Aperte! - Pellicano Hotels

Сomentários

Transcrição

Aperte! - Pellicano Hotels
VOGUE no 443
no 443
julho
R$ 18,00
A coleção para
C&A e tudo
sobre a ascensão
mais polêmica
família fashion
NOVA
ESTAÇÃO
Do make ao
look do dia,
Julho 2015
o que vai Mudar
quando os
termômetros
começarem
a subir
www.vogue.com.br
Portugal, € 5,00
França, € 8,90
Reino Unido, £ 5,70
Itália, € 8,40
Argentina, $ 22,00
EUA, US$ 14,95
CARGA TRIBUTÁRIA FEDERAL APROXIMADA 4,65%
!
A MALA
Aperte
o pause
PERFEITA
Leitura de bordo
Como driblar
o jet lag
Os melhores
spas do globo
O mais quente de
num especial
de 76 páginas
Gigi Hadid E o fenômeno das modelos que viraram
top graças a seus poderosos Instagrams
colaboradores
gigi
hadid
espanha
A editora-assistente da Vogue
on-line fez um tour pela
Toscana em abril e conheceu
o Il Pellicano, reduto do jet set
internacional que completa
50 anos com festona – confira
na seção de Lifestyle. Dica para
quem está pensando em se
hospedar lá: “Leve um bom
livro para relaxar na piscina
e prove os famosos coquetéis
do bar. O Angorita, dedicado
à Margherita Missoni, à
base de melancia e vodca, é
perfeito para tomar no terraço
contemplando o mar”.
A neobombshell estreou em frente às
câmeras aos 2 anos como modelo da
Guess Baby e Kids,mas deixou a
“carreira” de lado em nome de uma
infância comum.Aos 20 anos,Gigi
página 136
está na lista das tops mais
sexy do mundo - e com
A top na infância:
modelo da Guess Kids uma agenda lotada.Além
de desfilar para Dolce &
Gabbana,Michael Kors e
Moschino, em 2015 ela fez
sua estreia como cover-girl
de diversas Vogues (espanhola,
em março; australiana,em
junho; e agora a brasileira).
“Há um ano,se alguém me
dissesse que eu estaria na
capa de alguma Vogue, jamais
acreditaria. Acho que meu corpo
mais curvilíneo e atlético acaba
chamando atenção da indústria.”
Godfrey deeny
nô mello viviana volpicella
página 178
página 176
kliot
Nome por trás da Herself,revista de
moda britânica semestral,ilustrada
do início ao fim (anúncios,inclusive),
e agora autora das ilustrações da
coluna Quero Já,de Donata Meirelles,
Lula é um delicioso mistério do
mundo fashion – há quem brinque
até que ela não existe,já que não
há fotos suas publicadas por aí.
Seu alter ego é a moça ao lado,que
aparece ao longo da revista e em
seu Instagram @lula_herself.
Adrenalina pura.Assim foi
o ensaio de moda com a top
Lais Ribeiro feito por Kliot
durante o Lollapalooza, no
fim de março. Por causa da
luz, ele teve pouquíssimo
tempo para clicar sem perder o clima contagiante
das bandas e do público curtindo os shows. Era
quase impossível errar. “Foram dois dias intensos,
mas fotografar no Lolla foi demais!”, conta.A foto
da equipe inteira reunida não deixa dúvidas.
página 64
“Dee tinha acabado de
sair de um ensaio para
uma revista local,
estava de cabelo preso
e camiseta branca.
Ela tem um jeito
naturalmente chique
de ser”, comenta nosso
correspondente em NY
sobre o encontro com a
mulher de Tommy
Hilfiger para um tour na
recém-reformada
mansão do casal em
Miami. Eles terminaram
o papo no balcão
da cozinha tomando
um providencial
drinque gelado.
Ex-pupila de Anna Dello Russo, com quem trabalhou durante
cinco anos na Vogue Japão, a stylist italiana publica todo mês
em seu e-commerce (www.ladoublej.com) a divertida seção
Vintage Wars (fotos), com peças garimpadas pelo mundo por
ela e pela sócia, a editora de moda americana J.J. Martin. Na
batalha, elas montam looks com a mesma peça e depois dão
pitacos sobre a produção uma da outra.
vanessa
lula
philippe
X
página 168
Uma das figuras mais carismáticas e folclóricas
do jornalismo de moda internacional,o irlandês
que ocupa desde 2012 o cargo editor de moda at
large do Le Figaro é o único estrangeiro do time
de 400 funcionários do lendário jornal francês.
Apaixonado pelo Brasil,ele já perdeu a conta
de quantas vezes esteve no País. Deeny adora
nadar na praia de Ipanema e tem até um time
do coração: o carioca Botafogo – ele também
edita a Sepp,única revista de futebol e moda do
mundo.Para esta Vogue,conta como sobreviveu
à maratona fashion dos desfiles cruise.
página 146
X
página 185
GARCIA
FOTOs: arquivos pessoais, Henrique Gendre / arquivo
vogue, zee nunes / arquivo vogue, getty images, condé
nast digital archive e divulgação
austrália
RENATA
monn
página 156
A new face gaúcha,que chegou a
São Paulo no começo deste ano,foi
uma das recordistas de desfiles no
último SPFW e posa pela segunda
vez para a revista (a primeira foi
em março,na foto ao lado).Nesta
edição,foi até o hotel Botanique,em
Santo Antônio do Pinhal (SP),para
incorporar uma tirolesa tupiniquim
vestindo peças da coleção ParisSalzburg da Chanel.O que mais ama
fazer nas horas vagas? Cozinhar
para as outras amigas modelos.
páginas 94 e 98
X
ana
minozzo
Professora de teoria de moda
no London College of Fashion,
a gaúcha vive em Londres há
oito anos e não troca o bairro de
Clapton,onde mora,por nada.
Uma de nossas correspondentes
na cidade,ela adora passear com
Santinha,sua dachshund que veio
de São Paulo e agora tem muitos
espaços ao ar livre para correr.
“Ela é aceita em qualquer lugar
aqui,até em bares e restaurantes.”
editorial
by Daniela Falcão
From the left,
Brunello Cucinelli’s
effortless chic;
Alex & Lee’s
necklace made in
partnership with
Alexander Lewis;
and Gigi Hadid,
wearing Rosa Chá
Reduce speed
G
igi Hadid, our cover girl, is a
hurricane.And I’m not talking
about her curves or about
her strong face that reminds
Brigitte Bardot, alternating ingenuity
and seduction. She is a hurricane because,
virtually unknown until last year, she is in
her third cover for Vogue (she appeared in
the Spanish and Australian issues),walked
for labels like Chanel and Dolce & Gabbana
and – pay attention – today has more than
4 million followers on Instagram. Gigi
is part of a gang of It-girl who became
models (or vice versa) which also includes
Kendall Jenner and Karlie Kloss,whose
main asset is not an extraordinary face or
an amazing body control, but their train
of followers in social networks. Called
Insta-models, they divide opinions,with
their haters complaining that we live in a
world where self-marketing is worth more
than “talent”. I don’t agree. Maintaining
millions of followers (literally) in social
networks requires talent. It may not be the
talent of transforming yourself in front of
a camera, but it is still talent. I follow Gigi,
I follow Karlie, I follow Kendall, and this
is how I was convinced that I needed to
have one of them (or the three of them!)
on Vogue’s cover.With their girl-next-
door look, they look healthy and have the
power to make a connection between the
runways and the real woman, a quality
that many pursue and few achieve.
That having been said, I don’t say Amen
to all phenomena on social networks
and I like to watch from a distance, being
very careful to separate what’s Vogue
from what’s not.The Twitter, for example,
has never been our thing. It is perfect to
launch controversies or to warn where
there is a police patrol, but the Twitter has
never valued images, and on Vogue, either
on paper or online,
image is everything.
It is the strength and
the beauty of a photo
that will make you
Slow fashion in the Jet
Legging column and the
50th anniversary of Il
Pellicano Hotel in Living
read the headline, then the subtitles, then
the text.The photo above showing Gigi
Hadid and the essay on Brunello Cucinelli
brand are examples of this fascination
that a beautiful image can exert.
The trend of the moment, Snapchat
is also not Vogue. Because its leitmotiv is
“anything can fit here”.And anything,
definitely, is not Vogue. In a way,were are
Snapchat’s opposite, because we were
not made to last 24 hours, but to last
an eternity – and the frequency with
which past Vogues are used as reference
to the industry is an evidence.
In his Jet Legging column,
Bruno Astuto analyzes in
depth the subject, it is worth
reading. Finally, July is winter
vacations month, and we spread
throughout the magazine
precious info for you to enjoy
your vacations with style. From
reading tips to what’s new at
Il Pellicano, the hotel of this
European summer, everything
is here. Have a great trip!
Fotos: Divulgação
O clique de
Slim Aarons, de
1980, mostra
o casal Marie-Louise Mills e
Roberto Sciò,
proprietários
do hotel Il
Pellicano
Tanti Auguri, Il Pellicano
Refúgio de verão de jet-setters e um dos hotéis mais míticos da Itália, o Il Pellicano celebra
50 anos e recupera o espírito e glamour dos anos áureos POR renata garcia
viagem
Convidados
se divertindo
no tapete da
Missoni, que
assinou o décor
da festa. Abaixo,
o oxford da L’F
Shoes e a clutch
de Olympia
Le-Tan, ambos
inspirados no
mood do hotel
A vista de tirar o folêgo
do hotel em clique de Slim
Aarons (1991), presente
no livro da Rizzoli
186 Vogue Brasil
italiana. Tudo devidamente orquestrado
por Marie Louise Sciò, a figura feminina
à frente do grupo e filha de Roberto Sciò,
atual proprietário do hotel. “A festa refletiu o espírito do Il Pellicano: simples, elegante e divertido”, resume Marie Louise.
Foi em 1965 que o casal Michael e Patricia Graham, um aviador britânico e uma
herdeira americana, fundou o hotel em
busca de uma nova vida. Na época, a região era quase intocada, mas começava a
abrigar elegantes casas de verão de gente
como as irmãs Jacqueline Kennedy e Lee
Radziwill. Os Graham compraram o terreno do príncipe Alessandro Borghese e
projetaram o hotel inspirado em uma casa
de fazenda toscana,com apenas 18 quartos.
Michael convenceu alguns amigos famosos a investirem na vila em troca de hospedagem, e logo o Il Pellicano se tornou um
playground para a realeza europeia, atores
de Hollywood e figuras da sociedade que
se deleitavam com a privacidade do hotel.
Quinze anos depois, eles venderam
a propriedade para o atual dono, o magnata italiano Roberto Sciò, que havia conhecido o local pela primeira vez como
@1bianca_brandolini e @venyxworld (aka Eugenie
Niarchos) tomando sol à beira-mar no fim
de semana que celebrou os 50 anos do hotel
Fotos: slim aarons/divulgação, john swope/divulgação, juergen teller/divulgação, Roberta
Krasnig/ divulgação, reprodução instagram @1bianca_brandolini e @venyxworld e divulgação
M
ulheres de turbantes e longos
esvoaçantes acompanhadas
por homens em ternos off-white riam à beira da piscina
do Il Pellicano, incrustado nas rochas do
Monte Argentario,próximo à cidade de Porto Ercole, na região da Toscana, na Itália.A
cena poderia ter acontecido há cinco décadas,quando o hotel foi inaugurado e era frequentado por nomes como Sophia Loren, a
rainha Juliana da Holanda e Emilio Pucci.
Mas os protagonistas dessa cena fazem parte da nova geração de hóspedes, que estava
ali para celebrar os 50 anos da propriedade,
no início do mês passado.
Com tacinhas de spritz em punho,
Bianca Brandolini e a joalheira Eugenie
Niarchos compartilhavam cada detalhe
em seus respectivos Instagrams. Do outro lado da icônica piscina, o ator Josh
Hartnett era só chamego com a namorada, Tamsin Egerton. O clã Missoni, que
assinou o décor da festa, também estava
por lá. A stylist Viviana Volpicella era
uma das mais animadas. “Aqui você se
sente como Bianca Jagger, uma verdadeira jet-setter dos anos 70”, comentou a
Elisabeth von Gutmann,
Giorgio Guidotti, Marie Louise
Sciò e Nicholas Pages
convidado,de férias com a família,em 1967.
Ele o reestruturou, ampliou o número de quartos (hoje são 50), incluiu um
elevador, convidou o chef renomado,
Sebastiano Lombardi, para comandar o
restaurante (com uma estrela Michelin)
e injetou ares mais profissionais no negócio familiar. “Crescer em um hotel de
verão foi como estar num filme”, compara a discreta Marie Louise, que passou
a infância e a adolescência na piscina e
espionando as festas de verão, antes de
assumir o posto de diretora do hotel.
Considerado um refúgio para os
habitués (40% dos hóspedes são fiéis), o Il
Pellicano não é apenas um lugar para ver
e ser visto. A ideia é aproveitar os prazeres
simples da vida: comer e beber bem, tomar
sol à beira-mar e encontrar pessoas interessantes em clima intimista. “É um tipo de
luxo que não grita”, simplifica Marie. Esse
mood discreto foi o que conquistou Frida
Giannini,ex-diretora criativa da Gucci,que
o considera sua “casa privada na praia” desde que fez o primeiro check-in em 2004.
Bernard Arnault é outro que ancora seu iate
constantemente na baía em frente ao hotel.
Registro
estrelado
Com histórias de sobra
para contar e fotos
dignas de colecionador, o
hotel Il Pellicano (Rizzoli,
US$ 60) virou livro
ilustrado com cliques de fotógrafos habitués.
O americano John Swope foi o primeiro a
eternizar o charme do hotel, em elegantes
fotos em p&b durante a inauguração, em 1965,
até momentos relax dos hóspedes na década
de 70, incluindo a atriz Josie Chaplin, filha de
Charlie Chaplin. Na visão de Slim Aarons, o Il
Pellicano ganhou cores intensas e perfume
glam. Aarons passou mais de 25 verões no
hotel (entre 1967 e 1991), que renderam um
acervo de cem fotografias, uma coletânea
preciosa do jet set do século passado. A nova
geração de fashionistas foi registrada pelo
ousado Juergen Teller, na festa anual de verão
do hotel, em 2009. Pista de dança lotada,
drinques e muitas risadas foram foco dos
flagras provocantes de Teller, como este abaixo
do derrière de Giovanna Battaglia.
A piscina de água salgada é
ponto de encontro dos guests
Para modernizar a propriedade em
2006, Marie Louise, arquiteta de formação, comandou uma megarreforma: “Terminamos tudo em seis meses”, lembra
ela, que mergulhou em fotos antigas de
Slim Aarons feitas na propriedade para
se inspirar e ressaltar a sua essência. Da
recepção, quartos e restaurante no topo
do penhasco às cadeiras da praia particular, todos os ambientes ganharam
perfume mediterrâneo com referências
bem-humoradas à ave que dá nome ao
hotel (pense em listras amarelas e brancas misturadas a uma profusão de obras
de arte com pelicanos).
De olho na nova geração de hóspedes,
o hotel liberou o uso de celular (há oito
anos, o simples som do toque do telefone
não era bem recebido por ali) e disponibilizou acesso à internet. Uma regalia necessária nos dias de hoje, embora
a maioria dos que se hospedam por lá
busque exatamente o oposto: se desligar
da badalação das metrópoles, desfrutar
das maravilhas locais e, claro, do dolce
far niente. Il Pellicano: Diárias a partir de
€ 436, www.ilpellicanorestaurant.com
❶
1 Clique
de Juergen
Teller na festa
Globetrotter
(2009)
2 O deque
do hotel por
John Swope
(1965) 3 Harry
Cushing e a
atriz Rosalba
Neri na foto
de Slim
Aarons (1973)
❸
❷