muletas. Todos dizem horrores que acontecerão se você largar as
muletas e tentar caminhar sozinho: Que você vai cair, que vai se machucar seriamente, que vai ficar
doente e poderá até morrer.
Assim sendo, quem disse que você tem coragem de mesmo pensar em largar aquelas
escoras de pau. Pra quê? Você já acostumou com elas, sua vida só é completa com aquele par de
muletas. Você vive assim, só conhece a vida assim e nem tem idéia de como seria viver sem elas.
Um belo dia, você, viajando por aí, você encontra uma pessoa caminhando sem esses
aparelhos. Essa pessoa corre, pula, dança, nada, participa de jogos, escala montanhas, anda de
bicicleta e até faz coisas incríveis sem as muletas, coisa que você jamais imaginou poder fazer, como
tomar banho sem as muletas.
Você meio perplexo, aproxima-se dessa pessoa, lépida e faceira e lhe pergunta:
- Mas... Você não usa muletas?
- E o que é isso? – Pergunta-lhe de volta a pessoa.
- Ora... Essa coisa que a gente leva pra todo lado, na vida e que não pode largar senão morre
e vai pro Inferno!
- Não conheço, mas já ouvi falar – responde o indivíduo – Eu vivo maravilhosamente bem,
assim, sem essa coisa em que você se apóia. Eu tenho minhas próprias pernas e elas são ótimas e
funcionam bem melhor que essa coisa aí!... – apontando para os paus.
- Éh... Eu vi... Que legal! Será que eu posso fazer isso também?
- Claro! É só você começar treinar a viver sem essa droga que só lhe atrasa a vida!...
- Como é o seu nome – Você pergunta.
- Pode me chamar de Ateu...
A Religião é essa muleta que você usa. Deus, a maior mentira criada por ela. Você não
precisa disso. Dê um basta e viva a vida!
Dá revolta ver essa gente babando esse ser mitológico que nada difere de Zeus, Apolo,
Diana em pleno Século XXI. Como esse líderes religiosos lambões conseguiram isso, eu não sei. E
ainda levam o dinheiro deles na maior moleza! A frase “Jesus Salva” faz parte desse convencimento
histórico. Você precisa substituí-la por Jesus não existiu! Jesus não existiu! Jesus não existiu! Jesus
não existiu! Pra ver se desperta na cabeça desses abobalhados pelo menos uma suspeita de que vivem
de uma mentira!
Dane-se que o resto do mundo viva se rastejando para Shiva, Brahma, Papas, Alá, Buda,
mas o Brasil precisa livrar-se dessa lama podre que se chama Religião, que impede até o país de
crescer tal é a roubalheira dessa máfia que está impregnada no governo. Diante de Religião, o Jogo
do Bicho é brincadeira de criança. O tráfico de entorpecentes é pobreza! Mata menos e rende menos!
9.
Sabe onde está o problema? Na hereditariedade. Como na estória das muletas. Os pais
passam essa informação para os filhos e sem perceber fazem a primeira lavagem cerebral neles. Eles
passam a não saber mais viver sem religião. Deixam de acreditar em si mesmos para viverem
dependentes da ajuda desses mitos para viver. Passam a acreditar que sem a ajuda dessas entidades
imaginárias não conseguirão seus objetivos na vida.
Mas... E os ateus? Geralmente são prósperos, felizes, realizados, sem essa ajuda imaginária!
Além de economizar (a Igreja rouba muito dinheiro) não colaboram na expansão dessa máfia
asquerosa.
O Homem não precisa de ajudas imaginárias. Pode até aceitar ajudas reais. É possível e às
vezes até necessária, mas ajuda imaginária e atrasa a vida, porque não ajuda nada e aí, atrapalha. É
um grande erro ficar contando e muitas vezes aguardando, esse tipo de ajuda ilusória, que jamais
virá. O ateu pega e faz. Trabalha e conquista. Esforça-se e consegue. Não tem preguiça e realiza, mas
o religioso, criado numa redoma de mentiras, não percebe isso porque ninguém mostra essa diferença
a ele. Resultado: É por isso que ateus são mais capazes, mais bem sucedidos, mais inteligentes, mais
conquistadores e mais felizes.
Eu escrevi vários livros. Estou tentando ajudar essa gente a entender isso, mas eu sei que é
difícil penetrar na mente deles, porque vivem numa redoma controlada e esse tipo de informação
passa longe, fica do lado de fora! Religiosos não podem sequer ver televisão. Não podem duvidar do
que lhes é ensinado porque “vão para o inferno”! No mínimo não vão ganhar a “Vida Eterna”.
Quanta mentira! Que tristeza a situação dessa pobre gente enganada. Mas a gente tenta! Eu escrevo.
O povo divulga e acaba libertando um ou outro desse antro de degradação mental.
Sabem de uma coisa? Esse é o último livro que eu vou escrever sobre esse assunto
enfadonho – Religião – Estou enojado!
Não pretendo mesmo mudar o mundo e cada um tem o seu destino. Já dei o meu recado
altruísta para aqueles que ainda encontram-se em condições de raciocinar, fosse porque são mais
inteligentes do que a maioria, raciocinam, ou simplesmente mais curiosos, céticos buscando conhecer
a verdade das coisas, ou apenas são jovens que ainda não foram impregnados mentalmente por essa
droga, ou ainda, aqueles que buscam entender o que se passa consigo mesmo, buscando o verdadeiro
conhecimento.
Uma coisa é certa: Se todo mundo resolver paparicar o papa ou enriquecer esses bispos de
araque, não vai fazer nenhuma diferença pra mim. Não vou ficar mais rico nem mais pobre, mais
forte ou mais fraco. Por isso, que se danem aqueles que perderem mais essa oportunidade de
enxergar o que eu estou mostrando. É a última vez que estou fazendo isso!
Não perca o seu tempo em me criticar porque também não vai fazer diferença pra mim. Eu
estou escrevendo o que eu penso e do jeito que acho que devo escrever, independente de você achar
certo ou errado. A vantagem é que você está diante de uma colocação muito sincera, honesta e
gratuita, mas se te incomodar pode parar de ler quando quiser. Esse livro não foi feito pra gente
burra!
Capítulo 4
De qualquer forma, vou tentar te explicar o que acontece. Se quiser aproveite: Vou falar só
de coisas que você entende. Linguagem simples, como sempre, direta e sem mais-mais. Vou dar
exemplos daquilo que você conhece e reconhece como fato verídico.
Faça um esforço para me acompanhar, se é que você quer saber a verdade e entender essa
coisa toda. De certa forma, é simples:
10.
Lá no Nordeste do Brasil existe uma crença muito enraizada num tal padre Cícero. O santo,
a quem o pobre nordestino põe a sua fé quando precisa de chuva.
Ora, lá no Nordeste sempre choveu pouco, mas sempre chove. Há milhares de anos que a
mesma coisa se repete. Chove pouco. São circunstâncias do clima, coisas da Natureza.
Mas o nordestino está acostumado a fazer as suas orações ao padre Cícero, pedindo pra
chover, incentivado pelos padres pedófilos da região que querem mais é ver o circo pegar fogo.
Quando chove, porque acaba chovendo, choveria mais cedo ou mais tarde, a quem o infeliz
agradece? Quem foi que “atendeu” o seu pedido de chuva? O padre Cícero, certamente. (dono da
Natureza?!).
Aí, entra a parte da exploração: Se a chuva demora, os padres da região atiçam a fé do pobre
coitado, organizando missas, correntes de oração, procissões, e é claro, o dinheiro entra, porque
padre não é bobo. De alguma forma ele bebe vinho do bom e come muito bem, não é? O que sobra
vai pro Vaticano. Você sabe onde é, certo?
Em outras regiões do Brasil e em certas épocas do ano, a moda é fazer pedidos a Iemanjá.
Você sabe do que eu estou dizendo. Seja no fim do ano, seja no meio do ano, as coisas mais incríveis
são pedidas a essa “deusa das águas”. E aí vem o detalhe: Se o objeto daquele pedido foi conseguido,
a quem se vai agradecer? A Iemanjá. Se nada acontece, não se fala mais no assunto, tenta-se de novo
no ano que vem ou entende-se que Iemanjá, em sua “sabedoria e poder”, não quis que acontecesse e
ponto final. Não é assim?
Eu, certamente, poderia repetir os exemplos aqui, com diversas outras entidades
imaginárias, Nossas Senhoras, Virgens Marias, Santos católicos, Pomba-giras, Exus, um talismã
qualquer e, por conseguinte, o próprio deus, ou “seu filho” Jesus. Dá no mesmo. Reparou? O
raciocínio é o mesmo.
A filosofia é a mesma, a fé é a mesma e a exploração é a mesma. A quem você pede, é a
quem você agradece. E aí, vai pra TV evangélica dar o testemunho. Estou inventando?
Se aconteceu, agradece, se não aconteceu, esquece.
Lembra daquela piada da pílula para matar a sede? Pois é. Basta tomar com um copo d'água.
Experimente nada fazer, para ver se algum Jesus resolve alguma coisa pra você.
Malandramente eles já disseram: - “Faze por onde que eu te ajudarei”. Assim essa “ajuda”
fica intrínseca, um quantum indefinido, embora inexistente. Éééh... A Bíblia foi feita por gente muito
esperta!
E aí, você pergunta: - E como faz o ateu? A quem ele pede ajuda ou interferência se não crê
em deuses nem em jesuises de espécie alguma?
Pede a ninguém!!!... O ateu não pede nada a ninguém. O ateu conta apenas consigo mesmo
e os amigos de carne e osso quando houver. Pelo menos não é enganado. E isso é ótimo! Por isso, o
ateu é mais capaz de conseguir o que ele quer, e consegue. Porque corre atrás daquilo que ele quer.
Sabe que nada cai do céu, a não ser chuva, e no caso da chuva, não precisa pedir a ninguém. Não
adianta fazer promessas nem procissões. A chuva vai cair, quando ela quiser cair. Da mesma forma, a
coisa que pediram ao santo vai acontecer (um emprego, por exemplo) se a pessoa se mexer ou tiver
muita sorte.
Religião é sócia da preguiça e irmã do conformismo.
11.
Está aqui ao lado, na obra de uma casa, um peão escutando um rádio bem alto, com um
pastor se esguelando: - ESPERA NO SENHOR!!! DÊ O DÍZIMO E FAZEI PROVA DE MIM!!!
etc, etc.
Eu digo: Vencedor é aquele que não espera, nem no Senhor nem em coisa alguma.
Vencedor é aquele que busca o seu triunfo, com trabalho, inteligência e raciocínio. Mas o preguiçoso
“espera no Senhor”. Fica esperando e acaba como esse peão de obra, sem dinheiro, ouvindo que deve
esperar ainda mais, no Senhor. “pedi e dar-se-vos-á”. Será que foi essa vida desgraçada que ele pediu
ao Senhor? Trabalhando duro, de sol a sol, ganhando uma mixaria, quase um escravo. Um pobre
coitado (que não vai ler isso aqui, espero), conformado, que passou a vida com fé de que, um dia,
teria algo mais do que o pão de cada dia. E ele que pare de trabalhar pra ver. Nem o pão vai ter. Mas
quem está com o cofrinho cheio é o pastor dele. Esse que grita na rádio...
Você pode contra argumentar dizendo que, dinheiro não traz felicidade. Está certo. Não traz
não... Manda buscar (essa é velha...). E a propósito: Pra que deus quer dinheiro? Pra que igrejas
querem dinheiro? Pra que pastores querem dinheiro? Pra que papa precisa de dinheiro? Por que não
se espelham na estória de Jesus que eles mesmos inventaram e ficam pobres? Poderiam ser muito
felizes caminhando de sandálias por aí, pregando o evangelho, comendo na casa dos outros, de
favor... E se esses outros também resolvessem que dinheiro não traz felicidade e nada tivessem em
casa, salvo o maná milagroso do dia a dia, que cairia dos céus? Essa gente viveria de milagres!... Que
maravilha. Por que não tentam? Deixem o dinheiro para os ateus, que saberão gastar muito bem
(posso garantir).
Quando você ver uma pessoa bem sucedida na vida, que não seja político ou pessoa de vida
pública (porque aí tem falsidade), das duas uma: Ou não põe os pés numa igreja, ou quando o faz é
por medo de perder o que já ganhou. Jamais para pedir ou esperar alguma coisa de santo algum.
Esses caras trabalham, meu amigo! Não são bobos. Estudam pra cacete, se esforçam, dão duro e
acabam vencendo na vida. Tem ninguém com preguiça, esperando no Senhor, não!...
Lamentavelmente, há alguns que usam a religião como fachada. Esses são os piores. Porque
religioso tem fama de honesto, de ingênuo, sem maldade, fama de bobos, e é nessa pele de cordeiro
que muitos salafrários se escondem para dar os seus golpes. Religioso é bobo até o dia em que abre
uma igreja. Aí, vira esperto.
Agora... Se você tem um pouco de inteligência e anda vacilando desse jeito, pedindo coisas
pra santos e esperando sentado, eu pergunto: - Por que insiste nisso? Já reparou que você nada
conseguiu de verdade? Você no seu subconsciente sabe disso, mas muitas vezes não quer dar o braço
a torcer na esperança de um dia ser diferente. Quantas vezes você já pediu alguma coisa, coisa
importante e... nada...?! Não é por acaso! Não é coincidência! É que não acontece mesmo!... Mas se
alguma coisa aconteceu, aí sim: Foi coincidência.
Lembro de um caso recente, de uma atéia ainda vacilante, que me contou o seguinte:
Seu velho pai sentia-se mal e foi fazer uns exames. Deu no resultado do exame de sangue,
que ele era portador do vírus HIV. Ela ficou desesperada. Saiu fazendo orações para tudo quanto é
santo, para que aquilo não fosse verdade. Ainda duvidando, ela resolveu levar o velho para fazer
outro exame, em outro laboratório. Deu negativo e ela foi agradecer aos santos.
Aí ela me escreveu perguntando:
 Como eu posso agora, continuar atéia, depois de um milagre desses?
Então eu perguntei a ela:
12.

De quem foi a idéia de fazer outro exame? Sua ou de algum santo?
Há... foi minha...
 Então, está explicado. Você agiu e resolveu. Não foi santo nenhum.
(ela está lendo esse livro hoje e deve estar rindo por aí...)

Essas coisas acontecem a quem ainda não tem convicção e, confesso, é difícil livrar-se do
passado, da lavagem cerebral que recebemos desde a infância. Por isso essas coisas acontecem.
Você quer ver uma coisa?
O que você acha dessa musiquinha, que na juventude a gente aprende na igreja evangélica:
“Alegrei-me, quando me disseram: Vamos todos à casa do Senhorrr...”
Aparentemente, nada! Uma canção como outra qualquer, puramente ingênua, que não faz
mal a ninguém, certo? ERRADO! Já vou explicar.
Antes, me diga o que você acha desse hino aqui, que a gente aprendia nas escolas do
governo:
“... ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil!...”
Pois é, meu amigo... Ambas fazem parte de uma lavagem cerebral, ministrada na juventude,
que marcará eternamente a mente desse jovem. Uma do governo, preparando o homem para morrer
fisicamente na guerra. A outra da Religião, preparando o homem para morrer mentalmente para o
mundo.
Ora... - “Alegrei-me, quando me disseram: -Vamos todos à casa do Senhorrr...” - Mentira!
Alegrei-me P. nenhuma! Era um saco ter que ir para a igreja e a minha mãe sabia disso. Aquele
ambiente austero, enjoado. Não podia nem me mexer no banco. Não faz sentido para uma criança. É
o mesmo que convidá-la para uma reunião política. Então veio a musiquinha para fazer a cabeça do
jovem e tornar mais leve esse fardo...
Vê? É assim que eles fazem. Maldade em tudo! Esperteza! Jogadas psicológicas aplicadas
às crianças que serão os dizimistas de amanhã. Uma organização PODEROSÍSSIMA E MILENAR,
que investe desde as bases. Daí pra frente são hinos exortando o pobre coitado a virar escravo da fé.
É Jesus pra todo lado. Você sabe...
Tem aquela musiquinha:
“...quem fez as lindas flores, foi nosso pai do céu”. “...quem fez o sol tão quente, foi nosso
pai do céu”. (Aprendi quando tinha 5 anos)
Aí, o cara cresce, bate à minha porta em pleno domingo, me falando sobre deus. E eu
pergunto:
- Que deus?
 Ora, o senhor não conhece? Quem fez o sol e as árvores que o senhor está vendo?!...
Uuooouuu!!!
Parece piada, mas não é. O ignorante nada sabe sobre a Natureza mas aprendeu com o
pastor que “foi testemunha” de que deus fez tudo aquilo. Mesmo que ele nem tenha noção do que
esteja falando, nunca tenha visto nenhum deus fazer nada. E o ignorante repete qual papagaio,
trabalhando em pleno dia de descanso para dar boa vida ao seu mestre. Não é mole...
13.
No catolicismo, tudo começa com Papai Noel (São Nicolau). Aquele velhinho tradicional de
barba branca que propositalmente confundiam com Papai do Céu - Depois vem o batismo, a crisma,
a primeira comunhão etc., tudo conduzindo a criança diretamente para o cadafalso mental, ou seja,
uma boa lavagem cerebral. Nada é ingênuo ou sem um propósito muito bem engendrado. E eles
querem ensinar religião nas escolas!
Eu vejo aquelas criancinhas, bobinhas, ingênuas, mansinhas, educadinhas, como robozinhos
sem vontade própria. Porque essa atitude não é natural nem espontânea de uma criança, mas é a
cordinha divina no pescoço, apertando, para ela nada fazer de errado. Aquele ambiente artificial de
disciplina acaba castrando a criança do seu ímpeto infantil, expansivo, rebelde, que forma a
personalidade natural. Mas, ao contrário, criam-se mansos.
Até parece que viverão sempre dentro de uma redoma de proteção divina. Vão ser o que,
quando crescerem? Mansos... Fáceis de controlar. Sem personalidade própria. Despreparados para
enfrentar o mundo como ele é, na realidade, cheio de maldades. E nem vão perceber as maldades da
própria religião. Vão acreditar sempre. Em tudo! Principalmente em quem os amansou.
Já percebeu que as garotas não são muito chegadas a esses meninos de igreja? Por quê?
Porque são mansos demais... Mulher quer homem de “pegada forte” - definição delas mesmo. Esse é
o primeiro desencontro com a realidade da vida. Tem que ter pegada forte em tudo na vida.
Quando duas pessoas de igreja se casam, geralmente é porque a família meteu a colher. Ou
então a própria sociedade religiosa. Não é à-toa que eles obrigam as pessoas a se casarem com outras
da mesma religião. Não fosse assim, os meninos-mansos ficariam sobrando. Seriam todos padres.
Mas não adianta. Não tem pegada forte, o casamento vai acabar na sala de conselho do pastor. E aí?!
Só Jesus salva...
Capítulo 5
Como foi que surgiu a Religião? Você sabe?
Você já ouviu falar no Pajé das tribos indígenas? Pois é... Esses foram os primeiros espertos
da natureza humana. Eram mais poderosos que os caciques, ou mesmo o guerreiro mais forte da
tribo. Eles aconteceram nos primórdios da civilização, em todas as partes do mundo, em culturas
diversas. Por quê? Voltados para o dom da medicina (eram curandeiros também) sentiam-se mais
sábios e poderosos que o resto da tribo, e para aumentar ainda mais o seu prestígio, diziam-se donos
das soluções místicas, um elemento de ligação entre os deuses e os homens. Assim, sabiam explicar,
à moda deles, o Sol, a Lua, as estrelas, os trovões e tempestades, a concepção, a colheita, as
doenças... E como eram respeitados, todos acreditavam nele, dissesse o que dissesse. E quanto mais
acreditavam nele, mais poderoso ele ficava, e aí, é claro, aproveitava-se da situação. Inventavam, de
preferência, coisas que ninguém poderia desmentir pela falta de conhecimento, curavam, enrolavam,
tapeavam, cobravam e viviam numa boa.
Essa receita permanece até hoje, com poucas diferenças, entre os povos contemporâneos,
porém, quanto mais ignorante for o povo, melhor a coisa funciona. É óbvio que o homem evoluído,
conhecedor da ciência, da história, da evolução da Natureza, tem outra concepção do assunto. Sabe
que para se curar de uma doença tem que tomar remédios e não passes de fumaça.
Faço um parêntese nessa estória, porque existem muitas doenças de natureza psíquica e
mental. O cara acha que a fumaça vai curá-lo e fica curado. Uma cura puramente psicológica. É
nesse aspecto que esses “espiritualistas” mais se aproveitam, pois inventaram almas e espíritos. Tudo
uma mentirada só que, no final, se confundem com a mente verdadeira, a psique do homem. Assim,
eles embrulham e mandam como faziam os pajés da antiguidade. Acredite quem quiser!
14.
Capítulo 6
Eu já expliquei, em livro anterior, que almas e espíritos não existem. É melhor você ler A
BÍBLIA DO ATEU, que fala bastante sobre isso. Essas coisas são invenções da religião que tem por
objetivo controlar o homem, melhor dizendo, a mente do homem. Essa sim existe, muito rica,
fabulosa em detalhes de sua formação, ainda um tanto desconhecida para o homem. O cérebro é o
órgão mais complexo do ser humano. De onde vem a inteligência. É onde são fabricados os
sentimentos, as emoções, a memória e o raciocínio. A ciência ainda não conseguiu estudá-lo
completamente. A mente é tão fantástica que muitos lhe atribuem poderes ainda desconhecidos e a
confundem com algo sobrenatural. Se você consegue controlar a sua mente, consciente e
subconsciente, você sim, se tornará poderoso e muito mais capaz (naturalmente) dispensando essas
“ajudas” (fumaças, santos, deuses) místicas e apenas psicológicas. Se você concluir que não precisa
dessas ilusões fantasmagóricas, que você é capaz de raciocinar e concluir sozinho as melhores
soluções para a sua vida, não vai mais aceitar essas mentiras religiosas que iludem e levam a falsos
caminhos inúteis e errados. Quando você pede ajuda a um ser que não existe e fica contando com
isso, terá reações diferentes, com consequências diferentes, procedimentos diferentes, dependentes,
irracionais, muitas vezes desastrosos.
Por exemplo: A mulher pede a Sto. Antônio um casamento. E fica esperando. Quando na
verdade, ela deveria buscar o seu parceiro, sair atrás dele, paquerar, fazer amizades etc. Já se ela fizer
isso, não precisa pedir nada a ninguém. O casamento acaba acontecendo.
Assim é que o ateu não se ilude. Ele avalia corretamente o problema e busca as soluções
sensatas, soluções inteligentes, certamente, com os pés no chão, e vai trabalhar corretamente para
resolver a sua vida.
Vou dar outro exemplo: Duas pessoa precisam passar num concurso:
A primeira estuda um pouco e faz uma promessa a um santo qualquer evocando a sua ajuda
e paga $ certamente. Convencida disso relaxa e goza.
A segunda conta apenas consigo mesma e sabe das dificuldades de passar num concurso, e
assim estuda muito mais, acreditando em si, empenha-se em atitudes positivas que lhe trarão a
aprovação.
A primeira, se passar, (se passar) vai ficar devendo ao santo e terá que pagar suas
promessas, num círculo vicioso de dependência, quem sabe, andar de joelhos 500 km e aí fazer outra
promessa para cicatrizar os joelhos.
A segunda, certamente passará e ficará muito feliz, orgulhosa consigo mesma, acreditando
na sua capacidade de resolver a sua vida, sem dever nada a ninguém.
Esse é bem o caso da minha mulher, trabalhando fora, com dois filhos pequenos e marido
para cuidar, que passou na faculdade de direito (não foi de oboé) e em quatro concursos do governo.
Passou em quase todos os que fez, escolheu o melhor e hoje está muito bem de vida. É uma pessoa
com muitos méritos, que eu admiro por sua capacidade e esforço próprio.
Por isso, eu convido você a raciocinar. Entender isso que eu estou explicando. Esquecer um
pouco o seu fanatismo (se for o caso) e verificar se eu não tenho razão. Lembre-se: Eu estou te
ajudando!... Por livre e espontânea vontade, escrevendo isso aqui para você ler. Sabe como? Estou
em Itaipuaçu RJ, dentro de uma barraca de camping, um frio danado lá fora, com um notebook no
15.
colo e dor nas costas. Faço isso pelo bem do meu semelhante e não estou cobrando dízimo nenhum.
Nem o livro será cobrado. Acho que você deveria pensar um pouco nisso.
O Cristianismo, durante os séculos em que foi montado (criado, inventado) nada mais era
que a continuidade de misticismos anteriores, todos baseados no Deus Sol e seus 12 signos do
Zodíaco. Milhares de anos passados, estórias repetitivas como as de Horus e Mitra (deuses egípcios),
que sofreram a influência dos hebreus (monoteístas), com seus deuses únicos, como Baal, Bel e
Moloch (cada um numa época). Passaram então por Krishna (Jazeu Krishna) dos hindus e pelo
Chrestus, “o mestre da justiça” dos judeus essênios. Transformou-se na estória do “Carpinteiro” um
século após o início da nossa era cristã, adaptou-se o nome para Cristo e escreveram os evangelhos.
Finalmente, no Concílio de Nicéia de Constantino o Grande, no ano 325, foi “batizado” como Jesus o
Cristo filho de deus. Daí, você repara que o mito Jesus Cristo já “nasceu” antes do próprio nome,
num lugar, cidade e data, que ninguém sabe, no meio do nada, com ninguém por testemunha. Leia
sobre a Origem do Cristianismo no meu livro A Bíblia do Ateu que mostra historiadores do passado
comprovando que os Evangelhos só foram escritos partir do Século II. Ou seja, cento e tantos anos
depois do ano zero, fabricaram essa estória. Recomendo o livro de Iakov Lentsman sobre o assunto.
Amigo... são milhares de anos, não foram 500 nem 2000 anos. Essa religião cristã
desenvolveu-se também no Egito, que era politeísta, expandiu-se para Roma que também era
politeísta, com ramificações para 1/3 do mundo (Europa e Américas), mas não foi aceita pelos
judeus, que participaram da história de perto e tinham seus mitos enraizados (Moisés e Abraão) e
segundo seus escritos proféticos, aguardavam um Messias (salvador da alma) que não era o Jesus que
pretendiam que eles aceitassem. Assim, o cristianismo segregou os judeus com aquela história de
traição e os pegaram como “bode espiatório”, porque, segundo a lenda (profecia), alguém tinha que
matar o Cristo*. Então, foram justamente aqueles que não aceitaram a nova religião romana, as
“vítimas”, e foi atribuído aos judeus a traição e crucificação do Cristo.
(*) Não se esqueça que o NT foi escrito, criado, para atender às profecias do VT. Não
existiu traição nem crucificação nenhuma.
Recentemente, década de 40, época da Segunda Guerra Mundial, descobriu-se em Israel,
nas cavernas de Qumran, Mar Morto, vários escritos atribuídos aos judeus essênios, uma tribo meio
separada do resto, cujo líder espiritual era o mito chamado Chrestus - O Mestre da Retidão, numa
estória muito parecida com a do Cristo. E o que continha esses escritos? Cópias antigas do Torá, de
onde a Bíblia tirou o Velho Testamento (impossível negar isso), algumas histórias dos costumes
religiosos essênios e pasmem! Estórias muito similares a algumas do Novo Testamento. Como é que
pode? Similares aos livros de Marcos, Mateus e João, por exemplo, as cartas de Paulo e o
Apocalipse. (parece que havia outros). Essas estórias, escritas há muitos anos a.C, falavam dos
mesmos ritos religiosos, frases célebres usadas por Cristo, no cristianismo atual, sem jamais, no
entanto, mencionar o nome de um personagem de nome Jesus, Cristo ou Jesus Cristo, mas Chestus, o
Mestre da Retidão (ou Mestre da Justiça segundo autores), mito essênio.
A Igreja Católica, (a podero$a Igreja Católica), apoderou-se desses originais e
interromperam as traduções. Por quê???
Claro, os religiosos iludidos que - realmente – acreditavam na estória de Jesus, buscavam na
similaridade dos textos, encontrar alguma referência à Jesus, mas o que estava acontecendo?
Encontravam estórias de outros mitos e nenhuma referência a Jesus. Apenas a estória era igual, ora
com Chrestus ora com “Mestre da Retidão”, o que logo deu a entender que o Novo Testamento havia
16.
sido copiado daqueles textos (uma grande parte, pelo menos) e o nome Jesus acrescentado
posteriormente, como deve realmente ter acontecido.
Essa terrível frustração, não foi engolida assim, tão facilmente pelos fanáticos católicos e
hoje já divulgam que as descobertas de Qumran ENDOSSAM a estória de Jesus. É mole isso,
irmão?!... Outros dizem até que Jesus foi um essênio ou esteve no meio deles, no período que sua
estória inexiste para explicar tanta similaridade nos dogmas (assim como dizem que Jesus viveu na
Índia, porque lá, havia um Cristo também – Jazeu Krishna – só que muito mais antigo).
A verdade histórica é que Jesus Cristo não apareceu em lugar nenhum, antes meados do
Século II porque, de fato, não existiu (nem ele, nem pai, nem mãe nem seus apóstolos, conhecidos,
amigos, parentes, inimigos, ninguém!). Os maiores apologistas cristãos como Justino, Taciano,
Atenágoras, Irineu, que viviam em Roma, manifestaram-se sobre os cristãos apenas a partir do
Século II e aí Jesus já era um mito.
Agora... a gente nasce e cresce aqui no Brasil, ouvindo falar das aventuras desse mito, mais
do que as de Batman ou o Peter Pan. E o que sabemos, é o que está descrito na Bíblia, porque, não
existe em livros históricos sobre ele (claro, não seria mito) e se você ler os evangelhos apócrifos,
escritos por líderes religiosos da época, ano 115 a 400, que já incluía o nome Jesus, a estória é bem
diferente e, tanto uns como outros, não têm autoria conhecida, porque ninguém assinaria tanta
mentira absurda. Portanto, nenhum valor histórico, com uma breve exceção. Os apócrifos não foram
alterados desde que foram descobertos. Já os Evangelhos que ficaram nas mãos dos padres católicos,
foi só o que fizeram. Alteraram, reescreveram o que já estava escrito, durante 1200 anos,
determinados pelos 5 Concílios, em livros enormes, guardados em mosteiros. E esses foram a
primeira Bíblia.
Quando Roma expulsou os judeus de lá (ano 70) e por ordem dos sacerdotes, líderes
religiosos da época, foram queimados todos os demais escritos religiosos existentes que,
desordenadamente, diferentes da estória criada por Roma e que já falavam de o Cristo, contando suas
estórias mirabolantes. Outros foram escritos depois desse acontecimento, também à margem dos
comandos da Igreja. Alguns desses livros, hoje conhecidos como apócrifos foram escondidos em
Alexandria, no Egito.
Essa estória toda dos escritos é meio confusa, porque não há marcos de identificação, ou
datas definidas para os acontecimentos. Um emaranhado de textos que começou com mitos muito
antigos, que gerou o cristianismo de Crestus, misturou-se com fontes vindas dos deuses do Egito e da
Índia, passou pelos ditames dos sacerdotes romanos que trocaram Chrestus por Cristo, tornou-se
religião oficial em Roma, criaram a Bíblia e ajeitaram as estórias nos 1200 anos seguintes. Em todo
esse percurso, muitas estórias foram contadas e escritas. Muitos textos se perderam e outros foram
declarados falsos (apócrifos) pela Igreja Romana. E entende-se por que:
Nos apócrifos você pode ler que Jesus era vaidoso, temperamental, com poderes mágicos,
era imune ao fogo, não se afogava, era assassino, ressuscitava gente, inclusive, bastava colocar suas
fraldas em cima de uma mula que ela virava gente. Não difere muito das estórias conhecidas no NT.
Essas estórias ninguém conta. No entanto, muitos desses livros, são mais de 80*, foram
encontrados escondidos dos romanos e nunca foram alterados. São originais intocados pela Igreja
Católica.
(*) Não confundir com os “livros apócrifos” em poder da Igreja, escritos que não foram
selecionados para fazer parte da Bíblia, mas estão guardados no Vaticano a sete chaves. Nem
imagino o que está escrito nesses...
Estranho é que, os originais que teriam gerado a Bíblia não existem. Que engraçado... Por
que será?!... Desconfie meu amigo!...
17.
Está claro que o NT, além de copiado de fontes diversas (a/C), foi arranjado, suprimido,
acrescentado, modificado, (d/C) até perder as identidades originais, que eram os escritos isolados dos
sacerdotes de cada canto do país, fossem quem fossem os autores primários da estória de Cristo (de
antes de Cristo he, he, he...) que inspiraram os textos. É por isso que a Bíblia (NT) não tem um
começo, que se possa identificar, nem autores. Foi um livro copiado, ajuntado, editado por séculos e
séculos, de posse da Igreja Católica desde os primórdios de sua existência.
O que se sabe apenas, é que a Bíblia, com a versão parecida com a que conhecemos hoje,
nasceu reescrita por padres, naqueles livros enormes, trancados nos mosteiros, com suas bordas
envenenadas para que nenhum intruso os manuseasse.
Esse processo durou séculos, muitos séculos, desde a época de Constantino o Grande, que
no ano de 325 formou o primeiro Concílio para resolver sobre esses livros, e foi assim por mais
quatro Concílios, até a Renascença, época dos grandes descobrimentos, quando o catolicismo estava
em crise, perdendo credibilidade. Enfim a tornaram pública, chamando-a de “palavra de deus”. Esses
vários Concílios é que determinaram o seu conteúdo. Textos e livros foram acrescentados,
suprimidos, modificados à vontade, até chegar ao que se conhece. Ainda assim, após o domínio
público no século XVI, à custa da Grande Reforma Protestante, muitas e discretas modificações vêm
sendo feitas a título de “corrigir a tradução”, de um original que sequer existe. Qualquer dia desses
estará falando de DNA, buraco negro e física quântica. Tudo à custa do poderoso deus de araque.
Padres teólogos como o Abade Alfred Loisy, Albert Schweitzer (protestante, eminente
investigador contemporâneo), Bruno Bauer e Prosper Alfaric entre outros, perderam sua identidade,
foram excomungados e perseguidos, porque concordaram com os historiadores das escolas de
Tubingem e Mística que deixaram claro: Jesus Cristo era um mito. Não existiu.
Mas o que acontece? Você acha que o povão ignorante está ligado nisso? Muitos nem se
interessam em discutir a verdade, outros não têm capacidade para isso, outros simplesmente
desconhecem o que seja a Bíblia em sua profundidade e a maioria nem sabe ler. Só sabem rezar e
dizer amém. Conheço casos de analfabetos felicíssimos, porque sabiam ler a Bíblia. Quantos você
acha que lerão esse livro que estou escrevendo? Pouquíssimos! Apenas ouviram falar de Jesus, e há
2.000 anos que se fala de boca em boca, de pai para filho, essa mentira boba, essa ilusão infantil que
o povão místico adora e a Igreja impõe. “A Bíblia é a palavra de deus” e não se discute mais.
E assim vão. Padre Cícero pra cá, Iemanjá pra lá, Nossa Senhora de não-sei-o-quê, Jesus,
deus etc e caixinha da Igreja, tilintando e fazendo mais milionários por aí, do que os jogos da Mega
Sena
Capítulo 7
Há muita dificuldade em se fazer uma cronologia dos fatos que envolveram a origem do
cristianismo, porque as informações que conseguimos hoje mostram o entrelaçamento de fontes, de
épocas, de religiões antigas de diversos povos e países diferentes. Mas se você investigar sobre a
origem do cristianismo vai ficar chocado ao observar como criaram essa estória. Ela é apenas um
ajeitamento de outras semelhantes anteriores e isso é muito evidente. Não precisa ser ninguém em
especial para perceber isso. Basta se informar a respeito. (não serve na igreja). Yakov Lentsman,
historiador russo, traz uma coleção de informações da época, anotadas por personagens conhecidos
da história. São textos arquivados em museus de todo o mundo que gozam de total credibilidade.
Pressupõem que o cristianismo amealhou todas as crenças que foram achadas populares,
escritos de religiosos da época e ainda entrou com o seu próprio dogma modificando e melhorando
18.
inteligentemente tudo aquilo que não era o ideal para o conceito dos seus criadores: Sacerdotes
romanos.
O Império romano era extenso e havia conquistado todas as nações em volta de Roma indo
da África à Palestina e o Egito. Todas essas nações tinham suas crenças específicas, e a própria
religiosidade romana já vinha de muito com o seu politeísmo. Havia ainda a mitologia romana,
grega, egípcia e havia o monoteísmo judeu que aguardava a chegada de um Messias. Toda essa
confusão de crenças e crendices habitava a capital do Império. Até mesmo alguns imperadores
romanos foram endeusados e cultuados. Eram centenas de deuses que representavam e eram
responsáveis por tudo o que era conhecido e que o homem não sabia explicar. Muitos tinham a forma
de animais ou assemelhados.
Também da Índia vinham crenças que tentavam penetrar a religiosidade dos cidadãos
romanos nos últimos séculos a/C.
Historicamente esses mitos criados pelo homem tinham em comum algumas coisas que
foram aproveitadas pelo cristianismo. Por exemplo: Deuses “casavam” com humanos gerando filhos
meio homens, meio deuses. (Héracles, filho de Zeus e Alcmena). Estes geralmente eram perseguidos
pelos poderosos reis, eram mortos e ressuscitavam. Veja de onde tiraram a estória de Cristo:
Horus (egípcio) 3000 a.C.
Nasceu dia 25 de dezembro;
Encarna na terra para salvar os homens da ignorância;
Nasceu de uma “virgem”, a deusa Ísis-Meri com Osíris;
Nascimento acompanhado por uma estrela a Leste;
Estrela seguida por 3 reis;
Recebeu dons como presentes das deidades solares.
Aos 12 anos, era uma criança prodígio;
Herut tenta matar Hórus quando criança.
Pertencia a Stma. Trindade Osíris, Hórus e Ísis.
Batizado aos 30 anos;
Começou seu ministério aos 30;
Teve seu nascimento profetizado;
Enfrenta Seth (demônio), derrotando-o no deserto;
Tinha 12 discípulos e viajou com eles;
Operou milagres e andou sobre as águas;
Ressuscitou um homem chamado El-Azar-Us. (Lázaro?);
Era “chamado” de Filho de Deus, Luz do Mundo, A Verdade, Filho adorado de Deus, Bom
Pastor, Cordeiro de Deus, etc;
Foi traído, crucificado, enterrado e ressuscitou 3 dias depois.
Nos outros deuses, encontramos a mesma estrutura “mitológica”. Veja:
Mitra (persa – romano) 1200 a.C
Nasceu dia 25 de dezembro;
Nasceu de uma virgem;
Teve 12 discípulos;
Praticou milagres;
Morreu crucificado;
Ressuscitou no 3º dia;
Era chamado de “A Verdade”, “A Luz”
19.
Veio para lavar os pecados da humanidade;
Foi batizado;
Como deus, tinha um “filho”, chamado Zoroastro.
Attis (Frígia – Roma) 1200 a.C.
Nasceu dia 25 de dezembro;
Nasceu de uma virgem;
Foi crucificado, morreu e foi enterrado;
Ressuscitou no 3º dia;
Jazeu Krishna (hindu – Índia) 900 a.C
Nasceu dia 25 de dezembro;
Nasceu de uma virgem;
Uma estrela avisou a sua chegada;
Fez milagres;
Disse: Eu sou o princípio e o fim de todas as coisas (Alfa /Ômega);
As mulheres do povo perfumavam-no e incensavam-no;
Após morrer, ressuscitou.
Dionísio (Grego) 500 a.C
Nasceu de uma virgem;
Foi peregrino (viajante);
Transformou água em vinho;
Chamado de Rei dos reis, Alpha e Ômega;
Após a morte, ressuscitou;
Era chamado de “Filho pródigo de Deus”
Daí você já conclui que e estorieta de Jesus não é nada inédita, certo? Leia você mesmo as
estórias. Vai ficar impressionado com as semelhanças. Isso tudo já foi muito bem explicado em
“Sinto muito, mas Jesus Cristo não existiu”. Veja mais detalhes lá.
O Império Romano tinha problemas com suas guerras intermináveis e viviam do espólio das
conquistas, mas dependiam também de sua produção interna, principalmente da agricultura. Havia
uma instabilidade política quase permanente e sublevações escravistas desde os últimos anos a/C até
os primeiros séculos seguintes. Os escravistas sofriam muitas derrotas e revoltas populares eram
comuns, pois havia uma insatisfação notória no meio do povo com os imperadores. Mitologias
romanas e gregas deram espaço para algumas religiões que se destacaram: O mitraísmo em Roma
que disputava o promissor mercado da fé, e o judaísmo na Palestina. No primeiro século da nossa
era, o povo romano não andava satisfeito com seus imperadores tiranos, injustos e sanguinários.
Muitos eram odiados pelo povo. (Calígula, Nero, Herodes). Paralelamente, havia nas imediações do
Mar Vermelho, uma seita dissidente dos judaísmo, chama de essênios, que desenvolviam uma
comunidade religiosa com ideais nobres de igualdade, aspecto interessante notado pelos sacerdotes
romanos. Os essênios já haviam eleito o seu Messias, o mito Chrestus “O mestre da retidão” (ou da
Justiça), a quem cultuavam. Esses essênios também viviam em Roma e eram extremamente
politizados e se revoltaram com as constantes injustiças dos imperadores (Século I). Dizem autores
da época que eram baderneiros e arruaceiros, tendo provocado a expulsão dos judeus no ano 50, que
gerou a guerra do ano 70.
20.
Final do século I, foi quando os sacerdotes romanos levaram ao Império a necessidade de
uma nova religião, que fosse forte o bastante para controlar as massas populares mais pobres, judeus
e os escravos que se rebelavam constantemente.
Houve um possível estreitamento entre os sacerdotes romanos e a comunidade dos essênios,
que pode ter sido através de uma espionagem ou uma penetração dissimulada com a finalidade de
aprender sobre os seus ritos e dogmas. Esses essênios eram os cristãos (de Chrestus) citados nos
livros de Flávio Josefo e outros escritores da época que os católicos propositalmente confundiram
com os cristãos de Cristo, para dar-lhes validade.
Sacerdotes romanos então, aí pelo início do Século II, começaram a alinhavar os dogmas
dessa nova religião a que chamaram de “Boa Nova” = Evangelho. Juntaram em estudo todas as
mitologias existentes conhecidas, aquelas cujos detalhes eram bem recebidas pelos povos de cada
época, Horus, Mitra etc., colheram inspirações dos apologistas que na época falavam de deus,
pecado, perdão, buscaram os textos de Filon de Alexandria (o pai do cristianismo), Justino (o tio do
cristianismo) e principalmente dos essênios, a famosa fonte “Q” que já tinham uma dogmática quase
ideal, pois utilizaram as mesmas fontes para criarem o Chrestus, substituiram o nome Chestus por
Cristo, pegaram o Jazeu Krishna dos hindus, a ressurreição de El-Lazarus dos egípcios, os doze
apóstolos de várias mitologias, os milagres, a morte, a ressurreição e assim durante anos e anos,
entrando pelo Século II instituíram o cristianismo. Ou seja, juntaram tudo o que agradava ao povo e
deram um novo direcionamento. E isso não foi feito casualmente, mas bem pensado, trabalhado
ardilosamente, projetado com grande eficiência, e deu certo.
Assim, começaram a divulgar o cristianismo, claro, retrocedendo a história em um século,
quando ninguém poderia mais contestar essa invencionice. Uma religião que igualava escravos e
livres, ricos e pobres, perdoando-lhes os pecados que houvesse. Ensinava que os escravos deviam
conforma-se com sua situação e que os injustiçados seriam os escolhidos para habitar o reino dos
céus. Era o consolo do povo, a esperança de uma justiça e reconhecimento, que se daria depois da
morte, na Vida Eterna. Foi uma questão de converter e controlar. Assimilar a tendência, conduzir e
redirecionar a crendice popular.
Essa Boa Nova logo tomou corpo e começou a ser escrita e reescrita e pregada em todas as
comunidades que conseguia alcançar e cada uma delas melhorava o texto ao seu gosto, da estória do
mito que sofreu numa cruz pelos pecados da humanidade.
Acontece que tais escritos (evangelhos) chegaram a 4 mil, estórias diferentes e mais outras
criadas pela imaginação se misturavam e confundiam. Era depoimento de Jesus, de Maria, de José,
de Pedro, Mateus, todos mitos criados a partir do conto principal, o primeiro evangelho definido no
primeiro quarto do Século II pelo sacerdotes romanos. Inseriram a infância de Jesus, um homem com
super-poderes, inseriram textos dito escritos pelo próprio Jesus, estórias e mais estórias fantásticas
sobre um jovem que matava com um gesto mágico quem lhe incomodasse.
Os padres da Igreja romana não imaginaram isso e não gostaram do que estava acontecendo.
Ao assumirem o controle da nova religião, os sacerdotes romanos queimaram a maioria
desses escritos, quando eram diferentes dos que eles vinham adotando para o novo Cristianismo.
Muitos desses livros, entretanto, foram escondidos. e descobertos 14 séculos depois. No século
XX, próximo a Segunda Guerra Mundial, foram descobertos em vasos, em Alexandria (Egito), uma
boa quantidade desses escritos, hoje conhecidos como Livros Apócrifos e arquivados em museus.
Veja trechos deles em “Sinto muito, mas Jesus Cristo não existiu”.
Ainda nesse período pós-guerra, encontraram em cavernas próximas ao Mar Vermelho,
local conhecido como Qumran, uma enorme quantidade de escritos dos essênios, cópias de livros do
Torá judaico, escritos próprios da comunidade e alguns livros muitíssimo semelhantes aos do Novo
Testamento da Bíblia. Pasmem!
21.
Bem... Os religiosos cristãos dizem que não é nada disso. Que deus inspirou os apóstolos e
estes escreveram os Evangelhos segundo seus testemunhos in loco. Ou seja, Jesus existiu e é mesmo
filho do Espírito Santo com Maria. Nasceu, viveu e morreu no início do Século I. Ressuscitou etc.
Acontece que, de todo o período do Século I, não encontraram em buscas, pesquisas, nem
em escavações arqueológicas, qualquer evidência de que o cristianismo, esse de Jesus Cristo, tivesse
existido. Monumentos históricos a esse respeito, encontrados por arqueólogos, pertenciam ao Século
II e principalmente ao Século III, pelo que se deduz essa cronologia. Por exemplo, Justino, filósofo, o
mais antigo apologista cristão e o mais importante do início da nossa era, considerado posteriormente
como o tio do cristianismo, escreveu muitos textos religiosos, como a sua “Apologia” a partir do ano
151, mas não teve seus textos, muito preciosos para o dogma cristão, incluídos na Bíblia,
simplesmente porque, não falava sobre Jesus. Como é que pode?
Reparem bem: Nove anos depois, seus escritos ainda ignoraram totalmente os Atos dos
Apóstolos que faz parte da Bíblia, e não disse uma palavra sequer sobre Paulo, apóstolo de Jesus. O
que significa que até a sua morte (foi decapitado em 165) não conhecia nenhum livro da Bíblia Isso
demonstra que no ano 160 não existia ainda do Novo Testamento organizado, pelo menos. Ou seja,
160 anos após o pretenso nascimento de Jesus o Novo Testamento da Bíblia ainda não existia. Faz
uma idéia do que sejam 160 anos? Nem meu tataravô existia mais!
Como as obras de Justino eram datadas ficou fácil para a ciência concluir dessa forma.
Nessa época, acredito que nos primeiros apontamentos sobre o cristianismo, ano 160,
Justino escreveu algo como “recordações dos apóstolos” sem citar o nome de nenhum, e diz que as
“máximas de Jesus” eram curtas e lacônicas. Mas, só isso? Já imaginou um Evangelho curto e
lacônico?
Tem mais! Em 160, resolvendo tampar o buraco, Justino escreveu que Jesus ressuscitou
no dia seguinte à sua morte. E agora?! Prova de que ninguém sabia P. nenhuma, dessa estória
inventada!
Isso, de certa forma, significa que alguma coisa já existia sobre Jesus, 160 anos após o seu
“nascimento”, porém muito inexpressiva. Início dos textos da Bíblia, possivelmente. Não eram os
Evangelhos como conhecemos, que os religiosos dizem escritos em meados do Século I.
Justino conhecia o Apocalipse de João, porque este foi escrito em 68. Sabemos, porém, que
o Apocalipse não cita qualquer coisa sobre Jesus, mas fala sobre o Cordeiro de Deus com sete chifres
e sete olhos. Está na cara que em 68 nunca tinham ouvido falar de Jesus!... Você não conclui isso?
Seria possível haver existido o tal Cristo e o apologista cristão não citá-lo em algum de seus livros?
Essa é mais uma evidência que o mito não existia nessa época ou já constaria do Apocalipse (de
João). Quer dizer: João, o apóstolo, também não existiu, mas deram a ele a autoria desse Apocalipse,
um dos muitos que existiram. Em Qumran foi encontrado um bem parecido, senão o mesmo...
Como a estória de Jesus inicia-se no Século II e considerando-se que Jesus Cristo é um mito
fabricado pelos sacerdotes romanos, eles iniciaram a invenção da estória a partir de 100 anos antes, e
não poderia ser diferente. Criar um mito tem que ser com data retrógrada para que ninguém possa
contestar, e de forma a não se comprometer: Ninguém sabe, ninguém viu, não há testemunhas
idôneas, não há datas corretas nem locais exatos. Exatamente o caso de Jesus. Foi um mito atestando
outro. Quem foram as testemunhas do nascimento de Cristo? Magos que ninguém sabe quem eram,
de onde vieram nem o que estavam faziam ali. A mãe Maria, outro mito e uma parteira desconhecida.
Aonde nasceu? No meio do caminho, num local desconhecido, que está em lugar nenhum, num
estado que ninguém tem certeza que existia (Nazaré). Quando? Ninguém sabe sequer o ano!
22.
A evolução do cristianismo deu-se debaixo da aprovação e financiamento do Império
Romano, e no Século III já estava consolidado, deixando para trás outras religiões concorrentes. No
ano 325, o Imperador Constantino – O Grande – criou o primeiro Concílio Católico, (o de Nicéia)
fechando questão quanto aos livros canônicos e outras determinações que definiram o cristianismo
em sua essência.
São detalhes e mais detalhes sérios que implicam em nada existir sobre o mito Jesus, no
primeiro século se “sua existência”.
Esses detalhes podem parecer simples, porém perfeitamente documentados e apoiados na
lógica do raciocínio inteligente.
É importante lembrar que textos religiosos dos mais antigos como a Didaché, que alguns
teólogos como R. Vipper, o dizem do Século I, sem data ainda confirmada, que falavam sobre Jesus,
o citavam unicamente como filho de deus que tinha um caráter meramente mitológico, assim como o
Chrestus dos essênios. Outros teólogos como A. Ranovitch consideravam essa data muito recuada,
acreditando mais não ser anterior à primeira metade do Século II (ano 150 da nossa era). De qualquer
forma, seria mencionado apenas como uma figura espiritual imaginária e nunca mencionaram um
Jesus ser humano, com passagem pela Terra.
Agora imagine: No mínimo 100 anos depois do dito nascimento de Jesus Cristo, o
milagreiro filho de deus, crucificado a mando do imperador, autores romanos seríssimos, ainda não
sabiam disso. Pode?
Não dá, meu amigo... Não dá...
Quer ver como eles chutavam à vontade?
O Diatessaron (segundo os quatro evangelhos canônicos), fragmento encontrado próximo ao
Rio Eufrates, escrito antes de 254 pelo apologista Taciano (discípulo de Justino), omite, quer dizer,
não conhecia ainda, a genealogia do tal Jesus, e diz que o mesmo era descendente dos reis da Judéia.
Está lá!!!...
É isso que eu estou te dizendo: Tudo inventado. Cada um imaginando diferente, ninguém
sabia de nada.
Séculos adiante o Cristianismo Ocidental, desenvolve-se em torno de Roma e reivindica o
título de Católico (Universal em grego) argumentando a primazia do apóstolo Pedro, tendo o Papa
como seu sucessor e da conversão de Constantino, Século IV. No Século IX os católicos instalaram a
Inquisição que durou vários séculos. O Catolicismo de Jesus Cristo expandiu-se de tal forma que
tinham o poder da vida e da morte. Ai de quem pensasse diferente do que eles ditavam! E assim o
mito Jesus transformou-se em “realidade”. À força! Quanto mais a Igreja perdia a razão, mais
criminosos e violentos se tornavam. Ninguém de sã consciência seria capaz de contestar uma vírgula
sobre as parábolas de Jesus.
Até que chegou a época das grandes navegações e os descobrimentos começaram a surgir
contrariando frontalmente a Bíblia. A Terra era esférica e não plana como Isaías escrevera. Veio
Copérnico, Galileu e o heliocentrismo, mostrando que a “palavra de deus” estava errada. Finalmente
o Renascimento.
A Inquisição entrava no seu último século, perdendo as forças até que chegamos ao final do
Século XVIII e aí, várias correntes filosóficas, teólogos, historiadores, escritores, poetas e o próprio
povo e diria especificamente o movimento ateu que crescia no mundo a partir de países dominadores
da cultura e com ele a liberdade religiosa: Começaram a questionar os milagres e a própria existência
de Jesus. Veio o Protestantismo, Católicos dividiram-se em Romanos e Ortodoxos e o cristianismo
começou a se dividir e desmanchar. Veio Darwin que pôs em dúvida Adão e Eva, veio Nietzsche,
veio Dawkins, veio La Sagesse, veio a Ciência e chegamos hoje a Alfredo Bernacchi :)
23.
Temos apenas três séculos de contestação e já não se encontra mais defesa para a existência
do tal Jesus Cristo. O cristianismo dá o seu último suspiro.
No Brasil, em 1940, os sem religião (ateus e ateus em potencial) eram 0,2%. Em 2000 já
eram 7%. Aumento de 3.600%. Hoje devem ser 30% ou mais. O catolicismo despenca num abismo
sem fundo, o evangelho ainda se mantém, crescendo um pouco com os “bispos macedos da vida”,
mas a multiplicidade de igrejinhas sem nenhuma estrutura moral deixa bem claro o objetivo deles:
Dinheiro, dinheiro e dinheiro! $$$$$$$$$$$$$$$$$$. O povo ainda acredita porque não tem pra
onde correr. Isso demora um pouco a sair da mente e entrar para a história, mas daqui a mais um
século estarão como robôs desativados.
Capítulo 8
Se você tem uma propriedade, ou pretende alugar uma, para montar um negócio, não seja
bobo. Abra uma igreja. É dinheiro fácil e rápido. Pesquise o local onde não haja outras muito
próximas, compre umas cadeiras, uma mesa e um microfone. Vista um terno e gravata, e comece a
anunciar Jesus e a Vida Eterna. Como o salário médio dessa gente é fraquinho, 2 mil reais por mês,
com 10 fiéis pagantes a 10% cada, você já tem o seu mercado garantido no fim do mês e ainda sobra
para pagar uma prestação de um lindo carro. Rapidamente você chega a 100 sócios pagantes e 20 mil
reais por mês não faz mal a ninguém. Você ainda pode aumentar a arrecadação, criando obras na
igreja, promoções, campanhas de ajuda aos carentes, orfanatos, creches, asilo de velhinhos, viagens a
Israel, venda de água do rio Jordão, areia de Jerusalém etc. Para saber como, entre numa igreja
qualquer e veja como eles fazem. Tem gente que arrecada 50% do salário dos patos e ainda vendem
lotes no céu e chaves do paraíso. Com boa lábia, você pode acabar até vizinho do bispo Macedo em
Miami.
Só não me diga que você será um cidadão de bem e honesto!... Não vá me dizer que você
terá um trabalho digno e de moral elevada, porque, na verdade, você será um safado muito grande,
como tantos outros que existem por aí. Para um cara inescrupuloso que não quer perder muito tempo
procurando emprego a receita é muito boa. E tudo dentro da lei, sem contabilidade e sem pagar
impostos. Você ainda vai ficar famoso e se tiver boa pinta, elas vão cair em cima de você. Cuidado!...
Não vá exagerar!...
Houve uma época, lá pelos idos de 1600 – 1800 que a Religião ditava as regras. Mandavam
até nos reis e imperadores. França e Inglaterra digladiavam-se ora imperando o catolicismo, ora o
protestantismo. Mudava o rei, mudava a crença, mudava a Corte e os vassalos tinham que
acompanhar. E quem não gostasse, simplesmente era eliminado. Até os padres eram obrigados a
mudar de religião ou eram assassinados. Portugal e Espanha fizeram da religião uma obsessão, e
nesse meio tempo a mentira corria rasgada! Era o comércio de indulgências (pagar para ser
perdoado) em mesinhas no meio da rua e a venda de relíquias falsas. Eles levavam para as guerras
contra os islâmicos (as Cruzadas), pedaços da “Cruz do Calvário” de Jesus, que sequer existiu, pra
servir de amuleto de fé, incentivando os soldados a morrerem na guerra em nome de Jesus. E aquilo
era um estandarte de vida ou morte. O poder da Igreja era imenso! Criavam, falsificavam,
inventavam à vontade e cada vez enriqueciam mais. Quando na época da Inquisição, (por 600 anos!)
passaram a ter o direito sobre a vida e a morte. A covardia, a tortura, a mentira e o poder eram os
principais instrumentos de domínio em nome de deus. Se eles se interessassem na propriedade de
alguém, incriminavam o dono de herege, torturavam e o matavam. Claro, ficavam com os seus bens.
24.
Se o mundo novamente caísse nas mãos dos cristãos, católicos especialmente, haveria um
retrocesso tão grande que acabaríamos novamente sacrificando vidas, derramando sangue em ritos de
arrancar o coração das donzelas em nome do poderoso deus de amor que não existe. Você consegue
entender isso, não consegue?
Ainda bem, para a humanidade, que existem e sempre existiram os ateus que se opunham a
essa desgraça que se chama religião. Assim foi que a inquisição acabou, a escravidão acabou, a
teocracia perdeu forças e hoje temos até direitos humanos nos mesmos países em que antes
barbarizavam as pessoas para agradar ao Deus de Moisés. Esse que você ama.
Lembra-se quando índios e negros eram considerados sem alma? Isso queria dizer que
poder-se-ia fazer deles o que quisesse: Torturar, matar, escravizar, estuprar, porque nem eles, nem
elas, tinham “alma” (?). “Alma” essa coisa, foi criada pelos pajés espertos e assimilada pela Igreja
Católica. Mais uma escandalosa mentira que colou. Assim, a igreja poderia ter escravos à vontade
que “não estaria pecando”. Eles fabricaram almas para poder controlar até os seus sentimentos,
pensamentos, segredos, seu íntimo, seu cérebro etc. Saía de tudo na confissão. Era a forma total de
controle do subconsciente. Faziam a alma sentir-se culpada, e sua purificação e perdão dos pecados,
custava dinheiro! Com as famosas indulgências até os reis pagaram vultuosas somas, terras e ouro à
Igreja, cada vez mais rica, para serem perdoados por deus. Reis também eram abobalhados, você
pensa o quê?
Era o comércio e a forma de faturar da igreja católica. E hoje, esses fiéis babam para
beijar os pés do principal representante dessa nojeira, o Papa, que, com certeza, não acredita em
nenhum deus que eles mesmos fizeram. Mas, for favor, não chamem o papa de ateu, porque isso vai
desmerecer totalmente a classe dos ateus. Porque existem ateus e safados. Ambos não acreditam em
deuses. Safados que não acreditam em deus não são ateus. São safados. E nessa categoria estão todos
esses líderes espertos que tanto conhecemos nos palcos das igrejas, e tem muita gente por aí que se
diz ateu, mas não passam de moleques.
Não se iludam. O cara pode ser um bobão, crente que acredita em todas essas mentiras
ditadas pela religião, mas... quando esse bobão resolve abrir uma igreja para explorar o seu próximo,
outro bobão (?!) meu amigo... deixou de ser bobão mas tornou-se um esperto safado.
Não existe comerciante bobo. Não existe dono de igreja bobo. Comerciante bobo morre de
fome. Igreja é um comércio. O comércio mais rendoso do mundo. O único cuja mercadoria vendida é
um nada, para ser entregue depois da morte do freguês, lá num lugar inexistente, que ninguém sabe
aonde fica. Putzz!... Negociosinho bão!... Eu fico indignado com isso. O dinheiro entra e só ilusão
sai. Ilusão à custa de umas poucas mentiras ditas num púlpito ou num altar.
Todo comércio tem custos de locação, taxas de água, luz, empregados, mobiliário, além de
impostos e, principalmente, o custo da mercadoria negociada. A Igreja também tem esses encargos,
menos pessoal (fieis trabalham de graça), impostos e a mercadoria negociada. Enganação nada custa,
não é? Promessas que vão se cumprir no além, depois que você morrer, muitos bilhões de séculos
depois (?) Vida eterna (?) Promessas que nada custam e não comprometem o mentiroso. É como se
você entrasse numa loja e comprasse um automóvel, cuja entrega seria na eternidade. Um dia!...
Quando um cara, que nunca esteve aqui na Terra, voltar. Só então, você terá o seu carro. Você assina
o contrato, paga à vista em dinheiro vivo (nada de pagar depois, porque deus não aceita), e vai pra
casa aguardar a morte. Nem pode dizer que o cara te roubou, porque você não morreu ainda!...
Olhe... Para entrar nessa tem que se muito otário!... Me desculpe quem não concorda. Mas
se o cara tiver só um pouquinho de lucidez, ou seja, ainda não tem o cérebro lavado pela religião, não
vai aceitar ser vítima dessa vigarice!!! Ou então, é otário mesmo! Aí, merece!
Uma safadeza revoltante, em nome de um deus inexistente.
25.
Como é que alguém paga por uma coisa que não existe?!... Alguém já viu vida eterna?
Alguém já viu uma alma?
Então, como é que alguém vai mandar a sua alma para a vida eterna?
É preciso ser muito bobo para acreditar nisso e eu nem entendo como existe tanto bobo
nesse mundo! Os padres e pastores estão rindo de vocês... E eu... Estou com peninha...
Já fiz essa besteira. Também já fiz papel de otário.
Ah! Que raiva!!!... Que decepção na minha vida!
Pelo menos, nunca comprei lotes no céu por 200 mil!... ha, ha, ha!...
(A Universal foi processada porque explorava um velhinho incapaz, desde 1981, tomava
todo o dinheiro dele, os empréstimos que ele fez no banco e as propriedades que vendeu para dar o
dinheiro para a o bispo Macedo e ainda venderam a ele, as chaves do paraíso. Pode?!)
Eles não trabalham. Não precisam trabalhar. Fizeram uma faculdade para aprender isso.
Sobem num palco e prometem a todos uma vida eterna depois que Jesus (que não existiu e nunca
veio) voltar. Pronto! E as ovelhinhas vão cabisbaixas, com envelopinho na mão, deixar o sustento do
vigarista que está no palco sorrindo... Uma mina de ouro! Sem controle, sem custos e sem impostos.
Mas tudo legal. O Brasil é uma mãe para essa cambada.
Capítulo 9
Imaginem que na Bíblia está escrito:
Mateus 27:
“52 os sepulcros se abriram, e muitos corpos de santos que tinham dormido foram
ressuscitados;
53 e, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e
apareceram a muitos.”
Os túmulos se abriram e os santos saíram deles e caminharam no meio da rua e muitos
viram!... Cadê a prova disso? Diz aí o nomezinho de apenas um que tenha visto (?!). Mortos vivos
caminharam pela cidade, uma coisa fantástica, que nunca ninguém jamais viu acontecer, e não se tem
sequer um testemunho disso! Ninguém escreveu sobre isso, essa coisa fantástica! Está na palavra de
deus! E você acredita? Fala sério!... Como pode entrar na sua cabeça que um ser humano-deus
caminha sobre as águas do mar sem afundar? Você é louco? Ou o quê?!... Parece mais que estamos
na Era antes de Cristo, quando os homens acreditavam em milhares de deuses e deusas. As
mitologias gregas e romanas estão cheias deles. Coisa de 3.000 anos atrás. Mas estamos no século
XXI. Era do DNA, da Célula Tronco, do átomo, das viagens cósmicas! Temos a obrigação de ser
esclarecidos! Não acreditamos mais em lobisomens! (Ou acreditamos?!). Precisamos ter um grau
mínimo de cultura que nos diferencie dos macacos!
É possível ainda hoje, alguém que não seja um ignorante estúpido acreditar que alguém
morre e depois de três dias de decomposição, revive e voa para um céu imaginário? Não é possível!
Você acredita nisso? É loucura! Uma insanidade, uma doença mental. Não é razoável, não é racional.
Não acreditamos mais em vampiros nem mulas-sem-cabeça, em zumbis, mortos vivos! Não é
possível que exista nesse mundo gente com mentalidade tão atrasada que aceite essas coisas sem
contestar!
As pessoas que não conseguem os seus objetivos na vida, quanto mais se desesperam, mais
se apegam a essas crendices, seja Jesus e as promessas que daí partem, na boca desses pastores
26.
mentirosos, e mais dão dinheiro para buscar uma solução divina. São presas fáceis, descontroladas,
frágeis mentalmente. E os pastores aproveitam, prometem e prometem em nome de um deus que não
existe. Foi o que aconteceu com a minha saudosa mãe que quase morreu do coração bem mais cedo,
porque acreditando nesses malditas promessas, parou de tomar o remédio de controle cardíaco, e foi
parar no hospital. Quase! Não fossem os médicos (humanos), ela teria ido. Foi assim também que a
minha ex-esposa, fanática religiosa estava sendo despejada do apto em que vivia com meus dois
filhos. Não fosse eu, um ateu convicto, arranjar com urgência uma casa para eles mudarem no
mesmo dia e ainda pagar o caminhão de mudanças, isso teria ocorrido. Sabem por quê? Porque ela
dava pesadas somas do seu salário para a igreja, acreditando numa promessa qualquer que lhe
fizeram em nome de Jesus, sei lá e atrasava o aluguel. Meu próprio filho contou.
Não é uma nojeira isso? Como é que o cara tem coragem de prometer uma coisa que sabe
que não vai acontecer? Não existe Jesus nenhum! Não existe deus nenhum! E ele promete em nome
dos dois, curas milagrosas, conquistas impossíveis, realizações maravilhosas, que não acontecem.
Promete até a vida eterna!!!... Você conhece alguma prova de que vidas eternas existem? Vai nessa
não!...
Enganar o povo dessa forma, objetivando conseguir dinheiro, não é crime? Qual é a
diferença para o vigarista comum? Nenhuma!
A Igreja Católica atua mais no misticismo “misterioso”. O povo por si se corrompe quando
faz promessas a santos imaginários, representados naquelas figuras de cerâmica. Faz a promessa e sai
correndo atrás. Se consegue, agradece e enche a sacolinha de donativos. Se não sair correndo atrás,
nada acontece e fica por isso mesmo, mas a sacolinha está lá fazendo dim-dim...
O problema não é o dinheirinho que eles dão para sustentar essa organização mafiosa, mas é
ser enganado. Isso é bem pior. Esperar em providências divinas que jamais serão tomadas. Isso
empaca a vida, desenvolve uma inércia no crédulo, esperando pela tal benção, um milagre e não faz
nada. Que nem quem joga na loteria, fica esperando ser sorteado. É um atraspo de vida, o caminho
para o conformismo, para a resignação, para a covardia! - “Deus não quis”...
Na vida a gente tem que lutar para conseguir o que se quer. Não é pedindo a santos que vai
acontecer. Na minha família, todo mundo luta e consegue. São vitórias e mais vitória, conquistas de
todo jeito, todo dia, pelo esforço de cada um (inclusive eu, claro).
Quer saber de uma coisa? Não deixe nada nas mãos de deus nenhum, porque deuses não
existem e você vai se dar mal. Pensa bem o quanto você já se iludiu com isso!
Aprenda a usar o SEU poder, a SUA capacidade de escolha e decisão. Escolha você mesmo
o SEU caminho! Pense! Raciocine! Quanto mais você fizer isso, mais capaz você será. Não é
largando as muletas de repente que você vai conseguir tudo. É um processo também. Um processo de
adaptação, de descoberta dos seus valores, um processo de confiabilidade própria.
Acontece que o religioso é fruto de uma lavagem cerebral que acontece desde a infância
aqui nesse país extremamente cristão. Assim, ficam condicionadas a deixar tudo nas mãos de um ser
inexistente.
Meu amigo... Você não tem alma, porque alma não existe. Você já viu alguma alma?
Conhece alguém que já viu alguma? Não dá para desconfiar que eu estou com a verdade? Só porque
há 5 mil anos atrás, um analfabeto (como os índios antigos que você vê na TV) disse que existia um
deus e milhares de anos depois, outro mais letrado escreveu e acabou parando na Bíblia, não quer
dizer que tenha alguma credibilidade. Lembre-se: Ignorantes, analfabetos, estúpidos que nada
conheciam sobre coisa alguma, criaram espíritos, almas, deuses... Você vai acreditar nesse troço???
Por que os cientistas, muitíssimo mais capacitados, não atestam que existe alma? Pergunte a um!
Mostre a declaração de algum afirmando isso! (salvo os Adventistas) Alma foi invenção da
27.
ignorância, aproveitada pela igreja, há muitos séculos atrás, para poder controlar o povo. Diziam que
a alma (invenção) estava em pecado (pecado, outra invenção) e precisava de salvação (mais
invenção) ou iria para o inferno (outra invenção).
Reparou que são peças da mesma trama? Alma, pecado, inferno, Jesus, salvação, vida
eterna... Uma coisa interligada à outra. Fabricadas para tomar o seu dinheiro! Não existe alma,
apenas cérebro, “consciência pensante em sua dimensão psicológica, orgânica ou neuronial” - diz o
dicionário.
Daí, também não existe pecado, apenas consciência. Não existe inferno nem nenhuma vida
eterna, por isso, ninguém precisa de salvação. Salvar o quê? Merda!!!... Estou falando grego?! Será
que é tão difícil entender isso???
Arre!!! Preciso parar. Vou tomar um suco de maracujá do meu quintal...
............
Imagine que, o cara que inventou o pecado, também criou as regras para você pecar. Ora...
desejar a mulher do próximo é uma coisa mental! Instintiva. Coisa que a Natureza te deu. A mulher é
uma fêmea. Não se pode evitar. O homem sadio deseja qualquer mulher, seja ela de quem for (assim
como a mulher deseja o homem da próxima, rsrsrs). A consciência dele é que vai dizer se aquela
mulher está disponível para uma investida, ou não. Mas você já pecou (em pensamento)! Cantar a
mulher do próximo, aí, sim, está errado. Não é ético. Socialmente condenável, mas nenhuma lei te
impede de cantar a mulher do próximo e acabar ficando com ela (ou morrer com um tiro na testa).
Você é que vai julgar. Mas desejar acontece. Daí... pecado! Vai pro inferno se não se confessar (e
deixar um dinheirinho na sacola).
Agora... Amar a Deus sobre todas as coisas??? É o fim!!! Essa regrinha foi feita para te
pegar... Uma regrinha tola, só pra você pecar. Quem pode amar uma coisa que sequer conhece? Mais
que a sua mulher? Mais que os seus filhos? Mais que a própria mãe?!!!.. Absurdo! Pronto. Aí, você
já pecou. Tem que salvar a sua alma. Que gracinha... Sabe como? $$$$$$$$$$$$...
Malandramente... Malandramente... Eles inseriram nos divinos mandamentos, regrinhas
humanas. (isso foi coisa do tal Moisés, que também não existiu) como não matar, não roubar, (a
coisa que ele mais fazia), não levantar falso testemunho, honrar pai e mãe... Essas leis em grande
número foram copiadas da legislação do rei babilônico Hamurabi. O famoso Código Hamurabi.
(Yakov Lentsman). Cá entre nós, os homens das cavernas já sabiam disso. Hoje, dá cadeia. Tem nada
de divino nisso. É um crime previsto na legislação de qualquer país, cristão, muçulmano, indiano,
africano, budista... É crime e não se pode cometer. Mas, pecado? Pecado não existe! Foi inventado
pra ter você sob controle. Querem controlar até o seu pensamento, dominar a sua consciência. Os
padres, com esse negócio de “confissão”, ficam conhecendo até o íntimo mais privativo das pessoas.
Seus segredos! O que o homem pensa, o que ele sente, o que ele deseja, o que ele fez e ninguém sabe
(nem precisava saber) nem ninguém tem nada com isso. Mas eles controlam em nome de deus! Que
não existe. Daí? Você paga e está perdoado. Ai... ai... É difícil pra mim, até escrever sobre isso. Dá
muita raiva! Mas eu preciso mostrar pra você, como é esse esgoto fedorento! Ainda bem que esse é o
último...
Essa coisa toda se transforma numa dependência psicológica.
Ainda bem que a religião evangélica não copiou essa parte horrorosa, por causa dos ateus,
certamente, que criticavam abertamente esse absurdo. Mas não precisa. Eles cobram $$$, mesmo
sem conhecer os seus pecados. Eles sabem que você é um pecador! Quem não é?!... O “Pai Nosso”
que o diga. Ora, se eu desejo a mulher do próximo, problema meu! Ninguém tem nada com isso. Não
tenho que contar isso pra ninguém! Nem pagar por isso!
28.
O homem é muito místico e medroso. A Religião foi o resultado da exploração dessas
características humanas. O cara nasce e cresce acreditando em almas, espíritos, anjos, demônios etc.
Então, vive prestando atenção nas coisas que acontecem com ele e na vida dele, sempre vinculando,
procurando conferir se tal coisa teve alguma coisa a ver com essas outras coisas. Dependência
psicológica de coisas... Está sempre procurando algo imaginário, buscando situações relacionadas
com aquilo em que acredita (essas bobeiras). Se ele tropeçou numa pedra, foi castigo porque ele
pecou. Se ele tem um mal presságio, é o demônio que está rondando. Se teve um sonho, foi
inspiração de algum anjo que está avisando de alguma coisa... E pior, acaba impressionado com
algumas coisinhas de compreensão um pouco mais difícil, ou acaba mesmo criando situações ou
imaginando coisas que nem existiram. Assim é a mente de um místico. (Estou falando da sua
mesmo!)
Certa vez, uma menina me escreveu contando do quadro da irmã falecida, que pulou da
parede, deu umas voltas no ar e caiu nos pés dela, que estava deitada na cama. Ela estava
impressionada porque havia criticado a irmã, ou coisa assim, que já não lembro, e aquilo era
sobrenatural para ela.
Já tentando explicar sensatamente a situação, questionei-a e ela me respondeu que não
arrebentou cordinha nenhuma e não saiu o prego da parede.
Intrigado, buscando a lógica, fiz mais perguntas, por e-mail, sobre o ocorrido, entrei em
detalhes e pedi até as medidas do local.
Para encurtar a estória: O ventinho do corredor acabou por deslocar um poster, do prego na
parede, que caiu, quicou no pau da cama que estava embaixo, deve ter dado umas piruetas, e caiu no
pé da menina que estava próximo. Uma ocorrência pra lá de normal.
Que direi eu de, esta semana, uma prateleira de vidro grosso que repousada há anos, na
parede da minha sala, despencou com oito estátuas de super-heróis feitas pelo meu filho, escultor,
que mora nos EUA? Algum recado? Alguém vai morrer? Alguém vai nascer? Vou mudar de casa?
Meu filho vem me visitar? Ele vai ganhar muito dinheiro? Vai ter problema nos negócios dele?
Estará pensando em me pagar os dólares que me deve? He he he... (vai ficar bravo quando ler isso).
É só escolher as alternativas. Mas para um ateu, aconteceu simplesmente que, a umidade acabou
enfraquecendo a parede, decompondo a massa do reboco, que não resistiu ao peso e soltou os
parafusos. Pimba! Caiu tudo. Quebrou tudo. Mil dólares de prejuízo. Tá vendo? Não dei o dízimo...
É isso.
Aliás, a casa dele pegou fogo e destruiu tudo literalmente. Ficou só de cuecas em plena
madrugada, assistindo o fogaréu de produtos químicos se queimarem. Até o cachorro foi nessa. Foi
um aviso, não disse? Putzz!...
Eu já escutei muitas estórias fantásticas, muitas mesmo, além das que eu mesmo vivi, e para
todas certamente há uma explicação puramente natural, que o místico impressionado, não consegue
ver (e nem procura). Porque ele tem na cabeça almas, espíritos e credita essas coisas, a essas outras
coisas.
Você não sabe do que a crendice é capaz. Você nem imagina do que o nosso cérebro é
capaz! O ateu livra-se disso tudo porque está sempre buscando uma explicação lógica para cada coisa
que acontece, por mais estranha que possa ser. E sempre encontra. Assim, ateus não veem fantasmas,
nem escutam almas do outro mundo. Que bom né?! Uma pessoa que não tem medo. Que não precisa
ter medo dessas bobeiras, é outra coisa!...
Mas sabe quem fomenta essas crendices, à-toa? As Igrejas! Os Centros espíritas! A eles
interessam que as pessoas sejam inseguras, temerosas, místicas, dependentes psicologicamente
29.
desses santos, de espíritos, de deuses que nada mais são, que as próprias igrejas e sua máfia
controladora.
Entenda isso: Deus (o de Moisés) não existe. Aliás, nem Moisés existiu! Assim como não
existe Shiva. Assim como não existe Brahma. Assim como não existe Alá. Assim como nenhum dos
mais de mil conhecidos por aí*. Em toda a história, nenhum jamais existiu.
*(Mais adiante, fiz uma lista dos 1.200 deuses mais conhecidos).
Então, quem dita as regras em nome desses deuses que não existem? Quem? AS
IGREJAS!... O papa, que inventa pecados. Os pastores, que ditam as regras extravagantes de
conduta. Os rabinos, aiatolá, pais-de-santo que sempre encontram um “trabalho” feito contra você!
Eles dominam as mentes e até querem ditar como o fiel deve fazer sexo, eles querem determinar. -“e
nos seios dela, não toque, pois que ela estará orando enquanto você a penetra” - Cartilha do bispo
Macedo. Afff!... - &*#%$ !!! Acho que vou chorar...
“Não pode ir ao baile porque deus não gosta”... Quem não gosta? Se não existe deus, quem
está contra você ir ao baile?
Se o rapaz se masturba, é pecado. Quem disse que é pecado? A igreja! Os padres babões,
pedófilos ou o quê?! Homem que não tem vida sexual regular é o quê? Que moral esses desgraçados
tem para falar sobre isso? Como pretendem dizer o que você deve fazer, se eles “nunca fizeram”?
Não pode cortar os cabelos, não pode deixar o bigode, não pode usar saia curta, nem
namorar antes dos 16 anos etc etc. A mulher não pode ser sensual e nem usar roupa vermelha. Quem
dita essas regras? Quem define que isso são pecados? Deus? Que deus??? São os velhacos estéreis!
Mas chega o dia de N. Sra. de Aparecida, milhões de pessoas abobalhadas, vão lá, atrás de
uma bênção fantasiosa, que só existe na cabeça delas. Quando voltam, pode conferir, deixaram um
dinheirão para trás, que poderia ter uma utilidade muito melhor, muito mais nobre. Perderam tempo,
fizeram sacrifícios, tudo em vão. Nada vai mudar. Salvo nos cofres da igreja.
E o tal Círio de Nazaré... A mesma coisa. Dois milhões de pessoas em transe hipnótico, que
beira a loucura, desvairados, chorando, desesperados para tocar a corda da procissão, achando que
vai resolver a vida assim. Se cada um deixou um real ali, faça a conta. Realmente, deixaram quanto?
Cinco? Dez reais? Cinquenta, cem, dez mil? Essa coisa é aonde o Brasil parou. Estacionou na
ignorância do terceiro mundo. Assim como a gente acha estupidez aqueles indianos se mutilando,
chicoteando as costas em procissão e adorando vacas, o resto do mundo culto deve achar a mesma
coisa de nós quando vê imagens desse povo fanático, rosto transtornado, sofrendo horrores para ver
uma estátua de longe. Martírios, sacrifícios, promessas em vão. Pessoas desesperadas, carentes,
doentes, desamparadas, sofridas (povo cristão é assim) cuja única esperança é a maior das ilusões:
“Nossa Senhora”. Dá até pena... Muita pena... É duro saber que tem gente rindo, feliz com isso,
ganhando muito dinheiro por trás de todo esse sofrimento idiota. Dá pena desse povo. Dá raiva
desses safados que exploram a boa fé, a sinceridade, o engano cruel desse povo ignorante. Ah, se eu
fosse um ditador!...
A Igreja evangélica lota o estádio do Maracanã. Saem de lá com sacos de dinheiro. Rindo!
Galhofando! Deus coloca dentes de ouro na boca de uns privilegiados. O povo chora extasiado e
acredita nessa falcatrua obscena. Uma vergonha.
É sempre a exploração por trás de tudo. Tanto faz o tipo de religião: judaica, islâmica,
católica, evangélica e tantas outras. O que mais dói é saber que eles ganham dinheiro tirado do
sofrimento do povo. Mil vezes mais os jogos de azar. Viva os cassinos e o Bingo que exploram
30.
apenas os ignorantes abastados, as velhinhas aposentadas que não sabem o que fazer com o dinheiro.
Essas não estão sofrendo, não estão doentes, não estão abandonadas à própria sorte. Mas esse povo
que se sujeita a participar dessa enganação religiosa, dá pena...
Vejam esse absurdo:
Uma pessoa ganha R$ 5.000,00 por mês (minha mulher – atéia - ganha mais do que isso)
Se essa pessoa é dizimista, deve contribuir para a igreja com 10%. (são R$ 500,00). O valor da
prestação de um carro, uma casa própria, um aluguel... Poderia comprar uma geladeira nova a cada
dois meses, fazer uma viagem de férias, comprar duas bicicletas, uma TV nova, ou simplesmente,
passar a se alimentar muito melhor, viver com mais conforto, E AINDA DAR MUITA ESMOLA
POR AÍ.
No entanto, o que impele essa pessoa a dar os $500,00 todo mês para a igreja? A sua mente
deturpada! O seu cérebro lavado, enganado com essa estória de salvação e vida eterna. Está certo
isso?
Meu amigo: Ninguém NUNCA, JAMAIS, provou que existem essas bobagens! Pense bem
o quanto faz parte da fantasia esse negócio de vida eterna. Nem alma existe! Sabe qual é a realidade?
A triste REALIDADE??? Morreu, acabou. É isso que o homem não se conforma e os espertos se
aproveitam. -“Pra que tanta inteligência, tanta cultura, se morremos e acaba tudo?” - eles dizem.
Mas pense bem: Seja realista.
Nós evoluímos do Australopitecos, do Neandertal, do Cro-Magnum, ou seja, homens das
cavernas, tão boçais quanto qualquer chimpanzé de hoje. Será? Será que esses nossos antepassados
pensavam que iriam para alguma vida eterna? Pensavam da mesma forma que nós, hoje? Será que
eles pretendiam ser eternos? Então, o que mudou? Nada! Apenas a nossa inteligência evoluiu, mas
nem por isso somos diferentes dos homens das cavernas ou qualquer outro animal, e hoje, nos
achamos no direito de ser imortais ou ter uma vida eterna. Muita presunção! Temos dois olhos, boca
nariz, cérebro, sistema respiratório, sistema digestivo, sistema circulatório, sistema reprodutor, como
qualquer cachorro ou macaco. Por que essa pretensão de ser diferentes? Faça um furo na sua barriga
e você está morto! Mais um pouco e apodrece. Milhões de seres humanos morrem todo dia. Por que
vida eterna? Quem disse isso? Seria por acaso, o mesmo careta safado, que agasalha o seu
dinheirinho real, suado? Dá pra desconfiar, pelo menos, que é uma bela duma armação? Será que
você, nem ao menos, desconfia disso? Por favor... Desconfie! Favor a você mesmo! Procure a
verdade!
Ahhh... Mas está escrito na Bíblia!... (?)
Se você põe a sua vida nas páginas de um livro, que tem quatro vezes a idade do Brasil, de
tão antigo, e não é reconhecido como histórico pelas autoridades, não é digno de ser estudado nas
escolas, não tem autores nem originais, deveria conhecê-lo um pouco, pelo menos. Você o conhece?
Capítulo 10
Bem... Então, começamos tudo de novo. Responda:
Quem escreveu a Bíblia?
Quando escreveram a Bíblia?
Por que escreveram a Bíblia?
31.
E por que acreditar num livro místico cheio de mágicas absurdas, estórias inverossímeis,
coisas impossíveis de acontecer segundo o teu próprio conhecimento? Você já experimentou andar
sobre as águas? Tirar água de pedra com uma varinha? Que fator tão decisivo é este que faz você
acreditar até em coisas que extrapolam o bom senso, impossíveis de acontecer? Ouviu algum
engravatado falar? Foi mamãe ou papai que disseram? Puro misticismo? Burrice? Estupidez? O que
te leva a crer nisso? Fanatismo? Obsessão? Loucura? Por que acreditar num livro enfadonho, cheio
de poesias repetitivas sobre seres imaginários que citam coisas absurdas? Desde as estórias de
Moisés, um mito que jamais existiu, que abria o mar com sua varinha de condão, até as absurdas
estórias de Jesus que andava sobre as águas e ressuscitou. Você sabe o que quer dizer ressuscitar? É
reviver depois de morto enterrado e fedendo. E você acredita nisso? Você já viu isso aonde? Está
faltando bom senso ou você já nem raciocina mais? Não vê que uma historieta contada há 5 mil anos
e outra há 2 mil anos atrás, não servem mais para os dias de hoje? Antigamente o povo era muito
despreparado. Totalmente inculto, ignorante! Nem sabiam que a Terra era redonda. Imagina o resto.
O tal profeta Isaías citou a Terra como sendo um círculo, terminando em abismos cheios de dragões
(Is. 40-22) Vai ver, esse cara nem existiu, mas um bobalhão qualquer escreveu isso naquela época.
Para Salomão, além de círculo, a Terra terminava num abismo e o mar era contido por deus, para não
cair nele. (Prov.8-27). Acho que vou rir... Esse era o entendimento da época. Diga: Esses caras têm
competência para criar algum deus? Pois é... Mas criaram ESSE que você acredita que existe. Pô!
Raciocine!!!...
A vida de Jesus Cristo está, em parte, relatada na Bíblia. Ora, se Jesus não existiu, a Bíblia é
uma farsa. E se a Bíblia é uma mentira, não atesta a existência de Jesus. Nem a de deus! É uma
mentira tentando dar veracidade à outra mentira.
Um vendedor diz que o produto tal é de boa qualidade. Você compra. Depois constata que o
vendedor te enganou. O que acontece? Nem o produto presta, nem o vendedor presta. É uma coisa
falsa vinculada a outra coisa falsa.
No caso da religião, há três coisas falsas interdependentes: A Bíblia, Jesus e o pastor (padre,
pregador etc).
O pastor diz que a Bíblia é verdadeira. Se assim fosse, Jesus seria verdadeiro, existiu de fato
e é como descrito na Bíblia.
Se, no entanto, Jesus Cristo não existiu, é um mito como tantos outros deuses anteriores
foram, a Bíblia que conta a estória dele, é falsa e o pastor é um mentiroso.
Já a Bíblia, por si só, não tem credibilidade, pois foi escrita ninguém sabe por quem, não
existe original, foi escrita depois do Século II e foi manipulada durante doze séculos pelos padres
católicos, até o Século XVI, e ainda conta essas bobagens que eu citei acima, quando então veio a
domínio público, não tem valor como verdade histórica e a sua estória não tem autenticidade,
inviabilizando a seriedade do pastor e, por sua vez, não atesta que Jesus tenha existido, de fato.
Historiadores famosos e antigos cansaram de explicar isso, só que os seus livros são alijados da
cultura brasileira e de outros países cristãos subdesenvolvidos.
Se Jesus não existiu, a Bíblia é falsa e o pastor é falso também. Mas o pior é que o deus de
Israel, esse que você acredita, foi criado a partir das estórias da Bíblia. Se a Bíblia não tem
credibilidade, acreditar em deus como, se eu também não tenho nenhuma prova da sua existência?!
Ou seja, não existe nada que garanta coisa alguma. Muita mentira!!!
- Há!... Mas os apóstolos escreveram... – Peraí! Apóstolos não existiram! Não podem atestar
nada porque fazem parte da mesma farsa!
Reparou? As coisas estão interligadas, uma teia de mentiras tentando atestar a veracidade
uma da outra, mas nenhuma delas é confiável e ninguém garante que todas não sejam falsas. Como a
32.
religião enriquece à custa dessas estórias, dá pra desconfiar que haja uma farsa geral engendrada para
beneficiar a Igreja. Religião sempre foi isso aí...
Considerando ainda que essa estória de Cristo é cópia de outras, foi contada milhares de
anos antes por outras sociedades, egípcias, indianas, chinesas, tudo muito parecido, quase igual,
deixa assim, aquele gostinho amargo na boca, de que estão te fazendo de trouxa para levar o teu
dinheiro, como fizeram com os antigos a vida toda. Ou você acha que, se não houvesse dinheiro na
jogada haveria religião?
Vamos comparar com a história de, por exemplo, Herodes que é da mesma época:
Herodes tem a sua história gravada nos anais de Roma (anais são os escritos oficiais do
Estado, narrando a história, ano após ano). Herodes tem sua história gravada numa biografia
autêntica, cujos originais existem, guardados em museu. Herodes teve pintura e escultura feita por
artistas romanos. Herodes teve parentes comprovados, amigos e inimigos que escreveram sobre ele,
na época em que ele existia. Seus feitos são contados por inúmeros historiadores conhecidos que
participaram do seu império. Deve haver alguns pertences seus, guardados em algum museu por aí
(desconheço).
Assim, ninguém duvida da existência de Herodes.
Por acaso (um aparte) na história de Herodes não existe nenhuma interação com nenhum
Jesus Cristo, nem reis magos, nem cita qualquer perseguição e morte de criancinhas na busca por
algum Jesus. Como é que pode isso? A estória da Bíblia sobre Herodes não bate com a história de
Herodes. Uma das duas é falsa, inventada ou omissa. Qual você acha que é? A palavra de deus ou a
palavra dos humanos?
Assim fica fácil você acreditar que Herodes existiu. Ninguém põe dúvidas. Além do mais
Herodes foi um homem comum, não foi um deus! Não andou sobre as águas, não ressuscitou
nenhum morto, não multiplicou peixes, não transformou água em vinho, nem ressuscitou (reviveu
depois de morto e sepultado) com ossos e tudo, ou subiu para algum céu que ninguém sabe o que é,
nem onde fica.
Mas no trio “parada dura”, Bíblia, Jesus e pastor, que pretendem, um endossar a verdade do
outro, nenhum dos três é confiável (não acho que terno, gravata e boa conversa faça alguém ficar
confiável. Essas são também ferramentas de vigaristas!).
Além do mais, pastor é suspeito. Por quê? Porque vive à custa dessa estória. Se a estória for
declarada mentira, ele vai ter que procurar emprego. Padre é a mesma coisa. Rabino, Aiatolá, não
estou fazendo diferença.
Hoje em dia, pleno século XXI, ainda acredita-se em almas penadas, acredita-se em botos
que saem das águas e engravidam as donzelas no Amazonas. Já imaginou há 5 mil anos atrás, como
era? Acreditavam em milhares de deuses e seus poderes terríveis. Deus águia, deus boi, deus vaca,
deus pedra, deus titica de galinha. O homem era um imbecil total. Completamente apatetado e
controlado pela religião. As meninas virgens seguiam mansamente para o altar de sacrifícios, onde
iriam tirar o seu coração e ofertar ao deus do cacete, para que a colheita fosse boa naquele ano.
Essas pessoas foram as que escreveram o Velho Testamento da Bíblia!!!... Você acredita
nisso? Arca de Noé? Universo feito em 7 dias? Um monte de gente 40 anos num deserto comendo
merda de camelo? Tábuas da lei escritas por deus? Vai devagar amigo!... Você costuma raciocinar?
E a estória de Jesus? Totalmente forjada! Tudo falso! José e Maria não existiram. Imagine!
A Virgem Maria é um mito, mas discute-se se ela era virgem ou não! Jesus não existiu, mas discutese se tinha olhos castanhos ou azuis! Nem Pedro, nem Paulo, Tomé, Judas, Madalena, Marcos,
33.
Mateus, Lucas, João, Tiago!... Tudo mentira! Tudo invenção. Desse grupo da estória o único cara
que se tem comprovação da existência foi João Batista, que jamais batizou nenhum Jesus, nunca o
viu, morreu antes dele aparecer na estória e não escreveu evangelho nenhum! Uma invenção
querendo misturar fatos verídicos com mentiras criadas pelos religiosos católicos romanos. O real
com o imaginário. A verdade com a fantasia. Se você não acredita vá pesquisar! Encontre UMA
prova da existência de qualquer um deles.
Qualquer esperto quando conta uma mentira, costuma misturá-la com algumas verdades
para que seja acreditada também. A Bíblia não é diferente.
Misturaram Nero, Pilatos, Herodes, César, que foram personagens reais e históricos, com
Jesus, Pedro, Maria, Mateus, Lucas, Marcos, Judas, fabricados, para que esses tivessem credibilidade
histórica. Pelo jeito, deu certo para muitos.
Não existem documentos oficiais sobre Jesus assim como existem dos demais. Daí, essa
mentira, no mundo científico moderno, não passou. A Arqueologia hoje é muito desenvolvida e
reconstrói a história dos nossos antepassados, de milhões de anos, e até os hábitos deles nos mínimos
detalhes. Basta que eles tenham existido. Mas sobre essa turma existe NADA!
E você acha que essa Bíblia é uma fonte segura de informação para garantir que existe vida
eterna? Tenha dó!!!...
E os padres que escreveram a última versão da Bíblia não eram bobos. Eles eram do time do
“não me comprometa”.
“-És tu o filho de Deus? - Tu o dizes...” Era assim. Por que não escreveram “Eu sou”!
Porque iria comprometer. Fatalmente iriam pedir provas ao tal Jesus do que ele estava dizendo. E as
provas correriam no tempo tornando-se imortais e fáceis de desmistificar. Assim, ficou o dito pelo
não dito. Quem quiser que acredite.
“Pedi e dar-se-vos-á”. Linda frase. Quem lê, a maioria absoluta ignorante, acha que é só
pedir que Deus dará. Agora, repare bem no que os espertos escreveram: “Pedi” = não diz a quem
deve ser pedido. “Dar-se-vos-á” = também não diz quem vai dar aquilo que foi pedido. Seria o
mesmo que dizer: “Peça por aí... alguém lá no além acaba dando.” Por que não escreveram?: “Peça a
mim que eu te darei”. Claro, iam enjoar de pedir à-toa e nada iria acontecer. Como de fato nada
acontece.
Assim, meu amigo, é a Bíblia inteira. “Não me comprometa”. Nas vezes que eles deixaram
escapar, os ateus pegaram. Duas mil contradições já foram citadas, isso porque o Velho Testamento,
escrito muito mais pra trás, não teve todo esse cuidado. Dessa forma, eles estão até hoje procurando a
tal Arca com as Tábuas da Lei escrita por Deus... Quem sabe, um dia, eles expliquem como se tira
água da pedra, abra o mar ou parem o Sol e a Lua no céu... Putzzz!!!
Estou dizendo para vocês: Esse é o último livro que eu escrevo sobre esse assunto, porque já
encheu o saco. Quem quiser que raciocine e vá buscar as verdades. Quem quiser viver na fantasia,
discutindo se Jesus era loiro ou moreno, se Maria era virgem ou não, acreditando em abobrinhas,
sustentando padres, rabinos e pastores, que continue e não precisa nem me informar – Estou fora! Tenho a minha vida para cuidar. Aliás, uma vida muito boa, alegre, descontraída, tranquila, pacífica,
livre e com muito trabalho. Quero mais nada.
Acredito em mim. A minha força vem de dentro de mim mesmo, do meu raciocínio e da
minha inteligência (comum). Sou um cara normal em tudo. Só que: Não tenho a mente embotada.
Raciocino...
34.
Nós, Homens (o ser humano) somos um poço de emoções e sentimentos. Um poço
profundo e complexo. Dá a impressão de que o nosso corpo serve apenas para equilibrar a cabeça
onde se encontra o cérebro, o que realmente vive, o centro de tudo o que acontece na nossa vida. Eu
sei que os outros animais também têm essas emoções, porém menos intensas. Eles demonstram
alegria e tristeza. Eles choram e riem. Mas nós temos uma infinidade de sentimentos diferentes muito
mais complexos e evoluídos como a percepção das cores, os sabores, os sons, os odores e o tato.
Cada um com uma gama, quase infinita, de sub-reações provocadas no nosso cérebro. Imensas
alegrias, imensas tristezas, saudades, prazer, amor, ódio, frustração, inveja, arrependimento, remorso,
medo etc.
Cada instrumento tocado numa orquestra te dá uma emoção diferente, cada conjunto de
notas musicais (música) um sentimento diferente. Cada fruta que você saboreia te causa uma reação
diferente, o sal, o açúcar, o limão, o jiló, os temperos, os perfumes dos alimentos, das flores, da
maresia, da pele, do suor... Eu quero demonstrar com isso, a complexidade das nossas emoções e
sentimentos, que estão alojados e definidos na nossa mente.
Meu amigo... É aí que a religião ataca. É aí que a religião te engana! Te ilude, te ludibria, te
tapeia, te conduz e te faz um dependente, manipulando os seus sentimentos, explorando as suas
emoções. Quer ver?
Eu lembro, quando frequentava a Igreja Presbiteriana da Ilha do Governador, um casal
passou por aquele processo de conversão (aceitar Jesus). A música do coral tocou seus sentimentos e
emoções, e o rapaz confuso, sem entender o que acontecia, atendeu aos apelos do pastor e levantou o
braço “aceitou Jesus” e foi convidado para ir à frente do púlpito. Passaram por mim que estava
sentado. O rapaz, principalmente, vinte e poucos anos, chorava emocionado. A cabeça dele devia
estar confusa, em estado de arrependimento pelo que nem sabe se fez, mas sentia-se um pecador.
Acreditava, com certeza, que havia sido tocado pelo Espírito Santo, que Deus naquela hora havia
fechado um circuito com ele. Pobre infeliz caiu na armadilha preparada pela igreja. Eu já havia
passado por aquilo. Sabia bem o que viria depois: Uma cartela de dízimos para você pagar
mensalmente, o ano todo. Tremenda manobra. O cara iria tornar-se mais um sócio contribuinte do
divino, alimentando a estrutura da igreja, os reais donos do imóvel que investiram o seu capital ali e
de quebra sustentar o pastor e sua família.
Esse pobre casal foi atingido na complexidade dos seus sentimentos, um misto de alegria,
realização, paz, arrependimento, de não sei mais o quê, mas foi convencido de que o Espírito Santo
lhe agraciou.
Meu amigo, quantas vezes eu chego a chorar ao escutar lindas músicas orquestradas. E por
que choro? Não sei!... É a emoção que as notas dos instrumentos provocam no meu cérebro fazendoo entrar em confusão. Vem a nostalgia, as lembranças de épocas distantes, das pessoas que a gente
gosta, a saudade daquelas que já se foram ou que não vemos há muito tempo... Nem sei explicar isso.
A beleza da música, o ambiente preparado. Uma sensação de bem-estar, um misto de emoções
indecifráveis que nos faz chorar de emoção. Mas não tem Espírito Santo nenhum aí! É algo
perfeitamente natural e comum a pessoas mais sensíveis emocionalmente. Chorei copiosamente
quando assisti uma orquestra ao vivo tocando Rachmaninoff. São emoções traduzidas pelo nosso
cérebro, que os vigaristas logo dizem que deus tocou você. Mentira! Tem nada disso! Não tem Jesus
nenhum! Não tem espírito nenhum! É apenas uma exploração dos seus mais lindos sentimentos
mentais.
Minha filha quando tinha uns 6 anos, por aí, chorava quando ouvia as minhas músicas,
obras clássicas de grandes compositores, músicas lindas que realmente tocam os nossos sentimentos.
Mas se alguém de terno e gravata diz que é Jesus, você, confuso, acredita! Lógico, você não
entende o que está se passando. Eles estão dizendo, você acredita! Um embuste! Uma sacanagem!
Que pilantragem!...
35.
O homem continua sendo um ser ignorante, basta ver a quantidade de crendices estúpidas
que ele tem na cabeça: Cartomancia, horóscopo, runa, tarô, quiromancia, feitiçaria, bruxaria,
macumba, espiritismo, judaísmo, protestantismo, catolicismo, islamismo, hinduísmo, xintoísmo,
budismo e todos os seus desdobramentos como santos, santas, deuses, e super-heróis que são capases
de voar, andar sobre as águas, morrer e nascer de novo, viver eternamente, ter várias vidas etc.
Por isso o homem é muito inseguro e tem muito medo do desconhecido que ele mesmo
fabricou. Entenda: Um ateu não tem medo de inferno porque não acredita nele, mas o crédulo sim,
esquecendo-se que ele mesmo, ou seja, outro homem colega dele, criou o inferno. Entenderam?
Então, o homem tem medo e o medo místico incutido em suas cabeças os faz buscar a
segurança e proteção, da mesma forma, mística. Para combater o diabo, criado pelo homem, tem
deus, criado pelo homem. Para que a alma (criada pelo homem) não vá parar no inferno (criado pelo
homem) ele precisa de Jesus (criado pelo homem), para ser salvo (conceito totalmente criado pelo
homem). Para se defender do espírito maligno de um homem, precisa recorrer ao centro espírita para
se defender, sendo que espíritos não existem de fato e apenas foram criados misticamente, pelo
homem.
Essa parafernália toda, muito bem organizada e explorada (pelo homem), chama-se
Religião, e tem os seus líderes, geralmente pessoas ou organizações riquíssimas, que vivem da
contribuição do mesmo homem, ignorante de sempre.
Olhe aqui a lista de mentiras da Religião:
Deus, Jesus Cristo, Maria, José, apóstolos, discípulos, crucificação, ressurreição, almas,
anjos, demônios, espíritos, mortos vivos, diabo, Satanás, reencarnação, Céu, Paraíso, Inferno,
pecado, Purgatório, milagres, Criacionismo, Vida Eterna, Deuses que existem por aí, hoje (Alá,
Shiva, Brahma), Moisés, Buda, e esses misticismos: Regressão a vidas passadas, Runa, Tarô,
Horóscopo, magias, macumbas, patuás, cristais, cartomancia, quiromancia etc. TUDO,
TOTALMENTE MENTIRA! Não existiram! Nada disso é real, nada disso funciona, nada disso é
verdadeiro. Tudo enganação!
Quer ver as verdades (algumas)?:
João Batista (Não o evangelista, mas o que o Rei Herodes decapitou), hipnose, autohipnose, poderes do cérebro, leitura da mente, Evolução, Lavagem Cerebral, alucinação, distúrbios
mentais, curas psicológicas, regressão por hipnose (só até essa vida), Fé em coisas reais, mágicas de
palco, roubalheira da Religião. Essas sim são verdades que você pode confiar (ou desconfiar).
Capítulo 11
Quando você entra numa igreja católica, a suntuosidade impressiona. Você sente o ambiente
lúgubre, austero, misterioso, silencioso, aqueles santos espalhados pelos cantos com cara de
sofrimento, candelabros de luzes, ricos, bonitos, altares finamente elaborados, vitrais coloridos, o
som acústico que ecoa no ambiente e, finalmente, a música tocada por um lindo órgão e o coral de
fundo. Qualquer um se emociona, nem interessa quem seja. E você chora. Aí eles dizem: Ali é a casa
de Deus. Você acredita! Você não sabe como é a casa de nenhum deus e nem sabe como é deus
nenhum, por que não acreditaria? Tem alguma coisa estranha acontecendo com você. Tem um cara
de roupa diferente dizendo!... Não vejo porque não acreditar. Mas é mentira!
36.
Outros dizem que Deus está na Natureza, nas maravilhas da Natureza que emociona só de
olhar sua grandeza e imensidão. O céu estrelado, o mar sem fim, o sol, o céu, as florestas, as flores,
os animais... São coisas deslumbrantes, magníficas, emocionantes. São suas emoções que estão
sendo exploradas e, nessa hora, uma mentira cai bem. Seus sentimentos imaginam, se confundem,
você divaga com a mente nessa magnitude e eles dizem que Deus está ali. Está nada! Não existe
deus nenhum! O que está ali é a Natureza e suas maravilhas circunstanciais. Conheça a verdade!
Conheça o Universo, sua imensidão infinita e as teorias de sua criação e evolução.
Dê uma olhada no trabalho que eu fiz “O DIVINO UNIVERSO”, com 50 fotos magníficas,
que darão a você amplitude de conhecimento:
http://br.geocities.com/alfbern2006/
Se esse não abrir, tente esse outro aqui:
http://alfredobernacchi.blogspot.com/
Vê se, quando um vulcão arrasa uma cidade matando milhares de pessoas inocentes, eles
dizem que deus está ali?! Se bem que os antigos achavam ou eram convencidos de que deus estava
zangado e estaria punindo os homens pelos seus pecados. Claro que homens sempre cometem
pequenos erros em sua consciência. Quem não comete vez por outra, erros, ou tem sentimentos ruins
como ódio, inveja e desejo de vingança? Faz parte dos sentimentos humanos e aí a religião explora te
acusando de pecador. Então, você entra na suntuosidade de uma catedral que é a “casa de deus” e
arrepende-se dos seus “pecados”. Muito bonito se não fosse o dinheiro que você gasta para ser
perdoado pelo tal deus e a dependência que se instala na sua mente a esse deus.
Eu sou um ateu e vez por outra, tenho sentimentos negativos. Vontade de dar umas porradas
em alguém que está me incomodando. Mas isso passa e eu simplesmente esqueço. Não preciso ser
explorado por isso. Se me arrependo de alguma coisa que fiz de errado, procuro reparar pedindo
desculpas ao ofendido e acabou aí. Não tenho que pagar nenhuma taxa a deus nenhum. Não preciso
sustentar nenhum padre ou pastor por isso.
Se deus existisse, a coisa que ele menos precisaria era de dinheiro!
E a Igreja? Usa 5% do que arrecada, em manutenção e caridades de fachada. E embolsam os
outros 95%. E você é o bobão que os sustenta para depois que morrer ir para a vida eterna.
£§&%#¨*!! Não dá para acreditar!!!
-Ah... porque o amor de deus... - Deus é pai... - Deus é bondoso...
São frases feitas que quem as repete nem sabe o que diz. Vai ver nem analisa as palavras em
português: Amor? Bondade?
Vamos imaginar que houvesse um deus: Que provoca terremotos no mundo, que matam
milhares de pessoas e animais que nada fizeram contra ele e destrói cidades inteiras. Você chama
isso de deus bondoso? Ou um pai cheio de amor? Não estou entendendo!...
Quem faz os vulcões que há séculos dizimam populações humildes inteiras com fogo e
cinzas por causa das falhas geológicas que destrói civilizações, crianças, animais, florestas, como o
Vesúvio, no ano 79 (4 km³ de cinzas e rochas sobre Pompéia) quando não havia nenhuma agressão
do Homem à Natureza? Quem foi? Foi deus ou você já vai inventar o diabo? Você chama isso de pai
bondoso? Ou de pai amoroso?
E quando há surtos de doenças, epidemias que, como no caso da Peste Negra, em 1300, por
aí, na Europa, matou 75 milhões de pessoas, metade da população? Foi o deus bondoso? O deus fiel?
Ou foi resultado do amor de deus?
37.
Ah... Mas nesse caso, você vai dizer que foi culpa do homem e que deus apenas permitiu.
Se você fosse um pai bondoso permitiria que o seu filho ficasse doente, sem nada fazer? Que tipo de
pai bondoso é esse de que eles falam? Estamos imaginando se um deus existisse e fosse como eles
dizem! Não há uma terrível contradição aí?
E essa aqui, agora?
38.
39.
E quando recentemente uma Tsunami dizimou populações inteiras com grande sofrimento,
velhos, mulheres, crianças, bebês, vacas cachorros, tudo! Aquele monte de cadáveres fedendo,
boiando na praia foi obra do pai bondoso? Ou do deus de amor?
Você vai ter coragem de dizer que foram os homens que deslocaram placas tectônicas no
meio do oceano?
Se você insistir nisso, eu vou te perguntar sobre as galáxias que colidem umas com as outras
criando um caos Universal. Foram homens também? Então, arranje outra desculpa, meu amigo!...
Aí acima está a obra do deus de amor...
Está vendo? Quem enche a boca com frases feitas não sabe o que diz...
-Ah!... Porque deus deu o ar que respiramos...
Deu nada!... O ar está por acaso aí e nós estamos por acaso aqui. Se não houvesse o ar não
existiríamos e o Universo continuaria do mesmo jeito, porque não precisa do homem pra nada! Em
milhares de outros planetas do Universo não existe ar nem ninguém respira por lá e está tudo certo.
Tem alguma coisa a ver com algum deus? Ora... Isso são coisas da Natureza. O Universo não foi
feito pra nós, nem nós pra ele. Estamos aqui porque na Terra tem oxigênio. Se não tivesse, não
existiríamos! Não é o contrário. Ninguém botou ar aqui para nós respirarmos. Existe o ar, por isso
nos desenvolvemos na Terra. E já houve época que não havia oxigênio aqui e não existíamos. E não
foi em sete dias, foram bilhões de anos sem oxigênio e sem homens. E virá o dia em que a Terra será
igual a Marte. Seco e vazio. Cadê deus nesse dia?
Capítulo 12
Olhem, estou cansado dessa conversa mole. Recebo muitos e-mails de pessoas que não se
tocam e só escrevem essas besteiras: “... porque deus é amor, porque deus é pai, porque deus é isso e
aquilo... porque Jesus te ama” Katzz! - Tudo são palavras ocas, que nada representam, porque não
coincidem com a verdade que estamos assistindo. Apenas ouviram falar e repetem da boca pra fora
sem entender o que representam de verdade. Pare de trabalhar para ver o que acontece. Se algum
deus vai te dar o pão de cada dia. O máximo que você vai conseguir é viver humilhado de esmolas.
Isso se souber pedir!...
Onde está o deus bondoso se você fica doente e sofre, tem problemas a vida inteira, morre
de cansado e não pode parar de trabalhar, se não, morre de fome, frio e morre de verdade.
De que adianta você reverenciar um deus, adorar um deus, trabalhar por ele, servir
gratuitamente como faz um escravo e ainda pagar com parte do seu salário, se você perde o emprego,
sua mulher vai embora, seu carro bate na rua, sua família fica doente, seu negócio pega fogo, sua
igreja desaba, sua casa é roubada e você ainda precisa pedir um auxílio a um ateu para sobreviver
porque sem dinheiro a igreja te expulsa!
Eu sirvo a mim mesmo, adoro os meus filhos, amo a minha mulher, trabalho pela família
sem ser escravo de ninguém e com 10% do meu salário faço muita coisa boa e ainda ajudo o meu
próximo carente.
Sou mais cuidadoso, sou mais precavido, sou mais esforçado, uso a minha inteligência em
meu benefício e conquisto minhas metas, orgulhando-me das minhas conquistas. Por isso sou ateu e
o ateu tem a cabeça erguida, sente-se poderoso, o ser mais poderoso do Universo conhecido. O
Homem(*) sim! Tem poder! Controla a Natureza, erradica doenças, constrói, conquista, cura, cria e
faz o seu semelhante feliz. Homens, que retiram uma célula tronco de um embrião e regeneram uma
veia do seu coração. Nesses, eu acredito! O Homem só não é imortal porque na Natureza tudo se
transforma e o Homem é apenas um monte de proteínas que faz parte dela. Mas um dia... Quem
sabe...
40.
Aí, chega um bobalhão e me diz que deus é pai, que deus(**) tem poder, que deus ama seus
filhos!... Só rindo!... Rindo pra não chorar de tanta tristeza da ignorância dessa gente. Sabendo que
essa pobre gente é escrava mental de um simples esperto que montou um esquema de arrecadação,
para viver numa boa sem trabalhar à custa desse bobalhão.
A Caderneta de Poupança rende menos de 1% do SEU dinheiro. Um pastor arrecada 10%
do dinheiro DOS OUTROS! Isso fora o resto. Putzz!... Que exploração do cacete!... Haja bobos
nesse mundo!...
Some quanto você deu para a sua igreja em toda a sua vida. Digamos mil reais (só). Agora
multiplique por dois bilhões de cristãos. Quanto dá? R$ 2.000.000.000.000,00!!! Sabe quanto é isso?
Dois trilhões de reais. É o dinheiro que alimenta essa quadrilha de papas , bispos, padres e pastores.
Entendeu? Não vou repetir!
(*) Homem, com letra maiúscula = ser humano. Com letra minúscula = cidadão do sexo
masculino.
(**) Deus com letra maiúscula = Substantivo próprio. Nome do deus cristão. Com letra
minúscula = Adjetivo; divindade qualquer. Plural, deuses.
Se eu fosse um dizimista teria que dar R$ 500,00 por mês, ou seja, a vida toda. Imagine
quanto eu gastaria sustentando essa corja só em 30 anos? R$ 180.000,00 !!! Cento e oitenta mil reais,
o valor de uma mansão.
É isso que eles querem, seu bobão! É disso que eles vivem e fazem profissão. Um esquema
de enganação, uma vigarice oficializada que nem impostos pagam.
Mas se você acha que está bom assim mesmo, tudo bem, continue ajudando esse esquema a
se expandir no mundo, tirando a auto-determinação do homem, tirando a confiança em sua própria
capacidade, criando dependentes de Nossas Senhoras e Pombas-giras. Você é quem sabe. Tem gente
fazendo pior, queimando a Amazônia. Mas você podia pelo menos livrar as crianças disso, não lhes
contando como verdades, coisas que você nunca viu e não pode provar a existência.
Por que é que ninguém duvida da existência de César, Cleópatra, Ramsés II, Tutancamom,
Espartacus, Nero, João Batista, Herodes, todos da mesma época ou bem antes, e duvidam da
existência de Jesus Cristo? Porque dos primeiros, existem provas da existência, documentos,
estátuas, gravuras, pinturas, pertences pessoais, escritos próprios, obras documentadas, biógrafos,
historiadores, testemunhas oculares que escreveram sobre eles e assinaram embaixo. Já, sobre Jesus
Cristo nada existe, nem um hieróglifo, a não ser no livro de contos de fábulas chamado Bíblia. Dá
pra sentir a diferença?
Então me diga: Eu sou obrigado a crer num personagem que não tem história? Que
nenhuma evidência de sua existência existe oficialmente arquivado em nenhum museu do mundo?
Por que acreditaria? Ainda mais quando contam que ele andou sobre as águas, transformou água em
vinho, multiplicou peixes, curou leprosos, ressuscitou mortos e ele mesmo voltou a viver depois de
morto e subiu com ossos e tudo, como por encanto, para um céu inexistente! É pedir muito a um
cidadão racional e inteligente, que acredite nessa baboseira. E por que você deve acreditar? Você é
um débil mental?
Capítulo 13
Nós estamos no Brasil um país laico (sem religião oficial), mas extremamente cristão. Isto
é, a esmagadora maioria da população brasileira nasceu e cresceu ouvindo falar do “amor de Cristo”,
41.
um ser puro sem pecado. Além disso, mais de 90% da população acredita num deus, seja o deus de
Israel pregado pelos judeus, - ops!... - pelos cristãos, introduzido aqui pelo Velho Testamento da
Bíblia de origem hebraica/judaica, ou um outro tipo de deus qualquer. Gritar aqui: - SOU
ATEUUU!!! - é o mesmo que estar na torcida do Flamengo e gritar Fluminense!... Está arriscado até
a apanhar.
Mas repare bem a minha comparação: Existe a torcida do Fla, como existe a torcida do Flu,
do Vasco, do Corinthians, a do Grêmio, e por aí vai. Nem todo mundo é flamenguista, como nem
todo mundo é cristão e nem ouviu falar de Jesus. No mundo existe mais de um bilhão de ateus!
Como quase 1,5 bilhões de islâmicos, 1,3 bilhões de hindus, como não sei quantos milhões de
budistas, africanos com outras crenças, outros deuses e santos completamente diferente dos daqui do
Brasil. Então, não pense que o cristianismo está com essa bola toda. E tem mais... Anda caindo
muito.
Em 1940, os ditos “sem religião” eram 0,2% da população. Hoje são 7%. Um aumento de
3.600%!!! Enquanto o catolicismo despenca o protestantismo sobe um pouco, mas o cristianismo cai.
Então, meu amigo, essa historieta de Cristo é contada somente em 1/3 da população
mundial.
Reconheço, entretanto, que o islamismo como religião ainda é pior, com a tal crença em Alá
e Maomé, eles fabricam terroristas. Pelo menos Maomé existiu... E o hinduísmo? Lá a religião
determina a divisão de castas sociais hereditárias e proíbe que se deseje mudar de nível social. No
hinduísmo é pecado querer progredir na vida. Pode?! São coisas da religião, esse atraso de vida!
Daí, meu amigo, você pode achar que está com a razão e não são só os ateus que divergem
de você, mas a maioria do planeta não concorda com a sua crença, nem reconhece o seu deus como
sendo P. nenhuma! Vale o deles, que são bem diferentes, inclusive no sexo.
Esfrie a cabeça e não fique triste. Jesus é o mito nº 3.027 no mundo e o 32º entre os atuais
deuses em evidência em pleno ano de 2008. Fala sério!... Você só continua acreditando nessas
abobrinhas se for muito teimoso! Um total ignorante ou um tanto burrinho, não acha?
Você é doente mental? Nããoo!!! Então, tente raciocinar: Olhe para tudo o que eu escrevi
aqui e pense bem... Não dá para concluir que a religião é uma coisa forjada com o único interesse de
enriquecer os seus líderes vigaristas??? Você não sente isso? Não te dá essa impressão pelo menos?
Então, você precisa confirmar isso pra não ficar na dúvida. Estude os livros de história universal do
secundário ou da faculdade. Há muita informação neles. Você vai entender isso. Vá na Internet, use o
Google e tenha um mundo de informações gratuitas ao seu dispor. Ignorância não é mais desculpa.
Tente provar a existência de deus. Nada vai acontecer. Vai acontecer é que nada será
encontrado para ajudar você nessa missão.
Agora tente provar que Jesus Cristo existiu de fato. Outra furada. Não vai conseguir
também porque Jesus não existiu. Nem Jesus, nem seus pais, nem seus apóstolos. Tudo mentira.
Todos fazem parte de um esquema, enfeitado com Santos Sudários, cálice sagrado, manto sagrado,
cruz não sei o quê, e tantos mistérios que jamais alguém poderia desvendar, pois pertencem a um
mito. Ou seja, foram fabricados na imaginação.
Você não acha que, alguém que tivesse existido na mesma época, escreveria alguma coisa
sobre algum deles? Pois lá existiam historiadores, biógrafos, poetas, e escritores oficiais do governo
que contavam a história de Roma, Palestina, Egito etc. E, no entanto, NADA sobre Jesus. Nem pró
nem contra. Os livros apócrifos foram escritos século e meio depois, quando Jesus já era um mito.
Do início da era cristã, primeiro século, NADA!
Na época, existiam artistas, pintores, escultores aos montes, e até humoristas, satíricos, que
poderiam debochar ou duvidar dos feitos atribuídos a Jesus, mas... NADA existe escrito, nem
42.
pintado, nem esculpido. NADA! Dizem que sumiram com os escritos. Quem? Os próprios romanos
sumiriam com os escritos romanos? Os egípcios apagariam os hieróglifos egípcios? E não apagaram
os canonizados, por quê?
Você não consegue estranhar isso? Até na época das cavernas existia pinturas rupestres,
mas em plena civilização romana, nenhum desenho de um deus pregado numa cruz? Pense bem.
Tudo que existe veio do século II pra cá.
Agora, vá ao Egito, ali ao lado, da mesma época ou mais 3 mil anos antes. Tem
documentação de tudo! Até lagartixa embalsamada. A vida de centenas de reis e faraós, aos soldados
e escravos, contadas nas pedras e nos desenhos. Através desses documentos conhecemos toda a
história do Egito antigo. De Roma, conhecemos toda a história, desde as guerras às fofocas dos
impérios, contadas por historiadores como o já falsificado Fávio Josefo. Este, nascido lá pelo ano 40,
é o escritor mais importante da época dita de Jesus porque os padres falsificaram os seus livros e o
citam como referência. Existiu e nada escreveu sobre Jesus. Muito estranho... Existe, no entanto,
falsificações grosseiras da Igreja Católica, cujos originais sumiram, que tem a pretensão de atestar
sobre a existência de Jesus. Umas 5 linhas falsificadas em um livro de Josefo, foi o que eles
conseguiram (só). No entanto, Flávio Josefo escreveu até sobre as cuecas dos romanos. E mesmo
essas 5 linhas, não esqueçam, se tivessem sido escritas por Josefo, não o seria como testemunha
ocular, mas contadas por alguém, naturalmente um fanático qualquer. Josefo nada viu nem ouviu,
nada testemunhou, porque, quando escreveu o livro sobre os judeus, o que foi falsificado, já se havia
passado uns 100 anos do hipotético fato. Ou seja, ele teria obtido apenas informações levadas por
alguém. Josefo escrevia sobre coisas que ele conhecia, não sobre o que lhe contavam de 50 anos
atrás.
A falsificação principal do livro de Josefo já começa assim: “Nessa época...”. Que época?
Nem diz... porque teriam que escrever: “Há uns 100 anos atrás, dizem que existiu um cara chamado
Cristo...”
E quem são os que dizem, se não os fanáticos cristãos da época dele??? Ou você acha que
algum ateu deu essa dica pra ele?
Dos muitos escritores que existiram no início da era cristã, até o ano 33, em Roma, no
Egito, na Babilônia, Palestina e arredores, mesmo entre os apologistas cristãos do Século I,
NENHUM, NUNCA escreveu NADA! Nem a Bíblia contém textos dessa época, pode conferir.
Eu escrevi o livro “Sinto muito, mas Jesus Cristo não existiu”. Leia. Está tudo lá, bem
detalhado, inclusive os textos que precedem e sucedem o trecho falsificado. Você mesmo vai ler,
você mesmo vai julgar se aquilo pertence ao livro.
Vou lembrar mais uma vez que Flávio Josefo nasceu em 37, (o hipotético Jesus já teria
morrido) viveu na Palestina até a destruição de Jerusalém no ano 70, passou três anos em Roma.
Descendia de uma família de sacerdotes. Capturado pelos romanos declarou a Vespasiano que a
profecia sobre o Messias referia-se a ele, o general, futuro imperador romano. Josefo escreveu sobre
a Judéia e a guerra que destruiu Jerusalém sobre a nação judaica até os seus dias. Era fiel à fé dos
seus antepassados, passou-se para o lado dos romanos e nada tinha em comum com os adeptos da
nova religião. Escreveu detalhadamente sobre os essênios e sobre João Batista (o verdadeiro), com
profusão de dados, porém nada escreveu sobre cristãos e muito menos sobre Jesus.
“Os doutos da Igreja, sentindo perfeitamente que a ausência de qualquer alusão a Jesus, em
[nos livros de] Josefo desacreditava ao mais alto grau o mito evangélico, não recuaram perante a
elaboração de uma grosseira falsificação” (Y. Lentsman).
Como poderia considerar Jesus o Messias se já o havia dito a Vespasiano? Na opinião geral
dos historiadores tais linhas atribuídas a Josefo são uma interpolação posterior da autoria de um
copista tão ingênuo quanto piedoso.
43.
Ademais, Orígenes, um dos padres da Igreja, numa polêmica com Celso, crítico do
cristianismo, (Século III) acusa Flávio Josefo de não querer admitir que Jesus era o Messias, porém
Eusébio em sua “História Eclesiástica, no Século IV já reproduzia o texto falsificado. Assim concluise que a falsificação se deu entre o século III e IV. Mais uma “mentira piedosa”...
Agora, eu vou te dar uma testemunha ocular do crime. Você quer ver um cara que poderia
ter apertado a mão do mestre? Vivia na mesma cidade que Jesus, na mesma época e poderiam até terse esbarrado na rua se Jesus tivesse existido. O nome dele? Filon de Alexandria. Já vou explicar.
Antes repare: Não se encontram quaisquer referências aos cristãos nas fontes não cristãs no
Século I. Isto é: Fora as fontes bíblicas ou delas oriundas, nada mais existe que endosse a existência
do cristianismo (de Jesus) no Século I. A maioria das informações a respeito, seria legítimo, que
viessem dos escritores judaicos da época (você concorda, certo?), porque esses autores fornecem
efetivamente, muitos dados da pré-história do cristianismo e da constituição e desenvolvimento
dessa ideologia. Obrigatoriamente estaria nos seus textos o aparecimento de uma seita nova na
Palestina, ou os milagres de Jesus, as peripécias dramáticas da sua vida como descrito nos
Evangelhos, o esplendor e a rápida difusão dessa nova religião. Esses escritores judaicos
obrigatoriamente teriam sido atraídos por esses fatos, pois deixaram uma crônica minuciosa de todos
os acontecimentos ocorridos no pequeno Estado da Judéia, por mais insignificantes que fossem. Ora,
sobre o cristianismo o silêncio é total! Entenda isso: Nada sobre o cristianismo! O que não passa na
cabeça de ninguém. Mas sabem por que? Porque os primeiros passos da narração do Evangelho na
Palestina, se deu a partir do Século II (cem anos após o “nascimento” de Jesus).
Filon de Alexandria, nasceu 30 anos a/C (antes de Jesus) e morreu no ano 54 da nossa era.
Pertencia a uma família de sacerdotes e era fiel a sua religião judaica. Era também grande admirador
da cultura grega.
Filon dedicou toda a sua atividade literária à síntese do judaísmo e da filosofia Helenística
(pós-expansão da Macedônia). Na sua concepção filosófica e religiosa, “Deus é um ser absoluto,
existente desde sempre, eterno e todo poderoso, que dirige o mundo por intermédio do seu filho, o
Verbo, que intercede junto a deus em favor dos homens”
A semelhança entre a idéia do Verbo (logos) e Jesus o homem-deus, salta aos olhos. Isso
não escapou dos padres da Igreja. Segundo os teólogos foi “inspiração divina”.
Filon era considerado por Engels como o pai do cristianismo, porque seus pontos de vista
serviram de ponto de partida para a constituição da ideologia cristã, mas Filon nunca citou o
cristianismo, nem mesmo Jesus Cristo em seus escritos. Não é de admirar? Filon escreveu muito
depois do ano 40 e não teria omitido o pregador palestino cujas opiniões coincidiam tanto com as
dele. Salvo se nenhum cristianismo e nenhum Jesus tivessem realmente existido na época em que ele
viveu, conforme inventa os Evangelhos.
Como pode Jesus ter nascido, vivido fabulosamente e morrido dramaticamente sem que
Filon tomasse conhecimento? Você não acha que no mínimo, Filon teria apertado a mão do mestre?
Ambos viveram juntos no mesmo lugar e na mesma época!
Assim, mais uma vez eu desminto essa gentalha que prega o cristianismo e abocanha o seu
(teu) dinheiro. Pense nisso...
Quer mais outro?
Justo de Tiberíades, historiador judaico famoso do Século I, escreveu em “Crônicas dos
Reis Judeus”, desde Moisés até Agripa II, do ano 100, mas nada escreveu sobre Cristo ou seus
milagres. Por quê? Eram quase vizinhos! Poderiam ter tomado cafezinho juntos na Sinagoga!...
Confira as informações que eu estou te dando. Não se acanhe! O Google está aí pra isso!
44.
Quem diz Jesus não existiu, diz também que nenhuma virgem Maria existiu. Nenhumas
Nossas Senhoras, que aparecem por aí aos borbotões nas igrejas católicas, existiram.
Se você ler o livro sobre Jesus que eu escrevi, vai mudar a sua concepção radicalmente.
Aquele livro é uma tapa na cara dessa fabulosa mentira. Mas de tão fácil entendimento, que duvido
que alguém, depois de lê-lo ainda acredite nessa bobagem. A reação fatalmente será: - Caramba! Em
quanta besteira eu acreditava!... (Como aconteceu comigo...)
O povo é assim: Alguém joga fora num rio uma estátua velha de uma santa, outro mais
adiante acha e pronto! Milagre! Vira N. Sra. daquele lugar!... Esse povo é muito bobo mesmo, tenha
paciência. Não viu recentemente, a N. Sra. de Ferraz de Vasconcelos? Uma mancha no vidro da
janela de uma casa virou santa! Virou milagre! E não faltaram adoradores fanáticos de vidros de
janelas a pedir milagres à mancha do vidro. Isso deve ser imbecilidade braba, ou doença mental. Mas
é o que existe. Eu morava lá perto e vi. Essa é a realidade desse povo brasileiro idiota, um dos mais
atrasados do mundo. Brasil, país cristão! Por isso é tão atrasado com essa gentalha estúpida e boçal.
Claro que eu já estou até irritado só de pensar nisso, pensar que a ignorância dessa gente é motivo de
enriquecimento das Igrejas. Que eles são os culpados por incentivar esse fanatismo estúpido, fazer
dessa gente verdadeiros obcecados, dependentes da religião, capachos ignorantes, que rastejam para
ver o maior mentiroso do mundo, o papa, que mantém essa organização de exploração da
imbecilidade do pobre idiota do povo brasileiro.
É intolerável isso! Aquele safado é o chefe da gang, que mente descaradamente, fabrica
dependentes, que destrói a personalidade do Homem, fazendo dele um escravo de rezas e súplicas a
uma coisa que não existe. Santo isso, São aquilo, N.Sra. de não sei o quê, tudo uma cambada de seres
imaginários, inexistentes, pura fantasia, que não faz nada por ninguém, e está lá a igreja cheia de pés
de gesso pelas graças alcançadas. Como esse povo é bobo!
O cara tem um trabalhão de estudar por anos a fio, dedicar-se à medicina, empenhar-se para
curar um doente e depois o desgraçado vai agradecer a Jesus e dar dinheiro para a igreja! Como é que
pode? Eu não consigo aceitar isso!...
Capítulo 14
Você tem que aprender a resolver os problemas da sua vida. Além disso temos médicos e
psicólogos, profissionais que te ajudam a sobreviver condignamente. Você tem ainda os amigos para
desabafar e dividir com você os problemas naturais da vida.
Se você tem problemas na sua vida, isso é natural, mas não será recorrendo a deuses,
Igrejas, padres, pastores, pais-de-santo, mandingas e despachos que você vai resolver. Isso vai apenas
iludir, retardar, dar a você uma falsa esperança de solução enquanto o tempo passa, mas não vai
resolver.
Por exemplo, um fato muito comum é o marido que vai embora ou se envolve com outra
mulher. Em cima disso acontecem as demais crises familiares e os problemas se multiplicam. Ora,
problemas de relacionamento são mesmo difíceis de resolver. Você tem que usar a sua inteligência e
raciocínio, analisar friamente o que está acontecendo, buscar as razões e os motivos e ver o que pode
ser tentado para melhorar.
1 – Por que está acontecendo isso?
2 – Quais são as queixas do marido?
3 – O que você quer afinal?
4 – O que você pode fazer para resolver?
45.
5 – Pense! Raciocine, estude o problema. Analise os fatos, as razões, busque o diálogo,
reveja os caminhos, estude as opções, planeje as soluções, tente uma vez e duas, três, sempre com
inteligência. A solução acaba aparecendo, mesmo que seja mandá-lo às favas de vez!
O problema é financeiro? O problema envolve saúde? Envolve a idade? Tem origem nos
filhos? O problema tem fundo sexual? É problema de ciúme? O problema tem a ver com hábitos?
Com amigos?... Você tem que buscar a solução em você mesma. Estudar a sua vida, traçar novos
planos e tentar novamente. É como age o ateu nesses casos. O ateu busca entender o que está
acontecendo e o melhor para isso é buscar o diálogo. Escolha um dia tranqüilo e em vez de ir pra
igreja rezar, convide o seu marido pra conversar. Exponha os problemas e escute seus argumentos.
Examine a situação, veja aonde está o choque de interesses, o que incomoda a um e a outro, como
pode ser resolvido cada detalhe do problema, mas com a intenção de resolver, se esse for o objetivo.
Se não existir uma solução a dois que haja uma solução pacífica sustentada pela amizade. Cada um
para o seu lado. Então, discuta isso. Procure as formas menos traumáticas de chegar a esse
entendimento. Apare as arestas e resolva na paz, para que não haja agravantes para o problema, com
brigas desnecessárias. Tudo pode ser resolvido com diálogo e vontade de resolver, mas você está a
caminho da solução.
Se você vai para a igreja, entretanto, nada vai resolver, salvo se através da igreja você
conseguir estabelecer esse diálogo que é o caminho para a solução. E nesse caso, você não precisa ir
para igreja nenhuma, nem fazer corrente nenhuma, comprar óleo nenhum, se benzer, ouvir sermões,
buscar consolo, porque consolo não é solução.
Se depender de um profissional para ajudar a resolver, não vacile, procure o médico, o
psicólogo, ou a amiga mais experiente para dar uma mãozinha.
Como esses problemas são repetitivos, eu já passei por muitos deles, acabei um expert em
buscar e encontrar soluções. Muita gente consegue isso. Há casais que vivem juntos a vida toda!
Mágica? Não!... Soluções pensadas. Eles usam a inteligência, a tolerância, o raciocínio que dá as
ferramentas para encontrar as soluções para os problemas que acontecem, porque problemas
acontecem.
Vá para a igreja e não resolva nada! Vá para a igreja e encontre consolo em Jesus. Você
quer consolo ou solução? Não exista mágica. Existe inteligência, raciocínio, busca de soluções e
você não encontra isso fazendo orações ou confiando em mitos e vai caindo nas armadilhas
religiosas, deixando o seu dinheirinho lá, para o pastor. Você está vulnerável e eles se aproveitam
justamente disso.
A solução está principalmente em você. Você é a pessoa que conhece o seu problema nos
mínimos detalhes. Não se iluda. Busque a solução para a sua vida. Você é um animal racional e
inteligente. Você pode!
Esse é o resultado do ateísmo: Confiar em você mesmo, reagir e buscar as soluções.
Essa receita é a mesma para todos os demais problemas da vida, seja de ordem sentimental,
social sexual ou financeira.
Você vai aprender a lidar com os problemas e encontrar soluções. Não estou dizendo que
seja fácil. Se você se abater, perder as forças para lutar pelo seu ideal, não caia na armadilha
religiosa. Ela não vai te dar a solução nem as forças para lutar, mas vai te levar ao consolo, para
assumir a sua derrota. E ainda vai levar o seu dinheirinho...
Essa é a verdade que o povo desconhece, porque aprendeu a recorrer a deuses, santos,
espíritos e patuás. O povo esqueceu-se de recorrer à sua própria força, à sua própria capacidade de
viver. Ora, o homem é o ser mais poderoso do Universo conhecido! Por que não contar com isso?
Por que não recorrer a essa capacidade, a esse poder para encontrar as soluções para a sua vida?
Você é um ser humano, você tem o poder. Aprenda a confiar em você, na sua inteligência e
capacidade de criar soluções e esqueça esse misticismo tolo, que não vai te levar a nada.
46.
Espíritos não existem Não conte com isso para te ajudar. Isso é invenção dos líderes
mentirosos que querem o seu dinheiro.
Veja o que aconteceu comigo: Condicionamento, lavagem cerebral, transferência de poder.
Imagine que o religioso, a cada dor de barriga corre para a igreja e vai dar dinheiro pro
pastor. Em vez de tentar resolver o seu problema, prefere deixar “nas mãos de deus”. Esse é um erro
redondo do qual eu mesmo já fui vítima (na época que acreditava em deus): Minha filha recém
nascida estava em apuros respiratórios na encubadeira da maternidade. A médica especialista, com
uma mangueirinha de oxigênio, passava sobre o narizinho dela, pra lá e pra cá, toda vez que ela
parava de respirar espontaneamente. Assim, o anjinho retomava a respiração e continuava a viver. Lá
pelas tantas da madrugada a médica passou a incumbência à enfermeira e afastou-se um pouco para
olhar o outro neném, gêmeo dessa, que também estava fraquinho pois eram prematuros. Eu assistia a
tudo do vidro do berçário e percebi quando a enfermeira distraiu-se enquanto a neném parou de
respirar. Tive ímpetos de socar o vidro chamando à atenção dela para o que estava acontecendo, mas
pensei: - “Vou deixar nas mãos de deus”. Acontece que deus estava distraído também, ninguém fez
nada e a neném morreu ali mesmo.
5
0
Série 3
Série 1
Série 1
Série 2
Série 3
Parei aqui
Capítulo 15
O meu primeiro livro “Ateu Graças a Deus” foi traduzido para o sistema Braille na Europa e
já há providências em andamento de tradução para o inglês. Assim, os cegos puderam saber que não
foram castigados por ninguém e nenhuma culpa tiveram e que, a infelicidade deles foi uma
circunstância da natureza que é falha, um acidente, mas que eles não devem nada a ninguém e podem
tentar ser felizes na sua cegueira, porque é o que lhes resta.
Pior é o cego ainda ter que engolir que um deus o discriminou voluntariamente porque a
bisavó dele pecou e ele está pagando o preço do erro dela. Ou então, deram a ele uma missão, a
missão de não enxergar para dar exemplo de fé. Isso é que dói!...
Tudo mentira. A cegueira de nascença é o resultado de uma má formação genética casual. A
Natureza não é perfeita e essas coisas acontecem. Mas, aí o cara manda a bola para a frente e vive a
vida. Temos 6 sentidos se incluirmos a emoção. O cara cego tem 5 sentidos. Pode ser muito feliz
com esses se não tiver um recalque, um sentimento de culpa, um peso na consciência por alguma
coisa que não fez. Tem muita coisa na vida para ser vivida independente da visão. Tem os sons, os
perfumes, o paladar, o tato e os sentimentos e emoções maravilhosas. Ouça uma música linda e você
chora de emoção, e não precisa enxergar pra isso.
47.
Agora, o pobre coitado que acredita em deus vai pensar o que? Por que ele nasceu assim?
Por que deus o fez (intencionalmente) assim? Um castigo? Mas castigo pelo quê?! Coitado. Ah!...
Não... Não faz sentido essa crença estúpida.
Querer que exista um deus justo e bondoso é uma coisa. Existir esse deus é outra coisa!
A ferida deixada pela religião na nossa mente dói para ser curada, como outra qualquer.
Frustra, desilude, magoa. É uma doce ilusão que se desfaz e machuca encarar a realidade: Estamos
sós... Descobrir a mentira é como perder um pai, ou um irmão mais velho. É como saber que você é
um filho adotado, porque o seu verdadeiro pai te abandonou num saco plástico. Às vezes, revolta.
Com o tempo você esquece isso e começa uma nova vida, muito mais seguro, mais
esclarecido, mais realista, e isso só vai trazer vantagens na sua vida.
Como um barco cujo comandante morre de repente e você é obrigado a pegar o leme. No
início muito medo e incertezas, mas depois vem o orgulho e a alegria de saber que você é capaz de
resolver o problema e agora conduz o barco para onde você quiser e muito melhor.
A nossa realidade não é tão confortável comparando com as ilusões que eles pregam. Claro,
justiça, proteção, amor, pão que nunca faltará, vida eterna... Deus, um orientador que conduz a sua
vida bastando para isso você crer que assim será. Muito fácil. Beleza!
Há 15 anos atrás, eu desconfiava que não existia nenhum deus e que tudo o que contavam
por aí era mentira.
Hoje de uma forma mais sutil eu posso chegar à mesma conclusão. A dica mais significativa
para você desconfiar da inexistência de deus está na própria mente do povo. Como eu lembrei lá no
início, não há uma uniformidade na crença. Todos creem em deus, só que cada um acredita num deus
de forma diferente e à sua maneira.
Ora, se eu pergunto se o lobisomem existe e as pessoas dizem sim, mas cada um me dá uma
descrição diferente desse animal: tem chifre, tem penas, voa, nada debaixo d'água, come capim,
muge etc., dá para desconfiar que ninguém sabe de nada e possivelmente esse animal nem existe. É
fácil você concluir isso.
Veja só, a pesquisa que eu fiz no Yahoo Respostas e entenda isso:
Perguntei: Como é Deus para você?
Das respostas, selecionei apenas aquelas dos que acreditam em deus e colhi esse resumo:
Para mim é a natureza o universo ou seja não tem forma! é energia!;
Um Leão da Paz ;
Vai além de nossa vã compreensão;
É invisível;
Deus criou tds as coisas esta no céu e cuida de nos tds os dias;
Vale a pena ler a Bíblia para saber;
A natureza, o Universo, cada partícula elementar;
DEUS é a verdade, o amor, a fonte da sabedoria e do entendimento, é a explicação de tudo;
Deus é a razão de minha vida;
Somos feito a sua imagem e semelhança;
Deus é minha consciência;
Vive internamente em cada um de nós;
Cada um define o seu Deus;
48.
É espírito, não tem carne nem osso;
Não é dado ao homem sondar a natureza íntima de Deus;
Deus é, pois, a suprema e soberana inteligência, é único, eterno, imutável, imaterial, todopoderoso, soberanamente justo e bom, infinito em todas as suas perfeições;
Ele é uma pessoa real, maravilhosa, misericordiosa, perdoadora, me ajuda muito, é a pessoa
mais importante do universo, merece toda honra e glória;
Deus se mostra por meio de suas obras;
Uma força criadora, que pode ser qualquer coisa...;
Imaterial, eterno;
Infinitamente bom e sábio;
Onisciente, onipresente, imutável;
Onipotente, não tem início nem fim;
É infinito;
Jovem, sábio e tão poderoso quanto o seu amor;
Nossas mentes não são suficientes para sequer imaginar;
Sinônimo de perfeição, é alguém q deseja o bem e o faz;
Se ele existir vc saberá;
Um espírito maravilhoso;
Está em cada ato de bondade;
O Máximo do conhecimento, justiça, amor e bondade;
Moreno, pele clara, olhos e cabelos castanhos e totalmente bondoso;
Possui um corpo tangível de carne e ossos, porém glorificado e perfeito;
Algo indefinível, mas presente dentro de cada um de nós;
Nossa imagem e semelhança, principalmente nossa essência, ainda que adormecida;
Nossa imagem e semelhança;
Quem o viu não está vivo para contar;
Benigno, longânime, educado, pode todas as coisas, responsável, justo;
Nunca o vi, não posso descrevê-lo;
Quem o vê, vê o pai;
Como o homem, porém incorruptível, um ser exaltado ao máximo grau de gloria;
Dentro de si mesmo;
Uma centelha, um sopro, um suspiro, um sorriso de criança, uma flor, uma gota d'água, o
cantar dos pássaros... sutil, etéreo, imperceptível, inteligência suprema, causa primária de todas as
coisas;
Eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom;
Eu o vejo Deus toda hora e Ele interage comigo;
Deus é energia!;
Apenas acredite nele...;
Não podemos ver nem um anjo quem dirá a Deus. Vc já viu o acaso?;
Eterno Pensamento, a Vontade Suprema, o Movimento, a Ação!;
A Fonte donde jorra a Vida, O Ignoto Ponto de Partida de toda a Criação;
Deus é de quem precisa dele ou acredita nele... Então cada um o define conforme seu ponto
de vista ou suas necessidades;
É um espirito amoroso, está em todos os lugares;
Não sei na verdade como ele é, mas eu sei que Deus é bom;
É semelhante ao pensamento;
Ele deve ser bem diferente do que imaginam;
49.
Vê? Todos acreditam, mas não sabem como é? Melhor dizendo, cada um cria o seu deus e o
imagina como melhor lhe apraz. Está na cara que realmente não existe. Imaginar um deus, fantasiar
um deus, criar um deus em sua mente, não prova a existência de um. Não garante que exista um,
salvo na mente de cada um. Mas um deus criado na mente não tem “essas qualidades todas” que eles
atribuem a uma figura imaginária, certo?
Para aqueles que acreditam, deus é uma verdadeira maravilha!... Mas para os ateus a
realidade é outra e nada disso se realiza porque é mentira, foi apenas inventado para te explorar.
Muito triste... É a fome, a injustiça, o sacrifício do trabalho árduo, a miséria, a infelicidade, o
desespero do desemprego, o abandono, a solidão, a sarjeta, o relento, a exploração, a desonestidade.
Bobeou, morre de fome, ou será jogado num leito de hospital. Ninguém está se importando com
você, salvo um ou outro ser humano abnegado de grandes sentimentos, homens que te ajudam sem te
conhecer, te aconselham, te curam, são solidários no seu infortúnio. Esse é o único consolo que faz
muita gente permanecer vivo. Não o tal deus. Se você cair na sarjeta, derrotado por uma razão
qualquer nenhum deus aparecerá para te ajudar. O que dizer das crianças que morrem de fome e sede
por aí pelo mundo, na África e aqui mesmo no Brasil? E eu provo isso.
Veja a Bíblia: Isaias 41 -17: “Os pobres e necessitados buscam água, e não há, e a sua
língua se seca de sede; mas eu o Senhor os ouvirei, eu o Deus de Israel não os desampararei”.
E agora veja a foto abaixo que não mente:
Desamparou!...
E aí??? Como é que fica?
Já devem ter cansado de suplicar ajuda divina.
Vai arranjar alguma desculpa para deus? Qual vai ser a desculpa dessa vez? Diz aí! Qual é o
problema de deus? Ele é racista? A mulher é ateia?
Segundo descreveram na pesquisa:
“Deus é, pois, a suprema e soberana inteligência, é único, eterno, imutável, imaterial, todopoderoso, soberanamente justo e bom, infinito em todas as suas perfeições;”
50.
Chocante, né? Que merda de deus é esse, meu amigo? Que deus?!!!
Não seja bobo! Estão enganando você Raciocine! Não viva de doces ilusões. Não pague
por isso. Ponha os pés no chão e encare que esse dois aí acima, estão sozinhos, COMO VOCÊ
TAMBÉM ESTÁ. Se você não se preparar para a vida, vai pelo mesmo caminho.
Onde está o deus de amor? O pai bondoso? Tudo isso que prometem por aí? Diz aí! Qual é
o problema de deus?
Isso!... Vai arranjando desculpas! Vai arranjando formas de justificar o seu deus. Um dia
você cansa como eu cansei.
É até mais sensato entender que não existe deus nenhum do que admitir que existe um
merda desses, que “permite” que isso aconteça com a sua criação, por livre e espontânea vontade!
#¨&%$*!!!
Se existisse o tal deus que controla tudo e deixa ficar como está, o cara devia ser um o quê?
Um crápula está bom?
Você tem medo? Olhe a foto. Não existe nenhum deus! Cuide-se!
Ficamos tão acostumados a achar que havia alguém cuidando de nós e que haveria uma
justiça divina, que a idéia de não haver esse ser nos assusta. Nos deixa órfãos.
Mas infelizmente é isso aí. Fomos enganados pela corja religiosa que querem o nosso
dinheirinho. O dinheiro eles levaram bonitinho!... Fazer o quê? Estamos entregues a nós mesmos.
Por nossa conta. Caia e você não se levantará mais, porque o ser humano está ocupado erguendo
palácios, mansões, hotéis de luxo, carros fabulosos!... Gastando bilhões com seu lazer, enquanto
crianças morrem de fome. Deus não existe! E agora?! Vai ficar aí sentado, arranjando desculpas
esfarrapadas para continuar nessa teimosia insana? Raciocine! Você não é um carneirinho. Tire os
antolhos. Veja a triste realidade! Dê a volta por cima e siga feliz.
Eu estou ouvindo agora, enquanto escrevo lindas músicas clássicas, até mesmo para ter saco
para digerir esse livro. Escrever sobre essas coisas dá revolta! Vontade de xingar esses cretinos que
inventaram a religião e ganham dinheiro com a desgraça desse povo estúpido. Eles só querem
dinheiro! Dinheiro! Dinheiro! Não estão se importando com você. Querem o seu dinheiro! Isso é
uma baixaria! E aquele vigarista-mor ainda veio aqui ao Brasil pedir ao presidente para ensinar
religião nas escolas! Safado! E o presidente, primeiro negou, mas já foi lá, de perninhas abertas,
negociar com o capeta de vermelho: - Quanto vou levar? $$$
A gente já nasce ouvindo falar de Jesus, Maria, deus etc. Eles ainda querem mais! Querem
enfiar pelos nossos ouvidos adentro, na escola! Ora, escola foi feita para ensinar cultura e não
mentiras interesseiras que escravizam a mente e faz a criança acreditar naquilo que não existe e
enche os cofres deles de dinheiro! Já chega Papai Noel, não é?!
P.! Até esqueci o que eu ia dizer da música... Depois eu lembro.
Capítulo 15
Os deuses evoluíram, certamente. Antigamente eles tinham formas de dragões, serpentes,
aves , touros etc. De uns tempos para cá, já no judaísmo, tomou formas humanas e a Bíblia cristã
ratificou isso quando aceitou que somos a imagem e semelhança dele.
Acontece que o mundo evoluiu e cada vez fica mais difícil convencer ao zé povinho, aonde
está escondido esse deus que é nossa imagem e semelhança. Semelhança em que? Moral? Faz-me
rir... Por isso hoje deus tomou a forma de espírito, ou seja, tornou-se invisível, intocável, inaudível e
51.
imperceptível, apenas detectável pela imaginação. Ficou mais difícil aos ateus desmentirem a
existência de tal deus, porque ficou na imaginação de cada um.
Mas apesar de ser apenas imaginário, eles pregam que é um deus atuante, bondoso, fiel, que
cuida e zela pelos seus filhos adoradores, dá o pão de cada dia, protege do mal etc.
Então, o que houve com deus? Não reparou que suas crianças estão morrendo de fome? E o
amor de deus, aonde foi parar?!... Não foi ele quem criou? Não é o pai bondoso?
Meu amigo... São palavras ocas, na boca dos malandros espertos... Frases feitas e repetidas
para lavagem cerebral. Eu cansei dessa conversa mole. Uma mentirada nojenta.
O que eles querem, é o seu dinheiro! Só isso. Só isso. Só isso importa!
Mateus 7-9 “Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma
pedra?” - Ou cocô de camelo?
Foi isso que prometeram a você em troca do seu dízimo?
“...o cocô nosso de cada dia nos dai hoje”!
Então precisa mudar o Pai Nosso.
É insuportável ver essas coisas, imaginar o que esses seres humanos passam na vida e nada
poder fazer, enquanto esses safados enganam o povo e se enchem de dinheiro.
“Entrega teus caminhos ao Senhor e confia nele e ele tudo fará”
52.
Outro dia encontrei essa frase pichada num muro. É nisso que eles acreditam. Eu te
pergunto: Uma criança inocente precisa entregar seus caminhos ao Senhor para que ele tudo faça por
essa criança? Ou deus já fará (faria) tudo por ela incondicionalmente?
“Vinde a mim voz que sois cansados e oprimidos. Eu os aliviarei.”
Também li no vidro de um carro que: “Deus é fiel”.
Fiel em quê, meu amigo? Os crentes estão se desgraçando por aí cheios de problemas
econômicos, familiares e de saúde, acertados por bala perdida, como a filha do pastor que morreu no
púlpito recentemente enquanto cantava. Onde está a fidelidade? Igrejas desabam e matam os que
estavam orando! Fiéis em deus estão mendigando atendimento na fila dos hospitais! Você não
sabia?! Não são ateus que estão ali! Padres estupram criancinhas! Fiel em quê? Palavras e mais
palavras que contrastam com a realidade.
Me diga: Que deus é esse?!
“Deixai vir a mim as criancinhas, pois delas será o Reino dos Céus”
Essa foto adiante você conhece, não é? Esse é o símbolo do amor divino aqui na Terra. Por
acaso essa criancinha aí, não seria filho de deus?
53.
Olha o reino dos céus aí... Maravilha esse deus!...
E que reino, hein?!!!.. Já imaginou o Céu? Se aqui na Terra o reino das criancinhas dele já é
desse jeito... Será que deus é racista?
E vida eterna? Você acredita nisso também? Bem... Essa é uma mentira que não dá para
provar agora, porque só iria se realizar depois da sua morte. Tá me cheirando a 171... O que você
acha?
É isso, meu amigo... Palavras... Palavras... Palavras... Um livro inteiro de palavras bonitas,
palavras lindas, tal qual um vigarista diz às suas vítimas. Não passam de palavras ao vento sem
nenhuma substância real. Enganação, tapeação, embromação, enrolação, poesia e muito dinheiro!...
(no bolso deles).
Segura aí, mais algumas palavras usadas para enganar o povo:
“Portanto, não vos inquieteis dizendo: Que havemos de comer? Ou: Que havemos de beber?
Ou: Com que nos havemos de vestir?” - Mat.6:31
Agora, veja a realidade:
54.
Não pense que é só na África. Se você quiser, posso ir ali na esquina tirar fotos iguais a
essa! Ou dos mendigos na porta das igrejas...
Capítulo 16
Esse é o último livro que eu escrevo sobre religião e ateísmo, porque eu não aguento mais
isso! Quero pensar em outra coisa, fazer outra coisa mais útil a mim mesmo. Se depois disso tudo
você ainda continuar acreditando naquele cara que leva o seu dinheirinho em nome do “Senhor”, faça
bom proveito da sua ignorância. Que se dane! Eu já gastei todo o meu vocabulário nos 7 livros que
escrevi. Eu estou salvo dessa máfia. Minha família está protegida dessa enganação. Lá em casa, cada
um acredita em si próprio, são fortes e mentalmente poderosos, preparados para vencer. Quando
conseguem alguma coisa ficam muito felizes e orgulhosos por suas conquistas e seus méritos. Todos
são orgulhosos e inteligentes. Todos raciocinam e buscam a sua felicidade. Então, você que está
lendo, se continuar teimoso em dar razão ao Bispo Macedo, ao Papa ou ao seu Pai-de-santo, o padre
Cícero, e a Nossa Sra. dos tomates ¨[email protected]&#, azar o seu.
Meu conselho é grátis. Aproveite! Se você quiser pagar por um conselho procure uma
igreja. O meu é grátis e vai continuar assim.
Minha mãe errou em muitas coisas, assim como todos nós erramos. Ela me deu muitos
conselhos bons. Todos de graça. Menos o de acreditar em deus acima de todas as coisas. Nesse, ela
errou feio. E esse foi o único que eu acabei não seguindo. E para não errar com os meus filhos, assim
como minha mãe errou comigo, não lhes dei esse conselho. Por isso, são livres para raciocinar. Não
terão a mente impregnada com essas palavras desprezíveis. Deus, Jesus. A eles eu sempre digo:
Prepare-se para viver e ser feliz. Estude muito, zele por sua saúde, afaste-se de vícios e coisas
danosas, selecione suas amizades, tenha caráter e integridade moral, seja de uma só palavra, seja
brioso e tenha vergonha, seja honesto e tenha uma profissão digna da qual você se orgulhe, seja
verdadeiro, não minta nunca, trabalhe com seriedade e competência, seja prudente, livre-se de
55.
encrencas, não se exponha, não corra riscos desnecessários, use a inteligência para resolver os seus
problemas, aprenda a raciocinar diante das adversidades, ouça os mais experientes, avalie suas
palavras, mas siga a sua intuição, seja amigo do seu cônjuge, trate-o com carinho e respeito, cobre a
recíproca verdadeira, zele por seus amigos, seja fiel, tenha filhos, plante árvores, escreva livros e
morra em paz. Lembre-se: Você está sozinho nesse mundo. Cuide-se.
É isso que eu ensino para eles. E é claro, eu dou o exemplo. Não os engano. Jamais lhes
diria uma mentira. Jamais afirmaria uma coisa que não tenho certeza. O que eu não sei, digo: não sei.
Mas de umas coisas eu tenho certeza: Deus não existe. Jesus não existiu. Religião é um atraso de
vida. Uma imbecilidade! Estou tentando provar essa mentira. Por enquanto, apenas não acredito.
Igrejas são um antro de falsidade e hipocrisia. Eles querem apenas o seu dinheiro ou o seu
trabalho gratuito, explorar os seus dons e propagar que são divinos. Padres são safados e falsos.
Pastores são falsos e safados. Rabinos e Pais-de-santo, a mesma coisa. Todos sabem da verdade e só
dizem mentiras. Ou então são uns pobres coitados manipulados pelos donos do prédio da igreja.
Alguns que acreditam, de fato, ignorantes e servis (são raros), quando também estão no equívoco da
fé. Mas é difícil... Qualquer um que faz da religião uma profissão não tem boa índole por mais
fanático que seja. É hipócrita. Digno de pena. Mesmo estando de terno e gravata porque perderam o
moral e a vergonha explorando a fé dos ignorantes, das velhinhas, dos miseráveis e dos que caíram
em desgraça.
Traficantes destroem o corpo com drogas, pastores destroem a mente com lavagem
cerebral, fabricando alienados, que perderam a capacidade de raciocinar, ficaram inseguros, tão
dependentes do mito Jesus, quanto um dependente de drogas. Ambos pagam por isso e defendem
seus vícios. Quando eu digo “padres” ou “pastores” estou incluindo toda essa cambada de líderes
religiosos, sejam bispos, freiras, monges, missionários, cardeais, monsenhores, dons, sacerdotes,
ministros, abades, papas, rabinos, aiatolás, pais-de-santo, videntes, benzedeiras, ciganas etc, que
vivem de enganar o povo e tomar o seu dinheiro, estejam eles nas Igrejas, Centros, Mesquitas,
Sinagogas ou nas rádios e TVs com suas falsidades, contando mentiras, usando o povo bobo nesses
depoimentos, testemunhos ingênuos de curas e interferências milagrosas e mentirosas.
Esses que têm verdadeiras redes de televisão e entram na sua casa através do vídeo, são os
piores porque mantém uma organização capitalista de propaganda com vultuosos investimentos e
arrecadam milhões todo mês disseminando essa enganação.
Outra corja inigualável em capacidade de ludibriar o povo são esses religiosos políticos que
fazem base de sustentação das leis que protegem e favorecem as suas organizações como o tal do
Crivella que queria ser até governador do Rio de Janeiro. Esses bispos de araque ainda aproveitam-se
dos seus súditos de cérebro lavado para se elegerem e formarem uma verdadeira quadrilha de
corrupção dentro do próprio governo. Mas você acha que as ovelhinhas crentes se dão conta disso?
Bobeiem e eles transformarão o Brasil em um novo Iram, onde quem manda são os aiatolás em seus
castelos.
Onde estão os homens mais ricos do mundo? Nos países de religião islâmica! Coincidência?
Que nada!... São nesses países também, que está o povo mais miserável do mundo. Afeganistão,
Paquistão, África, Indonésia... Só não vê quem não quer. Isso chama-se religião. São países
governados pela religião. O caso da Índia é parecido. Lá a religião dita as regras da sociedade e
explora os menos favorecidos para variar. Chega ao cúmulo de considerar pecado querer mudar de
casta (nível sócio-econômico hereditário). Se o cara é operário tem que morrer operário, seus filhos e
56.
netos por aí a fora, operários. Se tentar ser gerente, Brahma o castigará e Shiva vai tornar sua
descendência miserável. Poderá ser punido com a morte. Isso é religião, meu amigo! Por trás tem
alguém se dando bem, acredite!
Tenho nada com isso, mas sou brasileiro. Gostaria que o meu país tivesse um destino
melhor. Para isso, tem que livrar-se do jugo da religião. Tornar esse povo mentalmente livre para
trabalhar e progredir. Hoje, o exemplo está na China. Um país ateu, que progride consideravelmente,
apesar do seu comunismo. (não sou fã da China e muito menos de comunismo). É uma questão de
momento. Talvez seja um caminho. Lá, eles têm os seus problemas e as soluções são diferentes. Mas
é certo de que, um país comandado por uma religião, nunca será um país justo com o povo. O
comunismo foi um socialismo na concepção, na boa intenção, mas não deu certo e se deturpou.
Eu não vou mudar o mundo. Por isso, pra mim, chega! Cada um que faça a sua parte ou
deixe assim mesmo para piorar um pouco mais.
Capítulo 17
Amigo, eu não tenho mais que 20 anos de vida, mas será uma vida muito boa. Não pense
que eu sou um revoltado qualquer, porque eu não tenho nenhuma razão para isso. Eu penso é em
você, que ainda vai viver 50, 70 anos e não atingiu o seu nível de felicidade desejado. Você, que está
nas mãos dessa dependência religiosa. Não existe deus nenhum! Não existiu Jesus nenhum!
Defenda-se disso! Seja você mesmo! Acredite em você mesmo, em sua força, em sua inteligência,
em seu poder! Faça você mesmo, o que ninguém vai fazer por você. Não viva de ilusões nem
fantasias! Lembre-se:
Não existe vida eterna.
Não existe céu nem inferno.
Não existem paraísos depois da morte.
Não existem almas nem espíritos.
Não existe pecado nem demônios.
Existe a lei, o cérebro, a consciência, a natureza imperfeita, a justiça dos homens que
também não é perfeita porque o homem não é perfeito. Por isso, proteja-se. Você está num mundo
cruel e difícil de viver. Seja esperto ou você vai sofrer, ou morrer bem antes da hora. Desconfie de
tudo! Cuide de você mesmo! Plante o seu futuro. Faça um plano de vida a longo prazo, porque a vida
é longa. Muito longa! Dá pra você aproveitar e ser feliz se você tiver cabeça e raciocinar, ou dá pra
viver um inferno aqui mesmo, debaixo de uma marquise, num leito de hospital, atrás das grades de
um manicômio ou de uma cadeia.
Por isso, te digo: Não espere que o Espírito Santo resolva nada por você porque Espírito
Santo não existe! Nem santo nem não santo! Existe é você, com dois braços e duas pernas e uma
cabeça extraordinária para raciocinar. Use a sua inteligência para viver bem. Pense! Observe a vida à
sua volta. Planeje! Estude muito! Seja cauteloso. Seja prudente. À sua volta está cheio de gente que
não presta. Não siga esses exemplos porque eles não trazem felicidade nem paz. Não pense que um
rico corrupto vive feliz. Não vive. Nem tem motivo de orgulho de viver. Isso, quando não acaba a
vida numa cadeia envergonhando toda a sua geração. Cuidado com os vigaristas, os falsos, porque
57.
deles será o reino dos infernos! Não seja ingênuo. Não seja bobo! Desconfie! Não perca seu tempo
nem gaste o seu dinheiro com esses enganadores. Por diversas vezes fui vítima de vigaristas.
Desconfie! Já disse:
Eu pago a prestação de um carro novo, com o mesmo dinheiro que você paga um dízimo.
Eu compro uma casa enquanto você sustenta um vigarista esperto. Eu passeio e faço
refeições num bom restaurante, enquanto você gasta o seu dinheiro em Aparecida, na Festa do
Divino, no Círio de Nazaré, num culto no Estádio Municipal ou se enchendo de CDs gospel.
Eu batalho o meu futuro enquanto você se arrasta de joelhos a troco de uma ilusão.
Eu ouço uma boa música clássica, enquanto você ouve músicas hipnóticas que o mantém
sob o controle de “Jesus”.
Eu vou às festas, danço e me divirto. Você vive trancado numa igreja, ou trabalhando de
graça, em pleno domingo, pela causa do pastor.
Eu confio em mim, você confia numa mentira!
Eu sou livre, você é escravo de suas crendices e serve a um Senhor.
((E sabe quem é o seu senhor? Há, há, ha! Adivinhe!... Quem é que você sustenta? Diz aí!...
Só tolo acha que deus precisa de dinheiro. Precisa ser muito tolo. Insano! Você acha que se igrejas
fossem casas de algum deus, precisariam de dinheiro dos outros para existir? Cadê o deus? Não faz
nada nem pela sua casa?))
Eu tenho uma mulher que amo e faço um sexo maravilhoso, enquanto você não pode nem se
masturbar porque é pecado! Sabe quem inventou isso? Aqueles profetas brochas, aqueles padres gays
e esses bispos de araque de casamento infeliz.
Nós somos animais e o sexo é a maior expressão da nossa força de sobrevivência. Sexo é
vida! Sexo é tudo! A Natureza nos fez e fez o sexo para garantir a nossa sobrevivência. O homem
aprendeu a tirar ainda mais prazer do sexo e a mulher deixou de ser apenas aquele depósito de
esperma. Hoje a mulher vibra, usufrui como o homem, dos prazeres que a Natureza lhe deu. Bastou
apenas usar a inteligência, melhorar, aprender, aperfeiçoar a sua relação e fez disso a 1ª maravilha do
mundo. O sexo é animal e como animal deve ser praticado. Não existe esse negócio de sexo
espiritual. Isso é palhaçada! Fazer sexo orando! É o fim! Esse bispo Macedo é doente!
A mulher tem que ser estimulada sexualmente. Nada de meu amor, eu te amo em Jesus... É
gostosa! Tesão! Daí, pra baixo. Sexo forte, sem pudor nenhum ou a mulher não vai gozar. Entendeu,
ô da leitura?
No filme Barbarela, muito famoso nos idos anos 70, o sexo era feito através de uma
máquina e os parceiros apenas encostavam as mãos, uma palma na outra. Aí, sim! Num futuro
distante, em outro planeta quem sabe, mas na Terra, o sexo aqui é rasgado! Ou então, só o homem
terá prazer e a mulher vai ter mesmo é que orar, pedir a Jesus para terminar logo aquela tortura!...
Castrar a mulher, proibir que ela tenha prazer no sexo é coisa desses machistas nojentos,
porcos chauvinistas, inseguros e egoístas.
Agora, leia a cartilha daquele bispo sem vergonha, que ensina como o crente deve fazer
sexo, e me diga o que você acha? Piada! Piada!... Eles querem controlar as suas mentes até na cama!
Até na hora do prazer que a Natureza criou. Hipócritas! Só para parecerem puritanos, mas são uns
safados! A Igreja Católica proíbe tudo, mas não consegue controlar os seus padres gays e pedófilos.
Sabe o que é isso? Hipocrisia!
Aquele grandalhão que está lá em cima de roupa vermelha nem mulher tem! Se entende de
sexo, só se for com o traseiro. Como é que pretende aconselhar um casal de como fazer amor? Me
diga! E você dá crédito a isso? Essa aberração? Proíbe o anticoncepcional e não sabe dos problemas
que um casal passa por causa disso. Por quê? Porque é um velho estéril, impotente, solteiro e
58.
antinatural (digo isso para não dizer pior) e podre de rico! Se todos os homens fossem iguais àquele
cachorro a raça humana acabaria e quem iria mandar aqui seriam os chimpanzés. Até que aparecesse
um papa chimpanzé.
Capítulo 18
Meu amigo. Pra mim, chega! Esse é o último livro que eu escrevo sobre ateísmo. Você não
vai ler mais nada meu. Já fiz a minha parte e muito bem feita. Quem quiser que continue a
desobstruir a mente desse povo bobo. Eu sei que não é fácil. Não sei bem, como é com um jovem
que ainda não entrou nessa arapuca. O meu filho, por ex. tem 14 anos, não quer nem ouvir falar desse
assunto, mas eu? Fiquei com a mente embotada, que, até hoje, ainda digo “graças a deus!”, “ai meu
deus!”, (embora com o mesmo significado de P que P). E isso, 50 anos gravando no cérebro as
palavras deus e Jesus. É triste. Ainda sinto-me mutilado. A religião me deixou sequelas. Mas, pelo
menos tenho a mente livre para raciocinar. Tenho consciência de quem fui e de quem sou agora.
Desejo o melhor pra você. Que você pense um pouco nisso tudo que estou te dizendo. Tente
avaliar racionalmente sem se ligar em frases feitas. Antes de você mencionar a palavra deus precisa
ter certeza do que diz. Estude sobre Jesus. Cuidado porque a propaganda pró é muito grande,
distorcida da realidade, extremamente mentirosa e sustentada com muito dinheiro! (o seu). Você
precisa ler nas entrelinhas, descobrir a verdade sobre tudo isso e não fazer mais papel de tolo. Estude
sobre a Bíblia, Jesus, Vida Eterna, Sto. Sudário, ressurreição, milagres etc, mas estude na História,
não embarque no que eles dizem. Não aprenda mentiras! Não procure as mentiras da Igreja, dentro
da igreja.
A Religião é tão descarada que explica uma mentira com outra mentira. Se você quiser tirar
alguma dúvida sobre a história religiosa, seja sobre Jesus ou outro mito qualquer, jamais pergunte a
um religioso porque eles são ensinados de forma errada e saem por aí contestando as verdades com
as mentiras que aprenderam de pessoas que eles acham idôneas.
Um Adventista aposta até a vida que dinossauros não existiram. Portanto, pesquise! Colha
informações de fontes insuspeitas e faça um apanhado das contradições de cada uma. Se as
informações são diferentes, continue pesquisando até encontrar a verdade. Padres e pastores são os
reis da mentira. Jamais acredite no que dizem, pois eles vivem $$$$ dessa mentira. Por isso são
suspeitos. Eu falo a verdade porque nada ganho se tentar enganar o meu semelhante. Por isso sou
insuspeito.
Repare: Numa questão levantada num fórum desses aí, o cara respondeu assim:
“Santa ignorância, para de falar besteira!!!! Flávio Josefo - historiador semita do seculo I
cita várias vezes a passagem de um profeta por Jerusalém e cita a morte de Jesus...
E pra acabar, os manuscritos do Mar Morto (que são da mesma época, mas de um lugar
diferente) também citam a passagem de Jesus.”
Esse rapaz, cheio de convicções, aprendeu isso de algum mentiroso no qual ele acreditava
fielmente. Um pastor, certamente. E de uma forma ingênua, acreditou sem pesquisar, sem imaginar
que estava justamente recorrendo à fonte das mentiras da religião. Recebeu a informação deturpada,
totalmente mentirosa e acredita nela de todo o coração!
Já discutimos exaustivamente as falsificações dos livros de Flávio Josefo e a frustração dos
católicos quando NADA encontraram sobre Jesus em Qumran, no Mar Morto. Veja o livro que
escrevi sobre Jesus. Está lá, tim-tim por tim-tim!
59.
É preciso, portanto, toda a atenção no que essa gente irresponsável diz ou escreve. São
mentirosos! Nasceram dentro da mentira. Aprenderam mentiras na Faculdade de Teologia! E ainda
aprenderam como enganar os trouxas com o bispo Macedo. A Religião respira mentiras, vive de
mentiras, come e bebe a custa dessas mentiras e falsificações. Não seja ingênuo. Se não acredita no
que estou escrevendo, pesquise! A Internet está cheia de informações. Não é dentro da igreja que
você vai tirar dúvidas sobre a igreja. Infelizmente, essa é a nossa triste verdade.
Você quer ver como crença é sinônimo de bobeira? Veja essa:
Cristãos acreditam em Jesus Cristo como o filho de deus, não é? E qual é o deus dos
cristãos? O mesmo deus de Moisés, o deus dos judeus, que não acreditam em Jesus como filho de
deus. Como pode duas categorias religiosas terem a mesma procedência, acreditarem no mesmo deus
e não se entenderem quanto ao filho dele? Ora, filho de deus, é filho de deus! Não poderia deixar
dúvidas... Por isso que eu digo: Bobeira... Mentiras... Nem eles se entendem!
Sabe de uma coisa? Só o Vaticano, tem 5 mil funcionários e não sei quantos mil
quilômetros quadrados. Um país independente dentro de um país dependente. Controla 15 milhões de
alqueires de terra em todo o mundo, com 5400 Arquidioceses, construções similares a castelos, com
imensas áreas verdes urbanizadas ao redor, 150 trilhões de dólares em ouro, diamantes, pedras
preciosas e objetos de arte sacra, em todo o mundo. São muitos milhares de igrejas, 180 mil, só no
Brasil, e quase dois bilhões de fiéis contribuintes no mundo todo desde o início da nossa era.
Essa é a maior fábrica de dinheiro do mundo! Esse é REALMENTE o deus que você
alimenta. É nisso que você tem fé, acredita e sustenta. É nisso que dá a sua crença! Enquanto
existirem bobos no mundo o catolicismo vai imperar, enriquecer e se expandir.
E não pára por aí: O catolicismo é também a maior fábrica de ignorantes do mundo, porque
quanto mais ignorantes, mais a religião se impõe. Os mais pobres, além de maiores contribuintes,
servem de isca para os ricos. A religião vive de doações e tem que ter um chamariz, uma propaganda,
uma fachada de caridade, para fazer jus a essas doações, enquanto no fundo, os mais miseráveis
sofrem morrendo de fome e o deus de merda que eles pregam nada faz. NEM ELES.
Não pense que outras religiões são diferentes, porque não são. São apenas menos ricas, mas
o islamismo disputa em igualdade com o catolicismo, e o protestantismo (evangélicos) que andou
crescendo com o bispo Macedo, porque tem um marketing fabuloso. A sorte desse planeta é que o
ateísmo cresce ainda mais forte: 3.600% em 60 anos. Por quê? Porque o mundo está ficando mais
culto. Cresce a cultura, diminui a dependência religiosa. A Internet é a principal responsável por essa
aceleração nos últimos 10 anos, porque leva informação aos jovens que ainda não estão com a mente
controlada. A religião está indo pro buraco. Quem sabe, para o inferno que eles criaram. Graças a
deus!... Mas vai demorar muito ainda para sanear esse mundo extinguindo essa praga.
Capítulo 19
Copiei trecho dessa reportagem aqui, que veio pelo SEPAL, para você ver como as coisas
estão mudando:
“Por: Rubens Muzio.
Em países do hemisfério norte, igrejas são transformadas em boates, museus, clubes e até
mesmo renovadas em mesquitas. A igreja Missionary Alliance em Toronto, onde A.W. Tozer fora
60.
pastor, tornou-se um templo da Hari Krishna. Eu próprio, quando pastoreava numa sociedade póscristã e pós-moderna no Canadá, presenciei de perto a decadência e morte de algumas igrejas, como
pacientes em estado terminal, incapazes de recobrarem-se e de recuperarem-se. Finalmente, elas se
fecharam.
Isso pode muito bem acontecer no Brasil daqui alguns anos. Nem sempre a história de
países como Escócia, Inglaterra, Alemanha, Irlanda e Canadá foi de fracassos e derrotas. Por
exemplo, mais de 90% da população canadense se dizia comprometida com o Reino de Deus,
participante de igreja, há 100 anos. Atualmente, menos de 3% dos habitantes de Toronto frequentam
ativamente uma igreja evangélica e a maioria absoluta das denominações e igrejas locais continuam
declinando. A história é semelhante em vários países da Europa. Não é a toa que muitos estudiosos
afirmam que o eixo do cristianismo mudou-se para o hemisfério sul. A maioria dos cristãos
evangélicos encontram-se na Ásia, África e América Latina.”
O que está acontecendo?
A cultura chega primeiro nos países do primeiro mundo, razão pela qual eles saem na frente
em tudo e nesse caso especial a cultura é extremamente antagônica à religião. Da mesma forma que
esses países retardados culturalmente, como o Brasil, custam muito para assimilar a verdade. Assim
como o cigarro que começou a ser expurgado nos EUA veio pra cá e aqui encontrou campo fértil
para se desenvolver matando brasileiros ignorantes.
Aqui no Brasil vai acontecer também da religião ser ignorada, mas ainda vai demorar
algumas centenas de anos. Se bem que o sistema “religioso” está colaborando bastante. Depois que
as igrejas pentecostais misturaram espiritismo com Jesus, encontraram, simultaneamente, um
marketing fabuloso, liderado pelo bispo de merda Macedo, de como faturar em cima dos trouxas. Em
seguida veio a Deus é Amor e muitas “igrejotas” antevendo o sucesso financeiro, começaram a abrir
portas saturando o mercado da fé. Eis que esse boom acabou por vulgarizar a religião mostrando-a
simplesmente como é, um simples comércio. O povo brasileiro é bobo mas tem lampejos de
racionalidade e começa a desconfiar desse negócio.
Breve teremos todas essas lojinhas de uma porta só transformadas em “igrejas”
arrecadadoras de fundos pra Jesus, fechando por falta de 10 fiéis que a sustentem. Em seguida virão
as maiores. Mas vai demorar porque o Brasil é grande e o povo tem mentalidade pequena. Por
enquanto elas prosperam.
Breve virá à tona a premissa da verdade: Não existe deus nenhum. Foram eles que criaram
essa fantasia, e enriqueceram com isso. Qualquer ser inteligente que parar para raciocinar vai
entender isso. É só somar os fatos.
Meu amigo. Exploradores sempre existiram, na mesma proporção que o povo bobo e
ignorante existe. O Taj Mahal, aquela magnífica obra de arquitetura indiana, é apenas o túmulo de
uma mulher que um rei desses, apaixonado, construiu. Milhões foram gastos para enterrar essa
mulher. Dinheiro sabe de quem? Do povo idiota que endeusava esse rei. Era assim bem antes dos
egípcios, das pirâmides, dos faraós... Nada mudou. Hoje constrói-se catedrais imensas e luxuosas,
como a da Universal e a catedral católica na Lapa (Rio). Os poderosos e espertos, explorando os
imbecis ignorantes. E... O instrumento mais eficaz utilizado por esses poderosos, sempre foi a
crendice, o misticismo, o endeusamento, criado e incentivado por eles mesmos, e a falsa propaganda
da caridade.
61.
Sabe o que é uma pirâmide egípcia? O túmulo de um faraó. Um deus para o povo que
construiu tudo aquilo com seu próprio suor. O nível de ignorância era tal que davam a vida pelo seu
deus. Imperadores romanos foram deuses para o povo tolo! Imagine se, bem mais pra cá, o Hitler,
por exemplo, resolvesse que o povo alemão deveria construir um túmulo desse porte para ele, quando
morresse. Ou até mesmo o Papa. Você acha que o povo o faria? Mas naquela época faziam! Veja o
passado. A história do mundo. Você sempre vai achar poderosos explorando ignorantes. Palácios,
templos, catedrais, monumentos como os dos maias, astecas e incas, os da ilha da Páscoa, erguidas
com sangue e suor dos escravos e do povo ignorante, guerras de interesse em nome de deus. Hoje
temos um palácio de cristal erguido pelos evangélicos nos EUA. O que era um rei, senão um
poderoso que explorava os mais fracos? Porém, o poderoso não o é por si só. Ele constrói um reinado
de apoio, um exército para defendê-lo, um esquema inteligente e inescrupuloso de poder, para
subjugar os mais fracos. Lembra-se dos reis portugueses e espanhóis da época da colonização das
Américas? Eles passavam na África, capturavam os negros e os transformavam em escravos. Pelo
poder dos seus exércitos, pelo poder de suas armas de fogo. Por que os soldados cumpriam suas
ordens? Porque eram pagos para isso! E de onde saía esse dinheiro que sustentava esse rei
poderoso??? Do povo humilde e ignorante que era obrigado a pagar impostos ou morria. Era assim.
É assim ainda hoje, embora num esquema diferente.
A Religião monta um esquema semelhante e paralelo. Sempre foi assim também. E já usou
armas para se impor (600 anos de inquisição). Hoje, usa sabe o quê? Jesus! Deus! O misticismo! E a
ignorância do povo é a mesma. A igreja amedronta com um deus inexistente, com um demônio
inexistente, com um inferno inexistente e submete o povo. Simples assim.
Poxa leitor!... Não seja um ignorante, por favor! Entenda que você está sendo explorado na
sua boa fé Está sendo enganado pelos poderosos, está sendo capacho deles, por causa da sua crendice
boba! Jesus Cristo foi uma montagem dos poderosos para controlar e explorar os humildes e fracos.
Você está sendo explorado e eles enriquecendo cada vez mais. Entenda isso! Pense nisso! Acorde!
Não seja tão bobo assim, a ponto de dar o seu dinheiro suado em troca promessas mentirosas. Você
acha que algum deus precisaria de dinheiro? Se ele existisse, faria montanhas de ouro, daria para o
pastor usar do jeito que quisesse.
Aonde foram parar os bilhões de dólares pagos a deus até hoje? E o ouro da antiguidade?
Aonde? Nos palácios dos poderosos! Nas mansões do Macedo! No Vaticano! Nos cofres de Israel! E
você, faz parte desse esquema. Você entra como bobo nessa história. Esse é o seu papel, a sua função
no jogo. Um mero peão contribuinte.
Não existe deus nenhum, amigo!
Olhe... Estou construindo minha nova casa na praia. Tudo com o meu esforço próprio e o
trabalho da minha mulher. Sou um cara feliz e realizado. Excelente saúde, paz e harmonia no meu
lar com minha família. Não faço parte dos poderosos, porque não exploro os mais fracos. Mas
também não faço parte dos bobos porque não sou explorado por ninguém (salvo pelo governo, mas
isso é inevitável). Vivo a minha vida confortável graças ao nosso trabalho honesto e muito estudo
que nos trouxe até aqui. (nas cidades é assim)
Por isso, estou te dando esses conselhos. Acredite em você mesmo! Estude! Esforce-se! Não
busque atalhos fáceis. A vida é difícil mesmo. Pão não cai do céu. Não seja preguiçoso. Você tem
que correr atrás, com fé em você mesmo, porque está sozinho na vida. Está por sua conta. Não
bobeie! Planeje o seu futuro! Acredite em você, estude e trabalhe!
Capítulo 20
62.
Quando, na sua origem, o cristianismo foi montado para atrair, principalmente, os judeus
que eram muito religiosos, além de ricos, e esperavam um messias. Os judeus eram abastados e
tinham muitas terras. Mas não colou... Então jogaram neles a culpa de terem matado o messias
cristão. Eles não assumiram a culpa e não entraram no jogo (estão começando a fazer isso agora, com
os judeus messiânicos – deve estar dando dinheiro por lá). Os judeus, como tantos povos antigos, são
muito tolos e fanáticos religiosos. Fazer a cabeça deles não será difícil. Só não entraram ainda,
porque suas tradições eram muito enraizadas. Só que já é tarde, porque o cristianismo está entrando
em decadência.
Os judeus não vieram, mas toda a Europa, acostumada com tantos deuses, acabou
assimilando essa praga e a exportaram para as Américas, por ocasião de suas “descobertas”, na
verdade, invasões, porque essa terra aqui já tinha donos.
Assim, à Europa (parte) e às Américas, foi imposta a religião cristã que veio de Roma.
O Egito, riquíssimo, na época, era um prato cheio para o cristianismo, mas com a distância e
a diferente cultura, acabou cedendo espaço ao islamismo. Abandonaram aquela tonelada de deuses e
adotaram Alá e Maomé.
Muitos deuses foram criados, muitos deuses deixaram de existir (veja “O candelabro dos
Deuses” no livro Ateu Graças a Deus).
Diga, meu amigo leitor: Você se considera inteligente? Então raciocine comigo:
Por que, ou para quê, qual a finalidade, deles inventarem a religião? Por que construíram
imensas catedrais e riquíssimas igrejas por todo o mundo?
Foi realmente para salvar almas? (Responda isso para si mesmo).
Ou foi um investimento para ganhar muito, muuuiiito dinheiro?
Foi porque são maravilhosos, cheios de amor e querem o bem da humanidade? Ou foi
porque querem viver à custa dessa humanidade?
A resposta a essas perguntas é a chave que abre a verdade para qualquer um ver. Eles
criaram tudo isso. No nosso caso, o cristianismo, a Igreja Católica. Criaram também almas, céu,
inferno, pecado, purgatório, deus, demônio, Jesus, penitência, salvação, espírito...
“Jesus te ama”
Dá pra você acreditar nisso, meu amigo?
Tudo o que se fala sobre Jesus Cristo é mentira, porque o próprio Jesus Cristo é invenção.
Esse é um personagem de ficção. Tão inventado quanto esses outros aqui abaixo, fabricados pela
ignorância de uns e esperteza de outros:
Chimichagua, Quetzalcóatl, Nãmandu, Jeová, Huitzilopochtli, Coyolxahuqui, Baal, Hare,
Brahma, Mahayana, Shu, Tefnet, Osíris, Khnemu, Seket, Hator, Mênfis, Tebas, Anúbis, Abidos,
Busíris, Khonsu, Aton, Javé, Kança , Kapila, Moloch, Plutão, Bel, Allah, Vishnu, Rama, Guru,
Kasyapa, Chrestus, Vinata, Kal, Yama, Savitri, Buda, Zeus, Apolo, Cronos, Urano, Géia, Hades,
Réia, Tritão, Ares, Hera, Marte, Ares, Hefesto, Hebe, Ilítia, Juno, Mitra, Ártemis, Diana, Febe, Ceo,
Hélio, Hipérion, Téia, Selene, Eos, Ares, Asclépio, Assur, Oxumaré, Marduk, Deméter, Príapo,
Ishtar, Astarte, Afrodite, Saturno, Prosérpina, Fortuna, Jano, Netuno, Flora, Minerva, Atena, Quirino,
Anúbis, Aton, Rômulo, Oxóssi, Omulu, Obaluaê, Tezcatlipoca, Tlaloc, Chac, Hermes, Ouranos,
Héstia, Dioniso, Eros, Perséfone, Íris, Hebe, Hefaístos, Vênus, Saturno, Mercúrio, Ceres, Vulcano,
Cíbele, Hefesto, Aegir, Balder, Eira Apsarás, Ardjuna, Ariaman,, Forseti, Freyr, Néftis, Geljun, Gna,
Hlin, Hoenir, Mimir, Sjofn, Tyr, Hnos, Nott, Dagr, Brahman, Mani, Sól-sunna, Vár, Atun, Tefnut,
Amaterasu, Buda, Amon-Rá, Júpiter, Posêidon, Xangô, Pachamama, Ull, Shiva, Nhanderuvuçu,
63.
Krishna, Ishtar, Cihuacóatl, Mictlantecuhtli, Kinich, Ahau, Pã, Wakan Tanka, Unkulunkulu, Aswing,
Avatar, Indra, Rá, Shu, Geb, Tefnet, Nut, Amon, Thot, Menphis, Thebas, Ptah, Khnemu, Hapi,
Horus, Neit, Seket shu, Nut, Geb, Néftis, Maát, Sekhmet, Aristeu, Bastet, Khnum, Sebek, Khepra,
Tuéris, Aker, Amon, Bastet, Geb, Hapi, Hator, Heknet, Hu, Ísis, Ma'at, Mut, Neith, Holda, Holdur,
Nut, Osíris, Ptah, Ré, Sekhmet, Seth, Shu, Tefnut, Thot, Ápis, Aahla, Amen-hotep, Amenti, Ammit,
Amon, Amonet, Anat, Anúbis, Anuket, Apep, Aton, Atum (neter), Benu, Bes, Bukhis, Canopo,
Aditi, Brahmine, Bram, Chu, Djed, Eluro, Enéade, Esfinge, Fênix, Hap, Hapy , Harpócrates,
Harsaphes, Hatmehit, Heka, Herichef, Khonsu, Hermanúbis, Hershef, Homem Escorpião,
Horbehutet, Hórus, Iah, Imhotep, Ka-en-Ankh, Nereru, Kebechet, Agni, Airâvata, Amrita, Bali,
Bavani, Brahmanes, Khepri, Khnum, Maet, Mehen, Aaru, Abatos, Meskhenet, Mihos, Min, Mnévis,
Montu, Nun, Ogdóade, Siwa, Osíris, Petsuchos, Psicostasia, Satet, Serápis, Seth, Sai, Sobek, Brahm,
Sokar, Sovek, Tuat, Ápis, Asbet, Uraeus, Dagda, Asuras, Meretseguer, Danu, Belenus, Lug, Vixnu,
Aditya, Aryaman, Bhaga, Varuna, Daksha, Ansa, Indra, Mafdet, Savitri, Bod, Bonzo, Ganexa,
Parvati, Sarasvati, Lakshmi, Cali, Abhaswaras, Abhimani, Brama, Brâman, Caktis, Kalidasa, Darma,
Valmiki, Kalki, Cakya-Muni, Afeas, Ahi, Calidasa, Chardo, Nanauatzin, Dyinyinga, Omacatl,
Conversa, Cri, Akhenaton, Crixna, Dastas, Devas, Durca, Lei, Ilmatecuhtli, Itzlacoliuhque,
Mahadeva, Manaswamin, Manu, Chicomecoatl, Meru, Urvace, Mitra, Mitríacas, Chalchiutotolin,
Kaka-guie, Azrail, Azra'il, Babaluaye, Babalu-aye, Babayanmi, Badimo, Xochipilli, Banga , Bayani,
Bayanni, Bessém, Tonacacihuatl, Bomazi, Sita, Skanda Buk, Tlillan-Tlapallan, Buku, Bumba,
Manava-Dharma-Sâstra, Cagn, Ganez, Candit, Cghene, Chango, Xiuhtecuhtli, Chedi-bumba, Chiuta,
Dusak, Emakong, Erunia, Eruniakcha, Ganas, Râma-tchandra, Ramaiana, Ganges, Guira, Hanza,
Iama, Indra, Isamia, Izvara, Kala, Vamana, Varuna, Kâma, Kusa , Kuvera , Lakshmi, Lava, Linga,
Kchatrya, Kchatryani, Lotus da Boa, Chonganda, Chuku, Da, Cartikeia, Dan, Zend, Xatriani,
Ruckmini, Domfe, Ebore, Andriambahomanani, Edinkira, Egungun, Garuda, Brâmane, Gautama,
Elegua, Indrani, Enekpe, En-kai, Eseasar, Esu, Faro, Ga-gorib, Gamab, Gaunab, Carma, Ghekre,
Tonatiuh, Chiconahuiehecatl, Rudra, Sach, Sakra, Mayahuel, Metztli, Salamandra, Aunt-nancy, Sani,
Indu, Brâmine, Sarasvati, Sôma, Tzacol, Hun-Camé, Soradeus, Sudra, Surya, Svarga, Tantras,
Kâma-Deva, Tchandra, Chalmecacihuilt, Muluku, Chalmecatl, Tchandramas, Tchinewad, Thug,
Tuas, Tugue, Twachtri, Ure, Uschas, Kamagra, Tantrismo, Vacyá, Vaixiá, Kartikeya, Vayú, Dongo,
Dubiaku, Viaça, Dxui, Dziva, Vyasa, Wecya, Wecyani, Xatria, Câma, Yama, Yoni, Zervane-akerene
, Indra, Agni, Surya, Vayu, Varuna, Alom, Bitol, Gucamatz, Huracán, Qaholom, Cipactli, Chantico,
Mudevi, Rig veda, Muruts, Nandi, Ormazd, Para-braman, Anansi, Ane, Paraçu-rama, Atlacamani,
Atlacoya, Pârana, Párias, Parvati, Pradjapati, Rakshasa, Rakchas, Savitri, Râma, Rati, Chiconahui,
Ala, Orunmila, Sudrani, Sura, Osanyin, Morimi, Morongo, Oxum, Mukunga-mbura, Olokun,
Mukunga-m'bura, Khakhabaisaywa, Mulungu, Musso-koroni, Mwuetsi, Namwanga, Nanã buruku,
Nasilele, Naz, Ndrian, Ndriananhary, Ale, Shashti, Alla, Alouroua, Amma, Ananse, Xiuhcoatl,
Anotchi, Asa, Atai, Moshanyana, Ataokoloinona, Tloquenahuaque, Ayizan, Osun, Râvana, Richis,
Aziri, Kabundungulu, Citlalatonac, Tepeu, Vucub-Camé, Xiquiripat, Chuchumaquic, Ahalpuh,
Ahalcaná, Chamiabac, Chamiaholom, Quicxic, Patán, Quicré, Quicrixcac, Kinich-ahau, Acolmiztli,
Acolnahuacatl, Acuecucyoticihuati, Amimitl, Atlatonin, Pradyumna, Pritivi, Puchan, Atlaua ,
Ayauhteotl , Camaxtli, Centzon, Totochtin, Centzonuitznaua, Chalchiuhtlatonal, Chalchiuhtlicue,
Cihuacoatl, Atl, Virabhabra, Vritza, Citlalicue, Ciucoatl, Civatateo, Cochimetl, Coyolxauhqui,
Ehecatl, Huehueteotl, Huitzilopochtli, Huixtocihuatl, ItzliItzpapalotl, Ixtlilton, Iztaccihuatl,
Macuilxochitl, Malinalxochi, Mextli, Mictlan, Mictlantecuhtli, Mixcoatl, Chicomexochtli, Nagual,
Nahual, Omecihuatl, Ometecuhtli , Ometeotl, Opochtli, Patecatl, Paynal, Popocatepetl, Quetzalcóatl,
Tlalocan, Teoyaomqui, Nummo, Tepeyollotl, Yansan, Adroa, Teteoinnan, Tezcatlipoca, Titlacauan,
Tlaloc, Tlaltecuhtli, Tlazolteotl, Waqas, Tonantzin, Nyalitch, Nyambe, Tzizimime, Ueuecoyotl,
Massassi, Xilonen, Njambi, Nkwa, Nommo, Xipe Totec, Toci, Xochiquetzal, Yacatecuhtli, Apu
64.
Catequil, Apu Illapu, Apu Inti, Aqlla, Ataguchu, Cavillaca, Chaska, Quyllur, Copacati, Hanan Pacha,
Mboya, Iqiqu, Ka-Ata-Killa, Centeotl, Kay Pacha , Mama Hallpa, Mama Killa, Mama Qucha,
Ngewo-wa Mama Uqllu Leza, Manco Capac, Minona, Pacha Kamaq, Jok-odudu, Pacha Mama, Paria
Qaqa, Sara Mama, Lela, Supay , Uku Pacha, Ngai, Unu, Pacha Kuti, Khodumodurno, Legba,
Urcaguary, Vichama, Viracocha, Modimo, Tlahuixcalpantecuhtli, Abassi, Abiku, Kammapa, Fa,
Kamonou, Achimi, Adro, Xocotl, Xolotl, Adroanzi, Agassu, Ciuteoteo, Agbê, Agué, Aguê, Ahonjoku, Eshu, Aigamuxa, Akongo, Tzitzimime, Gu, Gunab, Haitse-aibeb, Coatlicue, Haitsi-aibeb,
Haiuri, Hare, Heitsi, Andumbulu, Heitsi-eibib, Heviossô, Huntin, Huveane, Hyel, Andriamahilala,
Iamanjie, Imana, Itherther, Iyakare, Iyami-Ajé, Yewá, Jakuta, Jok, Ajok, Juok, Kaang, Apu, Mawu,
Kalumba, Mebege, Deng, Ogun, Ditaolane, Mbombo, Ochosi, Tonacatecuhtli, Kanu, Apu Punchaw,
Ndriananahary, Katonda, Woyengi, Tecciztecatl, Khonvoum, Odudua, Kintu, Wuonoru, Kwoth, Leeyo, Libanza, Lissá, Logun-edé, Loko, Odua, Maori, Massim-biambe, Mawu-lisa, Mbaba-mwannawaresa, Mbere, Mbokomu, Kon, Nzame, Kuka Mama, Mbongo, Omolu, Adriambahomanana,
Orishala, Abuk, Minga-bengale, Mobokomu, Neiterogob, Nimba, Nyaliep, Nyambi, Nyame,
Nyaminyami, Nyankopon, Nyikang, Nyiko, Nyokonan, Nyonye-ngana, Nzambi, Obambou,
Oduduwa, Khuzwane, Ofo, Dhu'l-Halasa, Ogo, Yeban, Oromila, Yasigi, Orula, Oxumarê,
Umvelinqangi, Yemaya, Unkul, Pale-fox, Qamta, Quamta, Rada, Raluvumbha, Ruwa, Sakarabru,
Azizos, Sakpatá, Shakpana, Shango, She, Soko, Somtup, Amm, Sopona, Sudika-mbambi, Thixo,
Tilo, Tore, Tsetse-bumba, Tsui, Unkulunkulu, Odomankomo, Tsui-goab, Asira, Uhlanga, Uthlanga,
Wak, Wele, Wulbari, Wuni, Suwa, Nabongo, Obassi-osaw, Nambi, Wuona, Wuonji, Wuonkwere,
Xango, Yemanja, Oshe, Kumunu, Oshun, Yemayah, Chibchacum, Yemonja, Yurugu, Zanahary,
Odudu, Zomadonu, Aglibol, Al-Qaum, Alilat, Were, Anbay, Arsu, Baal-Shamin, Bab-el-Mandeb,
Bahamut, Bajir, Rugaba, Rurema, Basamum, Datin, Dhat-Ba'dan, Olodumare, Dhu Shara, Gênio,
Haubas, Haukim, Hubal, Ifrit, Malakbel, Onyankopon, Almaqah, Orisala, Manaf, Nasr, Qaynan,
Salman, Ta'lab, Uzza, Wadd, Ya'uq, Yaghuth, Alberich, Lorelei, An, Ishkur (Adad), Inanna, Ishtar,
Enki, Antu, Enlil, Sinki (Damkina), Nanna (ou Innin, Innini), Ninhursag, Ningal, Ninlil, Shamash
(Utu, Babbar), Anshar, Ereshkigal, Husbishag, Isinu, Ninki, Olorun,Nammu, Kingu, Obaluaê,
Obatala, Kiskil-lilla, Namtar, Nebo (Nabu), Nergal, Nidaba, Ninisinna, Ninkas, Nusku, Tiamat,
Utukku, Iansã, Ah puch, Rugira, Ruhanga, Ometecuhtli, Xolotl, Inti, Pachamama, Pachacámac,
Itzamná, Kinich Ahau, Ixchel, Ixtab, Ki, Enlil, Oyá, Enki, Balder, Nanna, Utu, Inanna, Nanna,
Ninurta, Dumuzi, Shadipinyi, Pemba, Bachue, Bochica, Ogum, Nhamandu, Omumborombonga,
Karai, Jakairá, Tupã, Wakan Tanka, Iemanjá, Oxalá, Satanás, Obá, Iansã, Oxum, Biri, Afefe, Oiá,
Olorum, Nanã Buruquê, Ibeji, Unkulunkulu, Odhinn, Ull, Njord, Olufon, Heimdall, Thor, Frigg,
Ishtar, Astarte, Ashtoreth, Thixo, Malidiphu, Ifá, Esu, Cibele, Amaterasu, Shang Di, Viracocha,
Olurun, Dàuãsunusu, Atasu, Um Si, de Albi, Satã, Onyame, Orisha etc.
Isso é só uma pequena parte. Inclua aí o Deus de Moisés. Muitos ainda são cultuados, hoje!
São deuses de todo jeito, do bem e do mal. E por que você acha que hoje é diferente? Por acaso o
mundo está cheio de doutores, cientistas e intelectuais ou a maioria é plenamente boçal, como os que
adoravam e adoram esses deuses de araque?
Você pode escolher qualquer um desses e tê-lo como seu Senhor! É tudo a mesma merda!
Pode ajoelhar-se e adorá-lo também!
Ou raciocinar e entender que Jesus é a continuação desse fanatismo estúpido e ignorante
que cria deuses e exploram os otários!
Se eu disser que Tezcatlipoca te ama, você acredita? Não há diferença: Jesus te ama,
Unkulunkulu te ama, Wuonkwere te ama, é a mesma coisa!
65.
O povo, através dos séculos, cria deuses. Os espertos exploram e incentivam essa crendice,
porque isso é uma fraqueza humana, por causa da ignorância e do medo. Volta e meia, tem um deus
novo por aí... Pode conferir.
Acredite de verdade é no ser mais poderoso do Universo: No Homem, você, capaz de
maravilhas e conquistas. Você mesmo! O ser mais sábio do Universo. Que fotografa o Universo,
implanta coração, transfere células tronco, faz bebês de proveta, cria o computador, faz pontes sobre
o mar, viaja no espaço e desenvolve o DNA. É nesse que você deve acreditar. Você é um deles,
capaz de reorganizar a sua vida e fazer dela motivo de prazer nessa existência. Não perca tempo! Não
desvie sua atenção. Não perca o seu tempo com ilusões, com fantasias e mentiras. Eles querem o seu
dinheiro, por pouco que seja, pois é disso que eles vivem, enquanto fazem você perder o seu tempo
inutilmente, perder a sua motivação, perder a sua personalidade!
Você tem problemas? Pois resolva você mesmo! Pare, pense, raciocine, use a sua
inteligência, busque a solução. Se você não conseguir, ilusão nenhuma vai te adiantar, meu amigo. E
nesse mundo, só não tem jeito para a morte. Entregar os pontos e recorrer a um mito, a uma fantasia,
pode, no máximo, te consolar no problema, mas não vai resolver. Ora, você precisa de consolo ou de
solução? Se é consolo, vai buscar um amigo de carne e osso, converse com ele, desabafe, escute-o.
Pelo menos ele é audível e vai conversar com você. De graça, sem nada te cobrar. Mas se você
precisa de solução, busque em você mesmo. Ninguém é melhor do que você mesmo, para resolver os
seus problemas, salvo os profissionais de saúde se for o caso.
Na vida, a gente passa por muitas situações difíceis de resolver. É assim mesmo para todo
mundo. Mas tudo se resolve, se você continuar vivendo e buscar a solução. Mas se você vai buscar a
solução na droga, não vai resolver. Se você vai buscar a solução na igreja, não vai resolver. Vão fazer
você perder o seu tempo, fazendo orações e promessas, desviando o foco do problema e ainda vão
arrancar o seu dinheiro. Pode conferir se não é exatamente isso!
Aprenda que você é a pessoa certa para resolver o seu problema, desde que use a
inteligência para isso. Com a inteligência você vai buscar a calma, a serenidade, o raciocínio, a
esperteza... Use a inteligência. Não banque o macaco. Você sabe, você pode. Não perca o seu tempo.
Busque a solução. Tente uma vez, tente de novo. Examine as alternativas, analise os vários
caminhos, raciocine, tente de novo. Busque conselhos com amigos mais experientes. Faça diferente.
Mude o jeito de pensar e de agir. Use a inteligência do ser mais poderoso do Universo. Não acredite
em fantasmas, poderes divinos, espíritos, ressurreição de mortos. Acredite em você mesmo. Para
tudo há solução. Nem sempre a melhor, nem sempre a que gostaríamos, mas há solução e a solução,
está em você mesmo. Grátis. Mude a sua cabeça. Não acredite em mentiras, depoimentos bobos de
pessoas dependentes, iludidas e enganadas. Entenda que tudo isso que apregoam por aí é falso! É
mentira! Tudo mentira! Totalmente mentira! Jesus sequer existiu, nem como um homem comum,
como eu cheguei a pensar um dia. Eles inventaram tudo! Como inventaram todos os outros anteriores
e todas essas coisas paralelas. Uns copiaram dos outros. Deuses que inseminaram humanas, humanos
que morreram e ressuscitaram. A história religiosa está cheia deles! E ilusão, mentira, nunca
resolveram o problema de ninguém. Espíritos não existem. Não caia nessa também. Espírito Santo é
mentira! Inferno é mentira! Vida eterna é mentira! O dinheiro que você paga nas igrejas é verdade! E
faz falta. Que eles exploram o povo bobo é verdade! Então, não perca o seu tempo. Cuide de você
mesmo. Você pode! Aprenda a fazer assim. Você vai ver a diferença.
66.
Capítulo 21
Essa história de dizer ou achar que, quem não acredita em deus é um inconsequente, largado
na vida ou, pior ainda, sem moral, é só campanha de difamação aos ateus, feita pelos safados líderes
religiosos. Eles dizem e todo mundo acredita nessa mentira. Porque, para ser ateu tem que ser
inteligente, culto, racional e tem que ter moral. Inteligente para poder raciocinar, comparar, segundo
a sua cultura, e concluir que a religião é apenas um comércio que só traz vantagens aos seus líderes.
Vantagens financeiras, prestígio e destaque social. Para quem acredita simplesmente, é uma grande
perda de tempo e um desvio de personalidade para uma dependência danosa. Moral nada! Porque o
cara que raciocina, tem princípios e não se desvirtua, pois conhece os prejuízos da desonra.
E religião? Tem condições de pregar moral?
Você já deve ter reparado que um dos carros-chefe da propaganda religiosa é a pregação da
moral no seu meio, nos seus conceitos e entre os seus participantes. Até mesmo tem sido um entrave
para a ciência ao condenarem o aborto, a anticoncepção, as pesquisas com embriões e as regrinhas
sociais de procedimentos de vestimentas, de sexo e até de pensamentos que se tornam pecados.
Essa tentativa de diferenciação, esse falso moralismo, serve apenas como propaganda e
acaba separando os religiosos do conceito comum, do ser humano normal. Acabam obtendo maior
respeito da sociedade porque acreditam neles. Porém essa imagem é totalmente falsa, só convence às
pessoas ignorantes que nunca raciocinam, nem quando recebem informações da mídia, TV, rádio e
jornais sobre os procedimentos imorais dos religiosos, padres, bispos, pastores monsenhores,
“santidades” de todos os níveis acusados de ladrões, corruptos, pedófilos e outras (a maioria é
proibida de acessar essas informações). Acho que já publiquei num dos meus livros uma lista de
políticos religiosos, evangélicos em sua maioria, envolvidos em escândalos conhecidos pelo público.
São mais de 50. Uma lista enorme, contando cada detalhe do envolvimento de cada um, inclusive os
valores surrupiados. Pra início de conversa, essa gentalha faz da religião profissão. Recebem dinheiro
para contar mentiras. Quer coisa mais imoral do que essa?
Mas o pior disso tudo eu vou contar agora: Não existe deus nenhum e Jesus Cristo é tão
mito, como tantos outros anteriores que o geraram. Todos esses religiosos da cúpula do Papa para
baixo, SABEM DISSO! Eles têm certeza disso, mas mantém a mentira que os mais antigos criaram.
Evidente que a única razão é que essas mentiras rendem muito dinheiro à organização de cada um.
Eles sempre viveram dessas mentiras. TODOS ELES sejam de que religião forem.
Agora, como pode um sujeito que conhece a verdade, que usa da mentira para sobreviver e
enriquecer, ter condições de pretender criar regras de moralidade? Pois são estes os maiores imorais
do planeta! Eles mesmos, que querem ditar regras de moralidade, atravancando a ciência e o
progresso e mutilando a mente das pessoas que neles acreditam.
Além, disso e pior mesmo, são os maiores cínicos do mundo, caras de pau, verdadeiros
artistas, quando se apresentam em público, emitindo qualquer opinião ridícula. Puro teatro! São uns
artistas safados e hipócritas!
Eu só fico olhando a cara cínica desses falsos moralistas na TV, e pensando o quanto são
falsos, passando aquela imagem de corretos, honestos, moralistas, caridosos, preocupados com a
humanidade, com as crianças, com os velhinhos e carentes, os mesmos que eles exploram sem dó
nem pena.
O Brasil está cheio de asilos de fachada, creches de propaganda com a mesma finalidade de
sempre: Formar uma imagem daquilo que não são de verdade, como uma camuflagem usada por
qualquer camaleão irracional.
67.
Ora, meu amigo, eles fazem uma propagandinha, arrecadam milhões, pintam, enfeitam a
obra de fachada, chamam a televisão para ver e embolsam o grosso do que arrecadaram. Não é por
acaso. Vivem disso!
É assim, com tudo o que eu conheço (EU DISSE TUDO!) inclusive essa praga de Criança
Esperança, que é promovida por grandes artistas (pagos) da TV. É muito dinheiro que rola para o
pouquinho do resultado que apresentam. Pura propaganda. Uma empresa cheia do dinheiro que usa o
mesmo esquema da Igreja. Vê se eles apresentam as contas para alguém? Tudo isso com a aprovação
das leis e do governo. Porque, doação é doação, não há impostos e ninguém faz contabilidade nem
auditoria fiscal pra conferir. Lembram-se da “Legião da Boa Vontade” do Alziro Zarur? A mesma
coisa. Já morreu o desgraçado, mas a Legião continua POR aí, no mesmo esquema do dinheiro fácil
da caridade.
O brasileiro além de ser acomodado, tem o coração mole, acredita fácil e não raciocina.
Acredita em tudo o que ouve e vê, mete a mão no bolso e pensa que está fazendo caridade. Satisfaz a
sua consciência, mas no fundo colabora com essa máfia asquerosa.
São imorais querendo pregar a moralidade. Espertos, ardilosos e matreiros querendo passar
por caridosos.
Meu amigo, quando eu faço alguma coisa por alguém eu tenho certeza do resultado, porque
faço diretamente ao carente, principalmente incentivando o trabalho e o esforço dessa gente pobre.
Não dou esmola a malandros, nem viciados, preguiçosos, nem acomodados. Muito menos na mão de
terceiros para fazer caridade por mim.
Pra mim padre, pastor, rabino, pai-de-santo tem mais é que entrar na fila do emprego e
arranjar um trabalho decente, digno e útil à sociedade.
Tenho uns 20 anos de vida. Por aí. Logo vou morrer. Mas os que virão, vão ler o que estou
escrevendo. E eu escrevo, mesmo, para ficar gravado e terem certeza de que o Alfredo Bernacchi
denunciou todas as letras essa sujeira que existe por aí. A gente sabe, por conclusão, mas não pode
provar porque não tem poderes para isso. É como políticos; roubam e fica por isso mesmo. Uma
“malufada” só. Não acontece nada. Eu não desmoralizaria o meu nome, a minha memória, se não
tivesse certeza do que estou escrevendo. Pode reler e esperar. A verdade virá à tona quando esse
povo ficar mais esclarecido e as autoridades tomarem vergonha. A Internet está providenciando isso.
O Papa sabe que Jesus Cristo não existiu como sabe que vai morrer herege. Desgraçado!
Capítulo 22
Sobre o espiritismo:
Pra ser sincero, vou ter que fazer um grande esforço literário para explicar e elucidar, com
toda a honestidade, esse assunto que eu acho de extrema complexidade e importância para a sua
compreensão.
Para chegar-se a alguma conclusão, será preciso juntar as peças do quebra cabeças, como eu
fiz, até chegar à brilhante e surpreendente conclusão: ESPÍRITOS NÃO EXISTEM.
Calma, calma!... Mê dê um tempo para colocar tudo isso no papel...
Eu vou começar lembrando que a minha família, por parte de pai, era espírita. Avó, tias etc.
Portanto, desde criança assisti muitas coisas desse tipo.
68.
Quando eu tinha uns 25 anos o meu pai “recebeu” um espírito de um cacique índio que
revirou a nossa casa. Ele chegava, sacudia os chinelos pros lados, cruzava os braços, fazia aquela
cara feia e dava ordens, dava instruções, fazia pedidos etc. O meu pai acabou montando um gongá
em casa (acho que o nome é esse).
Anos mais tarde foi a minha mãe que passou a receber um preto velho e uma pomba-gira.
Eu sempre assisti a tudo isso e, afinal, tratava-se do meu pai e da minha mãe! Não havia dúvidas
quanto a veracidade disso. Minha mãe virou evangélica e tentava livrar-se da pomba-gira, mas era
difícil (segundo ela). Eu a vi com 70 anos, num banco da Igreja Universal, ao meu lado, incentivada
pelo pastor, receber o tal espírito.
Bem... E eu?
Entre os 17 e 20 anos, na Ilha do Governador, eu acabei aceitando um convite de um amigo
e fui a um Centro, repleto de curiosidade, e disposto a fazer prova de tudo aquilo. Parece que sempre
tive a capacidade de duvidar das coisas. Afinal, jovem está sempre buscando e aprendendo, mesmo.
Na hora da consulta eu nada falei. Apenas pensei. Se era espírito, tinha mais é que ler os
meus pensamentos! E o que aconteceu me impressionou:
Eu fiz uma referência mental a duas garotas e a resposta veio assim: “pois é... enquanto uma
finge que dorme, a outra dorme acordada” - Tinha tudo a ver. (não posso contar detalhes).
Então eu acreditei. Mas não acreditei... Sou um cara muito cético para aceitar fácil assim em
algo tão complexo. Fiquei intrigado com aquilo, mas joguei pra adiante.
Certa vez, na casa de uns vizinhos espíritas, sugeriram que eu poderia receber um espírito e
eu aceitei participar dos trabalhos que faziam. Assim, fiz tudo o que mandaram fazer. Estava muito
curioso em saber qual seria a entidade que entraria no meu corpo e... Nada... Não aconteceu nada.
Nadinha de nada! E pela segunda vez o pai-de-santo fez a mesma referência que um anterior: “suncê” tem um espírito muito “fromoso”- O que será que ele queria dizer com isso? Um espírito
muito formoso, que não dá as caras. Qual espírito? O meu ou o que não queria aparecer? Seria algo
bom? Devia ser... não sei... Formoso que dizer algo bonito, positivo! E eu fui em frente. Um tanto
frustrado, certamente, mas deixei pra lá e segui a vida.
Nessa época, mais do que em outras épocas da minha vida, eu queria encontrar deus. O
deus de que tanto falavam coisas maravilhosas. E tirei a “brilhante” conclusão: Espíritos existem. Os
maus são demônios, às vezes disfarçados de bons, e o meu espírito próprio, muito formoso, não deu
abertura para eles. Não deixou que entrassem em mim. Ora, se são demônios, o chefe deles é o tão
falado Satanás. Se existem demônios, espíritos maus, e o chefe deles é Satanás, por analogia dos
opostos, existem anjos, espíritos bons, e o chefe deles é Deus!... Muito lógico.
E assim “graças” ao espiritismo, fiquei acreditando em deus. Admitindo que existisse.
Restava, no entanto, encontrá-lo, e não seria no espiritismo! Aonde?
Lá pelos meus 20 e poucos anos, por causa de uma garota, eu acabei numa igreja
presbiteriana e fui convertido. Convertido de verdade! Levantei o bracinho com emoção e fui à
frente, acreditando que havia, finalmente, encontrado Deus, naquele local. Muitos parabéns,
entrevistas, sabatinas e fiquei membro de igreja. Legal. Até que me deram uma cartela com 12
etiquetas. Era o dízimo que eu deveria pagar. Epa!!! Deus precisa de dinheiro? Pra quê?
Hoje eu acho graça disso tudo, mas foi hilariante desde aquela época. Botei as barbas de
molho e fiquei na espreita. Algo estava errado...
Bom... Acabei namorando a garota de 15 anos, o pai não queria deixar namorar, fugi com
ela, casei com ela, ficamos juntos por 16 anos e tivemos dois filhos. Com deus ou sem deus, casei
69.
também com o evangelho (dela), até que ela preferiu Deus, muito mais que a família, e aí, acabou
tudo.
Bom... (de novo). E daí? Até agora, nada de explicação. Mas vamos continuar o raciocínio:
Casado com essa menina mudamos para um apartamento no 3º andar, de um pequeno
prédio que, por falta de sorte, era vizinho de um Centro espírita. Por ser Centro, nenhum problema,
mas eles entravam pelas madrugadas cantando e batendo bongô, bem debaixo da minha janela, num
tremendo desrespeito ao próximo. Eu não estava feliz com aquilo porque me incomodava muito e
não me deixava dormir.
Ora, a lei do silêncio define 22 horas como o limite para certos barulhos e, às 22h, eu abri a
minha janela furtivamente e joguei uma garrafa no telhado deles. Na semana seguinte, às 22h, outra
garrafada. Aí, começaram a reclamar e eu, escondido pelas frestas da janela, com a luz apagada
assistia em silêncio torcendo para que eles entendessem o recado.
Mas não entenderam...
Deviam estar faturando horrores com aquelas sessões da madrugada e quem disse que
queriam parar?
Aí, eu mandei outra, só que dessa vez cheia d'água, que entrou pelo telhado e foi parar no
meio do salão.
 Filho da puuuutáááá!!!... - foi a reação deles.
Isso acordou os demais vizinhos que puseram a cara fora das janelas, foram insultados e
virou um tremendo bate boca.
Então puseram um vigia olhando para cima quase o tempo todo.
Às 22h e alguma coisa, quando o cara se distraía, lá ia a garrafa cheia d'água. A essa altura o
telhado já estava cheio de buracos.
 Filho da puuuta!... Desgraçado!!!...
 Cala a boca aí, seu viado! Eu quero dormir!
 Viado é a mãe!!! Moleque!!!...
E foi mais uma noite divertida de xingamentos entre os vizinhos até que: Um dia... às 22h,
pararam a bagunça e nunca mais passaram da hora.
Aí eu te pergunto, leitor:
Como é que eles não sabiam que era eu? Afinal de contas, espíritos não têm certos
poderes??? Ou não tem?!!!
Bem, eu fiquei sem essa explicação, mas estranhei que eles não tivessem descoberto que
eu, do 3º andar, que nunca botei a cara de fora na janela era quem jogava as garrafas.
As explicações naturais começaram a surgir:
Ora, existe a transmissão de pensamento mas é necessário uma certa proximidade para que
isso aconteça. Segundo o pesquisador padre Quevedo, no máximo 50 metros, ou nada feito.
Eu reconheço por experiência própria que existe essa transmissão de emoções, um tanto
difusas, num grau de qualidade ainda difícil de determinar, mas existe. Eu testemunhei isso fora do
âmbito do espiritismo. Portanto, natural. Em certas pessoas, com maior grau de afinidade, mãe e
filho, irmãos gêmeos etc., isso é muito nítido e a ciência explica. Não são as palavras, mas as idéias,
as preocupações, as intenções, as emoções, podem ser passadas de um cérebro a outro. Vi
reportagens na TV também sobre o assunto.
70.
Ora, quando eu estava no Centro espírita, bem em frente ao médium, isso foi possível, até
mesmo porque ele segurou a minha mão. Mas, quando eu jogava as garrafas, de longe, isso não foi
possível.
Capítulo 23
Justamente por eu ser um incrédulo comecei a buscar explicações para o espiritismo e as
semelhanças com fatores mentais, naturais, foram surgindo.
A nossa mente é astuta, intrigante, e quantas vezes inexplicável, pregando peças a nós
mesmos. Diria ainda que, o desconhecimento sobre o cérebro, ajuda os místicos a levar tudo para o
imponderável, para o sobrenatural. Não é verdade.
O nosso fantástico cérebro é muito responsável por essa confusão, mas cérebro é cérebro,
algo perfeitamente natural.
Até que eu comecei a pensar... Hipnose!...
Reparei na semelhança que existe nas seções de hipnose e no espiritismo. Isso pra mim foi
fundamental. Foi como um estalo mental. Explicou milhares de situações que até então eram difíceis
de entender.
Quem conhece alguma coisa sobre o assunto há de admitir a semelhança gritante que existe
num processo de hipnose ou auto-hipnose e uma sessão espírita num Centro ou numa igreja
pentecostal.
Fui apertando o cerco sobre os mistérios do espiritismo: Transmissão de pensamentos,
alucinações, distúrbios psíquicos, hipnose, falsidades, mentiras, ilusionismo, distância de 50 metros...
Então, apareceu um americano com uma empresa, oferecendo US$ 1,000,000.00 (um
milhão de dólares) para quem provasse em frente a ele as coisas místicas e sobrenaturais que se
apregoam por aí. O nome dele é James Randi (veja sobre ele na Net). E não era brincadeira.
Convidou vários curandeiros famosos, daqueles que ressuscitavam peixes cortados ao meio, que
apregoam milagres como dentes de ouro pedidos a Jesus etc. Ninguém ganhou o prêmio. Nem
apareceram os que foram convidados aqui do Brasil. Por quê? --- Foi a gota d'água...
Certa vez, numa brincadeira de rapazes, um colega do grupo especialista em hipnose, tentou
me hipnotizar. Eu fui solícito e desejei mesmo que ele me hipnotizasse, para saber como era, mas...
Nada!...
Uma certa coincidência intrigante: Santos não baixam em mim, e também não sou
hipnotizado.
Houve uma época na minha infância que cheguei a me impressionar com o que o meu pai
contou: Dizia ele que um médium espírita segurava na mão do paciente e fazia-o sentar-se, mesmo a
contragosto. Era o poder do espírito, dizia. Quarenta anos depois eu concluí: Era o poder da hipnose,
perfeitamente natural.
Some-se isso à conhecida lavagem cerebral e você terá um prato cheio de soluções naturais
ao misticismo.
Você sabe o que é propaganda subliminar? É um tipo de propaganda proibida por lei. Faz
parte da lavagem cerebral. Consiste na apresentação de uma mensagem imperceptível ao seu
consciente, de tão rápida que aparece e apaga, que você (o seu consciente) não percebe, numa seção
de cinema ou programa de TV, por exemplo, mas atinge o seu subconsciente e fica impregnado no
71.
seu cérebro. Por exemplo: “fume Hollywood”. Ninguém percebe. Conscientemente, ninguém
percebe, mas o consciente captou e o espectador fica induzido a fumar esse cigarro. A mensagem
ficou gravada no seu cérebro.
Imagine agora, você crescer ouvindo dizer que um tal Jesus salva!
Mesmo sem entender o que significa isso, você fica acreditando, porque a mensagem ficou
gravada no seu cérebro. Ninguém mais tira. Isso chama-se Lavagem Cerebral, usada na guerra, nas
igrejas e até pelo governo de certos países. Você sabe a tabuada de cor? 3 x 9 = 27. Lavagem
cerebral primária. É claro que nesse caso, nenhum prejuízo tem, mas serve de exemplo. Decorar é
impregnar o cérebro com uma mensagem, prejudicial ou não. E eles usam isso contra você.
Então, a partir do momento que você adentrou um Centro espírita, te passaram uma
mensagem de que você precisa fazer um trabalho para quebrar uma mandinga que está atrasando a
sua vida e aí, você já entrou pelo cano. Vai acreditar que tem um espírito e vai fazer tudo igual ao
que viu e ouviu. Você vai se auto-convencer de que é um espírita e tem um santo protetor. E claro,
através da hipnose esse santo vai aparecer um dia. Em cada canto do mundo de uma forma diferente,
conforme a cultura e língua daquele lugar. Você acha que se um americano chegar num Centro
desses, o espírito que baixar nele vai falar português? Vai esperando...
Quando você vai numa sessão dessas da Igreja Universal, o pastor te convence através da
hipnose (sugestionabilidade), de que você está possuído de um demônio. Você cai num transe
hipnótico e age conforme o demônio que você tem na memória, agiria, segundo a informação mental
que você tem. (conhece de ver e ouvir nos outros e faz igual). Ora, quem não imagina como um
demônio agiria? Então, você hipnotizado, faz igual. Se o pastor, nessa hora, dissesse que você é um
cachorro em vez de um demônio, você andaria de quatro, latiria e abanaria a bunda, certamente. (he
he he... pra descontrair.).
Dentro de nós, (nosso cérebro) existe o bem e o mal, o certo e o errado, mas não é bem
assim: Nós temos a consciência (ou consciente) que a tudo julga e critica, pois raciocina, pondera e
define, conforme a índole que cada um trouxe da infância. Parece mais a nossa mãe falando e
prevenindo, chamando a atenção o tempo todo: - Pare para comer!... É melhor dormir porque amanhã
tem que acordar cedo!... Não corra tanto, o pneu pode arrebentar!... Não brinca com isso, pode
machucar alguém!... - Esse é o “BEM” (vamos chamar assim).
E temos o subconsciente, totalmente instintivo e irracional. Que age sem medir
consequências porque não tem capacidade de raciocinar julgar ou escolher uma ação. É apenas um
instinto que não tem autocrítica, como dar um soco na cara de alguém, beber sem limites, exceder-se
em qualquer coisa, ou como uma criança, por exemplo: se ela deseja aquela coisa, pega e pronto, sem
se importar com as consequências. Esse é o “MAL”.
Assim, o cérebro pensa:
 Hum... que doce maravilhoso!
 Pega mais um - diz o subconsciente, puramente instintivo (o mal).
 Olha o açúcar!... - previne o consciente racional (o bem).
Acho que já deu pra entender.
A hipnose, justamente, atua no subconsciente e pode controlá-lo. O espiritismo age dessa
forma, também, trabalhando o seu subconsciente. Faz o que quer de você. Ele diz, você faz.
O pastor sugere que você fale em línguas do Espírito Santo, você fala, mesmo sem saber o
que está fazendo. É simples assim. É o seu ego vaidoso, (subconsciente) enganando a você mesmo
(consciente).
72.
Como na hipnose, pessoas são mais susceptíveis, outras não.
Eu já dialoguei com deus. (não precisa rir). Está no livro “Ateu Graças a Deus”, o primeiro
que eu escrevi. Sucesso internacional. Vale a pena você ler.
Eu me convenci disso. O meu subconsciente transformou-se em deus para dialogar com o
meu consciente. Fui eu conversando comigo mesmo, na maior perfeição, nos mínimos detalhes, até o
verbo na 2ª pessoa do Imperativo, e eu não era tão fanático, não estava bêbado nem drogado.
Nessa, até eu, com trinta e poucos anos, um sujeito sério, inteligente, trabalhando com
engenharia, cheio de moral e vergonha, entrei. Incrível! Achei mesmo que deus havia falado comigo.
Putzz!...
Imagine agora, o que não acontece por aí!... Alucinações, pessoas que vêm e ouvem coisas
inexistentes, acreditam e juram que viram e ouviram. Pessoas que, por mais que você apresente fatos
e demonstre que ela está errada, não admite e torce, torce, contesta, chega a fazer papel ridículo,
teimando sobre uma coisa que está na cara que é diferente. Tudo por culpa do cérebro. Discuta com
um adventista, sobre a existência dos dinossauros, que você vai me entender. Mesmo se você bater
com uma mandíbula de tiranossauro na cabeça dele, ele vai duvidar e dizer que isso é arranjo do
diabo. Não existe. Claro, que dá pena...
A Igreja inventou alma e espírito. Primeiro, porque não sabiam explicar certas coisas,
depois, porque viram nisso um filão de ouro interminável, enganando os trouxas com essa estória.
Quando você assiste um programa de hipnose (Yotube está cheio deles; Procure lá:
“Religião ou hipnose”), repara: O hipnólogo pega na testa do paciente com a mão direita, cobrindo os
seus olhos, balançando ou empurrando a sua cabeça, enquanto sussurra o que quer ao seu ouvido.
Esse é exatamente o mesmo método que os pastores (especialistas) usam para “ativar o demônio”
que está no corpo do crente.
Tendo a platéia no seu controle com um gesto das mãos, ambos, o hipnólogo ou o pastor,
podem derrubar os participantes para trás ou para os lados, jogando-os no chão se quiserem. Fazer se
passarem por demônios ou macacos, comer cebola ou fumar charuto, tanto faz.
Nas sessões de curandeiros espíritas, como Zé Arigó e Dr. Fritz, a hipnose também é usada
para anestesiar o paciente, como faz o hipnólogo dentista, sem que isso se constitua nenhuma
novidade. Sem sentir dor, o paciente pode ser submetido a pequenas cirurgias, como cataratas e
pequenos tumores superficiais. No palco o hipnólogo atravessa uma agulha na boca do paciente, sem
que este manifeste qualquer expressão de dor. É a mesma coisa. Além disso, algo mais que isso, fica
por conta da fé e da crendice de cada um.
Tenho um vídeo onde o pastor, num gesto de Mandrake derruba a platéia para trás. O que é
isso, senão hipnose?
No meu 3º livro “A Bíblia do Ateu” eu mostro o que é a hipnose nos seus detalhes. Leia lá.
Digamos que uma pessoa brasileira esteja “possuída por um espírito”, ou seja, esteja sob
efeito de hipnose ou auto-hipnose. Ela está sugestionada a ser, por exemplo, um Exu (demônio).
Assim ela procede contorcendo-se, fazendo caretas, rosnando, ameaçando etc, tudo o que na
imaginação daquela pessoa, um demônio faria, ou, exatamente, como ela já observou anteriormente
em outras pessoas.
Assim, essa manifestação segue um padrão brasileiro.
Mas se você estiver na Índia, e lá assistir uma sessão espírita, vai observar que o padrão é
diferente, os procedimentos são diferentes dos brasileiros, e vão falar em híndi. Os Exus indianos
usam facas e punhais, uma roupagem e gesticulação diferentes dos nossos Exus.
73.
Se você for à China, os demônios de lá são diferentes, usam máscaras e outros adereços e
falam em chinês.
Se o inferno fosse uma coisa só, por que os demônios não teriam um padrão só? Demônios
globalizados? Rsrsrs... O que é isso? Agem diferente e falam o idioma local?
Agora, imagine: essas pessoas estando hipnotizadas em seu próprio habitat. Explica tudo,
não é?
A hipnose obedece a nacionalidade de cada um, e ninguém fala uma língua que não sabe.
Ainda fica a questão: Qual a nacionalidade de um demônio? Qual a linguagem dos demônios? O Tal
do Espírito Santo é a mesma coisa. Pelo menos este, fala o que ninguém entende. É mais lógico.
Alguém vai dizer que demônios são muito espertos e falam o idioma local. Então, por que
um espiritualista possuído, quando muda de país continua falando a sua língua de origem? Não seria
o caso do demônio adaptar-se e passar a falar a língua da platéia daquele país? Quem diz demônios
diz anjos também. É a mesma coisa. Os anjos manifestam-se sempre na língua do interessado, como
no caso de Maomé, salvo o tal Espírito Santo das igrejas pentecostais, que falam em suas línguas
incompreensíveis, que, por sua vez, de nada adianta. Falar o que ninguém entende serve pra quê?
Bom... Já apareceu quem traduza... Não é mole!... É muito cambalacho.
Minha mãe falava em línguas na igreja dela e o meu filho idem. Mas eles não gostam de
falar sobre isso. Acredito que perceberam que eram dependentes de uma manobra psicológica, a
auto-hipnose, a auto-sugestão mais a vaidade. Fazem e depois se envergonham. Pois se isso tivesse
algum valor, não deveriam se envergonhar.
Recebi um e-mail com duas fotos de uma mulher com o dente de ouro que ganhou na igreja
através da oração do pastor. Era a tia do internauta, que havia recebido o dente através de um
milagre.
A foto mostrava claramente, um pivô daqueles de bota e tira. (tenho um também – de
diamante, he, he, he...) e sei como é. Ou seja, a tia do rapaz prestou-se a participar dessa vigarice em
nome de deus ou do capeta! Mas o meu filho acreditou, quando isso aconteceu na sua igreja “Nova
Vida”.
Nota: esse meu filho, que foi criado pela mãe, fanática religiosa, sócia-contribuinte da
Universal, também “testemunhou” isso e acreditou. Acho que isso explica tudo.
Certa vez, esse “milagre” foi feito no Estádio do Maracanã, em um daqueles cultos
monstruosos do bispo Macedo. Nas barbas das autoridades e ninguém faz nada.
Meu amigo, de mágicos, impostores e embusteiros, o mundo está cheio. Só digo uma coisa:
O tal dente é uma prótese de colocar e tirar com um simples click. Mas tem que ter a participação de
um impostor, safado e desonesto que aceita fazer isso em nome de deus.
E assim foi o meu caminho até aqui (contei só um pouco).
Se você pesquisar como eu. E testar como eu, sem medo, vai chegar à mesma conclusão que
cheguei e não me afasto mais até que alguém me prove o contrário: Espíritos não existem.
Se, ou quando, aparece alguma novidade, uma estória diferente, aparentemente
surpreendente, eu procuro ir fundo nela, até deduzir ou descobrir a verdade que, geralmente, é muito
simples. Os místicos é que complicam e “vêem” coisas que não existem. Eu já contei muitas por aí
nos meus livros anteriores e não quero repetir.
Estou aberto a discussões. Se alguém tiver alguma novidade para me provar o contrário,
aceito discutir o assunto. Mas é bom saber que, de vigaristas e falsificadores, o mundo está cheio.
74.
Mágicas eu já vi muitas impressionantes, maravilhosas e inexplicáveis, e ainda bem que mágicos são
honestos e declaram que se trata de truque de ilusionismo.
Mas se um mágico desses chegar por aí, no interior, e disser que é outra coisa... Vai botar
muitos santos no chinelo.
E não se esqueçam. O Mr. James Randi está pagando um milhão de dólares!... Vai lá!!!
Capítulo 24
Maus espíritos?!
Mais uma vez vou convidar você a raciocinar:
Eu sou um ateu. Pela lógica, um prato cheio para os maus espíritos. Um cara que não tem a
proteção divina, não evoca Jesus nem um santo qualquer para se proteger, não é? Então, por que os
maus espíritos não estão azucrinando com a minha vida? Não era para eu estar doente, debaixo das
marquises, leproso, canceroso, com a família destruída, chorando misérias por aí? O que está
acontecendo então? Vou muito bem obrigado!
Estou a 12 anos escrevendo contra eles, desafiando deuses e demônios e não me acontece
nada de ruim. (?) Tem algo errado nessa história. Igrejas estão por aí, anunciando exorcismos e
libertação de maus espíritos... E eu?!!! Esqueceram-se de mim?!...
Raciocine, meu amigo. Estou oferecendo em mim mesmo, a prova de que esses trastes não
existem: Nem deuses, nem santos, nem espíritos maus, nem bons, ou eu já estaria numa cadeira de
rodas depois de atropelado por um caro fúnebre.
Meu amigo, essas coisas foram IN-VEN-TA-DAS pelos espertos religiosos, para levar o seu
dinheirinho. Não é pelo dinheirinho que você perde, mas pelo prejuízo moral e emocional que isso
lhe causa. Um atraso na sua vida. Uma dependência psicológica. O seu cérebro vai viver
condicionado a admitir a existência do que não existe e você vai acabar dependente de uma coisa que
não existe. Para se “libertar” disso, você vai ter que pagar, promessa$, dízimo$, fazer trabalho$ ou
ficar devendo aos espírito$.
Por que, meu amigo, eu estou imune a tudo isso? É o amor de deus? Já tentou entender ou
dar essa resposta? Já conseguiu raciocinar para encontrar essa resposta? Ainda não? Pois eu estou te
respondendo: PORQUE EU NÃO ACREDITO NISSO. Só isso. Se eu não acredito, como é que vou
sofrer influência daquilo que pra mim não existe? Seria ilógico se fosse o contrário, não é?
Se não for assim responda: Por que os maus espíritos não atingem nem o Alfredo, nem os
filhos dele, nem a mulher dele, não os joga na sarjeta, na doença ou na miséria? Que privilégios
espirituais eles têm que não precisam fazer despachos, correntes nem orações para se livrarem de
maus espíritos?
E a resposta continua sendo simples: NÃO ACREDITAMOS NESSA BABOSEIRA.
O segredo está na mente. Uma mente sadia, que não se deixa influenciar por misticismos
não sofre ataques de coisas místicas. Eu não vejo fantasmas, nem ouço vozes, nem sou atingido por
“trabalhos”, maus olhados, maus espíritos ou coisas desse tipo. Inveja? Sim! É diferente. Mas só por
ação do invejoso... Portanto, não preciso ir a igreja para me salvar de P. Nenhuma!
Mas eles enfiam isso na sua cabeça. E, acreditando, você vai fazer o jogo deles e viver
dependente deles. Sabe de quem? Dos maus espíritos homens de carne e osso que querem atrasar a
sua vida para tomar o seu dinheiro. Então, use a inteligência que a natureza te deu e raciocine.
75.
Duvide sempre! Isso você pode fazer. E mesmo o que você vê com os seus olhos ou escuta com seus
ouvidos é falso. É ardiloso. É mentiroso. É forjado. É hipnótico. É alucinação. É até distúrbio da
SUA mente, porém jamais o que eles dizem. ENTENDEU??? Espíritos não existem (nem almas).
Não caia nessa.
Li escrito num muro:
“Só Jesus tira o demônio das pessoas”.
Naturalmente, o cara que escreveu isso se referia àquelas igrejas que fazem exorcismo.
Aí, eu pergunto: Se só Jesus tira, quem coloca o “demônio” nas pessoas?
Resposta? O próprio pastor! Que “trabalha” em nome de Jesus!
Não entre nunca numa igreja dessas, que você nunca terá um “demônio” em você.
Naturalmente, a exemplo das igrejas que eu mencionei, você já ouviu falar que “essas
coisas” só acontecem com “quem anda nesse meio”. E tem tudo de verdade nessa colocação. Repare:
Quantas vezes você já viu um “santo” baixar em alguém que esteja no trabalho, na
condução, no shopping, na fila do INSS, no cinema, no restaurante, na praia ou no campo de futebol,
e até numa igreja que não seja Pentecostal? Nenhuma, certo?
Agora, entre num Centro espírita! Entre numa seção de descarrego de uma igreja
Pentecostal! Aí, o demônio vai aparecer. Sabe por quê? Porque ali tem o ambiente favorável para a
hipnose acontecer e o público está se sujeitando ao pai-de-santo ou ao pastor hipnólogo. E a coisa
acontece.
E em casa? Como pode ser? Auto-hipnose! Essa pessoa já está condicionada. Ela pensa e
acontece. A mente dela já sabe o caminho e geralmente o subconsciente quer que aconteça. O
subconsciente é forte, pega uma bobeira do consciente (beber por exemplo) anula-o, assume o
controle e faz a farra.
“Quem anda nesse meio” está susceptível a essa auto-hipnose e a oportunidade é mais
favorecida quando o consciente está anestesiado pela bebida, por exemplo. Uma pessoa “que anda
nesse meio” e bebe, inibe, restringe, o trabalho do consciente, retira-lhe a autocrítica e entrega a
mente ao subconsciente, puramente instintivo. Assim acontece a auto-hipnose. O subconsciente,
condicionado a ser um santo ou demônio qualquer, criança, preto velho, pomba-gira etc., entra no
transe hipnótico como se de fato o fosse, agindo como tal, de forma independente do consciente. Não
é um espírito que sai e deixa outro entrar no corpo. É apenas o consciente racional que dá lugar ao
subconsciente instintivo. O cara passa a agir por instinto, sem raciocinar o que faz. Ora, já imaginou
fazer o que quiser, sem a crítica do consciente?
Por que o bêbado age de forma irracional, com violência na maioria das vezes? Porque a
bebida anula a ação do consciente. Inibe o seu trabalho de raciocinar e julgar o que é certo ou errado.
E assim, o instinto fica liberado para o que der na telha do bêbado. Sai muita besteira. São essas
brigas em boates de pessoas de classe média alta, muitos lutadores de academia, que agridem
covardemente, contradizendo toda a filosofia de respeito e dignidade que aprenderam lá. Por quê?
Não raciocinam! Estão bêbados! Estão guiados pelo subconsciente irracional do lutador, mas,
quando estão sóbrios, são religiosos. Fazem parte da estatística de 98%. Todos são cristãos e
acreditam em deus, porque não existem tantos ateus assim para encher essas boates. Não é uma
palhaçada?
Eu não vou a boates. Sabe por quê? Porque está cheio de irracionalidade lá dentro e eu não
gosto de me expor nem de perder o meu controle emocional. Se quiser tomar o meu vinho tomo em
76.
casa com os amigos e com moderação. Não vivo em rodinhas nem em turminhas de quem não tem o
que fazer. Também não vou a estádios de futebol, nem locais de muito ajuntamento, para não correr
riscos desnecessários de agressões e tumultos. Afasto-me de confusões. Não voo de Asa Delta nem
faço Rapel. Não conto com nenhum deus para me proteger. É assim que eu vivo e sou feliz. Quero
viver muuuito!...
Eu já assisti numa mulher, o subconsciente dela, sob hipnose, referindo-se ao consciente
como se ela fosse outra pessoa. “-Eu disse que ia dar um porre nela!...” - Quem anda em Centros
espíritas conhece bem isso. O “espírito” refere-se ao “cavalo” como se fosse outra pessoa, no mesmo
corpo.
Isso acontece de diversas formas. Quando eu “conversei com deus”, o meu subconsciente
(travestido de deus) conversou mentalmente com o meu consciente (Eu). Poderia ter falado também.
Ia dar uma tremenda confusão, eu dialogando comigo mesmo, ia falar sozinho, mas a gente faz isso
mentalmente, a toda hora e quantas vezes raciocinamos em voz alta. É o embate do “anjinho” com o
“diabinho”, tão conhecidos, discutindo sobre um assunto. O subconsciente querendo fazer uma coisa
insensata e o consciente interferindo e desaconselhando o ato.
Faz sentido para quem acredita em espíritos e, é por isso mesmo que concluíram assim. Na
verdade, é a pessoa falando consigo mesma, ou seja, o subconsciente (que você identifica no seu
pensamento), falando com o seu consciente (você racional).
Estou até me estendendo muito nesse assunto. Já expliquei no livro “A Bíblia do Ateu”,
sobre essas coisas de consciente e subconsciente, de como funcionam e como você os identifica. Leia
lá.
Aqui, eu só quero dizer, que as pessoas confundem subconsciente como sendo o mal e
consciente como sendo o bem, que existem dentro de nós.
Quero deixar bem claro que, a parte da mente que funciona na hipnose é o subconsciente,
depois que o consciente adormece, fica fora de ação. Isso é uma técnica. TÉCNICA! Você pode
aprender se quiser.
Assim também, o “espírito que baixa”, não é espírito nenhum, mas uma manifestação do
subconsciente, através da hipnose.
Interessante é o seguinte: Você consegue comunicar-se com o seu subconsciente através do
pensamento (o diabinho da ilustração que só aconselha maldades), mas o subconsciente, não costuma
comunicar-se através da voz, porque, para falar, tem que pensar primeiro e assim, passa pela
autocrítica. Mas quando você xinga ou grita por uma dor repentina, é a voz do subconsciente que se
manifestou. Quantas vezes, lindas manifestações de amor através da voz, são ditadas pelo
subconsciente (irracional). No sexo, os palavrões são por conta do subconsciente instintivo e sem
autocrítica. Depois que passa o tesão, o consciente critica e faz você ficar sem graça. Mas é assim.
Tanto o subconsciente é irracional que, quando o hipnotizador oferece uma cebola para o
paciente e diz que é uma maçã, o corpo come a cebola por ordem do subconsciente, e nem o gosto
diferente racionaliza (percebe, raciocina e critica). Se o hipnotizador diz que você é um cachorro,
você late e procede como tal. Quando um pastor hipnotizador diz que você é um demônio, você
rosna e procede como tal. Que tipo de demônio? Aquele que você viu em outra pessoa ou imagina
como seja.
77.
O subconsciente manifesta-se pela voz, através da auto-hipnose. É o caso do tal “falar em
línguas” por manifestação do “Espírito Santo”. O subconsciente fala, e como é irracional, sem
autocrítica, só fala besteira, sem compromisso de dizer nada, pois está apenas repetindo o que tem na
memória, pois viu em outra pessoa. (E tem gente que traduz!!!) Deve dizer besteira ainda maior.
Imagine no dia 1º do ano, quantas pomba-giras existem nas praias do Brasil, à meia noite...
Perto de um milhão, chutando por aí. (O Brasil tem 190 milhões de habitantes. No dia 1º/01, 50
milhões, pelo menos, estão comemorando a passagem do ano na rua; 10 milhões, nas praias; 1
milhão recebendo espíritos de pomba-gira. Está razoável).
Agora, me diga: De onde saiu tanta pomba-gira assim? Será que no passado, quando a
população era de alguns milhares de habitantes, já havia 1 milhão de prostitutas e os espíritos delas
estão voando por aí, esperando o dia 1º do ano para festejar??? Ou será que elas vieram da França, da
Inglaterra, da Espanha, aprenderam no caminho e já chegaram aqui falando português? Se no Japão
cultuassem o espiritismo seriam quantos milhões de gueixas? Já imaginaram na China, 6 milhões de
ex-prostitutas baixando por lá?
Ou serão pessoas vivas, comuns, hipnotizadas como pomba-gira?
Eu prefiro essa versão. E você?
Capítulo 25
Meu amigo, espiritismo é cultura local, que veio da África, passou pela França com Allan
Kardec e achou terreno fértil na ignorância do povo brasileiro. A natureza mística desse povo veio
por esse mesmo caminho também. Aqui, se desenvolve bem tudo o que não presta. Temos essa
mania de importar o lixo cultural do mundo. Por isso mesmo já somos o maior país católico do
planeta. E em matéria de espiritismo, só perdemos mesmo para a África. Aliás, em estatísticas de
coisas negativas, sempre perdemos para a África. Às vezes, empatamos.
O Brasil é o país que mais acende velas no mundo! Não é por falta de luz. A indústria de
parafina vende 140 bilhões de velas religiosas por ano. Não pergunte a eles se espíritos existem. Eles
vão garantir que sim.
Cuidado! Você está sendo enganado pela pessoa que você muito confia! Não existem
espíritos nem almas!... Mas eles vão te garantir isso. Ou por má fé, ou por ignorância, mas vão dizer
que sim.
Existe cérebro, com suas funções e disfunções. Aprenda a usá-lo devidamente. Aprenda a
lidar com o seu cérebro ou ele te deixará maluco! Você tem a inteligência muito evoluída e a
capacidade de raciocinar. Outros animais têm inteligência, mas só o homem a tem evoluída a ponto
de raciocinar. Use a inteligência e a sua capacidade de raciocinar para conduzir a sua vida
racionalmente e ser bem sucedido. Pare com esse negócio de acreditar em tudo quanto é abobrinha
que chutam por aí. Peça provas! Exija provas! Ou duvide!
Você já viu alma? Então, por que acredita? Pense bem... Eletricidade, não se vê, mas dá
choque, meu amigo... Ar não se vê, mas levanta pipa!
O importante é ser feliz. Viver com liberdade e responsabilidade, da melhor forma possível
aqui na Terra, até que tudo se acabe.
E lembre-se: A vida é longa. Pode ser boa ou ser ruim. Depende de você. O período mais
delicado, que inspira maiores cuidados é a terceira idade. Felicidade aí vai depender do que você
plantou. Uma pessoa com 50, 80 anos, está cheia de vida. Muita coisa por realizar. Pode ser
extremamente feliz nesse período, mas pode também viver o inferno aqui na Terra e desejar morrer
78.
porque não aguenta mais tanto sofrimento. Portanto, prepare-se para o futuro e viva feliz até os 100
anos. Viva em sintonia com a Natureza, deixando de lado qualquer tipo de misticismo.
Existe uma infinidade de embusteiros por aí. Gente safada mesmo, que fazem do espiritismo
profissão. São os cínicos que iludem as pessoas e elas acham que foram ajudadas. O povo é assim
mesmo: Bobo.
Aquele tal de Dr. Fritz deveria ter sido preso por pratica ilegal da medicina. Sem assepsia,
sem autorização, sem diploma de médico. Fazia intervenções cirúrgicas com o paciente hipnotizado.
Se inflamar, inflamou, se morrer, morreu. Mas acobertado pelas leis da liberdade religiosa fazia das
suas. Num país onde uma cirurgia, pequena que seja, é impossível a uma pessoa pobre, até que
funciona. Eu tenho um cisto no ombro do tamanho de meio ovo de codorna. Ir a um hospital do
governo para retirar é impossível! Num particular eu já tentei. O médico começou me pedindo
radiografia, exame de sangue, biopse para análise de câncer etc. Resultado: meses de trabalho e R$
1.000,00 de custo. Se Dr. Fritz estivesse lá, eu iria nele. Iria mesmo! Eu mesmo não corto porque
não tenho como costurar com uma só das mãos, senão, faria. Vai ficar assim mesmo.
Psicografia é uma fraude. Aquele tal de Chico Xavier é um impostor. Já expliquei bem
sobre isso num dos meus livros e mostrei o testemunho do sobrinho do fraudulento contando tudo
nos jornais da sua região. Ele queria que o sobrinho desse continuidade ao seu “trabalho”.
Não se interpreta sonhos. Não existem dimensões astrais. Almas não saem do corpo. Não
existem vidas passadas. Isso é embuste. Estou te garantindo: Essas coisas não existem! Está tudo na
cabeça do homem e na esperteza dos aproveitadores. A realidade é tratar bem e respeitar o seu
próximo, fazer amigos, estudar muito, namorar muito, trabalhar dignamente, formar uma família,
fazer do seu cônjuge um amigo, garantir o seu futuro e curtir as coisas boas da vida. Você dá, você
recebe. Estou te passando aquilo que deu certo pra mim até aqui. Sou uma pessoa amada, amparada,
cheio de amigos dispostos a fazer por mim o que for necessário, porque foi assim que eu existi
também. Tenho 67 anos hoje. Estou construindo um pomar com frutas de todas as partes do mundo,
muitas vão frutificar daqui a muitos anos e espero estar vivo para saborear, e vou fazer uma nova
casa muito bonita pra minha família. Já fiz o projeto. Falta começar a obra. Vai durar anos. Serão
anos de realização, satisfação, felicidade. Sou ateu, sim senhor, e estou vivo!
Capítulo 26
Crendices são supérfluas, uma perda de tempo, um desvio de objetivos, uma ilusão, uma
enganação. Não pode trazer vantagens. Quando uma mentira deu certo para alguém? Você
conseguiria viver num mundo de mentiras? Viver mentindo o tempo todo? Isso daria certo para
alguém? Não dizem, acertadamente, que a mentira é a mãe de todos os males? Eu concordo! E a
religião é assentada na mentira, fundamentada na mentira, estruturada na mentira. Totalmente
mentira! Eu não sei como fica a consciência desses líderes religiosos que têm absoluta consciência de
que vivem da miséria alheia, enriquecem enganando, mentindo ao povo bobo. Talvez seja como a
dos vigaristas que enganam as velhinhas, criminosos e ladrões da comida de criancinhas! Na hora da
morte deve ser uma dor muito grande de arrependimento. Mas sabe como é o cérebro... Pode o
desgraçado morrer anestesiado. Não existe justiça terrena nem divina.
Vou concluir pra você.
Quanto mais as pessoas são fanáticas, pessoas influenciáveis por qualquer coisa dentro do
misticismo*, mais estão susceptíveis a acontecimentos estranhos: Ver coisas e ouvir coisas que não
existem.
(*)dicionário: misticismo=
79.
1 - inclinação para acreditar em forças e entes sobrenaturais e preocupar-se com eles, em
detrimento das explicações racionais e científicas; credulidade
2 - crença de que o ser humano pode comunicar-se com a divindade ou receber dela sinais
ou mensagens)
Vou explicar isso bem explicadinho.
Por exemplo:
O nosso consciente tem um desejo ou uma preocupação. Se esse sentimento tornar-se muito
profundo, começa a mexer com o seu subconsciente. Se essas aflições tornarem-se muito fortes,
quase desesperadores, o subconsciente fabrica uma “solução” que tem a finalidade de aliviar essas
tensões. É uma defesa do organismo.
A forma mais terrível de demonstrar isso é através do suicídio de uma pessoa jovem e sadia.
Quem se suicida não está sob controle do consciente. Em outras palavras, não raciocina
corretamente, não tem controle dos sentidos, perde o equilíbrio das emoções, o bom-senso e a razão.
É o momento em que entra em ação o subconsciente, irracional, ilógico e insensato, porém muito
forte, e induz a pessoa ao suicídio, dessa forma livrando-a daquele tormento. Na concepção do
subconsciente o desespero é tanto, que o suicídio é a solução para aquela pessoa, só a morte pode
“aliviar”. Morrer resolverá o problema, fará bem àquela pessoa e vai livrá-la do tormento. Isso não é
racional mas é a forma de ação do instintivo subconsciente.
O subconsciente domina a ação, neutraliza o consciente (a razão) e dá um fim ao sofrimento
da mente (do cérebro) destruindo o corpo.
Quando uma pessoa é fanática facilmente perde o controle da razão. Entra o subconsciente
para atender, satisfazer os desejos do seu cérebro. Aí, a mente do indivíduo vê coisas, sente coisas e
ouve coisas que não existem de fato, mas que gostaria que existissem e fossem daquele jeito. Jogar
xadrez com Jesus, por exemplo (risos). É o estado de alucinação muito mais comum do que se
imagina.
(Alucinação -dicionário):
2 - Psicopatologia: perturbação mental que se caracteriza pelo aparecimento de sensações
(visuais, auditivas etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; visão fantástica,
sensação sem objeto
3 - Derivação: por extensão de sentido.
impressão ou noção falsa, sem fundamento na realidade; devaneio, delírio, engano, ilusão.
Alucinação não quer dizer loucura ou insanidade, mas a perda momentânea da razão diante
da inatividade do consciente, o amainamento, o adormecimento, o abrandamento da função racional
do consciente, como se o mesmo fosse anulado por um momento de tensão, quando então entra na
ação, o instinto, a vontade escondida, e o subconsciente age atendendo a essas necessidades do
cérebro.
80.
Uma pessoa que repentinamente age de maneira errada (violenta) está sob domínio do
subconsciente. Diferente daquelas que planejam a ação danosa, raciocinando, e estão sob o domínio
do consciente.
Exemplo de ações do subconsciente:
Agressão, roubo, estupro, alucinação, fanatismo exacerbado, suicídio, palavrões no sexo,
choro convulsivo, choro emotivo, desespero, loucura, instinto sexual, paixão, possessividade, ciúme
etc. Todas, ações fora do controle racional.
No caso da loucura, essa ação do subconsciente, também é radical, como no suicídio.
A mente sofre muitas pressões, o consciente não consegue superar o problema e manter a
mente sob controle. Diante dessa pressão, quando insuportável, o consciente fica abatido, entra o
subconsciente em ação e a primeira consequência é o estresse e distúrbios mentais leves de
alijamento, desligamento, alienação*, até a anulação total do consciente, de uma forma traumática e
de tal jeito que muitas vezes torna-se irreversível. A loucura é uma defesa do organismo para evitar a
morte.
(*)Alienação é o desligamento temporário das funções do consciente, por manobra do
subconsciente, para proteger o cérebro de um dano traumático maior.
A loucura é uma proteção do cérebro que evita o colapso total da mente que levaria a morte
do indivíduo. Você não conhece casos de pessoas que vieram a falecer diante de uma emoção muito
forte? Assim, totalmente desligado, o cidadão não sofre mais. Por exemplo, um grande amor perdido.
A pessoa louca não sofre mais. É uma ação do subconsciente.
A agressão é uma forma de extravasão dessas pressões suportadas pelo cérebro, que vão
além da capacidade de controle do consciente.
O estupro é uma forma de extravasão do instinto sexual que é comandado pelo
subconsciente, totalmente irracional. A pressão do desejo sexual é tanta que supera a capacidade de
controle do consciente. Este, quando alijado do controle, assume o instintivo subconsciente que só
pensa em atender os desejos, as necessidades do cérebro que comanda a ação sexual. Se o estuprador
depois disso vai para a cadeia é uma coisa que o subconsciente tem nada a ver com isso! Ele atendeu
naquele momento as necessidades da mente ativadas pelo instinto sexual e fim de papo. Mas o
consciente é quem sofre na cadeia.
81.
Na religião existem vários estágios mentais de descontrole e perda de função do consciente
(perda da razão):
1 – Através da Lavagem Cerebral.
Uma mensagem divulgada insistentemente no cérebro acaba alojando-se, impregnando o
subconsciente. Dali é difícil sair. Quanto são 2 + 2 ? A resposta está fixada no seu subconsciente e
dele nunca mais sairá, pois entrou sob uma auto-lavagem cerebral. Ato voluntário de decorar.
Comparando o cérebro com a informática temos: Consciente e subconsciente. Ambos são
memórias. O consciente é a memória Ram, aquela que apaga quando se desliga a máquina. O
subconsciente é o HD, o disco rígido que armazena as informações e não se apagam quando você
desliga o PC. O cérebro (como um todo) é a energia que você liga e desliga.
Coisas que não foram passadas para o subconsciente são esquecidas, apagadas da memória.
As mensagens insistentes e contínuas são armazenadas no subconsciente e não apagam com
facilidade. Será preciso você comandar uma ação específica para apagar essa memória.
O que eu escrevi na página anterior? Você já não se lembra mais. Apagou da memória. Mas
se você ler 100 vezes ela vai se armazenar no seu subconsciente e de lá não sairá mais. Eu escrevi a
palavra “mentira”, nesse livro? Você sabe, porque foram muitas vezes. O telefone da minha avó era
29-2995 em 1946, e eu não esqueci mais. Está decorado, impregnado no meu subconsciente e de lá
não sai mais.
Entretanto, quem faz os cálculos? Quem raciocina? O consciente, a memória Ram somada à
inteligência e ao raciocínio.
A lavagem cerebral da religião atua no seu subconsciente. É impregnado pela informação
maciça e contínua. Por exemplo:
“Jesus salva”.
Essa frase está impregnada no subconsciente de todos os crentes. Mas sobre isso eles não
raciocinam. Não se perguntam: Salvar o quê? Salvar de que forma? Salvar de quem? Salvar por quê?
Para eles, apenas está registrado que “Jesus salva” e ponto final. E saem por aí, fazendo a mesma
coisa: massificando os seus semelhantes com a mesma informação. “Jesus te ama”. Cada vez que ele
faz isso a frase fica mais impregnada no subconsciente dele próprio. - Ide, pregai o evangelho “e
fixai a sua lavagem cerebral”.
Para livrar-se dessa lavagem cerebral o crente teria que dizer a si mesmo inúmeras vezes
uma frase contrária a essa: -Jesus não salva nada! - Jesus não existiu! Salvação é mentira! Etc., tantas
vezes quantas ele ouviu a primeira frase, talvez o dobro, o que convenhamos é muito difícil de
acontecer...
Mas, existe uma forma eficiente de livrar-se da lavagem cerebral é através (da memória
Ram) do raciocínio e usando a inteligência e a cultura:
Puxe a frase do seu subconsciente e traga para o seu consciente. “Faça os cálculos”.
Raciocine sobre ela, questione, esclareça, conclua o que ela significa e devolva o resultado para o
seu subconsciente. Jesus é uma mentira e ponto final. Você não vai esquecer o “Jesus salva”, mas vai
lembrar também que é mentira. Pela racionalidade. Uma coisa anulando a outra.
2 – O fanatismo exacerbado, por ex: desejando ver Jesus, desejando falar com Jesus ou
escutar Jesus, a tal ponto que isso se torna uma obsessão, uma pressão incontrolável para o cérebro e
então o subconsciente acha melhor atender essas necessidades antes que o crente enlouqueça. Aí, faz
82.
com que o cérebro veja, ouça e ele até “conversa” com Jesus. É o estado de semi-alucinação. Um
descompasso cerebral. Algo provido pelo subconsciente.
Se a pessoa está convencida de que demônios existem e os teme, pode chegar também a
esse estado de semi-alucinação, ou mesmo uma alucinação típica, e vê o diabo ou escuta o demônio
falando, rosnando etc., tudo rolando apenas dentro da sua “caixola”. Nada de real.
O crente é convencido de que após a morte vai para o paraíso da vida eterna. Para conseguir
isso ele precisa estar sem pecados o que inclui contribuir financeiramente para deus – o dízimo –
com trabalho ou cedendo os seus dons nas obras da igreja (o obreiro, o músico, o cantor do coro
etc.). E o que acontece? Ele paga, paga e paga, acreditando que isso fará com que ele depois de
morrer vai curtir a Vida Eterna. Ficou condicionado pela lavagem cerebral que tomou no período em
que frequentou a igreja. Não raciocina mais sobre esse assunto (não disse que não pensa, mas a
razão, a lógica e o bom-senso que fazem parte do raciocínio sobre esse assunto é que estão
bloqueados) e ele apenas faz o que está condicionado a fazer. Não está doido ainda, mas de parafuso
frouxo...
Ninguém sob Lavagem Cerebral admite que está passando por isso. Somente a cultura e o
raciocínio sadio aliados à inteligência poderão fazer o homem voltar a encontrar a razão das coisas
(comprar sua casa própria em vez de dar dinheiro para o pastor).
Com a cultura o homem poderá separar o que pode ser verdade e o que pode ser mentira.
Com o raciocínio ele poderá fazer comparações, pesquisar e buscar a verdade.
A inteligência proporcionará a lucidez para que tudo isso seja possível.
Dependendo, entretanto, do estágio em que esteja a lavagem cerebral, torna-se impossível
retroagir. É sem volta.
Resta ao ser humano entender isso e desejar buscar a verdade.
Conheço o caso de um gay que deixou de ser gay, lavando a própria mente. Dizendo a si
mesmo, insistentemente, que era homem, pensando assim intensamente. Agindo como homem
porque não queria mais ser gay, ativou seus hormônios masculinos (a testosterona) e acabou livre do
seu lado feminino. Hoje tem mulher e filhos. O depoimento foi dele mesmo.
Capítulo 27
O comércio religioso está se expandindo. A TV está cheia de canais evangélicos e católicos.
As rádios já saturaram. Uma propaganda maciça que lhes aumentou extraordinariamente os lucros.
Eu vi aquele cara de pau da Record (esqueci o nome) pedindo 10 mil reais aos empresários, com um
sorriso cínico nos lábios, e ainda reclamando que o crente aumentou o salário e não aumentou o valor
das doações.
São várias organizações mostrando aqueles depoimentos, testemunhos que não
testemunham nada, apenas expõem casos e mais casos da vida cotidiana, dizendo que foi por
interferência divina. Estão levando a palavra de deus ao povo? Que nada! Estão é se enchendo do
dinheiro! Desconfie dos seus objetivos. Tenha um pouco de maldade na cabeça para livrar-se desses
vigaristas. Eles estão é atrás do seu dinheiro (só) como todo comerciante faz, de uma forma tão
cínica e descarada que me impressiona. Mas nada oferecem em troca. Mercadoria nenhuma, salvo
ilusões e promessas para depois da sua morte (depois!). Conversa mole, conversa fiada. Papo de
vigarista. Querem o seu dinheiro. E você acredita nesses “testemunhos”?
Qualquer vizinha nossa tem uma história para contar, dramática, de curas e milagres que
atribuem a uma entidade mística qualquer – todos com a intervenção da ciência humana.
83.
Ora, eu poderia também ir para a TV, contar os meus casos, minhas curas, minhas
conquistas do dia a dia. Tenho uma tonelada de vitórias. Se eu disser que foi por obra de Jesus, quem
vai contestar? Mas, e se eu disser que foi graças ao meu esforço, inteligência e capacidade?
Eu e minha família temos uma excelente saúde. Obra de Jesus?
Ganhei uma questão $$$$ na Justiça. Obra de Jesus?
Comprei um terreno na praia. Foi promessa a algum santo?
Minha mulher passou no vestibular de Direito. Obra de Jesus?
Agora, formou-se, é bacharel em Direito. Foi a santa que ajudou?
Minha filha passou no vestibular de Direito. Obra de Jesus?
Minha filha conseguiu um ótimo estágio remunerado. Obra de deus?
Meu filho foi destaque em Matemática na escola. Obra de Jesus?
Meu filho foi escolhido garoto sorriso na escola. Influência divina?
Comprei um notebook para escrever sobre ateísmo. Obra do capeta?
Ora, meu amigo... Tenha paciência... Capeta é o cacete! Foi obra do nosso esforço, da nossa
fé em nós mesmos, do nosso trabalho, da nossa dedicação e dos nossos cuidados. E se eu for à TV
contar tudo isso?
Agora, fica essa gente adoentada por aí, fumando, bebendo, pedindo curas a Jesus e depois
vão para a TV dar testemunho do trabalho dos médicos humanos, dizendo que foi graças a Deus. O
médico é instrumento! Coitado... Isso é que é esculachar o esforço de um cidadão. Médico não tem
mérito nenhum! Foi tudo obra de um mito que jamais existiu. É duro de engolir tanta besteira! Dá
pena desse zé-povinho!
Agora me diga: quem botou essa gente adoentada por aí e cheia de problemas por resolver?
Foi Jesus? Ah!... Foi o capeta com a permissão de deus... Hum, humm... Ou foi o diabo? Ah... foi o
diabo! Putzzz!... (Palavrão).
Que bom que eu não acredito em diabos também. Tudo farinha do mesmo saco.
Agora, essa gente fanática abobalhada, mentalmente escrava de pastores, com o cérebro
embotado pela religião, qualquer passo que dá na vida pede a Jesuisss. Depois agradece a Jesuisss ou
bota a culpa no diabo.(*%#!!)
Cá pra nós. É ridículo isso. Vindo de um ser humano inteligente, fica difícil de entender.
Acho que só falta raciocinar.
Eu acredito em mim. Os méritos das minhas conquistas são meus. Comprei um carro novo,
foi graças ao meu esforço. Fui capaz. Em vez de pagar dízimos, pago as prestações. Por isso fico
muito feliz e orgulhoso de mim mesmo. Mas, tem gente que dá o dinheiro para a igreja acreditando
em promessas para depois da morte. Fazer o quê? Devo nada a ninguém, tenho que agradecer nada a
ninguém, salvo a mim mesmo, aos meus amigos, se algum me ajudou em alguma coisa.
Minha filha quebrou a clavícula praticando judô. Não foi obra do demônio. Culpa dela
mesmo, que não me ouviu. Os médicos cuidaram dela. Está curada e perfeita novamente. Graças a
quem? A QUEM??? Aos médicos que foram dedicados, competentes e capazes! Estudaram pra isso!
E a nós mesmos que os procuramos e pagamos.
No entanto se eu sou um fanático idiota qualquer vou dizer que o diabo quebrou a clavícula
dela e Jesus curou. E ainda vou dar testemunho na TV e engordar a caixinha dos pastores!... Lindo!
P*¨&%#!!! Eu não aguento!
E eles não são bobos e atacam sabe quem? Os empresários! Porque sabem que há
empresários idiotas também e com muita grana! São uns caras de pau pedindo doações. Pedem
84.
sorrindo, mansamente, como se tivessem pedindo 1 kg de alimento não perecível para um pobre
carente: - 100 mil, 50 mil... 10 mil!... Quem dá mais?! Caçando a conta gorda dos empresários de
mente lavada, que acham que tudo o que sair errado no seu negócio, foi porque ele não foi generoso
com o Senhor-pastor, e se sair certo, foi porque ele deu dinheiro para a igreja. Lavagem Cerebral,
meu amigo... O cara fica preso a essa condição. “Dá e recebe em dobro. Não dá, vai à falência”. Uma
dependência idiota puramente psicológica. Mas é assim que é.
Ora, o empresário é generoso quando está tudo bem e o negócio vai de vento em popa. Se
vai mal ele restringe sua generosidade. Se ele quebra, pára de contribuir, porque não vai roubar para
dar para a igreja.
Aí, o que acontece?
A pregação do salafrário inverte os valores e garante que ele perdeu porque não deu, certo?
E o cara esquece que foi ao contrário. E aí, vai se queixar a quem? Já perdeu muito dinheiro, já
engordou a conta do pastor, já sustentou a máfia durante anos e agora vai ficar sozinho, indefeso, no
máximo sendo consolado pela lábia do vigarista que já se deu bem...
E agora? Dane-se! Dinheiro doado não tem mais volta. Tem arrependimento, tem amargura,
desamparo, solidão e desespero de achar que pecou em alguma coisa e foi punido. Todos vão lhe
virar as costas, inclusive o vigarista que ele sustentou na época das vacas gordas... Porque...
Empresário falido, meu amigo... Ninguém quer saber.
O que aconteceu com essa crise mundial aí? Trilhões de dólares de prejuízo. Todo mundo
estava contribuindo para a igreja e de repente todo mundo parou de contribuir para a igreja. Aí a
bolsa desabou... Foi assim?
- Quem vai dar 10 mil aí para deus?!... E a aventura continua...
Olhe meu amigo. Eu sei disso tudo. É assim que eu vejo e entendo claramente o que
acontece. O povo é enganado e explorado por essa gentalha, porque nada disso é por acaso. Eles
mesmos não acreditam em deus nenhum. Acreditam é no lucro que essa manobra dá a eles mesmos.
Muita gente à-toa é sustentada por esses bobos fanatizados.
Incomoda ver esses coitados dando depoimentos na TV. Querem mesmo é aparecer e são
devidamente usados. Bem feito! Até nisso são explorados, mas não sabem o papel ridículo que
fazem. Me faz lembrar do vizinho que quando explodiu um tanque na refinaria ali próximo, subiu no
telhado gritando que era Jesus que estava voltando. Nunca vi algo tão ridículo em toda a minha vida!
Custei a acreditar que aquilo era sério. Deu muita pena, viu? Quem distorceu a mente daquele pobre
coitado? Os pastores, claro! Que vivem à custa do fanatismo dele! O cara com mulher e dois filhos
trabalha para sustentar e alimentar aquele encostado que o engana e explora.
Esses pastores exploram, além do trabalho gratuito a vaidade de quem canta e dá
testemunhos. Esses mereeeecem!...
É Jesus!!! Dane-se! O meu eles não levam mais.
Houve uma época que eu era tão bobo, tão ingênuo, tão de boa fé, que acreditava nessa
gentalha. Por isso eu sei como eles agem e fazem a nossa cabeça. Por isso também, eu escrevo
avisando, prevenindo, despertando a maldade do meu leitor para que abra os olhos e percebam essa
triste verdade. Estão sendo explorados por uma mentira. A maior mentira que o mundo Ocidental já
viu (no Oriental a mentira é outra).
Por isso que o inteligente ateu Fernando Thomazi (aqui fica minha homenagem a ele),
pergunta:
85.
“Por que deus não cura amputados?”
E eu ainda acrescento em tom de brincadeira:
 E não faz nascer cabelo nos bispos carecas?

Claro que eles terão sempre uma desculpa esfarrapada, previamente estudada pelos espertos
padres que escreveram a Bíblia: É falta de fé! Porque, quem tem fé move montanhas! Pelo jeito essa
fé não existe, mas está escrito, o povo engole literalmente.
Eu estou cansado de gente burra que não raciocina. Apenas acredita... acredita... acredita...
E PAGA! Por isso esse é o último livro que eu escrevo sobre esse assunto.
Capítulo 28
Nesse exato momento, estou vendo a reportagem sobre a chuva de 4 meses em Sta.
Catarina. Cidades como Blumenau, Itajaí, Joinvile, e outras tantas, ficaram arrasadas por enchentes e
desmoronamentos. Estado de calamidade. 170.000 desabrigados, 150 mortos e desaparecidos em
desmoronamentos. Já sei que o fanático vai dizer que é culpa dos homens e deus apenas “permitiu”
que caísse esse temporal, desmoronasse tudo e morreram tantas crianças. Eu apenas digo que o
excesso de chuvas não foi permitido por nenhum deus, são acidentes da Natureza, por razões
climáticas, difíceis de definir. Houve outros iguais há 20/80/200 anos atrás. A Natureza nunca foi
perfeita e isso acontece. As mortes nos desmoronamentos, evidentemente, são por conta dos homens
que fazem casas nas encostas de morros, já pedindo para cair. E aí a culpa já é do governo e do Papa
que reprime o controle da natalidade. Mas eu achei engraçado alguns Catarinenses dizerem na TV:
- “Contar com deus, mesmo, porque está feio o negócio”.
- “Deus está me ajudando. Muitas pessoas também estão”.
- “Graças ao bom deus, ele ajudou..”
Claro, não disse qual deus, porque eu não conheço nenhum que faça ou tenha feito qualquer
coisa por qualquer pessoa dessas, que eu saiba. Ele, no máximo, “permite” que aconteça as
desgraças. Que engraçado, não é? E o cara ainda pretende contar com deus. A outra diz que muitas
pessoas também estão ajudando! Ora... Vá se ferrar! Ter fé assim lá na Cochinchina (&%#!?!). Se eu
fosse uma dessas pessoas não ajudava mais essa mulher. Deixava só por conta do deus dela.
O que tem de gente dizendo:
-“Graças a deus eu me salvei! Perdi apenas tudo o que eu tinha, inclusive meus filhos e meu
marido, minha casa, meu trabalho, estou com a roupa do corpo, mas deus me deixou viva! Aleluia,
meu bom deus!...”;
-“Perdi minha mulher e o meu filho pequeno, mas graças a deus minha filha não morreu!”
“Minha casa desabou, minha família está desaparecida, mas estou viva. Obrigado Senhor
por essa graça concedida!”
Como se deus não fosse o responsável pela desgraça! Essa gente é burra demais, ou eu sou
inteligente demais?
Deus tem ou não tem participação nessa tragédia? Se tem, como agradecer diante da
desgraça? Se não tem, pra que agradecer?
Só rindo... Então, o cara deve admitir que deus mandou o temporal, destruiu todo o estado e
matou todas essas pessoas, não é? Ou apenas “permitiu” que São Pedro esvaziasse o regador. Como
é que ainda vai agradecer a deus?!!! O cara perdeu tudo! Uma casa construída em 15/20 anos, com
um sacrifício danado, no chão! Nem água o cara tem pra beber e dá graças a deus. Cacete! Eu não
entendo isso!
86.
Eu, sinceramente, não compreendo o que essa gente tem na cabeça. Acham que um deus fez
tudo isso que existe. Naturalmente, se assim fosse, ele também teria poderes para controlar tudo o
que fez. Assim, chuvas como essa não escapariam ao seu controle ou foram intencionais, para matar
mesmo! Por vontade dele. Não tem lógica?
Ou então, deus nenhum fez P. nenhuma! Porque não existe! É no que eu acredito. Estou
errado?
Ou esse tal deus é muito cruel, inconsequente, distraído, diverte-se com o sofrimento dos
“seus filhos”... ou então, não existe. Acho mais lógico também essa hipótese. Você consegue
raciocinar a esse respeito?
Seria isso apenas uma fantasia irracional? Ou uma mania incoerente de dizer “graças a
deus” da boca pra fora sem nem pensar na besteira que está dizendo?
Ou então, estão se cagando de medo do deus-terror, assassino sanguinário, e agradecem pela
complacência de não terem sido assassinados também.
E o deus de amor? O deus pai? Aonde é que se escondeu nessa hora? Lá em Sta. Catarina
tem muitas igrejas, com certeza! Cadê o amor? Hein?!...
Acho que para agradecer, o certo seria:
“Obrigado meus amigos que me ajudaram nessa tragédia, solidários com a minha desgraça.
Obrigado aos bombeiros e as equipes de salvamento que não mediram esforços para me tirar de
dentro daquele lamaçal e me devolveram a vida!”
Fica a resposta com leitor.
Capítulo 29
Ser um ateu, num país de esmagadora maioria cristã, não é muito confortável. Aliás, é fácil
ser, mas não é fácil explicar isso por causa da ignorância do povo e pior ainda é transmitir essa idéia.
O povo brasileiro é de esmagadora maioria pobre e ignorante, e não estão na cidade grande
com recursos de comunicação e cultura. Na TV o máximo que vão ver é novelas, Faustão e Gugu.
Isso está longe de ser cultura. Os canais pagos não passam nem na cabeça deles. É uma gente fácil de
manipular, assim como os islâmicos que se sujeitam até explodir a si mesmos, pela fé na sua religião,
certos de que após a morte encontrarão um paraíso cheio de virgens e muito mel. É claro que por trás
disso tem os exploradores, gente esperta, manipulando e incentivando esse fanatismo na cabeça deles
e aproveitando-se da falta de cultura de berço desse povo.
Assim também o cristão acredita que encontrará a vida eterna depois da morte. Eu acho isso
tão absurdo e nem compreendo como esses bobos se deixam levar dessa forma ridícula por uma
mentira tão absurda. O que há de palpável nessa crendice? Nada! Ninguém pode provar que isso
existe! Então é uma crendice muito rudimentar digna do passado, assim como muitas outras
crendices absurdas que existem por aí. Você mesmo deve saber de várias. Horóscopo, tarô, runa,
pirâmides de cristal, cartomancia etc., etc.
Em outros países e na antiguidade (é só ver nesses programas culturais da TV ou ler um
bom livro de História Universal e mitologia, há de tudo). Coisas inacreditáveis, tapeações
descaradas, misticismos tolos. Mas as pessoas desde que nascem, desde criancinhas, já são lançadas
nesse ambiente de fantasia pelos próprios pais, diga-se de passagem, seja pelas estórias infantis, seja
87.
pelos hábitos sociais enraizados nos adultos. O Papai Noel que depois vira Papai do Céu é um bom
exemplo disso.
Assim, acreditar em deus ou acreditar em Jesus Cristo é uma consequência disso. Desse
ambiente hereditário.
No meu tempo, havia aulas de religião nas escolas do governo. Hoje, esse ensinamento
atrasado está restrito às escolas particulares sustentadas pelas próprias igrejas, cada um na sua. Os
Adventistas, por exemplo, levam essa “matéria” até a faculdade. Um cara diplomado pela faculdade
Adventista, não acredita em dinossauros nem em homens pré-históricos. São radicais em Adão e
Eva, dentre outras aberrações culturais.
Mas aí, um cara diz: Sou ateu e Jesus Cristo é um mito.
A primeira reação do povo é a perplexidade. A segunda é a indignação. Isso ocorre entre o
povo mais humilde e ignorante que não representa a minha sociedade, porque eles jamais
conseguiriam admitir e muito menos compreender, que alguém possa pensar diferente deles. Por isso
eu não me sinto atingido por esse preconceito. Tenho é compaixão dessa gente: -Não acreditar em
Jesus? Imagine!!!...
Certa vez, em Itaipuaçu, cidade pequena, uma mulher na rua, de passagem, convidou-me
para ir a igreja dela. Agradeci, mas disse-lhe que era ateu. Ela retrucou assim:
- Ah... Está bem... Pelo menos o senhor foi sincero... (?!). - Como se eu estivesse
confessando um crime ou admitindo um lamentável erro.
Essa opinião contextual que ela tem, certamente lhe foi passada por um pastor-comerciante
qualquer. Claro que eles querem ver os ateus pelas costas e bem longe, porque acabariam com o seu
negócio, o seu ganha-pão, espantando os fregueses e aí teriam que procurar emprego.
É claro também que não me importo com isso e tenho até pena dessa gente, pelo estado de
ignorância em que se encontram, mas é assim que acontece.
Capítulo 30
Eu fui criado no meio religioso e foi difícil livrar-me de todos esses preconceitos e cismas.
Até hoje digo: - Ai meu deus! - Mesmo que o sentido seja de um palavrão, e nem me importo mais
com essa gafe, mas quantas vezes faço comparações das minhas atitudes com as de um religioso,
lembrando sempre da minha vantagem, firmando minhas concepções racionais.
Essas convicções não vieram por acaso, pois eu estudei muito, raciocinei muito para chegar
a essa total descrença.
O ateu (verdadeiro) não é aquele que não se interessa por religião e até por rebeldia critica
deus xinga e dá as costas para o sistema religioso. O ateu de verdade é aquele que estudou e concluiu
pelo raciocínio, que a religião é uma farsa prejudicial, um atraso de vida, uma mentira que forma
dependência como qualquer droga, tira a confiança em si mesmo e a iniciativa do crédulo.
A religião quer prender o indivíduo psicologicamente, para depois explorá-lo
adequadamente. É disso que eles vivem. Como o jogo do bicho, um centavo aqui, outra moeda ali,
como os caça níqueis de qualquer esquina, e eles ficam ricos. É o grão em grão que enche o bolso
deles. É isso que eles querem, é disso que eles vivem e hoje, está lá o trilionário Vaticano para
qualquer um ver.
O prejuízo financeiro não é o problema. Mesmo quando eles tomam todo o seu salário,
vendem lotes no céu ou chaves do paraíso por $ 200 mil. O problema está na dependência
psicológica, na alienação mental e no enfraquecimento do ego.
88.
Você passa a não ser mais você mesmo e tudo o que faz depende de um “santo protetor”
qualquer. As pessoas nada mais fazem senão através de um Jesus imaginário ou um pai-de-santo
hipnotizado.
Assisti um testemunho na TV de um cara que se dizia muito rico e que, tudo o que ele
conseguiu foi através de Jesus. Também, pudera. Tudo o que fazia, antes, pedia pra Jesus.
Eles precisavam também colher os testemunhos daqueles que pediram a Jesus, fracassaram
e estão hoje dormindo ao relento. Fatalmente ouviriam muitas estórias de muita fé que não deu em
nada. Aqueles caras que dormem em baixo das marquises não são ateus. No máximo ex religiosos.
Mas o povo não entende isso e as igrejas fazem esse tipo de propaganda para dizer que,
quem vive com Jesus se dá bem.
Bom... Nem parece, pois estamos num país de esmagadora maioria cristã que ainda não saiu
do 3º mundo, um país atrasado, com o povo cristão passando necessidades. Não é??? E muitos deles
na cadeia!
Então, porque aquele homem ficou rico? Foi por causa de Jesus?
E se ele tivesse se apegado numa pedra, um amuleto qualquer e fizesse a mesma coisa na
vida? Iria na TV dar esse depoimento? E o que tem de rico por aí que sequer pisa numa igreja... E o
que tem de ateu bem de vida... Os ricos, mesmo, estão lá nos países do primeiro mundo onde a
maioria nem quer ouvir falar de deuses. Só mesmo Jesus explica.
O ateu acredita em si mesmo, como o ser mais poderoso do Universo conhecido. Essa é a
diferença.
O ateu conquista pelos seus próprios méritos, fica orgulhoso do seu trabalho e feliz no seu
podium.
O ateu tem muita força psicológica, fé em si mesmo, confiança no que faz e cuida de si
mesmo muito melhor.
Essa é a força que a religião tira do indivíduo. Coloca-o inerte, esperando as providências
divinas. Mesmo quando está escrito: “Faze por onde que eu te ajudarei”, ninguém faz. Espera em
Jesus. E ainda paga por isso!...
Capítulo 31
Há pessoas que resolveram não raciocinar. Não gostam. Têm preguiça. Resolveram
acreditar na Bíblia porque é mais fácil e ponto final. Vivem defendendo, tentando explicar
incansavelmente, as coisas absurdas que encontra naquele livro de fábulas.
O Velho Testamento é uma cópia fiel do Torá, o Pentateuco judeu. Esses textos vinham já
de 5 mil anos a/C., passados de boca em boca, cada conto aumentando um ponto, até que inventaram
a escrita cuneiforme a princípio (cuneiforme era escrita em baixo relevo feita com pancadinhas de
uma cunha sobre barro úmido macio. A criação do deus que você acredita, nasceu dessas
pancadinhas no barro), algo muito reduzido em termos de clareza, informação e compreensão do
texto. Por isso cada vez que se modernizava a escrita, “aperfeiçoavam-se” as estórias, até que se
chegou a mil anos a/C, por aí, quando ficou tudo sacramentado. Como nessa época, o povo era muito
despreparado em termos de cultura e conhecimento científico, simplesmente encantavam-se com as
estórias que liam. Estórias fantásticas de Moisés e Abraão, os super-heróis dos hebreus (nome do
povo antigo que gerou os judeus) que, realmente, ninguém sabe se existiram de fato. Estórias
absurdas como a da criação do mundo encontrada no Gênesis, Adão e Eva, que começaram no
mundo há 6 mil anos atrás, chegando ao cúmulo do absurdo no livro do Êxodo, de Moisés abrir o
Mar Vermelho com um gesto de Mandrake, depois de tirar água da pedra com uma varinha mágica,
89.
conversar com deus cara a cara, testemunhar deus escrever numas tábuas de pedra os 10
mandamentos que deveriam seguir e andar por 40 anos num tremendo deserto, com milhares de
pessoas ex-escravos no Egito. Engraçado é que nem o Egito conta esse drama, nem os cientistas
arqueólogos encontraram qualquer resíduo dessa fábula. Depois disso Moisés ainda mandou os
soldados matarem quase a tribo toda, porque estavam adorando um bezerro de ouro ou de bronze, sei
lá, e reservar as menininhas virgens para deleite dos soldados. P. que P!... Que estórias!...
O que há de credibilidade nesses textos? Meu amigo, por favor... NADA!!! Simplesmente
um romance exótico e disparatado, uma fantasia que nem a história dos judeus representa.
Pois são, justamente nesses textos “antiquérrimos”, “ignorantérrimos” acredite, que você
encontra a criação do deus que o cristão adora HOJE! Foi aonde a palavra “Deus” surgiu pela
primeira vez na história, depois de outros deuses únicos, que perderam a validade: Baal, Bel e
Moloch, lá no Gênesis e seus contos poéticos e lendários, criação da mente de boçais em termos de
conhecimento da ciência de hoje, é que o teu deus foi criado.
Cacete! Pergunte se eu acredito nisso!... P!... Que insensatez de quem chama essa porcaria,
de palavra de deus!... EU NÃO AGUEEEENTO!!! Santa ignorância! --- preciso bater mais de leve
no teclado --Já imaginou você estar acreditando e defendendo uma estorieta absurda contada a 7 mil
anos atrás, quando achava-se que a Terra era circular (um disco) e o centro do Universo? (Isaias
40:22). Nessa época tinha gente que adorava o sol como um deus! E milênios mais pra cá adoravam
os imperadores como deuses!
O livro do Gênesis é um romance absurdo porque hoje a ciência conhece a idade da Terra
em bilhões de anos, a idade do Universo, a idade dos homens pré-históricos de milhões de anos atrás,
coisa que na época do dito Moisés jamais se imaginaria que tivessem existido.
Então o crédulo, se raciocinar, vai ficar no maior dilema. Acredita na Ciência ou acredita na
“palavra de deus”? Ou a Terra tem 6.000 anos ou 6.000.000.000 de anos (um milhão de vezes mais)?
Acredita em Adão e Eva ou acredita nos Australopitecos, e nos dinossauros? Ainda bem que
religiosos não raciocinam...
Eu acredito no homem, no seu conhecimento científico e mesmo nas teorias que ainda não
foram comprovadas. Se não fosse assim eu não tomaria comprimidos para dor de cabeça nem beberia
Coca-cola.
Mas tem gente que se esforça em comprovar a veracidade do livro de Gênesis e insiste
nisso, sem nenhuma cultura, sem nenhum conhecimento geral. Eu chamo essa gente de abobalhados.
Que melhor eu poderia fazer? Pessoas que são proibidas de ver televisão! Duvido que leiam livros de
história universal, história antiga e medieval. “São coisas do demônio!” Então, que fiquem burras
sustentando pastores pela vida eterna a dentro! A mim não vai fazer diferença.
Na época, falava-se muito de profetas que adivinhavam o futuro e repassavam suas
previsões para o povo. Possivelmente eram os pensadores locais, de onde vinha toda a cultura
existente e assim o VT da Bíblia ficou cheio de profecias.
Ora, assim como existiu Nostradamus e hoje, em 2008, existem os adivinhos que não
advinham nada, ciganas que chutam o seu futuro, com poucas possibilidades de acerto, as profecias
passaram a ser escritas e isso derrubou no tempo, a credibilidade de acerto dos profetas. O que
resultou? Erraram e erraram feio!
Se não fosse pelo fato de terem sido escritas, ficariam perdidas no tempo, acabariam
esquecidas e os profetas continuariam famosos com uma ou duas que acertassem.
No livro A Bíblia do Ateu, página 9 eu documentei várias dessas profecias que furaram
completamente. Não vou repetir aqui, mas está lá. Pegue lá no
90.
http://www.4shared.com/dir/5953857/5e7f442c/sharing.html
É muito fácil e rápido, porque o link vai direto na minha página.
Resumindo, o VT da Bíblia também, não tem nenhum valor, pra nada, muito menos para
gerar um deus. P!!! EU ESTOU DIZENDO QUE O DEUS QUE VOCÊ ACREDITA FOI
INVENTADO HÁ 7 MIL ANOS ATRÁS POR ANALFABETOS BOÇAIS E IGNORANTES! ENTENDEU???!!!
Sabe, só pode ser por ignorância e aí tem até perdão, admitir que pessoas cultas e lúcidas do
século XXI acreditem nisso que estou acabando de denunciar. Ora, se não sabem, estão desculpados.
Mesmo assim, não serão perdoados por acreditarem numa coisa sem ter certeza. Isso já é bobeira. Aí,
eu fico incomodado. Chocado... Desanimado de tentar ensinar coisas para uma gente tão relapsa
mentalmente. Dá a impressão de que estou perdendo o meu precioso tempo. Ainda bem que é a
última vez.
Eu escrevo, escrevo e escrevo. Aí assisto na TV, 2 milhões de pessoas na festa do Círio de
Nazaré. Fico afundado o dia todo...
Capítulo 32
O Novo Testamento da Bíblia foi criado com vários objetivos. Um deles foi “realizar” as
profecias do VT. Portanto, encaixaram a estória de um livro no outro livro. A estória foi inventada,
em sintonia com as profecias criadas no VT.
Esse fato é notório em vários versículos da Bíblia, onde eles sem imaginar, deixaram a
pista. Acompanhe na Bíblia se quiser:
Mateus:
2 - 17 - Cumpriu-se então o que fora dito pelo profeta Jeremias:
4 - 14 - para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías:
5 -17 - Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.
8 - 17 - para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías:
12 -17 - para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías:
13 - 14 - E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz:
13 - 35 - para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta:
26 - 56 - Mas tudo isso aconteceu para que se cumprissem as Escrituras dos profetas.
27 - 9 - Cumpriu-se, então, o que foi dito pelo profeta Jeremias:
1-22 - Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito da parte do Senhor
pelo profeta:
2 -5 - Responderam-lhe eles: Em Belém da Judéia; pois assim está escrito pelo profeta:
Marcos:
1 - 2 - Conforme está escrito no profeta Isaías:
Lucas:
3 - 4 - como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías:
Etc etc , chega por aqui.
91.
A estória que criaram sobre Jesus, o Messias, teve uma trajetória pré-definida no livro
anterior. Não é verdade que as profecias sobre Jesus se cumpriram porque Jesus sequer existiu, mas a
verdade é que eles criaram a estória de Jesus de acordo com as tais profecias do Velho Testamento,
uma tentando dar veracidade à outra. Você me entendeu, não é?
Essa tentativa teve como objetivo arrebanhar os judeus que eram abastados. Os sacerdotes
romanos tentaram essa artimanha, a partir dos escritos essênios que depois foram encontrados em
Qumran. Eles copiaram a idéia do “Mestre da Retidão” Chrestus, que já vinha fazendo a cabeça
deles. Mas não deu certo. Os judeus não caíram no conto do vigário, mas acabaram vítimas da estória
porque os cristãos colocaram um judeu para trair Cristo. É fogo... Essa gentalha não valia nada!
Coitados dos judeus ficaram estigmatizados sofreram por séculos nas mãos dos católicos, por causa
dessa mentira. Isso é revoltante!
Esses escritos foram elaborados pelos sacerdotes romanos, depois chamados de católicos
romanos, em segredo, até o século XVI, época da Reforma Protestante, quando a Bíblia começou a
ser conhecida fora do Clero e copiada para o povo. Portanto, escrita e bem elaborada na sua má fé,
por 1200 anos aproximadamente, a partir do primeiro Concílio de Nicéia, ano 325, em enormes
livros que hoje estão guardados no Vaticano. Daí para frente foi divulgado e copiado para todo o
mundo cristão. E os cristãos passaram a odiar os judeus por causa dessa mentira.
Todo o problema para os religiosos foi gerado pelo tempo e a modernidade do
conhecimento científico e social, e eles não contaram com isso. No século XVI, sequer imaginariam
existir um computador, um teste carbono 14 ou um exame de grafotecnia. O que tinha valor e
encantava o povo místico até o pescoço no ano de 1500, aquelas estorinhas de magia e
encantamentos tornaram-se absurdo nos dias de hoje, e a estória de Jesus começou a ficar
comprometida. Quem lê na Bíblia que Jesus caminhou sobre as águas, ressuscitou e foi para o céu
com ossos e tudo, já não se entusiasma como no passado, pelo contrário, fica se perguntando: - como
poderia isso acontecer? - e assim, passando a duvidar do que ali está escrito. Por consequência, do
resto todo também.
A confirmação dos navegadores Vasco da Gama, Américo Vespúcio, Cristóvão Colombo e
Pedro A. Cabral (dos mais conhecidos) de que a Terra era esférica e não um círculo, como está
escrito na Bíblia, e três séculos mais adiante, com Galileu explicando que o Sol era o centro do
Sistema e não a Terra, a religião (e a Bíblia) foram caindo no descrédito.
E agora? É impossível mudar o que está escrito. Bilhões de cópias espalhadas pelo mundo!
Então, sujeitaram-se apenas a alguns “aperfeiçoamentos da tradução” de um original que não existe,
o que ocorre até hoje por conta de cada seita. Já tem Bíblia católica, Bíblia evangélica, Bíblia dos TJ,
bíblias de todos os tipos, línguas e “traduções”. Aos poucos eles vão mudando. Um dia a Bíblia, de
tanto ser “retraduzida”, vai falar em física quântica, célula tronco, buraco negro, DNA e Big Bang,
dizendo que tudo foi obra de deus. E não vai demorar muito, pode conferir.
Mas, como disse, há pessoas que resolveram acreditar na Bíblia e ponto final.
Isso ainda faz parte da ignorância, mas outro fator fundamental e decisivo entrou na questão
levando a cultura aos 4 cantos do mundo. A comunicação na velocidade da luz. Primeiro, a televisão
(que os crentes são proibidos de ver) e agora, com a informática (não tem mais jeito). O computador
permitiu a interação das idéias e as pessoas veem que muita gente pensa diferente, em todas as partes
do mundo, revendo todos os conceitos tidos como imutáveis, verdadeiros ou falsos, certos ou errados
ou simplesmente diferentes. As pessoas encontram outras histórias, outras idéias, outros
conhecimentos, novos conceitos para uma mesma coisa e isso vai mexendo com o raciocínio e
aumentando a cultura do homem inteligente.
92.
Raciocinando, agora com novas informações e uma nova cultura, o homem vai abrindo os
olhos para a verdade e a religião entrando em decadência.
Capítulo 33
É preciso uma nova visão do mundo social em que vivemos. Muita gente tem medo e acha
mesmo que sem um deus que tome conta, um inferno que pune o pecador, o mundo virará um caos.
Entendo que esse medo é fundamentado na pregação religiosa, mas não faz sentido na
realidade e eu não vejo da mesma forma. Se não fossem os pastores tagarelarem por aí ninguém
estaria nem pensando nesse absurdo.
O homem tem sentimentos e consciência e, como se não bastassem, existe a lei dos homens,
muito severa, que assegura um mínimo de ordem na sociedade.
Por que iriam sair por aí, matando, roubando, estuprando e falcatruando, para depois passar
o resto dos dias mofando atrás das grades de uma cadeia? Não acredito nisso.
Até entre os animais irracionais existem sentimentos de amor, amizade, fidelidade e
solidariedade. E nisso também o homem é mais evoluído. Quantas vezes um homem não religioso é
mais caridoso do que outro que dá o seu dinheiro para a igreja desvencilhando-se desse compromisso
de solidariedade? O máximo que ele vai conseguir é sustentar o pastor.
Ainda por outro lado, o dinheiro que hoje é convertido para as sociedades religiosas –
igrejas, creches, asilos orfanatos de fachada – seria bem melhor aproveitado se cumprissem sua
finalidade diretamente nas mãos do carente.
Eu fui religioso e hoje sou ateu. Nesse aspecto em nada mudei. Nunca ajudei nenhum
carente em nome de nenhum deus ou por influência de alguma crença, como fazem os espíritas. Eles
fazem caridade para somarem pontos na próxima encarnação. É diferente. Sempre fiz porque me deu
vontade. Hoje continua a mesma coisa. Quero ajudar para o carente se sentir melhor.
Meus sentimentos quase não se alteraram. Apenas fiquei mais orgulhoso de mim mesmo,
mais zeloso com minhas ações e amizades.
Você conheceu alguma causa que tenha motivado mais guerras do que a disputa pelo
mercado religioso? Lembra-se das Cruzadas? Interesses poderosos na exploração comercial de
Jerusalém, sob o manto da religião.
E mais maldades e covardias do que nos 600 anos da inquisição católica?
Você conhece algo mais imoral do que padres pedófilos? Ou mais sem vergonha do que
pastor esconder dinheiro dentro da Bíblia e na cueca para levar para o exterior o dinheiro tomado dos
bobões brasileiros?
Você conhece algo mais absurdo do que ser contra o uso do anticoncepcional, nos dias de
hoje?
Você conhece organização mais rica do que a Igreja? E a que mais prega o desinteresse
pelos bens materiais?
Você conhece algo mais desagregador de famílias do que a religião?
E se Jesus Cristo não existiu? Você conhece mentira maior?
Então, meu amigo, não sejamos reféns desse conceito absurdo que religião (deus) é que
sustenta a ordem, a honestidade e a moralidade da sociedade. Essa é outra mentira! Mais uma, entre
as que foram criadas pela religião. Eles estão é com medo de perder a boca rica...
Quando uma história é verdadeira, por si só ela se conta. Não importa a idade que tenha.
Não há falta de evidências, ninguém duvida de que seja verídica e não necessita de falsificações para
tentar atestá-la.
93.
O escritor Flávio Josefo conta inúmeras histórias de personagens insignificantes nos
impérios, seja a vida de soldados, comerciantes, vassalos, fofocas das mulheres e feitos sem maior
importância foram registrados apenas como curiosidade. Ora, um escritor gosta de escrever. Dê-lhe
um motivo e aquilo vira um livro. No período próximo ao que dizem ser o nascimento e morte de
Jesus, eu enumerei uns 40 escritores, desde Roma até o Egito (livro “Sinto muito mas Jesus Cristo
não existiu”). Cada um com sua especialidade literária, contando a vida à sua maneira, mas na
mesma linha de Josefo. Coisas sem importância histórica, em sua maioria. Eles jamais imaginariam
que suas estórias atravessassem os séculos e fossem importar a alguém depois de tanto tempo
justamente pela omissão. Aquilo que NÃO escreveram. Mas hoje, são documentos que deixam claro:
Nenhum deles conheceu ou ouviu falar do filho de deus, Jesus Cristo no primeiro século de sua
“existência”.
Existem umas cinco linhas no livro de Josefo, que teria sido escrito nos anos 80, por aí
(Josefo nasceu em 40 e teria escrito no mínimo com 40 anos) que mencionam Jesus, mas foram
declaradas falsas por autoridades no assunto. Foi uma inserção aproveitando o espaço em branco
entre um capítulo e outro. Depois de manuscritas algumas cópias, sumiram com o original, para
evitar evidenciar a falsificação. De João Batista, Josefo escreveu muita coisa, desde sua
personalidade até a sua decapitação nos anos 27. De Jesus, NADA!
Orígenes, escritor romano do Século III, criticava Josefo por nada ter escrito sobre Jesus.
Eusébio um dos patriarcas da Igreja, em seu livro História Eclesiástica do Século IV já reproduz as
linhas falsificadas. Como é que pode?
Entretanto, devaneios poéticos que contam coisas fantásticas e inverossímeis acabam
tornando-se fábulas e mantém-se nesse limite. A gente sabe que são fábulas e aprecia assim mesmo:
Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Superman etc. Os autores dessas fábulas, onde animais falam e
homens voam, jamais pretenderam que os leitores entendessem de outra maneira, mesmo
considerando que a estória tem como pano de fundo lugares e situações verdadeiras do cotidiano.
Outras obras literárias, entretanto, têm aspectos diferentes. Foram escritas para enganar o
povo, pretendendo que o personagem existisse de verdade. Essas são as estórias dos mitos, como
milhares de deuses conhecidos em todo o mundo. Quando foram escritos, era para serem acreditados,
mas o tempo tratou de mostrá-las como falsas e os personagens foram considerados mitos.
Dicionário. Mito:
1- relato fantástico de tradição oral, geralmente protagonizado por seres que encarnam,
sob forma simbólica, as forças da natureza e os aspectos gerais da condição humana; lenda, fábula,
mitologia.
2- narrativa acerca dos tempos heróicos, que geralmente guarda um fundo de verdade.
3- relato simbólico, passado de geração em geração dentro de um grupo, que narra e
explica a origem de determinado fenômeno, ser vivo, acidente geográfico, instituição, costume social
etc.
4- representação de fatos e/ou personagens históricos, frequentemente deformados,
amplificados através do imaginário coletivo e de longas tradições literárias orais ou escritas.
Nesse conceito estão os contos de Gilmamesh, com estória idêntica a de Noé, a criação do
mundo no Gênesis etc. Exemplo semelhante é a história dos hebreus, narrada no VT da Bíblia,
Sansão e Dalila, Sodoma e Gomorra, Hércules, O cavalo de Tróia, Thor, os deuses do Olimpo etc.
Mitologia conta um feito absurdo que ninguém de bom senso hoje acreditará, até que alguém
apresente provas de que foi verdade. É o que tentam fazer com a Arca de Noé. Se essas provas não
aparecem e insistem em que se acreditem na estória como sendo verídica, o que fazem? Falsificam
provas. O que, hoje em dia é muito difícil, mas em 1800...
94.
Isso está acontecendo justamente com o conto de Jesus Cristo. Por ser inverossímil e repleto
de feitos absurdos foi posto em dúvida. Como não há provas reais de sua autenticidade forjaram
centenas, talvez milhares, de “provas”, para que essa estória tivesse credibilidade. Afinal, estava
rendendo caminhões de dinheiro!
Acontece que mentira tem perna curta, isto é, não vai longe, e mais cedo ou mais tarde é
descoberta. Como o VT é mitológico e o NT conta a estória de um mito, você pode dizer claramente,
que a Bíblia é uma mitologia. Uma piada vai bem melhor.
Capítulo 34
Padres pedófilos:
Mas vou te falar uma coisa. Uma coisa chata. Se você não tiver estômago, pode pular o
capítulo que eu não fico aborrecido.
Você sabe... Estamos em 2010. A onda de pedofilia trazida à tona nesse ano é alguma coisa
chocante. Mesmo que você imaginasse que fosse possível religiosos educados pelo Vaticano cometer
um deslize ou outro, seria até compreensível e perdoável, mas a incrível quantidade de padres
pedófilos agasalhados pela Igreja Católica surpreende os mais avisados. Foi uma tsunami de
denúncias de congregações diferentes em países diferentes no mundo todo! Às centenas! Beirando a
milhares de crianças e jovens abusados fisicamente e destruídos moralmente pelos servos de deus.
Que se dizem chamados por deus! Por padres que deveriam ostentar o mais alto grau de moral e
decência, enlameando a sociedade com essa pouca vergonha!
É bom lembrar que essas centenas sabidas, envolvidas por esse crime, foram as que foram
descobertas e denunciadas! Você pode deduzir os milhares que sofreram calados esses abusos e
ainda hoje, têm vergonha de tornar isso público. Que preferem viver num calabouço moral, do que se
expor atrás de justiça. Quantos não viraram gays e estão por aí fazendo a mesma coisa?
“Há, qualquer um pode ser pedófilo” – defendem. Está certo, mas quantos médicos, você
tem notícia de que praticaram essas abominações? Quantos advogados, quantos engenheiros, quantos
professores?
É bem sabido que professores lidam com crianças, mas são dotados de uma ética rígida e
poucos são os que escapam dessa conduta ilibada. Mas padres? São acobertados pela religião! São
perdoados pelo Papa! Podem deflorar menininhas à vontade! Podem forçar a bundinha de crianças,
que, mesmo que elas sofram, mesmo que elas gritem de dor ou de desespero nas mãos de um
representante de deus, “ninguém vai escutar”! O padre é um enviado de deus, deus perdoará! E em
nome de Jesus Cristo, tome fumo!
Capítulo 35
(Trecho básico do filme “Alfredo Bernacchi Explica” a ser lançado no Youtube)
O argumento mais comum dos religiosos é que um deus criou tudo o que se vê por aí na
Natureza e que deus deu a vida, essas coisas. Eles falam isso com veemência, tamanha convicção que
surpreende e dá pena tal a ignorância que isso demonstra. É até difícil conceber que tais pessoas nada
tenham visto, ao menos nos programas de TV, sobre a criação da Terra, os planetas e galáxias, sobre
as plantas e os animais existentes no Universo. Mas sabe como é... O pastor fala, tá falado. E o que o
pastor fala? Aliás, pastor não fala, pastor mente! E ele diz que deus criou tudo. Ele mesmo, mais do
95.
que ninguém sabe que isso é uma mentira deslavada. Ele sabe, mas a sua platéia, feita de ignorantes
do assunto, pessoas com uma mínima cultura, não sabem...
Os elementos da Natureza estão vivos, inclusive o homem e sempre estiveram desde quando
se formaram há milhões de anos atrás. Em tudo há vida. Você já viu uma célula se dividindo e se
multiplicando? Já viu na TV ou no microscópio? Elas têm coração? Não! Mas estão vivas, têm
movimento próprio, já estão programadas pela Natureza para cumprir o seu papel específico,
desenvolver-se e transformar-se em alguma coisa mais complexa. Micróbios estão vivos, bactérias
têm vida, vírus se multiplicam sozinhos! Quem deu vida a esses seres microscópios? Deus?! E tudo
isso é feito de quê? Átomos! Que de tão pequenos não podem ser vistos nem no microscópio, mas
estão em movimento! Todos os elementos da Natureza são feitos de átomos que estão em
movimento, inclusive as rochas. Estão vivos, transformam-se, multiplicam-se, somam-se, dividemse, modificam-se através de sua composição atômica. Quando o homem morre, não acaba, não some
ou evapora, mas transforma-se em outros elementos igualmente vivos. Vira gás, pedra, carvão,
petróleo, diamantes, seu corpo vai servir de alimento, para outros seres vivos. O planeta Terra é um
ser vivo! (James Lovelock – cientista inglês - 1919). Onde está algum deus nisso aí? Aonde se
encaixa o ser poderoso e misterioso, que ninguém nunca viu, nessas obras da Natureza? Você
acredita em deus porque não estudou, não sabe nada! Precisa estudar Física, Química, Biologia,
Astronomia, Geologia, Arqueologia e principalmente sobre a história das civilizações. Até mesmo
Teologia, para saber o que vai à mente desses religiosos além de mentiras, e você vai entender tudo
isso. Se você não tem essa cultura específica, explica tudo com um deus que não existe, ou existe só
na sua cabeça, e pior, acredita em qualquer engravatado esperto que quer te manter na ignorância,
porque eles vivem da sua ignorância, da sua falta de conhecimentos, pra te iludir com mentiras e
fantasias. Sabe o que eles querem? O seu dinheiro! Enquanto te enganam, jogam você no
conformismo, na ilusão e destroem a sua força de vontade, matam a fé que você tem em você
mesmo, fazem de você um robô mental que vive esperando, esperando, esperando, esperando justiça
esperando ajuda e você acaba é esperando a esmola que não vem.
Quer saber de uma coisa? Nunca deixe nada nas mãos de deus nenhum, porque deuses não
existem e você vai se dar mal. Aprenda a usar o seu poder de decisão. Quanto mais você fizer isso,
mais capaz você será. Você tem que exercitar de novo a sua mente. Lembre da estória das muletas
que eu contei lá atrás.
Acontece que o religioso é vítima de uma lavagem cerebral, que acontece desde a sua
infância, considerando que aqui no Brasil, país extremamente cristão, já se nasce conhecendo Jesus
antes mesmo de se recuperar da mentira do Papai Noel. Assim ficam condicionados a deixar tudo nas
mãos de deus e se fazem alguma coisa, como diz a Bíblia, fazem o mínimo possível, contando com a
ajuda do criador de ilusões, um ser inexistente que não vai ouvir e não vai se mexer.
Certas coisas não podem ser deixadas por conta do acaso. Se você está vendo uma criança
correndo riscos próximo a um balanço em movimento ou à beira de uma praia, exposta às ondas, não
deixe nas mãos de ninguém. Vai lá e tome uma providência. É assim que o ateu faz. Mas o
negligente deixa nas mãos de deus e plaft! A criança é quem paga... O Ateu sabe que não há deus
nenhum e cabe a ele agir para evitar um acidente.
Você lembra, saiu no jornal, a avó e a netinha subiram ao alto de um morro para orar para
deus. Ficariam mais próximas do céu (risos). Era um lugar deserto e relativamente perigoso. Eu
mesmo, não passaria lá sozinho, mas elas foram Afinal, deus deveria estar olhando por elas, não é?
Pois é... Morreram assassinadas.
É isso. Confie num deus que não existe e você se estrepa!
Seja racional. Consulte a sua inteligência, a sua prudência, e viva feliz.
96.
Milhares de crianças foram abusadas por padres em todo o mundo. Foram milhares, eu
disse. Milhares! Cadê o deus? Colaborou para a desgraça desses jovenzinhos? Ou não existe? Pense
bem. Cadê o moral do servo de deus? O que houve? Deus estava distraído?
Três pastores (pastores mesmo!) foram pegos contrabandeando armas pesadas para um
traficante do Rio de Janeiro. Se esses canalhas não tivessem sido pegos estariam no domingo
seguinte pregando o amor de Jesus, e você, de cara abobalhada, acreditando em tudo o que eles
dizem. Pense nisso.
Assim é a vida, assim é a religião, assim é a história que se repete há milênios. O
cristianismo imperou no mundo por 19 séculos. Poderoso!Inabalável! Inatingível! A partir do Século
XV, começou a ser arranhado com as descobertas dos navegadores como A. Vespúcio, Colombo e
Cabral, e dos astrônomos como Galileu e Copérnico que contrariaram a infalível Bíblia, palavra de
deus. A terra já não era um círculo como Isaías achava, nem era o centro do universo por onde
giravam os astros, mas só lá pelo século XIX começaram a por em dúvida a existência de Jesus
Cristo. Hoje, 200 anos depois já é abertamente contestado. Amanhã essa crendice boba estará extinta,
assim como todas as outras anteriores já foram. Milhares de deuses caíram em desuso. Ficaram
obsoletos e perderam a credibilidade. Os homens entenderam que eram mentiras. Hoje acontece a
mesma coisa. Eles dizem que esses deuses são os verdadeiros! Qual? Alá? Shiva? Brahma? Buda?
Para cada um o seu deus é o verdadeiro. Mas isso foi sempre assim. O tempo derruba uns e os
espertos aparecem com novos deuses. E o povo acredita - de novo! Um dia tudo isso estará no lixo,
mas até lá, muito pastor enriqueceu e o vaticano terá triplicado o seu império financeiro. E você,
colaborou...
Você conheceu dos jornais, o cartunista que tinha uma seita com mais de 400 adeptos e
tomavam uma bebida estranha, lembra? Foi assassinado a queima roupa por um membro doido do
seu grupo. Lembra? Era mais um deles... Dos que inventam para se endinheirar às custas dos
ingênuos ignorantes. O deus dele é o mesmo que o seu. O mesmo Jesus também. Estavam de férias,
possivelmente...
Capítulo 36
Veja só algumas falsificações que fizeram sucesso durante todo esse tempo:
Santo Sudário. Existiram quatro e mais um só do rosto de Jesus.
O que está em exposição em Turim já foi declarado falso pela ciência.
Inúmeras lanças sagradas, a que perfurou Jesus na crucificação. Quatro delas estão em
exposição em igrejas católicas aí pelo mundo. Essas falsificações apareceram a partir do século X e
foram usadas como amuleto de guerra, símbolo de poder e usada pelo imperador Constantino, entre
outros.
Disse um religioso cínico na TV, que deus fazia esse milagre da multiplicação das relíquias,
para aumentar a fé do povo. (Que absurdo!)
Lascas da cruz de Cristo foram tantas que a Igreja Católica vendeu que dariam para fazer
uma pequena floresta de madeira. Também eram usadas para avivar a fé dos fiéis e servia de amuleto
nas guerras. Isso convencia os soldados da sua vitória. É claro que, quando eram dizimados pelo
inimigo, sobrava ninguém para contestar.
97.
A Santa Coroa de Espinhos de Jesus apareceu também por aí e está guardada numa dessas
catedrais a sete chaves, mas já sem os espinhos, que foram distribuídos entre as igrejas e foram
vendidos para os fiéis como relíquia. Foi tanto espinho vendido que se juntasse, daria para fazer uma
grande árvore de espinhos.
Já ouviu falar do Santo Graal? Foi simplesmente o cálice que Jesus Cristo (que não existiu)
usou na Santa Ceia (que também não houve).
Muitos desses cálices apareceram e sumiram por aí. Hoje procura-se por um que sumiu mais
recentemente (uns mil anos atrás).
E o Manto Sagrado? O tal referido na Bíblia, onde os soldados jogaram dados? Esse
também já foi adorado e venerado pelos fiéis católico de todas as épocas. Vez em quando some e
aparece em outro lugar. Certamente não resistiria ao exame de datação do carbono 14.
Muitas cartas trocadas entre autoridades romanas mencionam a figura de Jesus, umas como
sendo loiro, alto, de olhos azuis outras descrevendo outras formas e personalidade. Tenho duas
copiadas no livro A Bíblia do Ateu: Uma de Pôncio Pilatos para Tibério César e outra, uma Epístola
de Públio Lêntulo para o Senado. Todas falsas.
Os próprios livros apócrifos, encontrados em Alexandria no século XX, não chegam a uma
conclusão de como era Jesus, tanto na figura como na personalidade, porque de fato não existiu.
Eram apenas estórias que serviam de base para a pregação nas igrejas antigas.
Por que Flávio Josefo foi falsificado com um minúsculo texto de 5 linhas sobre Jesus?
A Igreja, oficialmente garante que são falsificações, mas as igrejas por aí continuam
expondo essas relíquias porque o povo adoraria tocá-las e se emocionam só de saber que estão ali. Os
cientistas podem no máximo ver em filme. (exceção do Sudário, examinado e declarado falso - e já
arranjaram controvérsias).
Eu te pergunto leitor: Por que tanta falsificação? Qual o propósito e a razão de tanta
falsificação em torno da pessoa de Jesus?
Por que não há falsificações em outras personalidades como Marco Pólo, Galileu,
Cleópatra, Tutancâmon, Júlio César, Constantino, João Batista, Júlio Verne, Espartacus e milhares de
outros com ou sem importância histórica?
Você desconfia de alguma coisa?
E por que não existe nenhuma relíquia verdadeira, a cerca de Jesus Cristo? Nem uma?!
Será possível? O filho de deus?!...
Na época, Roma, aonde teria acontecido o fato, era um império magnífico e poderoso!
Tinha de tudo naquela cidade! O Egito, ali próximo, tinha uma cultura fabulosa! A Grécia aí ao lado
com sua fabulosa mitologia!
Nessas cidades, havia escritores, historiadores, poetas, críticos literários, desenhistas,
pintores, escultores, colecionadores, teatrólogos, amigos ou inimigos de qualquer cidadão existente...
e nada existe sobre Jesus Cristo nos primeiros 100 anos de sua existência, poderoso milagreiro, que
arrastava multidões, que discutia com os sacerdotes, ressuscitava pessoas?! Será que isso era tão
comum que não chamava a atenção de ninguém que tivesse um lápis ou uma caneta na mão? Pois
98.
essa estória só começou a ser escrita em meados do século II e foi contada pela Bíblia, divulgada
1200 anos depois do “ocorrido”.
E dos seus famosos apóstolos, nada existe? Nenhuma referência que comprovasse a
existência dos mesmos. Família, amigos, inimigos, pertences, documentos, contos e outros escritos!
Nada sobre os apóstolos, também?! Os caras que atestam a vida de Jesus não existiram?!... Paulo não
existiu não se esqueça disso! Suas cartas já eram do conhecimento dos essênios, 1000 anos antes.
Nada sobre ele também, salvo na Bíblia. E os pais e as mães dessa gente? Seus avós, descendentes,
irmãos, tios primos, nada? Ninguém?!... Nem ossos, nem túmulo, nem um risco na parede que seja
autêntico?
Por que a vida de Jesus e o seu grupo é um total silêncio para a História? Um vazio total?
Nem a Bíblia conta aonde Jesus esteve dos 12 aos 30 anos. Nem a Bíblia!!!... Nem diz quando ele
nasceu ou morreu. Nenhuma testemunha de nada sobre nada! Nada que pudesse ser investigado, para
apresentar um resultado de alguém que teve uma vida, realmente.
Nos documentos históricos do primeiro século sequer constavam esses lugares, como
Nazaré e Gólgota. Tudo nebuloso e sem testemunhas. Jesus veio de uma cidade que não existia,
nasceu no meio do nada e nem a Bíblia sabe se foi estalagem ou caverna, e mesmo assim, não existia
essa estalagem nem essa caverna no caminho.
Aí está: Nasceu num lugar que ninguém sabe nem ninguém viu, salvo por magos que
ninguém sabe quem eram ou de onde vieram, nem para onde iriam, esteve por 18 anos, em lugar que
ninguém sabe, nasceu num dia que ninguém sabe, num ano que ninguém viu... E foi testemunhado
por pessoas inexistentes. Tudo nebuloso e controvertido. Trata-se do filho de um deus, hein?!
E você? Como se sente acreditando nessa estória?!
Capítulo 36
Jesus Cristo não existiu. Aceite isso. E o que acontece com a Bíblia? É uma farsa. O NT foi
escrito para atender às profecias do VT. Desde que Jesus não existiu, as profecias não se cumpriram.
Nenhuma delas. Prova também que o VT não tem sentido, pois sobrevive das profecias que ali estão
escritas sobre um Messias que não virá.
Em suma: Religião cristã é uma mentira, tanto quanto as outras anteriores a ela. Mas eles
ganham dinheiro com isso. Muuuiito dinheiiiiroo!!!
Lembra-se daqueles deuses mitológicos? (hoje são mitológicos, mas na época deles, eram
verdadeiros): Júpiter, Apolo, Zeus, Diana, Marte, Poseidon, Hera e tantos outros? Eram mentirosos
também. Hoje todos admitem isso, mas levaram milênios para sair de circulação. Tudo o que se dizia
e escrevia a respeito deles era mentiroso também. Maravilhoso e mentiroso! Assim como os deuses
dos gregos, romanos, escandinavos, astecas, maias, incas, todos nossos conhecidos e sabidamente
falsos. A fé neles era tanta, que custava o coração das donzelas. Não era brincadeira. Mas era
mentira! Por que você acha que os atuais são diferentes? Pois são a mesma coisa. Nenhum fato novo
surgiu para que esses sejam diferentes daqueles. Nenhum deus apareceu por aqui dizendo: Eu sou
deus! E soltou um trovão.
Os tempos mudaram, os deuses mudaram, mas a fórmula da mentira é a mesma. Aquela que
gera riquezas para os mentirosos.
E os deuses egípcios? Uma batelada deles! Horus, Mitra, os próprios faraós e mais uns mil.
Erguiam-se monstruosas pirâmides por causa dessa fé nesses deuses de araque. Agora, acreditam em
Alá. Mudaram da merda para a titica. E os mitos africanos? Chineses, japoneses... Buda que não
99.
existiu! Caramba! É muita mentira!... E os deuses indianos que existem até hoje? Brahma, Shiva...
Você acha que tudo o que escreveram deles é a mais pura verdade? Negativo! E lá na Índia não tem
só analfabeto, mas eles continuam acreditando e cultuando essas mentiras. Vacas são sagradas! E os
antigos deuses dos judeus, Baal, Bel e Moloch? E o mito judeu essênio Chrestus, da época de Cristo?
Tudo o que está escrito sobre ele é verdade? E o deus Alá? Misericordiosíssimo! Você acha mesmo
que aqueles terroristas vão para o paraíso junto com Alá? Mas está tudo isso escrito no Alcorão!
Você acredita? E lá tem terroristas sim, mas em muitos países islâmicos há milionários, ou melhor,
bilionários cercados de cultura executando obras faraônicas! O que há? São bobos? Por que você
acha que o Brasil é diferente? Que, por ser Brasil é diferente do resto do mundo? Povo menos pateta?
Líderes menos espertos? Que nada! O povão vive afundado nas mesmas mentiras! Somos um país de
poucos espertos comandando idiotas, imbecis e apatetados, desesperados para beijar os pés do Papa!
Arre! Que nojo!... Estou fora disso, certo? Putz!!!... Deixa eu parar um pouco de escrever isso aqui.
Já estou perto do fim.
Capítulo 37
Certa vez, um leitor me perguntou:
ACREDITAR OU NÃO EM Jesus Cristo, QUE DIFERENÇA FAZ?
E eu vou responder pra você:
Primeiro, você precisa entender que tudo o que você consegue na sua vida vem do seu único
esforço, e o que não vem, é responsabilidade sua também.
Quando você chegar a essa conclusão vai dirigir melhor as suas atitudes e suas ações. Você
vai tomar conta de você mesmo para não errar e conseguir sempre o melhor. Isso vai traduzir-se em
sucesso e conquistas na sua vida.
Por exemplo, você vai fazer um concurso para conseguir um trabalho qualquer. Você sabe
que tem que estudar.
Se você está achando que existe algum ser místico que vai te ajudar e te apoiar (Jesus p.ex.)
você intimamente vai afrouxar o seu ímpeto e colocar parte do seu esforço, nas mãos dessa entidade
imaginária. Vai estudar menos, vai se esforçar menos, vai se acomodar mais, vai ficar preguiçoso
confiando no além e não vai conseguir o seu objetivo.
Se você não conta com essa ilusão, essa ajuda hipotética e sabe que o resultado depende só
de você, vai estudar mais, vai se esforçar mais, vai acreditar mais em você mesmo, com maiores
chances de atingir esse objetivo.
Viver de ilusão é uma coisa, viver da realidade é outra coisa. Talvez mais difícil, porém
muito mais proveitoso. Tudo na religião é mentira, não se esqueça disso!
Não pense que a vida é fácil. Não é fácil para ninguém. Às vezes o destino te coloca em
muitas dificuldades, coisas difíceis mesmo de suportar, mas não pense que abraçando o misticismo
vai resolver os seus problemas. Você tem que reagir. Não se acomodar, não se conformar. Não sofra
bobamente, não aceite esmolas da vida. Reaja! Corra atrás, Você pode resolver isso. Você deve,
porque a vida é só essa! Não existe nenhuma outra vida depois dessa! Não acredite nessa bobagem!
Não existe outra chance se ser feliz. Tem que ser agora! Comece a acreditar em você mesmo,
acreditar no resultado do seu esforço, sem esmorecer. Sempre há tempo de começar. Não se deixe
enganar por testemunhos falsos, mentirosos e arranjados, onde tudo é maravilha! Bastou pedir e
pagar e o céu se abre pra você. Mentira! Enganação! Não existem milagres! Existe é resultado do seu
esforço, compensação por sua vontade de mudar. O resto, só gera desilusão... uma atrás da outra...
Fui religioso por muitos anos. Quer dizer: Acreditava nessas abobrinhas. A vida nunca foi
fácil para mim. Hoje sou ateu e a vida continua difícil, mas agora eu enxergo melhor, busco e
100.
encontro as soluções, eu mesmo, acerto o meu caminho, procuro achar e corrigir os erros, uso a
minha inteligência para raciocinar melhor, realizo os meus objetivos com garra, alcanço as minhas
metas, porque sou mais capaz e acredito em mim.
Você que não tem nada, vive doente, cheio de carências e problemas, acha que a vida é
assim mesmo... A religião está implantando em você o conformismo, induzindo você à resignação!
Não é assim! Você precisa reagir, raciocinar, buscar o bom senso na sua vida, equilibrar as coisas,
acreditar em coisas reais, úteis e proveitosas. Buscar até os seus amigos de carne e osso. Abandonar o
resto que não vai te acrescentar nada!
Muita gente que não se diz ateu, mas está pouco ligando para religião, que só entra em
igrejas em dias de festa, essa gente está aí, trabalhando, batalhando, acreditando na sua capacidade de
encontrar caminhos e soluções. Estão conquistando o seu espaço, com firmeza, com convicção.
Enquanto você vive ajoelhado em bancos de igrejas, fazendo orações e pedidos inúteis de ajuda, eles
estão reagindo, buscando sempre melhorar de vida para serem felizes aqui mesmo.
Enquanto você sacrificando até a sua alimentação, vive pagando dízimos, fazendo doações
para essas entidades milionárias, os ateus estão, com o seu dinheiro, vivendo melhor, investindo em
si mesmos, aumentando o seu patrimônio, seu conforto e sua saúde.
Eles vivem e você se humilha pedindo... pedindo... pedindo...
A Igreja Católica já tem até um país, o Vaticano, revestido de ouro cravejado de brilhantes,
enquanto você vive pedindo e pagando, acreditando em mentiras, sem nada receber em troca, além
de promessas para outra vida. Dá um tempo!...
Essa é a diferença.
Deixe de crendices inúteis e busque o seu lugar ao sol.
É isso o que eu tenho a te dizer.
Capítulo 38
Raciocine e você vai superar essa bobeira também. Raciocine!
Meu amigo são milhares de deuses fabricados pelo homem em todos os tempos. Mas
estamos evoluindo. A cada época diminui o número de deuses criados pelo homem. Você sabia? Que
hoje são apenas 10.000 seitas existentes no mundo? 6.000 mil seitas na África e 1.200 nos Estados
Unidos. Existem apenas 2.000 religiões, cada uma com o seu deus. Que no mundo, hoje, há
aproximadamente 15 milhões de Testemunhas de Jeová? Que há aproximadamente 10 milhões de
mórmons espalhados pelo mundo? Que há 200 milhões de espíritas?
Que, de cada 100 pessoas 19 são muçulmanas, 18 não têm religião ou são atéias, 17 são
católicas, 17 são cristãs não-católicas (ortodoxos, anglicanos, protestantes), 14 são hinduístas e 6 são
budistas?
Que os pentecostais e neopentecostais cresceram 135 vezes em 100 anos, dos 3,7 milhões
em 1900 para mais de 500 milhões em 2000?
Que a religião que mais cresce no mundo é o islamismo? E a que mais perde adeptos é o
catolicismo?
Que os sem religião, incluindo os ateus, aqui no Brasil, cresceram apenas nos últimos 60
anos, 350 vezes?
E que, apesar disso, o Brasil é a maior nação católica do mundo?
101.
Somos um país de idiotas, imbecis e apatetados! O povo não quer saber de verdades! Quer
beijar as estátuas, beijar os pastores, beijar as macumbas.
Você hoje quer beijar o quê?! Os pés do Espírito Santo? Caramba! Não acredito que um
cara que esteja lendo esse livro ainda esteja nessa de horror! Vamos acordar! Vamos ler sobre a
história antiga da humanidade! Não precisa ser muito antiga. De 1800 pra cá. Você vai ficar chocado
ao saber a palhaçada em que fizeram você acreditar.
Mas estamos progredindo... É muito deus e muita religião, mas já foram 100 vezes mais.
Em breve não haverá mais nenhum. O povo vai cansar de ser enganado. É só esperar pra ver. Deixa
entrar a cultura! O conhecimento. E você tem que tomar coragem também para entender a verdade.
Deus? Que deus nenhum! Acorda! Xô fantasia!!!... Bota os pés no chão! Pensa na besteira
que você está acreditando e temendo! Por que isso? Medo? Foram eles que puseram esse medo nas
pessoas e na sua cabeça. Para tirar o seu dinheiro! Acredite: É uma corja de safados! Uma vergonha,
tal o cinismo desses crápulas! Abra os olhos! Abra a mente! Não são os santos que aparentam. São os
verdadeiros demônios! A escória humana. A profissão mais vergonhosa que existe! Tenha a coragem
de conferir. Roubam e enganam as pessoas pobres, ingênuas e inocentes. Tomam dinheiro das
velhinhas, dos velhinhos, das viúvas, dos carentes e dos necessitados. Tiram dinheiro destinado às
crianças! Que você deu para sustentar as cheches! Chamam a TV, e na frente das câmaras, fazem
uma caridade aqui e outra ali, como fachada, e embolsam uma fortuna, à custa desses crentes bobos.
Está lá o Papa, governando um país trilionário, uma organização pesada, internacional com
ramificações em todas as partes do mundo. Está lá o bispo Macedo curtindo seu castelo, sua vida de
rei e seu iate nos EUA. Não dá pra reparar? O que você quer mais?!... Os bispos Hernandes e Sônia
estavam levando o teu dinheiro para os EUA! Iam aplicar lá bem escondidinhos na Bíblia!
Sacrilégio! Coisa de safados! E já tem fiéis babando nos pés deles...
Homens inteligentes e cultos, que apenas resolveram saber a verdade, tornaram-se ateus,
porque é a coisa mais lógica a ser feita. Eu não sou ninguém, mas esses caras são famosos e
conhecidos na sociedade pelos seus grandes feitos. Todos são ateus. Não acreditam em deus e já
deixaram isso bem claro. Veja:
Albert Camus
Alfred Hitchcock - Cineasta, roteirista, escritor.
André Comte-Sponville (1952—): filósofo francês, autor de L'esprit de l'athéisme, livro no
qual explica sua decisão de ser ateu. [1]
Antonio Gramsci
Arthur Schopenhauer
Auguste Comte
Bertrand Russell
Bill Gates – Dono da Microsoft.
Bruce Lee – Ator
Carl Sagan – Escritor.
Charles Darwin – O pai do Evolucionismo.
Charles Schulz
Christopher Reeve – O Superman no cinema.
Daniel Dennett
Dave Matthews
Drauzio Varella – Médico, dá entrervistas na TV e tem depoimentos no Youtube.
Ernest Hemingway
E.O. Wilson
102.
Fernando Henrique Cardoso – Ex presidente do Brasil
Francis Crick
Friedrich Nietzsche - filósofo alemão, autor livros de famosos.
Gene Roddenberry
George Soros
Ian McKellen
Jack Nicholson - Ator
James Randi – Personalidade que faz desafios aos impostores religiosos.
James Watson
Jean-Paul Sartre
Jodie Foster
Josef Stalin – Presidente da França II Guerra.
Julianne Moore
Lance Armstrong
Ludwig Feuerbach
Lawrence Krauss
Karl Marx - famoso por sua afirmação de que "A religião é o ópio do povo."
Karl Popper
Marie Curie
Mark Twain
Marlon Brando – Ator Americano.
Mao Tse Tung – Lider chinês
Massimo Pigliucci
Michael Shermer
Michel Onfray - filósofo conteporâneo francês, escritor “Tratado de Ateologia”
Mikhail Bakunin: escritor russo "Religião é demência coletiva."
Noam Chomsky
Oscar Niemeyer – Arquiteto. Projetou Brasília.
Paul Kurtz
Peter Singer
Richard Dawkins – Escritor, etólogo, evolucionista, cientista britânico.
Richard Feynmann
Robert Frost
Sigmund Freud - Psicanalista
Slobodan Milosevic
Stephen Jay Gould
Steven Pinker
Steven Soderbergh
Susan B. Anthony
Thomas Edison – Cientista, inventor da Lâmpada.
Woody Allen – Ator, cineasta.
Douglas Adams,
Ayaan Hirsi Ali,
Lance Armstrong,
Darren Aronofsky,
Isaac Asimov,
Dave Barry,
Ingmar Bergman,
103.
Lewis Black,
Richard Branson,
Berkeley Breathed,
Warren Buffett,
George Carlin,
John Carmack,
Adam Carolla, J
John Carpenter,
Asia Carrera,
Fidel Castro, presidente cubano (má referência)
Dick Cavett,
Noam Chomsky,
Billy Connolly,
Francis Crick,
David Cronenberg,
David Cross,
Alan Cumming,
Rodney Dangerfield,
Richard Dawkins,
Daniel Dennett,
David Deutsch,
Ani DiFranco,
Micky Dolenz,
Harlan Ellison,
Brian Eno,
Richard Feynman,
Harvey Fierstein,
Larry Flynt,
Dave Foley,
Jodie Foster,
Janeane Garofalo,
Bob Geldof,
Ricky Gervais,
Ira Glass, J
James Gleick,
Robert Heinlein,
Nat Hentoff,
Katharine Hepburn, - Atriz
Christopher Hitchens,
Eddie Izzard,
Penn Jillette,
Billy Joel,
Angelina Jolie, Atriz,
Wendy Kaminer,
Diane Keaton,
Ken Keeler,
Neil Kinnock,
Michael Kinsley,
104.
Richard Leakey,
Tom Lehrer,
Tom Leykis,
James Lipton,
H.P. Lovecraft,
John Malkovich,
Barry Manilow,
Todd McFarlane,
Sir Ian McKellen,
Arthur Miller,
Frank Miller,
Marvin Minsky,
Julianne Moore,
Desmond Morris,
Randy Newman,
Mike Nichols,
Gary Numan,
Bob Odenkirk,
Patton Oswalt,
Camille Paglia,
Steven Pinker,
Paula Poundstone,
Terry Pratchett,
Ron Reagan Jr.,
Keanu Reeves,
Rick Reynolds,
Gene Roddenberry,
Joe Rogan,
Henry Rollins,
Andy Rooney,
Salman Rushdie,
Bob Simon,
Steven Soderbergh,
Annika Sorenstam,
George Soros,
Richard Stallman,
Bruce Sterling,
Howard Stern,
J. Michael Straczynski,
Yakov Lentsman - Escritor russo.
Julia Sweeney,
Matthew Sweet,
Teller,
Studs Terkel,
Tom Tomorrow,
Linus Torvalds,
Eddie Vedder,
Paul Verhoeven,
105.
Gore Vidal,
Kurt Vonnegut Jr.,
Sarah Vowell,
James Watson,
Steven Weinberg,
Joss Whedon,
Ted Williams,
Steve Wozniak,
E muitos mais...
Não tenha medo. Eu posso ser o seu exemplo. Sou um homem realizado e muito feliz. Ateu
sim senhor! Minha cara está lá no Orkut e no Google. Tem 600 fotografias mostrando a minha vida
como é. Estou aqui, vivendo a plenitude da minha vida e não alimento essa cambada de espertos. E
se amanhã ficar doente, ou morrer atropelado, não será por obra de nenhum deus idiota, que não
existe. Mas eu me cuido pra que isso não aconteça assim, tão fácil. Quando eu atravesso as ruas, olho
para os dois lados da vida. Não dou sopa pro azar! Tem ninguém olhando por mim...
ABRAÇOS!
Cópia de trecho do texto de La Sagesse, apresentado no livro “Sinto muito, mas Jesus Cristo
não existiu”, com enxertos meus, em azul.
Espero que você aproveite bem essa informação:
Jesus foi inventado para atender à tendência religiosa e mística de uma época. Quando o
Cristianismo [que viria a ser o de Jesus Cristo] começou a elaborar sua doutrina, teve grandes
dificuldades em conciliar fé e razão. Por isso, fez várias adaptações com lendas pagãs e [antigos]
Deuses solares. O Cristianismo [de Jesus Cristo] passou a ser assim um sincretismo das incontáveis
seitas judaicas misturado às crenças de Deuses Solares, dando assim, apenas novos nomes e
roupagens a Deuses que morriam e ressuscitavam e que predominavam há séculos, com rituais
solares, fundamentados em um Deus que se sacrificava.
O Jesus dos Evangelhos não é um ser real, que existiu, mas sim um personagem criado em
cima da visão religiosa sobre Brama, Buda, Krishna, Mitra, Horus, Júpiter, Serapis, Apolo, [Attis]
......
Se pergarmos o mito de Hórus, que surgiu milênios antes do suposto nascimento de Cristo,
vemos que:
Hórus foi o Deus solar e o redentor do egípcios.
Hórus nasceu de uma virgem.
O nascimento de Hórus era festejado em 25 de dezembro.
Hórus também era considerado a luz, o bom pastor.
Hórus realizava feitos milagrosos.
Hórus teria 12 díscipulos (uma alusão aos 12 signos de zodiaco governados pelo sol).
Hórus ressuscitou um homem de nome El-azarus (Cristo ressuscitou Lázaro).
Um dos títulos de Hórus é "Krst" (Cristo?).
Se analisarmos mais acuradamente percebemos que o mito da virgem grávida, que foge de Herodes
em direção ao Egito, para salvar o filho (Jesus) que carrega em seu ventre não é nada mais nada menos que
uma reinterpretação da lenda de Ísis e Hórus fugindo de Seth.
106.
Se analisarmos outros mitos como os de Mitra, Adônis, Krishna, Átis, entre outros, vamos encontrar
as fontes sob as quais o cristianismo [de Crestus] foi inventado.
[Ou seja, essas lendas primeiro inspiraram o Cristianismo antigo, de Crestus dos Essênios, e deste
foram colhidos os dados para a composição da Bíblia, representando o Cristianismo da invenção Jesus Cristo]
Em 3.500 a.C temos Krishna [outra mitologia] que também nasceu de uma Virgem, chamada
Devanaguy, que foi avisada com antecedência sobre a concepção de seu filho-deus, e qual nome daria à
criança: Krishna (Cristo?). Uma profecia dizia que Krishna destronaria seu tio, o Rajá. Por causa disso a mãe
de Krishna foi presa numa torre para não ser concebida por ninguém. Dizem as lendas que o espírito de
Vishnu atravessou o muro e se uniu à ela, se mostrando como uma luz, que foi absorvida por Devanagy.
Quando Krishna nasceu, um vendaval demoliu a torre onde Devanaguy estava aprisionada e ela fugiu com
Krishna para o Nanda.
O Rajá mandou matar todas as crianças que tinham acabado de nascer, mas Krishna consegue
escapar.
Pastores foram avisados da chegada de Krishna através de um aviso nos céus e lhe levaram
presentes. Com 16 anos, Krishna começa a viajar pela Índia para pregar sua doutrina, abandonando sua família
e é chamado de Redentor pelo seu povo. Faz muitos discípulos e recebe o nome de Jazeu (Jesus?)
[JazeuKrishna] que significa "Aquele que nasceu através da fé".
[Esse Jazeu hindu, é o mesmo que muitos cristãos ainda esperam confundir com o Jesus Cristo de
Nazaré, cujo paradeiro ninguém definiu entre os 13 e os 30 anos. De qualquer forma, é outro mito].
O nascimento de Buda [que não existiu] também teria sido avisado à sua mãe. Quando nasceu uma
luz intensa iluminou o mundo fazendo mudos falarem, cegos verem e uma brilhante estrela no céu anunciou
seu nascimento. Buda fez as pessoas mais sábias de seu tempo se admirarem com o seu vasto conhecimento e
muito cedo começou a pregar e converter as pessoas.
O seu discurso mais famoso, também leva o nome de O Sermão da Montanha e depois que morreu,
apareceu aos seus seguidores.
Ritos envolvendo pão e vinho também eram utilizados pelos budistas, representando o corpo e o
sangue de Agni.
Mitra [outro deus mitológico] também:
Teve uma mãe virgem.
Nasceu numa gruta em 25 de dezembro.
Uma estrela surgiu no leste quando ele nasceu, indicando o caminho para magos que trouxeram
incenso, mirra e ouro.
Ele era considerado o intermediário entre [o deus] Ormuzd e os homens.
Após sua morte teria ressuscitado.
Baco [outro deus mitológico] teria realizado muitos feitos como transformar água em vinho e
multiplicar peixes.
Podemos perceber que o cristianismo [o de antes e depois do ano 1 da nossa era] foi inventado em
cima de lendas não apenas de Judeus, mas também de mitos e religiões pré-judaicas.
Os rituais cristãos também são adaptações de ritos pagãos muito mais antigos.
O mitraísmo era praticado em grutas e locais subterrâneos e o cristianismo primitivo [o dos
essênios] também. Nos ritos mitraícos havia pão e vinho.
A cruz solar, as refeições comunais, a destinação (dia do sol) para descansar também faziam parte de
ritos do Mitraísmo que foram sincretizados pelos Cristãos. As vestimentas dos sacerdotes católicos são cópias
das roupas ritualísticas dos sacerdotes de Mitra.
Como os padres católicos, os monges budistas também lavam as mãos antes da libação.
107.
A crença na vida depois da morte, na ressurreição, no Inferno, num princípe do mal, eram crenças
igualmente inerentes ao Mitraismo e Judaismo.
Do Egito adotaram a auto-flagelação, como os Sacerdotes de Ísis que se açoitavam para expiar suas
culpas e erros humanos. No Egito, também existia "mosteiros" para os sacerdotes que desejavam fazer voto de
castidade.
Dos gregos se apropriaram da água lustral. Dos Indostânicos adotaram o celibato, o jejum e a
esmolação.
Os etruscos juntavam as mãos ao rezar....
Tudo isso milênios antes do suposto nascimento e existência de Cristo.
Textos de pagãos, essênios e agnósticos foram as bases utilizadas no Concílio de Nicéia para
compor o Novo Testamento. [E claro, o fizeram de acordo com as profecias do V.T. para tentar segurar os
judeus, mas não adiantou. Judeus não caíram nessa. Então, o cristianismo acusou os judeus pela morte de
Cristo. Tudo uma manobra nojenta, que, por séculos, prejudicou esse povo com uma violenta discriminação
no meio cristão até hoje].
Deduzimos então, que o Cristianismo não tem nada de original e nem que, o homem Cristo,
realmente existiu.
Fica claro que os rituais, as raízes e bases do Cristianismo, provém de uma enorme variedade de
diferentes religiões e mitos sobre as diferentes divindades solares existentes [nada veio por acaso] e muito
cultuadas na época em que os judeus decidiram dar sequência á uma religiosidade que morria e desaparecia.
A VERDADEIRA HISTÓRIA DE JESUS CRISTO
SEGUNDO A HISTÓRIA DE ROMA
Confrontando com os contos Bíblicos do Novo Testamento, nessa obra eu comprovo pelos fatos,
pelos nomes, narrativas, comparações e depoimentos históricos encontrados;
Assim como, pela ausência histórica de fatos reais que respaldariam a vida de Jesus Cristo;
Eu comprovo que tal cidadão é apenas um mito, criado em meados do 2º Século da nossa era,
segundo o calendário criado pelas autoridades cristãs daquela época, Papas e Bispos, a partir das estórias de
mitos anteriores;
E ainda explico como falsificações, de todo tipo, servem ainda hoje para tentar demonstrar que Jesus
tenha existido de alguma forma.
Você vai ler História.
1 - O fantástico primeiro século.
O conto mitológico de Jesus, segundo a Bíblia, confunde-se exatamente com a história de Roma, a
história do povo, da vida existente em Roma e adjacências, estendendo-se até o Egito, Alexandria, que por
algum tempo foi dominado e governado pelos romanos.
Vamos começar pelo ano 753 do calendário Romano, sob o império de Augusto, que foi iniciado na
fundação dessa cidade, que passou a ser o ano 01 do calendário adotado pelos cristãos, posteriormente, e
vamos referirmo-nos a este, principalmente, somente por ser o nosso calendário atual aqui no Brasil, um país
sob forte influência cristã.
Havia nessa época, em Roma, uma grande religiosidade entre os povos, que se originavam das
várias províncias conquistadas pelos romanos, e as religiões penetravam a cidade, na sua multiplicidade.
Roma acabava de sair de uma forte mitologia, de deuses, reconhecidos hoje como tal: Júpiter, Apolo, Marte,
Vênus, Juno etc. que justificara toda a vida dos romanos até então.
108.
Dentre essas religiões existentes, dezenas, além das judaicas, e as cultuadas aos deuses imperadores,
destaco o Mitraísmo, criado em 1400 a/C, inspirado pelo deus Sol dos antigos persas, um deus com muitas
qualidades, há de se imaginar, semelhantes às que atribuíram a Jesus posteriormente. Essa religião era
fortemente praticadas nas cidades e arredores. Em Roma, no início deste 1º século, havia mais de 700 templos
dedicados a Mitra e muitos outros mais, em cidades próximas como na cidade de Óstia. Entretanto, o
mitraísmo só foi oficialmente aceito no Império a partir do segundo século, alcançou sua maior popularidade
no Século III e acabou em 390, por imposição do mesmo Império que o reconhecera, e que agora adotava o
cristianismo.
Teve grande importância no Século I, durante o império de Tibério do ano 14 ao 37, o culto a Isis da
mitologia egípcia, que já vinha de 2.500 a/C espalhando-se pelo mundo greco-romano. Tinha igualmente sua
família de deuses milagreiros: Geb, Nut, Osíris, Seth e Hórus, todos devidamente adorados, e desfilavam em
procissões pelas ruas de Roma, coincidentemente, na mesma época que dizem ter nascido Jesus. Juntos, Isis e
Osíris simbolizavam a realeza do Egito. Hórus 3000 a.C. fez milagres muito semelhantes aqueles que
imputam a Jesus, e suas trajetórias de vida têm incríveis semelhanças:
Hórus nasceu dia 25 de dezembro;
Nasceu de uma “virgem”, a deusa Ísis-Meri com Osíris;
Nascimento acompanhado por uma estrela a Leste;
Estrela seguida por 3 reis;
Aos 12 anos, era uma criança prodígio;
Batizado aos 30 anos;
Começou seu ministério aos 30;
Tinha 12 discípulos e viajou com eles;
Operou milagres e andou sobre as águas;
Era “chamado” de Filho de Deus, Luz do Mundo, A Verdade, Filho adorado de Deus, Bom Pastor,
Cordeiro de Deus, etc.
Foi traído, crucificado, enterrado e ressuscitou 3 dias depois.
São coincidências muito intrigantes com o cristianismo, que sugerem uma bela imitação, portanto,
uma invenção, criada a partir de fatos anteriores.
Hoje a Arqueologia encontrou vestígios dos templos e pirâmides de Isis, em todas as partes de
Roma, durante a dinastia Julio-Claudiana que imperou até o ano 68. Entretanto, durante esse período, não
houve qualquer menção ao filho de deus ressuscitado, nem a nenhum Jesus Cristo de carne e osso, mesmos
citações rudimentares, objetos ou interações com os romanos, embora toda a mitologia bíblica faça referência
a ele, justamente nessa época e nesse local.
Para não variar, muitas falsificações cristãs ocorreram nessa época.
Existe uma carta de um tal Publius Lêntulus, que rola por aí na boca de pastores e documentos
católicos, de um hipotético presidente da Judéia, ou suposto senador romano vivido na Galiléia, enviada a
Tibério, que a própria Enciclopédia Católica considera uma figura fictícia.
No entanto, essa carta é divulgada entre os cristãos como se fosse verídica, criando falsas
expectativas entre eles.
Outra farsa semelhante, uma Carta de Pôncio Pilatos para Tibério César, falando da aparência de
Jesus. Eles dizem que é um reimpresso cujas cópias estão na Biblioteca Congregacional em Washington. Pode
até ser, mas trata-se com certeza, de um texto apócrifo dentre tantos outros, redigido possivelmente no século
III. No caso, sem autoria e sem validade histórica como todas essas outras cartas: de Pilatos a César, de Pilatos
a Herodes, de Herodes a Pilatos, De Lentulus a Octávio, todas falando sobre Jesus sua aparência e moral. Isso
é tudo o que temos no período do Imperador Tibério, até o ano 37.
Nada sobre Jesus Cristo, mas um monte de falsificações, distorções e apelações para atestar a
existência de quem não existiu. Por que tantas falsificações? Nada teriam, realmente, que documentasse a vida
de Jesus? Será possível?!
109.
Ainda no regime do Império de Tibério, Herodes Antipas, governador da Bitínia, mandou decapitar
João Batista, (2 a/C - 27 d/C), um pregador messiânico, no ano 27, depois de deixá-lo 10 meses na masmorra,
desde o 6º mês do ano 26, porque esse metera-se no seu casamento com Herodias, dizem uns, ou porque ele
era um líder temerário, dizem outros. O escritor Flávio Josefo, que nasceu nessa época, limitou-se a escrever,
60 anos depois, sobre sua prisão e nada sobre sua morte.
João Batista liderava naquela cidade, um grupo seguidores conhecidos como mandeus. Eram
Gnósticos suficientemente documentados na história, que ainda hoje existem, e são 100 000, a maioria no
Iraque. A base do seu culto ainda é o batismo. Herodes Antipas, em nenhum momento de sua vida, citou a
existência de Jesus, que por ali deveria andar. Ninguém jamais escreveu ou referiu-se a um batismo de Jesus
Cristo por João Batista, o que eu acho muito estranho, mesmo porque há uma incrível defasagem de datas.
Batista morreu em 27, não poderia ter batizado Jesus no ano 30.
Havia também em Roma, nesse mesmo início de século, existiu um indivíduo cuja história é clara,
mas foi criado sobre ele, um misticismo, que acabou virando mitologia: Apolônio de Thiana (ou Tiana).
Nascido entre 1 e 10 d.C. em Tyana, na Capadócia, Turquia, ou na Ásia Menor como era conhecida
à época, Apolônio teve pais aristocratas e viveu entre sacerdotes, líderes e imperadores, questionando-lhes a
ética e a desonestidade. No Egeu, aos dezesseis anos instruiu-se nos mistérios pitagóricos. Deixou o Egeu dez
anos depois e dirigiu-se à Índia, quando no caminho, provavelmente entre 41 e 54 d.C. na Pérsia, conheceu
seu discípulo Damis (“Vamos juntos” – dissera Damis - “Tu seguirás a Deus e eu a Ti”). Passou pela
Babilônia, Tróia, Chipre e Grécia, onde se iniciou nos mistérios de Elêusis. Em 66 d.C., já em Roma, tentou
introduzir, junto com o Papa Lino, reformas religiosas, mas fugiu de lá devido às perseguições de Nero.
Viajou para a Espanha, África do Norte e Alexandria, no Egito.
Apolônio de Tyana viveu na mesma época de Jesus. Ficou famoso e reconhecido historicamente,
como o maior filósofo do mundo greco-romano, não apenas durante o século I, mas até o século V. Seu busto
encontra-se hoje no Royal Bourbon Museu em Nápoles, Itália. O Imperador romano Caracalla (211-217)
construiu uma capela em sua homenagem, e o Imperador seguinte, Severo, colocou a estátua de Apolônio em
sua residência, entre seus objetos religiosos. Quando o Imperador Aureliano (270-275) estava sitiando Tyana
teve uma visão de Apolônio e suspendeu o sítio, salvando assim muitas vidas. Posteriormente Aureliano
dedicou-lhe um templo. A vida e os ensinamentos de um homem como Apolônio podem ter influenciado os
princípios da Igreja Cristã e até mesmo o teor dos Evangelhos.
Hoje em dia, quase um ilustre desconhecido, apagado pelos católicos, não há como avaliar sua
influência na história bíblica e sua biografia não registra qualquer encontro com Jesus ou qualquer de seus
discípulos. Teria morrido com 80 ou 100 anos.
Diz a mitologia de Apolônio, que este fazia milagres, semelhantes aos de Jesus e levitava (pairava
no ar). Perseguido, acusado, preso e acorrentado pelo Imperador Domiciano, em 93 d.C., soltou a sua perna do
corpo e a recolocou de volta, livre das correntes, e disse a seu discípulo: ”Estás vendo a liberdade que tenho,
portanto peço-te que não desanimes”. No seu julgamento não lhe foi permitido defesa, e disse a Domiciano:
“Nem mesmo tua lança mortal pode matar-me, pois não sou mortal”, e desapareceu do tribunal. Em 96 d.C.,
em Éfeso, teve uma visão do assassinato de Domiciano, após o que encaminhou seu discípulo de volta a Roma
e desapareceu misteriosamente.
Apolônio e Jesus, duas vidas de muita semelhança, existentes na mesma época e local, mas uma
largamente comprovada e outra não. Não se conhece nenhuma estátua antiga de Jesus, ou templos que se lhe
tivessem sido dedicados, nesse mesmo período do 1º Século, ou mesmo pessoas, documentos ou fatos
históricos, que lhe tivessem feito qualquer referência. Só a Bíblia versa sobre Jesus Cristo. Muito estranho
isso...
Philo-Judaeus (15 a.C. – 50 d.C.) — de Alexandria, era um teólogo-filósofo judeu que falava grego. Ele
conhecia bem Jerusalém porque sua família morava lá. Escreveu muita coisa sobre história e religião judaica
do ponto de vista grego e ensinou alguns conceitos que também aparecem no evangelho de João e nas
epístolas de Paulo. Philo também ensinou sobre Deus ser um espírito, sobre a Trindade, sobre virgens que dão
à luz, judeus que pecam e irão para o inferno, pagãos que aceitam a Deus e irão para o céu e um Deus que é
amor e perdoa. Entretanto, Philo, um judeu que viveu na vizinha Alexandria na mesma época da hipotética
110.
existência de Jesus, quase com a mesma idade, certamente saberia da história do filho de deus crucificado,
porém nunca mencionou alguém com este nome nem nenhum milagreiro que morreu e depois ressuscitou em
Jerusalém, sem falar em eclipses, terremotos e santos judeus saindo dos túmulos e andando pela cidade. Por
que? O completo silêncio de Philo é ensurdecedor!
Em 4 a/C nasceu na Espanha Lucius Annaeus Sêneca, tendo viajado ainda moço para Roma e
falecido lá em 65 – Era um historiador e filósofo romano – O trabalho de Sêneca foi principalmente pesquisas
teóricas dos fenômenos naturais. Em seus escritos anuncia a idéia de Deus absoluto e todo poderoso e a
necessidade da resignação perante os golpes do destino pela vontade do Altíssimo. Engels chamava Sêneca de
“tio do cristianismo. Os padres da igreja Tertuliano e S. Jerônimo o consideravam Sêneca como um deles.
Entretanto não se encontra nos seus escritos qualquer referência a Jesus Cristo, aos cristãos, ou mortos saindo
dos sepulcros. As cartas que teria trocado com Paulo se revelaram uma fraude, mais tarde. Não citou nenhum
fenômeno de escuridão havido no início do Século I, em seus livros, quando Jesus teria sido morto. É
realmente, uma questão sem resposta, como alguém, do porte de Sêneca, com o conhecimento e intimidade
que tinha com a cidade romana e suas províncias, deixou passar em branco a estória contada na Bíblia. Única
conclusão a que chego é que Não havia o cristianismo de Jesus ainda nessa época, e muito menos houve
algum Jesus Cristo.
Vivia também em Roma, um Historiador, Filósofo grego de origem judaica, chamado Filon de
Alexandria. Nascido nos últimos decênios a/C., pertencia a família de sacerdotes. Escrevia sobre a síntese do
judaísmo e da filosofia helenística. Escrevia sobre Deus, estudava os textos bíblicos (Bíblia hebraica ou Torá)
exegeticamente e via neles muito mais do que os significados textuais. Buscava nas palavras a autenticidade
da mensagem divina. Através dessa interpretação ele via na Bíblia a doutrina da existência de Deus. “As
palavras são somente um instrumento para se tentar conhecer Deus que por princípio não pode ser expresso
por palavras”- dizia. Pontos de vista de Filon coincidentes com os do cristianismo, serviram de ponto de
partida para a ideologia cristã.
Filon deixou todas essas obras para a posteridade: De Aeternitate Mundi, De Abrahamo, De
Migratione Abrahami, De Mutatione Nominum, De Plantatione, De Agricultura, De Confusione Linguarim,
De Congressu Eruditiones Gratia, De Decalogo, De Sacrificius Abelis et Cainis, De Posteritate Caini, De
Ebrietate, De Escrecationibus, De Fuga et Inventione, De Gigantibus, De Josepho, De Opificio Mundi, De
Vita Contemplativa, De Vita Mosis, De Sobrietate, De Somniis, De Specialibus Legibus, De Virtutibus, De
Praemiis et Poenis, Legum Allegoriae, Legatio ad Gaium, In Flaccus, Quaestiones in Genesim, Quaestiones in
Exodum, Quis Serem Divinarum Heres Sit, Quod Deterius Potiori Insidari Soleat,Quod Deus Sit Immutabilis
e Quod Omnis Probus Líber Sit.
Faleceu por volta de 54, quando o cristianismo deveria estar latente na região. Curiosamente, apesar
de toda sua literatura, esse envolvimento no âmbito religioso e tendo vivido na mesma época e local, não
conheceu cristãos ou o cristianismo algum, pois nada escreveu sobre isso, e nem escreveu nada sobre Jesus
Cristo. A única explicação possível é que o cristianismo, ainda não existia nessa época. Nesse caso, a história
de Jesus é mentira! Certo?
Vivia nos bastidores romanos um escritor chamado Quinto Cúrcio (10 a.C - 54 d.C). Quinto era
também um historiador romano que viveu presumivelmente sob o reinado do Imperador Claudius, e se
dedicou muito à história de Alexandre o Grande. Vivia por lá. Nos seus primeiros livros preservados, narrava
os fatos detalhados sobre as campanhas de Alexandre contra o rei persa Dario III. Acredito que se interessaria,
mesmo que em separado, sobre a história de Jesus, um milagreiro que ressuscitava gente, teria morrido
tragicamente em Roma e ressuscitado, segundo seus seguidores, mas estranhamente, nada escreveu sobre
Jesus de Nazaré que teria vivido na mesma época, e no mesmo lugar que ele.
Da mesma forma, Públio Valério Máximo - (I a.C.- I d.C.), foi um escritor romano. Viveu em Roma, na
mesma época de Jesus.
Sua obra capital são os nove livros Factorum dictorum memorabilium ("Fatos e ditos memoráveis"),
dedicados ao imperador Tibério. Foi escrito em Roma em 31 e o seu fim era elogiar uma série estabelecida de
virtudes romanas por meio de anedotas e relatos tradicionais ou extraídos de historiadores e filósofos. Esta
111.
compilação de anedotas serviu aos oradores para extrair narrações morais com o fim de ilustrar os seus
discursos.
Nunca citou os dotes morais de Jesus Cristo, nem as memoráveis cartas de Paulo, Lucas, Marcos ou
Mateus, nunca citou a existência de cristãos, nem como piada.
Você não acha estranho isso? Acontecer tudo aquilo que conta a Bíblia, em Roma, bem ali na esquina,
e Valério Máximo não tomar conhecimento?
Semelhante a Caio Plínio Segundo, conhecido como “Plínio o velho” – (23 a 79 d/C) – que era um
Naturalista romano, autor clássico no ano de 77 escreveu "Naturalis Historia", um vasto compêndio das
ciências antigas, curiosas e existentes, distribuído em 37 (trinta e sete) volumes, dedicado a Tito Flávio, futuro
imperador de Roma.
Como um cientista envolvido em eventos sísmicos naturais, certamente teria registrado a conhecida
escuridão ocorrida durante a crucificação de Jesus, como vemos em Thallus, a menos que não tivesse
ocorrido. Assim como estranhamente, nada citou sobre os santos que saíram dos sepulcros e andaram pela
cidade conforme consta das escrituras sagradas, e nem mesmo o próprio filho de deus, não mereceu a sua
referência. Acho que, para ele, se fosse um fato verídico, teria sido um milagre, o tipo de evento que Plínio
não iria desprezar - pois ele era um cético e racionalista da mais alta ordem.
De 26 a 36 Pôncio Pilatos foi prefeito pouco expressivo e muito controvertido da Judéia, uma
província romana. Criticado por Filon de Alexandria pelas mortes incontáveis e contínuas. Certamente, Pilatos
era um matador. Segundo contam Filon e Flávio Josefo, seu relacionamento com os judeus não era bom. Na
opinião de Josefo, os anos em que Pilatos esteve como prefeito foram anos turbulentos na Palestina, e Filon
escreve que o governador caracterizava-se pela "sua venalidade, sua violência, seus roubos, seus assaltos, sua
conduta abusiva, as freqüentes execuções de prisioneiros que não tinham sido julgados, e uma ferocidade sem
limites" Em 35, Pilatos trucidou um grande numero de samaritanos, os quais, consequentemente, protestaram
ao seu superior, Vitelio, legado provincial da Siria, o qual destituiu Pilatos e o enviou a Roma a desculpar-se
com o Imperador, segundo Flávio Josefo que dele contou muitos detalhes. Flavio Josefo escreve sobre um
episódio no qual Pilatos teria entrado em Jerusalém portando a efígie do imperador e causando grande tumulto
entre os judeus. E no mesmo livro Josefo ainda fala de outro feito, segundo o qual Pilatos teria pego tesouros
do Templo para financiar um aqueduto.
Óbvio que tendo nascido em 37, Flávio Josefo apenas arregimentou informações para conseguir
esses detalhes sobre Pilatos e os redigiu próximo ao ano 90.
Curiosamente, nos escritos de Finon e Josefo, não consta a história de Jesus sendo julgado por
Pilatos, ou nenhumas outra referência feita a interação de ambos, o que acredito teria sido de suma
importância nos meios sociais e populares romanos, muito mais do que os fatos por eles narrados, se tivesse
acontecido de fato.
Eusébio de Cesaréia, em sua História Eclesiástica, afirma que Pilatos caiu em desgraça junto ao
imperador Calígula e cometeu suicídio por volta do ano 37 d.C. Nada sobre Jesus.
Em 37 do primeiro século, nasceu Flavio Josefo, conhecido historiador judaico. Seus textos
constituem uma fonte preciosa para o estudo da história da Palestina no primeiro século da nossa era.
Forneceu importantes informações sobre os essênios e outras seitas da Judéia. Escreveu sobre João Batista e
Pilatos, mas silenciou totalmente sobre os cristãos e nunca mencionou Jesus em suas obras.
Os cristãos, que hoje ouvem seus líderes mentirosos ou ignorantes, afirmam, e insistem muito, em
duas falsificações grosseiras criadas no livro “Antiguidades Judaicas”, já derrubadas pela ciência e pela
história. Uma interpolação de oito linhas apenas (imaginem) bem ao estilo de Lucas, contando a vida e morte
de Jesus, escrito lá pelo ano 93. Claro que a Igreja Católica sumiu com o original. Acontece que, sumido o
original, os católicos passaram a validar as cópias manuscritas, que jamais poderiam ter a mesma
autenticidade, principalmente estando nas mãos de copistas cristãos. Daí, os textos se multiplicaram em
formatos diversos a partir deste. Uns com 6 linhas outros com 10 linhas, quase todas as palavras e temos são
diferentes, uns melosos e outros formais. Uma salada só, que justifica aquele ditado: “Quem conta um conto,
aumenta um ponto”.
112.
Claríssimo e evidente, entretanto, são os trechos originais de Josefo: antes e depois da falsificação,
que não se harmonizam com o falsificado, porque se referem: o posterior, ao anterior exatamente, e nessa, os
falsários católicos se atrapalharam:
Veja o que diz o reinicio do texto após a falsificação:
“Também, nesse mesmo tempo, outra calamidade triste pôs os judeus em desordem”
Assim eu pergunto: Essa “outra calamidade” refere-se obviamente, ao texto anterior, onde uma
calamidade teria ocorrido, certo? Teria sido a vida de Jesus essa calamidade anterior? Pense bem. Jesus foi
uma calamidade?
Ou refere-se ao avanço dos soldados de Pilatos sobre os judeus desarmados, quando mataram
muitos, como encontrado no texto anterior à falsificação?
Onde está a calamidade referida no texto posterior? Na vida de Jesus, ou na morte covarde dos
judeus desarmados?
Com essa simples análise, você pode garantir a verdade. Consulte o livro de Alfredo Bernacchi e
obtenha mais detalhes ainda.
Da mesma forma, tendo Josefo nascido depois da hipotética morte de Jesus, nada testemunhou de
fato. Resta saber quem teria contado sobre Jesus a Josefo? Um ateu, eu garanto que não foi. Cristãos, não
existiam nessa época. Vale isso como prova da existência do “mestre”, ou prova de uma falsificação grosseira
posterior?
Interessante observar é que Orígenes, cognominado Orígenes de Alexandria ou o Cristão, nasceu no
Egito, ano 185, foi um teólogo, filósofo e um dos Padres gregos.
Em sua obra apologética “Contra Celso” (próximo ao ano 248), Orígenes refuta as críticas deste
filósofo pagão, que havia escrito uma obra anti-cristã. Falou a respeito da referência de Josefo a Tiago como
irmão de Jesus (já falsificado) no mesmo Antigüidades Judaicas, mas não mencionou o Testimonium
Flavianum, porque esse trecho foi inserido posteriormente. Orígenes, criticando, escreveu que Josefo “não
considerava Jesus como sendo o Cristo” e “não diz nada dos feitos maravilhosos de nosso Senhor”. Isso em
248. Portando, houve uma interpolação posterior a essa data, no original que, posteriormente, foi examinado e
declarado falso. Assim, a Igreja achou melhor, depois de tirar uma cópia manuscrita, sumir com ele. Que valor
tem essa cópia hoje para nós? Nenhum!
Dizem os cristãos que a arqueologia confirma os textos evangélicos. Nada de espantoso nisso. A
mitologia de Jesus Cristo foi montada sobre um lugar histórico e existente. Por que inventariam um Jesus em
Marte ou na Groenlândia? O filme foi rodado em Roma. Roma existia, claro! O resto também, os imperadores,
também, mas Jesus, não. O “mestre” foi inserido neste exato lugar, com todas as suas características, hoje
arqueológicas.
Ainda assim, para sustentar as profecias do VT que dizia Jesus seria um nazareno, tiveram que
inventar uma cidade de Nazaré e aí a coisa complicou, porque nenhuma cidade existia com esse nome.
Precisaram fazer uma Nazaré às pressas, e hoje, já é uma imensa cidade. Agora encontraram ruínas nas
imediações de Nazaré, que remontam ao 1º século. Considere-se, entretanto, duas coisas: A Nazaré real, pode
ter sido construída no 2º século, quando perceberam a incoerência, e hoje, já são ruínas. Autores antigos,
como Josefo, nunca mencionaram tal cidade. E lá não consta nenhuma encosta habitável, que justificasse a
estória bíblica de arremessar Jesus. Como entender isso?
Então fica a dúvida: Existindo ou não, foi mencionada na Bíblia, como tantas outras que serviram de
pano de fundo a essa mitologia. Nada de novo.
A partir do ano 37, entramos no Império de Calígula, sobrinho de Tibério, de natureza extravagante
e cruel. Um tanto demente já no seu final, quando acabou assassinado. Nessa época foi que Pilatos suicidouse. Posteriormente seguiram-se Cláudio e Nero até o ano 68.
Viviam e passavam por Roma, os judeus essênios, extremamente politizados, que há muito não
gostavam dos romanos (Josefo) e causavam arruaças na cidade.
113.
Essênios esconderam seus textos escritos em papiros e cobre, em cavernas, que iriam ser
descobertos muitos séculos depois. Seus documentos foram redigidos desde 3 séculos a/C até o ano 68 em
Hebreu, Aramaico e Grego.
"A mais espantosa revelação dos documentos essênios até agora publicada foi a de que os essênios
possuíam, muitos anos antes de Cristo, práticas e terminologias que sempre foram consideradas exclusivas dos
cristãos. Os essênios tinham a prática do batismo, e compartilhavam um repasto litúrgico de pão e vinho
presidido por um sacerdote. Acreditavam na redenção e na imortalidade da alma
Muitas frases, símbolos e preceitos semelhantes aos da literatura essênia são usados no Novo
Testamento, particularmente no Evangelho de João e nas Epístolas de Paulo. O uso do batismo por João
Batista levou alguns eruditos a acreditar que ele era essênio ou fortemente influenciado por essa seita, tal a
similaridade.
Todos esses documentos foram preservados por quase dois mil anos e são considerados o achado do
século, principalmente porque a Bíblia, até então conhecida, data de uma tradução grega, feita pelo menos mil
anos depois da de Qumran [Torá] – G. Lankester Harding - Não confunda com o Novo Testamento.
No final da década de 1940, a descoberta de centenas de manuscritos atribuídos aos essênios, em
cavernas na região do mar Morto, despertou a esperança de que o material pudesse confirmar finalmente a
ligação entre esta seita e os primeiros cristãos.
Após décadas de trabalho e controvérsias, a tradução integral dos manuscritos do mar Morto foi
completada em 2002, mas não havia nenhuma referência direta a Jesus, João Batista ou aos primeiros cristãos.
Os essênios provavelmente foram exterminados pelos romanos, ou obrigados a deixar suas comunidades e
fugir para salvar suas vidas, por volta do ano 68 e largaram seus escritos para trás.
Os líderes religiosos insistem, dissimuladamente, que os achados de Qumran têm alguma coisa a ver
com Jesus Cristo. Os seus seguidores cristãos, não têm culpa de serem enganados o tempo todo, e fica mesmo
difícil mostrar a verdade, porque já agora há um descaramento nessas informações mentirosas. Sim, As
descobertas do Mar Morto, têm a ver com a Bíblia, mas o Velho Testamento! Não os contos sobre Jesus.
Do site Temas Bíblicos:
‘Quando se fala dos essénios, é já um lugar comum realçar a influência que exerceram no
cristianismo nascente. De facto, a possibilidade de comparação entre termos cristãos e essénios é quase
infinita. Há mais do que uma simples comunhão de espírito entre o essenismo e o cristianismo’
As epístolas de Paulo tem as maiores semelhanças entre os essênios e o cristianismo primitivo.
Os filhos das trevas e os filhos da luz.
A refeição comunal comum a Qumran e ao primeiros cristãos; parecem influências vindas de Paulo.
Diante de tantas similaridades entre os textos dos essênios e o NT da Bíblia, descambaram os
cristãos dizendo que Jesus foi um essênio, ou que Jesus viveu entre os essênios, que Jesus foi influenciado
pelos essênios, ou que João Batista foi um essênio. A única consideração que eles não quiseram nem pensar, é
que A Bíblia de Jesus foi copiada ou inspirada nos textos essênios. Eu, entretanto, vejo isso claramente.
Estes judeus essênios foram citados literalmente, por diversos autores, entre eles, Flávio Josefo e
Suetônio. Os essênios tinham um líder espiritual mitológico chamado Chrestus – O Mestre da Justiça – que de
fato não existiu. A escrita hebraica comum na região, não possui as vogais, de tal forma que “Chrestus”
escreve-se assim: CHRSTS. Foi fácil para os falsários e impostores católicos dizer que tratava-se de Christós,
(Cristo) porque a palavra em hebraico é exatamente igual.
Existe, entretanto, sutis diferenças que podem ser apreciadas, para definir de quem se está falando:
Os cristãos de Chrestus eram politizados e arruaceiros, os cristãos de Jesus eram sossegados e
humildes, e só foram encontradas citações a respeito deles, bem depois da metade do Século II.
Quando Suetônio, na “Vida dos Doze Césares”, diz que o imperador Cláudio "expulsou os judeus de
Roma, tornados sob o impulso de Chrestos, uma causa de desordem"; e, na vida de Nero, que sucedeu a
114.
Cláudio, acrescenta: "Os cristãos, espécie de gente dada a uma superstição nova e perigosa, foram destinados
ao suplício" (inserção falsa)
Sem dúvida alguma se tratava dos judeus essênios nos dois casos. Por que cristãos, nem existiam
nessa data, mesmo assim, nunca foram desordeiros nem perigosos. Que suplício? Quem foi supliciado?
Cristãos só foram perseguidos lá pelo Século III. Confira na História! Isso faz parte da História!
Plínio, o moço, em carta ao imperador Trajano pede instrução a respeito dos cristãos, que se reuniam
de manhã para cantar louvores a Cristo. "...os cristãos estavam habituados a se reunir em dia determinado,
antes do nascer do sol, e cantar um cântico a Cristo, que eles tinham como Deus" (inserção falsa)
De que forma os cristãos de Jesus incomodariam alguém, pois faziam seus cultos em locais fechados
e escondidos? E que negócio é esse de deus? Jesus foi “elevado” à categoria de deus, em 325, no Concílio de
Nicéia! Portanto, aí também referia-se aos cristãos de Chrestus arrematado por inserções falsas.
Tertuliano, por volta do ano 200, escreveu: "Portanto, naqueles dias em que o nome cristão
começou a se tornar conhecido no mundo, Tibério, tendo ele mesmo recebido informações sobre a verdade da
divindade de Cristo, trouxe a questão perante o Senado, tendo já se decidido a favor de Cristo...".
Na minha opinião, mesmo considerando que Tertuliano tenha sido um apologista cristão esse texto é
totalmente falso. Havia entre os cristãos uma grande necessidade de provar que o cristianismo nasceu com
Jesus. Quintus Septimius Florens Tertullianus, nasceu em 160 e morreu em 220. Não viu nada, para afirmar
coisa alguma, mas já no final do século II, era admissível alguma referência a Cristo, mas considerando a
quantidade de falsificações católicas, pode-se até deduzir por mais uma.
Em Sua Apologia, Capítulo XXI, Tertuliano diz o seguinte:
“Agora, tendo confirmado que nossa religião está fundamentada nas escrituras dos hebreus, as
mais antigas que existem, embora seja corrente e nós admitimos inteiramente que nossa religião date de um
período comparativamente recente - não anterior ao reino de Tibério, talvez, devamos levantar a questão de
suas bases, para não parecer que ocultamos sua origem sob a sombra de uma ilustre religião [o Judaísmo] ,
a qual possui, sob todos os aspectos, indubitavelmente, a aceitação da lei.”
Tertuliano diz claramente que o Cristianismo não é anterior ao reinado de Tibério, ano 14 a 37, ou
seja, não conheceu a história de Jesus Cristo, não reconheceu Jesus como nada! Reconheceu que o
cristianismo nasceu depois de Tibério ano 37. Então, Jesus Cristo não existiu.
Historicamente, Tertuliano foi um prolífico autor das primeiras fases do Cristianismo. Ele foi um
primeiro autor cristão a produzir uma obra literária (corpus) em latim. Ele também foi um notável apologista
cristão e um polemista contra a heresia, mas não se esqueçam. Seu escritos beiravam o ano 200 (final do
Século II).
Embora conservador, ele organizou e avançou a nova teologia da Igreja antiga. Ele é talvez mais
famoso por ser o autor mais antigo cuja obra sobreviveu a utilizar o termo "Trindade" (em latim: Trinitas) e
por nos dar a mais antiga exposição formal ainda existente sobre a teologia trinitária. Ainda assim, se põe em
dúvida esse texto se foi verdadeiro:
“naqueles dias” é muito vago.
“Cristo” não é “Jesus Cristo”. Qualquer depoimento verdadeiro sobre o divino mestre teria o seu
nome completo. Prova de que Jesus ainda não era conhecido como tal. Daí, conclui-se: qualquer referência
anterior ao ano 200 sobre o nome Jesus também é falsa. Certo?
.
Tibério não tomou conhecimento dessa carta. Em nenhum documento histórico, existe essa
referência. Aliás, foi “enviada” a Tibério um monte de cartas falsas. Não seria de se estranhar mais uma.
O Tal senador Públius Lêntulus que descreveu o rosto de Jesus em carta a Tibério, já foi
desmascarado até pela Enciclopédia Católica, que o considera “uma figura fictícia”. Mas esse “personagem
está aí, fazendo sucesso em TODOS os textos cristãos. Não é fácil, amigo... Não é fácil...
115.
Os personagens adiante viveram em Roma e adjacências, até Alexandria, no Século I. Estranhamente
nenhuma referência fizeram sobre Jesus Cristo, seus pais ou seus apóstolos:
Díon Crisóstomo (40 d.C – 120 d.C). Foi um orador, escritor, filósofo e historiador grego do Império
Romano , que floresceu no Século I. São retidos oitenta seus discursos. Seu nome vem do grego
Chrysostomos, que literalmente significa "boca de ouro". Nessa época Jesus já deveria ser histórico. Não é
todo dia que alguém morre, ressuscita e some, anda sobre as águas, faz milagres e ressuscita pessoas. Mas
Dion nada ouviu a respeito, daí também não discursou, não escreveu nem filosofou sobre o Mestre dos
mestres.
Publius Papinius Statius (45 d.C -96 d.C). Foi um romano poeta do Século I (Era a Prata da literatura
latina). Além de sua poesia em latim, que incluem um poema épico, a Tebaida , uma coleção de poesias
ocasionais, o Silvae , e o épico inacabado, o Achilleid . Era romano, vivia em Roma, palco da aventura cristã,
mas ninguém jamais comentou o assunto por lá. Por isso, nada escreveu sobre Jesus. Nem em latim, nem em
grego, nem em chinês, nem em português.
Plutarco de Queroneia (46 d.C - 126 d.C.). Filósofo e biógrafo grego, nascido em Queronéia. Escreveu
“Moralia”, sobre moral e ética. Embora tenha passado a maior parte da vida em sua cidade natal, onde ocupou
altos cargos públicos e dirigiu uma célebre escola, estudou matemática e filosofia em Atenas, viajou pela
Grécia e passou por Alexandria, morou em Roma (75 a 95), onde lecionou filosofia durante o reinado (81a 96)
do Imperador Domiciano. Nunca deu uma aula sobre Jesus, nem filosofou sobre seus milagres porque
desconhecia totalmente o assunto. É possível você viver no Rio de Janeiro por 30 anos e desconhecer a estátua
do Cristo?
Tácito o Pensador, foi um historiador romano, que viveu entre 55 d.C. - 120 d.C., nasceu e morreu no
sul da França, mas viveu em Roma. Graças a Tácito, muitas vidas ilustres se tornaram conhecidas. Seus dotes
oratórios como jurista foram várias vezes reconhecidos, mas foi como historiador que Tácito alcançou a fama.
Entre os anos 100 e 117, escreveu os "Anais", onde relatou a história dos imperadores romanos desde Tibério
até a morte de Nero. Nunca citou Jesus nem soube se ele caminhou sobre as águas, sobre sua crucificação, seu
julgamento, morte, ressurreição, sumiço. Nada! A semelhança do que fizeram no livro de Flávio Josefo,
falsificaram dois pequenos parágrafos e sumiram com o original
Tácito, historiador romano, assim escreveu: "Para destruir o boato (que o acusava do incêndio de
Roma), Nero supôs culpados e infringiu tormentos requintadíssimos àqueles cujas abominações os faziam
detestar, e a quem a multidão chamava cristãos. Este nome lhes vem de Cristo, que, sob o principado de
Tibério, o procurador Pôncio Pilatos entregara ao suplício. Reprimida incontinenti, essa detestável
superstição repontava de novo, não mais somente na Judéia, onde nascera o mal, mas anda em Roma, pra onde
tudo quanto há de horroroso e de vergonhoso no mundo aflui e acha numerosa clientela"
Outro texto do mesmo fato: Qual dos dois é verdadeiro, eu não sei. Ambos podem ser falsos...
Tácito escreveu: "Nero, sem armar grande ruído, submeteu a processos e a penas extraordinárias aos
que o vulgo chamava de cristãos, por causa do ódio que sentiam por suas atrapalhadas. O autor fora Cristo,
a quem no reinado de Tibério, Pôncio Pilatos supliciara. [esse destacado, foi o trecho inserido] Apenas
reprimida essa perniciosa superstição, fez novamente das suas, não só na Judéia, de onde proviera todo o
mal, senão na própria Roma, para onde de confluíram de todos os pontos os sectários, fazendo coisas as mais
audazes e vergonhosas. Pela confissão dos presos e pelo juízo popular, viu-se tratar-se de incendiários
professando um ódio mortal ao Gênero humano".
Que abominações praticavam os cristãos de Jesus? Perniciosa superstição?
No caso, “Cristãos” e “Cristo” são distorções oriundas do nome do mito Chestus, acrescentado de
mais uma inserção falsa que cita “Tibério”, “Pilatos” e “suplício”.
De volta ao texto original, observe: “detestável superstição”? “nascera o mal? “horroroso e
vergonhoso”, coisas audazes e vergonhosas? Incendiários? Ódio mortal ao gênero humano? - Quem? Cristãos
de Jesus? O mestre do amor? Seria possível tratar-se de Cristãos de Jesus? Pessoas pacíficas que viviam
recolhidas e faziam seus cultos com notável discrição, isso depois do 2º século?
116.
A Mancada do Wickpédia.
Perseguição sob Nero, 54-68
Minha nota de entrada: Cristãos de Jesus Cristo, só começaram a aparecer na história, após
meados do Século II. Qualquer referência a Cristãos anterior a ISS, o refere-se aos cristãos do mito essênio
Chrestus.
Em Hebraico, Chrestus ou Christós, escreve-se: CHRSTS. Daí a confusão feita pelo autor polonês.
Veja o texto:
“Cristãos sendo usados como tochas humanas, na perseguição sob Nero, por Henryk Siemiradzki,
Museu Nacional, Cracóvia, Polônia, 1876.
O primeiro caso documentado de perseguição aos cristãos pelo Império Romano direciona-se a
Nero. Em 64, houve um grande incêndio em Roma, destruindo grandes partes da cidade e devastando
economicamente a população romana. Nero, cuja sanidade já há muito tempo havia sido posta em questão, era
o suspeito de ter intencionalmente ateado fogo. Em seus Annales, Tácito afirma que "para se ver livre do
boato, Nero prendeu os culpados e infligiu as mais requintadas torturas em uma classe odiada por suas
abominações, chamada cristãos pelo populacho"
Ao associar os cristãos ao terrível incêndio, Nero aumentou ainda mais a suspeita pública já
existente e, pode-se dizer, exacerbou as hostilidades contra eles por todo o Império Romano. As formas de
execução utilizadas pelos romanos incluíam crucificação e lançamento de cristãos para serem devorados por
leões e outras feras selvagens. Os Annales de Tácito informam: "... uma grande multidão foi condenada não
apenas pelo crime de incêndio mas por ódio contra a raça humana. E, em suas mortes, eles foram feitos
objetos de esporte, pois foram amarrados nos esconderijos de bestas selvagens e feitos em pedaços por cães,
ou cravados em cruzes, ou incendiados, e, ao fim do dia, eram queimados para servirem de luz noturna".
A diferença entre cristãos de Chrestus e de Jesus Cristo já foi explicada anteriormente. Chrestus
aparece na história. Como mito, mas aparece. Cristo não. Salvo nas falsificações. Então não aparece. Jesus
Cristo não apareceu nem de um jeito nem de outro. Até aqui, pelo menos...
Você deve ter reparado isso. A história de Roma não admitiu a história do mito Jesus Cristo. Os
fatos e acontecimentos que fizeram a história romana são esses que estou descrevendo. Posteriormente os
criadores de Jesus, retroagiram o conto no tempo, a partir do ano 1, mas que, como azeite e água,
absolutamente não se misturaram: História romana é uma coisa certa, comprovada e documentada. Conto
sobre Jesus, uma ficção que tentaram entranhar na história.
O que eu estou fazendo? Separando uma coisa da outra. Descolando um pedaço de couro legítimo,
de um papelão barato, que prensaram juntos, para parecer uma coisa só.
Passamos ao Império de Vespasiano
Tito Flávio Sabino Vespasiano, nascido perto de Rieti, 17 de novembro de 9 — falecido em Aquae
Cutiliae, 23 de junho 79, foi o primeiro imperador romano da dinastia Flaviana, que ocupou o poder em 69
d.C., logo após o suicídio de Nero (68 d.C.) e o conturbado ano dos quatro imperadores (69 d.C.). Foi
proclamado imperador pelos seus próprios soldados em Alexandria. Sucederam-lhe sucessivamente dois dos
seus filhos, Tito e Domiciano.
Viveu nessa época, Caio Suetônio Tranquilo. Foi um grande escritor latino que nasceu em 69 da era
cristã, em Roma e faleceu por volta de 141. Sua participação na vida romana era notável. Desde pequeno
participava do cotidiano, estudou e aprendeu em escolas romanas, e fatalmente teria ouvido muito falar de um
tal Jesus Cristo que por ali teria vivido e morrido. Escreveu sobre os Doze Césares tendo sido contemporâneo
na idade adulta apenas de Domiciano, o último de seus biografados. Suetônio foi um grande estudioso dos
costumes de sua gente e de seu tempo e escreveu um grande volume de obras eruditas, nas quais descrevia os
principais personagens da época. Em “A vida dos imperadores”, com a história de 11 imperadores, ele conta,
em 120 d.C., sobre o imperador Cláudio, que:
117.
“expulsou de Roma os judeus que, sob a influência de Chrestus, (dos essênios) viviam causando
tumultos”.
Ou
"expulsou os judeus de Roma, tornados sob o impulso de Chrestos, uma causa de desordem"
Que bom que Suetônio falou de Chrestus e seus documentos não foram alterados nem confundidos
propositalmente. Aí a gente vê a diferença. Os judeus essênios de Chrestus, causavam tumultos, desordens e
não gostavam dos romanos.
Entretanto, Suetônio nunca citou nenhum Jesus. Não falou de cristãos, nem de crucificação, nem de
milagres, nem de ressurreição de ninguém, porque também nada ouviu de ninguém. Esse é um fato marcante
na história, pela omissão, pelo profundo silêncio de Suetônio, impossível de se admitir, se fosse um fato
verídico.
2 - Sem querer, já entramos no 2º Século, sem Jesus...
Repare bem: No ano 120, na cidade de Roma, Suetônio não ouviu falar de nenhum Jesus!... Como
admitir que tal pessoa, por mais simplória que fosse, porém fazendo o que nos conta a Bíblia, não tivesse
chamado a atenção desse escritor? Por isso a conclusão: Ainda nessa época o cristianismo de Jesus Cristo era
desconhecido.
Pra não dizer que foi coincidência, ou discriminação ao cristianismo, a história nos diz que nessa
mesma época viveram:
Cláudio Ptolemeu (70-168). Cientista grego- Ptolemeu nasceu em Pelusium, no Egito, e tornou-se um
ilustre discípulo da escola de Alexandria. Existem dúvidas sobre o ano em que ele nasceu, com a data
variando desde o ano 10, mas as melhores estimativas são que ele nasceu por volta do ano 70, e floresceu
durante os governos dos imperadores romanos Adriano e Antonino Pio.
A sua obra mais conhecida é o Almagesto (que significa "O grande tratado", é uma das mais
importantes e influentes da Antiguidade Clássica, são treze volumes com tabelas de observações de estrelas e
planetas e com um grande modelo geométrico do sistema solar, baseado na cosmologia aristotélica. Nela está
descrito todo o conhecimento astronómico babilónico e grego e nela se basearam as astronomias árabes,
indianas e europeias até o aparecimento da teoria heliocêntrica de Copérnico.
Ptolemeu ignorava totalmente os contos bíblicos do Gênesis sobre a criação divina e, se houvesse um
Jesus Cristo, seria seu conterrâneo e teria falado sobre ele ou algum fato científico ou astronômico, que tenha
interligação com Jesus, como uma ressurreição por exemplo.
Caio Valério Flaco (Nasceu em data desconhecida, morreu em 90). Poeta da Roma Antiga (Final
Século I). Foi um romano poeta que floresceu na " Era de Prata ", sob os imperadores Vespasiano e Tito e
escreveu um Argonautica Latina que deve muito a Apolônio de Rhodes épico mais famoso ".
Decimus Iuvenalis (55-127). Poeta e retórico romano, autor das Sátiras. Conhecido em Inglês como
Juvenal, era um romano poeta ativo na segunda metade do Século I e início do século segundo, autor do
Sátiras . Os detalhes da vida do autor são claras, embora as referências dentro do seu texto para pessoas
conhecidas da primeira final e início de séculos.
Meu deus! Estamos já no 2º século e nada!...
Favorino di Arles (80 – 160). Filósofo grego antigo, sofista, o sofista chamado segundo lugar, que
faziam parte do Dio de Prusa, Atticus Herodes, Publius Aelius, Aristides e Luciano de Samosata suportados
pelo mesmo Imperador Adriano. Nunca ouviu falar de Jesus e assim também não escreveu sobre ele.
Nasceu em Sinope (Turquia) um cidadão chamado Marcion, ou Marcião (110-160). Esse personagem
tem fundamental importância nessa história, porque foi o precursor da Bíblia. Graças a militância meio
atravessada dele, os sacerdotes
118.
Tornou-se um Armador rico imoral que foi excomungado pelo seu próprio pai. Lá pelo ano 140 chegou
a Roma e aos poucos transformou-se, tendo se tornado um dos principais apoiadores financeiros da Igreja de
lá. O que ele pregava? O cristianismo. Um cristianismo dele, personalizado. Existia a Igreja de Roma que não
apoiou suas idéias e, através de todos os apologistas existentes, foi muito criticado.
Ensinos de Marcion, conhecido como Marcionismo, foi que Jesus revelou ao mundo um deus até então
desconhecido, que era diferente do Deus da Bíblia Hebraica. De acordo com Marcion, o deus da Bíblia
hebraica era ciumento, irado e legalista. O mundo material que ele criou era defeituoso, um lugar de
sofrimento. Em vez disso, Jesus foi enviado por um deus maior do que o Criador. Seu papel era o de revelar o
Deus transcendente da mente leve e pura, diferente em caráter do Deus Criador da Bíblia Hebraica. Deus de
Jesus era livre de paixão e ira, totalmente benevolente, e Jesus foi enviado para levar os crentes para fora de
sujeição ao limitado, irado deus criador do Antigo Testamento.
Como pode o mesmo Deus ser responsável por ambos? Ou colocando em outros termos: Como pode o
enfurecido e vingativo Deus dos judeus ser o amoroso e piedoso Deus de Jesus? Marcião sustentava que estes
atributos não poderiam pertencer a um Deus apenas, assim. acreditava em dois deuses, e pregava isso.
Marcion produziu o primeiro cânone cristão, ou uma lista dos livros de uma Bíblia que ele considera
autoritária. Sua lista, no entanto, era muito menor do que o atualmente reconhecido como válido pela maioria
dos cristãos: ele incluiu apenas o Evangelho de Lucas, os Atos dos Apóstolos, e dez das epístolas atribuídas a
S. Paulo de Tarso. Estes livros, de acordo com Marcion, foram os que continham os verdadeiros ensinamentos
de São Paulo. Ele rejeitou completamente o Antigo Testamento, acreditando e ensinando que não deve ser
parte da Bíblia cristã e não tinha nenhum valor para os cristãos.
O Marcionismo foi amplo e próspero, por centenas de anos, alguns lugares conheciam apenas o
cristianismo marcionita. O cristianismo paulino, embora agressivo e com seus recursos de poder, não poderia
oprimi-lo.
Ele era conhecido por ter imposto uma moral severa em seus seguidores, alguns dos quais sofreram nas
perseguições.
Cânone proposto Marcion, foi um fator que despertou o movimento cristão ortodoxo para formular um
cânon das Escrituras com autoridade própria, e que levou à atual cânon do Novo Testamento.
Seus escritos foram perdidos ou destruídos pelo catolicismo, mas é possível reconstruir e deduzir uma
grande parte do que ele ensinou com base no que outros escritores disseram a respeito dele, especialmente
Tertuliano, uns 50 anos depois. Entretanto, Tertuliano não falou sobre nenhum Jesus. Verdadeira salada...
Em algum ponto, os escritos dos cristãos primitivos que foram coletados por Marcião, junto com seus
próprios escritos, foram todos destruídos. Uma igreja católica primitiva dominante, os cristãos paulinos,
assinaram uma campanha de longo prazo contra estes cristãos primitivos. Tertuliano produziu cinco volumes
atacando o Marcionismo e os distribuiu através do Império Romano. O enfoque racional, intelectual e honesto
de Marcião ao Antigo Testamento e a "salvação em graça" de Jesus foi perdido, queimado e oprimido pelo
mais violentos e agressivos cristãos paulinos.
Assim, no ano 144, encontramos a primeira referência a Jesus – sem o Cristo - e a alguns apóstolos.
Não sei o quanto é verdadeiro, diante da artilharia de falsificações católicas, a fonte de informação é religiosa,
mas aí está.
Tertuliano (160 - 220) foi um prolífico autor das primeiras fases do Cristianismo. Ele foi um
primeiro autor cristão a produzir uma obra literária (corpus) em latim. Ele também foi um notável apologista
cristão e um polemista contra a heresia, mas não se esqueçam. Seus escritos beiravam o final do Século II.
Embora conservador, ele organizou e avançou a nova teologia da Igreja antiga. Ele é talvez mais
famoso por ser o autor mais antigo cuja obra sobreviveu a utilizar o termo "Trindade" (em latim: Trinitas) Pai,
filho e Espírito Santo, como na mitologia de Horus, por exemplo, e por nos dar a mais antiga exposição formal
ainda existente sobre a teologia trinitária.
Dizem que Tertuliano, por volta do ano 200, escreveu m sua Apologia:
"Portanto, naqueles dias em que o nome cristão começou a se tornar conhecido no mundo, Tibério,
tendo ele mesmo recebido informações sobre a verdade da divindade de Cristo, trouxe a questão perante o
Senado, tendo já se decidido a favor de Cristo...".
119.
Na minha opinião, mesmo considerando que Tertuliano tenha sido um apologista cristão esse texto é
totalmente falso. Havia entre os cristãos uma grande necessidade de provar que o cristianismo nasceu com
Jesus. Quintus Septimius Florens Tertullianus, nasceu em 160 e morreu em 220. Não viu nada, para afirmar
coisa alguma, mas já no final do século II, era admissível alguma referência a Cristo, não a Jesus Cristo, e
considerando a quantidade de falsificações católicas, pode-se até deduzir por mais uma. Entretanto, reparem:
Nessa mesma Apologia, Capítulo XXI, Tertuliano diz o seguinte:
“Agora, tendo confirmado que nossa religião está fundamentada nas escrituras dos hebreus, as
mais antigas que existem, embora seja corrente e nós admitimos inteiramente que nossa religião date de um
período comparativamente recente - não anterior ao reino de Tibério, talvez, devamos levantar a questão de
suas bases, para não parecer que ocultamos sua origem sob a sombra de uma ilustre religião [o Judaísmo], a
qual possui, sob todos os aspectos, indubitavelmente, a aceitação da lei.”
Tertuliano diz claramente que o Cristianismo não é anterior ao reinado de Tibério, ano 14 a 37, ou
seja, não conheceu a história de Jesus Cristo, não reconheceu Jesus como nada! Reconheceu que o
cristianismo nasceu depois de Tibério ano 37. Então, Jesus Cristo não existiu para Tertuliano nem para
ninguém! Isso ficou claro. Sua citação sobre Cristo veio de Chrestus, dos judeus essênios.
Ainda assim, se põe em dúvida esse texto se foi verdadeiro:
“naqueles dias” é muito vago.
“Cristo” não é “Jesus Cristo”. Qualquer depoimento verdadeiro sobre o divino mestre teria o seu
nome completo. Prova de que Jesus ainda não era conhecido como tal. Daí, conclui-se: qualquer referência
anterior ao ano 200 sobre o nome Jesus também é falsa. Certo?
Não é fácil, amigo... Não é fácil...
Indo mais adiante:
Contrastando com essa história da vida de Marcion, Lúcio Flávio Arriano – (92 - 175) foi um
historiador da Roma Antiga. Nasceu em Nicomédia (atual Izmit), capital da província de Bitínia, no que é hoje
o noroeste da Turquia, vizinho de Marcion. Embora fosse cidadão romano, falasse e escrevesse em grego
antigo. Sua figura é importante historicamente porque seus trabalhos constituem o melhor relato sobre
Alexandre, o Grande. Se houvesse um Jesus com toda a sua fantástica estória, um filho de deus, certamente o
teria mencionado, mas escreveu sobre Alexandre o Grande de 320 a.C. e nada sobre cristãos, apóstolos ou
Jesus.
Nenhum desses escritores colocou uma única palavra em seus livros sobre o mito bíblico, filho de deus
todo poderoso, precursor do amor, que teria tido uma história tão fantástica ali mesmo na esquina! Ninguém
conheceu esse senhor milagreiro! Esse mágico que morreu e ressuscitou! Ninguém?!
3 - O intrigante Terceiro Século.
Já que entramos pelo ano 200, vamos tratar desse período.
Até o momento, pela história, Jesus Cristo não nasceu, lembra?
Septímio Severo era mais um Imperador endeusado. Beligerante e conquistador, combatia a
corrupção à espada, e executava mesmo, aqueles senadores contrários a ele e mantinha os Bárbaros à
distância. Era cheio de moral e querido pelo povo, e não se meteu no assunto religioso. Entretanto, Roma
entraria em crise, começando pela econômica, que resultaria na sua queda. A população caía drasticamente de
1.650.000 em 120, para 600.000 agora. Todas coisas ruins que sucediam, logo tentavam colocar a culpa nos
cristãos e esse foi o século das perseguições aos cristãos
120.
Por D. M. Murdock -Historiadora Científica americana no Campo religioso. Traduzido para o
português (desculpem a qualidade da tradução eletrônica)
“Em Falsificação no Cristianismo, Joseph Wheless indicou que "Os evangelhos são todas
falsificações sacerdotais feitas mais do que um século após as suas datas fingidas."
“Aqueles que compuseram alguns dos evangelhos e das epístolas "alternativas" que eram passadas
ao redor durante os primeiros dois séculos C.E. admitiram mesmo que tinham falsificado os documentos. A
falsificação durante os primeiros séculos da existência da igreja era incontestavelmente desenfreada, assim
comum no fato que uma frase nova foi inventada para descrevê-la: "fraude piedosa." Tal falsidade é
confessada repetidamente na Enciclopédia Católica. Alguns dos "grandes" pais da igreja, tal como Eusebius,
foram determinados por seus próprios pares ser os mentirosos inacreditáveis que escreviam regularmente suas
próprias ficções de o que "o Senhor" disse e fez durante "sua" alegada estada em cima da terra”.
“Poucas referências "históricas" à uma vida real de Jesus citadas nas cartas, podem ser
demonstradas, por serem interpolações e falsificações. Como Edouard Dujardin indica capaz, a literatura de
Paulo "não refere a Pilatos, ou aos romanos, ou a Caifás, ou ao Sanhedrin, ou a Herodes, ou a Judas, ou às
mulheres sagradas, ou a nenhuma pessoa, na narração do Evangelho da Paixão, e que também nunca faz-lhes
nenhuma alusão; última, que não menciona absolutamente nenhum dos eventos da Paixão, diretamente ou por
alusão." Dujardin disse também que as outras escritas "cristãs" posteriores tal como o Apocalipse não
mencionam nenhum detalhe ou drama histórico”
“Segundo Rev. Taylor, o título "Cristo" em sua forma judaica significando "ungido" ("Masiah") era
prendido por todos os reis de Israel, também sendo "assim comumente suposto por todos os tipos de
impostores, escamoteadores, e pretendentes às comunicações naturais, que a reivindicação a ele é no
Evangelho próprio considerado como um indicação de impostura." Hotema indica que o nome "Jesus Cristo"
não foi adotado formalmente em sua forma atual até após o primeiro Conselho de Nicea, isto é, em 325 C.E”.
.............
Então, está explicado porque até aqui não consegui, historicamente, nenhuma referência a Jesus
Cristo!
Ora... Cristo já vinha de Chrestus e de até antes do 1º Século entre os judeus. Tenho a impressão que
houve uma continuidade apenas, até quando começaram os primeiros escritos sobre o salvador milagreiro,
usando para ele, o termo Cristo.
Então, vamos procurar por Cristo com as características do Bíblico Jesus.
Estamos no Século III.
............. Continuando com D.M. Murdock
“Na realidade, mesmo os nomes de lugar e as apelações de muitos outros personagens no Novo Testamento
podem ser revelados para ser traduções judaicas dos textos egípcios.
Por exemplo, na fábula de "Lázaro" ("Lazarus") a múmia ressuscitada dentre os mortos por Jesus, os
copiadores cristãos não mudaram muito seu nome, "El-Azar-us" sendo a múmia egípcia ressuscitada dentre os
mortos por Horus possivelmente 1.000 anos ou mais, antes da versão bíblica. Este conto é alegoria para o sol
que move-se através da "constelação da múmia," trazendo a luz e a vida a ela. Não é uma história verdadeira”.
“O Novo Testamento foi composto por Therapeutos?
Em 1829 Reverendo Taylor peritamente discutiu que, a história inteira do Evangelho, estava já na
existência por muito tempo antes que o começo da Era Comum [de Cristo] e foi composto provavelmente
pelos monges egípcios chamados os "Therapeutos." Além disso, Wheless manifesta que se pode encontrar
muito da fábula de "Jesus Cristo" no livro de Enoch, que precedeu o advento suposto do mestre judaico por
centenas de anos”.
............
121.
“Por uma série de circunstâncias, o judeu foi deixando, aos poucos, a atividade de pastor, agricultor
e mesmo de artífice, passando a dedicar-se ao comércio nas cidades.
Destarte, chegando à Roma e à Alexandria, [Delta do Nilo - Egito] encontrariam ali apenas a prática
de uma religião de tradição oral, portanto, terreno propício para a introdução de novas superstições religiosas.
Dessa conjuntura é que nasceu o cristianismo, o máximo de mistificação religiosa de que se mostrou capaz a
mente humana.
O judeu da diáspora [dispersão] conseguiu o seu objetivo. Com sua grande habilidade, em pouco
tempo o cristianismo caiu no gosto popular, penetrando na casa do escravo e de seu senhor, invadindo
[posteriormente] inclusive os palácios imperiais.
Chrestus, o Messias dos essênios, [figura mítica] pelo qual parece terem optado os judeus para a
criação do cristianismo, daria origem ao nome de Cristo, cristão e cristianismo. [de Jesus, no futuro] (La
Sagesse [detalhes meus])”
................
Assim eu penso explicar o início do cristianismo. Uma simples continuação e gradual transformação
ou adaptação patrocinada pelos sacerdotes romanos. La Sagesse, parece seguir na mesma direção, ou eu na
dele, porque falamos coisas semelhantes. Veja:
................
“Tal ideal de vida conquistaria, como realmente aconteceu, o escravo, a plebe, enfim, a gente
humilde.
De tudo o que dissemos, depreende-se que, o cristianismo foi uma religião criada pelos judeus, antes
de tudo, como meio de sobrevivência e enriquecimento, [assimilada pelos sacerdotes romanos, com os
mesmos objetivos].
E não se deve confundir com o cristianismo que provém do Cristo criado pelos padres nos séculos
seguintes, embora um tenha inspirado o outro. Por que não? Porque vieram de princípios diferentes e inversos.
Assim, Cristo (Jesus) foi criado a partir do cristianismo de Chrestus, existente entre o povo judeu, e não o
cristianismo teve início em Jesus Cristo no ano 1. Tanto é que os judeus, mesmo sendo bajulados como o
“povo escolhido”, nunca engoliram esse Cristo, pois sabiam muito bem do que se tratava.
Tal fato, essa continuação espontânea, trouxe como conseqüência a não identificação de uma data,
época ou um século onde o cristianismo tenha se iniciado. Porque o cristianismo não nasceu. Como uma pedra
de gelo derrete-se e transforma-se em água, assim, aos poucos, em séculos de convivência entrelaçada. E por
isso, cada um diz uma coisa diferente.
Os Apologistas cristãos:
Através do pensamento dos apologistas, foi lançada a base para que se pudesse precisar
tematicamente os dogmas presentes na religião cristã, e, consequentemente, para a formação de um
vocabulário filosófico integrado à investigação teológica. Desta forma, seus escritos influíram de maneira
determinante no pensamento teológico-filosófico, predominante durante toda a Idade Média.
Apologistas.... cristão Justino Século II
Justino Mártir ou Justino de Nablus (100 - 165) foi um teólogo do século II. Morreu aos 65 anos.
Falou sobre Jesus. ????
Havia os apologistas cristãos como - Aristides, São Justino, Minucio Félix, Quadrato, Arnóbio,
Lactâncio, Ignacio de Loyola e Francisco de Sales. Euzébio, Tertuliano, Tatiano, Atenágoras, Ireneu,
Marcion, O que faziam esses apologistas? Escreviam sobre religião: Fé, Deus, moral, paraíso, alma, demônio
etc, mas nenhum deles citou Jesus antes de meados do Século II. Era impossível que eles tivessem
conhecimento do tal Messias e não soubessem quem era nem nunca se interessaram em saber! Não viram, não
ouviram e estava lá! É assim?
122.
Até Yakov Lentsman errou quando escreveu:
“Justino, apologista que escreveu a partir do ano 150, ignora completamente o livro “Atos dos
Apóstolos”, embora fale de apóstolos, não diz uma só palavra sobre Paulo e nunca referiu-se ao termo Novo
Testamento, embora a partir de 115 o cristianismo esboçava os seus primeiros traços e o mito Jesus começava
a se formar.” (Iakov)
Estava longe ainda, muito longe do mito Jesus, mas o mito Cristo sim começou a ser traçado.
Eu mesmo errei quando escrevi:
Se no Século I e até meados do século II, NADA existia sobre Jesus Cristo, ninguém sequer ouviu
falar, pessoas de total envolvimento com a religião da época, como pode Jesus Cristo ter nascido, vivido e
ressuscitado sem ninguém saber?!... Claro que a estorieta foi composta a partir do século II, retroativa ao
século I.
Na verdade a estorieta composta a partir do século II referia-se a Cristo, não Jesus. É uma
importante observação porque vai demonstrar que Jesus Cristo não existia nem como lenda, nessa época, que
dirá tenha existido como gente.
E uma coisa fica clara: Cristo já existia como referência aos cristãos, uma seita que se desenvolveu
em Roma e adjacências, a partir do mito Chrestus dos judeus essênios.
Jesus Cristo ainda não nasceu nessa história aqui.
Acertadamente muitos escritores cristãos, citam apologistas e escritores da igreja primitiva. E esses
apenas relatam algumas coisa sobre Cristo. Nenhum sobre Jesus Cristo, ou apenas Jesus.
Que Cristo era esse?
Acho que o livro acabou... Até que enfim!!!
Então, boa sorte na sua conclusão!...
FIM Ufa!!!...
Alfredo Bernacchi – Rio de Janeiro, 25 dez 2008
Se você quiser me encontrar procure o meu nome na Internet.
Meu e-mail atual é [email protected] (atenção ao underline!)
Amanhã pode ser outro.
Esse e-book é de distribuição gratuita.
Pode ser copiado, total ou parcial, formatado, traduzido, repassado, impresso. Deve
ser divulgado e distribuído.
Só não pode ser vendido!
123.
Contra Capa.
Esse livro traz um resumo do que foi publicado nos seis anteriores.
Um apanhado geral. Traz também uma literatura mais agressiva, desde a
capa, porque eu cansei de bater na religião com luvas de pelica, para não
magoar a crendice dos meus amigos brasileiros. No entanto, por isso
mesmo, deixei de argumentar corretamente sobre o que eu acho que seja a
verdade. Perdi a força de argumentação, para ser cortês, educado e
delicado. Por ter pena desse povo.
Nesse aqui, não. Nesse aqui, eu arrebento com a mentira! Ponho os
pingos nos Is e todos esses cafajestes religiosos nos seus devidos lugares.
Safados, exploradores, vigaristas e mentirosos. Só não os ponho na cadeia
porque não me compete. Escrevi e vai pra Internet, de onde ninguém tira
mais. E se me processarem, ótimo! Me darão chance de mostrar, ao vivo, as
verdades que estão escritas aqui. Se me matarem, não faz mal. Já deixei o
meu legado. Esse é um livro a prova de fogo. Não pode ser queimado na
praça.
Se você é um religioso fanático, do tipo que dorme e acorda com
Jesus, fala e joga damas com ele, não aconselho ler este livro, porque você
pode ter um enfarto ou, se isso não acontecer, tente não ficar me xingando
por mais de um ano.
Se você for um pastor, padre, rabino, aiatolá, pai-de-santo, ou líder
religioso, não aconselho ler este livro, porque você está sendo denunciado.
Vai te causar muitos dissabores e dores na consciência. (se é que você tem
isso).
Mas... Se você é do tipo que está buscando saber a verdade, andar
com a verdade e viver em função dela, seja boa ou seja má, sem hipocrisias,
sem fantasias e sem ilusões, comece agora! Vai mudar a sua vida!
Alfredo Bernacchi /2008
124.
Leia outras obras do autor: (E-books)
DISTRIBUIÇÃO GRATUITA
VENDA PROIBIDA
Venha viver comigo – Autobiografia. 1200 pgs. 500 fotos.
Seria uma excelente história de aventuras, se não fosse verdade! Todas as emoções possíveis, nesse
fantástico depoimento pessoal. (Não disponível ainda)
Confissões on-line – Relacionamentos. 400 pgs.
Centenas de depoimentos sobre os problemas cotidianos do casal. Meus conselhos sem preconceitos
e hipocrisia, buscando soluções.
Recuperando casamentos - Relacionamentos. 300 pgs.
Se você ainda não está comprometida(o) leia esse livro. Se ainda não separou, leia este livro. –
Antes...
O mundo e o submundo do prazer - Sexo. 400 pgs. 80 fotos.
Jamais alguém pode imaginar o que contém este livro. Vale a felicidade! Vale uma vida! Vale um
milhão de dólares. Não seja bobo de não ler.
Em se plantando tudo dá – Fruticultura. 250 pgs. 40 ilustrações.
Descomplicando, para só tirar prazer da fruticultura doméstica.
Sinto muito, mas Jesus Cristo não existiu – Religião – ateísmo. 300 pgs. Análise crítica sobre
textos de religiosos e outros deixando muito claro que Jesus Cristo é apenas mais um mito.
A Bíblia do Ateu – Religião – ateísmo. 326 pgs. Esse livro, acima de tudo, é um encorajamento aos
ateus para assumirem a sua posição filosófica no mundo. Dá dicas de debates, orienta os temas,
mostra o pensamento religioso e muitas outras novidades sobre o assunto.
Não tente Conquistar uma Adolescente (Há 500 km de distância). Seleção biográfica do Autor,
que através de 300 cartas conseguiu essa proeza. 284 pgs.
Deus perguntou ao Ateu – Baseado numa entrevista feita no Orkut. Perguntas matreiras,
provocadoras e respostas inteligentes e perspicazes. 322 pgs.
Os melhores debates – Ateus X Religiosos – Retirado e selecionado de intensos debates ocorridos
em fóruns da Internet. Para refletir e aprender. 309 pgs.
Para bom entendedor, meio Alcorão basta – Deixa claro o que é o islamismo, suas causas e efeitos
indesejáveis, como o terrorismo p. exemplo. 358 pgs.
125.

Documentos relacionados

Livro - Ateu graças a Deus (Alfredo Bernacchi)

Livro - Ateu graças a Deus (Alfredo Bernacchi) disso, eu não sei, ainda mais quando vem da sua própria mãe ou pai, ou avós, ou grandes amigos que lhe querem bem. É difícil, mas sei que me fazem cada vez mais convicto, do zero a esquerda, que si...

Leia mais