o genero resumo escolar/aca emico

Сomentários

Transcrição

o genero resumo escolar/aca emico
SE<;AO 1
o
genero resumo
escolar/aca emico
PARA COME<;AR A CONVERSA •••
objetivo maior deste material e ajuda-lo a produzir resumos escolares/ academicos que possam ser considerados bons pelos seus professores. Para isso, vamos iniciar discutindo algumas ideias que voce
tern sobre esse tipo de resumo.
1. Leia os resumos a seguir do
artigo A cultura da par.. de
()
Leonardo Boff'. Mesmo sem
Ele diz que a cultura
ainda ter lido
caracteriza
cionado,
0
texto men-
assinale
que acredita ser
0
0
resumo
melhor re-
sumo escolar / academico.
pela vontade
<;:ao da natureza
slvel superar
que
e
humana
violencia.
a violencia?
pos-
Freud diz
0
instinto
Boff diz que a evoluc;ao
sempre
esteve
Em segundo
patriarcal
regida
a domina-
e
ti<;:ao. Veja-se, por exemplo,
ro de atos
de violencia
em Sao
opor a cultura
Paulo.
pela
lugar, a cul-
instalou
logica de nossa cultura
mulher
E
e do outro.
<;:aoda mulher pelo homem
2 Artigo disponivel no site http://
www.leonardoboff.com!. Ultimo acesso em
18!02l2004. Originalmente publicado no
Jornal do Brasil, 8 de fevereiro de 2002, p. 9.
se
de domina-
imposslvel controlar
de morte.
tura
dominante
e que a
a compe0
nume-
contra
a
Precisamos
da paz it cultura
da
violencia. Onde buscar as inspirac;6es
I
para a cultura
cidades
da paz? Somos
de afetividade.
Desde os tempos
e a essencia
0 homem
nos devemos
temos
pode intervir no processo
de Cesar Augusto,
do ser humano.
saG figuras que deram
todos
seres socials e cooperativos,
os filosofos
Gandhi,
acham
exemplo de comportamento
de evolu<;:ao.
que
Dom Helder Camara
capa-
cuidado
0
e Luther King
humano.Eu
acho que
lutar pela paz.
()
Leonardo
Boff inicia
artigo
0
"A cultura
que vivemos em uma cultura
violencia.
Diante disso,
violencia
poder
mentos
0
autor levanta a questao
ser superada
que sustentam
caracterlsticas
ou nao.
mesmo
humanas
humana
tura,
no planeta.
poder
0
que
Segundo
0
de recursos
humano
seria
amorosa
com a realidade,
partir dessas
cuidado,
constata<;:6es,
as potencialidades
humanas
partir de nos mesmos,
definido
for<;:as, Boff considera
teologo
a
levar
conclui,
a paz como
da paz
extin<;:ao da vida
essa cul-
de componentes
cooperativos,
como
a
criadores
sendo
e
do ser
uma rela<;:ao
supera<;:ao da violencia.
incitando-nos
para a paz, construindo
tomando
uma cultura
e de que a essencia
pelo autor
e
diffcil sua supera-
saG providos
sociais,
que poderia
0
pois as proprias
seria posslvel construir
para limitar a violencia
argu-
de for<;:as naturais
tornando
dessas
de essa
ele apresenta
nos levando
autor,
nos perm item sermos
dotados
0
da possibilidade
estabelecermos
pois esta estaria
pelo fato de que os seres humanos
geneticos
pela
e um conjunto
e indispensavel
a da violencia,
fato de
Inicialmente,
da violencia,
reconhecendo
que, nesse momento,
contra
0
fundamentalmente
a tese de que seria imposslvel,
psicologicas
sociais refor<;:ariam essa cultura
<;:ao. Mas,
da paz" apontando
que se caracteriza
projeto
a despertar
a cultura
pessoal
A
da paz a
e coletivo.
()
No artigo
"A cultura
construirmos
a cultura
que isso e posslvel,
geneticas
da paz",
especiais
Leonardo
Boff defende
da paz a partir de nos mesmos.
uma vez que
0
homem
que Ihe permitiriam
e dotado
a necessidade
de
0 autor considera
de caracterlsticas
vencer a violencia.
- - =c
alternativas
c:.5
es
_ =-~-
0
que justifiquem
a escolha
do melhor resumo
que foram dad os.
gramatical e lexico adequado a situa<;:aoescolar I academica;
das informa<;:oes consideradas importantes pelo leitor e autor do
_;. - •-0
0;
:;. ~o
5~
das informa<;:oescolocadas como as mais importantes no texto ori-
al;
dica<;:aode dados sobre
o resumo permite que
0
0
texto resumido, no minimo autor e titulo;
professor avalie a compreensao do texto lido,
incluindo a compreensao global,
0
desenvolvimento
das ideias do texto e
a articula<;:aoentre elas;
apresenta<;:ao das ideias principais do texto e de suas rela<;:oes;
) comentarios pessoais misturados as ideias do texto;
) men<;:aoao autor do texto original em diferentes partes do resumo e de
formas diferentes;
(
) men<;:aode diferentes a<;:oesdo autor do texto original (0 autor questiona,
debate, explica ... );
(
) texto compreensivel por si mesmo;
(
) copia de trechos do texto original sem guardar as rela<;:oesestabelecidas pelo
autor ou com rela<;:oesdiferentes.
Procure recuperar resumos escolaresl academicos que voce ja fez. Com qual dos
resumos aqui apresentados ele(s) mais se assemelha(m)?
o que
voce ja sabe sobre a escrita de resumos? Converse com seus colegas e troque
seu conhecimento sobre
0
tema.
Que livros voce conhece que falam sobre resumo escolar I academico ou explicam
como faze-Io? Traga a referencia bibliografica e troque informa<;:oescom seus colegas.
Voce ja procurou pesquisar na biblioteca de sua escolal faculdade para ver se ha
alguma bibliografia sobre
0
tema? Voce ja pesquisou na Internet?
SE<;AO
61
A localiza~io e explicita~io
das rela~oes entre as ideias
mais relevantes do texto
seguir, vamos trabalhar com a organizaqao global do texto e com as
relaqaes entre as ideias centrais, pois, no resumo, devemos mostrar essa
organizaqao e reproduzir claramente essas relaqaes, tais como se encon tram no texto original.
~-
Posi~io do autor
J
2. No esquema construido, por enquanto, voce tem apenas as ideias mais relevantes. Entretanto, no resumo, como ja foi dito, devemos manter as relacroes
que
0
autor estahelece entre elas (de exemplificacrao, de causal conseqiiencia,
de explicacrao, de conc1usao etc.). Vma das formas de indicar essas relacroes
e 0 uso
de conectivos ou organizadores textuais. Assim, utilize os conectivos
ahaixo para completar os sete quadros destacados no esquema, explicitando
essas relacroes. Se necessario, retome ao texto.
Porque,
portanto,
mas
3. Escolha outros conectivos
que possam substituir os tres conectivos
do
item anterior, para indicar:
argumentos ou justificativas:
. conclusoes:
. teses contrarias uma
a outra:
Logo - ja que - no entanto - assim todavia - pe10 fato de - devido a isso posto -
ainda que -
Conectivos que indicam
contraste entre ideias ou
argumentos contrarios
como -
entre tanto apesar de -
por isso -
uma vez que contudo -
pon§m -
Conectivos que introduzem conc1usoes
assim sendo
Conectivos que introduzem argumentos,
justificativas, causas
5. V na as duas oracroes em um s6 periodo. Estahelecra as relacroes de diferentes formas usando os conectivos
a. Paulo ;altau
adequados. Siga
a aula. Ele estava doente.
Paulo fi;iltou a aula porque estava doente.
Como Paulo estava doente, faltou
a aula.
Pelo fato de estar doente, Paulo faltou
a aula.
0
exemplo a.
6. Identifique os conectivos
dos trechos de textos abaixo. Orientando-se
por e1es, complete as tabelas.
Nao acredite
em nenhum
crftica de textos
-
intrinsecamente
sar de modo
uma
nao porque
independente
Conectivo
os metodos
de pensamento
que
13 de outubro
"metodologia"
nao
para fazer
ou as metodologias
porque
e de desfrutar
de Hans Ulrich Gumbrecht,
no Mais, domingo,
Argumentos
ou (pior)
maus, mas simplesmente
dimensao
(adaptado
"metodo"
eles
0
sua liberdade
admita
sejam
impedem
de pen-
intelectual
regularidades
em
rfgidas
Crftica. IN: Fo/ha de S.Pau/o,
Cader-
de 2002).
que sustentam a tese
que introduz os argumentos
Uma pesquisa
de comunica<;:ao
descobriu
que as pessoas
ouvir ou ver comunica<;:6es que apresentem
do e a evitar
pessoas
escolhem
interesses
mostra
as demais.
que as pessoas
daquele
maneira
relevante,
ram-se
material
que
os fumantes
menos
"Iembram"
as ataca.
tambem
0
0
cancer.
revelam
com seus pontos
mais do material
Finalmente,
tendem
que as
de vista e
A pesquisa
tambem
que ap6ia suas ideias
aspectos
de
e seletiva a percep<;:ao ou interpreta<;:ao.
Por
fumantes
Portanto,
e sob
a ler,
de vista do seu agra-
pesquisas
que os contraria.
que leram artigos
que os nao
real mente provocar
de outras
que combina
e evitam, amplamente,
do que
exemplo,
0
Duzias
pontos
certos
sobre fumo e cancer
com
a possibilidade
preocupade
e 6bvio que, se as pessoas
0
fumo
procu-
ram evitar as comunicas;6es
e interesse,
aquelas
se tendem
de que conseguem
s;6es coletivas
(adaptado
coletiva".
possam
de Joseph
Conectivo
de vista
Ihes causar
nao
mudans;a
1964. "as
e
provavel que as comunicade pontos
de vista.
efeitos sociais da comunicaS;ao
Sao
pp. 64-67.)
que introduz a tese
os organizadores
Seerao 1. Agora,
organizadores
0
seu pontos
que sustentam a tese
7. Identifique
Para que
lembrar-se,
Klapper.
que contrariam
as que recebem ese, final mente, alteram
In: Panorama da comunicap30 coletiva. Ed. Fundo de Cultura,
Paulo-Lisboa.
Argumentos
coletivas
a esquecer
textuais utilizados
compare esses dois resumos
nos Resumos
1 e 2 da
em relaerao ao uso dos
textuais. 0 que se pode concluir?
resumo seja claro e coerente, e precise indicar as rela~5es entre as ideias
do resumo e explicitar as rela~5es entre as ideias do texto. Para isso, utilizamos os
organizadores textuais (ou conectivos) que melhor expressem as rela~5es entre as
ideias do texto. original.
Procure localizar -
nos artigos que voce ja pesquisou para a se~ao anterior -
conectivos que unem as ideias do texto
e
substitua-os por outros semelhantes.
os

Documentos relacionados