De menina... - DATASUS

Сomentários

Transcrição

De menina... - DATASUS
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
De menina...
Publicado em 22 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
“As pessoas que mudam o mundo são
aquelas que não pensam duas vezes antes de fazer o que é certo, mesmo quando
todos insistem em fazer o que é errado”.
Boa semana.
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Palavras que vêm das línguas
africanas…
Várias palavras foram trazidas para o português a partir dos idiomas dos negros
africanos, importados para o Brasil como escravos.
Bambambã: Bamba veio do quimbundo (língua de tribos africanas) mbamba,
exímio, mestre. A repetição da palavra (bamba, bamba) originou bambambã, que
é mais que bamba, é o superbamba
Benguela (ou banguela); Benguela é uma cidade litorânea de Angola. No passado, seus habitantes, os benguelas, tinham o costume de serrar os dentes incisivos.
Marimbondo: Veio do quimbundo mari’mbondo, formado do prefixo de plural ma+ rimbondo, vespa.
Moleque: Veio do quimbundo muleke, garoto.
Quenga: Veio do quimbundo kienga, tacho. Originalmente, quenga é uma vasilha
feita da metade de um coco sem a polpa. Virou sinônimo de prostituta no Nordeste do Brasil porque um coco sem a polpa seria como uma cabeça sem cérebro,
uma pessoa desmiolada, como a quenga, que caiu na prostituição. Por semelhança, a palavra ―coco‖ é utilizada para designar a cabeça.
Saravá: É uma interjeição umbandista equivalente a Salve! Saravá era como os
escravos africanos pronunciavam, com a influência da sua língua nativa (o banto), a palavra ―salvar‖.
Xingar: Do quimbundo xinga, insultar.
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
http://datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Especialista explica e dá dicas para
fugir dos golpes no Facebook
G
olpes online baseados em phishing já
não se limitam mais a bancos e comércios eletrônicos. Redes sociais, especialmente o Facebook, viraram alvos frequentes de cibercriminosos, que utilizam postagens falsas para atrair a atenção de vítimas e depois roubar seus dados, de logins e senhas a números de cartões e de contas bancárias.
A afirmação vem do especialista em segurança
Roni Katz, da F-Secure na América Latina, que
contou a INFO como funciona essa ―pescaria‖ de
informações aplicada aos sites de relacionamento.
Segundo ele, a diferença dela para a usada com
bancos e sites de e-commerce é mínima, e ―está
no meio usado para a propagação‖, basicamente.
―No Facebook, o usuário vai muito provavelmente
receber um post ou mensagem [de phishing] de
alguém que faz parte da sua rede de contatos‖,
explicou. ―Já fora da rede social, é mais comum
receber um e-mail de uma pessoa desconhecida.‖
Ou seja, dentro de um site do tipo, graças à confiança que um usuário deve ter nos amigos adicionados, o risco de um clique no link errado é potencialmente maior.
A tática usada pelo golpe é relativamente simples,
mas ainda assim não é exatamente fácil eliminá-lo
das redes sociais. Katz afirma que, em teoria, até
seria possível acabar com o phishing no Facebook, por exemplo – bastaria que ―o site tivesse algum mecanismo de bloqueio, que verificasse todas as mensagens e postagens‖. ―Mas isso seria
como uma censura prévia, algo que vai contra a
liberdade de expressão que existe na web‖, disse
o especialista.
Como fugir dos golpes, então? – O próprio Katz
acredita que a conscientização dos usuários seja
―a melhor prevenção contra qualquer tipo de armadilha digital‖. E para ajudar, o especialista dá algumas recomendações, começando pela básica:
―sempre verifique o endereço que você acessar‖,
alerta. ―Uma letra diferente na URL faz uma grande diferença.‖
Outra medida padrão é dobrar a atenção no caso
de receber uma mensagem pedindo por dados de
cartão de crédito, por exemplo. ―Verifique se o procedimento parte de um site confiável‖, recomenda
Katz – e não se esqueça de checar o endereço para ter certeza, como já mencionado. Se for um link
encurtado, aliás, vale colocá-lo em um site como
o LongURL para que ele apareça na íntegra sem
que você precise abri-lo.
Vale também sempre manter atualizados os programas instalados no computador, ―principalmente
após anunciarem a descoberta de alguma falha de
segurança‖, como lembra Katz. Isso porque links
suspeitos podem tentar levar você a uma página
que explora brechas em determinado software, facilitando uma eventual invasão.
Por fim, além da dica clássica de não usar uma
mesma palavra-chave em diferentes serviços, o
especialista recomenda cuidado na hora de acessar um site que exige autenticação por meio de redes públicas de Wi-Fi – especialmente as de procedência duvidosa. ―É muito fácil capturar o tráfego e,
consequentemente, as senhas digitadas‖, explicou
ele.
Fonte: INFO Online
Por Gustavo Gusmão
Publicado em 22 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Chinês sofre hemorragia cerebral depois de
jogar por três dias sem parar
U
m chinês de 26 anos sofreu he- blemas mentais.
morragia cerebral depois de pasAinda segundo o Voice of China, o jogador
sar três dias jogando sem parar.
chinês pesava cerca de 100 kg, gostava de
comer frango frito e de bebidas com gás, o
Xiao Qiang desmaiou na cadeira de uma que pode ter sido um fator de risco.
LAN House e foi levado para o hospital deCasos como esse já se tornaram comuns em
pois de passar três dias e três noites jogando
lugares como China e Coreia do Sul, onde a
sem parar, segundo o site Voice of China.
cultura das LAN Houses ainda é forte e há
Qiang foi diagnosticado com uma hemorra- grande variedade de games online.
gia no cérebro e atualmente sofre de paraliFonte: INFO Online
sia parcial no corpo. Os médicos responsáPor Fernando Mucioli
Publicado em 26 de maio 2014
veis dizem que ele será capaz de recuperar
a maioria de suas funções motoras, mas
continuará tendo dificuldades de fala e pro-
Perfect World, jogo online popular na China
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Temperos que ajudam a driblar o sal
B
rasil consome o dobro do sal recomendado pela OMS; temperos naturais têm atuação anti-inflamatória e
antioxidante.
Todo mundo fala mal do açúcar e da gordura.
De fato, ambos são prejudiciais à saúde e vale
a pena evitá-los. O que a maioria de nós se
esquece, no entanto, é que o sal compõe esta
tríade de vilões. No Brasil, o consumo per capita de sal é de 10 gramas diários, o dobro do
recomendado pela Organização Mundial da
Saúde (OMS).
Os tabletes industrializados de caldo de galinha e carne, além do saleiro à mesa e as pitadas extras de sal para o cozimento costumam
carregar os alimentos de sódio, um passo em
direção à pressão alta. Por aqui, a hipertensão
acomete uma em cada quatro pessoas adultas, chegando a mais de 50% na população
com mais de 60 anos. Até os mais jovens têm
se tornado alvo: 5% das crianças e adolescentes sofrem de pressão alta, doença responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e
25% dos casos de insuficiência renal terminal.
Para fazer com que esses índices caiam, não é
preciso abrir mão do sabor. Para dar um gostinho extra nos alimentos, e ainda atrelar doses
de saúde às refeições, a dica dos cardiologistas
é substituir os temperos prontos pelos naturais
com benefícios como atuação anti-inflamatória
e poder antioxidante.
Veja alguns alimentos que ajudam a driblar
o sal:
Alecrim: 1 colher (sobremesa) ao dia. Adicione
aos alimentos.
Cebola: rica em flavonoides, ela tem propriedades anti-inflamatórias.
Coentro: ele é lotado de antioxidantes, ajudando a reduzir o colesterol e aumentando a imunidade do corpo.
Pimentas podem alterar o odor do corpo.
Alho: tem efeito antibiótico, ajudando o corpo a
combater infecções.
Fonte: Por iG São Paulo
22 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Companhias aéreas querem rastreamento em tempo real após MH370
G
randes companhias aéreas querem rastreamento em tempo real
para aeronaves comerciais após o
desaparecimento do voo MH370,
da Malaysia Airlines, e o custo não é uma preocupação, disse uma autoridade sênior da
agência de aviação das Nações Unidas nesta
segunda-feira.
O mistério em torno do MH370, que desapareceu em rota para a China, deu início a um esforço global por um sistema que permita que
controladores localizem a exata rota e última
localização de uma aeronave. Uma busca internacional de quase três meses ainda não
conseguiu encontrar qualquer traço do avião
malaio.
Membros do conselho diretor da Organização
Internacional de Aviação Civil (Icao, na sigla
em inglês), concordaram no começo desde
mês sobre a necessidade de rastreamento global, embora não tenham se comprometido a
um cronograma ou solução vinculante.
Em vez disso, a Associação Internacional de
Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês),
concordou em criar propostas para um rastreamento melhor até o final de setembro. A Iata
disse que seus membros vão implementar medidas voluntariamente, antes que qualquer regra esteja em vigor.
"Em princípio a comunidade chegou a um acordo. Não há dúvidas de que isso é algo que precisamos fazer", disse Nancy Graham, diretora
do Departamento de Navegação Aérea do
Icao, para repórteres em Kuala Lumpur.
Questionada se o custo da implentação de novos padrões era um obstáculo para as companhias aéreas, Graham disse: "De modo algum,
elas estão absolutamente solidárias. Não é
possível colocar um preço sobre segurança ou
sobre a certeza de onde está a aeronave".
Fonte: INFO Online / Agência Reuters
Por (Al-Zaquan Amer Hamzah)
Publicado em 26 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Piauí mantém a 9ª melhor cobertura vacinal contra a
gripe. É o que mostram os dados do DATASUS
O
Piauí mantém a 9ª melhor cobertura vacinal geral dentre os
estados da federação. Até o momento, foram vacinadas 469.844
pessoas em todo o estado, de um total de
650.723 que fazem parte dos grupos eleitos à vacinação.
O número ainda não é suficiente para atingir a meta recomendada pelo Ministério da
Saúde, que é de 80% por grupo prioritário.
Por enquanto, a maior meta atingida é do
grupo de crianças de 6 meses a menores
de um ano, correspondendo uma estatística de 74,70%.
De acordo com os dados disponíveis no
DATASUS, os outros grupos registraram
as seguintes coberturas: Trabalhadores de
saúde: 67,89%, Gestantes: 59,09%, Puér- dem esforços para finalizar a campanha
peras: 70,34% e Idosos: 72,61%.
com a máxima urgência, a fim de garantir
―Reforçamos a necessidade de alcançar o proteção dos mais vulneráveis a complicapúblico-alvo e atingir a meta preconizada o ções, antes que sejam infectados por um
quanto antes, tendo em vista a circulação e vírus de alta circulação nesse período‖, reia sazonalidade dos vírus da gripe. Quanto tera Doralice.
mais tempo a população contemplada demorar a procurar a sua dose, mais exposta
Fonte: Portal AZ (http://www.portalaz.com.br/)
estará ao risco de adoecer e desenvolver
Com informações da ASCOM
23 de maio 2014
complicações como pneumonias e síndrome respiratória aguda grave‖, comenta a
coordenadora estadual de Imunização, Doralice Lopes.
A Secretaria de Estado da Saúde reforça
a recomendação do Ministério da Saúde
para que as campanhas sejam continuadas até a meta ser atingida. ―Reforçamos
ainda o alerta para que os municípios enviEnvie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Mercado brasileiro de TI cresceu mais
de 15% em 2013, diz pesquisa
A
Associação Brasileira de Empresas
de Software (ABES) divulgou nesta
semana um estudo para avaliar o desempenho do mercado nacional de
TI em 2013, mas focado na área de software e
serviço. Feita em parceria com a IDC, a pesquisa
mostrou que, no ano passado, o Brasil teve um
investimento 15,4% maior em Tecnologia da Informação do que o obtido em 2012, considerando também a área de hardware, chegando a um
total de 61,6 bilhões de dólares.
Acima dos 14,5% esperados, o crescimento brasileiro foi o sétimo maior visto no mundo todo,
deixando o país atrás apenas de alguns vizinhos
latinos, das Filipinas, da Índia e da Arábia Saudita. A média de aumento mundial, por sua vez, foi
de 4,8%, quase um terço da porcentagem obtida
por aqui.
As cerca de 11 mil empresas registradas no setor estão focadas especialmente em distribuição
– 49,8% dessas micro, pequenas, médias e
grandes companhias trabalham nessa área. Outras 26,1% já lidam especialmente com serviços,
enquanto as 24,1% restantes lidam com desenvolvimento.
A pesquisa ainda mostra que, pelo valor dos investimentos internos brasileiros, o país é responsável por 47,4% do mercado de TI da América
Latina, mesmo tendo um crescimento inferior ao
de Argentina, Peru, Venezuela e Chile no ano
passado. A quantia ainda faz com que o Brasil
represente 3% do mercado mundial.
Em termos de segmentação, o mercado brasileiro de software ainda é liderado pelos aplicativos,
que detêm 43,5% da participação. Ambientes de
desenvolvimento aparecem em segundo lugar,
com 31,5%, enquanto infraestrutura tem 23,1% e
software para exportação conta com apenas
1,9% do total. As áreas de finanças e de serviços
e telecomunicações são as maiores compradoras nesse mercado, representando juntas 50,7%
da participação.
Mas falando apenas de software e serviço, os
investimentos ficaram na casa dos 25 bilhões,
pouco menos da metade do total. O valor, que
considera apenas o mercado interno, coloca o
setor brasileiro como o oitavo do mundo, atrás de
EUA, Japão, Reino Unido, Alemanha, França,
Canadá e China.
Fonte:: INFO Online | Por Gustavo Gusmão
Publicado em 24 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br
Semana
- 07
a 11
abril
2014
Semana
4 -226
a 30
dede
maio
dede
2014
Sem papel! Serviços online ajudam a
criar bolões para a Copa
A
lém do álbum de figurinhas, a melhor
parte da Copa do Mundo são os bolões, úteis para mostrar aos amigos
todo conhecimento das seleções.
Além de levar um dinheiro com a brincadeira.
Mas pode ser chato e trabalhoso ser "o cara do
bolão". É preciso chamar os amigos, anotar os
palpites, fazer as contas e ver quem foi o vencedor. Mas a tecnologia está aqui para ajudar. Veja abaixo quatro opções para participar de bolões virtuais.
Pitacos da Copa – A Riosoft, uma empresa de
software de São José do Rio Preto, em São
Paulo, criou um bolão online, o Pitacos da Copa. A tabela dos jogos está pronta e é muito fácil de fazer a sua competição. Basta entrar no
site e começar um grupo. Para bolões de até 10
pessoas, é de graça.
Para grupos maiores é preciso pagar uma taxa.
Para um grupo de até 50 usuários, sai por 19,90
reais. O pacote mais caro é para até 2.000 participantes, e sai por 299 reais.
Todo o trabalho é feito pelo sistema—cálculos,
análises, rankings de apostadores, etc. A Riosoft se reserva o direito de demorar até 48 horas nas contas e análises de palpites.
Central Brasileirão – Outra opção para o bolão
digital é usando o site Central Brasileirão. Mais
abrangente do que o sistema da Riosoft, o bolão
da Central Brasileirão é aberto a qualquer pessoa que queira entrar na brincadeira. Mas não é
algo restrito a amigos.
Lá, estão as tabelas de jogos da Copa do Mundo, do Brasileirão, Libertadores e outros campeonatos. No final do ano, os melhores palpiteiros
ganham prêmios. O primeiro colocado leva
um Playstation 4 —custando 4 mil reais, lembrados disso?
Bolão14 – Para quem quiser brincar usando o
smartphone, o Bolão14 é uma opção (disponível
apenas para Android). O usuário pode criar
seus grupos de bolão, escolher os prêmio e
chamar os amigos pelo Facebook ou por e-mail.
O Bolão14 não é o app mais sofisticado ou bonito do mundo, mas quebra um bom galho. A tabela já está toda publicada no aplicativo e o trabalho que dá para criar o bolão é mínimo.
Bolão Pessoal – A última dica é o Bolão Pessoal. Ele é um serviço na web para criar grupos
para um bolão. O criador fica responsável como
administrador do grupo.
Mexer no programa é fácil. É só criar um grupo,
adicionar os amigos enviando senhas por e-mail
e colocar os palpites. Dentro dele, estão disponíveis a pontuação de cada pessoa, a tabela
dos jogos e dá até para fazer uma farra mandando mensagens.
Fonte: INFO Online
Por Victor Caputo, de EXAME.com | 24 de maio 2014
Envie suas sugestões para: [email protected]
Departamento de Fomento e Comunicação - DIFOC
www.datasus.saude.gov.br