Artigo

Сomentários

Transcrição

Artigo
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA
ISSN 1519-5228
Volume 9 - Número 2 - 2º Semestre 2009
Rendimento da cana-de-açúcar irrigada nos tabuleiros costeiros da Paraíba sob
aplicações parceladas de diferentes adubos
Daniela Batista da Costa1, Carlos Alberto Vieira de Azevedo2, José Dantas Neto3, Carlos Henrique de Azevedo Farias4
RESUMO
A cana-de-açúcar é de relevante importância econômica e social para o mundo, como fonte de
produtos alimentares e farmacêuticos e de energia. Esta pesquisa estudou os efeitos de diferentes
adubos em aplicações parceladas sobre o rendimento da cana-de-açúcar (Saccharum officinarum L),
variedade SP-791011. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com três
repetições, testando-se os adubos SC01 (630 kg ha-1), 12-00-24 (400 kg ha-1) e uréia (200 kg ha-1),
aplicados em única e em duas doses, com e sem adubação orgânica (600 kg ha-1). Foram analisadas
as variáveis produtividade dos colmos (PDC) e os rendimentos brutos de açúcar (RBAç) e de álcool
(RBAl). Os tipos de adubos e suas diferentes épocas de aplicação, causaram diferença significativa
a 1% de probabilidade para o PDC e o RBAç, e a 5% para o RBAl. Os maiores PDC ocorreram nos
tratamentos com os adubos CS01 e 12-00-24 associados à matéria orgânica e no tratamento com
uréia, aplicados em duas doses. Estes tratamentos e o que usou o adubo 12-00-24 e matéria
orgânica, aplicados em única dose, também tiveram os maiores valores de RBAç,. O maior RBAl
foi obtido pelo tratamento com uréia aplicada em duas doses. O parcelamento das adubações
associado à matéria orgânica contribui positivamente para o rendimento da cana-de-açúcar.
Palavras-chave: Álcool, adubação de cobertura, matéria orgânica.
Sugarcane yield irrigated in the coastal lands of Paraíba under parcel
applications of different fertilizers
ABSTRACT
The sugarcane is of relevant economical and social importance for the world, as source of
alimentary and pharmaceutical products and of energy. This research studied the effects of different
fertilizers in parcel applications on sugarcane yield (Saccharum officinarum L), cultivate SP791011. The experimental design was entirely randomized, with three repetitions, being tested the
fertilizers SC01 (630 kg ha-1), 12-00-24 (400 kg ha-1) and urea (200 kg ha-1), applied in only one
and in two doses, with and without organic manuring (600 kg ha -1). The variables productivity of
stems (PDC) and the gross yields of sugar (RBAç) and of alcohol (RBAl) were analyzed. The types
of fertilizers and their different application times caused significant difference to 1% of probability
for PDC and RBAç, and to 5% for RBAl. Largest PDC happened in the treatments with the
fertilizers CS01 and 12-00-24 associated to organic matter and in the treatment with urea, applied in
two doses. These treatments and the one that used the fertilizer 12-00-24 and organic matter,
applied in only one dose, also had largest RBAç. Largest RBAl was obtained by the treatment with
urea applied in two doses. The parcel of the manurings associated to organic matter contributed
positively for sugarcane yield.
Keywords: Alcohol, covering manuring, organic matter.
116
1 INTRODUÇÃO
A cana-de-açúcar é uma gramínea
perene pertencente à família Saccharum, própria
de climas tropicais e subtropicais. As variedades
cultivadas são quase todas híbridas das espécies
Saccharum
Officinarum,
Saccharum
Spontaneum e Saccharum Robustum, entre
outras (Passos et al., 1973). A cultura da canade-açúcar representa expressivo diferencial
econômico para o mundo, tanto pela sua
importância como fonte
de
produtos
alimentares,
farmacêuticos
ou
como
significativo
componente
para
o
desenvolvimento da indústria, na forma de
gerador de energia (Carvalho, 2003).
No Brasil, a cana-de-açúcar foi um dos
principais produtos para a formação das bases
econômica, política e social, e ainda hoje o setor
produtor de cana é de suma importância não só
como gerador de renda na agricultura, mas
também como agente definidor de fatores de
produção, em especial no uso de áreas agrícolas
(Castilho, 2000). Segundo Coleti (1987), o
Brasil, devido suas dimensões continentais,
proporciona à cultura canavieira as mais
variadas condições climáticas. Possivelmente é
o único país do mundo com duas épocas de
colheitas anuais: uma na região norte-nordeste
(setembro-abril) e outra na região centro-sul
(maio-dezembro).
O
Brasil
tem
uma
área
de
aproximadamente 5,63 milhões de hectares
cultivada com cana-de-açúcar, com uma
produção em torno de 436,8 milhões de
toneladas de colmos na safra de 2005. Na safra
2004/2005, a moagem foi de 380 milhões de
toneladas de cana, produzindo 24 milhões de
toneladas de açúcar e 14 bilhões de litros de
álcool. Essa produção posiciona o Brasil no
primeiro lugar em produção mundial de açúcar
(IBGE, 2005).
Conforme Marques & Silva (2008), o
melhor rendimento da cana-de-açucar pode ser
alcançado mediante o estudo desta cultura em
seu
ambiente
de
desenvolvimento
(edafoclimático), objetivando o estabelecimento
de um manejo cultural adequado. Nas áreas
tradicionais e, sobremaneira, nas regiões de
expansão da cultura canavieira no Brasil, a
adubação constitui prática fundamental para o
alcance de maiores produtividades e, desta
forma, o uso adequado dos fertilizantes torna-se
uma prática indispensável para a obtenção de
produções rentáveis (Silva, 2003). Deste modo,
a aplicação racional da adubação do solo é
critério fundamental para o aumento da
produtividade e do retorno econômico na
agricultura.
Para que as exigências nutricionais da
cana-de-açúcar venham a ser satisfeitas de
maneira racional, torna-se fundamental o
conhecimento não apenas das quantidades de
nutrientes necessários, mas também da época
em que eles são requeridos com maior
intensidade. Essas informações permitem a
realização de adubações em níveis adequados,
bem como sua execução nas épocas ideais de
utilização pela cultura (Silva & Casagrande,
1983).
Este trabalho buscou, através de
pesquisa de campo, estudar o efeito de
diferentes alternativas de adubações de
cobertura, quanto ao tipo de adubo e época de
aplicação, nos parâmetros tecnológicos da
primeira folha da cana-de-açúcar, irrigada nos
tabuleiros costeiros da Paraíba, tomando-se
como referencial a variedade SP 791011.
2 MATERIAIS E MÉTODOS
O experimento foi realizado na Fazenda
Capim, da Destilaria Miriri, do Grupo
UNIAGRO, situada no município de Capim,
PB, a uma latitude de 60 56’, longitude 350 07’, e
altitude de 100 m. O solo predominante na
fazenda é um Alissolo (Embrapa, 1999). A
precipitação média anual é de 1.000 mm, com
seis meses secos; o clima é quente e úmido, com
chuvas de outono a inverno.
O delineamento experimental foi
inteiramente casualizado constituído de 12
tratamentos (Tabela 1), com três repetições. Os
fatores variáveis a todos os tratamentos
consistiram em adubações de cobertura orgânica
e mineral aplicadas em doses e épocas
diferenciadas. As adubações de cobertura foram
compostas por: adubação mineral com os
adubos 12-00-24 e SC01, adubação com uréia e
com matéria orgânica (gelosa), tomando-se
como base os níveis recomendados pela equipe
de consultores da Destilaria Miriri (400 kg ha -1
117
de 12-00-24, 630 kg ha-1 de SC01, 200 kg ha-1
de uréia e 600 kg ha-1 de gelosa), que se
baseiam em parâmetros do solo, mediante uma
prévia análise, e no rendimento econômico da
cultura sob condições de sequeiro. A
composição química do adubo SC01 e da gelosa
encontram-se
nas
Tabelas
2
e
3,
respectivamente.
117
Esta pesquisa abrangeu o último ciclo
da cultura (1ª soca), que correspondeu ao
período entre setembro de 2004 e setembro de
2005. A variedade de cana-de-açúcar
(Saccharum officinarum L.) utilizada na
pesquisa foi a SP 791011, muito difundida no
estado da Paraíba.
As parcelas experimentais foram
constituídas de 9 fileiras espaçadas 1,2 m,
com comprimento de 12 m e uma área total de
96 m2. A área útil da parcela foi de 84 m 2,
compreendendo as sete fileiras centrais com
10 m de comprimento cada uma, sendo a
bordadura constituída de uma fileira de
plantas de cada lado e de 1,0 m em cada
extremidade da parcela útil (Figura 1).
O experimento foi instalado na área do
pivô fixo da Fazenda Capim. Foram
realizadas duas avaliações referentes ao
desempenho do sistema de irrigação, uma no
início do experimento e outra próxima à
colheita da cultura. O pivô central trabalhou
com uma eficiência de aplicação de 85% e a
uniformidade de distribuição de 79%.
A quantidade de água aplicada em
cada irrigação foi igual a 27,5 mm,
118
correspondente à irrigação e a precipitação
efetiva. O balanço hídrico do experimento foi
feito levando-se em consideração a
quantidade de água total (precipitação efetiva
mais lâmina líquida da irrigação aplicada), a
evapotranspiração real e a capacidade da água
aproveitável no solo. Considerou-se como
precipitação efetiva o valor da chuva igual ou
menor que a capacidade de água aproveitável
do solo e/ou da evapotranspiração do turno de
irrigação de 12 dias. A evapotranspiração real
foi calculada pela equação:
ETr = 0,75*Kc*EV
(Eq. 1)
Em que: ETr - evapotranspiração real
em mm;
Kc - coeficiente de cultivo segundo
Doorenbos & Kassan (1979) adaptado para o
período de 14 meses, por DSF (1999);
EV - evaporação do tanque classe A
em mm.
O corte da segunda folha da cana-deaçúcar foi realizado em setembro de 2005, 12
meses depois do corte da cana-planta
(primeira soca); a colheita se deu
manualmente, após a queima da cana.
A avaliação da produtividade média de
colmos (PM) foi realizada nas sete fileiras
centrais da área útil da parcela colhida,
contando-se o número de colmos, pesando-se
e calculando-se, sendo esses valores
convertidos para kg ha-1 através do cálculo
seguinte:
PM = Nc x 8333,33
(Eq. 2)
Em que: Nc é o número de colmos por
metro linear e 8333,33 é o total de metros
lineares de cana-de-açúcar em um hectare, de
acordo com o espaçamento utilizado no
experimento.
Os rendimentos brutos de açúcar
(RBAç) e de álcool (RBAl) foram calculados
de acordo com a metodologia apresentada por
Caldas (1998) e utilizada na destilaria Miriri,
onde:
RBAç = (PCC * PC)/100
(Eq. 3)
Em que: RAç - Rendimento de açúcar
em t ha-1; PCC - Quantidade de açúcar bruto
em % contido nos colmos, determinada em
laboratório; PC - Produção de colmos em t ha1
.
RBAl = (((PCC * F) + ARL) * 10) * Fg * PC
(Eq. 4)
Em que: RA - Rendimento de álcool
bruto em litros por tonelada de cana; PCC Quantidade de açúcar bruto em % contido nos
colmos, determinada em laboratório; F - Fator
de transformação estequiométrica de sacarose
em uma molécula de glicose mais uma de
frutose, igual a 1,052; ARL - Açúcares
redutores livres em %, cujos valores variam
de 0,7 a 0,85 %, sendo que a destilaria utiliza
0,7 para PCC alto; Fg - Fator de Gay Lussac
igual a 0,6475; PC - Produção de Colmos em
t ha-1.
Os resultados foram analisados
estatisticamente, através da análise de
variância,
utilizando-se
o
software
ASSISTAT (Silva & Azevedo, 2002 e 2006),
e quando ocorreram efeitos significativos dos
fatores nos tratamentos, utilizou-se o teste de
Turkey para comparação das médias.
3 RESULTADOS E DISCUSSÕES
A análise de variância apresentada na
Tabela 4 mostra que as adubações de
cobertura
testadas
causaram
efeitos
significativos para as variáveis estudadas,
sendo a nível de 1% para a PM e o RBAç, e a
nível de 5% para o RBAl. Carvalho (2003),
Figueredo (2004) e Moura et al. (2005)
também encontram efeito significativo da
adubação de cobertura nesses mesmos
parâmetros.
A média geral da produtividade dos
colmos foi de 58,97 t ha-1. Os tratamentos
(A1M1)2, (A2M1)2 e (N1)2 diferiram
estatisticamente do tratamento A0M0
(testemunha) como mostra a Figura 2, sendo
superiores ao mesmo, entretanto não
diferiram dos demais tratamentos. Este
resultado mostra que o parcelamento na
aplicação dos adubos de cobertura e a adição
de matéria orgânica podem influenciar
positivamente na produtividade média dos
colmos. Houve um acréscimo médio de
43,58% na produtividade dos colmos com
relação aos tratamentos que tiveram diferença
119
estatística significativa. O coeficiente de
variação foi 14,84%, classificado como médio
por Ferreira (2000).
A média geral do RBAç foi de 8,4 t
ha-1. Os tratamentos (A1M1)1, (A1M1)2,
(A2M1)2 e (N1)2 diferiram estatisticamente
do tratamento A0M0 (Figura 3), sendo
superiores ao mesmo, entretanto não diferindo
dos demais. Este resultado mostra que a
adição de matéria orgânica pode ter sido o
fator que influenciou o RBAç, exceto no
tratamento (N1)2, que sua superioridade aos
demais deve ter se dado pelo parcelamento na
sua aplicação. Azeredo (1997), também
verificou que a aplicação de nitrogênio à
cultura da cana-de-açúcar resultou em
resposta diferenciada sobre a produção final
de açúcar. O coeficiente de variação foi
14,53%, classificado como médio por Ferreira
(2000).
A média entre os tratamentos com
relação ao RBAl foi de 6,04 m3 ha-1. O
tratamento (N1)2 foi superior estatisticamente
ao A0M0, porém não diferiu-se dos demais
tratamentos (Figura 4). O parcelamento na
aplicação desse adubo de cobertura (uréia)
provavelmente foi o que ocasionou esse
aumento no RBAl, já que este elemento se
perde facilmente no solo, tanto por lixiviação
quanto por evaporação, e sua aplicação de
forma parcelada fez com que o mesmo tenha
sido assimilado mais eficazmente pela
cultura.
120
4 CONSLUSÕES
Os tratamentos com adubação mineral
e orgânica não diferiram estatisticamente
entre si, para as variáveis produtividade de
colmos, rendimento bruto de açúcar e de
álcool, independentemente do parcelamento
de suas aplicações.
O parcelamento na aplicação das
adubações de cobertura e a adição de matéria
orgânica influenciaram positivamente na
produtividade média dos colmos.
A matéria orgânica associada ao adubo
12-00-24 e o parcelamento dos adubos SC01
e uréia, contribuíram para um aumento
significativo no rendimento bruto de açúcar
em relação à testemunha.
O parcelamento na aplicação do adubo
uréia ocasionou aumento significativo no
rendimento bruto de álcool com relação à
testemunha.
121
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
AZEREDO, D. F. Eficiência da adubação
nitrogenada em cana-de-açúcar (Sacharum
spp.) em dois solos do Estado do Rio de
Janeiro: cana-planta. 1997. 167 f. Tese
(Doutorado em Ciências do Solo) –
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro,
Rio Janeiro, 1997.
FIGUEREDO, J. L. da. C. Efeitos de
diferentes lâminas de água e níveis de
adubação de cobertura na primeira soca da
cultura da cana-de-açúcar. 2004. 78 f.
Dissertação (Mestrado em Engenharia
Agrícola), Campina Grande, 2004.
IBGE. Produção Agrícola. Disponível em:
http:// www.ibge.gov.br. Acesso em: 12 dez.
2005.
CALDAS,
C.
Manual
de
análises
selecionadas
para
indústrias
sucroalcooleiras. Maceió: Sindicato da
Indústria e do Álcool do Estado de Alagoas,
1998. 424p
MARQUES, T. A.; SILVA, W. H. da.
Crescimento vegetativo e maturação em três
cultivares de cana-de-açucar. Revista de
Biologia e Ciências da Terra, Campina
Grande, v. 8, n. 1, p. 54-60, 2008.
CARVALHO, C. M. de. Rendimento da cana,
terceira folha, sob diferentes níveis de
irrigação nos tabuleiros costeiros da
Paraíba. 2003. 80 f. Dissertação (Mestrado
em Engenharia Agrícola) - Universidade
Federal de Campina Grande-PB, Campina
Grande, 2003.
MOURA, M. V. P. da S.; FARIAS, C. H. A.;
AZEVEDO, C. A. V.; DANTAS NETO, J.;
AZEVEDO, H. M.; PORDEUS, R. V. Doses
de adubação nitrogenada e potássica em
cobertura na cultura da cana-de-açúcar,
primeira soca, com e sem irrigação. Revista
Ciência Agrotécnica, Lavras, v. 29, n. 4, p.
753-760, 2005.
CASTILHO, C. P. G. Interceptação de
chuvas na cultura da cana-de-açúcar
(Saccharum officinarum ssp.). 2000. 256 f.
Dissertação (Mestrado em Engenharia
Agrícola) – Universidade Federal de
Campinas-SP, Campinas, 2000.
PASSOS, S. M. G.; CANÉCHIO FILHO, V.;
JOSÉ, A. Principais culturas. 2 ed.
Campinas: Instituto Campineiro de Ensino
Agrícola, 1973. p.18.
COLETI, J. T. Técnica cultural de plantio:
Cana-de-Açúcar. São Paulo: Fundação Cargil,
1987. 328p.
SILVA, F. de A. S. e ; AZEVEDO, C. A. V.
Versão do programa computacional Assistat
para o sistema operacional Windows. Revista
Brasileira de Produtos Agroindustriais,
Cmpina Grande, v. 4, n. 1, p. 71-78, 2002.
DOORENBOS, J.; KASSAN, A. H. Yield
response to water. Rome: FAO, 1979. 306p.
DSF. Projeto de Irrigação: pivô central
rebocável. Rio Tinto: União Agrícola Ltda,
1999. 73p.
EMBRAPA – Centro Nacional de Pesquisa de
Solos. Sistema brasileiro de classificação de
solos. Rio de Janeiro: EMBRAPA, 1999.
412p.
FERREIRA, P. V. Estatística Experimental
Aplicada à Agronomia. 3. ed. Maceió:
EDUFAL, 2000. 422p.
SILVA, F. de A. S. e ; AZEVEDO, C. A. V. .
A new version of the assistat - statistical
assistance
software..
In:
WORLD
CONGRESS
ON
COMPUTERS
IN
AGRICULTURE, 4., 2006, Orlando, USA.
Anais... Saint Joseph: ASABE, 2006. p. 393397.
SILVA, C. T. S. da. Efeito de diferentes níveis
de adubação. Sobre a produção da terceira
folha de cana, irrigada nos tabuleiros
costeiros da Paraíba. 2003. 82 f. Dissertação
(Mestrado em Engenharia Agrícola) –
Universidade Federal de Campina Grande,
Campina Grande, 2003.
122
SILVA, L. C. F. da; CASAGRANDE, J. C.
Nutrição
da
cana-de-açúcar:
Macronutrientes. Piracicaba: Planalsucar,
1983. 369p.
1
Eng. Agrônoma, Doutoranda pela UFRPE,
Recife-PE. [email protected]
2
Eng. Agrícola, PhD em Irrigação e
Drenagem, Professor Associado da UFCG,
Campina
Grande-PB.
Email:
[email protected]
3
Eng. Agronomo, Doutor em Irrigação e
Drenagem, Professor Associado da UFCG,
Campina
Grande-PB.
Email:
[email protected]
4
Eng. Agrônomo, Doutor em Recursos
Naturais, Detilaria Miriri, Capim-PB. Email:
[email protected]
123

Documentos relacionados

Protocolo 378

Protocolo 378 RESUMO: No sistema de irrigação por gotejamento subsuperficial pode-se citar várias vantagens, entre elas, de reduzir a perda de água por evaporação direta da superfície do solo, escoamento superfi...

Leia mais