clique aqui para ler a matéria

Сomentários

Transcrição

clique aqui para ler a matéria
salta aos olhos
De carro, mas longe do volante, um roteiro enológico entre
bodegas, múmias e as montanhas coloridas do deserto argentino
P O R
l u í s
p a t r i a n i
F O t O s
D E
f e r n a n d o
m a r t i n h o
valdemir cunha
do bege ao vinho
Conforme a altitude,
conforme a incidência
da luz, conforme os
minerais, as montanhas
mudam de cor. no spa
patios de Cafayate,
os tratamentos são
todos regados com
a saborosa bebida
tirada da uva
Luís Patriani
[email protected]
salta
flor e espinho
um mar com milhares
de cactos (são 156
espécies) domina o
parque nacional los
Cordones, a mais de
3 mil metros de altitude
32
p r Ó X i m a v i a g E m
p r Ó X i m a v i a g E m
33
Luís Patriani
[email protected]
O
salta
Os olhos e a razão não se convenciam. A menina adormecida
sentada a minha frente poderia acordar de seu sono profundo a
qualquer momento. Mas eu estava cara a cara com uma múmia
de 500 anos de idade, sacrificada num ritual inca no topo do
Vulcão Llullaillaco, nos Andes argentinos. O ar seco e o frio
congelante do alto da montanha de 6739 metros trataram de
manter intacto o corpo da donzela de 15 anos, oferecida aos
deuses junto com sua virgindade. Ao seu lado, repousavam
eternamente ainda um menino de 7 anos e
outra garota de 6.
Descobertas em 1999, as múmias
mais bem conservadas do mundo
foram retiradas do cume nevado e do
esquecimento para se tornarem as
estrelas do Museu de Arqueologia de
Alta Montanha, em Salta, noroeste da
Argentina. Há cinco séculos, Los Niños Del Llullaillaco, como
são mundialmente conhecidos, foram a principal oferenda
da sagrada cerimônia chamada Capacocha. Atualmente, eles
são oferecidos aos turistas e simbolizam esta peculiar região,
marcada pela forte descendência inca e pré-inca.
Em outra parte da cidade de Salta, uma profusão de sons
ecoa da La Casona Del Molino, uma tradicional peña (bar), que
oferece instrumentos musicais para clientes tocarem canções
folclóricas e reviver o passado. O bar balança numa mistura de
ritmos que vem de várias mesas. O programa aqui é botar as
cordas vocais para vibrar e os dedos para dedilhar a viola, ora
tocando animados sambas (não confundir com o nosso ritmo),
acústica perfeita
perto das vinícolas
de Cafayate, a erosão
cavou um imenso
“anfiteatro” no
deserto argentino.
até mercedes sosa
cantou e se encantou
quando esteve aqui
ora tristes chacareras. Três coisas chamam a atenção: a presença de
muitos jovens, a entrega que eles demonstram ao interpretar as
antigas músicas e a bochecha cheia de folhas de coca a lhes dar
energia e identidade. Diferentemente das múmias encontradas
no alto do vulcão, a cultura ainda vive aqui nesta espécie de
karaokê inca.
No dia seguinte, ainda com a imagem das crianças
mumificadas nas retinas e dos gritos musicais nos tímpanos,
De bodega em bodega, o viajante chega aos
4 mil metros de altitude inebriado. Pelo
vinho, pelo ar rarefeito e pelo deserto
34
p r Ó X i m a v i a g E m
caímos na Rota 68 para conhecer esta parte pouco conhecida
do vizinho, onde imperam paisagens naturais incomuns,
sofisticadas pousadas e algumas das melhores vinícolas
do país. Salta ficou para trás. Do espelho retrovisor do
micro-ônibus é possível ver o verdejante vale subtropical que
cerca a cidade de 500 mil habitantes e seus importantes prédios
coloniais (veja boxe).
Nosso primeiro destino é a cidade de Cafayate, no sul da
província de Salta. Poucas horas após a partida, o visual da janela
começa a se transformar. As matas que cobrem as montanhas
passam a dividir o quadro com afloramentos rochosos. Conforme
o tempo passa, a estrada fica sinuosa e os morros mudam
p r Ó X i m a v i a g E m
35
Luís Patriani
[email protected]
salta
tremor e fé
mosaicos e vitrais
barrocos decoram
a Catedral Basílica
de salta, sacudida
diversas vezes por
terremotos
Jesualdo
totalmente de forma e cor. A
Já o amarelo, é uma mescla de
vegetação exuberante foi embora.
rocha calcária e ferro”, revela.
Quem chega para dominar a cena
No meio do dia, enfim,
52
Salinas
Purmamarca
Grandes
são as rochas.
chegamos a Cafayate. Os vinhedos
O verde virou laranja e surgem
na entrada anunciam o que nos
9
os primeiros cactos. Já estamos
espera. Seguimos direto para a
40
San Salvador
em pleno semiárido quando um
Bodega El Porvenir de Los Andes.
San Antonio
de Jujuy
de los Cobres
pequeno grupo de guanacos,
Os antigos barris de 1850, época de
parentes próximos das lhamas, nos
sua inauguração, viraram decoração
dá as boas-vindas. Logo depois, um
e batem de frente com as modernas
rebanho de cabras é conduzido
máquinas de seleção das uvas. A
51
por um cão em direção à pastagem.
produção de 25 mil garrafas por ano
A história desses cachorros
é considerada pequena e ideal para
Salta
chamados cabreros é curiosa. Ainda
uma bodega butique, como a El
40
Nevado de
filhotes, são retirados de suas mães
Porvenir. O difícil é escolher entre
Cachi 6.380 m
Poyogasta
El Carril
e passam a amamentar nas novas
tantos vinhos bons, como o Malbec,
Cachi
33
“mães” cabras. O resultado é uma
Tannat e Torrontés, que quase
40 Parque Nacional
troca de identidade animal: os
sumiu do mapa por conta de uma
Los Cardones
cachorros pensam que são cabras.
praga. A saída para tirar a dúvida é a
Molinos
Mais adiante, chegamos à Posta
degustação, feita durante o almoço
68
Colomé
de Las Cabras. O nome justifica
na bela casa central da vinícola.
a inusitada história acima. Os
No momento de ir embora,
N
40
queijos artesanais feitos com o leite
os seres mais abastados correm o
da fêmea do bode são deliciosos. O
risco não apenas de comprarem
cardápio é vasto. Tem queijo com
alhumas botellas, mas também de
Cafayate
pimenta-negra, orégano, natural,
arrematar um terreninho no meio
curado e até doce de leite. Um
dos imensos vinhedos. Explica-se:
nosso roteiro sobre quatro rodas começa em salta, desce por
paraíso para os amantes de queijo.
80 dos 550 hectares da vinícola
Cafayate, vai a Colomé, sobe para Cachi, volta a salta, segue para
purmamarca (via salinas Grandes), passa por Jujuy e retorna a salta
De volta ao ônibus, o guia
foram loteados e a ideia de ter
anuncia as próximas atrações.
uma casa de campo e até seu
A primeira é a Garganta do Diabo, uma fenda na montanha de
próprio campo de golfe já atraiu muitos norte-americanos e
argila, formada pela erosão nos últimos 60 milhões de anos. A
europeus endinheirados.
segunda chama-se anfiteatro e, com o perdão do trocadilho, é um
Na hora de se hospedar em Cafayate, mais vinho no copo.
espetáculo. A força dos ventos e das águas formou um espaço
A pousada Pátios de Cafayate orbita em torno da bebida.
circular que, se não bastasse a semelhança com um recinto
A história começou em 1892, quando os irmãos franceses David
artístico, tem uma acústica excelente. Sob a abóboda natural,
e Salvador Michel, atraídos pelas condições ideais do solo nos
um trio afinado manda ver seu repertório de músicas andinas.
vales Calchaquíes, montaram a bodega Leyenda de El Esteco.
A qualidade dos sons da flauta, do tambor
e do charango (espécie de cavaquinho)
impressionam. Parecem instrumentos
elétricos e devidamente equalizados. Até a
famosa cantora Mercedes Sosa, dizem, não
se conteve e soltou a voz no anfiteatro.
O show deixa o palco natural forjado há
milhões de anos e continua na vazia Rota 68.
A cada curva surge uma figura esculpida nas rochas. A definição dos Quase cem anos depois, em 1990, seus herdeiros ergueram um
contornos depende da imaginação. Algumas formas, no entanto,
dos primeiros hotéis butique de luxo voltados para o turismo
não deixam dúvidas. Casos do El Sapo, do El Frade, do El Clavo,
enológico na Argentina. O spa do hotel é autoexplicativo. A
do El Titanic, do El Castilho e outros muitos Els. De repente, no
brasileira Paula Bilenky sentiu na pele, ao fazer hidromassagem
fim da reta, uma montanha alva desponta na paisagem. Ali existia
de cabernet. O banho de vinho tinto é antioxidante, mas o visual
uma antiga mina de gesso. O branco contrasta com as montanhas
que ela tinha de dentro da banheira da pré-Cordilheira dos
vizinhas em tons vermelhos, verdes, amarelos, laranja e até prata.
Andes, com suas montanhas laranja de 5 mil metros de altitude,
O guia explica quem é o responsável pela variada palheta de cores
rejuvenesce até as células mais desgastadas.
dos morros. “Foi o acúmulo de minerais. O tom avermelhado é
No dia seguinte, ainda insatisfeitos com a imersão alcoólica,
óxido de ferro. A cor esverdeada fica por conta do sulfato de cobre.
seguimos pela Rota 40 em direção ao vinhedo mais alto do mundo.
Nem quando soltam a voz nos típicos
karaokês os saltenhos deixam de mascar
a folha de coca. Tradição de boca cheia
36
p r Ó X i m a v i a g E m
GLÓRIA DOS
IDOS COLONIAIS
diferentemente de Buenos aires, que teve um escasso desenvolvimento na colonização, até 1776, e foi ignorada pelos espanhóis
por mais de dois séculos, Salta ganhou papel de destaque nesse
período. durante a Guerra da independência da argentina, a cidade
foi quartel-general das expedições ao alto Peru e na luta contra
os realistas (espanhóis e pró-espanhóis). Tamanha importância
deixou uma rica herança na sua arquitetura colonial. as principais
construções são a catedral Basílica (foto), o cabildo (onde funciona
atualmente o museu histórico do norte e o museu colonial e das
Belas artes) e o convento de São Francisco, com sua imensa torre
de 53 metros de altura, a maior da américa do Sul.
p r Ó X i m a v i a g E m
37
Luís Patriani
[email protected]
salta
las carreteras
tudo andino
a pré-Cordilheira
dos andes emoldura
a paisagem por
onde circula o povo
argentino de
traço indígena,
bem diferente dos
portenhos
O visual da viagem segue superlativo e cada vez mais lunático.
A região de Salta definitivamente não se parece com o nosso planeta.
O caminho de terra e cascalho passa no meio da La Quebrada
de Las Flechas, uma sequência de montanhas recortadas
pelo vento que, como já diz o nome, parecem setas.
Poucos quilômetros depois, cruzamos a vila de Molinos, com
1500 habitantes, mas que naquele momento parecia ter zero.
Todos tiravam uma siesta. Don Nicolas
Severo de Isasmendi, morto em 1837,
foi um dos moradores mais ilustres
de Molinos. Para muitos, um traidor.
O motivo? Ele foi o último governador
realista (pró-Espanha) em Salta na época
da colonização e combateu o caudilho
peruano Tupác Amaru.
Depois de horas balançando dentro do
ônibus, os vinhedos surgem no meio do vale como um oásis em
pleno deserto. Chegamos à vinícola e hotel Colomé, 3 mil metros
acima do nível do mar. Os portões de ferro se abrem como se
estivéssemos adentrando um mundo à parte. E, de fato, estamos.
O lugar impressiona pela mistura de belas paisagens, luxo e,
por asfalto ou por terra,
um delicioso passeio
entre vinícolas,
múmias centenárias,
hotéis de adobe,
bodegas coloridas,
gastronomia andina,
ruínas pré-incaicas
e lojas de artesanato
obviamente, pelos excelentes vinhos. O almoço é servido ao ar
livre em uma varanda com vista panorâmica do nevado de Cachi.
Eufóricos, os visitantes brindam a imponente montanha de
6 348 metros de altitude com uma taça de Colomé Malbec Estate,
eleito em uma competição na Europa na 38ª posição entre os cem
melhores vinhos tintos do mundo.
A celebração continua algumas garrafas depois, agora na
Ruínas de vilas pré-incaicas e múmias
preservadas pelo frio e pela aridez
garantem a viagem a um passado longínquo
38
p r Ó X i m a v i a g E m
piscina. Não é preciso estar embriagado para se inebriar com o
local. A paisagem e o paisagismo em volta da piscina embebedam
a mente até dos mais sóbrios. De um lado, cactos e plantas
coloridas; do outro, vinhedos que produzem 1,3 milhão de
garrafas de vinho por ano. Em frente, a onipresença da
p r Ó X i m a v i a g E m
39
Luís Patriani
[email protected]
salta
aGendaDEViaGem ➔ salta
Purmamarca
■ hotel la Comarca
Rota 52, km 3.8, % 388 4908001,
www.lacomarcahotel.com.ar
a imperdível montanha das Sete
cores serve de cenário para suítes
e chalés em estilo andino, piscina
climatizada, e cozinha regional
e internacional. diária a partir
de 290 pesos.
s a B o r e a r
SalTa
o la merced, em Cachi, tem suítes feitas em adobe. por dentro, quanta diferença
f i C a r
SalTa
■ sheraton
Av. Ejército Del Norte, 330, % 387
4323030, www.starwoodhotels.com
É o hotel mais sofisticado da cidade.
Fica no alto de um morro e tem
privilegiada vista de Salta. as 145
suítes, além do visual do vale, estão
equipadas com ar-condicionado, Tv,
frigobar e internet wireless.
O restaurante oferece cozinha
internacional e excelente carta de
vinhos. diárias a partir de uS$ 140.
■ solar de la plaza
Juan M. Leguizamón, 669, % 387
4315111, www.solardelaplaza.com.ar
O hotel funciona onde era a
residência da tradicional família
aristocrática Patron costas. a
parte antiga remete ao passado
com suas grades de ferro, móveis
antigos e piso de madeira. diárias
desde uS$ 210.
caFayaTe
■ patios de Cafayate
Rota Nacional 40 y Rota
Nacional 68, % 3868 422229,
www.patiosdecafayate.com
imagine uma casa aristocrata do
século 18, com amplas salas e
quartos com mobiliário de época,
pátios internos com fontes e árvores frutíferas, além de uma vista
espetacular dos vales calchaquíes
e suas montanhas andinas. conte
ainda com um spa enológico.
diárias a partir de uS$ 245.
mOlinOS
■ Bodega & estancia Colomé
Rota Provincial 53, km 20, % 3868
494043, www.bodegacolome.com
construída em 1831, a vinícola
colomé é a mais antiga da argentina, além de ser a mais alta do
mundo. O hotel veio depois e se
contagiou com a qualidade dos
vinhos produzidos aqui. destaque
para a piscina e o projeto paisagístico do jardim. diárias por uS$ 340.
cachi
■ la merced del alto
Fuerte Alto, % 3868 490030,
www.lamerceddelalto.com
aos pés do nevado de cachi, a
pousada reverencia com estilo a
presença da montanha. Sua arquitetura colonial, feita em adobe,
abriga 14 confortáveis suítes, um
excelente restaurante de comidas
regionais, além de um moderno spa.
diárias a partir de uS$ 147.
C
o
m
■ dona salta
Rua Cordoba, 46, % 387 4321921,
www.donasalta.com.ar
a melhor comida regional da
cidade. não deixe de experimentar
as humitas (4,50 pesos), tipo de pamonha recheada com queijo, e as
tradicionais empanadas (2 pesos).
cafayate
■ el porvenir de los andes
Rua Cordoba, 32, % 3868 422007,
www.bodegaselporvenir.com
esta pequena bodega produz alguns
dos melhores vinhos da argentina.
destaque para os tintos laborum
malbec e laborum Tannat, e para
o branco laborum Torrontés.
p a s s e a r
SalTa
■ maam
Rua Mitre, 77, % 387 4370499,
www.maam.org.ar
O museu foi construído especialmente para receber as múmias
de llullaillaco e mostrar a rica
história da civilização inca no
noroeste da argentina.
V
i
a
J a
m
o
Como CheGar
a Gol linhas aéreas
faz voos diários para
Buenos aires a partir
de r$ 584. Para chegar a
Salta, a melhor opção é pela lan.
Tarifas a partir de 393 pesos.
melhor ÉpoCa
não existe época ruim para
viajar ao noroeste da argentina.
chove pouco, o verão (dezembro
a março) é bem quente, e o
inverno (junho a setembro) só
é muito frio nas regiões acima
dos 3 mil metros de altitude.
paCotes
a Venturas & Aventuras, % (11)
3872-0362, www.venturas.com.
br, oferece dois pacotes para a
região noroeste da argentina.
O primeiro (8 dias) inclui quatro
noites em Salta e uma noite
nas cidades de cafayate, cachi
e Purmamarca. custa a partir
de uS$ 1 480 em apartamento
duplo (somente terrestre) e
uS$ 600 (parte aérea pela
lan). a viagem inclui guias
especializados, seguro viagem
e hospedagens com café da
manhã nos hotéis escolhidos.
O segundo pacote é um
roteiro enológico de sete
dias e o cliente tem direito a
duas noites no Sheraton de
Salta, uma noite no Pátios de
cafayate, em cafayate, duas
noites na estância colomé,
em colomé, e uma noite no la
merced del alto, em cachi.
O itinerário prevê também
visita com degustação e almoço
na vinícola Porvenir de los
andes, degustação na vinícola
domingo hermanos, e um
almoço e dois jantares na
estância colomé. custa a partir
de uS$ 1850 em apartamento
duplo (somente terrestre) e
uS$ 600 (parte aérea pela lan).
■ la Vieja estacion
rua Balcarce, 885,
% 0387 4217727
Seu auge aconteceu nas
décadas de 50 e 60, mas as
apresentações folclóricas, principalmente as danças regionais,
mantêm a empolgação e a originalidade até os dias de hoje.
■ la Casona del molino
Luís Burela 1, % 0387 4342835
É a peña (bar) mais badalada da
cidade. Os clientes, alguns vestidos a caráter, vêm até aqui para
cantar e tocar (os instrumentos
são cedidos pela casa) músicas
tradicionais.
o
Guia
prático
s
eu e o fotografo Fernando martinho viajamos com o apoio da venturas & aventuras, da equinoxe, da andes
linhas aéreas e do ministério de Turismo de Salta. Para evitar o mal-estar devido às elevadas altitudes, não
deixe de mascar a folha de coca.
44
Luís Patriani
p r Ó X i m a v i a g E m
Luís Patriani
[email protected]

Documentos relacionados

Norte Argentino e Termas de Rio Hondo

Norte Argentino e Termas de Rio Hondo SALVADOR/BUENOS AIRES/SALTA: Apresentação no aeroporto para embarque com destino a Buenos Aires em conexão para SALTA. Chegada, recepção e traslado ao hotel. SALTA: Café da manhã e saída para visit...

Leia mais