Hospital pediátrico tenciona melhorar os cuidados

Сomentários

Transcrição

Hospital pediátrico tenciona melhorar os cuidados
Hospital pediátrico tenciona
melhorar os cuidados prestados
aos utentes cum uma solução
de agendamento interativa
Children’s Hospital
of Philadelphia
O Children’s Hospital of Philadelphia tem um historial de inovação nos
cuidados pediátricos que remonta à sua formação em 1855. O hospital
irá utilizar o Microsoft Surface Hub para substituir o sistema manual de
agendamento de blocos operatórios por um quadro digital interativo
em grande ecrã que funcionará em conjunto com a solução existente de
registos médicos eletrónicos. Dispondo de acesso aos dados consolidados
dos utentes através de um só toque, as equipas de prestação de cuidados
de saúde poderão tomar decisões críticas mais rapidamente, melhorando
a qualidade dos cuidados prestados.
The Children’s Hospital of Philadelphia
11.000 colaboradores
www.chop.edu
Estados Unidos
Cuidados de Saúde
R
Hope lives here
Qwaltec
40 colaboradores
www.qwaltec.com
R
Fundado em 1855, o Children’s Hospital of Philadelphia
(CHOP) tem repetidamente sido destacado como um
dos melhores hospitais pediátricos dos Estados Unidos
no U.S. News & World Report Honor Roll.
É o início da manhã no Children’s Hospital of Philadelphia (CHOP) e uma
jovem utente está a ser preparada para cirurgia. Os pais acompanhamna caminho do bloco operatório. Eles apertam a sua mão é medida
que ela passa através de uma porta e é recebida por uma equipa de
cirurgiões, anestesiologistas, enfermeiros e funcionários com batas
verdes. Após um abraço rápido e alguns suspiros, chegou o momento
de os pais se juntarem aos outros membros da família na sala de espera.
Todos os dias, este drama privado que mistura esperança e nervos
é vivido por outras 100 famílias na unidade cirúrgica de 21 camas do
hospital e nas 10 outras instalações em Filadélfia.
Todos os anos, mais de 36.000 crianças são submetidas a procedimentos
cirúrgicos que requerem anestesia no CHOP. Muitos destes procedimentos,
como transplantes bilaterais de mãos e cirurgias fetais, representam a mais
avançada tecnologia de cuidados de saúde na área da pediatria. No
entanto, quer se trate de uma operação de rotina ou de um procedimento
inovador, o desafio de manter uma agenda de cirurgias exata envolve
a coordenação de uma equipa de profissionais de cuidados de saúde
em nome de cada utente. Para enfrentar este desafio, os funcionários do
hospital necessitam de acesso fácil a uma única localização de informações
exatas sobre utentes, colaboradores e localizações.
Atualmente, os colaboradores do CHOP utilizam um sistema manual
para gerirem a agenda de cirurgias. Este quadro magnético é composto
por quatro painéis horizontais cobertos por faixas, cada uma delas
“Vamos utilizar
o Surface Hub
para fazermos
a transição
de processos
analógicos manuais
para um sistema
digital de gestão
de utentes... Isto vai
constituir um ponto
de viragem para
os hospitais que
enfrentem desafios
relacionados
com a perceção
situacional em
tempo real”.
— Dr. Mohamed
Rehman, Diretor de
Anestesia e Transplantes
do Departamento de
Anestesiologia e Terapia
Intensiva do Children’s
Hospital of Philadelphia
com o nome de um utente e as notas clínicas
correspondentes. (Consulte a Figura 1.) Sempre
que um utente passa de um ponto para o seguinte
ao longo dos procedimentos pré-operatórios
e pós-operatórios, um colaborador desloca a faixa
para atualizar a posição do utente. No entanto,
o quadro de agendamento só está disponível para
os colaboradores localizados na unidade cirúrgica,
não estando integrado com o sistema de registos
médicos eletrónicos (EMR) do hospital, chamado
Epic, que possui ecrãs próprios espalhados pelos
corredores e quartos.
Tecnologia de rutura
Em conjunto, o CHOP e a Qwaltec desenvolveram as
especificações de hardware e software para o POC.
Para garantir a adoção pelos utilizadores, a solução
tinha de ser fácil de utilizar, replicando com exatidão
o aspeto e o funcionamento dos quadros magnéticos.
Além disso, tinha de comunicar com o Epic.
Uma cultura de inovação
Sendo o primeiro hospital pediátrico dos Estados
Unidos, o CHOP tem impulsionado descobertas
e inovações na área da medicina que melhoraram
a prestação de cuidados de saúde na área da
pediatria e salvaram a vida de inúmeras crianças.
Esta cultura de inovação vai muito além do âmbito
clínico, envolvendo igualmente procedimentos
administrativos e operacionais. Atualmente, o CHOP
está a trabalhar com a Qwaltec para avaliar a aplicação
de uma abordagem de engenharia de sistemas
(utilizada normalmente na área do espaço e da
aerodinâmica) às suas operações.
“Chamamos Centro de Operações Hospitalares
[HOC, Hospital Operations Center] a este
conceito”, afirma Robert Bassham, Diretor de
Operações da Qwaltec. “O HOC abrange todos
os sistemas utilizados para garantir a saúde dos
utentes que podem ser interligados a um centro
de comandos para monitorização. Depois de
falarmos com o CHOP, pensamos que a utilização
da perceção situacional em tempo real para as
equipas de prestação de cuidados responsáveis
pelo agendamento e realização de procedimentos
cirúrgicos poderá proporcionar vantagens mais
imediatas como um primeiro passo na direção de
um verdadeiro HOC”.
Com este objetivo, o CHOP e a Qwaltec estão a
realizar um processo de prova de conceito (POC)
destinado a validar a ideia de substituir um processo
analógico manual de agendamento de cirurgias
por uma solução digital de perceção situacional em
tempo real que utiliza o dispositivo de colaboração
Microsoft Surface Hub e o sistema operativo
Windows 10.
Exemplo de uma aplicação de perceção situacional em tempo real durante a fase de
desenvolvimento
“A digitalização do quadro magnético de
agendamento manual é uma inovação tecnológica
com um potencial fabuloso. Por este motivo,
é fundamental que utilizemos a melhor tecnologia
para alcançarmos à êxito à primeira tentativa”,
afirma o Dr. Mohamed Rehman, Diretor de
Anestesia e Transplantes do Departamento de
Anestesiologia e Terapia Intensiva do Children’s
Hospital of Philadelphia. “O CHOP aposta no
Surface Hub para ajudar a mudar a cultura
enraizada e marcação de consultas e gestão de
utentes submetidos a cirurgia”.
Existem várias razões pelas quais o CHOP escolheu
o Surface Hub para o POC. O grande ecrã de
84 polegadas do Surface Hub, juntamente com
a definição UHD 4K, permitem apresentar os
quatro quadros físicos num só ecrã, para que as
informações possam ser lidas de forma mais fácil
pelos funcionários a partir de qualquer ponto do
bloco operatório. “O Surface Hub é um dispositivo
"O CHOP aposta no
Surface Hub para
ajudar a mudar a
cultura enraizada
e marcação de
consultas e gestão de
utentes submetidos
a cirurgia".
— Dr. Mohamed
Rehman, Diretor de
Anestesia e Transplantes
do Departamento de
Anestesiologia e Terapia
Intensiva do Children’s
Hospital of Philadelphia
tátil, o que significa que podemos replicar a movimentação das faixas
magnéticas tal como temos estado a fazê-la no quadro físico há imensos
anos”, afirma Rehman. “Não estamos a pedir aos colaboradores para
utilizarem um procedimento radicalmente novo. Tenho a certeza de que
a adoção pelos utilizadores vai ser imediata”.
Aumento da qualidade e redução de custos dos cuidados
de saúde
Com o sistema existente, os quadros magnéticos só podem ser vistos
pelos colaboradores presentes no bloco operatório principal do
hospital. Os colaboradores que estejam a efetuar procedimentos que
envolvam anestésicos noutros pontos do hospital têm de ser avisados
por telefone caso existam alterações à agenda que afetem os utentes
a seu cargo. “Para que o sistema existente funcione, temos de atualizar
simultaneamente o quadro magnético e o sistema Epic para que todos
os colaboradores possam ver as notas. Isto torna-se complicado quando
estamos muito ocupados”, afirma Rehman. “Os colaboradores ficam
frustrados pelo intervalo existente entre o sistema manual e o sistema
digital, que nos força a trabalhar com duas versões da verdade. Estamos
constantemente a fazer chamadas telefónicas para verificar o progresso
das cirurgias e de outros procedimentos não cirúrgicos que envolvam
anestésicos. Estes procedimentos manuais retiram-nos tempo que
deveríamos dedicar aos utentes”.
O plano do CHOP envolve a implementação de um Surface Hub
com uma aplicação universal do Windows 10, escrita pela Qwaltec,
que permite a interoperação com o Epic. O CHOP irá desfrutar de
uma única solução interoperável que funcionará como um centro de
comando digital, apresentando dados atualizados sobre os utentes
em todo o hospital. “A eliminação do intervalo entre a nossa solução
de agendamento de cirurgias e o Epic significa que poderemos
aumentar a qualidade dos serviços prestados, fomentar a transferência
de conhecimentos entre turnos e partilhar resultados médicos com
a totalidade da equipa de prestação de cuidados”, afirma Rehman.
“Poderei pegar na caneta e adicionar notas ao Surface Hub, sabendo
que estas serão atualizadas imediatamente no Epic. Se atribuir um bloco
operatório diferente a um utente, terei a certeza de que os técnicos
presentes nesse bloco operatório estarão totalmente preparados.
O acesso omnipresente e em tempo real a dados exatos sobre os
utentes, ao nível do hospital e em vários dispositivos, incluindo tablets
e telemóveis, está agora ao alcance do CHOP graças ao Surface Hub”.
A nova solução integrada eliminará a necessidade de procedimentos
manuais alternativos, permitindo que os médicos proporcionem
cuidados de saúde de melhor qualidade com custos reduzidos. “Sempre
que reduzimos os atrasos e a duplicação de tarefas, aumentamos as
eficiências e podemos poupar dinheiro”, afirma Bassham. “Um estudo
"O acesso
omnipresente e em
tempo real a dados
exatos sobre os
utentes, ao nível
do hospital e em
vários dispositivos,
incluindo tablets
e telemóveis, está
agora ao alcance
do CHOP graças ao
Surface Hub”.
— Dr. Mohamed
Rehman, Diretor de
Anestesia e Transplantes
do Departamento de
Anestesiologia e Terapia
Intensiva do Children’s
Hospital of Philadelphia
do ROI efetuado por uma empresa independente, a Decision Analysis
Associates, demonstra o valor da abordagem HOC. Numa organização
que envolve 2 mil milhões de dólares por ano, prevê-se que um aumento
de 10 por cento na eficiência operacional gere um aumento anual de 60
milhões de dólares na receita líquida dos serviços prestados aos utentes
após a implementação integral.”
Além disso, visto que o Surface Hub utiliza o Windows 10, qualquer
funcionalidade que a Qwaltec desenvolva para ele também estará
disponível para consulta fácil em smartphones e dispositivos móveis.
Desta forma, quando um cirurgião utilizar um smartphone ou um
dispositivo móvel no bloco operatório para adicionar uma nota sobre
o utente ao Surface Hub, essas informações poderão ser consultadas por
um colega em qualquer ponto do hospital, em casa, num smartphone ou
em qualquer situação que requeira a tomada de decisões sobre cuidados
de saúde em tempo real.
“Para uma empresa do setor de cuidados de saúde, não consigo
imaginar uma história de sucesso melhor do que o Surface Hub no
CHOP”, conclui Rehman. “Vamos utilizar o Surface Hub para fazermos
a transição de processos analógicos manuais para um sistema digital
de gestão de utentes, que permitirá que toda a equipa responsável
pela prestação de cuidados de saúde saiba onde o utente está e possa
consultar um historial clínico atualizado, em qualquer dispositivo e em
qualquer lugar. Esta é a nossa visão e vai constituir um ponto de viragem
para os hospitais que enfrentem desafios relacionados com a perceção
situacional em tempo real”.
Microsoft Surface Hub
O Surface Hub é um dispositivo de colaboração, concebido
para maximizar as potencialidades dos grupos e equipado
com software e serviços da Microsoft como o Windows 10,
o OneNote e o Skype para Empresas.
Para obter mais informações sobre o Microsoft Surface Hub,
visite: www.microsoft.com/surfacehub
Este caso prático destina-se apenas a fins informativos. A MICROSOFT NÃO EFETUA QUAISQUER
GARANTIAS, EXPRESSAS OU IMPLÍCITAS, NESTE RESUMO. Documento publicado em março de 2016