efeito da alimentação pré-alojamento sobre o desempenho

Сomentários

Transcrição

efeito da alimentação pré-alojamento sobre o desempenho
EFEITO DA ALIMENTAÇÃO PRÉ-ALOJAMENTO SOBRE O DESEMPENHO DE
FRANGOS DE CORTE
PAULA C. CARDEAL¹; JÚLIA S.R. ROCHA¹; MARIANA A. POMPEU¹; MAURÍCIO P.F.
TEIXEIRA¹; LUIZ F.P. PEREIRA¹; KAMILLA R. SOARES¹; MARIANA M. SALDANHA¹;
NELSON C. BAIÃO²; LEONARDO J.C. LARA²
¹Pós-graduação em Zootecnia – EV/UFMG; ²Professores do Departamento de Zootecnia – EV/UFMG
e-mail: [email protected]
Resumo: Objetivou-se avaliar o efeito da alimentação pré-alojamento e do período entre o nascimento
e o alojamento sobre o desempenho de frangos de corte machos. O delineamento experimental foi
inteiramente ao acaso em esquema fatorial 3X2, sendo três períodos de alojamento (24, 48 e 72 horas)
e o fornecimento ou não de ração pré-alojamento na caixa de transporte. O fornecimento da ração préalojamento não melhora o desempenho das aves criadas até os 39 dias de idade e pintos de corte
podem ser alojados até 72 horas após o nascimento, sem prejuízo para o desempenho.
Palavras-chave: intervalo de alojamento; jejum; pintos de corte; transporte
Title: Effect of pre-housing feeding on the performance of broiler chickens
Abstract: It was conducted an experiment to evaluate the effect of pre-housing feeding and the period
between the hatching and housing on the performance of male broiler chickens. The experimental
design was a completely randomized in a factorial 3X2, three periods of housing (24, 48 and 72 hours)
and the supply or not of pre-housing feeding. The pre-housing feeding has not improve the
performance of broilers up to 39 days old and broiler chicks can be housing up to 72 hours after
hatching, without affecting it performance.
Keywords: housing period; fasting; broiler chicks; transport
Introdução: O bom manejo na fase inicial de criação de pintos de corte é fundamental para um bom
desempenho zootécnico no final da criação. Tem-se buscado alternativas para adiantar a alimentação e
hidratação dos pintos. Desse modo, o objetivo desse trabalho foi avaliar a eficiência da nutrição préalojamento e do período entre o nascimento e o alojamento no desempenho futuro de pintos de corte.
Material e Métodos: Foram utilizados 1080 pintos de um dia de idade, machos Cobb® descendentes
de matrizes com 48 semanas de idade. As aves foram dividas em seis tratamentos: A – Pintos alojados
24 horas após o nascimento, sem ração pré-alojamento; B – Pintos alojados 48 horas após o
nascimento, sem ração pré-alojamento; C – Pintos alojados 72 horas após o nascimento, sem ração
pré-alojamento; D – Pintos alojados 24 horas após o nascimento, com ração pré-alojamento; E –
Pintos alojados 48 horas após o nascimento, com ração pré-alojamento; F – Pintos alojados 72 horas
após o nascimento, com ração pré-alojamento. As aves dos tratamentos D, E e F receberam na caixa
de transporte 5g de ração/ave formulada para atender os níveis nutricionais da ração pré-inicial
proposta por Rostagno et al. (2011). O delineamento experimental foi o inteiramente ao acaso em
arranjo fatorial 3X2 (três períodos de alojamento X com ou sem fornecimento de ração préalojamento), constituído por seis tratamentos com seis repetições de 30 aves cada. As variáveis
normais e homogêneas foram avaliadas pelo teste de Tukey e as que violaram esses princípios foram
analisadas pelo teste de Kruskal-Wallis.
Resultados e discussão: Os resultados de desempenho na primeira semana de idade das aves estão
apresentados na tabela 1. Houve uma perda de peso progressiva à medida que se aumentou o intervalo
de alojamento das aves. Esses resultados estão de acordo com os obtidos por Baião (1994) que
observou perda de peso de até 10% devido à restrição alimentar dos pintos. Aos sete dias de idade os
animais que ficaram em jejum por 72 horas tiveram menor peso corporal, esses resultados corroboram
com dados existentes na literatura (Baião, 1994; Vieira e Moran, 1999). A utilização de ração préalojamento mostrou ter resultados positivos no desempenho das aves até sete dias, proporcionando
maior peso corporal e melhor conversão alimentar.
Tabela 1. Peso inicial (PI), perda de peso do nascimento até o alojamento (PP), peso corporal (PC),
consumo de ração (CR), conversão alimentar (CA) e viabilidade (VIA) aos sete dias de idade,
considerando o dia do alojamento
ALOJ
RAÇÃO
PI (g)
PP (%)
PC (g)
CR (g)
CA (g/g) VIA* (%)
24
4,7 a
196,5 ab
155,2 b
1,001 a
100,0 a
43,48 a
48
9,2 b
201,8 a
162,6 a
1,005 a
99,4 a
43,97 a
72
13,5 c
193,5 b
154,2 b
0,991 a
98,9 a
43,61 a
Sem
Com
43,70 A
9,1 A
193,6 B
155,9 A
1,014 B
99,6 A
43,67 A
9,2 A
201,0 A
158,8 A
0,984 A
99,4 A
CV (%)
2,3
4,8
3,2
3,5
2,2
Médias seguidas por letras distintas, minúsculas para intervalo de alojamento e maiúsculas para
fornecimento ou não de ração pré-alojamento, são diferentes pelos testes de Tukey e Kruskal-Wallis*
(p≤0,05).
Na tabela 2 são apresentados os resultados de desempenho das aves de um a 21 dias de idade. Aos 21
dias de idade os animais que ficaram 72 horas em jejum ainda apresentaram menor peso vivo do que
as aves que foram alojadas antes disso. Além disso, as aves que receberam alimentação na caixa de
transporte, independente do intervalo de alojamento, tiveram maior peso vivo aos 21 dias do que as
aves que não foram alimentadas na caixa. Porém, aos 39 dias de idade, no final do período
experimental, os tratamentos se igualaram em todas as variáveis avaliadas. E independente do período
entre o nascimento e o alojamento e do fornecimento ou não de ração pré-alojamento todas as aves
apresentaram o mesmo desempenho. Esses resultados estão de acordo com Baião (1994) e Agostinho
(2011).
Tabela 2. Peso corporal (PC), consumo de ração (CR), conversão alimentar (CA) e viabilidade (VIA)
de um a 21 dias de idade.
ALOJ
RAÇÂO
PC (g)
CR (g)
CA (g/g)
VIA* (%)
24
955,73 a
1251,66 a
1,372 a
99,17 a
48
959,12 a
1240,40 a
1,349 a
98,34 a
72
925,83 b
1211,00 a
1,367 a
97,78 a
Sem
Com
934,96 B
1223,13 A
1,368 A
98,70 A
958,83 A
1245,67 A
1,357 A
98,15 A
CV (%)
2,7
3,1
1,9
Médias seguidas por letras distintas, minúsculas para intervalo de alojamento e maiúsculas para
fornecimento ou não de ração pré-alojamento, são diferentes pelos testes de Tukey e Kruskal-Wallis*
(p≤0,05).
Conclusões: Conclui-se que o fornecimento da ração pré-alojamento não melhora o desempenho das
aves criadas até os 39 dias de idade e que pintos de corte podem ser alojados até 72 horas após o
nascimento, sem prejuízo para o desempenho, desde que se considere o primeiro o dia do alojamento.
Referências bibliográficas:
AGOSTINHO, T.S.P. Utilização de dieta pré-inicial na fase pré-alojamento de frangos de corte
oriundos de matrizes de diferentes idades. 2011. 105p. Dissertação de mestrado, Zootecnia –
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
BAIÃO, N.C. Efeito do intervalo entre o nascimento e o alojamento de pintos de corte sobre o
desempenho e digestibilidade da ração. 1994. 121p. Tese de doutorado, Ciência Animal –
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
ROSTAGNO, H.S. Tabelas brasileiras para aves e suínos. 2011. 3ed. Universidade Federal de
Viçosa, Viçosa.
VIEIRA, S.L.; MORAN Jr., T. Effects of delayed placement and used litter on broiler yields. The
Journal of Applied Poultry Research, v.8, p. 75-81, 1999.

Documentos relacionados