- Dominicanas da Beata Imelda

Сomentários

Transcrição

- Dominicanas da Beata Imelda
IRMÃS DOMINICANAS DA BEATA IMELDA
PROVINCIA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO
N° 60 – AGOSTO – 2015
EDITORIAL
“Vai com audacia e compaixão entre os irmãos e anuncia a Palavra feita
Eucaristia”.
Agosto é o mês vocacional. Vamos navegar pelo nosso Partilhando com as
nossas vocações espalhadas por esta parte da América Latina porque onde está uma
imeldina nós também estamos.
Agosto é o mês de tantos santos nossos: São Domingos (8/8), Santa Rosa de
Lima (23/8), Santa Mônica (27/8) e Santo Agostinho (28/8).
Que Padre Giocondo, comemorado dia oito de julho, continue nos abençoando e
nos ajudando a sermos santas em nossas missões. Boa leitura.
A Redação
JUBILEU DE OURO
Irmã Aparecida Domingos Bomfim, comemora seu jubileu de ouro na
comunidade de Congonhinhas/PR, onde viveu dos 6 aos 19 anos de idade.
Aparecida, filha de José Domingos e Helena Domingos Bomfim,
nasceu em São Paulo, no ano de 1941, numa família de cinco irmãos: João, Aparecida e
Paulo, e dois irmãosque faleceram ainda bebês: Lázaro e Gonçalves.
Entrou na Congregação das Irmãs Dominicanas da Beata Imelda, com 19 anos, fez seus
estudos e formação religiosa em Santa Cruz do Rio Pardo/SP, lugar onde fez seus
primeiros votos em 1965 e emitiu os votos perpétuos em 1971.
Cursou teologia pastoral e enfermagem na cidade de São Paulo, tem trabalhado
em diversas áreas da Congregação (Província): na CRB, na pastoral vocacional da
congregação, formação inicial, como formadora de jovens e irmãs e ao longo de sua
vida de serviço morou em diversas cidades, assumindo diferentes compromissos a
serviço da missão das Irmãs Dominicanas da Beata Imelda, ela entregou parte de sua
vida trabalhando na enfermagem na Santa Casa de Misericórdia de Cornélio
Procópio/PR e em São Paulo/SP na Beneficência Portuguesa. Atualmente mora e
trabalha em São Paulo, onde tem uma instituição educacional que atende 170 crianças e
adolescentes carentes. Também presente na paróquia e na pastoral vocacional regional
São Paulo.
Celebrou na comunidade Nossa Senhora Aparecida de Congonhinhas, dia dois
de agosto seu jubileu de ouro onde viveu a sua infância desde os seis anos de idade até
os
19
anos
quando
seguiu
a
vocação
religiosa.
São 50 anos de consagração a Deus e aos irmãos, por tudo tem dado graças a Deus.
A missa do jubileu dos 50 anos de consagração religiosa da irmã, foi presidida
pelo bispo da diocese de Cornélio Procópio Dom Manoel João Francisco e concelebrada
pelos padres: Wellerson Roberto Dias e
Rafael Direto da comunidade de
Congonhinhas.
COMUNIDAD DE NUESTRA SEÑORA DE GUADALUPE
Queridas Hermanas do Brasil con alegría les comunico que mi viaje para
México fue muy tranquilo, yo le agradezco a Dios por permitirme regresar con
felicidad, aquí a mi país, después de tres años, de formación en preparación para
realizar mi profesión religiosa, estoy muy contenta por haber logrado realizar este
sueño, tan maravilloso y de poder ser una sierva de Dios, y así colaborar para la
construcción del Reino. Por ese motivo estoy muy agradecida con el Señor, porque me
ha dado tantas cosas buenas en mi vida.
Una de ellas es haberme llamado para la vocación eucarística, y la otra por
darme, una nueva familia, la de las Hermanas Dominicanas de la Beata Imelda. Ahora
estoy inserida en la comunidad de Nuestra Señora de Guadalupe, en el estado de San
Luis Potosí, donde voy darle continuidad a la misión, por eso quiero, compartir con
ustedes, los momentos tan, felices que pase, al llegar y ver en la Central camionera de
San Luis Potosí, a mis padres y a las hermanas que me esperaban con tanta alegría, en
la central conocí a la vacacionada, Adriana la vi, a ella tan contenta y tan animada, que
me hizo recordar cuando yo estaba así, ella amablemente nos llevó a casa.
Pero mi sorpresa fue cuando al día siguiente, las Hermanas, el padre Juan José,
mi familia y la comunidad, me tenían preparada una bienvenida, la celebración
Eucarística, y un convivio en el salón de la parroquia, ese día fue tan maravilloso que
nunca voy a olvidar los momentos de felicidad que pase junto con mi familia biológica
y religiosa, otra de las sorpresas que no me esperaba era que mis hermanos me llevaran
mariachi, y que la hija de mi amiga Regis cantara, ella canto algunas melodías junto con
el mariachi.
Durante estos cuatro meses, de convivencia, me he estado integrando a las
pastorales de la parroquia del Inmaculado corazón de María, aquí en la tercera grande,
durante estos meses he estado participando y colaborando, en las diferentes apostolados
de la comunidad, en la cuaresma participe de las Celebraciones del Miércoles de ceniza,
en Peñasquito, los Vargas, Matamoros, en la catequesis de catecúmenos, catequesis para
papas de los niños que van hacer la primera comunión, coordinando el sector 10 y
realizando la lectio divina.
Y acompañando los vía crucis que se realizaron en peñasquito durante la
cuaresma, retiro de cuaresma juvenil, y de adultos, retiro de la pre pascua juvenil con el
lema: “Cristo ¡Vive! Y con Fraternidad Construyo la Paz”, y en la semana santa con el
domingo de ramos que fue elaborado y realizando con escenificación por las colonia, la
preparación para dar inicio al triduo Pascual con Jueves Santo la Misa de la cena del
Señor, para después tener un momento de Adoración con el Santísimo Sacramento. En
el viernes santo se realizó la escenificación de la Pasión del Señor.
Y comenzando la Pascua con la vigilia Pascual. Y también contamos con la
formación del documento del Papa Francisco “EVANGELII GAUDIUM”, junto con
todos los laicos misioneros para así obtener mejor preparación para ir a evangelizar y
anunciar la buena nueva de nuestro señor Jesucristo en el mundo. Otro de los
momentos al cual participe en el sector fue, la Celebración de la Divina Misericordia,
fueron momentos llenos de gracia y de bendiciones para todas las familias de esa
colonia. Todas estas experiencias me han estado ayudado muchísimo a crecer durante
este tiempo, en la misión Apostólica.
Hna Dora Alicia Herrera Garcia
"NO HORIZONTE DA VIDA A HISTÓRIA SE FAZ!"
Na primeira semana de agosto de 2015 (de 2 a 9), tivemos a grande alegria de
receber a visita da família da Rayane e suas irmãs: Letícia, Rhanya e Raíssa. Dona
Madalena, avó, juntamente com as adolescentes: Letícia e Rhanya vieram agradecer as
Irmãs e colaboradores do Projeto Padre Giocondo em Curitiba/PR, a experiência de
convívio e aprendizado que viveram aqui, durante alguns anos. Letícia e Rhanya já
completaram a idade de atendimento, ou seja, elas saíram da faixa etária de
atendimento, que realizamos em nosso Centro Padre Giocondo. Essa família, com muita
simplicidade e carinho, veio manifestar sua gratidão oferecendo-nos este lindo cartão,
que se segue.
As outras crianças, as irmãs gêmeas: Rayane e Raíssa continuam frequentando o
nosso Projeto. Deus seja louvado por este gesto de gratidão, mais ainda, pelas
maravilhas realizadas na vida dessas adolescentes que nos deixam.
Verdadeiramente, no horizonte da promoção da vida e de um serviço dedicado
em prol da cidadania, da transformação social, da construção dos valores cristãos, a
história se faz...
Ir. Karla A. P. Viana
CAMINHADA DA CATEQUESE EM SANTA BÁRBARA
Iniciamos a catequese 2015, em Santa Bárbara de Goiás, no dia 24/01/2015,
quarto sábado do ano, e no dia 01/02/2015 tivemos a missa do envio da Catequese. O
padre Idemar Costa abençoou as catequistas e os catequisandos assim como toda a
comunidade presente. No dia 27/02 tivemos o primeiro Encontro de Catequese com as
famílias dos catequisandos, iniciando com uma oração. Depois foi explicado o motivo
da reunião porque a Catequese a e Família caminham juntas.
Fizemos a acolhida da Palavra que foi proclamada pela catequista Suzane
(Jo15,9-11). Houve uma participação muito boa das famílias na partilha da Palavra
ouvida. Teve também a reflexão sobre o tema da Campanha da Fraternidade - 2015:
Fraternidade, Igreja e Sociedade e o lema: Eu vim para servir. Na reflexão falamos do
compromisso de todo ser batizado, em servir o próximo.
No dia 18 de abril, eu como catequista vivi um dos momentos mais bonito da
catequese, juntamente com a catequista Clarice e a Irmã Terezinha quando foi explicado
as partes da Missa e as crianças encenaram a Instituição da Santa Ceia.
No dia 26/04/15, com muita emoção toda a comunidade presente na igreja pode
celebrar a Primeira Eucaristia de 29 crianças entre 10 e 13 anos, na missa celebrada
pelo nosso pároco Padre Idemar Costa.
No dia 10 de maio houve a Crisma de 17 jovens celebrada pelo Dom Levi,
bispo auxiliar da arquidiocese de Goiânia. Estamos dando continuidade à Catequese de
nossa comunidade, com a graça de Deus, com muita alegria de servir e fazer parte desta
missão.
Marly Jane da Costa - coordenadora da catequese
A NOSSA VIDA É FEITA DE PEQUENOS GESTOS...
No último dia 20 de agosto, um "conhecido", tornou-se nosso amigo e benfeitor,
fez ao CEI Santa Luzia uma singela doação de 100 canecas para as nossas crianças, e
nos disse "Um pouco de nós e muito para as crianças. Obrigado Irmã Andreza Mara
Lobo e ao CEI Santa Luzia por contar comigo. Belo trabalho de vocês!!! As crianças
ganham o presente, más a alegria e felicidade é minha! Sinto muito agradecido”.
Flavio de Freitas
CELEBRANDO OS 50 ANOS DE VIDA RELIGIOSA
Domingo, 16/08/2015, dia dos Religiosos e das Religiosas, a comunidade de
Santa Bárbara teve a alegria de compartilhar com a Ir. Giordana, da Família Imeldina,
a missa dos 50 anos de vida religiosa doada, ofertada a Deus por meio da Igreja e de
sua família religiosa Irmãs Dominicanas da Beata Imelda. A Paróquia de Santa Bárbara
muito agradece a Deus e também às Imeldinas, pela sua presença fraterna, pela
dedicação aos serviços paroquiais e sobretudo pelo testemunho de vida, alimentando
nos jovens, que apesar das fragilidades humanas, ainda vale a pena viver uma entrega
plena a Deus e aos irmãos.
Obrigado Irmã Giordana pela sua entrega e pela sua vida testemunhal de amor
ao Reino no silêncio, no apostolado e na constante preocupação com os mais pobres,
Deus a cubra de bênçãos nesta sua vida de consagrada por meio dasIrmãs
Dominicanas da Beata Imelda.
Padre Idemar Costa - pároco
NOTA: Depois da Celebração Eucarística, fomos para o salão paroquial onde
foi servido salgadinhos, refrigerantes e um especial bolo todo enfeitado. De Goiânia
veio um carro com as Irmãs Andreza, Lurdes e Domingas e também o casal Nilce e
José Neves. A festa foi boa e Ir. Giordana ficou contente, ela tinha pedido só a Missa.
O restante era surpresa.
Ir. Eunice Roder
JUBILEU DE OURO DE IRMÃ GIORDANA MASSAN
Nasceu no dia 03 de agosto de 1938, no Sítio Água da Esperança, em
Quinzópolis/PR e recebeu o nome de Zenaide. Filha do casal: César Massan e Vitória
Fornasier.
Zenaide, sentindo-se chamada à Vida Religiosa, generosamente deu o seu SIM e
iniciou sua formação no dia 10 de setembro de 1962, em Santa Cruz do Rio Pardo – SP,
na Congregação das Irmãs Dominicanas da Beata Imelda. Ali recebeu formação nas
etapas do Postulado e Noviciado e passou a ser chamada pelo nome de Irmã Giordana
Massan.
Irmã Giordana tinha convicção do seu chamado à Vida religiosa, por isso deu
sua adesão livre e consciente ao Senhor que a chamou.
Ser religiosa é questão de muito amor a Jesus Cristo e nesta missão não se pode
ser apenas ouvintes, mas colaboradoras e testemunhas do Reino de Deus.
Irmã Giordana, celebrar 50 anos de vida religiosa é uma grande alegria e
momento de louvor e gratidão a Deus, à Congregação que a acolheu, aos familiares que
generosamente permitiram que se concretizasse seu ideal, a todos os irmãos e irmãs que
com você partilharam a vida e missão em toda sua caminhada.
Jesus Cristo é sua razão de ser, está sempre presente em sua vida e missão.
Procura viver sua palavra, principalmente no que se refere ao lema da Congregação:
“Amar Jesus Eucaristia e fazê-lo amado”.
Irmã Giordana encontrou sustento e alegria de viver sua vocação, na oração, na
Eucaristia, na convivência e dedicação fraterna na comunidade religiosa e no contato
com irmãos e irmãs presentes nas várias realidades Pastorais onde atuou, dando
particular atenção aos mais necessitados e no exercício de conversão continua.
Hoje, sua presença nesta Eucaristia expressa gratidão e carinho a todos que
partilharam da sua vida e missão.
Irmã Giordana, que o Senhor lhe conceda a graça de continuar sua caminhada na
fidelidade ao seu compromisso, por isso lhe asseguramos nossas preces e intercessão de
Deus.
Que os jovens encontrem no seu projeto de vida a força e coragem para
seguirem corajosamente a vocação a que forem chamados e sejam felizes.
Ir. Sophia Marson
CHEGOU ALELUIA…
O mundo Imeldino brasileiro está em festa! Chegou Ir. Fátima Francisco da
Itália, para a visita canônica. Gosto de dizer visita fraterna, porque a canônica distancia
muito. Temos a sensação da chegada da mãe, da amiga, da conselheira, da brasileira
ainda querida por todas. Seu jeito alegre vai observando indo visitando as comunidades,
conhecendo as dificuldades, conversando com as pessoas, participando dos trabalhos
das Irmãs, não no intuito de fiscalizar, mas sim ver de perto aqui e ouvir a voz do povo
e como eles veem a situação das irmãs. Irmã Fátima o seu jeito de fazer-nos ver que a
Vida Religiosa e suas exigencias se torna agradável, leve porque sua autoridade é
compreensiva e cheia de ternura de Deus. Seja benvinda Irmã Fátima e que saibamos
agradecer a Deus por tê-la como nossa geral da Congregação.
Ir. Tereza Bastos
A SERVIÇO DA VIDA E DA ESPERANÇA OU EDUCAÇÃO
Somos educadoras dominicanas imeldinas.
Como estamos educando? É bom lembrar que Jesus não esperava o ensinamento
da prática, ensinava fazendo (Cf Mc 1, 21-28).
O que é educação? Formação para a vida. Desde o nascimento começamos a
receber e introjetar valores, normas, costumes e técnicas do nosso meio social. Aos
poucos vamos fazendo com que a sociedade passe a existir dentro de nós. Verdade? Ou
não é bem assim?
Vale a pena viver bem a nossa consagração porque o melhor educador é o
Testemunho. As palavras voam, o exemplo arrasta.
Obs.: já publicado na revista Partilha número 6 novembro/dezembro de 1997.
Ir. Eunice Roder
CARTA ESCRITA EM 2070 DC
Documento extraído da revista biográfica "Crónicas de los Tiempos" de abril de
2002. Um exercício de imaginação, que está para além da ficção. Preocupante por
vermos que diariamente se desperdiça um recurso tão importante e que não é
inesgotável.
Ano 2070. Acabo de completar 50 anos, mas a minha aparência é de alguém
com 85. Tenho sérios problemas renais porque bebo muito pouca água. Creio que me
resta pouco tempo. Hoje sou uma das pessoas mais idosas nesta sociedade. Recordo
quando tinha cinco anos. Tudo era muito diferente. Havia muitas árvores nos parques,
as casas tinham bonitos jardins e eu podia desfrutar de um banho de chuveiro...
Agora usamos toalhas de azeite mineral para limpar a pele. Antes, todas as
mulheres mostravam as suas formosas cabeleiras. Agora, devemos rapar a cabeça para a
manter limpa sem água. Antes, o meu pai lavava o carro com a água que saía de uma
mangueira. Hoje, os meninos não acreditam que a água se utilizava dessa forma.
Recordo que havia muitos anúncios que diziam CUIDA DA ÁGUA, só que ninguém
lhes ligava - pensávamos que a água jamais podia acabar.
Agora, todos os rios, barragens, lagoas e mantos aqüíferos estão
Irreversivelmente contaminados ou esgotados. Antes, a quantidade de água indicada
como ideal para beber eram oito copos por dia por pessoa adulta. Hoje só posso beber
meio copo. A roupa é descartável, o que aumenta grandemente a quantidade de lixo e
tivemos que voltar a usar os poços sépticos (fossas) como no século passado já que as
redes de esgotos não se usam por falta de água.
A aparência da população é horrorosa; corpos desfalecidos, enrugados pela
desidratação, cheios de chagas na pele provocadas pelos raios ultravioletas que já não
tem a capa de ozônio que os filtrava na atmosfera. Imensos desertos constituem a
paisagem que nos rodeia por todos os lados.
A industria está paralisadas e o desemprego é dramático. As fábricas
dessalinizadoras são a principal fonte de emprego e pagam-nos em agua potável os
salários.Os assaltos por um bidão de água são comuns nas ruas desertas. A comida é
80% sintética. Pela ressequidade da pele, uma jovem de 20 anos está como se tivesse
40. Os cientistas investigam, mas não parece haver solução possível.
Não se pode fabricar água, o oxigênio também está degradado por falta
de árvores e isso ajuda a diminuir o coeficiente intelectual das novas gerações. Alterouse também a morfologia dos espermatozóides de muitos indivíduos e como
conseqüência há muitos meninos com insuficiências, mutações e deformações. O
governo cobra-nos pelo ar que respiramos (137 m3 por dia por habitante adulto).
As pessoas que não podem pagar são retiradas das "zonas ventiladas". Estas
estão dotadas de gigantescos pulmões mecânicos que funcionam a
energia solar. Embora não sendo de boa qualidade, pode-se respirar. A idade média
é de 35 anos. Em alguns países existem manchas de vegetação normalmente perto de
um rio, que é fortemente vigiado pelo exercito.
A água tornou-se num tesouro muito cobiçado - mais do que o ouro ou os
diamantes. Aqui não há arvores, porque quase nunca chove e quando se registra
precipitação, é chuva ácida.
As estações do ano tem sido severamente alteradas pelos testes
atômicos. Advertiam-nos que devíamos cuidar do meio ambiente e ninguém fez caso.
Quando a minha filha me pede que lhe fale de quando era jovem descrevo o bonito que
eram os bosques, lhe falo da chuva, das flores, do agradável que era tomar banho e
poder pescar nos rios e barragens, beber toda a água que quisesse, o saudável que a
gente era, ela pergunta-me: Papai! Porque se acabou a água?
Então, sinto um nó na garganta; não deixo de me sentir culpado, porque pertenço
à geração que foi destruindo o meio ambiente ou simplesmente não levamos em conta
tantos avisos.
Agora os nossos filhos pagam um preço alto e sinceramente creio que a vida na
terra já não será possível dentro de muito pouco tempo porque a destruição do meio
ambiente chegou a um ponto irreversível. Como gostaria voltar atrás e fazer com que
toda a humanidade compreendesse isto, quando ainda podíamos fazer algo para salvar
ao nosso planeta terra!
CAMINHANDO JUNTOS COMO DISCÍPULOS DE CRISTO
No dia 16 de agosto saiu um grupo de catequistas da Paróquia Nossa Senhora das
Dores – Caldas Novas/Goiás às 2 horas da manhã com destino à Trindade/Goiás para
participar da VI Romaria dos Catequistas do Regional Centro-Oeste. Por ocasião da
celebração da Dei Verbum que revela o primado da Palavra na Igreja, o tema da
Romaria foi “Para que eu possa ouvir como discípulo” (Is 50,4). Todos que chegavam
das diferentes dioceses do regional Centro-oeste eram acolhidos com muita alegria pelo
catequista Antônio Baiano e uma equipe responsável de animar e organizar o evento.
Uma vez que estávamos todos aquecidos pela animação saímos em romaria desde a
entrada da cidade de Trindade até o Santuário do Divino Pai Eterno.
No trajeto da romaria rezávamos, cantávamos e testemunhávamos a alegria de
servir. A oração preparada para a romaria desenvolveu-se os temas: Catequistas a
serviço da palavra de Deus; a vida consagrada e a Palavra de Deus; Família, berço da
Palavra de Deus; e Comunidade, lugar da Palavra de Deus. Chegando ao Santuário
celebramos a Eucaristia presidida pelo Dom Eugênio Rixen da Cidade de Goiás que é
responsável pela Comissão de Animação Biblico-catequetico do Regional Centro-Oeste.
Mesmo a Igreja lotada, tudo aconteceu num clima de alegria e serenidade. Depois
nos dirigimos ao ginásio de esportes perto do Santuario para continuar o encontro entre
todos nós. A animação foi sempre responsabilidade do Antônio Baiano e seu filho. O
bispo dirigiu algumas palavras a todos nós catequistas de modo que esquecemos o
cansaço e seguimos motivados a servir na gratuidade e alegria. As palavras de Dom
Eugênio motivaram a refletir sobre a missão do catequista: “Será que na catequese
estamos saciando a sede de Deus na vida? O catequista que não vive o que fala não
transmite nada. Olhar para o catequista e dizer ‘essa pessoa é tão boa que o Deus dela
deve ser muito Bom!’ e ele terminou dizendo “O catequista deve transmitir a bondade
de Deus”.
Ao chegar no ginásio fomos recebidos com um delicioso lanche e muita música! Ao
meio dia todos buscaram seu almoço e depois de visitar a feira de lembrancinhas,
pedimos a benção e proteção do Divino Pai Eterno e retornamos às nossas comunidades
para continuar a linda missão de ouvir e servir como discípulos de Jesus Cristo.
Ir. Sandra de Freitas
ENCONTRO DE LEIGOS IMELDINOS
REGIÃO CENTROESTE
No dia 23/08/2015 aconteceu a reunião da fraternidade leiga dominicana
Imeldina, tivemos momentos de estudo, oração, adoração, e partilha. O grupo da cidade
de Santa Barbara de Goiás era maior numero, de Goiânia contamos com a participação
de 3 leigos e uma irmã. Veio também de Minas Gerais uma pessoa, que muito ama
participar deste encontro, tanto que vem de tão longe para viver momentos ricos de
oração
Nosso estudo se baseou na vida de são Domingos de Gusmão, visto que no
próximo ano será o ano jubilar comemoraremos 800 anos da ordem dos pregadores.
Aprendemos neste encontro como são Domingos era um homem de coração grande,
atento as necessidades do próximo.
Na universidade ele provou que tinha um grande amor pelo próximo, quando
vendeu seus livros para comprar comida para os pobres. Foi ele também o primeiro
sacerdote a ser pregador, pois naquela época, somente o bispo podia fazer a homilia.
Domingos foi convidado a ser pregador por tão grande compromisso com o evangelho.
E por ser um homem de muita sabedoria e conhecimento.
A Irmã Lurdes Lima foi quem conduziu o estudo, ela relatou também a historia
de santa Rosa de Lima, que foi a primeira santa leiga da América Latina, com muita
emoção ela concluiu que Rosa não conseguiu ser nada do que gostaria, mas nunca
abandonou a fé, mesmo nos momentos mais difíceis ela nunca se queixou, e estava
sempre a disposição para servir a quem precisasse de seus cuidados.
A fraternidade Leiga Imeldina é formada por pessoas humildes e comprometida
com a vida da igreja, pessoas que colaboram com as irmãs nos trabalhos pastorais e
obras sociais.
Não poderia deixar de falar o quanto é importante para nos leigos, fazer parte
deste grupo, e sentir o carinho das irmãs por todos nós. “O nosso agradecimento a essas
filhas de São Domingos, que espalhadas pelo Brasil e pelo mundo seguem na sua
missão de amar e fazer amado: Jesus Eucaristia”.
Nilce de Melo Pereira Neves
IGREJA EM MISSÃO
A diocese de Ipameri/GO juntamente com a Diocese-irmã de Botucatu/SP
realizou uma semana de missão na cidade de Orizona/GO e redondezas. Foi uma
experiencia muito boa! Eram 35 pessoas entre sacerdotes, religiosas, seminaristas,
vocacionados e leigos que saíam cada dia pelas ruas da cidade rezando, cantando e
visitando as famílias. A missão aconteceu nos dias 28 de junho a 05 de julho. Em cada
visita uma palavra amiga, de consolo e a oração invocando as bençãos do Senhor para a
família e para a casa ou local de trabalho.
A experiência era diversa em cada casa que se entrava, porem na sua maioria as
pessoas agradeciam muito e se animavam em retornar à igreja, pois por algum motivo
estavam afastadas. Muito triste a realidade de doenças, uma boa parte com situação de
depressão, e da falta de sacerdotes para celebrar com mais frequencia nas zonas mais
distantes como os bairros novos e as fazendas. A visita era feita de dois em dois e no
final todos se encontravam em um determinado ponto e regressavam ao seminário
caminhando e rezando o Terço.
A maioria foi hospedada no seminário e alguns em casa de famílias. Eu tive a
graça de participar dessa missão e fiquei hospedada na casa de uma família maravilhosa.
Dois dias fui escalada para a missão nas fazendas. Foi uma experiência maravilhosa!
Para as fazendas partiam grupos de quatro ou cinco pessoas. Fui para a região de
Montes Claros com o Padre João César de Goiânia, o seminarista Lucas de Botucatu e o
vocacionado Felipe de Caldas Novas. Lá nos hospedamos na casa de uma família muito
católica. A refeição era feita em diversas famílias. O café da manhã numa casa, o
almoço em outra e a janta em outra. O lanche era em todas as casas visitadas.
Retornamos cansados, empoeirados, mas muito contentes e mais gordinhos.
A renovação da fé foi para cada família visitada e para todos nós missionários.
Uma experiência vivida em Montes Claros ao visitar com o seminarista Lucas algumas
casas do povoado, encontramos uma casa fechada e batemos na porta, chamamos mas
ninguém atendeu. Havendo duas senhoras na casa ao lado perguntei se morava alguém
na casa onde batíamos e elas disseram que ali não morava ninguem. Então nos
apresentamos para essas duas senhoras dizendo que éramos missionários católicos e que
estávamos visitando as casas da redondeza.
Grande foi nossa surpresa quando as senhoras nos disseram: “Vocês são
missionários católicos?! Nossa que bom! Nós moramos na casa onde vocês perguntam
se mora alguem. Só falamos que não morava ninguem porque pensamos que vocês
eram dos Testemunhas de Jeová. Por favor vamos lá”.
E assim entramos na casa das duas senhoras e conversamos com elas, rezamos e
demos boas gargalhadas da situação vivida. Pensamos depois, que a Igreja está ausente
naquele lugar de modo que o povo já não conhece as freiras. E assim foram muitos os
episódios que fizeram refletir, rezar e impulsionar para viver a Igreja em missão em
outros rincões. Já ficou determinado o dia e lugar do próximo encontro missionário:
Botucatu nos dias 17 a 24 de janeiro de 2016. A missão foi recheada com visitas,
encontro com os jovens nas Celebrações Eucarísticas, partilha da fé, lazer e muita
fraternidade, alegria e oração.
Ir. Sandra de Freitas
NOTA: Queridas Irmãs, agradecemos os artigos recebidos para esta edição
do Partilhando, mas estamos esperando outros artigos para a próxima edição de
outubro.
Equipe do Partilhando

Documentos relacionados