7tWXOR `HWHUPLQDomR GR 7HRU GH ÈFLGR $FpWLFR HP

Сomentários

Transcrição

7tWXOR `HWHUPLQDomR GR 7HRU GH ÈFLGR $FpWLFR HP
$XOD([SHULPHQWDOQƒ
7tWXOR'HWHUPLQDomRGR7HRUGHÈFLGR$FpWLFRHP9LQDJUHH+LGUy[LGRGH
0DJQpVLRHP/HLWHGH0DJQpVLD
2EMHWLYRV: Determinar o teor de ácido acético em amostra de vinagre e de hidróxido de
magnésio em amostra de leite de magnésia, utilizando titulação ácido-base.
3URFHGLPHQWRV
$'HWHUPLQDomRGR7HRUGHÈFLGR$FpWLFR+ &&22+HP$PRVWUDGH9LQDJUH
1.
Pipetar 10 mL de vinagre, para um balão volumétrico de 100 mL. Completar o volume
com água destilada até o traço de referência.
2.
Pipetar 25 mL da solução preparada para Erlenmeyer. Adicionar aproximadamente
20 mL de água destilada e 2 a 3 gotas de fenolftaleína como indicador.
3. Titular com solução padronizada de NaOH, até coloração rósea que persista por
cerca de 30 segundos, indicando o ponto final da titulação. Anotar o volume
consumido de NaOH.
4. Repetir a titulação.
%'HWHUPLQDomRGR7HRUGH+LGUy[LGRGH0DJQpVLR0J2+ RXPDJQpVLR0J QR/HLWHGH0DJQpVLD
1. Agite vigorosamente o frasco que contém o leite de magnésia para homogeneizar a
suspensão, o que garantirá uma maior precisão no teor a ser determinado.
2. Em um béquer de 50 mL, pese cerca de 1g desse leite de magnésia previamente
homogeneizado. Usando um frasco lavador com água destilada, transfira essa massa
para um Erlenmeyer, enxaguando o béquer várias vezes para garantir toda a
transferência para o Erlenmeyer.
3. Pipetar 50 mL (pipeta volumétrica) da solução de HCl 0,1 molL-1 padronizado e
homogeneizar a solução resultante. Adicione ao Erlenmeyer 2 a 3 gotas de
fenolftaleína como indicador.
4XtPLFDSDUD(QJHQKDULD$PELHQWDO
1
$XOD([SHULPHQWDOQ 7tWXOR'HWHUPLQDomRGR7HRUGHÈFLGR$FpWLFRHP9LQDJUHH+LGUy[LGRGH0DJQpVLRHP
/HLWHGH0DJQpVLD
4. Titular com solução padronizada de NaOH até que a coloração incolor da solução
passe a rosa e persista por cerca de 30 segundos, indicando o ponto final da titulação.
Anotar o volume de NaOH consumido referente a cada massa de leite de magnésia.
5. Repetir a titulação.
&RPHQWiULRV*HUDLV Na titulação de ácido fraco com base forte e na titulação de base
fraca com ácido forte é muito importante a escolha do indicador a ser usado, para
minimizar o erro de titulação, já que nesses casos a inclinação das curvas de titulação
não são tão acentuadas, quanto nas titulações de ácidos fortes com bases e vice-versa.
4XtPLFDSDUD(QJHQKDULD$PELHQWDO
2

Documentos relacionados

Titulações ácido-base - Instituto Politécnico de Tomar

Titulações ácido-base - Instituto Politécnico de Tomar Uma solução de NaOH pode ser aferida por titulação com uma solução contendo um ácido que constitui o padrão primário. O ácido geralmente utilizado é o hidrogenoftalato de potássio, KHP. A reacção p...

Leia mais

Prática padronização

Prática padronização Aplicando os princípios fundamentais de concentração, calcule o volume da solução 1 mol/L necessário para o preparo de 250 mL de solução 0,1 mol\L de HCl. Meça o volume calculado e transfira para o...

Leia mais

Preparação e padronização de soluções.

Preparação e padronização de soluções. São exemplos destas substâncias o carbonato de sódio, Na2CO3, o hidrogenoftalato de potássio, KH(C8H4O4), o oxalato de sódio, Na2C2O4, o cloreto de potássio, KCl., o cloreto de sódio, NaCl e o óxi...

Leia mais

Determinação de Peróxido

Determinação de Peróxido Pipetar 15 mL da solução de iodo e transferir para um erlenmeyer. Titular com solução padrão de Na2S2O3 0,05 mol/L até a coloração da solução se tornar levemente amarelada. Adicionar 5 gotas de sol...

Leia mais

ACTIVIDADE LABORATORIAL – QUÍMICA 11º ANO TITULAÇÃO ÁCIDO

ACTIVIDADE LABORATORIAL – QUÍMICA 11º ANO TITULAÇÃO ÁCIDO ácido-base. Numa titulação, conhece-se a concentração de uma das espécies, o titulante, e determina-se a concentração da outra espécie, o titulado. Se a espécie química a titular for um ácido ou um...

Leia mais