Em destaque O Natal está a chegar! - Bem-vindo ao Jardim

Сomentários

Transcrição

Em destaque O Natal está a chegar! - Bem-vindo ao Jardim
dezembro 2015
2º Jardim-Escola João de Deus
Trimestral
- 239716473 /
[email protected]
Página Web: http://www.coimbra2.joaodeus.com
Em destaque
nesta edição:
Notícias
Histórias
Vestígios da História
Entrevista
Dias comemorativos
Projetos/campanhas solidários
A Semana da Cultura Científica
O Natal
Festa de Natal
O Natal está a chegar!
Esta é uma época em que todos nós, no Jardim-Escola, andamos muito atarefados porque, a par das aprendizagens, temos ensaios para a Festa de Natal! Todos nós ficamos muito animados com esta época porque, ainda que
tenhamos muitos afazeres, sentimo-nos muito orgulhosos por participarmos juntos num espetáculo para apresentarmos aos nossos pais e familiares.
É um momento único quando estamos no palco! Somos verdadeiros artistas!
Sendo este ano o nosso Projeto de Escola “Entendimento Global, construir pontes entre pensamentos globais e
ações locais” resolvemos trabalhar na nossa Festa de Natal os pequenos gestos que farão a diferença no mundo global e no nosso próprio mundo!
A alegria, a partilha, a prosperidade serão as cores que hão de pintar os nossos dias.
Nada nos pertencerá mais que os nossos sonhos.
O nosso deus será um só, A M R!
A vida fará sentido apenas e só, vivendo e partilhando pequenos gestos e serão, eles que permitirão aos povos
usufruir da abundância do universo onde a paz será a luz de todos eles.
Nós e os nossos colegas da
turma do 3º ano A na Festa de
Natal vamos representar a cor
azul e pesquisámos sobre o que
significa esta cor.
A partir da pesquisa escrevemos algumas quadras.
O AZUL
O azul é a cor
do céu e do mar.
Dá-nos tranquilidade
e simboliza a verdade.
O azul faz bem à mente
produz efeito calmante.
É a cor da realeza
da verdade e da beleza.
Representa confiança
sabedoria e lealdade.
Saúde e suavidade
é a cor da segurança.
Simboliza a água
o céu e o infinito.
A inteligência
e tudo em que acredito.
Até o nosso planeta
a cor azul foi buscar.
Combinada com outras cores
é um mundo de encantar!
3º ano C
Adivinhem quem nasceu!
Também neste período o milagre da vida se fez anunciar!
Queremos, por isso, partilhar convosco que nasceu: a Sofia irmã do Rodrigo, a Maria Julieta irmã do Messias, o Henrique irmão da Camila, o José Maria irmão da Matilde G., o Lourenço irmão do Leonardo, a Carlota irmã da Matilde L., a Leonor irmã
do Guilherme, a Constança irmã da Maria David, a Francisca irmã da Maria P., a Kiara irmã da Briana, o Nuno irmão da Manuel, a Isabel irmã do Ricardo, o José irmão do Manuel, a Carolina irmã da Lara e a Francisca irmã do Gustavo.
Ficha técnica
Editores
Todos os alunos
Colaboradores
Professores e educadores
Tiragem - 500 exemplares
Propriedade
2.º Jardim-Escola João de Deus
Coimbra_2015
2º Jardim-Escola João de Deus
Dicionário do Natal
Aletria- doce típico do Natal.
Azevinho- planta em vias de extinção que é colhida no Natal para enfeitar as casas.
Bacalhau- comida típica da noite de Natal.
Brinquedos- muitos dos presentes que as crianças recebem no Natal.
Carinho- gesto amoroso, demonstração de amor e amizade.
Carta- texto que serve para mandar os pedidos ao Pai Natal.
Dar- gesto de oferecer presentes a quem mais gostamos.
Duende- homem pequeno que ajuda o Pai Natal no fabrico dos presentes.
Enfeites- o que se põe na árvore de Natal e não só e que serve para enfeitar.
Estrela- guia dos Reis Magos; coloca-se no topo da árvore de Natal.
Felicidade- contentamento; estar fora de si de alegria; o que se sente no Natal.
Gorro- peça de vestuário que protege o Pai Natal do frio.
Harmonia- espírito de Natal; viver sem guerras.
Iluminação- luzes que decoram as ruas, as casas,...no Natal.
Incenso- prenda que um dos Reis Magos ofereceu a Jesus.
Jantar de Natal- refeição feita na noite de Natal (Consoada).
Laço- fita das prendas.
Maria- mãe de Jesus.
Natal- dia em que se comemora o nascimento de Jesus.
Natalício- que diz respeito ao Natal.
Oferendas- presentes (dos Reis Magos e não só).
Presentes- prendas que as pessoas dão umas às outras.
Presépio- estábulo onde nasceu Jesus.
Querubim- nome de anjo.
Rabanadas- doce típico do Natal.
Reis Magos- três reis que vieram do Oriente adorar Jesus.
Sapato- objeto que se põe ao pé da chaminé ou da árvore de Natal e onde se colocam os presentes.
Trenó- veículo usado pelo Pai Natal.
União- sentimento que se vive na época do Natal.
Véspera- o dia antes do Natal (24 de dezembro).
“Xi“ - abraço bem apertado.
Zimbro- planta de decoração no Natal.
Editorial
Mais um ano, que obviamente há muito começou!
Nós, um pouco mais crescidos, cá vamos dando conta
das nossas tarefas que nos
ajudam a aprender e a crescer. Por isso, aqui estamos
de novo para vos transmitir
algumas das atividades mais
significativas que fomos desenvolvendo ao longo do
período.
Agora que está a chegar a
quadra natalícia da qual todos gostamos muito, auguramos que esta seja um
momento de paz e alegria.
Desejamos assim, para todos, um feliz Natal e esperamos que o próximo ano
traga a abundância do amor
e da partilha entre os povos.
3º Ano B
O Natal no mundo
A época do Natal está quase a chegar e a turma do 2º Ano A resolveu pesquisar como se comemora o Natal em vários países.
Em Portugal é tradição colocar o sapatinho em frente à lareira e, à meia-noite, recebem-se os presentes; faz-se o presépio; enfeita-se a casa com decorações natalícias, assim como a árvore de Natal e a ceia é realizada em família.
Mas será que nos outros países também é assim?
Após a nossa pesquisa, pudemos concluir que o Natal é comemorado de maneiras diferentes, dependendo da cultura e
das tradições de cada país.
Nos Estados Unidos, o Natal é uma das festas mais importantes do ano. Desde novembro que as ruas, praças e casas são
enfeitadas e nas rádios só tocam músicas natalícias.
Na América Central, as festas tradicionais contam a história de Maria e José, durante nove dias, até ao dia 24 de dezembro. Faz parte dessa festa a Piñata, que é um pote de barro cheio de doces e frutas suspenso por uma corda. As crianças
tentam quebrá-la de olhos tapados e quando conseguem, todos querem recolher as guloseimas.
Na Itália, as ruas ficam enfeitadas desde o início de dezembro e, por isso, há espetáculos musicais em diversos locais das
cidades. O famoso panetone não pode faltar na ceia de Natal.
Diz a tradição que os presentes são oferecidos pela Befana, bruxa boa no dia seis de janeiro.
Na Suécia, o Natal é bem característico por ser um país situado no extremo norte da Europa e ter um frio intenso nesta época do ano, ou seja, coberto de neve. O
trenó faz parte das decorações e os bonecos de neve estão sempre presentes.
Na Austrália, é verão nesta época do ano e é muito comum as famílias passarem o dia de Natal nas praias, fazendo piqueniques, jogos, entre outras coisas. Em muitas praias o Pai Natal aparece numa prancha de surf ou num barco salva-vidas. Os presentes são trocados apenas no dia 25 e não na consoada como é comum em
muitos países.
Na Finlândia, como é a terra do Pai Natal, a cultura do Natal é considerada a mais forte do mundo. Como o país é muito frio é normal fazerem saunas para se aquecerem e a lareira é fundamental em qualquer casa: protege do frio e é o local por onde entra o Pai Natal em casa.
Na Inglaterra, as tradições natalícias estão muito presentes e por isso as decorações são feitas de muita luz, muitos presentes e toda a família reunida.
No Brasil, as famílias costumam dançar e ouvir músicas que não são de Natal, a troca de presentes pode ser feita através do amigo secreto, mas o peru tem de estar
na mesa ao lado das frutas tropicais (abacaxi, melão, mangas, uvas, etc).
Na Irlanda, as pessoas respeitam bastante o Pai Natal e, como tal, são muito atenciosas. Elas acham que a pessoa que espalha tanta alegria por todos, também deve
ter um miminho para si no Natal. Então, deixam ao Pai Natal uma torta de carne e uma cerveja.
Na Venezuela, nesta altura não se conduz. Realiza-se uma missa de patins em linha!
Na Noruega, as pessoas acreditam que as bruxas procuram vassouras para poderem voar alto no céu, então, as pessoas têm por hábito esconder as vassouras.
Na Holanda, o Natal não se realiza a 25 de dezembro, mas sim a 6 de janeiro. As crianças deixam os seus sapatos fora de casa com algum feno e açúcar. Em troca
irão receber doces e nozes.
2º Ano B
2
2º Jardim-Escola João de Deus
Uma linda história de Natal
Numa linda manhã, Joana tinha acordado;
era a véspera de Natal, por isso, ela estava
muito ansiosa.
Joana era uma rapariga loura, de olhos azuis,
bonita, bondosa, querida e muito mais, que
adorava o Natal.
Então levantou-se e foi acordar a irmã mais
velha, a Luísa, para ela lhe contar uma linda
história de Natal, como lhe pedia todos os anos.
- Joana, então cá vai.
“Numa manhã muito bonita, o Pai Natal
estava a fabricar os presentes na sua grande
fábrica. Nesse ano ele estava com uma barba comprida até aos pés, parecia um
velhinho de 130 anos, era por isso que os duendes lhe começaram a chamar senhor
das barbas compridas, mas ele também não se importava com isso, só se preocupava
em ler as cartas e fabricar os presentes até que…
- Duendes! – gritou o Pai Natal. – Está aqui uma carta escrita pela minha criança
favorita, a Beatriz, e diz que este ano ela vai dar-me um presente!
- É a primeira vez que uma criança diz isso, não é? – perguntou um dos duendes ao
Pai Natal.
- Sim – respondeu. - É magnífico.
- Tu e a Beatriz sabem bem o que é a amizade – comentou o duende João.
Então chegou a noite. O Pai Natal preparara as suas cintilantes renas e começaram
a voar.
- Que tal irmos primeiro a casa da Beatriz, penso que ambos merecem – propôs o
duende Santiago enquanto ia ao colo do Pai Natal.
- Boa ideia! – concordou o Pai Natal, também um pouco curioso em relação ao seu
presente.
Pouco depois, cuidadosamente, pararam em frente à casa da Beatriz.
A Beatriz era uma rapariga de cabelo castanho, de olhos verdes que adorava o Pai
Natal.
A Beatriz suspirou e disse:
- Esta é a minha prenda – partilhou.
O Pai Natal nem queria acreditar.
- É uma rena! Era mesmo o que precisava!
A rena tinha um nariz vermelho que dava luz; o Pai Natal resolveu chamar-lhe
Rodolfo.
Beatriz, quero propor-te uma coisa, mas aviso-te que levará a noite toda.
- O que é? – perguntou a Beatriz muito entusiasmada.
- Queres vir entregar os presentes comigo?
- Sim, claro!
Então a Beatriz, o Pai Natal e o duende Santiago foram no trenó distribuir as
prendas.
A Beatriz estava a adorar. Havia vários embrulhos que ela tinha de carregar, mas
divertia-se muito com isso e a Rodolfo até ia à frente para iluminar o caminho. Às
vezes tinha mesmo que limpar chaminés para entrar nas casas. No fim da tarefa
cumprida a Beatriz agradeceu:
- Muito obrigado, Pai Natal. Este foi o melhor Natal de sempre. Adorei.
O Pai Natal, muito feliz, ainda perguntou:
- Queres vir a minha casa beber um chocolate quente?
- Sim, acho que nos vai saber bem.
Foram a casa do Pai Natal e logo de seguida a Beatriz regressou a sua casa. É que
ela também tinha prendas para abrir.”
- E acabou a minha história, Joana. Que tal?
- Adorei mana.
4º Ano A
A brincar, a brincar
no Hospital Pediátrico
As turmas do 2º ano participaram numa atividade
sobre primeiros socorros, que decorreu no Hospital
Pediátrico, e que foi organizada pelo Núcleo de
estudantes de medicina da Universidade de Coimbra.
Cada aluno levou um peluche, que serviu para
colocar em prática o que iam aprendendo.
Foi uma tarde
inteira
de
aprendizagem e alguma brincadeira, mas
que serviu para saberem um pouco mais
sobre o que fazer quando alguém se
magoa, quando há alguma emergência
médica, etc.
2º Ano A
Participação em Projetos
Solidários
A Make-A-Wish Foundation
Começou em 1980, em Phoenix - Arizona, Estados Unidos da América, pela
mão da mãe do Christopher que sofria de leucemia e tinha o desejo de um
dia ser um agente da polícia. Desde então já cresceu para mais de 50 países
com o apoio de mais de 32 000 voluntários. Em cada 21 minutos, algures no
mundo é realizado um desejo Make-A-Wish.
Missão
Realizar o desejo de crianças e jovens muito doentes, entre os 3 e os 18
anos, para lhes levar um momento de alegria e esperança.
Poder de um desejo
Para uma criança muito doente, ver o seu desejo realizar-se significa que
nada é impossível, significa recuperar a esperança e a força para continuar
a lutar. É uma experiência positiva de afirmação da vida para a criança, seus
familiares e toda a comunidade.
4º Ano B
Outros projetos
Durante este período participámos ainda em outras campanhas de
solidariedade, Peditório da “Luta Contra o Cancro”, “Cruz Vermelha”,
“AMI”, “Laços sem Nós”, e “Angariação de brinquedos para as Ludotecas
João de Deus”.
Ficamos gratos às nossas famílias por nos ajudarem a sermos solidários com
aqueles que necessitam do nosso contributo, ajudando-nos a perceber os
bens de que dispomos!
3.º Concurso de decoração de Natal
Inter-Escolas da Make-A-Wish
O Jardim-Escola João de Deus participou de forma solidária, este ano, no 3º Concurso
de decoração de Natal Inter-Escolas da Make-A-Wish. Este envolvimento da comunidade
escolar teve como objetivos específicos: despertar a nossa consciência social; alertar para a
necessidade de respeitar; aceitar e acolher a diferença do outro
nomeadamente na doença; valorizar o essencial da vida, a saúde.
Para a decoração final a
concurso, pintámos mais de
duas centenas de estrelas da
Alegria, da Força e da Esperança para fazer magia.
4º Ano B
O que aprendemos no
Jardim-Escola!
O nosso Jardim-Escola de João de Deus é muito divertido, grande e
lindo.
Tem muitos brinquedos, jogos e muitos meninos.
Nele aprendemos:
Que devemos ser lindos e amigos de todos.
A não fazer disparates.
A não bater aos amigos.
A respeitar os colegas.
A comer a sopa.
A jogar Cuisenaire e Blocos Lógicos.
A fazer ginástica.
A ouvir histórias.
E muitas outras coisas divertidas.
Bibe Amarelo B, Ed. Olga
3
2º Jardim-Escola João de Deus
Semana da Cultura Científica
Os pais vieram ao Jardim-Escola
Diálogos com a
Ciência...
Cientistas no 1 º Ano
Na Semana da Ciência fizemos experiências
Como forma
divertidas com os pais.
de
O pai da aluna Ana Francisca fez a experiência dos
comemorar a
fósseis e gostámos muito de ajudar a fazer o gesso e
Semana
da
colocar as conchas no gesso.
Cultura
Também vimos o pai do Gonçalo fazer experiências
Cientifica, tivemos a oportunidade de
muito interessantes “A garrafa comeu o ovo” e “O
assistir a aulas diferentes dadas pelos nossos
balão não queima”.
pais e avós. Com a sua ajuda realizámos várias
O nosso bem haja aos nossos pais e avós que se
experiências e entre divertimento e sorrisos
dispuseram a estar connosco emprestando o seu
vivemos momentos de grande aprendizagem.
saber tornando o nosso mais rico e divertido.
Entre as várias práticas, obtivemos respostas
1º Ano C
a questões como: O que é a luz? Por que
flutuam os icebergs? O íman atrai todos os
Experiências no Bibe Azul
objetos? Como devemos cuidar dos nossos
Na semana de Cultura Científica os nossos pais vieram ao Jardim-Escola realizar várias
dentes?... O que são tornados? A formação de
experiências.
lava; A mistura de cores; Bolas saltitonas; Ovo
Com o pai do António realizámos a experiência sobre a pressão. Num saco de plástico
dentro da garrafa; Pigmentos dos M&M e Pega
colocámos água e furámo-lo com vários lápis. Verificámos que o saco não deixou sair água.
Monstros foram mais algumas das experiências
A mãe da Francisca ensinou-nos como fazer plasticina caseira.
que realizámos.
A mãe do Gonçalo trouxe balões para a sala e ensinou-nos a enchê-los com uma garrafa,
Foi uma semana em que rodeados de muita
água e fermento.
curiosidade e conhecimento nos sentimos
A mãe da Carolina respondeu-nos à pergunta: “ Porque é que quando se mistura vinagre
verdadeiros cientistas!
com fermento ele começa a borbulhar?”
2º Ano C
Fomos ao Museu de Zoologia
Bibe Azul, Ed. Cândida
Durante o mês de novembro fizemos uma visita ao Museu de Zoologia que
nos permitiu uma viagem pela história da museologia e da zoologia.
Neste espaço, existem animais de vários tipos (embalsamados), ossadas de
baleias, dentes de unicórnio, manatins e uma série de animais que nos
transportam para o tempo em que os naturalistas recolhiam estes elementos
da fauna e os traziam para os seus gabinetes de curiosidades, futuros museus.
Num ambiente de silêncio e de (quase) segredo, encontrámos uma coleção
zoológica, que nos mostrou o impressionante peso do tempo.
Adorámos a visita!
Bibe Azul, Ed. Rita
4
2º Jardim-Escola João de Deus
Visita ao Exploratório
MOSTEIRO da BATALHA
No dia 12 de novembro de 2015, os alunos do 4º ano realizaram
uma
visita de estudo ao Mosteiro da Batalha e ao Centro de
Nós, os alunos do 1º ano, realizámos, no dia 26 de
Interpretação da Batalha de Aljubarrota.
novembro, na Semana da Cultura Científica, uma
No dia da visita, chegámos
visita ao Exploratório de Coimbra onde pudemos
à
escola
muito ansiosos e à
explorar, mexer, carregar em todos os botões e
hora marcada rumámos ao
descobrir muitas “coisas” de uma forma lúdica e
nosso destino.
divertida.
Partilhámos a viagem de
A exposição que visitámos tem o nome “Em forma
autocarro
com os nossos colegas da professora Cristina. Durante a
com a Ciência” e lá estavam representados os
viagem,
cantámos
e foi com muita alegria que avistámos o enorme e
principais sistemas do corpo humano.
desejado Mosteiro da Batalha.
Todos nós adorámos ser cientistas e descobrir
Quando saímos do autocarro, fomos lanchar junto à estátua de
todas as curiosidades que lá se encontravam de uma
D.
Nuno
Álvares Pereira que parecia um grande cavaleiro a voar no
maneira simples e apelativa.
seu cavalo a caminho de mais uma batalha.
Depois, junto ao Portal Principal, conhecemos os nossos guias históricos que representavam um frade
dominicano e um marquês importante da época.
A igreja do Mosteiro da Batalha, foi mandada construir por D. João I e em estilo gótico. Ela é muito alta
porque aquele mosteiro foi construído para os Frades Dominicanos e nessa época pensava-se que quanto
mais alta fosse uma igreja mais perto se estava de Deus. Os vitrais da igreja são dos mais antigos e os
primeiros a ser usados em Portugal. Os frades Dominicanos só rezavam, ensinavam e estudavam.
Depois fomos visitar a Capela do Fundador onde estão sepultados D João I, a sua esposa D. Filipa de
Lencastre e alguns dos seus filhos que faziam parte da Ínclita Geração.
De seguida, dirigimo-nos aos claustros, espaço aberto rodeado por quatro corredores. Visitámos a Sala
do Capítulo, onde se encontra o Túmulo do Soldado Desconhecido, uma homenagem feita a todos os
soldados que deram a vida a lutar por Portugal. Ainda nos claustros visitámos a Fonte, que antigamente era
um lavatório e a sua água era proveniente de 2 ribeiras e de um rio. Essa água ligava à cozinha e às várias
divisões que dela necessitavam.
Deixámos os nossos guias e fomos com os professores visitar, no exterior do mosteiro, as Capelas
Imperfeitas, assim chamadas por estarem inacabadas. Estas foram mandadas construir por D. Duarte, para
lá ser sepultado em conjunto com os seus familiares. Regressámos à Sala do Capítulo para ver o render da
guarda.
Terminada a visita ao mosteiro deslocámo-nos para o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota
onde almoçámos.
A seguir ao almoço, conhecemos a nossa guia que nos levou pelo campo de batalha de São Jorge,
explicando onde se posicionavam os exércitos na famosa tática do quadrado. Estivemos ao pé da Capela de
S. Jorge, local onde na batalha D. Nuno Álvares Pereira estava posicionado.
Regressámos ao edifício principal e dirigimo-nos para uma sala onde visionámos um filme, com atores
reais, representando a Batalha de Aljubarrota. Parecia muito real e foi espetacular! A história do filme tinha
como guião as crónicas de Fernão Lopes. Em seguida caminhámos para uma sala onde havia vestígios
históricos (ossos de alguns combatentes e fotografias de explorações arqueológicas no Campo de S. Jorge).
A seguir, vimos algumas armas, réplicas das verdadeiras.
Depois desta visita histórica houve um lanchinho e regressámos então à nossa adorada escola.
Para além da amizade e do que aprendemos da história, ficámos impressionados com a inteligência e a
coragem de dois heróis na Guerra da Independência, D. João I e o Santo Condestável D. Nuno Álvares
1º Ano B
Pereira.
4º Ano B
As adivinhas
A adivinha é um pequeno texto que pode usar
a rima, repetições, jogos de palavras … Propõe-se
um enigma que pretende uma solução. Aqui vão
algumas.
Embora não seja um pássaro,
Canto sem nenhuma pena
Em buracos, sob a relva
Ou numa gaiola pequena.
Sou mais vasto que o mar
E ninguém me pode ver.
Todo o mundo é meu lugar
Sem mim não podes viver.
3º Ano C
Soluções página 7
1b;2c;3a;4b;5c;6c;7b;8b;9a;10c;11a;12a;13b;14c
5
2º Jardim-Escola João de Deus
Medalhas no nosso Jardim-Escola
Notícias do Jardim-Escola
O dia 15 de novembro é um
dia muito importante para a família
da nossa Associação e, por este
motivo esta é a data escolhida para
homenagear todos quantos todos os
dias dão o seu melhor em prol da
educação das nossas crianças.
Do nosso Jardim-Escola a
educadora
Lourdes
Clérigo
completou 35 anos de serviço e a
educadora Olga Henriques 25. As
professoras Albertina Mendes e Ana
Isabel
Bogalho
completaram
igualmente 25 anos ao serviço desta
Associação.
Por este motivo a turma do 3º ano A preparou umas perguntas
e, em momento oportuno, a educadora mais antiga deste Jardim-Escola
respondeu a todas elas.
“A Terra Treme” - O que fazer em
caso de sismo?
No dia 6 de novembro de 2015, às
11h e 06min realizámos um exercício
de prevenção do risco sísmico e
aprendemos o que fazer durante um
sismo.
Na nossa sala de aula realizámos os 3
gestos - Baixar, Proteger e Aguardar que podem salvar vidas em caso de
sismo: BAIXAR-SE sobre os joelhos,
uma posição que evita a queda
durante o sismo. Depois PROTEGER a
cabeça e o pescoço com os braços e as mãos, procurando abrigar-se, se possível, sob uma
mesa resistente e segurar-se firmemente a ela. Por fim, AGUARDAR até que a terra pare
de tremer.
1º ano A
Entrevista à Ed. Lourdes
Alunos: Que idade tinha quando começou a trabalhar nesta escola?
Vim trabalhar para este jardim-escola logo que ele abriu.
Alunos: Por que escolheu esta profissão?
Esta é uma profissão que me
torna uma pessoa mais feliz.
Alunos: Ainda se recorda do seu
primeiro grupo de trabalho?
Sim, lembro-me perfeitamente.
Alunos: O que gosta mais na sua
profissão?
Gosto de tudo, gosto de poder
ver e ajudar as crianças a crescer.
Alunos: Sente-se honrada por
receber uma medalha de 35 anos de
serviço?
Honradíssima e feliz.
Outono
No Outono:
- As árvores começam a ficar sem folhas.
- O vento leva as folhas para longe.
- Os passarinhos voam para outros países.
- A chuva e o vento destroem os ninhos aos passarinhos.
- No nosso Jardim-Escola, o sr. Jardineiro todos os dias
varre as folhas que caem das árvores.
- As folhas das árvores ficam com cores muito bonitas.
- Eu gosto muito das folhas amarelas.
- Eu gosto mais das castanhas que são cor de chocolate.
- Mas ainda há folhas verdes nas árvores.
- Eu fui ao parque apanhar folhas para trazer à Educadora
Júlia.
- No Outono há frutos como nozes, castanhas, romãs,
dióspiros,…
No dia de S Martinho, a educadora Júlia contou-nos a
3º Ano A história do S. Martinho e nesse dia tivemos um belo lanche com castanhas assadas, pão
de ló e sumo de laranja!
Bibe Amarelo, Ed. Júlia
Dia das Bruxas
O Atrapalharte veio ao Jardim-Escola
“Estendal de Contos”
O Atrapalharte veio ao J ardim -Es cola
Veio ao nosso Jardim-Escola um grupo de teatro contar-nos a
história da “Princesa Ervilha”.
Gostámos muito.
Foi muito divertido!
“Halloween”
Vamos contar-vos como foi
divertido o nosso Dia das
Bruxas!
Para decorar a nossa sala
fizemos umas aranhas muito
engraçadas e para levar para
casa fizemos uns morcegos
divertidos. O Francisco Ladeira
trouxe uma abóbora grande e
nós fizemos-lhe uma cara
assustadora!
Também gostámos muito de
brincar
com
os
nossos
acessórios e de cantar os
”Bolinhos e Bolinhós”. Foi um
dia cheio de animação!
Bibe Encarnado Ed. Rita
Bibe Amarelo, Ed. Lourdes
6
2º Jardim-Escola João de Deus
Será que conheces a tua cidade?
Este ano letivo e segundo os objetivos da área de Estudo do Meio, a primeira viagem que
O Cantinho
fizemos foi no autocarro panorâmico ao Núcleo da Cidade Muralhada. Aprendemos bastante.
Também ficámos a conhecer melhor a nossa cidade através das pesquisas e dos trabalhos que
da
realizámos.
Matemática
Deixamos aqui algumas questões que fizemos. Tenta respondê-las, compara as respostas com
as soluções e vê a tua avaliação.
1. O feriado da Rainha Santa é:
Este ano, na área de Matemática, na Representação e Tratamento de Dados, estamos a
a) 5 de julho
introduzir os diagramas de caule-e-folhas. Este tipo de representação gráfica de dados foi
b) 4 de julho
criado pelo matemático John Tukey e permite contar, organizar e ordenar os dados,
c) 24 de junho
rapidamente.
2. Segundo a lenda, a rainha levava no regaço...
Organizámo-nos na sala e cada aluno pensou no número de livros que leu durante os
a) pão e bebidas
meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.
b) rosas e dinheiro
Após a recolha, colocámos os números por ordem crescente.
c) pão e dinheiro
Depois escrevemos do lado esquerdo da linha, a coluna dos algarismos das dezenas de
3. As cores da bandeira de Coimbra são...
cada um dos valores numéricos; aos elementos desta coluna dá-se o nome de caules. De
a) amarelo e roxo (alternadas)
seguida, escrevemos do lado direito da linha, a coluna dos algarismos das unidades, a que
b) amarelo e azul (alternadas)
se dá o nome de folhas.
c) vermelho e roxo (alternadas)
3 6 6 8 9
4. Os símbolos do brasão da nossa cidade são...
4 1 1 1 3 8
a) a Rainha Santa, um leão e um dragão
5 1 2 6 9
b) Cindazunda, um leão e um dragão
6 7 8 9
c) Inês de Castro, um leão e um dragão
7 0
5. Segundo a lenda, Inês de Castro foi morta...
8 1
a) no Jardim da Manga
9 5 8
b) no Jardim Botânico
Foi engraçado fazermos esta atividade real na nossa turma.
c) na Quinta das Lágrimas
Sugerimos que façam esta atividade com os membros da vossa família.
6. Quem fundou a nossa Universidade foi...
Acreditem que é divertido!
3º ano C
a) D. Afonso Henriques em 1290
Dia Mundial da
b) D. Dinis em 1990
c) D. Dinis em 1290
Música
7. Na época dos Romanos Coimbra chamava-se...
O dia Mundial da Música
a) Coluber briga
comemora-se anualmente a
b) Aeminium
1 de outubro.
c) Coimbrai
A data foi instituída em
8. D. Afonso Henriques está sepultado...
1975 pelo International
a) na Sé Nova
Music Council. Dois dos
b) na Igreja de S. Cruz
objetivos deste dia são
c) no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
promover a arte musical em todos os setores da sociedade e divulgar
9. No Penedo da Saudade podemos encontrar...
a diversidade musical.
a) a estátua de João de Deus
Neste dia veio à nossa escola o professor Jota, um professor da Academia de Música de
b) a estátua de Luís de Camões
Coimbra. O professor Jota trouxe-nos alguns instrumentos
c) a estátua de D. Dinis
musicais como o cavaquinho, a concertina, a sanfona, o
10. A ideia do Portugal dos Pequenitos foi...
acordeão, a guitarra portuguesa entre outros. Juntos cantámos
a) da Rainha Santa
também várias canções.
b) do Marquês de Pombal
Na sala de aula escrevemos algumas frases acerca da música.
c) do professor Bissaya Barreto
A música é o trilho da paz.
11. Quem mandou construir o Jardim Botânico foi...
A música é o perfume da vida.
a) Marquês de Pombal
A música é muito importante, porque é divertida e ajuda-nos
b) Avelar Brotero
a expressar sentimentos.
c) Eugénio de Castro
Quando estamos tristes a música acalma-nos e ficamos mais felizes.
12. O trajo típico de Coimbra é...
A música ouve-se e inspira-nos até ao além.
a) a tricana
Se o mundo não tivesse música ficava tudo sem cor, a preto e branco.
b) o campino
Quando há ritmo, a música aparece.
c) o transmontano
Sem música o mundo era triste.
4 Ano C
13. Dois dos doces típicos da nossa cidade são...
a) arrufadas e pastéis de nata
Odores e frutos
b) arrufadas e pastéis de Santa Clara
O tempo fresco vai chegando
c) brigadeiros e queijadinhas
Folhas, embaladas pelo vento
14. Machado de Castro foi...
Trazem coloridos e mágicos sonhos
a) um escritor
Ditos em lamento
b) um político
Delicados frutos pintam árvores
c) um escultor
Doces sabores pairam no ar
Parabéns. Se acertaste entre 14 e 10 respostas és um verdadeiro conhecedor da
Mel e urzes vamos degustar
nossa terra. Continua a preservar as nossas tradições e os nossos monumentos.
É tempo de vinho e de mosto
Boa! Se acertaste 6,7,8 ou 9 respostas também estás no caminho certo. Continua a
Castanhas estoiram no ar
descobrir e a conhecer o que a nossa cidade tem de melhor.
É outono…
Se tens 5 ou menos respostas certas, não percas tempo, pede aos teus pais e procura
Queremos a vida festejar!!!
4º Ano C
conhecer melhor a história de Coimbra e as suas tradições. Parte à conquista.
3º Ano B
7
2º Jardim-Escola João de Deus
O que fazemos
Olá amigos!
Somos os alunos do Bibe
Azul B, da Ed. Rosário.
O nosso ano letivo,
começou muito
bem!
E preparados para
aprender, matérias
novas!
Sim, claro! A
Cartilha Maternal,
que nos ajuda a
aprender a ler!
Iniciámos a
escola cheios de
saudades!
Na matemática
já fizemos
muitos
exercícios.
Em breve vos
daremos mais
novidades!
Ah! Também
celebrámos alguns
dias especiais…
Realizámos um
magusto, no dia
de S. Martinho!
Fomos à Kidzânia e
ao Museu de
Zoologia!
Cantámos os
“Bolinhos e Bolinhós
“aos nossos colegas!
E quando o Teatro
Atrapalharte veio à nossa
escola?
Foi mesmo muito divertido!
Sim, Sim! O” Dia Mundial da
Música”… e o “Dia Mundial da
Alimentação”…
Dia Mundial da Alimentação
O Dia Mundial da Alimentação, para nós foi muito importante. Falámos
acerca dos diferentes alimentos que devemos comer: carne, frutos,
legumes, massas, leguminosas, peixe, entre outros e com a ajuda da
nossa educadora e da roda dos alimentos aprendemos as quantidades
que por dia devemos ingerir. Também aprendemos que a água é muito
importante e que sem ela, nós não conseguiríamos sobreviver. Para não
nos esquecermos dos alimentos importantes, fizemos uma grande roda
Kidzania no Dolce Vita
No dia 16 de outubro fomos com a nossa educadora fazer uma visita à Cidade das de alimentos, com os outros colegas do Bibe Encarnado.
Neste dia, participámos ainda numa campanha de recolha de alimentos
Profissões da Kidzania no Centro Comercial Dolce Vita.
Antes da visita conversámos sobre o que gostaríamos de ser quando fôssemos para pessoas carenciadas, da Associação “Laços sem nós” e também
fizemos um avental para ajudarmos as mamãs a cozinhar lá em casa.
grandes.
Uns queriam ser médicos, outros cozinheiros, alguns polícias, outros bombeiros, havia
também quem queria ser cabeleireira, professor e engenheiro.
Durante a visita aprendemos:
no atelier da Polícia de Segurança Pública que a polícia nos protege e que descobre
coisas misteriosas e vê se a cidade está em ordem.
no atelier da Ciência, com óculos, máscaras de proteção e batas como os verdadeiros
cientistas, a fazer perfumes.
no Quartel dos Bombeiros, que estes apagam os fogos, salvam pessoas e animais em
perigo.
Mais divertido foi no Salão de Beleza. Aqui as meninas fizeram maquilhagem e os
meninos colocaram gel e brilhantes no cabelo. Ficámos ainda mais bonitos!
Foi muito divertido e aprendemos muito com esta visita.
Bibe Encarnado, Ed. Sónia
Educadora Isabel – Bibe Encarnado A
8

Documentos relacionados