Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard

Сomentários

Transcrição

Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de
impressão) Standard
Versão Online: www.gs1.org/glnrules
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Sumário do Documento
Item do Documento
Valor Corrente
Nome Documento
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Data Documento
Jan 2016
Versão Documento
2.0
Número Documento
Estado Documento
Ratified
Descrição Documento
Versão Online: www.gs1.org/glnrules
Colaboradores
Nome
Organização
Daniel Clark (work group chair)
GS1 Canada
Coen Janssen (technical lead)
GS1 Global Office
Michael Sarachman (standards
development lead)
GS1 Global Office
Peter Alvarez
GS1 Global Office
Kerry Angelo
GS1 Community Room Staff
Chuck Biss
GS1 Global Office
Loek Boortman
GS1 Netherlands
Omar Cervantes Sánchez
GS1 Mexico
Peter Chambers
GS1 Australia
Jean-Luc Champion
GS1 Global Office
Kevin Dean
GS1 Canada
Ray Delnicki
GS1 US
Bob DeRosier
GS1 US
Séverine Dewerpe
GS1 Belgium & Luxembourg
Karina Duvinger
GS1 Sweden
Ben Ensink
GS1 Netherlands
Véra Feuerstein
Nestle
Klaus Forderer
GS1 Germany
Mark Frey
GS1 Global Office
Andreas Füßler
GS1 Germany
Tamim Ghazi
GS1 Germany
Jean-Christopher Gilbert
GS1 France
Alan Gormley
GS1 Ireland
Heinz Graf
GS1 Switzerland
Andrew Hearn
GS1 Global Office
Corwin Hee
Covidien
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 2 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Nome
Organização
Kurt Herregodts
GS1 Belgium & Luxembourg
Sandra Hohenecker
GS1 Germany
Janggwan Im
Auto-ID Labs
Yoshihiko Iwasaki
GS1 Japan
Refiloe Jackson
GS1 South Africa / Consumer Goods Council of South Africa
Sascha Kasper
1WorldSync Holdings, Inc.
Fred Kempkes
Unilever N.V.
Phyllis Koch
The Schwan Food Company
Neville Kolwane
GS1 South Africa / Consumer Goods Council of South Africa
Karen Lewis
Cardinal Health
Tumelo Makgatho
GS1 South Africa / Consumer Goods Council of South Africa
JP McCrory
Wal-Mart Stores, Inc.
Naoko Mori
GS1 Japan
Daniel Mueller
GS1 Switzerland
Denis O'Brien
GS1 Ireland
Staffan Olsson
GS1 Sweden
Silvério Paixão
GS1 Portugal
Sarina Pielaat
GS1 Netherlands
Neil Piper
GS1 UK
Nadine Radomski
Dean Foods Company
Steven Robba
1WorldSync Holdings, Inc.
John Roberts
GS1 US
Sylvia Rubio Alegren
ICA AB
Michael Sadiwnyk
GS1 Canada
Cindy Saifman
Becton, Dickinson and Company
Craig Sato
ITradeNetwork.com, Inc.
Sue Schmid
GS1 Australia
Eugen Sehorz
GS1 Austria
Frank Sharkey
GS1 Global Office
Olga Soboleva
GS1 Russia
John Terwilliger
Abbott Laboratories Inc.
Jon Verb
Bar Code Graphics, Inc.
Delphine Verhaegen
GS1 Belgium & Luxembourg
Barbara Zenner
Baxter Healthcare
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 3 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Registo de Alterações
Lançamento
Data de Alteração
Alterado por
Resumo de Alterações
2
Jan 2016
C. Janssen
WR12-050 New major release of the GLN
allocation rules
Disclaimer
GS1®, under its IP Policy, seeks to avoid uncertainty regarding intellectual property claims by requiring the participants in
the Work Group that developed this Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard to agree to grant
to GS1 members a royalty-free licence or a RAND licence to Necessary Claims, as that term is defined in the GS1 IP Policy.
Furthermore, attention is drawn to the possibility that an implementation of one or more features of this Specification may
be the subject of a patent or other intellectual property right that does not involve a Necessary Claim. Any such patent or
other intellectual property right is not subject to the licencing obligations of GS1. Moreover, the agreement to grant
licences provided under the GS1 IP Policy does not include IP rights and any claims of third parties who were not
participants in the Work Group.
Accordingly, GS1 recommends that any organisation developing an implementation designed to be in conformance with this
Specification should determine whether there are any patents that may encompass a specific implementation that the
organisation is developing in compliance with the Specification and whether a licence under a patent or other intellectual
property right is needed. Such a determination of a need for licencing should be made in view of the details of the specific
system designed by the organisation in consultation with their own patent counsel.
THIS DOCUMENT IS PROVIDED “AS IS” WITH NO WARRANTIES WHATSOEVER, INCLUDING ANY WARRANTY OF
MERCHANTABILITY, NONINFRINGMENT, FITNESS FOR PARTICULAR PURPOSE, OR ANY WARRANTY OTHER WISE ARISING
OUT OF THIS SPECIFICATION. GS1 disclaims all liability for any damages arising from use or misuse of this Standard,
whether special, indirect, consequential, or compensatory damages, and including liability for infringement of any
intellectual property rights, relating to use of information in or reliance upon this document.
GS1 retains the right to make changes to this document at any time, without notice. GS1 makes no warranty for the use of
this document and assumes no responsibility for any errors which may appear in the document, nor does it make a
commitment to update the information contained herein.
GS1 and the GS1 logo are registered trademarks of GS1 AISBL.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 4 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Índice
1
Introdução .................................................................................................... 7
1
Geral ............................................................................................................. 7
1.1
1.2
1.3
Utilização do GLN ............................................................................................................ 7
1.1.1
Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica .................................................... 7
1.1.2
Identificação de uma função..................................................................................... 8
1.1.3
Identificação de uma localização física ..................................................................... 10
1.1.4
Identificação de uma localização digital ................................................................... 11
Uso do Componente de Extensão GLN ............................................................................. 12
1.2.1
Identificação de uma sub-localização física............................................................... 12
1.2.2
Uso transacional de Componente de Extensão GLN ................................................... 13
1.2.3
Impacto da mudança do GLN de uma localização física .............................................. 14
Utilização do mesmo GLN para identificar múltiplos tipos de localização ............................... 15
1.3.1
Combinações de tipos de localização permitidas com o mesmo GLN ............................ 15
1.3.2
Utilizar um GLN de entidade legal/pessoa jurídica para identificar as funções de uma
organização ..................................................................................................................... 16
1.3.3
GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das mudanças de
localização ....................................................................................................................... 17
1.3.4
GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização ....................................................................................................................... 19
2
Entidade legal/pessoa jurídica ................................................................... 20
2.1
2.2
2.3
3
Acrescentar uma nova entidade legal/pessoa jurídica ........................................................ 20
2.1.1
Identificação de uma nova entidade legal/pessoa jurídica .......................................... 20
2.1.2
Divisão de uma entidade legal/pessoa jurídica .......................................................... 21
Mudança de uma entidade legal/pessoa jurídica ................................................................ 22
2.2.1
Mudança do enquadramento legal/jurídico ............................................................... 22
2.2.2
Mudança do nome legal ......................................................................................... 23
2.2.3
Realocação da entidade legal/pessoa jurídica ........................................................... 24
2.2.4
Mudança do número de registo fiscal da entidade legal/pessoa jurídica........................ 25
2.2.5
Mudança dos detalhes de contato da entidade legal/pessoa jurídica ............................ 25
2.2.6
Impacto da mudança da entidade legal/pessoa jurídica nas localizações relacionadas .... 26
Remoção de uma entidade legal/pessoa jurídica ............................................................... 27
2.3.1
GLN de uma entidade legal/pessoa jurídica removida ................................................ 27
2.3.2
GLNs de entidades legais/pessoas jurídicas fundidas (fusão) ou adquiridas .................. 28
2.3.3
Impacto da remoção da entidade legal/pessoa jurídica nas localizações relacionadas .... 29
Função ........................................................................................................ 30
3.1
3.2
3.3
Acrescentar uma nova função ......................................................................................... 30
3.1.1
Identificação de uma nova função ........................................................................... 30
3.1.2
Divisão de uma função .......................................................................................... 31
Mudança de uma função ................................................................................................ 32
3.2.1
Mudança do propósito de uma função ...................................................................... 32
3.2.2
Mudança dos detalhes de contacto/contato de uma função......................................... 32
3.2.3
Mudança da localização operacional de uma função ................................................... 33
3.2.4
Mudança das informações financeiras ...................................................................... 34
Remoção de uma função ................................................................................................ 34
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 5 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
4
4.2
4.3
3.3.2
GLNs de funções fundidas (fusões).......................................................................... 35
Acrescentar uma nova localização física ........................................................................... 36
4.1.1
Identificação de uma nova localização física ............................................................. 36
4.1.2
Divisão de uma localização física............................................................................. 37
Mudança de uma localização física................................................................................... 37
4.2.1
Mudança de endereço de uma localização física ........................................................ 37
4.2.2
Indicação municipal de mudança de endereço sem mudança física .............................. 39
4.2.3
Mudança do uso da localização física ....................................................................... 39
Remoção de uma localização física .................................................................................. 40
4.3.1
GLN de uma localização desativada ......................................................................... 40
4.3.2
GLNs de localizações físicas fundidas ....................................................................... 41
Localização Digital ...................................................................................... 42
5.1
5.2
5.3
A
GLN de uma função removida................................................................................. 34
Localização Física ....................................................................................... 36
4.1
5
3.3.1
Acrescentar uma localização digital ................................................................................. 42
5.1.1
Identificação de uma nova localização digital............................................................ 42
5.1.2
Divisão de uma localização digital ........................................................................... 42
Mudança de uma localização digital ................................................................................. 43
5.2.1
Mudança do propósito do sistema / âmbito da localização digital................................. 43
5.2.2
Mudança do endereço de rede (obtido via GLN) ........................................................ 44
5.2.3
Mudança do hardware ou software numa localização digital........................................ 44
5.2.4
Mudança do estado do sistema (de teste para produção/vivo) .................................... 45
Remoção de uma localização digital ................................................................................. 46
5.3.1
GLN de uma localização digital removida ................................................................. 46
5.3.2
GLNs de localizações digitais fundidas (fusões) ......................................................... 47
Mapeamento para a versão anterior ........................................................... 48
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 6 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
1
Introdução
1
Geral
Acerca destas regras
As regras de alocação de GLN foram organizadas em quatro utilizações principais: Entidade
legal/pessoa jurídica, localização física, função e localização digital. Estas quatro utilizações
principais não são mutuamente exclusivas e no caso de um GLN identificar múltiplos tipos de
localização todas as regras relacionadas precisam de ser aplicadas (ver as regras em 1.3).
São providenciadas dois tipos de regras:
1.1
■
Regras estruturais definem os principais princípios da alocação de GLN.
■
Regras de ação definem como os princípios de alocação de GLN devem ser aplicados quando
ocorrem mudanças organizacionais. Como parte das regras de ação um breve resumo é
disponibilizado de acordo com o seguinte:
□
Novo GLN, como resultado da regra é alocado um novo GLN.
□
Mesmo GLN, como resultado da regra o GLN existente é mantido.
□
GLN inativo, como resultado da regra o GLN existente é desativado. Parceiros comerciais são
informados que o GLN não pode ser usado em nenhumas transações. O GLN pode ainda ser
utilizado quando referenciar transações anteriores.
Utilização do GLN
Como regra geral é requerido um GLN separado sempre que as organizações precisam de ser
capazes de distinguir entre uma localização e outra.
Um GLN pode ser usado para identificar uma entidade legal/pessoa jurídica, uma localização física,
uma função ou uma localização digital. Os GLNs são usados para identificar o Quem e o Onde, em
várias aplicações:
■
Quem: entidade legal/pessoa jurídica, função
■
Onde: localização física, localização digital
Independentemente da forma como os GLNs são usados, parceiros comerciais e outras partes como
autoridades vão sempre precisar de conhecer a organização ‘por de trás do GLN’. Por exemplo,
quando um departamento financeiro, um armazém ou uma aplicação ERP é referido através do seu
GLN, será necessário comunicar a organização responsável, seja para troca antecipada desta
informação ou para disponibilizar capacidade de procura online.
Informação associada com cada GLN é mantida internamente pelos parceiros comerciais ou em
bases de dados centrais. Se a localização muda e os detalhes não são alterados, comunicações ou
entregas irão para o endereço mantido no arquivo. Portanto é essencial para as organizações
informar o mais depressa possível os parceiros comerciais sobre a introdução de um novo GLN ou a
mudança de informação associada a um GLN.
1.1.1
Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Uma entidade legal/pessoa jurídica é qualquer empresa, órgão governamental, departamento,
organização de caridade, indivíduo ou instituição que tem legitimidade aos olhos da lei e tem a
capacidade de celebrar acordos ou contratos.
Uma entidade legal/pessoa jurídica deve ter alocado o seu próprio GLN quando o seu nome legal
e/ou endereço legal e/ou número de registo legal é diferente de outras entidades legais/pessoas
jurídicas e existe uma necessidade de negócio para identificar a entidade legal/pessoa jurídica entre
organizações.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 7 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Outra informação associada com o GLN pode incluir os detalhes de contato (endereço de visita,
endereço de e-mail, número de telefone, etc.), números de registo fiscal (por exemplo, número de
identificação fiscal) e informação de contabilidade financeira.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Parceiros comerciais precisam de distinguir a entidade legal/pessoa jurídica de outras entidades
legais/pessoas jurídicas.
Exemplo:
Regras associadas
2.1.1 Identificação de uma nova entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.1.2
Identificação de uma função
Uma função é uma subdivisão organizacional ou departamento, baseada nas tarefas específicas que
são desempenhadas, tal como definidas pela organização.
Uma função deve ter alocado o seu próprio GLN quando o seu propósito de negócio é diferente de
outras funções ou mais específico do que outras funções e existe uma necessidade de negócio para
identificar a função entre organizações.
Informação associada com um GLN de função incluirá a entidade legal/pessoa jurídica relacionada e
pode incluir os detalhes de contato (endereço de visita, endereço de e-mail, número de telefone,
etc.), números de registo fiscal (por exemplo, número de identificação fiscal) e informação de
contabilidade financeira.
Regra
Regra estrutural: ☒
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 8 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Motivo (lógica da regra)
Parceiros comerciais precisam de distinguir a função de outras funções.
Nota
Se não estão definidas funções, assume-se que o GLN de entidade legal/pessoa jurídica representa
todas as funções da organização.
Exemplos:
Exemplo 1:
Empresa com 3 departamentos, sem exigência de identificação em separado, então todos utilizam o
GLN A (o GLN da entidade legal / pessoa jurídica).
Exemplo 2:
Uma empresa com 3 departamentos no qual um deles é identificado separadamente com GLN B.
Todos os outros departamentos utilizam o GLN A (o GLN da entidade legal / pessoa jurídica), uma
vez que não há nenhuma exigência para identificações separadas.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 9 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo 3:
Dois navios da mesma empresa, identificados como unidades de produção para efeitos de
rastreabilidade.
Regras associadas
3.1.1 Identificação de uma nova função
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.1.3
Identificação de uma localização física
Uma localização física é um local (uma área, uma estrutura ou um grupo de estruturas) ou uma
área dentro de um local, onde alguma coisa esteve, está ou estará localizada.
Uma localização física deve ter alocado o seu próprio GLN quando o seu endereço de acesso é
diferente de outra localização física e existe uma necessidade de negócio para identificar a
localização física entre organizações.
Uma localização física dentro de uma outra localização física pode ter o seu próprio GLN (por
exemplo, máquina de venda automática dentro de uma loja, prateleira num armazém).
Informação associada com um GLN de localização física, incluirá a entidade legal/pessoa jurídica
relacionada e pode incluir os detalhes de contato (endereço de visita, endereço de e-mail, número
de telefone, etc.), o propósito da localização (por exemplo, armazém, escritório), horário de
funcionamento, etc.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Parceiros comerciais precisam de distinguir uma localização física de outras localizações físicas.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 10 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
4.1.1 Identificação de uma nova localização física
Regras correspondentes na versão anterior
1.1 (antiga) Localização (ponto de acesso)
1.1.4
Identificação de uma localização digital
Uma localização digital representa um endereço eletrónico/eletrônico (não físico) que é usado para a
comunicação entre sistemas de computadores.
Deve ser alocado um GLN próprio a uma localização digital quando o seu propósito é diferente de
outras localizações digitais e existe uma necessidade de negócio para identificar a localização digital
entre organizações.
A informação associada com um GLN de localização digital incluirá a entidade legal/pessoa jurídica
relacionada e pode incluir o estado de desenvolvimento (em teste, produção), endereço de rede da
localização e os detalhes de contacto/contato do administrador de sistema (endereço de e-mail,
número de telefone, etc.).
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Parceiros comerciais precisam de distinguir a localização digital de outras localizações digitais.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 11 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
■
Enterprise Resource Planning (ERP) - Planejamento de Recursos Empresariais
■
Electronic Data Interchange (EDI) – Troca Eletrônica de Dados
Regras associadas
5.1.1 Identificação de uma nova localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.2
Uso do Componente de Extensão GLN
O GLN + Componente de Extensão GLN fornece um método para identificar localizações físicas num
nível mais detalhado.
1.2.1
Identificação de uma sub-localização física
Uma sub-localização física é um espaço específico dentro de uma localização física. São exemplos,
pisos, salas, localizações de prateleiras e áreas em torno de um edifício tais como estaleiros/pátios.
O GLN + Componente de Extensão GLN pode ser usado para identificar áreas dentro de uma
localização física identificada com o mesmo GLN.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Nas aplicações de rastreabilidade e gestão de inventário, pode ser requerida a visibilidade de
movimentos ao longo das localizações internas. O GLN + Componente de Extensão GLN permite a
identificação desse tipo de localização sem atribuir GLNs separados.
Nota
■
O principal dado mestre (por exemplo, o endereço de acesso) é idêntico para todas as sublocalizações identificadas com um Componente de Extensão GLN, visto que está definido ao nível
do GLN. Se a sub-localização tem dados mestre diferentes, deve ser atribuído um GLN principal.
■
Quando uma sub-localização é usada em instruções para os parceiros comerciais, deve ser
atribuído um GLN principal a essa localização. Ver também a regra 1.2.2
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 12 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
A tabela abaixo ilustra os valores em formato de código de barras e EPC URN, baseado num GLN A
com o valor 9501101530003:
Formato Código de Barras
Formato EPC URN
(414)9501101530003(254)1
urn:epc:sgln:950110153.000.1
(414)9501101530003(254)2
urn:epc:sgln:950110153.000.2
(414)9501101530003(254)3
urn:epc:sgln:950110153.000.3
etc.
etc.
Regras associadas
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.2 Uso transacional de Componente de Extensão GLN
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.2.2
Uso transacional de Componente de Extensão GLN
A extensão de GLN pode ser usada em transações, apenas onde haja acordo mútuo entre todos os
parceiros comerciais envolvidos e onde a norma/padrão transacional utilizada suporte a extensão de
GLN.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
A extensão GLN é uma característica opcional de GLN para subdividir um local físico, de acordo com
normas internas da própria localização. Nem todos os parceiros comerciais são capazes de
diferenciar localizações utilizando o Componente de Extensão GLN nos seus sistemas transacionais
(por exemplo, gestão de encomendas, ERP). Da mesma forma, suporte transacional para a extensão
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 13 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
de GLN pode ser limitado ou não estar disponível no momento. Por conseguinte, é recomendado
que, em transações, seja utilizado o GLN sem a componente de extensão. Esta regra reconhece a
natureza da extensão GLN (somente por mútuo acordo) e o potencial de poder vir a ser suportado
em futuras normas transacionais, que justifiquem a sua introdução como norma aberta baseada em
requisitos de negócio.
Exemplo:
Neste exemplo, a intenção é instruir um fornecedor para entregar determinada mercadoria numa
doca específica de uma empresa. Devido à falta de apoio em sistemas transacionais e padrões, não
é recomendado utilizar a componente de extensão, para esta finalidade específica. Em vez disso,
GLNs individuais devem ser atribuídos a cada doca de entrada para evitar assim, que mercadorias
sejam entregues em docas diferentes.
Regras associadas
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.2.3
Impacto da mudança do GLN de uma localização física
Quando o GLN de uma localização física muda, todas as combinações de GLN + extensões baseadas
naquele GLN, devem ser mudados.
Regra
☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A mudança de GLN é causada pela mudança para um endereço ou edifício diferentes. Portanto as
sub-localizações também serão realocadas.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 14 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
4.2 Mudança de uma localização física
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.3
Utilização do mesmo GLN para identificar múltiplos tipos de localização
O mesmo GLN pode ser usado para identificar múltiplas localizações de diferentes tipos. Um caso
comum é quando uma empresa usa um GLN para identificar a sua entidade legal/pessoa jurídica
bem como a sua localização física.
1.3.1
Combinações de tipos de localização permitidas com o mesmo GLN
O mesmo GLN pode ser alocado a:
■
Uma entidade legal/pessoa jurídica, e/ou
■
uma função, e/ou
■
uma localização física, e/ou
■
Uma localização digital.
As quais devem pertencer à mesma entidade legal/pessoa jurídica.
Nota: Um GLN atribuído a uma entidade legal/pessoa jurídica também pode ser utilizado para
identificar todas as funções da organização (ou todas as funções para as quais não foi
atribuído um GLN separado). Ver 1.3.2 para mais informação.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
As operações de algumas empresas não requerem subdivisões físicas ou organizacionais.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 15 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Nota
No caso de um GLN identificar múltiplos tipos de localizações, todas as regras relacionadas têm de
ser aplicadas. Quando as organizações se tornam maiores ou mais complexas, a multiutilização do
mesmo GLN pode criar dependências indesejadas. Ver as regras 1.3.3 e 1.3.4 para mais
informação.
Exemplo:
O mesmo GLN é usado para identificar a entidade legal / pessoa jurídica e a localização física da
organização.
Regras associadas
1.3.3 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das mudanças de localização
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.3.2
Utilizar um GLN de entidade legal/pessoa jurídica para identificar as funções de
uma organização
Um GLN atribuído a uma entidade legal/pessoa jurídica pode ser utilizado para identificar todas as
funções de uma organização (ou todas as funções para as quais não foi atribuído um GLN
separado).
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Entidades legais/pessoas jurídicas e funções representam o “quem” num processo de negócio,
sendo a função uma indicação mais precisa. Algumas organizações podem precisar de identificar
algumas funções individualmente, mas nem todas elas.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 16 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
O GLN "A" é utilizado para identificar a entidade legal / pessoa jurídica e todas as "outras" funções
nela inseridas, neste caso específico, contabilidade e logística. Paralelamente a isso, no processo de
encomenda, existe uma necessidade para identificar especificamente o departamento de vendas,
neste caso utilizando um GLN "B."
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
1.3.3
GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das mudanças
de localização
Uma mudança de GLN causada por regras devido a um tipo de utilização, irá afetar os outros usos
do GLN.
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Esta é uma consequência lógica da utilização combinada.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 17 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
O GLN "A" é utilizado para identificar uma entidade legal / pessoa jurídica associada a um local
físico. As mudanças de endereço de acesso exigem a criação de um novo GLN "B" a ser atribuído
para o local físico.
Agora, a organização pode optar: Se a organização optar por continuar utilizando o mesmo GLN
para múltiplas funções, será exigido que o GLN da pessoa jurídica se transforme em um GLN "B." Se
o multiuso do GLN é interrompido, a organização pode continuar a usar GLN "A" para a entidade
legal / pessoa jurídica.
Regras associadas
2.2 Mudança de uma entidade legal/pessoa jurídica
3.2 Mudança de uma função
4.2 Mudança de uma localização física
5.2 Mudança de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
3.2.2 (antiga) Alteração em um local jurídico que é também um local físico
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 18 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
1.3.4
GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das
desativações de localização
Se a remoção ou fusão de uma localização causar a desativação de um GLN, isso vai afetar as
outras utilizações do GLN (entidade legal/pessoa jurídica, função, localização física, localização
digital) visto que o GLN já não será usado em novas transações.
Em alguns casos é possível evitar a desativação do GLN, mantendo-o para outras localizações. Por
exemplo, uma organização pode escolher continuar a utilização do GLN para uma localização física
após a remoção ou a fusão de uma função. Contudo, se uma entidade legal/pessoa jurídica é
removida, o seu GLN deve ser desativado e novo GLN deve ser atribuído à outra(s) localização(ões).
Regra
Regra estrutural: ☒
Motivo (lógica da regra)
Esta é uma consequência lógica da multiutilização.
Exemplos:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 19 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
O GLN "A" é utilizado para identificar o departamento de contabilidade (função) e do sistema de
contabilidade (localização digital). O sistema de contabilidade é removido porque suas funções são
assumidas pelo sistema de ERP.
Agora, a organização tem uma escolha: pode decidir desativar GLN "A" e atribuir um novo GLN "B"
para o departamento de contabilidade, ou pode manter GLN "A" para identificar o departamento de
contabilidade.
Regras associadas
2.3 Remoção de uma entidade legal/pessoa jurídica
3.3 Remoção de uma função
4.3 Remoção de uma localização física
5.3 Remoção de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2
Entidade legal/pessoa jurídica
2.1
Acrescentar uma nova entidade legal/pessoa jurídica
2.1.1
Identificação de uma nova entidade legal/pessoa jurídica
Quando é acrescentada uma nova entidade legal/pessoa jurídica que se vai envolver em transações
comerciais, deve ser atribuído um novo GLN.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Se a entidade legal/pessoa jurídica coexiste com outras entidades legais/pessoas jurídicas e se
envolve em transações com outras organizações, deve ser possível identificá-la separadamente.
Nota
O GLN alocado mais recentemente também pode ser usado para identificar uma (nova) localização
física e / ou um (novo) sistema. Não deve ser utilizado para identificar uma (nova) função, porque
uma função é sempre subsidiária de uma entidade legal/pessoa jurídica. Ver regra 1.3.2.
Exemplo:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 20 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
2.1 (antiga) Compra / Criação / Uso de um novo local
2.1.2
Divisão de uma entidade legal/pessoa jurídica
Quando uma entidade legal/pessoa jurídica é dividida em múltiplas entidades, uma das entidades
legais/pessoas jurídicas pode manter o GLN existente, desde que seja a empresa que mantem
controle sobre o Prefixo de Empresa GS1 ou GLN atribuídos individualmente. Para as outras
entidades legais/pessoas jurídicas é necessário atribuir novos GLNs.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Como a entidade legal/pessoa jurídica original se mantem ativa, os parceiros comerciais que
interagem com essa entidade legal/pessoa jurídica não precisam de ser informados de uma
mudança.
Exemplo:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 21 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2.2
Mudança de uma entidade legal/pessoa jurídica
As características de uma entidade legal/pessoa jurídica podem mudar ao longo do período de vida
da empresa. Estas regras listam as mudanças comuns e explicam se deve ser atribuído um novo
GLN.
2.2.1
Mudança do enquadramento legal/jurídico
O GLN de uma entidade legal/pessoa jurídica pode ser mantido quando o enquadramento sob o qual
a entidade opera muda (por exemplo, jurisdição aplicável e tipo de corporação).
Importante: Algumas situações regulamentares podem requerer que o GLN da entidade
legal/pessoa jurídica seja mudado. Por favor contactar a GS1 local em caso de dúvida.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Mudar o enquadramento legal/jurídico sob o qual a entidade atua muda a definição da própria
entidade. Enquanto a relação com os parceiros comerciais pode não mudar, a maneira como esses
parceiros comerciais interagem com ela, pode ser afetada pela mudança.
Exemplos:
Exemplo 1:
A Empresa A (registada sob a Lei de Sociedades Anônimas Canadense) residente na província de
Ontário, Canadá, desloca-se para a província de Alberta, também no Canadá. Como a empresa A
ainda se encontra dentro da mesma jurisdição da mudança, sem alteração de país, o seu GLN não
muda.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 22 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo 2:
A Empresa B (registada sob a Lei de Sociedades Anônimas de Ontario) residente na província de
Ontário, Canadá move-se para a província de Alberta, Canadá. Como resultado da mudança, a
empresa B reincorpora à jurisdição da Lei de Sociedades Anônimas Alberta. A empresa B, no
entanto, mudou de jurisdições e, portanto, o quadro jurídico em que se insere. Dependendo da
situação regulamentar da Empresa, seu GLN pode mudar.
Example 3:
A Empresa C (registrado sob a Lei de Sociedades sem fins lucrativos do Canadá) elege-se para se
tornar uma empresa com fins lucrativos e registra novamente sob a Canada Act de Sociedades
Anônimas.
A empresa C, embora dentro da mesma jurisdição, no entanto, mudou a sua estrutura jurídica e por
isso seu GLN precisa ser alterado.
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
3.3 (antiga) Realocação de pessoa jurídica
2.2.2
Mudança do nome legal
A mudança do nome legal da empresa não requer que o GLN seja mudado.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A mudança não tem impactos nos parceiros da cadeia de abastecimento ou autoridades legais
nacionais, nas quais a empresa está registrada.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 23 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
2.2.1 Mudança do enquadramento legal
Regras correspondentes na versão anterior
3.1 (antiga) Alteração no nome da empresa
2.2.3
Realocação da entidade legal/pessoa jurídica
Quando uma entidade legal/pessoa jurídica se muda para uma morada/endereço diferente, o GLN
da entidade legal/pessoa jurídica pode manter-se o mesmo.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A mudança de morada/endereço de uma entidade legal/pessoa jurídica é uma mudança
administrativa sem grandes consequências de negócio. Mudar o GLN da entidade legal/pessoa
jurídica iria romper uma quantidade de processos e sistemas.
Nota
Se como resultado da mudança o enquadramento legal/jurídico da empresa mudar, pode ser
necessário um novo GLN. Ver regra 2.2.1.
Exemplo:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 24 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
2.2.1 Mudança do enquadramento legal
Regras correspondentes na versão anterior
3.3 (antiga) Realocação de pessoa jurídica
4.1.2 (antiga) Alteração para um local jurídico (por ex., código postal, rua, cidade) que não é um
local físico
2.2.4
Mudança do número de registo fiscal da entidade legal/pessoa jurídica
Se um dos números de registo fiscal da entidade legal/pessoa jurídica mudar, o GLN da entidade
legal/pessoa jurídica pode manter-se o mesmo.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A mudança do número de registo fiscal é uma mudança administrativa sem grandes consequências
de negócio. Mudar o GLN da entidade legal/pessoa jurídica iria romper desnecessariamente
processos e sistemas da cadeia de abastecimento.
Exemplo:
* Portugal: NIF, Número Identificação Fiscal (IVA – Imposto de Valor Agregado)
Brazil: CNPJ, Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica ou CPF, Cadastro de Pessoa Física
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2.2.5
Mudança dos detalhes de contato da entidade legal/pessoa jurídica
Se os detalhes de contacto/contato (endereço de visita, endereço postal, número de telefone,
endereço email, etc.) da entidade legal/pessoa jurídica mudarem, o GLN pode ser mantido.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 25 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Mudar os detalhes de contacto/contato de uma entidade legal/pessoa jurídica é uma mudança
administrativa sem grandes consequências de negócio. Mudar o GLN da entidade legal/pessoa
jurídica iria romper muitos processos e sistemas.
Exemplo:
Mudança do endereço de e-mail da sede da empresa.
Regras associadas
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa jurídica
Regras correspondentes na versão anterior
3.5 (antiga) Alteração nas informações de contato
2.2.6
Impacto da mudança da entidade legal/pessoa jurídica nas localizações
relacionadas
Quando o GLN da entidade legal/pessoa jurídica muda, os GLNs das localizações relacionadas com a
entidade legal/pessoa jurídica podem manter-se.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
GLNs de funções, localizações físicas e localizações digitais vão sempre precisar de ter uma ligação
clara à entidade legal/pessoa jurídica responsável. Normalmente os parceiros comerciais aplicam
contratos, tais como acordos de interoperação, para estabelecer essas ligações, que serão
atualizadas no caso de mudança da entidade legal/pessoa jurídica.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 26 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Houve uma mudança no quadro jurídico da Entidade Legal / Pessoa Jurídica da empresa, e os
requisitos legais podem causar mudanças no seu GLN (de GLN A para GLN C). O GLN B da fábrica
pode continuar o mesmo.
Regras associadas
2.2.1 Mudança do enquadramento legal
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2.3
Remoção de uma entidade legal/pessoa jurídica
2.3.1
GLN de uma entidade legal/pessoa jurídica removida
Uma entidade legal/pessoa jurídica pode ser descontinuada durante a vida de uma empresa. Nesse
caso, o GLN que identifica a entidade legal/pessoa jurídica será desativado.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A reutilização do GLN de uma entidade legal/pessoa jurídica descontinuada pode causar confusão
nos parceiros comerciais.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 27 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2.3.2
GLNs de entidades legais/pessoas jurídicas fundidas (fusão) ou adquiridas
Quando duas ou mais entidades legais/pessoas jurídicas se fundem, um dos GLNs existentes pode
ser mantido para a identificação da nova entidade legal/pessoa jurídica (ver Nota). Os outros GLNs
têm de ser marcados como representando entidades legais/pessoas jurídicas inativas.
Nos casos em que uma entidade legal/pessoa jurídica adquire outra entidade legal/pessoa jurídica,
mas ambas as entidades legais/pessoas jurídicas se mantém ativas, ambas podem manter os seus
GLNs.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Se a entidade legal/pessoa jurídica original se mantem ativa, os parceiros comerciais que continuam
a interagir com essa entidade legal/pessoa jurídica não precisam de ser informados de uma
mudança.
Nota
A nova entidade legal/pessoa jurídica precisa de se tornar a detentora da licença de utilização do
Prefixo de Empresa GS1 ou do GLN atribuído individualmente. Contate a GS1 local para mais
informação.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 28 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
As empresas que interagem com "A" não são impactadas com uma mudança. No entanto, as
empresas que interagem com "B" serão impactadas com um novo GLN (a partir de sua perspectiva)
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
2.3.3
Impacto da remoção da entidade legal/pessoa jurídica nas localizações
relacionadas
As organizações podem ter diversas entidades legais/pessoas jurídicas nos países onde operam.
Quando uma das suas entidades legais/pessoas jurídicas é removida e o seu GLN desativado, os
GLNs das localizações relacionadas podem manter-se os mesmos (ver Nota).
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
GLNs de funções, localizações físicas e localizações digitais vão sempre precisar de ter uma ligação
clara à entidade legal/pessoa jurídica responsável. Normalmente os parceiros comerciais
aplicam/possuem contratos, tais como acordos de interoperação, para estabelecer essas ligações,
que serão atualizadas no caso de remoção da entidade legal/pessoa jurídica.
Nota
Para que os GLNs se mantenham os mesmos a organização precisa de manter a licença de utilização
do Prefixo de Empresa GS1 ou do GLN atribuído individualmente. Contate a GS1 local para mais
informações.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 29 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
A entidade legal/pessoa jurídica identificada com GLN A é eliminada. A fábrica é atribuida a outra
(existente) entidade jurídica, identificada com o GLN C. O GLN B da fábrica pode ser o mesmo.
Regras associadas
não aplicável
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
3
Função
3.1
Acrescentar uma nova função
3.1.1
Identificação de uma nova função
Quando é acrescentada uma nova função que se vai envolver em transações comerciais e quando,
nesse âmbito, é necessário distingui-la de outras funções, deve ser atribuído um novo GLN.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Se a função coexiste com outras funções e se envolve em transações com outras organizações,
deve ser possível identificá-la separadamente.
Nota
Uso combinado: O novo GLN não será atribuído a uma (nova) entidade legal/pessoa jurídica. O novo
GLN pode ser atribuído a uma (nova) localização física e / ou (nova) localização digital.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 30 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
A empresa cria um novo departamento de qualidade.
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
2.2 (antiga) Adicionar Operação - Prédio
3.1.2
Divisão de uma função
Quando uma função é dividida em múltiplas funções, uma das funções pode manter o GLN original,
desde que a função mantenha uma parte das atribuições centrais e se mantenha com a entidade
legal/pessoa jurídica original. Para as outras funções é necessário atribuir novos GLNs.
Regra
☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Visto que a função original se mantem ativa os parceiros comerciais que continuam a interagir com
essa função não precisam de ser informados de uma mudança.
Exemplo:
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 31 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
3.2
Mudança de uma função
As características de uma função podem mudar ao longo do período de vida da empresa. As regras
seguintes listam as mudanças comuns e explicam se deve ser atribuído um novo GLN.
3.2.1
Mudança do propósito de uma função
Nos casos de pequenas mudanças no propósito de uma função, onde parte da função se mantem a
mesma e a mudança não afeta as transações de negócio em curso, o GLN pode ser mantido. A
função e o propósito estão intrinsecamente ligados e portanto, uma mudança completa (grande /
radical) do propósito da função não é possível.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Os parceiros comerciais que interagem com a função não precisam de ser informados de uma
mudança. Para os parceiros comerciais que interagem pela primeira vez, o GLN será visto como
novo.
Exemplo:
A empresa decide transformar o departamento de Serviço em departamento de Serviço e Qualidade.
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
3.2.2
Mudança dos detalhes de contacto/contato de uma função
Quando os detalhes de contato da função mudarem, o GLN pode ser mantido.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
O GLN de uma função representa o “quem” num processo de negócio. Quando pelo menos um dos
canais de contacto/contato é mantido, a outra informação do canal pode ser atualizada através
desse canal.
Nota
No caso de todos os detalhes de contacto/contato da função mudarem, pode ser sensato mudar o
GLN de forma a assegurar que os parceiros comerciais são informados.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 32 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
O telefone do departamento de serviços mudou, mas o email continua o mesmo.
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
3.5 (antiga) Alteração nas informações de contato
3.2.3
Mudança da localização operacional de uma função
Quando uma função muda a sua localização operacional e a localização é irrelevante para a função,
o GLN que identifica a função pode ser mantido. Para funções que operam continuamente em várias
localizações o GLN deve ser mantido.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
O GLN de uma função representa o “quem” num processo de negócio; é importante que se
mantenha o mesmo ao longo do tempo para assegurar as adequadas transações e a execução,
registo e análise de eventos.
Exemplo:
A maternidade está localizada no 2º andar, ala B, mas às vezes também utiliza quartos na ala C.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 33 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
3.2.4
Mudança das informações financeiras
Quando as informações financeiras associadas com a função mudam, o GLN pode ser o mesmo.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
O GLN de função identifica o “quem” num processo de negócio. É importante que se mantenha o
mesmo ao longo do tempo para assegurar a correta execução, registro e análise dos eventos de
transações.
Nota
Quando a organização decide manter o GLN existente, deve assegurar que a nova Informação
financeira é comunicada aos parceiros de negócio.
Exemplo:
O departamento de contas a receber muda de banco e como resultado, o número da conta muda.
Regras associadas
1.1.2 Identificação de uma função
Regras correspondentes na versão anterior
3.10 (antiga) Alteração nas informações financeiras
3.3
Remoção de uma função
3.3.1
GLN de uma função removida
Quando uma função é removida, o GLN associado será desativado.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Reutilização do GLN de uma função descontinuada pode causar confusão nos parceiros comerciais.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 34 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
O departamento de contas a pagar é externalizado/terceirizado, e o GLN associado não será mais
usado.
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
3.3.2
GLNs de funções fundidas (fusões)
Quando duas ou mais funções se fundem, um dos GLNs existentes pode ser mantido para a
identificação da função. Os outros GLNs têm de ser desativados.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Visto que uma das funções originais se mantem ativa, os parceiros comerciais que continuam a
interagir com essa função não precisam de ser informados da mudança.
Exemplo:
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 35 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
4
Localização Física
4.1
Acrescentar uma nova localização física
4.1.1
Identificação de uma nova localização física
Quando é adicionada uma nova localização física que estará envolvida em transações de negócio,
deve ser atribuído um novo GLN.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Se a localização física coexiste com outras localizações físicas e está envolvida em transações com
outras organizações, deve ser possível a sua identificação separada.
Exemplo:
Regras associadas
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
Regras correspondentes na versão anterior
2.1 (antiga) Compra / Criação / Uso de um novo local
2.2 (antiga) Adicionar Operação - Prédio
4.4 (antiga) Alteração da pessoa jurídica
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 36 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
4.1.2
Divisão de uma localização física
Quando uma localização física é dividida em múltiplas localizações, uma das localizações físicas pode
manter o GLN original, desde que o seu endereço de acesso se mantenha e o local se mantenha
com a entidade legal/pessoa jurídica original.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Visto que que a localização física original se mantem ativa, os parceiros comerciais que continuam a
interagir com essa localização física não precisam de ser informados da mudança.
Exemplos
A parcela de terra pertencente a uma fazenda fica dividida em duas parcelas.
Regras associadas
não aplicável
Regras correspondentes na versão anterior
4.2 (antiga) Processo de encaminhamento da entrega
4.3 (antiga) O local é dividido e parte dele é alugada ou franqueada para uma pessoa jurídica
diferente
4.2
Mudança de uma localização física
As características de uma localização física podem mudar ao longo do período de vida da empresa.
As regras seguintes listam as mudanças comuns e explicam se deve ser atribuído um novo GLN.
4.2.1
Mudança de endereço de uma localização física
Quando o endereço de acesso de uma localização física muda, deve ser atribuído um novo GLN, a
menos que a mudança seja considerada insignificante.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 37 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Motivo (lógica da regra)
Uma mudança de endereço de acesso pode ser causada pela mudança para um novo local, ou pela
mudança da entrada da localização de tal forma que cause uma mudança de endereço. A mudança
para um local diferente terá um grande impacto sobre os parceiros comerciais, enquanto que a
alteração da entrada do local, muitas vezes têm menos impacto.
Nota
É importante informar antecipadamente os parceiros comerciais das alterações de endereço, mesmo
quando o GLN se mantém o mesmo.
Exemplos
Exemplo 1
A loja muda para um prédio diferente na mesma rua.
Exemplo 2
Edifício permanece fisicamente no mesmo local, mas seu endereço de acesso ou porta de entrada
tem alteração.
Regras associadas
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
1.3.3 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das mudanças de localização
Regras correspondentes na versão anterior
4.1.1 (antiga) Alteração de endereço físico
Error! Reference source not found. Error! Reference source not found.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 38 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
4.2.2
Indicação municipal de mudança de endereço sem mudança física
Quando o endereço (por exemplo, o nome da rua e/ou o número da casa) de uma localização física
é mudado pelas autoridades, mas as coordenadas físicas reais do local permanecem inalteradas,
pode manter-se o GLN.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Uma vez que os parceiros comerciais esperam que a localização física esteja onde estava antes, a
mudança do endereço municipal não irá afetá-los.
Exemplo:.
O Município decide atribuir novos nomes de ruas e números de casas para os edifícios ao longo de
uma rua.
Regras associadas
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
Regras correspondentes na versão anterior
3.2.1 (antiga) Alteração do código postal, cidade/município ou nome da rua, exceto o endereço
físico
4.2.3
Mudança do uso da localização física
O GLN de uma localização física não precisa de mudar quando as funções desempenhadas nessa
localização física mudam.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Quando uma localização física existente começa a ser usada de uma forma diferente, os seus
parceiros comerciais serão normalmente informados por outras vias. Por exemplo, para um produto
em particular serão confrontados/informados com/sobre uma diferente Localização Para Envio e
dessa forma serão alertados para ajustar os seus sistemas.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 39 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
Regras correspondentes na versão anterior
3.2.3 (antiga) Pequenas alterações no endereço de um local físico (mudança para um andar
diferente em um prédio, mudança para um prédio diferente no mesmo local)
Error! Reference source not found. Error! Reference source not found.
4.3
Remoção de uma localização física
4.3.1
GLN de uma localização desativada
Uma localização física pode ser desativada durante o período de vida de uma empresa. Nesse caso,
o GLN que identifica a localização física será desativado
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A reutilização do GLN de uma localização física descontinuada para uma nova localização física pode
causar confusão nos parceiros comerciais.
Exemplo:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 40 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
4.3.2
GLNs de localizações físicas fundidas
Quando duas ou mais localizações físicas se fundem, um dos GLNs existentes pode ser mantido para
a identificação da localização física. Os outros GLNs têm de ser desativados.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Visto que uma das localizações físicas original se mantem ativa, os parceiros comerciais que
continuam a interagir com essa localização física não precisam de ser informados de uma mudança.
Exemplo:
O proprietário da fazenda A compra a terra adjacente de fazenda B.
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 41 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5
Localização Digital
5.1
Acrescentar uma localização digital
5.1.1
Identificação de uma nova localização digital
Quando é adicionada uma nova localização digital que será usada em transações de negócio, deve
ser atribuído um novo GLN.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Se a localização digital coexiste com outras localizações digitais e será usada em transações com
outras organizações, deve ser possível a sua identificação separada.
Exemplo:
A empresa instalou um novo Sistema de gestão/gerenciamento de transportes (transport
management system - TMS).
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.1.2
Divisão de uma localização digital
Quando uma localização digital é dividida em múltiplas localizações digitais, uma das localizações
digitais pode manter o GLN original, se a localização digital se mantiver com a entidade legal/pessoa
jurídica original e mantiver os mesmos atributos centrais. As outras localizações digitais requerem
novos GLNs.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 42 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Motivo (lógica da regra)
Visto que uma das localizações digitais original se mantem ativa, os parceiros comerciais que
continuam a interagir com essa localização digital não precisam de ser informados de uma
mudança.
Exemplo:
Empresa instala um Warehouse Management System/Sistema de Armazém dedicado (WMS), que
assume a função de gestão de inventário do sistema de gestão(ERP).
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.2
Mudança de uma localização digital
As características de uma localização digital podem mudar ao longo do período de vida de uma
empresa. As regras nesta seção listam algumas das mudanças comuns e explicam quando deve ser
atribuído um novo GLN.
5.2.1
Mudança do propósito do sistema / âmbito da localização digital
No caso de pequenas mudanças, onde o propósito/finalidade da localização digital se mantem
parcialmente o mesmo e a mudança não afetará as transações de negócio em curso, é permitido
manter o mesmo GLN. Localização digital e propósito/finalidade estão intrinsecamente ligados e
portanto uma completa (grande) mudança do propósito/finalidade de localização digital não é
possível.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Os parceiros comerciais que continuam a interagir com a localização digital não precisam de ser
informados de uma mudança. Para os parceiros comerciais que interagem pela primeira vez com a
localização digital, o GLN será visto como novo.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 43 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo:
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.2.2
Mudança do endereço de rede (obtido via GLN)
Em alguns casos, o GLN é usado como chave para obter o endereço de rede de um repositório de
meta-dados. Nesse caso, quando o endereço de rede muda, o GLN associado deve ser mudado.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
Confrontar os parceiros comerciais com um novo GLN é uma boa maneira de assegurar que o novo
endereço de rede é obtido.
Exemplo:
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.2.3
Mudança do hardware ou software numa localização digital
Se o software ou hardware de sistema numa localização digital mudar, pode manter-se o mesmo
GLN.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 44 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Motivo (lógica da regra)
Embora os parceiros comerciais possam ser confrontados com mudanças de interface devido ao
resultado de uma mudança, o papel efetivo mantem-se o mesmo.
Exemplo:
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.2.4
Mudança do estado do sistema (de teste para produção/vivo)
Quando o estado do sistema numa localização digital muda, por exemplo de teste para produção,
deve ser atribuído um novo GLN.
Regra
Regra de ação: ☒ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☐ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
É importante que os parceiros comerciais sejam capazes de distinguir comunicações que sejam
dirigidas ao ambiente de produção ou de teste de um sistema. A distinção pode ser conseguida pela
utilização de um GLN diferente ou pela junção de uma sinalização de teste na mensagem
(permitindo o uso do mesmo GLN nos ambientes de teste e produção).
Nota
Outra forma de exprimir esta regra: Devem ser atribuídos GLNs separados para os vários ambientes
de um sistema.
Exemplos:
Exemplo 1:
Diferentes GLNs são aplicados para teste e produção.
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 45 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Exemplo 2
O mesmo GLN é usada para teste e de produção. Uma bandeira na mensagem garante o
encaminhamento/roteamento adequado para o ambiente de sistema correto.
Regras associadas
1.1.4 Identificação de uma localização digital
1.3.3 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das mudanças de localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.3
Remoção de uma localização digital
5.3.1
GLN de uma localização digital removida
Uma localização digital pode ser removida ao longo do período de vida de uma empresa. Nestes
casos, o GLN que identifica a localização digital deve ser desativado.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☐ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Motivo (lógica da regra)
A reutilização do GLN de uma localização digital para uma nova localização digital pode causar
confusão nos parceiros comerciais.
Exemplo:
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 46 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
5.3.2
GLNs de localizações digitais fundidas (fusões)
Nos casos em que duas ou mais localizações digitais são fundidas, um dos GLN existentes pode ser
mantido, para identificar toda a localização digital. Os outros GLNs não usados, devem ser
desativados.
Regra
Regra de ação: ☐ Novo GLN ☒ Mesmo GLN ☒ GLN inativo
Lógica da Regra
Visto que uma das localizações digitais originais se mantem ativa, os parceiros comerciais que
continuam a interagir com essa localização digital não precisam de ser informados de uma
mudança.
Exemplo:
A função no sistema de Contas a Pagar (A/P) é assumida pelo Sistema ERP.
Regras associadas
1.3.4 GLN na identificação de múltiplos tipos de localização: Impactos das desativações de
localização
Regras correspondentes na versão anterior
não aplicável
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 47 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
A
Mapeamento para a versão anterior
Current version
New version
1.
(antiga) Regras Gerais
agrupamento
1.1. (antiga) Localização (ponto de acesso)
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2. (antiga) Alteração do status jurídico após uma
fusão ou aquisição parcial
Tratado na secção/seção 1.6 das Gen Specs
1.3. (antiga) Alteração do status jurídico após uma
fusão ou aquisição total
Tratado na secção/seção 1.6 das Gen Specs
1.4. (antiga) Um novo parceiro comercial
regra removida
(antiga) Criação de Novo Local
agrupamento
2.1. (antiga) Compra / Criação / Uso de um novo
local
2.1.1 Identificação de uma nova entidade
legal/pessoa jurídica
2.
4.1.1 Identificação de uma nova localização física
2.2. (antiga) Adicionar Operação - Prédio
3.1.1 Identificação de uma nova função
4.1.1 Identificação de uma nova localização física
4.1.2 Divisão de uma localização física
3.
(antiga) Pequena alteração de local existente
3.1. (antiga) Alteração no nome da empresa
agrupamento
0 3.3 (antiga) Realocação de
pessoa jurídica
Mudança do nome legal
3.2. (antiga) Pequenas alterações no endereço de
um local físico
agrupamento
3.2.1. (antiga) Alteração do código postal,
cidade/município ou nome da rua, exceto
o endereço físico
4.2.2 Indicação municipal de mudança de
endereço sem mudança física
3.2.2. (antiga) Alteração em um local jurídico
que é também um local físico
1.3.3 GLN na identificação de múltiplos tipos de
localização: Impactos das mudanças de
localização
3.2.3. (antiga) Pequenas alterações no
endereço de um local físico (mudança
para um andar diferente em um prédio,
mudança para um prédio diferente no
mesmo local)
regra removida
3.3. (antiga) Realocação de pessoa jurídica
2.2.1 Mudança do enquadramento legal
2.2.3 Realocação da entidade legal/pessoa
jurídica
3.4. (antiga) Encaminhamento da entrega
regra removida, é informação transacional
3.5. (antiga) Alteração nas informações de contato
2.2.5 Mudança dos detalhes de contato da
entidade legal/pessoa jurídica
3.2.2 Mudança dos detalhes de contacto/contato
de uma função
3.6. (antiga) Retificação nos termos de entrega ou
transporte
regra removida, é informação transacional
3.7. (antiga) Alteração na especificação da
instalação
regra removida, é dado mestre ou informação
transacional
3.8. (antiga) Alteração nas condições da
programação de entrega
regra removida, é informação transacional
3.9. (antiga) Alteração no perfil de gerenciamento
de planejamento
regra removida, é informação transacional
3.10. (antiga) Alteração nas informações financeiras
agrupamento
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 48 of 49
Regras de Alocação GS1 GLN (versão de impressão) Standard
Current version
New version
3.10.1. (antiga) Alteração nos prazos de
pagamento
regra removida, é informação transacional
3.10.2. (antiga) Alteração na cobrança de
provisões
regra removida, é informação transacional
3.10.3. (antiga) Alteração nas informações da
instituição financeira
3.2.4 Mudança das informações financeiras
3.11. (antiga) Pequena alteração na empresa/local
que não causa impacto nos parceiros
comercias ou nos requisitos de rastreabilidade
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa
jurídica
1.1.2 Identificação de uma função
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
4.
(antiga) Grande alteração de local existente
agrupamento
4.1. (antiga) Grande alteração no ponto de acesso
ao local
agrupamento
4.1.1. (antiga) Alteração de endereço físico
4.2.1 Mudança de endereço de uma localização
física
4.1.2. (antiga) Alteração para um local jurídico
(por ex., código postal, rua, cidade) que
não é um local físico
2.2.3 Realocação da entidade legal/pessoa
jurídica
4.1.3. (antiga) Grande alteração no ponto de
acesso ao local (por ex., mudança para
uma nova localização fora do prédio e do
local existente)
4.2.1 Mudança de endereço de uma localização
física
4.2. (antiga) Processo de encaminhamento da
entrega
regra removida
4.3. (antiga) O local é dividido e parte dele é
alugada ou franqueada para uma pessoa
jurídica diferente
agrupamento
4.3.1. (antiga) Local é dividido e parte dele é
alugada para uma pessoa jurídica
diferente
4.1.2 Divisão de uma localização física
4.3.2. (antiga) Local é dividido e parte dele
usada pelo proprietário do GLN
4.1.2 Divisão de uma localização física
4.4. (antiga) Alteração da pessoa jurídica
4.1.1 Identificação de uma nova localização física
4.5. (antiga) Grande alteração na empresa/local
que causa impacto nos parceiros comerciais
e/ou nos requisitos de rastreabilidade
1.1.1 Identificação de uma entidade legal/pessoa
jurídica
1.1.2 Identificação de uma função
1.1.3 Identificação de uma localização física
1.2.1 Identificação de uma sub-localização física
Release 2.0, Ratified, Jan 2016
© 2015 GS1 AISBL
Page 49 of 49

Documentos relacionados