Plasmodium vivax - Escola Internacional de Alphaville

Сomentários

Transcrição

Plasmodium vivax - Escola Internacional de Alphaville
• Representantes: algas e protozoários.
Euglena sp (alga)
Giardia sp (protozoário)
Volvox sp (alga)
• Do grego protos, primitivo, e zoon,
animal.
• Grupo de organismos unicelulares
heterotróficos e eucariontes
• Maioria aquática, mas há aqueles que
habitam terra úmida ou o interior de
animais invertebrados e vertebrados, de
forma parasitária ou com relação de
interdependência.
Sub-divididos em quatro filos:
Sarcodina, Mastigophora (flagelados),
Ciliophora (ciliados) e Sporozoa
(esporozoários).
A sub-divisão é dada de acordo com a
presença e os tipos de estrutura de
locomoção desses protistas.
Plasmodium vivax
(Sporozoa)
Trypanosoma sp (Mastigophora)
Paramecium sp (Ciliophora)
Entamoeba sp (Sarcodínea)
• Locomovem-se e alimentam-se por
meio de expansões citoplasmáticas (pseudópodes).
• Podem ser de vida livre ou parasitas.
• Maioria aquática.
• Representantes: Entamoeba histolytica (parasita), heliozoários,
radiolários e foraminíferos (aquáticos).
• Os depósitos de carapaças (fósseis) desses aquáticos indicam
reservas de petróleo.
A. proteus ingesting immovable ciliates (Paramecium sp and Tetrahymena sp).
by A. Kihara (Hosei University)
Amebíase
• Locomovem-se por meio de flagelos (estrutura filamentosa em
forma de chicote).
• Maioria aquática, de vida livre, mas há alguns parasitas (doença de
Chagas, leishmaniose, giardíase, doença do sono, tricomoníase) e
simbiontes.
• Podem nadar livremente ou viver fixados a objetos submersos.
• Representantes: Trypanosoma cruzi (parasita), Giardia sp,
(parasita).
• Locomovem-se por meio de cílios (estruturas filamentosas mais
curtas e mais numerosas).
• Maioria aquática, de vida livre, mas há alguns simbiontes e raros
parasitas.
• Exemplo de simbiose: ruminantes.
• Representantes: Paramecium sp (dulcícola).
• Não apresentam estruturas locomotoras e formam esporos durante
o ciclo de vida.
• Todas as espécies são endoparasitas.
• Representantes mais conhecidos: Plasmodium sp (malária).
• Assexuada: divisão binária (maioria dos de vida livre).
• Sexuada: Conjugação
(Paramecium sp).
Dois indivíduos em contato por ponte citoplasmática
trocam micronúcleos. Cada indivíduo fica com 1
original mais 1 recebido. Macronúcleo se degenera
Os micronúcleos se fundem e formam o núcleo zigótico.
Ocorre meiose e forma-se 4 micronúcleos e originam 4 novos
indivíduos através de 2 divisões celulares consecutiva
Espécie
Classe
Doença
Sintomas
Transmissão
Entamœba histolytica
Rizópodo
Amebíase
Ulcerações intestinais,
diarréia,
enfraquecimento
Ingestão de cistos
eliminados com as
fezes humanas.
Trypanosoma Cruzi
Flagelado
Doença de
Chagas
Problemas no coração,
inchaço do baço e
fígado, mal estar
Fezes
do
inseto
barbeiro (Triatoma sp.)
Leishmania brasiliensis
Flagelado
Úlcera
Bauru
Ulcerações (feridas que
não cicatrizam) no rosto,
braços e pernas
Picada do mosquito
palha
(Phlebotomus
sp.)
Trichomonas vaginalis
Flagelo
Tricomonía
se
Vaginite,
corrimento
uretrite,
Relação sexual ou
toalhas
e
objetos
úmidos contaminados
Giardia lamblia
Flagelado
Giardíase
Dores
diarréia
abdominais,
Ingestão de cistos
eliminados com fezes
humanas
Plasmodium vivax
Esporozoá
rio
Malária
Febres, anemia, lesões
no baço e no fígado
Picada de mosquitoprego (Anopheles sp.).
de
• Termo usado para designar os
organismos
eucarióticos,
fotossintetizantes e que vivem no mar,
lagos, rios ou superfícies úmidas.
•Grande parte é unicelular, mas há também multicelulares
(filamentosas ou mais complexas, como as talófitas).
• Não apresentam órgãos ou
tecidos diferenciados, como nas
plantas terrestres.
• Filos divididos pelos pigmentos
nos cloroplastos, substâncias de
reserva e composição da parede
celular.
• Aproximadamente 500 espécies.
• São unicelulares.
• Clorofilas do tipo a, b.
• Outros
pigementos:
xantofilas.
• Não têm parede celular.
carotenos
e
• Dinoflagelados (antigas pirrófitas ou
algas de fogo).
• Aproximadamente 1000 espécies.
• São unicelulares.
• Clorofilas do tipo a, c.
• Outros
xantofilas.
pigmentos:
carotenos
e
• Constituição da parede: celulose ou sem
parede.
• Revestimento de CaCO3.
• A superpopulação nos mares causa a
maré vermelha.
• Algas diatomáceas (douradas ou amarelas,
antigas crisófitas).
• Aproximadamente 6000 espécies.
• São unicelulares.
• Clorofilas dos tipos a, c, e.
• Outros pigementos: carotenos e xantofilas.
• Constituição da parede: sílica.
• O diatomito pode ser usado como abrasivo, na
construção civil ou na construção de filtros, pasta
de dente.
• Algas verdes.
• Aproximadamente 7000 espécies.
• São uni ou multicelulares.
• Clorofilas dos tipos a, b.
• Outros
pigementos:
xantofilas.
carotenos
• Constituição da parede: celulose.
e
• Algas vermelhas.
• Aproximadamente 4000 espécies.
• Maioria multicelular.
• Clorofilas dos tipos a, d.
• Outros pigmentos: ficoeritrina.
• Constituição da parede: celulose, ágar e
carragenina.
• Algas pardas.
• Aproximadamente 2000 espécies.
• São multicelulares (os talos podem
atingir até 60 m).
• Clorofilas dos tipos a, c.
• Outros
pigmentos:
ficoxantina.
carotenos
e
• Constituição da parede: celulose e algina.
• Contituem o fitoplâncton (flutuam nas camadas superiores das
águas dos mares e lagos), sendo base de sustentação das cadeias
alimentares desses ecossistemas.
•São responsáveis por quase 90% de toda a fotossíntese do
planeta.
• Indústria alimentícia (algumas espécies de algas verdes e pardas
são comestíveis).
• Substâncias economicamente importantes, como o ágar
(alimentos e pesquisa científica) e a carragenina (mantém a
estabilidade de laxantes e cremes dentais).
Amebíase
• Doença intestinal provocada pela ameba chamada
Entamoeba histolytica.
• Sua transmissão é via oral através da ingestão de cistos
maduros (tetranucleados) lançados nas fezes pelos
portadores.
• Esta doença provoca destruição do intestino e pode migrar
para outros órgãos como fígado, pulmões, S.N.C e etc.
Evita-se a doença com saneamento básico, educação
sanitária e combate aos insetos coprófagos.
• Trofozoito e cisto de Entamoeba histolytica
Amebíase
Giardíase
Doença intestinal e de vias biliares muito comum em
crianças em idade escolar, provocada pelo flagelado
chamado Giardia lamblia.
• Sua transmissão é semelhante a da amebíase, ela provoca
alterações digestivas (dificuldade na digestão de gorduras e
vitaminas A, K, D e E ).
• O hospedeiro pode apresentar diarréias transitórias, falta de
concentração, insônia, irritabilidade dor de lado direito
(Hipocôndrio) e até convulsões.
• Para se evitar, usa-se as mesmas medidas preconizadas
para Amebíase.
• Giardia lamblia (Trofozoito)
Giardíase
Doença de Chagas
Doença descoberta pelo sanitarista Brasileiro Carlos Chagas,
Tem por agente etiológico um flagelado chamado Trypanosoma cruzi e como
vetor biológico um inseto (hemíptero) conhecido popularmente por “bicho
barbeiro” ou Chupão (Triatoma) que elimina o parasita nas suas fezes.
É uma doença americana de evolução lenta, normalmente sem sintomas mas que
pode evoluir para destruição do coração, do esôfago, do cólon e do S.N.C.
Pode-se evitar combatendo o inseto, melhorando as habitações (casas de
alvenaria), e examinando o sangue de doadores.
•
Dr. Carlos Chagas
•
Triatoma infestans
MALÁRIA
•
•
•
A malária é causada por protozoários do gênero Plasmodium, como o
Plasmodium vivax, Plasmodium falciparum, Plasmodium malariae e
Plasmodium ovale: os dois primeiros ocorrem em nosso país e são mais
frequentes na região amazônica.
Essa doença, conhecida também pelos nomes impaludismo, febre palustre,
maleita e sezão, tem como vetor fêmeas de alguns mosquitos do gênero
Anopheles.
Estas, mais ativas ao entardecer, podem transmitir a doença para indivíduos
da nossa espécie, uma vez que liberam os parasitas no momento da picada,
em sua saliva. Transfusão de sangue sem os devidos critérios de
biossegurança, seringas infectadas e mães grávidas adoecidas são outras
formas em que há a possibilidade de contágio.
No homem, os esporozoítos infectantes se direcionam até o fígado, dando
início a um ciclo que dura, aproximadamente, seis dias para P. falciparum,
oito dias para a P. vivax e 12 a 15 dias para a P. malariae, reproduzindo-se
assexuadamente até rebentarem as células deste local (no mosquito, a
reprodução destes protozoários é sexuada).
Após esses eventos, espalham-se pela corrente sanguínea e invadem
hemácias, até essas terem o mesmo fim, causando anemia no indivíduo.
MALÁRIA
•
•
•
Febre alta, sudorese e calafrios, palidez, cansaço, falta de apetite e dores na cabeça e em
outras regiões do corpo são os principais sintomas, que podem se manifestar a cada 48
horas, caso a infecção tenha sido causada pelo P. falciparum ou pelo P. vivax; e a cada
72 horas quando o agente causador é o P. malarie (febre quartã). Essa primeira espécie
pode, ainda, afetar vários órgãos e sistemas do corpo, como o sistema nervoso e
aparelho respiratório.
Para confirmar a presença do parasita no sangue, a análise é feita por meio de uma
pequena amostra, geralmente retirada da ponta do dedo do paciente (teste de gota
espessa). O tratamento é feito com o uso de fármacos orais e deve ser iniciado o mais
rapidamente possível, para evitar complicações como anemia, icterícia e mau
funcionamento dos órgãos vitais, além dos riscos que um indivíduo acometido pelo P.
falciparum pode estar sujeito.
A prevenção consiste em evitar picadas do mosquito, fazendo o uso de repelentes,
calças e camisas de manga longa, principalmente no período de fim da tarde e início da
noite. Evitar o acúmulo de água parada a fim de impedir a ovoposição e nascimento de
novos mosquitos é outra forma de evitar a malária.

Documentos relacionados

Reino Protista e Reino Fungi

Reino Protista e Reino Fungi dessa doença é A) o consumo de carnes de animais silvestres que são hospedeiros do vetor da doença. B) a utilização de adubos químicos na agricultura que aceleram o ciclo reprodutivo do barbeiro. C...

Leia mais