a formação territorial dos eua e a guerra de secessão

Сomentários

Transcrição

a formação territorial dos eua e a guerra de secessão
HISTÓRIA - 3o ANO
MÓDULO 47
A FORMAÇÃO
TERRITORIAL DOS
EUA E A GUERRA DE
SECESSÃO
Território do
Oregon
negociado
com a
Grã-Bretanha
1843
Território
negociado com a
Grã-Bretanha
Alaska - comprado
da Rússia em 1867
territórios
tomados
do México
Territórios
negociados
ou anexados
da Grã-Bretanha
Colorado
1876
Novo
México
1867
Gadsden
comprado do
México
em 1853
Território
do Texas
- Tomado do
México
1836/1845
MÉXICO
estado
independente
em 1821
Treze Estados
Originais
Grandes
Lagos
do
do 0
5
ma
To - 18
6
arni - 184
lifó
Ca éxico
M
Hawai
anexado
em 1898
Canadá - Colônia Inglesa
Flórida
comprada
da Espanha
em 1819
Luisiana
comprada da
França
em 1803
Como pode cair no enem
Na década de 30 do século XIX, Tocqueville escreveu as seguintes linhas a respeito da
moralidade nos EUA: “A opinião pública norte-americana é particularmente dura com a falta
de moral, pois esta desvia a atenção frente à busca do bem-estar e prejudica a harmonia doméstica, que é tão essencial ao sucesso dos negócios. Nesse sentido, pode-se dizer que ser
casto é uma questão de honra”.
(TOCQUEVILLE, A. Democracy in America. Chicago: Encyclopaedia Britannica, Inc., Great Books 44, 1990 [adaptado].)
Do trecho, infere-se que, para Tocqueville, os norte-americanos do seu tempo:
a) buscavam o êxito, descurando as virtudes cívicas;
b) tinham na vida moral uma garantia de enriquecimento rápido;
c) valorizavam um conceito de honra dissociado do comportamento ético;
d) relacionavam a conduta moral dos indivíduos com o progresso econômico;
e) acreditavam que o comportamento casto perturbava a harmonia doméstica.
Fixação
1) (UFRJ) Trens regurgitando com imigrantes de todos os países do mundo chegaram sem
aparar às terras baixas. (...) todos misturados nessa maré de procuradores de terras que seguia
-para onde o Sol se punha, onde um vale de terras férteis havia sido destinado pelo bondoso
rTio Sam ao enriquecimento de todos os homens... As ruas se enchiam de estranhos. Toda a
conversa era sobre quinhões, lotes e terras. Pouco a pouco, à medida que o Sol se punha, os
“procuradores” voltavam de suas excursões ao território sem dono, famintos, cansados, mas
jubilantes.
(Hamlin Garland, séc. XIX)
A expansão territorial dos EUA no século XIX, ocorrida através da anexação, da compra e da
incorporação de territórios conquistados em guerras, completou-se em 1867. Nesse processo
de expansão, destaca-se a contribuição de milhões de imigrantes europeus no povoamento
do território.
a) Cite DUAS consequências da expansão territorial dos EUA no século XIX.
b) Explique um fator conjuntural europeu que tenha contribuído para o aumento da emigração
para a América na segunda metade do século XIX.
Fixação
2) (UERJ) Precisamos manter para sempre o princípio de que só o povo deste continente tem
o direito de decidir o próprio destino. Se, porventura, uma parte desse povo, constituindo um
estado independente, pretendesse unir-se à nossa Confederação, esta seria uma questão que
só a ele e a nós caberia determinar, sem qualquer interferência estrangeira.
(Primeira mensagem anual do presidente Polk ao Congresso dos Estados Unidos. In: SYRETT, H.C., org. Documentos Históricos
dos Estados Unidos, Cultrix, s/d.)
O discurso acima, de 2 de dezembro de 1845, reafirmava a crença do presidente Polk na
expansão do território americano.
O conjunto de ideias que melhor explicita essa crença é:
a) o New Deal;
b) a Doutrina Truman;
c) o Destino Manifesto;
d) a Política de Boa Vizinhança.
Fixação
m3) (UERJ) (...) era como se os Estados Unidos tivessem como objetivo uma missão civilizatória
junto aos povos da América Latina.
(Hervert Croly, The Promisse of American Life)
e
A consolidação do capitalismo nos Estados Unidos da América, ao longo do século XIX,
identificou-se em seu processo de expansão territorial, que se relaciona corretamente com o(a):
a) Destino Manifesto, que fundamentava a distinção política e econômica entre os estados
sulistas escravocratas e os nortistas industriais.
b) Fim da guerra hispano-americana que acarretou a incorporação da Flórida, de Cuba e da
zona do Canal do Panamá.
c) Vitória no conflito contra o México, que resultou na anexação dos territórios do Texas, Novo
México e Califórnia.
d) Marcha para o Pacífico, que estendeu o território americano até a costa oeste, com a invasão
e a ocupação do Alasca e dos territórios do noroeste do Canadá.
e) Doutrina Monroe, que ratificou a compra dos territórios franceses e ingleses na América,
tais como a Luisiana e o Oregon.
Fixação
4) (UFF) A Guerra de Secessão, nos Estados Unidos da América, promoveu a implantação de
novas bases para a nação americana, porque a vitória do Norte:
a) desencadeou o movimento racista de oposição ao desenvolvimento da modernização americana que culminou com a fundação da Ku Klux Klan;
b) acelerou o processo de estabelecimento do capitalismo no Sul, permitindo a unificação
de mercados, o desenvolvimento urbano e o melhor aproveitamento das matérias-primas e
produtos agrícolas do Sul;
c) não significou a eliminação do peso político do Sul que, no início do século XX, retomou sua
hegemonia econômica com a anexação do Texas;
d) expôs o grande dilema americano do “destino manifesto” e determinou a supremacia da
perspectiva econômica agrária sobre a industrial;
e) teve consequências cruciais para os escravos do Sul, pois, produziu uma legislação social
que excluía os negros da terra, com a proibição do trabalho dos ex--escravos.
Fixação
5) (PUC) Responda à questão com base no texto a seguir, que reproduz um trecho de célebre
mensagem do presidente dos Estados Unidos ao Congresso desse país, em 1823.
Julgamos propícia esta ocasião para afirmar como um princípio que afeta os direitos e
interesses dos Estados Unidos que os continentes americanos, em virtude da condição livre
e independente que adquiriram e conservam, não podem mais ser considerados, no futuro,
o como suscetíveis de colonização por nenhuma potência europeia.
O princípio a que se refere a mensagem presidencial tornou-se um fundamento da política
aexterna norte- -americana conhecido como ______, que seria a base ideológica de um conjunto
de ações políticas chamado ______ e que, no contexto original de sua formulação, dirigia-se
contra os propósitos do grupo de países europeus articulados na ______.
a) Doutrina Monroe — Isolacionismo — Tríplice Entente.
b) Diplomacia do Dólar — Pan-Americanismo — Santa Aliança.
c) Diplomacia do Dólar — Isolacionismo — Santa Aliança.
d) Diplomacia do Dólar — Pan-Americanismo — Tríplice Entente.
e) Doutrina Monroe — Pan-Americanismo — Santa Aliança.
Fixação
6) (PUC) A Idade de Ouro, na segunda metade do século XIX, corresponde ao período em que
os Estados Unidos se tornaram efetivamente um país industrializado. Vários fatores conjugados
contribuíram para a arrancada dos EUA, EXCETO:
a) a ampliação do trabalho escravo para as áreas do Oeste que foram posteriormente incorporadas à União, sendo um dos motivos da Guerra de Secessão;
b) as condições excepcionais do território em recursos naturais e fertilidade do solo, contando
ainda com uma extensa rede ferroviária e fluvial para os transportes;
c) o estímulo do governo com o Homestead Act de 1862 (Ato da Propriedade Rural), doando
160 acres de terras a quem se dispusesse cultivá-las, no mínimo, durante 5 anos;
d) o desenvolvimento do mercado interno e da urbanização crescente, além da adoção de
medidas de protecionismo e estímulo aos empresários;
e) a criação da Lei Antitruste Sherman, em julho de 1890, com o objetivo de punir as empresas
que violassem as leis da livre concorrência.
Fixação
7) (PUC) Nos Estados Unidos, a Guerra de Secessão (1861-65) teve como uma de suas causas:
sa) a abolição da escravatura em todos os estados;
b) a eleição de Abraham Lincoln para a Presidência;
c) a industrialização do Sul em prejuízo do Norte;
d) a adesão do Oeste aos estados sulistas;
e) a posição tomada pelo Congresso de apoio ao Sul.
Fixação
8) (UFRRJ)
Em todos os sistemas sociais, é preciso haver uma classe para desempenhar as tarefas
indignas, para fazer o que é monótono e desagradável (...) nós a chamamos escravos. (...)
não chamarei a classe existente no norte usando esse termo; mas vocês também os possuem; (...) A diferença entre nós, é que os escravos são contratados pela vida toda, e são
bem recompensados; não há fome, nem mendicância, nem desemprego entre nós, e nem
excesso de empregos, também. Os de vocês são empregados por diárias, não são bem
tratados, e têm escassa recompensa, o que pode ser provado, da maneira mais deplorável,
a qualquer hora, em qualquer rua de suas cidades. Ora, pois a gente encontrava mais mendigos em um dia, em uma só rua de Nova lorque, do que os que se encontram durante toda
uma vida no sul inteiro. Nossos escravos são pretos, de uma raça inferior; (...) os de vocês
são brancos, de sua própria raça; são irmãos de um só sangue.
Senador Hammond, Carolina do Sul.
(ln: HUBERMAN, Leo. História da Riqueza dos EUA. São Paulo, Brasiliense, 1978. p.158.)
No período anterior à Guerra de Secessão, o senador sulista norte-americano buscava mostrar,
em defesa da manutenção da escravidão nos estados do Sul dos Estados Unidos da América, que:
a) enquanto os sulistas mantinham escravos negros descendentes de africanos, a nobreza
feudal nortista mantinha servos brancos descendentes de europeus;
b) o estilo de vida sulista tendia a ser muito mais moderno e civilizado que o nortista;
c) as indústrias do Sul funcionavam de maneira bem mais eficaz que a agricultura nortista;
d) a miséria decorrente da escravidão poderia ser tão danosa à economia nortista
quanto era no sul dos EUA;
e) os efeitos da implantação do capitalismo industrial no Norte eram piores para os trabalhadores do que a escravidão.
Fixação
9) (FGV) A Ku Klux Klan representa, entre as organizações de segregação racial, uma das mais
conhecidas. Surgida e proibida na segunda metade do século XIX, ainda hoje tem adeptos que
a fazem ressurgir em atos isolados e, muitas vezes, apenas simbólicos.
Sobre a KKK, é CORRETO afirmar que:
a) foi uma resposta de intimidação à vitória do Sul na Guerra de Secessão e à abolição dos
escravos nos EUA;
b) é uma organização que se inicia no norte dos EUA, após o assassinato de Lincoln, representando o interesse dos republicanos feridos pela derrota na Guerra de Secessão;
c) sua criação está relacionada ao repúdio de setores segregadores sulistas à aprovação da
13a e da 14a Emendas Constitucionais, que buscaram definir as relações inter-raciais nos EUA,
após a Guerra de Secessão;
d) constituiu uma organização secreta, de segregação racial, responsável pela campanha e
pela vitória de Lincoln, nas eleições presidenciais de 1860, pelo partido republicano;
e) foi uma resposta, dos negros sulistas, e uma política de integração racial, autoritária e
desigual, proposta pelos Estados Confederados.
a
Fixação
10) (UERJ)
A tela de John Gast simboliza a difusão de progressos materiais, como as ferrovias e o
telégrafo, nos EUA, no decorrer do século XIX. Essas mudanças contribuíram para a conquista
de novos territórios e foram justificadas pelo seguinte conjunto de ideias:
a) Doutrina Monroe;
b) Política do Big Stick;
c) Política da Boa Vizinhança;
d) Doutrina do Destino Manifesto.
Fixação
11) (UERJ)
Eu sou um homem, e é todo o passado do mundo que preciso retomar. Cada vez que um
homem fez triunfar a dignidade do espírito, cada vez que um homem disse não a uma tentativa
de escravização de seu semelhante, eu me senti solidário com sua atitude. Eu, homem de
cor, quero apenas uma coisa: que nunca mais haja escravização do homem pelo homem.
(FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: UFBA, 2008.)
As décadas de 1950 e 1960 foram marcadas por movimentos sociais contra políticas de
discriminação em sociedades americanas e africanas. A foto e o texto remetem a uma conjuntura histórica em que proliferaram movimentos defensores da:
a) revisão dos códigos penais;
b) expansão dos direitos civis;
c) abolição das hierarquias sociais;
d) valorização das diferenças étnicas.
Proposto
1) (UFF) Imbuídos da moral protestante e movidos pelo sonho de uma nova vida proveniente
das transformações industriais europeias, os pioneiros da marcha para o oeste iniciaram a
grande obra de povoamento do território norte-americano e de reconhecimento de suas riquezas.
Considerando-se o aspecto histórico do alargamento de fronteiras nos Estados Unidos,
pode-se dizer que a marcha para o oeste:
a) foi o marco inicial da expansão da economia norte- -americana, uma vez que os pioneiros
eram organizados pelo Estado e deveriam auxiliá-lo na eliminação dos índios;
b) significou a abertura de um conflito entre os vários tipos de pioneiros e teve como consequências a Guerra de Secessão e a autonomia dos Estados da federação norte-americana;
c) teve como repercussões, apenas, a matança dos índios e a fabricação de heróis dos filmes
de faroeste;
d) revelou um território rico que teve condições de ser ocupado graças à aliança entre os
pioneiros e os índios;
e) constituiu um dos marcos da identidade homem-terra na construção da nação norte-americana, possibilitando o alargamento do território.
Proposto
2) (UERJ)
Vá para o Oeste, jovem, e cresça com o país.
.
Essa
expressão,
criada
por Horace Greeley, em 1851, simboliza a expansão territorial
,
realizada pelos Estados Unidos ao longo do século XIX.
Relacione a “marcha para o Oeste” com a doutrina do “Destino Manifesto”.
s
-
s
-
Proposto
3) Cite duas estratégias utilizadas pelos EUA para a expansão de suas fronteiras, ao longo do
século XIX.
Proposto
4) (PUC) Responder à questão com base nas afirmativas abaixo, sobre a expansão territorial
dos Estados Unidos no século XIX.
I) A expansão territorial para o Oeste foi o principal fator de isolamento político do Sul escravista,
pois todos os novos Estados proibiam a escravidão, seguindo o texto original da Constituição
de 1787.
II) Sob o impulso inicial da iniciativa privada, a expansão para o Oeste efetivou-se com diferentes modalidades de participação do Estado, como a conquista militar e a compra de territórios.
III) A chamada “corrida do ouro” foi o principal fator da ocupação inicial do extremo Oeste, na
primeira metade do século e, na segunda metade, a expansão ferroviária foi fundamental para
a ocupação efetiva do Centro-Oeste.
IV) O processo político de incorporação de um novo Estado à União contrariava o espírito
federativo, pois esses novos Estados tinham suas constituições outorgadas pelo Congresso,
com aprovação da Suprema Corte e do Presidente da República.
Pela análise das afirmativas, conclui-se que somente estão corretas:
a) I e II
d) II e IV
b) I e III
e) III e IV
c) II e III
Proposto
5) (UFRRJ) (...) A depressão industrial de 1811 deveu-se não tanto ao funcionamento do Sistema
Continental de Napoleão ─ embora isso tivesse impedido o comércio com a Europa ─ mas sim ao
súbito fechamento do mercado americano, em reação aos decretos retaliatórios da Grã-Bretanha.
Bancos faliram e o comércio de exportação entrou em colapso. E, além de tudo isso, ocorreu uma
sucessão de más colheitas, de 1809 a 1812 o preço do trigo, que tinha sido em média 107s. 3 1/2d.
por quarto, no período de 1800-1813, subiu, em agosto de 1812, para o pico sem precedentes de
156s., em Londres, e 180s., em Yorkshire.
(RUDÉ, George. A Multidão na História. RJ: Campus, 1991. p. 84-5.)
No início da década de 10 do século XIX, a Europa e a América atravessavam um período
de crise e mudança que afetava dramaticamente a área original da chamada “Revolução Industrial”. A reação dos trabalhadores frente àquela crise e a consequência dos desentendimentos
entre britânicos e norte-americanos naquele momento, respectivamente, foram:
a) a organização de uma greve geral que acabou por derrubar o governo inglês e a declaração
do presidente James Monroe contra a intervenção britânica na América (Doutrina Monroe);
b) a mobilização operária em torno de petições ao Parlamento contra a alta de preços (cartismo)
e a proibição britânica do comércio triangular realizado por comerciantes norte-americanos;
c) a criação de sindicatos (trade-unions) para organizar a luta operária e a declaração de Independência norte-americana contra os decretos britânicos (“Leis Intoleráveis”);
d) o início da emigração para a América fugindo do desemprego e da miséria e a proibição
da entrada de ingleses nos Estados Unidos agravando a crise econômica na Grã-Bretanha;
e) a ação dos “ludistas” na destruição das máquinas e a Segunda Guerra de Independência (181214), quando os norte-americanos reafirmaram o fim do domínio colonial inglês.
Proposto
6) (UERJ)
COMPROMISSO DO MISSOURI - 1820
- Território aberto
à Grã-Bretanha
e aos Estados
Unidos -
Missoury
Michigan
Michigan
novo território 1820
42°
36°
Territórios
Espanhóis
Arkansas
30°
-
o
49°
Grandes
Lagos
Oregon
Flórida
Estados
não escravistas
Territórios
Ingleses
Estados
escravistas
Territórios abertos
à escravidão
(KOSHIBA, L. & PEREIRA, D. M. F. Américas: uma introdução histórica. São Paulo: Atual, 1992.)
O motivo que levou à assinatura do compromisso de Missouri, apresentado graficamente acima,
está expresso em:
a) Controle do apoio do norte capitalista à luta abolicionista no sul.
b) Defesa dos territórios escravocratas diante do expansionismo capitalista do norte.
c) Ampliação do comércio entre o norte manufatureiro e o sul produtor de matérias-primas.
d) Manutenção do equilíbrio de poder entre representantes congressistas escravistas e não
escravistas.
Proposto
7) (UFRRJ)
A União compreendia 23 Estados, com cerca de 28 milhões de habitantes; os Confederados
tinham 11 Estados com uma população de cerca de 9 milhões de indivíduos, dos quais 3 milhões
e 500 mil eram escravos. O sistema ferroviário da União era mais extenso e de melhor qualidade
que o dos confederados. Estes dependiam de armas, munições e medicamentos importados, o
que não ocorria com a União devido ao desenvolvimento industrial do Norte. Além do mais, os estaleiros
do Norte reforçavam sua esquadra cujos navios afundaram os dos confederados e bloquearam os portos
sulistas cortando ligações com o exterior.
(AQUINO, R.S.L. et alli. História das Sociedades: Das Sociedades Modernas às Sociedades Atuais. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1983, p.
174.)
Sobre a Guerra de Secessão, ocorrida nos Estados Unidos entre 1861 e 1865, é correto afirmar que:
a) as suas causas encontram-se nas medidas protecionistas tomadas pelos estados do Sul em processo de industrialização, uma vez que estes estavam sufocados pela concorrência dos produtos mais
baratos do norte industrializado;
b) ela tem início como uma reação do Norte ao predomínio de sulistas no congresso americano, o que
fez com que os estados do Norte, apesar de altamente industrializados, ficassem com a fatia menor
do orçamento da União;
c) os exércitos confederados se levantam contra a política discriminatória de sucessivos presidentes
do Norte, que praticamente excluem o Sul de quaisquer investimentos para industrializar-se, aplicando
durante anos a quase totalidade de recursos em estados do Norte;
d) a classe dominante sulista, a burguesia mercantil, objetivava a constituição de um vigoroso mercado
interno para escoar a produção agrícola de sua região, ao contrário dos estados do Norte, cuja classe
dominante, a Burguesia Industrial, tinha como objetivo primeiro a ênfase no mercado externo;
e) o conflito teve como um dos principais motivos as rivalidades cada vez maiores entre o norte industrializado e o Sul escravocrata em torno de problemas como a libertação dos escravos, desejada por
políticos do Norte, que desorganizaria de modo central a economia agrícola sulista.
Proposto
8) (PUC) A catástrofe ocorrida em Nova Orleans, em 2005, chamou atenção do mundo para
as diferenças existentes entre o sul e o norte dos Estados Unidos, que se tornaram evidentes
desde a Guerra de Secessão (1861-65). É CORRETO afirmar que essa guerra resultou:
a) na integração dos ex-escravos como cidadãos norte--americanos sem direito à participação
na vida social e política do país;
b) no deslocamento em massa dos brancos sulistas, que passaram a se integrar ao processo
de desenvolvimento industrial do Norte;
c) na ruína dos latifundiários que, após a reforma agrária, tiveram as suas grandes propriedades
divididas e distribuídas aos negros;
d) na aprovação de leis que consolidaram a segregação racial nos estados sulistas para impedir
-a concessão de direitos aos negros.
o
-

Documentos relacionados

A época da independência, o território dos Estados Unidos era

A época da independência, o território dos Estados Unidos era fórnia, Colorado, Novo México, Nevada, Utah e Arizona, recebendo a título de pagamento cerca de 15 milhões de dólares. Com a expansão, os Estados Unidos se tornaram um dos maiores países do mundo....

Leia mais