Jan - CDP

Сomentários

Transcrição

Jan - CDP
Docas
do Pará
Informativo
Belém–PA, Janeiro de 2002
ANO XI • Nº 126
As confraternizações de final de ano
Algumas confrat ernizações marcaram o final de
ano dos cedepeanos.
Empregados do prédio-sede,
porto de Belém, Terminal de
Miramar e AHIMOR
realizaram suas festas para se
despedir de 2001 e dar as boas
vindas ao Ano Novo. No dia
19 de dezembro, aconteceu
na s i ns ta la çõ es da ca sa
noturna "Pororoca", uma
grande celebração, idealizada
pela diretoria da CDP., que
reuniu todos os funcionários,
Cerca de 3 mil pessoas
participaram da festa, entre
emp reg ado s, fam ili are s e
convidados. O cantor Celso
Mariano, administrador do
porto de Macapá, abriu a noite
ao ri tm o do br eg a. Em
seguida, o Coral da CDP
apresentou alguns números. A
animação continuou até a
madrugada, comandada por
uma banda de sucesso da
cidade.
Carlos Acatauassú, com seus familiares e convidados. À direita,
Elmir Saady, superintendente da AHIMOR
O diretor de Gestão
Portuária, Kleber Menezes,
comandou o já tradicional
so rt ei o d e p rê mi os . O s
sortudos da noite foram
Vicente Oliveira, Walter
Pere ira, Jacy lma Arag ão,
Sa nd ra Ra mo s, El in et e
Cavalcante, Celso Mariano,
entre outros, premiados com
relógios e celulares.
A Administração das
Hi dr ov ia s da Am az ôn ia
Oriental - AHIMOR reuniu
os seus empregados em uma
casa de recepções, no dia 14
de dezembro. Elmir Saady,
superintendente da
AHIMOR e anfitrião, recebia
os convidados com muita
si mp at ia , e nt re el es a
diretoria da CDP. Depois de
um delicioso jantar, houve
troca de presentes e muita
descontração por conta de
boa mús ica. O p orto de
Belém, por sua vez, ofereceu
um farto café da manhã, no
dia 19, na administração do
porto.
Equipamento do acervo da CDP, em
exposição na Estação das Docas.
Missão
Walter Pereira, recebendo o seu prêmio do sorteio
CDP
Promover a integração entre os diversos modais de transporte, através da oferta de instalações e serviços portuários e de
hidrovias de alto padrão de qualidade, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social dos Estados do Pará e
Amapá e da Região Amazônica e Centro Oeste do Brasil, buscando a satisfação dos seus clientes, diretos e indiretos.
24
Informativo CDP
Movimentação Geral de Carga e Navios
Comparativo Dezembro 2000/2001
Os portos administrados pela
Co mp an hi a Do ca s do Pa rá ,
movimentaram no mês de dezembro
próx imo p assa do, u m tot al de
831.791 toneladas de carga, inferior
em 6,21% ao registrado em igual mês
de 2000, que foi de 886.8 62
toneladas. No acumulado
janeiro /dezemb ro de 2001, essa
movimentação chegou a 9.871.762
toneladas, superior em 0,04% ao
EXPORTAÇÃO
PORTO
PERÍODO
2000
2001
verificado no mesmo período de
2000, que foi de 9.867.690 toneladas.
Com relação ao movimento
de embarcações, as estatísticas
indicam que no mês de dezembro de
2001, os portos receberam a visita de
462 navios, inferior em 10,98% ao
apontado em dezembro de 2000, que
IMPORTAÇÃO
%
2000
2001
21,41
16,29
25.489
254.666
fo i d e 5 19 em ba rc aç õe s. No
acum ulad o jane iro/ deze mbro de
2001, a frequência de navios foi de
5.75 7, in feri or em 0,43 % ao
registrado no mesmo período do ano
de 2000, que foi de 5.782 navios.
Em Toneladas
TOTAL
2001
EMBARCAÇÕES
%
2000
%
2000
2001
%
(5,54)
11,65
86.721
77.088
904.290 1.039.817
12,50
14,99
101
1.362
93
1.145
(7,92)
(15,93)
117.072 105.807
(12,86)
0,60 1.329.534 1.340.252
(9,62)
0,81
115
1.107
93
1.196
(19,13)
8,04
Belém
no mês
no ano
51.599
649.624
62.644
755.476
Miramar
no mês
no ano
18.238
211.408
19.684
215.453
Santarém
no mês
no ano
11.179
122.272
6.785
115.531
(39,31)
(5,51)
18.657
145.914
17.392
163.411
(6,78)
11,99
29.836
268.186
24.177
278.942
(18,97)
4,01
122
1.408
112
1.308
(8,20)
(7,10)
Macapá
no mês
no ano
55.196
736.494
39.348
674.854
(28,71)
(8,37)
61
75.759
430
26.501
604,92
(65,02)
55.257
812.253
39.778
701.355
(28,01)
(13,65)
25
215
26
271
4,00
26,05
Vila do
Conde
no mês
114.366 171.623
no ano 1.502.895 1.437.811
567.029
(19,06)
602.870
(0,05) 6.506.003 6.438.483
(5,95)
(1,04)
36
383
30
380
(16,67)
(0,78)
Outros
CDP
no mês
no ano
(15,16)
7,93
8.279
72.913
74,70
53,75
120
1.307
108
1.457
(10,00)
11,48
TOTAL
no mês 251.622 305.228
no ano 3.242.418 3.242.143
831.791
886.862
(17,11)
0,07 9.867.690 9.871.762
(6,21)
0,04
519
5.782
462
5.757
(10,98)
(0,43)
1.044
19.725
24.077
284.341
98.834
86.123
7,93
1,91 1.118.126 1.124.799
50,06
488.504 395.406
(4,33) 5.003.108 5.000.672
5.144
43.018
392,72
118,09
3.695
27.699
3.135
29.895
526.563
21,30
635.240
(0,01) 6.625.272 6.629.619
4.739
47.424
Vila do Conde
Licitações
A Companhia Docas do
Pará - CDP, através da Comissão
Permanente de Licitação do Porto
de Vila do Conde - COPELI/PVC,
torna público que realizará uma
licitação, na modalidade "Tomada
de Preços", do tipo a de Menor
Preço, para contratação, em regime
de Empreitada por Preço Global, de
empresa para executar os serviços
técnicos profissionais especializados de fiscalização das obras,
segundo projeto executivo a ser
fornecido pela CDP, da ampliação e
adequação dos berços 201 e 202 e
construção dos berços 301 e 302 e
ainda, construção do Terminal de
Granéis Líquidos TGL do porto de
Vila do Conde.
A dotação orçamentária dos
serviços é oriunda dos Recursos do
Tesouro e os trabalhos licitatórios
acontecerão no dia 25 de janeiro, de
2002, na sala de reuniões daquele
por to.
Mai ore s inf orm açõ es
po de rã o se r ob ti da s co m a
Comissão de Licitação, através do
telefone: (91) 216-2031.
Outra licitação, na
modal idade d e Conco rrênc ia,
acontecerá no mesmo local, no dia
20 de fevereiro, para contratação de
empresa para executar as obras de
constr ução de uma rampa em
co nc re to ar ma do e da vi a
alimentadora, prolongamento da
Rua 1 até a PA-483, ambas no porto
de Vila do Conde.
Órgão de Divulgação da
Companhia Docas do Pará
DIRETORIA
Engº Carlos Acatauassú Nunes
Presidente
Engº Kleber Ferreira de Menezes
Diretor de Gestão Portuária
Econ. Guilherme Oliveira Braga
Diretor Adm. Financeiro
Editado sob a responsabilidade da ASMARQ
Márcia Damasceno - 1373 DRT/PA
Jornalista Responsável
Camila Forte - Estagiária
Correspondência:
Av. Presidente Vargas, 41 - 2º andar
Fone: 216-2060 • Fax: 241-1741
E-mail: [email protected]
www.cdp.com.br
Periodicidade: Mensal
Tiragem: 600 exemplares
Composto e impresso na Yamato Press
Fone/Fax: 276-1148
Diagramação e Fotolitos: Nikkei Design
Audiência Pública
No dia 23 de janeiro, a CDP realizará uma Audiência
Pública no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas,
visando apresentar e debater o modelo para arrendamento e
operação do Terminal de Contêineres do Porto de Vila do Conde.
Dia do Portuário
Feira Saldão
Data: 25 de janeiro de 2002
ABEP - Associação Brasileira
de Entidades Portuárias - Rio
de Janeiro/RJ
Data: 01 a 06 de fevereiro,
no armazém 04 do porto de
Belém
Realização: CBRAEX
XVII ENEP
Encontro Nacional de
Entidades Portuárias
Data: 11 a 14 de março
Florianópolis/SC
COLEGA DESTAQUE 2001
Programe-se
Informativo
Docas do Pará
Vista da correia transportadora
Na sua opinião, quem foi o seu colega destaque do ano 2001 da CDP? Pensou? Pois você vai ter a
chance de escolher e premiar alguém. Os quesitos para a sua escolha deverão ser: simpatia, dedicação,
disponibilidade em ajudar, amizade, caráter, ou seja, aquela pessoa que merece um prêmio pelo seu
comportamento no ano passado. Em breve, através deste informativo, você vai saber quando e como
essa votação vai acontecer. Aguarde!
I SITRAMA
Simpósio Internacional sobre o Desenvolvimento da Infra-estrutura de Transportes
e Meio Ambiente
Data: 19 a 22 de março de 2002, na Estação das Docas - Belém/PA
Deadline Comunicação Assessoria de Imprensa / TEL (61) 328-7377 FAX (61) 328-7371
[email protected]ção.com.br
[email protected]
3
No dia 17 de dezembro, a
diretoria e engenheiros da CDP,
juntamente com os membros do
Conselho de Autoridade Portuária CAP e Conselho de Administração CONSAD, estiveram em Vila do
Conde para acompanhar a cravação
da segunda estaca do Terminal de
Granéis Líqui dos - TGL (nota damente combustíveis), que está
sendo construído para atender às
companhias de petróleo que já estão
instaladas no porto, assim como as
que ainda irão se instalar.
Segundo Carlos Acatauassú Nunes, diretor-presidente da
Informativo CDP
Iniciada a construção do
Terminal de Granéis Líquidos
CDP, foi necessária a presença dos
membro s do CAP e CONSAD
du ra nt e a op er aç ão , da da a
import ância do empree ndimen to
para a Empresa. Na ocasião houve,
ainda, reunião do Conselho de
Aut ori dad e Por tuá ria . Tamb ém
visitaram o canteiro de obras da
empresa Mendes Júnior, que está
concretando as estacas para iniciar a
ampliação do píer n.º 2 e construção
do píer n.º 3, para carga geral.
Nessas obras, a Companhia
Docas do Pará está investindo 32
milhões de reais, de recursos
próprios.
Através do Decreto n.º
459, de 29 de outubro de 2001, o
pref eito de Sant ana, Rose miro
Rocha, criou a Companhia Docas de
Santana CDSA. A criação faz parte
do processo de municipalização do
porto de Macapá, localizado em
Santana e que hoje é administrado
pela Companhia Docas do Pará.
A CDSA, cujos Decreto
de Criação e Estatuto Social já foram
publicados no Diário Oficial do
Municí pio, te m por o bjetiv o a
administração e exploração de portos
e instalações portuárias no município
de Santana, competindo-lhe: gerir e
ex pl or ar po rt os e in st al aç õe s
portuárias no município; executar a
política estadual de infra estrutura no
tocante ao transporte marítimo;
propor medidas de preservação dos
recursos naturais que interessem à
infra-estrutura dos portos; oferecer
aos governos da União, do Estado e
do município, subsídios para o Plano
de Desenvolvimento e Zoneamento
Portuário e desenvolver outras
atividades que lhe sejam delegadas
pela U nião o u suas e ntid ades
relativas à administração portuária.
A Companhia será
administrada por um Conselho de
Administração Superior, formado
pelos conselhos de Administração e
Fiscal e Diretoria Executiva, cujos
membros serão nomeados por ato do
chefe do Poder Execut ivo. Há
previsão de que inicialmente o porto
será repassado à prefeitura através de
um Convênio de Delegação, com um
prazo de vigência de cinco anos.
Fonte: Jornal do PortoSantana/AP
Dia do portuário
Em 28 de janeiro de 1808,
D. João VI promulgou a Lei que
con ced e a abe rtu ra dos por tos
brasileiros às Nações Amigas de
Portugal. Nesta data, portanto,
comemora-se o Dia do Portuário,
qu an do s ão h om en ag ea do s os
trabalhadores que exercem atividades
nos portos.
Como em todos os anos, a
Associação Brasileira de Entidades
Portuárias - ABEP, promove a escolha
do Portuário Padrão Nacional, dentre
os Servidores Padrão indicados pelas
Entidades Portuárias e Hidroviárias
de todo o Brasil.
A CDP apresentou como
seu Servidor Padrão de 2001, Manoel
Geraldo Lopes da Conceição, lotado
na DIRPRE - Presidência, que tem 24
anos de serviços prestados à Empresa,
sem nenhuma falta. As hidrovias
AHIMOR e AHITAR escolheram,
respectivamente, os seguintes
servidores: Antonio Elias e Júlio
César Pereira.
A escolha e a solenidade de
premiação acontecerão na sede da
Associação, no Rio de Janeiro, no dia
25 de janeiro de 2002.
Presente
A ap re se nt ad or a An a
Maria Braga, quando visitou
Belém para a gravação do seu
programa especial sobre a cidade,
rec ebe u de pr ese nte u m CD
regional dos cantores Allan Roffé
e Sérgio Mundão. Ana Maria até
escolheu algumas das faixas para
compor a trilha do programa. A
emissão do CD foi um incentivo da
CDP e fez parte da programação do
Encontro Nacional de Entidades
Portuárias - ENEP, que aconteceu
ano passado em Belém.
Foto: Oldemar Alves
Criada a Companhia
Docas de Santana
Hidrovia do Marajó
A Hidrovia do Marajó será
a prime ira a ser efetiv amente
construída na Amazônia, e está
orçada em R$ 28 milhões. Com 432
km, liga Belém (PA) a Macapá
(AP). Através de parceria entre os
governos estadual e federal, com
con tra par tid a de 50% , for am
realizados todos os estudos técnicos
(projeto executivo) e ambientais
(EIA/Rima) para dragagem do
canal com 32 km de extensão
destinado a perenizar a interligação
das bacias dos rios Atuá e Anajás.
Mais de nove milhões de
metros cúbicos serão dragados na
área entre os dois rios, a fim de
garantir a navegação franca e a
passagem de comboios com até
2.800 toneladas de capacidade de
carga, de Belém a Macapá. A
hidrovia criará um eixo central de
tr an sp or te , pr op or ci on ar á a
revitalização do transporte de carga
já existente na rota Belém/
Ma ca pá /B el ém , mu da nç a do
padrão tecnológico das embarcaç ões e no va d inâ mic a da s
atividades produtivas do
arquipélago e do Estado do Amapá.
Além disso, a obra vai
per mit ir a ces so a os d ive rso s
re cu rs os na tu ra is da re gi ão
marajoara, modernização do parque
agropecuário do Marajó e
suprimento dos mercados
consumidores de Belém a Macapá,
viabilizando a criação de bacias
leiteiras e estimulando a
piscicultura. Também são alinhados
entre os impactos sócioeconômicos, o desenvolvimento do
turismo fluvio-ecológico e
integração nacional do Marajó e do
Amapá, através da futura hidrovia
Tocantins-Araguaia.
A hidrovia vai atravessar
pelo meio a ilha, no sentido
sudeste/noroeste, levando novas
oportunidades de emprego e de
geração de renda para a população
local, facilitando e agilizando o
escoamento da produção de todo o
arquipélago do Marajó. Os 580 km
que hoje separam Belém de
Macapá, porque a ilha do Marajó
tem que se contornada, diminuirão
para 432 km, pelo meio da ilha, ou
seja, haverá uma redução de 148 km
nas viagens fluviais.
O Museu Emílio Goeldi,
instituição contratada pelos
empreendedores, já executou o
resgate arqueológico dos sítios
existentes na área da hidrovia. Os
impactos ambientais da hidrovia
serão mínimos, comparados aos
impactos positivos que ela
proporcionará. O projeto executivo
do ca na l f oi li ci ta do e o s
equipamentos principais para sua
implementação estão prontos para
entrar em operação.
A facilidade de acesso
proporcionada pela hidrovia irá
possibilitar, entre outras medidas, a
impleme ntação ininter rupta das
campanhas de saúde pública junto
às comunidades. Será o fim do
isolamento físico, econômico,
social, cultural e político da área
central do Marajó, onde persistem
altos índices de pobreza e miséria
que assolam a população.
Fonte: AHIMOR
Memória e Resolução
Passatempo
Para Meditar
texto adaptado por L. Roberto Silvado
"Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o Senhor tem sido
generoso para contigo."
Esta é a ordem que o escritor dá a si mesmo e certamente é
algo que todos precisamos nos últimos dias do ano: descanso e
gratidão. Ao ler todo o Salmo 116 você perceberá que antes de
fazer esta afirmação o salmista dá graças a Deus pelo que Ele tem
feito em sua vida. No lugar secreto, a sós com Deus, ele se lembra
do que o Senhor tem feito, e essa meditação muda a sua atitude
para com o futuro.
Qual é o seu maior motivo de gratidão?
E o que este motivo o inspira a fazer e ser?
O olhar em retrospectiva, o olhar o interior e exterior, e o
olhar para o futuro são todos parte de um encontro vital com o
Deus. A reflexão lembra-nos o que Ele tem feito; a introspecção
expõe nossas necessidades; a conscientização revela o que
devemos fazer; e a visão planeja o futuro. Então podemos dizer:
"Amo a Deus porque Ele ouve a minha voz e as minhas súplicas."
Que súplicas suas tem Ele ouvido? Permita que a sua mente
volte ao passado. Lembre-se das épocas em que você orou e o
Senhor concedeu o que era melhor para a sua vida. Agora
descanse e seja agradecido! Um novo ano, um novo começo está
pela frente.
Dessa reflexão crescerá a coragem. Karle Wilson Baker
disse certa vez: "A coragem é o medo que fez as suas orações!"
Podemos dizer como Paulo: "Se Deus está do nosso lado, quem é
que pode estar contra nós?" O olhar para o passado e o exame
interior têm-nos levado a uma perspectiva corajosa do futuro para
hoje e para todos os nossos amanhãs.
Porto de Vila
do Conde, o futuro
porto de Belém.
Em breve, as principais operações portuárias realizadas na
capital do Pará serão transferidas para o Porto de Vila do
Conde. Com essa iniciativa, lucrarão os usuários do Porto de
Belém, a CDP e o cidadão belenense, pois, além da melhoria
no trânsito e na conservação do pavimento com a redução do
tráfego pesado das carretas no centro da cidade, terá a
oportunidade de receber nas áreas desativadas do porto,
equipamentos de lazer e de incentivo ao turismo.
CDP, abrindo novas portas para o Pará e o Brasil.
D
X
A
B
X
G
V
P
A
V
R
A
B
O
U
J
K
B
C
O
L
I
X
Q
I
T
A
V
L
Z
B
Z
M
T
R
A
L
Z
S
X
T
F
G
E
A
D
P
Q
A
Z
D
T
O
A
N
I
X
O
N
E
Z
C
Z
E
O
P
U
A
U
T
D
B
O
Z
N
I
R
M
I
A
H
L
O
R
A
M
A
P
O
G
E
F
A
R
T
B
D
Z
A
A
M
R
T
Y
R
H
C
C
J
K
A
J
A
D
A
D
D
Z
D
U
G
O
I
O
O
E
R
A
C
O
E
S
D
B
O
E
E
A
J
I
A
R
N
S
N
D
Z
L
B
X
A
D
A
R
A
P
N
X
S
S
D
V
C
G
R
R
E
D
O
I
A
T
E
A
B
O
T
P
E
T
I
M
Z
U
D
I
D
C
L
O
S
C
Q
A
Z
D
M
O
R
O
M
S
I
R
U
T
D
C
E
T
P
D
C
D
E
C
R
Q
A
S
R
F
I
F
A
G
X
I
H
D
L
O
L
R
D
C
X
X
G
L
K
A
U
P
X
P
M
S
E
E
E
P
C
B
A
O
P
E
R
A
C
O
E
S
B
A
W
C
A
U
B
U
H
N
I
Z
W
C
L
A
O
G
F
M
X
B
I
D
CAÇA-PALAVRAS
Localize no diagrama acima as palavras em destaque no texto ao lado.
O Alcoolismo
É difícil estabelecer
critérios gerais que diferenciem
quem bebe muito de quem é
alcoólatra. Não é possível
estabelecer um valor numérico
como a quantidade de álcool
ingerido, porque cada pessoa
tem um metabolismo diferente, o
que é muito para uns é pouco
para outros e vice-versa.
Atualmente os critérios
usados para definir alcoolismo
se baseiam nos prejuízos social e
pessoal sofridos por quem abusa
das bebidas alcoólicas ou no
surgimento de sinais de
abstinência/dependência pela
interrupção da bebida. A
abstinência é a falta que o
org ani smo sen te d o ál coo l
depois de um tempo prolongado
de uso de doses não pequenas. Os
principais sinais de abstinência
são tremores, náuseas, vômitos,
tonteiras, mal-estar, fraqueza.
O vício no álcool começa
le nt am en te . N a f as e d e
de pe nd ên ci a ps ic ol óg ic a o
ind iví duo não se con sid era
viciado, acredita que pára
quando quiser. Como nessa fase
não se deseja largar a bebida, o
indivíduo prossegue até que
com ece a se pre jud ica r.
En qu an to fo r ne ga da su a
condição de dependente do
álcool, o paciente seguirá
bebendo e se prejudicando.
Os ho me ns br an co s
jovens são os mais afetados pelo
alcoolismo. O início ocorre em
torno dos 20 anos ou no final da
adolescência, sendo diagnosticado somente em torno dos 30
anos de idade. Porém, não se
pode negar a força da influência
genética no processo que leva
uma pessoa a se tornar ou não
alcoólatra.
A Associação dos
Alcoólatras Anônimos (AAA) é
quem apresenta, no mundo
inteiro, os melhores resultados
em termos de tratamento, mais
do que qualquer forma isolada de
psicoterapia ou controle
farmacológico. Como não existe
remédio que tire a vontade de
beber, alguns médicos usam uma
medicação que bloqueia a
metabolização do álcool, o que
pode causar efeitos danosos à
pessoa. O mais indicado é
realmente não beber!
Dr. Rodrigo Marot-Psiquiatra
Aniversariantes
de fevereiro
Feliz Aniversário!!!
De olho na saúde.
Informativo CDP
4
02- Guilherme Oliveira Braga
06- Paulo Sérgio De Souza Ramos
09- Divino Rodrigues Pereira
10- Oscar Alves Lima
11- Dalila Modesta Nogueira Pessoa
Miguel Gomes Da Silva Filho
13- Edson Luiz Araújo Do Coutto
14- Rui De Souza Assunção
Raimundo Oliveira Pinho
Constancio Almeida Lima
15- Samuel Carvalho De Souza
17- Ismail Pinto Delgado
Edevar Figueira De Castro
18- Newton Maia Colares
Gabriela Miglio Do Carmo
20- Milton Da Silva Leite
Fernando Mariomar De Souza Pereira
22- Ronaldo Dos Reis Castro
23- Edilson Antonio Neves
Luiz Paulo Lima Miranda
25- Caritas Jucara Muniz Adrian
Lucival Da Conceição Rocha
26- Renato Costa Barros
28- Milton Monteiro Ferreira
Otilio Nélio Da Conceição

Documentos relacionados

Ago - CDP

Ago - CDP Órgão de Divulgação da Companhia Docas do Pará DIRETORIA Engº Carlos Acatauassú Nunes Presidente Engº Kleber Ferreira de Menezes Diretor Técnico Econ. Guilherme Oliveira Braga Diretor Adm. Financei...

Leia mais

Abr - CDP

Abr - CDP desenvolvendo um papel de parceria com o Estado no Projeto, disponibilizando pessoal e equipamentos para o trabalho. Utilizando a sua draga "Goiás", a CDP fez a dragagem do rio Guamá, tirando areia...

Leia mais

Dez - CDP

Dez - CDP a CDP voltará suas atenções para Vila do Conde e posteriormente, o terminal de Miramar e o Porto de Santarém.

Leia mais

2009 - CDP

2009 - CDP Mobile Harbour Crane (Guindaste Portuário Móvel)

Leia mais