julho - Festival Estoril Lisboa

Сomentários

Transcrição

julho - Festival Estoril Lisboa
41
8
julho
Quarta-feira
21.30h
Auditório Nª Srª da Boa Nova
Estoril
Orquestra da Universidade
de Louvain-la-Neuve
Philippe Gérard
Gérard, maestro
Camille Babut du Marès, violino
Gioachino Antonio ROSSINI
(1792-1868)
Abertura de L’italiana in Algeri
Felix MENDELSSOHN
(1809-1847)
Concerto para violino em Mi menor, Op. 64
Allegro molto appassionato
Andante
Allegretto non troppo. Allegro molto vivace
César FRANCK
(1822-1890)
Sinfonia em Ré menor
Lento. Allegro non troppo
Allegretto
Allegro non troppo
Camille Babut du Marès, natural de Bruxelas, iniciou os seus
estudos aos 4 anos, apresentando-se em público apenas um
ano depois. Aos 13 anos ganhou o 1º Prémio em violino do
Conservatório real de Bruxelas, na classe de Véronique Bogaerts, tendo continuado os seus estudos com Yazuko Horigome.
Em 2008 obteve o bacharelato no Conservatório de Maastrich
trabalhando sob a orientação de Boris Belkin. Posteriormente
obteve o diploma de Postgraduação no Royal College of Music de Londres, onde estudou com Yuri Zhislin. Em 2010 foi-lhe
atribuída uma bolsa para estudar com Michaël Vaiman na escola Superior de Colónia. Obteve numerosos prémios na Bélgica, nomeadamente.”Jeunes Solistes RTBF”, “Bériot” ou “Jeunes Musiciens 2002”, assim como na Holanda. Recentemente
conquistou o 1º Prémio do Concurso Internacional de Osaka.
Trabalhou com reputados mestres como Mihaela Martin, Boris
Kuschnir, Liviu Prunaru, Félix Andrievsky, Raphael Oleg, Renaud Capuçon, Zakhar Bron, Gérard Poulet, entre outros. Temse apresentado a solo no Japão, Espanha, Roménia, França,
Itália, Reino Unido, Alemanha, Luxemburgo e Holanda tocando
em salas de prestígio. Participou em numerosos festivais, tocando, também, com a Orquestra Sinfónica de Liège e a Orquestra
Filarmónica de Bruxelas. Forma, com o pianista Maiko Inoue, o
Cosmopolitan Duo. Apresenta-se pela primeira vez em Portugal.
Concerto em parceria com
Depois de obter o grau de bacharelato em Leis e Sociologia,
Philippe Gérard completou os seus estudos musicais no Conservatório real de Bruxelas, obtendo o diploma em piano e
música de câmara, assim como o 1º Prémio em direcção de
orquestra. Tem uma notável actividade como pianista. Tem-se
dedicado progressivamente à música de câmara e acompanhamento de canto, ao mesmo tempo que desenvolve a sua
carreira como maestro. Desde 1989 é director da orquestra de
câmara “La Chapelle Musicale de Tournai” com quem gravou
diversos CDs dedicados a Mozart, Absil, Holst, Britten e Leo
Brouwer. Tem colaborado com diversas orquestra de jovens,
nomeadamente a do Conservatório Real de Bruxelas e a
OSEL. Dirigiu, também, conhecidas orquestras como a Filarmónica de Liège, Orquestra Nacional da Bélgica e a Orquestra
de Câmara Real de Wallonie. Tem sido convidado regular de
entidades belgas e europeias, assim como feito digressões na
China. Actuou com numerosos artistas como Gérard Cause,
Olivier Latry, Jean-Claude Vanden Eynden, Abdel-Rahman El
Nacha, Liviu Prunaru, Trio Grumiaux e tantos outros. No período 2003-2004 dirigiu o coro do Teatro Real de “La Monnaie”
participando na criação da ópera Eliogabalo, de Cavalli, sob
a direcção de René Jacobs. Fascinado pelo canto, dirigiu numerosas obras líricas e cantatas de compositores como Hayd,
Bach, Haendel, Ravel, Kurt Weill, Bernstein, entre outros.
Como pianista acompanhador é convidado frequentemente a
colaborar com o Concurso Rainha Elisabeth. É professor de direcção de orquestra no Conservatório Real de Bruxelas onde
em 2008 lhe foi concedido o prémio “L. de la Haut” pela sua
acção pedagógica. Apresenta-se pela primeira vez em Portugal.
A Orquestra Sinfónica de Estudantes de Louvain-la-Neuve
(OSEL) é composta por cerca de 60 músicos, na maioria provenientes da Universidade Católica de Louvain. Philippe Gérard tem dirigido a orquestra nos últimos 15 anos. A orquestra
oferece aos estudantes e músicos de Louvai-la-Neuve a possibilidade de participar em diversos projectos musicais. Fazer
parte da OSEL significa, também, partilhar no meio estudantil
o amor pela música durante os ensaios dos fins de semana,
concertos e digressões. A OSEL desempenha um papel fundamental na vida cultural de Louvain-la-Neuve, através de concertos regulares na Aula Magna da Universidade, assim como
em concertos na Bélgica, nomeadamente, em colaboração
com o Real Conservatório de Música de Bruxelas, do Teatro
Real “La Monnaie” e o Festival de Wallonie. É uma representante da universidade e da cidade em digressões regulares
no exterior. A maioria dos seus estudantes são alunos da Universidade Católica de Louvai, mas a orquestra está aberta à
participação de todos os músicos que queiram participar nos
seus projectos. Apresenta-se pela primeira vez em Portugal.
Estrutura financiada por